Page 1

www.jornalopa.com.br @jornalopa facebook.com/jornalopa

Porto Alegre, Abril de 2012

Edição 21


Jornal Opa! Abril de 2012

Pense Nisso> Quem ri por último é quem tem o raciocínio mais devagar.

Listamos alguns pontos onde você encontra o Opa! Porto Alegre Reminsul Informática

Piadista:

(Andrade Neves, 89)

O Bairrista consegue tirar piada de quase tudo. Transforma as notícias chatas do dia a dia em leves textos engraçados. Marcia Moura – Porto Alegre

UFRGS (Biblioteca Central e RU)

ESADE (Luiz Afonso, 84)

Vegetariano:

Faculdade Senac Tecnologia

Com a matéria sobre vegetarianismo do Jornal Opa! até estou pensando em trocar a churrascada do domingo por tomates verdes fritos. Rarará, pegadinha do Malandro. Paulo Magalhães – Porto Alegre

(Coronel Genuíno, 130)

Faculdade Senac ( Coronel Genuíno, 358)

FAQI (Av. Júlio de Castilhos 435)

Faceiros:

Brasil como país mais feliz do mundo, de novo. Aí eu tô louca. Quem eles entrevistaram? Políticos de Brasília? Só pode, são os unicos que passam o tempo rindo... da nossa cara. Carla Bueno – Porto Alegre

Senac Informática (Av. Venâncio Aires, 93)

A presidente Dilma Rousseff foi a grande vencedora do Troféu Pau de Sebo. O prêmio é dado pelo Grupo Gay da Bahia quando elege os maiores inimigos dos homossexuais brasileiros. De acordo com o GGB, o que fez Dilma levar o prêmio foi o veto dela ao kit anti-homofobia escolar.

A Lei Geral da Copa e o “jeitinho brasileiro” É inadmissível que um país como o Brasil, prestes a entrar no time das grandes potências econômicas do mundo, continue tratando suas leis e até mesmo a inteligência de seu povo com o famoso “jeitinho”. Leis que não pegam, se é que isso é possível, porque por aqui parece que é... E agora, como país sede da Copa do Mundo, vemos tramitar propostas, como a Lei Geral da Copa, que afasta a incidência de outras leis federais ou estaduais durante a realização da competição. É o caso da liberação da venda e consumo de bebidas alcoólicas nos estádios que vão receber os jogos, ferindo o Estatuto do Torcedor, que desde 2010 veta a presença nos estádios de “bebidas ou substâncias proibidas ou suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência”. Como pode uma Lei tirar férias?! Isso sem contar o retrocesso que representa para a nossa sociedade quando temos, por exemplo, dados da Brigada Militar que indicam redução de 70% na violência nos estádios, desde que o estatuto entrou em vigor. Já ouvi comentários dos defensores da liberação de que

as pessoas bebem nos bares no entorno dos estádios. Certamente isso acontece, mas 3 horas pulando e torcendo pelo seu time minimizam os efeitos do álcool, sem contar os que só bebem dentro do estádio, pela facilidade da oferta. E, se nada convence nossos parlamentares e autoridades, é bom lembrar que estamos entrando no segundo ano da Década de Ação pela Segurança no Trânsito 20112020, instituída pela ONU com o objetivo de reduzir em 50% as mortes e acidentes de trânsito no mundo. Além disso, o Brasil está entre os 5 países mais violentos no trânsito do mundo, uma colocação que não nos permite concessões e retrocesso na luta por um trânsito mais humano e menos violento. Fica o apelo aos nossos parlamentares e autoridades, para que o famoso “jeitinho brasileiro” não seja um “gol contra o nosso país” e dê a vez ao bom senso, na certeza de que muitas vidas podem ser poupadas com a derrota desta Lei. Diza Gonzaga é Presidente da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga @dizagonzaga

Pampa Burger (Av. Venâncio Aires, 57)

Casa Azul Hostel (Rua Lima e Silma, 912)

Banca CRT (Salgado Filho / Borges)

Banca Buenos Aires (Lima e Silva/Sarmento Leite)

Banca Luiz Afonso (Luiz Afonso/José do Patrocínio)

Banca da República (Rua da República, 21)

Video locadora Classe A (Borges de Medeiros, 962)

Cia do Vídeo ( Lima e Silva, 165)

CIEE (Borges de Medeiros, 328, 13° andar)

Lojas X-10 (Galeria Malcom e Rua da Praia Shopping)

Faccentro (Marechal Floriano, 185, 3° andar)

Uma proposta do deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP) prevê o fim da venda de bebidas alcoólicas em postos de combustíveis e lojas de conveniência no país.

PUCRS (Famecos e DCE)

Fabico (Rua Ramiro Barcelos, 2705)

ESPM (Prédio C)

Casa da Traça (Independência, 450)

Academia Central (Marechal Floriano, 199)

Academia Anatomic (Luiz Afonso, 106)

Academia Sul Runner (General Lima e Silva, 736)

São Leopoldo: Academia SESC São Leopoldo (Rua Marquês do Herval, 784)

UNISINOS (Prédio 3 e central)

Faculdade EST

Uma pesquisa do Instituto Pró-Livro apontou que 75% dos brasileiros jamais pisaram em uma biblioteca. Além disso, o uso frequente desse espaço caiu de 11% para 7% entre 2007 e 2011.

( Amadeo Rossi, 467)

Canoas: ULBRA (DCE e Prédio 11)

UNIRITTER (DCE, RU e Biblioteca)

ULBRA (Prédio 11, Biblioteca e DCE)

OPA COMUNICAÇÃO LDTA - CNPJ: 12040043/0001-80 Correspondências: Rua Arabutan 724/302 Bairro Navegantes, Porto Alegre-RS CEP: 90240-470

E-mail: contato@jornalopa.com.br Twitter: @jornalopa Site: www.jornalopa.com.br Edição: Tuio Moraes > tuiomoraes@jornalopa.com.br Revisão: Leci e Luiz Erni Moraes Contato Comercial: João Arthur Moraes comercial@jornalopa.com.br | (51) 9282.0994 Colaboradores desta edição>>>

Thanise Dias

Matheus Maia Beck

Bruno Moura

Bruna Lais Alves

Thamires Rosa


Entre em contato com a gente: contato@jornalopa.com.br

Jornal Opa! Abril de 2012

>> Polêmica Polêmica na na rede rede ::

Facebook apaga fanpage com imagem de dois homens se beijando O Facebook apagou uma fanpage que continha uma foto de dois homens gays se beijando. A imagem pertencia ao renomado artista espanhol Juan Hidalgo e fazia parte da iniciativa “Arte gay busca casa”, que procura dar visibilidade à cultura LGBT em Madri. A página da ONG Associação Cultural Visible Madri teria sido removida por ter violado o Código de Ética do Facebook, no qual um dos pontos diz que “não devem ser postadas imagens de natureza sexual ou que se referem a assuntos delicados”. Via comunicado oficial, o

O Brasil alcançou em fevereiro a marca de 247,2 milhões de linhas móveis ativas, de acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Pesquisa mostra que população não quer bebida na Copa

Facebook se comprometeu a estudar melhor o caso e acrescentou que, por vezes, as pági-

> Luz vermelha:

nas são removidas por razões técnicas e não pelo conteúdo em si.

A maior parte dos brasileiros não quer bebida nos estádios durante a Copa. Segundo pesquisa feita a pedido do Senado, 80% não querem álcool durante os jogos, 19% concordam com a venda e 1% não responderam. Foram ouvidas 1.242 pessoas em 119 cidades do país, em março.

>> Decisão Decisão estranha estranha ::

Segundo STF, sexo com menor de 14 anos nem sempre é estupro. De acordo com uma decisão do Supremo Tribunal Federal, o ato sexual com menores de 14 anos de idade poderá não ser considerado estupro. Uma decisão do tribunal livrou um homem da acusação de ter estuprado três meninas de 12 anos. Segundo dados da Justiça de São Paulo, as supostas vítimas de estupro “já se dedicavam à prática de atividades sexuais desde longa data”.

No Brasil, um terço dos e-mails não chega ao usuário

Senado pode legalizar casas de prostituição

A comissão de juristas que realiza uma reforma do Código Penal para o Senado propôs a legalização dos populares “puteiros”. O argumento da comissão é que a proibição serve apenas para policiais corruptos extorquirem os donos de prostíbulos. Embora a prostituição não seja criminalizada, manter uma casa de prostituição é crime que pode resultar em prisão de até cinco anos. Por outro lado, a proposta da comissão de juristas do Senado também prevê o endurecimento das punições para a exploração sexual de menores de 18 anos.

App para listar inimigos é criada no Facebook Foi criada uma App no Facebook que funciona para criar uma “lista negra” em seus contatos. No EnemyGraph é só colocar alguém ou alguma página no serviço, que ela aparece na sua página como inimigo, assim como para outros usuários do aplicativo. A ideia de seu criador, Dean Terry, da Universidade de Texas, surgiu depois que mais de três milhões de pessoas assinaram uma petição pedindo que o Facebook incluísse um botão de “Não Curtir”.

Após realizar exame de hemorroida coletivo, empresa é condenada pelo TRT-RJ

Uma empresa de ônibus foi condenada a pagar uma indenização, por danos morais, de cerca de R$ 8 mil a um motorista da viação, que se sentiu humilhado ao passar por um exame médico admissional íntimo “coletivo” na presença de outros dois funcionários. De acordo com a sentença do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ) o motorista teve que ficar sem roupa diante dos colegas para que o médico verificasse se o candidato tinha hemorroidas.

Uma pesquisa mostra que um total de 35,5% dos emails comerciais disparados com mensagens de propaganda não chega às caixas de email dos usuários brasileiros. Essas mensagens são barradas pelos servidores e acabam na lixeira. O levantamento mostrou ainda que o Brasil teve um dos piores resultados. Na média mundial, são 23,5% de mensagens perdidas. Na Europa, o índice é de 15%.

País ganhou mais 2,7 mil milionários no ano passado O número de milionários brasileiros (aqueles com pelo menos R$ 1 milhão em aplicações e atendidos especificamente pelo canal de private banking) alcançou 50.602 clientes, em 2011, somando 2.719 a mais do que no ano anterior. Isso representa uma alta de 5,7% no ano e um crescimento mais lento do que o registrado em 2010, quando o número de milionários cresceu 12,2%.

Seriado chega à 11ª temporada

O seriado “Uma Família da Pesada” (Family Guy), no ar desde 1999 chega a sua 11ª temporada no canal pago FX. A série, que relata as aventuras de uma família de classe média, mistura críticas à sociedade americana encontradas em “Os Simpsons” com o humor politicamente incorreto de “South Park”.

O custo para uma empresa colocar sua marca no layout da página do Facebook é de US$ 700 mil por dia num pacote oferecido pela rede social. Os brasileiros que desejarem já podem encomendar o leitor eletrônico Kindle Touch 3G, que acaba de ganhar interface em português. O aparelho custa US$ 189 (cerca de R$ 350), mais taxas de importação e frete.

Marcos Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, vai ser candidato a vereador pelo PT em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Uma pesquisa realizada pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) revelou que 43,3% dos menores internados em instituições de correção são reincidentes em suas infrações.

O Fies vai aceitar somente alunos que tiverem renda familiar de até 20 salários mínimos (R$ 12.440) para financiar o estudo em faculdades particulares.

As vendas de televisores de LED devem ultrapassar neste ano as de tela de cristal líquido, LCD, no mercado brasileiro.

Segundo uma pesquisa da Time Warner, os jovens da chamada “Geração Y” trocam de mídia em média 27 vezes por hora. Isso fora do ambiente de trabalho. Esse dado é superior ao da geração anterior, os “imigrantes digitais”, que registrava 17 trocas a cada 60 segundo. Um chapéu e uma bengala utilizados por Charles Chaplin foram leiloados por US$ 100 em Hollywood. Paris Hilton vai lançar no Brasil a sua nova coleção de bolsas. Segundo a milionária, as peças estão menos extravagantes. Os preços irão de R$ 500, por uma pequena carteira, até R$ 12.


Jornal Opa! Abril de 2012 Ursos bi-polares lutam contra a homofobia e as mudanças no clima. RT @ulissesmattos Sacanagem. Meu amigo imaginário fugiu com a garota dos meus sonhos. RT @alexpaim

Crise de criatividade em Hollywood? Excesso de remakes e adaptações nem sempre significam escassez de criatividade

Por Bruno Moura e Thamires Rosa Aos cinéfilos uma pergunta que tem sido recorrente: “estaria Hollywood passando por uma crise de criatividade?”. A verdade é que tem sido cada vez mais nítido que os estúdios de cinema têm investido com maior frequência em remakes e adaptações literárias. Obras como “Harry Potter” e “O Senhor dos Anéis” caíram no gosto do público, sejam os leitores antigos, sejam os amantes do cinema. Mas, afinal, por que filmes originais são cada vez mais raros? Uma questão difícil de responder. Alguns sustentam que há uma enorme falta de criatividade e escassez de boas ideias. Outros vão além disso e explicam que a ideia de um filme é lucrar com bilheteria, portanto, nada mais óbvio do que apostar no que já deu certo. Os amantes da

sétima arte tendem a esquecer o capitalismo, muito por devoção à arte, e consequentemente acabam deixando de analisar esta perspectiva. Justamente pelo cinema ser uma indústria, seu objetivo é a arrecadação de capital. E, realmente, as adaptações são apostas mais seguras, uma vez que se pode utilizar uma obra conhecida, que já fez sucesso e que possui um público fiel. Nada melhor do que apostar no que já deu certo. Se esta é uma tendência, não é a regra. O cinema, por si só, representa uma caixinha de surpresas. Robledo Milani, crítico de cinema, formado em Comunicação Social pela UFRGS, diz que “nem sempre isso acontece. Temos um exemplo recente do John Carter, que é a adaptação de um livro de mais de um século. Um livro de muito sucesso, só que resolveram modernizar. Mudaram

muitas coisas e botaram um ator praticamente desconhecido como protagonista. Fizeram várias apostas arriscadas que resultou num prejuízo de mais de US$ 100 milhões”. Outro ponto abordado sobre a questão das adaptações: o filme responsável pela maior bilheteria trata de uma obra original. Avatar, de James Cameron, tem a maior arrecadação da história da sétima arte. Apresenta um arco sem novidades, mas uma história original. Robledo compara também o filme Fúria de Titãs, um remake de um filme homônimo de 1981. A arrecadação gerou lucro considerável, a ponto de resultar numa sequência já em cartaz nos cinemas. Apesar das críticas negativas, o aspecto do lucro foi o fator dominante que resultou em uma continuação. Não se pode esquecer que o cinema tornou-se uma gigantesca

indústria do entretenimento. Com meta focada em lucros, quem determina a tendência deste setor da economia é o público. Para Robledo, sendo um filme bem produzido, seja ele remake, adaptação ou obra original, o sucesso é apenas consequência. Mais importante que escolher entre uma trama original, uma adaptação ou um remake, é que o filme conquiste o público a quem é destinado. Uma história envolvente, ótimas atuações e outros pontos que vendam o produto podem assegurar o sucesso, ou mesmo o fracasso. Mesmo nas adaptações existe um intenso trabalho, para trazer uma história de uma obra para as telas do cinema. No final das contas, a criatividade existe mesmo nas adaptações e remakes. Basta que o diretor saiba se reinventar e inovar na forma como a história será contada.

Jogos Vorazes

O filme traz uma mistura de manipulação, romance, ação e conflitos políticos que pretende mudar o rumo das Sagas adaptadas de livros Baseado no livro homônimo de Suzane Collins, o filme traz um mundo beirando o caos onde um governo opressor escolhe anualmente um casal de jovens de cada um de seus 12 paupérrimos Distritos para lutarem até a morte em um Reality Show. Tudo em troca de ajuda financeira e algumas regalias para o Distrito de origem do único sobrevivente. A heroína Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) que vai ao confronto para defender sua irmã caçula que havia sido escolhida, é um exemplo de que não apenas as mocinhas frágeis e bobinhas, que são defendidas por vampiros e lobisomens, agradam ao público jovem. O personagem Peeta Mellark (Josh Hutcherson) cativou com sua ambigüidade, deixando o mistério sobre seu verdadeiro interesse em Katniss ou se ele pretendia apenas agradar o público e os patrocinadores que poderiam lhe ajudar a vencer. O longa tem ação, aventura e um triângulo amoroso um pouco confuso e sem graça, mas que pela boa performance dos atores não deixou de agradar. O ponto mais impressionante do filme é lidar com temas mais fortes e pouco convencionais em sagas direcionadas para o publico jovem: política, alienação, poder, sobrevivência e submissão, tratados de forma bastante inteligente e sutil. O diretor Gary Ross, soube minimizar a violência, já que a franquia pretende ser sucesso ao agradar diversos públicos. Ross, com maestria, soube tirar o foco de sequências mais pesadas com cortes rápidos. A direção de arte se superou ao nos proporcionar um

Em shows, celular faz papel de isqueiro. Não sou saudosista, mas acho que deveria ter aplicativo pro iPhone acender o beck. RT @silviolach Fiquei mais tranquilo depois que as vozes na minha cabeça disseram que não sou neurótico. RT @aperteoalt Em 1994 morria Ayrton Senna e nascia Justin Bieber. Grandes perdas para o automobilismo e para a música. RT @bethmoreno Barba pra fazer: A maquiagem masculina. RT @renatoghost Quando o assunto é aborto, muita gente tira o corpo fora. RT @tiodino Brasília sofre de falência múltipla dos órgãos públicos. RT @miller_ricardo Quando criancinha, eu tinha muitos amiguinhos imaginários, agora, todos são Fake. RT @_Jackstenio Relação entre política e anatomia: Antes da eleição, corpo a corpo. Depois da eleição, corpo mole. RT @georgemacedo Quando o pastor diz “Sai desse corpo”, geralmente ele está falando com o seu dinheiro. RT @sandrofortunato

contraste tanto na grandiosidade da Capital quanto nos pobres e obscuros ambientes do distrito 12 onde vive a personagem principal. Os efeitos especiais, em alguns momentos, deixam a desejar e faltaram algumas explicações práticas, como o funcionamento da competição e o desfecho de alguns personagens. Jogos Vorazes é completamente diferente da Saga Crepúsculo em todos os aspectos. Se a expectativa era essa, todos saíram decepcionados. O filme traz uma heroína forte e corajosa que se vira sozinha, conflitos existenciais e lições reais, além de uma análise concreta sobre a manipulação e o conflito de classes. Espero que as poucas falhas sejam consertadas, o elenco mantido e que a continuidade, que já está sendo gravada e chega às telonas em 2013, venha nos surpreender.

Toda vez que vou ao shopping, eu tremo só de ver os preços. Acho que sou um consumidor convulsivo. RT @Bo_Beira Brasília aderiu à “Hora do Planeta”. Se às claras nego já rouba na cara dura, imaginem com as luzes apagadas... RT @edinhomalvadeza


                       4           

#       #! # ! !   # $   $ !     !  !"(        ! #  * "     '"    

 !&    +  # "  $  !    !           !       +  "       "#      !  #  ! $   *  !  "  !   !&! ""!    "          %  ' "   ! "  !        +      ! $    $ !"' , #      #    "   #  ! "#  !         $   #  

!& ( $) !  ! #      !    $ #  " !        " !  !")( !!      !         + !!! !  !    "   " 

! ) % '  ) *         # * &  5 ! .  '  0 ! ! ./ ) ' *  $ ) + 3 /    +  ( / .  !  !  / '!   /    +  * 6 . !                          %+! 0 , !     *  / -%!) *  * . . ! " * +  *  -  +  . * % ( 8 *-.    !      ) ! 1   . ! + % 0  !, .     +  . * % ( -8               *            !  (  * ) ( ! ) - 

! .

(   + *  / %   %.+  ( 8  *     3* ).-%79!. !    )*222 !.3*.!-!*(-  +*-!,0%+!

Realização

 !&  &# "  #""!!"! Apoio

PatrocĂ­nio

0800 570 0800 | www.sebrae-rs.com.br

6HEUDH56 2Ă€FLDO

@sebraers


Tem como eu financiar a faculdade, mesmo? Com a saturação do Mercado, nada mais necessário que uma faculdade no currículo. E grana pra isso? Pois é, talvez o financiamento universitário seja a solução. Dicas “pra que te quero?” foi a nossa busca nesse mês. Se liga!

Por Matheus Maia Beck matheusbeck@uol.com.br @matheusbeck

O

s estudos são cada vez mais primordiais para o sucesso profissional. Com um mercado saturado de profissionais, quanto mais investimento no conhecimento, maior a chance de se destacar. Na Escola a grana já é grande e quando o Ensino Médio tem seu fim? Ahhh, pois é, as escolhas e a vida, definitivamente, têm que tomar um rumo de uma vez por todas. A Universidade é a prioridade. Podem falar que uma das alternativas são as universidades públicas que são gratuitas. É sabido também, que a quantidade de alunos por vaga está quase alcançando esses clássicos concursos. Nada fácil ingressar na Universidade. O sistema de cotas e o ENEM (quando não é cancelado) auxiliam a rapaziada, mas e se você não faturar em alguma dessas opções? Chega o momento de encarar uma Universidade particular mesmo. As mensalidades estão cada vez mais altas e, com elas, os alimentos, conduções e temidos xérox salgam o orçamento do estudante. As soluções ainda estavam distantes, até que algo foi criado e vem seduzindo alguns estudantes. Os financiamentos universitários. Isso mesmo que você leu, esse tipo de crédito financeiro também pode ser feito na sua faculdade. Aquele boletinho que você recebe após adquirir seu carro é praticado da mesma forma no seu curso. No entanto, o investimento agora é no conhecimento e por vezes tem custo mais alto ainda. Esse tipo de contratação pode ocorrer em qualquer semestre que você esteja cursando e inclusive pode incluir pendências anteriores. Aquela parcelinha medonha da qual você não consegue se livrar, ou o cheque especial que tanto apavora ao final do mês

pode ser resolvido. Todo cuidado é pouco, afinal, de nada serve consertar uma coisa e estragar outra. Por isso, pense bem antes de tomar qualquer decisão. Na prática, a ideia é auxiliar na sua educação, sem que você tenha que apelar para aquele empréstimo que exige uma burocracia violenta. Pensando em prestar informações sobre este auxílio aos universitários que não desejem entregar todos seus enxutos salários para as universidades, o OPA! foi atrás dos principais créditos oferecidos. Conversando com a galera que usufrui de financiamentos, surgiram o FIES e o PRAVALER como os maiores “implacadores” de universitários. O programa FIES (Financiamento Estudantil) existe desde 1999 e já beneficiou mais de 560 mil estudantes. Em 2005, o financiamento começou a valer também para bolsistas parciais, beneficiados com bolsa de 50% e do PROUNI. A intenção é, a partir de um programa com alto padrão tecnológico, facilitar a vida do estudante. Nessa modalidade que o governo oferece, a CAIXA prioriza o atendimento a estudantes de baixa renda e que venham de colégios públicos. Nada impede que ex-estudante de escola particular seja contemplado, no entanto, a préseleção é rígida e aspectos como moradia, emprego e renda mensal têm grande peso no quociente da equação. A principal vantagem é que o aluno paga apenas os juros enquanto estiver cursando a faculdade e, após a conclusão do curso, ainda tem mais 18 meses para o início do pagamento das parcelas que constam de valores praticamente fixos. Por outro lado, o financiamento PRAVALER possui uma contratação um pouco mais simples. Necessita de um garantidor e de comprovações básicas, também. Esta alternativa ao FIES é a principal opção para quem não conseguiu ser aprovado pelo programa governamental. Esse financiamento só pode ser utilizado para o pagamento de parcelas estudantis. Os juros variam e aí está o perigo para


o estudante que não mantiver as prestações em dia. A principal “mão” que ele dá pros camaradas é da não necessidade do atraso no desenvolvimento das cadeiras. Não entendeu? Na prática, ele possibilita que você pague as mensalidades em mais vezes, adiantando sua vida universitária e bombando os créditos para que você se forme o quanto antes. Provavelmente você seguirá pagando após se formar, no entanto, a administração do recurso garante que possibilidades facilitadoras estão sendo pensadas e colocadas em pauta nas reuniões. Atendentes afirmam que rola um bom desconto para quem adianta mensalidade e que, ao se formar, pode rolar aquela promoção para a quitação total da dívida. A promessa é que isso não é mais uma balela de telemarketing. E as assustadoras cifras que só uma boa universidade particular proporciona, podem ser encaradas de uma maneira diferente e com o indivíduo já com o devido diploma na mão. Para tirar essa história a limpo, fomos atrás dos verdadeiros consumidores desses auxílios. O balanço final foi positivo, mas se liga nas dicas da galera. A Bruna Reis paga apenas 50 pila a cada três meses. Esse valor irrisório, que muita gente gasta na balada, é apenas os juros. Ela afirma que “é uma boa para quem não pode conseguir uma bolsa, pois estudou em colégio particular”. Ela completou dizendo que conseguiu o cadastro no FIES com certa facilidade por se sustentar e não ter mais contribuição dos pais na renda mensal. A Nicole Cavallin está no segundo semestre com o FIES. Ela mesma confirma que para ela está sendo ótimo. Antes ela fazia somente duas cadeiras e não conseguia dar conta de pagar o transporte até a universidade. Com o financiamento de 100% do curso, a vida dela teve uma reviravolta. Pode parecer exagero, mas é verdade, já que ela não paga mais nada por mês (salvo aquele jurinho trimestral). Ela crê que com o diploma na mão, ao finalizar o curso, a situação

para o pagamento da dívida será bem mais tranquila. No entanto, o que é bom para um, não é tão bom para outro, por isso a Nicole aconselha a quem entrar agora, que financie apenas 50% do curso, pois no final a conta não será tão pesada. Mais uma usuária dos financiamentos aplaude a iniciativa. Adepta há cinco semestres, Rita Rodrigues salienta que a cada ano as mensalidades aumentam e, se não houvesse essa ajuda, ela não teria como bancar. A cada dia, ela viaja 100 km pra encarar a aula. O que tem isso a ver? Mais uma prestaçãozinha no orçamento mensal! Transporte universitário salgando a receita. Se o FIES caiu como uma luva para a Rita, ela também exalta o apoio que recebe da empresa que trabalha. Está aí mais uma dica: corra atrás da bolsa auxílio. Informem-se, muitas empresas oferecem! Essa ajuda a motiva mais ainda, pois já vai descontando um pouco do valor que ela terá que pagar assim que se formar. Como possui um carro próprio, a estudante pensa na hipótese de vendê-lo ao final do curso para passar a régua na dívida e começar do “zero”, só que, dessa vez, com o diploma em mãos. As histórias estão lindas, mas nem todas as experiências com os financiamentos são positivas. Na tentativa de acertar suas contas, muita gente acaba comprometendo ainda mais o orçamento. A estudante Laura Barden Pitta não renovou a última contratação semestral de seu crédito. Segundo ela, o juro cumulativo está ficando tão salgado que as vantagens de manter-se vinculada a ele estariam cada vez menos perceptíveis, para não dizer que não existem mais. Ela chegou a fazer um empréstimo para poder seguir na universidade. Como ela utiliza desde 2009, ou seja, mais de 6 contratos, o empréstimo foi a solução mais plausível para quitar a dívida e seguir pagando diretamente pra Universidade. Eles estão realmente em alta e os estudantes aderindo cada vez mais. As dicas estão aí, mas abrir o olho na hora da contratação nunca é demais. Fica a chamada do Opa! e se precisarem de mais informações acessem os sites do FIES http://sisfiesportal. mec.gov.br/ ou do PRAVALER que é http:// www.creditouniversitario.com.br/. Se, mesmo assim, estiver em dúvida e os argumentos dos estudantes acima não te convencerem, o contato com a nossa redação está liberado, pois o que mais queremos é a galera lotando as universidades com o OPA! debaixo do braço. Aproveitar a parceria do governo e se especializar são o que essas ferramentas tentam fornecer.


Jornal Opa! Abril de 2012

Bom apetite, sexual Por Tuio Moraes tuiomoraes@jornalopa.com.br.

@tuiomoraes

S

e a relação não está boa, o sexo não está quente, para tudo e vai até a dispensa... O que? Não, deixa a empregada fora disso. É que a solução para dar um gás na relação pode estar no armário da cozinha. Já não é de hoje que alimentos estimulam o apetite sexual, aumentam a libido. E não é só do popular e mais conhecido amendoim de que estou falando. Há muito mais na gastronomia do que pensa nossa vã filosofia. Segundo os nutricionistas,

os chamados alimentos afrodisíacos podem, sim, melhorar o desejo sexual e a libido.Isso porque estimulam a produção de hormônios e ativam consideravelmente a circulação. A palavra “afrodisíaca” tem sua origem no nome da Deusa grega do amor, Afrodite, possuidora de um forte poder sedutor. E esse tipo de culinária é explorado desde a antiguidade. Em alguns alimentos é possível encontrar nutrientes que auxiliam no bom desempenho sexual ou que, devido ao seu aroma, despertam o poder da imaginação. A cozinha afrodisíaca é uma simbiose de diversos fatores e alimentos apetitosos.

E, para completar a festa, fomos atrás de uma Chef de Cozinha para nos dar algumas receitas. Sim, porque aqui no Jornal Opa! a gente mata a cobra e mostra o pau – no melhor dos sentidos. Conversamos com a experiente Chef e professora de gastronomia EtieneJohannsen que, além da receita, deixa algumas dicas decomo melhorar o ambiente com a utilização de velas, cristais, aromas de especiarias e, claro, um bom vinho. A Chef acredita que isso complementa a comida e aumenta o clima de romance. Então, coloque o avental e mãos a obra! Vamos à receita!

Alimentos considerados Afrodisíacos: 1° Aspargos - Com muita vitamina B, que aumenta os níveis sanguíneos de histamina, esse alimento ajuda para que você chegue ao orgasmo. Além disso, ele também serve para o aumento da excitação e nos tratamentos contra disfunção. 2° Aveia - Apesar de não ser considerado um dos principais alimentos sensuais, a aveia tem uma forte propriedade que ajuda no aumento de testosterona, impulsionando o desejo sexual. 3° Café - Para aumentar a sua libido, uma dose de café após o jantar pode ser fundamental para uma noite boa. Para melhorar ainda mais, açúcar no café colabora com a liberação de serotonina. 4° Frutos do mar- principalmente as ostras, que são ricas em zinco, mineral que contribui para a formação de testosterona, hormônio masculino. 5° Chocolate- possui propriedades estimulantes, liberando endorfina, que propicia uma sensação de bem estar. 6°Amendoim - por ser rico em vitamina B3, contribui para a vasodilatação sanguínea, aumentando a libido. 7° Pimenta, pimentões, curry e outros alimentos picantes: foram vistos como afrodisíacos porque seus efeitos fisiológicos - freqüência cardíaca elevada e sudorese - são similares às reações físicas experimentadas durante o sexo. 8° Outros alimentos como catuaba, cacau e ginseng possuem uma substância chamada feniletilamina que é responsável pela sensação de prazer.

Filé de frango com molho de mel de laranja e mostarda Dijon

2 porções

Ingredientes 2 filés de frango 2 colheres (sopa) de mostarda dijon 4 colheres (sobremesa) de mel de laranja 4 colheres (sopa) de vinagre branco de vinho 2 conchas de caldo de galinha Sal e pimenta, grãos de mostrada tostada a gosto Azeite para grelhar

Modo de preparo Tempere os filés com o sal e a pimenta. Em uma frigideira, grelhe os filés no azeite em fogo médio. Vire e espalhe a mostarda, adicione o mel e deixe caramelizar. Junte o vinagre e deixe por mais um minuto no fogo alto. Acrescente o caldo e deixe até o molho encorpar. Decore com buquês de salsa crespa e 2 tomates cereja. Sirva com arroz temperado com açafrão.

A Relação Sexual Adolescência é uma etapa da vida cheia de descobertas, é a fase das primeiras vezes, primeiro beijo, primeira paixão, primeira relação sexual. A relação sexual neste período da vida é vivida com grandes expectativas e dúvidas. Porém, com orientação e informações adequadas, é possível desfrutar o prazer sem ansiedade. A relação começa com o desejo, que pode ser despertado por uma fantasia, um toque, um olhar, um cheiro, um beijo, uma carícia. Na presença do desejo sexual, a pessoa busca o prazer através de uma maior estimulação corporal, como a troca de carícias e a descoberta das zonas erógenas no corpo. O prazer está no compartilhar carícias, afetos, tocar e ser tocado. Existem algumas regiões mais sensíveis aos estímulos, como boca, orelhas, mamas, pescoço, ânus, vulva, pênis, bolsa escrotal, entre outras partes. As carícias podem desencadear a segunda fase da relação. Ela se caracteriza pela excitação, com uma aceleração nos batimentos cardíacos, respiração mais ofegante, aumento de tamanho das mamas, rigidez dos mamilos, contração dos músculos do corpo, aumentando a lubrificação vaginal e ocorrendo a ereção do pênis. Quando ambos os parceiros estão excitados geralmente acontece a penetração. A intensificação da excitação pode levar ao orgasmo, o clímax do prazer sexual. Na mulher, ele é sentido com o aumento das contrações vaginais e uma sensação de prazer emocional e corporal. No homem, pela ejaculação e sensações de prazer físico e emocional. O prazer sexual está desde o momento das carícias e pode ocorrer na presença ou não da penetração e do orgasmo. Depois do clímax da excitação, ocorre o relaxamento corporal, onde todo o corpo volta ao seu estado de repouso, finalizando a relação sexual.

Claudia Marques é sexóloga e Psicóloga. Mande sua pergunta: sexo@jornalopa.com.br


Jornal Opa! Abril de 2012

facebook.com/jornalopa

Eventos esportivos oferecem vagas para voluntários Por Bruna Lais Alves bruna.lais.alves@hotmail.com @brunalaisalves

Para quem está procurando uma oportunidade de obter experiência, está aí a chance. A Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 vão disponibilizar mais de 70 mil vagas, direcionadas às pessoas que estão fora do mercado de trabalho. É a hora de ganhar experiência e entrar em contato com profissionais, o que fará grande diferença no currículo. Não temos como pensar em Copa e Jogos Olímpicos sem profissionais e voluntários competentes. É preciso pensar que um grande público estrangeiro visitará o país, então será necessário prestar os me-

lhores serviços possíveis. Um fator muito importante para os voluntários é que saibam falar fluentemente a língua inglesa, que é o segundo idioma mais falado nos países em geral. A atuação dos mesmos vai contribuir significativamente para a impressão positiva em relação à Copa do Mundo, por isso é fundamental que saibam se comunicar no idioma dos interlocutores que nos visitarão. Conversamos um pouco como psicólogo e mestre em Cognição Humana na PUCRS, Fernando Elias José. Segundo ele, ainda que não remunerada, a oportunidade para quem não tem experiência pode ser única, já que trará a chance de entrar em contato com outros profissionais, o que pode ser um diferencial no currículo,

na hora de uma entrevista de emprego. Para o psicólogo, o estágio não remunerado pode ser uma ótima ajuda aos profissionais em início de carreira, principalmente àqueles que desejam seguir profissões que

exigem muito conhecimento prático na hora da contratação. “Independente da remuneração, o estágio é importante para que o estudante vivencie a profissão escolhida dentro do ambiente de trabalho. Vale ressaltar que o mercado de

LEVE PARA O TRÂNSITO O MESMO RESPEITO QUE VOCÊ TEM PELAS CORES DO RIO GRANDE.

trabalho passa por um momento de expansão, o que vem exigindo candidatos cada vez mais qualificados. Para isso é necessário adquirir conhecimento teórico e prático.” explica o especialista.

www.vidaurgente.org.br


Jornal Opa! Abril de 2012

Charlie Brown Jr: O antes, o depois e o agora Por Thanise Dias

thanise.dias@hotmail.com

Nostalgia. Foi essa a palavra que melhor resumiu o sentimento das centenas de pessoas que lotavam o bar Opinião nos dias 14 e 15 de março, em Porto Alegre. O motivo? Nada mais nada menos que o retorno à cidade de uma das maiores bandas de rock do cenário musical brasileiro, o Charlie Brown Jr.E desta vez com sua formação original quase completa. Mesmo que com a antiga formação (que tinha Pingüim na bateria, Heitor Gomes no baixo e Thiago Castanho na guitarra) eles ainda fossem uma banda de grande sucesso, a ansiedade pelo show se devia ao fato do grupo estar em parte voltando as suas origens. Após a separação, que ocorreu por motivos

profissio-nais, Chorão continuou com a banda, trazendo consigo dois músicos naturais de Santos para dar continuidade a este projeto que já estava enraizado na cultural musical dos jovens brasileiros. Enquanto isso, o Charlie Brown ia mostrando, cada dia, a sua importância na música brasi-leira, com lançamento de CDs e DVD. Um dos CDs lançados neste período, o Imunidade Musical, teve um grande sucesso e é um marco na carreira da banda. Após cinco anos, o grupo voltou a sua formação quase original com o retorno do baixista Champignon e do guitarrista Marcão. Famosos por letras polêmicas e cheias de opinião, a banda conhecida por hits como “Eu não uso sapato” e “Proibida para Mim”, mostrou um amadurecimento musical nas composições. Enquanto an-

tigamente Chorão criticava duramente a sociedade atual e entoava os versos “Eu quero mais é que eles queimem na fogueira das vaidades”, hoje mostra que a banda deixou de lado essa face meio rebelde. O atual single “Céu Azul” consegue mostrar que a banda mudou de uma forma lenta, e essa transição não prejudicou seu público original. Apesar de, num modo geral, a volta ter sido ce-lebrada pelo público, existe sempre uma visão meio controversa dos fatos. A estudante de Psicologia Juliana Birck, 20 anos, admite gostar do novo single, porém se revolta com a volta do grupo. Segundo ela as músicas viraram pop demais para o que a banda originalmente era, e que o retorno da formação original não passa de uma jogada de marketing, algo totalmente contra os

princípios que Chorão sempre teve. Ela acompanha a banda há vários anos, e diz que o que mais lhe chamou a atenção quando conheceu foi a originalidade e a crítica social impostas nas letras que além de retratar os problemas de uma sociedade muitas vezes hipócrita, também misturava-se com a realidade que os jovens vivenciam. Seguramente a reação dos novos ouvintes com relação à banda será diferente de como os jovens reagiram inicialmente às músicas apresentadas. O porquê disso? Pois a banda mudou o foco das composições, “perdeu” o que era o ponto mais criticado, mas que era, também, a parte que, inicialmente, os trouxe para os olhos da mídia. Isso não significa que diminuíram a capacidade de fazer boas canções, porém o antigo público precisa se acostumar com

a ideia de que a banda amadureceu, e que criticar a tudo e a todos, falar palavrões em letras e criar polêmicas não é mais uma parte tão presente na realidade de agora. A banda mudou, mas isso não significa que tenha piorado. E os shows em Porto Alegre mostraram isso, que mesmo com esta mudança musical eles continuam sendo uma banda extremamente talentosa e que conseguem empolgar o público tanto com músicas novas como com músicas que se tornaram ícones de uma geração. Mesmo após vários anos separados, eles provaram que continuam tendo muita sintonia, não somente entre eles, mas também com o público, e conseguiram deixar bem claro que os meninos de Santos ainda irão continuar empolgando, inspirando e estimulando jovens e adultos pelos próximos anos.


Divulgue seu evento aqui: comercial@jornalopa.com.br

20 21

Agridoce

24 Bob Dylan

Onde: Opinião Hora: 21h Onde: José do Patrocínio, 834

25 Anthrax e Misfits

Onde: Teatro do Bourbon Country Onde: Av Túlio de Rose, nº 80

19 Diogo Nogueira

Onde: Pepsi On Stage Hora: 21h Onde: Avenida Severo Dullius - 1995

15 Sebastian Bach

Jornal Opa! Abril de 2012

> American Pie 4: O Reencontro

A história do quarto filme mostrará o que aconteceu com os personagens tantos anos depois, quando todos se reúnem para celebrar os dez anos de sua formatura no colegial. Na reunião, eles vão relembrar os bons tempos - apenas para descobrirem que continuam sendo adolescentes, mesmo velhos.

> Diário de um Jornalista Bêbado

Onde: Opinião Hora: 21h Onde: José do Patrocínio, 834

26 Maria Gadú

Baseada numa história “surreal” escrita por Hunter S. Thompson, o filme narra a história do jornalista freelancer Paul Kemp (Johnny Depp), que na década de 1950, deixa os Estados Unidos para trabalhar no San Juan Star, um jornal decadente em Porto Rico. Na ilha, ele depara-se com a cultura local; numa alucinante e deliciosa relação entre trabalho e diversão, em que euforia, boemia e consciência se misturam sem moderação.

> Sete Dias com Marilyn Onde: Opinião Hora: 22h Onde: José do Patrocínio, 834

22 Roger Hodgson

Onde: Teatro do Bourbon Country Hora: 20h Endereço: Avenida Túlio de Rose - 80

Onde: Teatro do Sesi Endereço: Av. Assis Brasil, 8787

17 Fábio JR.

Onde: Teatro do Sesi Endereço: Av. Assis Brasil, 8787

A musa Marilyn Monroe (Michelle Williams) está em Londres pela primeira vez para filmar “O príncipe encantado”. Colin Clark (Eddie Redmayne), o jovem assistente do prestigiado cineasta e ator Laurence Olivier (Kenneth Branagh), sonha apenas em se tornar um diretor de cinema, mas logo viverá um romance com a mulher mais sexy do mundo. O que começa como uma aventura amorosa mudará a vida do ainda inocente Colin e revelará uma das várias facetas de um dos maiores mitos do século XX.


JORNAL OPA! ABRIL DE 2012  

Edição de Abril de 2012 do Jornal Opa!

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you