Issuu on Google+

economia

direitos

Veja a análise econômica do próximo ano por especialistas. nE1

O presente não caiu bem em você? Saiba como proceder. nE2

2012 promete mudanças

Na hora de trocar

nossa gente

O que há de melhor para você Revista encartada nesta edição de forma gratuita.

Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

Quem lê, sabe mais! Domingo e Segunda R$ 3,50 - Terça a Sábado R$ 1,50

Macapá-AP, Domingo e Segunda, 25 e 26 de Dezembro de 2011 - Ano XXV

o passado está de volta

Guerra é declarada entre Governo e a Assembleia A guerra entre o governo do Estado e a Assembleia Legislativa está declarada. De um lado, o governador Camilo Capiberibe (PSB) tenta de todas as maneiras

amarrar o orçamento 2012. Do outro estão os deputados aprovam a previsão orçamentária com os aumentos solicitados pelos Poderes. nA6 DIVULGAÇÃO

veículos

13º tem impacto pequeno nas vendas A segunda parcela do 13º salário provocou uma pequena reação nas vendas à vista do comércio varejista. nD2

NATAL

Qual o verdadeiro significado da grande festa

Fique por dentro sobre como surgiu, as mudanças no decorrer do tempo e qual o seu significado. nA4 e A5

confraternização

momento de fé

A solidariedade trazendo Santa missa é celebrada no JD felicidade neste Natal nA5 em homenagem a Irene Pereira jornal do dia

Uma missa em homenagem a fundadora do Jornal do Dia, Irene Pereira, foi celebrada na sede da empresa. O padre Aldenor,

responsável pela celebração, destacou os ensinamentos de Irene e o significado do Natal. nA8 mário tomaz

CONTROLE SUAS FINANÇAS

Tire suas dúvidas sobre como proceder na hora dos gastos

nE1 e E3

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


JD

Opinião

Entre Aspas

JANDERSON CANTANHEDE Jornalista

Culpados – O empurraempurra de informações sobre o racionamento de energia em plena época de final de ano tenta achar culpados, mas dificilmente discute soluções. Viver na Vila de Macapá é assim, ou seja, passar o Natal à luz de vela. Vila – Apesar de muitos considerarem Macapá uma capital, infelizmente hoje não tenho de fato essa visão. A meu ver, “Macapaba” não conseguiu ultrapassar pouco mais do que a condição de uma vila instalada às margens do Rio Amazonas e que pouco progrediu nos 23 anos de Estado. Pessimismo – Essa não é uma visão pessimista, mas realista de onde vivemos. Imaginem sermos a única capital sem banda larga, amargarmos racionamento de energia, não temos industrias (apesar de termos uma instituição que as representa), vivemos do contra-cheque do funcionalismo público, temos um trânsito mal sinalizado e assassino, unidades de saúde sem remédio e uma das piores educações do país. Isso é pessimismo ou realismo? Pedido – O pedido que

faço ao bom velhinho neste Natal é que nossa política tenha mais homens compromissados com o social e com o desenvolvimento, e que não pensem somente na população de quatro em quatro anos. Irresponsabilidade – Muitos problemas básicos que enfrentamos hoje são fruto da irresponsabilidade e da falta de compromisso dos nossos gestores. Imaginem o que é uma capital enfrentar racionamento após 23 anos de criação. Um absurdo! Alô Brasil, quer passar um Natal romântico à luz de velas? Vem para o Amapá! Mais do mesmo – Quem lembra da época quando o governo do Estado brigava com a Assembleia Legislativa? Ledo engano quem achou que tais lembranças ficaram guardadas no esquecimento. Esta semana, através de um ato do governador Camilo Capiberibe (PSB), as desavenças entre ambos os poderes voltaram a acontecer. O começo – Segundo os bastidores, as intrigas entre o governo e a Assembleia começaram com as alterações feitas pelos parlamentares no texto do orçamento 2012. Camilo não

gostou. Vetado – Por conta disso, Camilo acabou não repassando o valor total do duodécimo da Assembleia e ainda por cima vetou o texto aprovado pelos deputados. Foi quando a briga esquentou. Motivos – O que Camilo queria era um orçamento sem atender, em partes, o aumento pleiteado por alguns Poderes. Não vingou. Teve seu texto mexido pelos deputados que resolveram fixar os aumentos sugeridos. Camilo não gostou do que leu e resolveu vetar o orçamento. Derrubada – Como são os deputados que dão a palavra final, ontem em sessão às vésperas do Natal derrubaram o veto. É a briga anunciada entre ambos. Ataque – O senador João Capiberibe (PSB) não perdeu tempo e foi para o rádio detonar a Assembleia

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

Legislativa, dizendo que considera um absurdo os deputados quererem um orçamento maior do que o fixado este ano. Contra ataque – Ainda ontem, o deputado estadual Edinho Duarte (PP), primeiro secretário da AL, rebateu a língua feroz de Capiberibe. Disse que os Poderes precisam de recursos suficientes para serem independentes, acabando dessa forma com a relação promíscua que existe com o governo. Traduzindo – Até hoje, o jogo dos bastidores acontecia da seguinte forma: os Poderes aceitavam o orçamento que o governo queria dar, e por fora recebiam as “suplementações” orçamentárias. Simples assim! Bom Natal a todos e que o menino Jesus possa nos abençoar para sempre...

“O jornalismo é, antes de tudo e sobretudo, a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter” (Claudio Abramo) Siga: @cantanhede_AP Acesse: jandersoncantanhede.wordpress.com Email: cantanhede@jdia.com.br

Perdão para 2011!

É

verdade que a mente gosta de nostalgia, ela procura os aspectos mais tristes de nossas vidas para alimentar esta necessidade. E neste período de final de ano, por algum motivo ficamos verdadeiramente nostálgicos, inquietos, sensíveis ou sei lá o que... Estava pensando em 2011 e em tudo o que fiz e o que deixei de fazer. Acho que é hora de se perdoar. Perdoar a nós mesmos. Por termos dito algo que tenha magoado alguma pessoa, não fizemos propositadamente, merece ser perdoado. Precisamos nos perdoar pela ligação mal sucedida, pela venda não fechada, pelo ato imprudente, pelo momento de raiva que sentimos... Não somos perfeitos e nunca seremos. Hora de se perdoar pela vez em que você enfiou o “pé na jaca” – todos nós já enfiamos de alguma forma. Assim como você, eu também não gosto de olhar para os meus er-

VANESSA FREITAS Palestrante, consultora de empresas, escritora, professora universitária, executive coach, apresentadora do programa “Espaço da Mulher” e diretora da melhoRH consultoria. Escreve aos domingos no JD.

ros, mas eles são reais e prefiro encará-los de frente a ter que conviver com estes fantasmas que me assombram. Prefiro transformá-los em lição que pesadelos. Putz, como eu pisei na bola neste ano que passou. Tomei decisões erradas e precipitadas... Mas era tudo o que eu podia fazer naquele momento pela minha vida. Ninguém erra ou se comporta como um idiota, por que quer ser um idiota concordam? Só agimos assim, por que não tínhamos naquele instante uma visão mais assertiva para um comportamento também assertivo. Não quero ficar me punindo pelos meus erros, não façam isso com vocês! Não conseguiu se fazer compreender para quem você tanto ama? Já foi! Não conseguiremos alterar o conceito que foi gerado “naquele” instante? Tudo o que temos agora são as expectativas do futuro, neste “lu-

gar” você possui todas as possibilidades, somente no futuro teremos a chance de fazer e de viver tudo diferente do que fizemos. As metas não foram alcançadas? Perdeu o emprego? A pessoa que você ama foi embora sem motivos justos? Perdoe-se... Perdão para 2011. Já foi! Entre sete bilhões de seres existentes no nosso planeta, deve ter alguém que possa compreender você, que possa alegrar os teus dias, que possa ser uma excelente companhia. Não cobre demais da vida. Ela não pode te dar felicidade. É responsabilidade sua produzi-la. Ela não pode te oferecer segurança, a única certeza da vida é a morte. Ela nem sempre vai te dar alegrias. Na vida real há momentos alegres e momentos tristes, esta sempre será a dinâmica da vida. Sei que assim como eu você vai lembrar-se do que não deu certo. Sei que vai ficar se perguntando o motivo de ter perdido aquilo que tanto queria... São respostas que nunca tere-

mos. São fantasmas que irão nos rondar de vez em quando. Esteja preparada para receber 2012 de forma serena. É mais um novo ano, repleto de possibilidades, de esperança e de desafios, muitos desafios. Seja generoso com você, seja pelo menos realista. Perdão para o que passou e desempenho elevado para o ano que inicia. A vida lhe devolverá “presentes” proporcionais ao seu esforço. Quanto ao amor que você perdeu... O amor sempre estará lá, de alguma forma habita os nossos corações e atormentam as nossas almas... Ele continuará lá, exatamente onde o outro deixou, mas que ele seja um amor construtivo, um amor que constrói pontes para outros amores e não um amor destrutivo capaz de nos tirar a esperança para um novo amor. Todos nós temos feridas mal curadas, todos nós temos sonhos não realizados, todos nós temos os nossos segredos de amor. Qual é o seu?

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira (1917-2006) e Irene Pereira Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira (1954-1994) Diretor Editorial José Arcângelo Pinto Pereira Diret. Adm. Financeira e Contábil Maria Inerine Pinto Pereira Diretor de Assuntos Corporativos Luiz Alberto Pinto Pereira Diretora Executiva Lúcia Thereza Pereira Assessoria Jurídica e Tributária Dr. Américo Diniz — OAB/AP 194 Dr. Eduardo Tavares — OAB/DF - 27421 Editor-Chefe Janderson Cantanhede Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br josemaria@jdia.com.br mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br

VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representantes comerciais JC Repres. Com. Ltda. - Brasília, DF n Tel. (61) 2262-7469 - Rio de Janeiro, RJ nº Tel. (21) 2223-7551, São Paulo Visão Global Comunicação S/C Ltda. n Rua Alvarenga, 573- Butantã - CEP - 05509-000 - São Paulo, SP Tel. (11) 3032-3595, Fax (11) 30324102. New Mídia - Belém-PA (Gil Montalverne) Tel.: (91) 3279-3911 / 81912217 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

A2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Editorial

(Ir)responsáveis do apagão

Q

uase um ano depois não vale mais o velho e desgastado chavão da chamada culpa dos governos anteriores. A administração moderna deleta a visão de retrovisor, ataca os problemas cruciais e inadiáveis e dá satisfação ao contribuinte. Até porque na campanha política, onde todos os candidatos apresentaram seus programas, lá existiam todas as diretrizes para equacionar os problemas do Estado. Se até agora o vitorioso não conseguiu resolver problemas simples como remédio para lombriga nos hospitais, imaginem como estarão os mais complicados, incluindo ai o sistema energético. Falharam os idealizadores das soluções ou os itens foram colocados justamente para enganar o eleitor? Sensatamente quase 50% dos contribuintes sabiam de antemão que as promessas de resolver problemas cruciais de forma imediata era uma tremenda tolice, mas, a outra metade, pagou para ver, apostando todas as fichas e acreditando num grande milagre. A tecnologia que temos hoje, com monitoramente do clima através de satélites, permite que se façam projeções desde a semeadura até a colheita, índices pluviométricos, monitoramente dos rios, apesar da natureza pregar algumas peças inesperadas no bicho-homem, por culpa dele mesmo, já que abusa de suas prerrogativas de contaminar ainda mais o meio ambiente, remetendo gás carbônico para a atmosfera que rouba o oxigênio. E quem dera que esta subtração ecológica fosse só com aquele nobre gás. Mas se o planejamento do atual governo não foi capaz

de prever a peça que o Rio Araguari prega há anos, num ciclo alternado de quatro anos que ele recorresse até as forças sobrenaturais, como a Fundação Cacique Cobra Coral – aquela que acerta todos os temporais no Rio de Janeiro com um ano de antecedência – lá no Planalto, ou mesmo, consultasse a sabedoria dos caboclos e observasse os bichos da natureza para pelo menos tentar adivinhar se a seca seria prolongada ou não. O certo é que nenhuma providência foi tomada, seja técnica ou da sabedoria popular. Se aconteceu, não foi eficiente. O racionamento previsto pelo sindicato da categoria avisou com vários meses de antecedência que o apagão iria acontecer, mas os responsáveis pelo abastecimento e comercialização – Eletronorte e CEA – acharam por bem classificar o fato de alarmismo. O racionamento veio, chegou de mansinho, está acabando com a paciência do consumidor e as festas de fim de ano. As empresas esqueceram de comunicar amplamente os horários dos desligamentos por bairros. Por causa de descaso semelhante com o contribuinte, recentemente a TAM e Gol foram multadas em vários milhões pelo Procon-SP por falta de aviso aos passageiros por ocasião da recente greve dos aeronautas/aeroviários. Em Macapá, o nosso PROCON não tem coragem e nem vontade política de punir as causadoras dos transtornos, verdadeiros (ir)responsáveis. E o guardião pela aplicação da lei, onde está? Mesmo assim, na escuridão e com todo o “romantismo” que se tem direito, FELIZ NATAL, se possível !

Hora-Hora Vejam essa - Nove dos 33 ministros do Superior Tribunal de Justiça receberam de uma vez só neste ano pagamentos de auxílio-moradia atrasados dos anos 90. Os valores, somados, superam R$ 2 milhões. Polêmica - A transferência destes recursos aos magistrados está no centro da polêmica que envolve a corregedoria do CNJ (Conselho Nacional de Justiça). Não pelo pagamento em si, que é legal, mas pela forma como ele foi feito. Investigações - A corregedora Eliana Calmon afirmou que as movimentações atípicas não necessariamente constituem irregularidades. E que ainda não teve acesso às cifras envolvidas.

Índice

Opinião - A2, A3 Especial - A4, A5 Geral - A6 Meio Norte - A7 Diversão - A8

Agora, os técnicos do CNJ vão examinar os rendimentos para dizer quais seriam ilegais. Fora corrupção - Calmon disseque o monitoramento da evolução patrimonial dos juízes brasileiros é feito pelo CNJ há quatro anos, com base na emenda constitucional que criou o órgão. E reforçou sua posição de que o órgão tem a obrigação de extirpar a corrupção no Judiciário. Sem reajuste - Depois de dez horas de discussão, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) aprovou o Orçamento da União para 2012 sem a previsão de qualquer reajuste para servidores do Poder Judiciário. Os aposentados também ficaram de fora.

Dia Dia - B1, B3 Polícia - B2 Santana - B4 Esportes - C1, C2, C3, C4 Carro e Moto - D1, D2, D3, D4 Economia - E1, E2, E3, E4

Edição número 7785


JD

Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

A3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Obrigado comunicadores e comunicadoras DOM PEDRO JOSÉ CONTI Bispo de Macapá

A

proveito a ocasião do Natal e de final de ano para agradecer a todos os comunicadores e comunicadoras, que de tantas formas di-

vulgam as matérias que me esforço para escrever toda semana. Agradeço a quem publica a matéria no seu jornal, quem a lê num programa de rádio

ou televisão, e também a todos os que a tornam pública através da internet em sites, blogs e outros meios que hoje a tecnologia da comunicação nos oferece. Não tenho nenhuma pretensão que as minhas simples considerações – e, às vezes, historinhas – sejam como a semente do Evangelho, mas vale a

Não adianta chorar

Margarete Hülsendeger Colunista

S

im, somos choronas! É fato. As mulheres choram mais, se emocionam mais, enfim se deixam levar pelos sentimentos com mais facilidade que os homens. A questão é: isso ajuda? Essas explosões emocionais trazem algum tipo de alívio? Segundo pesquisa conduzida com mulheres holandesas e publicada no periódico americano Journal of Research in Personality, a resposta é não. O estudo foi realizado durante três meses com 97 mulheres entre 18 e 48 anos e o número de episódios de choro registrado durante esse período foi de 1004. Em 61%

dos casos as mulheres não notaram nenhuma diferença no seu humor e, em 9%, houve registros de depressão. Para o professor Jonathan Rottenberg, principal autor da pesquisa, o ato de chorar não é tão benéfico como se pensava e se em alguns momentos ajuda é porque mobiliza as pessoas e chama a atenção para problemas importantes. Apesar de a afirmativa ser um tanto quanto contundente, a notícia do jornal esclarece que o estudo ainda não encontrou evidências sólidas de que chorar não traga benefícios psicológicos. E justamente porque os resultados não são conclusivos é que eles nos permitem refletir, trazendo para o debate novos elemen-

tos que possam, quem sabe, contradizer essas informações. O choro normal, não o que resulta de algum problema psicológico mais sério, é uma espécie de válvula de segurança, muito semelhante àquelas que existem nas panelas de pressão. O objetivo é permitir que o estresse acumulado (assim como o vapor dentro da panela) “escape”, dando oportunidade à mulher de colocar para fora toda a angústia e nervosismo que, por força das circunstâncias, ela acabou represando. Diante de uma crise que pode ser disparada por conflitos, perdas e até mesmo a compaixão pelo sofrimento alheio, a mulher não se reprime, permitindo que as suas emo-

comparação da parábola do semeador: a semente cai e, quando encontra terra boa, produz fruto. Não é necessário que as pessoas gostem ou concordem com tudo, quero apenas ajudar a pensar e a refletir. Já é um grande resultado! Todos entendemos, também, que a comunicação cumpre um gran-

de serviço quando não funciona como os passarinhos, as pedras ou os espinhos da mesma parábola, que tornam a semente inoperante, mas deixa a Palavra chegar. Sermos “canais” da Palavra da Vida e da Verdade é uma grande missão e responsabilidade. Depois, o Espírito Santo e a boa vontade das pessoas

ções extravasem, sem sentir com isso muita vergonha ou constrangimento. Para os homens é difícil compreender esse tipo de mecanismo. Afinal, nossos avôs já afirmavam que homem que é homem não chora. Esse comportamento tão diferente nada mais é do que o resultado de séculos e séculos de “treinamento” com o objetivo de cercear quaisquer sentimentos ou emoções que possam demonstrar algum tipo de fraqueza. O preconceito é tão forte que basta um homem exibir alguma emoção para ser apontado na rua como uma espécie nova a ser ignorada e até mesmo desprezada. A mulher, graças a Deus, não sofre esse tipo de pressão social. Ao contrário. Espera-se que a mulher chore. Por essa razão, fica difícil acreditar nos resultados dessa pesquisa americana. Quem já passou por uma explo-

são emocional com direito a muitas lágrimas derramadas sabe o quanto esse processo pode ser purificador, sendo a causa, muitas vezes, da redução de ansiedades e angústias. No entanto, não me entendam mal, não estou aqui defendendo o choro compulsivo, doentio ou o drama pelo drama. Estou apenas dizendo que chorar, na medida certa, pode trazer um alívio tremendo para o espírito. O estranho é que mais adiante a mesma matéria do jornal informa que foi observado que quem chora por mais tempo tende a se sentir melhor depois da crise. Assim, fica a dúvida: se o choro não traz alívio, porque a pessoa, ao chorar muito – o quanto é esse muito não ficou claro –, se sentirá melhor? Essas são aquelas contradições que só pesquisas que desejam estudar as emoções são capazes de trazer. Os sentimentos – felizmente – não

As pernas tuíras de Macapá

E

dos. Parecida fatigada, triste, abatida e desalentada. Diferente daquela cidade jovial, que responde a todas as perguntas e que sempre está disposta a repartir o seu perfume com quem quiser, pois sabe que não tem concorrência na disputa das belezas. Mas o ombro caído transmitia a sua raiva em seus dirigentes e, até, em seus queridos filhos, aos quais sempre agradeceu o zelo, mas que agora pode ver que o egoísmo, o personalismo e a falta de cooperação deixaram marcas que vão custar a desaparecer. Olha que Macapá sempre gostou de mostrar-se no Dia de Natal com decotes ousados, pois sempre soube a valorização que o seu busto empresta para o conjunto e a deixa apetitosa, desejada e gostosa. Até a cintura, sempre bem formada, desta vez ficou descuidada, não parecendo aquela morena de cintura fina, que prefere as saias rodadas, pois lhe permite que seja arejada, desde a ponta do pé até onde a cintura do vestido permite. O bumbum, sempre exuberante, não mostrava a força de outros natais. Estava encolhido, sem movimento e até passado despercebido, não fazendo o conjunto que acostumara fazer. As belas pernas estavam lá. Coxas grossas, mas visi-

velmente sem cuidado, não deixando que os joelhos, outrora muito bonitos, fizessem os movimentos esperados para balançar, de forma lânguida o tórax e os predicados que só Macapá tem. As pernas, todas de fora e sem o brilho que sempre teve, mostrando que não havia sido cuidado há algum tempo e lembrando os oleiros, quando em atividade com o barro, com as pernas tuiras. Os pés cheios de calos davam a impressão que tinham caminhado muito, andando atrás daqueles que deviam prepará-la para esse dia. Mostrava que em alguns momentos preferiu andar descalço para fazer menos barulho e não despertar os seus filhos, aqueles mesmos filhos que sempre quis muito bem. Está ai nossa cidade, abatida por uma incompreensão, em pleno Dia de Natal com aspecto triste, mas, sobretudo sofrida por não ter conseguido despertar os seus dirigentes para a sua realidade, que miseravelmente continua desconhecida. Não consegue esquecer que já foi melhor. Muito melhor. Muito embora mais pobre, mais sempre morena, sempre bonita e sempre acolhedora.

têm a mesma natureza da matemática, onde dois mais dois são quatro. Na verdade, quando se trata de emoções os resultados podem ser completamente imprevisíveis. Renato Russo em um de seus versos dizia: “Nunca chore diante das pessoas que não entendem o significado de suas lágrimas porque amar é uma arte, mas nem todo mundo é artista”. Portanto, independentemente de pesquisas, as mulheres continuarão chorando e os homens seguirão sem entender esse mecanismo de liberação tão próprio do gênero feminino. Quem sabe, quando eles perceberem que chorar nada tem de vergonhoso, possam compreender o quanto de alívio lágrimas bem derramadas podem proporcionar. Até lá eles permanecerão sendo apenas espectadores de uma cena que talvez apenas os poetas sejam capazes de interpretar.

Os “subnormais” do Amapá CHARLES CHELALA Economista

RODOLFO JUAREZ Jornalista

ste ano a Cidade de Macapá não se preparou como nos outros, para receber o Dia de Natal. E dava para ter uma bela preparação! Porque não? Acidade escondeu-se dela mesma. Deixou que a timidez tomasse conta e, encabulada, não soube exigir dos seus responsáveis o respeito que eles lhe devem e merece desde muito tempo. Ficou como se o desleixo lhes deixasse descabelada, sem as suas longas e maravilhosas tranças a encantar os visitante e encher de orgulho os seus “súditos” que sempre a adoraram. Desta vez nem o banho tradicional da véspera do Natal, em água perfumada pelas pétalas de rosas não lhe foi preparado e ela teve que se contentar com a água barrenta e mal tratada da parte do rio que reclama, chocando-se contra o cais de uma das orlas mais bonitas da Amazônia. Esqueceram da nécessaire que sempre carrega consigo abarrotada de todos os seus cremes, seus batons, suas serras, seus lápis, afinal os complementos que lhes torna faceira e jovial para todas as grandes festas, dando exemplo de fino trato e sempre sendo um bela estampa. Deu para perceber a sua tristeza nos ombros caí-

fazem o resto. Muito obrigado por mais um ano de colaboração. Espero, no próximo ano, poder contar mais ainda com a sua preciosa disponibilidade. Feliz Natal e um Ano Novo de Paz para todos vocês, comunicadores e comunicadores, e também para as suas famílias.

O

IBGE acaba de divulgar indicadores do Censo 2010 sobre os aglomerados urbanos “subnormais” do Brasil. Este conceito, relativamente novo, engloba assentamentos irregulares conhecidos como “favelas, invasões, grotas, baixadas, comunidades, vilas, ressacas, mocambos, palafitas, entre outros”. Antes de analisar os dados, cabe ressaltar que a forma de divulgação no site do IBGE é muito interessante, inclusive com mapas interativos que demonstram a localização destes “bairros” irregulares. Pois bem, no Brasil existem cerca de 300 municípios que apresentam aglomerados subnormais habitados por quase 11,5 milhões de pessoas, o que representa aproximadamente 6% da população nacional. O pior de todos, em escala proporcional, é o município de Marituba no Pará, com mais de três quartos da população residindo nas “baixadas”. Já em termos absolutos, o primeiro é o Rio de Janeiro, com 1,4 milhões de moradores em favelas cariocas. O Amapá é o segundo Estado com maior número percentual de

habitantes vivendo nestas condições inadequadas de moradia, com 16,2% do total da população, atrás apenas do Pará que apresenta 16,7% de moradores “subnormais”. O município de Vitória do Jari é o segundo pior do Brasil neste item, com quase 74% de seus munícipes vivendo em casas erguidas sobre pontes. Sua vizinha co-irmã, Laranjal do Jari, é a oitava colocada, com 40% em iguais condições. Macapá tem 63 mil pessoas habitando as vinte quatro ressacas que comportam 16,1% da população da capital. Em Santana são quase 18 mil habitações inadequadas, a grande maioria na Baixada do Ambrósio. A renda média dos que vivem nestas condições “subnormais” (ou seria subumanas?) não passa de R$ 300 por mês. Também foram localizados domicílios similares nos municípios de Cutias e do Amapá. Laranjal e Vitória do Jarí, originadas respectivamente do “Beiradão” e do “Beiradinho”, são típicos exemplos de aglomerados que surgem por força de atração de grandes projetos, com uma população flutuante que acaba se organizando em corrutelas no entorno do empreendimento. Há outros exemplos semelhantes na Amazônia e no Brasil. Já em Macapá e Santana, a dinâmica se deu forma um pouco diferente: a expressiva migração que

tem conferido ao Amapá as maiores taxas de crescimento demográfico do Brasil nas últimas décadas foi dirigida principalmente para estas duas cidades. Aí, o inchaço desordenado nesta conurbação se deu por pura omissão do poder público em dirigir e regular a ocupação, bem como em decorrência de imensas áreas institucionais que vedam o acesso à moradia e direciona a pressão para baixadas e ressacas. O exemplo mais claro deste impedimento é o descomunal espaço destinado às instalações aeroportuárias em Macapá, que ocupam um latifúndio imenso, plano, alto e inadequado diante da proximidade do centro, o que causa inúmeros impactos, tais como poluição sonora, empecilhos à mobilidade urbana além do já citado limite à expansão de áreas residenciais. O mais grave é que, depois de ocupadas, as soluções para as ressacas e baixadas se tornam muito mais complexas, pois não é tarefa simples realocar populações consolidadas há décadas... Este será um dos maiores desafios para os prefeitos que se elegerem em 2012 nestas cidades “subnormais” do Amapá. Feliz Natal a todos!


JD

Espercial

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

A4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Os amapaenses vivem hoje o Dia de Natal, seus múlt

Embora tradicionalmente seja um feriado cristão, o Natal é amplamente comemorado por muitos não-cristãos RODOLFO JUAREZ Da Redação

DIVULGAÇÃO

N

este domingo, dia 25 de Dezembro, estamos comemorando o dia do Natal. Uma resta ligada diretamente à religiosidade e à economia, produzindo um efeito especial no corpo e na alma dos amapaenses e dos brasileiros. Em muitas nações també o dia é comemorado com todas as ponpas e com muita reflexão, marcando um tempo novo e deixando a criatividade livre para as suas ações que motivam a cada um de nós. Mas afinal, o que é o Natal? O Natal ou Dia de Natal é um feriado comemorado anualmente em 25 de Dezembro. Nos paises eslavos e ortodoxos, cujos calendários eram baseados no calendário juliano, o Natal é comemorado no dia 7 de janeiro, originalmente dstinado a clebrar o nascimento anual do Deus Sol no solstício de inverno e adaptado pelao Igreja Católica no terceiro século depois de Cristo, para permitir a conversão dos povos pagãos sob o domínio do Império Romano, passando a comemorar o nascimento de Jesus de Nazaré. O Natal é o centro dos feriados de fim de ano e da temporada de férias, sendo, no Cristianismo, o marco inicial do Ciclo do Natal que dura 12 dias Costumes populares modernos típicos do feriado incluem a troca de presentes e cartões, a Ceia de Natal, músicas natalinaas, festas de igreja, uma refeitção especial e a exibição de decorações diferentes; incluindo as árvores de Natal, pisca-pisca e guirlandas, visco, presépio e ilex. Além disso o Papai Noel – conhecido como Pai Natal em Portugal -, é uma figura mitológica popular em muitos paises, associada com os presentes para as crinaças. Como a troca de presentes e muitos outros aspectos da festa de Natal envolvem um aumento da atividade econômica entre cristãos e não cristãos, a festa tornou-se um acontecimento significativo e um período chave de vendas para os varejistas e para as empresas. O impacto econômico do Natal é um fator que tem crescido de forma constante ao longo dos últimos séculos em muitas regiões do mundo. Etimologia A palavra Natal do protuguês ja foi nātālis no latim, derivada do verbo nāscor (nāsceris, nāscī, nātus sum) que tem sentido de nascer. De nātālis do latim, evoluíram também natale do italiano, noël do francês, nadal do cataão, natal do catelhando, sendo que a palavra natal do castelhano foi progressivamente substituída por navidad, como nome do dia religioso. Já a palavra Christmas, do inglês, evoluiu de Christes maesse – “Christ’s mass” que quer dizer missa de Cristo. Uso Como adjetivo, significa também o local onde ocorreu o nascimento de alguém ou de alguma coisa. Como festa religiosa, o Natal, comemorado no dia 25 de Dezembro desde o Século IV pela Igreja ocidental e desde o Século V pela Igreja oriental, celebra o nascimento de Jesus e assim é o seu significado nas línguas neolatinas. Muitos historiadores localizam a primeira celebração em Roma, no ano 336 depois de Cristo. História Os primeiros indícios da comemoração de uma festa cristã litúrgica do nascimento de Jesus em 25 de Dezembro é a partir do Cronógrafo 354. Essa comemoração começou em Roma, enquanto no cristianismo oriental o nascimento de Jesus já era

celebrado em conexão com a Epifania, em 6 de janeiro. A comemoração em 25 de dezembro foi importada para o oriente mais tarde: em Antillquia por Crisóstomo, no final do Século IV, provavelmente.em 338, e em Alexandria somento no século seguinte. Mesmo no Ocidentes a celebração da natividade de Jesus em 6 de janeiro parecde ter continuado até depois de 380. Muitos costumes populares associados ao Natal desenvolveram-se de forma independente da comemoração do nascimento de Jesus, com certos elementos de origens em festivais précristãos que eram celebradas em torno do solstício de inverno pelas populações pagãs que foram mais tarde convertidas ao cristianismo. Estes elementos, incluindo o madeiros, no festival Yule, e a troca de presentes, da Saturnália, tornaram-se sincretizados ao Natal ao longo dos séculos. A atmosfera prevalecente do Natal também tem evoluído continuamente desde o início do feriado, o que foi desde um estado carnavalesca na Idade Média a um feriado orientado para a família e centrado nas crianças, introduzido na Reforma do Século XIX. Além disso, a celebração do Natal foi proibida em mais de uma ocasião, dentro da cristandade protestante, devido a preocupações de que a data é muito pagã ou anti-bíblica. Pré-cristianismo Estudiosos modernos argumentam que esse festival foi colocado sobre a data do solstício, porque foi neste dia que o Sol voltou atrás em sua partida em direção ao o sul e provou ser “invencível”. Alguns escritores cristãos primitivos ligaram o renascimento do sol com o nascimento de Jesus. “Ó, quão maravilhosamente agiu Providência que naquele dia em que o sol nasceu...Cristo deveria nascer”, Cipriano escreveu. João Crisóstomo também comentou sobre a conexão: “Eles chamam isso de ‘aniversário do invicto’. Quem de fato é tão invencível como Nosso Senhor...?” Embora o Dies Natalis Solis Invicti seja objeto de uma grande dose de especulação acadêmica, a única fonte antiga para isso é uma menção no Cronógrafo de 354 e o estudioso moderno do Sol Steven Hijmans argumenta que não há evidência que essa celebração anteceda a do Natal: “Enquanto o solstício de inverno em torno de 25 de Dezembro foi bem estabelecido no calendário imperial romano, não há nenhuma evidência de que uma celebração religiosa do Sol naquele dia antecedia a celebração de Natal e nenhuma

que indica que Aureliano teve parte na sua instituição.” Festivais de inverno Os festivais de inverno eram os festivais mais populares do ano em muitas culturas. Entre as razões para isso, incluí-se o fato de que menos trabalho agrícola precisava ser feito durante o inverno, devido a expectativa de melhores condições meteorológicas com a primavera que se aproximava. As tradições de Natal modernas incluem: troca de presentes e folia do festival romano da Saturnalia; verde, luzes e caridade do Ano Novo Romano; madeiros do Yule e diversos alimentos de festas germânicas. A Escandinávia pagã comemorava um festival de inverno chamado Yuke, realizado do final de dezembro ao período de início do janeiro. Como o Norte da Europa foi a última parte do continente a ser ceistianizada, suas tadições pagãs tinham uma grande influência sobre o Natal. Os escandinavos continuam a chamar o Natal de Jul. Cristianismo A Bíblia diz que os pastores estavam nos campos cuidando das ovelhas na noite em que Jeus Cristo nasceu. O mês judaico de Kislev, correspondente aproximadamente à segunda metade de novembro e primeira metade de dezembro no calendário gregoriano era um mês frio e chuvoso. Sendo assim, não era um mês propício aos pastores ficarem nos campos passando frio e cuidando de ovelhas. Entretanto, o evangelista Lucas afirma que havia pastores vivendo ao ar livre e mantendo vigias sobre os rebanhos à noite perto do local onde Jesus nasceu. Eles foram avisados no evento chamado de Anunciação aos pastores. Anúncio do anjo Gabriel e nascimento de Jesus O nascimento de Jesus se deu por volta de dois anos antes da morte do Rei Herodes, denominado “O Grande”, ou seja, considerando que este morreu em 4 AEC, então Jesus só pode ter nascido em 6 AEC. Segundo a Bíblia, antes de morrer, Herodes mandou matar os meninos de Belém até aos 2 anos, de acordo com o tempo que apareceu a “estrela” aos magos. (Mateus 2:1, 16-19 - Era seu desejo se livrar de um possível novo “rei dos judeus”). Ainda, segundo a Bíblia, antes do nascimento de Jesus, o imperador Otávio César Augusto decretou que todos os habitantes do Império fossem se recensear, cada um à sua cidade natal. Isso obrigou José a viajar

de Nazaré, na Galileia, até Belém, na Judéia a fim de registar-se com Maria, sua esposa. Deste modo, fica claro que não seria um recenseamento para fins tributários. A viagem de Nazaré a Belém - distância de uns 150 km - deveria ter sido muito cansativa para Maria que estava em adiantado estado de gravidez. Enquanto estavam em Belém, Maria teve o seu filho primogénito. Envolveu-o em faixas de panos e o deitou em uma manjedoura, porque não havia lugar disponível para eles no alojamento, isto é, não havia divisões disponíveis na casa que os hospedava. Maria necessitava de um local tranquilo e isolado para o parto (Lucas 2:4-8). Lucas diz que no dia do nascimento de Jesus, os pastores estavam no campo guardando seus rebanhos “durante as vigílias da noite”. Os rebanhos saíam para os campos em Março e recolhiam nos princípios de Novembro. A vaca e o jumento junto da manjedoura conforme representado nos presépios, resulta de uma simbologia inspirada em Isaías 1:3 que diz: “O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono;

mas Israel não têm conhecimento, o meu povo não entende”. Não há nenhuma informação fidedigna que prove que havia animais junto do recém-nascido Jesus. A menção de “um boi e de um jumento na gruta” deve-se também a alguns Evangélicos Apócrifos. A estrela de belém Após o nascimento de Jesus em Belém, ainda governava a Judeia o Rei Herodes, chegaram “do Oriente a Jerusalém uns magos guiados por uma estrela ou um objecto controverso que, segundo a descrição do Evangelho segundo Mateus anunciou o nascimento de Jesus e levou os Três Reis Magos ao local onde este se encontrava. A natureza real da Estrela de Belém é alvo de discussão entre os biblistas. Visita dos magos Os “magos” que vinham do Leste de Jerusalém, não eram reis. Julga-se que teria sido Tertuliano de Cartago, que no início do 3.º Século terá escrito que os Magos do Oriente eram reis. O motivo parece advir de algumas referências do Antigo Testamento, como é o

caso do Salmo 68:29: “Por amor do Teu Templo em Jerusalém, os reis te trarão presentes.” Em vez disso, os “magos” eram sacerdotes astrólogos, talvez seguidores do Zoroastrimo. Eram considerados “Sábios”, e por isso, conselheiros de reis. Podiam ter vindo de BAbilônia, mas não podemos descartar a Pérsia (Irã). São Justino, no 2.º Século, considera que os Magos vieram da Arábia. Quantos eram e os seus nomes, não foram revelados nos Evangelhos canônicos. Os nomes de Gaspar, Melchior e Baltazar constam dos Evangelhos Apócrifos. Deduz-se terem sido 3 magos, em vista dos 3 tipos de presentes. Tampouco se menciona em que animais os Magos vieram montados. Outro factor muito importante tem a ver com a existência de uma grande comunidade de raiz judaica na antiga Babilônia, o que sem dúvida teria permitido o conhecimento das profecias messiânicas dos judeus, e a sua posterior associação de simbolismos aos fenómenos celestes que ocorriam. Decorações


Especial

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

A5

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

timplos significados e sua imensurável importância

s, sendo que alguns de seus costumes populares e temas comemorativos têm origens pré-cristãs ou seculares DIVULGAÇÃO

Uma outra tradição do Natal é a decoração de casas, edifícios, elementos estáticos, como postes, pontes e árvores, estabelecimentos comerciais, prédios públicos e cidades com elementos que representam o Natal, como, por exemplo, as luzes de natal e guirlandas. Em alguns lugares, existe até uma competição para ver qual casa, ou estabelecimento, teve a decoração mais bonita, com direito a receber um prêmio. A árvore de Natal é considerado por alguns como uma “cristianização” da tradições e rituais pagãos em torno do Solstício de Inverno, que incluía o uso de ramos verdes, além de ser uma adaptação de adoração pagã das árvores. Outra versão sobre a procedência da árvore de Natal, a maioria delas indicando a Alemanha como país de origem, uma das mais populares atribui a novidade ao padre Martinho Lutero (1483 – 1546), autor da Reforma Protestante do Seculo XVI. Olhando para o céu através de uns pinheiros que cercavam a trilha, viu-o intensamente estrelado parecendolhe um colar de diamantes encimando a copa das árvores. Tomado pela beleza daquilo, decidiu arrancar um galho para levar para casa. Lá chegando, entusiasmado, colocou o pequeno pinheiro num vaso com terra e, chamando a esposa e os filhos, decorou-o com pequenas velas acesas afincadas nas pontas dos ramos. Arrumou em seguida papéis coloridos para enfeitálo mais um tanto. Era o que

ele vira lá fora. Afastando-se, todos ficaram pasmos ao verem aquela árvore iluminada a quem parecia terem dado vida. Nascia assim a árvore de Natal. Queria, assim, mostrar as crianças como deveria ser o céu na noite do nascimento de Cristo. Na Roma Antiga, os Romanos penduravam máscaras de Baco em pinheiros para comemorar uma festa chamada de “Saturnália”, que coincidia com o nosso Natal. As esculturas e quadros que enfeitavam os templos para ensinar os fiéis, além das representações teatrais semi litúrgicas que aconteciam durante a Missa de Natal serviram de inspiração para que se criasse o presípio. A tradição católica diz que o presépio surgiu em 1223, quando São Francisco de Assis quis celebrar o Natal de um modo o mais realista possível e, com a permissão do Papa, montou um presépio de palha, com uma imagem do Menino Jesus, da Virgem Maria e de José, juntamente com um boi e um jumento vivos e vários outros animais. Nesse cenário, foi celebrada a Missa de Natal. O sucesso dessa representação do Presépio foi tanta que rapidamente se estendeu por toda a Itália. Logo se introduziu nas casas nobres européias e de lá foi descendo até as classes mais pobres. Na Espanha, a tradição chegou pela mão do Rei Carlos III, que a importou de Nápoles no Século XVIII. Sua popularidade nos lares espanhóis e latino-americanos se estendeu ao longo do

Século XIX, e na França, não o fez até inícios do século XX. Em todas as religiões cristãs, é consensual que o Presépio é o único símbolo do Natal de Jesus verdadeiramente inspirado nos Evangelhos. Músicas natalinas As canções natalinas são símbolos do Natal e as letras retratam as tradições das comemorações, o nascimento de Jesus, a paz, a fraternidade, o amor, os valores cristãos. Os Estados Unidos têm antiga tradição de celebrar o Natal com músicas típicas. No Brasil, esta tradição, além das familiares, só se tornou comercial popular nos anos 1990, com o CD 25 de Dezembro lançado pela cantora Simone: Ao lançar, no ano passado, o disco natalino 25 de Dezembro, a cantora Simone quebrou um tabu. Ao contrário do que ocorre nos Estados Unidos e na Europa, os cantores brasileiros não têm o costume de lançar, no mês de dezembro, discos com músicas de Natal. As canções natalinas tradicionais, no Brasil, estão sendo paulatinamente esquecidas, com algumas exceções como “Noite Feliz”, devido a falta de interesse popular. Amigo secreto ou oculto No Brasil, é muito comum a prática entre amigos, funcionários de uma empresa, amigos e colegas de escola e na família, da brincadeira do amigo oculto (secreto). Essa brincadeira consiste de cada pessoa selecionar um nome de uma outra pessoa que DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

esteja participando desta (obviamente a pessoa não pode sortear ela mesma) e presenteá-la no dia, ou na véspera. É comum que sejam dadas dicas sobre o amigo oculto, como características físicas ou qualidades, até que todos descubram quem é o amigo oculto. Alguns dizem características totalmente opostas para deixar a brincadeira ainda mais divertida. Acredita-se que a brincadeira venha dos povos nórdicos. Porém, é também uma brincadeira de costumes e tradições de povos pagãos. A brincadeira se popularizou no ano de 1929, em plena depressão onde não tinha dinheiro para comprar presentes para todos se fazia a brincadeira para que todos pudessem sair com presentes Personagens lendários Uma série de figuras de origem cristã e mítico têm sido associadas ao Natal e às doações sazonais de presentes. Entre estas estão o Papai Nole (Pai Natal em Portugal), também conhecido como Santa Claus (na anglofania). A mais famosa e difundida destas figuras na comemoração moderna do Natal em todo o mundo é o Papai Noel, um mítico portador de presentes, vestido de vermelho, cujas origens têm diversas fontes. A origem do nome em inglês Santa Claus pode ser rastreada até o Sinterklaas holandês, que significa simplesmente São Nicolau. Nicolau foi bispo de Mira, na atual Turquia, durante o Século IV. Entre outros atributos dado ao santo, ele foi associado ao cuidado das crianças, a generosidade e a doação de presentes. Sua festa em 6 de dezembro passou a ser comemorada em muitos países com a troca de presentes. São Nicolau tradicionalmente aparecia em trajes de bispo, acompanhado por ajudantes, indagando as crianças sobre o seu comportamento durante o ano passado antes de decidir se elas mereciam um presente ou não. Por volta do Século XIII, São Nicolau era bem conhecido nos Paises Baixos e a prática de dar presentes em seu nome se espalhou para outras partes da Europa central e do sul. Na Reforma Protestante nos séculos XVI e XVII na Europa, muitos protestantes mudaram o personagem portador de presente para o Menino Jesus e a data de dar presentes passou de 6 de dezembro para a véspera de Natal. No entanto, a imagem popular moderna do Papai Noel foi criada nos Estados Unidos e, em particular, em Nova York. A transformação foi realizada com o auxílio de colaboradores notáveis, incluindo Washington Irving e o cartunista germanoamericano Thomas Nast (1840-1902). Após a Guerra Revolucionária Americana, alguns dos habitantes da cidade de Nova York procuraram símbolos do passado não-inglês da cidade. Nova York tinha sido originalmente estabelecida como a cidade colonial holandesa de Nova Amsterdã e a tradição holandesa foi reinventada.

Impacto econômico O natal é normalmente o maior estímulo econômico anual para muitas nações ao redor do mundo. As vendas aumentam dramaticamente em quase todas as áreas de varejo e lojas introduzem novos produtos para as pessoas comprarem, como brindes, decoração e suprimentos. Nos Estados Unidos, a “temporada de compras de Natal” começa já em outubro. No Canadá, os comerciantes começam campanhas publicitárias, pouco antes do Dia das Bruxas (31 de outubro), e intensificam a sua comercialização em novembro. No Reino Unido e na Itália, a temporada de compras de Natal começa a partir de meados de novembro, no momento em que a comemoração de natal das ruas é montada. Nos Estados Unidos, foi calculado que um quarto de todos os gastos pessoais acontece durante a temporada de compras de Natal. Na maioria das nações ocidentais, o dia de Natal é o dia menos ativo do ano para os negócios e o comércio, quase todas as empresas de varejo, comerciais e institucionais estão fechadas, e quase todas as atividades industriais cessam (mais do que em qualquer outro dia do ano). Na Inglatarra e País de Gales, impede que todas as grandes lojas façam comércio no dia de natal. Estúdios de cinema realizam muitos filmes de alto orçamento durante a temporada de férias, incluindo filmes de natal, fantasia ou dramas com elevados valores de produção. Uma análise de um economista calcula que, apesar do aumento de despesa global, o natal é um peso-morto na teoria microeconômica ortodoxa, devido ao efeito de dar presentes. Controvérsias e críticas Ao longo da história do feriado, o natal tem sido objeto de controvérsia e críticas de uma ampla variedade de fontes distintas. A primeira controvérsia documentada em relação ao natal foi liderada por cristãos e começou durante o Interregno Ingles, quando a Inglaterra era go-

vernada por um Parlamento Puritanto. Os poritanos - incluindo aqueles que fugiram para a América -, procuraram remover os elementos pagãos restantes do Natal. Durante este breve período, o Parlaemento Inglês proibiu por completo a celebração do natal, considerando-o “um festival papista sem justificação bíblica” e uma época de comportamento perdulário e imoral. As controvérsias e críticas continuam nos dias de hoje, onde alguns cristãos e nãocristãos têm afirmado que uma afronta ao Natal está em curso. Nos Estados Unidos, tem havido uma tendência para substituir a saudação Feliz Natal para Boas Festas. Grupos como a União Americana pelas Liberdades Civís iniciaram processos judiciais para impedir a exibição de imagens e outros materiais referentes ao Natal em bens públicos, incluindo escolas. Esses grupos argumentam que o financiamento do governo para exibir imagens e tradições do Natal viola a Primeira Emenda a Constituição dos Estados Unidos, que proíbe a criação, pelo Congresso, de uma religião nacional. Em 1984, a Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu no processo que uma exposição de Natal, que incluia um presépio, de propriedade e exibida pela cidade, não violava a Primeira Emenda. Em novembro de 2009, o tribunal federal de apelações na Filadélfia endossou uma proibição ao distrito escolar sobre o canto de canções de Natal. Na esfera privada também tem sido alegado que qualquer menção específica do termo “Natal” ou dos seus aspectos religiosos está sendo cada vez mais censurada, evitada ou desestimulada por vários anunciantes e varejistas. Em resposta, a Associação da Família Americana e outros grupos organizados boicotaram varejistas. No Brasil a festa continua crescendo e ainda está no gosto dos cidadãos brasileiros. No Estado do Amapá, não há dúvida que a socieade apoia os simbolos e, até, a vindulação da “festa” com os interesses econômicos. DIVULGAÇÃO


JD

Política

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

A6

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Guerra entre governo e Legislativo é declarada Enquanto o governador Camilo tenta amarrar o orçamento conforme suas convicções, os deputados aprovam o texto com aumentos solicitados pelos Poderes janderson cantanhede Da Redação

A

guerra entre o governo do Estado e a Assembleia Legislativa está declarada. De um lado, o governador Camilo Capiberibe (PSB) tenta de todas as maneiras amarrar o orçamento 2012 conforme suas ideias. Do outro estão os deputados estaduais que, sensíveis aos pleitos dos Poderes, resolveram aprovar o orçamento com os aumentos solicitados. Na última sexta-feira, em sessão que durou cerca uma hora e meia, os deputados estaduais derrubaram, por 22 a 1, o veto do governador Camilo Capiberibe (PSB) ao projeto autorizativo, de autoria do deputado Charles Marques (PSDC), que dispõe sobre o realinhamento de subsídio dos servidores agentes e oficiais de Polícia Civil do Estado. O clima na sessão foi de repúdio pela ação do Executivo em não repassar a cota completa do duodécimo da Assembleia, com grande parte dos parlamentares informando que vão passar o Natal sem receber salários de dezembro. Justificativa Na sua justificativa para vetar a proposição, o chefe do Executivo deixou claro que a matéria é exclusiva e de competência do Executivo, pois cria ônus para o Estado. A sessão foi acompanhada, nas galerias, por policiais civis interessados no desenrolar da proposta que garante benefícios para a categoria. Apesar do interesse pela matéria em questão, o fato que mais chamou a atenção dos parlamentares e de quem esteve acompanhando as discussões foi o pronunciamento da deputada Cristina Almeida, que anunciou voto acompanhando o veto, alertou sobre a inconstitucionalidade da matéria por estar transigindo competência. “O veto mostra que os poderes têm autonomia e a Assembleia pode infligir à competência do Executivo”. Chantagem Na sua fala a parlamentar do PSB foi mais além, dizendo que a Assembleia estaria usando o projeto para tentar chantagear o Governo, fato que irritou alguns parlamentares, dentre eles Dalto Martins (PMDB), que solicitou providencias por parte da Mesa Diretora da Casa, sobre a grave acusação. “Precisamos saber se esse sentimento é também do governador com relação a esta Casa, porque não é só a deputada Cristina que vem atacando a Assembleia, todos os secretários estão usando esse caminho e se a situação não for esclarecida pela Mesa, quero dizer que estou fora. Espero que essa expressão forte usada pela deputada tenha sido uma palavra solta”, comentou. O presidente Moises Souza (PSC) pediu explicações da parlamentar que voltou a enfatizar o que acabara de dizer,

FOTOS HEVERTON MENDES

fato que gerou a suspensão de sua palavra por ter “fugido do assunto do qual estava sendo questionada pelos colegas de Parlamento”. Orçamento As desavenças entre o governo e a Assembleia ficaram claras na última quarta-feira (21), quando o Estado não repassou o valor total do duodécimo do Legislativo. Isso levou o Legislativo a entrar com uma ação na Justiça contra o ato, que considerou ser ilegal e abusivo, praticado pelo governador do Amapá que desconsiderou o valor do duodécimo fixado na Lei Orçamentária Anual. Assim, o governador Camilo Capiberibe (PSB) reduziu no mês de dezembro, para R$ 1.850 milhão o repasse, quando na verdade o valor total é de R$ 8.017 milhões. O governo alegou que o Legislativo já havia recebido “adiantamentos” do duodécimo, e que por conta disso, o que restava era apenas o valor repassado. O primeiro secretário da AL, deputado Edinho Duarte (PP) descordou das explicações dadas e desafiou o Estado a apresentar provas de que os adiantamentos foram feitos. “Temos que acabar com essa relação promiscua entre os Poderes e o governo”, comentou. Aprovação Um dia depois do bloqueio das contas do Estado a pedido da Assembleia, os deputados aprovaram o orçamento com alterações significativas, especialmente para as áreas da saúde, educação e segurança pública. As mudanças se dão por meio de emendas feitas durante a tramitação do texto original enviado pelo Governo do Estado nas Comissões Técnicas da AL, como a Comissão de Orçamento e Finanças. O Orçamento do Estado para 2012 foi estimado em R$ 3,599 bilhões. Pela dinâmica dos trabalhos, foi ampla a discussão a respeito das mudanças que acabaram por revelar um avanço significativo na divisão do bolo orçamentário entre os Poderes Constituídos. “Hoje é um dia histórico para este Parlamento, pois com base em estudos técnicos e um amplo debate sobre as necessidades de cada Poder. Ninguém melhor para saber onde aperta o sapato”, compara o deputado Keka Cantuária (PDT). Relatoria Segundo ele, que foi relator do Projeto de Lei 0022/11GEA na Comissão de Orçamento, a análise foi eminentemente técnica e para isso era fundamental o levantamento de dados ao longo do ano inteiro, de acordo com parâmetros definidos pela LDO, a Lei de Diretrizes Orçamentárias. “A lei orçamentária é uma peça fictícia, ou seja, estima as receitas do Estado ao longo do ano que virá, mas deve ser elaborada com bastante critério e o mais verdadeiro possí-

Sessão de ontem, deputados estaduais derrubaram o veto do governo sobre o orçamento e aprovaram projeto beneficiando a Polícia Civil

ORÇAMENTO APROVADO PELOS DEPUTADOS Assembleia Legislativa - R$ 156.868.764

Ministério Público - R$ 113.438.282

Judiciário - R$ 183.000.000

Tribunal de Contas - $ 57.145.957

Orçamento proposto pelo Governo Assembleia Legislativa - R$ 113.844.747

Ministério Público - R$ 80.004.570

Judiciário - R$ 147.436.570

Tribunal de Contas - $ 57.145.957

vel”, disse o parlamentar, que recorreu a fontes como o Tesouro Nacional. Entre as áreas que ganharam reforço orçamentário para o próximo ano está a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) que saiu de R$ 370.586.802 para R$ 435.610.062; a Secretaria de Educação (Seed) saltou de R$ 662.936.641 para R$

839.048.149; a Polícia Civil também foi aumentada, de R$ 5.001.920 para R$ 7.001.920; além disso, os deputados destinaram outros R$ 8.000.000 para a Secretaria de Administração (Sead), que é quem paga toda a folha de pessoal do Estado, para que contemple o reajuste dado aos policiais civis, que inclusive lotaram as galerias da

opinião

Puritanismo melancólico

dorieson alves Professor

Os senhores da ordem moral estabelecida, com seus óleos sagrados a ungir os faltosos; esses são os puritanos encapuzados em seus trajes diluvianos, anunciando o fim apocalíptico do mundo. Por isso, assim como a sarça queimara ante a presença impassível de Moisés, do mesmo modo, esperam que todos os contraventores às ordenanças e preceitos divinos, também queimem no inferno de seus pecados. Entretanto, esses pobres miseráveis, vendedores de indulgência, agem insuspeitamente deturpando as belas palavras com seu obscurantismo hermenêutico, causando a impressão de que somos a negação absoluta de tudo que há de bom na imensidão criada do universo. Fazendo da insubordina-

ção do gênero humano, a razão de ser de todos os males da vida em seu fruto proibido: o pecado, ou simplesmente, para ser mais pomposo, o pecado original. Então, teria sido Adão corrompido pelos desejos da carne, em sua visão ingloriosa de sua própria nudez, ladeado pela doce e meiga Eva, também esplendidamente nua, promovendo a reviravolta do mundo criado? Essa insubmissão paradisíaca, todavia, acarretou a expulsão, então justificada, do homem do seio amado de seu benigno criador. Agora, uma vez rompidos os laços puro-afetivos, se perpetuara sua própria sina pecadora, trazendo consigo o gosto amargo do gozo hedonista do prazer que jamais tivera: a honra de poder decidir livremente o próprio e arrojado caminho. Melancolicamente (Adão), tenta reafirmar a condição de pedra preciosa da criação, embora afastado da graça divina viva uma existência recalcada e subordinada as virulências de um “mundo cão”, onde a importância de ser está revestida pela pomposa soberba da agonia de “viver só”, inteiramente a mercê da

AL hoje. Com as medidas, o orçamento do Governo do Estado para 2012 ficou estimado em 3.599.725.895; o Tribunal de Justiça ficará com uma receita anual estimada em R$ 183.000.000; a Assembleia Legislativa terá orçamento anual de R$ 156.868.764; o Ministério Pú-

blico Estadual ficará com R$ 113.438.282; e o Tribunal de Contas com R$ 57.145.957. A Lei Orçamentária foi aprovada pela esmagadora maioria dos deputados estaduais presentes, com apenas os votos contrários dos deputados da bancada do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Cristina Almeida e Agnaldo Balieiro.

fé injustificada, aquela sustentada pelo seu labor e suor. Entretanto, aquele indivíduo decadente largado ao léu da existência vazia, amarga na contemporaneidade o doce veneno do delírio alucinógeno, transcrito como último reduto de proteção e preservação daquele sujeito original, alma idílica em harmonia perene com os outros seres viventes. Para ele a vida é um grande palco de enormes loucuras, cujo espetáculo circunscreve o tempo de seu ser no mundo divinizado, onde a sacralização de artefatos místicos acaba por reduzi-lo a ignorância dos insanos criminosos do destino humano, tentando burlar, na criação de inocentes e tolas justificativas, o perdão que nunca terá. Supliquemos, portanto, perdão por não sermos ainda mais ignorantes, escrevendo os nomes entre os destinados a incursões insalubres dos hereges desalmados pelas palavras onipresentes dos sacerdotes ignorantes do quase-nada, os mestres insanos das religiões pedantes em seus casebres fortificados pela miséria do povo. Mas seria a religião positivista de Conte a solução? É uma visão romântica da razão existencial humana, travestida pela demência desumanizada dos bastados desonrados com suas mitras marcadas pela presunção de santidade inviolável, enquanto o resto dos meros mortais sucumbe aos prazeres inomináveis da vã ignorância, fabricada nas consciências cauterizadas pelas vicissitudes inerentes a majestade natural do ser humano em seu limbo espiritual, onde jazem as “versões melhores de nós mesmos”. Contudo, em seus drinques para o inferno, refutam a essência individual do delírio dionisíaco – instintos e paixões humanas – nietzschea-

no pela arrogância de aparentarem, na pureza disfarçada das ações, a mais bela e senil evidência de decadência niilista que abate a humanidade dos humanos vivos ressurretos. Os anfitriões dessa mesa não-saborosa revelam a verdadeira face do medo, quando suas feições destilam a agonia latente da desesperança transfigurada pela ânsia de poder, principalmente nos moldes da sedução do simples e incauto tolo, cuja alma não divina ainda espera a redenção de um messias, caracterizado em finas estampas como o “libertador das almas oprimidas”. Para Jonh Locke, em Carta Acerca da Tolerância, a função da religião é bem clara e distinta: “Não se instituiu em vista da pompa exterior, nem a favor do domínio eclesiástico e nem para se exercitar através da força, mas para regular a vida dos homens segundo a virtude e a piedade”. Portanto, pretensas alegações legitimadoras do domínio de poucos sobre muitos, sob a tutela do signo religioso, não fazem o menor sentido, fugindo inteiramente ao seu âmbito intencional e funcional. No entanto, assim como em outras épocas a intolerância se tornou, também, a marca indelével de nosso tempo. Vários argumentos são criados ou reinventados na tentativa de validar comportamentos ortodoxos, onde o sectarismo se traduz enquanto defesa violenta de convicções legitimadas, sobretudo na tradição ou em superstições pueris e infundadas. Por isso, afirmara Hannah Arendt (O que é política?) que “só pode haver homens em sentido próprio onde há mundo e só pode haver mundo em sentido próprio onde a pluralidade da espécie humana é mais do que a simples multiplicação dos exemplares de uma espécie”.


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

A7


JD

Geral

Macapá-AP, sexta-feira e sábado, 23 e 24 de dezembro de 2011

Missa é celebrada no JD em memória de Dona Irene Pereira Celebração da santa missa em memória de Dona Irene também serviu de reflexão sobre o significado do Natal

N

a tarde da última sexta-feira (23), foi realizada uma santa missa em memória de dona Irene Pinto Pereira. A corrente de orações pela alma da matriarca da família Pereira está sendo feita todos os dias por familiares e amigos. A fundadora do JD faleceu na noite da última segundafeira (19), em Macapá. A missa foi celebrada

pelo padre Aldenor e contou com a presença de filhos, netos e bisnetos de Dona Irene, além de amigos e colaboradores do JD. Para acompanhar a celebração, a banda Eterna Aliança foi convidada. Para padre Aldenor, a liturgia realça a ressurreição e a vida, tendo como referência a própria ressurreição de Cristo. “Dona Irene foi importante para todos, deixou ensinamentos e conceitos, e manteve sua vida baseada na palavra do Senhor. É momento de reflexão por tudo que ela fez, somente boas lembranças foram deixadas para todos que a conheceram”, disse. Durante o sermão, o padre destacou que o Natal deve ser compreendido pela misericórdia de Deus, no qual todos os católicos deveriam exercer o espíri-

to natalino diariamente. “O Natal se resume na misericórdia de Deus. Devemos praticar a misericórdia do Divino Espírito Santo. Exercer essa pratica nos enche de fé, de otimismo e de esperança. Praticamos o Natal todos os dias, renovação constante, então esse momento nos acompanha sempre”. Ao final da cerimônia, a diretora financeira do JD, Lucia Teresa, ressaltou que o momento não é de tristeza, e sim de reflexão e de alegria. “Nossa mãe viveu seguindo a palavra de Deus, distribuindo bondade, alegria e esperança a todos. Com a sua oração, ela conseguiu tudo, e tenho certeza que ela está no céu, junto com meu pai orando por nós. Deixou esta vida e nasceu para a vida eterna”, lembrou. Após a missa, foi dada continuidade as correntes de orações que estão sendo realizadas pela Dona Irene. No sábado (24), a missa aconteceu na sede da Fundação Padre Pio. Neste domingo (25), a celebração será na Igreja dos Capuchinhos, na Avenida FAB, as 18h30.

pois, como rezamos na Liturgia, “para os que crêem, a vida não é tirada, mas transformada; e desfeito o nosso corpo mortal, nos é dado, nos céus, um corpo imperecível.” A fé na ressurreição encoraja nosso viver e nos impulsiona à prática do bem, deixando-nos conduzir pelo Espírito Santo.

Vida Para o cristão, a morte é o início de uma nova etapa. Embora a tristeza nos domine quando perdemos um ente querido, a esperança nos consola,

‘‘A justiça florirá e a paz em abundância para sempre’’

A8

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br


JD

DiaDia

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

B1

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Natal sob racionamento de energia

O Amapá não fica atrás, pois as ruas centrais, como a FAB e Candido Mentes recebem grandes ornamentações, e transformam a Capital em mais uma cidade das luzes MARCOS MONTEIRO

Wanderson Frota (Auxiliar no salão de beleza D’Brigida) “A falta de energia prejudica na hora de fazer alguns procedimentos como chapinha e secagem de cabelos, sem contar que fica calor, então o cliente começa a reclamar da situação, pede para que as portas sejam abertas, mas assim outro perigo é criado, pois nesses momentos de racionamento os assaltos aumentam”.

Wladimir Henrique (Administrador da Visual Fashion) “Quando não se pode aproveitar algo, lógico que as lojas deixam de executar algum tipo de serviço. E a falta de energia no Estado é algo muito sério, e os órgãos públicos não estão se preocupando com isso. A falta de energia prejudica sim as vendas, pois sem ela não há como realizar um ótimo atendimento, pois não operamos com excelência o caixa, e conseqüentemente o operacional da loja é diminuído”.

Márcia Noêmia (Moradora do Novo Horizonte) “Na minha casa a falta de energia está prejudicando bastante, pois as comidas estão estragando. Às vezes ficamos o dia todo sem energia, e a geladeira não consegue manter a temperatura por muito tempo, sem contar o risco constante que passamos em relação aos eletrodomésticos, pois com as quedas de energia há qualquer momento eles podem queimar”.

Nesse ano a população amapaense pouco tem apreciado o encanto dos enfeites de natal, tudo por conta do racionamento realizado pela Eletronorte JORNAL DO DIA Da Redação

O

Natal em muitos lugares é conhecido como a época das luzes, onde a população enfeita suas casas, o comércio insere ornamentações em suas empresas e o poder público ornamenta as ruas para dar mais beleza o momento que representa o nascimento do Menino Jesus. O Amapá não fica atrás, pois as ruas centrais, como a FAB e Candido Mentes recebem grandes ornamentações, e transformam a Capital em mais uma cidade das luzes. Porém nesse ano a população amapaense pouco tem apreciado o encanto

dos enfeites de natal, tudo por conta do racionamento realizado pela Eletronorte, que tem deixado bairros por horas sem energia elétrica. A Eletronorte afirma que a falta de chuva no rio Araguari que alimenta a Hidrelétrica Coaracy Nunes é a responsável pelo racionamento, pois com pouco volume de água a geração de energia diminui. A assessoria de comunicação da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) afirmou que está fazendo constantes reuniões com a Eletronorte, para que nos dias 24 e 25 o racionamento seja evitado. A assessora de comunicação da CEA ainda reforça que a

falta de água na hidrelétrica está sanada, pois na madrugada da sexta-feira (23) ocorreram chuvas na cabeceira do rio. Enquanto a situação é discutida nos bastidores, quem está reclamando são os comerciantes, que por conta da ausência de energia estão sendo prejudicados. Há quem diga que as falhas estão dificultando as vendas, uma vez que em todos os estabelecimentos a comercialização está sendo realizada em computadores, deixando o processo mais lento. A reportagem do JD foi às ruas do Centro ouvir os comerciantes sobre os transtornos gerados pelas falhas na distribuição de energia.

Governo repassa cota do ICMS aos 16 municípios do Estado

O

Governo do Estado do Amapá deposita nesta semana R$ 6.420.319,79 em repasse do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) para os 16 municípios amapaenses. Os valores correspondem a 25% da arrecadação do imposto, que são distribuídos às administrações municipais com base na aplicação de Índice de Participação dos Municípios (IPM) definido para cada município. Este é o quarto repasse feito pela Secretaria da Receita Estadual (SRE) neste mês, e corresponde ao montante arrecadado no período de12 a16 de dezembro. Para Macapá, o maior município em população do Estado do Amapá, será repassado nesta quarta cota do mês de dezembro pelo governo estadual o valor de R$ 3.557.556,97, já deduzido 20% do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundeb). Esse dado foi fornecido pela Coordenação de Arrecadação de Tributos Estaduais (Coare). Os valores semanais que são repassados aos municípios amapaenses

variam em função dos prazos de pagamento do imposto, fixados no regulamento do ICMS. Dependendo do mês, pode haver até cinco datas de repasses. As variações desses repasses oscilam conforme o calendário mensal, os prazos de recolhimento e o volume dos recursos arrecadados. A SRE realiza depósitos semanais, sempre até o segundo dia útil de cada semana, conforme prevê a Lei nº 63. Os repasses são resultados da aplicação do IPM de cada município sobre 25% do total, efetivamente arrecadado na semana anterior. Os repasses aos municípios são liberados de acordo com os respectivos Índices de Participação dos Municípios, conforme determina a Constituição Federal, de 5 de outubro de 1988. Em seu artigo 158, inciso IV, está estabelecido que 25% do produto da arrecadação de ICMS pertencem aos municípios, e desse total, 20% são retirados para o Fundeb. As consultas dos valores podem ser feitas no endereço www.sefaz. ap.gov.br

Luane Delaes (funcionária de uma panificadora) “Aqui na panificadora a situação atrapalha bastante, pois quando ficamos sem energia paramos a maioria dos nossos serviços; não há como manusear as máquinas de confeites, o forno elétrico usado na preparação de pães e bolos. Outro problema é a falta de segurança, pois as ruas ficam escuras e os assaltantes aproveitam para cometeram os assaltos, fato que está deixando a população muito alarmada. Na semana passada o vizinho teve que atirar duas vezes para cima, para salvar uma senhora que estava sendo assaltado, pois com o barulho dos tiros os assaltantes fugiram”.

O Dia em Foco FRANCK FIGUEIRA franckfigueira@jdia.com.br

Energia Não da para esconder que o Estado está passando por um novo racionamento de energia. Somente na tarde de ontem, a zona norte da cidade sofreu três interrupções em menos de cinco horas. Os transtornos que os clientes (população) sofrem com as falhas são incalculáveis. Resta saber se a CEA ou Eletronorte vai se responsabilizar pelos danos causados a população e assumir em definitivo o racionamento. Água A Eletronorte afirmou que o baixo nível de água no rio Araguari é um dos pontos apresentados para o possível racionamento. Mas a CEA confirma que na madrugada de sábado (24), caiu uma chuva na cabeceira do Rio Araguari, que seria suficiente para gerar energia sem problemas durante as festas de fim de ano. Agora resta saber qual será a desculpa. Cobranças A Promotoria de Justiça de Defesa do Con-

sumidor encaminhou na sexta-feira (23) ofício ao presidente da CEA, requisitando informações sobre as constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica em Macapá. O promotor André Araújo ressalta que falta esclarecimento aos consumidores sobre as razões das freqüentes cessões, que para ele, afronta os direitos básicos do consumidor. A Promotoria recomenda ainda uma ampla divulgação das futuras interrupções. Sufoco Para aqueles que desejam sair do Estado antes do fim do ano devem desembolsar uma fortuna por uma passagem aérea. Todos os vôos estão esgotados, principalmente para o Nordeste. Aqueles que anteciparam a compra das passagens podem viajar tranqüilos, mas devem enfrentar filas nos aeroportos brasileiros, tudo porque os aeroviários estão de braços cruzados em vários estados brasileiros. Haja paciência.

Sufoco II Para fugir dos altos preços das passagens aéreas e filas nos aeroportos, tem amapaense aproveitando a viagem até Belém, e de lá pegam a estrada rumo ao seu destino final. Mas para isso, a passagem para o nosso vizinho está custando em média de R$ 300 a R$ 450. Então, fica claro que as empresas aéreas aproveitam o momento para faturar alto. Mas em Macapá, além de pagar caro por uma passagem, o passageiro enfrenta a péssima estrutura do Aeroporto Internacional de Macapá.

tira da manga uma série de ofertas de produtos nessa época. A atratividade dos preços geralmente abaixo das ofertas em lojas físicas é alta e faz com que os internautas comprem de tudo um pouco. Porém, o fato de não entrar em contato direto com o produto faz com que o consumidor possa devolver o item em até 7 dias, segundo o CDC (Código de Defesa do Consumidor). É bom ficar atento.

Compras O comércio amapaense enfim respira aliviado nesse período do ano. Com as lojas lotadas desde a metade do mês de dezembro, os lojistas por um determinado tempo pode esquecer o mau momento que enfrentaram durante 2011. Apesar do ano turbulento, alguns empreendimentos foram inaugurados e a expectativa é das melhores. Opções não faltam, resta escolher o presente ideal e vamos as compras, já que o Fecomércio anunciou que no dia 24, as lojas ficaram abertas até as 20h.

Justiça Os tribunais de todo o país julgaram 91,88% dos 15,1 milhões de processos distribuídos em 2011, é o que afirma o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O índice representa mais de 13,9 milhões de processos e faz parte do balanço parcial das metas que devem ser alcançadas pelos 90 tribunais do país em 2011. O resultado final do levantamento deverá ser divulgado em março de 2012. Apesar de ainda não ter computados os dados referentes a novembro e dezembro, o balanço parcial já mostra que os tribunais ultrapassaram o índice estabelecido ou estão próximos de atingir os objetivos propostos pela Meta 3 do CNJ para o Judiciário em 2011.

Pela internet O comércio eletrônico

Feliz Natal, paz, fé e esperança a todos.


JD Polícia DTE deflagra Operação “Decifrar” e prende traficantes em Santana

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

B2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Casal é preso por tráfico de drogas

A operação contou com o apoio de 40 policiais Departamento de Policia Especializada (DPE) e do Grupo Tático Aéreo (GTA) Alyne Kaiser Da Reportagem

A

gentes da Delegacia Especializada em Tóxicos e Entorpecentes (DTE) comandados pelo delegado Antônio Uberlândio deflagraram na manhã de ontem a Operação Decifrar, no município de Santana e prendeu quatro homens acusados de cometerem tráfico de drogas no município de Santana. A operação contou com o apoio de 40 policiais Departamento de Policia Especializada (DPE) e do Grupo Tático Aéreo (GTA). O delegado informou que a operação teve o nome por significar solucionar algo que represente um problema, um enigma. “Neste caso especifico a operação teve esse nome porque foi uma investigação que durou três meses. São rapazes, entre 18 a 22 anos

de idade, que não tinham antecedentes criminais, mas que atuavam no tráfico de drogas em Santana”, disse o delegado. Os agentes cumpriram dez mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão. Entre os presos estão Ângelo Mesquita Rodrigues conhecido como “Preto Garruncha”, de 29 anos, Gernandes do Carmo Lousada, conhecido “Xereca”, Jefferson Souza da Silva, conhecido como “Kiko ou Galo”, de 19 anos e Mário Antônio da Silva Pantoja, mais conhecido como “Tileco”, de 33 anos. Os agentes conseguiram apreender cerca de R$ 700,00 referentes a venda do produto. Os quatro criminosos foram encaminhados para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) para aguardar julgamento, se-

gundo o delegado. Polícia procura assassinos de Oiapoque Policiais da Delegacia de Polícia Civil do município de Oiapoque estão a procura de Jonatas e Baiano, acusados de terem assassinado a pauladas, um homem naquele município. O crime aconteceu na madrugada de segundafeira quando o Dalmo Costa Silva, de 29 anos, foi ferido a pauladas em uma das vias daquele município. Dalmo ainda chegou a ser levado para o Hospital de Emergências daquele município, mas na noite da quinta-feira não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo naquela casa de saúde. Homicida é preso em Laranjal Erivaldo da Silva Mendes,

principal acusado de ter cometido um assassinato no município, acabou preso por policiais militares do 11º Batalhão de Laranjal do Jari, comandados sargento José Araújo. A prisão aconteceu por volta das 21h30 que Erivaldo estava escondido em uma casa localizada na Passarela Nossa Senhora de Fátima, no bairro Central daquele município. A Equipe deslocou-se até o endereço e acabou cercando a casa. A irmã do acusado ainda continuou a esconder o foragido. Depois de muita insistência os militares conseguiram adentrar a casa e encontraram o homicida escondido. Ele foi levado para a delegacia de Laranjal e deve ser encaminhado para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

Taxistas reclamam da quantidade de assaltos a classe ANDERSON CALANDRINI Da Reportagem

O

s profissionais de táxi têm sido um dos alvos de falsos clientes, principalmente durante a noite, cujos ladrões aproveitam as circunstâncias para subtraírem as economias daqueles que, por vezes, passam longas horas à espera de serviços para atingirem os objetivos diários. As denúncias à Polícia de assaltos e roubos a “taxistas”, em serviço, contamse pelos dedos, mas, segundo um destes profissionais, há situações mais ligeiras em que os valores são menores e as vítimas preferem não fazer nada ou então tomar outras providências. “Um dos casos em averiguação, cujo suspeito já se encontra referenciado, ocorreu na última semana quando um desses falsos clientes, a exibir várias notas na mão para não levantar suspeitas, solicitou um serviço, a partir bairro do Central, para um determinado ponto do bairro do Perpetuo Socorro. Neste caso, o profissional de táxi, já com certa idade, teve de suportar durante o trajeto o indivíduo que se sentou na bancada de trás, dando or-

dens para ele seguir, ora para um lado ora para outro, fazendo curvas apertadas sem desconfiar que estava para ser roubado” contou taxista. Segundo o Presidente do sindicato dos taxistas, Risonilson Barros, o ano de 2011 ganhou em alguns pontos, porém a situação da segurança acabou instalando um estado de alerta entre os taxistas. “Nesse ano tivemos várias vitorias, dentre essas, a que destaco, foram às em relação às concessões dadas a 100 taxistas, pela prefeitura, e a ajuda do Governo, que ajudou 19 taxistas a financiarem carros, para que não perdessem o direito as placas” disse Risonilson. Mas segundo o presidente muito tem que melhorar principalmente em relação à segurança e a fiscalização a taxistas clandestinos, que hoje estão presentes em toda a cidade, disputando clientes com os legalizados, que pagam várias taxas para poderem fazer uso dos benefícios. “É muito injusto os legalizados pagarem as taxas, para usarem as placas, e terem que disputar com os clandestinos, que não pagam nenhum tipo de imposto e ficam pegando os

Ronda Policial

JOÃO BOLERO Da 99,1 FM

Estatística das mortes violentas de 01.01a 22.12.11 (resumo) 1º TRÂNSITO: com 130 mortes no Estado 47 em Macapá; 92 do sexo masculino e 38 do sexo feminino; 53 de moto, 38 de carros, 22 pedestres e 17 de bicicleta. Obs.: No mesmo período do ano passado, foram registrados 120 óbitos com 47 casos em Macapá. 2º ARMA BRANCA: com 120 homicídios no Estado 49 em Macapá; 110 do sexo masculino e 10 do sexo feminino. Obs.: No mesmo período do ano passado foram 139 mortes sendo 79 em Macapá. 3º ARMA DE FOGO: com 82 homicídios (8 culposos) 54 em Macapá, 71 do sexo masculino e 11 do sexo feminino. Obs.: No mesmo perío-

do do ano passado foram 120 homicídios, com 85 casos em Macapá. 4º AFOGAMENTO: com 53 óbitos 7 em Macapá (1 na orla da Cidade); 40 do sexo masculino e 13 do sexo feminino. Obs.; No mesmo período do ano passado foram 61 casos, 19 em Macapá. 5º SUICIDIO: com 44 casos 19 em Macapá;. 36 do sexo masculino e 8 do sexo feminino. 36 por enforcamento, 4 por arma de fogo e 4 por envenenamento. Obs.: No mesmo período do ano passado tivemos 35 mortes com 19 em Macapá. 6º TRAUMATISMOS DIVERSOS: com 28 óbitos 10 em Macapá; 27 do sexo masculino e 1 do sexo feminino. Obs.: No mesmo período do ano passado 17

Anderson Rivaldo e Juliete da Silva foram presos após denúncia anônima

N

a madrugada da última quinta-feira (22), no município de Benevides, mais uma vez a ajuda de denúncias feitas pela população fez com que a polícia prendesse dois suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas. A dupla foi pega com 14 “petecas” de pasta base de cocaína. De acordo com o cabo PM C. Araújo, da 25ª Zona de Policiamento, Juliete da Silva Pereira, 22 anos, e Anderson Rivaldo Cardoso, 24, foram detidos na Rua Manoel Monteiro, no bairro do Murinin. Procurados “Eles já estavam sendo procurados após diversas ligações feitas por moradores do local, denunciando que ambos estariam cometendo tráfico naquela área. Fomos

averiguar a situação e após a revista policial, encontramos escondido dentro do mato a quantidade de entorpecentes que eles estavam vendendo”, contou. Devido a um problema no SISP (Sistema Integrado de Segurança Pública) da Delegacia de Polícia de Benevides, os policiais militares da viatura 8224 conduziram os suspeitos para a Seccional Urbana de Marituba para que o flagrante fosse ralizado. Segundo a Polícia Civil, após registrado o caso eles seriam conduzidos para a Delegacia de Polícia de Benevides e autuados por tráfico de entorpecentes. Procurados pelo DIÁRIO, ambos negaram qualquer participação no crime de tráfico. A droga foi conduzida para exames de comprovação no Instituto Médico Legal.

Trio rouba carro, mas é perseguido e preso clientes. Sabemos que a EMTU está realizando as fiscalizações, mas essas têm que ser mais constantes, para que diminua o número de ilegais e a classe possa se sentir protegida em relação a essa situação” disse o presidente. Em relação aos assaltos os taxistas hoje estão se ajudando, para se livrarem desse perigo. “Há dez dias ocorreu um caso em que cinco jovens alcoolizados, pegaram um taxi ao lado do estádio Glicério Marques, e pediram para que o taxista os levassem numa das últi-

mas ruas do bairro do Congos. Porém outro taxistas que estavam por perto, percebeu que se tratava de um assalto, e chamou outros colegas de classe e foram seguindo o veículo, e em um ponto, os taxistas fecharam o carro do colega em perigo e os jovens saíram correndo” contou Risonilson. Essa tem sido a vida de um taxista na Capital, onde a classe está escolhendo quem pegar, e para que pontos de Macapá não ir, para tentar evitar o número alto de assaltos.

óbitos com 6 em Macapá. 7º PAULADA: 14 homicídios 5 em Macapá; Todos do sexo masculino. Obs.: No mesmo período do ano passado 19 casos com 9 em Macapá. FORAM REGISTRADAS AINDA: 4 por asfixia (2 por homicídios); 3 por acidente ferroviário; 3 por queimadura; 2 por choque elétrico.

funcionários e roubaram cerca de 15 mil reais. Ninguém foi preso até agora, acusado desses assaltos.

Dois assaltos praticados na madrugada de ontem aqui na capital Um deles foi perpetrado por volta das 03h50min em uma residência na Rua Rio Japurá, no Bairro Perpétuo Socorro, quando uma quadrilha composta por quatro homens armados com armas de fogo, eles renderam a família de um micro empresário e levaram o cofre de aço com dinheiro, mas não se sabe quanto havia lá dentro. E por volta das 04h10min, dois homens que estavam em uma moto preta, armados também com arma de fogo no Bairro do Buritizal, renderam o proprietário e

Homem é preso por tentar enforcar a esposa Essa ocorrência aconteceu por volta das 04h40min da madrugada de ontem em uma residência que fica na Rua Campo Grande, 536, quando uma guarnição da P.M do 2º Batalhão comandada pelo SGT Ivan de VTR 3611 foi acionada pelo CIODES para resolver uma parada na referida casa, ocasião em que o DOUGLAS VILHENA DO NASCIMENTO (20), havia acabado de agredir a esposa dele D.P.F de 22 anos e não contente tentou enforcá-la, afirmando que iria mandar a mesma para o inferno. Quando os PMs chegaram no local, o acusado confirmou para os canas que realmente agrediu e tentou enforcar sua companheira, mas não disse o motivo. Douglas foi entregue no CIOSP do Pacoval e de lá foi transferido para a DCCM, que tomou as providências de acordo

T

rês homens foram vítimas de um assalto no início da madrugada de ontem (23), no bairro da Pedreira, em Belém. Os assaltantes, um casal e um adolescente de 16 anos, tentaram fugir, mas acabaram sendo capturados pela polícia. Por volta de 1h, as vítimas trafegavam em um carro modelo Golf, cor prata, na avenida Visconde de Inhaúma, próximo a travessa Chaco, quando foram abordados por Carlos Campos, 23 anos, Naiara dos Santos, 20 anos, e o adolescente ordenando que

com a lei. Polícia militar prende mãe e filha por tráfico de drogas Mais uma denúncia anônima fez com uma Guarnição da BRPM, comandada pelo SGT Gama, prendesse por volta das 06h58min da noite de quinta-feira (22), em uma casa na Rua 02 da CPA, 114, a IVANETE VASCONCELOS DA SILVA DA SILVA ( 5 5 ) e a filha dela SAARA ALICE VASCONCELOS DA SILVA DA SILVA (20). Em poder da Saara os PMs. Encontraram duas cabeças de crack. As duas acusadas juntamente com a droga foram encaminhadas ao CIOSP do Congós, onde o Del. Icaro Malvera elaborou o flagrante, enquadramento as duas no crime de tráfico de drogas. Autônomo perde carro para três assaltantes O autônomo de prenome JASSON, trafegava no carro dele, no Centro da Cidade, por volta das 03h 30min da madrugada, quando ao parar em um semáforo, foi rendido por três homens armados com facas, os

saíssem do veículo para que o levassem. Os donos do carro acionaram a polícia, que saiu em perseguição aos bandidos em uma viatura da 10ª Zona de Policiamento (ZPol). O trio acabou perdendo o controle do Golf próximo ao canal da Pirajá e continuou a fuga pelo próprio canal, mas os policiais militares alcançaram e prenderem os assaltantes. Carlos e Naiara foram encaminhados à Seccional de Flagrantes, em São Brás, e o adolescente à Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data).

quais exigiram que ele descesse do veículo. Jasson desceu, mas ainda lutou com os bandidos, porém, eles acabaram o esfaqueando na mão e levaram o carro da vítima, que foi encontrado abandonado no final da tarde de ontem, em um Bairro periférico de Santana. A polícia conseguiu prender dois dos acusados, são eles: -SILVIO LUIZ COSTA OLIVEIRA; -MARCELO DOS SANTOS AMORIM. Autônomo morre vítima de pauladas Esse crime aconteceu na Cidade de Oiapoque. A vítima foi o autônomo DALMO COSTA SILVA ( 29), que era natural de Bacabal/MA. Ele morreu no início da noite de quarta-feira, no Hospital de Oiapoque, onde estava internado desde a noite do último domingo, quando foi agredido a pauladas por dois homens. Em face as agressões, ele teve traumatismo craniano e não resistiu. A polícia de Oiapoque já tem o nome dos suspeitos, que estão foragidos. Eles são conhecidos por Jonatas e Baiano.


JD

DiaDia

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

B3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Procon é alvo de reclamações em Macapá Quem procura informações ou faz solicitações no órgão costuma desperdiçar um bom tempo à espera de um atendimento ANDERSON CALANDRINI Da Redação

O

s moradores de Macapá foram às mídias locais na manhã de ontem (21) para reclamar da demora no atendimento, no setor de denuncias do PROCON, segundo eles, por estar em período natalino, os funcionários estão de recesso, o que está ocasionando demora no atendimento. “As pessoas chegam aqui e querem ser atendidas rapidamente, porque tem outros afazeres. A população merece um espaço melhor para resolver os problemas”, afirma a autônoma Márcia Muniz. A reportagem do Jornal do Dia munida das denúncias foi até a sede do PROCON na Avenida Padre Júlio e conversou com a presidente do órgão, Nilza Amaral, que esclareceu a situação. Segundo ela real-

mente uma equipe está de recesso, mas tem outra equipe fazendo os atendimentos. “É fato que a equipe está reduzida, mais isso não está dificultando o atendimento, pois nesse final de ano a procura ao PROCON está baixa” explicou a presidente. “Nós demos recesso a alguns funcionários e na semana que vem esses voltam e os que estão trabalhando entraram de recesso, mas essa escala foi montada após pesquisas, que mostram que no final do ano a procura pelo órgão diminui, voltando a aumentar em janeiro, quando a população começa a sentir que seus direitos estão sendo quebrados, em relação às compras de natal”, explicou Nilza Amaral. A reportagem constatou que na manhã de ontem havia apenas dois funcionários fazendo o atendimento das denúncias, po-

rém o número de pessoas aguardando era baixa, pois só tinham sete pessoas esperando o atendimento, diferente de outras épocas do ano onde cerca de 150 pessoas iam diariamente ao local. “As nossas atividades não foram paralisadas, apenas demos um período de recesso a alguns funcionários, uma prova disso são as ações que estão sendo realizadas nesse final de ano; como as reunião que estão ocorrendo com os representantes dos setores que mais receberam denúncias em 2011, e as cartilhas ilustrativas, que o PROCON está distribuindo em praças da cidade, e que tem um resumo dos principais direitos dos consumidores quebrados pelas lojas, para que a população fique atenta as situações que ocorrem no dia-a-dia” concluiu a diretora presidente do PROCON.

HEVERTON MENDES

Presidente do órgão, Nilza Amaral, diz que o recesso para alguns funcionários prejudicou um pouco o atendimento HEVERTON MENDES

Projeto Apadrinhamento Legal recebe atenção da população ANDERSON CALANDRINI Da Redação

É

poca natalina, o espírito solidário é mais presente nesse período do ano. Por conta disso inúmeros projetos sociais ganham destaques. Com a finalidade de fornecer algum tipo de ajuda as pessoas necessitadas, e nesse sentido foi criada o Apadrinhamento Legal, que é um projeto da Vara da Infância, que leva crianças, moradoras de abrigos, a passarem as festa de final de ano com famílias que se cadastram. O projeto já está em funcionamento a mais de cinco anos em Macapá, e divide opiniões entre juízes, psicólogos e assistentes sociais, que apon-

tam os pros e contras, que devem ser levados e conta na hora de se discutir o futuro da ação. A grande discussão é se o projeto trás ou não malefícios ao psicológico da criança. “Essa situação ocorre, pois alguns juízes e psicólogos afirmam que quando uma criança vai passar um natal com uma família, pode criar expectativas que podem não se concretizar, como a de achar que poderá ser adotada, mas isso não ocorrer”, explicou Dr. Zeeber Lopes Ferreira, Juiz de Direito substituto da Vara da Infância. Mas segundo o Juiz, não existem só contras em relação ao projeto, há muitas profissionais que dizem que o projeto é benéfico, pois as crianças saem um pouco dos abri-

gos e vão ter novas experiências, ou seja, deixam um pouco a vida dura de ser um órfão e pelo menos por um momento passa a ter uma família temporária. “E não é só esse motivo, pois em muitos casos os padrinhos legais, após terem aquele contado com a criança, acabam despertando a vontade de adotar, ou seja, um ponto positivo para a realidade nacional, que tem muitas crianças esperando pela adoção” explicou o assistente social do abrigo Sian Katuá, para crianças de 0 a 12 anos. Segundo o Dr. Zeeber apesar de no Brasil haver muitas crianças esperando pela adoção, no Amapá a realidade é um pouco diferente, pois atualmente são poucas

Dr. Zeeber Lopes Ferreira, Juiz de Direito substituto da Vara da Infância, afirma que no AP são poucas crianças em abrigos

as crianças que estão em abrigos, tudo por conta da grande procura que há por parte da população, que deixa o estado dentro os que mais ocor-

rem processos de adoção. Atualmente o projeto está ganhando tanto espaço que a partir do ano que vem passará a valer

para os finais de semana, para que pelo menos uma vez no mês a criança possa está saindo do abrigo, ganhando outras experiências.

CAMUF: Sem previsão para inaugurar, instalações são depredadas

L

ocalizado no bairro central do município, o prédio do Centro de Atendimento a Mulher e Família (CAMUF) chama atenção. Cercado pelo mato, a obra que deveria ter sido entregue em janeiro deste ano, está exposta a ação de marginais e do tempo. Enquanto isso, um dos serviços de enfrentamento da violência contra a mulher em Santana, o Centro de Referência e Atendimento a Mulher (CRAM) luta para suportar sozinha a demanda de atendimentos. Visitar o interior das instalações do Camuf e constatar o início das depredações, não é difícil, isso porque o portão de entrada já foi danificado para facilitar a entrada. Dentro do prédio, janelas abertas e portas quebradas, a parte elétrica ainda está exposta, as salas estão sujas e os banheiros precisam

FOTOS ANDREZA SANCHES

de reparos. A obra iniciou em 30 de junho de 2010, e deveria ter sido entregue no dia 13 de janeiro deste ano, mas até agora o governo não se manifestou sobre quando o CAMUF começará a funcionar. Os serviços prestados pelo CAMUF fazem parte da rede de atendimento à mulher. O centro é responsável por apoiar vítimas de violência doméstica praticada por companheiros, ex-maridos e namorados. Mas em Santana, apenas o Centro de Referência em Atendimento a Mulher (CRAM) tem ofertado atendimento psicológico De acordo com a diretora do Cram, Graça Cardoso, o número de atendimentos tem crescido consideravelmente nos últimos meses no município. Segundo ela, um dos motivos tem sido a coragem em denunciar os agresso-

A obra está estimada no valor de R$ 449.045,78, investimento da União, através do Projeto Calha Norte, com contrapartida do Estado

Diretora do Cram, Graça Cardoso, diz que aumentou número de atendimentos

res. “Somente no primeiro semestre deste ano, 450 casos de violência doméstica foram registrados no Cram, a bebida alcoólica e a dependência de drogas são os principais fatores que influenciam nas agressões” informou a diretora. Os centros trabalham em parceria. Inicialmente

as mulheres buscam atendimentos jurídico, psicológico e social no CRAM, em seguida são encaminhadas para o CAMUF que atende não só as mulheres, mas também a família dessas vítimas, e para que esse atendimento possa acontecer é preciso que o prédio do CA-

MUF funcione. “Com o funcionamento do CAMUF no município, o atendimento as famílias, mulheres em situação de risco, homens autores de agressões e filhos que presenciam a violência doméstica será reforçado” finalizou Graça Cardoso.

Em Santana, além do Cram, a Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Delegacia das Mulheres e agora a Vara de Violência Doméstica implantada este mês, atuam no enfrentamento e combate a violência contra a Mulher. (Andreza Sanches)


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

B4


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

C1


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

C2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br MARIO TOMAZ

Em 2011, Sedel iniciou um novo projeto de ação para o esporte do Amapá MARIO TOMAZ

O Secretario de desporto e lazer Luiz Pingarilho

O

Hugo Sales é o novo treinador do Trem Desportivo Clube

Trem anuncia treinador para a Copa do Brasil 2012

Trata-se de Hugo Sales que estava no futebol do América do Rio de Janeiro MARIO TOMAZ

MARIO TOMAZ Da reportagem

A

presidente do Trem Desportivo Clube anunciou, oficialmente, o nome do substituto de Fran Júnior ( que assinou com o Independente) para o comando técnico da equipe para a Copa do Brasil 2012, tratase de Hugo Sales, que estava no futebol do América do Rio de Janeiro. Brasileiro, 47 anos, solteiro, com filhos. CREF 015383/RJ com formação acadêmica em educação física pela Universidade Estácio de Sã no Rio de Janeiro e cursos em treinamento de goleiros; psicologia aplicada ao esporte; treinador profissional de futebol; desenvolvimento de equipe; e noções em informática. Como jogador de futebol atuou no Flamengo do Rio de Janeiro, Bahia, Vitória da Bahia e Sobrinho. Como treinador esteve no Macau do Rio Grande do Norte (2006), Corinthians de Caicó, Imperatriz do Maranhão, Grêmio de Lajes, Santa Cruz, Assu, CSA de Alagoas, Centenário do Rio de Grande do Norte, Esporte de Patos, Sergipe, Vitória da Conquista e Souza, da Paraíba. No Maranhão foi campeão da Taça Cidade de São Luz. Em 2010 foi campeão estadual do Rio Grande do Norte e em 2011 ficou com o vicecampeonato. Socorro Marinho informou que irá apresentar o treinador, jogadores da Copa do Brasil e as candidatas do Concurso Rainha das Rainhas no dia 7. “Nosso diretor financeiro, Italo Bruno Irã até o Rio de Janeiro e conversará com Hugo Sales para acertar detalhes de sua vinda e

As belas candidatas do Rainha 2012 do Trem quem irá acompanhá-lo na disputa desta competição, enquanto isso vamos aproveitar para divulgar também um dos nossos grandes eventos que é o concurso da Rainha do Carnaval, marcado para o dia 11 de fevereiro na sede do clube, situada no bairro do Trem”, lembrou Socorro. Dia 29. Começa a programação de comemoração dos 65 anos do clube e os 30 anos de Rainha das Rainhas, onde o Trem estará realizando torneio de futebol na sede do clube na estrada Macapá-Fazendinha, onde estarão se encontrando grandes feras da equipe rubr0-negra além de convidados especiais da diretoria. “E vamos aproveitar para comemorar mais um ano de conquistas, pelo menos do futebol amapaense que levamos pra casa jogando contra equipes de qualidade e de grandes investimentos”, finalizou,

MARIO TOMAZ

Toque de Primeira

Positivo Na celebração do nascimento de Jesus, saudamos os colegas do JD, de outros jornais, leitores, desportistas e o público em geral. Feliz Natal! Negativo Nesta data especial, agradecemos a Deus, aos colegas e leitores pela compreensão com eventuais falhas cometidas. Obrigado por tudo! Trembala Rubro-negro tucuju sopra 66 velinhas dia 01 JAN e a data não vai passar em branco.

Jessica Pinheiro atual rainha do Carnaval Amapaense

MARIO TOMAZ

MARIO TOMAZ Da reportagem

Trembala I Pinta homenagem aos campeões do Copão da Amazônia e eventos carnavalescos. Vasco Em nome da nação cruzmaltina, desembargador Mario Gurtyev pede atacante de ofício. Amapazão Inscrições ao Campeonato de Futebol Profissional acontecem de 6 a 13 de janeiro. Amapazão I Rômulo Simões lembra que, a seguir, ocorre reunião para aprovar tabela do certame. Mengo João Boleto Neto não suporta mais os ‘furos’ da zaga e implora zagueiro de verdade.

O presidente Arlindo Moreira fala com emoção na festa do Oratório Recreativo Clube Dr. Amorim, treinadores como Sônia e Pedro, além de parceiros. A garotada do futsal estava animada. Também tem motivo de sobra pra

o investimento feito no Intermunicipal. A Sedel foi responsável em 2011 pela reorganização de duas importantes competições: As Olimpíadas Escolares, que reuniu mais de 200 atletas a nível nacional com medalhas de ouro e bronze; e os Jogos Indigenas que reuniram mais de duas mil pessoas com atendimento direto e indireto, encerrando o certame dentro da aldeia do Manga, considerada a maior da região. Segundo Pingarilho, em 2012 será investido nos Jogos da Adversidade, fortalecido os Jogos da Melhor Idade, será criada a Caravana do Esporte, realizadas as Olimpíadas e as Paraolimpíadas Escolares, Jogos Ribeirinhos e o Campeonato Feminino de Futebol “Sem contar que teremos Olimpiadas Amapaenses com a presença da Guiana Francesa, Investimentos na Copa do Mundo de Futebol Marcílio Dias, em Centros Didáticos e a volta do estádio Zerão. Podem ter certeza de 2012 será o ano da virada no esporte, promovido pelo governo Camilo”, finalizou.

Antonio Luiz alpcampos@hotmail.com

“Vamos ser mais fortes em 2012”, declarou Arlindo Moreira Não estamos com uma grande sede e muito menos com investimentos de clube do sul, mas estamos encaminhando para a organização de um projeto sólido que visa melhorar a estrutura de nossa sede e de nossas equipes, mas principalmente valorizar o nosso clube a nível nacional”, Assim começou suas palavras o presidente do Oratório recreativo Clube, Arlindo Moreira quando estava conversando com os atletas, ex-atletas e imprensa. O evento marcou ainda o encerramento das atividades de 2011. Na mesa de apresentação grandes nomes do esporte como o ex-jogador Roberto Gato, Marivaldo,

secretário de desporto e lazer do Amapá, Luiz Pingarilho fez uma avaliação do primeiro ano de administração a frente da secretaria. Falou das dificuldades encontradas no início das ações, principalmente pela falta de recursos no Estado e a falta de credibilidade com parceiros. “Foram meses de muita dificuldade onde o que só se ouvia era reclamação por parte de pessoas que lidavam com a secretaria. Tivemos que enxugar a folha, perdemos vários profissionais que estavam na secretaria e iniciamos um processo de seleção para fortalecer a Sedel”, lembrou Pingarilho. O secretário lembra que precisou viajar para todo o Estado e conversou com representantes da comunidade como prefeitos, vereadores, dirigentes de projetos dando oportunidade, inclusive, para que membros de prefeitura viessem apreender em Macapá sobre o trabalho desenvolvido para a comunidade. Fez parcerias com várias entidades esportivas, inclusive, acompanhando de perto

comemorar, principalmente pelo título do Sub13. “Enquanto outras equipes mostram estrutura, o Oratório mostra eficiência, uma meta que a gente vai

consolidar daqui pra frente com a construção de um novo prédio e de novos materiais que serão usados pelos oratorianos”, destacou o presidente.

Calçada da Fama Ainda repercute o evento dos campeões brasileiros Aldo e Bira. Reuniu a elite da bola. Cinthya Peixe

Livro “Salto Alto” levou 10 no TCC, Curso de Jornalismo, Faculdade Seama. Cinthya foi aplaudida de pé! Fenômeno Azul Roberto Farney sonha com a volta de jogo oficial. Após 7 meses, chega a hora do Leão. Na Marca do Pênalti A partir de 02 JAN, de 13 às 14h, Canal 52, TV Nazaré. O programa é sucesso na 99,9 FM. Futsal Solidário Em todas as finais da bola pesada, houve coleta de alimentos para pessoas carentes. Futsal Solidário I Luis Carlos Araújo distribui o coletado para entidades que promovem a cidadania. Papão da Amazônia Nad tem a chance de mostrar serviço. PC Martins acredita no seu sucesso como técnico. Futebol Sub-15 Renovação derrota Bola na Rede e conquista Campeonato das Escolinhas de Futebol. Ciclismo Antonio Carlos Araújo vibra com o sucesso do pedal e inaugura novo espaço na HC3. Oratório Romeu Figueira já formou o time-base que inicia a Copa São Paulo de Futebol Jr. Você Sabia Que Neymar foi quem mais sofreu falta no Brasileirão. Média de 7,14 por jogo.


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

C3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Campeão boliviano, The Strongest será adversário do Santos no Grupo 1 Além das duas equipes, a chave ainda tem a presença do peruano Juan Aurich e será composta também pelo vencedor de Internacional x Once Caldas

O

Santos conheceu na noite da última quinta-feira mais um futuro adversário na fase de grupos da próxima Libertadores. O The Strongest garantiu sua vaga no Grupo 1 ao faturar o título do Torneio Apertura, da Bolívia, fora de casa. O troféu veio com um empate por 1 a 1 com o Universitário de Sucre, fora de casa, no segundo jogo da final. O The Strongest, que vivia um jejum de quatro anos sem títulos, havia vencido a partida de ida por 2 a 0.

DIVULGAÇÃO

O resultado praticamente definiu o Grupo 1 da Libertadores. Além de Santos e The Strongest, o peruano Juan Aurich já está assegurado na chave. A quarta e última vaga ficará entre Internacional e Once Caldas, da Colômbia, que se garantiu na fase preliminar da Libertadores na quarta-feira. O The Strongest será o adversário de estreia do atual campeão Santos. O duelo, cuja data ainda não foi confirmada, deverá ser disputado em fevereiro, na Bolívia.

Amaral chega ao Cruzeiro com vontade de conquistar titulos DIVULGAÇÃO

Piris duela com Neymar durante partida pela Libertadores. O The Strongest será o adversário de estreia do atual campeão Santos

Juninho e Bernardo devem renovar na próxima semana

A O novo volante azul celeste chega para um contrato de dois anos

A

pós participar da campanha que levou o América para a segunda divisão do futebol nacional, o volante Amaral – recém-contrato do Cruzeiro -, chega à Toca da Raposa com a vontade de ser Campeão Brasileiro. Depois de se destacar como um volante pegador, e bom cobrador de faltas, o defensor quer chegar ao topo mirando um titulo nacional, de preferência à série A. - Já tive oportunidades de vencer alguns campeonatos, agora me falta um: o Campeonato Brasileiro de série A. Espero ajudar o Cruzeiro nessa disputa. Quero ganhar todos os títulos que disputar em 2012 – afirmou em entrevista exclusiva ao LANCENET!, o defensor tem em seu currículo uma Copa do Brasil, pelo Paulista, e uma série B, pelo Vasco. O novo volante azul celeste chega para um contrato de dois anos. Nessa nova empreitada, um dos homens de confiança de Vagner Mancini – já que participaram juntos da campanha que rendeu titulo da Copa do Brasil ao Paulista – Amaral se sente contente de poder se reencontrar com o técnico. - Já trabalhei com ele, é uma grande pessoa, entende muito, ganhamos uma Copa do Brasil juntos e espero que esse reencontro seja bom. Espero que seja um inicio de ano muito bom, quero trabalhar, me dedicar para levar o time para os títulos – frisou. Durante toda a entrevista, o volante expressou sua vontade de ganhar títulos pelo Cruzeiro. Segundo ele, a contratação de Gilson na lateral esquerda pode ajudar, pois os dois já se conhecem e já estão entrosa-

dos. - Com certeza vou ter facilidade com ele, com o Gilson fica melhor, ele é um bom jogador, o Cruzeiro fez bem em contrata-lo, espero poder jogar bem com ele, pra gente fazer uma boa dupla, continuar o entrosamento para ajudar o Cruzeiro – finalizou. Volante não se preocupa com criticas Amaral chegou ao Cruzeiro sob olhares de desconfiança de várias pessoas. Ele está em um pacote de contratações feitas pelo novo presidente, Gilvan de Pinho Tavares. Porém, várias delas estão sendo duramente criticadas pela torcida. Sem se preocupar, o volante afirma que está preparado para o novo desafio. - Eu não tenho que falar nada, criticas sempre são bem vindas. Gosto de assumir responsabilidades. É um time grande, de pressão e cobrança. Já passei por outros clubes, vários treinadores me conhecem e sabem da minha determinação, a pressão pra mim é normal – concluiu. Além dos questionamentos pelo futebol, Amaral e seus novos companheiros de meio campo também que terão que enfrentar um outro problema. Eles chegam para ocupar as vagas de Marquinhos Paraná e Fabrício – dois ídolos da torcida azul celeste. Contundo, o novo volante celeste pede paciência para os torcedores celestes. - São grandes jogadores, já joguei contra eles, não quero me igualar, são caraterísticas diferentes, é claro que todos terão que ter paciência, a equipe está em formação – concluiu.

diretoria vascaína garante que na próxima semana também vai resolver as situações de Bernardo e Juninho. No caso do Reizinho, seu procurador, José Fuentes,enviou uma contraproposta ao clube no início desta semana, com algumas mudanças na oferta que foi feita anteriormente. Quanto a Bernardo, o Vasco já conseguiu há algumas semanas os R$ 3,6 milhões para comprar

50% dos diretos do jogador, como estipulado em contrato. Faltava, no entanto, o Cruzeiro mandar os dados para que o dep ósito fosse feito. Segundo o presidente Roberto Dinamite, porém, o acerto vai sair até o próximo dia 29. - Está tudo dentro da normalidade, sem problemas. Já tivemos uma boa reunião pelo Juninho e vamos acertar isso logo, assim como Bernardo garantiu Dinamite.

DIVULGAÇÃO

Juninho, do Vasco, sorri durante entrevista coletiva

Corinthians aumenta oferta por Guilherme, da Lusa

O

Corinthians ainda não desistiu de ter o volante Guilherme no elenco de 2012. O clube procurou os representantes do jogador da Portuguesa e aumentou a proposta para levá-lo para o Parque São Jorge. Com a estratégia, a diretoria corintiana espera conseguir aliados para dobrar o presidente Manuel da Lupa. O cartola já vetou, no início do mês, a transferência de Guilherme para o Corinthians. Ele exige o pagamento do valor integral da multa, ou seja, R$ 18 milhões. A oferta, que não teve detalhes revelados, parece ter surtido o efeito desejado: seduziu o estafe do volante. São os representantes dele que agora tentarão negociar com a Lusa. Eduardo Maluf, um dos investidores que tem parte nos direitos econômicos do jogador, ficou de levar pessoalmente a nova proposta corintiana para o dirigente. Desta vez, a oferta seria “irrecusável”, segundo o representante do jogador.

DIVULGAÇÃO

Guilherme, volante da Portuguesa campeão da Série B 2011 O empresário de Guilherme, Wagner Ribeiro, não esconde sua insatisfação - e de seu cliente com a diretoria da Portuguesa. Segundo Ribeiro, para o volante ficar o clube terá de “valorizá-lo” bastante, ou seja, dar-lhe um aumento substancial. Contatos O interesse do Corinthians em Guilherme começou na metade do Brasileirão. De lá para cá, a

diretoria corintiana tem mantido contatos para tentar fechar o negócio. A insistência do Corinthians em contratar Guilherme tem dois motivos: primeiro porque o clube disputará a Libertadores e o Paulista simultaneamente no primeiro semestre de 2012 e precisa de um elenco recheado. Além disso, teme perder pelo menos um de seus dois volantes titulares. Ralf e Paulinho, que estiveram

nas últimas convocações da seleção brasileira, são alvos de times europeus. Para a cúpula corintiana, pelo menos um deles deverá ser negociado, se não na janela de janeiro, ao menos durante o período de transferências no meio do ano, em julho. Outra opção bem menos badalada para a eventual reposição no meio de campo é o volante Neto Coruja, que defendeu o Vitória na Série B neste ano.

Henrique mostra insatisfação no Verdão e elogia o Grêmio

O

zagueiro Henrique já fala com cautela sobre a sua permanência no Palmeiras para a próxima temporada. Na tarde da última sexta-feira, ele deve conversar com seu empresário, Marcos Malaquias,

e definir o que será feito à respeito do interesse do Grêmio. Uma conversa com a diretoria do Verdão também estava marcada na sexta-feira. Henrique pertence ao Barcelona (ESP), mas está em-

prestado ao Palmeiras até junho do ano que vem. O clube espanhol já passou a Malaquias quanto espera receber para vender os direitos econômicos do zagueiro, e o Alviverde tem a preferência de compra. O Grêmio aguar-

da e, pelo jeito, seduz Henrique. - Fico feliz com o interesse do Grêmio. É um clube grande. Fico contente. Tenho que pensar em várias coisas para mim, para minha família”, afirmou o atleta.


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

C4


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

D1

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Veja o teste feito com Hyundai (HB) brasileiro Profissionais da área automobilística aceleraram as versões do HB que serão fabricadas em Piracicaba a partir de novembro: 1.0 e 1.6 flex

O

carro que a Hyundai vai fabricar em Piracicaba já está pronto. Pequeno, para disputar com os campões de venda, o HB, como está sendo chamado, não deve nada aos demais modelos da marca em termos de dinamismo e beleza. Com um desenho esportivo, para cativar consumidores entre 25 a 35 anos, ele deve causar impacto quando for apresentado ao público, o que vai acontecer somente no final do ano que vem, quando a fábrica de Piracicaba iniciar a produção em série. A grande diferença em relação aos demais modelos da marca é que o HB é

um carro feito especialmente para o Brasil. Não foi baseado em nenhum modelo atual. Foi projetado e desenhado na Coréia com a contribuição de engenheiros brasileiros, onde uma pequena linha e montagem foi construída especialmente para a produção os protótipos. O carro está pronto, faltando apenas detalhes de finalização, como as texturas do painel, do volante, o acabamento, mas as linhas externas e a mecânica já é definitiva. Acelerei as duas versões do modelo hatch, o primeiro a ser fabricado no Brasil. Andei primeiro no mode-

lo 1.6 flex, com álcool no tanque. O combustível foi importado do Brasil para fazer todos os testes na pista de Namyang, que a Hyundai mantém nesta cidade que fica a 65 quilômetros da capital Seul. Foi uma breve avaliação, suficiente para notar o ótimo desempenho do motor 1.6 feito com base no propulsor usado pela Kia no Soul vendido no Brasil. A potência máxima, no entanto, não foi informada, devendo ser um pouco superior à do motor do carro da Kia, que tem 130 cavalos, quando abastecido com etanol.

DIVULGAÇÃO

Versão GLS 2.0 16v com câmbio automático a gasolina é o carro que menos perde valor depois de um ano de uso

Hyundai i30 é o hatch médio com melhor valor de revenda

O

Hyundai i30 é o hatch médio com o melhor valor de revenda do mercado brasileiro. Estudo feito pela AutoInforme/Molicar mostrou que a versão GLS 2.0 16v com câmbio automático a gasolina é o carro que menos perde valor depois de um ano de uso. Portanto, quem comprou o i30 fez o melhor negócio do ponto de vista financeiro no segmento: um ano após ter deixado a concessionária, ele perdeu apenas 13,9% do seu preço inicial. Nada mal para uma categoria onde a depreciação média chegou a 15,6% e alguns modelos tiveram o valor de revenda reduzido em até 18,4%, caso do Peu-

geot 307, o mais depreciado. A outra versão do i30, com câmbio mecânico, é o segundo carro menos depreciado, com redução de apenas 14,2% do preço. A baixa depreciação ocorre porque o i30 é um carro muito procurado no mercado, é novidade e um modelo com um ano de uso é ainda considerado “novo”. Resta saber se esse bom valor de revenda permanecerá nos próximos anos. Observe que outro carro pouco depreciado, o Focus, também é novo no mercado. Ambos são os mais recentes lançamentos do segmento.

Além do Hyundai i30, o Focus, da Ford, e o Golf, da Volks, também tiveram baixa depreciação. Ambos têm versões na lista dos dez hatchs com o maior valor de revenda, perdendo menos de 15% após um ano de uso (veja a lista). Todas as versões do Stilo perderam entre 16% e 16,5% no primeiro ano de uso. O Vectra, da GM, perdeu -16,9%, o Nissan Tiida 17% e o New Beetle ficou 17,4% mais barato um ano após ter deixado a concessionária. No total, foram avaliados o comportamento de preço de 39 versões de hatchs médios vendidos no mercado interno.


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Chevrolet Captiva V6: GM convoca recall no Brasil por causa da direção hidráulica

Pista Livre JOSÉ ARCANGELO Colunista

O recall faz parte de uma ação global que envolve 15.625 unidades produzidas no México DIVULGAÇÃO

De acordo com a GM, 3.120 donos do Chevrolet Captiva V6 2011 terão que ir até a concessionária mais próxima para correção do sistema de direção

O

ntem falamos de um recall de 3.150 exemplares da Captiva no mercado americano por causa de risco de incêndio no sistema de direção hidráulica. Agora é a vez do Brasil. De acordo com a GM, 3.120 donos do Chevrolet Captiva V6 2011 terão que ir até

a concessionária mais próxima para correção do sistema de direção. O recall faz parte de uma ação global que envolve 15.625 unidades produzidas em Ramos Arizpe, México. Por aqui, apenas a versão V6 produzida entre outubro de 2009 e abril de 2011 está sendo chamada.

No entanto, a peça que precisa ser trocada só chegará em março. Então, a GM vai enviar um comunicado aos clientes ensinando como utilizar a transmissão automática no modo manual. O serviço consiste na substituição do cooler do fluído da direção.

Se o condutor estiver em primeira marcha e estender demais o seu uso, o fluído da direção pode superaquecer e vazar, podendo pegar fogo em contato com partes quentes. Três exemplares do modelo pegaram fogo na Colômbia, e os casos estão sendo investigados.

Volkswagen: compartilhamento de peças para redução de custos

A

Volkswagen vai partir para uma nova filosofia no desenvolvimento de veículos. Depois de criar a plataforma modular MQB, a marca alemã vai partir para o compartilhamento de peças. Isso significa que peças serão utilizadas por vários modelos do Grupo VW, reduzindo assim os custos de desenvolvimento, produção e também de manutenção. A Volkswagen acredita que o compartilhamento de peças vai reduzir os custos de modo geral em 6,5 bilhões de dólares. Em termos de produção, a redução de custos chegará a 20%, bem como o tempo de fabricação de um veículo cairá em 30%. No entanto, o lado sombrio dessa força é que em caso de um defeito na peça, ao invés de um recall de poucos carros, deverá ser chamado um lote muito

DIVULGAÇÃO

maior. Isso aconteceu recentemente com a Toyota, que utiliza essa filosofia de compartilhamento de peças em inúmeros modelos. Para dar certo, acreditamos que o processo de

qualidade deverá ser bem mais exigente, para justamente evitar um mega recall, que sem dúvida acaba com a imagem de qualquer fabricante. Com o compartilhamen-

D2

to de peças, a Volkswagen espera ser não só a maior montadora do mundo, como também a mais rentável. Quando? A estimativa é alcançar estes dois objetivos em 2018.

Que tal uma Palio Weekend atualizada? DIVULGAÇÃO

Sabemos que a Palio Weekend ganhará apenas uma pequena atualização visual dentro de alguns meses, mas não receberá a nova geração que acaba de estrear no Palio. Porém, isso não nos impede de imaginar como seria uma Palio Weekend atualizada, em geração totalmente nova. O leitor Filipe Augustus fez sua projeção, usando as lanternas traseiras do Palio, que aliás, caíram muito bem na perua. O designer alongou o entre-eixos do modelo e também elevou o teto um pouco.

Recall A General Motors (GM), somente no mês de dezembro, está anunciando dois “recalls”. O primeiro foi do novíssimo lançamento, o Cobalt, com um probleminha no pedal do freio, necessitando de troca. O outro é o SUV Captiva V6 2011, cujos reparos devem ser agendados para o mês de março do ano que vem, em uma das centenas de concessionárias ou oficinas autorizadas da marca. O componente envolvido no reparo é o resfriador do fluído da direção hidráulica. Conforme as razões técnicas publicada, está acontecendo “o aquecimento do fluído da direção hidráulica em razão da utilização do câmbio no modo manual em primeira marcha por mais de cinco minutos consecutivos, com possibilidade de vazamento do fluído do reservatório da direção hidráulica, no que pode ocorrer incêndio no compartimento do motor, necessitando de substituição” Recomendação A GM está recomendando aos proprietários do SUV Captiva a não utilização do câmbio no modo manual em primeira marcha por mais de cinco minutos, com o motor em alta rotação. O aquecimento tem ocorrido em algumas unidades por ocasião de subidas íngremes ou descidas acentuadas, ou então, quando trafega em trechos de atoleiros quando a primeira marcha é usada a exaustão. No entanto, a GM informa que não a nenhuma restrição de utilização do câmbio no modo automático. Mais informações pelo fone com ligação gratuita 0800702-4200 ou pelo site www.chevrolet.com.br . O aviso foi publicado no Jornal do Dia, edição do dia 22, página A-5. Números Enquanto o mercado de automóveis anda aquecido lá fora, com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), anunciando que em 2011 haverá um

O

crescimento nas vendas entre 4 a 5% e no Meio do Mundo a tendência é cair entre 8 a 10%, referente ao período de janeiro e novembro de 2010 e 2011. Segundo a entidade nacional, os inúmeros lançamentos mudaram o perfil do mercado. No segmento hatchs compactos, o chamado popular, destaque é o Fiat Uno, ai incluído o Novo Uno, com um crescimento de 24%, saltando de 200.632 2010 unidades para 249.274. O líder VW Gol cresceu apenas 2%. A maior alta com desempenho fantástico fica por conta da Fiat, também, com o 500 que cresceu 239%, relançado com preço mais baixo, deixando de ser importado da Polônia para ser montado no México, com a isenção do Imposto de Importação (II), barateando seu custo. Daí o motivo do sucesso. Destaques Para os sedãs compactos a grande surpresa foi o Renault Logan que já é o sexto mais vendido, com um crescimento de 12% devido a uma cuidadosa re-estilização efetivada pela montadora francesa no ano passado, alem de lançar a esperada opção de câmbio automático este ano. No sedã médio outra vitória da associação franco-nipônica com o Tiida, com 90% de crescimento sem mesmo ter recebido sequer nenhuma modificação no período. O novo Ford Focus 2.0 flex subiu 15% e o Hyundai i30 aumentou suas vendas em 3%. Entre as maiores quedas nos hatch médios estão o Chevrolet Astra (20%) que já saiu de linha, VW Golf (12%) e o Vectra GT que deixou de ser fabricado em outubro despencando 38%. Briga boa mesmo ficou por conta dos lançamentos dos sedãs médios como o Renault Fluence, Chevrolet Cruze, VW Jetta,, Hyundai Elantra e o Peugeot 408. Toyota Corolla e Honda Civic caíram, mas seus novos modelos devem acirrar a briga no ano que vem. Podem apostar!

Auto Pista

Mestre dos Mestres resolveu convocar nossa matriarca Irene Pereira para militar na legião das orações celestes. Com certeza, lá estava sua espera seu companheiro de mais de 60 anos de união no amor, fé e testemunho cristão Otaciano Pereira e os nossos irmãos Adilson e Júlio alem de mais quatro anjinhos. Que seja feita a Tua vontade. –x-x-x-x- Agradeço de coração ao colunista do JD Antônio Luís – Toque de Primeira pelo belíssimo e emocionante artigo de sua pena sobre a nossa mãe Irene Pereira. Somente uma alma bondosa é capaz da singela homenagem. Obrigado amigo, em nome da família. –x-x-x-x-Recebemos e retribuímos votos de Boas Festas: Marly e José Sarney; desembargador Mário Gurtyev de Queiroz, presidente do TJAP; desembargador Luís Carlos Gomes dos Santos (TJAP); desembargador Gilberto de Paula Pinheiro (TJAP); Eng. Glauco Cei, presidente da Sociedade de Amigos da Marinha (SOAMAR); SINCODIV-PA/AP; FENABRAVE; Linx Departamento de Marketing; Jornal do Dia; Advogado Américo Diniz; Resource Automotive; Fiat Automóveis; Viajanet; Booking Hotéis, Hotel Kalimera Krikti (Irakilion-Creta), monge José Busato (Abacia de Chiaravalle - Milão); prefeito de Macapá Roberto Góes; Partido Democrático Trabalhista (PDT) Waldez Góes; Banco Santander; Nissan Macapá; Ministério Público do Estado Amapá; Ford Macapá- Moselli; Fiat Betral Veículos; Trilha Norte – Nissan Renault Lagoa; Kenny Abrahão – Suzuki/Kasinski; médico Dardeg Souza Aleixo; Antônio “Bacana” Pantoja da Silva; moradores de Vila Velha do Cassiporé (Oiapoque); Honda Automóveis Macapá; Pulse – Marcione Rocha e Neto Papaléo –x-x-x-x- “Fuja de elogios, mas esforce-se por merecê-los”. (François Fénelon). –x-x-x-x- Freando... com eternas saudades de nossa mãe. –x-x-x-x- Bom Natal. Excelente Domingo!


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

Nissan resolveu mudar de tamanho no Brasil

D3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Em marcha lenta:

FOTOS DIVULGAÇÃO

Montadora vai lançar no mercado brasileiro o sedã Versa, a nova geração Tiida sedã

A

Nissan resolveu mudar de tamanho no Brasil. E a decisão passa por três passos importantes. Primeiro, introduzir o hatch compacto March no mercado. Depois, anunciar a construção de uma nova fábrica – que será em Resende, no Sul do Rio de Janeiro. E, agora, lançar no mercado brasileiro o sedã Versa, a nova geração Tiida sedã. O novo três volumes da marca japonesa representa também uma mudança na estratégia de abordagem entre os compactos no Brasil. Agora, a fabricante vai apostar no miolo do segmento – a faixa que fica entre R$ 30 mil e R$ 40 mil. É aí que se vende a grande maioria dos sedãs compactos por aqui – e onde Fiat Siena e Volkswagen Voyage disputam a liderança do segmento. É na briga com os dois que a Nissan quer ganhar volume. Para isso, teve que apelar para o preço. O novo carro chega às concessionárias em novembro, com valores que começam nos R$ 35.490. Serão três versões de acabamento. A de entrada é a S e já vem com airbag duplo, direção elétrica progressiva, travas elétricas, computador de bordo, ajuste de altura do banco do motorista e rodas de aço de 15 polegadas. O inevitável opcional do arcondicionado já aumenta a conta para R$ 37.990. A intermediária, chamada de SV, adiciona vidros elétricos nas quatro portas, arcondicionado, retrovisores elétricos, rádio/CD/MP3/ iPod e banco traseiro bipartido por R$ 39.990. Ainda existe a topo de linha SL, por R$ 42.900, que recebe ABS, rodas de liga leve de 15 polegadas e faróis de neblina. Ou seja, nem em sua configuração mais cara, o Versa alcança os R$ 44.500 cobrados pelo Tiida sedã. A estratégia de lançar um carro com preço bem competitivo se explica. A Nissan pretende aumentar a sua participação no mercado que atualmente é de 2%, para 5% em 2015. Isso significa dizer que, no momento, é mais importante para a marca ganhar escala, ter maior representatividade no mercado e se firmar como uma boa opção de compra. Aí aparece também a importância da nova fábrica que a marca irá construir em Resende e que a partir de 2014 vai produzir 200 mil carros por ano. Na unidade, já foram confirmadas as fabricações tanto do Versa como do March, hatch que tem a mesma plataforma do sedã. Apesar de ser feito na mesma plataforma, a V, o Versa não é uma “versão sedã” do March. Visualmente os carros se diferem bastante. Enquanto o hatch tem um visual “fofinho”, o três volumes é mais sóbrio. A dianteira tem como destaque a grade em formato

FOTOS DIVULGAÇÃO

Apesar de ser feito na mesma plataforma, a V, o Versa não é uma “versão sedã” do March

trapezoidal com quatro frisos e cromada nas extremidades. Os faróis são grandes e invadem a lateral do veículo. No perfil não há grandes

ousadias. O que mais agrada é o corte diagonal no vidro traseiro. Na parte posterior, o Versa tem lanternas em formato de bumerangue, que escapam

para as laterais do veículo. Na parte mecânica, a Nissan fugiu do segmento de sedãs de entrada e equipou o seu carro com um motor de boa capacidade. Está lá o 1.6 16V com comando variável de válvulas que também está nas versões mais caras do March. Ele desenvolve 111 cv a 5.600 rpm tanto com etanol quanto com gasolina e tem torque de 15,1 kgfm a 4 mil giros. A transmissão é manual de cinco marchas. A expectativa da Nissan com o seu novo sedã é vender algo como 2 mil carros por mês, média bem superior em relação às 540 unidades mensais desse ano do Tiida sedã – que continuará a existir no mercado brasileiro, assim como no mexicano, onde ambos são feitos. Se a previsão se concretizar, apenas com os carros da plataforma V, March e Versa, a Nissan vai conseguir dobrar o seu número de vendas no Brasil. Daí se explica tanto barulho que a fabricante está fazendo para os seus novos modelos, focados para a crescente e cobiçada nova classe média brasileira. Desempenho O motor mexicano de 111 cv dá vitalidade ao sedã compacto. Com ele, o Versa se torna um modelo até esperto em situações urbanas. Com o comando variável de válvulas, o carro tem força suficientes em baixas rotações. Se for necessária alguma manobra mais ousada, é bom lembrar que a força máxima só surge aos 4 mil giros. Já o câmbio é bem escalonado e preciso. Nota 7. Estabilidade O Versa é um carro bem acertado dinamicamente. Tem uma suspensão com rigidez necessária para fazer curvas bem. A carroceria rola pouco, e a sensação de segurança é constante. A comunicação entre rodas e volante também é boa. Nota 7.

As linhas são bem harmônicas e mostram desenho bem equilibrado

D

epois de registrar um crescimento de quase 28% em outubro as vendas de veículos novos no Japão apresentaram novo resultado positivo em novembro. As 323.659 unidades representaram 25,1% a mais na comparação com o mesmo período de 2010. Em relação a outubro (320.780) o crescimento foi bem mais modesto: +0,9%. ............................................................................

O

s 83.107 novos veículos comercializados no México em novembro representaram um crescimento de 9,9% em relação ao mesmo período de 2010 e de 9,72% sobre as 75.747 unidades emplacadas em outu-

bro.

............................................................................

A

o contrário do que havia sido especulado há cerca de dois meses, a Motorsport não contará com um modelo próprio. Divisão de alta performance da BMW, a M planeja desenvolver um superesportivo nos moldes do Mercedes-Benz SLS ou Audi R8, mas a ideia foi desmentida por Matthew Russell, executivo da marca nos Estados Unidos. ............................................................................

Interatividade A versão testada SL tinha como equipamento de série o que a Nissan chama de Fine Vision, que deixa o

S

em passar por grandes mudanças desde seu lançamento, em 2007, o esportivo Audi R8 já conta com sua segunda geração em desenvolvimento. De acordo com a revista britânica CAR Magazine, a marca das quatro argolas aplicará uma profunda mudança visual e mecânica no modelo em 2014. ............................................................................

É o grande destaque do Versa. A boa distância entre-eixos de 2,60 metros deixa o interior do carro muito espaçoso painel de instrumentos com iluminação branca e marcadores vermelhos. Com isso, a visibilidade é muito boa. Os comandos são bastante intuitivos, o câmbio tem engates macios e a embreagem tem o peso certo. Falta, no entanto, um volante multifuncional e um ajuste de altura da coluna de direção mais amplo – ela só pode ser ajustada de baixo para mais baixo ainda. Nota 7.

O Versa é um carro bem acertado dinamicamente. Tem uma suspensão com rigidez necessária para fazer curvas boas

Consumo Durante o teste, o computador de bordo do Versa marcou uma média de 7,5 km/l de etanol. A Nissan fala em algo bem melhor, na faixa dos 10 km/l em ciclo misto com o combustível derivado da cana-de-açúcar. Nota 7.

O

grupo PSA Peugeot-Citroen vai entrar no mercado indiano já em 2012 com a marca Peugeot, mesmo com previsão de que o inicio das operações de sua planta de Gujarat só ocorra em 2014.

............................................................................

A

Lamborghini está lançando oficialmente nesta semana no mercado nacional o Gallardo LP570-4 Super Trofeo Stradale. Apresentado no Salão de Frankfurt em setembro, o modelo tem produção limitada a 150 unidades e terá três exemplares vendido no Brasil – um este ano e dois em 2012. O preço sugerido é de R$ 1,7 milhão. ............................................................................


Carro&Moto

JD

Renault Clio 2012 chega com preços a partir de 22.990 reais Modelo chega com pequenas alterações até a chegada de um sucessor mais moderno

O

Renault Clio 2012 chega com pequenas alterações no mercado, para se sustentar até a chegada de um sucessor mais moderno. O popular francês chega com nomenclatura no centro da tampa traseira, que agora está de acordo com o padrão mundial da Renault, nova pintura Griz Quartz (no lugar da Cinza

Acier) e calota de rodas ‘Marabá’. Por dentro, o Renault Clio 2012 ganha nova padronagem dos tecidos, interior das portas dianteiras com detalhes pretos e logotipo da Renault com anel prateado no volante (somente com Pack Conforto). A partir de agora, a direção hidráulica pode ser

adquirida separadamente. O Renault Clio 2012 traz de série o desembaçador traseiro, farol de lente dupla, ar quente, retrovisores externos com controle interno, vidros verdes, párachoques na cor do carro, entre outros. Além da direção hidráulica, o Renault Clio 2012 tem como opcionais o ar condicionado, limpador/

D4

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

lavador traseiro, vidros dianteiros e travas elétricas, apoio de cabeça no banco traseiro, alarme, controle remoto para travamento de portas e porta-malas, entre outros. O motor é o conhecido 1.0 16V Hi-

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Flex de até 77 cv no etanol. A Renault está oferecendo até o dia 02 de fevereiro, preços e financiamentos promocionais para o Renault Clio 2012. Assim, a ver-

são duas portas sai por R$22.990 (R$25.300 na tabela) ou entrada de R$10.990 e saldo em 60 mensais de R$299. A garantia continua em três anos ou 100.000 km e as revisões com preços fixos.


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

E1

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

de aplicar 13º salário Consumidores devem se preparar: Decisão começa com menos consumo para 2012 promete mudanças D Mas será que 2012 promete ser um ano diferente para quem não resiste ao consumo e, não raro, acaba tendo que lidar com situações que nunca se resolvem?

DIVULGAÇÃO

N

em mesmo os avanços na legislação brasileira se mostraram suficientes em 2011 para livrar os consumidores dos habituais problemas de telecomunicações, energia ou mesmo das falhas de atendimento durante as compras on-line. Infelizmente, ao que parece, as companhias de todo o País ainda estão longe de satisfazer seus clientes, especialmente quando o assunto em questão diz respeito à qualidade os serviços ofertados. Mas será que 2012 promete ser um ano diferente para quem não resiste ao consumo e, não raro, acaba tendo que lidar com situações que nunca se resolvem? Bom, se depender da maioria dos órgãos de defesa do consumidor, a resposta é sim. De acordo com a coordenadora institucional da Proteste - Associação de Consumidores, Maria Inês Dolci, por exemplo, a expectativa é que o próximo ano seja repleto de mudanças por conta dos preparativos para Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016. “Esperamos que as empresas possam mudar sua postura passando a investir mais para se esmerar no atendimento ao consumidor”, diz. Segundo ela, os empresários devem investir mais em infraestrutura para dar conta do aumento da demanda. No governo Outra novidade que parece impactar positivamente o setor será o fortalecimento dos Procons, bem como a proteção de dados pessoais - que atualmente são temas de anteprojetos de lei elaborados pelo DPDC (Departamento Nacional de Proteção e Defesa do Consumidor). Ao que pare-

ce, o primeiro terá como intuito ampliar a atuação dos Procons e o segundo deverá regular a circulação de dados pessoais, garantindo ao cidadão a titularidade de suas informações. “Nossa expectativa é que no próximo ano o setor se fortaleça ainda mais e passe a adotar medidas mais firmes para agir contra as empresas”, diz a gerente jurídica do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), Maria Elisa Cesar Novais. De acordo com a profissional, a estrutura atual do governo ainda é muito pequena para lidar com um problema tão grande como o número de reclamações dos consumidores. Projeto de Lei Para se ter uma ideia, os projetos de lei em tramitação no congresso querem alterar pelo menos 40% do CDC, principalmente no que diz respeito ao banco de dados, às práticas abusivas e ao direito à informação. “Se o Código se manteve íntegro até hoje, é porque ele é moderno e abrangente”, declara Maria Inês. Redes sociais E para quem desconhecia o poder das redes sociais, essa é a prova de que tais ferramentas não são apenas eficientes, mas que também vieram para ficar. Afinal, apesar de ainda não serem tão reconhecidas por nenhum órgão governamental, sabemos que as mesmas já causam uma repercussão muito forte entre as empresas como canal de reclamação dos consumidores. “Apesar de não ser oficial, as redes sociais se mostraram um importante meio de reclamação. Contudo, para ter o impacto desejado en-

tre os consumidores, os mesmos deveriam pensar em uma forma de se unir para pleitear uma melhoria em comum e não apenas para resolver um problema individual”, diz Maria Elisa. Na opinião dela, as ações isoladas não costumam ser suficientes para uma mudança definitiva na conduta de uma empresa, e esse sim tem sido um grande problema de difícil solução. “Não adianta o consumidor apenas reclamar, ele também precisa procurar meios para resolver os problemas da sociedade mudando de atitude”, diz Maria Elisa. Setores regulados Atualmente, por conta da baixa capacidade de atendimento, ainda são poucas as pessoas que chegam a reclamar, de fato, dos problemas causados por determinadas empresas aos setores regulados. Segundo o Idec, isso se deve, em parte, à demora para solucionar tais questões. “Os setores regulados que controlam o transporte aéreo, a saúde, bem como as telecomunicações ainda são ineficientes na solução de problemas do consumidor devido à quantidade de reclamações. Falta estrutura para o atendimento”, explica Maria Elisa. Retrospectiva 2011 E se você ficou interessado em saber quais foram os principais avanços de 2011 na área de consumo, fique atento à retrospectiva do ano: Baixa Renda - novos critérios para cobrança de energia. Cartão de crédito - adoção de limites para pagamento mínimo no cartão para evi-

tar o endividamento. Setor automotivo - desde o dia 17 de março os consumidores que não atenderem às convocações de recall têm tal ausência monitorada pelo Denatran. O não comparecimento não impedirá a comericalização do veículo, mas constará no licenciamento do mesmo. Do outro lado, as montadoras deverão informar ao Denatran a relação dos proprietários que atenderam ao chamado. A lista deverá ser entregue após 60 dias do recall. Transporte Aéreo - mais direitos aos passageiros. Certificação - desde 1º de julho de 2011, 87 tipos de eletrodomésticos e similares, inclusive industriais, fabricados no Brasil ou importados para comercialização passaram a ter certificados de acordo com regulamento do Inmetro. Entre os produtos de uso residencial certificados estão ferro de passar roupa, secador de cabelo, aspirador de pó, multiprocessador, liquidificador, carregadores de pilhas e baterias, cortador de grama e aparelho de barbear. Adaptação de planos de saúde - foram adaptados os antigos planos de saúde à lei atual. Além disso, o setor também foi estimulado a promover a migração dos contratos individuais e coletivos. Mais regras - ampliação das regras de portabilidade para planos de saúde para os beneficiários de planos coletivos. Prazos máximos - as consultas básicas de planos de saúde deverão ser realizadas em até sete dias, enquanto procedimentos de alta complexidade passaram a ter prazo máximo de 21 dias. (Infomoney)

Congresso aprova Orçamento sem reajustes para servidores e aposentados

U

m acordo de lideranças permitiu a aprovação do Orçamento da União de 2012, no plenário do Congresso Nacional, 12 minutos antes de terminar o prazo estabelecido pela Constituição. Sem previsão de recursos para reajustar os benefícios de aposentados que ganham mais de um salário mínimo e os vencimentos dos servidores do Judiciário e do Ministério Público da União, o acordo deixou a solução do problema dos aposentados para o ano que vem, mas não incluiu os servidores nessa negociação. Pelo acordo que garantiu a aprovação do projeto, os partidos se comprometeram a criar uma política de valorização e ganho real de aposentadorias e pensões, que deverá ser elaborada, em conjunto, pelos representantes de aposentados e pensionistas e o Palácio do Pla-

nalto. O texto aprovado é um substitutivo de autoria do relator, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), no valor de R$ 1,602 trilhão, já descontados os R$ 655 bilhões destinados ao refinanciamento da dívida pública. O projeto segue agora para a sanção da presidente Dilma Rousseff, e o Congresso Nacional entra em recesso a partir de ontem (23). Antes da votação no plenário do Congresso, o Orçamento de 2012 foi aprovado pela Comissão Mista de Orçamento, apesar dos protestos de servidores e aposentados que, durante todo o dia acompanharam as discussões. A questão dos reajustes acabou excluída de vez na comissão, quando foram rejeitados dois destaques (emendas) apresentados pelo deputado Efraim Filho (DEM-PB), que receberam o apoio de apenas quatro de-

putados, para concessão de aumento salarial aos servidores públicos do Judiciário e do Ministério Público da União e aos aposentados. Duas mudanças no substitutivo foram aprovadas pela comissão, por meio de adendos no Artigo 4, que autoriza a abertura de créditos suplementares do governo por meio de decreto. Em cada subtítulo, o governo poderá remanejar até o limite de 10%. Nos grupos de outras despesas correntes e investimentos, o remanejamento estará limitado a 30%. O projeto aprovado também manteve a possibilidade de o governo remanejar até 30% do montante das dotações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que contará com R$ 42,7 bilhões em 2012. O Orçamento de 2012 também prevê a revisão dos benefícios previdenciários e

assistenciais e do segurodesemprego, especialmente em razão de alteração de parâmetros econômicos; ações nacionais para concessão de benefícios à população idosa; ações nacionais de apoio ao pequeno e médio produtor rural, ao desenvolvimento da agricultura ecologicamente sustentável e à garantia e sustentação de preços na comercialização de produtos agropecuários. O Orçamento aprovado ontem pelo Congresso prevê ainda ações destinadas à superação da extrema pobreza, no âmbito do Plano Brasil sem Miséria; o desenvolvimento das ações que garantam o cumprimento da missão constitucional e das diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa, por intermédio dos comandos da Marinha, do Exercito e da Aeronáutica.

eixar de consumir para poupar não é uma decisão fácil de ser tomada. Não são todos que estão dispostos a adiar a satisfação de um prazer em busca da realização de um projeto futuro. Tanto que o percentual de brasileiros que pretendem reservar uma parte do 13º salário para iniciar uma aplicação financeira é relativamente pequeno. “Mas esse recurso extra pode ser visto como um ótimo começo de investimento. Para motivação, basta se concentrar na importância dos objetivos de longo prazo, como a educação dos filhos ou a manutenção do padrão de vida após a aposentadoria”, sugere o economista Luiz Roberto Calado, autor do livro “Fundos de Investimento --Conheça Antes de Investir” (editora Campus Elsevier). Para os que decidem encarar o desafio, a ampla lista de ofertas de produtos para aplicar que existe desperta dúvidas: quando comprar ações? As modalidades que pagam juro são todas iguais? O que considerar na hora de escolher em que investir? Em meio a fundos de renda fixa e DI, poupança, Tesouro Direto e Bolsa de Valores, o futuro investidor pode acabar por se sentir perdido. “É importante lembrar que não há uma fórmula pronta. Depende de cada um, do objetivo associado

ao dinheiro, do montante a ser aplicado”, resume William Eid Júnior, professor de finanças da FGV. Três perguntas Para o consultor Mauro Calil, o primeiro passo para os iniciantes é fazer três perguntas: quanto pretende investir; por quanto tempo manterá a aplicação; e qual o destino dos recursos guardados. Quanto maior o prazo do investimento, maiores são as possibilidades de diversificação e de risco. Isso porque, se a pessoa vai necessitar das economias daqui a alguns meses --para uma viagem, por exemplo- e aplicar tudo em ações, pode ser surpreendida com uma repentina queda da Bolsa e a depreciação do que aplicou, não tendo tempo hábil para aguardar a recuperação dos valores. No outro extremo, no caso de quem está pensando no longo prazo e pode deixar o dinheiro parado por alguns anos, procurar ações pode ser interessante, segundo os especialistas. Mas sempre tendo consciência de que a Bolsa de Valores tem por natureza oscilar muito, o que pode gerar alguns prejuízos. “A poupança é interessante enquanto pagar 0,5% ao mês. Mas vale conferir alternativas mais rentáveis e flexíveis, como um fundo DI com taxa de administração abaixo de 1,5%”, aconselha o consultor Mauro Halfeld.

Controle sua finanças Cartão de crédito Wilson Ribeiro Tenho um cartão de crédito, porém faz seis meses pago um valor bem acima do minímo da fatura e continuo usando o cartão. Quando recebi minha fatura tomei um susto porque o valor triplicou. O que fazer? Cancelo o cartão? Ou nenegocio o valor devedor? Resposta: Segundo o consultor financeiro Silvio Paixão, você deve negociar o valor da anuidade (pedir até a isenção da taxa) e observar se você reconhece tudo o que está sendo cobrado. Com juros altos, você deve negociar estas taxas e parcelar a dívida do cartão. Paixão recomenda que você pague toda a fatura, porque os juros dos cartões são um dos mais altos do mercado financeiro. Paulo Gostaria de saber se é necessário fazer seguro contra furto e uso indevido do cartão de crédito? Resposta: O Procon informa que não só não é necessário como é uma prática abusiva das administradoras de cartão, pois elas transferem o risco delas para o consumidor. Mauro Já recebi vários cartões de crédito sem pedir, mas da última vez, um banco começou a me cobrar taxas por conta disso. Que tipo de atitude se pode tomar? Resposta: Esta é uma prática abusiva, condenada pelo Código de Defesa do Consumidor. A orientação do Procon é que se picote o cartão recebido indevidamente. Se o consumidor for cobrado por algo que não pediu e, se pior ainda, tiver o nome negativado nos cadastros de crédito, cabe ação por danos morais e materiais. Christian Estou há mais ou menos 2 anos pagando o valor mínimo do meu cartão de crédito com uma taxa de 16% ao mês. Já paguei cerca de 20 vezes o valor

do débito inicial. Há alguma possibilidade de eu receber de volta o que paguei a mais? Resposta: Para verificar se houve pagamento indevido e receber devolução, terá de discutir a questão na Justiça. Para se livrar da dívida, o primeiro passo é tentar a renegociação com a própria empresa. Também deverá pedir uma planilha da evolução da dívida e procurar o Procon ou outra entidade de defesa do consumidor para verificar se a mesma está sendo cobrada corretamente. Djeferson Requeri o bloqueio e negociação da dívida do meu cartão de crédito. Fiz o parcelamento em 12 vezes e me surpreendi ao ver que o valor total pago era superior ao dobro do valor da dívida original. É possível reaver esse excedente? Resposta: Se verificar que houve erro no cálculo da sua dívida, poderá entrar na Justiça contra a operadora. Vale lembrar, porém, que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgou que empresas de cartão de crédito se equiparam a instituições financeiras e portanto podem cobrar juros acima de 12% ao ano. Norma As editoras podem renovar e cobrar no cartão de crédito mensalidades de assinatura sem que eu autorize? Resposta: Não. Ricardo O banco pode exigir que eu mantenha agregados o cartão bancário ao de uma operadora de cartão de crédito? Resposta: Não. É uma prática abusiva, passível de punição. Normalmente, basta solicitar ao banco que deseja apenas o cartão de débito ou cartão de crédito desvinculados para que eles emitam os dois cartões separadamente. Se houver recusa, pode-se denunciar ao Procon e ao Banco Central..


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

E2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

CCDI - Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCIM3), Rodobens (RDNI3), Viver (VIVR3) e Tecnisa (TCSA3). “Nesse ambiente, apostamos em retomada da atividade de fusões e aquisições, o que poderá influenciar significativamente o desempenho das ações das companhias envolvidas”, avaliam os especialistas.

Apesar de boas projeções no longo prazo, setor imobiliário terá 2012 desafiador E o cenário que se desenha para 2012 aponta para um novo período de entraves

A

maior parte das ações do setor de construção civil no Brasil se desvalorizou em 2011. A desaceleração da economia e os problemas enfrentados pelas incorporadoras imobiliárias estouro de custos, redução na expectativa de lançamentos, queda na velocidade de vendas e maior alavancagem financeira proporcionaram um ano difícil para o setor. E o cenário que se desenha para

2012 aponta para um novo período de entraves. Apesar da perspectiva de crescimento no longo prazo, os analistas da Fator Corretora, Iago Whately e René Brandt, consideram que os desafios enfrentados pelas companhias este ano continuarão presentes no próximo calendário, e poderão se tornar ainda maiores. Na opinião deles, o ambiente pode piorar se a expectativa de bom desem-

penho da economia brasileira não se confirmar, e se houver maiores restrições ao crédito e para o acesso ao mercado de capitais. Os analistas do HSBC, Felipe Rodrigues e Leonardo Martins, também chamam a atenção para o impacto do crédito no mercado imobiliário. “As discussões acerca da disponibilidade de crédito devem continuar sendo o foco dos investidores, uma vez que a captação em

contas de poupança não deve ser suficiente para sustentar a indústria até 2014”, afirmam os especialistas em relatório. Cautela Por conta do panorama incerto, a Fator Corretora sugere menor exposição do investidor ao setor de construção civil, alertando para os casos em que a alavancagem financeira alcançou patamares desconfortáveis.

Os analistas afirmam que o nível de endividamento da maior parte das companhias do setor de construção civil no Brasil alcançou patamar desfavorável em 2011, mas na hipótese de deterioração no ambiente macroeconômico e consequente restrição de crédito, algumas companhias podem ter mais dificuldade em sustentar o elevado patamar de alavancagem financeira, em especial as menores, como

Baixa renda Se a incerteza macroeconômica em 2012 pode prejudicar o desempenho de parte do setor, também tem chances de aumentar o prêmio com que as incorporadoras de baixa renda negociam, dada a alta probabilidade de estímulos governamentais à demanda imobiliária neste segmento, no caso de desaceleração da economia. Essa é a opinião dos analistas da Fator, que têm preferência pelos papéis da Direcional (DIRR3), MRV Engenharia (MRVE3), Rossi (RSID3) e PDG Realty (PDGR3) neste segmento. Por outro lado, a equipe do HSBC aconselha o distaciamento de empresas focadas em unidades direcionadas ao segmento de baixa renda, em especial MRV (MRVE3) e Rossi (RSID3). Para Rodrigues e Martis, essas companhias devem continuar sob pressão pela combinação dos tetos de preços do programa Minha Casa, Minha Vida e a alta inflação de custos. Na visão do banco, as ações de convicção mais forte são: PDG Realty, por conta da avaliação barata e da recuperação esperada nas margens; e Brasil Brokers (BBRK3) em virtude do grande desconto no P/L (preço sobre lucro) estimado para 2012, de 5,83 vezes. (Infomoney)

Vai precisar trocar de presente? Confira orientações sobre trocas de produtos

D

ia 26 de dezembro é conhecido como “o dia da troca de presentes mal-sucedidos”.

Mas, afinal, a loja é obrigada a aceitar a substituição? De acordo com o Código de Defesa do Consumidor

(CDC), se o produto estiver adequado para consumo, isto é, em perfeitas condições de uso, não há obri-

gatoriedade de troca. Isso vale, por exemplo, para uma roupa que, apesar de não vestir bem o presenteado, não tem problemas de qualidade. Contudo, se o lojista se comprometer a substituir o que é comum acontecer, já que o vendedor quer cativar o cliente - ele terá de cumprir com a promessa. Mas, como é uma decisão facultativa, o fornecedor pode limitar a troca a determinados produtos ou a um período de tempo restrito. Presente com defeito Caso o presente venha com algum defeito, a coisa muda de figura: a empresa é obrigada a reparar o dano do produto. Todos os fornecedores (fabricantes, importadores e comerciantes)

respondem solidariamente pela qualidade do produto. Assim, o consumidor pode recorrer a qualquer um deles ou a todos. No entanto, mesmo em caso de defeito, o fornecedor não é obrigado a trocar o produto imediatamente. A não ser que seja um artigo considerado essencial (como uma geladeira, por exemplo, que é fundamental para a conservação dos alimentos), em regra, a empresa tem prazo de 30 dias para sanar o defeito. Passado esse período, aí sim o consumidor tem o direito de escolher entre a substituição do produto por outro da mesma espécie em perfeitas condições de uso; restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, sem prejuízo de eventuais perdas

e danos ou ainda o abatimento proporcional do preço, conforme expressa o artigo 18, III, do CDC. A essencialidade do produto, no entanto, é subjetiva. O CDC não delimita o conceito de produto essencial, portanto, ele deve ser observado no caso concreto. Recentemente, o Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (SNDC), do qual o Idec faz parte, firmou um entendimento de que o celular é considerado um produto essencial. Assim, em caso de defeito no celular, o consumidor poderá exigir de forma imediata a troca do produto, a restituição do valor pago, ou abatimento proporcional do preço. Isto é, não será necessário esperar o prazo de 30 dias para utilizar uma dessas alternativas.

Mais de 40% dos brasileiros pensam em trocar de carro neste fim de ano latino-americanos pesquisados, 19,5% dos entrevistados deram esta mesma resposta. Para efetuar a compra, 58,7% dos brasileiros pretendem vender o veículo usado e financiar o restante do valor. Já os entrevistados dos outros países latinos consideram mais possibilidades: 24% vão utilizar recursos da poupança, 24% o crédito, 23% vão vender o carro usado para realizar a troca e 28% vão vender o carro, usá-lo como parte de pagamento e financiar o restante.

T

rocar de carro é uma das maiores vontades dos brasileiros neste

final de ano. De acordo com pesquisa da OH! Panel, encomendada pelo

MercadoLivre Classificados e divulgada esta semana, 42,4% dos brasilei-

ros pensam em trocar de carro neste período, enquanto nos outros países

Zero quilômetro Para a maior parte dos brasileiros (67%), a troca deve ser feita por um modelo zero quilômetro, enquanto nos demais países que participaram da pesquisa 47,6% dos entrevistados têm esta preferência. Quase a metade (49,4%) de todos os entrevista-

dos vai comprar o automóvel pessoalmente na concessionária, 30% vão adquiri-lo diretamente com o proprietário e 20,7% optam por utilizar a internet, segundo a pesquisa. Ainda de acordo com o levantamento, 61% da amostra total de entrevistados é composta por mulheres. “Verificamos que a mulher está cada vez mais ativa na decisão de compra, mesmo num setor historicamente dominado por homens, como o automotivo”, disse o gerente sênior de Classificados e Novos Negócios do MercadoLivre, Caio C. O. Ribeiro. Pesquisa Para a pesquisa foram entrevistados 1.473 usuários de internet, residentes na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Venezuela, Uruguai, Peru e Equador. (Infomoney)


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

Maioria dos internautas vai presentear, em média, 7 pessoas neste Natal

Dos que receberão presentes, esposas, maridos e namorados somam 71%, seguidos dos pais (60%), filhos (50%) e outros familiares (45%)

N

este Natal, cada internauta, que corresponde a cerca de 40% da população brasileira, pretende presentear, em média, cerca de sete pessoas, segundo pesquisa realizada com membros do CONECTAí. Dos que receberão pre-

sentes, esposas, maridos e namorados somam 71%, seguidos dos pais (60%), filhos (50%) e outros familiares (45%). Dos entrevistados, 33% afirmaram que pretendem presentear os amigos e 25% vão comprar presentes para si mesmos. Roupas: principais pre-

sentes Outros 17% dos internautas também vão gastar dinheiro com projetos sociais este ano, revela a pesquisa. Entre os presentes, as roupas serão as principais escolhas, indicadas por 66% dos entrevistados. Brinquedos apare-

cem como o segundo item mais citado, com 46% das intenções. Os acessórios de vestuário, como bolsa, mochila, relógio, joias e bijuterias foram citados por 41% dos entrevistados. Além, 36% vão comprar calçados e 30%, livros e revistas.

Serra Pelada voltará a produzir ouro em 2012

uase 20 anos depois Q de o governo fechar aquela que foi a maior

mina de ouro a céu aberto do mundo, a exploração de Serra Pelada, no Pará, será agora toda mecanizada. A empresa de mineração canadense Colossus Minerals Inc., associada à Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), conquistou a permissão para explorar a área. Os primeiros levantamentos feitos em uma parte do terreno de 100 hecta-

res com permissão para ser explorada indicou a presença de, pelo menos, 50 toneladas do metal. Esse número deve ser atualizado pela empresa em janeiro, e a expectativa dos exgarimpeiros é que o volume seja bem maior, já que a própria mineradora informou que o potencial de novas descobertas na propriedade é elevado. “É basicamente ouro amarelo, paládio - que é um ouro branco -, prata e platina. Sendo que a inci-

dência menor é de platina, mas, em compensação, o preço é dobrado em relação ao preço do ouro”, explicou Antônio Ferreira Milhomem, diretor da cooperativa. A antiga mina, que na década de 1980, foi alvo da maior corrida a metais preciosos da história da América Latina, chegou a ser conhecida como “formigueiro humano”, com mais de 80 mil garimpeiros trabalhando ao mesmo tempo. O ouro retirado deveria ser vendido exclusivamente à Caixa Econômica Federal. Na época, foram extraídas cerca de 40 toneladas do metal precioso, sem contar o que foi vendido clandestinamente. O grande buraco que os trabalhadores cavaram é hoje um lago com mais de 100 metros de profundidade. Até a entrada em operação, a multinacional canadense terá investido R$ 320 milhões na construção da mina subterrânea, batizada

de Nova Serra Pelada. O lucro, no entanto, será contado em bilhões de reais. Segundo o acordo feito entre a Colossus e a Coomigasp, que levou à criação da Serra Pelada Companhia de Desenvolvimento Mineral (SPCDM), 25% do lucro serão repartidos com os mais de 38 mil ex-garimpeiros da região associados à cooperativa e o restante ficará com a multinacional. Para esses trabalhadores, que depois do fechamento da mina, há duas décadas, passaram a viver de bicos ou da renda que conseguiram com a venda do ouro, a retomada da produção em grande escala em Serra Pelada é a esperança de uma vida mais tranquila financeiramente. Pouquíssimos conseguiram enriquecer na época e, entre eles, raros souberam investir o que ganharam. Agora, organizados em cooperativa, esperam ganhar o suficiente para viver melhor.

E3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Controle sua finanças Cheque pré-datado

Vanderlei É verdade que as lojas podem depositar o cheque pré-datado antes do prazo? Resposta: O cheque é uma ordem de pagamento à vista, ou seja, deve ser pago pelo banco mediante apresentação, independentemente da data do preenchimento. Por isso, poderá ser devolvido por insuficiência de fundos caso a conta esteja descoberta. Para evitar que o cheque pré-datado seja depositado e prejudique o consumidor, o Procon recomenda algumas precauções: O consumidor deve fazer o cheque nominal à loja ou prestador de serviços. Deve observar, no verso do cheque, para que o cheque se destina e a data de depósito. O consumidor também deve exigir recibo ou nota fiscal onde conste a modalidade de pagamento, inclusive com o número dos cheques e as datas para depósito. Segundo o Procon, a Justiça tem reconhecido a validade desta forma de pagamento e determinado indenizações a consumidores que não tiveram os cheques pré-datados respeitados. Solange Passei um cheque pré-datado que tive o cuidado de colocar nominal. Mesmo assim, ele foi depositado por outra pessoa antes do prazo. Isso pode? Resposta: Os cheques, mesmo nominais, podem ser transferidos a outras pessoas por endosso (quando são assinados no verso). Para que o cheque seja recebido exclusivamente pelo favorecido, o emitente tem que torná-lo nominal não à ordem, escrevendo, após o nome do beneficiário, a expressão “não à ordem”, ou “não transferível” ou “proibido o endosso”. Isso impede que outra pessoa deposite o cheque nominal. Sergio Batista Qual data de emissão devo escrever no cheque pré-datado? A data de compra ou a

data combinada para pagamento? Resposta: O cheque é uma ordem de pagamento à vista, e assim que é apresentado o banco tem obrigação de pagar. No entanto, o Poder Judiciário tem entendido que o artigo 30 do Código de Defesa do Consumidor, que fala do cumprimento à oferta, prevalece quando consumidor e loja acertam que a forma de pagamento é por meio de cheque prédatado. Para se precaver, o consumidor deve escrever no verso do cheque a que se destina, número de parcelas e data para depósito. Também é aconselhável colocar a data combinada entre as partes por escrito no cheque. Nota fiscal contendo número dos cheques e datas para depósito completam as precauções. Maria Regina Fiz um empréstimo a uma pessoa que me pagou com cheques pré- datados. Mas ela sofreu um acidente e morreu. Agora, a esposa se nega a pagar. Como faço? Resposta: O herdeiro terá de honrar o pagamento das dívidas no limite da herança. Se a pessoa se recusa, deverá entrar com ação. Juarez Comprei um terreno e ficou faltando um porcentual para eu pagar. Dei um cheque pré-datado para o vendedor, mas ele depositou antes do prazo combinado e eu fiquei com o nome sujo por emitir cheque sem fundo. Posso processar o vendedor por danos morais e financeiros? Resposta: Sim. Apesar de o cheque ser uma ordem de pagamento à vista, a Justiça tem admitido o uso do cheque pré-datado como forma de pagamento, e o dever de respeitar o acordo entre as partes. Assim, se o senhor conseguir provar que passou o cheque pré-datado e este foi depositado antes do prazo combinado, há uma boa possibilidade de o senhor conseguir o ressarcimento dos seus prejuízos.


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de dezembro de 2011

Brasileiros descobrem novo tipo de onda cerebral As medições foram feitas, por enquanto, nos neurônios de ratos, mas provavelmente valem para outros mamíferos, como os seres humanos DIVULGAÇÃO

P

esquisadores da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) conseguiram flagrar um novo tipo de onda cerebral, que se propaga pelas camadas superficiais de uma área do cérebro ligada à formação de memórias. As medições foram feitas, por enquanto, nos neurônios de ratos, mas provavelmente valem para outros mamíferos, como os seres humanos. As ondas recém-descobertas parecem interagir com outras já conhecidas, numa coreografia que provavelmente é importante para a construção e consolidação das lembranças no cérebro, afirmam os pesquisadores. “Estamos no começo do trabalho”, diz Adriano Tort, professor do Instituto do Cérebro da UFRN e coordenador da pesquisa. “Mas já temos indícios de que as novas ondas aparecem no sono REM [o sono com sonhos], que já é conhecido por sua importância para a memória.”

GPS Tort e o aluno de doutorado Robson Scheffer-Teixeira, junto com outros colegas, descrevem as descobertas em artigo na revista científica “Cerebral Cortex”. O ritmo novo detectado por eles ocorre no hipocampo, uma região que os cientistas comparam a um GPS do cérebro. É graças ao hipocampo que motoristas aprendem a dirigir pelas ruas de uma cidade que ainda não conhecem, decorando pontos de referência ou a localização de semáforos, por exemplo. O hipocampo monta esse quadro da mesma maneira como funcionam outras áreas do cérebro: como uma orquestra elétrica. Orquestra Os neurônios, células que são a unidade básica do órgão, são atravessados por impulsos elétricos, que se propagam (ou não) para as células vizinhas. Quando o vaivém elétrico acontece de forma sincronizada em vários neurônios (como uma guitarra e uma bateria tocando no mesmo ritmo, digamos), surgem as ondas cerebrais. Essas oscilações acontecem em frequências específicas, como ondas de uma estação de rádio. O novo tipo detectado pela equipe da UFRN, por exemplo, tem um pico de atividade em 140 Hz. No entanto, Tort e seus colegas verificaram que

instrumento de apoio. “A gente ainda não tem muita informação sobre os grupos de neurônios que estão em atividade para gerar esse resultado”, afirma Tort. “Essa é uma das próximas fases do nosso trabalho.” Seja como for, a associação com o sono REM (cujo nome vem da sigla inglesa de “movimento rápi-

do dos olhos”, que ocorre durante os sonhos) faz a equipe apostar num elo entre as novas ondas cerebrais e o processo de fortalecimento das memórias durante a noite. Parte do trabalho também foi realizada no Instituto Internacional de Neurociência de Natal Edmond e Lily Safra.”

EUA querem proibir uso de celular em academias

O

uso de celulares nas academias está se tornando um problema, pelo menos nos Estados Unidos. Muitas academias sempre desaconselharam seu uso, por motivos óbvios: além de a conversa alheia poder ser um incômodo para o colega na esteira ao lado, quem usa o aparelho durante o exercício não presta atenção no que está fazendo. Isso diminui a consciência corporal e pode fazer com que o aluno repita movimentos errados, aumentando o risco de se machucar. Mas com os novos aplicativos como programas de condicionamento ou trilhas sonoras feitas para malhar, há sempre uma desculpa para levar o aparelhinho na malhação. A nova preocupação dos americanos, segundo uma reportagem do “New York

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Risco de artrite em atleta profissional é duas vezes maior

N

ão são só os atletas de fim de semana que correm risco com atividades físicas. Um estudo sueco mostrou que esportistas profissionais, praticantes de modalidades como futebol e rúgbi, têm mais risco de desenvolver osteoartrite nos joelhos e quadris do que homens que fazem pouco ou nenhum exercício. O trabalho mostrou risco duas vezes maior em jogadores de futebol ou handebol, e três vezes maior em jogadores de hóquei. O estudo foi publicado no “American Journal of Sports Medicine”. O estudo foi feito com mais de 700 atletas aposentados, com idades entre 50 anos e 93 anos e quase 1.400 homens da mesma idade que se exercitaram pouco ou nada. A osteoartrite ocorre quando há um desgaste excessivo da cartilagem que amortece as articulações. Nesse caso, os ossos acabam raspando um no outro, causando dor. Lesões e Cuidados Segundo o fisiologista do esporte do Hospital do Coração, Diego Leite de Barros, lesões ósseas e musculares fazem parte da rotina de quem escolheu essa profissão. “Esporte de rendimento não é uma atividade física saudável. Os atletas abrem mão de parte de sua saúde em busca de performance”, diz. Barros aponta que o principal fator para a ocorrência de lesões, seja em profissionais, seja em amadores, são altas cargas de treinamento em curto

essa oscilação não aparece sozinha, mas, sim, acoplada com outro tipo mais lento de onda, que interage com ela. As propriedades de um tipo de onda ficam ligadas ao que acontece com a onda “companheira”. Voltando à analogia musical, é como se a guitarra só conseguisse alcançar certas notas com a ajuda de outro

Times”, é com a privacidade do aluno. É que lá tem gente aproveitando o celular para fotografar ou filmar outros alunos em ação _e nem todo mundo acha graça em aparecer sem querer em alguma pose imprópria. Mas imagens já estão vazando na internet. Algumas redes estão querendo banir o uso do celular em todas as dependências da academia, incluindo vestiários, uma tentação para os hackers da malhação. Aqui no Brasil, a preocupação ainda não chegou. E provavelmente, proibir o aparelho não vai agradar muita gente, que acha tão óbvio levar o celular para a esteira quanto sua garrafa de água e toalha de mão. A estudante Ilana Lafer, 20, conta que era assim. “Nem pensava no que estava fazendo, até o dia em

que tropecei na esteira enquanto estava falando no celular. Percebi que não tem nada a ver, se você está treinando, tem que se concentrar no exercício.” Agora, é só o celular alheio que atrapalha o seu treino. “Tem gente que fica falando superalto sobre assuntos que não me interessam, e as esteiras costumam ser grudadas umas nas outras. É desagradável.” A educadora física e personal trainer Gisele Schneider, que orienta alunos em grandes academias de São Paulo, afirma que, apesar do incômodo que causa aos outros, o maior prejudicado é a pessoa que não desgruda do aparelho. “Usando o celular, a pessoa tem menos consciência corporal. Mesmo quando ela para o exercício para falar é ruim, porque isso interfere no ritmo do treino”,

diz Scheineder. Nas redes brasileiras, não há política para uso de celular. “Não somos nem contra nem a favor”, diz o departamento de marketing da Competition. A Cia. Athletica diz que não restringe o uso, mas que pede para os alunos deixarem o aparelho no modo “vibrar” durante as aulas em grupo. Na Ecofit, de São Paulo, a política é parecida. Segundo a assessoria de imprensa da academia, os alunos nem levam o celular quando a aula é coletiva. Mas, nas salas de musculação e nas esteiras, estima-se que o aparelho é usado por 90% dos alunos. E ninguém reclama. Nem gente como a estudante Ilana, que agora é contra o celular na academia. “Não gosto, mas também acho que proibir é demais”

E4

período de tempo. Com o esforço excessivo, não há tempo para o corpo usar seus mecanismos de recuperação. O principal deles é o próprio músculo, que protege ossos e articulações, desde que seja exercitado da maneira correta. Apesar de o estudo sueco ter sido focado nos homens, esportes de impacto podem ser perigosos para ambos os sexos. Segundo um levantamento feito pelo Instituto do Joelho do HCor em outubro, em 2011 foi observada uma alta de 20% no número de mulheres atendidas com lesões nessa articulação na comparação com 2010. A elevação é atribuída à tendência atual das mulheres de praticarem esportes de impacto como futebol e corrida de aventura, antes redutos masculinos. Com relação ao coração e ao pulmão, Barros diz que o maior risco é para quem começa a fazer atividade física sem passar por um check-up. “O esforço pode desencadear um problema cardíaco já presente. Não são raros os casos de infarto em quem começa um esporte sem acompanhamento. Mas, se existe o aval do cardiologista, não há com o que se preocupar.” Em atletas, o efeito no coração é a longo prazo. Ao longo dos anos, a tendência é que o órgão aumente de tamanho, o que pode levar a insuficiência cardíaca em alguns casos. Isso ocorre com maratonistas, segundo outro estudo recente.

Confira ideias para acumular menos e treinar o desapego no Natal

E

liminar excessos para começar o ano mais leve é um dos clichês da hora: quase ninguém discorda, tampouco põe em prática. E fica todo mundo na mesma, depois da overdose de compras e presentes. Mesmo para quem já adotou uma vida simples, a época é um desafio, diz o empresário americano Dave Bruno, 40. Autor de “100 Thing Challenge” (O Desafio das Cem Coisas, Harper Collins) e da proposta de viver com poucos itens, ele dá ideias para aliviar a “bagagem”. Reportagem - Qual é o maior desafio do Natal para você? Dave Bruno -É nos sentirmos obrigados a dar algo especial, que mostre à pessoa “Gastei um bom dinheiro com seu presente”. Dar e receber presentes é bom, mas, nessa época, parece que a única forma de expressar afeto é por meio de objetos. O desafio é dar coisas simples. Mas, também, saber recusar presentes em excesso de forma gentil. É difícil, porque as pessoas ficam ofendidas se você diz não querer presentes. A crise econômica pode ajudar a mudar hábitos de consumo? Se a crise nos ensinar a ser mais responsáveis e éticos com a economia, pode trazer benefício. Mas já vimos outras situações em que as pessoas esquecem essas lições e voltam a consumir loucamente. Por que é tão difícil mu-

dar? Muita gente pensa: “Amanhã, vou doar minhas coisas e me tornar uma pessoa diferente”. Não funciona. É mais fácil pensar que, ao longo de um ano, você vai viver com menos e continuar sendo alguém comum. Sugiro eliminar um pouco de cada vez. Comece pelo armário: escolha um conjunto de roupa diferente para usar a cada dia, por duas semanas, e passe dois meses só com essas peças. Assim é fácil perceber o que você precisa e que não é tão difícil viver com menos. Na sua lista de cem coisas, você contou todos os seus livros como um só item. Isso pode? Sem flexibilidade, não dá para vencer o desafio. Se há um grupo de objetos muito significativos para você, pode contar como um item só. Mesmo se for uma coleção com cem pares de sapatos? Não há nada de errado em gostar de sapatos, eles são maravilhosos. O que você precisa pensar é o que espera daquele monte de coisas. Você fica mais feliz vivendo com menos coisas? Quando você se livra do excesso, fica feliz. Depois passa, a vida continua. Isso é o que faz muita gente desistir. Parar de acumular coisas pode ser bom para o planeta, mas você não vai virar um herói só porque limpou seu armário.


Jornal do Dia 26/12/2011