Page 1

FUSION HYBRID

Um recorde

Lançamento já é sucesso nos EUA.

nD2

ANULADA

RODOLFO

Eleição no TRE de MS

Candidatos para 2014

Decisão foi baseada sentenças já precedentes. nA4

Veja a análise feita sobre as possibilidades existentes para o próximo pleito. nA2

Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

Macapá-AP, Domingo e Segunda, 17 e 18 de Fevereiro de 2013 - Ano XXVI DIVULGAÇÃO

• Domingo e Segunda R$ 2,50 • Terça a Sábado R$ 1,50

OPERAÇÃO

Tapa-buracos inicia sem o apoio do governo do Estado Uma nova tecnologia de asfalto será usada no serviço de tapa-buracos em Macapá. A química é fabricada em alta temperatura com tecnologia de aplicação à

frio, o que garante melhor compactação. Apesar da PMM estar buscando parceria com o governo estadual, o mesmo ainda não deu respostas. nB2 e B3 JORNAL DO DIA

TRIBUTOS

IPVA rende R$ 26 bilhões aos cofres estaduais Um aumento de 7,12% em relação à receita do ano anterior, decorrente da inflação acumulada de 5,84% em 2012 e do próprio crescimento da frota. nB4

DIVULGAÇÃO

O chamado asfalto frio foi testado na sexta-feira, em Macapá, e os resultados foram positivos DIVULGAÇÃO

NO BANCO DOS RÉUS

Ex-tenente da PM vai a julgamento final do mês Trabalhadores: real situação nas feiras

EM MACAPÁ

Sentaria no banco dos réus nesta segunda-feira o ex-tenente da Polícia Militar (PM), José Reinildo Carvalho da Costa, de 48 anos. Ele que é acusado de

ter assassinado com dois tiros o funcionário público estadual João Emerson Pinto Gemaque, que a época do crime tinha 37 anos de idade. nB1

Desde o inicio de janeiro, técnicos da Semdec realizam plano de ação nas feiras com o intuito de verificar a situação estrutural e de funcionamento delas e a condição de atuação dos trabalhadores. nB4

DIVULGAÇÃO

Trabalhadores das feiras e mercados são recadastrados

Programa habitacional chega a comunidades quilombolas

HABITAÇÃO

Minha Casa, Minha Vida chega ao interior do AP Ex-tenente Reinildo no momento em que desceu do veículo armado, segundos antes do assassinato

Além do “Minha Casa, Minha Vida Quilombola”, 42 agricultores, na localidade São Pedro dos Bois são beneficiados pelo Programa Territorial de Agricultura Familiar (Protaf). nB4

FAF 2013

Falta organização no Futebol Amapaense Não é a vontade de vencer que importa, todo mundo tem isso. O que importa é a vontade de se preparar para vencer. Paul “Bear” Bryant, técnico de futebol. É com esse discurso, que os Presidentes dos Clubes do Futebol Amapaenses saíram da sala de reuniões da Federação Amapaense de Futebol (FAF), na tarde da ultima sexta-feira, 15. Por que dos dez Clubes inscritos na competição, apenas sete deles se encontraram. nA6

X

Clássico Carioca Flamengo e Botafogo hoje no Engenhão nA7

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


JD

Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Os jovens candidatos para 2014 RODOLFO JUAREZ

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

A

s Eleições Nacionais de 2014 estão com o primeiro turno de votação marcado para o dia 05 de outubro daquele ano e o segundo turno de votação para o dia 26 do mesmo mês de outubro. Nestas eleições nacionais são escolhidos o presidente e o vice-presidente da República, o que justifica as ações políticas que já estão sendo efetivadas, de forma escancarada, por aqueles que pretendem disputar o cargo, ou os cargos, mais importantes do país. Nestas eleições nacionais também serão eleitos o governador e o vice-governador dos estados; um senador e deputados federais para o Congresso Nacional e deputados estaduais para as assembléias legislativas. No Distrito Federal os eleitores elegem os deputados distritais equivalentes aos deputados estaduais, com a mesma atribuição e, naturalmente com as mesmas responsabilidades. Os partidos políticos, desde o começo do ano, já se movimentam para reforçar os seus quadros, indo atrás de eleitores, com potencial para ser candidato, que já tiveram desempenho eleitoral testado, ou já demonstram ter potencial e que estão na faixa etária dos 35 anos.

A filiação, nesse caso, ganha importância especial, pois é através dela que os partidos podem, agora, estar preparando uma equipe reforçada de candidatos para ganhar densidade eleitoral e apresentar bom desempenho na campanha. Os “garimpeiros” de candidatos já estão trabalhando. Segundo eles os futuros filiados precisam ser animados. A desilusão com os políticos está afetando a confiança dos eleitores na política e nos partidos. São poucos os que acreditam que podem modificar esse quadro e, provavelmente por isso, acabam por desistir das carreiras políticas e nem começando uma proposta que poderia ser, além de boa, modificadora. Aqui no Estado do Amapá, onde além do governador e do vice-governador, serão eleitos: um senador, oito deputados federais e vinte e quatro deputados estaduais, o resultado das eleições de dois mil e dez têm, de certa forma, animado os novos candidatos, ou os candidatos novos, que viram os jovens vencerem as eleições e vencerem bem, tanto que o Amapá está hoje, com um governador jovem, uma vice-governadora jovem, o senador mais votado, jovem; o deputado federal

mais votado, jovem; e o deputado estadual mais votado, também muito jovem para os padrões até agora experimentados. Os partidos sabendo disso devem trabalhar em filiações específicas, com perfil que caiba nos jovens. Essas filiações, como o primeiro turno da eleição será realizado no dia 5 de outubro de 2014, precisam ser feitas até o dia 4 de outubro de 2013, ou seja, daqui a praticamente, sete meses, ou seja, já precisa de um bom plano para garimpar os futuros candidatos aos cargos e imaginar que os candidatos com idade até quarenta anos terão a preferência do eleitor. Se mantida a vontade da maioria dos eleitores em renovar, não só com relação à troca de pessoas, mas com relação à juventude, procurando melhorar as condições da gestão pública daqui, que está na faixa crítica

em todas as avaliações, as chances dos jovens devem permanecer para 2014. Para levar a mensagem aos 450 mil eleitores, distribuídos pelos 16 municípios, as estratégias dos partidos já precisam ser modernizadas, de sorte que possam responder às necessidades e para que não tenham, ao final das apurações, as surpresas que se acostumara a ser anunciadas ao final de cada eleição. A vontade do eleitor não é de mudar simplesmente, se perceber que o eleitor quer mudanças objetivas, reais, que cheguem até a sua porta. Já não concordam os eleitores, com os velhos modos adotados e que fizeram deles apenas instrumentos para garantia de emprego de um grupo de pessoas que não têm compromisso com o futuro das cidades daqui e com o futuro do próprio Estado.

Privacidade: o preço pode ser a solidão! VANESSA FREITAS

Palestrante, consultora de empresas, escritora, professora universitária, executive coach, apresentadora do programa “Espaço da Mulher” e diretora da melhoRH consultoria. Escreve aos domingos no JD.

S

im, eu sei que todos nós somos cheios de costumes (é claro que somos). Também sei que outros mais e alguns menos possuem “manias” recorrentes, além de possuírem um forte traço de sua personalidade dominante podendo querer manter determinados aspectos de sua vida cotidiana como em um quartel general. Isso tudo eu sei, o que preciso saber nesta leitura com você, é se está preparada pelo preço que a vida nos cobra para manter esta tal privacidade? Conheço inúmeras pessoas que temem o casamento e a vida a dois pelo receio da desestabilização na sua vida pessoal. Os motivos são os mais variados e divertidos (pelo menos para mim), alguns dizem que: - Não conseguem dormir do lado esquerdo da cama; - Não conseguem dividir o banheiro (e quem precisa?); - Não “querem” que outras pessoas desorganizem os seus armários; - Não “querem” ser incomodados enquanto dormem; - Não aceitariam ser surpreendidos por parentes do companheiro em um domingo;

- Não estão dispostos a abrir mão de seus “estilos de vida” (eu também não!); Tantas “desculpas” para não evoluir neste paradigma social sobre convivência, pois é claro, que é muito mais fácil se pudéssemos ter o controle de tudo. Mas não fomos “preparados” para vivermos sozinhos, entende? Por mais bonito que seja o discurso de quem “acha” que está com a autoestima lá em cima (tudo besteira isso), gente que é gente, precisa mesmo é de beijos na boca, de orgasmos intensos (uau! adoro essa parte da vida a dois), de abraços na chegada ou na partida, de uma palavra na hora da decepção, precisamos nos sentir conectados com outra vida para que a nossa tenha sentido, compreendem isso? Tenho um cliente de cinquenta e oito anos que me disse não querer mais uma companheira em sua “casa”, por que não poderia se masturbar diariamente como gosta de fazer e eu perguntei; - Por quê não? - Ela não aceitaria Vanessa! Genteeeeeeee!!! E precisa saber? Vai para o banheiro, tranca a

porta, simplifica isso meu povo! Talvez com uma companheira dentro de casa, nem seja preciso esta masturbação diária, vocês não acham? Como as pessoas complicam a vida! Ninguém precisa mudar “tanto” a vida para esta convivência saudável que podemos ter. Eu confesso que não gosto de carne vermelha e só a como no máximo duas vezes ao mês. Mas o meu namorado é mega carnívoro e daí? Ele come carne e eu como peixe! Atividade física na vida dele é um valor e não se faz necessário explicar por que ele opta em chegar tarde da academia, mesmo quando eu acabo de chegar à cidade onde ele mora. Para mim é uma escolha pessoal ligada a valor. Simples assim! Que chato viver dando explicações do que você gosta ou não! Agora precisa “comunicar”, isso sim! Ninguém é capaz de adivinhar nada, exceto as cartomantes trambiqueiras que existem por aí (rsrsr). Se ele quer ir à praia e você quer ver TV. Qual o problema? Ou cede, ou fica vendo TV. E não reclama, por favor!!! Isso nada tem a ver com viver a dois, tem a ver com a sua insegurança em permitir que o companheiro vá a algum lugar sem você. Uma coisa que

nós nos esquecemos de lembrar na hora do ciúme é o fato de que a pessoa que está conosco era LIVRE para escolher quem quisesse e escolheu justamente você. Entende isso? Se você acredita que não tem vocação para administrar os conflitos (sempre existirá conflitos em qualquer convivência), sugiro se perguntar de verdade; - Suportarei ficar sozinho o resto da minha vida, apenas para não ter que ver a pia da cozinha cheia de louças antes de dormir? Consegue contrariar os desejos da sua alma, para sobrepor aos desejos da sua ordem pessoal? Vale a pena? Lembre-se da ultima vez que se sentiu sozinho... É nesta hora que precisamos de alguém de carne e osso ao nosso lado. Esta “fome” de presença dinheiro nenhum pode comprar. O dinheiro compra companhia momentânea, companheirismo de verdade tem que ser conquistado. E o preço á pagar pode ser a sua desorganização pessoal (só um pouquinho). Confesso que entre privacidade e beijos apaixonados, eu prefiro os beijos, opto pela casa desarrumada e meu coração em ordem. A vida é muito curta para se preocupar com chinelos, pias de cozinha, banheiros desarrumados e meias na sala. Excelente reflexão!

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994) Diretor Executivo: Marcelo Ignacio da Roza Diretora Corporativa: Lúcia Thereza Pereira Ghammachi Assessoria Jurídica e Tributária: Américo Diniz (OAB/AP 194) Eduardo Tavares (OAB/AP 27421) Editor-Chefe: Janderson Cantanhede Gerente Comercial: Andrew Gustavo Cavalcante dos Santos CONSELHO EDITORIAL Presidente: Aldenor Benjamim dos Santos

Secretário Executivo: Marcelo Ignacio da Roza

Conselheiros: Carlos Augusto Tork de Oliveira

José Arcângelo Pinto Pereira

Danieli Amanajás Scapin

Luiz Alberto Pinto Pereira

Janderson Carlos Nogueira Cantanhede

Maria Inerine Pinto Pereira

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br comercialjd.2011@gmail.com mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representante comercial Grupo Pereira de Souza – GPS Matriz - Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2544.3070; Brasília/DF - Tel.: (61) 3226.6601; São Paulo/SP - Tel.: (11) 3259.6111; Belém/PA Tel.: (91) 3244.4722 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

A2

Análise

N

A hora da política

o Brasil e no mundo, a política está em baixa. Apesar dos avanços da nossa democracia, aqui o Congresso Nacional poucas vezes esteve tão desprestigiado. É bem verdade que a responsabilidade disso, em boa parte, é do próprio parlamento. Atravessamos um momento crítico. Há quem diga que falta representatividade ao Legislativo. A crítica é exagerada, mas vem no momento em que a atividade política é vista em um patamar menor da vida nacional. Isso é absolutamente lamentável. Afinal, é no Congresso que está o germe da nossa democracia: o princípio do respeito à vontade popular. Ora, é o eleitor quem escolhe seus representantes. Assim como o Executivo, o Legislativo passa periodicamente pelo teste do voto. Mas, se falta compreensão de parte da opinião pública sobre o que fazem os congressistas, a responsabilidade é nossa. Precisamos reconstruir a agenda nacional e fazer política com pê maiúsculo. O Legislativo entrou 2013 sem ter fechado 2012. Sequer foram cumpridas suas obrigações mínimas. Senado e Câmara não fizeram seu dever de casa. Faltou votar o Orçamento, os vetos à nova lei dos royalties do petróleo, ou mesmo a que define as regras de distribuição do Fundo de Participação dos Estados. Isso só para falar em três projetos que são fundamentais para o Brasil aprofundar seu desenvolvimento econômico e social. A hora é de o Congresso retomar a mãe de todas as

reformas: a reforma política. Passou a hora de Senado e Câmara aprovarem-na. Essa não é uma atribuição do Executivo ou do Judiciário. É do exclusiva do parlamento. O voto está sem valor. E isso é decorrência do Congresso não vir cumprindo a sua parte. Perguntam-me: quem não quer a reforma política? Eu digo que são os maus políticos. Senadores e deputados não vão conquistar a respeitabilidade que sonhamos senão fizermos a reforma política. Além dessa proposta, incluo pelo menos outras duas reformas necessárias que precisam ser discutidas no Congresso: a Tributária e a do Código Penal, que está caduco. Mas, sem dúvida, a reforma política é a mais urgente. Um dos pontos que merecem destaque é o financiamento de campanha eleitoral. Não é possível manter o sistema de financiamento privado da política brasileira. O peso do poder econômico tem influenciado, nem sempre de maneira positiva, a agenda política. É chegada a hora de o Brasil adotar um sistema de financiamento público. Nos últimos anos, com os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff à frente do Executivo, o Executivo ganhou o reconhecimento da sociedade, como atestam pesquisas de opinião. O Judiciário também agora é mais respeitado. Mas o parlamento perdeu credibilidade e prestígio. É chegada a hora de assegurar que a atividade política volte a provocar a admiração do nosso povo. (Jorge Viana)

Hora-Hora

Açaí Um empresário paraense adquiriu uma boa área na Grande Macapá e vai levantar uma fábrica industrial, para a exportação de polpa de açaí. Produção Na fabrica, estão sendo instaladas 30 máquinas, com as quais o empresário pretende cumprir um contrato de entrega de 2 mil litros de açaí por dia, para uma grande rede de supermercado de Macapá e Belém. Concorrência Para não ficar nas mãos dos atravessadores, comprou uma área com 100 mil pés de açaí. O excedente da produção pretende colocar no mercado macapaense, com preço bastante competitivo. Quebradeira Com a saca do açaí a R$ 300,00, mais os custos de frete, consumo de energia elétrica e prestação de aluguel, muitos donos de batedeiras estão encer-

rando suas atividades. Não conseguem mais vender o produto a R$ 10,00 o litro, o que daria apenas para cobrir os custos. Alternativa A nova fábrica de açaí está recrutando funcionários e promete pagar R$ 3 mil para o chefe de produção e R$ 750,00 para o batedor de açaí, mais comissão. Pé de guerra Com direita enfraquecida, próxima eleição no Amapá pode registrar conflito sangrento à esquerda. Pela intensidade dos primeiros disparos, a coisa vai ser feia. Prioridades Agora que o prefeito Clécio Luis finalmente anuncia o início da Operação Tapa Buracos em Macapá, expectativa da população é sobre quais serão as prioridades da prefeitura. Ou seja, quais as primeiras crateras a serem fechadas. As opções são fartas.

MINUTOS

Rede - Senador Randolfe, apesar de cortejado, descarta possibilidade de filiação ao novo partido de Marina Silva, que atende pelo estranho nome de Rede Sustentabilidade. Semáforos – Caso não é tão grave quanto o dos buracos nas ruas e avenidas de Macapá, mas prefeito Clécio precisa dar atenção aos semáforos da cidade. A maioria deles com problemas. Torrados – Demora do governador Camilo Capiberibe em anunciar novas mudanças na equipe de governo, para alargar base política, tem deixado gente do primeiro escalão com nervos torrados.

Índice Opinião - A2, A3 Especial - A4, A5 Geral - A6 Sociedade - A8 Dia Dia - B1, B3, B4 Geral - B2 Classidia - 14 Pag.

Esportes - A6, A7 Atualidades - C3 Diversão&Cultura - C4 Carro e Moto - D1, D2, D3, D4 Social Click JD - A8 Economia - E1, E2, E3

Edição número 8131


JD

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

As técnicas do golpe Valdivino Alve

Psicanalista e Psicopedagogo

S

ó os interessados podem desdenhar a operação de desconstrução do Estado — e não só do governo — que se encontra em marcha. Os indícios são claros. O julgamento da Ação 470 saiu dos autos, conforme indica o comportamento do procurador geral da República e de alguns juízes. Na véspera das eleições municipais, ele declarou, de forma explícita, a sua esperança de que o processo influísse no resultado eleitoral. Embora falasse de modo geral, pensava em São Paulo, e com razão. Como sempre ocorreu em situações semelhantes, São Paulo tem sido o centro de todas as conspirações conservadoras no país: é a sede do sistema financeiro e das grandes empresas estrangeiras que operam no Brasil. E são esses interesses que estão sendo contrariados pelo atual governo, mais do que Lula os contrariou. O resultado do pleito mostra que o povo não se deixou conduzir pelo julgamento, como esperava o procurador, e votou no candidato à prefeitura de São Paulo indicado por Lula. Os grandes bancos não deglutiram a queda substantiva dos juros, imposta pelo governo, mediante a mobilização do setor financeiro estatal. A perda de lucros lhes está entalada na garganta. E no Brasil, como se sabe, os bancos são também controladores de grandes empresas, industriais, comerciais e de serviços. Quando se toca nos bancos — e isso vem desde os tempos do Império — a rea-

ção pode ser esperada. Todas as vezes que isso ocorreu, fosse aumentando o recolhimento compulsório de depósitos à vista; fosse pretendendo reforma bancária, que separasse os bancos de depósitos dos bancos de investimento; fosse buscando a limitação das remessas de lucros, para que parte deles se reinvestisse no país, o golpe se armou. Isso não significa que os responsáveis pelos crimes de peculato, de lavagem de dinheiro, de corrupção e extorsão, se tais delitos houve, estejam imunes à punição prevista no Código Penal. Só os néscios por opção, no entanto, não perceberam a sanha persecutória de alguns magistrados, que, em seus votos, deixaram o exercício da razão e, ao deixá-la, comprometeram até mesmo as decisões tomadas. A menos que tudo não fizesse parte de um roteiro anterior, é difícil aceitar que o publicitário Marcos Valério recebesse uma sentença que nem os mais sanguinários assassinos em série costumam sofrer. Acossado e ameaçado de sofrer, na prisão, e de forma exacerbada, o que já experimentou no período de prisão provisória, ele procura, neste momento, envolver todos os que puder envolver, em uma trama que recria, para sua salvação. O enredo fantástico que imagina é o fio de Ariadne de que se vale para sair do lôbrego labirinto em que se encontra. Todas as peças se encaixam para indicar uma conspiração contra o Estado Democrático. Como sempre, há

o fomento de crise entre dois dos Três Poderes Republicanos. Desta vez é entre o STF e o Congresso. O Supremo, por 4 votos contra 4, por enquanto, se arroga o direito de cassar mandatos parlamentares, o que tem sido prerrogativa constitucional das duas casas do Congresso. Falta 1 voto para que se obtenha a maioria, para um caso ou outro. Por isso mesmo, cabe ao presidente do STF convocar o novo ministro Teori Zavacki. Se ele se acha impedido de votar na Ação 470, de que não participou, nada o tolhe de votar nesse caso. Outros fossem os tempos, e a ação não se interromperia por causa da gripe de um ministro, sobretudo porque tem substituto natural no mais recente integrante da Corte. E se Celso Mello se recupera rapidamente, melhor: serão dez juízes a decidir, em lugar de apenas nove. Como disse Cúrzio Malaparte, em Técnica del colpo di Stato, há 81 anos, “da mesma forma que todos os meios são usados para suprimir a liberdade, também todos os meios são válidos para defendê-la”. E a liberdade que devemos defender é a de escolher os deputados, senadores, governadores de estado, além do presidente e do vice-presidente da República, em outubro de 2014. Se a oposição fosse inteligente, defenderia o Estado de Direito. Se está convencida de seus méritos, que espere o pronunciamento das urnas. Democracia é isso: não são os jornalistas nem os juizes que escolhem os governantes. É o povo, na base de um voto de cada eleitor.

Escondida da própria loucura DORIEDSON ALVES

L

Professor

á estava ela, sozinha, perdida, suja, escondida. Com o cabelo desgrenhado, tentava encobrir a face, envergonhada, de quem não se enxergava como alguém digno de ser visto: um sujeito. Agora, ela era indeterminada, inexata, imprecisa. O muro era seu único apoio, enquanto em posição fetal, se protegia do mundo, da curiosidade das pessoas, da indiferença, da inexistência, em uma realidade oculta, silenciosa, perdida. Nesse momento, suas vestes imundas, enegrecidas pelas imundícies de seu “destino” (socialmente fora relegada a marginalização), vestiam um espírito destituído de qualquer tipo de dignidade, por mais ingênua que fosse a consciência perdida. Contudo, imóvel via tudo através dos olhos da loucura de seu mundo insalubre, consumida pela perda contínua da condição humana, nesse momento tornada escória fétida de alguém que um dia nasceu humano. Era como se estivesse excluída de si mesma, tão fora do mundo moral dos outros sujeitos. A punição que se abateu sobre ela é resultado da negação dos valores mundanos, socialmente defendidos; sua demência é aquela trilhada pelos negadores dos padrões de conduta, ostentados como ídolos da civilidade do homem contemporâneo, ao ser docilizado pelas imposições de uma ética destinada à escravização do seu livre-arbítrio. Depois, sendo poeira na sola do sapato dos inalienados, se levanta, em grãos cambaleantes, e vai obstinadamente tomada de ímpeto e assalto, caminhando pelo universo da mulher (que também poderia ser um homem) fragilizada pela indiferença na suave invisibilidade e inconstância de ser alguém anônimo. Então, novamente, ocultará a face surrada (pela fome,

desespero, incerteza) de quem foi abandonado ao acaso, ao léu, ao sabor, da própria insignificância. Alguns diriam, em seu descompromissado simplismo, que é “sua sina”. Seu destino é o nada, consequência da impotência a condicioná-la, moldá-la, ante as encruzilhadas ou entroncamentos de vidas que se cruzam ou se inter-relacionam, embora se ignorem – se entreolhando mas não sendo vistas – para serem reconhecidas em sua insignificância distintiva. Por isso, não conhece amores, saudades, ressentimentos, apenas o desprezo de seus pares, feitos algozes tecelãs da mortalha, tecida a desdém e nojo, que recobre sua nudez ética degenerada, sórdida, repulsiva, sobretudo quando busca um vil abrigo, ao relento, num chão frio e úmido. No entanto, ela se faz efeito colateral da sociedade que ignora (ou finge não saber) as desgraças dos outros, como se a tudo apreciasse de lugar elevado, distinto, fora da realidade comum. Grande tolice! A loucura é coletiva, universal e, principalmente, sorrateira, cruel, desumana. Por isso, não há nenhuma vontade realmente livre; todas são igualmente condicionadas pelas normas sociais, tradições, hábitos, supertições etc. É um “faz isso”; “não faz aquilo” etc. O que muda são apenas os fatores condicionantes e as condições e, talvez, a resistência ao “eticamente vigente”. Os efeitos, por outro lado, permeiam as diversas facetas do existir, tal qual uma camisa de força tentando conter os atos inconscientes, incoerentes, insanos; imposta a quem se vê livre das amarras restritivas do espírito humano, na compostura alegórica da fantasia de ser embrião fora do útero materno – o mundo civilizado –, para além do sujeito libertado

das algemas reguladores do senso de sua realidade. Por esta razão, a louca mulher se tornou encarcerada, numa prisão sem muros, ali, naquele cantinho junto ao muro, retratando o desconforto de quem não goza de liberdade nenhuma, mesmo aquela elaborada nos salões altivos da inconfidência – lá eles traem a sanidade dos dementes! – de quem deveria, hipoteticamente, zelar por seu bem estar, ou melhor, o salvador dos desmiolados, herdeiro “freudiano” da panaceia desvairada; pois ele irá curar, ouvindo em seu divã pueril, a dor inexprimível daquele indivíduo desprovido de “fala”. A demência a desmantela? Ora, a insanidade lhe fez avulsa, senhora estúpida, fraudulenta, diante da verdade da vida. Talvez, por isso, se tenha tornado presa fácil do ofício de indigente. Nesse sentido, é desvalor projetado no ralo da inutilidade, quase inocente, configurando, em última instância, algo sem utilidade, finalidade, condenado a repugnância do desejo. A consternação que provoca é aquela representada pela penúria de sua condição sub-humana, onde vigora a inconsciência de todo e qualquer ato praticado (ou não), perdido supostamente na impossibilidade de explicação inteligível. Não podendo ser modelada, se dilui no desprezo nutrido pelos ingratos concidadãos que a vem desfilar mancamente pelas vias do mundo urbanizado, em andanças donquixoteanas (contra moinhos de vento) entre as realidades intangíveis de seu viver alienado, desfigurado pela insólida constituição de seu status quo, de louca. Mas esta noite ela dormirá nos colos aconchegantes de Pinel, escondida da frieza dos olhos que não a perscrutam, nos hospícios abandonados das esquinas, onde dormem os excluídos.

A3

A tentação da curiosidade DOM PEDRO JOSÉ CONTI

Bispo de Macapá

O

dia estava muito quente. Um empregado trabalhava duro no jardim do seu patrão. Sem pensar duas vezes, começou a blasfemar gritando contra Adão e Eva porque, pensava, afinal foram eles a causa de tanto suor e fadiga. O patrão ouviu as suas imprecações, aproximou-se dele e perguntou: - Por que estás xingando tanto assim Adão e Eva? Aposto que no lugar deles nós também teríamos feito a mesma coisa. - Eu não - respondeu – irritado o trabalhador – eu teria resistido à tentação! - Veremos – disse o patrão, e o convidou para o almoço. Na hora marcada, o empregado apresentou-se à casa do senhor e foi levado a uma sala onde tinha uma mesa preparada com vários tipos de comida. O patrão lhe disse: - Pode comer tudo o que quiser; somente não deve mexer na vasilha tampada que está no meio da mesa, até a minha volta. O trabalhador, que estava com muita fome, aproveitou bastante da comida. No entanto, morrendo de curiosidade, não tirava os olhos da vasilha que estava no meio da mesa. O que estava escondido lá dentro? O patrão demorava e ele não resistiu. Bem devagarzinho levantou um pouco a tampa. Imediatamente saiu um rato. O empregado fez de tudo para pegá-lo e colocá-lo de volta. Mas a caçada foi difícil. Pratos caíram no chão e algumas cadeiras foram derrubadas ruidosamente. Com a zoada o patrão voltou e disse, sorrindo, ao seu funcionário: - Meu amigo, daqui para frente será melhor xingar menos Adão e Eva, viu? Uma historinha alegre

para refletir sobre um assunto muito sério: a fragilidade humana. Cada um de nós tem as suas tentações e todos os dias experimentamos como é difícil resisti-las. Apesar dos alertas da nossa consciência sobre o erro que estamos para cometer, a tentação se apresenta sempre muito atrativa, fácil, vantajosa e sem perigo. Por que não aproveitar? Um pouco de risco também, muitas vezes, em lugar de desanimar, aumenta a vontade de provar a nossa esperteza. Como resistir? São Paulo diria: Quem me libertará deste corpo de morte? Ele mesmo responde: Graças sejam dadas a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. (cf. Rom 7,24-25). No primeiro domingo de Quaresma, sempre encontramos um evangelho que nos fala das tentações de Jesus no deserto. Tentações terríveis que o acompanharam a vida inteira. O que estava em jogo era a própria missão dele. Jesus podia ter aproveitado da sua fama de “messias” para chegar ao poder, à riqueza, ao inebriante sucesso humano. Com certeza também alguns dos seus seguidores queriam que ele instaurasse um reino poderoso neste mundo. Um reino onde ele seria o mais importante, onde seria deus! Esta é, e sempre será, a tentação de todo ser humano: aceitar ser criatura limitada e, portanto, admitir a própria dependência de Deus, ou querer ser “deuses” e assim travar uma luta sem fim onde o Outro acaba sendo o eterno rival. Desde a primeira tentação apresentada pela Bíblia tudo não passa de um grande engano. Deus oferece ao homem e à mulher um jardim para que sejam felizes, dentro dos limites

de serem “criaturas” amadas por Ele. Na relação de obediência amorosa a Deus realizarão o sentido de suas vidas. Para serem felizes o homem e a mulher devem confiar em Deus. No entanto não pode ter amor verdadeiro sem liberdade e, portanto, sem uma adesão consciente e responsável. É neste ponto que entra em cena o Tentador. Simplesmente ele distorce para o casal a imagem de Deus. Ele não é nada confiável: Mente – não é verdade que irão morrer – e é ciumento, porque não lhes deixa conhecer o bem e o mal, assim nunca serão como Ele. Os dois caem na tentação, duvidando da palavra de Deus. A opção de toda escolha não é simplesmente entre ter fé ou não tê-la, é entre confiar em Deus ou optar pela própria autossuficiência. A falta de fé-confiança nos afasta, cada vez mais, de Deus e nos impede de compreender o seu amor. A obediência-confiança total de Jesus ao Pai vence toda tentação e reconduz toda a humanidade, uma vez por todas, ao reencontro com o Deus verdadeiro, rico em misericórdia. Em Jesus acaba a disputa entre Deus e o homem, porque nele Deus se manifestou plenamente confiável. Para nós é possível novamente corresponder livremente ao amor de Deus, porque Ele mesmo nunca deixou – e nem deixará - de amar a humanidade, mesmo quando é desobediente, revoltada e pecadora. Aí está a força para vencer toda tentação. Muitas vezes, porém, ainda “confiamos” mais nas ilusões do Tentador do que nas Palavras de Deus. A quaresma é sempre um tempo bom para reavivar a nossa fé, para reconstruir em nós a imagem dEle que o mal desfigurou.

História da Educação Valdivino Alve

Psicanalista e Psicopedagogo

P

edagogia é a teoria crítica da educação, isto é, da ação do homem quando transmite ou modifica a herança cultural. A educação não é um fenômeno neutro, mas sofre os efeitos da ideologia, por estar de fato envolvida na política. Sociedades Tribais:a educação difusa Nas comunidades tribais as crianças aprendem imitando os gestos dos adultos nas atividades diárias e nas cerimônias dos rituais. As crianças aprendem “para a vida e por meio da vida”, sem que alguém esteja especialmente destinado a tarefa de ensinar. Antigüidade Oriental: a educação tradicionalista Nas sociedades orientais, ao se criarem segmentos privilegiados, a população, composta por lavradores, comerciantes e artesãos, não tem direitos políticos nem acesso ao saber da classe dominante. A princípio o conhecimento da escrita é bastante restrito, devido ao seu caráter sagrado e esotérico. Tem início, então, o dualismo escolar, que destina um tipo de ensino para o povo e outro para os filhos dos funcionários. A grande massa é excluída da escola e restringida à educação familiar informal. Antigüidade Grega: a paidéia A Grécia Clássica pode ser considerada o berço da pedagogia. A palavra paidagogos significa aquele que conduz a criança, no caso o escravo que acompanha a criança à escola. Com o tempo, o sentido se amplia para designar toda

a teoria da educação. De modo geral, a educação grega está constantemente centrada na formação integral – corpo e espírito – mesmo que, de fato, a ênfase se deslocasse ora mais para o preparo esportivo ora para o debate intelectual, conforme a época ou lugar. Nos primeiro tempos, quando não existia a escrita, a educação é ministrada pela própria família, conforme a tradição religiosa. Apenas com o advento das póleis começam a aparecer as primeiras escolas, visando a atender a demanda. Antigüidade Romana: a humanitas De maneira geral, podemos distinguir três fases na educação romana: a latina original, de natureza patriarcal; depois, a influência do helenismo é criticada pelos defensores da tradição; por fim, dá-se a fusão entre a cultura romana e a helenística, que já supõe elementos orientas, mas nítida supremacia dos valores gregos. Idade Média: a formação do homem de fé Os parâmetros da educação na idade média se fundam na concepção do homem como criatura divina, de passagem pela Terra e que deve cuidar, em primeiro lugar, da salvação da alma e da vida eterna. Tendo em vista as possíveis contradições entre fé e razão, recomenda-se respeitar sempre o princípio da autoridade, que exige humildade para consultar os grandes sábios e intérpretes, autorizados pela igreja, sobre a leitura dos clássicos e dos textos sagrados. Evi-

ta-se, assim, a pluralidade de interpretações e se mantém a coesão da igreja. Predomina a visão teocêntrica, a de Deus como fundamento de toda a ação pedagógica e finalidade da formação do cristão. Quanto às técnicas de ensinar, a maneira de pensar rigorosa e formal cada vez mais determina os passos do trabalho escolar. Renascimento: humanismo e reforma Educar torna-se questão de moda e uma exigência, segundo a nova concepção de homem. O aparecimento dos colégios, do século XVI até o XVIII, é fenômeno correlato ao surgimento de uma nova imagem da infância e da família. A meta da escola não se restringe à transmissão de conhecimentos, mas a formação moral. Essa sociedade, embora rejeite a autoridade dogmática da cultura eclesiástica medieval, mantém-se ainda fortemente hierarquizada: exclui dos propósitos educacionais a grande massa popular, com exceção dos reformadores protestantes, que agem por interesses religiosos. Brasil: início da colonização e catequese A atividade missionária facilita sobremaneira a dominação metropolitana e, nessas circunstâncias, a educação assume papel de agente colonizador. Idade Moderna: a pedagogia realista De maneira geral as escolas continuam ministrando um ensino conservador, predominantemente nas mãos dos jesuítas. Além disso, é preciso reconhecer, está nascendo a escola tradicional, como passaremos a conhecê-la a partir do século XIX.


JD

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

A4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

De mãos dadas com Heloísa Helena, Marina a

Em um telão, apoiadores fizeram homenagens a Marina Silva. O ex-ministro da Cultura do governo Lula Gilberto G

A

ex-senadora Marina Silva deu abertura na manhã deste sábado (16) ao evento que marca o lançamento do novo partido fundado por ela. A expectativa é que o nome da legenda, que foi escolhido por uma votação realizada na internet, seja anunciado até o começo da tarde. Marina Silva chegou ao evento acompanhada da também ex-senadora e hoje vereadora em Maceió Heloísa Helena (PSOL). Ambas deram as mãos e cantaram juntas o hino nacional. Em seu primeiro discurso, logo na abertura do evento, Marina Silva disse que o novo partido não pode estar focado apenas em eleição. “O que esta acontecendo aqui é um partido que quer discutir a si próprio. Não podemos ser um partido para eleição. Eleição faz parte”, afirmou. Em um telão, apoiadores fizeram homenagens a Marina Silva. O ex-ministro da Cultura do governo Lula Gilberto Gil desejou boa sorte na criação do novo partido. “Queria estar aí. [...] Te desejo boa sorte nesta nova missão”, disse o exministro. O evento de lançamento do novo partido ocorre em Brasília. Durante todo o dia, uma série de palestras está prevista. O estatuto do novo partido deverá ser lançado até o final da tarde. Entre as regras que vão nortear a nova legenda estará um limite estipulado para as doações

Ex-senadora e atual vereadora de Maceió, Heloísa Helena (PSOL/AL) participa de lançamento de partido ao lado de Marina Silva neste sábado (16)

partidárias feitas por pessoas físicas e jurídicas que queiram colaborar com a nova legenda. O limite das doações, segundo os organizadores do novo partido, será definido pela coordenação nacional da legenda, que será oficializada assim que o partido for registrado junto ao Tribunal Superior Eleitoral.

A ideia, segundo os coordenadores do partido, é que as doações sejam feitas basicamente pela internet, seguindo o mesmo modelo de captação de recursos usado pelo presidente do Estados Unidos, Barack Obama. Assinaturas A partir deste sábado, os militantes que apoiam

a criação do novo partido deram início à coleta de assinaturas necessárias para registrar o novo partido junto ao Tribunal Eleitoral. De acordo com a coordenação da legenda, são necessárias 491 mil assinaturas para que o partido seja criado. “Vamos ter de fazer uma coleta de assinatu-

ras em tempo recorde, em três meses, se quisermos viabilizar nosso partido para a eleição de 2014”, disse Pedro Ivo, que integra a coordenação da nova legenda. Palestras com convidados Durante o encontro, um dos palestrantes será o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) que, apesar de manifestar simpatia

por Marina Silva, afirmou que não tem a intenção de deixar o PT. “A Marina me convidou para estar lá [no lançamento], transmitir ideias e proposições, porque eu tenho muita afinidade com ela. Expliquei que não tenho a intenção de deixar o Partido dos Trabalhadores”, disse o senador.

TSE anula reeleição do presidente do TRE-MS

A

corregedora-geral da Justiça Eleitoral, ministra Nancy Andrighi, concedeu liminar anulando a eleição que reconduziu o desembargador Josué de Oliveira ao cargo de presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) para o biênio 2013/2015. A decisão foi baseada na reclamação feita pelo atual vice-presidente do TRE e corregedor regional, Atapoã da Costa, com o argumento de que houve violação às normas de eleição para os cargos da administração da Corte que proíbe a reeleição. A ministra Nancy Andrighi baseou sua decisão em precedentes do TSE e do Supremo Tribunal Federal (STF) que consideram inelegíveis os titulares de cargos de direção dos tribunais regionais eleitorais para um segundo mandato e os que tenham exercido esses mesmos cargos por quatro anos ainda que por um único período. Diante das justificativas, a ministra determinou a anulação da eleição ocorrida em 28 de janeiro último e a realização de novo pleito o mais rápido possível, obedecendo as regras regimentais do TRE-MS e a exclusão do nome de Josué de Oliveira para concorrer ao cargo de presidente. A presidência do TRE-MS será exercida provisoriamente pelo desembargador vice-presidente Atapoã da Costa Feliz, até decisão final do plenário do Tribunal Superior Eleitoral.

A ministra Nancy Andrighi baseou sua decisão em precedentes do TSE e do Supremo Tribunal Federal (STF) que consideram inelegíveis os titulares de cargos de direção dos tribunais regionais eleitorais para um segundo mandato

Ministro da Justiça e governador catarinense anunciam operação para “asfixiar” organizações criminosas

A

União e o governo de Santa Catarina vão realizar uma megaoperação para impedir que organizações criminosas que atuam no estado, como o Primeiro Grupo da Capital (PGC), continuem recebendo dinheiro, drogas e armas. O objetivo da Operação Divisa é “asfixiar financeiramente as organizações criminosas”, disseram ontem (17), em Florianópolis, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o governador do estado, Raimundo Colombo. “Sabemos que as organi-

zações criminosas têm de ser combatidas em todas as frentes, mas uma das mais importantes é o asfixiamento financeiro desses grupos, que precisam receber os produtos ilícitos que comercializam, as armas, e ter trânsito de pessoas”, disse Cardozo, em entrevista coletiva. O plano de ação, anunciado sem muitos detalhes, é semelhante à iniciativa anunciada em novembro de 2012 para conter a onda de violência em São Paulo. De acordo com o ministro, o plano, que prevê “cerco policial

nas divisas terrestres, aéreas e marítimas do estado”, envolverá vários órgãos federais e estaduais, como as polícias Federal, Rodoviária Federal, Militar e Civil, a Receita Federal e o Conselho Estadual de Combate à Pirataria, entre outros. A fiscalização nas estradas vai ser intensificada, com a montagem de barreiras fixas em vários pontos das estradas que cortam ou dão acesso ao estado, informou o ministro. Equipamentos de alta tecnologia, como um scanner veicular capaz de detectar a existência de

substâncias ilícitas ou de armas no interior dos veículos, também serão usados. Além disso, em 30 dias, a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) fornecerá à Polícia Civil de Santa Catarina modernos equipamentos para que o estado conclua a instalação do laboratório de lavagem de dinheiro, capaz de detectar fluxos financeiros e identificar os beneficiários, fornecendo subsídios para os serviços de inteligência combaterem as organizações criminosas. (Agência Brasil)


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

abre evento para lançar partido

Gil desejou boa sorte na criação do novo partido.

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Coluna

ESPLANADA POR LEANDRO MAZZINI

Planalto nega reforma ministerial nos próximos dias

A

ministra da Comunicação Social, Helena Chagas, negou nesta sexta-feira (15) que a presidente Dilma Rousseff esteja preparando uma reforma ministerial “neste momento”. A assessoria da Presidência informou que o esclarecimento foi dado devido às “insistentes demandas jornalísticas sobre eventual mudança nos comandos de ministérios”. “A presidenta não está fazendo nenhuma reforma ministerial neste momento”, afirmou a ministra em conversa com jornalistas no Palácio do Planalto. De acordo com assessoria da Presidência, a agenda de Dilma na próxima semana está “ocupada com uma série de eventos”, como o anúncio de medidas do programa de transferência de renda Brasil Sem Miséria, na próxima terça-feira (19), e a visita a Brasília do primeiro-ministro da Rússia, Dimitri Medvedev, na quarta-feira (20). Desde o início do ano, o meio político especula eventuais trocas nos cargos do primeiro escalão do governo. Na semana passada, a presidente se reuniu com líderes de partidos que poderão ser atingidos por uma even-

A5

Jornalista

Twitter @leandromazzini

O outono do Patriarca De 1º de Março até Junho, durante o Outono, o senador José Sarney (PMDB-AP) vai “tirar férias de 20 anos do Poder”, segundo revelou a contato da coluna – ou oficialmente 120 dias de licença do Senado. Os motivos: Vai aos Estados Unidos consultar médico para tratar joelho da esposa, dona Marli; depois faz com ela um tour pela Europa e neste período conclui a sua autobiografia. Ex-governador do Amapá, o suplente Jorge Nova da Costa assume a vaga no Congresso.

Estrago

Sarney não toca no assunto, mas aliados sabem o quanto o livro de Palmério Dória, Honoráveis bandidos, sobre supostos bastidores da família, o incomodou.

Tá Vivo? Claro!

Leitora traumatizada parou na Justiça. Há meses recebe conta de celular que migrou da Vivo para Claro. Agora, comprou outro celular pela Claro e o número não funciona.

Lavanderia

Na terceira reforma em apenas 10 anos, com R$ 2 bilhões já investidos desde a primeira, o Maracanã – que pode ter outra obra após a Copa – segue devagar nas obras.

Leão faminto

Mesmo com uma ampla base de apoio ao seu governo no Congresso Nacional, Dilma, a exemplo de seus antecessores, tem optado por recorrer à criação das MPs

tual reforma ministerial. Na quinta-feira passada (7), ela recebeu em seu gabinete o ex-ministro dos Transportes e líder do PR, senador Alfredo Nascimento. Participaram também da reunião o líder do partido na Câ-

mara, Anthony Garotinho (RJ) e o senador Antônio Carlos (SP). Desde a saída de Alfredo Nascimento do Ministério dos Transportes, o cargo está com o então secretário-executivo da pasta, Paulo Sérgio Passos, também filiado ao PR. Um dia antes, a presidente conversou com o senador Blairo Maggi (PR-MT), que é cotado entre os políticos para assumir o Ministério da Agricultura, atualmente

com o peemebedista Mendes Ribeiro. Na última sexta-feira (8), foi a vez de Dilma conversar com o ex-ministro do Trabalho, Carlos Lupi, que é presidente nacional do PDT, partido atualmente representado no governo pelo ministro Brizola Neto. Finalmente, nesta quinta-feira (14), Dilma recebeu no Palácio do Alvorada o vice-presidente da República, Michel Temer, um dos principais líderes do PMDB.

Ao contrário do ex-presidente Lula, que distribuiu desde 2009 novas embaixadas por países da África e Ásia, a presidente Dilma freou o gasto internacional preocupada com o Orçamento. A assessoria do Ministério das Relações Exteriores garante que não há previsão de novas unidades no exterior até fim de 2014.

Silêncio no canteiro

Os benefícios dos empregados como vale-alimentação e convênio médico foram cortados até segunda ordem. Toda a diretoria foi para a rua também. Procurada pela coluna, a empresa não se pronunciou. 3D da Kiss A Polícia vai usar um scanner de última geração para mapear a boate Kiss, em Santa Maria (RS). Os delegados já concluíram que, além das várias irregularidades, os sinalizadores usados pelos músicos causaram o incêndio que matou 239. Embaixadores da Alegria Fundada por um britânico, a escola de samba para pessoas com deficiência abre hoje o Desfile das Campeãs com 1.500 na Sapucaí e o enredo “Mães da Alegria”. Camponesas O Parque da Cidade deve receber amanhã em Brasília 3 mil camponesas no encontro com o tema “Na Sociedade que a Gente Quer, Basta de Violência contra a Mulher”. Volta pra casa Pelos movimentos, o senador Fernando Collor (PTB-AL) indica que disputará o governo de Alagoas em 2014. Comprou a segunda maior casa de Arapiraca, base de sua família, e mudou-se para lá. Será a ponte com o interior. Na rota O senador Walter Pinheiro (PT-BA) vai propor mudanças no horário da Comissão

de Infraestrutura (CI) de Quinta para as Quartas, às 9h. Além disso, pretende reforçar a pauta sobre rodovias e ferrovias, estratégia do Planalto. Nepotismo Ferve a pequena Araxá (MG). O prefeito Jeová Costa (PDT) ‘esqueceu-se’ da lei e nomeou para cargos em comissão dois sobrinhos diretos da vice-prefeita Edna Castro (PSDB). Show do Bilhão É difícil de entender como tem estrada ruim por aí, e as boas são concedidas. O Brasil arrecadou R$ 26,9 bilhões (!) de IPVA em 2012, segundo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário. Cofre certo Com IPI zero e milhares de carros novos na rua, o valor vai subir este ano. Em 2012, SP liderou o cofre do IPVA com R$ 11,3 bilhões, seguido de Minas (R$ 3,1 bilhões). Viva o Jornalismo A ABRAJI realiza dia 9 de Março, em SP, o 1º Seminário Regional de Jornalismo Investigativo . Ponto final Perto de Jorge Paulo Lemann, Eike Batista é um grande marqueteiro.

Com Vinícius Tavares, Marcos Seabra e Adelina Vasconcelos

www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br @colunaesplanada


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

A6

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Futebol Amapaense é sinônimo de bagunça em 2013 Mais uma vez o Presidente da FAF Roberto Góes não compareceu a reunião do futebol revoltando de uma vez por todas os Presidentes de Clubes

Comemoração depois de garantida a classificação

ESMAC/PA goleia ADEC/ AP por 6 x 0 e desclassifica time amapaense da Copa do Brasil Feminino

A

A próxima reunião está marcada para segunda-feira, no mesmo local da bagunça. O vice-presidente, Paulo Rodrigues, chegou a dizer que, desta feita, haverá a presença do Presidente da FAF, Roberto Góes para sanar o mal estar entre os dirigentes de Clubes.

Elcio Barbosa

Da Reportagem

N

ão é a vontade de vencer que importa, todo mundo tem isso. O que importa é a vontade de se preparar para vencer. Paul “Bear” Bryant, técnico de futebol. É com esse discurso, que os Presidentes dos Clubes do Futebol Amapaenses saíram da sala de reuniões da Federação Amapaense de Futebol (FAF), na tarde da ultima sexta-feira, 15. Por que dos dez Clubes inscritos na competição, apenas sete deles se encontraram por um inédito, e mínino tempo de quinze minutos onde nada foi discutido, e muito menos decidido. Todos foram unânimes, e se demonstraram com total insatisfação, com a atual diretoria da FAF. Informações dão conta que a próxima reunião está marcada para esta segunda-feira, 18, no mesmo local da bagunça. O vice-presidente, Paulo

Rodrigues, chegou a dizer que, desta feita, haverá a presença do Presidente da FAF, Roberto Góes para sanar o mal estar entre os dirigentes de Clubes. Para o Presidente do Ypiranga, Tupã Duarte, a FAF não tem representatividade, e por isso, nem uma referencia ao futebol amapaense. Contestando O dirigente Negro Anil disse ainda que o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD/FAF) não funciona, e não transpassa confiança. Assim como, o quadro de arbitragem da Federação deve ser modificado, os Clubes ainda não sentem segurança, por que os estádios no Amapá não têm as plenas condições para receber aos jogos do certame. “O que nós estamos exigindo são explicações dos dirigentes da FAF. Como estão às obras dos estádios, o Zerão, o Augusto

Toque de Primeira ANTONIO LUIZ

Colunista alpcampos@hotmail.com Positivo Governo do Amapá inicia em Ferreira Gomes o Segundo Tempo, um programa federal que oferece práticas esportivas. Estimula crianças e adolescentes a manter uma interação efetiva que contribua para o seu desenvolvimento. Negativo O ex-judoca Aurélio Miguel aumentou bens em R$ 23,6 milhões após virar vereador em São Paulo. Alega que sua evolução patrimonial é fruto de negócios legítimos. Ciclismo Este domingo acontece interessante prova de resistência no Curiaú. A partir das 08hs! Segundo Tempo Secretaria do Desporto e Lazer é o órgão gestor desse programa no Esta-

do do Amapá. Dedé Vasco detém 45% de seus direitos econômicos. Um grupo estrangeiro tem 52%. Pode? Amapazão I Nos corredores do futebol tucuju, pipocam rumores sobre a não realização do certame. Amapazão II Parece que divergências políticas falam mais alto que o amor pelo futebol. Lamentável! Amapazão III Enquanto isso, FAF e clubes profissionais reuniram esta sexta-feira. É uma esperança!!! África do Sul Atleta paralímpico Oscar Pistorius é acusado formalmente do assassinato da namorada.

Antunes, o Antônio Vilela, o Vilelão, e o Aluisio Videira em Mazagão, não sabemos se esses estádios terão condições de abrigar os jogos do campeonato” enfatizou Osmar Marinho, representante legal do Trem Desportivo Clube. Alzemiro Rocha, diretor do Independente Esporte Clube, disse que o ‘Carcará da Vila Maia’ também aguarda resposta definitiva quando iniciará o Campeonato por que o presidente da FAF não comparece para discutir sobre o futebol amapaense, a tabela e o regulamento junto com os Clubes.“O futebol amapaense envolve muita coisa, as empresas, os dirigentes, o patrocínio e queremos chegar a um denominador comum. Nossa proposta é que realizemos o campeonato no segundo semestre por que teremos estádios prontos” reforçou o diretor alvi – verde. As questões são caracterizadas entre os diri-

Basquete Adulto I São Jose, Ypiranga, Avertino Ramos, ABAP, Paulo Conrado e Meta/Oratório na luta. Basquete Adulto II O campeonato inicia em 22 de fevereiro e a reunião desta quinta definiu acertos finais. Fenômeno Azul Remo encara Paragominas este domingo e um simples empate classifica a fera azulina.

gentes dos clubes, mas, o aspecto é que, até agora, não se sabe se o governo, a prefeitura de Macapá, ou até mesmo a Prefeitura de Santana irão apoiar a competição. O que os dirigentes querem saber, se eles terão apoio financeiro no certame deste ano. O calendário anual da FAF aprovada por eles informa que, o Campeonato de Futebol Profissional tem inicio na data do dia, 16, de março do corrente. A competição faz a pausa para a CBF realizar a Copa das Confederações, e depois, se prossegue o campeonato amapaense até o final. Os dirigentes querem realizar a competição, mas com os pés no chão. Isso só poderá ser possível, se houver um bom senso entre os que organizam o futebol amapaense, diferenciando da decisão do ano passado, que o certame terminou nas alçadas da Justiça Desportiva da CBF.

flamenguista recebeu aumento de 566% no salário. Em um mês! I Interbairros de Capoeira I Rola dia 07 ABR 13, numa promoção de Raízes do Brasil e Guerreiros dos Campeões. I Interbairros de Capoeira II Terá Orquestra de berimbau, Oficina de Toques, Maculelê e Roda na fortaleza São José.

Orca Demolidora I Técnico do Oratório é André Tabosa, de Belém, e auxiliar técnico vem de Mato Grosso.

I Interbairros de Capoeira III Organização do profº Jefferson Passarinho e da Escola Conexão Aquarela. Não perca!

Orca Demolidora II O elenco terá atletas da base do Fluminense-RJ, América-MG e do próprio clube.

Ladeira Abaixo FIFA divulga seu ranking mundial e o Brasil cai da 16ª para a 18ª posição. Que coisa!

Orca Demolidora III Diretoria alvi-azul reúne esta terça-feira e lança a programação elaborada para este ano.

Você Sabia? A presidente do Trem, Socorro Marinho, fez repasse a Mario Tomaz para tratamento de saúde. A verba é uma colaboração do concurso Rainha das Rainhas do Carnaval.

Rafinha O novo xodó da galera

nanindeua goleou por 6 a 0 a ADEC (AP) na manhã deste sábado (16), e se garantiu na próxima fase (2ª) da Copa do Brasil de futebol feminino. O jogo foi realizado no estádio Abelardo Condurú em Icoaraci, e contou com a arbitragem do maranhense Railton Oliveira de Souza. Mesmo jogando com a vantagem de ter vencido o jogo de ida pelo placar de 1 a 0, a equipe paraense entrou em campo de forma arrasadora e, ainda no primeiro tempo, garantiu logo a sua classificação ao marcar quatro gols , através de Silvany aos (8’) , (12’) e (18’) e Suzi (13’). Na etapa final, fechando a goleada, marcaram Natália de pênalti (21’) e Mariane (35’).O próximo adversário da ESMAC na competição será conhecido ainda neste sábado, do duelo envolvendo Internacional (MA) e Gênus (RO), que jogarão a partir das 17h no estádio Portal da Amazônia, em Rondônia. Destacando

que o jogo de ida foi vencido pelo Internacional (MA) pelo placar de 5 a 0. FICHA TÉCNICA: ESMAC-ANANINDEUA 6 X 0 ADEC (AP) Copa do Brasil de Futebol Feminino – 1ª Fase (Jogo de Volta) Data: 16.02.13 Local: Estádio Abelardo Conduru – Icoaraci (PA) Árbitro: Railton Oliveira de Souza (MA) Cartões Amarelos: Messa e Carlinha (ADEC) e Raiane (ESMAC) Renda e Público: Não divulgados Gols no 1º Tempo: Silvany 8’ , 12’ e 18’; Suzi 13’ Gols no 2º Tempo: Natália 21’ e Mariane 35’ ESMAC-ANANINDEUA: Niriely; Natália, Jessica Paredão, Marla e Jesielly; Marilda, Loura (Sara), Raiane e Silvany; Suzi (Luzi) e Priscila (Mariane). Técnico: Necy Nunes ADEC (AP): Ane; Yane, Messa, Carlinha e India; Nilda, Renatinha , Decy e Minhoca (Samara), Cabinha e Dani (Nanda ) Técnico: Ubiraelson Batista. (EB).

Na Dinamarca, ex-cria do Fla pede tratamento especial a Rafinha

O

s mais de 200 gols que Kayke marcou nas categorias de base do Flamengo o fizeram emergir como uma joia no Gávea, no meio da década passada. Porém, quando chegou ao time principal em 2008 não apresentou o mesmo futebol, amargou a reserva, foi emprestado duas vezes e acabou deixando o clube do coração para buscar mais oportunidades na Dinamarca. Hoje, acompanhando de longe o despontar de Rafinha, mais uma promessa rubro-negra, o jogador do Aalborg pede calma para os erros cometidos com ele não se repitam e lembra que problemas políticos quase atrapalharam a chegada do jovem atacante. - Lembro que quando ele veio do CFZ teve a questão com o Zico. Mas agora ele está mostrando que é um excelente jogador e que as críticas eram erradas. O pessoal do Flamengo confiou e acreditou nele e eles sabem o que fazem. Assisti a partida contra o Vasco e Rafinha foi muito bem. Claro que ele precisa amadurecer como todo, já que é um jogador jovem. Ele ainda é franzino, mas é jogador rápido e habilidoso e tem diversas outras qualidades. Os profissionais do Fla estão de olho nele e vão tentar não deixar a pressão atrapalhar. Creio que ele e o Nixon vão dar um caldo legal. Assim que subiu para os profissionais do Fla em 2007, Kayke não conseguiu engrenar uma boa sequência e acabou sendo emprestado ao Brasiliense e posteriormente ao Macaé.

Depois de um bom Carioca e com mais experiência, o atacante chegou ao Vila Nova-GO, em 2009, para jogar na segunda divisão do Campeonato Brasileiro. No ano seguinte, mais um empréstimo, dessa vez para o Häcken, da Suécia. Apesar das poucas oportunidades no Flamengo, Kayke explica que a forte pressão o atrapalhou. - Acho que tudo tem o seu tempo e existe hora para tudo no futebol. Se não aconteceu, não era para ser. As pessoas do clube consideraram que eu não estava bem preparado. O Flamengo é um clube muito difícil, muito grande e que tem uma pressão grande, por vezes maior que a devida. Nos últimos anos isso tem mudado, mas na minha época era assim. Eu segui meu caminho e hoje sou completamente diferente. Aqui o futebol é de muita força e os requisitos para jogar mudaram, e eu acabei mudando. Após uma rápida passagem pela terra de Ibrahimovic, veio o contrato com o Aab Aalborg. Há três anos por lá, o clube começa a brigar para se classificar para a Liga dos Campeões - a equipe está em terceiro no Campeonato Dinamarquês e dois se classificam para a competição continental. Entretanto, Kayke não pensa em continuar no país após o meio do ano. O que deveria ser um trampolim para um centro mais importante já dura quase três anos. Depois de todo esse tempo, o atacante espera uma nova chance em um clube brasileiro da primeira divisão.


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

A7

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Promessas duelam entre Flamengo e Botafogo por afirmação neste domingo A dupla assumiu a titularidade há pouco tempo e se enfrentarão neste domingo em busca de afirmação no time

A

lém de promessas de Botafogo e Flamengo, Vitinho e Rafinha têm outra curiosidade em comum. Ambos ganharam músicas de seus torcedores, que os elegeram ‘melhor do que Neymar’, e criam grande expectativa em seus clubes. A dupla assumiu a titularidade há pouco tempo e se enfrentarão neste domingo em busca de afirmação no time principal. Pivô de uma briga entre Zico e a antiga diretoria do Flamengo, Rafinha demorou a ter sua chance entre os profissionais. E quando teve, aproveitou. O jovem atacante fez sua primeira partida pelo rubro-negro contra o Quissamã, na estreia do Carioca, e encantou torcida, comissão técnica e diretoria. A boa fase foi mantida nos jogos seguintes e ratificada no clássico contra o Vasco, quando comandou a vitória por 4 a 2 sobre o principal rival. Na partida contra o Friburguense, Rafinha marcou um gola-

ço por cobertura, participou de outros três na goleada por 4 a 0 e ouviu os primeiros gritos de “melhor que Neymar”. “É um garoto muito bom, de muito potencial e, principalmente, com uma cabeça muito boa. Se mantiver os pés no chão, pode ir longe. Espero que confirme essa boa fase e possa nos ajudar em mais um clássico”, analisou o técnico Dorival Júnior. Pelo lado do Botafogo, Vitinho despertou interesse de Oswaldo de Oliveira, desde que o técnico chegou ao Alvinegro, em janeiro de 2011. Quando receberia sua primeira chance entre os titulares, sofreu uma fratura no pé esquerdo e adiou a possibilidade de brilhar para 2013. E ao que parece, o sucesso está a caminho. O atacante assumiu a titularidade da equipe, foi aprovado pelo treinador e recebeu sua primeira sequência no time principal. Apesar de ainda não ter marcado um gol pelos profissionais, Vitinho impressionou a comissão

Rafinha e Vitinho são as revelações de Flamengo e Botafogo e travarão duelo no clássico

técnica e ganhou a torcida com boas atuações. O jogador entrou no segundo tempo da partida contra o Fluminense, foi bem e virou titular contra o Audax, quando foi um dos principais destaque da goleada por 4 a 0 e teve seu nome gritando

pela torcida dizendo ser “melhor que Neymar”. Maior estrela do Botafogo, Seedorf faz elogios à dupla, mas diz que os jovens precisam manter os pés no chão. “Em geral o Brasil sempre produzirá talentos. Vi o jogo do Flamengo e tem

Bruno Xavier perde pênalti, e Brasil tem derrota histórica rumo ao Mundial

C

om drama do início ao fim, a seleção brasileira acabou derrotada, nos pênaltis, pelo Paraguai e está fora da disputa do título das Eliminatórias da Conmebol. Foi um resultado histórico. Até este sábado, o Brasil havia vencido todos os 30 jogos que havia disputado na competição. Após um empate, no sufoco, no tempo normal por 6 a 6, o Brasil perdeu nos pênaltis após o vascaíno Bruno Xavier desperdiçar a cobrança. Agora, a equipe de Júnior Negão precisa vencer a disputa de terceiro lugar, no duelo contra o Equador, derrotado pela Argentina na outra semi, para garantir vaga no Mundial do Taiti. O primeiro período foi marcado pela quantidade de gols. Oito no total. Entre idas e vindas à frente do placar, brasileiros e paraguaios proporcionaram um início de jogo muito corrido em que os ataques se destacaram mais do que as defesas, justificando o resultado parcial de 4 a 4. Na volta do intervalo, as equipes passaram a se estudar mais e arriscar menos. Quem teve um pouco mais de ousadia foi o Paraguai, que conseguiu desempatar em gol de Moran. A partir daí, o Brasil teve que sair para o jogo, abusou de perder gols e,

Bruno Xavier perde pênalti nas eliminatórias da Copa do Mundo de futebol de areia

em virtude disso, passou a conceder mais espaços em quadra. Irreconhecível, a seleção verde e amarela voltou para o último período em desvantagem no placar. O mau momento da equipe comandada por Júnior Negão na partida resultou no sexto gol paraguaio, marcado pelo capitão Barrientos, em cobrança de pênalti. Perdendo por 6 a 4, o Brasil foi para o tudo ou nada. Na raça, Bruno Xavier anotou dois gols, empatou o jogo, forçou a prorrogação e reacendeu as esperanças de classificação.

Sob sol forte, a prorrogação não teve o mesmo ritmo dos primeiros períodos. Os jogadores sentiram o calor e passaram a evitar o desgaste. Com o empate por 6 a 6, o jogo foi decidido nos pênaltis. Nas cobranças, Lopez converteu a primeira. Para se manter com chances de ir à final, a seleção brasileira precisava marcar e levar a disputa adiante. Porém, Bruno Xavier, antes herói do empate, desperdiçou sua cobrança. Com a derrota, o Brasil agora precisa vencer o Equador na disputa pelo terceiro lugar para garantir

vaga no Mundial do Taiti. Oito seleções já estão classificadas para a Copa do Mundo: Taiti (país-sede), Rússia, Espanha, Ucrânia e Holanda (europa), Irã, Japão e Emirados Árabes (Ásia). Da América do Sul saem mais três países classificados. Na Oceania, as eliminatórias serão em junho. África e Concacaf ainda não definiram as datas de suas Eliminatórias. Apenas Brasil, Argentina e Japão (já classificado para o Taiti) disputaram os seis Mundiais realizados até hoje. O Brasil é tetracampeão mundial e líder isolado do ranking FIFA.

talento lá também. O importante é saber como crescer e cultivar, mantê-los num caminho de uma carreira longa. Gerar é fácil, o difícil é ficar. Vamos apoiar os garotos para poder seguir a melhor maneira possível em suas vidas. Tem vocês [impren-

sa] olhando todo dia, tem crítica, é preciso ter um equilíbrio. Não temos que levar o Cidinho, Vitinho, Rafinha lá em cima, não, calma. Futebol não é só com o pé, mas também comportamento de tudo que está sendo feito”, ponderou Seedorf.

Enquanto isso...

Com tabela na cabeça, Bota joga por vantagem na fase final da Taça GB O Botafogo entra em campo hoje domingo contra o Flamengo, no Engenhão, sabendo exatamente o que precisa fazer para jogar a semifinal da Taça Guanabara e uma possível final com a vantagem do empate nos dois jogos. Para isso, precisa vencer o rival, o que deixará o time com a melhor campanha da competição. Só assim dependerá apenas de si para manter o primeiro lugar geral na última rodada, quando enfrenta o Boavista, no Engenhão. O regulamento da competição e a tabela foram examinados ainda na pré-temporada pela comissão técnica e todo elenco para determinar os pontos mais importantes. Um deles foi justamente o clássico com o Flamengo por ser na penúltima rodada não permitir recuperação. - No nosso primeiro contato passamos tudo isso. Fizemos um exame da tabela e tudo que poderia ocorrer em termos de classificação, tudo que se passa. Eles estão cientes e reforçamos a situação a cada rodada - afirmou o técnico Oswaldo de Oliveira. Além da situação do campeonato, o Botafogo ainda tem pela frente um retrospecto extremamente negativo contra o Flamengo. Nos últimos 22 jogos, conseguiu apenas duas vitórias, contra sete do rival. Foram 13 empates. Além disso, não vence desde o dia 18 de abril de 2010 (2 a 1) ou nove jogos. - Mas isso é bilateral, pois empatamos três vezes no ano passado, sempre em jogos disputados, em situação de igualdade. Vamos jogar normalmente, buscando a vitória que nos interessa, mas não para resgatar qualquer coisa perdida no tempo - disse Oswaldo. Com 14 pontos, o Botafogo lidera o Grupo A da Taça Guanabara e garantirá sua classificação para a semifinal em caso de vitória sobre o Flamengo.

Fla congela no fim, perde para Franca e é derrubado pela 1ª vez no NBB

O

s 14 pontos de vantagem durante o último quarto davam a impressão de que a 21ª vitória consecutiva no NBB viria de maneira tranquila para o Flamengo na tarde deste sábado, no quase lotado e muito quente ginásio do Tijuca. Mas do outro lado estava o Franca, dono da melhor defesa da competição nacional, que resolveu aparecer nos últimos cinco minutos de jogo. Sem deixar o Rubro-Negro jogar, a equipe paulista conseguiu uma virada incrível, venceu por 91 a 86 e comemorou como uma conquista de título. Pela primeira vez, o líder do campeonato foi derrubado. Jhonatan foi o grande

nome do Franca, sendo o maior pontuador da equipe, com 22 pontos, oito deles no último quarto. Ex-jogador do Flamengo, Teichmann marcou 14 pontos e pegou nove rebotes. Figueroa (15 pontos), Lucas (14) e Léo (12) foram os outros destaques do time vencedor. Apesar da derrota, Marquinhos mais uma vez teve grande atuação, com 26 pontos, oito rebotes e seis assistências. Benite fez 15 pontos, e Duda marcou 13. O Flamengo volta à quadra na próxima segunda-feira para enfrentar o Uberlândia, às 20h, no ginásio do Tijuca, em partida adiada da 23ª rodada. O Franca recebe o Joinville, em casa, quinta feira (21/3),

também às 20h. Se o calor para quem estava nas arquibancadas já era insuportável, para os jogadores de Franca e Flamengo, então, nem se fala. Mas isso não foi capaz de inibir as duas equipes dentro de quadra. Num primeiro tempo frenético, rubro-negros e francanos passaram os dez minutos iniciais como num jogo de gato e rato. O time paulista tinha o controle da partida, mas em três arremessos de três pontos acabou cedendo à liderança. No último, de Marquinhos, no estouro do cronômetro, que colocou os donos da casa três pontos à frente (29 a 26), de forma definitiva no primeiro quarto.

Mesmo sem o ala Cauê Borges, que deixou a quadra machucado nos primeiros minutos da partida, Franca não se abateu e voltou com a mesma intensidade. Já o time carioca caiu de produção, principalmente Marquinhos. Autor de 11 pontos nos primeiros dez minutos, o cestinha rubro-negro zerou na primeira metade do segundo quarto e foi substituído por Duda. Com o camisa 10 veio uma injeção de ânimo habitual, e duas bolas de três pontos, suficientes para recolocar o líder do NBB em vantagem novamente. Daí para frente o Flamengo não permitiu mais a reação da equipe paulista e foi para o vestiário vencendo

por 45 a 38. No intervalo, o torcedor rubro-negro deu uma força para o ala Duda numa das eliminatórias para o torneio de três pontos, que faz parte da programação do Jogos das Estrelas, dias 1º e 2 de março, em Brasília (DF). O camisa 10 da Gávea até foi bem e acertou 13 arremessos, mas Léo Meindl teve um desempenho um pouco melhor e converteu 14 bolas. Nada que afetasse o desempenho rubro-negro na sequência da partida. Muito pelo contrário. O líder do campeonato voltou arrasador, fez 13 a 6 nos primeiros três minutos e ampliou a diferença para 58 a 44. Mas Franca não se entregava. Liderada por Jho-

natan, Teichmann e Lucas Mariano, a equipe do interior paulista engrossou o jogo e diminuiu a diferença para oito pontos (70 a 62). Com o jogo nas mãos, o Flamengo só não podia errar para chegar à 21ª consecutiva. E foi exatamente isso que aconteceu até a metade do último quarto, quando a equipe da Gávea abriu 14 pontos a parecia que não perderia mais. Daí em diante, tudo mudou. O Flamengo congelou, e o Franca colocou fogo no jogo. Com uma defesa agressiva e sem cometer mais erros no ataque, o time paulista reagiu e virou para 87 a 83 com dois arremessos do argentino Figueroa.


Sociedade

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Aline Lima alinelima@jdia.com.br

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Mensagem do Dia Jamais haverá ano novo se continuar a copiar os erros dos anos velhos. Luís de Camões

Casamento de Isadora e Mauricio. Organizado pela empresa Detalhes eventos.

Casamento de Erivânia e Paulo. Todo evento organizado pela empresa Detalhes eventos

Casamento de Nil e Micheli organizado pela Detalhes eventos.

Casamento de Thallyt e Moacir organizado pela empresa Detalhes eventos.

Equipe da Detalhes eventos: Raila santos, Haia santos e tatiana blaise

15 anos de Erika de Paula. Organizado pela empresa Detalhes eventos.

15 anos de Gerlandes Aguiar. Organizado pela empresa Detalhes eventos.

15 anos de Helenyn Amanda. organizado pela empresa Detalhes eventos


CadernoB

DiaDia

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Julgamento do ex-tenente previsto para está segunda-feira só acontecerá mês que vem Um dos atuais advogados de José Reinildo, Dr. Maurício Pereira, alega que a antiga defesa havia solicitado a reprodução simulada dos fatos, o que fez com que a data fosse modificada. ELEN COSTA da Redação

A

conteceria nesta segunda-feira (18), um dos julgamentos mais esperados dos últimos anos e que ficou conhecido em toda a cidade como “a execução na orla”. Sentaria no banco dos réus o ex-tenente da Polícia Militar (PM), José Reinildo Carvalho da Costa, de 48 anos. Ele que é acusado de ter assassinado com dois tiros o funcionário público estadual João Emerson Pinto Gemaque, que a época do crime tinha 37 anos de idade. A sessão que estava prevista para acontecer a partir das 8h no plenário da 2ª Vara do Tribunal do Júri teve a data redesignada pelo juiz titular Luiz Nazareno Hausseler para o próximo dia 26 de março. Segundo informações de Maurício Pereira, que juntamente com o advogado paraense Américo Leal assumiu em outubro do ano passado a defesa de José Reinildo, o antigo defensor do ex-oficial havia solicitado a reprodução simulada do crime. O que fez com que o magistrado modificasse a data da sessão e dispensasse o Conselho de Sentença. Porém, Pereira garante que o procedimento é desnecessário. “Infelizmente o Júri pautado para a segunda-feira foi redesignado. O MM. Juiz, no propósito de garantir a plenitude da defesa do réu, verificou que a defesa pretérita havia requerido a reprodução simulada dos fatos, o que não fora realizado. Assim, sua excelência, determinou a realização da perícia referida e dispensou o Conselho de Sentença de comparecer no dia 18. Contudo, quando fomos cientificados da decisão, desta discordamos, pois a atual defesa, composta pelos causídicos Américo Leal e eu, entende desnecessária a diligência. Isto porque houve mudança na linha de defesa. A defesa pretérita havia abraçado a tese da legítima defesa, ao passo que os atuais defensores, desde já, adiantam que defenderão a tese de que o réu agiu movido por uma violenta emoção, logo em seguida a uma injusta provocação da vítima, que não o absolve, mas garante considerável diminuição em pena a ser aplicada em eventual condenação”, declarou o advogado Maurício Pereira através de uma rede social à equipe do Jornal do Dia. Como acontecerá a sessão Das 25 pessoas da sociedade amapaense que foram escolhidas por critérios determinados pela Justiça, sete serão escolhidas para formar o Conselho de Sentença. São elas os juízes de fato e os responsáveis por avaliar a tese da acusação que é feita pelo representante do Ministério Público Estadual (MPE), o promotor, e do advogado de defesa do réu, para votar se José Reinildo é culpado ou inocente. Caso o ex-oficial seja condenado, o juiz de direito é quem estipula a sentença e determina o tempo de pena e o regime que o réu deverá cumprir. Neste caso, José Reinildo poderá pegar até

30 anos de prisão se no entendimento dos jurados ele for culpado. Devido ao grande número de testemunhas que será ouvido, o julgamento do ex-tenente poderá durar até dois dias. Familiares da vítima e do oficial, bem como a imprensa, alunos de direito e a população em geral poderão acompanhar o julgamento. Mas devido à repercussão que o caso teve, um forte esquema de segurança está sendo montado para que a sessão transcorra dentro das normalidades. A execução Conforme a denúncia do Ministério Público, no dia 5 de dezembro de 2010, por volta das 19h, torcedores dos times Corinthians e Fluminense se aglomeravam na orla do bairro Santa Inês, em Macapá, onde se comemorava a vitória dos cariocas que haviam se consagrados vencedores do Campeonato Brasileiro. José Reinildo era fanático pelo time do Fluminense e naquele dia passeava pelo local em seu veículo, um Fiat Pálio, cor vermelha, placa NER2827, na companhia a esposa e dos filhos. Sob a alegação de ter sido provocado, o então tenente saltou do carro com uma pistola – de acordo com o apurado, pertencente ao Estado – em punho, e começou a agredir os torcedores do time paulista. Ele chegou a ser contido por colegas de farda que estavam às proximidades e a paisana, e guardou a arma. Porém, sacou-a novamente. Ainda segundo o MP, José Reinildo atirou primeiramente nas costas da vítima que ainda tentou correr, mas acabou caindo. O oficial então disparou um segundo tiro. Dessa vez a queima roupa no rosto de João Emerson, que chegou a ser socorrido por uma ambulância do Corpo de Bombeiros. Porém morreu a caminho do Hospital de Emergências (HE). Segundo relatos de testemunhas, após a execução, José Reinildo saiu em fuga no veículo dirigido pela mulher, e o destino do casal foi casa de parentes no município de Santana. Da apresentação à exclusão do cargo Dois dias depois, vendo que não tinha mais saída, o oficial se apresentou na Corregedoria da Polícia Militar. Imediatamente, José Reinildo foi afastado das funções operacionais dentro da corporação. No dia 9 de dezembro ele teve a prisão decretada pela Justiça, e está recluso até a presente data na carceragem do Quartel do Comando Geral da PM. O tenente foi submetido a uma sindicância interna que julgou o uso da arma da instituição no crime e pelo desvio de conduta. Ele foi considerado culpado pelo Conselho de Justificação. Em seguida, a decisão foi encaminhada ao Governador do Estado que homologou o parecer, conduzindo o processo ao Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap). Por unanimidade, a corte formada por sete desem-

REPRODUÇÃO

bargadores decidiu que José Reinildo não era digno do oficialato e não tinha condições de ostentar a patente optando pela exclusão dele do quadro de oficiais da PM – o que significa que seus dependentes ficarão recendo uma porcentagem do seu salário. O advogado de José Reinildo chegou a entrar com um recurso no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que a decisão de manter ou não o militar no cargo fosse julgado por Brasília, alegando que ele era funcionário público pertencente ao quadro da União. No entanto, o pedido foi indeferido. Das audiências ao júri popular Ao término das audiências de instrução e julgamento onde foram ouvidos o acusado do crime e as testemunhas arroladas pela defesa e pela acusação, em fevereiro de 2011, após analisar as oitivas, o juiz Hausseler decidiu pronunciar que José Reinildo seja levado a Júri Popular. A defesa do ex-tenente ainda tentou pedir a anulação da sentença, entrando com recurso no Tribunal de Justiça. Entretanto, a Câmara Única do Tjap negou o pedido fazendo com que novamente o advogado dele recorresse a instâncias superiores, onde teve mais uma vez sua solicitação indeferida. Testemunhas de acusação Durante as audiências todas foram unânimes em dizer que no dia do fato presenciaram o então oficial da PM descendo do seu veículo com uma arma em punho, provocando e até agredindo com tapas no rosto, torcedores do Corinthians – time que a vítima torcia. As testemunhas relataram também que depois de uma breve confusão generalizada, o acusado chegou a ser agredido por João Emerson, e que após isso o ex-tenente disparou as duas vezes contra o mesmo. Uma das testemunhas alegou que chegou a ser ameaçada por membros da família de José Reinildo. Testemunhas de defesa Já as testemunhas que foram arroladas pela defesa de José Reinildo, alegaram durante as audiências que ele e a família foram agredidos pelos torcedores do time paulista. E que após isso, para defender a hora da mulher e dos filhos, ele desceu do carro e acabou sendo atingindo com um soco por trás, antes de disparar contra a vítima. A confissão Durante seu depoimento, José Reinildo afirmou que matou o funcionário público motivado por forte emoção. O ex-militar disse que não lembrava se João Emerson estava de costas para ele no momento do primeiro disparo. O acusado alegou ainda, que desceu do carro com a arma nas mãos apenas para inibir os supostos agressores, e que precisou atirar no funcionário público porque foi agredido covardemente por ele com um soco no rosto e com um chute na perna, o que

Momento em que o militar desce do veículo já com a pistola em punho pronta para disparar contra a vitíma, circulada no detalhe, fato acontecido no jogo final do campeonato brasileiro de 2010.

o fez cair. A época da audiência, o ex-tenente confessou que antes de atirar na vítima chegou a arrancar e jogar no rio bandeiras do Corinthians, porque os torcedores do referido time usaram o cabo das mesmas para agredir sua família. Segundo ele, um dos pedaços de pau jogado para dentro de seu carro atingiu o pescoço de seu filho. Sobre o segundo tiro dado a queima roupa, José Reinildo assegurou que ao se aproximar de João Emerson, ele tentou se levantar e lhe agredir novamente, a ponto de tirar sua pistola, e não vendo “outra alternativa” teve que atirar mais uma vez. Arrependimento e pedido de perdão Ainda durante os depoimentos nas audiências de instrução e julgamento na 2ª Vara do Tribunal do Júri, José Reinildo disse que estava arrependido e chegou a pedir desculpas a família da vítima. “Eu peço desculpas a família do rapaz, mas assim como eles, os meus familiares estão sofrendo também. Eu fui taxado por toda a imprensa como um assassino. Mas assassino não é aquele que mata para defender sua honra, e sim aquele que mata por matar. Eu sinto muito por tudo que aconteceu e está acontecendo. Mas já que ele era pai de família, eu acho que ele deveria estar ao lado da esposa e dos filhos, e não ao lado de um bando de arruaceiros”, disse o ex-militar a época.

O ex-tenente da Polícia Militar é acusado de ter assassinado com dois tiros o funcionário público João Emerson Pinto Gemaque.

O advogado paraense Américo Leal que assumiu em outubro do ano passado a defesa de José Reinildo, o antigo defensor do ex-oficial havia solicitado a reprodução simulada do crime.

Momento que a guarnição da Polícia Militar chegou no local para atender a ocorrência na orla da cidade.


JD

Geral

B2

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Recuperação da malha viária do municí

Nestes primeiros meses da atual gestão, a expectativa é que o problema seja resolvid CELIANE FREITAS

Basta uma volta pelas vias da cidade, para notar que alguns buracos mudaram apenas de local, outros, como dizem os próprios moradores, estão “completando aniversário”.

REDAÇÃO JD DA REPORTAGEM

O

problema é antigo. O motorista diminui a velocidade do carro, gira a direção para a esquerda, gira para a direita, arrisca a própria segurança e a de outros motoristas, tudo isso para desviar das dezenas de buracos que tomam contra das ruas e avenidas da capital. Todos os anos, a discussão é retomada pela imprensa e pela população, principalmente no período de chuvas, em que a malha viária fica totalmente comprometida. Mas qual seria a solução para eliminar o problema? Basta uma volta pelas vias da cidade, para notar que alguns buracos mudaram apenas de local, outros, como dizem os

próprios moradores, estão “completando aniversário”. A realidade é que eles continuam interferindo no trânsito e causando prejuízos financeiros e até físicos à população. Nestes primeiros meses da gestão do prefeito Clécio Luis, a expectativa é que o problema seja resolvido. Na última semana, o prefeito Clécio Luis reuniu com o secretário Municipal de Obras (Semob), Elder Fábio, para tratar sobre o assunto e as soluções para o problema dos buracos e crateras existentes nas ruas, cujas ações ainda não teriam sido tomadas em função da não abertura do orçamento municipal. A informação é que a Prefeitura Municipal de Macapá deve anunciar

nesta segunda-feira (18), o início da famosa Operação Tapa Buracos, neste mesmo sentido, representante da empresa responsável pela fabricação de asfalto frio já estiveram na capital realizando testes para recuperar a malha viária. Quanto custa tapar um buraco? Para o urbanista e arquiteto Alberto Tostes, que estuda há anos os aspectos físicos e estruturais da cidade de Macapá, inúmeros fatores determina a grande quantidade de “crateras” que aparecem nas ruas e avenidas de Macapá, entre elas, a pavimentação de má qualidade, ausência de sistema de drenagem superficial nas laterais das vias, falta de CELIANE FREITAS

A informação é que a Prefeitura Municipal de Macapá deve anunciar nesta segunda-feira (18), o início da famosa Operação Tapa Buracos

definição de meio fio, áreas pavimentadas entre as calçadas e a via. Para tapar buracos, é preciso produzir massa asfáltica, ter pessoal no trabalho de campo, transportes e toda uma equipe de logística para viabilizar a operação e lá se vão milhões em recursos e investimentos em serviços que ainda não configuram o fim do problema. O excessivo número de buracos provoca dezenas de transtornos, quebra de equipamentos e danos físicos. Quanto à saúde pública, as dificuldades são ainda piores, proliferação do mosquito da dengue, aumento de pessoas contaminadas, aparecimento de roedores, acumulo de lixo e resíduos sólidos são apenas algumas con-

sequências. Operação Tapa Buracos O especialista é ainda mais enfático. Quando questionado sobre a operação tapa buracos, se resolve ou não problema da cidade. A resposta é desanimadora. “Não, apenas ameniza as dificuldades durante o período invernoso, as vias em Macapá são conhecidas como “couro de Jacaré”, a trepidação é intensa. São anos e anos de remendo, não há mais vida útil da pavimentação, apenas a recomposição de algo que não oferece mais nenhuma qualidade” explicou o urbanista. É preciso tapar os buracos porque a cidade não pode ficar do jeito que está, porém isso não pode

ser a solução permanente, alerta Alberto Tostes. Uso de blokret O uso adequado de pavimentações alternativas pode ser a solução. Estudos técnicos comprovam que o uso de blokret tem vários fatores positivos, entre eles, a fácil manutenção, relação custo beneficio, a matéria prima utilizada, não é impermeável, tem boas condições de atrito, favorecendo amplamente o sistema de trânsito com redução de velocidade. Há um grande número de cidades no Brasil que utilizam pavimentações mais sustentáveis. Os únicos beneficiados de forma negativa é a indústria de autopeças e as oficinas mecânicas com a quebra geral de veículos. CELIANE FREITAS

O excessivo número de buracos provoca dezenas de transtornos, quebra de equipamentos e danos físicos.


Geral

JD

B3

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

ípio de Macapá ainda é um desafio

do o mais breve possivél pois os municipes já começam a sofre transtornos.

Nova tecnologia de asfalto será usada no serviço de tapa-buracos

A

pós pesquisar a melhor alternativa para resolver a situação caótica da malha viária em ruas e avenidas de Macapá, a Prefeitura anuncia que nos próximos dias irá realizar o serviço de emergência. A notícia foi anunciada pelo prefeito Clécio Luís, após semanas de trabalho em busca de alternativas para resolver o problema que atinge praticamente toda a cidade. “Para amenizar este problema que se arrasta há meses, neste primeiro momento vamos realizar a operação tapa-buracos, mas quando o inverno passar, iremos unir esforços e fazer um serviço com mais durabilidade, usando material de qualidade”, disse o prefeito. A Secretaria de Obras do município será responsável pela operação e vai usar asfalto com nova tecnologia de produção, com economia para o cofre municipal se comparado a usinagem de asfalto em Macapá. O chamado asfalto frio

foi testado nesta sexta-feira, 15, e os resultados foram positivos. A química, utilizada em várias cidades brasileiras, é fabricada em alta temperatura com tecnologia de aplicação à frio, o que garante melhor compactação. Outras vantagens do asfalto frio e que ele pode ser aplicado mesmo após fortes chuvas, resiste á umidade e é de fácil aplicabilidade, o que reduz o custo de mão de obra e garante economia. De acordo com o secretário municipal de Obras, Elder Fábio do Carmo, o novo produto vai permitir, ainda, a formação de várias frentes de trabalho. “É a melhor alternativa que encontramos para o serviço de emergência que precisamos”, disse. De acordo com o secretário, a péssima qualidade do asfalto usado nos últimos anos na pavimentação asfaltica de Macapá é um dos principais motivos que provocam a abertura de buracos nas vias públicas, que só pioram

com a chegada do inverno. Paralelo a esta medida emergencial, o prefeito Clécio e equipe unem esforços para que a pavimentação e recuperação de vias sejam feitos assim que o tempo permitir. Nesta segunda-feira, 18, técnicos da Petrobrás, por intermédio do senador Randolfe Rodrigues, chegam em Macapá para discutir com a PMM outras soluções para a pavimentação de qualidade. “Não tínhamos como resolver antes e também não queríamos usar a chamada ‘borra’. Sabemos das condições das vias que é uma reclamação pública de um problema antigo. Vamos resolver de forma paliativa com a operação tapa-buracos, mas estamos buscando parcerias como do Governo do Estado, que ainda não deu respostas e pesquisando produtos de qualidade. Nos próximos dias homens e máquinas estarão nas ruas de Macapá”, finalizou o prefeito Clécio Luís.

CELIANE FREITAS

Presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski

Recuperação das ruas e avenidas pode custar mais de R$ 850 milhões

O

plano de recuperação da cidade pode se dividido em duas fases: a primeira fase apoiada em um acordo político-administrativo da qual participam representantes do governo do Estado, da Prefeitura de Macapá, do Ministério das Cidades, com o suporte dos parlamentares federais, estaduais e municipais; A outra fase, com a participação de técnicos e especialistas em desenvolvimento urbano, social e econômico que, com a participação direta das suas representações profissionais e sociais, adotariam as propostas do plano de recuperação da cidade, sendo responsáveis pela avaliação das propostas públicas na visão dos beneficiados – a população. Os dados iniciais, confirmados por especialistas, apontam para um horizonte de recuperação urbana, administrativa e social de, no mínimo, oito anos, ou seja, dois mandatos completos e que precisa iniciar desde o primeiro dia de trabalho do prefeito que assume no dia primeiro de janeiro de 2013. O preço Para definir o preço total do plano de construção de 640 km de vias (ruas, avenidas, travessas, passarelas e ciclovias) constando de títulos como: preparação da infraestrutura (base, sub-base e pavimento) e lançamento da capa asfáltica usinada a quente (AAUQ) ou do concreto betuminoso usinado a quente (CBUQ). Calçadas de 3 metros, com meio fio e linha d’água, pista de rolamento e faixa de estacionamento sinalizadas. Para o exercício do cálculo, foi levantado o preço de um metro linear de via, nos 14 metros de caixa, largura média entre os limites dos terrenos urbanos em Macapá que ficam

um em frente ao outro. Os 14 metros de caixa são distribuídos da seguinte forma: 2,8 m de calçada + 0,2 m de meio fio + 8,0 m de pista (duas faixas de rolamento e duas faixas de estacionamento) + 0,2 de meio fio e mais 2,8 metros de calçada. Quando possível, prever logo a construção de ciclovias em áreas de especial uso pelos ciclistas, considerando a densidade para o tráfego de bicicleta e a proximidade do local de trabalho dos profissionais trabalhadores. A composição de preço para um metro linear desse perfil varia conforme a inflação, mas também, conforme a disponibilidade de recursos para pagamento a vista ou a prazo. A alternativa executiva básica e compatível coma capacidade normal de pagamento do Município é para construir 80 km de via por ano, em média, que a um preço do serviço a R$ 870,52 por metro linear, da um total de (R$ 870,52 x 80.000) sessenta e nove milhões seiscentos e quarenta e um mil e seiscentos reais (R$ 69.641.600,00) por ano e durante os 8 anos (8 x 80 km = 640 km) se teria recuperado aproximadamente 2/3 das vias da cidade ao custo total de R$ 557.132.800,00. Para efeito de cálculo foi adotada uma previsão 5% do total gasto nas vias para a execução da sinalização horizontal, vertical e semafórica, o que daria em torno de R$ 27,86 milhões de reais. Muitas vias que, para efeito de cálculo, vamos considerar a metade (50%), teriam que receber o lançamento da drenagem com tubos enterrados e, nesse caso, ainda ateríamos que acrescentar no preço das vias os custos com a realização dos serviços de drenagem do tipo galeria de águas pluviais tubulares e que tem os seguinte componentes:

Placas de protesto já começam ser observadas nos locais onde a situação está critica, pois o risco de acidentes é constante.

1) movimentação de terra; 2) tubulação; 3) obras de artes especiais (poço de visita, boca de lobo em alvenaria e muro de ala). O preço médio para esse serviço, estimado por me-

tro linear é de R$ 852. O total seria, portanto, de R$ 852,00 x 320.000 metros (metade da extensão total), dando um total de R$ 272,64 milhões para os 8 anos de serviços.

A Prefeitura Municipal de Macapá necessita dispor de algo em torno de R$ 857 milhões de reais para, em oito anos, a cidade adquirir condições para indique melhoria na

qualidade de vida, inclusive com melhoria, também, no deslocamento de pessoas das para o trabalho, lazer e atendimento público, como bem fazer o regresso para a casa.

Os dados iniciais, confirmados por especialistas, apontam para um horizonte de recuperação urbana, administrativa e social de, no mínimo, oito anos, ou seja, dois mandatos completos.


JD

DiaDia

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

B4

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Programa Minha Casa, Minha Vida chega ao interior do AP beneficiando famílias quilombolas A ação da Polícia Civil contou com o apoio do Ministério Público e da Polícia Militar. Vários mandados de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos na capital amapaense

D

istante 70 quilômetros de Macapá, a localidade de São Pedro dos Bois também sente os efeitos do resgate da credibilidade do Amapá ao ser primeira comunidade da Região Norte a receber o “Minha Casa, Minha Vida Quilombola”. E neste sábado, 16, durante o lançamento oficial das obras, o governador Camilo Capiberibe lembrou aos moradores que os investimentos não ocorrem somente na sede dos municípios. Além do “Minha Casa, Minha Vida Quilombola”, 42 agricultores, na localidade, são beneficiados pelo Programa Territorial de Agricultura Familiar (Protaf), que também tem mudado a vida do homem do campo. “Aqui nesse projeto não tem dinheiro do governo estadual, mas a presença dos nossos técnicos foi fundamental para tornar esse momento possível, dando a orientação que as famílias precisavam. Outro fator importante diz respeito à credibilidade. Hoje, as instituições financeiras acreditam no Amapá”, declarou o governador Camilo.

A casa própria Na comunidade estão sendo construídas 39 casas, fruto da parceria entre o Governo do Amapá, através da Secretaria Extraordinária de Políticas para Afrodescendentes (Seafro), e a Caixa Econômica Federal, onde será investido cerca de R$ 1 milhão na construção das residências, no valor de R$ 30.500 cada. As casas, que ficarão

CELIANE FREITAS

prontas até o final deste ano, medem 6,90m por 6m, sendo constituídas de dois quartos, banheiro, sala, cozinha e área de serviço. Detalhe: os futuros proprietários das residências pagarão quatro parcelas anuais de R$ 305, que correspondem a um valor do total de R$ 1.220. Ou 4% do valor da obra. Na ocasião, o governador recomendou que seja aproveitada a mão-de-obra para a construção das casas, de modo que o dinheiro circule dentro da comunidade. Gestão O gerente regional da Caixa Econômica Federal, Célio Lopes, disse aos moradores que, no passado, tinha-se uma ideia de que era impossível acessar recursos federais e, por conta disso, o Amapá sempre ficava na ‘lanterna’, uma prática que foi rompida com o atual governo, que, nos últimos dois anos, conseguiu a liberação de verba para a construção de 4.366 moradias no Conjunto Macapaba, dentre outros recursos.

uma vez o governador tem compromisso com o povo do Amapá”, destacou Paredão.

Compromisso O presidente da Associação de Moradores, Produtores e Folclórica de São Pedro dos Bois, João Batista, conhecido como “Paredão”, lembrou que, no passado, governadores e prefeitos foram até a localidade e prometeram construir casas, que nunca saíram do papel. “Graças aos seminários promovidos pela Caixa Econômica, Seafro, Rurap e Adap, encontramos o caminho para tornar nosso sonho possível. Mais

O Protaf A agricultora Arlete Cirilo de Souza, 28 anos, em breve realizará o sonho de ter a casa própria e sabe exatamente de onde vai tirar dinheiro para pagar a prestação anual. Ela é uma dos 42 agricultores da comunidade que recebeu o benefício do Protaf. “Com a orientação dos técnicos do governo vou aumentar minha produção de farinha e, de lá, tirarei o dinheiro para pagar a prestação. Se tudo der certo,

Além do “Minha Casa, Minha Vida Quilombola”, 42 agricultores, na localidade, são beneficiados pelo Programa Territorial de Agricultura Familiar (Protaf), que também tem mudado a vida do homem do campo.

quito esse valor antes dos quatro anos”, apostou a agricultora. A Seafro A secretária da Seafro, Neucirene Oliveira, comentou que, antes, as ações da pasta se resumiam a apoiar festas tradicionais. Hoje, ela também cumpre o papel de articular e garantir que as políticas públicas cheguem até as comunidades. “Estamos acompanhando o programa no Amapá desde a retomada, em 2011. Com o Minha Casa, Minha Vida Quilombola acontecendo de fato no Estado, agora temos a certeza de que cumprimos nosso de-

ver”, avaliou a secretária.

R$ 40 mil”, lembrou.

Plantar para colher A secretária de Estado do Desenvolvimento Rural (SDR), Cristina Almeida, falou aos moradores que o diferencial deste governo é justamente o compromisso com a população, independentemente do lugar onde ela se encontre. “Fazemos uma gestão com transparência, responsabilidade e com investimentos. Em dois anos, somente para São Pedro dos Bois, através do Protaf, foram liberados R$ 305 mil, beneficiando 78 agricultores. Em oito anos, o governo passado investiu somente

Minha Casa, Minha Vida Quilombola O Minha Casa, Minha Vida Quilombola faz parte do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), que é componente do Programa Minha Casa, Minha Vida, e objetiva reduzir o déficit habitacional rural, incentivando a manutenção da família no campo e oferecendo moradia digna por meio de reforma ou da construção de novas moradias. Podem se beneficiar com o programa produtores rurais familiares com Renda Bruta Anual Familiar de até R$ 60 mil.

IPVA rendeu R$ 26,91 bilhões aos cofres estaduais em 2012

O

Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) di-

vulgou nesta semana que o Imposto sobre Propriedade de Veículos Auto-

motores (IPVA) rendeu R$ 26,91 bilhões aos cofres dos estados e do Distrito Federal no ano passado. Um aumento de 7,12% em relação à receita do ano anterior, decorrente da inflação acumulada de 5,84% em 2012 e do próprio crescimento da frota, que no final de 2011 era 70,5 milhões de automóveis, ônibus, caminhões, motocicletas e comerciais leves. Os números divulgados pelo presidente do IBPT, João Eloi Olenike, resultam do cruzamento de informações colhidas sobre alíquotas no Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), sobre frota de veículos no Denatran e sobre projeções populacionais no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Não foi revelado, porém, o núme-

ro consolidado da frota no final de 2012, para cobrança do IPVA deste ano. Frota Nacional Dados do Denatran revelam, contudo, que a frota nacional tem tido crescimento contínuo. Tanto que os 70,5 milhões de veículos de 2011 representavam expansão de 121% em relação aos 32 milhões de veículos de 2001, enquanto a população cresceu só 12% no mesmo período. Motocicletas O aumento acelerado se deu por causa da frota de motocicletas, que saltou de 4,5 milhões de unidades para 18,3 milhões na década, com expansão de 304%. De acordo com o IBPT, o estado de São Paulo, que tem a maior frota do país,

com 23.188.419 veículos, liderou a arrecadação, com R$ 11,374 bilhões. Minas Gerais aparece na segunda colocação, com arrecadação de R$ 3,152 bilhões, seguido do Rio Grande do Sul, com R$ 1,832 bilhão. Roraima apresentou a menor arrecadação entre as 27 unidades da Federação, com R$ 33,445 milhões. Sinalização O presidente do IBPT observa que, apesar de o estado do Paraná ter a sexta maior população do país, tem a terceira maior frota, composta por mais de 5 milhões de veículos. No seu entender, essa diferença pode sinalizar uma “migração de contribuintes” para estados que oferecem menores alíquotas do IPVA como parte de uma “guerra fis-

cal, intencional ou não, para atrair mais contribuintes”. Em especial de empresas que têm grande número de veículos, como locadoras do Nordeste que emplacam seus carros em Curitiba, por exemplo. O estudo do IBPT indica ainda que, em média, cada brasileiro pagou R$ 138,76 de IPVA em 2012, constituindo-se no segundo tributo de maior arrecadação, perdendo apenas para o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Em São Paulo, a média foi de R$ 271,47; no Distrito Federal, R$ 208,78; e em Santa Catarina, R$ 178,66. A menor arrecadação do IPVA por habitante ocorreu no Maranhão, onde cada contribuinte recolheu, em média, R$ 36,43.

Formação de técnicos deve fortalecer conselhos escolares do Amapá

O

Ministério da Educação vai capacitar mais de 1,8 mil técnicos das secretarias estaduais e municipais de Educação a partir deste mês, por meio de cursos de extensão a distância de formação continuada em conselhos escolares. As atividades serão ministradas nas universidades federais do Ceará (UFC), de São Carlos (UFSCar), de Santa Catarina (UFSC) e Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). No Amapá O Estado do Amapá vai ser capacitado pela Universidade Federal do Ceará, ao fim das atividades de preparação, os profissionais ficam responsáveis pela implantação e fortalecimento

dos conselhos escolares em escolas da rede pública. Além do Amapá, a UFC vai capacitar os estados do Acre, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Ceará, Maranhão e Mato Grosso do Sul. A UFSCar ofertará o curso em São Paulo, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Paraná. A UFSC e a UFRRJ só atuarão no estado de origem. Outras instituições federais devem aderir ao programa no segundo semestre deste ano. Aos conselhos escolares devem reforçar o projeto político-pedagógico da escola, além de incentivar a participação de toda a comunidade. Realizado anualmente desde 2005, o curso de formação continuada em conselhos escolares

já capacitou 25 mil técnicos das secretarias de Educação em todo o país. O projeto foi idealizado pela Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC como parte das atividades do Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares. Com o objetivo de contribuir com os sistemas de ensino, o programa, desde 2004, desenvolve ações para ampliar a participação das comunidades escolar e local na gestão administrativa, financeira e pedagógica das escolas públicas, bem como instituir, em regime de colaboração com os sistemas de ensino, políticas de implantação e fortalecimento de conselhos escolares. (Mônica Costa)

Além do Amapá, a UFC vai capacitar os estados do Acre, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Ceará, Maranhão e Mato Grosso do Sul.


CadernoC

Atualidades

Editora: Cris Coutinho- cris-coutinho@hotmail.com

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Ácido fólico na gravidez pode reduzir risco de autismo em bebês

Uma das grandes funções dessa vitamina é construir o tubo neural do bebê, segundo nutricionistas

Saiba como relaxar com alongamento

P

Estudo diz que suplementação adequada diminui em até 40% chances da doença. Também e importante comer alimentos ricos em acido folico.

U

m estudo feito pela Universidade da Califórnia (EUA) concluiu que tomar suplementos alimentares de ácido fólico durante a gravidez reduz as chances de o bebê nascer com autismo. Os resultados foram publicados no periódico The Journal of The American Association (JAMA) e fornecem evidências que reforçam a importância da suplementação dessa vitamina durante a gestação. Os pesquisadores se basearam nos dados de 85.176 bebês inscritos no Estudo de Corte de Mães e Crianças Norueguesas, o maior trabalho já feito sobre a influência de fatores genéticos e ambientais na incidência de doenças neurológicas. Os pais dessas crianças também participaram da pes-

quisa. A equipe acompanhou as crianças entre três e dez anos após o seu nascimento e observou que 270 delas apresentaram algum transtorno do espectro autista. Os resultados mostram que mães que fizeram uso de suplementos de ácido fólico antes e durante a gestação tiveram filhos com um risco até 40% menor de serem diagnosticados com autismo na infância. De acordo com os autores, o período de consumo da vitamina também é determinante na hora de prevenir doenças no bebê - na pesquisa, apenas mulheres que tomaram os suplementos desde as quatro semanas antes de engravidar até oito semanas após o início da gestação apresentaram redu-

ção no risco. 11 nutrientes que não podem faltar no prato da gestante. Durante a gravidez, a mulher deve adotar e mudar uma série de hábitos, principalmente alimentares. Afinal, o crescimento e o desenvolvimento do feto dependem exclusivamente da nutrição materna. Segundo a nutricionista Amanda Epifânio, do Citen, a necessidade de consumir diversas vitaminas e minerais é ainda maior durante a gestação e as deficiências nutricionais podem provocar desde um peso abaixo do ideal no recém-nascido até uma má formação fetal. “Algumas grávidas, inclusive, requerem atenção especial e suplementação além da alimentação”, conta A recomendação de con-

sumo desse nutriente para as gestantes é de 600ug por dia, porém este valor não é atingido somente com a alimentação. A nutricionista Simone explica que uma dieta com 2.200kcal é capaz de atingir somente 250ug de ácido fólico, aproximadamente. “Uma das grandes funções dessa vitamina é construir o tubo neural do bebê”, afirma. Como a formação dessa estrutura se completa até o 28º dia da gestação, o ideal é que a gestante comece a tomar uma suplementação de ácido fólico um mês antes da gestação, aconselha Simone. Além da suplementação, é importante comer alimentos ricos em ácido fólico, que são folhas verdes escuras, feijões, frutas cítricas, fígado e leite. uol

FBI investiga “sofisticado ataque” de hackers contra o Facebook

O

FBI está colaborando na investigação de um “sofisticado ataque” cibernético contra o Facebook, no mês passado, que segundo a administração da rede social, não comprometeu os dados dos usuários. O jornal “San Francisco Chronicle” publica neste sábado (16) que o FBI está trabalhando para determinar a origem deste ataque de hackers, que afetou os computadores de alguns funcionários da empresa californiana. Em comunicado, a direção do Facebook explicou que “o ataque aconteceu quando funcionários acessaram um website para desenvolvedores de sites”, que fez com que um vírus fosse instalado nos computadores. Com mais de um bilhão de usuários no mundo todo, a rede social é alvo de contínuas tentativas de ataque, mas este foi considerado especialmente problemático, devido ao momento vulnerável em códigos Java. O ataque ao Facebook acontece no mesmo mês em que os dados de 250 mil usuários foram obtidos por “hackers”. Jornais americanos, como “The New York Times”, “The Washington Post” e “The Wall Street

Journal” também detectaram recentemente tentativas de ataque, que apontaram ter partido da China. No domingo passado, o National Intelligence Estimate, que reúne informações de agências de inteligência do governo americano, divulgou relatório em que consta a informação de que o país está sendo vítima de sistemáticos ataques de piratas informáticos, além de ser

vítima de uma campanha de ciber-espionagem proveniente da China, mas também de Rússia, França e Israel. Recentemente, o grupo hacker LulzSecurity se uniu ao grupo Anonymous em uma operação chamada AntiSec. O esforço consiste em derrubar sites de governos, bancos e corporações para expor a “corrupção” e os “segredos obscuros” dessas institui-

ções. Desde o início dessa parceria, o grupo já dirigiu vários ataques a instituções internacionais e, mais recentemente, tem dirigido alguns a sites do Governo do Brasil. Diariamente, usuários do Facebook recebem várias solicitações de jogos e aplicativos. O problema é que, nem sempre, essas notificações são bem-vindas (para não dizer que elas enchem a paciência!).

ara evitar o cansaço e o desconforto muscular durante as tarefas diárias, é recomendável fazer exercícios de alongamento entre uma atividade e outra. Seja em casa ou no trabalho, especialistas indicam fazer uma pausa de cinco a 15 minutos para alongar a musculatura. A fisioterapeuta Ângela Lepesqueur explica que “o alongamento é um dos meios que temos para tratar músculos que estão sofrendo algum tipo de retração, que pode ser causada pelo uso repetitivo ou por manutenções de posturas por tempo prolongado”. O Papo Feminino conversou com diferentes profissionais para esclarecer como a falta do alongamento pode afetar o corpo e a mente. Benefícios As vantagens de incorporar a prática no dia a dia são inúmeras. Segundo o personal trainer Franklin Rocha, os alongamentos relaxam o corpo e a mente, melhoram a mobilidade articular, restauram o movimento normal da articulação envolvida na atividade, ativam a circulação, corrigem a postura, ajudam a melhorar agilidade e a coordenação motora e aumentam a amplitude de movimento independente da idade. As melhorias também são vistas no ambiente profissional. A terapeuta ocupacional Josiane Santana revela que as empresas que oferecem ginástica laboral (série de exercícios rápidos) para os seus funcionários percebem a modificação no desempenho. “No período de trabalho, os profissionais ficam mais atentos e aptos após uma pausa”, conclui. Segundo Franklin, vários problemas musculares poderiam ser evitados com o hábito do alongamento. “A falta de alongamento causa o estresse muscular, provocando o encurtamento dos músculos e dos ligamentos. Além disso, dificulta o deslocamento e diminui a agilidade na execução de tarefas consideradas simples”, exemplifica Franklin. Truques Passar horas sentado em uma cadeira, digitando em um computador ou passando pode deixar os músculos tensos. Ângela sugere truques simples para evitar a retração muscular como, por exemplo, não deixar as coisas em fácil alcance para que, ao ir buscar, haja movimentação.

No escritório, não crie facilidades como deixar a água, telefone e impressora sobre a mesa. “Assim, você terá que se levantar-se para realizar essas tarefas sempre que necessário”, indica a fisioterapeuta. Já em casa, o melhor é não manter a mesma postura por um logo período. Distribuir o peso entre as pernas e alternar os braços e as mãos durante as atividades é uma saída. O importante é mudar de posição ou mover-se a cada 40 minutos ou no máximo uma hora. Tome cuidado O alongamento não é indicado para todas as tensões. Ângela ressalta que aqueles que já estiverem com dores em locais específicos devem procurar um especialista. “Uma pessoa que tem uma lesão ou inflamação no nervo não pode fazer alongamento, pois pode aumentar o quadro de dor. Nos problemas ciáticos também não se deve fazer alongamento, pois aumenta a irritação do processo inflamatório do nervo”, explica. Exercícios Para dar uma relaxada, mas sem perder o foco no trabalho, a personal trainer Ângela Steck indica alguns exercícios de alongamento: Pescoço: Incline a cabeça para um dos lados e segure com a mão por 20 segundos. Repita para o outro lado. Flexione a cabeça para frente e para trás por cinco vezes. Ombros: Gire os ombros para frente por dez vezes e depois repita girando para trás. Estenda um braço contra o peito e com a outra mão segure o braço em direção ao corpo. Mãos e punhos: Estenda um dos braços à frente do corpo com a palma da mão virada para frente e dedos para baixo. Segure com a outra mão e puxe em sua direção por 30 segundos. Costas: Em pé, entrelace os dedos acima da cabeça e faça uma flexão lateral do tronco. Segure por 20 segundos cada lado. Repita duas vezes. Abdômen: Contraia seus músculos abdominais e glúteos, segure por dez segundos e em seguida solte. Pernas e panturrilhas (sentado): Puxe o joelho em direção ao peito com ambas as mãos, por 20 segundos cada lado. Levante e abaixe seus pés mantendo somente a ponta dos pés apoiada ao final da subida. Repita por 20 vezes. uol


JD

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Programas sociais deixam 2,5 milhões de miseráveis de fora

C2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

JD

Mundo

Rússia

Encontrar essas pessoas é essencial para a presidente Dilma Rousseff cumprir sua promessa de “erradicar” a extrema pobreza.

Mergulhadores exploram lago russo que teria sido atingido por meteoro

Apesar do inegável avanço, beneficiados correm o risco de voltar à viver na miséria

O

s programas sociais do governo federal excluem 2,5 milhões de pessoas que vivem abaixo da linha da miséria e ele não consegue localizar, de acordo com estimativa do próprio Ministério do Desenvolvimento Social. Encontrar essas pessoas é essencial para a presidente Dilma Rousseff cumprir sua promessa de “erradicar” a extrema pobreza --o que só ocorrerá quando nenhum brasileiro ganhar menos que R$ 70 por mês, segundo o critério fixado pelo governo. Análise: Apesar do inegável avanço, beneficiados correm risco de voltar à miséria O Ministério do Desenvolvimento Social chegou a essa estimativa depois de comparar dados do Censo de 2010 com as informações do Cadastro Único, a base de dados usada para administrar os programas sociais. Se essas pessoas não entrarem no sistema, elas ja-

mais serão incluídas em ações como o Bolsa Família, cujas transferências foram ampliadas por Dilma, e, assim, não serão resgatadas da extrema pobreza. “Pretendemos fazer [o cadastro dessas famílias] até o final do ano. A presidente já nos indicou que o processo tem que ser acelerado”, disse o secretário para Superação da Extrema Pobreza do ministério, Tiago Falcão. Em junho de 2011, quando Dilma lançou o Brasil sem Miséria, o plano com o qual espera cumprir sua promessa, cálculos feitos com dados preliminares do Censo indicavam que existiam 800 mil famílias fora do cadastro. O governo então mobilizou as prefeituras para localizar e incluir no sistema essas pessoas, em vez de simplesmente esperar que elas aparecessem espontaneamente para se cadastrar. Graças a essa iniciativa, 791 mil famílias foram encontradas.

Em abril do ano passado, o governo teve acesso a dados mais detalhados do Censo e concluiu que o problema era maior --cerca de 2 milhões de famílias miseráveis fora do cadastro, mais que o dobro das 800 mil identificadas anteriormente. De acordo com as estimativas do ministério, ainda falta localizar 700 mil famílias que estão fora do cadastro do governo --ou cerca de 2,5 milhões de pessoas, considerando uma média de 3,6 pessoas por família. O Cadastro Único reúne informações obtidas pelas prefeituras dos mais de 5,5 mil municípios do país, que são responsáveis pela localização dos pobres e pelo preenchimento dos formulários que alimentam o sistema. A dificuldade de cadastrar essas pessoas reside principalmente na falta de informação e no fato de elas estarem em lugares muito distantes de qualquer estrutura estatal

--dezenas de lanchas passarão a ser usadas na busca por ribeirinhos miseráveis da região Norte do país. Anúncio As falhas do cadastro foram citadas por Dilma no início do mês, quando a presidente disse que até março vai zerar o número dos extremamente pobres constantes no sistema --desde 2011, 19,5 milhões dos 22,1 milhões de miseráveis cadastrados passaram a ganhar ao menos R$ 71. “Nós não podemos ficar satisfeitos com isso, não, só zerar o cadastro. Nós temos de ir atrás dos que faltam. Sabemos que tanto na cidade como na zona rural, no campo brasileiro, ainda tem famílias abaixo da linha da pobreza não cadastradas.” O governo prepara novas medidas para zerar o número de miseráveis cadastrados e pode anunciá-las em evento na próxima terça-feira. (Folha)

Policiais do Denarc são presos por desviar drogas em SP

A

Polícia Federal prendeu na madrugada deste sábado (16) três policiais do Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos) suspeitos de desviar drogas que eram apreendidas pelo departamento, em São Paulo. Os policiais chegaram até os suspeitos depois de monitorar uma quadrilha de traficantes no último ano. Os criminosos atuam no Brasil e em outros países da

América do Sul, segundo a polícia.Por meio de escutas telefônicas, os policiais descobriram que os agentes do Denarc repassavam as drogas para a quadrilha. Com os suspeitos, a polícia apreendeu 300 quilos de cocaína. Segundo o delegado da Polícia Federal, Roberto Boreli, que fez a prisão dos policiais em Sorocaba (99 km de SP), ainda não dá para estimar há quanto tempo o trio

vendia as drogas apreendidas nem a quantidade de entorpecentes que foi desviada.Além dos policiais, foram presos dois integrantes da quadrilha de traficantes. O delegado diz que parte dos criminosos é de colombianos e que mais suspeitos devem ser presos nos próximos dias. A polícia não divulgou os nomes nem quanto tempo os policias estão no Denarc. A Corregedoria da Polícia Civil in-

U

a publicação da primeira matéria do caso no G1, na última quinta-feira (14). Há 24 dias o jovem de 15 anos foi até o plantão policial do município e pediu para ser internado em uma clínica de reabilitação. Ele entregou 17 papelotes de maconha aos policiais. A família não conseguia obter a informação correta, bem como o caminho em busca de tratamento para o menor. Sem ajuda do poder público, o menor espera pelo apoio das entidades particulares. O orientador psicossocial do Serviço de Apoio ao Adolescente

com Medida Sócio-Educativa (Seame) de Piracicaba, Raul Marques, disse que o jovem foi condenado a cumprir medida sócio-educativa devido à ato infracional cometido em julho de 2011. Os detalhes não foram divulgados por estar em segredo de Justiça. Como o jovem não cumpriu a medida sócio-educativa, ele fica impedido de sair do município. “Para resolver o problema farei um relatório da situação do menino e irei anexar um ofício da clínica interessada. Depois vou encaminhar para o juiz da Vara da Infância em cará-

Conclave Antecipado

vestiga o caso. A Folha não teve acesso aos presos e tampouco a seus advogados.O secretário de Estado da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, afirmou no início da tarde, por meio de nota, que vai requisitar à Superintendência da PF cópia do inquérito e documentos relativos à operação “para que a Corregedoria da Polícia Civil instaure os devidos” procedimentos disciplinares.

Adolescente de 15 anos quer ser internado para deixar o tráfico de drogas ma clínica de recuperação para dependentes químicos do Estado de São Paulo e uma igreja estão oferecendo vaga e apoio para internação do adolescente de Piracicaba (SP) que pediu à Polícia Civil para deixar o tráfico de drogas e o vício. Isto ocorreu há mais de 20 dias e até este sábado (16) o jovem não obteve a oportunidade porque ele não cumpriu uma medida sócio-educativa. Ele depende de autorização judicial para deixar a cidade em busca de tratamento. Os apoios surgiram após

Uma equipe de mergulhadores vasculhou neste sábado (16) o lago Shebarkul, na região de Cheliabinsk, na Rússia, atrás de fragmentos do meteoro que caiu nesta sexta-feira e, supostamente, teria atingido essa superfície de água congelada. Uma rachadura na cobertura espessa de gelo levantou a suspeita de um possível impacto do corpo celeste na área. De acordo com um porta-voz do Ministério de Situações de Emergência, em entrevista a agências de notícias russas, um grupo de seis mergulhadores inspecionará as águas em busca de fragmentos. Caso seja encontrado algum pedaço do corpo celeste, poderá ser classificado de meteorito. Quando um corpo rochoso vem do espaço e entra na atmosfera, ele é inicialmente chamado pelos astrônomos de meteoro. Caso atinja o solo, em vez de se desfazer em atrito com a atmosfera, ele - ou seus fragmentos - passam a ser classificados de “meteorito”, conforme explica o astrônomo Cássio Barbosa, colunista do G1. Maior em 100 anos A agência espacial americana Nasa divulgou informações capturadas por uma rede de sensores que permitiu uma melhor avaliação do objeto que cruzou o céu da Rússia. Segundo a instituição, o tamanho do meteoro era de 17 metros e seu peso era de 10 mil toneladas antes de entrar na atmosfera terrestre. Quando se desintegrou no céu, às 0h20 (horário de Brasília) desta sexta-feira, devido ao atrito com o ar, foram liberados 500 kilotons de energia (ou seja, aproximadamente o equivalente à detonação de 500 toneladas de TNT), segundo as estimativas. O primeiro registro da entrada do meteoro na atmosfera terrestre foi feito no Alasca, a mais de 6.500 km da região russa, onde houve os estragos. Os sensores de infrassom indicam que, desde o momento da entrada do meteoro na atmosfera, até sua desintegração, se passaram 32,5 segundos. “Poderíamos esperar que um evento dessa magnitude ocorresse a cada 100 anos, em média”, avalia o cientista Paul Chodas, da Nasa, que encabeça um programa da agência voltado para objetos espaciais próximos à Terra. “Quando há uma bola de fogo desse tamanho, esperaríamos que um grande número de meteoritos chegasse ao solo e, nesse caso, provavelmente deve ter havido alguns grandes”, avalia, em nota. O meteoro é o maior de que se tem notícia a impactar nosso planeta desde 1908, quando outra rocha vinda do espaço caiu em Tunguska, na Sibéria,

ter de urgência”, disse Marques. O relatório será feito após uma visita do orientador na casa do adolescente, prevista para acontecer na sexta-feira (15). A avó do adolescente, a dona de casa Roseli Aparecida Alves de Almeida, de 50 anos, disse que aguarda um final feliz para o caso. “Meu neto quer se tratar. Acredito na vontade dele e nas pessoas que querem nos ajudar”, disse. A igreja afirma que tem contatos com algumas clínicas e que já levou jovens para serem tratados contra dependência química. globo

Vaticano diz que Conclave pode começar antes de 15 de março O Vaticano disse neste sábado (16) que o conclave que escolherá o sucessor do papa Bento XVI poderá começar antes de 15 de março se houver quórum de cardeais suficiente em Roma. O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, afirmou que as regras da Igreja definem que a data dos conclaves pode ser “interpretada” diferentemente desta vez, já que se trata de uma circunstância extraordinária, após a histórica renúncia de Bento XV Ele afirmou anteriormente que o conclave começaria entre 15 e 20 de março, de acordo com as regras existentes. Mas neste sábado (16), disse que os acontecimentos podem ocorrer mais rapidamente, já que a Igreja está lidando com uma renúncia anunciada previamente, e não com uma súbita morte do pontífice. O tema está sendo debatido pelos próprios cardeais e “é possível que nossas autoridades submetam à votação este tema no mesmo dia em que começar a ‘sede vacante’”, disse. Os cardeais estão “profundamente afetados” após a decisão de renunciar de Bento XVI e tentam “focar o alcance e o significado deste gesto”, acrescentou o porta-voz do Vaticano. (G1)


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

C3


JD

Diversão&Cultura

Saiba os mitos e verdades do que pode queimar as gordurinhas da barriga

Abdômen sarado e corpo sequinho. Qual mulher não quer ter ? Saiba os verdadeiros motivos do que provoca ou tira barriga

Q

ual mulher não quer ter o corpo sequinho e o abdômen sarado? Talvez por conta disso é que circulam por aí tantas lendas sobre o que provoca ou tira barriga. Perguntamos para a nutricionista Bia Rique, da Clínica Ivo Pitanguy, o que é mito e verdade quando o assunto é essa indesejável gordurinha que queremos tanto perder - principalmente no verão. Barriguinha de chope. Fato? Claro que cerveja e refrigerante têm muitas calorias. Mas isso não quer dizer que toda a gordura vai ficar concentrada na barriga. “Na verdade, ela pode acumular em qualquer parte do corpo”, explica Bia Rique. Beber durante as re-

C4

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Celebridades Eventos Coautora de “Friends” vem ao Brasil para evento com roteiristas Marta Kauffman, coautora de “Friends”, estará no Brasil em março participando do Programa Globosat de Desenvolvimento de Roteiristas. Em maio, ela lança nos Estados Unidos o projeto “Call Me Crazy”. Serão cinco telefilmes sobre doenças mentais, cada um dirigido por uma mulher famosa, entre elas Jennifer Anniston e Ashley Judd. A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Keila Jimenez e publicada na Folha (16).

O amor está no ar Paula Fernandes para namorado: ‘Que bom que a vida me trouxe você!’

Paula Fernandes se declarou para namorado na madrugada deste sábado, 16, no Instagram. A cantora postou foto de viagem dos dois a Disney e escreveu: “Feliz... Que bom que a vida me trouxe você! Amo!” Paula e Henrique se conheceram através de amigos em comum: “Nos conhecemos andando a cavalo, foi um amigo em comum que nos apresentou. Ela é minha alma gêmea, ela se parece muito comigo”.

Briga com a balança ? Você sabia que fazer exercícios no frio queima mais gorduras do que no calor ?

feições dá barriga? Beber muito líquido durante as refeições pode dilatar o estômago e dificultar a digestão. “Se a pessoa toma duas latas de refrigerante durante as refeições vai acabar engordando”. Abdominal é bom para tirar barriga? Abdominal tonifica a musculatura da barriga, mas não queima a gordura da região. “A pessoa tem a sensação de perder barriga porque o exercício diminui a flacidez e trabalha o músculo, deixando a barriga dura”. Má postura engorda? Muita gente fica com barriga proeminente por causa da postura errada. A pessoa curvada projeta o abdômen e o quadril para frente, ficando com barriga e culote. “O RPG acaba ajudando indiretamente, mas para resolver a questão é preciso também fazer es-

teira e ter uma alimentação saudável”. Fazer exercícios com muita roupa ajuda a emagrecer? Fazer exercícios com muita roupa só vai fazer com que você transpire mais. “Mas fazer exercício no frio queima mais gordura do que no calor. Como o organismo precisa manter a temperatura corporal, nosso corpo vai gastar calorias para manter a temperatura dele a 36 graus”. Adianta correr todos os dias durante 30 minutos na esteira? Adianta porque você deletou a sua parte de glicogênio do organismo (reserva energética). E embora não tenha entrado na queima de gordura (que é a partir de 30 minutos), a sua reserva naquele dia acabou. “Se você não faz exercícios e fica parada, o seu ‘tanque’ fica cheio”, explica.

Mariah choca fãs ao postar foto com cachorro

M

ariah Carey publicou na noite de quinta (14), em sua página do Twitter, uma foto em que aparece no banho com seu cachorrinho de estimação. Em pleno Dia dos Namorados, a cantora causou polêmica entre os internautas que viram a imagem dos dois na mesma banheira como algo nada higiênico. Alvo de comentários desagradáveis por, justamente, estar se preparando para o encontro romântico com o marido, o rapper Nick Cannon, Mariah explicou em sua rede social que Jill simplesmente pulou na banheira. Após o inesperado incidente e depois de registrar o

momento, Mariah aproveitou a noite romântica com Cannon, com quem está casada desde 2008. Entre as surpresas do maridão, vários balões em diversos formatos, como coração e borboleta (grande paixão da cantora) e, até mesmo, um passeio de carruagem. Desta vez, sem o cachorrinho, é claro. (globo)

Resumo das Novelas Malhação Ana comemora ao ver Bruno dispensar Fatinha. Leandro implora que Isabela se livre do novo cãozinho. Marcela convida Lorenzo para morar com ela e Gil. Vitor conforta Fatinha, que sofre por Bruno. Ju dá um presente para Gil, simbolizando o relacionamento deles. Ana pede para voltar a namorar Bruno. Fatinha fica triste enquanto pensa em Bruno. Lorenzo avisa às filhas que vai morar com Marcela. Leandro faz uma surpresa para Isabela e a presenteia com um cão-robô. Lorenzo discute com Raquel. Passa-se um mês. Morgana convida os alunos para uma festa de despedida para Rafael, que vai estudar fora.

Guerra dos Sexos Nando e Roberta são encurralados pela quadrilha de assaltantes. Felipe consegue fugir da armadilha de Carolina. Charlô afirma para Olívia que descobrirá, com Alessandra, o plano de Otávio. Zenon beija Analú. Ulisses convence Juliana a desistir de Nando. Charlô discute com Alessandra, e Baltazar ouve. A cantora misteriosa deixa na mansão um canudo de papel e um lenço negro. Roberta e Nando são levados pelos bandidos no carro da polícia. Carolina suborna um garçom para dar bebida a Felipe. Juliana conta a conversa que teve com Ulisses para Vânia. Carolina leva Felipe para seu quarto. Nando e Roberta dormem na praia.

Lado a Lado Edgar desconfia que Fernando tenha usado recursos ilegais para comprar as ações da fábrica. Teresa comunica a Praxedes que não quer contratar uma babá para Ângelo. Edgar leva Melissa para frequentar a escola de Laura. Laura avisa a Constância para ficar distante de Elias. Fátima aceita assistir a uma rodada de capoeira no morro com Zé Maria. Heloisa e Edgar percebem que só podem ser grandes amigos. Edgar descobre que Fernando não pediu empréstimo para comprar as ações da fábrica. Laura conta para Isabel que Guerra encomendou uma nova matéria para Paulo Lima Esther ameaça terminar o noivado com Albertinho se ele não se afastar de Elias.

Salve Jorge Lívia se preocupa com a entrevista de Theo. Russo orienta Wanda a voltar para o Brasil. Mustafá deixa a boate acompanhado por Morena. Áurea repreende Theo pela entrevista contra Lívia. Helô assiste a uma reportagem sobre tráfico humano. Mustafá conversa com Morena. Clóvis critica Diva por falar mal dos vizinhos. Lucimar tenta distrair Junior que diz ter saudades da mãe. Delzuite discute com Vanúbia. Lurdinha mostra para a mãe a foto da pulseirinha que colocou na internet para encontrar a irmã. Aisha tenta mostrar para Berna sua suposta família biológica. Morena pede para Mustafá comprá-la de Russo, mas ele não acredita no que ela diz.

Aborrecida Simony fica chateada por filho ser recusado em musical de Michael Jackson

Simony, 36, está investindo na carreira artística dos filhos. Aysha, 10, faz parte do elenco da novela “Carrossel”, e Ryan, 11, tentou um papel em um musical sobre a trajetória de Michael Jackson, mas foi cortado. A ex-cantora infantil não gostou nada e fez um desabafo no Twitter ontém (15). “Muito chateada com essa produção [‘Thriller Brasil’] meu filho passou em todos os testes fez todas as aulas e não está no espetáculo. Não entendi”, escreveu. Ela disse ainda ter perdido tempo com a produção: “Vocês não podem dizer pra uma criança que ela passou sem ter certeza. Ele não está ligando pra isso, mas eu

Horóscopo Áries (21 mar. a 20 abr.) Apego ou desapego. Manter ou transformar, os desafios de hoje aos nativos de Áries. Dia que enfatiza a habilidade de concretizar sonhos, com determinação. Momento em que muita coisa está ocorrendo nos bastidores. Melhor seguir a intuição.. Touro (21 abr. a 20 mai.) Não veja as coisas de forma teimosa, insegura ou resistente às mudanças, taurino. O dia pede a compreensão das responsabilidades emocionais e nos relacionamentos. Habilidade de realizar projetos que envolvem a participação de outras pessoas.. Gêmeos (21 mai. a 20 jun.)

Trabalho e saúde são temas em evidência hoje para os geminianos. Cuide-se. Percepção do que é passível de ser realizado. Persistência para realizar propósitos. Atenção com a inflexibilidade e com tendência a se sentir inadequado e despreparado. Câncer (21 jun. a 21 jul.) Amor e amizade são temas que estão em foco. Realizações criativas, canceriano. Projetos que envolvem a expressão da sensibilidade. Geração de belas obras. Aprendizados relacionados à vida afetiva e a como desenvolver mais criativamente os seus talentos. Leão (22 jul. a 22 ago.) Momento em que deve perceber as bases emocionais de suas atitudes, leonino. Ênfase em negócios e em questões familiares e profissionais. O que é valioso? Responsabilidades não devem ser encaradas como fardo, mas como evolução e aprimoramento. Virgem (23 ago. a 22 set.) Da cooperação podem surgir belas realizações. Que nascem num sonho, virginiano. Abrace o desconhecido, não resista às mudanças. Reconheça o que precisa ser enterrado. O dia favorece a distinção .

Libra (23 set. a 22 out.) Percepção da importância dos seus talentos e valores, mas também dos alheios. Unindo forças, mas sem dependência, poderá haver a construção de importantes realizações. Compreenda que você não é o que possui, que seu valor não está no que tem, libriano. Escorpião (23 out. a 21 nov.) Saturno em seu signo e a Lua em Touro ressaltam a importância da maturidade, escorpiano. Construção de uma nova identidade, com novas responsabilidades e propósitos. Harmonize a individualidade e a atenção dada aos relacionamentos. Materialize a criatividade. Sagitário (22 nov. a 21 dez.) Uma parada estratégica pode ser necessária, para se sentir mais fortalecido. Forças internas de superação e também de percepção do que você realmente quer realizar. Saúde envolve muitos fatores, que neste momento são principalmente emocionais e psicológicos. Capricórnio

(22 dez. a 20 jan.) Saturno, seu regente, oposto à Lua indica responsabilidade e maturidade necessárias. Equilibre a dedicação às questões profissionais e pessoais, ao adulto e à criança em você. A solidão pode ser um efeito colateral de negligência com os sentimentos, capricorniano.

Aquário (21 jan. a 19 fev.) Excelente momento para expressar seus talentos com inspiração e criatividade. Dia em que está envolvido com questões profissionais, emocionais e familiares, aquariano. Peixes (20 fev. a 20 mar.) Marte, em movimento pelo seu signo, aspecta Saturno. Iniciativas e realizações. Favorecimento para motivações sintonizadas com os seus sonhos. Ação sensível, inspirada.


CadernoD

Carro&Moto

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Automóveis lideram ranking de recalls Em 2012, o setor automotivo respondeu por 64,6% das campanhas. Somente em janeiro, cinco foram chamados

F

evereiro nem acabou e cinco campanhas de recall já foram iniciadas em 2013. A Volvo se encarregou de ser a primeira a convocar seus clientes para comparecer às concessionárias a fim de fazer reparos nos modelos S60 e XC60. A Land Rover também entrou na roda para reparar danos ao Range Rover Evoque. Até o recém-lançado Onix, da Chevrolet, já causou transtornos. Se continuar nesse ritmo, o setor de automóveis vai continuar na liderança de recalls. Em 2012, o segmento foi o que mais precisou fazer iniciativas para repação ou substiuição de peças, com 64,6% das campanhas. O setor de motocicletas ocupou a segunda colocação da lista, com 23,1%, de acordo com a Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor). Mas se as fabricantes estão assumindo o erro, cabe ao cliente atender ao chamado. De acordo com a associação de consumidores, Proteste, ainda é baixa a adesão dos condutores às campanhas de recall. Confira algumas dicas para que você não tenha prejuízos: +Não perca tempo. Com-

pareça a uma concessionária da marca assim que puder, afinal, devem ser feitos reparos de segurança. Além disso, o Denatran determinou que o não atendimento ao recall, no prazo de um ano, passa a constar no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo. +Se o defeito apontado pela montadora na convocação acarretou em algum acidente, procure o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor para pedir reparação por danos morais e patrimoniais. + Vai comprar um carro usado? Antes de fechar negócio, cheque com a montadora se o veículo já passou por um recall por meio de seu Serviço de Atendimento ao Cliente. +Outra forma de saber se seu carro já foi submetido à alguma campanha de reparo é por meio do portal do Ministério da Justiça (http:// portal.mj.gov.br). Você vai precisar inserir a numeração do chassi (VIN), que possui 17 caracteres. +Seu carro teve algum problema ou defeito não constatados pela fabricante? Não deixa de relatar a ela, afinal, vários recalls resultam das suas reclamações. (Carsale)

Se as fabricantes estão assumindo o erro, cabe ao cliente atender ao chamado

Foi surpreendido com uma enchente? Esteja preparado para enfrentá-la

Opinião

Vendedores de luxo

Saiba que sempre há riscos de seu carro encontrar bueiros sem tampa ou grandes buracos escondidos

D

urante o dia, o sol forte não dá trégua e à tarde o céu passa de azul para preto em instantes, indicando que o temporal está por vir. Como os brasileiros sabem, verão é época de chuvas fortes e, infelizmente, também de terríveis enchentes. E quem precisa pegar o carro nesses dias deve se prevenir. O Carsale reuniu algumas dicas para você saber o que fazer, caso seja surpreendido por alagamentos inesperados no seu caminho. Quem dá as orientações é o especialista e técnico do Centro de Experimentações e Segurança Viária (Cesvi Brasil), Gérson Burin. + Se não der para evitar de sair com seu carro, o melhor a fazer é estudar o caminho. Dê uma olhada nas ruas que fazem parte de seu trajeto e veja se elas costumam sofrer com as enchentes. Estudar caminhos alternativos é uma boa pedida, caso você se depare com uma via alagada. + Se não deu para evitar e

você está frente a frente com um local alagado, tenha cautela. Primeiramente observe a altura da lamina d’água que se formou na rua. Ela não pode passar da metade da altura da roda. Se tiver acima, desista. + Checada a altura do alagamento, faça da seguinte forma: coloque a primeira marcha e mantenha a aceleração do motor em um nível intermediário. Não acelere demais, nem deixe a rotação muito baixa. +Saiba que sempre há riscos de seu carro encontrar bueiros sem tampa ou grandes buracos escondidos sob a água. + Atenção: se no meio da travessia, o motor do seu carro apagou, em hipótese alguma tente ligá-lo novamente. Isso porque a água pode ter entrado nos cilindros, ou molhado os chips eletrônicos, ECU (central eletrônica) e contatos elétricos. A orientação é para que o motorista espere o alagamento baixar, chame um guincho e leve o veículo o mais rápido possível para uma oficina.

O carro foi pego pela enchente? Saiba o que fazer + Ao chegar com o veículo na oficina escolhida, a primeira coisa é verificar a existência de problemas mecânicos. Como já mencionado, a água pode ter entrado nos cilindros, afetado pistões, reservatório do óleo do motor e demais fluídos. + O ideal é que o profissional da oficina cheque todas as possibilidades e faça uma limpeza geral nos componentes. Assim, você evita o tão temido calço hidráulico (que é a entrada de líquido na câmara de

combustão) e que pode sair caro para reparar. + Outra dica é checar se há problemas elétricos. Peça para o mecânico avaliar a bateria, alternador, bobinas, módulos eletrônicos, sensores e demais contatos que utilizam eletricidade. +E não há como ignorar a questão da higienização, nos casos em que entrou água no veículo. Existem diversos tipos de serviços disponíveis no mercado, inclusive, com preços variados. É importante pesquisar o que mais te agrada. (Carsale)

Toda vez que é noticiado recorde de congestionamento em São Paulo – ocorrência longe de ser rara –, alguém aponta o dedo em riste para mim e, na galhofa ou a sério, sentencia: “Está vendo? Culpa sua!”. Não é de hoje que o jornalista automotivo é tachado como uma espécie de vendedor de luxo de automóveis, pois em não raras ocasiões é baseada em uma opinião sua que a compra de um veículo novo é decidida. Empiricamente, diga-se de passagem, às vezes vejo acontecer exatamente o contrário. Invariavelmente nosso interlocutor já está decidido acerca do modelo que vai comprar. Busca então, falando conosco, uma confirmação para sua escolha. Quando ela não vem, ele vai até a loja e compra aquele carro do mesmo jeito. Mas é óbvio que nossa opinião conta, sim. Outro dia, uma amiga que era correspondente de uma rede de TV no exterior e que acaba de retornar ao Brasil veio me perguntar sobre qual dos seguintes modelos deveria comprar: Mitsubishi ASX, Hyundai ix35 ou Volkswagen Tiguan. Respondi que Mitsubishi e Hyundai não têm uma frota de imprensa estruturada para atender jornalistas e que, por conta disso, embora conhecesse os modelos, era apenas superficialmente. No entanto, nem por isso, preferiria no seu lugar um Tiguan. Pela qualidade da marca, pelos anos de mercado, pela rede de concessionárias, entre outros atributos. Dias depois, feliz da vida, ela veio me dizer que comprou o Tiguan. Vermelho! Vai ajudar a colorir as ruas coalhadas de preto e prata. De qualquer forma, não existe relação direta entre sucesso de crítica e de público. Durante anos o Ford Focus foi de longe o melhor hatch médio do mercado, mas nem por isso era o mais vendido. O Honda Civic é hoje melhor do que o Toyota Corolla, mas este venceu o rival no ano passado. Tudo bem, essa é só a minha opinião. Mas é confirmada por várias reportagens publicadas em veículos especializados. Às vezes, no entanto, as coisas batem. Dois veículos foram muito bem recebidos pela crítica no final do ano passado – o Hyundai HB20 e o Chevrolet Onix. O primeiro logo alcançou o top ten, ficando na nona colocação entre os mais vendidos de janeiro. O Onix, então, tem filas de espera na concessionária, tendo galgado o título de quinto mais vendido. Por outro lado, não tão bem recebido foi o Toyota Etios. E as vendas refletem isso: em janeiro foram vendidas 3.458 unidades do modelo (2.034 do hatch e 1.424 do sedã). É pouco para uma fábrica de 70 mil unidades anuais (5.833 na média mensal). Isso apesar de uma agressiva campanha publicitária. Costumo chamar certos fenômenos de “efeito Nova Schin”. Ou seja, não adianta investimentos milionários em publicidade se o produto não satisfizer seu público. De uma forma ou de outra, fica a pergunta: temos o poder de determinar o sucesso ou o fracasso de um carro ou isso não passa de lenda urbana? (http://blogdoluisperez.blog.uol.com.br)


JD

Carro&Moto

D2

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Opcionais versus revenda Economia na compra de um 0km pode desvalorizar o carro depois

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Pista livre JOSÉ ARCANGELO

Colunista

Substituição Quando chegou a catraca eletrônica nos coletivos e metrôs no Brasil o desemprego na categoria de bilheteiros e trocadores aumentou. Com o avanço da tecnologia, nos autos atendimentos uma ferramenta demorou, mas chegou para ficar. Pelo menos nas revendas de automóveis dos Estados Unidos. A novidade foi devidamente apresentada em recente convenção da NADA (National Automobile Dealers Association) que aconteceu em Orlando (Flórida).

O que é bom para o conforto do motorista pode ser ótimo para a liquidez do seu carro

A

r-condicionado, 3000 reais. Direção hidráulica, 1100 reais. Vidros e travas elétricos, 2000 reais. Vender o seu seminovo rapidamente por valor acima da média de mercado: não tem preço. Parece comercial de um cartão de crédito, mas é a mais pura realidade. O exemplo acima foi retirado de preços reais praticados na compra de um hatch compacto zero. Tudo bem que não são valores baixos, mas eles podem ser diluídos nas prestações de um financiamento e impedir que no futuro você fique com um mico nas mãos. Foi o que aconteceu com o representante comercial Eduardo Paulo da Silva, 34 anos, dono de um Palio 1.0 2007. Embora a tabela da Fipe indique que ele custa 22 330 reais, quando foi contatado pela Quatro Rodas, o proprietário teve de baixá-lo para 10 000 reais para conseguir vendê-lo. O motivo: a falta de ar-condicionado. “Quando comprei o carro, achei que estava fazendo um grande negócio, pois deixei de desembolsar 4000 reais ao dispensar o ar. Mas agora estou penando para vender”, diz Silva. “As pessoas não costumam dizer que não estão mais interessadas por causa da falta do equipamento. Mas é comum reagirem um pouco decepcionadas, dizendo: ‘Ah, não tem ar?’.” Faz tempo que a máxima de que carro é investimento deixou de ser verdade. De fato, logo que um automóvel sai da concessio-

nária, ele sofre sua mais acentuada desvalorização, algo entre 15% e 25%, o que pode representar 17 500 reais em um sedã de 70 000 reais, por exemplo. Bom hoje, ruim amanhã Além disso, é comum opcionais ou acessórios adquiridos no ato da compra do veículo não serem valorizados no momento da revenda. Mas o que ocorre na prática é que um veículo com os equipamentos mais requisitados costuma ganhar em liquidez, ou seja, aumentar a velocidade da revenda. Ao investir na compra de um automóvel novo, portanto, pense que o que é bom para o conforto do motorista pode ser ótimo para a liquidez do seu carro. Os itens mais valorizados pelo mercado são ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricos, seguidos por um bom equipamento de som - de preferência não só um MP3 player, mas também com entrada auxiliar e USB. Em um segundo patamar, infelizmente, vêm freios ABS e airbag. No terceiro escalão entram bancos de couro, assento do motorista com regulagem de altura, piloto automático, rodas de liga leve e sensores de estacionamento. Se todos vierem já instalados de fábrica, melhor ainda. O importante é saber que, ao negociar, o vendedor precisa ter bastante paciência. Afinal, tudo o que foi apontado como uma maravilha no momento da compra do veí-

culo zero será desdenhado por quem quiser comprar seu seminovo. Faz parte do jogo. Por isso é importante fazer a escolha certa ao optar ou não pelos opcionais, para afugentar um mico no futuro. Combinações bizarras Uma maneira de eliminar esses riscos é evitar a compra de um básico com alguns dos opcionais. O ideal é tentar sempre partir para uma versão superior que já venha com esses equipamentos como itens de série. Dessa maneira você tem um carro mais equipado e não perde dinheiro. O problema é que o preço de compra desse modelo será mais puxado. Se o orçamento está curto e você percebeu que não tem como investir numa versão intermediária, nesse caso tome cuidado para não fazer combinações de equipamentos que sejam uma futura dor de cabeça. Por exemplo, montar um sedã com ar-condicionado, vidros elétricos e sem direção hidráulica. Ou colocar ABS e airbag e deixar de lado um trio elétrico. Configurações raras são garantia de problemas no momento da revenda. Para ajudá-lo a decidir pela compra dos equipamentos, vale lembrar que modelos das montadoras mais tradicionais (Fiat, Volkswagen, GM e Ford) costumam ter mais flexibilidade na hora de oferecer pacotes de opcionais, enquanto as instaladas mais recentemente no país trazem carros com menos

versões e poucos opcionais, com pacotes mais fechados. Segurança barata Para quem sempre investiu na segurança,o cenário está mudando - para melhor. No passado, só era possível comparar airbag e ABS adquirindo versões topo de linha ou caros pacotes de opcionais com equipamentos que nem sempre interessavam, como sistema de som ou teto solar. Hoje os dois são oferecidos como opcionais que podem ser comprados separadamente em boa parte das montadoras. O único problema é que o comprador deve controlar seu impulso consumista e fazer um pedido específico à fábrica, pois nem sempre eles estão disponíveis para pronta-entrega. Se, no passado, ABS e airbag duplo eram caríssimos, atualmente os preços são acessíveis. Na Fiat, por exemplo, é possível pagar 2 500 reais pelo conjunto colocado num Palio. Essa mudança de comportamento de mercado está alinhada com a nova legislação, que obriga que todos os carros fabricados a partir de janeiro de 2014 deverão sair de fábrica com os dois equipamentos. É por isso que algumas montadoras já começaram a se preparar. É o caso da Volks, que em 2010 passou a oferecer ambos como itens de série em algumas versões de Fox, CrossFox e Golf sem aumentar o preço de tabela. (Quatro Rodas)

Fusion Hybrid bate recorde de vendas em janeiro nos Estados Unidos

A

Ford registrou recorde na venda de carros híbridos nos Estados Unidos em janeiro, com 5.858 unidades, o melhor resultado da história para o mês, superior à projeção inicial de 5.500 unidades. Carro-chefe da marca no segmento, o Novo Fusion Hybrid manteve o ritmo forte depois do recorde histórico de 3.244 unidades em dezembro. Em 2012, a participação da Ford no segmento cresceu 9 pontos porcentuais e chegou a 16%, enquanto a Toyota caiu de 68% para 60%. Com o lançamento do Novo Fusion Hybrid e dos híbridos C-MAX, a marca fechou 2012 com o melhor trimestre de vendas da sua história, de 19.554 unida-

des. Outro dado interessante é que cerca de 70% dos compradores do Novo Fusion Hybrid são novos na marca. Os dados mostram também que o Novo Fusion Hybrid atrai compradores mais jovens, ampliando a faixa tradicional da categoria. Seus compradores são cinco anos mais jovens que os do Fusion Hybrid anterior - baixando a média de 53 para 48 anos. Como comparação, segundo o instituto J.D. Power, a média de idade dos clientes do Toyota Camry Hybrid 2012 é 54 anos. Além disso, 22% dos compradores do Fusion têm menos de 35 anos - no Toyota Camry esse índice é de 13%. O Fusion Hybrid continua a ser o carro de giro mais

Cerca de 70% dos compradores do Novo Fusion Hybrid são novos na marca

rápido nas revendas da Ford, com uma permanência média de apenas 10 dias no estoque. No Brasil, onde também será lançado nos próxi-

mos meses, o Novo Fusion Hybrid já recebeu a classificação A de economia de combustível do Inmetro, a melhor da categoria. (Autoestrada)

Virtual Na prestação de serviços, no encontro da NADA foi apresentada a consultora de vendas eletrônica, que não é mais que um grande tablet, onde, com toques na tela se realiza simulação de financiamento, aprovação, pagamento em cartão, transferência de numerário, pedidos e até marcar a data de entrega. O aparelho chega até a interagir com os clientes respondendo as perguntas baseado no reconhecimento de voz. No Brasil a novidade deve começar nos show roons para a venda dos chamados populares. Aventureiros Eles não tem tanta vocação para trafegar em estradas lamacentas, mas são perfeitamente conhecidos como aventureiro do asfalto. Nesta categoria estão três legítimos representantes: Hyundai HB20 X, O Honda Fit Twist a Nissan Livina X-Gear. O Twist vem com para choque reforçado, lentes escurecidas nos faróis, rack de alumínio no teto e o único da família a ter faróis de milhas. Câmbios O Twist vem disponível apenas com o mais potente motor da gama Fit, o 1,5 litros, flex que entrega 115 cv (gasolina) e 116 (etanol) e pode vir equipado tanto com câmbio manual como o automático, com preço variando um pouco mais de R$ 2 mil de um para outro. As

rodas são de 16 polegadas com pneus 185/55, com desenhos exclusivos. Isso ajuda a definir o carro com aspecto parrudo. Na Safira Automóveis, com a gerente Loise Vilma Araújo e sua equipe. Comemoração A Ford comemora o seu sucesso mundial depois de anos ameaçada de quebrar. No ano passado foi à única marca a emplacar três veículos entre os 10 mais vendidos no planeta: O Focus, a Série F de picapes e o New Fiesta. Só nos EUA a montadora superou os 2 milhões de unidades vendidas, isto pelo segundo ano consecutivo. Na América do Sul realizou o lançamento de 25 veículos e 31 motores globalizados. Este ano, a montadora do Oval Azul promete realizar 18 grandes ações. Preços Na compra de um seminovo alem do preço de mercado e as condições do carro é bom saber os preços de algumas peças de reposição quanto tiver que recorrer à manutenção. Como a maioria recorre ao mercado paralelo, eis os custos: pastilhas dianteiras Toyota Corolla1.8 XEi 2005, média de R$ 189,00; do C4 Picasso 2010 a R$ 390,00 e Nissan Sentra S 2.0, câmbio automático 2010, tem preço médio de R$ 470,00 para as tocas de óleo recomendado, filtros de ar/ combustível e pastilhas dianteiras. Regulagens Os faróis dos carros, pelo menos uma vez na vida, vão precisar de regulagens. O ideal é procurar a concessionária de origem do veículo. Lá, antes, eles vão calibrar os pneus e colocá-lo em uma superfície plana. Instalam o aparelho regulador numa distância, mínima de 30 com e máxima de meio metro, verificando alinhamento e análise. Utilizando ferramental apropriado realizam os ajustes, com o procedimento tendo duração de 30 minutos.

Auto Pista Agradeço a Ascom da HSM Ispring Ideas o envio do convite para participar do Fórum HSM Family Business 2013, com o tema “A gestão da empresa familiar no Século 21”, de 07 a 08 de maio em São Paulo. –x-x-x-x- Com milhares de buracos, verdadeiras crateras distribuídas fartamente pelas vias da Grande Macapá, o conselho do nosso esforçado alcaide foi hilariante: desviem deles até a prefeitura conseguir verbas para comprar asfalto. –x-x-x-x- Contribuintes se preparem: vem ai, no dia 15 de março o pagamento da primeira parcela do IPVA, taxas de licenciamento e seguro. Essas não dão para “desviar”: ou paga ou os juros juntamente com a inflação vão corroer seus salários. –x-x-x-x- Nas ruas do município de Ferreira Gomes, como as finanças devem está no vermelho, moradores resolveram ajudar a prefeitura tapando os buracos com pedra. Já por aqui, adjacente a Praça Duque de Caxias, em frente ao 34 BIS, as “lagoas” estão sendo tapadas com restos de lixo e entulhos. –x-x-x-xTrabalho exemplar da Polícia Rodoviária Federal (PRF) por ocasião as Operação Carnaval. O etilômetro foi usado sem dó ou piedade. –x-x-x-x- “Aprenda como deter o julgamento; aprenda a escutar; entre em contato com seu próprio eu interior; olhe para a vida com alegria e jamais chore por algo que não pode chorar por você.” (Cheewa James-Modoc). –x-x-x-x- Freando... e torcendo pelo fim dos buracos, crateras, valas, poças d’água e lama. –x-x-x-x- Mesmo assim: Bom Domingo!


Carro&Moto

JD

D3

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Onix X Gol: quem leva a melhor no comparativo das versões 1.0?

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Em detalhes

FOTOS DIVULGAÇÃO

Hatch da Chevrolet quer desbancar o campeão de vendas da VW; veja qual dos dois vence essa partida em uma análise feita pela Auto Esporte

O

Onix está na cara do Gol. Deu um chapéu no Etios, driblou o HB20 e agora é o lançamento de 2012 que mais se aproximou do hatch da VW. Em janeiro, alcançou a quinta colocação no ranking de vendas, com 10.724 unidades comercializadas. Ainda falta muito para chegar no líder, que tem um saldo positivo de 22.338 emplacamentos. Mas isso não significa que Gol esteja confortável na tabela. O Onix pode incomodar e muito, como mostra esse comparativo. A convocação era para um confronto entre os modelos de entrada: de um lado, o Gol 1.0 básico (R$ 29.390), do outro, o Onix LS (R$ 30.790). Mas antes de colocar os times em campo, as montadoras adaptaram as escalações à disponibilidade de carros na frota. Então, o camisa 10 da VW veio com os opcionais iTrend (+ R$ 2.788), airbag duplo e ABS (+ R$ 1.612), ar-condicionado (+ R$ 2.455), sensor de estacionamento (+ R$ 513), tecnologia BlueMotion (+ R$ 339) e um pacote que inclui retrovisores e vidros com comandos elétricos, entre outros, (+ R$ 728). Os equipamentos valorizam o passe do hatch para R$ 36.225. Já o titular da Chevrolet foi o Onix LT, com airbags e freios ABS como parte do uniforme oficial, bem como direção hidráulica (inserida no opcional iTrend, no caso do Gol). Em contrapartida, ele só tem vidros elétricos nas portas dianteiras e os retrovisores só podem ser regulados manualmente. Nessa configuração, custa R$ 32.590 e a lista de opcionais se limita a dois itens: o sistema multimídia My Link (+ R$ 1.300) e o ar-condicionado (+ R$ R$ 2.200). Com ambos o hatch vale R$ 36.090. O sensor de estacionamento é vendido como acessório, com preço que varia de loja para loja. Em média, ele é encontrado por R$ 550. Na ponta do lápis, os modelos são quase equivalentes. Mas antes de declarar o empate, considere o preço do seguro. E aí, o Gol leva um chapéu. Em média, a cobertura não sai por menos de R$ 2.000. Enquanto a do Onix é encontrada por até R$ 1.200. Primeiro tempo Frente a frente, os dois mostram que vestem a camisa de seus clubes. No ano passado, o VW ganhou “a cara” dos irmãos. O estilo não é unanime. Mas ajuda a assegurar a primeira colocação no mercado. Já o Onix traz uma das melhores soluções para a atual identidade visual da Chevrolet: é mais proporcional, como um todo. Algo em seu desenho externo tem um quê de Gol. Contudo, a semelhança para aí. O esquema tático da Chevrolet tem foco na contemporaneidade. O quadro de instrumentos com display digital e o sistema My Link são as maiores provas disso. A tecnologia multimídia, inédita até então nessa categoria, permite que os ocupantes vejam fotos e vídeos, operem o celular e acessem podcasts e aplicativos de smartphones a partir da tela sensível ao toque. O manuseio é simples, embora o monitor

BMW reduz preços em até 60% O grupo BMW acaba de anunciar uma redução significativa nos preços dos modelos vendidos no Brasil. A queda não é uniforme, mas chega a 60%, de acordo com a assessoria de imprensa da marca. A diminuição também se aplica aos modelos da Mini. No caso do Série 6, por exemplo, ela fica em torno de 30%. O 650i era vendido por R$ 577.200. Agora, a versão que consta na lista é a 640i, que sai por R$ 399.950. Para o modelo de entrada da montadora, o Série 116i, a diminuição foi de R$ 15 mil - passou de R$ 104.950 para R$ 89.950. Já o utilitário de entrada, o X1, parte agora de R$ 116.950, na versão sDrive18i - valor apenas 2,5% inferior ao cobrado anteriormente (R$ 119.950). Os valores cobrados por Série 750i e Z4 não sofreram alterações, foram mantidos em R$ 569.950 e R$ 219.950, respectivamente. A medida é consequência da habilitação da montadora no novo regime automotivo brasileiro, o Inovar-Auto, que concede benefícios fiscais para as empresas que investem no país. O ingresso da BMW no programa foi garantido pelo anúncio da fábrica em Araquari, nos arredores de Joinville (SC). A linha de montagem dará origem a modelos compactos já equipados com motores flex e terá capacidade produtiva de 30 mil unidades por ano. A expectativa é de que ela comece a operar em 2014. (Revista Auto Esporte) Em termos de acabamento, ambos trazem bastante plástico rígido. Mas o do Onix tem aspecto e textura melhores

ção do Gol, que recebeu a sigla TEC, a VW afirmou que ele era 4% mais econômico que o VHT. Ao menos quando associado ao pacote BlueMotion, ele cumpre seu papel. Segundo tempo A etapa começa com um cartão amarelo para cada lado! E o motivo é uma falta comum aos jogadores do segmento: cadê o cintos de segurança de três pontos e apoio de cabeça no assento central traseiro? Esquecido por Chevrolet e VW, o quinto passageiro encontra um pouco mais de conforto no Onix, que entrega mais espaço para as pernas dos ocupantes graças à boa distância entre-eixos (2,53 m x 2,46 m). Os mais altos, porém, vão dar algumas “cabeçadas” no teto. Motorista e carona também encontram melhor acomodação no Chevrolet, em bancos com suporte lateral que apoia o corpo nas manobras. Também é mais fácil encontrar boa posição ao volante. O banco afundado no assoalho é passado no Gol. Mas há um pênalti remanescente do G4: só é possível mexer na inclinação do assento. Em termos de acabamento, ambos trazem bastante plástico rígido. Mas o do Onix tem aspecto e textura um pouco melhores. Além disso, há porta-trecos em abundância e alguns até com revestimento emborrachado, que reduz o ruído no interior. As duas unidades avaliadas tinham pequenas falhas. O Onix tinha algumas rebarbas e a tampa do porta-luvas não ficava alinhada quando fechada. Já o Gol apresentou uma pequena infiltração ao transitar na chuva – aparentemente, um problema na borracha da porta do motorista. de sete polegadas perca a sensibilidade por vezes e não execute as funções corretamente. E já que é para ser moderno, nada de cd-player. O My Link do Onix só bate-bola com as entradas USB e auxiliar e com o Bluetooth. O contra-ataque do Gol não oferece perigo na área da modernidade. O sistema de som, por exemplo, é mais simples. Contudo pode ser controlado a partir de comandos localizados no volante. A principal jogada tecnológica do Gol está voltada para questões mais práticas. Ele oferece o pacote BlueMotion, que inclui computador de bordo com indicadores de consumo (indisponível no rival) e do momento

“ideal”para as trocas de marchas. Esse segundo “bobeia” de vez em quando, especialmente nas reduções. Mas considerando que quem compra um modelo 1.0 prioriza economia de combustível, pode ser um recurso interessante. E já que entramos no assunto, vale destacar que o Gol leva a melhor no consumo. Suas marcas são de 9,0 km/l, na cidade, e de 13,2 km/l na estrada (medições com etanol). Os pneus 175/70 R14 com baixa resistência à rolagem contribuem com o desempenho. Já o Onix é mais gastão, especialmente na cidade. Suas médias são de 6,6 km/l e 14 km/l, respectivamente. Quando lançou o motor 1.0 de nova gera-

Apito final Os técnicos imprimem posturas diferentes aos times. Enquanto a VW aposta na suspensão firme. A Chevrolet opta por um acerto mais macio. Na prática, o Gol apresenta comportamento mais equilibrado em campo. Mas o ajuste do Onix não implica em falta de estabilidade. O líder de vendas ainda oferece câmbio e direção mais justos e afinados. Mas isso não lhe garante a vitória nesse embate. Ele segue como referência em dirigibilidade e tem bom consumo. Mas perde no trato aos ocupantes, em tecnologia, acabamento e no pacote de equipamentos de série. O Onix vem embalado para brigar pelo campeonato. (Revista Auto Esporte)

............................................................................

Honda produz unidade 500 mil do Civic A Honda anunciou nesta sexta-feira, 15 de fevereiro, a produção da unidade número 500 mil do Civic no Brasil. O veículo comemorativo será um modelo EXR, equipado com o recém-lançado motor 2.0 flex, de até 155 cv com etanol. Lançado no Japão há mais de quatro décadas, o Civic está na nona geração. Por aqui, ele chegou como importado em 1992 e começou a ser produzido na planta de Sumaré (SP) cinco anos depois. A nona geração está nas concessionárias Honda desde o fim de 2011. Atualmente, o Civic é oferecido nas versões LXS (apenas com motor 1.8), LXR e EXR, estas últimas com motor 2.0 e sistema flex sem o tanque de partida a frio. (Quatro Rodas)

Opinião

Custos mantêm Brasil pouco competitivo, mesmo na era do carro global

D

ecisão já esperada, a Volkswagen acaba de anunciar a produção no México da sétima geração do Golf, automóvel mais vendido na Europa e, somada sua configuração sedã Jetta, a família de modelos de maior venda no mundo, à frente das famílias Corolla e Focus. Está prevista sua importação ao Brasil a partir de 2014. Este é mais um sinal da baixa competitividade de produção no Brasil, pois aqui o Golf estacionou na quarta geração. Porém, o México se fortaleceu por vários motivos. Além da moeda desvalorizada e baixos custos trabalhistas e de fabricação, tem a vantagem de se situar na zona de livre comércio da América do Norte, de onde importa autopeças produzidas em escala gigantesca e, portanto, a preços menores. O país também acertou acordos com a União Europeia e o Japão, além do Brasil/Mercosul. Não à toa, a Audi confirmou antes sua fábrica mexicana para 2016. De lá poderá exportar, sem impostos, para três grandes blocos econômicos. Novo Golf é o segundo modelo da arquitetura MQB (sigla em alemão para Matriz Transversal Modular). A partir dela, o grupo Volkswagen vai desenvolver nada menos de 40 produtos, de compactos a médios-grandes e SUVs, de cinco marcas diferentes. O Brasil está na rota da MQB, que mostra flexibilidade de adaptação a linhas de montagem convencionais, segundo Ulrich Hackenberg, vice-presidente do grupo. Ele declinou de comentar quando e quais modelos, mas admitiu que, se o mercado continuar em crescimento e alcançar custos competitivos, o Golf também poderá ser feito aqui. Abre-se, entretanto, uma janela para fabricação de compactos de entrada, em que o país mostra ainda ser razoavelmente competitivo. Até pouco tempo, os grandes grupos automotivos tinham margens de ganho bem pequenas em carros desse tipo e, assim, pouco interesse em desenvolvê-los. Mas a Renault começou a mudar esse cenário ao lançar o Dacia Logan, de sua subsidiária da Romênia, em 2004. Atualmente, são seis derivações que utilizam uma arquitetura antiga e já amortizada, da própria Renault, voltada a oferecer bastante espaço a preço baixo. Real alternativa para quem só podia adquirir carros usados. Não tardou a marca se expandir. Vendeu-se quase um milhão de unidades, em 2012, em 36 países, dois terços das quais com logotipo francês. A lucratividade está em torno de 9% por unidade, estimada pelo banco Morgan Stanley, muito acima das minguadas margens nos combalidos mercados maduros, em especial Europa. Claro, outros fabricantes estão de olho. Primeira a anunciar um projeto de baixo custo foi a Nissan. Fará renascer a marca Datsun e utilizará plataforma Lada, marca russa que já esteve no Brasil, e hoje na aliança Renault-Nissan. Pretende produzir um carro por apenas 3.000 euros (cerca de R$ 8.000), fora impostos, vendê-los em mercados como Índia, Rússia e Indonésia e ainda ganhar dinheiro. Agora, Volkswagen e Fiat anunciaram, quase ao mesmo tempo, estudos para esse promissor filão, igualmente com marcas novas. Ambas precisam ver que arquiteturas poderiam lançar mão e em que países a produção seria viável. Nada se sabe, ainda, sobre chances no Brasil, mesmo porque até o momento carros rústicos são pouco atraentes aqui. Mas oportunidades de exportação poderiam surgir e viabilizar a produção. (Coluna Alta Roda)


Carro&Moto

JD

D4

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Honda, Kawasaki ou Brutale: quem leva a melhor? Cada uma a seu jeito, elas entregam emoção em doses industriais. Qual a melhor opção?

Qual é a melhor opção entre essas três grandes?

Q

uem gosta de sentir o vento, ou simplesmente não está disposto a sair paramentado de carenagem integral para ir ao trabalho, prefere as naked de 1000 cc (ou sonha com elas). São a melhor coisa sem roupa depois de... Bem, você pode completar. Apesar de não serem as versões mais radicais de suas respectivas marcas, Honda CB 1000R, Kawasaki Z1000 e MV Agusta Brutale são arrebatadoras e transbordam energia e emoção. Ainda que sejam

bem diferentes entre si. Das três, a Honda CB 1000R mostra maior suavidade na pilotagem e é mais confortável. Mas não se deixe enganar por esse temperamento dócil: ela tem um enorme pulmão para acelerar forte e manter-se assim por um bom tempo. A Kawasaki Z1000 responde com design mais moderno.Visual agressivo, de musculosa pegada street fighter, e porte avantajado. Mas se é para falar em design, a MV Agusta não deixa essa especialidade italiana para ninguém. Ela

impõe respeito com sua Brutale 1090RR, uma moto com projeto incrível e refinamento digno de um ourives. As linhas são assinadas pela lenda italiana do desenho de motocicletas, Massimo Tamburini. Não pense que a Brutale se contenta em ser a bonitinha da turma. Ela é brutal, como enfatiza seu nome. No mercado, a Honda lidera com certa folga sobre as rivais do segmento dos quatro-cilindros em linha de 1 litro sem carenagem. A versão avaliada, topo de linha, incorpora ABS e cus-

ta 40 800 reais. É a mais barata das três. A mesma descrição se aplica às rivais, todas em versões mais caras e equipadas. A Z1000 custa 46990 reais, 6000 a mais que a CB. A Brutale 1090, na versão RR, igualmente a mais cara e completa de sua família, vai mais longe: custa 60000 reais. O valor inclui status e tradição da grife. A CB 1000R é a mais discreta visualmente. Como lembra bastante sua prima Hornet, parece ter visual conhecido. Só parece: a Hornet não tem

Chinesa Qoros mostrará três modelos em Genebra

A

novata Qoros, chinesa criada a partir da joint-venture entre a Chery e a companhia industrial Israel Corporation, prepara três destaques para o Salão de Genebra, que ocorrerá no início de março. Por enquanto, o único que tem produção confirmada é o sedã Qoros 3, cujas vendas começarão ainda este ano, na Europa e na China. O leque de configurações é variado: motor 1.6, de 128 cv; 1.6 turbo, que gera 158 cv; e 1.2 turbo, ainda a ser desenvolvido. A transmissão será manual de seis velocidades – e uma opção de dupla embreagem também vai estar disponível. Quanto às dimensões, o sedã terá 4,6 m de comprimento, 1,84 m de altura e 2,69 m de entreeixos. Para completar, o carro trará um monitor com tecnologia touchscreen de 8 polegadas. Outro modelo que estreará como protótipo é o Qoros 3 Estate. A perua, de espaço interno generoso, não deve demorar a chegar ao mercado. Usa a mesma plataforma do sedã, com porta traseira maior e janelas laterais mais amplas. O Estate pode ter os bancos traseiros recolhidos, para aumentar a capacidade do porta-malas. A marca chinesa também divulgará um crossover, o conceito híbrido de três cilindradas, com motor dianteiro turbo 1.2, à combustão, e um traseiro elétrico, alimentado por um gerador. Ele vem equipado com um software inteligente que faz a transição entre o motor a gasolina, o elétrico e a tração nas quatro rodas – tudo dependendo da situação do trânsito. (Revista Auto Esporte)

balança traseira monobraço nem a linda roda traseira totalmente à mostra. Muito menos aquela luz de posição redondinha com leds azuis sob o farol, assinaturas visuais dessa “big Hornet”. Mesmo assim, as linhas gerais de tanque, escape e rabeta têm feito muita gente boa confundir as primas. A Z1000 também guarda algumas semelhanças com a irmã menor, a Z750, principalmente no farol e na rabeta, mas é impossível confundi-las. O porte, as ponteiras de escape e as laterais do tanque definem cada uma. A Brutale, apesar da idade - foi mostrada pela primeira vez como moto-conceito em 2000, na Europa -, é ainda muito moderna. O chassi de treliça tubular, as ponteiras de aço inoxidável, a linda roda em forma de estrela e a combinação de cores são muito elegantes e atuais. A italiana não tem irmã, é filha única, mas vem em duas versões: a R e RR. A ergonomia dessas três peladonas é muito boa e todas comportam bem qualquer biotipo de condutor, inclusive os mais altos. Na Kawasaki, o banco é mais baixo em relação ao guidão que na CB e Brutale. Seu tanque é mais alto, em função da caixa de ar alojada ali debaixo, porém estreito entre as pernas. Com posição relaxada, os braços trabalham levemente fle-

xionados. Um pouquinho mais alto em relação ao guidão, o banco da Honda deixa os braços mais flexionados, mas confere também ótima posição. A Brutale - a menor das três - tem posição mais avançada: o corpo fica inclinado para a frente e o guidão é mais estreito, sem comprometer o conforto. As três têm pedaleiras recuadas, que permitem boa postura das pernas para uma tocada mais esportiva. Outra característica que chama atenção no trio é o equilíbrio entre esportividade e conforto. Nenhuma provoca cansaço excessive ou localizado, mesmo depois de horas ao guidão. Um sutil ponto negativo da MV está nas pedaleiras pequenas e com pouco grip: na chuva, o pé escorrega. Os painéis são bem resolvidos. Na Brutale, o conta-giros é analógico e, ao lado, um mostrador retangular de LCD traz as demais informações: hodômetro com parcial, velocímetro, relógio etc. Nele pode-se selecionar o modo de potência: Sport ou Rain. Um cronômetro acionado pelo punho é útil para quem gosta de se divertir em circuitos. O grupo de instrumentos da CB 1000R e da Z1000 são totalmente digitais e completos. A leitura é bem mais difícil. Elas não foram concebidas para levar acompanhante. A melhor garupa é a da CB 1000R. E é mais ou menos. (Quatro Rodas)

Fotos revelam suposto novo visual do Corolla

A

pareceram em um fórum de internet as supostas primeiras imagens da versão definitiva do novo Toyota Corolla. Ainda não há confirmação do local onde as imagens foram feitas, mas sua divulgação inicial aconteceu em um site polonês. O modelo das imagens não deve se tratar da versão norte-americana de produção do conceito Furia, revelado recentemente no Salão de Detroit. O mais provável é que seja a nova geração europeia do sedã, que pode estar sendo mantida em segredo para ser revelada no Salão de Genebra, em março. Tanto Europa quanto Estados Unidos terão novos Corolla com maior apelo ao público jovem - com aparência mais esportiva e aposta em vincos e recortes angulosos em seus desenhos. O estilo europeu, porém, deverá manter-se mais conservador. No Japão, o sedã provavelmente seguirá próximo de seu design atual, com poucas alterações. Enquanto isso, no Brasil, o Corolla deverá ter um desenho mais próximo da versão revelada em Detroit, ainda mais ousada, segundo as projeções feitas por Autoesporte com base em fontes ligadas à marca japonesa.


CadernoE

Economia&Negócios Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Energia eólica mundial cresceu 10% A consolidação e racionalização do mercado na China e um declive nas políticas da Índia foram as principais razões para essa desaceleração.

O

Conselho Global de Energia Eólica (Global Wind Energy Council – GWEC) publicou, no último dia 11 de fevereiro, as estatísticas referentes ao mercado eólico em 2012, destacando a expansão contínua da indústria, com crescimento anual de quase 10% e o aumento da capacidade instalada acumulada de aproximadamente 19%. Foi um ano recorde para as instalações nos Estados Unidos e um mercado mais lento na China, fatores que levaram esses dois países a, praticamente, empatar na primeira posição em 2012. “Enquanto a China fez uma pausa para respirar, o mercado norte-americano, assim como os europeus tiveram anos excepcionalmente fortes”, diz em nota Steve Sawyer, secretário geral do Conselho Global de Energia Eólica. “A Ásia segue liderando os mercados mundiais, mas a América do Norte está muito próxima, ocupando o segundo lugar, e a Europa vem logo atrás”. Os mercados da China e Índia desaceleraram ligeiramente em 2012, com suas instalações anuais chegando a 13,2 e 2,3 GW, respectivamente. A consolidação e racionalização do mercado na China e um declive nas políticas da Índia foram as principais razões para essa desaceleração, mas presume-se que essas condições sejam de curta duração, visto que se espera a continuidade do domínio asiático no mercado mundial de energia eólica. Em uma corrida contra o tempo, devido ao prazo final dos incentivos fiscais para produção nos Estados Unidos (PTC) previsto para o final de dezembro de 2012, a indústria norte-americana instalou mais de 8.000 MW no quarto trimestre do ano passado, chegando a alcançar 13.124 MW no ano em que o país praticamente empatou na

O Brasil está na liderança do relativamente tranquilo mercado latino-americano, com o acréscimo de 1.077 MW, elevando sua capacidade total instalada para 2.500 MW.

liderança do ranking com a China.A extensão do crédito fiscal nos EUA, entretanto, significa que, embora exista a expectativa de que o mercado europeu irá desacelerar consideravelmente em 2013, é pouco provável que essa desaceleração seja tão drástica como se esperava e, além disso, a natureza da extensão é um bom prognóstico para o mercado em 2013. O Canadá teve um ano sólido e o México mais que duplicou sua capacidade instalada, acrescentando 801 MW em um total de 1370 MW, juntando-se à lista de 24 países com mais de 1.000 MW de capacidade de energia eólica.O mercado europeu liderado por Alemanha e Reino Unido, e com contribuições surpreendentes

dos “mercados emergentes” como Suécia, Romênia, Itália e Polônia, representaram um novo recorde com 12,4 GW instalados no ano passado. Contudo, a crise da dívida soberana continua, o que representa perspectivas incertas para o mercado em 2013, ainda que o marco regulatório europeu e os objetivos para 2020 assegurem um grau de estabilidade. A Europa também liderou o mercado offshore, com 1.116 MW instalados, mais de 90% do total de 1.292 MW das instalações offshore de 2012. O Brasil está na liderança do relativamente tranquilo mercado latino-americano, com o acréscimo de 1.077 MW, elevando sua capacidade total instalada para 2.500 MW. Para a ABEEólica

– Associação Brasileira de Energia Eólica – o setor eólico brasileiro encerrou 2012 com muitos motivos para comemorar. Os últimos doze meses marcaram os principais caminhos para a consolidação da energia eólica na matriz elétrica brasileira e a fase competitiva da fonte, com a entrega dos parques eólicos vendidos no 2º Leilão de Energia de Reserva, de 2009. De acordo com a presidente executiva da ABEEólica, Elbia Melo, essa capacidade instalada representa, de fato, a efetiva inserção da indústria eólica no país. “Somente em 2012 instalamos 38 novos parques eólicos, totalizando 108 empreendimentos, e acrescentamos 1 GW no sistema. Esse mesmo volu-

me foi injetado anteriormente em um período de 13 anos, de 1998 a 2011. Também foram investidos no setor cerca de R$ 7 bilhões de reais e a previsão é chegar a R$ 50 bilhões até 2020. Temos um futuro virtuoso pela frente”, destaca. A Austrália representou todas as novas instalações na região do Pacífico, com 358 MW de nova capacidade em 2012, somando um acumulado total de 2.584 MW. Já a região do Oriente Médio e Norte da África (MENA, por suas siglas em inglês) tiveram outro ano tranquilo, com somente um projeto de 50 MW em Túnez. Entretanto tivemos também o primeiro parque eólico de grande porte, de 52 MW na Etiópia. (Canal Executivo)

Estudo revela os 10 maiores ganhos salariais em 2012

C

ontratar ou reter talentos está se tornando mais caro para as empresas, especialmente em São Paulo. É o que mostra recente levantamento realizado pela Page Personnel, empresa de recrutamento especializado em profissionais de suporte à gestão e primeira gerência. Confira na lista abaixo, que está por ordem decrescente, conforme a variação percentual do reajuste: Profissão Local Salário médio % de aumento salarial 2012 X 2011 Administrador de Banco de Dados Júnior SP R$ 4,7 mil 90,3% Projetista Civil Pleno SP R$ 7,5 mil 75,8% Técnico de Edificações SP R$ 7,5 mil 72.9% Analista Fiscal Tributário Pleno Interior de SP R$ 5,5 mil 32.4% Analista Contábil Júnior SP R$ 4,5 mil 24.9% Analista de Crédito Júnior - Bancos de Investimento SP R$ 6,5 mil 24.9% Analista de Comércio Exterior Pleno SP R$ 4,7 mil 24.9% Engenheiro Ambiental Sênior Interior de SP R$ 5,1 mil 22.4% Analista de Produtos Pleno - Varejo SP R$ 7,2 mil 14.9% Analista de Crédito Sênior -Seguradora SP R$ 6,5 mil 12.9% (Canal Executivo)

Quanto maior a idade, menor a atualização do currículo Empresas perdem até

US$ 2 tri em receita com crise na Zona do Euro

P

articipar de um curso de especialização, melhorar a fluência em outro idioma ou adquirir experiência em projetos importantes não ajudam a impulsionar a carreira se não forem registradas de maneira adequada. De acordo com levantamento realizado no site Vagas, os jovens que estão em início de carreira estão demorando mais de seis meses para atualizarem seus currículos. O levantamento foi feito em dezembro do ano passado por meio da base de 5 milhões de currículos cadastrados no portal. Dos profissionais de 21 a 30 anos, 54,7% declararam que passam mais de 180 dias sem incluir novas informações em seu CV sobre sua evolução na carreira.Os trabalhadores de 31 a 40 que ficam mais de seis meses sem atualizar o CV representam 57,7%. Os profissionais mais experientes, de 41 a 50 anos, somam 58,6% que se enquadram nessa mesma situação. “É um dado alarmante. Com a facilidade de atualização, os jovens estão levando muito tempo para incluírem informações relevantes sobre a sua evolução profissional. Eles podem perder oportunidades interessantes por não informarem quais cursos estão frequentando, onde estão trabalhando ou até mesmo sobre uma experiência adquirida em outra

O

Os trabalhadores de 31 a 40 que ficam mais de seis meses sem atualizar o CV representam 57,7%. Os profissionais mais experientes, de 41 a 50 anos, somam 58,6% que se enquadram nessa mesma situação.

área”, diz Fernanda Diez, gerente de relacionamento da Vagas Tecnologia. A especialista ensina como manter seu currículo atualizado e qual o formato adequado de preenchimento: 1. Currículo online: diferente da versão em papel, inclua o máximo de informações relevantes e detalhe as atividades vivenciadas. No online, os recrutadores necessitam de diversas informações para cruzar os critérios disponíveis no sistema de

busca de candidatos. Algumas palavras-chave, como trainee, mineração, inglês, podem ser as escolhidas pelo recrutador na hora de identificar o perfil ideal do candidato. 2. Português: revise no mínimo três vezes todo o texto que você inserir no currículo. Erros ortográficos e de digitação prejudicam a impressão que você quer passar ao recrutador. 3. Objetivo Profissional: é o campo mais importante, não é aconselhável a frase “a critério da empresa”.

Pode ser que você transmita a imagem que não sabe o que quer. Tente, então, identificar quais as grandes áreas de atuação que lhe interessam. 4. Trajetória profissional: inclua apenas o que for relevante e que reflita suas aptidões. 5. Atualização: o currículo tem que ser o mais atualizado possível, trazendo cursos, experiências e objetivos. Um currículo atualizado pode gerar mais oportunidades de entrevista. (Canal Executivo)

International Business Report (IBR) da Grant Thornton revelou que 40% das companhias globalmente acreditam que a crise na zona do euro continuará impactando negativamente seus negócios este ano. A estimativa é que o cenário ruim na Europa enxugue as receitas mundialmente em até US$ 2 trilhões. No Brasil, 67% dos empresários acreditam que a situação no exterior não terá impacto no país e 29% dizem que a crise impactará negativamente os negócios aqui. Além disso, 53% creem que a crise não afetará os planos para fazer negócios na Europa e 17% revelaram que apenas estarão menos propensos a realizar projetos na região. Boa parte deste otimismo está associado ao fato dos drivers do crescimento brasileiro estarem atrelados às questões internas, como a copa do mundo, jogos olímpicos, crescimento do poder de compra, dentre outros, acredita Paulo Sérgio Dortas, managing partner da Grant Thornton Brasil. No entanto, 74% dos empresários brasileiros mostraram preocupação com uma recessão na economia global nos próximos 12 meses, acima da média

global de 70%. A pesquisa revelou que 60% das empresas no Brasil estão guardando pelo menos 10% da receita como reserva de caixa, resultado bem acima do percentual global de 45%. A América Latina é a região onde há o maior percentual de empresários reservando acima de 10% da receita. O empresariado brasileiro já tem uma larga experiência com crises do passado recente e esta medida de acumulação de caixa não só reflete a preocupação com a recessão, mas também ao fato de estar preparado caso apareçam oportunidades, comenta Dortas. De acordo com o IBR, o impacto da crise na zona do euro na receita das empresas está sendo severo. Mais da metade (54%) dos empresários consultados no mundo disseram que as suas receitas caíram em mais de 3% e, segundo os dados ainda, uma a cada três companhias (32%) tiveram pelo menos uma redução de 6% nos resultados. As companhias brasileiras que têm um maior nível de internacionalização estão sentindo mais fortemente a crise. Por outro lado, para aquelas companhias localizadas nos EUA ou na Europa. (Canal Executivo)


JD

Educação

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

E2

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Alagoanos obtêm direito de cursar medicina 40 anos após o vestibular

Aprovados no vestibular de 1973, eles foram impedidos de cursar. Decisão judicial anulou medida considerada arbitrária

V

ítimas das arbitrariedades da ditadura militar, os alagoanos Margarida Dorvillé Guerra, 58, e Raimundo José Fagundes Alencar, 65, ganharam na Justiça, 40 anos depois, o direito de voltar a estudar medicina na Universidade Estadual de Ciências da Saúde Alagoas (Uncisal). Aprovados no vestibular de 1973, eles foram proibidos, sem nenhuma justificativa plausível, após dois meses de aula, de frequentar a academia por determinação da reitoria da época. Este ano, com a decisão judicial em mãos e a vida refeita, eles voltaram à faculdade, se matricularam e começam no dia 18 de fevereiro a refazer, com um um atraso de quatro décadas, o sonho da juventude que foi interrompido pelo regime na década de 70. “Ainda não me recuperei da euforia desta conquista. Ser aprovada no vestibular de medicina quando jovem e depois ser impedida de frequentar as aulas sempre foi um fantasma que me perseguiu durante anos. Lembro do dia que fui comunicada pelos diretores e da ameaça de prisão caso insistisse em frequentar às aulas”, conta Margarida Guerra. Hoje, a dona de casa que queria ser cirurgiã relata que sua vida profissional ficou comprometida. “Volto ao curso de Medicina 40 anos depois para realizar um sonho de vida. Não tenho mais a cabeça que tinha quando jovem, mas me dedicarei o suficiente para me formar, e quando pegar o diploma quero trabalhar ajudando as pessoas”, diz Margarida, ao enfatizar que, pelo tempo que passou, poderia estar formada e exercendo a profissão. Para o bancário aposentado, Raimundo José Fagundes Alencar, que na época tinha 23 anos, a notícia da decisão judicial dá a ele um sentimento de alegria e tira o peso de frustração que carregou por quatro décadas. “Mesmo com um atraso de anos a justiça foi feita. Essa decisão devolve o que me foi roubado no passado. As consequências não poderão ser mudadas, eu poderia ter tido uma vida bem melhor como médico, mas expõe a todos que é preciso insistir e acreditar. Portanto, após concluir recentemente o curso de Direito, vou fazer Medicina aos 65 anos”, expõe Alencar. Arbitrariedade.

Margarida Guerra vai cursar medicina após 40 anos de processo judicial

reprovou os estudantes que foram impedidos de continuar no curso. “Foi um momento muito difícil para o Raimundo porque a irmã dele também havia passado no curso de medicina na universidade federal. E ele não fez esse vestibular porque já estava na estadual. Sem conseguir entender o aconteceu, em um sentimento de impotência diante da injustiça, ele só chorava e dizia que não era doido”, conta a esposa de Raimundo José, Luzia Suely Alencar.

Raimundo José terminou o curso de direito aos 65 anos e começa agora a cursar medicina

Margarida Guerra e Raimundo José, que eram da mesma turma do curso de Medicina, fazem parte do grupo de 7 alunos que foram impedidos de frequentar o curso após aprovação no vestibular de 1973. O caso deles ganhou repercussão à época por-

que nenhum dos dois tinha ligação com movimentos estudantis ou partidos de esquerda. Margarida Guerra antes de chegar a universidade havia estudado em um colégio de freiras, tradicional na capital, o Sacramento, já Raimundo José na antiga

USP cai para 19º em ranking mundial de universidades na internet

A

Universidade de São Paulo (USP) está entre as 20 melhores instituições de ensino superior na nova edição do ranking mundial Webometrics Ranking of World Universities, que considera os conteúdos disponibilizados na internet, especialmente aqueles relacionados a processos de geração e comunicação acadêmica de conhecimento científico. Porém, a universidade paulista caiu quatro posições em relação à versão anterior, de agosto de 2012, que colocou a USP no 15º lugar. Agora, a institução é a 19ª, mas continua sendo a melhor do Brasil e da América Latina. De acordo com o laboratório de métricas, a lista foi

criada para incentivar as instituições a publicarem os resultados de suas pesquisas na internet. São quatro os critérios usados para calcular a presença de uma universidade na web, segundo o ranking: o número de páginas do site encontradas no Google, o número de links externos direcionados ao site da instituição, o volume de arquivos de pesquisa (arquivos em PDF, Word, PowerPoint etc.) encontrados no Google e a quantidade de itens publicados no Google Scholar, que reúne artigos, dissertações e teses. Queda A universidade brasileira foi ultrapassada por instituições estrangeiras de renome, como a americana Yale e as britânicas Cam-

bridge e Oxford. Em primeiro lugar no ranking está novamente a Universidade Harvard, seguida pela Universidade Stanford e pelo Instituto Tecnológico de Massacushetts (MIT). O ranking também apontou a queda de outras instituições brasileiras. A USP é a única a figurar entre as cem melhores do mundo (na última edição, a Universidade Federal de Santa Catarina estava na 98ª colocação). Dessa vez, a segunda melhor colocada no Brasil é a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), na 129º colocação, seguida da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em 177º lugar, e da Universidade de Brasília (UnB).

Escola Técnica Federal de Alagoas. Para justificar a retirada de 7 alunos do curso de Medicina, a direção da Universidade Estadual na época aplicou, dois meses após o início das aulas, um teste psicotétnico e, sem apresentar os resultados,

Processo Um processo difícil desde o começo. Burocrático e cheio de entraves complicados que não se justificavam. É assim que o advogado Fernando Guerra, responsável pelo caso, define o processo de 1973 que foi desengavetado e sentenciado em favor dos estudantes após 40 anos. Filho de Margarida Guerra, recém-formado em direito, Fernando Guerra, que cresceu ouvindo a história dos estudantes que foram impedidos de continuar, resgatou o processo que estava esquecido no Tribunal de Justiça de Alagoas. “O difícil foi encontrá-lo pois era um processo antigo que já estava com folhas mofadas e se desmanchando. Ao contrário do que ocor-

reu no passado, o andamento foi rápido, assim como a decisão favorável que foi proferida em 13 de novembro de 2012. Com a sentença em mãos, os dois que estavam representados puderam fazer a matrícula e começarão as aulas ainda neste mês”, revela o advogado. A dificuldade no andamento do processo se deu, segundo Margarida Guerra, devido o receio dos advogados da época, que tinham medo de entrar com uma ação contra o estado. “Lembro que meu pai teve que buscar um advogado no Recife, porque aqui não havia ninguém que se interessasse pelo caso. Nenhum advogado queria entrar com uma ação contestando uma determinação do governo. O processo foi aberto, mas arquivado anos depois”, revela Margarida. Após a decisão favorável, Fernando Guerra diz que ainda cabe um outro processo quanto ao dano existencial, uma espécie de dano moral e material diante do que os envolvidos perderam por terem sidos impedidos de frequentar o curso de Medicina. “O momento agora é de comemoração por eles terem reconquistados as vagas. Depois, se forem do interesse deles, abriremos um outro processo solicitando reparação”, completou Fernando Guerra.

Brasileiros vão para África construir escola comunitária feita de bambu

D

ois brasileiros viajaram para a África na semana passada com a missão de construir uma escola na comunidade de Fendell, nas imediações de Monróvia, capital da Libéria. O terceiro integrante da equipe vai no mês de março. A obra vai substituir a unidade erguida em 2009 com paredes de ripas de bambu trançado e teto de folhas de zinco, sem energia elétrica e banheiros, que atende cerca de 300 crianças em condições precárias. O projeto prevê a construção de uma nova escola que também vai aproveitar o bambu, matéria-prima abundante no local, além de alvenaria, e terá, ainda, soluções sustentáveis para captar água

e luz. A previsão é concluir a obra em até seis meses, antes do início do mês de julho quando a região sofre com a temporada das chuvas. O jornalista Vinicius Zanotti, de 27 anos, coordenador do projeto, foi o primeiro a chegar na Libéria, ele viajou na última terça-feira (29). O construtor Fabio Ivamoto Peetsaa, de 34 anos, foi em seguida na quarta-feira (30), e por último, o arquiteto e urbanista André Dal’Bó da Costa, de 28 anos, completa a equipe com embarque no dia 4 de março. Para viabilizar a construção, Zanotti iniciou uma campanha em setembro de 2011 que arrecadou R$ 140 mil em dinheiro, com a ven-

da de produtos com a marca ‘Escola de Bambu’ como camisetas, DVDs, palestras, além de rifas e doações espontâneas. Cerca de 30 voluntários estão envolvidos na atividade, os chamados ‘bambuzeiros’. O que norteia a campanha é um vídeo documentário de 15 minutos produzido por Zanotti. O trabalho foi premiado em quatro festivais e está disponível no YouTube. O vídeo traz depoimentos de estudantes, professores e pais dos alunos da comunidade. Mark Luogon é um dos alunos entrevistados. “Nossos pais não têm dinheiro para nos mandar estudar em Monróvia. Então nós amamos esta escola comunitária porque fica perto da gente.”


JD

Educação

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

E3

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Jovem supera cirurgias e conquista vaga em 4 universidades

Quando vi, não acreditei, depois de tudo o que eu passei, isso é uma conquista muito grande”. A declaração é de Thaís Tavares Lima, de 19 anos, ao resumir o sentimento de ver o seu nome na lista de aprovados do vestibular 2013 em quatro grandes universidades públicas. A felicidade da estudante por passar na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Universidade Estadual Paulista (UNESP), tem um sabor ainda mais especial. Ela encarou quatro cirurgias e uma internação por meningite, sem deixar de estudar e frequentar a escola. Aos 14 anos, a estudante descobriu uma escoliose, que é um encurvamento da coluna vertebral, que provoca fortes dores nas costas, e precisou fazer uma cirurgia de correção de desvio e colocação de 16 pinos. Nesse período, Thaís estudava na Escola Estadual Ângelo Corassa Filho, em Paulínia (SP), e nem todas as dificuldades a fizeram deixar de estudar muito. “Eu faltei durante o período de internação e em alguns dias que sentia muitas dores, mas eu sabia que se eu

pensava em ter alguma oportunidade na vida, não podia faltar nunca”, disse a adolescente, que decidiu estudar direito na USP. Aquele procedimento era apenas o primeiro desafio de Thaís, que um ano após a cirurgia teve que fazer duas limpezas cirúrgicas por causa de uma infecção causada na primeira operação. “Foi horrível, esse momento foi um dos mais difíceis. Eu tinha um corte enorme nas minhas costas, aberto, e não podia fazer nada. Nem sair com amigos, passear, entrar na piscina, eu ia à escola porque era prioridade”, contou. A escola sempre foi prioridade para Thaís e para a família. Moradora do bairro Matão, em Sumaré (SP), ela estudou a vida inteira em escola pública porque os pais não puderam pagar um estudo particular. A mãe, Sandra Tavares Lima, é auxiliar de enfermagem e o pai, Valter Lima, Guarda Municipal, têm mais duas filhas: Bianca e Giovana, de 12 e 13 anos. “Graças a Deus nós trabalhamos, ganhamos nosso dinheiro, mas não podemos pagar escola para todas as filhas. Por isso elas têm que estudar, porque ninguém vai fazer nada por elas na vida”, afirmou Sandra. Mais problemas

Em 2010, quando já cursava o ensino médio e técnico na Escola Técnica Estadual Conselheiro Antônio Prado (Etecap), em Campinas (SP), Thaís teve meningite, que é uma infecção causada por uma bactéria ou vírus, e ficou dez dias internada. “Os médicos me disseram que nunca tinham visto um nível de infecção daquele, eu estava com a imunidade muito baixa por conta das cirurgias e dos remédios que eu tomava pra dor”. Apesar de passar por todo esse momento de internações, cirurgias e problemas de saúde, o rendimento de Thaís na escola nunca foi alterado. “Eu nunca tive notas baixas, nem nesse momento minhas notas caíram. As pessoas me ajudavam, eu estudava, fazia provas em outros dias, estudava muito, dava meu jeito”, disse. Em 2011, quando estava no 3º ano do ensino médio, momento decisivo para o vestibular e quando ela finalmente achou que poderia se dedicar aos estudos, enfrentou mais dificuldades. Começou a sentir forte dores nas pernas até que não conseguia mais andar. Após cair um dia no pátio da escola, descobriu que quatro dos 16 pinos que

Thaís Lima passou na USP, Unesp, Unicamp e UFPR

ela havia colocado na primeira cirurgia, em 2008, estavam pressionando a medula e Thaís foi internada para ser submetida a quarta operação em apenas 5 anos. Os vestibulares A cirurgia para a retirada dos pinos foi em dezembro, bem perto da formatura no colegial e das provas para o vestibu-

lar. O baile aconteceu três semanas após o procedimento e lá estava Thaís dançando valsa com o pai. Já a condição física para enfrentar as provas no vestibular não eram tão favoráveis. “Eu estava debilitada, foi horrível, não consegui fazer as provas, não passei em nada, estava muito mal”,

disse Thaís, que precisou lidar com a frustração de não ter passado em nenhuma prova por causa de problemas de saúde. “Eu estava preparada, não tanto quanto um ano depois, porque naquela época eu estava doente, mas eu não passei porque não estava bem de saúde mesmo”.

Estudante de engenharia cria projeto “antiesquecimento” de crianças

O

estudante do curso de Engenharia de Controle de Automação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Matheus Von Biveniczko Tomio, de 21 anos, desenvolveu um aparelho que emite um alarme sonoro quando uma criança se distancia dos pais por mais de dez metros. No formato de pulseira e batizado de ‘Bebê a Bordo’, o aparelho tem três versões que funcionam por bluetooth, wireless e sistema de posicionamento global (GPS). “A ideia consiste basicamente em um par de pulseiras que se comunicam somente entre elas. O adulto fica com uma e o bebê com a outra. Quando ambos se distanciam por mais de 10 metros, os dois aparelhos vibram e emitem um efeito sonoro, o que faz com que, no caso, a mãe ou o pai perceba que ‘esqueceu’ o filho”, explica o estudante. A bateria dura

cerca de 90 horas. O objetivo da criação, ainda segundo Matheus, surgiu depois de vários casos que envolviam esquecimento de crianças em lugares fechados, como carros, por exemplo. “Quando eu ainda estava no Ensino Médio e morava na Bahia, em 2007, eu sempre via na televisão e ouvia no rádio casos de esquecimento que terminava, na maioria das vezes, em tragédia. Como o estado é muito quente, muitas delas sofriam, inclusive, queimaduras. Foi então que, conversando com meu pai, tive a ideia de criar um aparelho que pudesse evitar esse tipo de coisa”, acrescenta Matheus, que explica ainda que o esquecimento pode ser percebido em qualquer situação e não somente dentro do carro, como foi a ideia inicial. O projeto foi premiado com o 3º lugar no XX Seminário de Iniciação Científica da PUC-PR (SEMIC),

realizado em 2012. Sem investimentos para fabricar o produto, Matheus conta que, desde 2007, quando idealizou o projeto, espera uma oportunidade. “Das três versões, eu coloco a do bluetooth como a mais básica e mais fácil de ser viabilizada. Eu acredito muito que o projeto vai ajudar a salvar vidas. Atualmente, eu descarto a possibilidade dos casos de esquecimento acontecerem por negligência, e sim, por acúmulo de ocupações mesmo. E para isso, nada melhor que a tecnologia para ajudar”, ressalta Tomio. O professor e coordenador do curso de Engenharia de Controle de Automação, Ricardo Alexandre Diogo, apoia a viabilização. “Se eu pudesse e tivesse recursos, até do próprio curso, ajudaria, já que acredito muito que realmente ele será usado como benefício para a sociedade em geral.

Pulseiras funcionam em três versões - bluethooth, wireless e GPS

Primeira escola de Uberlândia, MG, recebe placa com resultado do Ideb

A

Escola Estadual Bom Jesus foi a primeira em Uberlândia a receber uma placa enviada pela Secretaria de Estado de Educação, com o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). A iniciativa tem o objetivo de dar visibilidade aos resultados. Até o fim deste mês, todas as escolas estaduais que geraram o índice terão suas placas fixadas. Acima da média A escola obteve 6,9, nota que, segundo a diretora da instituição, Janis Ferreira, está acima do nível dos países de primeiro mundo. “As notas deles são de no máximo 6 pontos. Logo, é o reconhecimento de um trabalho em equipe, onde pais,

professores, funcionários e comunidade participam da educação dos alunos de forma efetiva”,

comentou. Objetivo De acordo com o supe-

rintendente regional de ensino, Wagner Lemos, o objetivo da iniciativa é mostrar os resultados a

toda comunidade. “Hoje, ela se torna uma escola transparente e a população poderá ver este cres-

cimento, poderá ver o desempenho e o desenvolvimento das escolas”, finalizou.


JD

Saúde&Ciência

E4

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de fevereiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Rússia começa a consertar estragos causados por queda de meteoro

Feridos seguem em observação em hospitais de Cheliabinsk. Meteoro caiu nesta sexta-feira e provocou pânico

U

m dia depois da queda de um meteoro na região de Cheliabinsk, na Rússia, nesta sexta-feira (15), o governo local iniciou no sábado (16) uma grande operação para consertar os estragos provocados pelo fenômeno. Cerca de 20 mil pessoas foram mobilizadas no país para participar da limpeza e também do atendimento aos feridos, que ainda neste sábado permaneciam sob observação médica. Caso de Alexander Babin, que foi atingido por estilhaços de vidro e segue internado no Hospital Regional de Cheliabinsk, que fica a cerca de 1.500 km de Moscou. Último dado divulgado pelo Ministério do Interior russo aponta que ao menos mil pessoas tiveram ferimentos devido aos estilhaços de vidro, que se quebraram com a aparição da bola de fogo no céu. Deste total, 200 seriam crianças. Governo pede calma De acordo com a rede de notícias norte-americana “CNN”, a cidade de Cheliabinsk está funcionando normalmente, apesar dos reparos que ocorrem em diversos locais. No oeste do município, um lago congelado foi fechado pelas autoridades pois acredita-se que haja fragmentos do corpo celeste por ali. O Ministério de Emergências russo pediu calma à população, argumentando que os níveis de radiação na região estavam normais após a “chuva de meteoros na forma de bolas de fogo”. De acordo com a Academia de Ciências da Rússia, o meteoro pesaria cerca de dez toneladas e seria constituído de ferro. Ao entrar na atmosfera terrestre, se pulverizou entre 30 e 50 quilômetros de altitude. Em entrevista à agência “Associated Press”, a cientista Amy Mainzer, do Laboratório de Propulsão a

Fábrica de zinco é atingida por meteoro nesta sexta-feira (15) na cidade de Chelyabinsk, na Rússia. Cerca de 500 pessoas ficaram feridas e 100 tiveram que ser hospitalizadas.

Jato (JPL, na sigla em inglês), da agência espacial americana Nasa dissse que, embora o meteoro tenha se desintegrado na atmosfera antes de tocar o solo, sua potência equivaleria 20 vezes à força da bomba atômica que atingiu Hiroshima, durante a 2ª Guerra Mundial. A atmosfera absorveu a grande maioria desta energia, aponta ela. Susto Relatórios iniciais afirmaram que uma parte do meteoro caiu a 80 km da cidade de Satki, que fica 100 km ao oeste do centro regional, mas isso não foi confirmado oficialmente. “Este meteoro foi um objeto bastante grande com uma massa de várias dúzias de toneladas”, calcu-

lou o astrônomo russo Serguei Smirnov, do Observatório Pulkovo, em entrevista ao canal Russia 24. O trânsito pela manhã foi detido subitamente em Cheliabinsk, que fica nos Montes Urais, enquanto o meteoro queimava parcialmente em sua queda ao ingressar na camada inferior da atmosfera sobre a cidade, iluminando o céu, segundo imagens exibidas pela televisão. Moradores que estavam a caminho do trabalho ouviram um barulho que parecia ser de uma explosão, viram uma luz forte e sentiram uma onda de tremor. O objeto atravessou o horizonte, deixando um longo rastro branco em seu caminho que po-

dia ser visto a até 200 quilômetros de distância, em Yekaterinburgo. Alarmes de carros soaram, janelas quebraram e telefones celulares tiveram o funcionamento afetado pelo incidente. O governador regional de Chelyabinsk disse que a chuva de meteoros causou danos superiores a US$ 30 milhões e, de acordo com o Ministério das Emergências, cerca de 300 edifícios foram afetados. Sem mortes Não foram relatadas mortes em consequência do meteoro, mas o presidente Vladimir Putin, que nesta sexta recebe ministros da Fazenda dos países do G20, e o primeiro-mi-

nistro Dmitry Medvedev, foram notificados sobre os acontecimentos. Ainda na tarde desta sexta, a Nasa divulgou nota afirmando que não há relação entre o meteoro que caiu na Rússia e o asteroide 2012 DA14, que passou perto da terra nesta tarde. Segundo os cientistas americanos, as análises do meteoro ainda são preliminares, mas o sentido em que ocorreu a queda é oposto ao da viagem do asteroide: os vídeos do meteoro mostram ele passando da esquerda para a direita do sol nascente, o que significa que voava do norte para o sul. Alguns veículos da imprensa chegaram a informar que uma chuva de

meteoritos teria caído sobre os Urais. Meteoro ou meteorito? Quando um corpo rochoso vem do espaço e entra na atmosfera, ele é inicialmente chamado pelos astrônomos de meteoro. Caso ele atinja o solo, em vez de se desfazer em atrito com a atmosfera, ele passa a ser classificado de “meteorito”, conforme explica o astrônomo Cássio Barbosa, colunista do G1. O objeto foi inicialmente noticiado como sendo um meteorito, em agências internacionais e no G1. Como ainda não há comprovação de que pedaços tenham sido encontrados no solo, o G1 passou a adotar a palavra meteoro.

Praticar atividade física melhora a digestão e pode diminuir os gases

Pesquisa de brasileiro faz ratos sentirem luz infravermelha

P

esquisadores conseguiram criar em ratos a capacidade de “tocar” a luz infravermelha. O feito foi obtido pela equipe do cientista brasileiro Miguel Nicolelis, professo da Universidade Duke, nos Estados Unidos, e publicado em um artigo na edição desta semana da revista “Nature Communications”. Um detector de luz infravermelha foi ligado à parte do cérebro que processa as informações táteis por meio de eletrodos microscópicos. O aparelho foi capaz de fazer com que os ratos “sentissem” a luz infravermelha, sem danificar os sentidos originais do animal. Em condições normais, a luz infravermelha

não é visível aos olhos dos mamíferos. Além disso, o calor gerado pela fonte de luz usada no experimento não era perceptível para a pele dos animais. Assim, a reação dos ratos à luz serve como evidência de que a técnica obteve sucesso. Segundo Nicolelis, que liderou o grupo de pesquisa, é a primeira vez que um dispositivo produz resposta uma sensorial – no caso, a sensibilidade à luz infravermelha – ao acionar uma parte do cérebro destinada a uma outra função – no caso, o tato. Ainda de acordo com o pesquisador, a descoberta abre caminho para trabalhos com as chamadas pró-

teses neurais. No futuro, uma pessoa que seja cega devido a uma lesão no córtex visual do cérebro poderia recuperar a visão – ainda que não seja igual à original – com uma técnica semelhante, implantando um aparelho em alguma outra região do cérebro. Recentemente, Nicolelis conseguiu outros resultados significativos no estabelecimento de novos sentidos em animais, quando sua equipe criou o “tato virtual” em macacos. Os avanços podem servir na recuperação de pacientes com lesões neurais de diversos tipos – paraplégicos e tetraplégicos estariam entre os principais beneficiados.

Mesmo quem não costuma se exercitar normalmente consegue perceber o poder da atividade física no combate ao problema já que basta uma caminhada para melhorar os gases causados pelo sedentarismo.

A

prática regular de atividade física é importante para perder peso e evitar problemas de saúde, mas ajuda também no funcionamento do intestino e no controle dos gases. Como explicou o cirurgião Fábio

Atui no Bem Estar desta sexta-feira (15), os exercícios físicos melhoram a digestão e a movimentação do aparelho digestivo, o que traz diversos benefícios à saúde. Mesmo quem não costuma se exercitar normal-

mente consegue perceber o poder da atividade física no combate ao problema já que basta uma caminhada para melhorar os gases causados pelo sedentarismo. Porém, existem diversos outros fatores que podem desencadear esse incômodo, principalmente nas mulheres, nos bebês e nos idosos. No caso das mulheres, há uma relação entre os gases e a menstruação. Isso porque no período menstrual o corpo incha, causando a sensação de distensão abdominal, o que aumenta a propensão para a formação dos gases. Nos bebês, essa distensão também acontece porque o aparelho digestivo dos pequenos ainda não está totalmente formado e a contração do intestino ainda não é eficiente. Para os idosos, a dificuldade é maior na absorção dos nutrientes dos alimentos. Eles costumam comer menos, o que faz com que o estômago inche mais rápido, a comida fermente mais e os gases sejam mais produzidos. Isso pode aumentar também o desconforto abdominal, bastante comum na idade mais avançada.

Jornal do Dia 18/02/2013  

Jornal do Dia 18/02/2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you