Issuu on Google+

Uma publicação da comunidade do Jardim Paraíso

Edição 14

Ano 2

Novembro 2008

ta ui e a t nt gr a o di çã e a ui ss ib a tr p is e D eia L Rafaela Mazzaro

Famílias são beneficiadas por iniciativas sociais

O Centro de Referência da Assistência Social e o projeto Missão Criança são alguns exemplos de iniciativas voltadas ao atendimento às famílias carentes. Além de prestarem assistência para as necessidades mais urgentes, a preocupação desses projetos é fortalecer as estruturas familiares e articular os membros da família para que modifiquem a realidade em que se encontram. Cada iniciativa contribui de alguma forma para estimular a autonomia das famílias, demonstrando que é preciso mais do que prestar auxílio para amenizar as dificuldades. É necessário promover ações pensando no futuro dessas famílias que estão em situação de vulnerabilidade social. pág. 4 e 5 94 crianças recebem refeição na Cozinha Comunitária Divulgação

Primeira “Mostra de Vídeo do Jardim Paraíso” está marcada para o dia 1º de dezembro

Priscila Noernberg

pág. 8 Priscila Noernberg

Professores do Rosa visitam o Morro do Finder e o Parque Natural da Caieira

Jovens do Cerj produzem textos na oficina promovida pelo Jornal do Paraíso

pág. 6

pág. 6


Apologia à Disciplina

Editorial

que as grandes economias trazem, e não discernimos se a experiência foi válida ou não. Então, sem qualquer critério, queremos imitar. Não valorizamos nossos pensadores e nossos estudiosos. Trazemos vícios de outra cultura que maculam e ferem a nossa sem qualquer critério. Esquecemos que temos uma cultura e fomos educados por nossos pais com disciplina severa. No entanto, amamos nossos pais e os admiramos por ternos feitos verdadeiros cidadãos. Esquecemos o respeito às coisas da pátria, de Deus, dos nossos mestres, professores e autoridades. Esquecemos que aceitando o erro sem corrigí-lo, es-

Doce de abóbora*

tamos coadunando em futuros deslizes muito piores. Esquecemos que uma árvore precisa de poda para ser bem orientada, o que dirá com uma pessoa que é muito mais preciosa e precisa ter constantes podas na sua vida durante a sua formação? Enquanto nos ocuparmos de copiar o que se faz nos outros países e não olharmos diretamente para a situação das nossas famílias e da educação disciplinar dos nossos jovens, vamos colher esses e muitos outros dissabores no nível da educação dos nossos filhos e formação de nossas famílias. É bom lembrar o princípio que diz: “Disciplina é Liberdade”.

Cruzadinha 2

5

3 1-

7 4-

9 8-

10-

1. Sala onde são feitas projeções cinematográficas. 2. Que vive na água ou sobre ela. 3. Objetos móveis para adorno de uma casa. 4. Período em que o embrião se desenvolve. 5. Habitante de um estado livre, com direitos civis e políticos. 6. Comida; mantimento. 7. Aguardar; dar tempo. 8. Aviso verbal ou escrito. 9. Exposição metódica sobre certo assunto. 10. Disfarçar; esconder. Respostas da edição anterior. 1.Varicela/ 2. Gentil/ 3.Liberdade/ 4.Idoso/ 5.Cérebro/ 6.Acusar / 7.Garra/ 8.Biquini/ 9.Couve-flor/ 10. Fósforo.

Expediente

Confira as respostas na próxima edição.

Jornal do Paraíso é uma publicação mensal do bairro Jardim Paraíso, em Joinville (SC), numa cooperação entre as organizações sociais do bairro, com apoio do Núcleo de Estudos em Comunicação (Necom) como um projeto de extensão do Curso de Comunicação Social do Bom Jesus/IELUSC. Tiragem: 3 mil exemplares. Edição 14. Novembro de 2008. www.ielusc.br/necom (clicar em projeto de extensão)

Conselho Editorial: é formado pelo Conselho Comunitário do Jardim Paraíso e está aberto para discussão, qualquer pessoa pode participar. As reuniões acontecem nas segundas quintas-feiras do mês, às 9h, na Escola Estadual Deputado Nagib Zattar

Estagiárias de Jornalismo: Priscila Noernberg Rafaela Mazzaro

Jornalista Responsável: Juciano Lacerda MTb 1177/PB Impressão: Grafinorte Apucarana/PR Endereço: Amopar – Associação Moradores do Paraíso – Jornal do Paraíso CNPJ: 79.356.549/0001-73 Rua Crater s/n - Jardim Paraíso 89226-634 – Joinville – SC Fone: 3427-2980

Preparo Colocar os pedaços de abóbora em uma panela de pressão e adicionar o açúcar, o cravo e a canela. Feche a panela de pressão e deixe por 3 horas fechada com os ingredientes. Coloque a panela de pressão no fogo e quando começar (chiar) conte 20 minutos (fogo baixo), desligue a panela e só abra no dia seguinte. * Esta receita é de Ida Guilhermina Navarro e foi tirada do site

www.tiosam.com. Se você ficou com dúvidas no preparo desta receita ou se você sabe fazer algo gostoso, mande tudo bem detalhado para nós. As receitas serão publicadas neste espaço.

Ecumenismo: para que todos sejam um único corpo Um dos pedidos fazemos necessita de que Jesus fez a seus amor e fidelidade a discípulos e faz hoje a Jesus Cristo. A união cada um de nós é que nos torna mais fortes sejamos unidos na fé. para lutarmos contra A busca pela unida- a injusta e promoverde entre as igrejas mos a paz. cristãs denomina-se Valorizar o outro Ecumenismo. Uni- e tudo o que é bom dade não quer dizer nas diferentes denotodos iguais, mas minações, nos torna sim, unir diversida- pessoas ecumênicas des. Cada um com as porque servimos ao suas características. mesmo Deus. Ele Deus nos criou quer de nós dispodiferentes uns dos sição, verdade para outros e sabe que amar, orar e dialogar. cada um de nós tem Ao fazer o que Deus formas diferentes de nos pede, nos tornaexpressar sua fé, por remos mais cristãos, isso, nos dá a liberda- seremos pessoas mede de escolher como lhores e promovemos manifestá-la. Para um mundo com mais que aconteça essa esperança. unidade, temos que * Lizandra Nunes ter o conhecimento membro da Paróquia São de que tudo o que

Artigo

6-

Ingredientes • 1 quilo e meio de abóbora (pescoço) • 1 quilo de açúcar cristal • cravo e canela a gosto

Saúde pela alimentação

Nos últimos dias, os meios de comunicação se refestelaram com o caso do jovem que manteve como refém duas adolescentes, vindo a matar uma delas e em seguida a ferir a outra, deixando-a em estado grave. Notícias como estas ganham espaço na mídia de todo o país e do mundo afora. Mas alguém já se perguntou por que essa onda de violência no mundo jovem? Por que nossos adolescentes e jovens estão tomando atitudes na sociedade que nos preocupam e nos fazem perguntar: o que será de tudo isso no futuro? Vemos os fatos finais, mas não nos reportamos ao histórico dessas atitudes. Importamos tudo o

2

Novembro 2008

VARIEDADES

Domingos

Quer fazer parte desta equipe? Você pode contribuir com o jornal e com o seu bairro de diversas maneiras: enviando cartas, matérias com até 15 linhas ou encaminhando fotos e sugestões de pauta para o e-mail: jornaldoparaiso@gmail. com

E-mail: jornaldoparaiso@gmail.com

Os textos assinados não refletem, necessariamente, o pensamento do Jornal. Distribuição gratuita. Venda proibida. Leia e passe adiante!

% 1°

Jornal do Paraíso, ganhador do Prêmio ExpocomSul 2008 Categoria Jornalismo Modalidade Processo-impresso


3

Novembro 2008

Comunidade

Igreja Luterana comemora aniversário da Reforma

Divulgação

No dia 31 de Outubro de 1517, ou seja, a 491 anos atrás, o monge alemão Martinho Lutero, fixou na porta do Castelo de Wittenberg (na Alemanha) suas 95 teses, que geraram um longo e doloroso debate sobre os caminhos que a igreja havia tomado. O resultado deste debate foi

Martinho Lutero

o surgimento das igrejas protestantes, hoje também conhecidas como igrejas evangélicas, que desde o século passado se multiplicaram em inúmeras denominações. A proposta de Martinho Lutero não era formar uma nova igreja, mas “reformar” a igreja para que ela voltasse aos propósitos originais. Já antes dele, outros teólogos haviam feito posicionamentos contrários à igreja, mas não tiveram tanto impacto e repercussão como desta vez. Como herdeira direta da reforma, está a IECLB – Igreja Evangélica de Con-

fissão Luterana no Brasil – também presente no bairro Jardim Paraíso, através do Projeto Missão Criança, na Rua Crux, 450. Para quem quiser saber mais sobre a “Reforma”, uma dica é consultar os seguintes sites: http:// www.luteranos.cm.br/ articles/9296/1/Um-olharhistorico-sobre-a-Reforma-Luterana/1.html e http://pt.wikipedia.org/ wiki/Martinho_Lutero Ou assistir o filme “Lutero”, disponível em qualquer locadora. http://www. luteroofilme.com.br/ * Oziel Marian missionário da IECLB

9° Campeonato de Kung Fu

Os alunos do Projeto Kung Fu, coordenado pelo Mestre Lima e desenvolvido na Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi, irão participar do 9º Campeonato de Kung Fu em Ourinhos, no estado de São Paulo. O campeonato acontecerá

no dia 15 de novembro e os alunos desta unidade representarão o estado de Santa Catarina, mas precisamente a cidade de Joinville e o bairro Jardim Paraíso. Estaremos torcendo pela equipe. Equipe da Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi

Reforço escolar no Rosa A escola Rosa Maria Berezoski desenvolve, em parceria com o Colégio Elias Moreira, o projeto Apoio Pedagógico, que tem por objetivo auxiliar os alunos com dificuldades nas disciplinas de língua portuguesa e matemática. O atendimento são para os alunos de 6ª a 8ª séries.

O funcionamento acontece todas as segundas-feiras e quartas-feiras, das 14 às 16 horas, nas dependências do Rosa Maria Berezoski Demarchi. O projeto é coordenado pelo professor João Batista Aguiar, que desenvolve seu trabalho com um grupo de alunos do ensino médio. Divulgação

Conquistas da Amopar A diretoria da Associação de Moradores do Jardim Paraíso (Amopar), presidida por Asemar Ferreira Nogueira e pelo vice Joel Moraes de Oliveira, apresenta as ações realizadas em conjunto com os moradores no ano de 2007. Saúde - Posto de Coleta de Exames e PAAS - Criações do Conselho Local de Saúde Esporte - Reforma da quadra localizada próxima ao posto policial - Escolinha de futebol (60 meninos já estão participando) Emprego - 570 vagas de emprego Segurança - Termo Circunstanciado feito pelos policiais do bairro

- Alargamento da Estrada Timbé para a implantação de futura ciclovia Educação - 10 computadores foram conseguidos através do Programa Inclusão Digitado Fome Zero - Cei e Escola Municipal Professor Sylvio Sniecikovski Transportes - Cobertura e piso em todos os pontos de ônibus O atual grupo representante do bairro foi eleito em 2005 e ficará no cargo até o final deste ano. As eleições para a escolha dos novos componentes da Amopar será no dia 14 de dezembro. Somente os sócios cadastrados terão direito a votar, conforme decisão da assembléia realizada no dia 7 de julho deste ano.

Alunos recebem reforço em língua portuguesa e matemática

Aceleração na escola O Projeto da Aceleração é desenvolvido na Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi. São quatro turmas com 21 alunos. Eles são acompanhados pela orientadora educacional Aurora A. Zimmermam, que permanece constantemente acompanhando o processo de ensino aprendizagem, e também pela direção da escola, com dias alternados entre a diretora e

LOJA DO BENTO Rua Pardalis - Jardim Paraíso Fone: (47) 3481-7777 Fax: (47) 3481-7766 www.irineuimoveis.com.br

Venha conferir nossas novidades!

Avenida Júpiter, 553 Tel: 3467 - 1697

auxiliar de direção. O projeto oferece a oportunidade para que os alunos que se encontram em defasagem de idade série poderem concluir o ensino de 5ª a 8ª série. Há também o objetivo de resgatar a auto-estima desses alunos, incentivando-os a sonhar e a buscar novas perspectivas de vida para que eles percebam o quanto são importantes para a sociedade. Paróquia São Domingos Sávio

Av: Plutão, n° 155 Jardim Paraíso Joinville/SC CEP: 89226-700 Telefone: (47) 3467-4465


“Eles dão o peixe e O ditado “não adianta dar o peixe, tem que ensinar a pescar” poderia encaixar-se perfeitamente no lema de trabalho de muitos projetos desenvolvidos no Jardim Paraíso. Mais do que ajudar, é preciso articular as famílias para que elas sozinhas consigam vencer as próprias dificuldades. Qualquer família pode passar por problemas financeiros em determinado momento da vida. Nestas situações, mais do que auxílio para as necessidades básicas, a família necessita de apoio psicológico. Para isso, o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), a partir do Programa de Atenção Integral às Famílias (PAIF), trabalha para reconstruir a auto-estima e estimular a independência financeira dessas famílias. O CRAS entrega cesta básica para moradores em situação emergencial, mediante um cadastro. Os inscritos passam por uma triagem, onde é averiguada a real situação em que se encontram. Mas o trabalho desempenhado pelo centro não se restringe ao simples assistencialismo. O auxílio do alimento é uma medida imediata para amenizar o problema, mas não é a única ação. Junto com a assistência para a alimentação há medidas para a inclusão social e o fortalecimento dos vínculos familiares. Para receber o benefício é necessário participar uma vez por semana dos grupos socioedu-

Grupos socioeducativos se reunem semanalmente

cativos e de atividades coletivas, onde recebem orientações e informações, além de terem a oportunidade de participar de diversos cursos que estimulam a economia independente. A coordenadora do CRAS, Letícia da Silva Britto, explica que a entrega de cestas básicas deve ser entendida como um benefício eventual. “Trabalhamos para que a família saia da atual condição e venha a ter autonomia para não precisar mais do benefício”, afirma. Há seis meses, Sebastião Macedo, 63 anos, e sua esposa, Emília Macedo, procuraram o atendimento do centro. Toda a renda do casal é obtida por meio do trabalho artesanal que é vendido nos eventos do bairro e que aprenderam a desempenhar com a experiência de costureira de dona Emília e com os cursos oferecidos pelo Cras. Sem faltar nenhuma das reuniões semanais, seu Sebastião diz prestar atenção nas orientações dadas pelo psicólogo e utilizar as dicas dos cursos para incrementarem o orçamento que é todo destinado à compra de remédios. O atendimento do CRAS segue o seguinte cronograma: 2ª feira: Visita domiciliar 3ª, 4ª e 5ª feira: Visita domiciliar 6ª feira: Organização interna Rafaela Mazzaro


e ensinam a pescar” A igreja cumpre o seu papel na construção de cidadania O Projeto Missão Criança, desenvolvido pela Igreja Luterana em parceria com empresas e outras organizações, pretende, através do trabalho realizado com crianças, proporcionar melhoras na relação familiar. Os jovens participantes do projeto passam o período da tarde em atividades que estimulam a boa formação. No ínício, as famílias recebiam uma cesta básica. Ao todo eram 31 cestas doadas e transferidas para os pais que mantinham os filhos no projeto. Agora, segundo o coordenador Oziel Gustavo Marian, o foco do projeto está voltado apenas para a educação e a orientação familiar, por isso, a suspensão do auxílio. Dois dos sete filhos de Leonir José Cordeiro dos Santos, 44 anos, que está desempregado há quatro meses, participam das atividades. O pai elogia o projeto, mas lamenta que apenas os filhos mais novos podem participar. “Eles não querem faltar nem quando chove”, garante. Oziel explica que são mantidos encontros regulares para tratar de assuntos sobre a orientação com as crianças e que a participação dos pais é de fundamental importância para a sua reconstrução.

Oziel Marian

Crianças praticam atividades O tempo mínimo de acompanhamento da família é de dois anos e a entrega de cesta básica também tinha a mesma duração. Para o coordenador, o período de ajuda com a alimentação era longo, mas para o desenvolvimento de atividades com as crianças não. “O que realmente importa é o trabalho com os jovens cidadãos, que não é possível ser concluído em apenas dois anos”, observa.

Durante os sete meses em que o marido da dona de casa Rosana Simone dos Passos, 32 anos, ficou desempregado, a cesta básica recebida foi um auxílio importante para que a família passasse pela fase difícil. Mas Rosana também teve outras razões que a levaram a procurar o projeto. “Não queria que eles ficassem na rua, mas acho importante eles terem contato com outras crianças”, ressalta a mãe.

Cozinha comunitária atende 38 famílias no Jardim Paraíso Rafaela Mazzaro

Jovens são servidos pelas voluntárias

A Cozinha Comunitária da Fundação PauliMadi, serve refeições para 94 crianças de 38 famílias do Jardim Paraíso. A coordenadora, Catarina do Amaral, conta que assim como nas outras iniciativas, também é necessário o cadastramento prévio, no qual se verifica a condição econômica da família. Terezinha Pereira, 48 anos, traz todos os dias os dois filhos mais novos para almoçar no projeto. Desempregada e tendo que sustentar sozinha a casa, ela não consegue se imaginar sem a Cozinha. *Texto de Rafaela Mazzaro estagiária de jornalismo


Novembro 2008

Educação

6

Jovens escrevem sobre o Jardim Paraíso Seis integrantes do Centro de Educação e Recreação Juvenil participaA oficina procura estimular os jovens moradores a escrever e participar ram da oficina de texto realizada pelas bolsistas do Jornal do Paraíso, no mais ativamente do jornal comunitário do bairro. Dentre as tarefas proposCentro de Múltiplo Uso. Nas duas manhãs de atividades foram apresenta- tas estava a de produzir um texto onde eles pudessem expressar opiniões dos aos participantes os princípios básicos da notícia e da entrevista. sobre o bairro. Confira abaixo o resultado do trabalho. Priscila Noernberg

“Meu nome é Fernando Oliveira de Mattos, nasci no Jardim Paraíso, tenho 15 anos e o meu hobbie é aeromodelismo. Estou na 8ª série e estou escrevendo sobre o Jardim Paraíso. Acho que é um lugar ótimo de se viver. Seria melhor se o incentivo a educação e a criação fossem mais explorados e incentivados. Garanto o desenvolvimento do nosso bairro, pois sei que temos jovens promissores com garantia de futuro. Precisamos é de investimento não de promessas, aí o nome Jardim Paraíso estará em destaque, não por delitos, mas sim por boas coisas. Aí será limpada essa marca de sangue que esconde os podres dos outros bairros.” “Meu nome é Edyesley Galvão dos Santos, 13 anos. Nasci em Joinville e moro no Jardim Paraíso que é um bairro bom de se morar. Seria melhor se tivesse mais quadras esportiFuturos colaboradores do Jornal do Paraíso va públicas. Sempre estudei nas escolas do Jardim Paraíso, “Meu nome é Jean Cleiton, tenho 14 anos, todas as pessoas se consultarem sem dispois são muitas as qualidades delas.” sou estudante e não sei o que vou fazer no criminação. Além do mais, o bairro já me“Eu, Daniele Tobler de Souza, 13 anos, vim morar no bairro futuro, mas sei que se eu continuar moran- lhorou muito desde quando eu vim morar Jardim Paraíso quando tinha 3 anos com meus pais. Gosto do aqui em Joinville, sempre continuarei aqui. Também sei que ele irá melhorar a muito do bairro em que moro, só não gosto da violência. morando no Jardim Paraíso, pois além de cada dia que passa. Tenho um bom palpite Eu colocaria mais policiais para que o bairro ficasse mais ter vários comércios, tem várias oportuni- de que ele irá ter mais diversão para que seguro. Minha vida aqui é ótima. Eu acho que no futuro o dades de estudo e o mais importante: saú- os jovens não tenham que ir a outro bairro bairro será mais tranqüilo e um pouco melhor.” de. São três unidades de atendimento para para conseguir lazer.” Fotos: Divulgação

Professores construindo consciência ambiental

A Escola Municipal Rosa Maria Berezoski Demarchi, em parceria com a Fundema (Fundação Municipal do Meio Ambiente), proporcionou aos professores um curso de capacitação referente à temática “Unidades de Conservação” da nossa cidade. Após palestra, ocorreu a saída de campo com visitação ao Morro do Finder destinada à observação da variedade dos ecossistemas da Mata Atlântica e ao Parque Natural da Caieira para estudo da preservação e conservação do pa-

trimônio cultural e natural. O objetivo deste curso foi repassar conhecimentos culturais, educativos e também lazer contemplativo para os professores, que, como agentes multiplicadores, devem realizar trabalhos interdisciplinares com seus alunos, enfatizando a educação ambiental como parte da vida social.

Professores visitam o Morro do Finder e o Parque Natural da Caieira

* Janette Vierheller educadora ambiental

Amazônia Madeiras Av. Santos Dumont, 6464,

Agulhas Negras, 1533

Bairro Aventureiro

Bairro Fátima

Fone: 3467 - 6767

Fone: 3417 - 2000


7

Novembro 2008

Comunidade

CRAS busca o fortalecimento da comunidade Jardim Paraíso está entre os quatro bairros que possuem Centro de Referência da Assistência Social situações de risco e assegurando a convivência familiar e comunitária. O atendimento inicial para a população que procura os serviços socioassistenciais nos CRAS é o acolhimento, a escuta, cadastro do usuário, fornecimento de informações e encaminhamentos aos recursos e direitos sociais, e o acompanhamento sistemático às famílias. O principal foco dos CRAS é trabalho coletivo Divulgação com grupos procurando O objetivo dos Cen- mais serviços, programas, contribuir para a escuta e tros de Referência de projetos e benefícios orientação mais apurada Assistência Social, por ofertados pela política de de pequenos grupos de meio da execução do Assistência social e das famílias, a reflexão sobre Programa de Atenção demais políticas sociais as relações estimulando Integral às Famílias, é (saúde, educação, habi- a ajuda, a convivência e de promover o acesso e tação, etc.) existentes na a troca de experiências. a inserção das famílias área de abrangência de No CRAS são realie seus membros nos de- cada CRAS, prevenindo zadas especificamente a

execução dos serviços de Proteção Social Básica, a organização e coordenação da rede de serviços da Assistência Social do bairro e o atendimento de todos moradores do bairro, uma vez que a Assistência Social é gratuita e é destinada a todos os cidadãos a quem dela necessitarem. A implantação gradativa deste programa possibilitará ao município de Joinville a proximidade com a comunidade local desenvolvendo ações de

acordo com as necessidades apresentadas em cada bairro. O município de Joinville possui quatro Centros de Referência de Assistência Social, cujos territórios já foram delimitados, que contemplam as áreas de maior vulnerabilidade do município, que são: Jardim Paraíso, Paranaguamirim, Morro do Meio e Parque Joinville. * Letícia da Silva Britto Coordenadora do CRAS

Atualização do Cadastro Único O Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) avisa que está fazendo a atualização do Cadastro Único do Governo Federal. Os moradores que tiveram seu benefício do Bolsa Família bloqueado precisam comparecer até o final do mês de novembro na rua Crater, s/n, ao lado do CEI Bem Me Quer, onde fica localizado o CRAS, para providenciar a atualização.

Segurança

Grupo de jovens colaboradores realiza enquete sobre segurança Rafaela Mazzaro

Um grupo de jovens fez uma enquete com seis moradores do bairro para saber o que eles estão achando do serviço dos policiais militares no bairro. O resultado você confere abaixo. Marilene Coutinho Barros, 32 anos, comerciante “Está bom, podemos observar a ronda constante dos policiais no bairro”. ZairaVieira, professora de educação física “O policiamento está satisfatório. A sugestão seria a criação de colégios e escolas militares para poder inserir os alunos nesses colégios. As grandes cidades do país possuem, por que não em Joinville?” Andrea Denise Carkager, 34 anos, professora de ciências “Poderia haver mais segurança na hora da entrada e saída das escolas. Quando saio da escola não vejo policiais”. Lindomar do Carmo de Oliveira, professora de língua portuguesa e supervisora “Deveria ter mais policiamento disponível para o bairro porque isso evitaria violência e o tráfico de drogas. Os policiais que atuam no bairro desenvolvem bem o seu papel, mas o número de policias ainda é restrito”. Claudio Rohlmg, 24 anos, balconista “Está bom, não pode ficar um policial em cada esquina, por isso, deveria ter mais policiais, o bairro é muito grande para poucos policiais”. Ivalne R Ferreira, 27 anos “Bom, quando precisei me atenderam bem”. * Alessandra Boeing, Gizele Avance e José Nailton

Posto da Polícia Militar


Em foco

Palestra incentiva produções audiovisuais O jornalista Edson Burg deu dicas de como conseguir apoio financeiro para os participantes do Projeto Oficina de Vídeo-Participação

Agenda

Para incentivar a continuação das produções audiovisuais, o jornalista, produtor e pesquisador de cinema Edson Burg ministrou uma palestra no dia 18 de outubro, na escola Rosa Maria Berezoski, para 23 participantes das Oficinas de Vídeo-Participação. Edson teve o projeto do curta-metragem “Incomunicável” aprovado em 2006 pelo 2º Edital de Apoio às Artes, realizado pela Fundação Cultual de Joinville. A partir da experiência, o jornalista explicou a importância do aproveitamento de recursos financeiros dis-

ponibilizados pelo Governo Municipal para custear produções que podem ser utilizadas como forma de mostrar para outras regiões a realidade dos moradores do Jardim Paraíso ou simplesmente contar uma boa história. Ao todo, foram seis Oficinas de Vídeo-Participação, que reuniram 84 jovens do bairro, resultando na produção de 10 vídeos. Os equipamentos utilizados no projeto ficarão à disposição da comunidade. Edson acredita que esse já é um grande salto para futuras produções. “Com o material

na mão, só é preciso vontade e o fundamental: o dinheiro”, afirma. Ressaltando a importância de um bom planejamento, incluindo orçamento, organização do roteiro e equipe, o jornalista apresentou para os participantes algumas formas de conseguir apoio financeiro e alguns festivais onde os trabalhos podem ganhar Edson mostra exemplo de roteiro para os participantes visibilidade.

Rafaela Mazzaro

Refletindo sobre a educação

Curtas serão apresentados para a comunidade

Nas últimas semanas comunicação. a revista Veja, tem veiO primeiro passo é culado em suas edições motivar todos os profisreportagens sobre a situa- sionais para que possam ção do Sistema de Ensino elaborar suas próprias Brasileiro, dando ênfase idéias, reconstruindo o a falta de qualidade do conhecimento de forma ensino, principalmente sólida e significativa para nas instituições públicas, a vida. E em segundo moonde a crise é considera- mento, a interdisciplinarida mais grave. dade precisa ser colocada Na minha opinião, o em prática, contribuindo que contribui é assim no a displicência crescimento dos educado- “O desafio do intelectual de educador é res envolvidos todo o procom o sistema cesso de aquicriar novas de aprendizametodologias.” sição de cogem escolar. nhecimento. As escolas braE, finalmente, sileiras possuem muitos com a ajuda da comuniprofissionais estagnados dade criar e desenvolver na dialética educacional, um projeto social que se tornando inevitável possa envolver de forma discutir este aspecto. generalizada toda comuA miséria da escola é nidade escolar e as orgao retrato da adversidade nizações da comunidade da cidadania. O desafio no todo, enfatizando o do educador é criar no- compromisso de resgatar vas metodologias, junta- os valores da vida social mente com seus educan- e estrutural das famílias. dos, para modificar este quadro caótico apresen* Fabio Porfírio tado pelos veículos de Professor de história

Mostra dos vídeos das Oficinas de Vídeo-Participação será no dia 1º de dezembro As seis oficinas propostas pelo projeto “Oficinas de Vídeo-Participação no Jardim Paraíso” chegaram ao final. O resultado foi a produção de 10 curtas-metragens que participarão da primeira “Mostra de Vídeo do Jardim Paraíso”. O evento será realizado no dia 1º de dezembro, às 19h, no galpão da Igreja São Domingos Sávio, Av. Plutão, 155. Além dos vídeos, também haverá apresentações culturais de grupos do bairro. Os 84 adolescentes e jovens que participaram das produções demonstram sensibilidade na escolha dos temas, focados no bairro, e capacidade narrativa na produção dos roteiros. Djunior Henrique G. Rodrigues, 15 anos, guardou na memória a experiência dos dois dias de oficina. “Foram coisas que já mais vou esquecer. Nunca pensei que um projeto como esse viesse para cá. Foi uma das melhores coisas que aconteceram este ano aqui”, diz o estudante da Escola Estadual Nagib Zattar. O projeto foi aprovado no

Edital de Apoio às Artes de 2008, da Fundação Cultural de Joinville e conta com o apoio do Curso de Comunicação Social do Bom Jesus/Ielusc e da Unidade de Saúde da Família Jardim Paraíso II. Na coordenação do projeto participaram o jornalista Juciano Lacerda, proponente do projeto, a enfermeira Sueli Castanha e a médica Martha Artilheiro, idealizadoras da proposta.

Também foram apresentadas as narrativas audiovisual documental e jornalística como formas de contar as histórias. À tarde, dois grupos eram formados, passando a discutir a idéia de cada roteiro, o argumento da história e produziam o texto. Parte do grupo ficava envolvido no manuseio e aprendizado do uso das filmadoras digitais e outra parte pensa os elementos necessários para a produção, fazendo O cotidiano da produção um check-list de tudo o que necessitavam para o dia de As oficinas foram ministra- gravações. Também foi realidas pela jornalista e professo- zada uma oficina especial, que ra de telejornalismo Roberta tratou da edição de vídeos. Meyer Veiga. No sábado pela manhã, eram trabalhados elementos da linguagem audiovisual, os tipos de planos de narrativa e a forma do roteiro, sempre com exemplos de curtas ou partes de filme acompanhado de fragmento do roteiro original.

Novembro de 2008 - Participe! • 6 a 8/11 - 1ª Mostra de Educação Ambiental de Joinville, no Parque Zoobotânico •12/11 - Reunião do Conselho Local de Saúde, às 19h30, na Unidade de Saúde 1 e 2 13 /11 - Reunião do Conselho Comunitário e do Jornal do Paraíso, às 9h, no Nagib Zattar

•27/11 - Reunião de avaliação do Jornal do Paraíso, às 9h, no Missão Criança 01/12 - Mostra de vídeo do Jardim Paraíso


Edição 14 ano 2 novembro 2008