Issuu on Google+

www.hnews.com.br

Maringá quinta-feira, 13 de março de 2014 - ano XIII - 3809

Colheita chegará a 188,7 milhões A produção de soja deve apresentar crescimento de 4,8% ou 3,9 milhões de toneladas a mais que a safra anterior Pág. 04

Acim pede a especialistas projeto para a Brasil A entidade solicitou mais 60 dias à prefeitura para apresentar um projeto para a revitalização da Avenida Brasil

Pág. 03

Prefeitura vai abrir duas unidades básicas de saúde até às 22 horas A medida atende o Plano de Contingência da Dengue da Secretaria Municipal de Saúde Pág. 02

MOBILIDADE

SERASA

Secretário anuncia hoje recursos para Terminal Intermodal

36,6% dos consumidores voltaram a ficar inadimplentes

Pág. 03

Pág. 05

MÁX. 27º MIN. 19º


2

OPINIÃO

HOJE NOTÍCIAS - MARINGÁ

QUINTA-FEIRA, 13.03.14

FÁBIO CAMPANA

Longo inferno astral Digamos que o inferno astral do PT do Paraná continua e não dá sinais de que vai terminar. Depois do processo do mensalão no STF, do prefeito pedófilo Eduardo Gaievski, do mensaleiro Pizzolato que fugiu para a Itália, temos o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, que terá de dar explicações sobre a denúncia de corrupção envolvendo uma ONG de Santa Catarina. A entidade é investigada pela Polícia Federal num esquema que empregava funcionários fantasmas do PDT e recebia repasses do ministério do Trabalho, comandado por Manoel Dias, do PDT. Oito pessoas foram presas pela PF suspeitas de fraude no Ministério do Trabalho. Ora, pois, relatório da Polícia Federal revela que o ministro Gilberto Carvalho era tratado pela quadrilha como “interlocutor” na pasta do Trabalho. Fogo amigo André Vargas diz que suas declarações condenando a articulação do governo foram pessimamente recebidas pela presidente Dilma Rousseff. Para concluir a análise, Vargas mandou, levando os companheiros à gargalhada: - Esse governo bate no carteiro que leva a carta com notícias ruins. NÃO DÁ MAIS Se o relacionamento entre PT e PMDB passa por turbulências no plano federal e coloca em xeque a coligação nas eleições de outubro, no Paraná a aliança entre as duas siglas está fora de cogitação, ao menos para os deputados estaduais. Dos doze deputados do PMDB, 11 descartam a coligação com os petistas. EM BAIXA O prefeito Gustavo Fruet (PDT), principal cabo eleitoral de Gleisi Hoffmann (PT) em Curitiba, teve a terceira queda seguida nas pesquisas, tanto na aprovação pessoal quanto ao do seu governo. Levantamento do Paraná Pesquisas aponta que 47% dos curitibanos desaprovam Fruet. Em julho de 2013, 39% rejeitavam o prefeito e dezembro passado, a rejeição havia subido para 41%.

QUEDA LIVRE Segundo a pesquisa de março, 49% aprovam a administração de Fruet. Em dezembro do ano passado, 54% aprovavam o pedetista e em abril de 2013 esse índice era de 66%. A Paraná Pesquisa ouviu 841 curitibanos maiores de 16 anos entre os dias 6 e 9 de março. A margem de erro estimada é de 3,5% e o grau de confiança é de 95%. PEGOU PESADO O deputado Valdir Rossoni, presidente do PSDB-PR, utilizou a tribuna do plenário da Assembleia Legislativa do Paraná, na sessão desta terça-feira (11), para rebater as críticas ao governo de Beto Richa feitas pelo presidente estadual do Partido dos Trabalhadores. Disse que elas são infundadas e partem de um partido que não olha a própria casa. DÉFICIT “O PT esquece de consertar a própria casa. Critica o governo do Paraná e esquece que o governo federal, sob seu comando, está muito pior. O déficit do governo estadual foi de 6% em relação ao orçamento, enquanto do governo federal foi 25%. Como é que alguém que teve um déficit de 25% critica alguém que teve um déficit de 6%?”, questionou Rossoni. PIB O deputado Rossoni comparou o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que cresceu apenas 2,3%, com o do Paraná, cujo índice foi de 5%. “É preciso desmascarar essa situação. Como é que vem alguém que governa o país que tem um crescimento deste, criticar um

governador que teve um crescimento no seu estado de 5%?” PETROBRAS Rossoni lembrou também da dívida astronômica da Petrobras, que chega aos R$ 300 bilhões e cujo resultado é que a empresa hoje vale apenas 40% do seu patrimônio. “A Petrobras que é o grande símbolo do povo brasileiro tem ações valendo R$ 13,00. O mesmo valor de 2005.” ENERGIA “Quem está governando o Brasil há 12 anos não teve tempo de planejar esse país. Não foi ontem que o PT assumiu o governo federal, e os desmandos e este filme de horror se repetem. Corremos o risco agora de ter um apagão total, seguindo os vários que já aconteceram”, disse Rossoni. Ele lembrou que o Brasil só não está um caos completo porque as usinas termelétricas, construídas na gestão do Fernando Henrique, estão funcionando a todo vapor. BALANÇA COMERCIAL Rossoni relembrou a cena em que ex-presidente Lula, com as mãos sujas de petróleo, tendo Dilma Rousseff ao lado, vendeu a ilusão de que o país seria independente na produção de petróleo. “E o que está enterrando a balança comercial do Brasil?”, perguntou Rossoni. “O maior déficit aconteceu exatamente com a importação de petróleo. O povo brasileiro não merece ouvir mentiras como essa – e está na hora de alguém começar a desmascarar toda a situação que já dura tanto tempo.”

Prefeitura vai abrir duas unidades básicas de saúde até às 22 horas A partir desta quintafeira vão funcionar em regime de plantão, até às 22 horas, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) Pinheiros e Quebec, ambas na Zona Norte. A medida atende o Plano de Contingência da Dengue, considerando a situação epidemiológica atual naquela região da cidade e é necessária também para dar apoio ao atendimento na UPA Zona Norte, que está passando por reformas. Casos de dengue Segundo o secretário de Saúde, Antonio Carlos Nardi, o número de registros de dengue tem aumentado em Maringá e a maioria dos casos está concentrado na região Norte. “O horário estendido vai possibilitar que o morador seja atendido mais próximo da residência. Se for necessário ampliar o horário de abertura de outras unidades, vamos fazer”, garantiu. Av. Xv de Novembro, 1245 mAriNgá - PArANá CNPJ 00.783.707/0001-11 www.hNews.Com.br EdItOR: regiNALdo eLoi redacao@hojenoticiaspr.com.br

Orientação A orientação é para que as pessoas que apresentarem sintomas de dengue (febre, dor no corpo, dor no fundo do olho, dor abdominal) e precisarem de atendimento médico, procurarem atendimento na unidade de saúde mais próxima da residência, aproveitando o horário estendido de abertura. Unidades A UBS Pinheiros vai atender moradores da região e dos bairros atendidos nas unidades do Guaiapó/Requião, Parigot de Souza, Piatã, Conjunto Paulino, Tuiuti e Morangueira. A UBS Quebec vai atender moradores da região e dos bairros atendidos nas unidades de saúde Grevíleas, Ney Braga, Mandacaru, Vila Vardelina, Vila Esperança e Alvorada III.

UBS Quebec: Rua Letícia de Paula Molinaro, s/n Vandalismo A Secretaria de Trânsito e Segurança (Setrans) vai intensificar a fiscalização nos ônibus de transporte coletivo, atendendo reclamações de comportamento inadequado de alunos que utilizam o transporte escolar gratuito. A ação se justifica pelo fato da secretaria estar recebendo muitas denúncias, através da Ouvidoria Municipal, solicitando providências quanto a atos de vandalismo e desrespeito aos demais usuários do sistema. A fiscalização será feita por servidores municipais, fiscais de transporte coleti-

vo e passe do estudante, que estarão nos ônibus realizando campanhas educativas de conscientização dos alunos e palestras nas escolas. Objetivo Segundo o secretário de Trânsito e Segurança, Ide-

val de Oliveira, o objetivo primeiramente é educar e conscientizar a todos que fazem uso do passe escolar. “Esta ação tem o objetivo de alertar para o uso consciente do benefício, sempre respeitando os demais usuários”, explica.

Serviço UBS Pinheiros: Rua Valeriana, nº 282

CIRCULAÇÃO mAriNgá e região (Pr) IMPRESSÃO gAzetA do Povo s/A LoNdriNA CNPJ: 76.530.047/0002-00

Fax 44 3025 9725

Comercial 44 3025 9700 comercial@hojenoticiaspr.com.br

Brasília Grupo A3 Meio de Comunicação (61) 3201 0001 CLN 115 Bl. A, s/n Sl. 1704 – A. Sul CEP 71.805-520 Curitiba Atendimento Próprio (44) 9113 6271

REPRESENtANtES Belo Horizonte NS&A MINAS GERAIS LTDA. Av. Presidente Carlos Luz, 468 Sala 05 e 06 - Bairro Pedro II CEP: 31230-010 - BH/Minas Gerais

Rio de Janeiro Essiê Publicidade e Comunicação S/C Ltda - Fone: (21) 2275 4141 Av. Princesa Isabel, 323 sala 608 CEP 22.011-901

São Paulo Essiê Publicidade e Comunicação - S/C Ltda - Fone: (11) 3057 2547 - FAX / (11) 3887 0071 - Rua Abilio Soares, 227 8º. andar – conj. 81 - CEP 04.005-000


HOJE NOTÍCIAS - MARINGÁ

Os membros da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim) aguardam a confirmação da visita de um grupo de especialistas, que desenvolvem projetos de planejamento urbano em diversas cidades do Brasil.

LUIZ FABRETTI

luizfabretti@hotmail.com

ACIM A Senadora pelo Paraná, e possível candidata ao Governo Gleisi Hoffmann, almoça hoje com empresários de Maringá na Associação Comercial e empresarial. A organização é do vereador Mário Verri (PT). É hora de pedir voto. SEMINÁRIO Na sala ao lado, na mesma Acim, acontece hoje também a segunda edição do Seminário Trabalhista do Transporte Rodoviário de cargas. O evento irá discutir as dificuldades de implantação da Lei 12.616/2012, que regulamenta a jornada dos motoristas de caminhão. FATO O “rebite” mata. CULTURA A Concessionária grande incentivadora de projetos culturais em Maringá e região lembra os interessados que as inscrições para o Edital Viapar Cultural segue até o dia 9 de maio. PROJETOS Os melhores projetos recebem incentivos em dinheiro repassado pela lei Rouanet de incentivo a cultura. Tem muitos profissionais fazendo grandes trabalhos. Isso é legal. TELEVISÃO O jogo de volta do Maringá FC contra o Prudentópolis deve acontecer no sábado do dia 22 de março. É que a RPC filiada a Globo deve transmitir este jogo ao vivo. A expectativa da diretoria é que o estádio Willie Davids esteja com a capacidade máxima, ou seja, 15.300 torcedores. GOOD MORNING O prefeito de Maringá Roberto Pupin (PP) implantou este ano o inglês nas escolas públicas no fundamental e ficou sensibilizado ontem quando mais de cem crianças juntas cumprimentaram em coro com um bom dia prefeito. Em inglês. Foi muito legal.

QUINTA-FEIRA, 13.03.14

3

Cidade

Especialistas analisam projeto da Brasil A entidade enviou um protocolo à prefeitura, pedindo prorrogação de 60 dias do prazo para envio de uma nova proposta Natália Barros Agência CHN Os membros da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim) aguardam a confirmação da visita de um grupo de especialistas, que desenvolvem projetos de planejamento urbano em diversas cidades do Brasil. Conforme a vice-presidente para assuntos institucionais da entidade, Anália Nasser, o objetivo é que esses profissionais analisem a proposta da prefeitura para a Avenida Brasil, ouça as reivindicações do comércio e desenvolva um material a ser apresentado ao município. Segundo ela, eles devem chegar até o final do mês. A retirada das “espinhas de peixe” da Avenida Brasil tem gerado polêmica desde o início do ano. A categoria que mais se manifestou foi a dos comerciantes. Eles discutem que a falta de estacionamento e o próprio sistema binário devem inibir o fluxo de pessoas, o que prejudica as vendas. Por conta desse impasse e de alguns protestos, a prefeitura suspendeu as obras da ciclovia e se propôs a aguardar um novo projeto da Acim, que deveria ser apresentado

até o final de fevereiro. No entanto, Anália explica que foi protocolado um pedido de dilatação do prazo para mais 60 dias. “Não podemos tratar dessa questão sem responsabilidade e a nossa entidade não tem um setor específico de planejamento urbano”. Por isso, a vice-presidente explica que estão buscando pessoas com conhecimento do assunto e que possam contribuir de maneira a propor uma solução, alteração ou complementação no projeto atual. “As opiniões têm sido muito divergentes. Precisamos de um profissional que possa analisar criticamente a situação e apresentar um denominador comum”. De acordo com ela, é importante que a o centro da cidade seja também um local de convivência e, por isso, a revitalização envolve diversos fatores. A Acim também tem realizado reuniões semanais com outras entidades, que estejam ligadas à área, para discutir e refletir sobre a situação atual. Entre os participantes estão o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA -PR), o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) e o Serviço Brasileiro de

Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). “Pode ser que seja apenas um primeiro impacto, o medo da mudança, mas queremos fazer o melhor para a cidade. Para isso, estamos mobilizando todos os setores envolvidos para dar apoio e pensar o melhor caminho”. Anália ainda pontua que estão aguardando a confirmação do escritório especializado a respeito da data de visita deles, mas que isso deve acontecer até o final deste mês. O secretário de Planejamento Laércio Barbão afirma que o protocolo que a Acim diz ter enviado ainda não chegou à secretaria e, portanto, as obras continuam normalmente. “Temos enfrentado um atraso muito grande por causa das chuvas, mas não paramos o processo”. Segundo ele, devem analisar qualquer proposta que a entidade apresentar, mas não podem suspender mais do que a construção das ciclovias. “Se não tivéssemos retirado as espinhas de peixe em janeiro, o caos estaria ainda maior agora. Temos dado conta de controlar o trânsito e acreditamos que o fluxo ficará ainda melhor após o término das obras”.

ORGULHO Segundo a secretária da educação de Maringá Solange Lopes, as crianças aprendem de forma lúdica a segunda língua e elas estão preferindo o inglês ao português. Isso é fazer um país diferente. PARTICULARES Ideia como essa integra a criança a realidade atual e a condiciona em igualdade de condições com quem pode pagar uma escola particular. Todas as cidades deveriam copiar esta ideia. Faz bem para todos. INCENTIVO Quem diria, até o vereador Carlos Mariucci ( pronúncia correta é Mariutti) fez elogios para Pupin, pela forma como caminha a educação de Maringá. A.G.O Uma das maiores em seu segmento no Brasil, a Sicredi União PR/SP realizou sua Assembléia Geral Ordinária esta semana na Acema, em Maringá. A Sicredi dobrou de tamanho em três anos e já são 88 mil associados, 69 unidades e ativos que passam de R$ 1,6 bilhão. DENGUE Faça sua parte, participe das ações de sua cidade para combater o mosquito transmissor da dengue. Se cada um limpar o espaço onde vive já está prestando um grande serviço a si e a coletividade.

Secretário nacional vem a Maringá anunciar recursos para Terminal Intermodal O secretário nacional de Transporte e de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, Júlio Eduardo dos Santos, estará na Prefeitura de Maringá hoje, às 10 horas. Na oportunidade, ele vai anunciar a liberação de R$ 66 milhões em recursos federais para a construção do Terminal Intermodal Urbano e alterações no sistema viário que

vão garantir mobilidade para 30% da população de Maringá que vive na região Norte. A senadora Gleisi Hoffmann vai acompanhar o secretário no anúncio, na Sala de Reuniões do Paço Municipal e em visita ao local onde será construído o terminal. Os R$ 66 milhões são parte do recurso de R$ 112 milhões solicitado pela Pre-

feitura para a construção do Terminal Intermodal Urbano, metropolitano e futuro VLT (Veículo Leve sobre Trilho) que será construído no centro da cidade e para a construção de corredores de ônibus nas avenidas Duque de Caxias, Herval e Morangueira, além de alterações viárias nas avenidas Campolina e Alexandre Rasgulaeff.


4

QUINTA-FEIRA, 13.03.14

HOJE NOTÍCIAS - MARINGÁ

Geral

“O feijão primeira safra, que está em fase final de colheita em todo o país, apresenta crescimento de 35,7% na produção, passando de 964,6 mil para 1,3 milhão de tonelada”

Colheita de grãos chegará a 188,7 mi na safra brasileira de 2013/2014 A produção de soja deve apresentar crescimento de 4,8% ou 3,9 milhões de toneladas a mais que a safra anterior

Kelly Oliveira Agência Brasil O país deverá colher 188,7 milhões de toneladas de grãos em 2013/2014, com aumento de 0,7% em relação à safra passada (187,4 milhões de toneladas). Essa estimativa é do sexto levantamento feito pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A produção de soja deve apresentar crescimento de 4,8% ou 3,9 milhões de toneladas a mais que a safra anterior. Segundo a Conab, o arroz teve também bom desempenho, com aumento de 8%, alcançando 12,8 milhões de toneladas. O feijão primeira safra, que está em fase final de colheita em todo o país, apresenta crescimento de 35,7% na produção, passando de 964,6 mil para 1,3 milhão de tonelada. Houve redução nas primeira e segunda safras de milho, de 9,1% (3,2 milhões de toneladas) e de 6,8% (3,1 milhões de toneladas), respectivamente, perdendo terreno para a soja, que tem preços mais favoráveis, informa a Conab. A produção da primeira safra de milho (31,4 milhões de toneladas) somada à segunda (43,7 milhões de toneladas) deve chegar a

Colheita de grãos deve aumentar 0,7% em relação à última safra

75,1 milhões de t. A área total destinada ao plantio de grãos deve chegar a 55 milhões de hectares, o que representa alta de 4% em relação à área de 53,28 milhões de hectares da safra 2012/2013. A soja teve maior crescimento, com acréscimo de 7,4% na área plantada, passando de 27,7 para 29,8 milhões de hectares. Segundo a Conab, outras culturas,

como arroz, feijão, algodão, mamona, girassol e amendoim primeira e segunda safra também apresentaram elevação para plantio. O milho primeira safra teve redução de 5,1%, passando de 6,8 para 6,4 milhões de hectares. Os estudos para este levantamento foram realizados nas principais regiões produtoras de grãos do país, entre 16 a 22 de fevereiro.

Consumo de combustíveis no Brasil cresceu 5% O consumo nacional de combustíveis cresceu 5% em 2013, em comparação a 2012, totalizando 136,2 bilhões de litros. Em 2012, as vendas de derivados no mercado interno haviam totalizado 129,6 bilhões de litros. Os dados foram divulgados ontem, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), durante a realização do 9º Seminário de Avaliação do Mercado de Derivados de Petróleo e Biocombustíveis, realizado no escritório central da Agência, no Centro do Rio de Janeiro. Eles indicam que o consumo de óleo diesel cresceu 4,6% na comparação entre 2012 e 2013, passando de 55,9 bilhões para 58,4 bilhões de litros; enquanto o aumento nas vendas de biodiesel atingiu 5,9%, passando de 2,7 bilhões em 2012, para 2,9 bilhões de litros em 2013. Já a comercialização da gasolina tipo C (a gasolina comum) chegou a 41,3 bilhões de litros, um aumento de 4,2% em relação aos 39,6 bilhões de litros registrados em 2012. Com o aumento de 20% para 25% do teor de adição de etanol anidro à gasolina A (para composição da gasolina C vendida ao consumidor) a demanda de etanol anidro automotivo aumentou 30,2%.


HOJE NOTÍCIAS - MARINGÁ

Um estudo feito pela Serasa Experian mostrou que 36,6% dos consumidores que estavam inadimplentes, mas regularizaram suas pendências no final de 2012, voltaram a ter dividas em 2013.

QUINTA-FEIRA, 13.03.14

5

Geral

36,6% dos consumidores voltaram a ficar inadimplentes no ano passado

Um estudo feito pela Serasa Experian mostrou que 36,6% dos consumidores que estavam inadimplentes, mas regularizaram suas pendências no final de 2012, voltaram a ter dividas em 2013. De acordo com a pesquisa, divulgada ontem na capital paulista, apesar de existir, a reincidência é a menor dos últimos

três anos, já que, em 2012, esse índice chegou a 38,9% e, em 2011, foi de 39,4%. Para o presidente da Serasa Experian, Ricardo Loureiro, os dois principais aspectos que influenciam no nível de inadimplência em qualquer situação avaliada são o cenário econômico e o comportamento do

PUBLICIDADE LEGAL

indivíduo. “A questão econômica atualmente não justifica [a inadimplência] porque temos pleno emprego, as pessoas estão trabalhando e a renda crescendo. Claro que, fortuitamente, alguém perde o emprego, tem uma doença na família, mas a maior parcela neste momento vem do descontrole. Daquelas pessoas que, em um passado recente, deram um passo maior que a perna e não conseguiram regularizar a situação”, explicou. Loureiro disse que o estímulo ao consumo não é um problema, mas a reação a esse incentivo, sim. Segundo ele, o estímulo é importante e tem que haver consumo para a produção existir. “Mas é preciso ser feito um uso adequado disso, com educação financeira e o cadastro positivo que, em conjunto com o comportamento, é uma ferramenta prática que dá condição para que os próximos créditos sejam concedidos para quem tem condição de pagá-los. Senão, jo-

ga-se essa pessoa na sarjeta”, acrescentou Loureiro. Conforme os dados da pesquisa, dos 36,6% consumidores que voltaram à inadimplência, 27,1% tinham mais de cinco dívidas, contra os 29,4% do ano anterior. Aqueles com cinco a nove dívidas em 2013 eram 18,4% ante os 19,4% do ano anterior. Os que tinham de dez a 14 dívidas diferentes eram 5,4% em 2013 contra 6,1% em 2012. Quanto aos inadimplentes com apenas uma dívida, a pesquisa mostra que em 2013 essa taxa chegou a 33,6% ante os 32,7% de 2012. O estudo também indicou que, mesmo com o aumento da inadimplência, no ano passado, 17,6 milhões de consumidores quitaram suas dívidas e regularizaram seu nome, o que representa um aumento de 2,17% na comparação com 2012, quando 17,3% limparam seu nome (1,88% a mais do que no ano anterior).


PUBLICOU

COMERCIAL@HOJENOTICIASPR.COM.BR

PUBLICAÇÕES

3025-9700

RECEBEU

HOJE NOTÍCIAS - MARINGÁ

L I G U E

QUINTA-FEIRA, 13.03.14

EXPRESS

6 PUBLICIDADE LEGAL

PUBLICIDADE LEGAL


PUBLICIDADE LEGAL

HOJE NOTÍCIAS - MARINGÁ

7

QUINTA-FEIRA, 13.03.14

PUBLICIDADE LEGAL

Marimed Serviços Médicos S/A

Maringá - PR - CNPJ 77.265.361/0001-94 Relatório da Administração

h)

Demonstrações Financeiras Consolidadas: As demonstrações financeiras consolidadas fo apresentadas conforme as práticas contábeis adotadas no Brasil, incluindo a NBC T 19.41 e Médias Empresas.

Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis

Srs. Acionistas. De acordo com as disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V. Sas. as demonstrações financeiras consolidadas do período findo em 31 de dezembro de 2013, de forma comparativa com o período findo em 31 de dezembro de 2012.

A Diretoria coloca-se a disposição dos Senhores Acionistas para prestar quaisquer esConsolidadas em 31 de Dezembro 2013individuais da co clarecimentos que eventualmente considerem necessários i) Demonstrações Financeiras Individuais: As demonstraçõesde financeiras Maringá, Março de 2014 e estão foram sendo apresentadas conforme as práticas contábeis adotadas no as Brasil, incluindo a N solidadas preparadas e estão sendo apresentadas conforme práticas A Diretoria. h)h) Demonstrações h)Demonstrações Demonstrações h) Financeiras Financeiras Demonstrações Financeiras Consolidadas: Consolidadas: Consolidadas: Financeiras AsAs demonstrações demonstrações Consolidadas: As demonstrações financeiras financeiras As demonstrações financeiras consolidadas consolidadas consolidadas financeiras foram foram foram preparadas consolidadas preparadas preparadas e estão e foram estão esendo estão sendo preparadas sendo e estão para Pequenas e Médias Empresas e são publicadas juntas com as demonstrações financeira contábeis no Brasil, incluindo Tincluindo 19.41 Contabilidade para apresentadas apresentadas apresentadas conforme conforme conforme apresentadas asas práticas práticas asadotadas práticas contábeis conforme contábeis contábeis adotadas as adotadas práticas adotadas nono contábeis Brasil, Brasil, no Brasil, incluindo adotadas incluindo incluindo aano NBC aNBC NBC Brasil, aTNBC T 19.41 19.41 T -19.41 Contabilidade - Contabilidade a--NBC Contabilidade T 19.41 para para Pequenas - para Pequenas Contabilidade Pequenas para Peq BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 EM MILHARES DE REAIS BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 - EM MILHARES DE REAIS Pequenas e Médias Empresas. e Médias e Médias e Médias Empresas. Empresas. Empresas. e Médias Empresas. Controladora Consolidado Controladora Consolidado j)i) Demonstrações Consolidação Financeiras Individuais: As demonstrações financeiras ATIVO 2013 2012 2013 2012 P A S S I V O 2013 2012 2013 2012 i)Financeiras individuais daIndividuais: controladora foram efinanceiras estão apresentadas i) i) Demonstrações i)Demonstrações Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Individuais: Individuais: Financeiras AsAsdemonstrações demonstrações AsIndividuais: demonstrações financeiras financeiras Aspreparadas demonstrações financeiras individuais individuais individuais da da controladora controladora dasendo controladora individuais foram foram daforam preparadas controladora preparadas preparadas foram prep ATIVO CIRCULANTE 6.431,43 6.175,38 6.698,20 6.308,40 PASSIVO CIRCULANTE 5.713,88 5.248,67 5.761,46 e estão conforme práticas contábeis adotadas noBrasil, Brasil, incluindo T T19.41 e5.298,45 estão esendo estão sendo sendo apresentadas apresentadas apresentadas e estãoconforme sendo conforme apresentadas asas práticas práticas as práticas contábeis conforme contábeis contábeis adotadas asadotadas práticas adotadas nono contábeis Brasil, Brasil, no incluindo adotadas incluindo incluindo ano NBC aAs NBC Brasil, aseguintes TNBC T 19.41 incluindo 19.41 T a-19.41 Contabilidade -NBC Contabilidade a-NBC Contabilidade 19.41 - Contab a. asconforme Demonstrações financeiras consolidadas: políticas contábeis são DISPONIBILIDADES 1.749,66 1.813,66 1.992,98 1.883,86 EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS 588,84 581,75 588,84 para 581,75 para Pequenas para Pequenas Pequenas e Médias e-Médias epara Médias Empresas Pequenas Empresas Empresas e esão e Médias são publicadas epublicadas sãoEmpresas publicadas juntas juntas e são juntas com com publicadas asMédias com as demonstrações demonstrações as demonstrações juntas com financeiras financeiras as demonstrações financeiras consolidadas. consolidadas. consolidadas. financeiras consolidadas. Contabilidade para Pequenas e Empresas e são publicadas juntas demonstrações financeiras consolidadas: CREDITOS 3.551,25 3.398,80 3.574,69 3.461,63 FORNECEDORES 1.906,44 1.864,25 1.922,07 1.881,24 com as demonstrações financeiras consolidadas. ESTOQUES 1.119,56 949,94 1.119,56 949,94 OBRIGACOES SOCIAIS E FISCAIS 1.549,36 1.262,69 1.581,31 1.295,47 j) j) Consolidação j)Consolidação Consolidação j)j) Consolidação Consolidação i. Controladas: são todas asAs entidades nas políticas quais o Grupo tem o pod DESPESAS DO EXERCICIO SEGUINTE 10,97 12,97 10,97 12,97 CONTA CORRENTE PACIENTES 388,55 392,74 388,55 392,74 a. Demonstrações financeiras consolidadas: seguintes a. a. Demonstrações a.Demonstrações Demonstrações a.financeiras financeiras Demonstrações financeiras consolidadas: consolidadas: consolidadas: financeiras Asseguintes seguintes consolidadas: As eseguintes políticas políticas As contábeis contábeis seguintes contábeis são são políticas aplicadas aplicadas são aplicadas contábeis nanaelaboração elaboração na sãoelaboração aplicadas das das na elaboraç financeiras operacionais, geralmente acompanhada de das uma part ATIVO NÃO CIRCULANTE 10.109,27 9.952,63 9.893,10 9.870,97 OUTRAS CONTAS A PAGAR 103,37 133,37 103,37 133,37 contábeis são aplicadas na As elaboração daspolíticas demonstrações financeiras demonstrações demonstrações demonstrações financeiras financeiras demonstrações financeiras consolidadas: consolidadas: consolidadas: financeiras consolidadas: ATIVO REALIZAVEL A LONGO PRAZO 240,89 228,21 240,89 228,21 PROVISOES 1.177,32 1.013,88 1.177,32 1.013,88 direito a voto, sendo então aplicável ao investimento na empres consolidadas: INVESTIMENTOS 1.018,04 826,50 719,52 669,68 PASSIVO NÃO CIRCULANTE 2.453,23 3.081,03 2.453,23 3.081,03 i.i. i.Controladas: todas entidades quais Grupo tem oo poder Hospital Paraná participação da controladora é de 99%. Controladas: Controladas: i. Controladas: são são i.são todas todas são Controladas: as todas as entidades entidades asasentidades são nas nas todas quais quais nas asLtda., oquais entidades onas Grupo Grupo ocuja Grupo tem nas tem oquais tem oo poder poder oopoder de Grupo dedeterminar determinar detem determinar poder asaspolíticas políticas as dede políticas determinar as po IMOBILIZADO 8.804,29 8.841,52 8.885,94 8.915,98 EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS 798,75 1.319,79 798,75 1.319,79 determinar as políticas financeiras e operacionais, geralmente acompanhada financeiras financeiras financeiras e eoperacionais, operacionais, e operacionais, financeiras geralmente geralmente e geralmente operacionais, acompanhada acompanhada acompanhada geralmente dedeuma uma de acompanhada participação uma participação participação de superior superior uma superior participação a a50% 50% a do 50% dosuperior do a 50 BENS EM OPERACAO 15.402,57 14.551,47 15.545,08 14.675,75 OBRIGACOES SOCIAIS E FISCAIS 1.034,32 894,45 1.034,32 894,45 de uma participação superior a 50% do direito a voto, sendo então aplicável direito direito direito a avoto, voto, a sendo voto, sendo direito sendo então então aentão aplicável voto, aplicável aplicável sendo aoaoentre investimento então investimento ao investimento aplicável nanaempresa aoempresa na investimento empresa CSHP CSHP CSHP –na –Convenio Convenio empresa – Convenio Saúde CSHP Saúde – Convenio ii. Transações companhias: Todas as transações eSaúde saldos existen (-)DEPRECIACOES ACUMULADAS (6.598,28) (5.709,95) (6.659,15) (5.759,77) FORNECEDORES 620,17 808,45 620,17 808,45 ao investimento naHospital empresa CSHP – Paraná Ltda., Hospital Hospital Hospital Paraná Paraná Paraná Ltda., Ltda., cuja Ltda., cuja participação cuja participação Paraná participação Ltda., dada controladora cuja controladora daConvenio participação controladora é de é de 99%. da éSaúde 99%. de controladora 99%.Hospital é de 99%. dos balanços são eliminados; IMOBILIZADO EM ANDAMENTO RECEITAS DE EXERCICIOS FUTUROS 58,33 58,33 cuja participação da controladora é de 99%. PATRIMONIO LIQUIDO (CONSOLIDADO) 8.376,61 7.799,89 ii. Transações ii. Transações Transações entre entre ii. companhias: entre companhias: Transações companhias: Todas entre Todas Todas as companhias: as transações transações as transações e Todas saldos eas saldos e as saldos existentes existentes transações existentes nas nas eedatas saldos datas nasde datas existentes de encerramento encerramento de encerramento nas datas de encerra ii.ii.Transações entre companhias: Todas transações saldos existentes k)nasdos Caixa Equivalente de Caixa: Neste itemsão estão contemplados, o caixa, os depósitos bancá dos balanços balanços dosede balanços são são eliminados; eliminados; são doseliminados; balanços são eliminados; datas encerramento dos balanços eliminados; PATRMÔNIO LÍQUIDO DOS ACIONISTAS DA curto prazo de alta liquidez. As contas garantidas, quando utilizadas, são demonstradas INTANGÍVEL 46,05 56,40 46,75 57,10 CONTROLADORA 8.373,59 7.798,30 8.373,59 7.798,30 k) Caixa e Equivalente de Caixa: Neste item estão contemplados, o caixa, k)k) Caixa k)Caixa Caixa e Equivalente e Equivalente e Equivalente k)os Caixa dede Caixa: Caixa: de e Equivalente Caixa: Neste Neste item Neste item de estão item estão Caixa: contemplados, estão contemplados, Neste contemplados, itemoestão caixa, o caixa, ocontemplados, os caixa, os depósitos depósitos os depósitos o bancários caixa, bancários osoudepósitos ou outro outro ouinvestimento outro investimento bancários investimento ou dede outrodeinvestime MARCAS E PATENTES 4,99 4,99 5,69 5,69 CAPITAL SOCIAL 6.360,88 6.540,35 6.360,88 6.540,35 empréstimos bancários. depósitos bancários ou outro investimento debancários curto prazo de alta liquidez. curto curtoprazo curto prazoprazo dedealta alta deliquidez. curto alta liquidez. liquidez. prazo AsAscontas decontas As altacontas garantidas, liquidez. garantidas, garantidas, As quando quando contas quando utilizadas, garantidas, utilizadas, utilizadas, são são quando demonstradas demonstradas são utilizadas, demonstradas nono são passivo passivo no demonstradas passivo circulante, circulante, circulante, nocomo passivo comocomo circulante, As contas garantidas, quando utilizadas, são demonstradas no passivo empréstimos empréstimos empréstimos bancários. bancários. bancários. empréstimos bancários. circulante, comoe empréstimos bancários. DIREITO DE USO DE BENS DE TERCEIROS 196,28 193,24 196,28 193,24 CAPITAL SUBSCRITO 9.898,59 7.784,69 9.898,59 7.784,69 l) Empréstimos Financiamentos com ônus reais constituídos sobre elementos do Ativo: Empréstimos e Financiamentos com ônus reais constituídos (-) DEPREC. AC. DIR. DE USO DE BENS DE l) l) Empréstimos Empréstimos l) Empréstimos e Financiamentos el)l) Financiamentos eEmpréstimos Financiamentos com com e Financiamentos ônus com ônus reais ônus reais constituídos reais constituídos com constituídos ônus sobre sobre reais elementos sobre constituídos elementos elementos dodo Ativo: sobre Ativo: do Ativo: elementos do Ativo:sobre TERC. (155,21) (141,83) (155,21) (141,83) (3.537,71) (1.244,34) (3.537,71) (1.244,34) elementos do Ativo: (-)CAPITAL A INTEGRALIZAR -

-

16.540,70

Total do Ativo

-

16.128,01

-

2013

16.591,30

Controladora 2012

996,34 895,05 500,57

1.699,96 684,82 513,37

(343,68) 2.048,28 (163,12) (169,62) 400,60 2.116,14 (500,57) (214,21)

(=) FLUXO LIQ. PROV (ou .APLICADO) ATIVID. OPER FLUXO DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS Compra de Ativo Imobilizado Aquisição de Investimento Recebimento pela Venda de Imobilizado Juros Recebidos (Rend. Aplic. Financeira) Dividendos Recebidos

RESERVAS DE CAPITAL RESERVAS DE LUCROS LUCROS OU PREJUIZOS ACUMULADOS LUCROS OU PREJUIZOS ACUMULADOS PARTICIPAÇÃO DOS SÓCIOS NÃO CONTROLADORES NO PL DA CONTROLADA

CAPITAL SOCIAL LUCROS ACUMULADOS 16.179,37 Total do Passivo

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA FLUXO DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro (ou Prejuízo) Líquido Antes do IR / CSLL Ajustes por: Depreciação Despesa de Juros Ajustes de Exercícios Anteriores Renda de Investimentos Reduc (Aumen) no contas a receb. clientes e outros Redução (ou Aumento) nos Estoques Aumento (ou Reduçao) Contas a Pagar Fornecedores CAIXA PROVENIENTE DAS OPERAÇÕES Juros Pagos IR / CSLL Pagos

RESERVAS

2013

Consolidado 2012

154,08 3.052,23 (591,20) (202,68) 988,41 3.246,76 (513,37) (423,10)

1.086,09 906,09 525,91 0,25 (211,23) 2.307,11 (123,73) (169,62) 398,41 2.412,18 (525,91) (302,77)

1.762,34 695,50 524,19 0,68 307,86 3.290,56 (618,73) (202,68) 912,91 3.382,06 (524,19) (484,60)

1.401,37 (847,47) (191,53) 10,20 105,82 227,67

2.310,28 (2.300,10) 74,21 15,02 36,03 (197,62)

1.583,49 (865,70) (49,84) 10,20 115,06 85,97

2.373,27 (2.303,99) 89,31 15,02 37,67 (352,01)

(=) CAIXA LÍQUID (USADO) PROVEN ATIVID. DE INVEST FLUXO DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Empréstimos Líquidos Tomados Recebimento pela Emissão de Ações Recebimento por Empréstimos de Longo Prazo Pagamento de Passivo por Arrendamento Pagamento de ações em Tesouraria Dividendos Pagos

(695,32) (808,60) 306,63 (268,08)

(2.372,46) 926,59 92,95 -

(704,31) (808,60) 306,63 (268,08)

(=) CAIXA LIQ. (USADO) PROVEN NAS ATIV. DE FINANC.

(770,05)

1.019,54

(770,05)

AUMENTO (REDUCAO) LÍQUIDO DE CAIXA E EQUIV. CAIXA (64,01) CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA NO INÍCIO DO PERÍODO 1.813,66 CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA NO FINAL DO PERÍODO 1.749,66 (64,01)

957,37 856,29 1.813,66 957,37

463,63 463,63 794,32 794,32

Último Último Último Saldo Saldo Último Saldo em e m e m Saldo Saldo Saldo Saldo em eem me m S 2.012,71 463,63 Vencimento Taxa de Juros Nature CréditoTaxa Taxade deJuros Juros Vencimento Taxa Vencimento Vencimento de Juros Vencimento 31/12/2013 31/12/2013 31/12/201331/12/2012 31/12/2012 31/12/2013 31/12/2012 31 Taxa de Juros Nature Nature zazadodo za Crédito Crédito do Nature Crédito zaza do do Crédito 1.412,43 Nature 463,63 CréditoImobiliário Imobiliário CDI CDI a.m. 20/04/2016 600,29 Crédito - Imobiliário Imobiliário 0,65% a.m. 879.099,91 Crédito Crédito Imobiliário CDI+CDI + 0,65% + 0,65% a.m.a.m. 20/04/2016 879.099,91 879.099,91 1.187.666,49 1.187.666,49 1.18 Crédito CDI20/04/2016 +20/04/2016 0,65% a.m.+ 0,65% 20/04/2016 879.099,91 1.187.666,49 794,32 m) Imobilizado: é mensurado pelo custo histórico, deduzido da depre- m)m) Imobilizado: 794,32 m) Imobilizado: Imobilizado: é m) mensurado é mensurado éImobilizado: mensurado pelo pelocusto pelo custo é mensurado histórico, custo histórico, deduzido pelo deduzido custo deduzido dahistórico, dadepreciação depreciação da depreciação deduzido acumulada. acumulada. da acumulada. depreciação OsOsterrenos terrenos Os acumulada. terrenos não nãosão são não depreciados. Os depreciados. são terrenos depreciados. não são deprec m) Imobilizado: éhistórico, mensurado pelo custo histórico, deduzido da depreciação acumulada. Os t

16.540,70

16.128,01

3,02 1,58 a vida útil estimada, aplicação das taxas usuais.a aplicação das seusdurante valores residuais durantemediante a vida aútil estimada, mediante 0,20 0,20 dede n)n) Impairment n)Impairment Impairment n) ativos ativos deImpairment ativos não não financeiros: não financeiros: financeiros: de ativos Para Para não fins Para fins financeiros: defins de avaliação avaliação de avaliação Para dodo impairment, fins impairment, dodeimpairment, avaliação osos ativos ativos do osimpairment, ativos são são agrupados agrupados são agrupados os ativos nos nos níveis níveis nos são agrupados níveis mais maismaisnos nívei taxas usuais. 2,82 baixos 1,38 baixos baixos para paraospara osquais quais os baixos existam quais existam existam para fluxo fluxo os de fluxo quais decaixa caixa de existam identificáveis caixa identificáveis fluxo identificáveis deseparadamente caixa separadamente separadamente identificáveis (Unidade (Unidade separadamente (Unidade Geradora Geradora Geradora de Caixa Caixa de Caixa Geradora –UGC). UGC). –do UGC). Após Após de Caixa Após – UGC) Impairment de ativos não financeiros: Para fins dede(Unidade avaliação n)n) Impairment de ativos não financeiros: Para fins de avaliação do–impairment, os ativos s 16.591,30 efetuados 16.179,37 efetuados efetuados osos cálculos, cálculos, os cálculos, efetuados a conclusão a conclusão a conclusão os cálculos, foi foi de de que foi que a de não conclusão não que há há não necessidade necessidade há foi necessidade de que de não de ajuste ajuste há de necessidade ao ajuste ao valor valor ao recuperável valor recuperável de recuperável ajuste dos ao dos valor ativos, ativos, dos recuperável ativos, tendo tendo em tendo em vista dos vista emativos, vista tendo em impairment, os ativos são agrupados nos níveis mais baixos para os quais

RECEITA OPERACIONAL BRUTA Receita bruta de serviços (-) DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA Impostos e contribuições Glosas de Convênios Repasse de Honorários Médicos (=) RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA (-) CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS (=) LUCRO BRUTO (-) DESPESAS (RECEITAS) OPERACIONAIS Despesas administrativas

2013 39.615,22 39.615,22 (7.269,58) (1.665,60) (4.036,72) (1.567,26) 32.345,64 (25.279,07) 7.066,57 (6.070,22) (2.109,21)

Controladora 2012 33.403,50 33.403,50 (5.823,41) (1.418,67) (3.176,52) (1.228,22) 27.580,09 (20.415,48) 7.164,62 (5.464,66) (1.878,79)

(4.285,10) (76,41) (135,95) (500,57) 364,62 567,06 227,67 (258,27)

(3.458,34) (78,80) (235,94) (513,37) 277,43 476,85 (197,62) (92,02)

996,34 996,34 (214,21) 782,14

1.699,96 1.699,96 (423,10) 1.276,86

Despesas c/ pessoal Despesas tributárias Encargos financeiros líquidos Despesas financeiras Receitas financeiras Outras receitas e despesas Resultado em participações societárias Contingências Legais

(=) RESULTADO OPERACIONAL (2.514,01) 1.018,61 (=) LUCRO ANTES DA CSLL E DO IRPJ 92,95 (-) Provisão p/ CSLL e IRPJ (=) LUCRO / PREJUIZO DO EXERCÍCIO (1,41) 1.110,16 969,42 914,44 1.883,86 969,42

Saldo em 31/12/2011 Aumento de Capital Dividendos (=) Transações de Capital com sócios Lucro Líquido do Exercídio Constituição de Reservas Ajuste de Exercícios Anteriores Saldos Finais em 31/12/2012 Aumento de Capital Dividendos (=) Transações de Capital com sócios Lucro Líquido do Exercídio Capitalização de Lucros Constituição de Reservas Ajuste de Exercícios Anteriores Saldos Finais em 31/12/2012

Capital Social 7.005.410,37 779.283,11

RESERVAS DE CAPITAL

(-) Capital a (-) Ações em Ágio na Emissão Integralizar Tesouraria de ações (87.296,06) (7.088,03) (1.157.045,53) 470.716,89

Número de ações do capital Lucro/Prejuízo por ação

-

Reserva Estatutária -

(1.244.341,59) (2.293.371,43) -

(7.088,03) -

470.716,89 948.798,35 -

-

-

Reserva Especial de Lucros

Lucros ou Prejuízos Acumulados (482.533,08) -

-

462.693,50

9.898.588,63

(3.537.713,02)

(7.088,03)

1.419.515,24

74.912,35

44.947,40

480.427,74

74.912,35

44.947,40

480.427,74

658.000,00

399.726,63

-

1.119.559,53

949.941,91

794.323,60 513.479,74 782137,13 (462.693,50) (600.287,49) -

114.015,31 114.015,31 (50.248,59) 114.015,31 (50.248,59) (50.248 1 No patrimonio da Controladora No- patrimonio - 114.015,31 -

Cedipar C.D. Cedipar C.D. ParanáCedipar S/CParaná Ltda. C.D. S/C Ltda.

CSHP - Convênio Hospital CSHP - Saúde Convênio SaúdeS/C Hospital Empre sas Investidas Paraná S/C Ltda. Paraná S/C Ltda. Paraná Ltda.

298.518,50298.518,50 156.824,60 156.824,60 2013

- 2012

-

-

2013

Participação dos Paraná Ltda. Paraná Ltda. Cedipar Centro de Diagnósticos 511.974,86 483.442,05 511.974,86 141.693,90 141.693,90 154.395,89 141.693,90 154.395,89 154.395 Saúde CSHP H. - C.- U. Saúde CSHP H.- C. Saúde H. 50.563,52 NãoCSHP - C.Unitom - U. T . Axial Comput. 59.403,93 59.403,9350.563,52 50.563,52 59.403,93 59.403,93 Unitom TLtda. . Axial Comput. 50.563,52 Paraná S/C ControladoresParaná Patrimônio Ltda. Paraná Ltda.Paraná Ltda. S/C Ltda. S/C Ltda. CSHP - Convênio Saúde Hospital 298.518,50 156.824,60 no PL das Líquido PL dos Sócios da Norte do Paraná 126.833,40 156.978,97 126.833,40 Unicred Norte do Paraná 156.978,97 126.833,40 156.978,97 126.833,40 (49.265,41) (49.265,41) (308.690,54) (49.265,41) (308.690,54) (49.265,41) (308.690 - Unicred U.TUnitom omo. A. -Comput. U.T Unitom omo. A.- U.T Comput. omo. 156.978,97 A. Comput. Paraná Ltda. ControladasUnitom Consolidado Controladora 1.018.035,85 1.018.035,85 826.503,98826.503,98 719.517,35719.517,35 669.679,38669.679,38 Total Total 6.428.493,20 1.431,60 S/C 6.429.924,80 Unitom - U. T .Ltda. Axial Comput. 50.563,52 59.403,93 50.563,52 Ltda. S/C Ltda. S/C 92.954,47 92.954,47 Ltda. resultado No resultado da Controladora da Controladora No resultado No resultado Consolidado Consolidado 21.221,89 21.221,89 6.928,09 21.221,89 6.928,09 21.221,89 6.928 NorteUnicred do S/C Paraná Norte Unicred do Paraná Norte doNo Paraná (1.407,07)Unicred (1.407,07) Empre sasEmpre sas Norte do Paraná 2013 2013 2012 2012 2013 2013 156.978,97 2012 2012 Unicred 156.978,97 126.833,40 - Total 227.665,69 227.665,69 (197.615,15) 227.665,69 (197.615,15) 85.971,79 (197.615 Total Total 114.015,31 114.015,31 (50.248,59) (50.248,59) 114.015,31 114.015,31 (50.248,59) (50.248,59) Cedipar C.D. Cedipar C.D. 1.018.035,85 826.503,98 719.517,35 Total 1.276.856,68 880,83 1.277.737,51 Paraná S/CParaná Ltda. S/C Ltda. 141.693,90141.693,90 154.395,89154.395,89 CSHP - C. CSHP Saúde H. - C. Saúde H. 678,73 678,73 No resultado da Controladora No resultado Paraná Ltda. Paraná Ltda. 7.798.304,35 1.584,09 7.799.888,44 Empre sas 2013 2012 2013 (49.265,41) (49.265,41) (308.690,54) (308.690,54) (49.265,41) (49.265,41) (308.690,54) (308.690,54) Unitom - U.T Unitom omo.- A. U.T Comput. omo. A. Comput. 306.628,57 - t) 306.628,57 Base para t) contabilização Base para t) contabilização do Base Imposto para de contabilização do Renda Imposto a Pagar: de do Renda Imposto Lucro a Real Pagar: de Renda Anual. Lucro a Pagar: Real Anual. Lucro Real Anual. 114.015,31 (50.248,59) 114.015,31 Cedipar S/C Ltda. S/C Ltda. C.D. 513.479,74 513.479,74 21.221,89 21.221,89 6.928,09 6.928,0921.221,89 21.221,89 6.928,09 6.928,09 Paraná S/C Ltda. Unicred Norte Unicred do Paraná Norte do Paraná 227.665,69227.665,69 (197.615,15) (197.615,15) 85.971,79 85.971,79 (352.011,04) (352.011,04) Total Total 141.693,90 154.395,89 CSHP - C. Saúde H. 782137,13 1.184,43 783.321,56 Paraná Ltda. 4) CAPITAL SOCIAL 4) CAPITAL 4) SOCIAL CAPITAL SOCIAL t)Unitom Base -para contabilização do Imposto(49.265,41) de Renda a(308.690,54) Pagar: Lucro Real (49.265,41) U.T omo. A. Comput. 246,82 246,82 t) Base para t)Anual. contabilização Base para contabilização do Impostodo deImposto Renda ade Pagar: RendaLucro a Pagar: Real Lucro Anual.Real Anual. S/C Ltda. 8.373.590,31 3.015,34 8.376.605,65 a) O Capital Social a) O Capital subscritoa) Social éOdeCapital R$ subscrito 9.898.588,63, Social é desubscrito R$ representado 9.898.588,63, é de R$por 9.898.588,63, representado 56.221.219por representado ações 56.221.219 ordinárias por ações 56.221.219 e 3.726.569 ordinárias ações ações e 3.72 ord pr

Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis Consolidadas em 31 de Dezembro de 2013 01 – CONTEXTO OPERACIONAL A Sociedade tem por objeto a exploração de serviços médicos e afins, podendo ainda participar de outras sociedades, subscrevendo ou adquirindo quotas de capital ou ações, tendo em vista a consecução do seu objeto social. 02 – APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As demonstrações financeiras foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, de acordo com a Lei 6.404/76, contemplando as modificações nas práticas contábeis introduzidas pela Lei 11.638/07, regulamentadas pelo CPC – Comitê de Pronunciamentos Contábeis , incluindo a Resolução CFC 1.255/09, que aprovou a NBC-T 19.41 – Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas. As referidas demonstrações financeiras estão sendo apresentadas de forma comparativa as do exercício anterior. 03 – PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS E OUTROS DETALHAMENTOS a) Apuração do Resultado: O resultado do exercício é apurado pelo regime de competência b) Ativos Circulantes: Os ativos realizáveis que apresentam vencimentos de até

Prováveis

(4.363,20) (3.529,99) (80,28) (83,18) Possíveis 312.900,00 511.876,77 s) Investimentos: s) Investimentos: Os investimentos s) Investimentos: Os em investimentos outras cias Os investimentos em são outras representados ciasem sãooutras por: representados cias são representados por: por: (152,04) (245,12) (525,91) (524,19) 373,88 279,07 r)r) Estoques: Existemapenas apenas napatrimonio controladora, sendo então nas conso Estoques: Existem na sendo então representado nas informações Nocontroladora, No da patrimonio Controladora No patrimonio darepresentado Controladora No da patrimoni Controlad N 559,00 475,83 informações consolidadas, como segue: Investidas Empre sas Investidas Empre sas Investidas 2013 2013 2012 20132012 2013 2 85,97Empre sas (352,01) Consolidado Consolidado (258,27) (92,02)Cedipar Cedipar Centro de Diagnósticos Centro Cedipar de Diagnósticos Centro de Diagnósticos 511.974,86 511.974,86 483.442,05 511.974,86 483.442,05 511.974,86 483.4425 Consolidado Estoque s Estoque s 2013 2013 2012 2012 1.086,09 1.762,34 Medicamentos Medicamentos e S/C materiais e materiais 850.387,63 850.387,63 708.772,64 708.772,64 Estoque sLtda. 2013 2012 Paraná Paraná S/C Ltda. - Paraná S/C -Ltda. Material deMaterial expediente de expediente 32.698,74 32.698,74 33.624,20 33.624,20 Medicamentos e materiais 850.387,63 - CSHP - Convênio - CSHP Saúde - Convênio Hospital CSHP Saúde - Convênio Hospital Saúde 298.518,50 Hospital 708.772,64 298.518,50 156.824,60 298.518,50 156.824,60 156.824 Gêneros alimentícios Gêneros alimentícios 27.906,99 27.906,99 34.096,04 34.096,04 1.086,09 1.762,34 Material de expediente 32.698,74 33.624,20 Paraná Ltda. Vale ransporte Vale TLtda. ransporte 29.589,05 29.589,05 34.376,80 34.376,80 - Paraná Ltda. - TParaná Gêneros alimentícios 27.906,99 34.096,04 (302,77) Comp. Suprim.de Informatica Comp. Informatica 82.246,93 50.412,66 50.412,66 Unitom (484,60) - Suprim. U. TUnitom . eAxial Comput. -eransporte U. Unitom T . de Axial -82.246,93 Comput. U. T . Axial Comput. 50.563,52 50.563,52 59.403,93 50.563,52 59.403,93 50.563,52 59.403 Vale T 29.589,05 34.376,80 Outros Outros 96.730,19 96.730,19 88.659,57 88.659,57 S/C Ltda. S/C Ltda. 783,32S/C Ltda. 1.277,74 82.246,93 50.412,66 Suprim. Informatica TO TAIS TO TAIS e Comp. de 1.119.559,53 1.119.559,53 949.941,91 949.941,91

No patrimonio patrimonio da Controladora da NoNo patrimonio No patrimonio Consolidado Consolidado NoNoresultado No daControladora resultado Controladora daresultado Controladora da NoControlad resultad s)Empre Investimentos: representados por: 59.947.788 49.947.788 sas Investidas sas InvestidasOs investimentos em outras 2013cias são 2013 2012 2012 2013 2013 2012 2012 Empre sasEmpreEmpre sas Empre sas 2013 2013 2012 2013 2012 2013 2 0,014 0,026 Cedipar Centro Cedipar de Diagnósticos Centro de Diagnósticos 511.974,86511.974,86 483.442,05483.442,05 511.974,86511.974,86 483.442,05483.442,05

(Valores em R$)

-

Possíveis Possíveis Possíveis Possíveis 312.900,00 312.900,00 511.876,77 511.876,77 312.900,00 511.876,77 511.876,77 7.438,13TO 7.490,15 TO 312.900,00 TAIS TAIS TO TAIS 1.119.559,53 1.119.559,53 949.941,91 1.119.559,53 949.941,91 949.941,91 C onsolidado (6.352,03) (5.727,81) r) r) Estoques: r)Estoques: Estoques: Existem Existem r)Existem apenas Estoques: apenas apenas na na controladora, controladora, Existem na controladora, apenas sendo sendo na então sendo controladora, então representado então representado representado sendo nas nas então informações informações nas representado informações consolidadas, nas consolidadas, informações como como segue: como consolidadas, segue: segue: como segue: Prognóstico 2013 2012 consolidadas, (2.143,21) (1.901,32)

TO TAIS

RESERVAS DE LUCROS Reserva Legal

Gerad

efetuados os cálculos, a conclusão foi de que não há necessidade de ajuste ao valor recuperá Caixa – UGC). Após efetuados os cálculos, a conclusão foi de que não há necessidade de ajuste ao valor recuperável dos ativos, tendo em vista que o 2013 2012 Estoque s Estoque sem Estoque s o valor 2013 contábil2013 2012 20132012 2012 valor uso supera daFoi UGC. p)Provisão Provisão para para p) férias para férias Provisão férias vencidas vencidas vencidas para e proporcionais: e proporcionais: férias e proporcionais: vencidas Foi Foi econstituída proporcionais: constituída Foi constituída a provisão a provisão a provisão constituída dedeférias férias de vencidas férias a vencidas provisão vencidas e proporcionais edeproporcionais férias e proporcionais vencidas e seus e seus e eproporcionais seus 40.545,79p)p) Provisão 34.154,08 Estoques: avaliados ao custo médio de850.387,63 aquisição, ajustados ao valor de Estoques: Estão avaliados ao custo médio de aquisição, ajustados aomercado quan Medicamentos eo)o) materiais Medicamentos e Estão materiais 850.387,63 850.387,63 708.772,64 708.772,64 708.772,64 respectivos respectivos respectivos encargos encargos encargos sociais. respectivos sociais. sociais. encargos sociais. e materiais 40.545,79Medicamentos 34.154,08 valor de mercado quando aplicável. (7.331,19) (5.872,74) Material de expediente Material de expediente Material 32.698,74 de expediente 32.698,74 33.624,20 32.698,74 33.624,20 33.624,20 p) Provisão para férias vencidas epara proporcionais: Foi constituída (1.727,20) (1.468,00) q)q) Provisões q)Provisões Provisões Para Para q)contingências: Para contingências: Provisões contingências: Para Foram Foram contingências: Foram constituídas constituídas constituídas as Foram as Provisões Provisões as constituídas Provisões Contingências para Contingências as Provisões Contingências Passivas para Passivas Passivas Contingências conformidade conformidade conformidade com com a acom NBC aconformidade NBC ade NBC p) Provisão para férias vencidas e para proporcionais: Foi constituída aPassivas provisão fériascom vena provisão de férias vencidas eonde: proporcionais e seus respectivos encargos Gêneros alimentícios Gêneros alimentícios Gêneros alimentícios 27.906,99 27.906,99 34.096,04 27.906,99 34.096,04 34.096,04 (4.036,72) (3.176,52) TT 19.7, 19.7, T emitida 19.7, emitida emitida pelo pelo Conselho Trespectivos pelo Conselho 19.7, Conselho emitida Federal Federal Federal pelo dede Contabilidade, Conselho Contabilidade, de Contabilidade, Federal onde: de Contabilidade, onde: onde: encargos sociais. sociais. (1.567,26) (1.228,22) Vale T28.281,34 ransporte Vale T ransporte Vale T ransporte 29.589,05 29.589,05 34.376,8029.589,05 34.376,80 34.376,80 33.214,61 q) Provisões contingências: Foram constituídas as Provisões para C Para C onsolidado onsolidado C onsolidado C onsolidado q)Contingências Provisões Para contingências: Foram constituídas asTProvisões para Contingências Passiv - Suprim. - Suprim. 82.246,93 50.412,66 50.412,66 50.412,66 e Comp. de Informatica e2013 Comp. Suprim. Informatica e82.246,93 Comp. de Informatica conformidade com 82.246,93 a NBC 19.7, emitida pelo Prognóstico Prognóstico Prognóstico Prognóstico 2013 2013dePassivas 2012 2012 2013 2012 2012 (25.776,48) (20.791,19) T 19.7, emitida pelo Conselho Federal de Contabilidade, onde: Conselho Federal de Contabilidade, onde: Prováveis Prováveis ProváveisOutros 658.000,00 Prováveis 658.000,00 658.000,00 399.726,63 399.726,63 658.000,00 399.726,63 399.726,63 Outros Outros 96.730,19 96.730,19 88.659,5796.730,19 88.659,57 88.659,57

96.730,19 88.659,57 Unicred NorteUnicred do Outros Paraná Norte Unicred do Paraná Norte do Paraná 156.978,97 156.978,97 126.833,40 156.978,97 126.833,40 156.978,97 126.8331

1.276.856,68

7.784.693,48 1.651.201,65 -

baixos para os supera quais existam fluxo de caixa identificáveis separadamente (Unidade que que o valor oque valor oem valor em uso uso em supera supera que uso osupera ovalor valor ofluxo valor oem contábil valor contábil uso dada UGC. UGC. oda valor UGC. contábil da UGC. existam decontábil caixa identificáveis separadamente (Unidade Geradora de

Consolidado Consolidado Consolidado o)o) Estoques: o)Estoques: Estoques: Estão Estão o)avaliados Estão avaliados Estoques: avaliados ao custo Estão aomédio custo médio avaliados médio dede aquisição, aquisição, ao decusto aquisição, médio ajustados ajustados de aoaquisição, ao valor valor aode valor de mercado ajustados mercado de mercado quando aoquando valor quando aplicável. de aplicável. mercado aplicável. quando aplicável. que oaocusto valor em uso supera oajustados valor contábil da UGC. Consolidado

1.018.035,85 1.018.035,85 826.503,98 1.018.035,85 826.503,98 719.517,35 826.5037 Total 782,14Total 1.276,86 Total s) 0,88 Investimentos: s)s) Investimentos: Investimentos: Os investimentos Os investimentos emOs outras cias em são outras representados cias são representados por:outras por:cias são representados por: 1,18 investimentos em

Acionistas da Companhia Participação dos Não Controladores

DMPL - DEMONSTRAÇÃO DASDAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DMPL - DEMONSTRAÇÃO MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (Em Reais) (Em reais) CAPITAL

ciação acumulada. Os terrenos não são depreciados. Os demais itens doresiduais OsOsdemais demais Os demais itens itensdo itens doimobilizado Os imobilizado dodemais imobilizado itens são sãodepreciados do depreciados sãoimobilizado depreciados pelo pelo são método pelo método depreciados método linear linear linear para pelo para alocar para método alocar alocar seus seus linear custos seus custos para custos aos aos alocar seus seus aosseus valores seus valores custos valores residuais residuais aos seus valores res Osestimada, demais itens do imobilizado são depreciados pelo alocar imobilizado são método linear paramétodo alocarlinear seus para custos aosseus cust durante durante durante a vida a vida aútil vida útil estimada, estimada, útil durante mediante amediante vidamediante útil a aplicação estimada, adepreciados aplicação a aplicação das mediante das taxas taxas daspelo usuais. ataxas aplicação usuais. usuais. das taxas usuais.

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

Atribuível a

109,13 1.883,86 1.992,98 109,13

Último

2.012,71 1.412,43 600,29 -

21.221,89

Norte do Paraná 4)Unicred CAPITAL SOCIAL

227.665,69

Total

6.928,09

(197.615,15)

a) todas O Capital Social subscrito R$valor 9.898.588,63, As ações são4)todas As ações nominativas são As ações e sem nominativas são valor todas nominal. enominativas sem valor énominal. edesem nominal. representado por CAPITAL 4) CAPITAL SOCIAL SOCIAL

21.221,89

85.971,79

56.221.219 ações ordinárias e 3.726.569 ações preferenciais. um ano estão demonstrados nos grupos circulantes, apresentados pelo custoa)de As ações são todas semporvalor nominal. O Capital a) Social O Capital subscrito Socialé de subscrito R$ 9.898.588,63, é de R$nominativas 9.898.588,63, representado representado pore56.221.219 56.221.219 ações ordinárias açõeseordinárias 3.726.569eações 3.726.569 preferenciais. ações preferenciais. b) Capitale Autorizado: b) Capital Limite Autorizado: b) Capital de aumento Limite Autorizado: de de capital aumento Limite autorizado: de de capital aumento atéautorizado: completar de de capital 100.000.000 atéautorizado: completar de até 100.000.000 ações, completar decisão de 100.000.0 ações, do aquisição, apropriados rendimentos incorridos até as datas dos balanços, ajustados, b) Capital Autorizado: Limite de aumento capital autorizado: até por comt)ser Base para do Imposto de Renda Pagar: Lucro Administração, podendo Administração, ordinárias podendo evalor ser / ou podendo preferenciais, ser e / ordinárias ou observando preferenciais, e /aou o preferenciais, limite observando doReal artigo oAnual. observando limite 3º, parágrafo do artigo o limite 2º, 3º,bem parágrafo do artigo como quando aplicável, ao seu equivalente valor de mercado. As Administração, ações são Astodas ações nominativas são todas nominativas e semcontabilização eordinárias nominal. sem valorações, nominal. pletar 100.000.000 de por decisão do Conselho de Administração, c) Investimento: Os investimentos em sociedades coligadas e controladas foram preferência dospreferência acionistas podendo na dos preferência proporção acionistas do dos nanúmero proporção acionistas de do na número que possuírem. dedo ações número que possuírem. de ações o que possuírem. do artigo 3º, serLimite ordinárias ede/ações ouproporção preferenciais, observando limite b) Capital b) Autorizado: Capital Autorizado: Limite de aumento de deaumento capital autorizado: capital autorizado: até completar até100.000.000 completar 100.000.000 de ações, por de decisão ações, por do decisão Conselho dodeConselho de avaliados pelo método da equivalência patrimonial, como demonstrado na nota “s”.Administração, parágrafo 2º, como direito preferência nabem Administração, podendo serpodendo ordinárias ser bem eordinárias / ou preferenciais, e / ouopreferenciais, observandode observando o limite do oartigo limite3º,dodos parágrafo artigoacionistas 3º,2º, parágrafo bem como 2º, o proporção direito comodeo direito de d) Passivos Circulantes e Não Circulantes: Demonstrados porMaringá, valores conhecidos do número de ações que possuírem. preferência dosde acionistas dos na acionistas proporção do proporção número do de de ações número que depossuírem. ações que possuírem. 05 preferência deMaringá, Março 052014 de Maringá, Março de 05na2014 de Março 2014 SOCIAL ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e das 4) CAPITAL Maringá, 05 de Março de 2014 Maringá, 05Maringá, de Março 05dede2014 Março de 2014 variações monetárias incorridas até as datas dos balanços. e) Imposto de Renda e Contribuição Social: São registrados pelo regime de com-a) O Capital Social subscrito é de R$ 9.898.588,63, representado por 56.221.219 ações ordinárias e 3.726.569 ações pre petência de exercícios, calculados levando-se em consideração a legislação fiscal em As ações são todas nominativas e sem valor nominal. vigor e reconhecidos nos resultados dos exercícios. Riuzi Nakanishi Minao OkawaMinao Okawa Rosemberg Rosemberg de Sá Gonçalves Rosemberg de G S Riuzi Nakanishi Riuzi Nakanishi Minao Okawa Riuzi Nakanishi Riuzi Nakanishi Minao Okawa Minao Okawa Rosemberg Rosemberg Gonçalves de Gonçalves Sá Gonçalves de Sá f) Lucro por ação: Calculado com base no número de ações nas datas dos balanços. b)Diretor Capital Autorizado:Superintendente Limite deSuperintendente aumento de capital autorizado: até completar 100.000.000 de ações, por decisão do Diretor Financeiro Financeiro Contador CRC-PR Contador 42.650/O-4 CRC-PR 42.650/O-4 Diretor Financeiro Superintendente Superintendente Contador CRC-PR Contador 42.650/ CR Diretor Financeiro Diretor Financeiro Superintendente Contador CRC-PR 42.650/O-4 g) Uso de Estimativas: A preparação das demonstrações financeiras requer que a Administração, podendo ser ordinárias e / ou preferenciais, observando o limite do artigo 3º, parágrafo 2º, bem como Administração efetue estimativas e adote premissas, no seu melhor julgamento, que preferência dos acionistas na proporção do número de ações que possuírem. afetam os montantes apresentados de ativos e passivos, assim como os valores de receitas e despesas. Maringá, 05 de Março de 2014 h) Demonstrações Financeiras Consolidadas: As demonstrações financeiras conRiuzi Nakanishi

Minao Okawa

Rosemberg Gonçalves de Sá

Diretor Financeiro

Superintendente

Contador CRC-PR 42.650/O-4


8

QUINTA-FEIRA, 13.03.14

HOJE NOTÍCIAS - MARINGÁ

PUBLICIDADE LEGAL


13 03 14 site maringá