Page 1

HYUNDAI HB20

FORA COLLOR

Revelações em detalhes

NOSSA GENTE O que há de melhor para você

Vinte anos se passaram

Veja tim-tim por tim-tim do recente lançamento.

Relembre o 29 de setembro de 1992.

nD1

Confira nesta edição. A revista não pode ser vendida separadamente.

nA5

Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

Macapá-AP, Domingo e Segunda, 30 de Setembro e 01 de Outubro de 2012 - Ano XXV DIVULGAÇÃO

• Domingo e Segunda R$ 3,50 • Terça a Sábado R$ 1,50

ELEIÇÕES 2012

Compra de votos: bom para corruptos, péssimo para o povo Em plena expansão do sistema biométrico para evitar fraudes nas urnas, o combate à compra de votos continua sendo um desafio para a Justiça Eleitoral. Se an-

tes os eleitores eram atraídos simplesmente através de dentaduras, metros de areia ou sacas de cimento, hoje, a compra de votos evoluiu e subiu de preço. nE2 e E3 JORNAL DO DIA

PESQUISA

85% dos prefeitos deixarão dívidas

EM BUSCA DO VOTO

Polícia é acionada para conter militantes

A Policia Militar e Bope foram acionados para manter militantes que fizeram ontem caminhadas no centro comercial de Macapá. nB1

A queda do repasse do FPM e a implementação do piso nacional dos professores contribuíram para o cenário, revelam os dados da sondagem. nCOLUNA ESPLANADA

SAÚDE

Engarrafou? Faça ginástica no carro

De um lado, a militância de Roberto Góes. Do outro, os militantes de Cristina Almeida. No meio, viaturas da Polícia Militar e do Bope para conter ânimos

Psiquiatra especializado em hipnose dinâmica e medicina psicossomática, dá uma dica seguindo a ginástica de forma correta e manter a saúde. nC1

JORNAL DO DIA

Boato é desmentido e vira alvo de chacota nas redes sociais nB1

BRASILEIRÃO Grêmio e Santos

Corinthians e Sport

X São Paulo e Curitiba

X

Obras do novo Aeroporto de Macapá, paralisadas por anos

SEM SOLUÇÃO

Aeroporto, abastecimento e impostos são gargalos do setor aéreo no Amapá As condições do atual Aeroporto, o abastecimento das aeronaves e o elevado preço dos impostos foram apontados como os principais

BRASILEIRÃO

X Fluminense e Flamengo Clássico “pedreira”

O Abel Braga disse que já esperava a ascensão e elogiou o adversário, a gente nunca pode menosprezar o Fla e prevê jogo duro no Engenhão. nA7

DIVULGAÇÃO

X

gargalos do setor aéreo no Amapá. Veja o que as discussões apontam como soluções. nB2 e B3 Áreas de ressaca: sem política para solucionar o problema

PROJETO

Lei Seca pode ter tolerância zero Segundo projeto, caso a lei continue prevendo o limite atual de álcool por litro de sangue, as provas sem o bafômetro ou do exame de sangue poderão ser impugnadas. nB4

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


JD

Opinião

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Editor: Pablo Oliveira - Pc.oliveira@jdia.com.br

Cargos iguais, tempos diferentes RODOLFO JUAREZ

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

H

oje é o domingo que antecede o dia da eleição. Fazia tempo que um pleito não chegava a esse ponto tão equilibrado e isso tem a ver com os erros dos marqueteiros e com a qualidade dos programas levados ao ar pelo rádio e pela televisão no horário eleitoral gratuito. Uma questão precisa ser ajustada pelo Tribunal Superior Eleitoral e pelo próprio sistema eleitoral brasileiro – a distribuição do tempo entre os partido. E tudo por uma razão muito simples: o que o tempo do rádio e da televisão, no horário eleitoral gratuito, para ser distribuído entre os partidos, na eleição municipal, tem a ver com o número de deputados na Câmara Federal? E a média é ponderada, isto é, além de depender de representação na Câmara Federal, o espaço ainda depende da quantidade de deputados naquele Poder. Já está mais do que atestado que as questões municipais são completamente diferentes das questões nacionais e principalmente

brasilienses. O sistema previsto na legislação e adotado pelos organizadores das eleições acaba colocando os concorrentes em desigualdade gritante com relação ao tempo que dispões um e outro candidato, dependendo dos partidos que formam a coligação. Um tema que não interessa as partidos que povoam os Plenários da Câmara e do Senado, considerando que estão levando vantagem na exposição, principalmente no vídeo, desde as inserções até as programas gratuitos. A grande “sacada” do dirigente partidário “esperto” é fazer uma coligação para a qual sejam atraídos os partidos que têm o maior número de deputados em Brasília, muito embora esses deputados, na maioria das vezes, nem concordem com o que o candidato da coligação, da qual está participando o seu partido, esteja em “outra” ou não estejam em “nenhuma”. Esse erro vem provocando coligações absurdas nos municípios, privilegiando dirigentes que têm o poder de intervenção, de cima para baixo e sem qualquer justifi-

cativa, nas direções organizadas dos partidos. Além dos diretórios e das comissões municipais ficarem submetidas às direções estaduais e nacionais, às vezes sustentada apenas pelo dirigente influente, ainda ganham de presente, tempos desiguais para disputar o mesmo cargo. E nem sempre o candidato que tem o maior tempo, porque fez uma “boa coligação”, leva vantagem por isso. As vezes se atrapalha tanto que, depois de perder a eleição, coloca a culpa até no tempo que dispunha, exatamente por ser o maior de todos. Mas se trata e um erro claro e que tem perdurado e desafiado aqueles que estão procurando condições de equilíbrio entre os candidatos aos cargos majoritários municipais e que, também, tira o sentido de outras medidas que são usadas como referência do desequilíbrio entre os candidatos – o abuso de uso, seja de dinheiro, seja de serviço ou da máquina pública. De pouco adianta anunciar a biometria como avanço (e é um avanço) se continuar a distribuição do tempo no horário gratuito com a mesma regra, funcionando como uma âncora ou como

um motor que puxa para trás todos os avanços. E como o assunto não é explicado como os outros, por exemplo, o da ficha limpa, os eleitores perguntam a todos porque um candidato tem tempo maior que o outro se eles estão disputado o mesmo cargo, no mesmo município, com o mesmo eleitorado. São questões que ainda precisam de reparo e rápido, para que todos tenham a mesma chance. E o tempo maior não é certeza de que o candidato vai aproveitá-lo bem. Então porque insistir? O mais certo é que ele acaba fazendo duas campanhas em uma: a atual, a municipal, para ver se dá certo, mas de olho em uma futura campanha em eleição regional, quem sabe concorrendo ao um cargo de deputado estadual, de deputado federal, de senador ou mesmo de governador de estado. Atualmente a distribuição ponderada do tempo está favorecendo ao mais esperto que demonstra não se interessar pelos compromissos com o povo, pois quer mesmo é acertar o compromisso com o seu umbigo e com o seu “chegado”.

O seu coração vai parar... VANESSA FREITAS

Palestrante, consultora de empresas, escritora, professora universitária, executive coach, apresentadora do programa “Espaço da Mulher” e diretora da melhoRH consultoria. Escreve aos domingos no JD.

D

esde a última viagem que fiz para a Itália que acontecem alguns descompassos no meu coração (de verdade), há um ano comecei a sentir maus súbitos, mas acreditava que era por algum esforço que havia realizado. Algo como subir as enormes escadarias que existem em Roma, ou até mesmo patinar, já que minha idade não é mais a de uma adolescente.Na verdade fiquei “me enrolando” para não ir ao médico, mas a vida sempre arruma um jeito de nos mostrar a verdade. Eis que patinava costumeiramente como faço desde a infância e após vinte minutos perdi as forças nas pernas e depois tudo apagou. Acordei no hospital e lá descobriram que eu estou com um probleminha no coração (não vou contar, por que não quero ninguém pensando que eu vou morrer, já sei que vou)! Mas não precisa ser agora! Todas as pessoas que sofreram algum problema sério de saúde dizem que a vida nunca mais é a mesma depois de um “susto”, que ficamos mais “urgentes” em viver. Isso muito me preocupa, pois sempre fui intensa e com este episódio tenho ainda mais fome da vida. E agora me resta saber; no

que esta fome mais a minha intensidade vai dar? Também é verdade que no primeiro momento pensamos nos filhos, naquela tia que gostamos muito e que não vemos há anos. Também me lembrei da prima querida de infância, dos meus melhores amigos do ginásio e da animação na faculdade. Depois de lembrar o passado, a surpresa foi perceber que com o marido a preocupação é menor. Com ele tenho a certeza de que logo encontrará outra companheira para dormir na minha cama, conviver com os meus filhos e ainda gastar o seguro que EU deixei para ele. Mas a natureza egoísta do ser humano também sempre dar um jeitinho de aparecer, pois depois de todos estes pensamentos humanistas e generosos lá estava eu pensando no que o bom e velho Chico Anysio disse quando lhe perguntaram; - Você tem medo da morte? Sabiamente ele respondeu: - Eu tenho pena! Foi exatamente isso que eu sentir; pena! Medo eu não tenho, mas eu tenho muita pena. Pena de não poder mais tomar meu sorvete de tapioca, pena de não poder

caminhar na beira mar, pena de não poder mais fazer sexo (puxa vida, nessa hora aquele “papai e mamãe” torna-se melhor que qualquer posição do kama sutra, aliás, preciso dar uma olhada nesse manual, pois com a coluna ruim que tenho nunca dei bolas para ele), pena de não poder dançar, patinar, viajar para a costa amalfitana, etc. Nossa! Tanta coisa por fazer e o meu coração querendo parar de bater. Na verdade, está querendo parar de enviar sangue para onde deve! Confesso que são duas da madrugada e eu ainda não conseguir dormir. Acho que estou com medo de fechar os olhos e não conseguir abri-los. Sei lá! Vai que a vida quer aprontar uma peça comigo aos quarenta, vai que eu não vou ter tempo de dizer aos meus leitores e amigos que não precisa esperar nenhuma doença no coração para acordar definitivamente pra vida! Quer saber? Fiquei pensando em todos vocês que vivem como se a vida fosse eterna e como se tivessem tempo para realizar todos os seus sonhos; não temos esse tempo! E também não somos comunicados sobre a data e hora do nosso coraçãozi-

nho parar, mas e se fôssemos? E se você soubesse que o seu coração iria parar hoje as vinte e três horas, o que faria? Quem procuraria e o que falaria antes de ir embora? Se este fosse o ultimo dia da sua vida do que não se privaria? Sabe que algumas coisas não dão tempo mesmo. Uma das mais lindas crônicas que escrevi chama-se; Steve Jobs está morrendo! Esta crônica nunca foi publicada, por que acreditamos que o “cara” viveria e a deixamos na fila para a “próxima semana”. Três dias após enviá-la ao jornal, Steve Jobs morreu e não poderíamos mais publicar um texto que dizia que ele estava morrendo! Não deu tempo! Qual o tempo que você precisa para realizar tudo o que quer e partir em paz? Eu descobrir que precisava dizer estas coisas para vocês. Por que este amontoado de frases, misturadas aos meus sentimentos resumidamente quer dizer o seguinte: - O seu coração vai parar um dia... O de todos nós! Mas o que você faria se fosse hoje as vinte e três horas? Pense nisso!

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994) Diretor Executivo: Marcelo Ignacio da Roza Diretora Corporativa: Lúcia Thereza Pereira Ghammachi Assessoria Jurídica e Tributária: Américo Diniz (OAB/AP 194) Eduardo Tavares (OAB/AP 27421) Editor-Chefe: Janderson Carlos Nogueira Cantanhede Gerente Comercial: Andrew Gustavo Cavalcante dos Santos CONSELHO EDITORIAL Presidente: Aldenor Benjamim dos Santos

Secretário Executivo: Marcelo Ignacio da Roza

Conselheiros: Carlos Augusto Tork de Oliveira

José Arcângelo Pinto Pereira

Danieli Amanajás Scapin

Luiz Alberto Pinto Pereira

Janderson Carlos Nogueira Cantanhede

Maria Inerine Pinto Pereira

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br comercialjd.2011@gmail.com mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representante comercial Grupo Pereira de Souza – GPS Matriz - Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2544.3070; Brasília/DF - Tel.: (61) 3226.6601; São Paulo/SP - Tel.: (11) 3259.6111; Belém/PA Tel.: (91) 3244.4722 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

A2

Editorial

C

Termômetro da campanha

omo anda a temperatura da campanha eleitoral em Macapá? Pelos termômetros disponíveis, dá para perceber, até o momento, um bom desempenho, em diversas frentes, do prefeito Roberto Góes (PDT), que busca a reeleição. A começar pela fonte que quase todos tomam como referência, a despeito de algumas eventuais mancadas que tenha dado pelo caminho: a pesquisa do Ibope. Nela, Roberto aparece em primeiro, com 13 pontos de vantagem sobre a segunda colocada, Cristina Almeida (PSB). Nova pesquisa está sendo aguardada para breve, quando será possível verificar como os números se comportaram desde a data da primeira divulgação (10 de agosto). Vale lembrar que de lá para cá, a campanha esquentou muito, inclusive com o início do horário eleitoral de rádio e TV, que costuma influenciar no humor dos eleitores. Outra frente em que o prefeito Roberto vem levando vantagem é na campanha de rua. A presença da turma do azul nas ruas é intensa, com alguns momentos que impressionam, como a bandeirada realizada na última sexta-feira, 31, na Rua Leopoldo Machado. No horário eleitoral gratuito de rádio e TV, Roberto também começou bem, com programas bem produzidos, ocupando bem os 11 minutos a que sua coligação tem direito – um tempo enorme, em se tratando de TV. Pecando, contudo, nas doses das promessas, como, por exemplo, o anúncio de que irá construir 12 mil casas se for reeleito. Apesar do começo vaci-

lante, os programas dos dois concorrentes mais diretos do prefeito – Cristina Almeida (PSB) e Clécio Luis (PSOL) – vem melhorando nos últimos dias. Aumentando, inclusive, o tom dos ataques ao prefeito. Uma tática que nem sempre dá certo, mas a qual os dois não podem furtar-se. Nas entrevistas à imprensa, outra importante frente das campanhas eleitorais, até aqui não houve grandes surpresas. Até porque os formatos adotados, que privilegiam perguntas generalizantes, em detrimento de abordagens mais particulares para cada candidato, acabam induzindo a um desempenho insosso e linear. Os debates também são momentos importantes das campanhas. Até aqui, apenas a faculdade Fabran promoveu um, ignorado pelos candidatos, a exceção de Clécio, único a comparecer, transformando o evento num bate-papo com alunos e professores da faculdade. Na maioria dos casos, porém, as regras dos debates, estabelecidas entre os veículos de comunicação e as assessorias dos candidatos, também os estão engessando de tal modo que dificilmente têm surgido, neles, fatos que provoquem mudanças de rumo significativas no processo eleitoral. Além dos elementos tradicionais que influenciam nas campanhas, existem também os fatores surpresas, que podem ser decisivos e virar a disputa pelo avesso. Como aconteceu em 2010, com a Operação Mãos Limpas, da Polícia Federal, e também na presente campanha, com o imbróglio entre Clécio Luis e sua ex-esposa, Cleidenira, via Twitter.

Hora-Hora

Decepção – O debate da TV Band, realizado sexta-feira à noite, 28, cumpriu à risca o roteiro de feita para decepcionar eleitores, que eventualmente acompanham esses programas com a esperança de conseguir, através deles, conhecer melhor os candidatos e decidir seu voto. Despreparo - Uma coisa interessante nesses debates é ver que os candidatos parecem mais preparados para o momento de atacar, do que para apresentar suas propostas. Na hora do ataque, até demonstram desembaraço, mas na hora de defender suas idéias, em geral revelam despreparo. Problemas – Para piorar as coisas, o debate da Band foi recheado de problemas técnicos. O som, mal modulado, misturava a voz dos candidatos com o que parecia ser a transmissão de alguma emissora de rádio. Desencontro - No estúdio, candidatos várias vezes passaram momentos constrangedores, falando para câmeras que não estavam ligadas. A intenção de realizar debates é louvável, mas é preciso investir mais, para garantir que tenham qualidade compatível com as expectativas dos telespectadores. Itinerante - A Assembleia

Legislativa cai na estrada novamente nesta semana. Segunda e terça-feira serão realizadas sessões itinerantes do Legislativo na região sul do Estado. A primeira, em Vitória do Jari, dia 1, e a segunda em Laranjal, dia 2. Caminhadas - Como no Amapá, tudo acaba terminando nas barras da Justiça, não foi diferente com as caminhadas de Cristina Almeida (PSB) e Roberto (PDT), realizadas ontem de manhã, no mesmo horário, no centro da cidade. Distância - Para evitar um possível confronto entre as militâncias dos dois candidatos, o juiz Rommel Araújo decidiu que deveriam ser guardados pelo menos duzentos metros entre elas. Tudo transcorreu tranquilo, apesar do centro ter ficado tumultuado, por conta de milhares de pessoas aglomeradas por lá. Mico – A campanha eleitoral de 2012, em Macapá, vai deixar registrados alguns momentos para a posteridade. Um deles, sem duvida, o boato atribuído ao senador João Capiberibe (PSB), de que o prefeito Roberto Góes teria sido preso ontem, ao final da caminhada no centro da cidade. Logo desmentido, virou motivo de gozações nas redes sociais.

Índice Opinião - A2, A3 Especial - A4, A5 Geral - A6 Sociedade - A8 Dia Dia - B1, B3, B4 Polícia - B2 Classidia - 12 Pag.

Esportes - C1, C2 Atualidades - C3 Diversão&Cultura - C4 Carro e Moto - D1, D2, D3 Social Click JD - D4 Economia - E1, E2, E3, E4

Edição número 8017


JD

“ ”

Geral

Entre Aspas

JANDERSON CANTANHEDE Jornalista cantanhede@jdia.com.br

Medindo forças - A sete dias das eleições, os candidatos Roberto e Cristina resolveram medir forças em pleno centro comercial de Macapá. Por pouco não saiu confusão. Em choque - A Justiça ainda determinou que as caminhadas mantivessem a distância mínima de 200 metros, porém, se não fosse a interferência da Polícia Militar ambas as militâncias teriam entrado em choque.

Detalhes – Um dos detalhes que chamou a atenção foi um avião adesivado com o número 40 ter sobrevoado a Cândido Mendes, apoiando a Caminhada 40. Pensando bem, para quem tomava sopa e passou por dificuldades, ter avião na campanha está bom até demais! Prisão – Outro fato que não passou despercebido foi o anúncio feito pelo senador João Capiberibe da ilusória prisão de Roberto Góes. A informação furada serviu de chacota nas redes sociais. Justificativa – De acordo com os “amarelinhos”, Roberto teria sido preso por não ter cumprido a decisão judicial que estipulou distância dos militantes nas caminhadas. Maldade - O certo é que não houve nada disso. Para os “azuis”, o boato da pri-

são de Roberto não teve outro objetivo a não ser confundir a cabeça dos eleitores. Maldade sem igual!

Não custa – Esse episódio me fez lembrar da polêmica Operação Mãos Limpas, que influenciou diretamente na ida de Camilo Capiberibe (PSB) ao segundo turno com Lucas, em 2010. Quase igual – Assim como Cristina vem despencando hoje nas pesquisas de votos, Camilo em 2010 também estava muito mal avaliado antes da Operação. Sem Pedro Paulo e com Jorge Amanajás chamuscado, conseguiu vitória no primeiro turno e repetiu a dose no segundo. Custos – As eleições que se avizinham devem movimentar pelo menos R$ 13 bilhões, valor que corresponde a quase todo o faturamento anual de uma empresa como a Usiminas, uma das maiores siderúrgicas da América Latina. Parte desse montante é bancada pelo próprio contribuinte brasileiro. Gastos - Apenas o TSE vai desembolsar R$ 6 bilhões para organizar as eleições e R$ 1 bilhão será gasto com propaganda eleitoral

gratuita.

Sem culpa – O governador Camilo (PSB) veio esta semana, para a mídia, pedir que os macapaenses avaliem a candidatura de Cristina sem associá-la ao seu governo. Por um momento, pensei que fosse pegadinha! Mas não era – Camilo sabia que tinha uma avaliação ruim perante a sociedade e passou a campanha toda ao lado de Cristina. Em alguns momentos, aparecia e falava mais que a própria candidata. Agora, com Cristina despencando nas pesquisas, quer tirar o corpo fora. Assim não dá!

DOM PEDRO JOSÉ CONTI bém se simples e, aparentemente, insignificante como um copo de água. O escândalo acontece quando o nome de Jesus é usado para prejudicar alguém ou dar vantagem a uns sobre contra outros. Jesus não pode ser de parte. Por isso, os pequenos e os pobres ficam escandalizados porque acreditam no amor do Pai para com todos. Privilégios e enriquecimentos, usando o nome de Deus, só podem desnortear a fé dos simples. Pensando bem, porém, todos os discípulos verdadeiros deveriam ser os simples e pobres de coração que procuram amar a Deus servindo ao seu próximo, com generosidade e desprendimento, porque somente de Deus aguardam a recompensa. Na última parte do evangelho, encontramos aquelas palavras de Jesus que não deixam de nos surpreender e incomodar. Entendemos que elas não devem ser tomadas literalmente cortando mesmo mãos, pés e arrancando olhos. No entanto, a decisão de mudar certas atitudes ou costumes nos custa quase quanto arrancar membros do nosso corpo. Mais uma vez, devemos entender as palavras de Jesus como um convite à liberdade. Liberdade para amar e fazer o bem. Para possuir o grande tesouro que é “entrar no reino de Deus” vale a pena renunciar não somente aos males, mas também a outros “bens” menos valiosos. Não por desprezo ou heroísmo.

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Roberto: parceria com empresários é fundamental para o desenvolvimento

Precisamos do comércio sempre próximo do município, disse Roberto quanto a parceria com os empresários

Excelente - Proposta em análise na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pretende transformá-los em transmissores de Wi-Fi para desafogar a rede 3G ou em pontos de acesso à internet com visor, para consultar dados como mapas, endereços e telefones. A meu ver, a ideia é excelente. O que acham?

Roberto Góes: queremos trabalhar em parceria com o empresariado

Bom domingo a todos!

Siga: @cantanhede_AP Email: cantanhede@jdia.com.br

Bispo de Macapá

A3

Novo papel - Após a popularização dos smartphones e a queda no preço dos serviços de telefonia móvel, os orelhões hoje obsoletos procuram um novo papel a desempenhar.

A generosidade do Papa Apresentou-se certa vez, a Bento XIV, um pobre pai de família e, contando-lhe suas necessidades, pediu-lhe um auxílio. - Tenho apenas vinte escudos – disse o Papa – se lhe bastam, dou-os com gosto. Um jovem prelado, que estava presente, advertiu-o, em voz baixa, que vinte escudos eram demais, bastavam dez. – O senhor tem dez escudos consigo? - Perguntou-lhe o Pontífice. O prelado, metendo a mão no bolso, apresentou-lhe dez escudos. Então o Papa, entregando ao pobre seus vinte escudos com mais aqueles dez, disse: - Agradeça também ao Monsenhor, que concorre ao benefício, acrescentando à minha oferta a sua de dez escudos. - O prelado ficou bastante desapontado, mas calou-se... Uma simples história de caridade, talvez um pouco forçada como a do Monsenhor, acabou sendo mais uma ajuda para quem estava precisando. O evangelho deste domingo é um conjunto de palavras do Senhor Jesus, que continua ensinando aos seus discípulos. Primeiro ele diz que ninguém pode fazer milagres em seu nome e depois falar mal dele. O importante é que “toda língua confesse que Jesus é o Senhor, para a glória de Deus Pai” diz a carta aos Filipenses (2,11). No nome de Jesus só se deveria fazer o bem a quem precisa - tam-

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Como considerar inúteis uma mão, um pé ou um olho? Eles podem ser, porém, obstáculos para a nossa participação no reino. A porta para entrar é sempre estreita, precisa deixar fora muitas coisas. Sabemos que por nosso orgulho, muitas vezes, custa-nos demais renunciar a uma ideia ou uma opinião. Perdemos amizades, até a própria família, mas não admitimos erros, não pedimos socorro para nos libertar de certos vícios que estão grudados em nós, mais do que os membros do nosso corpo. Achamos tudo isso tão difícil e até inútil porque o reino do qual Jesus fala nos parece tão longe! Por que deveríamos renunciar a algo bom para nós, hoje, pensando num prêmio tão duvidoso no futuro? Na realidade o bem que fazemos já é sinal e presença do reino. A renúncia a algo de menos importância é para começarmos a ser felizes hoje, escolhendo a parte melhor, aprendendo a amar, a servir, a nos doar. Ninguém aprende a fazer isso de uma vez só, precisamos treinar também para amar, talvez com pequenos gestos – o copo de água! – um sorriso, uma mão estendida, uma ajuda a quem sofre. Talvez precisamos de alguém que nos empurre para doar. O Monsenhor da história não ficou muito feliz por ter dado os dez escudos, mas já os tinha entregado. Aprendeu com a lição do papa Bento XIV (14 mesmo), lá pelos anos de 1700.

N

a seqüência da sabatina feita pela Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA), com os candidatos a Prefeitura de Macapá, o candidato à reeleição, Roberto Góes do (PDT), debateu sobre vários assuntos relacionados à capital, entre eles, o Conjunto de Plano Estratégico para o próximo mandato, caso ele seja reeleito. Ele também discutiu sobre propostas para a juventude no mercado de trabalho, a modernização dos semáforos da cidade, mais investimento na construção civil, de praças, escolas, entre outros assuntos. A matéria de hoje completa sobre o debate deveria respeita o direito que todos os demais candidatos tiveram quanto ao espaço para defender ideias e pontos de vista. Acompanhe a seguir novos trechos do debate com Roberto Góes. Ao longo dos três anos e meio de mandato, Roberto Góes (PDT) disse que tem buscado um relacionamento mais próximos com as entidades organizadas, a exemplo da ACIA. Diante disso, Roberto acredita que os investimentos feitos ao longo do mandato dele têm garantido o crescimento do emprego por parte da cidade, gerando riqueza e renda. “Para cada empreendimento aberto e empresa criada em Macapá, com certeza é mais impostos que o Estado e o município arrecadam”, citou. Legalização Fundiária “Quando assumimos a Prefeitura, os custos para a legalização fundiária eram altíssimos. Um terreno medindo 15 por 30 para se legalizar custava

em torno de R$ 30 mil. Nós conseguimos baixar a planta de valores, e demos incentivos de pagamento a vista de 70% com desconto e com o valor da nota de valores, além de parcelar o pagamento. Isso não foi o suficiente por que houve uma grande procura do cidadão para legalizar e a Prefeitura foi penalizada por que a gente não tinha estrutura necessária para atender a demanda. Conseguimos através de uma parceria mandar para a Câmara dos Vereadores um grande projeto de legalização fundiária no município de Macapá. Foi com isso que conseguimos parte da independência financeira municipal. Hoje, temos em Macapá mais de 100 mil lotes de terra que já são ocupados pelo cidadão, mas não são legalizados. O cidadão quer se legalizar, mas não consegue por não darmos conta da burocracia que existe dentro da própria Prefeitura, como também nos cartórios. Fizemos um termo de recuperação, uma TCP aprovada na Câmara com a presença do Ministério Publico e do Tribunal de Justiça, com a presença do Cartório, assinamos um Termo de Compromisso para que nosso programa de legalização fundiária seja levado adiante”. Código Tributário Quanto ao Código Tributário, Roberto alegou que deve ser criado dentro da própria ACIA uma coordenadoria para que o comércio esteja sempre mais próximo do município. “Nossa preocupação é tanta que para decretar um feriado primeiro mantemos contato com o presidente da ACIA para saber se vai ser bom ou não para o comércio, por que eu sei que quando a gente decreta um feriado, o empresário tem que pagar dobrado a hora extra, pagar mais impostos e às vezes o feriado e desnecessário para o comércio. Para finalizar, quero dizer que o município está adimplente, nosso município não tem nem uma conta devedora, não está no Serasa, e o município tem trabalhado bastante para avançar. Temos capitado recursos para novas

construções de casas e temos R$ 190 milhões para investir em projetos”, disse. Micro empresários Roberto disse que a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa o município de Macapá foi a primeira capital do país a sancionar a lei. “Precisamos agora regulamentar a legislação. É nesse tempo que precisamos para continuar trabalhando no crescimento da cidade. Por que tenho certeza que hoje a cidade está preparada pra gente avançar cada vez mais. Hoje temos um agravamento com o governo do Estado, pois o governo deve para o município mais de R$ 17 milhões. Estamos indo à Brasília, e o município deve estar recebendo este dinheiro de ISS. Se falarmos de ISS de 2011 e 2012, destaco que o município tem penado para receber este recurso. Mas, mesmo assim, a gente vem trabalhando e procurando melhorar a cidade. Quem lembra como recebemos o município em 2008, e no início de 2009, vê que avançamos muito. Asfaltamos muito a cidade, melhoramos o trânsito, a discussão da descarga e carga de carretas que entram e saem no centro da cidade, inclusive tudo isso foi discutido ativamente em uma grande plenária dentro da ACIA, pra que a gente desse prazo para que todos os empreendedores pudesse se acostumar, se organizar, para que o município não pudesse cobrar por que hoje o transito é totalmente municipalizado”, disse. Moradia “Nós temos na Caixa Econômica R$ 150 milhões para fazer dois grandes empreendimentos em Macapá. Só estou esperando assinar o contrato com a Caixa Econômica para que na área do Zelito possamos iniciar a construção de novas residências. São R$ 150 milhões que vão gerar emprego por que uma obra dessa demora em torno de um ano e meio, e o cidadão vai estar trabalhando todos os dias ganhando o seu pão de cada dia, pra fazer os investimentos no comercio.


JD

Geral

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

A4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Mensalão não muda o voto de 81% em São Paulo Julgamento do mensalão avança no Supremo Tribunal Federal num período que coincide com as campanhas eleitorais

A

pesar da grande repercussão no mundo político, 81% do eleitorado paulistano afirma que não mudou o voto por causa do julgamento do mensalão. De acordo com os números colhidos pelo Datafolha nesta semana, apenas 19% dos eleitores da capital de São Paulo dizem que estão bem informados a respeito do julgamento. Uma parcela quase idêntica de paulistanos, 18%, afirma que sequer tomou conhecimento do assunto. O julgamento do mensalão avança no Supremo Tribunal Federal num período que coincide com o auge das campanhas eleitorais. Outra constatação é que

para a maioria dos paulistanos (51%) o julgamento não exerce qualquer influência na definição do voto. Grande influência mesmo só para 22% dos entrevistados. Rescaldo Por envolver antigas lideranças do PT e de partidos aliados do governo Lula, presume-se que o maior prejudicado pelo julgamento do mensalão seja o petista Fernando Haddad. Entre os 19% que mudaram de voto por causa do julgamento, Haddad é, de fato, o que mais perde. Nesse grupo, 52,5% dizem que deixaram de votar nele. A notícia, porém, não pode ser considerada completamente desolado-

ra para a campanha do petista. Entre os eleitores que mudaram o voto por causa do mensalão, 21,1% disseram que deixarão de votar no tucano José Serra. E 26,4% deixaram de votar em outros rivais de Haddad, como Celso Russomanno (PRB), Gabriel Chalita (PMDB) e Paulinho da Força (PDT). Na soma final, o julgamento fez Haddad perder alguns pontos. Mas tanto quanto a soma de seus rivais. Metodologia Todas as perguntas do Datafolha relacionadas ao tema mensalão foram feitas pelos entrevistadores após o encerramento das questões sobre intenção

de voto. O objetivo de ordenar o questionário dessa forma é evitar que uma conversa antecipada sobre mensalão influencie e acabe distorcendo os resultados sobre adesão ou rejeição aos concorrentes. Na pesquisa de intenção de voto, Russomanno lidera isolado com 30%. Em segundo estão tecnicamente empatados Serra, com 22%, e Haddad, com 18%. O Datafolha ouviu 1.799 eleitores nos dias 26 e 27 de setembro, o que resulta numa margem de erro de dois pontos e 95% de confiança. Se o instituto repetir a pesquisa 100 vezes com a mesma metodologia, os resultados estarão dentro da margem 95 vezes.

Britto veta nota de Barbosa contra Marco Aurélio no site do STF

O

presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ayres Britto, não permitiu a publicação, no site oficial da Corte, de uma nota de caráter pessoal que o ministro Joaquim Barbosa pretendia divulgar. A carta é uma resposta a um comentário do ministro Marco Aurélio de que o futuro presidente do STF (Joaquim Barbosa) não teria condições ideais de exercer o cargo, tendo em vista o seu temperamento, e especialmente a “agressividade” que tem demonstrado, como relator da ação penal do mensalão, nos debates travados com o ministro-revisor, Ricardo Lewandowski. Na última quarta-feira, o bate-boca entre os dois chegou ao auge, e Marco Aurélio dirigiu-se publicamente a Barbosa nos seguintes termos: “Ministro, policie a sua linguagem”. De acordo com informações correntes no Supremo, o ministro Ayres Britto teria feito ver ao seu colega Joaquim Barbosa, atual vice-presidente do tribunal, que o site deve se limitar à publicação de notícias objetivas e matérias institucionais. A nota Em nota divulgada na última sexta-feira - mas não no site do STF - Joaquim Barbosa afirmou: “Um dos principais obstáculos a ser enfrentado por qualquer pessoa que ocupe a presidência do Supremo Tribunal Federal tem por nome Marco Aurélio Mello. Para comprová-lo, basta que se

Macapá versus Boa Vista CHARLES CHELALA Economista Ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão, é o próximo da fila para presidir o STF

consultem alguns dos ocupantes do cargo nos últimos 10 ou 12 anos”. Barbosa referiu-se ainda veladamente ao fato de Marco Aurélio ter sido nomeado para o STF - quando já era ministro do Tribunal Superior do Trabalho - pelo ex-presidente Fernando Collor de Mello, que é seu primo em quarto grau: “Ao contrário de quem me ofende momentaneamente, devo toda a minha ascensão profissional a estudos aprofundados, à submissão múltipla a inúmeros e diversificados métodos de avaliação acadêmica e profissional. Jamais me vali ou tirei proveito de relações de natureza familiar”. O mensalão do PT Em 2007, o STF aceitou

denúncia contra os 40 suspeitos de envolvimento no suposto esquema denunciado em 2005 pelo então deputado federal Roberto Jefferson (PTB) e que ficou conhecido como mensalão. Segundo ele, parlamentares da base aliada recebiam pagamentos periódicos para votar de acordo com os interesses do governo Luiz Inácio Lula da Silva. Após o escândalo, o deputado federal José Dirceu deixou o cargo de chefe da Casa Civil e retornou à Câmara. Acabou sendo cassado pelos colegas e perdeu o direito de concorrer a cargos públicos até 2015. No relatório da denúncia, a Procuradoria-Geral da República apontou como operadores do núcleo central do esquema José Dirceu, o ex-deputado e ex-

-presidente do PT José Genoino, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares e o ex- secretário-geral Silvio Pereira. Todos foram denunciados por formação de quadrilha. Dirceu, Genoino e Delúbio respondem ainda por corrupção ativa. Em 2008, Sílvio Pereira assinou acordo com a Procuradoria-Geral da República para não ser mais processado no inquérito sobre o caso. Com isso, ele teria que fazer 750 horas de serviço comunitário em até três anos e deixou de ser um dos 40 réus. José Janene, ex-deputado do PP, morreu em 2010 e também deixou de figurar na denúncia. O relator apontou também que o núcleo publicitário-financeiro do suposto esquema era composto pelo empresário Marcos Valério e seus sócios (Ramon Cardoso, Cristiano Paz e Rogério Tolentino), além das funcionárias da agência SMP&B Simone Vasconcelos e Geiza Dias. Eles respondem por pelo menos três crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro. A então presidente do Banco Rural, Kátia Rabello, e os diretores José Roberto Salgado, Vinícius Samarane e Ayanna Tenório foram denunciados por formação de quadrilha, gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro. O publicitário Duda Mendonça e sua sócia, Zilmar Fernandes, respondem a ações penais por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. O ex-ministro da Secretaria de Comunicação (Secom) Luiz Gushiken é processado por peculato. O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi denunciado por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A

análise comparativa é útil, pois ao avaliar desempenhos diferenciados torna-se possível identificar as causas destas disparidades. Assim, uma boa comparação pode ser feita entre Macapá e Boa Vista, pois são duas capitais de Estados da periferia da Amazônia, com populações semelhantes (Macapá tem 400 mil habitantes e Boa Vista, 300 mil), além de estruturas econômicas bastante parecidas. Pesquisando nas bases de dados da Secretaria do Tesouro Nacional algumas características das finanças de ambas as capitais, constatei aspectos interessantes, como exponho a seguir. O período estudado compreende a atual gestão, ou seja, os anos de 2009 a 2011. Foram considerados três grandes grupos de receita: 1 as Transferências Constitucionais da União, que é a maior das fontes, na qual está inserido o Fundo de Participação dos Municípios - FPM; 2 - as Receitas Tributárias, que representam a arrecadação própria das capitais analisadas (como o ISSQN e o IPTU) e; 3- as Transferências de Convênios da União, que são os repasses para custeio e para investimentos que o governo federal repassa para os municípios. Com relação às Transferências Constitucionais, Macapá recebeu da União aproximadamente R$ 515 milhões. Já para Boa Vista foram repassados mais de R$ 650 milhões. Tal diferença é decorrente de uma ação movida pelo município roraimense, que convenceu a Justiça que merecia uma parcela maior do FPM. Como a medida foi derrubada pela União, nos dois últimos anos Boa Vista vem recebendo o mesmo montante que Macapá. No que tange aos tributos de competência municipal,

mais uma vez a vantagem é para Boa Vista, que arrecadou R$ 157 milhões entre 2009 e 2011, contra apenas R$ 117 milhões em Macapá. Perdemos por R$ 40 milhões, apesar de possuirmos uma população maior que Boa Vista. Entretanto, a diferença mais gritante ocorre nos convênios da União, as Transferências Voluntárias. No período analisado Macapá conseguiu trazer aproximadamente R$ 34 milhões apenas, enquanto Boa Vista recebeu do governo federal R$ 163 milhões, quase cinco vezes mais! Esta diferença a maior de R$ 129 milhões teriam tido muita utilidade em nossa capital. Na soma total das três fontes de receita, nossa coirmã de Roraima obteve R$ 310 milhões a mais. O que teria provocado tão gritante disparidade? Pois bem, retirando da análise o ganho judicial do FPM já mencionado, é possível se afirmar que dois são motivos básicos para tal distorção. O primeiro é a displicência fiscal de Macapá que, talvez mal acostumada com as benevolências do governo estadual, deixou de fazer a sua “lição de casa” e não arrecada de IPTU e de ISSQN tanto quanto deveria. O segundo motivo está na gestão. Tanto a situação de inadimplência crônica do município de Macapá, que a impede de acessar recursos da União, quanto a incapacidade de se elaborar projetos adequados, cadastrar-se nos programas nacionais e prestar contas dos repasses, acabam criando a situação de perdermos valores que seriam importantes para o nosso município. Daí que, um esforço de inteligência fiscal e uma gestão mais eficiente faria Macapá ter a receita que lhe seria justa, podendo deixar de mendigar migalhas, como faz atualmente.


Geral

JD

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Há 20 anos, Câmara aprovava impeachment de Collor na Presidência

Câmara aprovou impeachment em 29 de setembro de 1992; Collor deixou Presidência em dezembro

H

á exatos 20 anos, em 29 de setembro de 1992, a Câmara dos Deputados aprovava a perda do cargo do ex-presidente Fernando Collor de Mello, atual senador, e que o levaria à renúncia e perda dos direitos políticos por oito anos, sendo o primeiro mandatário a sofrer um impeachment no Brasil. Collor foi o primeiro pre-

sidente eleito diretamente pelo povo depois da ditadura militar (1964-1985), em 1989. Ele venceu a eleição no segundo turno, com pouco mais de 35 milhões de votos contra 31 milhões do segundo colocado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Após a posse, já em 1990, começaram a aparecer denúncias apontando

para um esquema que envolvia cobrança de propina de empresários, contas no exterior e pagamento de gastos pessoais de Collor. O esquema seria coordenado pelo então tesoureiro de campanha de Collor, Paulo César Farias, ou apenas, PC Farias. O tesoureiro teria um fim trágico ao lado da namorada, Suzana Marcolino. De-

pois de ser preso e investigado, PC e a namorada foram mortos no dia 23 de junho de 1996. Ele foi encontrado deitado na cama de sua casa de veraneio, em Guaxuma (bairro na orla norte de Maceió), com um tiro no peito, ao lado de Suzana, também morta com um tiro. Saída da Presidência Pressionada pelas denúncias e diversas manifestações públicas, a Câmara autorizou a abertura do processo de impeachment por 441 votos a 38. Houve uma abstenção e 23 ausências. No começo de outubro, o processo chegou ao Senado, e Collor foi afastado interinamente. Collor renunciou à Presidência em 29 de dezembro de 1992, quando o Senado julgava seu afastamento definitivo, e foi substituído pelo vice, Itamar Franco (PRN), que governou o Brasil até 1994. Fernando Henrique Cardoso (PSDB) foi eleito na sequência. Também condenado pelo Senado, Collor ficou inelegível durante oito anos, até 29 de dezembro de 2000. Acusado de corrupção passiva, Collor foi julgado pelo STF em dezembro de 1994. Entretanto, a maioria dos ministros entendeu que houve falta de provas e não ficou comprovado o chamado ato de ofício, quando um servidor público muda a sua postura em determinado ato mediante recebimento de vantagem financeira. Collor foi, então, absolvido. Em 2002, ele tentou se eleger governador de Alagoas, mas foi derrotado. Em 2007, foi eleito senador por Alagoas --para um mandato de oito anos-- e, em 2010, tentou pela terceira vez o governo de Alagoas, ficando em terceiro lugar.

Ao lado do primeiro-ministro britânico, Dilma diz que Brasil faz sua parte para enfrentar crise econômica

A

presidenta Dilma Rousseff e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, defenderam o fortalecimento das relações bilaterais, com ampliação das parcerias comerciais, culturais e educacionais. Ao tratar da crise econômica internacional, que tem castigado a zona do euro, Dilma reiterou a Cameron a posição do Brasil de defender o aumento da capacidade de recuperação das economias, tanto para

países desenvolvidos quanto para os emergentes. “O Brasil tem feito sua parte quando desenvolve incentivos ao crescimento do emprego e à demanda doméstica,”disse a presidenta. Cameron criticou a adoção de medidas protecionistas e defendeu a ampliação das relações de livre comércio. “A presidenta Dilma e eu mostramos firmeza na nossa determinação de dar apoio ao comércio e concordamos

que devemos resistir ao protecionismo e intensificar nossos esforços para alcançar um acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia, o que poderia gerar 4,5 bilhões de libras em exportação somente para a União Europeia.” Dilma disse que, apesar da crise econômica internacional, os fluxos de comércio e investimento entre Brasil e Reino Unido têm crescido e há interesse em ampliar relações comerciais nos setores de infraestrutura, indústria de defesa, petróleo e gás, logística, serviços financeiros e mineração. “Este encontro reflete a disposição comum que temos de estreitarmos relações e cooperação bilateral, revisamos vários aspectos da nossa parceria. A despeito da crise financeira, os fluxos de comércio e investimento têm registrado contínuo crescimento, consideramos que eles podem aumentar ainda mais. Nosso comércio passou de US$ 7,8 bilhões em 2010 para US$ 8,6 bilhões em 2011 e o investimento direto também tem crescido”, citou a presidenta, em declaração à imprensa após a reunião com Cameron. “É um grande privilégio essa ampla conversa sobre essa gama de assuntos. Estamos convencidos de que é uma parceria de primeiro nível e

estamos comprometidos a fazer com que essa parceria avance. Tivemos uma excelente conversa em torno do fortalecimento da parceria olímpica e melhora do comércio bilateral”, acrescentou o primeiro-ministro. Os dois países fecharam hoje seis acordos nas áreas econômica, cultural e educacional, que vão desde a ampliação do Programa Ciência sem Fronteiras à troca de informações sobre tributos. Um dos acordos prevê parceria para preparação de megaeventos esportivos, para usar a experiência de organização dos Jogos Olímpicos de Londres, deste ano, na edição do Rio, em 2016. Segundo Cameron, o Reino Unido está disposto a compartilhar “experiência e expertise” da organização dos Jogos com o Brasil e este momento pode ser a oportunidade para fechar outras parcerias. “Também vamos aproveitar a oportunidade para transformar este momento ímpar de uma geração em uma verdadeira parceria de empreendimento e trajetória de grande êxito econômico brasileiro. Nesse sentido, 22 empresas britânicas já venceram contrato de licitação que somam 70 milhões de libras. Vamos corroborar esforços para fomentar o comércio entre os dois países”, disse.

A5

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Coluna

ESPLANADA

POR LEANDRO MAZZINI Jornalista

Twitter @leandromazzini

Mais de 3.500 prefeitos deixarão dívidas

Uma pesquisa inédita com 4.773 dos 5.563 prefeitos do país – 85,8% do total – revela um dado devastador para as contas das prefeituras em 2013. Quem se reeleger ou suceder vai encontrar saldo negativo em 74,8% das cidades dos entrevistados – mais de 3.570 municípios. A queda do repasse do Fundo de Participação dos Municípios e a implementação do piso nacional dos professores contribuíram para o cenário, revelam os dados da sondagem feita pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

É a lei

Uma notícia boa surge da pesquisa: Se não mentiram, pelo menos 81% dos prefeitos entrevistados garantem que estão pagando o piso nacional aos professores.

Bolso vazio

A pesquisa também revela dado preocupante: 11,1% dos prefeitos ouvidos (mais de 530 cidades) estão atrasando os salários dos funcionários.

Cobrador na porta

Há também o aperto nas execuções do orçamento: praticamente metade dos municípios - 47,9% dos prefeitos (2.287 cidades) não paga em dia os seus fornecedores.

Em fogo brando

Mais do documento do Conselho Episcopal da CNBB, com olheiros em Assuncion: ‘O Paraguai assistiu nesses últimos dias uma série de manifestações, destacando-se três: a manifestação dos professores; a de desempregados; a da Confederação da Classe Trabalhadora, que reúne mais de 50 sindicatos reivindicando aumentos salariais. Grita Os prefeitos reclamam que, se o governo tivesse agido no Congresso, o cenário das contas seria melhor. Cobram a votação dos royalties do petróleo pela Câmara e a sanção pela Presidência do projeto que aumentaria em R$ 3,2 bi o FPM. Mundo dá voltas O Bolsa Família pagou R$ 2 bilhões em Setembro e alcançou 13,7 milhões de lares com valor médio pago de R$ 149,88. No fim dos anos 90, o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva criticou em vídeo a política assistencialista que classificou de eleitoreira. Raio x do coldre A ADPF – Associação dos Delegados da PF vai divulgar semana que vem um levantamento inédito sobre a instituição, encomendado de um instituto. Trabalho pesado Aos próximos, o chefe da Casa Civil do Governo do DF, Swedenberger Barbosa, tem reclamado da rotina. Ele entrou há poucos meses para reajustar o Palácio. Jesus e a mulher Do cardeal de Aparecida (SP), Dom Raymundo Damasceno, a respeito da nova tese de que Jesus Cristo foi casado: ‘O teor das escrituras do apóstolo Paulo são mais sólidas historicamente do que estes manuscritos apócrifos encontrados’. Cássio, o retorno O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), vai ficar sozinho na próxima campanha. Seu aliado de

hoje, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) deverá se candidatar para o cargo que ocupou. Freio oficial Baixou a prudência na propaganda governamental. Depois do incentivo de Dilma Rousseff ao consumo, o freio: Com a alta inadimplência no comércio, o próprio governo fez comercial da Caixa em que pede consciência nos gastos. Calma aí! Um grupo da alta do PT, entre eles o deputado José Guimarães (CE), promete projetos para regulamentar a mídia em breve. Em outros países, o debate foi bem-vindo e com sucesso, mas como política pública, não partidária. Breve ficha Foi um assessor de Guimarães o preso pela PF com R$ 100 mil na cueca no Aeroporto de Fortaleza. O deputado é irmão de José Genoíno, réu no processo do Mensalão. ‘Ciclolçada’ O GDF teve a boa iniciativa de fazer ciclovias e tirar de Brasília a pecha de cidade sem calçada. Mas esqueceu da... calçada. Pedestres e ciclistas agora dividem o caminho. Ponto Final O deputado Protógenes (PCdoB-SP) tem direito de questionar o filme cujo ursinho personagem é maconheiro. Mas sabia que levava o filho de 11 para uma classificação etária de 16.

Charge do Aliedo O bambuzal da turma

Luiz Fernando Pezão era prefeito de primeiro mandato de Piraí (RJ), cuja administração o alçou a cotado para vice-governador do Rio, o que de fato ocorreu. Uma das primeiras ações de sua gestão como prefeito foi derrubar um bambuzal, num morro no Centro, para construir escadão de acesso dos moradores da parte alta às ruas. No dia seguinte, acordou às 6h com uma pequena multidão à porta de sua casa, gritando seu nome. Eram os moradores do morro. - PQP, vou morrer hoje – pensou, preocupado. Ao atendê-los, ouviu o protesto pacífico: - Pezão, você derrubou o bambuzal! Era o nosso banheiro! Foi então que o prefeito descobriu que o problema do morro não era só o acesso, mas o saneamento básico também. E construiu banheiros comunitários no local. (Com Marcos Seabra www.colunaesplanada.com.br e Vinícius Tavares) contato@colunaesplanada.com.br


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

A6

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Muricy descarta “laboratório” e volta atrás sobre objetivo no Brasileiro: “não joguei a toalha” O time de Muricy está a onze pontos da zona de classificação para a Copa Libertadores 2013

O

técnico Muricy Ramalho mudou o discurso em relação ao objetivo do Santos para o restante da temporada. O treinador, que chegou a dizer que já pensava em 2013, voltou atrás no discurso ao enfatizar que “não jogou a toalha” no Campeonato Brasileiro. “Em relação ao Brasileiro, a Libertadores está difícil, nossa prioridade era outra no começo, mas sofremos muito com as mudanças, mas é claro que temos que brigar, é jogo a jogo, não dá pra fazer conta”, afirmou Muricy. Muricy, inclusive, descartou a hipótese de utilizar o restante da competição como uma espécie de “laboratório” para observar os atletas do elenco santista para o próximo ano. “Brasileirão ainda estamos disputando, não joguei a toalha, temos que

fazer pontos, temos que pensar no Brasileirão. Não tem nada a ver com o planejamento, é outra coisa, a partir disso temos alguns jogadores que temos chances de trazer”, explicou. O treinador lamentou a escassez no elenco santista para a disputa da competição. Além do excesso de convocações de Neymar para a seleção brasileira, o Santos negociou Paulo Henrique Ganso, Elano e Alan Kardec, e ainda perdeu Edu Dracena e Fucile, lesionados. “Não é só no time, depende de quem está lá na frente, o que faz a diferença no campeonato é o plantel, temos que encarar nossas dificuldades, tem chance ainda, não podemos para de lutar, mas estamos pensando no Campeonato Brasileiro”, disse. Na 12ª colocação, o San-

Muricy Ramalho mudou o discurso em relação ao Santos conquistar uma vaga na Libertadores 2013

tos soma apenas 33 pontos ganhos no Brasileirão. O time de Muricy está a

onze pontos da zona de classificação para a Copa Libertadores 2013, já que

STJD da CBF suspende decisão do TJD/AP

O certame estadual de 2012 chegou a uma instância jamais pensada pelos dirigentes do futebol amapaense

Elcio Barbosa

Da Reportagem

A

decisão do Amapa-

zão de 2012 está sob os cuidados do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que determinou a Federação

Amapaense de Futebol (FAF), suspender a partida decisiva do 2º turno do certame estadual que estava marcada para a tarde deste sábado, 29 de setembro no estádio municipal, Glicério de Souza Marques. A FAF, já noticiou no site oficial da casa Dio futebol que “ob-

decendo a decisão do STJD da CBF, que concedeu efeito suspensivo a Decisão do Processo n° 136.002.2012, suspende as partidas decisivas do Campeonato Amapaense de Futebol Profissional de 2012”. Santos e Oratório vão aguardar a decisão do Su-

perior Tribunal de Justiça Desportiva para definir de uma vez por todas o que deve ocorrer na decisão do returno estadual amapaense. A ação foi protocolada pela diretoria do Oratório Recreativo Clube. Na próxima edição daremos mais informação sobre o Amapazão.

o Vasco é o quarto colocado, com 44 pontos. Em contrapartida, a equipe

santista está a seis pontos apenas da zona de rebaixamento.

Médico minimiza temor com chance de Ganso só jogar ano que vem

Médicos do São Paulo não estão preocupados com a data de retorno de Ganso

O

fato de o fisioterapeuta do São Paulo, Luiz Rosan, não descartar a possibilidade de Paulo Henrique Ganso estrear apenas em 2013 não significa que o clube tenha encontrado mais dificuldades do que esperava no processo de recuperação do atleta. Quem explica é José Sanchez, médico do clube. “Conversei com o Rosan e

ele não falou isso (que teme pelo retorno de Ganso só no ano que vem). O que ele disse é que não há pressão de ninguém para que a recuperação seja acelerada e o jogador atue nesse ou naquele jogo. No São Paulo nunca há essa pressão. O Ganso vai voltar quando estiver totalmente recuperado. Ele foi mal interpretado”, disse Sanchez.

Grêmio vende 15 mil ingressos para pegar o Santos e Luxa escala “torcida centroavante”

O

Grêmio segue à risca o principal clichê do campeonato de pontos corridos: todo jogo é decisão. Neste domingo, o duelo com o Santos pode significar o avanço ao segundo lugar ou permanecer terceiro posto. Mesmo assim, a torcida gremista já comprou 15 dos 18 mil ingressos disponibilizados. O técnico Vanderlei Luxemburgo, inclusive, escalou a ‘torcida centroavante’ para

o duelo. O número de 18 mil entradas disponibilizadas pode parecer pouco em comparação com a capacidade do Olímpico: 50 mil torcedores. No entanto, o Grêmio conta com a presença frequente de sócios e disponibiliza ingressos referentes aos espaços que sobrarem. O maior público do ano ocorreu recentemente. Mais de 46 mil pessoas assistiram a vitória contra o

Toque de Primeira ANTONIO LUIZ

Colunista alpcampos@hotmail.com Positivo Governo do Amapá entregou à população a Praça Francisco Jorge “Cururu”, bairro do Muca. Espaço de esporte e lazer, inclusive campo de futebol e área de caminhada. Negativo Após o anúncio da convocação de Kaká, um forte temporal desabou durante o treino do Real Madrid. Tomara que o dilúvio tenha levado a urucubaca do craque brasileiro.

Interiorização I Campeonato Não Profissional reúne quatorze clubes de cinco comunidades diferentes. Interiorização II Agremiações de Macapá, São Joaquim do Pacuí, Santana, Calçoene e Ferreira Gomes. Ary Graça I Novo presidente da Federação Internacional de Vôlei quer usar recursos da tecnologia.

Atlético-GO. “É um jogo decisivo e usaremos toda nossa força, inclusive a principal, que é o torcedor. Vendemos muitos ingressos e a torcida centroavante vai atuar junto com o time. No jogo passado isso fez uma diferença muito grande. Tivemos uma experiência muito boa, porque na Sul-Americana, 60 mil pessoas incentivaram o time deles, e motivaram o time. É assim que eu me

lembro do Olímpico. E vai seguir se repetindo em nosso favor”, disse o técnico Vanderlei Luxemburgo. O time do Grêmio está definido para o confronto. Todos jogadores estão liberados e a equipe será ideal. Com pagamento de R$ 100 mil ao Santos, Pará poderá atuar e será responsável por marcar Neymar. O jogo da 27ª rodada do Brasileirão está marcado para domingo, às 18h30, no Olímpico.

Vanderlei Luxemburgo, técnico do Grêmio, concede entrevista coletiva no Olímpico

Brasileirão Fla x Flu equilibrado no domingo, 12 empates e 16 vitórias para cada clube na Série A.

Futsal Adulto II Leve 01 kg de alimento não perecível e o coletado será distribuído a famílias carentes.

Natação Um brinco a Piscina Olímpica. Galera agradece a Rogério Salvador, secretário da SEDEL.

Papão da Amazônia Marcelinho Paraíba no Paysandu significa solução para uns e problema para outros.

Aberto de Xadrez I I Memorial Promotor Haroldo Franco rola de 28 a 30 Set no Monumento Marco Zero.

Superclássico das América Brasil x Argentina é a atração desta quarta e reúne atletas que jogam na América do Sul.

Vôlei Tucuju I Certame adulto avança na quarta-feira com São José x PEV (f) e Unisport x Pev (m).

Aberto de Xadrez II Homenageia o saudoso promotor de justiça e oferece premiação em troféu e medalha.

Futsal Adulto I Seama x Cane decide o Campeonato Masculino na próxima terça-feira, no Avertinão.

Ary Graça II Pretende levar ao resto do mundo a tecnologia criada e empregada no vôlei brasileiro. Ary Graça III Atribui à boa gestão e à transparência o sucesso do Brasil no cenário mundial. Trabalho sem preconceito!

Vôlei Tucuju I Campeonato prossegue na quinta-feira, com os jogos PC x PEX (f) e NVA x LAV (m). Fenômeno Azul Sem jogos oficiais na agen-

da, Clube do Remo visita interior para manter o elenco ativo. Judô I Sábado alegre na entrega de faixas no Judô Clube do Amapá, de mestre André Matos. Judô I Coquetel e presença de familiares brindaram a promoção de grau dos atletas-judocas.

Você Sabia? Aos 36 anos, Planas quer recorde em Mundiais de Futsal. Presente em 1996, 2000, 2004 e 2008, o argentino sonha levar sua seleção ao inédito título em novembro, na Tailândia.


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Abel Braga elogia embalo do rival Fla e diz que clássico será pedreira para o Fluminense

A7

Enquanto isso...

O comandante tricolor disse que já esperava a ascensão e elogiou o adversário, a gente nunca pode menosprezar o Fla porque é um adversário sempre muito forte

X

X

O

Flamengo obteve duas vitórias seguidas, se afastou da zona do rebaixamento e até já fala em alcançar uma vaga no G-4. O embalo rubro-negro repercutiu no rival Fluminense. O técnico Abel Braga disse que já esperava a ascensão e elogiou o adversário do próximo domingo. O comandante tricolor disse que não menospreza o oponente e prevê jogo duro no Engenhão. “Você vê como são as coisas no futebol, né? Dias atrás estavam falando que o Flamengo estava preocupado com a zona de rebaixamento. Hoje já vi jornal até calculando o que falta para chegar no G-4. Este campeonato é assim mesmo”, falou Abel Braga. O Flamengo está com 34 pontos, dez a menos do que o quarto colocado Vasco, mas já mira uma vaga na Copa Libertadores-2013. A equipe rubro-negra embalou, mas ain-

Chefe da McLaren nega que Sérgio Pérez esteja levando dinheiro à equipe

Fred do Triculor e Vagner Love do Rubro Negro, podem fazer a diferença no clássico Carioca

da está a sete pontos da zona do rebaixamento, o Sport (17º colocado) tem 27 pontos. “Flamengo é Flamengo, a gente nunca pode menosprezar porque é um adversário sempre muito forte. Vai ser uma pedreira, não tenho dúvidas”, alertou o técnico da equipe tricolor, que lidera o Campeonato Brasileiro com 56 pontos. A equipe rubro-negra vem de duas vitórias seguidas – contra Atlético-GO e Atlético-MG – e está em 10ª lugar. “Eu sabia que isso ia

acontecer. Tive oportunidade de pegar o mesmo voo que o Flamengo recentemente e os jogadores estão muito satisfeitos com o Dorival. É um técnico trabalhador e está com o respeito do grupo. Vai brigar mais acima na tabela”, concluiu. O clássico Fla-Flu está marcado para as 16h deste domingo, no Engenhão. O Fluminense, com 56 pontos, tenta manter fôlego na liderança do Brasileirão. Na décima colocação e com 34 pontos, o Flamengo quer confirmar boa

fase e se afastar de vez das equipes que brigam contra o rebaixamento. Líder do Campeonato Brasileiro, deve ir a campo com: Diego Cavalieri; Bruno, Gum, Digão e Carlinhos; Edinho, Jean e Deco; Thiago Neves, Wellington Nem e Fred. Para enfrentar o rival, o time rubro-negro entra em campo com a seguinte formação: Felipe; Wellington Silva, Frauches, Gonzalez e Ramon; Amaral, Ibson, Léo Moura e Cleber Santana; Liedson e Vagner Love.

Não é segredo que Sergio Pérez seja apadrinhado pelo empresário de seu país, Carlos Slim. Quando o mexicano foi contratado pela Sauber, no começo de 2011, várias marcas ligadas ao conglomerado de telecomunicações do magnata passaram a ser estampadas no carro branco e chumbo da equipe suíça. Contudo, o chefe da McLaren, Martin Whitmarsh, afirmou que a negociação com “Checo” para o lugar de Lewis Hamilton a partir de 2013 não envolveu “acordos paralelos” e foi baseada na simples contratação do piloto por sua capacidade técnica. “Eu realmente tive uma conversa com Carlos Slim, mas nós fizemos uma oferta a Sergio. Estamos pagando bem a ele e não há acordos paralelos”, garantiu o dirigente da equipe britânica, em entrevista ao jornal “Telegraph”. “Não estou dizendo que não vai haver nenhum outro novo acordo de patrocínio por conta disso, mas este não foi o motivo principal”, ressaltou. Em outra declaração, dada ao canal “Sky Sports F1, Whitmarsh reiterou a informação. “Ele [Pérez] não é um piloto pagante e vai receber bastante dinheiro. O patrocínio não foi um fator [determinante], trouxemos Sergio porque ele é o jovem talento mais promissor da F1, explicou. ............................................................................

Corinthians fala em relaxamento, mas esquece que é freguês histórico do Sport em Brasileiros

N

as vésperas do duelo entre Corinthians e Sport, no domingo, declarações heterodoxas do lado paulista esquentaram um confronto que poderia ser ligeiramente morno, a despeito da massa de ar gélido que invadiu São Paulo nos últimos dias. O lateral Fábio Santos veio a público para dizer que é mais difícil manter a motivação quando você enfrenta um adversário da parte de baixo da tabela (o Sport é, atualmente, o 17º entre as 20 equipes do Brasileirão). As declarações corintianas foram vistas como uma manifestação de desprezo pelos pernambucanos. Na internet, torcedores rubro-negros se revoltaram e lembraram um dado curioso, que traduz uma dificuldade histórica, aparentemente esquecida pelo Corinthians. A equipe paulista amarga uma freguesia antiga para o Sport em Campeonatos Brasileiros. Desde 1971, foram 26 jogos, com 11 vitórias pernambucanas e sete paulistas. O rival de Recife é o maior algoz corintiano, jun-

Fábio Santos disse que entra mais motivado contra times de maior expressão

to com o Palmeiras, entre os times que disputam a atual edição do Nacional. O levantamento acima mostra que apenas quatro clubes têm retrospecto favorável diante do Corinthians: Sport, Palmeiras, Grêmio e Botafogo. Os dois primeiros têm quatro vitórias de vantagem sobre o atual campeão da Libertadores. Consciente das dificuldades projetadas para o duelo, o técnico Tite parece não ter gostado das decla-

rações de seus comandados. Em entrevista coletiva de um dia depois, o gaúcho afirmou que a postura de Fábio Santos diante do adversário será tema de conversa nos vestiários alvinegros. O treinador também lembrou um dado dificilmente percebido por quem se depara com a estática tabela do Nacional: o Sport tem uma das melhores campanhas do returno e já ensaia uma arrancada para afastar de vez o risco de ser

degolado. “O Sport tem a terceira melhor campanha do segundo turno junto conosco. Eles fizeram 12 pontos, como nós. O Waldemar Lemos, técnico rubro-negro trouxe nível de competitividade”, disse Tite, que também comentou sobre a necessidade de inspirar jogadores já sem muito ao que aspirar no campeonato. “Essa resposta do Fábio Santos nos mostra uma pauta para os vestiários. O técnico vai incendiar. Está calmo agora, mas vocês vão ver como estará no vestiário. Na Libertadores, isso era fácil. Tava todo mundo pilhado, o cara já vinha a milhão. Aqui tem que incendiar de novo.” O jogo está marcado para as 16h.

Próxima defesa de cinturão de Anderson Silva pode ser em estádio inglês Com sua próxima luta definida na categoria dos meio-pesados - enfrenta Stephan Bonnar no UFC Rio 3, em 13 de outubro - Anderson Silva já convive com especulações sobre mais uma defesa de seu cinturão dos médios. Após o combate com Bonnar, o brasileiro pode enfrentar o inglês Michael Bisping em um estádio de futebol britânico. Quem afirma é o presidente do UFC, Dana White. “Claro que pensei nisso, com certeza. O mais difícil da Inglaterra tem sido os acordos com as TVs. Já fizemos lutas às 4h da manhã no Brasil, podemos colocar a luta em qualquer horário”, afirmou Dana, durante entrevista para promover o UFC on Fuel, que acontece neste sábado, em Nottingham. Campeão absoluto dos médios no UFC e invicto desde 2006, o “Aranha” nunca enfrentou Bisping. O inglês vem de vitória por decisão unânime diante de Brian Stann no último domingo. No combate anterior, porém, Bisping foi derrotado por Chael Sonnen - justamente o último rival batido por Anderson Silva, em julho. Anderson já iria fazer sua revanche com Sonnen em um estádio de futebol em São Paulo ou Rio de Janeiro. Entretanto, a organização do UFC esbarrou em detalhes burocráticos, e a luta acabou transferida para Las Vegas.


Sociedade

Aline Lima alinelima@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Anuncie sua empresa ou evento na coluna social do Jornal do Dia através do 9112 5045.

Gestores de Tribunais da Justiça brasileira participam de encontro em Macapá Juízes Constantino Tork Brahuna e Rommel Araújo de Oliveira são empossados na titularidade da Turma Recursal

Willia Peixoto e esposo em click especial para coluna

Presidente da ACIA Ricardo e Vice Mateus

Rafael em click para coluna

Mensagem do Dia Eu te convido hoje a entregar seu dia a Deus, a fazer o bem ao seu próximo, não se preocupe com as suas necessidades, Deus tem visto sua luta e te dará a vitória.

Andriele Ramalho

Gabriela Koch

Esta colunista ladeada pelos empresários Carlos Jr e Marcelo na inauguração da loja CM Anjus

Na última semana a futura jornalista Kelly Pantoja comem orou a passagem de seu aniversário. A colunista deseja felicidades!!!

Mayara Sussuarana

Heverton Mendes comemorando o seu aniversário com sua namorada Patricia santos


CadernoB

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

DiaDia Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Caminhadas políticas se encontram no Centro e Polícia Militar é acionada para conter ânimos Policia Militar e Bope foram acionados para manter militantes distantes por recomendação judicial da última sexta-feira JORNAL DO DIA

A caminhada de Roberto Góes teve a concentração na Praça Barão do Rio Branco

A

decisão do juiz eleitoral, Rommel Araújo, não impediu que ontem pela manhã, debaixo de um sol escaldante, as caminhadas do candidato Roberto Góes (PDT) e Cristina Almeida (PSB) entrassem em atrito. Apesar das animosidades, ninguém foi preso ou saiu ferido. A decisão judicial da última sexta-feira (28) estipulou que a “Caminhada 12” (como foi denominado o evento de Roberto Góes) deveria manter a distância mínima de 200 metros da “Caminhada 40”, como foi batizado o evento de Cristina Almeida. Como os dois candidatos fizeram as solicitações para realizar suas devidas cami-

nhadas no mesmo horário e no mesmo local, ou seja, a Rua Cândido Mendes, então ganhou direito quem apresentou o primeiro pedido. A caminhada dos aman-

tes e simpatizantes da candidata Cristina Almeida fizeram a concentração na Praça Veiga Cabral, bem no centro de Macapá, seguindo pela Cândido Mendes. Já a caminhada de Ro-

A caminhada dos amantes e simpatizantes da candidata Cristina Almeida a concentração na Praça Veiga Cabral

berto Góes teve a concentração na Praça Barão do Rio Branco e desceu pela Iracema Carvão Nunes/Tiradentes, Padre Júlio até a Praça da Igreja Nossa Senhora de Fátima.

O movimento juvenil 12 também foi mobilizado e reuniu vários estudantes e adolescentes na caminhada do candidato pedetista. Por coincidência ou não, ambas as caminhadas aca-

baram se cruzando bem em frente ao supermercado Y.Yamada, próximo ao Mercado Central de Macapá. A Polícia Militar e o Bope (Batalhão de Operações Especiais) foram acionados para manter a ordem, a distância determinada pela Justiça e apaziguar os ânimos entre os militantes pedetistas. Ambos os partidos têm histórico recente de confrontos. O último aconteceu durante um debate promovido pelo Sinsepeap (Sindicato dos Professores), ocorrido no dia 15 de setembro, na sede campestre da entidade. No evento também foi preciso acionar a força policial para conter os ânimos.

Boato atribuído a Capiberibe é desmentido e vira alvo de críticas e gozações MARCELO ROZA Da Redação

T

erminadas as caminhadas das coligações Juntos pra Cuidar de Macapá e Construindo e Gerando Empregos, sábado de manhã, um boato começou a circular com intensidade nas redes sociais, dando conta de que o prefeito Roberto Góes (PDT) teria sido preso, por determinação do juiz Rommel Araújo. O ex-diretor do

Detran, João Gomes, foi um dos primeiros a divulgar o assunto, atribuindo a fonte do mesmo ao senador João Capiberibe (PSB), Ele disse, via Twitter: “Juiz Rommel Araújo acabou de determinar a prisão do Prefeito Roberto Góes (PDT), são informações repassadas a pouco pelo Senador Capi”. Walter Júnior, proprietário da agência de publicidade Revolution, que atende a conta do Governo do Estado, foi na onda,

dando força ao boato. Depois de alguns momentos de dúvida, ficou evidente que a informação era falsa. Jornalistas, depois de checarem os dados no TRE-AP, começaram a desmentir a história. Alcinea Cavalcante foi uma delas. Depois de conversar com o juiz Rommel Araújo, ela postou no Twitter. “Ele (Rommel) disse que não passa de boato essa história de que teria sido decretada a prisão de Roberto Góes”.

Na sequência, começaram as críticas e também as inevitáveis gozações. “Agora só falta saber quem teve tamanho desrespeito com a inteligência alheia que postou sobre a prisão de um candidato...”, criticou a consultora Geni Frota. Alcinea Cavalcante voltou ao assunto, provocando: “Só queria saber quem fez o Capi pagar esse mico”. O radialista Carlos Lobato alfinetou: “Pajelança do velho Capi deu com os burros n´água. Tentou dar o golpe no eleitor dizendo que Roberto foi preso e foi desmentido por Rommel (juiz)”. Um dos propagadores da informação, Walter Junior ainda tentou manter a chama acesa, alegando que a ausência de Roberto Góes numa entrevista na TV Record seria indicativo de que estaria enfrentando algum problema. Foi desmentido por Eduardo Tavares, integrante da equipe de advogados da campanha de Roberto Góes. “De onde você tirou isso? Foi oficiada a emissora antecipadamente, pedindo-se novo dia para a entrevista”. E então, Walter rendeu-se à evidência. “Não sabia desse detalhe. Mas foi tudo boato”. Fica uma lição: em tempos de internet e de redes sociais, informações espalham-se rápido, mas sendo falsas, rapidamente são desmascaradas também. Nesse ambiente, espalhar boatos, uma arma sempre usada nas campanhas eleitorais, é fácil. Difícil é evitar que eles logo sejam desmascarados.


JD

Geral

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

B2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Transporte aéreo no Amapá: solução vai muito alé

Empresa SETE vai oferecer voos três dias na semana (segundas, quartas e sextas-feiras), nos turnos da manhã e tarde, gar CINTHYA PEIXE Da Redação

D

esde julho deste ano, uma grande luta vem sendo travada em Brasília (DF) para encontrar soluções que melhorem o caos aéreo sofrido na região Norte, especialmente no Amapá. Esta semana, a problemática começou a vislumbrar algumas soluções, entre elas, a entrada a partir de segunda-feira (1), da empresa goiana SETE Linhas Aéreas no Estado. A empresa vai oferecer voos três dias na semana (segundas, quartas e sextas-feiras), nos turnos da manhã e tarde, garantindo os trechos Belém- Monte Dourado – Macapá. A partir do dia 15 de novembro os voos passam a ser diários. A aeronave do modelo EMB-120 tem capacidade para 30 passageiros. Apesar de amenizar a situação, todos sabem que a entrada da SETE não será suficiente para oferecer um sistema aéreo que atenda as exigências dos amapaenses. “A vinda da Sete, já é uma decorrência da mobilização que está sendo feita. A SETE opera a partir de segunda-feira e a MAP começa a operar em janeiro, mas isso não resolve o problema. Porque não adianta elas operarem no estado, é preciso criar condições para que as empresas permaneçam”, relatou o senador Randolfe Rodrigues (PSOL). O senador lembrou que a empresa Puma operou durante um tempo no estado e depois parou de realizar voos por falta de estrutura, desta forma é

preciso tomar cuidado que não aconteça o mesmo com a SETE. Randolfe Rodrigues explica como despertou para o sério problema que enfrenta o Estado. “Desde julho nós iniciamos uma cruzada cívica de combate às altas tarifas aéreas no Amapá. Fomos despertados para isto em decorrência do duopólio das empresas TAM e Gol, que nos meses de dezembro, janeiro e mês de julho, as empresas se aproveitam das circunstâncias de pouca oferta para aumentarem absurdamente as passagens aéreas”, relatou. Em decorrência disto, houve uma audiência pública em agosto envolvendo empresas aéreas, Secretária Nacional de Avião Civil e Agência Nacional de Aviação Civil. Momento em que foi ofertada denuncia contra a TAM e a GOL no Ministério Público Federal, na Agencia Nacional de Aviação Civil e no Conselho Administrativo do Direito Econômico. O senador falou que na audiência pública se debateu os principais problemas do porquê o Amapá não ter um sistema aéreo digno. A partir daí foram apontados três gargalos, sendo que estas questões precisam ser resolvidas em conjunto. Aeroporto Randolfe Rodrigues aponta que o primeiro gargalo que precisa ser resolvido são as condições do Aeroporto Internacional de Macapá. “A pista do aeroporto de Macapá é boa, para se ter uma ideia

As obras do novo Aeroporto Internacional de Macapá estão paralisadas

é apenas menor do que a do Aeroporto de Cumbica. Mas nós não temos infraestrutura, então precisamos de um melhor terminal de embarque e de desembarque; precisamos de um pátio de estacionamento de aeronaves que comporte três aviões ao mesmo tempo, já que hoje só comporto duas aeronaves de grande porte”, explicou. Em relação a isto, já há boas notícias. “A Infraero assumiu um compromisso conosco em audiência de que até o dia 19 de março

concluiria o terminal de embarque e desembarque do Aeroporto de Macapá”, comentou. Além disto, houve outro acordo. “Junto com isto a Infraero se comprometeu de concluir até 19 de março o pátio do estacionamento do aeroporto. A partir daí teríamos dois pátios de estacionamento de aeronaves, possibilitando condições melhores”. Esta semana a Infraero anunciou que vai começar a cumprir estas medidas e as obras da construção de dois módulos operacionais

no Aeroporto Internacional de Macapá começam nos próximos dias. O prazo para a conclusão é março de 2014. Os módulos operacionais serão utilizados como salas de embarque e desembarque de passageiros, com a mesma infraestrutura de um terminal comum. Contando com climatização, isolamento termoacústico, sanitários e espaços para lojas de conveniência. Querosene Outro ponto que precisa ser melhorado é em rela-

ção ao querosene de aviação. “O segundo gargalo é que só temos uma empresa que comercializa querosene de aviação no estado, então não tem concorrência e ela pratica o preço que quer. É por isso que o preço de querosene aqui é muito maior do que nos outros estados da federação”, declarou Randolfe. Algumas providências começaram a ser tomadas. “Já entramos em contato com a BR Distribuidora para instalar um posto de atendimento de aeronaves no estado e estamos

Proposta obriga União a ressarcir estados e municípios por isenção de tributos

A

União pode ser obrigada a compensar financeiramente estados e municípios por perda de receitas relativas a subsídios ou isenções tributárias concedidos pelo Executivo. Proposta de emenda à Constituição (PEC) com esse objetivo, do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e outros senadores, está na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), onde aguarda parecer do relator, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). Ao justificar a apresentação da PEC 31/2011, o senador Aécio Neves ressaltou que o Executivo, ao adotar medidas que reduzam a arrecadação, gera

impacto negativo nas receitas de estados e municípios. A Constituição, explicou o autor, distribui competência tributária entre os entes da federação em determinadas matérias e, ao mesmo tempo, permite que o Poder Executivo altere as alíquotas de impostos de sua competência, com exceção no que se refere ao Imposto de Renda e o Territorial Rural (ITR). “Nada deve impedir que o governo federal adote medidas fiscais anticíclicas e de combate à inflação. Nada, porém, deve impedir a imediata compensação dos demais entes federados em vista da inequívoca perda de receitas decorrentes de

tais medidas”, argumentou Aécio Neves. Assim, de acordo com a proposta, quando concessão de subsídio ou isenção fiscal, redução de base de cálculo, redução de alíquota, concessão de remissão, anistia, ou qualquer outro benefício de natureza tributária gerar diminuição de receitas federais sujeitas à repartição com estados e municípios, as perdas devem ser ressarcidas pela União. Da forma semelhante, prevê a proposta, o estado deverá compensar seus municípios sempre que implementar benefícios fiscais relativos aos impostos e contribuições compartilhados. (Agência Senado)

Senador Aécio Neves ressaltou que o Executivo, ao adotar medidas que reduzam a arrecadação

Voluntários podem atuar na saúde indígena

A

Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) iniciou neste mês o cadastramento de profissionais de saúde voluntários para atuação em ações emergenciais à população indígena. Os currículos serão registrados em um banco de dados que ficará à disposição dos gestores da Sesai. O profissional interessado deve-

rá enviar o seu currículo e os contatos pessoais para o endereço: curriculo.sesai@saude.gov.br. Sempre que for necessário, a equipe técnica da Sesai entrará em contato, por telefone ou e-mail, com os profissionais cadastrados. Os voluntários poderão atuar nas ações do Plano de Reestruturação do Subsistema de Atenção à Saúde

Indígena para a redução da mortalidade infantil e materna indígenas, lançado em junho deste ano, pela presidenta da República, Dilma Rousseff. O plano que está sob a coordenação do Ministério da Saúde, prevê a integração de esforços e ações com diversos ministérios o do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Justi-

ça/Fundação Nacional do Índio, da Defesa (Exército, Marinha e Aeronáutica), Casa Civil e Secretaria Geral da Presidência da Presidência da República. De acordo com o secretário Especial de Saúde Indígena, Antônio Alves de Souza, quando necessários, os voluntários serão convidados para auxiliar o trabalho de aproximada-

mente 15 mil trabalhadores que compõem as equipes de saúde indígena dos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). “As ações emergenciais têm por objetivo atender demandas imediatas ou que exijam um reforço dos trabalhos já realizados para enfrentamento de determinadas situações que coloquem em risco a saúde ou a vida dos povos indígenas”, afirmou. Ação emergencial Em junho deste ano, foi iniciada uma ação-piloto com atendimento em áreas de difícil acesso nos DSEIs Alto Rio Purus e Alto Rio Juruá, ambos no Acre. Na ocasião, o quadro de profissionais dos dois dis-

tritos ganhou o reforço de 13 médicos e um enfermeiro do Grupo Hospitalar Conceição, que permaneceram 10 dias nas aldeias da região. A meta era alcançar a cobertura de 46% e 43% da população indígena, respectivamente, totalizando nove mil índios. Porém, a cobertura superou a meta: 87% no Alto Rio Juruá e 84% no Alto Rio Purus. Foram realizados 2.379 atendimentos médicos, 2.201 atendimentos de enfermagem e 1.050 atendimentos odontológicos. Também foram realizadas 14 remoções de emergência e outros 144 encaminhamentos para serviços de referência em área de especialidades. (Ascom/MS)


Geral

JD

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

B3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

ém de soluções paliativas que surgem no Estado

rantindo os trechos Belém- Monte Dourado – Macapá. A partir do dia 15 de novembro os voos passam a ser diários conversando com a Infraero para ela crie condições para a instalação de outra empresa que forneça querosene de aviação” falou o senador. Randolfe comenta que a redução do preço da querosene, dentre outros fatores, irá melhorar também os serviços de táxi aéreo. “Outro ponto é que se o tributo de querosene diminuir vai favorecer o serviço das empresas de taxi aéreo, que prestam um trabalho inestimável no interior do estado. O preço do fretamento do táxi aéreo consequentemente vai diminuir”, ressaltou. ICMS O Senador do PSOL diz que o último gargalo do sistema aéreo do Amapá é o elevado preço do ICMS sobre a aquisição de com-

bustível para a aviação. “O ICMS de aviação praticado em Macapá é o maior do país. O ICMS do Amapá é 25%, e no Pará, por exemplo, é 17%”, comentou. Randolfe faz uma comparação e diz que em Minas Gerais a querosene de aviação é 11%, em Goiás 15%, no Paraná 7%, enquanto que no Amapá é 25%. Ele explica que hoje a TAM e a GOL não abastecem no Amapá, então o ICMS do querosene vai para o Pará. Mas se o imposto for reduzido, as empresas irão começar a abastecer no estado. Rodrigues diz que para resolver este problema o Governador Camilo precisa também tomar providências. “A bancada federal está tomando providencias, mas é preciso que o

Governador encaminhe um projeto de lei para a Assembleia Legislativa reduzindo o ICMS sobre o querosene de avião. Porque é burrice praticar impostos altos, quanto menor o imposto maior será a arrecadação do estado”. Randolfe completa dizendo. “O Governo está perdendo uma oportunidade de ajudar na luta contra o caos aéreo no Amapá”. Quando todos estes pontos forem resolvidos o caos aéreo no estado irá acabar. “Então, resolvendo os problemas do aeroporto de Macapá, trazendo concorrência para a empresa que comercializa querosene e reduzindo o ICMS, diminuirá o gargalo na aviação amapaense, diminuindo assim preço da tarifa do transporte aéreo”, finalizou.

Primeiro gargalo que precisa ser resolvido são as condições do atual Aeroporto Internacional de Macapá

Entrada a partir de segunda-feira (1), da empresa goiana SETE Linhas Aéreas no Estado

Randolfe lembrou que a empresa Puma operou no estado e depois parou de realizar voos por falta de estrutura

Menos de um terço dos trabalhadores domésticos no Brasil tem carteira assinada

F

érias, licença-maternidade e descanso semanal remunerado são exemplos de direitos garantidos pela legislação brasileira às trabalhadoras domésticas. No entanto, muitos outros direitos não fazem parte do cotidiano dessas profissionais que vivem, em sua maioria, na informalidade. Menos de três em cada 10 trabalhadores domésticos tem carteira assinada. Isso equivale a 29% de um universo que reúne 6,2 milhões de brasileiras. Há três anos, a situação era ainda pior: apenas 26% eram formalizadas. Os dados fazem parte de um levantamento produzido pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM) da Presidência da República, com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2011, apresentada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há uma semana. Segundo a coordenadora da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Márcia Vasconcelos, embora o Brasil tenha uma legislação específica para a categoria considerada avançada, principalmente

se comparada aos demais países da América Latina, a implementação dos direitos dessa parcela de trabalhadoras ainda é limitada. “Ainda existe no país uma mentalidade que reflete a dificuldade de enxergar o trabalho doméstico remunerado como profissão e que o trabalhador que o desempenha deve ter todos os seus direitos garantidos. As conquistas para essa parcela de trabalhadores, se comparadas às voltadas a outras categorias, ocorrem de maneira mais lenta”, enfatizou. Entre as principais dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores domésticos no Brasil, segundo Márcia Vasconcelos, estão a baixa cobertura da proteção social, as remunerações que, com a alta informalidade, acabam sendo com frequência inferiores ao salário mínimo em algumas regiões, e as excessivas jornadas de trabalho. A OIT aprovou, no ano passado, a Convenção 189, prevendo, entre outros, o descanso semanal de pelo menos 24 horas consecutivas, o respeito pelos princípios e direitos fundamentais no trabalho, a liberdade

de associação e negociação coletiva. A convenção ainda não ratificada por pelo Brasil, apenas pelo Uruguai e pelas Filipinas. O presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Domésticos, Francisco Xavier, lamenta a lentidão com que ocorrem melhoras nas condições de trabalho da categoria. Ele lembrou que a própria Constituição Federal de 1988 não garantiu aos empregados domésticos uma série de direitos conferidos a trabalhadores de outras áreas. “É preciso haver uma reparação histórica pelo atraso com que essas conquistas acontecem. Nossa categoria é formada por pessoas que abrem mão de seus próprios filhos e de suas casas para cuidar dos filhos e do patrimônio dos patrões, mas muitos ainda nos veem como uma categoria que não gera lucro, que faz um serviço que qualquer pessoa pode fazer. Não é assim, exige uma responsabilidade e uma dedicação muito grande”, disse. Para reduzir a informalidade no setor e ampliar o direito dessa parcela de brasileiros, tramita do Con-

gresso Nacional, desde 2010, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 478/10, do deputado Carlos Bezerra (PMDB). A proposta inclui na Constituição 16 direitos trabalhistas para os empregados domésticos, entre eles a obrigatoriedade do

Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que atualmente é opcional para o empregador, a limitação de jornada de trabalho, o recebimento de hora extra e de adicional noturno, entre outros benefícios. A PEC está sendo analisada por uma comissão espe-

cial na Câmara dos Deputados. Ainda não há acordo. O principal impasse refere-se ao número de dias de trabalho que caracterizarão o vínculo empregatício. Ainda está em discussão a possibilidade da proposta também contemplar os empregados diaristas.

Mesmo crescendo menos, emergentes continuam resistentes à crise, diz FMI

O

Fundo Monetário Internacional (FMI) acredita que as economias emergentes continuam resistentes aos efeitos da crise financeira, mesmo que suas taxas de crescimento já não sejam tão robustas quanto indicavam projeções passadas. Em uma análise divulgada nesta quinta-feira, os economistas do Fundo argumentam que a fortaleza desse grupo de economias, embora tenha sido ajudada por fatores conjunturais, também reside em causas mais profundas: está ligada à

adoção de políticas econômicas acertadas e, em linhas gerais, se deve a fatores mais duradouros. “A resistência das economias emergentes e em desenvolvimento não é recente. Resulta de ganhos consistentes em desempenho ao longo das duas últimas décadas”, concluem os pesquisadores, em um novo capítulo do relatório Panorama Econômico Mundial (World Economic Outlook). As conclusões alimentam o debate sobre a capacidade dos países emergentes de

manter seu ritmo de crescimento apesar do agravamento do cenário externo. Atualmente motores da economia mundial, este grupo de países está perdendo o fôlego. Na mais recente rodada de previsões, em julho, o FMI rebaixou para 5,6% a previsão de crescimento dos emergentes em 2012. No ano passado, esse grupo de economias cresceu 6,2% e, em 2010, 7,5%. Na segunda-feira, a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, disse que esta perda de dinamismo, combinada

com problemas que ainda persistem na Zona do euro e com a falta de confiança na economia americana, implicará uma revisão para baixo nas novas projeções do Fundo - que serão divulgadas durante a sua reunião de outono, em outubro no Japão. “Nós claramente ainda vemos uma recuperação gradual (da economia global)”, disse Lagarde, “mas o crescimento global que havíamos previsto deve ser ainda um pouco mais fraco do que esperávamos”. Em julho, o Fundo cortou a projeção de cres-

cimento global em 2013 para 3,9%, embora tenha mantido inalterada em 3,5% a estimativa para este ano. Otimistas x céticos Diante desse quadro de desaceleração, os técnicos do FMI analisaram seis décadas de expansão e contração de mais de 100 países emergentes e em desenvolvimento diante das crises. Os mais céticos lembram que grande parte do crescimento deste grupo na última década se deveu a fatores conjunturais, susceptíveis a

mudanças de curso, como fortes entradas de capital, crescimento acelerado do crédito e altos preços de commodities. Mas uma abordagem mais positiva indica um aumento na capacidade dos emergentes de responder a choques externos sem minar a sustentabilidade econômica. É essa a avaliação que o FMI preferiu. “Muitas economias emergentes e em desenvolvimento adotaram melhores políticas”, disse o coordenador do capítulo 4 do WEO, Abdul Abiad..


Geral

JD

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

B3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

ém de soluções paliativas que surgem no Estado

rantindo os trechos Belém- Monte Dourado – Macapá. A partir do dia 15 de novembro os voos passam a ser diários conversando com a Infraero para ela crie condições para a instalação de outra empresa que forneça querosene de aviação” falou o senador. Randolfe comenta que a redução do preço da querosene, dentre outros fatores, irá melhorar também os serviços de táxi aéreo. “Outro ponto é que se o tributo de querosene diminuir vai favorecer o serviço das empresas de taxi aéreo, que prestam um trabalho inestimável no interior do estado. O preço do fretamento do táxi aéreo consequentemente vai diminuir”, ressaltou. ICMS O Senador do PSOL diz que o último gargalo do sistema aéreo do Amapá é o elevado preço do ICMS sobre a aquisição de com-

bustível para a aviação. “O ICMS de aviação praticado em Macapá é o maior do país. O ICMS do Amapá é 25%, e no Pará, por exemplo, é 17%”, comentou. Randolfe faz uma comparação e diz que em Minas Gerais a querosene de aviação é 11%, em Goiás 15%, no Paraná 7%, enquanto que no Amapá é 25%. Ele explica que hoje a TAM e a GOL não abastecem no Amapá, então o ICMS do querosene vai para o Pará. Mas se o imposto for reduzido, as empresas irão começar a abastecer no estado. Rodrigues diz que para resolver este problema o Governador Camilo precisa também tomar providências. “A bancada federal está tomando providencias, mas é preciso que o

Governador encaminhe um projeto de lei para a Assembleia Legislativa reduzindo o ICMS sobre o querosene de avião. Porque é burrice praticar impostos altos, quanto menor o imposto maior será a arrecadação do estado”. Randolfe completa dizendo. “O Governo está perdendo uma oportunidade de ajudar na luta contra o caos aéreo no Amapá”. Quando todos estes pontos forem resolvidos o caos aéreo no estado irá acabar. “Então, resolvendo os problemas do aeroporto de Macapá, trazendo concorrência para a empresa que comercializa querosene e reduzindo o ICMS, diminuirá o gargalo na aviação amapaense, diminuindo assim preço da tarifa do transporte aéreo”, finalizou.

Primeiro gargalo que precisa ser resolvido são as condições do atual Aeroporto Internacional de Macapá

Entrada a partir de segunda-feira (1), da empresa goiana SETE Linhas Aéreas no Estado

Randolfe lembrou que a empresa Puma operou no estado e depois parou de realizar voos por falta de estrutura

Menos de um terço dos trabalhadores domésticos no Brasil tem carteira assinada

F

érias, licença-maternidade e descanso semanal remunerado são exemplos de direitos garantidos pela legislação brasileira às trabalhadoras domésticas. No entanto, muitos outros direitos não fazem parte do cotidiano dessas profissionais que vivem, em sua maioria, na informalidade. Menos de três em cada 10 trabalhadores domésticos tem carteira assinada. Isso equivale a 29% de um universo que reúne 6,2 milhões de brasileiras. Há três anos, a situação era ainda pior: apenas 26% eram formalizadas. Os dados fazem parte de um levantamento produzido pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM) da Presidência da República, com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2011, apresentada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há uma semana. Segundo a coordenadora da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Márcia Vasconcelos, embora o Brasil tenha uma legislação específica para a categoria considerada avançada, principalmente

se comparada aos demais países da América Latina, a implementação dos direitos dessa parcela de trabalhadoras ainda é limitada. “Ainda existe no país uma mentalidade que reflete a dificuldade de enxergar o trabalho doméstico remunerado como profissão e que o trabalhador que o desempenha deve ter todos os seus direitos garantidos. As conquistas para essa parcela de trabalhadores, se comparadas às voltadas a outras categorias, ocorrem de maneira mais lenta”, enfatizou. Entre as principais dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores domésticos no Brasil, segundo Márcia Vasconcelos, estão a baixa cobertura da proteção social, as remunerações que, com a alta informalidade, acabam sendo com frequência inferiores ao salário mínimo em algumas regiões, e as excessivas jornadas de trabalho. A OIT aprovou, no ano passado, a Convenção 189, prevendo, entre outros, o descanso semanal de pelo menos 24 horas consecutivas, o respeito pelos princípios e direitos fundamentais no trabalho, a liberdade

de associação e negociação coletiva. A convenção ainda não ratificada por pelo Brasil, apenas pelo Uruguai e pelas Filipinas. O presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Domésticos, Francisco Xavier, lamenta a lentidão com que ocorrem melhoras nas condições de trabalho da categoria. Ele lembrou que a própria Constituição Federal de 1988 não garantiu aos empregados domésticos uma série de direitos conferidos a trabalhadores de outras áreas. “É preciso haver uma reparação histórica pelo atraso com que essas conquistas acontecem. Nossa categoria é formada por pessoas que abrem mão de seus próprios filhos e de suas casas para cuidar dos filhos e do patrimônio dos patrões, mas muitos ainda nos veem como uma categoria que não gera lucro, que faz um serviço que qualquer pessoa pode fazer. Não é assim, exige uma responsabilidade e uma dedicação muito grande”, disse. Para reduzir a informalidade no setor e ampliar o direito dessa parcela de brasileiros, tramita do Con-

gresso Nacional, desde 2010, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 478/10, do deputado Carlos Bezerra (PMDB). A proposta inclui na Constituição 16 direitos trabalhistas para os empregados domésticos, entre eles a obrigatoriedade do

Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que atualmente é opcional para o empregador, a limitação de jornada de trabalho, o recebimento de hora extra e de adicional noturno, entre outros benefícios. A PEC está sendo analisada por uma comissão espe-

cial na Câmara dos Deputados. Ainda não há acordo. O principal impasse refere-se ao número de dias de trabalho que caracterizarão o vínculo empregatício. Ainda está em discussão a possibilidade da proposta também contemplar os empregados diaristas.

Mesmo crescendo menos, emergentes continuam resistentes à crise, diz FMI

O

Fundo Monetário Internacional (FMI) acredita que as economias emergentes continuam resistentes aos efeitos da crise financeira, mesmo que suas taxas de crescimento já não sejam tão robustas quanto indicavam projeções passadas. Em uma análise divulgada nesta quinta-feira, os economistas do Fundo argumentam que a fortaleza desse grupo de economias, embora tenha sido ajudada por fatores conjunturais, também reside em causas mais profundas: está ligada à

adoção de políticas econômicas acertadas e, em linhas gerais, se deve a fatores mais duradouros. “A resistência das economias emergentes e em desenvolvimento não é recente. Resulta de ganhos consistentes em desempenho ao longo das duas últimas décadas”, concluem os pesquisadores, em um novo capítulo do relatório Panorama Econômico Mundial (World Economic Outlook). As conclusões alimentam o debate sobre a capacidade dos países emergentes de

manter seu ritmo de crescimento apesar do agravamento do cenário externo. Atualmente motores da economia mundial, este grupo de países está perdendo o fôlego. Na mais recente rodada de previsões, em julho, o FMI rebaixou para 5,6% a previsão de crescimento dos emergentes em 2012. No ano passado, esse grupo de economias cresceu 6,2% e, em 2010, 7,5%. Na segunda-feira, a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, disse que esta perda de dinamismo, combinada

com problemas que ainda persistem na Zona do euro e com a falta de confiança na economia americana, implicará uma revisão para baixo nas novas projeções do Fundo - que serão divulgadas durante a sua reunião de outono, em outubro no Japão. “Nós claramente ainda vemos uma recuperação gradual (da economia global)”, disse Lagarde, “mas o crescimento global que havíamos previsto deve ser ainda um pouco mais fraco do que esperávamos”. Em julho, o Fundo cortou a projeção de cres-

cimento global em 2013 para 3,9%, embora tenha mantido inalterada em 3,5% a estimativa para este ano. Otimistas x céticos Diante desse quadro de desaceleração, os técnicos do FMI analisaram seis décadas de expansão e contração de mais de 100 países emergentes e em desenvolvimento diante das crises. Os mais céticos lembram que grande parte do crescimento deste grupo na última década se deveu a fatores conjunturais, susceptíveis a

mudanças de curso, como fortes entradas de capital, crescimento acelerado do crédito e altos preços de commodities. Mas uma abordagem mais positiva indica um aumento na capacidade dos emergentes de responder a choques externos sem minar a sustentabilidade econômica. É essa a avaliação que o FMI preferiu. “Muitas economias emergentes e em desenvolvimento adotaram melhores políticas”, disse o coordenador do capítulo 4 do WEO, Abdul Abiad..


JD

DiaDia

B4

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Editor: Pablo Oliveira - Pc.oliveira@jdia.com.br

Projeto que muda a Lei Seca no país pode ter tolerância zero com embriaguez Dados reunidos indicam que, só em 2010, 42 mil pessoas morreram em acidentes de trânsito no país

S

ó a proibição total e completa do consumo de álcool para quem está ao volante (ou ao guidom) poderá viabilizar a utilização da prova testemunhal ou baseada em imagens contra motoristas embriagados. Esse é um dos princípios nos quais o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) está se baseando para elaborar relatório do PLC 27/2012, que promove uma série de alterações no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). De acordo com Ferraço, caso a lei continue prevendo o limite atual de seis decigramas de álcool por litro de sangue, as provas obtidas sem a intermediação do bafômetro ou do exame de sangue poderão ser impugnadas sob o argumento de que são inadequadas para determinar se o limite foi ultrapassado. O resultado é que a ampliação das possibilidades de prova prevista no PLC, de autoria do deputado Hugo Leal (PSC-RJ), seria, na prática, inútil. – Precisamos ter instrumentos eficazes para apertar o cerco a motoristas que dirigem sob efeito de álcool ou de outras drogas psicotrópicas – adverte Ferraço, que lembra um caso recente de embriaguez explícita captada

DIVULGAÇÃO

por uma emissora de TV durante abordagem de policiais a uma jovem no Espírito Santo. O relatório do parlamentar, a ser apresentado nos próximos dias na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), prevê que qualquer concentração de álcool sujeitaria o condutor a penalidades. Para o relator, bebida e direção são absolutamente incompatíveis, e os “alarmantes números da violência no trânsito” impõem a adoção de uma regulação rígida e ampla, capaz,

não apenas de punir com rigor, mas de inibir a prática de condução de veículos sob o efeito de álcool. Segundo Ferraço, a Lei Seca aprovada em 2008 provocou uma leve diminuição das mortes em 2009, mas o afrouxamento na fiscalização e na conscientização gerou novo aumento em 2010. – Estamos vivendo uma carnificina – constata o parlamentar. Dados reunidos por ele indicam que, só em 2010, 42 mil pessoas morreram em acidentes de trânsito

Semana Nacional de Trânsito alerta para necessidade de reduzir acidentes no país

H

á dois anos, quando a Organização das Nações Unidas (ONU) recomendou aos países membros a adoção de planos estratégicos para reduzir o número de acidentes de trânsito, morreram no Brasil 42.844 pessoas – número que colocou as rodovias brasileiras entre as mais perigosas do mundo. De acordo com o Ministério da Saúde, 45,7% das vítimas tinham entre 20 e 39 anos (19.580) e mais de 80% eram homens (34.941). O número de mortes, ao contrário do que se imagina, nem sempre está relacionado diretamente ao tamanho da frota e da malha viária. Santa Catarina, por exemplo, apesar de ter aproximadamente 7 mil quilômetros de rodovias, figura como o terceiro estado com o maior índice de mortes no trânsito do País. O estado fica atrás apenas de Minas Gerais e do Paraná, que possuem uma malha rodoviária quase três vezes maior. O Brasil começou a adotar as ações recomendadas pela ONU em 2011 com o lançamento do Pacto Nacional pela Redução de Acidentes - Pacto pela Vida. Neste ano, como parte das comemorações da Semana Nacional de Trânsito (18 a 25 de setembro) e dos 15 anos do Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97), o governo federal decidiu reforçar as ações do Pacto pela Vida criando um conselho nacional para a redução dos acidentes e uma campanha permanente para conscientizar as pessoas – “Pela Consciência no Trânsito”. “A campanha é interessante, porque, de fato, falta conscientização, mas também temos um deficit de fiscalização muito grande nas estradas e nas cidades, além de lacunas na legislação”, afirma o deputado Carlos Zarattini (PT-SP), autor do Projeto de Lei 2872/08, que, assim como cerca de 80 propostas em tramitação na Câmara, alte-

no país. O custo econômico da violência no trânsito chegaria, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a R$ 30 bilhões por ano, com medidas como aparato de segurança e tratamento médico. Faz parte do “cerco” defendido pelo parlamentar o estabelecimento da pena de detenção, de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter habilitação aos que descumprirem as novas normas. Não é a primeira vez que

Punições exemplares Na semana passada, durante o anúncio da campanha, a presidente Dilma Rousseff disse que o governo “está fazendo sua parte”, aumentando os investimentos em estradas e incluindo a duplicação dos principais eixos rodoviários do País. Mas, na opinião da presidente, o Brasil peca ao não punir com o devido rigor aqueles que cometem infrações de trânsito. “Isso é necessário para criar padrões de comportamento segundo os quais o bom é respeitar regras e o ruim é violá-las, para que não sejamos cúmplices dessas mortes”, disse Dilma Rousseff durante o anúncio. Zarattini concorda que a legislação deve ser atualizada para aumentar as penalidades aplicadas nos casos de infrações como “racha”, ultrapassagem perigosa, excesso de velocidade, utilização de telefone celular, entre outras. “Nosso projeto pretende fazer uma reforma do código e avança, por exemplo, na questão dos motociclistas, que se tornaram, nos últimos anos, as principais vítimas dos acidentes de trânsito”, explica. Motoqueiros Em 2010, mais de 10 mil motociclistas morreram no trânsito. Para alguns, as

mortes podem ter relação direta com a quantidade de motos em circulação, que aumentou exponencialmente nos últimos anos por causa do baixo preço – algumas são vendidas em prestações mensais de até R$ 100. Pela proposta de Zarattini, as motos ficarão proibidas de transitar entre as faixas de carros, nos chamados “corredores”, a menos que os automóveis estejam parados e, nesse caso, em velocidade reduzida, sem colocar em risco a segurança de veículos e pedestres. O texto restaura a proibição que constava do código, mas acabou vetada pela Presidência da República em favor da maior agilidade de deslocamento.

o parlamentar defende a tolerância zero. No ano passado, o PLS 48/2011, de sua autoria, que retirava do Código de Trânsito qualquer referência a índices tolerados de alcoolemia, foi aprovado na Casa. A matéria seguiu para a Câ-

mara dos Deputados, mas acabou arquivada. “Ao estabelecer a tolerância zero, o fiz com amplo respaldo social e técnico. Infelizmente, foi outro o entendimento da Câmara”, lamenta, no relatório ao PLC 27/2012.

Cidades com mais de cem mil habitantes poderão ter faixa exclusiva para motos

A

ra o Código de Trânsito.

De acordo com Ferraço, caso a lei continue prevendo o limite atual, as provas obtidas sem a intermediação do bafômetro ou do exame de sangue poderão ser impugnadas

Câmara analisa proposta que prevê a instalação de faixas de trânsito exclusivas para motocicletas, motonetas e ciclomotores em cidades com mais de 100 mil habitantes. A medida está prevista no Projeto de Lei 2987/11, que também estabelece multa para os condutores desses veículos que transitarem fora das chamadas motofaixas. De acordo com o Estatuto da Cidade (Lei 10.257/01), as cidades com mais de 500 mil habitantes devem elaborar um plano de transporte urbano integrado, compatível com o plano diretor. Pela proposta, esse plano passará a ser obrigatório também para os municípios com 100 a 500

mil habitantes e deverá prever, sempre que possível, a instalação das faixas exclusivas para motos. O autor da proposta, deputado Severino Ninho (PSB-PE), lembrou que a frota de veículos motorizados de duas rodas no Brasil vem crescendo muito nos últimos anos. Ele lembra que o aumento foi de 377,65% entre 2001 e junho de 2011. “O aumento da frota provocou o incremento vertiginoso da incidência de acidentes de trânsito, com impacto relevante no atendimento de emergência dos hospitais e na previdência”, alertou Ninho. Segundo o deputado, a instalação das motofaixas deve diminuir esses casos.

Multa O PL 2987/11 também cria uma nova modalidade de infração gravíssima no Código Brasileiro de Trânsito (Lei 9.503/97) – a circulação de motocicletas, motonetas e ciclomotores fora da faixa exclusiva, quando existente. Hoje, a multa para os casos de infração gravíssima é de R$ 191,54. Nos casos de reincidência, a multa passará para R$ 383,08 e o veículo será apreendido. Tramitação O projeto tramita apensado ao PL 1517/11 nas comissões de Desenvolvimento Urbano; de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania em caráter conclusivo.

Projeto prevê destruição de carros velhos apreendidos pelos Detrans

A

Câmara analisa o Projeto de Lei 2979/11, do deputado Jorge Corte Real (PTB-PE), que prevê a destruição de motos com mais de um ano de uso e de veículos velhos apreendidos por autoridade de trânsito e não reclamados pelos proprietários no prazo de 90 dias. Conforme a proposta, tanto as motos como os veículos seriam vendidos para usinas siderúrgicas, para reciclagem. Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê o leilão dos veículos apreendidos e não reclamados em 90 dias. “A iniciativa de retirar do trânsito os veículos com mais tempo de uso representa o primeiro passo para iniciativas mais ousadas em relação ao controle da frota nacional de veículos”, disse o deputado. Quanto às motos, o deputado afirma que o crescimen-

to exponencial da frota tem provocado um espantoso número de acidentes e também um problema de segurança pública, em razão do uso desse veículo por assaltantes. Por isso, o projeto é mais rigoroso em relação às motos. “Se é preocupante o crescimento da frota nacional como um todo, muito mais grave é o caso da frota de motocicletas”, afirma. De acordo com o projeto,

irão para a reciclagem: – motocicletas, triciclos, quadriciclos, ciclomotores e motoneta com mais de um ano de compra, contado da data da nota fiscal; – automóveis, ônibus e microônibus com mais de 15 anos; – camionetes, utilitários e caminhões com mais de 20 anos; e – reboques e semi-reboques com mais de 10 anos.


CadernoC

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Atualidades Macapá-AP, domingo 30, de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Ficou preso no engarrafamento? Faça ginástica dentro do carro Leonard Verea, psiquiatra especializado em hipnose dinâmica e medicina psicossomática, dá uma dica seguindo a ginástica isométrica

COTIDIANO Congratulações

Professora amapaense é aprovada para mestrado na SBM

A professora Valeria Costa é a mais nova amapaense aprovada no mestrado da Sociedade Brasileira Matemática (SBM). Ela agora vai se especializar no curso de matemática aplicada, algo que não é para qualquer profissional da área. Fundada em 1969, durante a realização do VII Colóquio Brasileiro de Matemática, em Poços de Caldas, a SBM é uma entidade civil, de caráter cultural e sem fins lucrativos voltada principalmente para estimular o desenvolvimento da pesquisa e do ensino da Matemática no Brasil. Entre suas ações atuais destacam-se: o estímulo ao ensino de qualidade em todos os níveis, através da produção e divulgação de textos matemáticos; a promoção de reuniões científicas periódicas e o incentivo ao intercâmbio entre profissionais de Matemática do Brasil e do exterior.

Leonard Verea sugere uma atividade física que pode ser feita em um espaço limitado como o de um carro

V

ocê está dirigindo e se vê preso num congestionamento, por exemplo. Pode simplesmente ficar mais estressado ainda com a situação ou pode aproveitar a ocasião

para se exercitar. Leonard Verea, psiquiatra especializado em hipnose dinâmica e medicina psicossomática, dá uma dica seguindo a ginástica isométrica. Trata-se de um exercí-

cio bem simples e o bom é que pode ser feito exatamente no pequeno espaço disponível dentro de um automóvel. Veja como: 1 – Contraia os músculos abdominais o máximo que

puder e mantenha-os assim. 2 - Coloque as mãos no externo do volante, forçando para dentro o máximo que puder. Faça por dez segundos por três vezes.

Brasil aumenta em 12,7% a realização de transplantes, aponta balanço

O

número de transplantes no Brasil aumentou 12,7% em relação ao primeiro semestre do ano passado. O Ministério da Saúde divulgou no Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, um balanço com o número de transplantes no primeiro semestre. No total, 12.342 cirugias foram registradas no primeiro semestre deste ano contra 10.905, em 2011. O transplante de pulmão teve aumento de 100% no período. Mas, segundo Padilha, como a cirurgia é delicada e bastante complexa, só 30 órgãos foram transplantados no primeiro semestre. O Rio Grande

do Sul é o Estado que lidera as operações. O transplante de coração foi o que apresentou o segundo maior aumento com 29%, seguido dos de medula óssea (17%), rim (14%), córnea (13%) e fígado (13%). Os Estados que mais se destacaram em aumento percentual foram o Acre com 1033%, o Amazonas com 217%, Pará com 104% e Pernambuco com 74%. O Distrito Federal também teve um número expressivo com aumento de 76%. Em números absolutos, o Estado de São Paulo lidera o ranking de transplantes com 4.754 operações registradas, sendo a maior

parte de córnea (2.935 transplantes). O segundo Estado com a maior quantidade de transplantes realizada é Minas Gerais (1.097), seguido do Paraná (937), Rio Grande do Sul (777) e Pernambuco (767). De acordo com dados do Sistema Nacional de Transplantes (SNT) do Ministério da Saúde, a cirurgia de córnea atingiu 7.777 cirurgias nos primeiros seis meses de 2012, contra 6.891 no mesmo período de 2011, representando aumento de 13%. Na sequência, as cirurgias com rim totalizaram 2.689 nos primeiros seis meses de 2012, 14% a mais que no mesmo período de

2011. Os transplantes de fígado chegaram a 801, representando aumento de 13%. O quarto maior volume foram os transplantes de medula óssea - 862 no primeiro semestre de 2012. Facebook A parceria do Ministério da Saúde com o Facebook que permitiu que os usuários pudessem registrar o desejo de serem doadores na linha do tempo da rede social teve início em julho deste ano Segundo o balanço, mais de 80 mil pessoas manifestaram o desejo de se tornarem doadores de órgãos na rede social.

Bom funcionamento intestinal pode evitar o aparecimento de doenças no futuro

Q

uem não vai no banheiro com a frequência ideal e não evacua em quantidade suficiente pode ter problemas no futuro. “O mau funcionamento a longo prazo pode acarretar o aparecimento de constipação de difícil controle, uso inadequado de laxantes, podendo causar colite (inflamação do cólon), aparecimento de distúrbios anatômicos pélvicos por excesso de força, como retocele (pressão do reto junto ao assoalho da vagina), deslocamento retal e doenças anais, como hemorroidas, fissuras e até fístulas”, aponta Sidney Klajner, gastroenterologista do hospital Albert Einstein. Em casos mais graves, a constipação pode contribuir para o aparecimento de diverticulite (inflamação nos apêndices do cólon) e até obstruir o intestino, necessitando de uma cirurgia de emergência para liberar a passagem. Além dos problemas de saúde, a prisão de ventre pode causar outros males, como desconforto intestinal, gases em excesso e cólicas pelo acúmulo de fezes. “O bom funcionamento do intestino evita o maior contato de substâncias car-

cinogênicas, isto é, que induzem ao aparecimento de câncer, com a mucosa intestinal, para não sobrecarregarmos o aparelho evacuatório na pelve com força excessiva”, explica o gastroenterologista. “Enfim, o mau funcionamento acaba interferindo no próprio humor das pessoas”, completa ele. Um intestino que funcione a contento não significa, no entanto, que você tenha de ir ao banheiro todos os dias. Nesse quesito, não existe regra para o hábito intestinal. “A frequência pode variar de três vezes ao dia a três vezes por semana, dependendo da pessoa. O importante é que se tenha uma sensação de evacuação completa”, explica o gastroenterologista Sender Miszputen, membro da Federação Brasileira de Gastroenterologia. A evacuação tem de ser precedida por vontade de evacuar, não deve exigir esforço (força) e deve apresentar consistência pastosa. “O simples fato de haver fezes em ‘bolinhas’ endurecidas, pode significar presença de constipação”, diz Klajner. Hoje em dia, é fácil achar quem tenha problemas

para evacuar ou sinta que não vai ao banheiro tantas vezes quanto deveria - ou gostaria. “A vida moderna tem sido uma grande vilã para a saúde intestinal. Estamos trabalhando em horários cada vez mais alargados, sem fazer as refeições com regularidade e tempo ideais, o que faz com que não tenhamos tempo para evacuar”, alerta o médico do Albert Einstein. Segundo ele, nosso intestino tem um ritmo que avisa o momento da evacuação e, se este aviso não for seguido, talvez só volte a acontecer no dia seguinte. “Aí, nós perdemos aquele dia de evacuação. No seguinte, as fezes já estarão mais ressecadas e com dificuldade maior para a evacuação”, afirma ele. Para evitar que isso aconteça, a orientação é respeitar o momento da evacuação, não inibindo a vontade. Nestes casos, as mulheres são as que mais sofrem, pois têm muita dificuldade de ir ao banheiro fora de casa, segundo revelou pesquisa da Federação Brasileira de Gastroenterologia. O consumo excessivo de comidas pobres em fibras, como as vendidas em fast-foods, e de produtos in-

dustrializados, aumenta ainda mais o problema. As fibras são essenciais para o bom funcionamento intestinal. De acordo com Carolina Daher Rolfo, nutricionista do hospital Albert Einstein, a American Dietetic Association (ADA), recomenda que um indivíduo sadio consuma de 20 a 35 gramas de fibra por dia (veja alimentos que ajudam o intestino no álbum abaixo). A baixa ingestão de líquidos é outro fator que leva à prisão de ventre. Isso porque os líquidos ajudam a hidratar as fezes e melhorar sua consistência. “A ingestão de líquidos hidrata e amolece o bolo fecal, levando à redução do seu peso e facilitando o trânsito intestinal e a expulsão das fezes”, diz Daher Rolfo. “Caso ocorra um baixo consumo hídrico, o indivíduo poderá apresentar efeitos adversos causados pelo consumo de fibras, entre estes, podemos observar desde a produção excessiva de flatulência e gases, até obstrução em qualquer parte do tubo digestivo”, alerta a médica. O ideal é que se beba pelo menos dois litros de água por dia, sempre fora das refeições.

Respeito

Mulher ‘barbada’ vira piada e dá lição de respeito na web

Uma estudante de neurociência e psicologia da universidade Ohio State, praticante da fé Sikh (religião indiana), deu um exemplo de como lidar com a chacota na internet. Balpreet Kaur foi fotografada em uma fila com o tradicional turbante utilizado pelos sikh e com pelos faciais - bigode, cavanhaque e costeletas - por um colega da mesma universidade. Sob a foto, publicada no Reddit, o usuário colocou a legenda: “eu não sei o que pensar disso ainda”. Em função de sua crenças, Balpreet não altera a sua aparência, por isso estava com os pelos no rosto. No mesmo mural em que a foto aparece originalmente, ela escreveu: “Se quisessem uma foto, bastaria ter pedido que eu poderia sorrir para a câmera”. O post continua explicando as crenças da universitária, de que “o corpo é um presente dado pelo Ser Divino... assim como uma criança não rejeita os presentes dados pelos pais, os siques não rejeitam o corpo que lhes foi dado”. Segundo o site Mashable, os posts de Balpreet geraram uma “onda de apoio” à estudante que chegou ao autor original da mensagem no Reddit. Ele escreveu: “eu senti necessidade de me desculpar com os sikh, com Balpreet e com qualquer outra pessoa que tenha se sentido ofendido com a imagem. Publicá-la foi simplesmente uma estupidez. Tirar uma onda com a cara das pessoas é engraçado para alguns, mas incrivelmente degradante para as pessoas de quem se fala. Foi incrivelmente rude, preconceituoso e ignorante postar isso”. Mais de 1.500 comentários foram publicados no fórum do Reddit com a imagem da estudante sikh.

Não deu certo

CEO da Apple sugere uso de mapas da Nokia e Microsoft no iPhone

O CEO da Apple, Tim Cook, publicou uma carta aos clientes em que pede desculpas pelos erros no serviço próprio e mapas da companhia e sugere que os usuários baixem outros serviços se estiverem insatifesfeitos. “Enquanto estamos melhorando o Maps, você pode tentar alternativas baixando aplicativos de mapas na App Store como o Bing, MapQuest e Waze, ou usa o Google ou Nokia Maps indo aos sites e criando um ícone para sua tela inicial”, escreveu o CEO. Desde a chegada do iOS 6 na semana passada, em que a Apple abandonou o sistema de mapas do Google em prol de uma ferramenta própria, os usários vêm reclamando de erros no serviço. Falhas de localização e em nomes de locais, a ausência de informações sobre transporte público e defeitos na renderização dos mapas são as reclamações mais frequentes. Tim Cook afirma no texto que a Apple sempre se esforçou por fazer produtos de classe mundial e, com o lançamento dos mapas, ficou abaixo desse compromisso. “Estamos extremamente tristes pela frustração que isso causou aos nossos clientes e estamos fazendo tudo que podemos para tornar o Maps melhor”, escreveu. “Lançamos o Maps inicialmente com a primeira versão do iOS. Conforme o tempo avançava, queríamos oferecer aos nossos clientes mapas ainda melhores, incluindo características tais como ponto-aponto, integração de voz, viaduto e mapas baseados em vetores. A fim de fazer isso, tivemos que criar uma nova versão do Maps a partir do zero”, afirmou. “Quanto mais nossos clientes usam nossos mapas melhores eles vão ficar”, complementou. Tim Cook afirmou que já existem mais de 100 milhões de aparelhos com iOS usando os novos mapas da Apple. Em uma semana, os usuários já buscaram por quase 500 milhões de locais no serviço, segundo ele.


JD

Geral

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Funcionário demitido invade empresa, mata quatro e comete suicídio nos EUA

C2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

JD

Mundo

Pense num dote

As informações são do canal deTV americano “FoxNews” e da rede deTV americana “ABC News”. O crime aconteceu por volta das 16h35, no bairro Bryn Mawr

A

o menos cinco pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas três em estado grave na tarde desta quinta-feira (27) depois que um homem invadiu uma empresa e abriu fogo contra os funcionários e depois cometeu suicídio, em Minneapolis, no Estado americano do Minnesota. De acordo com testemunhas, o atirador foi identificado como Andrew Engeldinger, 36, e seria um ex-funcionário da empresa Accent Signage Systems demitido na manhã desta quinta. A polícia ainda não revelou oficialmente a identidade do atirador nem das vítimas. O número de mortos pode ser maior. Incialmente, a polícia informou que pelo menos duas pessoas foram mortas, mas depois disse que “vários” corpos foram encontrados dentro da empresa. Segundo a “ABC News”, baseada em um comunicado oficial da polícia americana, foram cinco mortos, com o atirador. A reportagem, que cita fontes policiais, diz que após a demissão ele voltou ao local de trabalho, à tarde, e atirou contra os ex-colegas. Segundo a polícia, os disparos não foram aleatórios, mas sim dirigidos a alguns pessoas específicas. Testemunhas ouvidas pela “ABC News” disseram

“Milhares querem ser meus genros”, diz bilionário pai de lésbica

Uma policial patrulha área onde ocorreu um tiroteio, na cidade de Mineápolis

ter ouvido “entre 4 e 5” tiros. Os corpos das quatro vítimas foram encontrados logo depois que a polícia chegou ao local. Em entrevista à Associated Press, Chad Blumen disse que o dono da empresa, Reuven Rahamim, foi morto no tiroteio. Rahamim era sogro de Blumen, que ainda afirmou que outros membros da família foram mortos pelo atirador, sem revelar mais detalhes. Por meio de sua assesso-

ria, o Centro Médico do condado de Hennepin, para onde os feridos foram levados, confirma que recebeu quatro feridos, e ao menos três deles, todos homens, deram entrada na unidade de saúde em estado crítico. O local foi isolado pela polícia e o tráfego da região de Bryn Mawr foi interrompido. Segundo a polícia americana, o atirador tinha antecedentes criminais. A Accent Signage Systems é uma empre-

sa especializada em sinalização para deficientes físicos e conta com 28 empregados. O governador Mark Dayton lamentou este episódio de “violência sem sentido” e enviou suas condolências às famílias das “pessoas inocentes mortas ou feridas”. O incidente ocorreu um mês após um tiroteio similar em Nova York, no qual duas pessoas morreram e nove ficaram feridas. (Com Efe e AP).

Rebeldes sírios fazem ofensiva em Aleppo para expulsar forças do governo

O

s rebeldes do ELS (Exército Livre Sírio) fizeram na última quinta-feira (27) uma ofensiva para tomar o controle de Aleppo, segunda maior cidade do país, o que desencadeou fortes combates com as forças leais ao regime presidido por Bashar Assad. Em comunicado divulgado pela internet, Abdel Kader al Saleh, comandante da brigada “Al Tauhid” do ELS em Aleppo, qualificou a ofensiva como “decisiva”. O oficial rebelde ordenou a seus comandados deter os soldados e entregá-los vivos ao órgão que chamou de “Segu-

rança da Revolução”, e pediu aos combatentes que tomem posições para conseguir o maior desdobramento em Aleppo. Após o anúncio, centenas de insurgentes enfrentaram as tropas governamentais em diversos bairros de Aleppo, como Saif al Dawla e Al Izaa, segundo a plataforma opositora Observatório Sírio de Direitos Humanos. Unidades de artilharia do regime bombardearam o bairro de Al Nireb, também em Aleppo, onde ficaram feridos vários palestinos em um campo de refugiados, segundo a Comissão Geral da Revolução Síria.

C

homem e uma mulher foram encontrados dentro de um veículo arrastado pelas águas na cidade de Cuevas de Almanzara, em Almería. Ainda nesta província, mas no município de Vera, um idoso, que aparentemente sofria de uma doença cardíaca, faleceu enquanto era levado para o hospital. As ministras de Fomento, Ana Pastor, e Trabalho, Fátima Báñez, viajarão hoje para Múrcia e Andaluzia, respectivamente, para verificar pessoalmente os danos ocasionados pelo temporal, que deixou milhares de desabrigados, além de muita destruição em infraestruturas e cultivos agrícolas. O mau tempo castigou também ontem a cidade

Apelo Pais de professor que fugiu com aluna fazem apelo por retorno Os pais do professor de matemática britânico Jeremy Forrest, que fugiu para a França com uma aluna de 15 anos, fizeram um apelo emocionado para que o filho volte para casa. “Há muitas pessoas aqui desesperadas para saber como vocês estão”, disse Jim, pai do professor, em entrevista coletiva, enquanto sua mulher chorava copiosamente a seu lado. “Por favor, entrem em contato. Só peço que um de vocês nos ligue ou envie um e-mail para que possamos saber que estão bem”, afirmou Jim, que é escocês, mas vive no sudeste de Londres. Forrest,30 anos, fugiu com a estudante Megan Stammers, com quem ele mantinha um relacionamento amoroso. Pouco antes do apelo, a polícia de Sussex anunciou ter emitido uma ordem de prisão válida em toda a Europa contra o professor.

Membros do Exército Sírio Livre recuperam corpo de homem morto por atirador de elite leal ao ditador Assad

Número de mortos devido às fortes chuvas sobe para 10 na Espanha om a localização dos corpos de três pessoas desaparecidas desde ontem - dois na região de Múrcia e um na província de Málaga -, subiu neste sábado para dez o número de mortos devido a um temporal que castigou o sul e o leste da Espanha. Entre as vítimas, estão uma menina de 9 anos e um homem de 65 que também viviam na província de Múrcia, entre os municípios de Puerto Lumbreras e Lorca. Esta última cidade, uma das mais afetadas pelas fortes chuvas, sofreu no ano passado graves danos em um terremoto no qual morreram nove pessoas. Também no temporal de ontem, os corpos de um

Após oferecer cerca de R$ 132 milhões para que um homem casasse com sua filha lésbica, o bilionário de Hong Kong Cecil Chao afirmou em entrevista à agência AP que milhares de pessoas de várias partes do mundo escreveram para se candidatar ao posto de genro. “Eu fiquei muito surpreso com a reação ao redor do mundo”, disse o magnata de 76 anos. “Milhares de pessoas escreveram para dizer que querem ser meus genros”. Ele afirmou que está oferecendo a quantia porque quer ter certeza que sua filha viva uma vida confortável em Hong Kong. “Viver confortavelmente em Hong Kong, sem alto luxo, custa R$ 132 milhões”, disse. Chao diz que 38,5 milhões do total deveriam ser usados apenas para comprar uma casa e o resto poderia ser aplicado em investimentos. Gigi Chao, 33 anos, a filha do magnata, casou-se com sua parceira de longa data em abril deste ano na França. O bilionário, no entanto, diz que esta informação não passa de rumor. A questão da homossexualidade ainda é um tabu em Hong Kong. A ilha chinesa descriminalizou esta escolha sexual apenas em 1991. Casamentos entre pessoas do mesmo sexo não são permitidos. Gigi afirmou que a proposta reflete que seu pai tem um jeito “muito interessante de expressar seu amor paterno”. Ela diz que tem uma relação “amorosa” com o seu pai e que eles se falam todos os dias. Ela também afirmou que o caso serve para ressaltar que muitos em Hong Kong toleram a visão “não pergunte, não responda” sobre a sexualidade, mas que o tema ainda é muito sensível para os locais. Questionada pela AP se poderia aceitar um possível pretendente, Gigi afirmou: “vamos nos preocupar com isso na hora certa”.

de Gandía, na província de Valência. Um tornado deixou 35 feridos ao derrubar uma roda-gigante, informaram fontes municipais.

Na capital, que tem o mesmo nome da província, a autoridade portuária decidiu fechar o tráfego marítimo.

Família de Megan Segundo o padastro de Megan, Martin, o desaparecimento da menina abalou toda a família. “(Essa situação) é horrível não só para mim e para Danielle (mãe de Megan), mas para toda a família. É devastador, estamos destruídos”, disse em entrevista ao programa da BBC Crimewatch. “Megan, se você está vendo isso, pegue o telefone e ligue para sua mãe. Sua mãe está arrasada, querida, apenas pegue o telefone e ligue para que saibamos que você está bem.

Tunceli Grupo usa fantoches para satirizar presidente sírio Bashar Assad No cenário de guerra que ocupa parte da Síria desde março de 2011, um grupo de ativistas resolveu usar a arte para protestar contra o governo do presidente Bashar Assad. Usando fantoches, eles fazem um protesto que, embora sem cara, tornou-se uma das principais vozes da oposição a Assad no país. O grupo Masasit Mati, nome dado também ao canudo usado para beber o chá mate, bebida típica na Síria, ficou conhecido com a série “Top Goon – Diários de um pequeno ditador”, na qual satiriza o presidente e seus apoiadores. A série, veiculada na internet, está em sua segunda temporada. “O Masasit Mati foi criado no verão de 2011 quando sentimos que os protestos artísticos poderiam alcançar mais sírios, sem colocar em risco o público ou os artistas”, diz o grupo em entrevista por e-mail.


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

C3


JD

Diversão&Cultura

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

“Empreguetes” pode voltar como seriado ano que vem A sinopse é de uma turnê com as empreguetes pelo país. “Seria uma viagem pelo Brasil, pelo menos umas oito cidades

O

sucesso de Rosário (Leandra Leal), Cida (Isabelle Drummond) e Penha (Taís Araújo) foi tanto que a diretora da novela Cheias de Charme, Denise Saraceni, está com o projeto de tornar a trajetória das empreguetes uma série, em 2013, segundo informações do jornal Extra de ontem (29). “A novela foi tão legal que eu gostaria de ver o grupo de volta. A emissora está vendo a ideia com carinho, ainda este ano podemos ter uma surpresa”, revela a diretora para a publicação. A sinopse é de uma turnê com as empreguetes pelo país. “Seria uma viagem pelo Brasil, pelo menos umas oito cidades. Acho que só teria graça se fosse como uma turnê de verdade”, revela Saraceni. Mas o projeto ainda está sendo avaliado pela Globo e a possibilidade dele se concretizar ficará mesmo para o ano que vem.

C4

Editor: Franck Figueira - franckfigueira@jdia.com.br

Celebridades Eles voltaram Pattinson reatou namoro porque Kristen diz não ter transado com diretor de filme

Segundo informações do site “Radar Online”, a atriz Kristen Stewart garantiu para Robert Pattinson que não transou com Rupert Sanders, diretor de cinema, com quem a atriz traiu o então namorado. Uma fonte do site afirmou que por causa da revelação de Kristen, Pattinson pode perdoar a traição.

Morando na rua Atriz da série ‘Happy Days’

As emrpeguetes Cida (Isabelle Drummond), Rosário (Leandra Leal) e Penha (Taís Araújo)

Hebe Camargo morre aos 83 anos em São Paulo

A atriz Erin Moran, conhecida por interpretar a personagem Joanie Cunningham na famosa série americana Happy Days, não vive mais as mordomias de uma estrela de Hollywood. Segundo o site BuzzFeed, ela foi despejada - pela sogra - do trailer onde vivia com o marido Steve Fleischmann. Agora, os dois estão passando os dias na rua e dormindo cada noite em um motel diferente. De acordo com o Daily Mail, a atriz e o marido estão praticamente sem dinheiro. Erin Moran e mais três atores da série estão processando a CBS - que detém os direitos autorais de Happy Days - por não terem pago a eles a porcentagem exata sob as vendas dos produtos agregados do seriado (roupas, jogos, bonecos, cartões comemorativos, canetas, entre outros).

Rafaella Justus Diversão nos ombros da mãe,Ticiane Pinheiro Sentada nos ombros de Ticiane Pinheiro, a pequena Rafaella Justus se divertiu brincando de bagunçar os cabelos da mãe. O registro do momento ficou por conta da apresentadora Ana Hickmann, que é amiga de Ticiane, e postou a foto no Twitter nesta sexta-feira (28). Na imagem, Rafaella posa de unhas pintadas e uma tatuagem fake na mão, enquanto Ticiane parece não se importar nem um pouco com a bagunça feita pela filha em seus cabelos. Dona de um estilo próprio, Hebe consolidou um modo espontâneo, bem-humorado e ousado à televisão brasileira

M

orreu na madrugada de ontem (29), enquanto dormia, a apresentadora Hebe Camargo. De acordo com a assessoria de imprensa, Hebe estava em sua casa, no bairro Morumbi, na capital paulista, quando sofreu uma parada respiratória. Ela tinha 83 anos e sofria de câncer no peritônio desde o início de 2010. A apresentadora paulista Hebe Camargo começou sua carreira como cantora, depois foi atriz e acabou consagrando-se como líder de programas de televisão. Dona de um estilo próprio, Hebe consolidou um modo espontâneo, bem-humorado e ousado à televisão brasileira. Também passou a ser referência em moda, pois jamais negou que apreciava o luxo ao usar jóias chamativas e caras. Nos últimos anos, Hebe passou a lutar contra o câncer. Em 2010, retirou um tumor no estômago, porém foram identificados nódulos,

diagnosticados como um tipo raro e de difícil tratamento de câncer no peritônio. Nos anos seguintes, ela passou por uma cirurgia para a retirada da vesícula e em julho voltou a ser internada. No começo da carreira como cantora, Hebe formava, com a irmã Stella, a dupla Rosalinda e Florisbela. Inicialmente, o estilo da dupla era caipira. Depois, Hebe passou a fazer apresentações de sambas e boleros em boates. Hebe trabalhou na extinta TV Tupi, de São Paulo, e um dos destaques foi um dueto que fez com o cantor Ivon Curi. A estreia na TV ocorreu em 1955, no primeiro programa feminino da TV brasileira O Mundo é das Mulheres. Em seguida, ela foi para a TV Continental, TV Record e SBT, entre outras. Na época da Jovem Guarda, nos anos de 1960, Hebe colaborou no lançamento de Roberto Carlos, Wanderléa e Ronnie Von, apelidado por ela de Príncipe.

Resumo das Novelas Malhação Na mata, Lia se afasta do beijo de Dinho. Orelha é solidário com Ju no acampamento, enquanto esperam notícias dos amigos. Ao amanhecer, Lia sai em busca de ajuda e consegue encontrar o acampamento. Dinho é resgatado e, delirando por conta da febre, confunde Ju com Lia. Alice recebe um telefonema avisando sobre o acidente do filho. Lorenzo instrui Robson a levar Dinho e Lia para o hospital onde trabalha. Paulina aceita acompanhar Tatá ao aeroporto para aguardar Raquel. Nando se vangloria ao contar para Morgana sobre o assalto à casa de Marcela. Gil afirma à mãe que não sentiu medo na volta para casa.

Guerra dos Sexos Vânia surpreende Felipe com um beijo. Roberta encontra Nenê na casa de sua irmã. Nieta foge da polícia na feira da Vila da Mooca. Roberta chama sua família para o casamento de Kiko. Fábio se cansa das crises de ciúmes de Manoela. Carolina afirma que vai ao casamento de Kiko. Vitório sente-se mal e tenta disfarçar para Roberta. Carolina se esconde no porta-malas do carro de Otávio. Ulisses relembra a luta que perdeu. Analu desiste de se casar e foge. Roberta culpa Felipe. Charlô decide pilotar seu avião. Felipe e Roberta anunciam que não haverá mais casamento.

Lado a Lado Berenice sorri ao perceber que o filho de Isabel não é de Zé Maria. Constância reclama de Bonifácio para Carlota. Celinha e Guerra se conhecem. Teodoro leva flores para Alice, mas Carlota manda Hortência se livrar do presente. Isabel conta para Zé Maria que está grávida. Laura e Alice se preocupam com a dificuldade de Matilde em preparar o jantar. Zé Maria se afasta de Isabel. Edgar decide levar Laura, Alice e seus convidados para jantar fora. Celinha comenta com Carlota que recebeu elogios de Guerra. Constância pede para Bonifácio arrumar um cargo melhor para seu marido. Neusinha desfaz a costura do vestido de Diva. Fernando destrata Edgar.

Avenida Brasil Tufão deixa a casa de Janaína perturbado com sua revelação. Adauto conta para Muricy que beijou Olenka. Tufão expulsa Max de casa e Ivana fica inconsolável. Leleco sugere que Tufão investigue a obra social pela qual Carminha se dizia responsável. Verônica, Noêmia e Alexia expulsam Cadinho de casa para trabalhar. Lucinda implora para que Max vá embora. Janaína enfrenta Carminha. Tufão descobre que a ONG nunca recebeu suas doações. Nicole, Xandão e Roger chegam para a festa de casamento de Dolores. Nicole toca uma música e Dolores volta a ser Soninha Catatau.

Horóscopo Áries (21 mar. a 20 abr.) Desde ontem a Lua entrou no seu signo, elevando a temperatura das emoções. Mais frágil e se sentindo vulnerável, você corre o risco de se meter em encrencas com parceiros. Evite enfrentar gente poderosa que não mostra a cara. Touro (21 abr. a 20 mai.) Finalmente chegou o dia da Lua cheia, em que as diferenças ficam mais claras e até é possível entender melhor porque tantas divergências se acumularam na relação com seu amor. Aproveite para esclarecer o que for possível. Gêmeos (21 mai. a 20 jun.) Clima astral turbulento, como se era de esperar com a vigência de uma Lua cheia em Áries, que muda tudo, pois introduz o tema da pressa, da necessidade de criar algo novo e fugir das pressões sociais. Câncer (21 jun. a 21 jul.) Clima astral turbulento, como se era de esperar com a vigência de uma Lua cheia em Áries, que muda tudo, pois introduz o tema da pressa, da necessidade de criar algo novo e fugir das pressões sociais. Leão (22 jul. a 22 ago.) No centro das atenções nesta cheia lunar, cuide de manter o astral leve e seja flexível, assim diminuirá tendência a ter problemas. Nada de ousadias, mas aposte no dialogo e no calor humano. Evite lidar com aparelhos elétricos. Virgem (23 ago. a 22 set.) Nesta noite, a Lua cheia promete ser bonita, e vem trazendo portentos, promete reviravoltas, e você precisará ficar a disposição dos amigos e familiares que precisarem de ajuda e amizade. Seja um elemento de concórdia e não de brigas.

Libra

(23 set. a 22 out.) Astral tenso, você tende a ficar um tanto ranzinza e mal humorado. O clima anda esquisito mesmo. Tudo parecerá diferente. As boas dicas para hoje: cuide das plantas, dos animais, faça uma comidinha especial para quem ama..

Escorpião (23 out. a 21 nov.) Desavenças em curso no íntimo da família podem elevar a temperatura hoje. Evite cutucar os pontos fracos das pessoas. Faça seu programa independente. Fuja de esportes violentos, cuidado com a cabeça. Sagitário (22 nov. a 21 dez.) Tudo é sempre muito pouco para você nas luas cheias, mas hoje será bom manter rédea curta nos excessos. Gastos financeiros inesperados podem ocorrer, fique alerta; tudo para atender alguém que vai precisar de ajuda.. Capricórnio

(22 dez. a 20 jan.) De hoje a 2ª feira os confrontos com a família e cônjuge estão em primeiro plano. São tensões de muito tempo, mas eventos inesperados podem dar um novo rumo para estas pressões. Veja com que arma vai enfrentar um poderoso.

Aquário (21 jan. a 19 fev.) Viagens curtas, palavras impensadas, preconceitos e declarações enraivecidas podem atrair problemas nesta noite. Não corra de carro. Seja bondoso com um camarada, um irmão e com seu vizinho. Para longe com gente mesquinha! Peixes (20 fev. a 20 mar.) Com suas antenas poderosas e sua sensibilidade, está captando as ondas arrevesadas desta Lua cheia. Esteja pronto a dar seu carinho e apaziguar quem anda soltando fogo pelas ventas - bem do seu ladinho! Gastos inesperados.


CadernoD

Carro&Moto

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Veja detalhes “íntimos” do estreante Hyundai HB20

Novo Honda Fit será lançado em 2013

Separamos uma seleção com algumas fotos para mostrar vários detalhes

O

mistério sobre o primeiro compacto nacional da Hyundai acabou, quando a montadora sul-coreana finalmente mostrou o hatch que brigará com os populares Volkswagen Gol, Fiat Palio e cia. Autoesporte desvendou, com exclusividade, o preço inicial sugerido

do modelo, que partirá de competitivos R$ 31.995 já equipado com ar-condicionado, direção hidráulica e airbags frontais. No dia seguinte, a Hyundai liberou todas

as informações sobre o HB20 (leia aqui), e as primeiras impressões foram publicadas. Agora, nós separa-

mos uma seleção com ajgumas fotos para mostrar vários detalhes de um dos lançamentos mais aguardados de 2012 – e talvez dos últimos anos. Confira abaixo!

Monovolume também dará origem à próxima geração do City e a um inédito utilitário esportivo compacto

A

próxima geração do Fit já está quase pronta e será lançada em 2013. A informação foi revelada por Takanobu Ito, presidente mundial da Honda, durante discurso realizado no Japão , onde a marca divulgou alguns dos projetos que deve lançar nos próximos anos. Takanobu confirmou que a plataforma do novo modelo dará origem a duas outras variações, um sedã (o novo City) e um inédito SUV compacto. No entanto, a vinda dos veículos para as Américas deve acontecer apenas em 2014, ano em que a nova fábrica da Honda no México começará a produzir o novo Fit e seus derivados. No Brasil, o monovolume é o “queridinho” de sua ca-

Primeiro carro nacional da Hyundai, o compacto HB20 tem no design “escultura fluida” um de seus pontos fortes

A Hyundai sabia que, no segmento de compactos populares, motores flex são itens quase obrigatórios. Pois bem, o HB20 estreia no mercado brasileiro com opções 1.0 e 1.6 litro bicombustíveis. Detalhe: ambos os motores possuem blocos feitos em alumínio e duplo comando variável de válvulas, chegando um passo à frente da concorrência. No caso da versão 1.6, haverá ainda opção de câmbio automático de quatro marchas, que não inova na quantidade de relações, mas garante novamente uma vantagem sobre a concorrência, já que a transmissão automática adiciona interessantes R$ 3.000 ao preço. Para a estreia nacional, o HB20 poderá ter rodas de liga leve de 14 e 15 polegadas, muito apreciadas pelo público brasileiro. Os conjuntos de aro 14 calçam com pneus 175/70 e serão oferecidos nas versões 1.0 e 1.6 Comfort Style. Já os de aro 15 com pneus 185/60 (acima) serão restritos à configuração top 1.6 Premium, disponível com câmbios manual (R$ 44.995) e automático (R$ 47.995). Modelos mais básicos (Comfort e Comfort Plus) usarão rodas de ferro aro 14 cobertas com calotas.

As portas do HB20 serão diferentes dependendo da versão. A versão 1.6 Premium, com revestimento em tecido cinza (o mesmo que cobre os bancos) e comandos elétricos para os vidros. A comodidade é oferecida a partir da configuração Comfort Plus (R$ 33.995). A curiosidade (ou melhor, estranheza) fica no fato de o comando por um toque, exclusivo para o motorista, funcionar apenas para baixar o vidro. Na versão “de entrada” Comfort, não há acionamento elétrico – abertura e fechamento das janelas serão à moda antiga, por meio de manivelas.

Um dos principais destaques do painel do HB20 é o quadro de instrumentos retroluminescente (que se mantém aceso de forma permanente, mesmo com os faróis apagados). O cluster transmite modernidade e requinte, oferece uma leitura muito simples e agradável e traz uma pequena tela de cristal líquido ao centro onde aparecem as informações do computador de bordo, entre outros dados, como o nível de combustível e a temperatura do óleo do motor. Único opcional disponível no HB20, o sistema de áudio Hyundai é inteligente, prático e só fica devendo a conexão por Bluetooth, cada vez mais comum entre os sons dos carros. Embora a ausência do recurso seja estranha, o som oferece entradas auxiliar e USB (no compartimento à frente da alavanca do câmbio) e comandos no volante. Como se pode notar na foto, o rádio fácil de se operar. Mas os alto-falantes ficam devendo em potência e qualidade sonora – nesse primeiro contato, as caixas pareceram limitadas. O porta-malas de 300 litros (declarados pela Hyundai) não farão do HB20 o líder do segmento nesse aspecto – Renault Sandero e os futuros Chevrolet Onix e Toyota Etios devem ter compartimentos maiores. Contudo, o bagageiro do HB20 é de fato espaçoso e impressiona à primeira vista. Seu vão de acesso é bastante amplo.

As entradas auxiliar e USB do sistema de som do HB20 ficam no compartimento logo à frente da alavanca do câmbio, com acesso fácil e uma interessantíssima tampa corrediça que cobre o nicho. O porta-objeto também oferece uma tomada de 12 Volts e é amplo, podendo receber carteiras, celulares smartphones maiores e diversos outros itens de uso pessoal.

O HB20 estreia como o primeiro carro nacional a oferecer um moderno motor 1.0 litro de três cilindros. Compacto e leve, o bloco é inteiro feito de alumínio e, embora tenha um cilindro a menos que os motores da concorrência, oferece boa potência de 80 cv a elevados 6.200 rpm, além de um torque satisfatório de 10,2 kgfm a 4.500 giros – ambos com etanol.

tegoria. De janeiro até agosto, a marca vendeu 23.435 exemplares do carro e lidera seu segmento com certa vantagem em relação ao segundo colocado, o Fiat Idea. Do Brasil para o México? Com essa nova informação fica a dúvida se a Honda continuará produzindo o Fit no Brasil para abastecer a América do Sul ou se a produção será toda transferida para o México. Rumores não faltam para acreditar na segunda hipótese. Um deles seria o possível desenvolvimento do compacto Brio para o mercado nacional revelado há algumas semanas por Jair dos Santos, presidente do sindicato dos metalúrgicos de Campinas e região.

Carro mais econômico do Brasil é híbrido

Segundo o InMetro, Ford Fusion Hybrid roda em média 13,4 km/l, desempenho superior ao de compactos nacionais com motor 1.0

O

InMetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) divulgou os resultados da nova bateria de testes do programa de etiquetagem veicular realizada com 23 carros de quatro marcas, que se voluntariaram ao teste. Considerando todas as opções de motorização disponíveis no País, curiosamente o Ford Fusion Hybrid é o carro que mais poupa combustível do Brasil. O modelo, equipado com o propulsor 2.5 16V movido apenas a gasolina conseguiu fazer 13,8 km/l em percurso urbano e 13,1 km/l na estrada, números alcançados graças à ajuda do motor elétrico. Logo em seguida, vem o novo Fiat Uno Economy 1.4 que, usando gasolina, percorreu 12,7 km/l na cidade e 15,6 km/l na estrada e 8,9km/l e 10,7 km/l usando etanol e rodando nas mes-

mas condições. Fechando os cinco primeiros lugares estão Mille, Toyota Etios hatch com motor 1.3 e 1.5 e o Volkswagen Gol Ecomotion da quarta geração. O Honda Civic se saiu melhor que o Toyota Corolla e o Renault Fluence na categoria de sedãs médios, enquanto isso o novo EcoSport com motor Sigma 1.6 16V se mostrou mais eficiente que sua geração anterior equipado com o motor 1.6 8V. Metodologia de avaliação Como o consumo de combustível varia de motorista para motorista, seja pelo modo de condução ou pelas condições climáticas ou do asfalto, o método de medição utilizada pelo instituto consiste em testar os carros em laboratório sob condições padronizadas e repetitivas.

Veja abaixo tabela com os 6 primeiros modelos que obtiveram resultado A no Programa Brasileiro de Etiquetagem:


JD

Carro&Moto

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Lançamentos de carros populares ameaçam reinado do Gol no país Novos hatches chegam ao mercado para oferecer mais opções ao público e devem afetar as vendas do modelo da Volkswagen

N

ão faz tanto tempo assim que os consumidores brasileiros tinham poucas opções de veículos ao pensar num hatch compacto, modelo mais vendido no País. Ou se optava pelo Gol, líder há décadas, ou se escolhia um Palio ou Uno ou, ainda, um Corsa ou Celta. Ford, Renault e Peugeot ficavam com uma pequena parcela desse bolo. Essa situação, no entanto, já começou a mudar e tende a se intensificar nos próximos meses. A razão é que as fabricantes que se instalaram no Brasil há poucos anos, enfim, passaram a investir nessa categoria. Com isso, as opções estão se multiplicando e o Gol está perdendo espaço entre os compradores. Para se ter uma ideia, em 2008, o modelo da Volkswagen abocanhou 12,4% das vendas gerais de veículos, um volume impressionante de 286 mil unidades. Este ano, ao contrário, o Gol teve 188,6 mil exemplares emplacados, 9,6% do total acumulado até agosto. Parece pouco, mas cada ponto percentual perdido significa hoje cerca de 30 mil carros a menos saindo das concessionárias todos os anos. O mercado brasileiro também vive um momento de amadurecimento nos segmentos mais baratos. Há uma separação entre os modelos de entrada, mais despojados, de uma nova safra de compactos mais equipados, potentes e bem acabados. É nessa faixa de preços, que vai de pouco mais de R$ 25 mil a quase R$ 50 mil, que existem mais novidades che gando. Os franceses parti-

Etios e HB20 devem pressionar Gol, o líder

cipam dela com o novo C3, o Sandero e o futuro Peugeot 208, mas quem ameaça realmente as marcas tradicionais são as montadoras asiáticas. Os japoneses foram os primeiros a atrapalhar a vida de Volks, Fiat, GM e Ford. A Nissan trouxe do México o March, hoje o hatch compacto com o melhor custo-benefício da categoria. Ele só não vende mais por causa da cota de importação introduzida pelo governo, o que fez a Nissan antecipar a produção no Brasil, numa nova fábrica em Resende, RJ. A Honda é outra que deve entrar na briga com uma versão nacional do compacto Brio, embora os executivos da montadora neguem até hoje essa informação. Mas os holofotes hoje estão voltados para a Toyota que, enfim, lançou o Etios nesta semana. Primeiro

modelo compacto barato da empresa japonesa, o hatch chega às lojas no dia 28 com preços muito parecidos com os do Gol, mas sem optar pelo motor 1.0 – a marca preferiu um 1.3 e outro 1.5. Garantia estendida e pós-venda consagrado são as outras armas da Toyota, que quer vender 70 mil unidades no primeiro ano de produção plena. Favorito do público A pedra no sapato da Volkswagen, no entanto, deverá ser o HB20. O hatch, desenvolvido especialmente para o Brasil, consegue superar o Gol até mesmo em design e tem uma boa base mecânica para incomodar. Os coreanos também capricharam no acabamento e no pacote de série, que vem praticamente completo a partir de R$ 31.995. Como essas marcas sabem, o pós-venda é o

grande trunfo das fabricantes tradicionais e por isso a Hyundai oferece a garantia de 5 anos já conhecida nos modelos importados. Tudo para ganhar a confiança do consumidor. A meta de vendas do HB20 é bem ousada: 90 mil carros em 2013, média de 7,5 mil unidades por mês – o Gol emplaca entre 20 mil e 30 mil, mas somado com a geração anterior, bem mais em conta. As novidades não param por aí. As chinesas também se preparam para entrar com mais força nesse nicho. A Chery já está construindo sua primeira fábrica brasileira e produzirá lá o Celer, um novo compacto de design atraente. A JAC, a chinesa mais vendida do País, tem planos de uma unidade nacional instalada na Bahia, mas ainda aguarda algumas definições do governo para confirmar sua intenção.

Estudantes propõem versões apimentadas do Fiat 500

U

m grupo de estudantes italianos da Politécnica de Milão “rabiscou” duas versões esportivas do Fiat 500, ambas em parceria com a agência Madeindreams. As diferenças de estilo entre os conversíveis são discretas. O roadster, por exemplo, perdeu o banco traseiro e as colunas laterais em relação do 500C (Cabrio), e recebeu novos para-choques frontais e traseiros, além de rodas maiores, tudo para arrebatar o visual. Já o “speedster” tem traços mais agressivos, em especial o para-brisas menor e mais inclinado. Nesta configuração, o carrinho perde altura e

ganha aparência radical. Os dois projetos foram baseados no 500 Abarth, versão “apimentada” pela

preparadora da Fiat. Não há qualquer previsão de produção dos modelos, mas certamente estes po-

deriam ser boas alternativas aos entusiastas de compactos com visual arrojado.

Land Rover desenvolve modelo menor que o Evoque

D

e acordo com sites estrangeiros, a Land Rover está desenvolvendo um modelo menor que o Range Rover Evoque. De olho no sucesso do SUV compacto esportivo, a montadora britânica quer partir para um segmento até então inexplorado pela marca, concorrendo com produtos como o Nissan Juke, Audi A1 e Mini Cooper. A grande questão seria o nível de equipamentos e o preço desta novidade. Atualmente, o Evoque é vendido na Europa a partir de 34.730 euros (no Brasil ele parte dos R$164.000). Especula-se que esse compacto chegaria na casa dos R$ 21.000, algo bem competitivo, segundo analistas do velho continente. Outra dúvida

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Pista livre JOSÉ ARCANGELO

Colunista

Test Neste final de semana estarei realizando um Test Drive num novo Fiat Punto 1.6 16V Essence com câmbio Dualogic. O automóvel é uma evolução de dentro para fora a começar pelo interior totalmente renovado e iluminação interna com efeito “Night design” a LRD. As trocas de marchas podem ser feitas automaticamente, automatizada na alavanca e igual na Fórmula 1 através de duas borboletas por detrás do volante, uma com símbolo positivo (+) com marchas à frente e negativo (-) para as reduções. O botão S, quando ativado, determina uma direção mais esportiva. Comandos Para imitar um verdadeiro Fórmula 1 os comandos do rádio estão ao volante podendo utilizá-los sem retirar as mãos, opcional no modelo testado, mas de série no Sporting e T-Jet. Destaque para o Fiat Social Drive, uma forma moderna de conexão, bastando se inscrever no site fiat.com.br ou pelo smartphone. Através do sistema Blue&Me o condutor passa receber diversas informações sobre os seus contatos nas redes sociais, aniversários, mensagens, eventos e notícias. Motorizações Nas quatro versões o Fiat Punto Atractive vem com o econômico motor EVO 1.4 16V, o Essence com a força do E.TorQ 1.6 16V, o Sporting com sua esportividade a flor da pele com o E. TorQ 1.8 16V e por fim a emoção a toda prova com o T-Jet 1.4 16V Turbo. Interessante é o moderno sensor de estacionamento com display gráfico no computador de bordo o carro. Promoções O Grupo Caoa no Amapá, concessionário Hyundai está lançando esta semana duas grandes promoções. A primeira é para o Tucson 2.0 câmbio automático, porta-malas com largos 528 litros e muito espaço interno. E a segunda

Exercício dos alunos da Politécnica milanesa buscou dar um ar mais destemido ao pequeno Fiat Cinquecento

De olho no sucesso do SUV esportivo, montadora pretende competir com produtos como o Audi A1, Mini Cooper

seria sobre qual plataforma o veículo seria produzido, quais motorizações e transmissões. Atualmente, a Land Rover é vinculada

ao grupo indiano Tata Motors, e diferente do que ocorria com a Ford, não há grandes possibilidades de compartimento de com-

ponentes. A ideia é que o novo compacto esportivo da Land Rover começe a ser vendido na Europa em meados de 2016.

D2

fica por conta do i30, também com motor 2.0 e câmbio automático, o hatch mais completo e equipado do mercado. Para ter uma deles na sua garagem a entrada é de 50% do valor a vista e o restante em suaves 24 parcelas sem juros. A loja da Caoa fica na Rua Adilson José Pinto Pereira 224, no bairro São Lázaro. Lançamento A Bacaba Veículos, concessionária Toyota para o Amapá, pertencente ao vitorioso empresário paraense Djalma Bezerra, lançou na última sexta-feira (28), no show room da loja na Rodovia Juscelino Kubitscheck, bairro do Beirol o Etios, o primeiro compacto produzido pela montadora japonesa no Brasil. No convite a sugestão de experimentar uma nova sensação ao dirigir. Agradeço ao convite, mas por problema de agenda não poderei comparecer. Best A versão automática as Nova Ford Ranger deu nova alma a picape frente às concorrentes, pois as reduções se tornaram mais seguras principalmente quando o pé é tirado do acelerador com as três trocas programadas: econômico, esportivo e sequencial. Por meio de um vistoso botão no console as trações podem variar desde a 4 x 2, 4 x 4 e 4 x 4 reduzida, portando seis marchas normais e outras seis reduzidas. Travessia Com a marcha reduzida no 4 X 4 a Nova Ford Ranger vira um “trator” de rodas num luxo só. São 200 cv e 47,9 mkgf de pura força e sobre ele um ar condicionado do tipo central e bancos que mais parecem um sofá. Quem viaja atrás tem um bom espaço para as pernas, com o banco inclinando num ângulo 10% a mais que a rivais e uma boa ergonomia para quem dirige. São muitos mimos a serem curtidos pelos sortudos futuros donos do carrão. Na Moselli Veículos com o jovem gerente Luís Santos.

Auto Pista Test Drive no Fiat Punto Essence 1.6 16V com o veículo disponibilizado pela concessionária Betral Veículos, através da gerente Lucinha Teixeira. –x-x-x-x- Toyota deu o ponta pé inicial no lançamento dos compactos. Vem ai os modelos da Honda, Mitsubischi, Chevrolet, VW, Ford, Renault, Citröen e Peugeot. –x-x-x-x- É questão de tempo a chegada em Macapá de uma nova concessionária de automóveis. Trata-se da Peugeot, irmã siamesa da francesa Citröen. –x-x-x-x- Já vista de quem trafega pela Rodovia Duca Serra o novo show room da Trilha Norte, concessionária Nissan para o Amapá. Lá também está sendo edificado um centro de revisão para todas as marcas do Grupo Orion, isto é Fiat, Ford, Honda, Renault e Nissan. –x-x-x-x- Caminhões e caçambas estacionados, inclusive, com direito as todas em cima do passeio público, na confluência da Rua Santos Dumont com Av. Padre Júlio está atrapalhando o fluxo de veículos, principalmente nos horários das 7h00, 12h00 e 18h00. O local está servindo de pátio de exposição. –x-x-x-x- Amapá Garden Shopping inaugura no máximo em seis meses. Não seria hora de pensar numa solução para o trafego na Rodovia JK mo sentido Macapá/Fazendinha numa grande rotatória? Será que vão deixar tudo para cima da hora? –x-x-x-x-“O pior pecado contra nosso semelhante não é o de odiá-los, mas de ser indiferentes para com eles.” (Bernard Shaw). –x-x-x-x- Freando... e torcendo por uma solução na JK em relação a rotatória do shopping. –x-x-x-x- Mesmo assim: Bom Domingo!


Carro&Moto

JD

D3

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Presidente da VW confirma: novo Golf chegará ao Brasil

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Em detalhes

FOTOS DIVULGAÇÃO

Grupo VW terá 140 lançamentos ao redor do mundo até 2014

Ferrari vende toda a produção do esportivo F12berlinetta

Em tempos de crise, vender superesportivos pode se tornar uma tarefa muito dificil, certo? Não para a Ferrari. A marca divulgou que a produção de um ano do F12berlinetta, modelo lançado pela montadora durante o Salão de Genebra, já está toda vendida. Isso envolve cerca de 800 unidades do carro que se tornou o automóvel mais potente e veloz já feito pela fabricante italiana. Só para ter ideia, seus preços começam em 274 mil euros (algo próximo de R$ 724.000, livres de impostos) na Europa. ............................................................................

VW Golf chegou à 7ª geração na Europa, com versão GTI no Salão de Paris (fotos: Newspress)

A

chegada da sétima geração do Golf ao Brasil é certa. Quem garante é ninguém menos do que Martin Winterkorn, presidente do grupo Volkswagen. “Chegará ao Brasil nos próximos anos”, disse em rápida conversa exclusiva com Autoesporte. O bate-papo ocorreu no evento de apresentação de todos modelos do grupo que estão expostos no Salão de Paris, que abriu as portas na última quinta-feira (27), na capital francesa. “Este modelo foi totalmente desenvolvido na Alemanha e deverá ser fabricado, assim como a China”, disse o executivo. Indagado sobre uma possível produção no México ou Brasil, Martin foi sucinto: “Talvez no México”. Além do hatch, grande atração da noite, o grupo VW apresentou diversos outros modelos à imprensa, como o conceito Porsche Panamera Sport Turismo , o novo A3 Sportback e a série especial Vitesse do Bugatti Veyron. “Sabemos que a Europa vive uma crise, mas estamos trabalhando para mudar

esse cenário”, disse o executivo em coletiva para mais de 500 jornalistas do mundo inteiro. De acordo com ele, todo o grupo VW (além das marcas de automóvel VW, Audi, Skoda, Seat, Lamborghini, Porsche, Bentley Bugatti, há caminhões MAN e Scania e motos Ducati), terá 140 lançamentos até 2014, dentre novos produtos, reestilizações e versões.

Maserati apresenta novo GranCabrio MC

A Maserati apresentou nesta semana o novo GranCabrio MC. O modelo chega para completar a gama de esportivos conversíveis de luxo da empresa e sua estreia está marcada para o Salão de Paris 2012, que abre suas portas entre os dias 29 de setembro a 14 de outubro. De acordo com a marca, o visual do carro foi baseado nos modelos de competição da Maserati, com elementos já presentes nas versões Stradale e Sport. O MC está equipado com motor V8 4.7 litros capaz de gerar 466 cavalos de potência máxima, atinge 289 km/h de velocidade máxima e faz de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos. Ao propulsor há um câmbio automático de 6 marchas.

............................................................................

McLaren apresenta MP4-12C Sigapore Edition

Versão BlueMotion do novo Golf, que promete redução de emissões e consumo

A McLaren apresentou uma edição especial para o superesportivo MP4-12C, o Sigapore Edition. A montadora britânica disponibilizará apenas três unidades do modelo, que faz alusão ao Grande Prêmio de Cingapura, que também foi realizado no último final de semana. Sob o capô, o MP4-12C Sigapore Edition oferece um motorzão de 600 cavalos de potência (demais informações ainda não foram divulgadas). Além disso, ele terá uma pintura exclusiva, além de grafismos e novos revestimentos dos bancos. Com a chegada desta edição especial, a McLaren registra o lançamento de dois modelos no período de um mês – nesta semana a britânica divulgou que mostrará oficialmente durante o Salão de Paris 2012 o novo P1. ............................................................................

Clássicos da semana FNM JK 2000

U

m carro que se destacou no mercado de luxo. Batizado em homenagem ao presidente Juscelino Kubitscheck, o primeiro Alfa Romeo brasileiro foi lançado em 1960. O estilo seguia as tendências europeias de conforto, tinha três volumes bem definidos, farois circulares e paralamas mais altos que o capô. Os ocupantes dos bancos podiam reclinar os encostos até a horizontal. O motor tinha 1975 cm3 com 115 cv. O regime militar exigiu a retirada da sigla JK do nome do carro, em 1964, e o carro passou a ser denominado FNM 2000. Em 1966 chegou ao mercado a versão TIMB (de Turismo Internacional Modelo Brasil), com 160 cv e bancos dianteiros individuais e um toque mais esportivo. O motor foi modificado em 1969. Com 2.132 cm3, passou a ser FNM 2150, e contava com 125 cv. A produção chegou ao fim em 1986.

Volvo V60 chega ao Brasil por R$ 130.900

A Volvo apresentou seu mais novo lançamento nesta quarta-feira (20): o Sportwagon V60, primeiro SW da marca vendido no país. De acordo com a montadora, o modelo já está disponível nas 21 concessionárias espalhadas pelo Brasil – menos na região norte – com preços partindo do R$130.900. A princípio serão disponibilizadas ao consumidor três versões: T5 Comfort e T5 Dynamic, estes, equipados com motores 4 cilindros em linha turbo de injeção direta 2.0 de 240 cavalos de potência, associado a uma caixa de câmbio automatizado de dupla embreagem Powershift de seis velocidades. Já a versão topo de linha foi intitulada de T6 e possui e traz tração nas quatro rodas, motor 3.0 turbo de seis cilindros em linha que despeja 304 cv de potência, associado à transmissão Geartronic automática de seis velocidades com a opção de trocas no modo sequencial. ............................................................................

Toyota Bandeirante

R

obusto, ele foi o veículo que esteve mais tempo em produção no Brasil: quatro décadas. Aqui ele chegou com o nome Land Cruiser, em 1958. Foi rebatizado com o nome Bandeirante somente em maio de 1962 e a produção seguiu até 2001. Foram montadas 103.705 unidades em CKD. Entre 1958 e 1962, o jipe foi equipado com motor 2F da Toyota, um 4.0 de baixa rotação a gasolina, com seis cilindros e 110 cv. O modelo ganhou motor OM-324 da Mercedes-Benz, um 3.8 a diesel com quatro cilindros a diesel e 85 cv a 2.800 rpm, susbtituído depois por um Mercedes-Benz OM-364, um 4.0 a diesel cuja potência era de 90 cv a 2.800 rpm. O motor passou a ser Toyota em 1994, o 14B, um 3.7 com quatro cilindros, sempre a diesel, e 96 cv a 3.400 rpm. Ele teve mais de dez versões diferentes ao longo dos 40 anos. De qualquer maneira, teve poucas mudanças e, ao final, estava com um desenho muito ul

Audi antecipa o A3 Sportback A Audi revelou as primeiras imagens do A3 Sportback, versão quatro portas do hatch apresentado em Genebra no início do ano. O modelo está mais longo com 4,31 m de comprimento, e 2,64 m entre-eixos. Para efeito de comparação, a geração anterior tinha 4,29 m e 2,58 m respectivamente. Já o porta-malas tem capacidade para 380 litros, 10 l a mais do que o antecessor. Com base na nova plataforma do Grupo Volkswagem, intitulada MQB, o Audi A3 Sportback perdeu 90 kg se comparado à geração anterior. Já a motorização segue a gama do A3 de duas portas, com opções 1.4 e 1.8 TSFI, ambos a gasolina, além do 2.0 TDI a diesel. O modelo será apresentando de maneira oficial durante o Salão de Paris, realizado de 29 de setembro a 14 de outubro.


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Novos Sandero e Logan confirmados para o Brasil

D4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Em duas rodas

Presidente da Dacia, do grupo Renault, também revela novo Sandero Stepway

BRP apresenta nova versão do triciclo Can-Am Spyder A fabricante canandense BRP, especializada em quadriciclos, motos-aquáticas e motores, lançou nesta terça-feira (25) nova versão de seu triciclo Can-Am Spyder. Além da RS (esportiva) e RT (turística), a empresa tem agora em sua linha 2013 a opção ST. O componente que estreia na gama é um meio-termo dos modelos já existentes, assim une características radicais ao grande apelo para viagens. A novidade é destinada, a princípio, para a América do Norte. O modelo conta com motor bicilíndrico de 998 cilindradas que, segundo a BRP, rende 100 cavalos de potência máxima. Existem opções de câmbios manual e automática, ambas com a marcha ré. O Spyder ST básico parte de US$ 18,9 mil, enquanto a versão top de linha (ST Limited) chega a US$ 24,6 mil. Ainda há o ST-S, opção intermediária, que custa US$ 20,1 mil. Entre os opcionais que fazem o preço crescer, estão sistema de som e navegação, piloto automático, aquecedores de manoplas e detalhes estéticos. De série, o Spyder ST traz sistema de estabilidade, que conta com controle de tração, controle de estabilidade e freios ABS. A bolha dianteira tem regulagem eletrônica e existe um compartimento para carga na frente do Spyder.

Novo Sandero Stepway deve ser vendido no Brasil com novo Logan até o fim de 2013

E

nquanto grande parte dos europeus voltam a atenção para a nova geração do Clio, os mercados emergentes crescem os olhos nas novidades da Dacia. A montadora romena do grupo Renault-Nissan apresentou na última quinta-feira (27) as novas gerações de Logan e Sandero. A grande novidade foi a estréia da versão Stepway do Sandero, com foco no visual aventureiro. A Renault do Brasil não confirma, mas os modelos chegarão ao Brasil em 2013. Palavra do brasileiro mais badalado em Paris, o presidente do grupo Renault-Nissan. Rodeado por uma centena de jornalistas, Carlos Ghosn disse à Autoesporte que os modelos desembarcam no Brasil no ano que vem. “Eu acredito que eles chegam no final de 2013”, disse. Indagado sobre o atraso de gerações do Clio no Brasil, o executivo apenas sorriu e saiu andando. Além de Carlos Ghosn, o presidente mundial da Dacia, Carlos Tavares, também confirmou a chegada dos novos Sandero e Logan ao

............................................................................

Versão aventureira do hatch foi criada no Brasil e fez sucesso também na Europa

Brasil. “Ainda é um pouco cedo para dizer quando, mas é obvio que eles chegarão ao Brasil”, disse em entrevista à Autoesporte. O executivo apontou que o modelo será fabricado primeiramente na Romênia e introduzido no mercado europeu. Fontes ligadas à Renault afirmam que a

chegada será no segundo semestre de 2013, ou pouco mais de 6 meses após o lançamento na Europa. “Ainda não está decidido quando exatamente chegará ao Brasil, é uma questão de estratégia do grupo no país, e adaptação na fábrica para produzir a nova geração”, afirma Tavares. Se-

gundo ele, o sucesso dos modelos da Dacia no Brasil se devem ao preço competitivo e relação aos concorrentes, mas sobretudo à superiodade frente aos rivais. “A primeira razão do sucesso é a qualidade dos produtos Dacia. Há uma resposta muito boa por parte dos clientes”, finalizou.

Citroën AirCross 2013 a partir de R$ 53 900

A

Citroën divulgou as primeiras informações sobre a linha 2013 da minivan aventureira AirCross. E a grande novidade, neste caso, fica por conta da introdução na gama do novo motor Vti 120 Flex, um quatro cilindros, 1.6 litro, de 16 válvulas, capaz de desenvolver 122 cavalos de potência (a 5.800 rpm) e 16,4 mkgf de torque máximo (a 4.000 rpm), ambos com etanol – com gasolina, a potência cai para 115 cv (a 6.000 rpm) e o torque vai a 15,5 mkgf. Este mesmo bloco, uma evolução do antigo 1.6 flexível, já equipa do C3 Picasso 2013, cuja tabela de preços foi reposicionada na semana passada. A tabela de preços do AirCross parte de R$ 53 900. O Vti 120 Flex possui sistema FlexStart, que dispensa o uso do tanquinho de gasolina para partidas a frio, e comando de válvulas variável (VVT) para a admissão. De acordo com a Citroën, este sistema contribui para que 80% do torque surja a 1.500 rpm, garantindo fôlego em acelerações e retomadas de velocidade, sem comprometer o consumo de combustível. O Aircross 2013 também

O Aircross 2013 também trará de série, em todas as versões, freios com ABS e EBD

Gas Gas lança no Brasil a moto Cami EC 250F

Cami, em catalão, quer dizer caminho. A Gas Gas apresentou nessa quarta-feira, 26/09, um lançamento que promete chamar a atenção dos apaixonados pelos esportes off-road: a motocicleta Cami EC 250F. Desenvolvida há mais de três anos no departamento de tecnologia da GasGas em Girona, Espanha, a novidade contou com a parceria da Gas Gas Brasil, que inclusive batizou a motocicleta. O respaldo da marca em solo nacional foi tão grande que o local escolhido para o lançamento mundial da Cami foi a pista do ASW Off-Road Park, em Mogi das Cruzes (SP), que recebeu jornalistas para conhecer a máquina em primeira mão. A segunda fase do lançamento será nesta sexta-feira, no mesmo local, com os revendedores da marca. “Foram três anos de trabalho em conjunto com a matriz para a concretização desse projeto, que se identifica muito com as necessidades do mercado nacional. Nosso esforço será para que a motocicleta custe R$ 17.800,00, esse valor irá depender da cotação do euro no início do ano que vem. Estamos tendo como base o euro a R$ 2,50”, explicou Ricardo Celeghini, presidente do Grupo Celeghini, responsável pela Gas Gas Brasil. A motocicleta tem alma espanhola e foi feita para a crescente e exigente demanda dos pilotos nacionais, atendendo os iniciantes, os talentos emergentes e também os mais experientes, que buscam lazer e competição. A estrutura da Cami EC 250F é baseada no conceito de qualidade e performance da Gas Gas, tendo como características principais a maneabilidade, agilidade e robustez. A motocicleta conta com motor de refrigeração líquida, freios a disco nas duas rodas, suspensão traseira a gás e um visual extremamente atraente e chamativo. “A expectativa é de que a Cami chegue no Brasil em janeiro de 2013”, complementou Celeghini. ............................................................................

trará de série, em todas as versões, freios com ABS e EBD, além de airbag duplo frontal. A minivan aventureira passa a contar com aplicação em Tungstene no painel (item exclusivo na versão GLX), assim como novo acabamento plástico nas laterais de porta e console central aberto. A linha 2013 também passa a vir com quadro de instrumentos na cor branca ou em vermelho Rouge Rubi. Confira os itens GLX manual (BVM): Freios com ABS e EBD, airbag duplo frontal, ar-condicionado, direção assistida,

computador de bordo, retrovisores externos elétricos, rodas de liga leve, bússola, inclinômetro (horizontal e vertical), vidros dianteiros e traseiros elétricos, faróis de neblina, regulagem de altura do banco do motorista e profundidade do volante, sistema de som com rádio/CD MP3, entrada para Apple iPod. GLX automático (BVA): Além dos itens da versão manual, ela vem equipada com câmbio automático seqüencial. Exclusive 1.6 16V FLEX manual: Além dos equipamentos da versão GLX manual somam-se ar-condi-

cionado digital, bancos de couro, rádio Pioneer for Citroën 2, limitador e regulador de velocidade, volante em couro, bússola, inclinômetro (horizontal e vertical), vidros traseiros elétricos, faróis de neblina e regulagem de altura do banco do motorista. Entre os opcionais destacam-se airbags de tórax laterais dianteiros e navegador GPS, com tela de sete polegadas integrada. Exclusive automático (BVA): Além dos equipamentos da versão Exclusive manual, ela vem equipada com câmbio automático seqüencial.

Triumph cria Bonneville especial para homenagear a rainha

A empresa inglesa Triumph criou uma edição limitada do modelo Bonneville para homenagear os 60 anos de reinado da rainha Elizabeth II, no Reino Unido. O modelo será restrito a apenas 60 unidades e ganhou o nome de Diamond Jubilee, inspirada no jubileu de diamante da monarca, referente ao período de seu reinado. Das 60 unidades produzidas, uma foi doada para a fundação “The Queen Elizabeth Diamond Jubilee Trust”, responsável em arrecadar fundos para os países do Commonwealth, organização intergovernamental composta, em sua maioria, por países que faziam parte do Império Britânico. Toda a parte mecânica desta motocicleta continua a mesma, inclusive com o seu motor bicilíndrico de 865 cm³ capaz de gerar 67 cv de potência. O diferencial ficou por conta da parte estética da moto, que recebeu pintura prata, além de uma bandeira britânica no tanque e medalhas dos 60 anos de jubileu da rainha.


CadernoE

Eleições 2012

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Eleitor levará em média 40 segundos para votar no próximo domingo, calcula TSE Os números estão fechados e estão habilitados a votar, em todo o Estado, 447.963 eleitores, um aumento de 16,4%

A

sete dias do primeiro turno das eleições municipais, marcado para 7 de outubro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que o tempo médio de votação será 40 segundos. O cálculo se baseou em informações coletadas em eleições anteriores. O tempo de votação foi calculado a partir do momento em que o eleitor se dirige à urna até o instante em que confirma o voto para o segundo cargo.

No próximo dia 7, o eleitor votará primeiro para vereador, depois para prefeito. Em cidades com mais de 200 mil eleitores, se o primeiro colocado não obtiver, no primeiro turno, mais de 50% dos votos mais um, haverá segundo turno. No dia 28 de outubro, está marcado o segundo turno das eleições municipais. No pleito municipal de 2008, cada eleitor levou 31 segundos, em média, para votar nos candidatos a prefeito e a vereador, em 5.563 municípios. Agora as eleições ocorrem em 5.568 municípios. Já o tempo médio de atendimento ao eleitor foi de 39 segundos, em 2008, segundo o TSE. O tempo de atendimento é calculado a partir da digitação do número do título do eleitor por parte do mesário até a confirmação do voto no segundo cargo. A Justiça Eleitoral estimula que os eleitores levem a chamada cola no dia da votação. No papel

A Justiça Eleitoral estimula que os eleitores levem a chamada cola no dia da votação

devem conter os números de seus candidatos. O TSE colocou à disposição um modelo de cola que pode

ser imprimido e preenchido com os dados dos candidatos a prefeito. Pelo calendário eleitoral,

o TSE fixou hoje (24) como último dia para os partidos políticos, a Ordem dos Advogados do Brasil

(OAB) e o Ministério Público impugnarem os programas usados nestas eleições.

A sete dias do pleito, especialista Qual o peso sobre os alerta para necessidade de investimentos prometidos pesquisar passado de candidatos em campanha eleitoral?

O

passado de um candidato é a única matéria-prima que o eleitor tem para saber quais são as chances de que ele realmente cumpra, depois de eleito, as promessas feitas durante a campanha, diz o cientista político da Universidade de Brasília (UnB) Leonardo Barreto. Ele recomenda que o eleitor procure saber se o candidato tem experiência administrativa ou se é suspeito de envolvimento em esquemas de corrupção. “Os candidatos falam de projetos para o futuro, que não sabemos se poderão ser de fato cumpridos. O eleitor deve, então, buscar elementos para verificar, no passado deles, a probabilidade de que as promessas realmente se concretizem”, recomenda Barreto. Os meios para obtenção dessas informações podem ser matérias veiculadas pela imprensa, a própria biografia disponibilizada pelos candidatos e a internet. “Vale a pena gastar um tempo para garimpar informações que ajudem a traçar um diagnóstico mais preciso.” Barreto destaca que simpatia e carisma são atributos que não devem ser deixados de lado na hora da escolha, mas não podem, “de forma alguma”, se sustentar sozinhos. “Os grandes líderes devem ter carisma e capacidade de comunicação, mas também lastro político, um passado de contribuições relevantes. Na medida em que a democracia brasileira amadurece, não cabem mais pessoas que tenham apenas carisma.” Conhecer a ideologia e a estrutura do partido do candidato também pode ajudar o eleitor a identificar aquele que corresponde a suas exigências. Para Barreto, embora as legendas brasileiras não tenham muita rigidez ideo-

A

lógica, elas podem oferecer informações importantes para a decisão. “Se o candidato [à prefeitura] pertence a um partido muito pequeno, pode ser que ele não tenha amparo na Câmara de Vereadores, pode faltar sustentação política. Também é importante observar o partido para saber quem são as pessoas que assumirão os cargos de secretários. Elas provavelmente vão sair do mesmo partido”, ressaltou. Análise No pleito deste ano, o eleitor precisa ainda analisar o alinhamento do candidato a prefeito aos governos estadual e federal. “É preciso perceber se o que se deseja é um prefeito que esteja na mesma linha dos demais governos ou se a preferência é por alguém que seja de oposição”, acrescentou Barreto. Na opinião da diretora do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, organização da sociedade civil que reúne 51 entidades de diversos segmentos, Jovita Rosa, o eleitorado deve ficar atento, ainda, ao enquadramento das promessas à área de

atuação específica do cargo pleiteado. Ela citou o exemplo de candidatos a vereador que prometem construir hospitais, reformar escolas e dar aumento aos professores. “Não é papel do Legislativo. Ele [vereador] até pode apresentar um projeto de lei que trate da questão, mas não pode prometer fazer coisas que cabem ao prefeito. É importante saber a função de cada cargo. Legislativo é para fazer leis e, principalmente, fiscalizar o Executivo”, alertou. “Às vezes, essas falsas promessas indicam má-fé, mas existem casos de despreparo do candidato, que também desconhece as atribuições do cargo ao qual está concorrendo.” Jovita Rosa se disse otimista com os resultados da eleição deste ano, primeiro de vigência da Lei da Ficha Limpa, e destacou que o trabalho do eleitor não pode ficar restrito aos períodos de campanha. “O eleitor deve anotar em quem votou para não se esquecer de acompanhar a atuação dele nos anos seguintes. O resultado da falta des acompanhamento e da cobrança popular é a corrupção”, afirmou.

companhando atentamente o processo eleitoral para eleição do prefeito da cidade de Macapá, observo que há uma concentração muito grande em alguns temas: construção de creches; escolas; saúde e habitação em um primeiro momento. Educação e saúde são temas prioritários, sobre as creches reflete a imensa dificuldade do poder público em acompanhar as mudanças da sociedade em relação às novas dinâmicas. De acordo com o IBGE, é cada vez mais presente na sociedade um número muito grande de mães solteiras, muitas não têm como trabalhar e deixar os filhos com idade escolar, algo para ser avaliado para o futuro. Com certeza com todo o processo de informação existente na atualidade, as equipes de campanha estão atentas sobre as maiores inquietações das comunidades e os problemas mais imediatos que atingem mais diretamente a todos, faltas de escolas, creches e o atendimento precário no setor da saúde. Porém, é importante verificar outros parâmetros pelos candidatos, a reflexão é puramente na direção de auxiliar a conceber a organização e o sistema de planejamento. A pergunta para todos refletirem é a seguinte: e a urbanização da cidade? Urbanizar a cidade é melhorar todos os possíveis indicadores em relação à saúde, educação e até novos ambientes para a formação de espaços coletivos nos bairros. Abordei em vários artigos publicados anteriormente, os maiores problemas da área de saúde residem na imensa fragilidade da cidade no quesito urbanização. Os postos de saúde e o

pronto socorro estão cheios de pessoas com múltiplos problemas, doenças urbanas provocadas por ambientes precários, casas sem condições de salubridade, um quadro de enfermidades generalizadas como a dengue, leptospirose, lestimaniose, malária, tifo e várias outras causadas por problemas de abastecimento de água, parte da população utiliza sistemas isolados como poços amazonas e semi-artesiano. Há um grande problema para ser resolvido, ou investe-se em urbanização de forma sistemática, ou não vai ter recursos suficientes para atender a todas as demandas do setor de saúde, isso é sério, deve ser tratado com urgência. Os indicadores de órgãos como IBGE e os dados da FIRJAN mostram que os investimentos per capita em urbanização na cidade de Macapá alcançam apenas a irrisória quantia de R$ 30,50 por habitante, comparado com o gasto com saúde não alcança 10%, é muito reduzido para os efeitos que isso gera em toda a cidade. É preciso avaliar que nem sempre os fatores puramente quantitativos vão resolver os problemas crônicos. É fundamental estabelecer políticas públicas compatíveis para atender a população adequadamente, não basta criar uma infinidade de creches, mas ajudar a população com soluções alternativas que vislumbrem a formação de cooperativas em todos os bairros. É simplista demais vislumbrar a construção de 10, 20 ou 40 creches, não há recursos para construir e manter tais espaços. A reduzida oferta de lotes e habitação formal em décadas provocou a

ocupação de ressacas de forma acelerada, ocasionando um processo de antropização intenso. O estado do Amapá é disparado o que mais perde recursos, quando se trata de vislumbrar novos investimentos em infraestrutura e habitação. Deve-se ressaltar que o cidadão não precisa só de casa, mas de moradia digna com o direito ao entorno de acordo com os princípios do Estatuto da Cidade. Sem projetos Os programas eleitorais não apresentam um projeto de desenvolvimento para Macapá, quando o Amapá era Território, se idealizava mais a perspectiva de desenvolvimento da cidade, o turismo sempre foi um dos principais eixos, coisa rara hoje em dia. Os projetos como o Relógio do Sol no Marco Zero do Equador; Parque do Buritizal; Parque do Laguinho; Parque Fazendinha; Projeto da Orla de Macapá, para citar alguns. Tais projetos são geradores de emprego e renda e desenvolvimento. A cidade de Macapá precisa de outros centros de desenvolvimento. A Candido Mendes não oferece mais oportunidade para novos investimentos, é preciso criar alternativas viáveis. A cidade cresceu demais na horizontalidade e “inchou”, a parte central concentrou as atividades públicas e privadas, apesar do franco crescimento de atividades de comércio na direção da zona norte e sul da cidade, ainda é pouco para atender as múltiplas demandas existentes. Por isso, qual o peso dos investimentos prometidos em campanha eleitoral? (José Alberto Tostes professor e arquiteto)


Eleições

JD

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

E2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Compra de votos: um grande desafio

Nada de cestas básica, dentaduras, aterro ou madeira para reformar a casa. Os “acordos políticos” ganharam mais intensidad

V

ocê sabe como se compra votos nos dias de hoje? Antes, eleitores eram atraídos simplesmente através de dentaduras, metros de areia ou sacas de cimento. Esse tipo de troca ainda é comum, mas atualmente, o preenchimento de cargos e funções e até a garantia de empresas em licitações, tem sido o caminho mais adotado pelos candidatos corruptos. Em plena expansão do sistema biométrico para evitar fraudes nas urnas, o combate a compra de votos continua sendo um desafio para a Justiça Eleitoral. De acordo com o artigo 299 do Código Eleitoral, é crime de corrupção eleitoral, dar, oferecer, prometer ou receber para si ou para outros, dinheiro ou qualquer outra vantagem, com a finalidade de obter ou dar voto, sob pena de reclusão, multa e inelegibilidade. A prática é fiscalizada desde o período de registro da candidatura até o dia da eleição. A chamada captação de sufrágio no período eleitoral, também está descrita no artigo 41-A da Lei 9.504/97, cujo ato do candidato de doar, prometer, oferecer ou entregar ao eleitor um bem ou qualquer vantagem

pessoal em troca de voto pode acarretar multa, cassação do registro ou do diploma. Apesar da clareza da legislação no combate ao crime eleitoral e a captação ilícita de sufrágio, representantes da Justiça Eleitoral ainda enfrentam dezenas de problemas neste período. Promotores eleitorais reforçam, o crime ainda persiste, não

apenas por existir políticos corruptos e sim porque existem também os eleitores corruptos. A cada eleição, a venda de votos em troca de favores vai avançando na modernidade. Enquanto alguns eleitores, os mais humildes, se satisfazem com benefícios, como doação de madeira, cestas básicas, consultas médicas ou remédios, outros

Caso da família Capiberibe foi o primeiro da história do país

O

caso da compra de votos pelo então senador, João Capiberibe (PSB) e sua esposa, na época deputada federal Janete Capiberibe (PSB), projetou o Amapá na história política nacional. Ambos condenados por compra de votos, foram os primeiros do país a perderem o mandato pela prática do crime eleitoral. Capiberibe teve o mandato cassado em 2004 pelo TSE por compra de votos na eleição de 2002.

Sua mulher, Janete Capiberibe, então deputada federal, também foi cassada com base na acusação de compra de dois votos por R$ 26 cada. Ambos negam a acusação. A representação contra o casal Capiberibe está baseada em dois eventos. No primeiro, a apreensão, na véspera da eleição de 2002, de material de campanha e de R$ 15.495 na residência de uma militante do PSB, Eunice Bezerra de Paula, no bairro Perpétuo Socorro,

de Macapá. Segundo a acusação, a verba seria destinada à compra de votos. A deputada afirma, no entanto, que o dinheiro se destinava ao custeio de transporte, alimentação e remuneração de fiscais que atuariam no dia do pleito. O outro evento é o testemunho de Maria de Nazaré da Cruz Oliveira e Rosa Saraiva dos Santos, que disseram ter recebido R$ 26 cada uma em troca de seus votos nos candidatos do PSB.

Voto sujo: um problema eleitoral desde os tempos do Brasil império

F

raudes mais comuns nas eleições do Governo Imperial: contagem de votos de defuntos, de crianças e escravos; troca de urnas autênticas por outras falsas e nomeações de juízes e chefes de polícia “de confiança” para compor as mesas eleitoras. Eleitos quase sempre à sombra de falcatruas, os políticos “liberais”e “conservadores” representavam exclusivamente os intereses das classes dominantes (grandes proprietários rurais, no nordestedas e cafeicultores, no sudeste).O Sistema

Eleitoral do Império (fraudulento e elitista) excluía da vida política quase toda a população brasileira. Para se ter uma idéia: de uma população de 8 milhões de pessoas em 1860, apenas 1% do total tinha direito a voto. Em uma das caricaturas da época, satirizando a caça ao voto na época do Império, um cabo eleitoral procura um pobre sapateiro e lhe mostra a sua chapa. O esclarecido sapateiro, porém, aponta para duas estampas que se acham na parede de seu ofício: a primeira mostra uma escada for-

mada pelo povo e um político a subir por ela em busca do poder; na segunda estampa, o candidato já no topo da escada dá um ponta-pé naquele que lhe ajudou a subir. Um ponto característico da Monarquia brasileira era a política de favores, incluíndo a distribuição de títulos de nobreza (de Barão a Duque) condecorações, (Ordem de Cristo, Cruzeiro, etc.), cargos públicos (só para católicos e apadrinhados) e até os tratamentos de Excelência e Senhoria. Por trás dos panos, corria muito dinheiro e corrupção.

mais exigentes estão atentos a oferta de cargos comissionados, contratos e até aprovação favorecida em licitações, como é o caso das empresas, tratamentos ortodônticos, residências prontas, quitação das parcelas do carro, pagamento de mensalidades atrasadas nas faculdades, entre outros. Normalmente o peso da compra e venda de votos,

é determinada pela situação financeira de cada eleitor. A população mais forte economicamente, e na maioria dos casos, mais informada, estabelece sempre uma espécie de acordo político em troca de voto. Já os menos favorecidos se abstêm a aceitar o pagamento das contas de luz ou água. Mesmo com a Lei 11.300 aprovada em 2006, que re-

forçou o combate a corrupção eleitoral, proibindo a distribuição de brindes, boca de urna e o voto em atacado, ou seja, pagamento de intermediários para transferência de votos, a população precisa contribuir com a fiscalizar e impedir a pratica de crime eleitoral. Mas essa ajuda ainda depende muita educação e conscientização do eleitor.

A compra de votos e a presunção de inocência

J

á se avizinha mais um pleito eleitoral, e este será o quarto em nível municipal já vigorando o artigo 41-A da Lei 9.504/97 a Lei das Eleições. Até o momento, é fato que poucos dos comuns do povo sabem da importância e poucos dos políticos sabem da gravidade do artigo retrocitado. O dispositivo é mais forte (?) que o preceito constitucional insculpido no inciso LVII do artigo 5º da Carta Política de 1988. Embora sua latente inconstitucionalidade, tem sido aplicado com rigor, especialmente pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Sob o manto da presunção de inocência muitos políticos mesmo tendo praticado graves ilícitos eleitorais conseguiram cumprir por inteiro seus mandatos, seguros que foram por sucessivos recursos nas diversas órbitas processuais. Estaria justificado, portanto, o sacrifício do princípio constitucional para coibir a nefasta compra de votos? Outra evidência é que a se desconsiderar a presunção de inocência poder-se-ia estar penalizando, injustamente, candidatos que sofreram representações fundadas em perseguições políticas locais. Ora, o tipo previsto no artigo 41-A da Lei Eleitoral é provado, por regra geral, de

forma testemunhal. Não haveria de ser diferente, pois da forma posta no indigitado artigo basta um eleitor afirmar ter recebido oferta ou promessa de vantagem para estar caracterizado o ilícito. Independe de qualquer outra prova. Terreno movediço é o período que vai do registro da candidatura ao dia da eleição, posto que mesmo aqueles candidatos probos estão sujeitos a terem seus registros ou diplomas cassados. Basta que qualquer desafeto lhe arme situação ardilosa, valendo-se de eleitores dispostos a participar da farsa. A regra, portanto, é “fugir da aparência do mal”. Sem embargo da aplicação de punições aos corruptos, o desprezo à presunção de inocência pode funcionar ao contrário do que previu o legislador. Ao invés de punir o corrupto, que por vias normais não teria condição de eleger-se, pode servir de aio para que o tal consiga o cobiçado mandato, defenestrando aquele que legitimamente foi escolhido pelo eleitor. Até que se apure melhor em segundo ou terceiro grau a veracidade dos fatos imputados, o dano terá sido irreparável. O senador Cesar Borges (PFL-BA) tentou ver alterado o artigo 41-A

da Lei das Eleições ao protocolar o projeto de Lei nº 284/2003, mas de tão chamuscado retirou a matéria esta semana. Seu projeto acrescentava dois parágrafos ao referido artigo. O primeiro, definia que a eficácia da penalidade ocorreria somente após o trânsito em julgado. O segundo, estabelecia que a representação poderia ser proposta somente até cinco dias após a data da eleição. Pré-candidato a prefeito de Salvador, o senador estava sendo acusado de estar legislando em causa própria, ou, no mínimo, defendendo a corrupção eleitoral. Diante da realidade dos processos eleitorais, é preciso considerar que além de cinzelar leis para punir os candidatos que trilham a senda da corrupção, é inafastável a necessidade de também fazê-lo em relação aos eleitores, pois muitos deles não simplesmente vendem o voto, mas o fazem de forma deliberada e repetida. Há os que vendem o mesmo voto para diversos candidatos ao mesmo cargo. Espera-se resultados positivos. E que os eleitores colaborem. (Silas Queiroz, advogado e pós-graduado em Direito Público pela Universidade Luterana do Brasil - Ulbra)


Eleições

JD

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

E3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

o para a fiscalização nestas eleições

de e cada vez mais os eleitores exigem trocas envolvendo valores mais altos

Ministério Público Eleitoral intensifica campanha pelo voto limpo

N

o Amapá, a Comissão de Fiscalização do Ministério Público Eleitoral (MPE/AP), composta por promotores de Justiça e servidores, organizada na Casa da Cidadania está preparada ara receber denúncias sobre crimes eleitorais. Apesar de ainda não contar com um levantamento prévio do número de denúncias ofertadas, a orientação é que as provas sejam materializadas em vídeos, fotos ou gravações, para dar mais segurança à apuração do caso. Segundo um dos representantes da Justiça Eleitoral, promotor Ubirajara Éphina, as denúncias são recebidas e encaminhadas a Polícia Federal, a recomendação é que as mesmas estejam acompanhadas de gravações, vídeos ou fotos, como forma de comprovar o crime eleitoral. O promotor não detalhou o teor, nem a quantidade de denúncias ofertadas, mas disse que o levantamento será divulgado após as eleições. No dia 7 de outubro, o Ministério Público Eleitoral atuará durante todo o dia, na

sala instalada na Casa da Cidadania. Dois veículos do MP Comunitário ficarão no comando do Corpo de Bombeiros, disponíveis à Polícia Federal, juiz e promotores. Para Éphina, combater a compra de votos, está acima de identificar e penalizar os candidatos e cabos eleitorais, é precisa conscientizar a população sobre a importância do voto. Para intensificar a importância do voto limpo, o Ministério Público do Amapá vem distribuindo em todos os municípios a cartilha “Voto vendido não tem valor”. O material traz um resumo da Lei 9.840/99 criada para combater a compra de voto e o uso da máquina administrativa, como carros, salas ou prédios, recursos públicos para conseguir voto durante o período eleitoral e as penalidades aplicadas aos políticos que tentarem comprar votos, cujas multas podem alcançar R$ 100 mil. A cartilha está sendo distribuída em todas as instituições públicas e ainda explica como par-

ticipar da luta contra a corrupção eleitoral, através da criação de um comitê 9.840. Movimento de Combate a Corrupção Criado em 2002 para colocar em prática a Lei 9.840, o Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral é uma rede de entidades da sociedade civil, movimentos, organizações sociais e religiosas, em que qualquer pessoa pode fazer parte. Em todo o país, existem os comitês 9.840, que coletam e recebem provas de corrupção eleitoral e enviam ao Comitê Estadual, que por sua vez formularão as representações contra os políticos acusados junto ao Tribunal Regional Eleitoral e Procuradorias Regionais Eleitorais. Os comitês 9.840 podem ser formados em um bairro, escola ou igreja. Basta reunir as lideranças da comunidade para promover um trabalho de educação popular para o voto ético, além de fiscalização do processo eleitoral, encaminhando denúncias contra a

Promotor Ubirajara Éphina: as denúncias são recebidas e encaminhadas a Polícia Federal

corrupção. Vale lembrar que com a Lei 9.840, mais de 400 políticos, entre vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, deputados, governador e senador já foram cassados, destes, sete somente no Amapá, entre os anos

de 2000 e 2004. Serviço O Ministério Público Eleitoral disponibiliza o telefone 3198-1705 para as denúncias. As propagandas eleitorais irregulares também podem ser

registradas através do endereço eletrônico www. tre-ap.jus.br/eleicoes/denuncia ou pessoalmente na sala da Comissão, localizada no Cartório Eleitoral da 2ª Zona, na Av. Mendonça Junior 1452, no centro de Macapá.

Compra de votos, captação ilícita de sufrágio e abuso do poder econômico: quais as diferenças entre cada um dos crimes?

N

este período que antecede as eleições municipais para o cargo de prefeito de milhares de municípios brasileiros tenho participado de alguns eventos e convidado para ministrar algumas palestras com o tema: Como administrar adequadamente uma cidade? Qual a carta com a melhor proposta? Esta segunda pergunta, é o título deste artigo, não existe uma fórmula para dizer que um bom gestor deve seguir para trilhar no caminho correto, porém, deve-se ressaltar que administrar corretamente nos dias atuais está pautado principalmente em respeitar as regras já estabelecidas. Antes mesmo de um prefeito eleito assumir o cargo, deve estar ciente que administrar o município pressupõe que conheça a realidade local, esteja ciente da diversidade de problemas existentes, e acima tudo, tenha propostas baseadas em questões reais e palpáveis de serem executadas. Um dos maiores entraves nos municípios brasileiros, é a visão adotada por gestores eleitos, após concretizarem a vitória nas urnas, buscam compor uma equipe de trabalho com única finalidade, barganha política, o resultado é rapidamente conhecido, morosidade na gestão, desânimo e desestimulo por parte dos comandados. É evidente que na grande maioria dos municípios brasileiros, os partidos tem um projeto para ganhar as eleições, entretanto, não tem um projeto de governo que faciliteencaminhamentos de políticas públicas continuadas e duradouras. O desperdício de recursos públicos é algo que chama atenção.

Recentemente conclui um trabalho de pós-doutorado realizado na Universidade de Coimbra, um dos eixos deste trabalho era aferir como diversos municípios amapaenses perderam recursos em um período de 16 anos, mais precisamente entre 1996 e 2010. O resultado obtido com a pesquisa evidência uma fase muito sórdida,gestores irresponsáveis comprometeram o desenvolvimento de seu município e a perspectiva de qualidade de vida. Um dos exemplos clássicos, o município de Amapá que já foi a capital, sempre gozou de uma estrutura razoavelmente boa em décadas passadas, nesta pesquisa, apresenta um quadro deprimente, este município passou quase 10 anos sem receber recursos federais, os motivos são óbvios, mau uso dos recursos públicos e desvios de finalidade, gerando inadimplência de anos, as consequências são evidentes, o empobrecimento do núcleo urbano da cidade de Amapá. Quais as responsabilidades destes gestores perante a sociedade? Sociedade que também legitimou péssimos políticos, sempre reconduzidos aos cargos, muitos deles sendo reeleitos para um novo mandato. Amapá é apenas um fragmento de um universo total que também apresenta altos índices de pobreza, nesta esteira, estão outros municípios como: Calçoene, Ferreira Gomes, Pedra Branca do Amapari, Porto Grande, Serra do Navio e Tartarugalzinho. Então, qual a carta com a melhor proposta? A melhor proposta é aquela que não tem mistérios, é dito como será realizado, de onde virão os recursos,

de que forma será utilizado o capital humano, tudo isso agregado a um conjunto de recursos tecnológicos com programas atualizados que dinamizam a gestão municipal, não cabe mais sistemas atrasados, facilitam a corrupção e contribuem para a perda de receita municipal. A trajetória histórica está posta, investir em maus homens públicos, tem um preço, o atraso. Uma cidade mal administrada implica em anos de danos irreparáveis. Desconfie quando um candidato diz que vai fazer isso ou aquilo, se não mencionar os mecanismos do Plano Diretor, projetos setoriais, leis complementares e principalmente os projetos que vão dinamizar o desenvolvimento econômico e urbano, este candidato não serve. Se este mesmo candidato desconhece a paisagem da cidade, não é digno de ter a chance de ser o mandatário. As cidades com maior sucesso e êxito no Brasil e no Mundo foram administradas com metas definidas, programas de governo consistentes, projetos de desenvolvimento urbano arrojado, permitiram ampla geração de emprego e renda. Nossas principais cidades Macapá e Santana padecem de uma crise de gestão, os projetos audaciosos ficaram no passado, quando se relembra as inúmeras concepções idealizadas para estas duas cidades, vamos verificar que isso tem mais de 30 anos, é muito pouco. Nossas cidades não podem ser objeto apenas da solução dos problemas crônicos e cotidianos. No próximo pleito eleitoral, ter a melhor carta é aquela que respeita a todos os cida-

dãos, diz como será a partilha dos problemas, define estratégias claras para a melhoria da qualidade de vida urbana, não ilude com falsas promessas, tão pouco estabelece mecanismos que enganam a mente do cidadão. Macapá é uma capital

atrativa, porém, as vias são maltratadas, pavimentações envelhecidas, esburacadas, sem meio fio, arborização escassa, etc. Isso compromete a paisagem da cidade, todos nós devemos apostar que novas cartas serão escritas com a clara finalidade de

afirmar: o futuro é agora, não existe mais “Salvadores da Pátria”, mas sim, homens comprometidos, responsáveis e dignos, as vezes fazer “feijão com arroz” é mais importante, desde que, seja bem feito. (Márcio Kaio Carvalho Pires/Advogado)


JD

Eleições 2012

Macapá-AP, domingo, 30 de setembro e segunda, 01 de outubro de 2012

E4

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Procuradoria recomenda ao Setap garantia de transporte no dia das eleições A Procuradoria adverte que candidatos e órgãos partidários são proibidos de transportar eleitores DIVULGAÇÃO

eleitor tenha assegurado o direito ao transporte público durante o pleito.

A

Procuradoria Regional Eleitoral no Amapá (PRE/AP) recomendou ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setap), à Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac) e ao Prefeito de Santana, Antônio Nogueira, garantir a circulação de transporte coletivo no dia das eleições. O objetivo da PRE/AP é permitir que o

Horários As recomendações emitidas na quinta-feira (27) e na sexta-feira (28), ressaltam que os veículos devem realizar o transporte das 5h da manhã às 7h da noite de 7 de outubro. O número de coletivos deve ser igual ao dos dias úteis. As empresas devem proporcionar ao eleitor condições necessárias para o pleno exercício da cidadania, em especial no dia de escolha dos representantes políticos. Reclamações Nos documentos, a instituição destaca que em 2010 recebeu inúmeras reclamações de falta de ônibus para transporte de eleitores durante o pleito. Para evitar transtorno semelhante, antecipadamente, emite a orientação. Se-

Objetivo da PRE/AP é permitir que o eleitor tenha assegurado o direito ao transporte público durante o pleito

tap, CTMac e Prefeitura de Santana devem dar ampla publicidade sobre o serviço extraordinário a ser rea-

lizado neste dia. A PRE/AP adverte que candidatos e órgãos partidários são proibidos de

As eleições e o direito à cidade

A

cidade é “a tentativa mais consistente do homem e a mais bem sucedida como um todo para refazer o mundo em que vive o mais próximo de seu desejo íntimo. Mas, se a cidade é o mundo que o homem criou, é o mundo no qual ele está doravante condenado a viver. Assim, indiretamente, e sem qualquer clareza da natureza de sua tarefa, fazendo a cidade o homem refez a si mesmo.” (Robert Park)

Este texto foi escrito por um dos criadores da Ciência da Cidade nos anos 1920. Serve como ponto de partida para a questão: qual eleição destas e das próximas eleições municipais? Parece uma pergunta banal. Claro, estamos diante da tarefa que se repete a cada quatro anos de escolher pessoas para os cargos de prefeitos e vereadores com base em nossa simpatia para com elas e em nossas crenças

de que suas promessas possam melhorar nossa vida na cidade. Mas creio que está em jogo algo maior, relacionado à crescente importância da cidade para nossas vidas, no presente e no futu ro. Como consumidores, as promessas de satisfação pela compra do automóvel dos sonhos são bloqueadas pelo mal-estar dos engarrafamentos. Apesar de abastecidos por eletrodomésticos e suas

Calendário eleitoral 4 de outubro Último dia da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão e para promoção de comícios. É data final também para realização de debate no rádio e na televisão. 5 de outubro Último dia para a divulgação paga de propaganda eleitoral na imprensa escrita e a reprodução na Internet. 6 de outubro Último dia para a propaganda eleitoral feita por alto-falantes ou amplificadores de som. Candidatos têm até as 22 horas para distribuir material gráfico, fazer cami-

nhadas, carreatas, passeatas ou usar carros de som para divulgar jingles. 7 de outubro Dia de votar do primeiro, das 8h às 17h. 8 de outubro A partir desse dia, decorridas 24 horas do fim da votação, já é permitido fazer propaganda eleitoral para o segundo turno (por alto-falantes ou amplificadores de som, comício, promoção de carreata e distribuição de material de propaganda). 13 de outubro Recomeça a propaganda eleitoral gratuita em rádio e televisão.

promessas de conforto habitacional, muitos vivem em moradias precárias e em bairros destituídos de equipamentos e serviços. Colocamos todas as crianças nas escolas, mas temos um crescente contingente de jovens e adultos analfabetos funcionais. São fragmentos de um confronto presente no País. As promessas de bem-estar, igualdade e inclusão promovidas por uma nova dinâmica eco-

transportar eleitores. Portanto, infringir a lei é crime. Caso seja constatada a prática, quem fornece o

transporte pode ser punido com pena de 4 a 6 anos de prisão e pagamento de multa.

nômica que gera crescimento, emprego, renda e consumo se opõem ao mal-estar, presentes nas desigualdades geradas por cidades improvisadas, excludentes, insustentáveis, onde vive mais de 80% da população. As utopias sociais e políticas surgiram a partir da vivência em cidades. Como escreveu Raymond Willians, “de uma vivência das cidades nasceu uma vivência de futuro”. O direito à cidade é o conjunto de dispositivos e práticas legais, urbanísticos, políticos, sociais e de governo que deve garantir a todos a qualidade de vida que lhes dá capacidade individual e coletiva de construírem vida qualificada no presente e no futuro. Esse direito é reconhecido na Constituição - o artigo 182 determina que “a política de desenvolvimento urbano, executada pelo Poder Público municipal, (...) tem por objetivo ordenar o pleno desenvolvimento das funções sociais da cidade e garantir o bem-estar de seus habitantes”. Esse e outros dispositivos no Estatuto da Cidade expressam a utopia de uma cidade dos direitos como instrumento para a realização e aperfeiçoamento da humanidade. No entanto, nossas cidades não estão organizadas nem são governadas com base nessa concepção. Prevalece o tratamento da cidade como negócios individuais. Como negócios comerciais, nas formas de acumulação privada de riquezas com a especulação

imobiliária, exploração dos serviços de transportes, construção de obras públicas de utilidade coletiva duvidosa, enfim, por um variado conjunto de negócios urbanos, hoje ativados com a “disneylização” da cidade como máquina do mercado do divertimento. Como negócios políticos, pela transformação das necessidades dos habitantes em combustível das máquinas eleitorais. Como negócios ilegais e criminosos através da apropriação dos recursos da cidade por máquinas de enriquecimento privado fundado na macro e na microcorrupção da função pública. O que está em jogo nas eleições é que projetos de cidade estão sendo oferecidos por candidatos e partidos. Em que medida as inúmeras promessas, avenças e desavenças expressam o drama de uma sociedade urbana despreparada para enfrentar os desafios e as oportunidades atuais? Sim, drama, pois na sociedade urbana a qualidade da vida individual depende da qualificação da cidade como meio coletivo. A cidade deve ser pensada como riqueza social, coletivamente produzida e acessível. Ao mesmo tempo, será pela vida urbana que a sociedade construirá indivíduos qualificados para realizar as utopias de um mundo melhor. Uma humanidade aperfeiçoada porque composta de indivíduos emancipados, tolerantes e solidários. Fundamentos intrínsecos à condição humana. (Por Luiz Cesar de Queiroz Ribeir, professor titular da UFRJ)

25 de outubro Último dia para propaganda política em reuniões públicas ou para realizar comícios. 26 de outubro Último dia da propaganda eleitoral do segundo turno em rádio e televisão. Data final para realização de debate, que deve terminar até meia-noite. 27 de outubro Último dia para fazer propaganda eleitoral por alto-falantes ou amplificadores de som, e para distribuir material gráfico, fazer caminhada, passeata e usar carro de som para divulgar jingles. 28 de outubro Dia de votar para prefeitos em cidades onde há segundo turno, das 8h às 17h

Jornal do Dia 01/10/2012  

Jornal do Dia 01/10/2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you