Page 7

B3

Sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Carapicuíba é contemplada com nova ambulância para o SAMU O prefeito de Carapicuíba, Marcos Neves (PV), esteve na terça-feira, 10, na sede da Prefeitura de São Paulo para receber do Ministério da Saúde uma nova ambulância para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da cidade. Na ocasião, um total de 81 ambulâncias foi destinado para cidades do Estado de São Paulo. “É com muita alegria que quero contar para vocês que nossa cidade recebeu uma nova ambulância do governo federal, por meio do Ministério da Saúde”, escreveu Neves em uma rede social. O objetivo do SAMU, que

funciona 24 horas por dia, é socorrer rapidamente pacientes com necessidade de serem levados a unidades que prestam serviços de urgência ou emergência. Esses serviços incluem hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA), para atendimentos clínicos, cirúrgicos, obstétricos, entre outros, evitando sofrimento, sequelas ou, mesmo, a morte. “Carapicuíba precisa de muitas melhorias, principalmente na área da saúde que é a nossa prioridade”, continuou o prefeito. Atualmente, o SAMU de São Paulo atende 81,29% da população e está pre-

sente em 377 municípios, incluindo Carapicuíba. “Estamos trabalhando pela saúde de Carapicuíba. A população merece um atendimento melhor”, finalizou o prefeito, que estava acompanhado da vice-prefeita, Gilmara Gonçalves (PSB). De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre de Barros, também presente ao evento, o critério utilizado para a entrega das ambulâncias foi o tempo de uso dos antigos veículos, que têm funcionamento regular. O objetivo é substituir os modelos que têm até cinco anos de circulação sem renovação.

Neves e Gilmara estiveram na Prefeitura de São Paulo para receber o veículo

Jaci Tadeu contesta valor da dívida e diz ter deixado saldo positivo no ‘caixa’ da Prefeitura de Itapevi A Prefeitura de Itapevi divulgou no final da semana passada, através de material enviado à imprensa, que, ao assumir a atual gestão do Poder Executivo, o prefeito Igor Soares (PTN) teria registrado dívidas deixadas pelo seu antecessor, o ex-prefeito Jaci Tadeu (PV), no valor aproximado de R$ 43 milhões. A informação teria sido apurada até a tarde da quarta-feira, 4, e transmitida ao atual prefeito pelo novo secretário de Finanças da municipalidade, José Mauro da Silva. Segundo os dados preliminares apresentados pelo secretário, o montante de restos a pagar tem o valor exato de R$ 34.753.670,51, além de outros R$ 8.750.000,00 não pagos ao ItapeviPrev, o Fundo de Previdência do Município. Ainda segundo o material divulgado à imprensa, a falta desses pagamentos teria resultado no corte de serviços essenciais para a municipalidade, como por exemplo o abastecimento de combustível às viaturas da Guarda Civil Municipal (GCM) nos dois últimos dias do ano passado. A circulação das ambulâncias também teria sido comprometida nesse período. “Já regularizamos esta situação no primeiro dia útil de trabalho, por entender que a população não pode ficar sem os serviços destas duas importantes áreas, segurança e saúde”, destacou o prefeito Igor Soares. JACI CONTESTA De posse de tais informações, o jornal Página Zero entrou em contato com o ex-prefeito Jaci Tadeu que se disse surpreso com as informações, algumas delas – segundo ele – improcedentes. Jaci admite ter deixado o montante divulgado pela Prefeitura como restos a pagar já no início de 2017, mas afirma categoricamente que deixou saldo positivo no caixa da municipalidade: “Esses 34 milhões divulgados configura-se realmente numa dívida consolidada para pagamento de fornecedores e até de pessoal. Neste caso, da folha de pessoal, são aproximadamente R$ 19,6 milhões que deveriam ser pagos aos servidores na primeira semana do mês e que não tinha como pagá-los no final do ano. É uma despesa a ser paga na data certa”, disse Jaci que enfatizou: “apesar disso, o que a Prefeitura não divulga é que, para pagamento de todas essas despesas, deixei um saldo positivo no caixa de aproximadamente R$ 39 milhões, portanto superior ainda ao montante

de restos a pagar”. A fim de demonstrar estar em dia com sua própria contabilidade, o ex-prefeito fixou o valor exato desse saldo positivo, que é de R$ 39.398.790,12. Sobre o débito de R$ 8,75 milhões com o ItapeviPrev, Jaci também admitiu a monta, mas justificou: “assim como todos os municípios brasileiros, fomos atingidos pela grave crise econômica do ano passado e realmente deixei de recolher a cota patronal do ItapeviPrev durante os três últimos meses de mandato (outubro, novembro e dezembro), resultando nesse valor divulgado. Porém, durante o processo de transição de governo, propus à equipe do novo prefeito que fizéssemos um parcelamento desse total e, atendendo à sugestão do próprio Igor Soares encaminhamos e vimos aprovado pela Câmara Municipal uma lei que negociou esse débito em 60 parcelas”. Sobre a falta de combustível para viaturas e ambulâncias, o ex-prefeito disse e questionou: “Desconheço essa situação. Sei que existe um contrato vigente com um posto de gasolina da cidade e não sei porque não foi utilizado. Se o prefeito resolveu isso logo no primeiro dia útil como afirma ter feito, foi com quais recursos? Ele usou o que já tinha sido deixado por mim ou pediu empréstimo? Usou do próprio bolso?”. Jaci também revela surpresa com toda a situação: “Fiquei surpreso com todas essas queixas agora, porque durante todo o processo de transição, que ocorreu da forma mais respeitosa, o prefeito eleito sabia dos problemas e nada disso foi escondido, inclusive de sua equipe de finanças que hoje está na Secretaria”, disse. INSTALAÇÕES PRECÁRIAS Outra questão apresentada pela atual equipe de governo no material enviado à imprensa foi em relação à precariedade de alguns próprios municipais. Segundo o divulgado, foram encontradas situações “que vão desde instalações elétricas expostas, infiltrações, vazamentos, ambientes sem ventilação, até medicamentos estocados em ambientes com temperatura desadequada”. “Constatamos que há departamentos com mais de 50 funcionários e apenas dois banheiros disponíveis. Em outros casos, há sanitários entupidos, prédios com rachaduras graves em paredes e pisos. Em virtude de infiltração em alguns prédios, há relatos de equipamentos

Divulgação PMI

O novo secretário José Mauro (à esq.) apresentou os dados para o prefeito Igor

que foram perdidos”, revelou o prefeito Igor Soares com base em vistorias realizadas nos primeiros dias e informações registradas pelos secretários municipais. Sobre esse tema, o ex-prefeito resumiu: “Realmente espero, como cidadão, que o atual prefeito dê conta de fazer todas as reformas necessárias, assim como nós fizemos as nossas, a fim de fazer com que a cidade continue crescendo. Ele tem capacidade e foi escolhido pela população para isso”, encerrou Jaci Tadeu. PREFEITURA RETRUCA Após as informações prestadas pelo ex-prefeito, a reportagem do jornal Página Zero voltou a fazer contato com a equipe de Comunicação da Prefeitura de Itapevi a fim de saber se havia contestações da municipalidade em relação aos novos dados.

Por e-mail, a Prefeitura informou que, do valor deixado em caixa pelo ex-prefeito, apenas R$ 5.219.185,50 são de recursos próprios, o que seria insuficiente, para o pagamento da folha de pessoal. Argumenta a municipalidade que o outro montante constante no caixa estava vinculado, ou seja, somente pode ser aplicado na finalidade dos seus respectivos convênios, como PAC (referente às obras de canalização do Rio Barueri-Mirim), Brasil Carinhoso, Mobiliário Creche, Novos estabelecimentos da educação, Atenção Básica da Saúde, PACS, MAC, Saúde Bucal, Farmácia Popular, EMAD, Piso Fixo de Vigilância, Aquisição de Equipamentos de Saúde, Atenção Social Básica, Atenção Social Especial, dentre outros. Para cobertura da folha de pessoal, no dia 7 de janeiro, a nova administração argumenta que a valor deveria estar totalmente provi-

sionado desde 2016, o que não aconteceu, e que, para cumprimento da obrigação, valeu-se de outras receitas de início de ano, como Fundo de Participação, IPVA, ICMS, dentre outros. Sobre a dívida com o ItapeviPrev, a Prefeitura avalia que o débito não deveria existir, caso as contas fossem pagas normalmente até o final do último exercício. Ela cita exemplos de outros casos em que o Tribunal de Contas não aceitou o mesmo tipo de parcelamento que foi feito na cidade, condição favorável para que os órgãos fiscalizadores tratem o caso como afronta à Lei de Responsabilidade Fiscal por parte do ex-prefeito. A respeito do contrato de fornecimento para combustíveis com um posto de gasolina na cidade, a municipalidade reconhece, sim, sua existência, mas que a empresa havia cortado o fornecimento por causa de uma dívida do ano anterior

Arquivo PZ

Jaci Tadeu deixou a Prefeitura em dezembro último

em aproximadamente R$ 64 mil. Também admite, a Prefeitura, que o valor foi liquidado com parte dos recursos deixados no caixa pela administração anterior. Por fim, avaliando que o levantamento foi feito nos primeiros dias do ano e que pode até haver o aumento do montante divulgado inicialmente, o prefeito Igor Soares também teceu comentários sobre o caso, acreditando que não houve má fé do ex-prefeito. “Reconheço o trabalho e empenho do Jaci, que dedicou grande parte da sua vida para ajudar e colaborar com o município, seja como empresário ou como político. Mas, hoje, entendo que houve uma falha de comunicação entre o ex-prefeito e sua equipe, falha que foi estendida ao processo de transição, sobre o real quadro da cidade, que estamos conhecendo hoje nos detalhes”, encerrou o atual chefe do Executivo.

Com setor exclusivo de combate a endemias, Parnaíba inicia operação de combate à Dengue A fim de combater o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre mayaro, a Prefeitura de Santana de Parnaíba iniciou mais uma operação de mapeamento de possíveis pontos de focos no município. A ação contou com agentes da saúde e agentes do Exército Brasileiro e consistiu em realizar orientações, checagem nas casas, observando quintais, vasos de plantas, caixas d’água e localizar possíveis pontos de focos do mosquito. A cidade conta com um setor exclusivo de combate a endemias e, de acordo com agentes da Prefeitura, o trabalho busca também conscientizar a população para que não deixe água parada.

Nos imóveis que foram encontrados focos de dengue, os agentes colocaram comprimidos em caixas d’água e/ ou tambores, que são aprovados para o uso em água potável contra as larvas do mosquito. Nas casas onde as caixas d’água estavam com as tampas irregulares, foram distribuídas telas. Segundo a administração municipal, novas ações já estão sendo planejadas para atender outros bairros e dar continuidade nos trabalhos de prevenção. A orientação é que, caso haja alguma denúncia de focos da dengue ou a necessidade de informação, a população deve entrar em contato pelo telefone 41546853.

Fabiano Martins

A ação contou com agentes da saúde que observaram quintais, vasos de plantas e caixas d’água

Página Zero Edição nº 1274  

Edição de 13 de janeiro de 2017

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you