Issuu on Google+

6

Juca Post - Franco da Rocha - SP.

Ano XXVI - nº 252 - setembro de 2012

Entrevista com O Pinduca O Juca Post entrevistou Kiko (PT) e Pinduca (PSDB), candidatos a prefeito de Franco da Rocha nas eleições de 2012. O jornal seguindo sua linha editorial, com a imparcialidade de sempre, elaborou algumas questões relativas ao futuro da cidade que foram respondidas pelos dois candidatos. As perguntas são idênticas e cada um respondeu de acordo com a sua ótica e o seu plano de governo. Reportagem: BENEDITO COUTINHO

EDUCAÇÃO

tivos; núcleos esportivos nos bairros; centro de recursos e apoio à educação especial (CRAEE); festival de educação física, entre outros. Tudo isso fez com que Franco da Rocha superasse os indicadores nacionais do IDEB. Em uma escala de zero a dez, o ensino de Franco da Rocha alcançou a média 5.1, a mesma do Estado de São Paulo na edição de 2011 e acima da média nacional. São quase 8 mil alunos de ensino fundamental – regular e EJA, no percurso de ampliação constante da qualidade de ensino e excelência educacional. É o nosso investimento no capital humano.

Juca Post — Além da provável construção da FATEC na cidade (Faculdade de Tecnologia) há alguma outra em vista? PINDUCA — Inicialmente quero afirmar que a FATEC é uma realidade aqui em Franco da Rocha. O convênio já esta assinado e a área já foi definida, fica ao lado da ETEC, e é uma realização do atual prefeito Márcio Cecchettini. Temos sim um projeto para implantar um campus universitário na área pertencente ao antigo Hospital Juquery. JP — Como caminha o projeto de Implantação do Campus Universitário na área pertencente ao antigo Hospital do Juquery? PINDUCA — As tratativas já foram feitas junto ao governo estadual e federal, inclusive com a visita técnica do ministro da educação nas instalações do Juquery. Istoconsta no plano diretor da nossa administração municipal onde, além da universidade, esta previsto naquela área, um centro de convenções e um memorial psiquiátrico com o objetivo de cultuar a memória do complexo do Juquery. Desta forma, estamos fazendo gestão junto aos governos estadual e federal para a implantação de uma universidade estadual ou federal em Franco da Rocha e, que também vai atender toda a região. Com certeza isto trará mais progresso à cidade, porque a educaçãoé a base de uma sociedade e também é o meio mais eficaz de transformar o destino das pessoas.

JP — Na sua administração haverá investimento em construção de mais creches e escolas para a cidade? PINDUCA — Daremos prosseguimento a esta importante política pública que na atual administração já fez crescer em

Pinduca do PSDB 980% o número de vagas das creches (era 190 em 2004 e tem agora perto de 2000 vagas). Vamos construir creches em vários bairros do município com o intuito de erradicar totalmente o déficit de vagas. Sabemos que nos últimos 08 anos a população franco-rochense cresceu cerca de 10,5% e, em função disso,trabalhamos para que o numero de unidades escolares também crescesse: hoje temos o quádruplo de escolas no município.Além disso, para garantir o sucesso dessa empreitada, vários programas foram criados tais como: educação ao alcance de todos, com o fornecimento de passe escolar e transporte; acompanhamento nutricional; uma geração de leitores, com mais de 12 mil kits de materiais e livros distribuídos; pensando no futuro digital, coma criação de salas de informática; espaços educa-

JP — A escola estadual Adamastor Baptista sucumbiu após as enchentes de 2006. Tornou-se inviável seu uso. Seus alunos foram removidos para um prédio cedido pela prefeitura no bairro vizinho do Pouso Alegre. Os moradores clamam pelo retorno da escola ao seu bairro de origem. O senhor tem conhecimento de algum projeto para que essa reivindicação da população do bairro de Vila Ramos se concretize? PINDUCA — Vamos sim, devolver a escola à população do bairro de vila Ramos. Para tanto, já estamos providenciando a desapropriação de um terreno e o Estado, que também já se posicionou favorável, será parceiro da prefeitura municipal para que isto ocorra brevemente. SOCIAL JP — O senhor tem algum projeto para evitar que a cidade deixe de ter moradores de rua? PINDUCA — Esta é uma questão polêmica e presente na realidade da maioria dos municípios brasileiros e, por isso mesmo, merece um tratamento diferenciado de nossa parte. Já existe em Franco da Rocha um programa da Promoção Social, que cuida deste tema com muito sucesso, e nos vamos aperfeiçoá-lo para

que possamos continuar a ter resultados que minimizem o impacto desta questão na nossa sociedade.

JP — Com relação ao idoso. Há algum projeto para atividades, entretenimento com essa camada da população? PINDUCA — Nosso enfoque é a família como um todo: criança, adolescente, idoso, portador de necessidades especiais, todos irão receber atenção e estarão incluídos nos programas e projetos sociais que proporcionem qualidade de vida e bem estar, em especial ao nosso idoso, que cumpriu a sua missão e agora merece, com todo respeito, a sua recompensa com muita dignidade e cidadania. Um dos destaques neste tema será a construção de centros de referência à melhor idade em bairros do município, com academias ao ar livre e com orientação de educadores físicos e o projeto CSU com o espaço melhor idade para a prática de jogos recreativos. JP — O que a sua administração poderia proporcionar para a juventude e as mulheres da cidade? PINDUCA — Para a juventude temos um projeto que irá criar a Diretoria da Juventude, voltada para o fomento de políticas institucionais que visem à capacitação dos jovens para a inserção ao mercado de trabalho, bem como para o seu desenvolvimento intelectual e social. Vamos citar alguns exemplos de ações neste sentido: Ação Jovem e o Renda Cidadã, que visam estimular os jovens a participarem de atividades socioeducativas, o retorno à sala de aula, atividades de lazer e cultura, bem como proporcionar possibilidades de acesso a cursos de capacitação profissional. Para as mulheres queremos implementar mais ainda os programas que buscam melhorar as suas vidas, familiar e profissional, por meio de orientações, inclusão em programas oficiais de transferência de renda, ações de cidadania e oferta de cursos de capacitação profissional para inserção no mercado de trabalho. Em especial destaco a criação do Espaço Mulher, destinado a cuidar dos assuntos da mulher. Para a juventude temos um projeto que irá criar a Diretoria da Juventude, voltada para o fomento de políticas institucionais que visem à capacitação dos jovens para a inserção ao mercado de trabalho, bem como para o seu desenvolvimento intelectual e social. Vamos citar alguns exemplos de ações neste sentido: Ação Jovem e o Renda Cidadã, que visam estimular os jovens a participarem de atividades socioeducativas, o retorno à sala de aula, atividades de lazer e cultura, bem como proporcionar possibilidades de acesso à cursos de capacitação profis-


Juca Post - pagina 6 - edição nº 252 - setembro de 2012