Issuu on Google+

Macapá-AP, Sexta-feira, 12 de Julho de 2013 - Ano XXVI

* Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

•Domingo e Segunda R$ 2,50 •Terça a Sábado R$ 1,50 JORNAL DO DIA

CRIME EM FAMÍLIA

Homem é baleado no meio da rua e cunhado é suspeito Antônio Rubens Lima Dias, de 27 anos, conhecido como “Rubinho”,foi assassinado com pelo menos três tiros. O crime aconteceu por volta

das 11h20 de ontem (11), no cruzamento da Rua Hamilton Silva com a Avenida Diógenes Silva, no bairro do Trem, zona sul de Macapá. O

suspeito do crime é seu cunhado, identificado apenas como John. Os dois teriam brigado por causa de uma dívida de R$ 14 mil. nB3 CELIANE FREITAS

Prefeito de Amapá, Francisco de Assis

SUSPEITA

Vereadores de Amapá criam CPI para apurar gastos da PMA Vereadores de Amapá criaram uma CPI para investigar a aplicação de recursos pelo prefeito do município, Francisco Assis Leite Teixeira. nA3

NOVA LEI

Senado aprova regulamentação do trabalho doméstico Rubinho foi baleado e morto num cruzamento movimentado no bairro do Trem, às 11h20. O crime foi presenciado por muitos populares

JORNAL DO DIA

Treinamento do rubro-negro

FUTEBOL

Trem prepara equipe para a estréia no Amapazão

Principais pontos tratam da jornada de trabalho semanal de 44 horas e do pagamento de encargos trabalhistas pelo empregador. nA4

DIA NACIONAL DE LUTAS

JORNAL DO DIA

Trabalhadores do AP vão às ruas, engrossando manifestação nacional

Ato foi iniciado às 16 horas, na Praça da Bandeira, e percorreu as ruas do Centro. Servidores públicos, policiais federais, empregadas domésticas, profissionais da

saúde, educação, segurança pública, movimentos sociais e estudantes pediram melhores condições de trabalho e investimentos nos setores públicos.nA4 CELIANE FREITAS

Evento será realizado hoje à noite e é aberto ao público em geral

DE OLHO NO CÉU

Evento permite a observação de astros no Museu Sacaca

Rubro-negro intensifica treinamentos para estréia no Campeonato Amapaense de Futebol, contra o Santos, confirmada para segunda-feira (15) à noite. Partida acontece no estádio Glicério Marques. nC2

O Centro de Pesquisas Museológicas do Iepa realiza, hoje à noite, mais uma edição do Observando em Latitude 0°, no Museu Sacaca. O evento permite observações da lua e de outros corpos celestes, com o auxílio de telescópios e binóculos especiais.nC3

MARCHA

Carta assinada por prefeitos pede reajuste de 2% no FPM

ALERTA

Pacotes bancários subiram até 79% acima da inflação

Ao final da 16ª Marcha dos Prefeitos, em Brasília, ontem, foi lida a carta em que prefeitos pedem reajuste de 2% nos repasses do FPM.nB4 Manifestantes partiram da Praça da Bandeira e percorreram pacificamente as ruas do centro de Macapá

Após cinco anos da padronização das tarifas bancárias, pesquisa do Idec sobre o comportamento dos preços dos pacotes de tarifas dos seis maiores bancos do país, revela uma elevação de valores bem superior à inflação.nB1

NA INTERNET: www.jdia.com.br - REDAÇÃO: 3217.1117 - COMERCIAL: jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO: 3217.1111 - ATENDIMENTO: 3217.1110


Opinião

JD

Poucas & Boas

• APESAR DAS polícias

francesas presentes na cidade de Saint Georges (Guiana Francesa), do outro lado do Rio Oiapoque, tratarem brasileiros clandestinos com muito rigor, o mesmo não ocorre quando os patrícios precisam de atendimentos na área da saúde. Atravessando graves e crônicos problemas no atendimento médico do lado brasileiro, os profissionais franceses, quando necessário, enviam doentes brasileiros para tratamentos especializados nas ilhas de Martinica e Guadalupe, no Caribe ou mesmo até Paris. Neste ponto não temos nada a reclamar e sim só elogiar.

• PAUTAS DE reivindica-

ções na grande passeata de ontem pelas ruas de Macapá. Na trabalhista: redução da jornada de trabalho, fim do fator previdenciário, da terceirização e rejuste salarial digno para aposentados. As populares: mais investimentos em saúde, educação,

mobilidade urbana, como transporte público, trânsito, espaço para entretenimento, esportes, atividades culturais com direito a passe livre.

• EM RELAÇÃO à pauta

para os servidores públicos, ela é bastante incisiva como: tornar crime o assédio moral, fim da prática abusiva de aprovação de leis que não tramitam sequer por um tempo de 24 horas na Assembleia Legislativa do Amapá e agenda à negociação das reivindicações específicas de cada categoria. E que tal o fim da corrupção no setor público?

• RUMORES QUE correm

pelos corredores da Câmara Municipal de Macapá (CVM) dão conta que parlamentares de oposição estariam com um grande dossiê, que mostraria diversos desvios na administração da Casa. Parte dele já teria vazado a um órgão de comunicação, que chegou a anunciar que divulgaria os fa-

tos. Dias depois, em vez das denúncias, na rede hertziana, generosas publicidades da CVM.

• COM PRESSA mesmo

estão os operários, numa espécie de “se vira nos 30”, para concluírem as obras da rotatória da Rodovia Juscelino Kubitscheck até o próximo dia 30, quando será inaugurado o Amapá Garden Shopping. Maior problema é a chuva intensa que teima em cair mesmo em nosso “verão”, em pleno mês de julho.

• PAPA FRANCISCO as-

sinou ontem, quinta-feira (11), um decreto que reforça as sanções penais contra os abusos a menores de idade na Santa Sé e na cúria (o governo do Vaticano), que inclui os crimes de pedofilia e a prostituição de menores e também implementa normas internacionais contra a lavagem de dinheiro. O texto, que introduz ainda nas leis vaticanas o delito, inclui “o conjunto da categoria dos

crimes contra os menores: a venda, prostituição, recrutamento e violência sexual contra eles, a pornografia, a posse de material pornográfico e os atos sexuais com menores”. As reformas permitirão que funcionários da Cúria Romana sejam indiciados por crimes cometidos fora do Vaticano.

• AMPLIAÇÃO DO siste-

ma de abastecimento de água, de estação elevatória e reservatório apoiado. O Governo do Amapá fechou convênio, de número 595348, com o Ministério das Cidades, num valor de R$ 29 milhões. O GEA já recebeu uma parte em 3 de julho.

• OUTRO CONVÊNIO,

de número 595349, para ampliação de abastecimento de água, micro e macromedição, controle de perda operacional, reservação, adução e rede distribuição, foi assinado pelo GEA com o mesmo ministério, no valor de R$ 28 milhões. A data da última liberação de recursos foi também dia 3 de julho. Todos devem acompanhar para ver os resultados. Estamos de olho!

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

N

unca uma eleição apavorou tanto os detentores de mandato no Brasil como esta de 2014. Presidente, governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais estão completamente sem saber o rumo que tomar. Temem alinhar-se a situação e chegar a um abismo eleitoral sem chances de renovação dos mandatos através da reeleição; temem alinhar-se a oposição e haver a recuperação do governo e perder a chance de participar da divisão do poder pelos próximos quatro anos. No momento os que estão com os planos de renovar os mandatos não querem e não podem arriscar, pois, afinal de contas, na qualidade de aliados do governo planejavam fazer parte do banquete final que desenhavam não faz cinco meses. Mas a política é assim, diria um experiente militante, acrescentando que “a política é como nuvens no céu, a cada momento tem um formato”. Dá a impressão que até

agora os líderes partidários ainda não fizeram a melhor leitura para saber o que está acontecendo. Até agora continuam se equivocando quando se mostram para analisar o cenário ou para fazer as propostas. A proposta de alongar o tempo do estudante de medicina por mais dois anos, colocando o que considerariam acadêmicos, de forma obrigatória, embora bem pagos, para prestar serviço à comunidade em uma condição incomum e com a desculpa de fazer parte do conteúdo programático do curso, é o desafio. A reação das organizações que representam os profissionais médicos, seja conselhos, seja as associações e institutos, foi a resposta natural, não em defesa dos profissionais, mas em defesa da liberdade. Mas as “vozes das ruas” encerram muito poder – deixam os administradores completamente sem chão e propensos a fazer qualquer coisa para responder, inclusive o que não deve ou o que nunca deveriam imaginar.

Mas há de se observar que algumas questões aéticas estão ocorrendo. O que o presidente da Câmara Federal, do Senado e o Governador do Estado do Rio, por exemplo, andaram fazendo nos últimos dias e podem estar fazendo há muito tempo é um escândalo. Nem tanto pelo que há de substantivo, mas também por ele, contudo pela forma como encararam e justificaram o que fizeram. Para eles o errado está certo e o certo não tem sentido. Mesmo sabendo que tudo o que fazem está sendo pago com dinheiro do povo e ordenado por ele mesmo. Certamente, quando já estiverem longe do poder, aqueles dirigentes públicos perceberão o que fizeram de errado e, até, combaterão com a mesma sinceridade que aparentam justificar o que fazem agora e acham certo. Os homens públicos sabem que estão sendo acompanhados e mais que isso, observados a cada passo, para verificar se estão dispostos a mudar de comportamento. Mesmo assim não mudam e continuam a considerar o público como se privado fosse e,

mais, como se o privado fosse exatamente o seu. Aproximar a imagem do que está acontecendo em Brasília e no Rio de Janeiro tem o mesmo “brilho” do que acontece em outros estados de outras regiões do país. No Amapá os dirigentes públicos, de todos os poderes, estão acostumados, uns mais outros menos, com o controle absoluto das coisas públicas, chegando alguns a imaginar que o poder lhes transfere para o privado o que é público. Por aqui ainda vivemos o tempo em que o gestor pode alimentar-se com os produtos do supermercado comprados com o dinheiro público. Esse tempo já passou, faz tempo, entretanto, a vontade de revivê-lo é intensa e incontida. Não dá mais para lidar com verbas indenizatórias, com verbas de residência, com o aceitar de presentes por exercer função pública. Continuar com essa prática é absolutamente continuar desafiando a capacidade de avaliação da população, que já deu claras mostras que não aceita gastos públicos que não aqueles feitos para melhorar as condições da sociedade.

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994)

Diretor Executivo: Marcelo Ignacio da Roza Diretora Corporativa: Lúcia Thereza Pereira Ghammachi Assessoria Jurídica e Tributária: Américo Diniz (OAB/AP 194) Eduardo Tavares (OAB/AP 27421) Editor-Chefe Interino: Marcelo Roza Gerente Comercial: Andrew Gustavo Cavalcante dos Santos CONSELHO EDITORIAL Presidente: Aldenor Benjamim dos Santos

Secretário Executivo: Marcelo Ignacio da Roza

CONSELHEIROS: Carlos Augusto Tork de Oliveira

José Arcângelo Pinto Pereira

Danieli Amanajás Scapin

Luiz Alberto Pinto Pereira

Janderson Carlos Nogueira Cantanhede

Maria Inerine Pinto Pereira

Índice

Opinião - A2 Geral - A3, Geral - A4 Cidade - B1

Cidade - B2 Geral - B3 Polícia - B4 Geral - C1

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br comercialjd.2011@gmail.com mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representante comercial Grupo Pereira de Souza – GPS Matriz - Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2544.3070; Brasília/DF - Tel.: (61) 3226.6601; São Paulo/SP - Tel.: (11) 3259.6111; Belém/PA Tel.: (91) 3244.4722 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

Esporte - C2 Diversão&Cultura - C3 Social - C4 Classidia - 08 Pág

A2

Editor: José Maria Baia - josemaria@jdia.com.br

Coluna

ESPLANADA POR LEANDRO MAZZINI Jornalista

Twitter @leandromazzini

S

NA ALEMANHA, LULA DESANCA FELICIANO

e Lula ainda fosse presidente, teria feito gestões e o polêmico deputado pastor Marco Feliciano (PSC-SP) já teria rodado da presidência da Comissão de Direitos Humanos. Segundo o deputado Ronaldo Fonseca (PR-DF), que esteve com o petista em evento em Leipzig, na Alemanha, Lula desancou a postura de Feliciano e já emitira sinais de insatisfação para conhecimento da presidente Dilma. Estavam todos numa rodinha de amigos. O ex-presidente não sabia que Fonseca é deputado evangélico e aliado do pastor. A revelação foi feita ontem por Fonseca para poucos parlamentares.

Flash queimado!

Numa pose para foto com o grupo, Ronaldo esboçou um ‘Lula de novo’, e o ex-presidente de cara bem fechada: ‘Não brinca com coisa séria’.

Pé no palanque

O Planalto adiantou a entrega de retroescavadeiras para cidades castigadas pelas chuvas no Paraná. Pré-candidata, sobe no palanque hoje é a ministra Gleisi Hoffmann.

Pé na porta

A bancada do PSD, terceira maior da Câmara, enviou cobranças à presidente Dilma para vetar inciso do PLC 3/2013 que trata da profilaxia da gravidez.

Turma do celeiro

As nuvens no céu RODOLFO JUAREZ

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

Edição número

8250

Será que há algo de podre no celeiro? O plenário da Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara ficou cheio de assessores parlamentares do PTB, que controla a Conab. O deputado Rubens Bueno, líder do PPS, apresentou proposta para que a Comissão e o TCU façam uma devassa nas contas e contratos da companhia.

Paz, muita paz

Novo relator da proposta, o deputado Ronaldo Fonseca reuniu-se com representantes dos juízes de paz do DF para tratar do PL que determina eleição direta com indicação partidária para a classe, algo inédito no Brasil. O TJDFT continua em silêncio.

Volta por cima

O consultor legislativo Luiz Antonio Eira foi nomeado por Henrique Alves diretor do Centro de Informática. Quando secretário-executivo do Ministério da Integração, Eira foi humilhado pela presidente Dilma numa reunião, saiu de lá e pediu exoneração.

Voltas do bambolê

É o presidente da Câmara, Henrique Alves, quem apadrinha Eira no cargo. Há anos, Alves deu um bambolê para a então ministra da Casa Civil ter jogo de cintura.

Seguuuura

Pode sobrar até para a grande festa do Rodeio de Barretos (SP). O PSD da Câmara pediu abertura de CPI sobre maus tratos a animais.

Palmadas neles!

O deputado Onofre Santo Agostini (PSD-SC) protocolou requerimento (8198/13) pedindo a revisão de despacho ao poder conclusivo do PL 7672/10 (Lei das Palmadas), que tramita como terminativo (sem ir a plenário) na CCJ.

Essa doeu

Segundo Agostini, há vício de inconstitucionalidade formal, por-

que a Constituição, no artigo 68 § 1º, inciso II, e o Regimento da Câmara, no artigo 24, II, determinam que matéria de direitos individuais têm que passar pelo plenário.

Cuidado, Bial

Pedro Bial, cheio de poesia, não tinha noção de onde realmente estava quando foi parar na Comissão de Direitos Humanos para gravar cenas de seu programa ‘Na Moral’. O alvo era Feliciano. Mas o deputado Pastor Eurico (PSB-PE) pediu a palavra e desancou o apresentador da Globo, citando seu programa ser ‘amoral’ e ‘imoral’. Calma, doutor.

Fala, Padilha

Presidente da Fundação Ulysses Guimarães (PMDB), Eliseu Padilha ressalta que a instituição não paga a dirigentes ou qualquer outro membro qualquer remuneração, como citou a coluna ontem. É muito boa vontade.

Cursinho

A Fundação Ulysses Guimarães tem um Programa de Formação Política gratuito para os peemedebistas e outros interessados, frisa Padilha. Já passaram 200 mil alunos.

É dia demais..

O senador João Claudino lembra que existem o Dia do Zumbi (20/11) e o Dia do Índio (19/4). Daí rejeitar proposta de Dia da Cultura Africana e Ameríndia.

Ponto Final

E viva a sexta-feira, Dia Mundial do Happy Hour!

Com Marcos Seabra, Maurício Nogueira e Adelina Vasconcelos

www.colunaesplanada.com.br LM Comunicação Coluna Esplanada contato@colunaesplanada.com.br Caixa Postal 1980 – CEP 70254-970 – Brasília-DF


JD

Geral

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Legislativo de Amapá cria CPI para investigar gastos da prefeitura Câmara de Vereadores de Amapá criou uma Comissão Parlamentar de Inquérito com objetivo de investigar a aplicação de recursos pela Prefeitura do município

N

a última segunda-feira, 8, a Câmara de Vereadores de Amapá criou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a aplicação dos recursos e possível desvio de dinheiro cometido pelo prefeito, Francisco Assis Leite Teixeira. "Após a publicação do ato, a Comissão começa os trabalhos fazendo a remessa da denúncia ao prefeito, que terá dez dias para apresentar sua defesa prévia", informou o presidente da CPI, vereador Márcio Sucupira. Segundo a denúncia que ensejou a criação da CPI, em junho passado, o então secretário de Saúde do município de Amapá, José Pena Amanajás Neto, solicitou a prestação de contas dos recursos provenientes do Fundo Municipal de Saúde. De acordo com o balancete encaminhado pela prefeitura ao então secretário, foram investidos quase R$ 60 mil durante o mês de abril no sistema de saúde do município. Deste total, R$ 29.890,00 foram empregados na manutenção e conservação de bens imóveis. O serviço teria sido executado na Unidade Básica de Saúde. Outros R$ 15 mil, de acordo com a prefeitu-

DIVULGAÇÃO

Prefeito Francisco Assis Leite Teixeira pode ser alvo de investigação pela Câmara do município de Amapá

ra, foram usados para o pagamento de serviços técnicos profissionais. Além disso, mais R$ 15 mil foram utilizados na compra de combustível e lubrificantes automotivos. Alegando desconhecer esses gastos, José Pena Amanajás Neto se negou a assinar o balancete e solicitou cópias dos contratos e das notas fiscais dos servi-

ços. O gestor afirma não ter sido atendido e, na sequência, foi exonerado do cargo. O ex-secretário formalizou denuncia no Ministério Público Estadual. Essa situação, associada a outras problemas na gestão municipal, como, por exemplo, reformas nas escolas sem licitação, falta de merenda e material de limpeza nas escolas, a não

regularização do matadouro pela prefeitura, resultando no abate clandestino e outros problemas estruturais, estariam criando insatisfação popular no município, com cobrança de um posicionamento da Câmara de Vereadores. A criação da CPI é apontada por Sucupira como a resposta do Legislativo às cobranças populares.

Grupo de trabalho desiste de discutir alterações na Lei da Ficha Limpa

O

deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), coordenador do grupo de trabalho que analisa propostas de mudança da legislação eleitoral, informou ontem (11) que o grupo não vai mais discutir o anteprojeto de lei complementar que altera a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10). Segundo ele, não há concordância entre todos os líderes partidários sobre a conveniência de discutir essas alterações neste momento. Na última reunião do grupo, a Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong), que representa cerca de 50 associações da sociedade civil, criticou a possibilidade de serem feitas alterações na Lei da Ficha Limpa, que alterou dispositivos da Lei de Inelegibilidade (Lei Complementar 64/90). Vaccarezza afirmou ainda que o projeto de minirreforma eleitoral deverá ser votado na próxima terça-feira (16). Segundo ele, isso foi acordado com o presiden-

te da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves. Na última terça-feira (9) foi aprovada a urgência para o projeto, que faz uma série de mudanças nas regras de auditoria pela Justiça Eleitoral da prestação de contas dos partidos, além de autorizar a pré-campanha, regular a campanha na internet e alterar a regra de substituição e escolha de candidatos. Discutido no grupo de trabalho previamente e apresentado pelo deputado Ilário Marques (PT-CE) e outros parlamentares, o projeto de lei será relatado em Plenário por Vaccarezza. O deputado adiantou que fará novas mudanças em relação à primeira versão do substitutivo. Uma nova versão do texto deverá ser apresentada na segunda-feira (15). Segundo o coordenador, logo após a votação em Plenário, o grupo de trabalho será encerrado. Mudanças no texto Vaccarezza disse que a primeira mudança será a

retirada dos dispositivos relativos às fundações. Ele havia previsto que as fundações ficariam com 5% dos fundos partidários, e não com os 20% atuais. “A pedido do PT, PSDB e PMDB, as fundações vão continuar com 20% dos fundos”, disse. A segunda mudança refere-se ao crime de boca de urna. “Hoje se trata de um crime penal, sujeito à prisão de seis meses. Eu queria transformá-lo em crime eleitoral, sujeito à multa de R$ 5 mil a R$ 50 mil, mas não houve concordância de todos os partidos”, explicou. Em relação à suspensão do grupo de trabalho da reforma política, Vaccarezza informou que havia sido convidado para coordenar o grupo pelo presidente Henrique Eduardo Alves. Quarta-feira (10) Alves anunciou que havia decidido suspender a instalação do grupo, por conta de “um curto-circuito” na composição do colegiado. Conforme o acordo feito com os líderes partidários, cada um dos 13 partidos que integram o Plenário da

Câmara deveria indicar apenas um representante para o grupo de trabalho. No entanto, constavam da relação dois deputados do PT: Vaccarezza e Henrique Fontana (RS). “Fui convidado, não articulei meu nome, e fui surpreendido com uma ameaça de renúncia do Fontana, caso eu fosse coordenador”, afirmou Vaccarezza. “Eu sou um homem de acordo, de consenso, e não vou tomar nenhuma postura que constranja o presidente da Casa ou que constranja o meu partido”, disse. “A praxe é que quem indica os coordenadores do grupo de trabalho é o presidente da Câmara”, completou. “Se eu for convidado para coordenar, eu aceitarei. Se ele convidar outra pessoa, vou apoiar.” O líder do PT, deputado José Guimarães (CE), informou que o partido resolverá essa questão na segunda-feira (15) e, só então, será decidido a data de instalação do grupo de trabalho da reforma política. (Agência Câmara)

Congresso aprova nova regra que obriga apreciação de vetos presidenciais em até 30 dias

D

eputados e senadores aprovaram ontem (11), em sessão do Congresso Nacional, projeto de resolução que estabelece novos critérios de apreciação dos vetos presidenciais a propostas aprovadas pelo Legislativo. Sob ameaça de obstrução da votação pelos líderes do PMDB na Câmara Eduardo Cunha (RJ) e do PT, José Guimarães (CE), a aprovação só foi possível depois do restabelecimento de um ponto do texto proposto pela Câmara, que mantinha a obrigatoriedade de uma comissão mista emitir em até 30 dias parecer sobre o veto. Por sugestão do rela-

tor da proposta no Senado, Jorge Viana (PT-AC), a ideia era eliminar essa etapa. "Aceitamos este ponto da Câmara, mas, se a comissão não apresentar o relatório, o veto irá a votação, independentemente do relatório”, explicou o senador Romero Jucá (PMDB-RR). Pelo texto aprovado ontem, todos os vetos presidenciais a partir de 1º de julho deste ano terão no máximo 30 dias para ser votados – o prazo começa na data em que forem protocolados no Congresso –, caso contrário, a pauta ficará trancada até a sua apreciação. Deputados e senadores também definiram que a

terceira terça-feira de cada mês será dedicada à apreciação de vetos. Se, por acaso, a sessão não ocorrer, outra com este objetivo será realizada no mesmo dia da semana seguinte. A resolução de ontem não incluiu um critério para análise de vetos antigos e tirou do governo a preocupação sobre a derrubada de decisões que poderiam ter grande impacto nos cofres públicos, como o que extingue o fator previdenciário e a chamada Emenda 29, que estabelece percentuais de gastos mínimos com saúde no orçamento federal. “Vetos antigos ficam represados para posterior avaliação

A3

sem prazo”, disse Jucá. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), destacou a importância dosnovos critérios. “Isso qualifica muito as relações do Parlamento com o Executivo, que mostravam uma posição de subserviência, deixando ao Executivo a última palavra da ação legislativa, o que era uma distorção, inclusive um desacato ao texto constitucional. Agora, para um governo democrático, como é o da presidenta Dilma [Rousseff], isso vai conciliar como o governo deve se portar e como deve o Parlamento trabalhar”. (Agência Brasil)

Dia-Dia

Interesse verdadeiro

Q

ue ninguém espere, no curto prazo, melhorias nas relações entre PSB e PSOL, e, portanto, entre Prefeitura de Macapá e o Governo do Estado. Ao contrário, a situação deve piorar. Agentes políticos ligados aos dois grupos andam procurando defeitos nas gestões estadual e municipal, para, através de espaços cultivados nos meios de comunicação, disparar torpedos contra as bases adversárias. Parte dessa artilharia foi disparada pelo senador Randolfe Rodrigues, ao afirmar que a Secretaria do Estado da Saúde está retendo cerca de R$ 2 milhões que deveriam ser repassados aos municípios, para investimentos em unidades básicas de saúde. Os recursos referem-se a emendas apresentadas pelo próprio Randolfe. Para Macapá, são pouco mais de R$ 126 mil. O senador está cobrando esclarecimentos à secretária Olinda Consuelo. Por outro lado, a turma do PSB reage, afirmando que desde o início da gestão do prefeito Clécio Luís estão disponíveis, na Caixa Econômica Federal, R$ 6 milhões para serem investidos na conclusão das obras do Hospital Metropolitano, aguardado com expectativa pelo povo da zona norte. Sugerem, então, que o senador Randolfe também questione a Secretaria Municipal de Saúde sobre o que está impedindo a aplicação dessa verba. A despeito da briga, que promete durar ainda muito tempo, os dois questionamentos merecem, de fato, respostas dos setores de saúde do Estado e do Município. É o que esperam os cidadãos amapaenses, alheios às divergências político-partidárias entre PSOL e PSB, mas certamente muito interessados no destino do dinheiro público, fruto dos impostos que pagam penosamente.

Hora-Hora

Respostas Por enquanto ninguém fala nada, mas no segundo semestre os legislativos municipais e estadual do Amapá também vão precisar dar respostas às manifestações populares. Bem ou mal, o Congresso Nacional está se virando para dar as suas.

Agenda Temas como fim das votações secretas, prestação de contas dos recursos recebidos e controle social terão que entrar em discussão. Ou seja, depois dos recessos, os legislativos do Amapá também vão precisar estabelecer suas agendas positivas. Cancelamento A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público cancelou a audiência pública prevista para hoje, que iria debater desvios de função nos 34 tribunais de contas do País. Denúncia O deputado que solicitou a audiência, André Figueiredo (PDT-CE), afirma que tem sido crescente nos tribunais o uso, em auditorias e fiscalizações, de pessoal não concursado — “justamente nos órgãos que têm o dever institucional

de combater tais práticas”. Sufoco Além da dureza do trabalho diário, pessoal da Politec está sofrendo com um problema extra e realmente delicado: a câmara frigorífica, onde são colocados os cadáveres que aguardam liberação para posteriormente serem enterrados, está quebrada. Insuportável O problema ocorre desde terça-feira e está tornando a situação insuportável. Até quem passa em frente à Politec, na Rodovia Tancredo Neves, já sente o drama. Por razões óbvias. Sem contas Em discurso no Senado, João Capiberine afirmou que o Tribunal de Contas da União (TCU) não faz prestação de contas contábil, como obriga a Lei da Transparência. O senador também disse que o Congresso Nacional não cumpre suas prerrogativas constitucionais de fiscalização do Poder Executivo. Esclarecimentos João Capiberibe informou que enviou ofício ao TCU pedindo esclarecimentos sobre o assunto.

MINUTOS Violência - Macapaenses correm o risco de ficar atordoados com a onda de violência que não para de crescer na capital do Estado, agora com direito a assassinato em um movimento cruzamento da cidade, em pleno meio-dia. Alheio - Enquanto pipocam situações graves no setor de segurança pública, como aumento da violência e denúncias pessoas importantes do Governo, o secretário de Segurança, Marcos Roberto, não diz uma palavra. Foco - Dizem que agora ele só pensa naquilo. Ou seja: em eleições 2014.


JD

Geral

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

A4

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Trabalhadores do AP aderem à manifestação nacional Sindicatos cobram melhores condições de trabalho, cumprimento de direitos e investimentos nos setores públicos Andreza Sanches Da Redação

O

Dia Nacional de Lutas e Paralisações foi marcado no Amapá por protestos nas ruas e avenidas da capital. Servidores públicos, policiais federais, empregadas domésticas, profissionais da saúde, educação, segurança pública, movimentos sociais e estudantes caminharam pacificamente pedindo melhores condições de trabalho e maiores investimentos nos setores públicos. O ato, que iniciou na Praça da Bandeira, percorreu as ruas do centro da cidade. Durante a mobilização, manifestantes empunhavam cartazes com dizeres que denunciavam a falta de respeito com o trabalhador. Frases como “S.O.S Policia Federal”, “Isomia entre poderes”, “Mais investimentos na saúde e educação”, fizeram demonstraram o descontentamento das categorias. As manifestações foram coordenadas pela CSP-Conlutas, Força Sindical, CUT, CTB, UGT, NCS, CGTB e CSB, e ganharão força com a participação dos sindicatos locais,que mantiveram na pauta de protestos, a redução da tarifa e me-

lhoria do transporte público, investimentos em saúde, educação, mais faziam reinvindicações locais. Em meio a caminhada, agentes, escrivães e papiloscopistasda Polícia Federal protestavam contra as péssimas condições de trabalho da categoria, insuficiência do efetivo, e criticavam o governo, que compromete as investigações, cortando verbas, diminuindo o efetivo, travando a máquina por meio de controles burocráticos. “A categoria quer a restruturação da carreira e o não sucateamento da Polícia Federal” disse o representante da classe Augusto Almeida. Os trabalhadores rodoviários também participaram da manifestação exigindo a campanha salarial com base no reajuste de 21%, carga horária de seis horas trabalhadas, cesta básica no valor de R$ 320, vale refeição no valor de R$ 15. “Além da ampliação dos terminais de ônibus, a reforma dos cinco terminais existentes, e o asfaltamento dos corredores de linhas e a construção” cobrou o presidente do Sindicato dos Rodoviários do Amapá, Genival Cruz. A categoria dos Urbani-

tários pediu mais respeito do governo do estado com os trabalhadores. Segundo o presidente do Sindicato dos Urbanitários do Amapá, Audrey Cardoso, um exemplo, é o atraso no pagamento dos trabalhadores da Companhia de Agua e Esgoto (Caesa) e a redução dos salários em mais de 50% dos servidores da Cea. “Precisamos avançar para garantir o direito dos trabalhadores” disse o presidente. Para o representante do Sindicato dos Servidores Públicos Federais e servidor do Incra, Geovane Grangeiro, o governo precisa adicionar valorização as classes. ���Nós,servidores do Incra, precisamos incentivos para permanecernas regiões, exigimos retribuição de titulação e gratificação de qualificação, além do fortalecimento do plano de saúde de auto gestão” disse o sindicalista. OSindicato de Enfermagem e Trabalhadores da Saúde do Amapá (SindSaúde) engrossou a manifestação pedindo melhores condições de trabalho na rede pública e particular, além do combate ao assédio moral, imediata elaboração do mapa de insalubridade.

CELIANE FREITAS

O ato, que iniciou na Praça da Bandeira, percorreu as ruas do centro da cidade. Durante a mobilização, manifestantes empunhavam cartazes com dizeres que denunciavam a falta de respeito com o trabalhador.

“A convocação imediata dos aprovados no concurso, que somam mais de dois mil trabalhadores também está na pauta. Atualmente o quadro de servidores da saúde mantido nas unidades hospitalares não supre as necessidades e a categoria não admite mais a permanências dos contratos administrativos” acrescentou Dori-

naldoMalafaia, presidente do Sindicato. Militante da categoria dos vigilantes, José Cabral, participou do ato cobrando o aumento salarial e o adicional de periculosidade, que segundo ele, as empresas se recusam a pagar. “Além da licitação para vigilância na educação, que se arrasta com contratos emergências” disse o trabalhador.

Os profissionais da educação também foram as ruas. O Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Amapá (Sinsepeap) cobra o retorno do Plano Collor aos professores federais e a revogação da Lei 1.742/ 2013 aprovada na Assembleia Legislativa do Amapá, que incorporou a regência de classe dos professores ao salário base.

Projeto sobre terceirização é destaque da pauta trabalhista na Câmara, diz Alves

D

iante das manifestações do Dia Nacional de Lutas, promovidas ontem (11) por centrais sindicais, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, ressaltou que o destaque da pauta trabalhista da Casa é o projeto da terceirização (PL 4330/04). A proposta que regulamenta o trabalho terceirizado no País deveria ter sido votada nesta semana na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), mas acabou sendo transferida para o dia 13 de agosto. O adiamento atendeu pedido do presidente da Câmara, que quer mais tempo para chegar a um acordo sobre o texto. “Eu fiz um apelo ao relator, deputado Arthur Oliveira Maia [PMDB-BA], que adiasse para agosto para ter um maior diálo-

go e chegasse a um consenso. Comuniquei o deputado Paulo Pereira da Silva [PDT-SP], que ficou satisfeito. Essa é uma pauta importante”, afirmou Henrique Alves. Arthur Oliveira Maia lembrou que um grupo formado por representantes do governo, empregados, empregadores e parlamentares está empenhado em costurar um acordo. O grupo tem quatro reuniões previstas até o início de agosto. Maia informou que a próxima reunião ocorrerá na terça-feira que vem (16). “Até o dia 5 de agosto, estaremos todos empenhados na construção de um acordo. É óbvio que o acordo pode acontecer na integralidade do texto ou pode acontecer em uma parte do texto”, disse o relator.

CELIANE FREITAS

Pontos de divergência Segundo o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho, Manoel Messias, há quatro pontos principais de divergência entre patrões e empregados. Pontos polêmicos: Abrangência da terceirização Responsabilidade subsidiária x solidária Representação sindical Terceirização no serviço público O primeiro é se a terceirização deve valer para todas as atividades da empresa ou se só para trabalhos secundários, as chamadas atividades-meio. O segundo ponto é definir se a responsabilidade da empresa contratante em relação às obrigações trabalhistas deve ser solidária ou subsidiária. Também não há acor-

Proposta que regulamenta o trabalho terceirizado vai entrar na pauta da Cãmara apenas em agosto

do sobre a garantia dos direitos trabalhistas e a terceirização no serviço público. O Ministério do Trabalho não tem números oficiais de terceirizados no

País. Segundo levantamento do Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros de São Paulo, eles podem chegar a 10,5 milhões de pessoas. Esse número re-

presentaria 31% dos 33,9 milhões de trabalhadores com carteira, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios feita em 2011 pelo IBGE. (Agência Câmara)

Senado aprova regulamentação do trabalho doméstico

O

plenário do Senado aprovou ontem (11) o projeto de lei complementar que regulamenta o trabalho doméstico. Os principais pontos do projeto, que foi formulado por uma comissão mista de deputados e senadores e relatado pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), tratam das regras para cumprimento da jornada de trabalho semanal de 44 horas e do pagamento dos encargos trabalhistas pelo empregador. Uma das soluções construídas por Jucá, após negociação com as centrais sindicais e o governo, é o estabelecimento de um banco de horas para que patrões e trabalhadores domésticos possam fazer a compensação de horas trabalhadas a mais ou a menos. Pela proposta aprovada, as primeiras 40 horas extras mensais devem ser pagas em dinheiro até o sétimo dia do mês seguinte e as demais poderão formar um banco de horas que será usufruído pelas trabalhadoras em, no máximo, um ano. Quanto aos encargos a

serem pagos pelos patrões, o projeto aprovado diz que eles terão de pagar 8% de contribuição patronal ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), mais 8% referentes ao recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e 3,2% relativos ao recolhimento antecipado da indenização que os trabalhadores receberão se forem demitidos sem justa causa. Com isso, Jucá eliminou a multa de 40% sobre o saldo do FGTS, a ser paga pelo empregador em caso de demissão injustificada. Com o recolhimento de alíquota extra, a indenização dos trabalhadores será garantida e eles receberão diretamente da Caixa Econômica Federal quando forem demitidos. Para evitar sobrecarregar o orçamento das famílias, Jucá fez a redução na alíquota do INSS, de 12% no caso dos empregadores não domésticos e também dos empregadores domésticos atualmente. Entretanto, o senador não conseguiu acordo com o governo sobre este ponto e o tre-

cho pode ser vetado pela presidenta Dilma Rousseff quando o projeto seguir para sanção presidencial. Além disso, os patrões terão de pagar 0,8% de seguro acidente de trabalho para os empregados. No relatório, Jucá acrescentou mais de dez emendas, como a que define a obrigatoriedade do aviso prévio de 30 dias pelo empregado. O relator ainda acolheu, quando o texto estava na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), propostas como a que cria mais uma possibilidade de rescisão do contrato de trabalho por justa causa. Em plenário, foram apresentadas mais emendas, das quais três foram aprovadas. Um delas estabelece que o empregado não será responsável por despesas de alimentação quando estiver acompanhando os patrões em viagens. Outra emenda aprovada estabelece que, nessas viagens, a hora de trabalho será 25% maior, podendo ser convertida em banco de horas a critério do empregado. Por fim, a última emen-

Os principais pontos do projeto, que foi formulado por uma comissão mista de deputados e senadores e tratam das regras para cumprimento da jornada de trabalho semanal de 44 horas e do pagamento dos encargo

da aprovada em plenário estabelece que as novas alíquotas que os empregadores deverão pagar só entrarão em vigor 120 dias após a publicação da nova lei. Com a aprovação do projeto no Senado, o texto segue agora para a Câmara dos Deputados. Se receber novas alterações,

a matéria retornará ao Senado para a última votação antes de seguir para sanção presidencial. O projeto foi discutido durante aproximadamente três meses, após a aprovação da chamada PEC (Proposta de Emenda à Constituição) das Domésticas. A Emenda Constitucional 72, que

estendeu aos domésticos todos os direitos concedidos aos demais trabalhadores previstos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O relatório de Jucá, no entanto, faz uma série de adaptações das leis trabalhistas à realidade do serviço prestado às famílias. (Agência Brasil)


CadernoB

Geral

Editor: Pablo oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

Altas tarifas: Pacotes bancários sofreram reajustes até 79% acima da inflação

Segundo levantamento do Idec, nos últimos cinco anos a maioria dos pacotes de tarifas bancárias foi substituída por serviços mais caros, e os que sobreviveram tiveram aumentos de até 111%, prejudicando os consumidores Agência Brasil Da Redação

A

pós cinco anos da padronização das tarifas bancárias, o Idec fez uma pesquisa para avaliar o comportamento dos preços dos pacotes de tarifas dos seis maiores bancos do país, com mais de um milhão de clientes, que juntos respondem por cerca de 70% das operações de crédito no país (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú e Santander). O levantamento constatou que, em maio de 2013, o número de pacotes de tarifas bancárias disponíveis mais do que dobrou em relação a 2008. Passou de 35 para 78 a soma de todos os pacotes ofertados por esses bancos. Segundo a economista do Idec, Ione Amorim, a grande variação de tipos de pacotes pode confundir o consumidor, pois as diferenças são mínimas entre os serviços oferecidos em diferentes pacotes, com nomes parecidos e que explicam pouco ao que se referem. Além disso, a pesquisa apontou que, desde 2008, muitos pacotes foram substituídos e o valor cobrado pelos serviços aumentou consideravelmente. “Como não seria possível comparar pacotes iguais, pela descontinuidade da maioria dos pacotes, a pesquisa levou em conta dois agrupamentos: os pacotes de menor e os de maior valor, disponíveis para contratação nas duas ocasiões. Vale destacar que a comparação evi-

dencia o valor e não a quantidade de serviços existentes nos pacotes”, explica Ione. Entre os pacotes considerados mais econômicos oferecidos pelos bancos (classificados como: simples, econômico, fácil e básico) a variação do valor cobrado, entre 2008 e 2013, cresceu em média 61%, e os pacotes de maior valor (classificados como: super, especial, plus, advance) estão em média 49% mais caros. Os bancos ofertavam em média seis pacotes de tarifas em maio de 2008, incluindo universitários e contas eletrônicas, o preço médio dos pacotes básicos com menor quantidade de serviços era de R$ 9,57 e o pacote com maior valor médio custava R$ 30,53. Em 2013 o preço médio do pacote com menor quantidade de serviço foi de R$ 15,37 e o preço médio para o pacote com mais serviços foi de R$ 45,40. O destaque ficou com o Banco do Brasil que promoveu a maior alteração da carteira de pacotes de serviços, descontinuou todos os pacotes que existiam em 2008 e lançou 26 novos pacotes. Também o Santander preservou apenas um pacote. Os dados foram obtidos a partir das tabelas de tarifas disponíveis nos sites dos bancos no mês de maio de 2013 e os preços referentes ao ano de 2008 foram obtidos a partir da recuperação de tabelas arquivadas. Para estabelecer o pacote com o menor valor,

DIVULGAÇÃO

foram excluídos os pacotes que possuem critérios específicos para adesão como: pacotes universitários, conta jovem, first, pacotes INSS, pacote eletrônico, Click conta, conta digital. Diante da oferta de novos pacotes, a comparação de preço no período de cinco anos ficou restrita à quatorze pacotes (40%) do total de 2008, seis pacotes tiveram aumentos, entre 38% e 111%, muito acima da inflação acumulada no período de maio-2008 a abril-2013, Índice de Preço Amplo ao Consumidor - IPCA equivalente a 32,34%. O pacote universitário da Caixa e do HSBC foram os únicos que sofreram redução de 14% e 21% respectivamente. Alerta ao consumidor Os bancos não incluem nos contratos o detalhamento dos pacotes selecionados pelos consumidores no ato da abertura da conta. Esse comportamento foi identificado em duas pesquisas sobre práticas bancárias realizadas pelo Idec em 2009 e 2012. A ausência dessa informação, com o passar do tempo, é esquecida pelo consumidor e ninguém lembra o pacote de serviços escolhido. “O banco cria e elimina novos pacotes, pode descontinuar um determinado serviço e não comunicar o consumidor, altera a composição dos serviços e promove reajuste do preço dos serviços sem aviso prévio”, alerta Ione. O consumidor precisa

estar atento e escolher a melhor opção de pacotes bancários, conforme os serviços que mais utiliza. A conta salário e serviços essenciais podem ser boas opções para a maioria dos consumidores, pois engloba os principais serviços bancários, sem a cobrança de uma tarifa mensal. O prêmio é focado nisso”, disse. Os prefeitos interessa-

A

E

m abril de 2008, quando entraram em vigor as normas que regulamentam a cobrança dos serviços bancários pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e o Banco Central, as tarifas foram padronizadas e agrupadas em serviços prioritários, diferenciados, especiais e essenciais. Os serviços prioritários e os essenciais reúnem as principais tarifas avulsas que compõem os pacotes de serviços bancários. São trinta e duas tarifas vinculadas a conta corrente e os seus canais de entrega (caixa eletrônico, internet

e presencial). Os serviços essenciais correspondem a uma quantidade mínima de tarifas necessárias para movimentar uma conta bancária como saque, depósito e transferência, por essa razão, sua oferta deve ser gratuita e disponível para adesão sem vinculo à pacotes. Além das tarifas avulsas, entre as regras aprovadas, ficou estabelecido que os bancos deveriam oferecer um pacote padronizado e os demais pacotes poderiam ser livremente lançados no mercado, com reajustes de preços com intervalos de 180 dias, in-

clusive os serviços avulsos. Em 2013, para ampliar o acesso aos serviços bancários, promover maior transparência e estimular a concorrência entre as instituições financeiras no início de julho entrou em vigor a resolução do Conselho Monetário Nacional CMN e Banco Central n° 4.196/2013 que determina a oferta de três novos pacotes padronizados, ou seja, além dos pacotes já existentes, todos os bancos devem oferecer mais três pacotes (padronizados) com serviços e quantidades iguais acrescidos do serviço de DOC/TED.

vergonha. Os indicadores são péssimos, as mudanças nos últimos 15, 20 anos, são mínimas, as políticas são inadequadas. Aumentam os recursos e não tem resultados”. Ele destacou que recursos não são o problema da educação no país. “O problema é político. Faltam políticas adequadas. E antes de botar mais recursos, falta melhorar o uso desses recursos”.

Dinheiro do cheque especial fica mais caro com correção média anual acima de 150% taxa de juros cobrada pelos principais bancos do país sobre o uso do cheque especial subiu 0,02 ponto percentual na média, com variação mensal de 7,95% e de 150,46% no ano, diz pesquisa da Fundação Procon de São Paulo, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania. O levantamento, feito no dia 2 deste mês, indica os percentuais aplicados por sete instituições financeiras. O Santander

Entenda as normas das tarifas bancárias

dos em participar do prêmio não precisam fazer inscrição. Ela é automática e se refere ao município de melhor avaliação na Prova Brasil. O prêmio será entregue em solenidade que ocorrerá em São Paulo, durante o Seminário Internacional do IAB. Especialista em educação, João Batista Oliveira avaliou que o ensino público hoje no Brasil “é uma

registrou a maior taxa, 9,95% ao mês, seguido pelo HSBC, com 9,82%, Bradesco, com 8,82%, o Itaú, com 8,75%, o Safra, com 8,25%, o Banco do Brasil, com 5,8%, e a Caixa Econômica Federal, com 4,27%. No caso do empréstimo pessoal, houve acréscimo de 0,01 ponto percentual, com a taxa mensal subindo de 5,22% para 5,23%. No ano, o valor a ser pago chega à média de 84,39%. A alta, no entanto, foi influen-

ciada pelo Banco do Brasil, única instituição que aumentou a taxa, no período, de 4,27% para 4,32%. O custo mais elevado foi constatado no Bradesco, com correção mensal de 6,19%. Na lista de bancos, o Itaú tem a segunda maior taxa de juros, 6,02%. Em seguida, vieram o Santander, com taxa de 5,91%, o HSBC, com 5,77%, o Safra, com 4,9%, o Banco do Brasil, com 4,32%, e a Caixa Econômica Federal, com 3,51%. (Agência Brasil)


Geral

JD

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

B2

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Ato Médico: Dilma veta item que permitia somente aos médicos aplicar injeções O Projeto de Lei foi sancionado, com vetos, pela presidenta e publicado na edição de ontem do Diário Oficial da União

A

presidenta Dilma Rousseff vetou na lei que dispõe sobre o exercício da medicina, o chamado Ato Médico, os itens que restringiam aos médicos funções como a de aplicar injeções e indicar o uso de órteses e próteses. O Projeto de Lei 268, de 2002, foi sancionado, com vetos, pela presidenta e publicado na edição de ontem (11) do Diário Oficial da União. Ao detalhar a razão do veto relacionado à aplicação de injeções, o governo registra que condicionar o procedimento à prescrição médica pode causar impacto no atendimento dos estabelecimentos privados e nas políticas públicas do Sistema Único de Saúde (SUS), como as campanhas de vacinação. “Embora esses procedimentos comumente necessitem de avaliação médica, há situações em que podem ser executados por outros profissionais de saúde, sem a obrigatoriedade da referida prescrição médica”, registra o texto com a exposição dos vetos publicado no Blog do Planalto. Em

DIVULGAÇÃO

Presidenta Dilma Rousseff vetou, na lei que dispõe sobre o exercício da medicina, o chamado Ato Médico, os itens que restringiam aos médicos funções como a de aplicar injeções e indicar o uso de órteses e próteses

relação às órteses e próteses, a razão apontada para o veto é que a manutenção do texto resultaria em impacto negativo no atendimento à saúde. A medida impossibilitaria a atua-

ção de outros profissionais que já prescrevem, confeccionam e acompanham o uso de órteses e próteses que, por suas especificidades, não requerem indicação médica. “Tais compe-

tências já estão inclusive reconhecidas pelo Sistema Único de Saúde e pelas diretrizes curriculares de diversos cursos de graduação na área de saúde”, diz o texto.

Vetos ao Ato Médico são vitória do SUS e da população, avaliam profissionais de saúde

P

rofissionais de saúde não médicos avaliam como uma vitória o veto parcial da presidenta Dilma Rousseff ao sancionar a lei que regulamenta o exercício da medicina, conhecida como Ato Médico. Um dos trechos vetados foi o Inciso 1 do Artigo 4º que estabelecia ser privativo aos médicos o diagnóstico e a prescrição terapêutica (tratamento) de doenças. Ao justificar o veto, a Presidência da República alegou que a medida iria afetar programas da rede pública de saúde, que funcionam com atuação de diversos profissionais de saúde. O inciso motivou protestos de diversas categorias, como fisioterapeutas, enfermeiros e psicólogos. “A aprovação deste dispositivo traria restrições ao trabalho de outros profissionais de saúde. Hoje, por exemplo, pacientes com doenças como malária, tuberculose e dengue são diagnosticadas ou iniciam o tratamento com profissionais de enfermagem e têm acompanhamento por equipes compostas por médicos”, explica o governo, em nota. Para a presidenta do Conselho Federal de Enfermagem, Márcia Krempel, quem ganha com o veto é a população e o Sistema

Único de Saúde (SUS). “Com o veto, o SUS vai continuar funcionando de uma forma não hierarquizada, todos os profissionais tendo o mesmo peso e o mesmo valor”, disse. O Conselho Federal de Psicologia (CFP) também comemorou a decisão do governo. De acordo com o conselho, se o trecho fosse sancionado, os psicólogos “não poderiam mais diagnosticar transtornos mentais”. “Assim, o CFP apoia a decisão da presidente Dilma que, em seu veto, defendeu o Sistema Único

de Saúde e a atuação integrada dos profissionais da área. A presidente ressaltou que a sanção do texto ‘poderia comprometer as políticas públicas da área de saúde, além de introduzir elevado risco de judicialização da matéria’”, diz nota do conselho. A presidenta Dilma Rousseff vetou ainda dispositivos que impediam a atuação dos demais profissionais na indicação de órteses e próteses, inclusive oftalmológicas, uma das principais reivindicações dos optometristas,

que atuam nos cuidados da visão e podem prescrever o uso de óculos. De acordo com a categoria, caso o Ato Médico fosse sancionado integralmente, a profissão seria extinta, mesmo com curso superior reconhecido pelo Ministério da Educação. Agora, os vetos presidenciais serão apreciados pelo Congresso Nacional, que pode derrubá-los se entender necessário. “Vamos ficar vigilantes e manter a categoria mobilizada para que o veto seja mantido”, disse Márcia Krempel. (Agência Brasil)

Termina hoje prazo para entrar na lista de espera do Sisu

O

s candidatos que não foram selecionados em nenhuma das duas chamadas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre deste ano têm prazo até hoje (12) para entrar na lista de espera. A convocação será a partir do dia 17 de julho. O candidato deve acessar o site do Sisu e, no boletim, clicar no botão em que se confirma o interesse em participar da lista. O candidato poderá participar apenas na primeira opção de vaga. Ao final, o sistema emitirá uma mensagem de confirmação. Podem entrar na lista de espera tanto aqueles que

não foram selecionados em nenhuma das opções de curso quanto os incluídos pela segunda opção, independentemente de terem feito a matrícula. Esta edição do Sisu teve 788.819 estudantes inscritos. Foram ofertadas 39.724 vagas em 54 instituições públicas de ensino superior. O Sisu foi desenvolvido pelo Ministério da Educação para selecionar os candidatos às vagas das instituições públicas de ensino superior a partir da nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A seleção é feita pelo sistema com base na nota do Enem.(Agência Brasil)

DIVULGAÇÃO

Esta edição do Sisu teve 788.819 estudantes inscritos. Foram ofertadas 39.724 vagas em 54 instituições públicas de ensino superior

A presidenta também vetou o Inciso 1 do Artigo 4º, considerado polêmico, e que motivou protestos de diversas categorias, como fisioterapeutas, enfermeiros e psicólogos. O inciso atribui exclusivamente aos médicos a formulação de diagnóstico de doenças. A classe médica considera que esse ponto era a essência da lei. Para as demais categorias, o trecho representava um retrocesso à saúde. A razão apresentada para o veto é que esse inciso impediria a continuidade de inúmeros programas do SUS que funcionam a partir da atu-

ação integrada dos profissionais de saúde, contando, inclusive, com a realização do diagnóstico por profissionais de outras áreas que não a médica. Entre os trechos mantidos estão os que definem que a indicação e execução de intervenção cirúrgica é atividade privativa dos médicos, além da aplicação de anestesia geral. O texto indica que osministérios da Saúde, do Planejamento, da Fazenda e a Secretaria-Geral da Presidência se manifestaram pelos vetos. A lei entra em vigor 60 dias após a data da publicação. (Agência Brasil)

Bastidores da notícia

RODOLFO JUAREZ

Jornalista rodolfojuares@gmail.com MÉDICOS O Governo Federal está mesmo tendo dificuldade para interpretar as mensagens, algumas cifradas, que vêm das ruas. Algumas delas parecem enigmáticas para as autoridades públicas o que mostra, de forma clara, a distância entre a realidade nacional e a virtualidade oficial. A falta de médicos nas áreas que mais precisam é uma realidade o que não é realidade é o conhecimento que estão dispondo as autoridades sobre o assunto, por isso, as tentativas de resolver os problemas não passam de tentativas. DISFARÇADO A recente decisão de governo, anunciada pelo ministro da Saúde, que disfarça o trabalho compulsório dos profissionais médicos recém-formados pelo alongamento do período de formação, com trabalho no Sistema Único de Saúde como condição para receber o diploma de médico, contrariou o senso comum e até, as regras sociais estabelecidas, além de negar a realidade das condições de trabalho que os profissionais dispõem nas unidades de saúde pública. CAMELÓDROMO Ainda embalados pelo sentimento de esperança, segundo os próprios empreendedores que foram colocados na pista da Avenida Antônio Coelho de Carvalho, entre as ruas São José e Tiradentes, desconfiam que, ainda nesta década, terão o que lhes foi prometido – um local para comercializar os seus produtos. Mesmo olhando todos os dias para o local onde seria construindo o Shopping Popular, desconfiam que naquele lugar “não vai dar rock”. ENSINO BÁSICO Até agora a Secretaria Municipal de Educação do município de Macapá encontra dificuldades para acomodar significativa parcela dos alunos da rede municipal de ensino que estão em idade escolar e que ainda não têm onde estudar. As dificuldades são muitas: além da falta de bons prédios para instalar as salas de aula que estão falando, até mesmo os prédios onde estão funcionando algumas dessas escolas não estão em condições satisfatórias. OS NOVOS PARTIDOS Mesmo na iminência de uma reforma política, não param de surgir novas organizações partidárias. A presidenciável Marina Silva está trabalhando para registrar o partido que

fundou recentemente e, por aqui, a ex-vice-prefeita Helena Guerra trabalha a consolidação do Partido da Mulher Brasileira, já registrado no TSE e com direção reconhecida recentemente, no Tribunal Regional Eleitoral do Amapá. VOLTA A CARGA Os moradores do trecho da Avenida Mendonça Júnior, onde está o canal de drenagem, continuam buscando respostas das autoridades com relação à obra do canal, que começou há seis anos e que se encontra parada há cinco. Até agora não tiveram qualquer resposta com relação ao assunto, muito embora todos reconheçam que se trata de um desleixo do maior tamanho e de desconsideração com a cidade e a sua população. PLATÉIA Fazia tempo que um dirigente nacional não precisava tanto de plateia qualificada como está precisando a presidente Dilma Rousseff. As medidas que anuncia a cada semana, algumas desastradas, são feitas através de discursos pausados e que precisam de aplausos. Quanto mais, melhor! A situação está muito difícil do lado de fora do palácio e o negócio é ficar pelo lado de dentro vendo os dirigentes nacionais, numa espécie de pedido de socorro que não tem fim, ou do famoso “não me deixem só”. APENAS TRÊS PARTIDOS De todos os partidos da “base aliada”, continuam ao lado do PT apenas o PDT e o PC do B. Nem mesmo o PMDB está disposto a, incondicionalmente, continuar apoiando os pedidos públicos da presidente Dilma. Aliás, que para a presidente nem mesmo o PT está unido nessa. Muitos dos seus deputados estão evitando falar do assunto, mas, a boca pequena, afirmam que não apoiam as propostas da presidente. E POR AQUI? Por aqui pela paróquia os deputados e senadores continuam evitando falar em assunto que diga respeito aos movimentos nas ruas e, principalmente às propostas da presidente. Nem mesmo os pertencentes aos partidos de oposição se dispõem a comentar ou a debater o assunto. O que pode acontecer é o fortalecimento nacional da aliança do PT, principalmente o PT governista e por aqui o PDT de Waldez pode ir perfeitamente alinhado com o PT da deputada Dalva.


Geral

JD

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

B3

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Briga em família termina com um morto

Crime foi cometido na frente de dezenas de pessoas. Depois acusado fugiu do local na companhia da esposa da vítima Elen Costa Da Redação

A

ntônio Rubens Lima Dias, de 27 anos, conhecido como “Rubinho”,foi assassinado com pelo menos três tiros. O crime aconteceu por volta das11h20 de ontem (11), no cruzamento da Rua Hamilton Silva com a Avenida DiógenesSilva, no bairro do Trem, zona sul de Macapá. Segundo informações do tenente Hernani, do 1º Batalhão daPolícia Militar (PM), testemunhas disseram que um homem identificado apenas como “John”, cunhado da vítima, foi o autor dos disparos. “A vítima teria tido uma breve discussão com os cunhados que trabalham na feira da Avenida1º de Maio, e foram para vias de fato. De lá saíram correndo pela rua. O quenos relataram é que um dos cunhados estava com uma arma branca e o outro sacouum revólver, vindo a disparar duas vezes contra o Antônio Rubens, que

caiu nochão. Ao cair o suspeito se aproximou e efetuou outros três tiros”, contou ooficial. Após o crime, que foi cometido na frente de dezenas depessoas, o acusado fugiu do local na companhia da esposa da vítima e de um outro irmão. Populares disseram à polícia que um homem, num carro de cor prata,deu fuga para o assassino. Enquanto a Polícia Técnico-Científica (Politec) fazia a periciano local do fato, homens do Batalhão de Rádio Patrulhamento Motorizado (BRPM)realizavam diligências a fim de localizar e prender o assassino. O veículo – um Honda City – usado na fuga foi encontrado na Rua Santos Drummond, no bairro doMuca. O condutor, Claudio Costa Amanajás, confessou aos militares que era tio de John, e que havia deixado ele e os dois irmãos em uma rua no bairro do Buritizal. “Ele alega que foi toma-

do como refém pelo homicida e que só por issoos levou. Mas nós vamos fazer a entrega dele aqui na delegacia e o delegadoplantonista deve apurar todas as informações”, ressaltou o sargento do BRPM. Na delegacia, familiares de Antônio Rubens disseram que amotivação do crime seria uma dívida. De acordo com a mãe da vítima, um doscunhados do filho devia cerca de R$14 mil para o mesmo. “Tenho certeza que amorte do meu filho foi encomendada. Ele chegou hoje de manhã de Manaus e foi pegaro filho dele, quando essa desgraça aconteceu”, lamentou a mulher. Agentes de Polícia Civil, da Delegacia Especializada emCrimes Contra a Pessoa (Decipe), também estiveram no local onde Rubinho foimorto. Eles colheram informações para dar início ao inquérito policial que vaiapurar a morte do mesmo.

FOTOS CELIANE FREITAS

Segundo informações da Polícia Militar, testemunhas disseram que um homem identificado apenas como “John”, cunhado da vítima, foi o autor dos disparos que mataram Rubinho

Peritos da Politec fazem a remoção do corpo da vítima. O veículo – um Honda City – usado na fuga foi encontrado na Rua Santos Drummond, bairro do Muca.Condutor, Claudio Costa Amanajás, confessou aos militares ser tio de John

FAB terá que divulgar viagens de autoridades

A

partir de agora, todos os voos realizados por autoridades em aviões oficiais da Aeronáutica terão que ser informados pela Força Aérea Brasileira no prazo de 30 dias. A medida aprovada pela Mesa Diretora da Casa, nesta quinta-feira (11), obriga o Ministério da Defesa, a quem FAB é subordinada, a en-

caminhar as informações ao Congresso. No pedido do senador Aloysio Ferreira (PSDB-SP), o Ministério da Defesa terá que divulgar quantas viagens foram feitas pelas autoridades públicas entre os anos de 2010 e 2013 em aviões da FAB. Além de detalhar as datas e nomes das autoridades que solicitaram os voos, assim

PROCLAMAS DE CASAMENTO

O oficial do Registro Civil de casamentos e mais anexos da Comarca de Macapá, capital do Estado do Amapá, República Federativa do Brasil, por nomeação legal, etc... FAZ SABER que se pretendem casar: ALEXANDRE RODRIGUES CARDOSO DARLIANE FERREIRA DA SILVA Ele é filho de João de Souza Cardoso e de Celina da Silva Rodrigues. Ela é filha de Ailson Morais da Silva e de Raimunda Ivanete Ferreira da Conceição. Quem souber de qualquer impedimento legal que os iniba de casar um com o outro, acuse-os na forma da Lei. Macapá-AP, 10 de Julho de 2013

José de Alencar Neto Escrevente Substituto

Ronda Policial JOÃO BOLERO Da 99,1 FM

BLOG DO BOLERO

como as rotas cumpridas pelas aeronaves, horários de chegada e partida e nomes de eventuais acompanhantes.A legislação brasileira determina que, se o ministério não encaminhar as respostas ao Congresso, cumprindo o pedido de informações, seu titular Celso Amorim

pode responder por crime de responsabilidade. A partir de agora, as autoridades só podem usar as aeronaves oficiais em casos de segurança e emergência médica, viagens a serviço ou deslocamentos para seus locais de residência permanente. (Folha de S.Paulo)

TRÂNSITO MATA NA RODOVIA DUCA SERRA Foi por volta das 05h50min da manhã deste quinta-feira (11) que um carro Courier de cor preta de placas NER3312, dirigido por FRANCISCO LUCAS MATOS DE OLIVEIRA (23), trafegava na Rodovia Duca Serra em frente Toca da Onça, quando o condutor perdeu a direção e se chocou com um muro e uma placa de propaganda alí próximo sendo que o condutor morreu no local. Ele trafegava só no veículo sinistrado. ADOLESCENTE ASSALTA LOJA DE CONFECÇÕES E ACABA APREENDIDO Foi por volta das 10h00min da manhã de quarta-feira (10), que um adolescente armado com uma arma de fogo, invadiu a loja Vivi Confecções que fica na Rua Benedito Lino do Carmo no bairro do Congós e, roubou da loja cerca de 500 reais, uma camisa, uma bolsa, um celular, uma jaqueta, e uma aliança de ouro. Meia hora depois uma Guarnição da PM do 1º Batalhão, comandada pelo SGT Nazareno, apreendia o referido adolescente, que foi entregue na DEIAI, onde o delegado de plantão tomou as providências de acordo com Lei que rege o menor infrator. MAJOR DA PM DENUNCIADO NA OPERAÇÃO CONECTARIE DIZ QUE VAI PROVAR A INOCÊNCIA DELE Após ser indiciado pelo DTE, durante a Operação Conectarie, referente a informação privilegiada a uma Organização criminosa liga-

da ao tráfico de drogas no Estado, o Maj. Cavalcante da PM, disse a imprensa que nada tem a ver com a tal denúncia e, vai provar perante seus superiores a sua inocência nesse rumoroso caso. Tanto o Cel. Carlos (Corregedor da PM), assim como o Cel. Resende, irão aguardar a decisão da Justiça sobre tais denúncias, quando então, também tomarão as providências de acordo com o R.I da Corporação. MAIS UM CARRO É FURTADO NA CIDADE Foi entre 5 a 6 da manhã desta terça-feira que aconteceu mais um furto na Cidade. A vítima desta vez foi o FELIPE FERREIRA, que é pai da cantora Lia Sofia. O carro foi furtado da frente da casa dele, um Fiat Uno de cor verde, de placas NEO-6068. Quem encontrar o mesmo abandonado por ai, favor ligar para o CIODES 190 ou 0800 968080 ou para o celular dele 91114086. VIOLÊNCIA DOMÉSTICA MISTURADO COM TRÁFICO DE DROGAS Essa é inédita, mas, aconteceu por volta das 08h00min da manhã desta quarta-feira (10), na Av. Luiz Alves da Cunha, no bairro Congós, quando o ANTONIO GAMA DE SOUZA (31), brigou com a esposa e resolveu pegar um botijão de gás , 2 TVs e 3 aparelhos de DVD, e trocou com droga em uma boca de fumo, ali próximo. A esposa MARIA JOSÉ ligou para o CIODES que mandou para o local uma Guarnição do BRPM comandada pelo SGT.


Geral

JD

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Ao final da Marcha, prefeitos assinam carta por aumento de 2% nos repasses do FPM Evento, que reuniu 4 mil prefeitos em Brasília, é finalizado com redação de carta. Presidente da CNM lamenta as vaias contra a presidenta Dilma

A

16ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios terminou ontem (11) com a leitura da Carta dos Prefeitos e a promessa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), organizadora do evento, de lutar pela aprovação de uma proposta de emenda à Constituição (PEC), a ser apresentada ao Congresso Nacional, para aumentar em 2% os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). “Vamos à luta. Vamos seguir para conseguir aquilo que tanto queremos”, disse o presidente da CNM, disse Paulo Ziulkoski, após a leitura da carta no plenário, onde foi realizada a assembleia geral da confederação. O encontro reuniu, neste ano, 4 mil prefeitos em Brasília. Ziulkoski lamentou o comportamento dos prefeitos que vaiaram a presidenta Dilma Rousseff, que compareceu quarta-feira (10) ao evento para anunciar o aporte de R$ 3 bilhões ao Fundo dos Municípios. Ele disse que muitos dos prefeitos não compreenderam as medidas anunciadas e explicou: “Para pagar os 2% do FPM, seria preciso mudar a Constituição. Por isso, vamos apresentar uma PEC.

FOTOS DIVULGAÇÃO

Paulo Ziulkoski, presidente da Confederação Nacional dos Municipios, discursa no encerramento da 16ª Marcha

E agora quem precisa votar isso não é o Executivo, e sim os deputados e senadores”. O Fundo de Participação dos Municípios é uma transferência constitucional da União para os estados e o Distrito Federal, composto de 22,5% da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A distribuição dos recursos aos municípios é feita de acordo com o número de habitantes. Além do aumento de 2% no FPM, a Carta dos Pre-

feitos inclui reivindicações como reajuste nos repasses aos programas federais, reposição das renúncias do IPI e da Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico, regulamentação da Lei Complementar 116/2003, que trata do Imposto Sobre Serviços (ISS) e reajuste do piso dos professores pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (INPC). Na carta, os prefeitos apontam também as conquistas obtidas com a marcha deste ano, como

o apoio federal de R$ 3 bilhões aos municípios, atualização de R$ 3 por pessoa no Programa de Atenção Básica (PAB), extensão do Programa Minha Casa, Minha Vida para localidades com menos de 50 mil habitantes, sem necessidade de seleção de municípios, contratação e financiamento e mais médicos para a rede pública, veto parcial ao Ato Médico e a reinstalação da Subcomissão de Assuntos Municipalistas no Senado. (Agência Brasil)

Governo federal anuncia reuniões periódicas com prefeitos FOTOS DIVULGAÇÃO

Presidenta Dilma definiu a criação de um canal de diálogo com os prefeitos

A

presidenta Dilma Rousseff definiu a criação de um canal de diálogo com prefeitos para ouvir e dar respostas às demandas municipais. A decisão foi tomada ontem (11) em reunião entre Dilma Rousseff, a ministra da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski. A previsão é que o governo estabeleça uma agenda para três a quatro

encontros anuais. A ministra Ideli Salvatti destacou que a intenção é manter uma negociação permanente com os prefeitos e reafirmar o compromisso de parceria do governo federal com as administrações municipais. “Reafirmamos os compromissos da presidenta Dilma e do seu governo de ir ao encontro das necessidades da população brasileira, que são, na sua grande maioria, atendidas pelos municípios”, disse.

A medida foi bem recebida pela CNM. O presidente Paulo Ziulkoski explicou que os encontros serão com um grupo reduzido, ao contrário do que ocorre anualmente na Marcha dos Prefeitos. “O mais importante é que essa relação que se estabelece agora vai distensionar, vai flexibilizar e isso vai permitir que os próprios prefeitos tenham uma concepção melhor e um encaminhamento melhor. Não vamos ter a ilusão de que vamos resolver tudo em um ano ou dois, mas vamos tentar encaminhar questões objetivas”, disse Ziulkoski. A decisão de se reunir periodicamente com prefeitos veio um dia após a participação de Dilma na 16° Marcha dos Prefeitos, quando ela ouviu pedidos dos prefeitos para que se pronunciasse sobre o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) durante discurso e, ao não fazê-lo, enfrentou um misto de

B4

vaias e aplausos ao encerrar o pronunciamento. Um dos itens da pauta do encontro era a reivindicação de aumento entre 1% e 2% no FPM. No discurso, a presidenta anunciou aos prefeitos R$ 3 bilhões para custeio de serviços públicos. Mais tarde, a ministra da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, detalhou à imprensa que o repasse emergencial de R$ 3 bilhões aos municípios corresponde a 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Desde o início da onda de manifestações nas ruas do país, a presidenta tem recebido grupos e representantes de movimentos sociais para discutir as demandas apresentadas durante as manifestações. Dilma já esteve com representantes de índios, de entidades ligadas à juventude, direitos homossexuais e entidades do campo. (Agência Brasil)

Comissão aprova novo regulamento de programação regional de rádio e televisão

F

oi aprovado ontem (11) na Comissão Mista de Consolidação de Leis e de Dispositivos Constitucionais o anteprojeto de lei do deputado Sérgio Zveiter (PSD-RJ) que regulamenta o inciso III do artigo 221 da Constituição, que trata da produção cultural, artística e jornalística regional. A proposta, que será protocolada como projeto de lei de autoria da comissão, define o que é produção cultural, regional e local e estabelece os percentuais de exibição dessas produções a serem cumpridos por emissoras de rádio e tevê em suas programações. Aprovado por unanimidade, o projeto define como produção cultural, artística e jornalística todos os programas que abranjam conteúdos como apresentações musicais, espetáculos de teatro, ópera, circo, dança, dramaturgia, obras de ficção, de cunho religioso, documentários, animação, noticiosos, debates, mesas-redondas, entrevistas, atualidades, programas de auditório e eventos esportivos. A produção de caráter regional é definida como aquela produzida na região onde está localizada a emissora – Norte, Sul, Sudeste, Nordeste ou Centro-Oeste. A produção local é aquela produzida no estado onde se localiza a emissora de rádio ou TV. Já produtora independente regional é a “pessoa jurídica com sede na região, atividade regular e contínua, não vinculada societariamente, direta ou indiretamente, à concessionária, permissionária ou autorizada do serviço de radiodifusão sonora ou de sons e imagens”. O texto determina também os limites mínimos semanais de produção regional e local a serem inseridos na programação das rádios e TVs, de acordo com o tamanho das localidades em que atuam. Cidades com até 500 mil habitantes devem ter 336 minutos semanais de programação regional, sendo metade deles (168 minutos) de programas locais – ou seja, produzidos no estado. Já cidades com população entre 500 mil e 1 milhão de habitantes, devem exibir 504 minutos de produção regional, sendo metade de produção local. Para localidades com população entre 1 milhão e 5 milhões de habitantes, a exigência mínima é de 616 minutos de produção regional e 308

minutos de produção local. O limite mínimo para cidades com mais de 5 milhões de habitantes passa a ser de 840 minutos de produção regional, dos quais 420 minutos devem ser de produção local. Os percentuais serão menores nos primeiros cinco anos de aplicação da lei, aumentando gradativamente até chegar às exigências finais. A fim de facilitar o cumprimento desses limites, principalmente em cidades menores, que podem ter mais dificuldade de produzir e custear seu próprio conteúdo cultural, o projeto permite que conteúdos produzidos por produtoras independentes regionais tenham o tempo de exibição contabilizado de forma dobrada. Como forma de incentivar o cinema nacional, os filmes produzidos no Brasil, independentemente da região, também poderão ser contados no tempo de programação regional e local. Outra questão de que trata o texto é o desconto do tempo dos comunicados oficiais em rede e da propaganda político-partidária e eleitoral obrigatória no tempo previsto para a programação regional e local. Financiamento O projeto de lei aprovado pela comissão prevê também alteração na Lei 8.313/1991, que instituiu o Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), para destinar no mínimo 5% dos recursos do Fundo Nacional da Cultura à regionalização da produção cultural, artística e jornalística. “Passadas mais de duas décadas da entrada em vigor da Constituição, nenhuma lei foi editada especificamente para regulamentar o artigo 221. A concepção de medidas que incentivem a produção e a veiculação das manifestações artísticas, culturais e jornalísticas produzidas nas diversas regiões do país é exigência da maior relevância para a afirmação e a valorização de nossa identidade, em tempos de globalização e de convergência tecnológica”, defendeu o relator da comissão, senador Romero Jucá (PMDB-RR). Jucá contou ainda ter se reunido com o cineasta Luiz Carlos Barreto e uma comitiva de produtores culturais que pediram instrumentos na lei que possam reforçar a produção cultural independente no país. (Agência Senado)

Setec promove lançamento do Prêmio Professor Samuel Benchimol 2013 no Amapá

A

Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec) promove hoje (12), às 9 horas, no auditório do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae), a reunião de lançamento do Edital 2013 dos prêmios Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente. Estes prêmios são instituídos pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e pelo Banco da Amazônia, e contam com o apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Sebrae, Secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação da Região Amazônica e das Fundações de Amparo à Pesquisa. Entre os objetivos dos prêmios está a promoção de reflexão sobre as perspectivas

econômicas, tecnológicas, ambientais, sociais e de empreendedorismo para o desenvolvimento sustentável da Região Amazônica. A edição de 2013 é comemorativa aos 10 anos do Prêmio Professor Samuel Benchimol e 6 anos do Prêmio Banco da Amazônia e Empreendedorismo Consciente. Atualmente, estes são os maiores prêmios existentes na Amazônia de incentivo as ideias e práticas de uso sustentável dos recursos naturais na região. Os prêmios são realizados conjuntamente em edições anuais e de forma itinerante e, neste ano, o estado de Roraima será o anfitrião do evento. Durante o lançamento, serão apresentados o regulamento do edital e importantes infor-

mações sobre a premiação pelo coordenador do prêmio, José Rincon Ferreira. O titular da Setec, Antônio Cláudio Carvalho, que foi premiado em 2007, na categoria Economia, vai encerrar o evento, expondo a sua experiência como participante e a dimensão dos prêmios para o Amapá. Premiação O Professor Samuel Benchimol premiará projetos relacionados a quatro categorias: Projetos de Natureza Ambiental, Natureza Econômico-Tecnológica, Natureza Social e categoria Personalidade Amazônica, que irá agraciar empresários, executivos e gestores de políticas públicas que se destacaram no desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal.

Assim, também o Prêmio Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente terá as seguintes categorias: Empreendedorismo Consciente, Projetos Estruturantes, Categoria Empresas na Amazônia e a Categoria Empresas para a Amazônia, que visa estimular a criação de empresas na Região Amazônica, no que se refere ao fortalecimento das cadeias produtivas já em operação e também ao ingresso em setores produtivos inexplorados. Inscrições As inscrições para os prêmios podem ser realizadas até o dia 28 de agosto, pelo site www. amazonia.desenvolvimento. gov.br. Os projetos serão julgados no dia 17 de outubro. n (Agência Brasil)


CadernoC

Geral Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Papa altera Código Penal da Igreja, que menciona crimes contra as crianças Mudanças ocorrem no momento em que a Igreja é cobrada a se posicionar sobre denúncias de pedofilia e desvios de recursos do Banco do Vaticano FOTO:DIVULGAÇÃO

Na revisão do texto, Francisco acabou com a pena de prisão perpétua, considerada por ele inútil e desumana

O

papa Francisco modificou o Motu Proprio, o equivalente ao Código Penal da Igreja Católica Apostólica Romana. A atualização menciona crimes contra crianças e adolescentes, além do delito de lavagem de dinheiro. O Vaticano divulgou ontem (11) as alterações no código. A legislação é válida para a Santa Sé e como regulamento do Vaticano. As mudanças ocorrem no momento em que a Igreja é cobrada a se posicionar sobre denúncias de pedofilia e desvios de recursos do Banco do Vaticano.

O Motu Proprio, cuja tradução livre significa de iniciativa própria, é expedido pelo papa e tem a forma de decreto. Na reforma, foram introduzidas menções ao crime de tortura e uma ampla definição da categoria de crimes contra crianças – incluindo a venda, prostituição, o recrutamento e a violência sexual, além de pornografia e dos atos sexuais. Na revisão do texto, Francisco acabou com a pena de prisão perpétua, considerada por ele inútil e desumana, que deve ser substituída pela prisão de

30 a 35 anos. Também inclui um item específico para os crimes contra a humanidade com punições para genocídio e apartheid (regime de segregação racial). O texto reformulou a legislação referente à cooperação judiciária internacional com a adoção de medidas adequadas de parcerias com as mais recentes convenções internacionais. Pelo código, há punições administrativas para a proteção dos interesses públicos. O Motu Proprio, segundo o Vaticano, estende a partir de 1º de setembro

as leis penais aprovadas pela Comissão Pontifícia ao Estado da Cidade do Vaticano e a Santa Sé. A ideia é ter condições para definir punições por parte dos tribunais do Estado da Cidade do Vaticano em crimes previstos pelo Códio Penal, mesmo no caso em que o fato tenha sido cometido fora das fronteiras do próprio Estado do Vaticano As mudanças foram detalhadas pelo presidente do Tribunal do Vaticano, Giuseppe Dalla Torre, e o porta-voz padre Federico Lombardi. O “decreto nasce da constatação que em nossos tempos, o bem comum está cada vez mais ameaçado pela criminalidade, pelo uso impróprio do mercado e pelo terrorismo”, diz o texto de Francisco. “As leis adotadas são o prosseguimento na adequação das normas jurídicas vaticanas com as ações empreendidas por Bento XVI”, disse Dalla Torre. Na prática, acrescentou Dalla Torre, a reforma do Código Penal faz com que as normas possam ser aplicadas aos funcionários da Cúria Romana, escritórios, comissões, nunciaturas, e em geral, a todos as entidades dependentes da Santa Sé. (Agência Brasil)

Mulheres são mandonas, diz pesquisa

A

palavra de ordem dentro de casa vem da mulher e quem afirma isso são eles, os maridos. Essa realidade foi revelada pelo Instituto Data Popular, que entrevistou quase dez mil homens em 26 estados para conhecer melhor o retrato da mulher brasileira. A pesquisa mostra que as mulheres influenciam em importantes aspectos da vida masculina. Segundo o estudo, 86 por cento dos homens disseram que suas esposas ou companheiras afetam nos alimentos que comem, 82 por cento nos produtos que consomem, 77 por cento em seu vestuário, 69 por cento no carro ou moto usado pela família e 56 por cento nos produtos de tecnologia usados. Para a sexóloga Sônia Eustáquia as mulheres, desde o início dos tempos, exercem esse papel de cuidar dos seus familiares. Só que agora elas também participam do orçamento doméstico, trabalham fora e contribuem para a renda da família, o que faz com que deem mais palpite de como gastar o dinheiro. “Cuidar e participar da vida dos fa-

miliares faz parte da natureza feminina. Mas a mulher precisa ter bom senso, precisa ter cuidado para não invadir o espaço do outro. No fundo, a mulher é muito centralizadora e isso vai passando de geração para geração”, diz Sônia Eustáquia. Já para os homens, o fato da mulher tomar conta de tudo acaba sendo bem confortável. Para eles é gostoso saber que contam com uma “substituta” da mãe, que administra a casa. Segundo a sexóloga é preciso que o homem saia do comodismo e se aproprie do seu próprio espaço, não abrindo mão das suas coisas. “Eles começam permitindo muito e depois reclamam”, afirma. Para Sônia Eustáquia o ideal é que a mulher mande menos, delegue cada vez mais. “Mesmo gostando de tomar conta da vida dos seus filhos, do marido, ela precisa ser mais assertiva e distribuir melhor as atividades dentro de casa, falando o que quer que a pessoa faça, como quer que ela faça e quando quer que ela faça”, diz.

Novo jogo do criador de “Resident Evil” aposta em ação e muito horror

P

oucos nomes são associados tão fortemente a um gênero de jogo quanto Shinji Mikami é ao ‘horror de sobrevivência’. O designer que criou e depois revolucionou “Resident Evil” na Capcom agora prepara “The Evil Within” em seu próprio estúdio, a Tango Gameworks. “The Evil Within” promete ser ao mesmo tempo um retorno às raízes do gênero que Mikami ajudou a difundir quanto o próximo passo para os games de horror – e, quem sabe, poderá agradar aos fãs dos “Resident” antigos, que se sentem órfãos na leva atual da franquia. Suspense constante O jogo coloca você no controle de Sebastian Castellanos, um detetive que investiga o sumiço de vários policiais em um hospício. No começo do game, Sebastian chega ao hospital, onde uma dúzia de viaturas desocupadas ocupam o lado de fora, mas o edifício está abandonado. Castellanos arromba uma porta e entra,cobrindo seu nariz ao sentir o cheiro de sangue e putrefação. Com corpos por todos os lados, tripas e sangue pelo chão, fica claro que o hospício foi palco para um massacre sinistro. Ao investigar o local, Sebastian encontra uma sala de segurança, onde assiste a uma gravação das câmeras: no vídeo, os policiais fogem por um corredor, atirando em algo que não aparece na tela. O sangue voa quando uma criatura translúcida surge no meio deles. O ser demoníaco se vira para a câmera e olha para o detetive.... e de repente, ela está na sala, atrás de Sebastian, pronta para o inevitável ataque. Sebastian acorda em uma sala cheia de cadáveres, pendurado de cabeça para baixo. Um homem enorme coberto de sangue fatia um dos corpos no canto da sala, arrancando o torso do defunto e se concentra no trabalho de açougueiro infernal, de costas para o detetive, que vê aí uma oportunidade para tentar escapar. Você balança o detetive para os lados, agarrando uma faca presa na barriga do cadáver ao lado. Após se soltar com a faca, Sebastian corre para a saída – tudo daria certo, exceto pela porta estar trancada. É preciso pegar as chaves que estão ao lado do açougueiro... Realidade distorcida Eventualmente, Sebastian consegue escapar de seu perseguidor e fugir do hospício. Lá fora, a cidade está em ruínas. As ruas estão rachadas ao meio e os prédios e carros pendem para dentro de um abismo.

Assim como em “Silent Hill” ou outras obras de terror japonesas, “The Evil Within” brinca com o conceito de sanidade: afinal, em um mundo onde demônios e zumbis estão soltos nas ruas, quem tem certeza do que é ou não real? Luta pela sobrevivência Se por um lado “The Evil Within” traz sensações de insegurança e fragilidade, a tensão e a morte implacável dos jogos de horror, também oferece ao jogador a adrenalina da luta pela sobrevivência. Seus combates prometem fortes emoções, com Sebastian encarando hordas de zumbis e coisas ainda piores em tiroteios “por cima do ombro”, como em “Resident Evil 4” e outros jogos similares. Porém, munição é um bem valioso e deve ser conservado. Para isso, você pode incinerar os inimigos com tochas antes que se levantem de novo. O jogo permite instalar minas e armadilhas em janelas, que explodirão quando as criaturas entrarem, por exemplo. Para sobreviver, é preciso pensar de forma estratégica - não basta mandar bala para todos os lados. Além dos monstros ‘normais’, criaturas que parecem vindas de pesadelos proporcionam desafios maiores para o pobre detetive. Após se livrar de uma leva de zumbis, Sebastian pode ser atacado por seres grotescos, como uma garota cadavérica cheia de braços, por exemplo. Horror definitivo? A nova obra de Shinji Mikami reúne referências e mecânicas que são conhecidas pelos apreciadores do ‘horror de sobrevivência’ e pelos filmes de terror orientais. Mecânicas que apelam para os fãs do gênero e que têm sido deixadas de lado pelas produtoras em jogos mais recentes também aparecem aos montes.

O cenário do jogo é um hospício abandonado e destruído em que policiais somem misteriosamente


Esporte

JD

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

C2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Trem treina para a estreia no Amapazão contra o Santos Experiente treinador Fran Costa já chegou ao clube e aposta na formação de um novo grupo para conseguir vencer o campeonato de profissionais FOTO: DIVULGAÇÃO

Elcio Barbosa

Da Reportagem

Técnico do Paysandu, Givanildo Oliveira, faz alerta após empate com São Caetano

A

o comando do treinador Fran Costa, a locomotiva do bairro do Trem aposta em uma nova formação para ganhar mais um título no futebol profissional amapaense. O novo grupo rubro negro já iniciou treinamentos desde a ultima segunda-feira, 8 no CT da rodovia JK. A estréia do Trem está confirmada para esta segunda-feira, 15 de julho, contra o time do Santos. A partida está marcada para o estádio municipal, Glicério Marques, a partir das 20h30. Fran Costa já havia comandado a locomotiva no certame passado, motivo que agradou a diretoria, e o contratou de volta ao time. Junto com ele, vieram o goleiro Evandro de naturalidade do Rio Grande do Sul, Adelson e Américo (Cametá), Elder (Santa Cruz de Cuiarana), atacante Toniel (Paragominas), zagueiros Evair, Vitor Baia, Ralisson (Tuna), Jô Baiano (Vitória da Bahia). Os jogadores amapaenses Max Jarí, Colo, os irmãos Paulinho e Diego McLaren, Sandro Macapá, Diogo Piraca, e os jovens revelados do

Técnico Givanildo alerta para o nível das equipes e da competição nacional

O

Ao centro o treinador Fran Costa comanda o treino do grupo rubro negro no CT da JK

sub 20, Breno, Chiquinho, Raylan, Bismarck e Colozinho integram o restante do elenco rubro negro. Para o treinador, o grupo precisa trabalhar em dois períodos para ganhar conjunto e preparo físico, haja a vista que alguns elementos desse grupo estavam sem atividades físicas de onde vieram. “Nosso trabalho por enquanto nos dois períodos, com o propósito de integrar a parte física e técnica, nossa ex-

pectativa e de fazer um bom campeonato e sermos campeões” revelou o comandante rubro negro. A diretoria não tem medido esforços para manter contato, e contratar jogadores para esta temporada. O diretor de futebol, Ronaldo Tavares vem manteve este contato para encontrar o grupo, e deslocar até Macapá. A única presidente do futebol brasileiro e talvez do Mundo, Socorro Marinho está confiante

em uma boa campanha do Trem no certame que inicia nesta segunda-feira, 15, contra o time do Santos Amapaense. “A gente tem força de vontade, e acreditamos nesse grupo, o treinador conhece e os nossos jogadores terão total apoio da diretoria, temos que sentar ainda com o presidente da FAF para definir a parte do repasse da cota da Chevrolet, patrocinadora do campeonato” enfatizou a presidente.

Ypiranga tem problemas para o jogo contra o Salgueiro, domingo em Macapá FOTO: DIVULGAÇÃO

Elcio Barbosa

Da Reportagem

O

treinador ypiranguista Samuel Peres anunciou ontem que os zagueiros Bruno, e Paulista devem desfalcar a equipe pelo Campeonato Brasileiro da Série D, na partida deste domingo, 14, contra o líder da chave, o Salgueiro (PE). O Bruno sofreu uma fisgada na coxa, e o Paulista sentiu a parte do púbis, por isso eles estão entregues ao departamento médico, e estão sem condições de atuarem neste domingo no Glicério Marques em Macapá, pelo 3º compromisso do Ypiranga pelo Campeonato Nacional. Provavelmente o zagueiro Well, e Sandro devem atuar na partida. A notícia feita pelo departamento médico pegou o treinador de surpresa, ontem foi grande a movimentação na sede do negro anil da Desidério Antonio Coelho no bairro do Trem. Entretanto, a idéia do treinador Samuel, era colocar primeiro o zagueiro Ruan no jogo, ele

Samuel Oliveira tem problemas para mudar o miolo da defesa do Ypiranga na partida contra o Salgueiro no domingo

atuou pelo Oratório ano passado, e agradou o treinador nos treinamentos, mas a documentação dele ainda está presa na Federação Paraense de Futebol. A priori, o comandante negro anil tendo em vista estes problemas vai por uma alternativa diferente na partida, por que, ele precisa recompor o miolo da defesa do time. Ele sabe que o time do Salgueiro é

Toque de Primeira ANTONIO LUIZ

Colunista alpcampos@hotmail.com Positivo Ypiranga x Salgueiro é a grande pedida deste domingo em Macapá. O negro-anil busca a segunda vitória na Série D para se consolidar na tabela. Ingresso único a R$ 10,00! Negativo Financiamento do BNDES para a Arena da Baixado é bloqueado. Tribunal de Contas alega que não há um orçamento preciso para as melhorias do estádio do Atlético-PR.

Coruja da Torre I Trabalho técnico, tático e físico movimentou o elenco do Ypiranga durante esta semana. Coruja da Torre II Negro-anil necessita aprimorar passe finalização. Goleiro e miolo de zaga estão ótimos. Coruja da Torre III Jogadores de vários estados formam o elenco e Tom Brito é o único amapaense do time.

perigoso, e eles virão ao Amapá em busca da vitória. “Os zagueiros Sandro e Well já estão com as documentações prontas para a partida, a estratégia de mudar o número nas camisas dos jogadores deu certo contra o Maranhão, dificultou para a imprensa, a gente sabe disso, mas deve dificultar também para o Salgueiro” explicou. Perez disse ainda que já

estuda minuciosamente alguns vídeos, e sabe como joga o time do Salgueiro. “Já vi esses vídeos contra a Portuguesa e o Vitória da Bahia, e conheço dois elementos deles, o volante Airton, e ala direita Marcos, o Salgueiro está dando prioridade a Copa do Brasil e acredito que eles não virão ao Amapá para a partida” definiu o treinador.

Papão da Amazônia I Entre altos e baixos, Paysandu ocupa o 12º lugar na Série B, porém a meta é a Série A.

pela primeira vez o Atlético-MG está na final da competição.

Papão da Amazônia II Bicolor volta a campo dia 20 Jul, mas na quarta encara o Atlético pela Copa do Brasil. Amapazão I FAF e clubes filiados definem início do certame para esta segunda-feira, no Glicerão. Amapazão II Santos x Trem é o clássico cheio de rivalidade que dá o pontapé inicial no campeonato. Taça Libertadores I Em 105 anos de história,

Taça Libertadores II Classificação histórica, épica, comovente. Galera mineira deu show de bola e civilidade! Peixe da Amazônia I A revelação Fabinho desponta como destaque do Santos e promete arrepiar novamente. Peixe da Amazônia II Moderno Centro de Treinamento enseja ótimas condições de trabalho ao elenco santista. Copa do Brasil Flamengo e Cruzeiro estão praticamente classificados e podem decidir a

empate de 2 a 2 diante do São Caetano (SP), na última terça-feira (9), no Estádio da Curuzu, em Belém, mostra o equilíbrio da competição e a dificuldade que será o Campeonato Brasileiro da Série B, segundo o técnico do Paysandu Givanildo Oliveira, que ressalta o poder de reação da equipe. “Independente de jogar em casa ou fora, os clubes são fortes e isso mostra o nível da Série B e a atuação de ontem é isso, pressionamos e buscamos o gol o tempo todo e estou muito satisfeito pelo equilíbrio do time, que dentro de campo teve personalidade para buscar o empate e quase vencemos o jogo”. O comandante bicolor também se mostrou insatisfeito com a arbitragem da partida . “No primeiro tempo, o árbitro não teve coragem de marcar um

pênalti para nossa equipe e ainda tenho dúvidas sobre o lance do Raul e tivemos muitas dificuldades com a forte marcação adversária”. Em relação às substituições, Givanildo destaca as entradas de Raul e Marcelo Nicácio, sem contar na volta do meia Djalma. “Raul é um bom jogador e pode ser titular da equipe, o Marcelo Nicácio entrou bem, marcou dois gols e ajudou muito a equipe e a torcida precisa ter um cuidado com o Djalma, que está voltando de um problema delicado”, afirma. Antes de enfrentar o Boa Esporte (MG), no próximo dia 20, no interior de Minas Gerais, o Paysandu vai enfrentar na próxima quarta-feira (17), o Atlético (PR), às 19h30, no estádio Mangueirão, pela terceira fase da Copa do Brasil. (Sou Papao.com)

Flamengo oficializa proposta e tenta seduzir Emerson com contrato longo, até o fim de 2015

A

pós semanas de sondagens e consultas informais no mercado, o Flamengo oficializou uma proposta ao atacante Emerson Sheik, do Corinthians. E para seduzir o jogador em meio ao processo de renovação com o clube paulista, o time carioca aposta na oferta de um contrato longo – até dezembro de 2015. Com vínculo até dezembro deste ano com o Corinthians, Emerson não pensava em deixar o clube onde conquistou a Copa Libertadores e o Mundial de clubes. Os paulistas, porém, não acenam com a possibilidade de renovação por mais de uma temporada, como deseja o atacante que completa 35 anos em 2013. Diante disso, o Flamengo, que já desejava o retorno do jogador há alguns meses, entrou na negociação. Além do contrato de dois anos e meio, o rubro-negro oferece um salário de pouco mais de R$ 400 mil. O diretor executivo de futebol do clube da Gávea, Paulo Pelaipe, evitou comentar a proposta, mas admitiu o forte interesse do Flamengo no jogador. “Não vou entrar

badalada taça. Trembala I Elenco mesclado de jovens e adultos acelera o Trem em busca do título da temporada. Brasileirão Fluminense x Internacional e Santos x Portuguesa sacodem o sábado na elite nacional. Canil do Pitbull I Time campeão Sub-20 e mais 05 reforços formam o elenco do São José no Amapazão. Canil do Pitbull II O técnico é Jorginho Macapá, que recebe o apoio de todos os tricolores do Laguinho.

em detalhes, mas o Emerson é um jogador que realmente está sendo bem observado. É um atleta muito bom tecnicamente e identificado com o Flamengo. Vamos aguardar uma definição dele com o Corinthians”, disse o cartola, em breve contato telefônico com a reportagem. Com a proposta encaminhada ao empresário do jogador, Reinaldo Pitta, o Flamengo espera uma definição da negociação até o início da próxima semana. O rubro-negro, porém, ainda terá que conversar com o Corinthians sobre uma rescisão amigável de Emerson com os paulistas. Outro ponto a ser definido é a questão das garantias financeiras. Mesmo animado com a possibilidade de voltar ao Flamengo, Emerson quer ter a certeza que o clube carioca não irá atrasar os salários, problema recorrente na primeira passagem pela Gávea. Campeão por onde passou e desejado por inúmeros clubes, Emerson não esconde sua simpatia pelo Flamengo, clube que atuou em 2009, quando retornou do futebol árabe. (UOL)

Neymar Nova fera do Barcelona vai estrear dia 02 Ago justamente contra o Santos, seu ex-clube. Zona Norte I A área que mais cresce de Macapá tem como representante no Amapazão o São Paulo. Zona Norte II Adenus Padeirinho preside o clube e a atração é Albertinho, ex-atacante do Paysandu. Você Sabia? O famoso Balneário da Fazendinha sedia este domingo o 6º Torneio de Verão de Beach Soccer. A competição reúne a nata do futebol de areia e oferece ótima premiação.


JD

Diversão&Cultura

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

C3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Hoje é noite de observar os astros no Museu Sacaca Centro de Pesquisas Museológicas do Iepa vai realizar hoje a sétima edição do “Observando em Latitude 0°”, evento que é aberto ao público em geral FOTO DIVULGAÇÃO

O

Centro de Pesquisas Museológicas (CPM) do Iepa realizará hoje (12), das 19 às 22 horas, mais uma edição do Observando em Latitude 0°, no Museu Sacaca. O evento consiste em observações da lua e de outros corpos celestes, com auxílio de telescópios e binóculos que serão disponibilizados pelo Museu Sacaca e por colaboradores. “Esta é a 7ª edição do evento. Em 2013 e, como sempre, o foco principal da observação será a lua. Entretanto, se as condições climáticas forem favoráveis, vai ser possível observar Vênus, Saturno, o aglomerado Caixa de Joias, além de podermos

Luan Santana propõe “novo caminho para o sertanejo” em gravação de seu novo DVD

A

Evento consiste em observações da lua e de outros corpos celestes, com auxílio de telescópios e binóculos especiais

observar as constelações do Sagitário, Escorpião, Cruzeiro do Sul, entre outras”, disse José Hewton Batista, da Sub-gerência

de Etnociência e Planetário/Museu Sacaca. A finalidade do evento é promover a educação científica por meio de conceitos da astronomia. Os participantes receberão orientações sobre como realizar observações e como manusear os telescópios, e poderão ti-

rar dúvidas a respeito da astronomia. Pessoas de qualquer idade podem participar e quem possui algum equipamento de observação também pode levar para dividir suas experiências com a equipe. O evento é aberto ao público em geral. (Agência Amapá)

Superman “coxinha”, de Henry Cavill, acaba fazendo espectador torcer para que vilão lhe dê uma surra

S

ob a direção de Zack Snyder, “O Homem de Aço”, que traz o britânico Henry Cavill no papel de Clark Kent/Kal-El e Amy Adams como a repórter Lois Lane, é uma nova tentativa de a Warner e a DC Comics reiniciarem a saga do super-herói mais emblemático do universo dos quadrinhos, quase um símbolo para boa parte dos norte-americanos e crianças e adultos de várias outras nacionalidades. Snyder teve à disposição US$ 225 milhões para levar o personagem a lugares onde ele jamais esteve em sua carreira multimidiática. Do ponto de vista tecnológico, o avanço atinge desde os efeitos especiais até os gigantescos planos rodados em IMAX, algo difícil de não deixar os espectadores boquiabertos com a riqueza de detalhes e o realismo impressos na tela. Até do ponto de vista da dramaturgia, Snyder trabalhou em cima de uma história criada pelo roteirista David S. Goyer e o também produtor-executivo Christopher Nolan que foge do habitual triângulo Superman, Lois Lane, Lex Luthor. Nesse sentido, escolheu como vilão um personagem pouco notório para os espectadores não iniciados e

um ator excepcional para interpretá-lo. Na pele do vingativo general Zod, Michael Shannon coloca Cavill e o seu Clark Kent “coxinha” muitas vezes na sombra, e em vários momentos chegamos a pensar como seria bom -- pra variar esse herói que tanto representa os valores norte-americanos -levar uma sova daquelas. Só isso é um sinal de que algumas coisas não estão funcionando. Quando o vilão faz sombra ao herói e o engole na maior parte das vezes em que se apresentam juntos na tela, só pode haver um desequilíbrio de forças na distribuição de papéis. Além disso, há outros atos falhos e buracos de lógica na condução da trama que chegam a ser inexplicáveis e constrangedores, como é o caso, por exemplo, da mudança de atitude de Lois Lane, uma repórter investigativa “sangue nos olhos”, disposta a denunciar até a identidade do Superman, que de uma hora para outra, depois de uma simples conversa, abandona toda a sua ambição para defender o suposto benfeitor. Há outros exemplos mais ou menos parecidos, mas elencá-los seria apenas tão entediante quanto repetí-los na lembrança. (UOL/CINEMA)

Resumo das Novelas Malhação Ben assume o prejuízo que Anita causou na loja, e ela fica encantada. Martin presenteia Vera pela mudança e afirma ainda ser apaixonado por Anita. Giovana comemora seu show de estreia na festa de Flaviana. Vitor faz sucesso no vôlei da rua. Ben percebe que não tem dinheiro para arcar com o prejuízo e decide escapar da loja. No meio da fuga, Ben encontra com Anita, e os dois correm juntos. Ben protege Anita e consegue despistar os seguranças da loja usando as habilidades de salto que aprendeu praticando le parkour. Anita fica admirada com Ben. Giovana convence Guilherme a tocar com ela no show e pede que Clara vá à apresentação.

Sangue Bom Amora entra em pânico com as declarações de Mel. Perácio cobra explicações de Rosemere. Tito ameaça Sheila, mas disfarça quando Damáris se aproxima. Amora bate em Mel na frente de Sueli Pedrosa. Fabinho rouba uma revista que fala sobre o sumiço de sua mãe. Sueli Pedrosa invade a casa de Damáris atrás de Bárbara. Nancy se assusta com o estado de Wilson. Verônica pede para usar o nome de Karmita para comprar o apartamento de Érico e Renata. Amora é demitida da emissora. Damáris transforma Bolivar em seu empregado. Renata avisa a Érico sobre a venda do apartamento. Gilson sugere que Érico contrate um detetive para encontrar Palmira.

Flor do Caribe William não se conforma com a ausência de Doralice. Natália incentiva Juliano a seguir em frente, ajudando Quirino e William. Doralice ajuda as beatas a dar comida aos pobres. Samuel se oferece para levar a turmalina da Paraíba para ser avaliada em Natal, e recusa qualquer segurança para protegê-lo. Alberto avisa ao avô que sabe que ele colocou Hélio para prejudicar Samuel. Alberto implora a Dionísio que não faça nada contra Ester. Juliano consegue um emprego na portaria do prédio de Hélio.

Amor à Vida Paloma repreende Ninho, que se desculpa com Paulinha. Ninho e Paulinha brincam juntos. Valdirene é expulsa do Centro de Treinamento. Nicole aceita se casar com Thales, e Leila comemora. Bruno encontra Ninho com Paulinha e fica furioso. Glauce enfrenta Félix. Bruno avisa a Paloma que vai denunciá-la. Glauce considera a ideia de se unir a Félix. Lutero agradece Bernarda por sua amizade. Valdirene reclama de não ter conseguido um marido milionário. Ordália sente ciúmes de Denizard com Pilar. Nicole avisa a Lídia que Thales a pediu em casamento, e a governanta procura Pilar. Perséfone convida Ivan para jantar. Félix instiga Glauce a ser sua aliada. Paloma decide reatar com Bruno.

o chegar à Fazenda Maeda, em Itu, interior de São Paulo, na noite do último domingo (7), os fãs de Luan Santana se depararam com tendas em cores neon, palco ao ar livre com jogo de luzes ao fundo e um clima bem distante de rodeio. Na gravação de seu DVD, o cantor mostrou ao público um novo formato de show sertanejo, que teve influência de festivais de música eletrônica, as famosas raves, e arranjos musicais baseados no pop americano e no hip-hop. “O sertanejo precisava de um novo caminho. Precisava de um respiro e foi isso que eu quis fazer com o meu novo trabalho”, explicou ele em entrevista dada à imprensa após o show, que teve 2h de duração. Com infraestrutura que pode ser comparada a shows da cantora Katy Perry, Luan usou fogos de artifício, bandeiras, chuvas de papéis e tecidos picados, balões em formatos de coração que coloriram o céu ao pôr do sol e helicóptero que fazia imagens aéreas

do espetáculo. O UOL apurou que a superprodução custou cerca de R$3,5 milhões, valor baixo se comparado ao show de outro cantor, Naldo Benny. Ele gastou R$4 milhões na gravação de seu DVD realizada na última quarta-feira (3), no Credcard Hall, em São Paulo. “Tinha tudo para dar errado com tantos detalhes, mas aconteceu tudo de forma perfeita”, disse Luan. Segundo o cantor, os ensaios foram feitos, em maior parte, em estúdio e somente dois dias na fazenda. Mesmo com poucos ensaios no local do show, ele e sua banda só precisaram refazer três músicas e não fizeram paradas longas entre as trocas de roupa. Luan optou também por um repertório 90% novo com músicas românticas, que valorizam a mulher, e baladas pop com batidas pesadas. O público em sua maioria composto por crianças e adolescentes faziam coro em todas as canções. Já os adultos ficavam emocionados ao ouvirem as letras mais “melosas”. (UOL/Musica)

Horóscopo Áries (21 mar. a 20 abr.) Apoie-se nos amigos e seja versátil para vencer obstáculos e realizar sem problemas sua agenda de hoje. Invista em esportes e vida ao ar livre. O campo profissional se apresenta um tanto tumultuado hoje, mas você tem muito que mostrar de seu valor, que será reconhecido.

Libra (23 set. a 22 out.) Sol e Mercúrio anunciam proteção e reconhecimento na área profissional. Lua e Marte em ângulo propicio a viagens com amigos fluem a seu favor. Amores ligados ao trabalho - mas você tem responsabilidade se deixar a coisa crescer e virar algo mais sério!

Touro (21 abr. a 20 mai.) Medidas eficazes para melhorar o funcionamento da casa ou trazer a paz familiar podem ser postas em andamento hoje, conte com ajuda de um parente ou amigo. Os relacionamentos atuais passam pelo crivo da discriminação - saiba escolher com quem você quer viver e produzir!

Escorpião (23 out. a 21 nov.) Percepção aguda, maestria reconhecida em sua área profissional! Você está pop com Lua e Vênus em Leão! Aproveite pra mostrar do que é capaz na carreira. A sua imagem também conta muito, então capriche na apresentação pessoal. E nada de gastar por impulso...

Gêmeos (21 mai. a 20 jun.) Marte está se despedindo de seu signo, daí a urgência em agir - o problema é a dispersão! Foque em alguns poucos alvos e não perca mais tempo. Hoje você está mais aberto a captar o clima ambiente, o que o fará mudar de ideia sobre um plano anterior. Informações esclarecem algo.

Sagitário (22 nov. a 21 dez.) Exuberância e boa disposição! Liberdade de criar e de seguir seu próprio ritmo e intuição é quesito essencial hoje pra você trabalhar bem. Você vai brilhar numa apresentação, e pode tocar adiante um plano de viagem. Amigos reforçam decisões. Sonhos dão caminhos claros.

Câncer (21 jun. a 21 jul.) Você está redefinindo seu território, recebendo elogios e dicas ótimas pra rever seu norte. Hoje, fique ligado nas finanças - há decisões que pode tomar pra garantir mais comodidade e segurança. Autoconfiança em alta, amor também flui e os amigos estão presentes. Leão (22 jul. a 22 ago.) Até a noite a Lua continua seu trânsito mensal por seu signo - portanto continue mantendo uma agenda calma, reserve tempo pra cuidar de si mesmo em primeiro lugar. Um almoço com amigos será estimulante! Mercúrio e Urano tencionam comunicações amorosas. Virgem (23 ago. a 22 set.) Hoje a noite a Lua inicia seu trajeto mensal por seu signo - então aproveite o dia pra tocar adiante tarefas e atividades que exigem mais concentração e trabalho solitário. No entanto, esteja ciente da dificuldade de comunicação! A noite, relaxe. Percepções decisivas.

Capricórnio (22 dez. a 20 jan.) Sua observação fina do ambiente está perfeita, o que ajuda demais na hora de avaliar e tomar decisões. Parcerias serão reforçadas na medida do necessário. Aguarde a decisão de um cliente - ele está avaliando pros e contras. Sangue frio não falta a você. Cena amorosa esquenta. Aquário (21 jan. a 19 fev.) Como você tem hoje bem mais disposição de ouvir e acolher seu parceiro, as arestas serão superadas facilmente. Da mesma forma, pode agendar conversas delicadas com clientes ou sócios, pois conta com ótimo radar interno. A noite, recolhimento pra preservar a saúde! Peixes (20 fev. a 20 mar.) Crenças firmes. Clima de animosidade doméstica - ou tensão nesta área - está pra terminar, é questão de dias! Hoje, convivência com filhos e amores traz calor ao coração e fé no futuro. Garimpe, filtre e avalie ideias sobre como organizar melhor a rotina daqui em diante.


Sociedade

Macapá-AP, sexta-feira, 12 de julho de 2013

Aline Lima alinec.lima@hotmail.com

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Mensagem do Dia “Eu gosto do impossível, porque lá a concorrência é menor “ Walt Disney

Empresários Walesca e Edvan Pinto (Lojas Visual Fashion)

Empresário Antônio Carlos, Deputado Michel JK e empresário Felipe

Ediane Borges marcando presença na coluna

Empresário da noite, Elinaldo Kzan, e seu Filho Rodrigo Kzan

Empresário Ray (Casa do Motoqueiro) acompanhado do filho

Tereza Serrano, presente nas melhores baladas

Repórter Carla Ferreira


Jornaldodia12072013