Page 1

AÇÃO CIVIL PÚBLICA CONTRA O PROVALIDA As Entidades Médicas de Pernambuco (SIMEPE, CREMEPE e AMPE) vêm a público comunicar o ingresso, na data de 27/04/2012, de Ação Civil Pública na Justiça Federal, contrária ao PROVALIDA, projeto estadual de revalidação de diploma estrangeiro. Considerando que: 01 - Já existe no País um processo de caráter unificado e nacional de revalidação de diplomas (REVALIDA) promovido pelo MEC e MS, com o apoio da AMB, CFM e FENAM que vem no sentido de acabar com as fraudes e clientelismo que acontecem no processo de revalidação descentralizado; 02 - O Governo do Estado de Pernambuco, de forma autoritária e antidemocrática, não submeteu o projeto (PROVALIDA) à discussão com a sociedade e entidades médicas, mesmo reconhecendo não ter um estudo concreto sobre a necessidade real de médicos e especialidades médicas para os postos de trabalho na rede dos municípios do estado; 03 - O PROVALIDA se apresenta como uma verdadeira troca de favores, uma vez que o Governo flexibiliza a forma de revalidação do diploma, em contrapartida à obrigatoriedade de trabalho por dois anos na rede municipal no interior do estado. Expondo a população a uma assistência médica de qualidade, no mínimo, duvidosa; 04 - Inexiste uma política de fixação dos profissionais nesta região, com plano de carreira de base estadual e instrumentos que incentivem a interiorização do trabalho, investimentos adequados em estrutura física, apoio diagnóstico e rede de referência, garantindo remuneração adequada aos médicos; 05 - O PROVALIDA perpetua a precarização dos vínculos dos médicos, em desfavor de um projeto estruturante e definidor da assistência médica no interior; 06 - O acesso a estes postos de trabalho, com exclusividade aos médicos revalidados, sem concurso público, nada mais é que uma forma de discriminação aos médicos formados pelas Universidades Brasileiras, além de ser uma afronta à legislação vigente e a Constituição Federal do Brasil. Salientamos ainda que a grave insuficiência de repasses do Governo Estadual e União dos recursos destinados à Atenção Primária em Saúde para os municípios, é fator decisivo que inviabiliza a construção de uma Rede de Saúde da Família adequada, capaz de responder às necessidades de saúde da população de cada região. Isso faz parte de um problema maior que é a deficiência nas políticas de atenção primária no Estado, bem como a ausência de políticas de Recursos Humanos, favorecendo uma crescente e onerosa rede complementar gerenciada pelas Organizações Sociais. Recife, 29 de abril de 2012

Av. João de Barros, 587 - Boa Vista - Recife PE. CEP 50100-020 Fone/Fax (081) 3322.7095

Nota sobre o Provalida  

Entidades Médicas nota de esclarecimento

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you