Page 1

18 de Agosto de 2012 edição 632

Coolapa realizará 1ª Coolagro - Feira de Produtos Agropecuários -

A feira oferecerá descontos e condições especiais de pagamento aos produtores Por Cristiane Bindewald

A Cooperativa Agropecuária Paraisense (Coolapa) realizará a 1ª Feira de Produtos Agropecuários – Coolagro, no início do mês de setembro. Na sede da cooperativa, 22 empresas parceiras montarão estandes, onde comercializarão insumos e implementos agrícolas, adubos e sementes, medicamentos, tratores e ferragens. Os produtos serão vendidos a preços promocionais, com descontos e condições de pagamento es-

peciais para os produtores rurais. Os estandes serão montados ao lado da loja de insumos da Coolapa, localizada na sede da cooperativa, na rua Noraldino Lima, número 35. A intenção da cooperativa segundo os organizadores, é, através da realização desta feira, poder ajudar o produtor rural, possibilitando melhores preços aos associados e produtores em geral. A Coolapa convida a todos os produtores, associados ou não, para participarem da 1ª Coolagro, que ocorrerá nos dias 4 e 5 de setembro, das 10 às 20 horas.


Jornal do Sudoeste

página 2

AIDA LEMOS

Semana da Beleza O salão ANÉSIA STUDIO DE BELEZA comemorou aniversário nesta semana de terça (13) até sexta (17) presenteando a clientela com hidratação e escova a preços especiais usando o novíssimo produto Lanza. A empresa enviou a Paraiso a técnica Carol para demonstrar a qualidade do produto e a resolução em nutrição dos cabelos. Em tempo certo, haja vista a baixa umidade do ar nesta época que provoca ressecamento deixando os cabelos ‘elétricos’. Foram servidos quitutes deliciosos e espumante especial e personalizado com a logomarca de Anésia Studio de Beleza. Parabéns!!!

São Sebastião do Paraíso-MG e Região 18 de Agosto de 2012

Anésia

Mônica aprovou o novo produto.

Carol (da Lanza) e Anésia

Equipe de Anésia Studio de Beleza

Designer de sobrancelhas Limpeza de pele Drenagem Linfática Peeling Maquiagem definitiva

Horóscopo Semanal CAPRICÓRNIO (22/12 A 21/01) A Lua Nova em Leão aprofunda as emoções e promove encontros dinâmicos e intensos. Um relacionamento pode se tornar mais importante e ficar carregado de intimidade neste período. O amor se intensifica. AQUÁRIO (21/01 A 18/02) A Lua Nova em Leão vai mobilizar seus relacionamentos, tanto os pessoais quanto os profissionais. Melhora de sua imagem pessoal, aumento do movimento na vida social e novas amizades também são as promessas desta fase. PEIXES (19/02 A 19/03) A Lua Nova em Leão vai movimentar seus projetos profissionais e seu dia a dia de trabalho. É possível que uma nova proposta de emprego surja nesta fase. Ótimo momento para cuidar de sua saúde. ÁRIES (20/03 A 20/04) A Lua começa um novo ciclo em Leão e movimenta novamente seu coração. Questões relacionadas aos romances serão a pauta desta fase. Um novo amor pode surgir em sua vida ou haverá uma grande melhora em um relacionamento já existente. TOURO (21/04 A 20/05) A Lua começa um novo ciclo agora no signo de Leão, movimentando sua vida doméstica e os relacionamentos familiares. Suas emoções entram numa fase de maior equilíbrio e estabilidade. Amor em fase de transformações. GÊMEOS (21/05 A 20/06) A Lua Nova em Leão vai movimentar seus contatos comerciais e melhorar consideravelmente a comunicação. As viagens rápidas e de negócios, assim como os estudos, passam por uma ótima fase. Novas amizades. CÂNCER (21/06 A 21/07) A Lua Nova em Leão movimenta sua vida material e financeira. Nesta fase, é possível que você adquira um bem material ou feche um negócio que aumente seus rendimentos. Melhora financeira. LEÃO (22/07 A 22/08) A Lua Nova em seu signo vai trazer novidades importantes à sua vida. Uma sensação de renovação e recuperação de energia estará presentes nesta fase. A semana promete melhora no humor e nos negócios. VIRGEM (23/08 A 22/09) A Lua Nova em Leão vai deixar você mais fechado e introspectivo, limpando algumas questões relacionadas ao seu passado, o que será mais um passo para o novo ano astral que começa daqui a poucos dias. Prepare-se. LIBRA (23/09 A 22/10) A Lua Nova em Leão melhora significativamente suas amizades e contatos com grandes empresas, clubes e instituições. O momento é ótimo para os trabalhos em equipe e para novos negócios. ESCORPIÃO (23/10 A 21/11) A Lua Nova em Leão vai movimentar novamente sua carreira e algumas questões profissionais são colocadas em andamento. Palestras e convites para novos projetos podem surgir. Aumenta a visibilidade e melhora a imagem social. SAGITÁRIO (22/11 A 21/12) A Lua Nova em Leão melhora consideravelmente seu humor e revitaliza sua fé na vida e em seus projetos, especialmente os que envolvem negócios com estrangeiros e viagens. Um novo projeto de trabalho pode surgir.

A Ficção do Passado (*)Ely Vieitez Lisboa

Já se sabe que biografias, a própria História da Humanidade, tudo é ficção. Recriam-se os fatos pelos olhos do autor. Pode haver uma pesquisa detalhada, mas a memória guarda episódios diferentes, opta por um ou outro. Ela é seletiva. Experiência interessante é, em uma reunião familiar, surgirem interpretações várias. Ninguém está de acordo. Não foi assim que aconteceu. Quando se lembra da infância, nada é o que parece. Os olhos, os sentidos infantis são diferentes do olhar adulto. Cada um tem sua versão. No famoso poema Pecado Original, Álvaro Campos, heterônimo de Fernando Pessoa, diz:” Ah, Quem escreverá a história do que poderia ter sido?” . Afirma que se alguém o fizer, esta será a verdadeira história da humanidade. Teoria interessante. Os seres humanos são mais o que não conseguiram ser. Deste modo, nós somos nossas falhas, o que não conquistamos, os farrapos de sonhos não realizados que deixamos abandonados na poeira da estrada da vida. O mesmo acontece, portanto, com a História ou o Projeto Primeiro dos homens ou de Deus, o que não foi alcançado. O verso do poema sobre nós é válido também para a História dos povos: “Somos todos quem nos supusemos”. O tema é fascinante e serve de lição para teimosos, cabeçudos e donos da verdade. Quando alguém afirma que está certo é porque nada sabe e, provavelmente, está errado. Aliás, não há erro nem acerto, mas apenas hipóteses, ou posicionamentos pelos quais optamos. Na religião, na filosofia sobre o que vem depois, quando a vida finda, enfim, todas as teorias sobre o post mortem, se há prêmio ou castigo, necessidade de resgate, volta, tudo são possibilidades.

Ora, a vida não é uma ciência exata. Místicos, filósofos, espiritualistas, cientistas, todos tentam explicar os mistérios que nos envolvem. Na realidade, a insciência humana põe todas as respostas em xeque. E quem acerta é o poeta: “Não procures nem creias: tudo é oculto”. Verso enigmático. Dá o conselho negativo que não deve ser seguido, porque o mistério existe, mas está escondido, é algo esconso, ao qual o homem dificilmente terá acesso. Diante de complexidade tão grande, deve-se ficar atento, não ser ingênuo. Nada de afirmações categóricas, rotulações, preconceitos. O que se relaciona à vida, ao ser humano, pode ser, talvez seja, provavelmente será. Há uma citação de Heitor VillaLobos, sobre a efemeridade do tempo, que tenta explicitar como tudo é passageiro, dúbio, sutil, o que torna a existência algo inefável, jamais explicada por fórmulas rígidas e lógicas: “Assim como não gosto de pensar no futuro, não me sinto bem olhando o passado. Eu sou como um viajante que, ao atravessar um rio em um cipó, não pode olhar para trás nem para frente, a fim de não perder o equilíbrio”. Ora, vítima de uma passagem terrena tão fugaz, surge a filosofia do Carpe Diem ( aproveite o dia, o momento) ; são palavras de Horácio, na Ode I. No entanto, semanticamente este verbo é rico, multívoco, plurissêmico: Responda-me, leitor, rapidamente, sem titubeios: O que é aproveitar a vida? Sem dúvida, haverá dezenas de respostas, as mais variadas, dependendo da cultura, do caráter, da filosofia e até da genética. Guimarães Rosa, o Mago de Cordisburgo, não tinha razão ao afirmar que a vida é perigosa? (*)Ely Vieitez Lisboa é escritora. E-mail: elyvieitez@uol.com.br

Golpe baixo Dizem que ele não cai do céu nem dá em árvore. Mas que molha a mão de muita gente, ah, isso sim. Aqueles mais espiritualizados alegam que ele não traz felicidade, todavia, os gananciosos, os materialistas e compulsivos não vivem sem ele. Já sabem de quem estou falando, não? “Quem”, porque já se humanizou, é o retrato da personificação. De tão redundante, afirmo que, para eufemizar essa situação concreta, os populares, ao se referirem a ele, usam “bufunfa”, “tutu”, “capim”, “trocado” “bolada”; outros – talvez os adeptos das áreas exatas – o chamam de “numerário”, “níquel”, “pacote”. Há os mais poéticos, que o intitulam “conto”, “ouro”, “ventarola” e assim por diante. A verdade é que tantos são as alcunhas que o mencionado está zarpando pr’as bandas que o levar. A música confirma: “Dinheiro na mão é vendaval...” ou: “Deixa a vida me levar, vida leva eu...” Brigando cá com meus neurônicos, fiz uma tímida lista de funções que atribuíram ao coitadinho do protagonista da nossa crônica. Ele: • desfaz amizade; • corrompe os fracos; • atiça os pobres; • cativa os ricos; • sustenta amantes, peguetes, traíras... • aumenta o prazer; • dá fama e poder; • descola diplomas, certificados, medalhas, troféus; • compra políticos, advogados corruptos, policiais desonestos; • anestesia a razão, enfraquece o coração e blá-blá-blá... Gente, como é que um ramo de papel ou umas barrinha brilhantes têm tanta força, hein? Enquanto alguns acham que ele fede, outros mantêm relacionamento íntimo com ele – verdadeiro caso de amor (ou seria patologia?). Não importa. Reina assim absoluto. Governa, agita, alimenta, move o mundo. Ar da contemporaneidade capitalista, circula voraz nas mesas dos cassinos, nas contas bancárias dos chefões do tráfico, nas meias e cuecas dos políticos podres, no colchão do malandro esperto, nos cofres dos empresários bem-sucedidos, nas latinhas dos ladrões de galinha, na carteira do pseudotrabalhador, nas mansões de salafrários que, em nome de Deus, exigem o dízimo de seus fiéis e enchem o próprio bolso, desfilam com carros importados, administram as contas do exterior e fazem um lavagem cerebral nos “inocentes” que suam o dia todo para ganhar um salário mínimo no final do mês. Oito letras e três sílabas: o suficiente para formar a palavra que escraviza a humanidade: D I N H E I R O = DI NHEI RO = dinheiro mal-usado = desespero = sofrimento = perdição = dor atroz = vazio existencial. Não sou contra o dinheiro, caros leitores. Sou contra a hipocrisia que reveste muitas pessoas por causa do dinheiro. Sou contra a corrupção, a safadeza, a malandragem, o roubo. Sou contra o uso sujo do dinheiro. Dinheiro é bom. Dinheiro é necessário. Dinheiro traz progresso. Dinheiro proporciona bem-estar. Ruins são os atos ignóbeis envolvendo o dinheiro. Golpe baixo. Tremendo disparate. Golpe baixo. Muito baixo. É por isso que eu digo: é melhor falar do que ruminar!!! Muhh! Pronto! Falei, tá falado!

faleitafalado2010@hotmail.com


São Sebastião do Paraíso-MG e Região 18 de Agosto de 2012

Jornal do Sudoeste

página 3

Em busca de uma cidade com qualidade de vida Qual é sua formação e o que o levou a tornar-se secretário de Planejamento Urbano? Eu sou formado pela Faculdade de Engenharia de Passos. Formei-me em 1993, em Engenharia Civil. Logo que me formei, montei uma empresa, com dois sócios, a Metrus Engenharia. Essa empresa foi fundada, há 20 anos, mas depois que me formei não parei os estudos. Continuei me especializando, principalmente na área ambiental. A vida inteira, trabalho com construção civil e área ambiental. Fiz especialização em Saneamento Básico, em Meio Ambiente, em Gestão Ambiental e comecei a trabalhar com as atividades industriais: curtumes, frigoríficos, laticínios, indústrias de transformação. Nós licenciamos as empresas, construímos as estações de tratamento, damos assistência na operação do sistema de tratamento e trabalhamos, ainda, na construção civil, através da Metrus Engenharia. Há dois anos, em abril de 2010, o prefeito Mauro me convidou para fazer parte de sua equipe, porque ele precisava de alguém com esse perfil para ajudar a alavancar os assuntos da área de planejamento urbano. Já existia a Secretaria de Planejamento Urbano? Não existia e o Mauro precisava de alguém que pudesse criar essa secretaria. Pegou alguns departamentos de outras secretarias e trouxe para esta. Por exemplo: Departamento de Análise e Aprovação de Projetos, de Fiscalização, de Urbanismo e Meio Ambiente. Urbanismo fazia parte da Secretaria de Obras, Meio Ambiente do Setor de Agricultura. Ele trouxe essas pessoas e criou a secretaria. Daí para frente, começamos as atividades na área de planejamento urbano. Fizemos a parceria com a associação de engenharia (Associação Regional de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de São Sebastião do Paraíso - AREA), que foi um sucesso e está sendo referência, como modelo, no Estado de Minas Gerais. Em que momento você interessou-se por engenharia e por que se voltou para a área ambiental? Desde criança, eu queria fazer engenharia. Eu tenho um tio engenheiro, em Belo Horizonte, o José Mario Malaguti, irmão do meu pai. Sempre me espelhei nas atividades dele. Na área ambiental, comecei pela necessidade dos curtumes de Paraíso de regularizar os problemas ambientais. Em 1993, Paraíso tinha quinze curtumes. Os quinze não tinham licença ambiental, não tinham estação de tratamento, era poluição direta caindo nos córregos. Eles precisavam resolver este problema, porque o órgão ambiental deu prazo. Eles nos procuraram e enxergamos um mercado, que é o mercado ambiental. Montamos equipe, contratamos químico, assistente, pessoas, voltamos para a escola e fomos nos especializar. Desses quinze curtumes, transformou-se em sessenta curtumes, em todo o estado de Minas Gerais, que foram clientes nossos. Hoje, eu tenho um acervo técnico de mais de duzentas empresas nas quais trabalhei, só na área ambiental, sem contar a área de construção civil. Como era vista a questão ambiental, há 20 anos, quando você iniciou sua empresa? Há 20 anos, ninguém falava em Meio Ambiente. Em nossa esquina, em nossa cidade, não se falava em Meio Ambiente, em sustentabilidade, não saía da Eco 92. Apenas quando o órgão do governo do Estado fiscalizava e certificava e precisavam resolver o problema. Em 93, essas empresas já precisaram se adequar. Havia um universo de atividades irregulares e poluidoras. O que o órgão fiscalizador do Estado, a FEAM, fez naquela época? Resolveu fiscalizar primeiramente as atividades que são potencialmente poluidoras, para depois passar a fiscalizar outras atividades menos poluidoras. Começou pelos curtumes, depois vieram os laticínios, os postos de combustível e as outras. Atualmente, o secretario de Planejamento Urbano precisa estar voltado para as questões ambientais? O nosso foco é forte demais na área ambiental. Por exemplo, a coleta seletiva. Quando a secretaria se iniciou, já existia a associação de coletores de recicláveis (ACOMARP), mas eles não coletavam mais do que cinco toneladas. Hoje, já passa quase de

Cassius Malaguti é o atual secretário municipal de Planejamento Urbano de São Sebastião do Paraíso. Começou a atuar na área ambiental, há 20 anos, em uma época em que poucas pessoas estavam preocupadas com a questão. Aos 45 anos, o engenheiro civil, casado com Deize e pai de Diogo, trabalha para construir uma cidade sustentável e com qualidade de vida para seu filho e os filhos de todos os paraisenses. setenta toneladas. A infraestrutura que eles tinham antes, diante da estrutura que eles têm hoje, fruto do nosso trabalho, é completamente diferente. Hoje, eles têm dois galpões enormes, onde trabalham, com infraestrutura de esteira, prensa, balança, carrinho, assistência social, recurso, convênios com o estado. Receberão um caminhão da FUNASA. Nós também conseguimos um caminhão para eles, que já estão usando, e mais outro caminhão menor, que estão adquirindo. Por que a implantação da coleta seletiva é tão difícil? A coleta seletiva é uma das atividades ambientais mais difíceis de resolver. Por exemplo, o esgoto de Paraíso é um problema gravíssimo. Há muitos anos, falava-se em resolver o problema de esgoto, mas ninguém resolveu. Depois que foi criada essa secretaria, conseguimos por isso para frente e, hoje, já estamos com o esgoto fora do perímetro urbano. Já diminuirão as doenças, como as diarréicas, por exemplo. Nós tínhamos no município mais de 300 casos de doenças diarréicas por mês, fruto da falta de tratamento de esgoto. Com essas obras, nós já estamos tirando esses esgotos da proximidade das residências. Já estamos diminuindo estes casos e já estamos recuperando os córregos. Isso é um problema que já está sendo resolvido, como o aterro sanitário. Nós fizemos o projeto para viabilizar recursos do Estado, conseguimos o recurso e a obra já está pronta. Está faltando só a parte arborística. É um assunto que também se resolve, como plantar árvores. Plantamos mais de cinco mil árvores, neste último ano. Vai lá, faz e resolve. Agora, a coleta seletiva, não. Por que eu falo que é um dos maiores problemas da área ambiental de nossa cidade? Porque não depende só da administração pública, não depende só da ACOMARP, depende de cada um de nós. Quantas pessoas têm dois lixos em casa e separam o reciclável? A maioria das pessoas não faz isso. E não é falta de divulgação. É um problema de cultura. As crianças já estão com essa cultura, na nossa época não existia a cadeira ambiental. Hoje, já existe. Então, coleta seletiva é um dos maiores problemas, mas nós estamos avançando muito. A solução virá através da educação? Aos poucos, através da mudança de comportamento, mas já está vindo. Acho que, se continuarmos fazendo o que estamos fazendo, nessa escala, em pouco tempo resolveremos a questão. Já estamos sendo referência no estado. Por exemplo, a INSEA (Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável), aquele grupo patrocinado por grandes empresas, inclusive a Danone, está nos patrocinando como modelo para outros municípios. Nós temos os “Ecopontos” para pneus usados, temos o pessoal que cuida da parte de embalagens de agrotóxicos, o CEDUC, que ajuda fortemente recolhendo os resíduos eletro-eletrônicos. Nós vamos recuperar a atual área de disposição de lixo, assim que inaugurar o aterro sanitário. Ha o convênio com a associação de engenharia, que nos ajuda a fiscalizar resíduos em local errado, entulho na rua, na calçada, terreno sujo, queimadas em área urbana. Tudo isso são questões ambientais. Inclusive, o lixo que está sendo colocado em local errado, na hora errada. Tudo isso é da área ambiental, que não existia.

(AREA) da nossa cidade, que nos dá o suporte para verificar irregularidades. Nós não podemos transferir o poder de fiscalização pública para outra entidade, mas eles podem nos ajudar e orientar a verificar irregularidades. Eles contratam estudantes de engenharia e profissionais, arquitetos, e com o equipamento certo nos ajudam a verificar irregularidades e orientar as pessoas. Quando essas pessoas atendem essas orientações, diminuem os problemas a serem fiscalizados. Quando as pessoas que não atendem a orientação da associação de engenharia, eles encaminham para nós como denúncia. A fiscalização vai e toma as medidas legais. A AREA é uma associação apartidária, não tem fins lucrativos, não tem vínculo nenhum com política. Se, por exemplo, houver irregularidades da administração pública, ela fiscaliza. Ninguém melhor do que um grupo de técnicos para ajudar a resolver questões técnicas. Você fez parte do CREA-MG (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia)? Eu fui inspetor do CREA – Minas Gerais, por dois anos. Foi nessa época que propus à administração pública a parceria com a associação de engenharia. Discutimos muito com a procuradoria, para ver os aspectos legais, para ver essa questão de transferir para o setor privado funções que são da administração pública. E como só há uma associação e não tem fins lucrativos, não há outra atividade que preste esse serviço. Discutimos demais com a Câmara, que aprovou uma lei autorizando a administração pública a firmar o convênio com a AREA. Foi feito um vídeo institucional para divulgar o convênio em todo o estado. Por que a AREA foi escolhida? O presidente do CREA-MG fez esse vídeo para mostrar esse modelo de sucesso de São Sebastião do Paraíso para todos os outros municípios. Este vídeo está sendo divulgado em todo o Estado de Minas Gerais. Chamase “Alianças pela Urbanicidade”, e mostra esse modelo que estamos usando aqui. O CREA está usando como a “menina dos olhos”, pois está vendo que a associação de engenharia pode valorizar os profissionais, pode crescer, pode ajudar o município, ajudando o próprio CREA e os próprios profissionais. Tanto é que, fruto desse trabalho, o CREA premiou nossa cidade com 330 mil reais, para construir a sede desse modelo de que estamos falando. A AREA, hoje, usa apenas uma sala do CREA. Como modelo em Minas Gerais, todos querem vir aqui ver, e estarão em uma sede que deverá ser inaugurada no próximo mês. Estará todo mundo bem instalado. Estará bem equipado, para receber estas visitas. Em sua opinião, este modelo de ação conjunta é uma forma mais eficaz de administração pública? Política é grupo, é a soma de esforços de pessoas sérias, pessoas honestas, comprometidas com o seu município. Nós estamos falando de associação de coletores de materiais recicláveis, de CEDUC, de associação de engenharia. São grupos que estão trabalhando junto com a administração pública para ajudar a desenvolver e a resolver, com sustentabilidade, os problemas de nosso município. Grupos somando para o bem de todo mundo.

Qual é o objetivo do convênio com a associação de engenharia?

Quando você começou a vivenciar a política?

Toda a administração pública tem dificuldades na área urbanística, na área de organização e em outros setores. Muitas vezes, a administração é centralizada nos prefeitos, que não delegam poder, ou até delegam, mas não têm estrutura física, de equipamento e humana para poder cumprir o papel de fiscalizar. Sempre foi assim, em todo lugar. Existe aquela cultura de que fiscalização tira voto. O que nós fizemos aqui? Uma parceria com a associação de engenheiros

Desde criança. Meu avô é o José Diogo Pereira, foi vice-prefeito de Paraíso, foi vereador, na época em que nem se ganhava nada. Então, já existe essa veia política. Meu pai, José Maria Malaguti, foi vereador e trabalha, inclusive, na Câmara. Mas eu sempre fui técnico, nunca fui político. Quando o prefeito Mauro me convidou, foi pela porta técnica, não foi pela porta política. Mas acaba sendo um cargo também político. Apesar de ser extremamente técnico, a fun-

A cidade que quero deixar para ele e para nossos filhos é uma cidade sustentável. Isso que estamos plantando, hoje. Uma cidade com qualidade de vida. ção é política. Eu sou um agente político, mas prefiro tratar as coisas como técnico. E sua mãe, que profissão exerceu? Minha mãe, Zélia Diogo Malaguti, foi diretora de escola. Quer dizer, também trabalhava com um cargo político. Você também tem irmãs. Qual é a importância da família em sua formação? Eu tenho duas irmãs, Carla e Carina. A família é mais do que importante. Se não fossem meus pais, eu não teria me formado. Mas, sobretudo, me espelho mais em meus pais, porque eles sempre me mostraram o caminho correto das coisas, a honestidade, a seriedade, para poder ter uma vida tranquila, por a cabeça no travesseiro e dormir tranquilo. Isso eu aprendi com meu pai e eu acho que meus pais estão muito mais evoluídos do que eu, nesse sentido. Se eu conseguisse ser metade do que meu pai e minha mãe são, nesse sentido, eu já estaria feliz. Mas o pouco que eu sou é fruto disso. E minhas irmãs são mais novas do que eu, moram fora, estudaram fora. Mas vemos a importância da família, pois nos momentos mais felizes e nos menos felizes está todo mundo unido. Sua esposa trabalha como professora, aqui em Paraíso. Como você vê este trabalho? Trabalha demais, em dois períodos. No período da manhã, em uma escola, no período da tarde, em outra. À noite, tem que cuidar de plano de aula e ajudar o filho a fazer o dever de casa. É vocação, ela adora. Sabemos que trabalhar com criança não é fácil, mas ela gosta. Eu observo que ela faz o que gosta. Não há problemas nesse sentido, eu admiro, pois não é brincadeira, não. Como você vê a educação em Paraíso? A educação em Paraíso é modelo. Paraíso é o 22º IDH de Minas e a educação é um dos itens que pesou muito para deixar Paraíso nesse ponto. Quando entramos nas escolas de Paraíso, nas creches, dá orgulho de ver. Para se ter uma ideia, nós trouxemos os colegas que estudam conosco na FAAP, em Ribeirão, para conhecer a cidade e eles ficaram encantados. Quando eles entraram nas escolas, houve quem perguntasse quanto cada aluno paga. E não paga nada, é escola pública, de qualidade. Precisamos valorizar. Você e sua família viajam bastante? Muito, sempre que há um feriado, vamos para um rancho, pelo menos uma vez por ano, para uma praia, para poder descansar. Nosso dia a dia é muito puxado. Minha esposa trabalha em dois períodos, eu também tenho minha atividade na Metrus e na administração pública, que não é brinquedo. Então, precisamos

viajar, de vez em quando, ficar longe. Porque aqui na cidade, não descansamos. É só sair na rua, começar a observar problemas e querer resolver. Isso é final de semana, à noite, em feriado, qualquer hora. O agente público quer trabalhar para o bem de todos, está sempre ligado nas situações. Se você não fizer uma viagem, mesmo que para o rancho, a 100 quilômetros, não consegue desligar e descansar. Você está fazendo o curso de pós graduação em Gerente de Cidade, na FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado), em Ribeirão Preto. Por que você optou por este curso? Porque tem tudo a ver com a área na qual estou envolvido, que a Secretaria de Planejamento Urbano. Para entendermos melhor como funciona a administração pública, conhecer as novas ferramentas para ajudar a trabalhar, conhecer a fundo cada área. Não é fácil, a contabilidade é diferente, trabalhar com legislação não é igual a uma empresa privada. Todo mundo acha que administração pública é como se fosse uma empresa, onde você faz o que quer, na hora que quer e gasta seu dinheiro. Não é assim, tem a comunidade, o legislativo, o judiciário. Temos que entender tudo isso. Não é porque você está atuando na área que você entenderá muitas destas coisas diretamente. Hoje em dia, os casos de sucesso são modelos que eles levam para esses cursos, para conhecermos. Aprendemos muito.

por Cristiane Maria Bindewald

incluído nas diretrizes orçamentárias. Ele prevê metas e ações, de pequeno, médio e longo prazo, para resolver os problemas e direcionar as questões de mobilidade urbana em nosso município. Esse plano visa organizar toda a área de mobilidade de Paraíso, priorizando o transporte não motorizado, diminuindo veículos das nossas ruas, que são os grandes problemas. Para isso, precisa melhorar as calçadas, implantar ciclovias, transporte coletivo de qualidade, regulamentar carga e descarga, regulamentar moto-táxi, taxista. Tudo isso está previsto no plano de mobilidade. Sendo implantado, vai melhor a qualidade da mobilidade em nossa cidade. Se você pudesse premiar algum projeto que você conheceu em seus estudos e viagens, qual seria? O nosso, mesmo. Nós temos um plano de ciclovias, que foi uma parceria com a Associação Brasileira de Cimento Portland, de São Paulo, e o Instituto de Arquitetos do Brasil. Eles fizeram um concurso nacional de projetos de ciclovia para São Sebastião do Paraíso. Elaboraram um edital, nós alimentamos com nosso projeto, mostrando onde estão nossas escolas, nossas indústrias, nosso lazer, nossos bairros. Foram apresentados 23 projetos de arquitetos de todo o Brasil, cinco foram premiados e nós recebemos estes projetos. Hoje, nós temos um projeto de ciclovia muito bacana para ser implantado. Após a aprovação do Plano de Mobilidade pela Câmara Municipal, nós teremos a possibilidade de pedir recurso para o governo do estado e o governo federal, para poder implantar esse projeto.

Qual seria um caso de sucesso para você, uma cidade-exemplo?

Você falou acima que é técnico, mas com certeza segue alguma filosofia. Em que você acredita?

Existem fatos isolados, como Curitiba, que foi modelo na área de mobilidade urbana, que hoje já se complicou de novo. Mas até hoje é modelo na área de coleta seletiva. Vemos modelos, no Nordeste, de investimento em energia eólica. São casos isolados. Ribeirão Preto fez recentemente um plano de habitação de interesse social. Eu aprendi a fazer esse plano e achei fantástico poder estudar quantas pessoas vivem em caráter de pobreza e como resolver esse problema. São casos isolados que vamos aprendendo a trabalhar.

Eu acredito em Deus. Sou católico apostólico romano, a vida inteira. Participei de encontros de jovens, de casais, cheguei a fazer palestras, inclusive. Deus é um de nossos pés em nosso tripé, assim como a saúde e a família. Deus é que nos dá toda a razão de estarmos aqui, que nos alimenta de toda a esperança, de toda a fé, para acreditarmos e levantarmos, sabendo que tudo dará certo. Você tem motivação para trabalhar porque você tem fé, você sabe que as coisas darão certo, porque acreditamos em Deus.

Você e sua equipe acabaram de finalizar o Plano de Mobilidade Urbana. Quais são as expectativas e o que o plano traz de concreto para a população?

Como é a cidade que você quer deixar para seu filho Diogo?

O trabalho foi positivo, apesar de que existem muitos casos isolados que precisam ser resolvidos rapidamente, casos pontuais. O Plano de Mobilidade Urbana é muito importante, devido a exigência do Governo Federal para se conseguir recursos para essa área. Sem ele, não se consegue recurso de fora para poder investir e o orçamento municipal é muito pequeno. Seja quem forem os próximos gestores municipais, esse Plano de Mobilidade será transformado em lei. Ele é uma lei a ser cumprida e precisa incluir os projetos e execuções. O orçamento disso precisa ser

A melhor cidade possível. A cidade que quero deixar para ele e para nossos filhos é uma cidade sustentável. Isso que estamos plantando, hoje. Uma cidade com qualidade de vida. Aquela cidade que consegue exercer todas as suas funções sociais e públicas sem degradações, sem poluição. Onde conseguimos atuar para poder minimizar estes problemas, estamos tentando, inclusive até mesmo na elaboração de leis. Recentemente, elaboramos a Lei de Resíduos Sólidos e Urbanos de nossa cidade, que dá diretrizes para isso. Todas as ações na área ambiental, de mobilidade, de urbanismo, visam exatamente uma cidade com qualidade de vida.


página 4 São Sebastião do Paraíso-MG e Região - 18 de Agosto de 2012

O TEATRO MÁGICO Depois de nove anos de trabalho, a trupe comandada por Fernando Anitelli se apresentou pela terceira vez em Paraíso, desta vez num animadíssimo show do Teatro Mágico que agitou a Aldeia Paramont no sábado, (11/08). O Teatro Mágico é um projeto que reúne elementos do circo, do teatro, da poesia, da música, da literatura, da política e do cancioneiro popular tornando possível a junção de diferentes segmentos artísticos numa mesma apresentação. Uma realização da Paramont Eventos que levou entretenimento, música de qualidade e gente bonita, e foi um sucesso! Próximo evento da Paramont é em parceria com o Ouro Verde Tênis Clube com o show de Tom e Arnaldo dia 25 deste mês, a dupla sertaneja mais badalada do momento.

DISK ENTREGA: 3531-5813 SALGADOS - PANQUECAS - CREPES - SUCOS DOCES - CUPCAKES - PÃO DE QUEIJO

SUPER LIQUIDAÇÃO 20% , 30% e 50% VENHA NOS CONHECER!! Rua Dr. Placidino Brigagão, 1.284 - Centro ANEXO A CULTURA INGLESA


página 5 São Sebastião do Paraíso-MG e Região - 18 de Agosto de 2012

TRO MÁGICO

AGORA EM NOVO ENDEREÇO

COLCHÕES DE MOLAS E ESPUMAS, CONJUNTO BOX E TRAVESSEIROS EM ATÉ 10X SEM JUROS

RUA DR. PLACIDINO BRIGAGÃO, 1.151 FONE: (35) 3531-4603


página 6

Jornal do Sudoeste

São Sebastião do Paraíso-MG e Região 18 de Agosto de 2012

“A amizade é um amor que nunca morre.” Que graça teria a vida se não tivéssemos alguém para compartilhá-la? O que seria de nós fazendo nada sozinho? Como viver sem todas aquelas brincadeiras? E aqueles apelidos nada carinhosos? Para onde iriam as novidades que esperamos tanto para contar? Com quem iríamos pular, gritar, descabelar quando sai um clipe novo da nossa banda favorita ou até mesmo em algum show? Quem iria rir de nossas piadas mal elaboradas? Seria tão sem graça assistir o mesmo filme várias vezes sozinha, e os comentários do final? Qual seria a graça da vida se não existissem melhores amigos? Os melhores momentos de nossas vidas na maioria das vezes tem a presença de nossos amigos. Bom... E os piores momentos também. De repente chega uma nostalgia de quando éramos crianças e fazíamos algum coleguinha, depois disso brincávamos como se nos conhecêssemos por toda vida. Não importava se era magro ou gordo, alto ou baixo, rico ou pobre, negro ou branco. Mas depois que crescemos não é assim, não é tão natural, às vezes escolhemos a dedo, alguns escolhem por seus bensmateriais, outros só querem mais um rostinho bonito no grupo. E para onde vai toda a magia da amizade? Hoje em dia é tão difícil saber quem são nossos amigos de verdade, as pessoas traem umas as outras o tempo todo, tudo o que querem é sair por cima, algumas amizades acabam por brigas... brigas completamente estúpidas e até mesmo por brincadeiras de mal gosto, ninguém sabe perdoar ninguém, aceitar as pessoas como elas são? Bom, acho que uma grande maioria não sabe fazer isso! Alguns adolescentes criam grupinhos, nesses grupos só costumam entrar quem está de acordo com o padrão e normalmente quem participa deles só serve de capacho. Não existe amigo falso, porque se é falso não é amigo e se é amigo não é falso. Acredito piamente que todos os nossos amigos são nossos melhores amigos, amigos mesmo podemos contar nos dedos de apenas uma mão direita porém tenho certeza de que esses são os melhores. Mãeamiga, pai-amigo, irmão-amigo, primo-amigo, tio-amigo, vô-amigo, cachorro-amigo, tudo o que importa é que a amizade seja real. “A amizade é uma alma com dois corpos.” Aristóteles MICHELE CAROLINE LUZ, 14 anos, estudante em São Sebastião do Paraíso

Mario Quintana

Em conversa com estudantes

Amizade é quando duas pessoas confiam uma na outra, sempre estão juntas, apesar de brigarem continuam unidas e fazem tudo juntas, tudo. Conheci meu melhor amigo Gabriel no primeiro dia de aula, sempre estamos conversando, brincando, ajudando um ao outro. Fazemos tudo juntos, atividades, projetos da escola. A amizade é importante porque se você crescer sozinho demais uma hora vai precisar de alguém para lhe aconselhar, lhe falar algo que está precisando ouvir, lhe dar um abraço. Uma vez amigos, amigos para sempre. Para ser meu amigo tem que ser verdadeiro, fiel, conselheiro e procurar ser sempre ele mesmo. RAPHAEL JOSÉ SABI DOS SANTOS, 9 anos Amizade não significa apenas duas pessoas fazerem as coisas juntas, mas sim ser unidas e confiarem uma às outras. Minha melhor amiga se chama Camilly, brincamos no recreio, às vezes brigamos mas sempre fazemos as pazes, fazemos as atividades juntas. A amizade é importante porque sempre iremos precisar de

um ombro, pode ser do pai ou da mãe, mas sempre iremos precisar de um amigo por perto, para até mesmo te dar um conselho. Para ser meu amigo tem que ser verdadeiro, ser ele mesmo, estar comigo em todos os momentos. JÚLIA FERREIRA DUARTE, 9 anos Amizade não é ter um amigo que sabe tudo sobre você, mas sim aquele que está com você em todos os momentos, independente se é bom ou ruim. Conheci meu melhor amigo faz muito tempo eu tinha por volta de 8 anos, ele se chama Alyson, jogamos bola, sempre estamos juntos e nunca brigamos. A amizade é importante porque é sempre bom ter alguém do lado, para quando tiver alguma dúvida, estar com você nos momentos ruins te ajudando, e compartilhar os momentos bons. Para ser meu amigo tem que ser sincero, tenho que ter certeza de que posso confiar nele e ele precisa saber que pode confiar em mim, tem que saber respeitar também. VALDIR TORRES DA SILVA JÚNIOR, 11 anos

Lions

Rua José Osias de Sillos, 590 Fone: (35) 8823-3016

“Nós servimos há 40 anos em São Sebastião do Paraíso”

No dia 08 de agosto, na Escola Municipal Campos do Amaral foi realizada uma apresentação em homenagem ao Dia dos Pais. Foram várias apresentações com as crianças da Escola. Neste dia, com a Escola e sua diretora, a professora Elainy, o Lions Clube promoveu uma palestra sobre o tema “Família”, ministrada pelo nosso futuro companheiro, o Pastor Cilas da Silva Campos. Foram abordados diversos temas, entre eles, o relacionamento dos pais com os filhos. A temática dessa palestra foi um alerta para os pais, de forma carinhosa, sobre a importância diálogo, os valores da família, a presença e participação dos pais no dia-a-dia e na vida dos filhos. O nosso presidente, Mauricio Pimenta agradeceu a escola pela oportunidade, e também a presença das famílias. A Escola Municipal Campos do Amaral completa neste ano 101 anos de existência, foi tombada como patrimônio histórico municipal. Após a

palestra, a diretora Elainy apresentou a Escola ao pastor Cilas que ficou encantado com o cuidado e preservação da Escola, que a parabenizou pelo seu dinamismo e coordenação.

Parabéns ao Pastor Cilas pela palestra, e nossos agradecimentos. O espírito leonístico é ajudar sempre. Um abraço leonístico a todos. By CL Mauricio Pimenta


São Sebastião do Paraíso-MG e Região 18 de Agosto de 2012

Jornal do Sudoeste

ACADEMIA PARAISENSE DE CULTURA A educadora e poetisa Francisca Borges da Cunha Zanin, em sessão solene foi empossada como membro da Academia Paraisense de Cultura (APC) na noite de quarta-feira (15/08). Ela ocupa a Cadeira n.º 5, cuja patronesse é a pintora, acadêmica Maria Urcia Grau. A APC é presidida pelo acadêmico Walter Albano Fressatti. O concorrido sodalício festivo foi realizado nas dependências do Buffett Italian.

Com que roupa ir a um casamento?

Receberam um convite de casamento? Algumas dicas importantes para evitar gafes e serem bem recebidos: *Ler com atenção todo o convite, inclusive o individual, com atenção especial ao local e horário. *Atender as solicitações como confirmar presença. *Visitar o site dos noivos se houver, deixando mensagem de acordo com o nível de proximidade. *Presentear o casal, mesmo que não compareça. *Vestir-se de acordo com o evento. Para evitar gafes, perguntar aos organizadores qual o traje. Espera-se que os convidados vistam-se com bom gosto e discretamente. Aparecerão nas fotos e é aí que serão mais notados. Uma camiseta ou vermelha ou laranja, certamente “roubarão” a cena e serão sempre lembrados por algo não agradável. Para homens, camisa discreta, calça de bom corte e sapatos é o mínimo ideal. Se usar um terno discreto, estará valorizando o evento e se chamar a atenção será por estar bem vestido, o que deixará ótimas lembranças. Mulheres devem evitar vestidos de cores berrantes, branco e off White. Vestidos muito curtos requerem atenção redobrada ao sentar e ao dançar. Se quer liberdade, evite. Vestir-se com recato para a cerimônia religiosa, mostrará seu respeito à religião e aos anfitriões. Cuidar para não parecer que está tentando “ofuscar” a noiva é essencial, afinal esse é o grande dia dela. Procurem ver álbuns de casamento de conhecidos e observem os trajes dos convidados em diversos momentos, como saída de Igreja, brinde, valsa e imagine-se na foto, como gostariam de ser lembrados por toda a vida do casal?

———————————————————————————

Momentos inesquecíveis, requerem cuidados especiais...

Conte com nossos serviços para o sucesso de seu evento.

RG Eventos Assessoria e Cerimonial

Aniversariantes Dia 18 sábado, Leonardo Peres Gonçalves. Dia 19 Luiz Carlos Cauduro, Elesângela Silva, Mirely Maria Alves Cintra e Marcela Duarte Arisa. Dia 20 Paulo de Tarso Gonçalves Alcântara, presidente da AREA, Tereza Dutra Silva, Paula Ângela Pedroso. Dia 21 Gabriel de Carvalho da Silva, Cristiane da Silva Francisconi, Tiago Lucas dos Santos. Dia 22 Maicon Guimarães de Souza, o artista plástico Evaristo Scarano, membro da APC. Dia 23 Bruna Furtado Cosini, Márcio Dizaró Marques, Maria Helena Barbosa Zani (Marie).

RELOJOARIA

PONTUAL

Aqui qualidade e bom gosto não custa mais caro.

JÓIA - RELÓGIOS - PRESENTES FINOS PERFUMES IMPORTADOS PRODUTO ORIGINAL

REST AURAÇÃO DE RESTAURAÇÃO RELÓGIOS ANTIGOS TRA TAMENTO TRAT ANTI-CUPINS Fone: (35) 3531-7557 Com. João Alves, 74 (Praça da Fonte) ao lado do Juizado Especial

www.pontualparaiso.com.br

TERAPIA SISTÊMICA Objetiva: numa consulta é detectado a origem de TRAUMAS E BLOQUEIOS que geram DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS SIMPLES: de fácil entendimento RÁPIDA: entre 4 a 12 sessões de tratamento A QUEM SE DESTINA: pessoas com Depressão, Problemas de Relacionamentos, Ansiedade, Stress, Pensamentos e Tentativas de Morte, TOC, Pânico, Bipolar, Alzheimer, Baixa Auto-Estima, Insegurança, Traumas quando Criança e/ou Traumas em Família, Drogadependências Químicas, Dificuldades emocionais em emagrecimento/obesidade etc... ONDE BUSCAR AJUDA: R. Dr. Placidino Brigagão, 1018 centro em S. Seb. do Paraíso, MG tel: (35) 3531-2573 Passos, MG Tel: (35) 9155-9717 Ribeirão Preto e Franca, SP tel : (16) 8233-4939 Saiba mais em outras cidades: falaruan@hotmail.com

página 7


página 8

Jornal do Sudoeste

AMA AGRADECE

Sucesso o show de prêmios em benefício da AMA (Associação de Amigos do Autista) realizado no dia 09 de agosto no Ouro Verde Tênis Clube. Foram vendidas 1200 cartelas, sendo a maioria delas pela Sra. Lourdes, mãe de um aluno que mora em São Tomás de Aquino. A diretoria da AMA agradece a todos de São Tomás que estão sempre colaborando com a AMA, principalmente esta mãe guerreira, Lourdes, que não mediu esforços para ajudar e por isso foi homenageada. Agradece também a todos os patrocinadores e àqueles que participaram com doações.

Ana Coimbra (Presidente da AMA), Lourdes (mãe de aluno), Gilmara (Coordenadora Pedagógica da AMA)

São Sebastião do Paraíso-MG e Região 18 de Agosto de 2012

Projeto Meio Ambiente: pequenas atitudes; grandes mudanças... em AÇÃO !!! 0s alunos do 5º ano 03, da Escola Municipal Interventor Noraldino Lima, juntamente com a professora Kênia Cristina , visitaram a Sucata Santo Expedito onde os alunos tiveram a oportunidade de vivenciar como acontece na prática a separação dos resíduos sólidos para a reciclagem e descobrir como acontece o direcionamento dos mesmos. Foi um momento prazeroso de aprendizagem, pois os alunos sentiram-se ainda mais motivados para cuidar do Meio Ambiente. Na oportunidade, alunos e professora visitaram o Sítio Varões e presenciaram como é feita a separação dos resíduos plásticos e a embalagem dos mesmos para serem transportados para as indústrias de reciclagem sendo transformados novamente em matériaprima. Segundo o aluno Gustavo, todos deveriam fazer esta visita para ter consciência da quantidade de resíduos produ-

zidos pelo homem e para que isso não aconteça cada um de nós temos que adotar medidas simples como economizar e reciclar papel; reciclar latas e embalagens; não queimar lixo; economizar água e energia elétrica ,etc.

Alunos e professora agradecem a disponibilidade dos responsáveis da empresa ¨Sucata Santo Expedito” pela receptividade e parceria quanto a conscientização da Preservação do Meio Ambiente.

1345386357