Page 1

49

2 setembro de 2015

mensal

diretor: agostinho ribeiro

ABERTURA DA EXPOVAL NA QUINTA FEIRA E CONCERTO DOS DAMA NA SEGUNDA DIA 21 EM ERMESINDE

D.A.M.A. para esgotar o Parque Urbano de Ermesinde

Abriu ano escolar em Valongo Uma associação diferente


Valongo

setembro 2015

Rendas a pagar variam entre 4,19 e 88,61 euros

Câmara entregou 14 habitações sociais A Câmara Municipal de Valongo e a Empresa Municipal Vallis Habita entregaram na quarta-feira dia 16 as chaves de 14 habitações sociais que passarão a acolher 46 pessoas de 14 famílias carenciadas. As habitações sociais de diversas tipologias (T1 a T4) localizam-se em diferentes empreendimentos sociais nas freguesias de Alfena, Campo/Sobrado, Ermesinde e Valongo, e o valor das rendas que as famílias realojadas passarão

a pagar varia entre os 4,19 Euros e os 88,61 Euros. “Todos têm direito a viver em condições dignas. Gostava de não ter pessoas à espera de casa, mas infelizmente temos mais de 900 pedidos de famílias para obterem uma habitação social”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, durante a entrega das habitações sociais, tendo apelado às famílias que receberam as chaves da nova habitação

para que “Estimem a vossa nova casa pois a mesma resulta de um investimento de toda a comunidade nas famílias carenciadas, representando um enorme esforço financeiro para a Câmara Municipal, cerca de 8 000 Euros em média pela reabilitação de cada fogo, mas que em muitos casos é um primeiro passo para ajudar a quebrar o ciclo de pobreza a que muitas famílias carenciadas estão infelizmente condenadas!”

Intenção é promover a reabilitação urbana

PSD quer IMI reduzido para quem reabilitar O PSD de Valongo quer que seja criado um incentivo à reabilitação urbana através da redução em 30% da taxa de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para proprietários que apresentem projetos para edifícios devolutos. Esta é uma das propostas que o vereador do PSD, João Paulo Baltazar, avançou recentemente e cuja discussão ficou adiada para esta quinta-feira, dia 17. A ideia do PSD, é que o IMI seja reduzido durante um prazo de três anos para todos os prédios urbanos

que “comprovadamente, se encontrem em situação de ruína ou adiantado estado de degradação”. O PSD/Valongo também defende a criação de uma espécie de multa para os proprietários que apresentem projetos, beneficiando deste incentivo caso ele venha a ser aprovado, mas não concluam a obra nos prazos referidos na proposta. “Nós não podemos permitir que o erário público seja enganado e portanto esses benefícios não podem ser encarados como aproveitamento de ocasião

pontual. Tem de se olhar para isto como um incentivo à reabilitação, até muito mais do que à construção de espaços novos”, explicou aos jornalistas João Paulo Baltazar. Assim, o PSD de Valongo quer que, “salvo motivo de força maior”, aos casos em que as intervenções não sejam efetuadas durante o período da isenção concedida exista uma majoração em 20% a taxa de IMI. Também no âmbito do IMI, mas desta feita em jeito de “incentivo à natalidade”, os sociais-democratas

propõem minorar esta taxa em 10% para quem tenha um descendente, em 15% no caso de dois descendentes e em 20% para famílias com três descendentes. Numa outra vertente os sociais-democratas de Valongo, querem “atribuir 20 bolsas de estudo para filhos de famílias numerosas e carenciadas” que frequentem este grau de ensino, reconhecendo a necessidade de criar um regulamento municipal sobre esta matéria caso ela venha a ser aprovada.

Assine o Jornal da Sua Terra O Jornal Novo de Valongo também se envia para o estrangeiro ofereça uma assinatura a um familiar emigrante

Colabore com este projeto Envie mensagem para jornaldevalongo@gmail.com FICHA TÉCNICA - JORNAL NOVO DE VALONGO - O Jornal do Concelho de Valongo - Edição nº 49 - setembro de 2015 - Direção: Agostinho Ribeiro; Colaboradores: Filipe Marques e Luis Neves (fotografia); Raquel Vale; José Pedro Loureiro; Carlos Silva; Abel Sousa; Francisca Costa; JMB; António Cardoso; Teixeira da Silva Paginação e Grafismo: ADCR

Registo ERC 125820 Depósito Legal BN 372095/14 Morada - Rua Rainha Santa Isabel 351 6º CS - 4440-569 Valongo

Endereço eletrónico jornaldevalongo@gmail.com telm 911116453 Impressão: Coraze - Oliveira de Azemeis

Página

02


Destaque

setembro 2015

Abertura do Ano Escolar 2015-2016

Valongo na rede de cidades educadoras “Todos juntos rumo a uma Cidade Educadora” foi o slogan da cerimónia de Abertura do Ano Letivo 2015-16 realizada na segunda feira dia 14 de setembro, no Auditório Dr. António Macedo. Uma iniciativa da Câmara Municipal de Valongo, que visou aproximar a comunidade educativa, debater e refletir em torno de questões consideradas prementes na Escola de Hoje. A cerimónia de abertura do ano letivo contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, José Manuel Ribeiro, do Vereador da Educação, Orlando Rodrigues, e de diversos elementos da comunidade educativa do concelho, e teve como mote a recente adesão de Valongo, à Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE), passando a integrar os 56 Municípios que constituem a Rede Territorial Portuguesa de Cidades Educadoras, organismos que promovem a troca e partilha de experiências,

Página

03

no âmbito da Educação não formal em toda a sua abrangência, e que entendem a cidade como um espaço de oferta de importantes elementos para uma formação integral do indivíduo. A sessão contou, ainda, com uma convidada especial Élia Maria Andrade Mira, vice-Presidente da Câmara de Évora e Membro da Comissão de Coordenação da Rede Territorial Portuguesa de Cidades Educadoras, que nos falou da importância do conceito Cidade Educadora, dos princípios que regem a Carta das Cidades Educadoras e do papel do Município na construção de uma Cidade Educadora. O conceito de Cidade Educadora tem na sua génese a ideia de que educar é uma responsabilidade de toda a sociedade, e de que a Educação não se deve centrar exclusivamente na Escola, sendo um direito de todos e ao longo de toda a vida. De acordo com a Carta das Cidades

Educadoras: “Todos os habitantes de uma cidade terão o direito de desfrutar, em condições de liberdade e igualdade, os meios e oportunidades de formação, entretenimento e desenvolvimento pessoal que ela lhes oferece”. A adesão de Valongo está fundamentada no PEM (Projeto Educativo Municipal) e pelo fato do Município promover diversos projetos educativos, e do próprio concelho ser sede de um vasto número de Instituições que consideram a Educação como um elemento fundamental para a sua atividade. Neste sentido, e em dia de abertura de ano escolar Julia Mendes, Coordenadora do Projeto Educativo Municipal de Valongo, deu a conhecer o Plano de Ação para 2015/2016. Com um aspeto completamente renovado o Plano de Ação é um documento que agrega projetos e ações que contribuem para operacionalizar os diferentes objetivos do

PEM, sendo resultado do processo participado pelas diferentes entidades parceiras locais. Orlando Rodrigues, Vereador da Educação re-

forçou a ideia de que SER cidade educadora é um compromisso de TODOS e que a construção de uma cidade mais educadora não é um projeto mas sim uma

forma de estar na educação. texto + Educação/ Jornal da Educação de Valongo


Valongo

setembro 2015

Associação inovadora aposta no youtube para fazer passar a mensagem

Projeto Be Equal contra a discriminação

A ASSOCIAÇÃO PROJETO BE EQUAL é associação juvenil sem fins lucrativos de cariz social, que se centra no combate à discriminação e na promoção do bem-estar psicológico que atua a partir da cidade de Valongo. Esta Associação teve o seu início como um projeto de promoção de igualdade e combate à discriminação criado por Tiago Pimenta, que teve ajuda no seu desenvolvimento por parte de Nuno Baptista e Francisco Machado, que devido à aceitação do público conseguiu tornar-se numa associação permitindo desta forma que fossem alargados os seus campos de intervenção. Com uma equipa bastante jovem e de várias áreas de intervenção e conhecimento (psicologia, direito, relações públicas e design) a Associação Projeto Be Equal aposta na multidisciplinaridade na criação dos seus projetos para que desta forma seja dada uma melhor resposta às necessidades da população. É dado um foco mais central à área de psicologia para a qual têm uma equipa de psicólogos/as especializados/as em várias áreas (Psicologia Escolar e da Educação e Psicologia Clínica e da Saúde) que se debruçam sobre vários temas de forma a dar resposta às necessidades que lhes são apresentadas tanto no que diz respeito a intervenções psicológicas como na organização de palestras. Se virmos o leque de ofertas da Associação Projeto Be Equal podemos ver que os seus principais projetos e atividades

são: -·Acompanhamento psicológico (individual e em grupo), que pode serrealizado ao domicílio;· Orientação Vocacional;· Estimulação Cognitiva e Social; Formações/ Workshops/palestras à medida das necessidades;· Desenvolvimento científico – estudos científicos;· Realização/promoção de eventos ligados principalmente à criação de igualdade; Todos estes pontos e trabalhos realizados por esta associação são personalizados, ou seja, não existem palestras/workshops/ formações iguais pois todas são realizadas tendo em consideração as pessoas, as carências e as instituições e o que estas necessitam. Como se ainda não basta-se apresentam a possibilidade de acompanhamento ao domicílio em casos onde não é possível ou existam grandes dificuldades de deslocação. Esta Associação apresenta um carácter inovador em várias vertentes e aposta num serviço de qualidade em que todas as pessoas são analisadas conforme as suas necessidades permitindo assim que seja desenvolvido um trabalho detalhado e perso-

nalizado tornando assim os seus resultados mais significativos. Além disso, a Be Equal aposta em diferentes meios de contactos com o público e um desses meios que tem trazido muitos frutos principalmente com um público mais jovem é a criação de vídeos semanais que são postados no Youtube em que abordam temas mais sérios de uma forma mais descontraída. É importante salientar a forte ligação da Associação Projeto Be Equal à Casa da Juventude- Vila Beatriz com a qual irão desenvolver um gabinete social de psicologia com consultas grátis para as pessoas mais carenciadas e projetos/ eventos sociais centrados na igualdade que abordem temáticas como o desporto adaptado. Serão realizadas também intervenções e palestras em escolas do concelho de Valongo bem como estimulação cognitiva e social para pessoas com mais de 65 anos entre outros projetos. Embora esta Associação tenha um raio de abrangência a nível nacional neste momento estão a centrar grande parte das suas atividades no concelho de Valongo, caso de Tiago Pimenta (presidente) e Nuno Baptista (vicepresidente), que os tem apoiado desde o seu início na cruzada pela promoção de igualdade. O projeto que se tornou associação está a crescer mais a cada dia e os projetos a serem desenvolvidos por estes jovens são incrí-

Nuno Baptista (Co-fundador/vice-presidente), Tiago Pimenta; (Fundador/presidente) e Francisco Machado (Co-fundador/tesoureiro)

veis e de grande impacto e alguns até pioneiros no

nosso país. Como eles dizem: “Sejam diferentes,

tratem-se como iguais”. Texto: João Diniz

Assine o Jornal de Valongo envie mensagem para jornaldevalongo@gmail.com

Seja você o jornalista. Se encontrar algo que mereça notícia ligue ou envie sms para 911116453 ou jornaldevalongo@gmail.com Página

04


Expoval

setembro 2015

Expoval 2015

A abertura da Expoval foi adiada por um dia devido às más condições climáticas. Assim o evento abre oficialmente esta quinta feira às 20 horas e prolonga-se até segunda feira dia 21. Aliás o concerto dos DAMA passou de quarta para segunda-feira dia 21 às 22 horas. Com o tema «Valongo – Um Território onde investir», a Câmara Municipal de Valongo em parceria com a Cooperativa dos Produtores Agrícolas de Valongo promove de no Parque Urbano de Ermesinde, a EXPOVAL2015 – XII Mostra das Atividades Económicas do Concelho de Valongo, um dos maiores eventos dedicados ao empreendedorismo do distrito do Porto. São esperados mais de 150 mil visitantes ao longo dos cinco dias do evento, que vai realizar-se num espaço privilegiado com cerca de 2.000 metros quadrados de área de exposição, onde estarão presentes 150 entidades, entre empresários, empreendedores, estabelecimentos de ensino, instituições públicas e privadas. O Presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, preside à inauguração oficial do certame na quinta-feira, dia 17 de setembro, pelas 17h00. Além das habituais mostras no âmbito empresarial, artesanal e gastronómico, a EXPOVAL2015 contará com workshops, animação infantil e conferências subordinadas ao tema “Economia Verde - uma alternativa sustentá-

vel de desenvolvimento”, destacando-se também os espetáculos de música ao vivo, com atuações dos D.A.M.A, de Zé Amaro, da Orquestra Ligeira Vale do Sousa, da Unión Salsera e da Banda Musical de S. Martinho de Campo, entre outros. A grande novidade é uma exposição interativa, com o intuito de mostrar o potencial turístico e de lazer, geológico, biológico e botânico do concelho, nomeadamente das suas serras e rios, que serão a principal porta de entrada do futuro Parque das Serras do Porto. Na programação da EXPOVAL2015, destaca-se ainda a próxima entronização da Confraria do Vinho Verde, que terá lugar no domingo, dia 20 de setembro, pelas 17h30. Apoiar o Tecido Empresarial Com uma periodicidade bianual, a EXPOVAL tem como objetivo fomentar o tecido empresarial, motivar o empreendedorismo, gerar emprego e criar oportunidades de negócio às empresas locais. Pretende-se também dar a conhecer os recursos e potencialidades do Município de Valongo que ainda não são suficientemente conhecidos. Economia Verde No âmbito da Expoval 2015, o Fórum Cultural de Ermesinde vai acolher uma conferência e duas sessões de workshops subordinadas ao tema “Economia

verde: Uma alternativa sustentável de desenvolvimento”. Estas iniciativas têm como objetivo divulgar instituições, projetos de incentivo ao empreendedorismo verde e histórias de sucesso que articulam a atividade empresarial com a preservação dos recursos naturais. A não perder Conferência: “Economia Verde: uma Alternativa Sustentável de Desenvolvimento” – dia 18 de setembro das 17 às 20 horas. Sessões de workshops “Economia Verde: uma Alternativa Sustentável de Desenvolvimento” – dia 18 de setembro das 15 às 17 horas e dia 19 de setembro das 15 às 18 horas. Exposição “Serras do Porto| Valongo, um território a descobrir (Inauguração oficial – dia 16 de setembro às 20 horas) A exposição” Serras do Porto. Valongo, um território a descobrir”, pretende mostrar ao público, uma nova visão sobre esta área de caraterísticas singulares, estimulando a participação na divulgação, sensibilização e preservação dos valores e recursos naturais. O conceito desta exposição, assente em suportes multimédia, permite a “visita” aos locais mais emblemáticos destas serras e desvendar alguns tesouros praticamente desconhecidos.

Apoie o Jornal de Valongo contacte jornaldevalongo@gmail.com Página

05


Valongo

setembro 2015

Festival da Juventude animou Valongo Setembro começou em alta para os habitantes do concelho e não só. O primeiro fim-de-semana do mês trouxe música, desporto, atividades lúdicas e muito mais ao parque, numa iniciativa realizada em parceria entre o Estúdio 53, Espaço Giz e a Junta de Freguesia de Valongo. Pelo segundo ano consecutivo, o festival da juventude Mais Valongo invadiu o Parque da Cidade. E se em 2014 o público foi começando, aos poucos, a perder o medo e a participar na festa, este ano os valonguenses acorreram em massa logo desde as 18h de Sexta, dia 4. No total, foram mais de 24 as horas de pura diversão vividas nessa pequena mancha verde que teve já dificuldade para albergar tantas pessoas. Depois de uma primeira edição em que os bares e restaurantes do concelho foram convidados a

participar para servir os visitantes, este ano foram os próprios estabelecimentos a sentir a necessidade de marcar presença num evento que, apesar de desenhado a pensar nos jovens, acabou por servir de certame para todos. Enquanto os mais novos se divertiam nos insufláveis ou davam cor ao parque com o facepainting, os mais e menos jovens puderam disfrutar de uma animada aula de zumba ou de uma calma aula de yoga, participar num belíssimo espetáculo de magia (inserido nas comemorações do Magic Valongo 2015), assistir a um concerto, dançar ao som dos vários DJs em cartaz, entre outras atividades. O basquetebol acompanhou todo o segundo dia de jornada em mais um Torneio de 3x3. O número de participantes quadruplicou desde 2014, ultrapassando mais de uma centena de inscritos, muito graças ao

apoio do Núcleo Cultural e Recreativo de Valongo. E junto ao campo principal, foram às centenas os que experimentaram as emoções radicais do bungee eject. O salto negativo de 17 metros de altura foi trazido a Valongo pela Monster, um dos principais patrocinadores do evento. Quanto à música, chegou em quantidades industriais. Se no primeiro dia de evento os cabeças de cartaz DJ Guifield e Quentitos animaram as hostes, no Domingo a festa culminou numa mega jam session em que participaram músicos das mais variadas gerações, com especial destaque para Carlos Santos, recordista mundial de bateria. Ainda assim, o dia de Sábado foi o pináculo da festa. Depois dos excelentes espetáculos de K Rosa, G821 e The Electric Reeds, os Drop D tomaram conta do palco no concerto mais cheio de todo o festi-

val. Os ânimos quentes só puderam ser “arrefecidos” numa grande festa da espuma ao ar livre, ao som dos Digital Militia, dupla recentemente premiada pela Pepsi Music, e de Headcrush, DJ da casa que

repetiu a façanha do ano passado. De facto, a atuação do jovem valonguense mereceu a referência da EDM Portugal, página dedicada ao melhor da música eletrónica, que elogiou a iniciativa, destacando-a

como um “evento que poderia muito bem inspirar outras cidades/câmaras a fazer o mesmo”. Texto: José Faria Foto: Filipe Oliveira

Comissão de Festas de S. Mamede No passado dia 17 de agosto teve lugar mais uma procissão em honra de S. Mamede. Foi o aspeto mais visivel da Comissão de Festas em honra de S. Mamede. Gerardo Dias, João Paulo Melro e José Miguel Galaghar foram os elementos principais desta comissão e o JNV falou com eles. Este ano foram 15 andores que participaram na procissão de S. Mamede que, referem, “foram transportados por nós des-

de a localização habitual até à Igraja Matriz, sxendo que alguns pesam centenas de quilos”. No que concerne à vertente profana, está a cargo da comissão a organização dos concertos de Bandas Musicais, junto à Igreja. “Este ano contamos com duas bandas do concelho”, referiu Gerardo Dias, salientando que “tivemos o cuidado de contratar entidades do concelho”. A realização da festa de S. Mamede coincide com

as festas da cidade, por isso está a cargo da Junta de Freguesia grande parte do programa de animação. Quanto à parte religiosa há uma articulação entre a Comissão de Festas e a Paróquia. Esta comissão teve a seu cargo a organização pela segunda vez e Gerardo Dias não sabe ainda se haverá uma terceira. Quanto à receita do ano passado foi canalizada para o restauro da imagem de S. Mamede, sendo que este ano a

verba será para restaurar a imagem de S. Pedro. Os responsáveis apro-

veitam para agradecer o apoio da paróquia, da Junta de Freguesia, Câmara Mu-

nicipal e principalmente dos paroquianos.

Página

06


Divulgação

setembro 2015

Cercivalongo

Página

07

A Cercivalongo foi fundada em 2014 e o presidente da Direção é António Machado. Questionado sobre as razões da criação desta estrutura, o responsável refere que “trabalhar em prol da saúde mental em geral e da deficiência mental em particular é uma missão que sinto como minha, mas o simples sentir não era o suficiente tem que existir o agir. Senti então como necessário perceber como transformar um sonho em realidade e aí levantaramse questões de operacionalidade. Estas questões, nem sempre fáceis, clarearamse graças a extraordinárias pessoas que tive e tenho a sorte de ter por perto, no momento decisivo de escolha do caminho a seguir, fazendo recair a opção, já não individual mas do grupo fundador, pela CERCI, grupo este que se juntou em torno do carisma da CERCI motivado, como é apanágio da CERCI, pela aceitação do que é inovador quer em técnicas quer em respostas”. No que concerna às valêncioas que a Cercivalongo desenvolve e pretende vir a desenvolver o presidente da instituição diz que “a Cercivalongo tem quatro tipos de serviços diferenciados em funcionamento, sendo dois clínicos, um para o familiar/cuidador da pessoa com deficiência e um jurídico. Os clínicos são divididos em dois funcionando um individualmente e o outro em grupo. Individualmente está a desenvolver consultas de psicologia, nutrição, terapia da fala e medicina tradicional chinesa destinados aos nossos associados em geral; em grupo esta a desenvolver reabilitação cognitiva destinada a vítimas de AVC/ TCE e estimulação cognitiva destinada a pessoas com deficiência e idosos. O serviço de apoio para os familiares/cuidadores da pessoa com deficiência é um grupo que se encontra para trocar experiencias, saberes, e promover a catarse, sendo sempre acompanhando e orientado por um psicólogo. O serviço jurídico é

uma valência vocacionada para apoio jurídico, como o nome indica, à pessoa com deficiência, quer para a empregabilidade quer para direitos e ainda aos seus cuidadores para as temáticas anteriores como para os deveres. A muito curto tempo iremos desenvolver um grupo de arte teatral para interacção e desenvolvimento psicomotor de pessoas com deficiência, e um grupo de artesanato e técnicas manuais não só mas também para pessoas com deficiência”. Sobra a realidade no concelho de Valongo quanto à problemática da deficiência e no que diz respeito aos números, António Machado diz que “a deficiência é lata mas pensando na deficiência mental os dados oficiais existentes que são referentes a 2010, indicam cerca de 204 crianças com deficiência mental no concelho de Valongo. Porém, como anteriormente foi referido a CerciValongo não trabalha somente com crianças, nem somente com deficiência mental, até porque, seguindo a indicação do nome CERCI – cooperativa de ensino e reabilitação de Cidadãos Inadaptados, verifica-se que a actuação é mais lata”. A Cercivalongo funciona em Ermesinde dividida por dois espaços, um arrendado e um outro cedido pela Camara Municipal de Valongo, “à qual agradecemos”. “Estes espaços, com uma gestão eficiente dos recursos são suficientes, pelo menos na actualidade” diz o dirigente. Sobre a articulação com outros serviços, a

Cercivalongo, apesar de ser uma instituição recente, já vai tendo parcerias com entidades e serviços do concelho até porque, diz António Machado, “só com esta articulação é possível prestarmos um serviço de maior qualidade ao nosso Concelho, objectivo este principal na nossa instituição”. No que se refere aos objetivos da instituição, refere o responsável que “a curto, médio e longo prazo temos como objectivo principal sermos profissionais, dedicados e imparciais na nossa missão que é actuar no concelho de Valongo no campo da saúde mental. A curto prazo pretendemos ainda abrir duas respostas sociais vocacionadas para a pessoa com deficiência e/ou familiares/cuidadores e para o qual estamos somente à espera do estatuto de IPSS para seguidamente propor a sua legalização, já tendo para o efeito equipa técnica, espaço e parcerias necessárias à execução do mesmo. Pensando a médio/longo prazo temos três projectos em estudo que neste momento são mesmo isso, projectos em estudo, e que por isto não se pode adiantar mais informação além de que são voltados para a pessoa com deficiência, mas são projectos que vão ser realizados porque são necessários e úteis a quem precisa deles”. Entretanto para se dar a conhecer a Cercivalongo vai estando presente presente em vários eventos, como aconteceu recentemente com a festa da Cidade de Valongo.


Alma do Fado

setembro 2015

Organização pertence à Câmara de Valongo e Jornal Novo de Valongo

Quinta edição do concurso Alma do Fado O Jornal Novo de Valongo e a Câmara Municipal de Valongo (Divisão de Cultura) vão organizar a quinta edição do concurso Alma do Fado. As eliminatórias serão em outubro, aos sábados às 21h45, nas seguintes datas e locais: 3 de outubro – Centro Cultural de Campo; 10 de outubro – Fórum Cultural de Ermesinde; 17 de outubro – Centro Cultural de Alfena; 24 de outubro – Fórum Vallis Longus, em Valongo; 31 de outubro – Casa das Artes de Sobrado. A final será a 7 de novembro, no espaço “A Fábrica” em Valongo, também às 21h45. São várias as colaborações para este evento, sendo de destacar as juntas de freguesia de Valongo, Ermesinde, Alfena e Campo/ Sobrado, bem assim como várias empresas. Os interessados em participar deverão observar as normas de participação que publicamos em baixo e solicitar a ficha de inscrição nos serviços de Cultura da Câmara de Valongo (Museu Municipal) ou podem solicitar para os emails da edilidade ou jornaldevalongo@gmail. com. NORMAS DE FUNCIONAMENTO 01/ NATUREZA E OBJETIVOS A Alma do Fado – Concurso de Fado Amador do Concelho de Valongo é uma iniciativa organizada pela Divisão de Cultura, Turismo e Juventude da Câmara Municipal de Valongo, em parceria com o Jornal Novo de Valongo, e tem como principais objetivos: 1. Incentivar à participação de todos/as os/ as amantes de fado, mesmo daqueles/as que, apesar de possuírem apetência para a música, por norma se mantêm no anonimato. 2. Contribuir para a descoberta, divulgação e promoção de talentos musicais, especificamente na vertente do fado. 3. Promover o lançamento desses grandes ta-

lentos no mundo da música profissional. 4. Estimular o gosto pela música. 5. Desenvolver capacidades ao nível da interpretação, da expressão e da presença em palco. 6. Criar e desenvolver laços de amizade entre todos/as os/as concorrentes. 02/ FORMATO A iniciativa divide-se em cinco eliminatórias, que se realizam nos vários espaços culturais do concelho (uma em cada freguesia), sempre pelas 21h45, mais precisamente: 3 de outubro – Centro Cultural de Campo 10 de outubro – Fórum Cultural de Ermesinde 17 de outubro – Centro Cultural de Alfena 24 de outubro – Fórum Vallis Longus, em Valongo 31 de outubro – Casa das Artes de Sobrado A grande final decorrerá no dia 7 de novembro, no espaço “A Fábrica”, em Valongo. 03/ INSCRIÇÕES ta.

1. A inscrição é gratui-

2. Podem participar concorrentes com idade igual ou superior a 15 anos (à data da final), a título individual. 3. A participação implica o preenchimento de uma ficha de inscrição, à qual deverão ser anexados os seguintes documentos: fotocópia do bilhete de identidade ou cartão de cidadão do/da concorrente, bem como do encarregado de educação ou representante legal (no caso de menores de idade); breve currículo artístico atualizado. 4. No caso dos/das concorrentes menores de idade, a inscrição é da responsabilidade dos respetivos encarregados de educação ou representantes legais. 5. Depois de devidamente preenchida, a ficha de inscrição e restantes documentos deverão ser entregues ou enviados para Câmara Municipal de Valongo, Setor de Expediente, Avenida 5 de Outubro,

nº160, 4440-530 Valongo. Também poderão ser digitalizados e enviados para o email dctj@cm-valongo. pt. 6. As inscrições são, preferencialmente, limitadas a um máximo de dez concorrentes por eliminatória. Caso se verifique um número superior, a Organização pode entender alargar o número de concorrentes, ou então, realizar uma pré-eliminatória em moldes a divulgar posteriormente. 7. No caso de não existir o número mínimo de seis concorrentes em cada eliminatória, a Organização reserva-se o direito de reduzir o número de eliminatórias. 8. Excluem-se as inscrições que estejam incompletas. 04/ ELIMINATÓRIAS E FINAL 1. A distribuição dos/ das concorrentes pelas eliminatórias, assim como a ordem de atuação em cada uma delas e na final, será definida em sorteio a realizar pela Organização. 2. A Organização poderá proceder à repescagem de concorrentes que não tenham sido apurados/as nas eliminatórias em que participaram. 3. Tanto nas eliminatórias, como na final, os/ as concorrentes serão acompanhados/as ao vivo por dois instrumentistas – guitarra e viola – nomeados pela Organização. Na final haverá um terceiro músico – viola baixo ou contrabaixista. 4. O concurso não obedece a um tema rígido e específico, sendo permitida a todos/as os/as concorrentes a livre seleção de temas, desde que sejam tidos em atenção os instrumentos mencionados no ponto anterior. 5. Só serão aceites versões musicais identificadas pela Sociedade Portuguesa de Autores. Esta alínea não exclui os poemas adaptados a músicas já existentes. 6. Na eliminatória em que estão inscritos/as, os/ as participantes concor-

Sílvia Costa, a vencedora da edição de 2014 ao concurso Alma do Fado

rerão interpretando dois dos fados que sujeitaram a concurso no ato de inscrição. Já na grande final será interpretado apenas um tema. 7. Em cada eliminatória, caso se verifique a existência de mais do que um/a concorrente com o(s) mesmo(s) tema(s) selecionado(s), será dada prioridade àquele/a que efetuou a inscrição com maior antecedência. 8. A final terá lugar com os três melhores classificados de cada eliminatória. 05/ JÚRI 1. O apuramento dos/ das vencedores/ as em cada eliminatória e na final é da responsabilidade de um júri nomeado pela Organização, júri esse composto por elementos detentores de conhecimentos artísticos adequados aos parâmetros a avaliar. 2. Nas eliminatórias o júri será constituído por

três elementos; na final, o número deelementos poderá aumentar. 3. A pontuação a atribuir pelo júri aos concorrentes por cada fado interpretado baseia-se nos seguintes parâmetros de avaliação: a) capacidade vocal, interpretativa e comunicacional; b) afinação; c) timbre; d) originalidade na interpretação do tema; e) presença em palco; 4. Cada parâmetro de avaliação é pontuado entre um máximo de 10 e um mínimo de 1 ponto. A pontuação final resulta da soma das pontuações parciais obtidas em cada fado interpretado. 5. Em caso de empate competirá ao presidente do júri a decisão final. 06/ PRÉMIOS 1. Aos/Às concorrentes em cada eliminatória será atribuído um diploma de

participação. Na final serão entregues a todos/as os/as concorrentes prémios de presença alusivos ao concurso. 2. Na final, os três primeiros classificados receberão os seguintes prémios: 1º classificado : Gravação de um CD num estúdio profissional 2º classificado: Um fim de semana no aparthotel Solgarve, em Quarteira 3º classificado: Um fim de semana no Douro 07/ DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Cada concorrente receberá dois bilhetes gratuitos de acesso à eliminatória em que participa. 2. Os/As concorrentes acatarão integralmente as Normas de Funcionamento. 3. Todas as situações omissas no presente documento serão ponderadas pela Organização

Sr Empresário divulgue a sua empresa no jornal que fala da sua terra

jornaldevalongo@gmail.com Página

08


Divulgação

setembro 2015


Alfena

setembro 2015

Secretário de Estado Emídio Guerreiro presidiu à cerimónia

Alfenense inaugurou melhoramentos O Secretário de Estado do Desporto, Emídio Guerreiro, acompanhado por José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara de Valongo, Arnaldo Soares, presidente da Junta de Alfena, António Oliveira presidente da direção doi ACA e Camilo Moreira, presidente da assembleiageral daquele clube, inauguraram na sexta-feira, dia 11 de setembro, pelas 18h00, as obras de modernização e beneficiação do Atlético Clube Alfenense (ACA). É o resultado de duas candidaturas que o clube apresentou ao “ON.2 – O Novo Norte”. Uma candidatura teve em vista o arrelvamento de um campo sintético de 11, o arrelvamento sintético de um campo de 5 e ainda uma pista de atletismo entre o campo sintético de 11 e o complexo de ténis. A segunda candidatura destinou-se à modernização e beneficiação do pavilhão desportivo, uma estrutura que tem 32 anos e, devido à intensa utilização, “estava altamente degradado e a

precisar de obras. O Atlético Clube Alfenense investiu 600 mil euros, comparticipados pelo FEDER em 70%. Os restantes 30% foram conseguidos pelo clube. A Câmara Municipal de Valongo comparticipou com 100 mil euros, os outros 100 mil foram suportados pelo clube. Com um património avaliado em 1 milhão e 600 mil euros, é um dos maiores clubes da Área Metropolitana do Porto. Tem 3000 sócios, 650 atletas inscritos nas diversas federações de 14 modalidades, entre as quais futebol, futsal, ténis, basquetebol, atletismo, karaté, BTT e xadrez. As suas instalações estão estrategicamente bem localizadas, junto a todos os acessos viários (A3, A4, A41). Tem hoje um conjunto de atividades que alberga, para além da população juvenil, desporto para pessoas mais velhas, num sentido de manutenção da forma física. Na cerimónia de inauguração foram destacadas as importâncias das percerias para que os objetivos

sejam atingidos. Na sua alocução, António Oliveira reclamou mais apoios para o ACA, já que disse, “tem sido preterido pela edilidade”. Na resposta José Manuel Ribeiro referiu que “enquanto nós em Valongo ainda discutimos estádios, noutros concelhos já se está mais à frente. Fazemos o que podemos para melhorar a situação”. Camilo Moreira agradeceu o apoio em todo o processo a vários intervinientes. A presença e apoio do secretário de Estado da Juventude e Desporto, Emídio Guerreiro, foi destacada pelos intervinientes. Quanto a Emídio Guerreiro também ele defendeu as parcerias e falou do papel do governo na melhoria do parque desportivo do país., referindo que “fizemos uma opção de apoiarmos pequenas ações e não obras faraónícas. Estas obras são para toda a família e para os jovens”.

Prémio José Magalhães Filipe Marques - Fotografia Serviços de Fotografia e Informática

Fotografia: - Moda, Books, sessões fotograficas Foto-reportagem de eventos no Grande Porto e Norte de Portugal (Moda, Culturais, desportivos e sociais, etc) - Edição e restauro de fotografias Informática: - Assistência técnica a PCs desktops e portáteis Instalação de Software e Hardware - Montagem de computadores à medida do cliente (Orçamento grátis) Mais informações: Localidade: Valongo tlm: 934609637 email: filipe_sergio@portugalmail.pt

Rua do Vilar, 160 4440-365 Sobrado Vlg

CARLOS MOTA Mediador de Seguros

O Atlético Clube Alfenense (ACA), em parceria com a Junta de Freguesia de Alfena, vai realizar, no dia 27 de Setembro, a partir das 10h00, a I Corrida Cidade de Alfena – Grande Prémio “José Magalhães”. O objetivo é homenagear um atleta que completou, este ano, 40 anos de carreira. Já está confirmada a presença de Fernanda Ribeiro e José Regalo. Foi nos 50 quilómetros da marcha atlética que José Magalhães se destacou. O ponto alto da sua carreira foi a ida aos Jogos Olímpicos, em 1992 e 1996.

Tlm 91 720 89 73 / 91 617 95 42 email crmota@sapo.pt

Página

10


Divulgação

Página

11

setembro 2015


Diversos

setembro 2015

Núcleo Cult. Rec. de Valongo

Escritores

Vai realizar-se no dia 21 de novembro de 2015, na Biblioteca Municipal de Valongo, o 1º Encontro dos escritores do concelho de Valongo. Se nasceu ou reside no concelho de Valongo e tem obra já publicada, a título individual ou em coautoria (antologias, por exemplo) pode inscrever-se neste encontro. Os trabalhos terão início na Biblioteca Municipal pelas 15:00h. Serão discutidos assuntos relacionados com os projetos dos autores ali presentes, nomeadamente no que respeita à publicação, venda e publicidade

das suas obras, bem como outras problemáticas de interesse comum. Unir esforços para o sucesso de todos, eis o objetivo. No final da noite, terá lugar a apresentação dos escritores ao público convidado onde se dará a conhecer a sua obra e projetos . Este encontro é uma parceria estabelecida entre a Associação Cuca Macuca, a Biblioteca Municipal e a Câmara Municipal de Valongo. Se estiver interessado em participar no evento, contacte: ass.cucamacuca@ gmail.com

O Núcleo Cultural e Recreativo de Valongo organizou no passado domingo o seu torneio de basquetebol juvenil. Foi no Pavilhão Municipal de Campo e o torneio abrangeu equipas femininas dos escalões sub 14, sub 16 e sub 19. Com a presença de várias equipas as meninas do CPN (Clube de Propaganda de Natação) de Ermesinde

não deixaram ficar os seus créditos por mãos alheias e venceram com maior ou menor dificuldade venceram nos três escalões. Entretanto o NCRV vai este sábado, dia 19, levar a cabo a gala de apresentação das suas atividades. Será no Largo do Centenário em Valongo e o início está aprazado para as 21h30.

Saúde

Dores nos ossos e articulações – a verdade e os mitos Por Inês Amorim *

Muito se tem falado nos últimos tempo sobre tratamentos “milagrosos” para as dores ósseas e articulares, nomeadamente em anúncios na televisão, revistas ou farmácias e parafarmácias. Promessas de produtos, vendidos como suplementos alimentares, que ajudam a regenerar as articulações, que promovem a recuperação da mobilidade e que aliviam todo e qualquer tipo de dor articular, são mais do que muitas, pelo que é importante distinguir o que é verdade e o que é mito. Antes de mais, convém esclarecer alguns conceitos básicos para que as pessoas entendam como funcionam e quais os tratamentos eficazes para cada doença em específico. Primeiro, distinguir Artrose de Osteoporose, termos muitas vezes usados quase como sinónimos nos anúncios publicitários, mas que representam doenças completamente diferentes. A Artrose refere-se à lesão da cartilagem existente nas ex-

tremidades dos ossos que se articulam entre si. Nas formas de artrose mais avançada, a cartilagem pode chegar a desaparecer e as superfícies ósseas expostas podem mesmo roçar uma na outra a cada movimento. É uma condição crónica que causa dor, que geralmente agrava com a prática de exercício, e rigidez e limitação da mobilidade articular. O envelhecimento não é uma causa direta de artrose, mas está intimamente associado ao aparecimento desta patologia, pois é nas fases de vida mais avançadas que o organismo deixa de conseguir reparar as múltiplas agressões e lesões sofridas pelas articulações. São fatores de risco para artrose: o género (as mulheres são mais afetadas), doenças articulares inflamatórias (como a artrite reumatóide, a gota,…), a obesidade, traumatismos graves articulares e determinadas atividades profissionais (por exemplo, operários da construção civil que manuseiem martelos pneumáticos são mais propensos a terem artroses dos cotovelos ou os jogadores de futebol a terem mais artroses dos joelhos). As articulações mais atingidas são as das regiões cervical e lombar, das bases dos polegares, dos dedos das mãos, da anca, dos joelhos e do dedo grande do pé. O diagnóstico é feito através da história clínica e de radiografia. O tratamento visa o alívio da dor e evitar a progressão da doença. Podem

ser usados analgésicos (como o paracetamol), tratamentos de fisioterapia e, já no âmbito da especialidade de Ortopedia, tratamentos intra/periarticulares (como a injeção de corticóides dentro da articulação) e cirúrgicos (como a correção de anomalias articulares ou a substituição da articulação por prótese). Por seu lado, a Osteoporose é uma doença que afeta os ossos (e não as articulações, como a artrose), na qual se verifica uma diminuição da massa óssea e alteração da qualidade do osso. A osteoporose surge quando o organismo não é capaz de regular o conteúdo de cálcio e de outros minerais dos ossos, levando à perda de densidade e diminuição da resistência ósseas. Isto torna os ossos mais frágeis e leva a um consequente aumento do risco de fraturas. A osteoporose NÃO DÓI e não produz sintomas, a não ser, apenas e só, quando a redução da densidade óssea seja tão grave, que os ossos se esmaguem ou fraturem, provocando uma dor súbita. Assim, nas pessoas que sofrem de osteoporose, a maior preocupação é o surgimento de fraturas, que ocorrem frequentemente na sequência de pequenos traumatismos ou quedas, que tendem depois a ter uma cura lenta e difícil. A fratura da anca é uma das mais graves e uma das principais responsáveis pela perda de autonomia nos idosos. Também

são frequentes a fratura das vértebras da coluna dorsal e lombar (fraturas por esmagamento vertebral) e do punho (chamada fratura de Colles). A osteoporose atinge sobretudo mulheres pós-menopáusicas e pessoas idosas de ambos os sexos. As raças branca e oriental são mais propensas do que a raça negra. O risco de fratura aumenta em indivíduos com: idade igual ou superior a 65 anos, índice de massa corporal baixo, fratura de fragilidade prévia, história parental (pai ou mãe) de fratura do fémur proximal, consumo regular de bebidas alcoólicas, tabagismo, imobilização prolongada, utilização de fármacos que provocam diminuição da massa óssea, como corticóides, entre outros. O diagnóstico faz-se através da osteodensitometria, cuja realização está indicada em mulheres com idade superior a 65 anos e homens com idade superior a 70 anos (na ausência de fatores de risco ou osteoporose secundária). A prevenção da osteoporose passa pela ingestão de quantidades adequadas de cálcio e pela prática de exercício, no sentido de manter ou aumentar a densidade óssea. Relativamente aos medicamentos disponíveis para prevenção e tratamento da osteoporose, são inúmeros, como os bifosfonatos, o ranelato de estrôncio, o cálcio, a vitamina D, entre outros, com diferentes mecanismos de ação e eficácias.

Explicados estes diferentes conceitos, é fácil entender que os “suplementos de cálcio para combater as dores ósseas e nas articulações” não fazem sentido, dado que por norma o que dói são as artroses e o cálcio quanto muito é usado na terapêutica da osteoporose, não das artroses. De salientar ainda que não existem provas científicas de que a toma isolada de cálcio em doentes com osteoporose tenha eficácia na diminuição da ocorrência de fraturas, dado que todos os fármacos usados contra a osteoporose estudados demonstraram a sua eficácia em combinação com cálcio e vitamina D. Assim, a toma isolada de “suplementos de cálcio para tratar a osteoporose” também não faz sentido. Mas afinal, entre tudo o que é suplemento, algum funciona em termos de alívio das dores articulares? Tudo depende dos “ingredientes” que os compõem. Sabe-se que a Glucosamina, um componente essencial da cartilagem articular, tem uma eficácia considerada boa. Relativamente à Condroitina, um outro componente essencial da cartilagem, os estudos geralmente demonstram diminuição da dor e aumento da mobilidade articulares. No que diz respeito aos Ácidos Gordos Ómega-3, existem poucos estudos relativamente à sua eficácia contra as artroses. Há

ainda o Ácido Hialurónico que é um constituinte do líquido sinovial (o líquido que lubrifica a articulação), pelo que é injetado dentro da articulação, como tratamento da artrose. No entanto, não existe evidência clínica da eficácia da toma oral de Ácido Hialurónico no tratamento da artrose. E no que diz respeito à tão falada Cartilagem de Tubarão, promovida não só como tratamento das artroses como também da artrite reumatóide, não existem estudos científicos que determinem a sua eficácia. Finalmente, o conselho que deixo é: consulte o seu médico e discuta com ele quais os tratamentos disponíveis para as suas dores articulares, para as artroses e a osteoporose e os prós e os contras dos diversos suplementos existentes no mercado. Deve ter em conta que não só está em causa a sua segurança (são produtos que podem provocar efeitos secundários, reações alérgicas, interações com medicamentos, etc), mas também um possível desperdício de tempo e dinheiro em produtos que muito provavelmente não terão o efeito que anunciam.

* Médica Interna de Medicina Geral e Familiar na USF Ermesinde

Página

12


Diversos

setembro 2015

Indie Music Fest na rota dos Festivais A terceira edição do Indie Music Fest teve lugar nos passados dias 3, 4 e 5 de Setembro, em Baltar, Paredes. O bosque mágico (nome carinhosamente atribuído ao Bosque do Choupal, local escolhido para o evento) foi invadido durante esses dias por festivaleiros sedentos de música, campismo e muita diversão. Não saíram de lá, certamente, desiludidos, pois o Indie Music Fest provou, mais uma vez, estar acima de qualquer expectativa e ter nascido mesmo para se tornar um ponto de passagem obrigatório na rota dos festivais portugueses. Este jovem festival, vencedor do prémio de Melhor Micro-Festival de 2014, contou, nesta edição, com nomes como Linda Martini, Modernos ou Capitães da Areia, num cartaz recheado de boa música portuguesa, dando também oportunidade a projetos promissores nacionais. Uma das bandas cujo concerto merece especial destaque é The Gypsies, um grupo promissor de Leça da Palmeira, com um som bastante particular, poden-

do definir-se como uma mistura de Indie Rock com Rock Psicadélico, passando também pela música cigana e abrilhantado pela flauta transversal da Maria. Para ter uma ideia daquilo que esta banda é, só mesmo indo ouvir, porque palavras são escassas para descrever aquilo que eles fazem. No que toca às tardes que antecederam as noites bem vividas destes habitantes temporários do bosque, opções não faltaram. A piscina, grátis para portadores dos passes gerais e sempre repleta de festivaleiros acalorados, também teve direito a muita música e era uma excelente opção para relaxar e descansar para os concertos que ainda estavam para vir. No último dia, houve também um concerto secreto e intimista do vocalista de Taipa & The BlackBirds (cuja atuação no dia anterior fora excelente), acompanhado por uma sessão de poesia de Francisca Camelo. Para isso, vários festivaleiros entraram num autocarro com destino a um ponto de Baltar, fora do recinto, onde tiveram a oportunida-

de de ouvir Rui Taipa, num registo acústico e um pouco diferente do que tinham podido assistir na noite anterior, mas que em nada ficou atrás. No campismo via-se de tudo, desde mostras de talento constantes (verdadeiros espetáculos de malabarismo, canto, guitarra…), bandeiras ou cartazes identificadores dos diversos “territórios”, roupas originais e com diversas funções (houve quem vestisse um lençol), fotógrafos a tentar captar cada pedacinho da essência da Indielândia para recordarmos mais tarde, quando uma certa nostalgia nos invadir, e festivaleiros a viver em perfeita comunhão com a natureza. Era impossível transcrever tudo o que foi o Indie Music Fest 2015 e tudo o que de bom se viveu durante estes dias. Uma coisa é certa, a festa chegou mesmo para ficar e o Bosque do Choupal nunca mais vai ser o mesmo. Que o digam as milhares de pessoas que o viveram até à exaustão e que de lá saíram, no último dia, cheias de poeira, a sonhar com um bom banho e uma cama lavada, salivan-

Faça deste jornal O seu jornal. Brevemente Esteja atento às Novidades

Página

13

do por algo que não fosse “comida de acampamento”, mas de coração cheio e um sorriso na cara, com a certeza de que viveram dias incríveis e que para o ano haverá mais, neste

pequeno paraíso que é a Indielândia. Recorde-se que o Jornal Novo de Valongo foi parceiro media deste evento e que três leitores tiveram oportunidade de usu-

fruir gratuitamente de um dia de festival.

Senhor Empresário

Texto: Filipa Ribeiro e Edgar Duarte

Divulgue neste jornal a sua empresa contacte jornaldevalongo@gmail.com


Campo/Sobrado

setembro 2015

Junta de Freguesia levou mais velhos em passeio pelo Minho

Idosos de Campo e Sobrado em passeio A Junta de Freguesia de Campo e Sobrado levou a cabo no passado dia 3 de setembro mais um passeio destinado aos idosos pensionistas da freguesia. 13 autocarros (oito com saída de Campo e cin-

co com saída de Sobrado) transportaram as quase 700 pessoas que aceitaram, mais uma vez, o convite da autarquia. O passeio passou por Esposende onde decorreu o pequeno almoço. Nesta

localidade a comitiva foi visitada pelo presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro e vereadores Orlando Rodrigues e Luisa Oliveira. O almoço decorreu em Ponte de Lima, uma vila que não quer a elevação a cidade e que mantém por isso como uma das principais e bonitas vilas do país. De tarde a comitiva foi de abalada a Braga e o Santuário do Sameiro recebeu a delegação de Campo e Sobrado. O presidente da Junta de Freguesia, Alfredo Sousa, afirmou, em palavras que disse em todos os autocarros, que “se justifica plenamente este esforço da Junta da freguesia para premiar aqueles que, durante uma vida, trabalharam arduamente em prol das respetivas familias mas também em prol da comunidade”.

Apoie o Jornal da Sua Terra Senhor Empresário Se está a ler esta mensagem muitos mais pessoas também a vão ler

Colabore com este projeto Envie mensagem para jornaldevalongo@gmail.com Leia, assine e divulgue

Página

14


Desporto “Nuances de vermelho sobre carne ao rubro”

Novo livro de Goreti Dias

Dia 6 de setembro, a escritora de Valongo, Goreti Dias, esteve presente, mais uma vez, na Feira do Livro do Porto para uma sessão de autógrafos, agora que saiu mais um livro seu de poesia: “Nuances de vermelho sobre carne ao rubro”. Enquanto a autora autografava os livros de quem fez questão de os adquirir ali, Dionísio Dinis, Maria Gabriela Sá e Alice Santos declamavam alguns dos seus poemas em frente ao stand da Editora Mosaico de Palavras e aos microfones da Rádio Manobras. Aliás, a Rádio Manobras (rádio oficial da Feira do

Livro) gravou, ainda, para posterior transmissão, alguns poemas dos diversos livros da autora lidos por ela e por Dionísio Dinis. Nas palavras de Maximina Girão que prefaciou o livro: “Trata-se de uma poesia límpida, sem rebuscamentos inúteis, nem erudição desnecessária e balofa, como tantas vezes encontramos, por aí. E é tão límpido o que escreve que nos confessa: “Vivo na leveza das almas que viajam na magia do amor.” (poema 67). Como a vida é uma constante construção feita de contínuas desconstruções da realidade, há

A Tetra Pak e a Agros com o apoio da Lipor e dos seus oito municípios associados, estão a convidam a população a reciclar as embalagens de cartão de leite Agros com vista à construção de um parque infantil para as crianças do Centro Social Monsenhor Pires Quesado, na Póvoa de Varzim. De 01 de setembro até 31 de outubro todas as embalagens de leite Agros recolhidas nos ecopontos amarelos dos municípios de Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo e Vila do Conde, são incluidas nesta campanha. Por cada 10 Kg de embalagens recolhidos, a Tetra Pak e a Agros doam 10€ para esta causa. “A Tetra Pak pretende sensibilizar para o processo de reciclagem e, acima de tudo, informar a população sobre a sua impor-

Página

15

tância. Estas campanhas são determinantes para envolver as comunidades, sensibilizando-as e, neste caso específico, temos o privilégio de poder conjugar a vertente ambiental e social, deixando muitas crianças felizes com um novo parque infantil”, afirma Ingrid Falcão, responsável de Ambiente da Tetra Pak em Portugal. “A marca Agros segue uma política de respeito pelo ambiente e pela sustentabilidade” , refere a Agros.

EscritArtes.com Lançamento da Coletânea Arte pela Escrita VIII/ Aniversário do Site EscritArtes.com A 10 de outubro de 2015, no Restaurante Via Garrett (Rua Clube dos Fenianos 1 4000-172 Porto (ali mesmo ao lado da Câmara Municipal da Invicta),um dia dedicado às escritas! Às 11 horas da manhã, os convidados serão recebidos com um porto de honra. Após o almoço, a apresentação da

nesta poesia um contínuo recurso à inquietação e ao desassossego, à saudade, à paixão… Exactamente o vermelho, a cor da paixão, não podia deixar de estar presente nestes poemas, onde sobressai a esperança, a saudade e a fúria de viver todos os momentos. A presença do amor e do bem-amado, a saudade pela ausência, ainda que fugaz, fá-la dizer: “afundo a saudade nos teus olhos” (poema 26), ou “Nas garras afiadas da saudade, / mata-me o real da ausência” (poema 49).”

Reciclagem dá resultado

“Associar as causas sociais às causas ambientais é parte integrante do compromisso da LIPOR com as comunidades envolventes. Esta campanha é mais uma iniciativa que promove hábitos de separação de resíduos por uma causa enorme: as crianças.”, refere a Lipor. A campanha “Amarelo é Diversão” pretende promover os hábitos de reciclagem na população, alertando para a importância da proteção do ecossistema do nosso planeta.

setembro 2015

apoio:

Coletânea Arte pela Escrita VIII. Pelo oitavo ano consecutivo, vai ser lançada esta coletânea. Desta vez, com 124 autores (alguns do concelho de Valongo)

selecionados de entre os mais de 240 candidatos. Uma parceria EscritArtes/ Mosaico de Palavras, editora, com a coordenação de Goreti Dias.


setembro 2015

Divulgação

Jnv 49  

Edição 49 do Jornal que lhe conta o que se passa nas freguesias do concelho de Valongo

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you