Page 1

Territ贸rio

Poesia

Universos em versos da Geografia da Palavra

Baseado na obra de Jorge Alberto Nabut


Território Poesia: Universos em Versos da Geografia da Palavra Baseado na obra “Geografia da Palavra” de Jorge Alberto Nabut Concepção | SABI - Sociedade Amigos da Biblioteca Pública Municipal Bernardo Guimarães | Ponto de Cultura Livro em Cena Supervisão | Cia.Rogê | Emílio Rogê Edição | Mari Comunicação | Mariana do Espírito Santo Projeto gráfico | Mari Comunicação | Mariana do Espírito Santo Digitação e revisão dos textos das crianças | Tânia Pontin Revisão de textos | Aurea Verba Revisão Textual Fotos do espetáculo | Cainã Oliveira Edição 2013 Uberaba/MG geografiadapalavra.blogspot.com Impressão: Gráfica Carboni


Território

Poesia

Universos em versos da Geografia da Palavra

Sumário

4 Livro 6 Espetáculo 14 Memória 25

Apresentação


Apresentação

ilberto Gil, quando esteve à frente do Ministério da Cultura, implantou uma gestão transformadora: “a cultura deve ser abrangente, presente em tudo e em todos.” A partir dessa concepção, criou, então, a rede de Pontos de Cultura, a fim de oportunizar a implementação de ações culturais existentes e desenvolvidas pelas comunidades em todo território brasileiro.

Nesse novo cenário, a Sociedade Amigos da Biblioteca Pública Municipal Bernardo Guimarães – SABI, associação sem fins lucrativos, desenvolve, em parceria com o Ministério da Cultura e Fundação Cultural de Uberaba, o Projeto Ponto de Cultura 4

Livro em Cena.


O Projeto tem como objetivo a dinamização da leitura em espaços comunitários, possibilitando a ampliação da cultura literária, a fim de aproximar livro-leitor-escritor, a partir da interação da sociedade com gestores culturais, arte-educadores e escritores, do diálogo e da reflexão das obras da literatura brasileira e uberabense.

Apresentar a obra poética Geografia da Palavra, do jornalista, historiador, teatrólogo, cineasta e escritor Jorge Alberto Nabut, às crianças, adolescentes e comunidade escolar da Escola Municipal Arthur de Mello Teixeira, é cultivar a semente das experiências táteis ou não do autor e “rastrear os sinais/as impressões digitais/os símbolos deixados pela funcional presença da mão”. É reconhecer e valorizar a trajetória cultural e o rico universo criativo e expressivo do escritor uberabense.

O Ponto de Cultura Livro em Cena publica, nesta oportunidade,

Território Poesia: universos em versos da Geografia da Palavra, obra em que registramos experiências poéticas inspiradas pela leitura e estreito contato com Geografia da Palavra. Aos jovens escritores e artistas, os cumprimentos pela coletânea.

Viviane de Almeida Cataldi Presidente da SABI – Sociedade Amigos da Biblioteca Pública Bernardo Guimarães.

5


Livro Em Geografia da Palavra, Jorge Alberto assume posição de velejador literário e transita por universos antagonistas e simulacros referenciais, através de dez obras perfiladas na longitude da odisseia poética advindas da experimentação e dos afazeres literários e estéticos sobre temas ligados à religiosidade popular, ao erotismo, à cultura do imigrante e à cibernética, entre outros, sem perder noção de chão, de gravidade geográfica. O Chapadão – abismo horizontal – é passagem vertiginosa para o viajador assentar sua base, seu pouso, e daí traçar a rota de seus universos em versos.


presentado pelo escritor Guido Bilharinho, com projeto gráfico assinado por Dudu Assis e ficha catalográfica elaborada pela bibliotecária Sônia Maria Paolinelli, Geografia da Palavra reúne a obra poética de Jorge Alberto Nabut entre 1965 e 2010. O livro foi lançado pela FETPIU – Educação, Cultura e Meio Ambiente em 2011.

Jorge Alberto Nabut Natural de Uberaba, no Triângulo Mineiro, Jorge Alberto Nabut atua em diversos segmentos culturais, da vanguarda poética à preservação da memória artística e histórica: em 1969, ganha o I Concurso Nacional de Poesia de Divinópolis/MG, com o poema-processo Well Gin x Ultra-M- A-Tic; em 1972, cria e dirige o espetáculo de expressão corporal Good Gin x Bad People; em 1973, cria e dirige o espetáculo de expressão corporal Good Gin x Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse; em 1974, dirige o primeiro filme de ficção rodado na região, o média-metragem em cores e Super-8 Clarinda e Anastácio, com produção de Carlos Alberto Jacob; em 1976, dirige o documentário em cores e super-8, Estações, sobre antigo trecho da ferrovia Mojiana no Triângulo Mineiro; em 1978, lança o livro de crônicas 8

históricas Coisas que me Contaram – Crônicas que Escrevi; em 1979, cria e dirige o musical


Laranja Partida em Quatro; em 1980, inicia sua participação na revista internacional de poesia, Dimensão, editada por Guido Bilharinho; em 1984, idealiza e lança pela Fundação Cultural de Uberaba o LP “Canto e Dança do Povo de Uberaba” e cria o Arquivo Público de Uberaba, que dirige durante um ano; no mesmo ano, lança o livro de poesia Paisagem Provincial; em 1986, lança o Centro de Pesquisas Paleontológicas Levelyn Ivor Price, que resultará na criação do Museu Paleontológico de Peirópolis (1988), também projeto seu; em junho de 1988, cria o CONPHAU (mais tarde CONDEPHAU) – Conselho Deliberativo do Patrimônio Artístico e Cultural de Uberaba, o qual dirigiu por muitos anos; no mesmo ano, lança o livro de poesia Sesmarias do Corpo; em 1987, cria, inaugura e dirige por 15 anos o MAS – Museu de Arte Sacra de Uberaba, instalado na capela de Santa Rita; em 1966, a convite do embaixador do Brasil na França, Carlos Alberto Leite Barbosa, organiza a Mostra Triângulo das Artes, coletiva de 10 artistas plásticos uberabenses em exposição na Galerie Debret, da Embaixada Brasileira em Paris; em 2001, lança o livro de história Fragmentos Árabes; em 2002, cria, inaugura e dirige, até 2005, o MADA – Museu de Arte Decorativa de Uberaba. Atualmente é presidente da Academia de Letras do Triângulo Mineiro.

Obras publicadas Coisas que me Contaram, Crônicas que Escrevi, ensaios históricos  Paisagem Provincial, poesia Desemboque: Documentário Histórico e Cultural (Org.) A Igreja de Uberaba (Org.)  Fragmentos Árabes, memória histórica  Sesmarias do Corpo, poesia  Geografia da Palavra, poesia

9


Recortes poéticos A seguir, “alguma poesia” do livro Geografia da Palavra, inspiração para a criação artística dos atores da Cia. Rogê e das crianças do Ponto de Cultura Livro em Cena.

“As mãos e os pés traçam as linhas do mundo no compasso humano.”

10


“que a aula a lição o soluço a vida a vaga tudo se desenha se paga e se apaga feito risca de giz.”

“As mangas viajam na beira da estrada da terra deixam mangabas atrás Estação Primeira de Mangabeira estação de manga-à-beira Estação certeira da manga estão certos das mangas estes cestos de manga Uberaba empencadinha de manga.”

“oi manga oi Coração de boi - e o da gente?” 11


“O baleiro manda avisar que é pra ninguém reclamar o sorriso do palhaço se acha atravessado espinho de peixe na garganta do palhaço.”

“a impressão digital é a própria rubrica deixada pela mão nas paragens de sua andança.”

“Nosso corpo amanhece As gralhas bicam as lamparinas de teus cabelos bocejos gravetos usinas buzinas o planejamento do dia se ergue quando te levantas contraluz Deserto passos alpercatas pronúncia e memória Mulheres varrem o resto da noite nas calçadas, nos bares, nos ares.”

“Nosso sangue move automóveis, canais de TV, ramificações da internet.”

“A cidade dorme e a ilusão cansa é preciso que alguém vire o disco para que a vida retome o ritmo desejado - estou cansado disso que fizeram da vida um disco arranhado.” 12


“resta a janela fechada à taramela a noite não desperdiça esperanças.”

“cada folha meia parte de um todo é tudo que se pode ter do mundo.”

“A vitrola mantém viva as lembranças bastidores bordados tenças em discos de acetato que se tratam com fino trato pra recuperar - agora sim - o tempo perdido.”

“é possível ouvir Chopin no escapamento solto das motos em moto contínuo.”

“no escritório a carta guardada calada no silêncio do tempo lacre do envelope.”

13


Junto às folhas secas do outono uberabense vem o

É na força e coragem da juventude

renascimento de um projeto onde jovens se reúnem

que o espetáculo ganha forma,

para redescobrir a Geografia da Palavra.

pois são destemidos, com garra para enfrentar e desbravar as

Desafiando, desfiando sem desafinar as célebres

delícias das relações do homem

palavras escritas por Jorge Alberto Nabut. Não um

com essa terra interiorana que

Jorge de onde, e sim um Jorge da terra, que desenha

nos agracia todos os dias com seu

em suas letras o jeito uberabense de ser.

calmo amanhecer.

Esses jovens que desnudam a palavra geografada

É na plenitude revigorante, e

por Jorge são atores, bailarinos, cantores e músicos

na sede de se embriagar em

que se emancipam de vidas tranquilas e mergulham

conhecimento

em pesquisas e emoções para descobrir a palavra

destemida, que a Cia. Rogê

em gestos, movimentos, sentimentos, música e ação.

desenvolve

na

seu

mocidade

trabalho,

apresentando a Uberaba, terra sempre desenhada nas palavras do autor, um musical cheio de encanto, questionamentos

e

emoções,

para que cada expectador possa desvendar sua própria palavra através da geografia do seu SER.

Luana Rodrigues, atriz e produtora cultural


Espetรกculo Geograf ia da Palavra em cena


Jorge Alberto no teatro

cria e dirige o espetáculo de expressão corporal Good Gin x Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse

2008

1972 1973

cria e dirige o espetáculo de expressão corporal Good Gin x Bad People

16

Cia. Rogê, em parceria com a Escola Municipal Uberaba, apresenta versão teatral do poema A Casa das Três Janelas

Cia. Rogê e Academia Beth Dorça sobem juntos ao palco para homenagear Jorge Alberto Nabut no concerto musical Geografia da Palavra 2012

2010

Academia Beth Dorça cria ballet baseado no poema A Casa das Três Janelas

2013

Cia. Rogê monta espetáculo baseado no livro Geografia da Palavra


Sobre Geografia da Palavra – o espetáculo (Texto José Humberto Henriques, publicado no Jornal da Manhã de Uberaba/MG na coluna da Academia de Letras do Triângulo Mineiro em 01/04/2012).

Geografia da Palavra, que estreou no dia 28 de março, no Teatro Sesi Minas, estruturado em texto homônimo de Jorge Alberto Nabut, é um espetáculo grandioso. Toda a encenação é baseada no vigor lírico, porquanto de grande delicadeza, da poesia de Jorge. O jogo de palavras é nítido, como não poderia deixar de ser, em se tratando do poeta experimentado. Todo o instrumento da poesia acaba redundando na sugestão do estudo da palavra. Quando algumas das canções que entremeiam o texto se fazem presente, a memória abre seu campo mais profundo e a nostalgia de uma unidade atemporal causa o impacto da cena seguinte, a dança que virá ou o texto esperado. À moda dos primeiros impressionistas, como seria em Seurat, o mosaico formado pelo conjunto global da obra impressiona, torna-se multiforme e se esfacela em seguida, causando novo impacto que se alforria e se densifica na eclosão da canção seguinte – a música como instrumento de sensibilidade associada aos termos de percepção mais frontal – a memória de caráter mais popular, porém, jamais ordinário. De uma forma contundente, a peça pode ser chamada de universal, redunda nas aliterações humanas e nos contrassensos criados pelo pensamento de uma sociedade que atua de forma hermética em seus guetos. A crítica social na obra de Jorge é sumária e superficial quando confrontada com sua imersão psicológica. A crítica social existe, não deixa de ser verdade, somente com a finalidade de embalar as mais profundas amarguras que a criatura pode sentir a partir da recriação do corpo e todo o seu voo em torno da individualidade – ou eclosão da alma como culto da liberdade. Naquele tempo de criação, quando surgia esse texto, havia ainda um quê de experimentalismo laforguiano na obra. Porém, hoje tal ideia pode ser desprezada, porque o autor é criado consagrado. 17


Geografia da Palavra - espetáculo Baseado na poesia de JORGE ALBERTO NABUT Dramaturgia, Direção Geral e Coreografias EMÍLIO ROGÊ Direção Assistente e Ensaiadora VANESSA DORNELLAS Direção de Palco GABRIELA COSTA Preparação Vocal ALEXANDRE OLIVEIRA Direção de Produção e Contrarregragem MAYUME MARUKE Execução de Cenários GILMAR ALVES Execução de Figurinos GENIEIDE DAS GRAÇAS SILVEIRA Maquiagem GRAZY TAVARES Visagismo GIOVANNA NASSIF Direção de Elenco OLAVO GONÇALVES Design de Som e Luz LILIANE ROGÊ Produção Executiva KATE ÁRABE Elenco Original AMANDA ARAÚJO OLAVO GONÇALVES ANA CARLA OLIVEIRA ÉDER BERNARDES JOÃO VICTOR RODRIGUES GUILHERME MARTINS EDUARDA CUNHA NATÁLIA PATRÍCIA LAURA RESENDE LARA FAKIH


Ficha técnica

Geografia da Palavra em concerto Baseado na obra de Jorge Alberto Nabut Música e Letras STEPHEN SONDHEIM Versão Brasileira CLÁUDIO BOTELHO Música Adicional CHICO BUARQUE, MILTON NASCIMENTO E CHOPIN Dramaturgia, Direção e Coreografias Originais EMÍLIO ROGÊ Direção Assistente GUILHERME MARTINS Revisão das Coreografias e Dance Captain MICHAEL FERNANDES Coreografia Adicional MARSIAL AZEVEDO Preparação Vocal DANIEL LOPES Supervisão Artística BETH DORÇA Cenários e Figurinos CRIAÇÃO COLETIVA CIA. ROGÊ Execução de Cenário GILMAR ALVES Produção Artística ANNA CARLA OLIVEIRA Equipe Técnica Cia. Rogê EDUARDA CUNHA, KAREN LUÍZA, LETÍCIA BOVI E MAYUMME MARUKI Produção Executiva e Coordenação Técnica NÔMADE PRODUÇÕES Identidade Visual MARI COMUNICAÇÃO 22

Promoção AONDE IR UBERABA

Realização CIA. ROGÊ E ALTERNATIVA CULTURAL Elenco VANESSA DORNELLAS NATÁLIA PATRÍCIA AMANDA ARAÚJO JONATHÃ MARTINS MICHAEL FERNANDES GUILHERME MARTINS EMÍLIO ROGÊ Participação Especial BETH DORÇA ROSE DUTRA LUANA RODRIGUES Músicos DANIEL LOPES (PIANO) ISABELLA ARAÚJO (FLAUTA TRANSVERSAL)


ROTA DO VERSO Geografia da Palavra em concerto / Centro de Cultura JosĂŠ Maria Barra Teatro SESI Minas / 12 e 14 de abril de 2013.

23


Desvendando

o mundo de modo

singular

Depois de lerem alguns poemas do livro Geografia da Palavra, as crianças participantes do Ponto de Cultura Livro em Cena foram convidadas a reescrevê-los ou escrever novos poemas, deixando a criatividade fluir livremente. O trabalho foi orientado pela educadora Tânia Pontin.

Memória


Entre o real e o imaginário: leituras poéticas na Escola

se torne um leitor autônomo e criativo. Cabe ao educador proporcionar momentos de leitura significativa, incentivando a formação do indivíduo crítico-reflexivo, desenvolvendo sua capacidade intelectual, fazendo parte de

O mundo da leitura e da escrita tem seu cotidiano, desenvolvendo a criatividade vastas possibilidades. Cabe a nós apenas e sua relação com o meio externo. promovermos esse caminho e integração para que nossos alunos absorvam esse Ler não deve ser uma relação obrigatória, conhecimento e rumem ao progresso e desconhecida,

imposta.

Isso

causa

mergulhem no mundo da criatividade e da desmotivação, pois os discentes não imaginação.

possuem opções para construir uma leitura criativa que tende inseri-los no fantástico

Ler é indispensável ao indivíduo, pois o mundo da leitura e, consequentemente, no insere no meio social e o caracteriza como mundo da escrita. cidadão-participante. Para tanto, ele deve ser incentivado e instigado a ler, de modo que 26


A criança, quando apresentada ao mundo da O Projeto possibilitou realizar atividades leitura, necessita receber apoio e incentivos voltadas ao desenvolvimento e percepção para que tal prática se concretize, uma vez das emoções, formando seres capazes que a participação e o conhecimento da de estabelecer pontes entre o possível leitura são extremamente importantes – é e o imaginário, proporcionando um a partir das expressões e hábitos cotidianos conhecimento sobre passado, presente que a criança realiza o entendimento desse e futuro, bem como os questionamentos universo desconhecido.

internos e situações cotidianas, tornandoos capazes de estabelecer relações entre

A Oficina de Leitura Poética ministrada no os sentimentos, abrindo assim uma janela Ponto de Cultura Livro em Cena teve como para o mundo. finalidade primordial instigar a satisfação em ler e, assim, atingir o objetivo do projeto: gerar o interesse voluntário pela leitura e escrita poética. Este despertar para a leitura formou alunos capazes de interpretar bem

– Tânia Pontin Professora na Escola Municipal Arthur de Mello Teixeira e oficineira no Ponto de Cultura Livro em Cena

o que leem, expressar corretamente suas ideias por meio da escrita. Afinal, quem lê e interpreta o que lê, tem mais facilidade na resolução de equações e escreve bem. 27


Recriação poética O dinossauro solitário

Versinhos

Flamenguista quando nasce Esparrama-se pelo chão... Vascaíno quando dor me Põe a mão no coração! Lauana de Oliveira, 9 anos

Em uma época distante vivia um dinossauro solitário Que comia e bebia sozinho Mas encontrou uma dinossaura carnívora e pensou em falar com ela. _ Você pode ficar comigo? Pelo menos à noite? E ele ficou feliz em não ser mais solitário E de ganhar a confiança de alguém. Gabryel Pedro Themoteo de Oliveira, 10 anos

O lugar onde moro Uma cidade linda Sem igual Com igrejas, shopping e moradias. É a estrela do Triângulo Mineiro. Com ruas, alamedas Bosques e alvoradas... Cidade abençoada por Deus Com um povo hospitaleiro É Uberaba

28

Ingrid Cristina Santiago, 10 anos

O circo s... Um, dois, trê as pessoas! O circo vive n eva pra lá... .l .. á c ra p a v Le onta... Monta...desm . É tudo isso.. É pessoas... . É felicidade.. s!!! É gargalhada liveira Maria Clara O

s

Marçal, 9 ano


Futebol e poesia

Pra jogar futebol Precisa de uma bola Pra fazer poesia Precisa de realização e imaginação! Ana Clara Angélica, 8 an os

uros Os dinossa m na Ter ra sauros vivera

Os dinos atrás muitos anos Há muitos e omens Não existia h animais. Só plantas e dinossauros is a m á h o ã N eteoro caiu e m m u e u rq o m... P os mor rer ra d to e s a u q to aptar. com o impac m que se ad ra e v ti m ra re giões or os que não m os procuram ossos em re ontólog m segredos. a rd a u g Hoje os pale a d in olis que a como Peiróp

Folia de

Reis

Na Foli Tem três a de Reis Reis imp o Tem aleg r tantes r ia Tem san foneiros Cant Tem muit ores e violeiros os comemo doces e pessoas r Tem gali ar a chegada de para nhada, c Jesus. r adolesce ianças brincando ntes dan e çando. Is abella Mir

anda de

Car valho , 8 anos

s

ano Santiago , 10 Ingrid Cristina

Kathrein de Moura Lopes, 10 anos

Raryenne Theles da Silva, 10 anos

29


Ficha técnica

Projeto Território Poesia: Universos em Versos da Geografia da Palavra

SABI - Sociedade Amigos da Biblioteca Pública Municipal Bernardo Guimarães

Fotos do espetáculo | Cainã Oliveira Oficineiros | Michael Fernandes | Tânia Pontin

Ponto de Cultura Livro em Cena Presidente | Viviane de Almeida Cataldi

Aprendizes | Anna Carla Oliveira | Vanessa Dornellas

Vice-Presidente | Renato Muniz Barretto de Carvalho Presidente do Cons. Deliberativo | Daniela Fátima Mendonça Melo Segunda Conselheira Deliberativo | Tânia Cristina Fígaro Ulhôa Terceira Conselheira Deliberativa | Luciene Cavalcanti de Farias Balbino

TURMA I B Cia. Rogê Direção Artística | Michael Fernandes Direção Administrativa | Mayume Maruki

Auxiliar de direção e coordenadora do prédio anexo | Tatiana Carolina Santana A. De Souza

ALEF MIGUEL MARQUES ROSA CAIO ARAUJO NEVES FERNANDA LOUREÇO DA SILVA ISABEL LAIS FIRMINO COSTA KARINE SILVA FONSECA KEVIN DOUGLAS COSTA DE SOUSA LAISSA NAYANE SILVA GOMES LEONARDO OLIVEIRA DE MENEZES MAXUEL ROMÃO MONISA CLARA NUNES MONTEIRO PAMELA LOURENÇO DOS SANTOS RICARDO GABRIEL SANTOS SILVA RYAN HUGUES DO NASCIMENTO ROCHA THAYS FARIAS DE MELO VICTOR HUGO SILVA MARGOS WILSON JUNIOR FREITAS GARCIA YASMIM SAMANTHA YASMIM VITORIA MARTINS PINTO NYCOLE DE OLIVEIRA SANTOS

Coordenadora do Período Integral | Núbia Jacinto da Cruz

TURMA II

Elenco Amanda Araújo | Anna Carla Oliveira | Eduarda Oliveira | Emílio Rogê | Guilherme Martins | Jonathã Martins | Karen Luiza | Letícia Bovi | Natalia Patricia | Vanessa Dornellas

Primeira Secretária Institucional | Adriana Beatriz da Silva Fonseca

Escola Municipal Arthur de Mello Teixeira

Segunda Secretária Institucional | Ana Cláudia Minguim de Melo

Diretora | Maria Claudia Farias Almeida

Primeira Secretária Administrativa | Marilda Costa Oliveira Segunda Secretária Administrativa | Sueli Gonçalves Miranda Primeiro Tesoureiro | Renata Queiroz Bazaga Ferreira

Auxiliar de Direção | Ju Beatriz da Silva Carvalho

Segundo Tesoureiro | Luiz Antônio Ferreira Júnior

Alunos participantes do Ponto de Cultura

Primeiro Conselheiro Fiscal | Sérgio de Souza

TURMA I A

Segundo Conselheiro Fiscal | Mário Salvador

ANDRESSA COSTA DA SILVA BRUNA EDUARDA DOMINGOS DE ANDRADE CHRYSTOPHER AUGUSTO FERREIRA CARDOSO DANILO APARECIDO TEIXEIRA GLEICIANE SANTOS DA SILVA IARA AVES CORREA JONATHA ANDRÉ SILVA RIBEIRO KAUAN SOARES SOUZA MENDES LAIS LIMA E SILVA LAURA EDUARDA APARECIDA DIAS FERREIRA LUANDERSON SANTOS GOMES LUIS FERNANDO BARBOSA COSTA SILVA MANUELA MARY SANTIAGO

Terceira Conselheira Fiscal | Darci Bosco Assessor Jurídico | Wilder Gonçalves Coordenador das oficinas e atividades | Emílio Rogê Produção Executiva | Gabriela Costa Digitação e revisão dos textos das crianças | Tânia Pontin

MARCOS DE ARAUJO MOULIM RUANDERSON MORAIS DE LIMA SAMER GABRIELLY VIEIRA SOARES VICTOR HUGO GOMES SILVA THIAGO HENRIQUE SANTOS BARBOSA LIMA

ALEJANDRO ANTONY HENRIQUE MENEZES BIANCA IARA DE ASSIS SANTANA GABRIEL HENRIQUE MONTEIRO DE OLIVEIRA JOÃO VICTOR DE JESUS BORGES JOÃO VICTOR MIRANDA DE FREITAS CARMEN KETRINE DE MOURA LOPES KLEBER PEREIRA SOARES LEO ALMEIDA DE SOUSA FONSECA LUIS MIGUEL SATIRO GONÇALVES LOPES MARIA VITORIA SILVA NICOLE FERREIRA DE SOUSA RAYANE DE SOUSA DANTAS RAISSA LORRAINE SOARES SOUZA MENDES SAMUEL PEREIRA DA SILVA VITOR ALEXANDRE XAVIER RIBEIRO YAN ALMEIDA SOUSA TAVARES


TURMA III AGATHA GABRIELLY DE SOUSA ALVES ALICE VITÓRIA SILVA BORGES ALEX WILLIAN APARECIDO DE SOUSA ANGELA MARIA CARVALHO DE SOUSA CAUÃ ARAUJO NEVES DANIELE MAIA PIRES ERICK HENRIQUE DA SILVA VIEIRA KAIKE DE SOUZA SILVA KAUÃ GABRIEL ALVES MARQUES MAMÉDIO KAUE CÉSAR DA CRUZ SANTOS LARISSA RIBEIRO COSTA LUAN JOSÉ OLIVEIRA ALVES MICAIAS NATAN FIRMINO COSTA RICHARD ROCHA NOGUEIRA SANDRO PIERE SILVERIO TOMAZ SARA DE FREITAS GARCIA YASMIM DE SOUSA PULQUERIO TURMA IV ALEXSANDER WALLIFER DE PAULA ARYELSON TEVIS DOS REIS SILVA AURELINA LINO DOS SANTOS BIANCA DE OLIVEIRA CARLOS EDUARDO RIBEIRO FERREIRA CLARPYSON DE MOURA LOPES FELLIPE SILVÉRIO TOMAZ ISABELLA MIRANDA DE CARVALHO KAIK ALVES CORÁ KAUÃ ALVES CORÁ KAREN SOUSA FERREIRA LILIANE ALVES CORREA MARIA CLARA DA SILVA MARIA CLARA OLIVEIRA MARÇAL MARCELA DA SILVA NASCIMENTO NAYARA ANDRÉ DE SENE NICOLLAS DE ALMEIDA CARVALHO RAFAEL DE SOUSA MENDES SAMARA ALMEIDA SOUZA TAVARES VICTOR DE OLIVEIRA SILVA

INGRID CRISTINA SANTIAGO JOÃO CARLOS CARVALHO DA SILVA KALINDA BRANDÃO KATHREIN DE MOURA LOPES LAYSLA BEATRYS SILVÉRIO TOMAS LAUANA DE OLIVEIRA MÁRCIA RENATA CARVALHO MARIA PAULA DA SILVA VIEIRA MARIANA EDUARDA SOUZA CARVALHO MATHEUS PEREIRA DE SOUSA OLIVEIRA PAULO RICARDO ARRAIS DOS SANTOS RARYANNE THELES DOS REIS SILVA VITOR HENRIQUE ALVES DA SILVA WALLISSON MAIKE GARCIA GOMES Alternativa Cultural R. Major Eustáquio, 500 – Centro – Uberaba/MG Tel: (34)3333-6824 alternativacultural@alternativacultural.com.br alternativacultural.com.br Identidade visual e promoção MUH! Onomatopeia Cultural | AondeirUberaba Blogmuh.wordpress.com | (34) 9162-7809

realização

TURMA V ANA CLARA ANGÉLICA RODRIGUES ALICE ARAÚJO DOS SANTOS ALICE RIBEIRO FERREIRA CRISTIAN ALEXANDRE LUIS ALMEIDA FÁBIO SILVA BORGES GABRIEL PEDRO THEMÓTEO DE OLIVEIRA

parceria

31


maricomunicação realização

parceria


Território Poesia  

Baseado na obra "Geografia da Palavra", de Jorge Alberto Nabut

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you