Page 1

MACAPÁ-AP, DOMINGO, SEGUNDA, 27 e 28 DE ABRIL DE 2014 - ANO XXVII

AÇÃO GLOBAL

CINEMA

Cinebiografia de Paulo Coelho ganha trailer

Modelo foi apresentado no Salão de Pequim

Expectativa era que 20 mil pessoas fossem atendidas no diversos serviços. C1

DROGAS também estão nas escolas

•DOMINGO E SEGUNDA R$ 2,50 •TERÇA A SÁBADO R$ 1,50

NOVO CRUZE

Atendimento gratuito gera longas filas

DIVULGAÇÃO

* FUNDADO EM 04 DE FEVEREIRO DE 1987

Nova geração recebeu gama inédita de motores Ecotec e visual próximo a um cupê. D1

Paulo é interpretado pelo ator Júlio Andrade. C3

Tráfico avança no uso de adolescentes como “aviões”

O uso de menores de idade como “aviões” do tráfico não é novidade para ninguém. Porém, o que chama a atenção no Amapá é o avanço

dessa prática pelos traficantes. Em entrevista dada ao JD, o delegado Plínio Roriz, da Deiai, o uso de entorpecentes entre menores de 13 a

17 anos de idade tem aumentado. Essa demanda crescente tem duas vertentes: o vício e o tráfico como fonte de renda. nB2 e B3

ERICH MACIAS

ENTORPECENTES

Obra no Pacoval gera transtornos no trânsito

Escola utiliza projetos para reduzir incidência

A ação foi realizada nas proximidades da ponte Sérgio Arruda, início da Rua Mato Grosso. Por conta da falta de alternativas para escoar o trânsito. nC3

Segundo a coordenação, o uso de substâncias lícitas ou ilícitas não pode ser tolerado de maneira branda dentro do recinto educacional. nB3

H1N1

PLANTÕES

Ministério Público processa médicos

Segundo apurou a Promotoria, o médico, admitido mediante concurso vinha cumprindo apenas 3 horas semanais. nC1

COM AS obras, a principal via de acesso da zona norte ao centro da cidade foi interditada

VEÍCULOS

Grupo Ápice inaugura Loja Conceito no Amapá Garden

O grupo Ápice traz mais uma novidade aos seus clientes. Inaugurou no último dia 24, mais uma loja. Desta vez, trata-se de uma Loja Conceito, onde cinco concessionárias

estão reunidas em um só lugar. Apesar da loja estar dentro de um shopping, o clima experimentado pelos clientes será como de uma oficina de alto nível. nD2 e D3

Campanha quer atingir 87 mil pessoas contra a gripe A vacina estará disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Público são crianças na faixa etária de até 5 anos de idade e idosos a partir dos 60 anos. nB1 ELEN COSTA

ERICH MACIAS

JORNAL DO DIA

SEM SAÍDA

SEM médicos, sem atendimentos VACINAÇÃO vai até o dia 9

NESTA EDIÇÃO CADERNO A............................4Pag. CADERNO B............................4Pag. CADERNO C............................4Pag. VEÍCULOS D............................4Pag. CADERNO E............................4Pag.

PRECISA DE UM TÁXI? MOMENTO foi celebrado com um coquetel para receber seus clientes e parceiros comerciais

COVEN - 3222-5200 COOPTÁXI - 3223-2777 MARCO ZERO - 3223-2639

NA INTERNET: www.jdia.com.br - REDAÇÃO: 3217.1117 - COMERCIAL: jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO: 3217.1111 - ATENDIMENTO: 3217.1110


A2

Opinião

Macapá-AP, domingo, segunda-feira, 27 e 28 de abril de 2014 Editor: José Maria Baia - josemaria@jdia.com.br

Poucas & Boas

• FESTIVAL AutoShow

promovido pelas concessionárias de automóveis do Grupo Ápice, negócio com automóveis e de moto, juntamente com a Mônaco Honda, encerram hoje, no estacionamento coberto do SEBRAE, no bairro do Laguinho, mais um evento promocional, Alem dos preços diferenciados, o cliente ao fechar com automóveis ganha de presente um TV LED e 32 polegadas para assistir aos jogos da Copa do Mundo. E nos Seminovos mais o IPVA 2014 totalmente quitado.

• OU ENTÃO se preferir,

o cliente do AutoShow pode optar por ter R$ 1 mil reais de bônus a ser revertido em acessórios ou mesmo ter o mesmo valor descontão do preço do veículo. Parcelas a partir de R$ 499 reais, entrada parcelada nos cartões em até seis vezes e taxa zero em alguns modelos. Segundo informa o gerente Geral

do Grupo, Gianfranco Mendonça e o de Seminovos Ney de Oliveira Pereira, os cadastros passados nos dias do evento serão honrados até a próxima quarta-feira(30).

• A PASSOS de cágado,

ou melhor, o da carapaça até que poderia ganhar a corrida. Um objeto postado nos Correios da Capital Federal no dia 17, devidamente rastreado por um código, continua “em trânsito” depois de uma semana. Se a situação é crítica na estatal, piora ainda com serviços prestados aqui no Meio do Mundo. As entregas de correspondências com das contas estão com praticamente com um mês de atraso. E as filas na CEA continuam quilométricas para a retirada da segunda via. Reclamar a quem? Ao bispo da Árica do Sul?

geral num bairro daquele município, o que mais apresentava mato alto e muito material descartável por debaixo das casas. Fazia um bom tempo que a cidade não recebia o tratamento merecido. Agora falta só a essencial campanha de educação junto à população.

• ANOTE esse dia, o próximo 06 de maio. É a data em que a Polícia Civil pro-

meteu cruzar os braços por melhorias salariais e condições de trabalho. E estará segundo o sindicato da categoria com um contingente em frente ao Palácio do Setentrião para a tradicional manifestação reivindicatória. É bom não mandar a PM para o local sob pena de atritos graves, por motivos óbvios, ambas, são forças armadas. Basta lembrar a última greve de policiais civis na Bahia, que teve até que as interferências da Guarda Nacional e do Exército brasileiro.

E

CONSELHO EDITORIAL Presidente:

Aldenor Benjamim dos Santos

CONSELHEIROS Haroldo Pinto Pereira Danieli Amanajás Scapin Carlos Augusto Tork de Oliveira José Arcângelo Pinto Pereira Janderson Carlos Nogueira Cantanhede Heloisa Figueiredo Pereira

tância, deixando pelo caminho o papel que a sociedade lhe entregou quando da eleição municipal. Os vereadores precisam reagir! Apresentarem-se para os munícipes, compreenderem que também são responsáveis por grande parte das dificuldades por

Opinião .....................A2, A3 Geral ..........................A4 Geral ..........................B1,B2,B3 Polícia ........................B4

porque é o vereador quem está com o megafone na mão, exatamente para falar mais alto e ser ouvido. O vereador precisa se impor! Não impondo a sua vontade particular, mas impondo a vontade da população que vive na cidade, que habita o município e que sabe onde o “calo aperta”. Chega de inércia ou esperar dois dias da semana para estar na tribuna da

Câmara de Vereadores para expor o que interpreta que a população sente. Chega de alinhar-se em alas para defender este ou aquele gestor. Quem precisa se alinhar com o que define a Câmara é a prefeitura, quem precisa seguir as ordens dos vereadores é o prefeito e seus auxiliares. O que se observa, entretanto, são os vereadores seguindo o que o prefeito diz, aliás, manda como se todos fossem cordeirinhos domados e caseiros. A população precisa da

Editado por Omega Publicidade Ltda. Rua Mato Grosso, 296 A - Bairro Pacoval CEP. 68.908-350 - Macapá-AP CNPJ 03.926.197/0001-82 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(*1917 +2006) e Irene Pereira(*1923 +2011) 1º Presidente: Júlio Maria Pinto Pereira 1987 a 1991 - (*1954 +1994) 2º Presidente: José Arcangelo Pinto Pereira 1991 a 2003

ação dos vereadores, pois, afinal de contas, os vereadores foram eleitos para representar a população na administração e não para ser observador privilegiado da procissão de problemas que se movimenta em frente à prefeitura. O problema de cada morador precisa ser o problema da Câmara e de todos os vereadores. A atual legislatura mostra-se absolutamente passiva, aceitante das dificuldades, perdendo a guerra sem lutar, preferindo manter o paletó limpo, mesmo que a alma esteja suja pela incapacidade de intervir para melhorar o que a população reclama. A Câmara Municipal de Macapá, como de resto a maioria das câmaras municipais, passou a ser um órgão onde se desenvolve a burocracia, se alimenta o rei, nem que para isso tenha que deixar os súditos aborrecidos, desassistidos e debilitados para enfrentarem, mesmo sozinhos, as lutas do dia-a-dia. É preciso reagir! E essa reação depende, em grande parte, da efetiva participação dos vereadores, escolhidos para serem os representantes do povo, nos bons e nos maus momentos.

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296 A Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68.908-350 E-mails Pautas e contatos com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br Departamento Comercial: jdcomercial@jdia.com.br comercialjd.2011@gmail.com mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representante comercial Grupo Pereira de Souza – GPS Matriz Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2544.3070; Brasília/DF - Tel.: (61) 3226.6601; São Paulo/SP - Tel.: (11) 3259.6111; Belém/PA - Tel.: (91) 3244.4722

3º Presidente: Maria Inerine Pinto Pereira 2003 a 2005 Vacância do Cargo 2005 a 2012 4º Presidente: Haroldo Pinto Pereira 2013 Presidente Executivo: Haroldo Pinto Pereira haroldopereira@jdia.com.br Vice-Presidente e Diretora Comercial Juliane Pereira juliane.pereira@jdia.com.br Gerente Comercial: Paolo Oliveira paolo.oliveira@jdia.com.br Consultoria Jurídica: Juliane Pereira (OAB/AP 1320) Jakeline Morato Pereira de Souza (OAB/AP 1381) Editor-Chefe: Janderson Cantanhede cantanhede@jdia.com.br

ÍNDICE

Contatos: Fale com a redação (96) 3217-1117 (96) 3217-1108 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

Acompanha o

caderno de ClasssiDia 8pág. Geral ...........................C1 Esporte ......................C2 Cultura .......................C3 Social ..........................C4

A

GOVERNO REEDITA A BOLSA COPA PARA SERVIDORES

pós editar decreto em Junho passado que liberava e bancava viagens para servidores para a Copa das Confederações, o Palácio do Planalto reeditou a ‘Bolsa Copa’ para funcionários do alto escalão que vão a trabalho ou em assistência aos jogos da Copa da FIFA nas 12 cidades sedes. O governo vai

pagar passagens e hospedagens em hotéis das capitais com majoração de até 100% na tabela de valores estipulada pela União. O benefício é para oficiais militares e policiais que vão atuar na segurança, mas se estende também para secretários-executivos dos ministérios e equipe escolhida por eles.

Segundo o decreto do Planalto, ‘Poderá haver subdelegação’ para dirigentes máximos de autarquias e fundações públicas e para a turma da Secretaria-Geral da Presidência.

A população precisa da ação dos vereadores, pois, afinal de contas, foram eleitos para representar a população. quais passa a população de Macapá. De pouco adianta deixar tudo nas mãos do prefeito e, pior, deixar que ele faça o que quer, como se tudo estivesse uma maravilha e as intervenções da gestão estivessem programadas e de acordo com o que a população esperava. Os vereadores precisam entender que estão no papel de representantes da população do município e que a cidade é muito mais responsabilidade deles do que de qualquer outra instituição pública ou privada,

Twitter @leandromazzini

Diretoria

Os vereadores precisam reagir nquanto a cidade de Macapá atravessa um dos seus piores momentos em toda a sua história, os vereadores assumem uma atitude passiva e omissa como se nada tivessem com essa história ou pudessem fazer para melhorá-la. Nem mesmo o aumento do número de vereadores, ocorrido a partir da atual legislatura, serviu de motivação para que aqueles representantes do povo repartissem a responsabilidade e apontassem caminhos para resolver os problemas que Macapá enfrenta. Escondem-se das evidências! Procuram ficar afastados dos problemas e, dessa forma, jamais terão condições de conhecê-los e certamente, de participar das soluções deles, muito embora tenham assumido a indelegável missão de evitar o pior para a cidade e seu povo. São os grandes ausentes! Parece até que, na medida em que aumenta o número de vereadores, o Poder Legislativo Municipal vai perdendo a sua impor-

Jornalista

O Decreto nº 8.228 de 22 de Abril foi assinado pela presidente Dilma e pela ministra Miriam Belchior (Planejamento).

o dia, a Prefeitura de Laranjal do Jarí entrou com máquinas e homens para um

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

POR LEANDRO MAZZINI

Arbitragem

• ONTEM, durante todo

RODOLFO JUAREZ

ESPLANADA

Aos domingos Veículos ....................D1,D2,D3 Informe .....................D4

Edição número

8485

Patota Esporte Club

3º Tempo

É fato que o governo se envolve diretamente na segurança no entorno e dentro das arenas, mas nada impede que ministros e equipes se esbaldem em camarotes na torcida.

Os benefícios de passagem mais hospedagem para os ‘servidores da Copa FIFA’ se estenderão até dia 15 de agosto. Mas o torneio termina um mês antes..

QG? Que nada!

Pelo menos oito cidades-sedes têm bases militares com alojamentos. Parágrafo único do Decreto avisa que os benefícios não se aplicam a ‘deslocamentos para os quais a administração pública disponibilize hospedagem’. Resta saber se a turma vai trocar o hotel de luxo pelos QGs.. Ou o governo vai fazer vistas grossas.

Diárias nos hotéis

A majoração (aumento do valor pago) para diárias e passagens se dará em 50% para quem for para SP, Curitiba e Salvador; em 75% para BH, Natal e Porto Alegre; e em 100% para Brasília, Cuiabá, Fortaleza, Manaus, Recife e Rio.

Barrado..

Emissários da presidente Dilma cobram celeridade à Comissão de Sindicância do Itamaraty e um resultado até quarta para o caso do diplomata Eduardo Saboia, o que ajudou na fuga do senador boliviano Roger Molina para o Brasil.

..no baile

É que dia 30 será comemorado o Dia do Diplomata, com formaturas, e presença da presidente. O Planalto quer ver longe dali (ou absolvido logo) o diplomata Saboia.

Outros ‘Molinas’

A cada mês fogem mais bolivianos para o Brasil perseguidos pelo presidente Evo Morales. O último famoso foi o ex-procurador do governo Marcelo Soza. É candidato à Assembleia, e segundo consta tem mandado de prisão porque.. se tornou opositor.

Abre o olho, Dilma

A Polícia Federal já está de olho. Atravessadores em nome de construtoras têm prometido a investidores que uma unidade do Minha Casa, Minha Vida, no Centro-Oeste, pode render R$ 140 mil para venda logo após construída.

Poder dos peões

O flagrante de trabalho escravo no mineroduto MG-Rio da Anglo Ameri-

can lembra caso tragicômico em 2009, no interior de Goiás. O canteiro de obras e os alojamentos da mineradora em Goiás foram destruídos após uma grande briga entre seguranças e operários. Tudo começou porque foi negada uma cerveja a um peão.

Eu, hein..

A consultoria Deloitte Touche Tohmatsu organizou palestra sobre combate à corrupção em Londrina. A Deloitte foi condenada a pagar R$ 47 milhões à Tigre Conexões, por calote, e foi acusada pela Adria Alimentos de manobra fiscal para fugir do fisco.

Esbanja lux

Capital do País com risco de ter apagão, Brasília deu mal exemplo. Às 10h54 de quarta (23), os postes do Eixão Sul estavam com as luzes acesas. E o povo paga a conta.

Mineirada

O PMDB acertou com Fernando Pimentel (PT), que vai disputar o governo de Mias. O senador Clésio retirou a candidatura. Josué Alencar será o candidato ao Senado.

Ponto Final

Sobra fé em ano de campanha. O deputado Roberto de Lucena (PV-SP) propôs o 3 de março como Dia Nacional da Igreja O Brasil Para Cristo.

Com Marcos Seabra, Maurício Nogueira e Adelina Vasconcelos www.colunaesplanada.com.br LM Comunicação Coluna Esplanada contato@colunaesplanada.com.br Caixa Postal 1980 – CEP 70254-970 – Brasília-DF


Opinião

Macapá-AP, domingo, segunda-feira, 27 e 28 de abril de 2014

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

O caminho perdido DOM PEDRO JOSÉ CONTI

A

Bispo de Macapá

lguns monges estavam atravessando o deserto junto com o seu abade. O noviço mais novo era o encarregado de guiá-los na peregrinação. Apesar da sua boa vontade, ele tinha perdido o rumo do caminho. O abade e os irmãos já tinham percebido que estavam dando voltas e que o seu guia estava na maior confusão. O velho superior, porém, não queria humilhar ou repreender o jovem na frente de todos. No entanto, estava escurecendo e continuar a caminhar sem rumo no deserto era muito perigoso. O abade, com santa simulação, disse: - Estou muito cansado, não aguento mais, melhor parar. Os outros monges todos juntos disseram: - Nós também estamos sem condições de continuar, vamos deixar para amanhã. De noite, o ancião ficou a sós com o jovem e, juntos, reavaliaram o percurso. Ao amanhecer, com a luz do dia, o jovem guia reencontrou o caminho certo e conduziu os

irmãos todos ao o destino da viagem. Simples e brilhante a solução que o abade e os irmãos encontraram para não humilhar o jovem noviço. Em geral, apontar os erros e os malfeitos dos outros nos dá certa satisfação. Sentimo-nos superiores. Na verdade, errar, duvidar, ficar confusos é comum. Melhor seria corrigir o irmão com paciência e carinho, dando a perceber que nós também precisamos ser corrigidos. O irmão ficará agradecido e o nosso orgulho silenciado. No evangelho que nos apresenta a dúvida do apóstolo Tomé, Jesus nos dá o exemplo. Mais do que repreender ou reprovar o apóstolo incrédulo, o exorta a ter fé, a confiar nele e nos companheiros. Todo mundo tem dúvida e incertezas e podem ser motivadas por várias razões. A nossa cabeça dura, por exemplo. Às vezes são os outros que achamos pouco confiáveis. Por fim, o próprio objeto da fé pode nos parecer inacreditável. No caso da ressurreição do Senhor continua a ser difícil

acreditar que o “impossível” tenha acontecido. Não só Tomé, mas todos os apóstolos demoraram em acreditar. Quando, porém, superaram os questionamentos e as incertezas, começaram a espalhar a Boa Notícia e enfrentaram qualquer perigo e perseguição. Perguntar não está errado e nem é vergonhoso. Pior é quando desistimos de buscar as respostas e caímos na indiferença. Não tenho dúvida. Perguntar, querer entender, é sinal de interesse e de boa vontade. Revela o desejo profundo de acertar, de decidir com a própria inteligência, de encontrar o sentido grande da vida e dos acontecimentos. Espanta-me a segurança com a qual algumas pessoas chegam à conclusão que tudo o que diz a respeito da religião é sem sentido, pura imaginação, para não dizer idiotice. Evidentemente as coisas materiais e imediatas parecem mais confiáveis que uma Palavra de Deus transmitida de geração em geração. É mais fácil se conformar com o que parece comum, com uma vida já programada, seguindo a lógica do consumo e do prazer. Custa

buscar um sentido na vida, questionamo-nos sobre o que fazemos e o porquê o fazemos. Facilmente se percebe a angústia de quem não consegue ganhar mais, de quem nunca fica satisfeito com o que tem. Parece que fazer o bem, cumprir a justiça, desmascarar as mentiras e as falcatruas, construir uma sociedade mais justa e fraterna, interesse muito menos que a própria tranquilidade, o próprio bem- estar. Talvez o que dá gosto à vida não seja ter tudo pronto, arrumado, pensado e resolvido pelos outros, mas, justamente, buscar caminhos novos – ou reabrir antigos – encontrar respostas a perguntas nunca plenamente resolvidas – ou sempre abertas, apesar dos milênios da história humana. A insaciabilidade do nosso coração é um dom que recebemos, um convite à busca. Querer anestesiá-lo é só adiar o reconhecimento das nossas fragilidades. Tenhamos medo da indiferença, não de buscar e questionar. Se formos sinceros encontraremos o caminho e ouviremos Jesus nos dizer: - Não sejas incrédulo, tenha fé! -. Chegaremos à meta.

Fátima e o Pantanal José Sarney

M

Senador pelo Amapá

inha mãe, nos seus gloriosos 90 anos, lúcida e no domínio de sua agilidade mental, dizia-me que nada aconteceu de melhor para encher os ócios de sua velhice do que as missas da Rede Vida, que ela acompanhava a toda hora, numa intimidade com Deus assegurada pelos longos anos de oração. Foi com certa timidez que me pediu opinião quanto à revelação do último dos três segredos de Fátima. Notei que ela esperava notícias de esperança sobre o mundo. Respondi-lhe que as revelações místicas faziam parte do plano de Deus. O essencial é procurar entender. O segredo guardado desde aquele dia 17 de dezembro de 1917, em que o sol dançou em Fátima, mistério que agora se tornou público, é de grande importância. Mostra que no plano do Santo Espírito viria um homem de branco para salvar o mundo da guerra nuclear, lutar contra ideologias ateístas, salvar a igreja da divisão e que, tal como Cristo, teria o seu calvário no atentado da praça de São Pedro. Revelado agora, temos a certeza do

planejamento de Deus. As visões que catalisaram a fé no mundo estão expressas nos santuários de Lourdes, Fátima, Guadalupe, Lujan, Aparecida e vários outros. Muitas vezes, o mistério que se esconde nessas aparições não chega ao nosso alcance. Nas escrituras, esses sinais aparecem aqui e ali e não sabemos o porquê: "Que vês tu, Jeremias?", perguntaram ao profeta, e ele respondeu: "Um galho de amendoeira." Mas nem sempre o misticismo esteve associado à contemplação. Santa Teresinha, ao receber uma postulante beata, advertiu: "Nada de êxtases, estamos precisando de quem saiba lavar pratos." Nem por isso

ficou menos santa. E Joana d'Arc, aquela mocinha de 13 anos, camponesa, de vestido vermelho, força da natureza a ter visões, ouvir o "Messias", que ela pronunciava num francês errado que ninguém entendia, indagada do significado, respondeu: "É o Rei do Céu." Ela, também, tinha um segredo que só podia ser revelado ao Delfim, então Carlos, herdeiro contestado. Enfrentou tudo e foi dizer-lhe: "O senhor é o filho do rei, é o Delfim". Nada transpirou. Para defender a França, engajou-se como guerreira, planejou batalhas e, sem deixar de ser vidente, ouvia as ordens de são Michel e mandava beijos aos capitães, proferia palavrões que não ficavam bem nos lábios de quem assim se definia: "Eu sou apenas uma menina."

Depois de 80 anos após a morte de Joana D'Arc, o segredo foi revelado e se soube que graças a ela Carlos 7º se convenceu de sua missão, salvou a França, investiu-se na figura de estadista, pelejou e venceu. Joana D'Arc foi queimada mais pelas suas visões que pela bravura, mas, até hoje, desde 1429, é venerada como guerreira- santa. Sábia e divina a revelação de Fátima. Decepcionante seria se ela anunciasse o fim dos tempos, que está citado na Bíblia. Hoje, os segredos que a política quer saber é o que o Stedile pensa do Pontal do Paranapanema ou o que as leitoras de mão prevêem para melhorar a mortandade de peixes no Pantanal de Mato Grosso. É necessário repetir: há muito mistério entre o céu e a terra...

Dia-Dia

Se o Amapá falasse...

D

igamos que a classe política nada fale a respeito, nem mesmo a anêmica oposição. Então poderemos criar uma figura hipotética, o “Amapazinho”, pequeno, mas de muita importância histórica para a nossa terra, como aquela pequenina garrafa de um saboroso refrigerante que um dia muito distante, no Século passado foi muito consumido por aqui. Agora está sendo ressuscitado num mapinha, de cabelinho raspado, olhos, nariz, orelhas e muita irreverência, mas sem nariz de palhaço. Fala o Amapazinho pelo JD: Caríssima Presidenta Dilma. Sabemos das suas grandes ocupações e preocupações com os graves problemas do Brasil. Aí incluídos o dragão da inflação, que a cada dia devora o salário do trabalhador alimentando a gananciosa inflação; a corrupção galopante dentro do seu partido com o escândalo da Petrobrás; a gastança desenfreada com as obras para a Copa do Mundo; a saúMas presidente Dilde pública em frangama. A senhora que lhos, com o ex-ministro nasceu, talvez, em berço suspeito de participar esplêndido, naquele agradáde assuntos nada repuvel clima ameno dos pamblicanos e a violência pas gaúcho, está esquecenreinante no País, que do-se de outros em um ano matou mais gente que as guerras do brasileiros e brasileiras Iraque e da Síria juntas. Mas presidente Dilma. A senhora que nasceu, talvez, em berço esplêndido, naquele agradável clima ameno dos pampas gaúcho, está esquecendo-se de outros brasileiros e brasileiras – só para plagiar o presidente Sarney – desse rincão setentrional, que pegaram nas espadas e com muita coragem e destemor optaram por serem patriotas e concorrer para que os nossos mais de 140 mil quilômetros quadrados de área fossem definitivamente anexos ao Brasil, por conta, obra e graça do Barão do Rio Branco e Joaquim Caetano da Silva. Em menos de 30 dias, a nossa maior mandatária, que já vai encerrar o quarto ano do seu governo, não sabe o que é ultrapassar a Linha do Equador por terra. Esteve duas vezes em Belém do Pará, pata inaugurar obras nem tão fantasiosas como entregar diplomas a formando em cursos técnicos, com toda a razão. Mas ficou a menos de 400 quilômetros em linha reta, ou mesmo 35 minutos para o outro lado do Amazonas. Será que o Pará teria maior importância eleitoral do que o Amapá, já que por lá governa um tucano? E por aqui? Tambem um “oposicionista” que sequer prometeu palanque para o candidato do seu partido e continua em cima do muro? Nós representamos apenas 0,3% do eleitorado brasileiro, mas mesmo que tivéssemos apenas um sufrágio, já seria o suficiente para sermos respeitados como povo, ordeiro e cumpridor dos seus deveres pátrios. Se a presidenta viaja em jato luxuoso, come do caviar ao caranguejo do Alasca, sorve os melhores vinhos do planeta e mora com todas as mordomias, é claro que deve lembrar-se de nós, que contribuímos para todo o seu conformo. Deixar de nos visitar por pura desculpa de “agenda” é como uma mãe que nunca entrou no quarto do filho mesmo morando na mesma casa. E não somos filhos pródigos. Assina: Amapazinho!

Hora-Hora

Missa

O Grupo Ápice estará reunindo nessa segunda-feira, dia 28, às 19h00, os conselheiros, diretores, colaboradores e colaboradoras para a tradicional missa de Páscoa, a ser celebrada no show room da Betral Veículos, concessionária Fiat para o Amapá. Em seguida haverá um congraçamento com um lanche e distribuição de brindes.

Lentidão

O custo econômico da corrupção Charles Chelala

C

Economista, Mestre em Desenvolvimento Regional cchelala@uol.com.br

erca de quatro anos atrás escrevi um artigo para o Jornal do Dia no qual analisava que a chaga da corrupção nos governos ultrapassa em muito o aspecto moral e ético, atingindo em cheio a capacidade de atendimento às necessidades socais e impactando diretamente no mercado e no nível da atividade econômica. O texto é extremamente atual e, como se aproxima um período eleitoral, acho oportuno reeditá-lo para avivar a memória do eleitor, cuidando apenas de atualizar alguns números. Vamos ao artigo: A “Operação Mãos Limpas” deflagrada pela Polícia Federal revelou as ra-

mificações de um poderoso esquema de corrupção instalado no aparelho do Estado, trazendo à tona uma pergunta: Qual é custo que esta mazela impõe aos cidadãos? O economista Marcos Fernandes, da escola de economia da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, autor do livro “A Economia Política da Corrupção no Brasil”, fez esta conta e chegou a números impressionantes. Em seu estudo foi comprovado que a cada ano é desviada uma cifra de aproximadamente R$ 380 bilhões, impactando em uma redução do crescimento econômico de até dois pontos percentuais

no PIB. Para efeito de comparação, o Produto Interno bruto do Amapá situa-se em R$ 8,3 bilhões e o orçamento do Estado é da ordem de R$ 5,2 bilhões. No caso específico do Amapá, onde 48% de toda a nossa economia é gerada pela Administração Pública; praticamente 70% dos salários são oriundos das folhas de pagamento de servidores e um em cada três empregados é funcionário público, a situação se agrava. Aqui, o ralo da corrupção causa um impacto devastador na economia local, uma vez que os gastos públicos são os principais responsáveis pelo dinamismo das demais atividades. Além de desvios de recursos, a corrupção afeta de maneira profunda o ambiente de negócios, inibindo decisões de investimentos privados, pois a base institucional não inspira

credibilidade. Assim, as empresas optam por carrear suas inversões financeiras para outros lugares onde há maior estabilidade. Como tudo na vida, há uma abordagem otimista que a ser feita em relação à crise que o Amapá atravessa. Ao trazer para a ordem do dia o problema da corrupção, algo que todos sabiam que existia, mas que poucos o denunciavam ou buscavam enfrentá-lo, criaram-se condições favoráveis para começar a solucioná-lo. Com a hecatombe da “Operação Mãos Limpas” reduz-se tolerância dos cidadãos para com os políticos desonestos e é gerado um ambiente favorável aos gestores que queiram combater a apropriação privada dos recursos públicos. Não será uma tarefa fácil, mas é necessária para que o Amapá possa trilhar o caminho do desenvolvimento.

A3

Ontem pela manhã, desde as 8h00, o trânsito ficou lento nos dois lados da Rua Adilson Pinto Pereira, bairro de São Lázaro, Zona Norte da cidade. É que duas retro escavadeiras estavam trabalhando abrindo valas para escoar as águas das chuvas que atingiram a cidade com grande intensidade na madrugada, as proximidades da ponte Sérgio Arruda. Somente à tardinha é que a rua foi devidamente liberada.

Via

Ontem pela manhã, máquinas do SETRAP davam os últimos retoques na terraplanagem para a pavimentação da via de acesso a Rodovia Norte-

-Sul (na verdade seria Norte-Oeste), com a entrada pela BR 210. Aliás, que essa rodovia federal está recheada de grandes buracos, sem uma rotatória para o retorno aos bairros do Infraero I e II e com o canteiro central tão cheio e mato como a floresta amazônica. A iluminação pública e como um zero a esquerda. Que a PMM e o GEA, numa grande parceria pudessem ajudar o pobre Governo Federal a dar ares de civilização ao local.

Tempo

Mais reclamações vindas da fronteira Norte do País. Num trecho de quase 150 quilômetros de terra, a BR 156, a estrada mais longeva do Brasil com quase 70 anos de idade, está literalmente em petição de miséria, recheada de buracos, lama e pontes quebradas, colocando em risco a vida dos usuários. Ontem, um ônibus que faz viagem regular para Oiapoque, que saiu as 18h00 do terminal rodoviário de Macapá só chegou lá as 6h00 da manhã. Antes o percurso de 690 quilômetros era coberto em oito horas.

MINUTOS

Prazo eleitoral - O eleitor que pretende tirar o

título pela primeira vez ou pedir a transferência do documento para outro estado tem até o dia 7 de maio para fazer os pedidos à Justiça Eleitoral. No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também é possível fazer o pré-atendimento, até o dia 2 de maio.


A4

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo, segunda-feira, 27 e 28 de abril de 2014


MACAPÁ-AP, DOMINGO, SEGUNDA-FEIRA, 27 e 28 de abril de 2014

Geral

ESPECIAL

Cresce o número de uso e tráficos de drogas entre adolescentes no estado B2 & B3

Inicia a corrida pela reitoria da Universidade Federal do Amapá B4 Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Campanha quer atingir 87 mil pessoas contra a gripe até o próximo dia 9

Vacina estará disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) Jéssica Alves

Da reportagem

I

niciada no dia 22 deste mês, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe estende-se até o dia 9 de maio em todo o Brasil, vacinando crianças na faixa etária de até 5 anos de idade e idosos a partir dos 60 anos. Neste ano em Macapá, a meta é atingir em torno 87 mil vacinados. A vacina estará disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Segundo Eldren Lage, subsecretário municipal de Saúde, diversos postos foram instalados na cidade durante o dia D da campanha, que ocorreu no sábado (26). “Além disso, dez equipes foram destinadas para os moradores nas áreas de ressaca, facilitando a circulação da vacina na cidade”, frisou. A meta no estado é de acordo com o público

alvo atingido nos ciclos anteriores. “Iremos fazer o monitoramento das coordenadorias municipais que estão realizando o trabalho de vacinação na área urbana e no interior para que a meta deles seja cumprida. O Ministério da Saúde determina que pelo menos 80% da população seja atingido”, explicou Eldren. Devem se vacinar crianças a partir de seis meses e menores de cinco anos de idade, grávidas em qualquer idade gestacional, profissionais da área da saúde, idosos, a partir de 60 anos, indígenas, mulheres no período de 45 dias após o parto, detentos, funcionários do sistema prisional, além de grupos de morbidade, como cardiopatas, diabéticos, hipertensos, transplantados, doenças renais crônicas, síndrome de Down, portadores de câncer e pessoas que possuem prescrição médica solicitando a vacina, que segundo o subsecretario são os grupos com maior possibilidade de adquirirem a gripe. Vitamina A Além da vacinação, ou-

FOTOS ERICH MACIAS

NESTE ANO, em Macapá, a meta é atingir em torno de 87 mil vacinados. A vacina estará disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde

tra campanha está disponível na rede de UBS em Macapá: o Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A, que distribuirá a vitamina para crianças na faixa etária até os cinco anos de idade. Segundo Olga Mon-

teiro, nutricionista, a falta de vitaminas no organismo das crianças podem acarretar em sérios problemas no futuro. “Pode levar a diversos casos de agravamento com internações e até mesmo o óbito se não for preveni-

do e a nossa meta é poder contribuir neste controle, levando a vitamina para toda a população de Macapá”, frisou. Influenza É o vírus transmissor da gripe e se subdivide em

H1N1 e H3N2. Apresenta as variações A, B e C que podem sofrer mutações, transformações nas estruturas genéticas e são altamente transmissíveis. O H1N1 é do tipo A, maior causador de epidemias.


B2

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de abril de 2014 Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Cresce o número de uso e tráficos de Deiai registra todos os dias, inúmeros crimes entre menores infratores de 13 a 17 anos flagrados no tráfico Willerson Hugo Da Reportagem

Já experimentei maconha, lança perfume e cola. Sempre em festas e na companhia de amigos. Na minha escola, entre os mais velhos, difícil é achar quem nunca usou nenhuma dessas coisas”. A declaração é de uma garota de apenas 14 anos, que estuda em um colégio da periferia de Macapá. Há ainda um dado a ser acrescentando na já preocupante relação entre jovens e drogas: a escola, local onde crianças e adolescentes passam a maior parte do tempo, vem se tornando a porta de entrada para o mundo da experimentação. “É ali que os jovens aprendem a beijar e têm sua iniciação sexual, mas também pode ser ali o lugar onde eles terão o primeiro contato com as drogas”, afirma Ronaldo Laranjeira, psiquiatra e coordenador da Unidade

de Pesquisa em Álcool e Drogas na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Geralmente, a experiência começa com drogas legais, como álcool, tabaco e cola de sapateiro. Em seguida, entram as drogas ilícitas e, entre essas, a maconha está em primeiro lugar quando se trata de ambiente escolar.” Não há números globais sobre a penetração das drogas na escolas brasileiras. Contudo, a impressão generalizada e os dados esparsos indicam que ela avança. Em uma entrevista realizada no dia 22 de abril, ao delegado Plínio Roriz, da Delegacia Especializada em Atos Inflacionais (Deiai), que tratou sobre a questão do uso de entorpecentes e tráfico de drogas entre menores de 13 a 17 anos de idade, que ingressam no mundo do crime, para sustentar os seus vícios fazendo com que o índice de criminalidade cresça na cidade. A Deiai registra todos os dias, inúmeros crimes entre menores infratores de 13 a 17 anos que são flagrados com maiores de idade cometendo vários crimes, como furto, roubo, tráfico de drogas. Esses tais menores são conhecidos como “aviãozinhos”, pois são os mesmos que transportam as drogas, e quando pegos são enca-

minhados à promotoria, ao conselho tutelar, a delegacia e são levados diante da juíza da vara da infância e da juventude que toma a devida providência aos adolescentes investigado. De acordo com o delegado Plínio, o índice de casos de porte de uso de entorpecentes entre adolescentes e jovens no estado tem aumentado. “Está ocorrendo um grande número de casos de porte para uso de entorpecentes e tráficos de adolescentes envolvidos com drogas no nosso estado em termos percentuais, não sei quanto e de fato, mais aproximadamente 40% de adolescentes apresentados chegam a delegacia com casos de tráficos e uso de substâncias entorpecentes”, aponta. Plínio Roriz explica que a família tem que procurar a delegacia, o conselho tutelar, os dois centros de internações, para ajudar seus parentes que estão presos a esse tipo de vício, já que tem crescido ultimamente no estado, atingindo muitos jovens e adolescentes que se deixam influenciar por muitos que já estão nesse tipo de vício. O delegado enfatiza ainda que a delegacia está à disposição da população para tentar conter esse índice de uso e tráficos de drogas entre adolescentes e jovens. “Pois esse tipo de

crime choca nos como policias em vê a nossa juventude tão cedo se perdendo nesse mundo de vício e criminalidade, porém vejo que a família é importante no papel social do indivíduo, pois as mesmas dever orientar seus filhos sobre os vícios e atos infracionais, para evitar esse tipo de problema público na sociedade”, finaliza. Aula anti-droga O problema já bateu às portas da cúpula da educação pública no Brasil. Prova disso é que, no próximos dia 17, professores de todo o país encerrarão um curso de capacitação à distância para lidar com o assunto. A ação é uma parceria entre o Ministério da Educação (MEC), a Universidade de Brasília (UnB) e a Senad. O objetivo é formar profissionais capazes de abordar adolescentes já usuários de drogas e conscientizar aqueles que ainda não se envolveram com esse tipo de problema. Constam do treinamento também orientações sobre como lidar com uma constatação crescente: o consumo e eventualmente até o tráfico de drogas se dá dentro dos muros da escola. O crescimento do números de profissionais treinados pelo MEC dá uma ideia da evolução desses problemas: em 2004, na

A DEIAI REGISTRA TODOS OS DIAS, inúmeros crimes entre menores infratores de 13 a 1 cometendo vários crimes, como furto, roubo, tráfico de drogas. Esses tais menores são c

primeira edição da capacitação, foram 5.000 educadores provenientes de mil escolas públicas do país. Neste ano, serão 25.000, de 4.658 unidades de todos os estados. “A ainda há uma demanda reprimida de mais de 15.000 vagas”, afirma Paulina, da Senad. “Precisamos preparar os professores para que eles saibam abordar

o problema de drogas nas escola além de realizar o encaminh mento adequado para a rede d serviços de atenção a usuários seus familiares”. De acordo com pesquisa realiz da pelo Centro Brasileiro de Info mações sobre Drogas Psicotróp cas (Cebrid) da Unifesp, 57% do jovens entre 12 e 17 anos conside

Tradicionais palestras anti-drogas não estão funcionando A s já tradicionais palestras sobre os danos das drogas à vida dos jovens são repletas de boas intenções, mas não funcionam. A afirmação é do psiquiatra Thiago Marques Fidalgo, membro do Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes (Proad), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Em lugar delas, o especialista pede

que escolas e professores fiquem abertos ao diálogo com os estudantes. “O fundamental é ter pessoas com vínculos afetivos ao lado do jovem para discutir, tirar dúvidas e conversar sobre o assunto”, diz. “O professor sempre presente e aberto para o diálogo é muito mais efetivo do que o especialista e suas palestras.” Confira a seguir os principais trechos

da entrevista com o médico. A entrevista foi publicada no site de Veja. É fato que a iniciação dos adolescentes no mundo das drogas se dá na escola? Dr Thiago - Isso varia de acordo com a realidade de cada jovem. Em geral, o primeiro uso tende a se dar com os amigos e, nessa época, os amigos estão na escola. Por esse motivo, a escola tem papel central na prevenção do uso de drogas. O que seria, então, o uso não problemático? Dr Thiago - O uso de drogas pode se dividir em quatro padrões: experimental, quando se tem o primeiro contato com a substância química; ocasional, quando se faz uso da substância periodicamente; nocivo: quando a pessoa se expõe a situações de risco em consequência ao uso de droga; e dependente, quando a droga toma posição

Macapá, o sapo, o farol e a gripe suína Prof. Dr. Eduardo Augusto da Silva Costa

C

Médico com Residência, Mestrado e Doutorado em Cardiologia. Professor de Cardiologia da Faculdade de Medicina da UFPA. Pós-Doutorado em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista eascosta@cardiol.br

onfesso que não sabia o quanto eu era lido até o artigo da semana passada sobre minha infância em Macapá. Recebi vários e-mails e telefonemas a respeito, e até o Zezinho meu irmão, um dos grandes incentivadores em todos os meus projetos, e que sempre acha que cada texto que escrevo poderia ser um pouco melhor, gostou demais e até acrescentou a palavra “amapalidade” ao primeiro parágrafo. Muitas das correspondências eram de amigos de quarenta e poucos anos atrás que não foram citados e outros por terem sido lembrados, e um especial do Juarez Cabral sobre o comentário a respeito

do seu irmão João, um dos meus melhores amigos daquela época, telefonema com elevado espírito de sentimento, respeito e saudade. Outros perguntando e levantando um questionamento antigo que eu desconhecia; “onde estão o sapo da Praça Barão do Rio Branco e o farol da fortaleza?”. Questionamento que acho que temos que aprofundar, a não ser que alguém nos informe a respeito do paradeiro dos mesmos. O Sr. Leitão, em frente da banca do Dorimar questionou eu não ter citado meus avós Adjuto, o materno e o Cazuza, o paterno; cujas presenças na minha vida ainda comentarei. De minhas profes-

soras, minha memória lembrou da Edith, da Raquel, da Emília, da Terezinha, da Lucy e da Oneizinha, esta eu encontrei e dei um abraço numa dessas madrugadas de espera no aeroporto. De minhas Diretoras, a Olívia, a Quitéria e a Carmelita, esta no curso do exame de admissão. Mas prometi a todos que em cada artigo usarei um parágrafo para contar um pedacinho dos nossos bons tempos. Mas vamos ao assunto de hoje, as informações a seguir são do Ministério da Saúde e da OMS (Organização Mundial de Saúde). A gripe suína, que é a influenza A (H1N1), doença respiratória aguda, causada pelo vírus pandêmico (H1N1) 2009. Este novo subtipo do vírus da influenza, vírus da gripe, do mesmo modo que os demais, é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por meio da tosse ou espirro e do contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas. As letras correspondem às duas proteínas da superficie do vírus: H: Hemaglobulina e N: Neuraminidase . O numero 1 corresponde a ordem em que cada uma das proteínas foi registrada,

central na vida do usuário. A genética é um fator que conta muito na hora de avaliar a passagem do jovem pelos quatro padrões do uso de drogas, pois o metabolismo está intimamente ligado a como o organismo processa a droga. Obviamente, existem as substâncias com mais chances de dependência: a cocaína, o crack e a heroína, por exemplo. Mas ainda não é possível identificar qual adolescente vai perder o controle e chegar à dependência.

Quais são os métodos eficientes de prevenção do uso e venda de drogas nas escolas? Dr Thiago - Conscientizar os estudantes sem necessariamente falar diretamente sobre drogas é uma das principais chaves para a prevenção. Além disso, incentivar a vida saudável, os cuidados com o corpo, a boa alimentação e a saúde bucal desde cedo contribuem para que a criança se

significando que ambas as proteínas tem semelhanças com os componentes do vírus que já circulou anteriormente, quando da pandemia de 19181919 na Europa. E qual a diferença entre a gripe comum e a influenza pandêmica (H1N1) 2009? Elas são causadas por diferentes subtipos do vírus influenza. Os sintomas são muito parecidos e se confundem: febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza. Por isso, ao apresentar estes sintomas, seja pela gripe comum ou pela nova gripe, deve-se procurar um médico ou um posto de saúde. Até o momento, o comportamento da nova gripe se assemelha ao da gripe comum. Ou seja, o vírus pandêmico (H1N1) 2009 não se apresentou mais violento ou mortal, na população geral. A maioria absoluta das pessoas que adoece, seja pela gripe comum, seja pela gripe pandêmica, desenvolvem formas leves da doença e se recuperam, mesmo sem uso de medicamentos. Para ambas as gripes pessoas com doenças crônica, gestantes e crianças menores de dois anos são mais vulneráveis. Mas quando

torne um adolescente com consciência corporal e faz da escola um elemento confiável da rede social que está se criando em volta dela. As palestras com especialistas não funcionam, pois fornecer informação sobre os métodos de prevenção e riscos do uso abusivo das drogas não é mais o suficiente. O fundamental é ter pessoas com vínculos afetivos ao lado do jovem para discutir, tirar duvidas e conversar sobre o assunto. Na escola, o professor sempre presente e aberto para o diálogo é muito mais efetivo do que o especialista e suas palestras.

Como perceber que seu filho está envolvido com drogas enquanto está na escola? Dr Thiago - Cada droga tem um efeito e isso pode ser diferente em cada organismo. Mas fique alerta para a mudança de comportamento e o desinteresse pela escola.

consideramos a população jovem previamente saudável, este vírus tem um maior potencial de causar doença grave, quando comparado com o da gripe comum. Por outro lado, o vírus pandêmico tem acometido menos as pessoas maiores de 60 anos. Mas ainda são necessários estudos mais aprofundados que estão sendo realizados, em todo o mundo, para esclarecer o comportamento desse novo vírus. A vacina que estamos utilizando é segura e já está em uso em outros países. Não tem sido observada nesses paises uma relação entre o uso da vacina e a ocorrência de eventos adversos graves. A resposta máxima de anticorpos se observa entre o 14º e o 21º dia após a vacinação. O Ministério da Saúde adquiriu cerca de 113 milhões de doses, para administração da população em etapas distintas e tem por objetivos a proteção de alguns grupos de maior risco de desenvolver doença grave ou evoluir para morte durante a segunda onda da pandemia influenza H1N1 e também garantir o funcionamento dos serviços para atendimento ininterrupto dos casos suspeitos ou confir-

Como abordar o ado ao descobrir que e usando drogas? Dr Thiago - O mais im é a construção do diá casa. Se a família ofer relação afetiva com o esse assunto vai surgir mente. Caso haja susp uso de drogas, vale co questionar e fazer com q vem fale de seus pro Caso isso não aconteç diação de um profission quiatra ou psicólogo mental. O segundo procurar tratamento porque ninguém sai da com força de vontade nho. Para isso, é neces trabalho em conjunto co ciente, sua família e os p nais envolvidos. Com o sivo das drogas, o jove sua rede social de confi trabalho da recuperaçã com que ele a recon maneira saudável.

mados da Influenza H1N1 meio da vacinação dos t lhadores de saúde e nos pos de maior risco, que população indígena; as tantes; as pessoas portad de doenças crônicas; as c ças maiores de seis mese os dois anos de idade e a pulação de 20 a 39 anos o Brasil decidiu ir mais alé que o recomendado pela que era vacinar apena quatro grupos que apres ram maior risco (trabalhad de saúde, gestantes, po ção indígena e pessoas doenças crônicas preexi tes) e ampliou o público incluindo grupos de pe saudáveis. Nas Américas, do Brasil, apenas Estados dos e Canadá adotaram iniciativa, demonstrando sim, o esforço brasileiro vacinar a maior quantidad indivíduos com risco de senvolver formas grave morrer por esta doença conseguinte, vacine-se. O nograma de vacinação grupos prioritários está n dia diária e no site do Min rio da Saúde. Uma sem abençoada a todos. Sem que vem volto a falar de M pá e de saúde.


Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de abril de 2014

B3

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

drogas entre adolescentes no estado DIVULGAÇÃO

Escola utiliza projetos durante o ano para reduzir incidência de drogas Fábio Gomes Da Reportagem

A

17 anos que são flagrados com maiores de idade conhecidos como “aviãozinhos”

as, hade e

zaorpios de-

ram que obter drogas em “qualquer momento” é “muito fácil”. Em 2001, 48,3% já tinham ingerido álcool; três anos depois, eram 54,3%. O consumo de maconha também subiu: de 6,9%, em 2001, para 8,8% em 2005.

o

olescente ele está

mportante álogo em rece uma o jovem, r naturalspeita do onversar, que o joroblemas. ça, a menal - psié fundapasso é clínico, as drogas ou sozissário um om o paprofissiouso abuem perde fiança e o ão é fazer nstrua de

1, por trabas grusão a gesdoras crianes até a pos. Mas ém do OMS as os sentadores opulacom isteno alvo, essoas além s Unim essa o aso em de de e dees ou a. Por O croo nos na mínistémana mana Maca-

Escola Estadual Azevedo Costa mantem a prática constante de diversos projetos durante o ano para combater o uso de drogas e violência dentro da instituição. Segundo a coordenação, o uso de substâncias lícitas ou ilícitas não pode ser tolerado de maneira branda dentro do recinto educacional. Vários eventos dentro do estado tem marcado a educação, mostrando que tanto a violência que já gerou casos de polícia e atendimento hospitalar grave, quanto o uso de substâncias entorpecentes, estão se aproximando para o lugar de convívio educacional e promoção de aprendizado. Por conta de tais situações é que a Escola Azevedo Costa vem propiciando todos os anos projetos que visam combater os diversos atos infracionais por parte de alunos que participam da instituição. A coordenação pedagógica da instituição conta com quatro responsáveis por estar a par de toda a situação que venha gerar al-

gum tipo de conflito com as regras estabelecidas pelo educandário, sendo Ameliany Azevedo, Patrícia Oliveira, Giovana Guimarães e Milena Araujo que tem a responsabilidade de orientar e demonstrar atenção e cuidados com os educandos, através do SOE (Serviço de Orientação Educacional). Dentre os projetos que estão presentes, pelo menos três são voltados para esse tipo de situação conflituosa; ‘Paz nas escolas’ que já está presente na escola a longa data e que acontece uma vez por ano, se desenvolvendo através de palestras, gincanas, caminhadas, abordando temas como violência, drogas entre outros. Sem contar o Proerd, iniciativa da segurança pública nas escolas envolvendo estudantes de todas as idades para tentar frear e prevenir as drogas na infância e juventude. Apesar de não haver registro de casos de drogas na instituição, Ameliany Azevedo, que é orientadora na instituição, diz que sempre há casos que estão presentes. “Pode não haver casos registrados, mas estamos sempre observando o que chega aqui conosco, as informações que são passadas é de que há sim pessoas que consomem drogas dentro da instituição, porém uma coisa é afirmar, outra bem diferente é provar que o que se fala é verdade”, diz. Agora, outra situação que é comum no seio do colé-

DIVULGAÇÃO

PROERD é uma das apostas da segurança pública para frear e previnir as drogas

gio é o consumo de cigarros, há muitos menores que fumam. “É grande o número de jovens menores de 14 anos que fumam, (dentro da escola), quando identificado nós vamos até o aluno, o notificamos e fazemos um trabalho com o mesmo, após acionamos a família, então começamos a trabalhar com a família e a escola

para que o aluno deixe a prática, é um trabalho que dura o ano todo para que se obtenha êxito”, afirma Ameliany. O SOE (Serviço de Orientação Educacional) é voltado para levar orientação de forma a fazer com que o aluno reflita. “Trabalhamos diretamente com o aluno para evitar a violência nas escolas, drogas e a participação dos pais na melhoria do aluno”, comenta. Ameliany relata que há ainda projetos que estão sendo vistos em alguns períodos do ano. “É cerca de um por bimestre, o primeiro é o família na escola que acontece nos dois meses e trata do que estamos especificando o outro que também trata deste

tipo de problema é o ‘Paz na escola’, que conta com palestras, professores em sala trabalhando com o assunto, vídeo, e chegando a culminância que é a passeata. A culminância da família na escola é levar a família para dentro da instituição”, ressalta. Normalmente quando esses alunos comete algum ato considerado uma infração grave, é utilizado medidas que vão além, dos procedimentos adotados, o infrator é encaminhado para os órgãos competentes, no caso de ser menor de idade para a Delegacia de Repressão aos Crimes Praticados Contra Criança e o Adolescente (DERCCA) que tomará as medidas cabíveis.


B4

Geral

Macapá-AP, domingo, segunda-feira, 27 e 28 de abril de 2014 Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Inicia a corrida pela reaitoria da Unifap Fábio Gomes

Da reportagem

A

corrida para a reitoria da Universidade Federal do Amapá (Unifap) iniciou e está acirrada, pois alguns candidatos prometem fazer valer sua candidatura, e desde já os alunos estão demonstrando seu apoio, por meio de divulgação de seus candidatos favoritos ao cargo de reitor. Com algumas situações ocorridas na Universidade, os alunos acreditam em dias melhores dentro

da instituição, como é caso da eleição que está prestes a acontecer. Albertina Silva que é técnica em administração, diz que este momento é para preparar o caminho, devido a uma nova mudança “A Universidade precisa mudar, por isso estamos buscando melhorar o ensino que essa instituição oferece para a comunidade Amapaense, queremos o melhor, e para se ter o melhor tem que mudar, é para mudar”, afirma Albertina, esperançosa. Kiara Carla, estudante de

ciências sociais, enfatiza que sua candidata deve “apresentar força, vontade de mudar a instituição e ainda muita garra, e isso eu sei que ela possui”, comenta. Lana Carla que estuda na Universidade ressalta que já tem candidato certo. “Desde que eu entrei no curso a minha candidata estar a frente e me incentivou, não só a mim, mas a muitos que eu conheço, por isso já tenho voto certo porque eu sei quem quer fazer alguma coisa por nós”, finaliza Lana.

CAMPANHA entre as chapas pela reitoria da Unifap movimentam os bastidores

“A Unifap precisa ser uma instituição de excelência na Amazônia”, destaca Cláudia sequer. E estão sendo ofertados sete: Direito, Enfermagem, Biologia, Letras, História, Geografia e Educação Superior Indígena. Não há biblioteca, nem laboratórios, tampouco equipamentos. A internet é muito lenta. Não é possível pensar em ensino superior assim.

Elen Costa

Da reportagem

O

Jornal do Dia entrevistou esta semana a candidata ao cargo de reitor da Universidade Federal do Amapá (Unifap), professora Cláudia Chelala. Entre muitos assuntos, Chelala que nasceu no Estado do Amapá, é formada em economia e atualmente é professora do Curso de Ciências Ambientais, falou sobre o processo eleitoral que acontece no próximo dia 15 de maio, e sobre seus projetos para atender as principais reivindicações dos alunos. Acompanhe agora trechos da entrevista: Jornal do Dia: Como está o processo eleitoral na UNIFAP? Cláudia Chelala: O processo eleitoral é um momento muito enriquecedor para nossa instituição, porque propicia a intensificação do debate sobre a nossa realidade, os problemas que enfrentamos e o futuro que desejamos construir. Jornal do Dia: Quais são as principais reivindicações dos alunos da UNIFAP? Cláudia Chelala: De uma forma geral é a falta de infraestrutura física, a carência de laboratórios, salas de aula, equipamentos. Mas, também outras reivindicações sérias como a

péssima qualidade da alimentação servida no Restaurante Universitário do Campus Marco Zero, o abandono sentido pelos estudantes dos campi de Santana, Mazagão e Oiapoque. Jornal do Dia: Como está a situação dos campi do interior? Cláudia Chelala: A situação dos campi do interior é extremamente preocupante. O campus de Santana sofreu um processo de desmantelamento nos últimos quatro anos, o que vem prejudicando sobremaneira as condições de oferta de ensino do curso de Arquitetura. Dotar o curso de estrutura de laboratórios compatíveis com o alto nível dos docentes é uma necessidade premente. Além disso,

questões relativas à autonomia administrativa do campus para a realização cotidiana das atividades precisam ser equacionadas, dentre outras questões também relevantes. Jornal do Dia: E quanto ao campus do Oiapoque? Cláudia Chelala: A criação do campus do Oiapoque, cuja denominação é Campus Binacional de Oiapoque, nos moldes em que o projeto está sendo executado, representa um dos maiores atropelos da Educação Superior em nosso país. Em primeiro lugar, não há nada de “Binacional” lá. O campus é apenas “um bloco” com cinco salas de aula e alguns espaços administrativos. Não há condições de infraestrutura para ofertar um curso

Jornal do Dia: O que precisa a UNIFAP, hoje? Cláudia Chelala: Esta resposta possui inúmeras respostas. Nossas necessidades básicas são muitas e variadas, mas, para responder de forma sintética, a UNIFAP precisa planejar de forma participativa as suas ações, estruturar os

seus cursos, qualificar os servidores, realizar as ações de assistência estudantil com qualidade (RU, xerox e outros auxílios) e investir de maneira mais determinada em pesquisa. Já será um bom caminho para buscarmos ser uma instituição de excelência na Amazônia.


MACAPÁ-AP, DOMINGO, SEGUNDA-FEIRA, 27 e 28 de abril de 2014

Geral

Serginho Laus e Andrezinho Carioca ministram palestra motivacional C2 Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

SOCIEDADE

Trânsito engarrafado

Obra gera transtorno no trânsito próximo a Ponte Sérgio Arruda C3

O governador do Amapá, Camilo Capiberibe, e o prefeito de Macapá, Clécio Luís, reuniram-se na quarta, 23, em Brasília, com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o ministro das Cidades C4

Ministério Público processa médicos por descumprimento de carga horária Na ação, o Ministério Público pede o ressarcimento de R$ 182 mil pelas horas não trabalhadas

A

Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Macapá ingressou, no último dia 14, com ação de improbidade contra dois médicos do Estado do Amapá pelo fato de um deles, apesar de contratado para cumprimento de 40 horas semanais, trabalhar apenas

3 horas semanais, no hospital Alberto Lima (HCAL). As informações são do Ministério Público Estadual. Segundo apurou a Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde, o médico, admitido mediante concurso com salário de R$ 9 mil para realizar cirurgias no hospital Alberto Lima, vi-

nha cumprindo apenas 3 horas semanais, com a conivência de seu superior, também médico e demandado na ação. O próprio cirurgião declarou ao MP que reside na cidade de Belém-PA, atendendo no HCAL apenas às quintas-feiras, de 8h às 11h, já que também traba-

lha no Hospital São Camilo, em Macapá, e no Hospital de Clínicas Gaspar Viana, em Belém. Na ação, o Ministério Público pede o ressarcimento de R$ 182.707,71 pelas horas não trabalhadas pelo médico cirurgião e condenação deste e de seu superior, que certificou o cum-

primento integral da carga horária na folha de ponto, por improbidade administrativa em prejuízo ao erário, além da perda da função pública e outras penalidades previstas em lei. A Ação tramita na 5ª vara Cível e Fazenda Pública de Macapá, sob o nº. 001977297.2014.8.03.0001.

Ação Global gera longas filas para atendimentos gratuito C om o tema “Ação Global Mulheres. Qualidade de vida para a família!”, evento que ocorre anualmente em todo o país, teve sua 21ª edição realizada neste sábado (26), nas escolas estaduais Rivanda Nazaré e Raimunda dos Passos, bairro Novo Horizonte, zona norte de Macapá. A expectativa era que 20 mil pessoas fossem atendidas no diversos serviços oferecidos. A parceria entre o Serviço Social da Indústria (SESI) e rede Globo, juntamente com o Serviço Social do Comercio (SESC), empresas privadas e órgãos públicos, ofereceu, através da Ação Global 50 tipos de serviços gratuitamente à população, dentre as áreas de cidadania, esporte, educação, cul-

tura, saúde, lazer e qualidade de vida, distribuídos nas áreas internas e externas das escolas. Os atendimentos mais procurados foram os de saúde, como exames e consultas médicas. Todas as instituições envolvidas doaram produtos, serviços ou pessoas, totalizando 1.400 voluntários. De acordo com Sergio Moreira, Diretor da Confederação Nacional da Indústria e diretor do Sesi e Senai do Amapá, a comunidade do bairro Novo Horizonte foi escolhida devido a carências detectadas na população. Quanto ao tema, cujo foco é a mulher, este foi escolhido devido a sua grande participação no evento, que segundo organizadores, chega a 70% do total de

atendimento em todas as edições. Atendimentos voltados especialmente para este público, como oficinas de maquiagem, cabelo e culinária, além de depilação e limpeza de pele, foram disponibilizados para as participantes. “Nossa meta era atender 20 mil pessoas com a média de dois atendimentos por pessoa, mas é claro que alguns destes terão mais de dois atendimentos, como aqueles que fazem atendimento de exames de saúde sequenciais, atendimentos da cidadania ou ambos os serviços”, explica Sergio Moreira. A cubana e Clínica Geral pelo Programa Mais Médicos, Odalys Aguilar Torres, atuou como voluntária prestando atendimentos

de saúde às pessoas interessadas. “Hoje estamos fazendo esta ação, onde os médicos cubanos estão realizando atendimentos voluntários, a todos os pacientes que necessitam de atendimento médico, tudo está funcionando adequadamente, sem qualquer problema. Os pacientes estão nos aceitando muito bem”, afirma. Uma das escolas sedes do evento, a Escola Rivanda Nazaré, cuja parte de sua estrutura comprometida por fortes ventos na segunda-feira passada (21), teve sua quadra (principal afetada) excluída da programação, porém as salas e demais instalações foram aproveitadas. Nesta edição, pela primeira vez ocorreram atendi-

mentos em um local de extensão do evento, no barco Samaúma, que ficou ancorado no porto da rampa do Santa Inês, Zona Sul da capital, oferecendo cursos de conservação de alimentos, refrigeração, manutenção elétrica e hidráulica no inte-

rior da embarcação. As filas foram longas devido à variedade de serviços disponibilizados de forma totalmente gratuita. Começou às 8 horas, se estendendo até as 17 horas. (Andréa Maciel Da Reportagem)


C2

Geral

Macapá-AP, domingo, segunda-feira, 27 e 28 de abril de 2014 Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Serginho Laus e Andrezinho Carioca ministram palestra motivacional ERICH MACIAS

O evento que acontece no dia 2 de maio visa despertar a consciência ambiental e motivar o público através da história de vida de Andrezinho Karina Rodrigues

Da reportagem

O

s surfistas Serginho Laus e Andrezinho Carioca, irão ministrar na próxima sexta-feira, 02, no Museu Sacaca, uma palestra gratuita para a população amapaense, no

SERGINHO LAUS compartilhará suas experiências ao público, para que todos conheçam a sua história de vida e também para despertar a conscientização ambiental

intuito de compartilhar suas experiências vividas

no esporte. Os atletas pretendem através da iniciati-

va, despertar a consciência ambiental e motivar o público através da história de vida de Andrezinho, que após sofrer um acidente de trânsito ficou paraplégico e descobriu no esporte uma nova motivação para sua vida. Serginho Laus compartilhará suas experiências ao público, para que todos conheçam a sua história de vida e também para despertar a conscientização ambiental. Já Andrezinho, contará quais são os maiores desafios de ter passado por uma situação delicada e mesmo assim conseguir buscar forças para seguir em frente. “O Andrezinho entra mais na parte emocional, trazendo como que é a expe-

riência de lidar com essa situação difícil de um dia estar como todos e no outro com uma deficiência que te limita, isso pode servir de inspiração para muita gente, esperamos que as pessoas se espelhem em coisas boas e positivas, pretendemos deixar um legado para toda a população. Ele é um surfista de alma, porque há alguns anos atrás ele sofreu um acidente no Rio de Janeiro, quando estava indo buscar a noiva na faculdade, o carro o pegou de moto e ele ficou paraplégico, a partir desse momento a motivação dele passou a ser o esporte, ele teve vontade de querer tocar a vida adiante, criou uma ONG chamada adapte surf, que trabalha a questão da acessibilidade no esporte radical, no caso o surf”, afirma Serginho Laus. Serginho lançará no estado a prancha ecológica, que é toda produzida com garrafas pet. “Como existe muito lixo, trouxemos para a Amazônia a prancha ecológica, fiz uma prancha com garrafas que estavam jogadas na natureza e trouxemos para a pororoca, para gerar consciente e transformar o lixo em luxo. A prancha foi criada por um amigo do Havaí há alguns anos atrás, recentemente nos reencontramos e resolvemos levar esse projeto para o Brasil inteiro, estamos levando a consciência ambiental para as pessoas, tenho a

missão de difundir o projeto nos quatro cantos do mundo e escolhemos a Amazônia como ponto de lançamento porque me identifico muito com o estado”, informa. “Abdiquei de minha família e outras coisas para surfar em locais diferentes, quando venho ao estado passo longas temporadas para que em toda lua cheia e lua nova eu possa surfar na pororoca, dessa forma eu divulgo o estado e faço um trabalho socioambiental, gerando conteúdo e informação. Nosso objetivo agora é compartilhar e mostrar que o esporte é um instrumento de educação, pretendemos acrescentar coisas boas e inspirar as pessoas” explica o atleta. Outro fator que motivou Andrezinho Carioca a vir ao Amapá, foi a vontade de surfar na pororoca amazônica. O atleta pretende pegar a onda mais longa do mundo para um atleta adaptado. “Ele se inspirou no Fernando Fernandes, que esteve aqui no estado e também surfou na pororoca, a meta de Andrezinho é entrar no livro dos record e torço muito para que ele consiga porque as imagens registradas serão exibidas em rede nacional”, finaliza Laus.

Lesões desmontam elenco e comprometem arrancada inicial do Fla no BR Futebol

O

Flamengo tem um incômodo obstáculo para ultrapassar e cumprir a meta de somar 18 pontos no Campeonato Brasileiro antes da pausa para a disputa da Copa do Mundo. O time sofre com as lesões na temporada e contabiliza seis desfalques para o confronto contra o Corinthians, domin-

go, às 16h, no Pacaembu. Os problemas desmontam o elenco frequentemente e deixam o técnico Jayme de Almeida com opções reduzidas para escalar a equipe e montar o banco de reservas. O drama pode ser observado na passagem de pelo menos 11 atletas pelo departamento médico em 2014. Leo Moura, Chicão, Samir, André Santos, Cáceres, Leo, Elano, Gabriel, Everton, Pau-

linho e Hernane já desfalcaram a equipe em momentos distintos. Contra o Corinthians, Elano, Hernane e Leo já estavam fora. Com dores musculares, Chicão, Everton e Gabriel completam a lista de baixas. O técnico Jayme de Almeida tenta não usar a série de lesões como justificativa para um possível início complicado no Campeonato Brasileiro. Porém, o comandan-

Mano sinaliza volta de Paolo Guerrero ao time titular do Corinthians Futebol

O

Corinthians pode ter uma novidade no próximo fim de semana, para a partida contra o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro. Na última quinta, Mano Menezes fez seu primeiro treino coletivo diante da imprensa e sinalizou que Paolo Guerrero deve voltar ao time titular. O peruano, que não começa um jogo como titular desde a partida contra o Comercial, pela primeira fase do

Paulista, foi escalado ao lado de Romarinho, Luciano e Jadson. Guerrero, então, entraria na vaga que foi de Renato Augusto nos treinos do último mês. O meia, machucado, deu lugar a Petros no domingo passado, diante do Atlético-MG. Agora, Mano indica que vai preferi o camisa 9 no setor ofensivo. A opção do treinador foi montar o Corinthians com Jadson aberto pela esquerda, Guerrero e Romarinho mais centralizados e Luciano pela direita. Somente no fim do

Toque de Primeira ANTONIO LUIZ

Colunista alpcampos@hotmail.com Positivo Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) promoveu o V Fórum Atletismo Brasil. Reuniu em São Paulo presidentes de federações, inclusive Aldir Dantas, do Amapá. Negativo Em entrevista concedida a uma emissora de rádio, o irreverente Emerson Sheik detonou o técnico Mano Menezes: “Cara de caráter duvidoso”. A polêmica está lançada! Peixinhos Voadores I

Belíssima festa marcou os 12 anos do projeto que forma cidadãos por meio da natação. Peixinhos Voadores II A ação da Polícia Militar/AP atende crianças e adolescentes em situação de risco social. Brasileirão I Domingão dos clássicos Fogão x Inter, Cruzeiro x São Paulo e Grêmio x Atlético-MG. Brasileirão II Destaque para Corinthians

treino Petros foi utilizado, substituindo Luciano. “Ele [Mano] pediu para a gente se movimentar bastante ali na frente. Para mim não muda jogar com ou sem o Guerrero. Se o professor optar por essa formação vamos nos esforçar ao máximo”, disse Luciano.

x Flamengo, o encontro das duas maiores torcidas do Brasil. V Fórum Atletismo I Discutiu ‘Diretrizes do Plano de Alto Rendimento do Atletismo Brasileiro’, 201416. V Fórum Atletismo II Rolou ‘Programa Atleta na Escola’ e ‘Núcleo de Descoberta e Promoção de Talentos’. V Fórum Atletismo III ‘Utilização de Tecnologia’ e ‘Atividades Técnicas e Planejamento Estratégico CBAt’. Pesquisa Ibope Mesmo aposentado, o palmeirense Marcos é mais popular que o tricolor Rogério Ceni.

te não deixa de lamentar a situação. “Preocupa no sentido de não poder contar com todos. O ideal seria que estivessem em condições. Mas sou uma pessoa que confia no grupo e não fica reclamando. Tenho total confiança em quem vai jogar. Todos possuem o espírito de dar o melhor pelo clube”, afirmou. O atacante Alecsandro diz acreditar que o problema

está relacionado ao número de jogos dos times na temporada. Com tempo reduzido para descanso, boa parte dos jogadores não aguenta e reclama de dores musculares. “Fazemos cobranças para jogar uma vez por semana justamente por um tempo maior de recuperação entre as partidas. Você tem que ganhar na quarta e no domingo. É assim até o fim do ano. Não tem aquele jogo

que dá para jogar mais devagar. Por isso, infelizmente, as contusões são normais em todos os clubes do Brasil”, encerrou. Chicão, Everton e Gabriel devem voltar aos treinamentos na próxima semana. Já Elano, Leo e Hernane seguem em recuperação de problemas mais graves e não têm prazo concreto de retorno ao grupo de relacionados por Jayme de Almeida.

Agnaldo lamenta agressão aos jogadores no Baenão DIVULGAÇÃO

Futebol

O

Corinthians pode ter uma novidade no próximo fim de semana, para a partida contra o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro. Na última quinta, Mano Menezes fez seu primeiro treino coletivo diante da imprensa e sinalizou que Paolo Guerrero deve voltar ao time titular. O peruano, que não começa um jogo como titular desde a partida contra o Comercial, pela primeira fase do Paulista, foi escalado ao lado de Romarinho, Luciano e Jadson. Guerrero, então, entraria na vaga que foi de

Futsal Indígena I III Copa de Futsal Universitários Indígenas atraiu 09 etnias ao ginásio Avertino Ramos. Futsal Indígena II Promoção da Secretaria Desporto e Lazer, com direito a água, lanche, troféu e medalha. Arena Corinthians Alvinegro consegue mais uma mudança e estreia do estádio passa para o dia 18 de maio. Handebol Feminino I Campeonato Brasileiro – Zonal Norte começa na próxima quarta-feira em nossa capital. Handebol Feminino II Cinco clubes representam o

Renato Augusto nos treinos do último mês. O meia, machucado, deu lugar a Petros no domingo passado, diante do Atlético-MG. Agora, Mano indica que vai preferi o camisa 9 no setor ofensivo. A opção do treinador foi montar o Corinthians com Jadson aberto pela esquerda, Guerrero e Romarinho mais

Amapá e são aguardas agremiações do Amazonas e Acre. Handebol Feminino III A importante competição vale vaga para a disputa da Etapa Nacional, em Pernambuco. Liga dos Campeões Terça e quarta-feira de fortes emoções para se conhecer os finalistas da Copa Europeia. Curso de Tiro I Acontece de 30 Abril a 04 Maio e tem como instrutora a Coronel Palmira Bittencourt. Curso de Tiro II Inscrições até esta segunda-feira no Protocolo da Polícia Militar do Estado do Amapá.

centralizados e Luciano pela direita. Somente no fim do treino Petros foi utilizado, substituindo Luciano. “Ele [Mano] pediu para a gente se movimentar bastante ali na frente. Para mim não muda jogar com ou sem o Guerrero. Se o professor optar por essa formação vamos nos esforçar ao máximo”, disse Luciano.

Demagogia Deputados da Comissão do Esporte querem lucro da Fifa com a copa para formar atleta. Ciclismo I II Etapa Campeonato Estadual 2014 ocorre na Rodovia AP 070, Curiaú. Este domingo! Ciclismo II Antonio Carlos Silva e equipe da federação organizam a logística e segurança da prova. Você Sabia? Considerados os torcedores mais violentos do mundo, “barrabravas” argentinos estão a caminho do Brasil e preocupam os responsáveis pela segurança da Copa do Mundo.


Geral

Macapá-AP, domingo, segunda-feira, 27 e 28 de abril de 2014

C3

Editora: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Obra de revitalização da adutora gera transtorno no trânsito do Pacoval

Ação foi realizada nas proximidades da ponte Sérgio Arruda, início da Rua Mato Grosso, principal elo de acesso entre as zonas norte e sul Fábio Gomes Da Reportagem

N

a manhã deste sábado (26), foi realizado uma ação conjunta com a participação da Secretaria Municipal de Obras do Município (Semob), Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Batalhão de Policiamento de Trãnsito (BPTran) e Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac), que trabalharam para a melhoria da população em Macapá. A ação foi realizada nas proximidades

da ponte Sérgio Arruda, início da Rua Mato Grosso. Por conta da falta de alternativas para escoar o trânsito, a circulação de veículos foi dificultosa. A obra a princípio foi desenvolvida pela Prefeitura de Macapá, por meio da Semob, visando à reposição asfáltica em determinados trechos que estão desprovidos da camada, propiciando acidente no local. Sendo assim, o governo do estado se propôs a revitalizar naquele trecho a estrutura de distribuição de água, firmando então, uma parceria com a prefeitura. Carlos Melo, diretor Operacional da Caesa, diz que a ação em conjunto buscou evitar transtornos para os moradores, além daqueles que a própria obra em si gera. “Com este trabalho em conjunto não teremos que destruir malhas viárias para realizar a revitalização das adutoras, agora realizamos o trabalho da Companhia de água e em seguida a prefeitura fecha com a reposição asfáltica”. afirma. Com as obras, a principal

via de acesso que liga a zona norte ao centro da cidade foi interditada e a travessia de veículos foi alterada transformando a ponte Sérgio Arruda em uma via de duplo sentido, sendo reestabilizado o sentido após a feira do produtor do bairro Pacoval. Para que esta ação fosse bem sucedida, foram montadas barreiras nas proximidades do semáforo que se localiza na escola Ruth Bezerra, operação esta que foi desenvolvida e executada pelo BPTran e pela CTMac. A prefeitura de Macapá que é a precursora da ação trabalhou com quatro equipes de seis pessoas cada e mais 11 pessoas que também trabalhavam, totalizando 35 envolvidos na obra de tapa buracos no local. Rogério Cardoso ressalta que esta obra foi pensada bem recentemente, mas que irá proporcionar um bem para aqueles que transitam na via e beneficiará aqueles que precisam das obras da Caesa também. “Nós estamos trabalhando na pavimentação

Até 2015, toda a frota de ônibus de Macapá será acessível, afirma CTMac Caroline Mesquita Da Reportagem

P

ara realizar o cumprimento da determinação da Lei da Acessibilidade, através do Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004, que estabelece o prazo máximo de 120 meses para a completa adaptação dos veículos, a Companhia de Trânsito de Macapá (CTMac) informou que até o dia 1 de janeiro de 2015 toda a frota de ônibus da capital estará adaptada com acessibilidade para deficientes. De acordo com o Diretor de Transporte da CTMac, Michel Braz, atualmente 70% da frota já possui esta adaptação e até dezembro de 2014 é o prazo máximo para preencher os outros 30%. “A partir de janeiro de 2015 não rodará nenhum ônibus que não estiver adaptado. Isso é uma lei e devemos respeitá-la. Houve um prazo de 10 anos

para as concessionárias realizarem as adaptações. É necessário dar aos deficientes o acesso aos mesmos bens e serviços disponíveis para os demais cidadãos”, reforçou. Os itens obrigatórios de acessibilidade nos ônibus são compostos de plataforma de elevação, barras de identificação com sinalização para deficientes audiovisuais, bancos preferenciais, cadeira de transbordo, cinto de segurança, vão livre, pega-mão, cestos de lixo, apoios de braço e iluminação dos degraus, entre outros. Beneficiando toda a população. A CTMac pretende também aumentar a frota de ônibus. Atualmente há 163 veículos e 5 operadoras. A proposta é aumentar no mínimo para 180 a 200 veículos, porém existem alguns entraves neste processo. “Já fizemos o planejamento e estamos com um novo projeto para

o transporte coletivo, mas tudo exige um custo. Esse sistema que temos hoje não suporta mais a necessidade da população”, disse Braz. Segundo Michel, há um imbróglio judicial sobre o transporte coletivo em que a antiga gestão concedeu uma permissão de dez anos para realizarem o serviço, sem fazer licitação. A Prefeitura já entrou com um processo de cassação dessa permissão e espera que este ano esse processo judicial seja resolvido. “Já temos um plano para implantar um novo sistema de transporte coletivo. Não adianta colocar novos ônibus em um sistema que está obsoleto. O Brasil todo tem mudado de transporte. Fazendo uma comparação, Macapá é equivalente há um bairro de São Paulo, então não é possível que não conseguiremos resolver o problema de um simples bairro”, concluiu.

ERICH MACIAS

COM AS obras, a principal via de acesso que liga a zona norte ao centro da cidade foi interditada

das vias dentro da cidade de Macapá, e um dos pontos em questão era o que fica nas proximidades da

Cinebiografia do escritor Paulo Coelho ganha seu primeiro trailer

A

cinebiografia do escritor Paulo Coelho, “Não Pare na Pista A Melhor História de Paulo Coelho”, ganhou o seu primeiro trailer. Com estreia prevista para o dia 14 de agosto, o longa narra a vida do autor antes de se tornar um escritor de sucesso, incluindo a parceria com o músico Raul Seixas. Paulo é interpretado pelo ator Júlio Andrade (o Gonzaguinha de “Gonzaga - De Pai para Filho) e seu irmão Ravel, que dá vida ao autor em sua fase mais jovem. Raul Seixas é vivido por Lucci Ferreira, o vilão da novela “Amor Eterno Amor” (2012). A direção é de Daniel Augusto, estreante em longas de ficção.

Centro de Superdotados comemora oito anos Andréa Maciel Da Reportagem

O

Centro de Atividades em Altas Habilidades/Superdotação (CAAH/S) realizou nesta sexta-feira 25, em sua sede, uma confraternização em comemoração ao aniversario de 8 anos da instituição que atua com pessoas superdotadas da rede pública de ensino, no Estado do Amapá e qualifica docentes a identificar essas crianças. A atuação do CAAH/S é diretamente com o aluno de inteligência considerada acima da média, que são identificados principalmente pelos familiares, porém ainda é um número muito pequeno devido à dificuldade que os profissionais têm em fazer este reconhecimento, neste contexto o centro desenvolve palestras e oficinas nas escolas e em sua própria sede para orientar, qualificar os discentes no reconhecimento de superdotados. “Quanto à média de

crianças superdotadas, infelizmente essa média é pequena, algumas vezes o professor tem receio de indicar o aluno por achar que este, deve ter todas as características de um superdotado, mas na verdade não é bem assim, às vezes ele apresenta somente algumas, e mesmo assim é considerado superdotado. O aluno não precisa ser ótimo em todas as disciplinas para estar acima da média e através das nossas palestras e capacitações, procuramos desmistificar um pouco de quem realmente é esse aluno para o público em geral”, afirma a Diretora. A Gerente do Núcleo de Educação Especial da Secretaria de Estado da Educação do Amapá, Lucia Valente, acredita que o trabalho desenvolvido pelo CAAH/S é de extrema importância. “Prepara nossos professores através de um processo de formação para que consigam fazer a identificação desses alunos com o potencial mais elevado, nas

próprias escolas, trabalhando diretamente nos locais de ensino, além de realizar o acompanhamento das famílias desses alunos”, explica. A diretora da instituição sinaliza três principais características que auxiliam na identificação de alunos superdotados: a primeira é que a criança possui uma criatividade mais avançada, mesmo ficando muito quieto em sala de aula, quando ela resolve falar, faz perguntas que até constrangem o professor pelo grau de dificuldade; outra característica é a persistência com a tarefa, fica até tarde da noite escrevendo tentando resolver os deveres, quando tem uma festinha infantil a criança prefere ficar em casa fazendo os deveres por que gosta; e por último é uma criança que tem uma habilidade a mais, algum talento especial, se destaca entre os outros. No Estado existe uma base atualmente de 50 alunos atendidos pelo centro nos dois turnos. O

CAAH/S possui 32 funcionários incluindo serventes, professores, pedagogos, assistentes sociais, parte administrativa, entre outros. Para ser atendido, basta que o aluno sinalizado como superdotado estude na rede pública de ensino e assim, familiares, professores ou diretores podem procurar o centro solicitando o atendimento. As crianças da rede privada de ensino não são atendidas, mas a escola interessada pode receber orientações para saber como proceder com esse aluno. A programação ocorreu somente pela parte da manhã, com várias apresentações dos discentes das escolas do estado que são atendidos pelo centro; representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed) e docentes, falando sobre o trabalho do CAAH/S, comemorando seus 8 anos de existência no estado do Amapá e finalizando com os parabéns, juntamente com os comes e bebes.

ponte Sérgio arruda, então como a Caesa já possuía uma programação para realizar naquele local, entra-

mos com a parte asfáltica e cada um faz a sua parte e quem ganha é a população”, finaliza Rogério.

A morte como espetáculo DORIEDSON ALVES

A

FILÓSOFO

morte da vida humana, na maioria das culturas, é um momento de reflexão, comoção, solidariedade, e também de recordação. A existência (o vivido), como tempo de vida que se processa em dado espaço, está irremediavelmente ligada ao seu término (o morrido), num tipo de dualismo universal. Ou seja, o indivíduo vivo é, sempre e impreterivelmente, aquele que um dia irá morrer. No entanto, paradoxalmente, esses dois princípios antagônicos parecem, a nível de definição, elementos complementares: todo começo depõe para ocorrência de um fim e, portanto, para ausência. E é justamente esse conceito de ausência, pensado enquanto algo irrecuperável, o maior desafio do ser humano, em sua convivência com a ideia da morte. Contudo, quando pensamos a questão da inexistência e finitude, logo nos sobrevêm à memória, saudosa, os que já se foram. A conciliação entre finitude e perenidade parece, até certo ponto, coisa possível apenas aos deuses – esses seres imaginados, possuidores da imortalidade, senhores do tempo. Contudo, o perecimento carrega consigo a marca do inevitável e, concomitantemente, irremediável sentido de “destino do humano”. Agora, se a morte é a expressão mais autêntica e real do ato de viver, ao ser reduzida a mero espetáculo midiático, acaba se convertendo, então, na encenação futilizada das experiências convertidas em manipulações da sensibilidade. Houve períodos em que expor cadáveres na mídia (telejornais, revistas, jornais etc.) era algo extremamente condenável, logo, associado a ações desrespeitosas, animalescas, degradantes: o ser humano deveria ser respeitado em seus instantes derradeiros. Nesse sentido, corpos mutilados, desfigurados, expostos a diversos tipos de violência, não poderiam desfrutar de exposição pública, principalmente televisiva, por causa do empobrecimento e vulgarização da experiência humana. Era época em que se considerava a morte, de certo modo, como momento sagrado de transição entre o mundo físico e o espiritual, portanto, sob a jurisdição da sacralidade, conjugada a uma série de práticas ritualísticas: funerais, velórios, enterros, luto etc. Não que isso tenha sido completamente abandonado, mas foi deixado em segundo plano. Agora, a sua espetacularização ostensiva desencadeia, quase indistintamente, encantamento, atração, mística expositiva, diversão. Por isso, os corpos já sem vida são exibidos, celebrados, desejados, expostos continuamente. Ora, eles são elementos expressivos de uma mídia caçadora da desgraça alheia. Não há nenhuma cons-

ternação, apenas sensacionalismo barato, teatral, espetacular, sem os quais o fim da vida não seria mais tão atraente para o grande público. Qual seria, então, a lógica por trás da “espetacularização da morte”, dentro da ótica sensacionalista? Certamente, não é elaboração de um modelo humanístico, em que o homem se faz valor por ser, essencialmente, subjetividade viva. Por outro lado, defender, com isso, a necessidade de naturalização da não-vida, fenômeno natural por excelência, nada mais é do que pura vulgarização apologética. Nesse bojo se tem, excessiva e longamente, o processo de insensibilização. Sendo assim, a imagem do morto é vendida, sob a forma de produto mercadológico e midiático, ligado, também, ao sentimento de presença do expectador, isto é, é a confirmação de que o falecido não “sou eu”. Desse modo, a curiosidade conduz a visão do fim do não-eu. Logo, o corpo moribundo, desfalecido, desfigurado, adquiri a condição de objeto atrativo, ao se tornar objeto glamoroso, porém, dessacralizado, sem o qual qualquer espetáculo seria impossível. Eis, portanto, o desespero da perda substituído pelo apego ao entretenimento do desfalecimento que, nessas circunstâncias, assume a performática do produto midiático solenizado enquanto resgate do real; no entanto, se tornando culto a depravação da existência, já extenuada pelas repetições incansáveis das diversas mortes retratadas, sob o holofote de quem se contenta, e se diverte, na vitimização do que morreu. Ora, segundo Guy Debord: “O espetáculo é ao mesmo tempo parte da sociedade, a própria sociedade e seu instrumento de unificação. Enquanto parte da sociedade, o espetáculo concentra todo o olhar e toda a consciência”. Porém, vida e morte são faces da mesma moeda, ou melhor, do homem em seu estado de valor universal. Assim se depara o mortal com sua, sempre presente, ausência de imortalidade, com todo peso que ela traz consigo, sua fatalidade. Num primeiro momento o inevitável; no segundo, o desastroso, a impreterível convicção da destruição, levando a aniquilação até o mais sagaz dos homens. É como se reabríssemos a arena do grande coliseu romano, convidando os espectadores para presenciarem a dilaceração de quem não consegui negar a própria sorte, acorrentado às feras desumanizadas que os contemplavam, das arquibancadas, glorificando o instante em que cada um será, enfim, exterminado, como objeto de pura diversão de quem olha, sem compaixão, um sujeito sem valor.


Sociedade

LÚCIA THEREZA @luciathereza lucia.ghammachi@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo, segunda-feira, 27 e 28 de abril de 2014

Diagramadora: Maraina Melo - maramiranda@jdia.com.br

Caminhada

Investimento

Secretário Carlos Sergio Monteiro, sempre informando nas redes sociais: “AQUI EM SANTANA, É ASSIM: O Governo do Prefeito Robson, através da SEMASC mobiliza as entidades para conjuntamente organizarem a caminhada pelo dia nacional de combate a exploração e abuso sexual de crianças e adolescente. Parabéns a Secretária Socorro Sandim Góes”

Inauguração Inaugurou na última quinta-feira (24) no Amapá Garden Shopping, mais uma loja grupo Ápice Empreendimentos, na foto o presidente Otaciano Junior, os gerentes das concessionárias Josimar Almeida, Louise Araujo, Gian Mendonça (gerente geral de vendas), Jeniffer Lorraine, Lucinha Nunes e Luis Santos

O

governador do Amapá, Camilo Capiberibe, e o prefeito de Macapá, Clécio Luís, reuniram-se na quarta, 23, em Brasília, com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o ministro das Cidades, Gilberto Occhi, para discutir investimentos em projetos e obras de mobilidade urbana.

P

Igreja Católica em Festa

or estes dias Roma está em festa para celebrar as canonizações de dois Papas que estiveram na Cadeira de Pedro na segunda metade do século XX e que, com os seus testemunhos de fé inspiraram milhões de pessoas em todo o mundo. João XXIII, o impulsionador do Concílio Vaticano II e João Paulo II o Papa peregrino, vão atrair à Cidade Eterna e em especial à Praça de S. Pedro largas centenas de milhares de peregrinos. Espaço na nossa rubrica “Sal da Terra, Luz do Mundo” de hoje para estes novos santos da Igreja e para os preparativos destas canonizações absolutamente únicas. Os beatos João XXIII e João Paulo II serão, a partir de domingo 27 de abril, santos da Igreja Católica, elevados assim à veneração dos fieis. Um momento, desde logo, muito importante para a diocese de Roma como declarou o Cardeal Agostino Vallini na conferência de imprensa de apresentação desta celebração: “É essencialmente uma mensagem espiritual, porque é a festa da santidade. A relação que João XXIII e João Paulo II tiveram com a Igreja de Roma, da qual eram bispos, é uma relação muito profunda, começando pelo estilo com o qual eles exerceram seu ministério, um estilo de proximidade, acolhimento e atenção para com as pessoas, para com os homens enquanto tal.” “A canonização é uma graça de Deus, que o Senhor nos faz mostrando-nos como modelos de vida cristã dois homens de fé. Vamos percorrer este caminho, caminho de uma espiritualidade mais intensa. Este é o sentido com o qual nos preparamos para este evento.” Várias são as atividades e formas de comunicação que estão muito ativas na difusão deste acontecimento: O portal está disponível em várias línguas e há uma conta no twitter @2popesaints. A canonização dos dois beatos também conta com uma presença no YouTube e no Facebook. Existe também a aplicação “Santo já!”, dedicada a Karol Wojtyla. Entretanto, foi ontem durante toda noite realizadas vigília de oração nas paróquias de Roma. Hoje dia 27, domingo, com o Papa Francisco serão cerca de mil os concelebrantes entre cardeais e bispos, e pelo menos 700 os sacerdotes que distribuirão a Comunhão na Praça São Pedro. Depois da eucaristia, será possível venerar os túmulos dos dois novos santos.


MACAPÁ-AP, DOMINGO, SEGUNDA-FEIRA, 27 e 28 de abril de 2014

Carro&Moto

Ápice Empreendimentos Inaugura a sua mais nova loja D2 e D3 Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Chevrolet apresenta nova geração do Cruze no Salão de Pequim Nova geração do sedã recebeu gama inédita de motores Ecotec e ficou com visual próximo ao de um cupê

Onix é o carro mais vendido na primeira quinzena de abril IG/carros DIVULGAÇÃO

Revista Auto Esporte

D

epois de alguns flagras, a Chevrolet apresentou oficialmente, o novo Cruze. De acordo com a GM, o sedã terá uma gama inédita de motores Ecotec. São eles um 1.4 turbo de 150 cv com injeção direta e um 1.5 aspirado de 113 cv. Segundo a montadora, um dos trunfos da nova geração é a economia de 14 a 21% de combustível trazida pelo novo conjunto mecânico. Conforme divulgou a

CONFORME divulgou a marca, os novos propulsores poderão ser combinados com três caixas de câmbio

marca, os novos propulsores poderão ser combinados com três caixas de câmbio. A primeira é uma transmissão DCG de dupla embreagem e sete velocidades, a segunda é uma caixa manual de seis mar-

chas e o terceiro e último trata-se de um câmbio S6 automatizado de seis trocas. Visualmente, o veículo ficou com mais cara de cupê, na intenção de melhorar sua aerodinâmica. As rodas foram mais afas-

tadas, reduzindo as proporções dos eixos dianteiro e traseiro. A grade dianteira aumentou horizontal e verticalmente e o logo da marca passou a ser posicionado na parte mais fina da grelha.

D

epois de ser ultrapassado pela dupla Fiat Palio e Strada e cair para a terceira posição no ranking de vendas de março, o veterano VW Gol parece que ainda vai sofrer com as investidas de outros concorrentes. Segundo dados da Fenabrave, federação que reúne os distribuidores de veículos, nos primeiros quinze dias de abril, quem ocupa, por enquanto, o posto de carro mais vendido é o Onix. O hatch da Chevrolet emplacou 6.832 unidades, contra as 6.512 do VW Gol, que segue na segunda posição. O Fiat Palio vem logo atrás, com 6.483, seguido da Strada, que vendeu 6.111. A diferença entre os quatro primeiros colocados é bem é pequena, o que sugere que até o fechamento das vendas deste mês qualquer um deles pode assumir a dianteira do ranking. Para ter uma ideia, entre VW Gol e Chevrolet Onix, há uma diferença de apenas 320 carros, distância que pode ser facilmente batida pelo hatch alemão, com uma política mais agresssiva de preço e melhores condições de financiamento. Essa pelo menos tem sido a estratégia adota-

da pela Chevrolet para seu compacto. Com os estoques em alta, a montadora tem feito constantes feirões e oferecido taxas de juros baixas para a aquisição do Onix. Mas não pense que a Volks está assitindo a tudo impassível. A marca acaba de lançar a linha 2015 do Gol, que mudanças na lista de equipamentos. Para fazer frente a concorrência, a alemã tratou de oferecer mais conteúdo para versão de entrada do hatch, Trendline, que agora conta com direção hidráulica, e ao mesmo tempo promoveu um pequeno ajuste de R$ 270. Vamos ver se isso é o suficiente para devolver ao Gol a liderança do mercado nacional. Os 5 mais vendidos da quinzena Chevrolet Onix - 6.832 unidades VW Gol - 6.512 unidades Fiat Palio - 6.483 unidades Fiat Strada - 6.111 unidades Fiat Uno - 4.952 unidades Hyundai HB20 - 4.491 unidades.


Sociedade Ápice Empreendimentos inaugura Loja Conceito no Amapá Garden

O

grupo Ápice Empreendimentos traz mais uma novidade aos seus clientes no Estado do Amapá. Inaugurou no último dia 24 de abril no Amapá Garden Shopping, mais uma loja. A Ápice Empreendimentos é uma holding que administra um grupo de concessionárias que representa as marcas, FIAT, FORD, RENAULT, NISSAN e HONDA, e são elas Betral Veículos, Moselli Veículos, Lagoa Automóveis, Trilha Norte e Safira Motors e atua no segmento de hotelaria com a marca IBIS no Amapá. Em atividade no mercado automotivo há 23 anos e é um grupo de referência no mercado local buscando sempre a máxima satisfação de seus clientes. O momento foi celebrado com um coquetel para receber seus clientes e parceiros comerciais, que puderam conhecer os maiores lançamentos das grandes marcas. De acordo com Gian Mendonça, gerente geral do Grupo Ápice, a ideia foi montar uma loja conceito no Garden Shopping e sair na frente nesse tipo de novidade, uma vez que nenhum outro empreendimento do setor possui tal inovação. “Nossa expectativa é oferecer um atendimento diferenciado, para que os clientes não apenas conheçam os nossos produtos, mas que também possam interagir com nossos veículos. Para você ter uma ideia, fizemos a exposição de motores, componentes mecânicos, acessórios, enfim, são produtos que interessam diretamente aos clientes”, explicou. Gian disse que o ponto, além de servir de exposição dos veículos, também vai funcionar como ponto de vendas. “Estamos oferecendo cinco marcas: Fiat, Ford, Renault, Nissan e Honda, e nossos vendedores estão aptos a tirar quaisquer dúvidas quanto aos produtos, inclusive oferecer test drive para os mais interessados e avaliação de seminovos”, disse. Segundo Gian, apesar da loja estar dentro de um shopping, o clima experimentado pelos clientes será como de uma oficina de alto nível. “A ideia é justamente essa. Passar esse clima vivido nas concessionárias para o cliente”, destacou. O presidente do Grupo Ápice, Otaciano Júnior, ressaltou a importância da inovação para o segmento automotivo amapaense. “Muitos clientes ao escolher um veículo querem saber mais sobre seu motor e outros componentes. Aqui nesta loja conceito eles vão poder conhecer tudo isso através de vídeos e também com os produtos ao vivo. Nós estamos totalmente conectados com as nossas lojas e vamos poder fazer tudo, desde pedidos até consultar estoques. É uma loja bem diferente e que tem em poucas partes do Brasil”, concluiu. Confira a cobertura completa.

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 27 e 28 de abril de 2014

Jornaldodia28042014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you