Page 1

Especial VII Gala Vaga D’Ouro faz parte integrante da Edição nº 228 do Jornal O PONTO, de 23 de Março de 2011.


II

Especial VII Gala Vaga D’Ouro Crédito Agrícola

/12

«A Gala mexe com as pessoas»

 Emídio Francisco, Director do Jornal O Ponto

19 MARÇO 2011

Ficha Técnica Direcção Emídio Francisco Redacção Georgina Prior Fotografia Gabriel Sarabando Paginação & Design O PONTO

«Apesar da pouca relevância que poucos, isoladamente, teimam em atribuir a este evento, não nos podemos alhear do impacto que este tem e das ondas de choque que este provoca, antes e depois, na comunicação social local e regional. Muito antes da divulgação dos nomeados, já as pessoas falam. Alguns aplaudem, outros nem por isso. Mas falam e comentam. E depois da Gala, continuam a falar. A Gala mexe com as pessoas». Foi assim que César Ferreira, presidente da direcção do Crédito Agrícola de Vagos, parceiro principal na organização da Gala Vaga D’Ouro há já seis edições, iniciou o seu discurso e caracterizou o evento que já marca a agenda do concelho. Lamentou, por isso, a ausência «daqueles que ainda não compreenderam o significado e o que representa para Vagos e para o concelho a organização desta festa». Contudo, demonstrou-se «muito feliz» por ver assumida uma «dívida de gratidão» depois de, há três anos, ter previsto a vinda de uma crise económica e que, mais tarde,

 Gustavo Neves, Gestor de conteúdos da Rádio VagosFM  César Ferreira, do Crédito Agrícola de Vagos

foi referida pelo padre João Mónica (galardoado com o Prémio Carreira) como sendo uma crise não financeira mas de valores, de solidariedade, gratidão e de reconhecimento. «Vejo assumida, hoje, uma dívida de gratidão e de reconhecimento que as pessoas do concelho de Vagos têm para com alguém que tudo fez por eles e pelo concelho que adoptou como seu e que, apesar das limitações que a idade lhe impõe, por eles tudo continua a fazer», afirmou César Ferreira dirigindo-se ao Prémio Carreira deste ano que viria a ser conhecido momentos mais tarde. A felicidade de César Ferreira prendese, como confessou, com o facto dessa gratidão ter sido reconhecida por uma «geração mais nova» com quem teve «o privilégio» de compartilhar o júri desta Gala.

Noite de valorizações Para Emídio Francisco, director do Jornal O PONTO, a Gala Vaga D’Ouro/Crédito Agrícola «cingese à valorização» das pessoas ou

instituições que se distinguiram e «acrescentaram algo a Vagos», neste caso relativamente a 2010. Elogiando o árduo trabalho dos cinco elementos do júri, que tiveram que seleccionar apenas três nomeados em cada uma das cinco categorias galardoadas, Emídio Francisco desvendou que «muitos foram os nomes lançados a discussão». «Escolher é excluir, por isso agradeço a César Ferreira, Paulo Guilherme, Júlio Castro, Carlos Neves e Mário Tarenta, que se revelaram ser um júri de grande disponibilidade e empenhamento». Uma palavra de apreço foi também dirigida ao Crédito Agrícola de Vagos. «Desde a primeira hora mostrou-se disponível e interessado para ser o patrocinador oficial, percebendo que a motivação é um dos motores de uma sociedade», confirmou o director d’O PONTO. Palavras partilhadas por Gustavo Neves, gestor de conteúdos da rádio Vagos FM, que salientou, ainda, os restantes patrocinadores que, «directamente ou por permuta de

serviços, vão ano após ano aumentando e apostando no crescente nesta iniciativa», referindo-se à Inforlitoral, Prifer, JPrior, Tecplásnova, ao Cais do Moliço, à Inspira Design, à Veryvinil e à gráfica Coraze. Gustavo Neves aproveitou a ocasião para sublinhar as pessoas ou instituições que, no concelho de Vagos, «vão remando contra a maré do medo e da apreensão, conseguindo fazer chegar o barco a bom porto», numa altura em que «a palavra crise nos é apontada com a precisão de um atirador furtivo e nos entra pela casa dentro quotidianamente, não só no plano económico e financeiro, mas também agora no social e no político». «Creio ser muito importante libertarmo-nos desse espartilho nacional» e «dar visibilidade ao mérito patenteado por pessoas e entidades que do concelho, no concelho e pelo concelho, se distinguiram mais no ano de 2010», rematou.

pub


III

Especial VII Gala Vaga D’Ouro Crédito Agrícola

13 /

Humanidade, dedicação e sentido de missão Depois do professor Mário Júlio de Almeida e Costa, do saudoso Padre João Mónica e de José Creoulo Prior, o galardão Prémio Carreira/Crédito Agrícola foi entregue, esta edição, ao doutor Agostinho Furtado. Esta categoria, que não está sujeita a votação e que é encontrada por deliberação directa do júri da Gala, foi entregue pelo presidente da entidade patrocinadora, César Ferreira, para homenagear a meritória vida e carreira do conceituado médico que reside na freguesia de Ouca. Revelando-se como um exemplo tocante de humanidade, dedicação e entrega, tanto à actividade que abraçou profissionalmente, como no relacionamento estreito com o próximo, Agostinho Furtado é uma pessoa de interesses vários e que ao longo da sua história de vida deixou marca visível em praticamente tudo o que se envolveu. Nascido na Madeira, criado em Goa e radicando-se em Ouca após o seu casamento com Cármina Furtado, o distinguido com o Prémio Carreira nesta edição da Gala fez um notável percurso na Medicina, licenciando-se em Coimbra no Verão de 1960. Dois anos depois era nomeado médico no Hospital de Aveiro, onde foi um dos fundadores da Hemodiálise, tanto na vertente hospitalar como na particular. Em 1963, foi recrutado para a Guerra Colonial, destacado para Tite, na Guiné-Bissau. Ora Tite, por esta altura, era uma das mais fustigadas zonas de guerra deste país, constantemente atingidas por bombardeamentos, até que um dia, recém-chegado a Tite, Agostinho Furtado recebeu uma ordem do seu comandante para assistir uma doente fora do quartel. Escoltado, pelo mato, dirigiu-se a uma tabanca, onde encontrou uma parturiente local que, com o seu auxílio deu à luz não a um, mas a dois rebentos. E os bombardeamentos pararam, porque este auxílio foi reconhecido e amplificado pela rádio guineense, dizendo que “em Tite há médico amigo de preto”. Quando deixou Tite, os bombardeamentos recomeçaram…

PREMIO CARREIRA

Dr. Agostinho Furtado «Uma palavra de agradecimento ao júri que tão simpaticamente me atribuiu este prémio. Um agradecimento à minha mulher por me ter ajudado nesta longa e difícil caminhada e aos meus filhos, que amo muito. Neste momento, na compreensão pela vida turbulenta que eu levei, não posso deixar de invocar uma pessoa muito querida e muito marcante na minha vida: o meu sogro, o professor Ernesto Neves. Se fosse vivo, muito feliz estaria com este meu prémio (palmas). Por último, relembro o que disse há muitos anos: recebo este prémio como se ele fosse dirigido a todos os médicos que se dão aos que sofrem. Não tenho pernas, mas ainda tenho braços e coração para vos abraçar. Obrigado.»

 Dr. Agostinho Furtado recebe a Vaga do Prémio Carreira pelas mãos de César Ferreira do CA

Um médico sempre presente Palmilhou o concelho de Vagos sempre com o seu espírito humanitário e uma dedicação notável e total aos doentes, sobretudo aos mais necessitados. Ajudou e tratou todos os que lhe pediam ajuda, sempre com dedicação extrema. Não compreendia que os doentes, sem condições, viessem em carro de bois ao seu encontro, por isso, percorria alguns impraticáveis caminhos do concelho, a pé, mala na mão, para os assistir nas suas moradas. Foi uma vida vivida com sacrifícios, sempre em prol do próximo, e sobretudo do próximo que menos podia.

Durante o seu percurso ganhou a confiança dos seus doentes, o carinho da sociedade e o respeito dos seus pares, ao ponto de ser o fiel depositário do tratamento dos doentes do Dr. Mário Emílio de Sacramento, sempre que este, em vésperas de detenção pela PIDE, assim lho solicitava. Discípulo reconhecido do Dr. Nogueira de Lemos, de quem se lembra com respeito e amizade, por tudo o que ele foi, lhe ensinou e orientou, tanto humana como profissionalmente, de tal forma que no grande átrio do Hospital de Aveiro o seu nome se encontra gravado, junto ao de seu mestre. Foi homenageado por Sua Exa. Il Gran Maestro Vicario del Sovrano

Militare Ospitalero, Ordine di San Giorgio in Carinzza Roma, que lhe entregou o grau de Cavaliere Ufficiale di Grazia Magistrale, pela forma como exercia a sua profissão, com integridade e pureza de princípios, nunca esquecendo os doentes mais pobres. Na sua vida de médico demonstrou sempre grande coragem, honestidade e uma humanidade difícil de explicar, assente numa tremenda riqueza de sentimentos e respeito pelo Ser Humano.

Uma vida ligada aos bombeiros e à vinha No concelho de Vagos, para além

do desempenho da sua função como médico, teve igualmente destaque o papel tido nos órgãos sociais dos Bombeiros Voluntários de Vagos, onde foi uma das figuras que levou a cabo um importante papel na construção do actual Quartel da corporação, bem como mentor da edificação da estrutura dos Bombeiros Voluntários de Vagos, situada na Praça da República. Assumiu, igualmente com êxito, a componente agrícola do sogro: a vinha. Transformou-a, ampliou-a e reestruturou-a, convertendo-a naquilo que hoje é uma marca de excelência no concelho de Vagos: a Quinta da Pedreira.


IV

Especial VII Gala Vaga D’Ouro Crédito Agrícola

/14

O dia da Gala – 19 de Março – coincidiu este ano, com o Dia do Pai. Deste modo, e como não poderia deixar de ser, a efeméride não foi deixada de lado no programa da noite e, com a ajuda da jovem Sofia Ferreira, foi declamado este poema de Florbela Espanca, dedicado ao Pai. Para além da declamação, foi entregue a todos os pais ou futuros papás que marcaram a sua presença na Gala o poema em forma de marcador.

Todos são vencedores... Pelo sétimo ano consecutivo, o Jornal O PONTO e a Vagos FM, com o alto patrocínio da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Vagos (que “empresta” o nome à iniciativa), distinguiram os melhores dos melhores nas áreas do social, do desporto, do empresarial, do cultural e do político, com a organização da Gala Vaga D’Ouro/Crédito Agrícola. Uma noite de glamour, muita animação, muito suspense, de muitas alegrias… Foi contemplado com as pequenas mas tão significantes vagas d’ouro o reconhecimento público pelo trabalho, dedicação, altruísmo, força de vontade e visão de futuro aqueles que mais se destacaram no ano de 2010. Depois de um jantar convívio bem

Vaga D’Ouro Política / Somengil

Cláudio Curto

Presidente da Junta de Freguesia de Santa Catarina «As primeiras palavras são para os dois outros nomeados: o sr. vereador Marco e a sra. vereadora Cláudia. As minhas palavras de agradecimento vão para todas as pessoas que confiaram em mim em 2009. Sou um jovem que se candidatou a uma Junta, apostaram em mim e tiveram coragem de me apoiar nas diversas propostas que eu apresentei. Todo o executivo da Junta, todas as pessoas que fazem parte da assembleia, este prémio também é para eles. Este acaba por ser um incentivo para um trabalho que iremos realizar nos próximos dois anos. Será um marco também importante para a minha vida, que sou um jovem, e que me irá ajudar daqui para a frente. Obrigado.»

animado, que aconteceu na noite do passado sábado (dia 19), no Cais do Moliço (Cabeço das Pedras – Quintã), perante um público com cerca de 230 pessoas das mais variadas idades, um a um, os vencedores foram chamados ao palco para receber, das mãos do patrocinador da categoria, o tão aguardado galardão. Deste modo, das mãos de João Prior, a Vaga D’Ouro Social/JPrior foi entregue à Associação Diferentes e Especiais (recebida por todo o grupo), e a Vaga D’Ouro Desporto/Prifer foi entregue por Carlos Neves ao Lobitos Futsal (equipa sénior). Nomeada cinco vezes em sete Galas realizadas, a GRESTEL foi a distinguida com a Vaga D’Ouro Empresarial/

Tecplásnova, e a Vaga D’Ouro Cultural/Inforlitoral foi entregue pelas mãos de David Pimentel a Dulcínea Sereno (adjunta do Presidente da Câmara Municipal de Vagos) que representou a Semana Cultural, que anualmente tem vindo a ser promovida pela autarquia. Por fim, a Vaga D’Ouro Política /Somengil foi entregue pelas mãos de Tony Ventura a Cláudio Curto, eleito presidente da Junta de Freguesia de Santa Catarina de Vagos em Outubro de 2009. Estes foram os distinguidos mas, como referiu o anfitrião Alexandre Ferreira, «são todos vencedores, todos os que entraram por aquela porta» e participaram no evento que já marca a agenda do concelho de Vagos.


V

Especial VII Gala Vaga D’Ouro Crédito Agrícola

15 /

Vaga D’Ouro Social / J Prior

Associação Diferentes e Especiais Presidente Cristina Pereira

«Somos uma associação recente, por isso foi com grande surpresa que soubemos desta nomeação. O nosso sincero agradecimento para o facto de termos sido nomeados e votados para recebermos este galardão, é uma honra. Aliás, foi hoje a inauguração da nossa sede e para nós é muita emoção. Mas nada melhor do que decorar a nossa sede com este prémio merecido ao nível concelhio. Resta-nos agradecer à Equipa de Intervenção Precoce de Vagos que, sem ela nos ter impulsionado para a criação de um grupo de auto-ajuda, nunca se teria criado a associação; à Câmara Municipal, na pessoa da professora Albina Rocha, porque nos ajudou desde o momento em que o grupo decidiu tornar-se proactivo e participar na comunidade; ao NEVA por nos ter cedido o espaço que inaugurámos hoje; à Escola Secundária por nos ter cedido algum material informático e imobiliário de escritório; aos media: ao PONTO e à Vagos FM, que foram os impulsionadores e que permitiram que esta associação tivesse mais projecção ao nível do concelho; aos Jardins Boavista porque foram fantásticos connosco na organização no I Jantar de Beneficência que decorreu em Dezembro do ano passado; a todos os voluntários da associação e a todos os patrocinadores que nos apoiaram nos eventos que já promovemos com sucesso espectacular; à Dra. Adriana Capela, que tem sido uma voluntária fantástica e tem permitido que o grupo tenha conseguido manter-se coeso durante todo este tempo; à Universidade de Aveiro; à EPADRV; a todos os sócios e parceiros. Apesar de termos pouco tempo, a verdade é que já temos uma lista de agradecimentos enorme. E obrigado a todos vós por continuarem a acreditar em nós.»

Vaga D’Ouro Desporto / PRIFER

Lobitos Futsal (seniores)

Presidente Licínio Ramos

«É realmente uma honra para a freguesia de Covão do Lobo, que é a terra do lobo, uma pequenina freguesia como toda a gente sabe, mas que tem uma equipa sénior na II Divisão Nacional. Portanto, isso só se deve ao grande esforço de toda a direcção, e principalmente dos atletas; o mérito é todo deles. O meu muito obrigado a todos.»

Vaga D’Ouro Empresarial / Tecplásnova

GRESTEL

Rui Batel, administrador «Quantas horas tenho para falar? Duas? Acho que já era tempo (risos). Cinco nomeações em sete vezes… é recorde nacional. (mais risos). Queria dar os parabéns à AGP e à Mistolin. Isto não é um prémio nem uma competição, é um prémio de mérito e eles têm tanto ou mais mérito do que nós… apenas somos mais insistentes. Queria dar os parabéns ao júri, acho que esteve muito bem em todas as categorias. Queria também dar os parabéns à organização: ao Jornal O PONTO e à rádio Vagos FM. Acho que devem continuar a promover esta iniciativa, têm o mérito de terem começado e de terem continuado mesmo nestes tempos difíceis que atravessamos. Em quanto tempo é que vai? (mais risos) Ainda tenho muito para dizer, tudo aquilo que devia ter dito nos outros cinco anos… Queria fazer um agradecimento a quem votou em nós. E queria fazer um grande, grande, grande agradecimento às cerca de 250 pessoas que diariamente trabalham connosco; é o esforço, o empenho e o trabalho delas que nos faz estar aqui. Sobre a GRESTEL, como é o projecto da minha vida, é fácil falar sobre ele. Vou só dar uns dois ou três lamirés para explicar o porquê de estarmos aqui. Um é porque realmente fomos nomeados cinco vezes em sete. Outro, é termos 250 pessoas que são, maioritariamente, do concelho de Vagos. Somos a única empresa do concelho com estatuto PME de excelência atribuído pelo IAPMEI. Trabalhamos desde o primeiro minuto com exportação; estamos presentes nos mais variados mercados, mormente na América do Norte e em toda a Europa. Eu acho que são motivos mais que suficientes para merecermos este prémio. Queria só terminar, porque o tempo está entretanto a terminar, um pouco a combater o pessimismo que se instalou nas pessoas actualmente, dizendo que 2011 vai ser o nosso melhor ano: o ano em que mais peças vamos fazer, em que mais vamos crescer em termos de volume de facturação. 2012 será, concerteza, um melhor ano ainda. Portanto, acho que devemos ver as coisas com algum optimismo. Em Vagos e em Portugal temos empresas que são muito boas a nível mundial, temos que abrir fronteiras, temos que ter os horizontes largos e temos que acreditar em nós. O povo português, historicamente, sempre conseguiu dar a volta a tudo e não é desta que vamos esmorecer. Queria deixar esta mensagem positiva. Um bem-haja. Obrigado.»

Vaga D’Ouro Cultura / Inforlitoral

Semana Cultural

(discursou Dulcínia Sereno, em representação da CM Vagos)

«Quero dar os parabéns às Sainhas, e à Festa da Pinha. E queria agradecer aos donos deste prémio, que são todas as pessoas de Vagos, o Agrupamento de Vagos, a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Vagos (EPADRV), à Secundária, ao Colégio de Calvão, todos os alunos e professores, o nosso muito obrigado. E quero deixar uma palavra a todos os trabalhadores da Câmara Municipal, sobretudo os que trabalham mais directamente: o Pedro Rodrigues, a Margarida e o Bruno Marques. A todos: muito obrigado.»


Especial VII Gala Vaga D’Ouro Crédito Agrícola

VI

/16


VII

17 /

Especial VII Gala Vaga D’Ouro Crédito Agrícola


Especial VII Gala Vaga D’Ouro Crédito Agrícola

VIII

/18

Uma noite de estrelas No dia em que a lua cheia se apresentou em tamanho recorde (fenómeno que ocorre de 18 em 18 anos), no Cais do Moliço o brilho foi outro: proveniente dos convidados que animaram a Gala Vaga D’Ouro. «Ao longo destes sete anos, os artistas que têm passeado neste palco são referências na arte do espectáculo e mesmo aqueles que menos conhecemos se assumem como revelações reconhecidas a nível nacional. Também este ano a aposta é na qualidade e na proximidade», referiu, na ocasião, o anfitrião Alexandre Ferreira, ele próprio uma peça fundamental para o sucesso da noite e que, nos últimos dois anos, tem contado com a participação da sua filha, Sofia Ferreira, com alguns apontamentos.

Kika e a sua voz de ouro «Já que a nossa obrigação é também dar as condições para que os novos valores da nossa terra possam ser conhecidos, não poderíamos esconder este talento do público», foi assim que Alexandre Ferreira a apresentou. Desconhecida de todos, Catarina Almeida, ou Kika para os seus amigos, tem 14 anos e frequenta o 9º ano na EB2,3 Dr. João Rocha (Pai). Apresentando-se um pouco envergonhada em palco, sob o olhar de todos os presentes, logo depressa Kika fez o que de melhor sabe fazer: cantou e encantou, ao mesmo tempo que se fez acompanhar pela melodia da viola. E tal como

consegue, no dia-adia, mobilizar os seus colegas de escola, também não foi nada indiferente ao público presente, mostrandose uma grande presença em palco. E, pasmem-se, os seus temas são originais! Nada melhor para estrear a noite de espectáculo da VII Gala Vaga D’Ouro.

Violinista João Paulo Santos continua na Mouche Quase que nem carecia de apresentações o violinista João Paulo Santos. Já foi um dos convidados da Gala Vaga D’Ouro, na sua quinta edição. E se na primeira tinha dado um grande espectáculo, nesta superou com os temas “I got a feelling”, “Beautiful Lie” e “Born again Babylonia”. Natural de Fajões (Oliveira de Azeméis), o violinista que iniciou os seus estudos musicais aos 9 anos é considerado por muitos críticos como o melhor live act de violino, e a prova disso é a sua agenda cheia, dividida entre Portugal, Espanha, Suíça, Inglaterra e Rússia. É o violinista do tema Rise Up de Yves La rock (Vandalism Rmx – Versão com violino), tema este que lhe deu

grande projecção. Já actuou ao lado de Djs de renome nacional e internacional e foi nomeado para melhor músico da noite portuguesa 2009 pelos prémios da revista Noite.pt. A sua música inovadora, conseguida pela sonoridade característica de um violino irrequieto e avassalador, combina a fusão entre a mestria do violino performance com a House Music, criando um encaixe sonoro muito ”sui generis”.

Sonoridade ímpar oferecida por João Gentil Outra novidade da noite foi o acordeonista João Gentil. Há

quem tenha afirmado já que «o acordeão nas mãos de João Gentil é um bilhete de avião com destino às músicas de todo o mundo: a Musette, a Polka, o Tango, a Bossa Nova e ainda o Jazz». E não seria para menos, uma vez que os seus estudos musicais tiveram início na Suíça, onde esteve até aos 11 anos, continuando depois em Portugal, no Conservatório de Música David de Sousa na Figueira da Foz. Foi aluno numa das melhores escolas de acordeão do mundo, CNIMA - Centre National et International de Musique et de l’Accordéon, em França, e, em 2009, de Bandoneon em Buenos

Aires - Argentina, instrumento protagonista do Tango Argentino e celebrizado por aquele que foi considerado um dos maiores músicos do sec. XX – Astor Piazzolla. Para além de ter uma agenda preenchida e de já ter actuado por todo o país e participado em festivais e espectáculos internacionais em Itália, Irlanda, Noruega, França, Suíça, Espanha, EUA, Canadá, Colômbia, Argentina, Brasil, entre outros, é ainda professor convidado na Academia de Música de Ançã, onde lecciona a disciplina de acordeão.

Gala Vaga D'Ouro  

Especial Gala Vaga D'Ouro

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you