Page 1

R-LINE

Para curtir a diferença

A versão topo de linha do Touareg é considerada grife pela Volkswagen. nD1

SUB 19

NOSSA GENTE O que há de melhor para você

São José e Santos decidem hoje A partida está marcada para as 17 horas no Glicerão. nA6

Confira nesta edição. A revista não pode ser vendida separadamente.

Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

• Domingo e Segunda R$ 3,50 • Terça a Sábado R$ 1,50

Macapá-AP, Domingo e Segunda, 09 e 10 de Setembro de 2012 - Ano XXV HEVERTON MENDES

URBANIZAÇÃO

Planejamento de Macapá: desafio para o futuro prefeito Atualmente, a urbanização em Macapá é resultado mais das pressões sociais, do que de planejamento. Assim como em outras capitais em desenvolvimento, a cidade está em constante crescimento, porém, com péssima utilização do orçamento. nE2 e E3

SANTANA Em muitos casos, deficientes físicos enfrentam dificuldades para utilizar até mesmo os ônibus adaptados

DIFICULDADES

nB2 e B3 Apesar das leis, capital ainda descumpre as regras da acessibilidade DIVULGAÇÃO

Veja onde estão os votos no 2º maior colégio eleitoral do AP nE1

CIVISMO

Desfile militar empolga público durante o 7 de Setembro no Sambódromo O desfile de 7 de setembro contou com a presença de aproximadamente 3,6 mil servidores da Marinha do Brasil, Exército, Polícias

ELEIÇÕES

Justiça barra 317 candidatos a prefeito que têm ficha suja DIVULGAÇÃO

Militar e Civil, Bombeiros, agentes penitenciários e o tradicional desfile de membros da Legião Estrangeira. nB4

ASCOM/GEA

Saiba que extravio de bagagens dá direitos ao consumidor

REALIDADE

Professoras vítimas de assédio têm decisão favorável na Justiça

Ministra do TSE, Carmen Lúcia

Expulsas da sala de aula em plena atividade, professoras estaduais ganharam na Justiça Eleitoral o direito de retornar ao local de trabalho. nB1

NA ITÁLIA

Hamilton frustra torcida da Ferrari e conquista a pole Depois de Fernando Alonso dominar as duas primeiras partes da atividade, o inglês Lewis Hamilton (ao lado) foi o mais rápido do Q3 e conquistou a pole position com o tempo de 1min24s010.

BRASILEIRÃO

Desfile do Bope empolgou a multidão que acompanhava o 7 de Setembro no Sambódromo

Todos os candidatos barrados pelos tribunais regionais podem recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A presidente do tribunal, Cármen Lúcia, já disse que não será possível julgar todos os casos antes das eleições. nE4

Fluminense e Internacional

X Abel confirma Fred para o jogo

O técnico Abel Braga elogiou a vontade do atacante em retornar à equipe e poderá enfrentar o Internacional, às 16h deste domingo. nA6

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


JD

Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Tiros no pé RODOLFO JUAREZ

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

N

ão há como concordar com o baixo nível de qualquer campanha eleitoral. Acho que até mesmo os candidatos devem ter uma equipe que possa censurar os programas feitos para o horário gratuito no rádio e na televisão. Afinal de contas são os candidatos os primeiros interessados no que vai para o ar. Deve saber, mais do que qualquer um, se os objetivos planejados ficarão mais próximos com esse ou aquele programa. Os programas de baixa ou nenhuma qualidade servem para quem? Provavelmente apenas para a experiência de quem pouco ou nada sabe sobre as relações entre o político e o eleitor que, apesar de, às vezes, não serem boas, é consciente que elas sempre existirão, tanto para a adesão como para o afastamento. Não pode o candidato ou a candidata, a direção do seu partido e os dirigentes da coligação ou os coorde-

nadores de campanha, ficarem satisfeitos com provocações ativas ou passivas, comissivas ou omissivas, direcionadas a adversários, principalmente quando podem contar, em seguida, com esses mesmos concorrentes como aliados em disputas futuras. Tem também o outro lado da moeda, que nem sempre está muito à vista e que pode apresentar um brilho nada favorável para aqueles que estão observando tudo – os eleitores. Foi infeliz quem idealizou o ponto mais fraco da campanha deste ano – o vídeo e o áudio “Maria da Penha”. Alias, além de ser uma decisão errada, acabou abalando as estruturas da campanha eleitoral deste ano, criando um clima que não dá mais espaço para o “gênio” que idealizou a peça e aqueles que foram os diretamente prejudicados pela aventura. O eleitor, senhor do voto, está atento a tudo e foi o primeiro a reagir contra as provocações que chama-

vam os candidatos para a disputa sem ordem e sem respeito. Apesar de que, para alguns, em eleição “só não vale perder”, essa máxima já está fora de moda, pois supões que os eleitores são incapazes de separar quem quer disputar de qualquer maneira e em qualquer lugar, e em quem quer manter uma linha coerente, explicativa e que deixa tudo na mão do eleitor quando for escolher o seu preferido no dia sete de outubro. E bom conhecer todos os pontos fracos de cada adversário e os pontos fortes desses adversários, explorar à exaustão, cada um deles, sem que, nessa exploração os respingos se voltem contra si, em uma espécie de releitura de registros que estão na memória, que insistem em permanecer “martelando” na consciência. Tomara que a lição tenha sido aprendida. Os partidos políticos ainda têm um mês de campanha no rádio e televisão e tempo para consertar ou aliviar esse golpe, tido como fogo-amigo, mas que está fazendo um estra-

go muito grande na evolução da campanha. Mas é importante que os adversários tenham sabedoria para usar o erro cometido de forma inteligente, sem precisar chegar ao nível onde foi perpetrada a agressão, de tal forma que, deixe claro para o eleitor que o comportamento de prefeito ou de uma prefeita, não pode iniciar com cenas de teatro do absurdo. Entre perder a vaga no segundo turno e perder o marqueteiro ou o selecionador de programas, vale muito a pena perder o selecionador de programas. E se ele for também o marqueteiro, não há motivo para deixá-lo, encostada ou não, pois sempre haverá a desconfiança sobre os objetivos não ditos pelos autores da baixaria. O eleitor está cada vez mais atento a todos os detalhes e como o corrido esta semana foi muito mais que um detalhe, então o eleitor já reservou, entre os assuntos importantes, esse “tiro no pé” de um marqueteiro da campanha que não se alinhas entre as melhores já realizadas por aqui.

Lavagem de dinheiro: limites da pena WALTER CENEVIVA

Colunista Folha on Line

N

os dias que correm tem se falado muito em lavagem de dinheiro, o que provocou diversas perguntas, ante a pluralidade de significados de “lavagem”. Sua definição técnica hoje resulta da aplicação do art. 1º da lei nº 12.694/2012. Lavagem é a ação de “ocultar ou dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de infração penal”. Ou seja, o delinquente oculta ou dissimula bens, direitos ou vantagens com valor econômico resultantes de um ou mais atos criminais. O termo “lavagem” define a “limpeza” da origem ilegal. Nas discussões sobre o mensalão, a lavagem surgiu várias vezes no relatório do ministro Joaquim Barbosa, mas a lei nº 12.694 não será aplicável (por ser posterior) na parte do texto que agravou punições previstas para esse caso político-jurídico-criminal. Pode ter aplicação em outros casos. A cooperação de terceiros na prática mencionada es-

tende a estes coautores a responsabilidade penal (art. 1º, parágrafo 2°). O parágrafo 5º admite a confissão premiada ou a contribuição para realização da justiça, com a cooperação do conivente, cúmplice ou abusador, em face de outros responsáveis, com punições mais brandas. No rumo oposto está o agravamento da pena, quando houver crimes cometidos de forma reiterada ou por intermédio de organização criminosa. A suspensão dos efeitos do art. 366 do Código de Processo Penal permite o prosseguimento da ação penal contra o acusado que não comparecer nem constituir advogado, citado por edital. O feito prossegue com a nomeação de defensor dativo, embora este evidentemente tenha muita dificuldade para cumprir sua função. Autoriza o juiz que decrete de ofício, havendo indícios suficientes de infração penal, medidas assecuratórias de bens, direitos ou valores do investigado ou acusado. A noção de suficiência indiciária é tão variada que ameaça os inocentes e não os culpados.

A amplitude de certas definições pode permitir abusos graves. É o caso do art. 5º, pelo qual, “quando as circunstâncias o aconselharem”, o juiz submeterá à administração de estranhos “bens, direitos ou valores sujeitos a medidas assecuratórias”. Falta qualificar “estranhos”. O inciso XIV do art. 9º foi encarado por entidades da advocacia com justa preocupação. A norma autoriza o processo contra pessoas físicas e jurídicas que tenham, em caráter permanente ou eventual, como atividade principal ou acessória, cumulativamente ou não, e mesmo eventualmente, prestadores de serviços de assessoria, consultoria, aconselhamento ou assistência de qualquer natureza.

Imagino os escândalos que surgirão com o inciso 13 do art. 98, pelo qual serão criminosas “pessoas físicas ou jurídicas que atuem na promoção, intermediação, comercialização, agenciamento ou negociação de direitos de transferência de atletas, artistas ou feiras, exposições ou eventos similares”. O legislador extrapolou limites do aceitável com grave ameaça para profissionais sérios. Nenhum cidadão consciente de seus deveres quer abrir portas pelas quais os malandros escapam. Também não quer que os inocentes, especialmente os pobres, sofram prisões injustas, com danos irreparáveis. (esta coluna foi publicada integralmente na Folha de S.Paulo)

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994) Diretor Executivo: Marcelo Ignacio da Roza Diretora Corporativa: Lúcia Thereza Pereira Ghammachi Assessoria Jurídica e Tributária: Américo Diniz (OAB/AP 194) Eduardo Tavares (OAB/AP 27421) Editor-Chefe: Janderson Carlos Nogueira Cantanhede Gerente Comercial: Andrew Gustavo Cavalcante dos Santos CONSELHO EDITORIAL Presidente: Aldenor Benjamim dos Santos

Secretário Executivo: Marcelo Ignacio da Roza

Conselheiros: Carlos Augusto Tork de Oliveira

José Arcângelo Pinto Pereira

Danieli Amanajás Scapin

Luiz Alberto Pinto Pereira

Janderson Carlos Nogueira Cantanhede

Maria Inerine Pinto Pereira

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br josemaria@jdia.com.br mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representantes comerciais JC Repres. Com. Ltda. - Brasília, DF n Tel. (61) 2262-7469 - Rio de Janeiro, RJ nº Tel. (21) 2223-7551, São Paulo New Mídia - Belém-PA (Gil Montalverne) Tel.: (91) 3279-3911 / 8191-2217 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

A2

Editorial

Ataques em série

A

tônica dos programas do horário eleitoral de TV na última semana foi a virulência dos ataques veiculados, em especial entre as campanhas de Roberto Góes, Cristina Almeida e Clécio Luís. Clécio mexeu na ferida da Operação Mãos Limpas de forma contundente, dedicando boa parte do programa de sexta-feira ao assunto. O programa exibiu imagens do Jornal Nacional, do dia em que o prefeito foi preso pela Polícia Federal, no final de 2010, sob suspeita de envolvimento em atos de improbidade administrativa. Também foram exibidos trechos da matéria recentemente publicada pelo jornal O Estado de São Paulo, sobre restrições judiciais enfrentadas pelo prefeito, que por conta de ter sido flagrado com porte ilegal de armas, em 10 de setembro de 2010, teve que assinar um acordo judicial que restringe sua liberdade de ir e vir. Antes disso, na quarta-feira, o programa de Roberto Góes exibiu imagens obtidas no Portal da Transparência do Governo do Estado, mostrando que Clécio recebeu cerca de R$ 3 mil de Regência de Classe em julho de 2012, época em que os professores do Estado tiveram essa gratificação cortada, por participarem de greve considerada ilegal pela Justiça. Diversos professores entrevistados no programa condenaram o benefício recebido pelo candidato. Os ataques desferidos pelo programa de Cristina Almeida intensificaram-se na quarta-feira. Numa tentativa de polarizar a campanha entre sua candidata e o atual prefeito, o programa aludiu a duas formas de governar que estariam em jogo nesta eleição. De um lado Roberto Góes, apoiado por Waldez Góes, Moisés Souza e Edinho Duarte, e no outro, Cristina, que, diz o texto, vai governar com

Camilo, a presidente Dilma e Lula. A partir de quarta-feira, o programa de Cristina também começou a mobilizar eleitores para participação no ato a ser realizado segunda-feira, 10, quando se completam dois anos da Mãos Limpas. Menos duros, e mais engraçados, foram os ataques de Davi Alcolumbre. No programa de sexta-feira, o candidato do DEM disse que um de seus primeiros atos, se eleito prefeito, será tirar o nome da Prefeitura de Macapá do Serasa, recorrendo a uma expressão usual entre a população, para pessoas que estão endividadas, sem conseguir honrar seus compromissos financeiros. O PSTU, que costuma bater espalhado, esta semana dirigiu seu foco para um tema recorrente na campanha deste ano: a violência contra a mulher. Depois de apresentar dados sobre o incremento desse tipo de violência em Macapá, o programa conclui: “Macapá não quer quem bate em mulher”. O ataque tem um alvo: Clécio Luis, cuja ex-esposa, Cleidenira Monteiro, o acusou, via Twitter, de agressão doméstica. Cristina Almeida também colocou o dedo nessa ferida, protagonizando um dos momentos mais infelizes da campanha. A coligação da candidata veiculou, na quarta-feira, um vídeo de 15 segundos tratando do assunto, em que uma personagem manda a seguinte mensagem: “Égua mana, tu achas que uma pessoa que não tem equilíbrio emocional, e que parte pra violência, batendo na mulher, tem condições de governar uma cidade que tem problemas pra todos os lados? Mas quando...” Detalhe: o filme foi veiculado sem a identificação da coligação responsável, prática condenável e que repercutiu negativamente na cidade, especialmente nas redes sociais. Tiro no pé.

Hora-Hora

Tabela - A casadinha entre a propaganda do Governo do Estado e a da candidata do PSB à Prefeitura de Macapá, Cristina Almeida, está cada vez mais afinada. Coisa que em eleições passadas a Justiça Eleitoral proibiu. Casal 40 - O Governo faz propaganda sobre o Professor Conectado, e Cristina anuncia o Professor Conectado Municipal. O Governo anuncia o programa Lote Legal, e lá vem Cristina com o Lote Legal Municipal. A estratégia está evidente. Só não vê quem não quer, né Antonela? Mudança – A deputada Dalva Figueiredo (PT) começou a campanha mantendo distância do palanque de Cristina Almeida, insinuando inclusive uma possível adesão à candidatura de Clécio. Não estranhem se a situação mudar daqui para a frente. Alianças – A razão da mudança está lá na Secretaria de Infra-Estrutura, onde o aliado de Dalva, Edvan Barros, assume a chefia de Gabinete da pasta, que tem Joel Banha como secretário. É um realinhamento das forças petistas, onde alianças firmadas em 2010 estão sendo rompidas e outras firmadas.

Liberou geral - O solo está fértil para candidatos que gostam de comprar votos e outras mutretas. Policiais federais em greve não estão nem aí para fiscalizar as eleições. E parece que a Justiça Eleitoral, sem o apoio dos federais, está sem forças para fazer frente ao desafio. Cuidados – É preciso cuidados redobrados em vários trechos da rodovia BR156. Um deles é na saída de Macapá, às proximidades da Ilha Redonda, onde os buracos tapados com terra já estão de volta. Alerta - Outro lugar perigoso é uns cinco quilômetros após a Ponte Tancredo Neves, em Ferreira Gomes. Lá os buracos continuam a dar prejuízos aos usuários. Ora são pneus estourados, ora são jances empenadas. Quando acontecer uma tragédia, pelo menos vão sinalizar o local. Expectativa – Há menos de um mês da eleição, o clima político em Macapá vai ficando cada vez mais tenso. Nesta segunda, quando se completam dois anos da Operação Mãos Limpas, a temperatura sobe ainda mais. Se sair resultado de pesquisa então...

Índice Opinião - A2, A3 Especial - A4, A5 Geral - A6 Sociedade - A8 Dia Dia - B1, B3, B4 Polícia - B2 Classidia - 12 Pag.

Esportes - C1, C2 Atualidades - C3 Diversão&Cultura - C4 Carro e Moto - D1, D2, D3 Social Click JD - D4 Economia - E1, E2, E3, E4

Edição número 8001


JD

“ ”

Geral

Entre Aspas

JANDERSON CANTANHEDE Jornalista cantanhede@jdia.com.br

Baixaria – A cada dia que passa, o horário eleitoral gratuito vai se rendendo cada vez mais às baixarias políticas.

tário da semana. Quem teve a ideia de colocar uma mulher perguntando “olha mana, tu acha que quem bate em mulher tem controle psicológico para governar Macapá?” foi o próprio PSB. Só não entendi porque o partido não assinou a chamada.

Alvos - Os ataques pesados no horário eleitoral giram em torno, basicamente, de três candidatos à prefeitura: Roberto, Clécio e Cristina.

Próximo passo – Sugiro à Justiça Eleitoral que o próximo passo à moralização da disputa eleitoral seja barrando baixarias no horário eleitoral gratuito. O eleitor de hoje não quer mais saber de brigas de compadres políticos. Quer ver propostas. Se não for assim, corremos o sério risco de transformarmos de vez o horário eleitoral em um grande big brother, onde cada um aponta o dedo na cara do outro e diz o que quer em busca do voto.

Antes - Na semana passada, o quadro era diferente: Roberto apanhava de Clécio e Cristina que dividiam o curto espaço de tempo entre os ataques e as propostas de governo. Depois – Hoje, o quadro mudou: Roberto que tem o maior tempo de TV tanto se defende, quanto ataca como, por exemplo, mostrando o contracheque de Clécio recebendo como professor, mesmo não estando em sala de aula.

Assédio – Estão se tornando cada vez mais frequentes as reclamações de assédio moral nos órgãos públicos. Na sexta-feira, recebi a ligação de uma conhecida que trabalha de serviços gerais no Super Fácil da zona norte. Por lá, segundo ela, já rolou até pressão de diretores para comparecer

Duas frentes - Já o PSB de Cristina resolveu atacar em duas frentes: mostrando o que não foi feito em Macapá por Roberto e metendo o dedo na ferida de Clécio quanto à violência contra a mulher. Autoria - Falando em violência, muita gente andou se perguntando qual o partido autor daquela chamada que virou o comen-

Em risco - Considerada o caminho mais curto para livrar a política dos maus gestores, a lei da ficha limpa começou a valer este ano, mas, na semana passada, uma resolução sem muito alarde do TSE colocou sua aplicação sob ameaça. Fazer o quê - O TSE decidiu que o fato de um administrador ter as contas de sua gestão rejeitadas não é motivo para impedi-lo de ser candidato. A inelegibilidade somente pode ser declarada se houver provas suficientes de que o político teve culpa. Como na política se dá jeito para tudo, é bem capaz que muito ficha suja por aí se eleja e fique no cargo por um bom tempo. Apelar para quem? Esse é o nosso Brasil... Bom domingo a todos...

Siga: @cantanhede_AP Email: cantanhede@jdia.com.br

DORIEDSON ALVES Professor

N

egar a inoportuna constatação da violenta/excludente invisibilidade a acometer uma parte substancial e significativa dos sujeitos sociais representa, em última análise, a tentativa infame de tentar mascarar as mazelas histórico-sociais, cultural e economicamente instituídas, caracterizadoras da estrutura da vida coletiva estratificada, referendada na realidade corruptível de um sistema sócio-econômico opressor, perpetrado no seio das ambições consumistas, fugazes, desnecessárias, nesse egoísta contexto contemporâneo, sobretudo pela perpetuação ostensiva, consciente, autoritária, desse paradigma que se auto-regula: o homem-nada. Desse modo, se desconsidera a importância que subjaz a vida do indivíduo (em seus múltiplos atributos, anseios, necessidades etc.), agente último de sua condição humana no mundo, como ser que se vê perdido entre as centenas de milhares de desejos incutidos violentamente na sua mente, como consciência inventada do mundo. É um indivíduo que não consegue vê sua própria imagem no espelho, mas apenas como sujeito encantado, idealizado pela vontade de fazer de si mesmo um herói divinizado, negando a desumana condição de seu ser mundano, feito refém, aterrorizado pelas desilusões de uma existência estereotipada, no signo do sentido autêntico de um espírito amargurado e perdido, enlouquecidamente andarilho. Onde a sua miséria corriqueira, se engaja nas fileiras ininterruptas dos desempregados, perfila entre os sem-tetos, os sem eira nem beira e os indigentes famintos de cada dia, violentamente rejeitados nos embates físicos, políticos e ideológicos dessa dura realidade: a sina do

excluído. Sendo assim, reduzida a ação, ou o intento do intelecto crítico-reflexivo, toda atividade do sujeito potencialmente atuante, fica restrita as sujeições e limitações dos valores ideologicamente instituídos, na pretensão de enclausurar o espírito libertário humano, nas torres escuras aviltadoras do ingênuo e tácito entendimento humano, enquanto ele definha nos calabouços de sua própria ignorância. Por isso, de forma absolutamente banal, e até consentida, os miseráveis indivíduos se procriam como ovelhas robustas em pastos longínquos de uma alma verdejante, para serem arrebanhados nos currais mentirosos da moralização conservadora, asfixiante, com sua austeridade destilada como veneno de cicuta – o mesmo que matara Sócrates – tipicamente destinado aos guetos sociais suburbanos, nos quais impera a sustentação explícita da negação da visibilidade aos excluídos miseráveis que perambulam desorientados e cambaleantes pelas ruas empoeiradas, sem saneamento básico, reclusos aos caminhos da ignorância, da desrazão, da incerteza. O seu reino é o da soberana violência, a mesma que salta das telas cinematográficas americanizadas para as ruelas armadas pelo tráfico, corrupção e inoperância da segurança pública, além dos toques de recolher, impostos pelo bom senso de quem tem amor a vida, tendo o direito à liberdade de ir e vir suprimido de fato, lhe restando apenas a alegria turva de tê-lo expresso em uma constituição meramente legalista, formal, burocrática, na qual a lei se dá no direito da letra, marcada pela incoerência entre legalidade e legitimidade. Dessa maneira, tentamos não ver o excluído (ou a

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

E

CHARLES CHELALA Economista

m período de eleições é comum serem debatidos problemas da cidade e apresentadas promessas de soluções, mas um tema sempre passa ao largo das discussões: a situação fiscal do município. Neste quesito, Macapá pode ser enquadrada na condição de “displicente fiscal”, uma vez que arrecada pouco e arrecada mal, o que acaba obrigando os gestores da nossa capital a mendigar recursos federais ou estaduais, enquanto poderiam resolver boa parte de seus problemas com um pouco de inteligência e esforço tributário. Tomando dados da Secretaria do Tesouro Nacional, que traz as informações de finanças públicas de todos os municípios do Brasil, comparei os dois principais tributos de competência municipal: o Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU e o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza – ISSQN, de Macapá com o de outros municípios situados na faixa entre 200 e 600 mil habitantes, num total de 95 cidades brasileiras neste intervalo. Com relação ao ISSQN Macapá arrecadou em

2011 aproximadamente R$ 25 milhões, bem menos da metade da média deste grupo, que é acima de R$ 60 milhões, o que a situou na 71ª colocação entre os noventa e cinco municípios. Quando se analisa o IPTU nossa situação é ainda mais vergonhosa. Ficamos no 86º lugar, com uma receita de míseros R$ 4 milhões, apenas um décimo da média dos 95 municípios de porte semelhante, que é de R$ 36 milhões. Em ambos os tributos ficamos atrás de Rio Branco, Boa Vista e Porto Velho capitais de estados semelhantes da Amazônia. A soma da arrecadação de IPTU e ISSQN de Macapá não chega a R$ 30 milhões, enquanto Rio Branco arrecada mais de R$ 40 milhões, Boa Vista R$ 50 milhões e Porto Velho R$ 206 milhões de reais. Neste último caso, a distorção para mais é decorrente da construção de duas hidrelétricas, mas mesmo sem elas a receita seria bem superior à de Macapá. Esta irresponsabilidade fiscal foi captada em estudo recente divulgado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro – FIRJAM, que elabo-

rou o Índice de Gestão Fiscal dos municípios brasileiros, número que reúne indicadores de receita, gastos de pessoal, investimentos, liquidez e dívida. Neste IGFM, nossa capital ficou na 3.839ª colocação entre os 5.561 municípios do Brasil. Estes dados demonstram que Macapá nunca fez a “lição de casa” em matéria de estruturar sua gestão fiscal, preferindo ficar sempre dependente das transferências. Talvez a relação paternalista entre governo e prefeitura em diferentes momentos tenha induzido os gestores a esta displicência, pois a administração municipal sempre preferiu transferir sua responsabilidade para o Estado ou para a União. Se Macapá arrecadasse com ambos os tributos apenas a média dos municípios com população parecida, teríamos R$ 67 milhões de reais a mais nos cofres municipais, ou uma ampliação de 13% no orçamento anual de R$ 502 milhões. Daria para se fazer muita coisa. O mais interessante é que tal ampliação pode se dar apenas com ações de inteligência e planejamento fiscal, sem aumentar impostos e nem penalizar a população, mas apenas com a prefeitura cumprindo sua função.

O brâmane e as Escrituras

Miserável invisível: o homem-nada própria exclusão) para, a partir disso, não reconhecermos a cumplicidade com a qual abraçamos, cordialmente, o reducionismo individual, negando a nós mesmos toda e qualquer possibilidade (e também responsabilidade) de, eventualmente, nos tornarmos vítimas de uma realidade excludente endossada e legitimada ao se conferir veracidade a tudo aquilo que isso representa, decretando o processo de exclusão como lei magna da esfera das relações intersubjetivas, principalmente através da indiferença condicionada à banalização, expressa na sobrevivência assistida de nossa repugnante insensatez, ante a desgraça alheia que, no fim de tudo, acaba sendo também a nossa. Por isso, Chico Buarque de Hollanda no trecho da música Construção – “Morreu na contramão atrapalhando o tráfego...” – explicita a situação calamitosa característica do individuo que refuta a si mesmo (e é refutado), no qual ele se encontra invisibilizado na dinâmica cruel da sustentação ostensiva da opulenta violação do de seu próprio ser, o ser do homem, através de sua instrumentalização. É assim construída – por sermos algozes a impor, sem indulgências alguma, o devido castigo aqueles que se enquadram aos padrões dinâmicos, miseráveis e cruéis dessa pós-modernidade – a tirânica, cruel e “maquiavélica” imagem do homem-nada. Contudo, enquanto não se der conta de que sua postura reforça a atual figuração de homem a negar sua identidade, na insegurança de ser o que é; ele será destituído da possibilidade de ser sujeito agente de seu próprio caminho. Logo, a não-comoção termina dando lugar a ratificação da condição comum do homem-nada, cuja esperança se perdeu entre as incertezas e medos da vida ordinária, em sua escravidão consentida.

A3

A displicência fiscal de Macapá

aos comícios do 40. Incógnita - A pouco mais de um mês do primeiro turno das eleições municipais, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu apenas 1.318 recursos referentes a registros de candidaturas de um universo de cerca de 14 mil que sofreram algum tipo de contestação na Justiça Eleitoral país afora.

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

DOM PEDRO JOSÉ CONTI

Bispo de Macapá

C

erto dia, um brâmane, sacerdote hindu, apresentou-se ao rei e lhe disse: - Se me nomear seu mestre, eu lhe ensinarei as Sagradas Escrituras, que conheço profundamente. Vou querer somente comida, hospedagem e três mil rúpias por mês. – O rei não gostou nem do desejo de honra e nem do dinheiro que o homem tinha pedido e respondeu: - A minha impressão, ó brâmane, é que você não tenha entendido bem as Escrituras; poderei recebê-lo como mestre se estudá-las mais a fundo. – O sacerdote ficou com raiva e pensou: - O rei está louco, como pode dizer que não conheço as Escrituras? Já faz muitos anos que as leio todos os dias. – Contudo voltou para casa e iniciou uma nova leitura com mais atenção. Depois disso, foi de novo falar com o rei, mas este lhe repetiu as mesmas palavras e ficou mais zangado ainda; então suspeitou que a exigência do rei pudesse ter sentido. Fechou-se em casa e retomou a leitura das Sagradas Escrituras, trecho por trecho, versículo por versículo, palavra por palavra, dia após dia elas entraram no seu coração e não mais somente na cabeça. Compreendeu assim a vaidade do mundo e como honra e dinheiro não valem nada se comparados com o tesouro inestimável da palavra de Deus. Começou então a buscar a perfeição e se esqueceu do rei. Depois de alguns anos, aquele mesmo rei foi visitar pessoalmente o brâmane. Quando viu a luz que resplandecia no seu rosto, o rei caiu aos pés dele e disse:

- Agora estou vendo que você realmente chegou ao conhecimento mais profundo das Escrituras. Se quiser me aceitar como seu discípulo ficaria muito feliz . Essa história nos lembra que antes de querermos ensinar algo aos outros precisamos conhecê-lo de verdade. Antes de falar devemos aprender a escutar. Na cura do surdo que falava com dificuldade, Jesus primeiro coloca os dedos nos ouvidos dele e, somente depois, toca na sua língua. O que poderia parecer um estranho ritual na realidade revela uma grande lição e, de certa forma, uma preocupação do próprio Jesus. Entre o ouvir e o falar tem uma profunda ligação. Quem tem ouvido bom, facilmente aprende a falar. Quem não escuta bem, ou não escuta nada, dificilmente consegue se expressar. Com efeito, o homem surdo do evangelho falava com dificuldade. A sucessão dos gestos de Jesus e o seu suspiro conclusivo: “Efatá” – Abre-te – dizem tudo. Aquele que se abre à Palavra, à escuta e a compreende, por sua vez, poderá abrir a boca para comunicar o que ouviu e entendeu. Somente quem se apropria da Palavra pela escuta atenta e a deixa entrar no profundo do seu coração, poderá também anunciá-la com fidelidade, respeito e alegria. Quem tem a Palavra como seu tesouro poderá tirar dela “coisas novas e coisas velhas”, como o pai de família da parábola (cf. Mt 13,52). Mas se não tem tesouro ou o cofre está vazio, não terá nada para oferecer. Aliás, poderá dizer muitas palavras, mas

bem poucas capazes de ecoar e comunicar aquelas “palavras de vida eterna” que Jesus semeou no meio de nós (cf. Jo 6,68). Vivemos num mundo globalizado e conectado, onde, aparentemente, domina a comunicação. Parece que todos têm muitas coisas para dizer, nem que seja para nos convencer a comprar os seus produtos ou a votar neles. Quem ainda não sabe das últimas “news” tem a impressão de ter ficado para trás. Será? Sobram palavras, sons e ruídos. Estamos bombardeados por notícias, informações, umas empurradas pelas outras que vêm logo atrás. Precisamos aprender a filtrar as informações; de outra forma bobagens, fofocas e amenidades, vão juntas pelo ralo com notícias que mexem com a vida de milhares de pessoas, de países inteiros e até com a vida do próprio planeta. O pior acontece quando também a Palavra de Deus acaba do mesmo jeito, no lixo da confusão, na mistura dos acontecimentos, na incerteza sobre quem, afinal, nos diz a verdade. Com a Palavra do Senhor somos todos ainda muito surdos e a balbuciamos com grande dificuldade. Para Jesus tirar aquele homem do isolamento da surdez e da não comunicação bastou tocar nele, com carinho, com paciência, mas fora do barulho e da curiosidade da multidão. Para entrar mesmo em nossa vida, também a Palavra de Deus precisa de tempo, atenção, recolhimento e... silêncio. Todas coisas fora de moda. O brâmane da história se esqueceu até do rei, no entanto uma nova luz resplandeceu no seu rosto. E o rei viu.


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

A4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Grito dos Excluídos reúne movimentos contrários ao modelo de desenvolvimento econômico Organizadores do Grito sustentam que o modelo econômico segue condenando milhões de pessoas à exclusão social, concentrando riqueza e renda na mão de poucos

I

ntegrantes de organizações sociais participantes do Grito dos Excluídos no Distrito Federal aproveitaram o Dia da Independência para criticar o modelo político e econômico brasileiro e cobrar das autoridades maior atenção aos direitos básicos de todos os cidadãos. Ao contrário do discurso oficial, que garante que 40 milhões de pessoas superaram a situação de pobreza e ingressaram na classe média nos últimos anos, os organizadores do Grito

sustentam que o modelo econômico segue condenando milhões de pessoas à exclusão social, concentrando riqueza e renda na mão de poucos. Daí o lema deste ano: Estado pra quem e para quê? Como cada núcleo dispõe de autonomia para elaborar sua própria pauta. Na capital federal, as críticas atingiram também o governo local, principalmente a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis-DF). O órgão é responsável por zelar pe-

las normas de uso e ocupação do solo, devendo coibir a abertura de comércios e obras irregulares em áreas públicas, controlar a expansão urbana e impedir a grilagem de terras públicas, entre outras atribuições. “Ao contrário do que dizem, que está tudo muito bem, queremos mostrar que o modelo econômico e o governo do Distrito Federal estão excluindo pessoas. Conseguimos uma representatividade muito ampla para isso,

Portando faixas e cartazes e com um grupo percussivo à frente, o grupo seguiu à sede da Agefis

para mostrar que do jeito que está não dá”, declarou à Agência Brasil um dos organizadores do ato, Vitor Guimarães, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). Explicou que, como o ato reúne vários movimentos, cada qual com a suas prioridades, não é objetivo do Grito dos Excluídos apresentar opções e soluções aos problemas apontados. “Isto, cada movimento faz a seu modo, conforme suas prioridades”. A expectativa dos orga-

nizadores era reunir ao menos 500 pessoas. Para isso, quatro ônibus transportaram manifestantes de cidades-satélites até a Esplanada dos Ministérios, onde acontece a cerimônia oficial do Sete de Setembro. O grupo esperava atrair a adesão de pessoas que assistiam ao desfile cívico. Portando faixas e cartazes e com um grupo percussivo à frente, o grupo seguiu à sede da Agefis. Lá foi montada uma pequena feira, onde qualquer coisa, de

roupas a um poema, podia ser negociada na base da troca. A iniciativa foi a forma encontrada para questionar o padrão hegemônico de produção e distribuição de produtos e mercadorias. “São pessoas que se incomodam com o que vem ocorrendo. Pessoas que, após assistirem ao desfile oficial, se virem que alguém está protestando contra algo que elas próprias questionam no dia a dia, podem aderir ao movimento”, disse Guimarães.

Alunos do ProUni superam dificuldades para estudar na Universidade de Salamanca

Campus da Universidade de Salamanca: dificuldades superadas por estudantes brasileiros

E

x-alunos de escolas públicas deixaram para trás a família, o casamento e os filhos para correr atrás de uma oportunidade que eles mesmos definem como única: estu-

dar na Universidade de Salamanca, na Espanha, uma das mais antigas e tradicionais do mundo. Já são 28 jovens brasileiros, bolsistas do Programa Universidade para Todos (ProUni), estudando na instituição. O grupo que chegou mais recentemente ao país, em abril deste ano, conta as surpresas e os problemas de adaptação que tiveram que enfrentar. A diferença climática, a culinária local e principalmente o idioma dificultam a adaptação – além da saudade dos amigos e parentes que ficaram no Brasil. O convênio ProUni-Salamanca teve início em 2010 e seleciona anualmente os dez mais bem classificados no programa de bolsas para estudar na Espanha, com o curso e as despesas pagas em parceria com o Banco Santander. Dois desistiram e retornaram ao Brasil. Todos os participantes chegaram à Salamanca sem falar espanhol. Eles tiveram um mês para aprender a língua antes de prestar “vestibular” para poder ingressar na universidade. Muitos não foram aprovados e terão nova chance em setembro – caso não passem, devem retornar ao Brasil.

“Ter que estudar em um mês para se preparar para a seleção é muita pressão. Principalmente porque não temos o apoio da família aqui”, explica Talles Vinicius Medeiros, de 22 anos, de Belém (PA). Ele conta que nos primeiros dias queria voltar ao Brasil. Mas agora, fluente em espanhol, está confiante que vai passar na próxima prova. Ele quer cursar matemática. A vice-reitora de Relações Internacionais da universidade, Noemí García, diz que é um “milagre” a velocidade com que os bolsistas brasileiros aprenderam espanhol. Na instituição, eles fazem aulas intensivas da língua e recebem apoio do Centro de Estudos Brasileiros da universidade. Para Natasha de Sousa, de 21 anos, o maior problema não foi o idioma, mas a saudade da filha de 2 anos que deixou no Brasil. No começo, pensou em voltar, mas apostou que com a experiência poderá dar um futuro melhor para a filha. “Quando converso com ela pela internet é muito difícil escutar que uma criança de dois anos já saiba o que é saudade”, diz a jovem, moradora de Samambaia, cidade do Distrito Federal.


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

Remédio anticrise de Dilma reduz verba de cidades pequenas das está uma creche que deveria ser inaugurada até o fim do ano, e que deve atrasar. Também caminham em ritmo mais lento a construção de duas quadras esportivas e duas escolas. Igualmente com obras paradas, o prefeito Gislan Alencar (PSDB), de Bueno Aires, cidade no interior de Pernambuco com pouco mais de 12 mil habitantes, afirma temer por seu futuro político. Apesar de ainda conseguir manter o pagamento dos salários dos servidores municipais, o tucano avisa: “Não haverá 13º para ninguém neste ano. Tínhamos uma reserva orçamentária que agora já está zerada.” O fundo representa 90% das receitas da cidade do interior pernambucano, que já calcula queda de 20% no repasse. “Remédio” usado pela presidente Dilma Rousseff para lidar com a estagnação da economia tem se mostrado mais do que amargo para boa parte das prefeituras

O

bras paradas, salários de servidores e pagamentos de fornecedores atrasados, reeleição colocada em xeque. O prefeito da cidade do interior paulista Pirapora do Bom Jesus, José Carlos Alves (PT), o Bananinha, atribui os problemas à queda nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios, causada pela política de renúncia fiscal adotada pelo governo federal para estimular a economia. Essa estratégia reduziu a arrecadação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) – que representa, ao lado do Imposto de Renda, a fonte de recursos do fundo. Ou seja, o “remédio” usado pela presidente Dilma Rousseff para lidar com a estagnação da economia tem se mostrado mais do que amargo para boa par-

te das prefeituras. Segundo a Confederação Nacional dos Municípios, quem mais sente os efeitos da redução do FPM são as cidades com menos de 20 mil habitantes como Pirapora do Bom Jesus. Trata-se da maioria dos municípios brasileiros, 75% deles, segundo o IBGE. A entidade estima que 74,7% dos municípios tenham dificuldades em fechar suas contas. A expectativa da entidade é que o fundo sofra uma redução de R$ 8,3 bilhões, de R$ 76,9 bilhões previstos pelo governo para transferência, até o fim do ano. Segundo a Receita Federal, as desonerações do IPI causaram, até este mês, redução de R$ 6,7 bilhões de arrecadações. Uma pesquisa realizada pela confederação, com adesão de 85,8% dos mu-

nicípio brasileiros (4.773), aponta que 11,1% dessas cidades estão com salários atrasados há mais de um mês. Fornecedores das prefeituras também estão sem receber em 47,8% das cidades consultadas. Em Pirapora, Bananinha teme perder o cargo para seu adversário, o ex-prefeito Raul Bueno (PSDB). Hoje, 70% dos recursos da cidade derivam do fundo. A queda, que soma cerca de R$ 100 mil nos repasses, até agora, afeta diretamente as contas cidade. Em agosto, só foi possível pagar os salários de servidores da educação e da saúde. “As pessoas não entendem. O funcionário quer o salário na conta e acha que o prefeito não paga porque está usando o dinheiro para outra coisa”, afirmou o prefeito. Entre as obras prejudica-

Responsabilidade fiscal Para além da reeleição, há prefeitos em segundo mandato com medo de não conseguir cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal. É o caso da cidade paulista de Ibiúna, com 71 mil habitantes. O secretário municipal de Finanças, Marcelo Mori Muniz, destaca a paralisação de todas as obras da cidade, incluindo reformas em escolas e estradas, e as dificuldades de manter as contas do município em dia. “Estou sobrevivendo para pagar salários e contas de consumo. Se continuar desse jeito, nossas contas não fecham até o fim do ano”, afirmou o secretário. “Não conseguimos pagar as empresas que fazem o transporte municipal, a coleta de lixo e a limpeza do hospital. Em agosto precisamos negociar com os sindicatos e acertar um pagamento parcelado”, completou.

Ministros citam Dirceu em votos do Banco Rural

A

participação em reuniões com o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu serviu de prova para três ministros do Supremo Tribunal Federal condenarem por gestão fraudulenta a ex-presidente e acionista do Banco Rural Kátia Rabello. A referência, conforme apurou o Estado com ministros e advogados, reforça a tese do Ministério Público de que Dirceu era o mentor e chefe do esquema do mensalão. Os ministros Marco Aurélio Mello, Rosa Weber e Carlos Ayres Britto afirmaram que os encontros de Kátia com Dirceu foram mais um elemento a contribuir para a convicção de que os empréstimos de R$ 32 milhões feitos pelo banco ao PT e às empresas de Marcos Valério, operador do mensalão, eram simulados e foram fundamentais para o esquema. Para eles, o Rural teria interesse em interferir no processo de levantamento da liquidação extrajudicial do Banco Mercantil de Pernambuco. Segundo o Ministério Público, essa medida poderia render R$ 1 bilhão ao Rural. Ao votar, Marco Aurélio usou o encontro com Dirceu para condenar a cúpula do Rural. “Esse contexto é condizente a assentar-se a culpa de Kátia Rabello e (do ex-vice-presidente operacional) José Roberto Salgado, não pelas simples condições que tinham em ter-

mo de cargos no banco, mas dos contatos mantidos com Marcos Valério e com o chefe do Gabinete Civil da Presidência da República José Dirceu, outro acusado neste processo.” Rosa Weber já tinha citado os encontros anteontem. Ela destacou que as reuniões foram marcadas por Valério, que faria “lobby” para o Rural. Por isso, na visão dela, seria “inverossímil” que a cúpula do banco não tivesse conhecimento das fraudes nas operações de crédito. A ministra afirmou que Kátia admitiu que Valério foi responsável pelo agendamento de três reuniões da direção do Rural com Dirceu - a ex-presidente do banco participou de dois desses encontros. O presidente do STF também fez referência indireta às reuniões entre Kátia e Dirceu. Britto observou que isso desmentiria a defesa da ex-presidente de que ela não teria muito conhecimento na área financeira. “Ela teve o total desembaraço ao participar de reunião com um alto dirigente do Partido dos Trabalhadores para tratar da intenção do banco naquela liquidação do Banco Mercantil de Pernambuco”, afirmou Britto. Acusado de corrupção ativa e formação de quadrilha, Dirceu seria o cérebro do mensalão, segundo o procurador-geral da República, Roberto Gurgel. O ex-ministro nega os crimes.

A5

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Coluna

ESPLANADA

POR LEANDRO MAZZINI Jornalista

Twitter @leandromazzini

Heloísa, sobre PSOL: ‘Todo partido tem malandros’

A fundadora do PSOL vai deixar o próprio partido no primeiro semestre de 2013. A ex-senadora Heloísa Helena só espera Marina Silva dar o sinal verde para a criação de uma legenda. ‘Pretendo generosamente ajudá-la’. O seu partido cresceu tanto a ponto de Heloísa perder as rédeas, diante das correntes diversas nas hostes. ‘As centelhas que o PSOL criou foram grandes’, desabafa, e complementa com uma ironia sem medo de tiro no pé: ‘Todo partido tem malandros’, insinuando nisso a sua sigla.

De palavra

Heloísa lembra que o PSOL é totalmente diferente do que criou e justifica a iminente saída: ‘Não tenho relação mística com os partidos, perdi isso com o PT’.

Decisão

Heloísa perdeu a vontade com o PSOL desde quando saiu da Executiva Nacional. ‘Eles me obrigaram a defender o aborto, e vi que não era mais o partido que fundei’.

Ideologia

Heloísa é das poucas políticas de renome nacional, hoje, a valorizar as diretrizes que representa: ‘Eu me organizo em torno de ideias’.

Macedo x Rossi

Edir Macedo, o dono da Rede Record e bispo fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, lotou um shopping de Vitória na quinta-feira, para lançar um livro autobiográfico. Ele vai rodar as principais capitais com a obra. Passou a disputar com o Pe. Marcelo Rossi, autor de ‘Ágape’, as atenções dos ‘leitores da fé’.

Novo fenômeno Em tempo, ‘Ágape’ e ‘Agapinho’, os livros de conteúdo cristão e menções bíblicas, fizeram do padre o maior fenômeno de vendas após Paulo Coelho. Ele já vendeu 8 milhões de exemplares em dois anos.

Crivella, quer lançar o Pronapaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Pesca e Aquicultura Familiar, uma nova versão do já existente, com nova linha de financiamentos para pesqueiras e pescadores artesanais no BNDES .

Recado presidencial A presidente Dilma gravou na quarta mensagem de apoio para Haddad (PT), candidato em São Paulo, mas o comitê espera pesquisas. Se ele não decolar como o esperado, vai poupar o líder Russomanno (PRB) e atacar apenas Serra (PSDB).

Porrada Vem briga feia aí. A porrada quase pegou, literalmente, na última reunião de líderes na Câmara. O PSD, neoaliado do governo Dilma, quer em pauta o projeto que derruba a multa de 10% do FGTS para o patronato, na demissão sem justa causa.

Ui! Na Câmara: A bela deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) cumprimentou o deputado Francischini (PEN-PR): ‘E aí, Peniano?’ É nomenclatura dos militantes do novo partido.

Ringue O PT não quer o fim da multa. Como noticiou a coluna, a multa rendeu ao Tesouro R$ 55 bilhões nos últimos 10 anos, desde que aprovada no governo FHC. O líder do PSD, Guilherme Campos, e do Governo, Chinaglia, se estranharam feio.

Ciência Política A UnB sedia, dias 20 e 21 de Setembro, o 10º Encontro Anual da RedGob e I Conferência Internacional sobre Estudos Presidenciais Comparados e Presidencialismo. MP x MP O Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, pressiona o Senado pela não recondução de Luiz Moreira para o Conselho Nacional do Ministério Público. O CNMP quer investigar Gurgel por suposta prevaricação no inquérito Monte Carlo. Pronapaf O ministro da Pesca,

Resumo Em tempos de aperto, Dilma não quer abrir mão da bolada. Os bilhões anuais da multa do FGTS têm ajudado a segurar o superávit primário. Tô nem aí O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), alheio à briga e ao pedido do governo, vai colocar em pauta o projeto: ‘Não quero nem saber, vai para a pauta’, disse na reunião. Ponto Final Falta um mês para a eleição. Vote com consciência.

www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br


JD

Esporte

Santos e São José decidem hoje Campeonato Sub 19 no Glicério Marques

Macapá-AP, quarta-feira 01 de agosto de 2012

A6

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Obra do Estádio Zerão: em ritmo de tartaruga e sem previsão de entrega

O Santos está na final contra o São José. A partida será realizada às 17 horas Elcio Barbosa

Da Reportagem

E

m pleno feriado de 7 de setembro, a Federação Amapaense de Futebol (FAF) realizou duas partidas pela semifinal do Campeonato Sub 19. Um público considerável compareceu ao estádio municipal Glicério Marques para prestigiar os jovens craques do futebol amapaense. Chiquinho fez acontecer no confronto entre Santos e o time do Oratório. Aos 30 minutos da primeira etapa, o Jovem Yan abriu a contagem no placar, Oratório 1, Santos 0. No segundo tempo, Luciano Marba empatou aproveitando cruzamento do craque Chiquinho, Oratório 1, Santos 1. No segundo tempo, Chiquinho recebeu o passe do Luciano Marba e marcou o gol da virada e da vitória do Santos, placar Santos 2, Oratório 1. O Santos está na final contra o São José. A partida será realizada neste domingo, 9 de setembro no Glicério Marques. “Graças a Deus a gente brigou, lutou mostrou raça e é o nosso sonho ser campeão” falou o jovem talento do futebol amapaense, Luciano Marba, já marcou 4 gols no certame. “Graças a Deus vencemos a provamos pra eles que no nosso time tem jogador de futebol” desabafou o jovem craque do futebol Chiquinho. “Mais uma vez o Oratório mostrou que não tem time para ganhar o nosso, e pra mim eu já sabia na realidade a vitória do Santos, e parabenizamos o aniversariante do dia, o nosso treinador, Aldo por mais um momento importante na vida dele, e temos o camisa 9 que vem fazendo a diferença nas partidas chamado de Luciano” festejou o presidente santista, Luciano Marba. São José e Trem Na partida realizada logo após, entre São José e Trem, o confronto foi um pouco diferente do primeiro confronto. O Trem saiu na frente no placar através do jogador, Willian. Aos 10 minutos da primeira etapa, ele aproveitou o lançamento fez o domínio e chutou forte sem chance de defesa para o goleiro. Trem 1, São José 0.No segundo tempo, o jogo ficou caracterizado como atípico. Hora o São José empatava, e o Trem seguia rumo em ampliar o marcador. A defesa tricolor

Zerão está longe do imaginário em ser palco para treinamento para a Copa

Elcio Barbosa

Da Reportagem

A São José quer título para chegar a copinha em São Paulo

O fazia a parte dela. Depois de muitas tentati- vas, o jogo estava tenso, pois, o São José precisava empatar por que o empate lhe era favorável a classificação, e somente aos 43 minutos de jogo, atacante Ray, depois de perder um pênalti, se redimiu e empatou o jogo, Trem 1, São José 1. São José classificado para decidir o certame contra o pei-

ANTONIO LUIZ

Colunista alpcampos@hotmail.com

Negativo Cotado entre os favoritos das Paralimpíadas, o ciclista brasileiro João Schwindt foi ao banheiro e ‘perdeu’ largada da prova. Após a confusão, ainda ficou na nona colocação.

Abel exalta vontade e confirma Fred para jogo do Flu contra o Internacional

Santos está preparado para o confronto de logo mais contra o São José

Toque de Primeira Positivo São José de Rômulo Simões e Santos de Luciano Marba decidem o Campeonato de Futebol Sub-19. A final acontece este domingo, 17hs, no Gigante da Favela.

obra do estádio estadual Milton de Souza Correa, o ‘Zerão’ está em ritmo de tartaruga. A foto mostra que a estrutura metálica da cobertura da arquibancada, chamadas de cantoneiras, e perfil ainda estão no chão, sob o sol e ao relento, ha espera da grua para por, onde elas já deveriam estar. Informações dão conta de que, ninguém dentro da obra pode passar subsídios à imprensa, somente a secretaria de obras do estado. Todos os dias, torcedores do futebol amapaense buscam noticias sob, em que pé está a tão sonhada obra de revitalização do estádio mais importante do Estado, por está localizado em área estratégica para o povo amapaense, o meio do mundo. Até o fechamento desta edição, não conseguimos falar com a assessoria da imprensa da secretaria, e muito menos, com o secretário de obras do estado. Sabe-se que a obra é fruto de emenda parlamentar federal, onde a quantia do investimento gasto desde abril deste ano

xe da Amazônia, o Santos Futebol Clube. A partida está marcada para as 17 horas de hoje no Glicerão. O jogador Ray que havia perdido um pênalti faliu da classificação. “É difícil de perder um pênalti, meus amigos me deram a maior força e Graças a Deus, consegui e fiz o gol para classificar o time para a decisão, não sei nem como explicar isso, eu dedico a vitória aos meus pais que residem em Cutias

pior!!! Brasil x China Mais um jogo esta segunda, na tentativa de reaproximar a seleção brasileira da galera.

Futebol Sub-19 O certame revelou ótimos jogadores, que podem ser aproveitados no time profissional.

Basquete O recém-inaugurado Centro de Treinamento pode impulsionar o bola-ao-cesto tucuju.

Congresso de Educação Física Reúne importantes personalidades mundiais e encerra este domingo em Macapá-AP.

Voleibol Inscrições ao Campeonato Adulto Masculino e Feminino encerram dia 15 de setembro.

Brasil 1x0 África do Sul Partida insossa, sem graça, sem brilho e pontilhada de vaias. Vitória do menos

Soccerex I Pinta no rio de Janeiro a maior feira de negócios e debates sobre futebol no mundo.

equivale ao montante de R$1.5 milhão só na primeira etapa de revitalização do estádio. Na oportunidade, o palácio informava que o estádio seria entregue ao desporto amapaense no mês de abril, tempo suficiente para receber jogos do Campeonato estadual de futebol de 1012, até o ministro dos esportes do governo federal seria convidado para a reinauguração da obra, isso não aconteceu, e de se lamentar! Os torcedores amapaenses estão sujeitos a irem ao velho Glicério Marques para acompanhar as partidas definidas para aquele local também deteriorado. Enquanto, o canteiro de obra do estádio ‘zero negativo’ não for concluído, o Amapá não terá espaço para receber seleções que virão disputar a Copa, no país Penta Campeão do mundo, daqui, há dois anos, como pretendia o comitê da FIFA no Brasil. O canteiro da obra consiste apenas na recuperação das arquibancadas, cobertura, área de entorno (estacionamento para 340 veículos), campo de futebol, iluminação e pista de atletismo.

do Araguari” disse o atacante Ray, que tem seis gols marcados no campeonato. “Nós precisamos manter a concentração dos nossos atletas, graças a Deus, e vamos continuar dando força aos nossos jovens para que neste domingo possamos ir ao Glicério e sairmos vitorioso para chegarmos a copinha” ressaltou o presidente do São

Soccerex II A feira une futebol, conhecimento e negócios vai acontecer de 24 a 28 de novembro. Futebol de Areia I No período de 15 a 23 SET, rola o Torneio Equinócio no Meio do Mundo. Confira! Futebol de Areia II Vem ai a COPA SESC DO BRASIL e o SESC Amapá consta no roteiro. Aguardem! Futebol de Areia III No período de 9 a 15 OUT, rola em MACEIÓ-AL o Campeonato Brasileiro Feminino!

Fluminense terá um reforço importante para a partida contra o Internacional. Fora da equipe nas partidas contra Figueirense e Santos por causa de edema ósseo na região da bacia, o capitão tricolor se recuperou de maneira mais rápida que a esperada e poderá enfrentar o Internacional, às 16h deste domingo. O técnico Abel Braga elogiou a vontade do atacante em retornar à equipe. Segundo o treinador, apenas uma reviravolta no estado físico de Fred será capaz de tirar o atleta do duelo. Nesta sexta-feira, o camisa 9 treinou ao lado dos jogadores reservas e que não foram utilizados durante a vitória sobre o Santos por 3 a 1. Os titulares fizeram um trabalho na academia das Laranjeiras. “Fred está escala-

Brasileirão Inter x Flu, Botafogo x Náutico, Vasco x Bahia e Santos x São Paulo agitam o domingo. Atletismo I Meia Maratona com 21,5 km de extensão movimenta Macapá no próximo domingo. Atletismo II Corrida em parceria entre o SESC e a federação local comandada por Wallena Amaral. Fenômeno Azul Azulinos vão lotar o Mangueiro este domingo e ajudar o Remo eliminar o Mixto-MT. Cabo Verde

do para domingo, se não houver uma reviravolta. Ele está apenas com um hematoma. Fred está com vontade, querendo jogar e está escalado”, confirmou Abel. A previsão inicial era de que Fred estivesse disponível somente no confronto do Fluminense com o Atlético-GO, no dia 15 de setembro. No entanto, o atacante se recuperou e entra nos planos de Abel para jogo importante no Rio Grande do Sul. Com 47 pontos, o Fluminense roubou a primeira colocação do Atlético-MG na tabela do Brasileiro. Para o jogo no Beira-Rio, o Fluminense deverá entrar com a seguinte formação: Diego Cavalieri; Bruno, Gum, Leandrro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean, Wagner e Thiago Neves; Wellington Nem e Fred.

A equipe bicampeã estreou na Copa Marcílio Dias e goleou de 10x0 a Croácia. Égua!!! Santana I Campeonato Municipal inicia em 15 de setembro e são esperados mais de 30 clubes. Santana II Celestino Silva preside a Liga Desportiva e promete uma competição leal e organizada. Você Sabia? Mano Menezes crê que o futebol brasileiro voltou a ser referência mundial. Venda de Lucas, Oscar, Hulk e Thiago Silva superam R$ 400 milhões e avalizam o técnico.


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

A7

Enquanto isso...

Inglês Lewis Hamilton conquistou a pole position para o Grande Prêmio da Itália

Hamilton frustra torcida da Ferrari e conquista a pole na Itália; Massa é o terceiro

Com Mano em baixa, técnico da várzea escala Luís Fabiano e Fábio Costa na “seleção do terrão” A seleção brasileira que venceu a África do Sul, na última sexta-feira, irritou o torcedor que foi ao Morumbi. Pensando nisso, o UOL Esporte voltou à origem do futebol pentacampeão do mundo e fez a pergunta: que jogadores brasileiros honrariam a herança do futebol de várzea e defenderiam o Brasil com a mesma raça que anônimos mostram nos campos de terra pelo país? Quem montou essa seleção foi Tião Almeida, bicampeão (e finalista em três das últimas quatro edições) da Copa Kaiser, o principal torneio de futebol amador de São Paulo. Para montar sua seleção (valendo só jogadores que estão atuando no Brasil, para manter a identificação com a torcida), ele deixou de lado os “bonzinhos” e mesclou talento com raça. E também brigões, como Luís Fabiano e até Fábio Costa, para garantir personalidade. “Quem joga na grama, joga na terra. Podem falar que esse ou aquele teriam dificuldades, mas a bola não tem segredo. É a mesma para todo mundo. Se você for analisar, todo jogador brasileiro antes de chegar à grama, correu muito na terra. Quem joga bola, joga em qualquer lugar”, explica o técnico. ............................................................................

A McLaren ainda garantiu a dobradinha com Jenson Button em segundo lugar, enquanto Alonso teve desempenho muito ruim na etapa final do treino

A

festa da torcida da Ferrari acabou frustrada no treino classificatório para o Grande Prêmio da Itália de Fórmula 1. Depois de Fernando Alonso dominar as duas primeiras partes da atividade, o inglês Lewis Hamilton foi o mais rápido do Q3 e conquistou a pole position com o tempo de 1min24s010. A McLaren ainda garantiu a dobradinha com Jenson Button em segundo lugar, enquanto Alonso teve desempenho muito ruim na etapa final do treino e foi apenas o 10º colocado. O brasileiro Felipe Massa ficou atrás apenas das duas McLaren, conquistou o terceiro lugar

com 1min24s247 e largará à frente do companheiro pela primeira vez nesta temporada. Bruno Senna sai em 13º. A Red Bull teve desempenho irregular durante o treino classificatório. Vice-líder do campeonato, o alemão Sebastian Vettel sofreu para chegar ao Q3, mas ainda ficou em quinto. Seu companheiro de equipe, o australiano Mark Webber sequer foi à etapa final do treino e largará em 11º. bA grande surpresa da atividade foi o britânico Paul Di Resta, que terminou o treino classificatório em quarto lugar. O piloto da Force India, porém, acabou punido com a perda de cinco posições por tro-

car o câmbio e largará em nono. Outro a cumprir punição foi o venezuelano Pastor Maldonado, que perdeu 10 posições por infrações na corrida anterior e largará apenas em 22º. Com bom desempenho no terceiro setor, Alonso foi o mais rápido do Q1 com o tempo de 1min24s175. Hamilton veio logo em seguida, apenas 0s036 mais lento que o espanhol. Button, Rosberg e Di Resta completaram os cinco primeiros, com Massa em sexto lugar e Senna em nono. Kovalainen, Petrov, Glock, Pic, Karthikeyan, De la Rosa e Hulkenbeg foram os eliminados. Alonso voltou a ser o mais rápido na segunda

etapa do treino, mas novamente com a McLaren em seu encalço. O espanhol registrou 1min24s242, enquanto Jenson Button foi 0s013 mais lento. Hamilton foi o terceiro, com Di Resta e Hamilton em seguida. Massa foi o quarto e Senna acabou eliminado em 13º. Os outros cortados foram Webber, Maldonado, Perez, Ricciardo, Vergne e D’Ambrosio. Depois de dominar as duas partes anteriores da atividade, Alonso caiu de rendimento no Q3 e obteve apenas o 10º tempo. Com o fraco desempenho do espanhol, as McLaren dominaram as primeiras colocações e frustraram a torcida.

Para Mano, seleção não foi tão ruim assim

O

técnico Mano Menezes não acha que o futebol que a seleção brasileira jogou ontem contra a África do Sul tenha sido tão ruim como pareceu à torcida e a crítica. Ele até admite que o time não foi bem. Mas colocou a culpa no adversário e também não gostou do comportamento da torcida que esteve no Morumbi. “O time africano esperou muito a gente e, nessas circunstâncias, tem de ser paciente, jogar bola, ter tranquilidade”, disse. Tranquilidade que os jogadores não tiveram, na opinião de Mano, em boa parte, por conta da torcida, que não teve paciência. “Gostaríamos que, quando enfrentamos um adversário como o de hoje (ontem), o ambiente dentro do nosso país fosse favorável”’, estocou, reconhecendo que a ansiedade dos atletas tornou

O

O Brasil começou muito bem o penúltimo dia de disputas dos Jogos Paraolímpicos de Londres. A atleta Shirlene Coelho conquistou a medalha de ouro no lançamento de dardo, categoria F37/38 (para paralisados cerebrais ambulantes), na manhã deste sábado, no estádio olímpico da capital inglesa, e com direito a novo recorde mundial da prova. A brasileira conquistou a marca de 37,86 m logo na sua primeira tentativa, suficiente para subir ao lugar mais alto do pódio e cravar o melhor resultado do mundo. O antigo recorde mundial já era de Shirlene, que é atleta da classe T37, com 35,95 m, quase dois metros a menos que o novo resultado. Em Pequim, ela foi prata com a antiga marca, pois competia nas categorias F35 a 38. A diferença de Shirlene para as adversárias foi muito grande. A chinesa Qianqian Jia fez 31,62 m e ficou com a prata e a australiana Georgia Beikoff ficou com a medalha de bronze com a marca de 29,84 m. Dos seis lançamentos de Shirlene, cinco deles garantiriam a medalha de ouro. Depois de fazer 37,86 metros na primeira tentativa, a brasileira alcançou 35,92 m na segunda, 34,04 m na terceira, 36,05 m na quarta, 31,19 m na quinta e 36,03 m na última. ............................................................................

Técnico admite que time não fez boa partida, mas põe culpa na retranca dos sul-africanos

ainda mais difícil um bom desempenho. “Espero que no Recife o torcedor seja mais compreensivo”, acrescentou, numa referência ao jogo de segunda-feira, contra a China. Mano tenta encarar com naturalidade o direito do torcedor de criticar a seleção, mas no

fundo ele não engole as vaias. “Gostaria de um comportamento diferente, mas aceito”. Ele lembrou, porém, que com quatro minutos de partida já foram feitas manifestações contra a presença de Leandro Damião na seleção. “Eu entendo que estávamos no

estádio do São Paulo, com uma torcida predominantemente são-paulina, mas pediram um jogador que não está convocado e que, portanto, eu não poderia colocar. Aceito que o torcedor tenha suas preferências, mas não precisa ter tanto ódio com os outros.

Palmeiras desafia retrospecto ruim contra o Atlético-MG Palmeiras conseguiu uma importante vitória sobre o Sport na luta para deixar a zona de rebaixamento, mas terá que fazer muito mais do que tem feito contra os líderes do Brasileirão se quiser voltar de Belo Horizonte, onde enfrenta o Atlético-MG, com uma vitória. O retrospecto, no entanto, joga contra o time de Felipão. A equipe alviverde enfrentou os quatro times que se consolidaram como postulantes ao título até o momento em cinco oportuni-

Shirlene Coelho conquista medalha de ouro no lançamento de dardo com novo recorde mundial

dades e não venceu nenhuma. São dois empates e três derrotas. Os únicos dois pontos dos 15 possíveis foram conquistados em casa, contra Vasco e Grêmio, além de uma derrota para o próprio Atlético-MG por 1 a 0 como mandante. Como visitante, situação desta 23ª rodada quando pega o Galo em Minas, são duas derrotas, para Grêmio e Fluminense, ambas por 1 a 0. Retrospecto de apenas 13,3% dos pontos em disputada. O técnico Luiz Felipe Scolari admite que o Atlético-

-MG leva sim vantagem no confronto, mas demostra confiança em voltar de Belo Horizonte com pontos na bagagem. “É possível conseguir bom resultado, eles vieram aqui e venceram, podemos ir lá e vencer também. O resultado de empate (com o Bahia) foi muito falado pelos jogadores que não jogaram, como Ronaldinho, Réver, não sei quem, e todos eles estarão presentes no nosso jogo”, analisou Felipão. “É uma equipe que teve uma queda de dois, três jo-

gos, que é normal, mas faz em casa dois jogos. Como disputa o título desde o início, leva alguma vantagem sobre nós”, afirmou o treinador. Para o jogo, o treinador não poderá contar com o volante Henrique, suspenso pelo terceiro amarelo, mas deve manter o quarteto ofensivo formado por Valdivia, Tiago Real, Luan e Obina para a partida contra o Atlético-MG, às 18h30, no estádio Independência. Se vencer o Galo e o Coritiba tropeçar contra o Flamengo, o Palmeiras deixa a zona de rebaixamento.

Maior campeão dos meio-pesados, Tito Ortiz diz que Jon Jones é “mentalmente fraco” Aposentado há dois meses depois de fazer sua última luta, quando perdeu para Forrest Griffin no UFC 148, Tito Ortiz agora se tornou empresário de atletas de MMA. No entanto, seu legado como lutador ainda o persegue, ainda mais como dono de uma cadeira no Hall da Fama do evento. Maior campeão dos meio-pesados do UFC, com cinco defesas do cinturão entre agosto de 2005 e dezembro de 2006. Tito agora sabe que esse seu histórico está em risco com Jon Jones, que fará sua quarta defesa do título da categoria contra Vitor Belfort em 22 de setembro. Ele tem tudo para bater esse recorde, mas não para Tito Ortiz. Para o Bad Boy aposentado, o atual campeão dos meio-pesados do UFC é mentalmente fraco e está mostrando isso com suas atuais decisões e declarações. “Eu vejo nele apenas um cara fraco”, disse o ex-campeão em entrevista ao site americano MMA Junkie. “Tem caras muito mais fortes mentalmente que ele. Isso mostra como ele pode simplesmente desistir. Mentalmente, se ele for pressionado, como foi nas últimas entrevistas, ele se transforma totalmente. Você não pode ser assim, cara. Você não pode ser assim, você tem de estar pronto para as coisas que você acredita”, completou. Por outro lado, ele ainda explicou que não gostou de como Dana White impôs Vitor Belfort para Jon Jones depois que Lyoto Machida recusou a luta no UFC 152. “Se fosse um lutador meu, eu gostaria de ajudar a companhia a tomar essa decisão. Isso é algo que temos de sentar e conversar com o Dana para tomarmos a decisão certa. Tomei o mesmo tipo de decisão quando lutava.”


Sociedade

Aline Lima alinelima@jdia.com.br

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

No último dia 4, aconteceu no Hallda Nutriama a Premiação da Equipe Unilever Nutriama. Na oportunidade houveEntrega de prêmios a supervisores, coordenadores, vendedores e promotores devendas. Confira alguns clicks!!!

Diretor Geral da Nutriama Adiomar Veronese fazendo entrega de prêmios

Acadêmica de Direito Márcia, Vice Presidente da OAB/Ap Paulo Campelo e a Secretária do Seamajuris Ana Vales, em evento no Fórum da OAB/Ap.

Entrega de premiação Categoria Cuidados Pessoais Maria

Acadêmicos de Direito recebendo a carteira da OAB Ruan , Karolyne e Petry

Contrate o Programa Balada Fashion para o seu evento: Inauguração de empresas, coquetel de lançamento da nova coleção, aniversário, formatura, confraternização, etc... Contatos: 9112 5045/ 9112 1989. Programa Balada Fashion todos os sábados às 0 e reprise aos domingos às 14h. Na REDETV. Equipe de vendas Bauducco

Equipe de vendas Macapá Unilever

Equipe de vendas Santana

Representante Unilever Cristovão, Supervisora Carmél ia e a vendedora premiada Marcia Cristina

Ellen Paula

Mensagem do Dia Se o seu coração é absoluto e sincero, você naturalmente se sente satisfeito e confiante, não tem nenhuma razão para sentir medo dos outros Dalai Lama

Casal de empresários Jane e Viterbino


CadernoB

DiaDia Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Vítimas de assédio moral em escola têm decisão favorável na Justiça Eleitoral SEED tentou justificar junto ao Ministério Público que a relotação de servidoras se deu pelo excedente no local CINTHYA PEIXE

E

Da Redação

xpulsas da sala de aula em plena atividade pela diretora Maria de Fátima dos Reis Bricio, do Centro Educacional Raimundo Nonato Dias Rodrigues, professoras da instituição ganharam na Justiça Eleitoral o direito de retornar ao local de trabalho. O caso aconteceu no dia 13 de agosto, quando a diretora entregou a cada uma das docentes o documento de complementação de carga horária, informando que as mesmas teriam que ser transferidas com certa urgência. De acordo com informações, uma série de ofensas e humilhações foi direcionada às professoras, as quais foram obrigadas a deixar o local de trabalho. Para as vitimas, o fato aconteceu após manifestações partidárias de algumas docentes. “Isso foi perseguição política, pelo simples fato de não demonstrarmos apoio a candidata do partido do governador fomos vitimas dessa perseguição sem explicação. E ainda perseguiram colegas pelo sim-

DIVULGAÇÃO

ples fato de apoiar a greve dos professores”, disse a professora Vanda Maria. Retorno A decisão do juiz Luciano Assis, da 10ª zona eleitoral,determina que a Secretaria Estadual de Educação (SEED) autorize o retorno das seis professoras ao Centro Educacional dentro de um prazo de 24 horas. A SEED justificou junto ao Ministério Público Estadual que a relotação das servidoras se deu pelo excedente naquela unidade de ensino. Porém, nenhuma das professoras foitransferidaàs outras escolas estaduais. Conforme decisão, a legislação eleitoral considera conduta administrativa vedada em eleições, os atos de nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens ou por outros meios dificultar ou impedir o exercício funcional. Assédio De acordo com informações das educadoras, no momento de registrar o B.O (Boletim de Ocor-

Educadores brasileiros sofrem constantemente assédio moral devido o magistério ser um ato político porque se realiza no contexto das relações sociais

rência), casos de assédio moral semelhantes já teriam sido registrados. Em apoio aos professores, o Sinsepeap (Sindicato dos Professores do Amapá) já teria entrado com uma ação na Justiça contra o Governo do Estado pela prática criminosa. Ainda

de acordo com informações, a método vem ganhando força devido a época eleitoral. “Se você falar que não vota na candidata do governador já um dos maiores motivo para ser perseguido. Isso vem acontecendo em várias escolas estaduais, e

nós não aceitamos esse tipo de comportamento, por isso é crime”, disse o diretor do Sinsepeap, Rildo Costa. O Centro Educacional Raimundo Nonato Dias Rodrigues fica localizado no bairro do Novo Buritizal, e atende pessoas com

necessidades especiais, além de oferecer atendimentos clínicos. A reportagem entrou em contato com a diretora Fátima Bricio, mas a mesma não quis comentar sobre o assunto alegando que as informações são encontradas somente na SEED.

Tumucumaque: muito além de um parque nacional

C

om uma área aproximada de 3.867.000 hectares, o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque (PNMT), situado entre os estados do Pará e Amapá, é uma das maiores áreas de floresta tropical protegidas do mundo. Para comemorar os 10 anos de criação a equipe do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), com o apoio da WWF-Brasil, realizou uma programação especial envolvendo conselho consultivo, poder público e a sociedade civil dos municípios do entorno do Parque, tais como: Oiapoque, Laranjal do Jari, Serra do Navio, Pedra Branca do Amapari, Calçoene e Almerim. A programação foi realizada durante a primeira semana de setembro também tem o objetivo de celebrar o Dia da Amazônia, comemorado no dia 5 deste mês. Durante essa data, foi inaugurado o Centro Rústico de Vivência (CRV) do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque. O CRV é o “embrião” de um possível

Centro de Interpretação da Natureza, que são espaços destinados a apresentar as características de uma unidade de conservação ou de áreas naturais para o público em geral. O deslocamento dos convidados a participarem do aniversário de 10 anos de criação do PNMT primeiramente foi feita de Macapá para Serra do Navio (210 Km), no dia 04 de setembro. Chegando a Serra do Navio, os convidados puderam se confraternizar no Restaurante Dom Acácio, e logo após foram para a comunidade do Riozinho que em seguida foram rumo ao o Centro Rústico de Vivência (CRV), enfrentando mais 45 km pelo rio Amapari, em “voadeiras”. O CRV foi montando na entrada da Unidade de Conservação por Serra do Navio. Durante a viagem, os convidados puderam observar as lindas paisagens e entender o difícil acesso ao Parque. Todos foram recebidos ao som do Marabaixo, apresentado pelo Grupo Raízes do Bolão. Em seguida, o ator Álvaro Braga fez uma

FOTOS DIVULGAÇÃO

O Tumucumaque é o maior Parque Nacional do Brasil e uma das maiores áreas de floresta tropical protegidas do mundo, onde atrai turistas

apresentação teatral falando dos mitos da Amazônia, e, posteriormente, alegrou à todos os presentes cantando ao som do violão. No dia 5 de setembro foi feita uma reunião extraordinária alusiva aos 10 anos

Um dos principais objetivos do Parque Nacional do Tumucumaque é a preservação de ecossistemas naturais

de criação da Unidade de Conservação, e foram abordados vários assuntos tais como: retrospectiva da gestão do PNMT, pesquisa em unidades de conservação, uso público, trilhas e educação ambiental. Os participantes fizeram uma trilha de 700 metros dentro do Parque e observaram como esta unidade de conservação possui aspectos únicos tanto na flora, quanto na fauna. Segundo o tenente-coronel do 34º Batalhão de Infrataria de Selva, Ricardo Quadros, a WWF e outras instituições com a mesma finalidade, de proteger a natureza, são os maiores aliados do Exército brasileiro. Participaram da comemoração dos 10 anos de criação do Parque três analistas de conservação da WWF-Brasil: Luiz Coltro, Bruno Reis e Mariana Napolitano. “O importante da comemoração dos 10 anos do Parque é essa aproximação de quem vive o dia-dia a conserva-

ção com as pessoas que não trabalham no meio de preservação ambiental. Você vivenciar o espaço preservado, o Tumucumaque representa muito bem isso, vivenciando o pulsar da biodiversidade. A comemoração foi fundamental para apresentar para quem não vive a conservação in loco”, ressaltou o analista de conservação, Bruno Reis. “Para a WWF é superimportante participar deste momento, já que a organização vem apoiando em diferentes formatos, em diferentes intensidades. E durante 1 ano e meio viemos apoiando o Parque com objetivo de aumentar a sua relação da Unidade de Conservação com seu entorno. Sobre o evento? Eu achei muito bom está dentro do Parque com diferentes pessoas, desde representantes do governo executivo, comunidades locais, aldeias e organizações governamentais, não só falando, mas vivendo o dia-dia e entendendo a

dificuldade que é de deslocamento, de logística. Isso aproxima as pessoas da realidade do Parque”, afirmou Mariana Napolitano. Para a realização deste evento o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque tem o apoio da organização não governamental, WWF Brasil, e do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA). “Esses 10 anos de comemoração são 10 anos que refletem uma equipe dedicada e uma parceira de sucesso com a WWF Brasil. Se não fosse a equipe, tínhamos certeza que as ações não seriam continuas. A equipe que tem a linha do tempo e de ação da Unidade de Conservação” citou Luiz Coltro. O WWF-Brasil apoia a implementação do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque há vários anos e já realizou expedições científicas para esta Unidade de Conservação em duas ocasiões: em 2006 e 2011.


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

A4

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Apesar das leis, capital amapaense ainda

Além dos cadeirantes, deficientes auditivos e visuais encontram dezenas de dificuldades para se locomover com segurança po CINTHYA PEIXE Da Redação

O

município de Macapá já possui diversas leis de acessibilidade, mas, infelizmente, não as cumpre e nem possui políticas de inclusão. Todos os candidatos à Prefeitura de Macapá e muitos vereadores dizem ter projetos para melhorar a mobilidade das pessoas com deficiência, entretanto o difícil é coloca-los em prática. É necessário que o problema da falta de acessibilidade não seja resolvido apenas pelos órgãos fiscalizadores, mas também pela sociedade que precisa se conscientizar por soluções. Segundo o decreto nº. 5.296 de 2 de dezembro de 2004, a acessibilidade está relacionada em fornecer condição para utilização, com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte e dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação, por pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida. Ainda neste decreto, encontramos que esses impedimentos são denominados “barreiras”, quando existir qualquer entrave ou obstáculo que limite ou empeça o acesso, a liberdade de movimento, a circulação com segurança e a possibilidade de as pessoas se comunicarem ou ter acesso à informação. Fernando Oliveira, coordenador de acessibilidade do Município de Macapá, é uma das pessoas que mais luta pelo direito de ir e vir dos deficientes físi-

cos. Há alguns anos elequebrou uma calçada em frente a Prefeitura de Macapá e construiu uma rampa para poder subir com a cadeira de rodas. Também já passou por constrangimentos em decorrência da falta de acesso em uma agência do Banco do Brasil. Além disso, Fernando já participou do quadro “O Conciliador” do Fantástico, da Rede Globo. Segundo o que o programa mostrou, o cadeirante recorreu ao Judiciário porque se sentiu indignado com o descaso e a discriminação sofrida por parte de condutores de alguns ônibus da empresa Cidade de Macapá. O quadro mostrou que as tentativas da conciliadora Sônia Ribeiro não foram suficientes para que as partes entrassem num acordo, pois o representante da empresa não aceitou a proposta do cadeirante. Fernando conta que já perdeu oportunidades de emprego em decorrência da sua deficiência física. “Perdi oportunidades de emprego logo após eu ter sofrido o acidente, que me deixou de cadeiras de rodas. Era o ano de 1993 e não existia nenhum ônibus adaptado, então eu teria que gastar com taxi e não compensava porque o que eu ia ganhar teria que gastar com transporte”, declarou. Além de gastar muito com transporte quando consegue emprego, o deficiente perde o benefício de aposentadoria por invalidez. “Além disto, eu perderia meu beneficio por invalidez, porque quando o deficiente se emprega acaba perdendo o benefício, o que eu acho errado em certos casos.

Nós temos muitos gastos, tem pessoas que usam fraldas, remédios e, por exemplo, quando quebra a roda da cadeira eu gasto cerca de R$60 reais”, relata Oliveira. O deficiente sofre mesmo quando passa em um concurso público. “Quando o deficiente físico passa em um concurso público geralmente acontece o desvio de função em decorrência da falta de acessibilidade. Ele passa para exercer uma função, mas tem suas expectativas frustradas quando é colocada em outro cargo”, disse Fernando. Em Macapá as calçadas, por exemplo, não oferecem condições de tráfego. A reportagem do JD presenciou um cadeirante que não conseguiu subir a calçada para ter acesso a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA). Ele precisou de ajuda para subir e se indignou por ter não ter condições de andar livremente. No mesmo dia a vaga no estacionamento destinada para deficientes físicos, estava sendo ocupada por um funcionário do órgão. Quando perguntando, ele disse que era a única opção, visto que não há locais disponíveis para estacionar. Acessibilidade hoje significa muito mais do que construir uma rampa para deficientes físicos. Desta forma, não se justifica mais nenhuma obra, equipamento ou construção, público ou privado, que não respeite as regras, sendo assim os locais devem ser adaptados, com sinalização e infra-estrutura adequada. Nas ruas de Macapá, o próprio poder público descumpre as normas e

Justiça decreta prisão de dupla acusada de roubar em imóveis

A

Polícia Civil executou duas ordens da justiça contra pessoas cuja conduta teria sido apontada como sendo duvidosa de envolvimento em crimes contra o patrimînio em bairros do municipio de Macapá. Trata-se de Carlos Gabriel Pastana Santana, 20 aos, o “Bibi” e Altair Bastos Nunes, 23, o “Tatá”. A ação foi comandada pelo delegado Paulo Reyner titular da Delegacia do Patrimônio que durante o cumrprimento dos mandados encontrou na casa de Bibi no bairro do Trem, vários objetos eletrônicos de origem suspeitos. Na casa do comparsa Tatá no bairro Infraero II zona norte de Macapá, os agentes encontraram várias trouchas

Altair Bastos Nunes, 23, o “Tatá” um dos envolvidos e o comparsa...

de substancia entorpencente. De acordo com a polícia os dois estavam sendo investigados a partir do reconhecinmento de pessoas que tiveram suas casas invadidas para subtração

... Carlos Gabriel Pastana Santana, 20 aos em crime contra patrimônios

de objetos (roubo). Umas das ocorrencias foi no ultimo dia 19 de julho em uma residencia no bairro onde Infraero II mesmo local de moradia do Tatá. Segundo a polícia a dupla é acusada de roubar notbook, câmeras fotográficas digitais, jóias e a quantia de R$ 2.800,00 em espécie. A ficha criminal de Bibi e Tatá e foi analizada e consta que Carlos Gabriel já cumpriu pena na penitenciária local pois o mesmo teve envolvimento com porte ilegal de arma de fogo ao contrário do colega que será indiciádo pela primeira vez, ou seja, roubo a residencia e porte de ilegal de arma.

Deficientes físicos e idosos sofrem com a precariedade de serviço de transporte coletivo em Macapá. Apontado pelos usuários com

constroem locais inadequados. Ao invés de construírem rampas para o uso de pessoas com deficiências, fabricam ainda mais obstáculos para a circulação das pessoas. Hoje em dia diversos movimentos sociais lutam pelos direitos das pessoas com deficiência, dentre eles destacam-se a Associação dos Deficientes Físicos do Amapá (ADFAP) e a Associação de Cegos e Amblíopes do Amapá (ACAAP). Ônibus A lei Federal 10.098 de dezembro/2000 que estabelece

normas gerais e critérios da acessibilidade, diz que os coletivos devem ser fabricados e adaptados para garantir o acesso dos portadores de deficiência física, bem como os equipamentos urbanos também devem ser adaptados para este fim. O ano de 2014 foi estabelecido como prazo para concluir esta adaptação. Fernando Oliveira, diz que 60% da frota de ônibus em Macapá já está adaptada, porém falta manutenção. “Eu pensei que o problema do transporte coletivo acabaria quando fossem implantados

os ônibus adaptados. Hoje temos cerca de 60% de ônibus adaptamos, mas falta manutenção deste equipamento, que constantemente estão quebrados”, falou. Além disto, o cadeirante conta que várias vezes os motoristas mentem dizendo que o equipamento está quebrado. “Muitas vezes os motoristas mentem dizendo que o equipamento está quebrado só para não ter o trabalho de parar e perder tempo para o cadeirante subir. Eu tive que entrar no ônibus carregado e como eu conheço o equipamento, eu

me pa tin qu tin

D M ac ran es da de tes tam çõ ga en ten

Seplan anuncia R$ 900 milhões p

A

Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Tesouro (Seplan) promoveu no início da noite de sexta-feira, 7, uma palestra para falar dos índices do setor primário no Amapá. O evento aconteceu no Pavilhão Internacional de Negócios, montado dentro na 49ª Expofeira Agropecuária, e foi ministrado pela economista Regina Celis e pela estatística Leila Sacramento, da Coordenadoria de Pesquisas Estratégicas, Econômicas e Fiscais (Copesef), vinculada à Seplan. Regina Celis abriu a palestra traçando um breve histórico da agricultura no Brasil. Informou que o país é um dos maiores produtores e exportadores de grãos; possui tecnologia necessária para desenvolver o setor primário, mas pouco oportuniza os produtores, deixando de fora, principalmente, a agricultura familiar. Os índices apresentados na palestra são resultado de um estudo complexo e integrado sobre os indicadores sociais e econômicos do Amapá que a Seplan voltou a realizar desde 2011. De acordo com a coordenadora da Copesef, Leila Sacramento, desde 2002 esse indicadores não vinham sendo computados, o que resultou em atraso no desenvolvimento do setor primário, em especial, obtendo redução no crescimento do segmento entre os anos de 2006 e 2009. “Até então não havia informações necessárias que pudessem nortear o Estado quanto à criação de políticas públi-

O país é um dos maiores produtores e exportadores de grãos onde possui tecnologia nec

cas necessárias para fomentar a agricultura no Amapá. Hoje, muito vem sendo feito pelo Governo do Amapá para mudar esse cenário”, explica a estatística. Segundo Regina Celis, a criação de políticas públicas para fomentar o setor primário é essencial para fortalecer e equilibrar a economia do Estado. Segundo a economista, em todos os seus 16 municípios, o Amapá possui potencial de áreas agricultáveis. “Ainda há muitos gargalos, mas, conhecendo nossa realidade, temos a chance de crescer economicamente. O pa-

pel do governo é fundamental para o desenvolvimento do Estado; investindo em tecnologia e logística para o escoamento e comercialização do que o Amapá produz”, garante. Investimentos Por meio do Proamapá, o governo do Estado vem investindo em infraestrutura para fortalecer a agricultura familiar. Pelo Programa Territorial da Agricultura Familiar e Floresta (Protaf), o GEA investiu R$ 5,5 milhões par a safra de 2011/12, aplicados em capacitação técnica e compra de insumos e

maquinários, quase 1.200 f Nesta sema nador do Am Capiberibe, 49ª Expofeira mas Pro-Agr Pro-Extrativis recuperar e empreendim neficiamento tos regionais mas foram c reestruturar as agroindú negócios e qualidade de munidades a

Linhas de c Durante a representant


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

A5

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

a descumpre as regras da acessibilidade

or Macapá que, apesar das leis, é uma capital que ainda está longe de ter um padrão de acessibilidade FOTOS HEVERTON MENDES

mo um dos principais problemas da capital, o sistema apresenta limitações no quesito acessibilidade; deficientes sofrem principalmente com a falta de solidariedade tanto da população quanto dos motoristas de ônibus em nossa cidade

esmo manobrei e mostrei ara os passageiros que não nha nenhum problema e ue o motorista estava menndo”, denunciou Fernando.

Deficientes visuais Muito se ouve falar da cessibilidade para cadeintes, entretanto,acabam squecendo que as dificulades vão além de uma caeira de rodas. Os deficiens visuais, por exemplo, mbém precisam de condiões adequadas para trafear na cidade. É comum se ncontrar deficientes visuais ntando atravessar as ruas

da capital, sofrendo o risco de serem atropelados. Os deficientes visuais encontram dificuldades para caminhar onde os passeios não estão adaptados com o chamado “piso tátil”, um tipo de calçamento caracterizado pela diferenciação de textura, destinado a constituir alerta ou linha-guia, para pessoas com deficiência visual, de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Além do piso tátil, nas ruas de Macapá não há também piso tátil de alerta, utilizado para sinalizar alteração de

percurso ou de plano, bem como projeção de objetos suspensos, que podem comprometer a segurança da pessoa com deficiência visual (ABNT NBR 9050). É necessária a implantação também do piso tátil direcional, utilizado em áreas de circulação, na ausência ou interrupção da guia de balizamento, em ambientes internos ou externos, em espaços amplos ou quando houver caminhos preferenciais de circulação (ABNT NBR 9050). Além disto, em Macapá não há nenhum semáforo

sonoro, que facilitaria muito a locomoção dos deficientes visuais. Leis Macapá já possuem diversas leis voltadas para os deficientes físicos, dentre elas está a Lei Geral de Acessibilidade, de Nº 1.869/2011PMM, que são responsáveis por estabelecer os critérios técnicos para as edificações, instalações, equipamentos públicos, mobiliários urbanos, bem como observância nos projetos às normas de acessibilidade universal. Estes critérios são importantes

para garantir os direitos das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida numa perspectiva inclusiva. Há também a Lei de Nº 1.839/2010-PMM, que estabelece que as empresas de ônibus, que operam de qualquer modo no transporte coletivo no Município de Macapá, deverão instalar painel de orientação contendo números da linha de ônibus, assim como os itinerários dos mesmos, a fim de possibilitar a plena acessibilidade das pessoas com deficiência visual. A Lei de No. 1.840/2010-

PMM, que obriga o Município a afixar painel em braile e letras ampliadas em alto-contraste, para possibilitar plena leitura dos deficientes visuais, em pelo menos 50% dos abrigos de transporte coletivo do município de Macapá, contendo linhas de ônibus e seus itinerários. A Lei de No. 1.869/2011PMM, que estabelece um percentual mínimo de 5% das vagas dos contratos administrativo no âmbito do município de Macapá para as pessoas com deficiência que se enquadram na Lei 10.690 de 16/06/2003. DIVULGAÇÃO

para o setor primário DIVULGAÇÃO

Espaço mostra as diversas ações dos centros e núcleos que trabalham com pessoas com deficiência e também objetos para estimular os mesmos

Estande “Inclusão: a diferença é que nos move” é um dos sucessos da Expofeira

cessária para desenvolver o setor primário

atingindo famílias. ana o govermapá, Camilo lançou, na a, os prograroindústria e smo, visando e implantar mentos de beo de produs. Os progracriados para e fortalecer ústrias, gerar melhorar a e vida das coatendidas.

crédito palestra, as tes da Se-

plan expuseram sobre as modalidades de crédito existentes para desenvolver micros e pequenos produtores, com financiamento de até 100% do valor solicitado a instituições como o Banco da Amazônia, por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO). Para 2013, novos investimentos são esperados pelo GEA. Nesta semana, a Seplan se reuniu com representantes do Banco da Amazônia para tratar de investimentos pelo FNO. Os recursos são na ordem de R$ 230 milhões, que deverão ser

aplicados em infraestrutura para desenvolver os Arranjos Produtivos Locais (APLs), entre eles o de cultura alimentar. O Pro-Agroindústria e o Pro-Extrativismo estão inseridos no Programa de Desenvolvimento Humano Regional Integrado (PDRI), o qual foi apresentado recentemente aos representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que deverá liberar recursos de mais de R$ 900 milhões ao Estado para executar projetos de desenvolvimento até 2014 em todo o Amapá.

O

estande “Inclusão: a diferença é que nos move”, localizado na 49ª Expofeira Agropecuária do Amapá, tem a proposta de mostrar os projetos do Núcleo de Educação Especial do Estado, que trabalha com pessoas com deficiência mental ou física. Mais de cem pessoas já visitaram o estande na 49ª Expofeira Agropecuária, que apresentam diversos projetos, com o foco principal de promover a integração das pessoas portadoras de necessidades especiais dentro da sociedade. Cada núcleo promove a inclusão social para cada deficiência ou habilidade,

como por exemplo, o Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP/AP), Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação, Centro de Atendimento ao Surdo e o Centro Educacional Raimundo Nonato Dias Rodrigues. Todos os centros têm como mantenedora a Secretaria de Estado da Educação (Seed). Para o instrutor Claudovil Barroso de Almeida Júnior, que é pedagogo e instrutor do estande, todo deficiente tem uma potencialidade. “Estou aqui hoje porque descobriram minha potencialidade, toda criança com deficiência tem essa potenciali-

dade, mas precisa ser estimulada. Nasci com uma paralisia mental, mas consegui vencer todas as barreiras e hoje estou aqui falando, ensinando para as pessoas que temos diferenças, aliás todas pessoas têm. Mesmo com essas diferenças podemos conviver e ultrapassar nossos limites”, relatou. Além disso, o espaço mostra as diversas ações dos centros e núcleos que trabalham com pessoas com deficiência e também objetos para estimular os mesmos, com máquina de braile, livro de leitura em braile, cartaz de Língua de Sinais Brasileira (Libras).

Para a funcionária pública Maria Cecília da Paz, o deficiente é uma pessoa que necessita apenas de compreensão e não de discriminação. Ainda de acordo com Claudovil Júnior, alguns projetos são fundamentais para ajudar o portador de necessidade especial se desenvolver. “Todos os programas são necessários para o desenvolvimento dos alunos e de pessoas com deficiência. Temos diversos projetos que tratamos com a inclusão da pessoa deficiente no trabalho, também o que discute a sexualidade do deficiente, a hora e a vez da família, entre outros”, ressalta.


JD

DiaDia

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

B4

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Empolgação marca desfile militar de 7 de setembro com Sambódromo lotado Arquibancadas lotadas para assistir o desfile das instituições militares e das forças de segurança civil

Militares exibem bandeira do Brasil durante desfile de 7 de setembro e outro momento do evento foi a PM exibindo evoluções feitas por militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope), das companhias de choque, canil, entre outros

M

ilhares de espectadores que lotaram as arquibancadas do Sambódromo aplaudiram o brilho do desfile das instituições militares e das forças de segurança civil. O desfile de 7 de setembro contou com a presença de aproximadamente 3,6 mil servidores da Marinha do Brasil, 34º Batalhão de Infantaria de Selva (34º BIS), Polícias Militar (PM) e Civil, Corpo de Bombeiros (CBM), agentes penitenci-

ários e o tradicional desfile de membros do 3º Regimento Estrangeiro de Infantaria (3º REI), composto por militares de várias nacionalidades, cujo pelotão é sediado em Kourou, na Guiana Francesa. A abertura do evento foi feita pela governadora em exercício, Dora Nascimento, acompanhada dos comandantes da PM e CBM, coronéis Pedro Paulo da Silva Resende e Raimundo Américo.

Nos carros oficiais do 3º BIS, a chefe do executivo e demais autoridades passaram em revistas as tropas quando deu início oficialmente ao desfile. No palanque oficial estavam secretários de governo, representantes de instituições, autoridades militares do Brasil e exterior. A banda de música do Exército foi a primeira cruzar a Avenida Ivaldo Veras, prostrou-se frente ao palanque das autori-

dades enquanto pelotão do 3º REI fazia sua apresentação, seguida do desfile de militares do Estado Maior, formado por oficiais da PM e CBM, Exército e Marinha. Com o lema “Tudo pela Pátria”, a Marinha arrancou aplausos do público com demonstração de viaturas operacionais, lanchas e mergulhadores. O Exército levou para a Avenida um contingente bastante expressivo in-

clusive com militares “boinas azul”, que atuaram nas forças de missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), no Haiti. Outro diferencial foi um grupamento exibindo bandeiras históricas desde o Brasil colônia aos dias atuais, além do batalhão de fronteira com militares conhecidos como caras rajadas e companhia motorizada. O desfile do 3º BIS foi encerrado

com apresentação do Jipe Clube do Amapá. A PM participou do dia da Pátria exibindo evoluções feitas por militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope), das companhias de choque, canil e motorizada. Em semelhante atuação desfilou o CBM com membros de todas as unidades, viaturas tanques de combate a incêndio, equipes médicas e técnicas e de operações.

Instituto Butantã prepara testes de vacina contra dengue

O

Instituto Butantã espera iniciar em um mês em São Paulo os testes em voluntários para o desenvolvimento de uma vacina brasileira contra o vírus da dengue. A expectativa é de que até 2015 o medicamento seja colocado à venda no País. O médico imunologista Jorge Kalil, um dos responsáveis pela vacina, diz que o início dos primeiros testes com seres humanos depende apenas da liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

Esta é a segunda fase da pesquisa, que teve início a partir de um produto desenvolvido desde 2005 em laboratórios norte-americanos. “Pretendemos iniciar em 30 dias essa nova etapa, que deve se prolongar pelos seis meses seguintes”, afirma Kalil. Ele explica que a terceira fase será aleatória, com testes cegos em pessoas expostas a áreas com altos índices de casos de dengue em experimentações que vão durar outros seis meses. “Depois disso, se tudo ocorrer como o planejado, enviaremos um dos-

siê para os órgãos de saúde para posterior aprovação”, afirma Kalil. No País, porém, há outra vacina sendo testada. O laboratório francês Sanofi Pasteur atua em cinco capitais brasileiras (Campo Grande, Fortaleza, Goiânia, Natal e Vitória) para verificar os efeitos, que até o momento têm sido parciais - o medicamento mostrou capacidade para proteger contra três das quatro cepas virais causadoras da doença. Caso seja aprovada, a vacina do laboratório francês poderá ser colocada no mercado em 2014.

Esta é a segunda fase da pesquisa, que teve início a partir de um produto desenvolvido desde 2005 em laboratórios

Mais de 80 mil se declararam doadores de órgãos pelo Facebook

M

ais de 80 mil brasileiros já se declararam doadores de órgãos por meio de uma ferramenta na rede social Facebook, de acordo com levantamento divulgado na última quinta-feira, 6, pelo Ministério da Saúde. A parceria foi firmada em julho deste ano, com o objetivo de ampliar o número de doadores no Brasil. Segundo a pasta, 40 milhões de pessoas no país são usuárias da rede social. Os internautas podem adicionar em sua linha do tempo a opção de ser um doador de órgãos e compartilhar com parentes e amigos. Em 2011, o Brasil bateu recorde ao registrar 2.207 doadores no Sistema Nacional de Órgãos – 63% a mais que em 2008, conforme dados do governo. Atualmente, 95% dos transplantes são feitos pelo Sistema Único de

Saúde (SUS). Para expressar no Facebook o desejo de ser um doador de órgãos, basta ir na Linha do Tempo e clicar em Evento Cotidiano, escolher a opção Saúde e Bem-Estar e clicar em doador de órgãos. Ainda assim, a doação só poderá acontecer após autorização da família. A supervisora de Marketing Lucinda Ulhoa, 33 anos, utilizou a ferramenta poucos dias após a parceria. “O que eu puder fazer para ajudar os outros a não sentirem a dor que senti quando perdi meu pai, vou fazer”, explicou. Ela também se cadastrou como doadora em um banco de medula óssea. “Ninguém merece perder um ente querido, mas é preciso ter cautela. Só divulguei no Facebook para ver se estimulo as pessoas a fazerem o mesmo”, completou. Vivian Murbach, 33 anos,

decidiu ser doadora de órgãos ainda na adolescência. Quando a ferramenta foi disponibilizada pelo Facebook, a servidora pública optou por compartilhar a informação. “Cheguei a essa decisão pelo simples fato de ajudar alguém que precisa muito com algo que é meu e que não vou precisar mais. É simples assim”, disse. Ela garante que amigos, o noivo e a família sabem do desejo dela de ser doadora. “Quando faço algum procedimento cirúrgico, aviso novamente a família e o médico.” Já o estudante de antropologia Alexandre Branco, 23 anos, declarou-se doador de órgãos, mas não havia comunicado oficialmente a família e os amigos. “Apesar de as pessoas próximas a mim terem um conhecimento [sobre a vontade dele], achei que uma declaração explícita era o

Os internautas podem adicionar em sua linha do tempo a opção de ser um doador de órgãos e compartilhar

mais recomendável”, contou, ao se referir à ferramenta no Facebook. “Além do fato de você poder ter uma comunicação expressa do seu desejo,

acho que a publicidade dessa informação para as pessoas que não refletiram sistematicamente sobre o assunto pode permitir esse processo”, disse. “As pesso-

as, quando confrontadas com a informação de que outras pessoas próximas são potenciais doadoras, podem refletir e decidir a respeito”, concluiu.


CadernoC

Atualidades

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

Forma rara de autismo poderia ser tratada com suplementos alimentares, alerta estudo

É verdade Glaucoma

Segundo os autores desta pesquisa, seria possível também tratar esta forma de autismo com suplementos alimentares. Veja destalhes do estudo

U

m simples suplemento alimentar poderia ajudar a tratar um tipo raro de autismo que está vinculado à epilepsia e, ao que tudo indica, a uma deficiência de aminoácidos, segundo um estudo publicado na revista Science esta semana. Cerca de 25% das pessoas que sofrem de autismo são também epilépticos, ou seja, possuem um problema nas conexões elétricas cerebrais caracterizado por convulsões cujas causas são em sua maior parte desconhecidas. Pesquisadores americanos da Universidade da Califórnia em San Diego e de Yale (Connecticut, nordeste dos Estados Unidos) foram capazes de isolar uma mutação genética em alguns pacientes autistas epilépticos que acelera o metabolismo de certos aminoácidos, o que gera uma carência. Esta descoberta poderia ajudar os médicos a diagnosticar este tipo de autismo mais rapidamente, o que permitiria também começar um tratamento mais cedo. Segundo os autores deste trabalho seria possível também tratar esta forma de autismo com suplementos alimentares que contêm os chamados aminoácidos ramificados, como mostram experimentos realizados com camundongos geneticamente modificados para ter a

Estudo aponta que 36% dos brasileiros nunca foram ao oculista

Esta descoberta poderia ajudar os médicos a diagnosticar este tipo de autismo mais rapidamente, o que permitiria também começar um tratamento mais cedo

mesma mutação genética. “Foi muito surpreendente encontrar mutações genéticas que afetam o metabolismo e que são específicas do autismo e podem ser potencialmente tratadas”, afirmou o coautor do estúdio Joseph Gleeson, professor de neurociência da Universidade da Califórnia, em San Diego. “O que é mais excitante é que o potencial tratamento é óbvio e simples: trata-se de dar aos pacientes afetados os aminoácidos que faltam a seu organismo”, disse. O professor Gleeson e seus colegas sequenciaram

uma parte do genoma de crianças autistas em duas famílias que sofriam epilepsia e que contavam com a mutação do gene que regula o metabolismo dos aminoácidos ramificados. A equipe de Gleeson realizou testes com suplementos alimentares comuns disponíveis em herbários em camundongos modificados geneticamente. Os camundongos com a mutação genética específica mostraram sintomas de autismo, incluindo ataques de epilepsia, mas ao serem tratados com suplementos alimentares, a condição

deles melhorou. “Estudar os animais foi essencial para nossa descoberta”, afirmou Gaia Novarino, do laboratório Gleeson, e principal autor do estudo. “Uma vez que descobrimos que podemos tratar a condição em camundongos, a questão era se funcionaria de forma eficaz em nossos pacientes”, disse. Os pesquisadores forneceram o suplemento a pacientes humanos, mas ainda não há dados suficientes para determinar se o tratamento serviu para melhorar os sintomas do autismo.

Óleo de peixe pode ajudar a retardar envelhecimento em idosos

A

ingestão diária de ácidos graxos provenientes de óleos de peixe associada à prática de exercícios físicos ajuda a retardar o envelhecimento, sugere um estudo realizado na Universidade de Aberdeen, na Grã-Bretanha. Os resultados da pesquisa mostraram que mulheres com mais de 65 anos que receberam doses diárias de ácidos graxos ricos em ômega-3 ganharam quase o dobro de tônus muscular após se exercitarem, quando comparadas com aquelas que ingeriam azeite de oliva. Uma expansão do estudo está prevista para confirmar tais resultados e determinar com maior exatidão as razões da melhora da força muscular. O processo de envelhecimento, conhecido como sarcopenia, implica numa perda muscular de 0,5 a 2% por ano e pode implicar em fraqueza e perda de mobilidade em idosos. Há poucos dados sobre a incidência na Grã-Bretanha, mas informações provenientes dos Estados Unidos mostram que 25% das pessoas com idade entre 50 e 70 anos têm sarcopenia e isto aumenta para mais da metade daqueles com mais de 80 anos. Para Stuart Gray, um dos líderes do estudo, o custo da sarcopenia é imenso, tanto pela necessidade de cuidado direto ou por internações hospitalares motivadas por quedas. “Cerca de 1,5% do orça-

mento total de saúde americano é gasto com assuntos relacionados à sarcopenia”, diz. As conclusões dos pesquisadores estão sendo apresentadas no Festival Britânico de Ciência, em Aberdeen. Estilo de vida e benefícios A taxa de perda muscular é ditada, até certo ponto, pelo estilo de vida das pessoas, sobretudo o baixo consumo de proteínas e o sedentarismo, conhecidos fatores que aumentam o risco de desenvolver o problema. Essas foram algumas das premissas levadas em conta quando Gray decidiu levar o estudo adiante, recrutando 14 mulheres de mais de 65 anos e dividindo-as em dois grupos. Todas praticaram exercícios durante 12 semanas, em duas sessões de 30 minutos de movimentos focados nos músculos das pernas, mas metade ingeriu ácidos graxos EPA e DHA, ricos em ômega-3, e a outra metade recebeu um placebo de azeite de oliva para controle. O tônus muscular das pernas dessas mulheres foi medido antes e depois do experimento, e na comparação, as idosas que ingeriram azeite de oliva aumentaram sua massa muscular em 11% enquanto as que receberam os óleos EPA e DHA tiveram aumento de 20%. Mas nem todos os óleos de peixe apresentam estes benefícios, disse Stuart

Uma pesquisa inédita encomendada pela Sociedade Brasileira de Glaucoma mostra que 36% dos brasileiros adultos nunca foram ao oftalmologista. Outros 18% fizeram apenas uma consulta em toda a vida. Conduzido pelo Ibope, o trabalho foi feito com base numa mostra de 2.002 entrevistas em todo o país, em junho deste ano. “Os resultados deixam clara a necessidade de se reforçar o acesso ao tratamento e, principalmente à informação”, avalia o presidente da SBG e professor da Universidade Estadual de Campinas, Vital Paulino Costa. O médico afirma não ser incomum serviços receberem pacientes com perda importante da visão provocada pelo glaucoma. “Como a doença não tem sintomas em seu estágio inicial, muitas vezes as pessoas se dão conta de que algo vai errado somente quando a perda da visão já começou”, afirma. Ele lembra, no entanto, que no glaucoma os danos são irreversíveis. “Isso muitas vezes surpreende o paciente. Ele acredita que o tratamento trará de volta a visão perdida.” Daí a importância, completa, da agilidade tanto no diagnóstico quanto no início do tratamento. O glaucoma é uma doença progressiva, causada pelo aumento da pressão intraocular. Essa pressão acaba provocando lesões no nervo óptico, perda de visão e, em muitos casos, cegueira. O tratamento é feito com colírios e, em alguns pacientes, com cirurgias. A prevalência do glaucoma aumenta com a idade. Aos 40 anos, cerca de 2% das pessoas têm a doença. Aos 70 anos, o percentual salta para 6%. “O maior receio é que, com envelhecimento da população e o desconhecimento em torno da doença, o número de casos de cegueira no país aumente consideravelmente.” Da amostra que representa a população geral, 36% nunca ouviram falar em glaucoma. O desconhecimento está presente em todos os níveis de escolaridade. Dos entrevistados com nível superior, 10% disseram não conhecer a doença. A falsa ideia de que a cegueira causada pelo distúrbio é reversível também foi identificada na pesquisa do Ibope: entre os que conhecem o glaucoma 88% disseram saber que ele provoca a perda da visão. Mas 41% deles imaginam que o problema pode ser revertido. Diante deste quadro, a sociedade decidiu lançar uma campanha de alerta para população. Uma das principais mensagens ressalta a importância de se consultar o oftalmologista depois dos 40 anos. Vital estima que exista no Brasil um milhão de pessoas com glaucoma, mas apenas 50% desses pacientes estão em tratamento. Além da falta de informação, afirma, a dificuldade ao acesso a consultas com especialistas, sobretudo em cidades mais afastadas, contribui para porcentuais tão elevados.

Saúde

A importância da atividade física para a saúde

Óleo de peixe rico em ômega-3 que pode retardar envelhecimento

Gray em entrevista à BBC. “Um dos problemas com muitos desses suplementos é que a quantidade de EPA varia. Uma cápsula contendo 1 grama de óleo de peixe pode conter somente 100 miligramas de EPA e outras podem conter 400 miligramas”. Ele aconselha que aqueles que desejam melhorar sua ingestão de ômega-3 deveriam ingerir suplementos que contenham os níveis mais altos de EPA e DHA. Homens e mulheres Os pesquisadores receberam financiamento para expandir o estudo, desta vez com 60 pessoas com mais de 65 anos, incluindo números similares de homens e mulheres. O organizador da pesquisa diz que há diferen-

ças quanto à capacidade de sintetizar proteínas e na resposta a exercícios físicos. “As mulheres mais velhas têm capacidade de sintetizar proteínas similar a de mulheres mais novas, enquanto os homens mais velhos apresentam diminuição quando comparados aos mais novos. Homens mais velhos se adaptam à prática de exercícios e aumentam sua capacidade de sintetizar proteínas. As mulheres não conseguem fazer isso, em sua maioria, embora os níveis basais de síntese já sejam maiores”. Um dos principais objetivos da nova etapa do estudo é justamente determinar as diferenças entre homens e mulheres em relação à sarcopenia e sua prevenção.

Vivemos num mundo que valoriza muito o bem-estar material, em uma época agitada, e muitas vezes deixamos de usar nosso corpo em prol de uma melhor qualidade de vida. Algumas pessoas passam muito tempo sentadas e outras executando sempre os mesmos movimentos. Precisamos compensar o tempo que passamos inativos, reservando algum tempo para fazermos atividade física. Mas o que é atividade física? Podemos definir como um conjunto de ações que um indivíduo ou grupo de pessoas pratica envolvendo gasto de energia e alterações do organismo, por meio de exercícios que envolvam movimentos corporais, além de atividades mental e social, de modo que terá como resultados os benefícios à saúde. Saúde não significa simplesmente, ausência de doenças. Muitos fatores estão relacionados com a saúde como o bem-estar físico, mental, social e espiritual. Para alcançar esse bem-estar completo, necessitamos de hábitos de saúde como evitar o estresse, não fumar, alimentar-se adequadamente, procurar alguma forma de lazer e principalmente, praticar atividade física. Um organismo bem condicionado é capaz de enfrentar esforços maiores e vencer melhor as doenças. Quando permanecemos sedentários por longos períodos, podem surgir doenças como hipertensão arterial, diabetes, colesterol alto, osteoporose, obesidade e doenças do coração. Ainda mais, a atividade física não precisa ser extenuante para ser benéfica e pessoas de todas as idades obtêm benefícios ao participar regularmente de atividade física moderada por 3 ou mais dias da semana. Contudo, o exercício regular, independente de qual seja, preferencialmente deverá ser orientado por um Educador Físico devidamente registrado no Conselho Regional de Educação Física - CREF, pois esse profissional estará habilitado a fazer uma avaliação dos limites que o corpo de cada pessoa pode suportar, prevenindo doenças e promovendo assim, o bem-estar físico, mental, social e espiritual, conseqüentemente melhorando sua qualidade de vida Portanto, tenha corpo e mente saudável. Pratique atividade física. Gilcilene Soares Especialista em Educação Física e docência no ensino superior CREF 000414-G/AP. gilcilenesoares@sestsenat.org.br Cesar Lage Docência no ensino superior CREF AM 001779 G. Cesarfarias @sestsenat.org.br


JD

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

C2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Após tremor que matou 80, China intensifica trabalhos de resgate na região

JD

Mundo

EUA

Entre as vítimas do terremoto estão pelo menos três crianças, alunos que assistiam a uma aula quando sua escola desabou

O

s trabalhos de resgate após o terremoto que deixou pelo menos 80 mortos e 820 feridos no sudoeste da China se intensificaram ontem, em meio a advertências de que o mau tempo pode prejudicar os esforços de ajuda. Entre as vítimas do terremoto estão pelo menos três crianças, alunos que assistiam a uma aula quando sua escola desabou. Segundo explicou à agência oficial Xinhua Zhou Guangfu, o subdiretor do Departamento de Educação do Condado de Yiliang o mais afetado pelo terremoto, os estudantes eram de um colégio primário da aldeia de Jiaokui. Oito estudantes ficaram presos entre os escombros e os professores e aldeães só conseguiram resgatar cinco deles, acrescentou Zhou. O Departamento de Assuntos Civis da província de Yunnan, a mais afetada pelo desastre, advertiu que o número de vítimas pode aumentar à medida que as equipes de socorro conseguirem chegar às aldeias montanhosas de difícil acesso, onde a infraestrutura de comunicações e a provisão de eletricidade foram muito danificadas pelo sismo. Estrada de acesso A televisão estatal chinesa CFTV informou hoje que foi aberta uma estrada de acesso a uma das áreas mais afetadas, e que tinha ficado fechada por uma avalanche de rochas após o terremoto nesta região de montanha, dedicada à mineração e à agricultura. Porém, o Centro Nacional Meteorológico, citado pela Xinhua, indicou que os trabalhos de resgate podem ser prejudicados por chuvas contínuas ao longo dos próximos três dias na área, que pode sofrer “desastres geológicos provocados pela precipitação”. O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, que se deslocou ainda na última sexta-feira à região afetada, pediu hoje que se multipliquem os esforços na busca por sobreviventes, após lembrar que as primeiras 72 horas são vitais nos trabalhos de resgate após um terremoto, infor-

DIVULGAÇÃO

Ex-presidente dos Bill Clinton trabalha para deixar legado na África

Sobrevivente em frente a barraca montada na cidade de Luozehe após tremor

mou a Xinhua. Wen, que está na zona montanhosa de Yiliang para dirigir os trabalhos de resgate e visitar os afetados, solicitou que as equipes de assistência cheguem a todas as aldeias atingidas ao longo do dia de ontem. O presidente do país, Hu Jintao, que participa da Cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) em Vladivostok, pediu esforços imediatos para auxiliar nos trabalhos de assistência aos afetados. Mais de 100 mil pessoas foram retiradas, enquanto outras 100 mil precisam de novo alojamento depois que o terremoto, de 5,7 graus na escala Richter destruiu 6.650 casas e danificou outras 430 mil na província, segundo os dados divulgados pela Xinhua.

Em Guizhou, segundo a mesma agência, duas pessoas ficaram feridas e mais de 10 mil casas ficaram danificadas pelos tremores de terra. Prejuízos As perdas econômicas, segundo o Departamento de Serviços Sociais de Yunnan, já atingem os 3,5 bilhões de iuanes (pouco mais de R$ 1 bilhão). O primeiro terremoto aconteceu às 11h (hora local) na fronteira entre as províncias de Yunnan e Guizhou, segundo dados do Centro de Controle de Terremotos de China. O sismo, cujo epicentro ficou cerca de 15 quilômetros do centro de Yiliang e a uma profundidade de 14 quilômetros, foi seguido de até 16 réplicas. Essa pouca profundidade, segundo os especialistas,

contribuiu para deixar mais destruição. Em Guizhou, por enquanto, só foram informados danos materiais, mas nenhuma vítima mortal. As autoridades, no entanto, estimam que o número de afetados em ambas províncias já chega a 700 mil. O oeste da China é uma zona com frequente atividade sísmica. Em 2010, um tremor de 7,1 graus na província de Qinghai causou 300 mortes e deixou mais de 8.000 feridos. Foi nesta mesma região, mas na província de Sichuan, onde em 2008 ocorreu o terremoto mais grave em mais de três décadas na China, com 88 mil mortos e desaparecidos. Na época, boa parte do número de mortos foi atribuída à pouca qualidade das construções, inclusive de escolas públicas.

O

a confiança dos investidores. Hollande disse que, ao não corrigir o valor dos gastos públicos no ano que vem exceto no que diz respeito a dívida e pagamentos de pensões, seu governo pode economizar 10 bilhões de euros, levando em conta o valor ajustado pela inflação. Mas isso representaria apenas um terço dos mais de 30 bilhões de euros que Hollande diz que a França precisaria economizar para cumprir a meta de déficit do próximo ano, mantendo-se no rumo do equilíbrio orçamentário até o final dos seus cinco anos de mandato. Como o governo se recusa a demitir servidores públicos, a maior parte do ajuste precisará ser feita via

elevação da arrecadação tributária. “Esse será o maior esforço em 30 anos”, disse Hollande em um ato público no qual prometeu uma reforma tributária “audaciosa”, entre outras medidas. Equilíbrio orçamentário Desde 2007, o déficit francês não fica aquém do limite exigido pela União Europeia, de 3% do PIB. Naquele ano, ficou em 2,7 por cento. Após a crise dos últimos anos, que levou a dívida pública a 90% do PIB, Hollande disse que a administração da dívida já se tornou o segundo maior item do orçamento, o que torna o ajuste mais complexo. Os parceiros da

México

Arsenal é encontrado após garoto levar arma para escola

Uma família de supostos traficantes de drogas no México perdeu um arsenal após seu filho, de 9 anos, levar uma arma para a escola, o que fez a polícia encontrar uma casa cheia de armas letais. Colegas de classe do jovem viram uma pistola carregada em sua mochila e alertaram as autoridades, disse um porta-voz da polícia na cidade de Hermosillo. A polícia revistou a casa do garoto após confiscar a arma, que estava carregada com balas conhecidas como “matadoras de policiais”, designadas para penetrar em coletes à prova de balas, acrescentou ele. Na casa, a polícia encontrou 13 mil cartuchos de munição, diversas pistolas e rifles, incluindo AK-47, além de uma metralhadora Uzi. Também havia uniformes militares, dezenas de rádios portáteis e duas máquinas caça-níquel. Um homem armado dentro da casa viu a polícia chegar e conseguiu escapar. Uma mulher foi presa. O garoto foi levado aos cuidados de assistentes sociais, segundo o porta-voz.

Alerta

Morador passa por carro destruído após terremoto que matou 80

François Hollande promete corte de gastos e reforma tributária na França governo socialista da França insistiu na última que levará os cortes orçamentários adiante e prometeu uma reforma tributária no próximo ano, contrariando rumores de que estaria abrandando medidas propostas durante a campanha eleitoral, como a de impor uma alíquota tributária de 75% aos ricos. O presidente François Hollande, eleito em maio com a promessa de estimular a retomada de crescimento e taxar mais pesadamente os ricos, disse que, por causa da economia estagnada, é crucial que a França cumpra a meta de limitar o deficit público a 3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013, sob risco de perder

Bill Clinton não conseguia parar de falar sobre a soja. No jantar em Kigali, com meia dúzia de assessores políticos de longa data e ricos patrocinadores, ele citou o preço da soja (“Nunca superou US$ 8, e hoje está a US$ 16”) e exortou as virtudes da planta milagrosa (“Dá para cultivar com uma camada fina de solo”). No dia seguinte, ele e a filha, Chelsea, fizeram uma visita a uma futura usina de processamento de soja, que ainda é um canteiro de obras de terra vermelha, ao pé de um morro verdejante. Clinton afastou uma mosca do olho e previu que a demanda ia aumentar muito. “Os chineses não podem beber leite, então dependem da soja”, disse ele. Mas quando o gerente da usina pediu que ele voltasse no ano que vem, quando a produção estará gerando trabalho para 1.400 produtores, Clinton passou a falar de si mesmo. “Sou mais velho do que você”, respondeu. “Temos que saber se ainda estarei por aí”.

França na UE veem o plano orçamentário como um teste crucial para avaliar o entusiasmo de Hollande com as reformas, mas há poucos sinais por enquanto de que ele fará mudanças profundas no ano que vem. A França não consegue equilibrar seu orçamento desde 1974, e os gastos públicos atualmente respondem por 56% da produção econômica --valor que, no Ocidente, só é superado pela Dinamarca. O orçamento será apresentado em 28 de setembro, numa reunião de gabinete que foi adiada em dois dias para que Hollande participe da Assembleia Geral da ONU, em Nova York, segundo autoridades.

Hantavírus mata terceiro visitante do parque Yosemite, nos EUA Uma terceira pessoa, de nacionalidade americana, morreu após contrair a síndrome pulmonar por hantavírus (SPH) no parque natural de Yosemite (Califórnia, oeste), informaram na última quinta-feira (6) autoridades locais. Foram registrados dois novos casos de SPH, uma doença rara porém grave, que se propaga por meio do rato-veadeiro (Peromyscus maniculatus), um roedor que habita a cordilheira de Serra Nevada. Desta forma, o total de afetados chega a oito pessoas, todas americanas, disseram as autoridades do parque em um comunicado. “O serviço de parques nacionais recebeu a confirmação, por parte das agências locais e de saúde de oito casos de SPH que afetam as pessoas que pernoitaram pelo menos uma noite em Yosemite desde o mês de julho passado”, acrescentou o comunicado. Três pessoas morreram e outras cinco se recuperaram ou estão convalescentes, acrescentou o documento. Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) pelo menos cem mil pessoas visitaram o parque e correm o risco de ficar doentes. A doença pode demorar até seis semanas em se incubar depois da exposição ao vírus, geralmente através do contato com urina, fezes ou saliva de roedores infectados. Desde que a doença foi identificada pela primeira vez em 1993, houve 60 casos reportados na Califórnia e um total de 587 em nível nacional nos Estados Unidos, um terço dos quais foi fatal.


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

C3


JD

Diversão&Cultura

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

Festival de animações de terror traz filme com brinquedos sem cabeça e vida própria Essa é a trama de “Musta Hevonen”, um dos destaques que serão exibidos durante a 3ª edição do Festival Internacional de Animação de Terror

O

retrato de uma família perturbada, na qual brinquedos e frangos sem cabeça possuem vida própria e têm poderes especiais. Essa é a trama de “Musta Hevonen”, um dos destaques que serão exibidos durante a 3ª. Edição do Festival Internacional de Animação de Terror. O evento, que começou na última sexta (7) e vai até o dia 16 de setembro, exibe filmes de animações, brasileiros e estrangeiros, de terror, horror, suspense e outros do gênero dedicados ao público adulto. Zumbis e produções sangrentas são as principais atrações do festival que promete fazer de 2012 o ano das anima-

DIVULGAÇÃO

C4

Editor: Franck Figueira - franckfigueira@jdia.com.br

Celebridades Gravida não

Globo nega gravidez de Patrícia Poeta

A A assessoria de imprensa da Globo negou que Patrícia Poeta esteja grávida de seu segundo filho, conforme noticiado na tarde d a última quinta (6) pela colunista Lu Lacerda. A apresentadora do “JN” é mãe de Felipe, de 9 anos, de seu casamento com o diretor da Globo Amauri Soares. Em dezembro de 2011, Patrícia Poeta assumiu a bancada do “JN” ao lado de William Bonner, após Fátima Bernardes deixar o jornalístico para se dedicar ao “Encontro com Fátima Bernardes”.

Katy Perry

Beija um e sai como outro

Depois de dar um selinho em Katy Perry durante a premiação MTV Video Music Awards realizada na última quinta-feira (6), Niall Horan, do One Direction foi jantar com a cantora Demi Lovato, segundo informações do site “US Weekly”. No Twitter, o integrante da One Direction escreveu recentemente que está ansioso para ver Demi como jurada no programa de calouros “X-Factor”. Katy Perry também foi vista acompanhada depois do evento. Ela e o cantor John Mayer foram fotografados no banco de trás de um carro ao saírem de um restaurante na Califórnia. Em “Musta Hevonen”, destaque do festival Animaldiçoados, brinquedos e frangos sem cabeça possuem vida própria

ções mais aterrorizantes. Também fazem parte da programação do festival

competições com as animações exibidas. Os melhores curtas escolhidos pelo júri popular e júri técnico receberão o troféu Animaldiçoados 2012. Especiais com animações que fazem culto ao universo da religião também serão exibidos. O Festival acontece no Centro Cultural da Justiça Federal no Rio de Janeiro e no Museu de Arte Contemporânea de Niterói, de 15h às 19h. Os ingressos custam R$10 (inteira) e R$5 (meia).

Serviço 3ª. Edição do Festival Internacional de Animação de Terror Quando: de 07 a 16 de setembro Onde: Centro Cultural Banco Justiça Federal Avenida Rio Branco nº 241 Centro Quanto: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) Mais informações: www. animaldicoados.com Programação completa: www.animaldicoados.com/ AGENDA2012.html.

Angelina Jolie e Brad Pitt se tratam por apelidos fofos como “gatinha” e “coelhinho”

O

casal Angelina Jolie e Brad Pitt costuma usar apelidos carinhosos para se tratarem. Segundo o jornal “The Sun”, Pitt chama Angelina de “Kitty” (gatinha) e atriz trata o marido como “Miffy” (coelhinho). Os atores usam os apelidos até para se hospedarem em hotéis com o obejtivo de fugir do assédio da imprensa. Antes de se casar, Angelina usava o codinome Shiloh Baptist para se registrar em quartos e até em restaurantes. Por gostar do nome, Angelina batizou a primeira filha biológica de Shiloh. Angelina e Pitt se envolveram amorosamente durante as filmagens do filme “Sr.

Ju se revolta com Lia e Dinho, que são levados para a diretoria. Mario apresenta Bárbara para Nando e Marcela como arquiteta para a reforma no casarão. Leandro decide liberar os alunos para falar sobre o que aconteceu entre Lia e Dinho. Ju fica mal com o falatório dos colegas e sai de sala. Alice, Mario e Lorenzo se surpreendem ao saber que os filhos passaram a noite no colégio e comparecem à sala de Mathias. Marcela entrega uma cópia da chave de casa para Gil, que reage indiferente. Dinho e Lia são suspensos. Fatinha implica com Ju. Marcela gosta de ver Gil e Morgana conversando. Lorenzo e Paulina colocam Lia de castigo.

Cheias de Charme Chayene afirma que Eloy ajudou Rejane a acabar com sua voz e Socorro fica aliviada. Inácio foge de Scarlet. Rosário resolve ir ao quarto de Inácio/Fabian e não gosta de ver Scarlet. Kleiton comenta com Penha que a campanha para que as Empreguetes se reúnam novamente está cada vez maior. Penha recebe uma ligação de Gilson no momento em que fala com Lygia. Dália reconhece Inácio no show de Fabian. Gilson avisa a Jurema que levará os documentos de Lygia ao escritório. Rosário ouve Scarlet contar para Simone que não aconteceu nada entre ela e Fabian.

Depois de passar 90 dias em Itu, na casa do reality show “A Fazenda 5”, Viviane Araújo, que foi a vencedora do reality, com 84% dos votos, retornou ao Rio de Janeiro e foi recepcionada pelos ritmistas da bateria do Salgueiro ao desembarcar na cidade, no aeroporto Santos Dumont. No desembarque, a rainha de bateria da escola de samba contou que ainda não viu sua mãe, apenas o namorado, Radamés, que foi esperá-lá na final do programa. Questionada se já deu para “tirar o atraso”, ela brincou: “Ainda não. Três meses é muito tempo sem”.

Horóscopo Áries (21 mar. a 20 abr.) A partir de hoje - e até 15/9 - trate de repensar sua comunicação com o meio ambiente. Será preciso melhorar essa comunicação, e você terá de fazer ajustes e adaptações. Cuide para que seus preconceitos não atrapalhem suas decisões.

e Sra. Smith”, em 2005, quando o ator ainda estava num relacionamento com a atriz Jennifer Aniston. Pais de seis filhos (Maddox, 11, Pax, 9, Zahara, 7, Shiloh, 6, e os gêmeos de 4 anos de idade, Knox e Vivienne), os atores pretendem oficializar a união em breve.

Resumo das Novelas Malhação

Vivi Araújo “Três meses é muito tempo sem”

Lado a Lado Isabel se desculpa com Zé Maria, que se apaixona ainda mais. Constância avisa que comprará um presente para que a filha dê a Edgar. Carlota reclama com Celinha da presença de Isabel e do namorado na confeitaria. Berenice não se conforma com o desprezo de Zé Maria. Zé Maria não conta para Isabel que é capoeirista. Constância comenta com Assunção que o casamento de Laura salvará sua família. Bonifácio e Fernando vão ao Porto buscar Edgar. Constância observa Laura sair de suas aulas na biblioteca. Todos no cortiço temem que a polícia invada o lugar. Tereza reclama com Praxedes sobre a desapropriação dos cortiços.

Avenida Brasil Tufão se enfurece com os questionamentos da família. Janaína repreende Zezé por fazer fofoca dos patrões. Max passa a noite com Begônia. Tufão vai à casa de Jorginho e Nina se esconde. Muricy, Leleco, Adauto, Ivana e Janaína questionam sobre a vida de Tufão e Ágata intervém. Begônia flagra Max vasculhando suas coisas. Jorginho marca um encontro com Nina na casa de Lucinda. Cadinho procura Muricy. Roni e Leandro brigam com outros rapazes por causa de Suelen. Ágata e Janaína conversam sobre Nina. Carminha arma com Max um plano contra Nina. Muricy invade a casa de Leleco atrás de Tufão.

Touro (21 abr. a 20 mai.) Com a minguante lunar de hoje ativando seu setor financeiro começa uma boa fase para você enxugar gastos, cortar os supérfluos. Bom também para focalizar em atividades mentais ou manuais que lhe tragam mais rendimentos. Gêmeos (21 mai. a 20 jun.) Ocorre hoje, no seu signo, a minguante lunar. Sem duvida um período de fechamento e finalização de todo um ciclo de realizações. É a hora de se curvar sobre si mesmo e filtrar a sua verdade, acima de todos os condicionamentos. Câncer (21 jun. a 21 jul.) Ainda na linha do tempo para descansar e restaurar suas forças, a Lua minguante de hoje acentua a solidão para se entender melhor. Há conversas que você só pode ter consigo mesmo. Um ciclo se encerra, e você sente isto. Leão (22 jul. a 22 ago.) É preciso ver até onde certos planos feitos em sociedade ou com amigos e parceiros realmente servem para você. Se eles podem ser ajustados, aperfeiçoados, se necessitam ser reformulados. E este é tempo para analisar todos eles. Virgem (23 ago. a 22 set.) Importante a mudança lunar deste sábado, porque acentua a importância de chegar a bom termo entre razão e emoção, entre o que você sabe ser essencial pra si mesmo e o que é demanda alheia. Até onde vai sua negociação?

Libra (23 set. a 22 out.) Crenças, filosofias de vida, religiões, desenvolvimento da espiritualidade, viagens para fora do país, contato com mestres - assuntos que começam a ficar mais importantes a partir de hoje. Siga a sua bussola interna e acertará em tudo. Escorpião (23 out. a 21 nov.) É preciso se adaptar a mudanças que escapam ao seu controle. Também é urgente filtrar e adaptar princípios rígidos a situações cotidianas.. Amigos queridos às vezes partem, e à sua revelia. Transformação é a lei da vida, como sabe. Sagitário (22 nov. a 21 dez.) Se você tem um parceiro chato que vive mudando de ideia, aproveite o embalo desta minguante lunar pra explicar a ele que assim não vai dar! Escolher bem seus pares é uma arte. Você precisa discriminar mais com quem anda. Capricórnio

(22 dez. a 20 jan.) Alguns planos com amigos se mostraram impraticáveis - chegou a hora de dizer isto, com jeito e bom humor, mas sendo honesto. É o jeito de preservar amizades importantes e não se enredar em complicações e estorvos futuros.

Aquário (21 jan. a 19 fev.) Sentimentos contraditórios levam você a buscar informações e conversar com quem está mais bem informado. O assunto é amor, mas pode ser um projeto próprio do qual tem duvida. Vá no embalo do questionamento total. Peixes (20 fev. a 20 mar.) Entre o que seu parceiro quer e o que você espera de uma vida em comum e na intimidade, há um bom caminho. Agora irão pesar mais, nas suas escolhas, os sonhos familiares, o que aprendeu em casa. E o parceiro deverá se adaptar..


CadernoD

Carro&Moto

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

R-Line: utilitário esportivo para quem quer ser diferente

Renault Kangoo Z.E. é o novo papa-móvel

A versão topo de linha do Touareg é considerada grife pela Volkswagen

Veículo elétrico na marca francesa foi entregue a Bento XVI pelo brasileiro e CEO do Grupo Renault-Nissan Carlos Ghosn

C Volkswagen Touareg 2013 R-Line 4.2 32V gasolina 4p automático seq. integral

C

onvenhamos, se um utilitário esportivo com motor V8 de 4,2 litros que entrega 360 cv e custa R$ 308.189 já não é para qualquer um, imagine uma versão com visual mais caprichado e esportivo, com elementos que o diferenciem das demais e custe a partir de R$ 333.700... Segundo Henrique Sampaio, gerente de marketing de produto da Volkswagen, a nomenclatura R-Line está ligada a uma ‘grife’ da montadora alemã para os consumidores que desejam exclusividade, mas que já venha de fábrica. “Esse cliente não quer colocar acessórios no veículo. Ele deseja que seu carro seja diferenciado, mas que saia assim da fábrica”, explicou. A versão, que já está à venda no País, chega pouco mais de um ano depois do lançamento da segunda geração do utilitário esportivo como parte da linha 2013 de veículos importados da marca. É o segundo modelo a contar com os itens R-Line de design. O primeiro foi o Passat CC, em fevereiro de 2011. Segundo Sampaio, ainda virá mais um veículo da marca com essa opção neste ano e mais três em 2013. De acordo com os dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), desde janeiro até a primeira quinzena de agosto foram comercializadas 172 unidades do Touareg. A previsão

de Sampaio é de que a versão topo de linha corresponda a 10% das vendas do modelo. Diferenciais A versão R-Line está disponível apenas para o modelo dotado de motor V8 4.2 de 360 cv e transmissão automática de oito velocidades Tiptronic. Segundo a Volkswagen, o SUV vai da imobilidade aos 100 km/h em 6,5 segundos e atinge a velocidade máxima de 245 km/h. Seu peso é de 2.075 kg. Em termos de desempenho, não há diferença em relação à versão V8. O modelo é forte nas saídas e retomadas e seu rodar é suave. No uso em estradas de terra, o jipão também se sai bem, principalmente por conta do sistema 4Motion de tração permanente nas quatro rodas, em que a força do motor é distribuída por meio de um diferencial Torsen e do bloqueio eletrônico do diferencial nos dois eixos. O conjunto mecânico permite que o Touareg R-Line enfrente aclives de até 31 graus, segundo a marca. Seus diferenciais são basicamente visuais e no nível de equipamentos. Alguns elementos-chave são o acabamento preto brilhante da grade do radiador superior, com faixas cromadas contínuas; faróis visualmente integrados a essas linhas; o para-choque pintado na cor da carroce-

ria e a entrada de ar em forma de “U”, emoldurada por um friso cromado. Os faróis bixenônio têm nivelamento automático, iluminação direcional nas curvas e LEDs de série. A parte frontal tem novo spoiler. Nas laterais, há saias na cor da carroceria, apliques cromados nas portas e logotipos R-Line nos para-lamas dianteiros. O visual é complementado por rodas de liga leve de 20 polegadas e pneus 275/45 R20. Esse conjunto realmente dá ar de sofisticação ao utilitário. Por dentro, o logotipo R-Line está nas soleiras das portas, de aço inoxidável, nos apoios de cabeça dos bancos dianteiros e na base do volante. Os pedais são de aço inoxidável. Há ainda assentos esportivos dianteiros climatizados com 12 ajustes elétricos e acabamento de couro em tons cinza e preto. O banco do motorista oferece três opções de memória. Também é de série o banco traseiro com ajuste longitudinal de 16 centímetros, além de regulagem da inclinação do encosto. O modelo tem suspensão pneumática com controle eletrônico, sistema de nivelamento automático, ajuste de altura em relação ao solo e rigidez dos amortecedores. O sistema tem quatro níveis de altura e o vão livre pode variar de 14,7 centímetros (para colocar objetos no porta-malas) a 30 cm (para

uso fora de estrada). Segurança e diversão A versão conta com equipamentos de segurança como o Area View, que proporciona visão abrangente de 360 graus em torno do carro, recurso interessante para manobras, como na saída de uma garagem de edifício. O modelo também conta com detector de fadiga, que identifica a perda de concentração do motorista e o avisa, por meio de sinal sonoro, assim como por meio de mensagem visual que aparece no quadro de instrumentos, recomendando que o condutor pare para descansar. Para auxiliar no estacionamento, o modelo oferece o Rear Assist, dotado de sensores e de uma câmera traseira. O sistema de som e navegação tem DVD player, comando de voz e tela touch screen de oito polegadas que pode mostrar mapas em 3D. São apenas três os opcionais do Touareg R-Line: o ACC (controlador automático de velocidade e distância), que mantém a velocidade e distância selecionadas pelo motorista em relação ao veículo à frente; Side Assist (que alerta sobre veículos que estejam se aproximando e se encontrem nos pontos cegos), além de teto solar panorâmico. Completo, o valor do modelo salta para R$ 360.000.

Honda divulga informações do Accord PHEV 2014

om a tendência mundial de veículos “amigos do meio ambiente” crescendo, nem o papa ficou de fora. Apesar de ter uma BMW X5 e um Volkswagen Phaeton na gama de veículos para transportar Bento XVI, o novo papa-móvel agora é “verde”. O modelo escolhido foi o elétrico Renault Kangoo Z.E. – “Zero Emission”. Feito pela Renault em parceria com a Grau, empresa francesa especializada em carrocerias, o carro sofreu várias modificações. Ele possui um exterior

branco com gráficos que fazem alusão ao papa, traseira com dobradiças das portas, degraus eletricamente rebatíveis e um teto retrátil. Há também um interior atualizado que possui quatro assentos individuais. O veículo foi entregue pessoalmente ao papa pelo brasileiro e CEO do Grupo Renault-Nissan, Carlos Ghosn. O motor totalmente elétrico tem baterias de íons de lítio e desenvolve até 60 cv. O papa-móvel ecológico tem autonomia de 170 km com a carga totalmente completa.

Estoque da Hyundai pode zerar nos EUA

Modelos como Equus e Genesis terão vendas afetadas por causa da greve na Coréia do Sul

A

Hyundai dos Estados Unidos pode passar por sérios problemas nos próximos dias. Embora a greve dos funcionários na Coréia do Sul tenha chegado ao fim – 53% dos trabalhadores aprovaram o acordo proposto pela empresa, em que um dos pontos importantes é a eliminação do turno de produção noturno –, de acordo com a agência de notícias Reuters, a marca corre o risco de ficar sem veículos importados para vender no mercado norte-americano. Dois dos modelos que terão as vendas afetadas são os sedãs Equus e Genesis, produzidos na fábrica coreana de Ulsan. Segundo o presidente da divisão norte-americana da Hyundai, John Krafcik, cerca de 10.000 veículos podem dei-

xar de ser comercializados por lá. Embora a fabricante esteja passando por essa crise, no mês de agosto registrou alta de 4% nas vendas nos Estados Unidos, contrariando queda de 5% no resultado global da marca. No Brasil Ainda não há informações de como essa crise pode afetar o desempenho da Hyundai no Brasil – lembrando que, com exceção do crossover Tucson e do utilitário HR, todos os veículos da montadora vendidos pela Caoa são importados do país asiático. iG Carros entrou em contato com a marca, porém, até o fechamento desta reportagem, não havia informação oficial sobre a possibilidade de as vendas no Brasil serem afetadas.

Setor automotivo bate recorde histórico de produção

C

Diferenças visuais em relação ao Accord tradicional são sutis

A

Honda divulgou mais informações sobre o híbrido Accord PHEV 2014. Esperado para o começo de 2013 nos EUA, o carro conta com um motor híbrido i-VTEC de quatro cilindros e 138 cv de potência, acoplado a um motor elétrico

de 168 cv. Os dois motores produzem juntos 198 cv e se revezam no funcionamento: o modo elétrico é ativado durante os percursos menos exigentes e, quando o carro precisa de mais velocidade ou força, o modo híbrido é ativado. A bateria do Accord PHEV

pode ser carregada em uma tomada tradicional de 120 volts em três horas. Em uma de 220 volts, em menos de uma hora. O carro é equipado com para-choques dianteiros sob medida, câmera de visão traseira, sensor para ponto cego e rodas de liga-leve de 17

polegadas. Estão disponíveis três cores exclusivas para o modelo. O modelo não tem previsão de lançamento no Brasil e sua presença não está nem confirmada no Salão do Automóvel, que acontecerá em outubro, em São Paulo.

omo esperado, a produção do setor automotivo brasileiro registrou recorde histórico no mês de agosto, atingindo a marca de 329.266 mil veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) no mês de agosto. De acordo com dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgados na última quinta-feira (6), o volume representa alta de 10,6% sobre o mês de julho (297.789 unidades) e de 1% sobre agosto do ano passado (326.162 unidades). Esses números são justificados pelo forte aquecimento do mercado, causado pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) divulgado em junho. Assim

como a Anfavea, a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) também comemorou recorde de vendas no oitavo mês do ano. A entidade registrou alta de 11,5%, comparado com o julho de 2012 e de 10,1%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Mesmo com os ótimos números, o nível de empregos diretos nas montadoras ficou praticamente estável em agosto na comparação com julho, com 147.731 pessoas contratadas diretamente pelas montadoras, alta de 0,1%. Porém, em relação a agosto do ano passado, há aumento de 2,1% - no período estavam contratadas 144.688 pessoas.


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

Novo EcoSport: todo novo mesmo, e bem melhor Novo Eco avançou na aerodinâmica, e a suspensão (que era bem acertada) ficou ainda mais refinada com a direção elétrica DIVULGAÇÃO

Seja no design, seja no desempenho ou na sofisticação, essa segunda linhagem do EcoSport avançou e promete revolucionar o segmento

O

título do post pode soar um pouco pretensioso, mas se você – leitor, automaníaco e “quarentenado” – busca uma impressão de como é dirigir e estar a bordo do novo EcoSport, então seja bem-vindo! Abaixo, além dos números de teste (bastante positivos, no geral), foram listados os principais aspectos que chamam a atenção no primeiro contato com o crossover compacto da Ford. Sem mais delongas, vamos ao que interessa! A primeira pergunta, que acredito ser universal, é: afinal, o novo EcoSport é melhor que o anterior? Sim, e muito. Embora o modelo em testes, seja a versão top Titanium, a nova geração do crossover produzido em Camaçari (Bahia) quase não tem paralelos com o velho Eco, que revolucionou o mercado de utilitários há quase uma década. Seja no design, seja no desempenho ou na sofisticação, essa segunda linhagem do EcoSport avançou – e promete revolucionar o segmento de utilitários compactos. Mas o que o jipinho da Ford tem de especial? É uma combinação de fatores. O visual meio quadradão ficou no passado. Os traços atuais são modernos, chamam a aten-

ção nas ruas. Por dentro, o estilo também saltou uma década. Está moderníssimo. No entanto, o maior salto foi dado na engenharia. O novo Eco avançou na aerodinâmica, e a suspensão (que era bem acertada) ficou ainda mais refinada com a direção elétrica. Além do ótimo equilíbrio dinâmico, o conjunto filtra bem as deformações do asfalto e deixa o rodar do crossover agradável e estável. E as respostas instantâneas aos movimentos do volante dão segurança e solidez. A mecânica da versão Titanium completa um pacote, tudo por aproximadamente R$ 70 mil. Acelerando, de zero a 100 km/h, por exemplo, levou 10 segundos. Alguns aqui podem alegar que o número não é representativo no universo da esportividade. De fato, não é. Mas ao volante, o novo EcoSport é viril nas arrancadas e retomadas. A sensação é de que, mesmo com o carro cheio, não faltará força. E no quesito diversão, o câmbio manual de cinco marchas realça essa disposição constante. Os engates são precisos e curso da alavanca é curto. Para fechar o pacote, o novo Eco ainda traz uma parafernália eletrônica de

primeiro mundo. Há controle de estabilidade, ABS com EBD, seis airbags (frontais, laterais e de cortina), assistente de subida em rampas e o sistema multimídia SYNC – criado em parceria com a Microsoft. Isso para resumir a lista, que tem partida do motor no botão, abertura das portas sem chave, entre outras bossas. Confiram abaixo os pontos positivos e negativos, as notas e os números de testes do novo EcoSport Titanium: Não curtiu - Espaço interno melhorou, mas segue limitado como na primeira geração; porta-malas comporta apenas 332 litros (aferidos por Autoesporte)

trânsito um pouco mais do alto; há múltiplos ajustes para banco e volante - Mecânica 2.0 com transmissão manual de cinco marchas deixa o novo Eco “açucarado”; engates do câmbio são curtos e precisos - Tecnologias novas são um “divisor de águas” no novo Eco – e até no segmento; destaques para partida do motor no botão e o assistente de saída em rampas Números de teste Aceleração 0-100 km/h – 10 segundos 0-400 m – 17 segundos 0-1000 m – 31,2 segundos Velocidade a 1000 m – 166,8 km/h

Curti - Direção elétrica é bastante leve e precisa, e tem peso adequado - Visualização das informações no quadro de instrumentos é ótima - Quantidade de porta-objetos, especialmente entre os bancos, espaço muito funcional no dia-a-dia; o interior no geral foi bem planejado - Design do painel é moderno e transmite sofisticação, apesar do uso excessivo de plásticos - Posição de dirigir é excelente, sobretudo aos que gostam de ver o

Retomada de velocidade 40-80 km/h (3ª marcha) – 7,3 segundos / 122,5 metros 60-100 km/h (4ª marcha) – 11,4 segundos / 254,5 metros 80-120 km/h (5ª marcha) – 19 segundos / 534,8 metros

também versões topo como a CS, de Comfort Silver, CG, de Comfort Diamond, Ex, de Executivo, e Sport. Em 1991 houve o lançamento da segunda geração com duas portas,

motor 1.8 e 2.0 com carburador e injeção eletrônica. As versões Comfortline e Sportine permaneceram até 2006. A produção chegou ao fim com quase 549 mil unidades.

Consumo Rodoviário – 8,6 km/l Frenagem 100 km/h-0 – 42,8 metros 80 km/h-0 – 26,5 metros 60 km/h-0 – 14,9 metros

Clássico da semama Volkswagen Santana

A

inda é possível encontrar muitos modelos nas ruas. Basta olhar para um ponto de táxi. O motivo é simples: era raro um Santana ficar parado numa oficina mecânica por problemas. Confortável e espaçoso, o sedã foi produzido no Brasil entre 1984 e 2006, eleito o “Carro do Ano” pela revista Autoesporte em 1989. Quando chegou ao mercado, o motor era 1.8 de 86 cv (gasolina) e 94 cv (álcool), mas ele ganhou, em outubro do mesmo ano de lançamen-

to, motor AP 800 de 90 cv (gasolina) e 96 cv (álcool). A primeira reestilização aconteceu em 1987 e as versões passaram a ser CL, GL e GLS, com ordem crescente de opcionais. Houve

D2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Pista livre JOSÉ ARCANGELO

Colunista

Note A Nissan – que calculou por baixo as importações do México do compacto March e do sedã Versa e acabou extrapolando as cotas igualmente no caso do Honda CR-V -, apresentou em julho, no salão de Paris o novo Note, já que o antigo era baseado na plataforma do Livina. O Note é um hatchback e vem para bater de frente com o sucesso Honda Fit. Inspirado no conceito “invitation” foi construído sobre uma plataforma V, a mesma do March e Versa que serão produzidos no Brasil ano que vem. Motorização Os novos propulsores a serem instalados no Nissan Note deverão ser pequenos, eficientes, potentes para a categoria e extremamente econômicos. A opção de entrada seria o HR12DE, de 1.2 cilindros entregando 80 cv. Agora se o “piloto” optar por uma condução mais “emocionante” pode ir de HR12DDR, turbinado com 98cv. A Nissan, também, focará nos motores do tipo “downsizing” – potência baixa com turbina -, acoplado a um câmbio manual de cinco marchas ou o mundialmente famoso CVT, usado com sucesso no Sentra. Vir-se-á para o Brasil... aí é outra história. Competição A Renault – a quinta montadora no “ranking” nacional – aposta todas as fichas no renovado Clio para fazer frente ao VW Gol e Fiat Uno/Novo Uno. O compacto de duas portas terá preço pra lá de competitivo, porem, com apresentação mais espartana. Deve ser lançado até o final do ano e deve vir da fábrica na Argentina, se a crise portenha não atrapalhar as importações. Vendas A Fenabrave – associação nacional das concessionárias – anunciou os 20 veículos mais emplacados durante a re-

dução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). São eles: VW Gol, Fiat Uno/Novo Uno, Fiat Palio, VW Fox, GM Celta, Ford New Fiesta, Fiat Siena/Gran Siena, Fiat Strada, Renault Sandero, GM Classic, VW Voyage, VW Saveiro, GM Cobalt, Honda Civic, Ford Ka, Toyota Corolla, GM Agile, GM Montana, GM S10 e Renault Duster. Consequências A Fenabrave está muito reticente em relação ao término da redução do IPI previsto para o final de outubro. Ela acha que com mais uma prorrogação do imposto deverá ter novo incremento nas vendas para o final do ano, quando o “espírito natalino” baixa nos bolsos e contas bancárias dos clientes. Se não houver prorrogação, ela aposta em retração de mercado e perda de empregos. Será que o Governo Federal pensa na situação? Cuidados A Ford vem ai com intensa campanha publicitária para o lançamento – ainda não tem data em setembro – do Novo EcoSport, mas, já revelou muitos detalhes do carro. O rack de teto foi esculpido no túnel de vento, faróis ganharam filetes de LED’s e na versão Freestyle, a tampa do porta-malas vem com abertura elétrica por meio de um botão localizado em uma frente oculta de falsa lanterna. Mau Na Europa, o carro com “cara de mau” faz muito sucesso, massageando o ego do machista. A grade dianteira – parece uma bocarra – veio para aspirar mais ar na refrigeração natural do motor e também, para “intimidar” que o observa pelo retrovisor. Itens precisos incluídos facilitam a aerodinâmica do “jipe”, com redução de ruído e consumo, como: aletas nos para-choque traseiro e prolongamento no dianteiro, encobrindo um pouco mais as áreas das rodas. O estepe permanece no mesmo local.

Auto Pista Polícia Rodoviária Federal (PRF) redobrando os cuidados durante o Feriadão da Semana da Pátria. De olho na documentação, estado dos pneus dos carros e com o consumo de bebidas alcoólicas. Etilômetros a postos. –x-x-x-x- A CTMAC precisa urgentemente realizar ampla campanha educativa para o uso racional das ciclovias nas ruas da Capital, tanto pelos usuários como para os condutores dos veículos automotores. –x-x-x-x- O contra fluxo é extremamente perigoso. –x-x-x-x- Honda tenta conseguir cota extra de importação para o CR-V vindo do México. Subestimou o número de veículos a ser adquirido pelo seu fiel público. –x-x-x-x- BR 156 no trecho Sul, para quem vai ao Vale do Jarí, um aviso: muito cuidado. Muita poeira, cascalho solto e curvas sem sinalizações. Obras do PACA – Programa de Aceleração do Crescimento de Acidentes. –x-x-x-x- Neste verão tórrido amapaense o ideal e verificar a calibragem dos pneus semanalmente. As trocas de óleo devem ser feitas pelo menos mil quilômetros antes da marcação oficial. –x-x-x-x- É que com o aumento da temperatura no asfalto ela é transmitida ao motor que sofre maior aquecimento “afinando” e evaporando ainda mais o lubrificante do cárter. –x-x-x-x-“Nunca subestime a natureza, pois, ela sempre faz justiça castigando quem a merece”. (Rahvok). –x-x-x-x- Freando... e torcendo pelo feriadão sem acidentes fatais. –x-x-x-xMesmo assim: Bom Domingo!


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

A1 Sport, DS3 e Punto T-Jet: os hot hatches do momento

D3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Em detalhes

FOTOS DIVULGAÇÃO

Novidades da Audi, Citroën e Fiat aquecem um segmento quase esquecido por aqui

Mini revela John Cooper Works GP de 218 cv

A Mini acaba de divulgar alguns detalhes do apimentado John Cooper Works GP, que será revelado oficialmente no Salão de Paris (França), que abre suas portas a partir do dia 29 deste mês. Preparado para enfrentar as pistas, o JCW GP é considerado o modelo mais rápido já fabricado pela marca inglesa. Equipado com um motor 1.6 turbo de 218 cavalos de potência, o GP é capaz de chegar aos 100 km/h em 6,3 segundos e alcançar velocidade máxima de 242 km/h. Já os dados de retomada de velocidade de 80 km/h até 120 km/h apontam que são necessários 5,9 s. O consumo informado pela fabricante é de 14 km/l. Segundo a fabricante britânica, o modelo será produzido em edição especial limitada a 2.000 unidades. ............................................................................

Antes de mais nada, é preciso dizer que não se trata de um comparativo tradicional. Afinal, com o preço do A1 dá para levar dois T-Jet para casa

É

dura a vida de quem gosta de carros esportivos no Brasil. Não bastasse a escassez de opções, nos últimos anos choramos a perda de alguns dos melhores representantes da estirpe, como VW Golf GTI e Honda Civic Si. Quem procurava um modelo apimentado de verdade, ultimamente, era obrigado a buscar algo na tabela dos importados mais caros. Mas nem tudo está perdido, meu amigo. Veja só o trio que a gente reuniu aqui para cantar pneu junto: novo Audi A1 Sport, Citroën DS3 e o reestilizado Fiat Punto T-Jet. Legítimos hot hatches, também conhecidos na Europa como pocket rockets (algo

como foguetes de bolso), pelo tamanho compacto e temperamento nervoso. Qual deles entrega mais diversão pelo seu dinheiro? Antes de mais nada, é preciso dizer que não se trata de um comparativo tradicional. Afinal, com o preço do A1 dá para levar dois T-Jet para casa. A versão esportiva do alemãozinho estreia a partir de salgados R$ 109.900 – e isso não inclui o ar digital, o teto solar panorâmico e nem o sistema de som da Bose que estavam na unidade testada. Com eles, essa pequena joia passa dos R$ 130 mil. É um valor bem acima dos R$ 79.900 pedidos pela Citroën no DS3 francês (o único op-

cional é o banco de couro com aquecimento, que eleva a conta para R$ 83.990). Por fim, o T-Jet, produzido em Betim (MG), chega revigorado na linha Punto 2013. Além mudança visual e no interior, a versão foi a única a receber novidade técnica (o seletor DNA, sobre o qual falaremos mais adiante) e ainda teve o preço reduzido: R$ 55.740, lembrando que o T-Jet nasceu em 2009 por R$ 59.500. Se os preços são bem diversos, na mecânica existem algumas coincidências. Punto e A1 usam motor 1.4 16V (o DS3 vai de 1.6 16V), enquanto Audi e Citroën trazem injeção direta. E os três são turbinados. Mas o compacto

germânico vai além. A versão Sport traz, além do turbo do A1 comum, um compressor tipo roots para melhorar a pegada em baixas rotações. Funciona assim: de 2.400 a 3.500 rpm, o compressor (ativado por um sistema de embreagem magnética) se encarrega de enviar ar extra para a combustão, gerando maior quantidade de gases de escape para “acordar” o turbo. Daí em diante, o turbo assume exclusivamente a tarefa de pressurizar o motor. Esse pacote tecnológico garante um rendimento superior ao A1, com 185 cv e 25,4 kgfm de torque. O DS3 exibe 165 cv e 24,5 kgfm, e o Punto, 152 cv e 21,1 kgfm.

SUV Land Rover Defender ganha novos opcionais

Com a promessa de renovar o modelo em 2013, a Land Rover anunciou que a linha 2013 do SUV Defender ganhou novos opcionais. Na lista estão duas novas cores, a Barolo Black e Havana, a partir de agora, como forma de personalização, os tons podem contrastar com os do teto. Se você pintar o carro de preto, por exemplo, o teto pode ser branco. Os bancos do modelo também foram reestruturados e revestidos com um couro diferente. No encosto da cabeça, agora fica o símbolo da Land Rover. Outra novidade é o sistema de som que equipa o carro, que agora tem convectividade Bluetooth, 10 alto-falantes e um subwoofer. ............................................................................

Audi A1: quase um S1 O preço indigesto do Audi começa a se justificar na tecnologia. Além do motor sobrealimentado por duas fontes (compressor e turbo), o A1 também é o único a vir com câmbio de dupla embreagem e sete marchas. Afora as trocas mais rápidas que nas transmissões manuais dos outros dois (de seis marchas no DS3 e cinco no Punto), a transmissão S-Tronic oferece borboletas no volante. É animador perceber que quase não há interrupção de torque nas mudanças, e que você pode reduzir “em cima” das curvas sem tirar a mão da direção – ainda com direito a um “punta tacco” automático. É do A1 também o acerto mais “kart” dos três. A suspensão ficou tão firme que, se você entrar forte numa curva mais fechada, o hatch vai levantar a “patinha” traseira oposta. Isso mesmo, curva em três rodas, sem quase balançar a carroceria. O trio vem com rodas aro 17, mas são do Audi os pneus de perfil mais agressivo (215/40 contra 205/45 do Citroën e 205/50 do Fiat). Isso sem falar que o A1 Sport foi ajustado para não escorregar tanto de frente. Numa sinuosa estrada fechada que a gente levou

os carros, o Audi mostrou ser o mais focado em “handling”. Aponte a dianteira na curva e, no limite, ele vai saindo de lado, permitindo que a gente continue a acelerar. Junte a isso uma direção muito bem acertada (leve, direta e comunicativa) e temos uma tarde cheia de alegrias. Para completar, os freios também se mostraram eficientes – embora o DS3 tenha conseguido parar em menos espaço. Nos testes de desempenho, como era esperado, o A1 saiu na frente do francês e do “italiano”. Apesar de não ter o controle de largada de outros Audis (uma

falta sentida), o Sport se vale do torque elevado logo na saída para furar a barreira dos 100 km/h em 7,2 s – o DS3 vem próximo com 7,7 s e o Punto perde um pouco de contato, chegando lá em 9,5 s. O A1 tem a aceleração mais progressiva, sem que se perceba tanto a “entrada” do turbo, algo bem nítido nos outros dois. Comentar os tempos de retomada chega a ser covardia, uma vez que o câmbio do Audi reduz as marchas automaticamente quando se pisa fundo – enquanto os manuais têm de recuperar o fôlego só na força do motor, em uma marcha fixa.

Citroën DS3: França ataca Por trás da fachada lúdica do DS3 está um conjunto muito bom de acelerar. Fama de fazer carro bom de curva a Citroën já tinha, faltava era motor. Não falta mais: fruto da parceria entre a PSA e a BMW, o bloco 1.6 THP do DS3 é basicamente o mesmo que está sob o capô do Mini Cooper S e do BMW 118i. O câmbio também não deixa por menos: seis marchas bem escalonadas, engates curtinhos (ainda que um pouco duros às vezes) e manopla de boa pegada. Vamos acelerar! Ao contrário do A1, o DS3 requer certo giro nas saídas para mostrar a que veio. Ainda que o torque máximo esteja disponível a 1.400 rpm, abaixo disso o francesinho demora a reagir. Sabe aquela saída de lombada em baixa velocidade seguida de uma subidinha? Ele vai pedir 1ª marcha. Depois das 2.500 rpm, porém, esse sintoma desaparece e o Citroën “enche” bonito até 6 mil giros (só falta um ronco mais bravo). Ele parece ter o maior fôlego em altas rotações, ajudado pela função overboost, que eleva a pressão do turbo de 0,8 para 1,6 bar (o torque chega a 26 kgfm), a partir da terceira marcha. “Achei que anda mais que o A1”, comentou o fotógrafo Fabio Aro. Não anda, mas parece, porque o

A Peugeot apresentou nesta segunda-feira na Europa a versão final do novo Peugeot 208 GTi e confirmou que o produto será uma das atrações da marca durante o Salão de Paris, que abre suas portas entre os dias 29 de setembro e 14 de outubro. O modelo foi mostrado pela primeira vez durante o Salão de Genebra deste ano, ainda como um protótipo conceito. O novo 208 GTi é equipado com o mesmo motor 1.6 a gasolina de quatro cilindros turbo encontrado na versão principal do cupê RCZ, que gera 200 cavalos de potência e torque máximo de 28 kgfm. A transmissão é manual de seis velocidades. De acordo com a montadora francesa, o carro acelera de 0 a 100 km/h em menos de 7 segundos. ............................................................................

motor muda de “chocho” em baixa para muito esperto em alta. O Audi, ajudado pelo compressor, tem uma resposta mais linear. A suposta maciez da suspensão se converte em maior conforto. Para o dia a dia, o DS3 é o melhor companheiro, sem dúvida. Ele até dá umas pancadas secas nos buracos mais fundos, mas, no geral, é o que transmite menos as imperfeições aos ocupantes. Só que aqui cabe uma ressalva: a suspensão do carro avaliado agora, com pouco mais de 6 mil km, estava bem mais barulhenta do que a do primeiro DS3 testado por Autoesporte, uma unidade praticamente 0 km.

Outra coisa que incomoda no Citroën é o CD player pré-histórico, do tempo que o primeiro C3 chegou ao Brasil – só ganhou entrada USB. O C3 de nova geração e o Aircross usam um sistema bem mais moderno, da Pioneer, com recepção de som muito melhor que a do esportivo. Eu tentaria fazer a troca do aparelho já na concessionária. Mas se estou reclamando do som, é porque no restante o DS3 manda bem. “O carro é animal, eu esperava menos”, encerra o Fabio, fã incondicional de esportivos alemães e japoneses. Se o cara que tem um Honda Civic VTi (lembra dele?) está dizendo, não sou eu quem vai discordar.

Punto T-Jet: DNA alterado Confesso que temi pelo futuro do T-Jet quando a Fiat começou a testar o Punto reestilizado no Brasil. Preço elevado, vendas fracas, versão Sporting agora com motor 1.8 16V de 132 cv... Tudo conspirava contra o modelo turbinado. Mas eis que a marca me surpreende e foca a estratégia de lançamento do Punto 2013 logo no... T-Jet! Pausa para palmas. O esportivo foi o que mais ganhou pontos na reforma visual. Lembra daquelas coberturas de caixas de roda pretas, que pareciam de versão Adventure? Ficaram no passado. A frente carregada com um aplique no para-choque me pareceu exagerada nos demais Puntos, mas no T-Jet caiu bem, lhe confere cara de mau. As novas rodas aro 17 também trazem um desenho belíssimo, enquanto as lanternas de leds ficam muito elegantes à noite. O Punto turbo foi o único a trazer uma novidade técnica, o seletor DNA (Dinâmico, Normal e Autonomia). Trata-se de uma chavinha ao lado do câmbio que altera a relação de trabalho entre o acelerador e a borboleta, mudando perceptivelmente a resposta do hatch. Deixe em Dinâmico e o pedal da direita fica sensível como o de uma Ferrari – OK, eu exagerei para dar ênfase. É preciso até certa adaptação para não dar trancos nas saídas e na troca para segunda marcha. No modo normal o acelerador volta a agir de forma... normal. Mude para Autonomia e as respostas ficam mais mansas, privilegiando a economia. Aliás, está aí uma coisa bem bacana desses hatches esportivos. Como eles têm motores pequenos, o consumo pode ser quase de um carro popular – vai depender do seu pé. Sério: na cidade, o Punto fez

Peugeot apresenta esportivo 208 GTi na Europa

Chery divulga recall para os modelos Tiggo e Cielo

A montadora chinesa Chery anunciou na última (29) um recall para todas as unidades dos modelos Tiggo e Cielo (hatch e sedã) para a substituição da junta do coletor do cabeçote e do escape, que podem conter a substância cancerígena amianto. De acordo com a empresa, o processo de análise do possível problema começou na Austrália e como prevenção resolveram incluir o Brasil. A Chery afirma que não há risco algum para a saúde dos consumidores, pois nesse caso especifico não ocorre fricção. Porém, ela adverte os proprietários para que não tentem consertar por conta própria essas partes dos veículos. Para mais informações a montadora solicita que o motorista entre em contato com os canais de atendimento da empresa. ............................................................................

9,5 km/l, o A1 10,1 km/h e o DS3 10,9 km/l. Na estrada, as médias passaram a 12,9 km/l, 14,3 km/l e 15,2 km/l, respectivamente – lembrando que todos só bebem gasolina. O DNA não chega a mudar o desempenho do T-Jet, mas deixar o seletor no ajuste Dinâmico faz bem ao ego. Assim, o motor enche mais rápido e dá menos espaço ao turbo lag (o retardo de resposta da turbina) que aparece nesse Punto em rotações iniciais. O Fiat é um bom brinquedo urbano, uma vez que o turbo compacto é mais presente em giros baixos e médios (de 2 mil a 4.500 rpm) do que em altos, e deixa o carro bem esperto no trânsito. Explorar as faixas mais elevadas do conta-giros, no entanto, mostra que o pique do 1.4 arrefece um pouco – ao contrário do DS3, que vai ficando melhor conforme o giro sobe. Por falar em conta-giros, isso me lembra que a Fiat mudou o grafismo dos instrumentos. Ficou legal a nova escala com os ponteiros para baixo quando o motor está desligado (estilo Ferrari e Alfa Romeo), mas sobrou tanto espaço no velo-

címetro que os números vão até 270 km/h! Conta outra, né, Fiat? O Punto chega ao clímax a 203 km/h, enquanto DS3 tem máxima de 214 km/h e o Audi vai até 227 km/h, segundo os fabricantes. O novo interior deixou o Punto com aspecto mais bem acabado. A faixa que atravessa o painel continua da cor da carroceria no T-Jet (no DS3 também), com o acréscimo de um feixe de leds à frente do passageiro. Mas a Fiat perdeu a chance de trocar a manopla do câmbio, um tanto grande e desajeitada (é meio quadrada, ruim de segurar). E ainda acho o curso da alavanca um pouco longo para uma tocada mais esportiva. Descer do DS3 e entrar no Punto me faz sentir falta da sexta marcha (que existe no Punto Abarth italiano). Do jeito que está, o Fiat é barulhento em velocidades de viagem, além de consumir mais. Para se ter ideia, o Citroën trabalha em 2.500 rpm a 120 km/h em sexta, contra 3.300 rpm do T-Jet em quinta. Outra economia aparente está no jogo de pneus. Os Pirelli P6000 do carro avaliado não combinam com versão esportiva.

Seu tio vai odiar este Toyota ! Até os 30 anos é quase impossível gostar de um Toyota. A partir daí, aquele Corolla silencioso e que não prima por emoções fortes começa a lhe agradar pelo conforto, silêncio a bordo, suspensões macias… Com 40 anos, quando você já cuida dos sobrinhos, estará prestes a se apaixonar por um e pagar tudo o que a marca pede por ele, esquecendo-se daquela certeza de que ele não vale tanto assim. Mas considerando que metade da população do planeta tem menos de 25 anos, pode ser que a maioria dos jovens nunca pense em ter um Toyota mais refinado. A prova de que este cenário é real e assusta está aqui. O Toyota GT86 é tudo o que um jovem quer ter, e com ele fica mais fácil aprender o que é um Toyota, seus preceitos de confiabilidade, excelência e, agora, até esportividade.


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

Ford renova o New Fiesta

D4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Em duas rodas

Modelo estará no Salão do Automóvel; feito no Brasil, hatch chega em janeiro

Na estrada com a Dafra Roadwin 250R

A disputa na categoria nacional das pequenas esportivas ficou mais acirrada, em março, com a chegada da Dafra Roadwin 250R. Também disponível nos mercados europeu e asiático, o modelo foi lançado no Brasil graças à parceria com a sul-coreana Daelim Motor, sendo montado em Manaus (AM). Oferecendo visual empolgante, bom pacote de equipamentos e o menor preço entre as concorrentes - R$ 12.490 –, a Roadwin 250R emparelha com a pioneira Kasinski Comet GT 250R (R$ 14.990), com a Kawasaki Ninja 250R (R$ 13.990, para a versão 2012) e com a também recém-lançada Honda CBR 250R (R$ 15.490). Para saber como anda a nova Dafra, iG Carros rodou mais de 2.000 quilômetros com o modelo, dos quais 1.800 km por rodovias entre São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Veja, a seguir, como ela se saiu.

Apesar de antecipar as fotos, a montadora guardou a maior parte dos detalhes técnicos para o evento francês

A

Ford não quis esperar até o Salão de Paris, no fim do mês, para mostrar o New Fiesta reestilizado na Europa. A montadora revelou hoje as primeiras imagens oficias do modelo que será exposto amanhã em evento realizado para 2.500 concessionários em Amsterdã. A boa notícia é que os brasileiros poderão ver o carro de perto já em outubro, no Salão do Automóvel de São Paulo. Apesar de antecipar as fotos, a montadora guardou a maior parte dos detalhes técnicos para o evento francês. Por ora, apenas confirmou que modelo passará a contar com o motor 1.0 EcoBoost e que será equipado com o sistema de conectividade por comandos de voz SYNC; com o Active City Stop, que monitora o trânsito em baixas velocidades e pré-carrega ou aciona totalmente os freios em caso de frenagens de emergência dos

veículos ao redor; além do MyKey - que estreia no mercado europeu no New Fiesta. Esse último recurso permite que configurações como limite de velocidade e de volume do rádio sejam ajustadas de acordo com o condutor do veículo. Também impede, por exemplo, que o rádio seja ligado antes de o motorista afivelar o cinto de segurança. A dianteira do hatch se inspirou na da versão esportiva ST. Ela traz uma ampla grade trapezoidal, faróis com luzes diurnas de led, além de um novo capô. As mudanças internas concentram-se, principalmente, em melhorias na ergonomia, segundo a Ford. Só que alguns detalhes também devem ser alterados, como a iluminação do painel e o computador de bordo, que passará a exibir o com consumo em km/l. Apesar da foto um pouco cheia de informações, também é possível ver uma mudança no desenho do

console central. De cara nova As mudanças do New Fiesta na Europa são, de certo modo, uma resposta à chegada dos novos Peugeot 208 e Renault Clio. Por aqui, o modelo também precisa se renovar, especialmente na versão hatch. O segmento se agitou com a chegada do Chevrolet Sonic e dos novos Citroën C3 e Fiat Punto - o 208 vem no próximo ano. Diante da movimentação do mercado, o “new” New

Fiesta é esperado para janeiro de 2013 - o sedã deve ficar para meados do ano novo. O modelo terá produção nacional na fábrica de São Bernardo do Campo (SP). A expectativa é de que ele passe a contar com uma evolução do motor 1.6 Sigma, que virá com comando de válvulas variável e abandonará o tanquinho de partida a frio. Também é esperada a adoção do propulsor 1.25 Sigma. Os preços devem se manter na faixa dos R$ 40 mil aos R$ 50 mil.

Sentra S Special Edition traz mais itens

A

rede de concessionárias Nissan do Brasil se prepara para receber uma nova opção do Sentra, chamada S Special Edition. Anunciado por R$ 62.040 no site comercial da marca, o modelo, uma variação da versão de entrada S, tem como atrativo a lista de equipamentos de série ampliada com itens do modelo SL. Os diferenciais são a presença de bancos revestidos em couro, siste-

ma de som com conexão Bluetooth para celular e entrada USB, acendimento automático dos faróis, chave inteligente e câmera de ré – a imagem da traseira aparece no display do rádio. O Sentra S Special Edition traz o conjunto mecânico composto pelo motor 2.0 16V flex de 143 cv e torque máximo de 20,3 kgfm quando abastecido 100% com etanol associado a transmissão CVT (continuamente variável),

Nissan Sentra S Special Edition

com infinitas relações de marchas. O carro ainda

traz freios ABS e airbag duplo frontal.

Nova geração do Iveco Stralis Ecoline é até 7,5% mais econômico

A

nova linha de extrapesados da Iveco, Stralis Ecoline, traz motorização mais econômica e menos poluente, opções de transmissão manual ou automatizada, sistema de telemetria computadorizada e garantia exclusiva de quatro anos, entre outras atualizações. A maior novidade do Stralis 2013 é a geração de motores Ecoline - de 9 litros, que estreia no Brasil, e de 13 litros -, que incorpora a tecnologia SCR (com uso de Arla 32) para atender à norma Euro V de redução de resíduos. Produzidos pela FPT (Fiat Powertrain), esses propulsores conferem ao Stralis cinco opções de potência - 330 cv e 360 cv (9 litros), 400 cv, 440 cv e 480 cv -, e permitem reduções de até 7,5% no consumo de combustível e de 5% no custo de manutenção, de acordo com a fábrica. O novo Iveco Stralis também oferece vasta lista de

equipamentos. Entre eles, o câmbio automatizado com 16 velocidades e freios ABS de série (nas versões a partir de 400 cv), ar-condicionado, banco do motorista pneumático com ajuste lombar, econômetro integrado ao novo painel de instrumentos, vidros e espelhos elétricos, coluna de direção pneumática totalmente ajustável e suspensão da cabine pneumática, entre outras novidades. O sistema de telemetria Iveco Frota Fácil, opcional, que permite ao frotista ou autônomo verificar a distância (via GPS), em tempo real, o desempenho do caminhão durante a viag e m , agora também oferece a função b l o queio, q u e

imobiliza o veículo. Disponível em quatro opções de cabine (simples, leito, tetos alto ou baixo), três de tração (4x2, 6x2 e 6x4), três

de distância entre eixos (3.000, 3.200 e 3.500mm), além das cinco de motor, o Iveco Stralis Ecoline permite 66 opções de configuração, com preços que vão de R$ 220.000 a R$ 360.000.

Estilo e equipamentos Disponível nas cores vermelha ou branca, a Roadwin 250R exibe o estilo típico das racing (R), inspirado nas máquinas da motovelocidade. Chama atenção a carenagem que envolve o painel de instrumentos, faróis e laterais do motor. O tanque de combustível, para 16,1 litros, de plástico injetado, é coberto por uma capa de fibra de vidro. O desenho da lanterna traseira, de LED, é exclusivo da versão brasileira. O grupo óptico frontal combina a lanterna, ao centro, com o par de faróis, que funcionam alternadamente (baixo e alto), mas que, apesar da boa visualização, seriam mais eficientes se usados juntos para trechos totalmente escuros. Com as luzes indicadoras de direção nas laterais, o visual esportivo é reforçado pelo abafador cromado do escape (em aço inoxidável) e pelo preto fosco do quadro e das rodas de três raios, com faixas refletivas. O painel de instrumentos, com iluminação em LED azul, agrupa conta-giros analógico, luzes de alerta e tela digital, onde estão os hodômetros parcial e total (em quilômetros ou milhas), marcadores de combustível e da temperatura do motor e relógio. À esquerda do guidão, o comando dos faróis inclui sinalizador de luz alta. Dois itens ausentes na Roadwin 250R são a chave de corte de ignição e o bloqueio da partida com o descanso baixado ou o câmbio engatado. Por outro lado, ela traz acessórios não vistos nas rivais, como o para-lama traseiro, o suporte de bagagem e o cavalete central. Apesar do estilo de competição, a ergonomia é o ponto positivo da Roadwin. Sua posição de conduzir é privilegiada pelo guidão com altura suficiente para manter a coluna ereta. Os retrovisores, porém, no nível dos cotovelos, têm campo de visão um tanto restrito. O assento apoia todo o quadril, resultando em maior conforto para longos períodos na cidade ou em viagens; a altura de 77 cm também facilita apoiar os pés no chão. Nas rodovias, porém, a fim de reduzir a turbulência, é favorável inclinar-se junto ao tanque, mantendo o capacete na área onde o ar é desviado pelo para-brisa (bolha). Conjunto e desempenho Apesar das dimensões compactas - 2,02 metros de comprimento, 78 cm de largura, 1,18 metro de altura e 1,39 metro de entre-eixos – não dá para conduzir a Roadwin pela cidade como uma 250 “normal” por causa dos retrovisores na altura dos de automóveis, do esterço reduzido e da pouca altura ao solo (13,9 cm). O chassi de berço duplo incorpora suspensão telescópica, na dianteira, e de braço monoamortecido, na traseira, que equilibram o conforto para absorver bem as imperfeições do piso com a estabilidade e a segurança, observadas em curvas e velocidades elevadas. As rodas de 17” e liga leve usam pneus 110/70-17 (dianteira) e 130/70-17 (traseira). Outro ponto elogiável é o sistema de freios, com disco simples na traseira (220 mm), e duplo na dianteira (290 mm), o qual exige moderação no uso, tamanha a eficiência. Fôlego e consumo moderado Produzido pela Daelim, o motor da Roadwin é monocilíndrico, com 247 cm³, quatro tempos, quatro válvulas, DOHC, com refrigeração líquida e injeção eletrônica de gasolina, que gera 24 cv de potência e 1,92 kgfm de torque. Mesmo com um total de 173 kg (peso/potência de 7,2 kg/cv), a Roadwin oferece boas acelerações e retomadas, bem como “pulmão” suficiente para esticar a última marcha e pedir mais. Segundo a marca, a velocidade máxima é de 130 km/h. Ao longo das BR 116 e 101, ida e volta ao Balneário Camboriú (SC), bastava ¼ de volta no punho direito para manter os 100 km/h (a 6.900 rpm) e ecoar um ronco grave e discreto. A falta da sexta relação no câmbio fica evidente a partir de 110 km/h, quando o motor gira acima de 7.000 rpm, limite de sua faixa de torque ideal e mais econômica. Ainda assim, as médias de consumo da Roadwin foram bem satisfatórias: 27,98 km/l, na cidade, e 30,12 km/l, em rodovia. Na verdade, o sistema de transmissão revelou ser o “calcanhar de Aquiles” da Roadwin. A passagem da primeira para a segunda marcha exige mais esforço e atenção para não cair no ponto morto. Outro cuidado a ser tomado é quanto ao alerta de “neutro” do painel: por várias vezes, a luz acendeu ao se posicionar o ponto morto com o motor desligado, mas, dada a partida, o tranco na moto revelava o contrário. E, por fim - e mais sério -, houve a queda do pedal do câmbio, a poucos quilômetros do fim do teste. Provavelmente por causa da maior vibração típica dos propulsores de um só cilindro, o parafuso de fixação se soltou, fazendo o pedal se arrastar pelo asfalto e o câmbio ficar imutável na quinta marcha. Comparando, é como se a alavanca de câmbio saísse na mão, com o carro em movimento. A Dafra justificou a falha afirmando que o mecânico não aplicou a cola travante no parafuso do veículo testado, mas que as unidades produzidas pela fábrica não apresentam o problema. De toda forma, a marca oferece garantia de um ano e 250 pontos de assistência técnica em todo o Brasil. Assim, considerando a tal pane um caso isolado, a Dafra Roadwin 250R atrai pela aparência e preço, mas vai muito além, com boa dinâmica e equipamentos exclusivos. Entretanto, carece de itens básicos para esta classe e de aperfeiçoamentos no câmbio se quiser disputar o mercado em condições mais próximas às das concorrentes, apesar da vantagem de ser a opção mais acessível da categoria.


CadernoE

Eleições 2012

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Santana: veja onde estão os votos do segundo maior colégio eleitoral do Amapá Estão aptos a votar no dia 7 de outubro na 6ª Zona Eleitoral, em Santana, 66.311 eleitores

S

antana é o Município do Estado do Amapá com mais de 100 mil habitantes e onde está a maior densidade demográfica do Estado e que no dia 7 de outubro vai eleger um novo prefeito, bem como o vice-prefeito e mais 13 vereadores. Em Santana não tem segundo turno (o município tem menos de 200 mil habitantes) e os eleitores da 6ª Zona Eleitoral, vão eleger um novo prefeito, um novo vice-prefeito e mais 13 vereadores para a Câmara Municipal para a legislatura 2013/2016. São 5 os candidatos a prefeito: 1) Joel Gilberto Cilião (PRP), que concorre pelo PRP (partido não coligado); 2) Marcivânia do Socorro Rocha Flexa (PT), que concorre pela coligação “Santana com Novo Gás”; 3) Mario da Silva Brandão (PT do B), que concorre pela coligação “Respeito por Nossa Gente”; 4) Raimundo Charles da Silva Marques (PSDC), que concorre pela coligação “Alternativa do Povo”; e 5) Robson Santana Rocha Freires (PTB), que concorre pela coligação “De Mãos dadas por Santana”. São 170 candidatos a vereador em disputa às 13 vagas oferecidas para a Câmara Municipal de Santana, dando uma mé-

dia de 13 candidatos por vaga. Até a legislatura que acaba no começo do ano que vem, o número total de vereadores ficava em 10. As projeções feitas tanto para a eleição majoritária (prefeito) como para a eleição proporcional (vereadores) indicam que o prefeito de Santana vai deve ser eleito por um total de votos em torno de 22.291; enquanto que para eleição de vereadores, o quociente eleitoral é de 4.401 votos. Onde estão os votos de Santana? Os 66.311 eleitores estão distribuídos em 193 seções eleitorais, colocadas em 20 locais de votação. Apesar de a maior concentração do eleitorado estar no Centro, na sede do Município, com 29.404 eleitores aptos a votar, é no Bairro da Hospitalidade que está o local com maior número de eleitores. São 4.289 eleitores, em 11 seções, todas com mais de 380 eleitores cada. A seção com o maior número de eleitores é a de número 05, com 396 inscritos, no EE Elizabeth Esteves. Fora da sede, a maior concentração de eleitores está no Distrito do Igarapé da Fortaleza com 3.816 votos, distribuídos em 12 seções, sendo 5 na Escola Piauí e 7 na Escola Estadual Igarapé da Fortaleza. A Seção Eleitoral com menor número de leitores aptos a votar, apenas 37 (trinta e sete), é a de número 168, na localidade de Maçaranduba, na BR-156, ramal do Maçaranduba II, Km 18. A distribuição completa dos votos está no quadro a seguir e a disposição geral na Rosa dos Votos que apresentamos. (Rodolfo Juarez)

Próximas eleições terão mais vagas para vereadores no país

N

as eleições municipais de 2012, serão eleitos 10,4% mais vereadores que em 2008. O aumento no número de vagas nas câmaras de Vereadores se deve à Emenda Constitucional 58, aprovada pelo Congresso Nacional, e que resultou em 5.390 novas cadeiras nos legislativos municipais. A emenda modificou a fórmula de cálculo da quantidade de vagas nos legislativos municipais e estabeleceu que, agora, elas variam de nove cadeiras para cidades com até 15 mil habitantes até 55 cadeiras para municípios com mais de 8 milhões de pessoas. Pelo novo cálculo, apenas cinco municípios tiveram reduzido o número de vereadores que serão eleitos, enquanto 1.695 aumentaram o número de cadeiras. De acordo com o Censo 2010, o país tem 5.564 municípios. Proporcionalmente, os estados com municípios que mais criaram vagas foram o Pará (24,5%), Ceará (23,8%) e Maranhão (18,6%). Já os municípios do Tocantins foram os que menos criaram vagas, com aumento de apenas 2,7%. De acordo com levanta-

mento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), disputam as 57.434 vagas de vereador, em todo o país, 432.867 candidatos. As mulheres ainda são minoria entre eles, somando 31,5% das candidaturas. Ao todo, 296.810 homens disputam as câmaras municipais, enquanto 136.057 mulheres são candidatas. O partido que mais tem mulheres disputando uma vaga em câmaras de vereadores é o PSTU, com 42%. O PCO, com 38,5%; o PCB, com 27,1%; e o PSD, com 29,9% são os que têm menos mulheres concorrendo. Os dois últimos partidos não estão atendendo às obrigações da legislação eleitoral, que estabelece cotas mínimas de 30% para um dos sexos. Em números absolutos, São Paulo é o estado com mais candidatos a vereadores: são 75.160 ao todo. Minas Gerais segue em segundo lugar com 67.865. Já Roraima é o estado com menos candidatos em seus municípios, com 1.508 pessoas concorrendo às câmaras municipais nas eleições que ocorrerão em 7 de outubro.

Conheça os sete pecados eleitorais

C

om a chegada do dia da eleição, as campanhas ficam ainda mais acirradas e alguns candidatos podem recorrer a diversas artimanhas não permitidas pela legislação, como doação de brindes, churrascos de graça para os eleitores, transporte até o local de votação. O eleitor pode ajudar na fiscalização se perceber alguma atitude que não é válida na corrida eleitoral. Conheça os “pecados” eleitorais e saiba como denunciar as irregularidades. Os crimes Estão descritos no Código Eleitoral (artigos 289 a 354). As penas variam de seis meses a 4 anos de prisão. 1 - Compra e venda de votos: também chamada de corrupção eleitoral, é um dos crimes mais comuns. Nem sempre envolve a troca do voto por dinheiro. Qualquer oferta, promessa, entrega de bem ou vantagem com o objetivo de garantir o voto do eleitor caracteriza o crime. Entre os exemplos estão a oferta

de reformas de estradas, cestas básicas, promessa de emprego, atendimento médico. Jantares e churrascos gratuitos também podem ser entendidos como corrupção eleitoral. 2 - Inscrição fraudulenta de eleitores: é quando o eleitor se inscreve em dois municípios ou transfere o título para outro local para votar em candidato, sem justificativa para a transferência e utilizando documentos falsos. Para identificar, fique atento quando muitas pessoas transferem o domicílio de votação juntas. 3 - Transporte irregular de eleitores: ocorre quando há contratação ou oferecimento de transporte para eleitores que residem fora da zona eleitoral, tanto dentro do município quanto em outras localidades. Muitas vezes, até alimentação é oferecida. 4 - Boca de urna: a boca de urna é a propaganda eleitoral realizada próxima dos locais de votação no dia do pleito. O eleitor pode manifestar

ximo a hospitais e prédios públicos, propaganda maior do que 4m² (seja em muros, kombis ou cavaletes), placas penduradas em postes e cavaletes não retirados após às 22 horas. Como não são crimes, a punição é por meio de multa.

seu voto, por meio de camisetas, broches, entre outros, mas a distribuição de santinhos é proibida. As infrações Não estão previstas como crimes, mas configuram infração à legislação eleitoral e podem causar punição. 5 - Propaganda eleitoral irregular: a propaganda possui várias regras para ser veiculada. Entre elas, está a proibição de carro de som pró-

6 - Uso da máquina administrativa: é o uso de bens e serviços públicos para ter vantagem na campanha. O uso da máquina pública pode causar o cancelamento da candidatura, cassação do diploma e até mesmo perda do mandato. O cidadão deve ficar atento ao uso de prédios públicos, materiais e veículos nas campanhas. 7 - Doações ilegais para a campanha: toda doação deve ter recibo e não deve passar do limite determinado em lei. O dinheiro que chega ao candidato sem recibo é considerado caixa 2, uma ilegalidade. O eleitor deve prestar atenção nas campanhas com grandes gastos e que paga em espécie, sem confirmação escrita.


Eleições

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de agosto de 2012

E2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Planejamento urbano é um dos principais

Atualmente, urbanização em Macapá é resultado de pressão social, do que planejamento; assim como em outras capitais em d

ANDREZA SANCHES (Revisão Marcelo Roza) Da redação

H

á um pouco menos de um mês para o 7 de outubro, dia das eleições municipais, o Jornal do Dia conversou com o arquiteto, urbanista, especialista em Planejamento e Desenho Urbano, mestre e doutor em História e Teoria da Arquitetura, pós doutor em Estudos Urbanos Regionais pela Universidade Coimbra em Portugal, coordenador do Grupo de Pesquisa de Arquitetura e Urbanismo na Amazônia e professor da Universidade Federal do Amapá, José Alberto Tostes, a respeito de ações que o novo prefeito de Macapá precisará empreender, para garantir melhorias na urbanização de Macapá. Tostes é um crítico constante da falta de planejamento que tem caracterizado as gestões municipais em Macapá. Segundo ele, nos últimos 20 anos, muitos recursos foram colocados à disposição dos gestores, com a finalidade de melhorar o processo de planejamento e administração da cidade, mas esses recursos não foram usados adequadamente, o que se reflete nos enormes problemas urbanos enfrentados na capital amapaense. Tostes explica que a urbanização em Macapá é muito mais fruto da pressão social do que de planejamento antecipado. Com isso, as soluções adotadas frequentemente precisam ser revistas, gerando desperdício de recursos. Ele cita um estudo da Organização das Nações Unidas (ONU), sobre desenvolvimento urbano, o qual demonstra que reorganizar

áreas urbanas estruturadas é três vezes mais caro do que planejar novas áreas. “O custo da ação sem planejamento é alto”, alerta o especialista. A infra-estrutura das ruas e avenidas da cidade é um exemplo. Não há um planejamento estabelecido para esse trabalho, nem um modelo definido para toda a cidade, que contemple calçamento das ruas, arborização com espécies vegetais adequadas ao solo, utilização de pavimento padronizado e de qualidade, incluindo drenagem lateral das vias, desobstrução das áreas de canais e canalização de águas naturais. “Veja bem, isso é o básico, não tem nada de mirabolante, mas nunca foi feita em Macapá. Se um prefeito fizer isso, vai entrar para a história”, afirma o especialista. Como não há um planejamento estabelecido, os cidadãos acabam tomando a iniciativa de fazer as coisas ao seu modo, sem a devida orientação. Isso gera problemas de mobilidade urbana, como, por exemplo, a existência de calçadas desniveladas, que dificultam o deslocamento seguro e confortável das pessoas, em especial das portadoras de necessidades especiais. Para resolver o problema, será preciso desfazer o que foi feito errado, aumentando o custo da intervenção. Tostes critica a falta de envergadura das propostas apresentadas pelos candidatos à Prefeitura de Macapá, nesta eleição e também nas anteriores. Para ele, falta grandeza aos projetos propostos. “Macapá é a única cidade da região Norte banhada pelo rio Amazonas e uma das poucas cidades do mundo cortada pela Linha do Equador. A Fortaleza de São José é uma das maiores expressões históricas da Amazônia, quiçá da América Latina. Além disso, Macapá é a capital do Estado mais bem conservado do Brasil. São potenciais que por si só já são atrativos, mas que os gestores não conseguem explorar adequadamente”, critica ele. Na sua visão, se os prefeitos tivessem visão estratégica, Macapá poderia de-

Verticalização: “É necessária para racionalizar os espaços, porém deve ser utilizada com sabedoria e não como fator apenas de especulação imobiliária, para somente

senvolver sua vocação turística, “Muitas coisas já foram descobertas, do ponto de vista da elaboração de projetos de envergadura na área de turismo, mas isso nunca foi desenvolvido em nossa cidade”, lamenta Tostes. O arquiteto lembra, por exemplo, que em épocas passadas ventilou-se, inclusive, a possibilidade de se construir uma via panorâmica, da frente da cidade até o balneário de Fazendinha, mas esse projeto nunca saiu do papel. A construção de um relógio do Sol, no monumento Marco Zero, é outro projeto que ficou apenas no papel.

Tapar buracos Tostes considera haver uma incapacidade crônica de gestão em Macapá, que precisa ser resolvida. Para ele, um dos sintomas dessa incapacidade é o caráter permanente que as famosas operações tapa-buracos ganharam. “Elas deveriam ser vistas como solução provisória, mas já transformaram-se até em bandeira levantada com orgulho pelos administradores”, critica. Esse é mais um exemplo do desperdício de recursos na capital amapaense. Segundo Tostes, para tapar buracos é preciso produzir massa asfáltica, mobilizar pessoal para o

trabalho de campo, garantir transportes e toda uma equipe de logística para viabilizar a operação. Tudo isso para gerar um resultado de má qualidade, que precisa ser refeito constantemente. “A operação tapa-buracos resolve o problema da cidade? Não, apenas ameniza as dificuldades durante o período invernoso”, analisa ele. E completa: “As vias de Macapá são conhecidas como “couro de Jacaré”, a trepidação é intensa. São anos e anos de remendos, não há mais vida útil da pavimentação, apenas a recomposição de algo que não oferece mais nenhu-

ma qualidade” analisa. Para o especialista, o Amapá está na contramão do processo de desenvolvimento nesta área. Inúmeros estudos tecnológicos e econômicos têm sido realizados para colocar em prática projetos que tem apresentado resultados satisfatórios em todo o Brasil, como o uso adequado de pavimentações alternativas. Uma dessas opções é o uso de bloquetes de concreto. Tostes explica que estudos comprovam que o uso deste tipo de pavimento tem resultados positivos, como a fácil manutenção, além de favorecer o sistema de trânsito, com

redução de vel “Há vias p Macapá que o tremo perigo, caso da Rua S centro comerc poder público tudos técnicos um laboratóri para viabilizar prazo, altern melhorem a e pavimentação cidade de Mac re o especialist

Parceria Um dos in que ajudaria n para essa tra de acordo com o estabelecim parcerias entre

Confira algumas opiniões sobre questões a serem

Áreas de ressaca “Do ponto de vista urbano, possuem uma função bem definida, que consiste no controle e equilíbrio da temperatura, mas a partir do momento que elas são ocupadas e aterradas, sobrecarregam os canais, que já são estão assoreados e servindo de lixeira pública. A situação provoca problemas de alagamentos, a exemplos de áreas como Pacoval, Buritizal e Muca, localizados próximos a essas áreas naturais. A administração não pode reverter o problema, mas pode fazer um mapeamento rigoroso e controlar, com ajuda da própria população que já ocupa o local, com investimentos nas faixas verdes, fazendo com que essas áreas ainda sejam recuperadas e preservadas”.

Verticalização

“É necessária para racionalizar os espaços, p apenas de especulação imobiliária, para som faixa central da cidade ocupada, gerando u a todas as classes, mas isso depende de inve e energia”.


Eleições

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de agosto de 2012

E3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

desafios do futuro prefeito de Macapá

desenvovlvimento, a cidade está em constante crescimento, porém, com péssima distribuição de orçamento FOTOS HEVERTON MENDES

A realidade municipal JOSÉ ALBERTO TOSTES

A

uma faixa de renda”, afirmou José Alberto Tostes, arquiteto e professor da Unifap

locidade. públicas em oferecem ex, como é o São José, no cial. Cabe ao o realizar ess e estruturar io de solos r, em curto nativas que estrutura da urbana na capá”, sugeta.

nstrumentos nos estudos ansform.ção, m Tostes, é mento de e a Prefeitu-

ra e a Universidade Federal do Amapá (Unifap). Ao longo de 20 anos de carreira como professor na instituição, o arquiteto Alberto Tostes diz não lembrar dealgum gestor que tenha tido preocupação em formalizar uma parceria com a Universidade, para desenvolver estudos de interesse municipal. Ele lembra que a Universidade conta com experiências realizadas nos municípios do Estado e que podem e devem ser acompanhadas pelos gestores, tais como a elaboração do Plano Diretor do município de Laranjal do Jari, a oferta de suporte

para o Plano Diretor do município de Santana e vários trabalhos materializados em artigos e livros, que precisam ser melhor aproveitados pelos administradores. “A contribuição das universidades é imprescindível para levar o conhecimento a ser debatido com a sociedade local nas áreas técnica e acadêmica. O exemplo de colaboração da Unifapem Laranjal do Jari, com a elaboração do Plano Diretor daquele município, plantou a base para que a sociedade local tivesse ciência de sua responsabilidade social e política” acrescentou o professor Alberto Tostes.

Arquiteto

discussão sobre pequenas e médias cidades na Amazônia vem sendo debatida nestes últimos cinco anos, foi e tem sido de grande valia para avançar na busca de parâmetros sobre a situação das cidades amazônicas. Entre os pontos mais relevantes desta discussão reside a ampliação de um estudo metodológico para melhor exemplificar a realidade da região em relação a uma estrutura que envolve uma diversidade muito grande como: dimensões do território; a biodiversidade; o conjunto de áreas protegidas; os grandes projetos do setor, florestais, minerais, dificuldades de áreas de fronteiras, grandes latifúndios e terras improdutivas. Tal peculiaridade evidencia de que a região é multidiversificada, enfrentar os problemas em relação ao desenvolvimento das cidades não tem sido uma tarefa fácil. Do ponto de vista metodológico os trabalhos produzidos são resultados obtidos a partir de um conjunto sistêmico integrado e não de algo isolado ou temporário. O primei-

ro ponto a ser analisado enfatiza a relação dos municípios com a esfera estadual e com o Governo Federal. É fato que os municípios absorveram a maior parte dos problemas e estão mais próximos dos cidadãos quando se trata de reivindicação de melhorias na infraestrutura do município e do núcleo urbano. O quadro atual está sujeito a diversas reflexões: a primeira está relacionada ao sistema de verbas públicas entre os entes institucionais, não há um critério pautado em regras de planejamento para atender as necessidades dos municípios, o distanciamento é grande entre as esferas municipais e estaduais, isso é constatado pela pouca participação do Estado no município, percebe-se que também não há preocupação em respeitar a vocação do município e sua identidade, tenta-se impor um modelo de ação que é muito comum na capital, reproduzido de forma massificada para as demais cidades, descaracterizando estas cidades, eliminando a possibilidade de gerar uma identidade para cada um destes lugares. O auxilio do Governo do Estado é algo puramente pontual, ocasional e fragmentado de uma política de governo integrada. São

inúmeros os exemplos em que obras civis são realizadas pautadas apenas em um levantamento de campo em detrimento de um estudo mais aplicado sobre os custos e benefícios do que será alcançado. Na esfera federal a situação também é complexa, pois na maior parte, os recursos oriundos de programas para as áreas de educação e saúde tornou-se suporte de sustentação dos municípios que não dispõem de uma economia que atenda as necessidades da população, deve-se ressaltar que além dos recursos oriundos destes programas, verbas são destinadas para outras áreas, entretanto devido às fragilidades de gestão de cada município, boa parcela de recursos é desperdiçada, de acordo com a pesquisa no Portal da Transparência do Governo Federal equivale entre 30 e 35% do total, o que representa muito para municípios considerados pobres, estes recursos tem sua origem principalmente em emendas parlamentares. Os municípios amapaenses têm problemas com relação ao seu território, às causas estão diretamente relacionadas aos problemas fundiários, parte das terras é da União, de empresas particulares, do estado

do Amapá e por último em uma pequena parcela o município, isso tem representado um entrave sério para o desenvolvimento, prejudicando sensivelmente a política de desenvolvimento urbano e rural, deve-se ressaltar que grande parte das áreas protegidas foram criadas a revelia destes municípios. A realidade municipal apresenta problemas urbanos que evidenciam o quadro caótico das pequenas cidades amapaenses e amazônicas, o resultado obtido está diretamente relacionado aos entraves de desenvolvimento econômico e urbano. As cidades de alguma maneira demonstram o modelo de ocupação da Amazônia, são projetos agroflorestais no sul, minerais no norte e no centro, dificuldades na fronteira, atividades do setor agropecuário, etc. No conjunto de todos estes projetos implantados, as consequências são desanimadoras, as medidas de contrapartida não alcançam os impactos deixados e afetam diretamente a gestão municipal. O que fazer diante desta realidade municipal? Os prefeitos ao longo da história são os primeiros a dar os piores exemplos, não é mais possível conviver com situações deste tipo.

Sobre Alberto Tostes

J

osé Alberto Tostes participa de um grupo que desenvolve projetos sobre Estudo da Revolução Urbana das Cidades de Macapá e Santana, as Transformações Urbanas das Pequenas Cidades na Faixa de Fronteira e o Estudo do Corredor Transfronteiriço, que envolve o Amapá e a Guiana Francesa. O Grupo foi criado em junho de 2004 e é formado por profissionais arquitetos e urbanistas, professores universitários e especialistas em várias áreas, como saúde, social, geografia e desenvolvimento sustentável. Seus estudos sobre planejamento e urbanização dos municípios no Amapá tem sido fundamentais para o conhecimento técnico do espaço urbano do Estado e servido de reflexão no que refere aos investimentos para melhoria da qualidade de vida da população.

m resolvidas na urbanização de Macapá

porém deve ser utilizada com sabedoria e não como fator mente uma faixa de renda. Caso isso ocorra, teremos uma um impacto muito grande. A verticalização precisa atender estimentos em infraestrutura básica, como rede de esgoto

Limpeza urbana “Coleta seletiva somente dará resultado se tudo aquilo que for recolhido tiver um destino adequado, ou seja, um reaproveitamento. Uma das soluções seriam as operações consorciadas entre municípios. Exemplo: Não há necessidade do município de Santana ter uma lixeira e Macapá outra. Uma localizada às margens de uma rodovia estadual e a outra, em uma rodovia federal. Ou seja, contaminando duas áreas. Os dois municípios poderiam se unir e resolver o problema”.


JD

Eleições 2012

Macapá-AP, domingo e segunda, 09 e 10 de setembro de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Justiça barra 317 candidatos a prefeito que têm ficha suja

Veja quem é obrigado a votar e em que casos o voto não é obrigatório DIVULGAÇÃO

Maioria dos barrados foi enquadrara no item da Lei da Ficha Limpa que torna inelegível aqueles que tiveram contas públicas rejeitadas por tribunais

E4

O

Q

uem é obrigado a votar? De acordo com a lei, o voto é obrigatório para todas as pessoas que sabem ler e escrever e que tenham entre 18 e 70 anos. Quando o voto não é obrigatório? O voto é facultativo para pessoas analfabetas, para quem está com idade entre 16 e 18 anos e para os maiores de 70 anos. Estrangeiros têm direito ao voto? Não. Só podem votar as pessoas com nacionalidade brasileira, originária ou adquirida. A única exceção é para os portugueses que fizerem a opção do Estatuto de Igualdade. Eleitores com deficiência visual podem votar? Sim. A urna eletrônica conta com marca de identificação em Braille, e eles podem, ainda, contar com a ajuda de uma pessoa de sua confiança. Se eu não votar no primeiro turno, posso votar no segundo? Sim. Mas é preciso justificar a ausência no primeiro turno. O prazo para justificativa é de 60 dias a partir da data da eleição. Se eu estiver viajando na data do segundo turno para algum lugar onde não haverá segundo turno, mas se na minha cidade houver, preciso justificar? Sim. Nesse caso, procure um cartório eleitoral.

TSE publica lista com doadores de campanha DIVULGAÇÃO

s TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) barraram até agora a candidatura a prefeito de 317 políticos com base na Lei da Ficha Limpa, mostra levantamento da Folha nos 26 Estados do país. O número deve aumentar, já que em 16 tribunais ainda há casos a serem julgados. Entre esses fichas-sujas, 53 estão no Estado de SP. Na divisão por partido, o PSDB é o que possui a maior “bancada” de barrados, com 56 candidatos - o equivalente a 3,5% dos tucanos que disputam uma prefeitura. O PMDB vem logo atrás (49). O PT aparece na oitava posição, com 18 --1% do total de seus postulantes a prefeito. Todos os candidatos barrados pelos tribunais regionais podem recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A presidente do tribunal, Cármen Lúcia, já disse que não será possível julgar todos os casos antes das eleições, mas sim até o final do ano, antes da diplomação dos eleitos. Os nomes barrados pelos TREs irão aparecer nas urnas eletrônicas, mas todos os seus votos serão considerados sub judice até uma eventual decisão no TSE. Exemplo: se o ficha-suja tiver mais votos, mas seu recurso for rejeitado, assume o segundo colocado na eleição. Entre os barrados, destacam-se o ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti (PP-PE) e a ex-governadora Rosinha Garotinho (PR-RJ). Severino tenta se reeleger prefeito de João Alfredo (PE) e foi enquadrado na lei por ter renunciado ao mandato de deputado federal, em 2005, sob a acusação de ter recebido propina de um concessionário da Câmara. Já Rosinha Garotinho, atual prefeita de Campos (RJ), teve o registro negado sob a acusação de abuso de poder econômico e uso indevido de meios de comunicação durante as eleições de

2008. A maioria dos barrados foi enquadrara no item da Lei da Ficha Limpa que torna inelegível aqueles que tiveram contas públicas rejeitadas por tribunais de contas. De iniciativa popular, a lei foi sancionada em

2010, mas só passa a valer na eleição deste ano. A lei ampliou o número de casos em que um candidato fica inelegível - cassados, condenados criminalmente por colegiado ou que renunciaram ao cargo para evitar a cassação. “A lei anterior era per-

missiva demais”, disse Márlon Reis, juiz eleitoral e um dos autores da minuta da Ficha Limpa. Para André de Carvalho Ramos, procurador regional eleitoral de São Paulo, os próprios partidos vão evitar lançar fichas-sujas. (Fonte: Folha de S. Paulo)

Entenda o que fazem os vereadores, o prefeito e o vice-prefeito nas capitais F

A novidade foi decidida pela ministra Cármen Lúcia, do TSE

P

refeito O prefeito é o chefe do Executivo municipal, ou seja, a principal autoridade política do município. Cabe a ele administrar os serviços públicos locais, decidindo onde serão aplicados os recursos provenientes dos impostos e dos repasses do Estado e da União, quais obras devem ser executadas e programas a serem implantados. Também é função do prefeito sancionar e revogar leis, vetando propostas que sejam inconstitucionais ou não atendam ao interesse público.

Vice-prefeito O vice-prefeito é o segundo na hierarquia do Executivo municipal. Caso o prefeito precise se ausentar por motivo de viagem ou licença, ou tenha o mandato cassado, ele assume as funções do titular. Enquanto o prefeito está em exercício o vice deve auxiliar na administração, discutindo e defi-

nindo em conjunto as melhorias para o município. Vereador Ao vereador cabe elaborar as leis municipais e fiscalizar a atuação do Executivo, no caso o pre-

feito. São os vereadores que propõem, discutem e aprovam as leis a serem aplicadas no município. Entre essas leis está a lei orçamentária anual, que define onde deverão ser aplicados os recursos provenientes dos impos-

tos pagos pelos munícipes. Também é dever do vereador acompanhar as ações do Executivo, verificando se estão sendo cumpridas as metas de governo e se estão sendo atendidas as normas legais.

alta um mês para a realização do primeiro turno das eleições municipais e, neste ano, a divulgação, antes da votação, dos doadores de campanha é uma novidade. A decisão de colocar na internet o nome dos doadores foi tomada pela presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia, com base na Lei de Acesso à Informação. Duas divulgações de nomes das empresas e das pessoas físicas que doaram recursos para as campanhas já foram feitas. A segunda lista com informações de doadores e a prestação de contas do candidatos foi divulgada ontem (6) no site do TSE. A primeira lista de doadores foi divulgada há duas semanas. A justificativa para determinar a publicação foi a Lei de Acesso à Informação já que, pela Lei das Eleições, somente na apresentação da prestação final das contas de campanha, candidatos, partidos e comitês devem indicar os nomes dos doadores e dos valores doados para as campanhas. No dia 7 de outubro, os

eleitores vão escolher novos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. O país tem 138,5 milhões de brasileiros aptos a votar, em 436.679 seções eleitorais em todo território nacional. Não participam desta disputa os eleitores do Distrito Federal, de Fernando de Noronha e do exterior. Nas eleições de 2012, serão preenchidas 5.568 vagas para prefeito e vice-prefeito e 57.428 para vereador. A Justiça Eleitoral contabiliza o pedido de registro de 15.487 candidatos a prefeito e 449.194 para vereador. De acordo com o TSE, o perfil do eleitorado brasileiro é formado, em sua maioria, por mulheres entre 25 e 34 anos. Entre os votantes, 72.877.463 são mulheres (51,9%) e 67.382.594 são homens (47,9%), e 134.046 (0.095%) não informaram o sexo no momento do cadastro eleitoral. O segundo turno será realizado no dia 28 de outubro apenas nos municípios com mais de 200 mil eleitores e caso nenhum candidato tenha alcançado mais de 50% dos votos válidos no primeiro turno.

jornal do dia 09e10/09/2012  

jornal do dia 09e10/09/2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you