Issuu on Google+

Locomotiva Puxando o assunto, trazendo o debate, levando informação 25 de fevereiro - sábado - nº55 - Distribuição Gratuita

Acabou a festa. Começou o ano ‘Carnaloucura’ recebe milhares de foliões, mas cidade sofre com arrastão | Págs 4 e 5

Irmãos na política. Mais um Cecchettini pode ser prefeito na região | Pág 3

Pai de Rayane ainda espera justiça | Pág 5

Padaria do Bahia. Prazer em servir bem | Pág 6


2

25 de fevereiro- sábado - nº 55 - Distribuição Gratuita

NOS TRILHOS

Locomotiva

EDITORIAL

E

enfim 2012 começa. O carnaval presença. A nossa população tão carente passou e não deixou marcas que pos- de eventos culturais de qualidade e que sam ser lembradas pelas próximas não vê incentivos suficientes para novos gerações. Não tivemos desfiles das nossas artistas, costuma lotar a praça sempre que escolas de samba pelas ruas do centro e nem algo é oferecido. Mas ainda é pouco. A a ansiedade da apresentação de fantasias proximidade da eleição tenta maquiar a de personagens que até hoje fazem parte de falta de eventos de cultura genuína com Hora de tirar a prefeito em Mairiporã lembranças infanto-juvenis. Também grandes apresentações, geralmente com a fantasia (vereador Du), manterão o nossas ouvimos as marchinhas tocadas pelas arte emprestada de outras cidades. Passados o tríduo vice em Caieiras e poderão não no Paulo Rogério – em reforma há Uma pena que nossas crianças estejam momesco, tá na ter candidato em Francisco bandas muitos meses além do prazo previsto para privadas de aprender as próprias tradições hora de tirar a Morato (vereador Liro). – e os concursos das crianças mais culturais. Uma oportunidade para que fantasia. Começamos Em Franco da Rocha estão entrega bem vestidas do carnaval franco-rochense. os pais repensem as suas prioridades e efetivamente o ano decidindo que caminhos Mas tivemos festa. E, embora a pre- exijam um pouco mais de seus direitos. de 2012, que promete tomar. ocupação com a segurança não tenha Porque cultura e lazer também fazem muitas emoções. sido suficiente para proteger os comer- parte de uma administração que pensa, Esquentam os Deu na Globo ciantes de prejuízos, a população marcou de fato, nos cidadãos. preparativos para Franco de Rocha de a disputa eleitoral, novo na telinha: o SPTV quando a população denuncia a falta de escolherá seus iluminação na Travessa governantes municipais. Geraldo Viola, no bairro do Pouso Alegre. A Em Caieiras prefeitura teria prometido O grande atingido instalar as luminárias, mas seria Névio Dártora, continuam na escuridão. que em 2010 já teve Agora estão prometendo dificuldades para instalar até 2 de junho. garantir seu registro. Nesse cenário a disputa Direito de “Moro aqui desde que ganharia novo vigor, resposta nasci e nunca vi tanto desentre o atual prefeito, O empresário Rubens caso com o nosso “jardim”. Roberto Hamamoto M. de Aguiar Junior, Simplesmente há mais de 6 (PSD), e Miranda (PT). contratado da Prefeitura meses não recebemos nepara recolher os cavalos das nhuma manutenção nos No alvo ruas por cerca de R$ 6,5 brinquedos dos parquinho, Em Francisco Morato, mil mensais encaminhou não há nenhuma remoção Andréa também e-mail ao jornal explicando do matagal que cresce em estaria sob risco. que sua empresa possui todo o canteiro central da Coincidentemente, uma grande estrutura avenida e muito menos ambos são do PSDB. e que, portanto, o valor aparamento da grama, que não é considerável. Além deveria enfeitar a avenida PTB disso, disse que o serviço e que ao contrário disso, O partido também está começou recentemente e deixa tudo com um aspecto que está em fase de acertos. péssimo. otimista. Waldomiro Aproveitou para avisar Ramos, membro da As crianças já não brinexecutiva estadual, fez a população que chame cam mais por aqui e nem o controle de zoonoses um giro pela região, podemos usar os banco – (telefone 4444-5550 ramais já que estão cobertos pelo ganhar os votos por aqui, propuseram a nos oferecer em reuniões com as 209 ou 210) quando avistar mato alto. executivas locais para mas fora desse período é esse aqui”. animais à solta. avaliar o quadro. Minha indignação é gran- abandono que assistimos. José Jonas da Silva dos SanSairão com candidato de, porque eles sempre Não estou pedindo muito, tos, 27, morador da Avenida aparecem perto da eleição, só fiscalização, manuten- Giovani Rinaldi - parte baixa deixam tudo certo para ção e atenção ao que eles se do Parque Vitória

Carta do Leitor

Abandono na Av. Giovanni Rinaldi

Expediente Locomotiva é uma publicação semanal da

Editor: Ricardo Barreto Ferreira Filho

Editora Havana Ltda. ME.

Projeto gráfico: Feberti

Circula em Franco da Rocha, Caieiras, Francis-

Diagramação: Vinícius Poço de Toledo

co Morato e Mairiporã.

Todos os artigos assinados são de responsa-

E-mail: jornallocomotiva@gmail.com

bilidade de seus autores e não representam,

Impressão: LWC Gráfica e Editora

necessariamente, a opinião do jornal.

Tiragem: 50 mil exemplares


Locomotiva

3

25 de fevereiro- sábado - nº 55 - Distribuição Gratuita

Movimentações políticas causam mal-estar entre partidos

O Governador Geraldo Alckimin entre os irmãos Marcelo e Mário Ceccettini

A proximidade das eleições municipais vem movimentando o cenário político de nossa região. Eleito prefeito de Franco da Rocha em 2004, sem jamais ter disputado outra eleição, Márcio Cecchettini se valia dessa condição em seu discurso. Empresário, ex-presidente da Associação Comercial e Industrial de Franco da Rocha, Márcio, o então “candidato do bem” era o não-político, o empreendedor que não fazia parte da classe política tradicional. O discurso encaixou e Márcio elegeu-se e reelegeu-se prefeito. Com o sucesso eleitoral, Cecchettini dá mostras de que

tomou gosto pela coisa e que pretende seguir na política, firmando sua posição como líder regional, se capacitando para, quem sabe, alçar vôos mais altos. Em Franco da Rocha, Márcio assumiu o controle municipal do partido em 2007, vencendo a disputa interna com o ex-deputado estadual Widerson Anzelotti, com as bênçãos do então governador José Serra. Para a sucessão, no entanto, a aposta é em Pinduca, vereador por dois mandatos que acabou compondo chapa com o prefeito para a reeleição. Pinduca é um tucano de primeira viagem e ainda assim por

acidente: entrou no partido às pressas, no final do prazo para concorrer às eleições, quando a coligação perdeu o PMDB, que acabou lançando Roberto Seixas. Entretanto, em outras cidades da região, ao que tudo indica Cecchettini está engajado na campanha de candidatos do PV (Partido Verde), contra candidatos de seu partido. Em Mairiporã, o apoio iria para o Dr. Marcio Pampuri, ainda que o prefeito Aiacyda, que também é tucano, já tenha anunciado que sua candidata é a secretária de Educação, Leila Rampazzo. Em Francisco Morato, no entanto, a articulação ganha

contornos mais evidentes: Marcelo Cecchettini, irmão do prefeito de Franco da Rocha, já se anuncia como pré-candidato à Prefeitura pelo PV, contra o atual prefeito Zezinho Bressane e a ex-prefeita do PSDB Andréa Pelizari. Chega a aparecer em fotos de eventos oficiais ao lado do irmão, em evidente campanha. A única cidade da região onde Cecchettini caminharia junto com seu partido é Caieiras, onde o candidato pode ser o ex-prefeito Névio Dártora, ainda que Pinduca tenha pregado voto no atual prefeito Roberto Hamamoto (PSD) em evento público no ano passado.

A inserção de Márcio na política regional tem a ver com seu futuro político, onde ele seria candidato a deputado estadual em 2014. Segundo fontes próximas aos Cecchettini chegou a ser cogitada uma candidatura já em 2010, plano que foi abortado pela apreensão de dinheiro na gaveta de secretários municipais em 2009. O desprezo pelo PSDB na construção deste projeto, no entanto, têm incomodado as lideranças regionais e estaduais. O caso mais grave é em Francisco Morato, onde a ex-prefeita Andréa tem criticado abertamente o prefeito de Franco.


4

25 de fevereiro- sábado - nº 55 - Distribuição Gratuita

Carnaval e loucura

Tudo foi organizado para oferecer aos foliões da cidade cinco dias de carnaval. Este ano, com o sugestivo nome de “Carnaloucura”, o carnaval da cidade foi realizado utilizando uma área coberta com mais de 2 mil metros quadrados, palco para apresentação de escolas de samba de São Paulo e som de qualidade, além da segurança e atendimento médico. O ‘Carnaloucura’ aconteceu entre os dias 17 e 21 de fevereiro e reuniu milhares de pessoas, no Parque da Cidadania Benedito Bueno de Morais. Entre as atrações, o evento contou com apresentações concorridas das escolas de samba Acadêmicos do Tucuruvi, Leandro de Itaquera,

Nenê da Vila Matilde e Vai-Vai, todas do grupo especial de São Paulo. Apesar da qualidade das atrações e do sucesso de público, representantes de algumas associações culturais da cidade, como a Associação Cultural do Véio, da Vila Bela, e da Viva Vila, da Vila Ramos, reclamaram da falta de incentivo à cultura local. De acordo com eles seria importante o resgate da cultura local, com o incentivo às escolas de samba franco-rochenses. Outro ponto questionado diz respeito ao nome escolhido pela Secretaria de Cultura, ‘Carnaloucura’ que, segundo muitos munícipes, sugeria uma comemoração nada familiar.

Locomotiva


Locomotiva

5

25 de fevereiro- sábado - nº 55 - Distribuição Gratuita

Tumulto se espalhou pelas ruas do centro

Jairo Silva

A louvável ação da prefeitura para retomar o Carnaval de rua na cidade teve, entretanto, um saldo negativo. Foliões e comerciantes da cidade assistiram um espetáculo de vandalismo depois do fechamento dos portões do Parque. Ruas como a Hamilton Prado e a Avenida dos Expedicionários foram os principais alvos do arrastão que se instalou na madrugada de segunda (20) para terça-feira (21). Segundo as vítimas, por ter sido acionada em diversos pontos da cidade e simultaneamente, a polícia quase não deu conta do tumulto.

De acordo com o relato do taxista Jairo da Silva, atingido na perna por uma bala de borracha, o tumulto começou quando os portões do Parque da Cidadania foram fechados, assim que a organização atingiu sua capacidade máxima. “A multidão iniciou uma festa paralela e a polícia tentou dispersar o pessoal, mas os policiais foram recebidos com garrafas e outros objetos. A polícia respondeu com balas de borracha e fez com que toda aquela ‘boiada’ fosse tomando conta da cidade”, comentou. Jairo contou ainda que ele e outros amigos do ponto

deixaram o carro e saíram correndo, pois a multidão ameaçava atingir os veículos, mas foram contidos pela policia. Maria Santos Rosa, 42, que levava os filhos para curtir o carnaval, explica que viu quando a multidão chegou até a Hamilton Prado. “Assim que eles seguiram sentido a rua Hamilton Prado, eu peguei meu pessoal e mudei o rumo. Estavam bêbados e gritando bobagens pela rua, foi algo deprimente”. Não satisfeito, o grande grupo seguiu rumo ao Posto Zebrinha e foi contido pela força policial instalada

no local. “Eles vieram nessa direção, mas a polícia estava toda aqui. Então dispersaram”, comenta um dos funcionários do posto. Outro grupo seguiu para a Avenida dos Expedicionários. Lá, primeiro saquearam o Auto Posto Veneza. “Foi uma confusão, eles entraram na loja, levaram coisas sem pagar, mas não houve violência. Lá fora, a policia conteve a multidão – que chegou a assustar nossos funcionários”, comenta Ivanilda Maria dos Santos, gerente do Veneza, que teve a ação registrada pelas câmeras de segurança

do estabelecimento. Em seguida, o grupo quebrou as portas do supermercado O Dia. Já com as portas consertadas, a gerente do supermercado, Elizete Rodrigues, comenta que pela abertura feita na porta era possível a invasão, mas que a loja não chegou a ser invadida. “Temos câmeras de segurança que não registraram nenhuma movimentação interna. Foi a primeira vez que sofremos esse tipo de problema e agora contratamos seguranças para inibir novas investidas”, desabafa.

Carnaval LGBT foi a grande novidade. E sem bagunça A Elite da Farra em parceria com a Mel Produções realizou nos dias 20 e 21 de fevereiro (segunda e terça de carnaval) a Omega Folia A festa, que ficou sob o comando de Fernanda Nunes, vocalista da banda Fuxico, e que comandou um público de mais 300 pessoas na Choperia Omega. Fernanda sacudiu a galera com as famosas marchinhas de carnaval, além de muito axé entre outros gêneros que embalam os grandes bailes de carnaval. A grande perfomance, entretanto, ficou por conta da drag queen Lilian Paixão, que levou o público ao delírio na segunda noite do evento. O Omega Folia foi o primeiro

Carnaval LGBT de Franco da Rocha e a equipe de organizadores ficou bastante satisfeita com o resultado. “Nossa intenção foi desmistificar, quebrar tabu mesmo, pois muitos

atrelam a ideia de carnaval GLS com orgias e coisas do tipo. Nós provamos que não é assim. Foi uma diversão sadia e que contribuiu para derrubar preconceitos “, afirma Erol

Wolhrs, um dos organizadores. “Nossa intenção foi atingida, pois propusemos um carnaval animadíssimo, em um ambiente familiar. Todo mundo se divertiu demais” completa.

A Omega Folia contou com a discotecagem dos DJs Rodrigo Fee e Evando Skoll, e a apresentações das transformistas Diana Dhi e Rhyllary Spears.


6

25 de fevereiro- sábado - nº 55 - Distribuição Gratuita

AQUI TEM

Locomotiva

Esta nova seção do Locomotiva é dedicada ao comércio de Franco da Rocha, o mais forte da região. Em cada edição, vamos mostrar um produto ou serviço que é prestado aqui, do lado de casa.

Padaria do Bahia é exemplo de força do setor Atualmente, as padarias e confeitarias representam 36,05% do faturamento do setor de food service e se comparado a outros setores ligados à alimentação e varejo, obtiveram desempenho superior aos de supermercados e hipermercados, seus concorrentes diretos. Em Franco, confirmando toda essa estatística, está a Padaria do Bahia, na Vila Belmiro. O local já está pequeno para a demanda do bairro e por ter uma clientela fiel, Bahia já investe no aumento do espaço. “Aos finais de semana, a fila do pão é enorme”, comemora. José do Carmo de Souza Fontes, o Bahia, teve o que o marketing chama de visão de negócio. Há quase dois anos, em um passeio pelo bairro, onde havia ido poucas vezes, se encantou com o ponto onde hoje é a padaria.

“Conversei por aqui e descobri que as pessoas recebiam o pão de longe, isso me deu a ideia. Desde o primeiro dia que abri as portas, a aceitação foi ótima”, explica. São 1300 pães por dia e aos finais de semana esse número dobra. Um dos grandes diferenciais é o sabor – o pão da padaria do Bahia, que há poucos meses ganhou um grande concorrente, não saiu da mesa dos moradores do bairro porque tem qualidade. “Estamos crescendo, então o local já está ficando pequeno. Nossa ideia é ampliar e oferecer tudo que a população daqui precisa em termos de padaria. Hoje, mesmo desse tamanho, inovamos fazendo tipos de pães diferentes, revisitando fórmulas já usadas, enfim, tudo pra oferecer novidade e qualidade à clientela”, finaliza.

Padaria do Bahia Rua Primavera, 21 – Vila Belmiro (11)9437-5760

Ponto positivo

No último dia 10 de fevereiro o vereador Bebé (PT) participou de evento comemorativo dos 89 anos do aniversário da Previdência Social no município de Jundiaí. Na ocasião aproveitou para cumprimentar o ge-

rente executivo do INSS da regional de Jundiaí, Eudis Urbano dos Santos, que afirmou que nas primeiras semanas de março será avaliado o solo da área onde será instalada a nova agência de Franco da Rocha.

Ponto negativo

A Rua Gracinda Cardoso, no Parque Monte Verde, teve que ser interditada. O motivo é uma imensa

cratera que se formou sob ela e que ameaça a segurança de pedestres e motoristas.


Locomotiva

7

25 de fevereiro- sábado - nº 55 - Distribuição Gratuita

Caso Rayane: pai continua em busca de justiça

Gerson Euzébio de Melo, pai da menina Rayane Aparecida Fidencio Melo que, com apenas 21 dias de vida foi vítima de negligência médica no Pronto Atendimento da Praça da Saúde, protocolou na última sexta-feira (17) uma denúncia no Conselho Regional de Medicina contra o médico plantonista Dr. Oswaldo Silva Junior e todo o sistema municipal de Saúde de Franco da Rocha. No documento, Gerson

relata todo o drama vivido por ele e pela família que não conseguia atenção adequada do médico que, apesar dos graves sintomas apresentados pela criança, dizia apenas que aquilo era alergia. Alem do descaso no atendimento, Gerson denuncia uma ameaça que, segundo ele, teria sofrido pelo médico. Pede ainda averiguação do órgão nos atendimentos feitos na Praça da Saúde e nas UBS´s da cidade. Gerson já protocolou

denúncias no Ministério Publico e na própria prefeitura e ainda aguarda pareceres. “Eu não vou desistir porque o que aconteceu com minha filha, acontece todos os dias na cidade. Só Deus sabe o desespero que eu fiquei em ter que levar minha filha naquelas condições para São Paulo e até agora ninguém se manifestou a nosso favor. Vou até as últimas consequências”, desabafa.

Entenda o caso No dia 3 de novembro de 2011, com apenas 21 dias de vida, Rayane Aparecida Fidencio Melo chegou à Praça da Saúde com sintomas sérios, como tosse, cianose e desmaio. Segundo os pais, Gerson Euzébio de Melo e Raquel Fidencio, o médico de plantão Dr. Oswaldo Silva Junior os atendeu com descaso e diagnosticou Rayane com alergia de fumaça de cigarros e

sabão para roupas. Após voltarem várias vezes no mesmo dia e nos dias que se seguiram, os pais rodaram a região em busca de atendimento e com a criança quase entrando em óbito chegaram na Santa Casa, no bairro de Santa Cecília, em São Paulo, onde Rayane foi diagnosticada e internada com coqueluche. A família inteira teve que ficar de quarentena.


8

25 de fevereiro- sábado - nº 55 - Distribuição Gratuita

NOSSA GENTE

Locomotiva

Nesta seção vamos registrar as histórias, os “causos”, a vida dos homens e mulheres que fizeram e fazem, a cada dia, a nossa cidade.

Miguel Pimentel e uma vida toda com Franco no coração Quando o alagoano Miguel Mozart Cavalcante Pimentel chegou com os pais por aqui, há mais ou menos uns 60 anos, gostou de cara da cidade. Seu Miguel, como é conhecido, construiu sua vida toda em Franco da Rocha e seu discurso é de pura gratidão. Saudosista, lembra da infância de muita diversão e futebol nas ruas de terras da cidade, ao lado de saudosos amigos, muito já falecidos. “Nossa diversão – depois da aula na escola Benedito Fagundes Marques, que ficava onde hoje é o Batalhão na Rua Dr. Franco da Rocha – era jogar futebol. Fiz amigos para a vida inteira ali”, comenta.

SOCIAIS

Segundo ele, os jogos da rapaziada aconteciam no ‘Flor da Vila Bazu’, um campinho no bairro de mesmo nome, onde ao lado dos amigos viu a juventude chegar e passar. Diferente de muitos personagens Miguel não trabalhou no Juquery, nem tampouco na ferrovia. Miguel se especializou na área de vendas e foi pra São Paulo “ganhar a vida”. O trabalho na capital sempre rendeu convite para uma mudança de cidade, que Miguel nunca aceitou, pois viver em Franco da Rocha pra ele é sinônimo de sucesso, tranquilidade e proximidade com os amigos. Hoje são os filhos que o assediam para mudar de cidade, mas Miguel é taxativo:

Nesta seção, traremos sempre as pessoas, lugares e eventos que brilham na vida social de nossa cidade e região.

Aniversariantes

Suellen Rosa,

11 de fevereiro

Márcio Santos,

22 de fevereiro

Bruno Barreto,

23 de fevereiro

Jadiel Barbosa,

24 de fevereiro

Felipe Pinheiro,

26 de fevereiro

“Eu gosto de Franco da Rocha porque você sai de casa e encontra amigos. Apesar de eu conhecer pessoas em outras cidades, não é a mesma coisa. O clima de vila, de amizade, não será o mesmo e eu não troco isso por nada”, dispara. Há alguns anos, Miguel adquiriu diabetes o que lhe rendeu uma deficiência visual. Mas ele conta que ainda passeia com a esposa que vai narrando a situação da cidade. “Um dia desses, passamos pela Cavaleiro Ângelo Sestini e minha esposa me disse que aquele pedaço está parecido com a Lapa. Eu sorri imaginando como a cidade mudou dos meus tempos de menino”, finaliza.


Jornal Locomotiva 55