__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Uchôa | Nova Aliança | Cedral | Guapiaçu | Tabapuã | Novais | Catiguá | Potirendaba | Ibirá | Bady Bassitt | Urupês | Elisiário

ANO 10 | Edição nº 118 | junho de 2021

www.gazetainterior.com.br

MORADORES DE POTIRENDABA ESTÃO ‘ESCOLHENDO’ VACINA

Fotos: Luiz Aranha/Gazeta do Interior

Pessoas exibem marca da fabricante em redes sociais como “grife de bolsa importada”

Pág. 7

COVID-19 Pacientes infectados com a doença estão desrespeitando a quarentena e espalhando o vírus para outras pessoas; moradores estão sendo flagrados até em supermercados Pág. 3

CIDADES

CIDADES

MORTES POR COVID Mortes por COVID aqui na região já são 97% maiores do que o ano passado inteiro; de janeiro até agora as 12 cidades já somam 303 óbitos provocados pela doença

CASOS DE COVID Região ultrapassa 20,2 mil casos da doença e junho já é considerado o pior mês da pandemia, registrando 3.648 casos e infelizmente 80 mortes

Pág. 4

Pág. 5

POLÍTICA

INELEGÍVEIS

O ex-prefeito de Potirendaba, Flávio Alves (PSDB), e seu então candidato a vice, Pirolo Neto, foram condenados pela distribuição de cestas básicas durante as eleições de 2020 Pág. 8


2

26 de junho de 2021

Vacina não é grife de bolsa Nunca imaginamos que um dia rus propositalmente, pois afirma que “já pudéssemos escrever um editorial, onde que foi contaminado, agora também vai existe a vacinação contra uma doença contaminar”. mundial, que mata milhares de pesso Na fila da vacina, pessoas falsias todos os dias, mas que, ao receber a ficando atestados, tentando dar o famocura, a pessoa querer escolher qual será so jeitinho brasileiro para conseguir ser a marca. Pior que isso é ostentar a nas imunizado primeiro. Pessoas pensando redes sociais, como se a fabricante de apenas em si e não se importando com uma vacina fosse a marca de uma grife quem está na sua frente, certamente com importada de bolsa. mais prioridade que você para receber o imunizante, porém, você Muitos reAlguns cidadãos, in- só quer saber de você e ligiosos acreditam que a pandemia de fluenciados ou não por o próximo, que no qual eu não conheço, que se COVID-19 veio para um governante genocidane. ensinar os seres huda, escolhendo qual va Mais lamentámanos a serem mais vel que isso tudo é cheamorosos, mais huma- cina tomar, pois “ouviu gar a cura para o vírus nos e principalmente dizer que aquela não é que está tirando a vida ter mais amor ao prótão eficaz” de milhares de pessoas ximo. Porém, muitas pessoas estão vivendo o inverso dessa todos os dias, e, alguns cidadãos, inreflexão e pensando exclusivamente em fluenciados ou não por um governante si próprio, sem ao menos respeitar o genocida, escolhendo qual vacina topróximo. mar. Pessoas saindo das filas ao saber A falta de amor começa quan- o nome da fabricante, pois “ouviu dizer do você veja pacientes contaminados que aquela não é tão eficaz”. com a doença indo aos supermercados, O momento de se vacinar é espalhando o vírus para outras pessoas agora e não importa qual vacina, pois e não se importando com quem vai se ela foi aprovada e é eficaz. E, ao se vainfectar ou morrer. Existem relatos de cinar, não exiba a marca do fabricante que pessoas que querem espalhar o ví- como a marca de uma bolsa, isso é feio.

‘’

GAZETAdoINTERIOR


GAZETAdoINTERIOR

26 de junho de 2021

CIDADES

3

Pacientes com COVID infringem quarentena em cidades da região e frequentam até supermercados Luiz Aranha/Gazeta do Interior

O ato é considerado crime e quem infringir a determinação de quarentena pode ser até preso Luiz Aranha luiz@gazetainterior.com.br

A

Gazeta do Interior recebe diversas denúncias de pacientes que estão infectados ou com suspeita de COVID-19 e são flagrados andando pelas ruas. O ato é considerado crime e quem infringir a determinação de quarentena pode ser preso. Por conta da Lei Geral de Proteção de Dados e por questões jurídicas, a Gazeta não vai expor ou identificar os pacientes, até porque, o objetivo da reportagem é conscientizar a população da importância de não colocar outras pessoas ao risco. A região da Gazeta é formada por cidades com poucos habitantes, o que faz com que, praticamente, a maioria das pessoas se conheça. Rapidamente, vizinhos, amigos e parentes sabem se uma pessoa está infectada ou convivendo com alguém com resultado positivo para COVID-19. Frequentemente nossa redação recebe denúncias ou informações de pessoas que estão contaminadas e estão passeando em supermercados, padarias, farmácias e até igrejas destes municípios. Até a última quinta (24/06), quase 20,2 mil pessoas foram infectadas nas 12 cidades da nossa região e infelizmente 456 mor-

reram. O índice de contaminação infelizmente não para de aumentar, sendo que mais de 1.700 pacientes estão em tratamento contra a doença e mais de 100 estão internados. Segundo o médico que atua na linha de frente no combate ao COVID-19 e diretor clínico de Bady Bassitt, Isaac Machado, estudos apontam que uma pessoa pode transmitir o vírus para dezenas de pessoas reunidas em apenas um lugar. “Devemos lembrar da lei san-

pelo coronavírus. Se não cumprir, a pessoa pode até ser presa. Profissionais de saúde e agentes de vigilância epidemiológica poderão solicitar uso da força policial para obrigar a pessoa contaminada ou suspeita de ficar em quarentena. Na prática, a medida traz responsabilização penal para quem descumprir as determinações. As penas podem, em média, ser de até 1 ano. Em casos excepcionais, pode levar à prisão de até 15 anos. A lei estabelece o prazo máximo de 14 dias, podendo se estender por mais 14 se comprovado o risco de transmissão. A legislação estabelece ainda que

‘’ Infelizmente as pessoas têm esquecido do coletivo e só pensado em si Isaac Machado Diretor Clínico de Bady Bassitt

cionada no começo da pandemia que protege a coletividade. Infelizmente as pessoas têm esquecido do coletivo e só pensado em si, desrespeitando o isolamento. É necessário que haja também uma fiscalização mais rigorosa por parte dos municípios e os moradores denunciem o ato de desrespeito à Vigilância Sanitária de sua cidade”, explica. A Lei citada pelo doutor Isaac é a 13.979 de fevereiro de 2020, que regulamenta a quarentena obrigatória a pessoas suspeitas ou contaminadas

toda pessoa deve colaborar com autoridades sanitárias na comunicação imediata de possíveis contatos com agentes infecciosos e circulação em áreas consideradas como regiões de contaminação pelo coronavírus. Se alguém passar vírus propositalmente pode ser enquadrado na legislação sobre pandemia e pegar até 15 anos de prisão. As denúncias podem ser feitas à Vigilância Sanitária de cada município. Em Elisiário e Tabapuã, o paciente infectado com COVID-19 ou suspeito, é obrigado a usar uma pulseira de identificação. A ação visa justamente impedir que pessoas contaminadas saiam às ruas propagando a doença. Quando o morador procura por atendimento médico, ele recebe a pulseira, que indica a necessidade de isolamento. A identificação só pode ser retirada pelo médico, no fim do período de quarentena.


4

26 de junho de 2021

GAZETAdoINTERIOR

ESPECIAL

Mortes por COVID na região já são 97% maiores do que ano passado inteiro Luiz Aranha luiz@gazetainterior.com.br

O

número de mortes por COVID-19 aqui na região da Gazeta do Interior já é 97% maior do que o ano passado inteiro. De janeiro até agora as 12 cidades de circulação do jornal já somam 303 mortes provocadas pela doença, sendo que o ano passado inteiro foram 154. O primeiro caso de COVID-19 aqui na nossa região foi confirmado no

Aceitamos:

dia 03 de abril do ano passado, na cidade de Ibirá (SP) e a primeira morte em Bady Bassitt, no dia 04 de maio. Durante os nove meses de pandemia no ano de 2020, a região do jornal contabilizou 154 mortes. Agora em 2021, infelizmente o número de óbitos aumentou assustadoramente aqui na região noroeste paulista, sendo que o mês de abril, até então, era considerado o mês mais letal da pandemia, sendo registrados 70 vidas perdidas para o coronavírus. Infelizmente agora em junho já são 80 mortes provocadas pela doença. Nestes quase seis meses de 2021 as cidades da nossa região já registram 303 mortes provocadas pela COVID-19, sendo contabilizado um aumento de 97% em comparação com o ano passado. Bady Bassitt é a cidade que mais registrou mortes pela doença, sendo 71 vidas perdidas pela

Luiz Aranha/Gazeta do Interior

De janeiro até agora já são 303 mortes provocadas pela doença COVID-19, sendo que, só este ano, já foram confirmados 49 óbitos, um aumento de mais de 120%. Em seguida vem Guapiaçu e Potirendaba com 65 mortes cada, des-

de o começo da pandemia. Depois aparece Tabapuã com 54 óbitos. No total, as 12 cidades somam 457 vidas perdidas – uma média de mais de 38 mortes por cidade.


26 de junho de 2021

GAZETAdoINTERIOR

Região ultrapassa 20 mil casos de COVID e junho já é o pior mês da pandemia Luiz Aranha luiz@gazetainterior.com.br

A

região de 12 cidades de circulação da Gazeta do Interior ultrapassou nesta semana, 20 mil casos de COVID-19, desde o começo da pandemia. Junho deste ano já é considera-

do o pior mês da pandemia. Os dados são das coordenadorias municipais de saúde até a última quinta-feira (24/06). Ao todo já são 20.207 casos confirmados de COVID-19 e infelizmente 457 mortes provocadas pela doença. Desse total, 13.364 casos e 303 mortes foram registrados somente agora em 2021

Em junho deste ano já são 3.648 confirmações e 80 mortes, sendo assim, considerado o pior mês da pandemia de coronavírus, tanto na quantidade de casos, como de mortes. No mês passado inteiro, que até então ti-

5

nha sido o pior mês, haviam sido confirmados 2.874 casos e 56 óbitos. A cidade com o maior número de casos da doença é Bady Bassitt com mais de 3,5 mil casos e 71 mortes. Depois aparece Guapiçu com 3.284.


6

26 de junho de 2021

GAZETAdoINTERIOR

CIDADES

Prefeita de Potirendaba (SP) testa positivo para COVID-19

Motociclista vítima de grave acidente na Washinton Luís é enterrada em Urupês

Luiz Aranha/Gazeta do Interior

Reprodução Gazeta do Interior

Gi Franzotti realizava exames habitualmente e felizmente está bem

A

Prefeita de Potirendaba (SP), Gi Franzotti (PTB), testou positivo para COVID-19. Em nota, o município disse que a Chefe do Executivo está bem e que realizava exames habitualmente. Segundo a Prefeitura, Gi começou a sentir os sintomas na sexta-feira (18/06), realizou o teste para a COVID-19 durante o fim de semana, onde teve resultado positivo. Na última sexta a prefeita já despachou de casa, pois teria apresentado uma indisposição. De acordo com a nota, o estado de saúde da Chefe do Executivo é bom e ela segue em tratamento do-

miciliar. Gi realizava exames habitualmente e não teria apresentado qualquer sintoma. Outros três funcionários que trabalham diretamente com a Prefeita já foram afastados e passaram por exames. Todos estão assintomáticos, porém um deles havia testado positivo para a doença. Potirendaba, até o último boletim epidemiológico divulgado no sábado, 24/06, possuía 2.670 casos confirmados de COVID-19 e infelizmente 65 mortes provocadas pela doença, desde o começo da pandemia. 133 pacientes estão em tratamento domiciliar com a doença e outros 12 estão internados.(Redação)

Foi enterrado em Urupês, o corpo da motociclista, de 40 anos, vítima de um grave acidente na rodovia Washington Luís, em Cedral. Leandra Graciela da Cunha estava indo trabalhar na manhã do dia 23/06 quando teria sofrido o acidente. O corpo dela foi velado no Velório de Urupês e enterrado às 10h no Cemitério da cidade no dia 24/06. Ela era moradora de Ibirá e seguia de moto para o trabalho,

quando teria sido atingida na traseira por um carro que vinha logo atrás. Ela foi arrastada por cerca de 500 metros, até ser atingida por outro veículo que também seguia pela rodovia. A Perícia Técnica esteve no local e um laudo deve apontar as causas do acidente. Leandra era técnica de enfermagem, em um laboratório de São José do Rio Preto e era bastante querida por todos. Nas redes sociais, dezenas de amigos se solidarizaram com a morte da mulher.


GAZETAdoINTERIOR

26 de junho de 2021

CIDADES

7

Moradores de Potirendaba estão escolhendo vacina contra COVID-19 e desistindo de fila

Luiz Aranha/Gazeta do Interior

Luiz Aranha luiz@gazetainterior.com.br

M

oradores de Potirendaba (SP) estão deixando a fila ao saber a marca da vacina que está sendo aplicada na cidade. Nas redes sociais, dezenas de pessoas estão ostentando a fabricante do imunizante como se fosse marca de bolsa de grife importada. Enquanto muitas pessoas morrem em hospitais pela COVID-19 por falta do imunizante contra a doença, em Potirendaba, muitos moradores estão deixando de se vacinar porque simplesmente querem escolher a fabricante. Segundo a Coordenadoria de Saúde do município, cidadãos estão deixando a fila quando se informam sobre qual o laboratório que está sendo produzido o imunizante. De acordo com o enfermeiro da Vigilância Epidemiológica da cidade, Vagner Xavier, vacina boa é a vacina que está no braço. “A melhor vacina é aquela que a pessoa tomou, pois é a única forma de garantir o maior número de pessoas imunizadas. Então, quanto maior o número de pessoas imunizadas, menor é a transmissão entre as pessoas. As vacinas que estão sendo aplicadas, foram aprovadas pela Anvisa, então todas elas possuem sim eficácia contra o vírus”, explica. Nas redes sociais é comum ver pessoas ostentando o nome da fabricante da vacina, como se marca de bolsa de grife importada. Agora é o momento de ostentar a vida e não uma fabricante. “A gente tem que tomar a

Nas redes sociais, dezenas de pessoas estão ostentando a fabricante como se fosse grife de bolsa vacina que tem. Nós estamos perdendo várias pessoas que estão morrendo com essa doença e esse momento não é para ficar escolhendo nada”, disse o morador que chegou cedo no posto de vacinação de Potirendaba, Fábio Rosa de Oliveira, de 46 anos. Todas as 3 vacinas aplicadas no Brasil contra a COVID-19 são capazes de proteger de casos graves e de morte pela doença. Isso já foi demonstrado tanto em ensaios clínicos (quando os cientistas medem a eficácia de uma vacina) quanto na “vida real” (quando a efetividade da vacina é constatada). Sim, é verdade que as vacinas têm eficácias diferentes (em estudos que foram conduzidos de forma distintas e nem sempre são comparáveis). Mas a prioridade, neste momento, não é dar a vacina de maior eficácia a todos ou escolher a própria vacina, defende a epidemiologista Carla Domingues, que coordenou o Programa Nacional de Imunizações (PNI) de 2011 a 2019.

Em resumo, é muito melhor tomar qualquer vacina disponível do que ficar vulnerável à COVID-19. E, ao se vacinar, você ajuda a aumentar a cobertura vacinal, que é o mais importante neste momento. Abaixo, veja 5 razões que mostram por que você não deve escolher vacina: Por que não devo escolher minha vacina?

É urgente criar imunidade individual contra a COVID; É preciso acelerar e aumentar a cobertura da população; Não há vacinas suficientes para o aquele que acha que entende alguma coisa; É prioridade evitar a circulação do vírus e novas variantes; Salvar vidas é também uma responsabilidade coletiva.

Ranking de vacinação por cidade Fonte: VacinaJá


8

26 de junho de 2021

GAZETAdoINTERIOR

POLÍTICA

Flávio Alves de Potirendaba é condenado por distribuir cestas básicas durante campanha Luiz Aranha luiz@gazetainterior.com.br

A

Justiça Eleitoral condenou o ex-prefeito de Potirendaba (SP), Flávio Alves (PSD), por distribuir cestas básicas durante a campanha eleitoral de 2020. Ele e o então candidato a vice, Vanderley Uga Neto (Progressistas), ficam inelegíveis por oito anos. De acordo com a sentença do juiz eleitoral, Flávio Artacho, a ação de investigação eleitoral foi movida pelo Ministério Público a pe-

dido da coligação Tempo de Liberdade. Para o magistrado, Flávio fez o uso indevido do seu poder de autoridade para distribuir cestas básicas em quantidades atípicas e, abusando do poder econômico. Segundo a ação, o grupo político teria organizado pontos na cidade para distribuição, por candidatos a vereadores integrantes de sua Coligação, uma quantia em dinheiro a eleitores vindos de outras cidades, sendo parte para custear os gastos deles com combustível e parte como recompensa por votarem em Flávio. Na defesa eles alegaram que a distribuição de cestas básicas beneficiou famílias previamente cadastradas no CRAS e não teve nenhum escopo eleitoral, sendo que as demais acusações não são verdadeiras, inexistindo prova cabal a respeito. Com isso, a Justiça constatou que foram distribuídas, por intermédio do CRAS, cestas básicas apenas do mês de agosto até novembro de 2020, período eleitoral, para as 125 famílias

identificadas. Na ação diz ainda que cestas básicas foram entregues também pela Coordenadoria Municipal de Assistência Social, diretamente em domicílio. Através do Portal da Transparência, a Justiça encontrou o pagamento de R$ 1.360.653,46 para um único fornecedor, dono de um supermercado da cidade. “Valendo ressaltar que a maior parte daquela expressiva importância se refere ao período de 3 de setembro a 29 de dezembro, em que os pagamentos superaram signi-

ficativamente os ocorridos no restante do ano. Irregularidade que, por si só, comprova o uso indevido do poder de autoridade por Flávio, com o claro escopo de se beneficiar como candidato à reeleição”, diz o juiz em trecho de sua decisão. Em sua sentença, o juiz então condenou Flávio e Vanderley pela inelegibilidade durante oito anos. Procurado pela Gazeta, Flávio disse que está tranquilo e que vai recorrer da decisão, pois tem convicção de que a sentença será reformada.

Profile for Gazeta do Interior

Edição Junho de 2021  

Leia a edição impressa da Gazeta do Interior de junho de 2021

Edição Junho de 2021  

Leia a edição impressa da Gazeta do Interior de junho de 2021

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded