Page 1

Ano

EDIÇÃO

Prefeitura terá que assumir serviços de água; Justiça diz que “dinheiro público vem sendo jogado no ralo” A prefeitura de Cáceres terá que assumir “imediatamente” os serviços de saneamento básico do município e suspender todos os pagamentos referentes ao contrato administrativo nº 080/200 celebrados com a Nortec e ainda providenciar no prazo de 120 dias um plano de saneamento básico, se abstendo de promover qualquer licitação nesse período. Em caso de descumprimento, será penalizada em multa diária de R$ 50 mil. A determinação é da Justiça, através do juiz Alex Nunes de Figueiredo, que considera “nulo, irregular e ineficiente” o contrato firmado com a empresa em fevereiro de 2009. A reportagem tentou contato telefônico duas vezes, com o prefeito Túlio Fontes. Ele diz que não poderia falar porque estava em reunião. PÁG - 08 Foto: Arquivo

Cabo Lair no momento em que foi diplomado como prefeito

TRE cassa por unanimidade prefeito de Curvelândia por compra de votos O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu por unanimidade pela cassação do prefeito de Curvelândia, Lair Ferreira (DEM). Além do cabo Lair, como é conhecido, o prefeito, a decisão tomada na sessão de terça-feira estende-se também ao vice-prefeito Gabriel Frades da Silva (PMDB) e ao vereador Luiz Octávio Augusto Régis (DEM), que já renunciou ao mandato. Todos estão inelegíveis por um período de três anos. A representação que culminou com a cassação foi ajuizada pelo então candidato Gilson Martins de Aguiar (PP). O TRE reconheceu que houve compras de votos pelo cabo Lair e o ex-vereador Luiz Octávio. PÁG - 07

RankBrasil confirma pamonha do Caramujo como a maior do Brasil Caramujo, distrito da cidade de Cáceres, entra novamente para o RankBrasil empresa que homologa recordes brasileiros, superando o próprio recorde, com a fabricação de uma pamonha de 860kg. O novo título, que antes era de 650kg, foi conquistado durante a 5ª Festa da Pamonha, realizada nos dias 25 e 26 de março de 2011. PÁG - 09

Pedro Henry não descarta possibilidade de apoiar candidatura do PMDB em Cáceres Foto: Arquivo

Presidente do diretório estadual progressista, o deputado federal licenciado, Pedro Henry, diz que a intenção do PP será lançar candidaturas próprias, em 2012, na maioria dos municípios, principalmente, nas cidades pólos. Porém, segundo ele, não terá “dificuldade” em apoiar a candidatura de um nome do PMDB, em Cáceres. “A nossa proposta é lançar candidatura própria. Mas também não teremos dificuldade em apoiar candidatura do PMDB, no município. Até porque o partido faz parte da mesma coligação”, diz referindo-se ao grupo de partidos que elegeu o governador Silval Barbosa, nas últimas eleições. PÁG - 03

Termina nesta 5ª-feira prazo para inscrições do vestibular da Unemat Foto: Arquivo

Setor produtivo discute viabilidade da hidrovia Paraguai-Paraná nesta quinta Com viabilidade econômica, técnica e, principalmente, um modal essencial para o desenvolvimento de Mato Grosso. Este é o perfil da hidrovia Paraguai-Paraná, que volta à pauta de discussões entre setor produtivo e poder público nesta quinta-feira, a partir das 9h, na Câmara dos Deputados, em Brasília. O encontro é uma iniciativa do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Sistema Fiemt), por meio do Conselho Temático de Infraestrutura (Coinfra), em parceria com o governo do Estado. PÁG - 06

Encerram nesta quinta-feira, as inscrições para o Vestibular 2011/2 da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e também para o concurso do Curso de Formação de Oficiais da PM e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso (CFO). Pelo vestibular são oferecidas 1.800 vagas entre os cursos nos campi de Alto Araguaia, Alta Floresta, Barra do Bugres, Cáceres, Colider, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Tangará da Serra, Sinop e Juara. Das vagas, 25% são destinadas para os candidatos cotistas. PÁG - 10


Expressão NOTÍCIAS

ARTIGO

Universidades estaduais merecem respeito e tratamento igualitário Adriano Aparecido Silva

Sempre que se fala em um país melhor, em uma sociedade mais justa, se afirma que a solução do problema está na educação. Essa bandeira é levantada em todos os momentos eleitorais, e por meio dela se angaria muitos votos e respeito. Não que seja inoportuno discutir o processo educacional no Brasil, ao contrário, é defensor de que possamos colocar sempre a política educacional como ponto de pauta de nossas lutas, pois acredito, sinceramente, que é por meio da educação que

podemos mudar para melhor nossa sociedade. Para, além disso, é necessário pensar o processo educacional como um todo, e não como um bolo com fatias definidas. Hoje, os municípios têm a competência de gerir a educação infantil, enquanto que os estados são responsáveis pelo ensino médio, e ao governo federal cabe a educação superior. Mesmo assim, como determina nossa Constituição Federal, essas fatias nem sempre são totalmente isentas das interferências das diferentes esferas, ainda bem. Pois, se assim fosse, os governos estaduais e municipais, que mesmo desobrigados por força de lei de se responsabilizar pela educação superior não seriam os responsáveis pela oferta de mais de 50% de todas as vagas públicas disponíveis nas universidades e faculdades brasileiras. Se assim fosse, não teríamos universidades de ponta e com reconhecimento nacional e internacional pela sua forte atuação no ramo de

ensino, pesquisa e e x t e n s ã o c o m o a U S P, UNICAMP, UERJ. E mais especificamente em Mato Grosso, não teríamos a importante e decisiva atuação da Unemat, no interior do Estado ofertando anualmente 3.600 vagas para ingresso no ensino superior. Estando em regiões distantes e com uma atuação diferenciada com programas pioneiros como a oferta de cursos de graduação específicos e diferenciados para indígenas, ou o Programa de Licenciatura Parceladas, que oportuniza a formação de professores em serviço. Mas, apesar de todo o empenho e esforço dos governos estaduais e municipais em contribuir com o governo federal na oferta de vagas de nível superior de forma pública e gratuita, o tratamento não isonômico ao das universidades federais no que tange os investimentos e destinação de recursos para fomento de pesquisa, principalmente no que diz respeito a contrapartida financeira em editais de

empresas como a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP). Até 2009, o governo federal, por meio da FINEP não cobrava das universidades estaduais e municipais uma contrapartida financeira em projetos de fomento a pesquisa, mas essa realidade mudou em 2010, quando para apresentar projetos de financiamento, as universidades não federais ficam obrigadas a depositar uma contrapartida financeira que varia de 10% a 20% do montante aprovado, exigência essa que não é feita para as universidades federais. Isso é onerar duplamente os estados, que já contribuem com a manutenção e oferta de vagas em nível superior nas universidades estaduais e municipais, além de inviabilizar o fomento à pesquisa em várias instituições que não terão como arcar com essa contrapartida financeira. Não que eu queira diminuir os investimentos ou as fatias de recursos destinadas às universidades federais, mas eu, juntamente com os demais

Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem) estamos em mobilização nacional e já apresentamos pauta de reivindicação junto ao Ministério da Educação, Ministério de Ciência e Tecnologia e órgãos de fomento como a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP ) para que o tratamento seja igualitário e justo. Não é possível que a população, seja prejudicada, sendo privada de investimentos em pesquisas, com a cobrança de uma contrapartida das universidades estaduais e municipais só porque elas são mantidas pelos governos estaduais e municípios. Na verdade, penso que as instituições municipais e estaduais merecem maior atenção e respeito pelo trabalho e serviço que é prestado e que por obrigação seria do próprio governo federal. Adriano Aparecido Silva reitor da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat)

ARTIGO

Canil humano?!

Inácio Werner Mato Grosso tem 63 unidades prisionais, e com 5.300 vagas abriga uma população de 11.500 pessoas presas. Pior quando se descrevem as condições como vivem os “recuperandos”, que, como as próprias autoridades dizem, um canil humano, um lugar onde não

existe cidadania, uma UTI em fase terminal, enfim, uma bomba relógio prestes a explodir. Os dados apontam que 70% dos presos têm desejo de refazer suas vidas. Porém, o que acontece na prática é uma reincidência de mais de 70%. Fica claro que o sistema não cumpre o seu papel “ressocializador”. Por que tanto descaso? Talvez seja importante uma segunda pergunta, quem está preso? Aí talvez esteja a resposta. Aqueles que detêm uma condição financeira elevada, e aqueles que exercem influência (leia-se: aqueles que detêm poder político) não estão na prisão. Quem é submetido a esta condição sub-humana é quem já se encontrava excluído da sociedade. Vale ressaltar que muitos que estão nos presídios encontram-se lá porque a eles e elas a justiça não chegou, e

Expressão NOTÍCIAS

justiça que tarda não é justiça. Quais seriam as alternativas? Uma largamente apontada é a metodologia da A PA C A s s o c i a ç ã o d e Proteção e Assistência aos Condenados, com o tripé “Religião, educação e trabalho”. Estão acontecendo iniciativas das igrejas no atendimento religioso, a Secretaria da Educação com o projeto de Educação de Jovens e Adultos - EJA, e algumas atividades de trabalho de iniciativa dos presídios. O que certamente não se quer é que o tripé seja executado separadamente. E, a partir daí, deve-se perguntar: é possível que um projeto assim seja executado, tendo em vista a realidade de superlotação dos presídios? Para a superlotação, são apontadas algumas saídas, tais como as penas alternativas, e o uso das

os detentos em regime de progressão de pena. Deve-se destacar que a proposta do governo do Estado para essa mesma questão consiste na realização de uma parceria públicoprivada (PPP) visando a construção de um presídio com capacidade para 3.000 detentos. Esta construção está se gestando dentro do planejamento da AGECOPA. Ora, isto não seria uma forma de privatizar o sistema prisional, e talvez transformar o próprio preso em objeto de negociação, em mercadoria? Esta é a questão que se apresenta para debate, a partir dos contornos traçados na audiência pública aqui referida. Cabe agora, a partir da problemática apontada, que a população também se manifeste, porque o governo certamente já tomou sua posição. Inácio Werner é sociólogo,

Editor Geral Sinézio Nunes de Alcântara DRT-MT 403

Redação e Administração: Av. José Palmiro da Silva, 319 Bairro São José - Tel.: 65 3223-7942 / 9957-9878 - EMAIL: sinezioalcantara@hotmail.com / expressaonoticias@hotmail.com Colaborador: Antonio Costa e Clarice Diório. Circulação: Regional - Tiragem: 1000 exemplares Publicação da Editora Jesuína dos Santos ME - Insc. Estadual 13345231-0 / CNPJ 09.108953/0001-42

membro da Coordenação do Centro Burnier Fé e Justiça e militante dos Direitos Humanos.

Telefones Úteis ACEC - Assoc. Com. e Empresarial 2º Bfron

3223-2048

3223-4413/3223-9198

Centro de Direitos Humanos

3223-3667

CISC

3903-1210

Jornal Expressão

3223-7942

Conselho Tutelar

3223-1072

Corpo de Bombeiros

193

Delegacia Espec. Adolescente

3224-1381

Delegacia Espec. Defesa da Mulher

3223-0348

Delegacia Regional de Polícia Civil 3223-1953/197 DETRAN

3223-5301

OAB

3222-3589

Polícia Federal

3211-6300/194

Polícia Rodoviária Federal

3223-3894/191

Policia Militar Pronto Socorro Municipal

3223-1441 192

Procon

3223-4172

Tribunal Regional Eleitoral

3223-5159


Expressão NOTÍCIAS

REFORÇO

Pedro Henry não descarta possibilidade de apoiar candidatura do PMDB em Cáceres

Um dia após solenidade de filiação, José Lacerda diz que não é candidato Editoria

Presidente do diretório estadual progressista, o deputado federal licenciado, Pedro Henry, diz que a intenção do PP será lançar candidaturas próprias, em 2012, na maioria dos municípios, principalmente, nas cidades pólos. Porém, segundo ele, não terá “dificuldade” em apoiar a candidatura de um nome do PMDB, em Cáceres. “A nossa proposta é lançar candidatura própria. Mas também não teremos dificuldade em apoiar

candidatura do PMDB, no município. Até porque o partido faz parte da mesma coligação”, diz referindo-se ao grupo de partidos que elegeu o governador Silval Barbosa, nas últimas eleições. Secretário de Estado de Saúde, Henry admite que, no momento, o PP não dispõe de um “grande nome” para disputar em igualdade de condições, a prefeitura de Cáceres, sua principal base eleitoral. Por disso, ele não descarta a hipótese de apoiar nomes de outros partidos que integram a coligação,

principalmente, o PMDB, do governador Silval Barbosa. “No momento não temos um grande nome que possa ser colocado como précandidato. Mas podemos trabalhar para isso. Caso não surja, o PP pode estar junto com o nome indicado pelo PMDB”. Em nível de Estado, apesar das evidências, Pedro Henry garante que nunca teve nenhum desentendimento com o presidente da Assembléia Legislativa, deputado José Riva ex-PP, principal articulador da implantação do PSD no Estado. “Nós continuamos amigos. É compreensível a atitude dele. É a oportunidade que Riva tem de aglutinar seu grupo político. Mas nós nunca tivemos maiores desentendimentos”. Em um site da capital, Henry admitiu que “partidariamente” não tem feito grande trabalho, porém, diz que estará se empenhado para reverter à situação. Frisou que, está difícil conciliar as tarefas do Executivo com o comando da sigla. Dos quatro nomes citados pela direção do PMDB como possíveis précandidatos, pelo menos, um anunciou que não pretende

entrar na disputa pela sucessão municipal. Em Nota encaminhada ao Jornal Expressão, o secretário chefe da Casa Civil, José Lacerda, informou que não tem interesse em candidatar-se a nenhum cargo eletivo. “Não sou candidato a prefeito de Cáceres. Não sou candidato a nada” diz ressaltando que ele tem grande responsabilidade na gestão de Silval Barbosa à frente da Casa Civil. Diante do desinteresse de José Lacerda, permanecem como pretensos candidatos o reitor da Universidade do Estado de Mato Grosso

(Unemat) professor Adriano Silva, o empresário Tato Giraldeli e a professora Neuliane Garcia Cestari, os dois últimos filiados ao partido no último sábado. Aliás, em se falando em filiação, o ex-presidente do diretório municipal do PSB, produtor rural Paulo Nicoli, disse que não se filiou ao PMDB no último sábado, conforme estava previsto, porque ainda não havia se desfiliado do partido. Porém, garante que nós próximos dias, estará se reunindo com o seu grupo, para assinatura da ficha de filiação.

Foto: Divulgação

Ex-presidente do PSB Paulo Nicoli, diz que filiará nos próximos dias


Expressão NOTÍCIAS


Expressão NOTÍCIAS

Sempre as últimas novidades da moda em confecções e calçados, Adulto e Infantil. Crediário próprio sem burocracia

Preparamos os melhores pratos da cidade. Escolha a sua preferência e ligue-nos

Rua Comandante Balduíno nº 487, centro, próximo a Padaria Tulipa


Expressão NOTÍCIAS

MODAL

Setor produtivo discute viabilidade da hidrovia Paraguai-Paraná nesta quinta outras, além de diversas autoridades públicas. "Precisamos de eixos integrados de desenvolvimento e a hidrovia se mostra um importante modal logístico não só para Mato Grosso, mas para outros Estados, regiões e países. Quando se analisa o retorno do investimento, ainda a ser realizado, constatamos que a hidrovia Paraguai-Paraná é uma das vias de escoamento que dá maior retorno. Integração, benefícios sociais, desenvolvimento regional, baixo impacto ambiental, baixo custo do frete, além da geração de emprego e arrecadação de tributos são relevantes questões que envolvem a viabilidade dessa hidrovia", avalia o presidente em exercício do Sistema Fiemt, Jandir Milan. Autoridades se reúnem a partir das 9h para discutir o projeto da hidrovia Editoria

Com viabilidade econômica, técnica e, principalmente, um modal e s s e n c i a l p a r a o desenvolvimento de Mato Grosso. Este é o perfil da hidrovia Paraguai-Paraná, que volta à pauta de discussões entre setor produtivo e poder público nesta quinta-feira, a partir das 9h, na Câmara dos Deputados, em Brasília. O encontro é uma iniciativa do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Sistema Fiemt), por meio do Conselho Temático de Infraestrutura (Coinfra), em parceria com o governo do Estado.

Intitulado 'Workshop Hidrovia Paraguai-Paraná', o evento reunirá além de representantes do setor produtivo, o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, especialistas do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), membros do Conselho Pró-Hidrovia, do Movimento Pró-Logística, o presidente em exercício do Sistema Fiemt, Jandir Milan, o presidente do Sistema Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul ( S i s t e m a F i e m s ) , S é rg i o Marcolino Longen, representantes de empresas com atuação no ramo instaladas em Cáceres, Corumbá, Assunção, Santa Fé, Nueva Palmira, entre

No encontro ocorrerá uma apresentação do contexto socioeconômico do modal, suas vantagens, impactos reais e em seguida estará aberto o espaço para a discussão sobre o tema. Para o presidente do Coinfra e diretor do Sistema Fiemt, José Alexandre Schutze, será um oportunidade ímpar para apresentar e reforçar às autoridades e especialistas presentes a importância da hidrovia. "É algo indiscutível. Hoje temos um dos fretes mais caros e somos um dos maiores produtores do país, é antagônico. Precisamos mobilizar ações como esta para comprovar, com dados e estatísticas, o quanto a hidrovia Paraguai-Paraná é necessária e está dentro de nossa realidade", comenta.


Expressão NOTÍCIAS

IRREGULARIDADE

TRE cassa por unanimidade prefeito de Curvelândia por compra de votos Foto: Arquivo

Cabo Lair ainda promete recorrer no TSE Editoria

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu por unanimidade pela cassação do prefeito de Curvelândia, Lair Ferreira (DEM). Além do cabo Lair, como é conhecido, o prefeito, a decisão tomada na sessão de terça-feira estende-se também ao vice-prefeito Gabriel Frades da Silva (PMDB) e ao vereador Luiz Octávio Augusto Régis (DEM), que já renunciou ao mandato. Todos estão inelegíveis por um período de três anos. A representação que culminou com a cassação foi ajuizada pelo então candidato Gilson Martins de Aguiar (PP). O TRE reconheceu que houve compras de votos pelo cabo Lair e o ex-vereador Luiz Octávio. Com a cassação irá assumir a administração

municipal, o presidente da Câmara, vereador Mauri Souza da Silva (PP). A posse será anunciada, nas próximas horas. Uma nova eleição será realizada no município. A data ainda será estudada pelo TRE. Essa foi a segunda cassação do cabo Lair. Em 2008, dias após a eleição, o juiz da 18ª Zona Eleitoral de Mirassol D´Oeste Emerson Luiz Pereira Cajango, acatou as denúncias, determinando a cassação. Lair recorreu e mantinha-se no cargo, através de uma liminar. Agora, o próprio TRE reconheceu as irregularidades nas eleições, cassando o prefeito. “Na verdade o Tribunal reconheceu a compra de votos feita pelo prefeito e o vereador, através de doações de motos por votos e outras benesses como CNH e materiais de construção. Creio que agora se fez justiça” afirmou o advogado Eder

Faustino. O prefeito não foi localizado para falar sobre a cassação. Informações extraordinárias, no entanto, dão conta de que ele não se dá por vencido e irá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral, na tentativa de, mais uma vez, reverter a situação. As eleições municipais em Curvelância foram marcadas por várias denúncias. Conforme a sentença do juiz da 18ª Zona Eleitoral, Emerson Luis Pereira Cajango, as investigações da Polícia Federal, aliada a vários testemunhos, comprovaram que o prefeito e seu grupo político teriam praticado compra de votos, através de doação de motos, dinheiro em espécie, materiais de construção, carteira de habilitação e promessas de cargos comissionados. Partidários do candidato derrotado Gilson Martins, estão se reunindo para saber se mantém a sua candidatura para as novas eleições que serão marcadas pelo TRE ou se lançam outro nome. A definição sai nas próximas horas.


Expressão NOTÍCIAS

IRREGULARIDADE

Prefeitura terá que assumir serviços de água; Justiça diz que “dinheiro público vem sendo jogado no ralo”

Juiz diz que contrato com a Nortec é nulo, irregular e ineficiente Editoria

A prefeitura de Cáceres terá que assumir “imediatamente” os serviços de saneamento básico do município e suspender todos os pagamentos referentes ao contrato administrativo nº 080/200 celebrados com a Nortec e ainda providenciar no prazo de 120 dias um plano de saneamento básico, se abstendo de promover qualquer licitação nesse período. Em caso de descumprimento, será penalizada em multa diária de R$ 50 mil. A determinação é da Justiça, através do juiz Alex Nunes de Figueiredo, que considera “nulo, irregular e ineficiente” o contrato firmado com a empresa em fevereiro de 2009. A reportagem tentou contato telefônico duas vezes, com o prefeito Túlio Fontes. Ele diz que não poderia falar porque estava em reunião. No processo de oito volumes e mais de 1.600 páginas, o juiz acatou pedido do Ministério Público, por intermédio do promotor, André Luiz de Almeida, apontando diversas irregularidades que vão desde o processo licitatório

para contratação da empresa, até descumprimentos de várias obrigações. Em Ação Civil Pública, proposta pelo MP, o promotor diz que “o contrato oriundo da licitação seria nulo de pleno direito, já que não houve aprovação pela assessoria jurídica da minuta do edital e nem da minuta do contrato, contrariando disposições da lei das licitações 8.666/93”. No entendimento do juiz, os fatos alegados pelo MP são “verossímeis”. E, que há prova mais do que suficiente e inequívoca deles. Diz que “há fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação porque, claramente, o dinheiro público vem sendo desperdiçado e jogado no ralo diante da execução totalmente deficiente do serviço contratado pelo município com a Nortec” afirma observando que “o que já foi desperdiçado de dinheiro público não se sabe se será recuperado, pela experiência dificilmente. A prova é difícil e complexa, mas o que vai se desperdiçar ainda pode ser coibido”. No despacho o juiz diz que, o contrato administrativo

firmado entre a prefeitura e a empresa Nortec Consultoria, Engenharia e Saneamento Ltda - “afronta todos os mais basilares princípios administrativos e legislação de regência (Constituição Federal e Lei nº 8.666/93 a lei das licitações)” porque, segundo ele, confere à empresa a execução de um serviço, que pela Constituição Federal é de competência do município. Além do mais, ressalta ele, “maquiando o contrato” como sendo uma espécie de “gerência de serviço público” figura, que explica, inexiste no ordenamento jurídico. Em outro trecho do despacho, o juiz chega a insinuar possível falcatrua ao afirmar que “o objeto da concorrência para contratação da empresa especializada para o gerenciamento dos serviços públicos de água e esgoto sanitário explicitou que a concorrência citada não importava em concessão, permissão ou privatização dos serviços. No entanto, pelo que observei da documentação, o Poder Público (prefeitura) transferiu integralmente à requerida (Nortec) a execução do serviço citado, até mesmo a emissão de alvarás. Ou seja: tentou disfarçar por meio da figura de “gerência do serviço público”, não se sabe ainda o motivo a verdadeira concessão de serviço público”. Salienta que “na forma com vem sendo tratado o saneamento básico em Cáceres, derivado de contrato aparentemente, nulo, irregular e ineficiente e com demonstrações claras de que não há interesse algum tanto do município quanto da empresa em sanar de vez os problemas, derivados da péssima qualidade dos serviços é que a medida de urgência deve ser


Expressão NOTÍCIAS

RECONHECIMENTO

RankBrasil confirma pamonha do Caramujo como a maior do Brasil Foto: Assessoria

Com 860kg, o título foi conquistado durante a 5ª Festa da Pamonha Editoria

Caramujo, distrito da cidade de Cáceres, entra novamente para o RankBrasil empresa que homologa recordes brasileiros, superando o próprio recorde, com a fabricação de uma pamonha de 860kg. O novo título, que antes era de 650kg, foi conquistado durante a 5ª Festa da Pamonha, realizada nos dias 25 e 26 de março de 2011. “Foram 30 caramujinhos que saíram do seu casulo com o objetivo de produzir a maior pamonha do Brasil e mostrar a Mato Grosso que podemos fazer muito mais”, destaca o presidente da Organização para o Desenvolvimento de

Caramujo, Luiz da Guia. Em suas palavras, o presidente se refere ao grupo de 30 colaboradores que durante três dias descascaram 6.500 espigas de milho, produziram e levaram ao forno a pamonha gigante. Luiz da Guia, 'o caramujo mor', é um grande s o n h a d o r, q u e r e s o l v e u promover a festa por sentir a necessidade de desenvolver o distrito, localizado a menos de 30km de Cáceres, sem nenhum tipo de atrativo, mas com terras muito férteis. “Hoje é o dia mais feliz da minha vida, porque sentimos a participação popular”, revela o presidente. “Temos a certeza de que com o

deputados Ezequiel Fonseca, Airton Português, Antonio Azambuja e Pedro Henry, nos próximos anos realizaremos um grande sonho: transformar o distrito Caramujo em município”, completa. Na noite da grande pesagem, cerca de 30 mil pessoas invadiram a BR-174 e presenciaram apresentações de grupos de danças de Indiavaí, Quatro Marcos, Mirassol, Cáceres e também pratas da casa. A cantora paulistana Tuta Guedes e a Banda Conexão animaram a festa até as 4 horas da madrugada, tendo como café da manhã, pamonha à vontade. A entrega do troféu de Maior pamonha do Brasil aconteceu no dia 15 de maio, durante o Campeonato de pesca esportiva, que foi realizado na cidade de Cáceres. O tipo do milho O milho escolhido para obtenção do recorde foi o tipo 1051, específico para a produção de pamonhas. “Devemos agradecer ao brilhante trabalho do produtor do milho, especialmente semeado para esta festa”, diz o membro da comissão responsável pelo evento, Sebastião da Luz. “A sua produtividade é uma maravilha”, garante. Segundo ele, uma espiga e meia deste milho é o suficiente para produzir uma pamonha


Expressão NOTÍCIAS

CONCURSO

Termina nesta 5ª-feira prazo para inscrições do vestibular da Unemat Foto: Arquivo

Reitor Adriano oficializa a doação de recursos para contrução da sede do Campus de Sinop Editoria

Encerram nesta quintafeira, as inscrições para o Ve s t i b u l a r 2 0 1 1 / 2 d a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e também para o concurso do Curso de Formação de Oficiais da PM e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso (CFO). Pelo

vestibular são oferecidas 1.800 vagas entre os cursos nos campi de Alto Araguaia, Alta Floresta, Barra do Bugres, Cáceres, Colider, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Tangará da Serra, Sinop e Juara. Das vagas, 25% são destinadas para os candidatos cotistas. As inscrições serão realizadas apenas pela internet até nesta quinta-feira. A taxa é

R$ 120 para o CFO. Uma novidade neste vestibular é a inclusão da cidade de Barra do Garças como local de realização de provas. Além dela, as cidades de Rondonópolis, Cuiabá, Cáceres, Barra do Bugres, Colíder, Alta Floresta, Alto Araguaia, Sinop, Tangará da Serra, Nova Xavantina e Juara também serão locais de prova. Também neste vestibular será dada ao candidato a oportunidade de se inscrever em dois cursos de graduação (segunda opção). As provas serão realizadas nos dias 22 e 23 de maio. No dia 22 serão realizadas as provas de Física, Biologia, Matemática, Geografia e Língua Estrangeira. Já no segundo dia do concurso serão realizadas as provas de Química, História, Língua Portuguesa, Literatura e Redação. CFO Para o CFO são oferecidas 60 vagas para PM, sendo 54 para o sexo masculino e 06 para o feminino, e 10 vagas para o Corpo de Bombeiros,

sendo 09 para o sexo masculino e 01 vaga para o feminino. O concurso é composto por cinco fases sendo a primeira (exame intelectual) constituída pelo concurso vestibular da Unemat. Sinop: doação de prédio da Unemat deve sair nos próximos dias. O r e i t o r d a Universidade do Estado do Mato Grosso (Unemat) professor Adriano Silva, e o vice-prefeito de Sinop, Aumeri Bampi (PT) estiveram reunidos, na terça-feira, para discutir a oficialização da doação do prédio em que está instalada a universidade, no município. De acordo com o reitor, o assunto foi debatido com o governador Silval Barbosa (PMDB) e já está definido o repasse de R$ 1 milhão para o município

atendendo os alunos que devem deixar o centro educacional Lindolfo Treiweiller, onde a universidade está funcionando há vários anos. Aumeri apontou que a oficialização da escritura deve sair em alguns dias. "É fundamental que esta parceria entre município, Estado e Unemat seja ampliada para fomentarmos o crescimento educacional de toda a região Norte. Por isso, estamos trabalhando em parceria", disse, por meio de assessoria. Atualmente, cerca de 800 alunos, da 1º ao 9º séries, freqüentam o Centro de Ensino Lindolfo José Trierweiller que funciona em anexo à Unemat. "Além disso, vamos disponibilizar mais R$ 1 milhão para investimentos na Universidade", destacou Adriano.


Expressão

Destaque

NOTÍCIAS

Clarice Navarro Diório

Um acontecimento inédito marcou a noite da última sexta-feira em Cáceres. A matriarca da família Couto, dona Glicéria de Barros Couto, festejou junto a famíliares e amigos os 100 anos de uma vida digna de amor, personalidade e prosperidade. A festa aconteceu no Buffet Casal Garcia. Uma data que merecidamente entrará para a história dessa grande personalidade que orgulha o povo cacerense. Parabéns dona Glicéria!

Na foto netos, bisnetos e tataranetos da centenária Glicéria de Barros Couto

A aniversariante Glicéria e sua nora Inecir Daltro Couto

Da esquerda para direita os filhos da aniversariante Ricardo, Renilda, Luiz, Lêda e Orlando

A aniversariante ladeada pelos filhos Orlando(E) e Ricardo. O segundo se deslocou de Campo Grande(MS), para prestigiar o acontecimento

Num momento de descontração durante a festa a amiga da aniversariante Marcia se diverte com as filhas Roberta(E) e Camila.

A mesa da esquerda para direita os amigos, Paulo Costa Marques, Ana Paula, Lurdes e o esposo Neves e o filho André

No momento da degustação uma foto para a posteridade da família

A aniversariante em momento de felicidade com o neto e bisnetos

CONTATOS COM A COLUNA: 9965 - 6176 / E-MAIL: clarice-freitas@hotmail.com


Esporte MÉRITO

Equipe de Handbol da Escola Q.I Anglo vence estadual e garante vaga para o nacional Assessoria

No período de 29 de abril a 1º de maio foi realizado na cidade de Campo Verde/MT, o 7º campeonato estadual infantil de Handebol, promovido pela Federação Mato-grossense de Handebol. A equipe QI Anglo de Cáceres participou e chegou lá foi 1º lugar no feminino e 4º lugar masculino. Com este resultado, o Handebol das meninas QI tem o passe livre para disputar o campeonato brasileiro em Campina Grande PB. Entusiasmado com a classificação, o diretor do colégio, Daniel Lima, afirmou que as equipes são mesmo “feras”. Novamente o handebol QI é campeão estadual, vencendo o 7º Estadual de Clubes, garantindo a vaga para disputar o nacional. As equipes de Handebol masculino e a feminina do QI foram formadas em agosto de 2008. Os estudantes interessados em compor as equipes devem ter idade mínima de 11 a 14 anos para a seleção infantil e de 15 a 17 anos para a juvenil, segundo explicam o treinador, professor Rafael Takaki e o ajudante técnico Sebastião Rondon. Os atletas treinam três horas por semana, sempre fora do horário de aula, nem mesmo no horário das aulas de Educação Física, para que não

Equipe gloriosa da escola Q.I Anglo, representante de Cáceres na competição ocorra interferência no calendário escolar. Com a técnica e disciplina empregadas, o Handebol do QI já conquistou vários títulos: Campeã Feminina 2009 - Copa S.J Quatro Marcos; Campeã Copa Cáceres, em Glória D´Oeste Masculino e Feminino 2009; Campeã Cacerense 2010 - Equipes masculina e feminina; Campeã Regional 2010 - Equipes masculina e feminina; Campeã Feminina 2011 - Copa Norte em Sorriso; Vice-Campeã Estadual Masculina em 2010; 3º Lugar Masculino Estadual 2010 e Campeã Estadual Infantil Feminino - 2011 - Campo Verde-

MT. Este ano, a Escola QI vai iniciar a formação de equipes de Futsal tanto com os meninos quanto com às meninas. Para o diretor Daniel Lima, o esporte cria o gosto pela participação, gera fortes emoções não apenas nos atletas, como nos professores e porque não dizer em todos os torcedores, onde se incluem os familiares e amigos dos atletas. “As conquistas do handebol QI são um orgulho e uma alegria para todos nós, alunos, pais, professores, enfim, para toda a comunidade QI. Queremos parabenizar as equipes e desejar sucesso às meninas. Muita garra para o brasileiro!”- incentiva o diretor.

Expressão NOTÍCIAS

ANO III - Edição - nº 0317  

ANO III - Edição - nº 0317

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you