Issuu on Google+

8 ANOS E-mail: folharegionalgv@bol.com.br / folharegionalgv@uol.com.br

Número: 135 - Agosto/2008 - Governador Valadares - Minas Gerais - R$ 1,20

CRIME PODE SER DESVENDADO

Ex-diretora do Departamento Financeiro da prefeitura chega a Valadares Alexsandra é uma das envolvidas em um rombo de quase R$ 2 milhões dos cofres públicos VIRGINÓPOLIS

F

uncionária de confiança do prefeito José Bonifácio Mourão, Alexsandra Soares Menezes Generoso é acusada de desviar quase R$ 2 milhões da prefeitura de Valadares. Ela, ema uma carta divulgada antes de fugir, revelou atos ilícitos cometidos por secretários da atual administração. Nem mesmo o prefeito Bonifácio Mourão escapou das suas acusações. Mulher de confiança dele, Alexsandra, logo após a vitória dos tucanos, foi nomeada pelo prefeito como diretora do Departamento Financeiro. Ela garantiu que a verba era para fundo de campanha do prefeito Mourão, que negou a acusação durante audiência de uma CPI na Câmara. Presa pela policia americana, Alexsandra, que foi deportada, terá a oportunidade de comprovar o envolvimento de secretários e do prefeito nas falcatruas relatadas na carta.

Ex-prefeita Cida Ribeiro disputa eleição

P

PÁGINA 3

Cida disputa sua terceiera eleição no município PÁGINA 8

Alexsandra já está presa na Cadeia Pública de Governador Valadares. Seu retorno tira o sono de muitos políticos da cidade

Divinolândia: Os dois candidatos à eleição fazem parte do mesmo grupo político. Oposição se omite e não disputa o pleito Sinsem pode ter eleição anulada

Juiz Renato Zouain recebe homenagem em São João

A

entrega da Medalha “Desembargador Hélio Costa”, ao juiz Renato Zouain Zupo, no dia 25 de julho, levou um grande número de pessoas no auditório do Fórum de São João Evangelista. Um dos mais conceituados juizes da região Renato Zouain é uma espécie de unanimidade. Apesar de ser conhecido por sua rigidez e cumprir com fidelidade suas funções na magistratura, Zouain consegue admiração de todos por saber respeitar o próximo, indiferente de posição econômica. PÁGINA 4

M

embros da chapa 3 encontraram irregularidades na eleição realizada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem). Eles entraram com o pedido de impugnação da eleição vencida pela Chapa 1, cujo membros principais dominam o Sindicato há 20 anos ininterruptos. No dia da apuração pode-se comprovar falta de organização e tumultos, com tentativa de violência. PÁGINA 9

PÁGINA 10

refeita por dois mandatos em Virginópolis, Cida Ribeiro é candidata à eleição pelo PSDB. Ela, em entrevista ao Folha Regional, relata os principais pontos de seu plano de governo e as visitas e encontros com lideranças e comunidades do município. Cida é uma das três mulheres que disputam o pleito em Virginópolis.

Nesta Edição:

Goiabal pede socorro

P

residente da Associação dos Moradores, Ernane José da Silva não teve resposta sobre obras emergenciais no distrito.

PÁGINA 6


AGOSTO/2008

RODA VIVA POLÍTICOS NAS RUAS 1 Todo dia você é abraçado por candidato a prefeito e vereador. Mas, quando foram eleitos, na última eleição você não via esses políticos nas ruas abraçando e conversando com o povo. POLÍTICOS NAS RUAS 2 Agora eles abraçam as criancinhas, beijam senhoras, numa hipocrisia sem fim. Caia nessa não e vote em quem não vai depois descontar todo este tempo com taxas absurdas. ALEXSANDRA 1 O retorno da ex-funcionária da prefeitura Alexsandra Generoso provoca apreensão nos aliados do candidato Bonifácio Mourão. Afinal, ela teceu severas críticas e denúncias contra o então prefeito que a contratou. Agora é a hora da verdade. ALEXSANDRA 2 Quase R$ 2 milhões desviados da prefeitura, tendo Alexsandra como única responsável é acreditar em Papai Noel e Saci Pererê. Ela poderá esclarecer o que não ficou transparente na CPI criada na Câmara para essa

PÁGINA 2

EDITORIAL

Quem foi o “ditador” que mandou recolher o Folha Regional, de sala em sala, no SAAE e Prefeitura?

F

Marquinhos e Elias, Secretário de administração de Coroaci, personalidades respeitadas em toda região

investigação. ALEXSANDRA 3 O trabalho realizado pelo presidente da CPI, vereador Cabo Amorim, foi importante, apesar dele não ter conseguido o depoimento da principal figura desta denúncia, a própria Alexsandra. ALEXSANDRA 4 Uma carta assinada por ela e registrada em cartório foi encaminhada para a CPI. Cabe a Alexsandra confirmar ou não o teor da carta e apresentar as provas. SINSEM 1 A direção do Sindicato dos Servidores Municipais

(Sinsem) deveria aprender a organizar eleição de maneira igualitária e democrática. Isto não aconteceu na primeira eleição de disputa realizada pela diretoria. SINSEM 2 Mas que essa turma que comanda o Sindicato ficou apertada com uma possível derrota não tenha dúvidas. TRABALHO Quando Reinaldo Pinheiro, Clédio Matos, Jânio e outros voltam a trabalhar na prefeitura, nas suas funções, se é que elas ainda existem?

NOTA 10

NOTA 0

Para o trabalho da Sub-tenente Selma, da 1ª RPM (Região de Polícia Militar) no setor de relações públicas. Outras pessoas que atuam neste setor deveriam fazer uma visita a esta policial e se inteirar de como funciona uma organização, seja ela no trabalho interno ou em atividades externas. Ela, no que faz transmite segurança e competência, requisitos que faltam em muitos na cidade.

Para a organização das eleições no Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem). Este pessoal parece que se acha donos do Sindicato. Também o que esperar de uma turma que está a 20 anos no poder? Proibir a imprensa de registrar apuração só mesmo acontece por falta de compromisso de democracia, aliás, algo que exigem dos outros, mas não dão exemplo.

oram recolhidos jornais Folha Regional, da edição 134 nas salas do SAAE e prefeitura. O enviado chegava na sala e pergunta: Vocês receberam o Folha Regional? Diante da afirmativa ele dizia: “Preciso recolher o jornal”. Surpreso, quem estava com o Folha questionava o motivo. “É que saiu um erro”, era a desculpa. Horas depois dezenas de ligações e emails de servidores revoltados contando o fato e pedindo a edição recolhida do Folha Regional. Para atendê-los no outro dia foram distribuídos na saída dos funcionários cerca de 500 exemplares para que cada um, em paz, pudesse ler, democraticamente o jornal em suas casas. A não ser que o “ditador” mandasse, assim como aconteceu em 1964, seu “policiais” em cada residência para recolhê-los. Como não descobrimos quem foi o autor dessa façanha, vamos chamar assim de “ditador”. Mas não houve nenhum erro, aliás talvez o erro foi expressar a verdade e isso o “ditador” parece não gostar. A sorte é que seu prazo está vencendo e, no próximo ano, a expectativa é que estes importantes órgãos recebam pessoas mais democráticas e isentas destes métodos ditatoriais. São tão mentirosos e covardes, que, questionados oficialmente, enviaram nota dizendo que a notícia não procede. Mas procede sim, com pessoas de dentro do SAAE e Prefeitura, horrorizadas com esse método. Como o SAAE e a Prefeitura, autorizados pelo então prefeito José Bonifácio Mourão compraram espaço no Folha Regional, os “ditadores” achavam que iriam determinar as matérias que iam sair ao bel prazer. Na primeira tentativa de mandar, eles foram convidados a se colocar no lugar deles, ficaram irritados. Esses “ditadores” acreditam que podem mandar e desmandar na imprensa, achando que o dinheiro compra tudo. Pelo menos não compra a linha editorial do Folha Regional. E ao “ditador” não adianta visitar outros órgãos na tentativa de prejudicar representantes do Folha Regional que prestam outros serviços pela agência. Isto em nada vai mudar o trabalho do Folha Regional, que aliás, continua cada vez mais forte e bem aceito na cidade e toda região. Com certeza o ditador não vai proibir nenhum funcionário do SAAE e Prefeitura de acompanhar as notícias isentas e imparciais do Folha Regional no site: www.jornalfolharegional.com.br.

EM DIA COM A JUSTIÇA Renato Zouain Zupo - renatozupo@terra.com.br

Os Problemas da Democracia Vivemos em um país democrático que possui imprensa livre, e porque estamos em uma democracia somos obrigados a conviver com opiniões divergentes todo o tempo. É um exercício permanente de convívio em uma sociedade plural, em que as pessoas divergem e fazem questão de esfregar na cara do vizinho do lado os motivos de sua divergência. Temos, assim, que aprender a conviver com as diferenças de nossos concidadãos, temos que permitir a crítica, ainda que desembestada, e é necessário tolerar antagonismos, por mais que sejam fruto de óbvia ignorância e profunda desinformação. Poderia ser pior. Estive recentemente na Argentina, um país lindíssimo, um povo politizado e culto, mas que politicamente ainda se parece com uma republiqueta latino-americana (como Lula já insinuou). Parece-me que, por lá, a democracia não está tão consolidada quanto no Brasil, de forma que qualquer crise meia boca política, qualquer problema econômico de maior envergadura, daqueles tantos que aparecem em nosso Brasil, qualquer escândalo um pouco mais fulgurante e lá vem passeata, ?panelaço?, ameaça de golpe, impeachment, etc... Bem diferente do nosso Brasil em que a fumaça dos canhões já se diluiu e as instituições, por mais que sejam criticadas, encontram-se mais sólidas e menos claudicantes. Em nosso país, parece-me, a democracia chegou para ficar, para o bem e para o mal. Tenho uma colega juíza que afirma com todas as letras que ?democracia demais atrapalha?. De início escandalizei-me. Depois, equacionando as entrelinhas do pensamento da ilustre magistrada, cheguei à conclusão que ela tem completa razão. Em nosso país tomamos porres diários de democracia que tornam nossa estrutura política um alvo na berlinda dos incrédulos. Nossas instituições estão próximas de se tornarem ingovernáveis por conta do excesso de liberdade, aqui e acolá, que permite a institucionalização da baderna e do protesto irrefreável e sem sentido ou razão, em uma grande orgia libertina que não deveria se confundir com a verdadeira democracia, mas que na verdade origina-se de seus excessos. O regime democrático não é e nem nunca foi perfeito. Não há regime político perfeito, aliás. Acontece que a democracia pode ser considerada, grosso modo, o ?menos pior? dentre os mecanismos de poder que se conhece. E é graças à liberalidade política que se elegem cabeças de bagre a torto e a direito, a impunidade é a regra geral e os formadores de opinião falam besteiras sem mordaça, contribuindo para a inóspita ignorância de nosso povo. Dou exemplos. Outro dia ouvi de um jornalista de rádio, supostamente ?antenado? nos assuntos jurídicos, que fulano de tal foi preso furtando, e que uma semana antes já havia sido preso por crime idêntico, o que o radialista considerava um absurdo, concluindo que equivocada era a justiça que soltava o bandido: ?A polícia faz seu trabalho e prende, agora vem a Justiça e solta, assim não dá, etc...? Gente assim forma opinião, fala e tem muito leigo que assina embaixo e aplaude, formando um verdadeiro séquito de adeptos da santa ignorância do mencionado jornalista. De nada adiantaria falar para esta multidão de desinformados que não é a justiça que solta, mas a lei que manda soltar, que o furto é crime afiançável, que quem faz a lei não é o juiz, mas deputados e senadores eleitos pelo povo, etc... Falar pra quê? Pregar no vazio do deserto nem Jesus Cristo conseguiu, muito menos para um povo que: a) adora falar mal dos outros, principalmente de quem detém alguma notoriedade ou poder; b) adota boatos maldosos como se fossem as sagradas escrituras, de nada adiantando provar verdade diversa para quem já deturpou sua opinião irremediavelmente; c) é vítima das instituições que, preocupadas em permitir a liberdade de expressão, não educam e nem procuram mostrar o real funcionamento do Estado e de seus meandros jurídicos e burocráticos ao povão carente de informações. Os famintos ?sem casa? e ?sem teto? vivem badernando, quebrando, invadindo, em nome da democracia. São tratados pelo Poder Judiciário, pela polícia e pelo governo como movimento político. Muito bem. Parabéns. As FARC colombianas começaram assim. Ocorre que os membros destes movimentos ?políticos? cometem, durante sua questionável ?militância?, inúmeros delitos, dão um verdadeiro passeio pelo Código Penal, perpetrando crime de formação de quadrilha, dano, violação de domicílio, esbulho possessório, etc... E o que lhes acontece? Nada, porque estamos em um regime democrático. E viva a democracia! Em todas as mídias, fala-se mal de todo mundo. A imprensa acompanha operações policiais com uma intimidade que espanta, e divulga verdades definitivas sobre a culpa de determinados cidadãos que sequer chegaram a ser processados criminalmente, denunciados pelo Ministério Público, quiçá condenados pelo Poder Judiciário. E a presunção de não culpabilidade, onde fica? Execrou-se o Presidente do STF, Ministro Gylmar Mendes, porque soltou um banqueiro milionário. O próprio Ministro da Justiça juntou-se à plebe para dizer que todos são iguais, e se todos são iguais o banqueiro deveria ficar preso e ser algemado como também o pobre da favela... Ora, mas não é isso que se está dizendo. O que não se pode é tratar alguém, seja rico ou pobre, com um rigor que a Lei não autoriza, uma vez que a regra é que todos podem responder soltos ao processo criminal, somente se concebendo sua prisão cautelar e prévia (preventiva) para circunstâncias específicas e emergenciais e raramente vistas em casos desta natureza, acompanhados pela mídia e envolvendo nomes ilustres de homens públicos. Democracia, aliás, não é tratar a todos igualmente. A palavra ?democracia? foi prostituída nos palanques políticos. Na verdade, foi criada por Aristóteles em um de seus tratados de filosofia e significa, como é sabido, tratar igualmente os iguais, e desigualmente os desiguais, na medida de suas desigualdades. Esta democracia, assim aplicada, talvez fosse mais perfeita, ou menos imperfeita, e por aí se vê que minha colega magistrada tinha mesmo razão quando dizia que democracia demais atrapalha, quando perniciosa e exagerada, afastada de seu real significado, como se teima em praticá-la em nossa República.

Renato Zouain Zupo, Juiz de Direito em Araxá-MG

Governador Valadares - MG Edição: Nº 135 - Agosto de 2008 Periodicidade: Quinzenal Rua: Artur Bernardes, 1234 - Centro Cep: 35010-020 Telefones: (33) 3212-3776 / 9961-2508 - Diagramação: Rafael Barbosa Editor: Elias Silva Projeto: A.G.E Assessoria & Jornalismo Colaboradores: Renato Zouain Zupo (Na Coluna Em Dia Com a Justiça) Jorjão (Coluna Ponto de Vista) Site:www.jornalfolharegional.com.br E-mail: folharegionalgv@bol.com.br - folharegionalgv@uol.com.br


AGOSTO/2008

PÁGINA 3

Valadares

SARDOÁ

Envolvidos no rombo milionário podem ser denunciados com prisão de Alexsandra

Ninguém entendeu o posicionamento do prefeito

Ela pode revelar detalhes de um dos maiores golpes financeiros já descobertos no Executivo valadarense

M

ulher de confiança do então candidato José Bonifácio Mourão, Alexsandra Soares Menezes Generoso participou ativamente da última campanha dele à prefeitura quando venceu João Domingos Fassarella por uma diferença de 631 votos. A confiança era tanta que Alexsandra assumiu um cargo de destaque, como se diz na gíria, recebeu a chave do cofre, ficando com a responsabilidade da diretoria do Departamento Financeiro. O resultado foi o desvio de 1,7 milhão da prefeitura e uma confusão que só agora poderá ser esclarecida com a sua prisão nos Estados Unidos e o seu retorno para Governador Valadares, onde se encontra na Cadeia Pública, desde o dia 9. O assunto é importante e poderá definir até mesmo o rumo da campanha política. Quando o rombo foi descoberto, os moradores da cidade ficaram indignados com o fato e a facilidade de Alexsandra sair de Valadares, ficar alguns dias no Brasil e viajar para os Estados Unidos. A expectativa é grande, mas mesmo assim o seu advogado Reinaldo Ribeiro da Silva não quer falar com a imprensa,

O então advogado de Alexsandra, José Ribamar Matos acusou dois secretários municipais da Fazenda de improbidade administrativa por terem assinados cheques em branco sem tomar conhecimento do seu destino. Alguns dos acusados tiveram os bens bloqueados pela Justiça, mas continuaram nos cargos. O prefeito Mourão não realizou nenhuma demissão, mesmo com acusações de envolvimentos de aliados que atuam na administração. Destino de muitos políticos nas mãos de Alexsandra: será que ela vai falar?

e no Fórum a notícia é a de que o processo corre em segredo de Justiça. Portanto, a população, a grande prejudicada, não saberá por um bom tempo o desfecho da história. Na Cadeia Pública, nos próximos trintas dias Alexsandra só poderá receber visita do seu advogado. ROMBO Mas, mesmo na fuga, Alexsandra escreveu uma carta contando detalhes do rombo e envolvimento de autoridades do município. Com um pedido de prisão feita pelo delegado do caso, Thales Flores Taipina e aceito pela Justiça, ela não com-

pareceu à CPI formada na Câmara de Vereadores para investigar este desvio milionário. A história na época era de que Alexsandra tinha conhecimento de notas de empresas que não receberam na administração do Governo Fassarella. Ao invés de quitar os valores, ela, depois de conseguir as assinaturas dos cheques, depositava em conta de seus comparsas no crime. O único argumento de secretários do prefeito Mourão era de que assinavam cheques (alguns de até R$ 500 mil) sem saber o destino, em face de confiança que tinham na diretora do Departamento Financeiro.

CARTA Mourão esteve na Câmara, durante uma audiência da CPI, para dizer que não tinha nenhum envolvimento com o rombo, liderado por Alexsandra. Ele aceitou uma acareação, o que não aconteceu. Se o prefeito negava envolvimento neste rombo, Alexsandra enviou uma carta dizendo o contrário, e detalhando a história. Ela relatou que foi usada pelo prefeito e secretários e que o desvio tinha a finalidade de se conseguir recursos para fundo de campanha, visando a atual eleição. “Não tinha poderes para assinar cheques sozinha”, disse Alexsandra na carta, ao informar que os cheques eram

depositadas nas contas de Alejandro Cuatrin e o empresário Wesley Moura por determinação dos cabeças desta armação. Ela informou, na carta, que a ex-funcionária Noelza Rodrigues Santos também era cúmplice, a mando de secretários e que a situação começou a ficar insustentável porque servidores de carreira teriam descoberto o “esquema”. Durante depoimento na CPI, Wesley e Alejandro disseram que apenas fizeram um “favor” para Alexsandra no depósito dos cheques. Eles, outros empresários, comerciantes e secretários citados negaram envolvimento, assim como o prefeito. Como não houve a comprovação da participação de membros da prefeitura, deu-se a entender que Alexsandra conseguiu driblar todo o aparato de segurança no setor financeiro de uma das mais importantes prefeituras do interior de Minas para, sozinha, enganar a todos. O desfecho da história e os seus envolvidos estão nas mãos de Alexsandra, que, caso confirme a verdade da carta, deverá apresentar provas ou o caminho a seguir pela Justiça para encontrá-las.

ELEIÇÕES 2008

Justiça recolhe material de campanha das coligações lideradas pelo PSDB e PT Duas coligações estavam confundindo o eleitor quanto a promessa de emprego antes da vinda da Aracruz

A

disputa eleitoral em Governador Valadares não está centralizada apenas no convencimento do eleitorado. Ela está quente na Justiça. São acusações de infrações eleitorais das coligações lideradas pelo PT e PSDB. O alvo principal nos últimos dias tem sido a construção de um complexo da Aracruz em 2015. Desde a vinda do governador Aécio Neves e diretoria da Aracruz à Governador Valadares anunciando a instalação de um complexo da empresa os políticos locais estão assumindo a paternidade da obra e prometendo emprego que ainda não existe. PAI DA CRIANÇA Quando o assunto ain-

da não era oficial, deputados, vereadores, prefeito, lideranças políticas e empresariais nao mediram esforços em se unir nesta empreitada. Pediram empenho ao governador Aécio Neves a fim de se conseguir este benefício para Governador Valadares. Outro visitado pelas lideranças, o vice-presidente José de Alencar também foi convidado a trabalhar em prol da vinda da Aracruz. Portanto, a luta foi considerada de todos. Mas o governador Aécio Neves mal saiu da cidade para cada um tentar tirar proveito pessoal deste futuro benefício. ACUSAÇÃO Ao espalhar panfleto falando sobre a vinda da Aracruz a coligação que tem

como candidato Bonifácio Mourão (PSDB), na visão do juiz eleitoral Everton Villaron de Souza, está fazendo uma promessa que não pode ser cumprida dada ao longo prazo para a sua implantação. Desta maneira estaria sendo criado estado de esperança no povo através de propaganda artificial que sugere que o emprego já está à disposição de todos os valadarenses. “Não sabemos o que vai acontecer com a situação econômica que vive os Estados Unidos, não sabemos se algum ditador de plantão como o da Coréia do Norte ou do Irã vai desencadear alguma guerra nuclear, como pode o candidato oferecer tão distante promessa, gerando evidente desequilíbrio na disputa eleitoral mediante a propagan-

da artificial?”, relatou o juiz. DESRESPEITO A coligação Renovação com responsabilidade foi notificada pelo juiz Everton Villaron a cessar toda propaganda mencionado a vinda da Aracruz Celulose para Governador Valadares. Ele determinou ainda que representantes da coligação entregassem no Cartório Eleitoral todo material de propaganda relacionada a Aracruz. Ao invés de cumprir o que determina, os representantes parecem não terem dado “ouvidos” à determinação do juiz. Na manhã de sábado (dia 2) a Polícia Federal, atendendo a solicitação da Justiça surpreendeu todos que estavam no Comitê Renovação com responsabilidade. Fizeram cum-

prir a ordem do juiz, recolhendo todo o material de propaganda relacionado na solicitação, encaminhando-os para o Cartório Eleitoral. PT ENTREGA Ao contrário do PSDB, o PT, que também tinha panfletos falando sobre a Aracruz cumpriu à risca a determinação do juiz. A coligação liderada pela candidata Elisa Costa foi proibida de utilizar a empresa na campanha. Eles, apesar de denunciar os rivais também faziam o mesmo trabalho, o de enaltecer a empresa, tentando tirar proveito da situaçao. Membros da coligação levaram para o Cartório Eleitoral todo o material determinado pelo juiz, evitando assim a presença da Polícia Federal no comitê.

Zé Coelho: mudou o candidato e dividiu o grupo

P

refeito por dois mandatos, Zé Coelho no final do ano volta em definitivo para as suas atividades na zona rural, onde aliás, nunca saiu, mesmo administrando o município. Presidente do PPS, Hamilton, mantinha intenso contato com o prefeito e lembrou da sua garantia de apoiálo nessas eleições. Tudo corria bem e com o nome de Hamilton elogiado pelas mais diversas lideranças da cidade. VISITA Próximo à convenção que iria escolher o nome do candidato da situação, Zé Coelho teria viajado para Governador Valadares e se reunido com alguns políticos de seu município e um empresário do ramo de construção civil. O assunto: sucessão municipal. ESCOLHA Já no município, para a surpresa de todos, Zé Coelho decide não mais apoiar o candidato de sua preferência, Hamilton. Ele chegou com outro nome já escolhido, comerciante Cléber (PSC). Ninguém não entendeu nada o que aconteceu em Valadares para mudar de novo, mesmo sabendo que o grupo ficaria rachado, como aconteceu. ELEIÇÃO Com a decisão do prefeito, Hamilton desistiu da disputa e se uniu ao candidato da oposição, o médico Edivaldo (PSDB), que também tem o apoio de partidos como o PT. Cléber tem o apoio do prefeito e o candidato Doca (PRB) entrou na disputa. Afinal, no meio dessa divisão ele poderá sair como o azarão dessas eleições.


AGOSTO/2008

PÁGINA 4

PONTO DE VISTA

São João Evangelista

Juiz recebe Medalha “Desembargador Hélio Costa”

Sozinho no meio da multidão

Um grande público foi prestigiar a homenagem ao juiz ocorrida na Comarca de São João Evangelista

A

entrega da Medalha “Desembargador Hélio Costa”, ao juiz Renato Zouain Zupo, no dia 25 de julho, no Fórum de São João Evangelista, foi prestigiada por um grande número de personalidades do município. Ele, que exerce suas atividades na comarca de Araxá, fez história nos cinco anos de atuação nesta comarca. A solenidade foi presidida pelo juiz Enismar Kelly de Souza e Freitas. Renato Zouain não é desses magistrados que se acham superior e vivem em espécie de redoma, longe do povo. O juiz, que acaba de receber a Medalha “Desembargador Hélio Costa”, conseguiu reunir no salão do Fórum de São João Evangelista ilustres cidadãos e políticos, tanto da oposição, como da situação. Todos são unânimes em reconhecer que o magistrado consegue distinguir amizade e profissionalismo. Por isso, a sua grande popularidade em São João Evangelista. Para o atual diretor do Fórum, o juiz Enismar Kelly de Souza e Freitas, Renato Zouain marcou muito pela sua atuação na cidade. “Ele é uma pessoa carismática e querida na comarca. A Medalha Desembargador Hélio Costa homenageia pessoas que prestaram ou prestam relevantes serviços ao Poder Judiciário e o magistrado é uma dessas pessoas. É um juiz que marcou muito e as pessoas lembram com muito carinho do seu trabalho”, afirmou o diretor. Entre os comentários do reconhecimento do seu profissionalismo, o juiz de Direito em Belo Horizonte, Renato Cezar Jardim relatou que a homenagem foi merecida. “Meus sinceros cumprimentos pela merecida homenagem, uma vez pelo fato de ter sido um dos melhores juizes de Direito da História de São João Evangelista, outra, pelo indisfarçável amor que nutre pela Comarca que o agracia. Estendo meus cumprimentos à Comissão que elegeu o agraciado, à dedicada esposa Ana Paula, ao filho Théo e aos amigos de São João Evangelista, Peçanha e São José do Jacuri”, finalizou.

Jorge Luiz Santos (Jorjão)

Juiz Renato Zouain Zupo recebeu a Medalha “Desembargador Hélio Costa”, na Comarca de São João Evangelista

COMENTÁRIOS PEDRO QUEIROZ “Foi bem merecida esta homenagem ao juiz Renato. Ele é uma pessoa que ama a cidade e merece esta e outras honrarias. O juiz que é evangelistano, como o título recebido na Câmara, de Cidadão Honorário, merece a homenagem pela sua dedicação nos cinco anos que atuou na Comarca, quando fez muito pelo bem do município”.

PAULO LUCCHESI “Como presidente da Câmara eu apresentei o seu nome para a comissão por entender que o juiz merecia a honraria. Todos foram unânimes em confirmar esse nome que acabou sendo o homenageado. Os moradores ficaram muito felizes com essa escolha”.

FLORISVALDO (FLOR) “Homenagem justa de uma personalidade que fez muito pela cidade. Quando fui o presidente da Câmara já percebia o quanto o juiz Renato gostava de São João e trabalhava em prol da melhoria de vida da comunidade, através de ações do Judiciário que beneficiavam a todos”.

WALTER EVANGELISTA “O trabalho dele na cidade foi muito importante para todos nós. Ele, em momento de dificuldade da Justiça, como pressões externas, que no passado existiram, soube conduzir os trabalhos com imparcialidade e coragem, sem deixar se influenciar. Exerceu muito bem suas funções. Tanto é verdade, que hoje se vê aqui muitas pessoas das mais diversas camadas da sociedade para cumprimentá-lo”.

GOVERNADOR VALADARES

Autoridades são homenageadas na Câmara de Vereadores D

iversas personalidades foram homenageadas neste mês na Câmara de Vereadores de Governador Valadares. Os empresários Fernando Luiz Monteiro e Hipólito Mendes Monteiro receberam, no dia 1º o Título de Cidadão Honorário. A mesma honraria foi entregue ao deputado estadual José Henrique, no dia 4 de agosto. A vereadora Fátima Salgado (PSDB) foi a autora dessas homenagens. No dia 5 foi a vez do escritor Milton Mariano receber o Titulo de Cidadão, de autoria do vereador Paulinho Costa, que também homenageou o Tenente Coronel Március Túlio. Já o Colégio Ibituruna recebeu a homenagem pelos seus 70 anos de de fundação. Esta proposta foi de autoria da vereadora Dilene Dileu.

O padre Zé Luiz, recebeu a homenagem pelos 70 anos do Colégio Ibituruna

Certa vez o cantor e compositor Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: “Digam o que disserem, o mal do século é a solidão”. Amados eu assino embaixo sem dúvida alguma. Prestem atenção, os sinais estão batendo em nossa porta todos os dias. Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas e saem acompanhadas, mas ao mesmo tempo sozinhas! Porque são relacionamentos efêmeros, passageiros, quando amanhece vem á tristeza e solidão (continua só). Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional que estão sozinhos. Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, são os novíssimos “personal dance”, incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido com facilidade, alguém duvida? Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances sexuais dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que irá “apenas” dormirem abraçados, sabe essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega. (“Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção”). Tornamosnos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a “sentir”, só isso, algo tão simples que o cada dia fica tão distante de nós. Quem duvída do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos ORKUT, o número que comunidades como: “Quero um amor pra vida toda!” “Eu sou pra casar!” até a desesperançada. “Nasci pra ser sozinho!” Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis. Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo um solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa, e com ajuda do Senhor Jesus, porque sem está ajuda nunca irá dar certo. Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé (fora de moda), brega. Acorda amado! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, bobos, infantil, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, “pague mico”, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois. Quem disse que ser adulto é ser ranzinza, um ditado tibetano diz que “se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele”. Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é estar por fora, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: vamos ter bons e maus momentos, mas se eu não pedir que fique comigo tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida. Antes “idiota” feliz do que um “esperto” infeliz! Amém! Graça e paz!


AGOSTO/2008

PÁGINA 5

Cultura

Sob Medida

Espaço Cultural

Aniversário com a tradicional feijoada do ZVS

M

ais uma vez a feijoada organizada pelo colunista social José Vicente, no Restaurante Santorini, no dia 19 de julho, foi repleta das mais importantes personalidades da cidade. Em um clima agradável e familiar, a feijoada do ZVS recebeu ainda o colunista do Jornal “O Tempo” que veio de Belo Horizonte para fazer a cobertura do evento. O cantor Detinho e grupo de dança Menu do Axé foram os responsáveis pelos belos shows. Zezinho Batista atacou de discotecário, nos intervalos. O pintor Marcelino Ribeiro levou telas e tintas para pintar um belo quadro que foi sorteado entre os presentes. ZVS aproveitou para homenagear os Casais Destaque GV 2008.

Colunista ZVS com Nélia Duarte e Márcio Coelho

Hélcio Armond e Sérgio Simões

O anfitrião com o casal Edvaldo Soares (Inês)

Sem título, sem jeito, sem vida, apenas uma vaga lembrança Quando nos encontramos prostados em cima de uma cadeira de rodas, não por deficiência, mas por falta de força nas pernas, quando a voz já não sai na mesma proporção de outrora, quando a cabeça já não processa com a mesma rapidez, e voltamos ao estado de dependentes interinos de outras pessoas, descobrimos o quão era importante às singelas coisas da vida. Nestas circunstâncias finais de um ser, posso me recordar e sentir falta, do beijo de boa noite e de ser coberto antes de dormir, do chocolate quente que me era servido nas noites de frio, da comida posta ao prato para evitar minha fadiga, das correções dos Felipe Pedrosa pais, por estar descalço ou por ter dito palavrão, da porta do quarto sempre aberta e a luz do corredor acessa, só por ter medo do escuro, dos inúmeros presentes de natal, dos ovos de chocolate na páscoa, da alegria e da felicidade alheia quando eu colhia mais uma primavera. Ainda posso resgatar mais alguns fatos que cuidadosamente a mente guarda, coisas como o sabor do primeiro beijo, a primeira namorada, a primeira transa (mal sabia o que estava fazendo e como fazer), da descoberta do ser mulher, dos carinhos trocados com os amores que tive. Ô juventude que não volta, sonhos e utopias que alimentava minha cede de viver. Mas... Enfim agora estou aqui, sem nada a fazer, esperando qualquer coisa acontecer, a cabeça só ajuda a relembrar de tudo que me acalentou o coração em outros tempos. E sigo agora aflito e só. Meu verdadeiro amor, que me recolheu e cuidou de mim, num momento em que já desacreditara no amor, ela que entrelaçou suas mãos junto as minhas, que com beijos doces e serenos me aqueceu o peito, se foi antes de mim. Fico aqui a esperar com minhas vagas lembranças a ultima utopia de minha vida, a de que um dia com ela reencontrarei num lugar lindo e só nosso. Felipe Pedrosa, 20 anos. 3º período de Jornalismo na Universidade Newton Paiva Mande seu Poema, Poesia, Conto ou Crônica para ser publicado nesse espaço. Envie com sua foto para o e-mail: folharegionalgv@uol.com.br ou folharegionalgv@bol.com.br Não esqueça do endereço e telefone de contato para envio do jornal.

Nem a presença da cantora Cláudia Leite salvou o ibope da Hebe Camargo, que ficou com apenas 4 pontos de audiência. A situação da veterana apresentadora é complicada. No final do ano vence o seu contrato e a empresa pode levar vantagem em uma negociação. Ela já gritou dizendo não concordar em abaixar os seus um milhão e quinhentos mil por mês. Mas ibope que é bom nada.... BAGUNÇA Esta novela Favorita virou um samba do crioulo doido. Quem perde algum capítulo não entende mais nada no dia seguinte. Esta de Flora ser a assassina pegou todos de surpresa. TARCISO MEIRA Pela sua história na televisão brasileira o ator Tarciso Meire deveria pegar o boné e ir embora. Ele não precisa disso. Participar de uma novela como mero coadjuvante. Não tem lógica o seu papel na novela Favorita. GALVÃO Pelo amor de Deus, não dá para agüentar mais o Galvão Bueno narrando jogo ou seja o que for. Ele é chato ao extremo, irritante, intragável e fala muita bobagem. Já tem gente só vendo os jogos que ele narra. Não dá mesmo. BAND As olimpíadas estão salvando a Band no ibope. A emissora tem ficado em segundo lugar durante alguns jogos. Ela apostou e colhe os frutos pelo investimento. BOSSA NOVA 1 O Banco Itaú que organiza grandes shows para comemorar os 50 anos da Bossa Nova poderia ter pensando em shows em Belo Horizonte. Porque apenas São Paulo, Rio e Salvador para receber João Gilberto, Caetano e Roberto Carlos? (os dois com shows em Rio e São Paulo). BOSSA NOVA 2 É preciso entender que mineiro também gosta de música de qualidade e não os axés e pagodes descartáveis.

RIR, O MELHOR REMÉDIO EMPREGADO NOVO O gerente chama o empregado da área de produção, negão, forte, 1,90m de altura, 100kg, recém-admitido, e inicia o diálogo: “Qual é o seu nome?” “Eduardo” - responde o empregado. “Olhe”, explica o gerente “eu não sei em que espelunca você trabalhou antes, mas aqui nós não chamamos as pessoas pelo seu primeiro nome. Isso é muito familiar e pode levar à perda de autoridade. Eu só chamo meus funcionários pelo sobrenome: Ribeiro, Matos, Souza... Então saiba que eu sou seu gerente e quero que me chame de Mendonça. Bem, agora quero saber: qual é o seu nome completo?” O empregado responde: “Meu nome é Eduardo Paixão”. “Tá certo, Eduardo. Pode ir agora”. MILAGRE DE CAMPANHA Lula discursava para milhares de pessoas, quando de repente aparece Jesus Cristo baixando lentamente do céu. Quando chega ao lado de Lula, lhe diz algo ao ouvido. Então Lula, dirigindo-se à multidão, diz: “Atenção companheiros! O companheiro Jesus Cristo aqui quer dizer umas palavras para vocês”. Jesus pega o microfone e diz: “Povo brasileiro, este homem que tem barba como eu, não lhes deu o pão do conhecimento da mesma forma que eu fiz?” O povo responde: “Sim!” “Não é verdade que, assim como eu multipliquei os pães e peixes para dar de comer a todos, este homem inventou o Fome Zero para que todos pudessem se alimentar?” “Sim!”, respondeu o povão. “Não é verdade que assegurou tratamento médico e remédios para os pobres, assim como eu curei os enfermos?” O povo grita: “Sim!” “Não foi traído por companheiros de partido, assim como eu fui traído por Judas?” O povo então gritou ainda mais forte: “Sim!” “Então o que vocês estão esperando para crucificá-lo?”

AULA DE RELIGIÃO Na aula de religião, a freira pergunta aos meninos e meninas da turma: Qual é a parte do corpo que chega primeiro ao céu? Uma menina levanta o braço e diz: As mãos, irmã. E por quê? Porque quando rezamos, elevamos as mãos ao céu. Nisto, Joãozinho pede licença à professora e contesta: Não são as mãos não! São os pés! Os pés, Joãozinho? E por quê? - pergunta a freira. Bem, esta noite, fui ao quarto dos meus pais. A minha mãe estava com ambas as pernas levantadas, os pés no ar, e gritava: “Meu Deus, meu Deus, estou indo... Estou indo”... Ainda bem que o meu pai estava em cima dela, segurando, porque senão ela ia mesmo... A PROFESSORA INICIAAAULA Vamos fazer um teste de inteligência! Você, Fernandinho... me diz aí um bichinho de 4 pernas, que anda no telhado, dorme no fogão, faz miau, tem bigode e uma azeitona no nariz. Fernandinho: “Azeitona?! Sei não, “fessora”!! “É o gato! A azeitona, só botei pra complicar...” A professora continua: “Agora você, Chiquinho. Me diz uma coisa que a gente coloca café, leite, tem um biquinho, uma tampinha em cima e uma goiaba em baixo”. Chiquinho: “Goiaba?! Sei não, “fessora”!!” É o bule!! A goiaba, só botei pra complicar... Aí a professora fala: “Entenderam como é? Faz comigo agora, Joãzinho. Pergunta pra mim!” E o capetinha da classe: Ah, é, é?... Pode deixar que eu pergunto... Deixa comigo... Perguntou: “O que é uma coisa que é roliça, tem uma ponta vermelha, as mulheres gostam de pôr na boca e tem duas bolas em baixo?” A professora, indignada: “o que?! Tá expulso da classe, seu safado!” Aí o Joãozinho:” Nããããão, “fessora”!! É o batom! As duas bolas, só botei pra complicar”.

SIGNOS ÁRIES (21/O3 A 20/04) O trabalho começa devagar, as pessoas ainda voltando das férias e se adaptando a mudanças recentes. Recompensas maiores que o dinheiro esperam aqueles que fazem suas tarefas com prazer e sabem usar a imaginação. TOURO (21/04 A 20/05) Uma fase bastante competitiva começa no trabalho, e o ideal será evitar a qualquer custo envolver-se em confusão. Releve aquele desentendimento com o colega, não deixe o caso tomar maiores proporções. GÊMEOS (21/05 A 20/06) No trabalho o momento é de manter o barco no rumo. Você encontrou seu caminho e agora tudo gira em torno de sua responsabilidade e equilíbrio. Você fará muitos progressos. Deixe o amor invadir sua alma esta semana. CÂNCER (21/06 A 21/07) No trabalho, toda a atenção será pouca. E você estará ainda mais disperso. Mantenha-se atento. Aproveite uma boa companhia e abra seu coração. Para os solteiros, cuidado com o que fala para não interpretarem mal seus sentimentos. LEÃO (22/07 A 22/08) O que é seu virá. Mantenhase apenas atento a todo o movimento em sua volta e procure fazer uma mentalização. O pensamento tem um poder inimaginável. Procure cuidar dos espaços verdes de sua cidade. VIRGEM ( 23/08 A22/09) Você deverá evitar seu velho hábito de fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo. Toda a atenção é pouca. Procure concentração em suas atividades. Se algo não está saindo como você esperava, verifique se o problema não está no excesso de tarefas.

LIBRA (23/09 A 22/10) O ambiente profissional estará agitado, como tudo o mais que lhe cerca, mas você deve manter-se sereno. Não entre em discussões em hipótese nenhuma e seja mais solidário com a pessoa que ama.

ESCORPIÃO (23/10 A 21/11) O trabalho será um excelente veículo para você lapidar sua responsabilidade. Não deixe as tarefas incompletas, pois isso poderá ser prejudicial. Com a pessoa que ama a ordem é dar e receber muito carinho. SAGITÁRIO (22/11 A 21/12) Procure ser visto enquanto trabalha. Você servirá de exemplo de organização e capacidade de respeito. Ajude as pessoas que estiverem passando por dificuldades. No amor, tudo bem. Os solteiros encontrarão seus pares através do olhar. CAPRICÓRNIO (22/12 A 20/01) A vida profissional precisa ter limites no meio da semana. Nem só de trabalho é construída uma existência feliz. Confie no destino e deixe seu amor um pouco livre. Permita-lhe a possibilidade de optar. AQUÁRIO (21/01 A 19/02) A carreira vai bem durante todo o período. Tudo o que você precisa fazer agora é manter o leme no curso. A parte afetiva começará a ficar melhor no momento em que você perceber a necessidade de quem ama. PEIXES ( 20/02 A 20/03) Sua vida profissional precisa suprir suas necessidades financeiras. Se isto não acontece, sinal de que há algo que precisa ser mudado. Com relação à pessoa amada, cuidado. Sua desatenção pode afastar este relacionamento.


AGOSTO/2008

PÁGINA 6

Goiabal

Associação dos Moradores solicita da prefeitura melhorias no distrito E

nquanto a prefeitura joga, de novo, asfalto na avenida JK, onde o local está em perfeita condições, em outras localidades a situação é caótica, como no distrito de Goiabal. Há quinze dias a Associação dos Moradores enviou solicitação ao Semov e nem mesmo obteve resposta. O presidente da Associação Ernane José da Silva fez outro pedido no dia 13 de agosto. A Associação não solicitou da prefeitura nenhuma obra de embelezamento do distrito e sim o de evitar problemas dos moradores dos córregos. Segundo Ernane, é necessário, com urgência, o

patrolamento de vias de acesso aos córregos Panelão, Reis, Boa Vista, Santa Luzia, Verdianos, Andrades, Rosas e Apaga Luz. Educador, Ernane sabe das dificuldades que os alunos sofrem quando chega o período de chuvas e não há cuidados com essas vias. Alunos desses córregos estudam na Escola Municipal Antônio de Castro Pinto e podem ficar prejudicados. ATENÇÃO No final de julho o presidente da Associação dos Moradores relatou a situação de Goiabal na vice-presidência da Câmara de Vereado-

res, obtendo todo o apoio para o encaminhamento do requerimento ao Secretário do Semov Aloísio Germano. Passados quinze dias o órgão não respondeu à solicitação da Associação. Enquanto acontece abandono como esses, na cidade os moradores acompanham realização de obras até mesmo onde não precisa como na avenida JK. Para o presidente da Associação dos Moradores a situação de Goiabal fica complica para o transporte de Kombi nos córregos e que os estudantes precisam desse apoio, ou seja, a realização do patrolamento.

Arnaldo Nunes Paiva foi preso por desacato

P

Ernane solicita patrolamento para melhorar as vias de acesso dos córregos

ITUÊTA

Conselhos receberão capacitação em Orçamento Público M

embros dos conselhos de direitos, organizações não-governamentais, associações comunitárias, Ministério Público e do ensino superior estarão presentes no 16º curso do projeto Novas Alianças, a ser realizado entre os dias 18 e 22 de agosto, em Itueta, região do Rio Doce. A formação em Orçamento Público, Legislativo e Comunicação tem como objetivo capacitar os participantes para a compreensão do ciclo orçamentário e discutir estratégias para que a sociedade civil interfira nesse processo. Esperamos reunir diferentes pessoas e a partir do curso formar uma rede de trabalho engajada em ações direcionadas para a incidência no orçamento público”, explica a assistente social e presidente do CMAS, Francielle Fabri, do município de Itueta. Envolvida na mobilização

de participantes, ela ressalta a necessidade dos conselhos de direitos conhecerem o ciclo orçamentário, os momentos adequados de atuação e como fazer para sustentar propostas na lei e garantir recursos. A formação presencial tem duração de 40 horas, distribuídas ao longo de cinco dias. Após o curso, a coordenação do projeto oferece suporte aos participantes para que exerçam as atividades de controle social e incidência política em seus municípios. Além disso, alguns representantes passam a fazer parte de um grupo referência do projeto que se reúne periodicamente em Belo Horizonte para avaliar a iniciativa, aprofundar alguns temas e debater estratégias de fortalecimento do processo de controle social em Minas Gerais. “Uma das bandeiras centrais que buscamos incentivar é a implementação de

Ituêta: receberá conselhos de várias cidades da região

políticas públicas consistentes que efetivamente enfrentem os problemas sociais que afetam cada região. Isso depende diretamente do aporte de recursos públicos, da existência de um marco legal atualizado

Motorista é preso durante operação

e da mobilização mais ampla da sociedade”, afirma o coordenador do Novas Alianças, Adriano Guerra. Em 2008, o projeto já passou por oito regiões mineiras, completando 15 cursos.

Para o segundo semestre ainda estão previstos o curso na cidade de Nova Lima e uma formação para promotores, magistrados e defensores públicos de Minas Gerais e do Maranhão.

olícia Militar visando coibir o transporte clandestino de cidades da região, esta realizando operações em locais estratégicos para que estes motoristas sejam cadastrados e punidos. Este é um problema antigo na região. Coordenada pelo Capitão Wagner, a operação não deu trégua, apreendendo veículos e deteve motoristas que insistiam em desacatar os policiais que trabalhavam no local. Capitão Wagner informou que a operação está prevista para acontecer durante todo o mês de agosto nos mais diversos pontos da cidade. Cidades como Frei Inocêncio, Mathias Lobato, Jampruca, Mantena e outras são as mais visadas pelos motoristas clandestinos. Eles, que já têm os pontos fixos no município de Valadares conseguem passageiros que pagam o mesmo valor ou menos os cobrados pelos ônibus. Este tipo de transporte revolta donos de empresas que são obrigados a pagar os mais diversos tipos de impostos, funcionários e seguros. No transporte clandestino, caso aconteça algum acidente, o dono do veículo não assume a responsabilidade para com o acidentado. DETENÇÃO Policiais, na parte da manhã, apreenderam dois veículos que levavam passageiros da região. Os motoristas foram liberados. Mas, na parte da tarde o tempo esquentou com o motorista Arnaldo Nunes Paiva. Ele, que levava três passageiros, foi abordado em frente à empresa Gontijo na Sete de Setembro, onde acontecia a operação. Solicitando para deixar os passageiros conversando com policiais, o motorista, nervoso, se recusou a sair do local. Mesmo com toda a diplomacia do Capitão Wagner o motorista começou a alterar cada vez mais a voz, afirmando que ele não tinha autorização para realizar aquele tipo de abordagem e o seu medo era os policiais pressionarem os passageiros do carro. Com o clima pesado foi dada voz de prisão á Arnaldo Nunes e encaminhado para a Delegacia Regional.


AGOSTO/2008

PÁGINA 7

São João Evangelista

Entrevista com prefeito Pedro Queiroz “Pretendo trabalhar para o meu candidato porque em time que está ganhando não se mexe”

N

otabilizado em toda região pelo trabalho promissor realizado em São João Evangelista, o prefeito Pedro Queiroz Braga (PSDB) deixa o cargo depois de 8 anos à frente da administração. O prefeito não pretende ficar de braços cruzados na atual campanha para o seu cargo e afirma que tem a pretensão de ajudar para a eleição do seu candidato, o Tonhão. Ele disputa contra os candidatos Hércules (PT) e Vera(PDT). O Folha Regional realizou a seguinte entrevista com o prefeito de São João Evangelista: Folha Regional: Nesses últimos seis meses de trabalho ainda a tempo de se fazer alguma obra para o município? Pedro Queiroz: Perfeitamente. Trabalhamos com uma reserva de capital e a utilizamos para realização de obras. Desde o início do nosso mandato estamos realizando obras e investimentos. Na cidade podem-se ver grandes e importantes realizações. Não esquecemos dos distritos e da melhoria nas condições de vida do povo, através dessas ações. Neste período restante temos o asfaltamento, o coreto, o portal, calçamento de ruas em bairros e distritos, construção de quadras. Folha Regional: Desde o início da administração nota-se uma boa vontade do governo Aécio Neves para com o município. O que fez para conquistar

toda esta confiança. Pedro Queiroz: Trabalho com responsabilidade e seriedade. Esses objetivos fazem parte de todos os prefeitos sérios. Na inauguração do Pronto Atendimento tivemos aqui, por exemplo, a presença de importantes secretários como Danilo de Castro. Você percebe que o governo tem realizado parcerias com a nossa administração. Temos a ampliação e reforma do hospital, construção do Pronto Atendimento, compras de equipamentos para o hospital, asfaltamento das principais ruas do centro, investimento no abastecimento de água, construção da estação de tratamento, usina de reciclagem de lixo e muito mais. Acredito que nesses dois mandatos tivemos mais de 2 milhões de investimentos na cidade por parte do governo estadual. Folha Regional: Os moradores têm comentado sobre a satisfação do seu governo. O senhor já tomou conhecimento disso? Pedro Queiroz: Sim e graças a Deus sabemos que tudo isso está acontecendo pela confiança depositada em nosso trabalho. Desde o início do primeiro mandato, ao assumirmos o Governo, mostramos que o povo seria prioridade e isto na prática tem acontecido. Os moradores sabem disso e continuam confiando em nosso governo. Pretendo até o último dia do ano trabalhar com o mesmo ânimo e força de vontade para fazer o melhor pela cidade. Folha Regional: Na

sua opinião qual foi a principal mudança o corrida em São João nesses dois mandatos e qual comparação faz do seu mandato para os outros? Pedro Queiroz: É importante dizer que não comparo administração atual com outras anteriores. Respeito muito meus antecessores. Cada um teve a sua dificuldade e suas virtudes à frente da administração. Assumi a prefeitura com o objetivo de trabalhar para beneficiar toda coletividade. Realizar pagamentos em dias, seja para funcionários e fornecedores. Graças a Deus estamos chegando ao final com a missão cumprida. Quando se contrata profissionais da saúde, como médicos, enfermeiros, pensamos no bem de todos. Hoje a saúde, com reforma e ampliação do Hospital, construção do Pronto Socorro, postos de saúde é uma realidade que só melhora este conceito em nosso município. Folha Regional: É difícil administrar um município como São João Evangelista? Pedro Queiroz: Para dar certo é preciso dedicação exclusiva. Eu sou batalhador, guerreiro, que sempre corro atrás de recursos. Eu, nesse período que estou à frente da prefeitura, praticamente abandonei minha profissão na área médica e como produtor rural. A dedicação exclusiva, o amor, a vontade de trabalhar por São João Evangelista foram importantes para que, ao chegar ao final, poder dizer que sai de cabeça erguida e cumpri mi-

Pedro Queiroz sai da prefeitura com o sentimento do dever cumprido

nha função com responsabilidade e compromisso. Folha Regional: Desde que assumiu a prefeitura seus candidatos a deputados foram majoritários. Considera-se um político pé quente ou acredita que ao votar em seus candidatos o povo esta reconhecendo a seriedade do seu governo? Pedro Queiroz: Acredito que seja pela seriedade. Aqui reside um povo muito grato e presencia nosso trabalho. Foram eleições para deputado, senador, governador e presidente e conseguimos fazer os majoritários. Acredito que a população tem a convicção de que ao pedir voto para determinado candidato estamos visando o melhor para a cidade. Os deputados majoritários estão contribuindo para o município conse-

guir verba do governo a fim de investir em obras. Este é o nosso propósito, apoiar quem pode fazer o melhor para a comunidade. Folha Regional: Acredita que seu candidato possa fazer um bom trabalho caso vença as eleições? Pedro Queiroz: Eu acredito que o trabalho dele seja até melhor do que o meu, pois ele vai dar continuidade ao bom trabalho que a administração vem executando, melhorando os setores que necessitam. Não haverá mudanças, porque elas poderão ser prejudiciais como aconteceram em várias cidades da região. Não podemos retroceder no processo de melhorias para o município. Folha Regional: O senhor vai participar da campanha?

Pedro Queiroz: Sem dúvidas que vou. Fiz um compromisso de trabalhar em prol do município e gostaria de ver a continuidade do trabalho em prol do progresso. O Tonhão tem condições de realizar um bom governo e terá apoio de deputados de nosso grupo para conseguir investimentos para a cidade. O voto depende de cada eleitor, mas os moradores sabem que eu sempre procurei o melhor para a cidade. E a minha expectativa é que no encerramento deste mandato o povo, mais uma vez, se achar que nosso candidato Tonhão dará continuidade à administração, com certeza votará na sua chapa, principalmente porque em time que está ganhando não se mexe. E nós queremos o melhor para a cidade.

SABINÓPOLIS

Festa de Nossa Senhora do Rosário atrai uma grande multidão para as ruas da cidade Momento religioso se mistura com a apresentação de danças folclóricas: sucesso na cidade

Centenas de pessoas participaram da Festa em Homenagem à Nossa Senhora do Rosário

D

esde 1943 quando foi fundada, a Festa de Nossa Senhora do Rosário é comemorada nas ruas de Sabinópolis. Este

evento religioso que faz parte da história do município e atrai visitantes de várias cidades da região. Neste período os filhos da cidade que se mudaram ou estudam em

outros centros não deixam de retornar ao município para participar deste momento tão sublime, não deixando de trazer amigos. Estes por sua vez, quando

participam desta Festa não deixa de retornar no ano seguinte. As ruas da cidade ficam completamente lotadas. O momento religioso se completa com

a presença de grupos folclóricos, que, ao som de tambores e ritmos alegres mantendo cada vez mais forte a tradição da Festa do Rosário. Os festeiros de hoje

aprenderam, com os pioneiros Lermino Caldeira e Maria Roque Abreu a se doar para a festa ser bem organizada, em uma confraternização familiar.


AGOSTO/2008

PÁGINA 8

São João Evangelista

Projeto de Lei de Criação dos Institutos Federais

Prof. Kléber junto ao Presidente da República e outras autoridades na cerimônia de encaminhamento do Projeto de Lei

Autoridades presentes no evento de criação dos Institutos (IFETs) realizado no Palácio do Planalto

E

m cerimônia realizada no dia 16/07/08, que contou com a presença do Prof. Kleber (Diretor-Geral da Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista-MG) e de outros Diretores-Gerais das Escolas Agrotécnicas, dos CEFETs e de autoridades como o Sr. Ministro da Educação (Fernando Haddad), o Presidente da Câmara dos Deputados (Arlindo Chinaglia), o Presidente do Senado Federal (Senador Garibaldi Alves), a Sra. Ministra Chefe da Casa Civil (Dilma Roussef), o Sr. Ministro do Planejamento (Paulo Bernardo) entre outros, o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou a Lei que cria o piso nacional do magistério de R$ 950. Logo a seguir, em uma cerimônia que contou com a presença apenas dos DiretoresGerais das Agrotécnicas e dos CEFETs, do Sr. Ministro da Educação e do Sr. Ministro da Previdência, além dele próprio, o Presidente Lula assinou no dia 16/07/08 o projeto de lei que cria 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia (IFET’s) no país. Os Institutos estarão presentes em todos os estados, oferecendo ensino médio integrado ao profissional, cursos superiores de tecnologia, bacharelado em engenharias e licenciaturas. A matéria seguiu para aprovação no Congresso Nacional, que deverá analisá-la no segundo semestre/2008. Na proposta encaminhada pelo Presidente Lula ao Congresso, a Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista irá fazer parte do Instituto Federal de Minas Gerais, com a sede da Reitoria em Belo Horizonte-MG. “Após a aprovação no Congresso Nacional e a Sanção Presidencial que o Presidente da República deseja que aconteçam até o final deste ano, algumas ações deverão ser imediatamente realizadas para a implementação dos Institutos, como: nomeação dos Reitores, Vice-Reitores e Pró-Reitores de cada Instituto; Autorização de realização de Concursos Públicos para professores e servidores administrativos e o início da Construção da Reitoria, em Belo Horizonte”, afirmou o Prof. Kleber, que se mostrou bastante esperançoso com esta nova política governamental.

São as seguintes as Instituições que farão parte deste Instituto 1)Campus São João Evangelista-MG (EAFSJE-MG) 2)Campus Ouro Preto (CEFET Ouro Preto-MG) 3)Campus Congonhas (UNED de Ouro Preto) 4)Campus Bambuí (CEFET Bambuí) 5) Campus Formiga (UNED Bambuí) 6)Campus Governador Valadares (Cidade Pólo – Expansão fase II) 7)Campus Contagem (Cidade Pólo – Expansão fase II) 8)Campus Curvelo (Cidade Pólo – Expansão fase II)

VIRGINÓPOLIS

Ex-prefeita Cida Ribeiro retorna á política e disputa eleição local P

refeita de Virginópolis por dois mandatos, Cida Ribeiro foi a primeira mulher a assumir o cargo mais importante da administração pública do município na sua história. Nos oitos anos de atuação à frente da Prefeitura, Cida representou Virginópolis em importantes entidades da região e estado, como a Ambas, Cis/ Cen, AMM e SEMAM. Candidata pelo PSDB, a ex-prefeita conseguiu adesão de importantes lideranças comunitárias, empresariais para sua campanha. Abaixo entrevista de Cida concedida ao Folha Regional. Folha Regional: Porque aceitou disputar a campanha este ano? Cida Ribeiro: Fui convidada e mais uma vez estamos atendendo ao apelo da comunidade para poder contribuir com a vida pública de Virginópolis. Acreditamos no trabalho que fizemos, na nossa história de vida de serviços prestados. Temos, com certeza, o apoio de grande parte das lideranças e da população do nosso município. Folha Regional: O seu vice terá condições de agregar forças nesta campanha? Cida Ribeiro: Temos um vice de excelente qualidade, um grande líder comunitário, que é o José Ângelo Coelho Campos, vereador no seu quinto mandato. Todos o conhecem e sabem o quanto ele se dedica as causas da comunidade. Todos conhecem José Ângelo na diretoria da Cooperativa, na diretoria do Hospital São José, à frente do esporte, no Parque de Exposição, no Clube do Cavalo, e constantemente ajudando os mais carentes e necessitados. Todos conhecem o trabalho de filantropia da família Campos, pelos filhos do senhor Chiquinho Campos e dona Helena. José Ângelo é um vice extraordinário. Ele não faz política em época de política, ele vive a política dos serviços prestados à comunidade. Estou muito honrada em tê-lo como meu companheiro de chapa. Folha Regional: Seus dois mandatos como prefeita a credencia para disputar mais uma eleição aqui na cidade? Cida Ribeiro: Sim, pela

nossa história de vida e pela administração desenvolvida, acredito que fizemos o nosso trabalho e estamos de cabeça erguida e que podemos enfrentar esta campanha com coragem, retidão, caráter, honradez e dignidade. O nosso lema é trabalho, dignidade e esperança e acreditamos que essa é a nossa história de vida neste município. Folha Regional: Sobre os oito anos de mandato, o que considera mais importante? Cida Ribeiro: Consideramos, em primeiro lugar, que tivemos uma representatividade e uma liderança na região e no estado. Esta liderança abriu as portas para que pudéssemos reivindicar projetos e recursos para Virginópolis. Presidimos a Federação Mineira dos Municípios, fomos vice-presidente da Associação Mineira dos Municípios, fomos, por vários mandatos, presidente da AMBAS e do Cis/Cen. Coloco também como outro aspecto positivo o nosso trabalho com visão de futuro, principalmente o programa de geração de renda no setor rural. Temos aí frutos deste empenho como a feira livre e as lavouras comunitárias. Citamos também as medidas de proteção ao comércio local com uma legislação rigorosa para conter os ambulantes. Na área ambiental implantamos as APA´s, área de preservação ambiental, fizemos a usina de reciclagem de lixo e construímos a Estação de Tratamento de Esgoto. Tudo isso gerou o aumento da receita. Trabalhamos a educação com a expansão da rede de ensino. Só para lembrarmos não tínhamos nenhuma escola municipal na sede urbana da cidade. Hoje temos duas grandes escolas uma na Vila Santo Agostinho e outra na área do Camping. Construímos escolas também no povoado da Boa Vista e no Córrego dos Macacos. Isso levou a um aumento significativo da receita na educação, no mandato seguinte. Folha Regional: O município ganha com esses investimentos na questão do retorno financeiro? Cida Ribeiro: Quando trabalhamos com as áreas ambien-

tais e educação permitimos um aumento muito significativo da receita que não chegou para nós e sim no mandato seguinte. Quando puderem acessem a internet e comparem o ICMS da atual administração com a anterior e veja a diferença. Se a Estação de Tratamento de Esgoto tivesse sido colocada em funcionamento o município teria recolhido nesses últimos quatro anos de mandato da atual administração 1 milhão de reais em arrecadação de ICMS. Na educação recebíamos os recursos do Fundef na faixa de 38 mil reais mensais até menos às vezes, não cobrindo sequer a folha de pagamento do professorado. Com o aumento do atendimento da rede escolar, os recursos ultrapassaram a casa dos 100 mil/mês. Sempre trabalhamos com responsabilidade e transparência. Os moradores acompanharam e puderam comprovar, que com poucos recursos conseguimos fazer muitas obras e investimentos, valorização dos funcionários e aumento do patrimônio do município. Folha Regional: Houve valorização dos professores no seu governo? Cida Ribeiro: Houve uma significativa valorização da educação em todos os aspectos, tanto na infra-estrutura, como na valorização dos profissionais da rede escolar. Trabalhamos e concedemos os maiores índices de aumento da educação na região, e além disso proporcionamos a capacitação para todos os professores que puderam concluir o curso superior. Folha Regional: Qual foi a maior dificuldade durante o seu governo? Cida Ribeiro: A maior dificuldade do nosso governo, nos oito anos do nosso mandato foi a baixa arrecadação. Nós tínhamos, além do problema da arrecadação baixa, o excesso de projetos que não podíamos deixar de implantar por ser importantes para a comunidade. Quem trabalhou conosco no almoxarifado, nas obras, sabem que deixamos mais de quarenta projetos concluídos e todos com contrapartida do município. Quando fizemos um trecho de asfalto

no povoado da Boa Vista e aqui na cidade, ganhamos do governo apenas a lama asfáltica do DER. Tivemos que utilizar recursos da prefeitura para todo o trabalho com mão de obra, empresa de engenharia, e equipamentos. Todos estes projetos exigem contrapartida financeira, aquisição de terreno, entre outros, gerando aumento de despesas. Folha Regional: Quais são as suas prioridades para um novo governo? Cida Ribeiro: Em linhas gerais, todos sabemos que saúde é emergência, saúde é prioridade e não pode ser adiado, saúde tem que ser resolvido emergencialmente. Educação é formação contínua, conscientização e cidadania com visão de futuro. É preciso também que nós priorizemos a total transparência da gestão dos recursos. Todas as áreas têm que ter conselhos de gestão atuantes que realmente acompanhem a aplicação dos recursos para vistoriar e fiscalizar. Coloco ainda como prioridade a conclusão do trabalho da Estação de Tratamento de Esgoto aqui na cidade e na Boa Vista. Na época deixamos um recurso de 300 mil reais no BDMG do fundo de reserva da Companhia Vale do Rio Doce para esta conclusão, valor este publicado no Diário Oficial e liberado mas que não chegou à sua finalidade. Vamos aplicar todos os recursos dos impostos pagos pelo Instituto de Educação Superior de Virginópolis o Iseed, na concessão de bolsas de estudos para os nossos jovens de Virginópolis ingressarem na faculdade. Queremos colocar transporte escolar para o ensino superior, ampliar os programas de geração de renda, de ocupação de mão de obra para mulheres, jovens e produtores rurais. Medidas de apoio ao comércio e ao setor rural. Outra grande prioridade nossa é a necessidade de se investir na melhoria de habitações e na construção de moradias populares para atender as famílias de baixa renda. É preciso haver um plano de trabalho voltado para a construção de moradias populares. Folha Regional: Como você

Cida Ribeiro aceitou o convite para disputar a eleição e recebe adesão de apoio na cidade e distritos avalia o trabalho da sua campanha eleitoral? Cida Ribeiro: O trabalho da nossa campanha eu avalio da melhor qualidade. Agradeço de maneira especial a todos que tem nos procurado, que nos oferecem o seu apoio, que nos abraçam e que abraçam a nossa candidatura. Estou recebendo todos os dias apoio das famílias dos cidadãos de Virginópolis. Estamos sendo convidados para reuniões com associações de moradores, conselhos comunitários, CDL, Cooperativa dos Produtores Rurais, associação dos apicultores, mulheres feirantes estudantes da faculdade e do ensino médio. Nesses convites levamos nossas propostas e esclarecemos dúvidas. Infelizmente existem políticos que ainda se utilizam de métodos já ultrapassados, atacando o adversário. Neste momento eleitoral quando atacam, criticam e depõem quanto a moral e a honra das pessoas fazem isso por conveniência própria na esperança de ganhar as eleições, destruindo o nome do candidato mais forte. Eles não atacam o mais fraco, atacam o mais forte. Estamos à disposição da comunidade para todo e qualquer esclarecimento, qualquer dúvida que tenham a respeito do meu

trabalho e da nossa vida aqui nesses trinta anos de Virginópolis. Nessas visitas lembro do nosso plano de governo. Aliás, considero que o plano de governo deve ser como a nossa Bíblia. O plano de governo, para nós, é um termo de compromisso dos candidatos Cida e José Ângelo com Virginópolis. Folha Regional: A senhora se considera então preparada para mais um mandato? Cida Ribeiro: Sim, estou preparada e com muita honra pretendemos administrar Virginópólis mais uma vez, porque eu não tenho nada a temer. Posso andar de cabeça erguida, olhar nos olhos das pessoas. Tenho plena consciência dos meus deveres e do nosso trabalho na vida pública de Virginópolis, procuramos sempre cumprir a nossa missão política com honestidade e responsabilidade. Aplicamos os recursos corretamente. Jamais cometemos o erro de desvio de recursos, jamais poderíamos caminhar em meio à população com este constrangimento. Andamos de cabeça erguida porque procuramos fazer um trabalho correto, um trabalho honesto, digno, que as nossas famílias de Virginópolis tanto merecem e necessitam.


AGOSTO/2008

PÁGINA 9

Governador Valadares

Prefeito Augusto Barbosa tenta criar alarde com decisão da Justiça

ELEIÇÃO NO SINDICATO

Membro da chapa 3 critica No cargo ou fora dele, Augusto e Mourão poderão, depois de atitude de apenas 60 dias, falar da Aracruz durante o tempo que quiser Clédio

E

m época de eleição vale tudo para conquistar o eleitorado. A onda da vez é a Aracruz. Como o juiz eleitoral, da 318ª Zona Eleitoral, Everton Villaron de Souza resolveu por ordem na balbúrdia que virou a Aracruz e as promessas de empregos, que não existem, em época de eleições, o prefeito Augusto Barbosa resolveu dar uma “mãozinha” para o seu aliado Bonifácio Mourão, proibido de fazer propagada sobre o tema. O prefeito convocou a imprensa com a justificativa de que daria uma coletiva para falar sobre a industrialização de Valadares. Mas, na verdade, ele queria mesmo era falar da Aracruz e criticar a decisão do juiz de proibir o candidato do seu grupo político

de fazer política em cima do assunto. Criando alarde, Barbosa externou sua preocupação com o fato, com receio, inclusive de que esses sessentas dias sem falar no assunto podem esfriar os negócios entre a Aracruz e o município como se a direção da empresa estivesse acompanhando processo eleitoral da cidade, onde esta instalação só ocorrerá daqui a 7 anos. DECISÃO Com a coletiva, o prefeito tentou reanimar a campanha de Bonifácio Mourão, que enfrenta grande índice de rejeição, segundo pesquisa divulgada. A vinda do governador Aécio Neves para oficializar a implantação da Aracruz no município animou os tucanos, que, dias após

este anúncio, distribuíam na cidade panfletos sobre o assunto. O PT, que também utilizava o tema em seus panfletos, solicitou que a Justiça proibisse a coligação liderada pelo candidato Mourão de distribuir este material. O juiz Éverton aceitou os argumentos petistas e determinou, depois que a Polícia Federal fosse ao comitê desta coligação e recolhessem os panfletos. Isto aconteceu porque os representantes da coligação não cumpriram a ordem de entregá-lo no cartório. O PT também foi acionado na Justiça pela coligação de Mourão, pois utilizava o mesmo tema em seus panfletos. O juiz, mostrandose imparcial, determinou que a coligação liderada pela

Q

Augusto Barbosa prefeito em exercício de Governador Valadares

candidata Elisa Costa entregasse todo o material, o que foi feito. Mas o prefeito Augusto Barbosa não gostou da decisão e convocou uma coletiva para relatar sua indignação.

Ele só esqueceu que a decisão vale apenas para os próximos 60 dias. Depois poderá no cargo, ou fora dele, ficar 7 anos falando sobre a Aracruz em todos os cantos de Governador Valadares.

ELEIÇÃO NO SINDICATO

Tumulto e desconfiaça na eleição do Sinsem Chapa 3 pede impugnação da eleição depois de constatar irregularidades no pleito

A

eleição ocorrida no último dia 8, no Sinsem, que levou a vitória a chapa 1, cujos membros estão no poder a 20 anos, revoltou membros das duas chapas concorrentes, depois de constatadas várias irregularidades. A diretoria da chapa 3 entrou com um pedido de anulação da eleição. Eles tinham cinco dias para contestar o resultado. Caso a Comissão eleitoral detectasse irregularidades, anulando o pleito, uma nova eleição é marcada para ocorrer dentro de trinta dias. No final da apuração a chapa 1 obteve 583 votos; chapa 2 , 352 votos; Chapa 3 com 303 votos e 17 votos brancos e nulos, totalizando 1255 votos. A Chapa 1 é encabeçada pelo servidor administrativo da educação José Carlos Maia. TUMULTO A eleição, organizada pelo próprio Sindicato foi questionada, incluvise com a falta de transparência junto à imprensa, impedida de acompanhar a contagem de votos. Antes de terminar a contagem dos votos, o membro da chapa 1, José Antônio, foi protagonista do pior momento deste pleito, ao provocar com acusações, não confirmadas, de que outras chapas eram formadas por servidores ligados à administração, xingando-os de “pelegos” o que gerou bate-boca e tentativa de agressões. CONTESTAÇÃO O candidato a presidente da chapa 3, Juvenal Araújo Júnior, em entrevista ao Folha

Confusão no final da apuração dos votos na sede do Sindicato dos Servidores. Se os organizadoes nao tivessem se isolados fatos como esse acima nao tinha ocorrido

Regional, afirmou que o processo não foi transparente e que a decisão de impugnar a eleição aconteceu depois de se conseguir provas suficientes de irregularidades. O Artigo 81 diz que é eleitor todo sindicalizado que tenha no mínimo 6 meses ininterruptos de inscrição no quadro social do sindicato até a data da convocação das eleições, enquanto o artigo 110 relata que a lista oficial de eleitores deverá ser entregue a todas as chapas concorren-

tes, sob recibo, até 15 dias antes do pleito, sob pena de nulidade das eleições. Segundo Juvenal esta lista foi entregue um dia antes do início das eleições e não foi repassado nenhum recibo. “Temos também provas que funcionários não contribuintes que constam na lista de votantes e mais ainda votou nas eleições. Quantos votos foram conseguidos ilicitamente desta forma?” Juvenal ainda reintera: “Mesmo depois de muita insistência não foi re-

passado para nós os endereços de todos os sindicalizados, mas a Chapa 1 teve acesso a isto e no estatuto prevê condições de igualdade entre as chapas. É muito difícil concorrer com uma Chapa que concorre e ao mesmo tempo organiza as eleições isto deixa margem para que ela se beneficie disso. Para que haja igualdade seria preciso que o processo fosse terceirizado. É uma questão de segurança.” JUSTIÇA A expectativa de Juvenal

é que Comissão eleitoral anule a eleição. “Conseguimos as provas suficientes e confiamos na Comissão eleitoral. Não podemos manchar a história do Sindicato dos Servidores com métodos ilegais e imorais. Vamos fazer uma campanha onde todas as chapas precisam de igualdade e que cumpra a lei, não realizando nenhum tipo de manipulação. Não concordamos com este método e não vamos aceitar sermos prejudicados por quem não respeita a lei”.

Clédio Matos: “Quem manda no Sindicato é a educação” A

chapa 3 foi a vencedora entre os servidores da Saúde. Ao tomar conhecimento deste resultado, o diretor Clédio Matos não deixou por menos ao gritar no meio da rua a importância dos servidores da Educação. “Quem manda no Sindicato é a educação”, gritava Matos, enquanto pulava de alegria junto com os seus corregionários. A falta de respeito para com os membros da Saúde foi comprovada por várias pessoas que estavam em frente ao Sindicato. Mas o interessante é que o próprio Clédio acompanhou membros da chapa 1 foram dentro do Hospital Municipal pedir votos para os profissionais da Saúde. Ele, ao conseguir votos no setor, não foi nem um pouco grato com esta categoria, que na sua maioria, optou por votar nos membros da chapa 3.

uando Clédio Matos gritou no meio da rua que quem manda no Sindicato é a educação, por considerar que a maioria dos votos na sua chapa pertence a esta categoria, o membro da chapa 3,Waldecir Moraes e outros que se encontravam na rua presenciaram o episódio. CRÍTICA Candidato a tesoureiro da Chapa 3, Waldecir lamenta a atitude do sindicalista. “Foi um descaso com funcionários das outras secretarias, afinal o Sindicato é dos servidores públicos municipais e Clédio nunca poderia ter gritado e feito chacota daquela forma humilhando os integrantes da Chapa 3 e Chapa 2. Muitos deles eram funcionários de outras secretarias e ficamos totalmente estarrecidos com a sua atitude”, protestou Waldecir. “Ele deveria se dar o respeito pois ele faz parte da diretoria executiva do Sindicato e deveria lutar por todos os servidores não só os da Educação. Fiquei muito decepcionado com a atitude de todos os integrantes da Chapa 1, pois a maioria deles são integrantes da diretoria do Sindicato e nenhum deles teve a coragem de recriminar Clédio para que parasse com aquela palhaçada”. RESPEITO Waldecir afirma que é funcionário público municipal há 18 anos e que seria incapaz de zombar dos colegas de serviço por causa da vitória perante as urnas. “A vitória deve ser comemorada mas com respeito aos colegas concorrentes, afinal somos todos funcionários públicos”.


AGOSTO/2008

PÁGINA 10

Coroaci

DIVINOLÂNDIA DE MINAS

Entrevista com o prefeito Waltinho

José Lemos desiste da política

“Temos que continuar as ações já desenvolvidas no primeiro mandato, onde fizemos de Coroaci um canteiro de obras”

C

andidato à reeleição pela prefeitura de Coroaci, Walter de Almeida, o Waltinho tem visitado as comunidades da cidade e distritos. Questionado se este trabalho é cansativo, ele discordou, lembrando que já faz isso desde que assumiu o comando a prefeitura. O fato de residir na cidade e conviver de perto com os problemas das famílias de Coroaci é importante para, na sua avaliação, priorizar as reivindicações dos moradores nas melhorias das condições de vida no município. Abaixo a entrevista com o candidato Waltinho. Folha Regional: Como está sua campanha para a reeleição aqui em Coroaci? Waltinho: Estamos trabalhando, colocamos o nosso nome à disposição dos eleitores de Coroaci porque entendemos que nestes primeiros quatro anos de mandato fizemos muito pelo município. Temos a esperança e o sonho de podermos fazer muito mais em um segundo mandato. Folha Regional: Qual os destaques no plano de governo para o próximo mandato? Waltinho: Temos que continuar as ações já desenvolvidas no primeiro mandato, onde fizemos de Coroaci um canteiro de obras. Fizemos um trabalho muito bom na área de saúde, educação e principalmente na área de assistência soci-

al. Queremos continuar implantando esta estrutura, principalmente através do turismo. Folha Regional: Você acha que o asfalto, já chegando em Tronqueiras, vai contribuir para o desenvolvimento em setores como o turismo? Waltinho: Com certeza, o asfaltamento na estrada que liga Coroaci à Br 259 é um grande avanço para o desenvolvimento. Isto mostra que Coroaci está olhando para frente e buscando, através do lazer e cultura, se inserir cada vez mais entre aqueles importantes no turismo. Nossas festas realizadas recebem visitantes de várias cidades do interior de Minas. Com o asfalto, quase concluído, a expectativa é de aumentar ainda mais esta presença. Folha Regional: Questão habitacional é um desafio para a próxima administração? Waltinho: É um desafio no Brasil inteiro. No nosso primeiro mandato não tivemos a oportunidade de realizar o sonho de construir as casas populares para as famílias carentes do município. Este projeto já está no plano de governo para nosso segundo mandato. Vamos trabalhar para que as casas populares sejam construídas, beneficiando as famílias carentes do município. Folha Regional: É mais complicado um prefeito morar dentro ou fora de

Coroaci? Você pretende continuar morando na cidade ou se mudar para outro município, vindo aqui apenas nos finais de semana, de vez em quando? Waltinho: Eu me orgulho de morar em Coroaci e se Deus quiser quero continuar morando e criar minha família em Coroaci. Amo Coroaci, respeito às pessoas de Coroaci, assim como respeito todos aqueles que, por uma aventura ou dever cívico da democracia, são opositores à nossa corrente política, mas respeitando também aqueles que nos ajudam e são responsáveis pela nossa vida política e a qual nos dedicamos a eles. Morando na cidade tenho condições de conviver com as famílias locais, estar à disposição, buscar lutar para melhorar as condições de vida dos moradores através de ações como obras de infra-estrutura, construções de postos de saúde, quadras poliesportivas, melhoria nas escolas, estradas e muito mais. Morando fora é complicado conhecer e ter garra suficiente para lutar por esses benefícios. Nasci no distrito de Conceição de Tronqueiras e vim para Coroaci aos 17 anos, e estou aqui colocando o meu nome e pretendo trabalhar 24 horas como sempre trabalhei em prol, principalmente das famílias mais necessitadas de Coroaci. Folha Regional: Qual a avaliação que você faz do

José Lemos

Waltinho pretende dar continuidade aos trabalhos desenvolvidos para que Coroaci possa continuar se desenvolvendo

seu candidato à vice? Waltinho: O nosso candidato à vice, Zé Rinaldo foi escolhido pelo nosso grupo, que assim como eu, entendeu que ele é uma pessoa que se dedica muito e nos ajuda muito na política, e na comunidade de Coroaci, principalmente o distrito de São Sebastião do Bugre, onde nasceu. Folha Regional: Terminando o seu mandato como você avalia este trabalho até o momento? Waltinho: Olha, tenho dito sempre nas nossas reuniões e nesses cinqüenta e poucos dias que nos restam para a campanha que eu tenho a cabeça erguida de poder chegar em todos os cantos de Coroaci, de São Sebastião do Bugre, Conceição de Tronqueiras e toda a zona rural para pedir o voto ao eleitor. O que podíamos fazer foi feito na administração, mesmo sen-

do prejudicados, perseguidos e afastado do cargo durante quatro meses. Mas dotamos Coroaci de uma estrutura que jamais houve na história política daqui, com vários calçamentos de ruas, postos de saúde e outras importantes obras. Talvez tenhamos hoje a melhor estrutura da saúde na região. A educação vai muito bem, os funcionários com salários em dia e décimo terceiro salário pago antecipadamente. Além de toda esta estrutura o que mais merece atenção é o respeito que temos ao ser humano. Respeito que temos às pessoas de Coroaci, principalmente aqueles que mais necessitam dos serviços públicos. Na medida do possível atendemos todas elas com muito carinho, porque nós sabemos que elas precisam e nossa obrigação é o de servi-las.

DIVINOLÂNDIA DE MINAS

Dois ex-aliados políticos brigam pelo poder de administrar o município

A

campanha política este ano em Divinolândia de Minas não tem aquela famosa briga entre a oposição e a situação. No registro das chapas ficaram apenas dois políticos, que em anos anteriores se davam muito bem, que são o atual prefeito Luciano Magno Coelho (PSDB) e o ex-presidente da Câmara Armstrong Antônio Coelho Cunha (PPS). Hoje são adversários e buscam os votos dos eleitores de todas as facções políticas. O eleitor de Divinolândia não entendeu a decisão dos dois aliados em se dividirem. E também não entendeu como a oposição não aproveitou este momento para se fortalecer. Armstrong tem a vantagem de ser um político novo, apesar de ter atuado na Câmara por quatro mandatos e ser o vereador que mais presidiu a Câmara

administrativa. Contra o candidato pesa o fato de não ter recursos para realizar uma grande campanha.

Armstrong aposta no apoio jovem e na expectativa de se renovar

Luciano: união com o inimigo, PT, foi criticado na cidade

em toda a região.

ele conhece bem a estrutura de uma administração, não sendo portanto, um aventureiro na eleiçao. Esta renovação está sendo levada por ele em todos os cantos da cidade. Como o candidato do PPS tem uma grande popularidade entre os jovens, espera-se que os mesmos convençam os adultos da sua capacidade

VOTOS Bom de votos, em todas as suas eleições para vereadores ele sempre teve um crescimento de votos nas urnas. O candidato, na época como vereador, visitava todos os distritos se conhece bem a realidade da cidade. Estudado e inteligente,

DISPUTA O atual prefeito Luciano que administra a cidade por dois mandatos consecutivos quer ficar mais quatro anos no poder. Luciano, que é conhecido por ser popular entre os mais pobres, fez um acordo com o seu pior inimigo, o que gerou críticas em vários setores da cidade. Ninguém entendeu como o prefeito, que foi atacado por vereadores da oposição, principalmente os ligados ao Partido dos Trabalhadores (PT), aceitou a aliança. Durante três anos de mandato os passos administrtivos eram seguidos de perto pela oposição que não perdia tempo em criticar a forma de Luciano administrar. Os ataques eram constantes,

principalmente no setor de saúde, que é o carro chefe de qualquer administração. UNIÃO Moradores de Divinolândia de Minas aguardavam que o PT lançasse um nome capaz de vencer Luciano, já que fazia críticas e denúncias. Para muitos, quando um grupo político critica e denuncia uma administração, ao se compctuar com ela, ele buscar vencer a eleição para mostrar o diferencial. Mas essas lideranças resolveram abandonar, neste ano, este projeto e de uma hora para outra, acreditar na potencialidade do atual prefeito. Com isso o PT perdeu uma grande chance de apresentar seu plano de governo para o desenvolvimento da cidade e se uniu ao seu recente inimigo. Faltou esclarecer os motivos da aliança entre os dois grupos.

O

atual vereador de Divi-

nolândia de Minas é desses políticos que não se pode duvidar de sua seriedade, transparência e honestidade. No cargo de legislador, é de conhecimento de todos a sua postura democrática, imparcial e de sua preocupação com o bem público. Ele, inclusive, seria exemplo para um trabalho mais sério e promissor em qualquer Câmara onde atuasse. Para a surpresa de todos, José Lemos resolve não se candidatar à reeleição. Não que não tenha chance porque os eleitores de Divinolândia, inteligentes que são, não o deixaria fora do Legislativo, tão carentes de políticos inteligentes e honrados. José Lemos, durante os seus mandatos não compactuava com desonestidade e tinha opinião formada sobre os temas. Ele não aceitava ser manipulado por certos grupos, optando por estudar a fundo os projetos que eram enviados para discussão e votação no plenário. Ele é do tipo de político que não tem problema de consciência por causa de suas decisões na política. Questionado pelo Folha Regional sobre os motivos que levaram a não disputar a reeleição, José Lemos não quis aprofundar no tema, apenas afirmando que precisa de tempo para organizar sua vida pessoal. Ele mostrou-se agradecido com o apoio que sempre teve da comunidade de Divinolândia de Minas.


135