Issuu on Google+

Ano 6 – nº 81 – Junho /2013 – “Fundado em outubro de 2006” Responsável: Luiz Carlos de Souza (Trabalhador na seara espírita em Uberaba-MG / Brasil) TWITTER: @jornalespirita FACEBOOK: Jornal Espírita de Uberaba I e II SITE: www.jornalespiritadeuberaba.com.br E-MAIL: contato@jornalespiritadeuberaba.com.br / CELULAR: (34) 9969-7191

”A vida vem de Deus, a convivência vem de nós.” André Luiz EVENTOS ESPÍRITAS DE UBERABA

REUNIÃO LÍTERO MUSICAL DOUTRINÁRIA PALESTRA: POR QUE ADOECEMOS? Palestrante: Solange Bataglion (Ribeirão Preto-SP)

Programação: Apresentações Musicais; Palestra; Sorteio de Livros; e, Confraternização. Data: 29 de junho de 2013 (sábado) Horário: 19h30min Local: Centro Espírita Uberabense (Rua Barão de Ituberaba nº 449 – Estados Unidos – Uberaba-MG) Organização: UMEU – União da Mocidade Espírita de Uberaba ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O XII FEMEU As inscrições para participar do XII FEMEU – FESTIVAL DE MÚSICA ESPÍRITA DE UBERABA já estão abertas e irão até o dia 23 de junho e são gratuitas. Podem participar do XII FEMEU músicos espíritas residentes em qualquer cidade do Território Nacional (Brasil), brasileiros que residam em outros países, e dos países de língua portuguesa. As inscrições das letras das músicas serão feitas através do site do XII FEMEU www.jornalespiritadeuberaba.com.br/femeu. Esta é a primeira fase do festival onde uma comissão de espíritas avaliará as letras de acordo com os princípios da Doutrina Espírita. Passada essa primeira fase, na segunda fase – de 08/07 a 11/08 acontecerá a votação das músicas no site do XII FEMEU: www.jornalespiritadeuberaba.com.br/femeu. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

1


A terceira fase será realizada no dia 24/08 com a apresentação das 15 músicas selecionadas às 19h no Anfiteatro do Centro Administrativo da Prefeitura Municipal de Uberaba (Av. Dom Luiz Maria Santana nº 141 – Bairro Santa Marta – Uberaba-MG). A premiação será:  1º Lugar (01 violão, 01 troféu e Kit de livros espíritas);  2º Lugar (01 troféu e Kit de livros espíritas);  3º Lugar (01 troféu e Kit de livros espíritas);  4º Lugar (01 troféu e Kit de livros espíritas);  5º Lugar (01 troféu e Kit de livros espíritas);  6º Lugar (01 troféu e Kit de livros espíritas);  Músico Destaque (01 troféu e livros espíritas);  Grupo Destaque (01 troféu e livros espíritas).  Observação: Não haverá repetições de prêmios. Os interessados podem fazer o download do Regulamento do XII FEMEU no site: www.jornalespiritadeuberaba.com.br/feme u Mais informações e esclarecimentos podem ser obtidos através:  Site: www.jornalespiritadeuberaba.com.br/femeu  Blog: http://femeu.blogspot.com  E-mail: femeu.uberaba@gmail.com  Telefone: (34) 9969-7191 O XII FEMEU – FESTIVAL DE MÚSICA ESPÍRITA DE UBERABA é uma iniciativa da UMEU – União da Mocidade Espírita de Uberaba, realizado com o apoio da AME – Aliança Municipal Espírita de Uberaba, da UEM – União Espírita Mineira; da ABRARTE – Associação Brasileira de Artistas Espíritas; da FEB – Federação Espírita Brasileira; das empresas: Top Som e River Auto Peças; do Web Design Edmar Wantuil; do Artista Plástico Rhaavi Dionísio; das livrarias espíritas de Uberaba: Academia do Pensamento, Emmanuel, e Ponto de Luz; das editoras espíritas: CEC – Uberaba, GEEM, IDE, LEEPP, CANDEIA, CEU; de Eduardo Saad (sonorização); de Vision DVD (filmagem); da SOLIS Publicidade; da Prefeitura Municipal de Uberaba; do Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi; dos jornais: Jornal Espírita de Uberaba, e A Flama Espírita; das rádios espíritas: Amor Fraterno e Fraternidade; Tv espírita A Caminho da Luz. O FEMEU tem como objetivos:  Valorizar a arte produzida no movimento espírita;  Incentivar a participação e criação artística das músicas espíritas;  Proporcionar a descoberta de novos talentos no movimento espírita.  Divulgar a música espírita, elevando o espírito.  Promover o intercâmbio artístico e cultural em todo o Território Nacional; Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

2


 Promover a Doutrina Espírita. Luiz Carlos de Souza  Diretor Artístico da UMEU – União da Mocidade Espírita de Uberaba  Coordenador do FEMEU – Festival de Música Espírita de Uberaba PALESTRAS COMEMORATIVAS DOS 93 ANOS DO CENTRO ESPÍRITA AURÉLIO AGOSTINHO Dia: 17/06/2013 – segunda-feira Horário: 19h30min Palestrante: Pedro Bonilha (de Jales-SP) Dia: 21/06/2013 – sexta-feira Horário: 19h30min Palestrante: Braz José Marques (Conceição das Alagoas-MG) Local: Centro Espírita Aurélio Agostinho (Av. Lucas Borges nº 61 – Bairro Fabrício – Uberaba-MG) ENCONTRO DA AJE EM SACRAMENTO-MG A AJE-MG (Associação Jurídico-Espírita do Estado de Minas Gerais) promoverá seminário sobre o pensamento jurídico-espírita na obra de Eurípedes Barsanulfo. O evento ocorrerá exatamente em Sacramento, cidade onde viveu Eurípedes, no dia 22/06 (sábado), das 14h às 18h, na Escola Eurípedes Barsanulfo, na Av. Dr. Tomás Novelino nº 300 – Bairro João XXIII. O evento servirá para criação da AJE-Sacramento. Informações: ajemg@live.com CASA DA CULTURA ESPÍRITA DE UBERABA PROMOVE Palestra: Saúde do Homem Palestrante: Enfermeira Lucília Zélia Data: 26 de junho de 2013 (quarta-feira) Horário: 19h30min Encontro: Espiritualidade nos animais Data: 29 de junho de 2013 Horário: 13H às 15H Encontro: Grupo de PNL e Espiritismo Data: Aos sábados (quinzenal) Horário: 16h30min Informações: pnlespiritismo@yahoo.com.br Casa da Cultura Espírita de Uberaba Rua Tocantins nº 285 – Vila Celeste – Uberaba V UNIFICAR Data: 30 de Junho de 2013 (domingo) Local: Associação Espírita Maria de Nazaré (Rua Nadir Maria Marques de Souza nº 4 – ‘Próximo a CASEMG’ – Conceição das Alagoas-MG). Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

3


Apoio: Conselho Regional Espírita – Zona Sul – CRE SUL Programação: 7h30min – Recepção 8h30min – Início do Seminário: Preparação de Trabalhadores Vinculados aos Órgãos de Unificação (Plano de Trabalho para o Movimento Espírita). Apresentado pelo Presidente da União Espírita Mineira, Sr. Henrique Kemper. 12h – Intervalo para almoço, que será servido no local. 13h30min – Mesa Redonda (Perguntas e respostas). 15h30min – Encerramento. Importante: Solicitamos a confirmação de sua presença e a de seus respectivos representantes, pelo e-mail: brazjomarques@terra.com.br ou pelos telefones: (34) 3321-1378 ou 9239-2082. CURSO “O ATENDIMENTO ESPIRITUAL PELO PASSE” Datas: 27/07, 3/08 e 10/08 (sábado) Horário: 14h às 17h Local: Comunhão Espírita Cristã (Rua Euripedes Barsanulfo nº 185 – Parque das Américas) Promoção: Grupo Espírita Cairbar Schutel e Comunhão Espírita Cristã Observação: Não é necessário fazer inscrição, pede-se a colaboração para o lanche. Sugere-se também a leitura do livro “O Atendimento Espiritual pelo Passe”, Marta Antunes, FEB. CEZAR CARNEIRO DE SOUZA NO CENTRO ESPÍRITA FÉ E AMOR Palestra: REUNIÕES PÚBLICAS DE EVANGELIZAÇÃO – “A ASSEMBLÉIA DOS DESENCARNADOS QUE SÃO LEVADOS ÀS REUNIÕES” Palestrante: Cesar Carneiro de Souza Data: 07 de julho de 2013 – domingo Horário: 15h Local: Centro Espírita Fé e Amor – Fazenda Santa Maria – Município de Sacramento-MG FESTIVAL DE MÚSICA ESPÍRITA PARA FRANCA E REGIÃO O Festival de Música acontecerá no dia 27 de Julho, e as inscrições de músicas já estão abertas. Inscreva sua música para o pré-fecef. Veja mais informações e envie sua música: http://www.institutoarteevida.org.br/index.php/pre-fecef/ 6º ENCONTRO NACIONAL DOS AMIGOS DE CHICO XAVIER E SUA OBRA O “6º Encontro Nacional dos Amigos de Chico Xavier e sua Obra” já está Recebendo inscrições. Faça já a sua pela Internet. A ficha de inscrição para participação no 6º Encontro Nacional dos Amigos de Chico Xavier e sua Obra já se encontra disponível no site do Grupo Espírita Seara de Deus (www.searadedeus.org.br). Os amigos de Chico Xavier e sua obra estão Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

4


convidados. A inscrição é necessária, porém gratuita. O 6º Encontro Nacional dos Amigos de Chico Xavier e sua Obra será realizado no Centro de Convenções de Pernambuco, em Recife, nos dias 12 e 13 de outubro de 2013. EM DIA COM O ESPIRITISMO SITE DO JORNAL ESPÍRITA DE UBERABA O site do Jornal Espírita de Uberaba foi lançado no dia 11/02/2013 e até o dia 07/06/2013 já bateu a casa dos “mais de 11 mil acessos”. Nosso conteúdo é composto de:  Jornal Espírita de Uberaba do mês.  Espaço para a divulgação do seu evento espírita.  Conhecimento dos eventos espíritas.  Notícias do movimento espírita.  Inúmeros sites – todos relacionados à Doutrina Espírita, divididos por blocos: Arte Espírita, Cinema Espírita, Música Espírita, Juventude Espírita, Chico Xavier Especial, Evangelização Infantil, Organizações Espíritas, Tv’s Espírita, Rádios Espírita, Jornais Espírita, Revistas Espírita, e Sites Espíritas Interessantes.  Centros Espíritas de Uberaba.  Todas as edições anteriores do Jornal Espírita de Uberaba. Se você ainda não acessou nosso site, faça-nos uma visita. Acesse: www.jornalespiritadeuberaba.com.br. VÍDEO COM CHICO XAVIER NO PROGRAMA DE HEBE CAMARGO Chico Xavier esteve no Programa da Hebe, no Natal de 1987 e o programa é de uma hora de duração (completo). Acesse: http://www.youtube.com/watch?v=A1MyWkscDkI PORTAL DA FEB LANÇA REVISTA LEI DIVINA A revista digital do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Evangelho, da Federação Espírita Brasileira, será sediada no Portal da FEB, e terá caráter mais informativo sobre pesquisas do Evangelho. Terá colunas fixas: 1) Editorial; 2) Há dois mil anos; 3) Palavras de Vida Eterna; 4) Boa Nova; 5) O Consolador; 6) Lira Imortal; e, 7) Cartas do Coração. Colunas Variáveis da Revista: Pensamento e Vida; Fonte Viva; Evolução em Dois Mundos; Caminho, Verdade e Vida; Mãos unidas; e, Estante da vida. Os membros da Comissão do NEPE serão responsáveis pelas colunas fixas, e, para as colunas variáveis serão recebidas contribuições espontâneas, sujeitas à análise da Comissão do NEPE. Informações: nepe@febnet.org,br Acesso em todos os dispositivos tablets e celulares. LIVRO VIRTUAL FRAGMENTOS DA HISTÓRIA PELA ÓTICA ESPÍRITA Foi lançado na quarta-feira, dia 22 de maio, mais um livro editado pela EVOC – Editora Virtual O Consolador. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

5


Intitulado “Fragmentos da História pela Ótica Espírita”, o livro é de autoria do escritor e nosso colaborador Eurípedes Kühl, o qual se encontra, portanto, disponível para download gratuito na página da EVOC, cujo link é: http://www.oconsolador.com.br/editora/evoc.htm. Fragmentos da História pela Ótica Espírita Por Eurípedes Kühl Publicado inicialmente em outubro de 1996 pela Editora Petit/SP, este livro, de autoria do conhecido escritor Eurípedes Kühl, esgotou-se em pouco tempo e foi reeditado várias vezes, até que não mais foi publicado, salvo agora, na forma digital, em que é oferecido, sem custo nenhum, aos nossos leitores. A capa da edição virtual se deve à colaboração de Maria José Bergamo, integrante da equipe que coordena a Editora. Esta obra, a bordo de intensas pesquisas, faz um passeio pela História, começando pela criação do mundo, chegando à atualidade. A seguir, com lógica e dedução “dá um pulinho” no futuro, procurando antever o que ainda vai acontecer, segundo previsões científicas. Sobre o fim do mundo, desmistificando agouros radicais e alarmistas, registra o que consta da obra O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, além de outras consagradas obras espíritas, todas demonstrando a incomparável Sabedoria do Criador, Sua Justiça e Seu amor por toda a Criação, o que inclui todos os seres vivos. Já se disse, mais de uma vez, que a Evolução é pássaro que voa alto, utilizando as duas asas: a sabedoria, uma; o amor, a outra. A História expõe acontecimentos por vezes tristes, outros felizes. Conhecê-los nos ajudará a evoluir, evitando que aqueles sejam repetidos... Faça o download gratuito http://www.oconsolador.com.br/editora/evoc.htm. ANA ARIEL CRIOU O CONCURSO: MOMENTO PAIS E FILHOS Com o objetivo de resgatar e promover os laços de afeto entre pais e filhos, a cantora Ana Ariel criou o concurso: Momento Pais e Filhos. Para participar basta enviar para a fan page da cantora Ana Ariel uma foto sua no colo dos seus pais ou de seus filhos em seu colo. As melhores fotos ganharão um jantar ou almoço com Ana Ariel, curtirão de perto o show de gravação do DVD da cantora e ainda podem ganhar uma viagem para Natal-RN. Mostre todo o calor e afeto que existe no colo dos pais. Participe! Para saber mais sobre o concurso e enviar a sua foto http://www.facebook.com/anaariel.cantora?ref=hl NAFA – NÚCLEO DE APOIO À FAMÍLIA O NAFA – Núcleo de Apoio à Família tem como objetivo estudar as questões familiares à luz do espiritismo, orientando as famílias para que seus membros se relacionem tendo como parâmetros os ensinamentos de Jesus. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

6


Auxilia também famílias ditas disfuncionais, que tem pessoas de mau comportamento ou que fazem uso de drogas lícitas ou não. A reunião consta de dois momentos, 30 minutos de estudo sobre tema de família e 60 minutos onde em pequenos grupos o monitor escuta os participantes e juntos buscam possíveis soluções. Portanto, o trabalho tem dois aspectos, preventivo e curativo, quando o problema já está instalado. Não é necessário fazer inscrição. As reuniões são as terçasfeiras das 19h30min às 21h, na Casa da Cultura Espírita de Uberaba (Rua Tocantins nº 285 – Vila Celeste – Uberaba-MG). INSTITUIÇÕES ESPÍRITAS EM UBERABA PARA VISITAÇÕES LAR ESPÍRITA PEDRO E PAULO Av. Padre Eddie Bernardes da Silva nº 775 – Bairro de Lourdes. Telefone para informações: (34) 3312-0804. Horário de visitações: De segunda-feira à domingo no período vespertino. LAR DA CARIDADE – HOSPITAL DO FOGO SELVAGEM (HOSPITAL DO PÊNFIGO) Rua João Alfredo, 437 – Bairro Abadia. Telefone para informações: (34) 3318-2900. Horário de visitações: De segunda-feira à domingo em horário administrativo. Pedese fazer agendamento. SANATÓRIO ESPÍRITA DE UBERABA Rua José Clemente Pereira nº 250 – Bairro Estados Unidos. Telefone para informações: (34) 3312-1869. Horário de visitações: De segunda-feira à domingo. Visitas com agendamento. CASA DE MEMÓRIAS E LEMBRANÇAS CHICO XAVIER Rua Dom Pedro I nº 165 – Bairro Parque das Américas. Telefone para informações: (34) 3336-5967. Horário de visitações: De segunda-feira à sexta-feira das 8h às 11h e das 13h às 17h30min. Aos sábados das 8h às 12. COMUNHÃO ESPÍRITA CRISTÃ – LAR ANDRÉ LUIZ Rua Prof. Eurípedes Barsanulfo nº 157 / 185 – Bairro Parque das Américas. Telefones para informações: (34) 3336-4234 ou (34) 3336-4121. Horário de visitações: De segunda-feira à domingo. Visitas com agendamento. CASA DO CAMINHO Av. Padre Eddie Bernardes da Silva nº 759 – Bairro de Lourdes. Telefone para informações: (34) 2103-0700 com Regina ou Danival. Horário de visitações: Aos sábados no período vespertino, mediante agendamento.

Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

7


CAMPANHAS DE SOLIDARIEDADE SORTEIO FILANTROPICO EM PROL DO LAR DA CARIDADE (HOSPITAL DO PÊNFIGO) Adquirindo um bilhete por apenas R$20,00 você exercerá seu espirito de CIDADANIA e de SOLIDARIEDADE por colaborar com as obras sociais realizadas pelo LAR DA CARIDADE, além de concorrer aos seguintes prêmios pela Loteria Federal do dia 31/08/2013.  1º Prêmio: 01 AUTOMOVEL NOVO 0K marca FIAT/PALIO FIRE ECONOMIY 4P 05 PASSAGEIRO 004 CILINDROS 0 km M FIAT FAB. 2010 MOD.2011 COR-PRATA BARI VERMALHA SECRESTS UNI (PRETO)  2º Prêmio: 01 REFRIGERADOR BRAST. FF 2 P BRM BRANCO 110 v.  3º Prêmio: 01 NOTEBOOK W7430 P 100 CORE I 3 marca Itautec.  4º Prêmio: 01 NOTEBOOK W7430 P 100 CORE I 3 marca Itautec. Participe! Colabore! Apenas R$20,00 cada bilhete, que você poderá adquirir na sede da entidade. Certificado de autorização CAIXA nº70085/2013. Fundado em 30/08/1957, o Lar da Caridade/Hospital do Pênfigo sempre colocou a disposição relevantes serviços sociais a toda sociedade brasileira. O Lar da Caridade é uma entidade filantrópica fundada em 30/08/1957 pela Sra. Aparecida Conceição Ferreira. Essa instituição compromissada com a sociedade brasileira busca formas de trabalho para captar recursos financeiros para criar novos projetos, e manter os que já existem em prol daqueles que necessitam do atendimento. No contexto atual do lar da caridade o atendimento se propaga em três modalidades: Assistência Social, Educação e Saúde, o que requer maior empenho para efetivação e manutenção dos projetos. Embora unidos para dar continuidade à magnífica obra, a tarefa não está sendo fácil. Passamos por situações complexas, que refletem no todo da instituição. Sabemos o quanto é difícil para todos seja o que ajuda ou o beneficiado, mas acreditamos que a missão do Lar da Caridade é nobre pelo compromisso que temos com a causa social, minimizando as mazelas decorrentes de uma sociedade desigual. Estamos promovendo este sorteio beneficente para o custeio de nossos projetos sócio. Seja nosso parceiro nessa campanha! ADQUIRA SEU BILHETE DEPOSITANDO NA CONTA: BANCO – CAIXA ECONÔMICA FEDERAL AG: 2982-3 – OP: 013 Contas: 11285-0 Hospital do Fogo Selvagem Rua João Alfredo, n°.437 - Bairro: Abadia. CEP: 38025-300 – Uberaba/MG – PABX: (34) 3318-2900 E-mail: larca.sorteio2013@gmail.com Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

8


HOSPITAL DO FOGO SELVAGEM PEDE AJUDA Conhecido por espíritas e não-espíritas por seu trabalho de auxílio ao próximo, sobretudo a portadores da grave doença dermatológica pênfigofoliáceo, o popularmente chamado “fogo-selvagem”, o Lar da Caridade, de Uberaba, no Triângulo Mineiro, está enfrentando sérias dificuldades. Fundado em 1957, vive hoje um dos seus momentos mais delicados, sobretudo por conta da crise mundial, que levou muitos colaboradores a suspenderem as suas contribuições. Para se ter uma idéia da gravidade da situação, a folha de pagamento da instituição está em aberto desde janeiro e as dívidas ao mês podem chegar a R$55 mil. Se algo não for feito rápido, o futuro do Lar pode até estar ameaçado. O Lar da Caridade – Hospital do Fogo Selvagem é presidido atualmente por Ivone Aparecida Vieira da Silva, neta de Dona Aparecida, cuja instituição está localizada na Rua João Alfredo, 437 – Abadia – CEP 38025-300 Uberaba, MG. Doações, de qualquer valor, podem ser feitas pelas seguintes contas-correntes: 3724-9, agência 3278-6, do Banco do Brasil; e 14572-6, agência 02640, do Bradesco. O CNPJ da instituição é 25440835/000193. Outras informações, pelo telefone (34) 3318-2900 ou através dos correios eletrônicos fogoselvagem@terra.com.br e larcaridade@hotmail.com. O Lar da Caridade está promovendo um sorteio de prêmios (autorizado pela Caixa Econômica Federal), com a finalidade de angariar recursos para continuidade de seus projetos sociais. Conto com a seu apoio! Ivone Vieira (Presidente do Lar da Caridade) O SANATÓRIO ESPÍRITA PEDE SOCORRO!!! O Sanatório Espírita de Uberaba – SEU, foi fundado em 31/12/1933, pela estimada Maria Modesta Cravo. Atualmente o Sanatório possui 120 leitos e com uma média de 130 internações por mês. Para garantir todo esse tratamento, o Sanatório conta com uma equipe de 92 funcionários, além das 12 equipes de médiuns passistas que fazem o tratamento espiritual de segunda-feira a sábado nos períodos matutino e noturno. O Sanatório está passando por dificuldades financeiras, por isso, lançou a campanha “O Sanatório Espírita Pede Socorro”. Se você desejar ajudar o Sanatório Espírita de Uberaba, faça sua doação:  Conta Poupança do Sanatório Espírita de Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

9


Uberaba – Caixa Econômica Federal – Agência: 1538 – Conta: 013.7394-6.  Conta Corrente do Sanatório Espírita de Uberaba – Banco do Brasil – Agencia – 3278-6 – Conta Corrente– 3763-X Para efetuar transferência bancárias, o CNPJ é: 25.445.347/0002-50. Outras informações pelo telefone (34) 3312-1869 com Marcio Roberto Arduni – Diretor Administrativo do Sanatório Espírita de Uberaba. CAMPANHA CONTRA O ABORTO MARCHA BRASIL SEM ABORTO E ESTATUTO DO NASCITURO EM BRASÍLIA-DF Na tarde do dia 4 de junho ocorreu em Brasília a 6a. Marcha Nacional da Vida contra o Aborto, promovida pelo Movimento Nacional de mesmo nome, que a FEB é membro fundadora. O evento se iniciou na Torre de TV e desceu a Esplanada dos Ministérios, parando em frente ao Ministério da Saúde e do Congresso Nacional. Estavam presentes lideranças de diversas religiões, parlamentares, Jaime Ferreira Lopes, a presidente do Movimento dra. Lenise Garcia, exdeputado Bassuma e os representantes espíritas: FEEGO, FEEES, o presidente da FEDF Paulo Maia e o presidente da FEB Antonio Cesar Perri de Carvalho, que se manifestaram junto ao público. Jovens da FEDF e da FEB empunharam faixas. Houve numeroso público durante toda a Marcha. Informações: diretoria@febnet.org.br; www.brasilsemaborto.com.br. Transcrito do “Notícias do Movimento Espírita” – 05 de junho de 2013 ESTUDO A MÚSICA NO MUNDO DOS ESPÍRITOS Jorge Rizzini, notável pesquisador e escritor espírita e extraordinário médium musical, conforme mostrado abaixo. Existe realmente a música celeste? As almas dos homens que, após a morte do corpo material, retornam ao mundo espiritual continuam gostando de compor e ouvir música? A resposta para essas perguntas nos foi dada pelos próprios Espíritos, através de diferentes médiuns. Allan Kardec, na questão 251 de “O Livro dos Espíritos”, perguntou aos Espíritos superiores se os Espíritos são sensíveis à música. Então, obteve a seguinte resposta surpreendente: “Trata-se da vossa música? O que é ela perante Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013 10


a música celeste, essa harmonia da qual ninguém na Terra pode ter idéia? Uma é para a outra o que o canto do selvagem é para a suave melodia”. “Não obstante, os Espíritos vulgares podem provar um certo prazer ao ouvir a vossa música, porque não estão ainda capazes de compreender outra mais sublime”. “A música tem, para os Espíritos, encantos infinitos, em razão de suas qualidades sensitivas muito desenvolvidas”. “Refiro-me à música celeste, que é tudo quanto a imaginação espiritual pode conceber de mais belo e mais suave”. Comprovação da Existência da Música Celeste Uma importante comprovação da existência da música celeste foi escrita por Allan Kardec. Está no livro “Obras Póstumas”, publicado após a sua morte. Nesse livro, encontramos um caso muito interessante, narrado e comentado pelo codificador do Espiritismo. Esse caso reafirma a existência da música no mundo espiritual, revelado pelos Espíritos: “Certo dia, numa reunião familiar, um chefe da família leu uma passagem de “O Livro dos Espíritos” concernente à música celeste”. “Uma de suas filhas, boa musicista, pôs-se a dizer consigo mesma: Mas não há música no mundo invisível!” “Parecia-lhe isso impossível; entretanto, não externou seu pensamento”. “Na noite do mesmo dia, escreveu ela espontaneamente uma comunicação com os seguintes esclarecimentos:” “A música do céu é muito mais bela do que a da terra. Os Espíritos acham-na muito superior à vossa, que não pode ser comparada à do Espaço”. “As composições terrenas são muito infantis, em face das sublimes harmonias do mundo invisível; os sons dos vossos instrumentos, as vossas mais belas vozes não poderiam dar-vos a menor ideia da música celeste e da sua suave harmonia”. “Logo em seguinte, a moça caiu naturalmente num estado de sono:” “Oh! Papai, papai, que música deliciosa!... Desperta-me, senão eu me vou”. “Desperta com algumas gotas de água que lhe salpicaram no rosto, ela voltou lentamente a si, sem a mínima consciência do que se passara”. “Então, o pai da donzela recebeu do Espírito S. Luís a explicação seguinte:” “Quando lias à tua filha a passagem de “O Livro dos Espíritos” referente à música celeste, ela se conservava em dúvida; não compreendia que no mundo espiritual pudesse haver música”. “Eis por que depois eu lhe disse que era verdade. Não tendo a minha afirmativa podido persuadi-la, Deus permitiu que, para convencer-se, ela caísse em sono sonambúlico”. “Então, desprendendo-se do corpo adormecido, seu Espírito se lançou pelo Espaço e foi admitido nas regiões etéreas, onde ficou em êxtase produzido pela impressão da harmonia celeste”. Por isso foi que exclamou: “Que música! Que música!” “Sentindo-se, porém transportada a regiões cada vez mais elevadas do mundo espiritual, pediu que a despertassem, indicando o meio de o conseguirem: com água”. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

11


Nossa Audição da Música Celeste Durante o Sono Alguns de nós, às vezes, temos experiência semelhante, ao sonhar ouvir uma música muito linda, mas desconhecida. Quando dormimos, nossa alma desprende-se parcialmente do corpo material e entra em contato com a vida espiritual e os Espíritos. Então, em ocasiões específicas, podemos ouvir em sonho a música dos Espíritos. Em palestras que o autor deste artigo realizou sobre a música celeste, ouviu alguns depoimentos a respeito disso de pessoas presentes. Além disso, quem de nós não tem um caso para contar por ter ouvido uma música maravilhosa durante o sono? O próprio autor deste artigo já teve algumas experiências marcantes a esse respeito. Mas, um caso muito interessante de música inédita ouvida durante o sono ocorreu com o famoso e notável exbeatle Paul MacCartney. Consta em sua biografia que a música “Yesterday”, de sua composição, considerada uma das mais belas, tocadas e gravadas na história da música, surgiu de um sonho. Paul MacCartney ouviu a música enquanto dormia. Acordou assobiando-a, saiu da cama, foi para o piano, recordando-se dela intuitivamente. Então, anotou a melodia muito original, tendo a impressão de que a música já existia há muito tempo. Assim, a música deu no que deu. Dessa mesma forma, ou pela inspiração, muitas músicas celestes são transmitidas pelos Espíritos aos compositores terrenos, influindo na evolução de nossa música. Através da inspiração ou do sono muitas músicas celestes são transmitidas aos compositores terrenos, engrandecendo essa arte maravilhosa. As Manifestações Musicais dos Espíritos Através da Mediunidade do Famoso Médium Daniel Dunglas Home Allan Kardec, na “Revista Espírita” dos meses de fevereiro, março, abril e maio de 1858, comentou os fenômenos espíritas operados pelo senhor Daniel Dunglas Home, nascido a 15 de março de 1833, perto de Edimburgo, e descendente de antiga e nobre família da Escócia. Nas sessões espíritas de efeitos físicos inteligentes realizadas por esse médium, as manifestações musicais dos Espíritos eram surpreendentes:  Instrumentos de música tocavam sozinhos, produzindo sons melodiosos.  Algumas vezes, o artista invisível atendida a pedidos de músicas ou mesmo tocava melodias de sua preferência.  Em certas ocasiões, podia-se ver a mão materializada do Espírito movendo as teclas para produzir suave melodia ou acordes harmoniosos.  O Espírito de um jovem, que na vida terrena tivera um notável talento musical, executava árias que atestavam a sua identidade.  E nas manifestações inteligentes dos Espíritos surgiam com frequência sons musicais ritmados. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

12


Allan Kardec, em muitos outros números da “Revista Espírita” publicou narrativas minuciosas de Espíritos que, através de outros médiuns, produziram fenômenos extraordinários envolvendo a execução da música celeste. A Música de Mozart Vinda do Além-Túmulo Allan Kardec, na “Revista Espírita” de maio de 1859, publicou um artigo com o título de “Música de Além-túmulo, dizendo que: “O Espírito de Mozart acaba de ditar ao nosso excelente médium, senhor Bryon-Dorgeval, um fragmento de sonata”. “Como meio de controle, este último o fez ouvir por diversos artistas, sem lhes indicar a origem, mas lhes perguntando apenas o que achavam do trecho”. “Cada um nele reconheceu, sem hesitação, o cunho de Mozart”. “O trecho foi executado na sessão da Sociedade de 8 de abril último, em presença de numerosos conhecedores, pela senhorinha de Davans, aluna de Chopin e distinta pianista, que teve a gentileza de nos prestar o seu concurso”. “Como elemento de comparação, a senhorinha de Davans executou antes uma sonata que Mozart compusera quando vivo”. “Todos foram unânimes em reconhecer não só a perfeita identidade do gênero, mas ainda a superioridade da composição espírita”. Assim:  O Espírito de Mozart demonstrou que a sua habilidade em compor música não havia se perdido com a morte do corpo material.  O Espírito de Mozart encontrou na excelente mediunidade do senhor BryonDorgeval a oportunidade de chamar a atenção dos homens para a imortalidade da alma e a comunicabilidade do Espírito, ao ditar um fragmento de sonata que teve grande repercussão junto ao publico. Essa música do Espírito Mozart foi gravada recentemente no Brasil por iniciativa da Federação Espírita Brasileira – FEB e foi disponibilizada ao público em seu site na internet, tendo bela repercussão. Fragmento mediúnico de sonata de Mozart (Érico Bomfim, abril 2012) no site: http://www.youtube.com/watch?v=g2BmEsfB4dE. As Manifestações Musicais dos Espíritos em Constantinopla Ainda, Allan Kardec, na “Revista Espírita” de julho de 1861, publicou uma carta recebida do senhor Repos, advogado em Constantinopla, dizendo que, naquela localidade, ocorriam manifestações musicais dos Espíritos: “Já temos um grande número de médiuns escreventes; outros fazem desenhos; outros ainda compõem trechos de música, mesmo quando ignoram essas artes; outros, mediunizados, executam árias ao piano, inspirados pelos Espíritos”. A Música do Espírito de Mozart em Bordéus Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

13


Além disso, Allan Kardec, na “Revista Espírita” de novembro de 1861, publicou um artigo intitulado “O Espiritismo em Bordéus”, mencionando que: “Encontramos em Bordéus muito numerosos e muito bons médiuns em todas as classes, de todos os sexos e idades.” (...) “Entre os médiuns que vimos, um há que merece menção especial”. “É uma jovem de dezenove anos que, à faculdade de escrevente, alia a de médium desenhista e músico”. “Ela anotou mecanicamente, sob o ditado de um Espírito, que disse ser Mozart, um trecho de música que não o desacreditaria”. “Assinou-o, e várias pessoas, que viram os seus autógrafos, afirmaram a perfeita identidade da assinatura”. A Música Celeste nas Festas na Vida Espiritual Allan Kardec, na “Revista Espírita” publicou dissertações de Espíritos, através de diferentes médiuns, dizendo que:  Os Espíritos usam a música nas festas de recepção dos bons Espíritos que deixam a vida terrena.  As festas na vida espiritual são animadas por músicos que cantam melodias maravilhosas e deslumbrantes. Exemplo disso, está no seguinte texto: “Entre nós, nossas festas têm um encanto indescritível”. “Milhões de músicos cantam em liras harmoniosas as maravilhas de Deus e da Criação, com acentos mais deslumbrantes que vossas mais suaves melodias”. Audição da Música Celeste Allan Kardec, na “Revista Espírita” de novembro de 1868, publicou uma carta de Mulhouse, narrando a experiência que um jovem teve com a audição da música do mundo invisível. Esse jovem escreveu o seguinte: “Fui testemunha e objeto de um fenômeno estranho, do qual só me dei conta depois de haver lido ‘O Livro dos Espíritos’ e ‘O Livro dos Médiuns’”. “Uma música fazia-se ouvir no ar ambiente da sala e acompanhava o meu violino, no qual tomava lições naquela época”. “Eram acordes perfeitos, cuja harmonia era tocante; dir-se-ia uma harpa tocada com delicadeza e sentimento”. “Algumas vezes éramos umas doze pessoas reunidas e, sem exceção, todos ouvíamos”. Ernesto Bozzano e a Música Transcendental Na Itália, em 1922, Ernesto Bozzano publicou, na terceira parte do seu livro “Fenômenos Psíquicos no Momento da Morte”, 30 casos envolvendo a audição de música transcendental. Com esse estudo inédito, Ernesto Bozzano demonstrou que a música transcendental pode ser ouvida em qualquer lugar e não somente nas sessões espíritas de efeitos físicos inteligentes produzidos pelos Espíritos. Ela pode ser ouvida: Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

14


 Por ocasião da morte de uma pessoa, os presentes no velório escutam uma música diferente.  Quando alguém chega à beira da morte, escuta uma música maravilhosa.  Para anunciar o falecimento de um ente querido, que vai ser comunicado depois.  Em contato com a natureza; em igrejas; em casa; em ruínas; e em cemitério.  Durante o sono ou e em estado de desprendimento sonambúlico.  Na presença de diversas pessoas, por diversas vezes e em diferentes ocasiões. Esse livro de Ernesto Bozzano enriqueceu a literatura espírita e foi publicado no Brasil pela Federação Espírita Brasileira. A Música Mediúnica dos Grandes Mestres Através da Mediunidade Musical de Rosemary Brown O livro de Rosemary Brown, publicado na Inglaterra com o título de “Unfinished Symphonies: Voices From The Beyond”, contém os detalhes das suas atividades mediúnicas musicais e do grande sucesso alcançado junto ao público. Esse trabalho mediúnico começou em março de 1964, quando o Espírito de Franz Liszt comprometeu-se a transmitir-lhe novas composições musicais que havia feito no mundo dos Espíritos. Depois disso, os Espíritos de outros compositores famosos integraram-se ao trabalho: Chopin, Schubert, Beethoven, Bach, Brahms, Schumann, Debussy, Grieg, Berlioz, Rachmaninoff e Monteverdi. A médium nunca teve uma educação musical abrangente; qualquer conhecimento das técnicas específicas de composição de músicas; ou qualquer habilidade para fazer orquestração. Quando algum crítico musical tentava explicar o fato mediúnico dizendo que certamente a sua habilidade decorria da notável formação musical que tivera na infância, a médium explicava: “Para mim, naquele tempo, um par de sapatos novos tinha um significado muito maior do que ingressos para um concerto de música clássica. Na realidade, raramente sobrava dinheiro para comprar sapatos, e, certamente, nenhum para concertos”. O próprio Espírito de Franz Liszt deu à médium a explicação do porque ela foi a escolhida para transmitir aos homens a música celeste: “Porque você se ofereceu muito antes de nascer”. “Quando você vivia um outro aspecto de sua existência, você concordou em ser o elo de ligação entre nós e o mundo”. “Antes de você nascer, quando acedeu em ser a nossa medianeira, você teve que concordar em passar por uma série de sofrimentos de modo a tornar-se mais sensitiva”. “Se tivesse tido uma educação musical completa, isto não nos auxiliaria absolutamente em nada”. Esse mesmo Espírito disse ainda à médium que o seu trabalho mediúnico tinha a finalidade de mostrar aos homens que a morte do corpo físico é apenas uma transição para um outro estado de consciência, no qual a alma conserva sem alteração a sua individualidade. A obra mediúnica de Rosemary Brown teve uma forte repercussão junto ao público quando foi lançado um “long-play”, em maio de 1970, contendo músicas de oito compositores de renome internacional, vindas do outro lado da vida. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

15


Depois disso, o número de músicas mediúnicas cresceu rapidamente, reunindo um acervo de cerca de 400 peças musicais inéditas, contendo canções, composições para piano, quartetos, óperas, concertos e sinfonias. Ainda, em resposta aos que a criticavam, não acreditavam ou se opunham ao seu trabalho junto aos Espíritos de compositores famosos, a médium respondeu: “Os compositores são limitados pela minha própria limitação, e pelas dificuldades de transmissão”. “Qualquer pessoa que conheça música sabe que eu teria que ser quase um gênio musical para ter obtido tudo isso sozinha”. “Eu com toda a certeza teria que ser uma musicista verdadeiramente brilhante para ter escrito, sozinha, todos aqueles estilos diferentes de música”. Mas, as obras dos Espíritos eram tão maravilhosas e surpreendentes que falavam por si junto ao público e os meios de comunicação. Então, a médium recebeu o reconhecimento público e o aval da BBC de Londres e de músicos famosos como Mary Firth, Richard Rodney Bennet e Leonard Bernstein. Assim, Rosemary Brown provou de modo convincente que as almas de grandes mestres da música tinham sobrevivido à morte do corpo material; mantiveram a sua individualidade e as suas habilidades musicais; se comunicado através da sua mediunidade musical para transmitir aos homens novas composições que haviam elaborado na vida espiritual. Manifestações Musicais dos Espíritos no Brasil Os Casos Peixotinho, Fábio Machado e Carlos Mirabelli Aqui no Brasil, nós tivemos três notáveis médiuns que permitiram a realização de sessões espíritas de manifestações físicas inteligentes dos Espíritos. Os fenômenos espíritas aqui ocorridos não ficaram devendo em nada para os que ocorreram na Europa. Nas sessões espíritas realizadas pelos médiuns Peixotinho e Fábio Machado, músicas eram tocadas pelos Espíritos; os Espíritos Scheilla e Aracy compuseram e ofertaram músicas de hinos, pela escrita direta, às pessoas presentes. Nas sessões realizadas pelo famoso médium Mirabelli, ouvia-se música transcendental, com sons metálicos e de campainha. Numa dessas sessões, ocorreu a manifestação do Espírito Patapio Silva, famoso flautista brasileiro, que executou para os presentes muitas músicas conhecidas, surpreendendo a todos. Detalhes dessas manifestações musicais dos Espíritos podem ser encontradas facilmente nas biografias desses importantes médiuns brasileiros. A Mediunidade Musical de Jorge Rizzini Ainda aqui no Brasil, nós tivemos um grande médium musical. Trata-se de Jorge Toledo Rizzini. Ele recebeu dos Espíritos de compositores famosos inúmeras músicas inéditas que serviram para a publicação dos Discos: Compositores do Além, volumes 1, 2 e 3; Marchas Mediúnicas; e Músicas do Além. Os Espíritos que lhe transmitiram essas músicas foram: Lamartine Babo, Ataulfo Alves, Ary Barroso, Francisco Alves, Noel Rosa, Verdi, Puccini, Carlos Gardel, Duke Ellington, John Philip Souza, dentre outros. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

16


Essas músicas, com o estilo próprio de cada compositor, foram gravadas por cantores famosos da época, que reconheceram e prestaram depoimentos sobre o estilo de cada compositor. Além disso, esse médium realizou os famosos Festivais de Música Mediúnica, que agitaram a sociedade brasileira, inclusive no famoso Teatro Municipal de São Paulo. Quando perguntado sobre a sua formação musical, Jorge Rizzini respondia: “Nunca estudei música. Não toco nenhum instrumento, nem de ouvido. E o pior: não canto de modo afinado”. Informações detalhadas sobre esse trabalho espírita de Jorge Rizzini pode ser encontrado na internet no blog: http://jorge-rizzini.blogspot.com. NOTA: Atualmente, temos no Movimento Espírita muitos outros médiuns musicais. Eles se dedicam ao trabalho, com resultados muito bons. A Música Celeste nos Livros Espíritas Psicografados no Brasil No Brasil, nós temos muitos livros psicografados por médiuns famosos, tais como: Chico Xavier, Divaldo Pereira Franco, Carlos Baccelli, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, dentre muitos outros. Muitos desses livros dão notícias da existência da música no mundo dos Espíritos. Em alguns deles, encontramos narrativas muito detalhadas de como os Espíritos usam a música celeste em suas mais variadas atividades. Como exemplo disso, destacamos apenas três notícias interessantes que estão contidas na série de livros do Espírito André Luiz, psicografados por Chico Xavier e publicados pela Federação Espírita Brasileira: “Setenta e duas figuras começaram a cantar harmonioso hino, repleto de indefinível beleza. O cântico celeste constituía-se de notas angelicais, de sublimado reconhecimentos”. (...)“As cordas afinadas casaram os ecos de branda melodia e a música elevou-se, cariciosa e divina, semelhante a gorjeio celeste”. (...) “Harmonioso coro de uma centena de vozes bem afinadas cantou inolvidável hino de louvor ao Supremo Pai, arrancando-me copiosas lágrimas”. Conclusão Como vimos, os fatos espíritas comprovam a existência da música celeste. Esses fatos estão registrados ou documentados nas obras de autores e médiuns famosos: Allan Kardec, Léon Denis, Ernesto Bozzano, Arthur Conan Doyle, Reverendo G. Vale Owen, Anthony Borgia, Rosemary Brown, Peixotinho, Fábio Machado, Carlos Mirabelli, Jorge Rizzini, Francisco Cândido Xavier, Yvonne A. Pereira, Divaldo Pereira Franco, Carlos Bacceli, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, dentre muitos outros. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

17


Portanto, a tese da existência da música celeste passa com facilidade pela Universalidade do Ensino dos Espíritos, estabelecida por Allan Kardec: “A única garantia segura do ensino dos Espíritos está na concordância das revelações feitas espontaneamente, através de um grande número de médiuns, estranhos uns aos outros, e em diversos lugares”. Portanto, na vida futura, nossa alma não sentirá saudades da nossa linda arte que é a música terrena. Ela continuará em nossa companhia, sob a denominação de música celeste, alimentada por Espíritos que se dedicam a ela. Essa música grandiosa, bela e sublime, cultivada como todas as ciências e artes na vida espiritual, torna-se mais elevada ainda nas esferas espirituais habitadas pelos Espíritos bons ou superiores. Por Geziel Andrade Transcrito do site: http://gezielandrade-espiritismo.blogspot.com.br/ JUVENTUDE JUVENTUDE E GENTILEZA Por certo, não desconheces as conseqüências dessa onda de egoísmo que recrudesce no seio social, toda vez em que os valores educativos não se fazem prezados. A bem da verdade, bem poucas têm sido as pessoas ocupadas em trabalhar essa dimensão da personalidade, qual seja a do altruísmo, tornando-se úteis à dinâmica da vida planetária. Encharcados de personalismo, os indivíduos falam somente de si, disputam nonadas para si, recorrem a favores diversos apenas para si, sufocando-se no esquife do egoísmo, mais e mais. Nas atividades cotidianas, esses egoístas aproveitam-se de todas as chances possíveis para driblarem os outros, tendo a sensação de serem mais astutos, mais vivos, mais sabidos, dando vazão ao intimo doente. Se devem enfrentar as filas variadas, desse ou daquele tipo, para serem atendidos a seu tempo, tratam de descobrir pessoas conhecidas, localizadas à frente, que lhes facilite passar para posições privilegiadas, quando não invadem abusivamente, elas mesmas, o espaço dos que aguardam dignamente. Crêem-se mais apressados ou com mais compromissos que os demais. Entretanto, para o egoísta, tanto faz seja a fila bancária, ou dos cinemas e outras diversões, o que deseja é passar à frente dos outros, porque lhe impacienta a espera ou por vício, sempre alimentado. Os males do caráter, desenvolvidos e alicerçados no egoísmo, não se limitam. Nas conduções populares, o acomodado egoísta vê pessoas idosas, mulheres gestantes, criaturas visivelmente enfermas, viajando de pé, sob ingentes sacrifícios, sem qualquer sensibilização, mantendo-se assentados, indiferentes. Em outros momentos, vemos crianças e moços assentados, ao lado de seus pais, que acompanham a tudo, fazendo de conta que não estão vendo ou entendendo o que se passa. A disputa generalizada por entrar ou sair primeiro dos lugares de muita gente, quantos acidentes há provocado? E os desentendimentos e guerras mentais que se Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

18


somam, incontáveis? A marca do egoísmo, assim, mostra-se em toda parte, entre as mais diversas personalidades. Avaliando esse quadro que se forja nos grupos sociais, percebe, meu jovem companheiro, quantas ocasiões de conquista salutar para a alma têm sido postergadas. Verifica, desse modo, como tens agido, em relação à gentileza. Se constatares que não tens estado sintonizado com ela, esforça-te para alcançá-la. Se te encontrares em algum transporte coletivo, valendo-te do vigor da tua mocidade, não esperes que te solicitem. Oferece o teu assento para quem dele precise, demonstrando os valores que te lucilam no íntimo. E é tão pouca coisa. Evita que tombe uma gestante ou um velho; impede que se fira uma pessoa obesa ou doente, e sintas as alegrias de ser útil. Diante das filas, enfrenta-as. Tu podes fazê-lo. Se tiveres pressa, chega mais cedo. Não sobrecarregues os amigos que encontres com teus pedidos, embora possas pedir a alguém que te guarde o lugar e, quando chegues, esse alguém, então, sairá. A virtude costuma parecer tolice, quando começamos a exercitá-la. Depois, transformase em luz tão ampla que não mais a dispensamos. Ao atravessar a via pública, vê se por perto não haverá um velhinho, um cego, alguém a quem possas ajudar na travessia. Far-te-á imenso bem essa atitude. Coopera com alguém que sobe ou desce uma escada com fardos e bolsas pesados. Dá-lhe pequena ajuda e recolhe, nas vibrações agradecidas, verbalizadas ou não, as alegrias de servir. Abre uma porta para esse ou aquele, dando-lhe passagem, gentilmente, seja em tua casa, seja num elevador, seja onde for, e sintas a euforia de ser atencioso. À principio, terás que fazer esforços; com o tempo a gentileza será parte de ti. Juventude, se pretendes influir no mundo para modificar-lhe as bases de vida social, que sabes tão complexa e perturbadora, começa com teu empenho, com a tua contribuição. Na gentileza exemplificada por ti, verás que a postura egocêntrica vai sendo transformada, e que, ao te sentires mais leve e feliz, não te preocuparás com a gratidão ou não dos beneficiários da tua solicitude, porque, para o teu coração, valerá a cooperação que prestas à Vida, a cooperação com a Obra de Deus. Segue, então, adiante. Contagia os teus amigos e afetos com a tua atitude gentil, ajudando a extinguir o egoísmo do mundo. José Raul Teixeira – Pelo espírito de Ivan de Albuquerque – Livro: Cânticos da Juventude. Transcrito do site: http://www.cepaccuritiba.org.br/index.php/juventude-gentileza LINDOS CASOS DE CHICO XAVIER CASO 40 – A MORTE DO CÃO LORDE José e Chico Xavier possuíam um lindo cão. Chamava-se Lorde. Era diferente de outros cães. Possuía até dons mediúnicos. Conhecia, nas pessoas que visitavam seus donos, quais os bem intencionados, quais os curiosos e aproveitadores. Dava logo sinal, latindo insistentemente ou mudamente balançando a cauda, à chegada de alguém, dizendo nesse sinal se a Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

19


visita vinha para o bem ou para o mal... Chico conta-nos casos lindos sobre seu saudoso cão. Depois, tristemente, acrescenta: — Senti-lhe, sobremodo, a morte. Fez-me grande falta. Era meu inseparável companheiro de oração. Toda manhã e à noite, em determinada hora, dirigia-me para o quarto para orar. Lorde chegava logo em seguida. Punha as mãos sobre a cama, abaixava a cabeça e ficava assim em atitude de recolhimento, orando comigo. Quando eu acabava, ele também acabava e ia deitar-se a um canto do quarto. Em minhas preces mais sentidas, Lorde levantava a cabeça e enviava-me seus olhares meigos, compreensivos, às vezes cheios de lágrimas, como a dizer que me conhecia o íntimo, ligando-se a meu coração. Desencarnou. Enterrei-o no quintal lá de casa. Lembramos ao Chico o Sultão, inteligente cão do Padre Germano. Igual ao Lorde. Falamos-lhe de um cão que possuímos e se chamava Sultão, em homenagem ao padre Germano. Contou-nos casos do Lorde; contamos­lhe outros do Sultão. E, em pouco, estávamos emocionados. Ah! Sim, os animais também têm alma e valem pelos melhores amigos! Transcrito do livro “Lindos Casos de Chico Xavier” de Ramiro Gama. MENSAGEM ESPÍRITA ESPIRITAS É provável que ao observador atento o título deste texto lhe chame a atenção. Caso compartilhe com outros seu achado, até já imagino o que, com certeza, meus ouvidos registrariam: Que absurdo, o espírito é analfabeto, não sabe as regras de ortografia. Talvez seja falha do médium. Um esquecimento que deve ser relevado. Um erro de digitação... E muitos comentários ainda poderiam surgir. Mas nada do que foi exposto reflete a verdade. Foi de propósito o ocorrido. Sinceramente temos visto, inseridos nas Casas Espíritas, mais espiritas que espíritas. Nunca estão por completo nas atividades. Quando não chegam atrasados, ausentam-se mais cedo. Os relógios que alguns trazem nos pulsos são um problema, que dificilmente conseguem administrar porque tão preocupados se revelam com horários que chegam a bloquear, mesmo inconscientemente, um contato mais ostensivo com o Plano Espiritual. Deparam-se com extremas dificuldades para concentrarem-se e servir sem desembaraço. Estão na casa, mas, comumente, seus interesses ficaram lá fora. Aborrecem-se com as tarefas porque são seduzidos pela rotina. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013 20


É com extrema dificuldade que se aderem a uma tarefa, no curso da semana. Estão sempre exaustos e apressados para irem embora. Poderíamos chamá-los de espíritas de metade, e usando dos recursos da metáfora, incontestavelmente, lhes falta o assento da palavra já que, posto no seu devido lugar, expressa eloquência, dinamismo, alegria, entusiasmo, vida e ardor. Então meu amigo, hoje mesmo reverta a situação e passe a ser um companheiro completo, e entusiasta nas atividades da casa à qual você está filiado. Traga sua alma à frente de seu corpo. Kelvin Van Dine – Mensagem psicografada pelo Médium Alaor Borges Jr em reunião pública de 22/04/2012, no Lar Espírita Irmã Valquíria, na cidade de Uberaba-MG. TRABALHO IMPORTANTE ICEB – INSTITUTO DE CULTURA ESPÍRITA DO BRASIL O Instituto de Cultura Espírita do Brasil tem suas raízes na antiga Faculdade Brasileira de Estudos Psíquicos, do então estado da Guanabara. E nas palavras do próprio Deolindo: “É provável que muitos confrades nossos, no próprio meio espírita, desconheçam a história da Faculdade Brasileira de Estudos Psíquicos, iniciativa e realização de um grupo de idealistas”. Conta-nos Deolindo que “o maior objetivo da Faculdade de Estudos Psíquicos era justamente despertar interesse pelos estudos espiritualistas em geral, e, de um modo especial, melhorar o nível intelectual de doutrinadores e expositores da Doutrina Espírita, dandolhes oportunidade franca de formar um lastro de cultura capaz de atender às próprias exigências da vida moderna em relação à divulgação da doutrina. Foi sob esta feliz inspiração que nasceu a Faculdade. Entre seus fundadores e professores, havia elementos oriundos de diversas correntes espiritualistas: umbandistas, teosofistas, esoteristas, etc., mas alguns espíritas logo se juntaram ao grupo, justamente porque compreenderam e sentiram os objetivos da iniciativa”. Impunha-se assim o cenário onde o ICEB lançaria suas raízes – espaço aberto para todas as crenças. Por que Instituto? “De reforma em reforma do ensino no Brasil, chegamos a um ponto em que na realidade, já não havia lugar para Faculdades Livres. Depois da II Guerra, entretanto, a sociedade em geral sofreu transformações intensas e inevitáveis. Nossa Faculdade já estava a bem dizer deslocada como estabelecimento livre, diante de fenômenos conjunturais e inteiramente novos”. “Dificuldades e mais dificuldades. E tudo isso por causa do nome: Faculdade. É que os tempos já eram outros, e não podíamos deixar de reconhecer a contingência em que nos encontrávamos, por força das mudanças sociais”. E complementa Deolindo: “Nosso objetivo era bem outro: a cultura espiritual, servindo-se da cultura humana como instrumento”. “O nome Instituto tem sentido mais elástico e, por isso, não traz implicações de Faculdade, que já é uma estrutura específica, regida por leis próprias.”, afirmava Deolindo. O Nome “A ideia de Instituto, muito antes, já havia sido ventilada pelo saudoso confrade Artur Machado, antigo vice-presidente da Liga Espírita. Artur Machado pensava na criação de uma sociedade do tipo de Instituto e chegou a promover reuniões em sua Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013 21


residência, na Rua André Cavalcanti. Houve um projeto ou esboço de estatuto, com a colaboração do general Araripe de Faria, lembro-me bem. Foi há muito tempo”. “O nome do Instituto de Cultura Espírita do Brasil não foi imposto, não foi lançado de um jato”. Não. Foram propostas, em assembleia, pelo menos três denominações:  Instituto de Estudos Espíritas – proposta pelo Cel. Delfino Ferreira  Instituto Brasileiro de Espiritismo  Instituto de Cultura Espírita do Brasil O Dr. Carlos Imbassahy ainda sugeriu “Instituto de Ciência Psíquica”. Houve votação. Não foi escolha individual. Apurada a votação da assembléia, venceu o nome Instituto de Cultura Espírita do Brasil por maioria de votos”, relembra Deolindo. Nem Fusão, Nem Transformação Continua Deolindo: “Cessado o compromisso com a Faculdade, cogitou-se logo de criar um Instituto espírita, sem vínculo estatutário com aquela Instituição. Fundou-se o Instituto no dia 7 de dezembro de 1957, em assembléia realizada na sede da Liga Espírita. Continuaram os antigos professores e vieram outros”. Nem fusão, nem transformação, como dizia Deolindo. “O Instituto veio, como se vê, depois da Faculdade Brasileira de Estudos Psíquicos, não é o resultado de uma fusão nem transformação. A Faculdade ficou e o Instituto surgiu, por necessidade, e dentro de outro quadro de circunstâncias”. Por que um Curso Regular de Espiritismo Iniciava-se assim a trajetória do Instituto. Questionado de por que o Instituto de Cultura Espírita do Brasil desempenhava seu papel através de um curso regular de Espiritismo, Deolindo respondeu: “O Instituto é uma entidade nova, mas não tem a pretensão de ser original, visto como a ideia de cursos de Espiritismo é muito mais antiga do que a nossa geração, conquanto muitas pessoas ainda vejam nisto um arremedo acadêmico, sem utilidade para o progresso do Espírito. Não é verdade, e é o bom senso, é a experiência que o demonstra. Que nos baste apenas recordar que partiu do próprio Allan Kardec a primeira ideia de um curso regular de Espiritismo. Está em “Obras Póstumas”, no projeto de 1868, já muitas vezes citado. Um curso – dizia ele – para “desenvolver os princípios da ciência e difundir o gosto pelos estudos sérios”. A Ideia, portanto, vem de longe. Kardec, com a sua iluminação espiritual, já previa há quase um século, a repercussão do Espiritismo também na cultura humana, e por isso ele próprio chegara a dizer que o Espiritismo ainda viria retificar os erros da História.”. “É indispensável que a cultura humana jamais venha a sobrepujar a cultura espiritual”, continua Deolindo Amorim. ”Isto seria a inversão da ordem lógica. Um Curso de Espiritismo deve ter a preocupação precípua dos valores espirituais sem subestimar os valores do mundo. O perigo está em trocar as posições e fazer da cultura humana o fim quando ela é apenas um meio. O conhecimento humano abre o caminho, mas não é o ponto final da jornada, porque o espírito não pode progredir sem melhorar o seu sentimento, sem se elevar moralmente pelas realizações íntimas, embora lhe seja necessária a ciência humana”. Nasce a Missão do ICEB – Espaço Aberto para todas as Crenças Observava Deolindo: “A orientação básica do Instituto de Cultura Espírita do Brasil não pode sair desta linha de pensamento. Se é a Verdade que nos torna livres, como ensina o Evangelho, nosso insubstituível código de moral, precisamos e devemos marchar em busca da Verdade nos dois planos, que se completam e nunca se repelem: a da cultura humana e o da cultura espiritual”. E conforme Deolindo preconizava: “é exatamente sob esta linha que se trabalha no Instituto de Cultura Espírita do Brasil. Não desejamos Espiritismo acadêmico, mas também não desejamos Espiritismo devocional. Por entender assim é que o Instituto Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

22


procura ser, com a ajuda do Alto e com a participação de todos os confrades, expositores e amigos, nada mais do que isto: um centro de estudos espíritas, visando a uma cultura capaz de transpor as limitações conceituais e projetar nossa vida no plano do Espírito pelo trabalho, pelo conhecimento e pelo amor, sob a inspiração da Sabedoria Divina”. O ICEB Hoje – Visão de Totalidade na Diversidade E orientadas por esta diretriz, atraídas por este ideal as pessoas foram chegando, foram somando, cada um dentro de suas afinidades, de acordo com suas condições e possibilidades. Passo a passo, pouco a pouco foi se formando uma grande rede, integrada, unificada e iluminada pela fraternidade. E paulatinamente o Instituto de Cultura Espírita do Brasil foi criando sua própria personalidade. Foi se transformando em um organismo vivo, pulsante, autônomo e floresceu em toda sua amplitude. Mas isso foi resultado da perseverança de dedicados e corajosos obreiros, pelo idealismo sadio que a todos empolgou em especial aos pioneiros que acenderam as primeiras luzes. O ICEB é uma grande chama com o fogo da fraternidade acesa permanentemente, aonde, de tempos em tempos, um companheiro, estudioso e difusor da Doutrina Espírita vem buscar a sua pequena chama para fazê-la crepitar em seu núcleo de trabalho, fazendo renascer nos corações dos homens a solidariedade, a caridade, a harmonia, a tolerância, o amor ao próximo. Vivemos um século novo. À nossa frente à resolução dos grandes problemas do relacionamento humano. Anteriormente resolvemos bem as questões da inteligência. Agora é a hora da convivência sadia, construtiva, amena, pacífica, feliz. Uma nova renascença se faz presente, um novo modelo se estabelece, onde se busca a valorização do homem como ser integral, pleno, uno em sua razão, seus sentimentos, suas emoções e sensações. “Chegou a hora do encontro da ciência com a espiritualidade. Chegou o tempo da sabedoria humana e espiritual, de fraternidade pessoal e coletiva, de uma postura terapêutica de cada um em relação a todos. A responsabilidade social decorrerá da renovação ética e moral, da substituição do egoísmo pelo altruísmo e da compreensão de que o evangelho vivido é caridade aplicada”. Diante da mudança de paradigma que hoje se verifica, onde a busca pela visão de totalidade, da integração e interconexão de tudo e de todos começa a ser uma constante em todas as áreas do conhecimento humano, onde a reformulação de modelos mentais e a construção de novos relacionamentos são condição “sine qua non” de sustentabilidade, a educação e a construção do novo homem se tornaram o centro do futuro da humanidade planetária. Dentro deste contexto que se estabelece, está atuando o Instituto de Cultura Espírita do Brasil, alimentado pelo mesmo ideal de seus fundadores, produzindo um novo fazer, um novo saber, um novo sistema de crenças e valores, buscando a construção de um tempo novo. PERSONALIDADES DE DESTAQUE NO MOVIMENTO ESPÍRITA ALFREDO MOLINARO Nasceu aos 26 de outubro de 1908, no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro e desencarnou em 21 de julho de 1967. Filho de D. Maria Perrota e Salvador Molinaro, ambos de nacionalidade italiana. Cedo terminou o curso ginasial, matriculando-se na Escola Militar a 1º de abril de 1927, donde saiu Aspirante em 1932. A 19 de agosto de 1933 era promovido ao posto Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

23


de 1º Tenente, casando-se no dia 28 de novembro desse mesmo ano, com a jovem Dulce Costa Ferreira. De formação católica, a religião de seus pais, porém, não o satisfazia e, ainda como aspirante, procurou freqüentar algumas sessões espíritas a título de curiosidade, levado por alguns colegas, sem contudo encontrar nada de novo, não era aquilo que procurava. Em 1938, foi promovido a Capitão; em 1946, a Major; em 1951, a Tenente-Coronel e, finalmente, em 1958, ao posto de Coronel, final de sua carreira militar na ativa. Sua situação, como militar, foi das mais brilhantes e convém notar que a partir do posto de Capitão, todas as suas promoções foram por merecimento. Em 1961, pediu transferência para a reserva, recebendo duas promoções a que tinha direito, foi a General de Divisão e condecorado com as três medalhas por tempo de serviço: bronze, prata e outro e ainda as medalhas do Pacificador e do Mérito Militar. Em 1944, começou a freqüentar uma sessão espirita, dirigida por D. Dinorah Simas Enéias, a famosa médium desenhista, no Grupo Espírita "Casa de Ismael" no bairro da Tijuca. Ali começou a se desenvolver como médium psicógrafo, recebendo várias mensagens que o abalaram profundamente, passando daí a estudar ardorosamente a Doutrina codificada por Allan Kardec. Inteligência privilegiada e estudioso, entusiasmou-se de tal maneira que não parou mais, lendo com avidez toda a bibliografia espírita e todos os seus autores, aprofundando-se no assunto de que já estava convicto. Com sua maneira prodigiosa de pesquisador, assimilava tudo com a maior facilidade. Em 1953, foi escolhido e nomeado Chefe da Missão Militar Brasileira no Paraguai, chefiando 15 oficiais de várias armas. Destacou-se pelo seu brilhantismo e entusiasmo e foi agraciado com a medalha da Cavalaria Paraguaia e com a Ordem Nacional del Mérito no grau de Grã-Oficial, quando o comum seria receber apenas o de Comendador. Em 1947, foi servir em Juiz de Fora no Estado de Minas Gerais e lá começou a freqüentar uma sessão no “Grupo de Efeitos Físicos Hadaget”, observando a seriedade dos trabalhos produzidos por aquele grupo, tornou-se assíduo freqüentador, chegando mais tarde a ser eleito seu Presidente por unanimidade de votos, pelo espírito de trabalho e seu ardor nos estudos ali realizados. No campo da divulgação da Doutrina, salientou-se na luta iniciando um programa de conferências doutrinárias em várias cidades e Estados do Brasil. Seareiro invulgar pôs o seu cabedal intelectual a serviço da causa, que tanto amou. Participou de numerosas Semanas Espíritas, interessado também no setor da Evangelização da criança e das Mocidades Espíritas, muito contribuiu nesse trabalho. Seu amor pela Doutrina era ilimitado, divulgando-a por todos os meios e formas, quer através da imprensa falada, escrita ou televisionada, quer através do seu verbo fácil, na oratória, na polêmica ou no debate, com grande satisfação colaborava em qualquer atividade onde fosse solicitado, inclusive fazendo-o até financeiramente, custeando viagens de companheiros conferencistas que não dispunham de meios, trazendo-os ou levando-os a outras cidades. Formou biblioteca respeitável com obras raras, ávido de conhecimento e saber, era propagandista do livro espírita e da boa leitura a fim de que todos pudessem ilustrar-se e adquirir conhecimentos. Espírito combativo, kardequiano intransigente, não admitia que se considerasse Allan Kardec ultrapassado, conhecia toda obra do Mestre profundamente e era capaz de dizer na íntegra qualquer pergunta do “Livro dos Espíritos” ou outra obra qualquer da codificação. Por várias vezes assumiu a tribuna em defesa da Doutrina. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

24


Certa vez um padre católico estava fazendo uma campanha contra o Espiritismo pela Rádio Juiz de Fora e ele, ao tomar conhecimento do fato, foi á Rádio e frente ao microfone refutou com base tudo aquilo que o sacerdote dizia, deixando-o sem argumentos. Elementos do clero de Juiz de Fora queixaram-se ao Comandante da 4ª Região Militar, vindo uma petição contra ele para o Estado-Maior, no Rio, porém, pelo seu conceito e integridade nas fileiras do Exército, quiseram arquivar a parte, no entanto, ele fez questão que prosseguisse, a fim de haver um esclarecimento, a bem da verdade, e poder publicamente defender a Doutrina que esposava, se ela continuasse a ser vilmente desrespeitada como estava sendo feito naquela cidade através de uma estação de Rádio, infelizmente só não o fazendo, pela condição de oficial das Forças Armadas, em face da Constituição Federal, que o impedia dessa defesa pública. No Rio, juntamente com o Dr. Carlos Imbassahy, Deolindo Amorim, José Alberto Menezes e outros companheiros, enfrentou a televisão para também defender a Doutrina Espírita, atacada pelo Padre Quevedo, que assim encontrou idealistas não menos inteligentes que, à luz da verdade, puseram por terra os seus argumentos. Assim era Molinaro, inteligente, culto, modesto, meditador, porém intransigente na defesa do Espiritismo. LUCENA, Antônio de Souza e GODOY, Paulo Alves. Personagens do Espiritismo. Edições FEESP, 1982. 1ª edição, SP. Transcrito do site: http://www.feparana.com.br/biografia.php?cod_biog=18 DATAS IMPORTANTES DO ESPIRITISMO MÊS DE JUNHO Dia 04 de 1867 – Bezerra de Menezes, segundo os Anais da Câmara dos Deputados, ocupa pela primeira vez a tribuna em defesa de causas nobres. Dia 05 de 1947 – Em São Paulo, São Paulo, realizado o Primeiro Congresso Educacional Espírita Paulista, ocasião em que é fundada a União das Sociedades Espíritas de São Paulo, sendo o primeiro Presidente Edgard Armond. Dia 08 de 1847 – Em Chaves, Portugal, nasce Monsenhor Manuel Alves da Cunha, missionário da caridade na África. Desencarna em Luanda, África, em 4 de junho de 1947. Dia 10 de 1854 – Em New York, EUA, é constituída a primeira sociedade para estudo e difusão do Espiritismo, tendo dentre os seus membros o Juiz Edmonds e o Governador Talmadge, de Wisconsin, criando-se na mesma oportunidade o jornal The Cristian Spiritualist. Dia 11 de 1941 – Fundada a Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, sendo seu primeiro Presidente Dr. Levindo Gonçalves de Mello. Dia 12 de 1851 – Nasce Sir Oliver Lodge em Penkhull, Staffordshire, Inglaterra, físico e cientista, pesquisador dos fenômenos mediúnicos. Desencarna em 22 de agosto de 1940. Dia 12 de 1856 – Em Paris, França, Allan Kardec, por intermédio da médium Aline C., recebe a confirmação do Espírito de Verdade a respeito da sua missão. Dia 14 de 1853 – O Jornal do Comércio do Rio de Janeiro noticia o fenômeno das Mesas Girantes, nos Estados Unidos e na Europa. Dia 14 de 1881 – Nasce em Liège, Bélgica, José Lhome, divulgador do Espiritismo, Presidente da Federação Espírita da Bélgica. Desencarna em 3 de maio de 1949, na mesma cidade. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

25


Dia 14 de 1900 – Funda-se em Buenos Aires a Confeceración Espiritista Argentina. Dia 15 de 1974 – A Editora Thomas Cromwell Company, dos EUA, lança o livro O cirurgião da faca enferrujada, do escritor John Fuller, versando sobre as operações do Espírito Dr. Fritz, pelo médium José Arigó. Dia 16 de 1871 – William Crookes entrega à Rainha Vitória da Inglaterra relatório confirmando a veracidade dos fenômenos mediúnicos produzidos pela médium Florence Cook, com as materializações do Espírito Katie King e outros. Dia 17 de 1832 – Nasce em Londres, Inglaterra, William Crookes, químico e físico, que durante quatro anos pesquisou a mediunidade de Florence Cook, com as materializações de Kate King. Desencarna na mesma cidade, em 4 de abril de 1919. Dia 17 de 1985 – Em Tours, França, fundada a União Espírita Francesa e Francófona. Dia 18 de 1893 – Nasce em Sacramento-MG Edalides Milan de Rezende, irmã de Eurípedes Barsanulfo. Desencarna a 3 de março de 1984, em São Paulo-SP. Dia 24 de 1908 – Em Belo Horizonte, Minas Gerais, fundada a União Espírita Mineira – UEM, sendo seu fundador e primeiro Presidente Antônio Lima, fundador também do Jornal “O Espírita Mineiro”. Dia 25 de 1883 – Em Uberaba, MG, nasce o médium Anésio Siqueira. Desencarna em Campo Grande, MS, em 14 de janeiro de 1943. Dia 29 de 2008 – Na sede seccional da Federação Espírita Brasileira – FEB, no Rio de Janeiro, lançado o filme Divaldo Franco – Humanista e Médium Espírita. Presentes o presidente da FEB, Nestor Masotti, o produtor do filme Oceano Vieira de Melo, Divaldo Pereira Franco e o ator Ednei Giovenazzi, que faz a narração. Dia 30 de 1953 – No Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, fundada Sociedade Pró-Livro Espírita em Braille, tendo como principais responsáveis o Marechal Mário Travassos, Luiz Antônio Milleco e Marcos Vinícius Teles. Dia 30 de 1975 – Em Monte Carlo, Mônaco, realizado o 2º Congresso Internacional de Pesquisas Psicotrônicas, promovido pela The International Association for Psichotronic Research. Dia 30 de 2002 – Desencarna em Uberaba, MG, Francisco Cândido Xavier, cujo nome de nascimento é Francisco de Paula Cândido. Nasce em 2 de abril de 1910, em Pedro Leopoldo, MG. 06/1905 – Realiza-se em Liége, Bélgica, um Congresso Espiritualista Internacional. LIVROS DO “CLUBE DO LIVRO ESPÍRITA” DEPARTAMENTO – CLUBE DO LIVRO ESPÍRITA MARIA DOLORES Rua Artur Machado nº. 288 – sala 04 – Centro SOMBRAS DE UM SEGREDO – Pelo Espírito de Irmã Vitória – Psicografado por Berenice Germano Abrão Espanha, século 14. Na região de Castela, ao sul de Madri, em meio a um incêndio criminoso, a linda e jovem Raquel é arrancada de seu lar e começa uma fuga alucinada para salvar a própria vida. Dom Fernão, um nobre poderoso e enigmático, empreende feroz perseguição enquanto controla os senhores daquelas terras com ardilosas manipulações, realizando uma verdadeira caça às bruxas. Raquel não entende o que aquele homem tem contra ela. Qual o motivo de tanta hostilidade? O ódio e a violência deixam suas marcas. Contudo, a misericórdia divina é mais forte: no alto de uma colina, ela encontra um milagre e uma porta para a luz. Reflexões sobre os efeitos nefastos do Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

26


rancor e desejo de vingança, que adoecem almas e destroem existências, acarretando dolorosas consequências para aqueles que os nutrem. Diante da vida, a fé firme em Deus sempre será fonte segura de esperança e força para o espírito. VIVENDO UM GRANDE AMOR – Pelo Espírito de Ernesto – Psicografado por Izoldino Resende Depois da resistência a todas as dificuldades e ao tempo, ao completarem sessenta anos de idade, nos quais ficaram separados por quarenta e sete, os protagonistas reencontram-se para viver uma linda história de amor. A obra nos mostra que a melhor forma de sermos felizes é corrigindo os erros do passado, aproveitando as oportunidades que o Senhor proporciona e, principalmente, aprendendo a renunciar em nome do trabalho edificante. DRAMAS DA VIDA – Pelo Espírito de Augusto Lima – Psicografado por Mário Gomes da Silva Romance-estudo, tem por objetivo reunir conhecimentos com o intuito de buscar compreensão sobre os comportamentos do ser como criatura divina nos dois lados da vida. O personagem principal desta história vive um drama angustiante, buscando resgatar um passado repleto de indisciplina moral pela qual a justiça divina lhe impõe reajuste agora, por meio de circunstâncias excepcionais de vida. O GRANDE DESAFIO – Richard Simonetti Ao proclamar que o Reino de Deus está dentro de nós, Jesus deixa claro que não se trata de um local geográfico que se deve alcançar, mas da edificação de uma personalidade fiel aos princípios morais que nos regem, admiravelmente sintetizados por Ele. O Espiritismo reforça essa ideia ao explicar, segundo Allan Kardec, que o verdadeiro espírita será reconhecido pelos esforços empregados em favor de sua renovação, combatendo sem tréguas as próprias paixões. No estilo objetivo e bemhumorado do autor encontram-se excelentes subsídios, em leitura agradável e edificante, para você enfrentar esse desafio. SUGESTÃO DE LEITURA CAMINHO, VERDADE E VIDA – Pelo Espírito de Emmanuel – Psicografado por Francisco Cândido Xavier Comenta ensinamentos do Evangelho, ensinando não apenas a compreender a doutrina cristã, mas praticá-la em todos os momentos da vida. Um verdadeiro convite ao trabalho nobre e dignificante. A coleção Fonte Viva constitui valiosa fonte auxiliar de esclarecimento nos estudos dos textos evangélicos e instrumento essencial para aperfeiçoar os sentimentos, afinando-nos com as lições de humildade e amor ministrados e exemplificados por Jesus, ensinando a encontrar a paz na luta construtiva, o repouso no trabalho edificante, o socorro na dificuldade e o bem nos supostos males da vida. Coleção composta pelos livros: Caminho, verdade e vida, Fonte viva, Pão nosso, Vinha de luz e Ceifa de luz.

Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

27


FONTE VIVA – Pelo Espírito de Emmanuel – Psicografado por Francisco Cândido Xavier Comenta ensinamentos do Evangelho de forma original e atraente, ensinando a compreender a Doutrina Cristã e praticá-la em todos os momentos da vida. Encerra um verdadeiro convite ao trabalho nobre e dignificante. A coleção Fonte Viva constitui valiosa fonte auxiliar de esclarecimento nos estudos dos textos evangélicos e instrumento essencial para aperfeiçoamento dos sentimentos, afinando-nos com as lições de humildade e amor ministrados e exemplificados por Jesus. Coleção composta pelos livros: Caminho, Verdade e Vida; Fonte Viva; Pão Nosso; Vinha de Luz e Ceifa de Luz. PÃO NOSSO – Pelo Espírito de Emmanuel – Psicografado por Francisco Cândido Xavier Comenta ensinamentos do Evangelho, ensinando não apenas a compreender a doutrina cristã, mas praticá-la em todos os momentos da vida. Um verdadeiro convite ao trabalho nobre e dignificante. A coleção Fonte Viva constitui valiosa fonte auxiliar de esclarecimento nos estudos dos textos evangélicos e instrumento essencial para aperfeiçoar os sentimentos, afinando-nos com as lições de humildade e amor ministrados e exemplificados por Jesus, ensinando a encontrar a paz na luta construtiva, o repouso no trabalho edificante, o socorro na dificuldade e o bem nos supostos males da vida. Coleção composta pelos livros: Caminho, verdade e vida, Fonte viva, Pão nosso, Vinha de luz e Ceifa de luz. HUMOR ESPÍRITA – Para Prevenir

Jornal Espírita de Uberaba – Ano 6 – Nº 81 – Junho/2013

28


EDIÇÃO Nº 81