Issuu on Google+

Braganรงa Paulista

Sexta

21 Marรงo 2014

Nยบ 736 - ano XII jornal@jornaldomeio.com.br

jornal do meio

11 4032-3919


2

Para pensar

Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março• 2014

Expediente

Ah! Sou maconheiro... por Mons. Giovanni Baresse

Jornal do Meio Rua Santa Clara, 730 Centro - Bragança Pta. Tel/Fax: (11) 4032-3919 E-mail: jornal@jornaldomeio.com.br Diretor Responsável: Carlos Henrique Picarelli Jornalista Responsável: Carlos Henrique Picarelli (MTB: 61.321/SP)

Nos dias de carnaval fui

que têm postura liberalizadora. Em

iniciada em Guaratinguetá pelo

o Projeto Freemind. Também

“premiado”, na porta de

resumo penso que o usuário não

Frei Hans e que hoje tem similares

surgido dentro da Igreja, sem

casa, com um grupo de

deveria ser tido como criminoso e

espalhadas pelo mundo. O trabalho

contudo limitar-se à ela. Faço

mais ou menos 40 pessoas, na faixa

sim como doente (isto é, alguém

do Padre Haroldo Rham, com a

convite aos leitores. E tomara

dos 25 anos para cima que, com

que busca a liberdade tornando-se

Fazenda “Bom Jesus”, em Cam-

que a turma do carnaval chegue

bateria bem organizada, entoava

escravo). Quem trafica deveria ter

pinas e o Grupo “Amor Exigente”

a saber: nos dias 4 a 6 de abril,

melodia que se ouve nos campos

o rigor da lei. Não posso, todavia,

que trabalha com as famílias dos

no hotel Bourbon, em Atibaia

de futebol. Mudava a letra. A saber:

deixar de lado a dura realidade

adictos. O belo trabalho da “AA”

será realizado o II Congresso

“Ah! Sou maconheiro, com muito

das famílias que têm seus mem-

(Alcoólicos Anônimos), etc. Ouço

Internacional Freemind 2014.

orgulho, com muito amor...”! Saí

bros escravizados pelo drama

continuadamente pareceres de

Abordará as melhores práticas

na sacada da casa onde resido e

da dependência das drogas. Ao

médicos e pessoas ligadas à área

de prevenção contra as drogas

e outras entidades façam nada

vi uma faixa que tomava a largura

longo dos meus quarenta anos de

da saúde que a maconha é a porta

feitas no Brasil e os resultados

substitui a presença dos pais. O

da rua e tinha a reivindicação da

ministério não foram poucas as

de entrada para as outras drogas.

do Projeto Piloto de Prevenção

campo minado da convivência

liberalização da erva. Havia, tam-

lágrimas que vi rolar do rosto de

Não consigo ainda acreditar que

Freemind na cidade de Atibaia. As

precisa encontrar anteparo nos

bém, um estandarte. Máscaras que

pais, mães, esposas, esposos, filhos.

o seu uso controlado possa fazer

informações poderão ser obtidas

ensinamentos que se recebem

imitavam a folha da maconha. E

Também de usuários. Conheço

bem e, principalmente, dar um

pelo site: www.freemind2014.com.

em casa. Também na amorosa

o pessoal cantou e batucou horas

inúmeros trabalhos de pessoas

golpe mortal no tráfico. Não me

br Abordarão os temas psicólogos,

vigilância que pais e mães devem

a fio. Creio e defendo a liberdade

que dedicam sua vida para ajudar

parece que países que tomaram

pediatras, juristas, educadores,

exercer sobre a vida dos seus

de expressão. Não acredito que

a encontrar saída dessa realidade

medida controladora tenham tido

agentes públicos. Conversando

filhos. Hoje há necessidade ur-

repressão à expressão do próprio

destruidora. Conheço entidades

sucesso. Falta ver o que acon-

com agentes do Projeto Freemind

gente que os pais se capacitem

pensamento ajude a chegar a pontos

sérias que se formaram para

tecerá no Uruguai. Penso que o

ouvi a queixa que a participação

para esse desafio que caminha

comuns de convivência. Sei que

encontrar caminhos que levem

caminho passa necessariamente

dos pais das crianças que estão

no meio das sombras. Para não

existe uma discussão já antiga se

os “drogados” a recuperar a sua

pela educação preventiva. Há

recebendo atenção educativa nas

ter a tristeza de acordar muito

drogas devem ser liberalizadas

liberdade e a reconstruir sua vida.

pouco surgiu um outro trabalho

escolas tem tido mínima parti-

tarde. Às vezes quando não

(especialmente a maconha) ou não.

Os leitores certamente já ouviram

que tenta oferecer a tudo o que

cipação. Creio que é um ponto

haverá mais nada a fazer. A

Há até personagens importantes

falar da “Fazenda Esperança”, obra

já existe uma caminhada comum:

muito sério. Por mais que escolas

não ser, chorar.

As opiniões emitidas em colunas e artigos são de responsabilidade dos autores e não, necessariamente, da direção deste orgão. As colunas: Casa & Reforma, Teen, Informática, Antenado e Comportamento são em parceria com a FOLHA PRESS Esta publicação é encartada no Bragança Jornal Diário às Sextas-Feiras e não pode ser vendida separadamente. Impresso nas gráficas do Bragança Jornal Diário.


Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março • 2014

3


4

Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março• 2014

por Shel Almeida

Se nos últimos anos as enchentes vai ser menor, porque estamos em uma pegaram a cidade de Bragança situação privilegiada dentro do Sistema, Paulista desprevenida, em 2014 pois somos os primeiros a fazer a captafoi a seca que atingiu toda a re- ção da água. Mas mesmo assim, haverá gião inesperadamente. Nunca houve uma algum impacto”, fala. estiagem tão severa quanto a atual, de Em 2014 vence a autorização para que acordo com o GTAG - Grupo Técnico de a Sabesp utilize as águas do Cantareira Assoreamento para Gestão, do Sistema para abastecimento público, licença que Cantareira, que abastece a região de Cam- foi emitida há 10 anos. “No momento as pinas, além de boa parte da Grande São negociações estão paradas. Serão retoPaulo. O grupo foi instituído pela Agência madas em breve, mas a dúvida é: em que Nacional de Águas (ANA) e o Departamento termos a ourtoga será renovada? O PCJ de Águas e Energia Elétrica do Estado de estava se mobilizando para fazer uma São Paulo (DAEE) para realizar acompa- proposta de aumento de vazão, que aqui nhamento diário dos dados referentes aos para a nossa região é de apenas 3 m³/s. reservatórios e estruturas componentes Mas a seca mudou todos os parâmetros. O sistema está satudo Sistema Cantarado, o crescimento reira. Os dados mais populacional de São recentes mostram Paulo aumentou que o sistema está sem planejamento em seu nível mais de ocupação, foi de baixo já registrado, forma desordenada. com apenas 15% de É como em uma sua capacidade, bem casa, aumenta o diferente dos quase número de pessoas 59% registrados no que vivem nela, mas mesmo período do se não aumentar a ano passado. De caixa d’água, não acordo do o geógrafo Luis Natividade adianta. O Sistema Luís Natividade, as Cantareira é a nossa previsões com as quais o grupo trabalha são referentes ao caixa d’água. A Região Metropolitana verão dos anos de 1953/1954, período que precisa encontrar outras fontes de abashavia registrado a seca mais severa, até o tecimento, talvez retomar o projeto do momento. Para ele, o período úmido atual, Vale do Ribeira. Dois novos reservatórios entre outubro de 2013 a março de 2014, então em fase de estudo, em Pedreira está estabelecendo um novo parâmetro e em Amparo, mas até ficarem prontos em relação à estiagem. “Está sendo re- vai levar pelo menos 10 anos. Só daqui almente um divisor de águas. Daqui pra a 50 anos que tudo vai se estabilizar, frente será preciso haver mudanças em quando estabilizar o crescimento da relação as políticas de recursos hídricos, população”, analisa. o que vai obrigar diversas instituições e órgãos gestores a modificarem a maneira como lidam com a água. É irreversível e Ao que tudo indica, estamos chegando diversos sistemas terão de ser repensa- cada vez mais perto de realidade de que dos. Foi uma seca inesperada e que veio um dia a água realmente venha a faltar. com muita intensidade”, fala. Para tentar Mas o que podemos aprender com tudo reverter o mínimo possível dos problemas isso? Será que no próximo verão, caso o de abastecimento, a Sabesp está inves- período úmido volte a funcionar de forma tindo milhões em equipamento capazes regular, com chuvas suficientes para encher de retirar o “volume morto” das represas os reservatórios, nos lembraremos do que Jaguari e Jacareí, que armazenam 82% do tem acontecido hoje e do que ainda está manancial, mas que estão somente com por vir? Ou continuaremos a desperdiçar 9,4% da capacidade. água, sem levar em conta as consequências? A prevenção não é o nosso forte, vide os anos seguidos de enchentes na cidade. E A única solução definitiva para resolver o mesmo assim, bueiros e margens de rios problema dos reservatórios do Sistemas continuam sujos. A última limpeza foi Cantareira seria chover o suficiente para em outubro. É pouco provável que este aumentar os níveis de capacidade, mas ano chova o suficiente para causar novos as chances disso acontecer são nulas, já alagamentos, mas existem outros riscos, que o período úmido está no fim. Mesmo como a dengue. O ideal seria se todo ano que chova esporadicamente, não será todos agíssemos com responsabilidade, suficiente para afastar a possibilidade de racionamento no período seco, que vai de abril a setembro. De acordo com Luís, que é membro dos comitês do PCJ (Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí e Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Piracicaba e Jaguari) e da Comissão de Meio Ambiente da OAB de Bragança Paulista, ainda que se utilize todo o volume morto do Sistema Cantareira, será preciso haver racionamento. “Mesmo sabendo que o volume útil está em risco, a Região Metropolitana de São Paulo permaneceu retirando a mesma quantidade de água em janeiro e fevereiro, 31 m³/s. O Ministério Público tem acompanhado de perto a renovação da ourtoga do Sistema Cantareira pela Sabesp e vem exigindo redução da demanda. Agora só podem utilizar 27 m³/s. Mas mesmo assim, não tem como não haver racionamento. O impacto vai ser grande, não é só questão do uso doméstico da água, mas também do uso agrícola e industrial. O que posso prever é a paralisação das linhas de produção das indústrias, com possíveis dispensa de funcionários. O consumidor será obrigado a utilizar água apenas uma hora por dia. Quando se fala em racionamento, a população pouco contribui, poucos aderem às campanhas de redução. Mas o racionamento vai atingir todo mundo. O impacto em Bragança

cada um fazendo sua parte. Não dá pra deixar de economizar água só porque o reservatório está elevando o nível. Ou pra deixar de jogar lixo na rua porque não há mais risco de enchente. O que estamos vivendo é uma época imprevisível, e a única coisa capaz de superar qualquer uma das possibilidades, a de seca ou de alagamento, é a cidadania, de todos e por todos. Cada um precisa fazer a sua parte. Como Luís destaca, o ocupação desordenada da cidade de São Paulo é uma das maiores causas de estarmos hoje passando por uma crise no sistema de abastecimento de água. A crise já havia sido prevista há anos, era de se esperar que uma hora o sistema iria saturar, mas

nada foi feito a respeito. todos ficaram contando com a chuva, que não veio, ao invés de criar novas alternativas. O Brasil é um país que possui muitos recursos naturais, mas que faz muito mau uso deles. Não investe em energia solar ou energia eólica, por exemplo, e acaba desperdiçando os recursos hídricos de forma irresponsável, uma hora isso também falta, como vem acontecendo. Está na hora de se pensar a longo prazo. O crise de abastecimento de água terá seu ápice no período em que o mundo olhará para o país, durante a copa do mundo. E não há mais tempo de se fazer algo a respeito. Será que dessa vez iremos aprender?

Daqui pra frente será preciso haver mudanças em relação as políticas de recursos hídricos, o que vai obrigar diversas instituições e órgãos gestores a modificarem a maneira como lidam com a água

Prevenção

Racionamento

Luis Natividade é geógrafo, membro do PCJ e da Comissão de Meio Ambiente da OAB de Bragança Paulista. Para ele, não há como não haver racionamento de água.


Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março • 2014

5


6

Reflexão e Práxis

Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março• 2014

Relações internacionais por pedro marcelo galasso

A crise no Leste Europeu traz a

Estas relações internacionais são típicas

A ajuda de um bilhão de dólares que a

E é esta incerteza quando ao desfecho da

lembrança de um período histórico

entre os Estados e os organismos inter-

Ucrânia recebeu dos EUA mostram o quão

questão que torna a situação delicada,

recente no qual duas superpotên-

nacionais, tais como a ONU, os blocos

longe esta potência pretendia chegar para

aumentando a nossa incerteza frente as

cias disputavam a hegemonia mundial e

econômicos ou as alianças militares e

manter a sua posição no Leste Europeu

possibilidades de futuro e traz a ideia

lançavam o terror de um novo conflito em

daí a sua importância na mediação dos

para deter a escalada de influência russa o

de soberania para discussão.

escala mundial, além da ameaça nuclear,

conflitos, dos acordos diplomáticos e eco-

que pode, em um futuro breve, diminuir a

Caso pensemos a soberania como o poder

específica das tensões daquele período.

nômicos que foram discutidos ao longo

influência estadunidense em todo o mundo

de mando sobre uma sociedade política que

No entanto, é difícil imaginar um novo conflito

de toda a semana quando pensamos nas

e esta é uma das preocupações centrais do

permita diferenciar um Estado de outro

mundial, pois a nossa realidade é cindida

discussões sobre o conflito entre Rússia

país que é tido como a grande liderança

sem a existência de um poder supremo e

como um espelho quebrado e mantido em

e Ucrânia em sua disputa pela Crimeia.

mundial nas mais diversas esferas.

exclusivo que pretenda racionalizar a justiça

uma moldura. Nele, é possível ver algum

No quadro das relações internacionais

Assistimos, portanto, uma disputa entre

e legitimar a ordem política, tornando o

reflexo, mas repleto de falhas e estas

o plebiscito do último domingo foi uma

duas nações que mantém uma relação

poder de fato em poder de direito.

corresponderiam as frações e partes da

vitória russa na sua queda de braço com

histórica de rivalidades que marcaram a

Isto posto fica a pergunta – a quem cabe a

realidade mundial e que, acreditemos,

os EUA e reforçam a postura autoritária e

política da segunda metade do século XX

soberania sobre a Crimeia? A Ucrânia pode-

impedem que um conflito local tome

propagandística do atual governo russo,

e eu parecia enterrada com o fim da Guerra

ria cumprir as determinações de soberania

dimensões maiores, ou seja, segundo

além de significar uma derrota enorme

Fria, mas como nossa realidade é complexa

esboçadas acima? Ou a Rússia?

esta lógica, os conflitos ocorrem nos

para o governo dos EUA que defendia a

e este pode ser o estopim para uma série de

fragmentos e permanecem ali. Inúmeras

manutenção da região da Crimeia sob a

conflitos menores e perigosos não sabemos

Pedro Marcelo Galasso - Cientista político,

ideias podem ser tiradas desta suposição

tutela ucraniana em uma disputa que, ao

ao certo o que esperar ou o que prever da

professor e escritor.

e não temos com explora-las aqui.

que tudo indica, está longe de acabar.

questão que envolve a Crimeia.

E-mail: p.m.galasso@gmail.com

Projetar uma cozinha

requer planejamento e bom senso por Giuliano Leite

Montar um projeto de uma cozinha com ilha é sempre um desafio a profissionais de interiores. A ilha é bastante prática e conveniente, mas desde que se forme a triangulação correta. Ela tem a função de bancada que fica, geralmente, no centro da cozinha o que possibilita dividir bem as tarefas em diferentes pontos de um dos cômodos mais usados em nossa casa. Pode-se usar para um bom bate papo com os familiares e amigos, bem como para se preparar e se deliciar com uma bela refeição.Cada cozinha terá a sua particularidade e sempre será diferente da outra, especialmente em função de como os donos da casa vivem dentro dela. Não se consegue montar uma regra para tal. De qualquer maneira, existem algumas dicas para você planejar a sua e tirar o melhor proveito possível do seu espaço. Pense na função que ela terá em seu dia-a-dia. A maioria das pessoas usa dois lados da ilha: numa parte cozinham, na outra comem e acontece que ela pode ter muitas outras utilidades: corte e preparação de alimentos, limpeza, decoração e até mesmo como uma pequena escrivaninha. A escolha dos equipamentos que vão para a ilha são de suma importância, pois colocar itens que não serão úteis, só lhe trará dor de cabeça no futuro e os investimentos não são baixos. Resolvendo colocar uma coifa de ilha, o planejamento tem de ser grande, pois, normalmente elas têm a necessidade de tubulação, eletricidade, na sequência a marcenaria, a escolha do cocktop e em alguns casos o forno logo abaixo. Uma pia

principal, por exemplo, vai fazer com que você considere se a lava-louças deve ir do lado direito ou esquerdo da pia. Se for só uma área de preparo, será preciso uma lixeira. É preciso estabelecer as suas prioridades. Pense em tudo que você quer colocar na ilha em ordem de prioridade. Provavelmente, você vai ter que escolher as características principais. A escolha da marcenaria também merece muita calma. Pense no projeto da cozinha como um todo. Se você tem muito espaço para os armários, criar um espaço para guardar coisas embaixo da ilha não precisa ser uma prioridade. Por outro lado, se for uma área de preparação, a pia será uma prioridade, mas é importante ter onde guardar facas, utensílios e tábuas. Decida que altura você terá na bancada. Os bancos serão sua orientação. Em geral, serão necessários aqueles bancos altos de bar, mas existem duas alturas principais, entras as mais vendidas. Uma com cerca de 90 cm e a outra com pouco mais de 1 metro. Cada uma dá resultados diferentes no uso da ilha. Pense também na área livre da que contorna a ilha. Ela também exige atenção. Como experiência, corredores com, no mínimo 80 cm da largura são essenciais para um “trânsito” tranquilo pela cozinha. Na maioria das vezes, parece que instalar uma ilha é uma simples questão de bom senso. Sim, é preciso planejar e decidir coisas, mas se você entender de proporções, vai se virar bem. Por outro lado, se você não tem experiência necessária, procure um designer ou um arquiteto para lhe orientar sobre todos os passos a serem dados. Isso lhe trará economia de tempo e dinheiro. Mãos à obra! Tudo de Bom!


SPASSU da Elegância

Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março • 2014

7

A História da Gravata ( Parte II)

Por Ana Carolina Serafim e Nazaré Brajão

Como nós já havíamos falado na

vata deve ser usada sempre com camisa a

semana passada, a gravata tem sua

rigor! Ela também pode ser utilizada no traje

história de como foi parar no vestu-

Smoking Italiano.

ário de muitas pessoas no mundo todo. Ela traz sofisticação e personalidade aos trajes

*GRAVATA BORBOLETA - Essa gravata é

masculinos. Aqui na Spassu Plaza temos

usada com camisa a rigor no Smoking tra-

vários tipos de gravatas e elas são usadas

dicional. Ela acompanha o lenço e a faixa na

com trajes diferentes! Aqui vão elas:

cintura. O smoking tradicional é indicado para formaturas, bailes de Gala e eventos que

*GRAVATA SOCIAL - É indicada para ser

Gravata social

Gravata italiana

Gravata plastron

Gravata borboleta

exijam o Black Tie.

usada com camisa social e terno. É a gravata mais comum e com mais variedade de estam-

Mande suas sugestões para nosso e-mail,

pas e tecidos!

spassuplazanoivas@yahoo.com.br Podemos auxiliá-los em suas dúvidas! Acesse nosso

*GRAVATA PLASTRON - Possui acabamento

Facebook: Spassu Plaza. Ou se preferir, ve-

com pérola e é ideal para ser usada com o meio

nha conhecer nossa loja, estaremos prontas

fraque e fraque inteiro mas também pode ser

para atendê-los.

usada com smoking Italiano. Essa gravata deve sempre ser usada com camisa a rigor!

*GRAVATA ITALIANA - Feita com cetim Bucol, possui acabamento com strass. Essa gravata é ideal para ser usada com Casacas; um traje indicado apenas para noivos. A gra-

Casos e Causos

Juro que é verdade por Marcus Valle

JURO QUE É VERDADE CVI Meses atrás eu passei por uma situação assustadora. Dormia em minha casa (estava só), quando, as 3 da manhã, ouvi movimentação na parte de cima. Em seguida, o(s) invasor(es) derrubou(aram) uma panela na cozinha....e aquilo me deixou petrificado. Me armei, e sem acender a luz fui me esgueirando pelas paredes até chegar à cozinha. Com o coração aos pulos acendi a luz e......nada...só a panela no chão. Nisso, ouvi barulho na sala da frente, como se alguém esbarrasse na mesinha, e fui pra lá. Acendi a luz....e dei de cara com o intruso. Olhamos um para o outro, olho no olho, e eu consegui falar: FILHO DA PUTA...QUER ME MATAR? A seguir... abri a porta para que o gato branco e preto saísse da casa. Não dormi mais por causa da adrenalina. Aprendi a fechar todos os vitrôs da casa antes de dormir. JURO QUE É VERDADE CVII Os proprietários da livraria da USF (Celso e Aline), adoram animais. Tratam de cães, gatos e na época cuidavam de uma cadela denominada ‘Nina”, que vivia solta e era muito popular entre os alunos. Colocaram até uma coleira nela com o telefone deles. Numa conversa, eu disse ao Celso que ele era judicialmente responsável por tudo que a cachorra fizesse, e ele ficou meio preocupado. No dia seguinte, liguei pra ele, mudei a voz, o nome e disse que a cachorra havia invadido minha casa, mordido um monte de gente, me causado graves lesões e eu iria processá-lo. Ele estava nervosíssimo e perguntou que lesão eu havia tido. Expliquei: EU ESTAVA FAZENDO XIXI NO MEU JARDIM, ELA VEIO E ARRANCOU MEU BILAU... Só dai ele percebeu que era eu e disse irritado: É... MAS ENTÃO NÃO TEM PROBLEMA... VOCÊ NÃO USA MESMO!!!! JURO QUE É VERDADE CVIII Antes, a Faculdade de Direito da USF tinha aula aos sábados de manhã. O índice de ausências dos estudantes era muito alto, porque eles saiam na balada sexta-feira à noite. O professor Rama, sempre rigoroso, não permitia atrasos, o que agravava a situação. Marcelo Pupo, que era aluno, morava numa república e não conseguiu se levantar para ir a aula (a noitada foi longa), pedindo para seu amigo Daniel tentar justificar

sua falta, por motivo de doença. Daniel chegou atrasado e depois da aula foi falar com o professor Rama. Primeiro disse que o “Pupo” estava doente e surpreendentemente o professor aceitou a justificativa, não constando falta. Dai, o Rama ia saindo e o Daniel perguntou: E A MINHA PRESENÇA PROFESSOR? O Rama disse: VOCÊ É MÉDICO POR ACASO? ESTAVA CUIDANDO DO COLEGA? E marcou falta pro Daniel. JURO QUE É VERDADE CIX Um estudante da faculdade me contou que um amigo dele, que também era meu aluno, estava em pânico, por suspeitar que a namorada estava grávida. Me sugeriu um trote, dizendo que a moça tinha um tio muito bravo, que o rapaz não conhecia (mas temia). . Liguei pro rapaz e me identifiquei como o, tio da moça, dizendo logo de cara que queria tratar da gravidez da MINHA SOBRINHA. O rapaz ficou perplexo.....começou gaguejar...mas depois mudou de tática dizendo: MAS ESSE É UM PROBLEMA MEU E DELA E NÃO DO SENHOR. Eu fiz voz bravíssima, e disse que ele não tinha achado minha sobrinha no lixo, no que ele prontamente se desculpou. Ao final eu disse que ele tinha uma hora pra ir falar comigo no Hotel Bragança senão eu ia buscá-lo.. Ele humildemente disse: SIM SENHOR, EU VOU. Desliguei o telefone e imediatamente liguei pra ele na minha verdadeira identidade, perguntando se ele aceitava um professor como advogado. Ele não sabia se xingava ou ria, e me disse que naqueles minutos fez até promessa. JURO QUE É VERDADE CX O advogado Guilherme Gesuatto trabalhava num processo em Guarulhos, e precisava de uma informação simples sobre o mesmo. Ligou pro fórum de lá, mas lhe disseram que não dariam a informação por telefone. Na mesma tarde, POR SORTE, encontrou um ex-colega de faculdade que era de lá, e não via há muitos anos, e o cara se dispôs a ver o processo pra ele. No dia seguinte, Guilherme ligou no celular do colega de Guarulhos para colher os dados do processo, mas quem atendeu foi um policial que lhe informou que o advogado tinha sido assassinado meia hora antes. Surpreso, chocado e perplexo, ele me contou a história e fez a besteira de perguntar se poderia ter algum problema. Eu o tranquilizei e disse que não, afinal quem mata, não telefona para morto. Mas no dia seguinte pedi para um delegado, nosso amigo, dizer que havia uma investigação contra ele. Como ele ficou muito nervoso.... desmenti uns 10 minutos depois.


8

Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março• 2014

veículos

Caderno

veículos


veículos eículos

Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março • 2014

9

Nas estradas italianas, Ducati Streetfighter 848 mostra que faz jus à fama por Raphael Panaro/Auto Press

As motocicletas “streetfighter” surgiram na Inglaterra entre as décadas de 1970 e 1980, presumivelmente criadas por jovens que não podiam pagar pelas motos esportivas japonesas. Elas se caracterizavam por serem modelos superesportivos “tunados” pelos próprios donos, que ainda se livravam das carenagens e deixavam o guidão em uma posição mais alta. O motor ganhava modificações para extraírem um “poder de fogo” maior em comparação às nakeds. Muitos anos depois, a Ducati aproveitou a “moda” e começou a produzir motos deste tipo. A primeira foi a Streetfighter, lançada em 2008. Mas a marca italiana errou na dose e instalou um potente motor de 1.098 cm³. A enxurrada de críticas levou a fabricante a apresentar a Streetfighter 848, três anos mais tarde. O objetivo era combinar um bom desempenho com um uso prático no dia a dia. O modelo faz parte do line-up da Ducati no Brasil, onde é comercializado por R$ 52.900. Para se tornar mais dócil, a Streetfighter 848 traz o conhecido motor Testastretta, mas com 849 cc. O propulsor com dois cilindros em “L”, refrigeração líquida e quatro válvulas por cilindros teve o ângulo de sobreposição reduzido de 37° para 11°, para garantir uma emissão de potência fluida, um intervalo de potência muito maior e consumo e emissões reduzidas. Além disso, o bicilíndrico passou por mudanças internas para priorizar a entrega de torque em todas as faixas de rotação. Ele disponibiliza 132 cv a 10 mil rpm e 9,5 kgfm a 9.500 giros. Na parte tecnológica, a Ducati equipou a Streetfighter 848 com os principais dispositivos que atuam nos modelos da marca. Um deles é o DTC – Controle de Tração Ducati. Ele pode ser ajustado em oito níveis diferentes de intervenção. Além dele, a moto conta com o sistema Quick Shift, que permite as mudanças de marcha sem o uso da embreagem ou sem diminuir a mão no acelerador, minimizando os tempos de troca e contribuindo significativamente para o desempenho. Por fim, o

Ducati Analyzer, sistema que consiste no download das informações, como tempo de condução e consumo, durante o seu uso. Já o painel de instrumentos é totalmente digital e tem desenho em alusão ao farol dianteiro. Ele fornece informações básicas de seleção de mapas do motor e a atuação do controle de tração. No design, a moto conta com um quadro ao estilo treliçado, desenhado com base na Ducati Superbike – assim como os pneus. A geometria de frente, foi redesenhada com o duplo objetivo de tornar a posição para pilotagem mais confortável e o comportamento do garfo mais perceptível. O guidão foi erguido em 20 mm, junto ao alargamento das plataformas em 10 mm, o posicionamento do banco a 840 mm em relação ao chão. O baixo peso, de 169 kg, tornam possível obter uma melhor condução.

Primeiras impressões

por Carlo Valente do InfoMotori.com/Itália exclusivo no Brasil para Auto Press Vicenza/Itália – Apesar de ser uma naked, a Streetfighter 848 tem uma posição de pilotagem bastante esportiva – com o tronco para frente e peso nos pulsos. O guidão não é grande, mas tem boa pegada e oferece movimentos mais imediatos. As vibrações do motor ecoam por todo o quadro e quanto mais tempo se passa em cima da motocicleta a “tremedeira” começa a incomodar. Porém, com o motor ligado a trepidação se torna o menor problema. O propulsor, apesar de bicilíndrico, gosta de aparecer. Ele não mostra a que veio antes das 4 mil rpm. Mas depois dos 5 mil giros ele arranca com decisão até os 7.500. A partir das 11 mil rotações entra em cena o controle de tração. Em uma primeira fase, menos invasiva, reduz a entrega de torque do motor. Se o software detecta que a intervenção ainda não é suficiente, a fase dois é iniciada. Após este procedimento, uma vez que se equilibra a diferença de velocidade entre as rodas, o sistema retorna para o mapeamento original da injeção e ignição, dando segurança e controle ao piloto de uma forma muito discreta.

A Sreetfighter 848 não é uma corredora pura, mas sim uma verdadeira “devoradora” de curvas. Ela une agilidade com uma estabilidade digna de nota. A motocicleta é cirúrgica nas trajetórias mais sinuosas, mas também aceita correções. Quem tiver um pouco de tempo para se familiarizar com o modelo, a Streetfighter saberá como recompensar.

Ficha técnica

Ducati Streetfighter 848 Motor: A gasolina, 848 cc, dois cilindros inclinados a 11º com quatro válvulas desmodrômicas por cilindro. Refrigeração líquida e injeção eletrônica Magnetti Marelli. Câmbio: Continuamente variável com transmissão por corrente de 6 velocidades. Potência máxima: 132 cv a 10 mil rpm. Torque máximo: 9,5 kgfm a 9.500 rpm. Diâmetro e curso: 94,0 mm x 61,2 mm x 2. Taxa de compressão: 13.2:1. Suspensão: Dianteira - Marzocchi invertida

de 43 mm totalmente regulável. Traseira - Monobraço de alumínio ajustável em três vias por sistema de bielas. Pneu: Dianteiro - Pirelli Diablo Corsa 120/70 R17. Traseiro - Pirelli Diablo Corsa 180/60 R17. Freios: Dianteiro - Duplo disco de 320 mm com pinças radiais de fixação com 4 pistões. Traseiro - Disco de 245 mm com 2 pinças. Dimensões: Tipo treliça em alumínio. Com 2,10 m de comprimento, 2,10 m de largura, 1,44 m de altura, 1,43 m de distancia entre-eixos e 0,84 m de altura do assento em relação ao solo. Peso: 199 kg em ordem de marcha. Tanque de combustível: 16,5 litros. Produção: Bolonha, Itália. Lançamento mundial: 2011. Lançamento no Brasil: 2013. Preço na Europa: 12.994 euros – equivalente a R$ 42.800 Preço no Brasil: R$ 52.900. Fotos: Divulgação


10

veículos

Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março• 2014

Notícias

automotivas por Augusto Paladino/autopress

Comunicar (a notícia) Indicação para cargos em empresas (bras.)

Educação continuada do graduado

Peça arremessada em pinos, em um tradicional jogo de festas juninas

tencem os livros de Lair Ribeiro

Proibida por lei (a droga)

Instância psíquica regida pelo prazer

Sozinho; excluído Errar, em inglês Pai, em inglês Estrela de Lira

Leal Impeça (alguém) de ter algo

Aprimorar; refinar (o diamante) Posição comum ao futsal e ao basquete Érbio (símbolo)

Grito do antigo pequeno jornaleiro

Rio estreito (Amaz.) (?) Costa, atriz

Repara; nota Linha (abrev.)

Fator ajustado pelo autotune (?) e fuga: especialidades de Bach (Mús.) País da África ocidental Município brasileiro de maior extensão, local da construção da usina de Belo Monte (PA) BANCO

Carlos Tufvesson, estilista brasileiro

Seis, em inglês Gargalha

Agir como a carpideira

Solução

Aluguel • Prédio Comercial Centro – A/C 1.200m ² – R$ 30.000,00 Excelente para agência bancária (35 vagas de estacionamento ) • Prédio comercial Centro - 1500m ² - R$ 19.900,00 Venda • Casa Euroville – Alto padrão – R$ 950.000,00 Aceita imóvel -valor • Casa Ros. de Fátima – Alto padrão – R$ 2.100.000,00 Aceita imóvel –valor • Casa Jd. América - Alto padrão – R$ 750.000,00 Aceita imóvel –valor • Casa Jd. Primavera ��� R$ 350.000.00 • Apartamento D. Pedro I (Taboão) – R$ 530.000,00 • Apartamento Jd. Nova Bragança – R$ 320.000,00 • Apartamento Piazza de Siena - R$ 850.000,00 (Andar alto em frente ao Clube de Campo) Oportunidade

* Terreno comercial Jd. do Lago – 1.200m ² Rua da Cantina Bella Itália – R$ 650.000,00

PREÇOS SUJEITOS A ALTERAÇÕES SEM PRÉVIO AVISO - Reservamo-nos o direito de corrigir eventuais erros gráficos e de digitação.

T

A R G O L A Ponto Comercial • Café Centro – R$ 280.000,00 • Loja de Roupa Centro – R$ 30.000,00 • Banca de Jornal (Jd Europa) – R$ 60.000,00

F

Hyundai Elantra 2014

P

Foto: Divulgação

84

C

Papa-moto – A Harley-Davidson Dyna Super Glide dada ao Papa Francisco foi leiloada por 241 mil euros, cerca de R$ 785 mil. Além da motocicleta, uma jaqueta também foi a leilão e acabou arrematada por 57 mil euros – R$ 185 mil. Para comemorar o seu 110º aniversário, a marca norte-americana de motos doou cinco modelos ao pontífice, sendo quatro Road King Police, que foram destinadas à guarda do Vaticano. A Dyna Syper Glide foi oferecida para o uso próprio do religioso, que resolveu leiloar a “bike”. Todo dinheiro arrecadado será doado para instituições de caridade.

Metida em processo (jur.)

E X T R A

Número “verde” – A Ford só tem motivos para comemorar com o Fusion. Em janeiro, o sedã premium bateu recorde de comercialização desde a chegada de sua atual geração, com 1.341 carros emplacados. Esses números representam uma participação de 82% na categoria de sedãs grandes de luxo do mercado brasileiro. Outro número que chama atenção é que, do total, 86 unidades vendidas no mês passado foram da versão Hybrid – modelo híbrido da linha. Um registro também inédito.

(?) japonês: é formado Local, na guerra, em que os por quatro soldados tombam São 26 Filão ilhas os do pé editorial a principais Interjeição mineira (Anat.) que per-

C A A J U D M I T I U P O L A D D A D E A L B E A A R A P T S I A L T D H O R A A M I R

Apertou demais – Os donos de Chevrolet Agile e Classic – da linha 2014 – terão de comparecer a uma concessionária da marca. O motivo do recall é o excesso de aperto no parafuso de fixação do cubo das rodas traseiras, o que pode gerar o superaquecimento dos rolamentos, ocasionando o

Óbvio desespero – Com os aumentos de impostos para carros de média e alta gama que elevaram alguns preços entre 50 % e 100 % na Argentina, concessionárias passaram a fazer surpreendentes promoções. Como, por exemplo, oferecer uma picape Volkswagen Amarok de brinde a compradores do Chrysler 300C, um Kia Picanto de graça na compra de um Sportage ou um Volkswagen Gol Trend para quem adquirir um Passat.

© Revistas COQUETEL

U T O A N S S I O I S E L R I V R C E I G N T A A A N D C A L T

Aumento progressivo – A Lifan reajustou pela segunda vez o preço do X60. Devido ao aumento do IPI e das variações cambiais, o utilitário, que estreou no Brasil a R$ 52.777, passou para R$ 54.670 e agora tem valor fixado em R$ 55.990. A elevação de 2% é na versão de entrada, Talent. Já a “top” VIP custa R$ 59.250. De série, o Lifan X60 vem equipado com sistema multimídia com GPS, bancos revestidos em couro, freios ABS com EBD, airbags dianteiros, sensor de estacionamento, faróis com luzes diurnas de leds, entre outros. A VIP adiciona o teto solar.

Ex-patinho feio – O diretor de design da Land Rover, Gerry McGovern, afirmou que a próxima geração do Defender – que chega em 2016 – será mais atraente. Segundo McGovern, o intuito é criar um design desejável, mas sem perder os atributos que fizeram dele um autêntico SUV. O designer-chefe já adianta que os clientes mais conservadores da fabricante não irão gostar das modificações. E cogita até colocar um estepe na traseira do veículo.

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br

A R Q U I P E L A G O

Novo olhar – Com um leve face-lift, o Hyundai Elantra 2014 chega ao Brasil com valor de R$ 83.400 ou R$ 86.900 – na versão com teto solar. O sedã traz o para-choque frontal redesenhado, assim como a disposição dos faróis, que ganharam leds. As luzes de neblina também receberam um novo formato e são envoltas por uma moldura cromada. Atrás, as lanternas agora contam uma iluminação parcial de leds e o para-choque tem contornos inferiores na cor preta para sobressaltar as ponteiras do escapamento. Já o interior vem com sistema multimídia com tela sensível ao toque, ar-condicionado digital com saídas para os bancos traseiros, retrovisores externos recolhidos eletricamente, cluster com tela de 3,5 polegadas e sistema auxiliar de estacionamento

travamento e até a queda das rodas em casos extremos. Para mais informações a respeito da campanha, a fabricante disponibiliza o número de atendimento 0800 702 420. A substituição da peça é gratuita.

2/qi. 3/dad — err — six. 4/vega. 5/prive. 7/cantata. 8/altamira.

Menos é mais – A Geely definiu o preço de seu primeiro modelo a ser vendido no Brasil, o EC7. Previsto para chegar em março ao país, o sedã da marca chinesa custará R$ 49.990. Para servir de parâmetro, seu principal concorrente será o J5 da rival compatriota JAC Motors – que custa R$ 51.490. O modelo será vendido em versão única, equipado com motor 1.8 litro de 130 cv e câmbio manual de cinco marchas. Entre os itens de série, destaque para o ar-condicionado digital, direção hidráulica, revestimento dos bancos em couro, freios a disco nas quatro rodas, airbag duplo e sensor de estacionamento.


veículos eículos

Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março • 2014

11

Estrela da companhia por AUGUSTO PALADINO/autopress

A Mercedes -

Foto: Divulgação

-Benz finalmente mostrou a versão final do Classe S Coupé. Além do belo design, a versão duas portas do sedã eleva às últimas consequências o luxo. Isso porque o carro usa 47 cristais Swarovski em cada conjunto óptico. Como o Classe S é a grande vitrine tecnológica e de estilo da marca alemã, ela buscou os detalhes para diferenciar o modelo dos demais da gama. Na configuração básica, o S Coupé terá motor V8 biturbo de 455 cv, câmbio automatizado de sete relações e tração integral. O conjunto é o mesmo usado pelo S500 L, vendido no Brasil desde o final de 2013.

Mercedes-Benz Classe S Coupé


12

Jornal do Meio 736 Sexta 21 • Março• 2014


736 Edição 21.03.2014