Page 1

O VALE DA ELETRÔNICA

Diretor 1985 - 2012 Rubens Carvalho (in memoriam) Diretor 2012 - 2016 Ely Kallás (in memoriam)

Jornalismo em ambiente de ciência, tecnologia e inovação

Diretor de redação Evandro Carvalho

||| || ANO XLVI | EDIÇ ÃO 1.1 39 | 0 7 DE JU L HO DE 2018 | SANTA R ITA D O SAPUC AÍ - MG |||||

Fluxo turístico em Minas Gerais cresceu 14% desde 2015 O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur-MG), divulgou na quinta-feira (05) um balanço das ações voltadas para o setor desde janeiro. Atendendo uma orientação do governador Fernando Pimentel, a Setur-MG percorreu várias regiões mineiras com o intuito de dialogar com os municípios e conhecer de perto todas as necessidades das cidades. O aumento do fluxo turístico em Minas, durante o período de 2015 a 2018, subiu 14% e a receita turística teve um ganho de 6%. Resultados positivos mostram que o turismo é um setor que está diretamente ligado à economia do estado.

Festival inédito celebra o sabor único do pão cheio

FAI apoia aluna em Encontro Mineiro de Engenharia de Produção Com o apoio da FAI, a aluna de pós-graduação em Engenharia de Processos, Produtividade e Qualidade Andreza Aparecida da Silva participou do XIV EMEPRO - Encontro Mineiro de Engenharia de Produção, realizado em Juiz de Fora nos dias 23 e 24 de junho. Andreza apresentou o projeto "A aplicação do Lean Seis Sigma para o empoderamento de resultados" de sua autoria e da aluna da Fepi - Centro Universitário de Itajubá, Flavia Aparecida de Souza. De acordo com Andreza, o projeto se resume no estudo das organizações que buscam atender as expectativas de seus clientes e aumentar sua lucratividade

Concurso na praça central elege receita do ano; programação inclui música e artesanato Santa-ritenses participam de oficina de salvaguarda do pão cheio, em maio. Os responsáveis pelas receitas inscritas até o dia 29 de junho disputam prêmios em dinheiro e troféus. O regulamento do concurso prevê R$ 800, R$ 700 e R$ 500 para os três primeiros colocados, além de pratos comemorativos e certificados a todos os participantes, que podem expor e vender pães cheios durante o evento em tendas instaladas na praça central. (Foto: Secretaria Municipal de Cultura).

PÁGINA 5

PÁGINA 5

PÁGINA 7

......................... .......................................................................................................... ......................... Apoio às startups torna Minas referência nacional e internacional

Minas Gerais tem se destacado nacional e internacionalmente pelo ambiente de inovação criado em seu território, a partir da tradição em empreender aliada à boa base de pesquisa nas universidades. Para potencializar ainda mais essa condição, o Governo do Estado reformulou e investiu R$ 18 milhões nos últimos três anos nas rodadas de aceleração do Seed (Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development). O programa de aceleração de startups para empreendedores interessados em desenvolver seus negócios em Minas Gerais foi lançado em 2013 e reformulado na atual gestão. Em 2016 ganhou novo formato.

Minas amplia serviço de informação sobre medicamentos no aplicativo MG App

JDR e FAI promovem Seminário de E-Social e Reforma Trabalhista

DA AGÊNCIA MINAS

A Secretaria de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), ampliou o serviço de acesso à informação dos medicamentos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) por meio do aplicativo MG App. O projeto surgiu a partir da identificação das principais demandas feitas pelos usuários pelo serviço telefônico 155 Lig Minas Farmácia de Todos, de janeiro a abril de 2018. Uma das demandas mais recorrentes era em relação à situação dos processos administrativos, no que compete ao Componente Especializado da Assistência Farmacêutica, bem como a disponibilidade dos seus respectivos medicamentos nas farmácias regionais. Segundo a superintendente de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Estado de Saúde, Daniela Aguiar Alberto, o volu-

me de ligações recebidas pelo 155 é muito alto. “Isto pode acarretar em um tempo médio de espera aumentado em várias ocasiões e a nova ferramenta no aplicativo é uma alternativa para os cidadãos com mais comodidade e celeridade”, explica. Para ter acesso ao serviço, o cidadão deve fazer o download do aplicativo MG App em seu smartphone e informar o número do seu CPF ou Cartão Nacional de Saúde (CNS), e sua data de nascimento. Após o aplicativo confirmar a veracidade das informações inseridas, o usuário terá acesso a todos os processos de abertura de solicitação já realizados por ele. O usuário deverá, então, selecionar o processo desejado e o aplicativo irá informar o “status”, ou seja, em qual etapa se encontra, se já foi analisado ou não. Caso o processo já tenha um parecer, o cidadão poderá consul-

tar o resultado da análise para cada medicamento solicitado. Em caso de deferimento, ele poderá consultar a disponibilidade do seu medicamento no estoque da farmácia de sua Regional de Saúde, onde o processo foi aberto. Desde abril deste ano é possível consultar informações sobre os medicamentos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) através do MG App. Por meio do aplicativo desenvolvido pelo Governo de Minas Gerais, o cidadão pode buscar pelo nome do medicamento ou insumo e saber se é disponibilizado pela Assistência Farmacêutica do Estado de Minas Gerais. Além disso, também é possível verificar a localização da farmácia regional mais próxima para retirada de medicamentos do componente especializado. A nova ferramenta do MG App está disponível para celulares Android Android e, na próxima se-

mana, também será possível consultar informações sobre medicamentos em iOS. Serviços O aplicativo já disponibiliza serviços online da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran), além de permitir o acesso a endereços, telefones e horário de atendimento das principais unidades de prestação de serviços, como delegacias e escolas. O MG App é um aplicativo inédito e gratuito, lançado pelo Governo de Minas Gerais, com o objetivo de facilitar o acesso a informações e serviços estaduais e facilitar a resolução de problemas e a busca por informações, de forma simples, rápida e moderna em celulares e outros ve dispositivos móveis.

A empresa JDR Consulting, em parceria com a FAI, realizaram o Seminário sobre E-Social e Reforma Trabalhista. O Seminário contou com a participação de vários profissionais e alunos da área contábil. A primeira palestra com o tema "Implantação do E-Social" foi ministrada pelo Prof. Me. Joel Parsifal Pacheco Martins, que atua nos cursos de MBA da FAI e da BlueTax. É consultor do Ipecont e sócio contador da empresa Contabilitá. Ele falou sobre a implantação do E-Social, um programa do Governo Federal com um sistema único de alto grau de organização, que reúne em apenas um documento todas as obrigações contábeis de uma empresa. PÁGINA 7

PÁGINA 8

......................... .......................................................................................................... .........................

XVI Arraiá da FAI foi um sucesso

Humberto Azevedo

Uma semana após o ministro Lewandovski, que não é o centroavante da Polônia que passou em branco na Copa do Mundo da Rússia, proibir que o governo federal pudesse passar nos cobres as reservas de Pré-Sal sem aprovação do Poder Legislativo, a maioria dos deputados que integram a base de apoio e sustentação do governo Temer já solucionou o caso. Concluíram a aprovação na noite desta quarta-feira, 04, o Projeto de Lei (PL) 8939 de 2017 do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) que permite a Petrobras transferir a outras petroleiras até 70% de seus direitos de exploração de petróleo do Pré-Sal.

Quadrilha no XVI Arraiá da FAI 2018 com alunos, professora Fernanda e padre do casório, professor Alexandre. (Foto: Ascom FAI).

PÁGINA 7

PÁGINA 6

Mas, muito mais do que armar uma boa equipe para as futuras vitórias, a Seleção Brasileira precisa resgatar sua empatia com os torcedores brasileiros. Mandar amistosos em estádios brasileiros e não em excursões pelo mundo conforme determinam seus patrocinadores. A Seleção Brasileira precisa ser devolvida para o povo brasileiro, e não ser propriedade de uma empresa de marketing esportivo com sede na Suíça. O Campeonato Brasileiro precisa ser valorizado, com empresas investindo. E não ser propriedade de uma emissora de tevê que detém seus direitos de transmissão e impede que os clubes se organizem para formar uma liga . PÁGINA 6

ve

www.facebook.com/jornalovaledaeletronica

Editorial


VALE DA 2 OELETRÔNICA

câmara municipal

EDIÇÃO 1.139 07 DE JULHO DE 2018

OS CONTEÚDOS DESTA PÁGINA INSTITUCIONAL SÃO DE RESPONSABILIDADE DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA RITA DO SAPUCAÍ


VALE DA 3 OELETRÔNICA

Geral

EDIÇÃO 1.139 07 DE JULHO DE 2018

...para gostar de ler

Quem pensa que precisa ser alfabetizado para poder ler está enganado. As crianças folheiam os livros e observam as imagens mesmo quando ainda não conseguem decifrar as palavras. Elas realizam a leitura de imagens, baseadas na maioria das vezes nas suas vivências. Para gostar, o ato de ler deve ser visto como um momento de diversão, criador de vínculo entre adultos e crianças. O fato de que tenha um adulto que incentiva a leitura à criança, faz com que ela sinta que vale a pena, que ela tem valor e que é importante. Pais e educadores têm de dar o exemplo. Como as crianças vão ter vontade de ler se nunca viram os adultos com um livro na mão? Vamos ler para uma criança?


Cultura

VALE DA 4 OELETRÔNICA

AGENDA CULTURAL Literatura Painel de Literatura | Alca - Academia de Letras, Ciências e Artes de Santa Rita do Sapucaí | Pynchon - Paasilinna - Dourado Dia 14 de julho (sábado) 19h Auditório Aureliano Chaves Santa Rita do Sapucaí (MG) Telefone: (35) 9.8810-5947

EDIÇÃO 1.139 07 DE JULHO DE 2018

GLAMOUR DO VALE F Á B I O

F R E I T A S

Cinema Cinema Alca - Academia de Letras, Ciências e Artes de Santa Rita do Sapucaí Feios, Sujos e Malvados Um filme de Ettore Scola Dia 28 de julho (sábado) 19h Auditório Aureliano Chaves Santa Rita do Sapucaí (MG) Telefone: (35) 9.8810-5947

Aniversário Se é para comemorar, que seja em grande estilo. E assim foi, com um linda “festa a fantasia”, que aconteceu no dia 23 de junho. Priscila Adami Monteiro comemorou os seus 18 + 22 anos de idade (segundo a aniversariante) na casa de sua irmã Joyce Adami Gomes. Na festa estiveram presentes a sua família e amigos, além da animação dos músicos do “Patronagens Band" que apresentaram um fantástico repertório com muita alegria e rock'n Roll de primeira qualidade. Parabéns Priscilla! Na foto, vemos os irmãos Erick Adami, Priscila Adami, Joyce Adami e Thyers Júnior.

Codemge lança novo concurso para produção audiovisual DA AGÊNCIA MINAS

O Governo de Minas Gerais por meio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) e no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Audiovisual Mineiro (Prodam), anuncia a abertura de um novo edital de audiovisual: o Edital 2018 de Desenvolvimento de Projetos. Com verba exclusiva da Codemge, irá selecionar 16 propostas de roteiro para longasmetragens e obras seriadas, divididas nas categorias: ficção, animação e documentário. O valor investido será de R$ 1,5 milhão. Os proponentes devem ter sede ou residência no estado e podem enviar até duas propostas, que serão analisadas nos quesitos: abordagem do tema, criatividade e originalidade; adequação ao público alvo e potencial de interesse; planejamento e viabilidade de realização; histórico de projetos do proponente e da equipe.

As propostas poderão ser enviadas até o dia 13 de setembro de 2018. As informações sobre o concurso estão disponíveis no site da Codemge. ACompanhia também divulgou o resultado do Edital de Produção e/ou Finalização de Obra Audiovisual de Curta e Longa-metragem 2018. O concurso, em parceria com a Agência Nacional do Cinema (Ancine) por meio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), e a Secretaria de Estado de Cultura (SEC), selecionou 14 projetos inéditos, que receberão um total de R$ 16,5 milhões. Para essa ação, a Codemge conseguiu obter junto à Ancine cerca de R$ 10 milhões em recursos para o audiovisual mineiro. A política de fomento da Ancine e do FSA define que os recursos disponibilizados pelos entes locais sejam equiparados na proporção de 1:1,5 ? isto é, a cada R$ 1 investido pela Codemge, a Ancine/FSA disponibiliza R$ 1,50. ve

Foto: Acervo pessoal.

Concurso Miss A Santa-ritense Laisa Zanin trajando um lindo vestido de “Henton Noivas” no fim de semana do dia 30 último representou nossa cidade, Santa Rita do Sapucaí (MG), no concurso miss Gay Sul de Minas na cidade de Alfenas (MG). Na ocasião, a concorrente se classificou entre as cinco finalistas e assim representando e elevando o nome de nossa cidade. Sofisticação e elegância ela soube esbanjar na passarela com as unhas feitas por Fabiana Ribeiro (mãos de Seda) sobrancelhas de Kamila Ribeiro, e sapatos Welinton Santos. Parabéns, que venham mais concursos, sucesso sempre. Fotos: Acervos pessoais.

Noite Italiana Aconteceu no último dia 22 de junho no Bistrô Casa do Pi a Noite Italiana. Uma pequena viagem à Itália por meio de sua gastronomia! O jantar reuniu mais de 50 pessoas que puderam prestigiar a qualidade do evento, além de todo o clima agradável proporcionado pelo ambiente e a música que ficou por conta de Ticiano Abreu e Ricardo Amaral. O evento denominado de “Sexta Gourmet” acontece uma vez ao mês no restaurante e na oportunidade o chef Pi escolhe um país para homenagear. O evento é uma promoção da Casa do Pi com organização da relações públicas Charlene Rodrigues. Na foto, vemos o chef Pi, Fátima de Simoni, Charlene e Joel Rodrigues, Andrea Pivoto, Clayton Fonseca, ve Guilherme, Valeska e Aline Marcondes e Jânio e Roni Maciel.

O Encanto da Trova As gralhas daqui semeiam pinheiros no Paraná; As aves de lá anseiam, ter pinheiros como cá! Odemir Follador Ponta Grossa (PR) De que me vale ter fama, se não sinto o seu calor? Feliz, na vida, é quem ama e tem a benção do amor. Filemon F. Martins Itanhaém (SP) Um céu de rara beleza, a invejar o mundo inteiro, nos dá a plena certeza de que Deus é brasileiro! Ruth Farah Cantagalo (RJ)

O médico

Não diga adeus nem brincando, o adeus é rimão da saudade, e alguma ausência, escutando, pode pensar que é verdade Octávio Venturelli Nova Friburgo (RJ) Quando eu me for deste mundo, façam, por mim, uma festa: quero, em meu sono profundo, ouvir canções de seresta... Antônio Siécola Moreira Santa Rita do Sapucaí (MG)


Turismo

VALE DA 5 OELETRÔNICA

EDIÇÃO 1.139 07 DE JULHO DE 2018

Pão cheio é tema de festival inédito neste sábado

Fluxo turístico em Minas Gerais cresceu 14% desde 2015

POR JONAS COSTA, ESPECIAL PARA O JVE*

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur-MG), divulgou na quinta-feira (05) um balanço das ações voltadas para o setor desde janeiro de 2015. Atendendo uma orientação do governador Fernando Pimentel, a Setur-MG percorreu várias regiões mineiras com o intuito de dialogar com os municípios e conhecer de perto todas as necessidades das cidades. O aumento do fluxo turístico em Minas Gerais, durante o período de 2015 a 2018, subiu 14% e a receita turística teve um ganho de 6%. Resultados positivos mostram que o turismo é um setor que está diretamente ligado à economia do estado. Com isso, a política de regionalização ganhou força e três novos circuitos foram certificados – aumentando também o número de municípios integrantes de circuitos, que passou de 469 para 601. Em 2015, Minas Gerais contava com 46 circuitos e, atualmente, totaliza 48 circuitos turísticos. “Em quatro anos, realizamos 46 Reuniões Técnicas de Alinhamento (RTAs), contemplando mais de 500 municípios. Dessa forma, foi possível estabelecer um importante diálogo entre o Governo e os municípios, visando o fomento do turismo a partir das cidades circuitadas”, disse o secretário de Estado de Turismo em exercício, Gustavo Arrais. Contribuindo com os projetos municipais, foi implementado um sistema para o ICMS Turismo, a fim de agilizar e organizar toda documentação das cidades que solicitam habilitação para repasses. De 2015 a 2017, a SeturMG contemplou, em média, 244 municípios por ano. O valor médio repassado anualmente foi de R$ 8,3 milhões. Vale ressaltar que os processos de 2018 ainda estão em análise. Durante a atual gestão, projetos em andamento e pautas até então paradas foram executados. Além disso, novas programações foram lançadas, beneficiando toda a cadeia produtiva do turismo.

DA AGÊNCIA MINAS

Izabel Cristina aprendeu a receita do pão cheio aos 14 anos inspirada na cozinheira Maria Bonita. (Foto: João Paulo de Oliveira Neto/Divulgação).

O aroma da principal tradição gastronômica do Vale da Eletrônica toma conta da Praça Santa Rita neste sábado (07), quando acontece o I Festival Municipal do Pão Cheio, a partir das 14h. O evento é promovido pela Secretaria de Esporte, Cultura, Lazer e Turismo de Santa Rita do Sapucaí, órgão gestor do Programa Municipal de Valorização do Pão Cheio, criado por lei em 2017. O festival marca o lançamento de um concurso de receitas familiares de pão cheio. Cinco jurados vão eleger a “receita do ano” com base na pontuação de cada concorrente nos seguintes quesitos: fidelidade aos ingredientes básicos, originalidade na forma de preparo, sabor e harmonia dos ingredientes, criatividade e inovação na elaboração do prato, e apresentação do resultado final. Os responsáveis pelas receitas inscritas até o dia 29 de junho

disputam prêmios em dinheiro e troféus. O regulamento do concurso prevê R$ 800, R$ 700 e R$ 500 para os três primeiros colocados, além de pratos comemorativos e certificados a todos os participantes, que podem expor e vender pães cheios durante o evento em tendas instaladas na praça central. Apresentações musicais no coreto e feira de artesanato no entorno completam a programação. A participação nas duas atividades é livre a qualquer interessado. “Vai ser um festival bem intimista, ainda com poucos recursos, mas esperamos que o evento cresça nos próximos anos e que a própria população tenha um envolvimento maior e comece a entender a importância que existe no resgate da memória da nossa cidade”, comenta o secretário municipal de Cultura, Janilton Prado. A data do festival foi escolhi-

da em homenagem à patrona do Programa Municipal de Valorização do Pão Cheio, Maria Idalina de Jesus (1902-1997), cozinheira santa-ritense nascida em 05 de julho e conhecida como “Maria Bonita”. A lei que instituiu o programa transformou o aniversário natalício da patrona em Dia Municipal do Pão Cheio, comemoração que coincide com o Dia da Gastronomia Mineira, oficializado em 2012. Izabel Cristina Vitor faz o pão cheio desde a adolescência e se inspirou em Maria Bonita para produzir a iguaria. “Bom, eu cresci com o pão cheio em casa. Venho de uma família italiana e sempre acompanhei minha mãe fazer este delicioso pão. Com o passar do tempo, aos 14 anos, fui trabalhar em uma padaria aqui em nossa cidade que também fazia um pão cheio muito gostoso. Nessa mesma época conheci a Sra. Maria Bonita. Como todos sabem,

era uma cozinheira de mão cheia e fazia pães... fui aperfeiçoando a minha receita, mas sempre mantendo a tradicional receita”. Izabel conclui que não há muito segredo na receita do pão cheio. O mais importante para ela é gostar de fazer o pão. “A importância do pão cheio na minha vida é a delícia que ele é... A importância deste pão em nossa cidade é manter a tradição desta iguaria que só existe aqui, temos que manter esta tradição e passar a receita para as próximas gerações. O pão cheio é originário do sul da Itália, ele veio da Calábria, onde vivem pequenos animais. No caso, a linguiça é do porco e o queijo é da cabra. O segredo do pão cheio? Sempre digo que sai dos ovos ou da farinha. Mas na realidade, ele não tem segredo... é uma receita super fácil... Tem que gostar do que faz”, comenta. *Colaborou na matéria, Evandro Carvalho. ve

Lei de Turismo A fim de regulamentar as ações realizadas pelo Conselho Estadual de Turismo, Circuitos Turísticos e pela própria SeturMG, em 20 de dezembro de 2017 foi aprovada a Lei 22.765, que instituiu a Política Estadual de Turismo de Minas Gerais, que tem como objetivo implementar mecanismos destinados ao planejamento, desenvolvimento e estímulo do setor, além de democratizar o acesso ao turismo, reduzir as disparidades sociais e econômicas de ordem regional, ampliar os fluxos turísticos, propiciar a prática de turismo sustentável, descentralizar e regionalizar o turismo, dentre outros objetivos. A lei criou o Sistema Estadual de Turismo, que terá a missão de propor planos, programas, projetos e ações voltadas para o turismo no estado e para a melhoria contínua da política pública. Visa reconhecer os circuitos turísticos como representantes da política de regionalização e institui legalmente o Observatório do Turismo de Minas Gerais. De acordo com o secretário Gustavo Arrais, com a edição da lei, os circuitos turísticos se tornam os responsáveis pela articulação de ações e pelo levantamento de necessidades locais, apoiando a gestão, a estruturação e a promoção do turismo em sua região. Já o Observatório do Turis-

mo foi instituído pela lei como instância de pesquisa, cujo objetivo é o monitoramento em rede da atividade turística no estado, o incentivo a inovação, a inteligência de mercado e o fomento a pesquisa acadêmica em turismo. Estruturação Beneficiando toda a cadeia produtiva do turismo, a Setur-MG, em parceria com o Ministério do Turismo (MTur), alimenta o sistema de cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor de turismo – o Cadastur. Além de garantir vantagens e oportunidades de negócios aos seus cadastrados, é também uma fonte segura de consulta para o turista. Dentro dessa ação, em abril de 2016, a Setur-MG criou o projeto Cadastur Itinerante, que permite cadastrar “in loco” o maior número de empreendimentos/ prestadores de serviços que se encontram sem cadastro ou com o cadastro vencido. Aliado à campanha Hospedagem Legal, que intensifica a sensibilização nos meios de hospedagem, o número de cadastros subiu 63% nos últimos quatro anos. Em janeiro de 2015, Minas Gerais contava com 3.904 cadastros, já em 2018 é possível contabilizar 6.378. Outro projeto com foco total em benefício dos municípios mineiros também ganhou grande destaque durante esta gestão. Em 2017, foi lançado o Panorama do Turismo que consiste em apresentar de forma didática, por meio de vídeos, um programa de sensibilização e capacitação para os gestores municipais. Compondo a primeira etapa, quatro vídeos já foram postados e compartilhados por meio de um canal no Youtube. CRER Fortalecendo o turismo religioso de Minas Gerais, o Caminho Religioso da Estrada Real (CRER), projeto iniciado anteriormente, foi lançado. Na presença do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e do arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo a maior rota de turismo religioso do Brasil se tornou realidade. O trajeto que liga o Santuário Nossa Senhora da Piedade em direção ao Santuário de Aparecida, em São Paulo, passa por 32 municípios mineiros e seis paulistas, num percurso de mais de mil quilômetros. Em Minas Gerais, a rota está toda sinalizada para que o peregrino possa se orientar com segurança. Totens instalados em locais estratégicos indicam as direções e placas indicativas apresentam o mapa geral do caminho, mostrando os municípios do percurso. Nos últimos anos, as estruturas físicas foram implantadas pela Setur-MG, totalizando a instalação de: 22 quiosques, 38 paraciclos, uma escada de acesso, três passarelas, 64 placas informativas, 1.771 totens indicativos, 119 placas de advertência para os motoristas e reparação de uma cabeceira de ponte e uma pinguela. Durante o lançamento, o arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo destacou a riqueza e a beleza do conjunto paisagístico e arquitetônico da rota religiosa. “Esse é um dos projetos com maior potencial turístico de Minas Gerais e, por isso, merece atenção de todos os mineiros. O CRER precisa estar no coração de cada mineiro, nos projetos empresariais e nos investimentos gove vernamentais”, avaliou.


opinião

VALE DA 6 OELETRÔNICA

Editorial

Imagem da Semana

A Seleção Brasileira que perdeu a classificação ontem na Copa do Mundo é sem sombra de dúvidas uma boa seleção. É claro que esta geração, do genial Neymar, não é superior a da que ganhou o mundial de 2002. E talvez até por isso é bom que o torcedor se acostume, pois esta “entressafra” pode ainda perdurar por mais anos até que uma outra apareça e recoloque o Brasil no caminho da vitória. Infelizmente, não é o revés de ontem e nem o de 2010 que vai marcar na memória esta geração. A humilhante derrota de 2014 ainda é um estigma que os jogadores atuais, especialmente os que estiveram em campo em Belo Horizonte, carregam. Nesta Copa, a campanha não foi tão ruim. Empate com a boa Suíça, vitória (no sufoco) contra Costa Rita, vitórias tranquilas contra Sérvia e México. Contra a Bélgica, faltou sorte, um juiz de boa vontade e, principalmente, serenidade. O time entrou em pânico após o segundo gol belga. O técnico Tite deve ser preservado no posto, é de longe o melhor entre os nacionais na atualidade. O zagueiro Miranda, o meia-atacante Douglas Costa, Philippe Coutinho e o jovem Gabriel Jesus devem continuar no time – fizeram uma Copa com alguma regularidade. O mesmo não se pode dizer de Neymar, muito embora não estivesse em nenhum momento nesta Copa em 100% de sua condição física. Mas Neymar é jogador de outra categoria, será titular sempre. Mas, muito mais do que armar uma boa equipe para as futuras vitórias, a Seleção Brasileira precisa resgatar sua empatia com os torcedores brasileiros. Mandar amistosos em estádios brasileiros e não em excursões pelo mundo conforme determinam seus patrocinadores. A Seleção Brasileira precisa ser devolvida para o povo brasileiro, e não ser propriedade de uma empresa de marketing esportivo com sede na Suíça. O Campeonato Brasileiro precisa ser valorizado, com empresas investindo. E não ser propriedade de uma emissora de tevê que detém seus direitos de transmissão e impede que os clubes se organizem para formar uma liga como acontece na Espanha, Inglaterra, Japão, México, Estados Unidos, etc. Os jogadores que atuam no Brasil precisam voltar a jogar pela sua Seleção. Nesta copa, apenas três estiveram no grupo de 23. Apenas o lateral Fagner (que atua no Corinthians) jogou. É pouco, muito pouco. Apesar destas distorções no Brasil, o futebol mundial está se concentrando na Europa. Não por acaso, a última vitória de um não-europeu em Copas foi em 2002, há 16 anos. Com a Copa 2018 já resolvida no Velho Mundo, já serão quatro conquistas em sequência a favor da Europa. A Fifa precisa criar mecanismos para que o apelo econômico não seja o único fator a pesar na competição. No ve Catar, em 2022, este cenário não deverá mudar.

Resenha Esportiva Duelo de sempre As quartas de finais da Copa do Mundo não tem muitas novidades. No mais do mesmo, seleções europeias contra sulamericanas. Das oito restantes na Copa, seis são do Velho Mundo. Uruguai, Brasil, França e Inglaterra sãos os campeões de tentam mais um título. Bélgica, Rússia, Croácia e Suécia tentam ganhar pela primeira vez. Gol sem querer A desclassificação do Japão, até agora, foi a mais traumática da Copa. Como o futebol não tem lógica, os belgas, perdendo de 2 a 0, fizeram o gol do alento sem querer... Poderiam tentar por 10 dias que não conseguiriam marcar contra o disciplinado time japonês. O Japão seguiria pela primeira vez para a fase de quartas de finais, mas faltou experiência no último lance da partida. O berço Acontece neste fim de semana a terceira corrida em sequência, semana após semana, do mundial de Formula 1 de 2018. Isto porque o calendário deste ano prevê 21 etapas, o mais longo da história. O GP de domingo é o da Inglaterra, no circuito de Silvestone, berço da F1 (lá foi disputada a primeira corrida em 1950) e templo do automobilismo mundial. Protagonizam as atenções o alemão Sebastian Vettel e o inglês Lewis Hamilton, cada um com quatro títulos mundiais. Se um dos dois ganhar o campeonato, se igualam ao mítico Juan Manuel Fangio, o pentacampeão argentino que esteve em Silvestone em 1950. Favorita Ainda há a campeã Inglaterra, que joga hoje. Mas a França, com a saída do Brasil, torna-se franco-favorita (sem ve nenhum trocadilho) para ganhar a Copa.

Expediente

EDIÇÃO 1.139 07 DE JULHO DE 2018

ve

Fundador - Rubens Francisco de Carvalho (in memoriam) | diretor 2012 -2016 - Elias Kallás (in memoriam) | Diretor de redação e jornalista responsável - Evandro Carvalho (Mtb 11.753) | CNPJ.: 28.164.156/ 0001-27 | Endereço - Rua Quintino Bocaiuva, 262. Centro. Santa Rita do Sapucaí (MG) - CEP 37.540-000 | Telefones - (35) 3471-5947 / (35) 9.8810-5947 | E-mail jornalvale@yahoo.com.br www.facebook.com/jornalovaledaeletronica | Assinatura anual Santa Rita do Sapucaí R$ 100,00 | Assinatura anual outras cidades - R$ 140,00 | Impresso na gráfica jornal Mantiqueira, Poços de Caldas (MG) | Tel.: (35) 3729-0007 | Tiragem: 3.000 exemplares. As opiniões expressas nos artigos assinados não necessariamente correspondem às opiniões do jornal.

FOTO: FIFA.

NEYMAR, JOGADOR DA SELEÇÃO BRASILEIRA, APÓS O JOGO CONTRA A BÉLGICA QUE ELIMINOU O BRASIL DA COPA

Dribles e sonhos Uma semana após o ministro Lewandovski, que não é o centroavante da Polônia que passou em branco na Copa do Mundo da Rússia, proibir que o governo federal pudesse passar nos cobres as reservas de PréSal sem aprovação do Poder Legislativo, a maioria dos deputados que integram a base de apoio e sustentação do governo Temer já solucionou o caso. Concluíram a aprovação na noite desta quarta-feira, 04, o Projeto de Lei (PL) 8939 de 2017 do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) que permite a Petrobras transferir a outras petroleiras até 70% de seus direitos de exploração de petróleo do Pré-Sal. A proposta segue agora para a tramitação no Senado Federal. Respeite Minas “Venho aqui para dizer: Presidente [Michel Temer], trate

HUMBERTO AZEVEDO

Minas Gerais com o devido respeito que Minas merece. E pediria [o fim da] paralisação das obras da BR 381”, afirmou na tarde desta quarta-feira, 04, o vice-presidente da Câmara dos Deputados, coordenador da bancada federal mineira e deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG). Segundo Fabinho como é conhecido, a paralisação das obras no trecho entre Belo Horizonte a Governador Valadares da rodovia federal que liga São Paulo (SP) a São Matheus (ES) “é um absurdo e quem manda paralisar deveria estar na cadeia”. A declaração aconteceu a plenos pulmões nos microfones do plenário Ulysses Guimarães da Câmara Federal. Sonhos Após afirmar em entrevista na TV Gazeta de SP que é preciso acabar com o passado de mais de 100 anos de socialismo que o atu-

al Estado brasileiro herdou, o empresário Flávio Rocha – dono das lojas Riachuelo – pré-candidato à Presidência da República pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB) ligado à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) sonha em receber o convite para ser o candidato a vice-presidente na chapa do capitão-deputado Jair “Messias” Bolsonaro do Partido Social Liberal (PSL). Mas devido a sua inanição de votos o empresário que tenta ser dublê de político não será convidado para tal empreitada. Bolsonaro – o campineiro que fez carreira no RJ – sonha com o senador evangélico Magno Malta (PR-ES) integrando a sua chapa como candidato a vice. Só que o senador capixaba parece que recusará tal empreitada. Não estará disposto a trocar uma reeleição que parece bem encaminhada por uma aventura que pode nem chegar ao 2º turno. Em pes-

quisa recém divulgada, Malta possui 40% das intenções dos eleitores capixabas para se reeleger. PT versus PDT/PSB/PCdoB A eleição de 2018 que poderia representar uma união dos segmentos que circundam o espectro ideológico denominado de centro-esquerda parece que não vai rolar mesmo. Não passou de sonho de uma noite de verão. O PT do ex-presidente Lula – encarcerado na Polícia Federal de Curitiba – vai mesmo de Fernando Haddad. O PDT de Ciro Gomes parece que vai atrair mesmo os antigos aliados tradicionais do petismo: PSB e PCdoB. Inclusive com grandes chances da pré-candidata dos comunistas, a ga úcha Manuela D’Ávila, sendo indicada a vice de Ciro. Com isso essa disputa será mortal para um dos lados ve já no primeiro turno.

Apenas o básico Na teoria, as políticas de Estado deveriam ser voltadas para o homem comum, conhecido como cidadão. É para isso que serve o Estado, zelar de cada indivíduo para que a coletividade, a comunidade, a sociedade se constitua harmoniosamente. Alguns países dão conta desta tarefa, ainda que com reparos ou ajustes. Já outros, relativizam a questão. Geralmente países de história recente, concebidos após ocupações ou colonizações. O chamado terceiro mundo sofre muito na procura de uma equação que solucione suas lacunas, vertedouro de injustiças e marginalização de seus povos. A sociedade do consumo e o liberalismo econômico contribuíram bastante para que este quadro piorasse. O homem pósmoderno foi rebaixado da condição de cidadão para a condição de consumidor. O Estado foi reduzido da condição de soberano para condição de regulador. Este novo Estado tem como premissa regular a atividade econômica do país com os suportes que o capital pressupõe. É ele, o capital, que gera as necessidades de consumo. O consumidor por sua vez trabalha

Edição 1.138 O Sindvel esteve, através de seu presidente, em Belo Horizonte (MG) para um reunião com representantes de uma empresa de Taiwan, país do Sudeste Asiático. A empresa é especialista em soluções de tecnologia para cidades, segmento crescente que explora o conceito das “cidades inteligentes”. Na mesma semana, o Inatel fez o lançamento juntamente com entidades parceiras de seu projeto dentro do conceito de smart cities. A edição passada explorou bem estas notícias de certa forma correlatas que fazem de Santa Rita do Sapucaí uma cidade privilegiada neste assunto. ve

EVANDRO CARVALHO

para consumir. Por exemplo sem a ajuda do Estado, o consumidor é quem resolve, individualmente, os problemas suscitados pelo capital, coletivamente. Dentro das necessidades de consumo, o capital qualifica seus consumidores em classes, geralmente A, B, C, D e E. Consumidores da classe A, de renda elevada, consomem produtos e serviços que o capital embala com ideologia específica – preços elevados, do bom e do melhor. As classes B e C consomem a aparência da classe A. Uma representação de que o quê estas classes consomem atualmente pode ser melhor num futuro próximo. Os canais pagos de televisão são um bom exemplo desta simulação de “riqueza”.

O eldorado dos futuros-milionários está embutido na grade de programação destes canais, “diferenciada” e de “melhor qualidade”. Não faltam é claro programas sobre turismo internacional, voltados evidentemente aos países ou cidades do chamado primeiro mundo. Existe até um programa com estúdio numa cidade rica onde debatedores falam das vicissitudes do lugar e das mazelas de onde seus telespectadores vivem. Nos mês passado um dos repórteres fez uma matéria sobre um restaurante especializado em comida coreana próxima à 5.a Avenida, gastronomia exótica e sofisticada; e de uma inutilidade que deixou com água na boca o remoto telespectador B e C, postulantes

a milionários do país pobre. E com este tempero, salpicando inutilidades e promovendo o velho debate sobre as diferenças entre países ricos e pobres, o referido programa destila o seu pedantismo. É tão grande que por lá não se discute políticas de Estado para os cidadãos. Semana passada, um dos interlocutores, disse que na famosa ilha caribenha de Cuba não há nada, “apenas” saúde, segurança e educação. A rigor, o básico de sociedades verdadeiramente justas e modernas. Ato falho com requintes de sofisticação que revela que o tal programa, seus integrantes e tudo o que lá discutem são de outra ordem que nem de longe tem a ver com seu país de ori-ve gem que tanto espezinham.

Não faltam é claro programas sobre turismo internacional, voltados evidentemente aos países ou cidades do chamado primeiro mundo. Existe até um programa com estúdio numa cidade rica onde debatedores falam das vicissitudes do lugar e das mazelas de onde seus telespectadores vivem

Arquivos d’O Vale da Eletrônica

700 Alunos de sete escolas participam do seminário sobre drogas No dia 6 de julho, das 14:30 às 17hs, no Auditório Sinhá Moreira da Escola Técnica de Eletrônica, aconteceu o 1º Seminário Santarritense de Prevenção às Drogas. O Evento foi organizado pela 114ª Cia da Polícia Militar, Proerd, e teve por objetivo em concluir o trabalho preventivo desenvolvido com alunos das 6ª séries das escolas públicas: Sanico Telles, Sinhá Moreira, Dr. Delfim Moreira, Dr. Luiz Pinto de Almeida e Dr. José Ribeiro de Carvalho. Os adolescentes, em sala de aula tiveram quatro aulas com instrutor

do Proerd Sgt Ribeiro no período de março a maio de 2007. No Seminário foi apresentado palestras sobre: “As Drogas e suas conseqüências na vida dos jovens”, com a psicóloga Rosa Lima; “As bases de Amizade”, com Manuel Messias da Pastoral Carcerária e também tiveram um testemunho de vida com um dependente químico em recuperação. “O evento contou com o apoio publicitário da Acevale e da ETE, a qual nos cedeu o local. O objetivo principal do evento foi reforçar os conhecimentos dos jovens participantes

Edição 581, 14 de julho de 2006.

do Proerd e ajudá-los a tomar decisões, principalmente quando o assunto for drogas e violência”, conclui o Sgt Ribeiro, idealizador do evento. Desde 2002, quando o Proerd ( Programa Educacional às Drogas) foi implantado em Santa Rita do Sapucaí, mais de quatro mil jovens já foram beneficiados e orientados em sala de aula sobre os riscos das drogas. O Proerd procura orientar crianças e adolescentes em seu ambiente natural, a escola, para que saibam tomar decisões sadias quando se encontrarem com as drogas.


Geral

VALE DA 7 OELETRÔNICA

FAI apoia participação de aluna no XIV Encontro Mineiro de Engenharia de Produção DA REDAÇÃO Andreza Aparecida da Silva apresentou sua pesquisa no XIV EMEPRO. Andreza atua como professora do Senac de Itajubá e enfatiza o apoio recebido da FAI que possibilitou sua participação no Encontro. Diz, ela: “É uma forma da Instituição demostrar seu interesse com a formação extracurricular do aluno e a disseminação de conteúdo científico. A contribuição da Instituição para a participação do EMEPRO, o maior evento científico de Engenharia de Produção de Minas Gerais e o segundo maior do Brasil, motiva e agrega valor ao conhecimento do aluno e à imagem da instituição”.

Foto: Ascom FAI.

Com o apoio da FAI, a aluna de pós-graduação em Engenharia de Processos, Produtividade e Qualidade Andreza Aparecida da Silva participou do XIV EMEPRO - Encontro Mineiro de Engenharia de Produção, realizado em Juiz de Fora nos dias 23 e 24 de junho. Andreza apresentou o projeto "A aplicação do Lean Seis Sigma para o empoderamento de resultados" de sua autoria e da aluna da Fepi - Centro Universitário de Itajubá, Flavia Aparecida de Souza. De acordo com Andreza, o projeto se resume no estudo das organizações que buscam atender as expectativas de seus clientes, aumentar sua lucratividade e, assim, permanecer no mercado altamente competitivo. Isso, somado ao surgimento de inovações tecno-

lógicas, obriga as empresas a ajustarem seus processos para prover maior qualidade e agilidade na entrega de seus produtos e serviços. “O presente estudo de caso descreve o formato gamificado utilizado para suportar a inserção da mentalidade Lean Seis Sigma em uma multinacional polisegmentada na busca pela excelência. Os resultados obtidos com a adoção do Lean Seis Sigma contribuíram significativamente para a reconfiguração dos processos, bem como na construção de um ambiente organizacional competitivo, conferindo motivação e engajamento aos colaboradores para alcançar as metas estipuladas”, explica, ela. Andreza, que atua como professora do Senac de Itajubá, enfatiza o apoio recebido da FAI

que possibilitou sua participação no Encontro. Diz, ela: “É uma forma da Instituição demostrar seu interesse com a formação extracurricular do aluno e a disseminação de conteúdo científico. A contribuição da Instituição para a participação do EMEPRO, o maior evento científico de Engenharia de Produção de Minas Gerais e o segundo maior do Brasil, motiva e agrega valor ao conhecimento do aluno e à imagem da instituição”. Sobre os cursos de pós-graduação da FAI, Andreza salienta o esforço da Instituição em proporcionar aos alunos cursos de qualidade com professores qualificados. “A FAI, devido ao contexto em que está inserida, busca estar atenta às tendênci-

as do mercado de trabalho, alinhando o conteúdo dos cursos à mentalidade empreendedora e inovadora. Isso faz com a Faculdade se destaque e proporcione aos seus alunos capacitação adequada para enfrentar os desafios reais dos ambientes de trabalhos”, destaca. O EMEPRO é um evento realizado anualmente, organizado pelo FMEPRO (Fórum Mineiro de Engenharia de Produção) e pelo NUMEEP (Núcleo Mineiro de Estudantes de Engenharia de Produção). O Encontro reúne todos o que se interessam por Engenharia de Produção: estudantes, professores, profissionais, empresas e demais interessados em discutir e pesquisar os temas. *Fonte: Ascom FAI. ve

ganizadas pelos alunos. Adorei a banda! A FAI está de parabéns e que venham mais Arraiás!”, Lauren Mansueta, de Santa Rita do Sapucaí. “Ambiente familiar, calmo, muito limpo e organizado. Todas as barracas estavam decoradas e organizadas. Pessoal bem preparado. A estrutura da faculdade é bem legal. Ambiente gostoso. Com certeza voltarei em próximos eventos abertos ao público! A FAI, colaboradores e alunos estão de parabéns!”, Mateus S. B. Prado, mestrando na

Unicamp, de Bueno Brandão. “Me sinto em casa quando estou na FAI. O Arraiá sempre foi animado e organizado e continua excelente. Alunos empenhados, professores participando, colaboradores, tudo em clima tranquilo e muito gostoso! Comida boa, bebida gostosa e o som estava demais! Parabéns a todos que realizaram o evento.” Célio Hart, ex-aluno FAI, de Santa Rita do Sapucaí. E que venha mais festança para todos nós! "TAVA BÃO DIMAIS!" ve *Fonte: Ascom FAI.

XVI Arraiá da FAI foi um sucesso DA REDAÇÃO

“Ô TREM BÃO!” Bandeirinhas, fogueira, quadrilha, comidas típicas, show e muita diversão são a fórmula do sucesso do XVI Arraiá da FAI 2018. A tradicional festa junina da FAI foi realizada no campus da Faculdade na noite de 29 de junho, data em que se comemora o dia de São Pedro. Em um ambiente familiar, o público pode degustar pratos da culinária típica, bebidas e curtir uma música boa ao som ao vivo da dupla Roberta Cadan & Daniel. O Arraiá atraiu um público grande de Santa Rita do Sapucaí

e região, ex-alunos, alunos e colaboradores da Instituição. Toda a mão de obra da festa foi voluntária e movimentada pelos alunos dos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Engenharia de Produção, Pedagogia e Sistemas de Informação. Cada comissão foi responsável por sua barraca. O lucro do evento foi revertido para as comissões de formatura. A seguir, alguns depoimentos dos participantes da festança: “Festa boa! Muito organizada, animada, comida muito bem feita. As barracas muito bem or-

www.facebook.com/jornalovaledaeletronica

EDIÇÃO 1.139 07 DE JULHO DE 2018

JDR e FAI promovem Seminário de E-Social e Reforma Trabalhista DA REDAÇÃO

Nos dias 15 e 16 de junho, a empresa JDR Consulting, em parceria com a FAI, realizaram o Seminário sobre E-Social e Reforma Trabalhista. O Seminário contou com a participação de vários profissionais e alunos da área contábil. A primeira palestra com o tema "Implantação do E-Social" foi ministrada pelo Prof. Me. Joel Parsifal Pacheco Martins, que atua nos cursos de MBA da FAI e da BlueTax. É consultor do Ipecont e sócio contador da empresa Contabilitá. Ele falou sobre a implantação do E-Social, um programa do Governo Federal com um sistema único de alto grau de organização, que reúne em apenas um documento todas as obrigações contábeis da empresa e contribui de forma efetiva, diminuindo a burocracia e alavancando as funções. O Juiz do Trabalho da 3ª Região MG, o advogado Fabrício Lima Silva, ministrou a segunda palestra com o tema "Reforma Trabalhista". Especialista em Direito Público, ele atua como professor dos cursos de especialização FAI/Ipecont e coordena o Curso CEI - Magistratura do Trabalho. Em sua palestra, ele disse que “a Reforma veio em um momento de necessidade da criação de uma legislação clara e objetiva, que valoriza, prestigia e forta-

lece a negociação coletiva mostrando os impactos na relação de colaborador e empregador”. E por último, a terceira palestra "Impactos do E-Social no RH", que foi ministrada pela profissional Raquel Martins, com 25 anos de experiência em Recursos Humanos, tendo atuado em empresas conceituadas como Rayovac, Mercedes Benz e Polyone. Atualmente, é diretora geral da Great Management e gestora de RH da Minasul. Raquel é pós-graduada em Administração e possui MBA em Recursos Humanos. Em sua fala, a profissional abordou sobre os impactos que a implantação do novo sistema irá causar no departamento pessoal de uma empresa. A colaboradora da FAI Viviane Souza Borges foi uma das participantes das palestras. Para ela, a implantação do E-Social envolve uma mudança cultural dentro da empresa. “Será mais difícil no início, porém a questão de fiscalização para o governo será mais prática. Para a empresa será trabalhoso no sentido de organizar os prazos, conscientizar os envolvidos e toda a documentação que deverá ser bem analisada e adicionada em sistema para que não haja erros”, evidencia Viviane. ve *Fonte: Ascom FAI.

O VALE DA ELETRÔNICA

“A empresa Vale Plack Montagem e Prestação de Serviço EIRELI, CNPJ 02.047.570/0001-62, localizada na Rua Fini 501, Bloco 1B, bairro Novo Horizonte, cidade Santa Rita do Sapucaí-MG vem informar que a empresa Valeserv Montagens Industriais Ltda, CNPJ 04.192.532/0001-29, foi por nós incorporada e extinta no dia 12 de junho de 2018.”


Inovação

VALE DA 8 OELETRÔNICA

EDIÇÃO 1.139 07 DE JULHO DE 2018

Apoio às startups torna Minas Gerais referência nacional e internacional

Minas é referência em ciência, tecnologia e inovação

DA AGÊNCIA MINAS

Um novo cenário agora faz parte da rotina dos mineiros. A economia criativa se consolidou, incentivando novos modelos de negócios. Universidades públicas mineiras receberam investimentos nunca antes realizados. O ecossistema de startups tornou-se o segundo maior do Brasil. Minas Gerais é uma potência, na contramão da crise, lidera o ranking nacional de geração de empregos, segundo dados do Ministério do Trabalho. O terceiro maior parque industrial do Brasil está em Minas. Assim como o segundo maior polo de biotecnologia. O Governo de Minas Gerais gera oportunidade, impulsionando o desenvolvimento econômico e social a partir da inovação da economia criativa e digital. O programa Minas Digital foi criado para abarcar todas as ações da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes). O projeto conecta ações de incentivo e fomento às iniciativas de apoio à ciência, tecnologia e inovação, conforme as necessidades e vocações das regiões mineiras. As políticas estabelecidas desde sua fundação já permitiram a criação de projetos importantes, a formação de novos talentos e o crescimento de novos negócios. E ainda vão realizar muito mais pelos mineiros, graças às iniciativas e programas que colocam em prática o futuro que todos buscam. A Uaitec Lab iniciou novas metodologias interativas. Mais conteúdos foram lançados na plataforma, que anteriormente tinha 46 mil alunos cadastrados e, hoje, já passa de 400 mil. Presencialmente, a Uaitec Lab oferta cursos de inglês, espanhol e seis de tecnologia da informação, todos gratuitos. Além disso, os alunos podem acessar mais de 70 cursos online. Ao todo, são mais de 100 unidades distribuídas por todos os Territórios de Desenvolvimento. A mentalidade empreendedo-

O Seed disponibiliza, gratuitamente ao público, dois postos de trabalho em seu coworking. (Foto: Gabriel Maciel/Sedectes).

Minas Gerais tem se destacado nacional e internacionalmente pelo ambiente de inovação criado em seu território, a partir da tradição em empreender aliada à boa base de pesquisa nas universidades. Para potencializar ainda mais essa condição, o Governo do Estado reformulou e investiu R$ 18 milhões nos últimos três anos nas rodadas de aceleração do Seed (Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development). O programa de aceleração de startups para empreendedores interessados em desenvolver seus negócios em Minas Gerais foi lançado em 2013 e reformulado na atual gestão. Em 2016 ganhou novo formato, instalado em uma sede mais adequada para a expansão, e mais recursos, com R$ 6 milhões a cada rodada. As rodadas, que ocorrem anualmente, selecionam 40 projetos necessariamente de base tecnológica. Nos últimos três anos, portanto, foram R$18 milhões em investimentos. Em sua breve história, o programa posicionou Minas Gerais e Belo Horizonte, especialmente, como um dos principais polos de

inovação do Brasil, com reconhecimento mundial. Além do êxito ao estimular o empreendedorismo, que repercute mundialmente, os números refletem esse bom momento. O programa recebeu, nas quatro rodadas, 5.408 inscrições e já acelerou 152 startups, sendo 36 de outros países, e 384 empreendedores. Para a quinta rodada de aceleração, que tem previsão de início em agosto, foram inscritos 1.100 brasileiros e estrangeiros. Além dos seis meses de formação, os 40 empreendedores selecionados recebem do Governo mineiro capital semente que chega a R$ 80 mil para cada projeto. Os recursos do Seed são oriundos da parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). Segundo o coordenador-geral do programa, Daniel Oliveira, o Seed foi criado para estimular a cultura empreendedora e a inovação no estado. Uma das suas características é a concessão de incentivo financeiro à pessoa física,

nacional ou estrangeira, que esteja pronta a desenvolver projeto de negócio de base tecnológica em Minas Gerais livre de participação. “A startup contemplada não precisa necessariamente ter CNPJ e entra com apenas 5% de contrapartida sobre o montante recebido. O recurso deve ser aplicado no seu próprio projeto ao longo dos seis meses. Com uma aceleradora privada há investimento também, porém, ela se torna sócia do projeto”, explica Oliveira. Oliveira ressalta que o programa do Governo do Estado investe em CPF – Cadastro de Pessoa Física - e ao mesmo tempo é equity free. Isto significa que o estado investe, mas não se torna sócio da startup, o que se traduz na principal diferença entre o Seed e outros programas existentes. Sucessos da última temporada A quarta rodada de aceleração do Seed conseguiu atender as 40 startups (101 empreendedores) escolhidas por meio do edital, que geraram, ao longo do período em que estiveram no programa, 164 postos de trabalho.

Foram 120 horas de conteúdo compartilhado com os empreendedores. O faturamento agregado das empresas passou de R$ 2,8 milhões, e mais de R$ 7,5 milhões em investimento externo foram captados. As atividades de difusão - em que os empreendedores da rodada compartilham conhecimento para fomentar a cultura empreendedora - chegaram aos 17 territórios de desenvolvimento de Minas Gerais. Uma das startups acelerada foi a My Personal Stylist. A proposta da empresa é a de que a consultoria de imagem deixe de ser oferecida apenas face a face, para se tornar acessível ao grande público, utilizando a tecnologia. De Belo Horizonte para qualquer lugar do planeta, a MyPs, como é conhecida, tem se destacado no mercado com uma plataforma interativa para atender pessoas de qualquer lugar, por meio da internet. Antes de assinar o serviço, as interessadas podem conhecer o site e experimentar algumas ofertas gratuitas, como o teste de estilo, que já atraiu 16 ve mil usuários.

DA AGÊNCIA MINAS

ra dos alunos do ensino médio de escolas públicas também foi bastante cultivada nesta gestão. O programa Meu Primeiro Negócio, por exemplo, proporciona a experiência prática em negócios, economia e gestão por meio da organização e operacionalização de empresas estudantis. Dessa forma, os alunos têm a chance de ingressar ao mercado de trabalho mais capacitados. Foram 20 mil estudantes atendidos, 2.600 voluntários e professores participando em 70 cidades. O único programa governamental de aceleração de startups do país é mineiro. O Seed tem duração de seis meses e acolhe, a cada rodada, 40 startups de todo o mundo. Nos últimos anos, foram 152 startups participantes, sendo 36 estrangeiras. Mais de 350 empreendedores fizeram parte da aceleração, que contou ao todo com 5.408 inscrições. As startups faturaram mais de 2,8 milhões e tiveram 7,5 milhões em investimento captado. A quinta rodada será iniciada em breve, e o anúncio das selecionadas será feito durante o evento de retrospectiva da ações Sedectes, que aconteceu na quarta-feira (04), às 18h30, no Espaço 104. O Hub Minas Digital trouxe tecnologia e inovação para a Praça da Liberdade. O prédio da Rainha da Sucata foi reaberto com infraestrutura modernizada para atender o articulado ecossistema mineiro. O espaço permite o amadurecimento das startups e a qualificação da inovação nas empresas mineiras. O ambiente já é referência no acolhimento de negócios digitais e tradicionais, além de promover o aprimoramento de produtos ou serviços mineiros. O Hub conta com espaço para coworking, promove cursos em diversas áreas, realiza workshops, possui salas de conferência/reunião, central multimídia e mentorias de projetos. Por meio de eventos realizados, foram 233 executivos impactados e 110 grandes e médias empresas ve participantes.

O Vale da Eletrônica | Edição 1.139 | 04 de julho de 2018  
O Vale da Eletrônica | Edição 1.139 | 04 de julho de 2018  
Advertisement