Page 1

RENOVAÇÃO

FLAMENGO

Na linha Fiat

NOSSA GENTE O que há de melhor para você

Em busca do triunfo Joel disse que prefere encarar hoje os titulares santistas. nC1

Palio Weekend, Siena EL e Strada ganham novos retoques. nD1

Confira nesta edição. A revista não pode ser vendida separadamente.

Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

Macapá-AP, Domingo e Segunda, 17 e 18 de Junho de 2012 - Ano XXV

Domingo e Segunda R$ 3,50 - Terça a Sábado R$ 1,50 JORNAL DO DIA

ECONOMIA

Proamapá prevê investimento de meio bilhão para enfrentar crise O lançamento do programa é a estratégia adotada pelo governo estadual para fazer frente à crise econômica que começa a apresentar consequências no Brasil.

Serão mais de R$ 450 bilhões para investir em infraestrutura. Em entrevista exclusiva, o governador Camilo Capiberibe detalhou o plano de governo. nB2 e B3

CRISE ENTRE OS PODERES

Assembleia X Ministério Público Quem pode mais nessa guerra?

CAMPANHA

Saúde do homem em destaque

Parte dos recursos do Proamapá serão investidos na capital em saneamento

A ação faz parte do mês do homem (junho), que desde 2009 acontece em todo Brasil e tem como objetivo combater os altos índices de câncer na próstata. nB1

HEVERTON MENDES

Na guerra entre os Poderes, o Ministério Público diz que a Assembleia não pode destituir. Já o parlamento, baseado na própria lei do MP, diz que tem essa prerrogativa. Veja quem tem razão. nA4 e A5

COBRANÇA

Fabiana Murer é alvo de pressão olímpica Atleta que é campeã do mundo em salto com vara diz ter noção do que a espera em termos de cobrança, mas demonstra naturalidade diante da pressão. nC2

Ontem, na praça Veiga Cabral, instituições estiveram unidas para atender o público masculino

ÔNIBUS

Sindicato confirma greve para terça-feira Decisão foi tomada após aguardar contrapropostas do Sindicato Patronal, que até agora, nada resolveu, diz Carlos Clay, dos rodoviários. nB1

HEVERTON MENDES

HEVERTON MENDES

EM ANDAMENTO

Obra do prédio da ACIA recebe visita monitorada Na obra, os diretores fizeram questão de visitar as instalações dos mais de 10 andares em construção. Dos 16 andares a serem construídos, a Associação Comercial e Industrial do Amapá terá direito ao térreo, primeiro andar, cobertura e 20 vagas para estacionamento. nE1

Diretores durante a visita monitorada nas obras do prédio

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


JD

Opinião Prateleira de sonhos RODOLFO JUAREZ

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

M

esmo contando com apenas 10 dias úteis para a retomada do ano letivo de 2012, cabe agora aos professores e aos alunos assumirem as responsabilidades pelo resultado de um ano escolar mal conduzido, mas que precisa ser aproveitado no que for possível durante o período que resta. A idéia que leva algumas pessoas a pensar que a educação é como qualquer outra atividade de funcionário público, só porque para ser esse funcionário precisa fazer concurso e ser chamado para assumir um cargo, está completamente equivocada, pois todas as semelhanças terminam ali. O professor é o funcionário que vai cuidar de educar e ensinar pessoas que tem um direito descrito na constituição, mas principalmente, tem necessidade de aprender para poder viável a sua prateleira de sonhos. Nossa região ainda é uma

região que precisa muito mais do que um funcionário público, precisa de um funcionário público dedicado para poder fazer com que o professor apareça. É claro que a questão da sobrevivência é importante; ganhar bem é importante; mas também, nesse caso, também é importante compreender que o professor é muito mais que um simples funcionário público, mesmo aqueles que ganham além do limite constitucional, mesmo aqueles que não precisam trabalhar. Esses não precisam dessa dedicação, não porque têm dinheiro, mas porque não são professores. Essa é uma descoberta que só faz quem leciona, que tem a responsabilidade de 8 ou 10 turmas, sempre quase ou mais do que 400 alunos, de todas as origens e com todos os problemas próprios da idade e que, se o professor não resolve, reconhece. Professor não tem padrão!

Há momentos em que o aluno precisa muito mais dos conselhos de que dos ensinamentos. Há momentos que ele não quer resolver um problema de Matemática ou de Física, o que o aluno quer é simplesmente uma orientação. E o professor precisa entender isso! Então, ser professor é ser apenas um funcionário público que tem compromisso apenas com a repartição em que trabalha? Está claro que não. Então, por que essa teimosia de manter-se afastado dos seus alunos, motivo que apresenta a necessidade da profissão e que mais tarde poderá estar substituindo aquele que lhe deu aula, se valendo das mesmas experiência que teve quando era aluno. Ora, se você é comprometido como professor, você é muito mais que um funcionário. Alguém vai lhe reconhecer nos encontros nos salões dos supermercados, no trânsito, na praça, nas lojas e nos mais inusitados lu-

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

gares que jamais fora imaginado. O professor carrega para o seu dia-a-dia questões suscitadas na sala de aula, no corredor, na sala dos professores e mesmo nas ações disciplinares que são necessárias quando o professor tem a confiança do educando e o educando no professor. E não é difícil perceber isso! Basta lembrar algum tempo atrás, que não precisa ser muito, para que você se veja na pessoa daquele aluno ou daquela aluna, que nesse momento está precisando muito de você, sempre como funcionário do Estado ou como um agente social da comunidade. Então, porque a greve dos professores tem que ser igual a grave das outras categorias? Claro que esse cenário não pode ser desenhado apenas por uma dos lados, precisa que os dois, empregado e empregador, tenham a mesma visão: a visão da responsabilidade, do respeito, do sentimento de compromisso e, principalmente, do agente que influi na vitória ou na derrota de um grupo de pessoas que foi avisada que ia aprender na Escola.

Mundo contemporâneo, vida confusa! VANESSA FREITAS

Palestrante, consultora de empresas, escritora, professora universitária, executive coach, apresentadora do programa “Espaço da Mulher” e diretora da melhoRH consultoria. Escreve aos domingos no JD.

E

u não tenho a menor tolerância para cretinos – apesar de viver cercada deles. No mundo corporativo eles inundam as empresas e agridem os mais nobres mortais (nobres pela grandeza de caráter). Eu realmente não tolero essa gente mau caráter que nos ronda! A revista Super Interessante publicou recentemente em sua matéria de capa que há mais psicopatas nas organizações do que em manicômios. E a sociedade encontra justificativa para enquadrar estas pessoas nas definições mais bonitas e acadêmicas possíveis – mas não adianta: não tem jeito! Ninguém conserta valores construídos sem moral e ética. Imaginem o dano emocional em que pessoas são submetidas diariamente para levarem para casa o seu “salário”! Mundo contemporâneo e vida confusa, muito confusa! A sociedade direciona a cultura do ter e quando percebemos estamos “carregando” as suas esquisitices cotidianas. Para ir a São Paulo a trabalho, me ví carregando na bolsa celular, notebook, máquina fotográfica (para o evento), maquiagem, pílulas de chá verde, remédios para uma possível dor de cabeça, dor na coluna, dor sei lá do quê (mas me disseram que eu deveria ser precavida e vai que preciso), ainda temos que levar escova de dente, pasta, fio dental, protetor solar e um inútil tablet (DETESTO TABLETS) – é que são tão inúteis. Mas a minha assessora disse que é chique a consultora utilizar estas parafernálias que nada soma na vida do meu

cliente e nem está alinhado aos objetivos do meu trabalho (tomara que eu perca este tablet na próxima viagem, assim me desobrigo de comprá-lo outra vez). Afinal, onde levar tudo isso, já que em uma única bolsa seria humanamente impossível! Me pego cheia de bolsas, pastas e outras coisas inúteis geradas pela sociedade moderna! Não tenho a menor paciência para esse estilo executiva de ser! E nem precisa ser nada, por que as pessoas querem ser tudo, sem importar-se que TER é muito diferente do SER. Eu prefiro ser a Vanessa que escreve para compreender melhor este mundo caótico que vivemos. É uma escrita solitária e desinteressada em convencer! Meu papel é defender meu ponto de vista e fazer você adquirir criticidade sobre tudo o que te cerca. Nesse mundo de cretinos, é necessário esclarecer que para haver um opressor é necessário existir o oprimido. E acho que tenho raiva mesmo é do oprimido! Por que o opressor é um desajustado. Nunca esqueça: quanto mais frágil e mais inseguro o indivíduo, mais cruel e insensível ele vai ser. É a força que mora na bondade que liberta pessoas, é a generosidade que entrelaça os caminhos e acolhe equipes campeãs. Somente os fortes podem ser dóceis, os inseguros são cruéis. Eu ainda sou mais crédula do que cética é verdade, mas eu acredito mesmo é na força da minoria que quando quer, luta com dignidade pelo “seu

bem estar pessoal”. Não podemos entregar a única vida que temos aos canalhas, cretinos e mau caráter que nos cercam. Seres desumanos que roubam da merenda escolar de inocentes famintos, cretinos que permitem o tráfico de drogas quando deveriam bani-lo, desajustados que violentam sexualmente crianças de dois anos e são tidos como “desajustados socialmente”, ora, por favor! Hoje me indigna a podridão da sociedade contemporânea e graças á Deus eu tenho a minha fala, que não vai mudar absolutamente nada, mas que grita, que se expressa e que foge dos desajustes interrelacionais que vivemos. Estamos cercados de adoecedores, gente que sequer sabe receber afeto! Gente que confunde carinho com desespero e amor com solidão! Gente que corrompe valores para sentar na sala da diretoria. Gente que manipula informação para “ferrar” o colega! Virgem Maria como eu estou valente esta noite – srrsrs – coisa de mulher nordestina! É o despreparo para lidar com a decência que nos faz sofrer e eu sofro! Não quero ser utópica e nem hipócrita, mas eu preciso acreditar na sociedade que vivo e que se importa com o que de fato tem valor. Neste momento, há famintos que procuram comida no lixão, crianças são violentadas em bairros da periferia por algum ente da família que bebeu demais e vai abusá-la sexualmente, tem alguém agora dando o seu ultimo suspiro em algum leito de hospital e eu me importo com isso. E mesmo que nada eu possa fazer, eu usarei o meu verbo, a minha palavra e o fôlego que me resta para dizer: Eu não tolero os canalhas que nos roubam a esperança de uma sociedade melhor! Eu não preciso de coisas,

nossa sociedade não precisa de mais invencionices para viver melhor (ou pior). Precisamos tirar a bunda da cadeira e fazer algo para melhorar a vida de alguém! Vamos, saia da sua sala e oferte algo que nunca fez saia e olhe além do seu mundo, enxergue além do seu carro e desca do seu pedestal para ajudar pessoas nem que seja por um dia, faça a diferença na vida deles só por hoje! Se não pode contribuir, pelo menos não atrapalhe a vida de quem está lutando dignamente para manter o seu cargo, cumprindo com a sua função! Atenção empresas: ensinem além dos treinamentos técnicos e comportamentais a disciplina do AMOR! Tantos recursos gastos em pessoas, quando tudo o que elas precisam é serem respeitadas e aceitas com todas as limitações que possuem, por que quando erram, esforçam-se para fazerem o melhor e se não o fazem é por que desconhecem o melhor caminho! Eliminem o medo, ofereçam o amparo! Substituam a fofoca pela compreensão! Fujam do desamor e não de quem quer te amparar! Existe uma fórmula para viver melhor: construir riquezas dentro de si. Existe uma fórmula para ser mais feliz, acessar a riqueza de ser menos homem e mais humano, menos formal e mais amoroso, menos rancoroso e mais generoso. Existe jeito para a vida! Existe um caminho esperando por você! A dureza da autora é proporcional a sua vontade de mudar o coração das pessoas – mas é só uma vontade, um desejo e um obstinado sentimento de luta por uma sociedade mais justa! Eu não tenho tolerância para lidar com canalhas! Beijos no coração de todos!

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994) Diretor Executivo: Marcelo Ignacio da Roza Diretora Corporativa: Lúcia Thereza Pereira Ghammachi Assessoria Jurídica e Tributária: Américo Diniz (OAB/AP 194) Eduardo Tavares (OAB/AP 27421) Editor-Chefe: Janderson Carlos Nogueira Cantanhede Gerente Comercial: Andrew Gustavo Cavalcante dos Santos CONSELHO EDITORIAL Presidente: Aldenor Benjamim dos Santos

Secretário Executivo: Marcelo Ignacio da Roza

Conselheiros: Carlos Augusto Tork de Oliveira

José Arcângelo Pinto Pereira

Danieli Amanajás Scapin

Luiz Alberto Pinto Pereira

Janderson Carlos Nogueira Cantanhede

Maria Inerine Pinto Pereira

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br josemaria@jdia.com.br mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representantes comerciais JC Repres. Com. Ltda. - Brasília, DF n Tel. (61) 2262-7469 - Rio de Janeiro, RJ nº Tel. (21) 2223-7551, São Paulo New Mídia - Belém-PA (Gil Montalverne) Tel.: (91) 3279-3911 / 8191-2217 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

A2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Editorial

Em busca de resultados

O

governador Camilo Capibreibe (PSB) lança, nesta segunda-feira, o Programa de Obras e Ações Sociais (Proamapá), em que serão investidos mais de R$ 300 milhões, com destaque para obras de infra-estrutura rodoviária, de saneamento básico, de energia elétrica, de habitação, saúde e educação. Também estão incluídas ações sociais e administrativas. Com o Proamapá, o governador pretende estimular o desenvolvimento estadual, a fim de promover melhorias na qualidade de vida da população, e ao mesmo tempo combater os efeitos da crise econômica internacional, que atinge em especial os países europeus e que já começa a produzir efeitos na economia brasileira, e, por conseguinte, na amapaense. Não falta otimismo ao governador quanto ao andamento das obras e serviços contemplados no programa. Ele acredita que até o final do ano, os R$ 300 milhões já terão sido investidos, produzindo um impacto bastante positivo na sociedade amapaense. Camilo parte do pressuposto de que se nos 18 primeiros meses de seu governo foi possível organizar o orçamento e equilibrar as finanças do Estado, e ao mesmo tempo retomar obras que estavam paralisadas, a partir de agora será mais fácil tocar as ações planejadas, sejam as que já estão em andamento, ou as que ainda serão iniciadas. O programa não terá uma coordenação centralizada, dada a sua

transversalidade. Mas, inicialmente, caberá à Secretaria de Planejamento monitorar a execução do todo. Depois, com o passar do tempo, o governador aposta que haverá sinergia entre as diversas áreas do Governo, suficiente para assegurar o sucesso na execução do programa. A visão do governador pode parecer otimista demais, contudo, é inegável que seu governo, especialmente no quesito obras, conseguiu avanços importantes – basta mencionar a finalização da Cidade do Samba e da urbanização da Rodovia Tancredo Neves, a retomada da reforma e ampliação do Hospital de Santana e o início da Rodovia Norte–Sul, além da execução de obras de saneamento, pela Caesa. O que lhe dá crédito para prometer avanços mais significativos a partir de agora. Há de se destacar, também, que o Proamapá nasce sob forte influência do marketing político. Afinal, fica mais fácil “vender” a imagem de um governo agrupando-se diversos programas e ações em um número limitado de produtos, do que mantendo-os dispersos. O PAC, do governo federal, obedece a essa mesma lógica. Isso não tira a legitimidade do programa. No final das contas, o que mais interessa à população é que as coisas dêem certo para o Amapá. Por isso, a partir do lançamento do programa, a atenção de todos deverá estar voltada para os seus resultados.

Hora-Hora

Mania - Alguns educandários do Estado realizam suas tradicionais festas juninas, com direito a danças de quadrilhas, apresentação de bois, pássaros, entre outras. Tudo muito bom, bonito e divertido. Uma prática, contudo, pode ser considerada politicamente incorreta: a compra de votos para escolha das misses caipiras.

Apuração - Se o deputado estadual Kaká Barbosa (PTdoB), presidente da CPI da Saúde, se interessar em apurar os desvios de utilização das aeronaves chamadas de UTI no Ar, também no governo passado, bastar ler a sentença do juiz federal da 2 Vara do Amapá, João Bosco, de número 145/2011, no processo 2008.31.00.02047-9 Ação Ordinária, páginas 1.410 a 1.416. Caso anterior - Lá vai encontrar a história de um avião que foi deslocado de Macapá até Oiapoque, com direito a volta, só para transportar dois eleitores-médicos que votaram na eleição de 2008 para o CRM-AP. Fraude - A eleição foi anulada por fraude. E os réus es-

tão livres, impunes civil, criminal, administrativa e eticamente. Usaram os recursos públicos descaradamente e tornaram a se eleger. Triste Brasil. Mais triste ainda este nosso Amapá! Casa cheia – O Ginásio Avertino Ramos lotou na noite de sexta-feira, 15, para o evento Jungle Fight. Tendo o Governo do Estado como patrocinador máster, o evento tinha o emblemático número 40. Tudo a ver. Posição – O Jornal Nacional, de sexta-feira, apresentou matéria sobre o conflito entre Ministério Público Estadual e Assembleia Legislativa. Adotando a versão do MPE como única e verdadeira. Denúncias levantadas pelo Legislativo foram solenemente ignoradas. Prevaleceu a tese da retaliação. Novo estilo – Governador Camilo Capiberibe passou a adotar novo estilo, mais próximo da população, indo encarar de perto os problemas existentes no serviço público, em especial no setor de saúde. E também deixando um pouco de lado o estilo paletó e gravata do primeiro ano.

Índice Opinião - A2, A3 Especial - A4, A5 Geral - A6 Sociedade - A8 Dia Dia - B1, B3, B4 Polícia - B2 Classidia - 12 Pag.

Esportes - C1, C2 Atualidades - C3 Diversão&Cultura - C4 Carro e Moto - D1, D2, D3 Social Click JD - D4 Economia - E1, E2, E3, E4

Edição número 7930


JD

“ ”

Geral

Entre Aspas

JANDERSON CANTANHEDE Jornalista cantanhede@jdia.com.br

Nota dez – Está de parabéns a organização do Jungle Fight pelo evento que trouxe ao Amapá. Nunca tinha visto o Avertino Ramos tão lotado como sexta-feira. Prova de que o amapaense é apaixonado pelo MMA.

Decepção - Por outro lado, quando o assunto é futebol local, quanta tristeza ver alguns gatos pingados nas arquibancadas torcendo pelos times. É decepcionante! Na cabeça – O PSB dos Capiberibes deve ser mesmo o favorito na aliança com o PT, nas eleições municipais deste ano. Com o nome de Cristina Almeida disputando a PMM, os “amarelinhos” prometem apoio recíproco aos petistas. Em troca – A história funciona mais ou menos na seguinte lógica: o PSB recebe o apoio em Macapá e em troca apoia o PT em Santana e outros cinco municípios. E agora, Dalva? Divisão - Falando em PT, observo que quanto mais se aproxima o julgamento do Mensalão, mas fica clara uma linha dividindo a estrela petista. De um lado, estão os acusados no maior escândalo de corrupção do governo Lula, como José Dirceu e José Genoino.

De outro, os integrantes do governo de Dilma que querem distância da banda enrolada do partido. Dois em um - Alguns membros do Partido dos Trabalhadores já levantam a tese dos “dois PTs”. O PT de Lula e o PT de Dilma.

Lado Lula - O primeiro lado é o defendido pelo ex-presidente, que, no afã de proteger seu legado, é acusado de operar nos bastidores para adiar o julgamento do mensalão. Agora que foi marcado, ele tenta minimizar os prejuízos dos “réus companheiros”. Lado Dilma - Na outra ponta, a presidente Dilma e seu governo sabem que só têm a perder com o envolvimento com o “outro lado”. O PT de Lula, afinal, é o passado. O de Dilma é o futuro. Em silêncio - Esta semana a guerra entre Ministério Público e Assembleia ganhou aliados de peso. Esteve no Amapá o Conselho de Procuradores apoiando Ivana Cei. Porém, muita gente passou despercebida em um detalhe: o importante colegiado não publi-

cou, sequer, uma carta ou nota oficial no final do evento. Muito estranho! Palpites - Há até quem arrisque um palpite para o silêncio do Conselho de Procuradores ao sair do Amapá. Viram que a briga de foice estava tão grande para ambos os lados, que prefeririam não se expor ou arriscar qualquer palpite oficial. Isso, sem contar na politização que a tal guerra já incorporou. Haja gotas - Essa aqui aconteceu ontem, durante a campanha contra a pólio. O secretário municipal de Saúde, Otacílio Barbosa, talvez mal orientado na hora de fazer bonito diante das lentes da imprensa, pingou quatro em vez de duas gotas na boquinha de uma criança. Muita calma - Uma enfermeira que estava ao meu lado ao ver tal situação, balançou a cabeça de forma negativa. Eu, curioso como qualquer jornalista, resolvi perguntar. Foi quando ela me chamou a atenção para o pequeno detalhe das gotinhas a mais. Muita calma nessa hora, secretário... Bom domingo a todos...

CHARLES CHELALA

H

Economista

presente na análise de economistas clássicos há bastante tempo. No século XIX, Karl Marx abordou a questão da exaustão e da apropriação privada dos recursos naturais; já estava concebido o conceito de “externalidades” por Alfred Marshall e Athur Pigou propunha tributos que incidiriam sobre o agente poluidor. Posteriormente, talvez a principal contribuição à abertura da economia para o meio ambiente tenha sido do romeno Nicholas Georgescu no livro “A Lei da Entropia e o Processo Econômico”, escrito vinte anos antes da Eco92 e, até aquela época, ainda pouco digerido pela ciência. Atualmente o cenário é outro e todos os economistas consideram a dimensão ambiental em suas análises. A própria divisão entre a Economia “pura” (the economics) e Economia política suscitou duas correntes na ciência, a “Economia Ambiental” e a “Economia Ecológica”. Os economis-

tas que se alinham na primeira abordagem entendem que mecanismos de mercado, métodos de valoração da natureza e inovações tecnológicas podem conduzir a práticas sustentáveis, sendo hoje a tendência hegemônica que, inclusive, dirige os debates na Rio+20 com a proposta de “Economia Verde”. Já a Economia Ecológica propõe a adoção de uma postura de sustentabilidade forte, com mudanças culturais de comportamento, padrões de consumo e formas de crescimento econômico, sendo adeptos ferrenhos do princípio da precaução. Estas posições podem ser aferidas no livro de Ricardo Arnt, “O que os economistas pensam da sustentabilidade” (2010), no qual o autor entrevista quinze economistas sobre a relação entre mercado, economia e meio ambiente e é interessante ver posições de ícones da economia tradicional, como Delfim Netto, Mailson da Nóbrega e Bresser-Pereira, ao lado de Sérgio Besserman Vianna, José Eli da Veiga e Ricardo Abamovay, estes mais afeitos à análise econômica ambiental. Assim, podemos afirmar que, ainda que a Rio+20 não produza um único documento consensual em que os países assumam compromissos de sustentabilidade, só o fato de a “Economia Verde” ser um dos dois temas centrais e que a dimensão ambiental esteja presente na cabeça de todos os economistas já representa um grande avanço desses últimos vinte anos.

A3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Estados querem ampliar base de impostos que abastece o FPE Tema voltou a ser discutido em audiência pública sobre a revisão do pacto federativo realizada pelas CAE

S

e ainda não há consenso quanto à proposta ideal de reestruturação da partilha do Fundo de Participação dos Estados (FPE), parece haver convergência quanto à necessidade de mudança em sua base de cálculo e à impossibilidade de convencer os estados a aceitarem perda de receita. O tema voltou a ser discutido em audiência pública sobre a revisão do pacto federativo realizada na quinta-feira (14) pelas Comissões de Assuntos Econômicos (CAE); de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR). Segundo observou o senador Francisco Dornelles (PP-RJ), a distorção na base de cálculo do FPE começou em 1994, quando a União criou impostos e contribuições não-compartilhados com estados e municípios. A composição do fundo se baseia apenas no recolhimento do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que, em 1985, representavam quase 75% da arrecadação tributária da União. Atualmente, apenas 45% da arrecadação tributária

federal é dividida com estados e municípios. De acordo com o secretário-adjunto de receita pública da Secretaria de Fazenda de Mato Grosso, Marcelo Souza de Cursi, 16% das receitas totais da União eram distribuídas com os demais entes federativos em 1988. Esse comprometimento se reduziu para 8,5% nos dias atuais. Arbitrário e anacrônico Conforme explicou o secretário de Fazenda do Paraná, Luiz Carlos Hauly, a repartição do FPE entre os estados é feita pelo seguinte modelo: 85% para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e 15% para as regiões Sul e Sudeste. Hauly ressaltou que esse formato seguiu critério estritamente político, classificado como “arbitrário e anacrônico” pela senadora Marta Suplicy (PT-SP). Enquanto o secretário não vê saída para a revisão do FPE sem a União suprir eventuais perdas financeiras dos estados, Marta Suplicy considerou mais racional a forma de partilha se basear no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) que na renda per capita. Já o secretário de Fazen-

Siga: @cantanhede_AP Email: cantanhede@jdia.com.br

Os economistas e a Rio+20 á vinte anos, quando da realização da Eco-92, a ciência econômica parecia ser um corpo estranho naquela conferência. A dimensão ambiental não fazia parte do espectro de análise da grande maioria dos economistas, tanto dos que se alinhavam nas correntes dominantes, quanto os das tendências insurgentes. Os economistas tradicionais (ortodoxos) consideravam a questão ambiental como impenetrável nos seus modelos de compreensão da realidade, no máximo admitiam os recursos naturais como um dos fatores de produção ao lado de capital e trabalho. Já para os economistas da esquerda (heterodoxos), a iniciativa não passava de uma nova forma de dominação pela qual a ONU seria um joguete das potências imperialistas interessadas em se apoderar de nossas riquezas naturais. Entretanto, ainda que de maneira tangencial, o meio ambiente já estava

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

da de Minas Gerais, Leonardo Mauricio Colombini Lima, avaliou como inadequada a aplicação do FPE para redução de desigualdades regionais. Se a correção desse tipo de desequilíbrio foi o argumento usado para justificar sua criação, o fato de os estados costumarem usar essa receita para bancar folha de pagamento e custeio da máquina pública – conforme assinalou o senador Wellington Dias (PT-PI) – indicaria desvirtuamento em sua aplicação. É para evitar desvios como esse que o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) sugeriu ampliar o debate sobre o FPE dentro da revisão do pacto federativo, para que ele envolva também o modo de aplicação desses recursos. - A discussão só sobre a receita não vai permitir encontrar um bom caminho se não discutirmos quem paga o quê, quem é responsável pelo quê e quem recebe quanto – opinou, observando que, se houvesse a federalização da educação básica, por exemplo, os estados ficariam aliviados de gastos imensos, liberando-se as verbas do Fundeb para a União.

Os frutos DOM PEDRO JOSÉ CONTI

U

Bispo de Macapá

m homem, que buscava a sabedoria, resolveu subir numa montanha onde, a cada dois anos, aparecia Deus. Durante o primeiro ano, alimentou-se com aquilo que o lugar lhe oferecia. Depois, tudo acabou e, não tendo mais nada para comer, teve que voltar para a cidade. – Deus foi injusto comigo – exclamou – será que Ele não viu que esperei todo esse tempo para ouvir a sua voz? Mas agora estou com fome e vou embora sem tê-lo escutado. Naquele momento apareceu um anjo que lhe disse: - Deus teria gostado muito de poder falar com você. Por isso o alimentou um ano inteiro. Esperava que você mesmo providenciasse os seus alimentos para o ano seguinte. Mas, o que você plantou durante o primeiro ano? Se um homem não sabe produzir nenhum fruto lá onde mora, como pode pensar em estar pronto para falar com Deus? Eis uma pequena história para ajudar, espero, na compreensão das duas parábolas sobre o reino de Deus que encontramos no evangelho deste domingo. A primeira nos lembra que os frutos da terra são também o resultado da própria natureza que cumpre as suas leis. De noite, quando o agricultor dorme, o trigo continua crescendo. A segunda parábola é aquela, bem conhecida, do grão de mostarda. Por ser tão pequeno, não inspira nenhuma confiança; acontece, porém, que, ao crescer, se torna a maior de todas as hortaliças, oferecendo sombra e abrigo aos pás-

saros. Podemos aproveitar de ambas as parábolas para entender melhor o jeito “novo” do reino de Deus, que Jesus veio anunciar e iniciar. O reino de Deus é, antes de tudo, um dom oferecido gratuitamente e não pode ser medido pelas aparências ou pelo tamanho delas. Exatamente o contrário das duas grandes tentações que sempre nos atraem. A primeira é a tentação da grandeza. Julgamos o valor e o resultado das coisas pelo tamanho das construções, pela riqueza acumulada, pelo número dos participantes. Claro que tudo isso nos empolga e nos faz sentir importantes. O sucesso sobe à cabeça de qualquer um; também porque junto com os invejosos sempre aparecem muitos bajuladores que nos enaltecem mais do que merecemos. Como sempre, é a tentação do orgulho que nos cega e ensurdece. Contra essa tentação, Jesus nos alerta a medir as coisas mais pela paciência que pelos resultados imediatamente visíveis. Os tempos do crescimento do reino não são os tempos que deveriam recompensar a nossa dedicação, como pensamos. Do outro lado, se o reino é “dom” de Deus, por que nos esforçarmos tanto? Esta é a segunda tentação: esperar que Deus faça a parte dele – e Ele a faz com certeza – sem nenhuma colaboração ou participação de nossa parte; só aguardando para ver se tudo vai ser tão bom como foi prometido. Nesse caso são a preguiça e a indiferença que tomam conta da nossa vida de cristãos.

Resumindo os dois extremos: temos cristãos que medem as “coisas” de Deus com as mesmas medidas das coisas humanas, isto é, com o sucesso, a fama, a grandeza. O reino cresce em outras dimensões: no amor, na paz e na justiça, por exemplo. Cresce, sobretudo, no coração dos que têm fé. Temos também cristãos que não ligam para nada, cobram e exigem de Deus sem nenhum compromisso pessoal e concreto. Gratuidade não significa absolutamente acomodação e inatividade. Em ambos os casos, a nossa participação deve ser ativa e confiante. É verdade que o trigo cresce também de noite, quando o agricultor repousa, contudo, cabe ao agricultor a colheita, para que o campo possa continuar a produzir mais frutos. Pensando bem, a humildade e a gratidão deveriam ser os primeiros “produtos” da colheita. Outros podem ser a partilha e a solidariedade, para não cair no pecado do rico tolo que só pensava em aproveitar das riquezas acumuladas (cf. Lc 12,16-21). Sempre teremos que agradecer e sempre teremos que trabalhar. Os frutos sempre serão, ao mesmo tempo, um dom de Deus e uma busca incansável de nossa parte. Não deve acontecer como ao homem que queria ouvir a Deus; aproveitou da fartura encontrada, mas esqueceu de plantar para o futuro. O reino de Deus sempre será dom e compromisso: nunca será só um presente para preguiçosos e acomodados. Menos ainda para os orgulhosos.


JD

Especial

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

A4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Assembleia Legislativa e Ministério Públic

Na guerra entre os Poderes, o Ministério Público diz que a Assembleia não pode destituir. Já o parlamento, baseado na p ANDREZA SANCHES Da Redação

F

iscalização sob fiscalização. Dois poderes constitucionalmente fortes e com as competências de investigação e fiscalização. Assembleia Legislativa e Ministério Público Estadual travam luta entre si para garantir idoneidade das instituições. Esta semana, uma representação formalizada pelo deputado Moisés Souza (PSC) e presidente da Assembleia Legislativa (AL), pediu a destituição de Ivana Franco Cei, do cargo de procuradora geral de Justiça, por abuso de poder e grave omissão de deveres com base na própria Lei Orgânica do Ministério Público. O deputado atribuiu o pedido ao fato de ter chegado ao conhecimento da Assembleia Legislativa, denúncias de possíveis falcatruas da atual procuradora geral envolvendo o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado pela Promotoria Pública, Procuradoria Geral do Estado e empresas mineradoras. Durante a semana passada, o Conselho Nacional de Procuradores Gerais esteve no Amapá prestando solidariedade à Ivana Cei, e considerou descabida a tentativa de destituição do cargo. Mas, afinal de contas, quem pode o quê nessa guerra de Poderes? Quem pode o quê O artigo 11 da Lei Complementar 0009, de dezembro de 1994, que institui a Lei Orgânica do

Ministério Público diz o seguinte na Subseção III que destalha a destituição do procurador-geral de Justiça: “A destituição do Procurador-Geral de Justiça terá cabimento em caso de abuso de poder, conduta incompatível ou grave omissão nos deveres do cargo. Já o artigo 12 diz: a destituição do Procurador-Geral de Justiça, por iniciativa da Assembléia Legislativa, por maioria absoluta de seus membros, será na forma de seu Regimento Interno. No artigo 13 diz: a proposta de destituição do Procurador-Geral de Justiça, por iniciativa da maioria absoluta do Colégio de Procuradores, formulada por escrito, dependerá da aprovação de dois terços de seus integrantes, mediante voto aberto, assegurada ampla defesa. § 1º - Recebida e protocolada a proposta pelo Secretário do Colégio de Procuradores, este, no prazo de 72 (setenta e duas) horas, dela cientificará, pessoalmente, o Procurador-Geral de Justiça, fazendo-lhe a entrega da 2ª via. § 2º - No prazo de 05 (cinco) dias, contados da ciência da proposta, o Procurador-Geral de Justiça poderá oferecer contestação e requerer a produção de provas. § 3º Autuada a contestação pelo Secretário do Colégio, será marcada, no prazo de 05 (cinco) dias, reunião para instrução e julgamento, facultando-se ao Procurador-Geral de Justiça, sustentação oral, finda a

qual, o Presidente da reunião procederá a coleta dos votos. § 4º - O processo será presidido pelo Procurador de Justiça mais antigo na segunda instância, servindo de Secretário aquele que exerça as funções perante o Colégio de procuradores. § 5º - A proposta de destituição, se aprovada, será encaminhada, juntamente com os autos respectivos, à Assembléia Legislativa no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, ou, se rejeitada, será arquivada. § 6º Aprovada a proposta de destituição pelo Colégio de Procuradores, o Procurador-Geral de Justiça será afastado provisoriamente do cargo, até ultimação do processo. No artigo 14 diz o seguinte: Aprovada a destituição, o Colégio de Procuradores de Justiça, diante da comunicação da Assembléia Legislativa do Estado do Amapá, declarará vago o cargo de Procurador-Geral de Justiça e cientificará imediatamente o Conselho Superior do Ministério Público. Nesse caso, apesar do trâmite seguir caminhos dentro do MP, quem dá a palavra final sobre o afastamento da procuradora-geral é a Assembleia Legislativa. É baseado na Lei Orgânica do MP que Moisés pediu a destituição de Ivana do cargo, baseado em inúmeras denúncias que diariamente desemborcam naquela Casa Legislativa. O deputado iniciou procedimento investigativo, em função de ser a Assembleia

Procuradora geral afirma que não tem nada a esconder e que a prestação de contas, com tudo o que foi gasto

Legislativa o órgão responsável pela fiscalização contábil, financeira, orçamen-

Conselho de Procuradores no Amapá em apoio à Ivana Cei: no final do evento não foi divulgado carta ou qualquer nota oficial sobre o assunto

tária e patrimonial do Ministério Público quanto a legalidade na aplicação de verbas públicas. O parlamentar ainda julgou como “patética” a Operação Eclesia, já que foi deflagrada apenas com um foco, segundo ele, agradar o Executivo estadual, uma vez que durante a arrecadação de documentos, foram levados processos referentes a duas CPI´s contra o atual governo, bem como a prestação de contas do senador João Alberto Capiberibe e a pasta de prestação de contas do ex deputado Camilo Capiberibe, relativa ao uso de verbas indenizatórias, cujo inquérito está em aberto no no Superior Tribunal de Justiça (STJ). “Depois de concluída a atabalhoada Operação beija-mão, passei a ser procurado insistentemente pela turma do deixa disso, verdadeiros emissários da procurador geral, sinalizando com trégua, desde que eu cessasse as investigações contra a atual procuradora geral de Justiça” declara o deputado. Em sequencia às denúncias, o deputado acusa a procuradora geral de Justiça de se negar a fornecer documentos e informações requisitadas, o que ele julga ser atitude de um esquema ilegal e criminoso instalado na Procuradoria Geral de Justiça. Sob suspeita também está a ilegalidade do teto ordenado para gastos com pessoal, inclusive mediante informações de que promotores e procuradores estariam recebendo valores superiores ao de um presidente do Supremo Tribunal Federal. Entre as acusações apresentadas pelo presidente da Assembleia Legislativa, constam ainda: Omissão de pagamento de auxilio moradia: Segundo o deputado, em 19 de agosto de 2011, foi requisitado da procuradora geral de Justiça, informações sobre percentual aplicado no pagamento de auxilio moradia, base calculo

e fundamento legal do mesmo, mas a titular não atendeu a solicitação. Vale lembrar que o pagamento do auxilio moradia, foi suspenso em diversos estados, inclusive no Amapá. Benefícios a servidores Procuradora Ivana Cei também é acusada de omitir informações sobre benefícios envolvendo servidores do MP. De acordo com o deputado, é inadmissível que em vigência da Lei da Transparência, o Ministério Público não divulgue a comunidade os gastos ordenados pela instituição Despesas médicas Segundo a representação, havia utilização de verba pública para financiar intervenções estéticas. Diversos procedimentos médicos reembolsados estavam cobertos pelo plano de saúde. Indenização licença-prêmio Esta acusação se dá com base em denuncia formulada na AL. O direito previsto em Lei, estava sendo utilizado erroneamente pelo Ministério Público. A licença-prêmio era concedida e em seguida interrompida sob alegação de interesse público e o beneficiário indenizado pela interrupção. Sendo o beneficio previsto em Lei, sua concessão atende critério de conveniência e oportunidade, portanto era necessário sindicar se havia ou não interesse público para interrupção da licença ou se isso simplesmente era utilizado como mera gratificação. Diárias A denúncia dá conta de que várias diárias eram concedidas sem interesse público, tais como participação em atividades desportivas em outros estados, congressos da categoria, encontros e diárias, inclusive aos sábados e domingos, quando as praticas oficiais deveriam encerrar na sexta-feira. O deputado


Especial

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

co: quem dá a palavra final?

própria lei do MP, diz que tem essa prerrogativa. Veja quem tem razão

A5

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Coluna

ESPLANADA

POR LEANDRO MAZZINI Jornalista

Twitter @leandromazzini

CASÓRIO NO CASTELO SAIU BARATO

A despeito das especulações sobre um casamento milionário do filho do vice-governador do DF, Tadeu Filippelli (PMDB), num belo castelo na Itália, a coluna contatou o Odescalchi de Bracciano e, acredite, descobriu que é mais barato casar lá do que em muitas casas de festas no Brasil. O aluguel de dois grandes ambientes, para 100 convidados, sai a 6,2 mil euros (R$ 15,9 mil), ainda com direito a serviçais, manobristas e visita guiada ao museu. Ano passado, um deputado gastou R$ 50 mil só de aluguel dos salões do Copacabana Palace para casar a filha. Semana que vem, um jornalista pagará R$ 20 mil por um salão em Brasília. Sem os serviços oferecidos pelo castelo.

Na pechinha..

A administração do Odescalchi informou que, para o castelo inteiro, o aluguel é 7,6 mil euros (R$ 19,6 mil). O buffet para 100 sai a 2 mil euros (R$ 5,1 mil). E preço pode cair.

Mapa do poder

Moisés Souza quer destituição de Ivana: Assembleia Legislativa foi quem deu o primeiro passo rumo as investigações

cobra ainda o relatório de cada viagem. Composição de bancas examinadoras Documento aponta irregularidades quanto a composição de bancas examinadoras dos últimos concursos do Ministério Público, revelando que candidatos aprovados possuíam vinculo de parentesco com membros da banca, e portanto houve favorecimentos na obtenção de notas, o que teria prejudicado demais candidatos. Tais informações também foram requisitadas pelo presidente da Assembleia Legislativa, mas não foram atendidas. “É de se notar que a procuradora geral de Justiça, além de obstar o trabalho fiscalizatório, se porta como se estivesse acima da lei ou do dever legal de tratar os poderes constituídos com o devido respeito. Isso é mais do que suficiente para o recebimento da presente representação” relata Moisés Souza. Omissão na entrega de relatórios Cópias de documentos referentes ao Termo de Ajustamento de Conduta entre as mineradoras e o uso do órgão para favorecer as empresas deveriam ter sido entregues, conforme solicitado pela Assembleia Legislativa, mas se-

gundo o deputado, a procuradora se limitou a asseverar que o Ministério Público Federal também acompanha o cumprimento de um TAC, configurando se esquivar do assunto. De acordo com a representação, a procuradora estaria utilizando o Ministério Público e o cargo para suas favorecer suas negociatas, intermediando contratos milionários a empresa de seu esposo. Confirmando a situação de que as empresas mineradoras não estavam sendo fiscalizadas de fato pelo MPE, mediante infrações ambientais. A procuradora é acusada ainda de omitir a entrega de documentos de contas do MP nos anos de 2006 a 2011, como notas de empenho, liquidação, pagamentos, recibos, notas fiscais, folhas de pagamento e guias de contribuições previdenciárias. A exemplo de no dia 24 de novembro de 2011 a ALEAP ter requisitado cópia dos documentos da prestação do período acima citado, após relatório da Comissão Permanente de Orçamento e Finanças da ALEAP, identificando improbidades contábeis e indícios de irregularidades. Somente quatro meses depois, a procuradora apresentou resposta, mencionando que as contas relativas aos exercícios de 2006 e 2010, encontravam-se em dia e a disposi-

ção do setor de Controle Interno do MPE. Outro objeto de representação, foi o abuso de conduta incompatível com aos deveres do cargo de procuradora, atestando irregularidades nas licitações e balanços. Gastos com pessoal O documento contra a procuradora geral de Justiça revela disparidades no que se refere aos demonstrativos contábeis, com base em um comparativo entre as despesas autorizadas e realizadas, apresentando 2,44% de gastos com despesas com pessoal, sendo o limite permitido de apenas 2%, de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Lei de Diretrizes Orçamentárias do ano de 2011. O levantamento aponta gastos com pessoal e encargos sociais no montante de R$ 70.166.480, 46. Como a Receita Corrente Liquida de acordo com informações do Poder Executivo atingiu o valor de R$ 2.872.633.898,51, atingindo os 2,44%. Despesas com insumos De acordo com o documento apresentado pelo deputado Moises Souza, o registro do estoque do almoxarifado central apresenta muitos problemas, ele sugere inclusive o aperfeiçoamento do setor administrativo responsável

pelo serviço. O superfaturamento é o principal eixo de investigação. Segundo a representação, o valor contabilizado como despesa de material de consumo é superior aos registros de entrada do almoxarifado, levando a crer que muitos materiais comprados não dão entrada nem saída no estoque. O parlamentar destaca as diferenças quantitativas, ou seja, muitos produtos são adquiridos em quantidades maiores que as necessidades médias de consumo, resultando em estoques elevados a exemplo de produtos como óleo diesel, gasolina, água mineral, pneus e café. Por outro lado, existem quantitativos insignificantes, como é o caso de rolos de papeis higiênicos, quando se registrou a compra de apenas 30 rolos para utilização em 12 meses. Sobre o saldo de conta almoxarifado com materiais de consumo, a Comissão Especial designada para as apurações apurou o valor de R$ 746.478, 03. Já o relatório de levantamento de estoque, feito pela mesma comissão registrou termo de conferencia valores diferentes, o de R$ 744.826,24. Por outro lado, o inventário físico contábil responsável pelo registro de entrada e saída de mercadorias no Almoxarifado apresentou outro valor, R$ 689,337,51.

Procuradora geral não se intimida Com o apoio do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais dos Estados e da União (CNPG) e entidades de classe, a procuradora geral de Justiça, Ivana Cei rebateu as acusações e assegurou que não se esquivará às provocações de processo advindas da Assembleia Legislativa. Segundo ela, desde que o Ministério Público iniciou as investigações deflagrando a Operação Eclésia, dezenas de ataques foram feitos a instituição, mesmo diante as acusações, não abrirá mão de continuar investigando o desvio de dinheiro público, no combate a corrupção no Estado. “Não somos leviamos, atuamos com base em provas robustas. Vale lembrar que já existem duas ações criminais contra o deputado Moisés Souza, uma por licitação irregular e outra por não atendimento de decisão judicial. Além de ações de improbidade por aluguel de imóvel e a outra por superfaturamento na

contratação de empresa para digitalização de documentos da Assembleia” reiterou a procuradora gera de Justiça. Superfaturamento De acordo com a procuradora-geral, a Assembleia Legislativa não notificou o Ministério Público sobre os valores supostamente irregulares de insumos como açúcar e café, produtos citados na representação de Moises Souza, sob a suspeita de superfaturamento na aquisição dos mesmos. “Mesmo sendo da administração do meu antecessor, eu faço questão de explicar porque está tudo dentro dos valores de mercado. Nós temos 38 prédios, que temos que manter e atender a população externa. Não existe nada superfaturado”, frisou Ivana Cei, ao distribuir nota de esclarecimento, referente aos valores questionário durante coletiva à imprensa ocorrida esta semana. Ivana Cei ainda explicou

que a licitação é tão regular, que a própria Assembleia Legislativa adere a licitação de regime de preços e que portanto admitem a regularidade. Em seguida fez questão de apresentar a investigação de 2010 da AL com apenas sete páginas e de 2011 contendo 53 páginas. Quanto as denúncias sobre irregularidades do TAC feito em 2007 possivelmente favoráveis a mineradoras. A procuradora geral, que na época era titular da Promotoria de Meio Ambiente relutou em explicar que o Termo de Ajustamento de Conduta, firmado em 2007, foi analisado pelo Conselho Nacional do Ministério Público, que não constatou qualquer irregularidade. Favorecimento As suspeitas de favorecimento surgiram quando o juiz João Bosco acusou a procuradora de manter relação a Anglo American, multinacional que atua do

setor de mineração e que assumiu os negócios da MMX, de Eike Batista, colocando em dúvida um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), firmado pelo MP em 2007, que assegurou à MMX licença ambiental para operar no estado sob a condição de repassar R$ 6 milhões para reduzir impactos ambientais. O marido da procuradora presta serviços à multinacional, e seu cunhado é especialista em relações institucionais da Anglo. Operação Eclésia Mesmo diante do embate entre as instituições, procuradora Ivana Cei garante continuará apurando atos de improbidade administrativa na gestão da Assembleia Legislativa do Amapá, investigação de documentos como notas fiscais e folha de pagamento de funcionários, que já haviam sido requisitados pelo Ministério Público, mas não houve o atendimento por parte da AL.

O casório, no dia 7, reuniu 70 pessoas em Ladispoli, a 40 km de Roma e de frente para o mar. No mesmo castelo casaram-se Tom Cruise e Katie Holmes, entre outros astros.

E na econômica

O único problema é que muitos convidados ficam para trás, no caso de o leitor optar pelo castelo. Por pessoa, passagem e hospedagem não saem por menos de R$ 10 mil.

Dilma é cinza-caju

Aconteceu mês passado, e uma testemunha contou para a coluna ontem. Dilma Rousseff chegou ao Hospital Into com ministros e mandou na lata para o prefeito do Rio, Eduardo Paes: ‘Você está pintando o cabelo!’. Na negativa dele, ela cravou: ‘Está sim, e é igual ao que uso, cinza-caju’. Paes amarelou, e se calou.

Em baixa A petista Ana Júlia Carepa, ex-governadora do Pará, anda com a bola murcha. Nem é citada para tentar a prefeitura de Belém. O candidato escolhido pela cúpula nacional é o vereador Alfredo Costa. Na foice Vai ser uma guerra de foice. O governo Dilma prometeu emprestar R$ 20 bilhões aos estados a juro baixo, mas não definiu critérios e fatias. Os governadores saíram desorientados. E ainda famintos. On the road Mitt Romney, futuro rival republicano de Barack Obama nos EUA, iniciou uma viagem de ônibus pelo nordeste do país. Lula fez isso aqui em 2002. Tucano & arara Anda ecológico o deputado tucano Vanderlei Macris (SP). Na sua caminhada matinal em Brasília esta semana ficou todo bobo ao ver casal de Araras cantando em uma árvore. Trilho no forno Esquenta na gaveta do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a concessão para a iniciativa privada do monotrilho em construção para a Copa. A privatização da administração penitenciária não está descartada. Amém Foram tantos os padres que pediram à arquidiocese de Na-

tal para disputar prefeituras que o arcebispo, dom Jaime Vieira Rocha, divulgou nota os proibindo de se lançarem candidatos. E de futuramente se filiarem a partidos. Vai dar ciumeira O governo do Amazonas arrancou da presidente Dilma a liberação de R$ 20 milhões, em emenda da bancada parlamentar, para obras no Centro de Treinamento do Colina, um clube particular de suporte para a Copa. O ministro Aldo Rebelo intermediou. Pescando Para quem acredita que o Ministério da Pesca é relegado a segundo plano, pelo menos pelo Legislativo não é. O ministro Marcelo Crivella já recebeu mais de uma centena de parlamentares desde que assumiu, há dois meses. Despedida Revelação do primo Carlos Murilo. Na véspera de sua morte em 1976, JK passou incólume por Brasília a passeio, para matar a saudade da capital que ergueu. É farra, é festa As próximas duas semanas serão de Congresso Nacional vazio. A turma do paletó se dividirá entre a Rio+20 e as festas juninas de campina grande e caruaru. Ponto Final Tudo com o meu, o seu, o nosso dinheiro.

www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br


JD

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

A6

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Primeiro teste da tecnologia 4G no país ocorrerá durante o evento Rio+20

Apesar do sistema estar pronto para operar na Rio+20, apenas os membros das delegações estrangeiras usarão a novidade

O

primeiro teste para a tecnologia 4G será feito já durante o evento Rio+20. Na última sexta-feira o Ministério das Comunicações anunciou que fez uma parceria com a Vivo para colocar o sistema em funcionamento, ainda como um primeiro teste, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável. A negociação foi divulgada apenas um dia após o término do leilão 4G. De acordo com a companhia, a velocidade de conexão da internet no local do evento deve ser 10 vezes mais rápida que a conseguida pelos atuais modens 3G. Apesar do sistema estar pronto para operar na Rio+20, apenas os membros das delegações estrangeiras farão uso da novidade.

De acordo com a Vivo, serão disponibilizados 400 modems, justamente para esses participantes da conferência. Os aparelhos serão distribuídos na próxima segunda-feira. Antenas De acordo com a empresa, o sinal será emitido dos laboratórios da operadora, na Barra da Tijuca, e conta com a instalação de 30 novas antenas na cidade, que só poderão funcionar temporariamente por decisão da prefeitura do Rio. O problema das legislações estaduais e municipais, que impedem a colocação desse tipo de equipamento, continua sendo um entrave para as operadoras. “Para o funcionamento permanente, precisaremos também de decisões definitivas”, disse Antonio Carlos Valente, presidente

Leilão Sobre o leilão da tecnologia 4G, Paulo Bernardo disse ter ficado “contente” com o resultado e ressaltou que não houve grandes surpresas quanto a arrecadação. “Demos um passo fundamental para implantar tecnologia no Brasil. Havia dúvidas se leilão seria bem sucedido, se o momento era bom e nós apostamos e acertamos”,

Luz emitida pelo computador pode ser inimiga da pele

A

ssim como a luz solar emite raios ultravioletas (UVA e UVB) e causa alterações no DNA da pele, oferecendo riscos à saúde, a luz do computador também é capaz de danificar a cútis, pois apresenta quantidades mínimas de radiação ultravioleta e eletromagnética. Estudos recentes comprovam que a luz visível, gerada pelo monitor de computadores e televisores, pode provocar manchas no corpo e o envelhecimento da pele. “Em última instância, essa exposição chegaria até a desencadear o aparecimento de câncer de pele do tipo sensível à luz”, alerta Valcinir Bedin, dermatologista e diretor do Centro Integrado de Prevenção do Enve-

lhecimento (CIPE). Isto acontece porque a luz visível é capaz de produzir radicais livres, que provocam alterações nas células, principalmente, nos melanócitos (células da pigmentação) e nos fibroblastos (produtores de colágeno). De acordo com João Paulo Junqueira Magalhães Afonso, dermatologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, pesquisas atuais têm demonstrado que a luz visível influencia no envelhecimento cutâneo muito mais do que se imaginava até então. “Hoje sabemos que não somente os monitores de computadores, como também outros equipamentos que emitam luz podem ter im-

DIVULGAÇÃO

da Vivo, ao se referir as mais de 200 leis locais, em todo país, que restringem a colocação de antenas. O ministro Paulo Bernardo destacou que um projeto de lei está sendo elaborado para dar uma solução ao impasse. “Nosso objetivo é antecipar ainda mais nossas previsões e terminar o texto ainda em julho, para submeter ao Congresso”, afirmou.

pacto na saúde da pele”, afirma Afonso. Como se prevenir? Embora a exposição à luz do monitor apresente menor intensidade na emissão de raios ultravioletas que a da luz solar, é indicado adotar alguns cuidados a fim de evitar o surgimento de manchas, rugas ou até mesmo câncer de pele. “A quantidade de radiação ultravioleta e eletromagnética emitida por esses aparelhos é insuficiente para causar danos à saúde, desde que respeitada a distância recomendada do usuário em relação ao equipamento, que gira em torno de, no mínimo, 50 centímetros”, ressalta o dermatologista.

Ministro Paulo Bernardo destacou a tecnologia: “apostamos e acertamos que o momento era bom”

Valor arrecadado em 4G foi “expressivo”, diz ministro

E

mbora o governo esperasse um reforço de caixa de R$ 3,8 bilhões com o leilão de 4G, realizado semana passada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, avaliou que o valor arrecadado, de R$ 2,9 bilhões, foi um resultado expressivo diante da crise financeira que afeta diversos países. “Temos de lembrar que estamos no meio de uma crise mundial e uma empresa de capital espanhol, a Vivo, do Grupo Telefonica, pagou R$ 1,05 bilhão por uma faixa nacional de 4G. Isso é um sinal de como a economia brasileira tem sido vista”, disse Bernardo

após participar do programa de rádio Bom Dia Ministro, na sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). O ministro contou que já conversou com o secretário do Tesouro, Arno Augustin, que teria ficado satisfeito com o resultado do leilão. “Ainda não falei com o ministro Guido Mantega, mas a Fazenda não está olhando só a arrecadação, mas também os sinais positivos emitidos pelo processo”, disse. Na avaliação de Bernardo, o resultado do leilão demonstra “o nosso bom ambiente regulatório, nossa segurança jurídica e nosso mercado interno em expansão”. “Teremos até cinco con-

correntes no 4G nas principais cidades do Brasil. Em poucos países verificamos uma competição assim”. Além de Claro, Vivo, TIM e Oi que compraram frequências nacionais, a Sky e a Sunrise adquiriram blocos de menor abrangência. O ministro admitiu ainda a possibilidade de que as “sobras” de 4G de lotes regionais que não tiveram propostas no leilão desta semana possam ter seus preços mínimos reduzidos para se tornarem atrativas a companhias de menor porte, em uma futura relicitação. “Temos como negociar isso com o Tribunal de Contas de União, mas essa solução pode sair em seis ou oito meses”.

OAB quer fiscalização da sociedade civil na hidrelétrica de Belo Monte

A

maior participação da sociedade civil brasileira na fiscalização e monitoramento da obra da Hidrelétrica de Belo Monte, inclusive com assento de suas entidades representativas nos órgãos de planejamento do setor elétrico e na fiscalização das condicionantes para implantação da usina. Esta a principal reivindicação do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em documento que encami-

nhará ao governo federal conforme aprovado na última sessão plenária, conduzida por seu presidente, Ophir Cavalcante, com a presença dos 81 conselheiros. Por proposta no voto do relator da matéria aprovada no Pleno da OAB, conselheiro federal Orestes Muniz Filho (RO), o documento ao governo federal cobrará o “a necessidade de democratizar o setor elétrico, com efetivação de espaços de debates e di-

álogos entre governo e sociedade na tomada de decisões, facilitando a participação de organizações da sociedade civil e da comunidade acadêmica”. Um passo nesse sentido, segundo o voto deve ser a nomeação de representantes da sociedade civil e da universidade brasileira no Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). Em reforço ao maior diálogo com a sociedade civil, a OAB proporá também a alteração na composição do grupo interinstitucional de fiscalização das condicionantes para o licenciamento da construção da hidrelétrica, incluindo um representante da entidade no colegiado. Como porta-voz da sociedade civil, ela manifesta preocupação com os conflitos sociambientais e de violação de direitos humanos que já estão sendo registrados na área, e requer, inclusive, imediata implantação da Defensoria Pública em Altamira (PA), que sediará a hidrelétrica, no rio Xingu. Antes da decisão na sessão plenária desta terça-feira, o Conselho Federal da OAB promoveu em abril audiência

DIVULGAÇÃO

OAB quer fiscalização da sociedade civil na hidrelétrica de Belo Monte

pública sobre a obra de Belo Monte, com participação de especialistas do governo e sociedade civil, debatendo os im-

pactos da construção da usina. Ophir Cavalcante lembra que o resultado da audiência tem subsidiado o posicionamento

emitido pela OAB na cobrança de medidas para combater os impactos socioambientais decorrentes da obra.


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

A7


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

A8


CadernoB

DiaDia Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Rodoviários anunciam greve para terça Decisão foi tomada após aguardar contrapropostas do Sindicato Patronal, que até agora, nada resolveu ANDERSON CALANDRINI

Da Redação

E

sta programada para essa terça-feira (19) o início da greve dos rodoviários (Sincottrap), que após aguardar contrapropostas do Sindicato Patronal, representante dos empresários, resolveu cruzar os braços. Segundo Carlos Clay, presidente do Sincottrap, a resposta dos empresários deveria ter sido exposta até o dia 15 desse mês. “No dia 29 de maio nós instalamos o estado de greve, momento em que o sindicato dos patrões pediu 15 dias para recolher as vindicações da classe e fazer uma contraproposta, fato que ocorreu na semana passado, porém as respostas dos empresários ocorreram de forma autoritária, pois eles apresentaram a proposta e afirmaram que era isso ou nada, e que se o sindi-

cato não estivesse satisfeito poderia entrar em greve” explicou. Clay contou que mesmo com o sindicato rediscutindo o assunto, reavaliando as reivindicações e modificou suas propostas, os empresários nem a receberam não restando outra alternativa a não ser a greve. Entenda No dia 18 de maio a categoria fez assembleia para discutir as modificações que os empresários anunciaram, momento em que foi repassado a categoria que o direito ao vale alimentação só iria acontecer, após a prestação de 7h de serviço, que diminuiria o valor da cesta básica recebida pelos rodoviários e modificava a forma de pagamento, pois não seria mais entregue o dinheiro e sim os alimentos. Por fim, concederia um reajuste de 8,6% aos

trabalhadores. “Na ocasião montamos a nossa contraproposta que pedia um aumento de 15%, R$ 330,00 reais de cestas básicas, direito a vale alimentação após 6h de serviços prestados e a implantação de um plano de saúde à categoria. Após isso, os empresários pediram 15 dias para avaliar a proposta, porém essa nem foi levada em conta, e a situação continuou na mesma” acrescentou Carlos Clay. Ele ressaltou que a última proposta dos empresários, relacionada à cesta básica, abre precedentes para que o direito da categoria seja alterado. “Isso ocorre porque se começarmos a receber o alimento em vez do vale em dinheiro, perderemos o poder de escolha da nossa alimentação, e também abre precedentes para o superfaturamento dos alimentos, ou seja, não tere-

HEVERTON MENDES

Segundo Carlos Clay, presidente do Sincottrap, a resposta dos empresários deveriam ter dadas até o dia 15 desse mês

mos controle sobre esses gastos”, concluiu. Interesse O presidente ainda informou que a greve atualmente é de interesse para dos empresários, pois

dessa forma eles terão como pedir através de ordens judiciais a paralisação do processo licitatório que está acontecendo na Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (Ctmac) para a contrata-

ção de empresas que atuem com o transporte coletivo. Atualmente os rodoviários pedem R$ 200,00 de cesta básica, direito a vale refeição após 7h de serviço e o reajuste de 8,6%.

Saúde do homem é tema da campanha na Veiga Cabral FOTOS HEVERTON MENDES

Ideia foi oferecer uma série de serviços na área de saúde para conscientizar os homens da importância da prevenção das doenças masculinas, rompendo com barreiras ideológicas que os impedem de procurar o médico

ANDERSON CALANDRINI Da Redação

N

a manhã do último sábado (16) a Sociedade Brasileira de Urologistas em parceria com a Unimed Macapá e a Secretária Estadual de Saúde (SESA) realizou na Praça Veiga Cabral uma ação voltada para os homens com o objetivo de sensibilizar a população masculina sobre a importância da prevenção e cuidados com a saúde.

Segundo Dr. Alberto Souza, representante da Sociedade Brasileira de Urologia e coordenador do evento, essas ações são de fundamental importância para fazer com que o homem cuide mais da sua saúde. “A ação faz parte do mês do homem (junho), que desde 2009 acontece em todo Brasil e está baseado nos altos índices de câncer na próstata que poderia ser evitado caso a população masculina

Entre um gole e outro TULIO PANTOJA

Sociólogo tuliopantoja@hotmail.com Guerra declarada Com a crise que se instalou no Ministério Público do Estado, a procuradora Ivana Cei prometeu continuar com rigor no seu trabalho não se calando diante das grande pressão importa ao seu cargo. A briga agora é interna! Será que vem? Até agora ninguém sabe, ninguém viu os candidatos a majoritária para disputarem à cadeira da Prefeitura Municipal de Macapá, em pleitos anteriores a população já sabia quem era quem, e as convenções eram pura formalidade, sem apresentarem nenhuma surpresa para a população. Enquanto os poderes se alfinetam, algumas lideranças, que não tem nada haver com isso ficam na moita, só obser-

vando o desenrolar dos acontecimentos. Exemplo disso é Lucas Barreto que teve uma votação expressiva no pleito passada em Macapá e até agora só espia de longe. Exonerado Diretor, Eudo Banhos, da escola estadual Alexandre Vaz Tavares uma das instituições mais tradicionais do estado, foi exonerado de suas funções na noite de sexta-feira, o gestor foi acusado de ser muito democrático com os professores que optaram em está de greve. A Secretaria de Educação queria que o mesmo fosse mais enérgico com a relação com os grevistas e resolveu “limar” o educador, que de acordo com os professores e alunos, o mesmo desempenhava um excelente trabalho a

perdesse o preconceito e visita mais um médico para cuidar da sua saúde” explicou Dr. Alberto. O coordenador ressaltou que a ideia é oferecer uma série de serviços na área de saúde para conscientizar os homens da importância da prevenção das doenças masculinas; romper com barreiras ideológicas que impedem os homens de procurar o médico; oferecer à comunidade masculina palestras de escla-

recimento em relação à sua saúde e promover a interação entre a comunidade. Assistência Em 2009 o governo federal lançou a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNSH) com a finalidade de facilitar e ampliar o acesso da população masculina aos serviços de saúde visando reduzir em escala significativa a incidência de

frente da escola.

Adalberto Carvalho...

Voltando no tempo Lembro quando comecei minha vida acadêmica na Universidade Federal do Amapá, tempos difíceis sem ar condicionado e um calor infernal. Mas uma coisa me chamou a atenção desde o primeiro dia de aula, um cartaz em cima do quadro, que não era de boas vindas, estava escrito: Os bons sociólogos tornam-se professores e ou pesquisadores, os maus sociólogos tornam-se presidente da república.

Centro histórico de Manaus O ministro Luiz Fux, relator da Ação Cível Originária movida pelo Estado do Amazonas contra a União e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan) para impedir a homologação do processo de tombamento do centro histórico de Manaus (AM), decidiu realizar uma audiência de conciliação entre as partes em seu gabinete no STF. A ação envolve relevante conflito entre entes da Federação relacionado à tutela do patrimônio cultural assegurada por meio do instituto constitucional do tombamento. O estado do Amazonas alega que o processo administrativo de tombamento não pode ser homologado em decorrência de supostos vícios em sua tramitação.

Alusão A alusão do cartaz na sala de aula era para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que é sociólogo, quando indagado que as suas atitudes eram contrarias as suas idéias publicadas em livros de leitura obrigatória nos cursos de sociologia nas diversas faculdades espalhadas pelo Brasil e até mesmo no restante do mundo, o mesmo foi categórico em disser: esqueçam tudo que eu escrevi! Com a palavra o professor

No escuro Todas as vezes que chove é sempre a mesma história diversos pontos da cidade ficam sem energia elétrica, isso ocorre por vários motivos, mas em maior inci-

óbitos entre os homens, pois considera que o percentual de mortes masculinas é acarretado pela ausência de prevenção de doenças como: câncer de próstata, hepatite e doenças cardiovasculares. Especialistas em saúde masculina estão otimistas com a iniciativa. Para Dr. Alberto Souza, representante da Sociedade Brasileira de Urologia, “essa é uma bandeira que levantamos há tem-

dência por causa da falta de podagem dos vegetais onde os seus galhos encontram-se entrelaçados nos fios da rede elétrica e com os fortes ventos acabam por causarem curto circuito. Ontem moradores do bairro do pacoval ficaram sem o fornecimento de 00 hora até as cinco da manhã. Haja paciência! Decepção Lutadores amapaenses decepcionaram o ótimo público que prestigiou e lotou as arquibancadas Jungle Fight 40, realizada no ginásio de desportes Avertino Ramos, na luta principal o peruano Diego Akita acabou se tornando um vilão, naquele que foi o primeiro evento esportivo a ter transmissão ao vivo de TV no estado. Os juízes apontaram a vitória de Akita sobre o atleta da casa, o macapaense Adson ‘’Preguiça’’. O confronto pertencente à categoria pena, até 66 kg. O perigo das Pipas Chamadas de pipas, rabiolas, papagaio, curica, o certo é que a brincadeira faz a alegria da garotada,

pos. Não havia qualquer iniciativa do gênero”. “Esperam que, com essa campanha do Ministério da Saúde, os homens passem a encarar consultas e exames preventivos como algo natural e corriqueiro, pois assim diminuiria, e muito, futuros problemas de saúde” concluiu o Urologista. As ações acontecerão até o final do mês em todas as unidades estaduais de saúde, com exceção da maternidade.

mas tem ser “soltas” em lugares apropriados, pois o risco de morte que correm os caçadores atravessando as vias sem a atenção devida pode ocasionar acidentes, além do perigo que as linhas com cerrol (cola misturada com vidro pilado) trazem principalmente para os condutores de motocicletas. Todo cuidado é pouco, ninguém quer ter a garganta cortada! Enem 2012 Número de inscrições para processo do Exame Nacional do Ensino Médio registra pouco interesse dos estudantes amapaense, a baixa procura pode estar relacionada com a greve que a educação estadual vem passando com quase 50 dias sem aulas. A verdade mesmo é que os estudantes estão perdendo uma das chances de ingressar no ensino superior. De quem é a culpa? Ninguém assume, mais quem esta sendo penalizado... Por hoje é o que há. Até sábado!


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 03 e 04 de junho de 2012

B2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Governo lança Proamapá como arma

Lançamento do programa acontece nesta segunda-feira, a partir das 9 horas, no Teatro das Bacabeiras. Serão investidos mais FOTOS HEVERTON MENDES

Marcelo Roza, diretor executivo do Jornal do Dia, e Janderson Cantanhede, editor-chefe do JD, durante entrevista exclusiva com o governador Camilo Capiberibe, que falou sobre os investimentos do Proamapá

Da Redação

À

s 10 horas da manhã de ontem (sábado), o governador Camilo Capiberibe (PSB) recebeu na residência governamental a equipe do Jornal do Dia para detalhar o Proamapá que será lançado na próxima segunda-feira, no Palácio do Setentrião. O lançamento é a estratégia adotada pelo governo estadual para fazer frente à crise econômica que começa a apresentar consequências no Brasil. A respeito desse assunto, a presidenta Dilma Rousseff reuniu na última sexta-feira, com os governadores, para anunciar o programa Pró-Investe no valor de R$ 20 bilhões. Camilo disse que ao todo são 93 grandes obras, sendo que uma parte já em andamento, como a construção da rodovia Norte-Sul, o Hospital do Oiapoque, o Centro Odontológico e a Casa do Agricultor, entre outras. Ele ainda falou sobre o poder de execução que o Estado dispõe frente às obras e disse não temer o endividamento quando os recursos são bem aplicados. “O retorno do desenvolvimento é muito maior”, comentou Camilo. Confira a entrevista: JD - Como o senhor define o Proamapá e como ele se encaixa dentro do seu plano de governo? Camilo Capiberibe - O Proamapá é um programa de obras e ações para alavancar o desenvolvimento econômico. O Brasil está entrando em uma crise, a gente sabe disso desde o ano passado e para combater esta crise é preciso ter ações claras voltadas para o desenvolvimento econômico. Então a gente acredita que com obras não só promoveremos o desenvolvimento, mas também combateremos a crise. E isso se encaixa no nosso programa de governo. Por exemplo, um dos nossos maiores compromissos é garantir um atendimento decente na saúde, mas nossa infraestrutura é precária. Há dez anos não se inaugura uma obra hospitalar. Por exemplo, o PAI que vive hoje uma crise de superlotação foi inaugurado em 2011 e de lá pra cá não teve mais investimento. O que tinha no nosso programa de governo? Ampliar a estrutura hospitalar. Nós temos obras no Hospital de Santana, que está dentro do Proamapá, com ampliação de 110 leitos agora e

mais a reforma de toda a parte administrativa e ampliação para levar serviços de alta complexidade para este hospital. Então a Pediatria e o Pai são R$ 17 milhões, que vai mais do que dobrar a capacidade de atendimento. JD - Já está em execução? Camilo Capiberibe - Não, ainda vai ser licitado. O que fizemos no PAI foi abrir 31 leitos emergências e climatizamos, tentando pelo menos amenizar o sofrimento porque a situação ali é muito dura. Mas para ter uma mudança concreta é preciso ter um investimento real e efetivo e é no Proamapá que vai acontecer. Esse programa vai atender também Santana e Laranjal do Jari onde nós vamos dobrar o atendimento. Além disso vamos construir uma casa de parto normal na Zona Norte. JD – De onde virão esses recursos? Camilo Capiberibe - Para as obras de infraestrutura estamos alocando recursos do BNDES e os equipamentos estamos construindo uma relação com o Governo Federal para poder pegar emen-

das parlamentares. Temos R$ 10 milhões para ser liberado que vai nos permitir inaugurar um hospital em Oiapoque, uma ala nova no hospital de Santana e o Hospital de Laranjal do Jari. JD - Todas as obras do Estado estão contempladas dentro do recurso? Camilo Capiberibe - Não estão todas porque a gente não tem recurso para fazer todas, mas apenas uma parte importante delas. Por exemplo, para a rodovia Norte-Sul são R$ 40 milhões e AP-70 os custos estão no Proamapá. Já está licitado neste plano rodoviário os ramais de Amapá, Pracuuba e AP- 70 até Cutias do Araguari. Na medida que o recurso for entrando, vamos iniciando. JD - A BR-156 também será contemplada? Camilo Capiberibe - Não. A BR156 é uma obra federal. Então a gente não colocou no Proamapá porque o recurso não é nosso. Agora é uma obra em parceria onde o governo do Estado executa com o governo federal. Por exemplo, os três trechos da BR-156, en-

tão em andamento agora. Inclusive eu falei com o Ministério do Planejamento semana passada quanto as obras do trecho sul para acelerarmos o processo. No Proamapá são apenas obras e ações feitas com recursos do Estado ou com contrapartida do Estado, como por exemplo, o Minha Casa Minha Vida. JD - Quando será lançado? Camilo Capiberibe - O lançamento vai ser feito nesta segunda-feira (25). Para começar vamos anunciar, também, 2.148 habitações. Toda a parte de infraestrutura quem vai fazer é o Estado. Todo recurso para a construção das casas é do governo federal é todo recurso para a construção da infraestrutura é do governo do Estado. Então não vai ser só uma obra do governo federal porque se não tivesse o recurso da contrapartida a obra não sairia. A gente já separou esses recursos, já está depositado na conta e agora só falta lançar. Na verdade fizemos o chamamento público para 4.500 casas, mas só tinha 2.148 liberadas para o Amapá. O governo federal já liberou mais 2.200, que a gente já vai assi-

Governador Camilo Capiberibe: Estado tem poder de execução e agora está acessando os recursos do BNDES

nar o contrato. Além destas obras, temos também vários outros projetos, como por exemplo, o campus da Universidade Estadual que é uma obra de R$ 40 milhões. Para saneamento é a mesma coisa. JD - E a fábrica de projetos que o senhor mencionou em campanha, já está funcionando? Camilo Capiberibe - Fizemos uma divisão. Antigamente, todos os projetos eram feitos na ADAP que funcionava na prática como uma fábrica de projetos porque fazia os projetos, licitava e acompanhava as obras do PAC. Mas a gente devolveu os projetos para as secretarias de origem. Para a Caesa devolvemos tudo o que era referente a saneamento, para a Seinf, tudo o que era referente à habitação e concentramos todos os demais projetos referentes às emendas parlamentares dentro da ADAP. Nós não perdemos mais nenhum recurso do ano passado para cá por falta de projetos, aliás, nos temos projetos e não temos recursos para executar uma parte importante deles. JD - Qual o poder de execução de obras hoje do Amapá? Camilo Capiberibe - De novembro do ano passado até agora já executamos mais de R$ 50 milhões do BNDES. Ano passado conseguimos tocar as obras, mesmo com restrição financeira. Por exemplo, conseguimos inaugurar obras que estão se arrastavam há anos. A Cidade do Samba é um exemplo. Estava 50% pronta se arrastando há três anos e em 8 meses nós inauguramos. Na Tancredo Neves aconteceu a mesma coisa. O caso do Hospital de Santana é mais grave porque começou em 2003, parou em 2004, houve uma tentativa de retomada em 2010 e nós de lá pra cá investimos R$ 4 milhões e agora ele está muito perto de ser inaugurado. A Rodovia Norte-Sul também foi muita


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 03 e 04 de junho de 2012

B3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

a para enfrentar crise financeira

s de R$ 450 bilhões em ações de infraestrutura para Macapá e outros municípios rápida e tranquila. Vamos licitar o terceiro trecho que falta, sem muitos problemas. JD - Arrisca uma data para a entrega da rodovia Norte-Sul? Camilo Capiberibe - Eu não gosto de ariscar porque com o Zerão eu arisquei e não deu certo. Tenho que reconhecer. Provavelmente entregaremos a Rodovia no segundo semestre de 2013. Mas como se trata da maior obra de mobilidade urbana já feita em Macapá, eu diria que com a nossa capacidade de andamento, no segundo semestre de 2013 até o primeiro semestre de 2014, que é para não ter nenhum acidente de percurso. Quanto ao Estádio Zerão, a gente tinha planejado fazer até dezembro do ano passado, depois até fim de julho. Como a pista é importada, tem problema de alfândega, isso cria um atraso e o Zerão não vai poder ser entregue agora em julho, não vai ter como a gente fazer o último jogo do Amapazão lá, que era o nosso desejo. JD: Na estrada de Fazendinha já existe certa preocupação com a quantidade de empreendimentos, inclusive com problemas de mobilidade urbana naquela região. O Governo já pensa em algo para resolver essa situação? Camilo Capiberibe - Para a área do Amapá Garden Shopping o Setrap já está dialogando, porque realmente ali vai acontecer um impacto gigantesco de trânsito e circulação de pessoas. Existe um projeto especifico para resolver este problema de maneira emergencial, porque parece que o shopping inaugura até o fim deste ano. Agora é claro para todos nós que a Rodovia JK vai ter que ser não apenas revitalizada, que é o que a gente está fazendo agora, que é uma obra temporária, mas temos um projeto para garantir que ela dê conta dos empreendimentos que estão sendo construídos lá. JD - O Proamapá é um programa que contempla apenas obras ou tem outros programas incluídos? Vai ter um secretário específico que ficará encarregado de cuidar da execução? Camilo Capibeiribe - O Proamapá envolve todas as Secretarias, particularmente as dos setores de infraestrutura, social e desenvolvimento econômico. Por exemplo, tem um programa muito importante dentro do Proamapá que é o Programa de Apoio e Incentivo a Agricultura Familiar, que tem

um impacto gigantesco na geração de emprego e renda no campo e também na diversificação da produção rural. No programa de apoio e incentivo à agriculta familiar, investimos R$ 5,5 milhões em 2011 e a expectativa é que ele gere R$ 20 milhões de retorno. Dentro desse programa tem aluguel de máquinas para o agricultor ter a produção mecanizada, financiamos calcário, adubo, insumos para a correção do solo, enfim, dependendo da posição social do agricultor, a gente faz o financiamento de 100%. Se ele tiver alguma condição financeira, esse valor será em torno de 50% e se for já estabelecido será um financiamento de 25%. Neste ano, dentro do Proamapá, R$ 11 milhões vão ser investidos na agricultura, que significa desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda. JD - O financiamento vai ser por área? Camilo Capiberibe - O que vai acontecer é que a Secretaria de Planejamento vai nesse primeiro momento centralizar os atendimentos, mas a tendência é que a gente tenha um gerenciamento próprio do programa, porque como são muitas obras e muitas ações é preciso descentralizar. Porém, precisamos ter um órgão de coordenação sim, só que quando o Governo e as secretarias conseguem trabalhar, o monitoramento fica mais fácil. JD - O ministro Guido Mantega falou que esse investimento de R$ 20 bilhões será para os Estados que estiverem quites com suas contas. O Amapá está com a sua saúde financeira tranquila para ter acesso a este recurso? Camilo Capiberibe - Ano passado nós reorganizamos a administração pública e conseguimos resolver os problemas de inadimplência da Previdência. Porque demorou pra gente acessar os recursos, porque tínhamos problemas previdenciários. Temos uma relativa tranqüilidade porque nós continuamos avançando na regularização, tirando inadimplências, prestando contas, denunciando convênios que foram executados de maneira irregular e ao mesmo tempo construímos um grupo de trabalho que reúne Advocacia Geral da União, Ministério da Previdência e o Governo do Amapá. Estamos levando toda essa situação de inadimplências de convênios e previdências lá pra dentro e estamos exigindo que os Poderes também se mobilizem. Vamos assinar um TAC, para termos a

O montante será investido em obras e projetos de mobilidade e infraestrutura rodoviária e urbana

garantia de ter um Estado organizado, sem nenhum tipo de surpresa. Mas hoje nada impede que um convênio caia e feche a nossa conta. A gente corre atrás para prestar conta, denuncia o gestor e tirar o Estado da situação da inadimplência. É uma vigilância constante. O monitoramento permanente dos convênios passados e dos convênios presentes é o que permite que nós tenhamos acesso aos recursos. Há o treinamento das equipes internas do governo, que lidam com contratos. Eles estão o tempo todo sendo treinados para a gestão. Prestar conta de convênios é uma fórmula, que se você seguir não ter porque errar, a não ser que você faça utilização indevida dos recursos. JD - E para o futuro, o nível de endividamento do estado é preocupante? Camilo Capiberibe - Estado endividado sempre é uma grande responsabilidade. Se você fizer as escolhas certas dos investimentos na infraestrutura, viabilizando o desenvolvimento, vamos ter um crescimento econômico e nossa margem de endividamento vai au-

mentar. A gente vai pagar esta divida, mas de retorno vamos ter desenvolvimento econômico e mais receita. Essa é a lógica. Se a gente não fizer os investimentos agora, o Amapá não vai se desenvolver, vai ficar preso ali no gargalo e isto vai ser ruim para todos nós. É um risco que não é tão grande e que a gente precisa correr. JD - Esta foi a mesma lógica da Banda Larga? Muitos criticaram que o governo estava comprometendo os recursos com uma empresa que nem tem muita necessidade... Camilo Capiberibe - A questão da Banda Larga é que ela trava o nosso desenvolvimento. Por exemplo, a iniciativa privada muitas vezes deixou de concorrer em pregões eletrônicos por conta da internet ruim e deixa de ganhar. A gente tinha duas opções e uma era esperar o linhão de Tucuruí chegar, mas ele pode não chegar em 2014. Então decidimos não esperar e utilizamos um instrumento que é legítimo do Estado, que é a isenção fiscal. Na verdade, o investimento de R$ 32 milhões vai

ser feito integralmente pela iniciativa privada. JD - A Oi foi a única que se dispôs a fazer este investimento? Camilo Capiberibe - Foi. A gente abriu o edital publicamente e só a Oi participou. E todas tinham conhecimento porque eu reuni com os provedores daqui do Amapá no Palácio, nós levamos esta proposta, mas apenas uma empresa aceitou o desafio. JD - O Proamapá dá ênfase às obras e a cadeia da construção civil é muita extensa, mas há problemas. Como o governo vai se inserir neste contexto para tentar alavancar o setor? Camilo Capiberibe - Fizemos uma reunião com o Sindicato da Construção Civil e com várias entidades e estamos trabalhando junto com a Secretaria de Infraestrutura, Secretaria de Indústria e Comércio e Mineração, com o governo intermediando com as empreiteiras daqui e de fora que estão fazendo obras no Estado para que a gente possa garantir uma inserção da mão de obra. Na medida em que

Obras no Estádio Zerão seguem ritmo, porém, ainda sem data para ser inaugurado. Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, esteve no Amapá participando do lançamento da Banda Larga

existe um gargalo a gente entra para tentar resolver. Também lançamos um Plano de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF) em parceria com o Sebrae e estamos sentando à mesa com todo mundo para poder qualificar e financiar esse setor. JD - E a respeito do Costura Amapá, quando teremos uniformes produzidos aqui? Camilo Capiberibe - Já fizemos a qualificação e estamos fazendo a parte de financiamento. O Costura Amapá é mais difícil porque qualificamos mulheres nos 16 municípios, chamamos todo o setor de confecção do Estado e eles vão produzir e nós vamos distribuir no início do ano que vem. Porque não faz sentido entregarmos agora no meio do ano, quando os pais já compraram os uniformes. JD - O Costura Amapá está dentro do ProAmapá? Camilo Capiberibe - Sim, está contemplado no programa. Daqui a alguns meses nossos estudantes vão estar usando uniformes produzidos pelas costureiras desse programa.


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 03 e 04 de junho de 2012

B2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Governo lança Proamapá como arma

Lançamento do programa acontece nesta segunda-feira, a partir das 9 horas, no Teatro das Bacabeiras. Serão investidos mais FOTOS HEVERTON MENDES

Marcelo Roza, diretor executivo do Jornal do Dia, e Janderson Cantanhede, editor-chefe do JD, durante entrevista exclusiva com o governador Camilo Capiberibe, que falou sobre os investimentos do Proamapá

Da Redação

À

s 10 horas da manhã de ontem (sábado), o governador Camilo Capiberibe (PSB) recebeu na residência governamental a equipe do Jornal do Dia para detalhar o Proamapá que será lançado na próxima segunda-feira, no Palácio do Setentrião. O lançamento é a estratégia adotada pelo governo estadual para fazer frente à crise econômica que começa a apresentar consequências no Brasil. A respeito desse assunto, a presidenta Dilma Rousseff reuniu na última sexta-feira, com os governadores, para anunciar o programa Pró-Investe no valor de R$ 20 bilhões. Camilo disse que ao todo são 93 grandes obras, sendo que uma parte já em andamento, como a construção da rodovia Norte-Sul, o Hospital do Oiapoque, o Centro Odontológico e a Casa do Agricultor, entre outras. Ele ainda falou sobre o poder de execução que o Estado dispõe frente às obras e disse não temer o endividamento quando os recursos são bem aplicados. “O retorno do desenvolvimento é muito maior”, comentou Camilo. Confira a entrevista: JD - Como o senhor define o Proamapá e como ele se encaixa dentro do seu plano de governo? Camilo Capiberibe - O Proamapá é um programa de obras e ações para alavancar o desenvolvimento econômico. O Brasil está entrando em uma crise, a gente sabe disso desde o ano passado e para combater esta crise é preciso ter ações claras voltadas para o desenvolvimento econômico. Então a gente acredita que com obras não só promoveremos o desenvolvimento, mas também combateremos a crise. E isso se encaixa no nosso programa de governo. Por exemplo, um dos nossos maiores compromissos é garantir um atendimento decente na saúde, mas nossa infraestrutura é precária. Há dez anos não se inaugura uma obra hospitalar. Por exemplo, o PAI que vive hoje uma crise de superlotação foi inaugurado em 2011 e de lá pra cá não teve mais investimento. O que tinha no nosso programa de governo? Ampliar a estrutura hospitalar. Nós temos obras no Hospital de Santana, que está dentro do Proamapá, com ampliação de 110 leitos agora e

mais a reforma de toda a parte administrativa e ampliação para levar serviços de alta complexidade para este hospital. Então a Pediatria e o Pai são R$ 17 milhões, que vai mais do que dobrar a capacidade de atendimento. JD - Já está em execução? Camilo Capiberibe - Não, ainda vai ser licitado. O que fizemos no PAI foi abrir 31 leitos emergências e climatizamos, tentando pelo menos amenizar o sofrimento porque a situação ali é muito dura. Mas para ter uma mudança concreta é preciso ter um investimento real e efetivo e é no Proamapá que vai acontecer. Esse programa vai atender também Santana e Laranjal do Jari onde nós vamos dobrar o atendimento. Além disso vamos construir uma casa de parto normal na Zona Norte. JD – De onde virão esses recursos? Camilo Capiberibe - Para as obras de infraestrutura estamos alocando recursos do BNDES e os equipamentos estamos construindo uma relação com o Governo Federal para poder pegar emen-

das parlamentares. Temos R$ 10 milhões para ser liberado que vai nos permitir inaugurar um hospital em Oiapoque, uma ala nova no hospital de Santana e o Hospital de Laranjal do Jari. JD - Todas as obras do Estado estão contempladas dentro do recurso? Camilo Capiberibe - Não estão todas porque a gente não tem recurso para fazer todas, mas apenas uma parte importante delas. Por exemplo, para a rodovia Norte-Sul são R$ 40 milhões e AP-70 os custos estão no Proamapá. Já está licitado neste plano rodoviário os ramais de Amapá, Pracuuba e AP- 70 até Cutias do Araguari. Na medida que o recurso for entrando, vamos iniciando. JD - A BR-156 também será contemplada? Camilo Capiberibe - Não. A BR156 é uma obra federal. Então a gente não colocou no Proamapá porque o recurso não é nosso. Agora é uma obra em parceria onde o governo do Estado executa com o governo federal. Por exemplo, os três trechos da BR-156, en-

tão em andamento agora. Inclusive eu falei com o Ministério do Planejamento semana passada quanto as obras do trecho sul para acelerarmos o processo. No Proamapá são apenas obras e ações feitas com recursos do Estado ou com contrapartida do Estado, como por exemplo, o Minha Casa Minha Vida. JD - Quando será lançado? Camilo Capiberibe - O lançamento vai ser feito nesta segunda-feira (25). Para começar vamos anunciar, também, 2.148 habitações. Toda a parte de infraestrutura quem vai fazer é o Estado. Todo recurso para a construção das casas é do governo federal é todo recurso para a construção da infraestrutura é do governo do Estado. Então não vai ser só uma obra do governo federal porque se não tivesse o recurso da contrapartida a obra não sairia. A gente já separou esses recursos, já está depositado na conta e agora só falta lançar. Na verdade fizemos o chamamento público para 4.500 casas, mas só tinha 2.148 liberadas para o Amapá. O governo federal já liberou mais 2.200, que a gente já vai assi-

Governador Camilo Capiberibe: Estado tem poder de execução e agora está acessando os recursos do BNDES

nar o contrato. Além destas obras, temos também vários outros projetos, como por exemplo, o campus da Universidade Estadual que é uma obra de R$ 40 milhões. Para saneamento é a mesma coisa. JD - E a fábrica de projetos que o senhor mencionou em campanha, já está funcionando? Camilo Capiberibe - Fizemos uma divisão. Antigamente, todos os projetos eram feitos na ADAP que funcionava na prática como uma fábrica de projetos porque fazia os projetos, licitava e acompanhava as obras do PAC. Mas a gente devolveu os projetos para as secretarias de origem. Para a Caesa devolvemos tudo o que era referente a saneamento, para a Seinf, tudo o que era referente à habitação e concentramos todos os demais projetos referentes às emendas parlamentares dentro da ADAP. Nós não perdemos mais nenhum recurso do ano passado para cá por falta de projetos, aliás, nos temos projetos e não temos recursos para executar uma parte importante deles. JD - Qual o poder de execução de obras hoje do Amapá? Camilo Capiberibe - De novembro do ano passado até agora já executamos mais de R$ 50 milhões do BNDES. Ano passado conseguimos tocar as obras, mesmo com restrição financeira. Por exemplo, conseguimos inaugurar obras que estão se arrastavam há anos. A Cidade do Samba é um exemplo. Estava 50% pronta se arrastando há três anos e em 8 meses nós inauguramos. Na Tancredo Neves aconteceu a mesma coisa. O caso do Hospital de Santana é mais grave porque começou em 2003, parou em 2004, houve uma tentativa de retomada em 2010 e nós de lá pra cá investimos R$ 4 milhões e agora ele está muito perto de ser inaugurado. A Rodovia Norte-Sul também foi muita


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 03 e 04 de junho de 2012

B3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

a para enfrentar crise financeira

s de R$ 450 milhões em ações de infraestrutura para Macapá e outros municípios rápida e tranquila. Vamos licitar o terceiro trecho que falta, sem muitos problemas. JD - Arrisca uma data para a entrega da rodovia Norte-Sul? Camilo Capiberibe - Eu não gosto de ariscar porque com o Zerão eu arisquei e não deu certo. Tenho que reconhecer. Provavelmente entregaremos a Rodovia no segundo semestre de 2013. Mas como se trata da maior obra de mobilidade urbana já feita em Macapá, eu diria que com a nossa capacidade de andamento, no segundo semestre de 2013 até o primeiro semestre de 2014, que é para não ter nenhum acidente de percurso. Quanto ao Estádio Zerão, a gente tinha planejado fazer até dezembro do ano passado, depois até fim de julho. Como a pista é importada, tem problema de alfândega, isso cria um atraso e o Zerão não vai poder ser entregue agora em julho, não vai ter como a gente fazer o último jogo do Amapazão lá, que era o nosso desejo. JD: Na estrada de Fazendinha já existe certa preocupação com a quantidade de empreendimentos, inclusive com problemas de mobilidade urbana naquela região. O Governo já pensa em algo para resolver essa situação? Camilo Capiberibe - Para a área do Amapá Garden Shopping o Setrap já está dialogando, porque realmente ali vai acontecer um impacto gigantesco de trânsito e circulação de pessoas. Existe um projeto especifico para resolver este problema de maneira emergencial, porque parece que o shopping inaugura até o fim deste ano. Agora é claro para todos nós que a Rodovia JK vai ter que ser não apenas revitalizada, que é o que a gente está fazendo agora, que é uma obra temporária, mas temos um projeto para garantir que ela dê conta dos empreendimentos que estão sendo construídos lá. JD - O Proamapá é um programa que contempla apenas obras ou tem outros programas incluídos? Vai ter um secretário específico que ficará encarregado de cuidar da execução? Camilo Capibeiribe - O Proamapá envolve todas as Secretarias, particularmente as dos setores de infraestrutura, social e desenvolvimento econômico. Por exemplo, tem um programa muito importante dentro do Proamapá que é o Programa de Apoio e Incentivo a Agricultura Familiar, que tem

um impacto gigantesco na geração de emprego e renda no campo e também na diversificação da produção rural. No programa de apoio e incentivo à agriculta familiar, investimos R$ 5,5 milhões em 2011 e a expectativa é que ele gere R$ 20 milhões de retorno. Dentro desse programa tem aluguel de máquinas para o agricultor ter a produção mecanizada, financiamos calcário, adubo, insumos para a correção do solo, enfim, dependendo da posição social do agricultor, a gente faz o financiamento de 100%. Se ele tiver alguma condição financeira, esse valor será em torno de 50% e se for já estabelecido será um financiamento de 25%. Neste ano, dentro do Proamapá, R$ 11 milhões vão ser investidos na agricultura, que significa desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda. JD - O financiamento vai ser por área? Camilo Capiberibe - O que vai acontecer é que a Secretaria de Planejamento vai nesse primeiro momento centralizar os atendimentos, mas a tendência é que a gente tenha um gerenciamento próprio do programa, porque como são muitas obras e muitas ações é preciso descentralizar. Porém, precisamos ter um órgão de coordenação sim, só que quando o Governo e as secretarias conseguem trabalhar, o monitoramento fica mais fácil. JD - O ministro Guido Mantega falou que esse investimento de R$ 20 bilhões será para os Estados que estiverem quites com suas contas. O Amapá está com a sua saúde financeira tranquila para ter acesso a este recurso? Camilo Capiberibe - Ano passado nós reorganizamos a administração pública e conseguimos resolver os problemas de inadimplência da Previdência. Porque demorou pra gente acessar os recursos, porque tínhamos problemas previdenciários. Temos uma relativa tranqüilidade porque nós continuamos avançando na regularização, tirando inadimplências, prestando contas, denunciando convênios que foram executados de maneira irregular e ao mesmo tempo construímos um grupo de trabalho que reúne Advocacia Geral da União, Ministério da Previdência e o Governo do Amapá. Estamos levando toda essa situação de inadimplências de convênios e previdências lá pra dentro e estamos exigindo que os Poderes também se mobilizem. Vamos assinar um TAC, para termos a

O montante será investido em obras e projetos de mobilidade e infraestrutura rodoviária e urbana

garantia de ter um Estado organizado, sem nenhum tipo de surpresa. Mas hoje nada impede que um convênio caia e feche a nossa conta. A gente corre atrás para prestar conta, denuncia o gestor e tirar o Estado da situação da inadimplência. É uma vigilância constante. O monitoramento permanente dos convênios passados e dos convênios presentes é o que permite que nós tenhamos acesso aos recursos. Há o treinamento das equipes internas do governo, que lidam com contratos. Eles estão o tempo todo sendo treinados para a gestão. Prestar conta de convênios é uma fórmula, que se você seguir não ter porque errar, a não ser que você faça utilização indevida dos recursos. JD - E para o futuro, o nível de endividamento do estado é preocupante? Camilo Capiberibe - Estado endividado sempre é uma grande responsabilidade. Se você fizer as escolhas certas dos investimentos na infraestrutura, viabilizando o desenvolvimento, vamos ter um crescimento econômico e nossa margem de endividamento vai au-

mentar. A gente vai pagar esta divida, mas de retorno vamos ter desenvolvimento econômico e mais receita. Essa é a lógica. Se a gente não fizer os investimentos agora, o Amapá não vai se desenvolver, vai ficar preso ali no gargalo e isto vai ser ruim para todos nós. É um risco que não é tão grande e que a gente precisa correr. JD - Esta foi a mesma lógica da Banda Larga? Muitos criticaram que o governo estava comprometendo os recursos com uma empresa que nem tem muita necessidade... Camilo Capiberibe - A questão da Banda Larga é que ela trava o nosso desenvolvimento. Por exemplo, a iniciativa privada muitas vezes deixou de concorrer em pregões eletrônicos por conta da internet ruim e deixa de ganhar. A gente tinha duas opções e uma era esperar o linhão de Tucuruí chegar, mas ele pode não chegar em 2014. Então decidimos não esperar e utilizamos um instrumento que é legítimo do Estado, que é a isenção fiscal. Na verdade, o investimento de R$ 32 milhões vai

ser feito integralmente pela iniciativa privada. JD - A Oi foi a única que se dispôs a fazer este investimento? Camilo Capiberibe - Foi. A gente abriu o edital publicamente e só a Oi participou. E todas tinham conhecimento porque eu reuni com os provedores daqui do Amapá no Palácio, nós levamos esta proposta, mas apenas uma empresa aceitou o desafio. JD - O Proamapá dá ênfase às obras e a cadeia da construção civil é muita extensa, mas há problemas. Como o governo vai se inserir neste contexto para tentar alavancar o setor? Camilo Capiberibe - Fizemos uma reunião com o Sindicato da Construção Civil e com várias entidades e estamos trabalhando junto com a Secretaria de Infraestrutura, Secretaria de Indústria e Comércio e Mineração, com o governo intermediando com as empreiteiras daqui e de fora que estão fazendo obras no Estado para que a gente possa garantir uma inserção da mão de obra. Na medida em que

Obras no Estádio Zerão seguem ritmo, porém, ainda sem data para ser inaugurado. Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, esteve no Amapá participando do lançamento da Banda Larga

existe um gargalo a gente entra para tentar resolver. Também lançamos um Plano de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF) em parceria com o Sebrae e estamos sentando à mesa com todo mundo para poder qualificar e financiar esse setor. JD - E a respeito do Costura Amapá, quando teremos uniformes produzidos aqui? Camilo Capiberibe - Já fizemos a qualificação e estamos fazendo a parte de financiamento. O Costura Amapá é mais difícil porque qualificamos mulheres nos 16 municípios, chamamos todo o setor de confecção do Estado e eles vão produzir e nós vamos distribuir no início do ano que vem. Porque não faz sentido entregarmos agora no meio do ano, quando os pais já compraram os uniformes. JD - O Costura Amapá está dentro do ProAmapá? Camilo Capiberibe - Sim, está contemplado no programa. Daqui a alguns meses nossos estudantes vão estar usando uniformes produzidos pelas costureiras desse programa.


DiaDia

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

Blitz é a aposta para frear violência no trânsito do AP

B4

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Dia Estadual do Marabaixo é comemorado no Amapá

Operações conjuntas realizadas no último feriadão tiveram saldo positivo

N

enhuma morte e apenas doze acidentes com vítimas parciais durante um feriadão emendado a um fim de semana. O saldo positivo de quatro dias no trânsito da capital é resultado das operações de fiscalizações realizadas no período de 7 a 11 de junho, em Macapá. O planejamento e a publicidade antecipada das ações foram cruciais para o sucesso das atividades, refletido em números animadores. A experiência positiva será repetida neste fim de semana. Para prevenir motoristas irregulares e afoitos, a Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp) novamente divulga a realização de blitze repressivas no período de 15 a 17 de junho. Promovidas em conjunto por equipes das polícias Civil e Militar, por meio do Batalhão de Trânsito, e pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), as fiscalizações ocorrerão em Macapá e Santana, passando pela rodovia do Curiaú, em locais e horários estratégicos. Contingentes da segurança pública farão blitze com a finalidade de coibir a violência no trânsito, intensificando fiscalizações e a aplicação da Lei Seca. Para diminuir o número de acidentes, conforme a experiência do feriado de Corpus Christi, serão aplicadas multas de R$ 4 mil para condutores de carros e de R$ 3 mil para motos. Os valores são previstos no

Após a santa Missa, os grupos percorreram as Ruas e Avenida da cidade

O

Operações para evitar acidentes pelas ruas de Macapá serão repetidas neste fim de semana

Código de Trânsito Brasileiro, que permite aplicação de multas de um a cem salários mínimos, nos casos de motoristas flagrados dirigindo sob o efeito do álcool. “Nossa intenção não é prender pessoas ou recolher veículos, mas prevenir a todos para que não descumpram a legislação no trânsito”, esclarece o delegado Nixon Kenedy, secretário em exercício da Justiça e Segurança Pública. Ele comemora o fato de a divulgação antecipada das blitze do feriado de Corpus Christi ter provocado a redução drástica dos aciden-

tes de trânsito, sem nenhuma morte. Dados das operações Corpus Christi As operações conjuntas realizadas no último feriadão por órgãos da segurança pública do Estado, promovidas em Macapá, apresentaram números positivos. Coordenadores das ações atribuem o saldo animador à divulgação e alerta das atividades de fiscalização. Segundo o balanço da Polícia Civil, durante os quatro dias de operações apenas oito pessoas foram apresentadas no Ciosp do

Pacoval, apanhadas dirigindo sob o efeito do álcool. Um Termo Circunstanciado foi registrado. No Ciosp do Congós não houve confecção de procedimentos policiais. Na Delegacia Especializada na Investigação de Atos Infracionais (Deiai) um menor foi apresentado dirigindo sem habilitação. Os números da Polícia Militar também apontam saldos positivos. Durante os quatro dias de blitze, apenas 32 notificações foram emitidas. Uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) foi recolhida e 17 documentos de veículos apreendidos.

Marabaixo é a principal manifestação cultural do Estado do Amapá. A Festa homenageia a Santíssima Trindade, e o Divino Espírito Santo através de Missas e ladainha, normalmente improvisada, carregada de tristeza ou alegria, traduzindo os sentimentos, e o dia-a-dia da comunidade. Visto isto, a Federação Folclórica e Cultural do Amapá (FFCA), realizou por todo o dia de ontem, o Dia Estadual do Marabaixo. Na ocasião a manifestação folclórica está inclusa no Projeto de Lei de autoria do Deputado Estadual, já falecido, Dalto Martins constituiu o Projeto de lei nº 0049/10, como o dia 16 de junho como o Dia Estadual do Marabaixo. De acordo com a Presidente da Federação Folclórica e Cultural do Amapá, professora, Elisia Congó, filha da mulher “guerreira”, e uma das maiores incentivadoras do Marabaixo no Estado do Amapá, conforme Dica Congó, “a Instituição agra-

dece de coração o incentivo e ao mesmo tempo homenageia o Deputado Dalto Martins por criar o projeto de Lei que constitui o dia 16 de junho como o Dia Estadual do Marabaixo” pontuou. Na manhã de ontem na antiga catedral de São José foi celebrada a missa solene em ação de graças para marcar a data e ao mesmo tempo homenagem póstuma ao deputado que falecido em trágico acidente aéreo. “Essa data não deve ser esquecida, a Federação mostra a tradição e convoca os filiados para manifestar a tradicional festa do Marabaixo no Amapá”, disse Elisia. Após a santa Missa, os grupos de Marabaixo percorreram as Ruas e Avenida da cidade mobilizando a população para participar do evento na raça Beira Rio. Às 18 horas houve a grande roda do Marabaixo na arena da quadra junina montada ao lado da Fortaleza de São José de Macapá para fechar a programação.

SESC realiza segunda etapa do Sonora Brasil

N

esse mês inicia a segunda etapa da 14ª edição do Projeto Sonora Brasil – Formação de Ouvintes Musicais do SESC. O projeto temático tem como objetivo desenvolver programações identificadas com o histórico da música no Brasil. Nesse ano as apresentações estarão baseadas no tema Sotaques do Fole, que apresentará o acordeão em suas variantes regionais, ligadas à tradição oral, trazendo a gaita-ponto, com o músico Gilberto Monteiro (RS), dia 24/07, a sanfona de oito baixos, com o músico Truvinca (PE), dia 11/08, e o acordão de 120 baixos, com Dino Rocha (MS), dia 16/06. Fazendo um contraponto com a tradição oral, o projeto também trará o duo de acordeões Ferragutti/Kramer (SP/RS), dia 01/08, que apresenta composições modernas e contemporâneas relacionadas à música de concerto e outras formas ligadas à vertente acadêmica. Para dar início à programação do Sonora Brasil biênio 2011/2012, o SESC

Amapá estará recebendo no dia 16/06 em Macapá e 17/06 no Município de Amapá, a apresentação musical sul-mato-grossense, Dino Rocha e Grupo, que retrata a música tradicional da região Centro-oeste do Brasil. Fole Sul-matogrossense: Conhecido como o “Rei da Chaminé”, Dino Rocha desenvolveu sua carreira apresentando o repertório tradicional local, sempre preocupado com a preservação de suas características mais autênticas. Acompanhado dos violonistas Hugo Cesar e Tico Rocha, Dino apresenta com seu acordeão de 120 baixos, a tradição musical do Mato Grosso do Sul em repertório que abrange desde a chegada dos paraguaios, na passagem dos séculos XIX e XX, até os dias de hoje, incluindo composições próprias. Histórico Criado em 1998 pelo Serviço Social do Comércio (SESC), o Sonora

Marabaixo é a principal manifestação cultural do Estado do Amapá

Quadrilhas tradicionais abrem temporada junina

C Apresentação musical sul-mato-grossense no Sonora Brasil

Brasil é voltado para a difusão e circulação de grupos musicais ligados com as tradições culturais de sua região. Nesta edição, ao todo, são 430 concertos em 117 municípios brasileiros.

Longe do perfil mercadológico e midiático, os grupos fazem apresentações acústicas, sem o uso de microfones, onde também explicam para a plateia detalhes sobre o trabalho que desenvolvem.

Procon volta a realizar pesquisa de preços da cesta básica em Macapá e Santana

D

istribuidoras e supermercados de Macapá e Santana voltaram a ser visitados desde quarta-feira, 13, pelo Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá (Procon/AP). A inspeção serviu para pesquisar preços, bem como manter a população infor-

mada sobre os valores e qualidade dos produtos. A ação é desenvolvida desde janeiro deste ano e 54 itens da cesta básica são conferidos. O diferencial da pesquisa do Procon é que nesse levantamento é possível identificar o preço de cada item por

estabelecimento, fornecendo ao consumidor os locais e endereços onde o produto encontra-se mais acessível. A pesquisa completa fica disponível no site do Procon. A pesquisa de preços da cesta básica deste mês encerrou ontem (15). A partir

de segunda-feira, 18, o Procon dará início à fiscalização em agências de viagens devido ao período de férias escolares do mês de julho. Reclamações e denúncias podem ser feitas pelos seguintes contatos: o Disque Denúncia 151 ou pelo telefone 3312-1011.

inco quadrilhas tradicionais se apresentaram no segundo dia de quadra junina e o primeiro de competição do Festival Oficial “Arraiá da Beira Rio, Nosso Forró é na Esquina do Rio Amazonas”, nesta sexta-feira, 15. Elas abriram a temporada de competições, desenvolvendo temáticas curiosas e cheias de irreverência. Sensação Junina, Xodó Junino, Revelação Junina, Os Descendentes e Piriguetes dos Matutos encantaram o público, que, mesmo com uma chuva insistente, após a terceira apresentação, não arredou o pé da Cidade Junina, completamente lotada. As quadrilhas matutas, como são conhecidas as tradicionais, procuram manter traços das danças dos terreirões de raiz, com predominância do chapéu de palha, muito colorido, pano de chita estampado, noivos caracterizados, miss caipira. Porém, com a disputa a cada ano, mais acirrada, alguns elementos foram inseridos aos trajes,

como os tecidos lisos sem estampa, e com algum brilho. Mas a competição é coisa séria, e o que valem mesmo na hora da apresentação são as marcações de passos tradicionais, como a grande roda, o casamento na roça, anarriê, balance e doses de criatividade. Quadrilha tradicional não dança apenas, também encena, cria todo um clima cênico, com personagens, narração, falas. “Nossa proposta é fazer da quadrilha tradicional uma história cômica. Trazemos um tema de conto de fadas, mas conseguimos inserir no enredo fatos atuais do dia a dia da nossa vida, mas nossa alegria é mesmo fazer todos rirem. A felicidade faz parte da quadra junina e é nisso que apostamos”, declara Alan Gibson, presidente da tradicional e campeã de 2011, Piriguetes dos Matutos, que este ano contou a história “Do sono nasce uma paixão. Bela Adormecida se casa com morcegão”.


CadernoC

Esporte Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Mesatenistas amapaenses têm chances de se classificar no Aberto do Brasil Os jovens atletas tucujus com até 15 anos estão competindo com atletas do mundo inteiro e passarão a fazer parte do ranking mundial de tênis de mesa, além de competir nos circuitos internacionais DIVULGAÇÃO

Caio Lobato está com a Seleção Brasileira de Tênis de Mesa na etapa do Mundial Word Tour ITTF de 2012, no Aberto do Brasil

ELCIO BARBOSA Da Reportagem

A

Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) con-

vocou esta semana 4 atletas amapaenses para compor a Seleção Brasileira de Tênis de Mesa na etapa do Mundial Word Tour ITTF de 2012, no

Aberto do Brasil, que está acontecendo na cidade de Santos, (SP) desde o ultimo dia 13 com término neste domingo, 17. Caio Lobato, Djalma Del

Rômulo volta ao time: “me encontro em perfeitas condições”

O

elenco do Vasco participou de um treino tático, comandado pelo técnico Cristóvão Borges, que serviu para encaminhar a equipe que vai participar do confronto diante do Palmeiras, hoje, às 16 horas (de Brasília), na Arena Barueri, em Barueri (SP), pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. O treinador recebeu a boa notícia de que poderá contar com Rômulo, que estava um longo tempo afastado do time por estar servindo à Seleção Brasileira em amistosos internacionais. A presença do jogador era dúvida por conta de dores musculares nas duas coxas, que indicavam um quadro de desgaste físico. O volante participou normalmente do treino. Rômulo é considerado uma das principais promessas vascaínas e deverá estar no grupo que Mano Menezes vai levar para os Jogos Olímpicos de Londres, no fim de julho. O jogador, que passou parte da semana fazendo trabalho de fisioterapia, garante que está em plenas condições de atuar os noventa minutos e ajudar a equipe. “Eu vinha sentindo apenas o desgaste, pois o amistoso contra a Argentina foi disputado em um ritmo muito forte. Mas me submeti a um

O

chave forte, só com brasileiros e obteve uma vitória e uma derrota. Assim como o companheiro dele, depende da última partida para saber se ficará com a vaga. Estão na disputa Nicolas Santos e Massao Kohatso. Os resultados mostram a curva ascendente da modalidade no Amapá, se fazendo presente entre os destaques do Tênis de Mesa Nacional. Para o secretário do Desporto e Lazer, Luiz Pingarilho, o Amapá vive um momento muito especial no Tênis de Mesa, pois o talento da nova geração fez com que uma onda de entusiasmo e credibilidade norteasse as ações desportivas do poder público para a modalidade. “A participação de uma delegação do Amapá em uma competição deste nível era algo inimaginável, pois a convocação dos 4 meninos para a seleção brasileira mostra a prova real do crescimento da modalidade no Amapá”, finalizou.

Corintiano descarta vingança contra Ponte por eliminação no Paulista

DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

William busca espaço no time titular do Corinthians

Após servir a seleção, o volante Rômulo está relacionado para a partida contra o Palmeiras, na Arena Barueri

exame na quarta-feira que mostrou que não existe nenhum tipo de lesão. Portanto, me encontro em perfeitas condições de ir a campo contra o Palmeiras se esse for o desejo do Cristóvão. Quero reencontrar o time do Vasco”, declarou Rômulo, que marcou o primeiro gol da Seleção Brasileira no sábado passado, na derrota de 4 a 3 para os argentinos em tarde inspirada de Lionel Messi. No treino da sexta-feira Rômulo ocupou a vaga de Juninho Pernambucano,

que se limitou a ficar na academia. Isso faz parte do planejamento elaborado para o Reizinho, que já conta com 37 anos, mas que não preocupa para o duelo diante do Palmeiras. Sendo assim, quem deverá perder a posição é Fellipe Bastos. Ainda em relação ao time, Felipe está mantido na lateral esquerda e Dedé mais uma vez trabalhou entre os titulares, compondo a dupla de zagueiros com Rodolfo, o que deixa evidente que Renato Silva é considerado reserva.

Por responsabilidade, Joel prefere encarar titulares do Santos Flamengo conseguiu acabar com jejum de vitórias na última rodada do Campeonato Brasileiro ao derrotar o Coritiba e terá boa chance de somar mais três pontos, pois vai encarar os reservas do Santos, neste domingo, no Engenhão. No entanto, o técnico Joel Santana afirmou nesta sexta-feira que preferia encarar os titulares santistas, pois a responsabilidade do triunfo seria menor para o clube rubro-negro. “Eu gostaria de enfrentar o Santos completo. O Santos sem todos os seus jogadores deixa a responsa-

Castillo Júnior, Luan Cantuária e Jorge Lucas Brito, categoria juvenil, e com 15 anos de idade. estão competindo com atletas do mundo inteiro, e passarão

a fazer parte do Ranking Mundial de Tênis de Mesa, e além de competir nos circuitos internacionais. De acordo com o presidente da Federação Amapaense de Tênis de Mesa, Alan Cardoso, hoje o Amapá é reconhecido nacionalmente como potência nessa modalidade, nas categorias juvenis, e infantil ao lado de São Paulo e Santa Catarina. “Nossa principal meta é realizarmos nosso sonho que é participar das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016”, afirmou Alan. No primeiro dia de competição no Aberto do Brasil, os atletas, Luan Cantuária e Caio Lobato venceram nos respectivos grupos deles e estão bem próximos da classificação. Luan assegurou a liderança do Grupo 6, que tem ainda os atletas Adriel Di Salvo, da Argentina e o brasileiro Gabriel Pereira. Agora depende do resultado da última partida para garantir vaga na chave principal. Já Caio compôs em uma

DIVULGAÇÃO

bilidade para o Flamengo. E futebol não é por ai. O jogo será difícil, o time deles já tem uma maneira de jogar. O Flamengo precisa buscar a vitória contra reservas do Santos treinador sentiu uma lesão. Por conta é bom e experiente. Não disso, Wellington Silva vai sei como o Santos vem, ganhar uma chance de mas quero me preocupar comçar entre os titulares. somente com a minha No restante, somente o zaequipe”, disse. gueiro chileno Marcos Para esta partida, Joel González retorna ao time Santana perdeu o lateral após servir a sua seleção no direito Léo Moura, que lugar de Wellinton.

O

Corinthians pode neste domingo se vingar da Ponte Preta pela queda precoce nas quartas de final do Campeonato Paulista. Mas isso é a última coisa que pensa o elenco, em êxtase pela boa fase na Copa Libertadores e preocupado com a má campanha no Brasileiro. “A gente não pensa nisso. É outro momento. Não tem nada de vingança, tem garra do pessoal que vai jogar, vontade de aproveitar a oportunidade”, disse Willian. O atacante estava presente naquela derrota por

3 a 2 para a equipe de Campinas, em 22 de abril, que culminou com a saída do Corinthians, então dono da melhor campanha do estadual. Fo ele, a propósito, quem marcou o primeiro gol corintiano, depois de sair do banco. Se o momento do time é outro, o de Willian em particular não mudou muito. O atacante segue na reserva e só vai atuar neste domingo, no Moisés Lucarelli, porque o técnico Tite preservará os titulares para o duelo de quarta-feira, com o Santos, pela volta da semifinal da Libertadores.

A motivação do atacante, porém, deve ser maior do que a habitual. Ele vê chance real de cavar vaga no clássico de meio de semana, porque Emerson foi expulso na partida de ida, na Vila Belmiro, e não encara o Santos no Pacaembu. “Quero fazer um grande jogo e mostrar que tenho condição de brigar pela posição, como sempre fiz. Nosso objetivo é vencer para sair dessa situação, que não é nada agradável”, salientou o camisa 7, referindo-se à lanterna do Brasileiro, com só um ponto ganho.

Lucas e Luis Fabiano evitam status de decisivos no São Paulo

C

omo o próprio Luis Fabiano admitiu, a noite de quinta-feira não foi boa para o camisa 9 do São Paulo, que perdeu chances claras de gol. Lucas, porém, apareceu em uma jogada individual e um chutou cruzado aos 44min do segundo tempo para dar ao time a vitória por 1 a 0, no Morumbi, na primeira semifinal da Copa do Brasil. Redes balançadas para alívio do centroavante: há alguém para repartir tantas cobranças. “Fico feliz porque, quando eu não puder decidir, o time conta com outros que podem ajudar”, afirmou Luis Fabiano, sem fugir em seu discurso da missão de

ser goleador. “Minha responsabilidade é a mesma sempre, independentemente de perder gol ou não. Espera-se muito do Luis Fabiano”, disse. Lucas, contudo, salvou a noite. Embora prefira não assumir nenhuma artilharia. “Fico feliz. Sempre falei que não sou fazedor de gols, sou um cara que chega com a bola dominada para servir os atacantes e que gosta de ajudar o time a vencer. Mas é claro que, quando você faz gol, fica mais contente, ainda mais em um jogo decisivo, uma semifinal. É uma emoção diferente”, confessou o camisa 7. O mais importante para a

dupla é que a equipe seja vitoriosa, o que tem sido possível pela presença de ambos, mais frequentemente com a bola colocada nas redes em finalização do camisa 9. O que nenhum dos dois aceita é a definição de que o São Paulo é dependente deles dentro de campo. “O São Paulo tem um conjunto muito bom, por isso temos vencido as partidas. Mas é claro que cada jogador tem sua função e procura contribuir com sua parte. Pude ser feliz e ajudei, mas o grupo está de parabéns. Não fossem os companheiros, com certeza eu não teria feito aquele gol”, afirmou Lucas.


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

C2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Alvo da pressão olímpica, Fabiana Murer ouve até pedido de prima para não entrar na internet Atleta diz ter noção do que a espera em termos de cobrança, mas demonstra naturalidade diante da pressão

T

er o status de ser campeão mundial não é só colher louros, apesar de todas as realizações profissionais. Pressão e expectativa por bons resultados vêm na mesma proporção que fama e reconhecimento. Ainda mais num semestre olímpico. Que o diga Fabiana Murer, campeã do mundo no salto com vara. Também dona da melhor marca do ano até agora em sua modalidade - 4,77 m na etapa de Nova York da Liga Diamante, na última semana - Murer é alvo preferencial de torcida e imprensa brasileira na cobrança pela conquista de, ao menos, um pódio nos Jogos de Londres A atleta diz ter noção do que a espera em termos de cobrança, mas demonstra naturalidade e afirma que experiências anteriores, até mesmo nos Jogos Olímpicos de Pequim, a deixam mais calejada para esse tipo de situação. Mas brincou e disse que até sua prima já lhe recomendou nem

DIVULGAÇÃO

Além delas, a prova conta com nomes como a cubana Yarisley Silva, que superou Fabiana nos Jogos Pan-Americanos e tem a quinta melhor marca do ano, e a russa Ielena Isinbaeva, que é dona do recorde mundial, com 5,06 m. “São seis ou sete atletas com mesmo nível que têm chance de medalha. Vai ser difícil. Muitas atletas podem levar medalha”, explicou Fabiana. Independentemente da expectativa criada por bons resultados, Fabiana se mostra realizada com o que já fez por uma modalidade sem tradição nenhuma no país e que viu nela a primeira campeã mundial. Diz que tudo o que fez pode servir como exemplo. “Fico contente pelo que conquistei e mostrei que é possível o Brasil desenvolver provas que não tem tradição, como salto com vara. Mostrar para os mais novos que é possível, que é só sonhar alto. Sempre quis fazer história e acho que estou fazendo no salto com vara.”

Fabiana Murer comemora conquista da medalha de ouro no Mundial de Atletismo, em 2011

acompanhar muito a repercussão da imprensa. “A pressão é muito grande. A imprensa fala muito mais da Olimpíada e torce para os atletas terem medalha. Até minha prima falou ´este ano não fica entrando muito na internet, lendo muita notícia se não ficará nervosa, pra não se

desconcentrar, sentir a pressão´”, falou Fabiana Murer em entrevista. “Mas depois de Pequim fui campeã mundial duas vezes, mas tive problemas, derrotas e cresci muito nesses quatro anos. Me sinto muito mais preparada e experiente e sei que a Olimpíada é uma competi-

ção como qualquer outra. É muito importante, mas as meninas [concorrentes] são as mesmas. Já passei por isso e sei como é”, continuou. Fabiana foi campeã mundial em pista aberta no Mundial de Daegu, no ano passado, e indoor em Doha, em 2010. Mas, apesar de ser a de-

tentora do título mundial e da melhor marca da temporada, sua modalidade mostra um equilíbrio grande e muitos nomes que podem vencer a competição. Sua marca de 4,77 em 2012 é apenas um centímetro melhor do que as da australiana Alana Boyd e da alemã Silke Spiegelburg.

Peruano põe água no chopp de macapaense no Jungle Fight 40

O

peruano Diego Akita confirmou o favoritismo no primeiro evento esportivo, a ser transmissão ao vivo de TV no Amapá. A 40º edição do Jungle Fight, maior evento de MMA da América Latina, que aconteceu na ultima sexta-feira (15), no ginásio Avertino Acioli Ramos, teve como principal luta a vitória de Akita sobre o atleta macapaense, Adson ‘’Preguiça’’. Akita levou a melhor por pontos, no confronto pertencente a categoria pena, até 66 kg. Mais outros sete combates movimentaram a noite, lotaram o ginásio. A macapaense Samantha Maia foi uma atração à parte do espetáculo, atuando como ring girl, ao lado de Geisa Vitorino, garota da placa oficial do Jungle e musa do MMA. A jovem local conquistou um concurso, promovido pela organização do JF, apenas entre garotas macapaenses. O atleta, Luan Lacerda, e Johnatha Guido deram conta do recado e abriram a competição, e fizeram uma luta equilibradíssima e daquelas de dar gosto de assistir. Com muitas inversões e alterações de posição, a vitória do agitado e disputado duelo acabou com vitória de Luan, por decisão dos árbitros. O segundo foi o mais rápido dos combates. Gio-

vanni Almeida precisou de um pouco mais de um minuto para derrotar Wellinton ‘’Terra Firme’’, com um mata-leão. Sem dúvida, o nocaute da noite se deu no terceiro confronto entre Kleber ‘’Marajó’’, e Joel Tourinho. Kleber obteve a vitória conseguindo um único e incrível golpe. Uma bomba de direita foi desferida em cheio no rosto de Tourinho que já caiu desacordado e sem condições para permanecer na batalha. Depois foi a vez de o lutador, Otávio ‘’Javali’’, superar Jiovanne ‘’Brutus’’ Salviano. Javali aplicou uma bela e plástica queda e depois utilizou de uma sequência de socos para obrigar o árbitro a interromper e o decretar vencedor. No quinto confronto, Rafael ‘’Trator’’ fez o que quis com seu oponente Renan ‘’Pitbull’’. Logo no início a luta foi para o chão e Rafael conseguiu facilmente montar. Depois ganhou as costas de Renan e aplicou um mata-leão para sacramentar a vitória. Em seguida, Tiago ‘’Trator’’, após dominar as ações no primeiro Round, contra o uruguaio Sebastian Latorre, tirou um katagatame da cartola e saiu vitorioso. No penúltimo combate, Israel ‘’Falquinho’’ e Renato Velame fizeram uma luta muito equilibrada. No fim, a superioridade e tro-

Toque de Primeira ANTONIO LUIZ

Colunista alpcampos@hotmail.com Positivo Ypiranga Clube e Oratório Clube mostram qualidade e decidem o turno do Amapazão em 21 de junho. Final cercada de expectativa e Glicerão lotado. Jogão de bola! Negativo No belo 40º Jungle Fight realizado em Macapá, o único senão ficou por conta de Adson Preguiça, derrotado facilmente pelo peruano Diego Akita. Que preguiça!

29º Encontro de Médicos Debate científico, jogo de futebol e almoço festivo reuniu amigos do Pará e Amapá. 29º Encontro de Médicos Organização de Izaias Souza, Roberval, José Arcângelo, Roberto Farney e Alberto Paes. Brasileirão Domingueira de Flamengo x Santos, Palmeiras x

DIVULGAÇÃO

Diego Akita (de bermuda preta) venceu Adson ‘’Preguiça’’ por decisão unânime dos jurados (peso pena, até 66 kg)

carão e os melhores golpes encaixados foram determinantes para a vitória por pontos de “Falquinho”. O último e mais aguardado embate colocaria frente a frente o lutador da casa, Adson ‘’Preguiça’’ e o peruano Diego Akita. Akita comandou as ações e não deixou ‘’Preguiça’’ entrar no raio de ação dele. Com vantagem na atracação e na luta agarrada, o peruano não

deixou dúvidas para os árbitros, que, para infelicidade do público, o declararam vencedor

Vasco e Ponte Preta x Corinthians.

celente público.

Coruja da Torre Fidelis, Josa e Cametazinho lideram um time forte na marcação e perigoso no ataque. Coruja da Torre I Vitor Jayme comanda o Ypiranga Clube e mostra a competência do técnico amapaense. Fenômeno Azul Galera do Clube do Remo afirma que time azulino passa por transição. Pede paciência. Amapazão Campeonato Amapaense de Futebol Profissional mostra bons jogos e ex-

Resultados Jungle Fight 40 Diego Akita venceu Adson ‘’Preguiça’’ por decisão unânime dos jurados (peso pena, até 66 kg) Israel ‘’Falquinho’’ venceu Renato Velame por decisão unânime dos jurados (peso galo, até 61 kg)

40º Jungle Fight Evento de sábado representou momento histórico para o MMA e para o esporte tucuju. 40º Jungle Figth I Dois amapaenses, Tiago Trator e Adson Preguiça, fizeram os dois combates principais. 40ª Jungle Figth II Patrocínio do GEA ensejou a realização do evento, que valorizou os lutadores da terra. Copa do Brasil Coritiba x São Paulo (20/06) e Palmeiras x Grêmio (21/06) realizam os jogos de volta.

Thiago ‘’Trator’’ venceu Sebastian Latorre por finalização (katagatame) aos 3m33s do segundo round (peso leve, até 70 kg) Rafael ‘’Trator’’ venceu Renan ‘’Pitbull’’ por finalização aos 2m52s do primeiro round (peso leve, até 70kg) Jiovanne Brutus venceu Otávio Javali por nocaute técnico a 1m17s do primeiro round (peso meio-médio, até 77 kg)

Orca Demolidora No bom time do Oratório Clube desponta Fabinho, egresso de Sto Antonio da Pedreira. Orca Demolidora I Comando de Romeu Figueira, jovem treinador de rara capacidade técnica e disciplinar. Eurocopa/12 Alemanha e, sobretudo Espanha, confirmam a condição de favoritas ao cobiçado título. Liga Nacional Profº Alaur Neri vibrando com a Liga Masculina de Clubes de Voleibol, em Macapá. Liga Nacional I

Kleber ‘’Marajó’’ venceu Joel ‘’Tourinho’’ por nocaute a 2m04s do primeiro round (peso mosca, até 57 kg) Giovanni Almeida venceu Wellinton ‘’Terra Firme’’ por finalização a 1m12s do primeiro round 9peso meio-médio, até 77 kg) Luan Lacerda venceu Johnatha Guido por decisão unânime dos jurados (peso galo, até 61 kg)

A inédita competição reúne sete estados brasileiros e rola de 01 a 8 de julho. Confira! Papão da Amazônia Galera bicolor ainda surfa a onda do prazer, diante da goleada aplicada no maior rival. Revirada Canarinha Santana Clube reagiu e conseguiu classificação para a próxima etapa do Amapazão/12. Você Sabia? MARCOS MONTEIRO Que a torcida mais animada da Eurocopa não tem time. Pois é, os irlandeses cantam e vibram, porém a Seleção da Irlanda não ganha ninguém. Sequer marca gols.


JD

Atualidades

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

C3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Especialistas do InCor vão orientar médicos do SUS

Dicas de Saúde Propriedades e benefícios da hortelã

DIVULGAÇÃO

Projeto pretende agilizar o início do tratamento, tendo em vista que 5% das mortes ocorrem na 1ª hora da manifestação da doença e 80% em até 24 hrs

E

specialistas do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas de São Paulo vão ajudar a diagnosticar doenças cardiovasculares em até 200 unidades de saúde do país. A orientação será dada à distância por meio de videoconferência. O projeto pretende agilizar o início do tratamento, tendo em vista que 5% das mortes ocorrem na primeira hora da manifestação da doença e 80% em até 24 horas, segundo dados do Ministério da Saúde. O convênio entre o ministério e o InCor, assinado na última sexta-feira, 15, começa a vigorar em um mês, com uma fase piloto nos prontos-socorros da zona oeste de São Paulo. De acordo com ministério, em 2009, as doenças cardiovasculares representaram 31% das mortes no Brasil, sendo a principal causa de incapacidade e de mortalidade. “Nossa intenção é que a expertise (conhecimento e experiência) do Incor chegue aos lugares mais remotos do país, ajudando a democratizar o acesso dos brasileiros aos avanços científicos”, explicou Roberto Kalil, diretor da Divisão

DIVULGAÇÃO

Ótima aletrnativa para a inflamação do fígado e da vesícula biliar

É “Quando falamos da inclusão do InCor no programa, muitas unidades manifestam grande interesse em participar”, disse o ministro da Saúde, Alexandre Padilha

Cardiologia do instituto. Uma equipe estará disponível 24 horas por dia para prestar a orientação à distância. A expectativa dos órgãos é que, em até dois anos, 200 unidades do sistema público de saúde se credenciem para participar do projeto. “Quando falamos da inclusão do InCor no programa, muitas unidades manifestam grande interesse em participar”,

disse o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. “Somos uma instituição que serve ao Brasil, não só a São Paulo. Recebemos milhares de pacientes do país e também da América Latina”, complementou Kalil. Serão usados recursos de imagem, som e transmissão de dados. De acordo com o InCor, a central de telemedicina é composta por equipamento portátil DIVULGAÇÃO

Especialistas vão ajudar a diagnosticar doenças cardiovasculares em até 200 unidades de saúde do país

de eletrocardiograma, microcomputador com monitor de alta resolução, câmera de vídeo para internet, microfone e fone de ouvido. O ministério disponibilizou R$ 991 mil para a primeira fase do projeto, que integra o Programa Telessaúde Brasil Redes, que já chegou a 1.733 unidades de saúde do país. Padilha avalia que, além de ajudar no diagnóstico das doenças do coração, o projeto vai contribuir para o avanço da pesquisa médica. “Os profissionais vão vivenciar como é tratar, no cotidiano, pessoas em diferentes localidades do país. Teremos, certamente, mais estudos e mais pesquisas a partir de diversas realidades”. Na assinatura do convênio, também foi anunciado o investimento de R$ 8 milhões na modernização tecnológica do InCor. Serão adquiridos aparelhos de tomografia, ultrassom e ecocardiograma, além de monitores e centrais de monitoramento de pacientes em estado crítico. Os novos equipamentos serão destinados, principalmente, para os tratamentos intensivos.

Brasileiros vão sofrer mais com osteoporose

O

s brasileiros estão cada vez mais expostos à osteoporose. Dados divulgados ontem pela Fundação Internacional de Osteoporose (IOF, na sigla em inglês) revelam que 33% das mulheres e 16% dos homens acima dos 65 anos têm a doença no país. A pesquisa, uma espécie de auditoria que compilou estudos sobre osteoporose em 14 nações latino-americanas, também aponta que os casos de fratura de quadril, por exemplo, um dos mais graves, devem crescer 15% no Brasil nos próximos oito anos, passando de 121 mil neste ano para 140 mil em 2020. Os números em relação à fratura de coluna também preo­­cupam: atualmente, 27,5% das mulheres e 31,8% dos homens acima dos 65 anos apresentam problemas nesta área do corpo, que costuma aparecer por meio das chamadas “corcundas” em idosos. As mulheres são as principais vítimas, principalmente após a menopausa: estima-se que, de 21 milhões de brasileiras com mais de 50 anos, 2,9 milhões vivam com este tipo de fratura, que causa dor, incapacidade de realizar atividades diárias e diminui a altura da paciente

em até seis centímetros. A principal explicação para essa escalada da doença vem na esteira de uma boa notícia: o brasileiro está vivendo mais. “A osteoporose pode ocorrer em qualquer fase da vida, mas é na velhice, quando a dose de hormônios sexuais diminui no corpo, que ocorre a maioria dos casos”, explica o professor de Medicina da Faculdade Evangélica de Curitiba Bruno Perotta. Isso porque hormônios como estrogênio e testosterona têm a capacidade de reter o cálcio no organismo. Políticas públicas A má notícia é que, ao contrário de doenças também típicas da terceira idade, como hipertensão e diabete, a osteoporose ainda sofre de um diagnóstico precário, fruto da pouca importância dada pelo governo ao tema e do desconhecimento da classe médica sobre como identificá-la. Essa é a opinião do ginecologista Bruno Muzzi Camargos, presidente da Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (Abrasso), entidade que participou da pesquisa internacional. De acordo com o médico, não há políticas públi-

recomendado para a inflamação do fígado e da vesícula biliar. Além disso, incentiva a produção da bile. - É indicado para o alívio da dor, como seu principal componente, mentol, age diretamente sobre os nervos. - Permite aliviar a tontura. - Uso tópico, como o azeite tem efeitos relaxantes, analgésicos e anti-irritantes. - Pode ser misturado com azeite para uma pomada que pode ser usada para ​​ curar pequenas queimaduras, reduzir cãibras musculares e também como um lubrificante. - Tem propriedades estimulantes e sedativas. - Limita o nível de testosterona no sangue por suas propriedades anti-androgênicos. - Pode ser usado também para gengivite, resfriados e cólicas em crianças, com excelentes resultados em todos os casos. - Serve para reduzir a dor de cabeça de origem nervosa e os estados de nervosismo.

Suplementos para fortalecer os ossos DIVULGAÇÃO

Enfrentar o envelhecimento com sáude é preocupação de todos

A

saúde óssea é uma preocupação que deve ser enfrentada à medida que envelhecemos, por que você deve avaliar os seus hábitos, para garantir a saúde dos ossos, nos próximos anos. Além de certos medicamentos, prescritos por um médico para reduzir a dor e inflamação, também pode melhorar a saúde óssea, tendo uma dieta adequada e tomar suplementos vitamínicos eficazes. A medida em que se envelhece, os ossos se tornam frágeis e propensos a fraturas. A falta de minerais como cálcio, fósforo e outros fazem enfraquecer os ossos. A queda acentuada nos níveis de estrogênio que vem com a menopausa e a tendência para a baixa densidade óssea gera o maior fator de risco para as mulheres, mas não devemos esquecer que os níveis baixos de testosterona em homens também pode torná-los suscetíveis. Uma dieta saudável dirigida a saúde óssea pode torná-los mais fortes. As frutas e verduras contêm uma larga lista de vitaminas, minerais e antioxidantes que interagem e promovem a harmonia natural do corpo. Os alimentos ricos em cálcio em sua dieta, são uma excelente maneira de fortalecer os ossos. O cálcio está presente em produtos lácteos e uma variedade de alimentos como amêndoas, espinafre, brócolis, couve, aveia e tofu, entre outros, proporcionando um alto nível de necessidades de cálcio diariamente.

Atividade física é remédio natural para doenças crônicas

Q Até 2020, casos da doença que enfraquece os ossos devem crescer 15% entre brasileiros com mais de 50 anos

cas que reforcem duas atitudes básicas nas áreas de prevenção e diagnóstico: exigir que os alimentos tenham maior adição de vitamina D e esclarecer a população e os médicos sobre a importância da densitometria óssea, exame que atesta a densidade dos ossos. Segundo a Abrasso, existem 1.850 densitômetros espalhados pelo país – 97% deles em clínicas particulares. “É como se o pobre não tivesse osteoporose”, critica Camargos. A entidade defende que

a densitometria óssea se torne tão importante quanto a mamografia e o eletrocardiograma. “O custo para o país de negligenciar o problema é muito grande. A osteoporose leva a cirurgias e internação, causa dependência e morte.” Hoje, 97% das fraturas de quadril necessitam de cirurgia e um período de internação de, no mínimo, 11 dias. Cada paciente custa em torno de R$ 8 mil ao governo. Já um densitômetro custa cerca de R$ 100 mil e cada exame pe­­lo SUS, R$ 36.

uem sofreu um ataque cardíaco pode ter receio de voltar – e até mesmo começar – a realizar uma atividade física. Isso acontece porque poucas pessoas sabem que cardiologistas definem que os exercícios devem ser receitados como qualquer outro remédio. As atividades físicas e a melhora dos pacientes não estão relacionadas apenas quando se fala em problemas cardíacos. Médicos afirmam que mexer o corpo com orientação profissional beneficia qualquer pessoa que sofra de doenças crônicas, como doenças pulmonares, oncológicas, diabete e hipertensão. A prescrição da atividade física segue a mesma lógica da de medicamentos. A dose do treinamento é específica para cada

problema. “Assim como o remédio, fazer atividade física demais ou de menos pode trazer problemas”, explica a fisioterapeuta da Clínica Paranaense de Cardiologia (Clinicor) Eloísa Dias Hanna. Por isso, a avaliação médica é essencial, assim como o acompanhamento multiprofissional. Eloísa afirma que na Clinicor há, inclusive, uma mini-UTI, preparada para a eventualidade de alguém passar mal durante o treino. A Academia Americana de Cardiologia recomenda que o tempo de atividade física seja de cerca de 180 minutos por semana, distribuídos da forma mais homogênea possível. Outra variável da dose de atividade é o tempo de internação, mas todos passam pelas mesmas etapas.


JD

Diversão&Cultura

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

Show de Madonna no Brasil será grande momento da turnê, diz empresário da popstar Cantora de 54 anos com uma forma invejável e energia de sobra chega ao fim das apresentações sem aparentar cansaço

D

esde que iniciou a turnê “MDNA”, em Israel, Madonna vem chamando a atenção para as ousadias e atrevimentos que pontuam o show inspirado em seu novo álbum, especialmente o exibicionismo, as imagens sacrílegas e a subversão. Exibir o corpo, dessacralizar imagens religiosas, provocações sexuais e subversão são marcas registradas de Madonna desde o início de sua carreira. Mostrar seios, bumbum, desconstruir os ritos cristãos e estampar imagens de ditadores ao lado da imagem do papa fazem parte de seu “modos operandi”. Ao invés de causar espanto e ultraje, vale dizer, tudo isso inflama o público por onde ela passa, seja em Israel, na Tur-

DIVULGAÇÃO

C4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Celebridades Colin Farrell DIVULGAÇÃO

No Brasil

O irlandês Colin Farrell, que protagonizou “Miami Vice” e “Alexandre”, entre outros, desembarca no Rio no próximo dia 11. O ator divulgará a nova versão de “O Vingador do Futuro”, longa estrelado por Arnold Schwarzenegger nos anos 90.

Tom Cruise FOTOS DIVULGAÇÃO

Madonna entre público e coro durante performance da música “Like a Prayer” em Roma

quia, em Roma e, certamente, no Brasil, onde vai se apresentar no segundo semestre. A diferença de seus pares e concorrentes, Madonna sabe se reinventar e sempre se recoloca no topo das preferências do mundo pop

suplantando quem quer que ameace sua posição de rainha do gênero. Seja Lady Gaga, alvo de uma de suas provocações no novo show, seja Rihanna, Beyoncé, Mariah Carey ou qualquer outro nome. Quem matou a charada foi o empresário de Ma-

donna, Guy Oseary, antes do show desta quinta (14), em Milão, o sexto da turnê. “Tem tudo a ver com o público”, disse ele, em entrevista a um grupo de jornalistas brasileiros do qual,o Uol fez parte, antes da apresentação. “É o nosso principal foco.”

Banda de metal Dream Theater fará shows no Brasil em agosto

A

Dream Theater acaba de confirmar cinco shows no Brasil a partir de agosto. A banda de metal progressivo trará ao país sua nova turnê, “A Dramatic Turn of Events”, baseada em seu último álbum homônimo lançado em setembro de 2011. As apresentações acontecerão no dia 24 de agosto em Porto Alegre; dia 26 em São Paulo; dia 29 em Belo Horizonte; dia 30 no Rio de Janeiro; e dia 1 de setembro em Brasília. Essa é a

sexta vez que o Dream Theater vem ao país. Mais informações sobre a venda dos ingressos serão divulgadas em breve, de acordo com a assessoria. A Dream Theater surgiu nos Estados Unidos na década de 80. Atualmente o grupo é formado por James LaBrie, John Petrucci, Jordan Rudess, John Myung e Mike Mangini. A banda é conhecida por singles como “Take the Time”, “As I Am” e o mais recente “On The Back of Angels”.

Ibope do “SBT Brasil” cresce 27%; “Jornal da Record” cai 31%

D

DIVULGAÇÃO

e 1º de janeiro a 13 de junho, o “SBT Brasil” cresceu mais de 27% em ibope na Grande São Paulo. O telejornal passou de 4,4 pontos em janeiro para 5,7 pontos. Cada ponto vale por 60 mil domicílios sintonizados. A boa fase do jornalístico do SBT, que exatamente há Peixoto e Rachel Sheherazade, apresenum ano é apresen- Joseval tadores do “SBT Brasil” tado por Rachel Sheherazade e Josepara 5,1 pontos. val Peixoto, coincide com o O “Jornal da Band” tampior momento do rival “Jor- bém teve queda de audiênnal da Record”. cia no mesmo período: pasO jornalístico da Record sou de 5,7 para 5,0 pontos. perdeu quase um em cada O “Jornal Nacional”, por três telespectadores. Desde sua vez, teve leve oscilação janeiro, o “JR”, apresentado negativa, passando de 31,3 por Ana Paula Padrão e Cel- (janeiro) para 30,8 (até 13 so Freitas, caiu de 7,4 pontos de junho).

Resumo das Novelas Malhação Tomás pede que Cristal retire a queixa contra ele para que consiga arrumar um emprego. Débora investe em Bernardo e Jefferson observa os dois. Betão pede uma nova chance para Babi. Nelson revela para Gabriel que tem um vídeo do momento em que ele e Kiko foram abordados pelos capangas de Moisés. Bernardo beija Débora. Tamtam recebe uma nova poesia de seu admirador secreto. Bertoni afirma que o seriado estreará na data prevista, mesmo com a troca do ator principal.

Amor Eterno Amor Valéria aceita se casar com Josué. Elisa surpreende Rodrigo ao pendurar um retrato de Verbena na casa. Gracinha mente para Pedro e diz que não é a responsável pelos bilhetes que ele encontra pela casa. Valdirene e Ribamar trocam olhares. Laís avisa a Juninho que eles já podem fugir. Tobias e Jacira desconversam quando Gilda e Mauro perguntam sobre filhos. Jáqui se recusa a aceitar pensão de Kléber. Miriam fica enciumada ao saber que Elisa se mudou para a casa de Rodrigo.

Cheias de Charme Tom implora que Laércio o salve de Chayene. Sandro não se conforma ao ouvir Penha marcar um jantar com Gentil. Conrado é promovido a supervisor de Humberto e Elano. Sarmento avisa a Laércio que Chayene não pode romper o contrato com Tom Bastos. Tom pensa em abalar o namoro de Rosário. Laércio aconselha Chayene a esquecer Fabian e as Empreguetes. Rodinei hesita em aceitar conversar com Emília Xavier. Elano descobre que Conrado não tem bom relacionamento com Otto. Sandro esvazia os pneus do carro de Gentil.

Avenida Brasil Jorginho questiona Nina sobre a presença de seu suposto namorado em sua festa de aniversário. Suelen coloca Olenka contra a parede. Jorginho dá um anel de presente a Nina. Carminha interrompe o jantar de Leleco e confronta Monalisa e Tufão. Noêmia e Verônica se unem contra Alexia. Paloma incentiva Alexia a se casar com Cadinho para dar o troco em Noêmia e Verônica. Tufão e Monalisa ficam juntos. Monalisa insinua que Tufão está apaixonado por outra mulher.

Diz que não quer ter mais filhos com Katie Holmes

Katie Holmes, 33, pode tirar o cavalinho da chuva caso esteja pensando em dar um irmão para a menina Suri, de seis anos. O marido dela, o ator Tom Cruise, 49, contou à revista “People” que não pretende ter mais filhos. “Estou muito contente com três”, afirmou ele, que também é pai de Bella, 19, e Connor, 17, do casamento com Nicole Kidman. Os dois foram adotados pelo então casal.

Nicole Scherzinger

No “X-Factor”

A cantora Nicole Scherzinger foi anunciada como nova jurada da versão britânica do programa de calouros “X-Factor”. Ela já havia integrado a equipe da versão americana, mas foi demitida após uma temporada como jurada. Segundo o jornal “The Sun”, a ex-Pussycat Dolls vai receber 750 mil libras (cerca de 2,4 milhões de reais) para fazer parte do programa.

Horóscopo Áries (21 mar. a 20 abr.) Um aspecto passageiro porem poderoso entre Lua e Marte na manhã de hoje favorece empreitadas arriscadas e importantes de trabalho e muito esporte pra tonificar o corpo. A noite, ótimos papos com amigos a vista. Touro (21 abr. a 20 mai.) Lua em seu signo está positiva para atividades externas, tratamentos corporais, canalização de energia em jardinagem, massagem, exercícios.. Reserve um pouco de seu pique para uma bela festa ou reunião a noite. Sensualidade a mil! Gêmeos (21 mai. a 20 jun.) Programe-se para um sábado com menos agitação social, porem de alta produtividade se o assunto for organização de casa, planejamento de atividades cotidianas, conserto de objetos domésticos ou de trabalho. Aquisições boas. Câncer (21 jun. a 21 jul.) Astral ótimo pra você estar com amigos o dia todo, compartilhando com eles suas ultimas conquistas e vitorias. Você irá receber apoio enérgico de alguém que tem poder para mobilizar alguma mudança real e efetiva em seus planos de vida. Leão (22 jul. a 22 ago.) Como o cenário astral está bom para os contatos familiares e aqueles de amizade, porem mais íntimos e privados, evite armar programações muito animadas e que exijam formalismos. Tudo o que você precisa hoje é de conforto emocional. Virgem (23 ago. a 22 set.)

Cenário astral agradável para viagens, romances, namoros que tragam um pique a mais pra seu momento atual. Você também conta com uma boa visão de conjunto, senso estratégico e sensibilidade social. Aprimoramento pessoal fácil.

Libra (23 set. a 22 out.) Sua saúde pode reclamar se você engatar programas muito agitados hoje. Com a energia de Marte e da Lua em ação conjunta pela manhã, insista em cuidados corporais e emocionais, atividades artísticas e contatos sociais leves. Escorpião (23 out. a 21 nov.) Suas antenas estão ligadíssimas hoje no parceiro; se estiver namorando ou engatou um romance há pouco, o sábado promete ser interessante. Mostre seu poder de sedução. Coragem e autonomia para agir de acordo com seu coração. Sagitário (22 nov. a 21 dez.) Assuntos ligados ao funcionamento da casa, pequenos transtornos como consertos inesperados de objetos quebrados, exames médicos, são o assunto do dia. De noite, com as boas vibrações do Sol e de Marte, animação em encontros! Capricórnio (22 dez. a 20 jan.) Mercúrio e Marte trazem noticias de alguém do seu passado, há alegria no ar. Nada de complicações! A Lua em Touro corre sensual a seu favor, neste sábado bom para sofisticados arranjos sociais e amorosos. Harmonia pessoal. Aquário (21 jan. a 19 fev.) Ótima dica para este sábado: convide amigos para um encontro bem informal e delicioso regado a comidinhas especiais e conversas inteligentes que elevam o espírito. Hospitalidade e alta sensibilidade. Cabeça boa para entender os outros. Peixes (20 fev. a 20 mar.) Pequenas viagens, conversas com vizinhos, irmãos, troca de noticias, tudo traz certo alvoroço a seu presente. Há novidades que podem trazer mudanças inesperadas. Mas você terá como resolver sendo mais atirado e objetivo.


CadernoD

Carro&Moto

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Fiat renova Palio Weekend, Siena EL e Pick-Up Strada

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

VW mostra conceito e-Bulli na Rio+20

DIVULGAÇÃO

Trio derivado do antigo Palio recebe retoques estéticos e novas versões DIVULGAÇÃO

Linhas 2013 de Palio Weekend, Siena e Strada permanecem sobre a plataforma do Palio antigo

Quase uma nova família”. A frase pode soar exagerada, mas é assim que a Fiat define as transformações estéticas reveladas para o sedã “de entrada” Siena EL, a perua Palio Weekend e a picape Strada. Após a chegada das novas gerações de Palio e Siena (que virou Grand Siena), pairava a dúvida sobre o que a fábrica italiana faria com o “trio compacto” de sucesso. E a resposta é a mais lógica (e óbvia) possível: a Fiat se apoiou no dito popular, de que “não se mexe em time que está ganhando”. E promoveu atualizações de estilo bem leves, modificando a frente e o painel dos modelos. Nos três modelos, a principal mudança externa são os para-choques dianteiros, que ganharam linhas muito próximas das adotadas no Grand Siena – com as divisórias das se-

ções dos faróis de neblina que lembram barbatanas de tubarão. A grade frontal da família compacta também foi renovada, e agora exibe a barra cromada (também chamada de “bigode”) já presente em outros veículos da marca, como o hatch “retrô” Cinquecento (500). De resto, tanto o Siena EL, quanto Palio Weekend e Strada seguem basicamente os mesmos. De “inédito”, há apenas novas opções rodas de liga leve e pneus. Interiores enfim são repaginados As mudanças mais sensíveis estão nos interiores, que precisavam mesmo de uma renovada. Tal como antes, o trio “conversa” entre si, e compartilha três painéis que mudam de acordo com as versões. O Siena EL é o único equipado com a mesma peça nas

duas configurações de motor disponíveis. O painel é mais simples e mantém bastante do formato antigo, com o console central ressaltado. E o quadro de instrumentos é novinho, com um relógio maior ao centro e outros dois mostradores nas pontas, seguindo o padrão do

Novo Uno – que deixa o sedã compacto mais condizente com sua faixa de preços. Esse mesmo painel é usado na versão Attractive 1.4 flex da Palio Weekend, e na versão Working 1.4 flex da Strada. Aliás, é na picape pequena que o novo cluster causa maior impacto, já que a atualização para a linha 2013 do utilitário eliminou a versão Fire – que usava o painel mais antigo do Palio, oriundo da primeira reestilização do hatch popular. Apesar de simplificado, o novo painel tem grafismos agradáveis, leitura simples e aparece realçado pelo novo volante de três raios, com formato mais anatômico e um cubo central robusto. E na perua Weekend, esse painel ainda pode ser estilizado com molduras plásticas.

Painéis foram retocados, mas novidade são os instrumentos; versão mais simples (acima) veio do Novo Uno

O modelo tem espaço para seis ocupantes e 360 litros de bagagem

D

estaque no Salão de Genebra de 2011, na Suíça, o simpático protótipo Volkswagen e-Bulli, uma releitura para a velha senhora Kombi, cruzou o oceano para mostrar sua tecnologia de motorização elétrica na Rio+20, a conferência da ONU sobre o meio ambiente. O projeto da VW ainda não tem data para chegar às ruas, mas a ideia é promissora e segue a tendência a emissão zero de poluentes com seu motor elétrico de 115 cv e autonomia para 300 km. Não só isso, a van futurista de meros 3,99 metros de comprimento tem espaço para seis ocupantes e bagagem. E o veículo também imprime um desempenho interessante. Conforme nú-

meros da fabricante, o e-Bulli elétrico acelera do 0 aos 100 km/h em 11,5 segundos e atinge até 140 km/h. Já a recarga das baterias é feita por uma estação especial, que segundo a montadora acelera o processo de reposição de energia das baterias. Outro detalhe curioso do conceito é sua conexão com o iPad. No e-Bulli, os recursos da cabine, como ar-condicionado e GPS, são controlados por meio do tablet da Apple, que vai conectado no painel do veículo. A vinda do e-Bulli ao Brasil, porém, nada tem há ver com uma possível aposentadoria da Kombi, que continua nos planos da divisão nacional da Volks – a van chegou ao país em 1953.


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

EcoBoost da Ford ganha o prêmio de melhor motor do ano Utilizado hoje no novo Focus, na minivan C-Max e no New Fiesta, propulsor possui apenas três cilindros e injeção direta com turbocompressor

O

motor Ecoboost 1.0 da Ford foi o grande vencedor do International Engine of the Year, prêmio que elege os melhores propulsores do ano. O bloco, que equipa a terceira geração do Focus na Europa, teve uma vantagem de mais de 100 pontos em cima do segundo colocado, o TSI 1.4 da Volkswagen. De acordo com Dean Slavlich, co-presidente da premiação, o que levou o propulsor da marca norte-americana a esta conquista foi o baixo nível de consumo de combustível e a performance que ele desenvolve, mesmo equipado um modelo pesado como o hatch médio. Lançado em 2011, o motor Ecoboost tem apenas três cilindros e 1 litro, assim como nossos populares. Porém, é dotado de turbocompressor e injeção direta de combustível e possui duas variações: a primeira com 100 cv e a segunda com 125 cv. Além do Focus III, esse motor deve estar presente ainda em modelos como a minivan C-Max e o New Fiesta europeu. O prêmio reforça a boa imagem que os novos motores de baixa cilindrada e alta desempenho têm conseguido no mercado mundial. No ano passado, o vencedor da competição foi o motor Twin Air, da Fiat, que possui apenas dois cilindros. Conhecida como downsizing, a técnica consiste em reduzir o volume dos motores e promover melhorias para compensar uma suposta

DIVULGAÇÃO

O CEO da Ford até beijou o novo motor

perda de potência e torque em relação a outros motores maiores. Outros propulsores também fo-

ram premiados, quatro deles desenvolvidos pela BMW. Outro destaque foi o motor 1.4 da GM, que

equipa o Chevrolet Volt e o Opel Ampera, e recebeu prêmio no segmento de “motores verdes”.

Fluence turbo chega por R$ 72,6 mil na Argentina

A

opção de motores turbinados entre os sedãs médios acaba de ganhar mais um integrante na... Argentina. Nesta quarta-feira (13), a Renault lançou no país vizinho o Fluence Sport, versão “picante” equipada com o bloco 2.0 turbo capaz de produzir 180 cv de potência. Para reforçar a esportividade, o motor é gerenciado por um câmbio manual de seis marchas. Já a tração é dianteira. Até agora, a fábrica francesa não divulgou números de desempenho. Mas o preço está confirmado: 158.700 pesos argentinos, o equivalente a R$ 72,6 mil. Segundo reportagem do parceiro Autoblog Argentina, o Fluence Sport tem como principais atributos o preço competitivo e a lista de equipamentos. O modelo sai de fábrica equipado com rodas de liga leve de 17 polegadas, interior coberto em couro preto, controles eletrônicos de estabilidade e tração, faróis de xênon com lavadores, freios ABS, seis airbags, teto solar, sistema multimí-

DIVULGAÇÃO

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Pista livre JOSÉ ARCANGELO

Colunista

Dados Nos 22 dias corridos de maio, conforme dados da Fenabrave, no Amapá, as novas medidas impulsionadas pelo Governo Federal com a diminuição do IPI para carros nacionais teve um incremento nas vendas, em média em 36,99% para automóveis e comerciais leves. Nos ônibus e caminhões a queda foi grande, com -56,25%, enquanto para motos houve um aumento de 14%. Números Com dados da Fenabrave, no Amapá em maio foram emplacados 1.194 unidades, assim distribuídas: 503 automóveis, 208 comerciais leves, 13 caminhões, 01 ônibus, 464 motos e 05 outros veículos, enquanto em abril, antes das medidas governamentais foram emplacadas apenas 966 unidades. No acumulado do ano estão rodando no Meio do Mundo 5.730 veículos automotores contra 7.793 no ano passado, no mesmo período. Planejamento Um dado que merece reflexão dos nossos governantes para determinem as suas secretarias de planejamentos, com urgência urgentíssima – como usam corriqueiramente no Congresso Nacional –, providências no sentido de implementar o fluxo de veículos nos municípios, com destaque para Macapá e Santana. Desde o ano passado, até o mês anterior, nada mais que 13.523 veículos automotores rodam no Amapá. Pensem nisso! Vias Macapá e Santana, juntas, passam por suas vias 94% dos veículos automores comercializados (autos), enquanto que 92,3% são de comerciais leves. No terceiro lugar vem Amapari com 3,7% e depois Oiapoque com 3,1%. Laranjal do Jarí, outrora polo de grande desenvolvimento industrial, caiu para quarto lugar com apenas 1,9%

Renault do Brasil não confirma, mas é quase certa a vinda do Fluence Sport ao país no segundo semestre

dia com GPS e tela de LCD no painel, ar-condicionado de duas zonas, partida do motor sem chave e sensores de chuva, luz e obstáculos traseiros. No mercado argentino, primeiro a receber o Fluence Sport, haverá sete opções de cores para a carroceria. No comunicado oficial, a Renault informa que a versão “apimentada” do sedã foi desenvolvida por um time de engenheiros de Argentina, Brasil, Chile e Colômbia. A equipe

Renault Sports Technologies, responsável por preparar modelos para competições de automobilismo, também participou do desenvolvimento. Segundo a reportagem do Autoblog Argentina publicada no fim de maio, o motor 2.0 recebeu diversas modificações. O site diz que o bloco 2.0 litro a gasolina recebeu sistema de injeção direta e turbocompressor. Além dos 180 cv de força, o motor seria capaz de despejar 30,6 kgfm de torque já a

Segundo o Autoblog Argentina, versão leva 8,5 segundos para ir de zero a 100/h e tem máxima de 215 km/h

partir dos 2.250 giros. E com essa energia, seriam necessários 8,5 segundos para arrancar de zero a 100 km/h, com máxima de 215 km/h. A reportagem informa que o bloco (F4R) seria “parente” do propulsor TCe de 180 cv que, na Europa, equipa o médio Mégane III (terceira geração). A Renault do Brasil não se pronunciou, mas é quase certo que o Fluence Sport virá ao país competir com as versões turbinadas de Peugeot 408 e VW Jetta.

D2

nos emplacamentos. É por esses e outros motivos que nossas ruas são esburacadas e as estradas sempre em péssimas condições de trafegabilidades. Novidades A Fiat escolheu Recife para apresentar na ultima quarta (13) parte da linha 2013, como sedan pequeno Siena SL, perua Weekend, Palio e picape Strada, a campeã nacional de vendas. Nestes modelos nota-se que a “cara” de todos tem um quê da frente do Grand Siena, sucesso incontestável, como para-choques redesenhados, com vistosa barra cromada superior, emoldurada por uma elegante colmeia. Interior Nos carros apresentados pela Fiat veem com um novo e vistoso painel, novos volantes, quadro de instrumentos, moldura quadrada e brilhante envolvendo o som com rádio/CD/MP3, acabamento refinado para os bancos e mais porta trecos espalhados pelo habitáculo, com direito a diversos pacotes de acessórios e equipamentos. Os modelos Adventures são os únicos com desenhos diferenciados, opcionais como rodas aro 16 polegadas mistas ou só para cidade, bancos de couro, comando de som e borboletas para trocas de marchas no sistema Dualogic. Sonho A Nissan, uma das montadoras com o maior crescimento mundial em vendas, apresentou ontem (sábado), por ocasião da abertura das 24 Horas de Le Mans (com encerramento hoje, domingo) o SUV Juke Nismo, com um motorzão 1.6 Turbo, que entrega 545 cv (se for o mesmo do Juke-R). O layout esportivo é marcante no carro, com para-choque agressivo e “asas” aerodinâmicas laterais e traseiras, robustez nos para- lamas, nova grade frontal, largos e vistosos pneus 18 polegadas.

Auto Pista

Algumas lojas de seminovos em Macapá como Betral Seminovos Plus e Moselli Seminovos, acompanhando a queda nos preços dos carros novos, aproveitaram para rebaixar os seus. Para o gerente Ney Oliveira Pereira, agora voltou a compensar levar um seminovo para a garagem, pois, a diferença do seminovo caiu em quase todos os modelos entre 10 a 15% em relação ao novo. –x-x-x-x- Visando adequar as novas condições de vendas, a Moselli Seminovos, segundo informa Ney Oliveira Pereira, está funcionando adjacente ao show room dos novos. -x-x-x-x- Mudança na Moselli (Ford). Deixa a gerência para assumir uma diretoria na Orion (Holding) Gianfranco Petronilo – promoção por merecimento -, assumindo seu lugar o sangue-novo Jussiê Luís Santos Lopes. –x-x-x-x- As trocas de velas de ignição se fazem necessárias a cada 20 mil quilômetros rodados, ajudando o motor na queima regular do combustível. Mas se o combustível usado for de péssima qualidade, troque imediatamente as quatro velas. –x-x-x-x- Pneus murchos em até 5 libras aumento o consumo de combustível do carro em até 20%. Com a chegada do nosso forte verão é recomendável recalibrar os pneus semanalmente, não esquecendo o estepe. –x-x-x-xXIX Encontro Médico Sócio Esportivo Cultural Amapá-Pará que iniciou no último sábado, encerra hoje, com um almoço na Associação Nossa Gente, patrocinado pela Betral Novos/Seminovos Plus. –x-x-x-x- “O Mestre disse: por natureza, os homens são próximos; a educação é o que os afasta”. (Confúcio). –x-x-x-x- Freando...e recomendando um test drive no i30 Hyundai, na Caoa Macapá. –x-x-x-x- Bom Domingo!


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

Problemas com o financiamento? Não se desespere e veja o que fazer

D3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Em detalhes

FOTOS DIVULGAÇÃO

Saiba como renegociar a dívida; para especialista, maioria dos contratos é abusiva DIVULGAÇÃO

Se inadimplente não puder ficar com o carro, pode incluí-lo na negociação da dívida

A

inadimplência do crédito referencial com atrasos superiores a 90 dias em que se incluem as operações de CDC (Crédito Direto ao Consumidor) para veículos - registrou novo recorde em abril, ao bater em 5,8%, segundo nota divulgada pelo Banco Central. Diante desse sinal amarelo, os bancos e instituições financeiras, ao mesmo tempo em que ficaram mais exigentes para conceder novos financiamentos para automóveis e motocicletas, se viram forçados a ampliar as facilidades para um acordo com quem está em atraso, por conta dos pátios já abarrotados de bens retomados. Assim, para quem prevê dificuldades em continuar em dia com as prestações ou já está em atraso, o caminho é o mesmo: renegociar. Antes, porém, é fundamental reavaliar as receitas pessoais ou da família os especialistas aconselham que não se comprometa mais do que 15% da renda com o financiamento de veículos e procurar orientação nos órgãos de defesa do consumidor. Para Renata Reis, supervisora de assuntos financeiros do Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor), o ideal é que o cliente evite atrasar as prestações, procurando a instituição financeira para nova negociação assim que perceber que o orçamento está prestes a estourar. “O inadimplente passa a ser considerado um cliente de risco elevado

pelos bancos e financeiras, ficando sujeito, assim, a juros mais altos numa eventual renegociação”, justifica. O devedor também tem seu nome incluído nos cadastros dos serviços de proteção ao crédito, impedindo-o de fazer novos empréstimos ou compras parceladas, por exemplo. Saídas para o sufoco Segundo Décio Carbonari, presidente da Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), as possibilidades de renegociação variam de acordo com a instituição e a situação do consumidor, mas o que normalmente é feito é o reescalonamento das parcelas, ou seja, divide-se o que ainda falta ser pago em um prazo maior, fazendo com que o valor de cada prestação seja reduzido. Entretanto, tal solução é uma faca de dois gumes: se por um lado faz com que as mensalidades voltem a caber no bolso do consumidor e lhe permite continuar com o carro, por outro o valor financiado pode se elevar a até três vezes o do bem original. Vale lembrar que a depreciação do automóvel logo no primeiro ano de uso é de 10%, em média. Trocando em miúdos, ao final do plano, o consumidor poderá ter pagado o equivalente a três modelos zero-quilômetro para ficar com um usado que valerá quase a metade de um novo. Assim, é recomendável que o consumidor faça uma boa pesquisa entre

vários bancos e financeiras sobre as condições que oferecem para o seu caso – o Banco Central autoriza a portabilidade financeira, quer dizer, a transferência do financiamento para uma instituição bancária mais conveniente ao consumidor – antes de decidir se vale a pena continuar com o veículo. Em ambos os casos (reescalonamento ou transferência), a renegociação implicará em outra cobrança de IOF, por ser uma nova operação financeira. Se o cliente não tiver condições ou interesse em permanecer com o carro, a solução é incluí-lo na negociação da dívida, o que pode ser feito de várias formas. A primeira delas, de acordo com o Procon, é tentar a “devolução amigável do bem”, pela qual o consumidor abre mão do que já foi pago, geralmente, e entrega o veículo ao banco, que o levará a leilão. Mas até que o carro seja vendido, as prestações continuam correndo em nome do comprador. O valor obtido na venda é usado pela instituição para quitar o saldo devedor e todos os débitos do cliente (juros, impostos, multas de trânsito etc.) e administrativos; caso não seja suficiente, a diferença será cobrada do consumidor. “Por isso, é importante registrar a entrega do carro por escrito e ficar atento à data do leilão, consultando a financeira constantemente, além de solicitar uma cópia da nota fiscal de venda”, afirma Renata Reis.

Entretanto, a devolução amigável diverge dos interesses dos bancos e financeiras, que preferem receber o dinheiro que emprestaram de volta. Dessa forma, o representante da Anef sugere que o consumidor tente vender o carro e liquide as parcelas restantes. Outra possibilidade, de acordo com Carbonari, é repassar o financiamento para um terceiro, cujo crédito, porém, terá de ser aprovado pela instituição. Por último, a alternativa seria trocar o carro por um mais barato numa concessionária ou loja particular, buscando, assim, reduzir ou quitar o saldo do financiamento com a diferença entre ambos. Contratos e cobranças irregulares Criada em 2000 para defender os interesses de pessoas físicas e jurídicas junto ao sistema bancário, a ABC (Associação Brasileira do Consumidor) informa que 95% dos contratos de financiamento de veículos possuem algum tipo de cobrança abusiva. Entre elas estão a inclusão de taxas e tarifas ilegais ao total financiado, como a comissão que a financeira oferece para o lojista, que, disfarçada de “serviços de terceiros” ou “pagamentos autorizados”, pode elevar o valor da prestação em até 20%. Outra distorção são os juros de prestações atrasadas. Com base nessas informações, qualquer cliente, em dificuldade ou não, pode reivindicar a devolução corrigida dessas quantias, já que o Art. 42 do Código de Defesa do Consumidor determina que todo valor cobrado indevidamente seja devolvido em dobro, com juros e correção monetária. “Em alguns casos, os valores cobrados a maior no contrato são suficientes para quitar as prestações em atraso”, afirma Marcelo Segredo, diretor-presidente da ABC. Ainda segundo ele, as pesquisas nos tribunais demonstram o favorecimento ao consumidor em 90% das solicitações de revisão de cobranças. No portal da ABC é possível fazer uma simulação do valor exato da prestação a ser paga, por meio da “Calculadora do Bem”.

Ford Mustang 2013 chega ao Chile abaixo dos R$ 100 mil

Que tal estacionar um muscle car 0km na garagem gastando menos de R$ 100 mil? É um provilégio dos chilenos, que acabam de receber a linha 2013 do Mustang com preço inicial de US$ 47.940, o equivalente a R$ 98,6 mil – mais barato que algumas versões do Fusion por aqui. Na linha 2013, o mítico carro da Ford traz inovações tecnológicas e um motor 5.0 V8 recalibrado para gerar 420 cv – 18 pôneis malditos a mais que o anterior. Esta unidade trabalha em conjunto com um câmbio automático de seis velocidades com o chamado SelectShift. ............................................................................

Futuro Audi Q2 pode ficar apenas para 2015

Ao que tudo indica, a família ‘Q’, da Audi, vai demorar um pouco mais do que o esperado para crescer. É que o próximo membro, o pequeno Q2 – também conhecido como Q1 – deve ficar só para 2015, como tem comentado a imprensa internacional. É que os alemães estariam esperando por melhores condições de mercado para justificar a construção do crossover compacto. A previsão inicial era de que o novo Audi fosse lançado no primeiro trimestre de 2013 com preços a partir de 25.000 euros. Esteticamente, o Audi Q2 deve se inspirar no conceito Q3 Vail – esse aí em cuima –, apresentado no Salão de Detroit (EUA), em janeiro deste ano. ............................................................................

Mini Rocketman vai às Olimpíadas de Londres

O Mini Rocketman nasceu com um problema crônico. Ele é bonito, chamou a atenção quando foi apresentado em março no Salão de Genebra, mas ele não conseguia cumprir as normas de segurança europeias. Mas a BMW resolveu dar uma segunda chance para o pequeno foguete e irá levar uma versão mais realista nas Olimpíadas de Londres. Compacto, mesmo para um Mini, ele mede apenas 3,41 m de comprimento e 1,90 m de largura, com chassi spaceframe em carbono. Com um corpo destes, o carro não passaria nos testes de colisão. Outro problema do Rocketman era a ausência do controle eletrônico de estabilidade, equipamento que logo será obrigatório na Europa. No entanto, os alemães fizeram silêncio e não disseram o que mudou nesta nova versão do conceito. ............................................................................

Para sobreviver ao financiamento

Não espere atrasar a prestação para buscar ajuda; Exija da instituição financeira uma cópia do contrato, se não tiver; Procure orientação nos órgãos de Defesa do Consumidor; Pesquise as condições de outros bancos e financeiras; Não comprometa mais de 15% do salário com as prestações do veículo; Se preferir ficar com o carro, analise o custo final do refinanciamento ou da transferência de banco; Para se livrar da dívida, as opções são a entrega amigável do veículo, a venda ou troca por outro de menor valor, ou o repasse do financiamento para terceiro.

Kia supera 1 milhão de unidades vendidas em 2012

A Kia superou a marca de 1 milhão de unidades vendidas em 2012. No acumulado de janeiro a maio, foram precisamente 1.106.041 veículos, um crescimento de 11,9% em relação ao mesmo período do ano passado. A Europa foi a grande responsável pelo aumento nas vendas. Nos cinco primeiros meses do ano foram vendidas 231.046 mil unidades. Depois vem a América do Norte, com 268.897 mil unidades. O modelo mais vendido foi o Kia Rio, com 42.447 unidades. ............................................................................

Novo espelho retrovisor elimina pontos cegos

U

m professor da Universidade Drexel, na Filadélfia (EUA), resolveu o problema do ponto cego dos espelhos retrovisores externos de carros. O responsável pela invenção é Andrew R. Hicks, professor de matemática da instituição. Sua inspiração foi badalada: o acessório segue o mesmo princípio de um globo de discoteca, com mini-espelhos dispostos em diferentes ângulos. Para chegar ao produto final, o mestre desenvolveu um algoritmo que controla o modo como a luz é refletida, para que ele não se pareça como um espelho curvo. O cam-

po de visão do artefato de Hicks é de 45 graus – um grande avanço em relação à maioria dos retrovisores, os quais oferecem ao motorista área de 15 a 17 graus. O professor já recebeu a patente pela criação, mas ainda não a verá nos veículos novos dos Estados Unidos, que devem apresentar peças refletoras completamente planas. Até hoje, a única saída para solucionar este problema era um espelho convexo pequeno, utilizado no campo superior esquerdo do regular. O grande diferencial da invenção de Hicks é a definição da imagem refletida,

DIVULGAÇÃO

Audi vai redesenhar nova geração do A2 O espelho de cima é o desenvolvido pelo professor Andrew Hicks

sem grandes distorções. A novidade poderá ser incluída nos automóveis como acessórios, depois de terem saído das con-

cessionárias. Obviamente, fabricantes já estão assediando o professor para produzirem o espelho em suas marcas.

A Audi vai voltar à prancheta para redesenhar o novo A2. O hatch compacto de cinco portas, que foi vendido entre 1999 e 2005 sem grande sucesso, recebeu críticas em sua nova geração quanto em função de seu tamanho. Temendo errar novamente, os alemães vão reavaliar as dimensões do carro, que vai crescer. O novo Audi A2 será montado sobre a plataforma MQB, a mesma do novo A3, Golf VII e boa parte dos carros do grupo VW. Previsto para 2014, o modelo deve crescer pelo menos 12 centímetros em relação ao conceito que você vê acima. A altura também deve ficar pelo menos 2,4 cm maior. Isso deixará o A2 com o tamanho aproximado de um VW Golf – ou seja, nem tão compacto assim –, mas ainda entre o A1 e o A3. Sob o capô, são esperados motores a gasolina, disel e uma variante elétrica.


Sociedade

Aline Lima alinelima@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Mensagem do dia

O diferencial do batom

“Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração! Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e que tal um cafezinho gostoso agora? A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso cante, chore,dance e viva intensamente antes que a cortina se feche!” Arnaldo Jabor.

Luma Coutinho e Jade Vale

Coleção To Fly nas lojas Visual Fashion

Kato e Monalisa

Marcio e esposa juntinhos

O batom é o diferencial de qualquer maquiagem e são necessários alguns cuidados para que ele tenha destaque positivo. Saber o seu tom ideal, a maneira correta de aplicar, truques para evitar borrados e dicas para aumentar a duração, são alguns dos quesitos para ter uma boca perfeita. A hidratação labial é o passo mais importante para manter a boca sempre impecável na hora da aplicação do batom. É necessário saber qual é o tom natural do seu lábio para fazer a escolha ideal do seu tom de batom. Pessoas com os lábios mais pálidos ficam bem com tons de batons vermelhocereja e coral. Aquelas dos lábios naturalmente pigmentados, podem optar pelos tons de pink, laranja e vermelhos arroxeados. E por ultimo, os lábios mais escuros, combinam mais com tons de tijolo e vinho.

Aplicação

Repórter do programa Balada Fashion Nathacha Dantas

A aplicação do batom faz toda a diferença no resultado final. Para quem não tem prática para lidar com os tons mais escuros, o ideal é utilizar um pincel, ou um lápis de contorno para evitar borrados.

Duração

Carolina Mira

Fernanda Teixeira

Juliana Sousa

Renato, Solange, Regane e Lycia

Para aumentar o efeito de duração do seu batom tem duas dicas infalíveis. A primeira é reaplicar o produto nos lábios depois de retirar o excesso com o lenço de papel. O segundo e ultimo passo é passar uma camada fina de pó translucido com um pincel específico para pó.


CadernoE

Economia&Negócios Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Diretoria da ACIA acompanha andamento da obra do novo prédio da instituição Localização estratégica dará mais visibilidade aos serviços prestados ao setor empresarial amapaense

E

São 16 andares, 154 salas comerciais, sendo 11 salas em cada andar e 112 vagas para estacionamento rotativo. Área total de 42.960 metros quadrados

sta semana a diretoria da Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA) fez visita de acompanhamento dos serviços de construção do novo prédio da entidade. Localizada na Avenida Fab, centro da capital, a obra está em ritmo acelerado. As novas instalações agregarão modernidade à sede da ACIA, fortalecendo a classe empresarial. Os diretores constataram que os serviços estão dentro do prazo previsto no cronograma da obra. Participaram da inspeção, o presidente da ACIA, Ricardo Souza, Otaciano Junior, vice presidente, o tesoureiro Altair Pereira, Odelson Sales, membro do Conselho Superior, Barbara Pamella, diretora financeira, Kassia Lucenna, diretora do Grupo de Jovens Empresários e Paulo Uchôa, membro do Conselho Fiscal da entidade. Na obra, os diretores fizeram questão de visitar as instalações dos mais de 10 andares em construção. Em uma reunião informal, discutiram sobre o

andamento dos serviços e os avanços que a entidade poderá alcançar em seu novo endereço. Os serviços estão sendo executados pela empresa ICON – Construtora e Incorporação, sob regime de permuta, já que a área é pertencente à ACIA. Dos 16 andares a serem construídos, a Associação Comercial e Industrial do Amapá terá direito ao térreo, primeiro andar, cobertura e 20 vagas para estacionamento. De acordo com o presidente Ricardo Souza, o térreo será alugado para instituições financeiras, visando disponibilizar caixas eletrônicos que prestarão serviços para empresas e a população. Já o primeiro andar, foi projetado para funcionar a gestão administrativa da ACIA, e a cobertura será transformada em um ambiente de lazer, contemplando bares, salão de jogos e espaços para alimentação. “É importante ressaltar que o projeto de construção deste novo prédio iniciou ainda na administração de Gilberto FOTOS HEVERTON MENDES

Diretores acompanham andamento da obra e discutem vantagens e modernização da entidade

FOTOS HEVERTON MENDES

Laurindo e desde novembro de 2010 está em andamento” declarou Ricardo Souza. “São 16 andares, onde estarão distribuídas 154 salas comerciais, sendo 11 em cada andar e 112 vagas para estacionamento rotativo. No total, temos uma área de 42.960 metros quadrados em construção” informou o proprietário da empresa ICON e membro da diretoria, Odelson Sales, acrescentando que das salas disponíveis para comercialização, 70% já foram negociadas. Cerca de R$ 25 milhões estão sendo investidos no novo empreendimento. Para o vice presidente da entidade, Otaciano Junior, as novas instalações agregarão modernização e melhorarão os serviços prestados. “A entidade ganhará maior visibilidade, teremos a ampliação dos espaços para oferta de serviços, com mais conforto para nossos colaboradores e associados”, analisou. A obra está gerando no Amapá mais de duzentos empregos diretos. Após a sua conclusão e inauguração, estima-se que mais de 1,2 mil pessoas passem pelo prédio diariamente. Atuação da ACIA Com 67 anos de atuação, a

Associação Comercial e Industrial do Amapá conta atualmente com 180 associados. A entidade destaca-se pelo trabalho de representatividade em defesa e desenvolvimento da classe empresarial, comércio, indústria e prestação de serviços. A ACIA tem como objetivo ser uma extensão das empresas e desenvolve inúmeras ações, além de oferecer serviços, produtos, soluções e diferenciais competitivos que contribuem para que seus associados obtenham sucesso e estejam à frente no mercado. É neste contexto, que na segunda-feira (18), as 19 horas, representantes da Associação irão se reunir com a direção da Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMAC), para discutir sobre a implantação do estacionamento rotativo em Macapá. O encontro visa debater sobre os benefícios e desvantagens que o setor comercial terá com o novo sistema. A ICON destaca que ainda dispõe para venda algumas salas no prédio. Os interessados podem fazer contato com o plantão de vendas no 3222-4603.

Serviços estão sendo executados pela empresa ICON. Novas instalações estão orçadas em cerca de R$ 25 milhões

ACIA contará com o térreo, primeiro andar e cobertura para executar serviços da entidade


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

E2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Vamos estar atentos ao nosso comportamento

CONCEIÇÃO TEIXEIRA Psicóloga

As pessoas são contratadas pelas suas habilidades técnicas, mas são demitidas pelos seus comportamentos” (Peter Druker) Você já percebeu que esta é uma realidade que serve para todas as relações? Pois muitas vezesfazemos a coisa certa na hora errada. Sabe,uma vez um jovem agricultor tinha uma namorada muito bonita. Ele tinha tudo para ser feliz, mas andava muito triste. Isso acabou chamando a atenção de um velho amigo da família que, procurando ajudar, perguntou: - Como procedes no teu dia a dia? O jovem agricultor respondeu: - De manhã bem cedo passo para ver minha namorada e depois vou ao campo para ver como andam as atividades dos trabalhadores das minhas plantações. Ultimamente, entretanto, a namorada não tem me parecido tão bonita como era e a plantação anda meio sem vida. - Então dou-te uma sugestão: Quando levantares, primeiro vai visitar teus campos; só então, na volta, passa para ver tua namorada. Algum tempo mais tarde, os dois amigos voltaram a se encontrar. Agora o jovem alegre e satisfeito. O seu amigo percebeu a mudança e disse: - Tu não fazias nada errado, mas havia um problema: fazias a coisa certa

na hora errada! Logo cedo tua namorada ainda estava com sono; os olhos ainda estavam meio fechados e sem brilho; ela não havia se penteado como devia, nem tinha tido tempo de colocar um perfume. Da mesma forma, já com o sol alto, as plantações ficam mesmo caidinhas, pois já perderam o frescor do orvalho da madrugada, que lhes deixa bonitas e viçosas. (Do Livro Histórias que ensinam) E é assim, quantas coisas certas feitas na hora errada. Quantas palavras muito bem vindas, desperdiçadas quando ditas em momentos desastrosos, e aí vem a pergunta: o que fazer? • Desenvolver a habilidade de saber ouvir. • Aprender que há coisas que podemos dizer ao mundo, há coisas que podemos dizer a poucos e há aquilo que devemos guardar apenas para nós. • Estar atento ao limite de cada um. • Escolher a hora certa para falar. • Dar o melhor de si onde estiver. • Viver cada momento como se fosse único. • Sorrir apesar de tudo. • Abraçar calorosamente um amigo. • Respeitar as diferenças. • Avaliar as críticas. • Reconhecer os próprios erros e remodelar atitudes. E ...nem sempre mate as “formigas”... a exemplo disso deixe lhes contar: Um homem pegou 20 anos de cadeia porque saíra do trilho. Na prisão seu problema era como ocupar o tempo. Depois de alguns

meses, descobriu algumas formigas debaixo de um reboco de sua cela. Uma daquelas formigas parecia particularmente dotada e o preso decidiu adestra-la. Precisou de muita paciência, mas depois de um tempão, a formiga obedecia às suas ordens, dançava sobre um fio de cabelo e fazia um duplo salto mortal. Mais um tempão, a maravilhosa (agora já bastante velha) formiga sabia cantar as mais lindas canções. Mais um tempão e ela falava corretamente quatro idiomas. A formiga estava ainda aprendendo quando o homem foi solto. Ele colocou no bolso a preciosa formiga, na esperança de que ela lhe fizesse ganhar muito dinheiro. Fora da cadeia, foi direto para um bar e, depois de ter bebido, não resistiu à tentação de mostrar as habilidades de sua formiga. Colocou-a sobre o balcão e chamou o garçom. O garçom, sem perder tempo, esmagou a formiga dizendo: - Peço-lhe que me desculpe, senhor! Prometo que vamos tomar mais cuidado com a limpeza do bar. (Do Livro Histórias que ensinam) A você que leu este artigo, meu muito obrigado e uma boa semana de trabalho.

Fonte

C

erta vez ouvi do publicitário Júlio Ribeiro que o medo de ousar já fechou muito mais empresas do que a ousadia e os burocratas são muito mais perigosos do que os poetas. Penso que a vontade de se preparar deve ser maior do que vontade de vencer, afinal, são os preparados que vencem o jogo da vida. Uma palavra forte no conceito do líder é a palavra “influência” que na verdadeira liderança irá aparecer sempre no lugar da palavra “imposição”. O líder influencia e o seu papel maior é motivar pessoas e ter a mente aberta para novas possibilidades, incluindo-se aí as inovações de gestão e, principalmente, tecnológicas. As ideias são inúteis se não forem seguidas de ações. O que motiva o ser humano? Desafios extraordinários produzem pessoas extraordinárias. O pensador, filósofo, advogado e senador romano Lucius Annaeus Sêneca disse: “Não nos falta valor para empreender certas coisas porque são difíceis... Porém, são difíceis porque nos falta coragem para empreendê-las”. O executivo brasileiro Carlos Ghosn, nascido na cidade de Guajará-Mirim no Estado de Rondônia e a quem considero o Henry Ford do século 21, presidente mundial da Renault e da Nissan disse assim: “A motivação é a única coisa que faz a

diferença e se você perder a motivação, aos poucos você perde tudo”. Ele que é atualmente um dos 25 executivos mais influentes do mundo tirou a Nissan da falência e a transformou numa das montadoras mais rentáveis do planeta. Antes, porém, teve que fechar cinco fábricas e demitir 20 mil funcionários. Quantas vezes você ouviu em alguma palestra que em certas circunstâncias é preciso afiar os machados? Ou seja, é preciso preparar-se e em algumas situações é melhor recuar um passo para em seguida dar mais dois à frente. O momento que vivemos nos faz pensar no melhor posicionamento da liderança que é o equilíbrio. Nos bons tempos, as pessoas, as empresas em sua “zona de conforto” jogavam a sujeira para debaixo do tapete. Hoje, é preciso buscar excelência, tecnologia, novos talentos, produtividade e mais do que eficiência e eficácia, estar presente com a efetividade de sua equipe de trabalho. Os nossos limites dependem de nossa ousadia. A recessão voltou a ser tema no palco do nosso dia a dia, nas conversas do café, nas manchetes dos jornais... As perguntas são: “O que fazer?”, “Como se comportar?” e “Como enfrentar este momento delicado?”. O papel da liderança é enxergar o que todo mundo vê, mas com olhos diferentes. Muitos pisam no freio, outros no

18 a 22 de junho tem o curso “Birras e a Formação da Personalidade”.

Psicóloga Conceição Teixeira conceicao@accrh. com

O líder de verdade não é míope! R.H.COM.BR

Veja os cursos para o mês de junho

acelerador. A saída é trabalhar o comprometimento dos seus times, aprimorar serviços, conquistar mais clientes, treinar mais as equipes, buscar a fidelidade de quem faz o seu negócio existir. Definitivamente não basta ter apenas conhecimento, mesmo tendo a real noção de que o saber destroi incertezas... É preciso ter atitude, agregar serviços aos produtos, melhorar atendimento, melhorar distribuição e logística, dar mais atenção à assistência e aos controles. Os que pisaram no freio arrefeceram, saíram do mercado... Os que pisaram no acelerador herdaram um mercado maior, com menos concorrência. O verdadeiro líder tem essa visão, possui este diagnóstico de sua equipe, de seu mercado. Sabe que aqueles que pisaram no freio querem “voltar”, mas a água do rio já passou, perderam o mercado e certamente irão engrossar as fileiras dos negativos de plantão, dos descontentes e desmotivados, que dão combustível ao coro dos que acham que vivemos uma crise sem precedentes e sem solução. O líder de verdade não é míope... Ele enxerga as dificuldades, mas a sua visão é maior, é de entrega, é de superação, é de resultados. Repensar o negócio, a carreira, deve ser uma constante, afinal, não dá mais para esperar. O mundo é mutante e exige rapidez. Os clientes não reclamam, apenas mudam.

27, 28 e 29 de junho tem o curso de Couching e Mentoring

Relacionamento no ambiente de trabalho faz toda a diferença

No ambiente de trabalho, o relacionamento profissional deve ser sempre cordial, amigável e respeitoso

ADMINISTRADORES.COM.BR Fonte

N

o nosso ambiente de trabalho, o relacionamento profissional deve ser sempre cordial, amigável e respeitoso. A linha que divide um contato amigável de um contato mais “intimo” é muito tênue, por isso, devemos prestar muita atenção se nossas atitudes estão adequadas ao nosso ambiente de trabalho. Se nos tomamos alguma atitude diferente das atitudes que os outros profissionais que trabalham conosco tomam, algo está errado. A regra geral é que “o que a maioria pratica” é o adequado. O relacionamento com o passar do tempo com as mesmas pessoas no dia a dia, tende a ficar mais próximo e com isso começar a deixar de ser profissional para ser pessoal. Claro que um relacionamento não pode ser somente profissional, mas o cuidado com as informações e atitudes pessoais é importantíssimo. Vamos dividir em: Relacionamento com os clientes: Aquelas pes-

soas que atendem clientes, que se expõem o tempo todo devem ter bom senso para “cortar” se o cliente está somente querendo “se encantar” com a vendedora(o)r. Relacionamento com os colegas de trabalho: Deve ser cordial, amigável e respeitoso, nunca intimo pois “essa intimidade” diminui o respeito e acima de tudo o grau profissional. Essa intimidade pode ser expressa de várias formas como: falar intimidades, contato físico e outras atitudes inadequadas ao profissional. Quando falamos de hierarquia, poderá haver o “assédio sexual” e a perda exercida do poder, ou seja, fica muito difícil você “cobrar metas” ou fazer qualquer outro tipo de cobrança quando se torna “intimo” do outro. Pessoas com Personalidade Introvertida: Essas pessoas são “fechadas” e, portanto muito menos propensas a pratica da exposição, da intimidade. São pessoas introspectivas e reservadas que geralmente estão mais focadas no trabalho.

Pessoas com Personalidade Extrovertida: Essas pessoas são “abertas” e, portanto muito mais propensas a pratica da exposição, da intimidade. São pessoas que por sua habilidade falante se dispersa facilmente no ambiente de trabalho. Essas pessoas, por sua forma de ser, muitas vezes são “mal interpretadas” pelas pessoas que oportunamente se aproveitam dessa extroversão para “perder o profissionalismo e se aproximar para a intimidade” Os ambientes de trabalho também exercem uma influencia direta no relacionamento organizacional. Ambientes criativos, geralmente propiciam maior contato humano, já ambientes burocráticos propiciam maior “seriedade” nos contatos. O importante é o profissional perceber se as suas atitudes de relacionamento na empresa são semelhantes a maioria das atitudes de seus colegas, só assim terá certeza que estará tendo um relacionamento adequado e profissional em seu ambiente organizacional.


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

E3


Click JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 17 e 18 de junho de 2012

Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Igor Diniz e sua mãe Márcia Diniz comemoraram aniversário na última quarta-feira

Governador do Estado Camilo Capiberibe concedendo entrevista exclusiva ao Jornal do Dia

Os dois aniversariantes em recente viagem aos Estados Unidos na base espacial da NASA com o pai e esposo advogado Américo Diniz

Joelma Góes

Lanna Remya

Carolina Santos e Joelma Rodrigues curtindo o que a vida tem de melhor Alanna Victória, Erick Ribeiro e Mônica Nascimento equipe do Portal do Jornal do Dia, com média de 10 mil acessos diários. Acesse: www.jdia.com.br e fique bem informado. Quem lê sabe mais!

Linda jovem Anália Pires, aluna da Escola Iracy Tavares no município de Ferreira Gomes, foi eleita Rainha das Flores

De aniversário nessa segunda-feira a DJ Jackeline Sanches.

Graziela Azevedo

Jornal do Dia 17-18/06/2012  

Jornal do Dia 17-18/06/2012