Issuu on Google+

Macapá-AP, Domingo e Segunda, 02 e 03 de Junho de 2013 - Ano XXVI

* Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

•Domingo e Segunda R$ 2,50 •Terça a Sábado R$ 1,50

DOM PEDRO

NA CORÉIA

Hyundai revela novo Tucson ix

Estou aqui pensando na vida

Veículo utilitário esportivo (SUV) segue a nova identidade visual da marca e tem motor 2.0. nD1

Muitos anos atrás, numa região da França, vivia um rei que nunca conseguia rir... nA3 JORNAL DO DIA

SINAL DE ALERTA

Economia no AP deve sofrer reflexos do baixo crescimento

Com os baixos índices da economia nacional, o Amapá tende a sofrer um aperto econômico nos próximos meses. Segundo o economista Jurandil Juarez, o re-

sultado foi muito abaixo do esperado pelo governo, já que a tentativa era reverter o baixo crescimento ocorrido ainda no ano passado. nB1

PETRÓLEO

Experiência de Macaé poderá ajudar o Amapá Com o aumento do PIB de apenas 0,6%, setores recuam e diminuem a arrecadação dos Estados e Municípios. No Amapá, esse reflexo é ainda maior, uma vez que parte da economia depende, exclusivamente, do poder público

ELEN COSTA

Acusado revelou estar foragido e que iria matar um inimigo

Na onda da exploração do petróleo, Macaé (RJ), estará sediando uma feira de empresas e serviços ligados à área. nB3

'

DIVULGAÇÃO

Professores voltam a reunir com o governo e tentam evitar descontos Segundo o presidente do Sinsepeap, Aroldo Rabelo, o sindicato propôs um acordo para que o calendário letivo seja estendido e as aulas compensadas para não haver necessidade de

cortar o ponto da classe. “Reunimos com a Elda Araújo (secretária da Seed) para solucionarmos o problema do corte dos professores. Aguardamos uma resposta”. nB4 AGÊNCIA AMAPÁ

CESEIN

Menores tentam fugir e acabam detidos pela polícia “Baruque”, “Beco”, “Lourinho”, “Isac Preto”, “Alexandre”, “José Cesário”, e “Aldair”, cumprem medida por roubo, homicídio e latrocínio. Há cerca de duas semanas, os menores provocaram um princípio de motim. nB2

Emanuel Brito, do Instituto de Aquicultura do Amapá

AQUICULTURA

Ambientalista critica perseguições, inveja e falta de incentivos Em entrevista exclusiva ao Jornal do Dia, o ambientalista Emanuel Brito, presidente do Instituto de Aqüicultura do Amapá, comenta a falta de incentivos no setor primário e a estagnação nas autorizações para novos criadores de peixe. nC1

Para não terem os pontos cortados, o Sinsepeap e a Seed fizeram um acordo G1.COM

ANÁLISE

Flamengo vence Uberlândia e é bicampeão do NBB

Redução da maioridade penal e suas consequências Advogado e técnico judiciário analisa do ponto de vista técnico os prós e contras desta discussão. nB2

BASQUETE

Marcelinho ergue o troféu do NBB 2013 após a vitória do Flamengo sobre Uberlândia por 77 a 70

Depois de quatro anos, o Flamengo volta a ser o dono do Brasil no basquete. Na manhã deste sábado, na HSBC Arena, no Rio de Janeiro, o Rubro-Negro venceu o Uberlândia por 77 a 70 para ficar com o bicampeonato do NBB. nC2

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


Opinião

JD

Poucas & Boas

• MORADOR DO Novo

Buritizal liga esta semana para 190 (CIODES) e avisa que acabara de acontecer um assalto no bairro por volta das 19h00, praticado por um menor. Informava também que o aparelho celular Sansung Galaxy roubado estava nas mãos de um receptador que o exibia em frente a sua residência. A resposta foi para procurar o CIOSP do Congós. Bem que o prejudicado procurou a polícia: “só podemos fazer alguma coisa depois do feriado”, respondeu a autoridade. “É! Mas para o ano tem eleição”, teria respondido o prejudicado!

• OPERAÇÃO ÁGATHA desencadeada pe-

las polícias e Forças Armadas nas fronteiras brasileiras tem rendido muitas apreensões de armas, drogas e animais vi-

vos e abatidos. Em Oiapoque quatro lanchas potentes com militares armados até dos dentes, patrulham 24 horas aquele rio do lado brasileiro, enquanto as forças francesas se responsabilizam pela sua parte. Na Polícia Rodoviária Federal no Km 12 da BR 156, direção Oiapoque/Macapá, 100% dos ônibus e outros veículos estão sendo inspecionados, inclusive com ajuda de equipes do ICMBio.

• APENAS TRÊS das 16

prefeituras do Estado do Amapá estão aptas a receberem recursos federais por conta da obediência a Lei da Transparência. São elas: as de Macapá, Santana e Oiapoque. Todos os municípios brasileiros com menos de 50 mil habitantes tiveram quatro longos anos para se ade-

quar a legislação. E parece que ainda foi pouco tempo. As “transparências” pelos desobedientes estariam mal comparadas, pior que mapa do inferno.

• CONSELHO QUE deve

ser ouvido. Papa Francisco @ ‫ ‏‬Pontifex_pt: Toda a história da salvação é a história de Deus que procura o homem: oferece-lhe o seu amor, acolhe-o com ternura.

• A CONFUSÃO no twit-

ter era geral na ultima quinta-feira, gente reclamando do GEA e os assessores dele jogavam pedras, lamas e assim por diante, mas os que combatiam não se calavam e também jogavam pedras e lamas. Bem, no final os assessores dobraram o barco e foram para cima do senador Randolfe. Foi só o senador entrar na

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

• VICENTE CRUZ @ ‫ ‏‬Vi-

centeCruzadv: Cabine de praça se transforma em UBS na gestão Clecio. Isso sim é “novo”. Projeto “Saúde na Praça” acabou, mas levou a saúde pra cabine.

• VEJAM QUE notícia

espetacular......Anax Viana @ ‫ ‏‬Anax_Viana Governo do Estado irá construir 10 escolas no arquipélago do Bailique http://www. agenciaamapa.com.br/ noticia/34212/ via @ agenciaap..... Já que dizem, então vamos acreditar! Será mesmo? Vamos acreditar sim, achamos.....

RODOLFO JUAREZ

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

C

nho, o último mês de semestre, e começa com a expectativa dos macapaenses com relação ao que pode fazer a prefeitura do município pela capital e pelo interior do município. Trata-se de um mês muito interessante para as administrações municipais, pois são essas administrações que têm a responsabilidade de tratar bem ou, pelo menos, razoavelmente da cidade, das estradas, dos distritos e, de resto, de toda a parte física do município. O período é propício. Representa o fim dos meses de chuva ou o começo dos meses de sol, próprio para o trabalho nas nos núcleos urbanos, suburbanos, estradas e nas sedes dos distritos. Também é o fim das desculpas que são dadas por causa do período chuvoso. Finalmente está passado o período das chuvas intensas e o prefeito e seus auxiliares terão a oportunidade para mostrar a que vieram. Macapá está com sua condição urbana muito prejudicada. Os dois últimos administradores não conseguiram, se quer fazer o dever de casa, e o que se tem hoje é uma cidade com o sistema viário abalado, um sistema de transporte confuso e indisciplinado, onde além do transporte propriamente dito, ainda se

somam os problemas que apresentam os locais de parada, onde os abrigos ou são inadequados, ou estão em péssimas condições de conservação ou simplesmente não existem. Praças e parques deixaram de ser cuidadas há quase três anos, os pontos turísticos não foram revitalizados e até mesmo o Lugar Bonito e o Balneário da Fazendinha estão longe de serem comparados com os melhores momentos daqueles locais. E, de bate pronto, além das festas juninas a administração tem que tomar as providências para a realização do Macapá Verão que começa no primeiro dia do mês de julho. Um momento de especial interesse da comunidade e que, há mais de 5 anos a administração não se programa e tudo fica para ser feito em cima da hora. É importante considerar que os demais problemas que o prefeito e sua equipe têm falado não estão resolvidos. O problema de vagas nas escolas da rede pública municipal, a falta de funcionamento dos postos de saúde, a limpeza pública, desde a coleta ao destino final, a fiscalização da ocupação do solo, se somam às questões e passam a ser prioridade nesse mês, sem afastar as prioridades que já vinham sendo enfrentadas pela administração.

CONSELHO EDITORIAL Presidente: Aldenor Benjamim dos Santos

Secretário Executivo: Marcelo Ignacio da Roza

CONSELHEIROS: Carlos Augusto Tork de Oliveira

José Arcângelo Pinto Pereira

Danieli Amanajás Scapin

Luiz Alberto Pinto Pereira

Janderson Carlos Nogueira Cantanhede

Maria Inerine Pinto Pereira

Índice

Opinião - A2 Geral - A3, Geral - A4 Cidade - B1

Cidade - B2 Geral - B3 Polícia - B4 Geral - C1

ESPLANADA POR LEANDRO MAZZINI Jornalista

Twitter @leandromazzini

PROJETO DO TJ TORNA JUIZ DE PAZ CARGO POLÍTICO

O

Tribunal de Justiça do Distrito Federal enviou para o Congresso Nacional um Projeto de Lei surreal: ele regulamenta a atuação do Juiz de Paz nos cartórios, mas o transforma em cargo de indicação partidária. Não bastasse isso, inclui como atribuições – além do já notório dever de celebrar casamentos – a missão de decidir pequenos litígios sobre trânsito e zelar pelas normas de defesa e vigilância do meio ambiente. Em suma, pode abrir caminho para apadrinhados políticos cuidarem, no âmbito judicial em Brasília, de casos de multas e grilagem de terras. E abrir jurisprudência para o restante do País.

Pista livre

O PL 3411/12 tramita como prioridade, já foi aprovado por unanimidade na Comissão de Trabalho da Câmara e chegou à de Fiscalização e Controle, onde encontrou simpatia.

Cabidão político

Pelo texto, serão criados mais 18 cargos de juiz de paz no DF, com eleição direta pelo povo em Outubro de 2016. Mas só disputam os candidatos escolhidos por partidos.

Seu bolso

O salário do juiz de paz, claro, sairá do seu bolso: R$ 6.192,03. O impacto orçamentário para o TJDFT será de R$ 1,486 milhão por ano.

Como é

Hoje, o Código de Organização e Divisão Judiciária prevê lista tríplice pelo TJ e o presidente do tribunal escolhe um deles – os outros tornam-se suplentes.

Hum, tá bom.. Na Justificativa no PL, o TJDFT aponta como necessária a regulamentação por decisão dos Artigos 14 e 98 da Constituição, e pela recomendação nº 16 do Conselho Nacional de Justiça. Mas numa breve consulta o cidadão descobrirá o óbvio: em nenhuma linha está escrito que o juiz de paz deve ser indicado por partido. Para se ter uma ideia, apenas para a restauração e construção do sistema viário de Macapá a prefeitura estima que vai precisar de mais de um bilhão de reais e mais de 4 anos de prazo. Como são muitos os problemas, quase todos os que podem ter uma prefeitura, a administração municipal vai precisar de muita habilidade política e muita competência técnica para enfrentar e vencer esses problemas. O prefeito deve permanecer com os pés no chão, procurar entendimento com os vereadores e entregar o trato das questões política partidárias para um comitê do qual, preferencialmente não faça parte. Na crise, pode ser uma boa estratégia. Não provocar ninguém, nem os filiados dos partidos que estão no poder e muito menos os filiados dos outros partidos, pois esses podem ser os gran-

des aliados da administração mesmo sem ser aqueles que possam contribuir eleitoralmente. Compreender a situação atual de Macapá é uma necessidade tão evidente que pode se tornar comum para os administradores com menos experiência que arriscam perda do tempo exato para agir, o que prejudicaria muito toda a administração. No momento os administradores municipais, todos eles, inclusive o prefeito, não passam por um bom momento, muito embora eles tenham os instrumentos que podem lhe oferecer a recuperação e a confiança da população. Habilidade, humildade, concentração e compreensão dos problemas precisa fazer parte do cardápio do prefeito para poder desenvolver o plano que pode mostrar que ainda é possível restaurar Macapá e a confiança da população.

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994)

Diretor Executivo: Marcelo Ignacio da Roza Diretora Corporativa: Lúcia Thereza Pereira Ghammachi Assessoria Jurídica e Tributária: Américo Diniz (OAB/AP 194) Eduardo Tavares (OAB/AP 27421) Editor-Chefe: Janderson Cantanhede Gerente Comercial: Andrew Gustavo Cavalcante dos Santos

Coluna

• EDIANE BORGES @

As prioridades de Macapá omeça o mês de ju-

Editor: José Maria Baia - josemaria@jdia.com.br

tela que começaram a falar de futebol! Imaginem em 2014, vamos ter que ficar de plantão, coitadinho de nossos olhinhos! edianeborges: Essa parceria GEA x PMM tem colido “bons” frutos.. governo entra com a arena poliesportiva e a prefeitura, com a equipe médica ?? não pera

A2

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br comercialjd.2011@gmail.com mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representante comercial Grupo Pereira de Souza – GPS Matriz - Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2544.3070; Brasília/DF - Tel.: (61) 3226.6601; São Paulo/SP - Tel.: (11) 3259.6111; Belém/PA Tel.: (91) 3244.4722 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

Esporte - C2 Diversão&Cultura - C3 Social - C4 Classidia - 08 Pág

Edição número

8216

Outro lado

Procurada pela coluna na Sexta à tarde, a assessoria do TJDFT encaminhou a situação para o corregedor-geral, para nova análise do projeto enviado. Até o fechamento da coluna, não se manifestou.

E concurso?

Tramita na Câmara, mas ninguém ‘viu’, uma Proposta de Emenda Constitucional que tornaria o cargo independente de indicação política: propõe que os juízes de paz sejam admitidos por concurso público.

Perigo real

Um pernilongo sobrevoou o comitê de imprensa do Palácio do Planalto, o lugar mais seguro do País, e mordeu um repórter na Sexta. Em tempo, o comitê será reestruturado.

Cego, surdo e..

O vice-presidente dos EUA, Joe Biden, se fez de surdo e cego ao sair do Planalto na Sexta: não acredita que ‘exista qualquer obstáculo que não possamos superar’. A OMC, presidida por brasileiro, pode indicar vários, sobre o protecionismo americano.

Caxirolou..

A Caxirola passou pelas mãos da ministra Marta Suplicy, da presidente Dilma, do ministro Aldo Rebelo, e só a Fifa viu um grande perigo no pequeno objeto. Ninguém teve coragem

de dizer que o problema, então, é a educação da torcida.

Arretadas

As soteropolitanas terão aulas práticas e gratuitas de defesa pessoal. A iniciativa é da prefeitura de Salvador. Lá foram registrados cerca de 600 casos de violência contra elas, só em Abril. A capital é campeã de ocorrências de abusos contra o sexo feminino.

Esse Zédu..

Ex-presidente da Petrobras e ex-senador, José Eduardo Dutra tuitou: ‘estou andando pra notícias de demissão de jornalistas em grandes jornais. Fazem todo tipo de m...’. Mas anos atrás, não era isso que pensava dos repórteres, principalmente das mulheres..

Declaração em rede

É que seu som vazou durante entrevista a Alberto Dines e, em rede nacional de TV, declarou a admiração por repórter na tela: ‘Essa ... é uma graciiiinhaaa’.

Dançando

Quem quiser organizar uma festa junina em Brasília, em área pública, terá que desembolsar R$ 285 para o GDF.

Ponto Final

A ONG Repórteres Sem Fronteira soltou alerta mundial sobre a falta de transparência na eleição presidencial no Irã este mês.

Com Marcos Seabra, Maurício Nogueira e Adelina Vasconcelos

www.colunaesplanada.com.br LM Comunicação Coluna Esplanada contato@colunaesplanada.com.br Caixa Postal 1980 – CEP 70254-970 – Brasília-DF


JD

Opinião

Entre Aspas JANDERSON CANTANHEDE Jornalista

Rodeio – Nesse final de semana, Santana tentou repetir o sucesso do carnaval com um circuito de rodeio. Porém, algo deu errado. Fraca divulgação - Para começar, a divulgação do evento deixou a desejar. Muitas pessoas passaram batidas quanto a realização do circuito que prometeu até show sertanejo nacional. Baixo público - Na abertura do evento ocorrida na última sexta-feira, no estacionamento da Prefeitura, poucas pessoas compareceram. Especula-se que no máximo 500 pessoas estiveram presentes. Sola de sapato - A praça de alimentação também não foi das melhores. Uma amiga que tentou saborear uma carne de sol saiu chateada do boteco. Com dificuldades para mastigar o churrasquinho, sentiu-se no direito de pedir um bom desconto para

o vendedor. Ferido – Um dos atletas da montaria em touros acabou se acidentando sendo pisoteado pelo animal de quase uma tonelada. Detalhe: não tinha uma ambulância para atender o indivíduo. Solução – Sem atendimento de emergência no evento (pasmem!) tiveram que ligar para o Samu do município. Enquanto isso, o montador ficou agonizando diante dos olhos da pequena plateia. Show – Ainda na abertura do rodeio, já era forte o comentário do cancelamento do show da dupla Guilherme e Santiago, programado para hoje (2). Detalhe: até o fechamento da coluna a organização ainda não tinha contratado um novo show. Chupa essa manga... Enquete – Um programa televisivo local publicou esta

semana o resultado de uma enquete que possivelmente pode mostrar como anda o quadro de disputa nos bastidores rumo a 2014. Vamos aos números... Números - Segundo a enquete, Waldez Góes teve 32%, seguido de Lucas Barreto com 24%. Em terceiro estaria Randolfe Rodrigues com 14% seguido de Jorge Amanajás com 12%. Em quinto lugar estaria Camilo com 10%. Não sabem somam 6% e nulos 2%.

Afrouxando - O grupo de trabalho da Câmara dos Deputados responsável pelo projeto que modifica a legislação eleitoral em vigor no Brasil, uma espécie de minirreforma política, vai entregar, na próxima terça-feira, as propostas que abrandam a Lei da Ficha Limpa e facilitam a vida dos gestores que tiveram contas reprovadas. Lá vem o golpe - O deputa-

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

do Cândido Vaccarezza (PT-SP), coordenador do grupo, declarou que o projeto de lei complementar será inicialmente levado ao colégio de líderes e, no mesmo dia, ao plenário. A expectativa é de que a matéria seja aprovada até o fim de junho. Mudanças à vista - Pela Lei da Ficha Limpa, os gestores que tiverem as contas rejeitadas pelos tribunais de contas não podem se candidatar nas eleições dos próximos oito anos. Um dos pontos a serem modificados é justamente este, para muitos a razão de ser da Lei da Ficha Limpa. Nas próprias mãos - A proposta de mudança esvazia o poder dos tribunais de contas. Pelo novo texto, a palavra final sobre as irregularidades nos balanços contábeis dos chefes de executivo seria dada pelas respectivas casas legislativas. Bom domingo a todos...

Siga: @cantanhede_AP Email: cantanhede@jhotmail.com Blog: jandersoncantanhede.wordpress.com

Estou aqui sentado, pensando na minha vida DOM PEDRO JOSÉ CONTI

M

Bispo de Macapá

uitos anos atrás, numa região da França, vivia um rei que nunca conseguia rir. Chamavam palhaços e humoristas de todas as partes do mundo para diverti-lo, mas o rei permanecia sério. Certo dia, um jovem se apresentou à corte declarando que tinha capacidade de fazer o rei rir. Ninguém acreditou, mas, para evitar serem acusados de ter jogado fora uma nova chance, permitiram que o jovem fosse até o soberano. Levaram-no até a sala do trono e assistiram a uma cena inacreditável: o jovem foi sentar-se perto do trono do rei e ficou calado o tempo todo. Depois de algum tempo, o rei, triste e desconsolado, perguntou-lhe: - Você foi chamado para me divertir, por que não está fazendo nada para me fazer rir? - O jovem, bem tranquilo, respondeu: - Não tenho nenhuma intenção de fazer o senhor rir, estou aqui sentado pensando somente na minha vida. Incrível! A absurda sinceridade do jovem fez o rei

dar uma gargalhada poderosa e, assim, o bom humor voltou para a aquele pais. Repetir que quem complica a vida muitas vezes somos nós mesmos é banal, mas é uma simples verdade. Em lugar de agir com sinceridade e transparência parece que tenhamos sempre algo para esconder, algo que nos ameaça e, portanto, vivemos na defensiva. Preferimos ficar calados para não nos expormos com as nossas palavras e não sermos criticados ou rebatidos. Outras vezes medimos nossos gestos e palavras por medo de sermos julgados pelos outros. Acontece também o contrário: falamos o que não devemos, condenamos ou absolvemos sem nenhum conhecimento da real situação, e assim por adiante. Pecamos por excessos de medo ou de superficialidade. Subestimamos a nossa capacidade de refletir e ponderar as coisas. Talvez bastasse sermos nós mesmos. Capazes de reconhecer os nossos defeitos - que não adianta esconder tanto assim - e de aproveita r dos dons que todos temos. Quantas ve-

zes um gesto simples e espontâneo vale mais do que as formas sofisticadas de relacionamento, quando, por exemplo, o cerimonial nos obriga e a formalidade esvazia os próprios gestos. No evangelho deste domingo, Jesus louva a fé do centurião. É um pagão, verdade, mas sincero e honesto. Até alguns dos anciãos, tão rigorosos e prontos a julgar os outros, reconhecem que o estimam. Ele também tem em grande consideração o empregado que está doente. Admitamos que não seja tão comum os patrões falarem bem dos seus empregados. Por fim, como bom militar, o centurião está acostumado a obedecer e a mandar para ser, por sua vez, obedecido. Parece mesmo que este homem não tenha nada para esconder. Diz o que pensa e age de consequência. A sua fé é simples e sincera. Também com Jesus tem o maior respeito. Não manda, pede. Não cobra, confia. Reconhece não ser digno de Jesus ir até a sua casa; propõe que diga uma só palavra e o servo ficará curado. Os evangelhos são sóbrios por natureza, mas desta vez Lucas expr essa com lucidez o raciocínio do centurião, sem inúteis en-

feites ou rodeios de palavras. Jesus mesmo ensinou que devemos saber dizer sim, quando é sim, e não quando é não. “O que passa disso vem do Maligno” (cf. Mt 5,37). Acredito que esta sinceridade e simplicidade devem caracterizar também, ou sobretudo, a nossa fé. Antes de ser explicitada e declarada no seu conteúdo, a fé deve surgir alegre e aprazível em nosso coração. Não pode ser um peso ou um conjunto de sofisticadas distinções, acolhidas ou não; deve ser uma entrega confiante àquele Deus que assim se fez conhecer, porque assim se manifestou em Jesus e, acreditamos, continua a nos amar e perdoar. A fé pode brotar de algumas simples reflexões sobre a realidade humana. Pensar em nossa própria vida de peregrinos neste mundo pode fazer rir o rei da história, mas é o primeiro passo. No silêncio interior, quando os palavreados se calam, ficamos somente na escuta do nosso coração. Sobressai o essencial. Rezamos para que seja a nossa fé-confiança em Deus-Amor. Para o resto? Talvez uma boa r isada resolva. Rir das nossas complicações é um bom conselho.

A3

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

O amor não precisa ser tão romântico assim... VANESSA FREITAS

Palestrante, consultora de empresas, escritora, professora universitária, executive coach, apresentadora do programa “Espaço da Mulher” e diretora da melhoRH consultoria. Escreve aos domingos no JD. Crescemos acreditando que o amor precisa ser lindo e intenso. Que o amor é aquele negócio esquisito que sentimos no estômago quando estamos perto de ver a pessoa que gostamos ou que simplesmente nos excita (isso se chama emoção). Também acreditamos que o amor é algo lúdico, subjetivo, meio lunático e “sobrenatural”, algo que acontece para poucas pessoas. Como sempre quem me ensina mais uma vez é a vida. Nada de livros, universidades ou teorias especializadas em comportamento. Tive tudo para acreditar que o amor era algo “fenomenal”, pois vivi um amor “sobrenatural” por dezessete anos, com uma vida de princesa, tratada feito uma boneca, amada feito uma deusa e paparicada como uma criança. Lembro que com quinze anos de casada quis casar no religioso para “celebrar” tanto sentimento. Nada do que as pessoas diziam sobre ter uma vida “morna” com quinze anos de casada se aplicava a mim. Por dezessete anos tive uma vida intensa, apaixonada e apimentada sexualmente. Mas... Separamo-nos! Não é o sentimento que sustenta as relações é a forma de nos relacionarmos. Eis que sou surpreendida com um “candidato ao amor”. Confesso que no primeiro momento achava que “aquilo não ia decolar”. Mas a vida ensina... E como ensina! O homem que estava diante dos meus olhos não escreve bilhetes, não manda beijos toda hora e nem fica me dizendo que sou importante para ele. No início achava estranhíssimo, mas como terapeuta me corrigia e pensava: - Ele não pode ser classificado como “diferente”, por que não pode ser comparado com ninguém. Ele simplesmente é ele, exercendo a sua personalidade e pronto. Cada momento ao seu lado vencia as minhas resistências, pois existia algo que ele me proporcionava e que eu não estava familiarizada: paz para ir e vir a qualquer lugar e em qualquer ambiente. Tudo nele é tranquilo. Sua fala é mansa, seu timbre de voz é baixo, sua conversa é mínima, apesar de seu gênio ser fortíssimo. Mas isso não me assusta, por que nisso eu tenho doutorado – srsrsr Tudo com ele é moderado, nada é intenso. Tudo é tranquilamente gostoso de ser compartilhado. Percebi que aquele amor “devorador” era apenas um modelo que eu vivia e que não existem “modelos ideais” para amar. Devagar ia me acostumando a algo ainda mais estranho para mim: - Dormir sem o grude que eu dormia por dezessete anos. Mas ele conseguiu algo ainda mais encantador, uma forma de dormir tão terna que não consigo falar sem chorar: - De mãos dadas! Que coisa linda... Eu falo alto, ele fala baixo, eu sou indiscreta, ele discretíssimo (acho que vai desmaiar me vendo expor nossa intimidade assim), ele é suave, eu sou intensa, eu choro até em inauguração de supermercado, ele poucas vezes se emociona. Eu sou a mãe de todos do universo, ele não se sente responsável por ninguém. Eu sou exageradamente caridosa, ele acredita que para receber “tem que merecer”. Ah, lembrei-me do que temos incomum: - O humor! Uau... Passamos o tempo todo rindo, rindo muito mesmo! E os dias passando... E eu me apaixonando por aquela criatura que diz ter sessenta aEnfim; descobri o grande segredo do amor! O amor não precisa ser romântico. Precisa ser verdadeiro e o que o torna verdadeiro é a “necessidade” que um possui do outro, mesmo que nem percebam. Existe algo lindo entre nós; sete dias longe e começa a dar uma saudade “desgramada”, um sentimento de inquietude. Sentimos fome da presença do outro e não necessidade do outro. Compreendem a diferença? Issoeu descobrir nesta relação, descobrir que é um sentimento muito diferente. Eu não espero que ele me surpreenda no meu aniversário, nem que me faça sentir grandes emoções como tive no passado. Aliás, com ele eu não viverei quase nada de emoções, viverei um comportamento sóbrio, adequado e terei paz e tranquilidade, nada mais. Este mês será o meu primeiro domingo das mães, “descasada”. Sei que será diferente de quando eu era homenageada e alegremente surpreendida com as mais lindas manifestações de sentimento. Neste ano não terei nada disso, no máximoum “feliz dia das mães”. E aí? O que eu direi a mim mesma rapidamente, é que a felicidade nasce a partir de mim e o que eu recebo do outro é aquilo que ele pode me dar para “somar” na minha vida. Tudo o mais é carência, vontade ou “costume” de ter aquilo que pensamos ser necessário. Eu descobrir um amor tranquilo e que me faz viver em paz e você o que procura?

O que alimenta o desejo de exclusividade? DORIEDSON ALVES

S

Professor

empre, e impreterivelmente, queremos ser a exclusividade do outro. Não nos contentamos em apenas nos relacionarmos, o desejo de encarnar o único anseio que nutrir a passionalidade alheia, é algo a nos fascinar profundamente, embora não estejamos dispostos, de um modo geral, em hipótese nenhuma, à dedicação exclusiva a ninguém. Por isso, alimentamos o tosco, obsceno e esdrúxulo ideal de fidelidade. É claro que isso não se aplicaria, com certeza, a ambos, isto é, isentaria oportunamente uma das partes, permitindo-a exercer o direto a usufruir de certa liberdade afetiva, relacional, amorosa. Paradoxalmente, assim nasce, no contexto do gênero humano, a concepção de monogamia e, por conseguinte, a hipócrita pretensão à fidelidade. Aliás, assumida publicamente

durante a cerimônia de casamento, como signo de um acordo ou consenso em que o comprometimento matrimonial se faz sentir, especialmente, a partir da imposição da relação de exclusividade; nela, nenhum dos cônjuges, pelo menos em tese, poderia ir além daquilo firmado ante testemunhas, juiz de pás, familiares e, sobretudo, o parceiro, que ali também se comprometeu religiosa e civilmente a ser a “um só”. Isso é, francamente, a mais deslavada das mentiras! Ou apenas mais uma das doces ilusões formuladas pelo nosso ego estúpido. Ninguém em juízo perfeito quer, realmente, um compromisso cujo cerne esteja na imagem fantasiosa de alguém preso, para sempre, a “amar”, desejar, querer, somente aquele com quem contraiu matrimônio. Assim como tudo na vida huma-

na, o que move o casamento (ou a união) entre duas pessoas é a necessidade, os desejos, os interesses. É evidente que podem discordar de mim! Contudo, mesmo assim mantenho firme minhas convicções. Gostaria, sinceramente, de também acreditar nisso, porém não é possível, razoável, plausível. A não ser, me permitindo ver o mundo como um vasto campo emaranhado de ternura, verdade, honestidade, compromissos, desprovido de qualquer interesse egoístico. Por isso, considero esse modelo relacional-afetivo fadado visceralmente ao mais franco insucesso. O problema é a defesa fervorosa de alguns setores da sociedade, mascarando a insatisfação, as mazelas e as desgraças geradas por ele ao longo do tempo em que tem sido aplicado, como forma ou padrão legítimo. Nesse sentido, é tão comum tratarmos as pessoas, com as quais nos relacionamos, em todos os ní-

veis, pela insígnia da possessividade, quando dizemos, por exemplo, “meu marido”, “minha mulher”, “meu filho”, “meu amigo” etc. Eis, então, o motivo de não aceitarmos, de modo algum, por mais que se diga o contrário, sermos trocados, substituídos, deixados de lado como algo sem valor, que não interessa mais. Contudo, na verdade é isso que acontece basicamente o tempo todo. Deixamos de representar para o outro aquilo que circunstancialmente supria as suas necessidades; as razões são as mais variadas – novas paixões, objetivos, amores, desejos etc. – tudo, e quase qualquer coisa, serve para justificá-la, ou tentar pelo menos, a dispensa habitual de quem não é mais importante. Isso é um horror? Não. É a mais pura realidade. Eu posso abandonar qualquer um, porém, ninguém pode me desprezar, pois sou bom demais para o mundo! Infelizmente, a outra pessoa

(a renunciante) não pensa da mesma maneira. Agora, então, com o ego em frangalhos, nos arremessamos desesperadamente em busca de um novo amante. A solidão prolongada significaria a inaptidão ou ineficácia afetiva, ou melhor, a derrota fragorosa de nossa imperícia para conduzir relacionamentos saudáveis e duradouros. Mesmo assim, insistimos estupidamente em encontrar alguém que nos conceda “o dom da exclusividade”. Curioso, entretanto, é a situação daqueles sujeitos desobrigados, por si mesmos, de viver a própria vida, para viverem miseravelmente a de outrem. O intuito de corresponder às expectativas do parceiro impossibilita todo e qualquer pensamento em sentido contrário. O medo da “perda” é enorme, por isso, a servidão incondicional e desumana é o grande fermento destas relações, repletas de atos violentos, inseguranças (ciúmes),

sujeições, humilhações, onde nada parece frear a capacidade de aceitação, irrestrita, por parte de um dos cônjuges; e o ressentimento, é a grande constante. A vida se afigura inconcebível fora da influência, perniciosa, daquele que se quer satisfazer plenamente. Contudo, como “o poder de dominar é tentador” (Capital Inicial), aquilo que deveria ser exclusividade ou monopólio, passa a ser a mais imoral expressão de “desapego de si”, na repugnante condição de sujeição. Em alguns casos, não raros infelizmente, isso acaba resultando em crimes passionais, cujo motivo é sedimentado sob a ótica distorcida de quem simplesmente não tem aquilo que quer, e por estar preso à ideia de “domínio não-realizável”. Depois, segue da ausência ou iminência da perda, para o crime ou ato violento “inexplicável”, exceto pelo fato de ser reflexo da natureza vaidosa e possessiva do gênero humano.


JD

Informe Publicitรกrio

Macapรก-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

A4


CadernoB

Geral

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

Baixo crescimento trimestral compromete economia amapaense, aponta economista Com o aumento do PIB de apenas 0,6%, setores recuam e diminuem a arrecadação dos Estados e Municípios

A

economia brasileira apresentou crescimento de 0,6% no primeiro trimestre deste ano, de acordo com dados divulgados no dia 29 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O resultado foi abaixo das expectativas dos economistas, que esperavam percentuais para o PIB (Produto Interno Bruto) de 0,8% a 1%. Em relação ao mesmo período nos anos anteriores, o índice de crescimento do PIB em 2013 foi de 1,2%, que em valores o correntes, alcançam R$ 1,11 trilhão. Em 2012 a economia cresceu apenas 0,9%. O setor agropecuário foi o que mais se destacou neste trimestre, cresceu 9,7%, maior registro desde 1998, que foi de 13,9%. Segundo o IBGE, o bom resultado é devido ao crescimento da safra da soja (23,9%) , milho (9,1%), fumo (5,7%) e arroz (5,1%). A indústria tevebaixa de 0,3. A queda foi devido ao recuo do extrativismo mineral que foi em torno de 2,1%, explicou o IBGE. Os serviços tiveram crescimento de 0,5%, impulsio-

nados pela administração, saúde e educação pública, com alta de 0,8%. O setor de investimento e consumo das famílias apresentaram crescimentos de 4,6 e 0,1 respectivamente. No comércio exterior, as importações cresceram 6,3% e as exportações 6,4% em relação ao mesmo período no ano passado. Para os economistas, esse resultado trimestral deixa o governo em alerta, já que o baixo percentual pode prejudicar o crescimento anual esperado, que é de 3%. Reflexos no Amapá Com os baixos índices da economia nacional, o Estado tende a sofrer um aperto econômico, pois com a queda dos índices de crescimento, a taxa de juros e a inflação aumentam. Segundo o economista Jurandil Juarez, o resultado foi muito abaixo do esperado pelo governo, já que a tentativa era reverter o baixo crescimento que ocorreu no ano passado. “Para este ano, o aumento esperado era de 3,0% mas com

essa situação já espera-se 2,5%”, disse. O parlamentar pontou as falhas no setor industrial e no setor de consumo, pois apesar das aplicações e políticas de investimentos feitas pelo Governo Federal, não houve o retorno esperado. Para Jurandil, o baixo crescimento diminui a arrecadação de tributos e afeta diretamente o Amapá. “Nós que somos muito dependentes do Fundo de Participação dos Estados e dos Municípios. Isso representa ao Estado algo em torno de 65% e tem uma queda na expectativa dessa arrecadação tem um impacto muito grande”, disse. O economista ressalta que o resultado positivo na agricultura neste trimestre não é proveniente da produção local e alerta o governo estadual para o endividamento do Estado por empréstimos. “O Amapá está entrando na ciranda dos empréstimos. Isso pode comprometer os investimentos e deixar o Estado ainda mais individado”, explicou. (Cassio Albuquerque)

Piratas Estilizados promove evento visando o Carnaval 2014 DICULGAÇÃO

Para a presidente da escola Piratas Estilizados, Juliana Castro, o evento marcará o novo momento da agremiação.

D

ando início a sua programação de eventos para o Carnaval 2014, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Piratas Estilizados promove no sábado (15), a partir das 12 horas, no Ginásio de Esportes da Escola Estadual Azevedo Costa, o “Prêmio & Ação”, uma rifa premiada com ação social voltada aos moradores do Bairro do Laguinho e toda a comunidade amapaense. Para a presidente da escola Piratas Estilizados, Juliana Castro, o evento marcará o novo momento da agremiação. “Iniciar nossas atividades com uma

ação social tem como principal objetivo mostrar o novo momento que a Piratas Estilizados está vivendo, tendo como foco integrar a comunidade a escola, que não é minha e sim de todos os diretores, colaboradores e simpatizantes”, destacou a presidente. serviços A ação social proporcionará diversos serviços a comunidade como: corte de cabelo, aferição de pressão arterial, emissão de documentos, leitura biométrica, massoterapia, odontologia, jogos e diversão através de parcerias

com a Secretária de Estado da Mobilização Social (SIMS), Super Fácil, Centro de Referência e Tratamento Natural (CRTN) e laboratórios. O show de prêmios, que terá como principal atração a Bateria “Orquestra de Bambas” de Piratas Estilizados tem cartelas no valor de R$ 3,00 e irá sortear: 1 Celular, 100 Litros de Gasolina, 1 Maquina Digital, 1 Bicicleta e 1 Bicicleta. O “Prêmio & Ação” de Piratas Estilizados será o primeiro de oito eventos que a diretoria planejou para este ano visando o Carnaval 2014.

DIVULGAÇÃO

O setor agropecuário foi o que mais se destacou neste trimestre, cresceu 9,7%, maior registro desde 1998, que foi de 13,9%. Segundo o IBGE, o bom resultado é devido ao crescimento da safra da soja

DOENÇAS NA GENGIVA: GENGIVITE E PERIODONTITE COMO TRATAR? Messias Pinheiro Macedo

A

Cirurgião-Dentista, Graduado pela UFPA, atua nas áreas: Clínico Geral, Cirurgia Oral Menor, Especialista em Implantodontia email: mp-macedo@bol.com.br

doença periodontal geralmente é indolor e você pode não saber que tem um problema até que suas gengivas e osso de suporte estejam seriamente comprometidos. A boa notícia é que as doenças periodontais podem frequentemente ser tratadas nos estágios iniciais com sucesso. Durante um exame clínico, o dentista examina suas gengivas para verificação de problemas periodontais. Um instrumento chamado de sonda periodontal é usado para medir delicadamente a profundidade dos espaços entre seus dentes e gengivas. A gengivite consiste no inchaço e vermelhidão das gengivas inflamadas. É um sinal precoce de doença das gengivas. É geralmente causada por uma película pegajosa que se forma nos dentes chamada de placa bacteriana. Esta por sua vez se forma através dos germes, restos alimentares e pela saliva e que vão se acumular ao redor do dente. A placa bacteriana e o tártaro se acumulam na base dos dentes. O processo inflamatório causa o desenvolvimento de uma bolsa entre as gengivas e os dentes, que é preenchido por placa e tártaro. O inchaço do tecido mole retém a placa na bolsa. A inflamação termina causando a destruição dos tecidos e dos ossos que cercam o dente. Como a placa contém bactérias, é provável que haja infecção, também podendo se desenvolver um abscesso dentário, o que aumenta a taxa de destruição óssea. Tratar bem dos seus dentes pode evitar que a gengivite se agrave. O risco de ter gengivite aumenta se for

diabético/a ou estiver grávida. O risco também é mais elevado se tiver uma infecção, um distúrbio de natureza sanguínea, por exemplo. Alguns medicamentos podem causar gengivite. A falta de uma alimentação adequada ou de vitaminas também pode desencadeá-la. Caso não seja tratada a gengivite poderá evoluir para a periodontite. A infecção e a inflamação passam das gengivas para os ligamentos e o osso que dão suporte aos dentes. A perda de suporte faz com que os dentes fiquem soltos e acabem caindo. O tratamento da periodontite consiste na remoção do tártaro e uma limpeza mais profunda chamada curetagem nas regiões afetadas. Em alguns casos para controlar a infecção é necessário o uso de medicamentos e o profissional deve sempre realizar o controle periódico com raios-X para verificar a perda óssea, em estado avançado a extração de dentes com mobilidade será inevitável. Sinais e sintomas: As gengivas poderão estar vermelhas e inchadas. O inchaço pode aparecer e desaparecer. Poderá começar a verificar-se uma recessão das gengivas em relação aos dentes. É possível que tenha mau hálito. As

suas gengivas poderão parecer estar solta, irregulares e sangrar facilmente. A gengiva sadia geralmente não dói e nem sangra. Prevenção/cuidados: Alguns medicamentos podem causar inflamação da gengiva, portanto peça ao seu médico mais informações sobre os seus medicamentos. Não tome quaisquer medicamentos sem primeiro falar com seu médico. Contacte o seu médico se achar que os medicamentos não estão a ajudar ou se sentir que está lhe causando efeitos secundários. Contacte o seu dentista para marcar uma consulta de acompanhamento. Anote quaisquer questões que tenha sobre a gengivite e sobre as formas de tratamento possíveis. Irá lembrar, assim, de colocar todas estas questões e dúvidas durante a sua próxima consulta. Escovar os dentes e passar o fio dental regularmente ajuda a remover a placa bacteriana antes que esta se forme. O seu dentista irá indicar a forma correta de escovar e passar o fio dental nos dentes. Escove bem os dentes após as refeições e ao deitar. Utilize uma escova de dente macia e um dentifrício à base de flúor.


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

B2

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Senado inicia serie Internos tentaram fugir do CESEIN de debates sobre mas acabam impedidos pela PM maioridade penal

P

assava das 12h de ontem (31) quando a Polícia Militar (PM)foi acionada e impediu mais uma fuga no Centro Sócio Educativo de Internação (CESIEN). De acordo com informações do aspirante Wendell do Batalhão de Rádio Patrulhamento Motorizado (BRPM), uma denúncia levou os militares até o canal do Mucajá onde um veículo Fiat Pálio, de cor vermelha, estava esperando por seis adolescentes que cumprem medida socioeducativa no Centro. O casal Jéssica Charlene de Oliveira, de 21 anos, e Eucivan Silva Santos, de 26, foram presos em flagrante, depois que a polícia constatou no celular deles, mensagens via SMS, enviadas por um menores,

marcando data e hora da fuga.Os dois foram apresentados no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP) do bairro Congós. Simultaneamente, outra equipe do BRPM se deslocou para o CESEIN e encontrou os internos em cima do muro.Eles foram detidos e encaminhados a Delegacia Especializada em Investigação de Atos Infracionais(DEIAI). “Baruque”, “Beco”, “Lourinho”, “Isac Preto”, “Alexandre”, “José Cesário”, e “Aldair”, cumprem medida por roubo, homicídio e Latrocínio (roubo seguido de morte).Há cerca de duas semanas, os menores provocaram um princípio de motim no Centro e deixaram um educador ferido com estoque. (Elen Costa)

A

O casal Jéssica Charlene de Oliveira, de 21 anos, e Eucivan Silva Santos, de 26, foram presos em flagrante, depois que a polícia constatou no celular deles, mensagens via SMS, enviadas por um menores, marcando data e hora da fuga

redução da maioridade penal será tema de três audiências públicas promovidas pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) nas próximas semanas. O objetivo é aprofundar o debate sobre o assunto polêmico, levando em consideração três enfoques: a maturidade e o desenvolvimento mental do adolescente; a eficácia da medida; e a constitucionalidade da modificação legislativa. A primeira audiência está marcada para esta segunda-feira (3), às 15h, no Plenário 3 da ala Alexandre Costa. Os primeiros pontos a serem debatidos serão a eficácia da medida, suas consequências, e a constitucionalidade da modificação legislativa. A iniciativa das audiências públicas partiu do presidente da CCJ, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). Sua intenção é criar um ambiente nacional de discussão do assunto. Entre os convidados deste primeiro encontro estão o procurador-geral de Justiça da Paraíba, Oswaldo Trigueiro do

Valle Filho; o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinicius Furtado Coêlho; o subprocurador-geral da República Eugênio Aragão; e o promotor de Justiça de São Paulo Thales de Oliveira. Participação do público As duas audiência seguintes serão realizadas nos dias 10 e 17 de junho. Os três eventos serão transmitidos ao vivo pelo portal e-Cidadania. Qualquer cidadão poderá participar com perguntas ou comentários diretamente aos senadores e convidados pelo link bit.ly/ maioridadepenalemdebate. Como as audiências estão marcadas para o mesmo horário da sessão do Plenário, não serão transmitidas ao vivo pela TV Senado – uma vez que, pelo Regimento Interno, a sessão plenária tem prioridade de exibição. Mas será possível acompanhar o debate, além de pelo e-Cidadania, também pelo canal 2 da página do Senado, pelo Facebook ou pelo Twitter . Também é possível participar dos eventos pelo Alô Senado (0800-612211).

Três propostas serão analisadas pelos senadores Equipe do BRPM se deslocou para o CESEIN e encontrou os internos em cima do muro.Eles foram detidos e encaminhados a Delegacia Especializada em Investigação de Atos Infracionais(DEIAI).

Redução da maioridade penal para 16 anos e suas consequências oficiais Élcio José de Souza Ferreira

Élcio José de Souza Ferreira, Técnico judiciário TJAP, Bel. Em Direito pelo CEAP, especialista em Direito Público. Equipe Interprofissional VIJ - Área Cível Administrativa.

A

redução da maioridade penal é um tema que está na mídia nacional por conta de atos infracionais graves cometidos por menores já prestes a completar 18 anos, crimes de homicídio e latrocínio principalmente. Agora mais recentemente por exemplo, foi a morte de um rapaz assassinado na portaria do prédio onde morava em São Paulo, onde o infrator mesmo após ter subtraído os objetos da vítima mediante grave ameaça com uso de uma arma de fogo, não contente, deu vários tiros a queima roupa na vítima vindo a matá-la. O Congresso Nacional, a Sociedade Organizada, Deputados em geral e até de Partidos Cristãos e demais órgãos ligado aos Direitos Humanos, discutem a possibilidade da redução da maioridade penal para 16 anos sob argumentos diversos, como por exemplo: Alguns acham que “‘quem pode votar pode até ser votado” o que não é verdadeiro, e assim, também por via de consequências, ser processado criminalmente e cumprir penas de prisão, afirmativa absurda e despropositada; Outros, acham que não deve ser reduzida a maioridade penal porque não resolverá o problema, em vista de que apenas haverá aumento de números nos cárceres, a superlotação aumentará ainda mais, haja visto o sistema carcerário atual já estar abarrotado de pre-

sos e sem perspectivas de resoluções e etc... Somos contra a redução da idade penal por acharmos que o jovem maior de 12 e menor de 18 anos é pessoa sem preparo psicológico e ainda em estado de desenvolvimento tanto físico quanto mental face ao seu estado impúbere e que alcança o amadurecer na vida prática às vezes muito além dos 21 anos, isso sendo num processo natural e normal, sob as condições sociais e familiares “normais” inclusive com toda a dignidade possível. Ademais, reduzir a idade penal, pura e simplesmente não resolverá o problema, em vista de que não impedirá o cometimento de crimes por esses impúberes, imaturos, que continuarão a cometê-los, até por conta do meio social em que vivem em suas situações de pobreza e de abandono social, e que na maioria das vezes é onde se encontram esses menores que cometem ou cometeram atos infracionais, e que também, não tiveram as oportunidades e possibilidades de estudar e que privados foram de alimentação adequada, muitas vezes por estarem na zona da pobreza quase absoluta ou desnutrição, o que influiu negativamente para os seus plenos desenvolvimentos biopsicossociais. O Sistema Prisional Brasileiro com certeza absoluta não está preparado para receber esses adoles-

centes ainda impúberes, e sem o pleno desenvolvimento biopsicossocial, no sistema carcerário, onde o estado estará aumentando as ocupações no cárcere sem fazer qualquer restrição à aplicação das Leis Penais e de Execução Penal. Ou seja, vão eles em caso de redução da maioridade penal para 16 anos, parar nos atuais presídios estaduais e federais sem qualquer tipo de tratamento específico dirigido, misturando-se aos atuais criminosos, inclusive de alta periculosidade, e ai então, estará sendo feita oficialmente a educação para o crime com todos os níveis de aprendizado, desde a alfabetização criminosa até a pós graduação. E suas condições em termos de direitos ficaria idêntica a dos demais que já submetidos ao sistema penal, que podem ter perdas de seus direitos parcialmente ou totalmente de acordo com o caso em específico e concreto. O tratamento a que estariam submetidos é o mesmo dos apenados atuais tanto por pena restritiva de direitos ou restritiva de liberdade. Por outro lado, haverá de se fazer várias alterações tanto no âmbito civil, quanto nas leis penais, acho que até na Constituição Federal Brasileira, em relação aos direitos da criança e do adolescente, e também nas leis menorís tais como, o Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei 8.069/1990 e demais leis correlatas. Os casos de

recuperação sob a égide das leis atuais existem tanto no Estado do Amapá, como também por todo o Brasil, e poderão ser consultados junto aos setores que cuidam da recuperação dos adolescentes através dos Sistemas Estaduais de Proteção da Criança e do Adolescente e soluções melhores para a questão devem ser debatidas, tais como: O aumento do tempo de permanência nos sistemas de proteção da criança e do adolescente, posto a existência no ECA, das medidas socioeducativas de Liberdade Assistida, Semi Liberdade e de Internação, prevendo este pelo cometimento de atos infracionais aos infratores a permanência na medida aplicada até os 21 anos ou pelo prazo máximo de 3 anos. A melhoria de condições amplas no sistema de proteção, tais como o aumento de recursos financeiros, humanos e a ampliação dos instrumentos educacionais e profissionalizantes para a reinclusão social desses jovens na sociedade, aumentaria as possibilidades de serem excluídos dos vícios das ruas, além evidentemente da prática de atos infracionais. Faltam consciências por parte de políticos em geral e também de implantação de políticas públicas adequadas pelos governos voltadas para esses jovens, e também plena fiscalização pelas autoridades constituídas, tangentes a efetiva recuperação desses indivíduos no sistema.

E

stão prontas para votação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) três propostas que tratam da redução da maioridade penal. Duas flexibilizam a maioridade de acordo com a gravidade do delito, e uma terceira impõe a idade de 16 anos para que alguém seja considerado inimputável. As propostas de emenda à Constituição tramitam em conjunto e têm como relator o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES). Única com parecer favorável, a PEC 33/2012 , do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), restringe a redução da maioridade penal - para 16 anos – no caso de crimes de alta gravidade como tortura, terrorismo, tráfico de drogas, homicídio por grupo de extermínio, homicídio qualificado e estupro. A punição viria, no entanto, mediante circunstâncias excepcionais, a serem apuradas num juízo próprio, perante a vara da infância e da juventude. Um juiz faria a avaliação, a partir de laudos técnicos de especialistas, se a pessoa que cometeu a infração tinha pleno discernimento para julgar o caráter criminoso do que fez. Em caso afirmativo, o juiz poderia decretar a sua imputabilidade e aplicar a ele a lei penal. Na avaliação do relator, “a sociedade brasileira não pode mais ficar refém de menores que, sob a proteção da lei, praticam os mais repugnantes crimes”. Para ele, o direito não se presta a proteger esses infratores, “mas apenas os que, por não terem atingido a maturidade, também não conseguem discernir quanto à correção e às consequências de seus atos”. O senador Acir Gurgacz

(PDT-RO) foi além em sua proposta ( PEC 74/2011 ): para ele, quem tem 15 anos também deve ser responsabilizado penalmente na prática de homicídio doloso e roubo seguido de morte, tentados ou consumados. A PEC de Gurgacz, no entanto, não tem o apoio do relator. Gurgacz diz que o Brasil é dos países com maioridade penal mais alta. De acordo com documento do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unifec), citado pelo senador, nos Estados Unidos, a maioridade varia de 6 a 18 anos, conforme a legislação estadual. No México, é de 11 ou 12 anos na maioria dos estados. A América do Sul é a região em que a maioridade é mais tardia: na Argentina e Chile, aos 16 anos. No Brasil, Colômbia e Peru, aos 18. “A redução é necessária, devido ao aumento do desenvolvimento mental e discernimento dos adolescentes nos dias atuais e à necessidade de intimidação da prática desses crimes por esses menores”, salienta Acir Gurgacz. Sem exceções A terceira PEC sobre maioridade em análise na CCJ ( PEC 83/2011 ) é mais ampla que as duas anteriores. O texto, apresentado pelo senador Clésio Andrade (PMDB-MG), estabelece o limite de 16 anos para qualquer tipo de crime cometido. Clésio propõe uma nova redação para o artigo 228: “A maioridade é atingida aos 16 anos, momento a partir do qual a pessoa é penalmente imputável e capaz de exercer todos os atos da vida civil”. A proposta também não foi acolhida pelo relator Ferraço.


B3 JD Geral Experiência de Macaé poderá ajudar o AP no setor petrolífero Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Considerado um dos maiores pólos de petróleo do país, Macaé no Rio de Janeiro é visado pelas autoridades amapaenses

N

a onda da exploração do petróleo que toma conta as discussões econômicas do país, o município de Macaé (RJ), considerado um dos maiores pólos petrolíferos do país, estará sediando uma feira de empresas e serviços ligados à área. O evento chama a atenção do Amapá que buscará na prefeitura daquele município ideias e parcerias quanto aprodução petrolífera. Na semana passada, membros da bancada federal e o vice-prefeito Allan Salesestiveram visitando a Agência Nacional de Petróleo (ANP) e ao Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP). Na pauta, os reflexos da 11ª Rodada do Petróleo e as consequências econômicas e sociais da futura exploração do produto na costa do Amapá. Durante a reunião estiveram presentes representantes da empresa Total da França que foi a vencedora do lote ZFZAAP1 da Bacia do Rio Amazonas. A empresa foi vencedora com um lance total de R$ 621.496.320 milhões. Fazem parte deste consórcio as empresas BP da Ingla-

terra e a Petróleo Brasileiro S/A. Ainda na pauta de visitas, aOrganização Nacional da Indústria do Petróleo (ONPI) estará sendo contatada para avaliar as experiências adquiridas em Macaé e as probabilidades que o Amapá terá de possíveis investimentos. “Mas, já ficou registrado neste encontro da ANP, IBP e a ONPI, que para termos estes investimentos teremos que nos preparar e criarum ambiente favorável para indústria do petróleo e seus serviços. Somente desta forma poderemos ter contrapartida e investimentos significativos na produção de petróleo, seja no Estado, na nossa Capital, seja nos Municípios envolvidos. Entendemos que tudo isso pode se tornar um ciclo econômico e virtuoso para o nosso Estado, mas para que isso aconteça temos que adquirir o máximo de conhecimento das condições e do relacionamento hoje entre as empresas petrolíferas e as cidades, onde as mesmas exploram o petróleo e seus derivados.

Assim, poderemos nos situar e dimensionar o tamanho deste capital que poderá circular no nosso Estado, mas sem esse estudo e conhecimento seremos somente um exportador de matéria prima com valores baixos e sem nenhum valor agregador para nossa população e o nosso Estado”, explicou Allan Sales. Diante das informações e trocas de experiências, Allan acredita que será possível identificar as possíveis oportunidades para que haja um debate cada vez maior, seja com o poder público, a sociedade organizada, os sindicatos, as entidades de classe, seja com as ONG´s, para que o Amapá esteja preparado rumo as oportunidade que o novo ciclo econômico poderá proporcionar. A região da costa amapaense é tida como uma das fronteiras mais promissoras em petróleo e gás do Planeta, formando o chamado “Golden Triangule”, que inclui Golfo do México, a costa ocidental da África e o litoral brasileiro. Recentes descobertas de petróleo nas bacias de

Na semana passada, membros da bancada federal e o vice-prefeito Allan Salesestiveram visitando a Agência Nacional de Petróleo (ANP) e ao Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP).

Gana e Costa do Marfim, na costa oeste africana, e na Guiana Francesa, indicam a existência de inúmeras oportunidades exploratórias na região, pela similaridade da formação geológica dessas áreas. Em toda a margem equatorial – que além da Foz do Amazonas, inclui as bacias de Barreinhas (costa do Maranhão e do Piauí), do

Parnaíba (Maranhão, Piauí, Tocantins , Pará, Ceará e Bahia) e Potiguar (no Rio Grande do Norte) - a ANP avalia existir uma reserva de 30 bilhões de barris de petróleo. Desse total, estima-se que 14 bilhões estejam na Foz do Amazonas. Para se ter uma idéia da importância dessa reserva, o pré-sal brasileiro tem uma reserva

potencial de 50 bilhões de barris. Além da grande capacidade da reserva, espera-se encontrar petróleo de boa qualidade na região, o chamado óleo leve – mais fácil de extrair e de maior valor comercial. O mesmo tipo de óleo encontrado nas reservas da costa da África e na Guiana Francesa.

Saúde amplia assistência à gestação de alto risco

O

Ministério da Saúde informou que vai investir na ampliação e na qualificação de serviços especializados em atendimento a gestantes que passam por gravidez de alto risco. A portaria que amplia a oferta de maternidades e garante atendimento às gestantes e aos bebês foi publicada no Diário Oficial da União. A estimativa é que sejam investidos R$ 123 milhões ao ano e que 390 mil grávidas sejam beneficiadas. O ministério informa que existem 196 maternidades de referência em gestação de alto risco habilitadas pelo governo. Com a portaria, a expectativa é que o número chegue a 390, enquanto o número de leitos qualificados atinga 2.885

até 2014. As maternidades habilitadas para alto risco tipo 1 (menor complexidade) e alto risco tipo 2 (maior complexidade) vão receber valores diferenciados por cada procedimento - partos e cesarianas em gestação de alto risco. O texto prevê o repasse de incentivos por cada leito obstétrico classificado como de alto risco. Os leitos reservados para atendimento de alto risco vão receber incentivo de R$ 220 por diária, enquanto os novos leitos obstétricos habilitados receberão R$ 220 de incentivo mais R$ 260 correspondentes aos procedimentos diferenciados. Outra ação de que trata a portaria é sobre o dinheiro para a implantação, a ampliação, a refor-

ma e o custeio das chamadas Casas da Gestante, Bebê e Puérpera, espaços vinculados às maternidades de alto risco. Segundo o ministério, em 2012, foram aprovados 33 projetos para implantação de unidades no país, sendo 14 para construção, dois para reforma e 17 para ampliação. Do total, 18 casas devem estar em funcionamento até o fim de 2014. De acordo com o governo, são consideradas gestantes com gestação de alto risco as mulheres com doenças que podem se agravar durante a gestação ou com problemas desencadeados neste período, como hipertensão, diabetes, infecções, doenças do coração e do aparelho circulatório.

O texto prevê o repasse de incentivos por cada leito obstétrico classificado como de alto risco

Instituto Chico Mendes lança curso de educação ambiental

O

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), através do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque (PNMT) e da Estação Ecológica do Jari (ESEC Jari), em conjunto com a Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), realizam no período de 3 à 07 de junho, nos municípios de Laranjal do Jari, Vitória do Jari e Almerim-PA, o lançamento do edital de seleção do Curso Pedagogia de Projetos em Temas Ambientais- CPPTA. O CPPTA visa contribuir para o aperfeiçoamento dos professores na construção de projetos interdisciplinares, além de sensibilizar para o trata-

mento dos problemas ambientais da comunidade dos municípios que envolvem o Vale do Jari, utilizando as Unidades de Conservação como um Centro de Referência em Educação Ambiental. As atividades do Curso consistem na fundamentação teórica e capacitação prática de professores da rede pública de ensino, baseando-se na vivência profissional e cotidiana, valorizando o contexto regional. A equipe do Curso é constituída por Analistas Ambientais do ICMBio/AP e docentes da UNIFAP . As inscrições acontecerão no período de 03 à 24 de junho e ocorrerão seguindo as orientações do

edital de seleção que será divulgado na próxima semana. Incrição Poderão se inscrever professores efetivos e ativos do quadro funcional das secretarias municipais de Educação de Laranjal do Jari, Vitória do Jari e Almerim-PA; e das secretarias de Educação dos estados do Amapá e Pará lotados nos municípios do Vale do Jari. Este curso conta com o apoio do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) no qual o Parque Nacionais Montanhas do Tumucumaque e Estação Ecológica do Jari estão inseridos, e da ONG WWF-Brasil.

As atividades do Curso consistem na fundamentação teórica e capacitação prática de professores da rede pública de ensino, baseando-se na vivência profissional e cotidiana, valorizando o contexto regional.

Governo publica MP que zera PIS e Cofins de transporte urbano

A

Medida Provisória 617, que zera o pagamento do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) de empresas de transporte coletivo urbano, foi publicada em edição extra do “Diário Oficial da União”, na sexta-feira (31). A medida havia sido anunciada no fim de maio pelo Ministério da Fazenda como uma forma de evitar reajustes maiores nas tarifas

de transporte. A mudança passou a valer a partir da data da publicação da MP. As alíquotas do PIS e do Cofins incidentes sobre o transporte coletivo urbano somam 3,65%. Com a isenção, o governo quer aliviar os custos das classes média e baixa, que se utilizam de ônibus e metrôs, impedindo um crescimento maior da inflação. A alta nos preços no país tem preocupado o governo brasileiro. Um dos motivos é que a inflação reduz o

poder de compra da população, diminuindo o consumo e, consequentemente, desestimulando o crescimento do país. A taxa da inflação acumulada dos últimos 12 meses está bem perto do teto da meta do Banco Central, que é 6,5% (para 2013 e 2014, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo). Na quarta-feira, o Comitê de Política Monetária

(Copom) acelerou o ritmo de alta dos juros ao promover uma elevação de 0,5 ponto percentual na taxa Selic, para 8% ao ano, mesmo com o fraco desempenho do PIB no primeiro trimestre deste ano. Um dia depois, o presidente do BC, Alexandre Tombini, afirmou que a decisão, criticada por empresários, ajuda a fortalecer a confiança de que o Banco Central não vai abrir mão do compromisso de combater a inflação.


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

B4

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Professores farão reposição de aulas para evitar descontos da greve Para não terem os pontos cortados, o Sinsepeap e a Seed fizeram um acordo de reposição de aulas

A

Secretaria de Educação do Amapá (Seed/AP) junto com o Sindicato dos Servidores Públicos em Educação (Sinsepeap) reuniram-se na última quarta-feira, 29, para tratar sobre o corte dos pontos dos professores devido às paralisações de advertência e os dias que mantiveram em greve. Segundo o presidente do Sinsepeap, Aroldo Rabelo, o sindicato propôs um acordo para que o calendário letivo seja estendido, as aulas serão compensadas para não haver necessidade de cortar o ponto da classe. “Reunimos com a Elda Araújo (secretária da Seed) para solucionarmos o problema do corte dos professores. Os quatro dias de paralisação de advertência e os sete dias letivos de greve serão repostos. A propostafoi repassada ao Governo do Estado, que marcou uma nova reunião na sexta-feira, 31, para oficializar o acordo. No entanto, como houve o feriado e o ponto facultativo,

ASCOM/GEA

Os quatro dias de paralisação de advertência e os sete dias letivos de greve serão repostos.

a reunião foi transferia para amanhã (3). Nada foi oficializado até agora”, ressalta Aroldo. Mais tardar, no mesmo dia da reunião, o governador Camilo Capiberibe declarou em

sua página pública do Facebook o consentimento da proposta, e afirmou: “estou neste momento com a secretária Elda Araújo e aproveito para anunciar que o acordo

está aceito e que não vamos cortar o ponto de ninguém e em contrapartida as aulas serão regularmente repostas para podermos atender os 200 dias letivos”.

Surpresa Incrivelmente a reunião não pôs em pauta as principais reinvidações dos professores: a regulamentação do piso salarial e a não incorporação da re-

gência de classe. A incorporação da regência foi aprovada pela Assembleia Legislativa através do Projeto de Lei nº04/201, ocorrida no dia 26 de Maio. (Caroline Mesquita)

Terra Legal esclarece denúncias e pede a união em prol do desenvolvimento do AP

O

Programa Terra Legal pertence ao governo federal e ocorre em toda a Amazônia legal, e visando beneficiar os pequenos agricultores com a regularização de suas terras. Antigamente, os agricultores amapaenses que não tinham recursosde se manterem na cidade foram para a floresta em busca de desenvolverem suas atividades no campo com o objetivo de sustentar suas famílias, com a caça e o fruto.Hoje, eles lutam em prol do título da terra juntamente com o Ministério de Desenvolvimento Agrário. Sobre o processo de esclarecimento para que haja paz no campo e desenvolvimento daprodução do pequeno agricultor no estado, o coordenador do Programa Terra legal do Ministério de Desenvolvimento Agrário no Amapá, o engenheiro agrônomo Luis Henrique Caosta, em entrevista ao Jornal do Dia, destaca que o Terra Legal é um programa Federal muito sério, e em parceria com diversos órgãos, como por exemplo, a superintendência da Regularização Fundiária da Amazônia Legal, do MDA de Brasília. E sobre denúncia de irregularidades nos registros de terras como foi mencionado em diversos blogs e sites local e jornais, ele ressaltou que as famílias já moravam no local há

muitos anos, ocupando os terrenos, sobrevivendo com o pouco que a terra os fornecia para alimentar e sustentar suas famílias, e os trabalho executados nas áreas pelo Terra legal ainda nem foram concluídos. Aindanão é possível saber se vai ser conservação legal de uso, ou titulo de domínio, ainda não foi discutido nada sobre isso. “OPrograma Terra Legal, através do Ministério de Desenvolvimento Agráriorealizou no local somente a demarcação da zona e o georeferenciamento do lote do agricultor amapaense. Porém, o procedimento ainda não foi concluído. A denúncia não se sustenta nem juridicamentee muito menos tecnicamente, é uma tentativa de prejudicar “politicamente” um programa sério que visa beneficiar os pequenos agricultores da região, com isso quem vai perder serão os agricultores, que lutam em prol da regularização da terra.” Explicou o coordenador do programa Terra Legal no Amapá. Título da terra Segundo Luis Henrique, o documento, ou seja, o título da terra é melhoria de qualidade de vida ao homem do campo, e que sem o registro é impossível. O programa é executado com recursos de convênio

assinado entre o governo estadual e o Terra Legal no valor de R$ 7,3 milhões. Esse valor será usado em ações como vistorias, georreferenciamento e outros serviços essenciais para a regularização. “Através do financiamento bancário, o Amapá está lutando para sair da questão da falta de documento de terras, como o agricultor vai ter o direito preservado se não tem documento? Quando entramos na área e começamos a fazer as documentações, começou as especulações, e não é assim que desenvolve um estado. Estamos fazendo um levantamento com inúmeras organizações responsáveis na titulação do governo federal.” FinalizouLuis Henrique. Reclamações Produtores amapaenses reclamam com medo de perderem seus terrenos, é importante a regulamentação para receberfinanciamento de credito, através de financiamento bancários e outros programas. Atualmente,a proposta de retirar o agricultor da floresta, onde famílias habitam há mais de vinte anos é algo que não agrada alguns pequenos e médios produtores do estado. É o caso do agricultor amapaense Mauricio Pereira, que mora em Porto Grande, e também faz parte

do Sindicato do Trabalhadores Rurais de Porto Grande, e do Sindicato dos Pequenos e Médios Produtores Rurais, para a Regularização Fundiária do Amapá. O agricultor reclamou quando se cria uma politica como foi o caso ocorridono estado, pegando dez municípios que foram abrangidos, dentro da floresta, sem um levantamento prévio, sem nenhuma consulta pública nos municípios, ou seja,“existem diversos agricultores há anos, diversas comunidades, existe até sede de município dentro da floresta. As pessoas não têm conhecimento e não sabem o que está acontecendo.” Informouo agricultor. Maurício Pereira, de porto grande sobre a questão da Flota, os representantes entram em contraste, sobre a questão latifundiária. “Umdeputado, do estado que deveria falar em favor da população e não falar contra a regulamentação latifundiária.” Disse o sindicalista. Já um outro agricultor, o senhor Ricardo, que mora em Ferreira Gomes disse que a Floresta que foi criada, não foi vista que já tinha agricultores já estavam lá hámuitos anos. E sobre o desmatamento ilegal, já fazem 7 anos que o estado não promove o que é por lei, que são os três hectares

Segundo Luis Henrique, o documento, ou seja, o título da terra é melhoria de qualidade de vida ao homem do campo, e que sem o registro não.

que cada agricultor deveria ter direito. “De 2007 pra cá nunca houve invasão, pois desde 2006 quando foi criada essa tal da Flota, não se teve um levantamento social dentro dessa área, com as famílias que já moravam lá.Hoje eles queres ir de confronto com o povo. Não fizeram esse estudo, não fizeram audiências públicas no município e hoje eles querem que a população assine e aprove algo que não existe.” Reclamou o agricultor indignado. A denúncia A regularização de lotes do Programa Terra Legal no Amapá estaria invadindo terras de preservação ambiental. O assunto foi discu-

tido no último, 24 de maio, na Câmara dos Deputados. Os lotes localizados no município de Porto Grande. A denúncia considerada grave foi feita com base no relatório do Instituto Estadual de Florestas, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e do Instituto de Meio Ambiente do Amapá. Na Assembleia Legislativa Na manhã do próximo dia 07 de junho, a partir de 09 horas, uma audiência Publica sobre Floresta Estadual do Amapá – Flota, vai falar sobre a constitucionalização, ordenamento legal, enclaves existentes e implicações econômicas socioambientais.

Organização das Nações Unidas quer eliminar propaganda de cigarros

A

Organização das Nações Unidas (ONU) fez um apelo para sejam proibidas todas as formas de publicidade e promoção do tabaco. A intenção é reduzir o número de novos fumantes. De acordo com a ONU, metade das pessoas que fumam morre por causa do hábito. O tabaco é fator de risco

para o surgimento de câncer, doenças cardiovasculares, diabetes e doenças respiratórias crônicas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que até 2030 o tabaco vai matar 8 milhões de pessoas a cada ano. Quatro em cada cinco mortes devem ocorrer em países de baixa e média renda.

De acordo com a ONU, a maioria dos usuários começa a fumar antes dos 20 anos. Em todo o mundo, 78% dos jovens entre 13 e 15 anos relatam exposição regular a alguma forma de promoção do tabaco. Pesquisa da OMS demonstrou que a proibição da publicidade de tabaco

é uma das maneiras mais eficazes de reduzir o tabagismo. Países que impuseram limite à divulgação do tabaco conseguiram redução média de 7% no consumo. Mas para as proibições serem eficazes, a OMS res-

salta que a legislação precisa ser abrangente, uma vez que existem várias maneiras de atingir os potenciais fumantes, incluindo a inserção de produtos do tabaco em filmes e na televisão. Cerca de 15% dos brasileiros são fumantes. A

Lei Antifumo, de 2011, que proíbe a propaganda de cigarros em rádio e TV, em pontos de venda, como padarias e lanchonetes, e também em ambientes fechados, ainda precisa de regulamentação para ser cumprida em todo o país.


CadernoC

Geral

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

Ambientalista destaca Lei da Aqüicultura e critica perseguições, inveja e falta de incentivos no AP Emanuel Brito, presidente do Instituto de Aquicultura do Amapá, comenta a falta de incentivos para o setor produtivo e critica as perseguições sofridas pelos produtores, além da estagnação das licenças para a criação de peixes

E

m entrevista exclusiva ao Jornal do Dia, o ambientalista Emanuel Brito, presidente do Instituto de Aqüicultura do Amapá, comenta a falta de incentivos no setor primário e a estagnação nas autorizações para novos criadores de peixe. Esta semana, ele e um grupo de produtores estarão reunindo com o ministro da Pesca, Marcelo Crivela, para tentar encontrar soluções para o setor no Amapá. Acompanhe: Jornal do Dia – A criação de peixes, mesmo sem nenhum incentivo oficial, mas com uma determinação exemplar de sua parte, teve um crescimento significativo em todo o Estado? E o que está faltando para alavancar de vez esta atividade tão promissora? Emanuel Brito – Na realidade não é somente incentivo, e sim uma política séria voltada para o setor, e isto em certos momentos nos causa revolta em vermos o descompromisso dos governantes em relação ao homem do campo, e ao desenvolvimento do nosso Estado. Jornal do Dia – A sua luta já vem de muitos e você é reconhecido em vários Estados do Brasil pelo trabalho desenvolvido no Amapá. Por que a classe política não abraça esta causa tão nobre? Emanuel Brito – Penso que temos no Amapá, com algumas honrosas exceções, a pior classe política do Brasil quando o assunto é investimento para o setor produtivo, uma classe estupidamente tapada e sem visão de

desenvolvimento. Jornal do Dia – Na sua visão, a política em geral no Amapá precisa passar por uma grande e completa reformulação? Emanuel Brito – Com certeza absoluta. O povo em geral é mal representado, pois temos uma bancada federal, com exceções, muito tímida quando o assunto é recursos federais para alavancar o desenvolvimento do Amapá, e no Estado a Assembléia Legislativa passa por uma crise vergonhosa e sem credibilidade diante da sociedade. Para completar, temos um governador que ignora o nosso potencial. Somente para recordarmos, na expo-feira do ano passado, foi oferecido pelo governo e seus aliados, uma gastronomia de peixe de água salgado, parece brincadeira, mas é a pura verdade. Jornal do Dia – No seu ponto de vista, o que fazer para mudar? Emanuel Brito – Saber fazer a escolha de nossos representantes com sabedoria no próximo pleito. O eleitor não deve se deixar levar pela venda de seu voto. Deve lutar com todas as forças para evitar que os maus candidatos, transformem e continuem seus feudos na política amapaense, pois, são várias pessoas concorrendo para seus interesses. Precisamos acabar com esta farra imediatamente para o bem do nosso Estado. Caso contrário, iremos voltar à era dos coronéis com seus currais eleitorais.

Jornal do Dia – A Assembléia Legislativa realizou uma audiência pública para tratar da pesca e aqüicultura, o senhor como representante legítimo da classe, foi convidado a participar? Emanuel Brito – Não. Parece até piada de mau gosto, pois, pessoas que não tem nada, absolutamente nada a ver com o setor de aqüicultura, tentaram pegar carona em cima de um trabalho construído ao longo dos anos, com muita luta, dedicação, persistência e humilhações para os produtores. Mas a vida é composta de pessoas e pessoas, e se tratando de Assembléia podemos esperar tudo. Jornal do Dia – A Lei Municipal de Aqüicultura em Macapá, que o senhor foi o mentor, abriu novos horizontes para a classe? Emanuel Brito – Com certeza absoluta. Sinto-me honrado e gratificado em participar desta historia belíssima. A atividade era largada no Estado e o produtor sempre foi tratado como delinquente, como se vivesse de produção de drogas, e a lei é o que nós precisávamos para alavancar o setor. Hoje, além do crescimento significativo, existe uma satisfação muito grande entre os aquicultores. O SEBRAE-AP, através de sua diretoria, teve uma participação importantíssima neste processo desde o inicio, até a fase final, e demonstrou seu comprometimento com o crescimento e desenvolvimento do Estado. Jornal do Dia – Recentemente o senhor fez uma de-

nuncia em uma revista de circulação nacional e internacional chamada Panorama da Aqüicultura. Qual o sentido da denuncia e sua ligação com o responsável da revista? Emanuel Brito – A denuncia é para chamar atenção das autoridades brasileiras sobre os abusos que acontecem em nosso Estado. A Lei da Aqüicultura trouxe benefícios consideráveis á classe, e causou um clima de inveja e perseguição por parte de pessoas que não tem nenhum interesse no crescimento e desenvolvimento do nosso Estado. Prevalecem-se do poder passageiro para atrapalhar a vida de quem realmente trabalha, mas se Deus quiser, com apoios dos produtores e dos bons políticos, esta batalha será mais uma vencida, das muitas que temos enfrentado. Quanto ao editor da Revista Panorama da Aqüicultura, Jomar Carvalho Filho (biólogo), sinto-me honrado em tê-lo como amigo, pois é uma grande amizade edificada ao longo dos anos. Trata-se de um profissional exemplar, que tem nas mãos uma arma poderosa para defender os interesses da classe e está esperando somente a definição da nossa situação para saber exatamente quando e qual será o próximo passo. Jornal do Dia – Temos acompanhado ao longo dos anos sua trajetória de vida, e são anos de luta de forma isolada com o objetivo de tornar o Amapá um dos grandes produtores de peixes do país. Por que tanta

perseguição? Emanuel Brito – Porque quem realmente trabalha, incomoda, e mais, não precisei de mandato para ser útil a sociedade. Sei o quanto esta missão é árdua, cansativa, estressante, mas não posso parar, principalmente agora que temos 7 bilhões de habitantes no planeta terra. E de onde vamos tirar tanto alimento para suprir as necessidades protéicas da população? Se não produzirmos e fizermos a nossa parte, as conseqüências serão gravíssimas. Basta verificar o retrato de falência que atualmente apresentam os rios, mares e oceanos, e de onde se tira e não se coloca um dia acaba. Este dia está mais próximo do que se imagina, e a aqüicultura, com certeza absoluta é o investimento do século XXI. Temos crimes ambientais gravíssimos praticados no Amapá, mas o poder público responsável em cuidar do meio ambiente, fazem vista grossa, ou então, usam da seguinte tese, crimes ambientais, pode, produzir alimento, não. É uma vergonha. Jornal do Dia – O senhor, na gestão passada, foi o responsável da pasta de Aqüicultura da prefeitura de Macapá por 13 meses, realizando um trabalho com destaque a nível local e nacional. De onde vem tanta energia, dedicação e compromisso para a causa da aquicultura? Emanuel Brito – É verdade. Tive este privilégio de assumir algo novo dentro da prefeitura, mas aprendi que na vida as oportunidades são poucas e

quando elas aparecem você tem que fazer o melhor. Foi realmente o que fiz. Era uma loucura. Saia de casa pela manhã rumo à subprefeitura da Zona Norte, atendia aos produtores, saia acompanhado de fiscais da SEMAM para visitas nas propriedades, retornava novamente, não tinha horário para almoço. Jamais recebi diárias, e nem tampouco horas extras, muitas vezes deixava o trabalho às 23 horas. Laborei praticamente todos os sábados, domingos e feriados, mas não ligava para isto. Precisava aproveitar cada momento para ajudar e contribuir com o crescimento do setor. Jornal do Dia – Temos observado através da mídia nacional de que existe um compromisso da presidente da República Dilma Roussef, através do Ministro Marcelo Crivella (Pesca e Aqüicultura) para alavancar o setor no país. O que falta para este incentivo chegar ao Amapá? Emanuel Brito – Falta representatividade. Falta compromisso de grande parte da bancada federal em buscar esses incentivos para o nosso Estado. É inadmissível termos a maior reserva de água doce do mundo, sendo a maior parte desta reserva na Amazônia, e não produzirmos quase nada, quando na realidade era para estarmos exportando peixes de cativeiro para o restante do mundo. De nada adianta o Governo Federal incentivar, se a classe política do Amapá não dá à mínima. Mas quando é para a realização de festas, os recursos aparecem imediatamente.


Esporte

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Felipão escala seleção com três atacantes e Lucas no lugar de Hulk A partida foi válida pela 7ª rodada do Campeonato Sub 20 de 2013. Danilo Peixe marcou o único gol da partida aos 9 minutos da 2ª etapa o Santos lidera absoluto a competição

N

o treinamento da última sexta, o técnico Luiz Felipe Scolari voltou a escalar a seleção brasileira com três atacantes. A novidade foi a entrada de Lucas no lugar de Hulk, pois é a primeira vez que Felipão escala o jogador do PSG como titular. Assim, os 11 de Felipão foram: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Fernando, Paulinho e Oscar; Lucas, Fred e Neymar. A seleção treinou no campo da Gávea e, para completar a equipe reserva, utilizou

cinco atletas da base do Flamengo. Domingo, o Brasil enfrenta a Inglaterra, em amistoso, às 16h, no Maracanã. O atacante Bernard e o zagueiro Réver, ambos do Atlético-MG, não chegaram a tempo do treinamento no Rio, pois os aeroportos da capital fluminense e de Belo Horizonte ficaram fechados pela manhã. Os atleticanos jogaram na noite de quinta-feira pela Libertadores e se classificaram para as semifinais. (uol/ esportes)

DIVULGAÇÃO

Seleção brasileira treina na Gávea, aos pés do Cristo Redentor, no Rio

Com fratura na costela, Fred permanece na seleção e fala em “engolir a dor”

C

om uma fratura na costela, o atacante Fred foi mantido na seleção. O jogador teve que tomar um analgésico durante a derrota do Fluminense para o Olimpia, por 2 a 1, no Paraguai, pelas quartas de final da Libertadores. Segundo o médico José Luiz Runco, o atacante sofreu um fratura incompleta no arco posterior da costela, mas tem condição de atuar nos próxi-

mos jogos da seleção neste mês. “Vou engolir a dor e quero muito participar da seleção até o final. O importante é que a dor vai diminuir a cada dia”, afirmou Fred, que deve ser titular no amistoso contra a Inglaterra, domingo, no Maracanã. O atacante sofreu a fratura na semana passada durante o primeiro confronto contra os paraguaios, no Rio. (uol/esportes)

Fred reclama de dores durante confronto contra o Olimpia, em São Januário

Flamengo é bicampeão do NBB

Marcelinho ergue o troféu do NBB 2013 após a vitória do Flamengo sobre Uberlândia por 77 a 70

Final teve homenagem a Oscar, ovação a Zico, show de Naldo e torcida delirando com o título rubro-negro

A

final do NBB entre Flamengo e Uberlândia na HSBC Arena no Rio de Janeiro, foi recheada de homenagens ao ídolo do basquete Oscar. O ex-jogador da seleção brasileira e também

do time rubro-negro foi lembrado a todo momento durante a partida, que terminou com a vitória do Flamengo por 77 a 70. As homenagens foram feitas pelos torcedores, que gritavam o nome de

Toque de Primeira ANTONIO LUIZ

Colunista alpcampos@hotmail.com Positivo Cinco seccionais do CREF8/AM-AC-AP-PA-RO-RR foram instaladas para dinamizar o trabalho do Conselho no âmbito da Educação Física. Uma delas é em Macapá. Negativo Olímpia 2x1 Flu revela face nojenta. Fred esnoba e diz ganhar R$ 1 milhão. Já Miranda, e Candia deixam unha grande e alfinetam o tricolor. Pobre futebol sul-americano!

Amapazão I Dez clubes estão credenciados a disputar o certame mais importante do futebol tucuju. Amapazão II FAF assegura início em 01 de julho, independente de patrocínio do GEA e da PMM. Amapazão III GEA/SEDEL ainda não disponibilizou o Estádio Augusto Antunes para a competição.

Oscar antes e durante os intervalos e levaram faixas para o ídolo, e também pela organização da partida. Imagens da carreira do ex-jogador eram transmitidas no telão da arena. Oscar, que se recupera da

Futuro Com $$$$$ de Neymar, Santos ergue novo CT com 05 campos e instalações modernas. Coruja da Torre I Atletas de vários estados formam time do Ypiranga. Estreia na Série D contra Parnaíba. Coruja da Torre II Diretoria negro-anil vibra com aval do Governo do Amapá e espera posição da PMM. Olho da Rua Santos demite Muricy Ramalho e agora o técnico faz sombra. Sombra para quem??? Supercopa de Vôlei I Etapa Amazônia acontece

segunda cirurgia para a retirada de um tumor do cérebro, jogou no Flamengo entre 1999 e 2003, ano em que se aposentou, e fez 7.241 pontos em 219 jogos. Após a sua passagem, o clube aposentou a camisa 14 usada pelo ala. Dentro de quadra, depois de três anos com títulos em sequência de Brasília, o NBB tem um ‘novo-velho’ campeão. O Flamengo contou com o apoio ilustre dos ex-jogadores Zico e Junior na torcida e conquistou o bicampeonato do NBB. O time rubro-negro foi o primeiro campeão do torneio na edição 2009 e foi vice-campeão na temporada 2009/10. O Flamengo jogou reforçado pelo pivô Caio Torres, que havia sido suspenso pelo STJD pela participação na confusão no jogo 4 da semifinal contra São José, mas teve a pena revogada pelo tribunal e entrou em quadra. Do outro lado, o time mineiro contava com a experiência do técnico Hélio Rubens, que buscava seu décimo título nacional.

em Manaus e o Zona Sul segue intensa batalha pelo título. Supercopa de Vôlei II O vencedor representa a Região Norte na fase final que rola de 11 a 16 Jun em Brasília. Brasil x Inglaterra I A pedida deste domingo em jogo preparativo do Brasil para a Copa das Confederações. Ciclismo I Domingo de pedaladas na Expofeira com forte prova de Mountain Bike. A partir de 9hs. Ciclismo II Pedal tucuju é destaque nacional, devido à organização inserida na FAC e nos

C2

Caio mostrou que o esforço do clube em contar com ele na final valeu a pena ao ser o cestinha da partida com 23 pontos. O primeiro quarto da partida foi todo do Flamengo. O time da casa aproveitou que o rival marcou com certa distância e abriu 21 a 15 com certa tranquilidade. O cenário mudou no segundo quarto, o Uberlândia conseguiu a virada e foi para o intervalo com vantagem mínima: 34 x 33. Com o time em desvantagem, a torcida rubro-negra passou a fazer ainda mais barulho na arena e empolgou os jogadores. Com mais eficiência no ataque, o Flamengo virou a partida e ainda abriu uma vantagem importante com 58 a 49. Após a metade da parcial final, o time da casa chegou a abrir 11 pontos de vantagem, conseguiu segurar as tentativas de recuperação de Uberlândia. E para a festa dos quase 17 mil rubro-negros e do craque Oscar e aos gritos de “olé”, com a vitória de 77 a 70, conquistando o bicampeonato do NBB. (uol)

clubes. Olho no Adversário Real Madrid mostra interesse em “roubar” Thiago Alcântara do arquirrival Barcelona. “Acredite Se quiser” Segundo o desportista Claudionor Soares, será o tema da Maracatu da Favela em 2014. Quarentões Vai de vento em popa o campeonato de futebol promovido no bairro Novo Buritizal. Noite de Herói I Vitor usa o pé para fazer história na dramática classificação do Atlético na Libertadores.

Novo empate do Paysandu - Sinal amarelo ligado

P

aysandu e América-RN seguem sem vencer no Campeonato Brasileiro da Série B. Na noite da última sexta-feira (31), na Arena Verde, em Paragominas, pela terceira rodada, ficaram no empate por 1 a 1. Com isto, a situação dos times segue complicada. Cada um soma dois pontos, ainda fora da zona de rebaixamento, mas podem terminar a rodada na zona. Pior para o Papão, que jogou desde os 31 minutos do segundo tempo, com um jogador a mais e mesmo assim, não conseguiu balançar as redes. A esperança dos torcedores do Paysandu é que na próxima rodada, contra o Paraná, o Papão jogará no Mangueirão, em Belém, com o apoio dos seus torcedores, já que acaba a punição imposta pelo STJD. Já o Mecão terá mais um dificil jogo fora de casa, contra o Joinville, na Arena. Tudo igual! Como esperado pelos torcedores, o Paysandu começou o jogo no ataque e queria de todo jeito sua primeira vitória na Série B. Pressionando, o primeiro gol saiu aos 18 minutos, num lindo chute de fora da área de Yago Pikachu. O lateral ajeitou e acertou o ângulo de Rodrigão, vendido na jogada. O Papão continuou melhor em campo e o América demorou para se acertar. Com dificuldades na criação foi criar alguma jogada de perigo na metade final do primeiro tempo, sempre com Júnior Negão. aos 35, o atacante recebeu na entrada da área e bateu cruzado, perto do gol de Zé Carlos, que só acompanhou com os olhos. Aos 40, o atacante chegou mais perto e numa batida com força, acertou a trave de Zé Carlos. Mas, aos 46 minutos, o atacante não marcou mas ajeitou a bola para Cascata, que bateu muito bem de fora da área, acertando o canto do goleiro do Papão, vendido na jogada. Pressão sem resultado! A etapa final começou com o Paysandu em cima, buscando de todo jeito o gol. Mas, diferente da etapa inicial, o setor defensivo do Mecão estava mais forte e não dava espaço para o ataque do Papão, que tentava de todas as formas, mas deixava o contra-ataque aberto para chegada do time potiguar. O jogo não era de tantas emoções, mas com o passar do tempo, e com os times pressionados, querendo a vitória, as chances apareceram. Aos 20, após cruzamento, Daniel Rezende tocou de cabeça e quase virou a partida. A coisa ficou mais “fácil” para o Papão, aos 31 minutos, quando o volante Vaninho acabou sendo expulso. No final, o Papão pressionou de todos os lados, mas não conseguiu fazer o gol e quase acabou sofrendo. Com o contra-ataque aberto, o América ficou mais perto de garantir os três pontos, mas sem o poder ofensivo, não fez a rede balançar. Próximos jogos Os times voltam ao gramado na próxima terça-feira. O Paysandu enfrenta o Paraná, às 19h30, em Belém, no retorno ao Mangueirão. Já o América joga contra o Joinville, na Arena, às 21h50.

Noite de Herói II Galera enlouquecida, presidente chorando e emoção no país afora, inclusive no Amapá. Ferreira Gomes Beira Rio x PSG estrearam o Campeonato Municipal de Futebol. R$ 6 mil de prêmio. Regras FIFA aprova punições contra racismo no futebol e clube pode até mudar de divisão. Você Sabia? Santos tucuju vence Trem por 1x0 e mantém 100% de aproveitamento no campeonato Sub-20. As duas equipes possuem ótima estrutura e lideram a competição.


JD

Diversão&Cultura

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

C3

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Ciclo do Marabaixo se encerra hoje com derrubada do mastro e sorteio dos festeiros Em Macapá, o Marabaixo acontece nas sedes dos grupos tradicionais: Pavão e Raimundo Ladislau, ambos no bairro do Laguinho, e Berço do Marabaixo e Associação Cultural Zeca e Bibi Costa (Azebic), no Santa Rita (antiga Favela)

O Ciclo do Marabaixo deste ano se encerra hoje dia 2 de junho com muita alegria e um show de cores

O

Ciclo do Marabaixo deste ano se encerra no próximo domingo, dia 2 de junho, com a derrubada do mastro e o sorteio dos festeiros do ano que vem. Em Macapá, o Marabaixo acontece nas sedes dos grupos tradicionais: Pavão e Raimundo La-

dislau, ambos no bairro do Laguinho, e Berço do Marabaixo e Associação Cultural Zeca e Bibi Costa (Azebic), no Santa Rita (antiga Favela). Além de conhecer o toque das caixas (tambores), a leveza das dançadeiras e a beleza das cores das roupas, o visitante pode

ainda experimentar o tradicional caldo (cozidão) e a gengibirra – batida de gengibre, servida durante as apresentações. Este ano o GEA repassou ao projeto do Ciclo do Marabaixo a quantia de R$ 151.250,00 para a realização da festividade. Cada grupo foi contemplado com R$ 33 mil. São eles: Associação Raimundo Ladislau e Grupo do Pavão, no bairro do Laguinho, Berço do Marabaixo e Associação Cultural Zeca e Bibi Costa (Azebic), no bairro Santa Rita (antiga favela), além da comunidade de Campina Grande, na zona rural, que recebeu R$ 12 mil. Para logística, foram destinados R$ 7,5mil.

No Marabaixo, o espetáculo de cores e ritmos é garantido pelas dançadeiras, com suas blusas floridas e saias rodadas, co-

Projeto “Circo de Todos”, do Museu Sacaca, realiza etapa mensal referente a junho

O

Projeto “Circo de Todos”, coordenado pela Gerência do Projeto “Circo, Arte e Ludicidade” do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá – Iepa/ Centro de Pesquisas Museológicas - Museu Sacaca, realiza hoje, 2, a etapa mensal referente a junho. A execução do Projeto, a cada etapa, vem assumindo proporções maiores e ganhando mais credibilidade em seu processo de difusão, além de abrir oportunidade a todos aqueles que desejam participar de atividades circenses. Essa edição vai ocorrer no horário de 15h às 17h, na Praça da Etnias/Museu Sacaca. “O projeto Circo de Todos é um sonho que está sendo concretizado. Devo essa realização à minha família, que divide comigo essa responsabilidade. Gostaria de agradecer à diretora do Museu Sacaca, Mônica Dias, pela oportunidade que nos concedeu ao permitir que desenvolvêssemos o projeto no Museu e, principal-

mente, porque foi a partir da execução que nossa valorização começou a acontecer”, expressou Fernando Chaves, gerente do Projeto “Circo, Arte e Ludicidade”/ Museu Sacaca. “Agora, nesse trabalho em andamento, de reformulação do organograma do Iepa, está sendo cogitada a eliminação das gerências e a criação de uma Divisão, o que faz com que o projeto do Circo assuma uma maior importância dentro do Museu. Caso essa informação de fato se concretize, para nós será a glória; significa o ápice de todo um trabalho que é realizado com amor e dedicação”, afirmou o gerente. O objetivo do projeto do Circo é divulgar para todos os tipos de público conhecimentos sobre as técnicas circenses como arte, divertimento, entretenimento e lazer, além de identificar as artes circenses como Patrimônio Cultural e utilizá-las como instrumento de educação e desenvolvimento social.

Resumo das Novelas Malhação Bruno se irrita com a insistência de Thales em transformar Fatinha em embaixadora de sua marca de lingerie. Marta e Gil levam Ju para o hospital. Vitor e Lia combinam de se encontrar após o expediente dele. Sal recebe a visita de Luana. Fatinha afirma a Bruno que desistirá do trabalho se ele se casar com ela. Lorenzo diz a Marta que Ju pode estar passando por transtornos alimentares. Sal pede para Luana voltar a visitá-lo. Marta suspeita que Bruno tenha brigado com Fatinha. Lorenzo é chamado para chefiar um hospital em Curitiba. Orelha e Morgana repassam conteúdos da aula enquanto patinam. Gil conta para Lia que Ju passou mal. (segunda-feira)

Sangue Bom Bento não acredita que Giane esteja apaixonada por ele. Amora obriga Lara a cancelar com Sueli Pedrosa a entrevista com Giane. Wilson pede Charlene em namoro. Lucindo faz um acordo com Damáris para continuar trabalhando para ela. Fabinho fala mal de Érico para Natan. Érico é demitido. Tito agarra Renata vestida de noiva. Fabinho desvia a moto para não atropelar Pedrinho. Giane se assusta com o comportamento de Amora. Irene se aproxima de Fabinho ao vê-lo caído e ele se emociona. Érico flagra Renata e Tito juntos.

Flor do Caribe Alberto provoca Cassiano por ter ficado com Ester. Cassiano avisa para o comandante que descobriu uma pista de voo clandestina. Guiomar promete ajudar Ester a recuperar a casa da ONG. Amaralina não gosta do resultado do exame que fez na escola. Cassiano avisa a Duque que não aceita usar o dinheiro de Dom Rafael para comprar a mina. Para conseguir um local que acolha as crianças da ONG, Guiomar propõe a Dionísio que compre uma casa para ela morar, e promete deixar a residência do ex-sogro. Juliano conta a Doralice que Natália está grávida.

Amor à Vida Ninho pede para conversar com Paloma. Lutero e Joana constatam que Atílio saiu do hospital. Atílio caminha pela cidade e é acolhido por moradores de rua. Valdirene entra no vestiário de Vitor Belfort. Valdirene foge de dois lutadores, e Carlito a ampara. Ninho pensa em Paloma e dispensa Alejandra, que se irrita. Félix incentiva a irmã a ficar com Ninho. Vega exige que César e Pilar encontrem seu marido. Os moradores de rua roubam Atílio. Michel insiste para que Patrícia assuma o namoro com ele. Atílio se apresenta para Márcia como Alfredo Gentil e desmaia. Amadeu vai com Pilar à casa de Bernarda. Ordália leva Luciano para falar com Marilda sobre o emprego no hospital.

mandadas pelo tom dos tocadores de caixa. Os festejos do Ciclo do Marabaixo, em Macapá, iniciam no Sábado de Aleluia, na Se-

mana Santa, e vão até o Domingo do Senhor, após a celebração de Corpus Christi - este ano, de 30 de março até 2 de junho.

Horóscopo Áries (21 mar. a 20 abr.) O pique por novidades, comunicações e inovações continua e hoje mais ainda - com seu jeito fora dos padrões acabará atraindo pessoas interessantes, que tem planos bacanas - alguns deles tem tudo a ver com publicações, mídia e viagens. Mercúrio em Câncer pede que sinta o caminho e respeite. Touro (21 abr. a 20 mai.) Há muitos meios para você expressar o que sente - e esta tarefa é das mais importantes agora! Mercúrio, o planeta da comunicação e da expressão, transita o sensível e artístico signo de Câncer - então você tem de deixar fluir sua inspiração, e deixar florescer seus talentos suavemente. Gêmeos (21 mai. a 20 jun.) Um bom domingo para curtir a vida ao ar livre! Mas coloque uma boa dose de musica, arte e cultura na sua programação - Lua, Netuno e Mercúrio inspiram tanto, que somente as expressões delicadas do ser humano podem dar conta de traduzir tudo o que será capaz de apreender da existência.

Libra (23 set. a 22 out.) Moda, tendência dominante, cismas, imagens que se fixam na memoria - tudo aos montes neste sábado em que há menos separatividade e mais inclusão. Assim você pode entender qual é a relação entre um fato aqui e outro, do lado oposto do mundo. Um olhar de 180 graus é preciso. Escorpião (23 out. a 21 nov.) Que coisa boa fluir fundo neste domingo! A felicidade dos filhos ou de um amor com quem se entende sem palavras. O suprassensível atuando em cada hora. O filme que inspira, a leitura que revela, a musica que explica ou dá um sentido. Um amor revisitado, objetos recuperados de paixão. Sagitário (22 nov. a 21 dez.) A boa ideia de hoje é ficar em casa, receber os amigos e os queridos, para um encontro com musica e cinema. Seu organismo está mais sensível, então nada de abusar dele contando com a sorte. Traga seu amor para junto de seus interesses maiores. Evite gastar dinheiro a toa.

Câncer (21 jun. a 21 jul.) Mercúrio em seu signo - é uma curiosidade e uma cisma, e uma dificuldade de colocar em palavras o que você entende do que está vivendo. Como um sistema aberto, que sente e permeia as ondas de sentimento e emoção coletiva, é preciso se proteger. Dança, foto e cinema são bons canais.

Capricórnio (22 dez. a 20 jan.) Vibrações positivas para engatar uma pequena viagem, um curso diferente, explorar um bairro novo, enfim dar a chance a inovação e a surpresa. Tenha paciência com os mais próximos, mesmo com suas lamurias, filtre e tente entender suas queixas. Movimentos emocionais.

Leão (22 jul. a 22 ago.) Certos entendimentos se fazem além das palavras - é por meio da sutileza e dos sinais, para quem sabe decodificar direito. E você pode testar a quantas anda seu poder de decodificar estes sinais. Ajude os necessitados - este é um bom exercício para escutar a fala dos deuses hoje também.

Aquário (21 jan. a 19 fev.) É bom quanto Marte transita Gêmeos, assim você se sente aberto para mudar, avançar, ir além, ousar alguns outros arranjos e abrir os horizontes. Este é o momento de fazer isto, começando devagar, humildemente, e confiando sempre. Não espere ninguém, faça seu próprio caminho.

Virgem (23 ago. a 22 set.) Certa instabilidade é esperada durante o transito de Mercúrio em Câncer - às palavras faltam logica, os termos são obscuros. Mas você tem a vida do sentimento, que mais inclui do que separa. E aí que reside sua força agora. Desdobramentos de ideias, mas aceite a confusão criativa.

Peixes (20 fev. a 20 mar.) Bom começo de mês para você, que conta com a inspiração e o sexto sentido a toda, e assim só tem é que seguir seus palpites. Notícias de alguém de longe, ideias que precisam ser anotadas, encontros que fazem sentido - filhos e amores tomam tempo. Disposição para música, dança, cinema.


Sociedade

Aline Lima alinelima@jdia.com.br

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

Empresário Darlan Nogueira recebeu com todo carinho esta colunista e esposo Reginaldo Moreno no Vegas Bistrô. Excelente opção na noite amapaense!!! Prof° Leonil Amanajás em recente evento no Centro de Convenções do CEAP ao lado da Procuradora-Geral de Justiça do Ministério Público do Amapá, Promotora Ivana Cei

Mensagem do Dia “Não exijas dos outros qualidades que ainda não possuem”. Francisco Cândido Xavier

Dj Pingo

Cynthia Samara e Brena Wazeler

Rodrigo Kzan e Elinaldo Kzan

Casal Dalva Maciel e Dário de férias curtindo Macapá

Suellen Senger Cavalcante


CadernoD

Carro&Moto

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

Hyundai revela novo Tucson ix na Coréia

Veículo utilitário esportivo (SUV) segue a nova identidade visual da marca conta com design arrojado e tem motor 2.0 FOTOS DIVULGAÇÃO

versão atualizada do ix35. Da parte técnica, o Tucson ix tem entre os destaques a direção com assistência elétrica e que pode ser ajustada em três modos de condução: conforto, normal e esporte. Além disso, o motor é 2.0 de 168 cv, movido a gasolina, que de acordo com o s

números da fabricante é capaz de ter um consumo médio combinado (cidade/estrada) de 10,3 km/l. No mercado coreano, o car-

ro também será oferecido na versão a diesel. Confira a galeria de imagens acima do novo modelo.

Por dentro, a mesma parcimônia. As principais mudanças são de equipamentos. Agora há ar-condicionad

A

matriz da Hyundai, na Coréia do Sul, divulga as primeiras imagens do Tucson ix, que segue a nova identidade visual da marca, da

qual fazem parte detalhes como o ampla grade dianteira hexagonal e LEDs no lugar de lâmpadas nas lanternas. Os faróis têm o mesmo forma-

do dos que equipam o SUV ix35 mas contam com elementos óticos mais modernos. O carro é considerado o substituto do Tucson original e uma

Carros verdes e os benefícios para a saúde

FOTOS DIVULGAÇÃO

O Novo Ford Focus chegará em setembro O novo Focus será o principal destaque da Ford para o Salão do Automóvel de Buenos Aires, que abre as portas no próximo dia 20 de junho

A

Ford prepara lançamento do novo Focus para setembro, pouco depois do lançamento do New Fiesta sedã em julho e próximo da chegada do novo Fusion Hybrid. O modelo de terceira geração é produzido na fábrica argentina de Pacheco, de onde virá em três versões. Os níveis de acabamento vão espelhar a nomenclatura usada no New Fiesta, S, SE e Titanium, como no exterior e também conforme os carros exibidos no Salão de São Paulo, em outubro último. Segundo apuramos, a Ford ainda não definiu se lançará o hatch e o sedã ao mesmo tempo. Mas, de acordo com uma fonte, ainda que sejam lançados simultaneamente, o três volumes deve ser mais trabalhado na campanha. Não é por acaso, já que o sedã é justamente o modelo menos vendido no

mix atual do Focus, enquanto o hatch ainda mantém a liderança entre os médios do tipo. A station wagon está descartada por enquanto, conforme adiantamos. O novo Focus será o principal destaque da Ford para o Salão do Automóvel de Buenos Aires, que abre as portas no próximo dia 20 de junho. Os motores serão os mesmos Sigma 1.6 16V e Duratec 2.0 16V usados pelo Focus atual, mas nem por isso deixarão de ser atualizados. O motor menor ganha comandos de válvulas variáveis em abertura e fechamento, como o New Fiesta, e passa a gerar 125/130 cv de potência. Já o mais potente repete as tecnologias do renovado Sigma 1.6 16V, como o Duratec vendido lá fora, além de adotar o sistema de partida a frio sem tanquinho. Como o 2.0 16V Ti-VCT

E85 (calibrado para 85% de etanol e 15% de gasolina) vendido no Focus norte-americano, o modelo argentino contará com injeção direta (será o primeiro carro da sua categoria produzido no MERCOSUL com o equipamento e também o primeiro flex capaz de lidar com 100% de etanol). Com isso, o rendimento não deve ficar muito distante dos 160 cv que gera lá fora. E deve até superá-lo, segundo revelou fonte ligada ao fabricante, que também antecipou que o 1.6 Ecoboost (turbo com injeção direta) de 180 cv está fora dos planos, como adiantamos. O câmbio manual de cinco marchas permanece o mesmo, porém o automático seqüencial de quatro marchas dará lugar ao novo Powershift de dupla embreagem e seis velocidades (sem borboletas no volante).

As tecnologias vão além da mecânica e incluem até a opção por assistente automático de balizas, entre outros itens. E o EcoSport? As novidades mecânicas não serão adotadas de pronto pelo EcoSport, porém isso não tardará a acontecer, revelou outra fonte ligada ao fabricante. Podemos esperar novidades para o primeiro semestre de 2014, bem a tempo de enfrentar uma nova safra de modelos do mesmo porte, que inclui o Peugeot 2008 e Chevrolet Tracker. A reforma estilística do crossover compacto, contudo, demorará um pouco mais. O tapa de estilo pode acompanhar algumas novidades em relação aos itens, entre elas as borboletas para mudanças de marcha para o modelo 2.0 16V Powershift. (revistaautoesporte)

Os motores serão os mesmos Sigma 1.6 16V e Duratec 2.0 16V usados pelo Focus atual, mas nem por isso deixarão de ser atualizados

Brasil, especialmente as grandes cidades, como é o caso de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte entre outras, deve mesmo refletir com atenção e prioridade, sobre os benefícios de adotar, o quando antes, a mobilidade “verde” em larga escala. Não só pelos apelos econômicos, como a geração de emprego e divisas para o País, mas, sobretudo pela ótica da saúde da população, especialmente, dos que vivem nos grandes centros urbanos. Segundo estudo da Universidade de São Paulo (USP) divulgado em 01/10/2012, a poluição em São Paulo mata mais do que a Aids e a Tuberculose. O estudo aponta que o ar da capital paulista possui 28 microgramas de poluentes por metro cúbico, gerados pela queima de combustíveis fósseis, sendo que o limite considerado tolerável pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 10 microgramas. O estudo da USP revela ainda que “se a capital reduzisse em 10% os níveis da poluição do ar entre 2000 e 2020, 114 mil paulistanos não morreriam no período”. Neste contexto, segundo pesquisa divulgada recentemente pela OMS, a poluição do ar provocou 3,2 milhões de mortes de pessoas no mundo em 2010. Foi um salto de 300% em relação ao ano 2000, quando os óbitos chegaram a 800 mil. No Brasil, a OMS, estima que somente a poluição atmosférica cause 20 mil mortes por ano, número cinco vezes maior do que óbitos estimados por tabagismo passivo. Além disso, o Brasil não deve permitir que o país pague o elevado custo da defasagem tecnológica, como ocorreu até o início dos anos 1990, quando o então Presidente Fernando Collor de Mello revelou ao mundo que os carros brasileiros mais pareciam carroças. A partir deste ponto, a indústria automobilística brasileira reagiu, e saiu de 712.741 unidades de veículos vendidas em 1990 para mais de 3,8 milhões em 2012.

Naturalmente, com o gigante crescimento do mercado automobilístico, o Brasil passou a contar com enorme ganho de receita e emprego. Portanto, se o país não quiser arcar com os ônus da defasagem tecnológica no setor, terá que agir enquanto há tempo. E se ainda restar alguma dúvida de que o momento certo é este, basta verificar os números de vendas globais dos veículos híbridos e elétricos para constatar o quanto são representativos. Aliás, somente a Toyota já vendeu mais de 5 milhões de híbridos globalmente. Neste contexto, apesar de acanhado, o Brasil acaba de dar o primeiro passo para incentivar a mobilidade “verde”. Na última segunda-feira (20), o governo alterou o conteúdo do Inovar-Auto (regime automotivo brasileiro lançado para promover a competitividade através de incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva da Indústria Automotiva Nacional) passando a exigir até 2017, índice de 12% de eficiência energética para os veículos de fabricação nacional. A decisão foi importante, mas é insuficiente para viabilizar a mobilidade “verde” no País. O mais importante ainda não foi feito, que é reduzir a carga tributária que atualmente cobra alíquota máxima de 55% de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e 35% de Imposto de Importação. Adicionado os demais encargos, um carro elétrico chega a custar quase cinco vezes mais no Brasil, como é o caso do Mitsubishi i-Miev, único modelo elétrico vendido no mercado doméstico. Só para se ter uma ideia, em São Paulo ele sai por cerca de R$ 200 mil (US$ 100 mil) e na Califórnia (EUA), em torno de R$ 46.600 (US$ 23.300, já deduzido o incentivo do governo). Como se pode verificar, o que não faltam são bons motivos para o Brasil adotar, o quanto antes, a mobilidade “verde” em massa, tendo os veículos elétricos e híbridos como “locomotivas” deste movimento.(revistaautoesporte l)


Carro&Moto

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

Avaliamos Fiat 500C é sem-teto para todas as horas O grande diferencial do 500C está, obviamente, na capota. Mas repare nas fotos que não é uma cobertura como a dos demais conversíveis

C

omo já dizia a canção, moramos num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza. Em teoria, era para ser o paraíso dos conversíveis, certo? É, mas na prática sem-teto aqui é coisa de rico – e para ser usado em ocasiões especiais, sob alegação de falta de segurança por deixar os passageiros expostos a assaltos. Bom, o Fiat 500C (de Cabrio) muda um pouco esse panorama. Além de ser disparado o “descapotável” mais barato do mercado, tabelado a R$ 60.200 – um Mini Cabrio S sai por R$ 137.950! -, o pequenino proporciona uma relação, digamos, não tão íntima com o ambiente. O grande diferencial do 500C está, obviamente, na capota. Mas repare nas fotos que não é uma cobertura como a dos demais conversíveis. Neste Fiatzinho, as colunas central e traseira mantêm-se do modelo original – apenas o teto de tecido pode ser recolhido. É como se você tivesse à disposição um “tetão-solar” variável, que pode ser aberto em três níveis, indo desde só um pouco para ventilar a cabine até a cobertura ficar totalmente dobrada atrás do banco traseiro – situação que inutiliza o retrovisor interno, é bom saber. O resultado é que você acaba usando muito mais a capota aberta do que nos conversíveis normais, que são do tipo 8 (fechado) ou 80 (aberto). Na semana em que fiquei com o 500C, andei de teto aberto os sete dias – e praticamente toda vez que usava o caro. Isso o torna bem mais apto a ser usado em todas as estações, até como carro do dia-a-dia. Você ganha o vento no rosto e a liberdade de uma janela para o céu, mas sem aquela sensação de que será abordado a qualquer momento no trânsito de uma grande cidade como São Paulo. Não vou mentir, porém, que foi na descida para Santos – onde fizemos as belíssimas fotos que ilustram essa reportagem – que eu realmente curti o carrinho! Além do forte apelo lúdico intrínseco a todo Cinquecento, o Cabrio eleva o nível de diversão (e do charme) conforme a capota vai sendo arriada. A operação é toda elétrica, feita por um botãozinho, e pode ser feita com o carro em movimento a até 80 km/h. O ronquinho do motor 1.4 16V MultiAir vai ficando mais audível (é nervosinho em alta rotação, como típico Fiat) e o sol vai pedindo licença para entrar pela cabine do 500, juntamente com a brisa da estrada. Tudo isso sem notar a carroceria torcer nas curvas, já que a estrutura é praticamente igual à da versão fechada – sem teto, mas com as laterais reforçadas. Pode curtir a paisagem com calma, porque desempenho não é o forte do 500C. Equipado exclusivamente com câmbio automático de seis marchas (da japonesa Aisin, bem melhor que o automatizado Dualogic), o Cabrio foi feito para passear. A transmissão é bem escalonada e aproveita razoavelmente bem a força do motor 1.4 (105 cv e 13,6 kgfm que só aparecem em giros mais altos), mas prioriza o conforto nas mudanças, feitas de forma bem suave. Aperte

O resultado é que você acaba usando muito mais a capota aberta do que nos conversíveis normais

o botãozinho Sport no centro do painel e as marchas serão esticadas até quase o limite do conta-giros, enquanto a direção elétrica ficará sensivelmente mais pesada, mas ainda assim não espere grandes emoções. Medimos a aceleração de 0 a 100 km/h em 15,2 segundos – atrás até do Chevrolet Onix 1.0, que fez 14,6 s – e a velocidade máxima indicada pela Fiat não passa dos 179 km/h. Pelo menos as retomadas são mais espertas, deixando o carrinho desenvolver de forma agradável na cidade, sem decepcionar na estrada. A sexta marcha ajuda a baixar o giro (e o ruído) em viagens, um problema observado nos 500 de cinco velocidades. O propulsor MultiAir traz um inteligente comando variável de válvulas controlado por um sistema eletro-hidráulico (que varia ilimitada e infinitamente o levantamento e permanência de abertura das válvulas de admissão), de olho principalmente em economia de combustível. Mas não sentimos muito resultado prático: além desse motor não ser flex (só bebe gasolina), a média de consumo registrada em nossa avaliação ficou na casa de 9 km/l no circuito urbano e de 13,5 km/l no trecho rodoviário – marcas apenas razoáveis para o porte compacto deste Fiat. E tanque é tão pequeno quanto o carro, com somente 40 litros. No mais, a versão cuca fresca do 500 repete as virtudes e defeitos do modelo fechado. É muito fácil de dirigir e manobrar pelo tamanho diminuto, tem direção levinha (menos no modo Sport) e uma suspensão bem acertada, mais para firme, que garante boa estabilidade sem transmitir muito os buracos para o interior – apesar de que as rodas aro 16 com pneus de perfil baixo (195/45) deixam o carro mais sensível a pisos ruins. Uma vantagem do Cabrio é liberar espaço para a cabeça dos ocupantes do

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Pista livre JOSÉ ARCANGELO

Colunista

Promoção Coordenador de Seminovos do Grupo Ápice, Ney de Oliveira Pereira com a loja da Betral Plus toda decorada em alusão a quadra junina. Informa que as promoções de veículos vão durar os 30 dias de junho. A cada dia um carro vai ser colocado na “fogueira” promocional, com zero de juro na entrada e juros especiais para os restantes das parcelas do financiamento. “Quem chegar primeiro leva”, alerta Ney Pereira. Estoque A Betral Seminovos Plus tem em estoque para a promoção da quadra junina nada menos que de 81 veículos multimarcas, todos revisados, higienizados e com garantias. Alem disso, assegura Ney Oliveira, o cliente tem a certeza de adquirir um carro com procedência e documentação 100% checada. Depois de negociado e devidamente autorizado pela financeira, o veículo é submetido à vistoria técnica e só depois será entregue. “A segurança do negócio é levado a sério pelas empresas do Grupo”, assegura o coordenador. Montadoras As seis grandes montadoras nacionais, Fiat, VW, Ford, GM, Hyundai e Renault ampliam seus parques automotivos visando incrementar lançamentos anuais como fazem os europeus. Às menores como Honda, Toyota e Peugeot não querem ficar atrás e programam ampliações ou mesmo novas fábricas como é o caso da Honda.

banco de trás, quando sem a capota – foi o único jeito que consegui levar um casal de amigos altos sem dobrar o pescoço! Na frente, o espaço e o painel são os mesmos da versão com teto de aço, com destaque para o acabamento bem mais caprichado que nos demais Fiats compactos. Os bancos tinham revestimento de couro vermelho e marfim no carro avaliado. Desvantagens? Sim. O já limitado porta-malas passou de 185 para apenas 153 litros (até a tampa ficou pequenininha sem o vidro!) e a visibilidade traseira é ruim, tanto com a capota fechada quanto com ela recolhida – no que ajuda bastante o sensor de estacionamento traseiro. Por falar em equipamentos, o 500C é baseado no pacote Lounge do modelo “normal”, a versão topo de linha do Cinquecento. Ainda assim, itens como o ar-condicionado digital, o sistema de conectividade Blue&Me e os airbags laterais e de joelho (para o motorista) são cobrados à parte. No fim, a conta vai para R$ 65.426, com pintura lisa (vermelha). É uma grana preta para um carrinho desse tamanho, sem dúvidas, mas

lembre-se que ainda assim é um valor bem mais em conta que o dos demais conversíveis – lembrando que o 500 vem do México livre de Imposto de Importação. Pelo charme e prazer de rodar ao ar live, ainda tendo a segurança das colunas laterais, o Cabrio pode ser a peça que faltava para os sem-teto se darem melhor por aqui. Ficha técnica – Fiat 500C Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.368 cm3, comando simples variável, gasolina; Potência: 105 cv a 6.250 rpm; Torque: 13,6 kgfm a 3.850 rpm; Transmissão: câmbio automático de seis marchas, tração dianteira; Direção: elétrica; Suspensão: independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS; Rodas: aro 16 com pneus 195/45 R16; Peso: 1.176 kg; Capacidades: porta-malas 153 litros, tanque 40 litros; Dimensões: comprimento 3,546 mm, largura 1,627 mm, altura 1,507 mm, entreeixos 2,300 mm; Desempenho: aceleração 0 a 100 km/h: 15,2 s (aferida); velocidade máxima: 179 km/h

D2

Liderança Para manter a liderança de mercado a Honda manda avisar que não tem mais condições técnicas de ampliar seu parque em Sumaré (SP), mesmo trabalhando em dois turnos ininterruptos, com duas horas adicionais, atingindo a produção máxima de 140 mil carros/ano.

Sempre rigorosa no trato com o meio ambiente, a montadora japonesa não pretende invadir extensa área verde para ampliar seu parque fabril, preferindo escolher outro local para a edificação de moderna fábrica. Escolha Dez cidades do Sul/Sudeste já se candidatam a receber a nova fábrica da Honda. Isto pode sinalizar que a montadora nipônica pode e deve aumentar sua gama de produtos para a América do Sul, mercado emergente e muito cobiçado no planeta. Nesta fábrica deve abrigar a nova plataforma global da marca responsável pelo novo Fit, podendo também, ser usada para o sucesso europeu, o SUV Urban, carro-conceito apresentado em janeiro último no Salão de Detroit (USA), atualmente produzido no México. Potência Já faz algum tempo que o “todo queridinho” dos consumidores brasileiros&brasileiras era o carro popular, o chamado 1.0, hoje perdendo mercado diário para veículos com propulsores mais potentes como os 1.4 e 1.6 litros. Como exemplo, na supercampeã de vendas por mais de 11 anos, na Fiat, o Palio 1.4 já responde por 30% dos emplacamentos no primeiro trimestre deste ano. Diferenças Segundo dados da Associação de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), houve um volume recorde no licenciamento de carros até o mês passado, em 1,1 milhão de unidades, alta de 8,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Destes, 58,8% foram emplacados com motores 1,4 e 1,6 litros enquanto os populares responderam por apenas 40,8%. Potência e conforto tem maiores preferências dos consumidores do que preços, atualmente.

Auto Pista

Apresentador do programa Saúde em Debate (102.9 FM), todos os sábados, das 6h00 às 8h00, o médico intensivista Cláudio Leão convidou este colunista para uma troca de experiências na área médica. Rolou muitas informações importantes para os milhares de ouvintes. O doutor Leão é leitor assíduo da coluna. –x-x-x-xOficinas especializadas em suspensões de veículos continuam fazendo a festa em virtudes das milhares de crateras espalhadas pelas vias da cidade. Um par de amortecedor dianteiro, borrachas, molas e caixa de direção de um carro popular podem chegar aos R$1mil sem mão de obra incluída. E some ai mais as três últimas parcelas do IPVA, passe a régua e veja quanto vai gastar. –x-x-x-x- Luzes de xenônio adaptadas continuam a equipar veículos numa afronta à legislação de trânsito. Ela quando não vem de fábrica ofusca intensamente quem trafega em sentido contrario. Pior ainda é na estrada sob ações de chuva e neblina. –x-x-x-x- Polícia Rodoviária Federal (PRF) multou condutor – com direito a foto do radar – no início da BR 210 - que uns “orelhudos” teimam em publicar BR 156 – por excesso de velocidade. Segundo o aparelho, registrou velocidade acima de 150 km/hora. Em caso de acidente, acho que se duvidar, não se salvaria nem a alma do “piloto-suicida”. –x-x-x-x- “Tenho medo do dia que a tecnologia vai sobrepor a interação humana. O mundo terá uma geração de idiotas.” (Albert Einstein). –x-x-x-x- Freando...e torcendo pelas festas juninas sem tragédias. –x-x-x-x- Mesmo assim: Bom Domingo!


Carro&Moto

JD

D3

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

SUV Ford Ranger ganha novo visual Em detalhes Utilitário esportivo chega ao Brasil no 1º semestre de 2014

A

picape Ford Ranger tem um utilitário esportivo, chamado Everest. Este SUV acaba de ser reestilizado na África do Sul, para aguentar as vendas enquanto a nova geração está no forno. O novo visual também vai chegar à Tailândia e Índia. Por aqui, teremos a nova geração da Everest, feita na fábrica em General Pacheco, na Argentina, que também produz a Ranger. Para ficar mais um tempo no mercado, a Everest recebeu a nova linguagem de design da Ford, com uma cara claramente inspirada no Ford Figo. O para-choque agora tem a grade oval que aparece na maioria da linha da fabricante. Os faróis mudaram muito pouco nas bordas e o capô traz o nome Everest gravado. Já a nova geração do Everest chega ao Brasil só no 1º semestre de 2014,

FOTOS DIVULGAÇÃO FOTOS DIVULGAÇÃO

A picape Ford Ranger tem um utilitário esportivo, chamado Everest. Este SUV acaba de ser reestilizado na África do Sul

consequência da alta demanda da Ranger. Conforme antecipado por Car and Driver, o SUV contará com a mesma linha de motores da Ranger, segundo uma fonte ligada à Ford. Ou seja, a versão de entrada da Everest, a XL, será equipada com o

motor 2.5 Duratec Flex de até 173 cv com etanol e opção de transmissão manual de cinco e seis marchas. Já a topo de linha, Limited 4x4, terá o novo motor 3.5 a diesel e cambio automático de seis marchas.O Everest será produzido em General Pa-

Porsche Macan será lançado em Los Angeles A Porsche vai mostrar seu novo SUV Macan no Salão de Los Angeles (EUA), em novembro, informa o site inglês Auto Express. O carro chegará ao mercado logo em seguida com o Range Rover Evoque como principal rival. Será fabricado com a base do Audi Q5, mais com uma série de novos componentes de alumínio, o que irá torna-la 130 kg mas leve. As opções de motor ainda estão para serem confirmadas, mas sabe-se que haverá alguns V6 a gasolina e um quatro cilindros que será oferecido posteriormente. Também é dado como certo que a marca alemã vai oferecer uma versão híbrida.

checo (Argentina), onde é feita a nova Ranger, por preços estimados a partir de R$ 175 mil. Confira esta e as outras 130 novidades que as fabricantes escondiam na edição 65 de Car and Driver.(caranddriverbrasil)

Volkswagen Jetta TSI já aparece no Brasil com 211 cv

J

que garante esse aumento de desempenho. A nova geração da perua Jetta Variant (na realidade um Golf) deverá ter motor 2.0 TSI de 211 cv. (noticiasautomotivas)

Aston Martin V12 Vantage S tem 575 cv Conheça o Aston Martin mais rápido em produção. O novo V12 Vantage S, substituto do V12 Vantage atual, foi revelado pela marca inglesa e mostra que não está para brincadeira. Afinal, ele está logo abaixo do limitadíssimo Aston One-77. Quer a prova? O V12 Vantage atual tem 517 cv. Já o V12 Vantage S elevou a potência do motor AM28 6.0 V12 para 575 cv. O torque também subiu, dos 58,1 mkgf para 63,2 mkgf a 5.750 rpm. Esta combinação, segundo a Aston, leva o novo Vantage a até 330 km/h! 0 a 100 km/h? Apenas 3,9 segundos. . (caranddriverbrasil)

Chevrolet Trax e Renault Captur levam 5 estrelas do Euro NCAP

Mercedes faz recall de 6.000 Classe A A Daimler anunciou o recall de seis mil novos Mercedes Classe A. Segundo Wolfgang Zanker, porta-voz da Mercedes-Benz, o problema é no air bag do passageiro da frente que pode não inflar corretamente em caso de acidente. Os veículos afetados foram fabricados entre junho e dezembro. A fabricante não admitiu o prejuízo causado pelo recall, mas informou que fará os reparos gratuitamente. Este é o segundo problema similar pelo qual a Daimler passa em menos de um mês. No dia 6 de maio a empresa anunciou o recolhimento do utilitário Citan, também para a troca do air bag, após testes insatisfatórios. As unidades vendidas no Brasil estão fora da convocação por fazerem parte de outro lote, de acordo com a Mercedes-Benz.

á era esperado. Afinal, a montadora elevou a potência de seus modelos 2.0 TSI tanto nos EUA quanto na Europa. Assim, o Volkswagen Jetta TSI já aparece no configurador da marca no Brasil com 211 cv. O aumento de potência é de 11 cv em relação ao modelo anterior. Custando a partir de R$ 88.290, o Volkswagen Jetta TSI teve apenas a nova potência modificada em um dos campos do configurador, já que na ficha técnica continua constando o valor anterior. Além disso, a versão Comfortline aparece com

O

Euro NCAP, que realiza crash tests com os veículos vendidos no mercado europeu, divulgou os resultados de mais quatro carros avaliados. Dois deles, Chevrolet Trax e Renault Captur, levaram 5 estrelas, pontua-

identificação 2.0 TSI de 116/120 cv, quando na realidade é o conhecido bloco 2.0 8V. Os preços da versão partem de R$ 64.950. Além do Jetta TSI, o Novo Fusca TSI tamb é m de-

ção máxima possível. Entre os quesitos avaliados, o Trax obteve 94% de eficiência em Proteção para Adultos, 85% em Proteção para Crianças, 64% em Proteção para Pedestres e 81% em Itens Assistentes de Segurança. Já o

verá ganhar esse aumento de potência, assim como futuramente o Tiguan. Os Passat e Passat Variant já são equipados com o bloco EA888,

Captur teve, respectivamente, 88%, 79%, 61% e 81%. Outros carros avaliados foram o Dacia Sandero, que ganhou quatro estrelas (80%, 79%, 57% e 55%) e o Nissan Evalia, recebendo três estrelas (68%, 81%, 67% e 55%).

Dos quatro modelos testados, três chegarão ao mercado brasileiro nos próximos meses: Captur, Trax (que chegará com o nome de Tracker) e Sandero (vendido como modelo da Renault). (noticiasautomotivas)

BMW pode produzir novo Mini na China A nova geração da Mini pode ter nacionalidade chinesa. Segundo fontes dos analistas da Bernstein, a BMW já arranjou um espaço em Tiexi, no noroeste da China, para expandir a produção de sua fábrica e produzir o novo Mini e os modelos da BMW com tração dianteira, a partir de 2015.

Clássico da semana CHEVROLET KADETT GS

S

e tempo realmente fosse patente, o Kadett teria chegado ao Brasil como general. É que o modelo (ao menos o seu nome) foi lançado em 1937 na Europa e só desembarcou por aqui em 1973 em sua quarta geração, porém com o nome de Chevette. Kadett mesmo somente em 1989, quando a sexta geração da família de médios chegou guardando pouco dos seus antecessores. Era uma época em que muitos lançamentos demoravam anos para chegar ao país e com o médio não foi diferente. Para se ter uma ideia, o modelo foi lançado em 1984 na Europa. Pode ter demorado, mas isso não diminuiu tanto o impacto da sua chegada, ainda mais na versão esportiva GS. Disponível apenas na carroceria duas portas, o hatch teve pitadas de esportividade polvilhadas pelos seus 3,98 metros. Para começar, tinha para-choques exclusivos integrados à grade, com faróis de neblina, além de capô com saídas de ar incrustadas na peça. Saias laterais, rodas aro 14 e pneus 185/60 (depois 65) eram detalhes que se somavam ao aerofólio traseiro. Afora a faixa preta ligando as lanternas frisadas. O interior seguia o missal dos demais esportivos da época: bancos Recaro envolventes, volante exclusivo (de três raios) e iluminação do quadro de instrumentos no tom vermelho. Em itens, um dos principais destaques era a oferta de computador de bordo. O motor 2.0 8V a etanol gerava 110 cv de potência a 5.600 giros e 17,3 kgfm de torque a 3.500 rotações, tudo regido por um câmbio manual de cinco marchas. Com relação extremamente curta (que seria ampliada pouco tempo depois), o GS arrancava aos 100 km/h em 11 segundos e chegava aos 185 km/h, números que entregavam o seu peso de 1.100 kg, maior do que rivais como o Volkswagen Gol GTi e GTS. Em 1991, a injeção eletrônica tornou-se a grande novidade da linha. Com ela, a versão passou a ser GSi e o rendimento pulou para 121 cv e 17,6 kgfm, bons para 10,5 s até os 100 km/h e 190 km/h de velocidade máxima. Imaginem só se o GSi tivesse a opção 2.0 16V como na Europa, onde o modelo contava com os mesmos 150 cv que só desembarcariam aqui em 1993 com o Vectra GSi. Se o lance era passear (e se o dinheiro estava sobrando), o Kadett GSi ainda podia vir em versão conversível a partir de 1992. Não era mais rápido, ainda mais se levarmos em consideração o tempo que levava para ser produzido. Parte da sua base era enviada para a Itália, onde na Bertone faziam o resto da carroceria que, só então, voltava ao Brasil para ser finalizada com mecânica e acabamento (o da foto é um Opel, porém quase nada mudava em relação ao brasileiro, além de emblemas, tampa do tanque e rodas). Tinha até opção de capota elétrica, afora óculo traseiro de vidro temperado. Coisa fina, mas caríssima. No início do Plano Real (1994), quando alguns valores eram cotados em dólares, o GSi convencional saia por 29 mil dólares, enquanto o conversível elevava a etiqueta de preço a 39 mil. Parece acessível pelos valores atuais, mas dava para levar cinco Corsas 1.0 para casa e sobrava troco. O GSi durou até 1996 e saiu de linha antes dos demais Kadett, que sobreviveram mais dois anos.

Classe GL parte de US$ 196,9 mil no Brasil A Mercedes-Benz começa a vender a nova geração do utilitário esportivo Classe GL no Brasil nas versões GL500 (US$ 196.900. ou cerca de R$ 404.235) e, pela primeira vez, GL63 AMG (US$ 273.900, aproximadamente R$ 562.320). Repleto de itens sofisticados, o carro leva até sete ocupantes e conta, entre outros equipamentos, com assistente de ventos laterais (Crosswind Assist), controle de esterço (STEER CONTROL), reconhecimento de carga, suspensão pneumática e câmera de 360 graus para ajudar nas manobras. Além disso, vem com visual completamente renovado, que inclui LEDs no lugar de lâmpadas no grupo ótico, rodas de aro 21 polegadas com pneus 295/40 (na versão AMG), alta linha de cintura e entreeixos de quase 3,1 metros. (caranddriverbrasil)

Mini mostra Paceman decorado por estilista A Mini revela imagens da série limitada do Paceman feita em parceria com o designer Roberto Cavalli. O carro vem com vários detalhes exclusivos e foi leiloado durante no evento Vienna Life Ball, na Áustria. O valor do arremate ainda não foi divulgado, mas o dinheiro arrecadado com a venda do modelo será usado na campanha de prevenção contra a AIDS. É a 13ª vez que a marca inglesa resolve doar um carro exclusivo por uma causa nobre. Nos anos anteriores, conseguiu-se arrecadar ao todo em torno de 500 mil euros (cerca de R$ 1,32 milhão), contanto outras iniciativas. (caranddriverbrasil)


JD

Carro&Moto

D4

Macapá-AP, domingo e segunda, 02 e 03 de junho de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Carros mais vendidos nos vizinhos do Brasil Conheça os best-sellers nos mercados da Argentina, Chile, Uruguai e outros países da América do Sul

FOTOS DIVULGAÇÃO

O

Brasil pode ser considerado o centro do “sistema solar” no campo automobilístico da América do Sul. Em 2012, o mercado brasileiro bateu recorde de vendas com mais de 3 milhões de automóveis licenciados, o que colocou o País na quinta colocação do ranking mundial de vendas, atrás apenas dos gigantes China, Estados Unidos, Japão e Alemanha. Nesse universo o Brasil é o sol, o centro que fornece a energia para os “planetas” e “planetóides” ao seu redor, como a Argentina, um mercado mediano com mais de 840 mil veículos vendidos em 2012, e a Guiana Francesa, que no mesmo período somou cerca de 1.500 carros comercializados. A região também contempla uma série de curiosidades e fatos inusitados, como a disparidade do profissionalismo do setor em alguns países. Enquanto mercados como o Chile e Uruguai contam com instituições reguladoras, que reúnem as montadoras e contabilizam seus números, há países que aparentam não ter controle algum sobre as movimentações de seus mercados automobilísticos, como o Bolívia e o Suriname. Nessas praças, o volume de vendas de carros é uma incógnita.

Nesses mercados também a outra peculiaridade. Todos esses países consomem basicamente carros importados (com exceção do Brasil), sendo a maioria proveniente da indústria brasileira. Não à toa, o Volkswagen Gol é o líder de vendas da Argentina há 14 anos seguidos (no Bra-

sil o carro é o líder a 24 anos consecutivos), enquanto o Chevrolet Classic lidera no Uruguai e Paraguai – ambos os modelos são fabricados no estado de São Paulo. A fábrica da GM em Bogotá, na Colômbia, também tem forte presença na região. Saem de lá os Che-

vrolet Sail, líder no Chile, e Aveo, número 1 no Equador e Venezuela. Já o carro mais vendido na Colômbia é o Chevrolet Spark, feito no próprio país. Os vice-líderes Na Argentina, o segundo maior mercado da América do Sul, o vice-campeão

de vendas é o Chevrolet Classic feito no próprio país, na planta de Rosário – o modelo à venda no Brasil é produzido em São José dos Campos (SP). Já no Uruguai e Venezuela os carros que figuram na segundo posição do mercado vêm do Brasil, no caso o VW Gol fabricado em

São Bernardo do Campo e Taubaté e o Ford Fiesta da linha de montagem em Camaçari (BA). Na Guiana Francesa, o segundo colocado entre os carros é o Peugeot 207, mas o modelo fabricado em Poissy, na França. Outro francês no páreo sul-americano é o Renault Logan, que ocupa o segundo posto no mercado da Colômbia com uma versão feita no próprio país. Mais um carro importado, mas do Japão, é o vice-líder no Equador, no caso o Grand Vitara, mas que lá usa a logomarca da Chevrolet, sempre ela. Os coreanos também vão bem na região. No Chile, o segundo colocado é o sedã Hyundai Accent e no Peru o posto é ocupado pelo Kia Rio, compacto de projeto moderno e que chegou a ser cotado para o Brasil. A ironia é que mesmo com o Brasil tão perto fisicamente, nossos vizinhos preferem muitas vezes importar veículos de lugares distantes, tudo por conta do alto custo de produção das nossas fábricas. O caso da picape Frontier é emblemático. Mesmo produzida no Paraná, há cerca de 2 mil quilômetros de Buenos Aires, a Nissan opta por importá-la da Ásia. Em matéria de carros pelo menos nossos vizinhos não chegam a ser tão amigos assim.

Amarok e Jetta ficam mais potentes

A

s novas linhas dos modelos Volkswagen Amarok e Jetta têm como principais atrativos mais potência. A picape na versão de entrada 2.0 TDI ganhou mais 18 cv e agora entrega 140 cv. Já o sedã médio, que vem importado do México, o aumento da cavalaria aconteceu na versão top de linha, a 2.0 TSI (motor turbo com injeção direta de gasolina). Nesse carro o acréscimo foi de 11 cv, totalizando 211 cv, conforme aponta o site da marca no Brasil. A Amarok com o motor de 140 cv é a versão S, oferecida com cabine simples (tração 4x2 ou 4x4) ou dupla (4x4). Já o câmbio nesse modelo é sempre manual de 5 marchas. Segundo a VW, o incremento na potência foi obtido com uma nova calibração na central de gerenciamento eletrônico do motor, a ECU. A reprogramação também alterou as faixas de rotação em que são alcançadas a potência e o torque máximos gerados pelo motor. Os 140 cv aparecem em

3.500 rpm, regime 500 rpm mais baixo que o regime anterior, e o torque de 34,7 kgfm surge em 1.600 rpm. Com 140 cv a Amarok também ficou mais rápida. De acordo com a marca, o modelo agora acelera de 0 a 100 km/h em 12,6 segundos, ante os 13,2 s na versão passada com 122 cv. A velocidade máxima passou de 162 km/h para 168 km/h. No modelo com cabine dupla e tração 4x4, o tempo no 0 a 100 km/h baixou de 13,7 s para 13,1 s e a velocidade máxima subiu de 161 km/h para 167 km/h. A alteração na potência do Jetta ainda não é divulgada pela VW. No site nacional, a ficha técnica divulgada não explica como ocorreu o aumento e o desempenho do carro segue inalterado. Segundo a marca, o sedã acelera do 0 aos 100 km/h em 7,3 s e pode atingir 238 km/h. Nesse modelo o câmbio é DSG semi-automático de 6 marchas e dupla embreagem.(revistaautoesporte)

FOTOS DIVULGAÇÃO

A Amarok com o motor de 140 cv é a versão S, oferecida com cabine simples (tração 4x2 ou 4x4) ou dupla (4x4)


02 06 2013