Page 1

MACAPÁ-AP, DOMINGO, SEGUNDA, 04 e 05 DE MAIO DE 2014 - ANO XXVII

OPINIÃO

PORTOBELLO

Lança preview da Coleção Habitat Natural 2014

Lançamento está na linha de frente

Especialista avalia fim da cobrança do imposto aos pequenos. Chelala/A3

POR MÊS são cerca de 40 furtos

•DOMINGO E SEGUNDA R$ 2,50 •TERÇA A SÁBADO R$ 1,50

NOVO HONDA FIT

Alento para as micro empresas

DIVULGAÇÃO

* FUNDADO EM 04 DE FEVEREIRO DE 1987

Honda ousou na estética com traços esportivos, evoluiu o conhecido motor 1.5. D3

“A Coleção quer oferecer mais opções”, diz Jéssica Pereira. A4

Substituição tributária fica cada vez mais perto do fim O Senado aprovou projeto de lei que alivia a carga tributária das microempresas e empresas de pequeno porte estabelecendo limite

ao poder dos estados de adotar a substituição tributária. A aprovação do Novo Simples vai permitir que as empresas sejam classificadas pelo

faturamento e não mais pelos setores em que atuam. O texto possibilitará, também, que a substituição tributária seja extinta. nB2 e B3

ERICH MACIAS

POLÍCIA CIVIL

Somente 20% das motos roubadas são recuperadas

ADESÃO

Empresários abraçam projeto da Santa Casa O projeto de edificação de uma unidade da Santa Casa de Misericórdia do Amapá, ganha força. A diretoria da ACIA aprovou por unanimidade adesão da classe. nB4

A Delegacia de Polícia Interestadual registra por mês ao menos 40 casos de furtos de motocicletas. Muitas delas são levadas para o Pará, e outras para o interior. nB1

PLANTÃO

VIOLÊNCIA

Justiça Eleitoral realiza atendimento neste domingo

Centro já atendeu em 2014 mais de 200 vítimas

De janeiro a março deste ano, o centro já atendeu 224 mulheres que sofreram qualquer tipo de violência em casa. nC1

DIVULGAÇÃO

O cidadão tem até prazo final para pedir transferência de domicílio, revisão de dados cadastrais ou ainda solicitar transferência de seção eleitoral. nB1

MINISTRO AFIF NO AMAPÁ: “substituição tributária está mais perto do fim”

SANTA LÚCIA

DIVULGAÇÃO

Supercenter inaugura oferecendo multiserviços

ATENDIMENTO e orientação no Cram

O projeto possui 12 mil metros quadrados de área construída, e vai abrigar além dos serviços de supermercado, magazine e restaurante, oito lojas de serviços e produtos como

farmácia, loja de cosmético, foto expresso, ateliê, sorveteria, salão de beleza e lavanderia. O Supercenter Santa Lúcia está localizado na Rua Jovino Dinoa, no Trem. nC2 e C3

OPINIÃO

7 DE MAIO encerra o prazo para tirar o título

CUSTOS

Dr Eduardo Costa: Amapá, o fantástico e eu político

CCJ aprova novas regras para controle de obras

Articulista doutor em medicina convida o leitor a fazer uma reflexão sobre o atual modo de vida no Amapá e faz a pergunta: você está contente? nB2

A grande inovação trazida pela LDO para 2011 foi regular parâmetros de preços em regimes de empreitada por preço global. nB1

NESTA EDIÇÃO CADERNO A............................4Pag. CADERNO B............................4Pag. CADERNO C............................4Pag. VEÍCULOS D............................4Pag. CADERNO E............................4Pag.

ERICH MACIAS

PRECISA DE UM TÁXI?

CLIENTES têm à disposição cem vagas internas para estacionamento e mais 50 vagas externas

COVEN - 3222-5200 COOPTÁXI - 3223-2777 MARCO ZERO - 3223-2639

NA INTERNET: www.jdia.com.br - REDAÇÃO: 3217.1117 - COMERCIAL: jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO: 3217.1111 - ATENDIMENTO: 3217.1110


A2

Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 04 e 05 de maio de 2014

Poucas & Boas

• NÃO chamem para dividir o adoçante do cafezinho a presidenta Dilma Rousseff e os médicos brasileiros, representa-

dos pelas suas entidades, Conselho Federal, Associação Médica e Sindicato Médico. Em pronunciamento no Dia

Editor: José Maria Baia - josemaria@jdia.com.br

do Trabalho a presidenta afirmou que os médicos cubanos eram muitos mais atenciosos do que os brasileiros. Arranjou

400 mil votos contrários e mais outro tanto das esposas e filhós dos profissionais.

ESPLANADA POR LEANDRO MAZZINI Jornalista

• O PROBLEMA de bu-

racos na cidade não é nenhuma novidade. Mas novidade mesmo é os que já foram tapados e voltaram a dar o ar da graça. É o caso na chamada baixada do Fundo de Kintal, no bairro do Muca. O pequeno igarapé de uma ressaca tem transbordado nesses dias de chuva e vários buracos voltaram a aparecer. Se não for tomadas as devidas providências o local deverá ser interditada.

• UMA boate na Rua

Claudomiro de Moraes, no bairro Novo Buritizal não está só perturbando a vizinhança com funcionamento até o raiar do dia. Os usuários estão fazendo dos muros das casas como sanitários e as laterais como lixeira a céu aberto. São latas de cervejas e refrigerantes e copos descartáveis espalhados por todos os lugares, numa poluição ambiental de forma criminosa.

Twitter @leandromazzini

ALÔ E ADEUS ÀS TELEFÔNICAS RUINS

O

presidente da Anatel, João Rezende, garantiu à Coluna que a partir de 8 de Julho termina o calvário virtual do consumidor que não consegue ser atendido pelos call-centers para cancelar seu contrato com as telefônicas. É o dia em que entra em vigor o serviço de cancelamento automático

Vitória do consumidor ‘É evidente que é mais uma pressão do usuário’, explica Rezende, sobre a resolução, fruto de um trabalho de consultas da Anatel aos consumidores.

Recordistas

‘Tribunal recursal’

Não é segredo no país: as teles lideram as reclamações nos Procons, por maus serviços ou pior, não atendimentos. É aquele suplício da chamada em espera que vai acabar.

O call center da Anatel, que atua como um ‘canal recursal’ após tentativas frustradas de consumidores nas teles, tem 330 atendentes e recebe 22 mil ligações por dia.

Operação Ideológica A história vem à tona revelado por quem acompanhou de perto: o atual embaixador da Venezuela nos EUA, Ignácio Ramonet, operou frustrada operação ideológica em sindicatos no Brasil. Consistia em introduzir ideias bolivarianas nas classes. Conseguiu ingerência em entidades de Brasília, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Pernambuco.

• CIRCO que está loca-

lizado no estacionamento do Amapá Garden Shopping continua sendo bem requentado tanto pelo público infantil como o adulto. Diversas atrações artísticas são apresentadas com destaque para os animais e palhaços, a verdadeira alegria das crianças. Altamente recomendado.

• ASSOCIAÇÃO Nossa

Gente, que congrega funcionários do Grupo Ápice Empreendimentos e diversos convidados, está realizando um torneiro de futebol society denominado João Diniz, contando com cinco clubes, escolhidos entre os próprios peladeiros. A direção do evento resolveu escolher os nomes dos times que participam do futebol profissional do Estado. Assim disputam o torneio: São José, Ypiranga, Macapá, Santos e Independente.

CONSELHO EDITORIAL Presidente:

Aldenor Benjamim dos Santos

CONSELHEIROS Haroldo Pinto Pereira Danieli Amanajás Scapin Carlos Augusto Tork de Oliveira José Arcângelo Pinto Pereira Janderson Carlos Nogueira Cantanhede Heloisa Figueiredo Pereira

Editado por Omega Publicidade Ltda. Rua Mato Grosso, 296 A - Bairro Pacoval CEP. 68.908-350 - Macapá-AP CNPJ 03.926.197/0001-82 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(*1917 +2006) e Irene Pereira(*1923 +2011) 1º Presidente: Júlio Maria Pinto Pereira 1987 a 1991 - (*1954 +1994) 2º Presidente: José Arcangelo Pinto Pereira 1991 a 2003

Opinião .....................A2, A3 Geral ..........................A4 Geral ..........................B1,B2,B3 Polícia ........................B4

E-mails Pautas e contatos com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br Departamento Comercial: jdcomercial@jdia.com.br comercialjd.2011@gmail.com mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representante comercial Grupo Pereira de Souza – GPS Matriz Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2544.3070; Brasília/DF - Tel.: (61) 3226.6601; São Paulo/SP - Tel.: (11) 3259.6111; Belém/PA - Tel.: (91) 3244.4722

3º Presidente: Maria Inerine Pinto Pereira 2003 a 2005 Vacância do Cargo 2005 a 2012 4º Presidente: Haroldo Pinto Pereira 2013 Presidente Executivo: Haroldo Pinto Pereira haroldopereira@jdia.com.br Vice-Presidente e Diretora Comercial Juliane Pereira juliane.pereira@jdia.com.br Gerente Comercial: Paolo Oliveira paolo.oliveira@jdia.com.br Consultoria Jurídica: Juliane Pereira (OAB/AP 1320) Jakeline Morato Pereira de Souza (OAB/AP 1381) Editor-Chefe: Janderson Cantanhede cantanhede@jdia.com.br

ÍNDICE

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296 A Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68.908-350

Contatos: Fale com a redação (96) 3217-1117 (96) 3217-1108 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

Acompanha o

caderno de ClasssiDia 8pág. Geral ...........................C1 Esporte ......................C2 Cultura .......................C3 Social ..........................C4

Aos domingos Veículos ....................D1,D2,D3 Informe .....................D4

Edição número

8490

obrigatório nos sites das operadoras – o cidadão digita a linha e seu contrato, e num clique o encerra caso queira. Será o enterro do gerúndio tanto falado pelos atendentes, o ‘vamos estar resolvendo’..As teles também terão direito: dois dias para tentar reconquistar o assinante. Então prepare os ouvidos.

Tiro no pé Ramonet foi apresentado ao então presidente Chávez por um editor do Le Monde Diplomatic, ambos afinados com o Chavizmo.Mas o projeto não vingou, e depois da tentativa fracassada de núcleos no Brasil, bancada por Chávez, Ramonet sumiu.

Alô, morador

O ministro das Cidades, Gilberto Occhi, admite ser impossível a pasta investigar cada um dos 4 milhões de contratos do ‘Minha Casa, Minha Vida’. Por isso conta com denúncias, anônimas ou não, de populares.

Números

Hoje, mais de 5.100 denúncias estão em apuração pela Caixa e pela PF. O governo desde então já registrou 15 mil denúncias – mas 57% improcedentes.

Sorte dupla

Um lavrador de Figueirão (MS), de 3 mil habitantes, ganhador de R$ 37,6 milhões da Mega Sena, ficou tão feliz que deu R$ 500 mil para um homem que conferiu o bilhete;

Grande negócio

O PGR Rodrigo Janot confirmou em entrevista a um site a bola cantada pela Coluna há duas semanas: O financiamento público não inibe a corrupção e pode aumentar o caixa 2. É que seria vantajoso para partidos e candidatos terem as campanhas pagas pelo fundo partidário, ou, claro, você. E continuar operando o caixa 2 livremente.

O chefão

Veja as voltas que o mundo dá. Os bingos foram proibidos no Brasil em 2006, mas o maior fabricante do mundo de máquinas caça-níqueis é

o brasileiro Johnny Ortiz, dono da Zitro. Mora na Espanha, é sócio de cassinos e fatura 76 milhões de euros por ano.

Cerco

A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou sugestão do presidente da Comissão da Verdade do Rio, Wadih Damous, e vai convidar o ministro da Defesa e os chefes militares para falar sobre os fatos ocorridos durante a ditadura militar.

Loyola afinado

Do conceituado jornalista e escritor Ignácio de Loyola Brandão soltou o verbo na Flipiri, a Feira do Livro de Pirenópolis (GO), gozando a festa de Paraty: ‘A Flip é uma baboseira para grã fino. Eles têm dinheiro para pagar ingressos (e cobram)’.

Memória do painel

Trinta anos depois da queda da Emenda Dante para as Diretas Já, uma conferida no painel da votação à época de hoje expoentes: pelo Sim à Emenda, votaram os deputados Collor, Arthur Virgílio, Jutahy Jr, João Agripino, Joaquim Roriz, Sarney Filho etc.

Mas...

Se abstiveram Reinhold Stephanes e o agora senador Mozarildo Cavalcanti. Paulo Maluf, que tentou a presidência da República, nem apareceu..

Ponto Final

E viva as eleições diretas!

Com Marcos Seabra, Maurício Nogueira e Adelina Vasconcelos www.colunaesplanada.com.br LM Comunicação Coluna Esplanada contato@colunaesplanada.com.br Caixa Postal 1980 – CEP 70254-970 – Brasília-DF


Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 04 e 05 de maio de 2014

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

O terceiro olho DOM PEDRO JOSÉ CONTI

Q

Bispo de Macapá

uando o mestre entregou o livro sagrado para o jovem discípulo, sugeriu-lhe de lê-lo três vezes. – Uma primeira vez – explicou – para abrir os olhos da mente; uma segunda para abrir os olhos do coração... - E a terceira? – interrompeu-o, impaciente, o discípulo. – A terceira vez é para fechar os olhos da mente e do coração. – Não entendo – respondeu o jovem. – Experimenta e verá. O discípulo retirou-se em meditação com o livro e seguiu os conselhos do mestre. Quando chegou à terceira leitura, depois de ter degustado a profunda beleza do ensinamento divino, sentiu que uma luz de graça se acendia nele: estavam se abrindo os olhos da alma. Acredito que todos nós ficamos tocados quando escutamos o evangelho sobre os dois discípulos de Emaús. É muito fácil nos identificarmos com eles, sobretudo na primeira parte, quando estão desanimados e abatidos. Mais difícil é perceber que

a Palavra do Senhor abrasa o nosso coração e ter fé suficiente para reconhecê-lo na Eucaristia, no gesto de repartir o pão e se dar a nós. Raramente, pois, nos sentimos impelidos a ser testemunhas da ressurreição. No entanto este é o caminho que todo cristão deve trilhar: passar do desânimo ao encontro e do encontro para a missão. O desalento dos dois discípulos de Emaús tinha uma razão imediata: a morte de Jesus na cruz. As palavras dele suscitaram muitas expectativas, mas as autoridades tinham calado para sempre a sua voz. Decepcionados e tristes, os dois estavam desistindo de tudo. Era o fim. Quando as coisas não andam como nós queremos ou pensamos, a primeira tentação é sempre aquela de abrir mão, de deixar tudo. Parece o mais fácil e o mais certo. Fica o gosto amargo da derrota. É neste momento que o terceiro peregrino começa a falar. Ele diz mais do que palavras de conforto: explica as Escrituras. O que lhes parecia um fracasso era a vitória do amor. O

que pensavam fosse o fim, era o início de uma vida nova. No coração frio e triste dos dois discípulos começa a resplandecer a luz da esperança, o calor da ressurreição. Falta agora um sinal para reconhecer quem é realmente aquele peregrino capaz de fazer entender os acontecimentos e as promessas antigas de uma forma tão nova e surpreendente. Pedem que fique com eles e ao “repartir o pão”, o gesto da última ceia, o reconhecem. É Jesus, vivo, ressuscitado. Todas as suas dúvidas desaparecem com ele. A alegria toma o lugar do desânimo, a coragem substitui o medo. Imediatamente voltam para Jerusalém, não importa quais forças adversas terão que enfrentar, não podem calar a verdade. Não fogem mais; de agora em diante serão testemunhas do Ressuscitado. Esta página do evangelho nos aponta o caminho que cada cristão deve percorrer se não quer ficar vítima do seu próprio desânimo, das suas fraquezas, da sua mediocridade. O primeiro passo é entender a nossa fé, saber em quem e porque acreditamos. Nada pode substituir as Escrituras lidas e compre-

endidas na comunidade. Igualmente a fé deve ser celebrada, como memória atual dos eventos da nossa salvação. De outra forma, aquele amor com o qual Jesus nos amou dando a sua vida na cruz ficaria no passado. Ele continua a dar a sua vida hoje, para nós, os peregrinos que ainda andam desanimados pelos caminhos da história humana. Assim a nossa vida se torna uma resposta livre e amorosa àquele amor total. Falta, porém, um último passo. O mais difícil. Muitos cristãos conhecem, entendem e apreciam a sua fé; participam, como podem, da Eucaristia, mas não conseguem comunicar a alegria de sua fé. A vida cristã ficou um costume mais que um compromisso, uma obrigação mais que uma escolha. O coração não esquentou ainda o bastante ao ponto de não conseguir mais conter a boa notícia e manifestar, também exteriormente, que algo de novo aconteceu conosco. Falta a fé tomar conta da nossa alma, do mais profundo do nosso ser, lá onde tomamos as decisões mais importantes da nossa vida. Nunca é tarde para ler pela terceira vez o livro sagrado.

O poder que não pode José Sarney

A

Senador pelo Amapá

internet provocou uma mudança tão profunda na História da Humanidade que ninguém pode prever suas consequências em termos de futuro. Ela não só substitui a civilização industrial que Galbraith dizia que duraria 500 anos, dos quais já consumimos 300, mas modificará nossa maneira de pensar, construída na lógica de causa e efeito. Começa pelo conceito de rede. Ela não tem um centro gerador, ela se expande a medida que você ou qualquer pessoa se agrega a ela e se expande sem limites e sem limitações. Nela pode dizer–se tudo,

afirmar tudo, contestar tudo e questionar tudo. Um fato pode ter infinidades de versões e a verdade passa a ter tantas verdades que você não sabe onde ela está. Por outro lado o poder, que era hegemônico, perde essa qualidade fundamental para ser dividido entre todos que participam do mundo digital, que opinam, decidem e vulneram qualquer decisão. Cria o pseudofato, como advertia McLuhan, sobre a sociedade de comunicação. As novas gerações passam de uma civilização oral diretamente para uma visual, sem passar pelo livro

Alento para as Micro e Pequenas Empresas Charles Chelala

O

Economista, Mestre em Desenvolvimento Regional cchelala@uol.com.br

Senado Federal aprovou em plenário nesta terça-feira (29/04) o Projeto de Lei 323/2010, que alivia a carga tributária das microempresas e empresas de pequeno porte, estabelecendo limites ao poder dos Estados de adotar o mecanismo de cobrança do ICMS por meio da substituição tributária. A substituição tributária é uma forma de cobrança do ICMS prevista na Constituição que consiste no pagamento antecipado do tributo por um único responsável, de forma a facilitar a arrecadação e a fiscalização. Por ser antecipado, calcula-se o valor devido sobre o preço praticado nas vendas subsequentes, tomando como base de cálculo uma tabela de Margem de Valor Agregado, atribuída pelo Estado. É evidente o seu poder

arrecadador, uma vez que recebe antecipadamente de um só contribuinte valores que seriam pulverizados em diversos outros contribuintes com recolhimento posterior. Por isso é uma medida necessária e imprescindível para a gestão fiscal dos Estados, em se tratando de alguns produtos sujeitos ao regime. Entretanto, há uma grave distorção na substituição tributária: o mecanismo despreza o tratamento diferenciado que deveria ser dispensado às empresas optantes da Lei Geral das MPEs, cobrando as mesmas alíquotas de grandes e pequenos. Estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário demonstrou que a carga sobre uma empresa enquadrada no Simples quase dobra com a substituição tributária. Conforme o estudo, uma empre-

como fonte de conhecimento. A Wikipédia é a origem de todas as sabedorias. Basta que através da internet alguém use três ou quatro toques e imediatamente torna-se a mais culta das pessoas, discorrendo sobre o assunto que se fala. A memorização passou a ser desnecessária e os jovens estão descobrindo isso. Com o tempo será difícil a sobrevivência do livro, embora ele, é meu pensamento, jamais vá acabar. No Fedro, de Platão, há uma passagem em que o rei do Egito, quando lhe é comunicada a descoberta da escrita, capaz de reter nomes, fatos, episódios, pensamentos, pergunta ao deus Toth, que a criou: “O que será de nossas memórias? Ela vai desasa com faturamento anual de R$ 1,2 milhão e que tenha 70% de suas vendas vinculadas a esse mecanismo de arrecadação desembolsaria 14% em impostos. Sem a substituição, recolheria ao Simples apenas 8,33%. Ou seja, é uma garfada quase insuportável no capital de giro das MPEs, em alguns casos, levando ao encerramento das atividades ou ao retorno à informalidade. No Estado do Amapá a medida apresentou um agravante: como gestões anteriores postergaram a adoção do regime para uma grande quantidade de produtos, a recente inclusão abrupta de vários itens na substituição causou um grande impacto na economia, em especial nas MPEs. Some-se a especificidade da distância geográfica do Amapá que exige a formação de grandes estoques, fazendo com que a antecipação da cobrança do ICMS seja mais sentida por aqui. Quando houver a sanção presidencial da medida aprovada no Sena-

parecer e não poderemos mais guardar as coisas mais profundas e sobre elas estabelecer nossas reflexões e dissertações.” Mas, hoje, o que está no auge das indagações são as consequências do mundo digital sobre o poder. Desapareceu o tempo das potências hegemônicas e do poder hegemônico. Hoje não existe mais o espaço da bipolaridade e o mundo cria novos núcleos de poder que despontam aqui e ali e, embora pequenos ou médios, inibem o poder maior. Desse modo, a juventude que passa o dia e a noite navegando vai transformando o mundo, por sua vez já transformado. O poder não pode mais como nos velhos tempos. do, o número de empresas submetidas ao regime reduzirá de 1,5 milhão para aproximadamente 300 mil empresas. Além disso, diminuirá a burocracia, pois as informações relativas ao ICMS devido na substituição tributária serão fornecidas por meio de aplicativo único, colocado à disposição dos empresários, de forma gratuita, no portal do Simples Nacional. Mais ainda, o PLS aprovado prevê que o prazo mínimo para o recolhimento do imposto devido seja de 60 dias após a entrada da mercadoria. Importante frisar que o Governo do Amapá já havia dilatado a data limite para a quitação do tributo também para o mesmo prazo do projeto. O Senado cumpriu sua parte. Espera-se que a breve implementação da medida faça justiça fiscal às MPEs, que geram mais de um milhão de empregos no país e devem ser merecedoras do tratamento diferenciado para cumprirem seu papel na economia.

A3

Dia-Dia

Agravamento da situação

S

em querer alarmar a população, mas chamando as responsabilidades as autoridades responsáveis pela saúde pública no Estado, a situação da dengue no Laranjal e Vitória do Jarí começam a ficar desesperadora. No Laranjal uma equipe da vigilância epidemiológica esteve em visita à localidade por dez dias e lá encontrou dezenas de criadouros do mosquito Aedes aegypti em borracharias, sucatarias e atrás de diversos órgãos oficiais como sede da prefeitura (garagem), Secretaria de Meio Ambiente e CAESA. Em cada local desses, em média foram encontrados 60 larvas do mosquito transmissor. Em cem eles são seis mil potenciais mosquitos para transmitir a virose para aquela população. Os ovos podem No Jarí, em fevereiro ficar inertes por desse ano foram notificados apenas três ca- até por seis meses, posos de dengue; em dendo depois de em março 256 e em abril, contato com água ecloaté o dia 19 foram direm para larvas comprovados 498 casos da virose, com noticiais e de que desse número, pelo menos três casos estão suspeitos de febre hemorrágica. A isso se chama de subnotificação, já aceito como real pela Coordenadoria de Vigilância Sanitária. Alem de prejudicar as estratégicas de combate à doença esses números subnotificados impedem à chegada de recursos federais a região. A sorte, segundo um membro de combate à doença no Sul do Amapá é que o mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti, não coloca seus ovos em água corrente ou mesmo empoçada e num em recipientes. Os ovos podem ficar inertes por até por seis meses, podendo depois de em contato com água eclodirem para larvas e depois para o mosquito adulto, já devidamente contaminado pelo vírus, fechando o ciclo da temível doença. Segundo a mesma fonte, a situação de combate a dengue na região é precário, já que dependem de agentes de endemias, só existindo um em Vitória do Jarí e oito em Laranjal, insuficientes para sequer exterminar 10% dos criadouros espalhados por grandes áreas. Arranjar desculpas de que os casos da doença estão sendo “importados” do outro lado do rio não vai resolver a situação, já que há 20 anos nenhum governador do Pará sabe a cor da poeira (verão) ou da lama (inverso) de Monte Dourado. Se não houver uma atuação firmes dos órgãos de combate a dengue, inclusive com notificações ao Ministério da Saúde, em Brasília, em pouco tempo todo o Estado poderá estar sendo atingido por uma epidemia. Que o nosso padroeiro São José nos livre de tal desgraça.

Mais

Hora-Hora

E não só a dengue que ameaça atingir vários municípios do Estado. A filariose, uma doença transmitida por dois carapanãs, o Culex pipiens e o Quing fasciata, aquele que dá no banheiro e de hábitos noturnos, que causa aquela perna inchada conhecida como “elefantíase”, que o Brasil prometeu a Organização Mundial de Saúde (OMS) erradicar até 2020, está chegando de volta com toda força em Calçoene, Macapá, Santana, Laranjal e Vitória do Jarí.

Sorte

Funcionário de uma empresa em Macapá, que teve recentemente sua casa atingida pelo pavoroso incêndio no bairro Perpétuo Socorro e que conseguiu com ajuda de amigos alugar um barraco para abrigar sua família, exibia orgulhoso em seu celular os três exemplares de Tambaqui pescados no Dia do Trabalho, na Praça Floriano Peixoto. Em média, cada um pesou mais de três quilos.

Aumento

O açaí voltou novamente a aumentar de preço, praticamente 12%. O litro do comum que estava custando R$ 10 reais passou para R$ 12 reais. Os donos de amassadeiras se queixam que o aumento nas “bolsas” do Santa Inês, Perpétuo Socorro e Santana deveram-se a escassez do produto in natura, já que barcos vindos de Belém percorrem as ilhas do Pará e pagam preços muita mais vantajosos que em Macapá. Pouco produto aumenta de preço, ensina a lei de mercado.

Granada

A Organização Panamericana de Saúde (OPAS), empregadora do programa Mais Médicos, segundo denúncia do Conselho Federal de Medicina (CFM), recebeu mais recursos que os hospitais brasileiros. O Ministério da Saúde repassou R$ 1 bilhão para honrar contratos com médicos estrangeiros, recursos suficientes para bancar em um ano os seis hospitais federais no Rio e Janeiro.

MINUTOS

Eleições - Três municípios farão novas eleições

para prefeito e vice-prefeito hoje (4) - Cabeceiras, em Goiás, Mossoró e Francisco Dantas, no Rio Grande do Norte. Os eleitores dessas cidades voltarão às urnas devido à cassação dos mandatos dos candidatos que venceram as eleições em 2012, anuladas pela Justiça. O período de votação é das 8h às 17h.


Sociedade

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 04 e 05 de maio de 2014

Portobello Shop lança preview da Coleção Habitat Natural ID 2014

A

Portobello — líder em revestimentos cerâmicos no Brasil - apresentou em sua loja em Macapá o preview da Coleção “Habitat Natural ID 2014”. A proposta é aprofundar ainda mais a personalização de ambientes, trazendo novas cores, formatos e referências estéticas que permitem a impressão da identidade do consumidor aos ambientes. “A Coleção quer oferecer mais opções para participar dos espaços de cada um, queremos fazer parte da identidade única desses ambientes”, disse a gerente comercial da Portobello Shop Macapá, Jéssica Pereira. Os lançamentos abrangem a reprodução de materiais naturais (como madeira, mármore e concreto), mosaicos, azulejaria, pastilhas, peças especiais e um novo grupo reproduzindo rochas semipreciosas. A cartela de cores deste ano (o PBTone) se inspirou nos tons mediterrâneos. “O céu, o mar, as montanhas, as flores, as oliveiras e a pele sob o sol da Côte d’Azur tingiram as cores com tons mais azeitonados e bronzeados, deixando a cartela mais quente e aconchegante”, explica Christiane Ferreira, gerente de Marketing da Portobello S/A.


MACAPÁ-AP, DOMINGO E SEGUNDA-FEIRA, 04 e 05 de maio de 2014

ESPECIAL

IMPOSTOS

“É preciso injetar conhecimento para gerar transformação na economia do estado”, diz ministro Afif B2 & B3

Proposta que reduz carga das microempresas B3

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Somente 20% das motocicletas roubadas são recuperadas pela Civil

Por mês são registrados ao menos 40 casos de furtos de motocicletas, a Polícia civil recomenda mais cuidados dos proprietários Caroline Mesquita

Da reportagem

P

roprietários de motocicletas devem ser mais cuidadosos ao estacionarem seus veículos em locais públicos. A Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter) recomenda que deixe o veículo trancado e em espaços com bastantes circulações de pessoas. As medidas são necessárias para evitar furtos e roubos, visto que as motocicletas são alvos de bandidos para utilizá-las como objeto em outros crimes, revendas e desmanches. Segundo o delegado da Polinter, Neuton Gomes, o índice de roubos de motos

é menor porque a maioria está relacionada a furtos. “Há uma grande incidência de furtos de motocicletas estacionadas em pátios por determinado período. Isso ocorre porque a vítima não tem cuidado de deixar as motocicletas trancadas ou as colocam em locais isolados. Os bandidos se aproveitam desse descuido”, destacou o delegado. A estudante Jéssica Bentes, 21 anos, disse que teve sua moto furtada ano passado no centro da capital. Ela admite que a moto não foi trancada porque estava com defeito, mas estacionou em local movimentado. “Acho que esses oportunistas ficam observando o estacionamento de motos, porque eu apenas paguei uma conta e quando retornei a moto não estava mais lá. Com certeza viram que ela não tinha tranca”, relatou. A Delegacia de Polícia Interestadual registra por mês ao menos 40 casos de furtos de motocicletas. Muitas delas são levadas para o Pará, e outras para o interior do Estado visando lucro de revenda e

A DELEGACIA DE POLÍCIA Interestadual registra por mês ao menos 40 casos de furtos de motocicletas.

desmanche. Somente 20% das motocicletas roubadas são recuperadas pela Polícia Civil. A Polinter já identificou lojas de Macapá que receptaram motos roubadas para revender. “Temos vários inquéritos em face disso, e algumas motocicletas

foram expostas a venda e conseguimos identificar alguns revendedores. Assim fazemos um apanhado do que aconteceu com essas motocicletas”, concluiu Gomes. Alerta Quando seu veículo for

TRE realiza atendimento neste domingo Jéssica Alves

C

Da reportagem

om a proximidade do fim do prazo do alistamento eleitoral, o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) realizará atendimento exclusivo neste domingo (4), das 9h às 13h, em todas as zonas Eleitorais do Estado. O objetivo é facilitar a vida do cidadão que deseja se regularizar e ficar apto a votar no pleito de outubro deste ano. O Alistamento Eleitoral encerrará no dia 7 de maio de 2014. O cidadão tem até prazo final para pedir transferência de domicílio, revisão de dados cadastrais ou ainda solicitar transferência para votar em uma seção eleitoral especial nas Eleições Gerais deste ano. A medida obedece ao calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No dia 7 de maio também encerrará o prazo para tirar o primeiro Título, que é o caso de jovens que completarão 16 anos até o dia do pleito, 5 de outubro, e podem se tornar eleitores. Os documentos necessários são Carteira de Identidade e comprovante de residência recente. Homens com mais de 18 anos que farão a regularização

precisam apresentar certificado de alistamento militar. Os eleitores que desejam efetuar transferências de Título ou tirar o documento deverão comparecer aos cartórios dos municípios onde votam.

furtado ou roubado, é imprescindível que vá à Polinter registrar ocorrência para incluí-lo na restrição do cadastro nacional, que é utilizado como referência para as polícias e Departamentos Estaduais de Trânsito (DETRAN) de todo o país.

A

des possuem cerca de 70% do eleitorado do Estado. O TRE vem divulgando, continuamente, o final do prazo para o alistamento eleitoral nos meios de comunicação. Tudo para que os interessados em se re-

gularizar junto a Justiça Eleitoral não deixem para os últimos dias e evitem a formação de grandes filas. De acordo com TRE-AP, mais de 20 mil eleitores ainda não fizeram a revisão biométrica.

Antes de comprar um veículo é necessário verificar os antecedentes dele nos órgãos competentes e os procedimentos legais de transferência para não acabar fomentando o crime com a compra de um veículo roubado.

CCJ aprova novas regras para controle de custos de obras federais Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou, nesta quarta-feira (30), substitutivo a projeto de lei do Senado (PLS 104/2010) que estabelece normas para licitações no âmbito da União, com vistas ao controle de custos de obras públicas federais. A matéria será submetida a votação final na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA). O substitutivo foi elaborado pelo senador Pedro Taques (PDT-MT), que optou por sugerir a aprovação de uma lei autônoma, sem a função de regulamentar dispositivos da Lei de Licitações (Lei nº 8.666/1993). Segundo observou, o objetivo do PLS 104/2010 não é instituir normas gerais de licitações e contratos para todos os entes federados, mas apenas para a União.

Como fazer Os jovens que vão tirar o título pela primeira vez devem procurar o cartório eleitoral com a carteira de identidade, certificado de quitação com o serviço militar (no caso de maior de 18 anos) e comprovante de domicílio. Já para a transferência, o interessado deve procurar o cartório correspondente ao seu novo domicílio eleitoral, comprovar a identidade e a residência mínima de três meses. No caso de cancelamento do Título Eleitoral, o cidadão pode fazer a reabilitação do documento até a referida data. Empenho Outra medida para dinamizar o atendimento ao público foi a extensão do horário de 15h para 17h, em Macapá, desde a última segunda-feira (28). A ação também ocorrerá no município de Santana, a partir do dia 4 de maio de 2014. Juntas, a duas cida-

DIVULGAÇÃO

Inovações Taques manteve, como no projeto, o Sistema de Custos de Obras Rodoviárias (Sicro) e o Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi) como referenciais

básicos de controle de custos de obras federais. Ambos foram estabelecidos, conforme assinalou, na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2004. Mas, atento à evolução das normas sobre o assunto, trouxe para seu substitutivo as inovações produzidas pela LDO para 2011. Também acrescentou os dispositivos do Decreto nº 7.983/2013, que fixou regras para a elaboração de orçamentos em obras e serviços de engenharia. Segundo ressaltou o relator, a grande inovação trazida pela LDO para 2011 foi regular parâmetros de preços em regimes de empreitada por preço global. Taques observou que este regime de preços já é utilizado em obras de grande porte, como as da Petrobras. “O silêncio da legislação acerca da forma de aplicação das exigências relativas a preços unitários termina por gerar insegurança jurídica na sua aplicação e, paradoxalmente, fragilizar as possibilidades de controle de sobrepreço sob o pretexto de imprecisão na legislação”, argumentou Taques.


B2

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de maio de 2014 Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

“É preciso injetar conhecimento para gera Em recente visita no Amapá, ministro destacou a importância do fim da Substituição Tributária Karina Rodrigues Da Reportagem

O

ministro da Secretaria da Micro e pequena Empresa da Presidência da república, Guilherme Afif Domingos, apresentou na última quarta feira, 30, o projeto da Secretaria para unificar, via internet, as obrigações aos microempreendedores. O ministro revelou que, por meio do Novo Simples Nacional e da Redesim (Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empregos e Negócios), pagamentos de itens como Simples, FGTS e Caged serão desburocratizados para facilitar abertura, manutenção e fechamento de empresas. “Infelizmente a substituição tributaria é um artificio usado pelas fazendas estaduais para acabar driblando os ganhos com simples, das pequenas e grandes empresas. O ganho simples veio em 2007

e nesse período em São Paulo, a fazenda local resolveu inventar a substituição tributaria para todos os setores, porque a substituição sempre existiu nos setores homogêneos de distribuição, o qual já se conhece a margem, porque o preço do produto é conhecido, sabe-se a margem e o valor que será agregado ao o imposto. A substituição sempre existiu para cigarros, bebidas, autopeças, automóveis, combustíveis e resolveram estender para tudo, mas por não serem homogêneos, e sim diversificados, as margens tinham que ser arbitradas, só que com o passar do tempo viraram margem arbitrarias na mão do fisco, que passou a cobra de 700% a 800% o valor do imposto”, afirma. Domingos ressalta que o novo projeto, já aprovado no Senado, será na próxima semana discutido na Câmara Federal. “Pretendemos proibir a substituição tributária nos pequenos empresários com exceção dos setores homogêneos e mais alguns produtos semelhantes, a lista já aprovada, mas ainda precisa ser confirmada pelo nosso na câmara que era pra ter sido votado nessa semana mesmo, mas ficou para ser votado na semana que vem. Por outro lado, existe uma movimentação muito

grande dos governadores que se queixam muito da perda de arrecadação do fundo de participação, todos eles foram atrás da substituição tributaria como forma de compensar as perdas, em matéria de justiça tributaria apena sem cima dos pequenos, pegar a diferença dos pequenos que acaba sendo uma covardia. O grande desafio é equilibrar essas fontes ao mesmo tempo, metendo o pé no acelerador não para o consumo e sim para a produção, porque se você não equilibrar produção e consumo, gera inflação”, explica. De acordo com o Afif, é preciso injetar conhecimento para gerar transformação na economia do estado. “A economia do Amapá é basicamente voltada para as micros e pequenas empresas de comercio e serviços, ela tem forte influencia no estado, em termos da injeção de recursos do funcionalismo publico que aumenta cada vez mais esse tipo de empresas. É preciso ter uma visão dos recursos naturais das grandes corporações, como mineradoras e outras empresas que tem esse potencial, mas tem que buscar isso através do trabalho de qualificação das pessoas para entram no processo de transformação dos recursos naturais, muitos recursos naturais podem ser

transformados, então é preciso investir em uma educação voltada ao trabalho, e aí terá muita importância nos termos da identificação para poder criar novos empreendedores na área da transformação dos recursos, e assim não ficar apenas no ramo de comércios e serviços”, explica. Novo Simples A aprovação do Novo Simples vai permitir que as empresas sejam classificadas pelo faturamento e não mais pelos setores em que atuam. Possibilitará, também, que a substituição tributária seja extinta ou tenha um abatimento na íntegra para as empresas de pequeno porte. A votação do projeto de aperfeiçoamento do Simples foi adiada para a próxima semana, no plenário da Câmara dos Deputados.

Substituição tributária do ICMS A Substituição Tributária (ST) é o regime pelo qual a responsabilidade pelo ICMS devido em relação às operações ou prestações de serviços é atribuída a outro contribuinte. Lei estadual poderá atribuir a contribuinte do imposto ou a depositário a qualquer título a responsabilidade pelo seu pagamento, hipótese em que assumirá a condição de substituto tributário.

O MINISTRO REVELOU QUE, POR MEIO DO Novo Simples Nacional e da Redesim (Red Legalização de Empregos e Negócios), pagamentos de itens como Simples, FGTS e Ca

Amapá, o fantástico e eu político Prof. Dr. Eduardo Augusto da Silva Costa

E

Médico com Residência, Mestrado e Doutorado em Cardiologia. Professor de Cardiologia da Faculdade de Medicina da UFPA. Pós-Doutorado em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista eascosta@cardiol.br

u ia começar este artigo na noite do domingo passado cobrando o desaparecimento do farol da fortaleza, isso em função do excesso de pedidos em e-mails para eu cobrar (estou começando a gostar deste sentimento de amapalidade!); mas quando o programa fantástico da rede globo acabou, comecei a receber uma grande quantidade de telefonemas a respeito da saúde no Amapá, visto que, como sempre falo em todos os lugares em que faço palestras e conferências que sou amapaense e moro em Macapá, sou conhecido fora daqui como o médico da região. Os questionamentos foram em cima do fato de eu morar aqui e aquela notícia ser daqui. Tive que ouvir comentários que sempre iniciavam com um elogio para depois, de imediato vir a cobrança, do tipo: “Eduardo você mora em Macapá!”, “Você é uma das maiores autoridades em saúde neste planeta!”, “Você é um professor de medicina”; “Você tem um dos maiores currículos universitário do país!”, seguida da cobrança “Como isso pode estar acontecendo na cidade onde você vive? E por que você não interfere nisso?”. Tive que ouvir estes comentários de diversos lugares do país e ficar calado ou simplesmente dizer que, no momento, não tenho como interferir, pois não faço

parte da estrutura governamental e nem tenho poderes para tal, pois sou apenas um cientista da área de saúde, que moro em Macapá. Mas, outra vez devido a intensa cobrança, vou, de novo, me candidatar a político, pois existe um provérbio de que basta o “bem” não fazer nada para o “mal” prevalecer . E pela terceira vez, vou me expor a uma candidatura. Na primeira vez foi para ajudar o partido, na segunda, não estava programado, até eu ir assistir uma senhora com acidente vascular cerebral no hospital geral de Macapá, no dia que o estado financiou a escola de samba Beija-Flor, e naquela mesma noite não tinha o remédio “aspirina” no hospital, o que desencadeou a segunda candidatura, pois você não pode ficar assistindo a esses fatos, tendo saber e conhecimento para interferir, e não fazer nada. E este é o raciocínio lógico desta terceira candidatura, pois como nunca distribuí dinheiro em boca de urna, prática proibida pela lei e pelos meus princípios éticos, mas fato que dizem ser relativamente comum nas eleições daqui, só posso ir buscar meus votos nas pessoas inteligentes, esclarecidas e com boas intenções, e que não sejam analfabetos funcionais, pois este é aquela que sabe ler, escrever, fazer contas, mas não sabe pensar em prol de sua co-

munidad estamos nia, em p manidade exemplo que não que agr deputado borou pa enterro d ou da sua esquece q mo políti terferiu p seus filho mãe não sem. In uma part povo foi corruptam esperam como se de natal, nhar um a seguir por qua continuan rar num mento, p numa ci não tem que me tem água e que não net, é m acampam tanto, vo didatar d espero q aqueles jem t este noss acampam


Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 04 e 05 de maio de 2014

B3

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

ar transformação na economia do estado” DIVULGAÇÃO

Proposta que reduz carga das microempresas

O

de Nacional para Simplificação do Registro e da aged serão desburocratizados

de, e como na Amazôprol da hue. Um daquele pensa, é o radece ao o que colaara pagar o do seu filho a mãe, mas que o mesico não inpara que os os ou a sua o morresnfelizmente te do nosso aculturada mente, e a eleição fosse o dia l, para gapresente, e passar mal atro anos, ndo a mom acampapois morar idade que m esgoto, etade não a encanada o tem intermorar num mento. Porou me cande novo, e que todos que desetransformar so querido mento em

cidade e que queiram um político com saber, conhecimento e autoridade para colaborar ou “bater de frente” se necessário, com o próximo governo, para estruturar principalmente a saúde e a educação do estado, avaliem em quem vão votar, pois somente políticos com autoridade naquilo que fazem podem mudar a história, pois vide a nossa e os nossos oito últimos anos aqui no Amapá, o que mudou pra melhor na sua vida? Pense! Eu comentei no artigo passado que só o que me deixava triste sobre Macapá é que trinta e sete anos depois, quando voltei, a cidade não mudou muito, pois o hospital onde nasci ainda é o único estadual na cidade. Uma semana abençoada à todos. Semana que vem volto a falar de Macapá e de saúde. Mas no final das contas, onde estará o farol da fortaleza?

Plenário do Senado aprovou na semana passada, projeto de lei (PLS 323/2010) que alivia a carga tributária das microempresas e empresas de pequeno porte estabelecendo limite ao poder dos estados de adotar a substituição tributária, mecanismo de arrecadação que obriga o contribuinte a pagar o imposto devido por seus clientes ao longo da cadeia de comercialização. A ampliação dessa modalidade de cobrança reduz, na prática, os benefícios do tratamento diferenciado das microempresas, previsto na Constituição e na Lei Complementar 123/2006, como avaliou o relator da proposta, senador Armando Monteiro (PTB-PE). Com a expansão da substituição tributária, fica mais fácil a fiscalização dos chamados tributos plurifásicos, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). São assim chamados por incidirem em diferentes fases da circulação do produto. Autor do projeto, o ex-senador Alfredo Cotait, explicou que, por esse sistema, o tributo plurifásico passa a ser recolhido de uma só vez, como se fosse monofásico. Emenda No parecer final apresentado nesta terça em Plenário, Armando Monteiro acolheu parcialmente emenda apresentada pelos senadores Eduardo Suplicy (PT-SP) e Aloysio Nunes (PSDB-SP) em relação à pro-

posta aprovada na CAE. O relator explicou que o substitutivo aprovado na comissão excluía praticamente todas as micro-empresas do Simples Nacional do regime de substituição tributária. Já o substitutivo aprovado no Plenário, reduziu esse universo devido ao impacto que a proposta causaria nas finanças estaduais, já que cerca de 30% das arrecadações dos estados provêm da aplicação da substituição tributária. - As emendas permitiram que nós construíssemos uma solução negociada com o Confaz e ao final chegamos a um resultado que garante a exclusão de um grande número de empresas desse mecanismo de substituição tributária, mas com um impacto suportável para os físicos, portanto, um bom acordo – comemorou. Armando Monteiro estimou que, atualmente, existem cerca de 1,5 milhão de empresas submetidas a esse regime e que, com a mudança, esse número ficaria reduzido a algo como 300 mil empresas. O senador destacou que a aprovação da proposta é umas das contribuições mais relevantes que o Senado oferece para a melhoria dos ambientes de operação das empresas no Brasil. – Mesmo o impacto fiscal será, a médio prazo, compensado pelo dinamismo da atividade econômica e da liberação da energia empreendedora que esse país tem – afirmou.

Benefícios De acordo com o senador José Pimentel (PT-CE), a proposta vai beneficiar 8,5 milhões de micro e pequenas empresas. Pimentel lembrou que, somente em 2013, as micro e pequenas empresas geraram 1,1 milhão de empregos. A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) reconheceu que os estados precisam de mais recursos, mas disse que a sanha arrecadadora não pode prejudicar as micro e pequenas empresas. Para a senadora, a substituição tributária anula os benefícios do Simples. Ela disse que, com o Simples Nacional, uma empresa desembolsaria para pagar impostos 8,33% de suas receitas, sendo 2,92% de ICMS. Com a substituição tributária, a empresa paga 14% de impostos, sendo quase 6% de ICMS. Gleisi acrescentou que a Câmara dos Deputados já sinalizou que vai aprovar a matéria nos mesmos moldes do Senado. Assim, a matéria já vai à sanção e as mudanças na lei serão mais rápidas. Os senadores Ricardo Ferraço (PMDB-ES) e Lúcia Vânia também subiram à tribuna para elogiar a aprovação da proposta e concordaram que o uso indiscriminado da substituição tributária pelos estados tem prejudicado as pequenas empresas e anulado os benéficos do Simples Nacional. Burocracia Durante tramitação na CAE, Armando também realizou mudanças na proposta original que foram mantidas no Plenário. O relator disse ter aproveita-

DIVULGAÇÃO

do medidas que visam reduzir a burocracia no recolhimento do tributo. Para isso, incluiu no substitutivo a vedação da exigência, aos optantes do Simples, de “obrigações tributárias acessórias unilaterais” pelos estados. Segundo o substitutivo, as únicas exigências aceitas são as que constam do portal do Simples Nacional. De acordo com Armando Monteiro, as micro e pequenas empresas sujeitas à substituição tributária são obrigadas a realizar cálculos complicados para apurar o imposto a ser recolhido, por conta das grandes variações de alíquotas por setores e por estados. O substitutivo prevê que as informações relativas ao ICMS devido na substituição tributária sejam fornecidas por meio de aplicativo único, colocado à disposição dos empresários, de forma gratuita, no portal do Simples Nacional. Também será gratuito, como estabelece o substitutivo, o fornecimento de aplicativo para a emissão

de nota fiscal eletrônica (NF-e) para microempresas e empresas de pequeno porte. Esses aplicativos deverão ser regulamentados pelo Comitê Gestor do Simples Nacional no prazo de 180 dias. Prazo O substitutivo também fixa prazo mínimo de 60 dias para o vencimento do imposto devido por substituição tributária. Essa medida, conforme o relator, ajuda a minimizar um dos efeitos negativos da substituição tributária, que é a redução do capital de giro das empresas que atuam como substitutas – elas pagam o tributo antes de receberem o valor relativo à venda efetuada. Conforme Armando Monteiro, “o descasamento entre os prazos médios de pagamento do tributo e da realização financeira dos recebíveis resulta em maior custo financeiro para as empresas submetidas ao regime”. Perdas No relatório, Armando Monteiro citou uma simulação realizada pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) mostrando que a carga sobre uma empresa enquadrada no Simples quase dobra com a substituição tributária. Conforme o estudo, uma empresa com faturamento anual de R$ 1,2 milhão e que tenha 70% de suas vendas vinculadas a esse mecanismo de arrecadação desembolsaria 14% em impostos. Sem a substituição, recolheria ao Simples apenas 8,33%. Estudo da Fundação Getúlio Vargas, citado pelo autor do projeto, estima em R$ 1,7 bilhão a perda das micro e pequenas empresas no ano fiscal de 2008, decorrentes da aplicação da substituição tributária. (Agência Senado)


B4

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 04 e 05 de maio de 2014 Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Associação Comercial do Amapá abraça projeto da Santa Casa de Misericórdia DIVULGAÇÃO

O ANUNCIO FOI FEITO esta semana durante reunião entre a provedoria da Santa Casa do Amapá e ACIA

Presidente da entidade, Altair Pereira, disse que o projeto será abraçado por toda a classe

O

projeto de edificação de uma unidade hospitalar da Santa Casa de Misericórdia do Amapá, ganha força. A diretoria da Associação Co-

mercial do Amapá (ACIA) em reunião aprovou por unanimidade adesão da classe empresarial amapaense ao projeto. O anuncio foi feito esta semana durante reunião entre a provedoria da Santa Casa do Amapá e ACIA. O presidente da entidade comercial, Altair Pereira, disse o projeto será abraçado por toda a classe empresarial do Amapá e que vai mobilizar o setor, “Estamos neste projeto a ACIA vai aderir sim, faremos de

tudo para ajudar a Santa Casa a ser implantada no Amapá, podem contar com o nosso apoio e queremos caminhar juntos e estar informados das ações e passo a passo. A Santa Casa é um projeto para todos e queremos ajudar da melhor maneira possível” ressaltou o presidente da ACIA. A provedoria aguarda a tramitação burocrática para a doação do terreno por parte do governo do estado. A comissão que esta à frente do projeto conta com per-

Sarney abraça projeto da Santa Casa

sonalidades expressivas e de credibilidade na sociedade local a exemplo do reitor da Unifap Dr. Tavares, o médico oncologista Dr. Olavo Picanço, o cardiologista e deputado Manoel Brasil, o hematologista e deputado Jaci Amanajas,Urologista Dr. Cassio Godoy, Professor Leonil Amanajas e sócios fundadores como o bispo da Diocese de Macapá Dom Pedro Contti, desembargador Gilberto Pinheiro, Douglas Evangelista dentre tantos.


MACAPÁ-AP, DOMINGO E SEGUNDA-FEIRA, 04 e 05 de maio de 2014

Supercenter Santa Lúcia inaugura com tecnologia de ponta e multiserviços O Grupo Santa Lúcia iniciou sua história no varejo alimentício com um pequeno box no Mercado Central. Após 25 anos, está consolidado no mercado local com cinco supermercados, sendo um no município de Santana C2 e C3 Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

SOCIEDADE

Ministro da Secretaria de Micro e Pequena Empresa Guilherme Afif Domingos participou do evento no Sebrae C4

Centro já atendeu em 2014 mais de 200 vítimas de violência

De janeiro a março deste ano, o centro já atendeu 224 mulheres Agência Amapá

C

om o lema “Viver sem violência é o bem que a mulher quer”, o Centro de Referência e Atendimento à Mulher (Cram), atende mulheres vítimas de violência física,

psicológica, moral, sexual, patrimonial e por negligência. De janeiro a março deste ano, o centro já atendeu 224 mulheres. Os atendimentos internos estão voltados em assistência social, jurídico, psicológico, massoterapia, saúde da mulher e terapia ocupacional. Para que todas as mulheres que procuram o Cram se sintam a vontade e possam ter uma opção de renda, o centro oferece cursos como manicure e pedicure, sandálias, boneca de pano, entre

Toque de Primeira ANTONIO LUIZ

Colunista alpcampos@hotmail.com Positivo Careca Zico 10 se tornou referência como escolinha de futebol no Amapá. Agora amplia atividades com a Academia IN FORMA, um inovador centro de atividade corporal. Negativo Nacional elimina Atlético da Taça Libertadores e gera forte crise no galo mineiro. E leitura labial em jogador revela palavrão de grosso calibre. Derrota tem sabor de fel! Futlama I

Governo do Amapá dá sinal verde para a federação promover o Campeonato Estadual. Futlama II A bola vai rolar no segundo semestre reunindo 100 clubes masculinos e 20 femininos. Taça Libertadores Cruzeiro joga esta quarta-feira contra o San Lorenzo em Buenos Aires. Batata quente! AABB Macapá I Jornalista Fran Tavares re-

outros. Ione Monteiro Pereira é manicure. Conheceu o Cram, através de uma amiga, e está fazendo o curso de boneca de pano. Ione Monteiro Pereira, pela primeira vez participa de uma oficina do Cram”Com meu tempo disponível, à tarde, resolvi entrar na oficina para aprender outra atividade. O bom é que, aqui, conhecemos pessoas novas e recebemos atenção”, explanou. Além de Ione, mais 14 força a Associação Atlética Funcionários do Banco do Brasil. AABB Macapá II Convém lembrar, o belo complexo esportivo da AABB/AP é um dos melhores do país. Grana Alta I Jornais asseguram que Diego Costa acertou com o Chelsea por R$ 500 mil por semana. Grana Alta II Imprensa inglesa, espanhola e italiana garante que o brasileiro fechou por cinco anos. Legal e Operante I Assembleia geral da Associação dos Ex-Jogadores Amapá aprovou estatuto da entidade.

mulheres também estão participando da oficina de boneca de pano. Cada aluna aprende a confeccionar duas bonecas, sendo que todo o material é disponibilizado pelo Cram. A oficina que iniciou em 28 de abril, encerrará em 07 de maio, sempre no período da tarde. O Cram divulga seus projetos, através de visitas em bairros, nos municípios que tem sede, e em ações do Governo do Estado. Segundo Sandra Cardoso, coordenadora estadual do

Legal e Operante II Entidade presidida por Germano Tiago pretende estender a mão a quem precisa. Legal! Legal e Operante III Uma das metas é capacitar ex-atletas para que possam desenvolver atividades laborais. Nacional Luis Felipe Scolari define na próxima quarta-feira a lista dos convocados para a Copa. Ciclismo I XVIII GP Israel Freitas acontece neste domingo e reúne a nata da big categoria Speed. Ciclismo II A prova vale 40 pontos no

DIVULGAÇÃO

Cram, muitas mulheres procuram saber mais sobre o centro, pois acreditam que somente violência física é violência. “Orientamos todas as MONTEIRO Pereira, pela primeira vez participa de mulheres que IONE uma oficina do Cram: vítimas sob assistência existem seis tipos de violência e o mais 35 atendimentos. Por isso atendido no primeiro tri- é importante que todas mestre no Cram foi o de conheçam nosso projeto”, violência psicológica com finalizou.

ranking nacional e atrai atletas de vários estados brasileiros. Ciclismo III No belo, charmoso e ecológico Circuito do Curiaú acontece a corrida, a partir das 08hs. Portuguesa Prejuízo de R$ 27,4 milhões em 2013 coloca dúvida cruel da Lusa continuar existindo. Ferreira Gomes I Torneio de Futebol e Corrida de Rua (6 km) comemoram o Dia do Trabalhador na city. Ferreira Gomes II Campeonato Municipal de Futebol agrupa onze associações e exibe intenso equilíbrio.

Catarinão I Clube da Série C do Rio Gonçalense - apresenta projeto de estádio para 43 mil pessoas Catarinão II Desbancaria São Januário, do Vasco, do posto de 3º maior estádio do Rio de Janeiro. Jogos Indígenas Paulinho Tupinambá e equipe trabalham pelo sucesso da competição desta temporada. Você Sabia? Ferreira Gomes enfrenta problemas com a alta do nível das águas do rio Araguari. O nível do rio subiu cerca de 2m, ocasionando inundação da parte baixa da cidade.


Sociedade Supercenter Santa Lúcia inaugura com tecnologia de ponta e multiserviços

C

om 25 anos de atuação no comércio amapaense, o grupo Santa Lúcia inaugurou na última sexta-feira (2), o seu mais novo empreendimento, o Supercenter Santa Lúcia da Rua Jovino Dinoá, no bairro do Trem. Na quinta-feira (1), uma festa de préinauguração reuniu convidados e autoridades locais. O projeto possui 12 mil metros quadrados de área construída, e vai abrigar além dos serviços de supermercado, magazine e restaurante, oito lojas de serviços e produtos como farmácia, loja de cosmético, foto expresso, ateliê, sorveteria, salão de beleza e lavanderia. “O Supercenter Santa Lúcia segue todos os padrões de qualidade e segurança conforme as exigências da Anvisa e da Vigilância Sanitária”, afirmou Ari Silva, diretor de Marketing do Grupo Santa Lúcia. A estrutura física surpreende. São 1500 m² destinados para o Magazine que vai comercializar em roupas, calçados, artigos para casa e de decoração. A variedade de produtos aumentou, foram reservados 2 mil m² apenas para a área de vendas do Supermercado. O Supercenter Santa Lúcia está localizado na Rua Jovino Dinoa, no bairro Trem. “Para construir a estrutura pensamos no conforto de nossos clientes e a facilidade de encontrar tudo em um único lugar”, explicou Silva. Os clientes da loja terão à disposição cem vagas internas para estacionamento e mais 50 vagas externas em um espaço confortável e seguro. Exclusividade O Supercenter Santa Lúcia vai usar tecnologia de ponta para surpreender os clientes. Uma das novidades é a Adega Digital, que terá uma grande variedade de vinhos e um tóten eletrônico. “Nele, o cliente poderá consultar e imprimir receitas que combinem com o vinho escolhido”, finaliza Ari Silva. História O Grupo Santa Lúcia iniciou sua história no varejo alimentício com um pequeno box no Mercado Central. Após 25 anos, está consolidado no mercado local com cinco supermercados, sendo um no município de Santana.

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 04 e 05 de maio de 2014 FOTOS ERICH MACIAS E JUNIOR SALGADO


Sociedade

LÚCIA THEREZA @luciathereza lucia.ghammachi@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 04 e 05 de maio de 2014

Diagramadora: Maraina Melo - maramiranda@jdia.com.br

Visita

Ministro da Secretaria de Micro e Pequena Empresa participou do evento no Sebrae. O Sebrae em parceria com a Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE), Governo do Estado do Amapá (GEA) e o Fórum Estadual da Micro e Pequena Empresa, realizaram o evento Caravana da Simplificação que contou com a presença do Ministro da SMPE, Guilherme Afif Domingos. O evento ocorreu na sede do Sebrae em Macapá, no Auditório Macapá, no último dia 30 de abril, às 9h30. A Caravana da Simplificação “Mobilização pelo novo Simples Nacional e pela Redesim”, chegou ao Amapá com o objetivo de iniciar o processo de fortalecimento dos Fóruns Estaduais, a partir da atuação conjunta com o Fórum Permanente e a Secretaria da Micro e Pequena da Presidência da República (SMPE/PR).

TIM TIM

Novo Empreendimento

O

empresário Matheus Assis ao lado da Vice Presidente do Jornal do Dia, Juliane Pereira declarou nas redes sociais: “O @inaugurasantalucia ficou fantástico. Um ambiente super agradável, espaçoso e com produtos de altíssima qualidade. Parabéns a@biancamelsilva, pela qual estendo meus cumprimentos a toda a família e envolvidos!“

Supercenter Quem esteve aniversariando foi a deputada Telma Gurgel. A coluna registra com votos de felicidades. Parabéns!

Inauguração Empresário Diogo Xavier na Inauguração do Supermercado Santa Lucia, declarou nas redes sociais: “ Inauguração. Parabéns a esta família trabalhadora que acredita no desenvolvimento do estado.”

O casal empresário Evandro Coelho e Cristiane Pereira, declaram nas redes sociais: “ Prestigiando a inauguração do novo Supercenter Santa Lúcia! Nossa cidade ganha mais uma opção de compras e entretenimento!!! Parabéns e sucesso ao Grupo Santa Lúcia pelo lindo empreendimento!“

A Exótica África do Sul

O Kruger National Park é o destino da África do Sul mais procurado para um safári. Casa dos Big Five (Os cinco grandiosos – leão, elefante, búfalo, leopardo e rinoceronte), milhares de espécies de pássaros e seis diferentes ecossistemas, o Kruger National Park é uma das mais diversificadas reservas de animais do mundo. É também a maior da África do Sul e uma das mais antigas. Cape Town ou a Cidade do Cabo encanta não só os apaixonados, como é conhecida há anos, mas todos aqueles que amam as coisas boas da vida. A primeira impressão que se tem ao ouvir falar de uma cidade africana é de um destino cheio de exotismo, vida selvagem e natureza, certo? Pois isso é só o começo do que você poderá desfrutar ao visitar a Cidade do Cabo, segunda maior cidade da África do Sul, um dos dez mais procurados destinos turísticos do mundo. A surpresa começa pela disposição geográfica única, a cidade rodeia o pé de uma montanha, a Montanha da Mesa (do inglês Table Mountain), que leva este nome por apresentar justamente o formato de uma mesa, seguida de uma formação rochosa com 12 picos, que foi denominada pelos locais como “os 12 apóstolos”. Não espere encontrar uma cidade muito grande, na verdade a região metropolitana da Cidade do Cabo, mesmo sendo considerada a segunda maior população da África do Sul, limita-se pelo contorno da Montanha da Mesa com o oceano Índico ao fundo de um lado e o oceano Atlântico do outro, fazendo que seu crescimento seja bastante controlado. Nos seus arredores, há o Cabo da Boa Esperança, o ponto mais distante do continente africano em direção à Antártida


MACAPÁ-AP, DOMINGO E SEGUNDA-FEIRA, 04 e 05 de maio de 2014

Carro&Moto

EM BREVE

Nissan New March terá tela multimídia, GPS e câmera de ré D2

Novo Honda Fit Na linha de frente Terceira geração do Fit revigora visual e resgata CVT para se tornar carro-chefe da Honda no Brasil - D3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Os carros que são (quase) uma pechincha no Brasil Preços dos automóveis no Brasil ainda são elevados, mas há modelos que oferecem mais do que a concorrência

Carros.ig

L

onge de nós afirmar que os carros no Brasil são baratos. Aliás, nada é muito barato em nosso país, infelizmente. Porém, é possível encontrar algumas ‘pechinchas’ para os padrões nacionais. São carros que, em sua maioria, precisam mostrar algo mais para nos fazer mudar de ideia em comprar um veículo consagrado. Existe sempre o risco, é claro, de comprar-

mos gato por lebre – pagando um seguro muito alto ou tendo uma desvalorização acima da média, por exemplo. Ainda assim, nem sempre aquele modelo famoso vale a pena na ponta do lápis. Muitas marcas, inclusive, pagam pouco na revenda mesmo que seu carro tenha seguido todas as revisões e tenha baixa quilometragem. Sem nem elas valorizam seu próprio produto, imagine as outras...

Fiat Linea Essence 1.8 – R$ 55.850

A Fiat anda fazendo até brincadeira com preço do Linea, agora um sedã médio assumidamente barato. Tudo bem, ele é um sedã compacto encorpado, mas R$ 56 mil por ele é bem mais realista que pagar R$ 10 mil a mais por um Corolla GLi com motor parecido. Se você não se importa com o projeto já um pouco cansado, eis uma forma de economizar por um bom tempo.

Ford New Fiesta SE 1.6 Powershit – R$ 53.490

Motor com comando válvulas duplo, transmissão de dupla embreagem, controle de estabilidade e tração. Não, não estamos descrevendo um carro médio e sim o compacto New Fiesta na versão SE Powershift. Por R$ 53,5 mil, você leva um pacote que ainda inclui ar digital, assistente de partida em rampa e o sistema multimídia Sync. E ainda ficará bem na foto.

NEW FIESTA oferece equipamentos únicos entre os compactos

Nissan Sentra SL – R$ 73.490

O Sentra SL oferece quase tudo que um Corolla Altis tem. Quer partida por botão? Ele tem. Ar digital de zona dupla? Ele tem. Transmissão CVT com sete velocidades? Sim. Airbags laterais e de cortina? Sim, senhor. Rodas aro 17”? O Nissan tem, o Toyota, não. Mas enquanto o Corolla Altis custa R$ 92.900, o Sentra SL sai por R$ 73.490, quase R$ 20 mil a menos. Mesmo que você tenha dúvidas, é muito dinheiro para amainar possíveis arrependimentos.

O LINEA agora mira no City e no Cobalt

Renault Logan Expression 1.0 – R$ 38.270

Agora bem mais agradável ao olhar, o Logan também evoluiu em outros quesitos. O sedã da Renault, por exemplo, pode ser equipado com a prática central multimídia Media Nav que, na versão Expression, significa gastar R$ 38 mil. O Chevrolet Prisma, um dos sedãs que mais vendem no segmento, custa quase R$ 40 mil para ter o MySync, sistema equivalente. E o Logan ainda ganha no espaço interno.

DIVULGAÇÃO

O SENTRA espanta pelo nível de equipamentos e o preço acessível

Mitsubishi ASX – R$ 85.990

O NOVO LOGAN continua espaçoso, mas agora ganhou visual melhor e lista de equipamentos superior

Sonho de consumo de 11 em cada 10 brasileiros, o SUV é um produto muito caro. Mas a Mitsubishi talvez seja uma das poucas marcas a pedir um valor um pouco mais realista pelo seu modelo médio, o ASX. São R$ 86 mil pela versão manual, com motor 2.0 de 160 cv, suspensão independente, rodas aro 18 e uma boa lista de itens de série – o Sportage, da Kia, sai a partir de R$ 94 mil, mas com câmbio automático, é verdade. Ainda assim, uma boa chance de economizar.

ASX É O SUV médio mais em conta entre os modelos novos

Renault mostrará novo Fluence em outubro Ford lança promoção de DIVULGAÇÃO

Carros.ig

O

Renault Fluence nunca foi um campeão de vendas.Há várias hipóteses para isso e que vão, desde o preconceito e o custo do pós-venda dos modelos de marcas francesas até o design, digamos, sem muita graça, do Renault desenvolvido pela Samsung, a antiga subsidiária da marca na Coreia. Para a última suposição, a do design, a Renault prepara uma nova resposta, em outubro, no Salão do Automóvel, entre os dias 30 de outubro e 9 de novembro, em São Paulo. O Fluence passará por sua primeira mudança, ao receber o novo padrão estético da marca, que se caracteriza pelo logo gigante no centro da grade. Além disso, segundo fontes, outras mudanças in-

vendas para cinco modelos Carros.ig

O

SEDÃ PASSARÁ pela primeira mudança mais significativa desde o lançamento

cluem faróis com refletor elipsiodal e faixas de LEDs de iluminação diurna, acima dos faróis de neblina. Por dentro, também há

novidades, com mostradores digitais, novo sistema de áudio com Bluetooth e entrada USB e o sistema multimídia R-Link,

que utiliza uma sensível ao toque, e comandos de voz para controlar o navegador por satélite e ligações telefônicas.

s modelos New Fiesta hatch, Focus 1.6 S hatch, Focus Sedan, EcoSport, Edge e Ranger 3.2 diesel XLS e XLT estão com uma promoção em que é possível escolher uma de três vantagens: revisões gratuitas, vale-combustível ou financiamento com taxa zero. As vantagens variam conforme o modelo. Para o New Fiesta, as opções são: três revisões pagas pela Ford, R$ 1.000 em vale-combustível ou taxa zero para pagamento em 18 meses com entrada de 60%. Para Focus Hatch 1.6, Focus Sedan 2.0 e EcoSport, a escolha fica entre: quatro revisões pagas pela Ford, R$ 2.000 em vale-combustível ou taxa zero para pagamento em 18 meses com entrada de 60%. Para Edge

e Ranger, é possível optar entre seis revisões pagas pela Ford, R$ 4.000 em vale-combustível ou taxa zero, com pagamento em 36 meses e 50% de entrada no caso do Edge ou pagamento em 18 meses com 60% de entrada na Ranger. “Com essas ofertas, a Ford oferece mais uma vantagem para o consumidor, que pode optar por mais tranquilidade com revisões pagas, mais economia com vale-combustível ou mais facilidade no pagamento com taxa zero”, afirma Oswaldo Ramos, gerente-geral de marketing da Ford. A promoção vale de 1º a 29 de maio..


D2

Carro&Moto

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 04 e 05 de maio de 2014 Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Nissan New March terá tela multimídia, GPS e câmera de ré

AutoShow

Revista auto esporte

O

O CARRO DEVE chegar às revendas durante a primeira quinzena de maio, mas já é possível fazer uma pré-reserva

-reserva online em um hotsite divulgado pela montadora. O carro será fabricado em Resende, no Rio de Janeiro, e ganhará acabamento mais completo do que o March vendido até então. O objetivo é rivalizar com o Hyundai HB20 e Chevrolet Onix. O modelo anterior e importado do México deve permanecer no mercado, porém vendido como versão mais básica e mirando o Fiat uno e o VW up!. A montadora ainda não divulgou os preços que serão cobrados pelo New March e pelo March daqui para frente.

Volta

Terceiro/Quarto A NISSAN também já confirmou que o New March contará com volante multifuncional exclusivo para o mercado brasileiro

DIVULGAÇÃO

Carros.ig

E

Qualidade de atendimento A boa posição entre os mais vendidos não acomoda os lojistas da marca, mas falta conhecimento técnico a respeito do veículo. Em todas as concessionárias visitadas pela reportagem, os atendentes foram solicitos, mas sempre arrastaram o cliente para a versão topo de linha do modelo negociado. Ao apresentar o hatch, acabamento e design são os primeiros pontos ressaltados. Em seguida, vem o sistema multimídia MyLink. Motorização, câmbio e espaço ficam por último. Sem excessão, todos citaram superficialmente a potência do motor (80 cv no 1.0 e 106 cv no 1.4) e sequer mencionaram quantas marchas ha-

Mais uma vez as metas foram alcançadas pelas empresas do Grupo Ápice Empreendimentos no último Festival AutoShow realizado no estacionamento coberto do SEBRAE, no bairro do Laguinho, na semana passada. Destaque mais uma vez para a equipe da Betral Seminovos Plus, que tem no comando o coordenador Ney de Oliveira Pereira com os consultores de Vendas Jhamerson, Cássio, Rita Romano e Daniel. A equipe foi premiada com um lauto jantar em uma peixaria na Beira Rio, na última sexta (02). Foi só um pequeno susto. A queda a nível nacional nas vendas do VW Gol em março fez a montadora alemã rapidamente rever suas estratégias, apostando que o compacto será mais uma vez campeão de vendas. Conforme dados da Fenabrave, já em abril, o Gol fechou o mês com 16.961 unidades emplacadas, Mais de 1,5 mil a frente do Fiat Palio que ficou em segundo lugar.

Últimas unidades do Chevrolet Onix 2014 têm descontos nas lojas ra novembro de 2012 quando as revendas da Chevrolet davam adeus ao Corsa e abriam os braços para receber o então novo Onix. Quase um ano e meio depois, o hatch ocupa o posto de mais vendido da montadora no Brasil. Em 2013, fechou o ano como o 8º veículo mais emplacado, segundo ranking da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). De lá para cá, o modelo recebeu câmbio automático, série especial e se prepara para pequenas mudanças na linha 2015, como um novo volante multifuncional. Fomos às concessionárias para conferir como as últimas unidades da série 2014 estão sendo ofertadas.

JOSÉ ARCANGELO

Colunista

DIVULGAÇÃO

Hatch ficará em exibição no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, antes do início das vendas

Nissan New March, que chegará ao mercado em maio, será equipado com tela sensível ao toque, sistema GPS e câmera de ré. As informações foram confirmadas pela assessoria de imprensa da marca, que divulgou a primeira imagem do interior do hatch. Além do sistema multimídia, a Nissan também já confirmou que o New March contará com volante multifuncional exclusivo para o mercado brasileiro, direção elétrica progressiva e ar-condicionado digital automático. Enquanto as vendas do novo modelo não são iniciadas, o carro será exibido no saguão do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. O carro deve chegar às revendas durante a primeira quinzena de maio, mas já é possível fazer uma pré-

Pista livre

Já a picape mais vendida no Brasil, a Fiat Strada ficou com o terceiro lugar com 13.294 carros emplacados e o Chevrolet Ônix, que chegou a liderar à primeira semana em abril fechou na quarta posição. Mesmo assim, nos próximos meses, a tendência é da Strada e Onix continuarem em destaque nas vendas do mercado nacional. VW Fox passou para o décimo primeiro lugar, ocupando o décimo o Chevrolet Prisma.

Ranking

Ficou assim o “share” nacional em abril por ordem decrescente: VW Gol (6,1%), Fiat Palio (5,5%), Fiat Strada (4,8%), GM

Onix (4,8%), Ford Fiesta Hatch (4,3%), Fiat Uno (4,1%), Hyundai HB20 (3,5%), Fiat Siena (3,2%), Renault Sandero (3,1%) e GM Prisma (2,9%). Destaques para a Fiat que dos 10 mais vendidos emplacou quatro e a GM com dois modelos.

Contra-Ataque

A Honda já marcou para junho/julho, por ocasião da disputa da Copa do Mundo, o contra-ataque na área de influência do Novo Toyota Corolla. É o renovado Civic 2015 com várias mudanças – para melhor – no design, com base no último modelo norte-americano. A grande vantagem é que os preços do carro de entrada – LXS câmbio manual e até o sofisticado EXR câmbio automático permanecem os mesmos.

Motores

Sob o capô do Civic 2015 os consagrados motores 1.8 flex (139/140 cv gasolina/etanol) e 2.0 flex (150/155 cv), câmbios manual de seis marchas/ automático de cinco velocidades, com opções de trocas no volante, às chamadas borboletas, muito usadas nos carros de competição. Nos EUA o Civic teve uma radical mudança em 2012 e desde então passou por pequenas modificações até a última pra lá de radical.

City

E para não atrapalhar a “marcação” do Civic sobre o Corolla, a Honda resolveu deixar o lançamento do Novo City para o segundo semestre, já que carro terá um compartilhamento de plataforma com o novíssimo Fit, justamente na época do Salão o Automóvel de São Paulo, marcado para final de outubro, com grande possibilidade de figurar como um dos destaques da mostra.

Auto Pista

DE LÁ PARA CÁ, o modelo recebeu câmbio automático, série especial e se prepara para pequenas mudanças na linha 2015

via em cada câmbio (manual de cinco velocidades e automático de seis). Por isso, tenha suas dúvidas na ponta da língua ao visitar um autorizada, ou é possível que alguns pontos chave passem em branco. Apenas em uma das três autorizadas visitadas, situada na zona sul da capital paulista, havia uma cartela para a consulta da paleta de cores. Foi o mesmo estabelecimento em que o vendedor fez questão de conectar seu celular ao MyLink para explicar o funcionamento do item. Apenas este mesmo funcionário ressaltou que não há sistema integrado de GPS para a central no Onix. Dessa maneira, o item é oferecido apenas no Cruze, S10 e Trailblazer. Por outro lado, todas as revendas simularam os financiamentos desejados e avaliaram o

carro a ser entregue na transação. Infraestrutura Se você tiver uma agenda apertada, ligue na concessionária antes de fazer uma visita. A maioria das autorizadas realizavam test-drive sob a condição de agendamento prévio. Todas as variantes estavam disponíveis para serem vistas, inclusive a edição especial Lollapalooza. Os veículos sempre estão disponíveis para pronta entrega, o problema é a falta de unidades. As autorizadas estão vendendo seus últimos carros de ano modelo 2014/2014, por isso não espere a versão dos seus sonhos. Negociação Enquanto dão vazão às últimas unidades do hatch, as lojas começam a receber os

primeiros Onix da linha 2015, que sofrerá reajuste de preço, como de praxe. Os vendedores adiantam que a nova série não terá condições diferenciadas de financiamento, por isso vale aproveitar os bons descontos do momento, unânimes nas autorizadas visitadas pela reportagem. O maior bônus foi encontrado na versão 1.4 LTZ com transmissão manual, vendida por R$ 42.900, R$ 4.590 a menos de que seu preço de tabela. O hatch 1.0 na variante LT com ar-condicionado opcional e pintura metálica é oferecido por R$ 36.990, R$ 2.375 a menos do que o valor sugerido oficial. Por fim, a edição especial Lollapalooza saia por R$ 38.900, R$ 2.990 a menos. Também há taxa zero, mediante entrada de 60%, quitada em até 48 parcelas.

Clientes das concessionárias do Grupo Ápice Empreendimentos estão elogiando a volta do Festival AutoShow ao estacionamento coberto do SEBRAE pelo conforto, praticidade e amplitude do local. A Mônaco (Honda Motocicleta), pela primeira vez participou do evento e fez bons negócios por lá. O gerente Geral da Ápice Gianfranco Mendonça ouviu os apelos da clientela para voltar a realizar os feirões naquele local. –x-x-x-x- Agora virou “marmota”: alguns coletivos que circulam em Macapá substituíram um par de lâmpadas vermelhas da traseira pelas de xênon, totalmente irregular. E fica por isso mesmo. –x-x-x-x- Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA), na semana passada, convidou a CTMac para uma reunião sobre mobilidade urbana. Dentre vários assuntos, os associados questionaram a faixa à direita para ônibus na Rua Tiradentes, já que eles não trafegam por lá devido a inclinação dos troncos das mangueiras. –x-x-x-xOutro questionamento da ACIA foi para o sistema de sinalização da cidade, tanto na horizontal como vertical. –x-x-x-x- Prometeram pelo menos a “ouvir” aos apelos da classe. –x-x-x-x- A frase dessa semana é: “A dar com o pau”. O substantivo pau figura em várias expressões brasileiras. Teve origem nos navios negreiros. Os negros capturados preferiam morrer durante a travessia e, para isso, deixavam de comer. Então se criou o “pau de comer”, que era atravessado na boca dos escravos. Então os marinheiros jogavam sopa e angu para o estômago dos infelizes, a dar com o pau. E o povo incorporou a expressão. –x-x-x-x- Freando... e desejando que a CTMac ouça os apelos da ACIA. –x-x-x-x- Mesmo assim: Bom Domingo!

Recém-chegado às lojas, VW UP! já tem desconto Carros.ig

O

up! está completando três meses nas lojas, e apesar de toda a ação de divulgação da Volkswagen, ele ainda não arrebatou os consumidores. Para dar uma forcinha nas vendas e acelerar a escalada dele às primeiras posições do ranking dos carros mais vendidos, as lojas já começam a oferecer descontos. Em uma autorizada no bairro da República, no centro de São Paulo, a versão de entrada Take up! equipa-

da com direção elétrica, vidros e travas elétricas e ar-condicionado, foi oferecida por R$ 32.400, R$ 1.190 abaixo do valor sugerido de R$ 33.590. Caso, o comprador quisesse um carro menos equipado, seria possível levar a mesma versão, apenas com direção elétrica, por R$ 29 mil, cifra também abaixo do preço de tabela de R$ 30.140. Na região do Brás, uma concessionária nos ofereceu descontos menos generosos, no máximo de R$ 500. No entanto, as condições de pagamento se mostraram mais flexíveis. Para a entrada de 50% e o restante parcelado em 36 meses, foi pos-

sível negociar uma taxa de juros de 0,99% ao mês. Os abatimentos, a disposição dos vendedores para negociar e as condições de pagamento mudaram bastante de fevereiro para cá. À época do lançamento do carrinho, ele era encontrado com sobrepreço de até R$ 3.200 e com uma taxa de juros média de 1,3% a.m, condições que acabaram por afastar o consumidor das lojas. Agora, devido ao pessimismo do setor automotivo em relação às vendas deste ano, a Volkswagen decidiu se mexer logo para embalar as vendas de seu principal lançamento nos últimos anos.

DIVULGAÇÃO

SEGUNDO ESPECIALISTAS, marca tenta reposicionar o compacto para acelerar as vendas, que ainda não deslancharam


Carro&Moto

Macapá-AP, domingo e segunda-feira, 04 e 05 de maio de 2014

D3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Novo Honda Fit: na linha de frente

Terceira geração do Fit revigora visual e resgata CVT para se tornar carro-chefe da Honda no Brasil

DIVULGAÇÃO

Motor dream

O

s planos da Honda para a terceira geração o monovolume Fit não são nada modestos. Afinal, ele é o quarto modelo mais vendido da marca japonesa no mundo, com mais de 5 milhões de unidades – perde apenas para Accord, Civic e CR-V. No Brasil, onde chegou em 2003, também desfruta de certo êxito. Ano passado, o Fit emplacou uma média de 3.300 unidades mensais e liderou com folga o segmento de monovolumes – mais que o dobro das vendas do segundo colocado, o Fiat Idea. Lançada em setembro último no Japão, a terceira geração do Fit é a maior aposta da fabricante nipônica. Tanto que, no Brasil, pretende comercializar 5 mil carros/mês – mais que o Civic. Para isso, a Honda ousou na estética com traços esportivos, evoluiu o conhecido motor 1.5 litro, promoveu a volta da transmissão CVT – agora com conversor de torque – e caprichou no interior. E essa “pequena revolução” do Fit começa no design. O modelo inaugura uma nova linguagem visual global da Honda, que será aplicada para os futuros lançamentos da marca. A parte dianteira passa a trazer o conceito batizado de “Solid Wing Face”, que fica bem evidenciado por meio da grade frontal cromada – já presente no novo City lançado na Ásia e no utilitário Vezel, que será produzido no Brasil em breve. Os parrudos para-choques ganharam generosas entradas de ar ou luzes de neblina nas versões mais caras. No perfil, chama atenção o vinco acentuado em toda extensão lateral, que reforça a sensação de movimento. Atrás, as novas lanternas ressaltam o aspecto moderno. A terceira geração do Fit traz também uma nova arquitetura – adotada no Vezel e no novo City. Tanto a plataforma quanto a carroceria usam, em mais abundância, aços de alta tensão, que permitem reduzir o peso do carro e ainda dar mais rigidez torcional ao conjunto. O entre-eixos é 3 centímetros maior e agora ostenta 2,53 metros. O comprimento cresceu quase 10 cm – segundo a Honda, em função dos para-choques mais avantajados. Altura e largura ficaram na

MAS A MAIOR mudança no trem de força está na transmissão. Além do câmbio manual de cinco marchas, a primeira geração usava também um CVT que deu lugar a um automático de seis relações na segunda

mesma. Por dentro, no entanto, a Honda fez uma reengenharia do espaço. Os ocupantes ganharam 3,5 cm de “folga” entre os ombros na dianteira e 2 cm a mais na traseira, graças aos aços mais finos da carroceria. A posição de dirigir está um centímetro mais baixa devido à diminuição do tanque de combustível – que fica no assoalho embaixo dos assentos dianteiros. Além disso, com os braços da suspensão traseira mais curtos, os bancos traseiros foram oito centímetros para trás, abrindo mais espaço para o tronco e pernas. Na parte mecânica, a Honda “aposentou” o motor 1.4 litro. Em todas as configurações, o novo Fit vem com o conhecido propulsor 1.5 litro, que só equipava a versão topo de linha do antecessor, além da Twist – configuração “aventureira” que, em breve, irá ganhar sua versão na terceira geração. Mas o motor passou por algumas modificações como o coletor em plástico de alta resistência em vez do alumínio usado antes. O comando de válvulas foi redesenhado e teve atrito e peso reduzidos, o que aumentou o torque em baixas rotações. A potência continua nos 115/116 cv a 6 mil giros com gasolina e etanol, respectivamente. Já o torque aumentou. Passou de 14,8/14,9 kgfm para 15,2/15,3 kgfm. A nova geração do Fit passa a ter o propulsor com tecnologia chamada de FlexOne, que dispensa o “tanquinho” para partida a frio. Mas a maior mudança no trem de força está na transmissão. Além do câmbio manual de cinco marchas, a primeira geração usava também um CVT que deu lugar a um automático de seis relações na segunda. Na atual, a Honda diz que achou “o melhor dos mundos” e voltou a usar o CVT. Em versão mais moderna, ele agora vem com conversor de torque, que acopla

as engrenagens de forma mais rápida e suave. Segundo a marca, o componente permitiu um ganho de 17% de eficiência em relação ao câmbio automático. Nas versões DX e LX, a transmissão é manual de cinco marchas, mas há a opção de câmbio CVT – que adiciona mais R$ 4.600 ao preço. Nas versões EX e EXL, a transmissão é sempre CVT. Para a linha 2015, a Honda vai comercializar o Fit em quatro versões. A básica DX – que deve corresponder somente a 3% do mix – parte de R$ 49.900. Traz itens como ar-condicionado, maçanetas na cor do veículo, abertura interna do tanque de combustível e encosto de cabeça para todos os ocupantes. A aposta da Honda é a LX. A fabricante japonesa projeta que 48% dos Fit vendidos daqui pra frente sejam dessa versão. Ela custa iniciais 54.200 e vem mais recheado com rodas de liga leve de 15 polegadas, rádio AM/FM/USB/Bluetooth, banco do motorista com regulagem de altura, bancos traseiros reclináveis e bipartidos 60/40, retrovisores elétricos e quatro alto-falantes. Já a EX, com farol de neblina, tela de LCD de 5 polegadas, câmara de ré e volante multifuncional, tem o preço de R$ 62.900. A topo de linha fica a cargo da EXL, que ainda adiciona airbags laterais, bancos em couro, computador de bordo digital e com luz de fundo azul. E custa R$ 65.900. Na soma da EX com a EXL, a Honda espera angariar 48% das vendas do novo Fit. Forma e conteúdo Por fora, o novo “design” deu um aspecto de maior dinâmica e fluidez ao Fit. Os para-choques com entradas de ar emprestam um jeitão mais robusto ao modelo e ainda adicionam uma pitada esportiva. Dentro do novo Fit, uma agradável surpresa. Em alguns automóveis, o design ex-

terno não “conversa” com o interior dos veículos. Mas no renovado monovolume da Honda, o habitáculo está em harmonia com o lado de fora. O destaque é a tela multimídia de 5 polegadas no painel central que concentra as funções do rádio AM/FM/CD/MP3 e ainda tem entrada USB e Bluetooth. Ela não é sensível ao toque e nem traz GPS integrado. Segundo a Honda, pesquisas da marca apontaram que os usuários do sistema de localização raramente utilizam o equipamento presente no carro – a preferência é pelos smartphones. Mas é inegável que o GPS acrescenta um certo valor aos veículos – mesmo que não sejam usados pela maioria. Felizmente, a “pegada” mais esportiva do novo Fit não fica apenas na aparência – é endossada pelo bom desempenho do novo “powertrain”. A Honda até fez algumas mudanças no conhecido motor 1.5 litro para deixá-lo mais “espertinho” nas saídas. Mas é a nova transmissão CVT, agora com conversor de torque, que mais contribui para a evolução no desempenho do modelo em relação à versão anterior, com câmbio automático. As retomadas estão bem mais ágeis e as ultrapassagens podem ser realizadas de forma mais consistente, sem “soluços” nem vacilações. O barulho insinuante do motor – típico dos carros com CVT – é agradável e adiciona um componente acústico à percepção de esportividade. A suspensão é bem acertada e, apesar de ser “altinho”, o Fit é bom de curva e consegue fazê-las sem adernar excessivamente. Quando é necesário brecar bruscamente, o monovolume para de maneira rápida e equilibrada, sem pregar sustos. Como convém a um carro de família. Ficha técnica Honda Fit Motor: Gasolina e etanol,

POR FORA, o novo “design” deu um aspecto de maior dinâmica e fluidez ao Fit. Os para-choques com entradas de ar emprestam um jeitão mais robusto ao modelo e ainda adicionam uma pitada esportiva

dianteiro, transversal, 1.497 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, comando simples no cabeçote e comando variável de válvulas na admissão. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial. Transmissão: Câmbio manual de cinco marchas ou CVT. Tração dianteira. Potência máxima: 115 e 116 cv a 6 mil rpm com gasolina e etanol. Torque máximo: 15,2 e 15,3 kgfm a 4.800 rpm com gasolina e etanol. Diâmetro e curso: 73,0 mm X 89,4 mm. Taxa de compressão: 11,4:1. Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson. Traseira por eixo de torção. Freios: Discos ventilados na frente e tambor atrás. Oferece ABS com EBD. Pneus: 185/55 R16 (EXL), 185/60 R15 (EX e LX).

Carroceria: Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 3,99 metros de comprimento, 1,69 metro de largura, 1,53 metro de altura e 2,53 metros de entre-eixos. Oferece airbags frontais. Peso: DX MT: 1.052 kg DX AT: 1.072 kg LX MT: 1.060 kg LX AT: 1.080 kg EX AT: 1.099 kg EXL AT: 1.101 kg Capacidade do porta-malas: 363 litros. Tanque de combustível: 45,7 litros. Produção: Sumaré, São Paulo. Itens de série: DX: cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes, Isofix, airbags frontais, Vidros elétricos, maçanetas externas na cor do veículo, pré-disposição para rádio e ar-condicionado.

Até aplicativo de celular ajuda a achar posição correta de dirigir Automotive business

S

entar-se de maneira correta ao volante é uma das premissas para direção segura. Infelizmente, alguns vícios se formaram ao longo do tempo e o principal deles tornou-se modismo. Algumas pessoas até acham que dirigir com os braços esticados demonstra capacidade de guiar melhor que os outros. Ledo engano. Esse é, de fato, o posicionamento menos adequado e a maneira mais fácil de perder o controle do carro numa manobra. Também pode levar o motorista a sentir dores nas costas e dormência nas pernas, em especial nas longas jornadas.

Sente direito Existe um método simples para conseguir o melhor posicionamento: + A perna esquerda esticada tem que acionar todo o curso do pedal da embreagem. + O punho tocar o ponto mais alto do volante; automaticamente os braços ficarão arqueados, formando ângulo um pouco menor que 90 graus com os antebraços. + Altura do cinto de segurança, nos carros que possuem essa regulagem ou naqueles que regulam a altura do banco, deve permitir que a fita superior passe no meio do ombro. + Por fim, ajustar a altura do apoio de cabeça no mesmo nível dos olhos.

Assim se encontra a forma confortável de dirigir e, em caso de acidente, garante a interatividade máxima entre cinto de segurança e airbags. APP acerta o banco Quem pode comprar um automóvel com banco de comando elétrico terá, em breve, uma nova tecnologia de pré-ajuste automático que permite determinar a posição baseada no porte físico do motorista. Especialistas em ergonomia da Johnson Controls desenvolveram um algoritmo capaz de comandar os motores elétricos e mover assento/encosto para a posição confortável e segura. Foi criado, ainda, um aplicativo que permite ao condutor registrar a sua altura

em um smartphone e transmitir ao comando do banco. Alternativamente, as informações podem se inserir no console central do veículo. Também é possível medir o tamanho do motorista com uma câmera de bordo, antes mesmo de ele entrar no carro, e assim o banco se autoajustar. “Conectividade nos veículos significa mais que acessar a internet ou informações de rota. Conforto e segurança também podem ser aumentados. Banco com pré-ajuste automático é um bom exemplo de interface inteligente homem-máquina”, resume Andreas Eppinger, vice-presidente da empresa. Pesquisas apontaram que as regulagens exatas de distância e altura podem

exigir algo mais do que se adaptar ao comprimento das pernas e torso do motorista, em razão das diferenças do complexo esqueleto humano. Mudar um parâmetro pode impactar outras variáveis. Mas foi possível habilitar um programa capaz de “pensar” os critérios de ajustes, depois de mais de 100 testes com diferentes biotipos. Participantes do desenvolvimento classificaram a posição regulada automaticamente como boa. Aqueles mais exigentes executaram pequenas intervenções suplementares, a fim de atender a preferências pessoais e melhorar a sua nota para muito boa. Outra facilidade é armazenar os dados do cliente de locadora ou de uma frota

de serviços e enviar um sinal ao sistema para o posicionamento correto. Pessoas de estaturas diferentes que utilizam o carro da família também apreciarão esse conforto adicional, sem a habitual perda de tempo para mudar regulagens. DIVULGAÇÃO

POSIÇÃO IDEAL garante conforto na viagem e maior segurança em caso de acidente


D4

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda-feira, 04 e 05 de maio de 2014


Jornaldodia05052014  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you