Issuu on Google+

Edição N°9 - Edição Bicas-MG - 15 de Junho a 10 de Julho de 2010

ORGIA FINANCEIRA NA PREFEITURA Escândalo denunciado fará município economizar cerca de R$ 450 mil por ano.

N

ão foram em vão as denúncias

efetuadas pela ex-vereadora Joelma Schettino Pereira, pelo ex-prefeito Dr. Barreto e pelo médico Dr. José Alberto Matias, a cerca das irregularidades envolvendo as licitações e o fornecimento de combustível ao município, pelo Posto São Jorge Ltda, amplamente divulgadas por este jornal. Apesar de a Câmara Municipal não haver tomado a mínima providência quanto aos fatos denunciados, nosso prefeito, acuado pelo peso da responsabilidade, resolveu cancelar, embora tardiamente, o contrato existente entre o município e a referida empresa fornecedora, realizando novo processo licitatório, desta vez com a transparência e a honestidade necessárias ao ato administrativo. Os novos fornecedores de combustível aos veículos municipais são, agora, Posto Jukear – gasolina e álcool – e Posto de São Manoel – óleo diesel – legítimos vencedores do novo processo licitatório.

O demonstrativo abaixo dá uma vaga idéia do que estava ocorrendo em nossa administração:

já foram ouvidos no inquérito instaurado pelo Ministério Público local.

Os preços que pagava o município até agora pelo combustível que adquiria do Posto São Jorge, eram os seguintes:

Imprensa sadia

- gasolina: - álcool: - diesel:

R$ 2,65 p/litro; R$ 1,98 p/litro; R$ 2,20 p/litro.

Os novos preços, conseguidos após a nova licitação: - gasolina: - álcool: - diesel:

É para isto que serve uma imprensa sadia: Para informar ao povo a verdade e para fazer mudar certos esquemas até então existentes. Por isso temos a sensação do dever cumprido e a satisfação de saber que, quem ganhou não fomos nós, foi o povo biquense.

R$ 2,35 p/litro; R$ 1,64 p/litro; R$ 1,83 p/litro.

Diferença gritante

Tomando-se por base o consumo da prefeitura – aliás, enorme – tem-se que o município irá economizar cerca de R$ 450 mil por ano, o que não é pouca coisa, para uma cidade da dimensão de Bicas.

A diferença absurda nos preços praticados até então para aquisição desses produtos, e os que serão praticados, doravante, pelos Postos vencedores, dão uma idéia da farra financeira que existia na prefeitura.

Mas a nova licitação não faz desaparecer a farra financeira municipal, pois as providências só foram tomadas após a denúncia de Joelma, Dr. Barreto e Dr. Beto, que

FOTOS QUE ESTÃO NA DENÚNCIA ONDE COMPROVA A IRREGULARIDADE DO POSTO SÃO JORGE QUE GANHOU A LICITAÇÃO DURANTE 7 ANOS ONDE ABASTECIA EM OUTRO POSTO *FLAGRANTE

Município é condenado a indenizar Beneficiários de ex-servidora Pag. 02 DENÚNCIA CONTRA HONÓRIO E CELITA ALHADAS (SECRETÁRIA DE FAZENDA)

r u T o g e N VIAGENS E EVENTOS

Pag. 06

VIAGEM A BH Pag. 07 O JECA Pag. 08

Tel: (32) 3271 - 4387 9963 - 0092 negotur@powerline.com.br


EDIÇÃO BICAS N°09 15/06 A 10/07 - 2010

DENÚNCIAS ESPERAM POR PROVIDÊNCIAS DA CÂMARA E DA PREFEITURA É incrível! Só agora, depois da denúncia encaminhada ao Ministério Público e veiculação da notícia neste Jornal, o prefeito parece que “tomou conhecimento” de irregularidades iniciadas em 2005. Foi publicado em 29-05-2010 aviso da Prefeitura dando conhecimento da abertura de processo de licitação do tipo “pregão” para abastecimento dos veículos da municipalidade, é evidente, com suspensão da antiga licitação “ganha” pelo Posto São Jorge recheada de irregularidades, após as denúncias no MP, reproduzidas por este Jornal. É lógico que o estabelecimento acima citado não deve e não pode participar de dita licitação face aos sabidos problemas. Há que se ressaltar ainda, e se está fazendo disto um mistério, que nas licitações ganhas pelo Posto São Jorge há algo mais além dos combustíveis: há os outros produtos usados em veículos, como óleo de motor, de freio, graxa, solventes etc.. que podem ainda vir sendo fornecidos pelo Posto São Jorge, que, pela denúncia, não apresenta condições legais ou morais para isto. Estranhamente, querem aqueles ligados à administração municipal convencer a todos que a Portaria cancelando o abastecimento no Posto São

Jorge teria sido expedida antes da data em que foi protocolada a denúncia no MP. Estranhamente ainda esta Portaria é daquelas que ninguém viu, ninguém leu e ninguém tomou qualquer providência, e só se soube de sua “existência” na semana seguinte à entrada da denúncia na Promotoria. O que parece é que dita Portaria teria sido feita após a denúncia, com data retroativa, dando uma falsa impressão que o Prefeito havia se antecipado à mesma. Parece-nos mero engodo pelas razões acima expostas. Mas mesmo que fosse a data verdadeira, vamos supor, isto não anularia a saraivada de irregularidades denunciadas e que existem há praticamente 6 anos e que portanto não podem só agora se tornarem do conhecimento do prefeito, e desta forma, positivamente portanto, não eliminariam a responsabilização dos senhores Honório de Oliveira e Fernando do Joca. O fato é que a corrida do senhor Prefeito em editar a Portaria cancelando o abastecimento e abrir nova licitação é apenas e tão somente a confissão das irregularidades, e de que os acusadores estão com a razão. A esperança está em medida judicial solicitada pelos denunciantes, e quase nenhuma em medidas administrativas e ou políticas, haja visto a

relação existente entre os dois senhores citados, Honório de Oliveira e Fernando do Joca. Contudo, se analisarmos friamente e imaginando que se estivesse em uma cidade administrada com transparência, e honestidade à administração municipal caberia, pelo menos 1) a investigação e punição dos responsáveis, 2) a devolução dos valores pagos a mais (aliás, já admitidos pelo Presidente da Câmara, Vereador Loro e que ultrapassam a casa dos R$ 500 000,00) do Posto São Jorge à Prefeitura, 3) a realização de nova licitação e a desabilitação do Posto São Jorge de participar ou de fornecer qualquer produto à Prefeitura, já anuciada. À Câmara Municipal caberia 1) rigorosa investigação, 2) afastamento do Vereador Fernando do Joca da Câmara (para que não intervenha – como é de seu hábito) nas investigações, 3) início de processo de impeachment do Vereador Fernando do Joca e do Prefeito Municipal Honório de Oliveira. É pelo menos isto que o povo espera de suas autoridades, e à voz do povo se junta a voz do “O Lanterna” Vejam as fotos que comprovaram as denúncias de que veículos da Prefeitura estavam abastecendo em outros Postos de Combustíveis.

Município é condenado a indenizar Beneficiários de ex-servidora Dorniê M.Silva

Conforme

decisão inédita á 7ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais reformou a sentença e julgou procedentes os pedidos vestibulares, nos autos da ação de indenização movida pelos beneficiários da ex-servidora Vera Lúcia de Oliveira Souza, ficando o apelado condenado a pagar aos autores-apelantes a importância de R$10.000,00(dez mil reais) devidamente corrigida pelos índices divulgados pela Corregedoria Geral da Justiça de Minas Gerais, desde a data em que se deu o falecimento da segurada, dia 27/11/2005 até aquela em que se der o efetivo pagamento, e acrescida de juros moratórios de 1% (um por cento) ao mês- Art.406 CC/2002 no período compreendido entre a data do falecimento da segurada e aquela que

MINAS GERAIS

entrou em vigor a lei n°11.960/09, e a partir de então, na forma estabelecida, ficando ainda a cargo do apelado, o pagamento dos honorários advocatícios de sucumbência. Conversei com o patrono da causa o Dr. Nelson de Souza Ramos Filho e ele me esclareceu que essa decisão beneficiará os servidores da prefeitura municipal de Bicas. “Lembrou também que na administração do ex-prefeito Gilson Lamha foi implantado o seguro de vida para todos os servidores municipais a um custo insignificante tanto para o servidor como também para o município. Que na administração do Dr. Antonio Carlos Barreto foi revistos os valores das indenizações, sendo inclusive, incluída a cobertura por invalidez permanente. Dr. Nelson nos informa ainda,

ESA

que no ano de 2005, o prefeito entendeu pelo cancelamento equivocado do seguro prejudicando absurdamente os servidores municipais.” DOS DIREITOS Com essa decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais pode acontecer o chamado “efeito cascata negativo”, obrigando o município de agora em diante a indenizar a todos os beneficiários de servidores que vierem a falecer e também aos servidores que se aposentarem por invalidez permanente. Ainda há tempo para que o prefeito consiga reparar o erro a mais essa injustiça cometida em desfavor dos servidores público do nosso município, afinal, um erro nunca pode e nem deverá justificar outros. Dorniê é Acadêmico de Direito

Convite

A cordenação Subseccional da ESA - 5ª Subseção de Bicas - convida para a palestra PRINCIPAIS ALTERAÇÕES DA LEI DO INQUILINATO que será proferida pelo Dr. Paulo Viana Cunha, presidente do IBEI (Instituto Brasileiro de Estudos Imobiliários), a realizar-se em 24 de Junho de 2010, às 19h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Bicas (Praça Raul Soares, n°20 - Bicas).


EDIÇÃO BICAS N°09 15/06 A 10/07 - 2010

O MENTIROSO Bicas vem a cada dia vendo máscaras caírem. Aqueles que se diziam transparentes tem sua sujeira exposta diariamente através das luzes de “!O |Lanterna”. Os mesmos que se diziam de mãos limpas as tem tão sujas que são incapazes de usá-las para sua própria defesa, e passam usar da boca para mentir e agredir a terceiros. Em função disto, e apenas disto, e por me sentir atingida, sou obrigada a lançar mão deste Jornal, o verdadeiro guardião da verdade de nossa terra, aquele que não se vende ao poderio do poder público e que não se acovarda diante das ameaças, para, simplesmente, classificar o cidadão e “vereador” FERNANDO DO JOCA” de “ O MENTIROSO”. Este cidadão, repito, que não se defende das acusações diversas de irregularidades que vem cometendo, em sua insanidade, proferiu as seguintes declarações a meu respeito: 1) Que o atestado médico de licença de trabalho que Dr. Beto havia me fornecido seria falso. Completa ignorância de quem não tem a menor capacidade para discutir um atestado de um profissional médico. É ele um irresponsável e fazer tal afirmativa. De fato, Dr. Beto me concedeu licença, por motivo de doença por 15 (quinze) dias, que depois foi prorrogada por duas vezes por perícia médica do INSS (reprodução ao lado do resultados das perícias) a que me submeti. Será que o citado vereador também está achando que a Perícia do INSS também me forneceu licenças graciosas, ou seja, sem que eu estivesse doente? É no mínimo uma leviandade a afirmativa do vereador, e em função disto, eu e o Dr. Beto estamos movendo processo (mais um entre tantos) contra o mentiroso, junto à Justiça da Comarca. 2) Em outra desvairada impropriedade verbal, dito “vereador”, repito, Fernando do Joca, afirmou que havia eu usado da máquina de xérox da Câmara para fazer cópias de documentos que mais tarde utilizei junto à COHAB. Mentira, simplesmente mentira. A cópia dos documentos foram tiradas na firma Mister Cópias, nesta cidade de Bicas, em 27/07/2008, conforme cópia reproduzida ao lado. Mais uma vez fica comprovado que se trata do “O MENTIROSO’’ 3) Mas ele não para. E não é que partiu então a dizer que eu havia ganho uma casa da COHAB. Mentira, mais uma vez mentira. A verdade é que eu participei de processo seletivo como candidata adquirir uma casa da COHAB em Bicas, nas mesmas condições de outras pessoas, e fui selecionada por esta instituição, nada tendo a haver com a Prefeitura. Fui selecionada como COMPRADORA, e portanto COMPREI uma casa, financiada em longos anos, e pela qual venho pagando regularmente. Por fim, gostaria de deixar aqui claro que estas mentiras do “O MENTIROSO' não ficarão impunes, e que estou estudando com meus advogados a medida jurídica cabível.

Bicas, maio de 2010 DANIELA SCHETTINO

a


EDIÇÃO BICAS N°09 15/06 A 10/07 - 2010

DENÚNCIAS CONTRA HONÓRIO E FERNANDO SÃO CONFIRMADAS PELO PRESIDENTE DA CÂMARA O Vereador Loro, presidente da Câmara Municipal de Bicas, numa tentativa desastrada de defender a administração municipal das acusações levadas à Promotoria Pública e relatadas por este Jornal em sua última edição, acaba, sem sombra de dúvidas por confirmá-las. Assim escreve o citado vereador: “Primeiro eles (os denunciantes) alegam que o posto seria de propriedade do Vereador Fernando, anexando para isso na denúncia um documento onde aparece o nome de sua mãe (D. Helena) como dona de 10% do posto e os outros 90% como sendo do espólio do seu falecido pai, o Joca. Eles não sabem, no entanto, que existe um documento de renúncia do ano de 2002 assinado pelo Fernando, pela Cláudia e pelo Aloísio onde eles renunciam aos seus direitos sobre o posto em favor de sua mãe, portanto, legalmente, a dona do posto é a sua mãe” Em primeiro lugar, merece comentário que nas relações comerciais o que vale é de fato o que consta na Junta Comercial, e neste órgão em fins de março de 2010 (conforme Certidão da Junta Comercial anexada á denúncia, a que o vereador chama de documento) consta que a propriedade do Posto São Jorge é do Fernando do Joca, sua irmã e sua mãe. Em assim sendo, é inquestionável que são eles os proprietários do estabelecimento comercial. Continua o vereador em sua defesa “Concordo, seria mesmo (crime), assim como seria o fornecimento feito pelo posto de sua mãe. Há porém decisões do Tribunal de Contas favoráveis a este fornecimento, desde que o processo licitatório seja transparente e aberto à livre concorrência...” Mesmo que se considere legítima a defesa empreendida pelo Vereador, ele próprio admite tratar-se de um ato completamente irregular. Com relação a parecer favorável de Tribunal de Contas, este não tem poderes que sobreponha às leis vigentes e concessões só seriam justificadas se, por exemplo, fosse o único Posto de Abastecimento da cidade ou em um raio muito grande que, economicamente, tornasse inviável o abastecimento em outro local, o que, decididamente não é o caso. Quanto à transparência do ato licitatório, a afirmativa beira ao ridículo, haja vista as denúncias efetivadas. Mais á diante afirma o vereador que “Citam ainda que a Prefeitura não poderia estar comprando combustíveis de um posto que foi autuado pela ANP...... O fato de o posto ter sido autuado ou multado não impede que ele continue trabalhando normalmente, diferentemente do caso do posto ser interditado. Quando um posto é autuado por causa de combustível adulterado, que foi o ocorrido à época, a ANP exige o imediato esvaziamento dos tanques, o combustível é apreendido e é aberto processo para apuração das responsabilidades...” Parabéns. Muito clara a exposição do vereador. De tão clara ficou aí a confissão de que o combustível foi adulterado – sabíamos da irregularidade: trata-se de combustível adulterado, ou seja, a famosa “gasolina batizada”. De fato não há impedimento para que a comercialização continue, mas há que se comentar que a própria ANP em seu site afirma que a relação das firmas autuadas é atualizada semanalmente e o nome de um estabelecimento é dela retirado desde que ele (o estabelecimento) prove que não houve a irregularidade, corrija o problema, ou consiga a retirada por medida judicial. Ora, a notificação foi em novembro de 2006, e o nome do Posto São Jorge permanece na relação até a presente data. Ou seja, permanece irregular. E vai aqui a pergunta: é justo a Prefeitura, com o nosso dinheiro, abastecer em um estabelecimento que comete uma irregularidade e nela permanece? É óbvio que isto é pelo menos imoral, ainda mais quando se lembra das relações do prefeito Honório de Oliveira com o proprietário do estabelecimento Fernando do Joca.

Mas, no afã de defender seu grupo político o vereador Loro, até mesmo se esquecendo de sua posição de Presidente da Câmara, quando deveria exercer certa neutralidade, continua : “Aí surgem duas coisas que realmente causam estranheza e seriam necessárias medidas da administração. A primeira delas é com relação ao preço dos combustíveis praticados hoje..... O que aconteceu foi uma queda no preço dos combustíveis do final de 2009,.... Cabe dizer, no entanto, que se fosse o contrário, ou seja, se o preço tivesse aumentado, o posto vencedor da licitação iria pedir uma revisão do contrato, o que é permitido pela lei de licitações. Por que então, como houve redução nos preços, não foi pedida pela Prefeitura uma revisão do contrato? Acho que houve um erro administrativo, mas nada ilegal”. Até parece que este comentário teria sido feito pelos denunciantes. Mas não foi! Foi pelo Vereador Loro. Acho que Vereador confundiu alhos com bugalhos, mas afinal confessa que os preços estiveram superfaturados e que a Prefeitura deveria ter determinado que fosse o preço corrigido para baixo. É bom que se esclareça que o superfaturamento não vem de hoje e a desculpa acima não se justifica. A licitação, por exemplo, já foi ganha em 2008 por um valor de R$ 2.63 o litro de gasolina, quando o preço praticado na região não ultrapassava a R$ 2,00. Segundo o defensor, houve apenas um erro administrativo. É muito fácil dizer que foi apenas um “erro administrativo” quando o prejuízo não é dele, mas da municipalidade. Vá ele verificar este “erro administrativo” quando se compra cerca de R$ 500 000,00 anuais durante mais de 6 anos a valores maiores de cerca de 30% (cerca de R$150 000,00 a mais por ano). O rombo ultrapassa a R$ 500 000,00 e pode chegar perto de R$ 1 000 000,00.

(a um preço maior), situação esta que ilustre defensor se esquece de comentar. Mas há muito mais coisas que ele não menciona em sua obstinada defesa: a agressão ao meio ambiente, a questão do alvará ambiental, o fato de se ter sido denunciado situação irregular do Posto para com a Receita Federal, a inexistência de documentação na licitação de 2007. Portanto, fatos que tornariam o Posto São Jorge inapto a participar do certame licitatório. Mas o Vereador Presidente Loro, e agora acompanhado de seu colega Fernando do Joca (através de Jornal e Rádio) não se detiveram apenas à situação do Posto São Jorge e tentaram a defesa do indefensável: as irregularidades do loteamento da Cutieira. Tentam, de toda forma desviar a atenção dizendo que foi o exprefeito, Dr. Barreto, que havia aprovado o loteamento. Trata-se apenas de uma tentativa infrutífera de desviar a atenção. Desviar a atenção da população das irregularidades relatadas. Ora, mesmo que a justificativa acima fosse verdadeira, é fato que um erro jamais poderia justificar o outro. Mas o que se deve deixar claro é que nada houve de irregular na administração Dr. Barreto com respeito ao loteamento. A função da Prefeitura é simplesmente a de aprovar o projeto de loteamento, ou seja, a planta, e é o que foi feito pela administração Dr. Barreto, ouvidos os pareceres da Procuradoria e do engenheiro. A partir daí, aquele que pretende construir deverá providenciar autorizações junto a IEF, CREA etc. Portanto, que não se tente justificar seus erros culpando outros: a atual administração comprou uma área destinando-a à construção de casas populares não dando confiança a um parecer recente do IEF que contraindicava ditas construções, baseado em avaliação realizada por três de seus ocupantes de cargo de confiança (Fernando do Joca, Celita Alhadas e Noé Fonseca)

Mas continua ele, o Vereador Loro: “A segunda é o fato de o Posto São Jorge não estar fazendo a entrega do óleo diesel diretamente, transferindo o abastecimento para outros postos. O que posso dizer é que isso, no meu ponto de vista, está errado. A Prefeitura quando tomou conhecimento do fato imediatamente notificou o posto no dia 23 de abril através de AR (portanto mais de dez dias antes da denúncia apresentada pelos “cidadãos”), e este alegou em sua defesa que estaria com suspeita de vazamento em seu tanque de óleo” Mais uma vez o vereador parece advogado dos denunciantes. Realmente é errado, imoral, e ilegal. Mas cumpre mais uma vez corrigir as distorções do “defensor”. Em primeiro lugar o fato não ocorreu apenas com óleo diesel, mas também com outros combustíveis, daí, se houve vazamentos o fato teria ocorrido em diversos tanques e a região estaria sob risco até de uma explosão, justificando a interdição imediata do estabelecimento. Em segundo lugar, não é recente, vem de anos, e ele relata que só dia 23 de abril último alguma “ameaça” de providência pelo Prefeito teria sido tomada. Ora esta providência foi tomada, como se diz, “jogando para a platéia”, haja visto que a notícia da denúncia que seria feita à Promotoria “vazou”, o que levou o Prefeito e sua turma a uma tentativa de operação urgente de tapar o sol com a peneira, emitindo o AR acima citado. Em terceiro lugar, outra barbárie era o próprio vereador Fernando, proprietário (ou filho da proprietária) repassar o dinheiro em espécie para que os veículos da Prefeitura fossem abastecidos em outro Posto (aliás a um preço menor) e depois cobrar da Prefeitura como se ele tivesse abastecido

Enfim, o que se conclui no que se refere ao Vereador Loro é que o mesmo , obstinado na defesa, foi vítima de uma situação em que o feitiço virou contra o feiticeiro e ele, pode-se até dizer que, em nome do vereador Fernando do Joca e do prefeito Honório de Oliveira, confessou todas as irregularidades cometidas, e mais, demonstrou a inoperância, irresponsabilidade ou até possível envolvimento da secretária Celita Alhadas que, deixando de lado sua propalada “eficiência” no mínimo, deixou de corrigir o preço do combustível e assim gerou enorme prejuízo á municipalidade. Esperamos que a Câmara de Bicas tome as providências cabíveis antes que a Justiça o faça. Caso contrário estará publicamente desmoralizada.

Continua na próxima página

SUSU LANCHES

Satisfazendo seu paladar! Rua: Algusto Rossi s/n°

8808-5882 / 8887-384 Praça da Estação - Centro


EDIÇÃO BICAS N°09 15/06 A 10/07 - 2010

CONTINUANDO O ASSUNTO... Mas o Vereador Loro, presidente da Câmara, não se conteve em sua ansiedade e passou a defender seus “amigos” da segunda acusação: a maracutaia e irresponsabilidade na aquisição de lotes na Cutieira.

acusar a um inocente e tentar desviar a atenção da comunidade. Mas tudo isto não vem ao caso. Deixemos que a Justiça decida quem cometeu a irregularidade.

Assim ele diz que:

Continua o Vereador Loro:

“Com relação à aprovação do loteamento pelo seu “amigo” Barreto , são vocês que estão dizendo que ali seria uma área de preservação, então como pode ele aprovar um loteamento numa área de preservação? Os documentos no texto, 2ª denúncia – Olha o tiro no pé!” Realmente é de estarrecer a capacidade fantasiosa e artística do Vereador. Ele não é de tudo burro, já que é Loro, e em assim sendo deve saber perfeitamente que o que a Prefeitura aprovou na época, embasado em pareceres de advogado e engenheiro foi o projeto de loteamento, que para se concretizar em moradias necessariamente teria que passar por todo um processo, que inclui a aprovação pela IEF, CREA etc. O que o ex-prefeito definitivamente não fez, foi adquirir um terreno com o dinheiro público D E S T I N A D O D I R E TA M E N T E À CONSTRUÇÃO DE MORADIAS, SEM A PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO IEF. E não é qualquer pessoa que está afirmando se tratar de área de preservação, mas o IEF e antes mesmos de se efetivar a compra pela Prefeitura. E aí é que está o crime ambiental. É só ir ao local e verificar que minas de água brotam em pleno meio de rua, após terem sido criminosamente soterradas. Portanto, o que se faz, mais uma vez é

“Quanto à lei que doou os terrenos, em momento algum você (se referindo à então vereadora Joelma) e manifestou contrária a ela, pelo menos não que conste nas atas das reuniões onde a lei foi votada. E mais, você como Presidente tinha o poder de pautar ou não a votação da lei...”¨ Fica patenteado a “democracia “ do atual presidente da Câmara. Parece que esta não é função de um presidente, que deve colocar em pauta os assuntos que chegarem á Casa, e deve abster-se opinar, agindo de forma isenta, e não votando (salvo como voto minerva), o que obviamente não tem sido a prática do atual presidente, haja vista sua tentativa de defesa acima. Ele ainda afirma: “Em hipótese alguma estarei num palanque político apoiando possíveis candidaturas ao Governo Municipal das seguintes pessoas: Barreto, Beto e Joelma Schettino”... Eles mandam dizer que estão penhoradamente gratos.

Continua ele: “Quanto ao último fato da denúncia, que diz respeito ao Vereador Fernando ter adquirido terrenos no mesmo local se aproveitando de informações devido ao fato de ele ser Secretário de Obras à época, a única coisa que tenho a dizer é que eu não comprei porque não tinha dinheiro à época, porque isso não era segredo para ninguém. Todos dentro e fora da administração e não só o Secretário de Obras tiveram acesso a essa informação,...” É..., o “nobre” presidente mostra sua cara. De fato, qualquer pessoa da comunidade poderia comprar lotes remanescentes, ou seja, excetuados aqueles adquiridos pela Prefeitura. Qualquer pessoa, exceto aqueles tidos como “servidores” públicos detentores de cargo de confiança e principalmente diretamente ligados à negociação, o que é o caso em questão. Portanto, constituiu-se sim, em crime, no mínimo de uso de informação privilegiada. E isto, a Justiça decidirá. Finalizando, gostaria de dizer que o Vereador gosta muito de usar a expressão “Olha o tiro no pé!”, mas nos parece, pelo exposto acima, que ele é que está atirando. Mas atirando não só no pé, mas na barriga, no peito e na cabeça de seus amigos. Está “matando-os”, já que vem confirmando as denúncias formuladas contra os mesmos. Ou seja, podemos chamá-lo de “tiro contra o corpo inteiro”.

NÃO É NOSSA CULPA se o Posto de Gasolina fornecedor da Prefeitura é autuado como batizador de gasolina e mesmo assim permanece fornecendo combustíveis à municipalidade se o mesmo Posto está contaminando mananciais (conforme vazamento relatado pelo Presidente da Câmara) se o combustível é superfaturado se a documentação do Posto é provavelmente irregular se o Posto é de propriedade do Secretário de obras por quase 4 anos e Vereador há quase 1 e meio anos (condições impeditivas para este fim) se as máquinas da Prefeitura servem apenas a autoridades e os ricos se o ônibus escolar é utilizado para domingão na cachoeira por não escolares se o carro oficial do gabinete é utilizado para transportar o Prefeito em festas de aniversário, em pleno sábado em cidades vizinhas se a Prefeitura compra terreno de preservação ambiental permanente para construção de casas se as minas d'agua do local são soterradas e agora brota água pelas ruas do bairro se o Secretário de Obras e avaliador do loteamento, Fernando do Joca“compra” simultaneamente com a Prefeitura uma dúzia de lotes do mesmo loteamento (informação privilegiada)

devolução do valor pago a mais pelo combustível ao Posto fornecedor (conforme depoimento do Presidente da Câmara) se a Faculdade de Bicas vem se deteriorando e caminhando para o fechamento, a cada dia e hoje tem apenas 20% dos alunos de alguns anos atrás se o Hospital não recebe a dívida de Vereador e Conselheiro que arremata bezerro e não os paga se o hospital tem uma direção subserviente ao Prefeito se o Prefeito usa apenas de influência maligna no hospital se e o hospital tem agora conselheiro, que diz que vai revolucionar o hospital, mas que nunca trabalhou na vida (quem sabe esta é sua oportunidade) se o Hospital ficou sem seu principal médico do momento, o Dr. Beto, por pura perseguição política se a população de Santa Helena está sofrendo pelo afastamento do Dr. Beto do Posto de Saúde, por pura perseguição política se a Dengue se alastra por pura apatia da Secretaria de Saúde e do Prefeito se a Prefeitura poderá ser responsabilizada por ter a Secretaria da Fazenda fornecido documento a funcionários para que tomassem

empréstimos em instituições bancárias com falsas declarações de ganhos muito superiores ao real se a Secretaria da Fazenda simplesmente mudou o banco pagador dos funcionários estranhamente sem licitação, não se sabe por que, infringindo a lei se a Prefeitura constrói ponte em propriedade de Vereador á época, que aliás tinha pago pela construção a empresa ligada ao Secretário de Obras (que enviou funcionários municipais para a realização da obra) e ao Prefeito se o Prefeito tem seu salário aumentado em cerca de 120% enquanto o funcionalismo recebe míseros 10% nos últimos 6 anos se tentaram incendiar o Forum se o povo de Bicas está pagando para que Loro e Fernando do Joca utilizem a rádio o tempo todo para dizer mentiras se a Câmara é completamente servil ao Executivo se deram sumiço em transformador elétrico de cerca de R$25 000,00 adquirido pela prefeitura se tudo que dissemos acima são fatos verdadeiramente documentados.

ENFIM, A CULPA NÃO E NOSSA!

OFICINA DO

DALTON

Fios, Cabos e Interruptores Lustres e Luminárias Material Padrão CEMIG

Ventiladores Chuveiros Postes para Jardins

Telefax: (32) 3271-2545 Rua Santa Tereza, 228 - Bicas-MG


EDIÇÃO BICAS N°09 15/06 A 10/07 - 2010

06

DENÚNCIA É PROTOCOLADA NO MINISTÉRIO PÚBLICO, COM ACUSAÇÃO DE OUTRAS

GRAVES IRREGULARIDADES NA PREFEITURA

DESTA VEZ ENVOLVENDO PREFEITO E SECRETÁRIA DE FAZENDA Não

bastassem as últimas e graves acusações levadas ao Ministério Público e à Câmara Municipal, onde, aliás o primeiro órgão tomou providências imediatas determinando inquérito policial enquanto o segundo praticamente nada fez, novas e graves denúncias são protocoladas no Ministério Público. Para que se entenda as irregularidades, é bom que se esclareça: 1º. – que por Lei a folha de pagamento de funcionários de uma Prefeitura deve ser paga através de um Banco Oficial (em Bicas, temos o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal), e a escolha da instituição bancária a sprestar o serviço deve se dar através de licitação 2º. – empréstimo consignado se refere a operação bancária em que o servidor público de qualquer esfera de governo toma uma quantia em um Banco, por empréstimo, e vincula esta dívida, e por conseguinte as parcelas mensais a serem pagas, ao seu salário, de onde é diretamente descontado. Acontece que este empréstimo só se efetiva quando a Prefeitura dá sua anuência, informando inclusive quanto é o salário de servidor, já que a prestação não poderá ultrapassar a 30% do salário, pois isto inviabilizaria a sua própria sobrevivência e de seus familiares tendo em vista outros compromissos financeiros. E não é que, segundo os denunciantes junto ao MP, a Prefeitura, nas pessoas do prefeito Honório de Oliveira e da secretária de fazenda, Celita Alhadas teriam cometido duas graves irregularidades que caracterizam improbidade administrativa, semelhante ao que já levou à perda de mandato de prefeito em cidade mineira, recentemente.

Dito isto, enumeramos abaixo as irregularidades: 1º. – Em 10-07-2006 a Prefeitura firmou convênio repassando a folha de pagamento do funcionalismo para o Banco Itau, portanto banco privado, sem licitação, ancorada em uma Lei inconstitucional aprovada pela Câmara Municipal, provavelmente sob pressão do Executivo; 2º. – De forma escandalosa a Prefeitura, repetindo, através do prefeito Honório de Oliveira e da Secretária Celita Alhadas, permitiu, provavelmente por declarações falsas de salários superestimados ou múltiplos, que funcionários obtivessem empréstimos muito, mas muito mesmo, superiores aos 30% estabelecidos pelos ditames legais. Com isto, chega-se ao cúmulo, por exemplo, de um funcionário que recebe cerca de R$ 750,00 por mês pagar R$ 700,00 de empréstimos (cerca de 94% de salário comprometido) , passando a receber apenas R$ 50,00 mensais, colocando-o em situação aflitiva. Mais grave ainda é quando um funcionário diz que pagou a detentor de cargo de chefia na Prefeitura por esta declaração falsa, superestimada. Há funcionários com 4, 5, até 6 empréstimos em instituições bancárias diferentes, todos consignados e com autorização da Prefeitura. Há funcionários para os quais a Prefeitura deu o seu aval para efetivação do empréstimo e logo depois os demitiu. Há funcionários com contrato de apenas um ano para o qual a Prefeitura autorizou empréstimo por 4 anos. Há funcionários sem contrato e que obtiveram a autorização para o empréstimo e logo

BICAS É IGUAL A PARIS André Luiz da Rocha Cândido

Conta-se que em Paris, no ano de 1789, pouco antes da Revolução Francesa, o povo faminto saiu às ruas pedindo pão, que lhe faltava. Diante da manifestação, a rainha Maria Antonieta teria dito: “Se não têm pão, que comam brioches”. Este acontecimento é um clássico exemplo do desprezo de muitos governantes pelas necessidades do povo que os sustenta. Em Bicas não é diferente. Enquanto escândalos pululam na atual administração, envolvendo superfaturamento no fornecimento de combustível durante os últimos seis anos; empréstimos consignados que ferem o mínimo legal; convênios com bancos particulares em detrimento dos bancos públicos, as áreas de educação, saúde, empregos, manutenção de ruas estão carentes por inércia dos atuais governantes. Diante das exigências populares por uma vida mais digna, a atual administração responde, com desprezo, que está moralizando o município de Bicas (isto apesar de já se terem passados longos seis anos do

depois foram demitidos. Há funcionários que mesmo sendo devedores de diversos empréstimos são autorizados a licenciarem-se do trabalho sem vencimento por longos meses. Há até o relato, a se confirmar, de que a secretária de fazenda Celita Alhadas e sua filha teriam obtido empréstimos em condições semelhantes. E agora? Como fica esta situação? Funcionário sem condições de pagar vultuoso empréstimo quando comparado ao seu salário, e até mesmo que foi demitido. A Prefeitura não deixa de ser um “avalista” da transação financeira, e como tal poderá ser chamada pela Justiça a pagar. E quem pagará? Mais uma vez a pobre da população biquense que contribui com seus impostos. E quanto aos responsáveis, como serão punidos? Relatam os denunciantes que confiam na ação do MP e da Justiça, já que se trata de grave crime de improbidade administrativa e ainda de falsidade ideológica, que podem gerar penalidade políticas (perda de mandato de quem os tem – no caso o Prefeito - e impossibilidade do exercício de função pública - Secretária Celita e outros), administrativas e criminais. A narrativa acima de tão esdrúxula chega até a parecer mentirosa. Mas não é! E os documentos estão junto à denúncia enviada ao MP. Mas as coisas parece que não pararão por aí, já que os denunciantes relatam diversas outras denúncias, devidamente documentadas (aliás como todas as que foram até aqui efetivadas) serão levadas à Justiça. Por fim, indagamos: será que a Câmara mais uma vez fará “corpo mole”?

SAUDE MENOPAUSA

Considerada uma etapa difícil atual governo). Ainda diz que não falta nada daquilo que falamos acima, ou seja, que os serviços básicos à população estão sendo prestados a contento, e as críticas todas não passam de manifestações de “politiqueiros” que não querem enxergar as supostas realizações da atual administração. Uma administração que, convenhamos, não se vexa de exibir vergonhosamente assuntos íntimos de seus opositores, como os fundamentos de reclamações trabalhistas que nunca poderiam ser tratados em jornais e rádios, mas apenas entre as paredes do prédio onde funciona a Justiça, pois é a Justiça que diz se a ação é ou não procedente. Logo, percebemos que o povo é desprezado enquanto requer uma vida mais digna. Deste modo, descobrimos que Bicas é igual Paris no século XVIII. E não é só isto: do mesmo modo que naquela época, os nossos governantes estão perdendo a cabeça ao tratar de forma indigna, as exigências de uma população cada vez mais carente.

da vida mulher, a menopausa – fase em ocorre a cessação natural e progressiva da menstruação (secreções mensais do útero em forma de fluxo sanguíneo) – caracteriza-se, algumas vezes, por sérios distúrbios orgânicos e psíquicos, tais como, calor súbito, vertigens, opressão cardíaca, tendência a hipertensão arterial, dispepsia, meteorismo, descalcificação óssea, depressão, ansiedade, nervosismo, dificuldades sexuais, sudorese. O uso de hormônios nesta fase da vida da mulher só poderá ser feito em casos específicos e sob recomendação médica, uma vez que, se utilizados de forma indiscriminada e sem a orientação deste especialista podem gerar graves problemas, especialmente com aumento de incidência de cânceres mamário e uterino. Neste período é importante a adoção de um modo de vida saudável e a realização de exames médicos preventivos anuais. Entre as medidas a serem tomadas pela mulher nesta fase, recomenda-se: 1 – Dieta: consumir muito as verduras, frutas. Ingerir bastante leite. Evitar codimentos fortes, frituras, gorduras, produtos industrializados, conservas

2 – Exercícios Físicos: devem ser realizados rotineira e diariamente, do tipo não competitivo, seja caminhadas em locais planos por cerca de 40 a 60 minutos diários, natação, Pilates e outros 3 – Fitoterapia: a administração de chás de plantas medicinais ou banhos com ervas auxiliam na superação dos transtornos desta fase, tanto orgânicos quanto psíquicos, tornando-a mais agradável. A seguir, alguns dos fitoterápicos indicados: CAMOMILA – verter 1 litro de água fervente sobre 30g de inflorescências de camomila. Após 12 minutos filtrar o líquido bebendo três pequenas xícaras ao dia HORTELÃ – deixar o 5g de hortelã em repouso em 250 g de água. Filtrar a infusão e bregber três vezes por dia AGRIPALMA – deixar 60g de agripalma em infusão em 1 litro de água fervente. Filtrar e beber três xícaras pequenas ao dia MADRESSILVA – ferver 60g de folhas de madressilva em 1 litro de água por 6 minutos . Ferver. Beber duas xícaras ao dia. PRIMAVERA – ferver 1 litro de água com 30 g de raiz de primavera por 10 minutos. Filtrar o líquido e ferver 3 xícaras ao dia . PASSIFLORA – verter 1 litro de água fervente sobre 30 g de flores de passiflora encarnada. Depois de 18 minutos, filtrar a infusão e beber 3 xícaras ao dia


EDIÇÃO BICAS N°09 15/06 A 10/07 - 2010

07

Editorial

O LANTERNA: A LUZ QUE “OS CORUJAS” DESTESTAM por Dorniê Matias

Conta-se que um dia um ex-escravo foi capaz de enfrentar e ganhar a admiração do rei da Macedônia “Alexandre o Grande”. Este escravo se julgava riquíssimo, pois, diariamente, ele tinha a visão do seu sol. Ele era uma figura atípica que, incompreendido por seus contemporâneos , apontava os defeitos de seu tempo. Para isto, fazia uso de uma lanterna acesa em plena luz do dia dizendo: “procuro um homem honesto” – Falo de Diógenes de Abdera (413 – 327 AC.). A parábola acima descreve muito bem o meu papel e porque me chamo “O Lanterna”. Fiquei sabendo numa conversa entre amigos que algumas pessoas que se dizem honestas, de mãos limpas e que trabalham com transparência vem me criticando , e me detestando. Quero lhes dizer que podem me odiar, mas NÃO VÃO ME APAGAR. Com sua lincença vou denominá-los de “OS CORUJAS”, já que apenas mostram as suas caras e batem suas asas na escuridão. A luz que irradio, tem levado os cidadãos da

minha cidade de Bicas a encontrar caminhos pelos quais possam trilhar com mais dignidade e respeito, sem o temor de enfrentar o coronelismo e a ditadura já ultrapassada. Estamos no seculo XXI e por incrível que pareça “OS CORUJAS” da minha cidade a todo custo tentam intimidar e coagir cidadãos de bem, oferecendo migalhas em troca de favores, comprando jornal, fazendo acusações indevidas a pessoas de bem e de caráter íntegro. Lembro a estes CORUJAS que os seus telhados são de vidro e por isso aos poucos a minha luminosidade vem adentrando em seus terrenos levando-os ao desespero e descontrole. Também não podia ser diferente, como meu proprio nome diz sou “O LANTERNA”, aquele que traz luz, brilho, claridade, transparência a tudo que está escondido ou que se está tentando esconder. Não tem CORUJA que resista a tanta luz, a do dia, a da noite e a do O LANTERNA. Faço uma pergunta para os leitores: “Alguns destes CORUJAS tem moral para criticar, acusar ou difamar qualquer cidadão?” “O LANTERNA sim, tem moral para criticar os atuais

e vergonhosos acontecimentos políticos de nossa cidade, e, consequentemente clarear para nosso povo toda esta podridão oculta. Afirmava Diógenes de Abdera: “procuro um homem honesto”. Se presente hoje, no reduto dos CORUJAS, teria ele que se postar com sua lanterna no punho durante 24hs e dificilmente encontraria aquilo que procurava. . Finalizando, gostaria de convocar a todos os leitores e cidadãos biquenses que usem suas lanternas, com baterias ou pilhas sempre carregadas, para que não falte luminosidade diante da verdade. À Camara Municipal de Bicas deixo o seguinte lembrete aos vereadores: PARA NÃO SEREM CHAMADOS PELOS CIDADÃOS DE BICAS DE CORUJAS, ACENDAM TAMBÉM SUAS LANTERNAS, E AÍ SIM, SERÃO DIGNOS DO CARGO QUE OCUPAM: O DE VEREADOR E REPRESENTANTE DO POVO.

DA REDAÇÃO VIAGEM A BH

A convite do Governador Antônio Augusto Anastasia e dos deputados Edmar e Leonardo Moreira, comitiva biquense, formada por Dr. Barreto e sua esposa Eliane, Maida Lopes, José Carlos Penchel,Luiz Bordoni ,Paulo C Leocadio e Cleber Bastos viajou à Belo Horizonte, mais precisamente à cidade administrativa, nova sede do Governo Minas Gerais, idealizada pelo grande arquiteto Oscar Niemayer. Em companhia dos anfitriões e de diversas lideranças políticas do Estado, os biquenses puderam visitar as dependências da nova cidade, admirando-se com suas perfeitas linhas arquitetônicas e sua absoluta funcionalidade. O Governador Anastasia e os deputados Edmar e Leonardo não pouparam esforços para que o encontro transcorresse em clima de total cordialidade. Pouco se conversou em política, dando-se preferência à linguagem coloquial, com abordagem de diversos assuntos comuns às cidades mineiras. Ficou patente, entretanto, o notável conhecimento do atual Governador de Minas, aliás, Emérito Professor Catedrático de Direito Constitucional, e sua profunda visão administrativa do nosso Estado. De se notar, inclusive, o fraterno relacionamento do Governador com os dois únicos deputados presentes, Edmar e Leonardo, o que sem a menor dúvida trará dividendos à nossa cidade, considerando o ótimo relacionamento dos mesmos com o município de Bicas. APOIO Incentivados pelo Governador Anastasia e pelos deputados Edmar e Leonardo, os biquenses presentes ao encontro em BH, resolveram montar um bem equipado escritório, situado na parte alta da cidade, onde, brevemente, estará funcionando uma Associação destinada a dar apoio social, médico, cultural e humanitário à nossa população. Os deputados Edmar e Leonardo, de passagem por

Bicas, visitaram as instalações da futura Associação, demonstrando grande entusiasmo pela iniciativa, que consideraram “brilhante, necessária e sem precedentes”, nas palavras de Leonardo Moreira. A “idéia fundamental” da Associação foi lançada no sábado, dia 15/05, com a presença de inúmeros biquenses. DESCULPAS ESFARRAPADAS A direção da Câmara Municipal de Bicas, inadvertidamente, tem fechado os olhos às denúncias publicadas por este jornal. Apesar de estar com farta documentação nas mãos, onde os fatos são devidamente provados, resolvem, ao contrário de investigar, lançar impropérios contra os doutores Barreto e Beto e, também agora, sobre a ex-vereadora Joelma, como se eles fossem culpados de todas as desgraças que assolam a cidade. No entanto, segundo informam, o prefeito Honório, no dia 07 de maio, cancelou a licitação entre o município e o Posto São Jorge. Não lhes parece uma tardia confissão esse cancelamento? NOSSO JORNAL Ao reverso do que resolveram anunciar alguns vereadores, o codinome “O Lanterna”, dado ao nosso jornal não se refere, na linguagem futebolística, ao último colocado. O jornal foi batizado em homenagem ao grande pensador grego Diógenes que, ao ser indagado por que sempre portava uma lanterna, até em pleno dia, respondeu sabiamente: “Trago às mãos esta lanterna, na esperança de que, em algum dia, ela possa iluminar um homem honesto”. Até quando? Pergunta-se, nosso povo será assolado pela dengue, pelos cachorros sarnentos e vadios que uivam em nossas ruas, pela falta de obstetras no

serviço público, pela falta de ambulâncias, pelos dejetos putrefatos que trazem as moléstias e que se acumulam na periferia? Dizem que Dr. Beto quer fechar o Hospital. Enquanto isto, seu atual provedor, retira da Justiça a cobrança de uma dívida a que o Hospital tem direito. Socorro!... DR. BETO Por falar em Dr. Beto, estão tentando massacrar o competente e humanitário médico, através de notícias falaciosas publicadas em um tendencioso jornal que circula na cidade. Façam uma pesquisa com a classe mais necessitada que procura tratamento no Hospital, ou com a população de Santa Helena. Essa pesquisa certamente irá mostrar de que lado estão a razão e o direito. FALTA DE ASSUNTO Por absoluta falta de assunto e de obras visíveis, a administração municipal tenta convencer nosso povo de que é responsável pelo crescimento do nosso comércio. De fato, alguém está tentando usar você politicamente para conseguir alguma vantagem. Um prêmio a quem descobrir quem é o aproveitador. ENFIM NOVAS OBRAS! Você já recebeu o seu IPTU. Repare que maravilha é a nova creche municipal. E o portal de entrada da cidade, hein? O mais bonito e charmoso que se possa imaginar. Apenas um detalhe: Essas obras só existem na fotografia. Propaganda enganosa e, ainda mais eleitoreira, é delito. Finalmente Uma pergunta que não quer calar: Quem é mais útil à cidade, Dr. Beto ou seus detratores?


EDIÇÃO BICAS N°09 15/06 A 10/07 - 2010

08

SIMPATIA PARA O AMOR Para a mulher conquistar o homem de seus sonhos. PEGUE UM PEDAÇO DE PAPEL BRANCO E COLOQUE-O SOBRE UM PRATO. DESENHE UM CORAÇÃO DO TAMANHO DO FUNDO DO PRATO. DEPOIS, RECORTE O DESENHO E ESCREVA NAS TRES PRIMEIRAS LINHAS O NOME DO HOMEM DESEJADO. EM OUTRAS TERS LINHAS, ESCREVA SEU NOME PRÓPRIO. COLOQUE O DESNHO DO CORAÇÃO NO FUNDO DO PRATO, DERRAME UM POUCO DE MEL SOBRE ELE, JUNTAMENTE COM ALGUMAS PÉTALAS DE ROSA BRANCA. DEPOIS ACENDA UMA VELA BRANCA BEM NO MEIO DO PRATO, DEIXANDO-A QUAIMAR TOTALMENTE. QUANDO A VELA ACABAR DE QUEIMAR, FIRME O PENSAMENTO NO HOMEM DESEJADO. GUARDE O PRATO POR SETE DIAS. DEPOIS, LAVE AS PÉTALAS E COLOQUE-AS DENTRO DE UM LIVRO. O PRATO COM O CORAÇÃO DEVE SER DEIXADO NUM JARDIM ONDE EXISTAM ESPINHOS.

O Papagaio Oia

eu

aqui

de

novo..........

Nussa, eu tavo lendo o jornal trudia e vi tanta recramação da prefeitura que quais cai pra trais. Nois aqui na roça, prantemo, coiemo, mas nois num distroi a natureza não.... Mais num é que vi que tão quereno cabar com uma aria de preservação? Ara essa! Dai falei cum a minha muié: Essa nuticia me dexo burricido! vamu dar uma vorta! Minha muié inté queria que eu ligasse pra prefeitura pra saber se o ônibus de estudanti pudia buscar nois pra levar na cachueira afinar, era um dumingu lindo.....mas prefiri ir a pé, como nois da roça tem custume. Tamu nois dois lá, andando, quando a muié disse: Ô homim, se ocê tivesse trazidu sua vara, pudia bem pescá ali! Falei cum ela: Larga de se burra muié....... num tá vendo que aquilo ali é mais um buraco que num foi tampado? E aquilo ali num é pexi não senhora, é musquito! E é da dengue.....corre muié Continuemo nossa caminhada, quando vi um carro parado no meio da rua, e sabe cumé, nois é curioso.... Então fumo lá sabe do ocorrido. O homim falou cum nois que a gasolina do carro tinha acabado, causa de que um tar convenio que a prefeitura tinha cum posto, cabô dispois de uma denuncia de uma tar licitação irregular.... eu mais minha muié inté ajudemo a impurrar o carro inté o posto..............Mardita hora que nois foi ajuda.....Achemu que ia impurra até no tar posto do Joca, mas tivemo que impurra inté o posto de São Maner........ Mais Maner fumo nois, que ainda ajudemo que nuncar ajurdou nois. Eu e minha muié inté cansemo e vortemo pra casa..... Agura vamo insperar pra ver se esser tar ingesso da expo 2010 vai ser mermo esse perço que tão farlando oitenti real, vou ter que morrer de candiá boi , pra mode eu leva os minino. Nem vai dá pra mode eu troca as dentatura este mês , a MUIÉ ta recramando que as minha veia tão iguarzinho dente de cavalo. Mais vamo ver se aquele amirgo meu da saúde me arruma uma nova. Na próxima edirção mais novidades.

Um homem comprou um papagaio, mas quando chegou em casa foi aquela decepção. O papagaio resmungava, reclamava e xingava o dia inteiro. O dono tentou amansar o louro lendo poesia, tocando música clássica, mas não teve jeito. Passou a gritar, bater, ameaçar, mas o papagaio ficava pior e pior. Num momento de fúria, o dono pegou o papagaio e o jogou dentro do freezer. O papagaio começou a xingar de tudo quanto era nome, mas subitamente, menos de 20 segundos depois, calou-se sem terminar o último palavrão. Pensando ter matado o papagaio, o dono abriu a porta do freezer e o louro começou o discurso: - Sei que meu linguajar tem sido mais do que inapropriado a este ambiente familiar e que minha atitude não condiz com a atenção que o senhor tem me dado. Gostaria de apresentar minhas sinceras desculpas e colocar que daqui em diante me portarei adequadamente. - Isso é bom mesmo! – retruca o dono. E o louro, quase chorando, perguntou: - Só por curiosidade: o que foi que o frango fêz? Medico fofoqueiro O caipira entrou no consultório e meio sem jeito foi falando: - Dotô, o negócio não sobe mais. Já tomei de tudo quanto foi chá de pranta , mas não sobe mais memo. - Ah não, meu amigo. Vou te passar um medicamento que vai deixar você novo em folha. São cinqüenta comprimidos, um por dia. - Mais dotô, eu sou um home simpris da roça. Só sei conta inté deiz nos dedos e mais nada. - Então você vai numa papelaria, compra um caderno de cinquenta folhas. Cada folha um comprimido Quando o caderno acabar você já vai estar curado. A receita está aqui. - Brigado dotô. Vô ingora memo compra o tar caderno. E logo que saiu do prédio avistou de fato uma papelaria ali perto. Entrou, a moça veio atender. - Eu precisava de um caderno de cinquenta fôia. - É brochura? - Médico fio da puta. Já andou espaiando meu pobrema por aí...

LACE

MATERIAIS ESPORT Confira na próxima edição os vencendores do concurso cultural ‘‘Sonho de Sociedade’’

UNIFORMES - BANDEIRAS CAMISAS DE TODAS AS SELEÇ Õ ES DA COPA. Rua Coronel Souza - Centro

Rocha

AUTO PEÇ AS

Jairo Rocha

VW - FORD - FIAT - GM

8872-6218

Rua Barã o de Catas Altas, 491 Centro - Bicas

Entrega em domicílio / grande variedade de paixes


O Lanterna Ed.09