Page 1

Comunicação para a verdade e a Paz.


Comunicação para a verdade e a Paz.

Amados irmãos e irmãs de Roma e do mundo inteiro! «Surrexit Christus, spes mea – Ressuscitou Cristo, minha esperança» (Sequência Pascal). A todos vós chegue a voz jubilosa da Igreja, com as palavras que um antigo hino coloca nos lábios de Maria Madalena, a primeira que encontrou Jesus ressuscitado na manhã de Páscoa. Ela correu ao encontro dos outros discípulos e, emocionada, anuncioulhes: «Vi o Senhor!» (Jo 20, 18). Hoje também nós, depois de termos atravessado o deserto da Quaresma e os dias dolorosos da Paixão, damos largas ao brado de vitória: «Ressuscitou! Ressuscitou verdadeiramente!» Todo o cristão revive a experiência de Maria de Magdala. É um encontro que muda a vida: o encontro como um Homem único, que nos faz sentir toda a bondade e a verdade de Deus, que nos liberta do mal, não de modo superficial e passageiro mas liberta-nos radicalmente, cura-nos completamente e restitui-nos a nossa dignidade. Eis o motivo por que Madalena chama Jesus «minha esperança»: porque foi Ele que a fez renascer, que lhe deu um futuro novo, uma vida boa, liberta do mal. «Cristo minha esperança» significa que todo o meu desejo de bem encontra n’Ele uma possibilidade de realização: com Ele, posso esperar que a minha vida se torne boa e seja plena, eterna, porque é o próprio Deus que Se aproximou até ao ponto de entrar na nossa humanidade. Entretanto Maria de Magdala, tal como os outros discípulos, teve de ver Jesus rejeitado pelos chefes do povo, preso, flagelado, condenado à morte e crucificado. Deve ter sido insuportável ver a Bondade em pessoa sujeita à maldade humana, a Verdade escarnecida pela mentira, a Misericórdia injuriada pela vingança. Com a morte de Jesus, parecia falir a esperança de quantos confiavam n’Ele. Mas esta fé nunca desfalece de todo: sobretudo no coração da Virgem Maria, a mãe de Jesus, a pequena chama continuou acesa e viva mesmo na escuridão da noite. A esperança, neste mundo, não pode deixar de contar com a dureza do mal. Não é apenas o muro da morte a criar-lhe dificuldade, mas também e mais ainda as aguilhoadas da inveja e do orgulho, da mentira e da violência. Jesus passou através desta trama mortal, para nos abrir a passagem para o Reino da vida. Houve um momento em que Jesus aparecia derrotado: as trevas invadiram a terra, o silêncio de Deus era total, a esperança parecia reduzida a uma palavra vã. Mas eis que, ao alvorecer do dia depois do sábado, encontram vazio o sepulcro. Depois Jesus manifesta-Se a Madalena, às outras mulheres, aos discípulos. A fé renasce mais viva e mais forte do que nunca, e já invencível porque fundada sobre uma experiência decisiva: «Morte e vida combateram, / mas o Príncipe da vida / reina vivo após a morte». Os sinais da ressurreição atestam a vitória da vida sobre a morte, do amor sobre o ódio, da misericórdia sobre a vingança: «Vi o túmulo de Cristo, / redivivo e glorioso; / vi os Anjos que o atestam, / e a mortalha com as vestes». Amados irmãos e irmãs! Se Jesus ressuscitou, então – e só então – aconteceu algo de verdadeiramente novo, que muda a condição do homem e do mundo. Então Ele, Jesus, é alguém de quem nos podemos absolutamente confiar, confiando não apenas na sua mensagem mas n’Ele mesmo, porque o Ressuscitado não pertence ao passado, mas está presente e vivo hoje. Cristo é esperança e conforto de modo particular para as comunidades cristãs que mais são provadas com discriminações e perseguições por causa da fé. E, através da sua Igreja, está presente como força de esperança em cada situação humana de sofrimento e de injustiça. Boa Páscoa para todos!

Página 02

AINDA HÁ ESPERANÇA NO SOFRIMENTO? “Deus providenciará” (Gn 7c). “Meus queridos amigos e irmãos: com bastante frequência ouvimos pessoas de todas as classes sociais se lamentando devido à situação de sofrimento que estão enfrentando. Algumas pessoas enfrentam o sofrimento com mais otimismo, esperando tirar algum proveito positivo da experiência vivida. Outras pessoas, ao contrário, veem no sofrimento o fim de tudo, o término da existência, o fracasso absoluto. (...) Na história de Abraão, nosso pai na fé, aprendemos a esperar contra toda esperança (cf. Rm 4,18), aprendemos a crer quando tudo parece perdido, a esperar quando aparentemente não há mais esperança. Nem sempre o mal aparente é realmente uma desgraça. No capítulo 22 do livro do Gênesis, o Senhor Deus dá uma ordem a Abraão: não foi um simples pedido, do qual Abraão pudesse discordar, mas foi uma ordem taxativa: “Toma teu filho único, Isaac, a quem tanto amas, dirige-te à terra de Moriá e oferece-o ali em holocausto sobre o monte que eu te indicar” (Gn 22,2). O Senhor Deus ordena a Abraão o sacrifício de seu amado e único filho Isaac. Não era o sacrifício de um desconhecido ou de um animal de seu rebanho, ou de um escravo. (....) Meus queridos amigos e irmãos: percebam que usei de propósito várias vezes essa palavra “parece” porque, na verdade, Deus é Amor e Bondade infinitas (cf. 1Jo 4,8). É claro que o Senhor estava colocando Abraão à prova para que ele mesmo se conhecesse. O ser humano somente se conhece profundamente quando reconhece os seus limites. Foi exatamente isto que aconteceu com o nosso pai Abraão: somente quando ele foi provado e o seu limite foi alcançado é que ele se conheceu profundamente. Será que Abraão realmente amava a Deus a ponto de sacrificar o filho? Imaginamos o sofrimento de Abraão quando caminhava em direção à terra de Moriá, levando os seus servos e o seu filhinho amado. Não era um passeio, não era sequer uma peregrinação: era a caminhada para um sacrifício, e o próprio Isaac carregava a lenha que seria usada para queimar a oferenda sacrificada. Esta cena lembra-nos do Senhor Jesus que também carregou sobre os ombros o santo lenho da cruz, onde Ele seria imolado pela salvação da humanidade. Na verdade o sacrifício de Isaac era uma prefiguração do sacrifício redentor de Jesus. A diferença é que Isaac foi poupado e o Senhor Jesus foi sacrificado de verdade. (...) Por isso, podemos responder à pergunta inicial deste artigo: SIM, ainda existe esperança no sofrimento, pois o nosso Deus é Fiel, é Amor, é tremendamente Poderoso para cumprir as suas promessas. Assim como proveu um carneiro para salvar Isaac da morte, Ele proverá tudo o de que necessitamos. Mesmo que tenhamos que passar pelo vale da escuridão, nada temeremos, pois o Senhor sempre estará conosco (cf. Sl 23[22],4).” (Trechos do artigo de Dom Vicente Costa, bispo diocesano de Jundiaí)

Expediente: Povo de Deus - boletim informativo mensal da Paróquia São Judas Tadeu - Administrador Paroquial Padre Paulo Eduardo F. Souza Jornalista Responsável. / Diagramação/Edição.: Jornalista Tadeu Eduardo Italiani – Mtb.: 47.674 Revisora Vanda Mazurchi - Impressão Gráfica JP – Tiragem 2000 exemplares - Endereço: Praça. Júlio Mesquita Filho, 45 Bairro Rancho Grande - CEP 13306-159 Itu - SP - Fone (11) 4024-0416 Diocese de Jundiaí - e-mail: paroquiasjudas@bol.com.br Elaborado pela Pastoral da Comunicação - PASCOM


Comunicação para a verdade e a Paz.

Meus queridos irmãos e irmãs, não são poucas as realizações deste mês de abril, graças ao Bom Deus! Antes de tudo, gostaria de ressaltar a grande participação dos fiéis nas celebrações da Semana Maior. Do Domingo de Ramos ao Domingo da Páscoa, vimo-nos especialmente dedicados. Agradeço a todos os fiéis que doaram seu tempo e seu talento, com tanto amor e disponibilidade, nesses dias intensos. Agradecimento especial seja dirigido às ostiárias, aos salmistas, à equipe de leitores não instituídos, aos Irmãos do Santíssimo e aos ministros extraordinários da comunhão eucarística. Muito obrigado, meus queridos amigos! Que o empenho que tivemos na Sagrada Liturgia se traduza numa vida coerente com o Evangelho do Cristo, vencedor da morte e do pecado! Impulsionados pela força do Ressuscitado, como lhes havia dito na última edição, acompanhamos a “formalização” de dois Conselhos Comunitários da Ação Evangelizadora (CCAE’s): o CCAE da Nossa Senhora Auxiliadora e o CCAE da Santa Clara. Agradeço aos queridos membros dos sobreditos Conselhos a seriedade com a qual assumiram tão importante missão. Além disso, pedi ao Diác. Marcos Nunes que acompanhasse com muito carinho a Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora. O mesmo pedi ao Diác. Rivaldo Guimarães com relação à Comunidade Santa Clara. Tenho certeza de que esses homens de Deus são preciosos para a execução do Projeto Diocesano da Ação Evangelizadora em nossa paróquia. Eles já me deram provas de que posso contar com eles. Deus os abençoe, queridos Diáconos!

No fim do mês de março, consegui concluir as reuniões particulares com os coordenadores de todos os movimentos, associações e pastorais de nossa paróquia. No mesmo mês, tivemos a graça de sediar um encontro da Escola de Evangelização Santo André, com o seu módulo sobre Moisés. Impressionado com a profundidade com a qual o tema é trabalhado! Iniciamos, agora, uma série de encontros de formação: ostiárias (26/04, às 20h), salmistas (28/04, às 20h30min) e ministros extraordinários da comunhão eucarística (29/04, às 16h). A intenção é fazer esses encontros de formação com certa periodicidade. Que Deus nos ajude! Nos dias 14 e 15 do mês corrente, tivemos a alegria de receber no Encontro de Noivos catorze casais que se preparam para o sacramento do matrimônio. Foram auxiliados pela dedicada equipe de catequistas coordenada pelo Sr. Gilberto. Muito obrigado! Nos próximos dias, dedicaremos uma atenção especial à Pastoral da Criança, da qual convidamos os fiéis a fazerem parte. Precisamos de novos agentes! Assim que se apresentarem voluntários, solicitaremos à Cúria Diocesana o curso de capacitação. Com carinho também será tratada a Pastoral do Dízimo de nossa paróquia. É urgente trabalhar com o dízimo como via de conversão, e não, simplesmente, como forma de cumprir um preceito ou de manter a estrutura. No dia 28 de abril, a Paróquia São Cristovão receberá os catequistas de toda a cidade de Itu para um encontro com a Coordenação Diocesana da Pastoral Catequética. Espero que todos os nossos catequistas possam participar desse evento realmente importan-

Compre site: www.vannucci.com.br 4013 - 9800

Cordas, Percussão Áudio Profissional Sopro, Piano/Teclado Vídeo Projeção Itu - R. Floriano Peixoto, 401 - Centro Fone/Fax: (11) 4022.6029 e 4023.0186 itu@vannucciinstrumentos.com.br

Página 03

te. Preparemo-nos também para o Encontrão de Jovens da Região VII, que será sediado em nossa paróquia, no dia 06 de maio. Os jovens e os catequistas de nossa paróquia estão se empenhando na realização desse acontecimento. Queremos ver o rosto jovem da Igreja, nossa Mãe!

Por fim, anuncio que está próxima a publicação do nosso Calendário Paroquial da Ação Evangelizadora 2012. Agradeço às nossas secretárias o trabalho tão dedicado em meio a algumas mudanças. Deus os abençoe! Continuem rezando pelo padre!

Atendimento do Administrador Paroquial – Padre Paulo Eduardo Terça-feira (sob agendamento das 09h às 11h30min) Quarta-feira das 09h às 11h30min e das 15h às 17h30min Sexta e sábado das 09h às 11h30min.

Aniversariantes Dizimistas É dever de todos agradecer a Deus. Nossa gratidão deve ser concreta, não apenas por palavra. Agradecemos concretamente a Deus quando nos abrimos à conversão, buscando viver integralmente o evangelho e quando nos comprometemos com as coisas de Deus ajudando a expansão do evangelho e da Igreja. João Cezario de Almeida Roberto Carlos Rosa Antonia Benta Fernandes Neuza Viana Novais Cleidimar Coelho de Macedo Luciana Ap. Perina Possidonio Ilani Florindo da Silva Maria Ap. Lopes D’elboux Helio Eugenio da Silva Roberto M. Alves da Nave Enio Queiroz B. de Menezes Cassilda Cavana Bataglia Camila Aparecida Francisco Bernadete Ap. Zuim Pereira José Cruz Da Silva Pascoal Capovila Tereza Olegario Paulo Marta Ap. Inacio Genário Deusnita Ap. M. Cezário Luiz André Sartori Maria José Garcia do Amaral Norival Antonio Narbona Graciana Mazzurchi

Rosangela de Fatima S. Moraes Maria Neuza Pinto Edna Aparecida da Silva Carmen L. Pantaleão Alves Vera Lucia G. Prieto Nivaldo Bazílio de Souza Lindaura Miranda de Souza Maria da Conceição Ferrarezi Pascoal Lunardão Clarice Delgado Henera Vanilda Alves Pereira Maurilia Alves Ribeiro Bassi Marcio da Costa Vigilato Helena Cristina F. Portela Claudeane Mello de Lima Efigenia Brun G. Stivanelli Irene Rodrigues da Silva Valdeir Germano da Silva Roberto Carlos Marques José Rodrigues Silveira Marcelo Aparecido da Cruz Karla Cristine Messias


Página 04

Comunicação para a verdade e a Paz.

Que messias desejais seguir? Os paroquianos da paróquia São Judas Tadeu iniciaram a celebração de ramos às 9h, na Praça Segundo Ferretti, com a leitura do Evangelho e uma breve explanação do administrador paroquial padre Paulo Eduardo, que antes de saírem em procissão, abençoou os ramos. Na explanação, padre Paulo Eduardo pediu para o povo levantar bem alto os ramos. “ Irmãos e irmãs, vamos levantar bem alto nossos ramos, para ao passar pelas ruas do bairro, mostrarmos que seguimos a Cristo,” destacou o administrador. Ao chegar à Igreja, os fiéis tomaram seus lugares e o presidente da celebração deu prosseguimento a partir do Ato Penitencial. Após a narração da Paixão de Cristo, o sacerdote realizou a homilia, destacando qual o modelo de messias que desejamos seguir. “O evangelista Marcos nos mostra a libertação de Barrabas e condenação de Jesus Cristo. Muitas vezes ao agir de acordo com nossa vontade e desprezar a vontade de Deus, estamos libertando Barrabas e seguindo esse modelo de messias. Um messias revoltoso, que se revela contra o governo e que deseja a guerra, a revolução, a violência. Porém ao seguir a vontade do pai, estamos aderindo a Cristo como messias, aquele que percorre o caminho da cruz, o caminho mais difícil o da remissão dos pecados. Jesus é o messias que veio cumprir a vontade do Pai, do amor e da compreensão,” explicou padre Paulo Eduardo.

Comunicado Atenção coordenadores, missionários e famílias que recebem a Mãe Peregrina. A partir do mês de abril, faremos a oração da Renovação da Aliança e rezaremos o terço, quarenta e cinco minutos antes da santa missa. - Na Igreja Santa Clara, todo 3º sábado às 18h15min - Na Igreja N. Senhora Auxiliadora e Matriz São Judas Tadeu, todo 3º domingo às 17h45 “Nada sem vós, nada sem nós! Não queremos fazer nada sem Maria. Maria espera a nossa colaboração”.

Missas na Igreja Matriz 2ª a Sábado: 19h. Domingo: 07h, 09h e 18h30 3ª Quarta - feira do mês: Missa com os enfermos: 15h Missas nas Comunidades Nossa Senhora Auxiliadora: Sábado: 19h Domingo: 18h30 Santa Clara: Sábado 19h - Domingo: 09h


Comunicação para a verdade e a Paz.

Página 05

Eucaristia: principal alimento para caminhada do cristão Na quinta feira, dia 5 de abril, a matriz da paróquia São Judas Tadeu esteve repleta de pessoas para o início do Sagrado Tríduo Pascal. Às 19h, o administrador paroquial padre Paulo Eduardo, deu início a apresentação dos Santos Óleos, onde o sacerdote mostrou e explicou a todos os presentes o significado dos óleos confeccionados pelo bispo diocesano de Jundiaí Dom Vicente Costa, durante a missa do Crisma, realizada na quarta-feira, dia 4 de abril.Em seguida, às 19h30 deu-se início a celebração solene da Ceia do Senhor. Durante a homilia, o administrador paroquial refletiu três pontos: o amor de Deus, a instituição da Eucaristia e o Sacerdócio. “Meus irmãos hoje estamos vivendo um momento muito especial na liturgia da Igreja, o filho de Deus se entrega à morte por nossos pecados. Uma demonstração grandiosa de amor por nós,

que talvez nenhuma pessoa fosse capaz de realizar, mas Deus realizou. O amor é paradoxal e criativo, desta forma tudo pode, mas não conseguiremos viver e experimentar esse amor se não tivéssemos o alimento do cristão que é a Eucaristia. Cristo entregou a vida por nossa redenção, ninguém tirou a sua vida, ele a entregou quando disse na cruz: tudo está consumado. Somente na maior demonstração de amor e doação é que conseguimos sustentar nossa fé, nossa caminhada. Logo mais eu vou me sirgir e lavar os pés das pessoas, Cristo fez isso na última ceia com os apóstolos e mostrou o caminho a seguir, do amor e do serviço. Por último quero falar sobre o sacerdócio, esse importante ministério deixado por Jesus. Meus irmãos, devemos lembrar somente das coisa boas que os sacerdotes que passaram em nossas vidas deixaram. Os padres são como tor-

neiras, umas todas robustas, banhadas a ouro cheias de detalhes e outras simples sem muito brilho, mas ambas ao serem abertas deixam fluir o que há de melhor para a vida, a água cristalina,” finalizou para Paulo Eduardo. Após a homilia, o administrador paroquial procedeu ao lava pés, lavando os pés de profissionais da saúde, que estavam sentados na assembleia e que possuem ligação com o trabalho da pastoral da saúde da paróquia. Na comunhão o povo recebeu a sagrada Eucaristia nas duas espécies. Após o instante de silêncio orante, os ministros do altar iniciaram a preparação da procissão de translado do Santíssimo Sacramento. A procissão seguiu até o salão paroquial, onde aconteceu a vigília de guarda do Santíssimo. Ao retornar à Igreja, padre Paulo Eduardo desnudou o altar e retirou os arranjos de flores.

“O amor é paradoxal e criativo, desta forma tudo pode, mas não conseguiremos viver e experimentar esse amor se não tivéssemos o alimento do cristão que é a Eucaristia. Cristo entregou a vida por nossa redenção, ninguém tirou a sua vida, ele a entregou quando disse na cruz: tudo está consumado.” - Padre Paulo Eduardo


Comunicação para a verdade e a Paz.

Página 06

Na meditação e reflexão, Igreja revive a Paixão de Cristo Ao som das matracas e com o altar desnudo, teve início no silêncio e na meditação, a solene liturgia da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, na paróquia São Judas Tadeu. Padre Paulo Eduardo e os ministros do altar entraram pelo corredor central e iniciaram o rito litúrgico. Após a leitura da Paixão de Cristo, o administrador paroquial realizou a reflexão, ressaltando que Jesus assumiu nossas culpas se tornando homem. “São João Evangelista possui profundo teor teológico quando narra a Paixão de Cristo, pois descreve que Jesus Cristo morreu em um jardim. Cabe aqui uma comparação: o pecado entrou no mundo por Adão, quando ele pecou no jardim, e é em um jardim que nossos pecados são redimidos. Um novo Adão é apresentado, porém este para nos salvar. Pilatos após interrogar Jesus e mandar açoitá-lo, apresenta-o ao povo todo desfigurado, ensanguentado e humilhado. “Eis o homem!”. Nesse momento, Jesus assume nossos pecados, por isso seu rosto está dilacerado por nossas culpas, mas mesmo assim nos amou até o fim e carregou nossas faltas até a cruz”, explica padre Paulo Eduardo. Em seguida, foi realizada a adoração à Cruz pelo sacerdote, ministros, acólitos e pela assembleia. Houve a distribuição da Eucaristia, embora nesse dia a Igreja não celebre missa. Às 19h, houve a meditação das Sete Palavras de Cristo na Cruz.

Conferência Vicentina Nossa Senhora Aparecida No dia 23/03/12 foram doadas 20 cestas básicas e mais estes produtos abaixo descritos abaixo:

03 pcts. de gelatina 04 frascos de detergente 13 achocolatados 22 pcts de leite em pó 06 potes de tempero 1 pct de milho de pipoca 06 pcts de aveia 08 pcts de massa para bolo 06 pcts de goiabada 06 pcts de carne seca

02 latas de seleta 04 latas de milho 08 latas de ervilha 01 pct de Todd 01 lata de sardinha 17 pcts de bolacha doce e salgada 04 latas de atum 10 pcts (500g) pó de café 20 sabonetes

15 pcts de balas 23 pcts de sabão em pedra 02 massas salgada 04 frascos de champu 25 caixas de leite longa vida 01 caixinha de creme de leite 06 pcts de suco 02 pacotes de papel higiê-

nico 01 pcts de fralda 01 pcts de lentilha 01 frasco de maionese 04 latas de molho de tomate 03 dzs de ovos 11 cxs amido de milho 02 frascos de vinagre 04 pcts de frutas cristali-

zadas 01 pcts de uvas passas 03 pcts de miojo 48 pcts de fubá 06 pcts de farinha de milho 48 pcts de farinha de mandioca 17 pct sde farinha de trigo 01 pct de flocos de milho


Comunicação para a verdade e a Paz.

Página 07

Com o testemunho de nossa vida, anunciamos Cristo Ressuscitado

Ainda no escuro e com o som das matracas, mas com a certeza da ressurreição, inúmeros fiéis estiveram presentes à celebração da Vigília Pascal, no dia 7 de abril. A celebração teve início na praça Júlio de Mesquita, onde uma grande fogueira estava acesa, às 19h30min. Padre Paulo Eduardo, juntamente com os ministros e acólitos, iniciou a bênção do fogo novo, colocando os cravos no Círio Pascal 2012. Dando sequência, o administrador paroquial entrou na Igreja escura, fazendo destacar apenas a Luz do Círio. No início do corredor, padre Paulo Eduardo ergueu-o cantando a seguinte oração: Eis a luz de Cristo! E toda a assembleia respondeu: Demos graças a Deus! A oração foi cantada por três vezes até chegar ao altar e os presentes foram acendendo suas velas na chama do Círio Pascal, conforme o mesmo ia parando no corredor da Igreja. Após colocar o Círio ao lado da Mesa da Palavra, o sacerdote iniciou o canto do Exulte, significando a passagem da morte para a vida. A celebração seguiu com a Liturgia da Palavra e, ao chegar ao canto do Glória, o sinos voltaram a tocar jubilosos, as imagens que estavam veladas durante toda Semana Santa foram descobertas, as velas do altar foram acesas e pelo corredor principal adentraram os Irmãos do Santíssimo Sacramento com os arranjos de flores que enfeitaram o altar. Na homilia, padre Paulo Eduardo falou sobre a vida do cristão sob a luz do ressuscitado: “Meus irmãos, nós acabamos de ouvir o Evangelista Marcos narrar a ressurreição de Cristo. Se formos continuar a

ler o texto da bíblia, vamos perceber que, diferente dos demais evangelistas, ele não pede que as mulheres avisem os demais discípulos que Jesus Cristo havia ressuscitado. Nesse contexto, sabe quem deve anunciar a ressurreição de Cristo? Você meu irmão, sim você que foi batizado e que possui a virtude da fé. Quando iniciamos nossa Vigília Pascal, estávamos no escuro e apenas a luz do Círio Pascal iluminava o corredor da Igreja. Também a liturgia pede que o Círio seja colocado ao lado da mesa da palavra, para que a palavra de Deus seja proclamada sob a luz do Cristo Ressuscitado. E nós, como iremos anunciar a ressurreição de Cristo? Dando testemunho de nossa vida, que deve ser guiada e iluminada com a mesma luz que entrou na Igreja e que aos poucos resplandeceu a todos. Se seguirmos nossa vida dando testemunho, seremos como essa chama que acendeu as demais velas e desta forma anunciaremos a ressurreição do Cristo”, afirmou o sacerdote. Concluída a homilia, houve a continuação dos ritos batismais, tendo em vista que os primeiros ritos foram feitos na manhã do sábado. Foram batizadas as seguintes crianças: Eduardo Alves Oliveira de Souza Brito, Nicolas de Sousa Rodrigues de Paula, Ana Laura Santibañez e Selena Alves de Andrade. Ao final da celebração, padre Paulo Eduardo dirigiu-se até a porta da Igreja para saudar a todos, desejando Feliz Páscoa. A missa da Vigília Pascal é a maior solenidade litúrgica do ano, pois Cristo venceu a morte, garantindo para todos nós vida e esperança.

Secretaria Paroquial De Segunda e Sábado das 08h00 às 12h00 e de Terça à Sexta das 08h00 às 18h00.


Página 08

Comunicação para a verdade e a Paz.

A família que desejar receber esta visita, favor preencher esta ficha abaixo e entregar na comunidade que participa, ou depositar na coleta da missa. Recorte aqui

Desejo receber a Sagrada Família em minha casa Nome: ___________________________________________________________________________ Endereço: ________________________________________________________________________ Bairro: ___________________________________________________________________________ Telefone:_________________________________________ Assinale com X o horário de missa que participa em nossa comunidade Matriz de S. Judas Tadeu Capela N. Sª Auxiliadora Sábado ( )19h00 Sábado ( )19h00 Domingo ( )07h00 Domingo ( ) 09h00 ( )09h00 e ( )18h30 ( ) 18h30 Sábado dia 14 na missa das 19h00: Sergio e Lucia Acosta Receberá a Sagrada Família de 14 de abril a 21 de abril. Domingo dia 15 na missa das 07h00: Maria Ruth Bernardim Massoca Receberá a Sagrada Família de 15 de abril a 22 de abril Domingo dia 15 na missa das 09h00: Marisa Lopes Leal Receberá a Sagrada Família de 15 de abril a 22 de abril. Domingo dia 15 na missa das 18h30: Roseli Aparecida Raveli Varolli Receberá a Sagrada Família de 15 de abril a 22 de abril. **** Sábado dia 21 na missa das 19h00: Laleska e Celina Receberá a Sagrada Família de 21 de abril a 28 de abril. Domingo dia 22 na missa das 07h00: Guinaldo e Iracema Receberá a Sagrada Família de 22 de abril a 29 de abril.

Capela Santa Clara Sábado ( ) 19h00 Domingo ( ) 09h00

Domingo dia 22 na missa das 09h00: Antônio Aparecido de Andrade Receberá a Sagrada Família de 22 de abril a 29 de abril. Domingo dia 22 na missa das 18h30: Lourdes Celia Lopes Receberá a Sagrada Família de 22 de abril a 29 de abril. **** Sábado dia 28 na missa das 19h00: Miriam Marli Bruni Pereira Receberá a Sagrada Família de 28 de abril a 05 de Maio. Domingo dia 29 na missa das 07h00: Eliane Ribeiro Santos Receberá a Sagrada Família de 29 de abril a 06 de Maio. Domingo dia 29 na missa das 09h00: Adriana Zanotti Lopes Favaretto Receberá a Sagrada Família de 29 de abril a 06 de Maio. Domingo dia 29 na missa das 18h30: Thiago Bueno e Betina Bueno Receberá a Sagrada Família de 29 de abril a 06 de Maio.

- Nos dias 09 e 10/06, haverá em nossa paróquia o MIC (Movimento de irmãos com Cristo) para homens com a idade a partir dos 25 anos. Inscrições na secretaria paroquial - Encontro para jovens, dia 06/05, das 08h às 20h, no cen- ou com a coordenação até o dia 21 de abril. Vagas limitadas. *** tro comunitário São Judas Tadeu. A inscrição poderá ser - No dia 12/05 haverá em nossa paróquia o Festival de feita no grupo de jovens da paróquia ou na secretaria paroPrêmios (bingo) às 20h. As cartelas serão vendidas na secrequial. Valor 10,00. Idade mínima 14 anos taria paroquial ou com os agentes de pastoral e movimento.

Euricostura Costura em Geral. Todos os tipos de ajustes. Zíper de bolsas e mochilas 4024-2004 – 7368-9778 Av. Ernesto Fávero vizinho do n.º 65

Povo de Deus  

Boletim Informativo da Paróquia São Judas Tadeu – Itu/SP – Diocese de Jundiaí

Advertisement