Page 1

• EDIÇÃO VALOR R$ 2,00

* FUNDADO EM 04 DE FEVEREIRO DE 1987

MACAPÁ-AP, DOMINGO E SEGUNDA-FEIRA, 15 E 16 DE ABRIL DE 2018 - ANO XXXI

PRÓXIMOS DIAS

Incidência de chuvas em Macapá deve permanecer

Na semana passada, 33 ocorrências por alagamentos foram registradas pela Defesa Civil na capital. B1

DOZE CASOS DE DENGUE FORAM CONFIRMADOS NO AMAPÁ EM 2018

C1

Valor Bruto da Produção do Amapá deve chegar aos R$ 134,1 milhões em 2018, aponta MAPA

DIVULGAÇÃO

O valor estimado para a produção agropecuária deste ano é inferior a produção de 2017. No entanto, o Ministério da Agricultura aposta em recuperação nos próximos meses.

Nesta última semana, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) divulgou estimativa relacionada ao Valor Bruto da Produção (VBP) do Brasil para 2018. Para o Amapá, a estimativa do Ministério é de que a produção agropecuária local atinja os R$ 134.167.388 em sete segmentos até

o fim deste ano. A estimativa do Ministério da Agricultura para a produção amapaense deste anos aponta resultados para os segmentos: arroz (R$ 1.068.929), banana (R$ 61.967.017), cana (R$ 418.844), feijão (R$ 2.512.255), laranja (R$ 4.005.476), milho (R$ 794.477) e soja (R$ 63.400.390). nB1

O MAPA APONTA AINDA uma tendência de recuperação para 2018 com o passar dos meses LIVRE DE AFTOSA FOTO: ARQUIVO JD

DIVULGAÇÃO

NO ESTADO

Setor de Serviços cresceu 1,1% em fevereiro

A PROVA objetiva do concurso da Defenap foi aplicada no dia 11 de março

CONCURSO DA DEFENAP

Período para interposição de recursos inicia nesta segunda-feira

No Amapá, o setor de Serviços fechou o mês de fevereiro com resultado acima da média nacional. Os dados mostram que houve um crescimento de 1,1% em relação a janeiro, que registrou aumento de 2,4% frente a

dezembro de 2017. A informação foi divulgada na sexta-feira (13), fazendo parte da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). nB2 DIVULGAÇÃO

UNIFAP

Inscrições para concurso público iniciam dia 30 Certame oferta 41 vagas para o cargo de professores. Renumeração varia de R$ 2.236 a R$ 9.585. nC2

A lista com o nome dos candidatos aptos à próxima fase, de provas práticas, será divulgada no dia 26 de abril. A segunda fase do concurso da Defenap está prevista para os dias 5 e 6 de maio, quando os habilitados serão convocados a enfrentar questões dissertativas do Direito e elaborar peças processuais civil e penal. nB2

EM TRÊS MESES

SINE AP foi responsável por 2,4% das admissões

NESTA EDIÇÃO CADERNO A............................4Pag. CADERNO B............................4Pag. CADERNO C............................4Pag. CLASSIDIA..............................8Pag.

AS VAGAS são destinadas a três campi da instituição.

SEGUNDO DADOS DO IBGE, apesar de estar acima do índice brasileiro, a média do setor no estado foi uma das menores no país.

O Amapá é o sétimo estado brasileiro em que o Sistema menos realizou contratações. Em nível nacional, o Sine respondeu por 5,3% das admissões no país. nB3

NA INTERNET: www.jdia.com.br/portal2 - REDAÇÃO: 99157-0560 / 98130-3838 - COMERCIAL: comercialjd.2011@.gmail.com 3217.1100 / 99902-3326


A2

Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 15 e 16 de abril de 2018

O Estado como indutor da concentração de renda

Editorial O Globo

D

ados divulgados quarta-feira pelo IBGE, levantados em 2017 pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnadc), mostram o clássico cenário de um dos países com as maiores disparidades de renda do mundo. Mais do mesmo. Porém, trazem de novidade como a recente crise — a mais profunda recessão jamais registrada (mais de 7% no biênio 2015/16) — se refletiu na composição do rendimento da população. No quadro geral das desigualdades, a situação piorou, ou seja, aumentou a concentração, em estados pobres (Norte e Nordeste) e também no Sul e Centro-Oeste, melhorando no Sudeste, mas só porque caiu a renda dos mais ricos. No cenário nacional, tudo, na média, ficou na mesma.

O Brasil, visto pelo coeficiente de Gini (quanto mais próximo de 1 o índice, mais concentrada a renda), patina na faixa de 0,5. Firma-se, assim, a constatação de que políticos, como reflexo da própria sociedade, não se dispõem a seguir para valer um programa de efetiva melhoria da distribuição de renda, que passa por mudança profunda na política de gastos públicos e na melhoria da qualidade da educação pública no ensino básico. Para que pobres e ricos, de qualquer cor de pele, tenham oportunidades iguais no mercado de trabalho, a fim de que os filhos de famílias menos favorecidas possam elevar o padrão de vida, sem assistencialismos desmesurados. A pesquisa traz a informação de que 19,8% da renda da população vieram, no ano passado, de aposentadorias e pensões. No levantamento anterior, de 2016, tinha sido 18,7%.

Um reflexo da crise: com o desemprego nas alturas, caiu a participação da renda do trabalho. No Nordeste, o índice é ainda maior: 23,8%. Em países com perfil demográfico semelhante ao brasileiro, Chile e Argentina, por exemplo, este índice fica entre 8% e 10%. Confirma-se, assim, como aposentadorias, pensões e outros benefícios pagos pelo Estado são essenciais para induzir a má distribuição de renda histórica no país. Não é a única explicação, mas uma das fundamentais. Os desajustes no sistema previdenciário são responsáveis importantes pela má distribuição de renda. Há abundância de estatísticas para provar. O funcionalismo público, com suas regras benevolentes, é o grande beneficiado nesta redistribuição de renda perversa que faz o Estado no pagamento de aposentadorias e pensões: apenas um milhão

de servidores aposentados federais gera um déficit de quase R$ 80 bilhões, enquanto 30 milhões de aposentados pelo INSS, trabalhadores da iniciativa privada, R$ 189 bilhões. Isso porque a média do benefício mensal dos servidores é bastante elevada. Vai de R$ 7 mil do Executivo a até R$ 28 mil no Legislativo. Já no INSS, é de R$ 1.240. É por isso que os servidores públicos aposentados estão na faixa dos 2% mais ricos da população. Acrescentem-se a isso bilhões em incentivos creditícios que a União transfere a empresas que poderiam fazer seus investimentos sem embolsar dinheiro do contribuinte. Aposentadorias injustas, pensões, subsídios desnecessários, tudo somado funciona como forte indutor à concentração de renda. E há interesses políticos poderosos que desejam manter tudo como está e sempre foi.

O futuro começa pelo governo O Estado de S.Paulo

O

primeiro e maior desafio para o governo, se quiser consolidar uma nova era de avanço econômico e social, é definir seu papel com clareza e realismo e tentar executá-lo com eficiência. Isto resume a mais ambiciosa e renovadora proposta apresentada em Brasília, nos últimos dias, na troca de guarda dos principais Ministérios econômicos. Renovadora, sim, porque implicará, se levada a sério, uma ampla revisão dos padrões de ação governamental, de concepção do orçamento e de gestão de recursos públicos. “O governo precisa voltar a se planejar e a traçar metas”, disse o novo ministro do Planejamento, Esteves Colnago, ao deixar a secretaria executiva para ocupar a chefia do Ministério. Ao insistir na pauta de ajustes e reformas, ele e o novo ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, defenderam a continuação de um programa iniciado em 2016, parcialmente cumprido com sucesso e vital para a economia brasileira. Qualquer proposta de interrupção ou recuo seria, além de irresponsá-

vel, potencialmente desastrosa. Mas o pronunciamento de Colnago foi além da ideia indispensável do avanço na grande tarefa já iniciada. O Estado é hoje incapaz, por sua fragilidade financeira, de ser motor de um longo ciclo de expansão econômica, disse o novo ministro do Planejamento. Isso impõe, mesmo sem outras considerações, a atribuição de maiores tarefas ao setor privado. É fácil justificar, desse ponto de vista, a privatização, por exemplo, de atividades de geração e distribuição de energia, até porque o mercado é capaz de exercê-las. Não se trata, no entanto, só de pensar na venda de empresas como as do sistema Eletrobrás. As limitações fiscais do momento proporcionam, além de uma forte motivação imediata, uma excelente oportunidade para repensar os papéis dos setores público e privado. Para isso é preciso discutir metas para o País e funções para o governo e para o mercado. O ministro mencionou a fixação de metas para 2030, por meio de um trabalho conjunto das equipes do Ministério e do Banco Nacio-

Editado por Omega Publicidade Ltda. Rua Mato Grosso, 296 A - Bairro Pacoval CEP. 68.908-350 - Macapá-AP CNPJ 03.926.197/0001-82 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(*1917 +2006) e Irene Pereira(*1923 +2011) 1º Presidente: JÚLIO MARIA PINTO PEREIRA 1987 a 1991 - (*1954 +1994)

Presidente em Exercício: LÚCIA THEREZA PEREIRA Editor chefe: CAROLINE MIRANDA DE LIMA Consultoria Jurídica: RAMON BATISTA DO RÊGO (OAB/AP 1453)

ÍNDICE Opinião .....................A2, A3 Social..........................A4 Geral ..........................B1,B2,B3 Polícia .......................B4

nal de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A ideia é produzir um plano estratégico para 12 anos, a partir, segundo o ministro, de uma solicitação do presidente Michel Temer. As propostas, naturalmente, serão levadas ao debate público. Não há como prever o resultado desse debate, embora haja razões para esperar muita confusão, muita incompreensão, muito falatório meramente ideológico e muita tolice – se houver, é claro, suficiente interesse para uma ampla discussão. Mas a elaboração de um plano estratégico pode produzir efeitos muito saudáveis, se envolver, de fato, uma revisão ampla dos objetivos e das condições do desenvolvimento econômico e social. Não se faz nada parecido com isso, no Brasil, há algumas décadas. Qualquer discussão séria sobre planejamento e estratégia para o longo prazo deverá incluir, entre os temas centrais, uma revisão das funções do setor público. Não se trata de reduzir, simplesmente, o tamanho do Estado. É preciso definir suas tarefas essenciais e diferenciadoras. É necessário, além disso, repensar suas condições

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296 A Pacoval, Macapá (AP) CEP 68.908-350 E-mails Pautas e contatos com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Departamento Comercial: comercialjd.2011@gmail.com JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br

Representante comercial J.C. Representações e Publicidades Ltda. Av. Rio Branco, 173 / 602 e 603 Centro - Rio de Janeiro - CEP 20040-007 CNPJ 30.868.129/0001-87 Telefax: RJ (21) 2262-7469 2262-8116 / 2533-1133 SP (11) 3223-7551 BRASÍLIA (61) 3328-4108 Contatos: Fale com a redação (96) 3217-1117 - (96) 3217-1108 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110

Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

Acompanha o

caderno de ClasssiDia 8pág. Geral ...........................C1 Esporte ......................C2 Cultura .......................C3 Geral ...........................C4

de operação. O ministro do Planejamento lembrou, por exemplo, as limitações impostas pela vinculação de verbas orçamentárias. Uma boa administração requer, obviamente, melhores condições de gestão do Orçamento público. O engessamento orçamentário é um problema reconhecido há muitos anos, mas nada se tem feito para eliminá-lo – até porque as vinculações dispensam o bom planejamento e facilitam a captura de benefícios, além, é claro, de favorecer a corrupção. Criar condições para uma gestão mais flexível, mais econômica no uso de recursos e mais produtiva deve ser parte de qualquer discussão sobre planos e estratégias de longo prazo. Não será fácil avançar nessa direção, num sistema político há muito contaminado pela cultura da ineficiência e da promiscuidade entre o público e o privado. Neste ano essa promiscuidade será visível, por exemplo, no financiamento das campanhas com dinheiro federal. Apesar de tudo, o debate será oportuno. Na melhor hipótese, poderá contaminar a disputa eleitoral

Aos domingos Veículos ....................D1,D2,D3 Informe .....................D4

Edição número

9544

Demanda fraca é a âncora da

inflação baixa *José Paulo Kupfer

P

orque nem sempre são o que parecem ser, as coisas na economia se mostram particularmente vulneráveis a interpretações dos mais variados estilos e calibres. Essas interpretações derivam em geral de convicções formadas não apenas no campo do conhecimento técnico, mas também, e com peso às vezes majoritário, em afinidades políticas e ideológicas. Ainda que possam parecer, os conceitos econômicos não são intuitivos. O caso mais completo dessa característica dos eventos econômicos é o da inflação. O fenômeno da alta persistente de preços se confunde, na visão popular, simplesmente com preços altos. O jogo de palavras que coteja as duas maneiras de encarar a questão não é nem um pouco sem consequências. Se inflação fosse preço alto, por exemplo, o Plano Real não teria nem existido, quanto mais dado certo. Afinal, a engenhosa construção que propiciou derrubar a hiperinflação então vigente primeiro promoveu uma elevação de preços para em seguida mantê-los próximos desse novo nível mais alto. Os preços estavam altos — e foram propositalmente levados a isso — quando a alta de preços foi contida, dando margem a variações menores a partir daí. De modo simplificado, altas/baixas de preços resultam de desequilíbrios entre a oferta de bens e serviços e a procura por eles. Preço, em resumo, é o mecanismo que equilibra os dois lados da balança. Tudo o mais mantido constante, se a procura é maior do que a oferta, preços sobem. Se é a oferta que supera a procura, a tendência é de preços baixarem. Já o que faz procura e oferta se moverem e, assim, determinarem os preços, é uma outra história dependente de uma longa lista de variáveis e circunstâncias. Toda essa “filosofia” serve para ajudar a entender o que está por trás do atual ciclo baixista da inflação brasileira. São variados os motivos — da boa oferta de alimentos a uma taxa de câmbio comportada, passando pelo fim do pesado ciclo de correção de preços administrados antes represados —, mas a razão central é ainda demanda fraca herdada da longa e poderosa recessão de 2014-2016. Com a virtual estabilidade em março deste ano, na comparação com fevereiro, a alta de

preços, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo IBGE, completou nove meses de avanço acumulado abaixo do piso do intervalo do regime de metas. Tudo indica que deverá fazer pelo menos um ano em níveis inferiores a 3%, piso para 2018, terminando o ano abaixo de 3,5% e mal tocando as faixas inferiores do intervalo previsto nas metas. Essa situação incomum numa economia acostumada, mesmo depois do Plano Real, a variações de índices bordejando os limites superiores do intervalo das metas de inflação, tem sido comemorada pelo presidente Michel Temer e seus aliados. Eles aproveitam a inflação no chão para celebrar o “acerto” da política econômica e comemorar o “aumento” do poder de compra da população. A comemoração é compreensível, mas não corresponde exatamente à realidade. O aumento do poder de compra tem sido pouco para impulsionar a demanda, acossada pela lentíssima retomada do mercado de trabalho, sobretudo no segmento formal, e pela limitada elevação dos salários, principalmente nos amplos estratos inferiores da escala salarial. O alongamento do ciclo de cortes das taxas básicas de juros, que se traduz em estímulo à demanda, e os esforços para reduzir o custo efetivo dos empréstimos bancários, que dificultam a concretização desse estímulo, é prova com firma reconhecida da fraqueza da demanda. A inflação, em resumo, está acorrentada em níveis baixos à âncora representada pela demanda insuficiente até mesmo para animar a oferta muito retraída desde a recessão. Ao longo do primeiro trimestre deste ano, esse quadro não se alterou. Com a demanda fraca, de acordo com as projeções mais atualizadas, a economia não deve ter avançado mais de 0,5% entre janeiro e março, em relação ao último trimestre de 2017, quando o crescimento já foi de apenas 0,1%. Se essa previsão se confirmar, será preciso um crescimento médio de 1,5% em cada um dos três trimestres restantes para que a expansão da economia em 2018 alcance os 3% antes previsto. Uma hipótese improvável, que aponta para um crescimento no ano de 2,5% ou até menos. *José Paulo Kupfer é jornalista.


Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 15 e 16 de abril de 2018

Vive primeiro o que está escrito DOM PEDRO JOSÉ CONTI

O

Bispo de Macapá

Abbá Abrão contava de um Abbá de Skete que era escrivão e não comia pão. Chegou um irmão pedindo-lhe que copiasse um livro para ele. O ancião, que tinha o coração mergulhado na contemplação, não copiou todas as linhas e não colocou os sinais da pontuação. O irmão pegou o livro, e quis pontuar as frases, percebeu que faltavam algumas linhas e disse ao ancião: “Faltam algumas linhas, pai”. Ele respondeu: “Vai, vive primeiro o que está escrito, depois vem e te escreverei o restante”. Uma simples anedota dos Padres do deserto para uma grande lição. A Palavra de Deus é mais que um livro para ser lido: é um caminho de vida. No terceiro domingo de Páscoa, deste ano, encontramos o relato de mais uma aparição pós-pascal de Jesus. O trecho é do evangelho de Lucas e é a continuação da belíssima página dos discípulos de Emaús. Também lá, o peregrino, ainda desconhecido, explicava as Escrituras aos do is desanimados. Assim, eles mesmos disseram que lhes “ardia o coração” quando ele falava. Depois de tê-lo reconhecido “ao partir o pão”, os dois voltaram para Jerusalém de onde queriam fugir. Encontraram os Onze e os demais discípulos reunidos. Contaram o acontecido e escutaram a experiência dos outros. É nesse momento, de comunhão e partilha, que Jesus ressuscitado se faz presente. Também nessa “aparição”, ele faz questão de lembrar a sua paixão, como também lemos no evangelho de João. Quer ajudá-los a superar o susto, o medo

Washington Novaes

pesquisas, nós queremos entender, ou seja, abrir a nossa inteligência e o nosso coração àquela que, acreditamos, seja nada menos que Palavra de Deus. As Sagradas Escrituras são a comunicação daquele que, para poder falar conosco, teve que se adequar às limitações humanas de língua e de compreensão. Deus, quis tanto “falar” com a humanidade – ao menos com alguns, para que a mensagem chegasse a todos – que a Palavra se fez “carne” na pessoa de Jesus de Nazaré. Porque Deus não falou e não fala somente com palavras, mas também com gestos, ações e aconteci mentos. Por isso, a Bíblia não é um tratado sobre a Divindade, mas conta muitas histórias de pessoas e situações, alegres e tristes, maravilhosas e trágicas. Igual à vida de cada ser humano, em carne e osso, e de cada povo real. E Deus está envolvido nesta vida. É dentro desse emara-

nhado de palavras e sentimentos, decepções e esperanças, fracassos e vitórias que nós devemos aprender a escutar a Palavra de Deus. A Bíblia, já deve ter ficado claro, não é um discurso, mas sim uma experiência de vida. Cada um de nós ama, sofre, faz coisas certas e coisas das quais depois se arrepende, às vezes ajuda os irmãos, outras vezes os machuca. O grande segredo para entender a Palavra de Deus, quando fazemos a m emória daqueles acontecimentos, é, portanto, sempre confrontar a nossa vida com aquilo que lemos. A Palavra de Deus quer nos ajudar a experimentar, hoje, as maravilhas que Deus sempre fez e ainda faz para os seus amigos: o seu amor, a sua misericórdia, a sua fidelidade. A Palavra de Deus deve ser experimentada na vida. Somente assim se torna viva, atual e luminosa para o nosso caminhar. Mais a vivemos, mais a compreendemos.

PRIORIDADE FORA DA PAUTA Ricardo Tripoli

N

ão bastasse o caso de Barcarena (PA), onde nascentes amazônicas foram infectadas por rejeito de bauxita, dias depois 300 toneladas de minério atingiram rios em Santo Antônio do Grama (MG), trazendo de volta o fantasma de Mariana. A recorrência desses desastres ambientais de grande monta, e sua repercussão modesta, revela como o meio ambiente perdeu relevância no debate público. Mais que falta de apelo, o tema perdeu influência e sustentação política no Brasil. É tanta urgência no país, recessão, violência e corrupção, que o meio ambiente tem sido tratado como perfumaria. O curioso é que há pouco o tema era central no soft powerbrasileiro, núcleo de nossa influência e prestígio internacionais. Quando foi que o Estado brasileiro virou as costas ao tema? Teria a sociedade perdido o interesse por ele? Neste

Energia – atenção para não perder o bonde

E

e, também, a esclarecer as dúvidas. Para isso, Jesus novamente abre a inteligência deles explicando as Escrituras. Nada do que aconteceu foi por acaso ou sem motivação; basta entender bem o que já estava escrito. Por que tudo isso é tão importante? Porque, para nós, Jesus ressuscitado não vai “aparecer”, mas continuamos a ler as Escrituras do Antigo Testamento e, agora também, os escritos do Novo Testamento. É a Bíblia, o conjunto de livros que nós cristãos chamamos de Palavra de Deus. Para alguns é um arquivo de costumes e culturas dos povos daquele tempo, nada mais que uma preciosa relíquia do passado. Para outros é um exemplo de sabedoria popular, construída ao longo de séculos. Sem dúvida, é um livro respeitado e muito estudado, mas para nós cristãos deve ser muito diferente. Nós não “visitamos” a Bíblia por causa de estudos ou de

2018 de tantas expectativas, para onde vai a agenda ambiental? A deriva do tema não deixa de ser uma contradição na era dos carros elétricos, das energias renováveis e das éticas de consumo consciente e proteção animal. Quanto mais arraigada a conscientização, menos apelo a causa parece despertar. O fato é que o projeto nacional de desenvolvimento sustentável, se é que havia um, fracassou. Restou um compêndio de boas intenções irrealizadas, revelando a incapacidade do país de administrar o próprio patrimônio natural. Embora a proteção ambiental seja cláusula pétrea, entra ano e sai ano, eleição após eleição, e nenhum partido foi capaz de oferecer à sociedade um programa à altura. Ao contrário, na eleição abundam as platitudes e a retórica infantilizada. Enquanto isso, no Brasil real, a combinação de uso predatório dos recursos, abrandamento nor-

A3

mativo e sucateamento do aparato fiscalizatório vai tecendo em silêncio novos retrocessos. A colonização degradante dos remanescentes naturais institucionalizou-se. O vazio estatal gera a ilegalidade, que leva ao crime, e este à violência, criando o ambiente ideal para a pilhagem de riquezas naturais e para a degradação. O fato é que todos temos responsabilidade. Nem só com vitimização se explica a fragilidade da ação ambiental. As pessoas devem se reorganizar, pois a relevância do tema para os governos depende do poder de persuasão e de pressão do cidadão. O caso da Renca, quando tentou-se liberar a exploração mineral na Amazônia, mostrou que o eclipse da mobilização ambiental pode sim ser revertido. Se a sociedade diz “basta!”, governo algum vai adiante. A turma do consumo consciente, da economia solidária, da proteção animal, os que trocaram

o carro pela bicicleta e os que separam o lixo voluntariamente, entre tantos na multidão anônima de indivíduos conscientes e responsáveis, formam o coração do ativismo ambiental no século XXI. O tema jamais terá prioridade sem a ação ecumênica e pluripartidária de todos. Faço essas considerações pois um candidato à Presidência já defendeu que o Ministério do Meio Ambiente seja anexado ao da Agricultura e Pecuária. Para meu espanto, foram tímidos os protestos contrários. Mais uma década assim, no ritmo dos últimos 15 anos, e faremos um mal irreversível ao país. Estaremos mais pobres, mais desiguais, mais conflagrados, com recursos e possibilidades menores. Ou a sociedade encara 2018 como um ponto de virada na agenda ambiental, ou sabe-se lá que futuro nos espera. *Ricardo Tripoli é deputado federal (PSDB-SP).

prossegue a verdadeira revolução no setor de energias. Agora, anuncia a Organização das Nações Unidas (ONU), por intermédio do Instituto Humanitas Unisinos (10/4), que “a energia solar agregou mais capacidade de geração elétrica que o setor de combustíveis fósseis em 2017”. A publicação ONU Meio Ambiente informa em Tendências globais no investimento em energias renováveis 2018 que a energia solar atraiu muito mais investimento que no ano anterior: US$ 160,8 bilhões, ou 18% mais. Um investimento também “maior que o registrado em qualquer outra tecnologia” (Unisinos. br, 10/4/2018). A força principal nesse avanço veio da China, Em regiões com aumento de 58% montanhosas em relação ao ano anterior – US$ 86,5 bi- os trabalhos e os lhões, ou 53 gigawatts equipamentos po(GW). Esse investimento dominou a nova capa- dem levar ao descidade no setor, assim matamento. Em como os investimentos globais. Passou-se para muitos lugares do 98 GW. E outras fontes Nordeste, princirenováveis agregaram palmente, esse 59 GW – a carvão (35 GW), gás (38 GW), pe- tipo de problema tróleo (3 GW), energia tem sido frenuclear (11 GW). As aplicações em grandes quente. hidrelétricas – US$ 2.789,8 bilhões – foram maiores do que as destinadas a novas geradoras a carvão e gás, que tiveram US$ 103,8 bilhões em investimentos. Os custos decrescentes das energias eólica e solar, segundo o relatório, continuam impulsionando os investimentos. O ano de 2017 foi o oitavo consecutivo em que os investimentos mundiais em energias renováveis excederam US$ 200 bilhões. Desde 2004 já foram investidos US$ 2,9 trilhões nessas fontes de energia. É um panorama em que a informação nesse setor é vital, pode determinar a boa ou má sorte de um empreendimento. A corrida em muitos municípios pode levar também a resultados adversos – na geração ou ampliação de empregos e da renda, no aumento do PIB municipal e na arrecadação de impostos. Há fatores a serem observados: empregos nessas circunstâncias costumam ser temporários. Na preparação dos solos, nas obras civis e na montagem dos equipamentos é mobilizado um razoável número de trabalhadores temporários – embora empresas com atuação regional tragam seus próprios trabalhadores para atuar de 12 a 18 meses; em prazo bem menor, a regra é que fiquem de 6 a 15 pessoas (heitorscalambrini@gmail.com). Em regiões montanhosas os trabalhos e os equipamentos podem levar ao desmatamento. Em muitos lugares do Nordeste, principalmente, esse tipo de problema tem sido frequente. E tem levado até à rejeição total do projeto, como aconteceu recentemente em Bonito, ou em Brejo da Madre de Deus, ambos no Estado de Pernambuco, onde foi rejeitada uma usina eólica que poderia conduzir a desmatamento, com prejuízo para a retenção de água destinada ao abastecimento local. De qualquer forma, muitos fatores têm de ser considerados. Um ranking nacional solar fotovoltaico desenvolvido pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) indica que o Estado de Minas Gerais o lidera, com 50,7 megawatts (MW), ou 24,3% da potência instalada no País, seguido pelo Rio Grande do Sul com 30,2 MW (14,5%), São Paulo (26,8 MW ou 12,8%), Ceará (12,8 MW ou 6,2%) e Santa Catarina (12 MW ou 5,8%). Embora esteja fora desse ranking, o Estado de Goiás em um ano quadruplicou a geração distribuída de energia, em que o consumidor-gerador recebeu crédito pela produção excedente. Passou de 2 mil quilowatts em fevereiro de 2017 para 8,5 mil um ano depois, especialmente com a geração de energia solar fotovoltaica (O Popular, 25/3). Residências, indústrias e empresas diversas investiram para reduzir suas contas de luz. Ainda em Goiás, um grande projeto da Unievangélica, que anunciou na semana passada que terá a maior usina solar urbana do País (1.885 megawatts/ hora produzidos por placas, que permitirão economia anual de R$ 1 milhão, a partir de 2019. O retorno do investimento é calculado em até oito anos). De acordo com a Bloomberg, a energia solar é a que mais se tem destacado no mundo nos últimos tempos, pela expansão (US$ 160 bilhões em 2017, ou 18% mais que no ano anterior); 48% de todo o investimento em energia limpa é feito nesse setor. No Brasil o investimento em 2017 foi de US$ 6,2 bilhões, ou 10% mais que em 2016. E 48% de todo o investimento mundial em energia limpa é realizado na área da energia solar. A expansão no Brasil para chegar a um gigawatt com projetos de energia solar fotovoltaica conectados na matriz elétrica significa potência suficiente para abastecer 500 mil residências no País ou o consumo de 2 milhões de pessoas. Até 2024, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), 1,2 milhão de geradores deverão ser instalados em casas e empresas em todo o País, representando 15% da matriz energética. O mercado de energia fotovoltaica deverá movimentar cerca de R$ 100 bilhões. Sem falar que o País já tem mais de 500 parques eólicos (Eco21, dezembro-2017). O número de microgeradores e a microgeração de energia já superou 17 mil conexões. É mesmo uma revolução. Quem não estiver atento perderá o bonde. Ou se atrasará. *Washington Novaes é jornalista.


A4

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo, segunda-feira, 15 e 16 de abril de 2018


MACAPÁ-AP, DOMINGO E SEGUNDA-FEIRA, 15 e 16 de abril de 2018 ARQUIVO

CRESCIMENTO Setor de Serviços do Amapá cresceu 1,1% em fevereiro B2

ANJOS DA GUARDA PF prende médico suspeito de pedofilia em Macapá Ação é desdobramento da “Operação Inocentes”, B4

Valor Bruto da Produção do AP deve chegar aos R$ 134,1 milhões em 2018, aponta MAPA DIVULGAÇÃO

O valor estimado para a produção agropecuária deste ano é inferior a produção de 2017. No entanto, o Ministério da Agricultura aposta em recuperação nos próximos meses.

Jardim Açucena: Cerca de 200 beneficiários tem até dia 17 para ocupar imóveis Da Redação

D

Nathan Oliveira

N

esta última semana, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) divulgou estimativa relacionada ao Valor Bruto da Produção (VBP) do Brasil para 2018. Para o Amapá, a estimativa do Ministério é de que a produção agropecuária local atinja os R$ 134.167.388 em sete segmentos até o fim deste ano. A estimativa do Ministério da Agricultura para a produção amapaense deste anos aponta resultados para os segmentos: arroz (R$ 1.068.929), banana (R$ 61.967.017), cana (R$ 418.844), feijão (R$ 2.512.255), laranja (R$ 4.005.476), milho (R$ 794.477) e soja (R$ 63.400.390). No ano de 2017, os dados do MAPA apontam que a produção do Amapá encerrou os 12 meses em R$ 208.705.854, desse total os sete segmentos representam os seguintes valores: arroz (R$ 1.233.727), banana (R$ 55.553.894), cana (R$ 451.041), feijão (R$ 3.265.253), laranja (R$ 5.071.591), milho (R$ 764.956) e soja (R$ 56.833.895). Em nível nacional, o Mi-

OS BENEFICIÁRIOS QUE NÃO SE MUDAREM PARA O LOCAL até esta terça-feira (17), poderão ter o contrato rescindido.

nistério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento estima que o valor bruto da produção deste ano, com base em informações de março, chegue ao valor de R$ 530,1 bilhões, valor 3,7% abaixo do obtido em 2017 (R$ 550,3 bilhões). O MAPA aponta ainda uma tendência de recuperação para 2018 com o passar dos meses. Para o Brasil, os dados do Ministério apontam que melhores resultados para 2018 do valor bruto da produção são os do algodão, com aumento de 20,9% em relação ao ano passado, do cacau, 8,7%, mamona, 68,5%, soja, 3,8%, batata-inglesa, 3,4%, café, 2%, tomate, 32,7% e do trigo, 37,3%. Já entre os segmentos que apresentam redução de valor, destacam-se o arroz, cana-de-açúcar, café, milho, laranja e a mandioca. Ainda de acordo com dos dados do MAPA, os valores brutos das produções regionais mostram que o Centro-Oeste lidera as demais regiões do país na geração de valor da produção, seguida pela Região Sul, Sudeste, Nor-

deste e por último, a Região Norte. Entre os estados com destaque no VBP de 2018 estão: Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, sendo estas, as cinco unidades com os maiores valores da produção para este ano. Safra agrícola Neste mês de abril, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou informações referentes a área e a produção agrícola do Amapá. De acordo com os dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), a estimativa para a produção agrícola do estado em 2018 atingiu 62.610 toneladas no terceiro mês deste ano. No mês anterior, fevereiro de 2018, os dados do levantamento pontam que a produção agrícola do Amapá deste ano seria maior do que a apontada no mês de março, atingindo 62.905 toneladas. Já no mesmo período do ano anterior, a safra estadual chegou a 58.608 toneladas.

Em relação estimativa da área relativa a plantação agrícola, no mês de março de 2018, o Amapá atingiu 24.660 hectares. No mês de fevereiro, a estimativa foi de 24.820 hectares, 160 hectares a mais que no terceiro mês deste ano. Já no mesmo período do no passado, a plantação agrícola local alcançou 23.274 hectares. No Amapá, segundo dados do IBGE, entre as principais culturas agrícolas no estado está à soja, que apresenta o maior crescimento anual, 28,5% a mais de produção. Dos 21 mil hectares no estado, 17 mil eram somente de soja, seguido do feijão (15,8%) e mandioca (12,1%). A previsão de produção ano passado foi cerca de 53.713 toneladas, principalmente de itens como a soja, milho e feijão. A quantidade equivaleu a menos de 0,1% da produção nacional, mas movimentou cerca de R$ 60 milhões na economia do estado em 2017, de acordo com a Associação de Produtores de Soja do Amapá (APROSOJA).

Incidência de chuvas em Macapá deve permanecer pelos próximos dias

FOTO: DIVULGAÇÃO

Luciana Cordeiro

N

esta última semana, o índice de chuvas que caiu na capital amapaense foi o esperado para o mês todo, informou o Núcleo de Hidrometeorologia e Energias Renováveis (NHMET) do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA). A intensidade de chuva também está prevista para acontecer durante este fim de semana. De acordo com informações divulgadas no Portal do Governo do Estado do Amapá (GEA), o índice de chuva registrado entre quarta-feira (11) e quinta-feira (12) atingiu o volume bem acima do esperado em algumas regiões, como Ferreira Gomes, que recentemente ficou em “estado de alerta” devido a enchente do Rio Araguari.

NA SEMANA PASSADA, 33 ocorrências por alagamentos foram registradas pela Defesa Civil na capital. Chuvas mais forte são esperadas em alguns municípios do estado.

Em Macapá, quatro famílias tiveram que ser retiradas de suas residências por

conta de risco de alagamento. As famílias foram alojadas em pontos mon-

tados pela Defesa Civil Municipal. Preocupados com isso, a

e acordo com informação divulgada na sexta-feira (13) pela Prefeitura Municipal de Macapá (PMM), 192 contemplados com moradias no conjunto habitacional Jardim Açucena ainda não ocuparam os imóveis. Os beneficiários que não se mudarem para o local até esta terça-feira (17), poderão ter o contrato rescindido. O Comitê Gestor do Programa Minha Casa, Minha Vida em Macapá divulgou uma lista com os nomes das pessoas convocadas à ocupação dos apartamentos. Além do sute da PMM, a listagem está disponível no endereço eletrônico: macapa.ap.gov.br/cidadao/habitacional/jardim-acucena. Segundo a prefeitura, quem descumprir a convocação pode ter a formalização da rescisão de contrato oficializada. Neste caso, os beneficiários do conjunto Jardim Açucena firmaram acordo com o Banco do Brasil (BB), tendo a instituição como seu agente financeiro. A PMM informou ainda que segundo o 1º parágrafo do inciso IX do contrato em questão, “o(s) beneficiário(s) obriga(m)-se a ocupar o imóvel adquirido no prazo máximo de 30 dias, a contar da data de assinatura deste instrumento, sob pena de resolução do mesmo, de pleno direito, ficando o BB, nesses casos, autorizado a

Defesa Civil do Amapá, que monitora pontos de alagamentos desde a última quarta-feira, onde houveram 33 ocorrências, está atenta para possíveis novos casos. O órgão deixou equipes de prontidão, principalmente para se deslocarem para os interiores, se houver necessidade. “Na sexta, o município de Laranjal do Jari atingiu 1,94 o nível do rio, assim como Calçoene que está em estado de atenção. Estamos atentos para qualquer emergência que possa ocorrer”, frisou o Coronel Alexandre Veríssimo. Segundo o NHMET, são esperadas chuvas mais intensas para este fim de semana, principalmente nos municípios de Oiapoque, Calçoene, Amapá, Pracuúba, Tartarugalzinho, Laranjal do Jari e Vitória do Jari. O volume pode variar entre 25 e 65 mm. A previsão é de que as chuvas continuem atingindo todo o estado neste domingo. O dia deve amanhecer com céu claro e poucas nuvens, porém, podem haver pancadas de

declarar o contrato rescindido e alienar o imóvel a outro pretendente”. Dessas forma, os imóveis não ocupados serão destinados a outros candidatos, no caso, os classificados na lista de espera no processo de seleção do Jardim Açucena. Até o prazo estipulado na convocação, 17 de abril deste ano, os beneficiários que ocuparem os imóveis deverão se apresentar também à equipe do Plantão Social para receber orientações acerca da mudança. A equipe pode ser encontrada no galpão do residencial. Jardim Açucena O Residencial Jardim Açucena foi inaugurado no dia 2 de fevereiro deste ano. Na ocasião, 1,5 mil unidades habitacionais foram entregues aos seus respectivos beneficiários. Além dos imóveis, o local conta com área de lazer, centros comunitários, além de um local reservado para a construção de duas escolas. As obras do conjunto contaram com orçamento de R$ 91 milhões. O Jardim Açucena faz parte do programa do governo federal “Minha Casa, Minha Vida”, que oferece o financiamento da casa própria em condições mais acessíveis às famílias de baixa renda. As obras do programa são realizadas em parceria com estados e municípios, obedecendo diversos critérios de seleção.

chuva a qualquer hora do dia, variando de intensidade leve a fraca em todo o Estado. É esperado que chova entre 03 e 20 mm. Na segunda-feira (16), a previsão é de que Cutias e Ferreira Gomes também recebam chuvas intensas, juntamente com os municípios supracitados. O volume esperado para as duas cidades varia entre 15 e 50 mm. O tempo deverá ficar um pouco mais fechado, já amanhecendo com céu nublado e pancadas de chuva a qualquer hora do dia, com variação de nuvens e chuvas fracas deverão atingir todos os municípios do Estado. É necessário que o cidadão se mantenha atento às previsões de autoridades como a Defesa Civil. Durante o deslocamento, é importante que as pessoas se atentem em usar calçados, pois ajudam a evitar possíveis ferimentos. Se objetos precisarem ser retirados do local, é importante que a Defesa Civil ou o Corpo de Bombeiros seja acionado.


B2

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 15 e 16 de abril de 2018

Setor de Serviços do Amapá cresceu 1,1% em fevereiro FOTO: DIVULGAÇÃO

Segundo dados do IBGE, apesar de estar acima do índice brasileiro, a média do setor no estado foi uma das menores no país.

Profissionais responsáveis pelo monitoramento das escolas participam de qualificação DIVULGAÇÃO

Da Redação

N

o Amapá, o setor de Serviços fechou o mês de fevereiro com resultado acima da média nacional. Os dados mostram que houve um crescimento de 1,1% em relação a janeiro, que registrou aumento de 2,4% frente a dezembro de 2017. A informação foi divulgada na sexta-feira (13), fazendo parte da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado do ano de 2018 (janeiro e fevereiro), o setor obteve um crescimento de 0,5% no estado, em comparação com o mesmo período do ano passado, e uma baixa de 11,2% nos últimos 12 meses. Já a receita nominal do setor teve uma variação de 1% no segundo mês deste ano, 4,1% a mais que no mesmo mês de 2017. Além disso, a pesquisa registrou uma elevação de 3,2% no acumulado do ano, em relação ao

A INFORMAÇÃO FOI DIVULGADA NA SEXTA-FEIRA (13), fazendo parte da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

mesmo período do ano anterior, e -4,9% nos últimos 12 meses. No país, o volume de serviços no mês de fevereiro obteve variação positiva de 0,1%, em relação ao primeiro mês deste ano. Se comparado com o mesmo mês de 2017, o setor registrou queda de 2,2%, e de -2,4% nos últimos 12 meses. Mas no acumulado do ano (dois primeiros meses de 2018), o índice é de 1,8% frente ao mesmo período do ano passado. Entre os estados, os três melhores resultados em fevereiro de 2018 foram apresentados nos seguintes estados: Paraná (2,0%); Rio de Janeiro (0,5%), Santa Catarina (0,5%); Pará (1,4%) e Mato Grosso do

Sul (1,5%). Já os destaques negativos ficaram com Bahia (-9,0%), Ceará (-16,8%), Rio Grande do Sul (-2,2%) e Minas Gerais (-0,8%). PMS A Pesquisa Mensal de Serviços acompanha mensalmente a produção do setor de serviços no país. A PMS é realizada em todas as unidades federativas do Brasil desde janeiro de 2011, e exatamente um ano depois, passou a apresentar seus resultados. Para o levantamento, o IBGE colhe dados de empresas formalmente construídas, que mantém 20 ou mais pessoas ocupadas, que oferecem um serviço não financeiro, estando excluídas as áreas de

edicação e saúde. Segundo o Instituto, os indicadores levam em consideração os “serviços prestados às famílias (alojamento e alimentação; outros serviços prestados às famílias); serviços de informação e comunicação (serviços TIC; serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias); serviços profissionais, administrativos e complementares (serviços técnico-profissionais; serviços administrativos e complementares); transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (transporte terrestre; transporte aquaviário, transporte aéreo; armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio); e outros serviços.

Concurso da Defenap: Período para interposição de recursos inicia nesta segunda-feira

SECOM

Da Redação

C

andidatos do concurso público da Defensoria Pública do Estado do Amapá (Defenap) que desejam protocolar ou reivindicar alguma questão relacionada ao resultado do certame, podem realizar a interposição de recursos entre segunda (16) e terça-feira (17). O resultado da primeira fase do processo (prova objetiva) foi divulgado na sexta-feira (13) pela Secretaria de Estado da Administração (Sead) e pela Fundação Carlos Chagas. A prova objetiva do concurso da Defenap foi aplicada no dia 11 de março, onde quase 3 mil candidatos puderam participar desta primeira fase. Destes, 427 foram eliminados por não comparecer no horário e local da prova, resultando num percentual de faltosos foi de 14,75% dos candidatos. A prova objetiva referente à primeira fase do certame foi composta 110 questões, que envolviam 12 áreas do Direito. Os candidatos tiveram cinco horam para realizar o exame, e responder a questões sobre legislação, princípios e atribuições da Defenap, direito processual, penal, civil, do consumidor, entre outras. O resultado desta fase está disponível no site www. concursosfcc.com.br/concursos/dpeap117. A lista com o nome dos candidatos aptos à próxima fase, de provas práti-

CANDIDATOS TERÃO 24H PARA QUESTIONAR alguma questão relacionada ao resultado da primeira fase, divulgado na sexta-feira.

cas, será divulgada no dia 26 de abril. A segunda fase do concurso da Defenap está prevista para os dias 5 e 6 de maio, quando os habilitados serão convocados a enfrentar questões dissertativas do Direito e elaborar peças processuais civil e penal. A 3ª fase está prevista para os dias 3, 4 e 5 de agosto, conforme o cronograma. Essa fase será referente à prova oral, onde os classificados serão avaliados frente a questões da área. Após essas fases, ainda terá a prova de títulos, que terá um peso na nota final. Os candidatos aprovados em todas estas fases, preencherão as vagas ofertadas. Concurso

O concurso público da Defensoria Pública do Estado do Amapá é o primeiro realizado na história do órgão, após 39 anos de instalação no estado. O certame foi lançado em

dezembro de 2017, e abriu 40 vagas para o cargo de defensor público de 2ª classe para atuação nos 16 municípios amapaenses. O salário inicial previsto no edital é de R$ 13,2 mil MARCELO LOUREIRO

SISTEMA DE MONITORAMENTO ELETRÔNICO, implantado pelo governo do Estado.

Portal GEA

P

atrulheiros, monitores e operadores da empresa responsável pelo monitoramento eletrônico das escolas da rede pública estadual de Macapá e Santana participaram nesta sexta-feira, 13, do curso de qualificação “Orientações Técnicas e Legais”. Ministrado pelo capitão Kleber Monteiro do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar, o curso faz parte da atualização dos profissionais da empresa Ativa System Brasil, que atuam desde 2017 nas unidades escolares. Os profissionais tiveram orientações sobre mobilização tática, defesa pessoal, uso de algemas e tonfa, técnicas de direção defensiva de moto, segurança institucional e pessoal, entre outras vertentes. “Esse modelo de curso é essencial para deixar a equipe atualizada e alinhada. A empresa tem investido nessas capacitações e a Polícia Militar tem sido uma grande parceira neste processo”, destacou o coordenador de segurança da Ativa System, Laércio Marques. O diretor administrativo financeiro da empresa, Allan Monteiro Bacural, lembra que esse é o segundo curso da equipe, instruído pelo Bope. “Ao longo de 2018, vamos renovar a parceria, com treinamentos, atualizações e capacitações dos profissionais, oferecendo mais segurança a toda comunidade escolar. Essa reciclagem é muito importante para que possamos combater os infratores que estão sempre tentando burlar o sistema, de alguma forma”, destacou o diretor. Monitoramento Atualmente, a vigilância monitorada conta com 20 patrulheiros, câmeras de longo alcance e cobertura instaladas em pontos estratégicos nas escolas. O monitoramento acontece por uma central integrada que

acompanha em tempo real os espaços interno e externo dos estabelecimentos de ensino. O sistema já está presente em 134 escolas e centros de Macapá e Santana. Resultados A instalação das câmeras de vigilância nas escolas da capital e do segundo maior município do Estado, aliada ao trabalho efetivo da Polícia Militar do Amapá (PM/AP), contribuiu para a redução de furtos nas instituições de ensino da área urbana em 2017. O Boletim da Divisão de Estatística do Comando Geral da PM/AP, divulgado no iní0cio do ano, apontou que durante todo o ano de 2016 foram registrados 257 furtos nas escolas da capital do Estado. Já em 2017, esse índice baixou para 171 ocorrências, uma redução de quase 34%. Em Santana, a queda de registros de furtos foi ainda mais expressiva. Enquanto em 2016 foram registrados 53 furtos, em 2017 foram contabilizados 12 durante todo o ano, totalizando uma queda de 77%. Os dados apresentados pela Polícia Militar correspondem às ocorrências registradas pelo policiamento escolar das unidades de Macapá e Santana, divididos entre quatro batalhões (4º Batalhão em Santana; e 1º, 2º, 6º Batalhões em Macapá) e as ocorrências registradas pelo Centro de Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes). Muitos crimes também foram coibidos nas escolas da rede estadual. Com o monitoramento em tempo real, durante 24 horas, a empresa de vigilância faz contato direto com os policiais em serviço, resultando na prisão em flagrante e na devolução imediata dos pertences da escola. Apenas em 2017, 80 tentativas de furtos e intrusões foram evitadas, após o disparo do alarme e acionamento imediato dos patrulheiros da empresa e da Polícia Militar.


Geral

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 15 e 16 de abril de 2018

B3

SINE AP foi responsável por 2,4% das admissões no último trimestre de 2017 DIVULGAÇÃO

O Amapá é o sétimo estado brasileiro em que o Sistema menos realizou contratações. Em nível nacional, o Sine respondeu por 5,3% das admissões no país. Nathan Oliveira

N

esta última semana, o Ministério do Trabalho (MTb) divulgou dados de um boletim do Observatório da Secretaria de Políticas Públicas (SPPE) que apontam que no quarto trimestre do ano de 2017, o Sistema Nacional de Empregos (Sine) foi respon-

AS PRINCIPAIS ocupações das vagas oferecidas foram de Alimentador de Linha de Produção, Vendedor de Comércio Varejista e Faxineiro.

sável por 2,4% das admissões registradas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregado (CAGED) realizadas

no Amapá. O Sine Amapá foi a sétima unidade do Sistema com o menor número de encaminhamentos para

contratações do Brasil. O estado ficou a frente de Santa Catarina, Maranhão, Espírito Santo, Distrito Federal, Rio de Ja-

Mais de 6 mil pessoas já entregaram documentos para o processo de transposição

JOSÉ BAIA

Michelle Silva

O

atendimento para as pessoas que almejam entrar para o quadro de servidores da União através da Emenda Constitucional (EC) 98 – procedimento conhecido como transposição – continua de forma ininterrupta até o dia 3 de maio. Faltando 20 dias para o fim do prazo, mais de 6 mil pessoas já fizeram a entrega dos documentos nos três postos de atendimentos montados em Macapá. De acordo com a gerente de Recursos Humanos do ex-Território da Secretaria de Estado da Administração (Sead), Ilana Vilhena, a procura pelo atendimento diminuiu pela metade nos últimos dias. “Nós continuamos disponibilizando 400 senhas diariamente, mas a procura caiu pela metade esses dias. Nós aconselhamos que quem tenha interesse no processo, procure logo um posto de atendimento e não deixe para a última hora”, ressaltou Ilana. A recepção dos documentos está acontecendo desde o dia 4 de abril, diariamente, inclusive aos fins de semana e no feria-

RECEPÇÃO DOS DOCUMENTOS está acontecendo desde o dia 4 de abril e seguirá de forma ininterrupta até o dia 3 de maio.

do de Tiradentes, dia 21 (sábado). Esio Wellington Nunes, de 41 anos, procurou o posto de atendimento do Super Fácil do Novo Buritizal, na Zona Sul da cidade, para dar entrada no processo de transposição. Ele afirmou que o atendimento foi rápido e que os atendentes estão preparados para receber a população. “Não demorei nem meia hora na fila, e já consegui ser atendido. Os atendentes também foram bastante atenciosos e me tiraram todas as dúvidas necessárias”, explicou Nunes.

Novas categorias No dia 10 de abril, a Comissão Mista que analisa a Medida Provisória 817/2018 aprovou o parecer do relator Romero Jucá, acatando duas emendas que contemplam cinco novas categorias no processo de transposição. A primeira emenda diz respeito aos servidores da segurança pública, são 516 policiais civis aprovados em concurso público no ano de 1993 e que não estavam incorporados na transposição para o quadro da União. A emenda foi acatada pelo relator e segue para votação nos plenários da Câmara e Senado. A outra emenda se refere aos servidores do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), das Câmaras de Vereadores, Tribunal de Contas do Estado (TCE) e do Ministério Público Estadual (MP/ AP), que passam a ter direito à transposição. A gerente de Recursos Humanos do ex-Território da Sead lembrou que essas categorias também devem realizar a entrega dos documentos até às 18h do dia 3 de maio. “É importante que eles se antecipem, mesmo nos casos que ainda precisam da aprovação do Congresso, pois, assim que for confirmado, eles já terão

seus documentos entregues”, aconselhou a gerente. Processo Nesta etapa da transposição, os interessados devem apresentar os documentos pessoais que comprovem vínculo com o poder público no período de outubro de 1988 a outubro de 1993, assim como um requerimento e um termo de opção, os quais deverão ser preenchidos e entregues nos postos de atendimento. E, também, disponibilizar um endereço de e-mail para acompanhamento do processo. Para dar mais celeridade no processo, o Governo do Amapá disponibilizou os dois documentos necessários no site da Sead, para que o interessado imprima e preencha com antecedência, além de um serviço de xérox dentro do Super Fácil. As pessoas que residem no interior do Amapá ou em outros Estados e que tenham tido vínculo com o ex-Território e queiram passar para o quadro da União, também devem se deslocar até Macapá para a entrega dos documentos. No entanto, existe a possibilidade de o interessado assinar uma procuração para que outra pessoa entregue os documentos em seu nome.

neiro e o Rio Grande do Sul (estado que apresentou menor percentual do país, registrando 1,3% das contratações formais realizadas por meio do Sine em 2017). Em nível nacional, o boletim apresentado aponta que as contratações realizadas por meio do Sistema de Emprego atingiram 577,2 mil trabalhadores no ano passado. Esse número representa um aumento de 36,7% em relação ano de 2016, quando 422,4 mil trabalhadores foram inseridos no mercado forma de trabalho do país. De acordo com o Ministério do Trabalho, houve diferenças significativas entre os estados nas admissões realizadas por meio do Sine. No ano passado, dez unidades ficaram acima da média nacional, com destaque

para o estado de Alagoas, onde a intermediação de mão de obra pelo Sistema representou 27,6% do total no último trimestre do ano. A maioria das vagas de emprego oferecidas pelo Sine no quarto trimestre de 2017 era no setor de serviços (47,6%), seguido pelo comércio (23,5%) e indústria (19,7%). As principais ocupações das vagas oferecidas foram de Alimentador de Linha de Produção, Vendedor de Comércio Varejista e Faxineiro. O boletim do Observatório da Secretaria de Políticas Públicas aponta que no perfil dos trabalhadores o sexo feminino predominou a procura por vagas de emprego atingindo 54,2%, com faixa etária de 18 a 24 (52,7%), com ensino médio completo (41,8%).

GEA entrega 231 unidades habitacionais aos beneficiários do Macapaba II Portal GEA

O

Governo do Estado do Amapá (GEA) entregou nesta sexta-feira, 13, as chaves de 231 unidades do Conjunto Habitacional Macapaba II, aos beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida. Entrega das chaves, assinatura de contrato, termos de doação e vistorias estão ocorrendo em um só momento, na Escola Estadual Antônio Munhoz, no Macapaba II, até às 18 horas. Dentre os contemplados estão moradores de áreas de risco, mulheres chefes de família, idosos e pessoas com deficiência. E, ainda, vítimas do incêndio no Perpétuo Socorro e famílias que moraram próximo ao Canal do Jandiá; área do “Zeca Diabo”, no bairro Pedrinhas e no bairro Ipê. A dona de casa Vitalina Coutinho Braga, 32 anos, grávida de 9 meses do seu terceiro filho, foi a primeira a fazer a vistoria no imóvel. Mesmo com dores, ela fez questão de comparecer na vistoria da sua casa própria. As lágrimas no rosto da beneficiária se misturavam com a emoção de ver um sonho se tornando realidade. Atualmente, Vitalina vive com a família, no bairro Brasil Novo, Zona Norte de Macapá, e paga R$ 300 de aluguel. Ela é uma das moradoras que viviam às mar-

gens do Canal do Jandiá. “Queria tanto que meu irmão estivesse aqui para ver o tamanho da minha felicidade, em poder realizar duas conquistas ao mesmo tempo, o nascimento do meu bebê e o recebimento da minha casa própria. Agora, tenho um lugar digno para morar com meus filhos. Saio daqui com a certeza de que a nossa vida vai melhorar”, emocionou-se a moradora que perdeu o irmão há três anos. Outra família contemplada foi a de Alcirene Vilhena Dias, 38 anos, do bairro Perpetuo Socorro. A autônoma é mãe de quatro filhos e compartilhou com o marido e a filha caçula de 10 meses, a alegria e a moção de conhecer a sua nova moradia. “Só em pensar que a partir desse momento, não vou mais precisar pagar aluguel, vejo que todos os esforços valeram a pena”, comemorou. Alcirene contou sobre a luta de mais de 15 anos morando de aluguel. E tudo o que conseguia trabalhando como autônoma para pagar o aluguel era R$ 400, dinheiro que será economizado para pagar a prestação da nova casa. “Já tinha até perdido a esperança de um dia ser contemplada. Mas, hoje, finalmente estou realizada e posso dizer que tenho um lar, agradeço a Deus pela vitória em nossas vidas”, declarou.


B4

Dia-Dia

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 15 e 16 de abril de 2018

Anjos da Guarda: PF prende médico suspeito de pedofilia em Macapá FOTO: DIVULGAÇÃO

Ação é desdobramento da “Operação Inocentes”, cujo o órgão investigou casos de abuso e exploração sexual contra menores em Macapá.

Ronda Policial JOÃO BOLERO Da 99,1 FM

BLOG DO BOLERO

ALUNO É FLAGRADO COM SIMULACRO DE ARMA DE FOGO Uma Guarnição da PM sob o comando do CB D. Coutinho, foi acionada pela diretora da Escola Zolito Nunes, informando que o aluno P.S.C (15), portava um simulacro de arma de fogo. Segundo o adolescente, no dia 10/04, ele teria sido ameaçado JOELSON C.B (18), e por isso estava usando o simulacro. Em face disso, os dois alunos foram encaminhado ao CIOSP do Pacoval e DEIAI, para as devidas providências.

Da Redação

A

Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã de sexta-feira (13) a operação Anjos da Guarda e prendeu um médico suspeito de pedofilia em Macapá. O médico já tinha um mandado expedido pela justiça e foi levado à Superintendência Regional da PF em Macapá e ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer os procedimentos de rotina antes de ser recolhido ao Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen). A ação é um desdobramento da “Operação Inocentes”, deflagrada em 2009 com o intuito de investigar crimes de pedofilia na capital amapaense. Segundo o órgão, as investigações identificaram condutas de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes em Macapá. As investigações apontaram para a atuação de um “aliciador” de menores que se aproximava das crianças com o intuito de leva-las para sofrerem os abusos cometidos por adultos. Na ocasião, os envolvi-

AS INVESTIGAÇÕES APONTARAM para a atuação de um “aliciador” de menores que se aproximava das crianças com o intuito de leva-las para sofrerem os abusos cometidos por adultos.

dos identificados pela PF foram indiciados, denunciados e condenados pelos crimes de abuso e exploração sexual, cujas penas somadas podem passar de 15 anos de detenção. Outras operações Em menos de uma semana, a PF deflagrou três operações no estado, todas com finalidades diferentes. A primeira aconteceu na quarta-feira (11), quando policiais cumpriram mandados prisão preventiva e de busca e apreensão nos estados do Amapá, Pará, Tocantins e Santa Catarina. Denominada “Colinas

de Rocha”, a operação teve como objetivo desarticular um grupo empresarial criminoso que atuava no mercado financeiro, captando recursos de Institutos de Previdência de servidores municipais para aplicação. No Amapá, duas pessoas foram presas. A outra operação deflagrada pelo órgão foi a ‘Fast Food’, realizada na quinta-feira (12), cujo objetivo foi apurar pagamento de propina para servidores da Agência Nacional de Mineração (ANM). De acordo com o órgão, dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos no estado. Os mandados são desdo-

bramento da operação ‘Estrada Real’, realizada em setembro de 2017. As investigações apontam indícios de pagamentos para obter vantagens ilícitas na ANM, responsável por emitir licenças na área de mineração. A tramitação era feita por servidores do órgão, aponta as instituições. Em nota, a PF informou também que há indícios de que havia intermediários entre os servidores da ANS e os empresários. Caso seja comprovada o pagamento de propina, os envolvidos podem responder pelos crimes de corrução passiva, ativa e organização criminosa.

Agentes penitenciários realizam manifestação nesta terça-feira

FOTO: DIVULGAÇÃO

Luciana Cordeiro

O

s agentes penitenciários de Macapá, realizarão nesta terça-feira (17), um manifesto em frente ao Palácio do Setentrião. A decisão foi tomada em assembleia realizada pela categoria na última quinta-feira (12), após o descontentamento dos agentes com o reajuste de 2,8% para o funcionalismo público estadual, anunciado pelo Governo do Amapá no último dia 7. No ato, os agentes deverão apresentar um documento com reivindicações ao Governador Waldez Góes, dentre elas o corte na tabela salarial, pagamento da gratificação de insalubridade, pagamento do retroativo das progressões, entre outras. O manifesto terá início em frente ao Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen). Segundo os servidores, atualmente o agente penitenciário recebe o menor salário da segurança pública. E de acordo com a pauta referente a assembleia, as condições de trabalho dos agentes são péssimas, classificando-as como uma das mais deterioradas do estado e chamando atenção ao fato de que o governo ofereceu mais benefícios as outras catego-

POLÍCIA MILITAR PRENDE QUADRILHA COM DROGAS Após uma denúncia anônima, uma Guarnição da PM por volta das 11h00min da noite deste quarta-feira (11), se deslocou até a Av. Antonio Carlos Reis, no bairro Novo Horizonte, e em uma área de ponte, encontrou com uma quadrilha, que ao avistar a polícia, tentou esconder algo, porém, os policiais conseguiram prender em poder dos acusados 17 papelotes de maconha, 89 reais e um celular. Foram presos e apreendidos: IVANILDO DA SILVA (20), FLÁVIO PEREIRA (18), A.S.B (17), H.R.S.L (17) e T.C.S (17), que foram entregues no CIOSP do

A

rias, inclusive na área da segurança pública, e deixou de fora os agentes penitenciários. No documento a respeito da assembleia, os agentes citaram também os perigos aos quais ficam expostos. Com capacidade para abrigar cerca de 1.500 detentos, o Iapen possui mais de 3.000 internos, sendo que apenas dois agentes são responsáveis por um pavilhão com mais de 250 presos, representando um risco para os agentes. De acordo com os agen-

tes, o ato faz parte também de uma série de protestos que eles vêm realizando contra ataques que ocorreram em guaritas, no mês de março, julho e agosto de 2017. Em duas das ocorrências, houveram vários disparos contra as guaritas e em um deles um agente penitenciário ficou ferido ao ser alvejado por um tiro enquanto fazia vigilância. No ato deverá ocorrer também, menção ao ex-chefe de plantão Clodoaldo Pantoja Brito, que morreu ao ser alvejado por 19

tiros em junho de 2012. Na próxima semana, os acusados retornarão ao banco de réus após quase 6 anos do ocorrido. “O que nós queremos é que a justiça seja feita. Que os criminosos paguem pelo crime. Não foi apenas um servidor que veio a óbito, e sim uma afronta ao estado. Isso não pode ficar impune”, disse um agente no documento divulgado. A expectativa do sindicato é que todos os agentes penitenciários do Estado participem da manifestação.

DUPLA ASSALTA FUNCIONÁRIO DE EMPRESA Foi por volta das 12h00min desta quarta-feira (11), que um funcionário da empresa J.M.S Neto, de prenome Ademir, chegava em frente a empresa, no bairro do Laguinho, quando foi rendido por dois elementos que estavam em uma moto, os quais armados com armas de fogo, tomaram 10 mil reais do Ademir. Em seguida fugiram. Uma Câmera registrou o assalto. Como eles estavam de capacete, vai ficar difícil identificar os assaltantes. AUTÔNOMO É VÍTIMA E TENTATIVA DE HOMICÍDIO Uma tentativa de homicídio que ocorreu, em frente à TV Record, quando o autônomo JOÃO VITOR SILVA AQUINO (24), pedalava uma bicicleta na Rua Santos Dumont, no Buritizal, e dois elementos que estavam em uma moto, onde o da garupa sacou de uma arma e disparou vários tiros no João, que foi ao solo. Ele foi socorrido e levado ao H.E por uma ambulância, mas não corre risco de morte. Os acusados não foram presos.

Governo confirma que 21 detentos morreram em tentativa de fuga no Pará G1 Pará

O ATO FOI VOTADO EM ASSEMBLEIA e faz parte da reivindicação de melhores condições de trabalho, de salário e maior reconhecimento à classe.

Pacoval e DEIAI, respectivamente.

Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) divulgou que das 22 mortes do confronto durante tentativa de fuga do Centro de Recuperação Penitenciária do Pará (CRPPIII), 21 são de detentos, sendo cinco deles custodiados da Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel (CPASI), que faz parte do mesmo complexo. Segundo boletim publicado na noite de quinta-feira (12), eles participaram da ação que ajudaria a dar fuga aos detentos. Um agente prisional morreu na ação. No dia 10, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) informou que os mortos eram um agente penitenciário, cinco presos e 15 suspeitos de tentar invadir o presídio para apoiar a fuga. Já no dia 11, a Susipe disse que, com exceção do agente, ainda não tinha identificação de nenhuma das vítimas, e não era possível saber quem era ou não detento custodiado do Estado. O vídeo abaixo, envia-

do pela Susipe, mostra homens disparando tiros com duas das armas apreendidas pela Polícia Militar após a ação criminosa. As imagens foram periciadas pela equipe de inteligência da Segup. Na última terça-feira (10), 21 pessoas morreram, entre elas um agente prisional, durante troca de tiros em tentativa de fuga do presídio localizado em Santa Izabel, região metropolitana de Belém. O número de vítimas subiu para 22, quando uma detento que estava internado na UPA de Castanhal morreu na noite de quarta (11). Um relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) feito em fevereiro deste ano alertou para o risco de “resgate realizado com apoio externo” no Centro de Recuperação Penitenciária do Pará III (CRPP III). Em fevereiro, a unidade tinha 52% mais presos do que a capacidade: havia 660 detentos para 432 vagas. Sobre o assunto, a Segup afirmou que o centro precisa de “readequações arquitetônicas”, mas que “não comprometem o seu funcionamento”.


MACAPÁ-AP, DOMINGO E SEGUNDA-FEIRA, 15 e 16 de abril de 2018 DIVULGAÇÃO

Professor:

IRPF 2018:

Receita Federal já recebeu mais de 10,5 milhões de declarações

Inscrições para concurso público da Unifap iniciam dia 30

Restituições do Imposto de Renda 2018 iniciam a partir de julho. C4

C2

Doze casos de dengue foram confirmados no Amapá em 2018, aponta SVS Os números apresentam significativa redução de casos suspeitos e confirmados da doença no período de um ano. Em 2018, três municípios apresentaram confirmação. Nathan Oliveira

A

Superintendência de Vigilância em Saúde do Amapá (SVS/AP) divulgou os dados do Monitoramento Semanal dos casos de dengue no estado. O Monitoramento epidemiológico é referente às primeiras sete semanas correspondente aos meses de janeiro e fevereiro de 2018 e contém informações dos 16 municípios do Amapá. Até a sétima semana epidemiológica de 2018, 115 casos suspeitos de dengue foram registrados no esta-

DIVULGAÇÃO

Alerta: 10 milhões ainda precisam se vacinar contra Febre Amarela DIVULGAÇÃO

OS CASOS CONFIRMADOS EM 2018 foram registrados do município de Macapá (10), Ferreira Gomes (1) e em Santana (1).

do. Na frequência acumulada, registrada pela Superintendência, no mesmo período de 2017 foram registrados 389 casos suspeitos de dengue nos 16 municípios do Amapá. Dos 115 casos suspeitos em 2018, 42 foram registrados em Macapá, 35 no município de Ferreira Gomes, 12 em Serra do Navio, 23 em Laranjal do Jari e 3 no município de Santana. Dos casos confirmados de dengue pela Saúde do estado, até o fim da sétima semana epidemiológica deste ano, 12 casos da doença foram registrados. No

mesmo período, analisado em 2017, foram 287 casos de dengue confirmados. Os casos confirmados em 2018 foram registrados do município de Macapá (10), Ferreira Gomes (1) e em Santana (1). Destes, 3 foram na primeira semana do ano, 6 na segunda e 3 da terceira semana epidemiológica de 2018. Casos de Dengue em 2017 De acordo com Boletim Epidemiológico elaborado pela Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS) da Secretaria de Estado da

Saúde (SESA), de janeiro até o dia 04 de novembro de 2017, 818 casos de dengue foram confirmados no Amapá. No ano de 2016, foram confirmados 1.803 casos de dengue em todo o estado. Em números absolutos de casos confirmados, o município de Macapá registrou um total de 881 em 2016 e em 2017 foram 281 casos confirmados de dengue, apresentando expressiva redução na comparação para o período epidemiológico de primeiro de janeiro a 04 de novembro.

V Campanha de Detecção de Hanseníase, Tracoma e Verminoses inicia em Macapá

DIVULGAÇÃO

Luciana Cordeiro

T

eve início em Macapá, a quinta edição da Campanha Nacional de Hanseníase, Geo-helmintíases e Tracoma. A campanha deverá percorrer cerca de 43 escolas, tanto municipais quanto estaduais até junho. A expectativa é de que sejam examinados pelo menos 28 mil alunos na faixa etária de 5 a 14 anos. A campanha visita escolas que fazem parte do programa Saúde da Família e Saúde nas Escolas (PSE), como explica Lucileide Mafra, Coordenadora do Programa Municipal de Hanseníase, “Estamos trabalhando com escolas no Bailique, tem escolas no Itamatatuba. Onde tem os programas Saúde da Família e o PSE, que é o programa Saúde na Escola, a gente atua. As escolas tem que ter cobertura desses programas, pois é necessário que tenha uma equipe de enfermeiros, médicos, técnicos, pra ajudar”. A primeira escola a ser visitada foi a Escola Maestro Miguel. 1.212 alunos passaram pelos procedimentos de detecção das doenças. De acordo com a coordenadora, nas quatro edições da campanha não foram detectados casos de hanseníase. “Na escola, desde a primeira edição da campanha, a gente ainda não teve nenhum caso positivo, tivemos casos suspei-

A ESTIMATIVA é de que cerca de 28 mil alunos sejam atendidos nas escolas participantes da campanha. A higiene pessoal é a principal arma contra algumas das doenças.

tos, mas foram feitos os exames e não deram positivo” ressaltou Lucileide. Ainda de acordo com a coordenadora, caso sejam detectados casos de Hanseníase, a equipe fará a busca pelos familiares da criança, que podem ser os transmissores da doença. “Se a gente detectar o caso a gente faz a busca da família, pois o foco está na casa, alguém adulto na casa tem hanseníase e não foi tratado, enquanto ele não for tratado ele vai ficar passando para as outras pessoas”, concluiu. Sobre as doenças A Hanseníase é uma doença contagiosa, que atinge a pele e os nervos, é transmitida por uma bactéria que passa de uma pessoa infectada e que

não está em tratamento, para outra pessoa através das vias respiratórias. De evolução lenta, a doença demora de dois a sete anos para manifestar os sintomas nos indivíduos, tais como manchas (lisas ou elevadas) esbranquiçadas e avermelhadas que surgem pelo corpo e perda de sensibilidade nessas áreas. O tratamento é feito nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e dura cerca de seis meses a um ano. O Tracoma é uma doença que se manifesta através de uma coceira nos olhos, deixando-os avermelhados, lacrimejantes, com a presença ou não de secreções, e também é causada por uma bactéria, chamada Chlamydia tracomatis. Essa doença ocorre principalmente nas crian-

ças, e é necessário que toda a família faça o tratamento, pois a doença é transmitida facilmente através de contato com a pessoa infectada ou com seus objetos. A principal forma de prevenção é a higiene pessoal. A Verminose é qualquer infecção intestinal provocada por vermes. E a principal forma de prevenção também é a higiene pessoal. As crianças são mais vulneráveis aos vermes por ainda não ter total conhecimento a respeito das práticas de higiene. Os sintomas podem ser dor na barriga, cólicas, náuseas, vômitos, diarreias, perda de peso, anemia e febre e na escola o rendimento dessa criança acaba por diminuir, pois ela se sente fadigada.

O BRASIL CONFIRMOU 1.127 casos e 331 óbitos no período de 1º julho de 2017 a 10 de abril deste ano. Os estados do Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo estão com a cobertura abaixo da meta.

Redação

O

Ministério da Saúde reforça a importância da população procurar os postos de vacinação nas novas áreas de risco de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. De acordo com o boletim epidemiológico publicado nesta quarta-feira (11), que traz as informações enviadas pelos gestores locais os três estados ainda estão com a cobertura bem abaixo da meta, que é 95%. A cobertura da campanha em curso no Rio de Janeiro está com 40,9%, a Bahia está com 55% e São Paulo com 52,4% da população-alvo vacinada. A vacina está disponível nos postos de saúde. O período de alta da doença segue até maio. Ao todo, a campanha nesses estados busca imunizar 23,8 milhões de pessoas. Os dados referem-se às 77 cidades que fizeram parte da campanha com estratégia de fracionamento e a ampliação para mais 52 municípios de São Paulo. Esses municípios devem continuar vacinando a população com a dose fracionada, que garante a mesma proteção da dose padrão, e ampliar a cobertura vacinal para prevenir novos casos da febre amarela no país. Como a vacinação continua sendo ferramenta mais importante para prevenir surgimento de casos no próximo verão, todo o território brasileiro será área de recomendação para vacinação contra a febre amarela. A ampliação foi anunciada pelo Ministério da Saúde em março deste ano. Será feita de forma gradual e concluída até abril de 2019. A medida é preventiva e tem como objetivo antecipar a proteção contra a doença para toda população, em caso de um aumento na área de circulação do vírus. Atualmente, alguns estados

do Nordeste e parte do Sul e Sudeste não fazem parte das áreas de recomendação de vacina. Casos Desde o dia 1º de julho de 2017 até 10 de abril, o Ministério da Saúde registrou 1.127 casos confirmados de febre amarela. No total, foram 5.052 casos notificados, sendo 2.806 já descartados e 1.119 continuam em investigação. No ano passado, considerando o mesmo período de monitoramento (julho/2016 a 10 de abril/2017) eram 712 casos e 228 óbitos confirmados. Os informes de febre amarela seguem, desde o ano passado, a sazonalidade da doença, que acontece, em sua maioria, no verão. Dessa forma, o período para a análise considera de 1º de julho a 30 de junho de cada ano. A vacina é a única proteção contra a doença. O Ministério da Saúde chama a população para se proteger contra a febre amarela indo aos postos de vacinação e garantir a sua imunização. Embora os casos do atual período de monitoramento tenham sido superiores à sazonalidade passada, o vírus da febre amarela hoje circula em regiões metropolitanas do país com maior contingente populacional, atingindo 35,6 milhões de pessoas que moram, inclusive, em áreas que nunca tiveram recomendação de vacina. Na sazonalidade passada, por exemplo, o surto atingiu uma população de 11,2 milhões de pessoas. Isso explica a incidência da doença neste período ser menor que no período passado. A incidência da doença no período de monitoramento 2017/2018, até 10 de abril, é de 3,0 casos para 100 mil/habitantes. Já na sazonalidade passada, 2016/2017, a incidência foi de 6,2/100 mil habitantes, no mesmo período.


C2

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 15 e 16 de abril de 2018

Inscrições para concurso público da Unifap iniciam dia 30 ARQUIVO JD

‘Domingo no Museu’ terá programação voltada ao público infantil Portal GEA

B DE ACORDO COM O EDITAL, os interessados deverão inscrever-se entre o dia 30 de abril até 17 de maio no site www.unifap.com. br. Uma taxa no valor de R$ 250,00 será cobrada para validar a inscrição.

Certame oferta 41 vagas para o cargo de professores. Renumeração varia de R$ 2.236 a R$ 9.585. Redação

A

s inscrições para o Concurso Público da Universidade Federal do Amapá (Unifap) iniciam no próximo dia 30. O certame, que foi publicado na última quinta-feira (12), oferece 41 vagas para o cargo de professores efetivos do magistério superior nas classes adjunto A, assistente A e auxiliar nível I. As vagas são destinadas a três campi da instituição: Marco Zero, em Macapá, campus Santana e campus Binacional. De acordo com o edital, os interessados deverão inscrever-se entre o dia 30

de abril até 17 de maio no site www.unifap.com.br. Uma taxa no valor de R$ 250,00 será cobrada para validar a inscrição. O cargo será exercido em um regime de trabalho de 20 horas, 40 horas ou dedicação exclusiva. O salário varia entre R$ 2.236,303 a R$ 9.585,67, conforme regime e titulação. Além disso, o aprovado receberá R$ 458,00 referente ao auxílio alimentação. As áreas assistidas no certame serão administração, ciência da computação, ciências sociais, engenharia civil, fisioterapia, história, letras (português, inglês/francês e libras/ português), medicina, filosofia, pedagogia, química, ciências biológicas, enfermagem e intercultural indígena. O concurso é valido por um ano e consiste em três etapas, sendo a primeira a prova escrita, prevista para acontecer no dia 10 de junho de 2018. As outras duas se tratam da avaliação didática, com previsão para acontecer nos dias 16 a 20 de junho, e a prova de títulos. Para ter mais informações sobre as etapas

das provas, incluindo a lista de temas, basta acessar o site da universidade onde o edital está anexado. Os resultados das etapas serão divulgados no endereço eletrônico do Departamento de Processo Seletivo e Concursos (Depsec) www.unifap.br/depsec. No resultado final, será homologado, por ordem de classificação, até 5 (cinco) candidatos aprovados para as áreas com previsão de apenas 1 (uma) vaga, conforme disposto no Anexo II do Decreto nº. 6.944/2009. O candidato classificado no concurso público objeto deste edital será nomeado, obedecendo, rigorosamente, a ordem de classificação. Atribuições do cargo de professor de magistério 1 - Elaborar, aplicar e acompanhar o planejamento das atividades de ensino, em observação aos objetivos de ensino da UNIFAP. 2 - Utilizar metodologias de ensino condizentes com as disciplinas sob sua responsabilidade e os ob-

jetivos do projeto pedagógico de curso; 3 - Estimular e promover pesquisas e atividades de extensão à Comunidade; 4 - Participar de Comissões e atividades administrativas para as quais for convocado, indicado ou eleito; 5 - Atualizar-se constantemente, por meio da participação em capacitações pedagógicas, congressos, palestras, visitas técnicas, estudos, entre outros. 6 - Participar da elaboração e execução de núcleos temáticos multidisciplinares, colaborando com a integração entre o ensino, a pesquisa e a extensão no âmbito da UNIFAP; 7 - Exercer outras atribuições previstas no estatuto e regimento da UNIFAP, assim como na legislação pertinente à Carreira do Magistério Superior. 8 - Após investidura no cargo, o candidato poderá atuar, conforme designação do colegiado acadêmico ou Pró-Reitoria de Ensino e Graduação, em outras disciplinas correlatas oferecidas e não somente naquelas que são objeto deste concurso.

rincadeiras infantis, teatro, contação de estórias, passeio pelo bosque e vendas de iguarias são algumas das atividades que serão oferecidas ao público que for visitar o Museu Sacaca no próximo domingo, 15. É a programação “Domingo no Museu” que será lançada pelo Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), órgão que administra o local. O evento inicia às 11h e se estende até às 17h como parte da campanha “Vem pro Museu! Valorize, que é Nosso!”, lançada pelo Governo do Amapá para incentivar a valorização e visitação do público ao espaço. A entrada é franca, mas com algumas restrições que são de ordem do regimento interno do Museu Sacaca, a exemplo da entrada de animais. Para este domingo, a programação pedagógica e cultural será voltada para o público infantil, com idade de 6 a 13 anos, porém, os pais serão inseridos dentro das atividades. Para participar do

Prêmio Professores do Brasil reconhece projetos em educação do Amapá Portal GEA

O Enem: prazo para pedido de isenção e justificativa de falta encerram hoje

DIVULGAÇÃO

Luciana Cordeiro

A

cabam neste domingo (15), às 23h59min (horário de Brasília), os prazos para pedido de isenção e justificativa de falta no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. Os candidatos que se encaixam nos critérios de participação nos benefícios, devem acessar a página do Enem 2018, no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) e realizar o pedido e/ou a justificativa. De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Educação (Mec), mais de 2,5 milhões de pedidos de isenção foram registrados pelo sistema do exame nacional até a última quarta-feira (11). Com a reta final do prazo, a expectativa é de que esse número aumente bem mais. O resultado da solicitação de isenção deverá ser divulgado na Página do Participante em 23 de abril. O período de recursos será entre 23 e 29 de abril, quando o candidato poderá apresentar novos documentos. Se o recurso for negado, o interessado em fazer o Enem 2018 poderá

OS CANDIDATOS têm até as 23h59min deste domingo para fazer o pedido. Até a sexta-feira, mais de 2,5 milhões de pedidos já foram registrados; o resultado deverá ser divulgado no dia 23 de abril.

fazer a inscrição em maio, e pagará a taxa de R$ 82. Quatro perfis serão beneficiados pela gratuidade, sendo um deles inédito. Aqueles que justificarem a falta, receberão o resultado via e-mail e/ou via SMS nos números informados pelo participante. Os candidatos também poderão consultar o resultado pela página do participante. Caso a justificativa de ausência não seja aprovada,

o participante poderá solicitar recurso, no prazo máximo de cinco dias, pelo mesmo endereço de web. Tanto a justificativa, quanto o pedido de isenção deverão ser feitos dentro do período estipulado pelo Ministério da Educação (Mec), que informou que solicitações feitas posteriormente não serão aceitas. Os candidatos deverão ler o edital onde estão listadas as regras para

participação nos recursos. Vale ressaltar que, todos os candidatos interessados em prestar o exame, isentos ou não, também deverão fazer a inscrição entre os dias 7 e 18 de maio. Pois, o pedido e a aprovação, ou não, da isenção não garante a inscrição automática na prova. Essas mudanças foram anunciadas pelo Mec e fazem parte do novo modelo do Enem para este ano.

evento, as crianças devem estar devidamente acompanhadas pelos pais ou responsáveis. As demais atividades de visita ocorrerão normalmente das 9h às 17h, na Casa de Exposição Permanente, Exposição a Céu Aberto, passeio no Barco “O Regatão”, visita nas casas do Ribeirinho, da Farinha e do Castanheiro, Monumento Marabaixo e Sítio Arqueológico. Os visitantes poderão desfrutar, ainda, da Praça do Monumento Sacaca, que foi totalmente restaurada e revitalizada. De acordo com coordenador do Museu Sacaca, Hedivelson Queiroz, a programação foi preparada para proporcionar aos visitantes, um momento de contemplação envolvendo as atividades e o ambiente do local. “O projeto foi abraçado pela sociedade e já notamos o resultado no primeiro domingo após o lançamento da campanha, quando tivemos um aumento de 60% no número de visitantes durante os fins de semana”, destacou Queiroz.

Amapá teve quatro iniciativas de professores das redes públicas de ensino reconhecidas no 10º Prêmio Professores do Brasil, organizado pelo Ministério da Educação (MEC) em parceria com as Secretarias de Educação dos estados. A cerimônia de entrega da premiação local ocorreu durante o I Encontro de Coordenadores Pedagógicos (Coped), promovido pelo Governo do Amapá em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/ AP). Da rede estadual, dois professores foram premiados. O objetivo da premiação, segundo o MEC, é dar destaque aos profissionais que, no exercício da atividade docente, contribuem de forma relevante para a qualidade da educação básica no Brasil, valorizando e estimulando seu papel na formação das novas gerações. Ao todo, foram inscritos 3.494 projetos, sendo 10 do Amapá, com sete da rede estadual e três da rede municipal de Macapá. Durante a cerimônia, os 10 projetos inscritos pelo Amapá receberam certificado de reconhecimento da Seed. Desses, quatro professores vencedores da etapa esta-

dual receberam uma placa de homenagem pelo desempenho no Prêmio. Os professores da rede estadual premiados foram: Carla Patrícia Ribeiro Nobre (Categoria Ensino Fundamental - 6º ao 9º ano), da Escola Estadual Mario Quirino da Silva, com o projeto “Áreas De Ressaca: Águas Cheias De Vida”; e a professora Carla Priscila Antunes Dos Santos (Categoria Ensino Médio), do Colégio Amapaense, com o projeto “Transformando violência em arte!”. Houve ainda a premiação para professores que atuam na rede municipal de ensino de Macapá: Dayana Cristina dos Pontes Vilhena (Categoria Ensino Fundamental – 1º ao 3º ano), Escola Municipal Antônio Barbosa, com o projeto “Minha lista de supermercado! Uma prática significativa que contribui para o desenvolvimento da leitura e da escrita”; e Idarlene Rocha Balieiro de Souza (Categoria Ensino Fundamental – 4º ao 5º ano), Escola Municipal Maria Bernadete do Nascimento, com o projeto “Lied e Biblioteca: Integração de saberes em prol de uma aprendizagem colaborativa”. A inscrição para o prêmio Professores do Brasil 2018 está prevista para iniciar ainda este semestre.


Geral

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 15 e 16 de abril de 2018

C3

FLU LÍDER, PEIXE NO Z4: veja o desempenho dos clubes em estreias no Brasileirão

Tricolor venceu nove partidas de abertura da Série A na era dos pontos corridos;

DIVULGAÇÃO

REDE AMAZÔNICA

Globo Esporte

O

Brasileirão começa neste sábado. E se o importante é iniciar a disputa com o pé direito, alguns torcedores podem acreditar num bom resultado baseados no retrospecto. O “Numerólogos” levantou o aproveitamento dos 20 clubes da Série A em estreias na competição desde 2003 – era dos pontos corridos. Na liderança, o Fluminense. O Tricolor venceu em nove das 15 edições durante o período estabelecido, com um aproveitamento de 66,7%. Neste domingo, às 16h (de Brasília), o time de Abel Braga encara o Corinthians, em São Paulo. RAPIDINHAS: O Flamengo mostra os piores números entre os clubes do Rio de Janeiro: é o 15º colocado, com 37,8% A Chapecoense é o único dos 20 clubes que jamais perdeu em uma estreia no Brasileirão. O Santos é quem mais empatou em estreias na Série A: nove vezes. Grêmio e Internacional têm campanhas idênticas em estreias: quatro vitórias, quatro empates e cinco derrotas.

GLOBOESPORTE.COM MOSTRA RANKING com aproveitamento dos 20 times da elite do futebol brasileiro.

FLUMINENSE ATLÉTICO-MG PALMEIRAS SÃO PAULO CRUZEIRO AMÉRICA-MG CEARÁ CHAPECOENSE BOTAFOGO VASCO PARANÁ CORINTHIANS GRÊMIO INTERNACIONAL FLAMENGO SPORT ATLÉTICO-PR BAHIA SANTOS VITÓRIA

APROVEITAMENTO 66,7% 64,3% 64,1% 57,8% 55,6% 50% 50% 50% 48,7% 47,2% 46,7% 40,5% 40,5% 40,5% 37,8% 37,5% 35,7% 27,8% 26,7% 22,2%

VITÓRIAS 9 7 7 8 7 1 1 1 5 5 2 4 4 4 3 2 5 1 1 1

EMPATES 3 6 4 2 4 0 0 3 4 2 1 5 5 5 8 3 0 2 9 3

DERROTAS 3 1 2 5 4 1 1 0 4 5 2 5 5 5 4 3 9 3 5 5

Sorteio define semifinais da Champions com Real x Bayern e Roma x Liverpool

DIVULGAÇÃO

TIMES EMPATARAM na noite de terça-feira (12) em partida marcada por grandes oportunidades. Equipes amargam as duas últimas posições, mas regulamento pode facilitar ida às semifinais.

No fim da tabela, Trem e São Paulo-AP dão provas que estão vivos no Amapazão Globo Esporte AP

O

empate entre Trem e São Paulo-AP na noite de quinta-feira (12) pelo Amapazão não ficou marcado apenas pelos 12 cartões e pelas faltas duras, mas sim por um recomeço que os times podem dar no estadual. Jogando bem melhor que as partidas anteriores, as equipes mostram que tem elenco e motivação para reagir na reta final da 1ª fase. Também ajudados pelo regulamento, que classifica quatro de cinco times para a fase seguinte, Locomotiva e Tricolor ainda tem chances de seguirem vivos no estadual. Em

campo, os dois times mostraram alternativas aos velhos lançamentos na área, que acontecem às pencas nas partidas do Amapazão. O Trem apresentou reforços que estrearam bem e convenceram a torcida, como Lucão e Leandro Montebeler. Já o São Paulo-AP aposta na base que fez bonito na Copa São Paulo em janeiro para alçar voos na competição estadual. A principal característica do jogo no Zerão foi a bola colocada no chão pelos clubes, com jogadas trabalhadas, tabelas e lançamentos rápidos. Se mantido o nível, a oportunidade de ressurgir das cinzas no campeonato pode ser cada vez maior.

Globo Esporte

A

Uefa definiu os dois confrontos das semifinais da Liga dos Campeões com um sorteio nesta sexta-feira em Nyon, na Suíça. O grande destaque fica por conta do duelo entre Bayern de Munique e Real Madrid. Campeões em três das últimas quatro edições, os merengues fazem o primeiro jogo na Alemanha e depois decidem na Espanha. A outra vaga na decisão ficará entre Roma e Liverpool, com a primeira partida na Inglaterra e a segunda na Itália. Os confrontos serão entre o final de abril e início de maio. Liverpool e Roma abrem a semifinal em Anfield em 24 de abril e no dia seguinte Bayern recebe o Real em Munique. Na semana seguinte, os bávaros visitam os merengues em primeiro de maio e ingleses e italianos duelam em Roma no dia 2. A final com os dois vencedores será em 26 de maio, em Kiev, na Ucrânia. O cruzamento entre Liverpool e Roma ainda teve uma curiosidade que até levantou suspeita de alguns. Afinal, os italianos abriram nesta quinta, véspera do sorteio, a venda de ingressos para as semifinais... colocando justamente os Reds como rivais. Rapidamente, o erro foi corrigido no site da Roma, mas jornais como o “The

Datafolha: Fla tem maior torcida, mas empata tecnicamente com Corinthians Globo Esporte Datafolha publicou, na sexta-feira (13), uma pesquisa atualizada sobre as torcidas brasileiras. Realizada nos dias 29 e 30 de janeiro deste ano, o levantamento mostra o Flamengo como clube brasileiro com mais torcedores em todo o território nacional - 18%. O Corinthians vem na sequência, com 14%. Considerando a margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos, há um empate técnico entre os dois clubes. Na região Sudeste, a maior torcida, segundo a pesquisa, é a do Timão, com 19%. Os rubro-negros somam 14% na região. A situação se inverte em função das regiões Norte e Nordeste, onde a torcida flamenguista leva larga vantagem

O CAMPEÕES EM TRÊS DAS ÚLTIMAS QUATRO EDIÇÕES, espanhóis decidem em casa contra o gigante bávaro. No outro duelo, Salah reencontra o ex-time na reedição da decisão da Champions em 1983/84.

Sun” registraram o equívoco, o tornando público. Por conta da coincidência, teve torcedor levantando a suspeita de manipulação. O duelo será ainda a reedição da final de 1983/84. Essa ocasião foi a última vez que a Roma chegou a uma semifinal de Liga dos Campeões, mas o time italiano, à época com Toninho Cerezo em seu elenco, perdeu a chance de conquistar sua única Orelhuda ao cair diante do Liverpool na decisão. No duelo que abriga 17 títulos de Champions (12 do Real e 5 do Bayern), alemães e espanhóis farão um confronto recorrente

nas últimas edições da competição. O último deles foi na última temporada, quando os merengues levaram a melhor nas quartas de final ao vencerem por 6 a 3 na soma das duas partidas e pavimentaram de vez o caminho para o bicampeonato europeu em sequência. Reencontros e mais reencontros Os duelos serão marcados pelos reencontros. Grande destaque do Liverpool e um dos grandes nomes da temporada, Salah cruzará novamente o caminho da Roma, que o vendeu por € 42 milhões

fixos(cerca de R$ 176 milhões), mais € 8 milhões (cerca de R$ 33 milhões) de bônus aos Reds no início da temporada. No outro confronto, James Rodríguez vai reencontrar o Real Madrid, clube que tem seus direitos econômicos e o emprestou aos bávaros na última janela de verão na Europa. Além do colombiano, o técnico Jupp Heynckes, que voltará para a aposentadoria ao término da temporada, comandou os merengues na conquista da Liga dos Campeões 1997/98. Kroos fez o caminho oposto e defenderá o Real contra o ex-time.

(37% contra 8% no Norte e 23% contra 9% no Nordeste). Na Região Sul, a maior torcida registrada é a do Grêmio, com 20% da preferência. O Tricolor é seguido pelo rival Internacional, com 18%. No Centro-Oeste, nova vantagem flamenguista, com 23%. O Corinthians aparece em segundo, com 15%. Considerando todo o território nacional, a sequência do ranking, após Flamengo (18%) e Corinthians (14%), tem São Paulo com 8%, Palmeiras com 6%, Cruzeiro e Vasco com 4%, Grêmio, Internacional e Santos com 3%, e Atlético-MG com 2%. Bahia, Botafogo, Fluminense e Vitória têm 1% cada. Todos os outros times citados somam, juntos, 8%, e 22% dos entrevistados disseram não torcer para nenhum time.


C4

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 15 e 16 de abril de 2018

IRPF 2018: Receita Federal já recebeu mais de 10,5 milhões de declarações DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

O PRAZO PARA ENTREGA DAS DECLARAÇÕES encerra ainda neste dia 30 de abril e o primeiro lote das restituições será liberado no dia 15 de junho de 2018.

De acordo com a Receita Federal, o contribuinte que perder o prazo de entrega está sujeito ao pagamento de multa. Restituições do Imposto de Renda 2018 iniciam a partir de julho. Nathan Oliveira

N

o período de 1º de março a 12 de abril, os sistemas da Receita Federal do Brasil (RF)

receberam 10.599.669 declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2018 de todas as Regiões do país. O prazo para entrega das declarações encerra ainda neste dia 30 de abril e o primeiro lote das restituições será liberado no dia 15 de junho de 2018. O total de declarações recebidas pela Receita foi contabilizado até às 17 horas da última quinta-feira. De acordo com divulgação, a expectativa é de que até o fim do prazo, 28,8 milhões de contribuintes entreguem suas declarações. Esse total estimado conta com 340 mil declarações a mais que os registros realizados no ano passado, quando 28,5 milhões de contribuintes realizaram a prestação de contas. Segundo a Receita, quem atrasar a entrega da declaração o IR 2018 deverá realizar o pagamento

de multa de 1% sobre o imposto devido ao mês. O valor mínimo cobrado pelo órgão é de R$ 165,74, e o máximo é de 20% do imposto devido. Para declarar o IR neste ano, o contribuinte precisa ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70, em 2017. O valor é o mesmo da declaração do IR cobrado do ano passado. A prestação de contas pode ser realizada pelo programa gerador da declaração que está disponível na internet e pode ser baixado pelos contribuintes no site da própria Receita. Além desta opção, o contribuinte do Imposto de Renda tem à disposição aplicativos para tablets e smartphones por onde podem prestar contas. Novidades na Declaração do IRPF 2018: - Painel Inicial:  O layout

do programa foi remodelado e agora possui um Painel inicial que contém as fichas identificadas como as mais relevantes (a partir do histórico de utilização) para o preenchimento de sua declaração; - Declaração de Bens: Criação de campos específicos para informações complementares relacionadas a alguns tipos de bens. Exemplos: Imóveis: Data de aquisição, endereço, Inscrição Municipal (IPTU), área do imóvel; - Dependentes:  Obrigatoriedade de informar o CPF de dependentes e alimentandos com 8 anos ou mais, completados até a data de 31/12/2017; - Recuperação de Nomes: Ao digitar ou importar um nome para um CPF/CNPJ, o sistema armazenará o nome para facilitar o preenchimento futuro.

Roraima entra com ação no STF para pedir fechamento da fronteira com a Venezuela

DIVULGAÇÃO

G1 Nacional

O

governo de Roraima entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo para a União fechar temporariamente a fronteira com a Venezuela. A ação foi protocolada no Supremo nesta tarde. A relatora do pedido será a ministra Rosa Weber. Em entrevista à TV Globo, a governadora do estado, Suely Campos (PP), disse que Roraima não está conseguindo lidar com a quantidade de imigrantes venezuelanos que chega ao estado. Suely Campos afirmou que não concorda com a atual política da União com relação à entrada de venezuelanos. Ela disse que, por dia, chegam ao estado de 500 a 700 imigrantes da Venezuela. O país vizinho passa por uma severa crise política, econômica e social. O Brasil tem sido um dos principais destinos de quem deixa a Venezuela em busca de melhores condições de vida. Além do fechamento temporário da fronteira, a governadora disse que Roraima também pediu no STF mais verbas da União para lidar com os imigrantes. Na ação, o go-

GOVERNADORA DISSE que o estado não está conseguindo lidar com a quantidade de imigrantes. Relatora do pedido será a ministra Rosa Weber.

verno do estado afirma que a União tem sido “omissa” na sua função de controlar as fronteiras. “O estado de Roraima protocolou uma ação civil originária no STF contra a União ‘na sua obrigação de fazer’, porque a União precisa efetivamente controlar a fronteira no estado de Roraima. Da forma como está sendo feito, nós não concordamos, porque continuamos tendo um grande impacto no fluxo imigratório venezuelano. Com essa facilitação na fronteira feita pela União, está cada dia mais entrando venezuelano. Entram, por dia,

de 500 a 700 venezuelanos no estado de Roraima”, disse a governadora. “Essa ação foi feita no sentido de efetivar o controle da fronteira, [enviar] recursos para o nosso estado e fechar a fronteira temporariamente, porque como podemos deixar entrar mais venezuelanos se nós não podemos organizar os que estão aqui?”, completou Suely Campos. Na ação, o governo de Roraima alegou que é o estado mais pobre da federação e não tem condições de oferecer serviços obrigatórios, como saúde e educação, diante do “au-

mento descontrolado do fluxo migratório”. Questionada sobre a iniciativa do governo federal de interiorizar imigrantes venezuelanos, como os cerca de 200 que foram levados em aeronaves da Força Aérea para São Paulo no início deste mês, Suely Campos afirmou que a iniciativa ainda é “lenta”. “A interiorização é lenta, apenas 260 venezuelanos foram levados para São Paulo e Mato Grosso. É preciso que a União tome uma postura mais efetiva em relação à questão migratória em nosso estado”, disse.

PROPOSTA DE LIBERAR DINHEIRO DO FUNDO a pessoas que se demitirem foi aprovada pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado e segue para votação na Câmara dos Deputados.

Nova liberação de FGTS teria forte impacto no crédito imobiliário G1 Nacional

A

liberação do saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para trabalhadores que pedirem demissão teria forte impacto no crédito imobiliário, disse o presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Antonio de Souza. “O impacto seria significativo”, disse Souza à Reuters, contando que os cálculos sobre a dimensão dessa medida estão sendo feitos pelo banco estatal, responsável por cerca de 60% do financiamento para compra da casa própria no país. Atualmente, só trabalhadores demitidos por seus empregadores podem ter acesso imediato aos recursos do fundo. A proposta de abrir acesso ao dinheiro do fundo aos que também se demitirem foi aprovado nesta semana pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado e agora segue para votação na Câmara dos Deputados. O governo federal é contra a proposta. Peso no financiamento imobiliário Historicamente, o FGTS responde por quase metade dos recursos direcionados para financiar a compra de moradia. É a linha mais concorrida no mercado, por ser a mais barata. O restante tem lastro em depósitos da caderneta de poupança. Em 2017, porém, o FGTS respondeu por R$ 58 bilhões dos R$ 101 bilhões desembolsados por elas, segundo dados da Abecip, que representa as financiadoras de imóveis. O FGTS ganhou terreno em parte devido ao menor volume de recursos da poupança nos últimos anos, num cenário de juros mais altos, que estimulou migração de investimentos para títulos públicos. Com a queda da Selic, a taxa básica de juros da economia, para a mínima recorde de 6,5% ao ano, especialistas do setor avaliam que a poupança tende e ganhar predominância no financiamento

para habitação. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a aprovação da medida aprovada na comissão do Senado nesta semana teria um impacto anual de R$ 28 bilhões no FGTS, o que teria impacto direto nos recursos para habitação e, em menor medida, projetos de mobilidade urbana e de saneamento também financiados com recursos do fundo. “Esse é um assunto que preocupa não só a Caixa, mas todo o setor da construção civil”, disse Souza. “Então, estamos conversando com o governo e outros interessados para ver como lidar com o assunto.” A expectativa da Abecip é de que o financiamento imobiliário no país voltará a crescer em 2018, após forte queda nos últimos três anos. Nova gestão Souza, ex-vice-presidente de habitação da Caixa, assumiu o comando do banco estatal na semana passada, substituindo Gilberto Occhi, nomeado para ministro da Saúde. Com os níveis de capital enfraquecidos após anos de fortes desembolsos de crédito num país em recessão, a Caixa agora luta para elevar seus níveis de patrimônio líquido, à medida que se prepara para exigências de capitalização mais rígidos em 2019. Como consequência, a carteira de crédito da Caixa fechou 2017 com retração de 0,4%. Para 2018, a previsão do banco é de estabilidade. Segundo Souza, o orçamento previsto para empréstimo imobiliário da Caixa em 2018 é de cerca de R$ 82 bilhões, incluindo todas as linhas, nível similar ao do ano passado. A Caixa Econômica deve divulgar na semana que vem um corte nas taxas de juros para financiamento habitacional com recursos da caderneta de poupança (SBPE), disse Souza sem dar detalhes.

Jornal do Dia 15 e 16.04.2018  

Edição de domingo (15) e segunda (16)

Jornal do Dia 15 e 16.04.2018  

Edição de domingo (15) e segunda (16)

Advertisement