Page 1

MACAPÁ-AP, DOMINGO, SEGUNDA, 11 e 12 DE MAIO DE 2014 - ANO XXVII

OPINIÃO

Qual o rumo da economia amapaense?

* FUNDADO EM 04 DE FEVEREIRO DE 1987 FORD FUSION HYBRID

FLA X FLU

Alecsandro “troca” gols pela vitória

Sinônimo de eficiência

Confira a análise sobre os dados da nossa economia. A3 DIVULGAÇÃO

•DOMINGO E SEGUNDA R$ 2,50 •TERÇA A SÁBADO R$ 1,50

Ele é mais que um passo em direção a um mundo sustentável. D2

Artilheiro sabe da importância de seus gols no brasileirão. C2

Cuidado: seu telefone pode estar sendo grampeado Na semana passada, a polêmica levantada por um relatório preliminar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), trouxe à luz das discussões um

assunto que deixa qualquer brasileiro de orelhas em pé: as escutas telefônicas. Afinal de contas, em quais situações esse tipo de interceptação

podem acontecer? Quem pode ser interceptado? No Amapá, quem possui aparelhos de interceptação? Todas são autorizadas pela Justiça? nB2 e B3

ERICH MACIAS

INVESTIGAÇÃO

Veja os equívocos mais comuns nas interceptações

MESTRE OSCAR

Últimas casas são entregues às vítimas do incêndio

Segundo a legislação em vigor, o grampo pode ser realizado em investigação policial na qual haja indícios razoáveis da autoria de uma infração cuja pena mínima é a de detenção. nB2

O conjunto habitacional possui 528 casas que já estavam sendo entregues e após o sinistro com o incêndio no Perpétuo Socorro, 100 casas foram separadas para contemplar as vitimas. nB1 DIVULGAÇÃO

AUTOMÓVEIS

Brasil se mantém como quarto maior mercado A liderança continua nas mãos da China. O país asiático emplacou pouco mais de 5,1 milhões de veículos no período. nD3

POSTERIORMENTE serão entregues unidades básicas de saúde, escola e praça

UMA OUTRA REALIDADE

Mães que conciliam a luta contra o câncer e a dedicação aos filhos

DIVULGAÇÃO

O campeonato que será disputado em seis categorias acontece no dia 29 de junho no Teatro das Bacabeiras. nC2

PERCENTUAL refletiu nas vendas

Minotouro tem retorno ao octógono confirmado

NO AMAPÁ

Campeonato de Musculação espera reunir 70 atletas

DIVULGAÇÃO

EM JULHO

OS MELHORES vão concorrer ao brasileirão

O CÂNCER de mama é a segunda doença que mais vem matando mulheres

O Dia das Mães é uma data especial para celebrar. E para muitas pessoas, a celebração deste domingo (11) tem um motivo a mais, juntando a alegria de ser mãe com a vontade de viver. nC3

Rogério vem atualmente de uma sequência de duas vitórias consecutivas sobre os ex-campeões do UFC. nC2

NESTA EDIÇÃO CADERNO A............................4Pag. CADERNO B............................4Pag. CADERNO C............................4Pag. VEÍCULOS D............................4Pag. CADERNO E............................4Pag.

NA INTERNET: www.jdia.com.br - REDAÇÃO: 3217.1117 - COMERCIAL: jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO: 3217.1111 - ATENDIMENTO: 3217.1110


A2

Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014 Editor: José Maria Baia - josemaria@jdia.com.br

Poucas & Boas

• O VÍRUS, de pronúncia

estranha, se deve a sua origem, vindo de um país africano, da Tanzânia, onde Chikungunya significa “aquela que se curva”. É que a virose não provoca febre hemorrágica, mas atinge com muita dor todas as articulações do corpo, principalmente na coluna, obrigando ao infectado andar curvado, daí a denominação. O Ministério da Saúde disparou um alerta amarelo para todos os portos e aeroportos do País para redobrarem a vigilância.

• SE a situação da Petro-

bras já era difícil por conta à compra superfaturada da refinaria de Pasadena (EUA), objeto de uma CPI Mista que começa a correr no Congresso Nacional, mais duas broncas das grandes vem a se somar. Depois de alguns anos, descobriu-se que a

compra pela Petrobrás da Refinaria da Suzano (SP), aquela que tem com principal negócio papel e celulose custou mais caro que a da norte-americana.

• TAMBEM tem denún-

cias de confusão e superfaturamento na brasileiro-venezuelana Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Daqui a pouco não vai sobrar nem o Pré-Sal na BR. Essa associação da Petrobrás com o governo socialistóide, populista e demagógico de Chavez/Maduro só vai prejudicar a petrolífera nacional. E por aqui o nosso pré-sal tupiniquim já tem até reserva dos royalties para ser empregado 100%,, lá pelo ano 2030.

• PARECE que o dono

safio de Gigantes promovido por duas concessionárias do mesmo dono, o empresário paraense Djalma Bezerra, a Bacaba (Toyota) e a Miso (Huyndai HBV). Esse mês o mercado automotivo no Meio do Mundo começou bastante desacelerado, com o tempo não ajudando para os bons negócios.

de duas pás carregadeiras em exposição no passeio público na Rua Adilson Pinto Pereira, no bairro e São Lázaro, ou não tem medo da CTMac ou a companhia faz vistas grossas para a irregularidade, que só está valendo para as concessionárias de automóveis. A denúncia foi feita pelo JD há três dias, mas as máquinas continuam na “exposição”. Até quando?

É horas de baixar a bola!

O

enfrentamento que importantes órgãos do Estado resolveram protagonizar está prejudicando o resultado das atividades desses órgãos no desenvolvimento da máquina pública do estado, pelo desafio que fazem à população que, atônita, vê tudo acontecer com vontade de intervir, mas vendo que os mecanismos republicanos que lhes são colocados à disposição não serem eficientes para combater os erros. Apesar do combate mais acirrado e sem trégua se verificar entre o Ministério Público e a Assembleia Legislativa ou entre membros desses dois órgãos, todos são, ao final, muito prejudicados na confiabilidade com a sociedade que é sacrificada pela falta da eficiência nos resultados naturalmente esperados pela população. Os principais reflexos desse enfretamento sem fim são distribuídos entre os demais órgãos do Estado e, em última análise, prejudicam os serviços que são prestados à população. É assim que o Poder Executivo, o Poder Judiciário e o Tribunal de Contas se

CONSELHO EDITORIAL Presidente:

Aldenor Benjamim dos Santos

CONSELHEIROS Haroldo Pinto Pereira Danieli Amanajás Scapin Carlos Augusto Tork de Oliveira José Arcângelo Pinto Pereira Janderson Carlos Nogueira Cantanhede Heloisa Figueiredo Pereira

vêm diretamente envolvido, mesmo por aqueles que se negam a aceitar que a crise está instalada na administração pública estadual com fortes ramificações para as administrações municipais que sentem falta dos instrumentos de apoio e são exigidos em questões para as quais não podem contribuir positivamente.

guém, mesmo aqueles que, no momento, sentem-se protegidos por capas transparentes e intransponíveis. É hora de baixar a bola! A eleição regional não pode mais ter o seu dia contaminado por informações falsas, produzidas nas usinas da maldade e covil das mentiras. A hora é de pensar na população, em cada uma dos mais de 700 mil habitantes desse estado e imaginar que há um passivo social que não pode mais ser mantido afogado, sem respirar e, ao contrário, precisa ver seu coração ativado,

Editado por Omega Publicidade Ltda. Rua Mato Grosso, 296 A - Bairro Pacoval CEP. 68.908-350 - Macapá-AP CNPJ 03.926.197/0001-82 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(*1917 +2006) e Irene Pereira(*1923 +2011) 1º Presidente: Júlio Maria Pinto Pereira 1987 a 1991 - (*1954 +1994) 2º Presidente: José Arcangelo Pinto Pereira 1991 a 2003

ganhando fôlego para enfrentar as dificuldades próprias das condições, cada vez mais insalubres, que são deixados para a população. O tempo que se gasta para administrar as brigas entre os componentes dos diversos órgãos públicos do Estado precisa ser reservado para equacionar os problemas que são mostrados, todos os dias, pela população e que são atribuições indelegáveis das autoridades ocupadas em deszelar pela qualidade de vida. Apesar de ser fácil imaginar que o mundo que queremos é fácil dele dispor, na realidade, está sendo muito difícil até criar as condições para que um mundo desse tipo seja conquistado. Todos precisam ter seus objetivos voltados para o interesse comum, deixado os interesses individuais e a demonstração de importância ou força, para aqueles doentes e que estão sempre dispostos a fazer da luta inglória o seu objetivo. Precisamos voltar ter comportamento compatível com as necessidades comuns e não com as necessidades pessoais, mesmo que para isso tenhamos que voltar a ser comparados a pessoas que pensam.

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296 A Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68.908-350 E-mails Pautas e contatos com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br Departamento Comercial: jdcomercial@jdia.com.br comercialjd.2011@gmail.com mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representante comercial Grupo Pereira de Souza – GPS Matriz Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2544.3070; Brasília/DF - Tel.: (61) 3226.6601; São Paulo/SP - Tel.: (11) 3259.6111; Belém/PA - Tel.: (91) 3244.4722

3º Presidente: Maria Inerine Pinto Pereira 2003 a 2005 Vacância do Cargo 2005 a 2012 4º Presidente: Haroldo Pinto Pereira 2013 Presidente Executivo: Haroldo Pinto Pereira haroldopereira@jdia.com.br Vice-Presidente e Diretora Comercial Juliane Pereira juliane.pereira@jdia.com.br Gerente Comercial: Paolo Oliveira paolo.oliveira@jdia.com.br Consultoria Jurídica: Juliane Pereira (OAB/AP 1320) Jakeline Morato Pereira de Souza (OAB/AP 1381) Editor-Chefe: Janderson Cantanhede cantanhede@jdia.com.br

ÍNDICE Opinião .....................A2, A3 Geral ..........................A4 Geral ..........................B1,B2,B3 Polícia ........................B4

descabida. Uma porção de problemas está instalada nas organizações públicas locais, movidos muito mais pelo tamanho do egoísmo de cada dirigente ou protagonista do que pela necessidade para qual foram escolhidos ou eleitos. Enquanto isso a população vem sendo o depositário de muitos problemas, a maioria distribuída por toda ela, sem dispensar nin-

É hora de baixar a bola! A eleição regional não pode mais ter o seu dia contaminado por informações falsas. Pode ser por isso que a população não poupa a administração do atual governador das baixas avaliações, mesmo querendo reconhecer os serviços que presta; pode ser por isso que, até agora, o Tribunal de Contas não teve devolvidos os seus conselheiros para trabalhar e ganhar, por enquanto apenas recebem do erário; pode ser pois isso que os problemas se cravem no coração do Tribunal de Justiça, colocando juízes contra desembargadores e desembargadores contra juízes, em um disputa inglória e

Contatos: Fale com a redação (96) 3217-1117 (96) 3217-1108 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

Acompanha o

caderno de ClasssiDia 8pág. Geral ...........................C1 Esporte ......................C2 Cultura .......................C3 Social ..........................C4

Jornalista

Twitter @leandromazzini

VARGAS EXTRAVASA E JOGA TUDO PRO AR!

O

deputado André Vargas (PT-PR) levou ao pé da letra a música “Extravasa” da cantora Claudia Leitte: “Extravasa / Libera e joga tudo pro ar, ar, ar, ar...”. Jogou pelos ares a vice-presidência da Câmara, a reputação e segura o mandato como pode. Mas

o que Vargas tem a ver com a cantora de Axé? Cláudia Leitte é sócia da Elite Aviation, onde mantém seu jatinho Phenom 100, e é a sócia do Learjet 45 alugado por R$ 100 mil pelo doleiro Alberto Youssef para a farra da família Vargas. Não há ligação com o doleiro.

Aviso prévio

ram sobre a Grande Macapá nesses últimos dias “empastelou” o feirão De-

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

POR LEANDRO MAZZINI

Em final de 2011, Claudia avisou em revistas de fofoca que estava comprando um jato maior – curiosamente, o Learjet que chegou à mesma época à Elite.

• AS CHUVAS que caí-

RODOLFO JUAREZ

ESPLANADA

Aos domingos Veículos ....................D1,D2,D3 Informe .....................D4

Edição número

8496

Hangar da papelada

Entrou no páreo

A Anac não divulga proprietários de aeronaves. É comum empresas de táxi registrarem em seu nome aviões de empresários e celebridades. A Elite não comentou.

É para valer a candidatura do pastor Everaldo (PSC) à Presidência. Montou equipe e fez a primeira reunião há dias. Surgirá com discurso conservador e de respeito às tradições.

Presentão de aliado Ao bancar a migração de 900 haitianos ilegais do Acre para São Paulo, sem acordo com o governo paulista, o governador do Acre, Tião Viana (PT), deixou um pepino eleitoral para o aliado partidário Alexandre Padilha, o futuro candidato ao governo. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) vai acusar Padilha de cumplicidade com Tião.

Na mira

Para piorar a situação, há tese de juristas em São Paulo de que Tião Viana pode ser denunciado no Senado à Procuradoria do Tribunal Penal Internacional, por ‘Deportação ou transferência forçada de uma população’ (artigo 7º, d, do Estatuto do TPI)

Ou seja Pelo artigo do Tribunal, houve ‘o deslocamento forçado de pessoas, através da expulsão ou outro ato coercivo, da zona em que se encontram legalmente, sem qualquer motivo reconhecido no direito internacional’.

Bota-fora..

Nos corredores da Petrobras e Transpetro, o súbito plano de demissão voluntária ganhou o apelido de ‘cala-boca’. Mais de 8 mil servidores toparam de R$ 180 mil a R$ 600 mil.

.. e Cala-boca

O temor era de que funcionários dos altos escalões abrissem o bico sobre o que sabem dos contratos bilionários. Muitos saem porque temem naufragarem com a empresa.

Olho na conta

Clima quente entre a Finep e a FIPECq - Fundação de Previdência Complementar dos servidores da Finep, Ipea, CNPq, Inpe e Inpa. A Finep enviou carta para a Previc - Superintendência Nacional de Previdência Complementar questionando a indicação de conselheiros para o fundo. A ingerência política tem sido um risco para os fundos.

Cura Gay 2.0

A bancada evangélica insiste na Cura Gay. O pastor Eurico (PSB-PE) apresentou o PL 1457/14 que ‘Susta os efeitos da Resolução nº 01, do Conselho Federal de Psicologia’. A grosso modo, a resolução proíbe os profissionais de ‘converterem’ homossexuais.

El matador (de cães)

O presidente do Senado e aliado de Evo Morales

ganhou apelido de El Matador. Circula vídeo em que Eugenio Apaza arranca cabeças de dois pobres cães, para ameaçar opositores. Foi em 2007, mas ainda lhe rende dor de cabeça. (http://bit. ly/1hD9YO4)

O que PR quer?

É um mistério até para aliados a insatisfação do PR com a presidente Dilma Rousseff. O partido retomou o Ministério dos Transportes, nas mãos da bancada do Senado – e também do ex-ministro Alfredo Nascimento.

Comando da cadeia

E a bancada do PR na Câmara controla dezenas de superintendências do DNIT. Para um partido presidido por um detento penitenciário, é muita coisa.

Loyola & Gabo

Ignácio de Loyola Brandão contou na Flipiri (GO) que se emocionou, anos atrás, ao descobrir que se hospedava num quarto de hotel onde morou García-Marquez em 1957.

Política do Nordeste

Henrique Barbosa, um dos mais experientes jornalistas do Nordeste, lançou seu blog sobre política e economia da região: <www.henriquebarbosa. com>.

Ponto Final

Silvio Berlusconi cumpre pena na Itália dando comida para vítimas de Alzheimer. Que sorte a dele!

Com Marcos Seabra, Maurício Nogueira e Adelina Vasconcelos www.colunaesplanada.com.br LM Comunicação Coluna Esplanada contato@colunaesplanada.com.br Caixa Postal 1980 – CEP 70254-970 – Brasília-DF


Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

A cesta de vime DOM PEDRO JOSÉ CONTI

U

Bispo de Macapá

m jovem noviço foi ter com um velho eremita. Naquele dia, ele estava muito amargurado: todos os esforços que fazia para colocar em prática a Palavra do Senhor lhe pareciam inúteis. Ajoelhou-se aos pés do ancião monge e, com tristeza, confessou: - A minha vida espiritual é como uma cesta de vime: não fica nada da água da Palavra, vai toda embora. Deixo esta vida e volto para o mundo. O velho eremita abraçou o noviço com doçura e lhe disse: - Irmão, tu não conheces os poderes da água. A água da fonte cumpre com a cesta de vime ao menos duas maravilhas. Primeiro a lava, e uma cesta limpa pode servir para muitas coisas. Depois, a torna mais resistente; assim pode durar mais tempo. Os mesmos efeitos opera, em ti, a Palavra de Deus. Talvez tu não percebas, mas os outros – aqueles que te usam como uma vasilha – sim. Sentem que podem confiar em ti. Sentem que tem condição de “contê-los” em teu co-

ração. Qual grande honra ser uma cesta de vime na vinha do Senhor, tu não achas? Neste quarto domingo de Páscoa, somos convidados a refletir sobre Jesus, o Bom Pastor. Também rezamos pelas vocações; todas mas, de maneira especial, pelas vocações sacerdotais, religiosas e missionárias. Perceber a nossa própria vida como uma vocação significa acreditar que somos todos chamados a dar uma resposta de amor Àquele que, por primeiro, nos amou. As maneiras de dar essa resposta são e devem ser diferentes. Somente assim cada ser humano entende e acredita que Deus lhe entregou uma missão a cumprir. Ninguém poderá substituí-lo naquele lugar, naquela situação, naquele momento da história. Apesar daquilo que, às vezes, somos levados a pensar, pela fama e o sucesso de alguns, a vida não é um filme feito de protagonistas e de coadjuvantes. Cada um de nós é responsável por algo de específico a ser realizado.

Se não o fizermos ou o fizermos mal, ficará do jeito que o fizemos ou o deixamos de fazer. É comum ficarmos angustiados sobre as escolhas da vida, sobretudo no tempo da juventude. Todos nós somos uma mistura de qualidades, atitudes e defeitos. Gostamos de fazer muitas coisas; pais e educadores nos apontam muitos caminhos e nos incentivam a ter coragem. No entanto, sabemos que a nossa felicidade não dependerá da opinião ou da pressão dos outros, será o fruto da nossa decisão no exercício real e sofrido da nossa liberdade. Isso porque escolher uma opção significará sempre renunciar a outras possibilidades. A esta altura, vale a pena nos perguntarmos se, afinal, existe algo em comum a todas as vocações. Para responder, basta olhar ao Bom Pastor. Ele diz que veio para que “todos tenham vida e vida em abundância”. Dar mais vida, ajudar a viver mais e melhor é a missão de todos. O equívoco está no fato de cada um querer promover a sua própria vida e não também a dos outros com o mesmo capricho e teimosia. O re-

sultado está de baixo dos nossos olhos: conflitos de interesses com guerras declaradas, ou não, invejas, ciúmes, egoísmos disfarçados, medo de perder espaço e privilégios. Gastamos muito tempo energias para defender o que consideramos nosso, em lugar de melhorar o que é de todos. Mais vida, para nós, muitas vezes significa menos vida para os outros. O papa Francisco nos lembra, na sua Exortação Apostólica “A alegria do Evangelho”, que devemos ser “pessoas-cântaros” capazes de oferecer aos outros a água da vida (cf.n.86). Todos temos sede de vida, mas temos dificuldade a partilhar a água do amor, que faria todos mais felizes. Mais uma vez, precisamos olhar a Jesus e aprender com ele. Talvez o nosso cântaro nos pareça furado ou semelhante a uma cesta de vime que não segura nada. Na realidade, uma cesta também carrega muita coisa. Importante é acreditar que temos algo precioso para oferecer: o nosso amor e a nossa fé. Vocação, afinal, é também escolher uma forma de amar a Deus, a si mesmo e aos outros.

Ler e viajar nas palavras José Sarney

O

Senador pelo Amapá

notável discurso que Mario Vargas Llosa pronunciou ao aceitar e receber o Prêmio Nobel é uma peça literária, dessas que recentemente não é fácil encontrar. Profissional da escrita, fez o que um escritor do seu porte não dissimula na controvérsia de gerar dúvidas existenciais: o elogio da leitura e da ficção, descritos na magia do que constrói tudo isso, a palavra. A mais breve e sucinta definição de literatura que li foi de Margarida Patriota: a arte de escrever com a arte. Mas a arte de escrever é a de eternizar sentimentos, emoções, fatos, paisagens, vivências, ideias.

O discurso de Mario é de uma simplicidade comovente, em que mistura as histórias de sua infância, os personagens que lhe criaram o ambiente para descobrir o mundo, com a construção dos livros de seus autores preferidos, como Flaubert, Tolstói, Thomas Mann e tantos que nos consumiram os dias e as noites na aventura de viver com eles na ficção, que Vargas Llosa privilegia no discurso sobre a sua experiência pessoal. O homem é o único animal que possui a linguagem, e a linguagem se desenvolve na existência da palavra; e a palavra escrita tornou possível preservar a memória do tempo.

Qual o rumo da economia amapaense? Charles Chelala

N

Economista, Mestre em Desenvolvimento Regional cchelala@uol.com.br

as últimas semanas observamos um interessante debate sobre as tendências da economia amapaense, com fatos e números sendo apresentados ora para demonstrar estagnação, ora para ilustrar crescimento. Neste artigo exponho minha opinião sobre o tema. Os que advogam a tese da estagnação defendem o argumento com alguns fatos como o fechamento da Brasil Norte Bebidas, que envasava os refrigerantes da Coca-Cola no distrito industrial; a paralisação da produção da Zamin e uma suposta redução da circulação de dinheiro na praça. Não acredito que a decisão do grupo Simões em encerrar as atividades produtivas no Amapá tenha algo a ver com a contração do mercado de bebidas local, uma vez que a ex-

pectativa é de crescimento neste ano de copa do mundo e eleições. Trata-se de deliberação interna relacionada à recomposição de custos e logística, uma vez que o setor de distribuição dos produtos permanece ativo para abastecer o mercado com bebidas envasadas em Belém ou Manaus. O que o grupo empresarial deveria era dar alguma satisfação à sociedade amapaense, diante do impacto da decisão. A paralisação da Zamin tampouco se relaciona com a economia local. O motivo foi a incapacidade de escoamento da produção por conta do incidente do porto. Entretanto, como já analisei aqui em outra ocasião, pairam graves ameaças sobre a viabilidade do minério de ferro no Amapá, especialmente relacionadas ao preço internacional da

A escultura, a pintura, a música sublimam o tempo com o auxílio da palavra. A pedra ou o mármore guardam de maneira estática gestos, a beleza no seu conjunto e na sua eternidade imóvel, mas é a palavra dinâmica que tem o poder de completar o próprio mármore ao descrevê-lo, recriá-lo e juntar-se aos mesmos mundos que são produzidos pelo talento humano. A música é a palavra navegando num espaço de transfigurações e emoções, que se tornam definitivas através dessas formas que convivem com o sonho da poesia. Vargas Llosa faz uma longa meditação sobre a ficção, que tem o poder de levar-nos a participar da criação divina, romper com as leis físicas e criar mundos, histórias, pesso-

commodity. Já a redução de circulação de dinheiro é uma sensação que precisaria ser bem mensurada. Há um aumento consistente de empregos formais no Amapá, em média superior a cinco mil novas vagas por ano, o que repercute na renda para consumo. Mas igualmente há um excesso de endividamento da população, segundo a Confederação Nacional do Comércio, em torno de 63% da população possui dívidas e 10% delas não terão condições de pagar. Talvez aí esteja parte da explicação. Eu identifico mais indicadores que apontam na direção do crescimento econômico do que da paralisia. Por exemplo: a indústria da construção civil embalada pelas obras de edifícios, hidrelétricas e conjuntos habitacionais; o setor imobiliário, com dezenas de lançamentos de condomínios fechados; o agronegócio, com crescimento exponencial na produção de grãos no cerrado amapaense; o comércio varejista, apontado pelo IBGE

as que vivem milhões de vezes sempre que seus leitores os constroem. É vermos Anna Karenina, bela e deslumbrante, na sua mocidade e acompanhá-la até os cabelos brancos e a solidão de sua velhice. Eu, quando nasci, recebi de Deus um amigo, que nunca me abandonou, ajudou-me em todos os momentos e encheu os meus vazios: o livro. Foi ele que me ensinou a contar, a ver as cores e as árvores, o próximo e o amor. Foi ele que ficou debaixo dos meus olhos, talvez um quarto da minha vida, noites e madrugadas em que Cervantes me contava as histórias do Quixote ou as "Novelas Exemplares". Esse elogio da palavra, do livro, da leitura e da ficção é das melhores páginas que Vargas Llosa escreveu em sua vasta obra.

como o segundo mais dinâmico do país e que se observa também com o surgimento de novos empreendimentos, dentre outros. Por outro lado, alguns segmentos não estão acompanhando este ritmo, dentre os quais podemos citar o setor madeireiro- moveleiro, o trade turístico, a pesca e o ramo oleiro cerâmico. Finalizo levantando uma questão importante: a responsabilidade dos governos (federal, estadual e municipal) está na melhoria do ambiente para atração de investimentos. Ambiente favorável é a soma de fatores como instituições fortes, infraestrutura adequada, mercado de força de trabalho, condições fiscais adequadas, etc. Boa parte deste ambiente está ainda muito aquém do desejado no Amapá, em especial nos quesitos infraestrutura e qualidade das instituições. São nestes campos que deve ser concentrada a ação dos governos para estimular a economia amapaense de forma mais consistente.

A3

Dia-Dia

Está armada a “bomba?”

N

esse Dia das Mães, depois do almoço em família e o jantar reconfortante, as atenções estarão voltadas para os aparelhos de TV’s, depois das 20h30 para a revista eletrônica da Rede Globo, o Fantástico, que mesmo na estreia com novos quadros e cenários tem perdido preciosos pontos na audiência para as concorrentes Record, SBT e até a Band no chamado horário nobre. Não é segredo para ninguem que o repórter global Marcos Losekan esteve no início da semana por aqui entrevistando deputados estaduais sobre assuntos diversos, centrando suas perguntas sobre diárias pagas a parlamentaSe realmente o res, objeto de apuraconteúdo das ção por parte do Mi- denuncias forem nistério Público aquelas que já correm Estadual, que acusa pela imprensa e redes parlamentares da Associais do Amapá sembleia Legislativa (AL/AP) pertencente à mesa diretora de desvio de verbas públicas. Mas nas chamadas levadas ao ar desde a última sexta-feira (09), mostra a voz de um candidato a um cargo eletivo fazendo graves acusações sobre propina. Se realmente o conteúdo das denuncias forem aquelas que já correm pela imprensa e redes sociais do Amapá, o estopim da “bomba” deverá ser aceso, pegando em fogo brando até depois da Copa do Mundo, que explodiria de vez, podendo levar várias candidaturas para um buraco negro, provavelmente sem volta. Tanto do lado da situação como das posições, os conflitos políticos serão inevitáveis a partir da matéria global, mas a tendência e a união dos segundos no combate aos situacionistas, caso ocorra um suposto segundo turno e fique na disputa o representante atual do Setentrião. É como diz o caboclo do interior, a situação estará parecida quando se come carne de anta, aquele herbívoro considerado “remoso”, isto é, sua carne depois de ingerida seria capaz de botar para fora ou mesmo “ressuscitar” doenças que estariam adormecidas. E aqui no Meio do Mundo seria a hora de começar a aparecer publicamente uma pororoca de denúncias a derrubar muitas candidaturas. A conferir!

Hora-Hora

Corredor polonês

Na última quarta-feira (7), a situação ficou complicada na Av. Paraná, no bairro de Santa Rita, as proximidades de um Mini Box, cujo local bem sinalizado mostra que o estacionamento para carga e descarga de carretas acima de quatro toneladas é proibido no horário comercial. Uma carreta de três eixos com placas de Lagoa da Prata (MG), outra de distribuição de refrigerantes e uma terceira de secos e molhados ocuparam a pista nas laterais deixando apenas um “corredor polonês” para o escoamento do tráfego.

Buzinaço

Irritados com a situação na Rua Paraná, a via mais desmoralizada na Grande Macapá, cujas carretas se especializaram em descarregar seus produtos justamente no horário proibido, condutores de carros menores fizeram um “buzinaço” e acionaram a CTMac. Um veículo da fiscalização logo chegou ao local, mas só conseguiu multar a carreta com placas de fora do Es-

tado. A outras duas já haviam deixado o local.

Patrulha

As Forças Armadas brasileiras iniciaram ontem (10) a Operação Ágata 8, com o objetivo de combater crimes e irregularidades na fronteira brasileira. Este ano, em função da Copa do Mundo, a ação vai abranger toda a extensão da fronteira, que tem 16,8 mil quilômetros.

Pontos estratégicos

O mesmo ocorreu em 2013, motivado pela visita do papa Francisco e da realização da Copa das Confederações. Nas seis primeiras edições, nos anos de 2011 e 2012, a operação patrulhou somente pontos estratégicos.

Contingente

Para dar conta do patrulhamento, cerca de 30 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica foram destacados. Além desse contingente, participarão agentes da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar dos estados envolvidos.

MINUTOS

CONCURSOS - Só nesta semana, foram

abertas mais de 4 mil oportunidades de trabalho no serviço público. Polícias de Minas e Paraíba pagam salários na faixa dos R$ 2.500 por mês, enquanto Empresa de Serviços Hospitalares oferece até R$ 7.700 mensais


A4

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014


MACAPÁ-AP, DOMINGO E SEGUNDA-FEIRA, 11 e 12 de maio de 2014

ESPECIAL

NA LEI

Grampos telefônicos no Amapá: fala que eu te escuto Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Em que situação o grampo pode ser praticado?

B2 & B3

Últimas casas são entregues às vítimas do incêndio no Perpétuo Socorro

Agora, PMM vai fazer a parte de conscientização para que essas famílias cuidem do local Andréa Maciel

Da reportagem

A

s vitimas do incêndio ocorrido em outubro do ano passado no bairro Perpétuo Socorro, zona leste de Macapá, receberam na manhã de sábado (10) as últimas 8 casas reservadas para elas no Residencial Mestre Oscar Santos. A Prefeitura de Macapá em parceria com a Caixa Econômica Federal estava entregando gradativamente as casas e finalizou o processo que contempla 100 das mais de 500 famílias desabrigadas no incêndio. O conjunto habitacional possui 528 casas que já estavam sendo entregues a famílias necessitadas e após o sinistro com o incêndio das residências, 100 casas foram separadas para contemplar as vitimas. De acordo com o Prefeito de Macapá, Clécio Luís, posteriormente serão entregues os equipamentos sociais, como unidades básicas de saúde, escola, praça, pois já conseguiram os recursos junto ao governo fe-

deral para este fim. O prefeito afirma que agora irão fazer a parte de conscientização dessas famílias para que cuidem do local, mantendo-o habitável. “A prefeitura fez a sua parte, colocamos linha de ônibus, serviço de coleta de lixo, serviço de limpeza, etc., mas é necessário que as pessoas cuidem de sua casa e também do entorno”. Algumas pessoas construíram muros fora do padrão, outras, fizeram ampliações também fora do padrão e o prefeito enfatiza que isto não é permitido, as famílias podem fazer ampliações, porém não podem mexer na estrutura física e descaracterizar as moradias: “vamos ter que pedir para tirar e se não fizerem, vamos ser obrigados a tirar e multar a família”, diz. “Fizemos conscientizações para que essas pessoas saibam como se portar neste local, para que elas cuidem do mesmo e vamos continuar fazendo. Esta obra já estava em faze de construção no governo anterior, mas não foi terminada e nos retomamos essa obra, porém o processo já estava em andamento e não foi feito. Este é um ponto muito importante: o plano de trabalho técnico social (PTTS), pois ele prepara as famílias para a mudança de vida que elas terão, antes de chegarem ao local, e isso não foi feito, mas vamos fazer ago-

ra”, explica o Clécio Luís. Moradora Maria de Nazaré Maciel, 25 anos, uma das vitimas do incêndio, se mudou dia 28 de fevereiro e considera que ganhar a casa é melhor do que morar de aluguel: “a casa é boa, a energia, agua encanada, linha de ônibus, tudo funciona direitinho. Dá pra morar”, relata. De acordo com o prefeito, os cidadão pagam uma parcela simbólica de R$ 15,00 reais que varia de acordo com a renda do mesmo. Uma moradora que não quis se identificar disse que paga R$67,80 reais e seu vizinho, paga R$ 76,92 reais e ambos não possuem emprego, “estamos desempregados e esse valor é muito alto”, reclama. Querendo explicações, outra moradora que também não quis se identificar, firmou que estava esperando respostas do prefeito durante a cerimonia. Segundo ela, a casa que lhe foi entregue, estava depredada quando a mesma se mudou para o local, ela teve que tirar do próprio bolso o dinheiro para trocar portas e realizar reparos, ao procurar as autoridades competentes, estes alegaram que ela seria ressarcida. “Quando eu e minha família chegamos aqui em fevereiro, a casa já estava toda depredada, pelas pessoas que invadiram o conjunto, as portas estavam quebradas e tivemos que ti-

rar do nosso bolso o dinheiro dos reparos (...) tudo que comprarmos, tem nota fiscal e esperamos a resposta do prefeito agora”. O prefeito comentou o assunto: “Tivemos que tirar 33 famílias de pessoas que estavam burlando o programa, que não se encaixavam dentro das regras, pessoas

que estavam muito acima da renda prevista, possuíam cadastro ilegal com finalidade eleitoral e que foram tiradas da daqui, os que conseguiram furar o bloqueio que fizemos, também tomamos as devidas providencias e retomamos as casas”. Além da entrega das moradias, dez médicos foram

Desonestidade mata! Vanessa Freitas

E

Melhorh Consultoria

sta crônica retrata um caso sério de saúde pública no país. Aparentemente de cunho comportamental, trago reflexões e fatos sobre o maior gerador de doenças mentais do mundo: o medo! Sim, por que a desonestidade mata e o que é pior; como uma tortura psicológica ela mata lentamente, dia após dia. Viver ao lado de uma pessoa desonesta é como viver com um dependente químico. Você já acorda preparado para o pior. Você vive em constante estado de alerta, aliás, você não vive, o medo passa a viver no seu corpo, até te matar... Perdoar uma mentira, um equívoco, uma traição, um erro, qualquer um de nós somos capazes, o que não suportamos é viver na mentira, na deslealdade, na desonestidade. Quem pratica a desonestidade não apenas afeta uma pessoa, afeta todo um núcleo familiar. Atendi uma diretora no ano

passado que sofreu um ato desonesto no trabalho por um gerente invejoso, que a fez viver com um medo constante dentro da empresa. Chegava diariamente em casa com palpitações, até que enfartou uma, duas e por fim faleceu! Deixou um filho órfão! A desonestidade desse gerente gerou um óbito e um órfão... Percebem a gravidade do ato desonesto? Nenhum ser humano pode exercer sua produtividade sem estar em paz! Quem vive cercado de pessoas desonestas não tem paz! Vive com medo, esperando a “próxima decepção”. Mas o pior das pessoas desonestas, não é o que causam no presente, é o que causam no futuro. Roubam a capacidade da vítima de acreditar nas pessoas, roubam os sonhos, os projetos de vida, trazem amargura, tornam o mundo da vítima “cinza”. Isso quando a vítima não faz um estado

disponibilizados no local para prestar serviços de saúde durante a cerimonia, ocorreu também a inauguração do campinho de futebol de areia, atividades de esporte e recreação, bem como sorteio de eletrodomésticos para presenteá-los, alusivo a entrega das casas e ao dia das mães.

depressivo e tem que arcar com prejuízos psicológicos e financeiros. Desonestidade significa má-fé, falta de sinceridade. Toda pessoa desonesta vive ausente da transparência, esconde tudo o que faz, é cheia de mistérios, segredos, tenta esconder do mundo seus atos falhos. Atendi uma gerente recentemente que viveu por sete anos com o seu companheiro sendo traída. Tornou-se alcoólatra, perdeu o seu trabalho, pois faltava constantemente devido às diversas crises de pânico que passou a adquirir. Seus filhos hoje moram com parentes pela incapacidade de retomar a sua vida. Você deve pensar neste momento: - Vanessa, estas pessoas são fracas! Eu devolverei a pergunta para você; - Você já foi traído? Conhece esta dor? Sabe o que é dormir e acordar com medo? Não temos o direito de julgar a tortura psicológica que passa uma pessoa que vive sendo enganada. Ressalto que, ser enganada uma, duas vezes talvez não cause tanto estrago como citei. Mas viver repetidamente no ambiente da desonestidade, isso sim, pode matar!


B2

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 11 e 12 de maio de 2014 Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Interceptação telefônica no Amapá: se Na semana passada, supostos casos de escutas irregularidades levaram o Judiciário a tomar providências, gerando polêmica Da redação

N

a semana passada, a polêmica levantada por um relatório preliminar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ),

trouxe à luz das discussões um assunto que deixa qualquer brasileiro de orelhas em pé: as escutas telefônicas. Afinal de contas, em que situações esse tipo de interceptação pode acontecer? Quem pode ser interceptado? No Amapá, quem possui aparelhos de interceptação? Todas são autorizadas pela Justiça? Todas essas perguntas surgiram diante relatório preliminar de inspeção, realizado pela corregedoria do CNJ entre os dias 17 a 20 de março deste ano, no Judiciário amapaense. Em coletiva com a imprensa, o presidente do Tribunal de Justiça, Luis Carlos Gomes dos Santos,

e o desembargador Constantino Brahuna, rebateram informações do relatório e detalharam o alerta feito pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/ AP), quanto a supostas escutas telefônicas ilegais feitas a advogados. O que muita gente não sabe é que advogados estavam se sentindo lesados em seus direitos com escutas telefônicas feitas em seus aparelhos. Foi diante dessa indignação que a OAB/AP foi procurada para interceder, junto ao corregedor geral de Justiça, desembargador Brahuna, quanto aos grampos que vinham sendo feitos. Brahuna esclareceu que o monitoramento das escu-

tas telefônicas o levou a tomar uma decisão que, sem dúvida, contrariou muita gente. Um advogado que preferiu não ser identificado disse que alguns grampos telefônicos estavam acontecendo da seguinte forma: o pedido era feito ao juiz formalmente. No documento, constava o nome de um cidadão com pendências na Justiça, porém, o número do celular era de outra pessoa a ser monitorada. Sem o devido chek-in, o pedido era autorizado. “Baixei o fim do ato a fim de preservar o direito de sigilo do advogado, das comunicações por telefone e similares, como estabelece

a norma da Ordem. Segundo alguns advogados, a situação já estava insustentável no Amapá. Estavam utilizando de falsidade ideológica e fraude processual para conseguir o monitoramento das escutas telefônicas. E isso é crime!”, pontuou Brahuna.

atual legislação, determina, entre outras coisas, que as autoridades públicas que vazam informações sigilosas obtidas por meio de grampo autorizado pela Justiça podem ser punidas. Define também que, em casos em que a relação entre advogado e réu ultrapassar os limites da atividade profissional, as conversas gravadas entre o acusado e seu defensor através de escuta telefônica legal podem ser utilizadas como prova no processo judicial. A proposta ainda restringe a quebra de sigilo telefônico às operadoras, acabando com a prerrogati-

va que tinham o Ministério Público e a Polícia Civil e Federal, e fixa um prazo para a quebra do sigilo telefônico: 60 dias, prorrogáveis por no máximo um ano. Atualmente, a jurisprudência entende que a quebra podia ser prorrogada ilimitadamente.

Alguém ouve você O grampo é aplicado por empresários ou executivos que desejam conhecer segredos dos concorrentes, maridos que querem vigiar as mulheres ou vice-versa, políticos que ambicionam constranger seus adversários e policiais que investigam a vida de supostos criminosos. Para obter as informações de

que precisam, os espiões interceptam as conversas de qualquer pessoa que tenha contato com seus alvos. Isso pode incluir você. A prática de vigiar conversas telefônicas se tornou tão corriqueira que transparece em boa parte das notícias sobre investigações policiais. No Brasil, o grampo alimenta uma rede de chantagem, intimidação e constrangimento da qual é difícil escapar. “As escutas têm servido para vários tipos de espionagem política, comercial, industrial e criminal. O abuso é grande”, afirma o desembargador Tourinho Neto, do Tribunal Regional Federal, em Brasília.

Ação Ele chegou a julgar um mandado de segurança pedido por uma companhia telefônica que se re-

cu do da tel es ria ça “N do ch co op po Ad de “P ou inv pr A ta pr so lei

Saiba em que situação o grampo pode ser prati

S

egundo a legislação em vigor, o grampo pode ser realizado em investigação policial na qual haja indícios razoáveis da autoria de uma infração cuja pena mínima é a de detenção. A lei define ainda que a escuta telefônica deve ser o último recurso empregado na obtenção de provas. Caso haja qualquer outro meio de se obter evidências, o grampo passa a ser ilegal. Quem o pratica? A realização de escuta telefônica deve ser determinada por um juiz. Excepcionalmente, o juiz pode admitir

que o pedido de grampo seja formulado verbalmente. Do contrário, a solicitação deve ser redigida. O texto deve comprovar a necessidade do uso da escuta telefônica, assim como a forma como ela será realizada. Caso o pedido seja aprovado, o grampo pode ser realizado pelo Ministério Público e pela Polícia Civil e Federal, que, por sua vez, podem pedir para que uma operadora de telefonia o realize. Isso significa que os funcionários das operadoras têm acesso às conversas? Não. O funcionário apenas programa num sistema o

desvio das ligações para um terminal de acesso restrito à polícia.

Qual é a atual pena para quem pratica o grampo ilegal? A pena para quem realiza interceptações telefônicas fora das condições descritas na lei é o pagamento de multa e o cumprimento de pena de dois a quatro anos de prisão. O que prevê a legislação sobre o assunto? A nova lei do grampo, como ficou conhecida a proposta de modificação da

Há casos em que o uso do grampo legal foi bem-sucedido? Apesar da vulgarização de seu uso pelas autoridades policiais, a escuta telefônica já foi instrumento valioso de investigação. Em setembro de 2000, por exemplo, a Polícia Federal, por meio de

grampo autorizado pela Justiça, gravou conversas que revelaram um portentoso esquema de corrupção que havia sangrado os cofres públicos em pelo menos 360 milhões de reais. Três anos depois, interceptações telefônicas legais flagraram uma quadrilha, chefiada pelo juiz Rocha Mattos, que, entre outras coisas, vendia decisões judiciais. Mais recentemente, os grampos telefônicos autorizados pela Justiça demonstraram que o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, presidente da Força Sindical e

filiado ao P recebido din do dos cofr Nacional de mento (BND

Há caso grampo fo maneir É farta a grampos cla Brasil, inclus altas esferas se encontr dentro do pr te presidenc do Planalto ( do, 1983). Já presidente cuja residên

Os equívocos mais comuns na interceptação telefônica

O

“alvo” Denomina-se “alvo”, como o nome já diz,

aqueles sobre os quais a interceptação recai; onde efetivamente as investigações

são focadas e produzidas pelo agente policial. É o sujeito ao qual os requerimentos da autoridade policial ou ministerial ao juiz é apontada a autorização de interceptação. Tal investigação, para ser considerada legal e, portanto, em obediência às re-

gras processuais e legais conferidas pela legislação da espécie, deverá a autoridade comprovar junto ao termo de interceptação a forma pela qual ocorreu a coleta de dados em todos os procedimentos relacionados ao “Alvo”. Não havendo nos au-

tos, a comprovação do modus operandi pelo qual o agente público – delegado, agente policial ou promotor investido – procedeu quanto à coleta dos dados do investigado, tais como o nº de seu telefone a ser interceptado, nome completo, profissão e domicílio, restará frágil a prova produzida. Lembrando, ainda, que são as operadoras de telefonia que devem informar ao juiz, a pedido do agente policial ou órgão ministerial, todos os dados corretos desse pretenso “alvo”, através de ofício dirigido, respondido e juntado aos autos, todas as informações relacionadas ao mesmo. Tudo isso deveria conter no pedido de interceptação, sobretudo porque o parágrafo único do art. 2º da lei 9.296/96 exige. Entretanto, assim não ocorre, ficando no mínimo nebuloso o procedimento de coleta e investigação.

O chaveamento da operadora de telefonia Para se efetivar a interceptação, as operadoras de telefonia devem dispor de um mecanismo de chaveamento onde ocorre o desvio das ligações para um terminal de acesso. Geralmente, tal informação também vem acompanhada de ofício – ou deveria. Se as operadoras devem verter a chave de comando desviando-a para a autoridade pública efetuar a investigação, é notório que tal comunicação deve ser comprovada aos autos, através da resposta do ofício judicial. No entanto, o que temos visto são interceptações onde o ofício simplesmente “sai” dos autos e não retorna, não sabendo o defensor ou o juiz identificar se realmente foi a operadora de telefonia quem efetuou o desvio da chave ou o produto da escuta foi produzida de outra forma., o que acaba burlando a lei de regência da matéria. Tal circunstância, como dito, pode ensejar a infringência ao comando

do art. 5º, da CF/88 e o parágrafo único do art. 2º da lei 9.296/96, sujeitando-se essa prova à sua nulidade.

O conteúdo da interceptação A lei em comento confere em seu art. 6º a possibilidade do conteúdo da inwterceptação não vir acompanhada de gravação. Mas, quando a diligência possibilitar a gravação, essa deverá vir com a transcrição, vide parágrafo 1º do art. 6º da lei 9.296/96. Também é de se olvidar que todo o conteúdo relativo à interceptação deve ser juntado aos autos através de auto circunstanciado. Na prática, porém, o que se tem notado é que o auto circunstanciado vem ao processo recheado de conjecturas, deduções da autoridade policial, resumo da conversa, interpretação ou conclusões relativas ao estado do investigado. Tais transcrições são frutos de caráter subjetivo do intérprete ou do analista dos diálogos das escutas telefônicas relativas ao investigado, apresentando quadros acerca das “análises” ou dos “entendimentos pessoais” conferidos ou externados pelo “intérprete” (ouvinte) das escutas telefônicas, e que, por certo, não foram copiados na íntegra. A degravação Aí está um tema que gera enorme discussão. Muitos juízes entendem desnecessária a degravação do conteúdo das conversas telefônicas. Entendem que a mera transcrição dos trechos já é a suficiente prova de materialidade e autoria do investigado. Ledo engano. Primeiro, a degravação consiste na transcrição literal daquilo que foi objeto de escuta. A degravação é importantíssima no processo penal. Degravar é transcrever os diálogos in natura, não podendo chamar de “degravação” as “avaliações” ou “entendimentos pessoais” do

intérprete das es tre os interlocu zendo-se, inclu necessário, o n° tro, início e tér conversas e o t duração dos diá pondo a necess realização de u pericial, o que m zes não ocorre n so, devendo ser do por Perito Es Mais, devem es gos estarem c em toda a sua e relacionados à períodos contid cisão que determ ríodo da inter Ademais, a trans tegral é o corpo deve ser objeto oficial e não pod cial, ‘censurado’ lhido’, sob pena ção da exigência exame de corpo com a consequ nulidade do pro Por fim, imp ma questão, al da mais frequen dade é a utili conversas de pe investigadas que contato telefôni “alvo”. Essas são velmente, gra Vezes há que a mantida com o até então “não do” interessa a a policial. Ocorre torização para a tação não “acol daquele “não do”, sendo pois, qualquer imputa ra contra o es como base o pr interceptação qu ela não existia. É do encontro fo provas. A matéri controversa. Dessa forma, a sores cabe aplica sável lupa numa legislação na o que fatos como narrados não a ou, na eventua assim ocorrer, mão dos recurso dios heroicos em lei em pro clientes visando ção de nulidade no processo em am. (Marcelo advogado)


Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 11 e 12 de maio de 2014

B3

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

eu telefone pode estar grampeado

usava a executar escutas a pedio da Polícia Federal. Os agentes a PF queriam instalar grampos lefônicos em várias linhas, sem specificar os números que deveam ser interceptados. A sentena que impediu o grampo afirma: Na própria polícia, o subordinao escuta as conversas dos seus hefes, dos delegados, tomando onhecimento das pomposas perações, dos jornalistas, dos olíticos, do amigo e do inimigo”. decisão recebeu o apoio da Orem dos Advogados do Brasil. Para a polícia, é mais fácil ficar uvindo conversas alheias do que vestigar”, afirma Cezar Britto, residente nacional da OAB. A proliferação de escutas levanuma questão: existe direito à rivacidade no Brasil? Para a Asociação dos Magistrados Brasiiros (AMB), a intimidade não

icado?

PDT, pode ter nheiro desviares do Banco e DesenvolviDES).

os em que o oi usado de ra ilícita? a crônica de andestinos no sive nas mais s do poder. Já rou grampo róprio gabinecial no Palácio (João Figueireá se soube de da República ncia estava in-

está ameaçada. “Algumas instituições reclamam do uso de grampos porque agora pessoas de expressão estão sendo investigadas”, afirmou Rodrigo Collaço.

Ninguém está livre Neri Kluwe, presidente da Asbin, diz o contrário. “O descontrole no uso desses métodos de Inteligência no Brasil faz com que ninguém esteja livre do grampo.” Driblar as escutas faz parte do dia-a-dia de criminosos, terroristas e até empresários desconfiados da concorrência. A paranoia alimenta a indústria da contra-espionagem, que lucra vendendo vacinas contra o grampo. Uma delas é a criptografia das conversas telefônicas. No Brasil, a Lei no 9.296, de 1996, afirma que a polícia e o Ministério Público só podem recorrer a interceptações telefônicas

teiramente monitorada (Fernando Collor, 1992, Casa da Dinda). Já se ouviu a voz grampeada de um vice-presidente da República a cantarolar palavras melosas para uma jornalista casada (Itamar Franco, 1992). Já houve presidente da República grampeado autorizando o uso de seu nome nos bastidores do leilão das teles (Fernando Henrique Cardoso, 1998). Isso sem falar nos tempos da ditadura militar, quando o grampo tornou-se uma prática recorrente, adotada pela arapongagem oficial para

quando houver “indícios razoáveis” de envolvimento em crime punível com prisão e se a prova não puder ser obtida de outra forma. E, pelo visto, na prática esses pré-requisi-

tos não são respeitados. No Amapá, quatro instituições possuem oficialmente os aparelhos de grampo telefônico: Polícia Federal, Polícia Civil, Ministério Público e Secreta-

ria Estadual de Segurança Pública (Sejusp). Porém, segundo informações de agentes da própria Civil, somente a Polícia Civil ainda não utiliza o equipamento que já foi entregue

pelo governo federal mas que até hoje não foi utilizado. “Faltou fazer a licitação para instalar o aparelho e até hoje isso não foi feito”, comentou um informante.

bisbilhotar a vida de adversários políticos do regime. Na democracia, a situação não tem sido muito diferente. Em 2004, a maior empresa de investigação do mundo, a Kroll, com sede nos Estados Unidos, foi acusada pela Justiça brasileira de usar meios ilegais de espionagem, entre eles o uso de escutas telefônicas. Outro caso célebre foi a grampolândia clandestina instalada no aparelho estatal da Bahia. O acusado de promovê-la foi o ex-senador Antônio Carlos Magalhães. (Fonte: Veja)

a

scutas enutores, fausive e se ° do regisrmino das tempo de álogos, imsidade da um laudo muitas veno procesr elaboraspecialista. sses diálocompletos, extensão, e todos os dos na demina a perceptação. scrição ino do delito de perícia de ser par’ ou ‘escoa de violaia legal do o do delito uência de ocesso.” portantíssiliás, causa nte ilegaliização de essoas não e mantém ico com o o, inexoraampeadas. a conversa “alvo” e o investigaautoridade que a aua interceplhe” a fala investigaimprópria ação futusse tendo roduto da que, contra É o chamaortuito de ria é muito

aos defenar a incana mão e a outra para esses aqui aconteçam alidade de lançarem os e remédefinidos ol de seus a declarae da prova m que atuRayes é

FONTE: REVISTA ÉPOCA


B4

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014


MACAPÁ-AP, DOMINGO E SEGUNDA-FEIRA, 11 e 12 de maio de 2014


C2

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014 Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Campeonato de Fisiculturismo espera reunir 70 atletas no AP DIVULGAÇÃO

O campeonato que será disputado em seis categorias acontece no dia 29 de junho no Teatro das Bacabeiras Karina Rodrigues

Da reportagem

A

Federação Amapaense de Fisiculturismo e Fitness (FAFAP) realiza no dia 29 de junho o Campeonato Amapaense de Fisiculturismo, no Tetro das Bacabeiras, a partir das 18h. A competição servirá como seletiva para o campeonato brasileiro da modalidade, ou seja, os melhores colocados na disputa já garantem vaga para a disputa nacional. Fisiculturismo ou culturismo é um esporte cujo objetivo é buscar, através da musculação, a melhor

Minotouro tem retorno ao octógono confirmado em julho

ver com antecedência, pois no dia 29 pela parte da manhã haverá uma prévia do que acontecerá no evento. Além disso, neste mesmo dia os participantes terão que levar até a sede da instituição a roupa e a música escolhida para a apresentação, para que os representantes da federação analisem se está tudo de acordo com as normas exigidas. O evento será disputado em sete categorias, men’s physique, sênior até 65 kg, sênior até 70 kg, sênior até 75 kg, sênior acima de 80 kg, overall e wellness. A inscrição para o campeonato custa R$ 50,00 para atletas e R$ 20,00 para técnicos. Já os ingressos podem ser adquiridos pelo valor de R$ 20,00.

DE ACORDO COM o presidente da FAFFAP, Fábio Prata, qualquer praticante de musculação pode participar da disputa. “Esperamos uma média de 70 atletas nesse evento”

formação muscular. Sua disputa ocorre em apresentações coletivas ou individuais, de comparação. Os requisitos são: volume, simetria, proporção e definição muscular. De acordo com o presidente da FAFFAP, Fábio Prata, qualquer praticante de musculação pode participar da disputa. “Esperamos uma média de 70 atletas nesse evento, que reunirá atletas de diversas categorias, é importante que os atletas que pretendem participar do campeonato nacional participem, pois os melhores em cada categoria estarão concorrendo a vaga para competir no campeonato brasileiro”, afirma. Fábio ressalta que os atletas devem se inscre-

Futebol

O

UFC confirmou na última quinta-feira o retorno de Rogério Minotouro ao octógono. Será no dia 26 de julho, quase 18 meses após sua última luta, quando ele enfrentará o americano Anthony Johnson. Rogério vem atualmente de uma sequência de duas vitórias consecutivas sobre os ex-campeões do UFC, Tito Ortiz e Rashad Evans. A vitória sobre Rashad foi, inclusive, a última aparição do brasileiro no octógono, em fevereiro de 2013. Desde então, ele vem sofrendo com seguidas lesões, que o tiraram dos duelos especulados contra Alexander Gustafsson e Maurício Shogun. Anthony Johnson também está em uma boa fase na carreira. O kickboxer chegou ao UFC em 2007, lutando pelos meio médios. Sua primeira passagem pela organização durou até 2012, quando foi finalizado por Vitor Belfort, já pelos pesos médios. Após a demissão, Johnson decidiu diminuir os esforços com perda de peso, e passou a lutar entre os meio pesados e os pesos pesados em eventos alternativos.

Alecsandro “troca” gols pela vitória do Fla em clássico contra o Fluminense Futebol

A

rtilheiro do Flamengo na temporada, o atacante Alecsandro sabe da importância de seus gols para que o time triunfe nas competições. No domingo, o Rubro-negro enfrenta o Fluminense e o jogador tem a chance de marcar pela primeira vez em um clássico regional, só que para ele isso não é o mais importante. “Para mim o interessante é ganhar. Eu abro mão de fazer gols, mas não abro mão é da vitória. Quero é ganhar. Costumo ganhar bastante os clássicos que disputo. E isso é o que marca na car-

reira de um jogador. É lógico que se puder vencer e fazer gol, melhor. Em alguns clássicos e finais, já tive um gostinho de ganhar e fazer gols. Não tenho muito esse negócio de gol, quero é ganhar”, afirmou Alecsandro. Flamengo e Fluminense já se enfrentaram no Campeonato Carioca e o Rubro-negro acabou sendo derrotado por 3 a 0. Só que no Campeonato Brasileiro a história é bem diferente e a equipe da Gávea venceu os dois confrontos na competição. E para Alecsandro o espetáculo será bom para o torcedor que comparecerá ao Maracanã. “Clássico é sempre um

jogo difícil, onde tudo pode acontecer. As duas equipes estão em um momentos interessante, mesmo com o campeonato começando agora. Flamengo e Fluminense têm grandes equipes e não há favorito. Cada equipe tem sua qualidade e acaba ganhando o torcedor, que, com certeza, vai prestigiar um grande jogo”, analisou. Para o jogador, o adversário, que está na quinta colocação da tabela, vai ser um dos concorrentes ao título do Campeonato Brasileiro. Alecsandro também aproveitou para elogiar o atacante Fred, seu rival no clássico. “O importante é ter uma cons-

nome dos jogadores importantes, vou falar do time todo o Fluminense. Essa consciência

que devemos ter. Para mim, é um dos que vão brigar pelo título. Temos que encarar assim, finalizou.

ciência de que o Fluminense é uma grande equipe, com grandes jogadores, o camisa 9 da Seleção. Se for citar nome por

Jadson está fora do Corinthians no clássico: quem merece a vaga? thians, em 2010, foi justamente contra o São Paulo, pelo Paulistão. Em 2011, na campanha do título brasileiro, teve excelente atuação ao marcar um gol e participar de outros três em goleada de 5 a 0 sobre o clube do Morumbi. Na conquista da Recopa no ano passado, voltou a balançar as redes de Rogério Ceni. Aos 34 anos, porém, Danilo já não atravessa uma grande fase na carreira. Até por isso, deixará o clube quando seu contrato terminar, no meio deste ano.

Futebol

M

ano Menezes afirma que só vai revelar a equipe que enfrenta o São Paulo, no domingo, 45 minutos antes da partida. Apesar do segredo, não existem muitos mistérios cercando o time do Corinthians: o único desfalque certo em relação à equipe que vem jogando é Jadson. Contratado do rival do Morumbi, o meia assumiu rapidamente uma vaga como titular e se tornou o principal articulador do meio de campo alvinegro. Sua ausência – uma cláusula do acordo de troca por Pato com o tricolor impede que enfrente o ex-time – forçará Mano a encontrar um substituto. O técnico corintiano já disse que escolherá um nome entre Renato Augusto, Danilo e Luciano. Os três jogadores têm características bastante distintas, com seus prós e contras, para atuar no meio

de campo, que deve ter Ralf, Guilherme e Petros. Renato Augusto A favor de Renato Augusto pesa o fato de ser o jogador com características mais próximas das de Jadson dentre as opções de Mano. Criativo, o meia arma jogadas. Além disso, sua qualidade é indiscutível: em 2013, por exemplo, o Corinthians teve 60% de aproveitamento nas partidas com Renato em campo. Sem o jogador, em 44

jogos, o aproveitamento caiu para apenas 47%. As boas atuações do ano passado, porém, estão cada vez mais escondidas sob camadas de incerteza. Renato Augusto começou a temporada realizando um trabalho especial para evitar as contusões, mas a cerca de um mês da parada para a Copa do Mundo, não engrenou. Além de mostrar dificuldades para atingir a melhor forma física, esteve

Em 9º, Massa volta a largar atrás de Bottas; Hamilton é pole na Espanha Futebol

F

elipe Massa planejava ficar entre os cinco primeiros colocados no grid de largada para o Gp da Espanha, mas teve que se contentar com o nono lugar. No treino classificatório realizado neste sábado no circuito de Montme-

lò, o piloto da Williams teve problemas em sua última tentativa de volta rápida e vai largar atrás de Valteri Bottas, seu companheiro de equipe, quarto no grid. Já a Mercedes voltou a dominar e tem Lewis Hamilton na pole position, seguido por Nico Rosberg. Esta é a segunda vez na qual Mas-

sa perde o duelo interno para Bottas no treino de classificação. Antes, o brasileiro só havia perdido a disputa no GP do Bahrein, quando largou em sétimo e viu o finlandês ocupar o terceiro posto no grid de largada. O dia de ontem parecia ser todo de Rosberg – afinal, ele foi o mais

apagado na maioria das oportunidades nas quais entrou em campo. É uma incógnita e uma aposta arriscada para um clássico. Danilo Danilo tem características diferentes de Renato Augusto. É um jogador mais tático, sem tanta criatividade, mas com um bom passe e boa finalização. Seu grande trunfo, porém, é outro: tem estrela e um histórico de atuações decisivas contra o São Paulo, clube pelo qual já atuou. O primeiro gol do meia com a camisa do Corinrápido no terceiro treino livre e liderou o Q1 e o Q2. Hamilton deu o troco no Q3. Com o tempo de 1min25s232, o britânico superou seu companheiro de equipe e larga na primeira posição pela quarta vez nesta temporada. Vale lembrar que Hamilton nunca venceu em Montmelò. O Q1 foi marcado pela batida de Pastor Maldonado. O piloto da Lotus perdeu o controle do carro e bateu de leve no muro, quebrando a suspensão dianteira direita. O venezuelano aumenta

Luciano Das três opções, Luciano se destaca pelo estilo de atacante. Veloz e canhoto, o jovem já atuaria pelo setor esquerdo, complementando o meio formado por três destros. Além disso, vem mostrando faro de gol: com seis gols em 11 partidas, é o vice artilheiro do time na temporada. A opção, embora dê mais velocidade à equipe, pode deixar o meio carente de um jogador de mais criatividade e armação. A pouca experiência – tem 20 anos – também pode pesar. Mesmo assim, é, atualmente, o que tem mais chances de jogar.

sua lista de problemas nesta temporada: ele já havia se envolvido em incidentes nos treinos livres para o GP da China e foi punido por bater na Sauber de Esteban Gutiérrez no GP do Bahrein. Após alguns minutos de interrupção, o Q1 foi retomado sem grandes surpresas. Os carros da Mercedes dominaram, com Rosberg como único a andar abaixo de 1min27 (seu tempo foi de 1min26s764). Atrás de Hamilton, vieram os pilotos da Red Bull (Vettel e Ricciardo, respectivamente).

Massa foi o quinto nesta parte do treino. O ‘inferno’ de Vettel deu as caras no Q3. Logo nos primeiros minutos da sessão, o piloto parou sua Red Bull do lado de fora da pista, com problemas, provocando uma bandeira vermelha. Após breve interrupção, os pilotos voltaram à pista e Hamilton ‘deu o bote’ em seu companheiro de equipe para fazer o melhor tempo e largar na pole. A largada do GP da Espanha será às 9h (horário de Brasília) de hoje.


Geral

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014

C3

Editora: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Mães que conciliam a luta contra o câncer e a dedicação aos filhos Para muitas pessoas, a celebração hoje tem um motivo a mais, juntando a alegria de ser mãe com a vontade de viver Jéssica Alves Da Reportagem

O

Dia das Mães é uma data especial para celebrar todas aquelas que têm o dom de nos trazer ao mundo, então também é data para celebrar a vida. E para muitas pessoas, a celebração deste domingo (11) tem um motivo a mais, juntando a alegria de ser mãe com a vontade de viver. Como é o caso da dona de casa Ines da Silva Cardos, que há cerca de um ano luta contra um câncer de mama no lado esquerdo do corpo. Ela recebe atendimento no Instituto do Câncer Joel Magalhães

(IJOMA) e afirma que brevemente precisará ser transferida para outro estado. “Já fiz a cirurgia e estou fazendo a quimioterapia semanalmente. Daqui a alguns meses irei fazer radioterapia em outro estado e o IJOMA conseguiu uma vaga em São Paulo. Apesar do medo, irei com fé para vencer esta batalha”, diz. Ines possui quatro filhos: Rene, de 17 anos, Samile, de 14 anos, Samila com 11 anos e o caçula Ian, com apenas 6 anos de idade. Ela firma que a presença dos filhos é fundamental para o tratamento que realiza. “Nossa, eles são a minha fortaleza, é por eles que tiro a minha vontade de viver. Quando estou triste ou sem forças, eles vêm me ajudar com palavras e gestos de apoio. Sem eles, com certeza estaria muito mais difícil”, afirma. O câncer de mama é a segunda doença do mundo que mais vem matando mulheres. O Ijoma atende 450 pacientes portadores de câncer e segundo informações do

diretor do instituto a maioria dos casos são de câncer de mama e de próstata. Mas no Amapá não existem dados e pesquisas que comprovem quantos doentes sofrem com o câncer e quantos já perderam a vida a espera de tratamento. E são nos filhos que elas buscam a fonte para ter forças de viver. Como Dauziza Rocha luta há oito meses contra um tumor cerebral e atualmente recebe auxílios do IJOMA, os quais afirma que sem eles, estaria mais difícil o tratamento da doença. E ela destaca que a equipe de profissionais tem fundamental importância para os pacientes e também para as famílias. “É maravilhoso, porque além do tratamento com médicos, há outros profissionais, como psicólogos, psiquiatras, para as pessoas que precisam de apoio”. Porque no meu caso, receber esse diagnóstico depois de perder um filho foi muito complicado. Precisava ter uma pessoa ao menos para conversar. E tive todo o apoio da assis-

O CÂNCER de mama é a segunda doença do mundo que mais vem matando mulheres

tente social e de pessoas que trabalham aqui, demonstram carinho e apoio. O Ijoma providencia também auxílios com cesta básica, medicação, encaminhamento, acompanhamento e exames”, afirma. Ela complementa que atualmente faz serviços voluntários na instituição. No ano passado, o filho mais velho de Dauziza faleceu após sofrer um aci-

Elas são sinônimo de amor, carinho e dedicação

N

este domingo (11) é celebrado no Brasil o Dia das Mães, data comemorada anualmente no segundo domingo do mês de maio. É considerada a segunda data mais festejada comercialmente do ano, perdendo apenas para o Natal, representando o amor como o grande símbolo entre mães e filhos. É um dia especial, o qual mães recebem lembranças e carinho dos filhos, sendo tradicionalmente comemorado nas famílias brasileiras. Em 1932 a data foi oficializada, por meio de decreto do então presidente da República, Getúlio Vargas. Mas antes disso, em 12 de maio de 1918, em Porto Alegre (RS) ocorreu o primeiro dia das Mães, com evento promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, com uma solenidade em que a poetisa Julia Lopes de Almeida pronunciou a oração oficial. Um ano depois, por intermédio da ACM, a comemoração foi estendida ao Rio de Janeiro e, logo em seguida, a São Paulo. Dez anos mais tarde, atendendo ao pedido do II Congresso Feminino reunido no Rio, o governo federal oficializou o “Dia das Mães”. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica, o que

contribuiu muito para sua maior divulgação. Só em 1949 a data ficou mais comercial, quando rolaram propagandas para aumentar as vendas. No Brasil, existem diversas origens e datas distintas para o pioneiro Dia das Mães. Mas o evento atualmente ocorre em maio em homenagem a Maria, mãe de Cristo. É uma data com apelo religioso, econômico e social. Origem da data As mais antigas celebrações de Dia das Mães surgiram na Grécia antiga, com festas e homenagens a Rhea, mulher de Cronos e mãe dos Deuses. Neste dia, os gregos faziam celebrações com ofertas de presentes. Essa festa se estendeu até a época do Império Romano, quando estes, que eram politeístas, realizavam uma celebração parecida com a dos gregos, com homenagem a Cibele, mãe dos Deuses. Essas celebrações iniciaram por volta de 250 anos antes do nascimento de Cristo. Porém, a comemoração tomou um caráter cristão somente nos primórdios do cristianismo. Era uma celebração realizada em homenagem à Virgem Maria, a mãe de Jesus. Na Inglaterra, durante o século 17, celebrava no 4º Domingo de Quaresma (40 dias antes da Páscoa) um dia chamado “Domingo da

Mãe”, que pretendia homenagear todas as mães inglesas. Neste período, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões. No Domingo da Mãe, os servos tinham um dia de folga e eram encorajados a regressar a casa e passar esse dia com a sua mãe. À medida que o Cristianismo se espalhou pela Europa passou a homenagear-se a “Igreja Mãe” – a força espiritual que lhes dava vida e os protegia do mal. Ao longo dos tempos a festa da Igreja foi-se confundindo com a celebração do Domingo da Mãe. As pessoas começaram a homenagear tanto as suas mães como a Igreja. A ideia de Anna Jarvis Nos Estados Unidos, Anna Jarvis, que em 1904, quando a sua mãe morreu, chamou a atenção na igreja de Grafton para um dia especialmente dedicado a todas as mães. Três anos depois, a 10 de Maio de 1907, foi celebrado o primeiro Dia da Mãe, na igreja de Grafton, reunindo praticamente família e amigos. Nessa ocasião, a Sra. Jarvis enviou para a igreja 500 cravos brancos, que deviam ser usados por todos, e que simbolizavam as virtudes da maternidade e que são hoje considerados mundialmente com símbolos de pureza, força e resistência das mães. Anna Jarvis fundou o dia das mães em memória a sua

mãe, Ann Marie Reeves Jarvis. Desde então todo mundo começou a comemorar oficialmente essa data. Segundo Anna Jarvis seria objetivo deste dia tomarmos novas medidas para um pensamento mais ativo sobre as nossas mães. Através de palavras, presentes, atos e de todas as maneiras possíveis deveríamos proporcionar-lhe prazer e trazer felicidade ao seu coração todos os dias, mantendo sempre na lembrança o Dia da Mãe. A campanha foi de tal forma bem sucedida que em 1911 era celebrado em praticamente todos os estados. Em 1914, o Presidente Woodrow Wilson declarou oficialmente e a nível nacional o 2º Domingo de Maio como o Dia da Mãe. Hoje em dia, muitos celebram o Dia da Mãe com pouco conhecimento de como tudo começou. No entanto, podemos identificar-nos com o respeito, o amor e a honra demonstrados por Anna Jarvis. Apesar de ter passado quase um século, o amor que foi oficialmente reconhecido em 1907 é o mesmo amor que é celebrado hoje e, à nossa maneira, podemos fazer deste um dia muito especial. E é o que fazem praticamente todos os países, apesar de cada um escolher diferentes datas ao longo do ano para homenagear aquela que nos põe no mundo. (Jéssica Alves)

Resumo das Novelas Malhação Segunda-feira, 12 de maio – Sofia se emociona com as atitudes de Sidney. Abelardo pede Bernardete em casamento. O desenho de Antônio desaparece do papel, e Anita se preocupa. A banda de Giovana é classificada para a final do festival, mas Guilherme afirma que não desobedecerá a seu pai. Junior estranha a proximidade entre Sofia e Sidney. Anita desconfia quando Bruna pede para ir ao casarão pegar um pertence de Antônio como recordação. Kellen fica com o desenho do vestido de noiva que Sofia fez para Micaela. Norma comunica a Raíssa e João Luiz que eles foram selecionados para o processo de adoção. Pedro descobre o mistério do desenho de Antônio.

Geração Brasil Segunda-feira, 12 de maio – Danilo se apresenta para Megan. Murphy flagra Manuela mexendo no projetor. Jonas e Verônica trocam olhares. Pamela se surpreende com a apresentação de Luene no show de calouros. Davi instala um vírus no computador de Jonas. Jonas conquista a plateia, e Davi fica apreensivo. A imagem de Manuela surge no projetor em que Jonas faria sua palestra. Megan pede para conhecer o quarto que foi de seu pai. Jonas pede para falar com Manuela. Pamela vê Herval no estúdio e fica aflita. Megan afasta Danilo. Gláucia se surpreende ao encontrar a neta em seu apartamento. Verônica procura Jonas, e Sandra invade a sala do empresário.

DIVULGAÇÃO

Meu Pedacinho de Chão Segunda-feira, 12 de maio – Ferdinando confessa a Gina que sente vontade de beijá-la. Mãe Benta diz a Serelepe que sabe que foi ele quem esvaziou os pneus do carro do coronel Epaminondas. Mãe Benta esconde as balas do revólver de Zelão com medo do que o filho possa fazer. Epaminondas diz a Catarina que ela pode chamar Ferdinando para morar com eles. Serelepe confessa a Pituca que foi ele quem esvaziou os pneus do carro. Pituca diz a Tuim que quer se casar com Serelepe quando crescer. Catarina avisa a Ferdinando que Epaminondas permite que ele volte para casa sob a condição de não se envolver com a fazenda.

Em Família Segunda-feira, 12 de maio – Em uma conversa franca, Clara diz a Chica que ama Cadu e Marina igualmente. Laerte se chateia ao perceber que Luiza foi embora da casa de Cadu sem falar com ele. Chica admite para Clara que tem um pouco de preconceito ao ver duas mulheres juntas. Benjamim recebe na casa de repouso um rapaz mais jovem à procura de Miss Lauren. Durante a sessão de fisioterapia, Cadu reclama de dores com Gabriel. O rapaz se despede de Miss Lauren, deixando-a triste. Felipe chega totalmente embriagado a uma reunião dos Alcoolicos Anônimos. Juliana fica indignada por Jairo preferir sair com os amigos a ficar com ela em casa. Selma se confunde e chama Viriato de Itamar várias vezes.

dente de carro em Belém (PA). E ela afirma que apesar de estar sentindo a falta do filho, celebra com alegria o Dia das Mães. “Meus filhos são fundamentais para mim. Quando se tem amigos, é bom, mas eles estão fora, não estão o tempo todo com você. Os filhos possuem um relacionamento mais forte, sabe o que você passa. Mas a importância

dos filhos na vida de quem tem problemas é fundamental. Para mim esse Dia das Mães será triste e ao mesmo tempo feliz. Fico triste porque lembro o meu filho que perdi há um ano em um acidente em Belém. Mas ao mesmo tempo estou feliz por estar viva ao lado dos meus outros filhos. Sempre que podem estão ao meu lado”, confirma.

Promoção Minha Mãe Nossa Gente A caríssima leitora do Jornal do Dia foi a vencedora da Promoção Minha Mãe Nossa Gente, lançada na rede social Instagram, onde as pessoas publicavam fotos com suas mães para concorrer. Aguardem outras promoções pela frente...

Horóscopo Áries (21 mar. a 20 abr.) Bom papo e disposição para entrar em acordo com as pessoas! Você tem um belo domingo pela frente. Você está mais sensível aos desejos dos outros e disposto a ouvir e escutar. Uma pequena viagem pode ser ótima opção pra desanuviar a cabeça. Romance esquenta.

Libra (23 set. a 22 out.) Você não está mesmo nos seus melhores momentos. Irritado, impaciente, volúvel, reconheça estes estados alterados da mente. Assim pode ser dono da situação e moderar a tendência a brigas e cismas. Choramingas serão mal recebidas. Esportes e filme de humor ajudam.

Touro (21 abr. a 20 mai.) Você mesmo, sem querer, está criando armadilhas pra si mesmo! Os astros não estão protegendo atitudes rudes, egoístas ou caprichosas. Onde foi parar a sua paciência? Recobre a memória! Vênus, Marte e Urano desaprovam discussões familiares e amorosas...

Escorpião (23 out. a 21 nov.) Não é de hoje que o cenário astral está turbulento ? mas tem dias em que ele está mais difícil, como hoje e amanhã. Tudo meio difícil, meio explosivo, delicado demais pra você. Então, quanto menos falar e expuser sua intimidade, melhor. Queira menos da vida agora.

Gêmeos (21 mai. a 20 jun.) Que você é engenhoso ninguém dúvida! O que as vezes falta é a disposição de agir e realizar o que apregoa. Mas hoje é um dia diferente- porque você está recebendo toda a energia necessária pra passar da palavra ao ato. Astral dá um empurrão bom em você!

Sagitário (22 nov. a 21 dez.) Alerta vermelho no setor financeiro, cuidado pra não gastar além do razoável. Segure a onda consumista, evite respostas atravessadas, modere alimentação, fuja de esportes violentos e de pessoas manipuladoras. A noite promete turbulências amorosas.

Câncer (21 jun. a 21 jul.) Tantas dúvidas, tantas preocupações! Hoje você vai entender que a maioria delas eram cismas sem fundamento. Você pensa o que quiser, então controle a direção dos pensamentos neste domingo. Natureza, bichos e ar puro te farão super bem. Aposte nisso!

Capricórnio (22 dez. a 20 jan.) Está se criando um cenário astral mais tenso neste sábado, a partir da noite. Como você já passou por isto antes, prepare-se para duplicar os cuidados regulamentares. Por outro lado, Sol e Saturno avisam: acabou o prazo de um relacionamento. Não adianta teimar.

Leão (22 jul. a 22 ago.) Sol e Saturno completam neste fim de semana a oposição que encerra ciclos e finaliza pendências. Pra você, é assunto ligado ao passado, família e quetais. O tempo passou e você está pronto pra reconhecer essa verdade. Antigas reivindicações já não cabem.

Aquário (21 jan. a 19 fev.) Manhã e tarde boas pra se dedicar a esportes, caminhadas e invencionices nascidas de sua cabecinha. De noite, com um astral mais tenso, seja delicado com todos, e não ande por locais escuros e ermos. Brigas podem fugir do controle. No amor, esteja mais presente.

Virgem (23 ago. a 22 set.) A Lua permanece em seu signo até meados da tarde, favorecendo o autocuidado e a delicadeza consigo. Por isto, empenhe-se ainda nos assuntos pessoais. O resto pode e deve aguardar quando você estiver mais firme e bem disposto. Noite de amores.

Peixes (20 fev. a 20 mar.) Prepare-se para algumas surpresas na rotina que não estavam na sua programação. Durante o dia, tudo anda melhor, mas tenha planos alternativos para a noite. Entendimento maior de uma fase que está pra terminar. Tem de viver cada momento deste termino.


Sociedade

LÚCIA THEREZA @luciathereza lucia.ghammachi@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014

Diagramadora: Maraina Melo - maramiranda@jdia.com.br

Parabéns

Educação Deputado Manoel Brasil, nas redes sociais : “ Dia 07 de Maio de 2014, será uma data marcante para todos, pois foi quando o Governador do Estado do Amapá sancionou o Projeto de Lei que cria o Curso de Medicina na Universidade do Estado do Amapá - UEAP, uma cerimonia especial. Quero agradecer ao Governador Camilo Capiberibe pelo empenho e dedicação ao Projeto.”

Amanhã, dia 12 o TIM TIM é para o amigo Roberto Pacheco, onde desejo mil felicidades e votos de grandes realizações, que a música continue a embalar seus sonhos!

Homenagem

O Amor da mãe pode ser traduzido em uma palavra: doação. Falar desse sentimento é entender que ele é a mais completa forma de amor. Um amor que se doa, coloca em primeiro plano o bem-estar, a segurança de um outro ser. Impossível falar de mãe sem falar da pureza de um amor, que diante de todo o sofrimento disse Sim: Maria. Uma mãe que, como tantas mães em nosso país, olha com lágrimas nos olhos o presente e o futuro árduo do filho. Talvez seja por isso que a mãe Maria se expressa em cada olhar de mãe, em cada gesto de doação da mulher. No rosto de uma mulher que assume a maternidade inteiramente, mesmo diante de tudo o que há de vir, há a presença iluminada de um lado vivo, mas esquecido por todos, homens e mulheres: O AMOR!

Setor Elétrico

E

m audiência realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), para debater a situação do setor elétrico do país, Andrade levou cinco propostas da indústria para que, no futuro próximo, as empresas e os contribuintes brasileiros voltem a usufruir de energia a preços competitivos. São elas: expandir o mercado livre de energia, fortalecer e diversificar a geração de base, aperfeiçoar a gestão do setor elétrico, agilizar o licenciamento ambiental de novas usinas, e reavaliar o método de cálculo dos preços de energia no mercado à vista (veja os detalhes ao fim do texto). CONTA DE LUZ – Entre outros aspectos, o evento avaliou impactos da Medida Provisória 579/2012, conhecida como a MP do Setor Elétrico, que propiciou a redução nas tarifas de energia no país a partir do início do ano passado. Antes da MP, que contou com o apoio da CNI, o custo da eletricidade era um dos principais obstáculos ao dinamismo da produção brasileira, principalmente devido a ampla incidência de encargos setoriais. Andrade lembrou que o peso desses tributos do setor elétrico para o setor produtivo e ao consumidor subiu de R$ 5,5 bilhões para R$ 17,7 bilhões, entre 2001 e 2010. Com a redução dos encargos, chegou-se a promover uma redução de 20% no custo da energia. Mas a crise nos reservatórios, devido ao baixo volume de chuvas, causou desequilíbrios no sistema e atrasos em obras de geração e transmissão que ampliariam a oferta de energia, acabando por neutralizar os benefícios da MP 579. Além disso, o custo do acionamento das termelétricas, mais caras, terá de ser repassado às tarifas. “O almejado ganho de competitividade não virá na totalidade esperada, mas os custos serão minimizados”, disse Andrade.

Homenagem

Doutora Ana Paula Macedo ladeada pelos seus filhos e esposo em comemoração ao Dia das Mães!

O

PAC 2

deputado estadual Bruno Mineiro (PTdoB), que é engenheiro e presidente da Comissão de Obras Públicas da Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP), esteve) em evento do PAC 2, do Governo Federal, que resultou na entrega de 14 patrulhas mecanizadas para municípios do interior do Estado. A cerimônia ocorreu no Parque de Exposições da Fazendinha. Para o parlamentar, essa é uma ajuda importante para a melhoria dos acessos a inúmeras comunidades agrícolas, que terão condições mais favoráveis para o escoamento da sua produção. Bruno Mineiro destacou que é muito importante ter um bom trânsito junto as autoridades da República para que se possa acessar os inúmeros programas e projetos de apoio e financiamento do setor produtivo. “Devemos reconhecer a articulação da nossa Bancada Federal em Brasília, que vem conseguido carrear recursos da União para tocar obras de grande alcance e que estão mudando a face da infraestrutura do Amapá”, disse Mineiro.


MACAPÁ-AP, DOMINGO E SEGUNDA-FEIRA, 11 e 12 de maio de 2014

Carro&Moto

HALL DA FAMA Conheça os carros que foram ou ainda fazem sucesso D3

Ford Fusion Titanium Hybrid: Eficiência Seletiva D2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Fiat Linea 2015 fica bem mais elegante DIVULGAÇÃO

Sedã médio ganha retoques por fora e cabine mais moderna; Versão de entrada Essence custa R$ 55.850 Carros.ig

R

eparando os erros do passado, o Fiat Linea 2015 chega ao mercado brasileiro com suaves retoques no visual e, principalmente, novo posicionamento de preço - mais condizente com sua categoria. Uma boa notícia, pois na ocasião de seu lançamento, em 2008, a Fiat colocou o sedã médio para brigar com concorrentes de alto escalão, como os líderes Corolla e Civic e o resultado foi frustrante. Agora a história é outra. Com uma postura um tanto quanto honesta, a Fiat assumiu sem titubear: “Lançamos o carro no preço errado e pagamos por isso”, disse Lélio Ramos, Diretor Comercial e de Marketing da divisão brasileira da Fiat. O sedã reestilizado, agora custa R$ 55.850 na

versão de entrada Essence com câmbio manual de cinco marchas e R$ 66.450 na versão top de linha Absolute equipada com a transmissão automatizada Dualogic de cinco velocidades. Há também a possibilidade de equipar o modelo de entrada com a caixa automatizada, por R$ 3.390 a mais. Visual mais agradável À primeira vista os retoques feitos no sedã o deixaram mais elegante. Houve mudanças na grade frontal e nos dois para-choques, além das lanternas e faróis. Na traseira, chama atenção o novo posicionamento da placa, que saiu do para-choque e subiu para a tampa do porta-malas - que ainda ganhou uma régua cromada.

Na cabine, as mudanças foram mais significativas. Logo ao entrar no carro a impressão é estar em um Punto, isto porque o Linea ganhou o mesmo painel do hatch reestilizado. O visual interno recebeu atenção especial, com adoção de apliques em couro no painel e bons materiais (para a versão mais cara, claro). Quanto às dimensões, embora o Linea seja baseado no Punto, sedã é mais comprido e mais largo que o compacto. São 4,6 metros de comprimento, 1,7 m de largura, 1,5 m de altura e 2,6 m de entre-eixos. Falando em espaço, o porta-malas tem capacidade generosa e pode levar até 500 litros de bagagem. Optamos por dirigir a versão de entrada Essence,

que de série traz novidades como volante em couro com comandos do rádio, faróis com regulagem elétrica de altura, sinalização de frenagem de emergência e seta repetidora automática, que a marca chama de ‘Lane Change’. No mais, há ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos nas quatro portas, ajuste de altura para o banco do motorista, piloto automático, rádio com entrada USB, faróis de neblina e freios a disco nas quatro rodas. As rodas, todavia, são as mesmas de 15 polegadas do modelo antecessor, no entanto, podem ser substituídas por modelos de 16” ou 17” com novo desenho. Mais recheio Na versão Absolute, top de linha, além do câmbio automatizado há um pacote bem completo de itens. Quanto ao visual da cabine,

os bancos são revestidos parcialmente em couro enquanto o painel frontal e as portas recebem apliques em couro na cor bege e cobre. Há ainda frescurinhas como o Night Design, uma luz guia em LED presente no painel frontal e nas portas, que deixa o habitáculo mais bonito. Entre os itens da versão Absolute há conectividade via Bluetooth, ar-condicionado digital automático, rodas de 17 polegadas com novos desenhos, saída de ventilação para o banco traseiro e cortina para-sol para as janelas traseiras. Outro item interessante é o sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, que segundo a marca “até as mulheres conse-

guem estacionar”.

Vai vender mais? Em suma, o Linea 2015, embora não tenha recebido nenhuma modificação drástica, ficou mais interessante, especialmente pelo novo posicionamento de preços. Para quem não quer gastar os tubos e procura um sedã confortável e com bom espaço para bagagem, o Linea Essence com câmbio manual é uma opção honesta no mercado. Segundo a Fiat, a estimativa é que as vendas cresçam em torno de 30% sobre a média de 7.000 a 8.000 unidades comercializadas anualmente. Com melhorias e preço condizente, pode ser que mais clientes do segmento de carros médios voltem suas atenções para ele. Por que não?

LAGOA


D2

Carro&Moto

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014

Ford Fusion Titanium Hybrid: sinônimo de eficiência seletiva

DIVULGAÇÃO

Visualmente, não fossem as plaquetas alusivas à versão na lateral e na traseira do sedã, seria impossível dizer que se trata de um Fusion “verde”

M

Pista livre JOSÉ ARCANGELO

Colunista

Show

A gerente da Safira Automóveis, Loise Wilma e sua equipe preparam com muito esmero o lançamento do Novo Honda Fit no mercado amapaense. “O veículo é um verdadeiro show”, comenta a executiva, que programa para a próxima quinta-feira (15), à noite, no amplo e confortável show room da concessionária a apresentação do veículo que já se encontra no Meio do Mundo.

Revista auto esporte ais que um passo em direção a um mundo sustentável, carros “ecologicamente corretos” são produtos de imagem. Em alguns países, eles são tratados de forma “nobre” e até recebem incentivos dos governos. Em outros, como no Brasil, não são encarados como alternativa economicamente viável ao \uso de combustíveis fósseis, mas ainda assim agregam valor às marcas. Caso da Ford com o Fusion Hybrid, que retornou ao país em agosto do ano passado na segunda geração do sedã. Por aqui, a versão híbrida vai no embalo das outras duas configurações do carro. Ela corresponde a 6% do share do Fusion, líder absoluto no segmento de sedãs-grandes. São apenas 65 unidades dentre as mil que o modelo emplaca de média mensalmente. Mas é um número bem expressivo para um carro que custa R$ 127.990 – R$ 30 mil a mais que o Fusion de entrada. Visualmente, não fossem as plaquetas alusivas à versão na lateral e na traseira do sedã, seria impossível dizer que se trata de um Fusion “verde”. Isso porque a principal diferença do Fusion Hybrid em relação ao “convencional” está escondida sob o capô – e também no porta-malas. Na parte a combustão, o motor é um 2.0 litros a gasolina capaz de gerar 145 cv de potência e 18,05 kgfm de torque. A Ford continua a usar em seu híbrido o ciclo Atkinson. Neste ciclo, um pequeno retardo no fechamento das válvulas de admissão gera uma potência um pouco menor que no tradicional ciclo Otto, mas proporciona um melhor aproveitamento da força da explosão. Completa o sistema de propulsão híbrida um motor motor elétrico de 88 kW – 120 cv –, alimentado por uma bateria de íons de lítio. O conjunto produz uma potência máxima combinada de 190 cv e usa uma transmissão continuamente variável – CVT. Para maior eficiência e “aliviar” o motor a combustão, o sistema de ar-condiciona-

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

FORD FUSION Hybrid tem charme “ecológico” e enorme arsenal tecnológico, mas cobra caro por isso

do, por exemplo, é totalmente suprido pelo propulsor elétrico. O 2.0 litros a gasolina ajuda a recarregar as baterias localizadas no porta-malas. Mas grande parte da força regenerativa vem dos freios. O Fusion Hybrid usa o chamado KERS – igual ao da Fórmula 1 –, que consegue recuperar até 95% da energia cinética gerada na frenagem do veículo e transformar em carga para as células. Atualmente, o sedã híbrido consegue chegar aos 100 km/h usando somente o motor elétrico – na geração anterior, a partir dos 75 km/h o propulsor a combustão já entrava em ação. Como é um modelo altamente tecnológico, o Ford Fusion Hybrid traz todo arsenal eletrônico que a Ford tem a oferecer. Baseado na versão topo de linha Titanium, o sedã verde tem ar-condicionado duas zonas, teto solar, bancos com regulagem elétrica em 10 posições e memória, park assist, piloto automático adaptativo, volante multifuncional e o completo sistema My Ford Touch, que traz uma tela sensível ao toque de oito polegadas com GPS integrado, Bluetooth e entrada USB. Porém, os equipamentos de destaque são relacionados à segurança. O híbrido traz oito airbags – dois frontais, laterais, de cortina e para o joelho – tanto do motorista quanto do passageiro, controles de estabilidade e de tração, monitor de ponto cego, alerta de colisão e sistema que ajuda a manter o carro na faixa de rolamento. Ponto a ponto Desempenho – O Fusion Hybrid valoriza a racionalidade, inclusive na performance. Tudo acontece de forma muito calma. O propulsor elétrico é responsável por começar os “trabalhos” e quebrar a inércia. Se o motorista tiver o pé direito “pesado”, o motor a combustão aparece. Essa transição é sutil, quase imperceptível. Nesta lógica, os 190 cv do conjunto dão ao

sedã médio-grande um desempenho apenas satisfatório. A transmissão eCVT também contribui para toda a suavidade de comportamento, com ganho de velocidade contínuo e gradativo. Nota 7. Estabilidade – Apesar de graúdo, o Fusion Hybrid não é nada desajeitado. Gruda bem no chão e não entrega os limites facilmente. A calibração da suspensão privilegia o conforto. A tração da versão híbrida é dianteira, mas qualquer exagero é consertado pelos controles de estabilidade e tração. Nota 8. Interatividade – Os vários sistemas e funções do Fusion ficam ainda mais numerosos no Hybrid. O painel de instrumentos é personalizável e pode-se priorizar informações do computador de bordo, do sistema de som, do GPS ou do próprio sistema propulsor, que mostra o uso do motor elétrico e a energia recuperada nas frenagens. Há também um “jogo” que o carro propõe, que premia o condutor que dirige economicamente com folhas verdes que “brotam” no painel. Já o completo sistema de informação e entretenimento My Ford Touch tem uso intuitivo e por ser através de toque na tela. E o volante multifuncional tem nada menos que 16 botões. Nota 9. Consumo – No Programa Brasileiro de Etiquetagem do InMetro consta um teste do Ford Fusion Hybrid. O sedã “ecológico” norte-americano registrou médias de 16,8 km/l na cidade e 14,7 km/l na estrada. Esses números comprovam a eficiência do modelo em trajetos urbanos, onde o motor elétrico atua mais intensamente. Em relação às notas, o híbrido obteve “A” tanto em seu segmento quanto na classficação geral. Nota 10. Conforto – Além de oferecer um ótimo comporta-

mento dinâmico, a suspensão entrega uma boa dose de comodidade aos ocupantes. Os bancos têm boa densidade e seguram eficientemente o corpo nas curvas. O espaço interno é bem generoso para cinco passageiros, graças ao bom aproveitamento dos 2,85 metros de entre-eixos. Com o motor a gasolina em funcionamento, o ruído é repassado a cabine sem muita cerimônia - principalmen te em médias e altas rotações. Nota 9. Tecnologia – O Fusion Hybrid é uma “vitrine” para a Ford. O motor 2.0 litros a gasolina é mais potente e eficiente que o 2.5 litros da geração anterior. O sedã ainda conta com um Kers, que recupera energia nas frenagens. Como é baseado na versão topo Titanium, traz tudo que o modelo oferece, como a versão mais recente do MyFord Touch e “gadgets” como GPS integrado. Destaque também para os modernos recursos eletrônicos de segurança Nota 10. Habitabilidade – As portas têm um bom ângulo de abertura e, quando o carro é desligado, o banco elétrico do motorista recua para facilitar a saída e a entrada. Como é projetado para o mercado norte-americano, há bons e generosos porta-objetos no interior. Já o porta-malas é menor que outras configurações – 392 litros contra 453 litros – por causa das baterias de íons de lítio armazenadas ali. Nota 8. Acabamento – O habitáculo do Fusion Hybrid mostra uma certa sobriedade. Os materiais em tons escuros transmitem qualidade. Volante, painéis, entorno das saídas de ar e dos porta-copos têm um detalhe metálico, delicado e de bom gosto. O revestimento em couro com pespontos dá um toque de requinte. Nota 8. Design – Esta versão do Fusion só se diferencia visualmente pelas “badges” na lateral e na traseira com a inscrição “Hybrid”. O sedã mantém, portanto, as linhas robustas e elegantes. Na frente, a imponente grade hexagonal se compõe com os faróis alongados. O perfil tem desenho suave e aerodinâmico. Atrás, as elegantes lanternas de led se destacam. Nota 9. Custo/benefício – O Fusion é um carro de imagem: oferece status mas não tem uma grande preocupação com a relação custo/benefício. Tanto que ele tem preço de R$ 127.990, ou R$ 30 mil acima do Fusion de entrada, e oferece pouco a mais em termos de equipamentos. Outros híbridos do mercado seguem a mesma lógica. O médio Toyota Prius sai por R$ 120.830 e o Lexus CT200h custa entre R$ 150 mil e R$ 165 mil, dependendo da versão. Nota 5. Total – O Ford Fusion Titanium Hybrid somou 82 pontos em 100 possíveis.

Antes/Agora

Diz Loise, à executiva da Safira Automóveis, em Macapá: “Antes de comprar um Honda Fit, o cliente pensava em todo o conforto, tecnologia, versatilidade, segurança inigualável, inovação tecnológica e em todos os benefícios que só um Honda Fit tem. Depois, de conhecer o novo design, o cliente vai querer um na sua garagem, sem pensar”. Tem toda e completa razão. Literalmente é um carrão!

Inaugurações

Em menos de um mês a Nissan inaugura a sua segunda fábrica. A primeira está em atividade desde o último dia 15 de abril no Brasil, em Resende (RJ), onde estão sendo montado o Novo March e o Versa. A nova unidade fica na Ásia, na Indonésia, numa cidade chamada Purwakarta. Esta recebeu investimento de 33 bilhões de yenes (moeda japonesa) equivalente a R$ 720 milhões, visando tornar a montadora nipônica a maior marca no local.

Amanhã

Na fábrica da Indonésia, a Nissan já tem licença aprovada para a montagem do Programa Low Coast Green Car (Carro Verde de Baixo Custo), que poderá em breve se transformar na principal motorização dos veículos da marca,

que isenta de impostos carros com até 1,2 litros e consumo mínimo de 20 km/litro, a semelhança do que ocorreu no Brasil. Por lá o imposto varia entre 10 a 75%, dependendo do tamanho. Será que a Nissan pensa em veículo semelhante para o Brasil?

Way

As nossas estradas e ruas em diversas regiões do País estão cada vez mais esburacadas e com grandes valas e poças de lama. E no Amapá não poderia ser diferente. Pensando nessas condições, a Fiat acaba de lançar o Fiat Palio Fire versão Way, com suspensão alta. Basta lembrar que o Palio herdou do seu “finado” irmão Mille o título de o carro mais barato do País.

Versão

A nova versão “aventureira” do Palio tem suspensão elevada com pneus maiores em medida (165/75 R 14), que o eleva 15 mm mais alto que em relação à versão básica. Vem com modernas molduras nas caixas de rodas, saias laterais, faróis com máscara negra, protetores na parte inferior dos para-choques, retrovisores e colotas em tons cinza e faixa Way nas portas.

Interno

Por dentro, o Palio Way vem com novo revestimento dos bancos e um importante conta giros no painel para observação da rotação o motor. Tem bolsas infláveis frontais (air bags), freios antitravamento (ABS), retrovisores externos com comando interno e relógio. Uma grande lista de opcionais, os principais são: travas e vidros com controle elétrico, ar condicionado, direção assistida de excelente qualidade, rodas de alumínio, faróis de neblina e rádio.

Auto Pista

Situação das nossas estradas nesse inverno, que parece não ter fim é a pior de todos os tempos. De Oiapoque a Laranjal do Jarí e de Cutias ao término da Perimetral Norte as vias só contentam aos jipeiros. –x-x-x-x- Em contrapartida, as ruas de Macapá, com os milhares de crateras a quebrar as suspensões dos veículos, bem que a PMM poderia fazer um “convênio” com as fornecedoras de tanques de guerra para teste de suspensão. –x-x-x-x- Bacaba (Toyota) e Miso (Hyundai HBV) realizaram feirão conjunto na Praça Barão do Rio Branco na semana que passou. –x-x-x-x- Enquanto isso, a Zucar (Chery) anuncia preços de carros com aquela tradicional tinta branca para sapatos nos para brisas semelhantes as “bocas”. –x-x-x-xSeminovos da Eldorado (Chevrolet) em Macapá realizando bons negócios. Tem preços bastante competitivos. –x-x-x-x- E mais uma pequena revenda de carros na Grane Macapá deve encerrar suas atividades. Recentemente outra pequena foi reduzida a “micro”. É o aperto do mercado. –x-x-x-x- “’Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”! Essa é antiga. Um de seus primeiros registros literários foi feito pelo escritor latino Ovídio (43 a.C – 18 d.C), autor de célebres livros como “A arte de amar” e “Metamorfose”, que foi exilado sem que lhe informassem o motivo. Escreveu o poeta: “Água mole cava a pedra dura”. E a tradição das culturas dos países em que a escrita não é muito difundida, formar rimas nesse tipo de frase era comum para facilitar a memorização. Foi que fizeram com os provérbios portugueses e brasileiros. –x-x-x-x- Na próxima edição voltaremos com as frases-pensamentos. –x-x-x-x- Freando...e desejando um Feliz Dia das Mães a todas. E a minha, com saudades, pois, que está em outro plano. Bom Domingo!


Carro&Moto

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014

D3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Tempo de fama: conheça os carros que foram ou que deixaram lembranças Hyundai Veloster, Kia Soul, entre outros; saiba de alguns carros tiveram fama ou deixaram lembranças Motor dream

N

ão são apenas os participantes de reality shows que vão da fama ao esquecimento em poucos meses. Alguns carros também já experimentaram o sucesso instantâneo para depois voltar à realidade. Relembre algumas das antigas celebridades do mercado automotivo.

HYUNDAI Veloster 2010

Auge da fama - Novembro de 2002

O Fiat Stilo tinha sido o principal lançamento Fiat em 2002. Feito para bater o Volkswagen Golf, o hatchback trazia uma lista de opcionais extensa, com itens nunca vistos em um nacional na época, como oito airbags. E depois? O carro chegou cheio de marra e status, mas era caro, principalmente quando comparado aos concorrentes. Perdeu fôlego e o design ficou ultrapassado. Saiu de linha em 2010 para a chegada do Bravo, que ainda não se saiu muito melhor.

Auge da fama: Janeiro de 2010

FIAT Stilo 2002

Quando AE perguntou aos automaníacos, em 2011, qual havia sido o lançamento do ano, a resposta foi quase em coro: Hyundai Veloster. Nos primeiros meses, mais de 3 mil unidades do três portas já haviam sido vendidas. E a fila de espera era de 60 dias, com reserva feita mediante ao sinal de 10% do cupê compacto E depois? Passada a euforia do lançamento, os clientes começaram a notar que faltava força para o motor 1.6 de 128 cv, e o ânimo do público caiu. A importação do cupê coreano está interrompida.

HYUNDAI Veloster 2010

Auge da fama - Outubro de 1997

O Vectra chegou com estilo elegante e muitos itens de série, como computador de bordo, rádio e toca fitas com antena elétrica. O sedã liquidou com a concorrência e dificilmente era encontrado a pronta entrega. E depois? A evolução de estilo dos rivais Toyota Corolla e Honda Civic empurraram o modelo da General Motors para baixo na lista de vendas. Restou ao norte-americano trabalhar a vantagem no preço, já que o status deixou de ser seu maior atrativo.

Brasil se mantém como quarto maior mercado automotivo do mundo este ano

DIVULGAÇÃO

Automotive business

E

mbora as montadoras estejam anunciando um início de ano pouco promissor para a indústria automobilística no país, o Brasil continua ocupando o posto de quarto maior mercado automotivo do mundo. A informação é do relatório divulgado na última quarta-feira (7) pela JATO Dynamics do Brasil, consultoria especializada no setor que analisou as vendas mundiais de automóveis no primeiro trimestre deste ano. De acordo com a instituição, o Brasil registrou, de janeiro a março, queda de 1,3% nas vendas em relação ao mesmo período de 2013. Foram 774.380 veículos emplacados no trimestre contra 787.652 unidades vendidas nos três primeiros meses de 2013. A liderança continua nas mãos da China. O país asiático emplacou pouco mais de 5,1 milhões de veículos no período e registrou alta de 7,8% frente o ano anterior. Estados Unidos e Japão aparecem no segundo e terceiro lugar, respectiva-

RELATÓRIO divulgado por consultoria aponta Toyota e Volkswagen como as montadoras que mais venderam nos três primeiros meses do ano

mente, com alta de 1,3% e 20,5% nas vendas, na sequencia. O Reino Unido fecha o top 5, com crescimento expressivo de 13,9%. O país deixou a Alemanha para trás, que agora ocupa a sexta posição. Montadoras A Toyota encabeça as vendas entre as montadoras. A marca japonesa emplacou 1.477.977 veículos ao redor do planeta. O número representa alta de 1,73% em relação aos três primeiros meses de 2013. A Volkswagen é a segunda maior montadora, com crescimento de 3,43%. A Ford teve uma elevação expressi-

va de 6,2% e garantiu a terceira posição. A Chevrolet teve queda de 5,9%, mas se firmou na quarta colocação. A Nissan registrou crescimento de 8,6%.

Auge da fama - Maio de 2011

Com design diferente e quadradão, o Soul lançou o segmento “carro design” (inventado pela Kia). Duas semanas depois de chegar às lojas brasileiras, o modelo coreano já estava em falta quem quis um teve que entrar na fila de espera pelo segundo lote. E depois? O Soul vendeu muito bem até o fim de 2011, mas o aumento de IPI para importados reverteu o cenário. O aumento de quase R$ 10 mil em seu preço reduziu as vendas pela metade. A nova geração chega este KIA Soul 2011 ano.


D4

Carro&Moto

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 11 e 12 de maio de 2014

Chevrolet apresenta Celta 2015 Montadora divulga itens de série e nova cor de seu hatch de entrada, mas não confirma preços oficiais para a linha 2015 Revista auto esporte

N

a última quinta-feira (8), a Chevrolet revelou oficialmente a linha 2015 do Celta. Conforme publicado, o modelo não sofreu grandes alterações. Entre as mudanças, está uma nova cor para o portfólio do hatch, chamada “Cinza Mond”. Segundo a marca, agora o veículo será oferecido apenas na versão LT, equipada de fábrica com freios ABS, airbag duplo, cintos de segurança dianteiros com ajuste de altura, brake light, travamento automático das portas a 15 km/h, alarme, sistema de imobilização do motor,ar-condicionado, di-

DIVULGAÇÃO

APESAR DE O modelo já parecer no site oficial da Chevrolet a partir de R$ 32.490, a montadora ainda não divulgou preços oficiais

reção hidráulica, vidros e travas elétricos, desembaçador, limpador e lavador elétrico do vidro traseiro, alerta

sonoro de faróis ligados, tomada12 volts, preparação para som, entre outros. Apesar de o modelo já pa-

recer no site oficial da Chevrolet a partir de R$ 32.490, a montadora ainda não divulgou preços oficiais. O va-

lor é R$ 500 superior ao preço sugerido para a linha 2014. O Celta 5 é equipado com motor 1.0 de quatro ci-

lindros com 78 cv potência e 9,6 kgfm de torque. A transmissão é manual de cinco velocidades.

Frotas respondem por 23% das vendas de carros Fenabrave

C

om o consumo no varejo em queda e afetado por restrições de crédito, o mercado corporativo volta a ser a válvula de escape das montadoras para suavizar o impacto da crise no setor. Neste ano, as chamadas vendas diretas - direcionadas a frotas de empresas e governo, incluindo também taxistas, produtores rurais e profissionais autônomos - ainda

conseguem mostrar algum crescimento, a despeito da queda de 4,5% do mercado de veículos leves. Só nos quatro primeiros meses, houve avanço de 0,7% das vendas por esse canal. Parece pouco, mas nada desprezível quando se olha para a queda de 6% dos volumes no varejo. De uma participação que há um ano estava em 22%, as vendas a frotistas passaram a responder por 23,2% dos emplacamentos da indús-

tria entre janeiro e abril. Somente no mês passado, elas chegaram a 30% do total vendido. Mas há montadoras que operam bem acima desse índice, como a Fiat e a Volkswagen, que têm nas frotas mais de 37% e 34%, respectivamente, de suas vendas. General Motors (GM) e Ford trabalham com percentuais inferiores, mas ambas vêm ampliando significativamente os números nessa modalidade (veja

gráfico). Como a retirada dos descontos no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e a seletividade dos bancos na liberação de crédito atingem em cheio o varejo, sobretudo os segmentos mais populares, as montadoras se lançam com maior agressividade a filões do mercado menos expostos a esse cenário. Esse é o caso dos clientes corporativos. Em geral, empresas trabalham com

orçamentos pré-definidos, trocam de carros em prazos mais curtos do que um consumidor comum e sentem menos as restrições bancárias. Por isso, são menos suscetíveis a impactos imediatos de mudanças no ambiente econômico. “Diferente do que acontece no varejo, eu não tenho problemas com reprovação de crédito”, afirma Marilane Avelar, gerente de vendas especiais da Caraigá, concessionária da

Volkswagen. Por outro lado, esse é um tipo de negócio que exige altos descontos das marcas, o que aperta as margens de rentabilidade, ao mesmo tempo em que cria uma concorrência de peso para as próprias concessionárias no mercado de “seminovos”. Isso porque as locadoras, principal cliente frotista, investiram em redes de lojas próprias para desovar seus veículos diretamente ao consumidor final.

Jornaldodia1112052014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you