Page 1

anos jornalminuano.com.br

BAGÉ, sábado, 16, e domingo, 17 de fevereiro de 2019 - ANO XXIV Nº 6 158 | R$ 2,50 Fábio Campos / Especial JM

ENERGIA

Pampa Sul fará teste de preparação para operar

HABITAÇÃO

Obras do Residencial Castelo devem iniciar até março

5º MANDAMENTO

Sopragem a vapor das tubulações que ligam a caldeira e a turbina acontece nos próximos dias Pág. 9

Empreendimento anunciado em 2015 prevê 352 unidades habitacionais no bairro Stand Pág. 13

Ação da polícia deteve dois acusados de terem cometido duplo homicídio na terça-feira Pág. 17

Operação prende cinco pessoas em Dom Pedrito

RAIO-X DO ACESSO

EXEMPLOS PARA O BAGÉ ALCANÇAR À ELITE DO FUTEBOL GAÚCHO

Antecipando a estreia do jalde-negro na Divisão de Acesso, que acontece neste domingo, no Pedra Moura, contra o São Gabriel, reportagem especial revela como a equipe se estruturou para a competição e, ainda, apresenta exemplos de equipes que obtiveram sucesso na luta para conquistar a tão sonhada vaga na elite do futebol gaúcho. Pág. 18 e 19

DISPUTA POR UMA VAGA

ANTÔNIO ROCHA

VESTIBULAR DA URCAMP ATRAI CANDIDATOS EM BUSCA DO ENSINO SUPERIOR Vivendo uma nova fase, que promete um ensino mais moderno e adequado às demandas da atualidade, a Urcamp realizou, na noite de quinta-feira, seu terceiro processo seletivo deste verão. Recepcionados em uma estrutura remodelada, em Bagé, vestibulandos fizeram uma prova de redação a respeito do Brasil e os imigrantes no mundo contemporâneo. Pág. 3

Previsão do tempo

18ºC

27ºC

Empreendedor - Da Família Colchões itens com preços especiais

Pág. 6


02

Opinião

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Lasier Martins

Senador

Riquezas do subsolo e segurança ambiental

A recente tragédia de Brumadinho, pouco mais de três anos após a ocorrida na também mineira Mariana, evidenciou a falta de responsabilidade com o meio ambiente e a fragilidade da legislação, da fiscalização e da aplicação de sanções pelas autoridades. As cenas trágicas desses tsunamis de lama também revelaram a pouca atenção dada a um setor primordial para o Brasil e para o Rio Grande do Sul e que reserva enormes oportunidades na geração de riquezas e de empregos. Como presidente da Comissão do Congresso que criou a Agência Nacional de Mineração (ANM), tive a chance de sondar estes empreendimentos, que carecem de investimentos em segurança, tecnologias de ponta, reparos ambientais e controle dos desvios de minérios. Diante da expressiva importância do complexo mineral para o desenvolvimento econômico do Brasil, é passada a hora de, unindo recursos estatais e privados, abrir novas frentes de exploração. Hoje, o potencial geológico do solo brasileiro é superior ao de vários países que se destacam internacionalmente por sua produção mineral. Contudo, a riqueza gerada pelo nosso país com esta atividade ainda é pequena. O Brasil precisa explorar imediatamente novas jazidas,

como as das chamadas terras raras, muito demandadas pela indústria de eletrônicos, para diversificar a sua pauta de exportações ainda concentrada em minério de ferro e soja. Ao tratar com visão responsável recursos estratégicos disponíveis aos brasileiros, como nióbio e grafeno, estaremos conectados às próximas etapas do progresso mundial. Tenho defendido em público que o futuro do país está no subsolo, onde há abundantes riquezas que ninguém no mundo tem igual. São cerca de 80 tipos de minerais pouco aproveitados e até mesmo desviados. Com marco legal adequado e instituições firmes teremos condições de dar um salto. No Rio Grande do Sul, a extração mineral também é a janela para um futuro melhor, servindo de instrumento de desenvolvimento. Com abordagem moderna e justa, a matriz econômica estadual e sobretudo o comércio externo têm muito a ganhar com a mineração. Aliar esta atividade econômica com tecnologia já existente para redução do impacto ambiental é uma receita eficaz contra o empobrecimento do Rio Grande. Exemplo para isso são as jazidas de nitrogênio, fósforo e potássio, que se encontram no território gaúcho e que podem substituir pesadas importações de adubos voltadas à agricultura.

FAT - Jornal Minuano | CNPJ: 87415725/0012-81 Endereço: Rua Brigadeiro Mércio, 72 - CEP 96400.720 - Bagé/RS Telefones: Redação (53) 3242-7693 - Assinaturas 3241-6377 www.jornalminuano.com.br | redacaominuano@gmail.com | facebook.com/jornalminuanobage

EDITOR-CHEFE Felipe Valduga

GERENTE COMERCIAl Adriana Robaina

Editor assistente - Sidimar Rostan • Reportagem - Viviane Becker Cláudio Falcão - Melissa louçan - Jaqueline Muza - Rochele Barbosa - augustho soares (estagiário) • Chargista - cláudio Falcão • Repórter fotográfico - antônio rocha - tiago rolim de Moura • Diagramação - daniel cuerda Ferreira • Revisão - Helena Pereira - Assistente Comercial - angelina Britto • Vendedores - Dulce Dias - Fabrício Becker • Assinaturas - Paula Freitas • Distribuição - Marcos Goulart • Administrativo - lidiane selaje Marques • Colaboradores - José Carlos Teixeira Giorgis - Marcelo Teixeira - José Artur M. Maruri dos Santos - Airton Gusmão - Dilce Helena dos Santos - Fernando Risch - João l. roschildt • Impressão - Gráfica uMa (Grupo rBs) - Porto alegre/rs laboratório de

Jornalismo

Coordenador do Curso de Jornalismo

Glauber Pereira

Os artigos assinados não refletem, necessariamente, a posição do jornal. Por isso, a editoria não se responsabiliza pelas opiniões emitidas.

Marcelo Teixeira

@marcelodct marceloct@ymail.com

Frita uma linguiça que eu já volto!

A sabedoria popular diz que a vida é um sopro. Meu pai traduzia isso falando na “hora boba” para descrever aquele momento em que o mínimo descuido é suficiente para causar grandes estragos ou até mesmo terminar com a nossa vida em um simples estalar de dedos. Quando jovens, temos mais dificuldade de entender essa fragilidade da nossa existência, mas aos poucos, mais cedo ou mais tarde, todos acabamos compreendendo isso. No meu caso, colaborou muito para esta compreensão, ter assistido uma pequena cena da primeira versão da minissérie “O tempo e o vento” quando o Capitão Rodrigo, interpretado por Tarcísio Meira, disse para Bibiana, interpretada por Louise Cardoso, fritar uma linguiça que ele voltaria em breve. Como eu não tinha lido a obra de Érico Veríssimo, não sabia que, logo após dizer aquilo, o personagem morreria num confronto com um desafeto. Além de marcante, para mim, a cena foi surpreendente, pois tirava de cena o personagem que protagonizava o melhor terço da trilogia, deixando a sensação de que o restante da estória ficaria sem graça como, de fato, ficou. Todavia, só o brilhantismo de Érico Veríssimo poderia conseguir colocar numa frase singela a casualidade da morte que chega sem aviso e muda até os planos em andamento. E pouca coisa traduz melhor um plano em andamento do que o rápido preparo de uma linguiça frita. Ora, se a morte interrompe planos como esse, o que dizer dos grandes planos futuros? Essas interrupções são, em suma, a principal lamúria dos enlutados, sobretudo nestas mortes inesperadas, de pessoas jovens como

os atletas da base do Flamengo ou mesmo de pessoas adultas ou mais velhas como as centenas de mortos em Brumadinho ou do talentoso Ricardo Boechat, só para ficar com as mortes recentes que chocaram a opinião pública. Um início de ano com uma incrível sucessão de tragédias, ligadas, também, pela inconsequência de seus causadores, foi tão pródigo na interrupção de sonhos e projetos que relembrei da frase de Érico Veríssimo e fiquei pensando em fazer um paralelo com tantos dramas reais e contemporâneos. Entre tantas histórias emocionantes, duas me chamaram especial atenção. A do menino Christian, do Flamengo, que ficou no alojamento por solidariedade ao Arthur, companheiro de time que faria 15 anos no dia seguinte. Ele poderia ter ido para casa, mas não foi, só para não deixar o amigo sozinho em um dia tão significativo. Nem precisamos ficar especulando sobre os grandes sonhos de uma carreira de sucesso no futebol que certamente ambos nutriam, mas sim de um pequeno desejo imediato de celebrar juntos um aniversário e que não se realizou em função da morte precoce e estúpida de ambos. Contudo, a despedida de Ricardo Boechat no programa de rádio, horas antes do acidente com o helicóptero que lhe transportava, traduziu muito bem esse mesmo sentimento despertado em mim pela frase da obra de Érico Veríssimo décadas atrás. Ele disse: “Amanhã, eu estou de volta às sete e trinta da matina.” Assim como no caso do Capitão Rodrigo, não teve volta, simplesmente porque não teve amanhã! De fato, a vida é um sopro! Advogado e professor universitário

Cláudio Falcão Florêncio e o horário de verão

Charge falcaobage58@gmail.com


Cidade

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

03

Vestibular de Verão estabelece novo ciclo acadêmico dentro da Urcamp De um jeito diferente, com direito à recepção, os vestibulandos foram acolhidos na terceira etapa do Vestibular de Verão da Urcamp. A prova de redação aconteceu, na noite de quinta-feira, nos cinco campi da Instituição de Ensino Superior. Em Bagé, o prédio central, remodelado e modernizado, ambientou os futuros alunos, instigando-os ao conceito de uma boa chegada, com expectativas de quem está na iminência de ingressar no Ensino Superior. Além do aspecto físico, os estudantes foram recebidos por uma equipe de professores e funcionários, devidamente identificados por camisetas com a logomarca da Graduação I, o novo modelo acadêmico adotado pela Urcamp e já implantado a partir do início do primeiro semestre de 2019. Para recepção, foram organizadas duas frentes: mesas com guarda-sóis personalizados, que serviram de apoio para a entrega gratuita de guia de cursos, calendários e canetas da Urcamp e, mais ao fundo, uma outra bancada para informações, onde mais uma equipe uniformizada orientava sobre salas de aula, além da distribuição de água, refrigerante e barras de cereais aos

estudantes. Espelhada na mãe psicóloga, Mariana da Costa Lucas tentou uma vaga no curso de Psicologia e conta que ficou surpresa com a recepção que encontrou. “Nossa, eu adorei, me senti acolhida”, revelou. É a oportunidade de concretizar um sonho, já que sempre teve vontade de trabalhar com a saúde mental. Já o militar Silas Roberto Dias Vasques viajou de Pinheiro Machado até Bagé, decidido a cursar Nutrição. “Desde mais novo, eu sabia que queria trabalhar com isso. Espero poder ingressar na Urcamp, porque sei da qualidade que existe aqui”, contou. E essa qualidade já ganha fama além da fronteira. Silvana Gabriela Silva veio da cidade uruguaia de Melo, porque ouviu falar da aptidão da Instituição em graduar profissionais preparados para o mercado de trabalho. “Me disseram que é a melhor, então estou muito entusiasmada”, relatou. Ela também buscava uma vaga para Nutrição. A prova de redação trouxe o tema “O Brasil e os imigrantes no mundo contemporâneo” para dissertação, e contou com um breve texto de apoio para situar o vestibulando. O resultado des-

ANTÔNIO ROCHA

Processo seletivo foi aplicado na noite de quinta-feira sa terceira etapa do Vestibular de Verão da Urcamp já foi enviado aos concorrentes, por SMS, e também via e-mail. Quem foi aprovado já pode comparecer na Central do Aluno para a efetivação da matrícula. A pró-reitora de Ensino, professora Virgínia Dreux, comemorou o resultado do processo FOTOS: CHRYSTIAN RIBEIRO/especial JM

Mariana tentou uma vaga no curso de Psicologia

Vasques viajou de Pinheiro Machado até Bagé para realizar prova

Da cidade uruguaia de Melo, Silvana soube da qualidade da graduação de Nutrição

seletivo. “Foi muito boa a procura. As pessoas estão interessadas na nova proposta de ensino que a Urcamp está oferecendo”, avaliou ao mencionar a possibilidade de utilização da nota obtida no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) para ingresso. Ela lembrou que outras provas agen-

dadas ainda serão oferecidas para quem não conseguiu comparecer nesse vestibular. A próxima data será no dia 18 de fevereiro, próxima segunda-feira, às 14h, no prédio central, em Bagé, e nos demais campi. As inscrições acontecem pelo site www.urcamp.edu.br.

Graduação I promete ser o Ensino Superior mais inovador da região Há cerca de dois anos, a Urcamp vem pesquisando sobre metodologias ativas, salas de aula invertidas, novos ambientes de estudo. Esse modelo, ao qual a Urcamp batizou de Graduação I 5.0, oferece métodos de ensino que apontam uma inversão no processo de aprendizagem, onde a meta é instigar o aluno a buscar e demonstrar conhecimento, destituindo o professor de seu papel de detentor do saber na medida em que o leva a uma condição mais complexa de mediador.

O aluno, tradicionalmente acostumado a uma condição passiva, nessa forma ganha metas e responsabilidades e torna-se o protagonista na construção da aprendizagem. Assim, o estudante que entrar já no primeiro semestre de 2019, trabalhará projetos reais que vão solidificar o seu currículo, depois da conclusão da graduação. O início do ano letivo será no dia 25 de fevereiro para os novos alunos e dia 27 para veteranos.


04

Campo & Negócios

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Colheita do feijão primeira safra atinge 74% no RS Nas regiões produtoras do Estado, o feijão primeira safra está em finalização de safra, com cerca de 74% da área já colhida. De acordo com o Informativo Conjuntural da Emater/RS-Ascar, divulgado quinta-feira, a exceção se dá na região da Serra, mais especificamente nos Campos de Cima da Serra, onde as áreas de produção ainda não estão em colheita devido ao período de implantação ocorrer mais tarde. “As áreas já colhidas estão apresentando muito bom padrão, tanto de rendimento como de qualidade, à exceção de lavouras situadas no Alto da Serra do Botucaraí e Vale do Rio Pardo, onde ocorreram reduções em decorrência de eventos climáticos adver-

sos em aproximadamente 30% da área de lavouras dessas regiões. Já no Alto Jacuí, Celeiro e Noroeste Colonial, as lavouras apresentam alta produtividade média, boa qualidade dos grãos e umidade adequada ao armazenamento, dispensando secagem. A safra secundária de feijão também já está em andamento no Rio Grande do Sul, com implantação de áreas e início de desenvolvimento”, destaca o levantamento da Emater. Outras culturas também foram mencionadas no Informativo. Uma das análises, por exemplo, é que a constatação de mais uma semana de condições climáticas com predomínio de tempo seco, altas temperaturas e forte radiação solar, foi favorável à colhei-

ta do milho. “Porém, as lavouras em desenvolvimento vegetativo, floração e enchimento de grãos sofreram com a baixa umidade do solo. Lavouras pontuais, que não foram conduzidas adequadamente, sofreram mais em função do clima. No entanto, a ocorrência de chuvas, no início desta semana, amenizou o problema; ainda assim, são necessárias chuvas semanais e mais volumosas para atender as necessidades diárias das plantas”, destaca o estudo. A soja, por sua vez, conforme a Emater, está 2% na fase madura, 62% em enchimento de grãos, 26% em floração e 10% se encontra em desenvolvimento vegetativo, o que corresponde às áreas implantadas mais tarde.

“Concluída a implantação da cultura, foi iniciada a colheita nas primeiras áreas das regiões da Fronteira Noroeste e Missões. A cultura está com bom desenvolvimento e os rendimentos estão variando de 30 a 55 sacas por hectare nas primeiras áreas colhidas”, complementa o levantamento. As boas condições meteorológicas ocorridas na semana, especialmente em relação à insolação, favoreceram, ainda, a cultura do arroz, que está em enchimento de grãos na maior parte das lavouras, chegando aos 42% e apresentando evolução na colheita na Fronteira Oeste e região Central do Estado, chegando aos 2% da área do Rio Grande do Sul, estimada em 693.538 hectares.

Marfrig realiza o primeiro embarque com destino ao Japão

A Marfrig Global Foods, uma das companhias líderes globais em carne bovina, fez o primeiro embarque de produtos para o Japão por meio de suas unidades no Uruguai. Com destino a Tóquio, a carga inclui uma grande variedade de hambúrgueres e cortes re-

frigerados que serão comercializados pela National Beef, principal exportadora de carne resfriada dos Estados Unidos para país asiático e que integra a operação da companhia na América do Norte. A Marfrig é líder no mercado uruguaio de carne bovina.

Com duas fábricas de hambúrgueres localizadas nas cidades de Colonia e Tacuarembó, a companhia tem capacidade de produção de 500 toneladas por mês desse produto e é fornecedora certificada global das principais redes de fast food internacionais.

A companhia já exporta outros produtos industrializados para o mercado japonês, como extrato de carne produzido na unidade de Fray Bentos e Jerky Beef, snack de carne bovina muito popular nos Estados Unidos e no Japão.


Fogo Cruzado

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Projeto de R$ 1 bilhão para Pinheiro Machado O governador Eduardo Leite recebeu, na tarde de quintafeira, o empresário Luiz Eduardo Batalha, presidente da Pellco Brasil. O encontro no Palácio Piratini serviu para que Batalha colocasse o chefe do Executivo gaúcho a par do projeto de construção de uma fábrica de pellets na cidade de Pinheiro Machado. Em 2014, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) concedeu licença prévia para a instalação do empreendimento no município. A Pellco anunciou que investirá mais de R$ 1 bilhão, com participação de empresas nacionais e estrangeiras, na construção da fábrica, cuja capacidade de produção dos pequenos cilindros de madeira será de 900 mil

Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Empreendimento foi exposto ao governador pelo empresário Luiz Eduardo Batalha toneladas por ano. A obra deve A reunião também contou começar em 2019, e a previsão com a presença dos deputados é que a fábrica gere cerca de mil estaduais Fábio Branco e Ernani empregos diretos. Polo.

Fábio Ostermann propõe criação de Frente pelo Livre Mercado O deputado estadual Fábio Ostermann (Novo) já conseguiu as assinaturas necessárias para propor a instalação da Frente Parlamentar em Defesa do Livre Mercado. O objetivo é criar um espaço qualificado de discussão sobre o livre mercado, mobilizar a sociedade civil sobre a importância da livre-iniciativa e debater propostas que limitem a excessiva intervenção do Estado. Segundo Ostermann, as restrições no mercado de transporte intermunicipal de passageiros e a proibição do consumo de bebidas alcoólicas em estádios de futebol são exemplos de medidas que se opõem ao princípio do livre mercado. “O livre mercado é a melhor ferramenta de combate à pobreza, desenvolvimento econômico e social, sendo capaz de transformar a realidade das mais di-

versas sociedades”, justifica.Conforme o memorando que trata sobre a criação do grupo, a Frente Parlamentar terá como objetivos “criar um foro qualificado de discussão acerca dos princípios do livre mercado no parlamento gaúcho; promover eventos, palestras e estudos que fomentem o debate acerca dos limites e potenciais da livre cooperação social; debater formas propositivas de se limitar a excessiva intervenção do Estado no processo de mercado; mobilizar a sociedade civil em torno de pautas pertinentes à livre-iniciativa e a defesa das liberdades econômicas dos cidadãos gaúchos”. O texto sustenta que “é fundamental que se compreenda que o Estado não gera riqueza, apenas faz uso da riqueza que é criada pelos indivíduos. A atuação legislativa não pode, em nome de uma fal-

sa filantropia, servir para atravancar o processo produtivo que colocou a humanidade no nível de desenvolvimento que possuímos hoje”. Reprodução JM

“É a melhor ferramenta de combate à pobreza”, sustenta deputado

felipelvalduga@gmail.com

Interino

05

Felipe Valduga

Sinal aberto da TV Câmara passará a operar em caráter definitivo Após cumprir com as exigências legais e de transmissão, a TV Câmara recebeu o licenciamento da Rede Legislativa para transmitir em canal aberto, pelo 18.3, em caráter definitivo em Bagé. A informação foi divulgada, ontem, pela assessoria do gabinete da Presidência do Legislativo. Até o momento, a emissora funcionava de forma experimental, desde 2016, quando o atual prefeito de Bagé, Divaldo Lara, que presidia a Casa Legislativa na época, comprou os equipamentos necessários para a captação do sinal, assim, contemplando toda a cidade com o canal da TV Câmara sem a necessidade da TV por assinatura, passando a ser a primeira cidade do interior a ter o seu canal aberto em funcionamento. O atual presidente da Câmara

de Vereadores, Esquerda Carneiro, que efetivou o canal em Bagé, salientou a importância desse feito. “É um passo muito importante, pois serve na manutenção do mandato dos vereadores. Assim, levando a assistência do município de Bagé e região ao sinal aberto, para que as pessoas acompanhem o trabalho dos seus representantes e as matérias a serem discutidas na Câmara de Vereadores de Bagé”, pontuou. Carneiro ainda diz que, em pouco mais de um mês, diversas melhorias já foram feitas, como o conserto do som, melhorando o sinal de áudio para os telespectadores, além da aquisição de equipamentos para a TV, que conta com uma equipe técnica que está analisando a nova grade de programação.

Contemplando Bagé, Estado destinará máquinas para municípios afetados pela chuva Para auxiliar as prefeituras que decretaram situação de emergência em razão das chuvas ocorridas em janeiro, o governo do Estado destinou um conjunto de máquinas e equipamentos da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR) para realizar reparos na infraestrutura de municípios da região da Fronteira. A Defesa Civil consultou 13 municípios sobre as necessidades de maquinário e estabeleceu um cronograma de serviços, que já está em execução. “Colocamos à disposição um conjunto de equipamentos para colaborar e ajudar os municípios a repararem estragos causados pelo mau tem-

po”, afirma o secretário Covatti Filho. Conforme informação do coordenador de Proteção e Defesa Civil, coronel Júlio César Rocha Lopes, apenas oito dos 13 municípios consultados manifestaram interesse em receber apoio de maquinário do Estado. O cronograma da Defesa Civil informado à SEAPDR prevê o atendimento em Uruguaiana, já em execução e até o dia 17; São Francisco de Assis (18 de fevereiro a 1º de março); Quaraí (2 a 13 de março); Bagé (14 a 25 de março); Lavras do Sul (26 de março a 6 de abril); Caçapava do Sul (7 a 18 de abril); Manoel Viana (19 a 30 de abril) e São Borja (1º a 12 de maio).


06

Empreendedor

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Da Família Colchões disponibiliza colchões com massagem e terapêuticos com preços especiais

Uma parcela considerável da população sofre com dor lombar, segunda maior causa de visita de pacientes aos médicos, só perdendo para a dor de cabeça. O problema atinge mais de 80% da população mundial, segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), e representa prejuízos financeiros para as empresas (é a maior causa de afastamento do trabalho em pessoas com menos de 45 anos), para o governo (em 2012, mais de 116 mil pessoas receberam auxíliodoença por esse motivo) e para os que sofrem com o problema (cansaço, desânimo e até mesmo estágio depressivo). E uma das formas de garantir a qualidade do sono são os itens pensados e desenvolvidos com tecnologia de ponta como colchões e travesseiros terapêuticos disponi-

bilizados pela Da Família Colchões. A empresa é distribuidora autorizada dos produtos da Vida Mais e conta mais de 60 itens entre colchões com massagens e terapêuticos e uma linha de acessórios para uso no dia a dia, tudo para proporcionar uma maior qualidade de vida. Os colchões da Vida Mais possuem base ergonômica e mantêm os usuários em posição ortopédica correta, descomprimindo a coluna vertebral e garantindo um sono reparador. Outro item que tem chamado a atenção dos consumidores, e tem saída garantida na loja, são as pulseiras New Life, que ajudam na melhora da concentração, aumento da resistência física, relaxamento muscular, ativa a circulação sanguínea e alivia o cansaço físico e mental. E para garantir a qualidade

do sono em 2019, a loja está com uma promoção para os clientes investirem na saúde: colchões com massagem ou terapêuticos (perfilado, tratado, terapia magnética, infravermelho) a partir de R$ 279 mensais. O produto conta com cinco anos de garantia e o cliente ainda ganha dois travesseiros de brinde. A loja funciona na avenida General Osório, nº 1060, com atendimento de segunda a sextafeira, das 9h às 12h e das 14h às 18h30min. Aos sábados, das 9h às 12h30min. Os consultores oferecem, também, atendimento a domicílio, sem custo, para facilitar e flexibilizar o atendimento. Tire suas dúvidas através dos telefones (53) 3247 – 3110, 99904 – 2544 e 99129 – 3733. Tiago Rolim de Moura

Líder Premium

A elegância social e esportiva da Líder Premium está com toda coleção de verão com preços e condições para aproveitar: 50% de desconto à vista; 30% de desconto parcelado em três vezes; 10% de desconto parcelado em seis vezes; camisetas a partir de R$ 30; polos a partir de R$ 40; bermudas a partir de R$ 65.

Fisioterapeuta Letícia Dachery

Pacote de procedimentos: celulite off 10 sessões endermo + ondas de choque + drenagem localizada por R$ 499 à vista, no dinheiro ou cheque; flacidez + gordura, 10 sessões; radiofrequência + Hifu + Nutricionista por R$ 799 à vista, no dinheiro ou cheque ou seis vezes de R$ 150; lipomodeladora drenagem + endermo, seis sessões, por seis vezes de R$ 66; modeladora com Pantalas + lipo sem corte localizada, seis sessões, seis vezes de R$ 80 ou à vista R$ 400 (dinheiro ou cheque).

Inadimplência na região Sul Quase metade (49%) das famílias brasileiras estão endividadas. É o que revela levantamento realizado em pela Fecomércio-SP. Para enfrentar essa difícil situação e colocar as contas em dia, muitos brasileiros estão aderindo às campanhas de renegociação, como exemplo o Feirão de Negociação da Multicrédito, que será realizado até 28 de fevereiro, com propostas de até 60% desconto sobre o valor da dívida e disponibilizando diferentes canais de comunicação, como Whatsapp, Chat e telefonia. A campanha estima alcançar cerca de 100 mil pessoas em todo o Brasil. Muitos são os fatores que comprometeram as finanças dos brasileiros nos últimos meses, mas cada região possui a sua particularidade. Levantamento realizado pela MultiCrédito, na região Sul, aponta as principais características dos inadimplentes com cheques e com crediário.

Aniversariantes

Loja disponibiliza mais de 60 itens modelos

16 de fevereiro Ana Cristina Condorelli Carlos Augusto Rillo Borges Cibele Cantini Espíndola Edison Muza Fernandino Padilha Farias Leonardo Rosa dos Santos Letícia Frank Lourdes Camargo Silva Luana Ebert Nogueira Luciana Tozzi Prieto Maiara Cabeda Maria José de Freitas Alves Branco Mateus Mendes Vasconcelos Matilde Silva Borba Nair Sena Roseara Ferreira Garcia Taís Vaz Rocha Wandir Bonilha

17 de fevereiro Adriana Gaffrée Burns Alex Sandro Moreira Antônio Cristando Bruno Vaz Dutra de Freitas Carim Veleda Saliba Cristiane Leão Teixeira Dalvacir Abreu Waiss Érico Machado José Camargo dos Santos Luiz Henrique Leite Jacinto Manoel Porto Silveira Mauricio Corrêa Nair Sena Patrícia Batista Araújo Priscila Morales Gomes


Cidade

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Mais de 66% dos bajeenses ainda não quitaram IPVA Dos 35.306 mil pagantes do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) em Bagé, apenas 33,95% já quitaram a pendência. O prazo para pagamento com desconto máximo encerrou no dia 31 de janeiro e, neste período, mais de R$ 10,3 milhões referentes ao imposto foram inseridos nos cofres públicos. De acordo com as informações encaminhadas pelo auditor-fiscal da Receita Estadual, Pedro Kohls Toralles, o valor líquido devido pelos mais de 35 mil proprietários de veículos, na Rainha da Fronteira, totaliza R$ 26.409.788,83. Desses, cerca de 66% dos proprietários ainda têm débitos a acertar com o Estado. Nos demais municípios da região, o cenário não é diferente: em Aceguá, 34,97% dos pagantes quitou o imposto, que totaliza R$ 1,4 milhão; em Candiota, os 33,46% pagantes já injetaram mais de R$ 746 mil na economia estadual com o pagamento do IPVA; já em Hulha Negra, dos 1.088 pagantes, 33,92% quitaram o imposto com os descontos, ainda em janeiro, mas ainda é

aguardada a contribuição de mais 719 proprietários. A expectativa da Secretaria da Fazenda é arrecadar R$ 2,895 bilhões com o IPVA 2019, valor

que, após as devidas destinações constitucionais, é repartido automaticamente: 50% para o Estado e 50% para o município de licenciamento do veículo. Tiago Rolim de Moura

Apenas 33,95% acertaram pendência

07

Horário de verão acaba neste sábado

Os moradores de 10 estados e no Distrito Federal, onde os relógios foram adiantados há pouco mais de três meses, para o horário de verão, devem, agora, fazer o contrário e atrasar os ponteiros em uma hora. Isso a partir da virada deste sábado para domingo, 17 de fevereiro. Vendo isso, a redação do Jornal MINUANO foi às ruas para questionar os bajeenses sobre essa mudança, que contenta alguns, mas desagrada outros. Rose Grillo, 61 anos, afirma que apesar da troca não fazer muita diferença, o horário de verão é bom, pois ele permite que as pessoas aproveitem mais as tardes. “Verão é tudo de bom. Com o horário de verão, a gente curte mais a tarde, tem mais tempo para ir à praia, para fazer tudo”, declara. Mellani Laus, 26 anos, também prefere o horário que se encerra neste fim de semana. “Eu prefiro o horário de verão, porque o dia é mais longo e eu consigo fazer mais atividades, sair

Silva desaprova adoção do sistema em vigor

para tomar mate na rua. Já Edson Silva, 72 anos, acredita que a existência do horário de verão não auxilia em nada. “Acho que esse horário não tem utilidade. Eles dizem que faz mais economia, mas tu deitas mais tarde e levantas mais cedo no verão. Alguns estados não aceitaram e eu acho que fizeram o correto”, declara. O horário de verão foi implementado em 1931 e é adotado, continuamente, desde 1985. Em 2018, a mudança aconteceu um pouco mais tarde em relação aos anos anteriores, em 4 de novembro. A mudança foi baseada em um decreto assinado pelo então presidente da República Michel Temer, com objetivo de evitar que a alteração nos relógios se desse durante as eleições. A troca de horário aproveita os dias mais extensos da estação nas localidades mais afastadas da linha do Equador. Com isso, procura-se economizar energia elétrica nos horários de pico. FOTOS Tiago Rolim de Moura

Mellani destaca dias mais Rose prefere período com longos da estação adiantamento de hora


08

Cidade

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

www.jornalminuano.com.br


Cidade

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Pampa Sul realizará sopragem a vapor das tubulações de caldeira Simôni Costa/ Especial JM

A UTE Pampa Sul (Miroel Wolowski), erguida na localidade de Seival, em Candiota, realizará, nos próximos dias, a sopragem a vapor das tubulações que ligam a caldeira e a turbina da Usina. A operação, segundo a Engie, responsável pelo empreendimento, é fundamental para o futuro bom funcionamento da estrutura. O gerente socioambiental da Pampa Sul, Hugo Roger Stamm, salienta que não há motivos para preocupação entre as comunidades no entorno da obra, pois não há riscos. É recomendado, no entanto, atenção com pessoas e animais que poderão se assustar com os ruídos emitidos pela sopragem. “Toda a atividade está

09

sendo controlada pelas equipes da UTE Pampa Sul (Miroel Wolowski) e deverá transcorrer conforme o planejado. É importante destacar também que um silenciador e um filtro foram instalados na saída de vapor, com o objetivo de diminuir os ruídos e evitar a dispersão de partículas”, explica Stamm. A sopragem é uma atividade temporária, que não fará parte da operação normal da usina, e que deverá se estender por alguns dias até que toda a limpeza da tubulação esteja concluída. Conforme a Engie, trata-se de um procedimento realizado em todas as usinas termelétricas a carvão antes da entrada em operação.

Procedimento é padrão em termelétricas antes do início de operação


12

Cidade

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Cássio Lopes

Escritor

A prática da degola através dos tempos

A origem da degola, que consiste em cortar com uma lâmina afiada a cabeça do indivíduo, por vezes decepando-a do corpo, perde-se no fundo imemorial das eras. É uma prática primitiva de vingança e de ódio, que se evidencia pela convicção da morte do condenado, esvaído no próprio sangue, morrendo quase instantaneamente. A Bíblia narra o episódio do jovem Davi, abatendo o gigante Golias com uma pedrada de funda, logo cortando-lhe a cabeça fora, pelos anos mil antes de Cristo (1 Samuel 17: 4951). A degola é fruto do ódio vingativo. Após a derrota de Leônidas no desfiladeiro das Termópilas, Xerxes, o vencedor, ao saber que ele era rei e general, ordenou que lhe cortassem a cabeça e a pregassem num poste. Essa atitude do general Persa, segundo o historiador Heródoto, era a prova do ódio que ele nutria contra Leônidas para “tratar seu cadáver com tanta desumanidade”. Na América do Sul, vamos encontrar o tirano Manoel Oribe, conhecido como o “Tigre de Palermo” e Manuel Rosas, chamado de “Corta Cabeças”, ambos com uma história de crueldade, encarnando a maldade implacável, perversa e feroz. Após o Combate do Arroyo Grande, o “Corta Cabeças” mandou executar mil e quinhentos prisioneiros, entre eles, cinquenta oficiais. O General João Facundo Quiroga dominava pela violência e pelo terror. Seu exército carregava uma faixa colorada com o dístico aterrador: “Sangue, terror, barbárie”. No Brasil, notadamente no Rio Grande do Sul, esse hábito de matar cortando a garganta e tirando a cabeça fora, toma vulto a partir da Revolução de 1893, com um arremedo das revoluções platinas. Durante o movimento, a degola tornou-se uma constante prática de combate, pois era uma forma rápida e barata de execução. O próprio Júlio de Castilhos, autoridade máxima do estado, teria de certa forma, incitado a prática, ao telegrafar a um dos seus chefes (Cel. Madruga de Cacimbinhas, atual Pinheiro Machado) a seguinte orientação: “Ao inimigo não se poupa, nem a vida, nem os bens.” Durante a Revolução Federalista, a prática de degolar foi aprimorada

com requinte de pavor. Apareceram quatro tipos bem diferenciados de cortar a cabeça do vencido. A primeira simplesmente seccionavam as carótidas, para verem a criatura se debater, alucinada, tentando segurar o próprio sangue. A segunda, chamava-se “degola crioula”: era a arte de passar um corte de orelha a orelha, conhecida pelos gaúchos como “gravata colorada”; a terceira era a degola pela nuca ou científica, feita por um profundo corte no pescoço, fazendo a cabeça do trucidado tombar para a frente, levando o corpo ao chão, já sem vida. E a quarta era a daqueles que, não se satisfazendo em matar, cortando do adversário a garganta, decapitavam-no tirando a cabeça fora. Existiram vários degolares durante a Revolução de 1893, sendo os mais famosos: “Xerengue” pelo lado governista (Pica-paus) e Adão Latorre pelos revolucionários (Maragatos). Dos grandes episódios de ferocidade que assinala a Revolução Federalista, três merecem destaque: o combate do Rio Negro (27.11.1893), a surpresa do Boi Preto (10.4.1894) e a batalha de Campo Osório (24.6.1895) onde pereceu o Almirante Saldanha da Gama. A degola atingiu o auge na prática e intensidade na Revolução de 1893, mas não deixou de ser registrada, embora de forma mais branda, na Revolução de 1923, e o mais triste é que vitimou centenas ou milhares de criaturas inocentes e até sem nenhuma inclinação partidária. Fontes: Figueiredo, Osório Santana. “As Revoluções da República”, São Gabriel, Gráfica Pallotti, 1995.280 p. Diversos autores. “Fontes para a História da Revolução de 1893 – Anais do III Simpósio realizado em Bagé, de 28 a 30 de abril de 1993”, Bagé, EDIURCAMP, 1994.184 p. Revista da Brigada Militar, publicação comemorativa dos 175 anos da Corporação – Novembro de 2012. 78 p. http://www.ahimtb.org. br/O%20MASSACRE%20FEDERALISTA%20DO%20 RIO%20NEGRO%20EM%20 BAG%C3%89,%20EM%2028%20 DE%20NOVEMBRO%20DE%20 1893%20(1).pdf

Maria do Bairro será a “resistência” no Carnaval de Porto Alegre Uma proposta da Prefeitura de Porto Alegre e Ministério Público, a pedido dos moradores da Cidade Baixa, está causando uma polêmica envolvendo o bloco Maria do Bairro, idealizado há 13 anos pelo cineasta bajeense Zeca Brito e que arrasta milhares de gaúchos em uma manifestação popular. A ação pede que as apresentações dos blocos passem para a orla do Guaíba, de forma padronizada; já a do bloco é manter a pluralidade e diversidade de expressão. Conforme Brito, como forma de resistência, o samba do bloco, neste ano, conta a história de Sofia Veloso, abolicionista e feminista do século 19 que nunca se sujeitou aos padrões da época. O

bajeense lembra que a rua que leva o nome da personalidade homenageada é o mesmo de onde começou o bloco, com pouco mais de 200 pessoas, em 2007. O cineasta comenta que Sofia era uma mulher rica e todos os imóveis da rua eram de propriedade de sua família. Como não teve filhos, doou os terrenos e casas para a igreja, que utiliza o valor arrecadado com os aluguéis para a manutenção do projeto Pão dos Pobres. “Criamos o bloco para humanizar a via”, comenta. Brito afirma que no dia tradicional do desfile, que seria no sábado anterior ao Carnaval, neste ano, no dia 23 de fevereiro, não será possível realizar na rua, mas será feita

uma festa no tradicional Bar Opinião, que comporta em torno de três mil pessoas. “Estamos avaliando outro lugar em via pública, para fazermos a apresentação do bloco, nos moldes tradicionais. Talvez isso aconteça no dia 9 de março, na Praça Garibaldi. Faremos o caminho mais difícil, em prol da diversidade cultural”, adianta. O samba deste ano foi composto por Paulo Gasparoto, com apoio de Zeca Brito, e segue os moldes de todos os anos, apresentando um samba ou uma marchinha homenageando personagens importantes da cultura gaúcha. Já foram homenageados Lupicínio Rodrigues, Túlio Piva, Jerônimo Jardim e Caco Velho. divulGação

Bloco leva multidões às ruas da Cidade Baixa


Cidade

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019 FOTOS Tiago Rolim de Moura

Empresa pretende investir na estrutura existente

Após quatro anos, terraplenagem para o Residencial Castelo deve iniciar em março

Após vencer várias etapas e mudanças no projeto inicial, o Residencial Castelo, anunciado ainda em 2015, deve iniciar a terraplenagem da área onde ocorrerá a obra até março. O empreendimento realizado através do “Minha casa, minha vida – Entidades”, será erguido no bairro Stand, na rua Júlio Miranda, com recursos na ordem de R$ 26,6 milhões. O projeto prevê 192 unidades, nesta primeira etapa, com a construção através da Cooperativa Habitacional Triângulo. De acordo com o diretor da cooperativa, Gerson Paulo, foram realizadas as audiências públicas e várias mudanças no projeto, por orientação da Cai-

xa Econômica Federal. Uma delas foi a construção inicial de até 200 unidades. O projeto total é de 352 casas. “As unidades, a partir desse novo projeto, irão contar com sacada e espera para churrasqueira, lareira, e todas terão vagas para garagem, valorizando o imóvel”, disse. Segundo o diretor, a Cooperativa é responsável pela administração do projeto e a seleção das 192 famílias foi realizada através da equipe técnico-social da entidade. Paulo destaca que as últimas alterações do projeto, exigidas pela Caixa, já foram atendidas e estão em fase de aprovação. “Acredito que, na próxima

semana, já esteja liberado o início da obra. Tivemos assessoria total do banco para a construção do projeto”, comenta. Paulo ressalta que a previsão, após a liberação do projeto, é que o empreendimento seja concluído em 15 meses. Ele enfatiza que a área pertence à construtora Camboim, que pretende fazer outros investimentos no Castelo e realizar melhorias na estrutura. “É um ponto turístico e muitas pessoas pedem licença para fazer fotos no local”, conta. Para o condomínio, também está prevista uma creche, além de salão de festas e brinquedoteca.

Começo das obras será pela limpeza do local

13


14

Religião

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

José Artur Maruri

Airton Gusmão

Qual felicidade buscamos? “Um homem muito rico morreu e foi para o céu. São Pedro recebeu-o na entrada e, após os cumprimentos iniciais, disse-lhe: ‘acompanhe-me. Vou lhe mostrar a sua casa’. O homem rico acompanhou a São Pedro, que o levou por uma alameda muito bonita. Mostrando várias casas, ia falando: ‘essa é de fulano, esta de beltrano, etc.’. Em um certo momento, uma bela casa sobre a colina chamou a atenção do homem rico: ‘e aquela, perguntou a São Pedro, de quem é?’; ‘É do seu chofer’, respondeu São Pedro. O homem continuou acompanhando São Pedro e pensando: ‘se aquela bela casa é do meu chofer, imagine como será a minha’. Chegaram a uma casa bem pobre. ‘É aqui, disse São Pedro’. O homem ficou atordoado e disse: ‘mas como? Se o meu chofer ganhou daquela casa, por que a minha é assim tão pobre?’. São Pedro respondeu: ‘paciência, a culpa não é minha. Nós fazemos as casas aqui com o material que vocês mandam lá debaixo. O senhor só mandou este!’” (Vivendo e aprendendo. Histórias para o dia de hoje. Mundo e Missão, pag. 87). Onde colocamos a nossa segurança? A nossa esperança? Nos amigos influentes que conquistamos? No dinheiro que temos no banco? Nos bens materiais que possuímos? Na posição social que ocupamos? No luxo e no conforto que construímos? Nos elogios e homenagens que recebemos? Na sociedade líquida em que vivemos, de consumo, do acúmulo, do prestígio, da autossufi ciência, do orgulho, da vaidade, da dispensa do Deus de Jesus Cristo, dos ídolos, dos “bbbs”, ouvimos muitas vezes aquela frase: “O importante é ser feliz” e, se for preciso para tal, pode se sacrificar a vida humana, a criação, a flora e a fauna, a família, a fidelidade, o caráter, a obediência a Deus e à sua Palavra. O Evangelho deste domingo nos diz: “Felizes vós, os pobres, porque

vosso é o Reino de Deus! Felizes vós que agora tendes fome, porque sereis saciados! Felizes vós, que agora chorais, porque havereis de rir! Ai de vós, ricos, porque já tendes vossa consolação! Ai de vós, que agora tendes fartura, porque passareis fome! Ai de vós, que agora rides, porque tereis luto e lágrimas! Ai de vós quando todos vos elogiam!” (Lc 6,17-26). Ao proclamar felizes os pobres, Jesus não está propondo o conformismo do sofrimento na vida presente que prepararia a felicidade após a morte. Está, isso sim, mostrando como é a dinâmica do Reino de Deus. O Reino acontece com ações e atitudes concretas de quem está despojado de tudo, de quem tem Deus como único defensor. Os que já têm aqui e agora sua recompensa e vivem indiferentes à fome, à miséria e injustiças do mundo, põem-se automaticamente fora da dinâmica do Reino. Para estes Jesus dirige os “ai de vós”. O Catecismo da Igreja Católica afirma que: “O próprio Deus colocou no coração do homem um desejo íntimo de felicidade” (CIC 1718). Deus nos quer felizes. Jesus foi uma pessoa autenticamente feliz. Jesus propõe um caminho seguro para a felicidade, através das Bem-Aventuranças (Lc 6,17-26). Onde, em que, em quem estamos colocando a nossa confiança, a nossa segurança, a nossa felicidade? Conforme a historinha do início desta reflexão, qual material estamos juntando e oferecendo para São Pedro construir a nossa “casa” futura? O que vamos querer ouvir um dia: “vinde benditos de meu Pai” ou “afastai-vos de mim malditos”? Vivamos as Bem-Aventuranças. Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação, perseverantes na oração e solidários com os que sofrem. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade. Pároco da Catedral

josearturmaruri@hotmail.com bagespirita.blogspot.com.br

O papel do espiritismo Em janeiro de 1863, a Revista Espírita, editada por Allan Kardec, resolveu publicar a seguinte pergunta de um leitor com a respectiva resposta professor lionês, em esclarecimento histórico sobre o espiritismo, in verbis: “A pergunta que se segue nos foi enviada por uma pessoa de Bordeaux, a quem não temos a honra de conhecer, e sua resposta será dada pela Revista, tendo em vista a instrução de todos. Pergunta: “Li numa de vossas obras: ‘O Espiritismo não se dirige àqueles que têm uma fé religiosa qualquer, com vista a dissuadi-los, e aos quais essa fé basta à sua razão e à sua consciência, mas à numerosa categoria dos indecisos, dos incrédulos, etc.’ “E por que não? O Espiritismo, que é a verdade, não deveria dirigir-se a todos? a todos os que estão em erro? Ora, os que creem numa religião qualquer, protestante, judaica, católica ou outra qualquer, não estão em erro? Indubitavelmente, porque as diversas religiões hoje professadas dão como verdades incontestáveis e nos obrigam a crer em coisas completamente falsas ou, pelo menos, em coisas que podem até vir de fontes verdadeiras, mas falseadas em sua interpretação. Se está provado que as penas são apenas temporárias – e Deus sabe se é um leve erro confundir o temporário com o eterno – que o fogo do inferno é uma ficção e que, se em vez de uma criação em seis dias, trata-se de milhões de séculos, etc.; se tudo isto está provado, digo eu, partindo do princípio de que a verdade é una, as crenças oriundas de uma interpretação tão falsa desses dogmas não são nem mais nem menos do que falsas, pois uma coisa é ou não é; não há meio termo. “Por que, então, o Espiritismo não se dirige também a todos os que acreditam em absurdos, para os dissuadir, como aos que em nada creem ou que duvidam etc?” Resposta: Aproveitamos a oportunidade da carta, da qual extraímos as passagens acima, para lembrar, uma vez mais, o objetivo essencial do Espiritismo, sobre o qual o autor da carta não parece bastante edificado. Pelas provas patentes que dá da existência da alma e da vida futura, base de todas as religiões, o Espiritismo é a negação do materialismo e, por conseguinte, se dirige aos que negam ou duvidam. É bem evidente que os que não creem em Deus e na alma não são católicos, nem judeus, nem protestantes, seja qual for a religião em que tiverem nascido; não seriam, sequer, maometanos ou budistas. Ora, pela evidência dos fatos, são levados a crer na vida futura, com todas as suas consequências morais; são livres para adotar, mais tarde, o culto que melhor lhes convenha à razão ou à consciência. Mas aí se detém o papel do Espiritismo; ele é o responsável por três quartos do caminho; ajuda a transpor o passo mais difícil – o da incredulidade. Compete aos outros fazer o resto. “Mas” – poderá dizer o autor da carta – “e se nenhum culto me convier?” Muito bem! ficai então como estais. Aí o Espiritismo nada pode. Ele não se encarrega de vos fazer abraçar um culto à força, nem de discutir para vós o valor intrínseco dos dogmas de cada um: deixa isto à vossa consciência. Se o que o Espiritismo dá não vos basta, buscai, entre todas as filosofias existentes, uma doutrina que melhor satisfaça às vossas aspirações. Os incrédulos e os indecisos formam uma categoria muito numerosa. Quando o Espiritismo diz que não se dirige aos que têm uma fé qualquer, e aos quais esta é bastante, quer significar que não se impõe a ninguém e

não violenta consciência alguma. Dirigindo-se aos incrédulos, chega a convencêlos por meios próprios, pelos raciocínios que sabe terem acesso à sua razão, porquanto os outros foram impotentes. Numa palavra, tem o seu método, com o qual obtém, diariamente, belíssimos resultados; mas não tem uma doutrina secreta. Não diz a uns: abri os ouvidos, e a outros: fechai-os. A todos fala pelos seus escritos e cada um é livre de adotar ou rejeitar sua maneira de encarar as coisas. Desse modo, faz crentes fervorosos dos que eram incrédulos. É tudo o que ele quer. Àquele que dissesse: “Tenho minha fé e não quero mudá-la; creio na eternidade absoluta das penas, nas chamas do inferno e nos demônios; continuo até crendo que é o Sol que gira, porque a Bíblia o diz, e creio ser este o preço de minha salvação”, responde o Espiritismo: “Conservai as vossas crenças, já que elas vos convêm; ninguém procura vos impor outra; eu não me dirijo a vós, pois nada quereis de mim.” E nisto ele é fiel ao seu princípio de respeitar a liberdade de consciência. Se alguns se julgam em erro, são livres para buscar a luz, que brilha para todos; os que se julgam certos têm liberdade de desviar o olhar. Mais uma vez, o Espiritismo tem um objetivo, do qual não quer nem se deve afastar; sabe o caminho que a ele deve conduzir e o seguirá, sem se desviar pelas sugestões dos impacientes. Cada coisa vem a seu tempo; querer ir muito depressa é, muitas vezes, recuar ao invés de avançar. Ainda duas palavras ao autor da carta. Parecenos que ele fez uma falsa aplicação do princípio de que a verdade é una, concluindo daí que certos dogmas, como o das penas futuras e da Criação, receberam uma interpretação errada, devendo, pois, tudo ser falso na religião. Não vemos todos os dias as próprias ciências positivas reconhecerem certos erros de detalhes, sem que, por isso, a Ciência esteja radicalmente errada? A Igreja não se alinhou com a Ciência a propósito de certas crenças de que outrora fazia artigos de fé? Não reconhece hoje a lei do movimento da Terra e dos períodos geológicos da Criação, que havia condenado como heresias? Quanto às chamas do inferno, toda a alta teologia reconhece que é uma imagem e que por ela se deve entender um fogo moral e não material. Sobre vários outros pontos as doutrinas são também menos absolutas do que antigamente, donde se pode concluir que um dia, cedendo à evidência dos fatos e das provas materiais, ela compreenderá a necessidade de uma interpretação em harmonia com as leis da Natureza, sobre alguns pontos ainda controvertidos; porque nenhuma crença poderia racionalmente prevalecer contra essas leis. Deus não pode contradizer-se estabelecendo dogmas contrários às suas leis eternas e imutáveis, e o homem não pode pretender colocar-se acima de Deus, decretando a nulidade dessas leis. Ora, a Igreja, que compreende esta verdade para certas coisas, compreendê-la-á também para as outras, notadamente no que concerne ao Espiritismo, em todos os pontos fundado sobre as leis da Natureza, ainda mal compreendidas, mas que se compreende cada vez melhor à medida que os dias passam. Não se deve ter pressa em rejeitar tudo, apenas porque certas partes são obscuras ou defeituosas (...)”. (Referência: Allan Kardec. Revista Espírita. Janeiro de 1863,. FEB Editora. p. 36-38)

Colaborador da União Espírita Bajeense


Cidade

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019 Tiago Rolim de Moura

Programa disponibiliza 500 kbytes de internet por segundo a cada usuário

Praças Conectadas supera 170 mil acessos, diz prefeitura O programa Praças Conectadas, desenvolvido pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDI), lançado em setembro de 2017, atingiu a marca de 170 mil acessos no início de fevereiro deste ano. A informação foi divulgada, sextafeira, pela prefeitura. Conforme o titular da SDI, Bayard Paschoa Pereira, o programa foi implantado, inicialmente, na Praça Silveira Martins (Coreto), sendo sucessivamente ampliado no decorrer do ano passado para as Praças Júlio de Castilhos (da Estação), Carlos Gomes (junto ao Colégio Silveira Martins), praças Rio Branco

(de Esportes), das Carretas e Carlos Telles (Catedral), atendendo legislação municipal de autoria da vereadora Sonia Leite. Conforme Bayard, o objetivo do projeto é disponibilizar, nas praças da cidade, internet gratuita. “Estamos nos empenhando e criando possibilidades para disseminar nas praças, que são áreas públicas de grande circulação, internet gratuita e acessível, facilitando a vida das pessoas e garantindo mais cidadania”, comenta.

Entenda como funciona

Segundo o diretor da SDI, Cristian Becker, os usuários podem usufruir de velo-

cidade básica de 500 kbytes de internet por segundo, durante o período de uma hora, podendo ou não iniciar uma nova sessão sem limite. “Ouvimos a população e também alteramos a forma de iniciar a navegação, deixando o procedimento mais simples. Basta acessar a rede de nome Praças Conectadas e apertar o botão de Iniciar Navegação”, detalha. O programa conta ainda com Parcerias Público-Privadas (PPP). O próximo local previsto para receber o serviço é a pracinha situada ao lado do Procon, que passou a atender na avenida General Osório, nº 2000, em frente ao 3º Regimento da Cavalaria Mecanizado.

15


www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Deus Salve o Rei - GLOBO - 19h30min Elói conta o plano verdadeiro para Virgílio, que o retribui com um pagamento. Cássio percebe que está sendo seguido por romero. Betânia fica preocupada ao perceber que ulisses deseja o lugar de Brumela. Matilda assume o namoro com Olegário. Rodolfo parabeniza Romero pelo talento de ulisses. selena conta a ulisses que está treinando o controle de seus poderes. afonso consegue adentrar o castelo pela passagem secreta, e percebe que caiu em uma armadilha. Amália descobre que levi se escondeu na carroça. Afonso é surpreendido por Catarina e Rodolfo.

Horóscopo

O Outro Lado do Paraíso - GLOBO - 21h Clara se aconselha com Beth sobre a proposta de Jô e decide procurar Adriana. Jô destrata Nicolau. Johnny e Maíra questionam Zé Victor sobre o paradeiro de Mariano. Samuel se aproxima de Ademir, e Suzy e Adinéia se incomodam. Estela acompanha Amaro ao hospital e Samuel o orienta a agendar a cirurgia o quanto antes. Karina e Diego se separam. Ela volta para a sua cidade e deixa Marquinhos com Diego. Sheila conquista Cícero. Clara mente para Patrick e garante que ama outro homem. Gael exige que Caetana lhe conte o que sabe sobre Sophia.

ÁRIES É claro que você precisa de aventura e paixão! Mas na real, o fim de semana tem a lua em capricórnio, que está mais para afetos sólidos. É possível que sejam dias de muito trabalho.

TOURO

Se hoje você ainda começa o dia no corre para ganhar a vida, logo sentirá maior necessidade de buscar acima de tudo a estabilidade. A paz de espírito vem da fé e da coerência.

GÊMEOS Reúna-se e encontre soluções novas para o que estava na dependência de outras pessoas na primeira parte do dia. o fim de semana chega pedindo maior cuidado com a vida íntima.

CÂNCER Manhã ótima para uma atividade física que revigore seu espírito e para assumir uma função mais inspiradora no trabalho! será um fim de semana dedicado a definir um relacionamento.

LEÃO Vislumbres de melhorias com as ideias correndo soltas e novas oportunidades no horizonte! Porém, nesse fim de semana de muito trabalho, cultive o bem-estar e a consistência afetiva.

VIRGEM Que tal aliviar um pouco a tensão? O astral da manhã está favorável para isso, busque os seus meios de renovar as emoções e a esperança. um fim de semana para fortalecer o seu amor.

Palavras Cruzadas

Orgulho e Paixão - GLOBO - 18h30min rômulo ajuda ernesto e Fani fica abalada ao ver sua família na mansão do parque. camilo escreve uma carta a Jane. susana mente para elisabeta e diz que darcy foi para são Paulo afirmando que não voltará ao Vale do Café. Xavier e Virgílio armam contra Julieta. Aurélio proíbe a viagem de ema. ofélia comemora o casamento de cecília e rômulo. uirapuru pede perdão aos Benedito. Ema, Jane e Elisabeta decidem partir para São Paulo.

LIBRA

Aproveite a chance de liberar padrões mentais e emocionais que estavam presos e entrar em um ritmo mais dinâmico e harmonioso com alguém. um fim de semana para arrumar a casa.

ESCORPIÃO Você pode resolver um problema bem mais fácil hoje! E o trabalho dá resultados melhores, inclusive para o bolso. nesse fim de semana, é hora de se entender com seu amor.

SAGITÁRIO uma liberação muito positiva pode acontecer, deixe o vento bater um pouco no rosto! E depois, muna-se de mais tolerância e carinho no amor, e um bom planejamento no trabalho.

CAPRICÓRNIO lembra que a vida é maior? Beneficie-se da sensação de que sempre haverá boas surpresas pelo caminho. A lua em Capricórnio a partir dessa tarde pede um fim de semana de respeito próprio.

AQUÁRIO Imaginação ativa, novos contornos e experiências animam seu espírito, que precisa acreditar na revolução. Mas o fim de semana é de trabalho compenetrado, inclusive sobre suas emoções.

PEIXES uma oportunidade de trabalho ou de mostrar sua competência vem de alguém ou de um jeito meio inesperado, algo a se pensar! um fim de semana com foco na vida social e no “networking”.

Loterias

Novelas

Edibar

16

Lazer

FEDERAL

LOTOFÁCIL

LOTOMANIA

Sorteio: 05272

Sorteio: 1645

Sorteio: 1854

02 03 04 05 08

00 04 20 24 32 33 35 37 60 61 65 67 69 72 84 88 90 91 96 99

1º prêmio 2º prêmio 3º prêmio 4º prêmio 5º prêmio -

38954 62795 82130 67560 02002

09 10 14 15 16 18 20 21 23 25

DUPLA-SENA

MEGA-SENA

QUINA

Sorteio: 1773

Sorteio: 2028

Sorteio: 4647

07 11 24 36 42 58

14 28 44 65 76

1º- 02 10 13 27 29 36 2º- 16 18 41 44 45 49


Segurança

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Operação “5º Mandamento” prende suspeitos por duplo homicídio em Dom Pedrito

divulgação

A Delegacia de Polícia Civil de Dom Pedrito, com apoio de diversas delegacias da 9ª Região Policial, realizou, sexta-feira, uma ofensiva contra os acusados de serem autores de crimes contra a vida, tráfico de drogas e outros crimes que vêm assustando a comunidade pedritense. De acordo com o delegado André de Matos Mendes, foram cumpridos seis ordens judiciais, entre mandados de busca e de prisão, restando apreendida grande quantidade de drogas diversas, dinheiro sem procedência, armas e veículos. Na ação, foram presos Guilherme da Cruz Deiques e Felipe Marques Fernandes, suspeitos de terem cometido duplo homicídio na terçafeira, em Dom Pedrito. Com eles, segundo informado, foram apreendidas armas e drogas. Também foi detido um casal, que cooperaria com a associação criminosa guar-

dando a droga e o dinheiro do tráfico, além do pai de um dos suspeitos pelos assassinatos, por tráfico e posse de arma de numeração suprimida. Ao todo, foram cinco presos em flagrante. Segundo Mendes, “com a ação de hoje (sexta-feira), a polícia acredita que ao menos quatro tentativas de homicídio e um duplo homicídio serão esclarecidos,

e os respectivos Inquéritos Policiais serão remetidos ao Poder Judiciário com o indiciamento criminal dos suspeitos, o que deve frear a violência em Dom Pedrito”. A ação foi coordenada pela DP de Dom Pedrito e contou com o apoio de policiais da 9ª DPRI, Decrab/Bagé, 1ª e 2ª DPs de Bagé, Draco/Bagé e DP de Candiota.

A Brigada Militar foi chamada, por volta das 5h30min, na sexta-feira, na rua 800, no bairro Habitar Brasil, após uma mulher informar que seu ex-companheiro estava desobedecendo a medida protetiva.

Conforme o registro de ocorrência da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), o homem, de 29 anos, tentou arrombar o portão da casa da vítima, quebrando os vidros. Com a chegada dos agentes da Brigada

Militar, ele pulou o muro e tentou fugir pelo pátio, onde foi detido pelos policiais. Na delegacia, o indivíduo foi autuado e detido em flagrante por desrespeitar a medida judicial da Lei Maria da Penha.

Na madrugada de ontem, moradores da região da Estrada do Quebracho comunicaram, na Delegacia de Polícia de Pronto

Atendimento (DPPA), que criminosos furtaram um poste de energia elétrica da Companhia Estadual de Energia Elétrica

(CEEE). A ação, que passa por investigação, deixou os moradores da região sem energia elétrica.

Ação teve apoio de delegacias da 9ª Região

Homem é detido por descumprimento de medida protetiva

Furto de poste na Estrada do Quebracho deixa moradores sem energia

17

Óbitos ANA MARIA MARTINS CAVALHEIRO, 53 anos, auxiliar de limpeza, casada com Eroni da Silva. Residia na rua 24, bairro Santos Dumont, São Leopoldo/RS.


18

Esporte

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

Yuri Cougo Dias

yuricougodias@gmail.com

O que o Bagé precisa para subir

Abelhão começa jornada neste domingo. Reportagem traz exemplos de equipes que conseguiram o objetivo Chegou o momento tão aguardado pelo torcedor jalde-negro. Neste domingo, às 17h30min, quando a bola rolar no estádio Pedra Moura, o São Gabriel será o primeiro obstáculo a ser superado pelo Bagé. São 18 jogos que separam a Divisão de Acesso da série A. Entretanto, para subir, é preciso enfrentar um caminho árduo. Como o Abelhão se planejou para isso? E como os últimos quatro clubes que subiram nos últimos dois anos (São Luiz, Avenida, Pelotas e Aimoré) se organizaram para atingir? Quanto custa subir? Para responder essas questões, o Jornal MINUANO consultou fontes ligadas aos clubes envolvidos. Com isso, pode-se comparar o caminho que o jalde-negro busca traçar com os que já chegaram lá. Tire suas conclusões.

Parceria com investidor

Não repetir os erros de 2018. Essa é a percepção do presidente Rafael Alcalde. Quando ascendeu à Divisão de Acesso, a equipe então comandada por Carlos Moraes chegou a última rodada da primeira fase ainda brigando por classificação. Entretanto, por detalhes, não conseguiu ir mais longe. Diferentemente deste ano, em 2018, a responsabilidade da gestão diária era dos próprios dirigentes ligados ao clube, meramente por paixão. “Fizemos um esforço muito grande para dar as melhores condições possíveis. Era uma folha salarial alta para nosso patamar (R$ 62 mil),

mas, para a competição, era baixa. Se chegássemos aos mata-matas, talvez a história tivesse sido diferente. Por isso, se quiséssemos algo maior, vimos que deveríamos buscar parceiros para serem investidores no futebol. Tivemos várias reuniões, com cinco prováveis investidores, a maioria de Porto Alegre e um de Bagé. Mas eram modelos que não nos satisfaziam. Até conhecermos a RCB Assessoria Empresarial, capitaneada por Rodrigo Trindade. A empresa é focada em assessorar para melhorar negócios, capitalizar mais clientes e buscar maiores rendimentos”, explica. Com a parceria formalizada, em novembro de 2018, o Grêmio Esportivo Bagé passou a ter um investidor de futebol, responsável por capitanear acerto com jogadores e profissionais para o dia a dia do clube. Foi por esse modelo que o clube fechou com o meia Souza e passou a ter a colaboração do ex-atacante Luís Mário, por exemplo. O contrato com a RCB tem vigência por uma década, entretanto, a renovação será feita ano a ano. Como contrapartida, há participação em possíveis premiações e venda de atletas. A primeira ação foi no aspecto estrutural. Seguindo o raciocínio de que, para haver cobranças era necessário fornecer subsídios, o clube promoveu reformas nos alojamentos, com instalação de ar-condicionado

divulGação

clube aposta em profissionalização com parceria em todas as suítes; ampliação do refeitório e restauro nos vestiários, que hoje tem espaços subdivididos para cada jogador. Ao longo do ano, Alcalde projeta novas intervenções no Pedra Moura.

Folha de R$ 95 mil

Cumprido o objetivo de melhorar a estrutura, a direção partiu para o futebol. Para montar um grupo Yuri dias

considerado qualificado para a competição, a folha mensal subiu para R$ 95 mil, valor que já inclui o direito de imagem dos jogadores. Na comissão técnica, o clube apostou em Michel Neves, pelo trabalho de recuperação na Copa Wianey Carlet. Se não fosse o polêmico pênalti não marcado contra o Inter-B, no duelo de volta das oitavas de final, talvez o jalde-negro pudesse ter decidido, contra o Gaúcho, nas quartas, uma vaga na Copa do Brasil. Em relação à escolha de jogadores, Alcalde comenta que a direção primou por jogadores que estavam pouco tempo parados e com características diferentes para cada função. “Em 2018, alguns jogadores estavam há muito tempo sem jogar e acima do peso. Com a pré-temporada

forte, muitos tiveram lesões. Era um elenco numeroso, mas não tão qualificado. Agora, temos jogadores diferentes para cada posição, proporcionando que o técnico possa escolher, dependendo do adversário”, argumenta. Com estrutura melhorada e um plantel qualificado, de agora em diante, Alcalde diz que o próximo passo deve ser dado pelo torcedor, no que chama de ‘Fator Pedra Moura’. “Quando enche, dificilmente um time consegue nos vencer. O papel de buscar investimentos foi feito. Agora é a vez do torcedor, se associando e lotando o estádio. Vamos transformá-lo numa ‘Bombomoura’ para chegarmos a série A”, finaliza.

FICHA TÉCNICA BAGÉ X SÃO GABRIEL

Domingo, às 17h30min, estádio Pedra Moura Ingressos – R$ 30 (público em geral) e R$ 20 (idosos, mulheres e estudantes identificados com carteira). crianças até 12 anos não pagam. BAGÉ – Gil Grando, Fabinho Capixaba, André, Diego Rocha e Gustavo Nogy; capinha, Jaime, Jefferson Bernardo, souza e Weltinho; Maicon santana. Técnico: Michel Neves. SÃO GABRIEL – Anderson, Selton, Carlão e Ícaro; Artur, Paulo Vitor, Patrick, Santos e Kadu; leandro e Fischer. Técnico: Celso Rodrigues. Arbitragem – Marcelo Cavalheiro, auxiliado por Fagner Bueno Cortes e Diego luís da Rosa. Quarto árbitro, Jeferson Eduardo Moraes e delegado, Paulo Ricardo Soller Camacho.


Esporte

www.jornalminuano.com.br

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

O exemplo de quem chegou na elite São Luiz – Campeão em 2017

Por Alex Frantz, repórter da rádio Progresso, de Ijuí Planejamento

“O São Luiz de Ijuí, após três temporadas na Divisão de Acesso, conquistou o tetracampeonato da competição em 2017, numa disputa emocionante contra o Avenida, quando venceu nos pênaltis, por 9 a 8. A equipe ijuiense se planejou forte para retornar a elite do futebol estadual. Em setembro de 2016, após uma campanha irregular na Divisão de Acesso do ano citado, fez uma reformulação no departamento de futebol”.

Estrutura

“A estrutura oferecida pelo clube não foi das melhores. Gramado ruim, vestiários ruins e iluminação precária, porém, tudo isso foi vencido pelos atletas e comissão técnica”.

Folha salarial

“Em 2017, ano do Acesso, o clube formou um elenco com uma folha salarial de R$60 mil, antes da chegada dos três atletas da série A. Após, a folha foi a R$69 mil, já inclusa a comissão técnica”.

Comissão técnica e jogadores

“Delmar Blatt, homem de confiança do presidente Pedro Pittol, assumiu o comando do futebol. Blatt, que já vinha acompanhando há um bom tempo do trabalho do técnico Paulo Henrique Marques, entrou em contato e o treinador foi anunciado. A partir daí, começou a elaboração do elenco. Com pouca grana em caixa, era necessário usar da criatividade. Foram 23 jogadores contratados e o clube ainda aguardava pelos três que viriam da série A. E curiosamente chegaram dois laterais, um de cada lado que estavam no elenco do Passo Fundo que fora rebaixado: Maicon e Xaro e o atacante Mateus Lagoa que disputou o certame pelo Veranópolis. Com uma campanha fraca no primeiro turno, o time cresceu no segundo turno e chegou como favorito nas fases de mata-mata e conquistou o acesso, com uma sonora goleada de 4 a 1 contra o Inter SM. São Luiz trabalhou com 23 jogadores na divisão de acesso sendo os principais destaques o goleiro Jônatas, lateral Maicon, volante Zé Lucas e os atacantes Jean Dias, Léo Mineiro e Ari”.

Avenida – Vice em 2017

Pelotas – Campeão em 2018

Planejamento

Planejamento

Por Roberto Patta, repórter do jornal Gazeta do Sul “A partir de 2017, o Avenida mudou o modelo de gestão, a fim de colher os frutos no futuro. A conquista do acesso naquele ano fez o clube pensar grande, o que acabou dando certo. Com seriedade e profissionalismo, o Periquito passou a ser um time respeitado pelos adversários”.

Estrutura

“Dentro do processo de reestruturação, o estádio dos Eucaliptos recebeu uma série de melhorias, entre elas, um novo pórtico de entrada, reformas da cabines de imprensa e do vestiário do clube-visitante e construção de vestiários para arbitragem. Isso tudo por meio de uma parceria com a Kopp Construções, de Vera Cruz. A necessidade de melhorar o aspecto do local foi importante para garantir mais segurança e conforto aos torcedores e aos profissionais que cobrem o dia a dia do clube”.

Finanças e folha salarial

“As conquistas, como a inédita e invicta Copinha, ajudaram a reforçar o caixa do Avenida. A classificação heroica na vitória de 1 a 0 sobre o Guarani fará o clube dar um passo fundamental no aporte financeiro. São R$ 500 mil pela participação na primeira fase e mais R$ 600 mil pela classificação. Para um clube do interior, isso é essencial. A folha salarial no Gauchão deste ano é aproximadamente R$ 200 mil. Em 2017, foi entre R$ 90 mil e R$ 100 mil. Quando quer se brigar forte em uma competição, o investimento se faz necessário. E o Avenida se baseou nisso”.

Comissão técnica e jogadores

“O técnico Fabiano Daitx está no Avenida desde abril de 2016, portanto, completará três anos no cargo. A sua manutenção ao longo dos anos foi fundamental. Mesmo não obtendo a vaga em seu primeiro ano no comando, levou o clube de volta à elite do futebol gaúcho no ano seguinte. O momento de glória ocorreu em 2018, quando Daitx fez o Periquito terminar o estadual na quarta posição e ganhar a Copinha. A base do elenco já vem desde 2017, o que também contribuiu para o sucesso nas competições. A permanência de um treinador dá resultado desde que a direção acredite no trabalho, o que ocorreu no Periquito”.

19

Por Tallis Machado, repórter da rádio Tupanci “O planejamento para o Pelotas conquistar o Acesso, em 2018, começou ainda em 2017. Na copa do segundo semestre, começou na montagem do elenco que serviria como base para o título da Divisão de Acesso em 2018. Também foi fundamental ter convicção no trabalho, mesmo após a eliminação na mesma copinha de 2017, 70% do elenco foi mantido para o ano de 2018”.

Estrutura

“O Pelotas há muito tempo possui uma boa estrutura de trabalho, com o Parque Lobão, onde realiza seus treinos e com o estádio da Boca do Lobo, um dos melhores do interior gaúcho. Vale lembrar que o Pelotas ganhou todos os jogos que fez como mandante na campanha da Divisão de Acesso. O clube ainda busca modernizar situações do clube como a sua relação com os sócios e a melhoria do seu estádio”.

Folha salarial

“Folha salarial girava em torno de 110, 120 mil. Os salários estavam em dia e ocorreram bonificações aos jogadores nos mata-matas. Apesar das dificuldades financeiras que os clubes do interior enfrentam, o Pelotas conseguiu superar isso, muito pelo planejamento estratégico e administrativo, executado pelo presidente Gilmar Schineider”.

Comissão técnica e jogadores

“O trabalho começou sob o comando de Thiago Gomes, técnico que montou e estava a frente da equipe desde o segundo semestre de 2017. Porém, a duas semanas da estreia, ele recebeu uma proposta do Grêmio e deixou o Pelotas. Com isso, Paulo Porto assumiu a equipe e conduziu o Pelotas ao longo da Divisão de Acesso. Sobre a montagem do elenco: jogadores versáteis, mesclados com jogadores historicamente decisivos e experientes. Alguns atletas polivalentes, como Germano, Jean Roberto e Hugo Sanchez foram o termômetro da equipe ao longo da competição, mesclado com jogadores experientes como Juliano Tatto e Cleverson, Thiago Gaúcho. Em resumo, unir jogadores que conheciam a aldeia com jogadores mais jovens e que poderiam exercer mais de uma função em campo. Essa foi a fórmula de sucesso”.

Aimoré – vice em 2018

Por Matheus Beck, repórter do jornal VS Planejamento

“A gestão que ‘abraçou’ o clube em 2017/2018 sabia das dificuldades do clube imediatamente depois de um descenso. De qualquer forma, não colocou como objetivo subir ‘de qualquer jeito’. As medidas iniciais levaram em conta as necessidades de sanar dívidas, organizar estruturalmente o clube e a partir daí pensar o futebol. Salário altos e nomes de grande expressão foram secundários, portanto a bola passou a ser mais viável. Depois de um Acesso mediano em 2017, a direção entrou na Copinha daquele mesmo ano com a ambição forte de estar nas finais. Dessa forma, poderia ter algum recurso para um 2018 mais próspero. Essa ideia acabou sendo contemplada com a ida para a Copa do Brasil. O time foi eliminado no primeiro jogo, mas os R$ 500 mil fizeram com que a contratação de jogadores de primeira divisão, para a reta final da Segundona, pudesse acontecer. Foi um planejamento contemplado por um destino. De qualquer forma, por mais que a situação talvez não fosse acreditada nem pelo mais fanático, encaro como uma espécie de premiação ao trabalho com os pés no chão”.

Estrutura

“Estruturalmente, o Aimoré caminha de forma ainda vagarosa. O estádio Cristo Rei foi inaugurado em 1961. Desde então, as melhorias foram mais superficiais. Internamente, ainda se carrega essa característica mais antiga e, ao mesmo tempo, ainda não oferece, por exemplo, uma estrutura para treinamentos que não seja o gramado principal que recebe os jogos. Para subir, pelo fato de não ter um CT, o clube teve que contar com o apoio de campos do município e tentar, aos poucos, mexer em pontos mais emergenciais para trazer alguma tranquilidade ao grupo”.

Folha salarial

“Bom, o presidente Paulo Costa, que esteve a frente do Aimoré nos dois anos passados, foi sempre conhecido por ser um cara mão fechada. Na Divisão de Acesso 2018, que o Índio obteve a subida com folha salarial de cerca de R$ 80 mil mensais. Esse valor teve um acréscimo e beirou os R$100 mil na chegada dos reforços vindos do Gauchão. O plano traçado foi obtido e as finanças foram resolvidas praticamente com o dinheiro da Copa do Brasil. Houve também a busca de patrocínios, mas os valores sempre mais

baixos por conta da exposição menor. Hoje, a gestão é feita por Ronaldo Vieira, que foi vice-presidente do próprio Costa. Houve uma quebra da chapa, portanto, Vieira seria uma espécie de “oposição”. De qualquer forma, manteve a linha de pensamento de futebol, grupo de jogadores e comissão técnica. Ao mesmo tempo, permanece com os devidos cuidados financeiros para manter o Aimoré na primeira”.

Comissão técnica e jogadores

“Identificação com o clube e com a competição foram as principais buscas da direção. O então presidente, ainda no ano passado, sempre gostou do trabalho do técnico Gelson Conte, que foi campeão da Terceirona com o Aimoré, em 2012. Os jogadores também seguiram essa linha. Há nomes como Marcelo Pitol, Gian, Toto, que foram contratados e já conheciam bem o clube, assim como a manutenção de mais de 10 jogadores que vinham atuando com a camisa aimoresista nos últimos anos. Ao mesmo tempo, foi entendido que era necessária uma qualidade superior. O clube precisava se habituar com esse novo momento e, até esse meio de estadual, parece que a estratégia tem dado certo”.


20

Contracapa

BAGÉ, 16 E 17 DE FEVEREIRO DE 2019

www.jornalminuano.com.br

Bioma em foto

Biologia

Exemplar foi fotografado por Samuel Arrieche, na Estação Ecológica do Taim, Rio Grande (RS), e o texto elaborado pela bióloga mestra tamyris ramos, professora do curso de ciências Biológicas da urcamp.

O Caracara plancus, conhecido como carcará, é uma ave de rapina representante da Ordem Falconiformes e da Família Falconidae. Esses animais podem ser facilmente encontrados em campos abertos e pastagens da nossa região e sua distribuição geográfica compreende toda a América do Sul e parte da América do Norte. São animais de significativo tamanho, podendo atingir, aproximadamente, 125 centímetros de envergadura e até um quilo. Os carcarás podem ser facilmente reconhecidos por sua coloração característica, como o pescoço branco e listrado e seu penacho na cabeça. A alimentação dessa ave é oportunista, ou seja, varia de acordo com o ambiente em que está inserido e pode conter um amplo espectro de itens como invertebrados (insetos, minhocas, carrapatos e outros vermes), vertebrados (filhotes de aves em ninhos e serpentes), carcaças e frutos. A espécie possui hábito solitário e ficam no solo durante o dia em busca de alimento e à noite pousam nas árvores e em galhos altos. Seu canto característico que deu origem ao nome “carcará”, serve como um sinal de alerta e para a comunicação entre os indivíduos.

Para saber mais sobre essa ou outras espécies da flora e fauna do Bioma Pampa, entre em contato com o curso de ciências Biológicas da urcamp, pelo telefone (53) 3242-8244, ramal 212.

Profile for Jornal Minuano

20190216  

20190216  

Advertisement