Issuu on Google+

CORINTHIANS

BLATTER

Escassez no elenco

NOSSA GENTE

Anuncia bola eletrônica

O que há de melhor para você

Fifa testa dois sistemas que aferem a passagem da bola pelo gol. nC2

Diretoria também vê poucas reposições para a defesa.nC1

Confira nesta edição. A revista não pode ser vendida separadamente.

Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

Macapá-AP, Domingo e Segunda, 06 e 07 de Maio de 2012 - Ano XXV

Domingo e Segunda R$ 3,50 - Terça a Sábado R$ 1,50

CARNAVAL 2012

Prestação de contas continua um enredo cheio de mistérios Ao contrário dos anos anteriores que resultaram na inadimplência e na impossibilidade de receber repasses do governo e prefeitura, as entidades parecem ter

respeitado este ano o que diz a lei. Porém, os valores gastos e o apurado ainda são desconhecidos da sociedade. nA4 e A5 HEVERTON MENDES

ELEITORES

Justiça dá plantão para emissão do título

Prazo está se encerrando também para os eleitores que querem alterar o local de votação, para deficientes e idosos. nB4

AÇÃO GLOBAL

Cerca de 30 mil recebem atendimento em Macapá Ação foi realizada na Escola Maria Ivone de Menezes, no bairro Cidade de Nova, que de acordo com estudo socioeconômico é uma das mais carentes da capital. nB3

BOTAFOGO

Olha o naipe da gandula

Personagem na final da Taça Rio, Fernanda Maia “ajudou” o Botafogo a marcar o primeiro gol sobre o Vasco. nC1

CASO KONISH

JANDERSON CANTANHEDE

Dois anos de um terrível assassinato

Ninguém esquece a cena do dia 10 de maio de 2010. Dentro do quarto da família, um horrendo sinistro: Caroline estava de bruços, junto com o filho Marcelo, mortos. Não muito longe dali a pequena Vitória, de apenas 11 anos, toda ensangüentada.nB2

A polícia apontou o autor do crime, porém, há dúvidas sobre o triplo assassinato

REALIDADE

Macapá: calçadas viram um perigo para os pedestres Sem devida fiscalização, os pedestres a tragegar calçadas são tomadas por pelo meio fio, correndo irregularidades, forçando risco no trânsito. nB1 HEVERTON MENDES

FEDERALIZAÇÃO DA CEA

Servidores querem participar das discussões Sindicato dos Urbanitários diz que a classe não está sendo incluída nas negociações da federalização da Companhia. nB3

NO VÔLEI

Ricardinho volta e mostra reaproximação com a equipe

A volta foi confirmada com o início dos treinamentos e já tem uma reaproximação com Giba. nC2

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


JD

Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

O grande Cacuri RODOLFO JUAREZ

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

O

tempo passa, os governos passam, todos eles, e não se percebe qualquer mudança efetiva no comportamento dos dirigentes do Estado do Amapá. Já faz algum tempo que o segundo ano do mandato de um governador no Amapá é o mais complicado de todos tanto para o governador como para a sua equipe. Foi assim com João Capiberibe, com Waldez Góes e, agora, está assim com o governador Camilo. Qualquer problema se agiganta, as decisões ficam difíceis, as relações com os poderes se deterioram e os aproveitadores aparecem. Dá a impressão que eles estão na espreita, esperando a melhor hora para atacar. E são ataques perigosos, que mostram a disposição com que esses seres, os aproveitadores, avançam sobre o que consideram os seus alvos no Estado, não ten-

do qualquer consideração ou sentimento público do que representa os resultados para esse Estado que tem encontrado muitas dificuldades para se autogerir, desde o primeiro governo depois da conquista da autonomia política. Parece que a administração ainda não encontrou o caminho ou que esse caminho está interrompido por um procedimento que vem errando todo esse tempo e que pode estar na estrutura de poder o próprio Governo. Já perceberam que todos os problemas do Estado migram para a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Tesouro? E que tudo o que lá chega dá a impressão que chega a um labirinto, cheio caminhos poucos conhecidos ou que são dominados por uma espécie de feitores, armados até aos dentes, para evitar que os seus segredos sejam desvendados?

Parece “coisa feita”! Toda vez que o nó precisa ser desengatado sempre é preciso ação externa e com viés de imprudência, como se ali todos estivessem errados ou se ali fosse o grande “cacuri” do Governo, onde quem entra não acerta sair. As explicações são dadas, mas nunca e sempre são aceitas. Há prevalência dos segredos ou do desconhecido, onde habita uma raça diferente, disposta a dizer “não” mesmo que a resposta seja “sim”. Uma reavaliação da Estrutura do Governo do Estado do Amapá é necessária, afinal de contas não dá para assimilar tantos problemas e tantas dificuldades. Tudo sai demais caro para o contribuinte. Recurso escasso faz falta mesmo que os erros sejam inesperados, indisfarçáveis e pequenos. Um fator também tem atormentado os governadores nos dois primeiros anos de mandato – a eleição para a o cargo de Prefeito de Macapá.

Capi para eleger o João Henrique quando ele era ainda o João 40; Waldez para eleger o Bala e, agora, ao que tudo indica, vai começar a luta do Camilo para eleger Cristina. Apenas o Capi teve sucesso na eleição, mas, e a Cidade? E o Município? Essa mistura dos planos administrativos com os planos políticos necessita de temperos diferentes, especiais, onde a realidade precisa entrar na composição e a atenção pela gestão do Estado não pode ser desviada para lugar algum, senão acontece a volta dos aproveitadores que vão querer, por exemplo, pedir a preferência para confundir diretor de escola com cabo eleitoral de pré-candidato a vereador. Juízo é o que todos precisam nesse momento de extrema dificuldade e de tomada de decisão, mas, também, não pode haver desprezo pela população e muito menos medida deliberada para enganar em informações falsas ou que nada representam.

O menor! VANESSA FREITAS

Palestrante, consultora de empresas, escritora, professora universitária, executive coach, apresentadora do programa “Espaço da Mulher” e diretora da melhoRH consultoria. Escreve aos domingos no JD.

E

stamos na era do exagero, muita tecnologia, muitas pessoas procurando outras pessoas, muito marketing para vender muitos produtos, muito silicone, muita tinta de cabelo, muitas doenças mentais e é claro; muita solidão! Desde mocinha que acredito no valor “do menor”. Não que eu não goste de coisas grandes; sorvete grande, sacolas grandes, joias grandes, roteiros de turismo grandes e outras coisas grandes que não posso contar (rsrsr). Mas é o pequeno, o singelo e o simples que supre. Frequentei festas lindas que de tão extravagantes assustavam, mas não via ninguém em paz nestes lugares. Também fui a churrasquinhos nas casas dos vizinhos onde todos saiam felizes e radiantes por terem compartilhado momentos genuínos, nestas, eu aprendi a valorizar “o menor”. É o pequeno gole que

sacia, é a mão firme que transmite segurança, é o olhar “de canto” que declara que estamos irresistíveis, é o andar na areia da praia que traz leveza a vida, é quando sentamos no mercadão que exercemos nosso real “viver bem”. Nossa paz mora bem perto de nós e pode ser obtida sem investimentos em viagens caras, roupas de grife ou sonhos enormes. Não há prêmio ou punição na vida, apenas consequências e viver cultivando “o menor” são para poucos. Por que a mídia alimenta nossa vontade de ter e menospreza o ser; ser sozinho, ser gentil, ser educado, ser alegre, ser bem humorado, ser leve e ser simples. Isso tudo ajuda a construir um estilo de vida saudável emocionalmente, mas poucos conseguem se livrar de si mesmo, poucos conseguem colocar limites no seu próprio desejo. Afinal, somos refém daquilo que desejamos.

Como é bom desejar “o menor”, a vida fica leve e fácil de ser vivida. Nada pode florescer sem que reguemos as plantas, as relações, a vida profissional, os vínculos com os filhos e para regá-los, entra em vigor a lei do menor, do singelo e do simples. É no abraço verdadeiro que nos sentimos amados, é no beijo na boca ardente que nos sentimos vivos, é quando deitamos na cama dos filhos que compreendemos a nossa riqueza, é quando deitamos na cama de um hospital que enxergamos o verdadeiro valor da vida! Tudo tão simples, tão fácil de alcançar, tão fácil de viver... E nós colocamos obstáculos tão altos, criamos desafios tão árduos, para que mesmo hein? Vocês querem chegar mais cedo no cemitério, é isso? Com mais dores de cabeça? Mais preocupação? Tudo tão desafiador e complexo, para quem

não sabe viver! Na vida o que poderia ter sido não conta. O que importa são os rumos que nossas escolhas seguirão. O que você deixou de viver não importa mais, importa como escolherá viver nos últimos anos que lhes resta. Encare-se de frente, seja o menor de vez em quando e assuma: você erra muitas vezes, chora, esbraveja, se engana, confia demais, faz tolices, fala bobagens, ama quem não merecee desama quem mais merece, enfim; você é falho! E daí? Qual o problema disso? Super-heróis estão na telona, nós estamos aqui no silêncio do nosso quarto e no barulho de nossas mentes inquietas, que insistem em apostar no “maior” motivo para viver. Eu continuo apostando no “menor”. O menor gesto é que alcança verdadeiramente o meu coração, pense nisso!

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994) Diretor Editorial: José Arcângelo Pinto Pereira Diret. Adm. Financeira e Contábil: Maria Inerine Pinto Pereira Diretor de Assuntos Corporativos: Luiz Alberto Pinto Pereira Diretor Executivo: Marcelo Roza Assessoria Jurídica e Tributária: Dr. Américo Diniz — OAB/AP 194 Dr. Eduardo Tavares — OAB/DF - 27421 Editor-Chefe: Janderson Cantanhede Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br josemaria@jdia.com.br mariaruth@jdia.com.br

JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representantes comerciais JC Repres. Com. Ltda. - Brasília, DF n Tel. (61) 2262-7469 - Rio de Janeiro, RJ nº Tel. (21) 2223-7551, São Paulo Visão Global Comunicação S/C Ltda. n Rua Alvarenga, 573- Butantã - CEP - 05509-000 - São Paulo, SP Tel. (11) 3032-3595, Fax (11) 3032-4102. New Mídia - Belém-PA (Gil Montalverne) Tel.: (91) 3279-3911 / 8191-2217 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

A2

Editorial

Mudanças fundamentais

E

stá tramitando no Congresso Nacional um projeto de lei que altera o processo de escolha dos chefes dos Ministérios Públicos estaduais. Atualmente, a palavra final do processo de escolha é dos governadores, que nomeiam um dos indicados na lista tríplice definida pelos integrantes do MP. Um processo que acaba por gerar um vínculo indesejado entre o governante e o comandante do órgão. O projeto de lei, aprovado quinta-feira (3) na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal, mantém o processo de escolha interna do Ministério Público, para definir quem será o procurador-geral. A mudança ocorre na etapa seguinte: em vez de uma listra tríplice encaminhada ao governador, o projeto estabelece que o nome do mais votado na eleição siga para ser referendado pela Assembleia Legislativa e, se aprovado, para nomeação pelo governador. Mudanças estruturais como esta tendem a produzir um efeito salutar nas relações entre as instituições republicanas, pois corrigem vícios

de origem que têm provocado efeitos nocivos para a sociedade brasileira. Alguns dos mecanismos legais atualmente em vigor, como no caso do processo de escolha do procurador-geral do Ministério Público, em vez de estimular a harmonia entre os poderes, muitas vezes acabam contribuindo para uma relação espúria entre eles, baseada na cumplicidade, sempre em prejuízo da coletividade. Eis aí uma tarefa a que todas as instâncias da sociedade brasileiras precisam se entregar com determinação. É fundamental que o País identifique e combata as causas de seus problemas, em vez de simplesmente se ater a remediar os efeitos dos mesmos. Do contrário, estará condenado a lutar indefinidamente contra um sistema que não cessa de produzir novas mazelas, levando ao limite a capacidade de manutenção do seu equilíbrio social. Cabendo salientar que quando as instituições não conseguem estabelecer esta relação de equilíbrio, a sociedade acaba buscando outros meios de fazer isso.

Hora-Hora Contestação - A taxa de R$ 6 mil cobradas pela OAB-AP, para que um advogado possa concorrer à vaga de desembargador, deve gerar um grande número de ações judiciais, o que pode “melar” a disputa. Inconstitucional - Segundo um causídico, que por enquanto prefere o anonimato, mas que pretende ser um dos autores da referida ação, a cobrança fere o princípio constitucional pétreo que visa assegurar igualdade nas condições de disputa. Vamos aguardar! Buracão - A população de Oiapoque anda tão revoltada com a situação das centenas de crateras espalhadas pelas ruas, que resolveu apelar para o humor. Homenagem - Em uma das vias edificou um enorme “João Buracão”, aquela personagem televisiva de uma conhecida rede brasileira de TV, para “homenagear” a ineficiência de prefeitos. Inflação - Se a moda pegar nos outros 15 municípios, com certeza haverá uma inflação de “joãos”

no Amapá. Execuções - Não é novidade que o tráfico de drogas se alastrou pelo Amapá, apesar dos esforços policiais para conter os meliantes. Os assassinatos em forma de “execuções” com armas de fogo – modus operandi do tráfico – tem se repetido à exaustão. Sentença - Recebeu drogas, vendeu e não pagou, o “tribunal” reúne, julga e condena à morte, com a “sentença” sendo cumprida imediatamente. É a pena de morte devidamente estabelecida no Meio do Mundo. Juros - O Governo Federal vem apertando as financeiras e bancos particulares para que baixem os juros. A Caixa Econômica Federal já anunciou índices abaixo de um dígito. Insistência – O Banco do Brasil, no entanto, parece reticente e continua a cobrar exagerados 8,36% ao mês no cheque especial, o que evolui para mais de 180% ao ano. Isto é quase 30 vezes mais que a inflação anual prevista. Assim é covardia!

Índice Opinião - A2, A3 Especial - A4, A5 Geral - A6 Sociedade - A8 Dia Dia - B1, B3, B4 Polícia - B2

Esportes - C1, C2 Atualidades - C3 Diversão&Cultura - C4 Carro e Moto - D1, D2, D3, D4 Economia - E1, E2, E3 Social Click JD - E4

Edição número 7895


JD

“ ”

Geral

Entre Aspas

Jornalista cantanhede@jdia.com.br

Carapuça - Se o movimento grevista da Educação tem 95% de adesão, como é que tem professor que baixa a cabeça e levanta a bandeira do racha na categoria? No mínimo, metem a carapuça do egoísmo na cabeça e olham apenas para o próprio umbigo. Lamentável! Alguém entende? - Além de enfrentarem o fogo amigo, os professores ainda estão tendo que derrubar a imagem de que tudo não passa de uma greve política, como pensa o governador Camilo (PSB). E olha que o presidente do Sinsepeap, Aroldo Rabelo, é militante do PSOL, o mesmo partido de Randolfe Rodrigues e Clécio Luis que têm uma excelente relação com Capiberibe. Vai entender... Sem problemas - Estive conversando ontem, pelo telefone, com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Moisés Souza (PSC). Ele me disse não ver problema algum em responder, na Justiça, sobre os gastos da atual legislatura. Alvo - Na última sexta-feira, Moisés virou alvo de ação do Ministério Público por suposta sonegação de documentos públicos refe-

rentes a comprovantes de gastos com a verba indenizatória dos deputados estaduais.

Pergunta - Porém, o que acho estranho é que o Ministério Público não tem tido este mesmo comportamento com o governo do Estado que também não vem cumprindo a lei da transparência, que surgiu inclusive da cabeça do comandante do PSB no Amapá, senador João Capiberibe. Entendi direito ou está havendo dois pesos e duas medidas para o mesmo assunto?

Fogo cruzado – O juiz federal João Bosco até agora não mais foi visto, ao menos para comentar os últimos trâmites da denúncia que fez contra membros do Ministério Público, que por sua vez resolveram atacar a Assembleia Legislativa. É o Judiciário que ataca o MP, que ataca a Assembleia. Alguém entendeu alguma coisa? Levantamento - Entra ano, sai ano e o país continua produzindo leis inconstitucionais. É o que mostra um levantamento feito pelo Anuário da Justiça Brasil 2012. Inválidas - Os números apontam que 83% das leis brasileiras que foram alvo de ações no Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado acabaram sendo derrubadas.

Anuladas - Das 79 normas julgadas em 2011, 66 foram declaradas inconstitucionais — o número inclui matérias federais e estaduais. O Distrito Federal aparece em segundo lugar no ranking de unidades da Federação que produziram mais legislações ilegais: entre as sete leis distritais apreciadas, seis foram anuladas pelo STF. Campeões - De acordo com o anuário, produzido pelo site Consultor Jurídico, os legislativos locais são os campeões no quesito produção de normas que ferem os preceitos da Constituição. Plantão - Para facilitar a vida dos cidadãos que têm pendências em relação ao título de eleitor, a Justiça Eleitoral atuará em regime de plantão neste fim de semana. O prazo para a regularização de pendências na Justiça Eleitoral vai até a próxima quarta-feira (9). Alteração - O prazo também é válido para os eleitores que querem alterar o local de votação e para os deficientes e idosos que desejam se transferir para uma seção especial, com melhor acesso. Para fazer qualquer procedimento relativo ao título, basta procurar o cartório eleitoral mais próximo, e não necessariamente o cartório onde o título foi emitido. Bom domingo a todos...

Siga: @cantanhede_AP Acesse: jandersoncantanhede.wordpress.com Email: cantanhede@jdia.com.br

A tendência de queda nos juros CHARLES CHELALA Economista

O

s juros são o custo do dinheiro, ou a remuneração recebida pelo sacrifício em não gastá-lo agora, guardando-o para uso futuro. Em um sistema econômico complexo como o atual, a taxa de juros exerce um papel fundamental, uma vez que influencia fortemente as decisões de todos os agentes econômicos (consumidores, empresários, governo, especuladores, investidores, etc.), alterando expectativas e impactando em temas tão amplos como a inflação ou o nível geral da atividade econômica. Desde o Plano Real, que logrou êxito em derrotar a inflação, o Brasil tem tido que pagar o preço pela superação daquele mal, dos quais o mais oneroso é a taxa de juros altíssima, que impede o crescimento econômico mais vigoroso, uma vez que reduz o consumo e os investimentos produtivos, além de atrair capital externo meramente especulativo, o que redunda na valorização do Real e consequente desestímulo às exportações, impulso às importações e pressão sobre a indústria nacional. Até então, não havia firmeza em se enfrentar a política de juros altos por conta de um temor descabido de aumento da inflação. Há centenas de teorias pseudocientíficas que afirmam ser o ponto de equilíbrio da taxa de juros no Brasil superior ao

de outros países. Com isso, o sistema bancário no país bamburra, com os quatro maiores do setor apresentando lucros exorbitantes próximos aos de R$ 15 bilhões ao ano (neste primeiro trimestre de 2012, houve uma ligeira queda em relação ao ano passado, mas os resultados do setor permanecem elevadíssimos). Não há, entretanto, esta relação inversa tão linear entre juros e inflação. Pois bem, desde meados de 2011, a grande novidade na política econômica do governo tem sido o enfrentamento mais sistemático aos juros altos, primeiramente com reduções sucessivas da taxa básica Selic, hoje em 9% ao ano. Isto já representa a menor taxa de juros real (descontada a inflação) da história do país, em 2,45% anuais, e com tendência prosseguir baixando. Além disso, por determinação do governo, o Banco do Brasil e Caixa Econômica reduziram as taxas de juros de determinados produtos, o que também deverá ocorrer com os bancos privados. A última e controversa medida governo foi a redução dos rendimentos para novos depósitos da Caderneta de Poupança, buscando impedir a migração de investimentos de outras carteiras que são tributadas pelo Imposto de Renda (já que a poupança é isenta) e pos-

sibilitando assim novas reduções na Taxa Selic. Hoje o mercado projeta-a para algo em torno de 8% até o final do ano. Mexer na poupança é sempre delicado, uma vez que se trata de uma aplicação de pequenos investidores. Segundo o economista britânico John Maynard Keynes, o motivo do aplicador em Caderneta de Poupança é a precaução (preocupação com o futuro) e não a especulação. A equipe econômica cogitava adotar esta medida só após as eleições, mas o cenário externo e a redução da atividade econômica antecipou a decisão. No entanto, apesar de indigesta, há certo consenso de que foi uma ação correta, sem a qual não haveria como reduzir mais ainda os juros básicos da economia. Ainda restam problemas estruturais a serem solucionados no setor financeiro, como o ainda excessivo spread (diferença do custo de captação e de empréstimo do dinheiro); as altas taxas de serviço; a concentração bancária, com pouca competição entre os grandes; a carga tributária elevada; a reduzida disponibilidade de crédito para alguns segmentos (pequenos empreendedores e agricultores, por exemplo); as regalias ao investidor externo (que não paga Imposto de Renda), dentre outros. No entanto, o caminho de redução dos juros parece estar firme e deverá contribuir para contrabalançar a crise externa e estimular o desempenho interno da nossa economia.

A3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

O falcão acomodado

JANDERSON CANTANHEDE

Feios na foto - Os professores que se submeteram às pressões oficiais para iniciar um movimento que corta a própria carne estão sendo vistos com os piores olhos pelos colegas que buscam através do ato de greve melhorias coletivas.

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

DOM PEDRO JOSÉ CONTI

U

Bispo de Macapá

m grande rei ganhou de um amigo dois filhotes de falcão. Imediatamente os entregou ao mestre encarregado da criação desses pássaros para que, depois de crescidos e adestrados, servissem durante as suas aventuras de caça. Depois do tempo necessário, o mestre comunicou ao rei que um dos dois falcões estava perfeitamente pronto para as caçadas. – E o outro? – perguntou o rei. – Lamentavelmente o outro tem um jeito meio esquisito. Talvez tenha alguma doença rara que não conhecemos: nunca sai do galho da árvore onde foi colocado desde os primeiros dias. Nós mesmos temos que levar comida para ele. O rei convocou os melhores veterinários, médicos e curandeiros do reino, mas ninguém conseguiu fazer com que o falcão saísse do lugar. Generais, conselheiros da corte e cientistas tentaram também, mas o falcão continuava firmemente empoleirado no galho. Dia e noite, o rei o olhava pela janela e o via imóvel, sempre no mesmo lugar. Finalmente decidiu pedir ajuda aos súditos do seu reino: qualquer um podia sugerir um remédio. No dia seguinte, ao abrir a janela do seu quarto, viu o falcão voar majestosamente pelo jardim. Logo quis saber quem era o autor do milagre. Apresentaram ao rei um jovem camponês. – Você conseguiu fazer o falcão voar, como fez isso? Tem alguma mágica no meio? - Não - respondeu timidamente o jovem – simplesmente cortei o galho onde o falcão estava parado. Assim ele percebeu que tinha duas asas e começou a voar. Se fosse tão simples assim tirar todos os preguiçosos e acomodados dos seus luga-

res seria bom demais. No entanto a historinha permite que nos aproximemos um pouco mais da comparação que Jesus faz, no evangelho deste domingo, entre ele, o Pai, a videira, os ramos e a vida dos cristãos. Em primeiro lugar, devemos distinguir entre a poda e o corte. Jesus diz que o ramo que não produz fruto é cortado. O ramo seca e serve apenas para alimentar o fogo. Diferente é o que acontece com a poda: o ramo que produz fruto é podado, justamente, para que produza mais fruto. No caso da videira, todo agricultor sabe que a poda é absolutamente necessária para que haja uma boa produção de uva gostosa. Se não houver poda, a energia vital do tronco da videira se dispersa nos muitos ramos, e a produção fica escassa. Entendendo a comparação, a poda em si é um sofrimento necessário para que a árvore produza cada vez mais e melhor. Podemos resumir o ensinamento de Jesus em poucas palavras: os ramos devem aceitar ser podados e limpos pelo Pai, que é o agricultor, mas somente conseguem produzir bons frutos os cristãos que ficarem unidos a Jesus, o tronco da videira. Mais uma vez Jesus nos lembra da necessidade de caminharmos juntos com ele; de acreditarmos na unidade como primeiro, mais visível e, talvez, mais valioso fruto de quem quer pertencer ao grupo dos seus seguidores. Naquela mesma noite em que Jesus pronunciou as palavras do evangelho deste domingo, deixou também o mandamento do amor – será o evangelho do próximo domingo – e rezou muito pela unidade dos seus amigos. Amor e unidade andam juntos. A divisão pode não significar ódio entre as pessoas, mas, com certeza, é o resultado da indiferença e do de-

sinteresse de uns para com os outros. Toda separação e divisão são o contrário do amor. Este pede aproximação, alegria e desejo de estar juntos. Onde tem amor e unidade também tem a preocupação com quem não está presente, percebe-se a sua falta, nasce o desejo de não perder ninguém. Amor e unidade são frutos bons, agradáveis, mas só acontecem se todos continuam unidos ao tronco que é Jesus. É nele e com ele que se faz unidade e é possível aprender a amar de verdade. Quando prevalecem os individualismos, os interesses particulares, as disputas pelo poder, o resultado é divisão e mais e mais confusões. Nenhuma divisão produz frutos bons e úteis para todos. Podem ser bons para alguns, mas não o são para os outros. Podem dar alegria para alguns, mas nunca para todos. Por isso os cristãos devem aceitar também a poda, para que a unidade e o amor cresçam: é a poda do nosso orgulho pessoal; de querermos ser os únicos possuidores da verdade; da vontade de humilhar os outros; ou de fazer as coisas cada um por sua conta. Muitas podas são necessárias para chegar à unidade, mas vale a pena. Quando uma família, um grupo, uma comunidade, uma paróquia, uma diocese, a Igreja toda vive unida, tudo se torna mais fácil. As forças se somam, as iniciativas alcançam os objetivos, o amor se multiplica. Somente o amor atrai. A divisão afasta porque cria partidos, disputas e controvérsias. Quem está bem acomodado no seu galho, achando que o mundo todo gira ao seu redor e não move um passo para a unidade e a colaboração, acaba isolado e produzindo muito menos bondade do que pensa. Está na hora de cortar o galho para voar junto com os outros.

Vai a votação projeto que autoriza remédios a preço de custo Objetivo é regularizar possíveis pendências com o título

E

m reunião na próxima terça-feira (8), a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) deve votar projeto de lei que autoriza farmácias e drogarias a venderem medicamentos a preço de custo a aposentados pelo Regime Geral da Previdência Social, e a lançar a diferença entre esse preço e o de mercado como despesa operacional da empresa (PLS 181/10). Se convertido em lei, o projeto possibilitará às farmácias e drogarias deduzir a diferença referida da base de cálculo do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), reduzindo a carga tributária sobre o medicamento e incentivando a venda a preço de custo aos consumidores. A lista de medicamentos que poderão ser vendidos será definida pelo Ministério da Saúde, segundo critérios técnicos e estatísticos que considerarão a prevalência de doenças na população de idosos, em benefício de portadores de doenças crônicas graves, usuários contínuos dos medicamentos e do Sistema Único de Saúde (SUS). O senador licenciado Marcelo Crivella e atual ministro da Pesca é o au-

tor do projeto, relatado pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), favorável com duas emendas à proposta, que já conta com parecer favorável da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). A matéria ainda irá a exame da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), em decisão terminativa. Aposentadoria em serviço de limpeza Outro projeto que deverá ser votado, este em caráter terminativo, é o PLS 203/05, que dispõe sobre a concessão de aposentadoria aos empregados em serviço de limpeza, asseio, conservação e coleta de lixo. De autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), o projeto tem como relator o senador João Ribeiro (PR-TO), que acatou três emendas da CAS e é favorável à aprovação da proposta, nos termos de substitutivo que apresenta. O substitutivo acresce o artigo 197-A à Consolidação das Leis Trabalhistas para considerar insalubre e penosa a atividade profissional dos empregados em serviços de limpeza, asseio, conservação e coleta de lixo. A percepção do adicional de insalubri-

dade, conforme se classifiquem nos graus máximo, médio e mínimo, será devida nos termos do artigo 192 da CLT. Impressoras em braile Ainda em caráter terminativo, a CAE analisará, em turno suplementar, o substitutivo oferecido ao PLS 361/11, que prevê isenção do Imposto de Importação e do Imposto sobre Produtos Industrializados incidentes sobre impressoras de caracteres Braille. O substitutivo integral ao projeto já havia sido aprovado na comissão no último dia 24. Não sendo oferecidas emendas até o encerramento da discussão, o substitutivo será dado como definitivamente adotado sem votação, nos termos do artigo 284 do Regimento Interno do Senado. Recursos para educação Também em caráter terminativo, deverá ser apreciado na CAE o PLS 138/11, de autoria do senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), que altera a Lei 12.351/10, como forma de estabelecer percentual para destinação de recursos do Fundo Social para a educação.


JD

Política

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

A6

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Com guerra contra os juros, Dilma busca nova marca para mandato na Presidência Com foco na classe média, presidente usa seu capital político e alta aprovação para promover uma mudança estrutural

A

decisão do governo de forçar a queda nas taxas de juros no país -- contexto no qual se insere o anúncio na mudança dos rendimentos da caderneta de poupança -faz parte de uma estratégia política para criar uma nova marca da gestão da presidente Dilma Rousseff no campo econômico. Segundo fontes do governo, o alvo dos juros bancários, tema de grande apelo entre a classe média, passou a ser considerado na medida em que a meta de crescimento de 5% em 2012 ficou cada vez mais distante. Além disso, no Planalto os bancos passaram a ser vistos como instituições que pouco colaboraram para a queda dos juros implantada pelo Banco Central desde agosto. “É uma briga que a presidente achou por bem comprar, porque traria benefícios ao país no longo prazo”, disse à agência Reuters uma das fontes. Assessores do governo buscavam uma nova marca para a gestão Dilma desde o final do ano passado. O Brasil Sem Misé-

ria, símbolo inicial e que, segundo assessores não será abandonado, atingiu pouco a classe média e ainda trazia a forte memória do governo Lula e o Bolsa Família. No início do ano, a presidente discutiu com seus conselheiros dar maior status para a área de tecnologia e inovação, fazendo do programa Ciência Sem Fronteiras, que levará 100 mil estudantes ao exterior, uma marca do segundo ano de mandato, revelou um assessor. Mas, além do alcance limitado do programa, pesquisas mostravam que está na economia o fator preponderante para o bem-estar da população e onde está calcada a aprovação recorde do governo, que bateu em 64% em abril, segundo pesquisa Datafolha. Lula esteve entre os entusiastas da ideia de o governo usar seu capital político e alta aprovação para promover uma mudança estrutural na economia que abrisse espaço para os juros caírem --permitindo que Dilma cumprisse promessa de campanha feita

DIVULGAÇÃO

no início de 2010, quando disse que gostaria de baixar a taxa real de juros básica para “perto de 3%, mas sem fazer mágica”. Poupança A equipe da presidente tem explorado uma faceta revelada ainda na campanha presidencial, quando pesquisas identificaram que eleitores viam em Dilma uma mulher ousada e corajosa. Os bons resultados da imagem da presidente que “faxina” colaboradores envolvidos em denúncias, ou que não negocia no “toma lá, dá cá” do Congresso, deram o aval para que novas medidas de risco, como a mudança na poupança, entrassem nos planos. A nova medida fez com que Dilma acabasse por modificar regras que seu antecessor desejou mexer, no final de governo, mas desistiu por achar o custo político muito alto. Em 2009, já com Guido Mantega na Fazenda, Lula planejou enviar ao Congresso um projeto que taxava depósitos acima de R$ 50 mil com Imposto de

O ministro Guido Mantega e a presidente Dilma Rousseff, que defendem a redução dos juros

Renda. Desistiu, entre outros motivos, para garantir a eleição de Dilma. Desta vez, a avaliação foi de que valia a pena pagar os custos políticos ou eleitorais de uma medida à primeira vista impopular. Mas o governo tomou mais precauções do que de costume. O núcleo econômico fechou a proposta, mas fez o anúncio a partir de encontros em

Grupo de Cachoeira tentou interferir em habeas corpus I nterceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal no curso da Operação Monte Carlo indicam que um dos principais colaboradores de Carlinhos Cachoeira, Gleyb Ferreira da Cruz, tentou interferir no Supremo Tribunal Federal (STF) para tirar da prisão um prefeito de um município do Tocantins. A meta era libertar o prefeito de Piraquê, Olavo Júlio Macedo (PPS), acusado de ter feito um acordo fraudulento com empréstimos consignados que o beneficiou. Na tarde de 9 de junho do ano passado, o integrante do grupo de Cachoeira trocou uma série de telefonemas com Eney Curado Byron, identificado pela PF como advogado, pedindo-lhe informações sobre o habeas corpus impetrado no Supremo naquele mesmo dia. O recurso, que pedia a liberdade de Macedo, havia sido distribuído para o ministro Gilmar Mendes. O prefeito de Piraquê havia sido afastado do cargo e preso por decisão da

Justiça. A prefeitura firmou um convênio com um banco para oferecer empréstimos consignados aos servidores do município. Posteriormente, segundo o MP, Macedo elevou o teto da margem do crédito consignado que ele poderia tomar emprestado de 30% (máximo permitido em lei) para 50%. Ele contraiu empréstimos e as investigações descobriram que os débitos não foram pagos, supostamente de forma proposital. O banco entrou com ação na Justiça para reaver a dívida. Coube à prefeitura assumir os débitos de Macedo, após um acordo homologado judicialmente. Às 15h30 daquele dia, Gleyb disse, em telefonema a um interlocutor não identificado pela PF, que estava no Senado para se encontrar com Demóstenes Torres, então no DEM e hoje sem partido, suspeito de envolvimento com Cachoeira. Às 16h44, o integrante do grupo de Cachoeira afirmou, em nova ligação, que iria passar em um ministério e no

Supremo. Um minuto depois, Gleyb pergunta, numa ligação para Eney, se há “mais alguma coisa” para conversar. O advogado responde que é preciso manter contato no Supremo, visando liberar o prefeito cujo habeas corpus estava com Gilmar Mendes. As escutas telefônicas não apontam se Macedo estaria envolvido com o esquema de jogos ilegais montado por Cachoeira nem qual seria o interesse de Gleyb em libertá-lo. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o ministro do STF disse que não recebeu ou que seu gabinete tenha tido qualquer pedido para receber Gleyb, Demóstenes ou outra pessoa interessada em falar sobre o habeas corpus. Gilmar Mendes arquivou o pedido de libertação do prefeito no dia 29 de junho. Na decisão, Mendes entendeu que a investigação contra Macedo começou a partir de portaria da Polícia Civil estadual e não por vontade própria do MP, como questionava a defesa. O ministro ressaltou na decisão que o STF ainda não firmou uma palavra final sobre o poder de investigação do Ministério Público. Ele também ressaltou que o habeas cor-

pus não é caso flagrante de “hipótese de constrangimento ilegal”. Em 5 de dezembro passado, o ministro do STF rejeitou um segundo habeas corpus da defesa do prefeito que tentava, na ocasião, voltar ao cargo. O Tribunal de Justiça tocantinense havia libertado Macedo. A assessoria do ministro do Supremo fez um levantamento em que aponta que, em todos os seis processos de Eney que foram para o seu gabinete, Mendes deu decisões desfavoráveis. Esta é a segunda vez que pessoas ligadas a Cachoeira aparecem em grampos telefônicos comentando casos que estão nas mãos Mendes. No final de semana passado, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que o senador Demóstenes Torres e Cachoeira comemoraram uma decisão do ministro de trazer para o Supremo uma ação bilionária envolvendo a Companhia Energética de Goiás (Celg). Demóstenes é suspeito de usar o mandato em benefício do contraventor. Gilmar disse que não conversou com o senador sobre o processo e que tomou uma decisão técnica, porque nos casos de conflito entre a União e o Estado, é competência do STF atuar.

que ouviu políticos, empresários e sindicalistas, além da imprensa. Viu-se, nos últimos dias, a presidente tomar mais cuidados do que costuma ter ao escolher seus ministros, trocar líderes ou diretores de estatais: consultou integrantes de governo, chamou líderes aliados, fez um agrado aos sindicatos indicando Brizola Neto como minis-

tro do Trabalho e buscou apoio do empresariado, historicamente crítico dos juros altos. O ministro da Fazenda trabalhou em outra trincheira: chamou um número pequeno de jornalistas para explicar as medidas, em sinal de que o governo queria evitar a repercussão negativa ou “desinformada”, como classificou outra fonte do governo.

BC quer estimular acesso da população ao microcrédito

O

governo quer discutir a regulamentação e o acesso da população a mais produtos financeiros como microcrédito, microsseguros e poupança por meio de previdência complementar. Na avaliação do chefe do Departamento de Normas do Banco Central (BC), Sérgio Odilon dos Anjos, o Brasil avançou no acesso da população a contas bancárias, ao crédito e a outros serviços oferecidos pelos bancos. Ele destacou que atualmente todos os municípios do país têm agências bancárias ou correspondentes, mas é preciso disseminar outros produtos que permitem a inclusão financeira. “As pessoas que querem ingressar no sistema financeiro têm todas as condições. O que a gente precisa é ampliar um pouco esse debate para outros temas que também dizem respeito à inclusão. A inclusão não é só financeira, não é só conta-corrente, nem só crédito. É microsseguro, mercado de capitais e é previdência”, disse Odilon. No último dia 27, o Comitê de Regulação e Fiscalização dos Mercados Financeiro, de Capitais, de Seguros, de Previdência e Capitalização (Coremec) aprovou a criação de um Subcomitê de Inclusão Financeira. A ideia é fazer propostas para a regulamentação da inclusão financeira, por meio desse subcomitê formado pelo BC, pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Superintendência de Seguros Privados (Susep) e Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc). Segundo o BC, o objetivo é compartilhar informações entre esses

órgãos, desenvolver instrumentos de microfinanças e aumentar o acesso à economia formal. De acordo com Odilon, com o subcomitê, os reguladores podem “conversar e fazer com que se traga alguma coisa mais consistente de melhoria nesse processo de inclusão financeira”. Além das discussões internas do subcomitê, na próxima quarta-feira (9), o BC promove, em parceria com outros órgãos públicos e o Sebrae, um seminário em Brasília, que também terá como tema a inclusão financeira. No evento, será lançado, o Plano para o Fortalecimento do Ambiente Institucional da Parceria Nacional de Inclusão Financeira. Essa parceria foi lançada no final do ano passado e envolve órgãos do governo para intercâmbio de conhecimento e para desenvolvimento de ações de inclusão e educação financeira, além de proteção ao consumidor. No evento, será debatido não somente a inclusão financeira da população, mas também o incentivo às micro e pequenas empresas. Na avaliação do Sebrae, é preciso melhorar o volume de crédito e as taxas para esse segmento, “evoluir na questão das garantias” e “reduzir a assimetria de informações, que inibe o acesso dos pequenos negócios aos financiamentos”. Além dos representantes do governo e do Sebrae, o evento contará com a participação da princesa da Holanda Máxima Zorreguieta. Ela desenvolve ações de fomento ao empreendedorismo e a microfinanças. (Agência Brasil)


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

A7


CadernoB

DiaDia

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Calçadas em Macapá: irregularidades e ocupação viram perigo para pedestres Cerca de 80% das calçadas da cidade não possuem nenhum tipo de pavimentação para facilitar tráfego de pedestres

O

cupar o passeio público se transformou em uma prática comum em Macapá, onde ambulantes, lanchonetes, veículos e obras irregulares ocupam o que era para ser área de passagem de pedestres e cadeirantes. Sem uma fiscalização atuante e uma política pública voltada para a normalização, e com isso, a capital é o retrato da falta de organização urbanística. Vários exemplos são destacados: Rua Mato Grosso, Avenida Padre Júlio, Rua Santos Dumont, Rua Hamilton Silva, Guanabara, Eliezer Levy, Tiradentes. Calçadas para os pedestres não existe, e a única forma é se arriscando caminhado lado a lado com os veículos. “Eu moro há vinte anos aqui na Mato Grosso e nada muda, já vi muita gente sendo atropelado por andar na beira da pista. Informaram que iriam fazer uma revitalização e ampliação, mas até agora nada”, conta Deusuite Amoras, moradora do Pa-

FOTOS HEVERTON MENDES

coval. Mato Grosso Na Rua Mato Grosso, no bairro Pacoval, é uma das vias mais movimentadas da capital, porém, sua estrutura é precária. Principal via de acesso de moradores da zona norte para o centro, mantém uma estrutura ultrapassada, escassa de calçadas, ciclovias e sinalização. De acordo com informações, a mesma foi projetada para ser via modelo de Macapá, no primeiro ano de gestão de Roberto Góes. Entretanto, a única mudança foi a instalação de dois semáforos e a construção do meio fio. Para moradores, as mudanças são pífias, uma vez que não oferece nenhuma segurança. O asfalto é completamente irregular, e há anos só recebe asfalto da Operação Tapa Buracos. Para os motoristas, cada trecho da via é considerada como um obstáculo a ser superado. Em todo trajeto existem desvios, onde o risco de acidentes

Carros, motos, e clientes em frente à uma lotérica se aglomeram em meio à calçada dificultando de quem precisa se deslocar pela via

e atropelamento são fatos reais no decorrer do dia a dia.

Nesta esquina, a situação é mais grave: os carros estacionam sobre as calçadas forçando os pedestres a trafegar pelo acostamento

Dificuldades Embora o poder público estipule regras para a construção de calçadas e disponibilize material informativo para orientar os proprietários de imóveis sobre o passeio público, ainda são muitos os obstáculos para um caminhar seguro e acessível. Buracos, pedras soltas, desníveis, uso de pisos escorregadios são alguns dos exemplos que diariamente vitimam pedestres menos atentos ou os mais vulneráveis a tropeços, quedas e até mesmo fraturas. A Secretaria de Manutenção Urbanística (Semur) é a responsável pela fiscalização do passeio público. A última ação aconteceu em março, no centro da cidade. A idéia, segundo Eraldo Trindade, é garantir que as pessoas possam transitar com segurança nas calçadas do centro comercial. A fisca-

des no uso das calçadas. “Nossa intenção é devolver o passeio público a calçada para o pedestre. Não vem sendo uma tarefa fácil, mas daremos continuidade nestas ações”, frisou o secretário Eraldo Trindade. As revendedoras de veículos são apontadas como um dos principais obstáculos a ser enfrentados. As ações fiscalizadoras já multaram uma loja mais de dez vezes por obstruir o passeio público com os seus veículos. No levantamento feito pelo órgão, as concessionárias de veículos e motos são as que mais cometem essas irregularidades. Contudo, as fiscalizações deram uma pausa. Durante as ações, todo veículo que era flagrado estacionado em cima das calçadas era apreendido e rebocado para o pátio da Semur. Para cada veículo rebocado o proprietário tinha que desembolsar R$1.500,00 por carro, além da assinatura de um termo de compromisso.

gem de pedestres. A arborização alinhada, com espaço para as raízes, também é essencial. Caso não haja essa conformi-

Comércio, propagandas e construções Vários estabelecimentos comerciais expõem seus produtos nas calçadas, impedindo assim a passagem de pedestres. As lojas de materiais de construção são as mais destacadas. É possível identificar inúmeras lojas que não respeitam a lei municipal. De acordo com informações, a fragilidade de uma ação fiscalizadora permanente é considerada como um incentivo para os empresários. Caixas d’água, telhas, sacas de cimento, carrinhos de mão e até mesmo lanchas são expostas nas calçadas. “Isso é comum, não existe uma fiscalização que multe esses empresários, mas o ambulante e o microempresário são multados constantemente por expor uma simples caixa”, ressalta o comerciante Leandro Sá. As distribuidoras de bebidas seguem a mesma linha. Grades de cerveja e de refrigerantes são colocadas sem nenhuma preocupação pelos proprie-

lização também tem a missão de frear o combate à pirataria, com a presença dos vendedores ambulantes que não têm autorização para trabalhar nas calçadas e praças. Eraldo enfatiza que a Lei Municipal nº 027 proíbe a utilização de calçadas para exposição e divulgação de mercadorias e serviços. Mesmo com as fiscalizações em ação, a lei não é seguida a risca. Em vários pontos da cidade, é comum identificar bancas de revistas, lanchonetes, carinhos de lanche, bancas de bombons ocupando as calçadas. “Se tem que ter fiscalização, tem que fiscalizar todos. A perseguição com os ambulantes do centro já é comum, mas a Semur deveria visitar outros locais que estão ocupando as calçadas”, informou Aldemir Araujo. Para a Semur, o centro de Macapá é uma área de intenso comércio e fluxo de pessoas, mas também com maior incidência de irregularida-

tários. Oficinas de carros e bicicleta, casa de rações, lavagem de autos, lojas de confecções, sapatarias e até mesmo as placas de publicidade executam as irregularidades sem nenhuma preocupação. No caso de publicidade, a colocação de faixas, placas, cavaletes e outros tipos de meios de promoção em passeio público, zonas especiais de proteção ou utilizando equipamentos públicos como postes ou qualquer outro mobiliário urbano são todas irregulares. Padronização Como meio para a circulação, as calçadas cumprem o papel de proteger os pedestres que nela trafegam. Daí a importância de um poder público fiscalizador, que notifique donos de imóveis frente à necessidade de adequação do calçamento e de proprietários conscientes, que ponham fim à situação de risco que uma calçada mal conservada pode ocasionar. Para saber se uma calçada está em boas condi-

Neste caso, a fiscalização parece estar bem longe do local, pois os carros tomaram conta da calçada de uma loja

ções, basta verificar se não existem desníveis, como degraus, buracos, pedras soltas ou outros obstáculos para a passa-

dade, o ideal é procurar o poder público para orientação de como proceder com uma reforma que assegure o trânsito livre.


JD

Polícia

Macapá-AP, domingo e segunda, 25 e 26 de março de 2012

B2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Caso Konish: dois anos de um triplo assassinato Até hoje, o único acusado do triplo homicídio aguarda julgamento. Há controvérsias apontadas pela defesa ALYNE KAISER Da Redação

N

inguém esquece a cena do dia 10 de maio de 2010: A empregada chega na residência dos Konish, no bairro Jardim Marco Zero e ao entrar pela porta traseira, vê a casa toda revirada e muito sangue. Dentro do quarto a pior parte do sinistro: Caroline estava de bruços, junto com Marcelo, mortos. Não muito longe dali a pequena Vitória, de apenas 11 anos, toda ensangüentada. O crime que repercutiu naquele maio, mês das mães, deve mobilizar toda a sociedade amapaense no dia 21 deste mês, quando Wellington Luis Raad Costa, de 21 anos, deve ser julgado. Ele confessou ter assassinado a mãe Caroline Camargo, de 35 anos, e os dois filhos, Vitória Konishi, de 11anos, e Marcelo Konishi, de 17. Os corpos, que foram encontrados somente na manhã do dia seguinte estavam com ferimentos à faca. Só a pequena Vitória tinha mais de 40 facadas pelo corpo.

Em 2011, um pedido de exame de sanidade mental foi feito a pedido da defesa. Deu negativo. Na época do crime, Wellington se mostrava como um dos maiores amigos de Marcelo e íntimo da família Todo o processo No dia 21 de maio de 2010 Wellington foi indiciado pelo triplo assassinato. A primeira fase da investigação foi concluída e apresentada pela Polícia Civil, pela Promotoria de Investigações Cíveis e Criminais (PICC) e pela Polícia Técnico-Científica (Politec) para a imprensa. Naquele dia, a polícia apresentou a fotografia do acusado, e a dinâmica de como as investigações transcorreram. Todo o percurso feito por Wellington no dia do crime foi mostrado. Segundo a polícia, após cometer o crime, Wellington foi lanchar com a namorada e mais uma amiga. As duas sentiram um forte odor de “pitiú de sangue” vindo do corpo do rapaz. Ele também foi visto com o celular que pertencia a

pequena Vitória. Quatro dias após o crime, a polícia conseguiu encontrar alguns bens retirados da casa de Caroline, que foram jogados em um bueiro da avenida 1º de maio. Para chegar até o assassino, faltava pouco. A namorada de Marcelo contou que ligou para o namorado e ele mesmo disse que o amigo estava na casa. Ela iria dormir naquele dia no local, mas ao sair da faculdade, foi para a casa dos pais. Dani estava grávida e Wellington estaria ajudando o casal a encontrar uma casa para alugar. Depois de ser chamado para interrogatório, por ser melhor amigo de Marcelo e freqüentar a casa, Wellington acabou confessando. Ele mesmo contou à polícia que agiu sozinho e não sabia porque estava fazendo aquilo. Ele estava com ferimentos nas mãos. Quando questionado do ferimento, disse ter sofrido um assalto em sua residência. Ainda depois, a Politec apresentou exame preliminar informando que fo-

ram encontrados diversos fragmentos da presença de Wellington no local do crime. Impressões digitais e a palma da mão do rapaz estavam nas paredes. A prisão preventiva foi pedida e o juiz plantonista a decretou. Após interrogatório o jovem acusado disse não lembrar os detalhes do crime. Cinco dias após o crime,. Ele foi levado na casa de Carol para que tentasse lembrar detalhes, que foram supostamente esquecidos. Não lembrou. Ele responderá como incurso no artigo 121, § 2º, inciso III(emprego de tortura e meio cruel) e IV(a traição e com uso de recursos que tornaram impossível a defesa das vítimas) combinado com artigo 61, inciso II, letra “h”(contra criança) e 69 (por três vezes) todos dispositivos do Código Penal. No dia 17 de maio a namorada de Wellington, amiga da namorada e mãe desta amiga foram ouvidas. As três afirmaram que encontraram Wellington por volta das 23h30 da segunda-feirae que Wellington ofereceu

para a namorada o celular que era idêntico ao de Vitória. As duas testemunhas também afirmaram que no dia que os corpos foram encontrados elas viram uma mochila cargueira, de cor rosa e lilás no carro dele. Ao ser questionado, ele falou: “Larga isso daí que não é meu”. A polícia ainda encontrou dentro da cômoda do quarto um adaptador de cartão com um microchip, com vídeos de Caroline Camargo. Defesa O advogado de defesa do réu, Maurício Pereira, não aprova a data do julgamento e diz que há um pré julgamento do crime, porque o mês de maio é um momento muito delicado para que o julgamento aconteça. “O juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri colocou em parte na ótica da defesa maneira imatura, porque a sentença de denúncia sequer transitou em julgamento”, disse Maurício. Ele lembrou que no mês de maio, em que o fato

está completando dois anos do assassinato, isso pode se tornar prejudicial ao réu, desfavorável ao constituinte. “Pedimos que o julgamento fosse transferido para o mês de junho, mas o pedido não foi acatado”, disse ele. Maurício afirmou que “o julgamento no mês de maio, talvez pode ter sido colocado para dar uma satisfação a opinião pública”. Na época, em entrevista ao JDia, o promotor Eli Pinheiro, afirmou que dois pedidos de hábeas corpus foram negados pelo juiz Luiz Nazareno Hausseller. O último em dezembro de 2010. Raad ficou preso no centro de custódia do bairro Novo Horizonte após ter cometido o crime e foi transferido para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) no mês de outubro de 2010. O acusado está sozinho em uma cela especial daquele complexo penitenciário. A pedido do TJAP, o Iapen foi recomendado para que Wellington ficasse isolado dos outros presos.

Polícia Civil captura quadrilha de assaltantes em Santarém AGÊNCIA PARÁ Fonte

P

oliciais civis desarticularam uma quadrilha especializada em roubos na última sexta-feira, em Santarém, oeste do Pará. Os cinco homens tiveram mandados de prisão preventiva decretados pela Justiça pela autoria de crimes ocorridos em março e abril deste ano. No momento do cumprimento das ordens judiciais, a equipe policial apreendeu drogas, uma arma de fogo, motocicletas e outros objetos roubados. A quadrilha era formada por Leandro Soares da Silva, conhecido como “Léo”, 24 anos; Paulo Simão Jati, de apelido “Paulo Gay”, 27; André de Sousa Pantoja, 23, de

apelidos “Andrezinho” e “Cebola”; Anderson Bianchi dos Santos, de apelido “Louro”, 23, e Natanael Pantoja de Almeida, 24, conhecido por “Natan” ou “Xirico”. A operação policial foi comandada pela superintendência da Polícia Civil do Baixo e Médio Amazonas. Os objetos apreendidos estavam na casa de “Andrezinho”, onde também havia um revólver. Durante revista no imóvel, havia porções de pasta de cocaína que passariam pelo processo de fragmentação e embalagem para confecção das chamadas “petecas” colocadas à venda. Motocicletas roubadas e outros objetos também foram apreendidos. Para o delegado Gilberto Aguiar, a quadrilha é responsável

por uma série de crimes praticados com extrema violência. “Temos informações de que mais de seis pessoas participavam dos roubos, com auxilio de motocicletas de apoio, e subtraíam das vitimas principalmente joias e dinheiro em espécie”, detalha. As investigações foram feitas pela equipe de operações da 16ª Seccional Urbana da Polícia Civil em Santarém. As ordens judiciais foram expedidas pela 4ª Vara Criminal de Santarém. Um dos integrantes do bando permanece foragido, pois não foi encontrado na cidade. Para Gilberto Aguiar, as prisões resultaram da produção de investigações e de ações de inteligência usadas para o combate a crimes na região.

POLÍCIA CIVIL

Os policiais civis prenderam os assaltantes depois que a 4a Vara Criminal de Santarém expediu os mandados

Operação “Segurança sem Limites” contabiliza mais de duas mil abordagens AGÊNCIA PARÁ Fonte

U

m dia após o início da Operação Segurança sem Limites, realizada simultaneamente em 17 pontos de fronteiras no Pará, foram registradas 2.132 abordagens, 22 apreensões e lavrados 19 autos de infração. O balanço parcial da operação, que integra órgãos estaduais e federais, foi divulgado na tarde desta sexta-feira (4), pelos coordenadores, em entrevista coletiva realizada na Delegacia Geral de Polícia Civil. “Por conta da dimensão da operação, que atinge 17 pontos do Estado, alguns dados ainda não foram computados”, ressaltou Antônio Farias, secretário Adjunto de Inteligência e Análise Criminal, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup). O objetivo da operação é fortalecer o enfrentamento a crimes como contrabando, tráfico de entorpecentes, pirataria, tráfico de armas de fogo, munições e explosivos, evasão de divisas, crimes

ambientais, desmatamento ilegal, comercialização ilegal de veículos e de madeira, e ainda reforçar o bloqueio e a desarticulação da logística do crime organizado. Os números das primeiras 24 horas da Operação Segurança sem Limites foram apresentados pelo secretário Adjunto de Inteligência, nas presenças do delegado Silvio Maués, diretor de Polícia do Interior; delegado João Bosco, diretor de Polícia Especializada; coronel Walci Queiroz, subcomandante geral da Polícia Militar, e do comandante do Comando de Missões Especiais, coronel Lázaro Saraiva. Fiscalização Segundo Antônio Farias, a Operação Segurança sem Limites foi articulada desde 2011, com a finalidade de estabelecer um padrão de fiscalização, articulado entre órgãos federais e estaduais, para ampliar a capacidade de ação no Estado. “O objetivo é o combate ao crime organizado, para dar mais segurança à população”, enfatizou.

Esta primeira fase da operação reúne 15 órgãos públicos, com mais de 500 pessoas envolvidas diretamente nas abordagens. O delegado Sílvio Maués disse que a união entre órgãos como a Secretaria de Meio Ambiente (Sema), Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), Marinha do Brasil e Receita Federal, torna o Estado mais eficiente no combate ao crime. “Esta primeira fase está muito positiva”, ressaltou. A fiscalização ambiental no município de Óbidos flagrou cinco indivíduos com assinatura falsificada em documentação, destinada à retirada ilegal de madeira apreendida anteriormente pela Sema, e que estava sob a custódia da Secretaria Municipal de Meio Ambiente do município. A Sema lavrou o auto de infração e a Polícia Civil tomou as demais providências. No município de Abaetetuba, um auto de infração foi lavrado contra a Prefeitura, responsável pela realização do 9º Fes-

POLÍCIA CIVIL

As informações traçam um retrato parcial das primeiras 24 horas de trabalho integrado

tival do Miriti, devido à presença, nos cardápios das barracas de venda de comidas típicas, de pratos à base de carne de capiva-

ra. No posto fiscal de Itinga foi apreendido um caminhão com 20 metros cúbicos de madeira serrada, com a Guia Florestal

mostrando itinerário incompatível com o percurso da carga. (Com informações da Assessoria de Imprensa da Sema).


JD

DiaDia

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

B3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Urbanitários cobram participação nas discussões da federalização da CEA Negociações entre a CEA e o Ministério de Minas e Energia não estaria incluindo os servidores da Companhia

ANDERSON CALANDRINI Da Redação

D

esde o segundo semestre do ano passado muito se discutiu sobre à federalização da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), assunto que tem sido o principal motivo de desavenças entre o Sindicato dos Urbanitários (Stiuap) e o presidente da Companhia, José Ramalho. Atualmente o assunto ficou esquecido, principalmente por conta do baixo número de informações que são repassadas. Na manhã da última sexta-feira, o assunto foi mais vez levantada pelo presidente do Stiuap, Audrey Cardoso, que afirmou que não houve mudanças, pois as dividas que impedem o procedimento continuam e a federalização continua no papel. “O que percebemos é que o presidente da Companhia está trabalhando só a mídia da federalização, porém em

termos concretos nada saiu do papel, e os problemas da companhia continuam”, explicou Audrey. Segundo os urbanitários, a falta de informações também dificulta a categoria solicitarsuas reivindicações, uma vez que a promessa da federalização só vem adianto os diálogos entre a diretoria da CEA e o sindicato que representa a classe. Audrey enfatiza que já ouviu até que os problemas serão discutidos após a federalização, porém as demandas não podem esperar. O sindicalista afirma ainda que os pedidos em decorrência da infraestrutura precária de trabalho são desprezadas pela direção. “Em relação a mudança de poderes dentro da CEA, ou seja, a federalização não tem nada a ver com nossos pedidos atuais”, explicou o presidente. Governo Federal O atual ponto de debate

são as negociações entre a CEA e o Ministério de Minas e Energia, que está representando o Governo Federal na negociação.A federalização passará a ser o acionista majoritário na Companhia, fato que o leva a fazer uma série de exigências, antes da tomada de decisão. A categoria assegura que poucas informações estão sendo repassadas, uma vez que a diretoria da Companhia está reunindo constantemente com representantes do Governo Federal. Embora o assunto seja de ordem pública, nenhuma informação sobre os acordos foi divulgada. Audrey define que a única informação que tinha em mãos era o fato da presidenta Dilma ter vetado o pedido do GEA em 47% das ações da Companhia. O Governo Federal acrescentou que o modelo de federalização da CEA não pode ser igual ao de

HEVERTON MENDES

Presidente do Stiuap, Audrey Cardoso, afirmou que não houve mudanças

outras companhias do Centro-Sul do país, uma vez que a realidade na Amazônia é bem diferen-

te. A perda de energia referente a ligações clandestinas recebeu forte criticas da presidenta. Na

gestão passada, as perdas chegaram a atingir 40% de toda a energia distribuída pela empresa.

Servidores do Iapen não aceitam proposta do governo

A

equipe de gestão estratégica do Governo do Estado do Amapá (GEA) esteve reunida com representantes do Sindicato dos Agentes Penitenciários e Educadores do Amapá (Sinapen) para negociar termos e reajustes salariais pela data-base, período do ano em que as instituições e trabalhadores se juntam para re-

ver contratos coletivos de trabalho. Porém, no final da tarde de ontem, a reunião foi concluída sem um consenso, pois os agentes penitenciários não aceitaram a proposta de apresentada. Dessa forma, as paralisações devem continuar na instituição. O encontro, que aconteceu na sala de reuniões

da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Tesouro (Seplan), contou com a presença dos secretários de Estado da Segurança Pública, Marcos Roberto Marques; da Seplan, Juliano Del Castilo; da Administração, Maria Luiza Picanço; do chefe de Gabinete Civil, Kelson Vaz, além do presidente do Sinapen, Alexandro Soa-

res de Oliveira e representantes de agentes e educadores penitenciários. Após algumas rodadas de negociações e análise atenciosa dos membros da equipe de gestão do governo, o Sinapen recebeu uma proposta de aumento, no total de 13,15% de reajuste no salário base, o que equivale a um acréscimo de R$

390,00 no salário dos servidores. “Estamos trabalhando e ouvindo todas as categorias que compõem os quadros do Estado, para chegarmos a uma proposta favorável e satisfatória. Hoje, foi a vez do Sinapen. Sabemos das necessidades deles e estamos sensíveis as solicitações”, explicou Juliano Del Castilo.

Na ocasião, o secretário da Sejusp destacou que a proposta do governo é excelente, uma vez que é um pedido antigo dos servidores e ainda a maior dos últimos anos. Outro encontro será marcado, onde serão discutidos pelo GEA e Sinapen os detalhes e divulgada a decisão da categoria a respeito do reajuste salarial.

Ação Global atendeu cerca de 30 mil pessoas no bairro Cidade Nova I ANDERSON CALANDRINI Da Redação

N

a manhã do último sábado Sesi e a Rede Globo, com seus 85 parceiros realizaram a 19ª Ação Global, que tem por intuito oferecer vários serviços de cunho jurídico, hospitalar e de lazer para a população brasileira. Nesse ano ação foi realizada na Escola Maria Ivone de Menezes, no bairro Cidade de Nova, para que os serviços estivessem mais próximos

da população que de acordo com um estudo socioeconômico é uma das mais carentes da Capital. Segundo a organização a média de visitantes foi de 55 mil pessoas, e que os atendimentos chegaram a cerca de 30 mil pessoas, que receberam serviços como: corte de cabelo, emissão de documentos (RG e CNT), distribuição de preservativos e orientações sexuais, atendimentos dentários e campeonatos de vôlei, basquete e o tradicional futlama.

FOTOS HEVERTON MENDES

“Há dois anos estamos descentralizando a ação da sede do Sesi, pois entendemos que o serviço deve ser itinerante para que assim possa atender o maior número de pessoas” explicou Isaias Matias, representante da Fieap. Parcerias: As parcerias com vários setores da sociedade são imprescindíveis para a realização do programa, diz coordenadora estadual da Ação Global, Luciene Silva. “O

Segundo a organização a média de visitantes foi de 55 mil pessoas e atendimentos chegaram a 30 mil

Atendimento odontológico foi um dos serviçoes prestados na 19ª Ação Global, no bairro Cidade Nova I

envolvimento de todos é muito importante, porque as carências são diversificadas e cada instituição que participa supre uma necessidade que o usuário do programa tem”, explica. Na ocasião, o Hemoap disponibilizou a sua unidade móvel com os serviços de cadastramento no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome). Os técnicos da instituição ainda tiraram as dúvidas da população a respeito da doação de sangue. O que é a Ação Global? (Site do Evento)

Ação Global é um projeto do SESI e da Rede Globo, criado em 1995, para prestar serviços gratuitos à população. O evento acontece uma vez por ano, num único dia, em todo Brasil. No Rio de Janeiro e em São Paulo, também são promovidas edições regionais, ao longo do ano. Através da mobilização de instituições parceiras, públicas e privadas, e da convocação de profissionais voluntários, a Ação Global forma uma rede de atendimento que oferece serviços gratuitos de documentação, saúde

preventiva, educação, esporte e lazer, porta de entrada para a cidadania e todos os direitos associados a ela. Possuir documentação básica é o primeiro passo para que o cidadão tenha acesso a uma série de benefícios concedidos pela administração pública, tal como atendimento gratuito de saúde e acesso à rede de ensino público. Neste sentido, a Ação Global tem colaborado, ao longo de suas 19 edições, para a inclusão social e o crescimento pessoal de milhões de brasileiros.

Sargentos do Corpo de Bombeiros participam de aula de aperfeiçoamento

O

Corpo de Bombeiros Militar do Amapá realizará nesta segunda-feira, 7, a aula inaugural do Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos (CAS/2012) para trinta e três 2º sargentos

do quadro de praças combatentes. Segundo o tenente BM Matheus, chefe da Divisão de Capacitação de Recursos Humanos do CBM/AP, “a finalidade do curso é aprimorar os co-

nhecimentos do 2º Sargento BM nas áreas técnico-profissionais do CBMAP, capacitando-os e habilitando-os para o desempenho das funções de 1º Sargento, Subtenente e Oficial do

Quadro Oficiais da Administração (QOA) Bombeiro Militar, conforme a previsão legal”. Durante a realização do CAS/2012, os alunos serão instruídos nas diversas áreas de atuação do

CBM/AP, tais como operações bombeiro militar, sistema de comando de incidentes, gerenciamento de crise, além de vistorias técnicas. O CAS iniciará na segunda-feira e terá dura-

ção de dois meses, em período integral, no Comando Geral do CBM/AP e na Academia Integrada de Formação e Aperfeiçoamento (AIFA), totalizando uma carga horária de 400 horas/aula.


DiaDia

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

B4

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Justiça Eleitoral faz plantão neste fim de semana para emitir títulos de eleitor Prazo também é válido para os eleitores que querem alterar o local de votação e para os deficientes e idosos AGÊNCIA BRASIL Da Redação

P

ara facilitar a vida dos cidadãos que têm pendências em relação ao título de eleitor, a Justiça Eleitoral de 22 estados do país atuará em regime de plantão neste fim de semana. O prazo para a regularização de pendências na Justiça Eleitoral vai até a próxima quarta-feira (9). O prazo também é válido para os eleitores que querem alterar o local de votação e para os deficientes e idosos que desejam se transferir para uma seção especial, com melhor acesso. Para fazer qualquer procedimento relativo ao título, basta procurar o cartório eleitoral mais próximo, e não necessariamente o cartório onde o título foi emitido. Segundo informações divulgadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os estados onde haverá plantão no fim de semana são o Acre, Amazonas, Amapá, a Bahia, o Ceará,

Espírito Santo, Goiás, o Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, a Paraíba, o Paraná, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e o Tocantins. Cada estado criou regras próprias para o regime de plantão e é possível que em um mesmo estado haja variação no atendimento de cartório para cartório. Em alguns casos, o plantão ficará restrito às capitais. A Justiça Eleitoral oferece um serviço de pré-atendimento na página Título Net, por meio da opção Eleitor - Pré-Atendimento Eleitoral. Com os dados preenchidos, basta comparecer ao cartório mais próximo levando os documentos necessários para receber o título. Cidadãos interessados em tirar o título pela primeira vez devem apresentar carteira de identidade, certificado de quitação com o serviço militar (no caso de ho-

DIVULGAÇÃO

Cidadãos interessados em tirar o título devem apresentar carteira de identidade, certificado de serviço militar e comprovante de residência

mem maior de 18 anos) e comprovante de residência. Carteira de habilitação e passaporte não se-

rão aceitos como documento de identificação. Quanto à transferência, basta levar o docu-

mento de identidade com foto e o comprovante do novo endereço. Mais informações po-

dem ser obtidas nos sites dos tribunais locais ou pelos telefones de atendimento ao eleitor.

Setur promove capacitação para prestadores de serviços turísticos

A

Secretaria de Estado do Turismo (Setur), por meio da Câmara Temática de Qualificação Profissional, promoverá nos dias 7 e 10 de maio, uma capacitação para os prestadores de serviços turísticos. As aulas acontecem em virtude do XXXII Congresso Brasileiro de Guias de Turismo, que acontecerá no período de 16 a 20 de maio de 2012, em Macapá. A finalidade é contribuir para que a população tenha informações sobre o evento, principalmente os prestadores de serviços turísticos. O público-alvo são taxistas, moto taxistas, recepcionistas de hotéis, funcionários de bares e restaurantes e os monito-

AGÊNCIA AMAPÁ

res dos pontos turísticos. A capacitação permitirá dialogar com os mesmos no sentido de esclarecer e socializar as informações sobre a realização do Congresso em Macapá, assim como trabalhar técnicas de qualidade no atendimento ao turista. A Setur realizará a

ação em parceria com o Sebrae/AP, Senac/AP, Sindicato das Empresas de Turismo do Estado do Amapá (Sindetur), Sindicato Estadual dos Guias de Turismo (Singtur), Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav/AP) e Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf).

Programação Data: 07/05/12 (segunda-feira) Horário: 14h às 18h Local: Sala 01 do Sebrae Público-Alvo: Monitores dos pontos turísticos - Fortaleza de São José de Macapá, Museu Joaquim Caetano da Silva e Casa do Artesão. Horário: 14h30 Local: Museu Sacaca Público-Alvo: Monitores do Museu Sacaca Data: 10/05/12 (quinta-feira) Horário: 15h às 17h - turma 01 - no Sebrae

Pronatec: primeiras turmas de qualificação profissional iniciam aulas no dia 7 de maio

Q

uatrocentos estudantes matriculados no 2º e 3º anos do ensino médio em escolas da rede estadual, em Macapá, iniciam no dia 7 de maio as aulas nos cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) oferecidos pelo Instituto Federal do Amapá (Ifap). Serão realizados dez cursos de qualificação profissional em diferentes áreas, com cerca de três meses de aulas, no câmpus Macapá, localizado na rodovia BR210, bairro Brasil Novo. Os alunos receberão bolsa no valor aproximado de R$ 200, além de kit com uniforme e material escolar básico. A aula de abertura será a partir das 8 horas, no auditório do câmpus Macapá. “Com o Pronatec, os Institutos Federais, como o Ifap, expandem a qualificação técnica aos estudantes e trabalhadores, não só com a oferta dos cursos técnicos, como também na Formação Inicial e Continuada. Nesse primeiro momento, estão sendo beneficiados os alunos da rede

estadual, que vão receber qualificação profissional em alguma área”, explica a pró-reitora de Extensão, Marialva Almeida. Jari O Ifap também vai promover o Pronatec no câmpus Laranjal do Jari, beneficiando 140 estudantes da Escola Estadual Sônia Henriques Barreto, que realizarão os cursos de Auxiliar Administrativo, Operador de MicroComputador, Agente de Desenvolvimento Socioambiental e Auxiliar de Fiscalização Ambiental. A previsão para o início das aulas é até o final do mês de maio. Contraturno Com aulas nos turmas da manhã, tarde e noite, os cursos de formação inicial e continuada do Pronatec serão realizados no contraturno da escola regular onde os estudantes estão matriculados. Ou seja, se o aluno frequenta o ensino médio regular em uma escola estadual pela manhã vai frequentar o curso do Pronatec

Aulas acontecem em virtude do XXXII Congresso Brasileiro de Guias de Turismo

Laboratório Central realiza curso de atualização em hemoparasitas

à tarde ou à noite. Os cursos oferecidos são Libras básico, Operador de caixa, Operador de computador, Auxiliar de pessoal, Auxiliar administrativo, Instalador e reparador de redes de computadores, Monitor ambiental, Agente de projetos sociais, Programador de sistemas e Inspetor escolar. Local Os estudantes beneficiados em Macapá frequentam o ensino médio em 19 escolas em Macapá cadastradas no Pronatec pela Secretaria de Estado de Educação (Seed) - Antônio Ferreira Lima Neto, Benigna Moreira Sousa, Castelo Branco, Esther da Silva Virgolino, Jesus de Nazaré, Lauro Chaves, Lucimar A. Del Castillo, Mª Cavalcante de A. Picanço, Mª do Carmo Viana dos Anjos, Mª Neusa Carmo Sousa, Maria Carmelita do Carmo, Maria Ivone de Menezes, Nilton Balieiro Machado, Paulo Melo, Raimunda dos Passos, Raimunda Virgolino, Rivanda Nazaré da S. Guimarães, Santa Inês, Sebastiana Lenir Almeida.

Está prevista para essa capacitação uma extensa programação com aulas teóricas e práticas sobre malária

O

Laboratório Central de Saúde Publica do Amapá (Lacen/AP) realizará no período de 7 a 18 de maio, mais um Curso de Atualização em Hemoparasitas. Na ocasião, serão capacitados os microscopistas dos municípios de Calçoene, Cutias do Araguari, Laranjal do Jari, Macapá, Mazagão e Santana. O curso visa fazer a atu-

alização das doenças endêmicas de importância no Estado e verificar a qualificação dos microscopistas quanto ao diagnóstico laboratorial dessas endemias. Está prevista para essa capacitação uma extensa programação com aulas teóricas e práticas sobre malária, doença de chagas e filariose, além de noções de biossegurança e uso adequado do mi-

croscópio, com entrega de material didático aos participantes. O referido curso será realizado no Laboratório Escola, localizado nas dependências do Lacen/AP, que conta com equipe especializada formada por profissionais de nível superior e médio, responsáveis pelo controle de qualidade do diagnóstico de endemias no Estado.


CadernoC

Esporte Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@hotmail.com

Decisivos nos pênaltis, Jefferson e Cavalieri comandam defesa de Bota e Flu na final Dois jogadores foram responsáveis pelas classificações do Botafogo na Copa do Brasil e do Fluminense na Taça Guanabara

A

final do Campeonato Carioca, às 16h deste domingo, colocará dois goleiros em grande fase frente à frente. Decisivos quando o assunto é pênalti, Jefferson e Diego Cavalieri comandam as defesas de Botafogo e Fluminense contra atacantes que prometem dar trabalho. No quesito penalidades, o jogador do Alvinegro leva vantagem, já que defendeu quatro contra três do Tricolor. Os dois jogadores foram responsáveis pelas classificações do Botafogo na Copa do Brasil e do Fluminense na Taça Guanabara - neste torneio, em duelo particular entre Jefferson e Cavalieri após empate no tempo normal. Se o camisa 1 do Botafogo está na frente em defesas nesta temporada, o arqueiro tricolor pode se animar na briga por, pelo menos, garantir o

empate. A fase do atacante botafoguense Loco Abreu é ruim: perdeu seis dos últimos sete pênaltis que cobrou, sendo cinco deles este ano. Cavalieri também pode lembrar do passado para se animar. Ele defendeu uma das cobranças mais importantes do uruguaio. Na semifinal da Taça Guanabara, o goleiro fez a defesa e eliminou o Alvinegro do primeiro turno. No domingo, os dois estarão em lados opostos e aparecem como rivais. Fora dos gramados, no entanto, o respeito e admiração é o que define os dois goleiros. Jefferson, por exemplo, fez questão de elogiar o rival e enalteceu o jeito tranquilo do tricolor. “O Cavalieri é um grade goleiro tem mostrado isso nos jogos do Campeonato Carioca e na Libertadores também. Admiro o Diego por ser um cara tranquilo, trabalhador e

muito concentrado. É bom para o futebol carioca ter goleiros desse nível”, disse Jefferson. O técnico do Botafogo, Oswaldo de Oliveira, seguiu a linha elogiosa. Ele foi além e disse que os dois goleiros têm condições de vestirem a camisa da seleção brasileira. treinador afirmou que um bom time se começa por um bom camisa 1 e disse que a qualidade embaixo das traves pode ser um dos motivos para as equipes disputarem a final do Carioca. “Os goleiros são incríveis, todos os dois. Os acompanho há um bom tempo, são dois goleiros de muita capacidade. A solidez das duas equipes passa primeiro por estes caras. A confiança que ele passa é muito importante. Estão muito próximos da seleção brasileira, pelo que têm apresentado”, afirmou o comandante alvinegro.

Divulgação

Decisivos quando o assunto é pênalti, Jefferson (acima) e Cavalieri comandam as defesas

Bruno pode deixar cadeia em 3 semanas Corinthians enfrenta escassez no elenco e busca uma “sombra” para Liedson e se apresentar ao Fla, diz advogado

O

A presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, não foi encontrada para comentar a possibilidade de voltar a ter Bruno ao clube, após o julgamento do habeas corpus pelos ministros do STF

O

advogado do goleiro Bruno, Rui Pimenta, promete que irá fazer com que o jogador se apresente ao Flamengo um dia depois de ser libertado, caso consiga um habeas corpus para deixar a cadeia. E, de acordo com o advogado, isto pode acontecer em breve. Rui Pimenta afirma que o Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar em até três semanas o pedido de habeas corpus para que Bruno aguarde em casa o julgamento sobre a sua participação na morte da ex-amante Eliza Samudio. “Não tenho dúvida de que seu recurso em habeas corpus será concedido pelo Supremo Tribunal Federal”, diz Rui Pimenta. “No dia seguinte à libertação, vou reapresentá-lo ao Flamengo para que seja reintegrado ao time”, promete o advogado. A promessa de reintegrar Bruno ao Flamengo tem sustentação jurídica, segundo Rui Pimenta. “O goleiro teve o contrato suspenso (e não rescindido) pelo Flamengo, após a prisão, há dois anos. Quero apresentá-lo para fazer valer as leis trabalhistas. Ele ainda tem contrato com o clube e deverá aguardar o julgamento em liberdade, seguindo o que determina a lei”.

A presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, não foi encontrada para comentar a possibilidade de voltar a ter Bruno no clube, após o julgamento do habeas corpus pelos ministros do STF. Contrato suspenso Falando pelo clube, a assessora Roberta Pinto confirmou que o contrato de Bruno está suspenso “porque o goleiro estava impossibilitado de cumpri-lo. Se for solto, falaremos diante de nova realidade”, explicou a assessora. Bruno é acusado de ter participado de sequestro, assassinato e ocultação do cadáver da ex-amante, Eliza Samudio, com quem teve um filho. Desaparecida em 2010, o corpo de Samudio até hoje não foi encontrado. O crime, segundo a Justiça, ocorreu no dia 10 de junho de 2010. Das dez pessoas envolvidas, outras cinco também foram denunciadas pela Justiça de Minas Gerais, na Comarca de Contagem, por homicídio triplamente qualificado. A pena máxima pode chegar a 30 anos de reclusão. Dos denunciados, apenas Bruno, o amigo Macarrão (Luis Henrique Romão) e o ex-policial Marcos Apareci-

do dos Santos, o Bola, permanecem presos, desde 2010. Os demais aguardam o julgamento em liberdade. “Bruno é primário, tem bons antecedentes e não apresenta risco de fugir para outro país. Essas condições são fundamentais para que ele aguarde o júri em liberdade. A lei diz isso, eu peço em nome da lei”, explicou o advogado Pimenta. Para mudar o rumo do processo, o advogado entregou o passaporte de Bruno ao STF, junto com o certificado de vacinas. “Alguns países não aceitam turistas sem certificado de vacina”, disse o advogado. O recurso (agravo de decisão) que pode libertar Bruno deve ser julgado pelo STF em até três semanas. Enquanto aguarda o momento da decisão, o advogado revela “um sonho com final feliz, envolvendo o goleiro do Flamengo”. “Ele será julgado separadamente e acredito que possa ser até absolvido pelo Tribunal do Júri, porque não mandou matar Eliza. Sonho com sua absolvição e que, livre do problema, possa continuar sua carreira e até vestir a camisa da seleção brasileira, em 2014.”

Corinthians entende que há carências no elenco para a disputa das fases finais da Libertadores. A ausência de Liedson no empate por 0 a 0 contra o Emelec reforçou a sensação de vazio no ataque. Contratado para fortalecer o setor, Elton não tem agradado e seu nome já é visto no clube como possível faturamento numa venda. A diretoria também vê poucas reposições para a defesa e para a dupla de volantes. Um novo centroavante é prioridade no Corinthians. Diego Forlán foi comunicado do interesse corintiano, mas não houve abertura de negociação. “O Forlán foi apenas uma sondagem”, destaca o diretor adjunto de futebol do Corinthians, Duílio Monteiro Alves. Sem opções para a posição de centroavante, o Corinthians estuda renovar o contrato de Liedson, que vence em julho. O atleta quer permanecer no Parque São Jorge Tite também vê problemas de escalação na defesa. Único reserva disponí-

Liedson é o principal jogador no ataque do Corinthians

vel para zaga, Marquinhos, de apenas 17 anos, foi inscrito emergencialmente para as oitavas, embora ainda seja visto com ressalvas. Os volantes Ralf e Paulinho são intocáveis no time, mas uma eventual ausência de um deles trará sérios prejuízos. O único substituto de origem é Edenilson, que teria que ser retirado da função de lateral-direito. Com a possibilidade de

inscrever mais dois jogadores, o Corinthians não deverá ter novidades na lista para a Libertadores. “O Corinthians tem olhado jovens jogadores pelo interior, mas não tem nada concreto. Acho que não teremos reforços. Nesses últimos anos trouxemos o Castán, Paulinho e Edenilson, que eram desconhecidos. E a ideia é poder se reforçar com novas revelações”, explica Duílio.

Gandula Fernanda Maia ganha aval de Botafogo e Ferj e está liberada

P

ersonagem na final da Taça Rio, quando “ajudou” o Botafogo a marcar o primeiro gol sobre o Vasco ao repor rapidamente uma bola para Maicosuel, a gandula Fernanda Maia está liberada pela Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) e pelo Alvinegro para atuar na primeira partida da decisão do Campeonato Carioca, neste domingo, às 16h, no Engenhão, contra o Fluminense. Sem restrições, apesar dos protestos realizados pelo Tricolor das Laranjeiras durante a semana, a professora de educação física só não cumprirá suas funções se optar por se ausentar na final. “Nenhum gandula que faz parte do quadro está vetado. Todos estão aptos a trabalhar. Não posso dizer se ela vai atuar. A Fer-

nanda que vai decidir, mas não existe nenhuma restrição ao seu trabalho, já que executa a reposição sempre como a federação indica. Antes do jogo, o delegado da partida conversa com oito, nove gandulas para passar as orientações. Ela está aprovada, basta aparecer para trabalhar”, explicou Marcelo Viana, diretor de competições da Ferj. Como o apoio do Engenhão não irá tirar Fernanda Maia do quadro de gandulas, Sérgio Landau, diretor executivo do Botafogo e administrador do estádio, afirmou que a Ferj tem total autonomia sobre o caso, e que a gandula poderá trabalhar normalmente. “A Ferj é sempre soberana. Somos donos do estádio até quatro horas antes do jogo. Depois, quem resolve é a federação. A gandula está liberada e vai trabalhar normalmente. Eles

têm total poder sobre isso”, encerrou. Durante a semana, Fernanda Maia foi a personagem esportiva no futebol carioca. Torcedora do Botafogo, a gandula musa participou de diversos programas de televisão e concedeu uma série de entrevistas. Caso opte por trabalhar, ela sabe que será novamente uma das atrações na primeira partida da final do Campeonato Carioca.

A gandula Fernanda Maia em ação na decisão da Taça Rio: liberada para trabalhar


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Novo elenco do Paysandu envolve diminuição de atletas Papão da Curuzu já começa a pensar no campeonato brasileiro da série C

C

om um elenco atual de 41 jogadores, a diretoria do Paysandu já planeja a redução de atletas que trabalham no profissional para a chegada de outros, que aportam com a missão de reforçar e recolocar o clube na Série B do Campeonato Brasileiro. Mas a diretoria bicolor não cometerá uma “limpeza” na Curuzu, pelo contrário, segundo Alex Lima, cortes podem acontecer sim, mas muitos dos garotos que estão treinando no elenco profissional serão remanejados para as respectivas categorias de base. “Para chegar alguns jogadores, outros também irão (embora). Mas têm jogadores de 16, 17, 18, 19 e 20 anos, então eu não posso simplesmente pegar esses atletas que hoje são um esteio do Paysandu Sport Clube e afastá-los deliberadamente. Nós vamos fazer um trabalho. É muito melhor que se mantenham esses atletas, porque eu não tenho dúvida que dentro de uma ou duas temporadas, são eles que vão honrar a camisa do Paysandu”, fala Alex Lima. Ainda técnico do Papão, Lecheva revela que independente da classificação da equipe sobre o Coritiba (PR) viesse, a atual comis-

Divulgação

Técnico do Paysandu, Lecheva não sabe se fica ainda a frente do bicolor para o campeonato brasileiro da série C.

são técnica e a diretoria já estavam com o planejamento para a Série C traçado. “Vamos ter uma conversa para dar seguimento no projeto ‘Subida para a Série B’. Já temos algumas coisas

para colocar, então até sábado (hoje) estaremos divulgando o nosso planejamento para essas três semanas antes da Série C”, conta Lecheva. Ainda de acordo com ele, para que o elenco fique

completo e em totais condições de disputar o título para competição nacional, que se inicia no dia 27 deste mês, o Papão precisa contratar, no mínimo, mais um jogador para cada posição em campo.

Volta de Ricardinho tem reaproximação de “irmão” Giba e fica sem pedido de desculpa

O

s cincos anos de ausência de Ricardinho da seleção brasileira de vôlei foram marcados por um rompimento total entre jogador e elenco. Antes do retorno oficial ao ambiente da equipe, algumas conversas, telefonemas e mensagens de texto no celular. Mas nenhum pedido de desculpas. A volta foi confirmada com o início dos treinamentos no CT de Saquarema (RJ) nesta semana e já tem uma reaproximação do levantador com o ‘irmão’ Giba.

“Eu e o Ricardo nunca tivemos problema nenhum. Sempre tivemos desavenças que acontecem entre dois irmãos. Realmente as cicatrizes ficam, mas elas se sanam. A cicatriz da minha canela também cicatrizou. Então, vamos para frente”, disse Giba, que se recupera de cirurgia após fraturar a tíbia da perna esquerda.

Divulgação

Ricardinho e Giba eram muito amigos nos tempos de seleção até o corte do levantador dois dias antes do início dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro-2007 por problemas de relacionamento. Logo após o torneio, o camisa 7 chegou a pedir para o companheiro retornar, sem sucesso. A relação entre os dois, então, ficou estremecida. Mas eles já dão sinais de reaproximação. A apresentação Giba foi o responsável por fazer a ponte entre Ricardinho e os jogadores da seleção brasileira. Os dois trocaram mensagens e telefonemas, principalmente porque o levantador estava receoso com o clima do elenco em sua recepção. Mas a relação não é a mesma de antes do corte, quando dividiam o quarto em viagens e concentrações. “Meu companheiro agora

Parceiros em muitos títulos, a dupla se reaproxima depois de muito tempo

é Mario Júnior. O Giba já está há cinco anos com Sidão também. Mas com certeza a gente vai procurar um quarto do lado do outro, que é só bater na porta”, brincou Ricardinho.

C2

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@hotmail.com

Diretoria renuncia e Luiz Omar passa mal

N

o final da noite de sexta, durante a reunião entre a comissão administrativa, membros da comissão técnica e o presidente do Paysandu, Luiz Omar Pinheiro, o clima esquentou e todo o trabalho e planejamento feito até agora para a Série C do Campeonato Brasileiro pode ir buraco abaixo. Em uma reunião conturbada, a Junta Administrativa, que é composta por cinco diretores e que comanda o departamento de futebol bicolor, deixou o cargo de gestão à disposição do presidente Luiz Omar Pinheiro. Como as principais decisões do clube vinham sendo discutidas por votação, segundo fontes, o presidente bicolor não teria aceitado o afastamento de Lecheva do comando técnico do Paysandu, acarretando no descontentamento do grupo que vem administrando o futebol do clube. Quem também aproveitou a reunião para cobrar explicações sobre declarações dadas ao final da partida da última quinta-feira, contra o Coritiba (PR), foi Lecheva.

Ao lembrar as declarações do vice-presidente Toninho Assef, Lecheva cobrou de Assef maior profissionalismo. Antes do término da reunião, Luiz Omar Pinheiro passou mal e foi conduzido ao hospital da Unimed. Segundo Jorge Luís Lopes, assessor de imprensa do Paysandu, o presidente bicolor já havia passado mal na tarde de ontem, mas somente à noite ele piorou e precisou ser atendido no hospital. O assessor de imprensa ainda informou que o mal-estar de Luiz Omar não está relacionado à reunião com os diretores do Paysandu, na Curuzu. Esta é a primeira grande crise no Paysandu este ano, mas não é a primeira entre diretoria, comissão técnica e o presidente Luiz Omar. Mas com a série C praticamente na porta, sem time definido e sem técnico, com dívidas e agora sem renda, além de uma lista extensa de jogadores para serem pagos e dispensados, é possível que o Paysandu mergulhe em tempos ruins, só menos pior do que as derrotas e eliminações.

Sport e Paysandu são multados em julgamento no STJD

S

port e Paysandu não escaparam de punições no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) em sessão na tarde da última sexta-feira, dia 4 de maio. A Quarta Comissão Disciplinar, em decisão unânime, multou o clube pernambucano em R$ 1.600, enquanto estipulou o valor de R$ 300 de multa para o Papão. A denúncia aconteceu após a partida de ida da segunda fase da Copa do Brasil, no dia 4 de abril, quando o Paysandu venceu o Sport por 2 a 1. Enquanto o Papão

se apresentou para o segundo tempo um minuto após o horário máximo estipulado, o Sport se atrasou por dois minutos. Com isso, a partida recomeçou três minutos depois do previsto. Os clubes foram punidos com base no artigo 206 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por “dar causa ao atraso da partida, ao deixar de apresentar sua equipe em campo até a hora marcada”. A punição prevista é de multa de R$ 100 a R$ 1 mil por cada minuto contabilizado.

Mayweather pega Cotto antes de cumprir pena na prisão e bate recorde de Tyson

A reaproximação com o elenco tem ocorrido de forma natural, segundo os próprios envolvidos. Não houve um pedido de desculpas de nenhuma das partes após o corte em 2007.

Blatter diz que haverá “bola eletrônica” no Mundial

A

lém de voltar a se dizer preocupado com obras do Mundial-2014, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, aproveitou passagem pelo Canadá, nesta sexta-feira, para afirmar que será adotada a tecnologia eletrônica na linha do gol nas próximas Copa das Confederações e Copa do Mundo, ambas sediadas no Brasil. Inovações A Fifa está testando atualmente dois sistemas que aferem a passagem total da bola pela linha do gol. Na Copa de 2010, um gol não marcado da Inglaterra contra a Alemanha --embora a bola tivesse claramen-

te passado das traves-causou constrangimento para a entidade. “Posso lhes dizer que a Copa do Mundo de 2014, e portanto já na nossa Copa das Confederações em 2013, vamos usar esse sistema. Não podemos repetir (...) a mesma situação que testemunhamos na partida entre Inglaterra e Alemanha”, disse Blatter. Sem recurso Mas ele descartou o uso de qualquer outra tecnologia para auxiliar a arbitragem, como o uso de replay para elucidar jogadas duvidosas. “Senão, o jogo perderá seu rosto humano, e não haverá mais discussão se tudo for perfeito. Nosso jogo não é perfeito, e por isso é tão popular.”

Floyd Mayweather e Miguel Cotto farão um combate multimilionário

F

Bola eletrônica é mais um aparato tecnológico a serviço do futebol

loyd Mayweather Jr. volta ao ringue neste sábado, colocando sua invencibilidade mais uma vez em jogo: são 42 vitórias na carreira de pugilista profissional que o colocaram como um dos melhores lutadores peso por peso da atualidade. O desafio agora é contra o porto-riquenho Miguel Cotto, em um combate multimilionário, mas com uma curiosidade: por conta deste compromisso o norte-americano conseguiu adiar um período que passará por trás das grades.

Como é comum para o lutador que foi apelidado

de Money (dinheiro), os tempos para Mayweather são de polêmicas. Além da condenação por agredir sua ex-namorada, o pugilista vem de uma vitória que causou muita discussão. Contra Cotto, tem um grande rival pela frente, para tentar apagar estes desvios de rota e mostrar sua qualidade com as luvas. O combate é à meia-noite de sábado para domingo (com SporTV). Um dos destaques do do combate é nos altos lucros para os lutadores, incluindo a maior bolsa na história de um pugilista.


JD

Atualidades

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Obesidade e sedentarismo fazem casos de diabete disparar em todo o mundo

C3

Editor: Franck Figueira- franckfigueira@jdia.com.br

Dicas de Saúde Importância das informações

DIVULGAÇÃO

Incurável, doença atinge cerca de 350 milhões de pessoas

U

ma doença silenciosa e incurável, que compromete a qualidade de vida dos pacientes, pode levar a problemas graves (como enfarte, AVC e amputações de membros) se não for bem tratada e que atinge cerca de 12 milhões de pessoas no Brasil, segundo a Federação Internacional de Diabetes (IDF, na sigla em inglês). Esse é o perfil da diabete atualmente e os especialistas são unânimes: o quadro vem se agravando e tende a ficar muito pior nos próximos anos. De acordo com a IDF, são quase 350 milhões de diabéticos no mundo atualmente, mas esse número deve saltar para mais de 550 milhões até 2030, um aumento de 57%. Em Curitiba, dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMSC) mostram que 71 mil pessoas maiores de 40 anos têm a doença, o que corresponde a 11% da população nessa faixa etária. Entenda os perigos associados à doença A diabete é uma doença caracterizada pela alta taxa de glicose – substância presente nos alimentos e que funciona como “combustível” para as células – em circulação no organismo. Isso acontece porque o pâncreas não produz insulina, um hormônio que sintetiza a glicose, ou o organismo cria resistência a esse hormônio. Como o corpo não a aproveita a glicose, a substância não penetra nas células e acaba se depositando nas paredes internas dos vasos sanguíneos, o que leva ao seu entupimento, compromete a circulação e resulta em alterações nos tecidos, principalmente em áreas como retina, coração, cérebro e pernas, causando enfarte, AVC, necrose de dedos e pés e perda de visão. Em homens, também leva à

impotência sexual. Segundo o presidente eleito da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), Balduino Tschiedel, a doença está crescendo em todos os países e o motivo principal é uma combinação de sedentarismo e alimentação cheia de produtos industrializados – ricos em sódio e em gordura saturada – e pobre em frutas, verduras, legumes, carnes magras e cereais integrais, levando a um aumento dos casos de obesidade. “Como o excesso de peso e problemas associados a ele, como hipertensão e colesterol alto, são fatores de risco para a diabete tipo 2, eles estão fazendo o número de diabéticos disparar”, explica Tschiedel. Além do aumento nos casos, o presidente da SBD aponta outro agravante: a mudança de perfil dos diabéticos. “É cada vez maior o número de crianças e adolescentes com diabete tipo 2, o que é resultado direto da obesidade e dos maus hábitos e, até então, era típica dos adultos.” Para o presidente do Centro de Diabetes de Curitiba (CDC) e presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes - Seção Paraná, Edgard Niclewicz, a diabete deve inspirar cuidados pelas complicações que provoca quando não é tratada corretamente. “Ela é a maior causa de perda de visão entre os 20 e 70 anos, aumenta em quatro vezes o risco de um enfarte e, excetuando as guerras e acidentes de trânsito, é a principal causa de amputações de membros no mundo”, diz Tschiedel. Os danos incluem ainda disfunção erétil, AVC e falência renal, o que obriga a pessoa a recorrer à hemodiálise e, em casos extremos, a um transplante de rim. Niclewicz explica que metade dos pacientes com diabete também é hipertensa, o que exige que seja feito o

DIVULGAÇÃO

Rótulos de alimentos: orientações ao consumidor

O

s rótulos são elementos essenciais de comunicação entre produtos e consumidores. Daí a importância das informações serem claras e poderem ser utilizadas para orientar a escolha adequada de alimentos. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, é o órgão responsável pela regulação da rotulagem de alimentos que estabelece as informações que um rótulo deve conter, visando à garantia de qualidade do produto e à saúde do consumidor.

Organismo saudável DIVULGAÇÃO

Deficiência de vitamina A A técnica em laboratório Waldette Bourguignon descobriu que é diabética e precisou mudar seu estilo de vida: necessidade para se manter saudável

acompanhamento regular dos níveis de pressão arterial e, em muitos casos, a prescrição de remédios específicos. “Vários também têm alterações nos níveis de gorduras do sangue, então precisamos normalizar o colesterol.”

pele, diminuição da visão, boca seca, fome e sede excessivas, vontade exagerada de urinar ao longo do dia, cansaço extremo e perda considerável de peso em pouco tempo – quatro ou cinco quilos em um mês, por exemplo.

Sintomas Niclewicz explica que a diabete tipo 2 tem poucos sintomas. “Ela é uma doença que não dá sinais e vai deteriorando os órgãos da pessoa progressivamente. É comum atender a pacientes que são diabéticos há mais de dez anos, mas só foram sentir alguma coisa quando já tinham complicações da doença, como um enfarte ou um AVC.” O mais frequente é a pessoa perceber alterações na

Remédios e novos hábitos de vida Como não tem cura, a diabete exige acompanhamento por toda a vida do paciente. Nos casos do tipo 1, o tratamento é feito com mudanças na alimentação, exercícios físicos e uso de insulina. No tipo 2, o mais comum é fazer a associação entre o uso de medicamentos, para diminuir a resistência à ação da insulina no organismo, e uma mu­­ dança no estilo de vida.

Alerta: sinal amarelo para as pílulas

O

alerta feito em outubro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em relação ao aumento do risco de tromboembolismo venoso (TEV) e embolia pulmonar em mulheres que usam contraceptivos orais combinados (COCs) com o hormônio drospirenona –, uma variação da progesterona – levou desconfiança sobre medicamentos populares entre as brasileiras como o Yasmin e o Yaz, ambos fabricados pelo laboratório farmacêutico Bayer. O pedido para que médicos e pacientes fiquem atentos a estes efeitos colaterais foi feito após dados de um estudo da Univer­sidade de Copenhagen serem publicados pelo British Medical Journal (BMJ) e pela Agência Reguladora de Alimentos e Medi­­ca­­mentos dos Estados Uni­­­dos (FDA). Eles mostram que usuárias de drospirenona têm de duas a três vezes mais riscos de sofrerem problemas vasculares do que aquelas que utilizam um tipo mais antigo de progesterona, o levonorgestrel.

DIVULGAÇÃO

Contraceptivos com drospirenona receberam um alerta da Anvisa sobre o aumento do risco para a saúde

Em dezembro, o FDA apresentará os resultados finais de outro estudo feito entre 2001 e 2007 que comparou a drospirenona com vários contraceptivos hormonais. Dados preliminares desta análise mostram que o risco de problemas vasculares é uma vez e meia maior em mulheres que usam drospirenona. Em geral, segundo a

agência americana, o risco de uma paciente que utiliza qualquer tipo de contraceptivo hormonal desenvolver um coágulo gira em torno de seis a cada 10 mil (0,06%). Em usuárias de COCs com drospirenona, este risco sobe para 10 a cada 10 mil (0,1%). Ainda que a incidência de problemas venosos seja rara, a atenção especial à

drospirenona é justificada pelo FDA por expor mulheres jovens a um maior risco de efeitos colaterais. Apesar disso, os médicos afirmam que as usuárias de drospirenona não devem ficar alarmadas, pois estudos que apresentam e revisam os riscos envolvidos na utilização de medicamentos são comuns.

A deficiência de Vitamina A tem repercussões que afetam as estruturas epiteliais de diferentes órgãos, sendo os olhos os mais atingidos. A Vitamina A é essencial ao crescimento e desenvolvimento do ser humano. Atua também na manutenção da visão, no funcionamento adequado do sistema imunológico (defesa do organismo contra doenças, em especial as infecciosas), mantém saudáveis as mucosas (cobertura interna do corpo que recobre alguns órgãos como nariz, garganta, boca, olhos, estômago) que também atuam como barreiras de proteção contra infecções. Estudos mais recentes vêm mostrando que a Vitamina A age como antioxidante (combate os radicais livres que aceleram o envelhecimento e estão associados a algumas doenças). Porém, recomenda-se cautela no uso de vitamina A, uma vez que, em excesso, ela também é prejudicial ao organismo.

Autoexames indicam a hora certa de procurar assistência especializada

A

lguns minutos, uma vez por mês, podem salvar sua vida. A frase parece exagerada, mas os médicos confirmam: abrir mão de um tempinho todos os meses para fazer alguns autoexames, se olhar no espelho e conferir pequenas alterações no seu corpo é uma chance de identificar com mais rapidez uma série de sinais que podem indicar algumas doenças, principalmente o câncer. “O autoexame é uma forma de a pessoa se tocar, entender como seu organismo funciona e detectar pequenas alterações com mais facilidade”, explica o diretor-clínico do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC), Marcelo Alvarenga Calil. O médico do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP) e membro do Grupo Brasileiro de Mela­noma, Luciano José Biasi, explica que essa não é a forma mais eficaz de fazer o diagnóstico precoce de câncer, mas ajuda as pessoas a conhecerem seu corpo e perceberem problemas com mais rapidez. Segundo ele, dois terços dos casos de câncer de pele hoje são identificados pelo próprio paciente a partir da observação regular do seu corpo. Nos Estados Unidos, pesquisas mostram que de 40% a 50% dos diagnósticos são iniciados a partir do autoexame de pele. “Ele [o autoexame] tem uma série de indicações, mas, mesmo assim, em nenhum momento substitui a avaliação médica e os exames clínicos periódicos”, pondera. O caso do câncer de mama é exemplo disso: quando a paciente sente um tumor, durante o autoexame, ele já tem mais de 2 centímetros e as chances

de cura são de apenas 60% a 70%. Na mamografia, o nódulo é identificado com menos de 1 centímetro, o que garante até 95% de chances de recuperação e reduz em 30% a probabilidade de morte. “Por isso, o autoexame não substitui a mamografia, mas a complementa e é uma forma de mulheres antes dos 40 anos [idade a partir da qual é indicado a realização anual de mamografia] perceberem alterações. Como alguns tumores podem acontecer entre o período de realização da mamografia, a observação regular das mamas é uma forma de identificá-los”, comenta o chefe da Oncologia Clínica do Instituto Nacional de Câncer (Inca), Daniel Herchenhorn. Em outros casos, como o do câncer de testículo, essa observação do corpo costuma ser a forma mais rápida de diagnóstico. Como a maioria dos homens não tem o hábito de fazer visitas anuais e exames periódicos com o médico urologista – o que facilita o diagnóstico precoce –, o autoexame costuma ser o método mais frequente de detecção dos tumores. Mas os especialistas são unânimes: identificar qualquer alteração durante o autoexame deve ser motivo de alerta, não de desespero. “Nem sempre o problema é um tumor, mas pode ser uma pequena infecção ou algum nódulo benigno. Antes de imaginar o pior, vá ao seu médico de confiança e faça os exames necessários o quanto antes”, recomenda o coordenador médico do setor de Derma­tologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), Gustavo Alonso.


JD

Diversão&Cultura

Selena Gomez vai viver com 1,50 dólar por dia

Selena Gomez adere à campanha da UNICEF e viverá com apenas US$ 1,50

A

pesar de ter um dos salários mais altos entre os artistas de sua faixa etária, Selena Gomez (19) irá reduzir drasticamente seus custos diários durante a próxima semana. A cantora aderiu à campanha Sahel Now e viverá com apenas 1,50 dólares por dia, o equivalente a menos de 3 reais, durante os próximos sete dias. A namorada de Justin Bieber (18) usou sua página no Facebook para contar sua iniciativa aos fãs e aproveitou para recrutar mais pessoas para aderirem à causa. De acordo com dados divulgados por Selena, 1,4 bilhão de pessoas vivem com apenas 1,50 dólares por dia, o que as classifica economica-

mente como abaixo da linha da pobreza. “Elas vivem assim todos os dias e nós só precisamos fazer isso durante uma semana. Você pode fazer isso? Junte-se a UNICEF na próxima semana em Live Below the Line Campain e ajude a fornecer alimento e suprimentos às crianças vítimas do efeito da seca na região do Sahel”, escreveu a artista. “Obrigada a todos os meus fãs que apoiam a UNICEF e a Sahel Now”. Sahel é uma região da África situada entre o deserto do Saara e terras mais férteis ao sul, que formam um corredor ininterrupto do oceano Atlântico ao Mar Vermelho, numa largura que varia entre 500 e 700 km.

O

namoro no fim de 2011, é frequentemente fotografado em saídas românticas. Vanessa, 23 anos, é cantora e atriz, tendo sua primeira aparição nos cinemas em 2003, no drama Thirteen. Conhecido por seu personagem James Garret, em Zoey 101, Austin, 20, também canta e atua.

Sexta-feira - Moisés exige que Cristal lhe entregue o gravador com a entrevista de Juninho, e ela esconde o aparelho dentro de seu colchão. Cristal afirma para Natália que não deixará Gabriel ver o filho se ele não se casar com ela. Guido comemora ter fechado uma grande encomenda de pastéis. Todos no set de gravação aplaudem uma cena feita por Gabriel. Dieguinho entrega a música para Bertoni. Moisés manda Carcará e Sabiá entrarem no apartamento de Cristal para conseguir o gravador com a entrevista de Juninho.

Amor Eterno Amor Virgílio pede para falar com Rodrigo, mas é impedido por Dimas. Laura, Gilda e Débora elogiam Rodrigo para Miriam. Pedro entrevista Dimas. Fernando e Kléber arrematam algumas joias de Verbena no leilão. Michele reclama com Regina de ter de mudar de escola. Divina apresenta Junior para Valdirene. Carmem diz a Zé que o filho que Valéria está esperando deve ser criado pelo pai verdadeiro. Pedro estranha ver Gracinha com Jair e se preocupa. Fernando observa Miriam chegando na emissora de televisão para a sua entrevista.

Celebridades Edson Celulari DIVULGAÇÃO

Amigos

Na noite da última sexta-feira (4), aconteceu a estreia da peça Nem Um Dia Se Passa Sem Notícias Suas, no Teatro Cultura Artística, em São Paulo. Karin Roepcke, namorada de Edson Celulari, chamou atenção entre os convidados.

Selena Gomez: adesão à campanha da Unicef na próxima semana

eter Berg é daqueles diretores que adora improvisar e não se atém a roteiros. Muda sequências, falas, posições e é completamente apaixonado pelos atores que escolhe para suas produções. Durante uma conversa com a imprensa em Cartagena, na Colômbia, na última semana, o cineasta falou sobre seu novo filme Battleship. “Todo diretor tem seu estilo. Eu gosto de improvisar. Outros não gostam tanto e acabam deixando os atores paralisados. Eu gosto de deixá-los livres”, afirmou. Ao contrário de muitos, Peter Berg não é um entusiasta do 3D e chegou a afirmar que não gosta do estilo, mas voltou atrás e crê que cometeu um erro. “Acho que posso ter feito besteira. Eu teria feito

Battleship em 3D para a China, porque, se você acompanhar o que arrecadam por lá com isso, é incrível. Teria feito muito dinheiro”, contou o diretor, que fez o longa com um orçamento de US$ 200,9 milhões. Sobre a escolha de Rihanna para o papel da oficial Raikes, Berg acha que acertou na escolha. Afinal, o diretor adora descobrir novos talentos. “A escolha dela para o papel foi fácil. Eu liguei, pedi para ela vir me ver sem maquiagem, sem salto alto, do jeito mais comum possível. Eu queria ver se ela tinha o espírito de atriz. Prometi trata-la como trato qualquer atriz. Sem paparica-la, forçando ela a fazer o seu melhor. E ela gostou muito de fazer o filme”, explicou. A atriz não apareceu para a première latino-americana e o diretor comentou sua ausência. “Quando Rihanna aparece, a imprensa fica louca. E então tudo vira sobre ela. Não seria justo com o filme, com os outros atores e até com o público. Ela foi em algumas premières. Se viesse em todas, não conseguiríamos falar sobre o filme”, justificou. Dono de um estilo próprio e uma irreverência marcante, Peter Berg escolheu fazer um filme sobre aliens e marinheiros. Uma batalha por território no meio do mar, baseado no jogo batalha naval. Questionado se é a favor da guerra, o diretor disse: “sou, porque muitas vezes é o único jeito.

Resumo das Novelas Malhação

Editor: Franck Figueira- franckfigueira@jdia.com.br

FOTOS DIVULGAÇÃO

P

s pombinhos Vanessa Hudgens e Austin Butler foram clicados na sexta-feira (4), enquanto passeavam em um parque, em San Marino, na Califórnia. Os dois aproveitaram o dia para andar pelo local, tirar fotos e curtir um momento romântico. O casal, que assumiu o

C4

Serginho

Vanessa Hudgens e Austin “Me arrependo de não Butler flagrados aos amassos ter feito em 3D”, diz diretor do Battleship

Os dois aproveitaram o dia para andar, tirar fotos e curtir

Macapá-AP, sábado, 05 de maio de 2012

Cheias de Charme Fabian desencoraja Rosário a seguir carreira de cantora e ela pede para mostrar o dueto romântico que compôs. Sarmento aconselha Cida a não deixar de sair com Conrado para estudar. Fabian aprova o dueto de Rosário e resolve ensaiar com ela. Brunessa propõe a Rodinei que eles namorem. Isadora sonda Cida sobre seu relacionamento com Conrado. Tom Bastos perde a paciência com Chayene e decide cancelar sua participação no show. Inácio acorda no esconderijo dos bandidos e reconhece Marçal.

Avenida Brasil Débora ofende Lucinda e ela a expulsa de sua casa. Verônica conta para Cadinho que a filha terminou o noivado. Carminha não aceita o fim do relacionamento de seu filho. Jorginho avisa que Nina tem um anúncio para fazer à família e ela se apavora. Leleco se incomoda com o cuidado que Muricy tem com Adauto. Lúcio engana um garçom e Iran fica incomodado. Lucinda manda Nina procurar Jorginho. Carminha dá dinheiro para Max e um colar para ele presentear Ivana. Nina vê Débora beijar Jorginho na saída do treino.

Identidade

O ex-BBB Sergio, que posta com frequência em seu Twitter fotos de seus diferentes visuais, desta vez publicou uma versão de rabo-de-cavalo. O brother clicou a imagem na última sexta-feira (4), em uma salão de beleza, em São Paulo. Além do cabelo comprido e da franja, o jovem exibe unhas pintadas e joias.

Marido de Ana Hickmann

Imagem

Depois de dizer muitos palavrões durante entrevista ao Pânico na Band, para defender sua mulher, Ana Hickmann, da briga com Adriane Galisteu, Alexandre Correa ganha força-tarefa da Record para limpar sua imagem. As informações são da coluna de Léo Dias, do jornal O Dia.

Horóscopo Áries (21 mar. a 20 abr.) Mercúrio em seu signo faz um ótimo aspecto com Vênus em Gêmeos e beneficia seus acordos e reuniões importantes de negócios. Seu regente em tensão ainda pede discernimento em ações definitivas. Adie assinatura de contratos. Touro (21 abr. a 20 mai.) O Sol mais próximo de seu signo abre algumas portas em sua vida. O momento é de expansão e crescimento, de fechamento de negócios e novas ambições. Seu regente em ótimo aspecto com Mercúrio possibilita bons negócios.

(23 set. a 22 out.) Seu regente em Gêmeos e o ótimo aspecto com Mercúrio em Áries melhora a comunicação, especialmente em seus relacionamentos mais próximos. Vida social bastante ativa traz novas amizades e novas parcerias de trabalho. Escorpião (23 out. a 21 nov.) A fase é de melhores para suas relações, sejam elas pessoais ou de trabalho. Convites a festas, reuniões com amigos, eventos de trabalho marcam este momento de novos amores e novas amizades. Boa comunicação no trabalho. Sagitário

Gêmeos (21 mai. a 20 jun.) Vênus em seu signo faz um ótimo aspecto com seu regente em Áries e movimenta suas amizades. Os acordos de negócios e parcerias também ganham com esse aspecto. No amor, o melhor que a vida pode dar

(22 nov. a 21 dez.) A fase é das melhores para o amor e os relacionamentos em geral. Vida social movimentada e novas amizades chegam junto de Vênus em Gêmeos. Um ótimo aspecto com Mercúrio em Áries movimenta seu coração e melhora o relacionamento com os filho

Câncer (21 jun. a 21 jul.) Cuidado com a carSeu regente em Libra é duramente pressionado por Plutão e Urano e pode trazer certo mal estar ao seu dia. Procure entender a necessidade de reclusão emocional e não se deixe levar pelo pessimismo. O amor passa por uma fase mais séria.

Capricórnio (22 dez. a 20 jan.) O momento é dos melhores para o amor e não vão faltar boas oportunidades para firmar um namoro. A fase também é ótima para criar novos projetos de trabalho que em pouco tempo começam a dar resultados.

Leão (22 jul. a 22 ago.) A fase continua positiva com algumas oportunidades surgindo, especialmente no trabalho. Um novo projeto pode começar a dar resultados bastante rápidos. A proximidade do Sol com Júpiter promete sucesso. Virgem (23 ago. a 22 set.)

O Sol e Júpiter estão cada vez mais perto um do outro e algumas portas podem abrir em sua vida, especialmente relacionadas aos seus projetos novos. A fase é de muito otimismo e fé renovada.

Libra

Aquário (21 jan. a 19 fev.)

Vênus em Gêmeos faz um ótimo aspecto com Mercúrio em Áries e movimenta as amizades, a vida social e, principalmente, mexe com seu coração. A fase é divertida e carregada de bons momentos. Aproveite.

Peixes

(20 fev. a 20 mar.) A fase é boa e algumas preocupações relacionadas às suas finanças começam a diminuir. Os problemas financeiros começam a ser solucionados. No amor, a fase é de muita paixão, se você souber manter a paciência e o autocontrole.


CadernoD

Carro&Moto

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Conheça os detalhes de um Grand Siena O modelo vai além dos sedans comuns. Cada detalhe do veículo foi pensado para fazer toda a diferença quando você dirigir

O

Grand Siena é um carro completamente novo. O sedã ganhou um estilo próprio, que privilegia sua beleza sofisticada com toques de esportividade. Criado em uma parceria entre o Centro Stile Fiat da Itália e do Brasil, o design do Grand Siena demonstra força na dianteira afiada. Com vincos bem demarcados, faróis alongados e o logotipo Fiat em um friso cromado na grade central, ele transmite uma sensação de movimento. Esses componentes se contrapõem ao para-choque robusto, com uma grade inferior esportiva onde estão embutidos os faróis de neblina. Os traços finos e precisos da lateral dosam energia e elegância na medida, e as formas geométricas das lanternas traseiras saltam aos olhos. Elas invadem a tampa do porta-malas e se prolongam pela lateral do Grand Siena. Já as luzes de freio e posição têm uma iluminação muito bonita quando acesas. Nova sigla Grand Siena A sigla do Grand Siena também está completamente diferente. A fonte utilizada transmite as mesmas características do carro, ou seja, linhas suaves, modernas e com traços de esportividade. E a letra S caracteriza as bandeiras utilizadas nas tradicionais corridas de cavalo da cidade italiana de Siena. Rodas Mais leves e resistentes, as rodas de liga leve do Grand Siena são ao mesmo tempo econômicas e seguras. Dependendo da versão do carro escolhida, você pode optar por rodas de liga 15” ou mesmo aro 16”, que vêm de série na linha Essence. Todos os elementos no interior do Grand Siena receberam atenção especial para manter a harmonia do conjunto. Nenhum detalhe passou despercebido. Cada componente se integra com bom gosto ao ambiente interno do carro. Dos detalhes cromados no painel, alto-falantes e quadro de instrumentos à moldura do rádio. Das saídas de ar condicionado às texturas e cores específicas do centro do volante. Todos os acabamentos receberam materiais de qualidade e for-

mas dinâmicas, que propiciam um ambiente agradável e elegante. Os tecidos têm detalhes claros e costuras estéticas para valorizar a forma ergonômica dos bancos, que aproveitam o espaço interno de forma inteligente e confortável. Um ponto de destaque é a faixa Insert Molding, que divide o painel de instrumentos horizontalmente. Ela pode ser customizada para simular diferentes acabamentos, como aço escovado, madeira ou desenhos geométricos. Por fim, o Grand Siena pode ter até 15 porta-objetos, dependendo da configuração e dos itens opcionais escolhidos.

próxima música no CD.

Porta malas IAs dimensões maiores do Grand Siena também estão no seu porta-malas. Agora ele conta com 520 litros e ainda é possível ampliar seu espaço abaixando os apoia-cabeças do banco traseiro e rebatendo os encostos para a frente. Mas tão importante quanto esse aumento na capacidade são as inovações que trouxeram mais praticidade. O vão de abertura da tampa está maior e é possível abri-la de duas formas distintas: pelo logo Push na parte central da tampa e também através de um botão na chave com telecomando.

Fire EVO 1.4 Flex O motor Fire EVO 1.4 se destaca por dosar economia e bom desempenho. Com gasolina, ele produz potência máxima de 85 cavalos e torque de 12,4 kgfm a 3.500 rpm. Com etanol, sua potência é de 88 cv e seu torque, de 12,5 kgfm a 3.500 rpm.

Painel de instrumentos O painel de instrumentos do Grand Siena concilia beleza e praticidade. Sua iluminação e display brancos oferecem excelente contraste. Os ponteiros são iluminados em toda a barra e apresentam o Welc o m e Moving: quando a chave é girada na ignição, eles se movimentam para saudar o motorista e mostrar que estão funcionando corretamente. Acompanhando esse movimento dos ponteiros, a iluminação do painel se acende e apaga gradativamente. Volante O volante do Grand Siena oferece recursos tecnológicos com uma boa dose de elegância. Ele conta com seis botões que permitem controlar o volume do som, navegar pelas músicas do iPod®, trocar de estação no rádio ou passar para a

Câmbio Além de oferecer agilidade na troca de marchas, o câmbio Dualogic® automático permite ao motorista escolher como quer dirigir o Grand Siena. É possível mudar as marchas automaticamente ou manualmente, para guiar sempre da forma mais confortável em cada situação.

Comando do câmbio no volante Uma novidade apresentada pelo Grand Siena é a possibilidade de fazer as mudanças de marcha através de alavancas localizadas no volante. Com isso, o Grand Siena eleva os parâmetros de tecnologia e requinte no seu segmento. Rádio connect viva-voz Bluetooth, entrada USB e conexão iPod® O sistema de áudio do Grand Siena foi concebido para todos os passageiros terem uma excelente qualidade de som. Ele é composto por rádio, antena, 2 alto-falantes Mid Woofer frontais, 2 alto-falantes Full Range posteriores e 2 alto-falantes Tweeter nos montantes frontais. O sistema traz ainda entrada USB, conexão com iPod® e viva-voz Bluetooth para celular. Chave canivete com telecomando A chave do Grand Siena funciona como um controle remoto. Ela trava e destrava portas, porta-malas e abre e fecha vidros. Tudo à distância. Para acioná-la, basta apertar o logo Fiat. Piloto automático Cruise Control Com este comando é possível definir uma velocidade para o Grand Siena seguir de forma constante. Caso seja necessário frear ou acelerar, a função é desativada de forma automática.

Sensor de estacionamento Na hora de manobrar o Grand Siena, os sensores alojados no para-choque traseiro avisam o motorista caso tenha algo no caminho. O sinal sonoro funciona automaticamente ao engatar a marcha

à ré, indicando ao condutor a distância do obstáculo. A frequência do sinal aumenta caso o espaço diminua, ficando contínua quando a distância se torna inferior a 30 cm. Se a distância

aumentar, o sinal é interrompido. Para-brisa térmico Quando acionado, o para-brisa térmico leva até 3 minutos para desembaçar completamente o vidro. Passado este tempo, a função é

desativada mente.

automatica-

HSD (air bags + ABS) Faz toda a diferença saber que você tem o máximo de segurança quando

dirige o seu carro. Para garantir isso, todas as versões do Grand Siena vêm com air bag duplo frontal, freios ABS com EBD e também o terceiro apoio de cabeça traseiro. É o único em sua categoria que oferece esse kit como item de série.

Sidebags dianteiros Para garantir ainda mais segurança aos passageiros em caso de colisão, o Grand Siena oferece como item opcional dois air bags laterais na parte dianteira para as versões Essence e Essence Dualogic.

Opinião

Espécies em extinção por Fabrício Samahá Houve um tempo em que se usava a chave para abrir a porta do carro e se puxava o afogador antes de dar partida ao motor. No trânsito, o pedal de embreagem era pisado infinitas vezes. A opção ao rádio era um toca-fitas ou, mais tarde, um toca-CDs com 15 ou 20 músicas por disco. Na estrada, faróis de longo alcance eram essenciais em trechos desertos e, de tempos em tempos, era preciso mandar limpar o carburador. Esses itens e procedimentos estão extintos ou caminham para a extinção nos carros atuais. Seja em nome da segurança, da conveniência ou do controle de emissões poluentes, alguns equipamentos vão se tornando padrão e outros ganham espaço a cada dia na preferência do comprador de automóveis. Para verificar como anda esse processo, selecionei 10 itens em vias de extinção — alguns mais perto dela, outros mais distantes. Alavanca de câmbio - Substituí-la por botões em uma caixa automática não é novidade: a Chrysler fez isso nos Estados Unidos nos anos 50. Mas a alavanca permaneceu entre nós por muito tempo até que voltou a perder espaço. O Ferrari 458 Italia traz apenas dois botões no console, R para ré e Auto para modo automático, enquanto as trocas manuais são feitas pelos comandos no volante. Alavanca de freio de estacionamento - Outra vítima dos mesmos fatores acima. Modelos não tão caros, como a citada C4 Picasso e o VW Tiguan, já trazem botões ou comandos de puxar para o acionamento elétrico do freio. Como não há ligação mecânica entre o comando e as rodas, surgem o acionamento e a liberação automáticos conforme a posição do câmbio e o uso do acelerador. Carburador - O primeiro da lista a sucumbir, por força das normas de controle de emissões poluentes: desde 1997, no Brasil, a injeção eletrônica se tornou necessária para atender aos limites legais. Com ele foi-se embora também o afogador, antes usado para enriquecer a mistura ar-combustível com o motor frio, papel que a injeção faz sozinha. E, ao contrário do que alguns acreditavam, o sistema eletrônico mostrou-se confiável a ponto de reduzir o risco de ficar na estrada por defeito. Chave - Primeiro foi o controle a distância de travamento, que dispensou inserir a chave na fechadura. Depois surgiu a chave presencial, que pode ser mantida com o usuário (no bolso, por exemplo) enquanto as portas são destravadas e o motor é ligado, em geral por botão. Em alguns modelos não se precisa nem mesmo abrir a tampa do porta-malas, que se destrava e levanta com um “chute no ar” abaixo do para-choque traseiro. Estepe - Carregar no porta-malas um pneu grande, pesado e caro por toda a vida está menos comum. Vários carros usam estepe temporário, restrito a emergências, mas há soluções mais ousadas para descartar de vez a troca do pneu furado na rua. Importados como os da BMW aderiram aos pneus run-flat, capazes de rodar por certa distância (100 quilômetros, por exemplo) em velocidade moderada sem nenhum ar. Outros, como o Peugeot RCZ, trazem selante para tapar o furo e compressor para encher o pneu. O que ainda é problema é um dano extenso à roda e ao pneu, nada improvável nesse esburacado Brasil. Faróis de longo alcance - Em geral circulares e conhecidos como “faróis de milha���, foram uma febre nos anos 80, quando Ford Escort XR3 e VW Gol GT/GTS/GTi os traziam de fábrica. Na época os faróis principais eram um tanto limitados, o que justificava o auxílio em estradas sem tráfego oposto. Com faróis mais eficientes — como os de refletor duplo de superfície complexa — e sobretudo com as lâmpadas de xenônio, não há mais sentido em ter unidades auxiliares, salvo para neblina. Marcador de temperatura do motor - Anos atrás ele refletia pequenas variações, a ponto de se visualizar o efeito do acionamento da ventoinha. Já os atuais termômetros permanecem em um ponto médio por horas a fio e só sobem — rápido — para a faixa de atenção quando a temperatura supera os níveis seguros. É o mesmo momento em que uma luz-piloto, mais barata, acenderia. Por isso, até alguns carros de luxo já eliminaram o mostrador. Pedal de embreagem - O novo Porsche 911 só vem ao Brasil com o câmbio automatizado PDK. No Ferrari 458 o manual foi abolido em âmbito mundial, já no lançamento, e o mesmo ocorre por aqui com quase todo modelo de alto preço. Fácil entender por quê: com o avanço dos automatizados, como os de dupla embreagem, e das caixas automáticas (que já chegam a oito marchas e ganham eficiência a passos largos), há cada vez menos interesse pelo câmbio manual, com seu pedal de embreagem inconveniente no tráfego pesado. Os automatizados já conseguem melhor aceleração que os manuais, razão para que até os carros esporte os adotem de série. Toca-CDs - Ainda equipa quase todos os carros, mas tende a se tornar raro. Depois que o formato compactado MP3 entrou no cotidiano de pessoas de todas as idades, o CD tradicional perdeu apelo. Hoje, há tantas conexões nos aparelhos — para toca-MP3 portátil, pendrive, cartão de memória e telefone celular — que a mídia digital tomou conta dos automóveis e, para muitos, o toca-CDs não serve mais para nada.

Mais leves e resistentes, as rodas de liga leve do Grand Siena são ao mesmo tempo econômicas e seguras

Vareta de medição de nível de óleo - Há mais de 10 anos, alguns acessíveis Peugeots já traziam mostrador no painel que dispensava checar o nível pela vareta, com sua propensão a erros de leitura. Contudo, talvez por questão de confiabilidade, o método tradicional ainda é o mais comum nos automóveis, desafiando o passar do tempo. Corremos o risco de vê-la até que não haja mais óleo nos motores... que terão sido substituídos pelos elétricos. (Compilado do site http://bestcars.uol.com.br)


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Grupo Renault-Nissan anuncia compra da Lada O

JOSÉ ARCANGELO

Colunista

DIVULGAÇÃO

Um dos carros mais tradicionais da marca russa que marcou época no mundo das quatro rodas

cial, US$ 300 milhões vieram da Renault e US$ 450 milhões da parte oriental

do grupo. O intuito é fazer da AvtoVaz – famosa pela marca

Lada – uma das maiores fabricantes de automóveis do mundo.

S10 retoma a liderança entre as picapes médias

M

esmo renovando visualmente a Hilux e lançando uma versão com motor flexfuel, parece que a Toyota não conseguiu evitar o duro golpe que foi o lançamento da nova Chevrolet S10. O modelo, que havia ven-

dido pouco mais de 3 mil unidades em janeiro deste ano, comercializou meras 791 carros durante o mês de abril. Além de ter sido ultrapassada pelo modelo norte-americano, a picape japonesa também perdeu

posição para a Mitsubishi L200 e até para a Volkswagen Amarok, que recebeu transmissão automatica de oito velocidades. Enquanto isso, a Chevrolet S10 conseguiu recuperar terreno e já é o líder de sua categoria,

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Pista livre

Investimento ultrapassou R$ 1,4 bilhão e rendeu 75% da fabricante grupo Renault-Nissan anunciou na última quinta-feira, 3, um investimento de US$ 750 milhões (aproximadamente R$ 1,4 bilhão) em uma joint-venture que dará o direto de arrematar de vez a maior parte da fabricante de automóveis russa, AvtoVaz. Até então, o conglomerado franco-japonês mantinha apenas 25% da montadora. Para o diretor-executivo do grupo, Carlos Ghosn, “o acordo feito mostra um novo passo no processo de colaboração, que contribuirá para a modernização da principal marca de automóveis russa”. A parceria será feita com a estatal Russian Technologies. Agora, o grupo Renault-Nissan informou que terá direito a 74,5% da AvtoVaz. Ainda de acordo com o comunicado ofi-

DIVULGAÇÃO

além de assegurar a quarta posição entre os comerciais leves mais vendidos do Brasil. E isso é apenas o começo, já que até junho a Ford vai lançar a nova Ranger, que promete ser um produto competitivo na categoria.

A Chevrolet S10 conseguiu recuperar terreno e já é o líder de sua categoria, além de assegurar a quarta posição entre os comerciais leves mais vendidos

Audi A4 2013 chega ao mercado nacional

Lei O deputado federal paranaense Wellington Fagundes é o autor de um projeto que tramita na Câmara Federal, obrigando aos condutores que dirigem alcoolizados aos ressarcimentos das despesas hospitalares com o Sistema Único de Saúde (SUS). Para ele, mexendo no bolso dos transgressores, o pagamento das despesas deve frear um pouco o ímpeto dos que fazer do carro uma arma de execução do ser humano.

outros que em países europeus são verdadeiras ofensas. Quem se lembra do Ford Pinto, do Mazda Laputa, Kia Besta, Chana Family e Nissan Moco, só para citar alguns. Quando estive em Lisboa, um taxista patrício disse para ter cuidado quando falasse no Opel Ascona. É que a “espécie” é o nome dado à genitália feminina na Terra de Camões e o Mitsubischi Pajero, na Espanha, o “parrero” como se pronuncia, é um renomado onanista. Cuidado!

Hospitalização No Amapá, os leitos do Hospital de Emergências e do serviço de traumas do Hospital Alberto Lima, estão sempre ocupados, com predominância para os condutores de motos. Só para ter ideia, um acidentado ficando 30 dias internado e devidamente submetido a uma cirurgia reparadora de uma fratura de fêmur, deve custar ao Estado em torno de R$ 30 mil. O causador do acidente por ingestão de álcool teria que vender o bem para pagar as despesas.

Grand Depois que a Fiat lançou no Brasil com sucesso o Grand Siena e a Nissan o Grand Livina, a Renault mostrou na França o Grand Kangoo, uma multivan para sete passageiros, com dois assentos que podem ser rebatidos para usar o espaço do porta-malas, que pode variar de 400 litros com sete passageiros, 930 litros com cinco e 3.400 com o “salão”. Lá, vem com motor diesel 1.5 dCi rendendo de 90 a 110 cv, custando 20.750 euros (aproximadamente R$ 52.300,00). Pode ser montada por aqui?

Imitando A JAC Motors, montadora chinesa, está prestes a lançar o seu modelo de entrada o J2, já rodando camuflado pelas ruas da capital paulista. É quase uma cópia do Citröen C1 se levarmos em consideração os faróis e lanternas traseiras. O subcompacto já é vendido no Uruguai, mas deve ser lançado por aqui com algumas adequações. Motor O J2 pode vir equipado com o mesmo motor do J3, 1.3 16V que entrega 108 cv somente a gasolina ou mesmo, para entrar de vez na briga com outras montadoras, um 1.4 flex também de 108 cv, devendo custar em torno de R$ 30 mil muito acima para um “popular”, mas com direito a airbag duplo, freios ABS (antitravamento), trio elétrico, ar, direção hidráulica, rodas de liga leve e som MP3. Cuidado Quem já não ouviu falara em nomes de carros pra lá de esquisitos? E

Preços Com tanto petróleo, uma imensidão de terras para o cultivo da cana e outras plantas para produzir biodiesel, a nossa gasolina é uma das mais caras do mundo. Nos EUA, um galão do combustível (3,5 litros) custa US$ 4 (R$ 7,68), em torno de R$ 1,91 por litro. A mesma quantidade por aqui sai por US$ 6 (R$ 2,87) por litro. A diferença está na qualidade e nos impostos. Aqui No Meio do Mundo, parece que o cartel da gasolina acabou perdendo força e os postos de combustível voltaram a salutar concorrência na venda do produto. O litro da gasolina misturada a 23% de álcool anidro está custando desde R$ 2,59 até R$ 2,75 o litro. Em Tartarugalzinho, a 232 km de Macapá custa R$ 3,02, em Calçoene (400 km) R$ 3,05 e em Oiapoque a 590 km, sai por R$ 2,65 o litro.

Auto Pista

A

avalanche de lançamentos que a Audi do Brasil prometeu para 2012 continua descendo a montanha. O mais novo modelo da marca no país é o sedã A4 parte da linha 2013, que estreou na Europa no início deste ano. Disponível por R$ 149.700 (R$ 8.055 a mais em relação ao modelo anterior), o carro tem como destaques o visual reestilizado e o aumento da distância entre-eixos em 10 mm, entregando

mais espaço na cabine. As alterações estéticas, porém, são sutis. Mudam o desenho da grade e os faróis, que ganharam uma nova moldura de LEDs, tecnologia que também passa a ser usada nas lanternas. O conjunto mecânico do A4 2013, por outro lado, segue inalterado. A série destinada ao mercado brasileiro é oferecida somente com a opção de motor 2.0 TFSI de 180 cv e câmbio Multitronic de 7 marchas fixas, a caixa CVT

(de relações infinitas) da Audi. Mais adiante, em julho, chega a versão 2.0 de 211 cv e transmissão S-Tronic, de 7 velocidade com sistema de dupla embreagem – o preço ainda não foi definido. Segundo a divisão brasileira da marca, o A4 com motor de 180 cv pode acelerar do 0 aos 100 km/h em 8,2 segundos e atinge 226 km/h de velocidade máxima. Já o consumo médio de combustível fica em 14 km por litro

D2

de gasolina. O novo A4, mesmo na versão de entrada, já vem bem equipado. A novidade traz de fábrica prontamente equipado com faróis de xenônio, ar-condicionado digital e itens de segurança, como os controles eletrônicos de estabilidade e tração e os airbags frontais e laterais. Como opcional, o sedã ainda pode levar teto solar e o sistema MMI, a central multimídia da Audi com navegador GPS e equipamento de som.

Buraqueira voltou a imperar na Grande Macapá e a turma do tapa-buraco deve está sem o insumo para os referidos reparos. Mas a cota do IPVA mensal tem que ser paga. Se não: tome multa e até o recolhimento do carro. –x-x-x-xDe onde vem aquele agradável e característico cheiro do banco de couro do seu carro? Vem dos produtos utilizados para o tingimento e a curtição. Mas estes odores não põem ter índices altos, o que poderá acarretar alergias aos passageiros. –x-x-x-xFalar em banco de couro, como se faz para retirar uma goma de mascar deixada pelas crianças? Se for recente, utilizar uma pedra de gelo suavemente, até a retirada completa. Se já estiver grudada por mais tempo, somente numa lavagem especializada usando produto específico. –x-x-x-x- E a Rua Paraná, no bairro de Santa Rita, continua sendo a mais desmoralizada no tráfego de caminhões dentro do horário comercial, apesar das placas de proibições ao longo da via e de vez em quando uma tênue fiscalização. –x-x-x-x- Amapá continua sendo o último lugar dos Estados da Amazônia Legal nas vendas de carros zero quilômetro. E pensar que já fomos o terceiro. –x-x-x-x- A briga continua: as valas do Smith abertas pela CAESA e não tapadas, literalmente, e o chorôrô da prefeitura. Pobres ruas da nossa Macapá. –x-x-x-x“Nada neste mundo é tão poderoso como uma ideia cuja oportunidade chegou”. (Victor Hugo). -x-x-x-x- Freando...e torcendo pelo tapa-buraco e o recolhimento racional do lixo doméstico. –x-x-x-xMesmo assim: Bom Domingo!


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Hyundai ix35 flex mostra conforto, força e segurança

Carro passa a ser equipado com bloco 2.0 16V com duplo comando de válvulas DIVULGAÇÃO

D3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Em detalhes Honda faz recall de 3.314 unidades da CB 300R 2012

A Honda informou na última quarta-feira (2) o recall de 3.314 unidades da CB 300R. Os proprietários de motos do modelo 2012 da moto - confira chassis participantes abaixo - devem comparacer a uma concessionária da marca a partir de 7 de maio. De acordo com a fabricante, um eventual problema no cilindro mestre do freio dianteiro pode fazer a moto perder a capacidade de frear, gerando risco de colisão ou queda. Após inspeção do elemento, o mesmo será trocado, caso necessário. A Honda recomenda o agendamento na central de atendimento pelo telefone 0800-701-3432 (de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h). Além disso, os proprietários podem acessar o site www.honda.com. br/recall/motos e fazer uma pesquisa pelo número do chassi para verificar se a sua moto deve passar por este recall. Endereços e telefones de concessionárias podem ser obtidos em: http://www.honda.com.br/concessionarias. Motos que fazem parte do recall: Honda CB 300 R modelo 2012 Chassis: CHASSI 9C2NC4310CR024831 a CHASSI 9C2NC4310CR028145 As unidades envolvidas foram fabricadas entre 13/12/2011 e 16/01/2012.

O crossover ainda conta com airbag para motorista e passageiro, freios ABS com EBD, faróis de neblina, sistema que acende os faróis automaticamente

D

epois de meses divulgando o carro em anúncios de jornais, revista e na televisão, a Hyundai enfim lançou oficialmente o ix35 com motor flex no mercado brasileiro. O modelo passa a ser equipado com bloco 2.0 16V com duplo comando de válvulas que gera 169 cv com gasolina e 178 cv com etanol – é o mesmo propulsor que equipa o primo Kia Sportage. Acoplado a esse motor, o comprador pode esco-

lher entre a já conhecida transmissão automática de 6 velocidades ou o novo câmbio manual também de 6 marchas, disponível apenas na versão de entrada. Entre os itens que a marca oferece para o ix35 flex estão direção elétrica, retrovisores com rebatimento elétrico, tela de LCD no console central que concentra informações sobre o computador de bordo, sistema de áudio, GPS, além de reproduzir imagens da

câmera de ré e o sistema DBC (Downhill Brake Control), que auxilia o motorista a partir com o carro em subidas, mantendo o freio acionado por alguns segundos até o acionamento do pedal do acelerador. O crossover ainda conta com airbag para motorista e passageiro, freios ABS com EBD, faróis de neblina, sistema que acende os faróis automaticamente em ambientes com pouca iluminação e encostos de cabeça ati-

Fox BlueMotion é lançado respeitando linha ecológica

vos, que evitam o efeito chicote no pescoço dos ocupantes em colisões na traseira. Os preços do Hyundai ix35 flex partem de R$ 88.000 na versão com câmbio manual e R$ 93.000 para a versão automática. Além do próprio Kia Sportage, os principais concorrentes do novo modelo são Chevrolet Captiva, Fiat Freemont e Mitsubishi ASX, os dois últimos com motores movidos apenas a gasolina.

Marcas formam aliança de padrão de recarga

U

A

queles que procuravam uma chance para contribuir com a redução da poluição ambiental, porém não podiam abrir mão de um carro como meio de transporte, podem começar a coçar os bolsos. A Volkswagen lançou o Fox BlueMotion, a linha ecologicamente correta do hatch, que parte de R$ 36.730 e chega a R$ 38.300 para o modelo quatro portas. As duas opções vêm equipadas com o motor 1.6 8V de 104 cv (com etanol) e câmbio manual de 5 marchas. O propulsor, por sua vez, recebeu ajustes para reduzir a emissão de poluentes e deminuir o consumo de combustível. O gerente executivo de desenvolvimento de produtos, José Loureiro, esboçou um plano para fazer os 3% pagos a mais no Fox Blue-

Motion valerem a pena. “ Nos testes de consumo realizados pela própria montadora, o carro apresentou média de 16,1 km/l – abastecido com gasolina –, o que representa uma melhora de 12,6% com relação ao modelo comum, que completou a prova com uma marca de 14,3 km/l. A Volkswagen também garante que a nova tecnologia na linha Fox não afeta o desempenho do carro. Na hora de levá-lo do 0 aos primeiros 100 km/h, é preciso 10,3 segundos. As suspensões e os amortecedores também foram recalibrados pensando no verde, mas a diferença, ao dirigir, é mínima. Por fora, o Fox BlueMotion é identificado pela nova grade dianteira que, conforme explicou José Loureiro, tem uma impli-

cância significativa na aerodinâmica e no consumo. O interior também passou a contar com um novo tecido nos bancos e um acabamento exclusivo no painel central. De série, o hatch traz apenas direção hidráulica e computador de bordo. Ao volante nada muda, com exceção das trocas de marchas mais alongadas devido ao acerto na caixa do câmbio. Na estrada, é possível notar que a estabilidade do Fox ficou mais sensível graças aos novos “pneus verdes” 175/70 que acompanham as rodas de 14 polegadas (o carro vem com calotas de série). Esses pneus contam com uma maior quantidade de sílica em sua composição, permitindo uma redução de 23% na resistência ao rolamento.

m dos grandes empecilhos à ampla utilização dos veículos elétricos é a questão das estações de recarga. Para permitir que os carros possam ser carregados em qualquer estação independente do tipo de conector que ela tiver, algumas fabricantes de automóveis se uniram. Audi, BMW, Chrysler, Daimler, Ford, General Motors, Porsche e Volkswagen se aliaram para desenvolver uma tomada compatível com os dois modelos de plugs usados nos pontos de recarga. O projeto foi batizado de“Combined Charging System” . Além da padronização, o sistema promete uma recarga rápida que vai demandar de 15 a 20 minutos para recuperar a energia da bateria. O sistema está sendo projetado para implementação nos Estados Unidos e na Europa. Duas com corrente alternada e duas com corrente contínua. Destas, uma é para uso doméstico e a versão mais rápida é destinada às estações públicas de recarga. Com recargas mais rápidas e a padronização (que permite recarga em diferentes pontos), a expectativa dos envolvidos é tornar a implantação dessas estações algo mais acessível.

Regras e dicas de segurança MARCELO BENTES

Engenheiro

A

marcellusbentes@hotmail.com

estabilidade do veículo depende do contato dos seus pneus com o solo, a variação desse contato interfere diretamente na sua estabilidade, por isso, quando se aumenta a velocidade, o contato do pneu com o solo diminui, como consequência, a estabilidade do veículo será menor, e a partir dessa explicação, ficou claro o que acontece nos dias de chuva. A AQUAPLANAGEM se dá, quando uma camada de água fica entre o pneu e o solo, fazendo com que o pneu perca todo o contato com o solo, pois ele fica “flutuando” sobre a água e o condutor perca o controle da direção. A presença dos frisos e canaletas nos pneus, é justamente para remover a água e aumentar a área de contato do pneu com o solo. Um veículo a 80 Km/h em uma via com 2,5 mm de água, seus pneus terão que remover 5 litros de água por segundo, para que permaneça em contato com o solo. Como vimos, quanto menor a velocidade, mais contato do pneu com o solo, como consequência, quanto menor a velocidade ao se passar em poças d’agua, menor será o risco de acontecer a aquaplanagem e um acidente, e, a partir de agora, torna-se desnecessário o comentário sobre pneus lisos ou “carecas” (sem frisos e canaletas) e as suas consequências em dias de chuva. A maneira mais simples de verificar se o pneu ainda está em condições de uso é realizar o teste do palito. Basta introduzir um palito de fósforo deitado nos sulcos (ranhuras da banda de rodagem que servem para escoar a água) do pneu. Se o palito não ficar totalmente coberto é sinal que o pneu está gasto e com sua aderência comprometida. O ideal é providenciar sua substituição assim que possível. Evite passar ao lado de veículos maiores e altos como ônibus e caminhões, as ondas formadas por eles podem fazer seu veículo boiar por alguns instantes ou jogá-lo em outra direção, até mesmo contra outro veículo, muro ou paredes. Se você está no interior de um veículo quebrado no meio da água, fique de olho no nível da água e ao perceber que o nível esta subindo, abandone o veículo e procure um lugar seguro até que o nível da água baixe e a pista fique seca ou com volume pequeno, principalmente se for em lugar de depressão. Ao dirigir mantenha sempre a “distância de segurança”, que na verdade não existe um valor exato, depende muito do tipo de pneu, das condições da pista, etc., a melhor maneira é ter a visão da parte inferior das rodas traseiras do veículo da frente. Fique atento. Mesmo que não chova durante muito tempo, basta uma simples garoa para que em poucos minutos a água misturada à poeira, aos restos de borracha e outros resíduos como o óleo dos ônibus e caminhões, deixem o asfalto escorregadio como sabão. Nessas condições o risco de derrapagens em freadas bruscas e pequenas colisões no trânsito são ainda maior. Existem quatro tipos de luzes nos faróis, a primeira é o de estacionamento que consiste na luz mais fraca e como o nome já diz é exclusivamente para estacionamento (muitos condutores usam de forma errada), a segunda é a luz baixa, que deve ser usada das dezoito horas até as seis horas do dia seguinte, a terceira é a luz alta, que não deve ser usada quando houver veículo frete ou cruzando pelo condutor, a quarta é o farol de milha, chamado de farol de neblina, que só deve ser usado nas condições que a própria definição já diz Perguntas e respostas: marcellusbentes@hotmail.com


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Em busca de proteção total, airbags evoluem do par às dezenas

D4

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Sobre duas rodas Brasil e a Triumph

FOTOS DIVULGAÇÃO

Automóveis caros permitem ampliar o número de airbags e estes foram evoluindo. Adotaram-se bolsas laterais até cortinas infláveis no teto DIVULGAÇÃO

Em três anos de desenvolvimento se estudou e se patenteou o novo airbag

Q

uando, no começo dos anos 1990, os carros de grande produção nos Estados Unidos, Europa e Japão passaram a vir equipados de série com um par dianteiro de airbags (bolsas infláveis), já se sabia que era apenas o começo de uma longa escalada para melhorar a segurança passiva. Não se tratava de uma tecnologia barata e jamais poderia dispensar o uso dos cintos de segurança. A associação dos dois dispositivos já salvou milhares de vidas e diminuiu a severidade dos ferimentos em acidentes. Automóveis caros permitem ampliar o número de airbags e estes foram evoluindo. Adotaram-se bolsas laterais para os ocupantes dos bancos dianteiros, depois para os dois passageiros junto às portas traseiras e, por fim, cortinas infláveis no teto dos dois lados. Também se criou proteção para os joelhos do motorista. Então, dependendo de como se olham as cortinas (em geral bisseccionadas), até 11 bolsas podem

equipar modelos do segmento superior (numa contagem caolha). A ideia não é parar por aí. Já se estudaram uma bolsa no assoalho, à frente dos pedais, e outra central para veículos que transportem apenas dois passageiros atrás (essa mais viável), sugerida pela Toyota. Recentemente, a Ford colocou, de início no SUV Explorer, cintos de segurança com bolsas embutidas para dois passageiros do banco traseiro. A TRW desenvolve o dispositivo no teto como alternativa para desocupar o volume na parte do painel em frente ao passageiro, onde fica uma bolsa de grandes dimensões. O airbag do motorista é menor, embutido no volante. Porém, há o perigo de um forte choque lateral do lado oposto ao do motorista. Sendo o acidente do mesmo lado dele, há proteção da estrutura do carro, além do airbag lateral e de cortina que protegem torso, coluna cervical e cabeça. No caso de colisão na lateral direita do automóvel, o motorista é arremes-

sado de forma violenta para o meio do carro. A Administração Nacional de Segurança de Tráfego nas Rodovias (NHTSA, em inglês), órgão do governo americano encarregado de pesquisas e de avaliação de segurança passiva de veículos novos, explicitou os riscos dessa categoria de acidente. Entre 2004 e 2009, após investigar desastres fatais, concluiu que 29% dos motoristas morreram mesmo protegidos

por cinto e airbag frontal. Essa constatação levou a GM e a Takata a criar a segunda bolsa de ar lateral embutida no lado interno do banco do motorista. Há espaço suficiente entre os dois bancos dianteiros para que se proteja também o acompanhante, embora se saiba que, na maior parte do tempo, só há o motorista a bordo. SUVs e crossovers são problemáticos, pois seu centro de gravidade e assentos elevados tendem a desequilibrar bastante o corpo numa batida lateral. Em três anos de desenvolvimento se estudou e se patenteou o novo airbag, levando em conta o invólucro, a capacidade de amortecimento e retenção do corpo em simulações de acidentes com bonecos, além da posição relativa dos ocupantes. O dispositivo está pronto para equipar lançamentos do ano-modelo 2013, à venda em meados de 2012. Não à toa que os escolhidos, inicialmente, são todos crossovers médios (na realidade, grandes para o padrão do resto do mundo): Chevrolet Traverse, Buick Enclave e GMC Acadia. E, claro, de preços elevados.

A

Triumph, principal marca inglesa de motocicletas, teve projeto de implantação de fábrica aprovado pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). De acordo com a Suframa, o investimento fixo da empresa em Manaus será de US$ 832.000 - equivalente a R$ 1,56 milhão. A produção será de motos com propulsores acima de 450 cm³, ou seja, toda a linha da Triumph tem a possibilidade se ser montada no Brasil, já que a marca possui apenas motos de alta cilindrada em sua linha. ............................................................................

Ferrari leiloada

U

ma motocicleta da Ferrari sancionada pelo próprio Piero Ferrari, filho do fundador da marca Enzo Ferrari, foi vendida em um leilão pela bagatela de £ 85.500, aproximadamente R$ 266.800. A moto começou a ser construída por David Kay, um ex-funcionário da MV Agusta, no inicio da década de 1990. Para ser mais preciso, Kay enviou sua ideia a Piero pedindo para construir uma moto ostentando o emblema do famoso cavalo empinando, tudo em homenagem ao fundador da marca. A resposta veio em uma carta datada de Maranello, 23 de maio de 1990, e assinada pelo próprio Piero Ferrari em que autorizava o projeto e até desejava boa sorte a Kay em sua empreitada. ............................................................................

Australiano cria moto de papel

Humor na rede Enquanto isso, em algum lugar desse país, alguns utilizam “airbags” como podem...

Fenabrave revisa projeções para 2012

A

Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, entidade que representa cerca de 7 mil Concessionários de veículos no Brasil, apresentou em sua sede, em São Paulo, o desempenho do setor no mês de abril/2012 e acumulado do ano. Na oportunidade, a entidade reviu as projeções para o ano, que sofreu alterações devido à atual conjuntura econômica do País. De acordo com o levantamento feito pela entidade, o setor de distribuição de veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos, implementos rodoviários e outros meios de transporte, como carretinhas para jet sky) apresentou queda de 15,96% no mês de abril na comparação com março (foram emplacados 406.496 no mês passado contra 483.688 em março). Na comparação entre os meses de abril 2011 e 2012, o setor registrou retração de 9,95%. “Esta queda se deve à maior restrição ao crédito para a compra de um veículo novo. Os bancos estão mais criteriosos na avaliação cadastral graças ao aumento da inadimplência no setor, que cresceu nos últimos meses e chegou a 5,7% no mês de março”, avalia o presidente da Fenabrave, Flavio Meneghetti. Com este cenário, a enti-

dade reviu as projeções de crescimento para o ano. De acordo com a Fenabrave, 2012 deve encerrar com 5.762.871 unidades comercializadas em todos os segmentos. Este valor representa crescimento de 3,4% com relação ao volume registrado em 2011 (5.573.499 unidades). No início do ano, a entidade previa crescimento de 5,76% para o setor. Para os segmentos de automóveis e comerciais leves, espera-se aumento de 3,50% nos emplacamentos na comparação com 2011, totalizando 3.545.584 milhões de unidades (a previsão anterior era de 4,5%). Já o setor de caminhões deverá contabilizar 177.149 mil unidades, com evolução de 2,6% (9,6% era a previsão no início do ano), enquanto o segmento de ônibus deverá crescer 13,5% - estimando vender 39.440 mil unidades (previsão anterior era de 14,3%). Já o setor de duas rodas deve encerrar 2012 com crescimento de 3,1%, com 2.000.698 unidades comercializadas. A projeção anterior para o segmento era de crescimento de 7,5%. Análise Econômica Durante a coletiva de imprensa, a sócia-diretora da MB Associados, Tereza Fernandez, apresentou dados sobre o cenário econômico nacional e comentou sobre as razões que levaram o

governo a adotar o Regime Automotivo, assim como falou sobre as perspectivas do setor industrial brasileiro. Segundo ela, o PIB brasileiro deve chegar a 3% de crescimento este ano. Este valor é 0,5% inferior ao projetado no início de 2012 pela consultoria. “Tal resultado, ainda de crescimento, se deve à confiança que temos na economia durante o segundo semestre. E a indústria interfere diretamente neste resultado”, comenta a economista, completando que o aumento da massa salarial na segunda metade do ano pode ajudar no resultado do PIB. Tereza Fernandez informou que o brasileiro se endividou bastante nos últimos anos. Para que esta massa volte a comprar, a sócia-diretora da MB disse que é necessário, em primeiro lugar, sanar as dívidas para aí sim voltar ao consumo. “A médio prazo, as famílias voltarão a consumir, porém em menor volume. O consumo no Brasil terá um avanço mais lento”, disse. Com relação ao setor automotivo, a MB Associados prevê, ainda, um crescimento nas importações, mesmo com o aumento do IPI para veículos provenientes fora do eixo Mercosul-México. “O consumidor quer um veículo com maior motorização e com preços que caibam em seu

orçamento. Os fabricantes de outros países trazem esses veículos com preços competitivos”, argumentou. Para Tereza Fernandez, a indústria automotiva brasileira não acompanhou o ritmo de consumo, o que gerou maior demanda e menos produtos disponíveis. Perda do valor De acordo com a MB Associados, um dos fatores do arrefecimento do mercado de automóveis nos últimos meses é a perda do valor patrimonial dos veículos, decorrente da abertura do spread entre o produto novo e seminovo. “Além disso, elevou-se o custo da manutenção, o crédito ficou mais restrito e o consumidor mudou o seu perfil de compra”, analisou Tereza que complementou: “A inadimplência precisa cair para o crédito voltar ao setor automotivo”, conclui Fernandez. Segundo a economista, as vendas de automóveis e comerciais leves cresceram mais de 60% nos últimos cinco anos e um aumento exponencial como este não se manteria eternamente. “Já falamos sobre isso anteriormente. O mercado automotivo não tinha como sustentar aumentos sucessivos. A tendência já era de moderação no crescimento”, avalia a sócia-diretora da MB Associados.

A

internet aproximou o mundo e permite que as maiores bizarrices do planeta fiquem ao alcance de nossas mãos. E foi por meio da rede mundial de computadores que descobrimos o engenhoso Jack Chen. Este australiano – isso mesmo, ele não é japonês, nem chinês – teve a brilhante ideia de fazer uma réplica “miniatura” de uma Yamaha YZF-R1 de 2007. Mas esta réplica de miniatura não tem nada! Com pedaços de cartão como matéria prima, Chen só precisou de muita cola para dar vida a sua ideia, que ficou com 60% do tamanho original da superesportiva lançada pela fábrica dos diapasões em 2007. Se Chen conseguiu chamar a atenção da Yamaha não sabemos, mas sem dúvida nenhuma este australiano fez um excelente trabalho, não acham? ............................................................................

Harley nas alturas

A

Harley-Davidson divulgou nesta quarta-feira (25), em Milwaukee, nos Estados Unidos, seu balanço financeiro do primeiro trimestre. Segundo a marca norte-americana, as vendas globais aumentaram 20,3%, comparando com o mesmo período do ano anterior. Foram 59.677 motocicletas vendidas em 2012, contra 49.595 no ano anterior. O resultado proporcionou lucro de US$ 172 milhões nas operações, ao passo que, em 2011, o número foi de US$ 119,3 milhões. As vendas foram impulsionadas pelo mercado interno dos Estados Unidos que obteve aumento de 25,5% no primeiro trimestre. O mercado norte-americano absorveu 39.762 motocicletas no período, enquanto os outros país acumularam 19.915 unidades.


CadernoE

Economia&Negócios Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Especialistas revelam: principal qualidade da liderança é a capacidade de inspirar Por outro lado, dados da pesquisa realizada apontam que o desequilíbrio emocional é o maior defeito dos líderes ADMINISTRADORES.COM

Fonte

N

ove entre 10 empresas brasileiras possuem profissionais com perfil de liderança. É o que indica uma pesquisa realizada pela Robert Half com cerca de 300 presidentes, superintendentes, diretores e gerentes de companhias de médio e grande porte em todo o Brasil. Apesar do alto índice, no entanto, 64,2% dos entrevistados afirmaram que suas empresas não têm programas sistemáticos para identificar líderes. De acordo com o levantamento, as três principais qualidades de um bom líder são inspirar outras pes-

soas (43,4%), ter ética (42%) e ser capaz de tomar decisões (38,9%). Por outro lado, o desequilíbrio emocional (26,4%), a arrogância (19,3%) e a centralização (16,4%) são os maiores defeitos de um líder. O estudo mostra ainda que para 49,5% dos pesquisados o principal resultado prático de ter pessoas com qualidade de líderes na equipe é o aumento da produtividade, seguido pela retenção de talentos (25,4%). Em relação ao desenvolvimento das habilidades, coaching (73,2%), oferecer desafios (62,2%) e integração de subordinados com os gestores (43,3%) são as principais ferramentas.

DIVULGAÇÃO

As três principais qualidades de um bom líder são inspirar outras pessoas (43,4%), ter ética (42%) e ser capaz de tomar decisões (38,9%)

Profissional que agir de má-fé em processo trabalhista pode ser penalizado ADMINISTRADORES.COM Fonte

O

profissional que agir de má-fé em um processo trabalhista contra a empresa pode ser penalizado. Recentemente, a Justiça obrigou um ex-empregado a pagar R$ 3,4 mil à empresa, alegando que ele estava utilizando informações falsas para se beneficiar. A sócia do escritório Emerenciano, Baggio e Associados e advogada especialista em Direito do Trabalho, Cláudia Fimi, explica que o funcionário recorreu à Justiça argumentando que a empresa

não cumpria os pagamentos relacionados ao salário nos dias previstos. Entretanto, a empresa, que atua no setor de Tecnologia da Informação, conseguiu comprovar que pagava o funcionário pontualmente e que seguia à risca os acordos coletivos, se livrando de multas normativas, que são comuns em caso de descumprimento. “Com as provas, a Justiça entendeu que o reclamante queria obter vantagem em cima da empresa, por isso ele foi punido, tendo que pagar 2% sobre o valor da causa”. O ex-funcionário pedia o montante de R$ 168 mil

na Justiça. Para a especialista, a decisão da Justiça indica que o trabalhador, apesar de sempre ser considerado o lado mais fraco em uma processo trabalhista, pode ser penalizado se estiver agindo de má-fé. “Isso torna a Justiça mais digna para ambas partes. Muitas pessoas pensam que a Justiça protege sem fundamento, mas não é assim”. Além do reclamante ser penalizado, seu advogado também pode ser punido, tanto financeiramente, tendo que pagar uma multa ou até mesmo tendo um ofício encaminhado a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Pequenos agrados ajudam na produtividade da equipe ADMINISTRADORES.COM Fonte

E

ngana-se quem pensa que o salário é o único fator que influencia a produtividade de uma equipe. Pequenos mimos podem fazer uma grande diferença, por ajudar a criar um grupo mais satisfeito. O alerta é do especialista em administração de tempo e produtividade e fundador da Triad PS, Christian Barbosa. “Pessoas felizes fazem um atendimento excep-

cional (…) Muitos líderes acreditam que pessoas felizes são feitas apenas por salários maiores e isso não é verdade. Dinheiro é importante, mas não é tudo”, diz. Dentre os mimos que ajudam líderes e gestores a criarem uma equipe mais feliz, Barbosa destaca alguns: Dia do Aniversário: de acordo com o fundador da Triad PS, uma atitude simpática é dar meio período de bônus para o funcionário que fizer aniversário, “assim, ele

pode curtir esse tempo com a família e fazer coisas importantes no seu dia especial”. Tempo: para que as pessoas façam adequadamente os processos, sistemas e atinjam metas, é necessário que elas tenham tempo. Assim, aconselha, investir em treinamentos e softwares e administração de tempo e produtividade, com foco em ajudar as pessoas a terem mais equilíbrio entre vida pessoal e profissional, pode ser positivo.

Internet é a principal fonte de informações e oportunidades para profissionais, indica pesquisa

ADMINISTRADORES.COM Fonte

P

ense rápido: qual o primeiro meio que você utiliza para procurar vagas e informações sobre carreira e empregos? Aliás, se você veio parar no Portal Administradores, a resposta é bem simples: mídias online. Atualmente esse é o principal canal utilizado tanto por jovens profissionais em início de carreira quanto por executi-

vos de alta estirpe, inclusive os mais experientes. De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria Michael Page junto a 3 mil profissionais de diversas idades, existe uma padronização de comportamento ao longo dos últimos dois anos. O resultado é uma comparativa com o mesmo estudo feito em 2011. Na primeira pesquisa, os profissionais mais jovens utilizavam relativa-

mente mais os meios online quando comparados aos profissionais mais velhos, que agora aumentaram a busca por informação em sites e redes sociais e diminuiu a participação relativa dos jornais, e outras mídias. De acordo com Sergio Sabino, Diretor de Marketing do Grupo Michael Page para América Latina, “Os veículos on-line e redes sociais, além de possibilitarem o acesso à informação de maneira

rápida, proporcionam uma interação sem precedentes; o aumento desta participação entre os executivos mais experientes representa a melhora representativa no grau de credibilidade que estes meios ganharam ao longo dos anos”. Os dados mostram a versatilidade dos profissionais no Brasil e a preocupação das gerações mais antigas em se atualizar na busca por informação e oportunidades.

A pesquisa ainda aponta que as redes sociais perderam espaço para os sites mas que as mídias online ainda lideram como as mais procuradas quando se trata da busca pelo emprego ou informações sobre carreira. Em 2011, as redes sociais e os sites apareciam com aproximadamente o mesmo percentual enquanto a versão atualizada da pesquisa demonstra a importância disparada dos sites.

“Os jornais e revistas, além de outras mídias sempre terão seu espaço, seu nível mais profundo de discussão, que agrada a uma importante parcela das pessoas. A internet ganhará mais espaço de uma maneira irreversível e contínua, especialmente pela rapidez, interação e capacidade de consolidação. Cada vez mais a internet consegue conciliar credibilidade e agilidade.” afirma ainda Sergio Sabino.


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

E2

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Crescimento em tempo de crise CONCEIÇÃO TEIXEIRA Psicóloga

D

izem que na vida, para tudo há um tempo e uma hora, um caminho... por vezes ainda não imaginado até que o tracemos. Em nosso mundo psíquico, as conexões nervosas, os insigths, acontecem sem que possamos determinar a hora e o lugar. São provocados por estímulos através de experiências que de alguma forma suscitam a nossa emoção, gerando uma resposta que traduzem saídas para as mais diversas necessidades que possamos estar vivenciando. É preciso estaratentos, em contato conosco mesmos. Deixar que o silêncio ganhe espaço, estabelecer comunicações eficazes, fazer coisas diferentes, justamente para se expor a conexões nervosas diferentes. Abrir-se ao novo, permitir a si mesmo pensar no menos óbvio ou basicamente no mais óbvio quando acabamos desenvolvendo o hábito de valorizar o complicado e o difícil, até por achar que é mais “chique” ou mais “bonito” ou porque já estudamos tanto, para aceitar soluções tão básicas. Toda ahistória da humanidade dos tempos mais re-

S

motos aos atuais, comprovam: a crise é uma oportunidade impar para a mudança. Difícil... masé um dos principais caminhos de crescimento. Que exigem de cada um de nós: -Rever seus processos e redefinir conceitos -Reestudar caso por caso -Criar condições sérias para impulsionar -Disposição para trabalhar -Inovar na geração de novos projetos, -Pensar, conversar,planejar, estruturar Todas as atividades humanas,tem ciclos desencadeados por vários motivos, entre eles as crises, e é na crise que muitos definem sua real vocação, a crise é o momento propenso para “rever”, “fazer” ou “mudar totalmente”. Nestes meses tenho acompanhado por vários lugares onde passo, demissões, conflitos internos, angústias e inseguranças que influenciam diretamente no aspecto motivacional e na produtividade da equipe de trabalho. Todos ficam em seu imaginário com um sofrido questionamento: “serei eu o próximo a ser desligado? E o que farei da vida, em tempos tão difíceis?” Nesta hora me vem a mente, o seguinte questio-

namento: se estamos em momentos de insegurança, por que será que nos submetemos a maior insegurança ainda? Explico-me: Temos uma equipe, a qual conhecemos,forças e debilidades. Precisamos reduzir o quadro por impossibilidades econômicas ou porque chegamos a conclusão que podemos produzir o mesmo com um número menor de colaboradores? Compreensivo. Agora, colocar um novo coadjuvante no cenário, sem conhecer de fato seus gaps e habilidades a desenvolver, em pleno “jogo” e num momento crucial, para alcance de resultados superiores ao que temos alcançado? Isso, só quando temos dados suficientes que a recolocação nos trará melhores resultados. Gerar em nossas equipes tensão e medo, quando o momento urge que tenhamos união e sinergia? Parece ser uma estratégia factível a gerar um resultado negativo. Por isso sugiro: -Estude, analise e planeje pensando em cada pessoa que tem,junto de si, na sua organização -Conheça de fato o desempenho de cada um -Analise sua liderança -Desenvolva as competências que hoje são a força de sua equipe -Encontre-se com a sua equipe de trabalho

-Aperte a mão do seu colaborador -Olhe nos olhos das pessoas que são a expressão vital, da identidade do seu CNPJ Lembra quando você começou sua empresa? O que

tinha de diferente no seu comportamento de liderar pessoas, para o que você se tornou hoje em dia? Você conhece os seus colaboradores? Você visita os seus colaboradores em seus respectivos departamentos?

É essa gente, que caminha com você. E junto faz a história da sua organização! Psicóloga Conceição Teixeira conceicao@accrh.com

Quer maior desempenho no trabalho? Confira dez dicas

e você planeja suas atividades semanalmente, com certeza já deve ter deixado de cumprir algumas tarefas por razões circunstanciais ou urgentes, ou até mesmo por questões menos importantes. Grande parte de nossas atividades é deixada de lado por motivos que estão diariamente em nosso ambiente de trabalho, como reuniões frequentes, ficar muito tempo na internet ou em redes sociais, interrupções dos colegas, não ter clareza e não ter foco das tarefas.

comendado é definir períodos para checar as mensagens.

As 10 dicas O consultor e especialista em administração de tempo, Christian Barbosa, destacou 10 dicas que evitam que haja queda de produtividade no trabalho. Confira:

Redes Sociais Trabalhar com elas abertas pode distrai-lo e diminuir seu ritmo de trabalho. O mais indicado é utilizar intervalos do dia ou o horário do almoço para acessá-las.

E-mail Trabalhar com e-mail aberto aumenta a ansiedade e a sensação de mais atividades por fazer. O re-

Energia A falta de energia faz você se desconcentrar, por isso, se alimentar em horário regular ou praticar exercícios

Clareza de atividades Ter certeza das atividades que deverão ser cumpridas faz com que seu tempo seja melhor utilizado. Reunião Marque e participe de reuniões somente se for necessário. Se for preciso agendar uma, seja objetivo e defina anteriormente os pontos de discussão. O recomendado é que o tempo do encontro não ultrapasse duas horas.

podem ajudar nesse problema. Caso não resolva, é recomendado procurar o auxílio de um médico. Foco A falta de foco pode ser percebida quando você não termina uma atividade e já inicia outra. Deixar o celular no silencioso e fechar outros softwares ajudarão a manter o foco. Favoritos Se seu computador estiver cheio de páginas gravadas em seus favoritos, o ideal é que haja a instalação de um novo navegador. Dessa maneira, evita-se a tentação de navegar à

toa na internet. Programas de envios de mensagens instantâneas Algumas empresas autorizam esses programas, mas somente para contatos relacionados ao trabalho. Se você estiver muito ocupado, os status invisível ou offline são os mais indi-

cados. Se estiver com as suas atividades em dia, mantenha a indicação de ausente ou ocupado. Interrupções Para evitar que haja muitas interrupções enquanto você trabalha, preste atenção em como concede as informações e delega as

atividades. Tarefas imprevistas Se surgirem tarefas que não estavam previstas, convites inesperados e favores que irão atrapalhar, o mais indicado é que diga “não”, lembrando sempre de seu planejamento e de sua disponibilidade.

A importância do caráter no trabalho

E

sta característica é muitas vezes revelada pela maneira como as pessoas lidam com as circunstâncias da vida. Podemos afirmar que o carácter: Reflecte-se nas acções do líder e nunca pode ser separado do que ele faz. Pode ser escolhido pelo líder cada vez que toma uma decisão Se o líder tiver um carácter imperfeito as pessoas não vão segui-lo ou acreditar nele. Sem um bom carácter como base, os líderes vão falhar em situações de stress. Eles não podem elevar-se acima das limitações do seu carácter. Se o líder não resolver as suas falhas de carácter, elas vão crescer cada vez mais e tornar-se-ão mais destrutivas ao longo do

tempo. Assim, os líderes devem examinar as suas principais áreas, no trabalho e na vida empresarial, para identificarem onde desapontaram alguém ou cortaram algum caminho e não o deviam ter feito. Depois disso podem lidar com as consequências dessas acções para reconstruir a confiança e desenvolver um plano para prevenir erros semelhantes no futuro. Apresentamos de seguida algumas maneiras de como se pode desenvolver o carácter de um líder:

res que possam ter ou dos pensamentos que possam valorizar, é aquilo que os líderes dizem, e fazem, que determina a sua reputação e o seu bom nome. Deste modo, quando os líderes se focam nos seus comportamentos podem construir e fortalecer o seu carácter. Os líderes podem aprender a falar e a agir de maneira a transmitirem as qualidades positivas do carácter tais como a coragem, o auto-controlo, o optimismo, o interesse e a comunicação efectiva.

Focar-se no comportamento uma liderança com carácter não deve ser um conceito abstrato ou vago. Independentemente das qualidades interio-

Fazer pequenos ajustes Como todos nós sabemos, mudar comportamentos não é fácil e pode demorar algum tempo. Contudo, a maioria das

pessoas pode mudar os seus comportamentos quando existem vantagens nessa mudança, ou seja, muitas pessoas podem mudar certos comportamentos quando pretendem alcançar alguma coisa positiva e/ou evitar alguma coisa negativa. O ponto chave é tentar mudar o comportamento em termos de pequenos ajustamentos e não esperar que todo o comportamento mude rapidamente. Ser coerente A reputação de qualquer pessoa, incluindo a dos líderes, baseia-se no seu comportamento ao longo do tempo. Se o padrão de comportamentos de um líder reflectir consistentemente um carácter forte, o resultado

vai ser um maior respeito, maior confiança e relacionamentos emocionais mais fortes entre os empregados e este tipo de líder. Para terminar, voltamos a referir que a maneira como o líder lida com as circunstâncias da vida revela muito sobre o seu carácter. Como tal, o desenvolvimento desta característica está no centro do desenvolvimento pessoal, não só como líderes mas também como seres humanos. Ou seja, ao desenvolvermos o carácter de um

modo sério e honesto desenvolvemos o líder que existe em nós e, simultaneamente, crescemos a um nível mais pessoal.


JD

Economia&Negócios

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

E3

Editor: Fabrício Costa - fabriciocosta@jdia.com.br

Quase 85% dos profissionais avaliam proposta de emprego em outras cidades Segundo especialista, estas pessoas estão em busca de desafios e oportunidades de crescimento em outros mercados ADMINISTRADORES.COM Fonte

U

m levantamento realizado pela Adecco, empresa de recrutamento e seleção, revelou que a maioria dos profissionais está disposta a mudar de cidade para alcançar suas metas profissionais. Segundo a pesquisa, 84,7% avaliariam proposta para trabalhar em outra região. Segundo a coordenadora de qualidade da Adecco Brasil, Fabiane Cardoso, isso revela que os profissionais qualificados não se importam em trabalhar em outros estados. “O importante é ter qualidade de vida, boa remuneração, desafios e oportunidades de crescimento dentro das empresas”.

Oportunidades O estudo questionou ainda qual critério de desempate as pessoas usariam, caso tivessem de decidir entre duas vagas de emprego. Com 44,9%, a resposta mais indicada foi a avaliação do plano de carreira. Em seguida, aparecem o salário e o desafio proposto, apontados por 11,6% e 11%, respectivamente. Ao serem perguntados sobre o principal objetivo ao participar de um processo seletivo, 46,4% disseram que pretendem voltar ao mercado de trabalho. Outros 43% informaram que gostariam de melhorar de salário e 39,3%, de atuar na área de formação. Para Fabiane, estes dados revelam uma nova tendência. “As pessoas hoje estão

em busca de estabilidade, daí a importância do plano de carreira para elas. Mas, por outro lado, destaca que o aquecimento da economia anima os candidatos a voltarem ao mercado de trabalho, e leva à busca de uma boa remuneração e desafios que as mantenham motivadas”. A pesquisa indicou ainda que, devido ao aquecimento do mercado de trabalho, as pessoas esperam menos tempo por uma recolocação. Pelos dados, 55,9% esperam de um a três meses, 23% entre três meses e seis meses, enquanto 6,6% esperam mais de 12 meses. “A dica para o profissional que não consegue uma recolocação em até seis meses é investir em cursos de atualização e melhorar seu networking”, finaliza.

Saiba como elaborar um currículo

M

entir ou exagerar sobre o conhecimento de uma língua estrangeira é prática comum e ao mesmo tempo fácil de ser detec-

tada. Uma simples conversa com o recrutador ao telefone é suficiente para checar a proficiência no idioma e deixar o candidato em situação em-

baraçosa. Segundo Beatriz Collor, responsável pela área de recrutamento e hutting da Crossing BPI, muitas pessoas erram por não fazer uma avaliação criteriosa. Na dúvida, nada melhor que a sinceridade. “É preferível mostrar que você não possui um determinado conhecimento, mas tem vontade de aprender, do que mencionar informações que não correspondam com a sua realidade profissional”, indica Luciene Medeiros, consultora de RH da Catho Online.

DIVULGAÇÃO

Segundo a pesquisa, 84,7% avaliariam proposta para trabalhar em outra região

Fracasso nas vendas pode ser motivado por ações dos líderes DIVULGAÇÃO

A

inda que você tenha experiência em áreas diversas, é importante enxugar o currículo e focar apenas na vaga em que está interessado. Se já foi ajudante na loja do tio, por exemplo, ou teve outros empregos irrelevantes no início da carreira não precisa mencionar no currículo. “O currículo sempre deve ser focado para a vaga em que o profissional está interessado, sendo condizente com sua formação acadêmica ou experiência profissional”, aconselha Luciene Medeiros, consultora de RH da Catho

C

Problemas nem sempre são os reais distúrbios que afetam as empresas

ADMINISTRADORES.COM Fonte

Online. Além disso, no topo deve constar, de forma bastante objetiva, a área na qual o candidato pretende atuar. “Executivo de negócios está na moda. Mas, o

que isso significa? A pessoa deve ser clara ao expor seu objetivo”, ressalta Beatriz Collor, responsável pela área de recrutamento e hutting da Crossing BPI

olocar a pretensão salarial no currículo pode fazer com que você perca oportunidades de trabalho e a possibilidade de negociar uma faixa salarial ou benefícios melhores. “Informações como o salário anterior e a pretensão salarial devem ser tratadas preferencialmente no momento da entrevista, onde o profissional poderá detalhar melhor suas qualificações e resultados que justifiquem o salário proposto”, orienta Luciene Medeiros, consultora de RH da Catho Online.

O

mau desempenho de equipes/funcionários muitas vezes é alvo de reclamações por parte dos gestores. O especialista em vendas e sócio-diretor da consultoria Tekoare aponta algumas queixas comuns dos líderes. “Em geral, as reclamações alternam-se entre dizer que as equipes estão desmotivadas, dão muito desconto ou não estão integradas. Ou ainda que os gerentes não conseguem unir a equipe em torno de uma grande causa ou que as vendas vêm caindo nos últimos anos”. No entanto, para Claudio esses problemas nem sempre são os reais distúrbios que afetam empresas e seus departamentos de vendas. Um bom exemplo para entender isso vem da relação médico/paciente. “As pessoas procuram um médico dizendo, por exemplo, que estão cansadas, irritadas e não sabem mais o que fazer. No entanto, é evidente que o cansaço não é a causa principal do problema, mas o sintoma de uma noite mal dormida. E essa noite mal dormida pode ter ocorrido em razão de um outro fator”, explica o consultor. Nesses casos, é papel do médico fazer uma série de exames para detectar as reais causas do distúrbio que o paciente enfrenta. “O mesmo vale para um gestor preocupado com os resultados de sua equipe de

vendas. Ele deve procurar a ajuda de um especialista que ‘pedirá exames’ para encontrar as raízes dos problemas”, lembra. Esses problemas, segundo Claudio Diogo, na maioria das vezes são: Falhas de recrutamento e promoção. Algumas empresas contratam ou constroem carreiras utilizando as pessoas erradas. São profissionais que não têm o perfil correto para trabalhar com aquele produto/serviço, para atuar na situação de vendas que a empresa se encontra e trabalhar em conjunto com equipe que possui. Daí a importância de ter um sistema de recrutamento e seleção estratégico. É fundamental que as empresas contratem as pessoas certas para a executar as funções certas. Não bastar contratar pessoas que se dizem vendedores, mas os que de fato são vendedores e que têm as características e habilidades necessárias para isso. Treinamentos ineficientes. Muitas empresas e profissionais se queixam que recebem treinamentos que não falam a linguagem exata da equipe. Vamos imaginar que uma empresa que vende geladeiras contrata um treinamentos que há dois dias foi ministrado para vendedores de sapatos e o treinamento é absolutamente igual. Isso jamais irá funcionar. Os treinamentos devem ser customizados de acordo com o mercado e perfil da empresa e conduzidos sob medida para atender as necessi-

dades e o perfil dos profissionais que irão acompanhá-lo. Problemas de gerenciamento. Nós notamos nas empresas queixas terríveis de pessoas que são líderes sem ter o perfil para tal e sem conhecer técnicas de liderança. Eu costumo dizer o seguinte: se um líder marca uma reunião e as pessoas chegam atrasadas, a culpa é desse líder. Se você chega atrasado a uma reunião é porque ela não te atraiu e não tinha um motivo de existir. Ou seja, não te venderam essa reunião. E isso é só a ponta do iceberg, que esconde sérios conflitos de liderança. Solução Por mais graves que sejam, Claudio Diogo reforça que 99% dos problemas têm solução e 95% das empresas que o procuram conseguem implementar essas soluções. “Em 1% não há solução porque nesses casos o problema é o dono da empresa, e aí você não consegue solucionar”, lamenta. Com relação aos 5% que não implementam, isso ocorre porque nesses casos é o líder que não quer que eles sejam solucionados. “Se os conflitos forem solucionados, essas pessoas deixarão de serem líderes”, comenta Claudio, que complementa. “Esse tipo de líder não delega, é centralizador. E como não aceita mudanças em algo que lhe diz respeito, ele finge que não é preciso mudar nada. É o suicídio empresarial”.


Click JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 08 e 09 de abril de 2012

Felicidades ao deputado federal Vinícius e sua esposa Luciana Gurgel que comemoraram aniversário de casamento no dia 03 de maio

Patrícia Leal - patricialeal@jdia.com.br

Aniversariou no último dia 02, a empresária Anarita, da Loja Sofisticasa, parabéns

Alexandre e sua filha

Deyvide Brother e Namorada

A Bela Nel

Assoprando velinhas, Maria Eduarda, filha de Albert Amanajás, parabéns

A linda Jaqueline

A bela Jessica

Carol Fernandes

Andressa Gomes

Del Barbosa

Ana Carla

Elinaldo e Rodrigo Kzan

Fernanda e Camila

Dj Diabão

Hélio Dj Jhon Silva

Jeise Balieiro

Igor Ronie e Izan Junior

Jerfeson e Sabrynna


JD

Especial

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

A4

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Entidades do carnaval prestam conta, ma

Carnaval deste ano movimentou quase R$ 4 milhões de verba pública. Prazo para apresentar prestação de contas Arquivo

O Carnaval 2012 foi cobrado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) em cumprimento a formalização do processo de Tomada de Contas Especiais, que será encaminhado Tribunal de Contas do Estado (TCE)

ANDREZA SANCHES Da Redação

O

prazo para que as entidades responsáveis pelo carnaval deste ano apresentassem um relatório com a prestação de contas dos recursos empenhados no evento, encerrou no último dia 30 de abril. Ao contrário de anos anteriores, que resultaram na inadimplência e impossibilidade de receber repasses do governo e prefeitura, as entidades parecem ter respeitado a determinação. Das 11 instituições que deveriam prestar contas, apenas três não apresentaram os gastos. Mas a população ainda cobra mais transparência, em quê os R$ 3,7 milhões destinados ao carnaval foram investidos? O documento detalhado incluindo números de notas fiscais e contratos referentes às despesas e receitas geradas durante o Carnaval 2012 foi cobrado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) em cumprimento a formalização do processo de Tomada de Contas Especiais, que será encaminhado Tribunal de Contas do Estado (TCE). De acordo com a chefe da Unidade de Contratos e Convênios da Secult, Nara Magave, as informações eram obrigatórias para todas as entidades da capital incluindo escolas de samba e blocos, e ainda do interior. Das 11 entidades representativas do carnaval, apenas três estão em débito com a Secretaria, são as prefeituras de Laranjal do Jari, Mazagão e Serra do Navio. As duas últimas chegaram a apresentar a prestação de contas, mas o documento não foi aprovado na análise da Secult, sendo devolvido para que se fizessem as correções necessárias, mas ainda não foram apresentados novamente. No dia 22 de abril, o JD publicou reportagem sobre a falta de transparência da Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (LIESA), e questionou os motivos do atraso na prestação de contas por parte da entidade, a ausência do relatório já ultrapassava dois meses e

nenhuma informação havia sido divulgada. Segundo a chefe da Unidade de Contratos e Convênios da Secult, Nara Magave, a prestação de contas referente ao convênio 079/2011 repassado a Liga Independente dos Grupos e Associações Juninas do Amapá (LIGAJAP), responsável por receber os recursos destinados às escolas de samba, no valor de R$ 2 milhões, já foi apresentada. Já o relatório sobre o convênio 01/2012 no valor de R$ 832 mil repassado a blocos e prefeituras, também formalizado com a mesma entidade para investimentos no carnaval da Associação de Blocos do Amapá (ABLOCA) e Liga Independente dos Blocos do Amapá (LIBA) na capital, ainda não foi repassado. De acordo com o presidente da LIGAJAP, Roni de Andrade, o atraso na entrega do documento ocorreu em função do não repasse de um valor aditivo, que seria utilizado para o pagamento de sonorização e trios elétricos. Nara Magave confirmou a pendência, e informou que o valor aditivo é de R$ 45 mil, que ainda não foi repassado à Liga, que já oficializou documentação pedindo prorrogação do prazo para entrega dos relatórios. Como não há data definida para que os recursos sejam depositados, não é possível saber quando a Liga apresentará este último relatório. A direção da Unidade de Contratos e Convênios iniciará nesta segunda-feira (7), o processo de notificação das entidades que ainda não prestaram contas, elas terão um prazo para justificar e apresentar os relatórios. Opinião Pública Foram investidos mais R$ 3 milhões na programação que envolvia o desfile das escolas de samba na Avenida Ivaldo Veras no Sambódromo, repassados pelo Governo do Estado (GEA) e Prefeitura Municipal de Macapá (PMM). Apesar de quase todas as entidades terem cumprido o prazo para apresentar os relatórios, ainda é desconhecido os

números sobre a arrecadação com o carnaval 2012, com a comercialização de ingressos, camarotes, concessão de espaços para comercialização de bebidas, praça de alimentação e outras receitas geradas. O que a população ainda quer saber, é que valores foram empenhados em toda a estrutura que mobilizou o evento no Sambódromo este ano, bem como contribuição para as escolas de samba, premiação, gastos com jurados, confecção de identificação para organização (camisas) e outras despesas, ou seja, do que foi investido ao que foi arrecadado. Orlando Vasconcelos (autônomo): Todo ano é a mesma coisa, o governo investe milhões no evento, e no final das contas ninguém sabe em que foi gasto todo esse dinheiro. Lindalva Vaz (dona de casa): Cobraram um absurdo para assistir o carnaval das arquibancadas, mas até agora não sabemos quanto foi arrecadado com a venda desses ingressos. Falta de respeito!

Orles Braga, presidente da Liga das Escolas de Samba (LIESA), entidade é apontada na enquete com um grande histórico de inadimplência. Apesar de apresentar o relatório, ainda falta o número de gastos

Edson Pereira (taxista): Se a Liesa ou outra entidade apresentou essa prestação de contas e não tem nada a esconder, é justo que tenhamos direito de ter acesso a esses números. Andréia Duarte (técnica em enfermagem): A Liga das Escolas de Samba já tem um histórico de inadimplência, está de parabéns por ter apresen-

tado o relatório, mas queremos ver os números dos gastos. Nazaré Nascimento (comerciante): Seria interessante que a prefeitura ou governo colocassem no portal da transparência, o que foi investido e em que foi gastos esse dinheiro. Michele Cardoso (estudante): Acho que os vere-

Foram investidos no carnaval 2012 mais de R$ 3 milhões. A população espera a prestação de contas do dinheiro público

adores deveriam ter se manifestado também para cobrar essa prestação de contas. Ronison Maia (eletricista): Com os valores absurdos cobrados para arquibancadas e camarotes, é possível que a Liga tenha conseguido uma boa arrecadação, queremos saber quanto foi e em que esse dinheiro será investido.


Especial

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

A5

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

mas valores gastos são desconhecidos

s terminou no último dia 30. Nem todas as entidades apresentaram relatórios

Movimentação de economia e turismo O carnaval amapaense chamou atenção, 65% dos guianenses estiveram em Macapá durante o carnaval. Turistas franceses, paraguaios, portugueses e espanhóis também contribuíram com a movimentação da economia neste período

O

carnaval amapaense já é observado como um dos principais propulsores da economia local, incentivando o fortalecimento da cultura e promovendo a geração de pequenos e grandes negócios. Este ano divulgou-se que 1800 empregos diretos e indiretos foram gerados durante o período, sem falar na fomentação do turismo e a visibilidade oportunizada pela divulgação em meios de comunicação internacional. Este ano, o evento contou com a estrutura logística diferenciada, a avenida do Samba foi revitalizada, um investimento do Estado de R$ 1 milhão na reforma de camarotes, estrutura de arquibancadas, praça de alimentação, serviços hidráulicos e pintura, além da entrega da Cidade do Samba, o que valorizou a quadra carnavalesca. A previsão era de um público de 10 mil pessoas, expectativas que até agora não se sabe se foram superadas durante as cinco noites de programação. Mas de acordo com uma pesquisa coordenada pela Secretaria de Estado do

Turismo (SeTur), que buscou analisar o perfil do público que prestigiou o carnaval este ano no sambódromo, seja nas arquibancadas, camarotes ou área vips , foi possível observar alguns pontos como origem dos visitantes. Além do público local que chegou a 81% dos macapaenses, o carnaval também foi acompanhado por maranhenses, mineiros, catarinenses, cariocas e pernambucanos, os paraenses lideraram presença com 67%, seguido dos paulistas com 11%. O público internacional também chamou atenção, 65% dos guianenses estiveram em Macapá durante o carnaval, turistas franceses, paraguaios, portugueses e espanhóis também contribuíram com a movimentação da economia neste período, já que a renda entre os visitantes variava entre R$ 1 mil e R$ 10 mil circulando por um período de permanência que chegou a 30 dias no Estado. Destes, pelo menos 38% dos turistas manifestaram desejo de retorno neste mesmo período.

Arquivo

Agências de publicidade divulgaram o carnaval amapense em outros países levando o Estado a receber uma boa quantidade de turistas

Sobre os recursos e investimentos no Estatuto da Liesa Art. 48- As prestações de contas da Diretoria Executiva da LIESA e das Agremiações filiadas, referentes aos recursos recebidos do poder público como subvenção, deverão ocorrer na forma estipulada no Termo de Contrato, devendo a Agremiação apresentar a referida prestação de contas protocolada à Diretoria Executiva da LIESA, para fins de registro e controle. Art. 49- A prestação de contas das verbas administradas pela Diretoria Executiva da LIESA será apresentada ao Conselho Fiscal conforme estabelecido no art. 50 do Estatuto da LIESA. Art. 50- O valor destinado à Diretoria Executiva da LIESA será correspondente a 10% (dez por cento) do

valor repassado como subvenção pelo poder público, a ser descontado antes do repasse às agremiações carnavalescas participantes dos desfiles. Art. 51- Os recursos financeiros líquidos, excetuados os devidos a Diretoria Executiva da LIESA, destinados às Escolas de Samba para o Carnaval de 2010, advindos de subvenções repassadas pelo Poder Público, serão distribuídos escalonadamente nos percentuais de 10,4% para cada uma das escolas do Grupo Especial e 9,4% para cada uma das escolas do Grupo de Acesso. Art. 52- A receita líquida apurada na comercialização dos desfiles, será dividida entre as Agremiações Carnavalescas

participantes e a Diretoria Executiva da LIESA/AP em proporções iguais. Art. 53- Todas as vendas referentes aos dois dias de comercialização do carnaval, bem como as cotas de transmissão de Rádio, Televisão e/ou qualquer outro meio similar, serão administradas pela Direção Artística dos Desfiles. Prestação de Contas de Carnaval Popular A Banda Placa e a Federação Cultural e Social Zona Norte chegaram a encaminhar à Secretaria de Estado da Cultura (Secult) ofício de agradecimento pela parceria e prestação de contas da entidade sobre a realização do Carnaval do Povo.

Ao contrário de anos anteriores em que as entidades deixaram de apresentar os relatórios, este ano a determinação foi cumprida depois de muita pressão do poder público e da população

Reveja alguns cálculos feitos pela reportagem do Jornal do Dia

B

Cidade do samba, inaugurada esse ano, serviu de suporte para as agremiações, além de cortar custos com o pagamento de aluguel. A mesma encontra-se com os portões fechado servindo apenas de depósito

aseado em informações divulgadas pelo Governo e Prefeitura, foi possível chegar a alguns valores. Destes, a receita arrecadada com a venda de ingressos, por exemplo, a Liga abriu comercialização para pelo menos seis tipos de espaços para que o público acompanhasse os desfiles, o menor valor era o das arquibancadas ao custo de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), já os camarotes com capacidade para 15 brincantes, com direito a mesas e cadeiras, foram vendidos a R$ 4, resultan-

do em mais de R$ 160 mil. As modalidades de áreas privilegiadas comercializadas por dia, foram vendidas ao preço de R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia) a Área Vip, para ter acesso ao espaço denominado “Tapete vermelho”, o folião precisava pagar entre R$ 300 e R$ 150, já o Open Bar custava entre R$ 250 e R$ 125, os lugares eram considerados importantes, pela visão estratégica do sambódromo e por contar com atendimento de bar e disponibilização de restaurante. Estes últimos, não foi

possível chegar a um saldo, já que o número de áreas vips vendidas não foi declarado. Outra somatória importante é quanto aos recursos empenhados no pagamento dos jurados. Ao todo, foram 54 jurados selecionados para acompanhamento e apuração das notas das escolas de samba, cada um recebeu o valor de R$ 300 por noite para participação, totalizando mais de R$ 80 mil. O primeiro lugar do Grupo Especial recebeu R$ 12 mil e o do Grupo de Acesso ganhou R$ 8 mil.


Sociedade

Aline Lima alinelima@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 06 e 07 de maio de 2012

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Renata Vilas

Glaucia Lobato

Contrate o Programa Balada Fashion para o seu evento: Inauguração de empresas, coquetel de lançamento da nova coleção, aniversário, formatura, confraternização, etc... Contatos: 9112 5045/ 9112 1989. Programa Balada Fashion todos os sábados às 18:40 e reprise aos domingos às 14h. Na REDETV.

A Miss Brasil Priscila Machado

Mensagem do dia “Se um dia alguém dizer que você não fez algo importante não ligue, pois o importante já foi feito: VOCÊ.”

Alessandra Neves e Carla Araujo

Tereza Cristina e Jamille Ralife

5 dicas para um domingo mais feliz Almoçar com a família, passear com as crianças, ir ao cinema, descansar um pouquinho; mas definitivamente ficar no computador não é uma resposta válida. Para tornar seu domingo ainda mais mágico, aí vão 5 dicas rápidas pra você sair da poltrona e aproveitar o lindo dia lá fora: 1) Cerque-se de pessoas felizes. Pessoas depressivas contagiam com seu mau humor da mesma forma que pessoas positivas te atingem em cheio com alto astral. 2) Sorria. O simples ato de sorrir pode fazê-la mais feliz. Assista a um filme de comédia, faça uma competição de piadas com as crianças, leia algo divertido. 3) Socialize. Passe o tempo que você puder com as pessoas que ama, seja numa curta ligação telefônica ou numa rápida visita surpresa. 4) Não se apresse. Ao invés de agendar uma série de programas e tornar o dia super corrido, programe menos atividades e saboreie-as calmamente e com bastante gosto. 5) Sorria mais um pouco Quem sorri produz endorfina, responsável pela sensação de prazer e felicidade; movimenta músculos da face, evitando rugas e prevenindo os sintomas do envelhecimento; além de contagiar outros com sua felicidade.

Sebrae e Tribunal de Justiça do Amapá se unem para agilizar serviços judiciais demandados pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. A partir da esquerda o juiz de direito Jorge Luciano de Assis, presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae, Alfeu Dantas Junior, presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Mário Gurtyev de Queiroz, diretor superintendente do Sebrae, João Carlos Alvarenga e o diretor de administração e finanças do Sebrae, Waldeir Ribeiro.

Rafaela Barbosa

Keila Daiane e Namorada


Jornal do Dia 06-07/052012