Page 1

NÚMERO 016

|

MAIO/2019

|

jornalocidadao@yahoo.com

CIRCULAÇÃO NA CIDADE DE SANTA LUZIA E REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

10 mil exemplares - Distribuição Gratuita

EPIDEMIA NA SAÚDE MUNICIPAL Os agentes municipais de saúde estão preocupados com projeto que tramita na Câmara Municipal, cujo texto apresentado pode dificultar ou mesmo impedir o exercício da profissão dos atuais contratados. Segundo os representantes da categoria Leonete Pires do Sind-Saúde e Patrick Jardim da Comissão dos Agentes de Saúde (fotos), as propostas acrescentadas ao projeto inicial (enviado pelo Executivo), condicionam a atuação dos comissários de combate a epidemias (que atuam na rua e nas residências) à capacidades acadêmicas que extrapolam suas atividades. Em um momento em que a epidemia de dengue (entre outras) assusta a população, a denuncia é preocupante para a saúde municipal. PÁgina 3 Foto: Leo Perak

O Cidadão

MAMÃES MODERNAS

FUTEBOL: CLUBES LUTAM PARA MANTER SUA TRADIÇÃO

Foto: Leo Perak

O abandono dos clubes de futebol amador em todo o país, tem seu retrato dramático em nossa cidade - onde os tradicionais Santa Luzia (criado em 1926) e o Santa Cruz (criado em 1930) vivem grandes dificuldades. Os esforços dos atuais dirigentes em buscar meios de sobrevivência e das novas gerações apaixonadas pelo esporte, seja como atividade recreativa ou depositário da esperança de jovens talentos, garantem o funcionamento mínimo das agremiações. A boa noticia é que esse esforço está concentrado na formação de equipes infantis e juvenis, traduzindo uma grande esperança na mudança de rumos e no futuro melhor.

O Dia das Mães vai mudando conforme o papel da mulher avança e torna-se mais dinâmico na sociedade moderna. Nesse ano, as comemorações em homenagem às antigas ‘rainhas do lar’ ganharam uma versão mais política com a ascensão dos movimentos feministas. Essas mudanças foram analisadas, principalmente, pela francesa Simone de Beauvoir. A data continua sendo um dos momentos mais importantes do ano para o comércio. PÁgina 7

PÁgina 8


Divulgação

Minha mãe me dizia: Se queres ser um soldado, serás general. Se queres ser um monge, acabarás sendo Papa. Então eu quis ser um pintor e agora sou Picasso. Pablo Ruiz Picasso

MAIO DE 2019

2

OPINIÃO

Editorial

ATRASOS & PRECIPITAÇÕES

O ano vai chegando ao meio e com ele quatro meses do novo governo do país. Perdido em desgastes infantis e desperdiçando energia em questões tão rasas quanto tuitadas e embates até com artistas pop, não conseguiu, ainda, mostrar a que veio e muito menos levar animo à população já desencantada com os governos anteriores. O coelhinho mágico da cartola bolsonariana seria a reforma da Previdência Social. Porém, a força renovadora que prometia vai se diluindo nas concessões das bancadas que determinam as matérias levadas ao debate naquela Casa. Nos demais setores essenciais ao pais, desde a cultura até a remontagem da infraestrutura básica, não é diferente. A timidez e propostas nanicas para cada um deles, claramente remete o país à um retrocesso imperdoável. A coloração dos votos, nas últimas eleições, pede mudanças - mas também exige eficiência. Com um quadro de tamanha complexidade e apreensão generalizada no país, a prioridade de algumas forças políticas municipais é defender seus interesses próximos. Insensíveis e ávidos pelo poder, já se lançam

à campanha eleitoral para a sucessão na prefeitura no ano de 2020. Na realidade, vários nomes se apresentam inicialmente – quase sempre visando composições vantajosas futuras. Algo (quase) corriqueiro na plutocracia que se instalou no país, aos poucos, no decorrer dos últimos 30 anos. Somando-se ao fato de que nosso município transformou-se num vasto ‘campo de pouso’ de paraquedistas políticos, o quadro é preocupante. Enquanto isso, o dia-a-dia do cidadão luziense segue, com sua simplicidade e muito trabalho. Nesta edição, falamos das dificuldades dos clubes tradicionais em manter acesa a bela chama do futebol amador, revelamos que as mães deixaram a cozinha para enfrentar o mundo, a saúde municipal enfrenta uma perigosa epidemia com sua burocracia – e também viaja pela natureza explosiva de Yellowstone (EUA), mostra lançamentos de moda para a mamãe moderna, indica agasalhos para os pets enfrentarem o frio e a coluna Movimento destaca o circuito social. Boa leitura!

BICA D’AGUA NO NOVA CONQUISTA NASCENTE FORNECE AGUA FRESCA AOS MORADORES Fotos: Leo Perak

Edson Rodrigues faz uso diário da agua da bica DIRETOR GERAL Leopoldo Alves Reg. MTE - MG 14510 JP O Jornal O Cidadão encontra-se matriculado/registrado sob o Nº 05, Livro 2B desde 17/04/2017 no Cartório de Títulos, Documentos e Registro de Pessoas Jurídicas de Santa Luzia.

TIRAGEM 10 mil exemplares CIRCULAÇÃO: Santa Luzia e Região Metropolitana de Belo Horizonte

Resistindo ao tempo e ao emaranhando de prédios, a “bica d’água” no Nova Conquista, em Santa Luzia, corre o risco de acabar. Moradores pedem providências do poder público para a preservação da nascente. Segundo o João Pereira dos Santos, vice-presidente da Associação do Bairro Nova Conquista, os moradores querem a criação de uma área de proteção ao redor da bica, com a limpeza do lixo, capina do mato e se possível um chafariz “Essa bica já existe a mais de 40 anos. Ela serve toda a comunidade. Quando acaba a água em nossas casas é nela que o povo vem buscar”, diz João. Os munícipes preocupados com o descaso consideram a bica do Nova Conquista essencial para a comunidade. “Eu conheço essa bica desde quando nasci. É nela que os primeiros moradores que vieram morar no bairro tiraram água para construir suas casas”, diz Anderson Martins. Preocupado com a preservação da nascente, João ainda alerta às autoridades “é raro nos dias de hoje ter uma bica bem no meio de tantas construções. Eles falam muito das águas e a gente não vê uma autoridade tomando providência para arrumar, para cuidar da preservação das nascentes, a prova disso é a nossa bica” afirma o vice-presidente da associação.

Anderson Martins, Edson Rodrigues e João Pereira buscam uma solução para preservação da bica

COLABORADORES Jessica Vitorino - Jornalista Léo Perak – Fotografo Dr. Alexandre Carvalho - Jurídico DIAGRAMAÇÃO Anderson Carmo

O Jornal O Cidadão e seus editores não se responsabilizam pela opinião dos entrevistados ou pelo conteúdo das matérias recebidas por meio de assessorias das empresas citadas. Não se responsabilizam ainda por artigos assinados, por não representarem, necessariamente, a opinião dos mesmos. A reprodução total ou parcial das matérias, seja em redes sociais de internet ou em veículos de comunicação físico ou virtual, só será permitida após previa autorização da editora.


A ociosidade é a mãe da maledicência, da calúnia e da intriga, coisas a que eu já não sei se hei-de chamar vícios se virtudes, tão habituada estou a vê-los morar em lábios tidos como santos por este mundo que é com certeza o melhor dos mundos possíveis e imagináveis.

Divulgação

Florbela Espanca

MAIO DE 2019

cidade

3

Agentes de saúde temem

perder o emprego

projeto apresentado na câmera não é compatível com o que foi conversado com trabalhadores Um projeto de lei que tramita na câmara municipal de Santa Luzia pretende regularizar o vínculo dos agentes de Combate a Endemias (ACE) e Comunitários de Saúde (ACS) com o município. A comissão do projeto é formada por membros do executivo, agentes de saúde e tem total apoio dos vereadores. Para elaborar o documento a Comissão de saúde da Câmara de Vereadores de Santa Luzia visitou cidades vizinhas para conhecer a relação dos agentes de saúde com seus municípios. Contudo, de acordo com o representante dos agentes de saúde de Santa Luzia Patrick Jardim, o documento apresentado pelo executivo na câmara diverge do que foi proposto à comissão mista - composta pelo executivo, vereadores e representantes dos trabalhadores. “O primeiro projeto vinha com intuito de regularizar a situação dos agentes de saúde. Mas esse apresentado pelo executivo viola a lei, não garantindo a permanência dos agentes daqui no município, a partir disso resolvemos nos mobilizar a classe para participar dessas discussões” diz Patrick. A principal queixa dos trabalhadores é que o documento apresentado exige que os agentes de saúde (ACS) também sejam técnicos de enfermagem para efetuar funções específicas de técnico. Segundo a coordenadora da Secretaria dos Assuntos do Interior do Sind-Saúde, Leonete Pires, a exigência vai contra a legislação nacional “agente

Foto: Leo Perak

Leonete Pires do Sind-Saude e Patrick Jardim participam da reunião de comissões na Câmara de Vereadores de Santa Luzia

que faz o serviço de rua fazer serviço dentro das unidades de saúde vai contra lei. Não é atribuição do agente de saúde da rua fazer serviço dentro da unidade” afirma. Em reunião de comissões da Câmara de Vereadores de Santa Luzia, realizado dia 06 de maio, com o intuito de debater

as divergências do documento e encontrar a melhor solução para os trabalhadores e para cidade, ninguém do executivo apareceu. Até o fechamento desta edição a prefeitura não se manifestou. Representantes dos agentes de saúde esperam chegar a um acordo com o executivo o mais rápido possível “a gente espera

que revejam o projeto e que realmente ele seja compatível com a fala de que iam manter os agentes de saúde” conclui Patrick Jardim. A representante do SindSaúde ainda fez um apelo para que não haja represália contra os agentes “eu gostaria de fazer um pedido para que

não houvesse retaliação com os trabalhadores que vieram na câmara acompanhar a discussão. Informação que a gente tem é que os supervisores e coordenadores já estão pedindo o nome dos trabalhadores. A gente imagina que seja para parabenizar e não para punir” afirma Leonete Pires.

LIMPEZA E MANUTENÇÃO DE PISCINAS (31) 98780-2334 - 99130-8918


Pouco conhecimento faz com que as pessoas se sintam orgulhosas. Muito conhecimento, que se sintam humildes. É assim que as espigas sem grãos erguem desdenhosamente a cabeça para o Céu, enquanto que as cheias as baixam para a terra, sua mãe. MAIO DE 2019

Divulgação

Leonardo da Vinci

4 TURISMO

Yellowstone

Um piscar de olhos na vida do nosso planeta Textos:

Glória Tupinambás Renato Weil

Fotos:

À primeira vista, a paisagem é serena. O chão sob nossos pés parece imóvel e permanente. É como se a Terra fosse um pano de fundo estático para nossas vidas, separado da rotina diária da nossa existência. No entanto, isso não passa de ilusão. A verdade é: a Terra nunca está parada. É um lugar poderoso e instável, sempre em mutação. E o Parque Nacional de Yellowstone, no Norte dos Estados Unidos, nos apresenta os mistérios do nosso planeta e nos dá uma rara oportunidade de testemunhar a Terra como ela realmente é. Em Yellowstone, tudo é, ao mesmo tempo, antigo e novo. Forças geológicas moldam tudo o que acontece aqui, hoje e sempre. Centenas de milhões de anos atrás, esse lugar era tão plano quanto os antigos mares que o envolviam. Mas quando as Montanhas Rochosas se elevaram, os mares recuaram. Nossa Terra, tão inquieta, começou a empurrar o magma de suas profundezas para a superfície. Vulcões perfuraram o céu e a mais recente erupção foi tão catastrófica que, em Bisão questão de dias, toda uma cadeia de montanhas foi destruída. Tudo o que restou foi uma cratera de 70 quilômetros de largura – tão grande que você nem percebe estar no interior de um vulcão. Bode

Lower Falls

Biscuit Basin Midway

Barronette Peak

Antigas e recentes erupções moldaram a paisagem que vemos hoje. No começo da visita, Yellowstone pode parecer estranho e misterioso. Mas é exatamente essa estranheza que nos permite abrir uma janela rara para observar nosso planeta, com toda a sua inquietude. É fato que, enterrados em todos os lugares sob a face da Terra, há um calor interior intenso. Mas, em Yellowstone, o magma fica a poucos quilômetros abaixo de nossos pés. O vulcão continua sendo uma força ativa que alimenta mais de 10.000 fontes hidrotermais. Yellowstone reúne dois terços da atividade geotermal da Terra, o que significa dizer que ali tem mais poços de lama, fumarolas, fontes termais e gêiseres que no resto do mundo todo. Observar essa paisagem é sentir o poder do nosso planeta, no seu aspecto mais elementar e visceral, lembrando-nos como a vida é frágil. A beleza que testemunhamos em Yellowstone inspira nossa imaginação! Romantizamos a paisagem e nos maravilhamos com a força e as cores da natureza. No entanto, o que vemos com admiração é temporário, nada mais que um piscar de olhos na vida de nosso planeta. As forças geológicas passadas e presentes continuarão a remodelar o Yellowstone. Essas forças, às vezes sutis, às vezes dramáticas, inevitavelmente transformarão tudo o que vemos diante de nós, e a vida, resiliente como sempre, se adaptará. Nesta superfície incerta da Terra, testemunhamos quão profundamente a vida está entrelaçada com a natureza, enquanto Yellowstone revela sua beleza misteriosa.


A admiração é filha da ignorância, porque ninguém se admira senão das coisas que ignora, principalmente se são grandes; e mãe da ciência, porque admirados os homens das coisas que ignoram, inquirem e investigam as causas delas até as alcançar, e isto é o que se chama ciência. Padre Antônio Vieira

MAIO DE 2019

CIDADE

movimento

Rejane Quites Leo Perak/O Cidadão

Márcio Araújo da Autoescola Cidade, recebe seus novos vizinhos Herlânio Lucena e Heleno Lucena da Drogaria Lucena

DROGRARIA LUCENA

A inauguração da loja-máster da Drogaria Lucena, na avenida Nossa Senhora do Carmo (centro), foi um dos principais acontecimentos da semana na área do varejo municipal. A sua abertura sinaliza intensificação do movimento comercial na área, além de oferecer no espaço inaugurado novas ofertas de conveniência e os seus tradicionais produtos farmacêuticos. O empresário Márcio Araújo, que possui a autoescola Cidade em frente à Drogaria Lucena, fez questão de dar as boas-vindas aos novos

5

vizinhos e disse que a chegada do estabelecimento farmacêutico à região da avenida Nossa Senhora do Carmo (antigo Morro do Sabão) oferece novas oportunidades para a população local (com uma nova opção de compras na área) e elevou o padrão comercial do varejo local, com uma arquitetura moderna e estacionamento amplo. Presente na ocasião, o proprietário da nova loja, Herlânio de Jesus Lucena, agradeceu a manifestação e lembrou o papel da sua empresa em prestar o melhor serviço por um preço justo.

SONHO REALIZADO Sonho de muitas crianças, a profissão de policial foi o tema de aniversário do pequeno Bernardo Henrique Damasceno dos Santos, atendendo pedido feito aos seus pais, o casal Adriana Maria Damasceno dos Santos e Wermenson dos Santos Cunha. A ambientação homenageando a Policia Militar ficou ainda mais autêntica com a presença dos policiais da 7ª. Cia, devidamente autorizados pelo tenente – coronel Anselmo, comandante do 35º. Batalhão da Policia Militar, instalado na Av. Frimisa, 1335, em Santa Luzia. A comitiva visitante foi comandada pelo 2º. Sargento Lucena e integrada pelos cabos Jefferson e Morais – que entregaram um cartão de felicitações em nome de todo o 35º. BPM. Feliz, o aniversariante recebeu seus convidados especiais em sua casa caracterizado com uma imitação de farda de ‘sargento’ Bernardo e conduzindo por uma viatura ao local do evento.

Devemos agasalhar os pets nos dias frios? O inverno está chegando e uma questão vem divergindo as opiniões entre os donos de animais. Afinal, usar ou não roupinhas nos pets? Muitos afirmam que elas são apenas caprichos e incomodam o animal por não ser biologicamente preparado para usar roupas. Por outro lado, há quem diga que assim como nós, eles sentem frio e por isso devem ser agasalhados. Contudo, é preciso ter atenção, não é só porque está frio que seu cachorro precisa se agasalhar. É importante considerar as necessidades de cada animal. O recomendável é usar roupinhas apenas para cães e gatos de pelos curtos, que geralmente sentem mais frio que os animais com pelos longos. Filhotes, animais idosos e doentes também podem se beneficiar com o aquecimento de roupa extra. Os animais que sofrem com doenças de pele devem usar roupinhas esporadicamente, pois elas diminuem a oxigenação da parte coberta e tendem a piorar o problema. Os animais com pelos longos não precisam de agasalhos, um cobertor ou travesseiro para enfrentar os dias mais frios já é suficiente. Também precisa tomar alguns cuidados na hora de comprar a roupa do seu bichinho. Certifique-se que o animal não tem alergia ao tecido e que a roupinha é do tamanho adequado. Comprimento desproporcional pode causar dificuldades de movimentação para o pet e até provocar machucados.


Divulgação

Apenas fiquei conhecida por causa de meus dois filhos que nunca se esqueceram de onde vieram nem da mãe que têm. MAIO DE 2019

6

Dona Canô

moda

NOVAS MAMÃES Foto: divulgação

CAMILA KLEIN JOIAS

C

riado como um evento para alavancar o comércio na depressão econômica do pós-guerra, o Dia das Mães continua a cumprir seu papel – embora com menos vigor em razão das oscilações do mercado. Nos últimos anos, os indicadores de vendas mostraram que a mamãe antiga (com o avental na cozinha) mudou de roupa e, agora, quer muito mais que vestido, sapato & bolsa – mesmo que esses itens continuem na sua agenda e (ainda) liderem a lista de presentes para elas. Quando a preferência vai para os acessórios de moda, as roupas têm que ser bem modernas, os sapatos devem levar algum toque ousado e os bijus & jóias sem medo de chegar com tudo em festas e encontros com as amigas. Por causa disso, as principais marcas do varejo fashion lançam coleções especiais para o Dia das Mães – sempre ligadas no fato de que hoje elas são bem informadas (pelo celular, claro) e sabem exatamente o que lhe cai bem. • Nas fotos algumas propostas de marcas reconhecidas lançadas para o Dia das Mães 2019.

AGILITÀ

ENSAIOS PARA O ALMANAQUE LUZIENSE por Beto Mateus[1]

Dia de Santa Cruz ou do Santa Cruz? Em Santa Luzia, o dia 3 de maio é dia consagrado à lembrança da Santa Cruz ou seria do Santa Cruz, tradicional time de futebol da cidade? Com a mesma data em comum, o dia 03 de maio é dia de comemoração nos cruzeiros da cidade e no bairro Alto Bela Vista por razões diferentes, mas tendo o símbolo cristão como referência. De acordo com o capitão da Guarda de Congo Divino Espírito Santo, Marlon Lima, a data recorda o dia em que Santa Helena encontrou a cruz de Cristo. “Existem vários costumes em torno dessa devoção, um deles é ornamentar as cruzes com papéis coloridos, fitas e flores e colocá-las nas portas das casas. Acredita-se que, na madrugada do dia 03 de maio, Nossa Senhora visita as casas que tiverem uma cruz enfeitada na porta”, destaca o capitão que esclarece que, embora a data permaneça como devoção popular, a Igreja Católica transferiu as celebrações de Santa Cruz para o dia 14 de setembro. Em 03 de maio de 2019, a comunidade quilombola de Pinhões ergueu novo cruzeiro que foi abençoado com as orações e cantos da comunidade local e da Guarda de Congo Divino Espírito Santo.

Já o time de futebol que faz parte da tradição futebolística na cidade foi fundado no dia 3 de maio de 1930, o que fez com que recebesse o nome do símbolo cristão. Em 2019, começou a contagem regressiva para os torcedores que empunham a flâmula do vermelho e branco: no próximo ano, completam-se 90 anos de sua fundação.

Memória: No próximo dia 02 de junho, a Associação Cultural Comunitária de Santa Luzia vai recordar os 140 anos do falecimento da baronesa de Santa Luzia, Maria Alexandrina de Almeida. A celebração ocorrerá no Solar que foi sua moradia entre o ano de 1824 e a década de 1870.

Qualidade e Pontualidade O melhor preço da cidade.

www.marmorariagranmasterltda.com.br Junio e Charles CAMILA KLEIN JOIAS

[1] Beto Mateus é jornalista e agente cultural. Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, da Banda de Música Benício Moreira e da Associação Cultural Comunitária de Santa Luzia.


Minha mãe me sugeriu escrever um conto para remediar o tédio de uma convalescença e eu lhe disse que não sabia fazê-lo. Como você sabe isso se nunca tentou?, perguntou-me. Agatha Christie

MAIO DE 2019

CIDADE

7

DIA DAS MÃES Empoderadas, além de Rainha do lar, o papel da mulher avança na sociedade

Celebrado (no Brasil) sempre no segundo domingo de maio, o Dia das Mães ganhou uma dimensão especial nesse ano em razão da valorização da mulher – muito além da função de ‘rainha do lar’. Ela virou provedora desse mesmo lar (em muitos casos) e também tornou-se a mulher que define todo o comportamento da sociedade com sua presença nos locais de trabalho, na política, nas artes, na vida empresarial – enfim, em todas as camadas da sociedade contemporânea. Embora o comércio ainda seja o maior beneficiário dessa comemoração (para muitos segmentos é o segundo Natal do ano), a transformação da imagem da dona-de-casa dedicada em uma mulher atuante, dinâmica e com vida plena também fora do lar, potencializou os movimentos feministas. Atualmente, a mãe que cuida dos filhos e família é a mesma mulher que sai em busca de melhores oportunidades para a sua vida e da sua família. Mais que isso, ficou mais independente - em todos os aspectos. RECONHECIMENTO Esse crescimento do papel maternal, tem sido objetivo

SEGUNDO SEXO

de análise de estudiosos em sociologia, filosofia, literatura, etc. revelando facetas reprimidas (até aqui) por obra de preconceitos e resistências de uma sociedade dominada pelos homens. Algumas conquistas foram conseguidas, como o tratamento igualitário nas referencias de gênero (deixar de referir-se à raça humana como sendo apenas ‘dos homens’ mas sim de ‘homens e mulheres’, por exemplo), bem como recon-

w

URfF

serviços elétricos

w

Circuito de Monitoramento Projetos e Instalações Manuteção Elétrica Portão Eletrônico Cerca Elétrica Concertina Interfones Alarmes

AUDIE MURfF

31-99287-6608 99409-8207

hecer o seu papel legal no lar (algo que só veio acontecer nos anos 1960), pois, até então, apenas o homem era o ‘chefe da familia’ e determinava todos os atos dentro de casa.

Uma das maiores defensoras do papel dessa nova mulher foi a escritora francesa Simone de Beauvoir, que, no seu livro ‘Segundo Sexo’ (cujo lançamento completam 70 anos neste 2019), expôs a condição feminina subalterna até então e propôs várias observações para colocá-las no patamar adequado. Algumas dessas observações ficaram famosas: • É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separava do homem, somente o trabalho poderá garantir-lhe uma independência concreta; • No dia em que for possível à mulher amar na totalidade, não na sua fraqueza, não para fugir de si mesma mas para se encontrar, não para se demitir mas para se afirmar, nesse dia o amor tornar-se-á para ela, como para o homem, fonte de vida e não perigo mortal; • Casamento é o destino tradicionalmente oferecido às mulheres pela sociedade. Também é verdade que a maioria delas é casada, ou já foi, ou planeja ser, ou sofre por não ser; • A paciência é uma das qualidades femininas que têm como origem a nossa opressão, mas que deve ser preservada após a nossa libertação; • Poucas tarefas são mais parecidas com a tortura de Sísifo (personagem da mitologia grega condenado pelos deuses a empurrar uma pedra ate o alto de uma montanha) do que o trabalho doméstico, com sua repetição sem fim: a limpeza se torna sujeira, a sujeira é limpeza, uma e outra vez, dia após dia. A dona de casa se desgasta com o passar do tempo: ela não faz nada, apenas perpetua o presente. Comendo, dormindo, limpando --os anos já não se levantam para o céu, eles se espalham adiante, cinzas e idênticos. A batalha contra a poeira e a sujeira nunca é vencida.

O DIA DO PASTOR

LEI MUNICIPAL É DE INICIATIVA DO VEREADOR ANDRÉ LEITE

Fazendo justo àqueles que prestam relevantes serviços sociais às comunidades, o Vereador André Leite apresentou o Projeto de Lei nº 025/2019 que institui o ‘Dia do Pastor’. Segundo o vereador, nos últimos anos muitas cidades passaram a oficializar a data por meio de leis municipais ou estaduais. A matéria foi aprovada na Sessão de Comissão e na Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Santa Luzia por unanimidade. O vereador André Leite espera que a partir de junho essa lei passa a integrar o calendário de eventos oficiais do município, podendo o poder público, juntamente com as instituições religiosas que se identificarem com a comemoração, promover atividades alusivas a data. Para o Vereador André Leite, “o Pastor não é oriundo simplesmente de uma formação acadêmica e institucional, seja seminário ou faculdade teológica, mas se trata de uma vocação divina, um chamado para pregar a palavra de Deus e servir aos fiéis, com palavra de motivação, encorajamento e com ações sociais”. Dia do Pastor, Projeto de Lei nº 025/2019:

Art. 1º Fica instituído o “Dia do Pastor” no Município de Santa Luzia, a ser comemorado, anualmente, no segundo domingo do Mês de Junho. Art. 2º A data instituída por essa Lei passará a integrar o Calendário de eventos oficiais do Município, podendo o Poder Público, juntamente com as instituições religiosas que se identificarem com a comemoração, promover atividades alusivas a data.


Ficar aborrecido dá menos trabalho do que tomar uma atitude para acabar com o aborrecimento. Todo mundo quer salvar o mundo; ninguém quer ajudar a mãe a lavar louça. Patrick Jake O’Rourke

maio DE 2019

8

ESPORTE

FUTEBOL AMADOR em santa luzia CLUBES TRADICIONAIS LUTAM PARA SOBREVIVER Em tempos de futebol-empresa dominando os campos mundialmente, a situação dos pequenos times espalhados pelo interior do pais é cada vez mais frágil. Em nossa cidade, os dois clubes de futebol mais tradicionais, o Santa Cruz e o Santa Luzia, há anos vivem em dificuldades – correndo mesmo o risco de extinção, não fosse o esforço e dedicação dos desportistas mais apaixonados pela sua história. O presidente do Santa Cruz Esporte Clube, Antônio Francisco (o Garrincha), diz que o clube mantém suas instalações o Alto da Bela Vista (campo + vestiários) através de aluguel para treinos – e também de contribuições. No Sport Club Santa Luzia, situado no bairro São João Batista (ou da Ponte, para os luzienses mais velhos) o presidente interino Marco Antônio Ferreira dos Santos, recorre ao aluguel do campo e à dedicação preciosa do ex-atleta e colaborador mais antigo do clube, Manoel Flávio Pena (o conhecido Su), que há 70 anos é ligado àquela agremiação.

SANTA LUZIA

No caso do Sport Club Santa Luzia, o presidente interino, Marco Antônio Ferreira dos Santos, disse que assumiu em razão de afastamento para tratamento do presidente efetivo e, por isso mesmo, os seus planos estão em fase inicial. Para realizar seu trabalho ele destaca o trabalho realizado pelo ex-atleta e técnico do clube, Su, como administrador geral – inclusive providenciando um zelador para o campo (aberto em 1954) e das suas instalações. Uma das providencias ali é a montagem de uma equipe infantil e outra juvenil, que terão como técnicos Paulo Sérgio Coutinho Nunes, mais conhecido como PC (ex-jogador do Melgar do Peru e Friburguense do Rio de Janeiro) e Paulinho Gabrich (filho do craque luziense, Nivio Gabrich). Essa categoria é uma tradição no clube (todos se lembram da sua famosa escola Dente de Leite), tricampeão em 1995. O clube também conquistou o pentacampeonato amador de 1981 a 1985. Atualmente o clube (fundado em 15 de novembro de 1926) tem como única renda o aluguel do campo.

SANTA CRUZ

Segundo Garrincha, “o Santa Cruz Esporte Clube mantém o time veterano participando de vários festivais de incentivos ao futebol. O mesmo acontece com a equipe amadora, que também participa disputam partidas na primeira e segunda divisões da categoria”. Essa equipe vem se destacando em razão da dedicação do seu coordenador, Sérgio Gonçalves Machado, que, inclusive, é neto de um dos fundadores do clube, o saudoso Modestino Gonçalves Filho. Uma das rendas do clube vem do aluguel do campo para treinamento do RB Brasil, que disputa as divisões Sub 15 e Sub 20. Outra fonte de rendimentos são as mensalidades dos associados – que precisam, agora, ser dinamizadas. Para isso, pretende promover ações de estimulo aos novos atletas e de atração de novos associados, além de abrir espaços para eventos esportivos.

TALENTO: Diferencial esquecido O crescimento do futebol amador, com maior ênfase a partir da década de 1930, fez surgir pelo pais afora muitos clubes – alguns deles se transformando em referencia nacional e em clubes profissionais. Uma diversão acessível e a paixão despertada pelos atletas mais talentosos, num tempo em que a comunicação mais atrativa era o rádio, o esporte cresceu exponencialmente no plano profissional. Porém, sob a ótica amadora não houve o mesmo ritmo de crescimento. Uma das razões foi a falta de incentivo oficial, já que o poder público não entendia o futebol como educação – mas apenas competição. Enquanto os clubes profissionais começavam a negociar os passes dos seus atletas por cifras milionárias, o principal núcleo gerador desses mesmos atletas (os chamados times de várzeas) foram colocados em segundo plano. O resultado foi o distanciamento cada vez maior (em termos de estrutura econômica e material) entre os clubes amadores e profissionais. A chegada das escolinhas de futebol particulares pioraram a situação – sob o ponto de vista desses clubes. Alguns campeonatos para a categoria amadora foram apoiados ou patrocinados por empresas variadas (a Kaiser teve um campeonato famoso) e empresas de comunicação (a TV Globo Minas ainda apóia um campeonato regional, assim como a rádio Itatiaia), mas as dificuldades de base prosseguem. Em 2016 até um programa, o “Futebol Para Todos”, foi lançado pelo governo federal, mas não prosperou e acabou beneficiando apenas alguns municípios. Embora incluído entre as atividades que podem ser beneficiadas por renúncia fiscal (máximo de 4% do total pago de IR pela empresa doadora), conseguir esses apoios é tarefa quase impossível nas pequenas comunidades. A dominação do futebol por novas técnicas e uma visão essencialmente empresarial no plano mundial (onde clubes biliardários surgiram em vários países desenvolvidos), em contraposição à falta de apelo estrutural, técnico e financeiro verificada no futebol amador brasileiro abriu um vazio lamentável e preocupante para os que defendem o futebol feito com suor e arte – que sempre diferenciou e valorizou os nossos atletas.

12

Profile for Jornal O Cidadão

JORNAL O CIDADÃO - EDIÇÃO 16 - MAIO 2019  

Com um quadro de tamanha complexidade e apreensão generalizada no país, o dia-a-dia do cidadão luziense segue, com sua simplicidade e muito...

JORNAL O CIDADÃO - EDIÇÃO 16 - MAIO 2019  

Com um quadro de tamanha complexidade e apreensão generalizada no país, o dia-a-dia do cidadão luziense segue, com sua simplicidade e muito...

Advertisement