Page 1

veloster

valorização

Ele atrai olhares por onde passa

Profissional é fundamental

O cupê esportivo tem um visual sedutor e atrai olhares por onde quer que passe. nD3

Investimento em formação de pessoal é um caminho que traz resultados . nE1

nossa gente

O que há de melhor para você Revista encartada nesta edição de forma gratuita.

Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

Domingo e Segunda R$ 3,50 - Terça a Sábado R$ 1,50

Macapá-AP, Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2012 - Ano XXV

crimes de responsabilidade

Deputados anunciam CPI da Saúde A Promotoria da Cidadania encaminhou à Assembleia Legislativa cópias de inquéritos que apuram suspeitas de ilegalidades e crimes de responsabilidade na saúde pública estadual. Na próxima

segunda-feira, o Legislativo promete ler o pedido de instalação de uma CPI para apurar os casos. Dos 24 deputados, 22 já assinaram o documento. nA6 heverton mendes

INCLUSÃO

Ação social atende moradores do Mucajá Serviços como corte de cabelo, orientação sobre DST’s, além da presença da Biblioteca móvel prestaram atendimento para cerca de 3 mil moradores. nB1 Heverton mendes

Crianças do Conjunto do Mucajá na Biblioteca do Sesc: inclusão social através da leitura

Otacílio Barbosa, da Saúde

violência

psf

Na última quinta-feira os bandidos renderam passageiros de um outro ônibus e fizeram a festa. As linhas mais atacadas são da zona norte. nB2

portas fechadas

heverton mendes

Assaltos a ônibus viram moda em Macapá

Biblioteca pública estadual sem previsão de funcionamento

Mesmo com as obras na sua etapa final, gerência adiantou que não há uma data precisa para o retorno das atividades. nB1 Lulih Rojaski, gerente da biblioteca

Secretário de Saúde nega demissões em massa

Segundo Otacílio, não existem demissões sem explicação, o desligamento dos servidores municipais é de cunho orçamentário. nB3 heverton mendes

TURISMO

Empresário rebate denúncia e diz que agência cumpre CDC Proprietário do Clube Turismo, agência de viagens acusada por consumidora de estar cobrando irregularmente uma taxa à vista

nas compras feitas no cartão de crédito, disse que a modalidade de venda não infringe o Código do Consumidor. nB3 divulgação

Carcaças velhas amontoadas no pátio da Funai, no centro da capital: desleixo com a sociedade

irresponsabilidade

Carros velhos na Funai servem de criadouros para mosquito da dengue

Procon alerta que cobrança de taxa em vendas no cartão não pode

Pátio está tomado por carros velhos, que com o passar do tempo e a chegada das chuvas se torna um local propício para a

proliferação da larva da dengue. O responsável pelo órgão disse que os veículos serão leiloados. nB3

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


JD

Opinião

Entre Aspas

JANDERSON CANTANHEDE Jornalista Sucursal – Diante dos indícios de irregularidades encontradas nos convênios do BNDES, a instituição financeira já pensa seriamente em montar uma sucursal aqui no Amapá, só para acompanhar a aplicação dos recursos conveniados. Pelo jeito, a turma da transparência ganhou novos aliados. Licitações – Todo o problema das licitações feitas pelo governo se resume à falta de concorrência para as obras. Apenas uma única empresa participa do certame, ganhando o direito de executar o serviço.

uma logística sem igual. Muitas vezes até prego é preciso comprar fora. Com isso, as importações encarecem os custos das obras públicas, que no caso precisariam de uma tabela diferenciada. Escolhas – Na verdade, toda licitação no Amapá deveria vir com duas opções e o empresário escolheria se quer trabalhar para o governo ou se quer ganhar dinheiro no governo. De acordo com a resposta, o chefe do Executivo já saberia mais ou menos se o serviço iria ou não para frente.

Problema antigo – A falta de concorrência nas licitações é um problema antigo no Amapá. O governo estadual é quem assina o convênio, mas quem libera os recursos é a Caixa Econômica que tem uma tabela nacional para preços dos serviços. E para as empresas, é injusto cobrar no Amapá os mesmos valores que se cobram em uma obra em qualquer outro Estado.

Bombas – Enganou-se quem pensou que o presidente da Assembleia, Moisés Souza (PSC), estava blefando quando falava que dez CPI’s estavam engatilhadas para explodir nas mãos do governo.

Justificativas – Os empreiteiros explicam que para uma obra ser executada no Amapá é necessário toda

Assinaturas – Dos 24 deputados, 22 já subscreveram o pedido de abertura das investigações. Suspei-

Mais uma – Nesta segunda-feira (6) deverá ser lido mais um pedido de instalação de CPI. Agora o alvo é a Secretaria Estadual de Saúde.

ta-se que o montante de recursos desviados seja R$ 500 milhões. Coincidência ou não, o ex-secretário de Saúde, Edilson Pereira, foi exonerado três dias antes do pavio da bomba ser acesso. O sinal - No ano em que a Lei da Ficha Limpa será aplicada de fato nas eleições, a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de também vetar quem teve contas de campanha rejeitadas na disputa anterior foi vista como mais um sinal de moralização por especialistas. Brecha – Mesmo com a decisão, o TSE deixou brechas que podem levar a uma enxurrada de contestações e pedidos de liminares na Justiça. Caso a caso - Ficou claro que, este ano, quem teve contas rejeitadas em 2010 não poderá obter registro de candidato. Mas os problemas referentes a campanhas anteriores – como contas rejeitadas em 2008, por exemplo, serão decididos caso a caso.

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

Novidade - A presidente Dilma Rousseff deve assinar nesta semana um decreto com o novo regime tributário do setor automotivo. Sem impostos - Entre 2013 e 2016, as montadoras que instalarem fábricas no País ou prometerem investimentos vão se livrar do aumento de 30 pontos porcentuais no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos automóveis importados. Qualidade - Com a medida, o governo espera melhorar a qualidade dos veículos produzidos no Brasil. Exemplo para RG – Está aqui um exemplo para o prefeito Roberto Góes (PDT). Em Brasília, uma licitação deverá tirar de cena empresas que hoje dominam o transporte público na capital. A capital federal terá três mil novos coletivos, com ar-condicionado, e será dividido em cinco grandes áreas. Nenhum grupo poderá deter mais de 20% dos veículos. Bom domingo a todos...

“O jornalismo é, antes de tudo e sobretudo, a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter” (Claudio Abramo) Siga: @cantanhede_AP Acesse: jandersoncantanhede.wordpress.com Email: cantanhede@jdia.com.br

O truque que nos engana diariamente... VANESSA FREITAS

Palestrante, consultora de empresas, escritora, professora universitária, executive coach, apresentadora do programa “Espaço da Mulher” e diretora da melhoRH consultoria. Escreve aos domingos no JD.

D

iariamente seguimos a nossa experiência de vir a este mundo tentando compreender tudo e a todos. Mas a verdade é que diversas situações nos mostram que sabemos bem menos do que “acreditamos” saber... O nosso “senso comum” nos guia diariamente e cuidado: engana-nos! Como uma artimanha contínua, o senso comum faz leituras ultrapassadas e gera conceitos desconexos com a realidade. Senso comum é uma espécie de “inteligência social”, arraigada aos nossos costumes, cultura e bom senso social. Digamos que você sabe o que fazer e o que não fazer na presença do seu chefe, claro! O seu “senso comum” te alerta para isso. O problema é que acreditamos em muitas coi-

sas repassadas culturalmente desde que nascemos, quer ver? Acreditamos em ditados populares como: “O que está longe dos olhos, está perto do coração”e ainda; “O que os olhos não veem o coração não sente”. Como assim? No que de fato você acredita? No primeiro ou no segundo ditado popular? Este é certamente um truque que nos engana diariamente, utilizamos tudo a nossa volta ao nosso favor, simplesmente para acreditar naquilo que é conveniente para NÓS! Vivemos repletos de crenças contraditórias que estão à disposição em qualquer tempo e hora para aquilo que VOCÊ quer acreditar... Existe ditados para tudo na vida! Quer gastar mais do que ganha? - “Nós temos que viver

bem é hoje, pois não sabemos o dia de amanhã – Carpe diem”! Quer economizar? - “Quem poupa sempre tem nas horas difíceis”! O papel do nosso cérebro é justificar tudo o que fazemos, pois ele armazena um conjunto de diversas informações que são utilizadas na hora cabível e quem é que acessa estas informações? - Você! Podemos acreditar que amamos quem não amamos se formos pessoas solitárias e carentes. Podemos acumular uma mágoa sem fim, se eu tiver alguém no passado em que não pude canalizar esta mágoa, levarei a pessoa ou situação que eu escolher para qualquer outra história da minha vida... Podemos acreditar que somos felizes, fazendo o jogo do contente e se entupindo de comida, sexo e rock and roll... Podemos acreditar em qualquer coisa, basta querer! Nossas vidas são movidas pelas crenças que

possuímos, cuidado para que a sua fantasia não se torne maior que o personagem, por que ao longo dos anos isso dói! Ao nos oferecer explicações sobre tudo ou quase tudo (para nos enganar), vamos ganhando confiança, motivação para viver e assim nos livramos da obrigação de investigarmos realmente como nos sentimos na empresa em que trabalhamos ou na relação afetiva em que vivemos. O mais danoso nesta história é que pensamos ter compreendido coisas, que na verdade só se esconderam de nóscom respostas plausíveis. Pois na vida real temos uma vida tão surpreendente e sem respostas para a maioria dos fatos e sentimentos que nem podemos relatar... Eu continuo escrevendo para tentar entender... E você o que faz? Cuidado com o nosso senso comum, em alguns momentos ele pode ser um truque que nos engana diariamente. Excelente reflexão!

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994) Diretor Editorial: José Arcângelo Pinto Pereira Diret. Adm. Financeira e Contábil: Maria Inerine Pinto Pereira Diretor de Assuntos Corporativos: Luiz Alberto Pinto Pereira Diretor Executivo: Marcelo Roza Assessoria Jurídica e Tributária: Dr. Américo Diniz — OAB/AP 194 Dr. Eduardo Tavares — OAB/DF - 27421 Editor-Chefe: Janderson Cantanhede Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br josemaria@jdia.com.br mariaruth@jdia.com.br

JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representantes comerciais JC Repres. Com. Ltda. - Brasília, DF n Tel. (61) 2262-7469 - Rio de Janeiro, RJ nº Tel. (21) 2223-7551, São Paulo Visão Global Comunicação S/C Ltda. n Rua Alvarenga, 573- Butantã - CEP - 05509-000 - São Paulo, SP Tel. (11) 3032-3595, Fax (11) 3032-4102. New Mídia - Belém-PA (Gil Montalverne) Tel.: (91) 3279-3911 / 8191-2217 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

A2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Editorial

Ranking da saúde

O

Ministério da Saúde divulgou durante a semana, o Índice de Desempenho do SUS (IDSUS 2012),que avalia 24 indicadores e ajuda o governo federal, estados e municípios a qualificarem atendimento oferecido pelo Sistema Único de Saúde. Numa escala de 0 a 10, a média brasileira reflete bem a realidade do setor: 5,47. Ou seja, um desempenho medíocre, que em muitos casos chega ao sofrível. Para desalento do povo brasileiro, subjugado a uma carga tributária pesadíssima, que não lhe é devolvida na forma de bons serviços prestados pelo poder público. A situação da saúde é um exemplo disso. O ranking do SUS permite diversas análises interessantes. Uma delas, a relação muito próxima entre o desempenho global dos estados brasileiros na área de saúde e o de suas capitais. Dos dez estados que ocupam os primeiros lugares nos ranking do SUS (veja reportagem nas páginas 4 e 5 desta edição), apenas dois não têm também as suas respectivas capitais no ranking dos dez primeiros lugares. As exceções são da Região Norte: Acre, em décimo lugar no ranking, cuja capital, Rio Branco, está na 17ª colocação no ranking geral, e Roraima, em 9º no ranking, e com sua ca-

pital, Boa Vista, na 14ª posição. Por outro lado, dois estados fora do ranking dos dez melhores (Goiás, em 17º, e Maranhão, em 18º), têm suas capitais no topo do ranking (Goiânia, 5º lugar, e São Luís, em 10º). Essa relação mostra que as capitais, que são as maiores zonas urbanas, e onde normalmente estão concentrados os maiores contingentes populacionais dos estados, influenciam decisivamente os desempenhos no setor de saúde pública. O Amapá e Macapá ocupam posições nada honrosas neste ranking que mede a qualidade da saúde pública brasileira. Ambos em 22º lugar. Como estado, o Amapá supera apenas Amazonas, Paraíba, Rio de Janeiro, Rondônia e Pará. Já Macapá, no ranking geral, supera apenas Brasília, Maceió, Belém e Rio de Janeiro. No ranking de grupo homegêneo 2, está em último. Esse baixo desempenho amapaense sugere que as gestões da saúde do estado e do município devem estar unidas, buscando o melhor para a população, que é, aliás, o que preconiza o modelo do SUS. Infelizmente, não é isso o que acontece na prática. Pelo menos na alta cúpula dos dois poderes, que é onde os rumos das políticas públicas são realmente definidos.

Hora-Hora Por que chorou? – Chamou a atenção o choro da presidenta Dilma, na cerimônia de troca de comando no Ministério da Pesca, onde Marcelo Crivella (PRB) substituiu o petista Luiz Sérgio de Oliveira. A dúvida: ela estava chorando por que perdeu Luiz Sérgio ou por que ganhou Crivella? Corre-Corre – Depois do estouro da bomba das licitações na Seinf, há um corre-corre nos setores do Governo que licitaram obras com verba federal. Para ver se não cometaram as mesmas “impropriedades”. Cidade colorida – Está sendo articulado em Macapá o movimento “Pinta Buraco”. A idéia bem humorada é pintar os inúmeros buracos nas ruas da cidade. Se a coisa pegar, de fato as vias da cidade ficarão multicoloridas. Resta saber como serão pintadas as valas que a Caesa deixa pelo caminho, ao implantar a rede de água. Haja tinta! Antiderrapante– Por outro lado, já tem gente

Índice

Opinião - A2, A3 Especial - A4, A5 Geral - A6 Meio Norte - A7 Diversão - A8

sugerindo o movimento “Cola Asfalto”, que seria a aplicação de cola nas pistas onde a Setrap aplicou lama asfáltica. Para evitar derrapagens. Ingressos – Direção do Museu Sacaca realiza pesquisa com usuários, para saber se concordam com cobrança de ingressos no local. Explicando que dinheiro arrecadado com ingressos será utilizado em serviços de manutenção do museu. Decisão administrativa – Por mais democrática que pareça a idéia da pesquisa, a decisão sobre cobrança é uma questão administrativa. Tem que ser tomada pelo governo. Se não há orçamento previsto para a manutenção, o dinheiro tem que vir de outro lugar. Ou então, o museu vai se deteriorar de novo. Simples assim. Parceria – Outra alternativa seria formar uma parceria público privada, para garantir a manutenção do museu. Iniciativa que também está na esfera da administração pública.

Dia Dia - B1, B3 Polícia - B2 Santana - B4 Esportes - C1, C2, C3, C4 Carro e Moto - D1, D2, D3, D4 Economia - E1, E2, E3, E4

Edição número 7820


JD

Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 03 de março de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Escutai o que Ele diz DOM PEDRO JOSÉ CONTI Bispo de Macapá

S

egundo uma lenda da religião hindu, houve um tempo durante o qual todos os homens eram deuses, mas abusavam tanto da própria divindade que Brama, o chefe dos deuses, decidiu tirar deles o poder divino e escondêlo num lugar onde nunca mais poderiam encontrá-lo. Mas onde escondê-lo? Esta foi a questão. Os deuses inferiores foram chamados para resolver o problema. - Vamos esconder a divindade humana no mais profundo da terra, disseram alguns. - Não, isto não será suficiente. O homem cavará até encontrá-la, alertou Brama. - Vamos jogá-la no oceano mais profundo, sugeriram outros. - Não, porque, antes ou depois, o ser humano explorará as profun-

didades dos oceanos e, com certeza, um dia a encontrará e a trará de volta para si, disse Brama. - Não sabemos onde escondê-la. Por que parece que não existe um lugar sobre a terra onde o homem não consiga chegar, concluíram então os deuses inferiores. Nesta altura, Brama decidiu: - Vamos esconder a divindade humana no mais profundo do seu ser, para que o homem nunca pense em procurá-la, justamente ali, dentro dele. Desde então, o homem percorreu toda a terra, para cima e para baixo, de um lado para o outro, explorando, subindo, cavando, mergulhando, para encontrar algo que já está dentro dele. Como sempre as lendas contadas por séculos parecem coisas do passado, no entanto já

ouvimos astronautas afirmarem que lá no céu, de onde eles admiravam o planeta azul, não estavam encontrando nenhum Deus. Evidentemente estavam buscando no lugar errado. Do mesmo jeito, ao longo da história humana, certos homens e mulheres se acharam tão superiores aos seus semelhantes que se julgaram no direito de exterminar quem pertencia a raças ou etnias diferentes. Esses também buscaram a grandeza ou a glória no lugar errado. Todos acabaram miseramente. Muitas vezes a natureza humana ainda nos surpreende. Somos capazes de atos extremos de generosidade, como também dos piores crimes. Não tenho receio, portanto, de dizer que ainda somos seres em busca de nós mesmos, atrás daquele sentido mais profundo da vida que possa nos satisfazer plenamente. Essa procura nunca será

A3

fácil, sempre exigirá esforço e, sobretudo, muita sinceridade e humildade conosco para começarmos a busca no lugar certo: dentro do nosso coração. O tempo da Quaresma é sempre uma boa oportunidade para fazer um pouco de silêncio ao nosso redor, para parar, refletir e buscar resposta às grandes questões da nossa frágil existência humana. Domingo passado, com o evangelho das tentações, fomos convidados a acreditar na humanidade de Jesus. Ele partilhou as nossas fraquezas até a morte. Menos no pecado, ensina São Paulo. No segundo domingo da Quaresma, olhamos a Jesus numa manifestação única e extraordinária, aquela que chamamos de “transfiguração”. Somos convidados a acreditar na divindade dele e, pela voz do Pai, também a acolher as suas palavras. Talvez estejamos tão acostuma-

dos com essas afirmações que dificilmente nos deixamos questionar. Perguntas, porém, ajudam a não perder a fé, a não aceitá-la superficialmente; devem servir para fortalecê-la, reavivando-a cada vez mais. Com efeito, o Filho enviado pelo Pai não veio para mostrar-se a si mesmo, para morrer na cruz para si mesmo. Tudo o que Ele fez, falou e sofreu foi por causa de nós. Nós temos a necessidade de reencontrarnos sempre para não ficarmos perdidos nesta vida. Quem precisa de “salvação” é sempre a nossa humanidade solidária no mal, mas também, em Jesus, unida na vitória sobre o pecado e a morte. O Filho, enviado pelo Pai, ao mesmo tempo em que revela quem é Deus também nos ajuda a reconhecer quem somos nós. Somos chamados a sermos imagens autênticas dele e não

falsas imitações ou horríveis deturpações. Quando o ser humano se acha deus, passam vergonha ele e o próprio Deus. Mas quando aceitamos a nossa condição humana e acolhemos o amor com o qual Deus nos ama sempre, resgatamos a divindade que está em nós. O Pai nos quer filhos no Filho, propõe-nos uma palavra de vida, um caminho seguro seguindo os passos de Jesus. Os orgulhosos pensam que não precisam disso, os desfigurados da vida perderam a esperança, os superficiais desistiram de buscar. Nós cristãos, motivados pela fé, somos chamados a manter viva a busca de Deus e também da dignidade humana. Todos nós precisamos olhar mais as coisas e a nossa vida por dentro, além das aparências e das palavras vazias. Jesus vai nos conduzir nesta busca. Escutando o que Ele nos diz, encontraremos a Deus e a nós mesmos.

Sobre necessidades e inovações tecnológicas Observatório da Imprensa

A

despeito da retórica mercadológica que ajuda a disseminar a crença de que há uma clara distinção entre desejos (culturalmente construídos) e necessidades (supostamente inatas), mesmo estas últimas não devem ser analisadas sem a devida contextualização sóciohistórica. A dificuldade de viver sem os recursos tecnológicos atuais reside na dificuldade de retirar a cultura material, os objetos físicos que carac-

terizam o estilo de vida de uma época e sociedade. Contudo, é consideravelmente mais desafiadora a tarefa de desconstruir e reconstruir o modelo mental de um período distinto. Em outras palavras: uma coisa é viver fisicamente conforme o modo de vida de uma sociedade em um dado momento histórico; outra, bem distinta, é internalizar a visão de mundo típica de uma pessoa daquele período. São valores, crenças e hábitos que dão sentido às regras, obrigações e deveres de uma sociedade e que, em última instância, ajudarão a definir o que é

ou não necessário à sobrevivência ou manutenção de um estilo de vida e mesmo o potencial de determinadas ferramentas ou tecnologias para promover a noção de bem-estar. Isso porque nem sempre as inovações tecnológicas promovem felicidade nas sociedades afluentes. A tensão entre a tendência da tecnologia para resolver problemas e seu potencial para criar outros tantos revela uma de suas facetas paradoxais. As inovações tecnológicas não promovem apenas liberdade, controle e eficiência, mas igualmente geram paradoxos com os quais os indiví-

duos, de uma forma geral, terão de lidar: controle e caos, liberdade e escravidão, novo e obsoleto, competência e incompetência, eficiência e ineficiência, satisfação e necessidade. Inovações tecnológicas não são neutras, como se fossem meras instrumentalidades. Tampouco representam o veículo de uma cultura de dominação à qual os indivíduos estão deterministicamente condenados, como demonstram tantas experiências alternativas envolvendo mecanismos tecnológicos. Contudo, as escolhas e as decisões acerca dos padrões tecnológicos que

As consequências da posição Jornalista

A

instituições políticas e de corporações específicas. Entender como estes processos se articulam sem desconsiderar o papel dos indivíduos nessa construção ainda constitui um dos grandes desafios das Ciências Sociais.

A mordida do Imposto de Renda

RODOLFO JUAREZ convivência dos dirigentes nacionais com os dirigentes de países desenvolvidos cultural, econômica e politicamente, já faz algum tempo, vem sendo bom para a avaliação dos resultados obtidos, por aqui, internamente, per setores que são, devido a conveniência de gestão, separados ou setorizados, mas que influem nos resultados dos demais setores. O Brasil, depois que se impôs como a sexta economia do mundo, passou a ter responsabilidades com outros países, principalmente àqueles que são vizinhos devido a geografia ou os que têm afinidades culturais, lingüísticas ou históricas com ou Brasil ou que se aproximam por acordo ou convenções internacionais. Então, ocupar o lugar reservado para a sexta economia do mundo significa novos compromissos que os povos que juntos já somam mais de 7 bilhões de humanos, algumas que ainda não são cidadãos, na forma das nossas convenções sociais. Surgem devido esses novos compromissos, a necessidade de olhar para dentro do País, ver o povo brasileiro, com as suas necessidades, a estratificação social e a distribuição das riquezas nacionais e dos serviços

deverão vingar em uma sociedade, dos dispositivos disponíveis à escolha do consumidor, do que é ou não necessário, são contingentes aos arranjos singulares que se estabelecem e que envolvem interesses e estratégias de

CHARLES CHELALA

que presta para cada uma dessas camadas. Nesse olhar feito pelas autoridades nacionais, responsáveis primeiros pela distribuição da riqueza ou da prestação de serviços, há a necessidade intrínseca de comparar com a qualidade de vida das pessoas dos países, alguns até bem aquém da capacidade do Brasil, no que se refere às condições que oferecem para os seus respectivos nacionais. Pelas comparações, ficam claras algumas necessidades para que as informações não sejam injustas ou se transformem em meros discursos políticos, que não interessam inclusive, para os próprios políticos. Há necessidade de informações corretas e atuais. Para dispor dessas informações são preparados “retratos” atuais dos diversos setores, através de pesquisas e comparações, com as mesmas regras adotadas internacionalmente para que essas informações possam subsidiar decisões e indicar as prioridades do País. Esses levantamentos nacionais são, então, feitos obedecendo a forma federativa adotada para a formação a administração dos interesses do Brasil. Então os levantamentos são feitos por municípios, agrupados

por estados, para então, chegar aos índices nacionais que possibilitam a comparação com os demais países. Foi assim com a educação. No instante em que foram conhecidos os índices nacionais, obtidos a partir dos mesmos modelos testados nos outros países, é que se pode observar o atraso em que navegava a educação dos brasileiros e se dimensionar o tempo e o valor necessário para ser investido e acompanhado. A verificação de que a educação oferecida aos brasileiros estava pelo menos 10 anos atrasada, quando comparada com a daqueles países que, economicamente estavam ao lado do Brasil, ficou claro a necessidade da mudar. Os planos foram elaborados, os agentes da mudança estão sendo treinados e os resultados esperados em 10 anos. Assim será na educação, no fornecimento de serviços, e em todas as atividades que possam modificar, para melhor, a condição de vida dos brasileiros que assumiram destaque na geração de riquezas, pela força do seu povo, mas que precisa contar com uma população em condições de compreender e dirigir os interesses coletivos, sem exigências que a própria população não possa honrar.

Economista

C

omeçou o período em que grande parte da população adulta no Brasil tem seu encontro anual com o fisco, mediante a declaração anual de ajuste do imposto de renda. O antropólogo Roberto DaMatta descreve este momento como “um ato solitário, individual, no qual o cidadão se abre a uma entidade abstrata, o Estado, que sempre lhe aparece negativamente, como conjunto de ausências. (...) O brasileiro, em geral, avesso a agendas e ao arquivamento de documentos escritos, um povo mais dado a oralidade do que a escrita, vê-se obrigado a buscar recibos, a coletar papéis, a arquivar contas. Algo que muitos tomam como processo desesperador”. (No texto “Em torno de alguns aspectos socioculturais da fiscalização”, 1999). Se já não bastasse este encontro a sós com o “Estado Leviatã”, nesta semana o jornal “O Globo” publicou uma matéria baseada em estudos

realizados pela consultoria “Ernst & Young Terco”, na qual são demonstrados dados sobre a evolução da carga tributária no Brasil, além de compará-la a outras nações. Nós, brasileiros que recolhemos imposto sobre a renda (do qual a maior parcela já fica retida na fonte), duplicamos o valor repassado ao erário nos últimos dez anos. O montante arrecadado pelos assalariados passou de 45 bilhões de reais em 2002 para 90 bilhões no ano passado. No mesmo período, a arrecadação total aumentou bem menos: aproximadamente 72%. Tal situação foi ocasionada principalmente pela não correção da tabela do Imposto de Renda como deveria, visto que acumulou defasagem de 43,5% nos últimos 15 anos. Pior: a tabela vai ainda prosseguir perdendo, pois o reajuste de 4,5% ao ano (congelado até 2014) não repõe a inflação que, por exemplo, foi de 6,5% no ano passado. Repete-se uma fórmula antiga e bem conhecida: reajustes in-

feriores à inflação o que significa perdas acumuladas para os assalariados. O argumento de que a renda geral cresceu, tendo assim impactado positivamente na receita advinda do imposto, na verdade, oculta o fato de que o Governo Federal desperdiçou uma excelente oportunidade de reduzir o peso dos tributos das costas do trabalhador brasileiro. Mais ainda: no Brasil, quem recebeu em 2011 salários anuais acima de 25 mil dólares, já está inserido na alíquota máxima. Nos EUA, só paga uma alíquota semelhante à máxima do Brasil quem recebe entre 120 e 193 mil dólares por ano. Um trabalhador com renda anual de 25 mil dólares que vive no Chile paga apenas 5% de imposto de renda, contra os 27,5% se residisse no Brasil. Cada vez fica mais clara a necessidade de uma ampla e justa reforma tributária no país, que alivie as costas do trabalhador, do produtor e dos pequenos, gravando com maior peso os mais abastados.


JD

Especial

Macapá-AP, domingo e segunda, 26 e 27 de fevereiro de 2012

A4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

O Índice de Desempenho do SUS - IDSUS mostra

O IDSUS foi publicado na quinta-feira e reflete uma realidade que já era sentida, mas jamais admitida pelos gover HEVERTON MENDES

RODOLFO JUAREZ Da Redação

N

a última quinta-feira que passou, já no final do expediente, o ministro Alexandre Padilha lançou o Índice de Desempenho do SUS, ferramenta que avalia 24 indicadores e pretende fornecer ao Governo Federal, aos Estados e aos Municípios, que permitirão que os atendimentos de saúde sejam classificados conforme a qualidade do serviço prestado. O índice avalia com pontuação de 0 a 10 os municípios, as regiões, os estados e ao país com base em informações de acesso, que mostram como está a oferta de ações e serviços de saúde, e de efetividade, que medem o desempenho do sistema, ou seja, o grau com que os serviços e ações de saúde estão atingindo os resultados esperados. Na Tabela 1, que define o índice dos Estados, o Estado do Amapá aparece em 22º lugar, entre os 26 Estados e o Distrito Federal, com o IDUS 2012 de 5,05; na Tabela 2, onde estão os índices das Capitais dos Estados, Macapá, entre as capitais do grupo homogêneo 2, ocupa o último lugar, com o IDSUS 2012 apurado em 5,10, depois de Palmas (6,31), Boa Vista (5,76), Rio Branco (5,56), Aracajú (5,55) e Porto Velho (5,51). A ferramenta avalia o acesso e a qualidade dos serviços de saúde no país. Criado pelo Ministério da Saúde, o índice avaliou entre 2008 e 2010 os diferentes níveis de atenção (básica, especializada ambulatorial e hospitalar e de urgência e emergência), verificando como está a infraestrutura de saúde para atender as pessoas e se os serviços ofertados têm capacidade de dar as melhores respostas aos problemas de saúde da população. Além de dar maior transparência ao quadro geral da oferta e da situação dos serviços de saúde, o IDSUS 2012 servirá como instrumento de monitoramento e avaliação para que os dirigentes dos três níveis - federal, estadual e municipal - tomem decisões em favor do aprimoramento das ações de saúde pública no país. Segundo o ministro da Saúde o SUS não pode temer processo de avaliação do sistema e deve dar publicidade às informações, pois se trata de uma ferramenta para aprimorar a gestão. O IDSUS 2012 está disponível para consulta de toda a sociedade pelo endereço www.saude.gov.br/idsus. Os grupos e os índices O IDSUS é formado por seis grupos homogêneos e leva em consideração a análise concomitante de três índices: de Desenvolvimento Socioeconômico (IDSE), de Condições de Saúde (ICS) e de Estrutura do Sistema de Saúde do Município (IESSM). Basicamente, os grupos 1 e 2 são formados por municípios que apresentam melhor infraestrutura e condições de atendimento à população; os grupos 3 e 4 têm pouca estrutura de média e alta complexidade, enquanto que os grupos 5 e 6 não têm estrutura para atendimentos especializados. A proposta é unificar em grupos cidades com características similares. Situação De acordo com o índice, o Brasil possui IDSUS equivalente a 5,47. A região Sul

Nem mesmos os problemas com as teimosias e os exageros conseguem diminuir a importância desse grande momento

teve pontuação de 6,12, seguida do Sudeste (5,56), Nordeste (5,28), Centro-Oeste (5,26) e Norte (4,67). Entre os estados, possuem índices mais altos os da região Sul Santa Catarina (6,29), Paraná (6,23) e Rio Grande do Sul (5,90). Na sequência, vêm Minas Gerais (5,87) e Espírito Santo (5,79). As menores pontuações são do Pará (4,17), de Rondônia (4,49) e Rio de Janeiro (4,58). O Estado do Amapá obteve pontuação 5,05 (22º lugar). De acordo com o IDSUS 2012, as maiores notas por Grupo Homogêneo foram: 7,08 para Vitória (ES), no grupo 1, e 8,22 para Barueri (SP), no grupo 2. Na sequência, nos grupos 3 e 4, vêm 8,18 para Rosana (SP) e 7,31 para Tur-

malina (MG). Nos grupos 5 e 6 os destaques foram Arco-Íris (SP) e Fernandes Pinheiro (PR), com IDSUS de 8,38 e 7,76, respectivamente. Modelo O IDSUS 2012 é resultado do cruzamento de 24 indicadores, sendo 14 que avaliam o acesso e outros 10 para medir a efetividade dos serviços. No quesito acesso, é avaliada a capacidade do sistema de saúde em garantir o cuidado necessário à população em tempo oportuno e com recursos adequados. Entre esses indicadores estão a cobertura estimada de equipes de saúde; a proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas pré-natal; e a rea-

lização de exames preventivos de cânceres de mama, em mulheres entre 50 e 69 anos, e de colo do útero, na faixa de 25 a 59 anos. Já na avaliação de efetividade, ou seja, se o serviço foi prestado adequadamente, se encontra itens como a cura de casos novos de tuberculose e hanseníase; a proporção de partos normais; o número de óbitos em menores de 15 anos que foram internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI); e o número de óbitos durante internações por infarto agudo do miocárdio. O levantamento de dados para divulgação do IDUS 2012 será realizado a cada três anos. Desde a idealização até a fase de finalização, o índice foi construído com a participação de vários segmentos


Especial

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 26 e 27 de fevereiro de 2012

A5

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

a situação em que se encontra a saúde no Amapá

rnantes do Estado do Amapá

do governo, técnicos, acadêmicos e com a participação e aprovação do Conselho Nacional de Saúde. Índice elaborado pelo governo revela que somente 1,9% da população brasileira vive nos 347 municípios cujos serviços públicos de saúde têm notas acima de 7,0, segundo o Índice de Desempenho do SUS (IDSUS), lançado pelo Ministério da Saúde. A parcela dos que têm os melhores serviços públicos, segundo o índice, é menor que a dos 5,7 milhões de brasileiros que vivem nas 132 cidades com os piores serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), isto é, com notas inferiores a 3,9. A média nacional resultante do índice é 5,4. Para o diretor do Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS, Paulo de Tarso Ribeiro Oliveira, “o país passou raspando na avaliação que resultou no IDSUS Segundo o Ministério da Saúde, o índice, que será atualizado a cada três anos, pretende avaliar o desempenho dos serviços oferecidos pelo SUS nos municípios. O ministro da Saúde, Ale-

xandre Padilha, classificou o lançamento do novo índice como parte de uma “obsessão” do governo em avaliar seus serviços e atribuiu à presidente Dilma Rousseff essa cobrança. Segundo o Governo o SUS não pode, de forma alguma, temer o processo de avaliação; muito ao contrário: tem que ser algo visto como fundamental para que se dê conta de avançar com o Sistema Único de Saúde. Questionado várias vezes se alguma nota seria ideal para o país, Padilha evitou citar números. Ele disse que o esforço do ministério é melhorar sempre os serviços disponíveis e que, ideal, nem a nota 10. Na terça-feira, durante entrevista para esclarecimento sobre os critérios do IDSUS, no entanto, técnicos do Ministério da Saúde afirmaram que a nota 7,0 era um grau tido como meta do governo, em um primeiro momento. Segundo Padilha, não existe parâmetro internacional que se adeque ao cenário brasileiro. Metas, portanto, estão descartadas, disse.

O ranking Com pontuação que vai de 0 a 10, as aferições levaram em conta dados sobre saúde básica, ambulatorial, hospitalar e de emergência repassados pelos municípios a bases de dados nacionais (IBGE, Ipea, entre outros) entre 2008 e 2010. Ao gerar a nota, o ministério leva em conta o acesso aos serviços do SUS e se esses serviços são prestados em sua totalidade. Esses critérios, ponderados, resultam na nota final. A maior parte da população (46,5%, ou 88.673.765), segundo os dados da Saúde, vive em municípios com índices de 5 a 5,9 - notas consideradas regulares; 24,5% dos brasileiros, ou 46,6 milhões vivem em localidades com notas entre 6 e 6,9; e 45,9 milhões (24,1%) estão em localidades cuja nota está entre 4 e 4,9. A região com maior pontuação foi o Sul, com 6,12. O Sudeste teve nota 5,56; o Nordeste, 5,28; e o CentroOeste, 5,26. Por último ficou a região Norte, com 4,67. Maiores e menores Ao ranquear os municípios, o ministério os dividiu em seis grupos, de acordo com perfis socioeconômico e de estrutura de saúde. De acordo com o critério adotado pelo ministério, nos grupos 1 (29 municípios) e 2 (94 municípios), estão as cidades mais ricas, com estruturas de saúde pública mais complexas; nos grupos 3 (632 municípios) e 4 (587 municípios), estão as cidades com pouca estrutura de média e alta complexidade; e, nos grupos 5 (2.038 cidades) e 6 (2.183), as cidades menores, com pouco ou nenhum atendimento especializado. Dos seis mais bem colocados por grupo, cinco são do Sudeste e um do Sul. Segundo o IDSUS 2012, os municípios com as maiores notas por grupo são Vitória (ES), com 7,08, no Grupo 1; Barueri (SP), com 8,22, no Grupo 2; Rosana (SP), com 8,12, no Grupo 3; Turmalina (MG), com 7,31, no Grupo 4; Arco-Íris (SP), com 8,38, no Grupo 5; e Fernandes Pinheiro (PR), com 7,76, no Grupo 6. Entre os piores índices por grupo, há duas cidades do Sudeste, três do Norte e uma do Nordeste: Rio de Janeiro, no Grupo 1, com nota 4,33; São Gonçalo (RJ), no Grupo 2, com 4,18; Colorado do Oeste (RO), no Grupo 3, com 3,65; Novo Repartimento (PA), no Grupo 4, com 2,56; Cujubim (RO), no Grupo 5, com 3,20; e Pilão Arcado (BA), no Grupo 6, com 2,50. Embora evite fazer comparação entre grupos, na avaliação do coordenador geral do Sistema de Monitoramento e Avaliação do ministério, Afonso Teixeira dos Reis, é possível dizer que o último colocado do Grupo 1 pode ser considerado pior do que o último no ranking do Grupo 6. Segundo ele, a complexi-

dade dos serviços de saúde de uma cidade como o Rio de Janeiro coloca a capital fluminense em posição de vantagem. Mas, segundo ele, no caso das grandes cidades, o acesso ao serviço, que tem peso maior na nota final do IDSUS, é um problema - filas e áreas isoladas pela violência urbana são fatores comuns. Em contrapartida, diz, é mais fácil administrar os serviços de saúde de uma cidade com poucos habitantes. Distorções O ministério considera a criação do IDSUS a primeira etapa para o desenvolvimento de um programa regular de avaliação do SUS - aos moldes do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), usado pelo Ministério da Educação para avaliar os ensinos fundamental e médio públicos do país. O índice da saúde é calculado com base em informações oferecidas pelos municípios, agregadas em vários bancos de dados nacionais (IBGE, Ipea, entre outros), e deve ser divulgado a cada três anos. Os próprios técnicos do governo reconhecem que existem melhorias a serem feitas para que o índice ofereça um recorte mais próximo da realidade. Ele

não contempla, por exemplo, o nível de satisfação do usuário do SUS ou mesmo o tempo que um usuário leva para ser atendido - queixas comuns no serviço. Questionados sobre a confiabilidade dos dados repassados pelas administrações municipais, técnicos do ministério afirmaram que os bancos de dados disponíveis atualmente são confiáveis. Disseram, porém, que eventuais distorções nas notas devem ser sanadas com a divulgação regular dos índices. Prêmios Governo quer premiar municípios com bom atendimento do SUS e o próprio Ministro pretende usar índice de avaliação como parâmetro para convênios. Cidades com baixo desempenho receberão atenção específica, segundo os planos do Ministério da Saúde. A ideia é produzir metas locais, por estado ou município, que serão estabelecidas no momento em que os convênios forem firmados. “Dentro dos contratos que o Ministério da Saúde quer estabelecer, o IDSUS será um indicador para a melhoria da estrutura das localidades. O

município que melhorar o seu desempenho merece receber mais recursos. Disse também que os municípios que tiverem baixo desempenho segundo a avaliação do governo devem ser contemplados com atenção específica. Não existe, segundo ele, meta nacional a ser alcançada, mas melhorias específicas para cada perfil regional. “O retrato do IDSUS é o retrato da desigualdade entre os serviços de alta e menor complexidade no país. O Brasil ainda é muito desigual”, disse. Os indicadores Os indicadores que compõem o Índice de Desenvolvimento do Sistema Único de Saúde – IDSUS são os seguintes (tabela acima a direira): Exemplo Para servir como exemplo, vamos considerar o Indicador nº 01, que trata da “Cobertura populacional estimada pelas equipes básicas de saúde” e apresentar a definição, a Interpretação, o Método de Cálculo, o Parâmetro, a Pontuação, a Fonte, a Lina de Avaliativa, a Complexidade, a Modalidade, a Atenção, a Origem e os Anos de Análise, para melhor ser compreendido.


JD

Política

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

A6

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Assembleia Legislativa anuncia CPI da Saúde para apurar crimes no setor Nesta segunda-feira será lido o requerimento de abertura de uma Comissão de Inquérito para apurar denúncias JANDERSON CANTANHEDE Da Redação

E

m menos de um ano, dois secretários de Saúde deixaram o cargo no Amapá. A demissão mais recente envolvendo Edilson Pereira levanta a suspeita de que seu desligamento esteja relacionado com a CPI da Saúde que terá o pedido de instalação lido segunda-feira (7), na Assembleia Legislativa. Apesar do governo estadual dizer que o setor vai bem, obrigado, investigações feitas pelo Ministério Público Estadual mostram o contrário.

As denúncias são relativas a contratação de empresa para prestação de serviço de tomografia computadorizada das unidades da Sesa (Secretaria Estadual de Saúde) e a execução de forma ilegal dos recursos que compõe o Fundo Estadual de Saúde. Ambos os assuntos foram investigados pelo Ministério Público Estadual, de acordo com o ofício 228/2012, datado do último dia 15 de fevereiro e endereçado ao presidente da AL, Moisés Souza (PSC), assinado pelo promotor de Justiça Pedro Leite. As investigações apro-

fundadas pelo Ministério Público esbarraram na figura do chefe do Executivo, o governador Camilo Capiberibe (PSB), que tem foro privilegiado. Por conta disso, o promotor resolveu endereçar as cópias das denúncias à Assembleia Legislativa para que a mesma tome providências. Os dois inquéritos civis apuram ilegalidades, em tese, praticadas pelo gestor da saúde estadual, auxiliar direto do governador do Estado, atos que contrariam os princípios informadores das leis de responsabilidade fiscal e das licitações e

contratos públicos. “A nosso sentir, tanto o governador do Amapá quanto o secretário de Saúde vem cometendo reiteradamente delitos de improbidade administrativa e crimes de responsabilidade, quando deixam de proceder a licitação pública para a contratação, ainda que de forma fática, de empresa prestadora de serviço de tomografia computadorizada e deixam de aplicar, por exemplo, no Hemoap, recursos oriundos do Fundo Nacional de Saúde, como restaram cabalmente provados nos dois inquéri-

tos”, diz Pedro Leite no ofício. Segundo ainda o promotor, tramitam na Promotoria da Cidadania inúmeros processos administrativos que buscam garantir ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) o direito constitucional a saúde pública de qualidade, pedidos que se referem a consultas médicas, exames, cirurgias e tratamento fora de domicílio, e que por conta da inércia do poder público tem sido necessário o ingresso de inúmeras ações civis públicas junto ao Judiciário.

CPI Diante das fartas denúncias, um bloco reunindo 14 deputados estaduais avaliam os inquéritos encaminhados pelo Ministério Público. Vai ser desse grupo que sairão as indicações dos nomes que vão compor a Comissão Parlamentar de Inquérito. Somente o PDT e o PSB não fazem parte do bloco político. Dos 24 deputados da Assembleia Legislativa, apenas dois não subscreveram o pedido de instauração da Comissão de Inquérito, que deverá ser lido na próxima segunda-feira (7) no plenário.

Allan Sales tem reconhecimento em Mazagão e destaca prioridades para a Prefeitura

A

Prefeitura de Mazagão, através de seu Prefeito e da Câmara de Vereadores, concedeu ao ex-secretário Allan Sales título de Cidadão Mazaganense. Receberam também a comenda o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Moisés Souza e o deputado Junior Favacho. O vereador Elcio, aliado de Allan Sales, é pré-candidato à Prefeitura de Mazagão e Allan Sales à Prefeitura de Macapá. O PPS tem levado seus projetos e nomes para disputas municipais de 2012, em Macapá. Sales tem uma postura que é de projetos para a cidade de Macapá. Ele tem alguns já em debate e com nível de aceitação popular, e com a coerência do orçamento municipal. Ciclovia O projeto terá a iniciativa privada como financiadora

uma nação e um Estado sem esperança, destacou Alan.

do mesmo. Ele já tem um modelo que é do Banco Itaú que realizou a ciclovia no Rio de Janeiro. Em Macapá teria um critério similar com os ajustes necessários para viabilização do projeto em nossa cidade. Lan houses Para alunos e professores, já que dá um notebook para cada um é inviável e impossível, além da evasão de renda. Desta forma, com lan house estaria diminuindo a exclusão digital da população e aumentando emprego e renda em nossa economia, deixando de pagar milhões para as multinacionais que não colaboram nem com um palito de fósforo para nosso povo. O acesso virtual ficará também descentralizado, pois em toda parte da cidade tem pelo menos uma. Intercâmbio

Macapá/

Capacitação Sem a capacitação, o jovem estará no subemprego ou serão as eternas orelhas como dizem na sua linguagem. Não podemos aceitar que os jovens não tenham estímulo de se capacitar e qualificar para poder ocupar espaço que esta nossa juventude merece e não ficar refém de ser orelhas para o resto da vida.

Ex-secretário Allan Sales (D) recebe título de Cidadão Mazaganense

Belém Os jovens precisam conhecer um grande centro e ter o contato com um museu, como o de Emílio Goeldi, além da Estação das Docas. Precisam observar o perfil de uma cidade verticalizada, conhecer mais teatros e movimentos culturais. Assim a juventude se

perceberá maior e poderá buscar este salto. Isso estimulará nossa juventude a ter conhecimento de mundo, pois o intercâmbio já é uma realidade para as classes privilegiadas. O povo também precisa desta ferramenta para ter uma visão melhor do futuro, pois uma juventude sem futuro é

Secretários Nas propostas de Alan Salles, a Secretaria de Saúde teria três secretários. O primeiro secretário cuidaria da fila “0”. “Não podemos admitir que um ser humano que tenha dor e necessite de cuidados médicos, passe até 180 dias para ter uma consulta. Em nosso plano de governo o respeito ao ser humano estará sempre em 1º lugar”, disse. O segundo cuidará das infra-estruturais e do suprimento das unidades de saúde, elaborando um relatório diário de quantos atendimentos tivemos e quantos deixaram de atender, seja por falta de remédio, por falta de não podermos realizar o exame, seja pela falta de uma política de prevenção, que evite o congestionamento nas unidades de saúde. E, quando o mesmo for acionado, seja pelo governo do Estado, ou por um Ministro de Saúde, ele saberá das demandas e das necessidades diárias de nossa população, realizando um planejamento e tendo como objetivo atender sempre toda população. O terceiro secretário trabalhará na prevenção com atendimento nas escolas e nas associações de moradores, realizando além do atendimento, palestras e conscientizando a população de medidas de prevenção que evitarão boa parte do congestionamento no setor de saúde em nosso município. Essa mesma linha de raciocínio seria seguida na Secretaria de Educação. Parques e Jardins Pelas pré-proposta de Alan, haverá a implantação de cinco parques na cidade, pois hoje a população só tem um parque que é o Lugar Bonito e ele não é o suficiente para atender a população de nosso município. “Estaremos implantando parques e jardins, sendo 2 na Zona Norte e 2 na Zona Sul e um em um dos extremos de nossa cidade para que a população tenha em qualquer parte da cidade um parque ou jardim para o seu entretenimento, prática de esportes, contato

com a natureza, caminhadas enfim, atividades necessárias para o cotidiano e para melhor qualidade de vida de todos que vivem em nossa capital”, disse. Trânsito Segundo Alan, temos hoje um índice de mais de dois mil acidentes de trânsito em nossa capital que criam as mais variadas situações como mortes, mutilações e ferimentos, que congestionam o sistema de saúde. “Para termos um parâmetro, uma cidade como Nova Iorque tem menos de uma centena de acidente em média por ano, e tem uma população 30 vezes maior do que a de nosso município. Com este dado percebemos que o índice do trânsito em Macapá é assustador. Teremos uma política para diminuirmos este descontrole que se vive hoje em nossa cidade, apesar dos carros que circulam terem os seus IPVA, em grande maioria pagos, mas o resultado é este que estamos vivendo hoje. A melhoria das ruas também evita acidentes, com melhor sinalização e asfaltamento das mesmas. O IPVA é para atender esta finalidade”, explicou. Habitação No setor habitação, Alan destaca um programa de legalização e ordenamento urbano, para que haja um aumento significativo das oportunidades de habitação no município. Cultura Na área cultural, Alan destaca oficinas culturais que serão as incubadoras da juventude e da nova geração de artistas que levarão a nossa cultura as próximas gerações, pois sem um acervo e uma base cultural todos os talentos e manifestações populares ficam extremamente vulneráveis e perdidos com o passar do tempo. As oficinas darão a base para um nivelamento com a colaboração de toda a classe artística de nosso município, pois nossos artistas estarão direto neste projeto, passando seu conhecimento, suas experiências para as nossas atuais e futuras gerações de nosso Estado e de nosso Município. “Acreditamos que com a demonstração destes exemplos e de outros que temos daremos um olhar diferenciado para nossa cidade. Nosso projeto e plano de governo estarão sendo afomentados, todos os dias, por todos que trabalham no projeto de nossa pré-candidatura e àqueles que acreditam numa Macapá melhor para o povo e toda sociedade”, destacou.


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de marรงo de 2012

A7


Sociedade

Aline Lima alinec.lima@hotmail.com

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

Deputado Dalton Martins

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Jorge e Odaisa Rodrigues

Relaxe

Raul e Tânia Três

Todo charme de Lucinha

Se durante o trabalho você lida com vários problemas e sente muita pressão, ao chegar em casa deve conseguir relaxar e descontrair, sem ficar demasiado preso nos problemas e desafios que enfrenta no trabalho. A sua casa pode ser então um verdadeiro refúgio para si, onde deve sentir-se calmo, seguro e feliz. Além disso, uma massagem sempre ajuda a relaxar. E lembre-se que música calma, roupa confortável, velas aromáticas e temperatura agradável ajudam a criar um ambiente propício à descontração.

Organize suas tarefas diárias Sabendo antecipadamente o que tem para fazer no seu dia e na sua semana, conseguirá mais facilmente organizar o seu tempo sem haver tanta pressão e ansiedade. Uma agenda pode tornar-se uma ajuda essencial se não for uma pessoa muito organizada. Também é importante saber estabelecer prioridades e aceitar que nem sempre conseguimos fazer tudo o que queríamos. Siga uma alimentação equilibrada e saudável O cuidado com o que come é essencial para o seu bemestar; uma alimentação adequada precisa de vitaminas e minerais (legumes e frutas), hidratos de carbono (cereais e leguminosas), cálcio e proteínas (produtos lácteos, peixe e carne magra), etc. Tenha também atenção aos intervalos entre as refeições para não ficar muitas horas sem comer e beba muita água ao longo do dia.

Mensagem do dia

“Daqui a alguns anos você estará mais arrependido pelas coisas que não fez do que pelas que fez. Então solte suas amarras. Afaste-se do porto seguro. Agarre o vento em suas velas. Explore. Sonhe. Descubra.” (Mark Twain)

Mirian Soares

Ana Paula Costa

Tuca Tavora

Albert Amanajas


CadernoB

DiaDia

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Única biblioteca do Estado está sem previsão de funcionamento Parada há mais de dois anos, biblioteca ganha até campanha de estudantes para tentar reabrí-la FOTOS HEVERTON MENDES

Hoje, Lulih Rojanski, atual gerente da Biblioteca Pública afirma que a abertura da mesma está muito próxima, para que as pessoas voltem a ter oportunidades de obter leituras variadas

ANDERSON CALANDRINI Da Redação

A

leitura sempre foi a forma mais aconselhada por professores para o crescimento educacional dos alunos de todas as faixas etárias, desde o ensino infantil até o superior. Porém, hoje as escolas públicas não contam com um acervo literário rico, em suas salas de leitura, e de forma geral são poucas as bibliotecas presentes no Estado. Tal situação acaba diminuindo a oportunidade de pessoas mais carentes em terem acessos a livros, tanto de literatura nacional, quando internacional. Sem contar que vestibulandos às vezes têm de recorrer a lojas online para conseguir obter uma leitura obrigató-

ria dos certames universitários. Antigamente uma das formas de se obter grandes títulos na Capital era através da Biblioteca Pública, que continha principalmente um grande acervo de obras locais, fato que dava oportunidade a todos em consultar as informações. Porém, há mais de dois anos a mesma encontra-se fechada, situação essa que diminuiu ainda mais a oportunidade a pessoas mais carentes. Hoje, Lulih Rojanski, atual gerente da Biblioteca Pública afirma que a abertura da mesma está muito próxima, para que as pessoas voltem a ter oportunidades de obter leituras variadas. “Nós tínhamos uma data para o mês de março, porém com o atraso na abertura do or-

çamento só agora iniciaremos a etapa final que consiste na compra de mobília”, explicou. Segundo a gerente da biblioteca, desde o mês de abril do ano passado a mesma vem passando por uma reforma que já foi concluída. “A reforma foi iniciada na gestão anterior (2010), porém foi paralisada por problemas de pagamento, pois a empresa responsável (Edifica Engenharia), não estava recebendo o repasse, após a posse do Governador Camilo Capiberibe, o pagamento voltou a acontecer e a empresa voltou a realizar a reforma”, conta. Porém, o tempo que o local passou fechado causou grandes danos tanto aos livros, quanto a mobília, que foram atacados por pragas como cupins e traças. “Por

esse motivo tivemos que recuperar o acervo e fazer o pedido de uma nova mobília”, explicou Lulih. Insatisfação A insatisfação dos usuários foi tamanha que desde 2011 existe um grupo no Facebook, que pede o retorno das atividades da biblioteca. O grupo denominado “Exigimos que o governo reative a Biblioteca Pública de Macapá!” já conta com 2.841 participantes, que além de pedirem o retorno, contam como era a cidade quando o prédio era aberto ao público. Dentre os comentários podemos encontrar: “Que vergonha a Capital de um Estado da Federação Brasileira não ter sua principal biblioteca funcionando. A que ponto nós chegamos com o desinte-

resse, com a educação dos menos privilegiados”. Atualmente Hoje, os amantes dos livros têm de recorrer a outras formas, para conseguirem satisfazer esse bom habito, e esses ocorrem através grupos de leituras e bibliotecas privadas, que fazem alguns projetos para a difusão da leitura. Dentre todas as bibliotecas, a que se destaca mais e a do Serviço Social do Comércio (Sesc), que atualmente conta com quatro projetos, como o Biblioempresa, que leva uma biblioteca móvel para dentro de empresas, que se cadastram, para que os funcionários possam emprestar livros, ou o BiblioSesc, que é uma biblioteca móvel, que semanalmente está

presente em comunidades afastadas, como Fazendinha, Marabaixo e Curiau, levando para esses bairros, livros, que podem ser lidos em um ambiente climatizado. Outra forma de buscar por essas literaturas é através dos “sebos” espalhados pela cidade, que trabalham com venda e troca de livros. Previsão Mesmo com as obras na sua etapa final, Lulih Rojanski afirma que não há uma data precisa para o retorno das atividades. “Nós estávamos trabalhando com uma data em março, porém hoje trabalhamos uma estimativa para o meio do ano, mas ainda não há uma prova concreta”, concluiu a gerente.

SESC-AP realiza ação social no Conjunto do Mucajá Jackeline carvalho Da Redação

O

Complexo Habitacional do Mucajá, durante semanas, foi o assunto mais comentado nas capas dos jornais da cidade. Relatos de assaltos, venda de droga, prostituição, intimidação de síndicos feita pelos próprios moradores. Todas as notícias com carga altamente negativa. Mas dessa vez o

Mucajá não será tema de matéria de cunho pejorativo. O Serviço Social do Comércio (SESC) realizou uma ação social na manhã de sábado no Conjunto habitacional. Sob um sol intenso, serviços como corte de cabelo disponibilizado pelo SENAC, distribuição de preservativos e orientação sobre DST’s, verificação da pressão arterial, jogos recreativos e a presença da

O Dia em Foco FRANCK FIGUEIRA

franckfigueira@jdia.com.br Buracos , buracos e buracos Piadas, montagens, comentários e muita indignação marcaram a semana nas principais redes sociais quando o assunto se trata das condições das ruas e avenidas de Macapá. As nossas vias foram comparadas até com a lua devido as suas enormes crateras. Mas deixando os exageros e brincadeiras de lado, a situação das ruas só tem piorado, e não existe nenhuma frente de serviços quanto a recuperação das vias. GEA e PMM não falam a mesma língua, e somente o município fica encarregado do “pepino”. Mais buracos Vias de grande movi-

mentação como General Rondon, Tiradentes, Mato Grosso, Guanabara, Eliezer Levy, General Osório, Santos Dumont, Hildemar Maia apresentam dificuldades para trafegar. Para os motoristas, não adianta realizar os serviços de recuperação em horários de picos e nem sob chuva. As ações devem acontecer no período noturno. Contudo, se GEA e PMM tivessem realizado os trabalhoss antes do inverno, Macapá não estaria sendo comparada a lua. E a história se repete. Sem acesso Moradores do Parque dos Buritis, Infraero II e Açaí podem ficar isolados por conta da precariedade das principais

Biblioteca móvel do SESC, prestaram atendimento para cerca de 3 mil moradores. Aproximadamente 500 crianças receberam aplicação de flúor e kits de limpeza bucal. De acordo com Nazaré Leitão, coordenadora de assistência, todo mês o SESC realiza a ação social “SESC no seu bairro”, que envolve todos os serviços, no qual acontece o atendimento aos moradores.

vias de acesso aos bairros. A Avenida Carlos Lins Cortes, principal do Infraero II, está praticamente intrafegável, sendo que as vias que cortam a Avenida não oferecem as mínimas condições de tráfego. No bairro Açaí, a situação é ainda mais delicada, e a cada dia que passa, os buracos ganham outras dimensões. Moradores prometem paralisar as passagens como foram de protesto pela morosidade dos serviços da Sub-prefeitura. Reunião Na última sexta-feira, moradores do município de Porto Grande participaram de uma reunião com o Conselho Comunitário de Segurança. Durante a reunião, os moradores cobraram maior participação dos órgãos da segurança público do Estado para o município, que nos últimos dias tem registrado grande índice de criminalidade. O próximo encontro será com representantes da Com-

“Aqui no Mucajá, devido à imagem do conjunto ser sempre associada à violência, conseguimos fazer uma grande ação. Aqui existem famílias trabalhadoras, mães que lutam para criar seus filhos. E todos têm se mostrado satisfeitos”, explica. Um dos serviços mais visitados pelas crianças foi a Biblioteca Móvel, um trailer montado com títulos de assuntos variados. Mas

panhia de Eletricidade do Amapá (CEA), ainda sem data marcada. As cosntantes faltas de energia serão os principais assuntos, um problema diário daqueles munícipes cansados das falhas. PSF O secretário municipal de saúde, Otacilio Barbosa, desmentiu o presidente do Sindicato dos Profissionais do Programa Saúde da Família (SINDPEA), Paulo Martins, quanto às demissões em massa. O desligamento de alguns profissionais tem a ver com orçamento do Programa Federal que é repassado ao GEA e PMM, sendo que o Estado não teria repassado a sua parte a Semsa. E diante das demissões, o secretario confirmou que foram demitidos os profissionais que mantinham vinculo empregatício com outros setores. Já a questão de “curral eleitoral”, Otacílio considerou absurda e sem noção a

o que chamou a atenção dos baixinhos foi a seção de gibis e livros infantis. Para Dineia Gadelha, síndica do bloco 34, é de suma importância que o Mucajá seja visto como um ambiente que não seja apenas lembrado pelo alto índice de violência, e ações como essa serão sempre bem vindas. “A mídia tem relacionado ultimamente o Mucajá com a violência e assalto. Mas as pessoas

afirmação de Martins. Amapá dentro O Ministério da Saúde entregou na última sexta-feira (2), 100 Unidades Odontológicas Móveis (UOMs) a municípios inseridos no Plano Brasil Sem Miséria. A população de 16 estados será beneficiada com veículos (vans) que oferecem gratuitamente tratamento clínico odontológico, além de ações de promoção e prevenção à saúde bucal. Cada UOM tem capacidade para realizar até 350 atendimentos por mês. O Amapá será beneficiado com quatro Unidades, que ficarão nos municípios de Ferreira Gomes, Itaubal, Oiapoque e Calçoene. Abandonada A sede da União dos Negros do Amapá (UNA), localizada no bairro Laguinho, está completamente abandonada. Em toda a sua extensão, o lixo e o mato tomam grande parte da área. Já

precisam saber que aqui moram trabalhadores, pessoas de bem. Os casos de criminalidade são isolados. Precisamos nos sentir incluídos nessas ações que ajudam no desenvolvimento dos moradores”. Nazaré ressalta que o SESC voltará ao longo do ano com a mesma iniciativa no conjunto e diz que é gratificante servir pessoas que precisam ser notados.

as salas e anfiteatros estão com a estrutura comprometida, no qual o teto e paredes apresentam rachaduras, além disso, a fiação elétrica está totalmente danificada. Até o momento o Governo do Estado não anunciou nenhuma reforma para o local. Hoje a UNA sequer oferece condições para a realização de eventos culturais ou sociais. Demora A demora dos coletivos que realiza a linha Brasil Novo/Universidade é uma das aflições para os usuários. A precariedade dos serviços não é novidade para ninguém, mas a qualidade vai mais além. Segundo os passageiros, quando passa o ônibus da linha, logo atrás vem outro coletivo do mesmo itinerário. Pelo visto falta organização e planejamento, aliada a falta de fiscalização da EMTU. Para os usuários, não adianta reclamar porque ninguém toma providencias. Realidade longe de ser resolvida.


JD

Polícia

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

B2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Lojas, postos de gasolina e ônibus estão na mira de assaltantes na capital do AP Transporte coletivo é o mais procurado por quadrilhas de bandidos, principalmente, na zona norte de Macapá

FOTOS HEVERTON MENDES

Estabelecimentos comerciais, postos de combustíveis e transporte coletivo não escapam da ação de bandidos, hoje, na capital. Assaltantes se passam por passageiros e, na 1ª tentativa, rendem todos os ocupantes do ônibus

ALYNE KAISER Da Redação

P

elo menos quatro assaltos foram registrados em ônibus que fazem rotas para a zona norte da cidade nas últimas duas semanas. Cerca de quarenta passageiros de um ônibus da linha Congós/Jardim viveram momentos de pânico

nas mãos de quatro assaltantes que renderam o ônibus nos limites do bairro Pacoval e São Lázaro. Segundo uma testemunha, os bandidos entraram numa parada no bairro Pacoval, sacaram uma arma e anunciaram o assalto. A quadrilha revistava minuciosamente todos os passageiros e consegui-

ram levar vários telefones celulares, jóias e dinheiro. A quadrilha vem agindo nos coletivos no período da noite, hora em que trabalhadores estão se deslocando para suas residências. Na última quinta-feira os bandidos renderam passageiros de um outro ônibus e fizeram a festa. Uma das vítimas teve o salário todo

roubado. “Eu sai do trabalho e fui sacar meu dinheiro, como sempre faço todos os meses. Esses bandidos chegaram e levaram minha carteira com todo o meu pagamento. Não sei o que vou fazer para sustentar minha família”, lamentou um passageiro que não quis revelar sua identidade. A polícia acredita que

os criminosos moram numa área do canal do Jandiá. Uma investigação está sendo realizada para que os bandidos possam parar atrás das grades. Medo A jovem Cristiane Silva, que trabalha o dia todo e estuda a noite disse estar com medo de voltar para casa de ônibus. “Eu esta-

va no ônibus semana passada quando os criminosos chegaram. Eles não querem nem saber de nada. Vão pedindo dinheiro, celular, tudo o que a pessoa tiver na mão. Estou com medo e agora, mesmo não gostando de andar de mototaxi, vou ter que usar esse transporte”, lamentou a jovem.

“Espero que a justiça seja feita”, diz pai de Ramom ALYNE KAISER Da Redação

A

licio dos Santos Silva, pai do jovem Ramom Vasconcelos, encontrado morto no dia 14 de janeiro deste ano numa via do Bairro Jardim Equatorial, esteve pela manhã no estúdio do Programa Edinho Duarte Comunica e disse que espera que a justiça seja feita. Alício informou que a próxima segunda-feira (5), dia em que o inquérito policial instaurado pela Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (Decipe) será entregue na sede do Ministério Público, será a primeira etapa para que a justiça em relação a morte do filho, seja feita. “Ninguém imagina o que minha família está passando. Meu filho foi retirado da gente de uma forma muito brusca. Desde aquele fatídico dia não dormimos direito e lutamos para que os responsáveis pela sua morte sejam punidos”,

disse Alício. Ao vivo, Alício emocionou a todos com as palavras de lembranças do filho. Ramom tinha 21 anos e ia se formar este ano no curso de Arquitetura em uma Universidade Federal. Ele fazia parte de um grupo de jovens da Igreja São Pedro e segundo amigos, não bebia e não saia constantemente. Alício convidou todos os amigos de Ramom para uma missa que será celebrada na semana que vem no Campus da Unifap, no município de Santana. Para lembrar o crime Na manhã de 14 e janeiro, uma menina conhecida de Ramom teria encontrado ele na porta de uma festa que acontecia numa casa de shows no Distrito de Fazendinha. Ela teria pedido a Wellington que o deixasse na casa dele, por que era no caminho da sua. O quarteto entrou no veículo e as duas moças fo-

FOTO ARQUIVO DE FAMÍLIA

ram deixadas em suas residências. Ramom ficaria no caminho de casa e somente ele, o taxista e Wellington estavam no carro. Na chegada ao bairro Jardim Equatorial perguntaram a Ramom onde era sua casa e ele não sabia dizer o local, apenas a cor lilás. Sendo assim, o jovem perguntou se ele saberia ir para casa a partir do ponto em que ele tinha sido deixado, próximo ao local onde o corpo fora encontrado e depois fora para casa com a cabeça tranquila. Já pela manhã Wellington soube do ocorrido com o jovem e entrou em contato com as duas moças que teriam pedido que a carona fosse dada. Politec O diretor da Polícia Técnica Cientifica, Odair Monteiro, informou que Ramom sofreu um traumatismo crânio encefálico e que tinha escoriações pelo corpo.

Homem é flagrado e preso por tráfico em Capanema, no Estado do Pará

FOTO Ascom/PC

Ramom Vasconcelos: morte trágica encerra carreira de arquitetura do jovem de apenas 21 anos

Mulheres assaltam loja na Cidade Nova Sidney Oliveira

FONTE: DIÁRIO DO PARÁ

U

David Medeiros da Silva, de 21 anos, flagrado com cerca de cerca de 250 gramas de cocaína

FONTE: DIÁRIO DO PARÁ

P

oliciais civis da Superintendência Regional da Zona Bragantina prenderam David Medeiros da Silva, de 21 anos, flagrado com cerca de cerca de 250 gramas de cocaína dentro da própria casa, no bairro Almir Gabriel, em Capanema. As informações foram divulgadas no início da madrugada da última sexta-feira. O flagrante foi efetuado

após 20 dias de investigações iniciadas pela chefia de operações da Superintendência. A equipe policial encontrou 42 petecas de cocaína e mais uma quantidade da droga destinada ao fracionamento. O local era usado como laboratório de refino da droga por David que inclusive já havia sido preso em flagrante delito pela prática do mesmo crime, em 2010. O acusado foi apresentado ao delegado Antônio

Ailton Benone Sabbá, titular da Superintendência. Na delegacia, David contou em depoimento que chegava a ter um lucro semanal de R$ 600 com a venda de pasta de cocaína. Revelou ainda que comprava a droga em Castanhal e aumentava a quantidade do produto adicionando ácido de bateria, “barrilha” e cal. A Polícia Civil ainda investigará se David teve participação em dois roubos ocorridos recentemente na cidade de Capanema.

m trio de mulheres invadiu uma loja no conjunto Cidade Nova VI, nas proximidades da S/N 24, em Ananindeua, na tarde de ontem. Uma delas, a jovem Carla dos Santos Barbosa, 18 anos, portava uma arma calibre 38. Ela foi imobilizada por um vizinho que estava nas dependências do estabelecimento, após alguns minutos de luta corporal, em que as outras duas o atacavam com mordidas, ele conseguiu se afastar. As outras duas acusadas de participar do assalto estão foragidas e Carla ficou detida até a chegada dos policiais militares. Segundo o cabo Laranjeiras, que estava na viatura 8103, da 3ª ZPol, que chegou ao local após receber chamado pelo Ciop, Carla estaria imobilizada pelo vizinho e a dona da loja em pânico. “Era ela quem estava com a arma e foi a mais agressiva durante a tentativa de assalto”, contou. A dona da loja, que

Carla dos Santos Barbosa, 18 anos, portava uma arma calibre 38

prefere não se identificar declarou que foram momentos de terror. “Fui agredida física e moralmente. Me xingaram, bateram e levaram mais de cem reais que estava no bolso. Nas sacolas, usadas para depositar lixo, que elas iam utilizar para transportar a mercadoria, já estavam mais de quinze calças jeans e outras peças que somariam quase três mil reais”, disse. A mulher identificou uma das assaltantes como a mesma pessoa que teria

roubado a loja há algumas semanas atrás. O caso foi registrado na Seccional Urbana da Cidade Nova. A princípio, Carla mentiu a idade e o verdadeiro nome, alegando que era menor e que não possuía documentos. Mas os investigadores da Polícia Civil conseguiram chegar ao documento que comprovou o nome e idade da assaltante. Ela foi autuada em flagrante por assalto a mão armada e permanecerá à disposição da Justiça.


JD

DiaDia

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

B3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Carros encalhados na Funai servem como ‘criadouro da dengue’ Segundo informações, o órgão vai promover leilão para que os veículos sejam retirados do local FOTOS HEVERTON MENDES

Edmar Mata, assistente técnico da Funai, que afirmou que diferente do que a população pensa o órgão continua funcionando normalmente apesar dos veículos estarem expostos na área

ANDERSON CALANDRINI Da Redação

Q

uem passa diariamente pela Rua General Rondon, mais precisamente em frente à Basílica de São José depara-se com a situação de abandono que ocorre no depósito da Funai. Local que está tomado por carros velhos, que com o tempo passa a ser um local propício a proliferação da larva da Dengue. Essa situação já perdura a mais de um ano, prova disso são as várias matérias

jornalísticas feitas, pela imprensa local, sobre a situação. A última vez que a equipe de reportagem do Jornal do Dia esteve no local (06/07/2011), não havia nenhuma pessoa para responder a respeito da situação. Nessa semana observando que a situação continua a mesma, a Reportagem voltou ao depósito, porém dessa vez conversou a vigilante, que indicou onde funciona a Funai atualmente. Dessa vez a reportagem foi atendida por Edmar

Mata, assistente técnico da Funai, que afirmou que diferente do que a população pensa o órgão continua funcionando normalmente. “As pessoas ao passarem pelo nosso depósito, na Rua General Rondon, acham que o local é a sede do órgão e começam a especular que o mesmo está abandonado, mas isso não é a verdade, pois as atividades acontecem normalmente aqui no órgão”. Hoje o órgão funciona em cima de uma farmácia, no Bairro Beirol e não tem nenhuma identificação, fato

que pode explicar o fato da população não saber das atividades da Funai. Leilão: Em relação aos carros parados, o representante afirmou que esses estarão sendo leiloados, para que o pátio do depósito seja esvaziado. “E se caso o veículo não esteja em condições de irem a leilão estaremos buscando outras formas para tirá-los do depósito” explicou. FUNAI: Foi criada pela Lei 5.731,

de 05 de janeiro de 1967, vinculada ao Ministério da Justiça, entidade com patrimônio próprio e personalidade jurídica de direito privado, é o órgão federal responsável pelo estabelecimento e execução da política indigenista brasileira em cumprimento ao que determina a Constituição Federal Brasileira de 1988. A FUNAI tem como objetivo principal promover políticas de desenvolvimento sustentável das populações indígenas, aliar a sustentabilidade econômica à sócio- ambiental, promover a

conservação e a recuperação do meio ambiente, controlar e mitigar possíveis impactos ambientais decorrentes de interferências externas às terras indígenas, monitorar as terras indígenas regularizadas e aquelas ocupadas por populações indígenas, incluindo as isoladas e de recente contato, coordenar e implementar as políticas de proteção aos grupos isolados e recém-contatados e implementar medidas de vigilância, fiscalização e de prevenção de conflitos em terras indígenas.

SEMSA contesta as declarações do presidente do Sindppea ANDERSON CALANDRINI Da Redação

O

secretário municipal de saúde, Otacílio Barbosa, rebateu as informações dadas por Paulo Martins, presidente do sindicato que representa os servidores do Programa Saúde da Família (Sindppea), na reportagem do último dia 02. Na declaração, Paulo afirma que as demissões ocorridas no PSF não têm explicação plausível, e levanta a possibilidade do programa ter se tornado “curral eleitoral”. Segundo Otacílio, não existem demissões sem explicação, o desligamento dos servidores municipais é de cunho orçamentário. O PSF é um programa que recebe recursos do Governo Federal, Estadual e Municipal. Porém, desde o ano passado, o Governo do Estado do Amapá (GEA) não repassa sua parte à Semsa. Como o Ministério da Saúde destina um valor fixo, o excedente fica por conta da Prefeitura Municipal de

Macapá (PMM), que por sua vez não dispõe de receita para cobrir a parte de um dos integrantes da tríade. Resultado: corte de servidores. “Não existe isso de ‘curral eleitoral’ no PSF. Se o servidor não está se adequando ao contrato, substituímos por outro. Como no caso de uma servidora que tinha contratos em dois lugares. Mas demissão em massa, não há”, explica o secretário. Outro ponto levantado por Paulo Martins é o destino dos recursos que pagariam os vencimentos dos servidores que foram demitidos. Segundo Paulo, a denúncia se pautou ao fato do Município, por quatro meses após as demissões, ter continuado a receber o valor integral do Governo Federal, dinheiro que deveria ser destinado ao pagamento dos funcionários. De acordo com Jó Pereira, coordenador do PSF, o repasse do Ministério da Saúde não sofre variação caso algum servidor seja

Programa de Desenvolvimento de Fornecedores será apresentado aos empresários no Amapá

A

Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), promove nesta quarta-feira, 29, a apresentação do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores do Amapá (PDF). Economia O programa tem a finalidade de intensificar o desenvolvimento econômico, por intermédio do fortalecimento dos fornecedores do Estado. Ele pretende preparar os produtores para que esse potencial de compra das empresas fique na região e desenvolva

o Amapá. Dessa forma, o programa está baseado em três vertentes, são elas: capacitação, promoção dos fornecedores e apoio junto aos grandes empreendimentos, para que haja um intercâmbio e as compras possam ser feitas no Amapá. Qualificados Na ocasião, a equipe técnica irá mostrar que a presença de fornecedores locais qualificados será uma medida estratégica no intuito de melhorar a competitividade das empresas, assim como a atração de novos investimentos industriais para o Amapá.

desligado do Programa, pois o valor é por equipe de não individual. “Se houver diminuição ou aumento no quadro de servidores, o valor do Governo Federal é o mesmo. No caso de aumento, quem arcar com os vencimentos extras é a PMM. Não há procedência de que o recurso passou 4 meses sem ser repassado aos servidores”, contesta Jó. Para quem só quem acredita vendo, Jó Ferreira (que não é Tomé) afirma que a portaria nº 1.599/11, explica como é feito o pagamento dos servidores e diz que os dados estão disponíveis para análise na SEMSA. PSF O Programa de saúde da Família tem por objetivo trabalhar ações de promoção de saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e agravos mais freqüentes. Tanto as áreas urbanas quanto as rurais, são atendidas pelo programa.

Segundo Otacílio, não existem demissões sem explicação, o desligamento dos servidores de cunho orçamentário

Amapá ganha quatro Unidades Odontológicas Móveis

O

Amapá vai ganhar quatro Unidades Odontológicas (UOMs) que serão doadas pelo Ministério da Saúde. Cerca de 100 Unidades será oferecidos a municípios inseridos no Plano Brasil Sem Miséria. Cada UOM tem capacidade para realizar até 350 atendimentos por mês. A entrega ocorreu na fábrica das unidades que fica localizada em Tatuí (SP) na última sexta-feira. O Ministério da Saúde investiu R$ 15,4 milhões na compra dos veículos e equipamentos e é responsável pelo custeio desses serviços, para o qual o investimento chega a R$ 5,6 milhões por ano. Os municípios contemplados com a entrega das 100 UOMs também receberão um incentivo

financeiro de R$ 3,5 mil para a aquisição de instrumentais odontológicos, como pinças, espelhos e curetas. Os municípios de Ferreira Gomes, Itaubal, Oiapoque e Calçoene serão beneficiados com o programa federal. As UOMs farão o encaminhamento, para os Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs), dos casos que necessitarem de tratamento odontológico mais complexo. No caso das próteses (dentaduras), a parte clínica poderá será feita na própria unidade móvel. Apenas a parte laboratorial será encaminhada aos Laboratórios Regionais de Prótese Dentária. As UOMs contam com um consultório odontológico equipado com ca-

Novas unidades para garantir mais assistência à população

deira odontológica, kit de pontas (conhecido como “motorzinho do dentista”), mocho (cadeira do dentista), refletor, amalgamador e fotopolimerizador (materiais que fazem o preparo dos materiais utilizados nas restaurações dos dentes), raio-X odontológico e autoclave para esteriliza-

ção do material. Além disso, todas as unidades possuem arcondicionado, pia para lavagem das mãos, reservatórios de água, armários para armazenagem de material e, acoplado ao veículo, uma carroceria que carrega um gerador, responsável por fornecer energia ao consultório.


Santana

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

Delegação Fluminense no Amapá: partida amistosa em meados de 1959

B4

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Fatos que marcaram Dia 5 de Março

O primeiro jogo ocorreu no dia 14 de junho, no Estádio Municipal de Macapá

E

m meados de 1959, a seleção oficial do Fluminense Futebol Clube, do Rio de Janeiro (RJ), recebeu um cordial convite da gerência da mineradora ICOMI para participar de algumas partidas amistosas com clubes residentes no então Território Federal do Amapá. Sem colocar qualquer obstáculo, a diretoria do “Tricolor das Laranjeiras” desembarcou em Macapá com sua delegação na manhã do dia 12 de junho daquele ano, com intuito de participar de três certames futebolísticos com times locais: Amapá Clube, Trem Desportivo Clube e Santana Esporte Clube. O clube carioca permaneceria na cidade por 10 dias, tempo suficiente para realização dos jogos marcados. O primeiro jogo ocorreu no dia 14 de junho, no Estádio Municipal de Macapá (atual Estádio Glicério Marques), onde o Fluminense pelejou com o Alvi-negro macapaense (Amapá Clube), saindo o time carioca como vencedor com o resultado final de 3 x 0. A partida consecutiva aconteceu no dia 18 de junho contra o Trem Desportivo Clube, no mesmo estádio, porém, ocorrendo duas anormalidades em campo: a expulsão de um jogador meio-campo do time local e a anulação de um possível gol do jogador Maracá (Fluminense) que ficou inválido por ele está em posição de impedimento, o que foi contrariado pelos

Senador José Sarney: instalada a ALCMS em 1993

O clube carioca permaneceria na cidade por 10 dias, tempo suficiente para realização dos jogos marcados

dirigentes cariocas, mas acabou sendo nulo pelo juiz da partida, que era o desportista Wilson Sena. A partida encerrou com outra vitória para o Tricolor carioca em 2 x 0. A partida final que encerraria a programação de excursão esportiva do time carioca pelo Amapá ocorreu no dia 21 de junho, onde enfrentaria o “Canário Amapaense”. Esse jogo foi tão concorrido pelo público da época que a venda de ingressos foi liberada no mesmo dia que ocorreu o certame contra o time “Ferroviário” do Trem e esgotou sua venda de ingressos um dia antes do jogo final. Pelo time carioca jogavam: Castilho; Jair Marinho e Pinheiro; Edmilson,

Clóvis e Altair; Marinho, Telê, Valdo, Jair Francisco e Romeu. Enquanto jogavam pela seleção santanense: Vasconcelos, Aristeu II e Varela; Joãozinho, Maranhão e Olivar; Lacerda, Wlademir, Toinho, Zeca Santos e Vavá (este substituído por Bandeira). Sob a arbitragem do paraense Francisco Lima, o jogo iniciou com um gol formulado pelo jogador Vavá (Santana) em favor de seu time, mas a partir daí não tiveram outras chances mais fáceis durante a partida, deixando os convidados efetuarem 04 gols ainda no primeiro tempo do jogo. No placar final estaria o único tento para o “Canário” e quatro para o Fluminense. Historicamente, esse

jogo foi registrado com o maior público de arquibancada do estádio macapaense daquela década, onde acredita-se que mais de 3 mil pessoas tenham comparecido ao estádio macapaense naquele dia. E outro fato histórico que também marcaria essa ilustre visita da delegação carioca nas terras tucujus foi o fato de que o Santana Esporte Clube foi o único dos três times que jogaram com o Fluminense que ainda conseguiu um gol durante as partidas, algo que nem mesmo os maiores clubes do Norte Brasileiro conseguiram fazer quando o Tricolor excursionou os Estados nortistas naquele ano de 1959. (Emanoel Jordânio)

Cumaú: A lendária e pioneira fortificação do Amapá

O

interesse de países europeus em colonizar o que hoje são terras amapaenses registra-se no início do século XVII. Os principais grupos de invasores eram formados por britânicos (Inglaterra) e holandeses. Entre as diversas fortificações construídas por esses invasores destaca-se o Forte do Cumaú (Camaú), localizado na Ponta da Cascalheira, à margem esquerda do Rio Amazonas, na antiga Província dos Tucujus, cerca de 15km de Macapá, atual Estado do Amapá. Uma Companhia inglesa presidida pelo Duque de Buckingham, envia à região do Rio Amazonas uma pequena expedição comandada por Roger Fray que, em 1632, chega à foz do Amazonas, vindo a construir um reduto fortificado, denominado Forte de Cumaú, artilhado com sete peças. Esta fortificação foi erguida com a ajuda de índios Nheengaybos, Aruans e Tucujus, e destinava-se ao armazenamento de drogas do sertão (gêneros de consumo alimentício). Com a reação luso-brasileira devido às constantes invasões estrangeiras na região amazônica, um grupo contendo viajantes indígenas e europeus, constituídos em uma nau (pequena catraia) e dois patachos (embarcação maior), se dirigem ao Forte de Tauregue (erguido no baixo Rio Vila Nova), mas logo são informados do domínio desse Fortim, obrigando os viajantes europeus a retornarem à Inglaterra. No entanto, um dos pa-

1953 – Rio de Janeiro (Capital Federal). Em audiência com o ministro Dr.º Souza Lima (Viação e Obras Públicas), o governador do Território do Amapá, Capitão Janary Nunes, acompanhado do deputado federal Coaracy Nunes, solicita que seja encaminhado ao Presidente da República Getúlio Vargas, o contrato de concessão da estrada de ferro entre as minas manganíferas de Serra do Navio e o futuro Porto de embarque de minérios, a ser levantado em Santana. 1980 – O Governo do Amapá e a Caixa Econômica Federal (CEF) assinam convênio para a aplicação de recursos do Programa Especial de Módulos Esportivos (PEME), destinado à implantação de uma unidade de Módulo Esportivo na Vila Dr. Maia, em Santana. 1992 – Iniciado o período letivo na rede municipal de ensino em Santana com 4.915 alunos matriculados. Na solenidade de abertura das aulas, realizado na sede social do Independente Esporte Clube, os alunos recebem materiais e uniformes gratuitamente (incluindo kit completo de material escolar e 01 camisa da escola). Os materiais são doados para alunos de pré-escolar à 8ª série. 1993 – No Teatro das Bacabeiras, por ocasião da 16ª Reunião do Conselho Administrativo da Suframa, é oficialmente instalada a Área de Livre Comércio de Macapá e Santana (ALCMS), projeto de autoria do Senador José Sarney (PMDB), aprovado na Câmara e Senado Federal.

Forte do Cumaú (Camaú), localizado na Ponta da Cascalheira, à margem esquerda do Rio Amazonas

tachos, que levava em torno de 40 tripulantes (em sua maioria, doentes) dirigia-se ao Forte de Cumaú na tentativa de obter auxílio. Informado dessa movimentação, o Capitão-mor Feliciano Coelho de Carvalho instrui os capitães Ayres de Sousa Chichorro e Pedro Baião de Abreu que, à frente de um destacamento com 30 soldados e 250 índios flecheiros tucujus, seguiram em canoas ao Fortim. Em 09 de julho de 1632, o Capitão Pedro Baião, com 10 soldados e todos os índios flecheiros atacaram o Forte de Cumaú e em poucas horas obtém a rendição do mesmo, na ausência do Capitão Ayres de Chichorro que ficou incumbido de informar da situação a Feliciano Coelho. No domínio do Cumaú, percebeu-se que seu Co-

mandante, Roger Fray, na o se encontrava na fortificação, ou seja, no dia anterior, havia deixado o local em uma pequena nau, seguindo em busca de um reforço de 500 homens que viriam da Inglaterra, ajuda pela qual jamais chegou. Sem saber que seu Forte havia sido dominado por forças estrangeiras, Roger Fray retorna em sua nau. Porém, no dia 14 de julho (1632), no litoral amapaense, o Comandante inglês é abordado pelo Capitão Ayres Chichorro, onde travam uma violenta luta, culminando na morte em combate do Comandante Roger Fray. Com esse episódio, encerram-se as pretensões britânicas de estabelecer-se na Amazônia, em especifico, sob terras amapaenses. Ao receber tais informações do ocorrido, o Capitão-mor Feliciano Coelho

ordena que o Forte de Cumaú seja destruído, juntamente com sua artilharia, inclusive a nau de guerra adquirida pelo Comandante do Fortim durante seus poucos contatos com a civilização amazônica. No ano seguinte (1633), as autoridades luso-brasileiras são informadas de que o Comandante Roger Fray recebia constantes materiais de guerra (munição, armamento), enviados pelo Conde de Brechier, da Inglaterra, na qual pretendia, à sua custa, fundar uma povoação inglesa nos arredores do Forte de Cumaú. Já o Capitão Ayres de Sousa Chichorro, por sua vez, em 17 de março de 1637, foi promovido pelo Governo do Grão-Pará ao cargo de Capitão-mor por ato de bravura e coragem na retomada do Forte de Cumaú. (Emanoel Jordânio)

1996 – Desembarca no Aeroporto Internacional de Macapá, uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), trazendo equipamentos para montagem do circo-escola de Santana, projetado pela Secretaria Municipal de Cultural, Desporto e Lazer de Santana (Semcdel). À princípio, o grande local para montagem do referido circo-escola do município seria atrás do Ginásio Poliesportivo de Santana. 2000 – Eleita a nova diretoria da Associação de Moradores do Bairro Fonte Nova (AMBFN), onde 03 chapas (amarela, vermelha e branca) concorreram ao pleito. No final, a chapa “Força Popular” (amarela), encabeçada por Ana Cristina Medeiros, vence por 372 dos 697 votos totalizados na entidade.

2005 – A Prefeitura Municipal de Santana, através do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Santana, realiza a “Caminhada pela Cidadania da Mulher”, reunindo centenas de participantes de vários segmentos institucionais e da sociedade civil organizada de Santana. O Conselho Municipal de Santana é presidido por Rute Bilby. 2008 (1) – Por determinação da Superintendência de Transportes e Trânsito de Santana (STTrans), é instalado um sistema de sinalização no cruzamento da Rua Ubaldo Figueira com a Avenida Princesa Isabel, como forma de melhorar o tráfego nesse trecho. O sistema conta com 02 semáforos aéreos e faixas para pedestres. 2008 (2) – A coordenadoria municipal do Programa “Bolsa Família” em Santana, convoca os beneficiários que residem nos bairros Elesbão, Delta, Vale das Bênçãos, Matapí-Mirim e Piçarreira, para fazerem seu recadastramento. Até esta data, em torno de 14 mil famílias santanenses estão beneficiadas no Programa, mas somente 9.000 estão regulares. O recadastramento ocorre no Comercial Aires, no bairro do Delta. 2008 (3) – Encerrando a programação da Semana Municipal da Mulher em Santana, iniciado no dia 03 de março corrente, é reativado o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Santana, que estava sem atividades há mais de 03 anos. A nova presidente do Conselho é Ana Sanches. 2009 – Ainda como parte da programação para marcar a “Semana Municipal da Mulher”, em Santana, a Secretaria Municipal de Saúde de Santana (Semsa), promove o APITAÇO, com o objetivo de chamar a atenção da comunidade santanense quanto às questões relacionadas ao combate à violência, discriminação e saúde da mulher. A mobilização acontece no cruzamento da Rua Cláudio Lúcio Monteiro com Avenida Santana, às 08hs da manhã. No mesmo dia, ocorre no auditório da Casa Brasil de Santana, uma palestra proferida pelo Juiz da 1ª Vara Cível de Santana Augusto Leite, com a participação da então secretária estadual de Políticas da Mulher Ester de Paula, onde debatem sobre a aplicabilidade da Lei “Maria da Penha” e a atual relação do poder feminino junto à sociedade santanense.


CadernoC

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Danilo e Liedson estão vetados para o jogo de hoje, e Adriano deve ser titular

Com a ausência do camisa 9 corintiano, é provável a escalação de Adriano como titular no clássico da Vila Belmiro para o clássico, Alessandro também é dúvida para o clássico. O lateral direito e capi- tão corintiano apenas correu ao redor do gramado nesta sexta-feira e não participou do rachão e treino de finalizações com os demais companheiros. Calendário Com tantas dúvidas, Tite chegou a mostrar contrariedade com a data do clássico, que antecede partidas do Corinthians e do Santos na Taça Li-

O

técnico Tite tentou esconder a escalação do time que enfrentará o Santos, no domingo, mas acabou vetando a escalação de três dos seus titulares: Liedson, Danilo e Leandro Castán. “Liedson e Danilo estão fora do jogo, [vetados] pelo departamento físico”, disse

o técnico corintiano, a n t e s de reclamar das perguntas sobre a escalação: “Vocês parem de me apertar”. Com a ausência do camisa 9 corintiano, fica ainda mais provável a escalação de Adriano como titular no clássico da Vila Belmiro, vá-

lido pela 12ª rodada do Campeonato Paulista. Já a ausência de Leandro Castán foi confirmada pelo comandante corintiano na saída da sala de entrevistas coletivas do clube, no CT Joaquim Grava. Diante da pressão dos repórteres, Tite sorriu e soltou o nome do terceiro ve-

tado, Leandro Castán, como uma tentativa de ir embora do local. O zagueiro sofreu uma pancada na panturrilha direita no jogo contra a Portuguesa, pela décima rodada do Estadual, e desde então não entrou mais em campo. Além do trio já vetado

Ronaldinho não treina novamente; González é testado entre titulares no Fla

DIVULGAÇÃO

bertadores. “Toda equipe que consegue uma classificação para Libertadores, que deem a ela uma condição de trabalho melhor. Faça um jogo que antecede [a uma partida da] Libertadores em casa. Não é benefício para alguém, é um crescimento em termos de organização.” Após o clássico de domingo, os dois times paulistas entram em campo pela Libertadores. Na próxima semana, o Santos enfrenta o Inté e o Corinthians encara o Nacional (PAR) na quarta-feira. DIVULGAÇÃO

Adriano comemora gol durante treino do Corinthians

Botafogo muda de casa e tenta abandonar irregularidade em São Januário DIVULGAÇÃO

Bahia foi o último rival que o Botafogo enfrentou em São Januário González treinou na vaga de Welinton e deve fazer sua estreia pelo Fla hoje

A

s alterações programadas para o meiocampo em função de jogadores lesionados e suspensos não serão as únicas no Flamengo para a partida deste domingo, contra o Duque de Caxias, às 18h30, em Macaé. Com a documentação regularizada e de volta da seleção chilena, o zagueiro Marcos González treinou entre os titulares nesta sexta-feira, no estádio Moacyrzão, e pode ser outra novidade rubro-negra para a partida pela Taça Rio. O jogador, que atuou na última quinta-feira pelo

Chile, deixou o cansaço de lado, treinou na vaga de Welinton e mostrou que pode fazer sua estreia pelo time da Gávea já no domingo. Enquanto isso, Ronaldinho Gaúcho, companheiro de viagem do chileno e que jogou pela seleção brasileira na terçafeira, alegou uma pancada na perna direita no amistoso contra a Bósnia para não participar de mais um treinamento do Flamengo. Apesar de poupado da atividade da tarde desta sexta, o craque, que desembarcou em Macaé na parte da manhã, não será

problemas para o jogo contra o Duque de Caxias. Se por um lado Ronaldinho está confirmado, o técnico Joel Santana terá outros problemas para escalar o time. Renato Abreu, suspenso, e Léo Moura, Airton e Willians, lesionados, estão fora da partida. Novidades no meio Com as ausências confirmadas, o treinador testou algumas possíveis mudanças no meio campo do Flamengo. Luiz Antônio, que pode voltar ao time, e Camacho foram as novidades. Bottinelli, que não

esteve bem nos últimos jogos, treinou entre os reservas no coletivo realizado no estádio Cláudio Moacyr de Azevedo, em Macaé. Caso não confirme as opções testadas nesta sexta e não promova nenhuma grande mudança no time titular, Joel Santana deve confirmar o Flamengo para encarar o Duque de Caxias com Felipe; Galhardo, Marcos González, David Braz e Júnior César; Muralha, Luiz Antônio, Camacho e Ronaldinho Gaúcho; Deivid e Vagner Love.

Sem quatro dos cinco volantes do elenco, Leão terá de quebrar a cabeça para armar o time

O

técnico Emerson Leão terá problemas para escalar seu meio de campo para o duelo contra o XV de Piracicaba, domingo, pela 12ª rodada do Campeonato Paulista. Dos cinco volantes que têm à disposição no elenco, o treinador tricolor conta apenas com o jovem Rodrigo Caio para o jogo no interior paulista. Além de Wellington e Fabrício, ambos no departamento médico, Leão ganhou os desfalques de Denilson e Casemiro. A dupla de volantes titular levou o terceiro cartão amarelo na vitória por 3 a 0 sobre o Guaratinguetá e está fora de combate. “Vou quebrar a cabeça de

novo para saber aquilo que vou fazer. Temos cinco volantes no elenco, com quatro eu não posso contar e o outro é do juvenil. Tenho que improvisar de novo”, disse Leão. Contra o Guaratinguetá, Rodrigo Caio, de apenas 18 anos, atuou na lateral direita, pois Piris não pôde jogar por conta de um desconforto muscular na coxa esquerda. “Esperamos que o desconforto de última hora do Piris seja resolvido e assim ajude um pouco”, disse o treinador. Se Piris tiver condições de atuar, Rodrigo Caio deve jogar em sua posição de origem com Cicero ou Maicon ao lado. “Estou preparado e com a consciência

DIVULGAÇÃO

O jovem Rodrigo Caio será o único volante de ofício no jogo pelo SP

boa. Estarei à disposição do treinador”, disse o jovem Rodrigo Caio. “O Rodrigo Caio tem qua-

lidade e, se entrar no meio de campo, vai ajudar bastante”, afirmou o titular Denilson.

H

oje, contra o Volta Redonda, o Botafogo não poderá jogar em sua casa, já que o Engenhão receberá um festival de música. Com boa relação com o Vasco, o Alvinegro manda seus jogos em São Januário sempre que necessário. Em 2011, isto ocorreu em três oportunidades, mas o retrospecto recente não é nada animador: uma vitória, um empate e uma derrota, o que representa quatro pontos conquistados em nove possíveis. Durante a Taça Rio de 2011, o Glorioso, praticamente eliminado, enfrentou o América precisando de uma combinação de resultados para chegar às semifinais. Neste momento, o time da estrela solitária fez sua parte, venceu por 3 a 1, mas acabou desclassificado da competição. Na sequência, o time então comandado por Caio Júnior não pôde utilizar o Engenhão devido aos Jogos Mundiais Militares e, mais uma vez, recorreu ao estádio do rival. Os botafoguenses compareceram em um bom número para presenciar a estreia de Renato contra o líder Corinthians, pelo Brasileirão. Entretanto, os cariocas foram dominados e derrotados por 2 a 0. O último jogo disputado em São Januário ocorreu no segundo turno do último Brasileirão contra o Bahia, já que o Estádio Olímpico João Havelange foi ocupado pelo ídolo

teen Justin Bieber. O adversário abriu o placar com Souza, o Botafogo virou com gols de Caio e Alex, mas Marcelo Mattos cometeu pênalti em Fahel. E Souza, mais uma vez, deu números finais à partida. Alheio ao retrospecto irregular, o lateral direito Lucas elogiou o estádio vascaíno. Segundo o jogador, as dimensões do campo de São Januário são parecidas com as do Engenhão e isso favorecerá o Botafogo. “O campo é excelente. Parecido com o do Engenhão. É claro que é a nossa casa e tem uma atmosfera diferente. São Januário é bom de jogar, vai possibilitar tocar a bola e sair no contra ataque rápido também”, disse para comentar sobre a necessidade de vencer os considerados pequenos. “A Taça Rio é mais disputada. Todo mundo está tendo que correr atrás e teremos dois clássicos nesse turno. É fundamental vencer esses primeiros jogos, conquistar o máximo de pontos contra os pequenos para quando pegar os grandes ter a possibilidade de estar na frente. Temos que pensar dessa forma para ter tranquilidade”, afirmou. O Botafogo enfrenta o Volta Redonda neste domingo, às 16h, em São Januário. Com 3 pontos, o Alvinegro é líder do Grupo A, com a mesma pontuação de Resende e Nova Iguaçu.


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

C2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Pérez foi o mais rápido ontem em Barcelona Mexicano fez o melhor tempo entre todas as sessões realizadas no circuito em 2012

S

ergio Pérez fechou a manhã de ontem na liderança no penúltimo dia de testes de prétemporada da F1, realizados em Barcelona, na Espanha. Em uma simulação de volta de classificação, quando usou pneus supermacios e fez apenas um giro lançado, o mexicano virou em 1min22s094, o melhor tempo em todas as sessões realizadas no circuito em 2012. Pérez superou Daniel Ricciardo, da Toro Rosso, que, também simulando classificação, ficou a 0s061 do líder. As duas marcas mais velozes foram feitas na hora final da primeira parte da sessão, próximo às 12h20 locais (8h20 de Brasília). Felipe Massa, que comandou a tabela de tempo em praticamente toda a manhã, acabou com o terceiro tempo, 0s3 mais lento que Pérez. A marca do ferrarista, obtida às 11h locais, também se deu com pneus supermacios e em um trecho de apenas uma volta. Nas mesmas condições de pneus, Paul di Resta colocou a Force India na quarta posição, à frente de Bruno Senna, da Williams, que passou parte do treino no segundo posto. Já Heikki Kovalainen colocou a Caterham em uma pro-

missora sexta posição, meio segundo atrás dos líderes. Consideradas as favoritas neste início de temporada, Red Bull e McLaren tiveram desempenhos discretos na manhã de sábado. Estreando um novo pacote aerodinâmico no RB8 (que inclui um novo escapamento e novas asas dianteira e traseira), Mark Webber ficou com o sétimo tempo, a 0s568 de Pérez. No giro, obtido instantes antes da pausa oficial para almoço, o australiano calçava pneus macios. Já Jenson Button foi apenas o nono, tendo completado 17 voltas. O campeão mundial de 2009 saiu apenas três vezes da garagem, sendo que seu melhor tempo veio na terceira volta de uma sequência de oito. Entre Webber e Button ficou Nico Rosberg, da Mercedes, que foi o piloto que mais andou na manhã, com 63 voltas. Kimi Raikkonen, que retorna ao cockpit da Lotus pela primeira vez desde 8 de fevereiro, ficou na última posição da tabela de tempos. O finlandês passou boa parte da sessão nos boxes com problemas no sistema de direção do modelo E20. A sessão da manhã deste sábado não teve interrupções por bandeira verme-

DIVULGAÇÃO

Sergio Pérez, da Sauber, em Barcelona (Andrew Ferraro/LAT Photographic)

lha. No momento da pausa para o almoço, a temperatura no circuito de Barcelona estava em torno de 15º C, com sol na região. O treino será encerrado às 17h locais (13h de Brasília). Testes coletivos/dia 3 –

Barcelona (sessão da manhã): 1º. Sergio Pérez (MEX/ Sauber-Ferrari), 1min22s094 (49 voltas) 2º. Daniel Ricciardo (AUS/ Toro Rosso-Ferrari), a 0s061 (50) 3º. Felipe Massa (BRA/ Ferrari), a 0s319 (48)

Pitbull mantém irregularidade e é finalizado por dinamarquês no UFC on FX 2

T

hiago Alves segue sem conseguir repetir as sequências vitoriosas de outros tempos. Atração principal do UFC on FX 2, disputado nesta sexta-feira em Sydney, na Austrália, o brasileiro acabou dominado pelo dinamarquês Martin Kampmann e perdeu por finalização ao levar uma guilhotina. Pitbull vem de uma série de altos e baixos desde que perdeu a decisão do título dos meio-médios para Georges St. Pierre, em 2009. Foi a quarta derrota do brasileiro em seis lutas, desempenho que contrasta com a avassaladora sequência de sete triunfos que Alves manteve entre 2006 e 2008. Alves procurou a trocação durante o primeiro round, enquanto Kampmann tentou levar a luta para o chão. O dinamarquês acertou bom golpe na cabeça e fez o brasileiro balançar, mas Pitbull mostrou poder de recuperação e terminou a parcial montado sobre o rival. O segundo round foi extremamente equilibrado. Kampmann passou a se arriscar na trocação e acertou boa sequência sobre Pitbull. O brasileiro teve dificuldade diante da maior velocidade do adversário e não teve grande eficiência nos golpes.

DIVULGAÇÃO

Thiago Alves sofreu sua quarta derrota em seis lutas e manteve irregularidade

Ambos os atletas buscaram a trocação no início do terceiro round, com Kampmann se esquivando bem dos golpes do adversário. Pitbull tentou levar o adversário para o chão, mas Kampmann reverteu rapidamente a situação e, com uma guilhotina, obteve a finalização. Comissários erram e luta do GP dos moscas é anulada; McCall e Johnson farão novo combate Um erro inexplicável marcou o UFC on FX 2, que aconteceu na noite do último sábado, em Sydney, Austrália. Os comissários responsáveis pelas cartelas de pontos das lutas erraram a soma do combate entre Demetrious Johnson e Ian McCall. Dessa forma o

Toque de Primeira Antonio Luiz alpcampos@hotmail.com Positivo Diretoria do Trem trabalhou sério para o jogo contra o ABC/RN. Inclusive, os ingressos já estão à venda na sede do clube e no Salão Itamaraty.

do fim. Resta aguardar!

Negativo Barcelona ainda joga o fino da bola. Disparado, o melhor futebol do mundo. Porém, fica a impressão que iniciou o começo

Trembala Locomotiva faz coletivo este domingo no Glicerão e apronto na segunda. ABC à vista!

Esperança Secretário da SEDEL, Luis Pingarilho, confia que o Zerão reinaugure no final de maio.

Parazão

resultado da luta entre os dois foi anulado e eles terão de se enfrentar novamente. Esse era o primeiro combate da noite do mini-GP dos moscas, que vai definir o campeão da nova categoria do Ultimate. Depois de uma luta muito equilibrada, a soma dos pontos apontava para um empate – o que levaria para um round extra, uma novidade para essa disputa. Mas por conta de um erro na soma dos comissários, foi dada vitória em decisão dividida dos juízes para Demetrious Johnson.

luta seria empate, e um novo round teria de ser feito logo após a abertura das notas dos árbitros. Como isso não foi feito, o resultado oficial é empate, e um novo combate entre entre Johnson e McCall será marcado”, explicou Dana White, presidente do UFC, nitidamente irritado.

“Aconteceu um erro inacreditável feito pela comissão, e o resultado dos juízes foi somado de forma errada. O resultado final da Papão x São Francisco e São Raimundo x Leão fazem a festa marajoara deste domingo. São Paulo Adenos Gameleira seleciona técnico para o tricolor da Zona Norte. Padeirinho está zen! Vôlei Sub-17 Campeonato Amapaense começa dia 8 de março e reúne jovens em formação esportiva. Mengão Encara este domingo o Caxias e depois uma série decisiva na Libertadores e Cariocão.

Copa do Brasil ABC chega 3ª feira e Luis Paulo Pina é o responsável pela logística em solo amapaense. Copa do Brasil I Campeão potiguar fica hospedado no Ceta Ecotel e terça-feira à tarde treina na AABB. Santos x Timão Clássico na Vila reúne Muricy e Tite, técnicos em alta e com estilo retranqueiro. Égua! Judô Para Todos FAJ entregou material em 06 núcleos de Santana. Alegrou 300 crianças e

4º. Paul di Resta (ESC/ Force India-Mercedes), a 0s352 (45) 5º. Bruno Senna (BRA/ Williams-Renault), a 0s386 (36) 6º. Heikki Kovalainen (FIN/Caterham-Renault), a 0s536 (44) 7º. Mark Webber (AUS/

Red Bull-Renault), a 0s568 (46) 8º. Nico Rosberg (ALE/ Mercedes), 0s838 (63) 9º. Jenson Button (ING/ McLaren-Mercedes), a 1s315 (17) 10º. Kimi Raikkonen (FIN/ Lotus-Renault), a 3s526 (17)

Splitter anota nove pontos em vitória do San Antonio sobre o Charlotte na NBA

O

pivô brasileiro Tiago Splitter começou no banco de reservas, mas entrou no decorrer da partida e anotou nove pontos na vitória em casa do San Antonio Spurs por 102 a 72 sobre o Charlotte Bobcats, válida pela temporada regular da NBA (liga profissional norte-americana de basquete). Splitter atuou por aproximadamente 21 minutos e ainda contribuiu com cinco rebotes. O cestinha do time do Texas e do jogo foi o armador francês Tony Parker, com 15 pontos. Tim Duncan e Richard Jefferson, também do San Antonio, anotaram 14, mesmo número que Corey Maggette e Boris Diaw, melhores marcadores do time visitante. O triunfo mantém a boa fase do San Antonio, que é o segundo colocado da Conferência Oeste, com 25 vitórias e 11 derrotas. O líder é o Oklahoma City, com 29 vitórias e sete derrotas. O Charlotte faz péssima campanha e é o último colocado da Conferência Oeste, com quatro vitórias e 30 derrotas. Em outro jogo da rodada com presença de atle-

adolescentes. Judô Para Todos I Clube Ronildo Nobre, Clube Makoto, escolas e entidades receberam o valioso material. Arena Corinthians Ótimo andamento das obras enseja tijolo festivo e um dia de trabalho braçal da galera. São José Vicente Cruz analisa o cenário econômico para definir sobre o tricolor no Amapazão. Santana Clube Este domingo tem eleição

ta brasileiro, o Toronto Raptors foi derrotado, em casa, pelo Memphis Grizzilies, por 102 a 99. O armador Leandrinho começou no banco do time canadense e contribuiu com 13 pontos, duas assistências e dois rebotes. Sua equipe segue mal colocada e é apenas a 11ª da Conferência Leste, com 11 vitórias e 24 derrotas. O Memphis é o quinto da Conferência Oeste, com 21 vitórias e 15 derrotas. Time com mais vitórias até agora na competição, o Chicago Bulls passou fácil pelo Cleveland Cavaliers, por 112 a 91. O brasileiro Anderson Varejão, lesionado, não jogou pelo Cleveland. O Chicago lidera a Conferência Leste com 30 vitórias e oito derrotas. O Cleveland é o décimo, com 13 vitórias e 21 derrotas..

no canário e Aristeu Valente é forte candidato a presidente. Promessódromo Diretoria do Inter/RS assegurou inúmeras vezes que o Beira-Rio sediará a Copa 2014. Pomessódromo I Obras paralisadas há 250 dias e um ano de protelações afastam o colorado MARCOS MONTEIRO do mundial. Você Saia Que os times brasileiros são os que mais valem na Libertadores. Só o Santos vale R$ 312 milhões. Falta só jogar bola!


JD

Atualidades

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

Veja como voltar à forma depois do parto, sem neurose Depois do parto o corpo quer emagrecer, é natural que volte ao peso anterior, mas você também não pode fazer de tudo para impedi-lo

L

ogo depois de ter dado à luz, a mulher comum vê notícias sobre alguma celebridade que surgiu magérrima semanas após o parto. A reação à foto é dúbia. De um lado, há a desconfiança de que a famosa amamente montada na bicicleta ergométrica. De outro, inveja ao pensar que ela mesma vai demorar meses antes de se reencontrar com o jeans favorito. “Emagrecer é mais difícil para as novas mães por conta do contexto social”, diz a nutricionista Cynthia Antonaccio, da Equilibrium Healthy Food. Ela enumera: a licença-maternidade, que põe a mulher o dia inteiro perto da geladeira, o hábito de comer a sobra de comida que a criança deixa, as festas infantis e a falta de tempo para exercícios são alguns sabotadores da volta à silhueta. Há “excesso de autoindulgência” no comportamento das novas mães, diz Andrea Santa Rosa, membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Institute for Functional Medicine (EUA). “Muitas mulheres usam a gravidez ou a amamentação como justificativa para fazer atrocidades alimentares que elas não se permitiriam em outras fases da vida. Depois do parto o corpo ‘quer’ emagrecer, é natural que volte ao peso anterior, mas você também não pode fazer de tudo para impedi-lo”, diz. Para a apresentadora An-

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Dicas de Saúde Quer emagracer

Mastigar Bem Emagrece

DIVULGAÇÃO

Um estudo chinês concluiu que uma melhor mastigação de alimentos pode reduzir em até 12% da quantidade que comemos. Mastigação parece ter alguma influência sobre os hormônios do intestino e da saciedade. O impacto que isso teria sobre o nosso peso e a nossa saúde é importante o suficiente para que mudemos nossa mastigação. Em primeiro lugar, observou-se que os indivíduos independentemente de estarem obesos ou não, quando foram instruídos a mastigar mais vezes os alimentos (quarenta vezes em vez de quinze), foi visto que ingeriram menos alimentos. Diminui-se as calorias em 12% , o que é, sem dúvida, uma quantidade significativa. Os pesquisadores puderam ver que quando mais o alimento é mastigado mais aumenta a quantidade do hormônio CCK no sangue dos participantes, um hormônio que tem o efeito de redução do apetite. Pelo contrário, reduzindo a quantidade de grelina, um hormônio que estimula o apetite. O efeito combinado de ambos poderia ser, talvez, a causa da redução de 12% da quantidade que comemos.

Dietas desintoxicantes. Não acreditem nisso! gélica, que voltou ao seu peso (53 quilos) seis meses após o nascimento do segundo filho, o segredo é o equilíbrio. “As prioridades mudam. Você passa a se preocupar mais com o bebê, a madrugada é pontuada por mamadas, você não dorme muito bem, fica com menos disposição nessa fase. Tudo tem seu tempo”, diz ela, que fez drenagem linfática até no dia do parto e muita dieta e malhação logo depois. A mulher que ganhou entre nove e 12 quilos na ges-

tação deve recuperar o peso anterior em cerca de seis meses. Quem engordou mais pode levar até nove meses para perder os quilos extras, segundo o obstetra Paulo Martin Nowak, da Unifesp. O ideal para emagrecer com saúde nessa fase é perder até um quilo por semana, segundo a nutricionista Cynthia Antonaccio. Quem manteve o peso adequado na gestação e se alimentou bem pode perder os quilos extras só com o gasto calórico do aleitamento. É o caso de Amanda

Agostini, 28. Dois meses após a chegada de sua filha, a publicitária já havia recuperado seu peso. Na gravidez, ganhou só os dez quilos recomendados e fez caminhadas. Hoje, três meses depois do parto, não faz dieta. Seu único exercício é passear com a filha pelas ruas do bairro. Tanta facilidade, no entanto, foi possível porque antes da gravidez Amanda corria e nadava: “Agora fico cansada só de pensar em exercício. Quando tenho tempo livre quero mais é descansar”.

Estudo rebate ideia de que idosos dormem mal

A

o contrário do que se propaga, os idosos têm uma boa noite de sono e dormem melhor que os jovens das faixas etárias de 18 a 24 anos, diz um novo estudo. Os 150 mil adultos que participaram dos testes, cuja idade variava dos 70 aos 80 anos, relataram poucas reclamações sobre distúrbios do sono. Segundo um dos autores da pesquisa, a ser publicada na edição deste março da revista “Sleep”, o sono parece melhorar conforme a idade avança. Os resultados da pesquisa sugerem que a perda de sono não poderia ser caracterizada como um processo normal do envelhecimento, lembra Michael Grandner, que coordenou o trabalho

C3

e integra o Centro para o Sono e Neurobiologia Circadiano da Universidade da Pennsylvania. Por telefone, as pessoas tinham que responder sobre a frequência com que tinham experimentado um distúrbio do sono ou uma sonolência durante o dia nas duas semanas anterio-

res. “Em mulheres, você vê claramente um aumento tanto nos distúrbios do sono quanto no cansaço diurno [durante a meia-idade]”, conta Grandner. Ele acredita que esses sintomas são efeitos dos estágios da menopausa. No caso dos homens,

lembra, esses sinais acontecem mais vezes durante o auge da carreira e picos de estresse aos 50 anos. São eles que também integram o grupo com maior risco de ter apneia e outros problemas de saúde. Grandner acrescenta que os idosos mais saudáveis dormem melhor ainda.

T

odo ano é a mesma conversa. Por isso, nós também somos obrigados a ser repetitivos. Alertar sobre os absurdos que se dizem a cerca da desintoxicação. Festas de final de ano, carnaval ou qualquer período de abuso de alimentos e bebida alcoólica são os períodos de maior risco das pessoas se exporem a dietas que pregam a limpeza do organismo. Não caia nessa cilada, pois ela é muito mais arriscada do que todo o abuso cometido previamente. Inicialmente essas dietas eram sutis, citadas de maneira rápida em discursos subjetivos que propunham eliminar toxinas. Mas não passavam de dieta líquida, com o objetivo de hidratar o corpo após períodos de ingestão alcoólica pesada e exageros alimentares. Apesar de não convencerem, causavam no máximo um quadro de fraqueza. Posteriormente, elas foram se tornando mais invasivas e perigosas. Passaram a pregar longos períodos de ingestão líquida, interromper ou aumentar a ingestão de sal, usar laxativos potentes sob a designação de naturais, capazes de impor ao corpo uma perda enorme de água e eletrólitos. Como se não bastasse, a ousadia dessas dietas foi além, pois passaram a incluir várias sessões diárias de lavagem intestinal, que deram o nome de hidroterapia do cólon. A alegação das pessoas que fazem ou ensinam tais tratamentos e a de que eles eliminam toxinas, impurezas e “sujeiras” do corpo e emagrecem. Não faltam as celebridades, que logicamente dão seu testemunho de perda de muitos quilos em poucos dias e de grande bem estar e leveza ao realizarem tal tratamento. Apesar das várias opiniões contrárias, dos aler-

tas de perigo de tais procedimentos por parte de médicos e nutricionistas, eles continuam a ser prescritos, ignorando o aconselhamento de estudiosos e pesquisadores da área da Nutrição. E as pessoas, desejosas de manterem a saúde, mas principalmente o peso, após abusos extremos, se deixam levar por explicações levianas e sem fundamento de que as dietas “detox” poderiam eliminar as “toxinas” advindas de alimentos e álcool em excesso. As toxinas são, na verdade, substâncias produzidas por bactérias, que eventualmente podem contaminar alimentos e causar muito mal à saúde das pessoas. Assim é com a toxina que causa a cólera, o botulismo, o tétano, a difteria ou coqueluche. Assim também ocorre com cepas toxigênicas de bactérias que causam diarréia. Essa é a única forma de um alimento causar intoxicação. Quando ele está contaminado por toxinas. A desintoxicação não tem também base endócrina ou nutricional. O nosso organismo é dotado de dois mecanismos muito sensíveis para eliminar substâncias indesejáveis e que não podem se acumular no nosso corpo. Através do fígado e dos rins nós podemos eliminar tais substâncias, que são expelidas através das fezes e urinas. Além disso, o nosso sistema imunológico é capaz de reagir às investidas dos diferentes microorganismos que podem causar doenças ou infecções. Ao contrário, essas dietas extremas e jejum são capazes de induzir grande desequilíbrio metabólico, perda de peso por desidratação, arritmias cardíacas e lesões neurológicas provavelmente relacionadas ao desequilíbrio hídrico e eletrolítico dos fluidos corporais.


JD

Diversão&Cultura

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

Musa nerd de “The Big Bang Theory” termina noivado Kaley Cuoco, 26, terminou o noivado com o especialista em vícios Josh Resnik

K

aley Cuoco, 26, terminou o noivado com o especialista em vícios Josh Resnik, segundo o site do “Entertainment Tonight”. A atriz, conhecida pelo papel de Penny em “The Big Bang Theory”, havia anunciado o noivado em outubro do ano passado. A revelação do fim do noivado ocorreu durante entrevista na qual um jornalista perguntou a ela se iria dar alguma dica ao colega Kunal Nayyar (o Raj

da série), que ficou noivo em dezembro. “Não estou mais noiva, então não”, respondeu a musa nerd, que não esclareceu se ficou solteira de vez ou ainda mantém alguma relação com o exnoivo. Antes do noivado, ela já havia namorado o colega Johnny Galecki (o Leonard) por dois anos em segredo. Os dois só confessaram o envolvimento depois de terminar o relacionamento.

DIVULGAÇÃO

C4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Celebridades BBB12 DIVULGAÇÃO

Só amigos

Casado há oito anos com a garota-propaganda Fabiana, do “BBB12”, o cantor sertanejo Roby, 33, acredita que Fael tenha uma queda pela mulher, mas que isso não dará em nada. Ele elogiou a postura da paulista ao conversar com o veterinário. ”

Charlie Sheen fotos DIVULGAÇÃO

A atriz Kaley Cuoco, a Penny da série “The Big Bang Theory”, que terminou o noivado com Josh Resnik

Criador da personagem Katylene deixa a bancada do “Muito+” DIVULGAÇÃO

O blogueiro Daniel Carvalho, que criou a personagem Katylene

D

aniel Carvalho, criador da personagem Katylene, está deixando a bancada do “Muito+” (Band). A informação foi dada pelo próprio blogueiro. Após alguns questionamento no Twitter, ele se manifestou por meio do serviço de microblogging. “Estou saindo da bancada para voltar para minha outra lôra, a Katylene”, afirmou. “Mas continuo na

equipe do ‘Muito+’.” “Foram dois meses deliciosos mas eu não nasci pra essa labuta diária”, disse. “A gente continua junto e e eu continuo na família ‘Muito+’.” Segundo ele, além de atuar fazendo reportagens, ele visitará o estúdio “com frequência”. Essa foi a primeira baixa na equipe original do programa, comandado por Adriane Galisteu.

Gisele Bündchen mostra bastidores de ensaio de lingerie

Ele no Brasil

O ator Charlie Sheen, 46, está de passagem marcada para o Brasil. Pelo menos é o que garante a organização do Metal Open Air, festival de heavy metal que ocorre entre os dias 20 e 22 de abril em São Luís (MA). O ex-astro de “Two and a Half Men” deverá ser o “mestre de cerimônias” do evento. No line-up do festival já estão confirmadas bandas como Megadeth, Anthrax e Venom. Entre as bandas nacionais, estão Matanza, Ânsia de Vômito e Ratos de Porão.

BBB12

Plástica no nariz

A partir de uma brincadeira de Yuri e Fael, o gaúcho Jonas afirmou que já fez cirurgia plástica no nariz. “Eu acho que ele fez cirurgia plástica”, brincava o goiano com Fael, pouco antes de o gaúcho aparecer na parte externa da casa. “Por que vocês acham isso?”, perguntou Jonas.

DIVULGAÇÃO

Horóscopo

A top Gisele Bündchen, que postou foto do ensaio para o lançamento da nova coleção de sua linha de lingeries

G

isele Bündchen, 31, aparece de lingerie em uma foto postada por ela no Facebook. A top brasileira estava fotografando um ensaio para o lançamento da nova cole-

ção de sua linha de lingeries. Para tristeza dos marmanjos, no entanto, quase todo o corpo da modelo está tampada pelo fotógrafo sortudo que capturava as imagens.

Resumo das Novelas Malhação Fabiano leva Gabriel para falar com Bertoni, na tentativa de convencê-lo a escalá-lo como ator. Laura leva Débora até a comunidade, na ONG onde ela deverá trabalhar. Babi surpreende e emociona Aparecida ao levar Jefferson, andando de muletas, para visitá-la no trabalho. Alexia e Natália trocam confidências sobre Moisés. Alexia explica para as artesãs da Comunidade dos Anjos como será a remuneração por suas peças vendidas no brechó. Alexia e Gabriel se encontram na porta da Faculdade.

Vida da Gente O garoto reencontra a alegria com a ajuda de Nanda. Renato se reconcilia com Alice e segue a profissão de fotógrafo. Em paz com a filha biológica e com a família dela, Renato tira fotos de Alice e suas irmãs, Sofia e Bárbara. Lorena e Matias reatam o namoro e Maria comemora. Os três celebram juntos no baile de Iná. Moema e Wilson se entendem e terminam juntos. O casal brinda ao amor no baile dançante de Iná. Iná celebra a paz e o amor ao lado de Laudelino.

Aquele Beijo Joselito tem uma visão de Grace Kelly com Ted Boy e se desespera. Grace Kelly acha o documento dentro do urso de pelúcia e o destrói. Deusa e Grace Kelly discutem. Vicente orienta Sarita para tentar impedir a remoção do Covil do Bagre. Felizardo nota que sumiu dinheiro de seu esconderijo e questiona a família. Raíssa e Damiana trocam acusações. Claudia procura Amália e conta que Rubinho conseguiu uma consulta para Vicente com um especialista no caso dele.

Fina Estampa Ferdinand revela para Tereza Cristina que gravou as conversas que tiveram na sauna. Pedro Jorge se revolta contra Celina. Wallace e Dagmar são fotografados por uma coluna social no “Brasileiríssimo”. Ferdinand recebe dinheiro de Tereza Cristina para fugir. Glória avisa a Beatriz que não mentirá em sua audiência. Pedro Jorge pede para Beatriz levá-lo para conhecer sua irmã. Teodora diz a Quinzé que o filho que ela espera não é dele. Paulo surpreende os repórteres ao dizer que ele e Esther continuam juntos.

Áries (21 mar. a 20 abr.) Você pode estar mais elétrico hoje, especialmente se nasceu nos primeiros dias deste signo. Respire fundo, vá com calma, aposte numa caminhada agradável para espairecer. Os outros arianos talvez precisem de mais movimento e liberdade.

Libra (23 set. a 22 out.) Librianinhos dos últimos dias do signo, cuidado para não fazerem o papel de estraga prazeres hoje, tão fácil pra vocês agora! Isto pode espantar o amor, a alegria e a espontaneidade alheias. Os outros librianos tendem a falta de imaginação.

Touro (21 abr. a 20 mai.) Sábado anuncia tempo bom pra descansar, usar o tempo livre como bem quiser, sem se prender a programações rígidas e formais. Quanto mais liberdade tiver, mais espontâneo poderá ficar. O que é ótimo para sua saúde em geral.

Escorpião (23 out. a 21 nov.) Clima astral de altos e baixos, cobranças e dramas, manipulações e ranger de dentes. Cabe a você pular fora, cuidar dos seus assuntos. E que assuntos! Sonhos reveladores, programar viagens, estudar e entender algo profundo...

Gêmeos (21 mai. a 20 jun.) Clima elétrico a sua volta, são muitas ideias, e expectativas até acima do razoável. Vale muito a pena cultivar a vida social, e ficar aberto para entender algo novo. Amizades novas pode ser o premio por seguir o fluxo astral sem medo de ousar. Câncer (21 jun. a 21 jul.) Lua em seu signo hoje pede cuidados com a saúde, bem-estar. É para você escutar suas necessidades, respeitar seus limites físicos e evitar pessoas e programas exigentes, críticos, que demandam atenção. Porque você está em outra vibração! Leão (22 jul. a 22 ago.) Neste sábado - e até amanhã - a boa pedida é evitar temas delicados em família, porque o assunto tende a despertar em você vulcões adormecidos. Você pode perder o controle. Por isso, a suavidade e a leveza são as melhores saídas. Virgem (23 ago. a 22 set.)

Vênus e Saturno em ângulo difícil pode deixar bem claro o limite do amor e do amar. Pode também significar um dia para repensar as conseqüências de escolhas passadas na sua vida social. Houve perdas, você as sente, não finge que não.

Sagitário (22 nov. a 21 dez.) Astral complexo neste sábado requer que você cuide da saúde, evitando alimentos de origem desconhecida, e que não se envolva em problemas familiares alheios; há segredos e você pisa em terreno movediço. Não gaste demais seu dinheiro. Capricórnio (22 dez. a 20 jan.) Vênus e Saturno em ângulo que traz consciência e percepção permitem reparar erros no amor e vida em família. Talvez tenha sido afobado, mandão, rígido com seus queridos. E há trabalho e obrigações a cumprir. Eles que entendam isso. Aquário (21 jan. a 19 fev.)

Intervalo astral para resgatar suas forças e recuperar o fôlego de uma semana puxada - a próxima vai ser mais ainda. Vá anotando as ideias. Você anda cansado de fazer as mesmas coisas. Amigo inspira e estimula a outras saídas.

Peixes (20 fev. a 20 mar.) Lua em Câncer aumenta poder das emoções e afetos, você calibra melhor sua vida afetiva e amorosa. Quem ganha também são os filhos. Conflitos familiares que envolvem luta pelo poder devem ser evitados, assim não perderá o bom humor.


CadernoD

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Carro&Moto

(Fotos: Olívia Caires/ZAP Carros)

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

O porta-malas ganha do Gol com 5 l a mais

13,9 km/l, ambos abastecidos com gasolina. Já em relação à aceleração, o modelo testado faz de 0 a 100 km/h em 15,8 segundos (a gasolina), ou seja, um pouco mais demorado (quase

nada) do que o rival Renault Sandero Authentique (R$ 28.890), que faz em 14,2 s (dados fornecidos pelas montadoras). A suspensão foi aprimorada em relação ao modelo

Frente do novo Palio é uma mistura dos Fiat 500 e Punto

Fiat Palio Attractive 1.0: na briga pelo primeiro lugar Na versão Attractive, com propulsor 1.0, de 75 cv, o carro impressiona pela agilidade

Novo Palio ficou maior comparado a sua geração anterior

C

arro popular sim, mas com estilo. O novo Fiat Palio chegou ao mercado nacional em novembro do ano passado e tornou ainda mais acirrada a disputa entre os hatches compactos do País, pois é superior em tudo, comparado a sua antiga geração. Na versão Attractive, com propulsor 1.0, de 75 cv, o carro impressiona pela agilidade e conforto. Há duas opções de motor para a versão Attractive: o 1.0 e o 1.4, ambas bicombustíveis. O ZAP Carros testou a primeira e constatou que seu desempenho está entre os melhores de sua categoria. Com 1 cv a menos do que seu principal concorrente, o VW Gol 1.0 (R$ 30.685), o Palio gera 9,9 kgfm a 3.850 rpm enquanto seu rival desenvolve 10,6 kgfm a 3.850 rpm. Na teoria, quando vistos apenas os números, o Fiat fica para trás, porém na prática eles têm desempenho semelhante e o modelo avaliado não deixa nada a desejar. A configuração de entrada custa R$ 31.290 e sai de fábrica com computador de bordo, desembaçador traseiro, alerta de limite de velocidade, comando interno de abertura do portamalas e direção hidráulica. Caso o consumidor opte

Versão de entrada traz o terceiro encosto de cabeça no banco traseiro

anterior, não transferindo tanto impacto aos ocupantes. Bastante confortável, o Palio é espaçoso internamente, com seus 3,87 metros de comprimento (contra 3,83 m do Gol) e 2,42 m de distância entreeixos (versus os 2,59 m do mode-

lo da Renault). Seu portamalas tem capacidade para 290 litros (5 l a mais do que o concorrente da VW; 30 l a menos do que o Sandero). O isolamento acústico é bom e ruídos externos não incomodam os passageiros. (ZAP CARROS)

Segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), o Palio emplacou na segunda quinzena de fevereiro 6.459 unidades. O objetivo continua o mesmo: desbancar o líder de vendas, o VW Gol

pela versão 1.4, o preço sobe para R$ 34.590 e traz a mais volante com regulagem de altura, vidros e travas elétricos, faróis de neblina, entre outros. Tanto na cidade quanto na estrada, o carro anda bem e não dá trabalho,

pois responde obedientemente aos comandos do acelerador, sem rebeldia. Em subidas íngremes, o modelo não fracassa e não deixa o motorista no sufoco. Com transmissão manual de cinco velocidades, a relação das duas primei-

ras marchas é curta. Assim como em outros modelos 1.0, o novo Palio pede a terceira marcha de forma constante. De acordo com a Fiat, o consumo do Palio na cidade é de 13,6 km/l, já o compacto da Volkswagen faz

Visual interno também agrada aos olhos

Hyundai Veloster atrai olhares e até causa torcicolos por onde quer que passe (Fotos: Thalita Real/ZAP Carros)

Versões de entrada e intermediária trazem rodas de liga leve de 17”. A esportividade fica por conta do visual e principal destaque do cupê esportivo é o design marcante

É

fato que a propaganda do Hyundai Veloster desperta a curiosidade dos consumidores brasileiros. No entanto, além desse diferencial, o cupê esportivo tem um apelo visual inusitado, sedutor. Ele atrai olhares e até causa torcicolos por onde quer que passe. De qualquer ângulo, notam-se suas linhas autênticas e bem definidas que se harmonizam com

os grandes e chamativos faróis e lanternas. O projeto futurista também agrada internamente, com destaque para o painel de estilo criativo, jovial e cheio de tecnologia; em cada canto há um detalhe de desenho inovador, como nas portas que trazem uma peça vazada para integrar o apoia braços. No Brasil, a marca (representada pelo grupo

Caoa) oferece três tipos de configuração para o Veloster: a de entrada (R$ 75.700) - com rodas de 17’’ e sem teto solar -, a intermediária (R$ 80.900) - que como diferencial traz o teto solar -, e a topo de linha (R$ 82.900) oferece os mesmo itens, porém com rodas de 18’’. Todas as opções são equipadas com motor 1.6 l, de 140 cv, e câmbio automático de 6 velocidades. É fácil se

acomodar atrás do volante desse cupê esportivo. Encontrar a posição correta para dirigir é tranquilo com os ajustes de altura e profundidade do volante, além da regulagem elétrica do banco do motorista (neste caso só longitudinalmente, pois o acerto do encosto é de modo manual, por meio de uma alavanca - o que não combina com o restante da tecnologia).

Com controles acessíveis, no console e no volante, a ergonomia dá ainda mais conforto e ajuda no prazer de dirigir. Já na versão de entrada a lista de itens de série traz bancos revestidos em couro, ar-condicionado digital, computador de bordo com tela de LCD e rádio integrado, bluetooth, travas e vidros elétricos, sensor e câmera de estacionamento, faróis de

neblina, air bags, desembaçador traseiro, freios ABS com EBD, entre outros equipamentos. O cupê carrega até no nome a responsabilidade de ser veloz, porém não é algo que surpreenda quem realmente goste de velocidade. Seu trem de força de 1.6 l, a gasolina, é competente: entrega 140 cv a 6.300 rpm e é capaz de gerar torque de 15,7 kgfm a 4.850 rpm. (ZAP CARROS)


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

D2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

FOTOS DIVULGAÇÃO

Pista livre JOSÉ ARCANGELO Colunista

Esportivo No Brasil a Nissan – uma das maiores montadoras em crescimento de vendas no ano passado – tem uma versão esportiva do March, o SR por aqui. Mas lá fora o carrinho é bem diferente como o que foi apresentado no Salão de Tóquio com o sugestivo nome de Nismo Concept: cor branca, detalhes em vermelho, suspensão rebaixada, spoiler dianteiro, saias laterais, aerofólio traseiro, volante esportivo e pneus de competição.

Boa parte do sucesso nas vendas veio do lançamento dos modelos Nissan March e Versa importados do México

Nissan Versa: grande procura e fila de espera de até 120 dias As vendas poderiam ser bem maiores caso houvesse maior disponibilidade do modelo

A

Nissan fechou o ano de 2011 comemorando os bons resultados de vendas com expansão de 88% nos totais comercializados no Brasil. Boa parte do sucesso nas vendas veio do lançamento dos modelos Nissan March e Versa importados do México e que tem tido uma grande procura desde o lançamento no último trimestre do ano passado. No caso do March a marca conseguir boas médias de vendas nos dois últimos meses de 2011 e no primeito mês de 2012: 2.261 emplacamentos em novembro, 3.232 em dezembro (total de 2011: 6.939) e 2.555 em janeiro, segundo a Fenabrave. Dessa forma não houve maiores problemas com os prazos de entrega. Porém, no caso do Versa, conforme apuraram os nossos amigos do blog de 0 a 100, muitos compradores estão tendo alguma dor de cabeça com os prazos, pois a Nissan está tendo dificuldades em atender a demanda pelo modelo. De acordo com a Fenabrave, foram emplacadas 824 unidades em novembro de 2011, 2.394 em dezembro de 2011 e 1.581 unidades em janeiro de 2012. Até o dia 15 de fevereiro, 723 carros foram emplacados. As vendas poderiam ser bem maiores caso houves-

No caso do March a marca conseguir boas médias de vendas nos dois últimos meses de 2011

se maior disponibilidade do modelo. Por esse motivo, o tempo médio de espera em algumas localidades tem ficado entre 30, 60, 90, chegando em alguns casos a 120 dias. É claro que em muitas revendas os consumidores receberam o veículo em prazos normais e até em pronta entrega. Mas, apesar disso, em muitos lugares a espera é longa. A Nissan informa que vai ampliar os volumes de importação para atender a demanda. No entanto, um concessionário que não quis se identificar revelou que a situação só se resolve a partir de no mínimo 30 dias. A importação de 2.000 unidades/mês deve chegar a 6.000 em abril.

Importação de novas unidades deve chegar a 6.000 em abril

A

pós alguns dias de especulação, a aliança entre a General Motors e a PSA PeugeotCitroën foi finalmente confirmada. Conforme divulgado, trata-se de uma aliança estratégica global de longo prazo e larga escala, com foco no compartilhamento de novas plataformas, componentes e módulos, além de compras conjuntas de matérias primas e fornecedores.

O acordo, no entanto, não dá à americana direito a voto nas decisões corporativas da PSA

Com a compra dos papéis, a GM se transforma na segunda maior acionista

Sino-italiano A chinesa Chery foi buscar um design italiano, Estúdio Torino para o projeto do seu primeiro flex, o S18. Motor 1.3 Acteco 16V, entregando 91 cv(etanol) e 90 cv (gasolina), já a venda no Brasil, com preço sugerido de R$ 31.990,00. O câmbio é manual de cinco marchas, acelera de 0 a 100 km em exagerados 16 segundos e alcança 150 km/h. De série, dois airbags e freios ABS com estabilização. Surpresa A Renault do Brasil estuda a possibilidade em desenvolver um SUV mais luxuoso para rodar nos mercados emergentes. O Koleos já foi visto camuflado, trafegando pelas ruas de Curitiba. Depois da bem-sucedida experiência com o Duster, que desbancou o eterno vencedor Ford EcoSport, o Koleos que usa a plataforma do Fluence, seria um bom concorrente para brigar com o Kia Sportage, Chevrolet Captiva e Honda CR-V no Brasil. Preços A pequena diferença de

GM e PSA Peugeot-Citroën anunciam aliança global

Capital Segundo comunicado oficial, o conglomerado norte-americano vai arrematar 7% das ações do grupo francês, que em contrapartida levantará um capital de cerca de 1 bilhão de euros com o negócio. O valor das operações conjuntas pode chegar a US$ 2 bilhões por ano, dentro de cinco anos. Os primeiros produtos da aliança são esperados para 2016.

Kit Tem um Ford Fiesta hatch 1.0 ou 1.6 e quer incrementá-lo? Basta ir a uma concessionária da marca e por menos de R$ 3 mil e mandar instalar o Kit Storn (Tempestade) contendo: spoiler dianteiro e traseiro, adesivos, rack de teto em alumínio e saias laterais, não incluindo mão de obra. Se optar pelos bancos de couro, basta acrescentar mais R$ 1.272,00.

do grupo francês, atrás apenas da família Peugeot. O acordo, no entanto, não

dá à americana direito a voto nas decisões corporativas da PSA.

O

preços entre os combustíveis etanol, gasolina e biodiesel já compensa comprar um modelo flex, tanto pelo preço com a manutenção mais em conta. Na linha 2012 da Toyota, o lançamento do bloco flex de 2.7 litros 16V com 163 cv (etanol) e 158 cv (gasolina) vem com os seguintes preços: SRV 4X4 Cabine Dupla (AT) por R$ 103.420,00; SR 4X2 CD/ AT R$ 88.730,00 e SW4 4X2 05 lugares (AT) a R$ 114.150,00. Sedãs Para quem quer facilidade e conforto na condução de um sedã com total descanso do pé esquerdo, agora tem várias boas razões para fazer um test drive no Renault Logan, VW Voyage I-Motion, Fiat Siena Dualogic e Peugeot Passion. O da Fiat e VW tem sistema que combina automático/manual, enquanto os da Renault e Peugeot somente o câmbio automático puro. Custos A vitoriosa “joint venture” entre a Fiat e a Chrysler, que tirou recentemente do buraco financeiro a montadora norte-americana, está fazendo escola na Europa. Desta vez, a Opel (braço da GM no Velho Mundo) e a PSA Citröen Peugeot vão ao entendimento comercial para desenvolverem uma plataforma e compras-conjuntas a serem empregadas em um carro global das marcas. Esperam que em cinco anos economizem em torno de US$ 2 bi. Acordos Brasil e México tentam um acordo comercial para equilibrar suas balanças de exportações, atualmente francamente favorável aos mexicanos. Ambos concordam em revisar o acordo do livre comércio de produtos automotivos como a de isenção do Imposto de Importação (II). A nova proposta colocaria limitações das importações mexicanas para o Brasil. Em contrapartida aos novos produtos made in Brazil para o México.

Auto Pista

coordenador de Seminovos do Grupo Orion, Ney de Oliveira Pereira é o mais novo acadêmico de Administração da faculdade UNIPI. Acaba de lograr êxito no vestibular daquela prestigiada instituição de ensino superior. –x-x-x-xVem ai a partir do dia 15, o IPVA que pode ser pago à vista com um bom desconto ou mesmo parcelado em até seis vezes. –x-x-x-x- O Hyundai Santa Fé está com os dias contados. Sai do velho e cansado estilo para o novíssimo Hyundai ix45, já sendo apresentado no Salão de Paris como modelo 2013. Um protótipo camuflado foi recentemente flagrado pela imprensa especializada norte-americana no Vale da Morte e outro, nas gélidas estradas da Escandinávia. –x-x-x-x- O novo ix45 vem para se alinhar com os outros componentes da marca, o ix35, Sonata e Elantra. –x-x-x-x- Agradeço ao gentil convite da HSM Insprings Ideas para participar do Fórum HSM Estratégia 2012, a ser realizado em São Paulo, no Hotel Transamérica de 22 a 23. –x-x-x-x- A molecada deixou cair chocolate ou iogurte nos bancos do carro? Calma. As manchas podem ser removidas com uma solução caseira: espuma de barba numa esponja e depois pano seco. Outra dica: experimente passar um xampu para cabelos normais numa esponja e depois tirar o excesso com pano seco! –x-x-x-xIncongruência: se o kit xênon é proibido a sua instalação sem ser de fábrica, por que é permitida a sua venda nas lojas? –x-x-x-x-“Eu permito a todos serem como quiserem, e a mim como devo ser.” (Xico Xavier). –x-x-x-x- Freando...e torcendo pelas turmas do tapa-buracos da PMM e da CAESA. –x-xx-x- Mesmo assim: Bom Domingo!


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012 DIVULGAÇÃO

D3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Em marcha lenta ...

FOTOS DIVULGAÇÃO

O

fabricante romeno Dacia lança a série especial “Story” para o Sandero e o Logan que estará à venda a partir deste mês. Os preços começam em 8.800 euros (R$ 20.036,00) para Sandero Story e 7.900 euros (R$ 17.990,00) para o Logan. ............................................................................

Foram emplacados no mês passado 235.896 veículos novos, dos quais 185.185 automóveis e 50.711 comerciais leves

BRASIL, resultados de fevereiro de 2012: Vendas caem quase 9%

A

Chery Brasil comunica que a partir da próxima segunda-feira, 05 de março, inicia-se a circulação do comunicado do recall do modelo S18 nos meios de comunicação (mídias impressa, televisiva e radiofônica). Amplamente noticiado pela mídia, foi constatado que o pedal do freio, se submetido à força ou pressão fora do usual, poderia sofrer deslocamento para a esquerda, fato este que não compromete a função de frenagem do veículo. ............................................................................

Os números apontaram uma retração na comparação com 2011 fonte: fenabrave

A

Fenabrave (Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores) divulgou no último dia 01 os resultados de fevereiro. Os números apontaram uma retração na comparação

com 2011. Foram emplacados no mês passado 235.896 veículos novos, dos quais 185.185 automóveis e 50.711 comerciais leves. Estes números são 8,85% inferiores aos de fevereiro do ano passado. Em relação a janeiro, quando 252.697

unidades foram registradas, houve um recuo de 6,65%. A previsão da entidade de que 258.821 unidades tivessem sido emplacadas em fevereiro foram frustradas com uma queda quase 8,89%. Para Flávio Meneghetti, presidente da Fena-

brave, há justificativa. “Feriado de Carnaval, final de férias e 29 dias corridos no mês impactam nas vendas”, disse o executivo. Apesar disso, a entidade mantém o otimismo e espera quase 3,6 milhões de unidades vendidas até o final do ano.

País terá motor 1.0 Ecoboost turbo

O

Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) publicou a quarta edição de seu Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) para avaliar o consumo de combustível. Ao considerar as várias omissões do governo federal em termos de controle da frota circulante, falta de inspeção técnica de segurança e estabelecimento de um verdadeiro programa de avaliação de veículos novos, com normas específicas para o país, que incluísse um centro de testes de colisão contra barreira, a iniciativa do Inmetro em colaboração com outros órgãos e ministérios é vitoriosa. O programa ainda contém imperfeições, entre elas a classificação de subcompacto, compacto, médio, grande, utilitário esporte, fora de estrada, minivan, comercial e carga derivado (de autos). Mas essa, de fato, não é missão fácil ao considerar a área projetada no solo, enquanto surgem modelos difíceis de classificar hoje em dia. Manter a adesão voluntária

A

Nissan lança na Europa a série especial do Qashqai chamada “TechView Edition”. Serão produzidas 1200 unidades desta edição e os preços começam em 27.100 euros (R$ 61.710,00) para a versão com o motor diesel 1.5L. ............................................................................

DIVULGAÇÃO

O

fabricante espanhol Seat divulgou as primeiras imagens e informações oficiais do conceito que antecipa a quarta geração do Seat Toledo. O modelo será apresentado no Salão de Genebra na próxima semana e deve chegar ao mercado até o final deste ano. ............................................................................

Selo do Inmetro para avaliar o consumo de combustível no mercado de autos nacional

por parte dos fabricantes merece crítica, apesar de os 105 modelos avaliados (quase 60% mais sobre 2011) responderem agora por 55% das vendas totais. A partir de 15 de abril, no entanto, a etiqueta precisará estar nos carros participantes exibidos nas lojas, a exemplo de outros países. Deveria ser obrigatório

também nos manuais. Entre os que mais respeitam os consumidores, quanto à informação fundamental, estão Fiat, Ford, Honda, Kia, Peugeot, Renault, Toyota e Volkswagen. Outras 40 marcas à venda continuam se escondendo, mesmo que a norma NBR 7024, baseada em parâmetros dos EUA, DIVULGAÇÃO

tenha sofrido, lá como aqui, uma correção para se aproximar do modo normal de utilização por 80% dos motoristas. A desculpa comum é o conflito entre medições de laboratório (necessárias pela repetibilidade) e uso real que, às vezes, pode parar na Justiça. Porém, faz parte dos riscos do negócio.

D

epois de começar o ano em 2º lugar a Fiat reagiu em fevereiro e reassumiu a liderança entre as montadoras ao emplacar 55.434 unidades e garantir 23,5% de participação de mercado. ............................................................................

Garagem inteligente

F

oi-se o tempo em que localização e tamanho eram os principais itens para quem procurava um imóvel nos grandes centros. Hoje, a ausência de uma vaga de garagem pode ser crucial no momento de se fechar uma venda ou mesmo um aluguel. Mas esse problema pode estar com os dias contados. Ao menos para quem adquirir o sistema de garagem criado pela Cardok, empresa do Reino Unido que inventou um equipamento capaz de colocar mais de um automóvel no mesmo lugar. Através de controle remoto o usuário aciona os pilares hidráulicos que permitem guardar um dos veículos no subsolo.

D

epois de um início de ano preocupante a Fiat Strada voltou a liderar entre os comerciais leves com folga. A picape da marca italiana fechou o mês de fevereiro com 8.622 unidades emplacadas (janeiro: 6.828), mais do que a soma das duas rivais mais próximas. ............................................................................


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de marรงo de 2012

D4


orre Assseonofre ade lica nteefs, que uin-

riaos pois não

CadernoE

Economia&Negócios

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Valorização profissional ajuda a atrair e reter talentos

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012 DIVULGAÇÃO

Tarefa de atrair os melhores quadros não está sendo fácil já há alguns anos para a Braskem e para o mercado como um todo

N

os próximos anos, a petroquímica Braskem vai precisar de mais 2,5 mil profissionais para tocar seus projetos de expansão dentro e fora do Brasil. Isso representa um aumento de 33% no quadro de 7,5 mil colaboradores atuais. A tarefa de atrair os melhores quadros não está sendo fácil já há alguns anos - para a Braskem e para o mercado como um todo. A atual oferta de profissionais é menor que as necessidades das empresas, e por isso elas investem cada vez mais na valorização do profissional como forma de atração de talentos. “A opção de carreira delas estará mais vinculada aos valores que as organizações têm. Nosso compromisso é desenvolver gente e também fazer parte do processo de criação de profissionais no Brasil”, disse Marcelo Arantes de Carvalho, vicepresidente de Pessoas & Organização da Braskem. “O Brasil vai crescer mais do que a capacidade de formação de pessoas. Hoje, não são as pessoas que perdem emprego, e sim o emprego é que perde as pessoas”, argumentou. Além da Braskem, Suzano Papel e Celulose e HP estiveram representadas no comitê de Gestão de Pessoas da Amcham-São Paulo nesta quarta-feira (29/02) e falaram sobre as estratégias para atração e retenção de pessoal. Formação Embora o investimento em formação de pessoal seja um processo demorado, as empresas participantes concordaram

que esse é o caminho que trará melhores resultados em longo prazo. “Temos que desenvolver gente e consolidar o crescimento da organização com a atração de quadros capacitados. Do contrário, acabamos ‘roubando’ pessoal de outras empresas e provocando uma espiral inflacionária no mercado de trabalho”, destaca Carvalho, da Braskem. Para atrair o público jovem, a Braskem realizou um trabalho junto a 21 universidades brasileiras que formavam alunos com o perfil profissional desejado. Um diálogo com os coordenadores de cursos foi iniciado para apoiar a formação dos estudantes, e o resultado é que 24 mil jovens se inscreveram no programa de estágio da companhia. “Procuramos criar reputação externa para que a Braskem fosse uma das principais escolhas dos jovens. E tivemos um índice de retenção de trainees de 91%, o que é um bom dado”, ressaltou. Além do público jovem universitário, a Braskem também se prepara para receber mais colaboradores de nível técnico e médio. Para isso, a empresa está formando parcerias com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e escolas de ensino médio para apoiar formação das profissionais na área industrial. “Setenta e cinco por cento do nosso desafio de criar gente

DIVULGAÇÃO

Empresários e sindicalistas defendem fim de incentivos do ICMS para importados

E A atual oferta de profissionais é menor que as necessidades das empresas e por isso elas investem cada vez mais na valorização do profissional

referem-se a mão de obra técnica”, enumera. O executivo também disse que um operador leva de oito a 12 anos para aprender a operar em um polo petroquímico. Capacitar a liderança é outra das prioridades da petroquímica, pois 77% dos profissionais que exercem cargos-chave não possuem substitutos imediatos. “Temos que atrair líderes jovens e maduros, senão o crescimento da organização será comprometido”, disse. De olho na comunidade local Com metas ambiciosas de crescimento, a Suzano Papel e Celulose decidiu formar e empregar a mão de obra das localidades onde pretende se expandir. Para sustentar a quadruplicação do seu tamanho até 2024, ano do centenário de fundação, a Suzano vai diversificar sua atuação e entrar no mercado de energia renovável. Por meio do aproveitamento da madeira que não é utilizada na produção de papel e celulose, a Suzano quer gerar energia térmica com pouca emissão de carbono. A Suzano também pretende abrir uma fábrica de papel e celulose no Maranhão. “Vamos contratar

oito mil pessoas nesse ciclo de crescimento”, disse Carlos Alberto Griner, diretor de RH da Suzano Papel e Celulose. As autoridades consultadas pela Suzano expuseram o desejo de que os trabalhadores locais fossem empregados nos projetos. Para atender ao pedido, a Suzano formou um consórcio para a capacitação de operários com governos municipal e estadual, instituições de ensino, sindicatos patronais e de trabalhadores e empresas de construção civil ligadas ao projeto. O projeto se chama Capacitar e vai formar 5,6 mil operários na região de Imperatriz (MA) até o final do ano, que se somarão aos profissionais contratados na região para trabalhar nas novas fábricas da Suzano. “Hoje, 80% do pessoal da obra são locais”, assinala Griner. O sucesso da iniciativa inspirou a Suzano a idealizar um programa de capacitação de operários nível técnico em convênio com instituições locais de ensino. “Estamos conseguindo montar uma infraestrutura de formação técnica onde não havia essa tradição”, afirma.

mpresários e representantes sindicais criticaram os incentivos que alguns estados dão à importação de produtos. Tanto a Confederação Nacional da Indústria (CNI) quanto a Força Sindical e a Central Única dos trabalhadores (CUT) querem a eliminação dos incentivos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dados por alguns estados. “Essa questão está diretamente ligada à guerra fiscal e é dificultada ainda mais pela questão cambial. Estamos gerando empregos fora do país e desestimulando o empreendedorismo no Brasil”, diz o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade. Na opinião dos empresários, a guerra fiscal e os problemas cambiais vem acompanhados ainda de práticas e competitividade desleais de comércio de outros países. “O que estamos fazendo é uma coalizão entre capital e trabalho pelo fim da guerra fiscal nos portos. Estamos preocupados com a desindustrialização e a perda da competitividade do nosso país”, explica o presidente do Instituto Aço Brasil, Marco Polo Lopes. “E os trabalhadores corroboram nossa posição”, acrescenta Lopes, referindo-se aos sindicalistas Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, presidente da Força Sindical, e ao presidente da CUT em São Paulo, Adi dos Santos Lima, que também participaram de entrevista coletiva sobre o assunto. Segundo Paulinho, a rapidez com que a desindustrialização está ocorrendo no Brasil surpreende. “O déficit de vários setores industriais está se ampliando e quebrando várias indústrias. Há setores que passaram de um superávit de US$ 600 milhões para um déficit de US$ 37 bilhões. O de autopeças, que tinha superá-

vit em 2004, apresentou agora déficit de US$ 7 bilhões.” O sindicalista critica o fato de o país contar com apenas 20 fiscais no Porto de Santos (SP). “Dentro do país, a fiscalização é muito mais rígida. Precisamos reestruturar isso imediatamente. Caso contrário, setores muito importantes vão quebrar. Além disso, temos de pressionar o governo a taxar o capital especulativo”. Deputado federal pelo PDT paulista, Paulinho não acredita que dificultar a entrada de importados no país resulte em alta de preços ou inflação para os trabalhadores. “A inflação está controlada. Tivemos ano passado uma inflação de commodities [produtos primários com cotação internacional], mas o governo tem mecanismos para saber onde os preços estão subindo. O que criticamos é a generalidade das importações”. Adi Lima, por sua vez, destaca que o comércio, beneficiado pelas importações, tem sua relevância para a geração de empregos no país, mas considera que outros setores da economia acabam sendo prejudicados. “Estamos registrando o mais baixo índice de desemprego dos últimos anos, mas não estamos pensando apenas em nosso umbigo, nem defendendo o fechamento do mercado brasileiro”, ressalta o presidente da CUT em São Paulo. “O que não podemos é aceitar essa política de importação da forma como está colocada. Estamos olhando para onde caminham as indústrias brasileiras e para os reflexos da desindustrialização para o país.” Segundo Adi Lima, é preciso ainda convencer a convencer a sociedade de que o problema também a atinge. “Para mim, não há sensibilidade do governo nessa questão”, afirma. (Agência Brasil)


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

E2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Amplie suas forças

S

CONCEIÇÃO TEIXEIRA Psicóloga

ão três horas da manhã... enquanto escrevo estou em um ônibus da Reunidas Transportes Rodoviários de Três Lagoas a São Paulo. Aparentemente a maioria dos passageiros, dormem. Quantas vidas... Quantas histórias... Quantos sonhos... O que é a pessoa? Entre outras explicações.... é um ser único, capaz de definir e redefinir os seus projetos. Capaz de tentar acertar e quando por algum equívoco errar, aprender com seus erros... Entre acertos e erros estarão, uma enxurrada de emoções a confundir sentimentos e paralisar ações temporariamente até que a razão assimile o impacto da dor das perdas e realizações... A trabalho, nos últimos dias estive com uma comunidade muito especial, onde a mais “criança” tinha sessenta e seis anos de uma história bem vivida e de escolhas assumidas com determinação independentemente dos resultados obtidos, nesta comunidade todas as mulheres ali presentes eram muito cultas, estudadas, corajosas, pessoas que marcaram sua época, quebrando paradigmas e mostrando uma nova face de ser mulher. Por muitas vezes pensei: o que fez essa comunidade trazer uma psicóloga ao seu encontro? E ao mesmo tem-

po, que honra, poder estar com elas a trocar ideias, a levar o conhecimento teórico por elas solicitado e constatar que a vida pode terminar bem para muitos, quando encarada de frente e com a seriedade de quem sabe assumir as consequências de seus atos. Em um momento uma delas nos disse: Sabemos que já não somos tão “jovens”, mas, mesmo com esta consciência escolhemos por estudar e rever nossos posicionamentos para o crescimento da nossa comunidade. Veja que grande noção de vida em desenvolvimento... Vida em realinhamento... Vida em análise e constatação de fatos que precisam ser retroalimentados para gerar uma energia capaz de fazer brilhar um sorriso num semblante que traduz “eu sou feliz”! Obrigado Senhoras. Agora penso: o que trazer desta experiência para as nossas empresas e organizações? As empresas, como pessoas jurídicas que são e fenomenologicamente em desenvolvimento constante sofrendo influencias do mercado nacional e internacional, precisam estar atentas e vigilantes aos processos internos e externos aos quais estão submetidas. Administradas por pessoas, precisam estar nas mãos de indivíduos dinâmicos, corajosos e sensatos, sábios, prudentes, ávi-

dos por mudança, mas cautelosos na medida certa. Muitas vezes a palavra de ordem será “avançar” em um outro momento as circunstâncias exigirão estratégica e cautelosamente um “recuar” para que, dando um passo atrás se possa ganhar um impulso maior para seguir em frente com um novo posicionamento, com a humildade de quem percebeu a necessidade de mudança de rota. A longevidade é resultado de muitos fatores. Sobreviver as intempéries e as marcas do tempo, exige a capacidade de flexibilidade, criatividade e inovação constantes. Exige a exemplo dos gansos ao alçar seu voo, compreender que a cada momento o que está mais preparado deve assumir a liderança, e aqui por preparado entenda-se: aquele que no momento preenche os pré-requisitos técnicos, humanos e comportamentais que a missão exige. É preciso “revezar” e com isso ganhar, otimizando as competências e os pontos fortes da equipe. Nivelando pela força de cada um e desenvolvendo o potencial ainda não alcançado. Mesmo que sejamos muito bons, sempre haverá espaço para sermos melhores! Psicóloga Conceição Teixeira conceicao@accrh.com

A culpa é do Recursos Humanos?

Como identificar profissionais pessimistas?

T

odo santo dia ao ver meus emails, principalmente vindos de grupos e listas de discussão, eu tenho uma sensação de déjà-vu. Não que estes fóruns sejam improdutivos, pois muitos realmente ajudam os profissionais de cada setor. Alguns chegam a ter questionamentos e ideias interessantes, só que esta não é a regra, mas a implacável exceção. No mais das vezes, o que leio ali, me deprime... Só não me deixa apavorado, pois sou empreendedor e não funcionário. Portanto, estou imune a estes desvarios, fruto da falta de qualificação profissional e da miopia das empresas e das lideranças. Mas, vamos aos fatos: cerca de 80% das mensagens que recebo destes fóruns, especialmente ligados à Gestão de Pessoas são “apelos e pedidos de socorro”, os mais variados. Há algum tempo, por exemplo, recebi algumas pérolas que reproduzo abaixo: - Por favor. Vocês têm um modelo de plano de cargos e salários para disponibilizar? É que a chefia pediu para implementar e eu não tenho nada aqui. Grata. - Pessoal: alguém tem um modelo de carta de agradecimento por 10 anos de serviço? Tem um funcionário aqui velho de casa e agora precisamos fazer isso e queria ver o que o mercado tem oferecido. Abraços. - Oi, Grupo. Estou precisando de um teste para aplicar na seleção. Alguém poderia mandar? Ah! Não se esqueçam de enviar junto as respostas certas para tabulação. Beijos. - Tenho uma dúvida. Quando o candidato está dentro do perfil, mas ameaça a chefia com suas competências, devo contratar? Ah! Também preciso de um modelo de email para enviar ao candidato, quando

O

se perde o currículo dele. Fico no aguardo. - Alguém pode me explicar como faz um plano de treinamento e motivação? É que estou precisando. Vocês acham que vale a pena chamar um cantor sertanejo? Obrigado! - Bom dia! Queria saber se devo recusar uma candidata a analista, porque ela tem um filho de um ano, embora ela esteja dentro do perfil e passou nos testes. O que vocês recomendam nestes casos? Como disse, são centenas destes pedidos. Mas, vou parar por aqui, caso contrário irão pensar que estou tirando onda dos profissionais incapacitados ou denegrindo a imagem do RH. Só que, pela quantidade de dúvidas absurdas, parece que muitas empresas estão num mato sem cachorro, quando o assunto é Gestão de Pessoas. Isto é devido a vários fatores, claro. Mas dois são principais: muitas empresas tentam transformar o velho DP num departamento de Recursos Humanos, apenas mandando as pessoas acrescentarem tarefas ligadas a estas “coisas”. Como

não se tem a cultura necessária, vai-se brasileiramente para a improvisação, mesmo porque o chefe é bravo e quer resultados. A outra parece ser a falta crônica de capacitação e, principalmente, de visão sobre o que são as atribuições estratégicas de um setor de Recursos Humanos, na mais ampla acepção do conceito. A maioria dos profissionais de pequenas e médias empresas vive nos fóruns a fazer perguntas, quando deveriam investir mais na sua própria formação. Outro ponto fundamental é que mesmo os que se capacitam, saem das faculdades sem o mínimo de ferramentas atuais para agir e pensar de forma holística, pois apenas recebem uma carga de PowerPoint e conceitos teóricos impraticáveis para se montar acampamento numa empresa brasileira. A situação é grave! No meu entender, estas situações apenas refletem a pouca importância que é dada ao setor, uma vez que as organizações no trato com a áspera rotina dos encargos sociais e controles funcionais, apenas pa-

rece considerar está área, como um apêndice administrativo. No mais das vezes um apêndice caro, pois a legislação brasileira é especialmente cruel com os empregadores, embora, se diga de passagem, muitos deles ainda dirijam pessoas como na idade da pedra. Para piorar, praticamente inexistem cursos de excelência na Gestão de Pessoas no Brasil que realmente ofereçam uma visão contextual que fuja da decoreba legislativa e dos misticismos e modismos sobre esta área vital. A despeito do necessário controle sobre a ganância corporativa, no tocante às pessoas, que devem ter os direitos protegidos e a dignidade respeitada, o excesso de regulamentação acaba tendo efeitos perversos. Ocorre, normalmente, que o engessamento das negociações laborais acaba levando as empresas a soluções criativas, não menos draconianas, na permanente tentativa de reduzir seus encargos sobre a folha. Por Luís Sérgio Lico para o RH.com.br.

dia a dia exige do profissional uma capacidade constante de superação, independentemente do cargo que exerça. Isso porque quando se consegue superar desafios, a pessoa deve encarar o fato não como um retrocesso e sim como uma oportunidade de aprendizado. Lógico que nem todas as situações são fáceis de serem vencidas, pois elas envolvem fatores que interligam outras pessoas. Contudo, a vida continua e é preciso levantar e “dar a volta por cima”. Se há pessoas que conseguem reverter situações aparentemente negativas, existem outras que fazem tudo para que um simples fato torne-se uma situação completamente desagradável. O pior é que esses indivíduos não prejudicam apenas a si, mas também tentam contaminar os colegas que estão ao seu lado. Confira abaixo algumas características daqueles que carregam o negativismo consigo, no ambiente de trabalho e sabotam a si, aos colegas e à organização. 1 - Quando um fato trará mudanças à empresa, o processo nem precisa ser iniciado para que ele logo expresse sua opinião: “Isso não dará certo, pois já vi esse discurso antes. Vocês verão as consequências e a dor de cabeça que essa mudança trará a todos”. 2 - Caso uma atividade lhe é atribuída e o faça sair da zona de conforto, ele pode até ficar calado e aceitar a atividade. Mas basta o gestor sair de perto, para que ele encoste a cabeça sobre a mesa e imagine que recebeu uma missão impossível de ser cumprida. Ele duvida da sua própria capacidade,

antes mesmo de tentar iniciar o trabalho. 3 - Se, por ventura, alguém elogia algum trabalho realizado, seu pensamento toma o seguinte direcionamento: “Isso foi um elogio ou uma crítica? Se foi um elogio, provavelmente vai precisar de mim para fazer algo”. Ele não acredita ser merecedor de um reconhecimento. 4 - Diante de um trabalho que está sob sua responsabilidade e que lhe parece um “bicho de sete cabeças”, o pessimista entre em estado de pânico. Isso não lhe permite olhar para os lados, ver que outros profissionais estão ao seu lado e que poderiam ajudá-lo, orientá-lo nesse momento “difícil”. 5 - Quando um colega tem uma conquista seja no campo pessoal ou profissional, a primeira constatação que vem à sua mente é a de que o “sol não nasceu para ele”. Todos são beneficiados de alguma forma, Ele sempre foi e será o injustiçado. Não pensa no esforço que a outra pessoa fez para desfrutar daquele momento de alegria. 6 - Desenvolver novas competências, participar de treinamentos? Isso é bobagem e para quem não tem o que fazer. Ele não pode atualizar-se na carreira, porque sua vida é muito atribulada. Ou seja, não encontra uma alternativa para resolver os próprios problemas. 7 - É incapaz de reconhecer que cometeu um erro e se o faz, a culpa não é sua. Alguém deve ter sido o responsável ou incompetente o suficiente para prejudicá-lo. Ele sempre será alvo de perseguições aonde quer que trabalhe.


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

E3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Estudo mostra a evolução da classe média e o impacto no varejo

Esse crescimento de poder de consumo será mais evidente na classe C, que já abrange 54% da população

O

crescimento entre 2,5% e 3% da produtividade média fará o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro crescer mais de 40% até 2020, segundo o estudo “A evolução da classe média e o seu impacto no varejo” da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). A pesquisa também prevê que, até 2020, a população brasileira crescerá de 7% a 8%, passando de 207 milhões de habitantes – quase 70% em idade economicamente ativa. Com isso, o PIB per capita deve crescer mais de 30% em termos reais até o final desta década. Ao mesmo tempo, o País terá que arcar com as aposentadorias de mais cinco milhões de pessoas. “Isso traz grandes consequências políticas, econômicas e sociais que necessitam de atenção desde já”, alerta Abram Szajman, presidente da FecomercioSP. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a renda per capita foi de R$ 19.342 em 2010. A FecomercioSP projeta que, entre 2011 e 2020, o consumo per capita deve crescer 30% para as faixas de renda A e B, e quase 50% para as demais. Dos cerca de R$ 2 trilhões que o Brasil deve adicionar ao PIB até 2020, R$ 1,4 trilhão virá do consumo das famílias. Esse crescimento de poder de consumo será mais evidente na classe C, que já abrange 54% da população brasileira e detém um poder de consumo de mais de R$ 1 trilhão, o que equivale a 51% de toda a renda das famílias. “A tendência do Brasil é subir na escala e crescer mais que a média mundial”, afirma Antonio Carlos Borges, di-

DIVULGAÇÃO

Pesquisa também prevê que, até 2020, a população brasileira crescerá de 7% a 8%, passando de 207 milhões de habitantes

retor executivo da entidade. Longevidade A redução acelerada da taxa de natalidade e o aumento significativo da expectativa de vida aumenta o esforço para se entender a dinâmica do consumidor que emergiu das classes D e E, além de compreender os riscos e oportunidades envolvidos no natural e inexorável envelhecimento da população. Em 2010, o Brasil tinha 18 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Número que, segundo o estudo da FecomercioSP, deve saltar para 22 milhões, em 2015, e 26 milhões, em 2020. Hoje, há 130 milhões de pessoas em idade economicamente ativa e até 2020 essa massa passará de 144

milhões, um incremento de mais de 10% na força de trabalho potencial e o maior contingente histórico de brasileiros em idade produtiva. A rigor, isso impõe um bônus e um ônus demográfico ao País. De um lado, um enorme contingente de idosos que pressiona as contas da previdência e da seguridade social, de outro, o maior contingente alocado na produção no Brasil. “Uma reforma previdenciária é urgente. A aposentadoria por tempo de serviço ou idade não comporta o crescimento atual e não aguentará no futuro. É preciso chegar a um denominador comum que seja funcional e viável”, alerta Szajman. A FecomercioSP propõe mudanças e reformas econômicas e políticas

que permitiriam, simultaneamente, maximizar o desempenho dessa massa de pessoas em idade ativa e minimizar o ônus previdenciário no País. “Sabemos de antemão que, com a melhoria da qualidade e o aumento da expectativa de vida, muitas pessoas com idade superior a 60 anos irão permanecer no mercado de trabalho. O problema está em adequar as contas previdenciárias à nova realidade do Brasil”, diz Borges. O processo que a FecomercioSP já havia antecipado de incremento da renda, inclusão de novas famílias no consumo e interiorização do Brasil ganha novos contornos com a relevante transição demográfica pela qual o País passará nesta década. Os

negócios no Brasil do futuro terão que ser pensados para um País mais interiorizado, com um mercado consumidor muito maior, mais exigente e, certamente, mais envelhecido. Mudanças As transformações previstas pelo estudo “A evolução da classe média e o seu impacto no varejo” já estão em curso. Com uma renda familiar mensal de R$ 2,9 mil o perfil do consumidor brasileiro está mudando, e rápido. “Além de consumir mais, as famílias estão gastando melhor”, pondera Borges. Uma das mudanças mais claras está no setor de alimentação. O brasileiro passou a comer mais vezes fora de casa e, com isso, o gasto com alimentação em

bares, restaurantes e lanchonetes cresceu 26,6% entre 2003 e 2009, atingindo R$ 145,59 por mês. Apesar de comer mais vezes fora de casa, o brasileiro está se alimentando melhor. O consumo de carne bovina de boa qualidade aumentou 4,2% enquanto o consumo de frango recuou 11,8%. Outro exemplo é a substituição do óleo de soja pelo azeite de oliva, que avançou 13,8% no período analisado. Os gastos com eletroeletrônicos e aquisição de serviços como internet, TV por assinatura, telefonia móvel, e mesmo de cuidados com o corpo também apresentaram evolução. É o caso dos gastos com cabelereiros, que movimentaram R$ 1,01 bilhão por mês em 2009. Os gastos com telefonia móvel são, talvez, a melhor demonstração das transformações vivenciadas pela sociedade brasileira. Os gastos mensais dos brasileiros com aparelhos celulares teve impulso de 63,3% entre 2003 e 2009, saindo de R$ 17,68 para R$ 28,93. Entretanto, se olharmos os gastos divididos por faixas de renda, fica claro que os maiores aumentos aconteceram nos estratos menos abastados. A classe “C”, por exemplo, ampliou os recursos destinados ao serviço em 70%; já na classe “E”, os gastos subiram 312%. Segundo o diretor executivo da FecomercioSP este é um amadurecimento natural no perfil do consumidor. “Com mais recursos, as famílias brasileiras não se ativeram, simplesmente, a melhora do que já possuíam, mas passaram a buscar novidades, aprimoramento na qualidade de vida e inclusão”, relata Borges.

92% dos empresários pretendem aumentar salários em 2012

D

e acordo com dados do International Business Report (IBR) 2012 da Grant Thornton, 92% dos empresários brasileiros pretendem aumentar o salário dos seus colaboradores nos próximos doze meses, isto representa um aumento de 18 pontos porcentuais na comparação com o dado apurado no terceiro trimestre. O percentual ficou bem acima da média global (66%). A pesquisa engloba mais de 11.500 mil empresas privadas em 40 países. Entre os países que mais pretendem elevar a remu-

neração de seus funcionários estão: Argentina (100%), México (98%), Suécia (95%), Bélgica (90%), Canadá (88%), Índia (87%) e Austrália (85%). Entre os mais pessimistas com relação à remuneração aparece a Grécia (4%) e o Japão (24%), ambos apresentando queda de 16 p.p e 9 p.p em relação ao último trimestre. Dos donos e diretores entrevistados no Brasil que pretendem elevar os salários, 40% disseram que o aumento deve ser acima da inflação, 10 pontos a mais do que no último tri-

mestre. O empresariado da Tailândia (78%) e do Peru (52%) são os que mais esperam aumentar os salários acima da inflação. “A retenção de talentos continua sendo um dos principais fatores que estimula os empresários a melhorarem a remuneração de seus funcionários, lembrando que o mercado é cada vez mais concorrido. É muito positivo ter 40% das empresas privadas falando de elevações acima da inflação, porque assim os trabalhadores não perderão poder de compra”, avalia Javier Mar-

tínez, responsável pelo IBR na America Latina da Grant Thornton. Regionalmente, a América Latina e os países Nórdicos e (93% e 86%, respectivamente) apresentam o maior percentual de empresários que devem elevar os salários nos próxi-

mos doze meses. Em seguida aparece a América do Norte (77%) e G7 (61%). No consolidado de 2011, 84% dos empresários brasileiros esperam elevar salários, 14 p.p a mais que o registrado em 2010, 10ª posição no ranking global,

mas o ultimo dos países latino-americanos. A expectativa é positiva na maioria das economias pesquisadas, lideradas por Argentina (95%), Suécia (93%) e África do Sul (92%). No fim da tabela aparecem Grécia (11%), Irlanda (17%) e Itália (22%).

Minoria no mercado, mulheres dominam um dos setores que mais emprega

N

o mercado de trabalho brasileiro as mulheres ainda são minoria. No entanto, em um dos setores que mais emprega no país, o de telesserviços, elas dominam. Hoje, de acordo com a ABT – Associação Brasileira de Telesserviços, elas representam quase 80% da mão-de-obra nas centrais de atendimento.

“Para lidar com o público, as mulheres parecem ficar muito mais à vontade do que os homens, em geral. Elas também demonstram ser bem mais pacientes com os clientes, uma característica indispensável para executar o trabalho de teleatendimento”, diz Jarbas Nogueira, presidente da ABT. O setor é apontado ainda como a

principal porta de entrada de jovens para o mercado de trabalho, pois 45% dos teleatendentes têm de 18 a 24 anos. No geral, as empresas empregam atualmente mais de um milhão de pessoas em todo o país. A ABT estima que mais de cem mil novas oportunidades de emprego sejam geradas durante todo o ano de 2012.


Nossa Gente

Estilo

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de março de 2012

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Desembargador Gilberto Pinheiro

Parabenizamos a gerente de vendas do Magazine Brasília, Cléia Holanda pela passagem do seu aniversário dia 06 (terça-feira), esses são os votos de seus amigos e familiares.

O pequeno Giovane dos Santos é só alegria

Toda a equipe do Jornal do Dia torce pela recupeção e retorno do comptente jornalista Mário Tomaz

A beleza das jovens Tainá e Djane Cristina ilumina a coluna JD

Toda a beleza de Josilene Modesto

Comemorou ontem mais um aniversário a bela Samara Santos na foto com sua filhota Samilly Santos

Casal empreendedor Cláudia Almica e Paulinho Amilca

Aniversariou segunda - feira (2702) , o empresário e corretor de imoveis - Torquato da Silva Rodrigues. Parabéns!!

Linda Jornalista Alyne Kaiser e a gata de todas as gatas mais gata das gatas Ediene Borges

Antonio Munhoz Lopes - fundadores da Banda e José Figuereido de Sousa fundador da Banda (2)

Com casamento marcado para este mês, a fonoudióloga Tatiane Figueira e seu noivo Edosn Filho, curtindo a noite macapense

Jornal do Dia 04-05/03/2012  

Jornal do Dia 04-05/03/2012

Advertisement