Issuu on Google+

Bragança Paulista

Sexta

17 Setembro 2010

Nº 553 - ano IX jornal@jornaldomeio.com.br

jornal do meio

(11) 4032-3919

Disponível também na internet:

www.issuu.com/jornaldomeio


2

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

www.issuu.com/jornaldomeio

Para Pensar EXPEDIENTE

Um cenário complicado MONS. GIOVANNI BARRESE

Estamos nos aproximando do dia das eleições. Certamente impressiona a todos a quase nula apresentação de programas de governo ou legislação que fuja da enxurrada das promessas de costume. Mais ainda impressiona a escavação que parece não ter fim dos escândalos. Como se eles estivessem surgindo somente agora. Como se os indícios da sujeira já não estivessem há muito tempo a empestear os narizes dos municípios, dos estados e da nação. Nestes dias supurou mais um furúnculo. E dos grandes. Muitos personagens dos poderes do Estado do Amapá acusados de desvios de verbas da educação fundamental e do aprimoramento dos professores. Até o domingo que passou pensava-se numa soma de R$ 820.000,00. Parece que o presidente do Tribunal de Contas tinha em sua casa (em João Pessoa), bem longe do estado de residência e trabalho, nada mais nada menos que uma Ferrari, uma Maserati, um Mini

Cooper (charmoso carrinho inglês relançado há não muito tempo), duas Mercedez. Para poder comprar isso precisaria de muitos anos do seu salário (que não é baixo!). As muitas autoridades detidas – algumas com grau de parentesco entre si – não poderiam desviar verbas vultosas sem uma rede de conivência. Cá entre nós: pequenas quantias podem ser suprimidas e seu sumiço nem ser notado. Milhões, porém...! Esse fato do Estado do Amapá, que aceitou o domicilio do senador Sarney sabendo que sua casa é no Maranhão (mas que legalmente pode ser em vários lugares), é um dos tantos que mostram o leque de jogadas legais, mas nem sempre morais, que pode ser executado em vários setores. Também quando interesses da política pessoal e ou partidária estão em jogo. Todos os dias vamos tomando ciência das chicanas que têm por finalidade não o bem público e sim o poder. Já citei, em outra ocasião, frase

do então ministro Delfim Neto que em entrevista a uma rede de TV: “Ao político interessa em primeiro lugar o poder e depois, o resto”. O contínuo anúncio de desmandos vai enfraquecendo o desejo de uma participação mais intensa das pessoas. Vai gerando o descrédito sobre a possibilidade de uma real mudança. E é a ceva das candidaturas “isca”. Os donos de partido amealham personagens que chamem para si a descarga dos votos de protesto e, na sombra, tem o seu patamar eleitoral reforçado. E se elegem. Certamente tem impressionado o conteúdo dos programas pela radio e TV. Também por aquilo que jornais e revistas têm apresentado. Boa parte dos pronunciamentos é de ataque e defesa. Muito pouco ou quase nada de proposta ideológica de governo ou legislação. E, como disse acima, promessas de todo tipo. Penso que é tendo este quadro que devemos ter clareza sobre a responsabilidade do voto. Outro dia, “zapeando a TV” vi

um pastor protestante, de denominação pentecostal, chamando a atenção para isso. Ele dizia que se pode votar em quem quiser. Mas, se votar errado, não adianta fazer vigílias oracionais para consertar. Achei interessante seu pronunciamento – não por ser novidade – mas por chamar a atenção para as consequências do gesto. Creio que suas palavras servem para a situação. Cada um de nós tem a liberdade de votar em quem desejar. Mas deve ter clareza dobre o resultado dos gestos. Não vale, pois, minimizar, o direito e dever de votar. Sabemos que a educação para a democracia é árdua e demorada. Por isso é que existe a tentação das ditaduras. Alguém pode pensar que tem a melhor solução e tentar implantá-la a ferro e fogo. Mesmo com a melhor intenção a ditadura nunca será resposta plenamente livre. O caminho da democracia é o único que pode levar à segurança do respeito mútuo e da correção dos atos ilícitos. Isto implica, todavia,

Jornal do Meio Rua Santa Clara, 730 Centro - Bragança Pta. Tel/Fax: (11) 4032-3919 E-mail: jornal@jornaldomeio.com.br Diretor Responsável: Carlos Henrique Picarelli Jornalista Responsável: Alexandra Calbilho (mtb: 36 444)

As opiniões emitidas em colunas e artigos são de responsabilidade dos autores e não, necessariamente, da direção deste orgão. As colunas: Casa & Reforma, Teen, Informática, Antenado e Comportamento são em parceria com a FOLHA PRESS Esta publicação é encartada no Bragança Jornal Diário às Sextas-Feiras e não pode ser vendida separadamente. Impresso nas gráficas do Jornal do Meio Ltda.

investimento na educação global dos cidadãos. Que começa na família. Passa pela escola, pelas igrejas, pela convivência social. Penso que para os que têm fé religiosa existe o imperativo de não separar a fé da vida. E porque o Direito e a Justiça são normas integrantes do Reino de Deus obrigam, em consciência, a sua plena implantação na iluminação da existência. O horizonte das próximas eleições traz o cinzento dos escândalos, dos interesses menores, das insinuações, do descrédito. Não esqueçamos, porém, que acima das nuvens, há o sol. E a luz vencerá as trevas! (2 Coríntios 4,6).


www.issuu.com/jornaldomeio

Jornal do Meio 553 sexta 17 • Setembro • 2010

3


4

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

www.issuu.com/jornaldomeio

Moda de Viola

Evento em Bragança resgata música sertaneja de raiz

colaboração SHEL ALMEIDA

Acontece no próximo dia 25 de sentimento, muitas vezes setembro, em Bragança Paulista usam do improviso. Vai o primeiro encontro de violeiros, muito da sensibilidade e evento que reunirá diversos músicos, particularidade de cada tocadores da tradicional viola caipira. um”, completam. Toda viola Promovido pelo grupo “Sentimento Ser- caipira tem dez cordas, tanejo de Bragança”, o evento pretende que são duplas e metálise tornar referência na cidade e atrair cas. Cada uma das notas interessados na cultura sertaneja de musicais vem em um tom raiz. Para isso as camisetas do evento alto e um tom baixo, daí serão padronizadas e uma bandeira já a dificuldade para tocar o está sendo confeccionada. A Orquestra instrumento. Cada violeiro Sinfônica de Viola Caipira Canto das usa da própria habilidade Montanhas, de Piracaia fará a abertura para reproduzir as notas e da festa. Entre as inúmeras atrações, se diferenciar dos demais. o destaque fica por conta de Goiano e Cada som é único e cada Paranaense, dupla conhecida no meio apresentação também, sertanejo. Outra participação especial graças ao improviso, já do evento será a do bragantino Neto mencionado. Para os orgaStéfani, que já fez parte de banda de Tião nizadores a viola tem que Carreiro e Pardinho. Piracaia também combinar com a música e trará o grupo de catira local além de também com o violeiro. “A professores e alunos de música de um viola canta junto com o projeto que busca resgatar a cultura de cantor”, enfatizam. Todos raiz. Além disso, espera-se que dezoito os violeiros serão convidados a particiapresentações aconteçam no evento, par do desafio em duplas, inclusive os principais destaques entre duplas e artistas da festa. A divertida solo. A festa acontece em prol da AssociaOs violeiros brincadeira consiste ção Beneficente São em trocar o parceiro e tocam com sentimento, improvisar a cantiga, Lucas, entidade que muitas vezes usam a fim de descobrir atende crianças, jodo improviso quem se sai melhor. vens e adultos com Dessa maneira crianecessidades especiais se a interação entre e que se destaca pelo todos os músicos, sem atendimento educaprivilégios, além de cional especializado. A inspiração para a festa em Bragança possibilitar aos iniciantes a oportunidade veio da cidade de Poloni - SP. Lá a de cantar e tocar com os ídolos. “violada” acontece há sete anos e tamClássica bém arrecada fundos para associações Mesmo não estando em tanta evidência, beneficentes. Estima-se que o evento de Bragança terá público em torno de a música sertaneja de raiz nunca sai 600 pessoas, vindas de toda a região. de moda, por ser clássica. O gosto por O evento acontecerá no Clube Náutico esse gênero passa de geração a geração. Russolândia, no Bairro das Sete Pontes. Muitos jovens se identificam e acompaComeçará às 13h e seguirá por todo o nham os novos trabalhos influenciados dia, com previsão de término às 23h. pelo gosto familiar. Isso é fundamental Serão servidos aperitivos, sete pratos para que a cultura sertaneja não morra de comidas típicas e regionais além, de e seja respeitada e entendida pelas gerações que surgirão. Os organizadores doces caseiros feitos na hora. do evento destacam que a viola caipira De raiz Os produtores do evento destacam o “não é coisa de gente do mato nem de fato de que apesar de o estilo sertanejo gente velha”. As letras bucólicas falam universitário ter se tornado popular, de sentimentos e sensibilizam quem muita gente não conhece a música se propõe a conhecer. Ainda é comum sertaneja de raiz, que foi a precursora ver senhores idosos sentarem bem à dos diversos estilos da música sertaneja frente do palco e chorarem emocionados que conhecemos hoje. “Pegaram só a com as canções. A intenção do evento é emoção e não a parte cultural”, falam os atrair os admiradores da música sertaorganizadores ao explicar a diferença. neja clássica e fazer com que as novas A verdadeira música sertaneja destaca- gerações conheçam e se identifiquem se por contar a história dos próprios com o estilo. A festa pretende se tornar sertanejos, através de um enredo todo tradicional na cidade e promover a particular. “Os violeiros tocam com interação entre gerações.

FOTO: DIVULGAÇÃO

Ensaio para o desafio entre violeiros que será uma das atrações do evento FOTO: DIVULGAÇÃO

Jander (E) responsável pela parte musical do evento faz dupla com o pai

Os ingressos podem ser comprados antecipadamente por R$ 25, até três dias antes da festa nos seguintes locais. Na porta o preço será de R$30. Relojoaria Top Center – Rua Exp. Basílio Zecchin Jr, 19 Centro - Telefone: 9850.8076 M. B. Contabilidade – R. Coronel Teófilo Leme, 474 Telefone: 4033.4144 Bar do Gordinho – Av. dos Imigrantes, em frente à Nossa Senhora de Fátima Telefone: 9997.6805 Local do Evento: Clube Náutico Russolândia, Estrada Bragança/Piracaia, KM 79,5 Bairro das Sete Pontes Associação Beneficente São Lucas R. Madre Cândida Maria de Jesus, 33 – Vila Municipal Tel: 4033.7934 - http://www.associacaosaolucas.org.br/


www.issuu.com/jornaldomeio

Jornal do Meio 553 sexta 17 • Setembro • 2010

‘Piauí’ reúne em livro a nata de seus perf is políticos

Antenado

5

‘Vultos da República’ compila textos da revista sobre figuras que lidam com engrenagens do poder no país

por MORRIS KACHANI/FOLHAPRESS

‘Lilibeth, this wine is very bad!’ (‘Lilibeth, este vinho é muito ruim!’) Estamos em um jantar na Embaixada do Brasil, em Londres. De um lado, a ex-premiê Margareth Thatcher. De outro, ‘queen’ Elizabeth. ‘E não é que ela tinha razão? O vinho havia passado do ponto. Ela (Thatcher) é divertida. Durante a recepção, apontava a Elizabeth e repetia: “The queen wants dry martini’ (a rainha quer dry martini). E a rainha respondia, cada vez mais vermelhinha, bravíssima: “I do not want a dry martini’ (eu não quero um dry martíni)’. Quem nos conta essa pitoresca história é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em reportagem da revista ‘Piauí’, em 2007. O texto foi produzido por João Moreira Salles, que sebateuaacompanhá-lo‘fulltime’emumpériplode 11 dias por sete aeroportos e dois continentes. Para quem se delicia com esse tipo de informação de bastidor e tem curiosidade de conhecer as engrenagens do poder, ‘Vultos da República Os Melhores Perfis Políticos de Piauí’, que chega às livrarias pela Companhia das Letras, vale ouro. FHC, José Dirceu, o caseiro Francenildo dos Santos Costa, Dilma Rousseff, José Serra, Márcio Thomaz Bastos, Marina Silva e o presidente do fundo de pensões Previ, Sergio Rosa, são perfilados.

Pesquisa aprofundada

O diferencial é o afinco com que eles são investigados, em pesquisas que podem durar

meses e resultam em textos longos, com nível de detalhe impressionante. ‘Nosso luxo é o tempo’, explicou o cineasta João Moreira Salles, fundador e publisher da ‘Piauí’. Um ‘modus operandi’ raro e quase improvável na paisagem atual da imprensa brasileira. Para compor o perfil de Dilma, o repórter Luiz Maklouf Carvalho entrevistou mais de 70 pessoas. Com o caseiro Francenildo, Moreira Salles conversou 20 vezes, além de ter lido cerca de 2.000 páginas de relatórios policiais e assistido à íntegra todas as sessões da CPI dos Bingos nas quais algum envolvido aparecia. O resultado é uma reportagem que mostra com clareza como se movem as esferas do poder Executivo, Judiciário, Legislativo, governo, oposição, Receita Federal, Polícia Federal, Caixa Econômica, imprensa. ‘Todas essas instâncias ajudaram a moer o Francenildo’, disse Moreira Salles. Os perfis projetam um foco humano e, por que não, muitas vezes até banal sobre personagens públicos a quem pouco conhecemos na intimidade. Também trazem um levantamento de sua história política e pessoal.

Intimidade política

É quando descobrimos que Serra era um galã bem-sucedido que cantava Nat King Cole aos ouvidos das mulheres, ou como Dilma desmanchou o namoro. O processo de alfabetização de Marina Silva, aos 16 anos, no Acre, antes de se tornar empregada doméstica

FOTO: BRUNO MIRANDA/ FOLHAPRESS

O caseiro Francenildo dos Santos

com direito a entrevista da patroa. Outro ponto alto são os comentários reveladores. FHC dizendo que Dirceu é o Putin que fracassou. Um ex-professor de Dilma na Unicamp falando que ela e Serra têm a mesma visão de mundo. ‘Vultos da República’ traz uma contribuição valiosa para se contar a história recente do país. E ainda pode ajudar na escolha do voto em outubro, pois os perfis dos candidatos feitos por ‘Piauí’ dizem muito mais a respeito deles do que programas de governo mal redigidos, não?

VULTOS DA REPÚBLICA OS MELHORES PERFIS POLÍTICOS DA REVISTA PIAUÍ

ORGANIZADOR Humberto Werneck EDITORA Companhia das Letras QUANTO R$ 49 (304 págs.)


6

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

www.issuu.com/jornaldomeio

Casa & Reforma

Vizinhos famosos perturbam o sossego de moradores anônimos Ruído, festas e muitas visitas são as queixas mais frequentes de quem mora ao lado de uma celebridade por ADRIANA ABREU/FOLHAPRESS

Para alguns, ser vizinho de uma celebridade pode significar status. Para outros, é sinônimo de falta de privacidade, constante assédio da imprensa e confusão. Em São Paulo, bairros como Higienópolis (centro), Perdizes, Pompeia, Itaim Bibi, Jardins, Morumbi (zona oeste) e Moema (zona sul) concentram conhecidos. Neles, não é raro ver carros sendo escoltados por seguranças ou prédios com concentração de jornalistas. “Isso deixa as pessoas assustadas, instiga a curiosidade dos fãs e incomoda os condôminos”, afirma Marcelo Dadian, diretor da regional paulistana da incorporadora e construtora Rossi. E ser vizinho do presidente da República? O designer G.C., 22, acha um exagero os privilégios dados a Luiz Inácio Lula da Silva no prédio em São Bernardo do Campo (SP). “Ele tem prioridade para pegar o elevador e na saída da garagem.”

FOTO: EDUARDO ANIZELLI

Andrea Rogick, 41, que e vizinha do guitarrista Gee Rocha da banda NX Zero. Adriana diz que foram seis meses de “guerra” com o guitarrista para amenizar o barulho causado por sua guitarra FOTO: ALESSANDRO SHINODA

Final feliz Enquanto há celebridades que optam por levar uma vida discreta, outras tiram o sossego da vizinhança. Em um condomínio na Pompeia (zona oeste), o guitarrista da banda NX Zero, Gee Rocha, é conhecido para além da fama. “Quando visitei seu apartamento, me assustou a quantidade de instrumentos em 75 m2”, conta a vizinha Andrea Rogick, 42. Foram seis meses de guerra, reclamações, insatisfação e muitas multas. O final feliz só veio quando o guitarrista decidiu fazer o isolamento acústico de seu apartamento que ainda está em obras. Apesar do consenso nas reclamações, o advogado especialista em condomínios Márcio Rachkorsky relativiza o problema. Segundo ele, o rigor com que os vizinhos tratam os ilustres é maior. “Parece que os ouvidos ficam mais aguçados quando o barulho vem do apartamento do famoso. Condomínios de alto padrão também têm problemas com garagem, briga entre moradores e fofoca”, completa. Por conta de famosos com péssimo histórico de convivência em condomínio, alguns compradores chegam a desistir da aquisição do imóvel ao saber o nome do vizinho, diz Dadian, da Rossi.

Barulho é o principal motivo de brigas Não é só em prédio de famosos que problemas com o barulho dos vizinhos acontecem. Festas e comemorações em casas e condomínios representaram 31% das reclamações registradas pela Polícia Militar na capital paulista no primeiro semestre do ano. A diferença se dá na reação de celebridades, que demonstram pouca disposição em cumprir a convenção condominial. “Alguns pensam estar acima das regras”, diz o advogado Alexandre Marques. Marques cita uma frase dita por um famoso, cujo nome não foi revelado, em um dos condomínios em que realiza assembleias de reconciliação: “Só o fato de eu morar aqui já

O síndico Wilson Favieri Filho abriu processo contra modelos que brigaram na piscina

valoriza o patrimônio de todo mundo”. O advogado Márcio Rachkorsky conta outro caso, o de um famoso que queria que o helicóptero pousasse às três horas da madrugada no heliporto do edifício. Para ele, celebridades não têm privilégio. “A responsabilidade delas é maior, pois são modelo para muita gente”, acrescenta.

Excessos No prédio do Tatuapé (zona leste) em que mora a advogada Aline Oliveira Silva, 26, e os jogadores do Corinthians Defederico e Chicão, houve problemas em junho. “Ele [Chicão] fez uma festa no salão do prédio e, devido ao excesso de barulho e violação do horário permitido, os vizinhos reclamaram e ele foi multado”, conta. Em casos como esse, a advogada Josicler Marcondes diz que não basta aplicar a multa. “É preciso realizar uma assembleia com a presença do infrator para decidir qual será a punição, seja ele famoso ou não.” Caso o morador persista na falta, os vizinhos podem chamar a polícia e até mesmo entrar na Justiça.

Mercado Em vez da valorização causada pelo nome dos vizinhos, Marcelo Dadian, da Rossi, afirma que compradores podem desistir do local em função da presença de famosos. Aida Maria Marques, vice-presidente do

Sindicato dos Corretores de Imóveis no Estado de São Paulo, afirma que a presença de famosos em um condomínio não afeta o preço do apartamento. Já o corretor de imóveis Antônio da Silva Filho, da imobiliária Kauffmann, pondera: “Vizinhos famosos podem afastar quem quer sossego, mas o bairro se beneficia da segurança que é oferecida às celebridades”.

Moradores preferem a discrição Preocupados com a segurança, muitos moradores não comentam a presença de celebridades no condomínio. A fotógrafa Sara Rissato, 22, só fala que mora no mesmo prédio da apresentadora Ana Hickmann quando questionada. “As pessoas ficam muito impressionadas, curiosas e começam a fazer perguntas. Já me pediram até para colocar currículo debaixo da porta dela.” Morador da Pompeia (zona oeste), Fábio Tishboia Mazon, 27, prefere não citar os nomes dos três jogadores do Palmeiras que vivem no edifício. “As pessoas acham que eles são festeiros, mas só houve uma ocorrência e faz tempo”, lembra. No caso dos funcionários, a discrição é prevista. “É comum que o famoso peça que os funcionários assinem um documento comprometendo-se com o sigilo”, diz o advogado Alexandre Marques.


www.issuu.com/jornaldomeio

Jornal do Meio 553 sexta 17 • Setembro • 2010

7


8

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

Informática

www.issuu.com/jornaldomeio

&

Tecnologia

Brasil domina twitcam

País é responsável por 81% dos acessos a site de transmissão de vídeo via Twitter por RAFAEL CAPANEMA/FOLHAPRESS

O Brasil é responsável por 81% dos acessos ao Twitcam (twitcam.com), site que permite aos usuários do Twitter transmitir imagens ao vivo a partir de uma webcam. O dado, obtido com exclusividade pela reportagem, é da empresa americana Livestream, que mantém o site. Lançado há pouco mais de um ano, em julho de 2009, o Twitcam recebeu no mês passado no mês passado 4,5 milhões de visitantes únicos e foi palco de duas polêmicas recentes no Brasil. No início do mês, seis jogadores do Santos bateram boca com torcedores no Twitcam. O episódio fez com que o clube criasse regras para disciplinar o uso da internet por seus jogadores. No outro caso, mais grave, um garoto de 16 anos e uma menina de 14 se masturbaram ao vivo diante de mais de 26 mil espectadores no fim de julho. A Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos de Porto Alegre está investigando usuários que baixaram o vídeo.

com Twitter e ‘hitchhiker’ ’caroneiro’ em inglês, começou com um blog e um perfil no Twitter em fevereiro de 2009, em que Paul relatava a preparação da viagem. A divulgação foi feita estritamente pelo microblog: ‘O Twitter gerou todo o interesse no projeto. Eu não liguei nem mandei e-mail para ninguém’, contou Paul à reportagem. O objetivo era chegar à Ilha de Campbell, mas seria preciso encarar seis horas de barco em águas furiosas. Escolheu finalizar a empreitada em uma ilha próxima. Não se arrependeu: ‘Fiquei muito satisfeito, mas eu estava com labirintite. Não estava bem’, desabafa. A motivação, conta Paul, foi o medo de perder a oportunidade: ‘Eu sabia que, assim que tivesse uma ideia, alguém pensaria nela e a faria antes de mim. Eu não queria me arrepender por não executá-la.’ Paul afirma que todo o dinheiro arrecadado foi doado. Os quase R$ 20 mil foram enviados por anônimos. O viajante lançou um livro de relatos no começo deste mês. ‘Na verdade não é sobre o Twitter ou tecnologia; é sobre relações e pessoas. Afinal, a tecnologia é movida por pessoas’, sintetiza. A Vida Ao Vivo Uma busca por Twitcam no Twitter revela Um Twitchhiker 2 não está nos planos: ‘O imediatamente uma miríade de transmissões projeto aconteceu quando o Twitter era ao vivo com pessoas comuns falando, dançan- novo e usuários se interessavam em apoiar do e cantando, bandas tocando, celebridades qualquer ideia divertida’, reflete. conversando com seus fãs e até políticos. Embora os termos de serviço do Twitcam Max haot executivo-chefe proíbam imagens obscenas e pornográfida livestream cas, transmissões desse tipo são comuns por RAFAEL CAPANEMA o site parece abrigar órfãos do ChatRou- Max Haot, executivo-chefe da Livestream lette, que, depois de alcançar um sucesso (www.live stream.com), que mantém o Twiestrondoso, declinou drasticamente nos tcam, fala sobre a criação do site e sobre o últimos meses. sucesso no Brasil. Leia trechos da entrevista Para entender o fenômeno, a reportagem que ele concedeu à reportagem. conversou com especialistas em psicologia, sexo e direito, com o executivo-chefe Reportagem - Desde o lançamento do Twida Livestream e com artistas que fazem tcam, em julho de 2009, o que mudou? transmissões ao vivo no Twitcam. Max Haot - Surpreendentemente, até agora não fizemos nenhuma grande atuaInglês viaja pelo mundo só lização desde o lançamento. É uma prova com ajuda do Twitter da qualidade do design do produto e de por CARLOS OLIVEIRA sua simplicidade. Há 18 meses, Paul Smith, 35, viajou da LançamosoTwitcametivemosumaideiamuito Inglaterra à Nova Zelândia, sem pagar pelas boa do que ele precisava fazer a partir da nossa passagens nem pela hospedagem. Gastou experiência com o serviço Livestream. seu dinheiro apenas com comida, bebida Um dos maiores princípios do design do e necessidades básicas. Para se locomover produto é mantê-lo extremamente simples e descansar, contou com a boa vontade de e permitir que qualquer um fique ao vivo no usuários do Twitter, que o ajudaram com su- Twitter com dois cliques. Dizemos nos EUA: gestões de trajeto, carona e companhia. ‘Se não está quebrado, não conserte!’ O projeto Twitchhiker, um jogo de palavras Segundo a Livestream, o Twitcam passou de

conceito para lançamento em menos de uma semana. Como isso foi possível? O Twitcam foi construído a partir da API (interface de programação do site) da plataforma Livestream, que proporciona toda a infraestrutura para permitir transmissões ao vivo em escala. Como pudemos aproveitar nossa plataforma e nossa API, nós de fato construímos e lançamos o Twitcam em exatamente uma semana. O Brasil está entre os países que mais usam o Twitcam? O Twitcam cresceu viralmente no Brasil. O Brasil detém atualmente 81% do tráfego isso. Como em qualquer meio, nós e todos do Twitcam. Em segundo lugar está o Chile, os nossos usuários, incluindo celebridades, com 6%, e em terceiro, o México, com 3,3%. temos que aprender com nossos erros. Os EUA representam apenas 2%! Os termos de uso do Livestream proíbem A Livestream ganha dinheiro com o obscenidade e pornografia, mas há casos desse tipo de uso no Twitcam. O que a empresa Twitcam? O Twitcam foi criado mais como um pro- faz para conter essas transmissões? jeto secundário para demonstrar o poder Esse é um problema muito sério para nós. da nossa API e criar uma marca para o Estamos considerando aplicar algumas das técnicas que desenvolvemos no serviço público do Twitter. Nós realmente não esperávamos que ele principal do Livestream para verificar e explodisse como ocorreu nos últimos meses. aprovar contas [no Twitcam]. Hoje nós o monetizamos com anúncios de redes baseadas nos EUA que aparecem antes Há planos de adicionar novos recursos e das exibições ou sobrepostos às imagens. tornar o serviço mais sofisticado? Estamos procurando parceiros ou marcas Nós podemos acrescentar recursos e aprimono Brasil que possam estar interessados rar a experiência, traduzi-lo para português em anunciar seus produtos nesse enorme etc. Mas certamente o manteremos simples como ele é agora. inventário de publicidade em vídeo. Vocês souberam da polêmica que envolveu jogadores do Santos? Que conselho dá às celebridades que usam o Twitcam? Nós soubemos disso. Ficamos felizes em ajudar as celebridades brasileiras a chegar diretamente a seus fãs no Twitter. O contato direto com os fãs é uma tendência das redes sociais, e não há nada melhor do que vídeo para fazer

RAIO-X TWITCAM ENDEREÇO twitcam.livestream.com EMPRESA RESPONSÁVEL Livestream SEDE Nova York 38 milhões de acessos ao site (pageviews) 4,5 milhões de visitantes por mês. Fonte: Livestream


www.issuu.com/jornaldomeio

Jornal do Meio 553 sexta 17 • Setembro • 2010

9


10

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

www.issuu.com/jornaldomeio

Teen

Sozinho e casa

Teens ganham liberdade mas perdem mordomias

por ELISANGELA ROXO/FOLHAPRESS FOTO: CARLOS CECCONELLO/FOLHAPRESS

Deixar para trás casa, comida e roupa lavada e ir morar só numa nova cidade é o sonho de muito jovem. A liberdade que se ganha ao sair da casa dos pais, no entanto, vem acompanhada de novas responsabilidades e muitas contas para pagar. Para elas, os teens que vivem sozinhos contam com uma forcinha dos pais. “Comecei a dar mais valor para o dinheiro do meu pai depois que saí da casa dele”, conta Patrícia Prestupa, 18, que veio de Assis (a 395 km de São Paulo) para a capital por causa do cursinho. “No início, meus pais não gostaram da ideia, mas conversamos e me apoiaram.” Ter de cozinhar a própria comida virou um desafio. Depois de muito macarrão instantâneo, Patrícia resolveu mudar o menu diário para arroz com hambúrguer frito. Pediu a receita para mãe, por telefone. “Ficou terrível. Mas comi. Estava faminta.” E lavar a louça? No apartamento dos modelos Leonardo Sartori, 18, e Gustavo Gosenheimer, 18, lava a louça quem perde no videogame. A nova rotina é bem diferente daquela de

estudante que vive com os pais. “Antes, eu acordava e tinha comida pronta e roupa dobradinha. Agora, acordo para lavar e cozinhar”, diz Leonardo. Os dois moram em um apartamento com outras três pessoas. Entre elas, a namorada catarinense de Leonardo, Bruna Cunha, 17. Ela veio a São Paulo para trabalhar como modelo. Para Bruna, sair da casa dos pais virou sinônimo de uma espécie de “casamento”. “A gente é tipo casado, então, tudo para mim é novidade. Nunca tive nem namorado antes”, diz ela. Apoio dos pais também não falta. “Eles nos ajudam porque ainda não dá para pagar as contas com o que ganhamos.”

Os modelos Gustavo (vestindo vermelho) e Leonardo, ambos 18 anos, jogam PlayStation observados pela também modelo Bruna, 18 anos. Adolescente que moram sozinhos.

Série mostra jovens que vivem sós

FOTO: JOAO BRITO/FOLHAPRESS

O designer Vitor, 21, saiu de Porto Alegre para trabalhar em São Paulo sem saber nem fritar um ovo. Já na casa nova, pediu à “Nossa Senhora do Wifi” uma dica da senha para conexão do vizinho. Tudo ficção, mas podia ser verdade. O personagem foi inspirado na vida do ator Ian Ramil, 24, que interpreta Vitor na minissérie “Tô Frito”, com estreia na Band e na MTV. A série aborda com delicadeza o início da vida adulta longe da casa dos pais. Ian saiu de casa aos 17 para estudar. Seu par na minissérie é a atriz Rayana Carvalho, 23, que, aos 19, deixou Recife por causa do teatro e foi morar no Rio.

O lados AeB de morar só DESVANTAGENS Sozinho é preciso... Fazer comida Lavar louça Limpar a casa Lavar roupa

Ian Ramil e Rayana Carvalho, atores do seriado de TV To Frito.

Lidar com a saudade da família e dos amigos que ficaram longe Administrar o dinheiro e não esquecer de pagar a conta de luz Não ter carona fácil com pai e mãe VANTAGENS Sozinho você pode... Não ter horário para sair de casa ou chegar

Dormir e acordar na hora em que desejar Ir para onde quiser sem dar explicações para ninguém Comer o que quiser na hora em que tiver vontade Aprender a ser independente e a cuidar da própria vida Depois de começar a trabalhar, pode gastar o dinheiro como achar melhor.


www.issuu.com/jornaldomeio

Jornal do Meio 553 sexta 17 • Setembro • 2010

Comportamento

11

Cuide do seu nariz

Um olfato bem treinado deixa a vida mais rica, além de otimizar uma área nada desprezível do cérebro

por IARA BIDERMAN/FOLHAPRESS

As rosas não falam, ou são as pessoas que não entendem mais a sua linguagem? Como o sambista no jardim, a maioria recebe informações olfativas sem se dar conta do significado ou do efeito dessa comunicação. “Vivemos basicamente em um mundo de som e imagem, não dependemos mais do olfato do ponto de vista da sobrevivência. Como é mal utilizada, desperdiçamos essa capacidade”, afirma Paulo Bertolucci, chefe do departamento de neurologia comportamental da Unifesp. Chega de desperdício. É possível apurar o olfato. “É o mesmo treinamento do provador de vinhos, cafés, perfumes”, diz Bertolucci. “Podemos recuperar essa capacidade perdida”, afirma Mario Telles Jr., vice-presidente da ABS (Associação Brasileira dos Sommeliers). Um exercício simples é passear na feira. Um mundo de aromas para serem sentidos. Basta cheirar, identificar a origem e memorizar. “Treinar o olfato é sentir o cheiro e colocar dentro de um padrão. Dar um nome cítrico, flor, banana, peixe e repetir quando o aroma é detectado de novo”, ensina Arthur de Azevedo, diretor-executivo da ABS. O perfumista Adilson Rato, da Firmenich, uma multinacional de fragrâncias, acredita que as pessoas não desenvolvem o olfato porque não param para apreciar e tentar descrever as associações criadas com os cheiros que agradam ou não. Uma forma de manter o olfato sempre apurado, segundo Renata Ashcar, autora de “Guia de Perfumes”, é se lembrar sempre de respirar fundo e guardar o cheiro do momento, associando-o à situação que se está vivendo. ���Vale para tudo: cheiro de pessoas, ambientes, do almoço de domingo. Principalmente se for um bom momento, a conexão é imediata”, diz Ashcar. Para começar, aromas específicos (sem misturas) e diferentes entre si devem ser cheirados, nomeados e colocados dentro de um grupo. “Dividimos em famílias aromáticas (cítricos, florais etc.)”, explica Telles Jr. Ao avançar na técnica, o candidato a “Nariz” (jargão usado na indústria de perfumes para o criador de fragrâncias) pode tentar distinguir os diferentes odores que compõem uma substância aromática complexa, como um vinho ou um perfume. O neurologista Benito Damasceno, da Unicamp, explica que o treino olfativo é um aprendizado cognitivo. “Existe uma via de percepção que vai do receptor [células do nariz] para o sistema nervoso

central. Mas também há o caminho inverso: vai do córtex [área responsável por funções como linguagem] até o receptor externo, para modular sua atividade”, diz Damasceno. Se prestamos pouca atenção aos cheiros, estamos desperdiçando também uma área enorme do cérebro que representa o olfato. E algo entre 10 mil e 400 mil odores detectáveis. “É difícil saber o número total dos cheiros que o ser humano pode detectar”, diz Bettina Malnic, coordenadora do laboratório de neurociência molecular da USP. Malnic, pioneira no estudo do olfato no Brasil, trabalhou com Linda Buck, norteamericana que ganhou o Nobel por ter identificado, junto com Richard Axel, os receptores responsáveis pela captação de odores no nariz. Hoje, sabe-se que o ser humano tem cerca de 400 receptores olfatórios. São eles que reconhecem os odorantes moléculas voláteis emanadas de diferentes fontes, que se “encaixam” nos neurônios olfativos da mucosa nasal, gerando sinais elétricos. Esses são transmitidos ao bulbo olfativo e daí para outras regiões do cérebro. “No sistema límbico, os odorantes são percebidos como informação e desencadeiam reações emocionais e do sistema nervoso autônomo”, diz Damasceno. Os sinais dos neurônios olfativos são enviados para as áreas cerebrais relacionadas às emoções e às memórias.

Efeitos terapêuticos Os aromas também podem ativar uma região do cérebro chamada hipotálamo, que aciona a produção de hormônios ligados a funções fisiológicas como apetite ou comportamento sexual. Não é surpresa, portanto, que os aromas tenham efeitos terapêuticos. “Não é só coisa de “bicho-grilo”. Há pesquisas científicas confirmando alguns efeitos”, afirma Bertolucci. Claro que, na chamada aromaterapia, há muita evidência anedótica (não é piada, é o termo usado para efeitos observados em casos isolados, sem controle etc.). A ideia de usar óleos aromáticos de plantas para tratar a saúde física e mental é antiquíssima. O termo é mais recente: foi criado pelo químico Francês Renne Maurice Gattefosse, nos anos 1920. Ele iniciou as pesquisas após um acidente de trabalho: uma explosão no laboratório queimou sua mão e, sem querer, a parte queimada mergulhou em óleo puro de lavanda, o que resultou em cura rápida

FOTO: BRUNO FERNANDES

Aula do curso de vinhos da ABS (Associação Brasileira de Sommeliers) com o professor Mario Telles Jr., que e trata da degustação e de aromas

e miraculosa. Para separar milagres de usos que podem ser comprovados e replicados, um grupo de pesquisadores do instituto Sense of Smell, nos EUA, criou o termo aromacologia. Isso designa apenas os efeitos olfativos que demonstraram cientificamente afetar o humor, a fisiologia e o comportamento. Ou seja, os que foram testados com os critérios da medicina baseada em evidências incluindo metodologia, grupo controle e número suficiente de participantes nos estudos.

Aroma na pele A aromaterapia é, geralmente, usada em conjunto com a massagem. Como há um considerável número de estudos mostrando que a massagem sozinha reduz a ansiedade e as reações físicas causadas por ela, fica difícil saber até que ponto há ação dos aromas. Mas já foi demonstrado, em pelo menos um estudo, os efeitos fisiológicos de um aroma absorvido pela pele. No trabalho, publicado no jornal “Neuropsychopharmacology”, a principal molécula odorante da lavanda diluída em óleo inodoro foi aplicada com injeção na camada superficial da pele dos participantes, sem que eles pudessem sentir o cheiro. Em um grupo controle, foi injetado apenas óleo inodoro.

FOTO: : LETICIA MOREIRA

Larissa Della Rosa, 18, assitentente de perfumista no laboratório de criação da Empresa de fragancias Firmeninch

Famílias aromáticas Uma técnica para apurar o olfato, usada por degustadores de vinho e perfumistas, é classificar os cheiros detectados organizando-os em grandes grupos de aromas. Frutados - cheiros de frutas cítricas, vermelhas, brancas, escuras etc. Florais - todas as flores, frescas ou murchas Herbáceos - temperos verdes, como hortelã, manjericão etc., frescos ou secos, grama, folhas Balsâmicos - madeiras de árvores como cedro, pinheiro ou eucalipto Especiarias - cravo, canela, pimenta, baunilha, alcaçuz e anis, entre outros Empireumáticos - cheiro de substância queimada, tostada, defumada, como café torrado ou carne defumada. O chocolate também entra nesta família Animais - cheiro de couro, de carne de caça, embutidos, leite e laticínios Fougere - madeira verde.


12

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

www.issuu.com/jornaldomeio

Seus Direitos e Deveres colunadoconsumidor@yahoo.com.br

O sigilo de dados GUSTAVO ANTÔNIO DE MORAES MONTAGNANA/ GABRIELA DE MORAES MONTAGNANA

O sigilo de dados é uma garantia fundamental, prevista na Constituição Federal. A inviolabilidade do sigilo de dados é correlata ao direito fundamental à privacidade, que corresponde ao direito do indivíduo de excluir do conhecimento de terceiros aquilo que a ele só é pertinente e que diz respeito ao seu modo de ser exclusivo no âmbito de sua vida privada. A defesa da intimidade equivale a proteger o homem contra: a interferência em sua vida privada, familiar e doméstica; a ingerência em sua integridade física e mental, ou em sua liberdade intelectual e moral; os ataques à sua honra e reputação; sua colocação em perspectiva falsa; a comunicação de fatos relevantes e embaraçosos relativos à sua intimidade; o uso indevido de seu nome, identidade e imagem, etc. O sigilo de dados compreende o sigilo bancário e fiscal. É certo que as informações fiscais e bancárias, sejam as constantes nas próprias instituições financeiras, sejam as constantes na Receita Federal ou organismos congêneres do Poder Público, constituem parte da vida privada da pessoa física ou jurídica. Sigilo bancário, na lição de ARNOLDO WALD, “é o meio para resguardar a privacidade no campo econômico,poisvedaapublicidadesobremovimentação da conta corrente bancária e das aplicações financeiras”. E a Lei complementar nº 105 de 2001, em seu artigo 1º, caput, delimita o objeto da proteção do sigilo bancário: “Art. 1º As instituições financeiras conservarão sigilo em suas operações ativas e passivas e serviços prestados”. Entretanto, deve-se diferenciar os dados cadastrais relativos à conta corrente (dados cadastrais

bancários) do “serviço conta corrente”. Os dados cadastrais bancários são o controle interno dos bancosparaindividualizarosclientesquecontratam o “serviço conta corrente” e não recebem guarida do sigilo bancário. Já o “serviço conta corrente”, que é o que possibilita ao correntista receber depósitos em sua conta, transferir dinheiro, fazer aplicações, etc., é protegido pelo sigilo bancário por revelar o modo pelo qual o indivíduo atua no campo econômico através da movimentação de sua conta bancária (são sigilosas as informações sobre aplicações financeiras efetuadas, os valores que possui em conta, os destinos e origens de transferências bancárias, etc). Os dados que dizem respeito ao valor em dinheiro depositado em contas correntes bancárias, tipos e características de aplicações financeiras, ganhos e prejuízos auferidos ou incorridos em operações bursáteis etc., são, sem sombra de dúvida, elementos particulares e pessoais de qualquer indivíduo. As informações que tocam no aspecto financeiro do ser humano representam direito íntimo e personalíssimo, devendo ser mantidas em sigilo por aqueles que eventualmente as detenham, em razão de sua atividade profissional. Dispõe o texto constitucional ser inviolável o sigilo de dados. Entende-se, contudo, que como nenhum direito fundamental é absoluto, o direito ao sigilo de dados pode ser relativizado. O Constituinte possibilitou o rompimento deste direito, porém, o condicionou a prévia e fundamentada decisão judicial. Desta forma, não pode qualquer autoridade, entidade bancária ou profissional detentor de informações de terceiros, sem autorização

judicial, repassar tais informações, mesmo que legítima a pretensão do solicitante. A quebra do sigilo bancário ou fiscal somente deve se dar em situações específicas, com a finalidade de instruir procedimento investigatório civil, tributário ou policial já em andamento. É mecanismo de investigação patrimonial e financeira, necessário em casos de sonegação fiscal, enriquecimento ilícito e corrupção, bem como na apuração dos atos de improbidade administrativa. Desta forma, apesar de haver a garantia do sigilo de dados, ele pode e deve ser quebrado mediante decisão judicial quando houver inequívoco interesse em se descobrir a verdade sobre fato maculado de ilicitude civil, penal, tributária ou administrativa, porquanto o que a lei veda é o fornecimento indiscriminado e imotivado de informações sigilosas que dizem respeito a vida privada de alguém. Nenhum direito pode ser invocado com a finalidade de proteger práticas ilícitas. Não pode a garantia da privacidade, ser invocada como escudo para o cometimentos de ilícitos de qualquer natureza. Como as informações bancárias e fiscais de alguém somente a ele é pertinente, merecem ser protegidas pelo sigilo. Contudo, quando estas informações passam a interessar à sociedade e o seu conhecimento ser necessário para se lograr a proteção de interesses mais importantes do que a intimidade e a vida privada, como a pacificação social, por exemplo, elas podem e devem ser devassadas, com observância da disposição legal. Contudo, como ressaltado o Constituinte condiciona a quebra desse sigilo à decisão judicial,

devidamente fundamentada. Sendo assim, se as informações financeiras de um cliente forem expostas à sociedade, pelo banco, por solicitação de terceiros, de forma descabida e não autorizada judicialmente, tem-se a quebra do sigilo, com a ofensa ao direito à intimidade e privacidade. A quebra do sigilo confiado à instituição bancária, sem amparo legal, fere a dignidade da pessoa humana, gerando ao ofendido a real possibilidade de ressarcimento pelo dano sofrido. Não estando amparada em ordem judicial é ilegal a quebra do sigilo bancário. Estará configurado no caso o dano moral sofrido pelo titular das informações. Sendo certo que, é posição assente nos Tribunais pátrios que o dano moral, para efeito de estar configurado e ser passível de indenização, independe de demonstração ou de prova do prejuízo. Há evidente dano moral, pois violado o direito ao sigilo, bem como os direitos à intimidade e à vida privada. O valor a ser arbitrado a título de indenização por dano moral deve ser estipulado de modo a coibir novas condutas ilícitas, possuindo finalidade pedagógica além de ressarcitória. Ao mesmo tempo, não deve ser gerador de enriquecimento ilícito ao lesado, devendo o seu valor atender aos princípios da razoabilidade e proporcionabilidade. Advogados Gabriela de Moraes Montagnana OAB/ SP 240.034 Gustavo Antônio de Moraes Montagnana OAB/ SP 214.810


www.issuu.com/jornaldomeio

Jornal do Meio 553 sexta 17 • Setembro • 2010

13


14

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

www.issuu.com/jornaldomeio


www.issuu.com/jornaldomeio

Jornal do Meio 553 sexta 17 • Setembro • 2010

Parceria entre Senai e SINDEREPA oferece curso gratuito de Auxiliar de Funileiros de Automóveis colaboração SHEL ALMEIDA

Bragança recebe novo curso de e reciclagem de quem já trabalha no treinamento focado no setor de

ramo e também em jovens, a partir de

reparação automotiva, totalmente

14 anos completos, que pretendem

FOTO: DIVULGAÇÃO

gratuito. Dessa vez será o de Auxiliar entrar no mercado de trabalho. Os de Funileiros de Automóveis. O início primeiros a se inscrever ficarão com a das aulas será dia 20 de setembro, na vaga. A inscrição pode ser feita tanto Escola Móvel de Funilaria do Senai, na Oficina do Paulinho quanto no Seque ficará instalada na Escola Senai, nai. Para se inscrever é preciso levar no bairro do Matadouro. O idealizador RG e CPF, comprovante de endereço e do projeto é Paulo Sérgio de Almeida, histórico escolar (se tiver). Os menores proprietário da oficina Paulinho Auto

precisarão de autorização dos pais. Para

Socorro e Funilaria e diretor de proje- conseguir trazer o curso para o munitos do SINDEREPA – SP (Sindicatos cípio Paulinho iniciou a conversa com da Indústria de Reparação de Veículos

o Senai em março, a resposta positiva

do Estado de São Paulo). Este será o de que Bragança entraria no calendário sexto curso que Paulinho consegue

de espera para receber a Escola Móvel

trazer à Bragança. O curso é oferecido

de Funilaria veio em maio e dentro de

pelo Senai por meio de ofício feito por

alguns dias a carreta do Senai estará

Paulinho através do SINDEREPA. Serão na cidade. A expectativa de Paulinho 20 vagas, divididas em duas turmas. é que haja grande procura pelo curso, Para a primeira turma o horário será para que assim possa pleitear novas das 13h às 17h e a para a segunda das

turmas. Segundo ele é importante que

18h às 22h. No total serão 72 horas

as oficinas solicitem treinamento e

aulas. O curso é focado na capacitação

qualificação técnica para o setor, através

Paulinho traz à Bragança Escola Móvel de Funilaria do Senai com o curso gratuito de auxiliar de funileiros de automóveis

Para fazer a inscrição: Paulinho Auto Socorro e Funilaria R. Jerônimo Martins Carreteiro, 08 Centro Telefone: 4033.4343

Senai Av. Dos Imigrantes, 4400 Matadouro Telefone: 4035.8140

15


16

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

www.issuu.com/jornaldomeio


www.issuu.com/jornaldomeio

Jornal do Meio 553 sexta 17 • Setembro • 2010

17


18

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

www.issuu.com/jornaldomeio

INFORME PUBLICITÁRIO

CRB IMAGEM amplia clínica para receber novo aparelho Com Ressonância Magnética de Campo Fechado novos exames serão realizados em Bragança

Aparelho de ressonância magnética de campo fechado proporcionará a comodidade de não precisar sair da cidade para realizar alguns procedimentos colaboração Shel Almeida

Atuando há onze anos em Bragança, a Clínica CRB IMAGEM mais uma vez moderniza e atualiza seus equipamentos. A aquisição do moderno aparelho de Ressonância Magnética de Campo Fechado (marca GE modelo Sigma Infinity HISpeed Exite 8 canais com 1,5 Tesla) virá para agregar à complexidade dos exames imaginológicos e trará aos bragantinos a comodidade de não precisar sair da cidade para realizar alguns procedimentos. Com a ampliação da estrutura física da CRB IMAGEM para receber o aparelho, em pouco tempo muitas dessas possibilidades serão realidade. O exame de Ressonância Magnética é um procedimento não invasivo que traz imagens dos órgãos em alta definição, utilizando para isso o campo magnético, o que ajuda a confortar os pacientes por não usar radiação e ter baixa incidência de efeitos colaterais. Dr. Luciano Muniz e Dr. Dario Vale Junior, médicos proprietários da clínica, explicam que o aparelho trará diversos benefícios aos pacientes. Do mesmo modo que os exames já realizados na CRB IMAGEM – como o de ressonância magnética campo aberto que continuará em funcionamento - os do novo aparelho também poder��o ser feitos através de convênios com planos de saúde. Uma das vantagens do aparelho é a redução no tempo de exame: o que antes levaria 50 minutos para ser concluído, agora poderá durar apenas 15 minutos. Além disso, exames antes não realizados na cidade estarão à disposição dos pacientes: abdômen total/pelve, cardiovascular, perfusão e espectroscopia e bobina específica para angioressonância crânio/cervical com uma única aquisição, em apenas dez minutos de exame.

Como é feito Qualquer que seja o exame, ele é realizado da seguinte forma: o paciente é colocado em uma maca que o levará até um tubo, o magneto. Um dispositivo denominado bobina é posicionado ao redor da parte do corpo que será examinada. Assim que a maca se movimenta para dentro

do tubo o aparelho de ressonância percorre os pontos do corpo do paciente construindo um mapa. As informações geradas nesse mapa serão transformadas em imagem. O avanço tecnológico que o aparelho possibilita é algo inovador dentro do campo médico bragantino. Segundo Dr. Luciano a qualidade dos exames “Sai da imagem macroscópica e entra na interação bioquímica”, ou seja, com o novo aparelho será possível à análise bioquímica do tecido de interesse. No entanto é preciso lembrar que muitas vezes o diagnóstico não depende apenas do aparelho, mas também da capacidade do médico de identificar e interpretar a imagem gerada por ele. Nesse aspecto o paciente pode contar com o experiente corpo médico da CRB IMAGEM que visa pela qualidade do atendimento e pela interação direta entre paciente e profissional.

Segundo Dr. Luciano Muniz o novo aparelho de ressonância vai possibilitar a realização de exames que antes não eram realizados em Bragança

Estação de trabalho Posteriormente aos exames, os médicos, Dr. Luciano e Dr. Dario, analisarão as imagens em uma Workstation (estação de trabalho) o que requer um conhecimento extremamente específico, devido à sensibilidade das imagens - a fim de chegar a um laudo. Dr. Luciano explica: “Para cada laudo existem muitas possibilidades de diagnóstico. Muitas vezes o diagnóstico final depende da interação entre médico radiologista e o médico especialista. Cada um dos pacientes atendidos pela CRB IMAGEM possui um cadastro e um arquivo de imagens de exames. Com esse arquivo é possível ver todo o histórico do paciente e comparar exames recentes com outros mais antigos.” A capacidade de exames realizados pela nova máquina é em média de trinta ao dia. Por isso ele começou a estabelecer, em nome da CRB IMAGEM, os primeiros contatos com a Prefeitura Municipal com a intenção de viabilizar uma futura parceria entre as partes, a fim de atender a população carente bragantina. Para isso já está em andamento também o certificado do SUS para a CRB IMAGEM. Com isso toda a população poderá fazer os exames que a ressonância magnética de campo fechado possibilita. De acordo com o cronograma da Clínica CRB IMAGEM, a previsão é de que o novo aparelho esteja em funcionamento dentro de três meses.

Dr. Dario Vale Junior diz que: “Com o novo aparelho de ressonância magnética de campo fechado o exame terá uma redução de tempo considerável”

Atendimento: A CRB IMAGEM realiza exames à particulares e convênios de saúde. Confira no Site se o seu convênio já é nosso parceiro. Envie sua sugestão para a CRB IMAGEM através do endereço eletrônico: contato@crbimagem.com.br. Aviso: Devido à ampliação da clínica o estacionamento interno ficará temporariamente fechado. R. José Domingues, 160 – Centro – Bragança Paulista Telefone 11 4481.7600 www.crbimagem.com.br


www.issuu.com/jornaldomeio

Jornal do Meio 553 sexta 17 • Setembro • 2010

19


20

sexta 17 • Setembro • 2010 Jornal do Meio 553

www.issuu.com/jornaldomeio

A Música dos Relógios de Pulso ou Os Tremores do Vestibular O que há de comum entre o terremoto, a viola caipira e o relógio de pulso? O que aparentemente não nos suscita ligação alguma, numa visão mais apurada (diga-se, visão de físico) pode levar a semelhanças incríveis. Se ficou curioso, acompanhe o restante do artigo. O movimento ondulatório está presente em diversos fenômenos naturais. É claro que quando pensamos em onda logo imaginamos uma praia, uma brisa em nosso rosto e um gostoso sol a nos bronzear. No entanto, a onda que se forma no mar é apenas um exemplo das muitas que podemos enumerar na natureza. Nesse ponto o leitor mais atento já decifrou a semelhança entre terremotose violas caipiras. Mas, e o relógio de pulso? O que, este instrumento inventado pelo ilustre Santos Dumont, teria em comum com os outros dois? Não nos apressemos. Vamos inicialmente entender o que é uma onda. Isto, com certeza, nos ajudará. Uma onda é uma perturbação que se propaga. Uma perturbação é uma alteração de algum estado de equilíbrio, mesmo que momentânea. Em outras palavras: “É quando você mexe com quem tá quieto!”. Propagar significa espalhar, passar a diante, difundir. Sendo assim, uma onda é uma alteração de equilíbrio que vai se espalhando. Vamos a alguns exemplos: um terremoto acontece quando duas placas tectônicas têm algum movimento relativo entre si. Isto gera vibração que é transmitida até a superfície onde os resultados podem ser catastróficos. Ou seja, a perturbação surgiu na forma de vibração das placas e estas (as vibrações) propagaram-se até a superfície terrestre. Agora imagine uma fileira de dominós emprilhados um atrás do outro, formando uma grande sequência.

Agora que você já sabe a semelhança entre o terremoto, a viola caipira e o relógio de pulso, vamos a uma questão de vestibular nesse tema: (Unicamp) A piezeletricidade também é importante nos relógios modernos que usam as vibrações de um cristal de quartzo como padrão de tempo e apresentam grande estabilidade com respeito a variações de temperatura. a) Pode-se utilizar uma analogia entre as vibrações de um cristal de massa m e aquelas de um corpo de mesma massa preso a uma mola. Por exemplo: a freqüência de vibração do cristal e a sua energia potencial elástica também são dadas por

respectivamente, onde k é a propriedade do cristal análoga à constante elástica da mola e Δx é o análogo da sua deformação. Um cristal de massa m = 5,0 g oscila com uma frequência de 30 kHz . Usando essa analogia, calcule a energia potencial elástica do cristal para Δx = 0,020 μm. Utilize π = 3. b) Em 1582, Galileu mostrou a utilidade do movimento pendular na conSe o primeiro dominó da fila for perturbado strução de relógios. O período de um pêndulo simples depende do seu (empurrado) cairá sobre o segundo (portanto comprimento L . Este varia com a temperatura, o que produz pequenas alestará recebendo indiretamente aquela per- terações no período. No verão, um pêndulo com L = 90 cm executa um certurbação) que cairá sobre o terceiro, que cairá to número de oscilações durante um tempo t = 1800 s . Calcule em quanto sobre o quarto e assim sucessivamente até que tempo esse pêndulo executará o mesmo número de oscilações no inverno, todos caiam. Novamente, temos uma pertur- se com a diminuição da temperatura seu comprimento variar 0,20 cm, em bação se propagando. módulo. Para uma pequena variação de comprimento ΔL , a variação corTalvez o exemplo mais interessante e agradável respondente no tempo das oscilações Δt é dada por de onda seja a música. Mas, neste caso, o que estaria sendo perturbado? E como se daria a propagação? Bom, o som é o que chamamos de onda mecânica e, por isso, necessita de algum meio material para se propagar. Ouvimos sons ao ar livre por que o ar serve de meio de propagação às ondas sonoras. Em baixo d’água ainda é possível ouvir, no entanto o meio material agora é a água. Nos filmes antigos de faroeste era co- Assim, Δt pode ser positivo ou negativo, dependendo do sinal de ΔL . mum vermos a cena do indio colocando o ouvido no chão para escutar o som Resolução Comentada: da cavalaria se aproximando. Neste caso, a própria terra está servindo como Essa é uma questão típica do vestibular Unicamp. Um tema estudado no meio de propagação do som. ensino médio e abordado dentro uma situação do cotidiano: abordar a onO ar ao nosso redor é constituido de gases. Para emitir som, precisamos dulatória dos relógios modernos. perturbar esses gases de alguma maneira. Essa perturbação acontece na for- No ítem (a) vemos que, apesar das equações serem familiares ao vestibuma de variação da pressão desses gases. Assim, ao redor de uma fonte sonora lando, a unicamp faz a ligação entre elas e o tema abordado, não esperando existem regiões de alta e baixa pressão do ar alternadamente. que o modelamente matemático seja um conhecimento comum entre os estudantes. No entanto é preciso saber trabalhar adequadamente as informações fornecidas. O enunciado pede que se calcule um valor de energia, mas fornece dados sobre a frequência e a massa do sistema oscilante. Temos ai um problema de dois passos: primeiro encontrar a constante elástica equivalente do cristal pela primeira expressão fornecida: k = 4π2 f 2m Temos assim, uma propagação de regiões de alta e baixa pressão, constitu- k = 4(3)2(30000)2(0,005) = 162000000 N/m ou k = 1,62.10 8 N/m indo a onda sonora. O que a viola caipira (ou qualquer outro instrumento de observe a atenção que devemos ter aos múltiplos e às unidades de medida, corda) faz é, provocar as variações de pressão do ar a partir da vibração da corda 30 kHz = 30000 Hz do instrumento. Perceba que isto não precisa ser feito necessariamente com 5,0 g = 0,005 kg uma corda, de forma que temos os mais diversos instrumentos musicais. Mais A seguir é preciso aproveitar o valor encontrado para calcular o que se peainda, quando você bate numa porta, a vibração da madeira provoca a pertur- diu, fazendo uso da segunda expressão: bação dos gases que se propaga até o ouvido de alguém que irá lhe atender. E p= (1/2)kΔx2 = (1/2)(1,62.108)(0,02.10-6)2 = 3,2.10-8 J Diferentes materiais vibram de maneiras diferentes. É por isso que quando No item (b) mais uma vez a unicamp fornece a expressão necessária à resbatemos na porta escutamos um som e quando batemos com uma colher olução. No entanto o estudante deve dominar minimamente o conceito de num copo, escutamos um som totalmente diferente. A vibração do material dilatação térmica. Ao passar para um clima mais frio, a queda de temperapode se alterar por diferentes fatores: alteração da estrutura, temperatura ou tura provoca uma contração no comprimento do pêndulo, o que é traduumidade por exemplo. Pesquisadores da Unicamp fazem uso das vibrações zido na espressão dada por uma valor negativo de ΔL. Sendo assim, do cristal de quartzo para desenvolver uma balança extremamente sensível. Δt/t = (1/2)ΔL/L → Δt/1800 = (1/2)(-0,2/90) → Δt = - 2,0 s Sobre um cristal de quartzo em vibração é depositado o material cuja massa como Δt = tf – ti→ -2,0s = tf – 1800s se quer medir. O depósito do material altera a forma como o crital vibra e essa logo, tf = 1798s alteração denuncia o valor da massa de material depositado. O dispositivo é tão onde tf e ti são os tempos final e inicial. sensível que o depósito de uma única camada de átmos pode ser percebida. O cristal de quartzo é utilizado em pesquisas por que sua forma de vibrar dificilmente se altera. Por esse mesmo motivo é utilizado em conjunto com O Professor Márcio Antunes é licenciado em físicircuitos eletrônicos para garantir que estes trabalhem de forma precisa, ca pela Unicamp. Trabalhou com deposição elecomo em relógios de pulso por exemplo. Na maioria dos relógios a palavra troquímica de polímeros em cristais de quartzo quartz que há no mostrador significa que é usado um cristal de quartzo para detecção de proteínas. para garantir que o tempo seja marcado sem atrasos ou adiantamentos do mecanismo eletrônico interno.


553