Page 1

Cidades Política Cultura Esportes São Caetano Mundo Economia Tecno

3e4 5, 6, 7 e 8 9 10 e 11 12 13 14 16

Orlando quer informações sobre obra no 4Pág. 07 Alvarenga.

Foto: Divulgação

Prefeito de São bernardo cobra Sabesp

NESTA EDIÇÃO

Praça da Moça abre exposição “Paisagens de Diadema”, de Marta Marin. 4Pág. 05

Santo André cancela edição do Carnaval deste ano O cancelamento foi por conta da realidade orçamentária da cidade. 4Pág 03

abc

Quinta-feira, 12 de janeiro de 2017 Edição 2445 Ano XI

Mercado espera redução da taxa Selic

Comitê contra aumento das passagens no ABC marca ato para o Consórcio

Foto: Divulgação

4Pág. 06

4Pág. 14

Foto: Divulgação

O Comitê Regional Uni­ficado Contra o Aumento das Passagens do ABC promete realizar nova agenda de protestos na região contra o reajuste das tarifas em Santo André e contra a taxa de integração imposta em Diadema. O grupo também pressiona pela garantia de manutenção da tarifa em R$ 3,80 em Mauá, cidade onde o aumento foi revogado pelo prefeito Atila Jacomussi (PSB). A decisão ocorreu em assembleia realizada na segunda-feira (9).

Com a inflação em declínio e a demora na recuperação da economia, a maioria das projeções do mercado financeiro concentra-se no corte de 0,50 ponto porcentual da Selic, para 13,25% ao ano.

Dívidas de prefeituras com Consórcio chegam a R$ 27mi

DESTAQUE SQN

política Para frear PSB, tucanos de SP contrariam Alckmin. 4Pág. 08

cultura Banda Selvagens à Procura de Lei lança novo disco no Sesc Santo André.

Siga-nos

4Pág. 09

esportes Futtoc chega ao Shopping Metrópole, em São Bernardo.

• @grupohojelivre • jornal.hojelivre

Foto: Divulgação

4Pág. 10

Números estão em discussão.4Pág. 07

São Caetano Auricchio busca recursos para honrar folha de pagamento. 4Pág. 12


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

www.jornalhojelivre.com.br

2 editorial

PASSANDO A LIMPO Foto: Divulgação

Os presídios no Brasil

Foto: Divulgação

nomeação n O prefeito de Ribeirão Pires, Adler Kiko Teixeira (PSB), nomeou o ex-vice-

prefeito da cidade Roberto Tokuzumi como secretário de Meio Ambiente. Ele foi um dos protagonistas do escândalo do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental) há quase cinco anos. Tokuzumi é réu junto ao ex-prefeito andreense Aidan Ravin (PSB) e outros nomes da autarquia da época. O Ministério Público, porém, pediu formalmente para que ele tenha pena reduzida por ter delatado o esquema.

chapa n Tokuzumi, de 1993 a 1996 foi vice-prefeito na chapa de Valdirio Prisco

(morto em 2012). Na época, ele era filiado ao PRP. Em 1996, saiu candidato à Prefeitura de Ribeirão, mas perdeu para Maria Inês Soares (PT). Em 2000, tentou novamente, pelo PV, mas não obteve sucesso. A candidata do PT foi reeleita.

mudança n Sua mudança para Santo André aconteceu em 2009, quando assumiu

a diretoria de departamento de gestão ambiental do Semasa. Neste cargo, ele tinha função técnica: avaliar as licitações para serem liberadas ao superintendente do Semasa na época, Ângelo Pavin. Com o tempo, as licitações passaram a demorar muito mais do que o normal para serem analisadas. Em 2012, Tokuzumi delatou ao MP que havia esquema dentro do Semasa para liberação de licenças, mediante pagamento de propina de R$ 300 mil a R$ 1 milhão.

Rua José Versolato 111, Torre B- Conjunto 802 - SBC CEP 09750-730 Tel: 23791915

www.jornalhojelivre.com.br Publisher: Luciana Sereno Diagramação: Natália Sabino comercial.hojelivre@gmail.com redacao.hojelivre@gmail.com ANUNCIE: 950600843

Circulação: SCS, SBC, Santo André, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e RGS TIRAGEM E VEICULAÇÃO: 30 MIL EXEMPLARES

Tiragem Auditada por CMH Comunicação Integrada Circulação Garantida

Os indicadores de segurança mostram que o Brasil atravessa um ciclo de criminalidade em alta. A violência do banditismo se traduz nas ruas, por conta do incremento de ações criminais como assaltos, roubos, agressões e outros agravos à lei; e também, agora em mais um espasmo de selvagerias, dentro das cadeias, decorrência de uma política penitenciária deformada em seus princípios correcionais e, pior, sem maiores cuidados na definição de quem deve ou não ser preso. O viés policial da questão tem seu campo apropriado, o da repressão direta ao crime. O segundo, no âmbito da imputabilidade, apresenta-se, no momento, como o que reclama soluções mais urgentes: as “masmorras” brasileiras, eterno caldeirão, encontram-se novamente em ponto de ebulição. As tragédias recentes no Norte, cujo número de vítimas tangencia a casa dos três dígitos, voltam a pôr na ordem do dia a questão penitenciária no país. Com uma população carcerária em torno de 640 mil presos e déficit de mais de 200 mil vagas, é inevitável que a superlotação acenda rastilhos, como no Amazonas e em Roraima. O país precisa de mais vagas no sistema — o que significa a construção de mais presídios, empreitada que o governo federal promete enfrentar de forma mais eficiente do que no ciclo lulopetista, cuja promessa de criação de novas unidades não se realizou totalmente. Mas a questão da criminalidade em alta é mais abrangente, e o simples aumento do número de prisões não dá conta da questão por inteiro.

No plano específico da política penitenciária, há demandas no âmbito da gestão. Dos mais de 600 mil condôminos das penitenciárias, 40% deles são presos provisórios, pessoas que, antes mesmo de serem julgadas, já amargam o cumprimento de penas que sequer se sabe se serão confirmadas em juízo. Mesmo entre os que já passaram pelo crivo do Judiciário, há uma grande parcela que não deveria, ou não precisaria, estar recolhida a uma cela: réus primários, pequenos criminosos, muitos usuários de drogas condenados como traficantes etc. É um contingente que, submetido a atos correcionais mais brandos, com penas alternativas, poderia ser reintegrado à sociedade, abrindo vagas nas cadeias a quem de fato representa ameaça para a população. Construir presídios é parte do combate ao crime. Mas é crucial ir além. No programa de segurança do Planalto, o maior mérito é a integração da União aos esforços de combate ao crime organizado, um avanço a se consolidar com atos concretos. Reclamam-se, ainda, providências no âmbito do Judiciário (como a efetivação das audiências de custódia, por exemplo), o aperfeiçoamento da (boa) Lei de Execuções Penais, e, num plano mais abrangente, a revisão da política de drogas (competências que o Legislativo tem o dever de assumir). Ações estratégicas em lugar de iniciativas de efeitos pirotécnicos, adotadas no auge de crises e deixadas de lado tão logo passe o furacão — o que se espera não seja o processo em curso.

FRASES

O racismo ainda divide a sociedade. Barack Obama, ex presidente dos Estados Unidos

Foto: Divulgação


www.jornalhojelivre.com.br

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

cidades

3

contexto

Santo André cancela edição do Carnaval deste ano

Foto: Divulgação

A Prefeitura de Santo André informa que na tarde da última terça-feira (10), em reunião com a participação de representantes da União das Escolas de Samba de Santo André (UESA), chegou-se a um acordo comum de que o município não realizará os desfiles de Carnaval neste ano. Por conta da realidade orçamentária, fruto da dívida que ultrapassa os R$ 300 milhões, a Administração está dando prioridade para a organização das finanças do Executivo, quitação de débitos com fornecedores que estão há muitos meses sem receber pelos serviços prestados e retomada do crescimento e potencial de investimento da cidade.

Campanha social arrecada material escolar usado para creches e orfanatos

Para colaborar com a comunidade, o Colégio Singular promove ao longo do ano diversas campanhas sociais. A primeira deste ano é a do Material Escolar, que segue até o dia 10 de fevereiro.

Nesse período, todas as unidades do colégio e cursinho receberão doações de lápis de cor, lápis preto, giz de cera, cadernos, livros, borrachas, réguas, mochilas e canetas, entre outros materiais,

novos ou seminovos. Toda a arrecadação será destinada a creches e orfanatos do Grande ABC. Coordenada por Ronaldo Beluzzo, a iniciativa faz parte do

Foto: Divulgação

projeto Singular Social, que beneficia cerca de 50 instituições do Grande ABC. Para conferir o endereço da unidade mais próxima, basta acessar o site www.singular.com.br .


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

4

www.jornalhojelivre.com.br

CIDADES

contexto

Escola comemora 20 anos e implanta projeto que amplia estimulação cerebral

Foto: Divulgação

A escola de educação infantil Materna – Centro de Cuidados & Desenvolvimento Infantil, com unidades em Santo André e São Bernardo do Campo, completa 20 anos de existência em 2017 e intensifica parceria com o professor Celso Antunes, pesquisador da mente humana, autor de mais de 220 livros e precursor das Inteligências Múltiplas no Brasil. Desde 2004, a Materna utiliza metodologia pedagógica própria e inovadora baseada no estímulo às Inteligências Múltiplas que segue o conceito proposto por Celso Antunes e para este ano, a escola passa a introduzir o LIM – Labora-

tório das Inteligências Múltiplas. A apresentação desse projeto será durante palestra com a professora Paola Hanna, da equipe do professor Celso Antunes, que trabalhará também a motivação do professor e educação socioemocional. O evento será no próximo dia 16 de janeiro a partir das 10 horas no Cakky Balaco, localizado na rua das Figueiras, 580 – Bairro Jardim - Santo André, seguido de almoço comemorativo pelo 20º aniversário da escola infantil. De acordo com uma das mantenedoras da escola, Adriane Imbroisi, o LIM tem como objetivo ampliar a

estimulação cerebral das crianças, desenvolvendo maior agilidade no processo de cognição do aluno, no pensamento operatório e no sistemático, na linguagem, na ampliação da percepção dos cinco sentidos, a fim de trazer de forma ilimitada a transformação da criança em seu desenvolvimento pleno, além da formação de valores éticos e morais, como a cooperação, empatia e respeito. “No decorrer deste ano, estreitaremos ainda mais a parceria com o professor Celso Antunes, com palestras sistemáticas, presenciais e on-line para os pais, além de capacitação continuada dos nossos

professores”, acrescenta Adriane. Sobre: A escola Materna é associada à Unesco e no início de 2002 foi a primeira escola de Educação Infantil no mundo a receber o título de Junior Mascot, concedido pela Life-Link, uma instituição sueca que promove ações e projetos ligados à Unesco. A escola recebeu este título em reconhecimento ao trabalho ambiental, às ações voluntárias e às campanhas de arrecadação de alimentos e agasalhos para instituições de caridade. No final de 2003, a escola recebeu o selo ISO 14001 - Sistema de Gestão Ambiental, passando a ser a segunda escola infantil no mundo a possuir tal certificação.


www.jornalhojelivre.com.br

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

política

5

diadema

Praça da Moça abre exposição “Paisagens de Diadema”, de Marta Marin

Foto: Divulgação

A mostra é composta por cerca de 20 obras, que apresentam várias técnicas, como aquarela, óleo sobre tela, acrílica sobre tela e nanquim para retratar locais representativos da cidade de Diadema, como a Praça da Moça, Teatro Clara Nunes, Observatório Astronômico, Borboletário e Jardim Botânico, entre vários outros. “Nestes trabalhos, todos produzidas em 2016, ofereço uma outra perspectiva de locais que muitas vezes, na pressa do dia a dia, as pessoas não veem, ou mes-

mo não conhecem, e esta exposição é uma nova oportunidade para que o público possa apreciar recortes da cidade e exercitar um olhar positivo sobre estas paisagens urbanas”, afirma a artista. Curiosidade - Um dos quadros produzidos por Marta Marin e que inspira o nome da exposição, é a releitura da obra “Paisagem de Diadema”, de Anita Malfatti (1889-1964), um dos expoentes do Modernismo brasileiro.

Anita morou em Diadema na década de 1950, em uma chácara onde hoje estão localizadas a praça Castello Branco e a Avenida Presidente Kennedy. Sobre a artista Marta Marin é formada em Artes pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Cenografia pelo Centro de Pesquisa Teatral (CPT) e em Criação e Comunicação pela Escola Panamericana de Arte. Entre diversos trabalhos realizados

destacam-se a participação na Bienal Internacional de São Paulo e a Exposição Traços e Formas, em Diadema. Seviço: Exposição “Paisagens de Diadema”, de Marta Marin Quando: de 10 de janeiro a 3 de março Onde: Piso Araucária Shopping Praça da Moça Rua Manoel da Nóbrega, 712 - Centro, Diadema Telefone: (11) 4057-8900


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

6

www.jornalhojelivre.com.br

política

contexto

Comitê contra aumento das passagens no ABC marca ato para o Consórcio

Foto: Divulgação

O Comitê Regional Uni­ficado Contra o Aumento das Passagens do ABC promete realizar nova agenda de protestos na região contra o reajuste das tarifas em Santo André e contra a taxa de integração imposta em Diadema. O grupo também pressiona pela garantia de manutenção da tarifa em R$ 3,80 em Mauá, cidade onde o aumento foi revogado pelo prefeito Atila Jacomussi (PSB). A decisão ocorreu em assembleia realizada na segunda-feira (9).

tomada do diálogo sobre demandas dos movimentos sociais e sobre a política de preços do transporte público. “Há um ano, o Comitê fez uma solicitação ao Consórcio a respeito de pautas da mobilidade. Agora, vamos cobrar a resposta dessas pautas”, informou Francisco de Oliveira, o Chicão, membro do grupo. Na próxima terça-feira, os movimentos realizarão protesto, às 17h, no calçadão da Rua Oliveira Lima, região central de Santo André.

Reajustes As manifestações acontecem em resposta à decisão dos ex-prefeitos de Santo André e Mauá, Carlos Grana (PT) e Donisete Braga (PT), respectivamente, de aumentar as tarifas do transporte público de R$ 3,80 para R$ 4,20 neste mês. Em Diadema, a taxa de integração de terminais no valor de R$ 1 foi estabelecida por decisão da Empresa Metropolitana de Transpor­tes Urbanos (EMTU).

A primeira atividade na região será realizada nesta sexta-feira, às 14h, no Consórcio Intermunicipal do ABC, em Santo André. De acordo com a organização, o objetivo é cobrar a re-

Em Diadema, o ato contra o fim da integração gratuita está marcado para o próximo dia 20 – dois dias antes do início da cobrança para integração de terminais na cidade.

Em Mauá, o aumento de 10% das tarifas de transporte foi revogado pelo prefeito, que apontou “irregularidade técnica” no decreto assinado por seu antecessor. O pessebista, porém,

afirmou que reavaliará as planilhas de custos das empresas, sem descartar novo aumento ainda neste ano. Em Santo André, o prefeito Paulo Serra (PSDB) enfatizou que está “observando” o movimento das demais cidades da região metropolitana e que, por ora, a revogação do aumento não está sendo estudada pelo Paço. Na cidade, o decreto também estabeleceu novo valor para o valetransporte pago pelas empresas, que passou de R$ 4,50 para R$ 5. A Prefeitura de São Caetano deve divulgar hoje, no Diário Oficial do município, a revogação do reajuste da tarifa, que subiu R$ 3,70 para R$ 4,10.


www.jornalhojelivre.com.br

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

política

7

contexto

Morando cobra Sabesp por obra no Grande Alvarenga

Foto: Divulgação

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), se reuniu ontem pela manhã com Roberval Tavares de Souza, superintendente da área Sul da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), e cobrou que saia do papel projeto de implantação de rede coletora de esgoto no Grande Alvarenga. Em 2010, a Sabesp anunciou a contratação de empréstimo internacional com a Jica (Agência de Cooperação Internacional do Japão, na sigla em inglês), de US$ 63 milhões à época, para o Programa

Pró-Billings. O objetivo era que até 2015 todo o esgoto coletado na bacia da Billings fosse direcionado à ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) ABC. Com contrapartida de igual valor – totalizando, então, R$ 250 milhões –, a ideia era construir 100 quilômetros de redes coletoras, 30 quilômetros de coletores-tronco e 72 estações elevatórias. “É inaceitável esta postura da Sabesp e não podemos mais tolerar a demora em começar o Pró-Billings no Grande Alvarenga”, afirmou o tucano, após o encontro.

Dívidas de prefeituras com Consórcio chegam a R$ 27 mi Foto: Divulgação

As dívidas das sete prefeituras do Grande ABC com o Consórcio Intermunicipal chegou em R$ 26,9 milhões. Esse valor inclui atrasos do rateio das cidades referentes ao exercício de 2016 (R$ 15 milhões) e parcelas de outros anos que já foram negociadas e não honradas pelas administrações (R$ 2,75 milhões). O montante também inclui R$ 9,07 milhões de débitos de exercícios passados que foram acordados, mas que o pagamento ainda não venceu – foi incluído nos carnês da gestão 2017-2020. O total do deficit é equivalente a praticamente um ano de repasses das sete prefeituras ao Consórcio e 60% de todo orçamento da entidade. Na segunda-feira, o prefeito de São Bernardo e presidente do colegiado, Orlando Morando (PSDB), anunciou diversas medidas de cortes no Consórcio. Entre as ações está a redução pela metade dos cargos comissionados (de dez para cinco), revisão de contratos e o polêmico corte no repasse à Agência de Desenvolvimento Econômico, braço institucional do Consórcio que é responsável pelo fomento às políticas de avanço econômico da região (leia mais abaixo). Na primeira assembleia ficou estabelecido que o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), traçará método de acerto desse valor. O município andreense desponta no

0,25% das receitas correntes líquidas de cada município o índice equivalente ao rateio entre os sete prefeitos. Em tese, essa alteração reduziria para cerca de R$ 13 milhões o repasse das prefeituras à entidade e comprometeria a saúde financeira do Consórcio. Na prática, porém, a conta feita pelo novo comando do Consórcio é a seguinte: se o rateio anual entre os prefeitos soma, em média, R$ 26 milhões, mas apenas aproximadamente R$ 11 milhões desse valor são honrados (em 2016 a inadimplência foi de R$ 15 milhões), é possível garantir a estabilidade financeira do órgão com a diminuição dos repasses mensais.

ranking de devedores do Consórcio: R$ 9,81 milhões. Em segundo vem a gestão Lauro Michels (PV, Diadema), com deficit de R$ 8,21 milhões junto ao colegiado. Na última reunião de 2016 entre os prefeitos, o então presidente do Consórcio, o prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (PSDB), havia tratado sobre pactuação do passivo, mas Lauro foi o único a discordar do acordo. Na sequência aparecem Mauá (deve R$ 3,12 milhões), São Bernardo (R$ 2,86 milhões), São Caetano (R$ 1,4 milhão), Ribeirão Pires (R$ 1,22 milhão)

e Rio Grande da Serra (R$ 264 mil). Paulo Serra apresentará novo tratado na próxima reunião do colegiado, no dia 7 de fevereiro. O Diário apurou que o que se desenha é a extinção de acordos vigentes celebrados em exercícios passados e um novo parcelamento da dívida total de cada município. Entre os prefeitos, a inadimplência é atribuída exclusivamente à forte queda das receitas das cidades devido à crise econômica. Por conta disso, decidiram reduzir de 0,5% para

O orçamento do Consórcio para 2017 é de R$ 45,26 milhões. Desse montante, R$ 30,27 milhões são provenientes do rateio do exercício deste ano. O restante é referente a transferências externas, como R$ 14,58 milhões do governo federal para o custeio de obras de Mobilidade Urbana nos municípios. SERVIÇO: 81ª Reunião Ordinária da Assembleia Geral Dia 9 de janeiro, segunda-feira, das 10h às 12h Local: Consórcio Intermunicipal Grande ABC Av. Ramiro Colleoni, 5, Centro, Santo André


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

8

www.jornalhojelivre.com.br

política

contexto

Para frear PSB, tucanos de SP contrariam Alckmin

Em um movimento para tentar frear o fortalecimento do PSB no Estado, o PSDB paulista contrariou o governador Geraldo Alckmin e desistiu de eleger uma nova direção para a legenda em São Paulo. Com isso, prevaleceu uma determinação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que prorrogou seu próprio mandato na presidência nacional do partido e estendeu a medida para todos os diretórios. Alckmin, Aécio e o ministro das Relações Exteriores, José Serra, são cotados internamente como candidatos ao Palácio do Planalto em 2018. Em uma reunião tensa na noite de segunda-feira, 9, - a qual a reportagem presenciou - o presidente do partido no Estado, deputado Pedro Tobias, justificou a decisão de ficar mais um ano à frente do Diretório Estadual com o argumento de que se “preocupa” com a sucessão ao Palácio dos Bandeirantes em 2018. Segundo ele, o temor é de que Alckmin, para viabilizar sua candidatura à Presidência, faça uma aliança com os pessebistas em detrimento de um nome do PSDB em São Paulo. Dirigentes do PSB defendem que o atual vice-governador, Márcio França, seja

o candidato apoiado pelos tucanos. “O partido está em primeiro lugar. Minha preocupação é chegar o governador amanhã e fazer uma aliança com o PSB. Porque o governador sempre quer mais aliança, mas partido é partido, e governo é governo”, disse Tobias. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo na semana passada, o dirigente havia feito outro discurso e afirmara que abriria mão de renovar o próprio mandato para defender a democracia interna.

nisso. Foi o caso da presidência da Câmara Municipal: o prefeito é nosso e ficamos de fora”, disse Tobias na reunião.

Durante a reunião, Tobias também acusou o PSB de ter prejudicado o PSDB nas eleições municipais deste ano. Ele citou como exemplos os casos de Mauá e Guarulhos, cidades onde o PSB venceu candidatos tucanos.

Movimento Tobias disse para aliados que mudou de ideia porque “identificou” uma movimentação nos bastidores do chefe da Casa Civil de Alckmin, Samuel Moreira, para tirar seu grupo do comando do diretório e instalar no lugar um grupo afinado com o PSB. Procurado pela reportagem, Moreira não foi localizado.

Em outra declaração que evidenciou a divisão entre os tucanos, o presidente do PSDB paulista ainda reclamou da falta de apoio do partido ao vereador Mário Covas Neto (PSDB) na disputa pela presidência da Câmara Municipal paulistana. A bancada tucana seguiu orientação do prefeito João Doria, afilhado político de Alckmin, e votou no vereador Milton Leite (DEM), que se elegeu. “Muitas vezes a relação de aliança deixa alguém sacrificado. O PSDB fica

Antes de articular sua permanência no cargo, o dirigente tucano consultou Serra e o senador Aloysio Nunes Ferreira, líder do governo Michel Temer no Senado. Adversários de Alckmin no partido, ambos chancelaram a iniciativa. Já Aécio não participou da articulação no diretório paulista.

Pré-candidato à Presidência em 2018, o governador paulista tem o apoio dos pessebistas, que sinalizam até com a possibilidade de lançá-lo na disputa caso não se viabilize no PSDB. A contrapartida seria o apoio de Alckmin à candidatura de França em São Paulo. Após Tobias dizer que haveria eleição interna, três tucanos se apresentaram para

Foto: Divulgação

disputar o cargo, todos da estrita confiança de Alckmin: o secretário de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro; o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa; e o deputado federal Miguel Haddad. A decisão de prorrogar o mandato no Diretório Estadual teve 18 votos favoráveis e três contrários, do deputado federal Vanderlei Macris, e dos estaduais Cauê Macris e Carlão Pignatari. Tobias se absteve. Na saída da reunião, um membro da Executiva próximo ao governador chamou a manobra de “golpe”. Outro afirmou que o discurso “constrangeu” o governador e que Moreira levou “uma bicicleta” de Tobias. Alguns membros do Diretório Estadual disseram que se sentiram constrangidos a votar a favor da prorrogação do mandato. Durante a reunião, membros da Executiva Estadual levantaram a possibilidade de apresentar uma moção de repúdio para registrar o descontentamento com a decisão pela prorrogação do mandato de Aécio. A sugestão, porém, nem sequer foi discutida. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


www.jornalhojelivre.com.br

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

cultura

9

agenda

Banda Selvagens à Procura de Lei lança novo disco no Sesc Santo André

Foto: Divulgação

No dia 14 de janeiro, sábado, às 20h, a banda de rock Selvagens à Procura de Lei realiza no Teatro do Sesc Santo André o show de lançamento do disco Praieiro, definido pelo grupo como “um convite às tardes livres”, com referências às transformações vividas pelo conjunto quando se mudou da capital cearense para São Paulo. O repertório abrange desde declarações de amor, como no reggae Felina, até questões políticas, a exemplo do xote Guetos Urbanos. Enquanto o single Tarde Livre remete às suas origens praieiras, Sangue Bom faz referências

diretas à capital paulista: “aqui em Sampa, toda cena é de cinema”, canta o quarteto. A banda faz ainda uma homenagem a Raul Seixas, Arnaldo Baptista e Tom Zé na faixa O Amor Não É um Rock 2, a mais pesada do disco. Fundado em Fortaleza em 2009, o Selvagens à Procura de Lei é marcado por letras engajadas e influências que vão de Beatles a Renato Russo, passando por Jack White, Cazuza e Fernando Catatau. Composta por Gabriel Aragão (vocais, guitarra), Rafael Martins (vocais, guitarra), Caio Evangelista (vocais e baixo) e Nicholas Magalhães (vocais e bateria),

o grupo vem percorrendo os principais festivais do país, entre eles o extinto Planeta Terra (2011) e o Lollapalooza (2014). A discografia do Selvagens à Procura de Lei inclui três EPs (2010 e 2011) e os álbuns Aprendendo a Mentir (2011), Selvagens à Procura de Lei (2013) e, agora, Praieiro (2016). Selvagens à Procura de Lei – “Praieiro” Dia 14 de janeiro de 2017, sábado, às 20h Ingressos: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (aposentado, pessoa com 60 anos ou mais, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante), R$ 6,00 (trabalhador do

comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes). Venda limitada a 6 ingressos por pessoa e CPF. Ingressos à venda pelo Portal Sesc SP e nas bilheterias da Rede Sesc Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos. No Teatro (302 lugares) Sesc Santo André - Rua Tamarutaca, 302 – Vila Guiomar – Santo André Telefone – (11) 4469-1200 Estacionamento para o show (vagas limitadas): Credencial Plena – R$ 6 | Outros – R$ 11


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

www.jornalhojelivre.com.br

10 esportes contexto

Futtoc chega ao Shopping Metrópole, em São Bernardo

Um novo esporte está chegando ao país e o Shopping Metrópole, em São Bernardo do Campo, receberá com exclusividade os primeiros equipamentos para sua prática a desde ontem (11). O FUTTOC é, além de uma ferramenta de entretenimento e inclusão social, um jogo disputado em uma mesa com uma bola de futebol. Criado em Barcelona, o FUTTOC desenvolve coordenação motora, reflexo, pontaria e habilidade. Tais benefícios foram reconhecidos por times de futebol reconhecidos, que já incluem o esporte nos treinamentos de seus atletas, e conquistaram até ícones do futebol. Os interessados podem

conhecer essa nova modalidade na Praça de Eventos do Shopping Metrópole, de 11 a 21 de janeiro, das 12 às 20 horas. Serão disponibilizadas duas mesas com desenho de campo de futebol de 6 m²: uma para introdução e experimentação do esporte e outra para partidas com as regras oficiais. O objetivo do jogo é passar a bola para o lado oposto da mesa com qualquer parte do corpo, exceto mãos e braços, e um único toque. Para tornar essa experiência inédita ainda mais estimulante, o empreendimento promoverá o campeonato #DesafioFuttocMetrópole.Quem conseguir avançar para a mesa de

jogos oficiais disputará automaticamente uma qualificação no campeonato e os 32 praticantes melhores ranqueados serão convidados para a final do dia 22 de janeiro, a partir das 12 horas. O regulamento completo do torneio estará disponível no local do evento. A novidade promete divertir crianças e adultos a partir de 7 anos e não há limite máximo de idade para participar – a única exigência é que crianças de 7 a 12 anos estejam acompanhadas pelos pais e/ou responsáveis. “Estamos trazendo pela primeira vez ao Brasil uma modalidade que abrange fundamentos da paixão nacional – o

Foto: Divulgação

futebol. E, como toda disputa, o nosso #DesafioFuttocMetropole será emocionante!”, comenta Fabio Deganutti, superintendente do shopping. Serviço FUTTOC Data: 11 a 21 de janeiro Horário: das 12h às 20h #DesafioFuttocMetropole Classificatórias: 11 a 21 de janeiro Horário: das 12h às 20h Final: 22 de janeiro Horário: a partir das 12h Endereço: Praça Samuel Sabatini, 200 – Centro – São Bernardo do Campo (SP) Telefone: (11) 4003-7370 www.shoppingmetropole.com.br


www.jornalhojelivre.com.br

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

esportes 11

novidade

Atacante Keno chega ao Palmeiras com a meta de ser titular de Eduardo Baptista

Foto: Divulgação

Brigar por posição entre os titulares é a meta do destemido atacante Keno, de 27 anos, apresentado terça-feira (10) pelo Palmeiras, na Academia. “Sei do meu potencial. Sei que Dudu, Róger Guedes e Erik são bons, mas tenho que trabalhar para conquistar o espaço e, quando entrar, procurar resolver”, disse o novo camisa 27 do alviverde. Assim como todo o grupo palmeirense, Keno recebeu do técni-

co Eduardo Baptista a garantia de que vai ter chances na temporada. Nas contas do novo comandante, o Palmeiras vai fazer 80 partidas oficiais no ano. “São muitos jogos para dez meses. Tenho de trabalhar”, acrescentou Keno.

Após Eduardo Baptista afirmar que o time será papa-títulos no ano, foi a vez de Keno falar do potencial do elenco. “Pelas contratações (o Palmeiras é galáctico). Felipe Melo e Guerra são jogadores experientes. O Palmeiras quer ganhar tudo”, avisou o atleta.

Para atingir esse número de jogos, o clube terá que atuar no Mundial de Clubes, ou seja, vai ter de faturar a Libertadores. A confiança no elenco, no entanto, se traduz a cada entrevista dada.

Destaque do Santa Cruz no Brasileirão de 2016, Keno revelou a emoção dos pais quando confirmou que havia assinado contrato até 2020. “Contei para minha mãe e meu pai e eles cho-

raram porque foi muito difícil. Estava no Santa Cruz e todos pensavam que ia para um clube abaixo. Porém, com fé em Deus e ajuda da minha mulher, que está comigo há oito anos, consegui bom emprego”, prosseguiu. No ano passado, em 73 jogos do Santa, Keno fez 61. Foram 18 gols no ano, sendo dez no Brasileirão. “Pensamos grande e temos que trazer jogadores de qualidade”, enfatizou o diretor de futebol Alexandre Mattos.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

www.jornalhojelivre.com.br

12 são caetano cotidiano

Auricchio busca recursos para honrar folha de pagamento

prefeito de São Caetano, José Auricchio Junior (PSDB), afirmou na última terça-feira (9) que está em busca de recursos extraordinários para honrar o pagamento dos salários dos servidores públicos referentes a dezembro e que devem ser depositados neste mês. De acordo com o tucano, além de “não haver caixa” na prefeitura, a proibição das férias dos servidores da

Educação, imposta pelo ex-prefeito Paulo Pinheiro (PMDB) como manobra para postergar o pagamento do abono previsto em lei, prejudicou ainda mais as finanças municipais. “Tivemos esse impasse com a folha de pagamento da Educação relativa às férias de 2016, que foi um grande empecilho e que ficou da administra-

ção passada sem nenhuma reserva de caixa para isso”, disse o prefeito. Na semana passada, a atual gestão já havia autorizado as férias da categoria e garantido o pagamento do bônus. O governo, porém, informou que ainda estuda a melhor maneira para efetuar o pagamento “sem prejudicar as contas públicas”.

Foto: Divulgação

“Há entraves de todas as ordens. Estamos conseguindo resolver agora as férias da Educação relativas ao exercício do ano passado, que acumulou quase R$ 18 milhões. Nosso desafio será fazer 15 folhas de pagamentos da Educação: as 12 regulares, o 13º e duas férias. Não faço choramingo. É apenas uma constatação”, disse o prefeito.


www.jornalhojelivre.com.br

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

MUNDO

13

contexto

Maioria dos americanos quer que Trump encerre sua conta no Twitter

Foto: Divulgação

Uma pesquista de opinião divulgada na noite de terça-feira (10) revela que 64% dos eleitores dos Estados Unidos querem que o presidente eleito, Donald Trump, encerre sua polêmica conta no Twitter, enquanto 51% desaprovam suas ações desde que ganhou as eleições há dois meses. O percentual de americanos que deseja que Trump feche sua conta no Twitter sobe até 71% quando os indagados têm entre 18 e 34 anos, de acordo com o estudo realizado pela Universidade de Quinnipiac, em Connecticut. Apenas 32% dos entrevistados - 26% entre os mais jovens - têm uma ima-

gem positiva dos seguidores de seu presidente eleito nessa rede social. Os tweets de Trump influíram, talvez, no fato de 51% dos entrevistados terem desaprovado sua gestão como presidente eleito, enquanto a aprovação é de apenas 37%. Estes números contrastam com os do ainda presidente do país, Barack Obama, que deixará o Salão Oval no próximo dia 20 com uma aprovação de 55% e uma imagem negativa de 39%, seus melhores dados desde 2009, o primeiro ano de sua era. O estudo também revela que 45% dos americanos acreditam que Trump

será pior presidente que Obama, enquanto 34% prevêem que será melhor e 15% opinaram que será o mesmo. No entanto, 52% se mostraram otimistas sobre o futuro da economia do país e 47% consideram que Trump ajudará a fomentar seu crescimento, enquanto apenas 31% acreditam que a gestão do magnata o prejudicará. A pesquisa foi realizada entre 2 e 5 de janeiro com 899 eleitores registrados de todo o país e tem margem de erro de 3,3%. Recentemente, ele rebateu as críticas que recebeu da atriz Meryl Streep durante a premiação que ela recebeu no Globo de Ouro, que aconteceu no domin-

go (8). Ele a chamou de “puxa-saco de Hillary [Clinton]” e “adoradora de Hillary”. “Meryl Streep, uma das atrizes mais superestimadas de Hollywood, não me conhece, mas me atacou ontem no Globo de Ouro. Ela é uma puxa-saco de Hillary.” A expressão “flunky” também pode ser traduzida como “serva”. Na terça-feira (10), ele classificou de falsas informações divulgadas pela imprensa americana de que a Rússia teria informações comprometedoras sobre sua vida pesssoal. “Notícias falsas - uma total caça às bruxas política”, afirmou na rede social.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

www.jornalhojelivre.com.br

14 economia mercado

Mercado espera redução da taxa Selic em 0,50 ponto, para 13,25% ao ano

Foto: Divulgação

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Ban­co Central deve promover esta semana a terceira que­da consecutiva dos juros básicos (Selic) e a primeira acima de 0,25 ponto porcentual dentro do atual ciclo de afrouxamento monetário. Atualmente, a taxa está em 13,75% ao ano. Com a inflação em declínio e a demora na recuperação da economia, a maioria das projeções do mercado financeiro concentra-se no corte de 0,50 ponto porcentual da Selic, para 13,25% ao ano. Levantamento da agência Bloomberg revela que, de um total de 40 economistas, 35 esperam redução dessa magnitude. Outros quatro projetam queda maior, de 0,75 ponto, e apenas

um estima diminuição de 0,25 ponto porcentual. Na pesquisa semanal Focus, do BC, divulgada ontem (9), economistas do mercado mantiveram a expectativa de redução de 0,50 ponto. O Goldman Sachs prevê queda de 0,50 ponto, mas considera que há pelo menos 40% de chance de o Copom reduzir a Selic em 0,75 ponto. “Essa probabilidade pode aumentar se o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo, que mede a inflação oficial) de dezembro vier significativamente abaixo da expectativa”, projeta. Ainda segundo o Goldman, os dados fracos do mercado de trabalho e de atividade econômica e a pressão sobre o BC para intensificar o ritmo de cortes

podem levar à redução de 0,75 ponto. O IPCA de 2016 será conhecido amanhã cedo, horas antes do anúncio do Copom. A mediana das estimativas coletadas pela Bloomberg é que o indicador calculado pelo IBGE tenha terminado o ano passado em 6,34%, abaixo da variação de 12 meses acumulada em novembro, de 6,99%. Algumas instituições, co­mo o Itaú Unibanco, passaram a prever corte de 0,75 ponto da Selic depois que a produção industrial de novembro ficou abaixo do esperado. Divulgado na semana passada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o indicador cresceu apenas 0,2% na comparação com outu-

bro, contra estimativas de alta de 1,3%. “A queda na inflação (mais intensa do que o esperado) e a perspectiva de retomada econômica ainda mais lenta do que se antecipava sugerem corte mais agressivo nos juros”, diz o Itaú, em relatório. “Acreditamos que o Copom vai reduzir a Selic em 0,75 ponto, que nos parece ser coerente com sua comunicação atual, bem como com os últimos indicadores econômicos.” Além disso, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, reforçou em dezembro a mensagem da mais recente reunião do Copom, realizada em 30 de novembro do ano passado, de que o BC vai intensificar o ritmo de corte da taxa básica de juros se a atividade econômica permanecer fraca.


PREVIDÊNCIA REFORMAR PARA NÃO ACABAR.

É muito bom saber que temos uma Previdência Social que há quase um século nos ampara com o salário-maternidade, auxílio-doença, pensão e aposentadoria, entre outros benefícios. Mas é muito triste saber que tudo isso pode acabar do dia para a noite se não fizermos a reforma da Previdência. E é fácil entender o porquê. Hoje vivemos mais anos do que antigamente. O número de aposentados cresce muito mais rapidamente do que o número dos que contribuem para a Previdência. Tem muita gente que vive mais tempo recebendo a aposentadoria do que trabalhando. Do jeito que está, a conta não fecha. A Previdência não terá como pagar aposentadorias e outros benefícios por tantos anos. O rombo na Previdência foi de mais de 85 bilhões de reais em 2015. E em 2016, de mais de 140 bilhões de reais. Assim vai faltar dinheiro para nossas aposentadorias, dos nossos filhos e netos. E nós não podemos deixar que isso aconteça. A Previdência é um direito dos brasileiros.

Previdência. Reformar hoje para garantir o amanhã.

MINISTÉRIO DA TRANSPARÊNCIA, FISCALIZAÇÃO NTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO

reformadaprevidencia.gov.br


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

16

www.jornalhojelivre.com.br

tecno

Informe publicitário

iPhone, 10 anos: como protótipo esquecido em avião quase arruinou lançamento Foto: Divulgação

“Steve havia dito de maneira enfática que tudo era supersecreto. E que demitiria sumariamente quem revelasse segredos. Eu estava suando em bicas.” É assim que Tony Fadell descreve seu desespero ao buscar uma explicação para dar a Steve Jobs, o então todo-poderoso dono da Apple. Fadell simplesmente havia perdido o protótipo do que se tornaria um dos mais bem-sucedidos produtos tecnológicos de todos os tempos - o iPhone, cujo lançamento completou 10 anos na segunda-feira. Ele acabara de sair de um avião e, quando checou os bolsos... nada. “Na minha cabeça, imaginei todos os cenários possíveis para o que poderia acontecer. Nenhum deles terminava bem”, conta hoje. Após duas horas, porém, houve uma imensa sensação de alívio, graças aos esforços de uma “equipe de buscas” que não sabia o que procurava. “(O protótipo) tinha caído do meu bolso e se alojou entre os assentos” Em apenas alguns meses, o mundo saberia sobre o novo aparelho, mas não do susto pelo qual passou o inventor e designer Fadell, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do iPhone e de outro produto icônico da Apple - o tocador de arquivos de áudio iPod. Telefone do futuro... no passado Apelidado por experts em tecnologia como um dos “padrinhos do iPod”, Fadell deixou a Apple em 2010 e fundou a Nest, empresa de tecnologia doméstica inteligente que hoje é parte do portfólio da Alphabet, a empresa dona do Google. Ele conta que a ideia do smartphone surgiu da aceitação pela Apple, há 12 anos, de que o iPod, que tinha sido uma incrível fonte de receitas para a empresa, era uma plataforma que poderia evoluir. Naquela época, o aparelho já tinha capacidade para reproduzir vídeos e alguns jogos. “Pensamos que a chegada das redes de transmissão de dados por telefonia celular deveria fazer com que víssemos o iPod como uma plataforma de uso geral”. Esse tipo de filosofia, segundo Fadell, foi o pulo do gato da Apple. Enquanto seu competidor mais direto, a Microsoft, estava tentando fazer um PC “ca-

ber” em um telefone, a empresa vislumbrava uma sofisticação do iPod. O design inicial do iPhone previa o uso da “click-wheel” - conjunto circular de teclas - característica do iPod, mas a ideia foi logo abandonada. “Estávamos criando uma espécie de telefone retrô dos anos 60. Era muito difícil de usar”, lembra Fadell. Porém, outra divisão da Apple tinha começado a desenvolver um computador usando uma tela sensível ao toque. Era um projeto secreto, mas Jobs o apresentou para Fadell. “Era do tamanho de uma mesa de pingpong. Steve me mostrou e disse que queria ver essa tela em um iPod.” Mistério sueco A Apple tinha algum dos melhores “cérebros” do mundo da tecnologia pessoal, mas até aquele ponto ainda não tinha feito telefones. Fadell comandou então uma turnê mundial de visitas a especialistas em telecomunicações e laboratórios de pesquisa em busca de know-how. Logo na primeira etapa, em uma visita a um fabricante em Malmo, na Suécia, a equipe da Apple teve seus pertences furtados de um carro enquanto jantavam em um restaurante da cidade. “Pedimos a nossos anfitriões uma dica de restaurante e ficamos só entre 20 e 30 minutos no local, estáva-

mos cansados. Quando voltamos para o carro, tudo tinha sido roubado. Juramos que foi espionagem industrial, porque as pessoas sabiam que estávamos pensando em fabricar um telefone.” Mas poucos segredos foram perdidos, e o time voltou para os EUA cheio de ideias na cabeça. Teclado ‘morto’ Um debate acalorado ocorreu na hora de decidir sobre a existência de um teclado no iPhone. “A briga durou uns quatro meses - e as coisas ficaram feias”, lembra Fadell. Jobs, que tinha decidido usar uma tela sensível ao toque, ficou tão irritado com as ideias contrárias que criou uma política contundente em relação às pessoas que defendiam um teclado tradicional no telefone: “Até que vocês concordem comigo, nenhum de vocês voltará para esta sala. Se vocês não quiserem estar na equipe, saiam da equipe”, foi o que teria dito aos opositores, segundo Fadell. A discórdia logo terminou, pelo menos na sala de reuniões. E ainda há na Apple quem considere errada a decisão de não buscar um design parecido com o do Blackberry, na época o concorrente a ser batido no ramo dos celulares. O poder do dedo Desde o início do projeto, Jobs tinha

deixado claro que o dedo seria necessário para operar o iPhone, mas Fadell conta que pediu, às escondidas, que a equipe trabalhando na tela se assegurasse de que ela também seria compatível com canetas óticas. “Steve fez do uso exclusivo do dedo uma questão filosófica, mas sabíamos que um dia alguém iria querer usar uma caneta ótica. Fizemos a alteração sem que Steve soubesse - ele teria arrancado minha cabeça se descobrisse.” Rebelar-se em segredo era uma estratégica comum na Apple para engenheiros e designers mais teimosos. E, caso ficasse provado que eles estavam certos, poderiam aceitar cumprimentos. Fadell conta que um exemplo disso foi a compatibilidade do iPod com PCs. “Steve não queria saber disso, mas quando as vendas do iPod empacaram, disse a ele que tínhamos trabalho na compatibilidade nos bastidores.” “Perguntei a Steve quanto custava uma música no iTunes e ele disse ‘99 centavos (de dólar)’. Respondi: “Não, é o custo de um iPod, das canções e de um Mac. Temos uma fatia de mercado de apenas 1%, Steve’.” “Ele entendeu.” Zombaria Em nove de janeiro de 2007, hordas de jornalistas e fãs lotaram o centro de convenções Moscone Center, em São Francisco, para acompanhar uma palestra de Jobs. Fadell conta que bilionário não tinha levado um aparelho pronto, mas ainda assim ele ficou conhecido como o “Jesus phone”. Parte da imprensa zombou da maneira pomposa com que o iPhone foi lançado, algo também visto na concorrência - Steve Ballmer, na época o CEO da Microsoft, caçoou abertamente do aparelho, classificando-o como uma “máquina de mandar emails” que não era muito boa e não teria apelo para usuários de negócios. “Rimos dele e rimos da Blackberry”, conta Fadell. “Aprendi com Steve Jobs que, sempre que criamos um produto novo, você causou alguma preocupação se concorrentes e a imprensa zombam.” Desde aquele dia, mas de um bilhão de iPhones já foram vendidos, e a Apple é a companhia mais fica do mundo.

Edição 2445 12/01/17  

Jornal Hoje Livre

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you