Page 1

Nº 36 212de abril de 2014

mensal

diretor: agostinho ribeiro

PROXIMA EDIÇÃO SAI A 14 DE MAIO

Construção polémica na cidade de Alfena

Futebol: Alfenense e Ermesinde já subiram e Sobrado quase no Nacional

Já decidido: Tribunal perde valências Centros de Saúde geridos na Maia

Privatização dos STCP e reestruturação de finanças podem prejudicar ainda mais o concelho de Valongo


Diversos

21 abril 2014

Horta Biológica em pleno O presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, inaugurou no dia 29 de março a Horta Biológica Ponte da Presa. Localizada nos terrenos do antigo horto municipal, a horta ocupa uma área total de 2400 metros quadrados. Nos 49 talhões, já crescem morangos, pencas, rúcula, brócolos e tomates, entre outros produtos hortícolas. Em pleno centro urbano da cidade de Valongo, todos os dias, dezenas de horticultores usufruem dos benefícios da agricultura biológica. “Este conceito de hortas é o caminho certo. Vamos criar condições para uma mudança de comportamentos e para promover o espírito comunitário”, considerou o autarca. Na cerimónia de inauguração, José Manuel Ribeiro revelou que a autarquia pretende promover hortas em aproximadamente 20 mil metros de terrenos. A Horta Biológica Ponte da Presa é a 37.ª do projeto «Horta à Porta», promovido pela Lipor – Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande

Porto. Além do acesso a alimentos mais saudáveis, frescos e saborosos, os praticantes de agricultura biológica ganham qualidade de vida, exercício físico e convívio. A agricultura biológica não utiliza fertilizantes nem pesticidas químicos ou sintéticos, respeitando os processos biológicos naturais. Neste projeto, é obrigatório praticar a compostagem caseira, uma forma de reaproveitar os desperdícios orgânicos para fertilizar a terra. A Lipor as-

segura a formação dos horticultores, tendo também oferecido os compostores e os abrigos para as ferramentas agrícolas.

Jardim arranjado Numa parceria entre a Junta de Valongo e a Câmara Municipal, o jardim junto ao Padrão, em pleno centro da cidade mereceu uma intervenção com o objetivo de melhorar a paisagem a quem ali habita ou por lá passa. Segundo Ivo Neves, presidente da Junta e José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara, “estas intervenções em conjunto são para continuar”.

VALONGO

Rotunda 1º de Maio 44

Vende-se

Lote de Terreno

Com 460 metros quadrados e área de construção aprovada de 300 metros quadrados

Situado em pleno centro de Valongo a 800 metros da saída da Auto Estrada

Contactar 912 626 593

FICHA TÉCNICA - JORNAL NOVO DE VALONGO - O Jornal do Concelho de Valongo -

Edição nº 36 - 21 abril de 2014 - Direção: Agostinho Ribeiro;

Administração: Chama Festiva,Lda; Colaboradores: Luis Neves(fotografia); José Pedro Loureiro; Carlos Silva; Abel Sousa; Francisca Costa; JMB; António Cardoso; Teixeira da Silva Paginação e Grafismo: ADCR

Registo ERC 125820

Depósito Legal BN 372095/14

Endereço eletrónico geral @jnvalongo.com ou jornaldevalongo@gmail.com

Morada - JNV Rua da Passagem 444 9º 11-E 4440-565 Valongo

telm 911116453 Impressão: Coraze - Oliveira de Azemeis

Página

02


Destaque

21 abril 2014

Presidente da Junta de Alfena diz que se trata de “mais um ataque à freguesia”

Construção em Alfena polémica A construção de uma habitação na Rua e Travessa do Viveiro em Alfena está a fazer azedar as relações entre a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal. Diz o presidente da Junta de Alfena, Arnaldo Soares que “esta situação é, mais uma vez, um desrespeito a Alfena e é tão culpado o atual executivo da Câmara como o anterior”. A história conta-se em poucas palavras. Em Abril de 2013 (ainda no anterior executivo), a Câmara Municipal de Valongo aprovou o projeto de construção de uma moradia com muro de vedação no referido lugar, sem ter em conta, segundo Arnaldo Soares, o que diz o artigo 13º ao Regulamento de Intervenção na Via Pública e que refere o seguinte no seu ponto 1: “ As vias e arruamentos existentes que sejam contíguas ou confinantes com a construção, devem ser alargadas para o perfil estabelecido em instrumento de planeamento do território, em vigor para o local, para o perfil dominante ou para o perfil mínimo de 2,25 m passeio + 7,0 faixa de rodagem + 2,25 passeio, por esta ordem e tendo como referência o eixo original ou actual, pro-

Página

03

cedendo ao recuo do limite do terreno ou da fachada da edificação, conforme o caso, para o interior do terreno, de modo a obter-se uma correcção do traçado”. No seu ponto 3 o mesmo artigo diz que “a concepção da correcção do traçado, referida nos números anteriores, deve ser incluída no projecto de arquitectura, através de peças específicas para tratamento individualizado”, o que não aconteceu, tendo o projeto mesmo assim sido aprovado pelos serviços”. Na travessa do Viveiro apenas passa uma viatura e quem se deslocar a pé tem de esperar que o carro passe para não correr perigo. A via fica apenas com dois metros e meio e sem passeio !!!… A aprovação aconteceu com os pareceres positivos dos técnicos, Marta Ferreira, Miguel Pinto (chefe de divisão) e Vitor Sá (director de Departamento). Referiu ao nosso jornal o presidente da junta que “os técnicos argumentaram que aquela não será uma via principal, mas pergunto eu, então porque que é que a outros proprietários obrigaram a recuar? Não foi cumprido o direito de igualdade

e lamento isso. Quem fica a perder é a população de Alfena. Pensava que com a mudança de executivo isso não aconteceria mais, mas parece que me enganei. Lamento que o presidente da Câmara atual seja o responsável pela elevação de Alfena a cidade e que agora não haja um esforço de respeitar a população”. Apesar do projeto ter sido aprovado em abril de 2013, só em Novembro começou a obra, tendo logo nessa altura a Junta de Freguesia alertado a Câmara Municipal.

Vice-presidente da Câmara diz que não há ilegalidades Questionado sobre o processo, o vice-presidente da Câmara, Sobral Pires, disse ao JNV que “a Câmara Municipal de Valongo não detetou nenhuma irregularidade processual na aprovação do projeto de arquitetura, que ocorreu no início de 2013” e acerca da não ter agido logo após o alerta da junta, justifica: “após confirmar a legalidade da aprovação com pare-

cer jurídico, a Câmara procurou promover o diálogo entre o promotor e a Junta de Freguesia de Alfena no sentido de encontrar uma solução consensual para aquela situação. Qualquer atuação da Câmara estaria inevitavelmente associada a uma indemnização a pagar ao dono da obra e não garantiria que o processo fosse interrompido” A Junta de Freguesia tinha apresentado uma primeira proposta de recuo, ficando com a distância de 2,5 m ao eixo da via mais 1,5 m de passeio, proposta essa recusada pelo proprietário. Mais tarde uma segunda proposta (feita com acompanhamento do PS de Alfena) que previa o alargamento da Rua do Viveiro, ficando a travessa apenas pedonal, foi também recusada pelo proprietário. Entretanto pelo meio a Assembleia Municipal aprovou por unanimidade uma proposta do grupo parlamentar do PS para que a Câmara agisse. O vicepresidente Sobral Pires diz sobre isto que “a sugestão da Assembleia Municipal ocorreu durante a fase final

do processo negocial e não legitima uma intervenção da Câmara no processo por falta de suporte legal para fundamentar um embargo da obra”. O presidente da Junta afirmou ao nosso jornal lamentar a atitude da Câmara de ter dois pesos e duas medidas, com tratamentos diferentes em casos semelhantes. Vê-se na foto, que o construtor do edifício à esquerda teve de recuar e o da direita não. O vicepresidente da Câmara responde que “são processos aprovados pelos executivos anteriores”. Sobre as acusações do presidente da Junta, Sobral Pires refere que “esta Câmara não tem qualquer responsabilidade na aprovação deste projeto. Tentou negociar com as partes e teve especial atenção na defesa dos pontos de vista da Junta de Freguesia de Alfena que compreendeu. Apesar do empenhamento da Câmara, as duas partes não conseguiram chegar a acordo. A Câmara Municipal de Valongo não possui argumentos legais que permitam uma intervenção

direta no processo. Além de ter de pagar uma indemnização aos proprietários que detém uma licença válida, correria o risco de não conseguir alterar o projeto”. Arnaldo Soares afirmou ao JNV que não compreende “a atitude completamente passiva da Câmara pois foi a junta que sempre procurou uma solução para o problema. Até parece que como foram os outros que aprovaram que agora estes não tinham nada a fazer , como se a Câmara não fosse sempre a mesma e como se os alfenenses pudessem ser tratados desta forma desrespeitosa. Ao menos a Câmara podia ter seguido a moção apresentada pelo partido que a sustenta, mas nem isso. Compreendo o sentimento de injustiça de todos os que cumprem as regras, não sei como será daqui para a frente pois parece que as regras são só para alguns. Se a Junta de Freguesia tivesse meios financeiros garanto que isto não ficaria assim e que iriamos para a justiça, mas infelizmente não temos dinheiro para isso”. Texto e fotos: ADR


Atualidade

21 abril 2014

Eleitos pelo PSD, chefiados por Miguel Santos, prometem intervir junto do governo

Deputados na Secundária de Ermesinde Quatro deputados do PSD, eleiros pelo circulo do Porto, chefiados pelo vice-presidente do Grupo Parlamentar e presidente da Concelhia da Valongo, Miguel Santos, estiveram na Escola Secundária de Ermesinde para verificar in loco a falta de condições daquele estabelecimento de ensino. Os outros deputados eram Maria José Castelo Branco, Simão Ribeiro e Margarida Almeida. Foi na segunda-feira 7 de abril e a delegação do PSD foi recebida pelo diretor do Agrupamento, Álvaro Pereira e pelo presidente da Associação de Pais, João Arcângelo. O presidente da Junta de Ermesinde, Luis Ramalho e os vereadores João Paulo Baltazar e Maria Trindade Vale, também acompanharam o grupo de deputados.

Os maiores problemas da escola, que tem cerca de 1450 alunos, prendem-se com infiltrações de humidade, em certos locais há necessidade de colocar baldes quando chove, problemas na rede eléctrica, existência de amianto em várias passagens, caixilharias já antigas e que não protegem da humidade e frio e outras situações que dificultam o normal funcionamento das aulas. No final da visita Miguel Santos lamentou que “o anterior governo, através da Parque Escolar, tivesse gasto um milhão e duzentos e cinquenta mil euros em estudos para uma nova escola, verba que chegaria para efectuar uma reparação profunda nas instalações atuais”. O deputado lembrou que há dois anos, por insistência

sua e da Câmara de então, o governo transferiu verba para o arranjo da cobertura do pavilhão e que a Direção Geral da Educação tem prevista uma verba para a Secundária de Ermesinde, embora insuficiente para as necessidades. O deputado afirmou ainda que “vamos questionar o Ministério da Educação, através de um requerimento na Assembleia da Republica e alertar para a necessidade de uma rápida intervenção estrutural no edifício para garantir condições dignas a professores e alunos”. O responsável do agrupamento alertou na altura para o facto de muitos alunos da área optarem por estabelecimentos de ensino de concelhos vizinhos, devido às melhores condições que possuem.

Pulmão Verde do Grande Porto As câmaras de Valongo, Gondomar e Paredes querem, através das serras e espaços verdes que partilham, constituir o “Pulmão Verde da Área Metropolitana do Porto”, um projeto que teve inicio na semana passada com a formalização de um grupo de trabalho. “O projeto ‘Pulmão Verde’ será desenvolvido pelas três autarquias para promover a qualidade das serras, vales, rios e aldeias com um enorme potencial em termos ecológicos, turísticos e desportivos”, lê-

se no comunicado remetido às redações pela Câmara de Valongo que foi a anfitriã da primeira reunião de trabalho deste grupo. Valongo, Gondomar e Paredes partilham o território das serras de Santa Justa, Pias e Castiçais, área que está incluída na Rede Natura. As autarquias realçam a existência de “um vasto património cultural paisagístico e geológico”, daí que tenham decidido lançar um grupo de trabalho para impulsionar este espaço como “Pulmão Ver-

de da Área Metropolitana do Porto”. “Assim que estiver definido, o projeto ‘Pulmão Verde’ será apresentado no Conselho Metropolitano do Porto e na Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Norte [CCDR-N], para que possa ser candidatado aos fundos comunitários do próximo Quadro Comunitário de Apoio”, conclui o comunicado.

A Roady Valongo vai comemorar cinco anos de atividade no Dia 1 de Maio. Convidamos clientes e amigos para uma Festa Especial. Compareçam clinicaseducacaodanielacamoes@gmail.com

Defenda a floresta.

Em caso de incêndio ligue 112 Página

04


Atualidade

21 abril 2014

Presidente da Câmara promete lutar contra diminuição da frequência de carreiras

Privatização dos STCP é quase garantida O governo tem a intenção de avançar com a escolha do modelo para a concessão a privados do Metro do Porto e da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) até ao fim de abril com. O presidente do Conselho do Porto, Hermínio Loureiro, referiu no passado dia 15, “o empenhamento dos 17 presidentes de Câmara para encontrar uma proposta convergente para apresentar à tutela”. No entanto no Conselho Metropolitano há posições antagónicas sobre o assunto.procura de uma solução de consenso e convergente”. Por exemplo o presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, afirmou recentemente que os debates sobre as concessões de transportes, entre outros, “estão a ser feitos num quadro institucional errado, que é o quadro da Área Metropolitana, que tem mostrado as suas enormes fragilidades”, e deveriam contar com a Comissão de Coordenação e

Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) como reforço. A Câmara de Matosinhos decidiu há duas semanas instaurar uma providência cautelar contra a privatização da Metro do Porto por incumprimento do contrato entre o Governo e a anterior Junta Metropolitana, desafiando municípios e Conselho Metropolitano a juntarem-se à ação. Recorde-se que Sérgio Monteiro, secretário de Estados dos Transportes, tinha referido a possibilidade de, na concessão da Metro do Porto e da STCP, os privados apresentarem propostas para ambas as empresas ou apenas para uma, deixando “um grau de liberdade”. Quando surge uma noticia de privatização de serviços essenciais, a população fica logo de pé atrás, porque o habitual é que haja quebra de serviços. O JNV ouviu o presidente da Câmara de Valongo que acha ser o processo de privatização dos STCP irreversível.

Assine e divulgue o seu

JORNAL NOVO DE VALONGO peça informações para jornaldevalongo@gmail.com

se é empresário apoie este projeto divulgando a sua empresa e/ou produto CONTE CONNOSCO

também contamos consigo Página

05

José Manuel Ribeiro diz estar “preocupadíssimo com a manutenção do serviço público nas áreas periféricas servidas pela STCP, sobretudo com o caso de Valongo. Tenho receio que a frequência das carreiras não se mantenha, até porque as linhas não são economicamente interessantes. Está em causa o acesso das pessoas mais vulneráveis aos hospitais de S. João e de Santo António e a outros serviços centrais da área metropolitana. O aumento do tarifário é outra questão que me preocupa imenso, porque mais uma vez está em causa o acesso da população ao serviço público de transportes. É difícil precaver os efeitos negativos e tomar medidas porque há uma grande assimetria de informação entre os 17 presidentes de câmara do Conselho Metropolitano do Porto e o secretário de Estado dos Transportes. Este processo causou muito incómodo no Conselho Metropolitano. Estarei atento e tudo farei para acautelar o interesse público no Concelho de Valongo, sobretudo no que respeita à frequência dos autocarros da STCP e aos preços praticados pelos futuros operadores privados”.

Ivo Neves na Anafre O presidente da Junta de Valongo, Ivo Neves, foi eleito vice-coordenador da estrutura distrital do Porto da Anafre, Associação Nacional de Freguesias. A eleição decorreu recentemente e Ivo Neves, que integrava a lista A, vai desempenhar estas funções pela primeira vez. O coordenador será Dário Silva, presidente da Junta de Oliveira do Douro, Gaia. Entre as várias questões que a Anafre terá de abordar, as consequências da fusão de freguesias será certamente uma delas, mas também as

questões relacionadas com reforço de poderes serão temas fortes deste mandato. Entre os outros elementos do conselho diretivo, re-

alce para outros presidentes de junta da região, João Gonçalves, da Sobreira, Paredes e Elisabete Faria, Vila das Aves, Santo Tirso.


Associações

21 abril 2014

Estrelas Susanenses com nova direção Tomaram posse recentemente os novos dirigentes da velha associaçao do Futebol Clube Estrelas Susanenses. Verificou-se uma mudança que quase pode justificar a frase “cara nova”. O presidente da direção continua a ser Domingos Moutinho, sendo vice-presidente Joaquim Pinto. Quanto às mudanças, com efeito, Jaime Pereira, (mestre do taekwondo) passou a a ser tesoureiro, deixando de ser secretrio da direcção enquanto que para o seu lugar vai Carlos Silva ate aqui relator. Novidade na Direcção é Sónia Rocha que, responsavel pela secção da Star Dance ocupa o lugar de vogal enquanto que, a sua colega Sandra Alves fica como presidente do Conselho Fiscal, tendo consigo o Paulo Martinho, o aglutinador colectivo. Joaquim Cabeda continua como presidente da

Mesa da Assembleia Geral. Jaime Pereira agora empossado em novas funçoes, consciente das dificuldades inerentes à condução do associativismo, declarou que “sabemos que não é fácil mas temos consciência de que somos capazes, vamos dando provas de que podemos fazer coisas bonitas em nome do clube e do Susão. Não estamos sós e sabemos que podemos prosseguir com este objectivo que é manter aberta a janela do desporto e cultura local dentro deste clube, pelo que, estamos aberto também a iniciativas desse âmbito, de resto o

clube mais emblemático de Susão, continua a afirmarse juntos das autarquias, capaz de responder positivamente a convites para o desenvolvimento local das respetivas áreas, entidades com as quais mantém uma óptima relação”. Dos objetivos mais importantes continua a fazer parte a cobertura do polivalente, “uma melhoria imprescindivel para nós conseguirmos chegar onde queremos. Vemos da Câmara uma abertura para conseguirmos lá chegar, esperamos que desta vez seja mesmo coberto”, refere Jaime Pereira.

Concentração do Motoclube de Campo A Concentração Motard do Motoclube de Campo irá realizar-se já nos próximos dias 11, 12 e 13 de Julho no local habitual, Zona Industrial de Campo em Valongo. Este ano o Cartaz da Concentração promete presentear os amantes e simpatizantes das duas rodas com muita diversão e grandes espectáculos. A abertura do evento terá lugar às 20h do dia 11 de Julho (Sexta-feira) com o tradicional Passeio das Tochas pelo concelho de Valongo seguindo-se de provas de perícia com Kart Cross, Freestyle com “Jaque e NH Pina” e terminando a noite com a Banda de Rock “Low Rider”. No sábado, dia 12 de Julho, a abertura ocorrerá por volta das 14h e terá como programa para a tarde os Jogos Tradicionais, o Bike Show Livre, o sensacional Drift de “Isaque” e Freestyle de “Jaque e NH Pina”. Após uma breve pausa para o jantar o grande espectáculo continua com Freestyle de “Jaque e NH Pina” e Drift de “Isaque”, Kart Cross e Pole Dance para agitar a noite. De seguida será efectuada a entrega das Lembranças da nossa Concentração aos Motoclubes Federados e não Federados terminando com o momen-

to alto e mais esperado da noite, a actuação da Banda de Covers Rock “Trotil”. De referir que os “Trotil” estiveram presentes o ano passado numa das maiores Concentrações Motard’s realizadas em Portugal. Para o fecho da Concentração Motard, Domingo, dia 13 de Julho pelas 10h, irá celebrar-se a Missa Campal à qual se sucede o habitual passeio de mota pela vila. Após o almoço a diversão continua com um espec-

táculo do H. C. Campo e terminando com o extraordinário Freestyle de “Jaque e NH Pina” e o admirável Drift de “Isaque”. Para a realização da Concentração Motard 2014, o Motoclube de Campo em conjunto com a Câmara Municipal de Valongo conta com os apoios da Junta de Freguesia de Campo e Sobrado assim como dos Bombeiros Voluntários de Valongo.

Página

06


Diversos

21 abril 2014

Mostra do ISEP de 8 a 11 de maio no Edifício Faria Guimarães

Engenharia na Cidade de Ermesinde

O Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) continua de casa às costas pela Área Metropolitana do Porto para mostrar e proporcionar experiências em engenharia. Depois de Santo Tirso, a próxima paragem é em Valongo, entre os dias 8 e 11 de maio, onde o edifício Faria Sampaio (sito na Rua Aldeia dos Lavradores, 244, em Ermesinde, junto à Vila Beatriz) abre as portas para receber os milhares de alunos das escolas do concelho, para interagirem com a tecnologia. A “Engenharia na Cidade” vai permitir a miúdos e graúdos ver, perguntar, experimentar e conhecer o que estás por detrás da aplicabilidade da engenharia no dia-adia, desde o mais simples ao mais complexo, dando a conhecer uma área que apresenta crise de vocações mas com elevadas taxas de empregabilidade. Assistir a jogos de futebol robótico, construir a ponte de esparguete mais resistente, conhecer um

sistema de levitação que permite levantar e manipular objetos no ar, aplicar modelos matemáticos em casos reais, utilizar aplicações (apps) diversas orientadas às redes sociais, lazer, serviços e domótica, participar em atividades para perceber a aplicabilidade da Física na Engenharia, conhecer uma técnica, não destrutiva, que permite estudar e mapear a temperatura dos corpos através da radiação infravermelha emitida, determinar níveis sonoros e responder a desafios surpresa que ajudam a compreender e a treinar características pessoais importantes para o sucesso profissional são algumas das experiências que esperam os alunos. “Engenharia na Cidade” é uma mostra tecnológica dirigida a candidatos ao Ensino Superior e às suas famílias, escolas e empresas, onde o ISEP apresenta as 11 licenciaturas e 11 mestrados, além da investigação produzida no

Instituto. Para o presidente do ISEP, “é fundamental mostrar aos jovens que a Engenharia é uma das áreas com maior empregabilidade e que melhor tem resistido à crise e é necessário, rapidamente, contrariar a tendência dos últimos dois anos que trouxe uma redução dramática nos acessos aos cursos de engenharia”. João Rocha afirma ainda que “este esforço que o ISEP faz de ir ao encontro dos alunos e das famílias procura mostrar e demonstrar o que é a Engenharia e o que podem fazer no futuro com as competências que adquirem com um percurso no ISEP e o mercado precisa destes futuros profissionais”. E acrescenta que “as famílias, apesar das dificuldades, devem apostar na formação superior, garantindo melhores perspetivas de futuro e assegurando uma contribuição fundamental para o desenvolvimento do país, aumentando a capacidade de

responder aos desafios que diariamente são colocados a todos” . Ciente deste contexto, também o presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Ribeiro, entende que “os jovens que hoje frequentam o ensino secundário estão prestes a tomar uma das decisões mais importantes da sua vida - decidir o seu futuro profissional. Face ao atual contexto económico e à elevada taxa de desemprego juvenil, a escolha do curso superior assume uma importância redobrada. É fundamental que os jovens conheçam todas as oportunidades disponíveis e testem as suas vocações”. E remata: “sendo a Engenharia, uma das áreas com maior grau de empregabilidade é com imenso agrado que acolhemos a mostra do ISEP em Valongo, fazendo votos para que os jovens estudantes do ensino secundário aproveitem esta oportunidade para conhecer as potencialidades dos cursos superiores de

engenharia”. O potencial da Engenharia vai estar representado nesta mostra que inclui, para além dos expositores interativos das diversas áreas, um balcão de acon-

selhamento vocacional. Será um momento de formação e partilha do saber aplicado e de boas práticas, valores inerentes ao ISEP e à sua história de mais de 160 anos.

USF de Valongo ganha prémio Poetas de Valongo

A Unidade de Saúde Familiar (USF) de Valongo, que presta assistência a 15.200 utentes, venceu o 1.º Prémio Kaizen Lean, revelou, em comunicado, a Administração Regional de Saúde do Norte (ARSNorte). “De referir que a USF de Valongo, cujo modelo de organização assenta no trabalho em equipa, conta, para além da sua coordenadora, com mais sete médicos especialistas em medicina geral e familiar, oito enfermeiros e seis secretários clínicos”, refere o comunicado. Entre as principais especialidades e atribuições da USF de Valongo destacam-se a medicina geral e familiar, saúde da mulher,

Página

07

saúde do recém-nascido, da criança e do adolescente, saúde do adulto e do idoso, cuidados em situação de doença aguda, acompanhamento clínico das situações de doença crónica e patologia múltipla. O equipamento galardoado também conta com serviço de cuidados no domicílio e está integrado “em rede com outros serviços, setores e níveis de diferenciação, enquanto gestor de saúde do cidadão”, lê-se no comunicado da ARS-Norte. Este prémio é atribuído pelo Instituto Kaisen, em parceria com a Sociedade Portuguesa para a Qualidade em Saúde. “No mesmo concurso, para além de grandes em-

presas do setor privado, encontravam-se outras instituições públicas, nomeadamente centros hospitalares e outras, igualmente prestadoras de cuidados de saúde”, acrescenta a nota remetida às redações. A ARS-Norte destaca que além do prémio agora atribuído, a mesma USF tinha sido galardoada em 2011, com o 1.º Prémio

“Saúde Sustentável”, do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge “Faltas dos Doentes às Consultas Programada - Razões e Impacto no Funcionamento de uma USF”. Em 2010, este equipamento obteve o Certificado de Acreditação Avançada, atribuído pela Agencia de Calidad Sanitaria de Andalucia.

Com edição Chama Festiva em parceria com o Jornal Novo de Valongo vai ser editada até Junho a primeira coletânea de Poetas amadores do concelho de Valongo. Vai ser dada a possibilidade a quem escreve, mas que guarda os trabalhos numa gaveta, por esta ou aquela razão, de poder divulgar o seu talento. Também poetas que já editaram podem integrar este projeto. Estamos já a receber propostas de poetas para integrarem este projeto. Serão escolhidos quatro ou cinco poetas de cada uma das freguesias do con-

celho, nomeadamente Valongo, Ermesinde, Alfena e Campo e Sobrado. Os interessados em fazer parte deste livro, colaborar de alguma forma ou patrocinar deverão enviar uma mensagem para: jornaldevalongo@ gmail.com Outras parcerias e apoios serão divulgados em futuras notícias.


Diversos

21 abril 2014

Valongo precisa de ti ... Mais uma vez, a Internet prova ser um excelente meio para a divulgação de iniciativas que visam reunir cidadãos anónimos. Nas primeiras semanas do mês de Abril, as redes sociais encheram-se de apelos à presença do “maior número de jovens num só local” em Valongo, com o intuito de realizar um vídeo promocional sobre a juventude do concelho. A iniciativa, levada a cabo pelo

músico Victor Bessa (G821), pelo músico e produtor André Castro (Drop D / Estúdio 53) e pelo fotógrafo José Ribeiro (De Pedra e Cal) intitulava-se “Valongo Precisa de Ti…”. E apesar de pouco se saber, quase uma centena de jovens rumaram ao local, junto à Biblioteca de Valongo. A indivíduos ligados à música, vídeo, teatro e cinema, entre outras partes do meio cultural, juntaram-se jovens

sem qualquer ligação direta à arte mas que desejam ter um papel fundamental na dinamização da juventude concelhia. “Julgo ter sido um enorme sucesso e, brevemente, todos irão ter acesso a mais novidades sobre este projeto ambicioso que se destina a fazer pela cidade e pelos jovens do concelho algo que nunca antes foi feito”, confidenciou-nos André Castro.

Dia da Atividade física em Valongo

A Câmara Municipal de Valongo assinalou o Dia Mundial da Atividade Física, no dia 6 de abril, com a realização de um conjunto de atividades. Em pleno centro da cidade de Valongo, concretamente no

Largo do Centenário, entre as 09h30 e as 12h30, realizaram-se diversas aulas de grupo (BodyCombat, Sh’Bam e Zumba), assim como rastreios médicos. A participação em todas as atividades foi gratuita.

Perigos na adolescência No dia 28 de Março de 2014, pelas 21H00, decorreu na Escola Secundária de Alfena, ação de sensibilização / prevenção direccionada para encarregados de educação sobre a temática “ Os Perigos na Adolescência”, organizada pela Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de Alfena. Esta ação foi dinamizada pela Secção de Programas Especiais (Núcleo de

Escola Segura) do Destacamento da GNR em Santo Tirso, em parceria com a Psicóloga (Drª Carla) daquele agrupamento de escolas. Teve esta ação como objetivo principal dar a conhecer os vários perigos da adolescência, bem como sensibilizar os encarregados de educação para a importância de estarem atentos a quaisquer sinais relativos a esta problemática.

visite www.jnvalongo.com Página

08


Ermesinde

21 abril 2014

Presidentes da Câmara de Valongo e Junta de Ermesinde não têm qualquer informação

Finanças de Ermesinde podem mesmo fechar O governo vai mesmo encerrar, até ao fim de maio, 50% dos serviços de finanças existentes no país. De acordo com o memorando de políticas económicas e financeiras que acompanha o relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a 11.ª avaliação ao Programa de Ajustamento Económico e Financeiro (PAEF), o Executivo pretende estabelecer até ao final de 2014 um departamento dedicado aos serviços do contribuinte, para unificar a maioria dos serviços e melhorar a relação [dos contribuintes] com a administração fiscal. Como parte desta reorganização, 50% das repartições locais de finanças vão ser encerradas até ao final de maio de 2014. Entretanto o JNV sabe que o concelho de Valongo só deverá ficar com um serviço de finanças, tudo indicando já estar decidido pelo Ministério das Finanças que será o serviço de Ermesinde a encerrar, embora seja aquele que mais contribuintes cobre, em

Página

09

comparação com o congénere da sede de concelho. No entando. como pode ler mais à frente, nem o presidente da Câmara de Valongo, nem o presidente da Junta de Ermesinde, sabem de nada. Recorde-se que ocorreram já duas manifestações de ermesindenses protestando contra esse encerramento (foto de arquivo ao lado), e que as várias forças politicas manifestaram já a sua posição de protesto. Vários órgãos de comunicação deram, entretanto, conta na semana passada, que o governo não tinha entregue até 19 de março, à Comissão Europeia, a lista dos serviços a encerrar, tal como se tinha comprometido no memorando de entendimento com a troika, o que poderá querer dizer que o prazo inicial poderá ser alargado.

Câmara sem informações ... O presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, considerou que o

Governo PSD/CDS-PP está a agir de forma “autista” no que se refere a encerramentos de repartições de finanças e garante não ter recebido “qualquer decisão oficial”. Em declarações citadas por vários órgãos de comunicação, o autarca diz que “Esta decisão vai prejudicar muito a população de Valongo. Mexer com uma repartição de finanças é um ato que lança muita confusão junto das empresas e famílias. Isto não pode ser feito assim. Este Governo age de forma autista. Tem de haver respeito pelas populações e pelos representantes das populações”, acusou o autarca socialista. O edil diz ainda que a Câmara ainda não ter sido “informada formalmente” apesar de ter “encetado vários contactos. Já pedimos há meses ao Governo para ser recebido pelo senhor secretário de Estado das Finanças para discutir este assunto. Mas o diálogo não existe. Este Governo não ouve, não debate com ninguém e decide. Mas Valon-

go vai lutar sempre contra o fecho de serviços públicos”. O autarca comparou os casos das repartições de finanças a outros processos e reestruturações de serviços públicos, como a junção do Agrupamento de Saúde de Valongo com o da Maia ou a atual estrutura do tribunal. “Fizeram um mega agrupamento e não deram nenhuma explicação à Câmara Municipal. O tribunal custa 64 mil euros durante 13 anos ao Governo mas estão a esvaziá-lo. Se não explicam nada aos repre-

sentantes das populações, venham cá explicar às pessoas porque é que toma estas decisões”, refere José Manuel Ribeiro.

... e Junta nada sabe Também Luis Ramalho, presidente da Junta de Ermesinde afirma nada saber. Diz o autarca que “a Junta da Freguesia de Ermesinde está contra o encerramento do Serviço de Finanças. A nossa tomada de posição de 4 de Dezembro foi clara. Não vemos motivos para o encerramento e não conseguimos vislumbrar

qualquer poupança. As instalações são próprias e o número de contribuintes inscritos justifica a sua manutenção. Há certamente Serviços em capitais de distrito que servem menos contribuintes do que as nossas finanças. Não nos conformaremos com outra decisão que não seja a manutenção deste serviço na nossa freguesia”. O número de sujeitos passivos de IRS é de 15646 em Valongo (abrange também Campo e Sobrado) e em Ermesinde é de 26693 (abrange também Alfena).


Diversos

21 abril 2014

Festa benfiquista

O Benfica venceu na tarde deste domingo o Olhanense por 2-0 e chegou aos 73 pontos, mais sete do que o Sporting (segundo classificado) quando faltam apenas duas jornadas para o fim do campeonato. Desta forma a equipa encarnada consegue o seu campeonato número 33, depois de três anos consecutivos a ver fugir o titulo para

o FC do Porto. Nesta época a supremacia benfiquista é evidente com os homens treinados por Jorge Jesus já com um título e ainda em mais três frentes, Taça de Portugal (em que derrotaram o o FC Porto), Taça da Liga (onde vão jogar uma vez mais com o FC Porto) e Liga Europa, onde quintafeira começa o desafio com a Juventus de Itália.

Se na Luz houve festa, também em Valongo centenas de simpatizantes ocuparam a rotunda frente à Câmara para fazerem ecoar o grito de vitória com a habitual frase “somos campeões”. Nas ruas centenas de viaturas faziam ecoar as buzinas, dando loas, aquilo que esperam seja a primeira vitória encarnada da época.

Vá a uma das nossas lojas hoje mesmo Página

10


Diversos

21 abril 2014

Festa no Parque da Cidade

Numa organização em parceria da Junta de Valongo e Chama Festiva (que gere o Jornal de Valongo), vai ter lugar o evento FESTA NO PARQUE. A Câmara de Valongo cede o espaço e serão várias as empresas que ali vão divulgar a sua atividade ou produto. São aliás estes patrocinios que servirão para suprir a despesa do evento. Se é empresário e quer divulgar a sua empresa e ao mesmo tempo apoiar, contacte jornaldevalongo@ gmail.com. Trata-se de uma iniciativa que tem por objetivo dinamizar um espaço de excelência da freguesia e concelho de Valongo. Assim sendo o programa provisório será: Sexta feira - 16 Maio 21h30 – Concurso Karaoke Sénior (inscrições para o email jornaldevalongo@ gmail.com) Sábado - 17 Maio 21h30 – Selvis Presley - Banda de TRIBUTO A ELVIS PRESLEY Domingo - 18 Maio (haverá a iniciativa cãominhada) Sexta feira - 23 Maio 21h30 – Músicos do concelho Sábado - 24 Maio 21h30 – Fado no Parque – presença de fadistas do concelho e convidada especial Margarida Gonçalves (finalista do Fator X da SIC) Domingo - 25 Maio 15h00 – Grupos de Dança do concelho 3 Sábado - 31 Maio 21h30

Página

11

– 2º Concurso Miss e Mister Valongo 2014 (inscrições para o email jornaldevalongo@gmail.com)

Domingo - 1 Junho -- DIA MUNDIAL DA CRIANÇA com concurso Karaoke infantil e juvenil

(inscrições para o email jornaldevalongo@gmail.com)

24 de maio 22 horas

17 de maio 22 horas

A próxima edição do JNV sai a 12 de maio e vai trazer tudo sobre este evento. . Se é empresário ainda está a tempo de divulgar a sua empresa. contacte jornaldevalongo@gmail.com

VALONGO

Rotunda 1º de Maio 44


Desporto

21 abril 2014

Futebol Distrital Trial em Valongo Alfenense e Ermesinde já subiram e Sobrado quase no Nacional. O Sobrado venceu no domingo no Municipal de Valongo por 7-1 o S. Pedro da Cova em jogo da jornada 30 do distrital de Elite, estando agora com 14 pontos de vantagem sobre o segundo classificado. Os golos do Sobrado foram marcados por Joca, Cláudio, Fernandes, Biscoito, João Oliveira e Bruno Almeida que em dia de aniversário marcou por duas vezes. O CD Sobrado está perto de carimbar a subida aos nacionais, faltam oito jogos e o Sobrado está a 4 jornadas da garantir a subida, isto caso o Oliveira do Douro ganhe os jogos todos até lá. Na mesma divisão o Valonguense ganhou na Póvoa ao Varzim B por 2-1 e assim afastou-se dos lugares de descida. Na próxima jornada, dia 27 de abril, o Sobrado vai ao Infesta e o Valonguense recebe o Aliados de Lordelo. Na primeira divisão série 1 o Alfenense foi empatar 1-1 ao Balasar e, a duas jornadas do fim, garantiu a subida à honra. O golo da equipa de Juvenal Bran-

dão foi marcado por Boni de grande penalidade. No lance resultou a lesão grave no melhor marcador Vítor Hugo, tendo sido transportado para o hospital. Na próxima jornada (dia 27) recebe Os Lusitanos, podendo carimbar a vitória na série. Na segunda divisão, série 1, o Ermesinde foi a

S. Romão vencer por 4-0 e garantiu a subida e quase a vitória de série quando faltam três jogos para acabar o campeonato. Na próxima jornada recebe o S. Vitor. Na série 2 o Campo empatou em sua casa com o Penamaior a um golo e não está ainda descansado. Na próxima jornada desloca-se ao Ferreira.

Ainda mal recuperaram das emoções da 2.ª etapa do Campeonato Nacional de Trial 4x4, que se realizou em Torres Vedras, e o Clube Todo-o-Terreno Trilhos do Nordeste já trabalha na próxima prova. Em Valongo, já começaram os preparativos para mais uma grande jornada de trial, depois de a cidade ter recebido o arranque da edição de 2013 do CNTrial4x4. E em Valongo o CNTrial4x4 tem mais uma novidade: um aditamento no regulamento vai permitir que as viaturas com pneu até 37 polegadas se juntem à competição, à semelhança do que aconteceu na época passada. Voltam assim a existir 3 categorias nas Classes de Promoção: pneus até 35’’, pneus até 37’’ e viaturas Suzuki. É esperada uma participação muito forte desta viaturas de turismo de série nesta terceira ronda. As inscrições para esta prova já estão abertas, estando o encerramento

previsto para o dia 10 de maio. No entanto, quem se inscrever até 3 de maio tem direito a um desconto. A terceira prova da competição a cargo do Clube Todo-o-Terreno Trilhos do Nordeste e sob

a égide da Federação Portuguesa de Todo-o-Terreno Turístico Trial e Navegação 4x4 acontece a 18 de maio, em Valongo.

Se quer divulgar a sua empresa; efetuar a assinatura para receber o jornal em sua casa ou enviar dados para elaboração de notícias

contacte jornalde valongo@ gmail.com

Página

12


Teatro

21 abril 2014

Mostra de Teatro continua Depois de, na edição passada termos descrito as peças todas em exibição na Motsra de Teatro de Valongo 2014, agora repetimos os dados das que ainda vão ser exibidas de 3 de Maio a 24 do mesmo mês. 3 Maio (sábado) Sala das Artes do Fórum Vallis Longus – 21h45 Revista à Portuguesa: “Cada maluco com a sua mania” (M/12) Centro Recreativo Estrelas da Balsa; Sinopse:Este espectáculo resume uma série de sketchs direccionados para o humor… tende a envolver os espectadores para 90 minutos de gargalhada e boa disposição não esquecendo as críticas socioculturais!. Duração: 90 minutos; Título da obra original: Revista à portuguesa “Cada maluco com a sua mania”; Autor do texto original: Helder Rodrigues; Tradutor: Cátia Santos;Adaptador: Helder Rodrigues;Dramaturgia: Helder Rodrigues; Encenador: Helder Rodrigues; Coreografia: gupo;Cenografia: José Rodrigues; Figurinos: Manuela Neves; Ator: Helder Rodrigues e Filipe Ferreira; Luminotecnia: Hugo; Elenco: Helder Rodrigues, Filipe Ferreira, Sara Nunes, Rosa Nunes, Rosa Torres, Nuno Vizela, Nuno King, Soraia Vizela, Sara Ferreira, Diana Moreira, Inês Meireles, Joana Alves, Beatriz Alves, Amável Ferreira Bilheteira: 914 167 651 | 932 292 652 9 Maio (sexta-feira) Casa de Espetáculos do Fórum Cultural de Ermesinde – 21h45 “Conjugação do Verbo “Lembrar-me” (M/12) Associação Cultural e Recreativa Fora d´Horas Sinopse: O espetáculo “Conjugação do verbo lembrar-me” é uma adaptação da peça “Enquanto a cidade dorme”, que pretende surgir num formato modificado, dedicado ao/à comum mortal, remetendo-o/a para a lembrança de existir. Pretende-se relembrar o/a espectador/a da importância da fantasia, dos afetos, das cores, dos medos, dos cheiros, do amor, dos sabores e da memória. Assim sendo, nesta peça, utilizar-se-ão novas propostas cênicas e cenográficas, para que se consiga desafiar o

Página

13

público, num estilo dramático leve, a comover-se com a vida. Em suma, esta peça pedir-lheá para simplesmente se lembrar de se conjugar... Duração: 60 minutos; Título da obra original: Enquanto a cidade dorme; Autor do texto original: Álvaro Magalhães; Adaptador: o grupo; Dramaturgia: Inês Ferreira;Encenador: Inês Ferreira; Coreografia: Ana Reis e Gisela Baltazar; Cenografia: o grupo; Figurinos: o grupo; Elenco: Cátia Costa, Etelvina Baltasar, Luísa Ribeiro, Rafael Pereira, Rosário Nascimento, Sofia Pereira, Valdemar Baltasar, Vitor Russo; Bilheteira: 91 948 58 74 | 932 292 713 | 22 978 33 20 10 Maio (sábado) Sala das Artes do Fórum Vallis Longus – 21h45 “Le Tartufe” (M/6) Universidade Sénior Rotary de Valongo – Grupo de Teatro Sinopse: O Tartufo é uma comédia apresentada por meio de diálogos de enorme subtileza e ironia. Tartufo, o impostor aparece nesta peça, intenso de sensualidade e bastante lascivo que sobre o disfarce de asceta virtuoso, consegue aproveitarse da confiança do seu protector, Orgon, consegue inclusive voltá-lo contra a família e só é desmascarado quando tenta seduzir a dona da casa, Elmira. Crítica mordaz à hipocrisia religiosa, que retrata o momento que antecede a ascensão da burguesia. É atemporal porque aborda ainda questões bastante contemporâneas Duração: 115 minutos; Título da obra original: Le tartufe; Autor do texto original: Jean Baptiste Poquelin, Moliére; Tradutor: Mário Braga; Adaptador: Mendes da Rocha; Dramaturgia: Mendes da Rocha; Encenador: Mendes da Rocha; Coreografia: Mendes da Rocha; Cenografia: Mendes da Rocha; Figurinos: Mendes da Rocha; Música/Sonoplastia (nome e autor): Henry Mancini; Luminotecnia: Mendes da Rocha; Elenco: Elmira – Laura Cruz, Orgon – Vitor Graça, Tartufo – Duarte Meneses, D. Pernelle – Maria Garrido, Dorina Purificação Ribeiro, Valério – Ana Pinto, Damis – António Aguiar, Cleanto – Joaquim Ferreira, Mariana – Margarida Ferreira, Filiopote – Manuela Moutinho, Lourenço – Filomena Sousa, Sr. Leal – João Hernani, Isento – Ana Neves,

Guarda – Manuel Poças Bilheteira: 926 673 303 | 932 292 652 16 Maio (sexta-feira) Casa de Espetáculos do Fórum Cultural de Ermesinde – 21h45 “Boeing Boeing” (M/6) Associação Desportiva e Cultural dos Canários de Balselhas Sinopse: A peça retrata a vida de um jornalista que vive com 3 hospedeiras de diferentes companhias aéreas. Ele tenta conjugar as suas chegadas e partidas para que elas não se cruzem mas é então que surge um novo avião ultra rápido e a partir daí tudo fica muito complicado. Duração: 60 minutos; Título da obra original: Boing Boing; Autor do texto original: Marc Camoletti; Tradutor: Sérgio Cerbino; Adaptador: Sérgio Cerbino; Dramaturgia: Sérgio Cerbino;Encenador: Sérgio Cerbino; Coreografia: o grupo; Cenografia: o grupo; Figurinos: o grupo; Música/Sonoplastia (nome e autor): Non, jene regrette rien – Michel Vaucaire, Charles Dumont, La Cumparcita – Gerardo Matos Rodrigues, amor, amor, amor _ Gabriel Ruíz/ Ricardo Lopes Mendes, Je taime Moi non Plus – Serge Gainbourg; Luminotecnia: Marco Pinho Elenco: Tiago Costa, Barbara Neto, Sara Neto, Mónica Sampaio, Pedro Teixeira, Marisa Rocha, Cândida Oliveira, José Martins, Contra Regra: Sandra Ferreira Bilheteira: 917 945 917 | 932 292 713 | 22 978 33 20 17 Maio (sábado) Sala das Artes do Fórum Vallis Longus – 21h45 “ Cinderela” (M/4) Sabor a Teatro | Valência Ágorarte – Associação Cultural e Artística Sinopse: Esta não é uma Cinderela tradicional…. Personagens saídas de outros contos, caem do céu para dificultarem a vida da Cinderela: uma bruxa má, um lobo mau disfarçado de GNR, os Anões, e uma Fada Madrinha que é uma “tiazoca” irascível. No final a Cinderela casa mesmo com o Principe e tem imensos filhinhos para descanso de todos. Duração: 60 minutos;

Título da obra original: Cinderela; Autor do texto original: João Paulo Seara Cardoso; Adaptador: Diana Alves Costa;Dramaturgia: Diana Alves Costa; Encenador: Diana Alves Costa;Cenografia: Diana Alves Costa;Figurinos: Diana Alves Costa;Música/ Sonoplastia (nome e autor): Nuno Campos Monteiro;Luminotecnia: Nuno Campos Monteiro;Elenco: Ana Catarina Ramalho – Fada Madrinha, Anaísa Leal – irmã I, Ana Tavares – Cinderela, Catarina Machado – Anão, Joana Mendes – irmã II, João Santos – Passarinho e Principe, Luís Dias – Anão – chefe e Rei, Márcia Azevedo – Bruxa Má, Nelma Luana – Passarinha, Nuno Cunha – Rato, Pedro Ramalho – Lobo Mau e Arauto, Telma Lopes - Madrasta Bilheteira: 914 099 464 | 932 292 652 23 Maio (sexta-feira) Sala das Artes do Fórum Vallis Longus – 21h45 “Óculos de Sol” (M/6) Grupo Dramático e Recreativo da Retorta

Sinopse:Receita para o cokctail estereofónico “óculos de sol” Junte, quantias generosas, de: uma governanta difícil e intransigente; uma viúva autoritária, que bebe às escondidas; um irmão tolerante e que gosta de promoções; uma irmã esquecida e que não gosta nada de tomar banho; uma rapariga doce, que caminha aos saltinhos ; um sacana do mais alto gabarito, porém irresistível; uma adolescente leal e rápida como um tiro; uma solteirona burlesca e de temperamento gourmet; uma espanhola que lê as cartas e adivinha umas cenas; Um enfermeiro poeta, sonhador e meio gago; um Padre faminto e atolambado. Envolva tudo; polvilhe com óculos de sol; salpique com música antiga e sirva com uma luz cheia de pinta. Deguste. Deslumbre-se. E não perca esta receita. Por nada. Duração: 65 minutos;Título da obra original: Óculos de Sol;Autor do texto original:

Laura Ferreira;Dramaturgia: Laura Ferreira;Encenador: Laura Ferreira; Coreografia: o grupo; Cenografia: João Paulo Pereira e Octávio Pereira;Figurinos: Paula Nogueira e Maria Fontes;Música/ Sonoplastia (nome e autor): Flávio Oliveira;Luminotecnia: Flávio Oliveira e João Octávio Pereira Elenco: Ana Rita Cruz, Ana Sousa, António Costa, Diana Pereira, Emílio Cruz, Hélio Rebelo, Juliana Leite, Maria Fontes, Maria João Pereira, Núria Melo, Vítor Hugo Oliveira Bilheteira: 919 496 985 | 932 292 652 24 Maio (sábado) Casa de Espetáculos do Fórum Cultural de Ermesinde – 21h45 Espetáculo de Encerramento da Mostra de Teatro Amador Entretanto Teatro Bilheteira: 932 292 713 | 22 978 33 20


muito gratificante para ambos intervenientes é também um sinal evidente de que todos podem fazer a diferença quando buscam voluntariamente o caminho para a felicidade e bem-estar de outros , afinal só assim faz sentido a palavra “servir”. Pois o nosso lema “Não Somos Fáceis” dia apos dia faz prevalecer valores e princípios já mais abdicados e garantidamente que o fazemos com espirito de partilha e fortalecimento, afinal só assim fará sentido a existência de todos nós. Os resultados têm sido “fabulásticos” , o que nos enche de

orgulho por abraçarmos esta causa”. CPCJ e ATHMS Uma parceria de sucesso Por parte da CPCJ a opinião é também positiva, como refere Luísa Areia de Carvalho – Docente e Mediadora entre o AEE e a CPCJ de Valongo. “A parceria estabelecida entre a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e a Associação Tradicional Hanguk Moo Sool (ATHMS) é um exemplo de sucesso em prol das nossas crianças e jovens de meios sociais mais desfavorecidas e em risco. A Associação representada pelo Presidente, Mestre Fernando Branco, além de ensinar os princípios básicos das artes marciais coreanas: cortesia, integridade, perseverança, auto-domínio e espírito indomável, promove a cultura tradicional coreana e as artes de Hongik Ingan – “amar em paz, espírito íntegro, defender o correto e um forte sentido de responsabilidade”. Por sua vez, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em risco, representada pela sua Presidente, Dra. Fernanda Almeida, prossegue fins de promoção e proteção de crianças e jovens em risco, nos termos da Lei nº 149/99, de 1 de setembro. Com o objetivo de conceber, fortalecer e complementar

os sistemas e redes de suporte que rodeiam as crianças e jovens destes territórios, criouse esta parceria local, há dois anos, apoiando individualmente crianças e jovens no desenvolvimento das suas competências pessoais e sociais, aumentando os seus níveis de autonomia de forma a romper com os ciclos de exclusão social nos quais se encontravam inseridos Desde então, a CPCJ tem indicado jovens com idades compreendidas entre os 6 e os 15 anos para a prática de artes marciais. A Associação disponibiliza, ainda, transporte e todo o material necessário à prática destas artes. A ATHMS, atuando segundo os seus valores, constitui-se como uma referência, reconhecida pelo valor dos seus resultados e a qualidade dos

seus serviços, fundamentada numa gestão proativa e solidária, contribuindo para uma sociedade mais justa, equitativa e orientada para a inclusão social das crianças, dos jovens e das famílias mais vulneráveis. Ao longo destes dois anos de parceria, esta Associação tem merecido a inteira confiança da CPCJ e de outras entidades, tais como o Agrupamento de Escolas de Ermesinde (AEE). Seguindo o exemplo referido, o AEE também estabeleceu uma parceria, no

início deste ano letivo, abrangendo os alunos mais desfavorecidos ou em risco, e que tem funcionado regularmente, nas próprias instalações da escola e com um sucesso cada vez mais notório. O grande desafio de hoje é criar uma rede social cada vez mais alargada com o estabelecimento de parcerias locais no combate à exclusão social e à remoção do risco. Neste sentido, a CPCJ encontra-se disponível e recetiva a propostas que se enquadrem neste espírito.

Contacte jornaldevalongo@gmail.com

Foi no passado dia 12 de Abril, que se comemorou o 2º Aniversario da Parceria efetiva entre a Associação Tradicional Hanguk Moo Sool e a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do Concelho de Valongo. Diz uma nota da Associação Hanguk Moo Sool que “esta parceria além de ser

Senhor Empresário

Parceria CPCJ e Hanguk Moo Sool

anuncie aqui a sua empresa

Diversos

21 abril 2014

Caminhadas

São várias as caminhadas que tê sido organizadas por várias entidades. Hoje mostramos aqui fotos de duas. A primeira foi realizada pela Quinta das Arcas, (primeiras 2 fotos) em Sobrado, e aconteceu no primeiro sábado de abril. Nesta em particular refletiu-se sobre a violência infantil. Esta caminhada repete-se todos os primeiros sábados e

vala a pena conhecer este percurso junto ao rio Ferreira e que também percorre a própria quinta. Para de que, no final a prova de queijo e vinho produzido pela quinta é um bom culminar da manhã. Na foto do fundo aspeto da caminhada que decorreu em Sobrado e que foi organizada pela Junta de Campo e Sobrado, com receita para a Liga Contra o Cancro.

Página

14


Sociedade

PREVISÃO ASTROLÓGICA PARA O MÊS DE MAIO 2014 Carta XXI – O Mundo

Ao longo deste mês poderão surgir boas oportunidades em termos de trabalho, esteja atento! Os seus esforços vão ser finalmente recompensados, não seja tão altruísta.

Carta IV – O Imperador

Durante este mês tente concentrar-se em ideias que lhe confira confiança e riqueza, seja mais ambicioso. Liberte-se da subjugação do seu parceiro e apaixone-se pela vida. O momento é de concretização.

Carta XIII- A Morte

No decorrer deste mês tente colocar um fim a tudo aquilo que não lhe está a fazer bem. Devem ser feitas mudanças para que possa progredir, já os antigos diziam: “ Quem muda, Deus ajuda!”

Carta IX – O Eremita

Neste período de tempo sentirá necessidade de refletir acerca de alguns assuntos pessoais que lhe têm preocupado. Tenha consciência do que quer, para saber melhor o que deve fazer. Contemple a reflexão interior, pois esta numa fase de progressão lenta.

Carta X – A Roda da Fortuna

Atravessa um ciclo de mudanças rápidas e inesperadas no entanto não se perca no caminho. O caminho faz-se percorrendo-o de preferência com os olhos postos no Mundo. Uma escolha importante poderá trazer-lhe novas possibilidades, em várias áreas. Esteja atento!

Carta VIII – A Força

Este mês irá ter a oportunidade de reconciliação com alguém que lhe é querido. Deve impor a sua vontade, pois terá a força suficiente para enfrentar aquilo que lhe surgir no caminho. Tenha coragem para enfrentar os desafios!

Receitas da Chef

Sopa de pedra de Almeirim (receita original) Ingredientes 0.5 kg de Feijão vermelho; 500 g de Entrecosto de porco; 350 g Orelha de porco; 1 Chouriço pequeno;1 Farinheira; 100 g Toucinho entremeado; 1 Folha de louro; 1 Ramo de coentros; 30g Banha; 1 Colher de sopa de colorau; 400 g Batatas; 1 Cebola; 2 Dentes de alho; 50 ml Azeite; ½ Couve lombarda; Sal; Pimenta; Agua; Preparação: Numa panela com água suficiente para a sopa levam-se ao lume a cozer as carnes, o feijão demolhado, a balha, o azeite, tempera-se com sal e pimenta, junta-se a cebola picada, os dentes de alho esmagados, o louro e o colorau.

Carta XIV – A Temperança

Ao longo deste mês sentirá necessidade de fazer uma reavaliação a sua relação afetiva. Evite julgar os outros pelo seu passado. Possíveis entradas de dinheiro, boa altura se precisar de recorrer a empréstimos.

Carta XII – O Enforcado

No início do mês talvez precisa de se sacrificar mais para poder obter aquilo que deseja. A sua desmotivação ou o facto de não conseguir encarar a realidade fazem com que perca oportunidades importantes na sua vida. Entenda que na vida nada é definitivo.

Carta 0 – O Louco

Em termos materiais atravessará um momento difícil, não tenha medo de encarar a realidade. A sua instabilidade poderá dificultar a sua precessão de conseguir ganhar consciência daquilo que quer, concentre-se! Os solitários poderão encontrar um novo amor.

Carta XV – O Diabo

Durante este mês deverá evitar os vícios ou os excessos alimentares que lhe podem trazer complicações ao nível da suade. Em termos financeiros, cuidado com os benefícios efetuados com meios pouco ilícitos. Está disposto(a) a aceitar o que pode fazer?

Contacto: tarotdc@gmail.com

Página

15

Chef Marta Costa Restaurante A REGIONAL VALONGUENSE Atenção: a foto pode não corresponder exatamente ao produto final

Os medicamentos genéricos são como o arroz

Poderá sentir que a sua vida perdeu o sentido, estará numa fase menos positiva em que as suas estruturas internas poderão ser abaladas. Devera tentar ultrapassar o choque e deitar fora os seus velhos guios. Força! Lembre-se que depois da tempestade, bem sempre a bonança.

Carta XX – O Julgamento

Quando tudo estiver cozido, retiram-se as carnes da panela e juntam-se as batatas cortadas em cubos pequenos e a couve ripada. Logo que estejam cozidas mistura-se o ramo de coentros, que ferve para apurar. A carne corta-se aos bocados e coloca-se no fundo do prato e rega-se com o caldo por cima. Atenção: Não se esqueçam da pedra…

Consultório Médico

Carta XVI – A Torre

No decorrer deste mês tente colocar harmonia e equilíbrio nas suas decisões para que sejam as mais acertadas. Cuide-se para que não surgem problemas de saúde, tente ter mais tempo para si. Poderá se sentir mais nostálgico.

21 abril 2014

Por Dra. Joana Neto * O mercado dos genéricos continua a crescer. Quando uma farmacêutica descobre um medicamento novo, regista-o e vende-o de forma exclusiva durante uns anos, sendo depois a fórmula livre, e passa a ser possível produzir genéricos. Permitam-me uma comparação muito básica: os medicamentos genéricos são como o arroz. Há arroz de marca própria, e arroz de marca branca, ou seja, de supermercado. Para o doente é tão simples quanto isto. No entanto, para os profissionais de saúde não é assim. Há sempre alguma

variabilidade entre o original e o genérico, o que se traduz em alterações da farmacocinética e da biodisponibilidade. Para os utentes, gostaria de tentar esclarecer alguns mitos: o mesmo genérico pode funcionar bem numa pessoa e não tão bem em outra, pois não somos todos iguais. Até se pode dar o caso do mesmo genérico hoje funcionar bem numa pessoa e dentro de alguns meses não. Nós também não estamos sempre iguais! Com isto quero dizer que como somos seres vivos estamos em permanente mudança. Logo, o medicamento pode não atuar sempre da mesma forma... O que me leva a outro ponto importante. Não se automedique. E, por favor, antes de ir à farmácia, vá ao seu médico de família. Os médicos não estão nas farmácias! Na farmácia podemos comprar dois tipos de medicamentos. Medicamentos de “venda livre”, que podem ser vendidos sem receita

médica, e medicamentos que só podem ser vendidos quando prescritos por médicos (sujeitos a receita médica). Precisamos da ajuda de todos para evitar o desperdício. Provavelmente já lhe aconteceu ir primeiro à farmácia tentar resolver um problema, comprou um medicamento (pomada, comprimido ou xarope) e depois teve de consultar um médico pelo problema não ter ficado resolvido. Vá primeiro ao seu médico de família, que deve ser a sua ligação aos cuidados do hospital e aos medicamentos da farmácia! Precisamos de ajuda para que os idosos não estejam a tomar o mesmo medicamento de duas ou três marcas... Já aconteceu vermos pessoas a tomar o seu medicamento “do costume”, o genérico da marca A e também o genérico da marca B - todos com o mesmo “ingrediente principal” (princípio ativo). Um problema para a saúde e tam-

bém para a carteira... Felizmente temos genéricos. O Serviço Nacional de Saúde foi implementado em Portugal há pouco mais de 30 anos (ainda há quem diga que vai “à Caixa” buscar medicamentos - uma alusão à Caixa de Previdência, onde trabalhavam “Clínicos Gerais” - hoje os Médicos de Família têm a especialidade de “Medicina Geral e Familiar”, inspirado no modelo de saúde Britânico. Não nos ficaria mal “copiar” também o sistema de medicamentos genéricos de Inglaterra onde só existe o medicamento original e um (sim, apenas um!) genérico de cada princípio ativo. Vamos aproveitar os medicamentos genéricos. Fale com o seu médico, tire as suas dúvidas!

* Médica, Interna de Medicina Geral e Familiar na USF São João de Sobrado.


PUBLICIDADE

21 abril 2014

VALONGO

JUNTOS SÃO

VALONGO Promoção válida até 21 de maio no Centro-auto Roady de Valongo Ultima

Jnv 36  

Edição 36 do jornal que lhe fala do que se passa em Valongo, Ermesinde, Alfena e Campo e Sobrado.