Page 1

Palestra na escola sede

Conversas de Neurónios No dia 22 de janeiro de 2013, pelas 10h20 realizou-se na escola sede uma palestra ministrada pela Drª Paula Gonçalves do Departamento do Biologia da Universidade de Aveiro, intitulada “Conversas de Neurónios”. Nós comunicamos de muitas maneiras, mas como será que os neurónios dizem coisas uns aos outros? Geram corrente elétrica e sinais químicos; em rede fazem contas de somar e subtrair para decidir, aqui e agora, o que transmitir; só dizem “sim” e “não”. Como por magia, são eles que enchem de sensações os nossos sonhos e nos conduzem através da incerteza até os tornarmos reais. A palestra teve uma grande adesão por parte dos alunos das turmas selecionadas, os quais se mostraram interessados pela temática. O com-

O Dr. Alberto Gradim, realizou uma palestra na escola sede do Agrupamento de Escolas de Vagos para os alunos dos cursos de receção, de restauração das variantes cozinha/ pastelaria e de bar/restaurante. O preletor é consultor no Villa Pampilhosa Hotel e assistente de direção no Hotel Tryp de Coimbra. Ministra também formação na escola de hotelaria de Coimbra, e no Instituto Superior de Línguas e Administração (ISLA) no Porto. Todos os alunos presentes estiveram bastante atentos e mostraram-se muito interessados fazendo no final inúmeras perguntas a que o consultor respondeu com prontidão. Aqui ficam algumas ideias transmitidas pelo consultor do Villa Pampilhosa Hotel. 1. Antigamente, quem não sabia fazer nada, ia para as obras ou ia trabalhar num restaurante. Nestes trabalhos não era necessário conhecimento, mas hoje não é assim. Para se estar em hotelaria é necessário ter conhecimento de línguas, ter conhecimento de confeção e não menos importante ter uma postura adequada no tratamento com os clientes, com os colegas e com os chefes. 2. O rececionista, ou o servente de mesa deve mostrar um sorriso, ser afável, saber receber. 3. Também chamam ao turismo indústria da paz, onde se insere a hotelaria e a restauração. Pois quem trabalha nestes setores (restauração e hotelaria) tem que ser afável, está para servir os outros. “Servir os outros é a razão da nossa existência” referiu. 4. Todos os setores do hotel devem estar direcionados para o cliente. Quer a cozinha, quer o restaurante, quer a receção, deve trabalhar para o cliente. Estes setores estão todos inter-relacionados e trabalham todos para o cliente. O sucesso do estabelecimento depende do sucesso do trabalho de todos. Uma falha de uma pessoa que pertence a um destes setores, coloca em risco o sucesso dos restantes e o sucesso do estabelecimento. A escola sede agradece a disponibilidade evidenciada pelo Dr. Alberto Gradim pela sua presença, pelos esclarecimentos prestados e pela sua partilha de conhecimentos e experiência transmitidos aos 54 alunos durante mais de 2 horas. Professora Dina Rocha

portamento da assistência foi bom, contribuindo assim para o sucesso da atividade. De forma geral o balanço da atividade foi bastante positivo, tal como foi possível constatar pelo entusiasmo dos participantes. O Coordenador de Eco-escolas Professor Luís Ventura Pereira

Desporto Escolar No dia 18 de janeiro de 2013, o Agrupamento de Escolas de Vagos foi responsável pela organização da 1ª Jornada do torneio de Futsal Juvenis Masculinos. Para além da equipa representante do agrupamento da Escolas de Vagos, estiveram presentes o Colégio de Calvão e a Escola Profissional de Aveiro, envolvendo um total de 45 alunos e 4 professores. Podemos dizer que foi uma jornada pautada pelo desportivismo e pela sã convivência entre os vários intervenientes. Não queremos deixar de manifestar o nosso apreço pela amabilidade e disponibilidade manifestada pela equipa de cozinha do Agrupamento de Escolas de Vagos.

Finalmente queremos realçar a questão desportiva cujos resultados obtidos pela equipa representante do Agrupamento de Escolas de Vagos foram os seguintes: uma vitória (4-3) frente à equipa representante do Colégio de Calvão e um empate (0-0) frente à equipa representante da Escola Profissional de Aveiro. A 2ª jornada deste torneio está agendada para o dia 18 de fevereiro a realizar no Colégio de Calvão.

O Professor responsável pelo núcleo-equipa Professor António Rocha

Reis em Ouca O Jardim de Infância de Ouca festejou os Reis com os idosos do Lar de S. Martinho. À semelhança dos anos anteriores, os idosos foram recebidos

na Pré pelas crianças. Houve canções de reis cantadas por todos, terminando com um lanche convívio que só foi possível com a colaboração da família.

Momentos marcantes vividos no Jardim de Infância do Areão Os alunos do Jardim de Infância do Areão, convidaram os avós, para participarem na comemoração do Dia da Alimentação, este ano subordinado ao tema «As sementes». Foram desenvolvidas várias atividades, entre elas algumas de culinária, onde foi dado especial destaque à vinda dos avós ao jardim. Em conjunto, confecionaram uma sopa com os legumes que trouxeram, e falaram-nos das sementes que guardavam/ conservavam, nos celeiros ou sótãos, para poderem cultivar e consumir durante o ano. Pretendeu-se com esta atividade e almoço convívio, estreitar os laços parentais e sensibilizar os mais pequenos para uma alimentação variada e equilibrada, onde os vegetais/legumes devem ter um papel principal e sobretudo ir ao encontro do tema escolhido pela Organização das Nações Unidas: «Cooperativas agrícolas», no sentido de «estimular uma reflexão a respeito da ação destas na garantia da segurança alimentar e na redução da pobreza».


À descoberta das formigas As crianças da sala de educação pré-escolar da EB da Vagueira desenvolveram na semana de 21 a 25 de Janeiro um projeto sobre as formigas. Este projeto surgiu a partir de uma novidade dada pelo Gil sobre o formigueiro do irmão mais velho:” as formigas do meu irmão morreram todas, morrem sempre!”. Surgiram, então várias questões relacionadas com a vida das formigas, tais como: “onde moram as formigas? o que comem?, para que servem as suas antenas?, as formigas falam umas com as outras?, as formigas têm filhos?”. Para dar resposta a estas questões resolvemos fazer um projeto, ao qual chamamos” À descoberta das formigas…” Formou-se um grupo, que ficou responsável por fazer um livro com a organização de todos os dados recolhidos e de transmitir a mesma ao restante grupo. Assim, as crianças responsáveis pelo projeto, solicitaram a ajuda dos pais para pesquisar na Internet e na nossa sala fizemos o mesmo. Recorremos ainda aos livros existentes na nossa biblioteca. Depois, as crianças

recortaram, colaram e desenharam e… nasceu o livro. Este foi um processo rico em aprendizagem, em que as crianças de uma forma lúdica e ativa alargaram os seus conhecimentos da área do Conhecimento do Mundo. Esta área enraíza-se na curiosidade natural da criança e no seu desejo de saber e compreender para dar sentido ao mundo. A realização deste projeto promoveu a interação entre as crianças; o trabalho entre pares e em pequeno grupo, favoreceu uma aprendizagem cooperada em que a criança se desenvolve e aprende, contribuindo para o desenvolvimento e aprendizagem dos outros; Fomentou a comunicação como momento de partilha e troca de saberes que dá um sentido social às aprendizagens e como forma privilegiada de estruturação do pensamento e do conhecimento, em que todos ensinam, todos aprendem. No final, as crianças, além de conseguiram dar resposta às suas perguntas, descobriram ainda muitas curiosidades sobre este simpático animal.

Uma Escola Inclusiva Olá! Todos Sonhamos com um Mundo Melhor! Onde Todos têm o seu lugar, com as mesmas oportunidades, sem que para isso seja necessário desbravar sem cessar caminhos plenos de obstáculos, desilusões e preconceitos. Orgulho-me de convosco partilhar boas práticas. Na Escola de Ponte de Vagos, Todos somos protagonistas desta Natural e crescente Integração que gera Interação e caminha velozmente para a verdadeira Inclusão. Muitos foram já os momentos, em que como grupo que visa alcançar os mesmos sonhos nos fizemos à estrada e com a população local proporcionámos nova vida, novo ar, cientes que por aqui não vamos ficar! Cantar das Janeiras. Cantámos e Encantámos! Observem as fotografias, que melhor que qualquer letra escrita, revela que Acreditamos nas tradições e que estas são para ser vividas por TODOS. Professora Cristina Roso

Cartas da aula de física Uma pergunta tão frequente na nossa vida em sociedade e que funciona como uma prova de que o tempo é um fator constante nas nossas vidas. É através dele que nós somos capazes de ver a evolução de tudo aquilo que nos rodeia. Daí a imposição em medi-lo. E essa necessidade surtiu efeitos desde as primeiras civilizações, com o relógio de sol e de água, a clepsidra, até à ampulheta, e aos relógios mecânicos, de quartzo, digitais e atómicos. No entanto, a marcação das várias unidades de tempo deve ser feita com uma

frequência constante. Nos relógios mecânicos, são tidas em conta várias considerações sobre energia. É a energia resultante da queda de um peso, nos relógios de pêndulo, ou na distensão de uma mola, nos despertadores dos nossos avós, que conduz ao movimento oscilatório do pêndulo, estudado por Galileu, ou doutra mola. E são estes os instrumentos responsáveis pela rotação controlada das engrenagens associadas aos ponteiros e pelo som tão popular do tic-tac. Já nos relógios de quartzo, o que está em causa é uma propriedade deste mineral, a piezoeletricidade: quando sujeito a uma pressão mecânica, vibra com uma frequência exata, o que permite o acionamento de um motor que movimenta as engrenagens. Os relógios digitais, funcionando por um princípio idêntico, produzem um sinal digital que permite a visualização das horas. Já os atómicos, podemos considerá-los como os vanguardistas

do tempo, visto que são os relógios mais precisos, por estarem associados às oscilações dos átomos. Por exemplo, a unidade a que hoje chamamos segundo está definida como o tempo de que necessita a radiação emitida pelo césio-133 para completar 9 192 631 770 oscilações! A compreensão do tempo e a sua medição sempre ocupou a mente de filósofos e cientistas e um dos pensamentos mais importantes foi Einstein quem o formulou: tudo isto é relativo, segundo este físico do início do século

XX. Qualquer corpo que se mova próximo da velocidade da luz vai sentir a passagem do tempo de uma maneira diferente que um corpo que se move tranquilamente à superfície da terra. Algumas experiências que já foram feitas vêm confirmar estes resultados. Assim podemos verificar que a ciência está presente em tudo aquilo que nos rodeia e, se usada corretamente, se desenvolve em prol da sociedade e para o bem de todos nós. Sobre as teorias, por mais extraordinárias que sejam, não são fixas, e é isto que torna a ciência interessante e a faz evoluir: o desejo permanente do homem de compreender e conhecer e os inúmeros pontos de interrogação que aparecem no nosso pensamento e que são continuamente substituídos por outros! Leonardo Moço, 11º B

Caros Leitores Mais uma vez, partilho convosco as Maravilhosas conquistas do Mundo Encantado da Sala Afetos Ponte de Vagos. Um privilégio narrar-vos o que em contexto aquático realizamos e a Alegria espelhada em cada olhar, movimento, chapinhar, destes «nossos» meninos. Desde o dia 1 de janeiro, que com o apoio de parceiros preocupados e sensíveis ao desenvolvimento e bem estar desta população, aos quais aproveito para Agradecer. Bem-haja Câmara Municipal de Vagos e Bombeiros de Vagos. Reiniciámos estas sessões. Já nos fazia falta o cheiro a cloro, a alegria nos balneários, mas acima de tudo, o restabelecer do contacto em contextos diversos, onde a comunicação flui, a empatia e a segurança de um braço Amigo se perpetua. Muitos pensarão que são momentos de brincadeira. Acreditem, que para além da importância do brincar, está a oportunidade de evoluir, de crescer, de desenvolver, de minimizar dores, de potenciar a locomoção, de aumentar a interação, a comunicação, seja esta verbal, gestual, por sons ou mesmo a linguagem do corpo, tão Universal. Esperamos agora, conseguir parceiros para que a atividade de hipoterapia, que desde a criação da 1ª Sala Afetos foi projetada. Que esta venha a ser uma realidade, para que mais uma vez se proporcione aos discentes momentos prazerosos de desenvolvimento e Felicidade. Não é o que Todos Ambicionamos? Professora Cristina Roso

Agrupamento de Escolas de Vagos  

Especial de fevereiro

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you