Issuu on Google+

Ano 4 – nº 57 – Junho/2011 – Responsável: Luiz Carlos de Souza (Trabalhador na seara espírita em Uberaba-MG / Brasil) TWITTER: http://twitter.com/jornalespirita SITE: www.issuu.com/jornalespiritadeuberaba www.jornalespiritadeuberaba.com “Jamais vos sintais sozinhos na luta. Estamos convosco e seguiremos ao vosso lado. Invisibilidade não significa ausência”. Eurípedes Barsanulfo

EVENTOS ESPÍRITAS DE UBERABA REUNIÃO LÍTERO MUSICAL DOUTRINÁRIA Palestra: “Espiritualidade e Envelhecimento” Palestrante: Adriano Roberto Tarifa Vicente (Araxá-MG) Programação: Apresentações Musicais; Palestra; Sorteio de Livros; e, Confraternização. Data: 25 de junho de 2011 (sábado) Horário: 19h30min Local: Centro Espírita Uberabense (Rua Barão de Ituberaba nº 449 – Estados Unidos) Organização: UMEU – União da Mocidade Espírita de Uberaba X FEMEU – FESTIVAL DE MÚSICA ESPÍRITA DE UBERABA A UMEU – União da Mocidade Espírita de Uberaba irá realizar o X FEMEU – Festival de Música Espírita de Uberaba, no dia 9 de julho de 2011, às 19h30min, no Cine Teatro Vera Cruz (Rua São Benedito nº 290 – Uberaba-MG). O X FEMEU é um Festival de composições inéditas voltado à temática espírita e tem como objetivos valorizar a arte produzida no movimento espírita; incentivar a participação e criação artística das músicas espíritas; proporcionar a descoberta de novos talentos no movimento espírita; divulgar a música espírita, elevando o espírito e promover o intercâmbio artístico e cultural em todo o Território Nacional. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

1


O X FEMEU conta com o apoio da AME – Aliança Municipal Espírita de Uberaba, da UEM – União Espírita Mineira; da FEB – Federação Espírita Brasileira; da empresa TOP SOM; Livraria Espírita Emmanuel; do artista plástico Rhaavi Dionísio (Uberaba-MG); da River Auto Peças; das livrarias espíritas de Uberaba: Academia do Pensamento, Emmanuel, Francisco Cândido Xavier e Ponto de Luz; das editoras espíritas: CEC – Uberaba, GEEM, IDE, LEEPP, CANDEIA, CEU; de Eduardo Saad (sonorização); de Vision DVD (filmagem); da SOLIS Publicidade; da Fundação Cultural de Uberaba, e, A Flama Espírita. Neste ano, novamente o X FEMEU será em âmbito nacional e as inscrições irão acontecer no período de 30 de maio de 2011 até às 17h do dia 24 de junho de 2011, na Livraria Espírita Emmanuel (Rua Artur Machado nº 288 – Sala 04 – Centro – Galeria Fausto Salomão – Uberaba-MG – CEP. 38010-020 – Telefone: [34] 3312-8327). Os vencedores receberão: 1º Lugar: (01 violão, 01 troféu e livros espíritas) 2º Lugar: (01 troféu e livros espíritas) 3º Lugar: (01 troféu e livros espíritas) Melhor Arranjo: (01 troféu e livros espíritas) Melhor Letra: (01 troféu e livros espíritas) Melhor Intérprete: (01 troféu e livros espíritas) Além dessa premiação, as músicas selecionadas e apresentadas no X FEMEU – Festival de Música Espírita de Uberaba, receberão kit’s de livros espíritas. Para conhecer a história de todos os festivais de música de Uberaba, acesse o site: http://femeu.blogspot.com/. Informações com Luiz Carlos de Souza pelo e-mail: lcsouza@terra.com.br ou pelo telefone: (34) 9969-7191. FEMEU NO YOUTUBE Você pode assistir no site do youtube (www.youtube.com.br) todas as músicas dos últimos Festivais de Música Espírita de Uberaba. Para ouvir todas as músicas, digite a palavra FEMEU. II ENCONTRO DE PREPARAÇÃO DE MONITORES DE ESDE Promoção: Aliança Municipal Espírita de Uberaba Data: 23 de junho de 2011 (quinta-feira / feriado) Horário: 13h30min às 17h30min Local: Comunhão Espírita Cristã (Rua Prof. Eurípedes Barsanulfo nº 185 – Parque das Américas – Uberaba-MG) Programação: 13h30min – Abertura. 13h – O preparo do monitor de ESDE. Mário Gonçalves F. C. Gonçalves. ESDE da USE São Paulo (Ribeirão Preto) 15h30min – Intervalo 16h – O preparo do monitor de ESDE. Marlene F. C. Gonçalves. ESDE da USE São Paulo (Ribeirão Preto) 17h – Avaliação e encerramento ENCONTRO PELA UNIFICAÇÃO A AME – Aliança Municipal Espírita de Uberaba e CRE-SUL do Triângulo Mineiro estarão promovendo dia 18 de junho (sábado), das 13h30min às 17h, no Centro Espírita Uberabense (Rua Barão de Ituberaba nº 449 – Estados Unidos), um Encontro Fraterno em torno da UNIFICAÇÃO, com o representante da União Espírita Mineira Henrique Kemper, com o tema: O papel do espírita na Unificação. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

2


EVENTOS ESPÍRITAS DO BRASIL III UNIFICAR O Conselho Regional Espírita Zona Sul do Triângulo Mineiro – CRE-SUL, estará realizando no dia 19 de junho (domingo), o III UNIFICAR, no Centro Espírita Paz e Amor – Rufinópolis – Veríssimo – ocasião em que comemora 97 anos de fundação, com a seguinte programação: 7h30min: Recepção 9 h: Palestra: A Unificação no Movimento e Lideranças Espíritas – Henrique Kemper – União Espírita Mineira 11h30min: Intervalo para almoço fraterno 13h30min: Debate, com perguntas e respostas relacionadas ao programa 15h: Encerramento e escolha da Casa Espírita que sediará o IV UNIFICAR/2012 AGENDA DE CARLOS A. BACCELLI PARA O MÊS DE JUNHO 2011 17/06 – São Paulo/SP – Associação Espírita Mãos Unidas Rua Casa da Fonte, nº 603 – Água Fria – Zona Norte 20h30min – Palestra: “Espiritismo e os Desafios dos tempos Atuais – Mundo de Regeneração?” 18/06 – São Paulo/SP – Centro Espírita Aprendizes do Evangelho Rua Baquiá nº 530 – Vila Nova Manchester 19h – Palestra: “Saúde Mental à Luz do Evangelho” 19/06 – São Paulo/SP – Centro Espírita Discípulos de Jesus Rua Maria José nº 177 – Bela Vista 10h – Palestra: “Espiritismo e Ciência” 20/06 – Mogi das Cruzes/SP – Centro Espírita Antonio de Pádua Rua Marechal Deodoro nº 83 – Bairro Centro 20h – Palestra: “Saúde Mental à Luz do Evangelho” Evento: 8º FÓRUM REGIONAL ANTIDROGAS Data: 17 de junho de 2011 (sexta-feira) Horário: Das 7h30min às 16h30min Local: Centro de Promoção Humana Ave Cristo Informações: (18) 3642-3001 / E-mail: contato@avecristo.com.br Evento: PALESTRA MUSICADA COM WANYR CACCIA Data: 17 de junho de 2011 (sexta-feira) Horário: 20h Local: I. E. Oficina da Luz (Rua Praia Grande nº 411 – Jardim Ariston Informações: E-mail: oficinadeluz@uniaoespirita.org.br Evento: FAMÍLIA E ESPIRITUALIDADE COM HELOISA PIRES Data: 18 de junho de 2011 (sábado) Horário: 19h30min Local: Fraternidade Espírita Gina (Rua Mauro nº 76 – Próximo ao Metrô Saúde) Evento: PLINIO OLIVEIRA – O CANTOR DA PAZ Data: 18 de junho de 2011 (sábado) Horário: 14h45min Local: Casa do Caminho Ave Cristo (Rua Ave Cristo nº 600 – Colinas – Birigui-SP) Informações: Telefone: (18) 3642-3001 Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

3


Evento: 2º FESTIVAL DE MÚSICA MEDIUNICA – TRIBUTO A JORGE RIZZINI Data: 18 de junho de 2011 (sábado) Horário: 17h Local: Centro Espírita Verdade e Luz (Rua Benedito Almeida Bueno, nº 35 – Centro – Atibaia) Evento: SEMINÁRIO “O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA” COM ADÃO NONATO E ANDRÉ ARIOVALDO Data: 19 de junho de 2011 (domingo) Horário: Das 9h às 16h Local: Chácara Céu Sagrado (Rua Paulo Varchavtchik nº 1805 – Bairro Boa Vista – Sorocaba-SP) Informações: Telefones: (15) 3227-7382 e (15) 32274631 / Site: www.batuiranet.com.br Evento: PINTURA MEDIÚNICA COM ORLANDO PADOVAN Data: 19 de junho de 2011 (domingo) Horário: 15h Local: Instituição Espírita Oficina de Luz (Rua Praia Grande nº 411 – Ariston – Carapicuiba-SP) Evento: MEDNESP 2011 – 150 ANOS DE O LIVRO DOS MÉDIUNS Data: De 23 a 25 junho de 2011 Local: Ouro Minas Palace Hotel – Belo Horizonte-MG Informações: Site: www.amebrasil.org.br/mednesp2011 / Telefone: (31) 3332-5293 / E-mail: mednesp2011@amebrasil.org.br Evento: SEMINÁRIO “O JOVEM E SUA FORMAÇÃO ÉTICA NO MUNDO DE HOJE” Data: 26 de junho de 2011 Horário: Das 8h30min às 12h30min Local: Rua Maria Felipe de Araújo nº 75 – Bairro Santa Efigênia – Belo Horizonte-MG Informações: E-mail: amesudeste@yahoo.com.br com Beatriz ou ritac_peixoto@hotmail.com com Rita / Telefones: 9737-5856 com Beatriz ou 8849-3194 com Rita Evento: I ENARTECAP – ENCONTRO DE ARTE ESPÍRITA EM CACHOEIRA PAULISTA Data: Dias 1, 2 e 3 de julho de 2011 Informações: E-mail: joaoluizpt@yahoo.com.br e deboracomaniam@hotmail.com Evento: 3º ENTRAME – ENCONTRO DE TRABALHADORES DE MOCIDADES ESPÍRITAS Data: 3 de julho de 2011 (sexta-feira) Local: Federação Espírita do Estado de Goiás - FEEGO Informações: (62) 3281-0200 Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

4


Evento: SEMINÁRIO ESPÍRITA: PLANEJAMENTO DE MOCIDADES ESPÍRITAS Data: 03 de julho de 2011 (domingo) Horário: Das 8h45min às 12h30min Local: Centro Espírita Allan Kardec (Rua Santo André nº 284 – Mauá-SP) Informações: Site: www.luz.org.br / E-mail: luz@luz.org.br ou scneu@hotmail.com Evento: I CONGRESSO NACIONAL DE DIREITO E ESPÍRITISMO – TEMA: DIREITO E ESPIRITUALIDADE, UMA MUDANÇA DE PARADIGMA Data: De 7 a 9 de julho de 2011 Local: Salvador-BA Informações: www.larharmonia.org.br Evento: 50ª SEMANA ESPÍRITA INTERMUNICIPAL BARRETOS – SEMINÁRIO COM ALBERTO ALMEIDA – TEMA: “FELICIDADE – ILUSÃO OU REALIADE?” Data: 09 de julho de 2011 (sábado) Horário: Das 14h30min às 17h30min Local: Lar da Criança Legionárias de Ismael (Rua 34 nº 1.332 – Centro – Barretos) Evento: 50ª SEMANA ESPÍRITA INTERMUNICIPAL BARRETOS – SEMINÁRIO COM JOSÉ RAUL TEIXEIRA – TEMA: “A MEDIUNIDADE SEGUNDO O ESPIRITISMO” Data: 17 de julho de 2011 (domingo) Horário: Das 9h às 12h Local: Lar da Criança Legionárias de Ismael (Rua 34 nº 1.332 – Centro – Barretos) Evento: ENCONTRO COM CHICO XAVIER “HOMENAGEM ESPECIAL AO QUERIDO MÉDIUM ESPÍRITA Data: 9 de julho de 2011(sábado) Horário: 15h Local: Colégio Técnico Prof.Luiz Martinez (Rua Portal da Folha nº 167 – São Paulo-SP) Evento: 3º ENCONTRO PAULISTA DE SISTEMATIZADO DA DOUTRINA ESPÍRITA Data: 9 e 10 de julho de 2011 Informações: Site: www.usesp.org.br / esde@usesp.org.br

MONITORES Telefone:

DO

(11)

ESDE

2950-6554

ESTUDO /

E-mail:

EM DIA COM O ESPIRITISMO SITE PARA DIVULGAÇÃO DE EVENTOS ESPÍRITAS Fiquem por dentro do que está acontecendo no seu estado e no Brasil. Acessem: www.eventosespiritas.com.br e divulguem seu evento gratuitamente. Basta acessar o site e preencher os dados dos eventos que gostariam de ver publicado para estar no site. PEDAGOGIA ESPÍRITA E CURSO GRATUITO No site www.pedagogiaespirita.org você encontra todas as informações sobre a “pedagogia espírita”, materiais de arte e educação e materiais para evangelização. Você encontra também, um importante curso online “gratuito” para educadores e evangelizadores.

Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

5


OBSESSÃO E PINEAL – CÓDIGO INTERNACIONAL DE DOENÇAS (OMS) INCLUI INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS Dr. Sérgio Felipe de Oliveira com a palavra: Ouvir vozes e ver espíritos não é motivo para tomar remédio de faixa preta pelo resto da vida... Até que enfim as mentes materialistas estão se abrindo para a Nova Era; para aqueles que queiram acordar, boa viagem, para os que preferem ainda não mudar de opinião, boa viagem também... Uma nova postura da medicina frente aos desafios da espiritualidade. Vejam que interessante a palestra sobre a glândula pineal do Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico psiquiatra que coordena a cadeira de Medicina e Espiritualidade na USP. A obsessão espiritual como doença-da-alma, já é reconhecida pela Medicina. Em artigos anteriores, escrevi que a obsessão espiritual, na qualidade de doença da alma, ainda não era catalogada nos compêndios da Medicina, por esta se estruturar numa visão cartesiana, puramente organicista do Ser e, com isso, não levava em consideração a existência da alma, do espírito. No entanto, quero retificar, atualizar os leitores de meus artigos com essa informação, pois desde 1998, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o bem-estar espiritual como uma das definições de saúde, ao lado do aspecto físico, mental e social. Antes, a OMS definia saúde como o estado de completo bem-estar biológico, psicológico e social do indivíduo e desconsiderava o bem estar espiritual, isto é, o sofrimento da alma; tinha, portanto, uma visão reducionista, organicista da natureza humana, não a vendo em sua totalidade: mente, corpo e espírito. Mas, após a data mencionada acima, ela passou a definir saúde como o estado de completo bem-estar do ser humano integral: biológico, psicológico e espiritual. Desta forma, a obsessão espiritual oficialmente passou a ser conhecida na Medicina como possessão e estado-de-transe, que é um item do CID – Código Internacional de Doenças - que permite o diagnóstico da interferência espiritual Obsessora. O CID 10, item F.44.3 – define estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio-ambiente, fazendo a distinção entre os normais, ou seja, os que acontecem por incorporação ou atuação dos espíritos, dos que são patológicos, provocados por doença. Os casos, por exemplo, em que a pessoa entra em transe durante os cultos religiosos e sessões mediúnicas não são considerados doença. Neste aspecto, a alucinação é um sintoma que pode surgir tanto nos transtornos mentais psiquiátricos - nesse caso, seria uma doença, um transtorno dissociativo psicótico ou o que popularmente se chama de loucura bem como na interferência de um ser desencarnado, a Obsessão espiritual.. Portanto, a Psiquiatria já faz a distinção entre o estado de transe normal e o dos psicóticos que seriam anormais ou doentios. O manual de estatística de desordens mentais da Associação Americana de Psiquiatria – DSM IV – alerta que o médico deve tomar cuidado para não diagnosticar de forma equivocada como alucinação ou psicose, casos de pessoas de determinadas Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

6


comunidades religiosas que dizem ver ou ouvir espíritos de pessoas mortas, porque isso pode não significar uma alucinação ou loucura. Na Faculdade de Medicina DA USP, o Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico, que coordena a cadeira (hoje obrigatória) de Medicina e Espiritualidade. Na Psicologia, Carl Gustav Jung, discípulo de Freud, estudou o caso de uma médium que recebia espíritos por incorporação nas sessões espíritas. Na prática, embora o Código Internacional de Doenças (CID) seja conhecido no mundo todo, lamentavelmente o que se percebe ainda é muitos médicos rotularem todas as pessoas que dizem ouvir vozes ou ver espíritos como psicóticas e tratam-nas com medicamentos pesados pelo resto de suas vidas. Em minha prática clínica (também praticada por Ian Stevenson), a grande maioria dos pacientes, rotulados pelos psiquiatras de "psicóticos" por ouvirem vozes (clariaudiência) ou verem espíritos (clarividência), na verdade, são médiuns com desequilíbrio mediúnico e não com um desequilíbrio mental, psiquiátrico. (Muitos desses pacientes poderiam se curar a partir do momento que tivermos uma Medicina que leva em consideração o Ser Integral). Portanto, a obsessão espiritual como uma enfermidade da alma, merece ser estudada de forma séria e aprofundada para que possamos melhorar a qualidade de vida do enfermo. Texto de Osvaldo Shimoda / Colaboração de CEECAL – Centro de Estudos Espírita Caminho da Luz. GOVERNADOR ANTONIO ANASTASIA PROPÕE QUE TRECHO DA MG-424, ENTRE CONFINS E PEDRO LEOPOLDO, RECEBA NOME DO MÉDIUM BRASILEIRO O trecho da MG-424, entre os municípios de Confins e Pedro Leopoldo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), deverá receber o nome de Chico Xavier. Mensagem propondo a homenagem foi encaminhada à Assembleia Legislativa pelo governador Antonio Anastasia. Francisco Cândido Xavier, que ficou mundialmente conhecido como Chico Xavier, nasceu em Pedro Leopoldo em 2 de abril de 1910, sendo autor de mais de 400 livros, lançados por diversas editoras e traduzidos para vários idiomas. Na justificativa da mensagem, o governador afirmou ter sido o médium “um dos mais importantes divulgadores da doutrina Espírita Kardecista no Brasil e no exterior”. Anastasia disse ainda que o homenageado “tornou o município de Pedro Leopoldo conhecido nacional e internacionalmente com o seu exemplo de vida e com as suas obras sociais e humanitárias”. BIBLIA DO CAMINHO A “Biblia do Caminho” é uma compilação de todas as obras de Allan Kardec e de Francisco Cândido Xavier e uma versão completa do Antigo e Novo Testamentos, sendo todos os livros e textos inter-relacionados através de um Índice temático. A última versão da “Bíblia do Caminho” traz o ESDE – Estudos Sistematizados da Doutrina Espírita, versão completa. Acesse agora o site: www.bibliadocaminho.com.br e instale já em seu micro. Você pode acessar também os sites: www.bibliaespirita.com; www.espiritismocristao.com.br; www.doutrinaespirita.com; www.ocaminho.com. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

7


CAMPANHAS DE SOLIDARIEDADE HOSPITAL DO FOGO SELVAGEM PEDE AJUDA Conhecido por espíritas e não-espíritas por seu trabalho de auxílio ao próximo, sobretudo a portadores da grave doença dermatológica pênfigo-foliáceo, o popularmente chamado “fogoselvagem”, o Lar da Caridade, de Uberaba, no Triângulo Mineiro, está enfrentando sérias dificuldades. Fundado em 1957, vive hoje um dos seus momentos mais delicados, sobretudo por conta da crise mundial, que levou muitos colaboradores a suspenderem as suas contribuições. Para se ter uma idéia da gravidade da situação, a folha de pagamento da instituição está em aberto desde janeiro e as dívidas ao mês podem chegar a R$55 mil. Se algo não for feito rápido, o futuro do Lar pode até estar ameaçado. O Lar da Caridade – Hospital do Fogo Selvagem é presidido atualmente por Ivone Aparecida Vieira da Silva, neta de Dona Aparecida, cuja instituição está localizada na Rua João Alfredo, 437 – Abadia – CEP 38025-300 Uberaba, MG. Doações, de qualquer valor, podem ser feitas pelas seguintes contas-correntes: 3724-9, agência 3278-6, do Banco do Brasil; e 14572-6, agência 0264-0, do Bradesco. O CNPJ da instituição é 25440835/0001-93. Outras informações, pelo telefone (34) 3318-2900 ou através dos correios eletrônicos fogoselvagem@terra.com.br e larcaridade@hotmail.com. O SANATÓRIO ESPÍRITA PEDE SOCORRO!!! O Sanatório Espírita de Uberaba – SEU, foi fundado em 31/12/1933, pela estimada Maria Modesta Cravo. Atualmente o Sanatório possui 120 leitos e com uma média de 130 internações por mês. Para garantir todo esse tratamento, o Sanatório conta com uma equipe de 92 funcionários, além das 12 equipes de médiuns passistas que fazem o tratamento espiritual de segunda-feira a sábado nos períodos matutino e noturno. O Sanatório está passando por dificuldades financeiras, por isso, lançou a campanha “O Sanatório Espírita Pede Socorro”. Se você desejar ajudar o Sanatório Espírita de Uberaba, faça sua doação na Conta Poupança do Sanatório Espírita de Uberaba – Caixa Econômica Federal – Agência: 1538 – Conta: 013.7394-6. Para efetuar transferência bancárias, o CNPJ é: 25.445.347/0002-50. Outras informações pelo telefone (34) 3312-1869 com Marcio Roberto Arduni – Diretor Administrativo do Sanatório Espírita de Uberaba. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

8


ESTUDO A IMPORTÂNCIA DA ARTE NA EDUCAÇÃO DA ESPIRITUALIDADE: UMA PRÁTICA DO ESPIRITISMO Esse artigo é resultado de nossa palestra realizada na Reunião Lítero Musical Doutrinária promovida pela UMEU – União da Mocidade Espírita de Uberaba no dia 30 de abril de 2011. Tem por objetivo trazer a reflexão sobre a importância da arte e da cultura da humanidade expressa na arquitetura, pintura e na música, como elementos que favorecem a elevação dos sentimentos e da alma, nos colocando em situação favorável para a meditação e oração. Recorre a alguns nomes da pintura, da música e da filosofia (Santo Agostinho) para fundamentar a tese de que: é o uso que fazemos das obras de arte, sua criatividade e expressão do belo em busca da perfeição, que faz delas elementos educativos de nossa sensibilidade e espiritualidade. Não temos a pretensão de esgotar o assunto e nem elencar todos os grandes nomes da filosofia, pintura, da música e da arquitetura que contribuem para a educação de nossa sensibilidade com vistas ao desenvolvimento e aplicação do conhecimento da doutrina espírita. Mas, abrir o debate reconhecendo a necessidade de mais estudos e aprofundamentos, reforçando a importância dos escritos do codificador Allan Kardec e seus seguidores para nossa formação contínua. Nos cinco livros que fundamentam a doutrina espírita temos os esclarecimentos básicos e orientadores da vida na perseverança da caridade e do amor. Considerando a importância do recolhimento e meditação para a prece espírita, buscamos refletir sobre o papel da arte e da cultura para a criação de condições de recolhimento. O estado de elevação espiritual necessário para nossa introspecção pode ser favorecido com elementos de nosso mundo exterior por meio de nossa predisposição para fazer da arte esses elementos. A arquitetura, a pintura e a música, podem nos trazer o estado de recolhimento para a meditação e a inspiração para a prece nascida do sentimento elevado. Ao nos deparamos com certas obras arquitetônicas milenares como os da Europa Antiga, nos vem à mente o processo reencarnatório. A história da humanidade, suas lutas, suas conquistas, sua evolução espiritual estão registradas nas pedras, nas colunas, nas marcas deixadas pelo homem: senhores e escravos, habitantes, guerreiros, nobres e lacaios, de uma história da qual muitos de nós pode ter participado. A arquitetura nos transporta para um imaginário de possibilidades de outras vidas, em lugares preservados ou em ruínas, que trazem a memória ainda que imaginária nos posicionando na condição de passageiros pela vida. Ao buscarmos as artes plásticas, os grandes pintores que dedicaram parte de sua criação para retratar Jesus, a Virgem Maria, os Anjos, os Santos, destacamos Leonardo Da Vinci e dele sua obra a Santa Ceia. Da Vinci – viveu na Itália – 15/04/1452 – 02/05/1519 foi cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. Ao evocar a oração do Pai Nosso trazemos para nossa mente Jesus repartindo conosco o alimento como na Ceia retratada por Da Vinci. Rembrandt Harmenszoon van Rijn – Nerlandês – 15/07/1606 – 04/10/1669, pintor e gravador – arte européia. Pintou Jesus jovem e sereno, sofrido e torturado, nos proporcionando com sua arte evocarmos o semblante de Jesus, sua dor, Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011 9


dedicação e amor pela humanidade. Quando estamos em sofrimento recorremos a força e a coragem de Jesus diante de seus algozes, nos consolamos com sua expressão amorosa e fiel ao Pai. Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni – 06/03/1475 – 18/02/1564 – pintor, escultor, poeta, e arquiteto Italiano, nos deu com sua Pietá a expressão de dor e ternura da Mãe de Jesus e Ele em seu colo como criança adormecida. Essa imagem nos eleva o pensamento e nos sugere humildade e perseverança na vida que não termina com a morte do corpo. E Jesus é nosso exemplo e caminho a ser construídos e trilhados com amor, perdão e oração, ensinamentos codificados por Kardec. Também na música encontramos elementos que nos elevam o pensamento e a alma em reflexão. Entre outros, Beethoven – 17/12/1770 – 26/03/1827 compositor alemão tem sua obra resumida na liberdade política, e artística do indivíduo, sua liberdade em todos os aspectos da vida. Esse aspecto da obra de Beethoven nos remete ao livre arbítrio, ao compromisso com nossa existência entre os homens e a evolução que buscamos realizar em cada encarnação. Esse compositor de personalidade tão definida nos dá com sua música exemplo de trabalho, dedicação e busca de perfeição. Buscamos também na filosofia a palavra Solilóquio tema de nossas composições musicais espírita inspirada nos registros da literatura universal, os “Soliloquiorum libri duo” de Santo Agostinho. SOLILÓQUIO quer dizer colóquio a sós, diálogo da pessoa com sua alma, sua consciência, “autodialogo” ato de alguém introspectar ao eu psíquico – autoconhecimento – pensamento de Santo Agostinho, exposto na questão 919 do Livro dos Espíritos em preciosos quatro parágrafos sintetizando o “Conhece-te a ti mesmo”. Com essa motivação idealizamos o SOLILÓQUIO um CD resultante do Projeto Musical Colaborativo com 12 músicas, das quais apresentamos na palestra que gerou este artigo. Mais ou Menos – Música em homenagem aos 100 de Chico Xavier, classificada em 3º Lugar no FEMEU – 2010 Solilóquio – A música que carrega o nome do CD e explica o processo de tomada de consciência sobre a necessidade de transformação na crença e atitudes. Sentido – Música que retrata a necessidade de se buscar um sentido para vida, tendo em vista sua importância no processo reencarnatório. Arbítrio – Nos fala sobre o livro arbítrio, que Kardec menciona no Livro dos Espíritos e que nos ajuda a refletir sobre esse conceito trazido para o cotidiano e apelos da vida moderna. Guardião nos reporta aos santos Espíritos que embora tenham alcançado sua luz continuam conduzindo nossa jornada. Amparam-nos com ensinamentos nos amando e perdoando em nossa ignorância e incapacidade de discernir sobre os fatos existenciais. Vale ainda registrar que todas as músicas tem letras de Suely Galli e as composições musicais e interpretação de Neuza Mahlow. Os músicos colaboradores são todos de Campinas SP e maiores informações sobre o projeto pode ser visualizado no blog e youtube nos endereços: http://soliloquionpt.blogspot.com/2010/05/cd-soliloquio-resultado-do-projeto.html http://www.youtube.com/watch?v=LpLsWvqvF7k Parabenizamos os mentores e organizadores da Reunião Lítero Musical Doutrinária promovida pela UMEU – União da Mocidade Espírita de Uberaba, pelos objetivos de Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

10


agregar pessoas, reunir e oportunizar reflexões e aprendizagens num trabalho tão grandioso quanto humilde e perseverante do espiritismo. Suely Galli / E-mail: sue@terra.com.br

JUVENTUDE ALCOOLISMO JUVENIL: UMA OMISSÃO FAMILIAR “Não se educa sendo deseducado. Não se disciplina sem estar disciplinado”. (Amélia Rodrigues, no Livro “Sementeira da Fraternidade”, psicografia de Divaldo P. Franco). Cresce no meio jovem o consumo de bebidas alcoólicas. Bares, restaurantes, lanchonetes, clubes sociais, boates, avenidas estão repletas de jovens que, displicentemente, fazem uso, em larga escala e abertamente, das bebidas deletérias e nocivas que não só desfiguram e arrasam o corpo como agridem e violentam o caráter. Contra outros tipos de tóxicos levanta a sociedade, mesmo que palidamente, no combate, nem sempre eficaz, mas o álcool, esse “veneno livre”, campeia à solta, e quase sempre apoiado por grandes e bem produzidas campanhas publicitárias e aceito com naturalidade por nós. Tomar um “gole” ainda hoje, em pleno século XXI, quando o homem já foi à lua, passeou com um robô em marte e avança esplendidamente em todos os setores da ciência, inclusive em conhecimentos de medicina, é um ato de afirmação do jovem, como sinônimo de que ele já começa a adentrar o sonhado mundo dos adultos. Puro engano. Pena que a sua visão de vida e os seus objetivos na existência, muito acanhados, não lhes permitam identificar, também por falta de conscientização que o adulto não lhe deu, o abismo em que está mergulhando. Uma organização infanto-juvenil, em formação, sem dúvida, com ingestão de álcool não poderá possuir a saúde que teria se evitasse o consumo de tão corrosiva substância. Isso, evidentemente, sem citar os estragos morais da personalidade. Mas o problema é muito sério e de uma gravidade sem contas. Temos sim, necessidade de maior participação de nossas autoridades constituídas, que muitas vezes laboram com grandes deficiências de material humano e de equipamentos, ante a situação caótica em que vive a sociedade. Precisamos também que o comércio de bebidas alcoólicas não venda essa “tragédia engarrafada ou enlatada” aos menores. No entanto, a solução só virá com a devida conscientização da família. Não haverá outro meio e nem outros mecanismos que evitem a derrocada da grande maioria dos nossos jovens. Já foi dito que a criança ou o jovem imita o adulto, isso significa dizer que se o jovem está utilizando o álcool foi porque viu o adulto fazê-lo. E o que é mais grave, esses jovens, em grande escala consomem bebidas junto com seus pais, em clima de festa, de euforia mesmo. Lamentável. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

11


Indiscutivelmente, pais que consomem álcool não têm moral para impedir que os filhos o façam. Não terão autoridade para dizer que faz mal à saúde física e ao caráter, pois que são escravos do vício. É triste, muito triste mesmo, identificar que muitos alcoólatras que afirmam não sê-lo, escondem-se atrás das bebidas sociais, sim, aquelas que se consomem nas rodas da sociedade. O alcoólatra não é somente aquele que se estende numa sarjeta, mas é todo consumidor de álcool. Dolorosa realidade a do alcoolismo juvenil; mais dolorosa ainda é constatar, sem qualquer equívoco, a omissão da família. Esses pais, indiferentes e descuidados, estimulam ou se omitem hoje, para, provavelmente, chorarem amanhã, quando dificilmente haverá tempo para reparos. Os nossos jovens precisam muito mais do que roupas da moda, carros do ano, motos envenenadas, escolas de alto nível, médicos especializados. Eles precisam de educação, que só virá através dos exemplos dos adultos, especialmente dos adultos com quem convivem. O jovem que se dá ao consumo de bebidas alcoólicas é vítima, muito freqüentemente, vítima da omissão familiar. Portanto, pouco vai adiantar instituição de leis, normas, fiscalizações se entre as paredes do lar, a indiferença continuar. Alcoolismo juvenil: a família precisa acordar. W.A.Cuin / Transcrito do site: http://www.mocidadesespiritas.com.br/

LINDOS CASOS DE CHICO XAVIER CASO 16 – A CARIDADE E A ORAÇÃO O Centro Espírita Luiz Gonzaga ia seguindo em frente... Certa feita, alguns populares chegaram à reunião pedindo socorro para um cego acidentado. O pobre mendigo, mal guiado por um companheiro ébrio, caíra do viaduto da Central do Brasil, na saída de Pedro Leopoldo para Matozinhos, precipitando-se ao solo, de uma altura de quatro metros. O guia desaparecera e o cego vertia sangue pela boca, sozinho, sem ninguém... Chico alugou pequeno pardieiro, onde o enfermo foi asilado para tratamento médico. Caridoso facultativo receitou, graciosamente. Mas o velhinho precisava de enfermagem. O médium velava junto dele à noite, mas durante o dia precisava atender às próprias obrigações na condição de caixeiro de José Felizardo. Havia, por essa época, 1928, uma pequena folha semanal em Pedro Leopoldo. Chico providenciou para que fosse publicada uma solicitação, rogando o concurso de alguém que pudesse prestar serviços ao cego Cecílio durante o dia, porque à noite ele próprio se responsabilizaria pelo doente. Alguém que pudesse ajudar. Não importava que o auxílio viesse de espíritas, católicos ou ateus. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011 12


Seis dias se passaram sem que ninguém se oferecesse. Ao fim da semana, porém, duas meretrizes muito conhecidas na cidade se apresentaram e disseram-lhe: – Chico, lemos o pedido e aqui estamos. Se pudermos servir... – Ah, como não? – replicou o médium – Entrem, irmãs! Jesus há de abençoar-lhes a caridade. Todas as noites, antes de sair, as mulheres oravam com o Chico, ao pé do enfermo. Decorrido um mês, quando o cego se restabeleceu, reuniram-se pela derradeira vez, em prece, com o velhinho feliz. Quando o Chico terminou a oração de agradecimento a Jesus, os quatro choravam. Então uma delas disse ao médium: – Chico, a prece modificou a nossa vida. Estamos a despedir-nos. Mudamo-nos para Belo Horizonte, a fim de trabalhar. E uma passou a servir numa tinturaria, desencarnando anos depois e a outra conquistou o título de enfermeira, vivendo respeitada e feliz. Transcrito do livro “Lindos Casos de Chico Xavier” de Ramiro Gama.

CHICO XAVIER RESPONDE LIÇÃO Pergunta – Há três anos Chico Xavier não recebia repórter para uma entrevista. Neste fim de semana, ele quebrou o silêncio e com a voz muito fraca deu uma lição de vida. Chico Xavier – Eu posso estar com o corpo doente, porque estou em tratamento de uma labirintite muito difícil. Mas, intimamente, eu me sinto como se tivesse 20 anos. É uma doença que eu falo assim: Você pode trazer quedas e machucar, mas você machuca só o corpo. Por dentro, eu sou feliz, pareço até melhor. Nós nos sentimos cada vez melhor no Brasil. Muita gente acha que o Brasil está em calamidade. Eu não creio, porque nossas mesas são ricas. Nós podemos repartir o pão, não é verdade? Palavras como estas: “Amai-vos uns aos outros”, “perdoar 70 vezes 7 vezes”. Olha que palavras! Ressoam ainda hoje. Meu Deus, a vida é tão bela! Uma folha de qualquer planta, vista com os olhos da fé, é uma página tão bela quanto a de Shakespeare. Amar sem esperar ser amado e sem aguardar recompensa alguma. Amar sempre! Extraído do livro Lições de Sabedoria – Chico Xavier nos 23 Anos da Folha Espírita, escrito por Marlene R. S. Nobre LAR Pergunta – Márcia Elizabeth – julho de 1974 – Do ponto de vista espiritual como definir o lar e a família? Chico Xavier – Outra afirmativa de nosso Emmanuel é de que o lar é uma benção de Deus para os homens e de que a família é uma criação dos homens onde eles podem servir a Deus, desde que aceitem com amor o sacrifício e a renúncia, o trabalho e o serviço por alicerces de nossa felicidade em comum. Extraído do livro Lições de Sabedoria – Chico Xavier nos 23 Anos da Folha Espírita, escrito por Marlene R. S. Nobre

Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

13


PAZ Pergunta – Márcia Elizabeth – julho de 1974 – Qual o mecanismo ideal para atingir a paz e a segurança entre os familiares vinculados à mesma casa e ao mesmo nome? Chico Xavier – Cremos que este problema será perfeitamente solucionado quando esquecermos a afeição possessiva, a idéia de que somos pertences uns dos outros, quando nos respeitarmos profundamente, cada qual procurando trabalhar e servir, mostrando sua própria habilitação, o rendimento de serviço dentro da vocação com a qual nasceu, dentro do lar, respeitando-se uns aos outros. Desse modo, com o respeito recíproco e o amor que liberta, o amor que não escraviza, o problema da paz em família estará perfeitamente assegurado na solução devida. Extraído do livro Lições de Sabedoria – Chico Xavier nos 23 Anos da Folha Espírita, escrito por Marlene R. S. Nobre RELAÇÕES Pergunta – Márcia Elizabeth – julho de 1974 – Por que motivo os casais que noivavam apaixonadamente experimentam a diminuição do interesse afetivo nas relações recíprocas, após o nascimento dos filhos? Chico Xavier – Grande número dos enlaces na Terra obedecem a determinação de resgate escolhidas pelos próprios cônjuges, antes do renascimento no berço físico e aqueles amigos que serão filhos do casal, muitas vezes transformam, ou melhor, omitem as dificuldades prováveis do casamento para que os cônjuges se aproximem segundo os preceitos das leis divinas e formem o lar, transformando determinadas dificuldades em motivos de maior amor, de compreensão maior. O namoro, o noivado, muitas vezes, estão presididos pelos espíritos familiares que serão os filhos do casal. Quando esses mesmos espíritos se transformam em nossos filhos parece que há diminuição de amor, mas isso não acontece. Existe, sim, a poda da paixão, no capítulo das afeições possessivas que nós devemos evitar. Extraído do livro Lições de Sabedoria – Chico Xavier nos 23 Anos da Folha Espírita, escrito por Marlene R. S. Nobre DIVÓRCIO Pergunta – Márcia Elizabeth – julho de 1974 – Chico Xavier, os espíritos amigos apresentam algum ponto de vista sobre o divórcio no Brasil? Chico Xavier – Allan Kardec no capítulo 22 de “O Evangelho Segundo o Espiritismo” assevera que o divórcio é uma lei humana que veio consagrar determinada situação já existente entre os cônjuges. Do ponto de vista humano naturalmente que seria crueldade fugirmos da possibilidade do divórcio em determinadas situações da vida e em determinados setores de nossos problemas, quando estamos certos de que as organizações bancárias do mundo nos concedem reformas e determinados prazos para resgate de certas dívidas. Mas, devemos estar igualmente conscientes de nossa situação no Brasil e podemos perfeitamente reconhecer que ainda estamos imaturos para receber o divórcio da magnanimidade da nossa Justiça porque somos um pouco jovem. Precisamos habilitar a consciência coletiva para uma conquista de tamanha expressão na vida da criatura e na vida planetária. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

14


Extraído do livro Lições de Sabedoria – Chico Xavier nos 23 Anos da Folha Espírita, escrito por Marlene R. S. Nobre

MENSAGEM ESPÍRITA QUEM É JESUS? É provável que, semelhante indagação venha causar estranheza nos estudiosos das páginas do Evangelho. Do ponto de vista histórico, Jesus já tem o Seu lugar reservado e seu ponto de destaque, e já mereceu a elaboração de inúmeros livros discorrendo sobre Sua vida Messiânica. Para muitos é tido como um revolucionário. Para outros, um mito, um visionário, uma fábula, uma invenção. Muitos outros desacreditam e hesitam em abraçar como verdade Sua influência no contexto histórico do mundo. Para alguns, os mais felizes, Jesus é muito mais sentido que fragilizado pelos raciocínios aflitivos... Quem é Jesus meu filho? O que Ele representa na sua vida? Que repercussão Seus ensinamentos representam nas suas condutas? Que tem feito você do conhecimento das lições do Cristo? Qual tem sido o significado na sua vida, deste contato que já se prolonga? Seus ímpetos se rendem à doce influência do Meigo Nazareno? Você já segue na direção ou ainda transita sem norte? Sua fé já é suficiente para remover que sejam diminutas pedras? Você tem engrossado as fileiras dos desesperados e desesperançados, ou tem se Comportado como as meigas aves do céu que simplesmente confiam? Perante tantos questionamentos, e às respostas variadas, porém não convincentes que haverão de surgir, nos resta apenas afirmar que, Jesus ainda tem sido desconhecido pela maioria de nós outros. Irmã Valquíria. Mensagem recebida na noite de 15/05/2011 no Lar Espírita Irmã Valquíria, na cidade de Uberaba-MG, pelo médium Alaor Borges Jr.

TRABALHO IMPORTANTE USE – UNIÃO DAS SOCIEDADES ESPÍRITAS DO ESTADO DE SÃO PAULO A USE foi fundada em 5 de junho de 1947, no 1º Congresso Espírita Estadual. Nessa época, quatro instituições espíritas se destacavam na Capital: Sinagoga Espírita Nova Jerusalém, União Federativa Espírita Paulista, Federação Espírita do Estado de São Paulo e Liga Espírita do Estado de São Paulo. Essas quatro instituições lançaram o manifesto “PROCLAMAÇÃO AOS ESPÍRITAS”, conclamando à união. Num exemplo de renúncia, essas quatro entidades patrocinadoras, com o apoio de associações do interior, trabalharam pela criação de um único órgão de unificação oficial e permanente, surgindo a União Social Espírita, que, depois, passou a se denominar União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

15


A USE não é um centro Espírita, mas a soma dos centros espíritas do Estado de São Paulo. A USE é o resultado da união dos centros espíritas. A instituição espírita é a base da USE e, por isso, é ela que delibera sobre o que é melhor e mais conveniente para o movimento espírita estadual. A USE tem por finalidade:  unir as instituições espíritas;  difundir o Espiritismo nos seus aspectos filosófico, cientifico e religioso; e  realizar trabalhos, que, por sua natureza, não possam ser realizados, individualmente pelas instituições espíritas. Para atender às finalidades para as quais foi criada, a USE facilita a troca de informações sobre experiências realizadas pelas casas espíritas, incentiva, orienta e organiza eventos para o ensino metódico da Doutrina Espírita, bem como estimula a realização de obras e serviços assistenciais. Tendo por finalidade dinamizar as ações em todo o estado, a Diretoria Executiva da USE mantém vários departamentos especializados que planejam, executam e coordenam as atividades nas áreas de artes, comunicação social, educação, infância, finanças e contábil, livro, mocidade, orientação administrativa e jurídica, orientação doutrinária, relações públicas e serviço assistencial, podendo criar outras áreas, de acordo com a necessidade do momento. Mais de 1500 associações espíritas localizadas no Estado de São Paulo formam a USE. São instituições que se dão as mãos para a manutenção, expansão e o fortalecimento do movimento espírita. Debatem sobre a preservação dos princípios doutrinários e promovem a confraternização da família espírita. Realizam encontros, seminários e congressos, cujos resultados se refletem na própria casa espírita, que amplia seus horizontes de informações e melhora sua capacidade de atendimento ao público. Esta é a grande vantagem proporcionada pela participação compartilhada. A USE possui órgãos que viabilizam a unificação do Movimento espírita em todas as regiões do Estado de São Paulo. Na Capital, os centros espíritas se reúnem em torno das USEs Distritais, com o nome do bairro predominante. No interior, as USEs Intermunicipais reúnem centros espíritas de cidades circunvizinhas e as USEs Municipais reúnem centros espíritas de uma mesma cidade. Esta descentralização permitiu a divisão do estado em USEs Regionais que facilitam e apóiam as atividades de todas as USEs Distritais, Municipais e Intermunicipais. Neste contexto organizacional, a USE sugere atividades, orienta sua execução e facilita a transferência de experiência, sem condicionamentos, em respeito aos princípios de liberdade e responsabilidade que o espiritismo preconiza. Por isso, não impõe, nem interfere nas atividades das instituições espíritas; procura integrar suas ações junto aos conselheiros e diretores das USEs, porque todos são trabalhadores de instituições unidas. Todo programa, colaboração e apoio são colocados à disposição dos centros espíritas, como sugestões e subsídios aos seus trabalhos. A casa espírita poderá adotálos ou não, como pode adaptá-los às suas necessidades. A instituição unida continua a manter a sua autonomia administrativa e funcional. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

16


Conheça todos os trabalhos desenvolvidos pela USE, http://www.usesp.org.br/site/use/. Transcrito do site: http://www.usesp.org.br/site/use/

acessando

o

site:

PERSONALIDADES DE DESTAQUE NO MOVIMENTO ESPÍRITA ELIAS BARBOSA: 76 ANOS DE TRABALHO INCANSÁVEL Elias Barbosa nasceu em Monte Carmelo (MG), em 12 de julho de 1934, mas foi registrado no mês seguinte, no dia 4. Filho de pais humildes e trabalhadores, teve mais sete irmãos e, ainda na infância, começou a trabalhar ajudando a produzir lenha na chácara de sua avó materna para ganhar uns trocados e colaborar com o sustento da casa. Segundo Cândida Flávia de Oliveira Barbosa, viúva do médico, escritor e estudioso da Doutrina Espírita, que desencarnou em 31 de março de 2011, vítima de traumatismo craniencefálico, ele foi um homem exemplar, e a família só tem palavras de gratidão pelo que representou em suas vidas. “Ele foi o homem da minha vida. Com meus pais aprendi muito, mas durante os quase 50 anos de casamento, reconheci nele as maiores qualidades que um ser humano pode reunir. Ele sempre foi muito presente. Um exemplo de esposo, pai, sogro, avô e bisavô. Não tenho palavras para descrever a falta física que ele nos fará, mas apenas física, porque espiritualmente ele está e estará sempre conosco”, comenta. Em entrevista à Folha Espírita, Cândida Flávia fala sobre a trajetória de Elias, desde os seus 15 anos, quando já havia lido toda a obra Kardequiana. Revela como aconteceu a amizade que uniu Elias Barbosa e Chico Xavier durante quase 50 anos. Ressalta que, fisicamente, ele estava com a saúde sob controle. O que o entristecia eram os acontecimentos mundiais evidenciando que parte da humanidade tem substituído os mais nobres sentimentos por atos que denotam ganância e egoísmo. Seu corpo foi velado no Centro Administrativo e Educacional da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e sepultado em túmulo ao lado do mausoléu do amigo Chico Xavier, no cemitério São João Batista. Folha Espírita – Dona Cândida, como foi a trajetória acadêmica e profissional do dr. Elias? Cândida Flávia de Oliveira Barbosa – Quando terminou o curso ginasial, já com o pensamento em estudar Medicina, Elias resolveu fazer o curso de contabilidade, porque na sua cidade, Monte Carmelo, ainda não existia o curso científico. Por ocasião do falecimento de um amigo de infância, Elias escreveu o poema “Elegia”, que foi lido na rádio local. Por uma feliz coincidência, estava na sua cidade natal o professor e então deputado federal Mário Palmério. Ao ouvir o poema, o professor quis logo conhecê-lo. Em conversa com amigos comuns, soube que Elias tinha vontade de fazer o curso médico. Palmério convidou-o para trabalhar no Colégio Triângulo Mineiro, em Uberaba, tendo a possibilidade de fazer o curso científico, preparando-se, porque até então ainda não existia a Escola de Medicina em Uberaba, que seria fundada por Palmério poucos meses Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011 17


depois. Ele morou, a convite do professor, em uma das dependências de suas escolas (onde hoje é o Campus Centro da Uniube). Assim que concluiu a faculdade, foi convidado para lecionar naquela escola. Sempre no caminho do aprimoramento, foi para São Paulo, onde fez especialização em Farmacologia e Terapêutica Experimental, e lecionou até a sua aposentadoria. FE – Em quais hospitais o dr. Elias Barbosa trabalhou? Quem são os grandes amigos de profissão? Cândida – Ele trabalhou no Sanatório Espírita de Uberaba durante mais de 30 anos, como médico assistente, especializando-se, a partir daí, em Psiquiatria. Fez ali grandes amigos, alguns já residentes também no Plano Espiritual, como os doutores Ignácio Ferreira, Adroaldo Modesto Gil, Antônio Joaquim, Maria Modesto Cravo e Manoel Roberto, entre muitos outros. FE – Como a senhora o conheceu? Cândida – Eu o conheci na mineira Sacramento, minha terra natal, em 1º de novembro de 1955, data em que se comemora o aniversário de desencarnação de Eurípedes Barsanulfo. Em fevereiro de 1956, minha família mudou-se para Uberaba, e logo nos encontramos na Mocidade Espírita. Daí para o namoro foi um passo. Casamo-nos em 25 de janeiro de 1964, tivemos cinco abençoados filhos: Eliana (casada com Fernando), Ricardo, Luciana (casada com Paulo), Cláudio (casado com Carla) e Renato. Temos oito netos: Ana Amélia, Anelise, Arthur, Ísis, Henrique, Letícia, Lívia e Natália, e dois bisnetos: Anna Clara e Gabriel. FE – Como era o dr. Elias na intimidade do lar, na convivência com a família? Cândida – Um verdadeiro companheiro de todas as horas, um pai de família exemplar, sempre muito presente na nossa vida, apesar dos inúmeros afazeres. Só temos palavras de gratidão por tudo o que ele representou. FE – Ao que consta, ele conheceu a Doutrina ainda menino. Como isso ocorreu? Cândida – Elias nasceu em berço espírita e, desde muito pequeno, já gostava de frequentar as reuniões no centro, inclusive os trabalhos de desobsessão, pois naquela época não havia restrição. Aos 15 anos ele já havia lido toda a obra kardequiana e muitos outros livros da Doutrina. Foi – e com certeza continuará sendo – um grande estudioso da Doutrina Espírita, sempre pautando a sua vida em Jesus e Kardec. FE – Como foi a aproximação do dr. Elias com Chico Xavier? Cândida – Como orador da União Estudantil Uberabense, em 1955, ele fez com os colegas uma excursão a Belo Horizonte. Com muita vontade de conhecer Chico Xavier, procurou entrar em contato com os espíritas da cidade e recebeu o convite para ir com eles até Pedro Leopoldo. Foi a sua maior alegria. Interessante que, ao chegar lá e cumprimentá-lo, o nosso querido Chico fez belas referências à genitora de Elias, sem nem mesmo conhecê-la. Daí para a frente, nasceu uma profunda amizade entre os dois. FE – Quais as lembranças desse encontro com o médium? Cândida – Eu não assisti ao encontro, mas, pelo que Elias me contava, foi inesquecível. Chico já era para ele um exemplo de humildade, de caráter, de índole ilibada e, sobretudo, de homem caridoso, desprendido de coisas materiais e completamente tomado pelo amor incondicional ao próximo. Conhecer e ser amigo de Chico Xavier por quase cinco décadas, sem dúvida, foi marcante para o Elias e toda a nossa família. Chico frequentou a nossa casa por muito tempo, sendo que ele elegeu a terça-feira para sempre estar conosco. Nesses encontros, Chico e Elias conversavam sobre vários assuntos, entre eles a Literatura, que os aproximava ainda mais. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

18


FE – A senhora poderia nos relacionar os livros de Elias Barbosa espíritas e não espíritas? Cândida – Não espíritas são apenas os livros de trovas que ele escreveu para as nossas filhas, quando elas completaram 15 anos. Os demais são espíritas: Estamos Vivos, Entre Duas Vidas, Gabriel, Horas de Luz, Quem São, Enxugando Lágrimas, Vitória, Claramente Vivos, Irmã Vera Cruz, Presença de Chico Xavier, No Mundo de Chico Xavier e Humberto de Campos e Chico Xavier: A Mecânica do Estilo. E ele sempre fez questão de doar os direitos autorais ao Instituto de Difusão Espírita (IDE). Seu objetivo, a exemplo de Chico Xavier, nunca foi o de enriquecer com a publicação de livros, mas de divulgar os preceitos da Doutrina. Elias organizou, também, a Antologia dos Imortais, publicada em 1963, Trovadores do Além e O Espírito de Cornélio Pires, estudando o estilo de cada poeta quando na Terra e depois da desencarnação. De 1974 a 2002, foi revisor das obras completas de Allan Kardec, num total de mais de 4 mil páginas, para o Instituto de Difusão Espírita, e colaborador dos cinco volumes da Revista Espírita e também do Anuário Espírita, desde o número 1, de 1964. FE – Com quais órgãos de imprensa ele colaborou escrevendo artigos durante esses anos todos? Cândida – Eu não tenho como precisar todos, porque, ao longo da vida, Elias escreveu muito e era convidado para escrever por veículos de comunicação de várias partes do País. Aos 15 anos, trabalhando como contínuo na Prefeitura de Monte Carmelo, passou a escrever crônicas que eram lidas na rádio local e poemas que eram publicados em jornais de Monte Carmelo e da região, depois denominada Alto do Paranaíba. Por volta dos 16 anos, foi correspondente dos periódicos O Estado de Minas, O Diário de Minas e O Diário, jornais de Belo Horizonte, enviando notícias do progresso da cidade de Monte Carmelo. Escrevia e colaborava com informativos do Ministério da Agricultura, pasta que tinha Chico Xavier como um de seus funcionários. Já escreveu artigos publicados por jornais e revistas de diversas cidades. Em Uberaba, foi convidado pelo Jornal da Manhã, do Grupo JM de Comunicação, para ser articulista fixo, e desde 2005 seus artigos eram publicados semanalmente, aos domingos. Não era raro, também, recebermos ligações de internautas pedindo autorização para usar os artigos em trabalhos acadêmicos e/ou relacionados ao Espiritismo, bem como para que eles fossem disponibilizados em sites. Elias jamais se negou a autorizar porque sua fi.nalidade sempre foi de ajudar os outros. Se entre os leitores havia um que se sentia beneficiado com aquela abordagem, Elias já se dava por satisfeito. FE – Como estava o mestre Elias Barbosa ultimamente? Cândida – Estava bastante decepcionado com acontecimentos no mundo, mostrando o crescimento dos sentimentos que ele mais desprezava, como a ganância, ambição, inveja e, acima de tudo, o egoísmo. Ele demonstrava certa desesperança de que pudesse ver situações em que imperassem os verdadeiros valores da vida, como a caridade, a honestidade e o amor pleno pelo próximo, pela família. Fisicamente, ele Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

19


estava com a saúde um pouco debilitada, especialmente no que se refere ao coração, mas sob controle. Elias era incansável. Ele não conseguia parar de clinicar, por ver seus pacientes ainda precisando de cuidados dele, e era comum atender telefonemas longos para ajudar os pacientes a superar uma ou outra frustração. Fora a tristeza com a visível decadência de parte da humanidade, Elias estava bem, amoroso com a família e, acima de tudo, um porto seguro para todos que o procuravam em busca de uma palavra de amizade, conforto ou de aconselhamento para uma ou outra fase da vida. FE – A sua desencarnação foi uma surpresa? Cândida – Sim. Jamais imaginávamos que uma queda numa escada pudesse leválo a ficar no Centro de Terapia Intensiva (CTI). Tínhamos esperança de que ele se recuperasse. Avisei meus filhos e outros familiares que moram fora com a convicção de que seria apenas uma fase de cuidados e repouso para que ele retomasse sua vida e suas atividades normais. Entretanto, não era isso o que estava escrito. Ao mesmo tempo, era doloroso imaginar que se ele se recuperasse do coma, ficaria sem fala e com movimentos comprometidos. Ele não merecia isso. Sempre foi um homem muito ativo, um intelectual. E Deus, mais uma vez, foi generoso, e entendeu que deveria poupá-lo de ficar totalmente dependente. Já tivemos notícia de que Elias está bem, ao lado de inúmeros amigos e pronto para continuar o seu trabalho, agora se sentindo moço, ágil, leve e feliz. Ismael Gobbo / Rose Dutra – Transcrito do Jornal Folha Espírita de maio/2011 – página 8.

DATAS IMPORTANTES DO ESPIRITISMO MÊS DE JUNHO Dia 04 de 1867 – Bezerra de Menezes, segundo os Anais da Câmara dos Deputados, ocupa pela primeira vez a tribuna em defesa de causas nobres. Dia 05 de 1947 – Em São Paulo, São Paulo, realizado o Primeiro Congresso Educacional Espírita Paulista, ocasião em que é fundada a União das Sociedades Espíritas de São Paulo, sendo o primeiro Presidente Edgard Armond. Dia 08 de 1847 – Em Chaves, Portugal, nasce Monsenhor Manuel Alves da Cunha, missionário da caridade na África. Desencarna em Luanda, África, em 4 de junho de 1947. Dia 10 de 1854 – Em New York, EUA, é constituída a primeira sociedade para estudo e difusão do Espiritismo, tendo dentre os seus membros o Juiz Edmonds e o Governador Talmadge, de Wisconsin, criando-se na mesma oportunidade o jornal The Cristian Spiritualist. Dia 11 de 1941 – Fundada a Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, sendo seu primeiro Presidente Dr. Levindo Gonçalves de Mello. Dia 12 de 1851 – Nasce Sir Oliver Lodge em Penkhull, Staffordshire, Inglaterra, físico e cientista, pesquisador dos fenômenos mediúnicos. Desencarna em 22 de agosto de 1940. Dia 12 de 1856 – Em Paris, França, Allan Kardec, por intermédio da médium Aline C., recebe a confirmação do Espírito de Verdade a respeito da sua missão. Dia 14 de 1853 – O Jornal do Comércio do Rio de Janeiro noticia o fenômeno das Mesas Girantes, nos Estados Unidos e na Europa. Dia 14 de 1881 – Nasce em Liège, Bélgica, José Lhome, divulgador do Espiritismo, Presidente da Federação Espírita da Bélgica. Desencarna em 3 de maio de 1949, na mesma cidade. Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011 20


Dia 14 de 1900 – Funda-se em Buenos Aires a Confeceración Espiritista Argentina. Dia 15 de 1974 – A Editora Thomas Cromwell Company, dos EUA, lança o livro O cirurgião da faca enferrujada, do escritor John Fuller, versando sobre as operações do Espírito Dr. Fritz, pelo médium José Arigó. Dia 16 de 1871 – William Crookes entrega à Rainha Vitória da Inglaterra relatório confirmando a veracidade dos fenômenos mediúnicos produzidos pela médium Florence Cook, com as materializações do Espírito Katie King e outros. Dia 17 de 1832 – Nasce em Londres, Inglaterra, William Crookes, químico e físico, que durante quatro anos pesquisou a mediunidade de Florence Cook, com as materializações de Kate King. Desencarna na mesma cidade, em 4 de abril de 1919. Dia 17 de 1985 – Em Tours, França, fundada a União Espírita Francesa e Francófona. Dia 18 de 1893 – Nasce em Sacramento-MG Edalides Milan de Rezende, irmã de Eurípedes Barsanulfo. Desencarna a 3 de março de 1984, em São Paulo-SP. Dia 24 de 1908 – Em Belo Horizonte, Minas Gerais, fundada a União Espírita Mineira – UEM, sendo seu fundador e primeiro Presidente Antônio Lima, fundador também do Jornal “O Espírita Mineiro”. Dia 25 de 1883 – Em Uberaba, MG, nasce o médium Anésio Siqueira. Desencarna em Campo Grande, MS, em 14 de janeiro de 1943. Dia 29 de 2008 – Na sede seccional da Federação Espírita Brasileira – FEB, no Rio de Janeiro, lançado o filme Divaldo Franco – Humanista e Médium Espírita. Presentes o presidente da FEB, Nestor Masotti, o produtor do filme Oceano Vieira de Melo, Divaldo Pereira Franco e o ator Ednei Giovenazzi, que faz a narração. Dia 30 de 1953 – No Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, fundada Sociedade Pró-Livro Espírita em Braille, tendo como principais responsáveis o Marechal Mário Travassos, Luiz Antônio Milleco e Marcos Vinícius Teles. Dia 30 de 1975 – Em Monte Carlo, Mônaco, realizado o 2º Congresso Internacional de Pesquisas Psicotrônicas, promovido pela The International Association for Psichotronic Research. Dia 30 de 2002 – Desencarna em Uberaba, MG, Francisco Cândido Xavier, cujo nome de nascimento é Francisco de Paula Cândido. Nasce em 2 de abril de 1910, em Pedro Leopoldo, MG. 06/1905 – Realiza-se em Liége, Bélgica, um Congresso Espiritualista Internacional.

LIVROS DO “CLUBE DO LIVRO ESPÍRITA” DEPARTAMENTO – CLUBE DO LIVRO ESPÍRITA MARIA DOLORES Rua Artur Machado nº. 288 – sala 04 – Centro Telefone: 3312-8327 – E.mail: eepe@eepe.com.br APRIMORAMENTO ESPÍRITA – Alkindar de Oliveira Objetivo, abrangente e norteador. Assim é Aprimoramento espírita, livro do conhecido autor Alkíndar de Oliveira. Servindo-se de sua grande experiência como consultor, palestrante e escritor, Alkíndar desenvolve suas abordagens de maneira clara e precisa. A obra apresenta quatro importantes temas para os espíritas: auto-estima, liderança, projeto ORAR (abreviatura explicada na obra) e unificação.

Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

21


PAZ E RENOVAÇÃO – Por Espíritos Diversos – Psicografado por Francisco Cândido Xavier A renovação íntima é fator básico de todo reequilíbrio. Daí procede a organização deste volume despretencioso que engloba avisos, apelos, comentários e lembretes de irmãos para irmãos, com o propósito de estudar as próprias necessidades. Convite para que todos se livrem das sombras do desânimo ou da inércia. Autor: Chico Xavier/Espíritos Diversos O PLANO B – Richard Simonetti Perdem a existência as pessoas que deixam de cumprir projetos elaborados ao reencarnar, relacionados com família, profissão, casamento, filhos, religião...? Observada a justiça divina, sim, mas a divina misericórdia está sempre presente, oferecendo projetos alternativos. É o que o leitor verá na encantadora história contada neste romance.

SUGESTÃO DE LEITURA DIÁLOGO COM AS SOMBRAS – Hermínio C. Miranda Destinado a todos que desejam entender o processo de comunicação com os Espíritos. Recomendado aos participantes de reuniões mediúnicas, seja qual for a função exercida nessa tarefa. Depois de analisar encarnados e desencarnados no que tange às suasemoções envolvidas nesses contatos, o autor sugere técnicas e recursos, baseado em atendimentos dos quais participou, descrevendo o desenvolvimento dos diálogos entre comunicante e esclarecedor e aborda aspectos relacionados com a linguagem, a prece, o passe e desdobramentos. Hermínio oferece também orientações sobre a formação do grupo, preparo e educação de seus componentes encarnados e tece comentários sobre os desencarnados. ESTUDANDO A MEDIUNIDADE – Martins Peralva Baseado na obra “Nos Domínios da Mediunidade”, apresenta vários gráficos e ilustrações para facilitar o estudo de temas como mediunidade com Jesus, Espiritismo e mediunidade, problemas mentais e outros assuntos que envolvem a mediunidade, o espírito e o médium.

HUMOR ESPÍRITA – “Perguntando”

Jornal Espírita de Uberaba – Ano 4 – Nº 57 – junho/2011

22


EDIÇÃO Nº 57