Issuu on Google+

19 e 20 de Novembro de 2011 edição 593

Pamela

Joice

Natalia

Joice

Glaiciele

Jeanarfa

Isabela

MISS E MISTER São Sebastião do Paraíso Gabriela

O próximo dia 3 de dezembro às 21h nas dependências da Liga será realizado o concurso a Miss e Mister de São Sebastião do Paraíso nas categorias adulto e infantil O evento coordenado por Flávio Vieira promete trazer para o público, beleza e muita emoção. Mayara Oliveira Miss de 2010 estará presente para passar a faixa a mais nova soberana da beleza paraisense de 2012. No intervalo haverá desfile de moda das Casas Pernambucanas e um de desfile de noivas de Neia Noivas de Monte Santos de Minas. Vinte e cinco candidatas disputam o título, e serão apresentadas em edições do Jornal do Sudoeste.

Bruna


página 2

São Sebastião do Paraíso-MG e Região 19 e 20 de Novembro de 2011

REFINARIA Uma das lojas mais sofisticadas da cidade, senão a mais, inaugura seu segundo espaço, agora na Pimenta de Pádua, 1226 – loja 1. Com finíssimo coquetel oferecido aos clientes que por lá passaram, a tarde do dia 16 foi cheia de charme para a proprietária Leila Xavier Petrus. A Refinaria conta com objetos de decoração, listas de casamentos com presentes das melhores marcas do mercado em pratas, cristais, porcelanas, faqueiros, inox, madeira, e produtos de beleza da chiquérrima linha L’Occitane. A Refinaria se define em algumas simples palavras: “Produtos diferenciados, atendimento personalizado, objetos de decoração, charme e sofisticação.”

Balé Flávia Junqueira A apresentação do Balé Flávia Junqueira deste ano contará a estória “A Sereia e o Anel Encantado” que tem como personagens, além da sereia, um menino pescador, seu pai, tartaruguinhas, peixinhos, piratas, caranguejos. Durante a estória apresentada em danças, balé clássico, sapateado, jazz, estilo livre, acontece, num momento marcante, um “Pax des Deux” (passo de dois em francês). Dias 10 e 11 de Dezembro. Participe dos eventos culturais de sua cidade.

Velhice (*)Ely Vieitez Lisboa

O homem nasce para morrer. Há todo um processo lógico que vai do nascimento, quando se é novo, belo, forte, até a antítese disso, a velhice, quando imperam a fragilidade, a falta de beleza, a degenerescência. O próprio espírito pode envelhecer. São raros os velhos que continuam dinâmicos e otimistas. Depende da personalidade e da saúde física. O problema é tão sério, que virou moda a Geriatria. Florescem clínicas, há remédios milagrosos que nos fazem eternos, tratamentos caríssimos que previnem contra o envelhecimento precoce. Na verdade, muito depende o final de cada um, do começo da história. Pessoa bem alimentada, saudável, amada, tem geralmente uma velhice sã, aceitável e até bela. Mede-se a cultura de um povo pelo modo com que ele trata os velhos. Em geral, é com preconceito, desprezo e escárnio. A televisão e os outros meios de comunicação tornam o problema mais grave. Eles criticam a velhice e enaltecem a juventude, como fórmula mágica de felicidade. Poucos autores, mesmo entre os da chamada literatura infanto-juvenil, têm um posicionamento mais positivo servindo de antídoto contra esta crítica destrutiva, que nada constrói e não forma na juventude uma consciência lógica, lúcida, para respeitar o passado, os velhos, por razões muito simples: eles são o vivido, o passado, a experiência, a sabedoria, um rico manancial de exemplos. Entre os autores modernos, Pedro Bandeira é um dos que vêem tal problemática com lucidez exaltando os velhos, a velhice. Entre os “fabliaux” (séculos XIII e XIV), temos a historieta “La Housse Partie”: um pai gasta tudo que tem para dar um rico casamento ao seu filho. Muitos anos depois, instigado pela mulher, o filho ex-

pulsa o velho pai, que lhe pede apenas um cobertor, para abrigar-se do frio. O filho manda então seu garoto procurar, na estrebaria, um cobertor (tipo de pelego) para dar ao velho, antes de sua partida. O menino obedece, mas antes de dá-lo ao avô, corta-o em duas partes iguais. Lamentações do velho, reprimendas do pai. O menino explica: “A outra metade, eu a guardo para o senhor; quando estiver velho e me der todos os seus bens, eu o expulsarei também”. Não é preciso uma análise profunda para compreender a pequena história da idade média. O homem, no entanto, animal teimoso, que custa a aprender as lições da vida, séculos e séculos após, não vê que é tolice não aproveitar a experiência dos velhos. A comprovação dessa assertiva são os asilos que constituem, de certo modo, um mal necessário, mas uma instituição muito deprimente. Os velhos devem ser aceitos, compreendidos, amados, cuidados com carinho e amor, nos seus próprios lares. Eles amam suas raízes, gostam de seu espaço e sofrem, até morrem, quando são violentados, tirados dali ou feitos de joguetes entre os filhos. Tenho certeza de que, quando o Cristo disse: “Vinde a mim as criancinhas” (os pequeninos), Ele não se referia só aos de pouca idade. Os velhos, santificados pela experiência, marcados pela vida, são também inocentes, criaturas assinaladas. Que sejamos suficientemente sábios e pacientes para reverenciá-los por duas razões incontestáveis: eles são a experiência, a vida passada a limpo e o mais importante, são, no presente, o que seremos, inexoravelmente, no futuro. (*)Ely Vieitez Lisboa é escritora.

E-mail: elyvieitez@uol.com.br

Somos todos diferentes, graças a Deus. E diferença não é defeito, é qualidade! Mas, infelizmente, existem aquelas pessoas que não aceitam opiniões divergentes, que se autointitulam “detentoras da verdade” e, inconsequentemente, emitem julgamentos impiedosos sobre a moral do próximo. Pessoas assim são malresolvidas, castradas e vivem no mundo da aparência – onde a máscara da angelitude esconde sua real personalidade. Têm medo que descubram suas fragilidades e imperfeições. Então, mais fácil apontar o erro (ou aquilo que consideram equivocado) do outro, em vez de perscrutar seu universo interior, analisar seus desejos e gerenciar suas emoções. Essas mesmas pessoas são autoritárias e, por adotarem uma postura de rigidez exacerbada, veem sempre o lado negativo de tudo. Caso o domínio lhes escape das mãos, afligem-se visivelmente, pois, para elas, perder o controle é intolerável. Estão sempre ditando regras, exalando superioridade, observando os tropeços do semelhante e alimentando a maledicência. Para elas, sua conduta é a perfeita, sua família é modelo a ser seguido, sua religião é a melhor e tudo o que destoa do que acredita como certo é contrário às Leis de Deus. Diante disso, um misto de tristeza e alegria me invade: tristeza, por saber que tais pessoas vivem a vida do próximo e se esquecem de vivenciar a própria existência, de saborear a maior dádiva que o Pai nos concedeu; alegria, por saber que há diversas pessoas que, embora ainda imperfeitas, já conseguem romper a barreira da homogeneidade e desfrutar de uma convivência harmônica com irmãos diferentes. Importante compreendermos que a Terra é uma bendita escola, a qual nos proporciona, a cada amanhecer, um recomeço. Hoje pode ser o início de uma mudança de paradigmas. Que tal passarmos a respeitar mais, em vez de recriminar; pacificar, em vez de apedrejar; amar, em vez de julgar? Dessa forma, estaremos construindo uma sociedade mais equânime, preocupada com o bemestar alheio, aberta à comunicação dialógica, que respeita as peculiaridades do complexo ser chamado homem. Por isso, caros leitores, aprendamos o valor da palavra ALTERIDADE – capacidade de se colocar no lugar do outro – e a pratiquemos constantemente a fim de vivermos melhor. É por isso que eu digo: é melhor falar do que ruminar!!! Pronto! Falei, tá falado!

faleitafalado2010@hotmail.com


São Sebastião do Paraíso-MG e Região 19 e 20 de Novembro de 2011

página 3

“Ao mesmo tempo em que eu estou trabalhando, estou fazendo algo de bom para as pessoas também” Elizabeth Cristina Barros Marcomini é uma pessoa muito agradável, daquelas de sentar ao lado e conversar sobre tudo sem ver a hora passar. Transmite alegria, carinho, e dispensa sua atenção a todos que a ela rodeiam. Como profissional, procura tratar os pacientes com igualdade. No seu lar, gosta de mudar a decoração da casa e cuidar do marido Renato Marcomini. Com os sobrinhos e afilhados, vira menina e até brinca de pique-esconde. Beth, como é carinhosamente chamada, tem o coração enorme, que se preocupa com o próximo, com os amigos e a família. E uma mulher que deixa seu rastro por onde passa. Beth, conte-nos onde você nasceu e suas recordações de infância. Eu nasci aqui em São Sebastião do Paraíso, no bairro Mocoquinha, ali perto da Santa Casa. Eu sou a quinta filha de seis irmãos: Rômulo, Dito, Andrea, Cláudia e Heberth. Tive uma infância simples, mas muito boa. Brincávamos na rua com aquele tanto de amigos. Foi uma época muito gostosa, muito diferente da infância da meninada de hoje. Eu tenho muitas recordações, sim: de dançar quadrilha na rua, de brincar de pique e aquelas coisas todas... Foi muito bom. E como foram seus primeiros passos na escola? Naquela época, a gente começava direto no pré-primário. Fiz o “prezinho”, estudei de 1ª a 4ª série na Escola Estadual Noraldino Lima, continuei no Paraisense e fiz o curso Técnico em Contabilidade, na “Escola do Padre”. Tenho lembranças muitos boas desse período de estudante. Depois disso, fiz o curso Técnico em Eletroencefalografia, profissão que exerço até hoje. Por que você escolheu o curso Técnico em Eletroencefalografia? Na verdade, eu fui fazer o curso Técnico em Contabilidade porque eu trabalhava em uma loja, a Fofolândia, onde eu já trabalhava com isso. Enquanto eu trabalhava lá, minha irmã soube que estavam precisando de uma secretária para trabalhar em um consultório médico. Então, minha irmã “Dea” conversando com amiga dela, que inclusive é tia da Dra. Silvia, me indicou e eu comecei a trabalhar como secretária. Foi então que eu fui fazer o curso porque eu ia trabalhar como secretária e fazer exames de eletroencefalo-grama. Eu não tinha experiência nenhuma. Fiz o curso técnico em São Paulo – o curso era dividido em módulos. Começávamos no início do ano e voltávamos em setembro, quando eles davam mais material para estudar. No final do ano, nós voltávamos para fazer as provas e a parte prática. Depois de aprovados nas provas teóricas e práticas, nós recebíamos o diploma. Conforme iam surgindo às oportunidades, eu participava de congressos... Fiz um estágio no Instituto da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo, com a neurofisiologista, Dra. Jessie, que me ajudou muito na parte prática. O eletroencefalograma é um exame do cérebro. O paciente procura o neurologista por vários motivos: dor de cabeça, tonturas, então, a médica vai pedir uma série de exames. O eletro é um deles para avaliar um problema neurológico. Estou trabalhando no consultório há 19 anos. E eu gosto demais. Eu me encontrei profissionalmente. Ao mesmo tempo em que eu estou trabalhando, eu estou fazendo algo de bom para as pessoas também. Eu procuro tratar bem as pessoas, com igualdade, e é uma área que eu gosto muito. A Dra. Silvia é uma pessoa muito boa. Além de patroa, ela é uma amiga que eu posso contar. Quando eu comecei a trabalhar aqui, ela estava no início da gravidez, hoje a filha dela está se preparando para entrar no curso de Medicina também. Há histórias de pacientes que te marcaram de alguma forma, Beth? Sempre tem porque a gente acaba envolvendo. Quando eu estou preparando um exame, muitas vezes, é o momento em que o paciente desabafa sobre o problema dele. A gente acaba se envolvendo. Já houve vários casos que marcaram a gen-

te. Houve situações em que o paciente fez todos os exames e no final descobriu um problema grave. Aí a gente fica chateada... Com o tempo, a gente vai criando certa resistência; você consegue falar com a pessoa sem que aquilo te afete tanto, mas eu sou uma pessoa que sempre me apeguei muito. Eu falo que se fosse para trabalhar em hospitais, eu já não sei se eu me encaixaria. A Dra. Silvia é neuropediatra também, então, a gente atende desde crianças bem pequenas a idosos. Tenho muito contato com eles.

por Ana Carolina Bonacini

Você trata as pessoas com atenção, carinho, é comunicativa e gosta de conversar. Isso é coisa de família? É familiar mesmo. Eu tenho uma irmã, a Andrea, que também é assim, até mais que eu. A Cláudia é comunicativa também, porém mais tímida, mais quieta. A Andrea é mais despachada. Se tiver com algum problema, põe na mão dela que ela desenrola (Risos). Eu acho que vem de traços familiares sim. Minha mãe é uma pessoa que todo mundo gosta, tanto ela como meu pai. Minha mãe transmite paz, ela sabe acalmar. Eu já sou mais agitada que ela. O que de mais importante você aprendeu com seus pais? A família é a base de tudo. Eu tenho uma família maravilhosa. Meu pai, Cloves, minha mãe, “Vina”, meus irmãos e sobrinhos, Veridiana, Victória, Mauro Henrique, Murilo, Túlio e Amanda, somos muito unidos. Tudo o que eu aprendi eu devo aos meus pais. Eles foram guerreiros. Como toda família passa por dificuldades na vida, nós também passamos por alguns momentos difíceis, que foram superados graças à fé de minha mãe, que com suas orações sempre alcançou muitas bênçãos de Deus. Eles são vencedores! Com seis anos de casada, você deu início a formação de seu lar. Como foi que isso começou? Eu conheci o Renato em uma festa de sala da minha irmã Cláudia. Eu era bem nova, tinha 13 anos. Ele era amigo de escola da minha outra irmã, a mais velha. Aos meus 16 anos, nós começamos a namorar. De lá para cá foram treze anos de namoro. Há seis anos estamos casados. Foi um namoro muito bom porque ele é uma pessoa muito boa. Eu me identifiquei muito com o Renato porque ele tem muito juízo, sempre foi muito trabalhador, vem de uma família muito boa, e assim como a minha, muito religiosa. Nós vivemos muito bem e pretendemos ter nossos filhos. Estamos construindo nossa vida, estamos vivendo uma fase muito boa. E tudo vem na época certa, não é? Nós namoramos por muito tempo, mas teve uma fase que o Renato trabalhou fora daqui, e por algumas vezes, a gente já havia até pensado em nos casar antes, mas sempre tinha alguma coisa ou outra que atrapalhava. Hoje ele trabalha aqui em Paraíso, então, as coisas foram se encaixando. Você disse sobre religião. Como você pratica sua religiosidade? A prática da religiosidade é no dia a dia, é fazer as coisas que você pode fazer de bom para as pessoas. Tanto eu como o Renato viemos de berços de famílias da religião católica. Minha mãe tem um vínculo muito grande com a igreja, ela é zeladora da Mãe Rainha. Minha irmã e meu cunhado são ministros da Eucaristia... Eu procuro ir à igreja sempre porque eu acho que independente da religião nós temos que seguir alguma. Sinto falta quando eu não vou. Eu gosto de participar porque eu falo que é tudo na

vida da gente. É ter fé, independente da religião. Precisamos acreditar porque é isso que dá força para enfrentar todos os problemas. Nas minhas orações, eu agradeço por tudo que a gente tem, pela saúde, pela nossa família, por tudo! Eu falo que se a gente reclamar, estamos sendo muito egoístas porque graças a Deus nós temos tudo que a gente precisa. Eu peço saúde, peço para que Deus ilumine nosso caminho, ilumine o caminho dos nossos pais, dos nossos irmãos, nosso caminho profissional... Colocamos tudo nas mãos de Deus e Ele toma conta. Entregamos tudo e Ele vai vendo o que é melhor. Às vezes, a gente quer muito uma coisa quando não é aquilo que vai ser bom. Temos que ter fé, colocar nas mãos de Deus e seguir em frente. Outra coisa que chama a atenção em você é sua maneira de vestir-se bem, sua vaidade. Dentro do possível, a mulher tem que se cuidar. Faz bem. Mudar alguma coisinha, cuidar da saúde, praticar uma atividade física, tudo isso faz bem, não só para o corpo, mas para a mente também. Eu vejo por esse lado. Eu procuro me alimentar bem e pratico atividade física. Dançar nem se fala! Eu adoro dançar. Faz muito bem. Sobre o modo como eu me visto, é mais uma questão de estilo, de gosto. Falamos sobre trabalho, família e nas horas vagas? O que você gosta de fazer? Nas horas vagas, eu gosto muito de curtir os sobrinhos e afilhados. Nós temos bastante afilhados. Os filhos dos meus irmãos são praticamente todos nossos afilhados, se não são de batismo, são de crisma. Eu gosto de curtir com eles sempre que eu posso. É uma riqueza que a gente tem. Enquanto não temos os nossos, curtimos com eles porque é maravilhoso. A gente tem amor neles. Geralmente quando eu vou para academia, uma sobrinha vai comigo. Hoje eu estava almoçando, a “petitinha” do Heberth veio aqui e não queria ir embora enquanto eu não chegasse. Com as mais velhas, conversamos sobre computador – até são elas que me explicam como se mexe. Com a pequenininha, a Amanda, brinco de pique – esconde, essas coisas. As sobrinhas estão naquela fase de querer ser gente grande, então, elas querem colocar meu sapato, meu colar... Também gosto muito de ir à casa da minha mãe, essas coisas. Gosto

muito também de viajar. Quando nós casamos, nós fomos para Maceió, e no ano passado, nós fomos para Natal. Nós gostamos demais do Nordeste, mas em especial, Natal. Nós passamos quinze dias das nossas férias por lá e foi maravilhoso. Todo mundo tem que conhecer Natal um dia. É muito lindo. Você vem embora renovada com tanta coisa bonita que você vê. Também gosto de mexer com coisas de casa, decoração. Sabe ficar mexendo alguma coisa na casa? Mudando alguma coisa...? É uma coisa que me faz muito bem. Eu falo que se eu não trabalhasse na área médica, que eu realmente gosto muito, eu acredito que minha segunda opção seria a parte de decoração que me chama muito a atenção.

Beth, muito obrigada por aceitar nosso convite. Peço para que você deixe seu recado aos leitores do Jornal do Sudoeste que vão acompanhar sua entrevista. Seja alegre e otimista. Não perca tempo em olhar para trás, para ver o que já fez. Olhe para frente e caminhe confiante e alegre, praticando o bem e ajudando a todos. Dê a mão a cada criatura que se lhe aproxima e diga sempre uma palavra de conforto e carinho. Tenha para todos um sorriso de bondade e a verdadeira felicidade passará a construir seu clima permanente de vida.


página 4 São Sebastião do Paraíso-MG e Região - 20 e 21 de Novembro de 2011

Tip Top Bar, ambiente agradável, localização privilegiada, clientes assíduos e ótimo atendimento, tud esse bar que está em constante sintonia com seus clientes. O funcionamento é de segunda a sábado, possui um cardápio variado, mais de 60 opções, delicio pratos ou porções apetitosas, panquecas, caldos dentre outras diversidades e serviços “a la carte”, qu para os mais variados paladares, além do almoço das 11h as 14h. O bar continua seu funcionamento apó estendendo a noite. Novidade: Internet Wirelles para os clientes, e já se preparando para o Reveillon o são limitadas, garanta já a sua. Animação com a banda Os Fantoshes. Tip Top Bar avenida Monsenh telefone 3558 8803. Esses são os cliques da sexta-feira dia 11.

Aniversário Isadora

Franciele, Gustavo, Kito, Silvia e Luana

Tatiane, André, Gustavo e Adriana

Péricles, Raissa, Eliana e Tutu

Leandro e Fabiana

Luana e Diego

Isadora Castro Oliveira, comemorou no sábado dia 12/11, em grande estilo seu aniversário de 18 anos, ela que é filha dos empresários Hudson Magalhães de Oliveira e Cátia Maria de Castro Oliveira, e irmã de Júlia e Ana Laura. Festa realizada na Fazenda Varões com animação da banda de pagode 3RE, com a presença de vários amigos e familiares. Igor, Isadora e Nayara

Isadora e amiga Thais

Família - Ana Laura, Julia, Cátia, Isadora e Hudson Jéssica, Laís, Isadora, Nayara e Rose

Hudson, Igor e lutadores de boxe Larissa, Amanda, Cátia, Julia e Ana Laura Isadora com suas irmãs Julia e Ana Laura e a mãe Catia

Primos de Isadora Yuri e Vitória com amigos lutadores de boxe

MÚSICA AO VIVO PARA TODOS OS EVENTOS

Rose, Hudson, Soaraya, Catia e Ana Laura

Tales, Reginho e Juninho tio de Isadora


página 5 São Sebastião do Paraíso-MG e Região - 20 e 21 de Novembro de 2011

calização privilegiada, clientes assíduos e ótimo atendimento, tudo isso resume nia com seus clientes. sábado, possui um cardápio variado, mais de 60 opções, deliciosas refeições, cas, caldos dentre outras diversidades e serviços “a la carte”, que traz opções do almoço das 11h as 14h. O bar continua seu funcionamento após o almoço se Wirelles para os clientes, e já se preparando para o Reveillon onde as mesas ção com a banda Os Fantoshes. Tip Top Bar avenida Monsenhor Felipe, 565, ues da sexta-feira dia 11.

Péricles, Raissa, Eliana e Tutu

Tulio e Luana

Luana e Diego

Miguel, Silvana, Gabriela e Bruno

Rejane, Eden, Luiz Teodoro, Amanda e Ana Maria - Reencontro da 2ª turma Faceac após 37 anos

Marco e Denise

Cantieri Ferragens e Gerdau Um coquetel e almoço foi realizado recentemente na Cantifer (Cantieri Ferragens) onde houve palestra ministrada por Chásla, da Gerdau que é parceira da Cantieri em ferragens. O evento contou com a presença de funcionários da empresa, clientes, engenheiros, empresários, políticos, mestre de obras dentre outros nesse segmento, enfim pessoas relacionadas à construção civil. Ináh, Danielle, Pedro, Cinara, Darcinho,Enzo, Elaine e Eder

Darcinho, médico dr Marcos, Eder e Ricardo

Darcinho, Fátima, Danielle, Prefeito Mauro Zanin, Marcos, Étori Cantieri e Pedro Zanin

Funcionários da Cantieri Representante Gerdau com socios administradores da Cantieri Eder, Fátima, Étori, Danielle e Darcinho

Pedro Zanin, vereador Henrique Matheus, Luiz Pessoni, Eder, José Osmar e José Carlos do banco do Brasil

Funcionários


página 6

São Sebastião do Paraíso-MG e Região 19 e 20 de Novembro de 2011

Vieram morar em Paraíso e aqui encontraram um Paraíso Sãosinha

Aniballe Suardi, sua esposa Melania Delemese Suardi e a menina Josephina Suardi chegaram a Paraíso para morar no dia 11 de novembro de 1911. O imigrante Aniballe é filho de Carlo Suardi e Angela Baldochi Suardi. Veio da pequena cidade Trigolle, província de Cremona, onde nasceu no dia 30 de abril de 1871, chegando ao Brasil no dia 27 de dezembro de 1890 com apenas 19 anos de idade. Seguiu para a região de Pinhal e São João da Boa Vista, no Estado de São Paulo. Ali conheceu a bonita italiana Melania Delemese, filha de Luiza Avancini Delemese e Paulo Delemese. Dentro de algum tempo casaram-se e tiveram uma única filha, Josephina Suardi. Mudaram-se para Posse de Ressaca, perto de Campinas. Aniballe era seleiro, artesão perfeccionista, sendo seus arreios para cavalos, requisitados em toda região. Alcançando independência financeira, resolveram voltar para a Itália, isto nos primeiros meses de 1911. O encontro com a família foi emocionante. Josephina contava o encantamento da travessia do rio Pó, as cerejas madurinhas no pé, a visita a Basílica de Nossa Senhora do Monte Serrat, onde presenciaram um milagre. Todo era emoção, mas a saudade do Brasil foi maior e resolveram voltar. Na Itália decidiram que viriam morar em São Sebastião do Paraíso, porque aqui morava Catarina Baldochi Carina, tia de Aniballe, casada com Pedro Carina. Chegaram no dia 11 de novembro de 1911. Josephina tornou-se uma jovem linda, pele muito clara, olhos grandes e verdes, cabelos castanhos escuros. Recebia muita serenatas românticas. Em1917 foi aclamada pelo jornal local “Progresso”, propriedade e redação do Cavalieri João Ponte, Miss Paraíso. Casou-se com o jornalista João Borges de Moura. Aniballe era um homem inteligente, com uma boa cultura para sua época. Assinava e lia diariamente os jornais de São Paulo, “O Estado de S.Paulo” e “Fanfulla”. Viajava 1e horas de trem, da Mogiana, para ir a São Paulo assistir óperas que vinham da Europa se apresentar no Brasil. Como bom italiano, gostava de comida boa, farta, mas uma de suas características é que os muitos empregados de sua selaria almoçavam

diariamente na mesa grande, com sua família. Ele usava dois relógios de bolso, um de ouro com as horas do Brasil e outro de prata, com as horas da Itália. Só conheceu dois netos, Conceição e Aníbal que chamava carinhosamente, minha menina e meu menino. Foi um avô muito carinhoso.Faleceu em 7 de novembro de 1939. Melania foi uma avó adorável. Pertenceu ao Apostolado da Oração por mais de 40 anos. Em 1951 Melania e Josephina foram homenageadas com uma belíssima crônica pelo poeta e professor José Hilton Pinheiro de Alcântara, lida por ele na Rádio Difusora Paraisense, comemorando Josephina 40 anos de chegada das duas senhoras a Paraíso. Josephina Suardi Borges e o jornalista João Borges de Moura tiveram os filhos Conceição Benedicta Borges e Aníbal Deocleciano Borges. Conceição, casou-se com o advogado Jacinto Guimarães Ferreira e tiveram as filhas, a advogada Maria Izilda Borges Ferreira Feliciano, casada com o consultor de empresas, Maurício Feliciano, e a advogada Maria Luiza Borges Ferreira Westin, casada com o engenheiro agrônomo, Flávio Westin. Aníbal Deocleciano Borges, jornalista, casou-se com a contabilista Altair Marinzeck Borges e tiveram os filhos, Anibal Marinzeck Borges, engenheiro civil, casado com a advogada Iria Maria Pelucio Borges. Adriene Marinzeck Borges Delfante, psicopedagoga clínica, casada com o jornalista Paulo Henrique Delfante. A quarta geração e constituída pelos jovens Lillian Feliciano de Oliveira, nutricionista, casada com Rodrigo Lazzarini de Oliveira, funcionário de Furnas, Danielle Ferreira Feliciano, bióloga, Maurício Feliciano Filho, advogado, Cybelle Ferreira Westin, administradora de empresas, Flávia Ferreira Westin, universitária, Amanda Pelucio Marinzeck Borges, universitária, Bárbara Pelucio Marinzeck Borges, universitária. Rafael Marinzeck Borges, universitário, Caio Marinzeck Borges Delfante, universitário. O pequeno João Victor, de apenas dois anos de idade, inicia a quinta geração de Melania e Aniballe Suardi. Os descendentes são poucos, mas é muito, muito grande o amor, respeito e admiração que sentimos. Eles estão sempre presentes em nossas orações e nossos corações.

Berço da Humanidade Com o esgotamento do capitalismo, o mundo volta seus olhos para o continente Africano que, mesmo sendo o berço de todas as civilizações, por milênios foi ignorado. E só agora, cientes dos equívocos da evolução cultural baseada no consumismo é que começamos a perceber que existem outras formas de evolução e expressão cultural. Já se nota em algumas posturas e comportamentos do mundo ocidental de, ainda que subliminarmente, o arrependimento das atrocidades que foram impostas por séculos seguidos aos povos africanos, incluindo aí a maior violação de direitos; O seqüestro para escravidão que perdurou por mais de trezentos anos, ceifando dos lares africanos os seus jovens filhos, levando o continente a um esvaziamento demográfico em mais de 70%. Hoje a África está na moda e na mídia, seus rítimos e trajes, seus relevos geográficos, hábitos, costumes e cultura, começam a brilhar na imprensa mundial, provando que valeu a pena o trabalho “de formiguinha” de cada um dos ativistas anti-segregação pois começa a dar dos frutos que tanto almejamos. Então, Viva a África!... E Viva Zumbi dos Palmares!

Filho Nato Acorda Mamãe África Vem mostrar ao mundo inteiro Que os tempos são chegados E teu fausto é verdadeiro

Cidadania No espaço de vida que ocupamos O tempo é limitado. Uns vivem Mais outros vivem menos. Olhe ao lado, à frente e atrás! Faça um pouco mais pelo próximo, Reze veementemente por ele. Perdoe da alma para o todo o Perdão nos aproxima de Deus. A consciência funciona como um Espelho a serviço da vida. Para que se torne o homem que Deus abençoou e alcance a paz Celestial no Plano Superior! Bem acima do horizonte. Antônio Carlos Pinheiros de Alcântara a quem tive o prazer de Conhecer e usufruir de sua amizade. Um dos maiores exemplos de cidadania, plenitude e altruísmo. Força inspiradora, nos mostra o que há de mais profundo nas faces da vida. Deixou-nos um legado precioso. A família como um modelo vivo da sociedade. Muita paz e luz... Laércio Felício da Silva Membro da Academia Paraisense de Cultura.

És berço da humanidade Inesgotável é seu saber Vem dissipar o nosso ocaso E revelar seu alvorecer Tuas belezas se elevaram Eclodindo os teus primores Que os tempos já chegaram Finalizando as tuas dores Eu acolho os teus ensinos Como aluno aprendedor E te entrego estes meus versos Como se fosse uma flor Os teus filhos aqui chegaram De braços nus e pés no chão Mas teus filhos nos mostraram Que para Deus somos irmãos Os teus filhos aqui chegaram Pisando em pontas agudas Mas teus filhos nos mostraram Que com amor se cura tudo Te confesso ó Mãe África E afirmo perante Deus Sou eu, sou eu, sou eu... Sou eu um dos filhos teus Homenagem de; Nelson Gadi, à V SECON (Semana de Estudos da Consciência Negra)


São Sebastião do Paraíso-MG e Região 19 e 20 de Novembro de 2011

página 7

PARAÍSO EM SERESTA O Paraíso em Seresta se apresenta neste domingo, dia 20, a partir das 8 da noite na praça em frente a Igreja de São Judas. Domingo passado o grupo formado por Ângela Pascoal, Arthur Henrique, Silvia Pessoa, Guelfo Colombo e Nelson Duarte se apresentou na Estância Balneária Termópolis, onde uma vez por mês levará a tradicional música de seresta. Trata-se de um investimento do Hotel Termópolis no sentido de brindar seus hóspedes, e que tem apoio da empresa Gonçalves Salles (Laticínios Aviação).

15 anos de Gabriela - 12.11.2011

Com seus pais João Fabrício Duarte dos Santos e Sueli Garcia Gonzaga dos Santos e com o irmão Pedro Paulo, Gabi recebeu amigos e demais familiares para a comemoração de seus 15 anos. O Espaço 88 foi o cenário da maravilhosa festa. O tema borboletas, foi bem explorado, desde o convite até os pequenos detalhes nos doces. Com uma decoração raramente vista, o mobiliário usado na festa foi um grande diferencial, requintando o ambiente. No primeiro salão, mesas diferenciadas com cadeiras Tiffany Cristal, vários lounges, móbiles de pedraria cristal e borboletas adornando mesas espelhadas, pergolado delimitando a área de bolo e doces, todos com arranjos florais diferenciados, esperavam os convidados após uma foto da aniversariante medindo 3x12 metros. Após os cumprimentos à Gabi e pais, os convidados foram fotografados e levaram além da alegria contagiante, a foto lembrança no final da festa. No segundo salão, os jovens ficaram à vontade entre a pista de dança, bistrôs, lounge, puffs e recamiers, com cardápio teen e guloseimas. Cardápio e decoração foram do Italian Buffet, doces de Susi Chocolates, bolo de Débora Bolos. Os bartenders da World Flairs(Franca) além dos coquetéis, conduziram o bolo cenográfico (feito por Luciana da Canto que Encanta) para os parabéns e dançaram com Gabriela a música Sticky Dough usando até pirofagia na coreografia que prendeu a atenção de todos.Também em perfeita coreografia e emocionante, foi a valsa da debutante com seu pai, com seu irmão e com o primo Arthur. Todas as imagens da linda festa foram registradas por Wilian Jackson e equipe, assim como a produção do clipe. A dedicação de Sueli a todos os detalhes resultou em uma festa inesquecível. O grande sucesso da festa contou com a animação do Dj Colombo e iluminação da Áudio e Foco. Parabéns Gabriela! Sua festa foi um espetáculo memorável. Parabéns e nossos agradecimentos a todos os profissionais envolvidos que não mediram esforços para que este sonho se tornasse realidade.

Horóscopo Semanal Marcelo e sua esposa Sueli CAPRICÓRNIO (22/12 A 21/01) Algumas mudanças, boas e ruins, continuam acontecendo em sua vida. O momento é de transformações efetivas e definitivas. Neste período suas ambições passam por um processo de concretizações. AQUÁRIO (21/01 A 18/02) As emoções continuam mandando em sua vida. Procure entendê-las não só com a cabeça, mas com o coração. É hora de olhar para atrás e refletir sobre escolhas feitas no passado. Momento de certa solidão. PEIXES (19/02 A 19/03) As viagens ainda fazem parte de seus planos ou realizações, assim como os estudos, especialmente os que envolvem o aperfeiçoamento de sua vida profissional. O amor pede um tempo para reflexão. ÁRIES (20/03 A 20/04) A Lua se une ao seu regente e alguns problemas de trabalho podem surgir. Cuidado com rompantes de impaciência ou intolerância, pois o dia está tenso. Coloque o excesso de energia na execução de seu trabalho. TOURO (21/04 A 20/05) As mudanças ocorrem independente de sua vontade e o período que elas acontecerão dura alguns meses. Você terá tempo suficiente a se acostumar com elas e até gostar. Expansão, crescimento, criatividade e paixão. GÊMEOS (21/05 A 20/06) Vênus, Mercúrio e nódulo lunar em seu signo mostram que alguns relacionamentos que já não fazem sentido em sua vida devem ser deixados para trás. A fase é de mudanças e continua por alguns meses. CÂNCER (21/06 A 21/07) Seu regente se une a Marte em Virgem e suas emoções ficam à flor da pele, especialmente as raivas e a impaciência. Cuidado com discussões, pois você se arrependerá em poucas horas. Evite desavenças. LEÃO (22/07 A 22/08) Procure organizar melhor suas finanças e seus investimentos. A fase é boa para rever suas entradas e saídas. O momento é de aquisições materiais e envolve ganhos. Amor em alta. VIRGEM (23/08 A 22/09) A Lua em Leão faz com que você esteja mais atento às suas emoções, especialmente às relacionadas ao seu passado. Hoje, sua sensibilidade estará à flor da pele. Nesta fase de concretizações, tenha claras as suas metas. LIBRA (23/09 A 22/10) Você não passa por uma fase de pressão ou cobranças e por isso você deve estar atento às oportunidades materiais que possam surgir. A fase é voltada para os ganhos e estabilização da sua vida financeira. ESCORPIÃO (23/10 A 21/11) As energias continuam voltadas para as transformações pessoais e aquisições materiais. Neste momento, é possível que você firme uma sociedade ou parceria comercial. O período envolve concretização dos sonhos. SAGITÁRIO (22/11 A 21/12) Nesta fase de muito trabalho, as questões que envolvem sua vida material e profissional ganham um novo peso. As portas certamente se abrem e algumas novidades chegam até você. Uma mudança de caminho pode estar presente.

Marcelo e o amigo Fabrício Vilas Boas

O prezado Marcelo Geraldelli, gerente de Controladoria da Cooparaiso, teve seu trabalho de conclusão de curso de MBA Contabilidade, Auditoria e Planejamento Tributário que fez na FUNDACE, entre os dez classificados na categoria de pós-graduação a nível nacional para concorrer ao II Prêmio de Estudos, realizado pela Auditoria Price Waterhouse e Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças. A cerimônia de entrega foi em São Paulo. O tema foi Imposto de Renda sobre aplicação Financeira nas Sociedades Cooperativas.

ALICE VANONI

19/11/2011 É muito difícil encontrar do por todos que tiveram a palavras que definam na ínte- honra de conhecê La. Estaregra, a personalidade de uma mos sempre pertinho da se nhora colhendo as sementes da pessoa como a senhora. As palavras se tornam in- sua experiência, otimismo, forsuficientes e os adjetivos não ça para tornar nossa vida mebastam para qualificá-las ou lhor. Que Deus, Pai Celeste a mesmo para medir o amor que proteja e a abençoe para todo o temos. Seria o mesmo que con- sempre. Parabéns e Felicidades tar as gotas que formam o mar pelo seu aniversário. Amamosou contar as estrelas que bri- te. Suas filhas, filhos, seu eslham no céu, todos temos razões fortes e diferentes no co- poso, noras e netos ração para homenageá-la e queremos dizer o quanto é importante fazer parte da sua vida. Ao longo dos seus anos de vida sempre, foi uma lutadora incansável. Diante das dificuldades e BRASIL ELETRÔNICOS obstáculos em nenhum momento desistiu da sua missão. E para quem um pouco dessa Pen Drive de 4 gigas R$ 20,00 grande mulher, sabe que é uma vitoriosa. Tablet Bak 7” com teclado R$ 450,00 Queremos que o nosso carinho e admiração sejam exMáq. Digital Sansung 14 megapixel R$ 360,00 pressos nessas palavras sinceras : Deus de infinita bondade GPS Midi tela de 4.2” R$ 190,00 e sabedoria, sempre nos oferece mil e um caminhos para nossa felicidade e cabe a cada um de nós seguir o que nos parece apropriado. Na vida de cada pessoa brilha uma estrela e com certeza a sua é de um brilho que irradia todos que se aproximam de você. MerecidaAV. BRASIL, 103 - VILA HELENA FONE: (35) 9192-7386 mente brilha e seu nome bem alto e claro, há de ser lembra-

QUEIMA TOTAL DE ESTOQUE

Da Inglaterra Caríssimo Nelson: Lemos com muita emoção a noticia do nascimento de nosso filho Benjamin no seu jornal. Agradecemos a notícia e saiba que quando estivermos no Brasil iremos te visitar e apresentar o nosso Benjamin. Muitíssimo obrigado pela notícia. Aproveitando, gostaríamos de agradecer ao médico paraisense Dr. Hebert que mesmo de longe me auxiliou na minha gravidez. Obrigado, Sarah, Marcio e Benjamin. (Mensagem vinda de Bouernemouth, Inglaterra, pelo e-mail)


página 8

São Sebastião do Paraíso-MG e Região 19 e 20 de Novembro de 2011

15 Anos Ana Beatriz Ramos Rezende

e pais Ana Beatriz

O aniversário de 15 anos de Ana Beatriz Ramos Rezende, filha do engenheiro agrônomo Ricardo Vlamir Guimarães Rezende e da pedagoga Marta Penha Ramos Rezende foi comemorado dia 11 com amigos e familiares no Buffet Italian. Animação do Dj Colombo, com muita alegria.

Ana Beatriz e avós

Ana Beatriz e Casais da Valsa

Ana Beatriz e sua amiga Andreia

ANIVERSARIANTES Neste sábado, dia 19, Newton Sillos. Sebastião Borges Oliveira. - Domingo, dia 20 Iraci de Paula Souza, Nicoli Cristina. - Dia 21 Rafael de Oliveira. - Dia 22 Maria José, esposa do secretário municipal de Segurança, Pedro Ivo de Vasconcelos. - Dia 23 Dr. Olavo Borges, advogado e escritor, fundador da Academia Paraisense de Cultura. A professora Sára Maria Caixeta, diretora da Superintendência Regional de Ensino. - Dia 24 Eurípedes de Pádua Pedroso, Vanessa Alves Rodrigues. Em São Tomás de Aquino, Juliano e João Roberto, filhos de Toninha e João Roberto. - Dia 25 Luiz Wagner Salgado.

Ana Beatriz e seu Padrinho Moreira


/1321721711