Issuu on Google+

Política

SEXTA-FEirA, 6 dE jAnEiro dE 2017 j www.EShojE.com.br Leandro Simoni /maLa da Sogra

aspecto geral hino salvador L hinosal@terra.com.br

150 milhões de Bíblias residência oficial do governador, na Praia da costa, ainda teve altos gastos com jardinagem e utensílios

Reparo na residência oficial vale 'apê' novo Em um ano de "ajuste fiscal" foram gastos r$ 284 mil nos reparos, reformas e manutenções, na Praia da costa Gustavo Gouvêa gustavo@eshoje.com.br

D

aria para comprar um apartamento de três quartos e 90m², no bairro de Jardim Camburi, em Vitória ou um com os mesmos três quartos e 100m², na Praia da Costa, em Vila Velha. Mas os R$ 284.259,40 foram gastos na reforma da residência oficial do governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), localizada na Praia da Costa, em 2016. A informação consta no site da Transparência do Governo, e na discriminação da despesa, liquidada em sete pagamentos durante o ano, estão "reparos, reformas e manutenção, com fornecimento de materiais e mão de obra". As despesas estão relacionadas à pasta da Secretaria de Estado Governo (SEG) - cuja função é assessorar o governador - uma das secretarias com o maior orçamento (mais de R$ 20 milhões em 2016) e que proporcionalmente possui a maior quantidade de servidores comissionados (117 de 160). Os comissionados conso-

mem quase um terço do orçamento da pasta. Os gastos com a residência oficial não pararam por aí. O portal da Transparência informa ainda que foram gastos R$ 225.939,39 em serviços de jardinagem durante o ano de 2016 na Praia da Costa, no Palácio Anchieta e no Palácio da Fonte Grande, sendo que os palácios possuem áreas verdes mínimas, sendo a maioria encontrada na residência. Lá, ainda foram gastos R$ 18.500,00 em postes com luminárias; R$ 12.809,00 em equipamentos de cozinha e eletrodomésticos; R$ 11.500,00 para fornecimento e instalação de toldos; R$ 5.320,00 de ferramentas e materiais elétricos para reparos; R$ 17.600,00 em ares condicionados; R$ 5.300,00 em prestação de serviços de reforma, montagem e desmontagem de estofados; R$ 5.147,80 para aquisição de tecidos para reforma dos estofados e R$ 6.076,70 para serviço de lavagem e passagem de roupas. Outros R$ 1.592.349,62 foram gastos no decorrer do ano, também nas três localidades, com a

prestação de serviços de hotelaria, cozinha, arrumação, limpeza, lavanderia, recepção e ascensorista, mas não é especificada a divisão exata do valor para cada prédio, e outros R$ 1.884.442,95 foram gastos com vigilância. Gastos com comida Um gasto da Secretaria de Governo que chama bastante a atenção é o relacionado à alimentação, cujo detalhamento é protegido pelo Inciso XXXIII do Artigo 5 da Constituição, que versa que "todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado". Durante o ano de 2016, a secretaria gastou R$ 308.131,45 em 'gênero de alimentação', valor superior ao gasto de todas as outras 20 secretarias que, juntas, gastaram R$ 282.467,33, durante todo o ano, com café, açúcar e água, basicamente.

Gasto com luz maior em 2017 as despesas com energia elétrica na Secretaria de Governo, durante o ano de 2016, foram de R$ 888.837,98, sendo que a conta mais cara foi no mês de março (R$ 102.229,40). Já em dezembro o gasto foi (talvez!) mais consciente, chegando a R$ 68 mil. Se as despesas com energia do ano de 2016 já eram consideradas grandes para os estabelecimentos que compõem a SEG, o montante reservado para o pagamento da

EDP Escelsa pela secretaria em 2017 é ainda maior. Existem dois processos na modalidade "dispensa de licitação" nas compras governamentais: um cujo valor é empenhado em R$ 1.164.000,00 e outro com valor empenhado de R$ 1.140.000,00, para a despesa durante os 12 meses de 2017. Nas despesas com água, a mesma lógica está sendo adotada. Apesar de a despesa da SEG com o líquido ter fechado o ano de 2016

em R$ 81.069,51, o total empenhado para o exercício de 2017 é de R$ 120 mil a serem pagos à Cesan. Outros gastos que constam foram R$ 10.500 com coroas de flores; R$ 4.898 com fogão industrial; R$ 8.206,73 com produtos de panificação e confeitaria; R$ 7.063,37 com materiais de copa e cozinha, R$ 2.398,00 com cafeteiras elétricas industriais e mais R$ 6.076,70 em serviços lavagem e passagem de roupas.

Aos meus amigos e leitores, entramos em 2017, cautelosamente com o pé direito, pois 2016 foi o ano mais longo da história! E como disseram os economistas, o negócio agora é rezar, e muito, para que nosso país saia dessa crise, criada por este monte de vagabundos que se dizem defensores do povo. Escolhi como o meu primeiro artigo de 2017 um comentário sobre a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) que acaba de alcançar a marca de 150 milhões de Bíblias e Novos Testamentos produzidos desde 1995, ano em que inaugurou a Gráfica da Bíblia. Considerado o país que mais enviam missionários mais divulga o Livro Sagra- para outras partes do mundo no mundo, o Brasil am- do, fato que tem colaborado plia sua visibilidade graças para a expansão da Causa da aos esforços da SBB para le- Bíblia. var a Palavra de Deus a todas Mesmo assim, a dissemias pessoas, oferecendo pu- nação da Palavra continua blicações em diferentes for- um desafio. No Brasil, estamatos, em sintonia com os mos passando por uma crise avanços tecnológicos e aos política, social e econômica mais altos padrões de quali- que também afeta bastante a dade. O diretor executivo da semeadura da Palavra de SBB, Rudi Zimmer, atribui à Deus. Traduzir, publicar e marca de 150 milhões de Bí- distribuir a Bíblia é permitir blias e Novos Testamentos que a mensagem de vida que produzidos nestes 21 anos ao há em Jesus alcance todas as engajamento das igrejas pessoas em nosso país. Após cristãs brasileiras, cuja mis- ler a matéria jornalística que são só pode ser fala dos 150 mirealizada com efilhões de bíblias Distribuir cácia quando asnão poderia deisociada à entrega xar passar em a Bíblia é d a Pa l av r a d e permitir que b r a n c o , e s s a Deus. Mas é isto de a mensagem oportunidade mesmo, as igrejas elogiar esse trade vida de com as graças de balho cristão! É evidente que a Nosso Senhor Je- Jesus alcance sus Cristo estão mais pessoas Sociedade Bíblica do Brasil desemincentivando o penha um papel povo a ficar mais crente nas palavras de Deus fundamental na missão global e desacreditando no que di- do movimento das Sociedades zem os políticos. Bíblicas. Porém, temos que Todo mundo já deve ter nos unir muito, com a Palavra percebido que nas últimas de Deus, para não continuar décadas, mais do que em assistindo esses horrores das qualquer outro período, as guerras no Oriente, dos atenigrejas brasileiras têm se en- tados na Europa e dos massavolvido de forma crescente cres aqui nos presídios do com esta divulgação, trans- nosso país. Estamos afastados formando o Brasil no país de Deus, precisamos nos unir em que se realiza a maior mais com o compromisso de operação de distribuição das levar a Palavra de Deus às E s c r i t u r a s S a g r a d a s n o pessoas vulneráveis. Foram fabricadas 150 mimundo. Uma coisa importante, porque assim as pes- lhões de bíblias. E que vesoas ficam mais sábias, en- nham mais 150 milhões. Que contrando na Bíblia coisas 2017, seja um ano com muiboas e que tocam no cora- ta leitura de bíblias e muito ção. Com essa sabedoria as amor no coração de todos os igrejas brasileiras são as que homens da terra.

5


Jornal ESHOJE_626