Issuu on Google+

INOVAÇÃO

AMAPAZÃO

Ford apresenta a Ranger Flex

São José e Santos querem a vitória

As duas equipes precisam vencer, para manter chances de decidir o returno. nA6

Modelo 2013 fortalece o luxo e conforto de um grande carro. nD3

NOSSA GENTE O que há de melhor para você Odete Lima faz sucesso com projeto de reeducação alimentar

Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

Macapá-AP, Domingo e Segunda, 29 e 30 de Julho de 2012 - Ano XXV

Domingo e Segunda R$ 3,50 Terça a Sábado R$ 1,50

PACTO FEDERATIVO

Congresso tem prazo para definir as novas regras de distribuição do FPE O Amapá vai acompanhar com interesse uma das discussões mais importantes do Congresso Nacional, no segundo semestre. A revisão do Pacto Federativo vai definir como a

União vai distribuir, entre os Estados brasileiros e o Distrito Federal, recursos que chegam a R$ 50 bilhões, referentes ao Fundo de Participação dos Estados (FPE). nA4

GASTOS

Veículos da União custaram R$ 1,6 bilhão aos cofres públicos em 2011 nB1

Congresso Nacional tem até o final do ano para definir as novas regras para distribuição do FPE

A VER NAVIOS

Tumulto marca o último dia de viagem para o Festival do Camarão nB1

FESTA DA ACIA

Governador defende diálogo entre GEA e empresariado O governador Camilo Capiberibe participou do evento que festejou os 67 anos da Associação Comercial e Indus-

trial do Amapá. Ele destacou a importância do comércio e prometeu continuar diálogo com empresários. nB1

SECOM/GEA

Barcos sairam com lotação completa, no sábado, e muitas pessoas reclamaram de não ter conseguido viajar, mesmo com passagens compradas

SEGURANÇA

Projeto obriga uso de coletes salva-vidas em viagens fluviais O projeto de Lei 3.925/12 torna obrigatório o uso de coletes salva-vidas em embarcações abertas na navegação fluvial. Somente na

Amazônia mais de 14 milhões de passageiros usam os rios como meio de transporte, segundo estudo feito pela UFPA. nB4

AVIAÇÃO

Gaviões vão afastar pássaros que ameaçam operações de aeronaves nB4 COLUNA ESPLANADA

Em sua coluna, jornalista Leandro Mazzini diz que o senador Randolfe Rodrigues pode ser candidato à Presidência da República, em 2014, pelo PSOL. nA5

Governador Camilo com primeira-dama Cláudia, ao lado de empresários amapaenses

HISTÓRICO

Sarah Menezes ganha o 1º ouro olímpico para o Brasil A judoca piauiense Sarah Menezes venceu a romena Alina Dumitru na final da categoria até 48 kg e assegurou uma conquista inédita para o judô feminino do Brasil em

Jogos Olímpicos. A conquista coloca Sarah como a atleta com os melhores resultados da história do judô feminino. nA7

PROFISSÕES

Salário de admissão sobe para R$ 1.002 nE1

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


JD

Opinião

A2

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

A reeleição RODOLFO JUAREZ

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

O

instituto da reeleição para os cargos executivos – Presidente da República, Governadores de Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos -, que fora rejeitado pelos deputados constituintes da Assembléia Nacional Constituinte que escreveu, votou, aprovou e promulgou a Constituição Federal de 1988, foi alvo de muitas críticas, principalmente por parte das lideranças dos Partidos Políticos que argumentavam os prejuízos que a sociedade assumiria nos casos em que o presidente, ou o governador ou o prefeito atual, estavam fazendo uma administração que aprovada pela maioria da sociedade e a troca tinha grandes chances de se transformar em prejuízo social. A alegação de que se estava ante uma constituição democrática, com forte viés social, mas que trazia incutido o autoritarismo, quando não permitia que os mandatários dos setores executivos da Administração Pública não podiam nem pleitear a reeleição e terminar as suas obras,

deixando para o sucessor, na maioria das vezes, adversários, o resultado de todo o trabalho realizado durante a administração do País, do Estado ou do Município. O equilíbrio financeiro era tema de discursos inflamados dentro do próprio Parlamento, logo depois do encerramento do mandato dos deputados constituintes e a posse dos novos deputados e senadores no começo de 1991. As dificuldades anteriores, mas recentes, como a “explosão da inflação” e a “crise do emprego” ainda estavam presentes no dia-a-dia da maioria dos brasileiros que queriam a estabilidade anunciadas pelo Governo Federal e meta dos governos estaduais e municipais, pois ainda estavam impactados pelos planos econômicos que não davam certo. Os principais argumentos – equilíbrio econômico-financeiro e curto espaço de tempo no comando do país, dos estados e dos municípios – induziram o povo brasileiro a pedir que fosse quebrada a Ordem Constitucional que proibia

a reeleição para aqueles cargos. Em 4 de junho de 1997, as Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, presididas respectivamente, pelo então deputado Michel Temer e pelo então senador Antônio Carlos Magalhães, promulgaram a Emenda Constitucional n. 16, dando nova redação ao § 5º do art. 14, ao caput do art. 28, ao inciso II do art. 29, ao caput do art. 77 e ao art. 82, todos da Constituição Federal. O § 5º do art. 14, em decorrência da Emenda Constitucional nº 16, passou a ter a seguinte redação: “O Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal, os Prefeitos e quem os houver sucedido ou substituído no curso dos mandatos poderão ser reeleitos para um único período subsequente”. Desde as Eleições Nacionais e Regionais de 1988, com a nova Ordem Constitucional, os que, naquele momento, ocupavam os cargos de Presidente, de Governador ou de Prefeito, ganharam o direito de

disputar a reeleição sem deixar o cargo, mas os princípios que foram determinantes para que fosse feita a Emenda à Constituição Federal não se alteravam. Então, nas Eleições Municipais de 2012, um prefeito, que esteja no seu primeiro mandato, pode pleitear a reeleição, mas deve cultivar a lembrança do eleitor para que analise a questão da continuidade fundamentada no equilíbrio econômico-financeiro do Município e no espaço de tempo que o gestor teve para completar as obras ou serviço que foram iniciados e que poderiam acarretar prejuízos se ficassem sob nova orientação executiva. O caso de Macapá é emblemático e pode ser, perfeitamente aferido pela população, considerando todos os dados que estão disponíveis e que sirvam para a avaliação que precisa ser feita. Se o eleitor chagar à conclusão diversa é importante que reflita, busque outras justificativas e se não as encontrar, propor a substituição se valendo apenas do voto.

Perdi. E agora? MARLETH SILVA Colunista

A

lgo bom entra na sua vida, fica por alguns dias, meses ou anos. Torna-se parte da paisagem, talvez a parte mais bonita e reconfortante. Então vai embora porque é hora de ir ou porque foi engolido por um acidente qualquer, um buraco negro. Transforma-se em perda. Perdi algo bom. Quando se é criança, a perda provoca uma reação mais ou menos violenta: choro, grito, agressividade. Criança pequena, punhos fechados, dando soquinhos no pai ou na mãe que a afasta da brincadeira – quem não viu essa cena? Com o tempo, aprendemos que as perdas devem ser vividas em silêncio. Quanto mais importantes, mais nos puxam para dentro, para o silêncio doloroso da conformidade. Sim, há adultos que mantêm a prepotência infantil e, diante de uma perda, são capazes de usar violência. O amante que mata quem o rejeitou, por exemplo. Convenhamos que não é uma forma saudável de lidar com perdas. Adultos carregam as per-

das como feridas mais ou menos cicatrizadas. Como hematomas, talvez. Manchas dolorosas que preferimos esquecer que temos. Olho as pessoas na rua e imagino que levam suas perdas como pequenos mistérios que devem ficar ocultos sob o risco de impedi-las de caminhar. Um amigo, pessoa extremamente desapegada, diz que só lamenta uma perda: o relógio que herdou do pai. A única herança – afora as lembranças, que estas ele não perdeu. A perda dos próprios pais já não pode lamentar, ficou muito longe no tempo e ele sabe que era inevitável. Perderemos todos uns aos outros porque a morte nos levará. Pensamento horrível, é verdade. Passamos a vida aprendendo a aceitar essa verdade. Uns aprendem melhor, outros não aprendem. Tanto faz. Não tem como escapar. Dependendo de quem você é, de quem você consegue ser, se definirá a forma de lidar com a grande perda. As pequenas perdas também doem, mas com o passar do tempo podem ser encaradas com bom humor, com um resto de me-

CONSELHO EDITORIAL Presidente: Aldenor Benjamim dos Santos

Secretário Executivo: Marcelo Ignacio da Roza

Conselheiros: Carlos Augusto Tork de Oliveira

José Arcângelo Pinto Pereira

Danieli Amanajás Scapin

Luiz Alberto Pinto Pereira

Janderson Carlos Nogueira Cantanhede

Maria Inerine Pinto Pereira

O

As festas de julho

mês de julho vai chegando ao fim e alguns fatos relacionados a ele merecem reflexão. Em especial, os fatos relacionados a três festas tradicionais da temporada. Duas delas no Amapá e uma no Pará, mas que tem muito apelo entre os amapaenses. Em relação ao Macapá Verão foi evidente o esvaziamento da festa neste ano de 2012. A começar pela data de início da programação, já com o mês de julho indo pela metade. Faltou planejamento para o evento, um dos mais importantes na agenda cultural de Macapá, e, portanto, de todo o Amapá, visto que a capital concentra mais de 60% de toda a população do Estado. Se é fato que os eventos culturais provocam um impacto positivo nas atividades econômicas, como sempre alardeiam os seus promotores e como confirmam especialistas no assunto, é fundamental que as os mesmos sejam tratados com as melhores técnicas de planejamento. Dificilmente uma programação feita na base do improviso conseguirá trazer os resultados desejados por quem as organiza e pela comunidade como um todo. Em especial, dificilmente trará os resultados econômicos esperados. O investimento público em eventos dessa natureza precisa ser traduzido na maior gama possível de benefícios para a comunidade, do contrário caracterizará um indesculpável desperdício de recursos escassos e tão necessários em outras áreas sociais. Outra festa relevante para o Amapá é a de São Tiago. Infelizmente, a polêmica em torno da criação do feriado estadual,

proposto pela deputada estadual Marília Góes, aprovado peloLegislativo, vetado pelo Executivo, promulgado pelo presidente do Legislativo e questionado no STF pelo governador, envolveu a festa numa estéril discussão político partidária. A festa de São Tiago precisa ser avaliada sob um prisma mais elevado. Ela tem potencial para se tornar um grande atrativo turístico amapaense, e, portanto, para gerar impactos positivos na economia local. Isso pela natureza popular de sua manifestação cultural, pela associação com um fato histórico instigante (a transferência da cidade de Mazagão do norte da África para a Amazônia) e por seu apelo religioso. Que outros eventos do Estado tem tamanho potencial? Poucos certamente. Para que esse potencial se realize, porém, a discussão de um projeto para a Festa de São Tiago deve ser travada em nível mais elevado do que o das futricas politiqueiras. O Amapá deve unir seus esforços para engrandecer esta festa singular, e não permitir que interesses menores dispersem esses esforços. Por último, vale mencionar o Festival do Camarão. Parece, à primeira vista, uma festa inviável. A começar pelo difícil acesso à cidade de Afuá, feito necessariamente por via fluvial. Cidade que carece de estrutura para receber tanta gente. Feste cujo apelo principal, o camarão, nem é tão abundante como deveria ser. Na verdade, é bem escasso. Mas apesar de todos esses aparentes obstáculos intransponíveis, é um grande sucesso de público, grande gerador de renda para aquela região. Isso dá o que pensar, não?

Hora-Hora

lancolia. “Aceite, austero, a chave perdida, a hora gasta bestamente. A arte de perder não é nenhum mistério”, diz o poema de Elisabeth Bishop. Note que Bishop fala da convivência com as perdas como uma arte. “Perdi o relógio de mamãe. Ah! E nem quero lembrar a perda de três casas excelentes. Perdi duas cidades lindas. E um império que era meu, dois rios, e

mais um continente. Tenho saudade deles.” Por trás do tom leve do poema, a poeta abriga o conformismo forçado: “Mesmo perder você (a voz, o riso etéreo que eu amo) não muda nada.” Veja, se ela ama aquela voz, aquele riso, não tê-los por perto é doloroso. O que fazer, então? Para ser capaz de tocar a vida, ela aceita a perda, não luta contra ela. Neste caso, aceitar é libertar-se.

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994) Diretor Executivo: Marcelo Ignacio da Roza Diretora Corporativa: Lúcia Thereza Pereira Ghammachi Assessoria Jurídica e Tributária: Américo Diniz (OAB/AP 194) Eduardo Tavares (OAB/AP 27421) Editor-Chefe: Janderson Carlos Nogueira Cantanhede Gerente Comercial: Andrew Gustavo Cavalcante dos Santos

Editorial

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br josemaria@jdia.com.br mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representantes comerciais JC Repres. Com. Ltda. - Brasília, DF n Tel. (61) 2262-7469 - Rio de Janeiro, RJ nº Tel. (21) 2223-7551, São Paulo New Mídia - Belém-PA (Gil Montalverne) Tel.: (91) 3279-3911 / 8191-2217 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

Coletiva - Nesta segunda-feira, 30, a Delegacia Geral de Polícia Civil dará entrevista coletiva à imprensa, parasobre o caso da universitária, de origem indígena, desaparecida em Macapá há de duas semanas. Responsáveis - O caso estava sob responsabilidade da Delegacia Especializada de Crimes Contra a Mulher, sob coordenação das delegadas Sandra Dantas e Elza Nogueira. Além da Polícia Civil, funcionários da Funasa e agentes da Polícia Federal trabalharam juntos. Pista - Embora ainda não haja informações sobre o teor do que será divulgado, um termo usado no convite para a coletiva, distribuído pela Assessoria de Comunicação da Polícia Civil, já dá uma pista. O assunto é tratado, no convite, como “suposto crime”. Acia - Governador Camilo Capiberibe participou do jantar comemorativo, pela passagem dos 67 anos de fundação da Acia, realizado na sexta-feira à noite. O senador Randolfe Rodri-

gues também participou do evento. Os dois transitaram bem entre os demais convidados do evento. Renovação - Camilo e Randolfe são dois expoentes da nova geração de políticos amapaenses, que chegaram ainda muito jovens a posições culminantes em suas carreiras políticas. Posições que muitos levam anos para alcançar e que outros, mesmo com grande batalha, nunca alcançam. Experiência – Ambos, Camilo e Randolfe, têm todo o tempo do mundo para desenvolver suas carreiras, aliando à juventude, a experiência, quesito fundamental para o sucesso na vida pública. Conquistas – A conquista da primeira medalha de ouro do Brasil, em Londres, no judô feminino e logo no início da competição, vai aumentar o interesse dos brasileiros pelos Jogos Olímpicos. E, em consequência,conquista de mais audiência para a Rede Record, aumentando o desespero Global.

Índice Opinião - A2, A3 Especial - A4, A5 Geral - A6 Sociedade - A8 Dia Dia - B1, B3, B4 Polícia - B2 Classidia - 12 Pag.

Esportes - C1, C2 Atualidades - C3 Diversão&Cultura - C4 Carro e Moto - D1, D2, D3 Social Click JD - D4 Economia - E1, E2, E3, E4

Edição número 7966


JD

Geral A eficácia da Lei de Responsabilidade Fiscal CHARLES CHELALA

Economista esta coluna vou compartilhar o artigo de Guilherme Dias e José Roberto Afonso: “A Real Responsabilidade”, publicado no Correio Brasiliense de 07 de julho deste ano. Boa leitura! A tradição brasileira indica que há leis que “pegam” e outras que não. Quando aprovada em 2000, com votação suficiente para validar emenda constitucional, muitos duvidavam da eficácia da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Outros tentaram derrubá-la na Justiça e depois se arrependeram, ainda que a antiga ação continue tramitando no STF (Supremo Tribunal Federal). O tempo se encarregou de mostrar que o balanço é positivo, apesar de algumas dificuldades e lacunas. Antes, todo o esforço fiscal dependia exclusivamente do Executivo. Após a lei, os demais poderes e órgãos incorporaram parâmetros e limites de gastos, cooperando para o equilíbrio fiscal. Ao contrário do prognóstico de alguns, a lei não trouxe inflexibilidade para os gestores públicos. Estados e Municípios, que são os entes para os quais os princípios da lei foram aplicados de forma mais completa e abrangente, respondem por 70% do investimento público (2010), apesar de se apropriarem de pouco mais de 40% da receita tributária do país. A fixação de metas fiscais não impede ajustamentos em virtude de mudanças nos humores da economia. Há cláusulas e mecanismos de correção, em caso de descumprimento dos limites de gastos. A lei

N

inova ao privilegiar a prudência e mecanismos de correção de rota, mas estabelece sanções amplas e duras, tanto institucionais quanto para os gestores. Aumentou significativamente a transparência das contas públicas. A lei estipulou parâmetros de desempenho fiscal que são publicados periodicamente, permitindo ações corretivas antes mesmo de encerrado o exercício fiscal. Os balanços anuais de milhares de unidades de governo são consolidados em poucos meses. Os relatórios periódicos, alguns bimestrais, permitem uma avaliação sistemática e atualizada das contas, tarefa desafiadora para uma Federação e, ainda mais, com a diversidade e tamanho do Brasil. O maior detalhamento das contas tem permitido avaliar melhor os indicadores fiscais, chamando a atenção um comportamento discrepante entre as esferas de governo, oposto ao que ocorria antes da lei. O desempenho de estados e municípios foi amplamente favorável se comparado ao da União, apesar desta se valer de maior espaço para aumentar a carga tributária, principalmente por meio das contribuições não compartilhadas. Isso sem contar que a dívida federal segue até hoje imune a qualquer limite porque as lideranças do governo não deixam votar os projetos que fixam tetos, apesar das várias válvulas de escape em casos de eventual crise. A gestão fiscal responsável também enfrenta algumas dificuldades. Como também tem sido evitada a implantação do Conselho de Gestão

Fiscal, a contabilidade criativa tem corrido solta. Alguns governos regionais conseguem se enquadrar de forma artificial, o que não resiste muito à falta de efetiva disponibilidade financeira. Mais curioso é o que se passa na esfera nacional. Quando apresentado o projeto da LRF, a oposição criticou duramente, alegando que, por trás de tantas novas regras e conceitos, só importava a intenção de se aumentar o superávit primário para pagar a dívida pública. Passou o tempo, mudou o governo e se começou a inovar em práticas fiscais, com a crescente assunção de dívida mobiliária, por vezes travestidas de operações compromissadas, para conceder empréstimos que depois são transformados em receitas fiscais, na forma de ações, ativos, dividendos e tributos. Parece que não há limite para se manobrar contas de forma a se alegar ter sido entregue o superávit primário e reduzida a dívida líquida, ainda que às custas do aumento da dívida bruta. A real responsabilidade fiscal não é uma pirâmide que se constrói e fica intacta para o resto da vida. A lei vem reclamando ajustes, para tornar mais consistente a austeridade nela contemplada. É premente a aprovação da nova lei geral dos orçamentos, para padronizar instrumentos e para moralizar seus processos. A prática reclama mais coerência nas medidas fiscais diante dos princípios de disciplina. O desafio de estruturar o crescimento em bases sustentáveis requer uma nova agenda para aprimorar o regime fiscal brasileiro.

É tudo brinde da casa

DOM PEDRO JOSÉ CONTI

U

Bispo de Macapá

m homem andava muito preocupado com o sentido da vida. Tinha muitas dúvidas e muitos questionamentos. Sempre ficava se perguntando como seria o dia do Julgamento Final. Certa noite, sonhou que havia morrido e estava bem na frente da grande porta do Céu. Bateu e um anjo veio abri-la. Sorrindo, fê-lo entrar na sala de espera do Paraíso e depois desapareceu. O ambiente lhe pareceu muito severo, tinha o aspecto de uma sala de tribunal. O homem ficou esperando que viesse alguém e, cada vez mais, sentia o medo crescer dentro dele. Depois de algum tempo, o anjo voltou e lhe entregou uma folha onde, bem em cima, estava escrito: DÍVIDA. O homem começou a ler: “Pela luz do sol e o farfalhar das folhas; pela neve, a chuva e o vento; Pelo ar respirado, a lu z das estrelas, as tardes e as noites...” A lista era muito extensa, nunca chegava ao fim. “... pelo olhar dos jovens, o sorriso das crianças; pelas mãos e os pés, pela areia das praias, pela ternura e as carícias; pelas verdes matas, as frutas, os peixes no rio; pela primeira palavra do seu filho; pelas ondas do mar, as fontes de água cristalina...” O homem continuava a ler e a preocupação aumentava. Qual podia ser o total daquela dívida? Como e de que jeito poderia pagar tudo o que tinha recebido em vida? O coração dele começava a ficar descontrolado quando, de repente, entrou Deus. Ba-

teu no ombro dele e, rindo, disse-lhe: - “É tudo brinde da casa até o fim dos tempos. Adorei lhe dar tudo isso, viu?”. No evangelho da multiplicação dos pães e dos peixes sempre me chamaram atenção as sobras. Tudo foi repartido com fartura, mas nada podia ser desperdiçado. A comida, o pão neste caso, representa o necessário para a vida. Não é um luxo, é questão de sobrevivência. A fome deve ser satisfeita plenamente para a alegria de todos; ninguém deve ser excluído do banquete da vida. Jogar fora as sobras é sinal de desprezo com a própria comida, mas sobretudo com aqueles que, todo dia, passam necessidade. Os pesquisadores dizem que no mundo inteiro muita comida vai para o lixo. Esta comida seria suficiente, e talvez sobraria, para resolver definitivamente a fome no mundo. Por que o necessário para alguns vira imundície para outros? Seria bom buscarmos respostas dentro, na nossa consciência; e fora, na organização da nossa sociedade, onde o consumo desenfreado e a ganância sem limites levam à busca do supérfluo e ao desprezo do necessário. Se continuarmos desse jeito, crescerão cada vez mais as montanhas de lixo e se alongarão as filas dos desempregados e famintos. Podemos chamar tudo isso de falta de justiça e de solidariedade. Com certeza não é culpa de Deus. Também quem não acredita nele deve reconhecer a far-

tura que a natureza nos oferece. Terra – para trabalhar - água, luz e ar não faltam. Se começam a faltar é por causa do mau uso que fazemos. Além da fartura, na página do evangelho deste domingo, devemos admirar também a gratuidade. Tudo é dom: os cinco pães e os dois peixes do menino e a quantidade distribuída para a felicidade de todos. As duzentas moedas de prata foram lembradas somente para envergonhar quem tudo contabiliza e de tudo quer tirar proveito. Jesus, ao contrário, sentiu compaixão; quis saciar a fome daquele povo como sinal da providência generosa do Pai, mas também para despertar neles a alegria da partilha e da fraternidade. Se o Pai não mede o seu amor, deu-nos a vida, o universo e até o seu próprio Filho de presente, por que nós não deveríamos também ser generosos, capazes de partilhar os bens e de promover a vida? Deus não ficou mais pobre por ter nos doad o tanto. Quem doa por amor não perde, ao contrário, ganha. Quem doa vida ganha sentido na própria vida. Por que temos tanto medo de abrir as nossas mãos e o nosso coração? Quantas vezes queremos tudo, ou muito, para nós, e para os outros ficam somente as sobras! Somos eternos devedores dos bens que recebemos com tanta fartura. Por que não acertar a nossa conta doando também? Seriamos mais felizes, alegres como Deus, afinal.

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

A3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Camilo diz confiar no comércio amapaense e defende diálogo com empresariado Declarações do governador foram feitas durante evento comemorativo aos 67 anos de criação da Acia

Governador Camilo Capiberibe aproveita aniversário da Acia para mostrar a confiança no mercado local

N

a comemoração dos 67 anos da Associação Comercial e Industrial do Amapá (Acia), o governador Camilo Capiberibe reafirmou a confiança que tem no comércio amapaense e disse que o governo do Estado vai continuar dialogando com empreendedores de todos os portes. O jantar aconteceu na última sexta-feira, 27, e contou com a presença de empresários, autoridades e representantes de entidades que prestam serviços sociais e solidários no Amapá. Com uma história que inicia dois anos após a criação do Território Federal do Amapá, a Acia é a mais antiga organização da sociedade amapaense. Ela tem papel importante na consolidação da iniciativa privada e deu origem a outras entidades que representam o comércio por setores, como a Câmara de Dirigentes Lojistas do Amapá (CDL) e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Amapá (Fecomércio). Atualmente, os associados comemoram a construção da Torre da Acia, na esquina da rua General Rondom com Avenida Fab, que vai substituir a antiga e histórica sede,cujo modelo era influenciado pelas

construções da Icomi. Os representantes da Aciase orgulham de contribuir com iniciativas de cunho social, o que levou a concessão de título de Honra ao Mérito aos representantes do Instituto Joel Magalhães (Ijoma), cuja inauguração está prevista para o início de agosto e que dará apoio a pessoas vítimas de câncer e familiares, e do Projeto Resgate, que trabalha a ressocialização de moradores de rua e usuários contínuos de álcool e drogas. Além do padre Paulo Roberto e Pedro Moura, do Ijoma e Resgate, receberam homenagens o senhor Bernardino Sena, o mais antigo membro da Acia, com 45 anos atuando no comércio, e outros cinco empresários amapaenses, entre eles Oataciano Junior, vice-presidente da Acia. O presidente da entidade, Ricardo Souza, ressaltou a importância da Aciano desenvolvimento econômico e social do Amapá e agradeceu a iniciativa do governador Camilo Capiberibe de dialogar com a categoria. O representante do Conselho Superior da Associação, Jurandil Juarez, reforçou o valor da entidade, informando que, o comércio, junto com o Poder

Público, representa mais de 90% da riqueza gerada no Amapá. O governador Camilo Capiberibe confirmou a informação do economista Juarez dizendo que o comércio impulsiona o desenvolvimento, gera emprego e renda, assim como o governo estadual. O governador pregou a união para a evolução do Amapá e disse que o diálogo estará sempre aberto. “O governo conversa com pequenos, médios e grandes empresários. A Agência de Fomento contribui e melhora as condições dos pequenos, os médios e grandes têm a possibilidade de progredir com os incentivos oferecidos pelo governo, dentro de nossas condições”, disse. Ele afirmou que o crescimento passa pelo diálogo e que está disposto a ouvir todos os setores do comércio. “Vamos ajustar as decisões do governo às necessidades do comércio. Temos que dar a resposta positiva às expectativas que estamos gerando, para isso, é preciso que cada um faça sua parte, Poderes, comércio e sociedade”, concluiu o governador.(Com informações da Agência Amapá)

Governador Camilo e primeira-dama Claudia Capiberibe, ao lado de representes do empresariado amapaense


JD

Especial

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

A4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Congresso deve decidir, até dezembro, como distribuir R$ 50 bi entre estados Prazo foi definido pelo STF, ao considerar inconstitucionais os atuais critérios para a partilha do FPE

U

m contencioso de quase R$ 50 bilhões, em que estão envolvidos os estados e o Distrito Federal, terá de ser decidido pelo Senado e pela Câmara dos Deputados até o fim deste ano. O prazo foi estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal ao considerar inconstitucionais as atuais regras de distribuição do Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE), previstas na Lei Complementar 62/1989. Sem critérios previamente definidos, a União não terá como distribuir esses recursos a partir de janeiro de 2013. Correndo contra o tempo, as comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) planejam uma série de audiências públicas neste segundo semestre para discutir o assunto. O presidente da CCJ, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), informa que as discussões ocorrerão paralelamente às eleições municipais, em que todos os parlamentares estarão direta ou indiretamente envolvidos. Segundo o presidente da CAE, senador Delcídio Amaral (PT-MS), serão convidados para as audiências públicas secretários de Fazenda dos estados – um representando cada região – e o secretário executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa. A fim de agilizar a discussão, as audiências poderão ser realizadas em conjunto com a Câmara, ao longo dos esforços concentrados para votação de matérias, como afirmou Delcídio Amaral. O objetivo é produzir um substitutivo a todos os projetos em tramitação, que teria preferência para votação nas comissões e no Plenário do Senado e da Câmara. Na reunião de março do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), realizada em Cuiabá, os secretários de fazenda dos estados e do DF se mostraram insatisfeitos com as atuais regras do FPE, de acordo com o site Olhar Direto. E decidiram lutar no Congresso Nacional por “uma transição gradual nos critérios de distribuição”. A ideia, segundo o site, é

“neutralizar as perdas de receitas e ampliar a base de partilha dos recursos”. Os estados estão preocupados com a possibilidade de o Supremo vir a legislar de forma unilateral sobre o assunto. Critérios No Senado e na Câmara tramitam várias propostas, a maioria consagrando o critério distributivo do FPE, pelo qual estados com rendas per capita mais baixas são contemplados com fatias maiores de recursos. Hoje, 85% do montante do FPE vão para os estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e 15%, para os estados das regiões Sudeste e Sul. Algumas propostas, como a do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) – PLS 744/2011 –, introduziram critérios diferentes. Para Crivella, a participação de cada estado e do Distrito Federal no FPE observará inicialmente a diretriz devolutiva. Como o FPE é composto de 21,5% do montante arrecadado do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), o senador propôs que se fizesse inicialmente a devolução aos estados que geraram essa arrecadação tributária o montante ali obtido pela União com IR e IPI. O que sobrasse seguiria a partilha distributiva – inversamente proporcional à renda per capita anual de cada ente federativo. Esse critério recebeu parecer pela rejeição da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), sob o argumento de que contraria o objetivo da partilha, estabelecido na Constituição, de promover o equilíbrio socioeconômico entre os estados. Para os senadores da CDR, após a devolução, nada sobraria para a partilha distributiva. Conservação Outra inovação, proposta pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e pelos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Romero Jucá (PMDB-RR), Valdir Raupp (PMDB-RO) e Jorge Viana (PT-AC) é a reserva de parte dos repasses do FPE para estados que

abriguem unidades de conservação da natureza ou terras indígenas demarcadas. Detalhando o caráter distributivo – comum à maioria dos projetos –, ambas as propostas prevêem o uso de indicadores sociais para o repasse. Além de consagrar a utilização da renda per capita calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), essas propostas incluem indicadores como o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e o coeficiente de

atendimento domiciliar de água tratada e esgoto. A idéia é fazer a distribuição pelo inverso dos indicadores: estados com números ruins receberiam proporcionalmente maiores quotas do FPE. Educação Já o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) propôs a incorporação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nos critérios de distribuição do FPE. A intenção de Cristovam é destinar aos estados

cujas escolas têm o Ideb mais baixo a maior fatia dos recursos. Como esse indicador mede a qualidade de cada escola, o objetivo é fazer com que o FPE tenha na educação a mesma função de promover o equilíbrio socioeconômico entre os estados. A mescla de critérios é comum às propostas. O projeto do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), prevê a partilha igualitária de um montante e a distribuição do restante com base em indicadores sociais, popula-

ção e tamanho do estado. Além disso, Ferraço quer a criação de um fundo de estabilização para prevenir a oscilação e assegurar a previsibilidade da receita. Outros projetos que disciplinam o rateio do FPE são assinados pelo senador Aloysio Nunes (PSDB-SP, senador João Vicente Claudino (PTB-PI) e do senador Francisco Dornelles (PP-RJ). Estudo da Consultoria Legislativa do Senado mostra o impacto de cada proposta no rateio dos recursos para os estados. (Agêcia Brasil)

Amapá tem grande interesse nas discussões do FPE

O

Amapá viveu, na semana que se encerra, mais uma crise institucional, desta vez envolvendo os Poderes Executivo e Judiciário. O motivo da polêmica foi a redução de 50% no repasse do duodécimo dos Poderes, decidida pelo governador Camilo Capiberibe, que contrariou a Presidência do Tribunal de Justiça. Todo dia 20 de cada mês, o Poder Executivo tem a obrigação constitucional de repassar o duodécimo dos Poderes Legislativo e Judiciário e do Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado, cujos percentuais são definidos na Lei Orçamentária Anual. A principal fonte desse repasse é o Fundo de Participação dos Estados (FPE), que é a principal fonte de receitas orçamentárias do Amapá. Segundo o secretário de Estado do Planejamento, Juliano Del Castilo, a dependência do Estado em relação a essa fonte de receitas chega a 75%.

Por isso, antes que consiga desenvolver sua economia, a fim de ter fontes mais diversificadas de arrecadação, as discussões em torno do FPE interessam muito ao Amapá. O tema está em debate no Congresso Nacional, incorporado às discussões do novo Pacto Federativo, que deve ser aprovado até o final de 2012. O senador Randolfe Rodrigues (PSOL) é autor de uma das propostas incluída nas discussões do Pacto Federativo brasileiro. Sua proposta estabelece novos critérios para distribuição do FPE. Ele explica a proposta: “A média de 85% dos recursos deverá ser encaminhada aos estados do Norte, Nordeste e Centro-oeste. A ideia é preservar o princípio do Artigo 161 da Constituição Federal que é garantir o equilíbrio socioeconômico dos entes federados”, explica. Em entrevista à imprensa, Randolfe explica que os

dados que usou para estabelecer a variável de cada Estado no recebimento de recursos do FPE se baseiam em pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e em um trabalho técnico conduzido pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), órgão que tem a participação dos secretários de Fazenda de cada Estado. A proposta reforça o repasse aos estados com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e aos que detêm maiores unidades de conservação ambiental e maior carência em cobertura de saneamento básico. “Adotamos a posição que é aceita pela maioria dos estados, ou seja, são estabelecidos critérios de custo, social e econômico. A única variável que acrescentamos é o critério de saneamento básico e ambiental. Essa proposta reflete a vontade da maioria dos entes da federação, ou seja, 15 dos 26 estados”.

Senador Randolfe (PSOL) é autor de uma das propostas incluída nas discussões do Pacto Federativo brasileiro


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Indústria demonstra otimismo com anúncio de cortes de encargos no setor elétrico

A

s declarações do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, de que o governo pretende renovar as concessões do setor elétrico e eliminar encargos setoriais foram recebidas com otimismo pelo setor industrial. Segundo o ministro, as medidas podem resultar em uma diminuição de 10% no preço da energia elétrica do país Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a notícia da redução de encargos coincide com a posição defendida pelo setor privado de correção das distorções do crescimento do preço da energia que ocorreu nos últimos anos, principalmente por causa do crescimento de encargos e

tributos. O diretor de Políticas e Estratégia da CNI, José Augusto Fernandes, avalia que a eliminação dos encargos é um passo importante para a competitividade do setor. “A questão da competitividade não tem uma solução mágica, exige ações em várias iniciativas, como taxas de juros baixas e melhoria progressiva do real. Com essa medida, vão somando e criando condições para a melhoria dos problemas de competitividade da economia brasileira”. Para Fernandes, o governo deve priorizar a modicidade tarifária na escolha do sistema de renovação das concessões que começam a vencer em 2015. Entre os encargos a se-

rem extintos, Lobão destacou a Conta de Consumo de Combustíveis (CCC), a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), a Reserva Global de Reversão (RGR). Também poderá haver mudanças no Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa). A Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace) considera que as medidas anunciadas pelo ministro são importantes principalmente neste momento de crise global. “As ações também refletem a preocupação do governo federal em estabelecer uma política industrial sólida que beneficia todos

os consumidores”, avaliou o presidente da Abrace, Paulo Pedrosa. Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) considera que o peso da carga tributária brasileira atinge a todos os setores e defende uma revisão geral. “A Fiesp considera a carga tributária brasileira excessiva, tanto para energia como para outros produtos e serviços, e precisa ser revista”, disse a federação, em nota. Sobre a confirmação do ministro de que o governo vai renovar as concessões que começam a vencer em 2015, a entidade pede a realização de novos leilões, que, segundo a Fiesp, poderia derrubar substancialmente o preço da energia.

Valério diz que é falsa a lista que cita Mendes

O

empresário Marcos Valério Fernandes de Souza negou na última sexta-feira, 27, por meio de seu advogado, Marcelo Leonardo, a autoria de documento que relaciona um suposto repasse de R$ 185 mil ao ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte começa a julgar na próxima semana o processo do mensalão, no qual Valério é acusado de ter operado o esquema que, segundo a Procuradoria-Geral da República, foi usado para a compra de apoio político ao governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A defesa do empresário disse ter ficado “perplexa” com o teor do documento, divulgado pela revista Carta Capital. O gabinete de Gilmar Mendes informou que ele “vai entrar com as medidas judiciais cabíveis contra a

revista” e que não vai se manifestar sobre “a absurda matéria”. A documentação, encaminhada à Polícia Federal pelo advogado Dino Miraglia Filho, de Belo Horizonte, relaciona supostos repasses de recursos que seriam provenientes de caixa 2 da campanha à reeleição, em 1998, do então governador de Minas e atual deputado federal, Eduardo Azeredo (PSDB). Na lista consta o nome de Gilmar Mendes seguido pela sigla AGU, referência à Advocacia-Geral da União, órgão que chefiou durante o governo Fernando Henrique Car-

doso. O documento de 26 páginas é datado de 28 de março de 1999. No site do STF consta que Gilmar Mendes atuou na AGU entre janeiro de 2000 e junho de 2002. “Essa lista chegou à minha mão e eu achei melhor por precaução protocolizar na Polícia Federal, fazendo um requerimento de perícia. É uma lista autenticada e o original está em nosso poder. Na lista assinada pelo Marcos Valério consta a Cristiana como beneficiária de um valor de R$ 1,825 milhão, sendo que ela não teria motivo nenhum para receber esse valor”, afirmou Dino Miraglia. Ele se referia a Cristiana Aparecida Ferreira, de 24 anos, que teria mantido relacionamento com integrantes do primeiro escalão do governo mineiro e foi morta em um flat, em 2000. Miraglia representou a família de Cristiana no julgamento. O detetive particular Reinaldo Pacífico, ex-namorado da jovem, foi condenado pela morte. “No júri, eu sustentei que era queima de arquivo e que ela carregava malas

para o mensalão do PSDB e o promotor sustentou que era um crime passional e ela foi morta pelo ex-namorado.” Nilmário O advogado admitiu que teve contato com o ex-ministro petista Nilmário Miranda ao lutar pela libertação de um homem que passou nove anos na prisão por latrocínio e que a própria Justiça assumiu ter sido condenado por engano, mas nega qualquer interesse no processo que será julgado pelo STF. “Não tenho nada com o mensalão, não sou filiado ao PT. Só recebi esse material há uma semana”, disse, sem revelar a fonte dos documentos. Para Marcelo Leonardo, porém, o documento “é falso”. Ele confirmou que manteve contato com seu cliente ontem, após a divulgação do caso, e que “Marcos Valério jamais produziu um documento desta natureza”. Lula Gilmar Mendes esteve no centro de outra polêmica ao se reunir com Lula em abril, quando o ex-presidente teria tentado pressionar para que o julgamento do mensalão fosse adiado para depois das eleições municipais. Mendes negou ter havido tentativa de chantagem, mas acusou Lula de atuar numa “central de divulgação” de boatos para tentar “melar” o processo.

Receita diz que ex-chefe de gabinete de Perillo tem patrimônio a descoberto

R

elatório da Receita Federal enviado à CPI do Cachoeira mostra que o patrimônio de Eliane Gonçalves Pinheiro, ex-chefe de gabinete do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), se multiplicou por sete no primeiro ano da gestão do tucano. De acordo com o documento, a ex-servidora não apresentou renda suficiente para justificar a evolução de seus bens e investimentos. Eliane pediu demissão em maio, após a revelação de que trocava informações sobre operações policiais com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Conforme as escutas da Operação Monte Carlo, ela avisou o prefeito de Águas Lindas de Goiás, Geraldo Messias (PP), de que haveria uma busca policial em sua casa. A ex-servidora diz ter sido confundida com outra Elia-

ne, mas, em seus relatórios, a PF a identifica com nome, sobrenome e CPF. Com base nas declarações de Imposto de Renda (IR), a análise da Receita diz que Eliane informou, na declaração referente a 2010, bens e direitos no total de R$ 75,4 mil. No ano seguinte, quando passou a ocupar a chefia de gabinete de Perillo, o patrimônio alcançava R$ 570,4 mil. A Receita calculou variação patrimonial a descoberto de R$ 127,4 mil. Isso significa que os rendimentos informados não foram suficientes para cobrir o aumento dos bens e investimentos, somado às despesas, deduções e doações ocorridas no ano. Em 2010, Eliane sustentou em sua declaração ter uma Hyundai Tucson, no valor de R$ 72 mil, e saldo em conta corrente de R$ 3,2 mil. Em 2011, o patrimônio

aumentou graças à compra de um apartamento no Alto do Bueno, área nobre de Goiânia, com quatro suítes e 153 metros quadrados. A ex-chefe de gabinete declarou naquele ano já ter pago R$ 447,1 mil no negócio, cujo total era de R$ 587 mil. Há divergências nas declarações de um ano para outro. Embora tenha declarado em 2010 bens e direitos de R$ 74,5 mil - valor levado em consideração pela Receita no cálculo da variação patrimonial -, no ano seguinte Eliane informou que em 2010 tinha, na verdade, patrimônio de R$ 309 mil, incluindo um apartamento de R$ 136 mil, vendido em 2010 mesmo, e prestações pagas do seu novo imóvel no Alto do Bueno (R$ 101 mil). O advogado de Eliane, Luís Alexandre Rassi, negou evolução patrimonial a des-

coberto. Segundo ele, por um equívoco, sua cliente não informou, na declaração referente a 2010 e nas anteriores, um apartamento antigo, pois achava que só deveria fazê-lo quando obtivesse a escritura. Posteriormente, ao vendê-lo para a compra de um novo, soube que era necessário constar a propriedade do imóvel. As informações integram pacote de sigilos fiscais quebrados pela CPI, que apura o envolvimento de Perillo e servidores do governo de Goiás com o grupo de Cachoeira. Além de Eliane, o presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), Jayme Rincón, não declarou renda que justificasse seu aumento de patrimônio nos últimos quatro anos. Entre 2010 e 2011, o valor dos bens do governador dobraram.

A5

Coluna

ESPLANADA

POR LEANDRO MAZZINI Jornalista

Twitter @leandromazzini

Vasconcelo Quadros (interino)

Randolfe é candidato

O PSOL já debate lançar o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) à Presidência. ‘Há uma discussão interna’, confirma com discrição o parlamentar amapaense. Com a fundadora do partido Heloísa Helena em Maceió, ele se tornou o maior e mais visível nome da legenda, que precisa lançar candidato para sobreviver às urnas. ‘Mas cada dia com sua agonia’, diz o senador, que pode concorrer com Dilma Rousseff (PT), que tentará a reeleição, e o senador Aécio Neves, o potencial candidato tucano, entre outros.

Precedente

As últimas eleições provaram que a terceira via sempre assusta os favoritos. Foi assim com Enéas, Heloísa Helena, Garotinho e Marina Silva, que pode voltar ao PV.

Além-Temer

O PMDB continuará com Dilma. Mas para 2018, estuda lançar Sérgio Cabral (abalado com as denúncias dos passeios europeus) ou Nelson Jobim, da ala independente.

Campos

O PSB também tem projeto para 2018, com o atual governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Aos poucos, os aliados devem se desgrudar do PT.

Revelações de Cesar

Um dos sobreviventes do combalido DEM, o ex-prefeito do Rio Cesar Maia diz à coluna que espera se eleger com 50 mil votos para vereador na capital que comandou por quatro vezes. A amigos, revela que seu projeto é o governo do Rio, e que já prepara palanque para Aécio Neves no estado.

Voto duplo Cesar quer ajudar o filho, deputado Rodrigo Maia, na campanha à prefeitura. De quebra, trabalha o voto duplo. ‘Claro que a quantidade de votos terá desdobramento (para 2014). Com 50 mil fico quietinho aqui no Rio’, diz, sem projeto nacional. Saladão A disputa no Rio será acirrada, pelo que se prevê para 2014. Além de Cesar Maia, Garotinho (PR) pretende voltar. Cabral vai lançar Luiz Pezão, seu vice do PMDB. O senador Lindbergh Farias (PT) também quer a vaga. Na rede Serra saiu na frente, como publicado aqui. Fala de tudo no Twitter para conquistar voto eclético. Chalita (PMDB) e Haddad (PT) começarão a fazer o mesmo em SP. Castrado Em Teresina, Antonio Alves de Sousa quis disputar a Câmara como ‘Pau Torto’. E o juiz, censurador: ‘Nesta Zona, pau torto não entra’. Registrou ‘Antonio Torto’. Brasiiillll Em Picos, também no Piauí, o leitor José Francisco Costa encontrou os candidatos Cafuringa Jogador, Bigode Branco, Zé Moreno, Damião do Peixe, Bezerra do Mel, Bambu, Zé Gotinha, Toinho da Chica, Deção. Vingança Defenestrada

da

Casa Civil da Presidência pela própria chefe, e não pela mídia, Erenice Guerra reuniu advogados. Quer processar jornalistas que publicaram denúncias de suposto tráfico de influência. Táxi brazuca... No London Film Museum, onde a Embratur lançou a campanha de divulgação do país para a Copa e Jogos, a presidente Dilma se deparou com três dos 100 táxis londrinos ‘envelopados’ com imagens do Brasil. ... e gremista O presidente da autarquia, Flávio Dino, presenteou o neto de Dilma, Gabriel, com uma miniatura do táxi na cor azul. Piadista, o presidente da Câmara, Marco Maia, provocou: devia ser vermelho, a cor do Inter da presidente. Plantão julhino Todos os ministros ficaram com medo de sair de Brasília por causa de Dilma, que tem mania de ligar nos fins de semana e pedir balanços. Férias, só fim do ano. Taxiando Nos corredores da Anac diz-se que o diretor Marcelo Guaranys trabalha para assumir a Secretaria de Aviação Civil, feudo do padrinho Nelson Jobim. Ponto final Marta e Formiga precisam passar no CT da seleção masculina de futebol para darem umas aulas.

www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Amapazão: São José e Santos jogam domingo no Glicerão

A6

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Se vencer, São José chegará aos 7 pontos, mantendo chances de classificação à final do 2º turno ELCIO BARBOSA

Flamengo tem imagem arranhada com crises e vê ano “quase perdido”

Episódios como a saída conturbada de Ronaldinho ajudaram a desgastar a imagem do clube

A São José e Santos realizam uma das partidas mais esperadas do segundo turno do Amapazão 2012. Os dois times ainda estão na briga pela conquista do returno, para disputar o título do campeonato

ELCIO BARBOSA Da Redação

S

ão José e Santos realizam neste domingo, 29, às 17 horas, no Estádio Municipal, Glicério Marques, uma das partida s mais esperadas do segundo turno do Amapazão 2012.

Se vencer, o São José chegará aos 7 pontos, mantendo reais chances de classificação para a final do turno. O Santos, por sua vez, com 6 pontos, pode chegar a 9, se vencer, passando também a ser um provável finalista. O São José está completo para a partida. O técnico

Romeu Figueira fez coletivo apronto no estádio Augusto Antunes, em Santana. Por outro lado, Flavio Barros preferiu liberar a equipe na sexta-feira 27, devido ao retorno da viagem da cidade de Araguaina, no Tocantins, onde o Peixe fez a segunda partida do brasileirão da série D.

Barros ministrou treinamentos no sábado, para a partida deste domingo. “Nossa intenção é vencer a partida, porque ainda temos chance de classificação, estamos trabalhando há um mês e o grupo está bem melhor” falou o auxiliar técnico José Minga, do São José.

Já o técnico do Santos, destacou o fato da sua equipe estar envolvida em duas competições simultâneas. “É uma partida importante para o Santos, temos duas competições, mas estamos acostumados e vamos em busca da vitória neste domingo”, garantiu.

Contra Fluminense, Atlético quer manter liderança e o melhor rendimento em todos os quesitos

O

Atlético-MG defenderá, diante do Fluminense, hoje, às 16h, no Engenhão, não apenas a ponta do Campeonato Brasileiro, mas também a liderança em diversos quesitos que o colocam como o time de melhor campanha entre os 20 clubes participantes da competição. O time comandado pelo técnico Cuca, além de ter a maior pontuação até então, 31, e o melhor aproveitamento, 86%, também possui o melhor ataque, melhor defesa, tem melhor campanha como mandante e visitante, além de ter o menor número de derrotas e o maior de vitórias que os demais concorrentes. O Atlético-MG tem o melhor ataque, com 25 gols marcados, em 12 jogos, média pouco superior a dois gols por jogo. Já em relação à defesa, também é a de melhor aproveitamento, ao lado do Fluminense, adversário

deste domingo, com somente oito gols sofridos. Já em relação ao aproveitamento como mandante e visitante, o alvinegro mineiro também leva a melhor em relação aos outros adversários. Atuando no Independência, onde o Atlético venceu cinco jogos e empatou um, com o Bahia, em 1 a 1, tem 88% de aproveitamento. Já como visitante, onde a equipe perdeu apenas três pontos, na derrota para o São Paulo, o time venceu cinco jogos, tendo 83% de aproveitamento, o melhor entre os times da Série A O volante Leandro Donizete mostra confiança em mais uma vitória fora de casa. “Nosso time aprendeu a jogar fora, nesses jogos do Mineiro em Sete Lagoas a gente aprendeu a jogar fora, agora o Fluminense, um time difícil, que está bem, mas vamos procurar vencer”, disse.

Bernard e Ronaldinho têm ajudado o Atlético-MG a ser o melhor time do Brasileiro em todos os quesitos

O atacante Guilherme ressalta que o pensamento do Atlético tem sido o diferencial para a boa campanha. “Está bem le-

gal de ver, em relação a 2011, também a desconfiança do Campeonato Mineiro, está bem legal, é outro Atlético, a verdade

é essa, a gente conseguiu absorver o que representa esta camisa, então é muito diferente”, comentou.

Émerson Sheik é vetado e Tite define Guerrero como titular diante do Bahia

O

atacante Émerson Sheik foi vetado do jogo contra o Bahia hoje. Com problemas no tornozelo, o atacante não viajará com o grupo para Salvador. Outro problema

de Tite é Jorge Henrique, que tem dores musculares e iniciará a partida do banco de reservas. Por causa desses problemas, o treinador definiu que Paolo Guerrero fará a sua estreia

Toque de Primeira ANTONIO LUIZ

Colunista alpcampos@hotmail.com Positivo Rainha Elizabeth, tradição, cultura, sons e cores marcaram a abertura das Olimpíadas. O belo evento humano privilegiou a música britânica e emocionou Paul McCartney. Negativo Violência em campo, tapetão e mudança de tabela afastam o torcedor do Amapazão. Pelo visto, a galera manda um recado e avisa que não gosta de bagunça.

Amapazão I Tabela do campeonato marca para este domingo São José x Santos, Glicério Marques. Amapazão II Apesar dos pesares, as partidas apresentam bom nível técnico, gols e fortes emoções. Olimpíadas Desde a última sexta-feira, a cidade de Londres se tornou a capital mundial do esporte.

como titular e terá Romarinho como companheiro. O peruano já jogou com a camisa corintiana pela primeira vez na vitória por 2 a 0 diante do Cruzeiro, na última quarta-feira. O atle-

Tudo Azul I O dono da Construtora ICON, Adelson Sales, tem uma boa notícia para o EC Macapá. Tudo Azul II Após regularizar documentação, pode em três meses iniciar a construção da nova sede. Brasileirão Fluminense x Atlético/ MG e São Paulo x Flamengo são os destaques deste domingo. Intermunicipal Encerrou a Chave C em Laranjal do Jarí reunindo ainda Mazagão, Olímpicos e V Jarí. Futebol de Areia

ta, no entanto, atuou por apenas quatro minutos, já que entrou no fim do 2º tempo, quando o Corinthians já vencia por 1 a 0. Além de Sheik e Jorge Henrique, Tite precisa se

preocupar com Chicão. Com um edema na coxa, o zagueiro também é desfalque. Ele dará lugar a Wallace, que acompanhará Paulo André na defesa alvinegra.

V Torneio de Verão integra o Macapá Verão e a bola rola este domingo na Fazendinha.

de participantes, com 11 seleções masculinas e 07 femininas.

Papão da Amazônia Paysandu encara o Águia esta segunda. É tradição os marabaenses endurecerem o jogo. Santana Verão Esporte e descontração marcam a programação domingueira em distritos e balneários. Voleibol I Encerra este domingo em Laranjal do Jarí o tradicional e concorrido Intermunicipal. Voleibol II O evento bateu recorde

Fenômeno Azul Remo ainda não digeriu o empate com o Atlético/AC. Exige forra contra o Rio Branco. Macapá Verão Atividades esportivas e recreativas na Fazendinha, Araxá, Curiaú e Canal do Jandiá. Jogo Aberto AP Programa esportivo que arrepia na TV Band Macapá, de segunda a sexta, às 12h30. Futsal Campeonato de Fraldinhas, faixa etária de 05

s seguidas confusões na diretoria e os inúmeros insucessos nas tentativas de contratações não atrapalham o Flamengo apenas dentro de campo. As crises que parecem não ter fim nos tumultuados bastidores da Gávea têm arranhado a imagem do clube também no mercado da busca por patrocínios. E com dificuldades cada vez maiores, o rubro-negro já vê o ano de 2012 como “quase perdido” na luta por um parceiro que estampe sua marca na parte frontal do uniforme. Ainda que tenha cuidado nas palavras ao comentar o caso, o diretor executivo de marketing do clube, Marcus Duarte, sabe que a imagem passada pelo futebol do clube é refletida na hora da negociação com grandes empresas que se distanciam cada vez mais do rubro-negro. “É complicado comentar este assunto, até porque trabalhamos para que isso não aconteça, mas, infelizmente, é uma questão natural. Um bom posicionamento do futebol na tabela do campeonato, no noticiário, de uma maneira geral influi positivamente nas negociações. Mas isso não está acontecendo. A dificuldade acaba existindo”, admitiu Duarte. Com uma situação cada vez mais difícil de se buscar um patrocínio para este ano, o cartola revelou que o trabalho do departamento de marketing do Flamengo já é feito visando 2013 e que 2012 é uma temporada quase perdida neste aspecto. “Conseguimos muitos parceiros secundários, em outros espaços do uniforme, e até mesmo o maior patrocínio pontual de um clube brasileiro com a BFG [R$ 1 milhão pelo Fla x Flu centenário], mas a questão do patrocinador master ficou quase inviável. Encaramos muitos problemas e já estamos planejando 2013. Se conseguirmos algo para 2012, tudo bem, mas não vale mais esse esforço. A prioridade agora é outra”, revelou o diretor executivo de marketing do Flamengo.

anos, tem chamado a atenção do público. Olimpíadas Coube a uma chinesa conquistar a primeira medalha de ouro. Foi no Tiro Esportivo. Jogos No Meio do Mundo Houve falha na alimentação, estadia e transporte. Inevitável, num evento tão grandioso. Você Sabia? Que o brasileiro Sérgio Pessoa disputou as Olimpíadas de Londres. O judoca se naturalizou canadense e defendeu as cores do país do gelo. Caiu na primeira luta.


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

A7

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Judoca piauiense conquista o primeiro ouro brasileiro em Londres, em um feito histórico É a primeira conquista olímpica do judô feminino brasileiro. Sarah Menezes é melhor judoca brasileira da história DIVULGAÇÃO

Judô traz primeira medalha de ouro para o Brasil com a piauiense Sarah Menezes (azul)

A

primeira medalha de ouro do Brasil em Londres veio com um feito histórico. A judoca piauiense

Sarah Menezes venceu a romena Alina Dumitru na final da categoria até 48 kg e assegurou uma conquista iné-

dita para o judô feminino do Brasil em Jogos Olímpicos. Mais agressiva, Sarah tentou imobilizar a adversária

Telões nas ruas são opção para quem não tem ingresso para as competições DIVULGAÇÃO

O Hyde Park, no centro, e o Victoria Park, no leste da cidade, receberão os maiores telões

Q

uem está em Londres, mas não tem ingresso para as competições olímpicas, tem algumas opções para assistir as transmissões ao vivo dos jogos sem perder o clima efervescente da cidade. A organização do maior evento esportivo do mundo instalou telões espalhados por quatro pontos da cidade. O Hyde Park, no centro, e o Victoria Park, no leste da cidade, receberão os maiores telões e, juntos, poderão receber até 80 mil pessoas. Telões menores também foram instalados no sudeste, em Potters Fields Park, ao lado da Tower Bridge, um dos principais cartões postais das Olimpíadas, e em Woolwich, no leste, para receberem cerca de 10 mil pessoas. Pessoas de várias nacio-

nalidades estão em Londres para vivenciar o evento esportivo, que reúne atletas de mais de 200 países. Durante a cerimônia de abertura, a inglesa Daiane estava com parentes e amigas fazendo um piquenique no Hyde Park e aproveitando o espetáculo. “Será um momento muito interessante e festivo. O mundo verá o quão maravilhosa é Londres”, disse. Ela acrescentou que pretende ir ao local durante os jogos para assistir as competições e também os shows que serão realizados no parque até o fim das Paraolimpíadas. Outros estão mais interessados em conhecer pessoas e fazer amigos, é o caso do angolano Augusto Makof, que vive em Londres desde criança, mas se esforça no portu-

guês para conversar com brasileiras. “Olha o tanto de gente aqui. Eu vim para ver gente. A cidade está muito bonita”. A paulistana Beatriz Barcelos está na Inglaterra para dois meses de estudo de inglês e juntamente com alguns amigos passeavam pelo parque. Todos viajam hoje (28) a Manchester para, amanhã (29), assistir ao jogo da seleção masculina de futebol. Segundo Beatriz, além da atmosfera olímpica facilitar novas amizades, é algo muito diferente. “É muita emoção. Todo mundo no clima, a cidade lotada, é muito bom”. Os Jogos Olímpicos de Londres foram abertos oficialmente ontem e terminam no dia 12 de agosto. No dia 29 deste mês começam as Paraolimpíadas, que vão até 9 de setembro. (agência Brasil)

logo no começo da luta. Por pouco não conseguiu, e deixou a romena sentindo o braço direito. A brasileira passou a forçar o braço atingido da adversária, e conseguiu um yuko no último minuto, seguido por um waza-ari para assegurar o ouro. A vitória na decisão arremata o dia perfeito da brasileira. Sarah começou vencendo a vietnamita Ngoc Tu Van, a francesa Laetitia Payet e a chinesa Wu Shugen pela manhã. À tarde, fez uma disputa tensa, mas ganhou da belga Charline van Snick por um yuko. Na decisão, fez valer seu retrospecto contra a romena Alina Dimitru, que era a atual campeã olímpica mas havia perdido as três últimas lutas contra Sarah. A conquista coloca Sarah como a atleta com os melhores resultados da história do

judô feminino. Ela sagrou-se campeã mundial júnior pela primeira vez em 2008 e repetiu o feito no ano seguinte, quando ainda foi eleita a atleta olímpica do ano pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro), em votação popular. Mais adiante, ainda faria bonito em dois Mundiais adultos. Em 2010, foi bronze na competição disputada no Japão, repetindo o posto em Paris, no ano passado. Foi também na última temporada que ela sofreu uma das derrotas mais duras da carreira. Na final do Pan de Guadalajara, quando era ampla favorita, perdeu da cubana Dayaris Alvarez, provocando a ira da técnica Rosicleia Campos. Nada que abalasse a relação entre elas. Quando venceu a semifinal e ganhou a prata, por exemplo, Sarah emocionou-se ao abraçar a treinadora, que cuida da

piauiense na seleção desde o início da carreira da pupila. O outro técnico que tem papel no ouro da judoca é Expedito Falcão, seu técnico desde a entrada no judô, aos 9 anos. Sarah, que coloca o mestre como seu ídolo, começou no esporte à revelia de seus pais, que achavam o judô muito masculino. Hoje, a atleta não só superou o preconceito em casa como também mudou completamente seu status em seu estado natal. Apesar de ter recebido várias propostas, ela se recusa a deixar o Piauí, especialmente depois de começar a receber ajuda da CBJ para se manter por lá. Pela fidelidade, ela é tratada como celebridade em Teresina, onde vive, e não raras vezes é paparicada por autoridades como o governador do Estado e o prefeito da cidade.

Até hoje, Barcelona é modelo a ser seguido pelas cidades olímpicas

B

arcelona esperou quase 70 anos para realizar suas Olimpíadas em 1992. Os Jogos haviam sido prometidos para 1924, mas o Barão de Coubertin, fundador das Olimpíadas Modernas, acabou optando por Paris para a sede daquele ano. Mas a espera valeu a pena. A cidade catalã, antes escondida no interior da Espanha, ganhou notoriedade, valorizou-se e ficou marcada pela alegria dos 20 dias de disputas esportivas. Uma oportunidade que foi muito bem aproveitada, de acordo com Pere Alcober, presidente do Instituto de Esportes de Barcelona. “Durante os 20 dias dos Jogos Olímpicos tivemos uma oportunidade única, que não se sabe quando poderá se repetir. Essa oportunidade teria que servir para várias coisas. Uma delas é tentar fazer os melhores Jogos Olímpicos”. Depois dos Jogos, a cidade se tornou reconhecida em todo mundo. Para Alcober, esse sucesso vai além da infraestrutura. “A transformação da cidade ocorre na infraestrutura, nas moradias, vias, no aeroporto, o que é imprescindível. Isso é o tangível. Mas há outra troca, que é muito importante, que são os benefícios intangíveis, que vem a ser a autoestima da cidade, o reconhecimento de que temos um desafio e que juntos vamos assumir um objetivo e vamos fazer bem, para mostrar ao mundo que somos capazes de avançar, de nos consolidar nesse mundo globalizado”. Orgulho O empresário Juan Martinez Palhares considera que as Olimpíadas foram importantes para a população de Barcelona, que passou a ter orgulho da cidade.

“Sem dúvida foram muito importantes para as pessoas que viviam em Barcelona, porque ficou um orgulho de que Barcelona estava presente em todo o mundo e vimos que não era uma coisa política, era uma coisa realmente feita para a cidade”. Palhares explica que, além de a população aproveitar as melhorias feitas para os Jogos, a cidade passou a receber mais turistas. “Tudo foi aproveitado: as telecomunicações, muitos hotéis e isso tudo nos permitiu avançar mais, organizar mais eventos, organizar mais férias, a cidade estava preparada para receber mais visitantes, já que a estrutura que havia sido feito era muito grande. Ainda bem que quem pagou foi o Estado e isso permitiu que os beneficiários fossem Barcelona e os barceloneses, que, de outra forma, não poderiam pagar”. Valorização A economista Maria Consol diz que a maior transformação foi na infraestrutura. “Depois dos Jogos Olímpicos, obviamente, a maior transformação que se pode ver, foi a infraestrutura. A cidade onde moraram os atletas, toda essa parte foi criada, com as praias, o novo porto, além de muitas outras coisas. Também tem o anel olímpico, que facilitou o transito”. O empresário Palhares destaca que os apartamentos da Vila Olímpica foram vendidos a preços altos e a cidade toda sofreu valorização imobiliária. “Toda a área de Barcelona se valorizou muito. Houve um disparo de preços tremendo, foi mais de 50%, porque a cidade ficou bonita, tendo cada vez menos áreas à disposição. E as pessoas queriam ir viver em Barcelona, porque deixaram a cidade muito linda”.

Criatividade O representante do Departamento de Marketing da Infraestrutura Olímpica, Joaquim Romero, explica que cerca de 1 milhão de pessoas visitam a área olímpica de Barcelona, inclusive o Museu das Olimpíadas de 1992. De acordo com ele, muita criatividade ajuda a manter o ginásio ocupado, local que pode receber até 18 mil pessoas. “Aqui já foi feito de tudo, pista de neve, piscina para o mundial de natação, recebeu triatlon, enduro, windsurf e jet ski também, ginástica sobre gelo, corridas de carros. Já tivemos de tudo”. O Estádio Palácio São Jorge recebe concertos e grandes jogos, mas ainda encontra problemas para sua manutenção. Já o ginásio é utilizado cerca de 200 dias por ano e os lucros são convertidos para manter outras áreas do parque olímpico. Mas o grande exemplo de Barcelona para o mundo é como 20 anos depois a cidade ainda vive da boa lembrança dos Jogos Olímpicos. A cidade se valoriza e se reconstrói, mas a recordação dos 20 dias de disputa está presente em toda sua população, que valoriza os visitantes, que sempre ficam com vontade de voltar.

Enquanto isso... China ganha a primeira medalha de ouro em Londres

As primeiras medalhas das Olimpíadas de Londres foram definidas no tiro esportivo feminino, categoria carabina de ar de 10 m. A China ficou com o ouro e também com o bronze. A Polônia ficou com a prata. O lugar mais alto do pódio foi da chinesa Siling Yi, que somou 502.9 pontos. A disputa foi apertada, já que a diferença para a polonesa Sylwia Bogacka foi apenas de 0.7 ponto. Dan Yu, terceira colocada, somou 501.5 pontos. O Brasil não tinha representantes nessa categoria.

Primeiro caso de doping já está confirmado

O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou na manhã de ontem (28) que o halterofilista Albanês Hysen Pulaku foi cortado dos Jogos Olímpicos após ter sido flagrado no exame antidoping. Realizado antes do início dos Jogos, o teste acusou positivo para o uso de um esteroide anabolizante, o que custou sua participação no torneio, assim como o confisco de sua credencial para acompanhar a delegação de seu país na vila olímpica. De acordo com o COI, cerca de 5 mil exames antidoping serão realizados até o final das Olimpíadas.

Felipe Kitadai reage, vence italiano no judô e traz 1ª medalha do Brasil nas Olimpíadas

O brasileiro Felipe Kitadai venceu o italiano Elio Verde por wazari na categoria até 60 kg ontem (28) e faturou a primeira medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Com sua segunda vitória na repescagem, Kitadai ficou com o terceiro lugar do pódio e faturou o bronze no dia em que completou 23 anos. Durante os 5 minutos regulamentares de luta, nenhum dos dois atletas conseguiu pontuar e a luta foi para o golden score — período extra de 3 minutos em que o judoca que marcar pontos vence. Kitadai conseguiu um wazari logo no primeiro minuto de luta e derrotou o rival italiano. Kitadai já havia mostrado sua capacidade nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara em 2011, quando superou o mexicano Nabor Castillo na categoria até 60kg e faturou a medalha de ouro..


Sociedade

Aline Lima alinelima@jdia.com.br

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Mensagem do dia Aspessoas mais felizes não têm as melhores coisas. Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos.

Barreto e Pitty Webo

Heloisa Rufino

Eneas Filho

Larissa e Mauricio

Jornalista Elainne Juarez e equipe de cerimonial

Samara e Jhon Silva

Sabrina Mello

Empresária Analice e esposo

Contrate o Programa Balada Fashion para o seu evento: Inauguração de empresas, coquetel de lançamento da nova coleção, aniversário, formatura, confraternização, etc... Contatos: 9112 5045/ 9112 1989. Programa Balada Fashion todos os sábados às 18:40 e reprise aos domingos às 14h. Na REDETV.


CadernoB

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Tumulto marca último dia de viagem para o Festival do Camarão, no Afuá Muita gente que comprou passagens ficou a ver navios na hora do embarque. Procon está pronto para reclamções DA REDAÇÃO

A

pós ter uma movimentação considerada tranquila pela Capitania dos Portos e o Procon, nos primeiros dias de viagem, os dois últimos dias de embarques nos portos de Macapá e Santana, com destino ao Festival do Camarão, no município paraense de Afuá, foram marcados por tumultos. No sábado de manhã, os ânimos se exaltaram no Cais do Santa Inês, local de maior concentração de passageiros para Afuá. Alguns passageiros, mesmo com as passagens compradas, não conseguiram viajar por falta de espaço nas embarcações. “As pessoas se programaram para a viagem e agora muitos não estão conseguindo embarcar, por falta de espaço nas embarcações” explicou Paulo Magno, funcionário público, ele mesmo um dos que ficaram a ver navios. O capitão de uma das embarcações, que não quis identificar-se, disse que o problema ocorreu porque um barco quebrou na noite de sexta-feira, 27, fazendo com muitas pessoas que iriam viajar nele, estivessem tentando vijar em outra embarcação, no sábado.

“Como aconteceu esse problema com a embarcação, os passageiros foram transferidos para os barcos do dia seguinte, porém esses já estavam com as suas lotações completas, ou seja, alguém ficaria mesmo sem conseguir embarcar”, explicou o capitão. O clima esquentou ainda mais por causa da falta de informações aos passageiros, pois o guichê de vendas de passagens, da empresa responsável pela embarcação quebrada, não abriu na manhã de sábado. Ou seja, alguns passageiros, além de não embarcar, também não conseguiram a devolução do dinheiro da passagem. Fiscais do Procon, presentes no local, informaram que os passageiros que se sentiram lesados devem procurar o órgão na manhã dessa segunda-feira, 30, para tomar as medidas contra a empresa responsável pelo problema. A postura dos fiscais do Procon irritou os consumidores prejudicados. Eles achavam que o órgão deveria tomar alguma providência em relação ao assunto naquele momento e não na segunda-feira. “Não sei por que o Procon está presente se ele não pode fazer nada para ajudar. Eles

FOTOS HEVERTON MENDES

Embarcações sairam lotadas de Macapá, no sábado, e muitas pessoas não conseguiram viajar, apesar de terem comprado as passagens

(Procon) acham que nós temos tempo ocioso para passar uma manhã inteira no órgão”, criticou Ricardo Dias, mototaxista que não conseguiu embarcar.

Segundo Marcela Queiroz, chefe de fiscalização do Procon, a expectativa é que a segunda-feira seja marcada por uma grande procura dos consumidores

lesados. “Como de costume, já estamos nos preparando para as ações que iniciarão na próxima segunda. Só pedimos que os denunciantes tenham em

mãos RG e CPF e os comprovantes de compras de passagens, para que as ações de relação possam ser providenciadas” antecipou Marcela Queiroz.

Veículos da União custaram R$ 1,6 bilhão aos cofres públicos em 2011

Q

uem possui automóvel sabe que as despesas com veículo não envolvem apenas os recursos pagos na aquisição, mas também os gastos com gasolina, seguros, impostos e todo tipo manutenção necessária. Na administração federal, a situação não é diferente. A União desembolsou R$ 1,6 bilhão em despesas com veículos em 2011. Este ano, os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário já pagaram R$ 210,1 milhões de janeiro a junho com o item, valor 13,8% maior do que o desembolsado no mesmo período do ano passado (R$ 184,7 milhões). A maior parte dos gastos em 2011 foi destinada à aquisição de veículos de tração mecânica, que custaram aos cofres públicos R$ 702 milhões, o que representa quase 44% do gasto total. Com o valor seria possível comprar 23,4 mil carros populares com valor médio de R$ 30 mil cada. A compra de veículos de tração mecânica envolve desde a aquisição de via-

turas, passando pelos caminhões, até ambulâncias e carros-pipa. Porém os investimentos com veículos não são a única destinação dos gastos. O segundo valor mais expressivo foi utilizado para o consumo de combustíveis e lubrificantes automotivos. No total, R$ 302,7 milhões foram desembolsados no ano passado com derivados do Petróleo, valor que daria para um carro com consumo médio de 10 quilômetros por litro dar 27.682 voltas em torno da Terra. Para a comparação, foi utilizado o preço médio da gasolina, com base na última pesquisa realizada pela Associação Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Este ano, os gastos com combustíveis já somam pouco mais de R$ 96 milhões. Em 2011, outras despesas foram utilizadas para a “manutenção e conservação” desses veículos (R$ 186 milhões), a compra de “materiais para essa manutenção” (R$

259 milhões) e o “pagamento de pedágios” (R$ 1,7 milhão). Os gastos com a aquisição de veículos de tração mecânica, no entanto, não mantêm o recorde no primeiro semestre deste ano, quando apenas R$ 15 milhões foram investidos, contra outras execuções maiores, como os combustíveis e a manutenção de veículos, por exemplo. Os R$ 702 milhões aplicados em 2011 beneficiaram diversas áreas. O Comando Logístico do Exército coordenou a compra de caminhões de tração em várias partes do país, que chegam a custar R$ 277, 4 mil a unidade. O contrato de maior valor foi assinado com a empresa Man LatinAmerica (antiga Volkswagen Caminhões e Ônibus) para a compra de 43 viaturas desse tipo, o que fez com que o valor total da compra fosse de R$ 11,9 milhões. Os veículos são de cor camuflada, tração 4x4 e pesam cinco toneladas. Além do departamento responsável por suprir os

A União desembolsou R$ 1,6 bilhão em despesas com veículos em 2011. Muitos deles viraram sucata

recursos do Exército, a Aeronáutica também possui um Centro Logístico e os Fuzileiros Navais possuem um Comando do Material, todos com demandas específicas de prover as Forças Armadas, o que faz com que o Ministério da Defesa seja a pasta que mais gastou com esse tipo de veículos em 2011. Foram quase R$ 253 milhões gastos para

esse tipo de despesas no período. Na execução da Pasta, porém, o Exército é o que mais gastou (R$ 152 milhões), deixando a Aeronáutica (R$ 15 milhões) e os Fuzileiros Navais (R$ 5,8 milhões) na segunda e terceira posição com os seus centros de custo. A lista é completada por vários batalhões, comandos de infantaria, além de hospitais e colégios

militares. O Ministério da Justiça é o segundo órgão que mais destinou recursos à aquisição desse tipo de veículos. Cerca de R$ 140,8 milhões foram utilizados, o equivalente a 20% da despesa feita entre janeiro e dezembro de 2011 (R$ 702,03 mi). Para a Educação, foram destinados R$ 102,8 milhões, terceiro maior valor.

Rotina de assaltos deixa taxistas assustados em Macapá ANDERSON CALANDRINI Da Redação

M

ais um assalto a taxista ocorrido nesta semana engrossa os índices da criminalidade, em Macapá. A categoria se diz vulnerável à violência e cobra soluções de segurança pública. O caso ocorreu na última sexta-feira, quando um taxista levou alguns passageiros ao Bairro Zerão, local onde o assalto foi cometido. Os criminosos levaram tudo e deixaram o taixta completamente nu na via pública do bairro. De acordo com Rizonil-

son Barros, presidente do Sindicato dos Taxistas do Amapá (Sintáxi), em média são registrados de quatro a cinco assaltos por semana na cidade. “Os criminosos agem com bastante violência”, denuncia ele. Segundo Rizonilson, o aumento dos casos está deixando dos taxistas inseguros, chegando, em alguns casos, a desenvolver doenças psicológicas, que os impedem de continuar a exercer a profissão. “A maioria dos assaltados começa a evitar trabalhar em certos horários, e em alguns casos o medo acaba impedindo que os trabalhadores voltem ao

serviço, afetando a renda de suas famílias”, afirma Rizonilson. A maioria dos assaltos a taxistas ocorre no turno da noite, fato que leva muitos trabalhadores a trabalharem apenas nos períodos diurnos. Rizonilson explica que para minimizar as ameaças do trabalho noturno, os taxistas adotam algumas estratégias. “Os poucos taxistas que trabalham à noite tomam certas precauções para evitar os assaltos, como recusar corridas para determinados bairros, considerados mais perigosos, dentre eles o Zerão,

Infraero I e o Brasil Novo, que são locais de maiores índices de assaltos a taxistas”, informa Rizonilson. Para o Presidente do Sintáxi o serviço de segurança pública deixa muito a desejar, fato que acaba diminuindo o número de ocorrências registradas. “Além de não contarmos com uma boa segurança, os taxistas deixam de realizar os boletins de ocorrência, pois em quase 80% dos casos nada é resolvido, ou seja, registrar a ocorrência passou a ser uma perda de tempo”, critica o sindicalista.

Para evitar violência, muitos taxistas já desistiram de trabalhar à noite


JD

Dia-Dia

B2

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Ação de solidariedade une religões no AP Aproximadamente 600 voluntários participaram da campanha, que teve a doação de duas toneladas de alimentos CINTHYA PEIXE Da Redação

N

o sábado, 28, o projeto “Mãos que ajudam a armazenar e doar alimentos” entregou duas toneladas de alimentos para o Instituto do Câncer Joel Magalhães (Ijoma), Grupo Espírita Fabiano e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Santana (Apae). Cerca de 600 voluntários participaram da campanha. As instituições beneficiadas aprenderam em oficinas a armazenar alguns tipos de alimentos, como os grãos, em garrafasPET, visto que assim o prazo de validade dos mesmos aumenta consideravelmente, podendo chegar a dois anos. Com esta iniciativa muitos frascos foram reutilizados e deixaram de serem jogados no meio ambiente. “Seguindo o sentido da doação feita aqui, hoje, nós iremos usar os alimentos doados conforme as necessidades, já que eles podem ser armazenados durantes dois anos. Eu achei interessante a ideia, porque realmente em nossa sociedade há um desperdício muito grande de alimentos, já que tem épocas que recebemos muitos alimentos, mas alguns acabam estragando porque não tínhamos uma forma certa de armaze-

nar”, enfatizou o Padre Paulo, coordenador do Ijoma. A ação é desenvolvida por pessoas da comunidadee da Igreja Jesus Cristo dos SantosÚltimos Dias. O projeto também conta com a ajuda da iniciativa privada, mídia, poder público e membros da igreja católica e espírita. Mariuse Araújo, do Grupo Espírita Fabiano, declara que é importante a união de diversas religiões. “Este é um movimento que deve existir sempre, porque nós não temos que nos separar em religiões. Temos que contribuir positivamente na sociedade, pois quem é solidário tem a paz interior”, falou. Rodrigo Jansen, presidente da Igreja Jesus Cristo dos Santos Últimos Dias, falou da importância do trabalho desenvolvido pelas entidades que receberam os alimentos.“É necessário reconhecer e agradecer todo o empenho do Padre Paulo à frente do Ijoma e também do Grupo Espírita Fabiano, que realiza trabalhos principalmente com as crianças”, destacou Jansen. O projeto “Mãos que ajudam a armazenar e doar alimentos”aconteceu simultaneamente em todo o país, com mais de 500 toneladas de arroz e feijão arrecadadas e doadas para cerca de 476 instituições.

DIVULGAÇÃO

Participantes da ação aprenderam técnicas de conservação de alimentos em garrafas PET (foto em detalhe), para evitar o desperdício de doações recebidas

Os voluntários começaram a arrecadar os alimentos em março. Em São Paulo, as doações somaram 67 toneladas. No Paraná, foram 95 toneladas doadas em Curitiba, Maringá, Londrina, Paranaguá, Pinhais e Cascavel. Já no Rio de janeiro

Papel da imprensa como veículo de registro da história do país é debatido

30 toneladas de alimentos foram arrecadas. Também participaram da ação os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, Santa Catarina, Goiás e Rio Grande do Sul. O projeto “Mãos que

O

jornalismo como veículo fundamental para o registro dos processos sociais e da história de um país foi a tônica do Seminário Jornalismo e Memória, promovido pelo Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio e pela Fundação Biblioteca Nacional (FBN). Autor das biografias de Garrincha e Carmen Miranda, o jornalista Ruy Castro, inveterado apaixonado pelos arquivos dos veículos de imprensa, chamou a atenção para a necessidade de uma busca ativa nos acervos pessoais dos jornalistas, muitos deles riquíssimos, que tendem a se perder com o tempo. “Parece que as viúvas têm um grande prazer em jogar fora toda a papelada”, brincou o escritor, que completou dizendo que esses acervos podem preencher vazios importantes na história da imprensa brasileira e, por meio dela, do próprio registro da história nacional. Outro participante do evento, o jornalista Sér-

gio Cabral, falou da peculiaridade de quem pesquisa a memória de um país, seja em que temática for. “Eu descobri, neste tipo de trabalho, que o ser mais solitário do mundo é o pesquisador. Aquele bando de pessoas, um não tinha nada a ver com o outro. Um estava pesquisando sobre memória da moeda, outro sobre política externa e eu, ali, pesquisando samba”, destacou Cabral, um dos fundadores do Pasquim e outro defensor da importância dos arquivos dos jornais no próprio funcionamento das redações, ao lembrar de suas próprias experiências pesquisando o acervo da FBN. Pontos comuns na opinião dos participantes do seminário, além do papel de registro histórico da imprensa, foram a importância das instituições públicas e privadas na manutenção da memória dos jornais e mesmo na manutenção de exemplares e o lamento do processo de perda de acervos de pesquisa de grande número

de jornais do Rio de Janeiro. Segundo Castro, esses acervos hoje compõem cerca de um terço do total de 40 anos atrás. Também teve destaque no debate o crescimento dos estudos sobre a história da mídia, que, segundo a pesquisadora Alzira Abreu, da Fundação Getulio Vargas (FGV), são, em grande medida, responsáveis pela melhoria dos arquivos e sua sistematização, processo esse devedor do surgimento dos programas de pós-graduação em comunicação, história e ciências sociais, a partir da década de 1970. A mesa tema do evento foi coordenada pelo jornalista Marcelo Beraba e contou ainda com a participação do presidente da FBN, Galeno Amorim, e da pesquisadora da Casa de Rui Barbosa JoëlleRouchou. Com o seminário, o Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio encerrou a primeira fase do projeto Centro Cultural e Memória do Jornalismo.(Agência Brasil)

reforma e manutenção de escolas públicas, confecção de enxovais para mães carentes e de lençóis para hospitais públicos, limpeza de praias, mobilização de combate à dengue, doação de sangue e até palestras sobre recolocação no mercado de trabalho.

CFM quer reverter decisão que libera a venda de medicamentos em gôndolas

O

Conselho Federal de Medicina (CFM) pretende recorrer à Justiça para tentar reverter decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que liberou a venda de medicamentos isentos de receita médica em gôndolas das farmácias. Para o presidente da entidade, Roberto Luiz d’Avila, a medida é “irresponsável” porque estimula a automedicação e coloca a população em risco. “É um retrocesso depois de todos os argumentos que a gente tem defendido ao longo dos últimos anos sobre o uso racional dos medicamentos, essa notícia derruba todos os

Assunto foi debatido durante seminário Jornalismo e Memória, promovido pelo Sindicato de Jornalistas do RJ

ajudam a armazenar e doar alimentos” há 12 anos mobiliza milhares de voluntários e mais de dois milhões de pessoas já se envolveram nos projetos, doando seu tempo para ajudar a transformar realidades. Os serviços vão desde a

esforços”, disse. O presidente do CFM argumenta que todos os tipos de medicamento trazem algum risco, mesmo aqueles que são vendidos sem exigência de receita médica. Por isso, o conselho alerta para a necessidade de haver sempre uma orientação e prescrição para a venda. Caso contrário,. “a farmácia vira um supermercado de remédios”. A decisão da Anvisa, publicada sexta-feira, 27, no Diário Oficial da União, tomou por base um estudo da equipe técnica do órgão que concluiu que a proibição da venda de remédios nas gôndolas não contribuiu para diminuir o

número de intoxicações no Brasil. O levantamento constatou também uma maior concentração de mercado e prejuízo ao direito de escolha do consumidor. Para o CFM, o estudo é pouco consistente e considerou um curto período de tempo para a análise dos resultados. “A revogação pode induzir à automedicação e ao uso irracional de medicamentos, onerar o SUS [Sistema Único de Saúde] com o aumento de internações hospitalares evitáveis, aumentar o número de casos de intoxicações medicamentosas e banalizar o consumo de medicamentos por meio de estratégias mercadológicas de ampliação de vendas”, diz a nota divulgada pela entidade, em conjunto com o Conselho Federal de Farmácia (CFF). (Agência Brasil)


JD

DiaDia

B3

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Agentes penitenciários voltam a cobrar melhorias A para trabalho no Iapen

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Réu é condenado por tentativa de homicídio qualificado

Sindicato da categoria diz que GEA não implantou as melhorias programadas

conteceu, na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Macapá, o Júri popular que condenou o réu, Rone Costa da Costa, à pena de oito anos e quatro meses de reclusão, por tentativa de homicídio qualificado. O promotor de Justiça Horácio Bezerra Coutinho atuou na acusação. O crime aconteceu em agosto de 2008, quando a vítima, Delcimiro Gomes do Monte, encontrava-se em uma festa, no bairro das Pedrinhas, em Macapá. O réu, Rone Costa, vulgo Roney, chegou ao local alcoolizado e armado com um revólver. A vítima, tentando evitar qualquer confusão, resolveu sair do local, mas foi atingida pelas costas com dois disparos efetuados pelo réu, enquanto aguardava um táxi. Delcimiro Gomes foi socorrido no Hospital de Emergência e conseguiu sobreviver às agressões.

“Além de ter agido de modo que dificultou a defesa de Delcimiro Gomes, o réu praticou o crime em virtude de banais desentendimentos anteriores com a vítima”, frisou o promotor Horácio Bezerra. Ao final do julgamento, o Conselho de Sentença, por maioria de votos, considerou culpado o réu, tendo o mesmo sido condenado à pena de oito anos e quatro meses de reclusão, em regime inicialmente fechado, pelo crime de tentativa de homicídio qualificado, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima. O promotor de Justiça ainda salientou a importância do julgamento, que demonstra que a sociedade não mais aceita a violência, e em especial a cidade de Macapá/AP, principalmente pelo fato do crime ter sido cometido sem chance de defesa à vítima.

Policiamento reforçado garante segurança nas praias do Pará

A Vista externa da penitenciária amapaense, onde agentes dizem trabalhar sem as mínimas condições de segurança e conforto

CINTHYA PEIXE Da Redação

O

Sindicato dos Agentes e Educadores Penitenciários do Amapá (Sinapen) voltou a cobrar do Governo do Estado do Amapá a reforma dos alojamentos e locais de serviço da categoria, no Instituto de Administração Penitenciária (Iapen).

Eles informaram que já encaminharam ofício àSecretariade Justiça e Segurança Pública do Amapá (Sejusp) e ao governador do Estado, pedindo esclarecimentos a respeito do cumprimento das reivindicações.Acompanhando os ofícios, o Sinapenenviou imagens das condições dos alojamentos e locais de serviço no Iapen.

A promessa do Governo era que até o dia 20 de maio a reforma seria feita. “Na época em que negociamos com o Governo do Estado foi dado o prazo até o dia 20 de maio para a reforma no alojamento, mas até agora nada foi feito”, denuncia Alexandro Soares, presidente do Sinapen. Soares informa que os

Alexandro Soares, presidente do Sinapen, afirma que o Governo não cumpriu com a promessa de reforma

agentes e educadores não tem condições de trabalho. “Em um alojamento dormem cerca de 50 agentes, os servidores não tem colchão. Temos em torno de duas horas para descansar e quando não tem mais espaço no alojamento, os servidores precisam dormir em cadeiras ou na viatura. Se o alojamento dos servidores já está em péssimas condições, imagine as celas dos presos”, alerta o presidente. Há também outras reivindicações, como curso de tiro para os agentes, já que os servidores da última turma não fizeram o curso integral, como determina a lei. Eles também querem dispor das carteiras funcionais, que ainda não foram entregues, além de auxílio fardamento, que é lei desde 2010, mas até hoje ainda não foi pago. OSinapenreivindica, também, ticket alimentação a todos os servidores.O governador Camilo Capiberibe não promulgou o auxílio-alimentação dos servidores penitenciários, descumprindo o que determina a Lei nº1697. “A gente não quer mais comer a alimentação do Iapen. Queremos receber o auxílio-alimentação, como acontece com a Polícia Militar. Estamos com receio, após a morte do servidor Clodoaldo Brito,de sermos envenenados através da comida”, declara Soares.

s polícias Civil e Militar atuam com efetivo reforçado desde o primeiro final de semana das férias de julho nas praias de Marudá e Crispim, no município de Marapanim, no nordeste do Estado. Só da PM são 60 agentes que garantem o policiamento nos dois balneários, 24 horas por dia. Junto com a Polícia Civil, o trabalho da PM se concentra em coibir o consumo de entorpecentes, a poluição sonora, bem como garantir a segurança e a ordem em todas as áreas com rondas ostensivas. De acordo com o capitão Hélio Moraes, da PM, além de rondas ostensivas, que são feitas com seis viaturas, a segurança é feita a pé nas praias, bem como na orla de Marudá. Duas unidades, uma fixa e outra móvel, na orla, garantem ainda um suporte para o atendimento à população. “Somos 60 policiais só nos balneários de Marudá e Crispim. Estamos com mais oito em Algodoal e contamos ainda com o efetivo normal, sem ser reforço, que atua em Marapanim”. O capitão afirma que as principais ocorrências nos balneários, principalmente na orla de Marudá, são o consumo de drogas e a poluição sonora. “À noite a gente reforça o policiamento preventivo, pois começam os carros com som alto e o consumo de drogas. As pessoas que são abordadas nesta situação são orientadas e, no caso das drogas, são encaminhadas para a

delegacia”, explicou o Moraes. A Polícia Civil de Marapanim também atua com reforço de Belém e Castanhal. Apesar da grande quantidade de visitantes, o delegado Cláudio Gomes afirma que o município registra poucas ocorrências desde o primeiro fim de semana do verão. “O que ocorreu foram pequenos furtos e acidentes de trânsito. Ontem (sexta-feira) mesmo ocorreu de um motociclista atropelar um cavalo”. O delegado informou que uma diligência investiga denúncia de que haveria uma quadrilha especializada em roubo em Marudá, que seria de Castanhal. “Já temos todas as informações e estamos apurando a veracidade da denúncia para efetuar a prisão dos acusados”, adianta. No início do mês três homens foram presos acusados de roubar um taxista no balneário. Um dos presos, ressalta Gomes, já tinha a prisão decretada por causa de um homicídio. Segundo o delegado Cláudio, o Sistema de Segurança Pública do Estado está com o efetivo reforçado em todos os balneários do município para garantir a tranquilidade nas férias do paraense. “Há uma grande quantidade de agentes tanto das polícias, como do Corpo de Bombeiros, Detran, Renato Chaves, para garantir a segurança da população e um verão tranquilo para todos, como tem sido”. (Agência Pará)

Praias de Marabá tiveram poucas ocorrências no mês de julho

A

praia do Tucunaré, no município de Marabá, sudeste paraense, oferece uma das mais diferentes opções de balneários do Estado. Uma faixa de areia que só aparece durante o verão é desfrutada pelos moradores locais e turistas e que se refrescam nas águas do rio Tocantins. No último final de semana de férias o Governo do Estado, por meio dos órgãos de segurança pública, garantiu que todos aproveitassem com conforto as delícias do lugar e comemorou um mês com poucas ocorrências graves, fruto do trabalho preventivo da Polícia Mili-

tar e Corpo de Bombeiros. Desde o dia 30 de junho a operação integrada “Verão na Paz” garantiu a segurança da população em todos os balneários do Pará. Em Marabá, a presença dos agentes de segurança pública garantiu tranquilidade para a comunidade. Segundo o capitão Rebelo, comandante da PM responsável pelo policiamento da praia do Tucunaré, a segunda quinzena foi tranquila sem nenhuma ocorrência grave. A presença dos policiais na praia 24 horas inibiu qualquer delito mais grave. “Estamos com 15 policiais atuando

em toda a praia de dia e de noite. As rondas são feitas a pé, de quadriciclo e com lancha. Não registramos nenhum assalto e o principal registro foi de brigas que acontecem devido a ingestão de bebida alcoólica”. É comum na praia do Tucunaré a presença de famílias que acampam nas praias durante as férias escolares, por isso a PM dá uma atenção especial para aquelas que resolvem dormir à beira do rio Tocantins. “Durante a noite mantemos uma equipe de quatro policiais na praia fazendo rondas constantes. As famílias têm o telefone dos poli-

ciais e podem ligar diretamente a eles em caso de necessidade, nosso objetivo é garantir a tranquilidade de todos”, explicou o capitão Rebelo. As ações integradas das forças de segurança são outra peça fundamental para o pequeno número de ocorrências graves. PM, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Saúde do Pará, Secretaria de Estado do Meio Ambiente, estão unidos e fazendo ações preventivas nos balneários paraenses. O Corpo de Bombeiros conta com um efetivo de 25 guarda-vidas na praia do Tucunaré este ano. “O trabalho de prevenção é

fundamental para que não haja acidentes graves. A praia do Tucunaré possui alguns buracos, locais onde a profundidade do rio é maior, e que podem pegar um banhista desprevenido. Foram 28 principios de afogamento registrados desde o começo das férias. Para evitar acidentes fizemos o balizamento de toda a praia, limitando a área de banho a um local seguro para as famílias”, disse capitão Novaes, do CBM. O balizamento também foi feito para evitar que os barcos e rabetas (pequenas embarcações de madeira), que fazem a

travessia das pessoas do porto de Marabá até a praia, parem onde haja concentração de banhistas. “Era muito comum antigamente que os barcos trafegassem no mesmo ambiente dos banhistas, isto não é seguro, por isso delimitamos a área, garantindo a segurança de todos”, completou o capitão Novaes. Outra ação preventiva feita pelo CBM aconteceu com o apoio da Defesa Civil, pulseiras de identificação eram colocadas no pulso de crianças para evitar que elas se perdessem na praia. (Agência Pará)


DiaDia

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

B4

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Sancionada a lei que troca dívida de universidade por bolsas de estudos

A lei também trata, entre outros assuntos, da extensão para as obras do PAC do Regime Diferenciado de Contratações

S

ancionado com vetos pelo Executivo, na semana passada, o texto aprovado pelo Congresso Nacional para a Medida Provisória (MP) 559/12 foi transformado na Lei 12.688/12. A norma trata de vários temas. Entre os pontos em destaque, sobre os quais incidiram vetos, consta a troca das dívidas de universidades privadas por bolsas de estudo. A lei prevê que 90% das dívidas das universidades, o equivalente a R$ 13,5 bilhões, serão transformadas em bolsas do programa Prouni. Os 10% restantes deverão ser pagos em espécie no prazo de 15 anos, que começa a ser contado a partir de julho de 2013. A ideia é beneficiar cerca de 300 mil alunos. A iniciativa, que prevê ainda a redução de 40% no valor das multas de mora, ficou conhecida como Programa de Reestruturação e Fortalecimento do Ensino Superior. O programa foi incluído no texto da medida provisória pelo relator, o deputado Pedro Uczai (PT-SC). Universidades comunitárias Segundo o deputado, a

sanção da lei representa um avanço, mesmo com os vetos, entre eles a redução de 60% das multas para as universidades comunitárias, sem fins lucrativos. “Foi uma grande vitória para as universidades brasileiras, transformar seu passivo em bolsa de estudo (90%). A redução de 40% foi uma vitória”, avalia o parlamentar. Quanto ao veto relativo ao artigo que diz respeito às universidades comunitárias, Pedro Uczai defende que é preciso “continuar a luta para sensibilizar o governo sobre a necessidade de um tratamento diferenciado para essas universidades e, principalmente, para as universidades que tiveram origem em faculdades municipais”. Conselhos estaduais Também foi vetado o dispositivo que previa a manutenção da gestão dos conselhos estaduais, no caso de as universidades estarem incluídas tanto no sistema federal como no estadual. Já a base de cálculo das dívidas, depois dos vetos, terá de ser atualizada pela taxa de juros Selic, conforme prevê o Código Tributário Nacional. Pelo texto originalmente aprovado

A lei prevê que 90% das dívidas das universidades, o equivalente a R$ 13,5 bilhões, serão transformadas em bolsas do programa Prouni

no Congresso, quando a universidade aderisse ao programa, o valor da dívida e o número de bolsas seriam consolidados naquele momento. Além da redução de 40% nas multas, foram mantidos pontos como a moratória de 1 ano, ou

Números de celulares ganham mais um dígito em São Paulo

A

partir deste domingo, 29, todos os números de telefones celulares da área 11 (São Paulo) terão o dígito 9 à frente do número atual. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a medida vai aumentar a capacidade de numeração da região de 44 milhões para 90 milhões de números. O nono dígito deve ser acrescentado, no momento da discagem, por todos os usuários de telefone fixo e móvel que ligarem para telefones celulares da área 11, independentemente da sua localidade de origem. Ou seja, quem ligar de outros estados para celulares da área 11 também deverá marcar os nove dígitos para que a chamada seja completada. A área 11 abrange 64 municípios de São Paulo, inclusive a capital. Haverá um período de transição, até o dia 7 de agosto, no qual a chamada será completada normalmente, mesmo sem o

novo dígito. Depois disso, começa um período em que as ligações serão gradualmente interceptadas e receberão uma mensagem explicando as mudanças. Ficará a critério das operadoras decidir se, depois da mensagem, a ligação será completada ou interrompida. Depois do dia 15 de janeiro de 2013, nenhuma ligação sem o dígito 9 será completada. A agenda com os contatos terá que ser alterada pelos próprios usuários, mas já existem aplicativos que podem ser usados em smpartphones (celular que recebe sinal 3D) para fazer a mudança. Os novos números habilitados a partir de amanhã já virão com o nono dígito, assim como nos pedidos de portabilidade numérica. A inclusão de mais um dígito vai permitir o uso de numerações atualmente iniciadas por 2, 3, 4 e 5, que hoje só são utilizadas na telefonia fixa. Nos últimos 12 meses

houve um crescimento de 17% no número de telefones móveis na região, com a habilitação de cerca de 5 milhões de novas linhas. Segundo o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), todo o custo da mudança está sendo arcado pelas prestadoras e não implicará em nenhuma cobrança para o cliente. A entidade garante que as empresas estão trabalhando desde o ano passado na adequação de sistemas e redes e nos últimos meses têm realizado uma série de testes do novo formato. Por enquanto, o nono dígito será implementado apenas no estado de São Paulo, nos municípios com a Discagem Direta a Distância (DDD) 11. A Anatel estima que o nono dígito deverá ser adotado em todo o país, mas ainda não há prazo definido. (Agência Brasil)

seja, as universidades só começam a pagar as contas a partir de julho de 2013. A medida vale para dívidas vencidas até 31 de maio deste ano e alcança montantes que, divididos pelo número total de matrículas, resultem em um mínimo de R$ 1,5 mil.

Simplificadas Originalmente, a MP 559 apenas permitia que a Eletrobras assumisse o controle acionário da Centrais Elétricas de Goiás (Celg). Isso permanece na lei. De especial interesse do governo federal, a extensão do Regime Diferenciado de

Contratações (RDC) para as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) é o ponto mais polêmico incluído na medida provisória e que está consolidado na lei sancionada na semana passada. O RDC simplifica as licitações para as obras públicas.

Projeto obriga uso de colete salva-vidas DIVULGAÇÃO

Somente na Amazônia, mais de 14 milhões de passageiros usam os rios como meio de transporte

T

ramita na Câmara o Projeto de Lei 3925/12, do deputado licenciado Carlos Bezerra (PMDB-MT), que torna obrigatório o uso de coletes salva-vidas em embarcações abertas na navegação fluvial. O autor explica que a restrição a esse tipo de navegação deve-se ao fato de que os percursos

realizados em rios são os que mais se prestam ao transporte regular de passageiros. De acordo com o Bezerra, somente na Amazônia mais 14 milhões de passageiros usam os rios como meio de transporte, segundo levantamento da Universidade Federal do Pará (UFPA). “O pequeno inconveniente de usar o

colete salva-vidas é insignificante quando confrontado com os benefícios em uma emergência”, sustenta. Tramitação Com tramitação em caráter conclusivo, a proposta foi encaminhada às comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Gaviões ajudam a melhorar segurança de voos no Pará

D

ois gaviões asa-de-telha terão a missão de caçar aves que possam atrapalhar pousos e decolagens no Aeroporto Internacional Val de Cans, em Belém. Os gaviões, batizados de Osco e Naruma, farão voos ao redor do terminal para afugentar as aves que causem risco aos aviões. Eles começaram a “trabalhar” na sexta-feira, 27. A estratégia é parte do Plano de Manejo de Fauna do aeroporto. De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), gaviões também são usados no Aeroporto Internacional Salgado

Filho, em Porto Alegre. A atividade de falcoaria é autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Os animais são treinados para afastar e capturar pássaros. As aves capturadas são imobilizadas, levadas para o Ibama e devolvidas à natureza em regiões distantes do aeroporto. De acordo com a Infraero, a utilização de gaviões tem o objetivo de diminuir a presença de aves próximas aos aeroportos. Elas podem provocar acidentes e interromper pousos e decolagens.(Agência Brasil)

DIVULGAÇÃO

Alambrado de vários aeroportos brasileiros, como o de Val-de-Cans, em Belém, ficam cheios de urubus, que ameaçam decolagem e pouso de aeronaves


CadernoC

Editor: Franck Figueira - franckfigueira@jdia.com.br

Macapá-AP, quarta e quinta-feira, 25 e 26 de julho de 2012

Galeria Alcy Araújo será inaugurada na sexta-feira

COTIDIANO Bragança (PA)

Galeria vai reunir objetos pessoais do escritor e abrigará eventos literários

S

erá inaugurada na próxima sexta-feira, 3, às 19h, na Biblioteca Pública Elcy Lacerda, a Galeria Alcy Araújo. Um espaço dedicado a exposições, lançamentos de livros e encontros literários num cantinho especial, cujo nome homenageia um dos mais conhecidos e respeitados poetas que escolheu o Amapá para viver. Na Galeria ficarão expostos manuscritos, cinzeiro, livros, fotos, escrivaninha, a primeira máquina datilográfica do poeta, caneta, entre outros objetos pessoais de Alcy Araújo. O acervo foi doado à Biblioteca pelos filhos do escritor, tendo à frente a jornalista e também escritora Alcinéa Cavalcante, que acompanha diretamente os trabalhos de estruturação da Galeria desde a reinauguração da Elcy La-

cerda, em abril deste ano. O Governo do Amapá, através da Secretaria de

Estado da Cultura (Secult), convida a todos, escritores, estudantes, auto-

ridades locais, família e amigos de Alcy Araújo para a solenidade.

Jornal do Dia

Prédio histórico vai virar Liceu de Música

A Escola Monsenhor Mâncio Ribeiro é um ícone histórico da cidade de Bragança, no nordeste do Pará. A construção tipo palacete de estilo eclético, com traços típicos da arquitetura predominante no Pará no início do século XX, ocupa um quarteirão inteiro no centro da cidade. A escola, que foi desativada e ao longo dos últimos quatro anos vinha sendo depredada e saqueada, vai abrigar o Liceu de Música, em projeto do Governo do Estado coordenado pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult).

Guerrilha do Araguaia

Biblioteca Pública Alcy Lacerda terá espaço reservado para os trabalhos e acervos pessoais do escritor

Terruá Pará estreia dia 1º de agosto

G

aby Amarantos, Felipe Cordeiro, Lia Sophia, Mestre Vieira, Dona Onete, Paulo André Barata, Orquestra de Violoncelistas da Amazônia e muitos outros artistas de peso estão no Terruá Pará 2012, que faz sua grande estreia no próximo dia 1o de agosto, às 20h, no Theatro da Paz. O show marca o lançamento dos CDs e DVDs das edições anteriores, apresentadas no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, em 2006 e 2011. A temporada segue até dia 4 de agosto, com entrada franca. O público pode reti-

rar seus ingressos na bilheteria do teatro, nos dias dos shows, a partir de 9h. Realizado pelo Governo do Estado do Pará, por meio da Cultura Rede de Comunicação e da Secretaria de Estado de Comunicação, o Terruá Pará integra a política pública de difusão e circulação da música paraense. As duas primeiras edições reuniram 99 artistas de diversos gêneros musicais, da lambada ao carimbó, do boi-bumbá ao eletromelody, mostrando ao público toda a originalidade sonora que só se encontra no Pará.

Saudado pela crítica especializada como um dos melhores produtos culturais concebidos no Estado, o Terruá Pará deu enorme visibilidade à música paraense. No ano passado, o show foi indicado ao 7° Prêmio Bravo! Bradesco Prime, um dos mais importantes da cultura brasileira. Grandes veículos da imprensa nacional, como O Globo, Estadão e Folha de São Paulo, revistas Trip e Rolling Stone, TV Globo e Rede Record participaram da divulgação e cobertura do show. A enorme projeção da

música paraense no cenário nacional atualmente mostra que o projeto está no caminho certo: Gaby Amarantos na abertura da novela “Cheias de Charme”; Lia Sophia na trilha sonora de “Amor Eterno Amor”; Felipe Cordeiro, Dona Onete e Gang do Eletro no circuito de grandes festivais nacionais; Mestre Vieira reverenciado como o rei da guitarrada. Não por acaso, o jornalista e crítico musical Nelson Motta sentenciou: a música paraense é mais vibrante feita no Brasil atualmente.

Governo vai indenizar famílias de guerrilheiros

A AGU (Advocacia-Geral da União) começou nesta sexta-feira (27/7) vários processos judiciais para pagar indenizações relativas ao episódio da Guerrilha do Araguaia. Os pagamentos somam, ao todo, de US$ 1,28 milhão e foram fixados pela CIDH (Corte Interamericana de Direitos Humanos), orgão da OAE (Organização dos Estados Americanos), da qual o Brasil faz parte. As indenizações deverão ser pagas a herdeiros dos militantes que desapareceram durante a Guerrilha do Araguaia.

Lei de cotas

Praias sujas travam turismo no Maranhão

A

Divulgação

ocupação dos hotéis na alta temporada em São Luís (MA) --marcada pelos festejos juninos, pelo bumba meu boi e pelas férias-- despencou neste ano. A culpa, diz o setor, é das praias sujas. Por ordem da Justiça Federal, o Estado teve de divulgar um relatório sobre a situação das praias e instalar, em abril, placas alertando sobre a poluição. Todas as praias da cidade estão impróprias para banho devido ao esgoto, segundo monitoramento do governo. Praias como a do Calhau, considerada uma das mais bonitas da cidade, e a da Ponta d’Areia, a mais movimentada, onde ficam os clubes de reggae, estão com o nível de coliformes fecais na água acima do considerado tolerável. Transparência Segundo a Promotoria do Meio Ambiente, a situação é conhecida pelo menos desde 1997, quando foram feitos estudos sobre a falta de tratamento de esgoto na ilha. “A população não percebia a realidade porque não havia transparência”, explica o promotor Fernando Barreto. A cidade sentiu os reflexos. “O turismo e a rede hoteleira estão ameaçados. Estamos tendo que fazer cálculos mirabolantes para não demitir”, diz o presidente da ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis) em São Luís, João Antônio Barros Filho. A taxa de lotação de hotéis e pousadas na cidade em junho e julho de 2011

As principais praias de São Luís, como Calhau e Ponta d’Areia, estão com o nível de coliformes fecais na água acima do considerado tolerável

foi de 75%. Neste ano, caiu para 53%. “É culpa das praias.” As empresas associadas à ABIH têm 5.800 leitos, diz Barros Filho. Má impressão “No caminho do aeroporto para o hotel, o taxista me avisou de que nenhuma praia estava própria para banho”, disse o turista mineiro Thiago Bernardo Pinto, 32, que visitou São Luís em junho. “Foi a primeira má impressão.” Em frente à pousada de Barros Filho, um cano despeja esgoto na praia há quatro anos. O cheiro incomoda os hóspedes, que só

usam a piscina. Ele diz que alertou a Caema (companhia ambiental do Estado), sem sucesso. A Caema, sociedade de economia mista gerida pelo Estado, explora os serviços de abastecimento e coleta e tratamento de esgoto na cidade. Segundo o site do órgão, apenas 38,6% dos moradores têm acesso à rede de coleta. A cidade tem pouco mais de 1 milhão de habitantes. De 1994 para cá, a Promotoria ajuizou oito ações contra o Estado e a Caema, cobrando o tratamento do esgoto. Uma delas transitou em

julgado em 2005. A Justiça ordenou que o governo parasse de lançar esgoto in natura nas bacias dos três maiores rios. Como a ordem não foi cumprida, a Promotoria pediu à Justiça, em junho, que bloqueie as verbas de publicidade da Caema e do governo de Roseana Sarney (PMDB) para pagar R$ 22 milhões de multas. Segundo a Promotoria, a prefeitura também é ré em parte das ações, por fazer a concessão do esgoto à Caema sem cobrar bons resultados. Outro lado O governo do Maranhão informou, por meio de nota, que a cobertura do tratamento de esgoto na capital São Luís vai chegar a 90% em cinco anos. “Atualmente, é de 10%, estando acima da média do Nordeste, que é de 7%”, afira a nota. De acordo com o governo estadual, a primeira etapa do programa de melhorias já teve início e deve ser concluída em 18 meses. “Os recursos para a primeira etapa, de R$ 124 milhões, são oriundos do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] 1, com contrapartida de 20% do governo do Estado.” Já a Prefeitura de São Luís, questionada a respeito da concessão do esgoto à companhia ambiental do Estado, afirmou que criou, no ano passado, uma comissão para identificar falhas e adotar punições previstas no contrato de concessão, que poderá ser revisto.

MPT vai investigar rede de hotéis

O MPT (Ministério Público do Trabalho) em São Paulo poderá instaurar inquérito civil contra a rede de hotéis Blue Tree após apuração de denúncia feita pelo Sinthoresp (Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Apart-hotéis, Motéis, Flats, Pensões, Hospedarias e Similares de São Paulo e Região) de que a rede estaria descumprindo a Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência. De acordo com a Lei 8.213, Artigo 93, toda empresa com 100 ou mais funcionários deve destinar entre 2% e 5% dos postos de trabalho a pessoas com deficiência, segundo escala crescente, proporcional ao número de funcionários.

Combate ao crack

Governo do PR recebe R$ 170 milhões

O governo do Paraná deverá investir R$ 170 milhões nos próximos anos para combater o crack no estado. Os recursos serão disponibilizados pelo governo federal, por meio do programa “Crack, é Possível Vencer”. Segundo o governo, o dinheiro servirá para a construção de novos centros de atenção psicossocial a dependentes de álcool e outras drogas. Esses locais funcionam 24 horas. Além disso, devem ser construídos, até 2014, quatro centros de tratamento aos dependentes. O primeiro deles deve ser instalado em Cascavel, no oeste, e vai atender jovens entre 12 e 25 anos. Os outros serão criados em Curitiba, Londrina e Maringá.


JD

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Protesto faz China desistir de tubulação contaminada

C2

Editor: Franck Figueira - franckfigueira@jdia.com.br

Cuba culpa motorista espanhol por acidente que matou dissidentes

Milhares de pessoas protestaram contra vazamentos em fábrica de celulose

A

tubulação que transporta águas residuais de uma fábrica de celulose até Qidong, na China, cidade próxima de Xangai, será fechada em definitivo, anunciou no sábado (28) a polícia municipal, que deseja assim acabar com um protesto de milhares de moradores, que provocou confrontos na região. Milhares de pessoas protestaram durante a manhã contra os vazamentos da fábrica que poderiam contaminar a água na região. Muitos manifestantes enfrentaram a polícia perto da sede do governo local, que foi invadida pelos mais exaltados. Durante manifestação, um carro da polícia foi virado pela multidão. “A prefeitura de Nantong decidiu abandonar definitivamente o projeto de jogar águas residuais ao mar. Pedimos aos habitantes que sigam para casa”, afirma um comunicado policial. Os manifestantes exigiam o fechamento definitivo da fábrica - que está

O dissidente cubano Oswaldo Payá morto nesta semana

U Manifestantes viram carro da polícia durante protesto contra fábrica que pretendia jogar resíduos

paralisada de modo provisório. A unidade fica a 100 km da cidade de Nantong. Apesar do anúncio, divulgado pela televisão local, vários manifestantes expressaram ceticismo a respeito das reais intenções das autoridades.

Os vazamentos da tubulação de saída da fábrica, que pertence à japonesa Oji Paper Group, representaria 150.000 toneladas diárias de águas residuais quando a unidade, que começou a ser construída em 2007, estivesse plenamente operacional,

segundo moradores entrevistados pelo jornal estatal “Global Times”. Os protestos ganharam força no último ano na China contra a degradação ambiental, vítima de três décadas de industrialização forçada.

Líbano registra vários conflitos entre partidários e detratores do regime sírio

P

elo menos dez obuses disparados desde a Síria caíram no sábado (28) em zonas fronteiriças no norte do Líbano, enquanto na cidade libanesa de Trípoli há novos enfrentamentos entre partidários e detratores do regime sírio. Fontes policiais informa-

ram à Agência Efe que oito projéteis atingiram a aldeia de Dababiye e outros dois caíram em Arma e Al Nura, todas perto da fronteira entre as duas nações. Na sexta-feira (27), outros quatro obuses atingiram essa mesma região, onde está o maior número

de refugiados sírios que fogem da violência em seu país. Enquanto isso, na cidade setentrional de Trípoli, os choques entre os habitantes de dois bairros rivais deixaram pelo menos 12 feridos, segundo as fontes. Os enfrentamentos, que DIVULGAÇÃO

Na sexta-feira, quatro obuses atingiram região da fronteira, onde está o maior número de refugiados

começaram por volta da meia-noite local, envolveram os habitantes de Bab el Tabaneh, de maioria sunita, e de Jabal Mohsen, onde a população é majoritariamente alauíta (a confissão do presidente sírio, Bashar Assad). Esses bairros foram, nos últimos meses, cenário de violentos incidentes que têm como pano de fundo a crise síria. Desta vez, os choques se estenderam depois aos bairros de Al Rifa, Al Mankubin, Al Shaarani, Al Hara, Al Barraniyeh e Zuk al Qamh, nos quais agora há relativa calma. A segurança no Líbano se deteriorou nos últimos meses, nos quais houve sequestros, ataques das forças sírias ao outro lado da fronteira e enfrentamentos armados entre detratores e seguidores do presidente sírio em Trípoli e em Beirute. A Síria acusa “grupos terroristas” de organizar desde o Líbano ataques contra suas tropas e enviar armas aos insurgentes. Os dois países têm uma fronteira comum de 330 quilômetros, cuja demarcação até agora não foi estipulada.

m político espanhol causou o acidente rodoviário que matou dois dissidentes cubanos, incluindo o conhecido Oswaldo Payá, afirmou o governo cubano, rejeitando as suspeitas despertadas por ativistas políticos e alguns governos estrangeiros. O relatório preliminar, baseado no depoimento de três testemunhas e do motorista espanhol Ángel Carromero Barrios, dá conta de que Carromero ignorou vários avisos para reduzir a velocidade em razão de obras na pista e perdeu o controle do carro. O governo afirmou que o carro viajava a cerca de 120 quilômetros por hora, o dobro do limite no local. Payá, de 60 anos, líder do Movimento Cristão de Li-

bertação, e o também dissidente Harold Cepero morreram no acidente, ocorrido no domingo na província de Granma, leste do país. Ambos estavam no banco de trás, sem cinto, segundo o relatório. Carromero, que é vice-presidente do movimento “Novas Gerações” do Partido Popular espanhol, e o presidente da ala juvenil do partido sueco Democrata-Cristão, Aron Modig, estavam no banco da frente, ambos de cinto. Os dois estrangeiros no veículo escaparam relativamente ilesos e continuam no país durante a investigação. O relatório indicou que Carromero pode ser processado por direção imprudente e homicídio culposo.

Italianos desaparecidos são libertados na Síria

D

ois técnicos italianos, que trabalham para o grupo Ansaldo na Síria, foram libertados na sexta-feira, após uma semana desaparecidos, indicou a agência oficial Sana. Na segunda-feira, o Ministério italiano das Relações Exteriores informou que os dois haviam sido detidos no dia 20 de julho pela polícia síria quando se dirigiam para o aeroporto de Damasco. Mas, de acordo com a Sana, “durante as operações para limpar certas regiões (dos rebeldes) na província de Damasco, as tropas sírias libertaram os dois especialistas italianos que tinham sido sequestrados por grupos terroristas”. A imprensa italiana identificou os dois como Oriano Cantari, 64 anos, e Domenico Tedeschi, 36 anos. Eles

devem deixar a Síria neste sábado. Segundo o jornal Gênes Il Secolo XIX, os italianos trabalhavam na construção de uma central elétrica em Deir Ali, perto de Damasco. O ministro italiano das Relações Exteriores, Giulio Terzi, comemorou a ação. “A libertação de nossos dois cidadãos pelo grupo que os detinha é muito positiva. Continuaremos a acompanhar o caso para concluir rapidamente o retorno à Itália”, declarou. A agência de notícias italiana AGI conseguiu entrar em contato com Cantari. “Nós estamos bem, foi muito difícil. Quem nos sequestrou? Nós também gostaríamos poder responder a esta pergunta. É difícil dizer (...) quem nos pegou estava com o rosto coberto”, declarou.

Rússia não irá cooperar na busca de navios com armas para a Síria

Fundador da Amazon promete US$ 2,5 milhões para apoio ao casamento gay

J

eff Bezos, o bilionário fundador da Amazon. com, e a mulher dele, MacKenzie, decidiram doar US$ 2,5 milhões para contribuir para a aprovação em um referendo, no Estado de Washington, de uma proposta pela legalização do casamento entre indivíduos do mesmo sexo. Com isso, eles se tornaram instantaneamente os maiores financiadores do movimento pelo direito ao casamento homossexual nos Estados Unidos. Com essa doação, o casal fez com que dobrasse a quantidade de dinheiro disponível para os defensores do Referendo 74, cujo ob-

jetivo é legalizar o casamento entre indivíduos do mesmo sexo no Estado por meio da confirmação de uma legislação que foi aprovada pela assembleia legislativa neste ano. Tribunais e parlamentos estaduais norte-americanos já declararam a legalidade do casamento gay em seis outros Estados, mas os apoiadores de tais medidas jamais conseguiram ver essa proposta ser apoiada nas urnas. Os militantes que defendem a medida no Estado de Washington afirmam que a doação do fundador da Amazon provoca uma mudança no cenário desta luta, possibilitando que

eles tenham uma chance real de vitória em novembro. Bezos, que fundou a Amazon.com em 1994 em Seattle e que continua sendo o presidente da companhia, ocupa agora o topo de uma lista crescente de executivos heterossexuais que estão substituindo os gays milionários como os maiores doadores de verbas para o movimento em favor do casamento de homossexuais e da igualdade de direitos para gays e lésbicas. Bill Gates e Steven A. Ballmer, da Microsoft, doaram cada um US$ 100 mil para a campanha do plebiscito.

Mas, com essa doação na casa dos sete dígitos, Bezos --um executivo famoso, que administra um império comercial no valor de US$ 48 bilhões-- elevou ainda mais esse patamar. Os Bezos fizeram a doação no momento em que o movimento de defesa dos direitos dos homossexuais esbarrava em obstáculos e obtinha sucessos simultaneamente. Em maio, o presidente Barack Obama anunciou seu apoio ao casamento entre indivíduos do mesmo sexo, afirmando que, “após uma longa evolução”, concluiu que “casais do mesmo sexo devem ser capazes de se casar”.

Situação está insustentável para ambos os governos

A

Rússia alertou no sábado (28) que não irá cooperar com a União Europeia (UE) para procurar navios suspeitos de carregarem armas para a Síria. A postura desafiadora pode provocar raiva no Ocidente. Governos da UE concordaram sobre novas regras na segunda-feira em um esforço para impedir que armas cheguem a Síria, onde já ocorrem 16 meses de violência, pelos quais as nações do Ocidente culpam principalmente o governo, com estimativa de mais de 18 mil pessoas mortas. A Rússia, que fez esforços

para bloquear sanções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e tem criticado os embargos ao país, disse que não “pretende tomar parte em medidas para implementar as decisões da UE dirigidas contra a Síria.” “Nós... não iremos considerar dar consentimento a buscas de embarcações sob a bandeira russa, nem à aplicação de outras medidas restritivas para eles, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Lukashevich em comunicado.


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

C3


JD

Diversão&Cultura

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Editor: Franck Figueira - franckfigueira@jdia.com.br

Aos 70, Caetano Veloso ganha tributo com estrelas mundiais Mutantes, Beck e Magic Numbers confirmam show em homenagem ao compositor

A

rtistas nacionais e internacionais se uniram para fazer uma homenagem aos 70 anos de Caetano Veloso (completados no dia 7 de agosto). Idealizado por Paul Ralphes, o disco A Tribute to Caetano Veloso - que será lançado no mesmo dia do aniversário do baiano - será composto por 11 faixas que marcaram sua carreira, cada uma delas interpretada por um ou mais músicos diferentes. Um dos destaques é a banda The Magic Numbers, que gravou You Don’t Know Me, do clássico álbum Transa. Além deles, o CD também terá Céu, Chrissie Hynde, Moreno Veloso, Kassin, Domenico, Mutantes, Beck, Jorge Drexler, Marcelo Camelo, Devendra Banhart, Rodrigo Amarante, Momo, Luiza Maita, Ana Moura, Tulipa Ruiz, Miguel Poveda, Qinho, Seu Jorge, Toninho Horta, Arismar Espírito Santo e Mariana Aydar.

C4

Divulgação

Celebridades Claudia Jimenez

Estado de saúde

Após passar por uma cirurgia no coração na última segunda-feira (23) no Hospital Pró Cardíaco, no Rio de Janeiro, Claudia Jimenez teve seu quadro de saúde divulgado na sexta-feira (27) pela personal trainner e amiga Stella Torreão. Claudia acabou de retirar a sonda vesical, os rins começam a desinflamar, continua na Intensiva Coronariana e lutando!

Usher

Morre enteado do cantor Compositor baiano será homenageado nos seus 70 anos com grandes artistas nacionais e internacionais

Produtora revela possível local de filmagem da sequência de ‘Thor’

A

inda não foram divulgados oficialmente o local e a data das gravações do filme Thor: The Dark World. Uma produtora divulgou recentemente, porém, uma carta aos moradores da região de Bourne Wood, na Inglaterra, avisando-os de que realizarão filmagens de um longa supostamente chamado Thusrday Morning no local entre agosto e setembro deste ano. Embora não cite o nome Thor, a carta dá indícios de que se trata, na verdade, da produção da Marvel. As informações são do Comingsoon.net. “Estamos escrevendo para avisá-los de que al-

gumas filmagens serão feitas em Bourne Wood nos próximos meses. Thursday Morning será o título deste filme, uma adaptação de histórias em quadrinhos que se passa em um reino fictício. A história trata da batalha entre dois reinos e termina quando nosso herói chega para salvar o dia. A sequência envolve uma quantidade substancial de efeitos especiais. Cerca de 300 funcionários extras estarão no local para cuidar de coisas como figurino e maquiagem”, diz o comunicado. Thor: The Dark World deve chegar aos cinemas em novembro de 2013. Divulgação

O enteado de Usher, que teve morte cerebral após se acidentar com um jet ski no começo de julho, foi enterrado na última sexta-feira (27), em Atlanta, nos Estados Unidos. Kile Glover, 11 anos, era filho de Tameka Foster, que foi casada com o cantor até 2009. “Agradeço às centenas, talvez milhares de orações. Sou tão agradecida a vocês. Kile foi o garoto mais divertido, criativo, doce e respeitoso”, escreveu Tameka em seu Twitter.

Sabrina Sato

Fim de namoro

Segundo informações da coluna Olá!, do jornal Agora S. Paulo, Sabrina Sato confessou que não beija ninguém desde que terminou seu namoro com o deputado Fábio Faria. Eles estão separados desde o começo de julho. Ainda segundo a publicação, na festa junina da Band, Adriane Galisteu lhe deu um selinho caprichado, na noite de quinta.

Horóscopo Áries (21 mar. a 20 abr.) O tenso triângulo de energia continua mexendo com seus relacionamentos, especialmente na área doméstica. Caso seja casado, é hora de colocar os pingos nos ¿is¿. Saturno exige decisões e seriedade. O momento é tenso.

Libra (23 set. a 22 out.) Energias altamente favoráveis em oposição a muita tensão agem em sua vida. Nesta fase você precisa manter o equilíbrio e a racionalidade. Aponte sua consciência para as coisas positivas que estão em seu entorno.

Touro (21 abr. a 20 mai.) A fase continua tensa e carregada de mal-entendidos. No entanto, os relacionamentos e as finanças continuam protegidos. Uma boa sociedade pode se formar nesta fase, e/ou um namoro acontecer.

Escorpião (23 out. a 21 nov.) Nesta fase um relacionamento que começou há alguns meses pode se aprofundar muito. O momento é de deixar sentimentos ruins para trás. Uma parceria de negócios ou uma ótima sociedade comercial pode começar.

Gêmeos

Chris Hemsworth interpretou o herói no primeiro filme da franquia

Resumo das Novelas Malhação Laura tenta se desculpar com Carmem. Teresa se espanta com o plano de Cristal para enganar Gabriel. Betão e Filipe querem saber quem é o filho de Carmem. Beatriz aconselha Jefferson a não se prejudicar por causa de Débora. Cristal combina com um jornalista a cobertura exclusiva do seu casamento com Gabriel. Betão revela para Ziggy que o filho de Carmem foi dado para adoção. Babi diz a Guido que procurou Betão. Beatriz consola Gabriel sobre o encontro com a mãe de Cristal. Débora avisa a Laura que Carmem e Fabiano foram para Nova Friburgo procurar pelo filho.

Amor Eterno Amor Rodrigo pergunta a Miriam o porquê da surpresa com a visita dele. Fernando dispensa o enfermeiro, liga para Míriam e atrapalha a conversa com Rodrigo. Melissa entrega uma carta falsa para Virgílio. Fernando implora para que Miriam fique com ele. Rodrigo freia o carro em cima de Virgílio, que cai no chão. Pedro fica intrigado com o fato de Gracinha saber falar inglês. Rodrigo não acredita que Angélica tenha escrito a carta. Virgílio consegue ficar na mansão de Rodrigo. Miriam pensa na conversa que teve com Rodrigo. Dimas vê Fernando de pé.

Cheias de Charme Liara reclama das atitudes de Rodinei. Conrado se impressiona com Cida e Isadora percebe. Sônia sofre ao fechar a Galerie. Penha descobre que Sandro fez as tarefas do filho para ele poder ensaiar. Conrado e Isadora discutem. Cida pensa em Conrado. Brunessa diz a Humberto que se ele não tirar Rodinei da cadeia, ela irá revelar um segredo dele. Máslova vê Humberto saindo do quarto de Brunessa. Epifânia tira Chayene da cama cedo para fazer exercícios. Socorro fala para Chayene que sabe como separar as Empreguetes.

Avenida Brasil A memória de Jorginho está comprometida e todos se preocupam. Leleco marca encontro com Muricy. Iran se irrita com a presença da mãe na festa de aniversário de Débora. Ivana surpreende Muricy e Leleco juntos na cozinha, mas os dois disfarçam. Leandro e Roni fazem as pazes. Tessália elogia a relação amigável entre Muricy e Leleco, e o ex-casal se sente culpado. Nilo afirma que Max está apaixonado por Nina. Janaína cozinha e Lúcio provoca a mãe. Carminha e Max se encontram.

(21 mai. a 20 jun.) Continue tomando muito cuidado com tudo o que se refere à comunicação: as palavras, as assinaturas de contrato, palestras e reuniões de negócios. Adie qualquer fechamento de contrato. Amor em ótimo momento.

Sagitário

Câncer

(21 jun. a 21 jul.) Energias densas ainda voltadas para as relações familiares e profissionais em um momento de decisões importantes. Nesta fase você deve equilibrar ao máximo as demandas nas duas áreas de sua vida.

Capricórnio (22 dez. a 20 jan.) O trabalho passa por um dos melhores momentos deste ano e você deve estar atento a todas as oportunidades que surgirem. Fique atento às energias domésticas, especialmente com um de seus pais que pode estar precisando de você..

Leão

Aquário

Virgem

Peixes

(22 jul. a 22 ago.) Mercúrio ainda retrógrado em seu signo continua abrindo portas para novos contatos, pois mesmo retrógrado as oportunidades não deixam de chegar até você. Um bom acordo pode começar a ser negociado. (23 ago. a 22 set.) As novidades podem ser bastante agradáveis, especialmente as relacionadas aos seus planos e projetos profissionais. A fase é das melhores e aponta para o sucesso. Uma nova proposta de trabalho pode surgir.

(22 nov. a 21 dez.) Os relacionamentos continuam passando por uma das melhores fases do ano e você deve se abrir para novas oportunidades e conquistas. Procure manter suas despesas e gastos sob rígido controle.

(21 jan. a 19 fev.) As energias continuam altamente positivas para o seu coração. Uma nova paixão pode surgir e mudar a sua vida. A vida aponta para novos caminhos no que diz respeito às suas emoções. Um amor antigo pode se tornar mais sério. (20 fev. a 20 mar.) As energias domésticas continuam muito positivas com grande chance de mudanças benéficas. No entanto, suas finanças passam por um momento delicado. Procure economizar ao máximo.


CadernoD

Editor: Franck Figueira - franckfigueira@jdia.com.br

Carro&Moto Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Automatizados que cabem no bolso

Confira quais são os automatizados mais baratos à venda e entenda como funciona esse tipo de transmissão

C

idade grande, final do dia. Após passar horas no trabalho, o que todo motorista quer é chegar logo em casa e... não ter trabalho. A questão é que, com o trânsito cada vez mais intenso, qualquer viagem como essa se torna extremamente cansativa, especialmente para os donos de carros com transmissões manuais. É aí que entra o sucesso das transmissões automatizadas. Popularizadas por Fiat e Volkswagen, com os câmbios de embreagem simples (entenda melhor abaixo) Dualogic e I-Motion, respectivamente, essas caixas são o que há de mais acessível para aqueles motoristas que querem comodidade no ato de dirigir. Obviamente, há desvantagens em relação às transmissões automáticas e às automatizadas de dupla embreagem, especialmente no conforto durante as trocas. Porém, se o assunto é dar descanso ao condutor, elas cumprem bem o seu papel. Carsale elencou os seis carros mais baratos à venda no Brasil equipados com transmissões automatizadas. São eles (e seus respectivos preços): Volkswagen Gol 1.6 I-Motion Automatizado mais barato do país, o campeão de vendas tem motor 1.6 de 104 cavalos (etanol), mas o preço tende a aumentar no momento da compra, visto que a versão básica carece de itens de série. Volkswagen Fox 1.6 I-Motion O compacto da VW tem plataforma moderna e soluções que privilegiam o espaço no interior. Vem equipado com o mesmo motor do Gol e tem também o mesmo problema: o pouca quantidade de itens de série. Volkswagen Voyage 1.6 I-Motion Solução para quem busca um porta-malas maior, ele divide plataforma e conjunto motriz com o Gol. Tem no comportamento dinâmico seu grande trunfo, mas, novamente, o problema é que o preço inicial dá direito a poucos equipamentos de série

Fiat Palio Essence Dualogic Versão intermediária do compacto da Fiat, esse Palio traz o bom motor 1.6 16V E.Torq, de 117 cv (etanol). A suspensão é mais macia do que a dos rivais da VW, porém o recheio de série justifica o preço maior. Fiat Grand Siena Essence Dualogic Novidade na linha Fiat, o Grand Siena tem no espaço o seu grande apelo, sendo um típico caso de sedã compacto com porte de carro médio. O motor é o mesmo do Palio Essence e a lista de equipamentos de série é ponto forte. Fiat 500 Cult Dualogic O 500 é o “carro de imagem” mais barato do Brasil. É uma boa solução para quem anda sozinho ou, no máximo, com mais uma pessoa na maior parte do tempo e preza o estilo. Essa versão, bem equipada, utiliza o motor 1.4 Fire EVO, de 88 cv (etanol), suficientes para dar agilidade ao pequeno carro. Folga para o motorista Os câmbios automatizados são as alternativas mais baratas para os motoristas que querem dar folga ao pé esquerdo durante as viagens de carro justamente por ter uma arquiteturanão muito distante da vista em uma transmissão convencional. “O funcionamento de uma caixa automatizada de embreagem simples é similar ao de um câmbio manual. Com a diferença de que a embreagem utiliza sensores para determinar a hora correta de acoplar e desacoplar e o trabalho que ficaria à cargo da mão do condutor é realizado por mecanismos dentro da própria caixa de transmissão”, explica Mario Junghänel, coordenador da comissão técnica de Transmissões da SAE Brasil. Para Junghänel, a principal vantagem do câmbio automatizado para a transmissão manual é que ela nivela a condução do carro. “Ele evita trocas erradas e, de certa maneira, faz com que os motoristas menos habilidosos tenham um desempenho similar ao de condutores

mais experientes”, afirma. Um dos pontos críticos dos câmbios automatizados de embreagem simples é justamente o conforto na troca de marchas. “Como o funcionamento, ao contrário de um automático padrão com conversor de torque, é um pouco mais brusco durante as trocas de marchas, é normal que o tranco durante o procedimento cause um certo incômodo”, conta Junghänel. Essa é a principal vantagem dos câmbios automatizados de dupla embreagem, que fazem trocas quase imperceptíveis, já que há dois eixos no câmbio, um com as engrenagens das marchas pares e outro com as engrenagens das ímpares. Infelizmente, esse tipo de transmissão só está disponível em modelos mais caros.

Fiat Palio Essence Dualogic traz o bom motor 1.6 16V E.Torq, de 117 cv (etanol) e muitas novidades internas

Aprenda a utilizar Um ditado diz que a prática leva a perfeição. Portanto, é normal que o uso de um carro com câmbio automatizado exija um período de adaptação do motorista. Há, contudo, algumas dicas para quem está começando a utilizar esse tipo de transmissão. Para minimizar o tranco nas trocas de marchas, o ideal é aliviar um pouco o pé do acelerador no momento em que o câmbio for realizar a troca. O procedimento exige concentração de início, mas tende a se tornar natural com o uso do veículo. Vale lembrar que o truque funciona somente durante uma condução normal. Em uma tocada mais esportiva, a tendência é a de que os trancos se intensifiquem. Outra dica é evitar segurar o carro em ladeiras usando o acelerador. “Isso intensifica o desgaste do conjunto. É uma tentação para o motorista, mas o ideal é utilizar o freio”, alerta Junghänel. Por fim, vale a recomendação de não abusar do câmbio, especialmente no modo manual. Evitar rodar em uma marcha baixa com o giro alto e vice-versa. E, claro, leia o manual do usuário do veículo para saber como operar o sistema corretamente.

Volkswagen Gol 1.6 I-Motion é o mais barato do país, o campeão de vendas tem motor 1.6 de 104 cavalos

Volkswagen Voyage 1.6 I-Motion tem um porta-malas maior, e divide plataforma e conjunto motriz com o Gol

Fiat Grand Siena Essence Dualogic tem no espaço o seu grande apelo, sendo um típico caso de sedã compacto


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

D2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Comparativo: Jogo dos sete lugares

Um bom negácio para uma grande família, o setor das minivans vem ganhando espaço e respeito dos brasileiros

O

número de lugares é sete, mas o algarismo perseguido pelas minivans do mercado nacional dotadas de uma fileira extra de banco neste momento é o 500. Essa era a média mensal de vendas da Chevrolet Zafira, que saiu de cena para a estreia da Spin — que também substituiu o monovolume Meriva. Tabelado a R$ 54 690 na versão top de linha LTZ, com motor 1.8 flex e câmbio automático de seis velocidades, o modelo com espaço para sete pessoas almeja, claro, ocupar o trono deixado por sua versão antecessora. Mas os rivais vão fazer de tudo para impedi-lo; e nós, obviamente, queremos ver (e promovemos) essa briga! As principais concorrentes da Spin são estas duas belezas espaçosas da imagem acima: a chinesa JAC J6 Diamond, que parte de R$ 53 990 com propulsor 2.0 a gasolina e transmissão manual de cinco marchas, e a Nissan Grand Livina, produzida em São José dos Pinhais (PR), com preço sugerido de R$ 57 690 na opção SL e com bloco 1.8 bicombustível e caixa automática de quatro marchas. Antes de revelar o melhor negócio para a sua família, vale a ressalva de que desconsideramos as notas de desvalorização anual e preço das peças no quesito bolso, em função da ausência desses índices para o modelo da Chevrolet. Lançada em agosto passado, a J6 tem no preço inicial um de seus bons atrativos. Mas ao considerar os gastos agregados, a chinesa deixa de ser a menina dos olhos. As revisões ocorrem a

cada 5 000 km e, até os 30 000 km, totalizam R$ 1 257. São R$ 69 a mais que o cobrado pela Grand Livina e R$ 177 em relação à Spin. Seu seguro também é maior. A melhor cotação foi de R$ 2 089, diante dos R$ 1 840 da apólice do Nissan e R$ 1 422 do Chevrolet. Pelo fato de beber apenas gasolina, o motor 2.0 de 136 cv da J6 vai tirar mais dinheiro do seu bolso na hora de abastecer. As médias são de 9,6 km/l na cidade e 11,3 km/l em trecho rodoviário. Mas mesmo ficando em terceiro lugar, o JAC merece elogios. Ele é, por exemplo, o único com garantia de seis anos e completinho de série. Além disso, desbanca os concorrentes em matéria de espaço para os ocupantes e também para as bagagens — o porta-malas tem 720 litros de capacidade. Embora seja amigável de dirigir, a J6 decepciona no desempenho e pela ausência de câmbio automático. O manual, para piorar, tem engates um tanto ruidosos. Na estreante Spin, a transmissão automática de seis marchas é alvo de elogios e algumas críticas. As trocas são feitas com suavidade, mas há muitas reduções ao rodar em velocidades medianas. Além disso, as respostas às pisadas no acelerador são lentas. No entanto, de modo geral, o conjunto mecânico da Chevrolet agrada. O motor 1.8 fl ex de 108 cv é ágil e apresenta ótimas médias de consumo: 8,3 km/l em ciclo urbano e 11,7 km/l na estrada (com etanol). Só a dose de ruídos, em uma ultrapassagem, por exemplo,

é que poderia ser menor. O que mais decepciona o consumidor na Spin, especialmente os fãs da velha Zafira, são os níveis de espaço e conforto. Apesar de dispor da mesma distância entre-eixos do Cobalt, a minivan é apertada. Na somatória das medidas internas, ela perde em 27 cm para o J6. O consolo vai para a área da terceira fila de bancos, mais generosa que a das adversárias —

apesar do acesso difícil. Na cabine, o visual é agradável, mas há muito plástico e “grilos” indesejados. A unidade avaliada fazia muitos “nhec nhecs” ao passar por superfícies com imperfeições. Vencedora da disputa, a Grand Livina também abusa na quantidade de plástico em sua cabine. Mas apesar da aparência mais simples, a sensação ao dirigir é superior e não há peças “cantarolando”

por conta da buraqueira das vias. Equipada com motor 1.8 bicombustível de 126 cv, a minivan da Nissan é bem arrojada nas acelerações e retomadas de velocidade. Seu câmbio automático de quatro marchas não desaponta no arrojo, mas tal como o da Spin berra demais quando se pisa forte no pedal da direita. Em termos de espaço, a Grand Livina só perde por

pouco para a J6 e peca pela ausência de saída de ventilação para quem viaja atrás — recurso presente no JAC. Para o motorista, mesmo sem regulagem de altura do banco, a posição de guiar é encontrada com mais facilidade, embora o campo de visão seja o menor. A ergonomia é outro trunfo do Nissan, bem como a direção elétrica (nos rivais, a assistência é hidráulica).

As principais concorrentes são estas duas belezas espaçosas da imagem acima: a chinesa JAC J6 Diamond e a Nissan Grand Livina, produzida em São José dos Pinhais

GM encerra a produção dos Smart fortwo ganha linha 2013 modelos Corsa, Zafira e Meriva

DIVULGAÇÃO

A

General Motors confirmou o encerramento da produção dos modelos Zafira, Meriva e Corsa, que eram fabricados na planta de São José dos Campos. Por lá só continuarão a S10 e a futura Blazer, prevista para ganhar às lojas depois do Salão do Automóvel de São Paulo. O encerramento da linha dos três modelos obrigou a GM conceder licença remunerada a todos os empregados da planta. Os modelos desenvolvidos em parceria com a

Opel saíram de cena por causa da chegada dos novatos globais Chevrolet Cobalt e Chevrolet Spin. Outro detalhe que contribuiu para a aposentadoria dos modelos está no envelhecimento deles. A segunda geração do Corsa e o Meriva, por exemplo, nascerem por aqui em 2002. Já o Zafira chegou um ano antes, em 2001. Na semana passada o WebMotors fez uma matéria de Guia de Compra sobre o falecido Chevrolet Zafira, modelo que li-

dera o segmento das minivan maiores, no acumulado do ano, com 3 mil unidades vendidas. Outro modelo fora de linha que está na nossa seção de Guia de Compra é o Chevrolet Corsa de segunda geração. O hatch encerrou a sua vida com 19 mil modelos emplacados no acumulado. O Meriva também deixa a fábrica com uma boa aceitação. O terceiro mais vendido do segmento de monovolumes registrou 8 mil unidades comercializadas durante um ano. DIVULGAÇÃO

Na linha 2013, todos os modelos contam com rodas de liga de 15 polegadas e pneus 175/55

A

A General Motors encerrou a linha de produção dos automóveis desenvolvidos em parceria com a Opel

linha 2013 do Smart fortwo acaba de ser lançada no Brasil. Com preços que partem de R$ 52.500 e chegam a R$ 72.900 (confira todas as versões e preços abaixo), o pequeno alemão recebeu leves retoques visuais. Por fora, as novidades ficam por conta de uma mudança de posição do logo, que antes estava sobre o capô e, a partir de agora, encon-

tra-se no centro da grade do radiador, além de alterações nas entradas de ar. Outro detalhe é que nos modelos turbo, as aberturas laterais da grade inferior trazem novas luzes em leds. Há ainda novas saias laterais. Na linha 2013, todos os modelos contam com rodas de liga de 15 polegadas e pneus 175/55 na dianteira e 195/50 na tra-

seira. Para os modelos turbo, há uma nova opção de tonalidade para a carroceria, o cinza fosco e acabamento em preto ou prata. Também para os modelos turbo o sistema de áudio e navegação é novo. As dimensões do fortwo não foram alteradas e permanecem em 2,69 metros de comprimento, 1,55 m de largura e 1,54 m de altura.


Carro&Moto

JD

D3

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Picape com câmbio de sedã

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Em detalhes

Nova geração da Ford Ranger chega em agosto, com mistérios já revelados

A

chegada da nova geração da Ford Ranger às lojas será apenas em agosto, mas ao menos já não há mais mistérios quanto aos preços e versões da imponente picape. Importado da Argentina, o lançamento custará de R$ 61 900 a R$ 130 900, tendo três opções de motor: 3.2 diesel de 200 cv e 5 cilindros, 2.2 diesel de 125 cv e 4 cilindros e a aguardada 2.5 fl exível de 4 cilindros e 173 cv. Também serão três configurações de câmbio: manual e automática de seis marchas para as versões a diesel e só mecânica de cinco velocidades para a versão flex. A versão mais refinada da Ranger com caixa manual de seis marchas será a XLT de cabine dupla. Por R$ 114 900, oferece toda a valentia do motor 3.2 de 47,9 mkgf e agrada muito pela qualidade da nova transmissão. Até no visual da manopla há a sensação de estarmos em um sedã de luxo. Mas é no manuseio e nas trocas que se nota, de fato, o bom nível de refinamento do conjunto. Os engates são precisos e curtos e não há tanta vibração da alavanca em marcha lenta. Para dispor dessas condições, con-

FOTOS DIVULGAÇÃO

Ford lança Mustang especial com 632 cv

A Ford apresentou uma versão bem especial do Mustang. Olha só as suas credenciais: além de contar com uma equipe de engenheiros especialista no acerto de suspensão, a marca chamou Vaughn Gittin Jr, campeão mundial de Drift, para dar os seus “pitacos” no cupê. A versão recebe o nome de RTR e o cliente poderá optar pelo Spec 1 ou Spec 2 na hora do compra. A primeira variante conta com alguns acessórios para deixar o visual do modelo mais esportivo e vale tanto para o Mustang V6 como o V8. Além disso, ela traz pneus de alta performance, rodas aro 19”, escapamento especial e suspensão rebaixada em 2,5 cm. ............................................................................

A versão mais refinada da Ranger com caixa manual de seis marchas será a XLT de cabine dupla

tudo, o motorista deve pressionar o (leve) pedal da embreagem até o fundo, senão haverá certa raspada durante as passagens. No mais, a Ranger manual tem os mesmos atributos das outras versões a diesel, como o bom nível de conforto da cabine, a firmeza das suspensões, tanto em curvas como em piso irregular, e agradável posição de dirigir. De série, a picape com tração 4×4 só fica devendo GPS e pacote com seis airbags.

Kia mostra novas imagens do Cerato renovado, o K3

De série, a picape com tração 4×4 só fica devendo GPS e pacote com seis airbags

Hyundai HB20 ganha novo teaser

Após divulgar no início desta semana dois esboços que mostram como será o novo visual do Forte, nome dado ao Cerato em alguns mercados, a Kia revelou, na última quarta-feira (25), novas imagens do sedã. Desta vez, elas estão mais próximas da realidade e mostram o modelo de perfil e traseira, além de destacar detalhes de roda e faróis. Comparando design com o da geração atual, é possível notar que o modelo foi totalmente renovado, ganhando ares mais agressivo e esportivo. ............................................................................

A

Hyundai divulgou mais um teaser de seu principal lançamento para este ano no Brasil. O HB20 será o concorrente da marca coreana no segmento dos carros populares (principalmente o VW Gol), com estreia marcada para setembro e início de vendas no começo de outubro. O HB20 contará com versões 1.0, 1.6 e 1.6 automática, com preços estimados a partir de R$ 28 mil, R$ 32 mil e R$ 39 mil. O pacote de itens contará com airbags frontais de série desde a versão mais básica, mas freios com ABS serão opcionais. O nome foi tirado das iniciais de Hyundai Brasil e da numeração usada pela marca para os carros compactos, como o i20 vendido na Europa.

Teaser do HB20 revela desenho da dianteira e mostra detalhes das lanternas

Os acessórios automotivos mais legais da semana

À

s vezes, o carro sai da fábrica e chega à garagem casa sem ter nem tapete. Que tal dar uma incrementada no veículo e instalar acessórios? A reportagem selecionou quatro lançamentos legais para tornar sua máquina mais personalizada. Confira:

Citroën faz recall do Aircross e C3 Picasso

A Citroën divulga na última quarta-feira (25) um recall envolvendo os modelos Aircross e C3 Picasso, fabricados entre março de 2010 e abril de 2012. O motivo da ação é decorrente de um problema no freio. Segundo a marca, a montagem incorreta de um dispositivo pode gerar desgaste de algumas peças e, por consequência, causar perda de fluido de freio. Com isso, a eficiência dos freios pode diminuir, o que aumenta o risco de acidentes. Ao todo, o recall envolve 31.738 veículos, sendo 24.398 do Aircross e 7.340 do C3 Picasso. A orientação da Citroën é para que os proprietários dos veículos inclusos no recall entrem em contato com uma concessionária da marca para agendar o serviço. Para mais informações, a fabricante disponibiliza o telefone 0800 011 8088. Confira o intervalo de chassis envolvidos na ação: Aircross: BB504234 até DB500184 Citroën C4 Picasso: BB524630 até DB500176 ............................................................................

Som Boss BV9555 - Bem mais salgado, mas também completão, é o som automotivo BV9555, da Boss. Com potência de 340W, vem com tela touch screen de 7’’, entradas para iPod e MP3 players, USB e auxiliar. Também é capaz de ler cartões SD e sinais de AM e FM. Se o passageiro de trás discordar de seu gosto musical e quiser mudar a faixa, é só usar o controle remoto sem fio. A brincadeira custa consideráveis R$ 699,00. Onde comprar: consultas pelo telefone (11) 3879-6665 ou pelo site www.bossaudio.com.br

Falantes Alpine SXE-1325 e SXE-1725 - É indispensável curtir um sonzinho enquanto sai com a paquera. Para não ter trabalho ao instalar os altos-falantes, a AV2, distribuidora oficial da Alpine no Brasil, lançou dois modelos, os coaxiais SXE-1325 e SXE-1725. O motorista pode usufruir de qualidade musical sem quebrar a cabeça: o aparelho consegue ser implantado em múltiplos modelos de carro, sem requisitar interferências na estrutura deles. O “camaleão” sai por R$ 179,00.

A nova geração do Mercedez Classe A

Passados 13 anos do lançamento do Classe A, já se pode dizer que ele não deixará muita saudade neste mundo. E isso não pelo que ele foi, pois é impossível dizer que sua trajetória como um simpático monovolume urbano, recheado de tecnologia, fracassou. Afinal, durante muito tempo ele esteve à venda como o caminho mais curto para você realizar o sonho de comprar um Mercedes-Benz. Só que depois de ver o que a nova geração do Classe A virou, dá mesmo vontade de que aquele “Mercedinho” nunca tivesse existido.Um hatch compacto premium, com alta valorização de formas, jeito de esportivo picante e, sobretudo, construído com tecnologia de ponta. ............................................................................

Som Blaupunkt New York 800 - A marca alemã agora distribui seus produtos para o Brasil pela AV2, e sua principal novidade é o New York 800, som automotivo com duas entradas USB, entrada para cartão SD, tela de 6,2’’ e o diferencial: Bluetooth e GPS integrados. As lojas receberão o produto dentro de 40 dias, por isso, ainda não foi divulgado um preço.

Alarme Pósitron Cyber PX - A música pode ser diferente: o alarme é sempre uma boa pedida para prevenir roubos. A Pósitron tem como destaque da semana o modelo Cyber PX, que se diferencia pelo tamanho reduzido e pela possibilidade de desacionar o alarme à distância, por controle remoto. Um botão secreto ainda garante o disparo caso alguém tente abrir as portas do veículo enquanto ele esteja ligado. Também é por esse botão que, a cada vez que o motorista der a partida, será necessário desativar o som do alarme. Essa função pode ser um pouco cansativa, imaginamos. O preço sugerido para o acessório é R$ 330,00. Onde comprar: www.positrondireto.com.br

Antes tarde…

A Chevrolet acaba de lançar nos Estados Unidos o Camaro SS equipado com o pacote de performance 1LE. A novidade, que chega com bastante atraso, tem como finalidade atender os consumidores que não podem gastar US$ 54 000 (aproximadamente R$ 108 000) na versão ZL1, a top de linha. O Camaro SS 1LE é facilmente distinguível da sua versão padrão, graças a alguns itens diferenciados, como ao capô em preto fosco, o difusor dianteiro e o spoiler traseiro. As rodas são de liga leve aro 20 polegadas, com pneus Goodyear Eagle Supercar, os mesmos usados nas rodas dianteiras da versão ZL1.


Carro&Moto

JD

D4

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Fluence chega em silêncio

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Em duas rodas FOTOS DIVULGAÇÃO

Diferencial do carro está sob o capô, onde há um motor elétrico de 95 cv

Z

ero Emition. Este é o significado da sigla ZE que acompanha este Renault Fluence com grade, lanternas e faróis diferenciados em relação ao modelo vendido no Brasil. Mas o visual e os 13 cm a mais de comprimento da carroceria são os detalhes que menos importam no modelo. O diferencial está sob o capô, onde há um motor elétrico de 95 cv. À venda na Europa por 20 900 euros, o equivalente a R$ 52 459, o sedã médio que não emite poluentes esteve no país durante a Rio+20, Conferência das Nações Unidas, para exibir suas qualidades. E impressionou bastante. Seu propulsor, alimentado por bateria de íon lítio — localizada no porta-malas de 317 litros —, tem desempenho semelhante ao do bloco a combustão vendido por aqui. Não fosse a ausência de ruídos, o condutor dificilmente notaria a diferença. Também agrada a boa dose de torque do Fluence ZE. São 23 mkgf a partir de 400 rpm que transmitem ao motorista a impressão de

DIVULGAÇÃO

Harley-Davidson Iron 883 leva prêmio Guidão de Ouro

Carro é vendido na Europa por 20 900 euros. Sedã médio não emite poluentes e foi mostrado no Brasil na Rio+20

estar em um carro com motor V6 tamanha a rapidez na entrega de força. Com autonomia de 185 km (sendo 120 km em condição de trânsito), a bateria pode ser recarregada em tomadas de 220V. O tempo, em modo lento, é de 5 horas, mas uma carga rápida pode ser feita em apenas 30 minutos. Ao volante, a sensação de

estranheza surge só no primeiro contato, ao girar a chave e ouvir um barulhinho de grilo, indicando que o Fluence está ligado. Em seguida, basta colocar a manopla do câmbio CVT na posição D (drive) e dirigir da maneira habitual. Nos mostradores, há algumas diferenças de fácil compreensão. Além dos grafismos azulados, há um

marcador de consumo da bateria no lugar do conta-giros e uma espécie de econômetro, à direita. Ao percorrer os metros iniciais também é preciso tomar um certo cuidado com o freio, um tanto mais duro que o convencional. No mais, seja em ergonomia, espaço na cabine e conforto para os ocupantes, trata-se do mesmo (e bom) Renault.

A Harley-Davidson do Brasil tem mais um bom motivo para comemorar. A 5ª edição do Guidão de Ouro, promovido pela revista Motoaction, tradicional publicação especializada em motos Premium e de alta cilindrada, coroou a Harley-Davidson Iron 883™ como Guidão de Ouro na categoria Custom. “A conquista desse prêmio é muito especial, pois ele é fruto da escolha do público que votou em nossa motocicleta. Nós acreditamos que nossas motos são únicas, mas ouvir isso de entusiastas de todo o Brasil é algo realmente sensacional”, afirma Júlio Vitti, gerente de Marketing, Produtos e Relações Públicas da Harley-Davidson do Brasil. De acordo com o regulamento do prêmio, as motos vencedoras são eleitas pelo público, que pôde votar acessando o site da revista em www.revistamotoaction.com.br. A ideia é saber a preferência do consumidor dentre 68 motocicletas comercializadas no Brasil em 2011 divididas em oito categorias diferentes. ............................................................................

Governo faz estudo para prorrogar a redução do IPI

O

ministério da Fazenda abriu um estudo para decidir se vai prorrogar a redução do Imposto sobre Produto Industrializado, o IPI, sobre carros. Programada para acabar em 31 de agosto, a redução pode ser estendida por mais dois meses, acabando em 31 de outubro. Essa decisão ainda está na fase de estudos, e só pode ser tomada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. O governo só deve anunciar essa medida no final de agosto, para não diminuir o ritmo de vendas atual.

Kawasaki revela a Ninja 2012 ZX-14R e diz que é a mais rápida do mundo Sem um pingo de modéstia, a Kawasaki apresentou a nova Ninja ZX-14R. Segundo a Kawasaki, a nova Ninja é a moto mais rápida do mundo produzida em linha. O motor da nova Ninja ZX-14R é um quatro cilindros em linha com comando duplo no cabeçote (DOHC) e 1.441cc. Apesar da Kawasaki não ter divulgado oficialmente, rumores indicam que a potência máxima pode alcançar 250 cavalos com a ajuda de um sobrealimentador. Esta máquina também conta com controle de tração regulável e freios compostos por discos duplos semi-flutuantes com pinças radiais de quatro pistões na frente e na traseira um disco único com pinça de pistão duplo. Em termos visuais, as modificações são poucas. As novidades ficam por conta dos novos escapamentos com protetores na cor preta e labaredas de fotos na pintura verde.


CadernoE

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Salário médio de admissão sobe para R$ 1.002 no primeiro semestre de 2012

Entre os estados, Acre registrou o maior ganho, com 13,48% de aumento. Média para as mulheres é mais baixa

O

salário médio dos admitidos registrou aumento de 5,90% no primeiro semestre de 2012, em comparação com o mesmo período do ano anterior, passando de R$ 946,79 para R$ 1.002,64, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados na última segunda, 23, pelo MTE (Ministério do Trabalho e Emprego). Entre os estados, o Acre registrou o maior ganho real, com 13,48% de aumento, seguido pelo Sergipe, 9,92%, Pará, 9,18%, Rio Grande do Norte, 8,92%, Pernambuco, 8,41%, Distrito Federal, 8,32%, e Mato Grosso, com crescimento de 8,19%, em comparação com os primeiros seis meses de 2011. Na análise entre os maiores salários médios ao contrarar um profissional, São Paulo lidera o ranking, com R$ 1.141,05. Em seguida, aparecem o Rio de Janeiro, com R$ 1.136,63, Paraná, com R$ 966,60, e Santa Catarina, com R$ 966,20. Em con-

DIVULGAÇÃO

trapartida, os estados que apresentaram os menores varoles foram Paraíba, R$ R$ 768,92, Piauí, R$ 770,38, e Roraima, com R$ 796,32. Gênero Entre os sexos, a pesquisa aponta que o salário médio das mulheres admitidas, nos primeiros seis meses do ano, é menor do que dos homens: R$ 911,97 contra R$ 1.055,24. O crescimento real do salário médio pelos homens foi de 5,94%, ante um aumento mais favorável às mulheres, de 6,15%. Com isso, a relação entre os salários reais médios feminino versus masculino passou de 86,25%, em 2011, para 86%42, nesse ano. Escolaridade Em relação à escolaridade, os que cursaram o Ensino Superior Completo receberam, em média, R$ 2.501,83, enquanto os que tinham Ensino Superior Incompleto recebiam R$ 1.183,27. Aqueles que estudaram o Ensino Médio Completo, o valor chegou

A relação entre os salários reais médios feminino versus masculino passou de 86,25%, em 2011, para 86%42 em 2012

a R$ 920,6, e para aqueles que não completaram o Ensino Médio, o salário inicial é de R$ 797,28.

Os menores valores foram verificados pelos profissionais analfabetos, com R$ 759,53, por aqueles que

cursaram até o 5º ano Incompleto do Ensino Fundamental, R$ 819,02, do 6º ao 9º ano Incompleto do

Ensino Fundamental, com R$ 842,06, e até o 5º ano Completo do Ensino Fundamental, R$ 844,4.

Trabalhar em casa é a melhor opção? Veja 7 dicas para decidir

T

rabalhar em casa é o sonho de muitas pessoas, para outras, porém, seria um grande pesadelo. Saber identificar as diferenças que apontam para a opção ideal é o primeiro passo para que você tome a decisão certa.Separamos algumas dicas e critérios que podem ajudar você a decidir, confira: 7 dicas para decidir para decidir trabalhar em casa: 1. Personalidade certa Nem todas as pessoas conseguem conviver com a rotina e disciplina que trabalhar em casa exige. Algumas trabalham melhor em escritórios tradicionais, com horários fixos e as responsabilidades desse tipo de trabalho. Considere também a forma como você lida com o estresse, e se isso irá melhorar ou piorar quando você trabalhar em casa. 2. Habilidades para um trabalho feito de casa Antes de trabalhar em casa, você precisa ter um trabalho para realizar. Se você deseja começar o próprio negócio, algumas habilidades são essenciais, como organiza-

DIVULGAÇÃO

ção, possibilidade econômica, capacidade de vendas e práticas de negócios. 3. Flexibilidade econômica Começar um novo negócio em casa é arriscado, pois exige que você tenha certa flexibilidade financeira para poder iniciar os negócios. Avalie suas finanças e analise se esse seria o melhor momento para mudar de carreira e começar uma nova empresa. 4. Administração do tempo Se você imagina que trabalhar em casa faz com que você tenha mais tempo de sobra, então é hora de encarar a realidade, principalmente se você for começar um novo negócio. Esse tipo de trabalho exige muita disciplina e boa administração do tempo, para que você saiba separar corretamente cada responsabilidade e tarefa, tanto as pessoais quanto as da empresa. 5. Se você tiver filhos pequenos Ter filhos pequenos leva a decisão para outros caminhos, e a reflexão deve

Ter filhos pequenos requer cuidados na hora de abrir o próprio negócio dentro de casa, devido à disponibilidade de tempo

ser feita juntamente com outros responsáveis pela criança. Você deve avaliar a disponibilidade de tempo que possui e como deseja equilibrar as áreas da sua vida para que todas funcionem em equilíbrio. 6. Escolha o que você quer fazer

Essa pergunta é realmente importante, pois irá definir as suas expectativas e como você planeja que elas sejam satisfeitas. Todos os passos anteriores são importantes para que você chegue a decisão certa com a consciência limpa, mas talvez essa seja a mais importante

para que você não tenha ideias irrealistas do que trabalhar de casa significa. 7. O apoio da família Na teoria, sua família poderia apoiar você no trabalho em casa, mas a prática pode ser bem diferente. A mentalidade de seus familiares deve ser

alterada para que eles entendam que as responsabilidades de um trabalho em casa são tão importantes quanto à de um emprego tradicional. A comunicação e flexibilidade são características que devem ser exercitados em todos. (Fonte: Universia Brasil)

Saiba o que fazer para impressionar o chefe e a equipe no novo emprego

A

pós um cansativo processo seletivo, finalmente o profissional consegue a vaga tão disputada. Mas, e agora? Nestes momentos, muitas pessoas se sentem inseguras em como dar o primeiro passo no ambiente corporativo, fazer novos colegas e conquistar seu chefe. “O seu comportamento e suas ações irão definir o seu perfil dentro da empresa, na visão de seus colegas e superiores. Sendo assim, é fundamental o profissional se preparar e ficar atento às questões da empresa, como ritmo, comunicação e a expectativa do chefe

para o seu cargo”, afirma a consultora de Desenvolvimento Humano da M&S e psicóloga, Elisabete Oliveira. Para suprir a expectativa e se dar bem nessa nova fase, além de estar alerta com o que acontece ao seu redor, é necessário saber lidar com a mudança. “Pensar como o profissional pode ser simpático, como ser agradável e como ser solista. Essa última característica é muito importante, pois é o que menos se vê no ambiente corporativo, pela competição excessiva da equipe. Ouvir as pessoas e querer ajudá-las são algumas dicas que pode-

rão conquistar seus colegas”, comenta a consultora. Uma outra dica é prestar atenção na hora da entrevista: ver como as pessoas se vestem, se são mais extrovertidas, entre outas características que, se for chamado, saberá como agir nos primeiros dias e a possibilidade de dar uma boa impressão ao seu chefe, será maior. “Ele saberá que o profissional já está alinhado com a empresa e que faz parte da equipe”, comenta Oliveira. Mas, às vezes, o nervosismo fala mais alto. Nesta hora, a melhor solução é pesquisar na internet os valores e as principais ativi-

dades da empresa, inclusive, se for possível, ver a área de atuação e estar ciente de suas funções. O que não fazer Há uma série de erros que muitos novos profissionais cometem logo no começo, que certamente, poderá prejudicá-los para a ascensão da carreira no local ou, no caso dos estagiários, uma possível efetivação. O grande e mais comum erro que os profissionais fazem, aponta Oliveira, é chegar no novo emprego com a postura do anterior. O ritmo da empresa antiga, como ele lidava com os co-

legas e com seus superiores, alguns possíveis pontos negativos do dia a dia, como chegar atrasado ou sair mais cedo. “Ter o vício da rotina é ruim, pois é preciso mostrar eficiência e pró-atividade e aproveitar que é novo para dar opiniões, pois tem uma nova visão de prováveis pequenas falhas que os outros não percebem no dia a dia”, afirma Oliveira. Ter medo de perguntar também é outro deslize frequente. “Melhor perguntar do que deduzir. Também mostrará interesse em aprender rápido o seu trabalho e saber sobre a empresa”.

O novato é o chefe Conquistar o chefe é difícil. Imagine se o novo profissional é o próprio chefe e o dever não é conquistar um, mas vários empregados. “Muitos subordinados têm aversão à nova chefia, seja por falhas da gestão anterior, ou por um chefe muito querido pela equipe que foi demitido”, explica Oliveira. O que se deve fazer nessa situação, é se apresentar: mostrar como trabalha, quais seus objetivos na empresa, o que espera da equipe, tópicos relevantes para uma boa convivência e para deixar claro o que o chefe espera dos empregados.


JD

Economia&Negócios

A xícara de chá

O

CONCEIÇÃO TEIXEIRA Psicóloga- conceicao@accrh.com

que move um ser humano? Seus sonhos. O que move uma empresa? O sonho de uma pessoa ou um grupo. O que move a humanidade? Os sonhos de uma multidão... Esta semana estive em contato com muitas pessoas. Encontrei um grande entusiasmo, foco e persistência, na realização dos próprios sonhos em uma boa parte dos grupos que convivi. Em outros, encontrei exaustão e um forte sentimento de entrega à própria sorte. Isso me chamou atenção, me fez refletir e agora compartilhar com você que está lendo este pequeno texto neste momento. Quando criança, não temos uma noção de tempo nem de poder, perdemo-nos entre o ontem, o hoje e o amanhã. Achamos que podemos tudo, ou que não podemos nada, somos um tanto inconsequentes, ou medrosos demais. Vamos crescendo e adquirindo noção de tempo e espaço, do poder que nos é permitido assumir nas relações humanas estabelecidas. Alguns de nós por circunstâncias de família, berço que nos acolheu neste mundo, é dotado de benefícios especiais e a vida vai transcorrer dentro de padrões es-

táveis e promissores. Outros que recebem em herança, um grupo que também herdou do histórico social dificuldades e um padrão de luta diária para a sobrevivência, estarão marcados para buscar com garra e muita força tudo o que lhes for de direito. Aí surgirão, os que do nada ou quase nada, conseguirão ressurgir como fênix, para uma nova realidade que modificará o ciclo de um grupo. A história está repleta de casos que provaram, que os limites somos nós que os impomos. A história também tem comprovado caso a caso, que por trás de cada “herói”, existe sempre um coadjuvante, que muito poucas vezes é citado, mas que foi fundamental, para que fosse ouvido o grito da vitória. Algo comum a todos que venceram, foi a presença de um amigo, em suas vidas. Compreendendo aqui como amigo, aquele parente, aquele cônjuge ou pessoa que por laços de profundo apreço, esteve lado a lado, por longos períodos de luta, acreditando, somando forças, sonhando junto. Todos sabemos que ninguém vive só. E é assertivo dizer também, que ninguém vence só! Conheci uma pessoa, que vamos chamar de

WK. Ele atravessou momentos tão difíceis, que chegou muito perto de constatar o que era o impossível. Em sua casa havia uma funcionária que há anos trabalhava para a família e todas as noites, antes desta pessoa dormir ela preparava para WK, uma xícara de chá. Enquanto ele tomava aquele chá, repensava o dia, acertos e equívocos cometidos, novas estratégias de ação. Foram anos de tentativas entre acertos e erros, várias vezes bem mais erros que acertos. E toda a noite era constante, o silêncio de sua funcionária e a xícara de chá. Passados os anos, quando finalmente ajustados os processos, realinhados os programas e projetos, ele estava lá com a xícara de chá e na alegria da vitória, alcançando a serenidade e o equilíbrio da conquista, como em um filme de sua vida ele constatou o quanto foi importante a cada dia, aquela senhora, sua silenciosa presença e aquela xícara de chá... A você que compartilhou este texto, desejo todo o sucesso do mundo. Só vence quem lutou. Para haver vitória é imprescindível a superação dos obstáculos, eles fazem parte do caminho!

Sete características de profissionais indispensáveis

P

rofissionais com um currículo de tirar o fôlego e com um histórico bom de entrega de resultados, como era de se esperar, sempre ficam na mira das empresas. Mas, de acordo com especialistas, para se tornar um profissional indispensável (daqueles que todo chefe adoraria ter na sua equipe ou colegas, na baia ao lado) é preciso mais. Confira o quê: 1- São proativos “Esses profissionais, geralmente, se colocam em situações sem que sejam mandados”, afirma o psicanalista Luiz Fernando Garcia, autor do livro “Inconsciente na sua vida profissional” (Editora Gente). Ou em outros termos, ser proativo. Agora, atenção, ser proativo não é sinônimo de ser workaholic. Profissionais indispensáveis, geralmente, têm uma percepção aguçada sobre o que precisa ser feito. “Essas pessoas são comprometidas com o trabalho. Não no sentido de ser reativa. Elas fazem o que precisa ser feito, vão além e trazem outros com ela”, diz o antropólogo Luiz Marins, autor do livro “Tudo o que é fácil já foi feito” (Editora Saraiva). 2- Assumem riscos Nessa toada, profissionais indispensáveis não se restringem à zona de conforto. Antes, volta e meia, ultrapassam os limites daquilo que lhes é confortável e assumem riscos. Mas não é preciso estar na mesa de operações ou em posições estratégicas para vivenciar riscos. Basta se abrir para o novo e ultrapassar as próprios limites de si, rotineiramente.

3- Enxergam soluções Independente do cargo que estão, profissionais indispensáveis são capazes de ligar os pontos, solucionar problemas e trazer novas propostas para a companhia. Geralmente, são pessoas criativas, que estão um passo à frente da maior parte da população. “Em média, bons gerentes, tem uma visão de até 3 anos, bons diretores, de até 10 anos. Agora, quem tem uma personalidade empreendedora, tem uma visão de longo prazo de 30 anos”, diz Garcia. 4- São “gente boa” “Saímos da era da intrapessoalidade para uma época de interpessoalidade”, afirma Garcia. “As organizações estão atrás de pessoas que saibam pensar em conjunto”. Isso significa que, dentro de qualquer companhia, ganha pontos quem não se enclausura dentro do próprio sucesso, mas que pensa no todo. Aquele que veste a camisa e valoriza, de fato, todas as pessoas. Em termos práticos, segundo Garcia, as pessoas indispensáveis sabem dar feedback, transmitir conhecimentos e valorizar todos com quem trabalha. Se não estão em cargos de liderança, geralmente, são capazes de gerar vínculos e contribuem para um ambiente corporativo amigável. 5- Levam outras pessoas junto Essa capacidade de gerar vínculos, geralmente, é fundamental para que estes profissionais também sejam capazes de influenciar outros, sem manipulá-los. “Uma coisa são os engajados, outra, os ativa-

mente engajados. Os últimos, além de proativos, engajam outras pessoas também”, explica Marins. “Por exemplo, em todo processo de fusão são necessárias pessoas que tenham habilidade para gerar vínculos. Quem tem este potencial acaba se tornando um agente catalisador de mudanças”, diz Garcia. 6- Entregam resultados de qualidade Resultados sempre falam mais alto. Mas, no contexto corporativo atual, o que leva a eles também conta. E muito. Se o profissional bate todas as metas, mas sob as penas de burlar leis, afugentar outros bons profissionais e cometer desvios éticos, provavelmente, não durará muito tempo. Porque, no longo prazo, o custo benefício deste tipo de combinação pode acabar no prejuízo. 7- Têm olhos que brilham “Tem gente que não brilha por nada. Tem aquelas que os olhos só brilham quando se fala de salário ou férias”, diz Marins. “Agora, tem gente que brilha quando recebe um desafio novo, quando tem algo a aprender. São essas pessoas que eu contrato”. Mas o que está por trás de olhos brilhantes diante de novos desafios profissionais? Paixão pelo que faz e ponto. A base de todos os outros atributos das pessoas insubstituíveis está em, realmente, gostar do trabalho que se exerce. Sem isso, fica difícil tomar iniciativa, assumir riscos, influenciar pessoas e contribuir para um ambiente motivador no trabalho. (Fonte: Exame.com)

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

E2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Confira as 10 coisas que você nunca deve fazer no trabalho

C

rescer na carreira é o desejo de 10 entre 10 profissionais. Mas, para alcançar esse sonho é preciso muito trabalho e algum senso, especialmente dentro do ambiente de trabalho. Da mesma maneira que sua conduta pode levar aos cargos de liderança, ela também pode acabar com a sua carreira. Confira quais são as 10 coisas que você nunca deve fazer no trabalho e garanta uma carreira brilhante: 1. Compartilhar informações Se não quer ver uma informação compartilhada em e-mails, redes sociais, comentários dentro do escritório ou, mais que isso, não quer que o assunto chegue aos ouvidos do seu chefe, a solução é simples: não compartilhe. Mesmo que seja um assunto antigo, lembre-se de que isso pode render por muito tempo, especialmente porque as coisas compartilhadas na internet possuem registros. 2. Se desculpar demais Todas as pessoas cometem erros, mas nos negócios isso pode ter consequências bem ruins. Entretanto, isso não obriga você a se desculpar repetidas vezes sobre um erro já ocorrido. Sendo um problema pequeno ou grande, procure resolver diretamente com as pessoas envolvidas. Diga o que você precisa cara a cara e esqueça o assunto. Ficar voltando ao tema e se desculpando novamente não vai trazer efeitos positivos. 3. Abusar do uso do smartphone A presença dos smartphones na vida das pessoas já não é surpresa. No entanto, você não deve permitir que o

uso dessa ferramenta atrapalhe o seu rendimento no trabalho. Estar constantemente conectado não faz parte da sua rotina de trabalho e pode causar uma impressão ruim para o seu chefe e para os seus colegas de trabalho. 4. Entrar em conflito com os seus superiores Você tem todo o direito de discordar da opinião dos seus superiores e pode, inclusive, pontuar isso em alguns casos. Mas é necessário saber de que maneira você falará sobre isso sem prejudicar o relacionamento de vocês. Medir forças com pessoas em cargos superiores ao seu não traz vantagem nenhuma. Procure maneiras adequadas de oferecer o seu ponto de vista; de preferência em uma reunião privada. 5. Procurar problemas Nem todos os dias são bons dias, todos entendem isso. Mas estar de mau humor ou irritado com alguém não é motivo suficiente para estragar o dia dos seus colegas de trabalho. Se você for para o escritório procurando por problemas certamente encontrará, mas, de uma maneira ou de outra, isso não acabará bem para você. Cure a sua irritação com um bom pedaço de chocolate e silêncio, você sairá ganhando mais. 6. Exagerar nas habilidades e influência Mentir sobre as suas habilidades, a sua influência ou mesmo se comprometer com aquilo que você não pode cumprir vai acabar com a sua reputação. Diga somente aquilo que você puder comprovar e faça apenas aquilo que você realmente puder sem atrapalhar o tra-

balho de outras pessoas. Se você cumprir tudo aquilo que promete sua credibilidade irá aumentar cada vez mais e as pessoas sentirão que podem contar com você. 7. Perder o controle Você pode estar coberto de razão sobre o que quer que esteja defendendo, mas se irritar, maltratar pessoas, gritar e perder o controle de qualquer outra maneira vai acabar com a sua credibilidade. Se você tem algum problema procure resolvê-lo diretamente com a fonte. Em particular. 8. Fazer ou dizer coisas desnecessárias Na hora de trabalhar em equipe o bom senso é fundamental. Portanto ative o seu e evite possuir comportamentos inadequados ou compartilhar informações desnecessárias. As pessoas não precisam saber sobre a festa insana que você frequentou na noite passada, deixe esse tipo de informação para compartilhar com seus amigos mais próximos. 9. Reclamar de tudo Se você é o tipo de pessoa que acha que nada está bom, pode acreditar: está transformando o ambiente de trabalho em um inferno. A infraestrutura do escritório pode ser ruim, os colegas podem ser mal educados e o seu chefe pode ser horrível, mas pontuar cada um desses problemas só vai acentuá-los ainda mais. Procure fazer o melhor com aquilo que você tem. 10. Fazer fofocas Da mesma maneira que reclamar de tudo não vai fazer as coisas se resolverem, cuidar da vida alheia não vai trazer nenhum benefício.

Curiosidades científicas sobre a segunda-feira

V

ocê odeia segunda-feira? Falta disposição para voltar à rotina depois daquele fim de semana agitado? Se sim, você não está sozinho. Dê uma olhada nessa lista de descobertas científicas sobre as segundas-feiras – e aproveite para justificar todo esse mau humor. - A maioria das pessoas só sorri depois das 11h16… A pedido de uma empresa britânica, a OnePoll, especializada em pesquisas, entrevistou 2 mil funcionários para saber algumas verdades sobre as segundas-feiras. A primeira conclusão: as pessoas acordam tão mal humoradas às segundas que conseguem esboçar o primeiro sorriso apenas às 11h16. - …se atrasa para o trabalho (e rende menos) Segundo a pesquisa, pouco mais de 50% dos trabalhadores não chegam ao trabalho no horário. E pior, só conseguem trabalhar de verdade durante três horas e meia. Em compensação, ir ao trabalho pode ser uma boa saída para o mau humor. “Trabalho pode ser o melhor lugar para ir às segundas. Somos essencialmente homens das cavernas em cidades. Queremos nos sentir parte de uma tri-

bo, então pegamos uma xícara de chá, sentamos e começamos a trabalhar. Depois do ritual, estamos pronto para uma semana produtiva”, diz Alex Gardner, psicólogo envolvido com a pesquisa.

maior incidência de suicídios após aniversários ou Ano Novo. “Isso pode estar ligado aos recomeços, como Ano Novo, aniversário, ou só o começo da semana”, diz Anita Brock, co-autora da pesquisa.

- Adultos odeiam mais as segundas-feiras Outra constatação da pesquisa da OnePoll: pessoas entre 45 e 54 anos sofrem mais com o início da semana e gastam cerca de 12 minutos falando mal da segunda-feira. Quanto ódio.

- …os infartos também Segundo o British Medical Journal, os casos de infarto sobem 20% às segundas, em comparação aos outros dias da semana. A causa é previsível: estresse e pressão alta por conta do retorno ao trabalho.

- Suicídios aumentam nesse dia… Os dados vêm do Escritório de Estatísticas Nacionais da Inglaterra. Segundo eles, 16% dos suicídios entre os homens acontecem em plena segunda-feira – 17% das mulheres também preferem se matar nesse dia. A preferência pelo sábado e domingo é menor: 13% dos suicídios acontecem durante o fim de semana. Eles também perceberam

- Sexo e televisão ajudam a melhorar seu humor Ficou ainda mais desanimado? Então fique tranquilo, a pesquisa da OnePoll também revelou osmelhores jeitos de curar o mau humor de segunda: ver televisão, fazer sexo, comprar qualquer porcaria pela internet, comer chocolate, planejar as férias. Isso deve funcionar em qualquer dia, não? (Fonte: Superinteressante)


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

E3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Profissionais podem usar habilidades e conhecimentos para obter renda extra Usar as horas de folga para realizar serviços para terceiros pode render reforço importante no orçamento familiar

N

a hora de organizar o orçamento para pagar as contas, qualquer dinheiro a mais faz toda diferença. Uma habilidade ou conhecimento específicos podem se transformar em oferta de serviços para amigos, vizinhos e até desconhecidos. Caso você ainda não saiba o que é possível fazer para ter dinheiro extra no final do mês, veja a lista à seguir: 1. Aulas particulares: quem tem um conhecimento avançado sobre alguma matéria escolar ou um determinado assunto ou idioma, pode oferecer serviços de tutor. Esse tipo de atividade pode ser realizada nas horas livres e cobrada por hora de aula. 2. Artesanato: as pessoas que possuem habilidades para desenvolver produtos de forma manual, seja para decoração ou uso no dia-a-dia podem vender essas peças a amigos e vizinhos. Também é possível encontrar lojas interessadas em vender os objetos por consignação, rendendo um dinheiro extra no final do mês.

DIVULGAÇÃO

3. Computadores e internet: aos que possuem conhecimento sobre computadores, sistemas operacionais, internet e redes sociais, podem ganhar uma renda extra com esse conhecimento. Nas horas vagas é possível se resolver para resolver problemas no PC, reparar programas, formatar o computador, ou oferecer suporte técnico. Uma dica é criar promoções para que comecem a surgir novos pedidos de ajuda. 4. Do velho para o novo: com o equipamento adequado e paciência, é possível dedicar algumas horas do tempo livre para converter cassetes de vídeos VHS para DVD. Muitas pessoas têm vídeos VHS em casa que gostariam de ver no PC ou compartilhar na web, por isso pode ser uma boa ideia. 5. Dog walker: para quem gosta de animais, é possível oferecer passear com cachorros e cobrar por isso. O dog walker é uma espécie de companhia para aqueles animais que passam o dia todo sozinho.

Muitos brasileiros buscam alternativas durante as folgas de trabalho para aumentar a renda familiar, em especial prestando serviços terceirizados

6. Doces: perfeito para quem tem habilidades culinárias. Fazer docinhos como brigadeiro e beijinho pode ser o caminho para ganhar um dinheiro extra. Os doces podem ser vendidos para amigos, vizinhos e colegas de trabalho. 7. Na música: nas horas

extras também é possível unir o útil ao agradável e fazer mais uma atividade que se gosta ganhando dinheiro. Pra quem gosta e entende bastante de música, ser DJ em festas pode gerar uma grana extra no final do mês. 8. Quase um marido de aluguel: nas horas vagas

também é possível ganhar dinheiro fazendo pequenos reparos, como instalações elétricas, encanamentos, entre outros. 9. Consultoria: quem tem conhecimentos especializados em uma determinada área, pode prestar consultoria para empresas e pessoas sobre assuntos

ligados ao tema. Por exemplo, contabilidade, recursos humanos, finanças pessoais. 10. Imposto de renda: na época da declaração do imposto de renda da pessoa física, também pe possível ganhar uma renda extra fazendo a declaração para outras pessoas.

Pequenos gastos podem causar grande impacto nas contas

D

6 – Cartão de crédito: deixe o cartão em casa, isso evita que você compre por impulso.

iariamente gastamos com pequenas coisas e não fazemos a menor noção de quanto isso representa no mês. É sempre um lanche de manhã, ou uma passada na bomboniere depois do almoço, mas você sabe o quanto isso impacta no final do mês? Estes pequenos gastos, na maioria das vezes, não entram no orçamento do consumidor, afinal quase ninguém tem o costume de anotar tudo o que compra no dia. Para manter um orçamento saudável é fundamental que o consumidor conheça seus gastos e reserve uma quantia, por mês, para essas pequenas despesas, que aparentemente não impactam no planejamento. Vejas os 10 gastos que podem ser evitados no dia-a-dia: 1- Alimentação fora de casa: tome cuidado com as refeições fora de casa, avalie os preços dos restaurantes antes de fazer a refeição e evite ir aos fastfoods todo final de semana. 2- Doces: evite passar na loja de doces todos os dias

7 – Compras coletivas: compras compartilhadas podem representar redução de gastos para todo o grupo. Particularmente entre familiares, é uma prática bem interessante e, quanto maior a família, maior o volume de cada item a comprar e, potencialmente, maior o benefício do compartilhamento. 8 – Lazer: aos finais de semana, busque opções de lazer mais baratas. Seus filhos podem se divertir tanto no shopping center, quanto em um parque.

O momento das compras nos supermercados requer atenção, pois falta de planejamento pode levar à aquisição de muitas coisas desnecessárias

após o almoço, reserve um dia na semana para as loucuras gastronômicas. 3- Bens e serviços: pesquise antes de comprar bens ou contratar serviços.

Lembre-se: o melhor preço de um produto não é o praticado “naquele” ponto de venda, mas o praticado pelo mercado. 4- 10% do garçom: nos

restaurantes, lembre-se que você não é obrigado a pagar os 10% do garçom. Dependendo do valor da conta, opte por entregar uma gorjeta menor para o próprio funcionário.

5- Carro na garagem: evite ir trabalhar todos os dias de carro, use o transporte público, ou até mesmo carona dos amigos.

9 - Valorização de marcas famosas: produtos de marcas menos conhecidas são tão bons quanto os das grandes grifes. Isso vale também para produtos das marcas dos supermercados. 10 – Presentes: economize nos presentes, opte pelas famosas lembrancinhas, presenteie seus amigos com um livro ou um DVD, são mais baratos.

39% dos universitários pensam em ter seu próprio negócio

U

ma pesquisa realizada pela agência Na Mosca revelou que 39% dos universitários pensam um dia ter o próprio negócio. Apenas 4% disseram que não pretendem empreender. Foram entrevistados jovens de de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Salvador. O estudo indicou ainda que 63% dos jovens estão estagiando. Entre os que participam de um programa de estágio, 18% são remunerados e 8% não são. Praticamente 6 em cada 10 entrevistados que começaram a trabalhar ou estagiar, iniciaram a partir do primeiro ano de faculdade. Isso se deu princi-

palmente entre os mais novos (17 a 20 anos) e das classes C e D (58%). Efetivação O levantamento revelou ainda que 37% dos universitários já foram efetivados nas empresas em que estagiavam. Ao analisar as regiões, nota-se que Curitiba e interior de São Paulo são as praças onde têm maiores percentuais de universitários que trabalham com efetivos, com 43% e 42%, respectivamente. Em contrapartida, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, são as cidades em que menos têm jovens trabalhando como profissional efetivo, com 31% e 22%, respectivamente.

DIVULGAÇÃO

Segundo a pesquisa, cerca de 6 em cada 10 jovens começaram a trabalhar ou estagiar já no primeiro ano de faculdade e acabaram efetivados


JD

Economia&Negócios

E4

Macapá-AP, domingo e segunda, 29 e 30 de julho de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Capacidade de superar dificuldades é essencial na carreira do profissional Mesmo diante dos problemas, profissionais bem sucedidos conseguem manter o foco nas metas estabelecidas

D

entre as características que fazem o sucesso ou o diferencial dos profissionais está a resiliência, a qualidade que leva o indivíduo a manter-se motivado e focado em sua meta, mesmo diante de dificuldades. Para Alessandra dos Santos Moura, diretora de Desenvolvimento Organizacional da Caliper Brasil, a resiliência é o grande diferencial de quem conseguiu ir mais longe. “É uma espécie de elástico interno que permite, por exemplo, trabalhar bem sob pressão e lidar com dificuldades e adversidades sem desestimular-se. Pessoas resilientes não deixam

situações desfavoráveis interferirem em seu nível de motivação e conseguem dar continuidade aos seus planos, mesmo sob condições adversas”, assinala. A diretora da Caliper Brasil ensina que uma premissa importante para quem almeja ser bem-sucedido é focar a carreira naquilo que mais gosta de fazer; nas atividades que mais trazem gratificação e motivação. O primeiro passo, segundo a especialista, é dedicar um tempo para elaborar uma definição própria de sucesso. “Creio que sucesso seja um sentimento de conquista. Tem a ver

Saiba como conquistar seu primeiro emprego

E

xiste uma preocupação importante para muitos jovens: como conseguir seu primeiro emprego! Por diversos motivos, a maioria deles gostaria, o quanto antes, de entrar no mercado de trabalho. Seja um estudante que precisa ajudar a família ou custear seus estudos, seja um buscando estágio, seja um recém formado que esta “batalhando” para entrar no mercado e descobre surpreso, que seu suado diploma não é garantia de uma boa colocação profissional. O certo é que neste momento bate aquela insegurança, a falta de confiança, a dúvida e a incerteza de qual o melhor caminho deve seguir para vencer tamanho desafio. Como fazer para ultrapassar esta barreira? Por onde começar? Como enfrentar uma entrevista de emprego sem tremer? E o currículo, como preencher? O que devo falar quando me per-

guntarem sobre minha experiência anterior? Demora muito pra conseguir um emprego? Será que vou me adaptar? Estas e muitas outras dúvidas surgem e são absolutamente normais. Vamos ajudá-los a respondê-las a partir de agora. Em geral, sugerimos aos candidatos ao primeiro emprego, que busquem começar sua vida profissional em funções mais simples, para poderem adquirir certa experiência profissional, e terem a chance de mostrar seu valor e seu potencial, para em seguida aspirarem a cargos de maior desafio. O processo desta forma fica mais simples e de fácil conquista. É possível desenvolver um plano básico de marketing pessoal em dez etapas para conquistar seu primeiro emprego. Vamos apresentar o passo a passo de um plano simples, prático e de fácil implantação.

Passo a passo para você conquistar o primeiro emprego

Etapa 1 - conhecer o mercado em que pretende atuar. Etapa 2 - elaboração do currículo. Etapa 3 - preparação para a entrevista. Etapa 4 - desenvolvimento de competências comportamentais. Etapa 5 - desenvolvimento de competências técnicas. Etapa 6 - construir uma networking - rede de relacionamentos. Etapa 7 - definir os meios para buscar uma vaga. Etapa 8 - traçar objetivos e metas a serem alcançadas. Etapa 9 - elaborar um planejamento. Etapa 10 - iniciar a execução do plano.

com aquilo que o indivíduo traça para sua carreira. Está ligado a uma meta definida, a um objetivo e a um planejamento estabelecido e realizado. O sucesso tem uma definição individual e, acredito, não ser contínuo. É um momento de felicidade individual, único e ímpar”, diz Alessandra. Depois de definir o que é sucesso, chega o momento de entender quais são os pontos fortes e a melhorar no perfil do candidato. Existem ferramentas de Avaliação de Potencial e de desempenho para auxiliar os profissionais neste processo de diagnóstico e autoconhecimento.

Nessa fase, é preciso ficar atento para não se prender apenas nas dificuldades, concentrando-se igualmente nas características positivas. “Durante a busca pelo autoconhecimento, o profissional deve buscar obter feedbacks sobre seu desempenho. Essas opiniões de terceiros vão mostrar como ele é percebido pelos outros, o que faz de melhor e como melhorar. Também é um momento de autorreflexão, que vai levá-lo a examinar o que mais gosta de fazer e identificar as necessidades de desenvolvimento para alcançar os objetivos profissionais”, aconselha.

DIVULGAÇÃO

Obstáculos servem para que profissional cresça na empresa

Empresa deve identificar quando e a quem dar aumento, diz especialista

D

epois de ouvir mais de 11.500 mil representantes de empresas privadas em 40 países, a pesquisa International Business Report (IBR) 2012, da Grant Thornton, divulgou dados que apontam que 88% dos empresários brasileiros pretendem aumentar o salário de seus funcionários nos próximos 12 meses. Mas será que você, empresário, sabe o que fazer para dar o aumento a quem realmente merece? Essa é a melhor maneira de incentivar e obter um melhor desempenho de seus subordinados? O especialista em gestão comportamental aplicada aos negócios, Luiz Fernando Garcia, afirma que mostrar reconhecimento de um trabalho é uma das melhores maneiras de potencializar a performance de seus empregados. “Ao entender sua própria mente, o empresário passa a mudar suas atitudes e, consequentemente, aprende a lidar melhor com sua equipe. Em vez de apenas cobrar resultados, passa a incentivar conquistas e consegue distinguir os funcionários que realmente merecem aumento”, explica. A pesquisa aponta, entretanto, que 63% dos donos de empresas pretendem melhorar o rendimento de seus subordinados em linha com a inflação, enquanto apenas os outros 25% querem tomar tal medida acima da taxa. “Embora a situação econômica brasileira tenha melhorado muito nos últimos anos,

DIVULGAÇÃO

Bons relacionamentos são características frequentemente presentes nos tais “funcionários diferenciados”

ainda há o problema da falta de mão de obra qualificada. Isso faz com que os profissionais diferenciados do mercado busquem, merecidamente, melhores condições. O bom chefe deve controlar sua impulsividade para analisar os que realmente merecem ganhar mais. Ao serem incentivados, esses funcionários tendem a não se acomodar e colaborar ainda mais para os bons resultados da empresa”, defende Garcia. Profissional diferenciado O especialista em gestão comportamental aplicada aos negócios também traz

algumas dicas para que profissionais mudem suas atitudes no dia a dia de trabalho. Para Garcia, a proatividade e a busca por bons relacionamentos são características frequentemente presentes nos tais “funcionários diferenciados”. “Essas pessoas, quase sempre, se metem em situações por conta própria, sem que recebam pedido ou ordem”, afirma. “Hoje vivemos na era da interpessoalidade, e não mais da intrapessoalidade. Ou seja, as empresas estão, cada vez mais, atrás de quem pense em conjunto, com a capacidade de se relacionar bem em grupo.

Quem tem capacidade de gerar vínculos acaba se tornando um agente catalisador de mudanças para todo o negócio”, complementa. Luiz Fernando Garcia também afirma que apresentar soluções de problemas é um fator primordial nos profissionais indispensáveis. “Quem tem uma personalidade empreendedora, dessas que conduzem a própria empresa ou mesmo lideram grandes corporações, conseguem enxergam 30 anos à frente, enquanto bons diretores têm uma visão de dez anos e bons gerentes, de três anos”, comenta.

Crescimento de uma empresa está na força da equipe

A

visão do progresso mais difundida se baseia no princípio de que é necessário haver competição entre os diferentes indivíduos para se ter progresso. Assim acabamos sendo orientados para uma conduta que valoriza a competição e não a colaboração. A competição deixa de lado a visão de mundo que privilegia o coletivo e a união das diferenças, e incentiva as comparações, que trazem sentimentos que nos desequilibram, como inferioridade, insegurança e medo. Na lógica da competição, o indivíduo só avança se tem alguém que fica para trás e para se tornar “o melhor” precisa ter um “pior”. Sacrifica-se a solidariedade e o respeito para o outro, percebido não como aliado, mas como obstáculo no caminho da própria realização. Porém, a essência de

cada organização e empresa é de unir as próprias forças para conseguir um objetivo comum, pois o pertencer a um grupo, a uma equipe, estimula no indivíduo a vontade de oferecer o melhor se si, superando obstáculos que sozinho não conseguiria enfrentar, em uma lógica onde todos crescem. Quando as pessoas operam em equipe, os desafios a ser enfrentados se tornam estimulantes para todos, mesmo para aqueles que sozinhos deixariam as inseguranças internas prevalecerem, por medo de não conseguirem. Assim a força da equipe se transfere aos integrantes do grupo, inibindo mais facilmente o medo do insucesso individual, criando um clima de auto motivação e estimulando o prazer de conseguir uma vitória comum. O poder do grupo fica

DIVULGAÇÃO

Quando as pessoas operam em equipe, os desafios a ser enfrentados se tornam estimulantes para todos

muito claro quando assistimos ao filme “Duelo de Titãs”, estrelado por Denzel Washington. Mesmo tendo sido lançado em 2000, a história se mantém atual e serve como inspiração para repensarmos nossas práticas. Ao quebrar os paradigmas que circulavam em torno do racismo, o técnico de futebol americano Herman Boone consegue criar um ambiente em que os sentidos maiores são o desenvolvimento e o sucesso do grupo, e não a busca pelo individualismo. Claro que o papel do líder se torna fundamental na direção da equipe, pois é ele que indica a rota, transmite a missão e o significado das ações, criando assim, motivação e espírito de grupo. Para isso ele trabalha essencialmente em dois níveis: o nível dos objetivos e o nível do relacionamento interpessoal.


Jornal do Dia 29-30.07.2012