Page 1

Distribuição gratuita

Uberaba/MG

#2

A la carte ensaio Agenda Cultural Literal Entre Aspas

mosaico

Perfil

TIO ROULETS

Sua arte como resistência


editorial Há muitos ajudando a sacudir a poeira da cena cultural de Uberaba. Cada um do seu jeito, com suas ações, contribui para que essa movimentação se agite cada vez mais. Para representar esse pessoal que deseja e faz - com paixão pela arte, suor na testa e aos trancos e barrancos - com que a produção cultural não seja esquecida na terra do zebu, entrevistamos Tio Lucas. Há 11 anos ele coordena a Roulets, blog de conteúdo exclusivamente cultural. Porque Uberaba tem trupes, hip hop. Ela é mais que uma cidade de sertanejos: é rock, é música eletrônica, é jazz, é MPB e é preciso apoiar e estimular movimentos que incitam diferentes olhares sob a cidade. Muito tem sido realizado, mas pouca gente compartilha. Por isso, nossas palmas vão para aqueles que idealizam, discutem, promovem, divulgam e principalmente para aqueles que participam. Afinal, não há maior motivação que a presença do público. - @jornalmuh

Cultura popular, cultura de massas e democratização Cultura é tudo aquilo que o homem adquire como fruto de seu convívio em sociedade. Ela não é natural, depende das trocas. É fruto das práticas cultivadas, que refletem o modo de vida de cada homem em seu contexto histórico e social. Não pode ser resumida aos eventos, ao entretenimento ou às belas artes. Uma diferenciação entre cultura de elite, popular, e de massas não está adstrita ao local onde é vivenciada. A classificação de uma cultura erudita de alto custo e difícil acesso, dita superior, de uma cultura de massa, direcionada à parcela da sociedade alienada que consome sem critério e não produz, é a reprodução de uma divisão anterior aos eventos. Ela é construída ideologicamente como mecanismo de perpetuação dos jogos de poder e dominação.

Uma cultura verdadeiramente popular não é apenas alocada em regiões ou portadora de tradições de grupos sociais específicos. Ela traz consigo o valor da democracia da inclusão, dissemina a resistência à opressão e leva o homem à autoconsciência de participação no gênero humano e a romper com a exploração. Promover a cultura que seja instrumento de crítica é promover o acesso aos bens culturais universais. Levar o homem a conhecer e desenvolver seus potenciais criativos é fundamentalmente o caminho de ampliação da cidadania. Aqui, a cultura que chamamos popular não é mais secundária. Em um país e em uma cidade de tantas carências, ela é um patrimônio social, a propulsora de transformações e de emancipação.

MUH! Uberaba/MG Fundado em 25 de outubro de 2012

#2

Conselho editorial Ana Márcia

Lima, Bruna Bernabei, Bruno Assis, Juliana Castejon, Law Cosci, Mariana do Espirito Santo, Thaís Cólus | Parceria Livraria Alternativa | Editora Mariana do Espirito Santo | Revisão Iara Fernandes | Projeto editorial, gráfico e editoração Mari Comunicação | Publicidade Priscila Rodrigues | Impressão Gráfica Novatta | Tiragem Mil Anuncie: 034-9162.7809

@jornalmuh jornalmuh jornalmuh@gmail.com

2

muh! • #2

2012


Literal

Pincelações

O que é o poeta? O poeta é um pintor. Ele colore com metáforas o gris da nossa realidade. -Bruna Bernabei

Das dificuldades em conviver com o mundo

Beco sem saída

Hoje acordei meio Tristão de Castro senti até do Afonso Pena se não fosse o Afonso Rato por ter mentido à Dona Nitinha talvez estaria Jesuíno Felicíssimo. - Bruno Assis

Chora e demora

Chora. Chora escondido, mas chora. O orgulho é inútil na solidão. O choro é o estado líquido dos sentimentos. Se é de alegria, sinal de que a felicidade é tamanha que sentiu-se obrigada a transbordar olhos afora. Se for de tristeza, cada lágrima, uma dor a menos. Pois então chora. Chora e demora.

E se eu sentir saudade mate-me. Ate-me. Esconda-me em seu áspero reverso. Mostre-me que meu mundo é imprudente. Busque uma prova real de que é tudo inútil. Eu não quero ter de fenecer no amor. Salvar-me da dor de ter que compreender sem rancor.   Não deixe sentir-me só. Só alguns instantes sim. E se sentir que não vale mais a pena tentar, mate-me.   Esconda-me de teus desejos. Fuja do meu flerte fugaz. Afine-se no não.   E se tudo isso não for verdade, e for ambiguidade do seu desejo; me resgate. E mate-me. Mas mate-me de tanto amor. - Tarcísio Cândido

- Felipe Araújo muh!

#2

2012

3


+Literal

Mosaico

TraCo singular ‘ Ao longo de muitos anos, alunos e outros cidadãos comentavam que o arquiteto responsável por projetar o prédio da Escola Estadual Humberto Castelo Branco fosse Oscar Niemeyer, mas a maioria nunca acreditou: “o edifício representaria um quadro; a rampa, um apagador; o abrigo de veículos, um mata borrão, e a caixa d`água, um giz.” O projeto original, sim, é do renomado arquiteto, mas Fundação Niemeyer não o inclui em sua lista de obras. De acordo com a pesquisadora Rosângela Castro Guimarães, em sua tese de doutorado,“História da Educação em Minas Gerais e o seu ensino na Escola Normal Oficial de Uberaba (1928-1970)”, defendida junto ao Programa de Pós-graduação da Faculdade

Federal de Uberlândia: “... o reconhecido arquiteto brasileiro fez o traçado original para esse edifício escolar, mas sua construção, realizada por empreiteiros contratados pelo Estado, não se deu inteiramente em conformidade com o projetado (...)”. A Praça Afonso Teixeira, Localizada entre o cruzamento das ruas Monte Alverne e Padre Zeferino, também não é obra de Niemeyer. Conforme dados de historiadores do Arquivo Público Municipal, o arquiteto projetou somente o prédio escolar. O prefeito Artur Teixeira (19551959), aproveitando o embalo desse projeto, mandou construir a praça, tentando encaixá-la no traço de Niemeyer.

Ser ou estar

Entre o verbo ser e o estar, há sempre uma conjunção perdida em incertezas.

- Bruna Bernabei / @brunabernabei

Os piscas-piscas

Piscam os piscas-piscas Convidando o poeta a poetizar Olhando para o céu a pensar Deslumbra-se com os piscaspiscas envolventes O prédio iluminado, Noite feliz Fascinante, está o chafariz Poetiza o poeta apaixonado.

- Júlio Henrique do E. Santo

Bibliotecando

Livros, cravo e canela Na festividade em comemoração ao centenário de Jorge Amado, a Biblioteca Pública Municipal Bernardo Guimarães representou muito bem a culinária presente nos livros do escritor. Em um café da manhã típico da Bahia, 187 convidados de todas as idades puderam deliciar tapioca, cuscuz e outros quitudes de “Dona Flor”. O coral do Colégio Jean Christhofe fez a abertura do evento. No Jardim de Histórias, as crianças 4

saborearam também releituras das obras infantis do escritor. Parceiro do projeto, o Ponto de Cultura Livro em Cena apresentou uma leitura coreográfica e outros trabalhos artísticos com a comunidade da Escola Municipal Arthur de Mello Teixeira. NATAL Os livros saíram da prateleira e se transformaram em uma bela árvore exposta na entrada da Biblioteca. Visite! muh! • #2

2012

Criatividade e muitos livros na decoração de Natal da Biblioteca Pública.


Mais Páginas Construção do mito Mário Palmério

Autor: André Azevedo da Fonseca. Editora Unesp. O livro pode ser adquirido na versão impressa, por meio do sistema de “impressão por demanda”, ou pode ser obtido gratuitamente, na versão digital (em PDF). Visite o site: www.mitomariopalmerio.com Encontro de Bandeiras: as Folias de Reis em Festa no Triângulo Mineiro

Autor: Márcio Bonesso. Editora Edufu. A obra é uma pesquisa etnográfica sobre Folia de Reis e descreve rituais e práticas que criam suas condições de existência. À venda a partir do dia 20 de dezembro, pela Edufu. Ellevar. Autora: Andréa

Andrade, que assina o livro com o pseudônimo Andreas Andraes. Editora Dracaena. Esta obra de ficção mostra que a vida é um mundo de sonhos. À venda nas livrarias e no site: www.amazon.com

Bambolêˆ

Pequenos notáveis e notados! Pequenos, leves, fáceis de carregar nas bolsas e mochilas, práticos e baratos! Assim são os “pockets”, livros de bolso que vão conquistando expressiva fatia do mercado editorial brasileiro e já ocupam lugar de destaque nas estantes das livrarias. Antes, criticados por muitos leitores que não aprovavam as letras pequenas, margens estreitas, o papel (jornal) e a qualidade das traduções, hoje os pockets ganharam status de “livro bom, bonito e barato”. As editoras têm publicado edições bem cuidadas, com ótimas traduções, textos integrais e capas chamativas. Melhor ainda: os preços estão cada vez mais reduzidos devido à grande oferta de títulos colocados no mercado, nesses últimos anos. A gaúcha L&PM, uma das pioneiras nesse segmento, tem ótimas

opções de leitura a partir de R$ 5,00. Uma “brochura normal” de Auto-engano, do cientista social Eduardo Gianetti, publicada pela Companhia das Letras, custa ao leitor, hoje, R$ 58,00. O mesmo livro, publicado pela mesma editora, está disponível na versão pocket por apenas R$ 24,00. Ou seja: você não precisa pagar preço alto pela cultura literária. Se ainda não foi seduzido pelo mundo dos livros, também não pode mais se justificar com aquela “velha conversa fiada” de que não lê porque livros são muito caros... Os pockets estão aí, tanto para alegrar leitores que cultivam o prazer de um bom texto e encontram no livro uma ótima opção para presentearem amigos, como também para tentar incentivar o gosto pela leitura, realidade ainda um pouco distante da maioria dos brasileiros, infelizmente.

- Texto: Thais Cólus Siga a Alternativa no Twitter: @alternativa_ A Livraria Alternativa fica na Rua Major Eustáquio, 500. Telefone: 34.3333-6824 muh!

#2

2012

5


Alma rastafári

Tio roulets A arte como refúgio e resistência - Texto: Zé Alfredo Ciabotti / @zeciabotti Fotografia: Guilherme de Sene 6

muh! • #2

2012


N

a cultura rastafári, Nyah significa libertação, objetivo ou propósito. Nyahbinghi é uma filosofia rasta que tem como fundamento a propagação da cultura por meio das artes. Esse conceito africano também está relacionado com o culto da resistência ao domínio colonial. No início de uma tarde ensolarada, tal como nos montes africanos, Tio Lucas dispõe-se a bradar sua poesia. Como um guerreiro Nyahbinghi, usa a palavra como arma. Usa sua arte como resistência. Caçula entre oito irmãos, Lucas Martins Vieira vivenciou uma infância peculiar comparada aos colegas de bairro e colégio. Seus pais, já em certa idade, pouco saíam de casa, o que o fez, logo cedo, procurar refúgio nas páginas de livros. A mãe, professora de Geografia, abastecia o conhecimento sedento do garoto, que passava horas entre os livros. A poesia logo apareceu em sua vida. Aos seis anos de idade, quando perdeu o pai, a confusão de sentimentos o levou a criar seus primeiros versos, pueris e gritantes ao mesmo tempo. Seguiu-se assim interessado pelas artes. Cedo aprendeu a tocar violão e ingressou no grupo de teatro do colégio,

muh!

#2

2012

na época comandado pelo professor Décio Bragança. Entre poesias e leituras, encantou-se com o movimento rastafári e as levadas do reggae. Reuniu amigos e com eles criou a banda Candongas, que passou a ser referência na cidade e região. O publicitário Lucas – nesse tempo já chamado de Tio Lucas, por ser o único da turma a ter sobrinhos – levava suas vivências para sua poesia e para as canções da banda. A infância peculiar, os corredores do Hospital Fogo Selvagem, coordenado por sua avó Aparecida, muito lhe ensinaram. A maturidade precoce ficou notória aos 20 anos, quando se casou com Elisete – sua companheira para todas as horas. Juntos têm dois filhos, Pedro, de oito anos e Isabel, com seis, as suas mais lindas poesias. Tio Lucas deixou a banda Candongas após seis anos, por não conseguir dedicar-se ao que almejava. Desde então, não fez parte de nenhum conjunto e analisa de fora o cenário das bandas da cidade. “Vejo as bandas mais unidas. Os movimentos se interligando, punk com rap, rock com reggae. Enquanto fiz parte da Candongas, não existia esse tipo de união. As panelas não podem existir, é

7


preciso criar vários cenários, transmitir o conhecimento, a responsabilidade. O cenário cultural deve ser fortalecido para que, quando os movimentos cessarem, – por qualquer razão – existam substitutos nessa militância.”

A palavra roulets brinca com a questão de roleta. Quando se procura um evento cultural ou mesmo um evento na cidade, é comum transitar pelos mesmos lugares, como uma volta. Daí o nome. Surgiu, há 11 anos, primeiro como Fotolog, postando poesias, músicas, informações, artigos. Migramos para o blog, continuando com as poesias e entrevistas com artistas da cena local. Começou a ficar sério e incorporei alguns amigos no projeto, alguns continuam no blog. Hoje, temos uma equipe grande, setorizada. Roulets tem mais de mil acessos diários e cerca de trinta e cinco mil mensais. Temos uma responsabilidade social. Nosso objetivo é alcançar o máximo de crianças e adolescentes com o conteúdo, prepará-las para participar de diversas situações culturais como concursos literários, por exemplo. O interesse é modificar o cenário e não divulgar uma marca.

Há 11 anos fundou a Roulets – assim mesmo no feminino. O blog tem o objetivo de permitir o acesso às diferentes formas de informação, expressão e manifestação cultural. Para Tio Lucas ainda é um sonho de moleque materializandose pouco a pouco. Assim, Tio Lucas vai prosseguindo com seu sonho de fazer cultura e arte. Com seu sonho de modificar o cenário de uma cidade que ainda considera a arte urbana, como o grafite, um vandalismo. O mesmo grafite que mudou sua concepção de arte – ao ver um exposto na Avenida Paulista em São Paulo. Tem esperança que Uberaba passe a valorizar os seus artistas, em diversos quesitos. E artistas mais atuantes. Uma utopia que enche seus pulmões e o fortalece para a essa luta em prol da arte.

Tal como um guerreiro Nyahbinghi, enfrenta as mídias vaidosas e os preconceitos impostos. Por mundo melhor. Por um mundo de arte.

8

Conheça: roulets.blogspot.com muh! • #2

2012


Panorama

A la carte Muito acontece por aqui e tem para todos os gostos CINEMA Direcionado para professores e comunidade, o Cine Cultura é promovido pela Secretaria de Educação, por meio do Departamento de Formação Continuada, em parceria com o SESC e OABUberaba. Após a exibição dos filmes, há debate mediado por um especialista. As entidades promotoras também emitem certificado aos participantes. As sessões são gratuitas e acontecem semanalmente no Sesc (Praça Estevam Pucci, 0386). Para participar, increva-se pelo www.uberaba. mg.gov.br. FOTOGRAFIA Se você é amante da fotografia ou já é um fotógrafo profissional, pode participar dos passeios do “Foto Cine Clube Cartier Bresson”. Os encontros são marcados pelo Facebook e os integrantes caminham para

fotografar ângulos inéditos para seus olhares e suas lentes ou para revelar detalhes quase esquecidos de Uberaba. Um dos objetivos do grupo é compartilhar conhecimentos sobre o universo da fotografia. Procure pelo grupo “Foto Cine Clube Cartier Bresson Uberaba/MG” no Facebook. ARTES PLÁSTICAS Os que apreciam as artes plásticas têm seu lugar na Galeria de Arte do Centro de Cultura José Maria Barra. De acordo com o galerista Luiz Hozumi, o intuito da galeria é fomentar a produção local, fazendo a curadoria de artistas uberabenses ou que aqui residem, desde os mais novos até os mais experientes. “Outra forma é o intercâmbio de conhecimentos que ela [a Galeria] permite com a

curadoria de grandes artistas de Belo Horizonte, São Paulo, Ouro Preto e outras cidades, possibilitando ao público e aos artistas a interação com o que tem sido produzido em outros lugares”, diz. As exposições são mensais e gratuitas com visitação de segunda a domingo das 9h às 21h.

très bon! Em novembro, Aldo Luís Pedrosa, pesquisador em Arte e Tecnologia do Instituto Federal do Triângulo Mineiro – Campus Uberaba, expôs seu trabalho, o vídeo “Olho mágico: dispositivo para um novo olhar”, na Universidade Paris I – Panthéon Sorbonne, na França. O mesmo vídeo foi exposto em fevereiro deste ano na Galeria do Centro de Cultura José Maria Barra, em Uberaba, na exposição individual do artista.

Língua portuguesa as ul A Literatura part ic ulares Redação de inglês!

Ensino direcionado a grupos, empresas ou turmas; preparação para mestrado e vestibular e para quem trabalha com atendimento ao público.

Professora Ana Maria

34. 9259 - 4181

34 . 9123-9783 muh!

#2

2012

AULAS particulares 9


Palco

Visita ao Asilo Santo Antônio. Ao lado, registro das oficinas durante o Encontro.

“Sentir que tatibitati ˜ Que bate o coracao” ‘

Encontro de Arte Circense ocupou espaços e emocionou adultos e crianças Na rua, no picadeiro ou no cinema, a arte do circo sempre emocionou o público. Não há onde a arte não possa estar. O Encontro de Arte Circense movimentou praça, escola, asilo e livraria com o intuito de conscientizar a comunidade sobre as importâncias sociais, educativas e culturais da arte circense. Para o organizador do evento, Mayron Engel, “promover as artes do circo é fortalecer o imaginário coletivo, é preservar esta cultura da resistência, da superação humana. É preservar as raízes e criar novas.” O Encontro, realizado entre 09 e 11 de novembro, foi promovido pela Cia.UNO e o Colégio Marista Diocesano. -Fotografia: Mayron Engel Veja mais fotos em www.circonstancia.com 10

muh! • #2

2012


Agenda Cultural Dezembro

18 das 10h às 17h: Bazar de Natal - Presentes artesanais e criativos! Com Renata Barillari & Convidadas. Venha tomar um café conosco! 19 às 17h30 Ato de Diplomação dos concluintes das turmas I e II, do Curso de Tanatologia, de Extensão Cultural da UFTM. Lançamento e apresentação do site do Instituto Renovare. Todos convidados! 29 às 10h30 Se o mundo não acabar... De volta o humor inteligente do “Terapia Alternativa”. Convites à venda na livraria. R$10,00 [inteira] e R$5,00 [meia] 29 das 9h às 12h30 “Runas de Odin – Oráculo de ano novo”, com Magnus Valor R$30,00. Agendamento prévio pelo telefone (34) 33336824.

Janeiro

09 das 14h às 17h Oficina de Patchowrk – Corujas, com Renata Barillari

DEZEMBRO E JANEIRO

Valor R$90,00. Todo material incluso, traga apenas sua tesoura.VAGAS LIMITADAS! É necessário fazer inscrição na livraria. 14 e 15, das 18h30 às 21h30 Curso de Massagem Craniana, com Bento Albuquerque Valor: R$ 170,00 Vagas limitadas. Inscrições na livraria. Novidade para janeiro: 1ª Colônia de Férias da Alternativa Cultural, em parceria com a Cia Rogê. Informações: (34) 3333-6824, com Thaís ou Joziane.

Cursos

• “Desafinados”, com Daniel Lopes , Inscrições abertas para aulas de 2013, que acontecerão às segundas e quartas-feiras, das 19h às 20h30. Informações: (34) 3333-6824 com Thaís ou Joziane. • “O ofício de contar histórias”, com Adriana Fonseca. Objetivo: capacitar novos contadores de histórias para o exercício da arte da narração. Públicoalvo: educadores, estudantes, agentes culturais, psicólogos, bibliotecários, pais, avós e outros. Vagas limitadas. Inscrições na livraria.

muh!

#2

2012

Oficinas

“Conversas terapêuticas”, com Carmem Lia F. Laterza Essa oficina acontece gratuitamente, sempre às segundas-feiras, das 19h às 20h30, coordenada pela psicóloga Carmem. “Oficinas Artesanais”, com Elaine Abdanur e Renata Barillari. Arte/artesanato, para adultos e crianças, semanalmente, em dias e horários alternantes, no espaço da livraria. Interessados podem entrar em contato com a artista: rebarillari@hotmail.com. Inscrições abertas para turmas em 2013.

Prestigie e tenha orgulho dos artistas da sua cidade.

Uberabense, saia da poltrona e vá para a plateia! Iniciativa

Apoio

11


Causas

Causos

O ballet no povo e o povo no ballet Dedicado ao bailarino Michael Fernandes, diretor artístico do Ballet Descalço. Caicó é o nome de uma cidade nordestina, de uma canção popular, de um dos movimentos da Bachiana nº 04 de Villa Lobos e também de um ballet popular recentemente apresentado em Uberaba pelos alunos da Escola Municipal Arthur de Mello Teixeira, no Cine Teatro Vera Cruz. Em princípio, o termo ballet popular parece asqueroso aos nossos ouvidos. Mas haveria de se descobrir virtuose nos movimentos imaturos daquelas crianças que jamais se imaginaram no mundo do Ballet, e haveria de se aproximar o povo da obra de Villa Lobos.

Emici Donaldo Minha cidade cresceu um pouquinho mais e ganhou seu segundo Mc Donald's (para a felicidade de obcecados por hambúrgueres, como eu). O ambiente ficou agradável e, embora não fuja da mesmice dos demais restaurantes com o mesmo nome, tem dois andares, puffs, cadeiras e sofás diferenciados e uma varandinha com vista para uma das avenidas mais movimentadas da cidade.

E é isso - Caicó é provocação de corpos inertes. Corpos que caminham, mas não dançam. E é provocação de mentes inundadas de falsa erudição e ranços intelectuais.

De tarde o lugar estava todo enfeitado com balões, mas quando cheguei eles já haviam sido retirados (#choremos).

Villa Lobos era um apaixonado pela cultura popular brasileira e a levou para as salas de concerto do mundo inteiro. E o que fizemos com ela? Oferecer sua obra de volta ao povo é, no mínimo, devolvê-la a quem, em co-autoria, ajudou a escrever todas aquelas partituras... Mesmo que sem saber. Assim como nossos pequenos bailarinos, que escreviam movimentos, às vezes sem saber, mas jamais sem sentir.

Escondidas atrás de conversas e murmurinhos, músicas calmas se atreviam a um passeio audacioso por meio das mesas cheias de indivíduos curiosos, os quais fizeram questão de ir à inauguração.

Caicó é um ballet popular porque aceita o povo e sua cultura no palco. E reconhece o povo na(s) cultura(s). Se isso é asqueroso aos seus ouvidos – vá embora desse país, você não merece ser chamado de brasileiro! -Emílio Rogê

Acho que o motivo de terem inaugurado hoje é porque amanhã é o dia da Medalha Milagrosa e a igreja dedicada à ela fica pertinho desse novo Mc Donald's. Fiéis da cidade e de fora agora poderão deliciar-se com hambúrgueres quentinhos e refrigerantes refrescantes sem ir muito longe. Eita, capitalismo! -Daniela Lima

12

muh! • #2

2012

Jornal MUH! #2  

Distribuição gratuita. Pegue seu MUH!: Centro de Cultura José Maria Barra, Livraria Alternativa, Biblioteca Pública, Aeroporto. - Quer suger...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you