Page 1

ENTREVISTA

PAPO CULTURAL

BLOG DO JP

Celso Oliveira é o novo Presidente da FARJ. Página 5

Juliana Silveira vive vilã na Record. Página 11

JORGE PEREIRA

Mais um atraso para a Copa. Página 9

Jornal do Bairro

www.jbilha.com.br

facebook.com/jbilha

Número 6 - de 1 a 15 de Junho de 2014

e-mail: redacao@jbilha.com.br

R$ 0,75

UMA ILHA DE CRAQUES Bairro mantém a tradição de torneios

A Copa Ilha Kids de Futebol Soçaite reuniu 28 times e mobilizou mais de mil pessoas por dia. Página 4 Em vigor. Lei proíbe fornecimento de produtos em restaurantes sem solicitação do consumidor. Página 12

Lançamento

BRT

Escritor Márcio George lança o livro A Marcha dos Imortais, que fala dos impactos da longevidade da população. Página 11

Dilma inaugura o corredor de ônibus expresso TransCarioca, que ligará a Ilha à Barra da Tijuca. Página 12


2 SINToNIA ABERTA

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

Click do Leitor

Opinião

Bem-vindo à Copa do Mundo Pensar em Copa do Mundo é pensar na maior competição internacional da história do esporte. Estamos falando de um evento disputado pelas seleções das 208 federações afiliadas à FIFA! As 19 edições da Copa do Mundo foram vencidas por oito seleções diferentes, mas o Brasil tem uma história única e particular: nosso país, pentacampeão mundial, foi o único a ter disputado todos os torneios. A cada quatro anos, desde a edição inaugural, em 1930 - à exceção de 1942 e 1946, quando não ocorreu em função da Segunda Guerra Mundial -, a Copa do Mundo de Futebol mobiliza nações. Hoje, com o poder dos meios de transmissão e a força da mídia, o Mundial se tornou um evento mobilizador de massas. Não que não fosse antes,

Falta de educação

mas, hoje, seu poder é instantâneo... O JB Ilha dá as boas-vindas à Copa do Mundo e à Seleção Brasileira. Não podemos perder a alegria ou deixar de comemorar o fato de termos a maior festa esportiva dentro de casa. Vamos torcer pelo hexa... mas com consciência! Defendemos, sim, uma transparência total dos gastos da Copa. Também somos a favor de manifestações, desde que sem excessos e sem violência. O que não podemos é ficar inertes diante das más gestões políticas, das obras superfaturadas e do desvio de dinheiro público.

O insulano Alberto Neves nos enviou esta triste imagem do lixo jogado no bairro do Galeão, entre a calçada e a Estrada das Canárias, em direção ao Moneró. Segundo Alberto, é comum esta cena e, muitas vezes, o lixo chegar a ficar, literalmente, no meio da rua. “E não podemos somente criticar a Comlurb. A falta de educação é dos próprios moradores da comunidade, que jogam seu lixo em qualquer lugar”, diz.

Falta de educação 2

Sugestões de pauta: redacao@jbilha.com.br.

Interligados Veja o que nossos leitores andam comentando no site jbilha. com.br Thabata Pacífico Enviado em 27/05/2014 às 18:56 Morri com a prima da noiva! hahahahaha Muito boa essa seção de Crônicas, mas esse texto, em especial, está ótimo. Parabéns! Sobre a seção de Crônicas de Patrick de Oliveira no site jbilha. com.br

cuidado aos pacientes. Parabéns, Dra. Martha. Sobre a matéria Home Care no SUS – Edição 5 Regina Claudia Pereira Pinho Enviado em 05/05/2014 às 16:38 Tenho um filho autista, gostaria de saber como posso entrar em contato com vcs. Sobre a matéria Vencendo o preconceito – Edição 3

Jorge Annibal Enviado em 26/05/2014 às 20:46 Dra. Martha tem toda razão. A qualidade de assistência à saúde tem que ser integral. É onde o home care entra para aumentar o

O lixo amontoado no bairro do Galeão é jogado pelos próprios moradores

O estado deplorável em que se encontra o Parque Poeta Manuel Bandeira, às segundas-feiras de manhã, foi alvo de reclamações da nossa leitora Maria Eduarda Figueiredo. “Moro no Cocotá e atravesso o aterro diariamente para pegar as barcas rumo ao Centro do Rio. Sinto vergonha! Toda segunda-feira sou obrigada a caminhar no meio de todo tipo de lixo. Esse lixo é gerado na feirinha que acontece aos domingos. Até concordo que talvez não haja lixeiras em quantidade suficiente para recolher todo o lixo, mas caberia aos donos das barracas, principalmente das barracas de comida, disponibilizar lixeiras ou barris para os seus clientes. Onde

O Aterro do Cocotá repleto de lixo após a feirinha de domingo

está a fiscalização? Muito mais importante do que deslocar não sei quantos garis para limpar o

parque, seria educar a população, nem que seja na marra. Cadê o lixo zero?, reclama.

Ganhando terreno José Dias, porteiro do edifício Cean (n°2751, na Estrada do Galeão, em frente ao Extra) é só elogios para o JB Ilha. Para José, o jornal tem muita variedade e informações da Ilha, tudo numa linguagem leve. “Sempre leio o jornal, gosto muito. E, quando chega aqui no prédio, acaba logo”, diz.

O porteiro do Edifício Cean não perde uma edição do JB Ilha

Expediente Jornal de Bairro

Visite o site www.jbilha.com.br

O Jornal JB ILHA é uma publicação da Edição 1 Comunicação e Serviços Ltda. Tiragem: 15 mil exemplares Gerente Editorial: Mauricio S Lima (MT.20.776) Site: www.jbilha.com.br Jornalista Responsável: Ana Cristina Soares (MTB: JP21046/RJ) E-mail: redacao@jbilha.com.br Estágiaria de Jornalismo: Juliana Santos Redação: 2462-1933 Projeto Gráfico e Diagramação: Bianca Santiago Departamento comercial: 3353-0450 Fotografia: Equipe Edição 1 Comunicação


ESPoRTE EM FoCo 3

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

PEQUENA ÁREA

EDILSON SILVA Jornalista, apresentador do Balanço Esportivo CNT e locutor esportivo. pequenaarea@jbilha.com.br

Salvos pelo gongo Com todos os olhos voltados para a Copa do Mundo, minha preocupação ainda continua sendo o futebol carioca.

O início do Brasileirão está sendo ruim para os clubes da cidade maravilhosa, com a exceção do Fluminense, que briga na parte de cima da tabela. Botafogo e Flamengo namoram a zona do rebaixamento e, na série B, o Vasco ainda não conseguiu empolgar e passar confiança ao seu torcedor. Essa paralisação do Brasileiro para Copa do Mundo veio no momento certo! No Botafo-

go, Mancini clama por reforços, mesmo sabendo que o clube vive uma delicada situação financeira. O técnico vai ter muito trabalho para dar um padrão tático a uma equipe com poucas opções, em um campeonato longo e difícil como o Brasileirão. A falta de planejamento pode ser fatal para o destino de um clube. Falando em planejamento, a inesperada mudança de treinador no Flamengo também aumentou a responsabilidade de Ney Franco à frente do Rubro Negro. Vai ser preciso foco, treinamento e reforços para não repetir a campanha vexatória do ano passado. Ter uma gestão responsável é importantíssimo, mas a atual diretoria do Flamengo tem que entender que o clube precisa de resultados para continuar gerando grandes receitas... mas acho que a cúpula rubro negra ainda não achou o meio termo entre corte de custos e investimento no futebol. No Vasco não há outra possibilidade que não seja o retorno para Serie A. A grandeza do clube cruzmaltino não combina com a segundona. E se esse momento político é conturbado em São Januário, a força da camisa vai ter que passar por cima disso tudo para voltar a brilhar. Agora é torcer para que no retorno do campeonato a história seja diferente. Precisamos fazer valer a tradição do futebol do Rio e voltar a brigar na parte de cima.

No clima da Copa

AFIADAS

É gol. Chova ou faça sol, peladeiros do Galeão entram em campo Bater uma bolinha com os amigos e jogar conversa fora após a pelada é um programa típico do carioca, principalmente em época de Copa do Mundo. No bairro do Galeão, o time Estrela do Galeão é um exemplo clássico da turma apaixonada por futebol, que se reúne semanalmente para jogar, esteja o tempo bom ou ruim.

tendimentos com outros grupos. “Esse é o único campo aqui do Galeão, é a única área para treinos. Por isso, é utilizado por outras equipes que também disputam torneios. Mais de oito times se reúnem aqui ao longo da semana”, explica Jefferson. Sobre a Copa do Mundo, Jefferson diz que as expectativas em relação à seleção são boas. “Aqui

Acho que os protestos são sempre válidos. Mas a partir do momento que tem vândalos no meio, a segurança pública tem que conter esses infratores. Tem que baixar o cacete mesmo.”

Ex-jogador Ronaldo, membro do COL da Copa do Mundo de 2014

O Estrela do Galeão é o time da região que tem mais títulos

Torcendo pelo Brasil

Organizado por Jefferson Medeiros Dutra, o bate-bola acontece todo domingo, entre 9h30 e 11h40 da manhã. “Nossa pelada existe há mais de 20 anos e passa de geração em geração. Todo domingo a gente vem fazer o que mais gosta: jogar bola”, declara, lembrando que o Estrela do Galeão é o time da região que tem mais títulos. De acordo com o organizador, participam atualmente do grupo 23 rapazes, todos moradores do Galeão. O cumprimento do dia e horário em que o campo é utilizado, segundo ele, é fundamental para que não haja desen-

Nesses 90 milhões de euros estavam incluídos o dinheiro do cafezinho do pai do Neymar e uma orgia no hotel Piccadilly, em Londres. Porque ele cobra qualquer coisa.”

Laor, ex-presidente do Santos

Jefferson Dutra, organizador da pelada

estamos no clima. Vamos todos torcer pelo Brasil”, finaliza.

É só ver as notícias sobre contrabando, várias outras notícias que eu poderia entrar em questão. Mas não é do meu caráter. Prefiro manter meu nível. É só ver o histórico e o caráter dele e comparar”.

Lucio, zagueiro do Palmeiras, sobre Emerson Sheik


4 NoTÍCIAS

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

Belos dribles e gols de placa Torneio. Copa Ilha Kids revela jovens craques e reforça o futebol no bairro Foram quatro dias de muita alegria, muita torcida, belos dribles e muitos gols. A Copa Ilha Kids de Futebol Soçaite, organizada pela Ilha Entretenimento, foi um sucesso. O evento reuniu 28 times de cinco categorias diferentes: juvenil, infantil, mirim, pré-mirim e fraldinha, que disputaram o título em dois finais de semana: 17, 18, 24 e 25 de maio. Segundo Diego Vidal, organizador do evento, das 28 equipes participantes, cerca de 20 eram da Ilha. “Mobilizamos, por dia de evento, cerca de mil pessoas, contando jogadores, arbitragem, pais, familiares e torcida”, calcula. As finais foram realizadas no domingo, dia 25, no Esporte Clube Cocotá, e o Núcleo Vasco Cocotá foi o campeão em duas categorias: juvenil e fraldinha. O Fluminense A faturou o caneco pela categoria infantil. Pela categoria mirim, o Fluminense subiu ao lugar mais alto do pódio; enquanto o JH foi o vencedor pela categoria pré-mirim. “A partida entre Vasco Cocotá e JH, pela categoria Fraldinha, maltratou os corações dos pais e da torcida. Os pequenos vascaínos chegaram a abrir 3 a 1 no placar, mas os valentes atletas do JH buscaram o empate. Como não havia tempo para mais nada, e com a vantagem do empate, o Vasco Cocotá levou o titulo na categoria”, contou Diego. Para o organizador, embora todas as equipes tenham bons jogadores, os grandes finalistas fo-

ENÉAS AMARAL Psicanalista, Teólogo e fundador da Escola Ponto Freudiano. nossodiva@jbilha.com.br

Diga não à exploração sexual de crianças

“Um grande mal tem assola-

As finais foram realizadas no dia 25, no Esporte Clube Cocotá, e reuniram cerca de mil pessoas

ram mesmo Fluminense e Vasco, pela categoria mirim. No final deu Fluminense 4 x 3 em cima do Vasco Cocotá. “Foram duas equipes mui-

to fortes, que duelaram do inicio ao fim. Foi um jogo tenso, de belas jogadas, pressão total da torcida e decidido na raça”, comentou.

De acordo com Diego, o Vasco tem jogadores bons em todas as categorias, mas um dos destaques, em sua opinião, é Gu-

temberg, camisa 6, da categoria juvenil. “Esse menino vai ser um grande zagueiro. É centrado e bastante profissional”, aposta.

do o país e atingido uma parcela da sociedade que mais necessita ser protegida: o mal é a exploração sexual infantil” - Ao ler esse texto da Talita Araújo esta semana, percebi a necessidade de escrever sobre esse assunto. Uma coisa me preocupa, e muito! As marcas deixadas por este trauma são carregadas ao longo da vida e fazem com que algumas pessoas tenham dificuldade de se relacionar, outras a terem relacionamentos doentios, e há aquelas que chegam à morte. A Copa do Mundo no Brasil

começa agora, dia 12 e, com isso, quero apresentar algumas informações da Childhood (entidade sueca especializada em proteção à infância), que divulgou que na Copa do Mundo da FIFA, na África do Sul, houve um aumento nos casos de exploração sexual infantil em torno de 63%. No Mundial na Alemanha foi de 28%; e nas Olimpíadas da Grécia alcançou 83%, sendo que este aumento ocorreu em apenas dois meses, no período entre a chegada e saída das delegações. “A repetição desta violência no Brasil está mais

do que anunciada, uma vez que já temos notícias de que existem propagandas no exterior apresentando o Brasil como país de fácil acesso ao sexo em qualquer idade”. É importante que toda sociedade se engaje nesta luta! Dicas que ajudam a proteger o seu filho: esteja bem informado quanto à realidade sobre a exploração sexual infantil e oriente o seu filho, independentemente da idade (abusos geralmente ocorrem na primeira infância). Disponha de tempo com o seu filho, ouça a criança e acredite nela.

Conheça os amigos dos seus filhos e os seus pais; incentive a escola a falar sobre este tema. Entre 18 meses e 3 anos, ensine a criança a falar as partes do corpo humano. Entre 3 e 5 anos, ensine sobre o “toque do bem” e o “toque do mal” em determinadas partes do corpo; após 8 anos, inicie aos poucos a conversa sobre regras, condutas e reprodução humana. E cuidado com as redes sociais! Denuncie: Disque 100 ou por e-mail:disquedenuncia@sedh. gov.br


ENTREVISTA 5

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

Presidente da FARJ é da Ilha Braçadas. Celso Oliveira quer que os clubes do bairro voltem a brilhar na natação Morador da Ilha há mais de 30 anos, Celso Oliveira é o novo Presidente da Federação Aquática do Rio de Janeiro (FARJ). Eleito em assembleia realizada no dia 5 de maio, Celso, que irá cumprir um mandato-tampão (seu antecessor pediu para sair), declarou em entrevista exclusiva ao JB Ilha que tem como principal objetivo recuperar a saúde financeira da Federação. “A FARJ já foi a Federação mais forte do Brasil. Já tivemos grandes campeões. Infelizmente, nossa qualidade técnica caiu muito e, hoje, não estamos nem entre as cinco melhores do país”, lamenta, dando como exemplo a equipe de natação do Flamengo, que chegou a conquistar 17 vezes consecutivas o Campeonato

“Na verdade, eram os clubes menores que ‘faziam’ os jovens nadadores, e isso se perdeu! Minha ideia é fazer com que esses clubes menores voltem a ser o verdadeiros celeiros da natação.” Troféu Brasil. “Hoje o Flamengo não chega nem ao quinto lugar”, completa o novo Presidente, que mora no Tauá. Segundo Celso Oliveira, a Ilha

Celso tem como uma de suas prioridades recuperar a saúde financeira da Federação

também perdeu muito depois que o Iate Clube Jardim Guanabara e o Jequiá Iate Clube deixaram de ser uma grande força no Rio de Janeiro. “Esses clubes tiveram grandes atletas e equipes fantásticas de natação na década de 80, mais precisamente em 82, 83 e 84. Lamentavelmente, esse sucesso ficou no passado. Agora, que tenho a oportunidade de estar à frente da FARJ, vou tentar resgatar essa história”, diz.

Arraiá da São José Operário

Já está tudo pronto para a Festa Junina da Ação Social – Paróquia São José Operário, que vai acontecer nos dias 6 e 7 de junho, na Praça Jerusalém, na Praia da Bica. Na sexta a festa será das 19 às 23 horas; no sábado será de 12 às 23 horas. Haverá barracas com comidas típicas e muitas brincadeiras.

Show da banda Celebrare

A banda Celebrare fará show no dia 14 de junho na União da Ilha, às 22 horas. Os ingressos estão à venda na quadra da escola. Pista: R$ 25,00; mesa com quatro lugares: R$ 25,00; e camarote com 10 lugares: R$ 500,00.

Apoio às travessias

Para que o cenário do Rio de Janeiro volte a melhorar, de acordo com Celso, é preciso mudar o modelo de disputa da natação. Hoje, os nadadores das categorias de base, que eram crias dos pequenos clubes, estão nos grandes clubes. “Na verdade, eram os clubes menores que ‘faziam’ os jovens nadadores, e isso se perdeu! Minha ideia é fazer com que esses clubes menores voltem a ser o verdadeiros celeiros da natação”, explica. Embora não seja de responsabilidade da Federação, eventos como as maratonas aquáticas Rei e Rainha do Mar terão total apoio da FARJ, de acordo com Celso Oliveira. “Essas maratonas aquáticas são eventos ‘do momento’. Apesar disso, estamos atentos. Hoje existe uma empresa que organiza essas competições, junto com os nadadores Luiz Lima e Pedro Monteiro, que tem e continuará tendo total assistência da nossa parte”, garante.

Golpe nos caixas Roubo. Moradora da Ilha é vítima em agência no Cacuia O vídeo de um policial descrevendo como bandidos agem para roubar as senhas de clientes que utilizam caixas eletrônicos bateu recorde de compartilhamentos nas redes sociais e, mesmo assim, não impediu que Sueli Cortezia, moradora da Ribeira, fosse vítima de um golpe semelhante numa agência bancária do Cacuia. No sábado, dia 24 de maio, Sueli foi até sua agência depositar um cheque, mas não conseguiu concluir a operação. “Foi quando um rapaz muito bem vestido, me aconselhou a utilizar outro caixa eletrônico, porque aquele não estaria funcionando”, conta. Quando Sueli já estava em ou-

tro caixa, onde conseguiu efetuar seu depósito, uma moça entrou no banco reclamando que haviam sacado um alto valor na sua conta. “Foi quando puxei um extrato e vi que constava um saque em minha conta no valor de R$ 1.800,00, com a data daquele dia! Fui direto dali para a 37ª DP. Suspeito que o rapaz que veio falar comigo está envolvido”, diz.


6 ESPECIAL

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

Um amor que nasceu no céu Retratos. Apaixonado pela Ilha, o ex-piloto e fotógrafo Hélio Salmon gostaria que o bairro fosse incluído em roteiros turísticos durante a Copa ressalta. Embora reconheça que a Ilha do passado deixou saudades, Salmon lamenta que os turistas que virão ao Brasil para a Copa do Mundo sequer conhecerão o bairro. “Sabemos que a Ilha pa-

Hélio lembra com saudades da época em que a Ilha tinha praias de águas limpas

Ex-piloto e apaixonado pela arte de fotografar, Hélio Salmon conhece a Ilha do Governador por um ângulo que poucos privilegiados já tiveram a oportunidade de ver: do alto! Morador do bairro desde os 6 anos de idade, ele afirma, pesaroso, que a Ilha já foi muito mais encantadora vista de cima, numa época em que suas praias eram de águas limpas. “Eu pescava camarão na Praia da Bica, que tinha águas límpidas. A vista era espetacular”, recorda. Dono de um acervo de fotos raras da Ilha - feitas por ele mesmo, como hobby -, ele afirma que o bairro é repleto de belezas encantadoras, e só quem viveu em

terras insulanas no passado sabe do que ele está falando. “Infelizmente a Ilha do passado ficou apenas na memória. As crianças e os jovens de hoje conhecem apenas uma Ilha de praias poluídas”, lamenta. Apesar de ter vivido um tempo fora, Salmon sempre foi um apaixonado pelo bairro e, na primeira oportunidade que teve, voltou para a Ilha. Morou no Tauá e, posteriormente, nos Bancários, onde viveu até se casar. “Depois que me casei fui morar no Flamengo mas, após um ano, voltei para Ilha e fui morar no Jardim Guanabara, onde estou até hoje”, conta.

Mais do que hobby, uma paixão

Hélio Salmon ficou três anos na África, mais precisamente na Libéria, onde trabalhou para a Panair do Brasil. Quando retornou ao Brasil, foi para a Companhia APSA (Peruana), onde permaneceu até 1968, ano em que foi para a Vasp. “Depois voltei a trabalhar para a africana South African e, nesse período, entrei para o aeroclube de Nova Iguaçu, onde me formei piloto privado e comercial”, explicou. “Mas durante todo este período, nunca me afastei da fotografia, um sonho que consegui concretizar ao longo do tempo”,

dece de alguns problemas, como as praias poluídas e o transporte precário; mas ainda é um bairro de muitas belezas naturais e com construções seculares, que merecia ser incluído nos roteiros turísticos”, opina.


ANTENAdoS 7

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

VOCÊ EM ALTA

TIAGO BRUNET Palestrante, professor da Escola de Empreendedorismo Multifocal e coach da Get Up Consultoria. Autor do livro “Rumo ao lugar desejado” tiago.brunet@jbilha.com.br

Hora de decidir Não tem jeito! Chega uma hora da sua vida em que você tem que decidir. Especialistas dizem que tomamos cerca de 300 decisões por dia. Se vamos escovar os dentes ou não, se viro para direita ou para esquerda, se vou para o trabalho de carro ou de transporte público etc. Porém, existem decisões que alteram nosso destino. É sobre elas que gostaria de focar nesta coluna e nas próximas edições. A decisão de casar-se, de morar em outro país, de fazer uma ou outra faculdade, de aceitar um novo emprego ou de comprar um imóvel, pode alterar o rumo de sua vida. Sendo assim, como tomamos decisões tão importantes sem

ter o mínimo de preparo específico? Quantas coisas em nossa vida profissional, familiar, financeira e emocional estão em desordem por causa de decisões nossas? Existem treinamentos ou regras para tomar boas decisões? Não garanto isso. Mas, no mínimo, existem princípios imutáveis, que sempre guiaram os mais sábios dos seres humanos. Gostaria de compartilhar o primeiro dos três tópicos que serão abordados e devem ser analisados antes das suas decisões:

Conselhos

Jamais tome uma decisão sem se aconselhar com pessoas experientes, que já passaram pela mesma situação e que sejam de sua confiança. Pais, professores, líderes espirituais, amigos, familiares, mentores... todos eles podem ser de grande utilidade na hora de decidir. Não se esqueça dos especialistas! Se você está em dúvida se fará uma faculdade de física ou engenharia, por exemplo, converse com profissionais que se formaram nessas áreas e julgue as respostas. Analise o mercado e as condições atuais do trabalho de cada setor. Na próxima edição falaremos sobre outras duas medidas que podem ser tomadas antes da tomada de qualquer decisão.

Exército abre concurso EsPCEx. Inscrições vão até 23 de junho A Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx) anunciou a abertura de concurso público com o objetivo é preencher 500 vagas para matrícula no curso de Formação e Graduação de Oficiais de Carreira da Linha de Ensino Militar Bélico. Os interessados têm até o dia 23 de junho para realizar inscrição, com taxa de R$ 80,00, pelo site www.espcex.ensino.eb.br. Podem participar candidatos com ensino médio completo que tenham idade entre 17 e 22 anos,

completos até 31 de dezembro do ano da matrícula; altura mínima de 1,60m, entre outros requisitos. Os profissionais que concluírem o 1º ano do curso com aproveitamento serão matriculados na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e declarados Aspirantes-a-Oficiais. Caso sejam aprovados e classificados na AMAN e aprovados no estágio probatório podem ser promovidos a Oficial do Exército Brasileiro. A validade do concurso é de 30 dias após a data da matrícula.

Os candidatos devem medir 1,60 m

Vagas para sargentos Exército Brasileiro. Mais de mil oportunidades para diversas áreas O Departamento de Ensino e Cultura do Exército Brasileiro (DECEx) anunciou a abertura do concurso público que visa a admissão e matrícula nos Cursos para Formação de Sargentos (CFS), com início em abril de 2015 e término em dezembro de 2016. Os CFS serão realizados em dois períodos,

sendo o básico composto por 34 semanas, e o de qualificação por 43 semanas. Podem participar candidatos com ensino médio completo, e que possuam no mínimo 17 anos e no máximo 24, com exceção da área de Saúde, cujo limite da faixa etária é de 26 anos, conside-

A opinião de um candidato à carreira militar

na”, diz. Para quem deseja realmente seguir a carreira militar, ele dá dicas. “A pessoa tem que ter bastante força de vontade, ser responsável e estudar bastante para crescer lá dentro”, ensina o estudante, que não vê a hora de atingir seu objetivo. “Eu indico a carreira militar! Como militar, aprendemos a ser mais organizados, a ter espírito de união, a dar valor as coisas que temos e ainda contamos com a estabilidade financeira”, conclui.

O estudante Philipe Cordeiro, 22 anos, aluno do Curso Progressão, vem se preparando há pouco mais de um ano para o Curso de Sargento da Aeronáutica (EAGS) que acontecerá em junho. Dedicado e focado, ele diz que é preciso muita força de vontade nesse período de estudo, e que a diversão deve ser deixada de lado. “Também é importante fazer muito exercício”, aconselha. Philipe conta que alguns concursos militares aplicam duas provas, uma para os civis que qualquer pessoa pode fazer -, e outra só para os militares, o que diminui o número de candidatos por vaga. “Se o candidato aprovado já for militar, terá mais facilidade para se adaptar aos regulamentos e à doutri-

rando a data de 31 de dezembro do ano da matrícula. As inscrições devem ser efetuadas até 7 de julho de 2014, pelo site www.concurso.esa.ensino. eb.br, ou mediante o envio de documentação impressa, caso o candidato não possa fazê-la pela Internet.

Philipe vem se preparando há mais de um ano para a prova


8

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014


PANoRAMA 9

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

BLOG DO JP

JORGE PEREIRA Empresário blogjp@jbilha.com.br

Chance perdida

Segundo ambientalistas, o país perdeu uma grande chance de melhorar sua infraestrutura ambiental. Isso porque, dos R$ 688 milhões prometidos para investimento no projeto Parques da Copa, apenas 0,15% foi gasto, ou seja, R$ 1 milhão. Mais uma vez, faltou planejamento.

Mais um atraso para a Copa

O novo sistema de bonde de Santa Teresa - que deveria começar a funcionar em junho para atender aos moradores do bairro, visitantes e turistas que estarão na cidade por causa da Copa da Mundo - terá sua operação experimental apenas em agosto! Porém, já escutei por aí que se as obras continuarem nesse ritmo, o governo do estado só entregará o sistema totalmente revitalizado em quatro anos e meio...

“Como disse o Secretário Beltrame, se a polícia do Rio é que mais prende, é no Rio que a Justiça mais solta dos presídios.”

Estamos realmente seguros?

Em apenas três das 39 áreas integradas de segurança pública (Aisp) do estado houve redução da violência no segundo semestre do ano passado, o que refletiu diretamente na premiação de policias civis e militares: esse foi o semestre em que houve o menor número de beneficiados desde o início do Sistema de Metas e Acompanhamento de Resultados, em 2009. Como disse o Secretário Beltrame, se a polícia do Rio é que mais prende, é no Rio que a Justiça mais solta dos presídios.

Educação em alta

Eis uma excelente notícia!Foi aprovado, por unanimidade, na Câmara dos Deputados, o texto-base do projeto que institui o Plano Nacional de Educação (PNE). O plano, que tem como objetivo estruturar toda a estratégia do país de melhoria da educação, estabelece 20 metas a serem cumpridas nos próximos dez anos, entre elas a erradicação do analfabetismo e o aumento de vagas em creches, no ensino médio e profissionalizante, e nas universidades públicas.

Indefensável

A menos de 20 dias para a Copa do Mundo, chegou às livrarias “Indefensável”, dos jornalistas Leslie Leitão, Paula Sarapu e Paulo Carvalho, que detalha a trama que resultou na morte de Eliza Samúdio, planejada e calculada por Bruno, então goleiro e capitão do Flamengo. Na época do crime, Bruno era um dos nomes mais cotados para atuar pela seleção brasileira no Mundial de 2014.

Não haverá racionamento Energia. Secretário Altino Ventura garante que será possível atender à demanda até o fim do período seco O secretário de Planejamento e Desenvolvimento do Ministério de Minas e Energia, Altino Ventura, garantiu que o Brasil não terá de racionar energia elétrica. Segundo ele, mesmo no cenário mais pessimista, será possível atender à demanda por energia até o fim do período seco. Na avaliação do secretário, não haverá racionamento mesmo que se repita esse ano o pior nível hi-

drológico da série histórica iniciada em 1931. “Todas as nossas análises mostram que o sistema, estruturalmente, está equilibrado. Isso significa que, com a geração hidráulica que estamos tendo, complementada pela geração térmica, temos condições de atender ao sistema até o final do período seco, sem racionamento”, disse Ventura.

Secretário: o sistema está equilibrado

Soluções sustentáveis Consumo. Especialista insulana em eficiência energética aposta na conscientização da população para que projetos saiam do papel Arquiteta, mestre em planejamento energético e consultora em sustentabilidade e eficiência energética, a insulana Myrthes Marcele afirma com propriedade que o Brasil, hoje, está à beira de uma crise. Segundo ela, isso ocorre porque o país não tem uma política de eficiência energética condizente com a demanda. “Estão colocando as térmicas que poluem para funcionar, quando temos um dos melhores sistemas de geração de energia elétrica do mundo, um sistema hidrelétrico fantástico, interligado com a matriz limpa, que, por falta de planejamento, está sendo subutilizado”, explica Myrthes, que é também especialista em sistemas energéticos. Para a arquiteta, a conscientização da população em relação ao consumo consciente e ao aproveitamento dos recursos naturais como o sol e o vento para a geração de energia limpa deveria ser uma das prioridades do governo. “Aqui na Ilha, por exemplo, estamos próximos à Baía de Guanabara e poderíamos aproveitar a ventilação para reduzir o uso do ar condicionado. Mas não temos essa cultura. Não sou contra o uso do ar condicionado quando necessário, mas as pessoas, além de usarem indiscriminadamente, ligam o aparelho, deixam portas ou janelas abertas, e esquecem que, para um equipamento desses funcionar, há uma infraestru-

tura de geração de energia por trás”, observa.

Programas não se comunicam

Para Myrthes, o Programa de Etiquetagem de Eficiência Energética foi um grande passo do governo federal no sentido de adotar soluções na concepção dos projetos de edificações, que hoje são responsáveis pelo consumo de metade da energia elétrica gerada no Brasil. O programa diz que determinado edifício, seja comercial ou residencial, tem de oferecer as melhores condições ambientais com o menor consumo de energia possível. “O programa de etiquetagem foi uma medida muito importante do governo para a melhoria das nossas construções,

para que sejam mais eficientes. Infelizmente, o programa Minha Casa Minha Vida, fundamental para diminuir o déficit habitacional, não atende à regulamentação. Ou seja, os projetos do governo federal não se comunicam. O que esperar da população?”, lamenta. Como arquiteta, Myrthes Marcele participa, estuda e acompanha a regulamentação do Programa de Etiquetagem de Eficiência Energética, considerado por ela um dos melhores do mundo. “É nítido que a maioria das construções não atende ao programa. As pessoas constroem pensando somente na parte estética. Por isso acredito que a conscientização da população é fundamental para que os projetos saiam do papel”, diz.


10 BEM-ESTAR

Mais Mulher

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

Para mães e babás Cursos. Empresa na Ilha oferece soluções na área materno-infantil

ENI PENICHE Psicóloga, coach e palestrante, pós-graduada em medicina psicossomática. www.psicologaenipeniche.com maismulher@jbilha.com.br

O estresse diário Estudos sobre o estresse na área da neurociência demonstram que nosso cérebro se assemelha a um computador de altíssima geração: comanda nosso corpo e interage com ele e com o meio, se autorregulando, visando manter a estabilidade e garantir a sobrevivência. Para se adaptar ao meio, muitas vezes hostil, o organismo desenvolve um mecanismo de defesa que esta centrado no cérebro, e que é disparado toda vez que uma pessoa está diante de um perigo ou ameaça: crise financeira, instabilidade profissional etc... Essas ameaças são frequentes em nossas vidas e, atualmente, são mais fáceis de serem percebidas e compreendidas. Entretanto, quando a tensão é prolongada e o indivíduo não consegue livrar o organismo do estado de estresse, sua saúde é prejudicada. O desequilíbrio criado pelo estresse, quando prolongado, pode gerar sintomas psicológicos e físicos que, consequentemente, resultarão em doença. Para quem anda em ritmo acelerado, a perda é em qualidade de vida. É importante uma transformação, garantindo um fortalecimento emocional para que menos coisas sejam percebidas como “ameaçadoras”. Desta forma, torna-se possível economizar energias emocional e orgânica para utilizar em questões mais interessantes e produtivas, melhorando assim o gerenciamento do estresse e a qualidade de vida.

As mamães do bairro, principalmente as de ‘primeira viagem’ vão aplaudir de pé a iniciativa de duas enfermeiras – Andréa Vieira e Aline Fleming - que deixaram seus plantões em hospitais para investir na Mami Bebê e Gestante, uma empresa focada na área materno-infantil, que oferece cursos diversos, como o de “shantala”, “capacitação de babás”, “atualização para avós” e o de “gestantes”, que aborda temas como gestação, nutrição durante a gestação e o pós-parto, amamentação e cuidados com o bebê.

Inscrições devem ser feitas pelo site

Segundo Andréa Vieira, enfermeira com especialização em obstetrícia e pós-graduada em enfermagem neonatal, a Mami Bebê Gestante está abrindo turmas para um novo curso, o de “desmame e papinha”, que será ministrado por uma nutricionista especializada no tema e terá início no dia 7 de junho. “Este curso vai abordar a fase em que a mãe tem que voltar a trabalhar, tirar o peito e começar a introduzir os alimentos sólidos, como as frutas e as papinhas salgadas”, detalha a enfermeira,

lembrando que as vagas são limitadas. “Nossas turmas são reduzidas, com uma média de sete pessoas. Priorizamos a qualidade das aulas”, diz. A empresa, pioneira na Ilha do Governador, fica na Estrada do Galeão e também oferece outros serviços, como orientação domiciliar pré e pós-parto sobre os cuidados com a mãe e o bebê, e orientação e acompanhamento nutricional. As inscrições para os cursos podem ser feitas pela página de contatos do site mamiebebe.com.br.

Pílula anticoncepcional Benefícios. Já é possível encontrar versões que melhoram a pele e combatem a TPM Se você pode contar seus tios em uma mão, é possível que sua avó tenha feito parte do grupo das pioneiras a usufruir do maior benefício da pílula anticoncepcional: a escolha de ter filhos. Mas o planejamento familiar tinha um preço doloroso. As usuárias sofriam com inchaço e sensibilidade nas mamas, fruto da retenção de líquidos e, ao optar pela gravidez, elas esperavam meses até a ovulação se normalizar.

Ao longo dos últimos 50 anos, a pílula evoluiu: manteve o principal benefício (99% de garantia contra a concepção) e equalizou os efeitos colaterais. O segredo foi diminuir em até dez vezes a dose hormonal do primeiro anticoncepcional do mercado, lançado em 1960. “Além disso, pílulas de quarta geração oferecem benefícios como a diminuição da cólica menstrual”, diz Achilles Cruz, ginecologista e obstetra do Hospital das

Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. A Organização Mundial da Saúde reconhece que o uso de anticoncepcionais reduz as chances de desenvolver cânceres de ovário e endométrio, anemia, doenças inflamatórias pélvicas, endometriose e cisto de ovário. Não podemos esquecer também seu maior mérito: as gestações planejadas. e a maior participação da mulher no mercado de trabalho.

As pílulas hoje têm menos hormônios


CULTURA 11

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

LIVRO ABERTO

GEORGE PEREIRA Professor em artes cênicas e crítico cultural, bacharel em cinema e tv e pós-graduado em gestão. livroaberto@jbilha.com.br

Incentivo para todos As leis de incentivo ajudaram a potencializar os nossos talentos nacionais. Os grandes investimentos e as grandes produções possibilitaram que nossos filmes e espetáculos começassem a brigar em igualdade com grandes centros culturais do mundo; mas esse investimento é pra poucos e isso me preocupa. A base da política pública cultural no Brasil são as lei de incentivo fiscal. Tem federal, estadual e municipal, e cada uma renuncia uma parte do imposto que lhe

cabe, para que o pagador de impostos invista diretamente em projetos culturais. A lei mais utilizada deste cenário todo é a “Lei Rouanet”. A grosso modo, este incentivo é interessante, porém, o mercado tem deturpado o apoio. Primeiramente, a Constituição Brasileira estabelece que a cultura é um dever do Estado, do qual o Governo vem se afastando, sem sofrer nenhuma sanção legal, pois transfere para a iniciativa privada a responsabilidade de investimento. O que venho cobrar aqui é uma participação maior do Estado na produção e

Lúdico e futurista

difusão cultural, para que o apoio financeiro não fique na mão de empresários. Outra questão muito contraditória é o valor dos ingressos. Grandes espetáculos arrecadam milhões em incentivos e renúncias fiscais, dinheiro suficiente para bancar todos os profissionais envolvidos. Mesmo assim, são cobrados valores acima de R$ 80 nos ingressos. O governo não pode permitir isso! Chegamos ao absurdo de bancar a vinda do “Cirque du Soleil” ao Brasil, gastando cerca de R$ 9 milhões dos cofres públicos, para que estrangeiros cobrassem de nós

Com Juliana Silveira

Lançamento. Livro A Marcha dos Imortais fala do impacto da longevidade da população na Previdência Social

Márcio George na noite de autógrafos, na Livraria da Travessa

O escritor insulano Marcio George lançou, em maio, o livro “A Marcha dos Imortais”, com direito a duas noites de autógrafos, que tiveram a presença de amigos e familiares do autor: uma na Livraria da Travessa, no Centro do Rio; e outra na Livraria Argumento, no Rio Design Barra. “A Marcha dos Imortais, embora concebido em uma dimensão lúdica e futurista, guarda em si expressivos elementos do mundo real. O mais significativo diz respeito à futura pirâmide social brasileira e o seu impacto na Previdência Social. Em 2050, projeta-se que o país terá uma população envelhecida, serão muito mais idosos que jovens. Neste contexto demográfico, os conflitos entre as distintas gerações tendem a se acirrar. A narrativa explora a ideia de que a longevidade da população se tornará, em breve, um grave problema social”, explica o autor.

Foto: Murillo Tinoco

Quando você descobriu que queria seguir a carreira de atriz? O início é mais difícil? Eu descobri que queria mesmo ser atriz, que eu tinha vocação para a profissão, depois que terminei Floribella (novela infantil, da Rede Bandeirantes). O início é difícil como em qualquer profissão... Você está em processo de aprendizado intenso e torcendo pra ter uma oportunidade no mercado de trabalho. É preciso muita paciência pra saber esperar a sua vez e estar pronto quando sua chance chegar. Qual a importância do estudo para o ator? O estudo é fundamental! Não

ingressos de até R$ 380. Não podemos ter nossa cultura refém do pensamento do departamento de marketing das grandes empresas, que busca o que lhe convém: visibilidade e retorno de mídia. Onde fica a ousadia, o experimento e os novos grupos? Você acredita que um cantor famoso precisa de patrocínio para financiar e lotar seus shows? Não seria melhor direcionar este apoio a quem realmente necessita? É preciso descentralizar os incentivos, mas isso só será possível com a intervenção do Estado. Vamos lutar por isso.

é só estar disponível para cursos de técnicas de interpretação, mas estar atento a tudo que acontece no mundo. Ler o jornal diariamente, frequentar exposições de arte da cidade, ir ao cinema e ao teatro, ler livros, escutar música, enfim... tudo isso pode ser utilizado para a composição de uma personagem. E a sua nova personagem na próxima novela da Record? Vou fazer minha primeira vilã, Priscila Schiller. Ela é dona de uma escola em Petrópolis e tem uma organização neonazista. Vamos abordar o preconceito contra negros, nordestinos e gays. Estou, definitivamente, fora da minha zona de conforto. Estreamos dia 2 de junho, às 21h30. Como você consegue conciliar sua carreira profissional com sua vida pessoal, como mãe e esposa? Neste novo trabalho, minha carga horária não é tão pesada. Consigo gravar minhas cenas em no máximo três dias, durante a semana. Não gosto nem de falar muito... Mas atualmente a vida está equilibrada. Consigo me dedicar bem ao trabalho e à minha família.


12 Cotidiano

Jornal JB ILHA – Número 6 – Junho 2014

TransCarioca se torna realidade... mas nem tanto BRT. Sistema começa a funcionar de forma restrita Conforme divulgado na última edição do JB Ilha, a TransCarioca foi inaugurada no domingo, dia 1° de junho. O evento contou com a presença da presidente Dilma Roussef, do governador Luiz Fernando Pezão e do prefeito Eduardo Paes, além de secretários, políticos, empresários e autoridades do bairro. No Galeão, Dilma inaugurou uma obra inacabada no terminal 2. Apenas o embarque internacional do terminal está pronto. O setor de desembarque está com obras inacabadas e não ficará pronto para a Copa. A visita da presidente, que veio ao Rio inaugurar obras inacabadas foi marcada por protestos dos professores das redes municipal e estadual que estão em

greve. Eles criticaram os gastos públicos com a Copa e pediram mais investimentos na educação.

Ilha-Barra em 70 minutos

O sistema BRT - que ligará o Aeroporto Internacional Tom Jobim ao Terminal Alvorada, na Barra Tijuca - começou a funcionar de forma restrita, 11 dias antes da abertura da Copa do Mundo. Segundo informações oficiais, nesse primeiro momento será oferecido o serviço da estação Galeão ao terminal Alvorada, e a integração com o metrô, em Vicente de Carvalho. Há a expectativa, não confirmada pela prefeitura, de que mais estações estejam funcionando ainda durante o Mundial.

O projeto, orçado em R$ 1,7 bilhão, ligará a Ilha à Barra numa faixa segregada de 39 quilômetros de extensão, com 47 estações, e atenderá a 27 bairros. Serão beneficiados, diariamente, cerca de 400 mil passageiros, que terão o tempo gasto nesse deslocamento reduzido em até 60%. A previsão é de que sejam retirados das ruas cerca de 500 ônibus, contribuindo para diminuir os engarrafamentos nos horários de pico. “A viagem pelo BRT deve ser feita em cerca de 70 minutos. Se fosse seguir esse percurso, o passageiro teria que fazer várias baldeações. Levaria pelo menos três horas”, calcula o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão.

BRT chegará à Portuguesa

Evento que reuniu Dilma, Pezão e Paes teve protesto dos professores

A Prefeitura do Rio decidiu esticar a TransCarioca até a Portuguesa, área central da Ilha do Governador. A futura pista começará na Estrada do Galeão, antes da entrada para a Avenida 20 de Janeiro, que dá acesso ao aeroporto. De acordo com informações da própria Prefeitura, a licitação será lançada ainda neste ano, porém, a obra só deverá estar concluída no final de 2016.

Serão beneficiadas mais de 400 mil pessoas

De olho nos restaurantes

Em vigor. Lei proíbe fornecimento de produtos sem solicitação do consumidor

A lei teve a aprovação dos consumidores

Já está em vigor a Lei número 6788/14, de autoria da deputada Graça Pereira (PRTB), que proíbe que garçons de bares, restaurantes e estabelecimentos similares sirvam produtos aos clientes que não tenham sido solicitados. Pela nova Lei fica estabelecido que qualquer produto ofertado e entregue ao consumidor, sem que tenha sido pedido, será considerado como cortesia ou amostra grátis, e não poderá ser cobrado.

Aprovada pelo consumidor

A nova lei não incomodou o sindicato que representa os bares e restaurantes da cidade. De acordo com Fernando Blower, vice-presidente do Sindicato dos Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro, “a lei é boa porque vem para dar mais transparência na relação entre o cliente e o estabelecimento”, diz. Entre os moradores da Ilha, a opinião foi unânime. Os entrevistados no complexo de bares da

Ribeira e na Praia da Bica, aprovaram. “Se a pessoa tiver vontade, ela vai pedir. Não precisa nenhum garçom forçar a barra”, declara Bruno Fonseca, de 35 anos. “Eu me sentia constrangida quando algum garçom colocava na minha mesa algo que eu não havia pedido. Acabava consumindo, mesmo sem querer. Ainda bem que isso acabou!”, conta Beatriz Mendonça, que tem 26anos.

JB Ilha número 6  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you