Issuu on Google+


2// EDITORIAL

dizCURSO • número 23• maio de 2014

EDITORIAL Finalmente chegou a primeira edição do Jornal dizCURSO de 2014, que dará conta das notícias e acontecimentos inerentes a este primeiro quadrimestre. Passados os meses de Janeiro e Fevereiro, dedicados ao estudo intensivo e à consequente realização dos exames, as atividades

ÍNDICE

organizadas pelo núcleo regressaram e voltaram a pairar sob terras Dequianas. > ACADEMIA páginas 3, 4 e 17. Com efeito, e apesar de alguma disparidade na adesão às atividades, é de realçar a realização bem conseguida do Fórum Estudante e do Café Tertúlia, não esquecendo os habituais Peddy -Tascas e o Torneio de Futebol.

> NÚCLEO páginas 5, 6, 13, 14, 15 e 16. > FACULDADE páginas 7, 8, 9, 10 e 11.

O II Encontro de Estudantes de Engenharia Química teve lugar na bela cidade de Aveiro, no fim-de-semana que antecedeu a merecida semana de férias da Páscoa. No meio de tantas palestras, workshops, visitas, também houve tempo para passear no moliceiro e degustar os tradicionais ovos-moles de Aveiro. O mês transato terminou, como já vem sendo tradição, com a III Gala dos Reactores Químicos, com a entrega de prémios em variadas categorias, quer a alunos quer a professores quer a funcionários da nossa instituição. Nesta edição damos também a conhecer O BEST Coimbra, que se trata de uma associação de estudantes que desenvolve várias atividades no âmbito da engenharia e da tecnologia. Inscreve-te! O Núcleo deseja a todos uma ótima Queima das Fitas, repleta de sorrisos e sem excessos porque depois há que (re)começar a estudar para os exames. Sónia Mendes (Coordenadora do Pelouro de Informação e Divulgação do NEDEQ/AAC)

> COIMBRA página 12. > ERASMUS página 18. > HUMOR E PASSATEMPOS página 19.


dizCURSO • número 23• maio de 2014

ACADEMIA \\ 3

II ENCONTRO NACIONAL check-in’s

e receções aos inúmeros

onde se abordaram os assuntos

estudantes de todo o país que quise-

“Inovação & Estratégia”, que teve

ram marcar presença nesta segunda

como

edição do ENEEQ.

(SysAdvance) e Andreia Ferreira

O ENEEQ tem início, então, na par-

(Meia Dúzia).

te da tarde onde é feita uma sessão de

O Painel C iniciou-se logo de segui-

abertura e de boas-vindas a todos os

da com o tema “Novos desafios na

participantes.

Petroquímica”, apresentando como

Decorreu nos passados dias 11, 12, 13

As sessões de palestras do Encontro

oradores Jorge Ribeiro (GALP Ener-

e 14 de Abril, em Aveiro, o II ENE-

foram divididas em três painéis, A, B,

gia) e Joaquim Borges Gouveia (UA,

EQ. Contou com a participação de,

e C. Neste primeiro dia, abordou-se

Consultor científico ISPG).

exactamente, 150 estudantes das mais

o painel A que teve como nome

Como não poderia deixar de ser, o

diversas Universidades e Institutos

“DOW” onde foi feita uma apresen-

ENEEQ deu também a possibilidade

Politécnicos, como a Universidade de

tação corporativa da DOW, posteri-

de inscrição em workshops/debates,

Aveiro, a Universidade de Coimbra,

ormente foi apresentado um case stu-

que se realizaram neste dia, da parte

a Universidade de Lisboa, a Universi-

dy

Fábrica

da tarde. Decorreram workshops de

dade do Porto, a Universidade Nova

(Preparação, Programa de Segurança,

“Gestão de Conflitos”, “Gestão de

de Lisboa e do Instituto Politécnico

Execução e Acompanhamento e

Tempo”, “Marketing Pessoal”, “

de Bragança.

Avaliação).

LaTex” e o debate sobre “Reflexão

DE

ESTUDANTES

GENHARIA

DE

EN-

QUÍMICA

de

Paragem

de

oradores

Patrick

Bárcia

O Encontro contou com a participa-

sobre EQ”.

ção de várias empresas do ramo da

À noite, decorreu uma Mega Febrada

engenharia química, tendo como seu

de organização conjunta do CO-

parceiro e também maior patrocina-

ENEEQ,

dor a Dow Chemical Company.

À noite os Estudantes puderam contar com atividades de convívio como,

Dia 1:

por exemplo, o Peddy Tascas, junta-

Na parte da manhã foram feitos os

mente com outros estudantes de Engenharia Civil e Engenharia Informática (que tiveram, nos mesmos dias, os respetivos encontros nacionais).

Dia 2: De manhã, deu-se início ao Painel B,

ENEEI.

CO-ENEEC

e

CO-


4 //ACADEMIA

dizCURSO • número 23• maio de 2014

Dia 3:

Para finalizar este II Encontro Nacio-

Encerramento, pelo vice-reitor da

Este dia foi o dia de “descanso”.

nal de

Estudantes de Engenharia

Universidade de Aveiro, Eduardo

Desde passeios pedestres pela cidade,

Química, procedeu-se ao debate “

Silva, Gonçalo Santos, em represen-

passeios de moliceiro, visitas às salinas

Ensino da Engenharia Química” on-

tação da CO-ENEEQ’14 e também

e degustação de ovos moles, onde os

de foram colocadas sobre a mesa

pela Mariana Carneiro, presidente do

participantes puderam também deli-

questões e problemas mencionados

Núcleo de Estudantes de Engenharia

ciar-se com um copo de champagne.

pelos participantes onde se contou

Química da FEUP e presidente do

Decorreram também atividades de

com uma mesa recheada de represen-

CO-ENEEQ’15, que fez formal-

Lazer e convívio como Torneios de

tantes do curso nos variados Estabele-

mente a apresentação do III Encon-

Sueca e Futsal.

cimentos de Ensino Superior do país;

tro Nacional de Estudantes de Enge-

Mais uma vez, a noite foi marcada

nharia Química, a realizar em 2015,

pelo convívio entre alunos dos três

na cidade do Porto.

cursos já mencionados. É sem dúvida uma mais valia participar em eventos como estes. Ganham foram representados as Universidades de Aveiro, Coimbra, Porto e Lisboa e também os Institutos Politécnicos de Bragança e do Porto. Destaque para a participação da Professora Dia 4:

Cristina Gaudêncio, que deu o seu

Este dia foi o que se direcionou mais

parecer nas diversas questões em re-

a uma perspetiva mais ativa por parte

presentação do DEQ-FCTUC.

dos participantes. De manhã proce-

De seguida foi ouvido o Eng. Alberto

deram-se às visitas às Empresas

Rodrigues, da Delegação de Aveiro

(DOW, Air Liquide, CUF e também

da Ordem dos Engenheiros, que fez

se realizou uma visita ao Departa-

uma breve apresentação da Ordem e

mento de Química da Universidade

falou também um pouco do que seria

de Aveiro, departamento onde está

a integração na Ordem dos Enge-

alojado o curso de Engenharia Quí-

nheiros e como poderia ser feita.

mica desta mesma Universidade.

Finalmente deu-se início à Sessão de

-se experiencias e oportunidades únicas assim como se tem uma perspetiva abrangente e prática do que é o nosso curso e a Engenharia Química empresarial, algo que muitas vezes não pode ser transmitido pelos órgãos de ensino. Os estudantes do DEQ marcaram presença numa percentagem ainda elevada e deixaram a sua marca. Talvez no próximo ano existam ainda mais participantes, tanto da Universidade de Coimbra, como a nível nacional. Priscila Martins


dizCURSO • número 23• maio de 2014

III GALA

DE

REACTORES

D’OURO No dia 30 de Abril do corrente ano foi realizada a III Gala de Reactores D’Ouro , no IPDJ (Instituto Português do Desporto e Juventude), Organizado pelo teu núcleo de estudantes, NEDEQ. Esta gala teve o intuito não apenas da entrega de Prémios aos

NÚCLEO\\ 5

sim,

a

gala

propriamente

dita.

as nossas barrigas estavam a “dar” as

Esta começou com o narrador apre-

horas, tendo-se feito assim um inter-

sentando a melhor dupla de apresen-

valo, para um momento de convívio

tadores, João Carrageta e Rui Churro, que subiram ao palco ao som de

“Don’t Cha” das The Pussycat Dolls, criando desde já uma grande animação no público presente do início ao fim.

entre os alunos e professores, com diversos doces , salgados e bebidas á

que mais se destacaram, mas sim tam-

mistura.

bém uma vertente solidária, ajudar a Casa de Infância Drº. Elísio de Moura

A 2º parte da gala começou com a

com bens alimentares, de higiene e

atuação da Quantunna, seguindo

material escolar. A Gala começou com um teatro, protagonizado pelo Rui Churro e

Durante a 1ºparte da gala foram en-

João Carrageta onde retrataram a pe-

tregues os Prémios de:

quena sala de núcleo que mal dá para

-Melhor Sorriso: á Marta Batista que

uma pessoa se mexer, as longas filas

sempre nos alegra os nossos dias;

nas cantinas, a falta de sabão nas casas

-Melhor Atendimento: á Professora

de banho e o facto de termos de sair a

Luísa Durães sempre com muita dis-

correr do departamento antes das 21h

ponibilidade para as nossas dúvidas;

para o alarme não começar a tocar.

-Melhores Apontamentos: ao Pedro

De seguida fomos presenteados com

Maximiano que mais uma vez volta a

uns minutos de música pelo grupo da

ganhar o prémio;

Secção de Fado da Associação Acadé-

-Caloiro do Ano: ao Dayvid Dias

mica de Coimbra, antecedendo as-

pre pronto para ajudar a reparar; a

pela boa disposição na participação

professora

nas praxes e não só;

coordenadora) pelo seu trabalho pres-

-Erasmus do Ano: á Bea Guillen

tado enquanto professora, coordena-

Crespo , proveniente do nosso país

dora e pela sua disponibilidade e

vizinho;

prontidão a ficar sem férias para tratar

Depois da entrega destes prémios, já

novamente da entrega de prémios: - NEDEQ, onde se homenageou a Sandra Silva por todo o apoio demonstrado em todas as atividades do Núcleo; O Sr. José que poucos sabiam quem era por este trabalhar no piso-3, se bem que se avaria alguma coisa no departamento ele esta semGraça

Carvalho(

ex-

de todas as inscrições relativas ao no


6 //NÚCLEO

dizCURSO • número 23• maio de 2014

vo plano de estudo; e por último, ao

senteou com o top 3 dos dez dele;

Kevin Neves, amigos inseparáveis

Fábio Branco, por tudo o que ajudou

-Esponja do ano: ao Telmo Rodri-

desde o primeiro dia;

a melhorar dentro deste núcleo, e

gues que sucede ao seu Padrinho Ri-

pelo excelente trabalho realizado en-

cardo Mendonça, quem sabe não se

quanto coordenador de pelouro e

torne num premio de família no fu-

tesoureiro;

turo ;

-Nota 10: ao José Lobo que nos pre-

-Tico e Teco: ao Danilo Frasson e

No final, todos os elementos do NEDEQ presentes, subiram ao palco agradecendo a todos pela sua presença. Rafael Monteiro

ALGUNS TESTEMUNHOS DOS VENCEDORES Foi um misto de sentimentos. Orgulho por ter sido o primeiro prémio que ganhei numa gala deste género, e desapontamento por ser o prémio que distingue o maior preguiçoso do departamento. No entanto levei a distinção na desportiva e procurei rir-me do prémio e, mais imporJosé Lobo

tante, fazer os outros rir. E acho que consegui .

“Engraçado” e “familiar” são as duas palavras que descrevem a minha visão da gala. Eu nunca imaginei que existisse uma gala onde as pessoas do departamento seriam recompensados com um prémio em diversas categorias, fui premiada num deles: “Erasmus do Ano”. Quando eu comecei em Setembro no DEQ, eu nunca imaginei que estaria num departamento onde me foi dada uma receção calorosa e onde cada dia que passo lá sinto que faço parte dele. Vou ficar com muitas recordações e amigos . Agradeço a todos por este prémio, que sempre me fará lembrar o meu Bea Guillen Crespo

ano de Erasmus na UC. Ter recebido o reator de “Melhores Apontamentos” é para mim o reconhecimento de 4 anos de árduo trabalho e sinto-me feliz que esse trabalho tenha também ajudado outras pessoas, e possa continuar a ajudar. Agradeço à comunidade do DEQ pela atribuição deste prémio e pela motivação que este me dá para a continuação do meu percurso académico. Pedro Maximiano

Fiquei muito orgulhosa por saber que com o meu sorriso consigo inspirar muitos outros sorrisos escondidos a darem o ar da sua graça. Apesar de todo o trabalho ou problemas que todos possamos ter..."that’s the time you must keep on trying Smile what’s the use of crying You’ll find that life is still worthwhile If you’ll just Smile" - Smile de Charlie Chapplin Marta Batista A sensação de receber um prémio como o de "melhor caloiro" é completamente indescritível. Ver os teus amigos a te parabenizar por isso é melhor ainda. Estou muito feliz em ter sido nomeado para o prémio e saber que a minha tentativa de integração com os outros está a correr bem! Dayvid Dias


dizCURSO • número 23• maio de 2014

FACULDADE\\ 7

BOARD OF EUROPEAN STUDENTS OF TECHNOLOGY O Board of European Students of

da engenharia, tais como a Altran, a

Technology (BEST) está presente em

Plasdan e a Active Space Technolo-

96 países europeus e representa uni-

gies e onde tiveram lugar vários

versidades desde Lisboa a Ekaterin-

workshops. Também se realizou o

burg (Rússia), de Atenas (Grécia) a

Simpósio de Engenharia onde se teve

Uppsala (Suécia).

o apoio da Ordem dos Engenheiros –

O BEST abre novos horizontes a to-

Zona Centro.

ao longo de outros Cursos de Verão. Estamos à procura de pessoas ativas, trabalhadoras, divertidas e empenha-

dos os estudantes Europeus, tanto a

Em Outubro do ano passado, no fim

das para nos ajudar nas nossas diversas

nível de conhecimentos, os chamados

de semana de 11 a 14, organizámos

atividades.

Soft Skills, como também lhes dá

um Encontro Regional de outros

acesso a empresas internacionais que

grupos BEST, tendo vindo colegas do

Se te quiseres juntar ao BEST-

consideram que pertencer a esta orga-

Porto, Aveiro, Almada, Paris, Ma-

Coimbra,

nização é uma mais-valia no curricu-

drid, Vallodolid e Valência, onde se

te: best.uc.pt e preenche o formulário

lum. O BEST Coimbra é uma associ-

discutiram assuntos internacionais,

de inscrição. Qualquer dúvida é só

ação de estudantes de Tecnologia que

houve treinos/workshops de diversas

enviar

pertencem à FCTUC e que desen-

áreas, e se fizeram novas amizades.

bra@best.eu.org que um dos nossos

volvem várias atividades no âmbito da engenharia e da tecnologia. Umas dessas atividades desenvolvidas são a Semana de Engenharia e a Competição de Engenharia, que tiveram lugar nos dias 10 a 15 de Março deste ano onde trouxemos à Universidade de Coimbra empresas dos vários ramos

Neste momento estamos a trabalhar na organização de um Curso de Verão que irá decorrer nos dias 23 de Julho a 3 de Agosto onde o tema será o aproveitamento dos recursos hídricos que temos disponíveis, onde certamente iremos contar com vários parceiros que nos têm acompanhado

vai

e-mail

ao

para

nosso

si-

coim-

colaboradores irão rapidamente responder! Junta-te a nós e vem tornar-te num “BESTie” com uma rede de contactos europeia! Cristina Bento


8//FACULDADE

dizCURSO • número 23• maio de 2014

todo este esquema, o de conhecer-

O facilitismo não é solução, mas difi-

mos um pouco mais do interior da

cultar o que pode ser fácil também

UC e tendo até liberdade para apreci-

não! Precisa-se, para além de profissi-

A Burocracia é de "grosso modo" “os

ar todo o arsenal de material pedagó-

onalismo, qualidade!

procedimentos internos que uma ins-

gico presente, como canetas, lapisei-

Como é que esta se conquista? A co-

tituição possui para definir o seu pró-

ras e post-its. Ao menos isso, já que

meçar por profissionais de excelência,

prio modo de funcionamento”.

existe uma redução acentuada de

motivados e com superiores exem-

Max Weber foi, como sabemos, o

fundos associados a bolsas de estudo e

plares, em serviços coerentes e im-

primeiro e talvez o maior cientista

de investigação (espero que as propi-

parciais.

social a estudar a fundo as organiza-

nas que nós pagamos permitam a

Pois, é preciso é coerência, mas é

ções e o seu modo de funcionamen-

compra de canetas de qualidade supe-

algo que nos transcende.

to, ou seja a aprofundar o conceito

rior). A investigação? Essa que espere,

E para almoço, o que deseja? Arroz

sociológico que é conhecido precisa-

segundo Ministros não é necessário.

de trombas prós miúdos a dois e qua-

mente como "BUROCRACIA".

Analisaremos uma breve analogia:

renta, ou arroz ‘à la Chef’ de pato

Mas eu questiono-me: O que é que

quanto mais se sobe uma montanha,

Francês a cinco e vinte mesmo ao

isto me interessa? Nada!

mais rarefeito é o oxigénio, ou seja,

lado?

Se eu vou estar 4 horas numa fila in-

se por um lado os Estudantes tentam

A carteira lá terá que se prender às

terminável, e ainda chegar ao fim e

evoluir, há algo a contrapor o seu

trombas do arroz, servido por a falta

dizerem-me que não sou atendido

progresso: a burocracia!

de tempero de um feitio desmotiva-

hoje e talvez se tentar de novo ama-

Até mesmo os funcionários, desta tão

do!

nhã, possivelmente o serei, certa-

ilustre casa, num percurso das 9 às 5,

E as filas? Devia existir salas de espera.

mente toda esta teoria não agradará a

não avançam nos avanços! É aqui que

Então fitemos: não havendo forma de

ninguém.

entra o desnivelado funcionamento

fazer outra cantina, metam a cantina

Perceberam? Eu não! O que preocu-

das normas burocráticas. Até que

nos serviços e os serviços nas cantinas!

pa é que andamos aqui a fazer corri-

ponto estas, ou a organização das

das de barreiras, a perder o nosso

mesmas, cooperam de facto com pre-

tempo, e a tirar senhas! Onde mes-

feríveis serviços à comunidade?

mo? SERVIÇOS ACADÉMICOS

Com isto não se quer dizer que a bu-

DA UC.

rocracia é inútil, mas sim que pode (e

Há no entanto um benefício geral de

deve) ser redefinida e repensada.

UCENTIDO DE OPINIÃO BUROCRÁTICA

Marco Ferreira João Miguel Santos


dizCURSO • número 23• maio de 2014

FACULDADE/MIEQ\\ 9

AFINAL, QUE QUALIDADE? “Qualidade (latim qualitas) | s.f. 1. Maneira de ser boa ou má de uma coisa. 2. Superioridade, excelência. 3. Aptidão, disposição feliz. 4. Talento, bons predicados.

E o nosso Mestrado Integrado em

tudantes e outros que não têm condi-

5. Título, categoria.

Engenharia Química? Será que o

ções para isso e também para garantir

6. Aquilo que caracteriza uma coisa.

conceito de qualidade se pode apli-

à população portuguesa que os cursos

car a um curso do Ensino Superior?

superiores (aqueles que obtêm apro-

Se sim, que qualidade o nosso curso

vação na avaliação) têm efetivamente

tem? Como é que nós estudantes nos

qualidade.

podemos pronunciar sobre a sua

Um curso deve fazer uma reflexão

qualidade? Como é que nós estu-

sobre si próprio e sobre a qualidade

Muito se fala de qualidade e da

dantes podemos ser agentes da quali-

deste, deve ser avaliado e, após isso,

qualidade. E parece que a “moda”

dade e contribuir para a melhoria da

deve comunicar a sua qualidade à

da qualidade veio para ficar: quere-

sua qualidade?

população.

mos o que é de qualidade, um

A QUALIDADE

anúncio televisivo assegura-nos que o

SINO

detergente X é de qualidade com-

Há poucos anos foi criada a Agência

foram aqueles que nem se sujeitaram

provada por uma qualquer entidade,

de Avaliação e Acreditação do Ensino

a avaliação tendo tido a iniciativa de

eu fiz uma cadeira de “Qualidade,

Superior (a tal A3ES). Esta tem como

se autoencerrarem. Tenhamos, pois,

Ambiente, Segurança e Licencia-

missão garantir a qualidade do Ensi-

alguma confiança neste sistema de

mento Industrial” que no novo plano

no Superior em Portugal, através da

avaliação de cursos e na qualidade

de estudos se chama “Engenharia e

avaliação e acreditação das institui-

daqueles que são aprovados.

Sistemas da Qualidade”, a balança

ções de ensino superior e dos seus

A QUALIDADE

onde pesamos as maçãs num qualquer

ciclos de estudos.

ÇÃO ACTUAL

supermercado tem um selo que nos

Esta avaliação de cursos surge, entre

Também o nosso curso vai ser avalia-

indica que esta foi verificada pelo

outros motivos, para tornar claro que

do muito em breve, ainda sem data

Instituto Português da Qualidade,

existem parâmetros mínimos necessá-

definida, tendo que prestar provas

tentamos medir e comparar a quali-

rios para o funcionamento de um

sobre a sua qualidade. Ao longo de

dade, até buscamos a qualidade de

curso, para afirmar que existem cur-

3 dias uma Comissão de Avaliação

vida.

sos que merecem existir e formar es-

estará no DEQ.

= CARACTERÍSTICA, PROPRIE DADE 7. Carácter, índole. (..) 10. Atributo, modalidade, virtude, va lor.” *

APLICADA AO

EN-

SUPERIOR

Desde a génese da A3ES vários foram os cursos já avaliados e também vários

E O

MIEQ:

SITUA-


10 //FACULDADE/MIEQ

dizCURSO • número 23• maio de 2014

Esta, já conhecendo aquela que foi a

investigação. As Universidades são

dade coloca a nosso favor para a qua-

autoavaliação feita pelo nosso curso,

isso mesmo: Universidades. Infeliz do

lidade como os Inquéritos pedagógi-

vai sondar professores, vai sondar es-

Estudante, infeliz do Professor ou

cos, recorramos a quem nos repre-

tudantes, vai perceber o nosso funci-

infeliz outro qualquer ator universitá-

senta, apontemos falhas e constru-

onamento. Tenham calma e não se

rio quando achar que a qualidade de

amos soluções.

alarmem: não estamos a falar de um

uma Universidade se pode medir só

Pois é, ser o principal agente do Ensi-

trabalho de polícia ou de “caça às

por algo que não o ensino ou a satis-

no Superior e ser o principal motor

bruxas”, um processo transparente

fação do estudante.

para a qualidade dá trabalho. Mas

assim o exige; afinal “quem não deve

O ESTUDANTE E O SEU PAPEL ATI-

não podemos ter outra coisa em

não teme”.

VO NA

O ESTUDANTE E A QUALIDADE

O estudante está no centro da ação de

Conseguimos compreender um cli-

É a própria A3ES que afirma num

uma Universidade. Assim, há algo

ente de um restaurante que não recla-

documento seu: “O ensino superior é

que nós temos que encarar: a respon-

ma pelo prato mal cozinhado ou pela

considerado um bem de experiência

sabilidade de contribuirmos para a

mosca na sopa? Então porque é que

porque o aluno só se apercebe da

qualidade.

consentimos os pratos intragáveis que

qualidade real do ensino quando

E como podemos estar na linha da

a Universidade e o curso nos servem

começa a frequentar as aulas; trata-se

frente da qualidade? A qualidade

e achamos normais as moscas que

de uma compra rara porque não é

não é binária, não é algo de sim ou

vem na sopa? Só podemos querer

frequente a obtenção de mais do que

não; a qualidade é algo que se cons-

uma coisa: a qualidade.

um diploma durante uma vida de

trói em busca da tão aclamada melho-

Dia-após-dia sejamos capazes de

trabalho; os custos de mudar de curso

ria contínua da qualidade pedagógi-

construir a qualidade no DEQ, de

ou de instituição, depois de algum

ca.

exigir e de ser a excelência, sejamos

tempo de frequência, são, em regra,

Se somos aqueles que vivem no dia-a

capazes de comunicar a qualidade

bastante elevados.”

-dia o resultado concreto da quali-

do nosso curso, criemos e cultivemos

Numa ótica economicista é impor-

dade de um curso, então a nossa per-

a cultura da qualidade.

tante que as Universidades, como

cepção sobre o curso deve ser tida em

E não pensemos que estas questões

prestadoras de um serviço, tenham os

conta, a nossa satisfação deve ser leva-

não vão afetar a nossa vida mais tarde.

seus consumidores – os estudantes – e

da a sério e as nossas reclamações de-

O Estudante é utilizador do sistema e

que estes, no papel de consumidores,

vem ser atendidas.

o Mestre em Engenharia Química é o

se sintam satisfeitos durante a forma-

Mais uma vez digo: somos os princi-

resultado final. Não podemos esperar

ção e após a formação devido à mes-

pais catalisadores para a qualidade e

de um ensino sem qualidade um

ma.

temos que ter consciência disso. Re-

Mestre em Engenharia Química com

As Universidades não são centros de

corramos aos meios que a Universi-

qualidade e que sejamos reconheci-

QUALIDADE

mente que não a qualidade.


dizCURSO • número 23• maio de 2014

FACULDADE/MIEQ \\ 11

dos como profissionais de qualida-

nharia Química da Universidade de

* Definição segundo o Dicionário

de. O curso e a qualidade que dei-

Coimbra tem ou pode vir a ter de-

Priberam da Língua Portuguesa

xarmos quando abandonarmos o

pende em grande medida de ti: faz

Nota 1: o dicionário Priberam é um

DEQ serão a marca que nos distin-

por isso.

dicionário online. Recomendo.

guirá lá fora e que distingue aqueles que terminaram o curso antes de nós. A qualidade que o curso de Enge-

MAPA DE EXAMES DO 2º SEMESTRE ÉPOCA NORMAL

ÉPOCA DE RECURSO

Nota 2: Não necessitas de contar. A palavra “qualidade” é utilizada 49 vezes. Daniel Marcos


12 //COIMBRA

dizCURSO • número 23• maio de 2014

RÚBRICA: CONHECER COIMBRA – BONS RESTAURANTES EUROTRÓPICO

ções disponíveis e existem ainda os

Pizzaria Eurotrópico é um restauran-

batidos de fruta ou sumos naturais

te situado em Celas conhecido pela

sempre refrescantes.

sua relação qualidade/preço. Por um

É um espaço agradável para estar

valor que ronda os 7,50€ podes pro-

com os amigos, podendo marcar re-

var ótimas pizzas, massas deliciosas,

serva ou ainda encomendar comida

francesinhas, lasanhas e outros pratos

para fora. O atendimento rápido e

excelentes... São inúmeras as refei-

simpático e as delícias aqui servidas

faz quem experimenta voltar.

CITYSELF O café Restaurante CitySelf encontra-se no Vale das Flores no Edifício do Leroy Merlin. Todos os dias o restaurante apresenta um menu diferente com pratos de peixe e carne cujo preço varia entre os 5 e os 7€ incluindo bebida, sobremesa e café. No entanto, se o menu do dia não for do teu agrado, podes escolher as pizzas, massas, grelhados ou uma simples sopa. As especialidades são a francesinha e a sangria.

DOM PITÉU

que rondam os 7/8€ incluindo entra-

churrasco.

O restaurante Dom Pitéu situado na

das, bebida, sobremesa e café.

Um restaurante cheio de opções para

Rua do Brasil, junto ao posto de

Um espaço elegante e confortável

quem gosta de comer bem.

abastecimento de combustível da

para experimentar pratos tão portu-

Galp é um excelente local para quem

gueses como polvo ou bacalhau à

gosta de comida portuguesa.

lagareiro. Pode-se provar uma espe-

Durante a semana, tem ao dispor do

tada tropical ou optar por uma das

cliente pratos de peixe e de carne

especialidades da casa como leitão no

ATENAS O Café Atenas é conhecido pelas suas "francesinhas à Zé do Atenas". Situado pouco a cima do Jardim da Sereia , este café/restaurante prima pela tradição. Num espaço acolhedor e familiar, servem-se, além das francesinhas, inúmeros pratos, petiscos e snacks que fazem as delícias dos seus clientes a um preço acessível. Para quem procura a francesinha certa, aqui fica uma excelente oportunidade para este prato Nortenho. Liliana Pedrosa


dizCURSO • número 23• maio de 2014

NÚCLEO\\ 13

ATIVIDADES REALIZADAS PELO TEU NÚCLEO PEDDY-TASCAS

Para os membros que tiveram presen-

equipa, podemos anunciar a equipa

No dia 19 de Fevereiro de 2014 rea-

tes na organização desta atividade

vencedora, sendo esta constituída

lizou-se o Peddy-Tascas organizado

existiu a oportunidade de conhecer

pelos seguintes elementos Ricardo

pelo pelouro da cultura do NEDEQ/

melhor a cultura Coimbrã e apreciar

Santos, Sónia Mendes, Marta Moura,

AAC. Esta atividade, com a partici-

os sabores que esta cidade tem para

Sérgio Miranda e Mafalda Cardoso.

pação de duas equipas, iniciou-se no

oferecer a todos nós. Foi, assim, uma

Para além disto, o convívio que se

Jardim da Sereia, onde foram explica-

tarde diferente, uma tarde bem passa-

proporcionou durante esta atividade

das as regras e também distribuídas

da.

foi também bastante importante.

umas folhas com questões às quais as

Após uma análise dos pontos de cada

Ana Rita Lopes

equipas teriam de responder ao longo da passagem pelas tascas. As equipas entraram pelas tascas mais conhecidas, com mais história de Coimbra, sendo estas: Troica, Garcia, Pintos, Tasquinha D. Ermelinda, Eduardo e por fim, Chaminé. Vencedores do Peddy-Tascas

CAFÉ-TERTÚLIA

temas, desde política ao desporto.

ma clara divisão de pensamentos.

Uma tertúlia é na sua essência uma

Aquando da sua popularização pelas

Nos dias de hoje os cafés tertúlia es-

reunião tanto de amigos, de familiares

cidades portuguesas, das quais Coim-

tão de regresso, como uma forma de

ou mesmo de frequentadores de um

bra fizera parte, sendo uma das mais

esclarecer vários assuntos e debater

determinado local. Ela pode ocorrer

ativas, os seus habitantes eram cate-

sobre determinados problemas que

de forma mais ou menos regular, po-

goricamente distinguidos como fa-

atormentam a sociedade de forma

dendo alternar entre os mais variados

zendo parte da Tertúlia X ou Y, nu-

geral ou determinado grupo em par-


14 //NÚCLEO

dizCURSO • número 23• maio de 2014

ticular. Foi no âmbito do interesse

A VIDA DE ESTUDANTE, que

xe e a forma como era conciliada a

que as tertúlias representam que o

contou com a presença da Professora

vida estudantil com a vida social, en-

pelouro da Cultura do NEDEQ/

Doutora Luísa Durães. Nela foram

tre outros.

AAC organizou no passado dia 12 de

abordados temas como as principais

Foi sem dúvida um momento lúdico

Março de 2014 no Instituto Univer-

diferenças sentidas na Cidade e no

e de convívio no qual foram transmi-

sitário Justiça e Paz, por volta das

Departamento de Engenharia Quí-

21:30 horas o café tertúlia intitulado

mica, a forma como era vivida a pra-

FÓRUM DO EMPREGO No passado dia 22 de Março, o pelouro das Saídas Profissionais do NEDEQ/AAC organizou o Fórum de Emprego. Fomos até ao encontro da sua Coordenadora, Andreia Timóteo, que nos explicou um pouco o evento: “Ao longo de 5 anos estu-

tidas ideias e conhecimentos dos quais os presentes poderão desfrutar. Sérgio Miranda

Como tal, o NEDEQ/AAC viu por

que nos ensinou alguns truques pre-

bem tomar a liberdade de organizar

ciosos acerca da postura e da imagem

uma atividade cujos objetivos eram fazer com que os estudantes tomassem algum contacto com o mundo de trabalho que nos espera, nomeadamente no estrangeiro, mas também mostrar que dentro do nosso país podemos ter boas ideias de negócios utilizando os conhecimentos

As cores que combinam com cada rosto, segun-

que adquirimos ao longo dos 5 anos. do Srª. Manon Alves Caso decidissem ser empregados em que se deve ter numa entrevista de

Coordenadora Andreia Timóteo

damos para adquirir um "estatuto" de Engenheiro, no entanto, os conhecimentos teóricos de nada nos servem se não tivermos experiência de trabalho. Nota-se alguma falta de preparação pessoal para quando, um dia, ingressarmos no mercado de trabalho.

vez de empregadores, tentou-se de

emprego. Foi uma sessão bastante

alguma maneira mostrar o tipo de

dinâmica, útil e divertida.

preparação e postura que devemos

Na sessão do Emprego no Estrangei-

ter perante o nosso futuro emprega-

ro esteve o Eng. Celestino Quaresma

dor.”

a representar a Ordem dos Enge-

O Fórum do Emprego foi dividido

nheiros, contámos também com a

em três secções: Consultoria de Ima-

presença do Eng. Tavares Correia,

gem, Emprego no Estrangeiro e, por

entre outros ex-alunos do DEQ/

último, Empreendedorismo em En-

FCTUC que estão a exercer Eng.

genharia.

Química no Estrangeiro.

Para a primeira secção tivemos a pre-

A última sessão do dia acabou por ser

sença de Manon Alves, representan-

a mais versátil de todas. Foram apre-

te da Colour me Beautiful,

sentados dois casos de sucesso de en-


dizCURSO • número 23• maio de 2014

NÚCLEO\\ 15

genheiros químicos que resolverem

o sucesso.

atingidos e, pelo feedback que rece-

apostar na inovação na criação de

Na sessão da Noite, tivemos a pre-

bi, a grande maioria dos presentes

dois produtos distintos: compotas

sença do Projeto Forrest que nos

gostou da iniciativa.”

em bisnaga (Eng. Jorge Ferreira -

presenteou com momentos de boa

Irá realizar-se o Fórum 2.0 no pró-

“Meia-dúzia”) e cerveja artesanal

disposição e motivação pessoal.

ximo dia 31 de Maio de 2014. Fica

(Eng.

-

De forma geral, os presentes no

“Maldita”). Dois exemplos repre-

evento mostraram-se bastante entu-

sentativos de que a determinação e a

siasmados com as sessões.

persistência nos nossos sonhos são

Andreia Timóteo acrescenta ainda:”

dois fatores muito importantes para

A meu ver, todos os objetivos foram

Gonçalo

Faustino

atento às novidades que o NEDEQ/ AAC vai apresentando. Margarida Fernandes

Plateia que participou na atividade.

AGENDA CULTURAL

BEER OLYMPICS Dia 7 de Maio no Departamento de Engenharia Mecânica Increve-te junto ao teu núcleo – 4 beers por pessoa.

FÓRUM DO EMPREGO 2– Volta a participar!! 31 de Maio

É já dia 31 de Maio.

DATAS DOS PRÓXIMOS JOGOS DA LIGA NEDEQ -13 de Maio

-27 de Maio

-20 de Maio

-3 de Junho

Vem apoiar a tua equipa no Campo de Santa Cruz


16 //NÚCLEO

dizCURSO • número 23• maio de 2014

CRÓNICA: II LIGA NEDEQ PRIMEIRA

JORNADA DA SEGUNDA

EDIÇÃO DA LIGA

NEDEQ

Foi num ambiente de festa e de competição que começou a segunda liga NEDEQ. Quatro equipas apresentaram-se à chamada, todas com um só objetivo na cabeça: a vitória. Nesta

rubricaram belas exibição que culmi-

permitiu mais dois golos aos Domi-

naram com 2 golos de cada. Destaque

nagretas, um por Yuri e outro por

ainda para o golo solitário da equipa

Jordão numa grande penalidade bem

da Marta apontado por João Miranda,

assinalada. Até ao final da partida,

um golo de belo efeito.

houve mais C.M.M. contudo algum azar (bolas ao poste, lesões) e algumas

Homem do jogo: Miguel

más decisões na altura da finalização não permitiram chegar pelo menos ao

ENTRADA COM O PÉ DIREITO

primeira jornada as vitórias penderam

No jogo mais esperado da jornada a

para os Dominagretas e S.S.C., que

vitória sorriu aos Dominagretas frente

seguem assim na liderança da compe-

à equipa Casa de Massagens da Mela-

tição.

nie (C.M.M) (5-3). O jogo começou

empate. Vitória da justa da equipa mais concentrada e eficaz. Homem do jogo: Nuno Forte

de forma lenta com ambas as equipas

PRÓXIMA JORNADA

ENTRADA DE CAMPEÃO

a estudarem-se numa primeira fase.

Na próxima jornada, C.M.M. de-

Foi com uma goleada histórica que os

Foi preciso esperar algum tempo até

fronta S.S.C. no jogo mais esperado

atuais campeões em título, S.S.C.

ter surgido o golo por parte de Nuno

na jornada, o favoritismo está do lado

entraram na competição. Com calma

Forte. C.M.M. acusou o golo sofrido

dos campeões, enquanto C.M.M. às

e seriedade “despacharam” a Tropa

minutos mais tarde sofreu o 2-0. Só

habituais dificuldades terá ainda uma

de Litio com uns categóricos 11-1 .

depois é que se viu uma reposta de

dificuldade extra que se prende com

Sobre o jogo pouco há a dizer, foi

C.M.M. tendo sido Espanhol o gran-

as lesões de alguns jogadores. A outra

uma partida de sentido único, sempre

de responsável. O intervalo chegou

partida opõe os Dominagretas contra

com os campeões na mó de cima. Os

com um 3-2 e alguma polémica com

a Tropa de Litio. Espera-se uma vi-

destaques individuais vão para Miguel

um golo marcado alegadamente fora

tória para a equipa do Jarbas.

autor de um hat-trick, tornando-se o

de tempo para C.M.M.. Em virtude

melhor marcador da prova, e para

desta polémica a equipa C.M.M. en-

Ricardo Mendonça e Priscila que

trou um pouco desconcentrada e

O vosso comentador desportivo,

Pontuações da primeira mão

S.S.C

11

1

Tropas de Litio

Dominagretas

5

3

C.M.M

José “Freitas” Lobo


dizCURSO • número 23• maio de 2014

QUEIMA DAS FITAS A Queima das Fitas de Coimbra realiza-se entre os dias 9 e 16 de Maio, cujo lema é: CAPA NEGRA USEI, POR COIMBRA ME APAIXONEI. Mais um ano, mais uma semana de tradição, de alegrias, de emoções, de paixão por esta que é a nossa cidade. Muita é a euforia e o nervoso miudinho que já se sentem nestes dias que precedem aquela que para muitos será

NOITES NO PARQUE

ACADEMIA\\ 17

a primeira, que para outros será a últi- som da Serenata Monumental. Por ma Queima e que para outros é a sua parte dos nossos amigos finalistas, o vez de irem no carro alegórico. Estes nervosinho é diferente. Começa a últimos andam ocupados pela azáfama corrida à Toga para a compra da cartoda feitura das flores brancas e azuis, la, da bengala e da roseta, o corrupio pela venda dos brindes, pelas famosas para o Baile de Gala e as estratégias caricaturas para as plaquetes. Já aos para arranjarem um bom lugar para a nossos caloiros não lhes cabe tanta an- última serenata. A semana ainda não siedade no corpo pela hora em que se chegou, mas já se ouve falar em nosirão trajar pela primeira vez e pelo tra- talgia e em saudade. çar da capa pelos seus padrinhos, ao

Sónia Mendes

Em relação ao cartaz representativo deste ano, foi no geral agrado para todos os estudantes. Representa a situação um pouco atribulada que o Ensino Superior em Portugal está a atravessar.

NO PALCO RUC: Sequin, Kode9, 10 000 Russos, Killimanjaro, Hush Hush, Sano, Mykki Blanco e Halloween.


18 //ERASMUS

dizCURSO • número 23• maio de 2014

Para além das noites de parque, existem as melhores

Queima do Grelo e Cortejo Académico – Dia 11

tradições académicas do país, aqui ficam as datas dos

Venda da Pasta– 13

eventos de Maio:

Chá das Cinco e Chá Dançante– Dia 14

Serenata Monumental– 00h do Dia 9

Garraiada– Dia 15

Baile de Gala – Dia 10

Missa Bênção das Pastas– Dia 25

ERASMUS FAZER ERASMUS EM COIM-

muito diferente.

Os alunos tentam integrar-nos tanto

BRA

Falando de nossa experiência dentro

nas aulas como na cidade, convidam

Já faz sete meses que ficamos em Co-

do DEQ, ficamos surpreendidas da

–nos para as comemorações da uni-

imbra. Têm sido meses muitos inten-

maneira tão boa como fomos recebi-

versidade, jantares, e etc.

sos e espetaculares. Torna-se difícil

das pelos estudantes estrangeiros. Não

Faltam cerca dois meses para irmos

falar da nossa experiência aqui, já que

esperávamos isto por nada, porque

embora de Coimbra, e não queremos

aqui para as pessoas de erasmus é

não é o que nós estamos acostumadas

lembrar desse momento, aqui estamos

muito difícil ter uma rotina do dia a

da nossa universidade de origem, em

tão bem que ficamos tristes quando

dia.

que um estudante Erasmus e igual aos

pensámos que vai acabar e que ficará

Porquê Coimbra? Já tínhamos ouvido

restantes estudantes.

só um ano para recordar as coisas boas

falar muito bem desta cidade de ou-

Aqui é um grande esforço para os

desta cidade.

tras pessoas que estiveram aqui de

professores, que estão sempre atentos,

A nossa experiencia em Coimbra está

Erasmus e, apesar de Portugal ficar ao

para que percebamos e seguemos bem

a correr muito bem.

lado de Espanha, era um país total-

as aulas.

mente desconhecido para nós, e para

Bea Guillen Crespo Marian Lozano

a maioria dos espanhóis, pelo que achamos que poderíamos aprender e disfrutar muito esta cidade. Coimbra está cheia de estudantes universitários com as suas tradições, todos num ambiente muito agradável, juvenil e fresco. Para nós, na nossa universidade, a universidade de Granada não tem muitas tradições e isso para nós é Bea e Marian– Estudantes de Granada (Espanha)


dizCURSO • número 23• maio de 2014

ANEDOTAS

SUDOKU

HUMOR E PASSATEMPOS \\ 19


PARTICIPA NO JORNAL DO TEU CURSO!! Envia as tuas opiniões, ideias e sugestões para jornalnedeq@gmail.comcom

> acompanha todas as actividades: - https://www.facebook.com/ NEDEQAAC

> todas as edições do dizCURSO: http://issuu.com/jornalnedeq

> visita-nos: - http://www.academica.pt

diz

CURSO

FICHA TÉCNICA Edição, redação e propriedade: Núcleo de Estudantes do Departamento de Engenharia Química da Associação Académica de Coimbra

Departamento de Engenharia Química Pólo II – Pinhal de Marrocos 3030-290 Coimbra

Tiragem: 90 exemplares


Jornal número 23