Page 1

O

SEMANÁRIO

FUNDADOR: José Barão I DIRECTOR: Fernando Reis

DE

Quinta-feira

I

MAIOR

EXP ANSÃO EXPANSÃO

25 de novembro de 2010 I ANO LIII - N.º 2800

I

Preço 1,10

DO

ALGAR VE ALGARVE

PORTE PAGO - TAXA PAGA

www.jornaldoalgarve.pt

LUÍS GOMES GARANTE:

NESTE NÚMERO

Steven Piedade, presidente da Junta de Freguesia de Montenegro:

"Recenseamento é vital para reforço do orçamento" P3

Agravamento sem precedentes do desemprego deixa milhares em desespero

Algarve entra na pior depressão da sua história P4

Banco Alimentar prepara-se para mais uma campanha

Requalificação da frente de mar de Monte Gordo arranca no primeiro semestre de 2011 Tribunal de Contas já deu luz verde para o início da obra. Investimento de 40 milhões de euros será levado a cabo através de uma parceria público-privada

P8

Festival da Batata-Doce e novo espaço multiusos trazem ministro a Aljezur

P6

Albufeira prepara réveillon de arromba a metade do preço P 12

RADIS Dr. Jorge Pereira

Agora com TAC - Rx - Ecografia - Mamografia RX Panorâmico Dentário Acordos - Convenções ADSE - SAMS - CGD - PSP - CTT - TELECOM - ADMFA ADMG -MÚTUA PESCADORES - MEDIS SAMS QUADROS - MULTICARE Rua Aug. Carlos Palma n.º 71 r/c e 1.º Esq. - Tel. 281 322 606 em frente à farmácia do Montepio (Tavira)

P 13

Ciclismo algarvio arrisca-se a ficar sem equipas no pelotão nacional

P 15


»D

25 I novembro I 2010

OIS

[2]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

E DITORIAL 388

SMS Carlos Albino

Trabalhadores e empresas pagam crise pela qual não são responsáveis

carlosalbino@mail.telepac.pt

Uma enorme desconfiança A comunicação social está cheia de assaltos, crimes violentos e relatos da ladroagem à solta mas o que se escreve, filma e descreve está longe de transmitir a imagem real do que as pessoas sentem e temem. Na verdade, por cada casa que ainda não foi assaltada, há cinco ou seis à volta que foram – há zonas do Algarve onde isso já entrou na rotina e onde novidade será não ter havido assalto a vivenda ontem ou anteontem, seja casa de rico, de pessoa modesta ou manifestamente pobre. Não há escolha, em certas ondas de assaltos que pela frequência, métodos e seleção de alvos, tudo leva a crer que partam de bandos organizados, sem que polícias e tribunais dêem sinais de capacidade e eficácia de combate.

A greve geral de ontem foi uma resposta forte dos trabalhadores e das pequenas e médias empresas às medidas de austeridade que, a pretexto da atual crise, o Governo e os grandes grupos económicos tentam impor. Quem trabalha e produz não entende porque é obrigado a fazer tantos sacrifícios quando, ao mesmo tempo, os grandes grupos económicos e financeiros - os verdadeiros responsáveis por esta crise - continuam a acumular lucros escandalosos. O povo, esse, mesmo com a realização da greve geral, continua sem ver luz ao fundo do túnel e vai continuar a pagar a fatura. Para muitos analistas e comentadores da esquerda à direita - esta profunda crise está diretamente relacionada com uma política de favorecimento dos interesses dos grupos económicos. Enquanto estes beneficiam de favorecimento fiscal, de privatizações e até da transferência de verbas públicas, a força de trabalho é cada vez mais explorada. O caso mais insultuoso para o povo português passa-se na banca, que nestes tempos de crise tem continuado a avolumar

E, sobretudo nas zonas rurais que são também as mais indefesas, há um crescendo de pessoas que cada vez mais estão convencidas de que as forças da ordem são inoperacionais e que haverá uma razão para que assim se pense. É verdade que os agentes até podem estar no terreno e acorrem com rapidez à chamada, mas o resultado é zero – passada uma semana ou mesmo um ou dois dias, lá vem outro assalto mais à frente ou mais ao lado. A desconfiança aumenta sobretudo quando a lei parece estar a proteger mais os criminosos do que as vítimas e quando a máquina da justiça parece estar vocacionada para descobrir as escapatórias que ilibam aqueles a quem uma sociedade normal exige que sejam alvo de castigo e sujeitos de recuperação ou reinserção. E maior é a desconfiança quando os processos ilibatórios até beneficiam agentes da autoridade apanhados em falso, como por estes dias foi noticiado a propósito de um caso de droga. A desconfiança é enorme, não vale a pena pintar a manta e, segundo parece, há falta de voz de comando, falta essa que a sobranceria não compensa nem resolve. Flagrante escaravelho: Continuem a deitar abaixo as alfarrobeiras plantando palmeiras e outras asneiras que os escaravelhos agradecem.

lucros sem que sobre si recaiam as justas cobranças fiscais. E assim se perdem muitos milhões de euros que seriam preciosos para os serviços de saúde, educação e para a melhoria das condições de vida das populações, áreas sociais que agora se vêem confrontadas com cortes “cegos”. Para ultrapassar o problema do empobrecimento do país e a grave situação de desemprego que estamos a enfrentar, é necessária uma nova política económica e que se tomem medidas dirigidas ao apoio às pequenas e médias empresas. Afinal, não pode ser sempre o Zé Povinho a pagar os lucros dos grandes grupos económicos, que provocaram esta crise, mas que agora tentam colocar em prática “medidas de choque” e cortes salariais como a única saída possível para o afundamento do país. Veremos se esta greve geral vai ter alguma influência no Orçamento de Estado, caso contrário, aguardam-se tempos ainda mais difíceis, com o agravamento da injustiça social, do desemprego e da pobreza.

Recorte o Cupão e envie para: JORNAL DO ALGARVE - Rua Jornal do Algarve, 46 - 8900 Vila Real de Santo António

[V

CUPÃO DE ASSINATURA

ER P'RA

CRER]

O SEMANÁRIO DE MAIOR EXPANSÃO DO ALGARVE

Sim! Desejo ser assinante do Jornal do Algarve até ordem contrária

R uína

Nome ............................................................................................................................. Morada ........................................................................................................................... Cód. Postal ....................Localidade................................................................................ Telefone ............... email............................................... Contribuinte ............................ junto envio cheque/vale postal n.º......................... no valor de .................. ou comprovativo de transferência bancária, para a conta da Viprensa, proprietária do Jornal do Algarve NIB:003509090001615533034 / IBAN: PT50003509090001615533034 BIC da CGD: CGDIPTPL ou NIB:004570434000621313537 IBAN: PT50004570434000621313537 - BIC /SWIFT: CCCMPTPL Titular da conta _________________________________ Assinatura ....................................................................................... Data

/

/

Uma janela quinhentista, estilo Manuelino, que existe em Faro, referenciada nos edifícios notáveis da cidade, ilustrativa do estado de abandono do património a que se chegou nesta cidade.

Preços da Assinatura Anual: Portugal 40 euros, Europa 60 euros, resto Mundo 70 euros Atenção: As assinaturas só serão válidas após pagamento

Medalha de Mérito Turístico - Grau Ouro

VIPRENSA Sociedade Editora do Algarve, Lda. Pessoa Colectiva n.º 501 441 352 Capital Social: 60.000,00 Euros Fernando G. Reis: 50% Maria Luísa A. Travassos: 50% Registo ICS n.º 100969 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE IMPRENSA

Editora Luísa Travassos Director Fernando Reis Direcção Financeira António Cabrita Redacção Domingos Viegas, José Cruz, Raquel Ponte, Rita Travassos (VRSA); Neto Gomes, Sofia Cavaco Silva (Delegação de Faro); Nuno Couto (Delegação de Portimão) redaccao@jornaldoalgarve.pt

faro@jornaldoalgarve.pt portimao@jornaldoalgarve.pt Colaboradores Almerinda Romeira, Ana Oliveira, Ana Viegas, Ângelo Cruz, António Manuel, António Montes, Arnaldo Casimiro Anica, Caldeira Romão, Carlos Alberto, Domingos Francisco, Eduardo Geraldo, Eduardo Palma, Emiliano Ramos, Fernando Cabrita, Fernando Graça, Hélder Bernardo, Hélder Carrasqueira, Horácio Neves Baceladas, João Paulo Guerreiro, João Xavier, Jorge Costa, José António Pires, José Azevedo, José Manuel Livramento, José Mestre, José Saúde, Júlio Farinha, Luigi Rolla, Luís Santos, Mendes Bota, Miguel Duarte, Miguel Jorge, Rita Pina, Rogério Bastos, Rui Marques, Silva Lucas, Teresa Cristina, Teodomiro Neto

Enviado por: Paulo Gordinho

Correspondentes Angel Rebollo (Huelva), António Sustelo (Bélgica) Paginação electrónica Irene Salvador, Lídia Palma, Ana Reis Publicidade e Marketing Filomena Reis, filomena@jornaldoalgarve.pt Helena Reis, helena@jornaldoalgarve.pt

(VRSA)

Alzira Correia, portimao@jornaldoalgarve.pt Dep. Assinantes Ana Mendes assinantes@jornaldoalgarve.pt Publicidade, Redacção, Composição, Administração Rua Jornal do Algarve, 46 Apartado 23 8900 Vila Real de Santo António Telefs. 281 511 955 / 56 / 57 Telefax: 281 511 958 jornaldoalgarve@hotmail.com

geral@jornaldoalgarve.pt

Distribuição: Pedaços de Mar, Lda

Delegação de Faro Telm. 914 462 327 faro@jornaldoalgarve.pt Delegação de Portimão: Quinta da Malata, Lote 3, Lj 2 Tel. 282418924/5 Fax: 282418858 portimao@jornaldoalgarve.pt

Depósito Legal n.º 9578-85 ISSN 0870-6433

Impressão: Imprejornal - Sociedade Impressão S.A.

Tiragem média semanal do último mês: 11 500 exemplares

Propriedade: Viprensa Sociedade Editora do Algarve, Lda. Rua Jornal do Algarve, 46 8900 Vila Real Santo António


A

CTUALIDADE

25 I novembro I 2010

[3]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

VOZ DO POVO

PODER LOCAL STEVEN PIEDADE, PRESIDENTE DA JUNTA DE FREGUESIA DE MONTENEGRO:

"Recenseamento é vital para reforço do orçamento" Montenegro é muitas vezes a primeira e última imagem que os turistas têm quando chegam e partem do Aeroporto de Faro. Sede de uma das mais importantes casas de conhecimento e formação da região - a Universidade do Algarve - e por isso mesmo, uma freguesia jovem, tem potencial para ser mais dinâmica mas as dificuldades orçamentais são um entrave Jornal do Algarve - Montenegro acolhe o aeroporto, a ilha de Faro, a universidade. Isso é sinónimo de uma freguesia próspera? Steven Piedade – Claramente, é uma jovem freguesia onde reside uma população predominantemente jovem. Narra a história que as suas gentes dedicavam-se essencialmente a atividades relacionadas com o setor primário, na altura a realidade e a economia locais eram outras. Com a abertura do Aeroporto Internacional de Faro, esta realidade foi sendo alterada progressivamente, houve um incremento na sediação de empresas, na fixação de população, a freguesia foi criando uma nova dinâmica. Com a chegada da Universidade do Algarve – Campus Gambelas, foi o “boom”. Muitos dos que por cá estudaram, apaixonaram-se pela qualidade de vida que a freguesia oferece e acabaram por adquirir habitação, criarem as suas empresas, constituíram família, enfim, contribuíram para o desenvolvimento social e económico que elevaram Montenegro a freguesia. A sua localização e envolvente proporcionam condições particulares para a prática de desportos náuticos, bicicleta ou pedestrianismo. Veja-se o movimento de pessoas que, diariamente, vindas de vários pontos do concelho, se dirigem ao Ludo, ao Pontal e à Praia de Faro para fazerem marcha, corrida, caminhada ou circuitos de bicicleta. J.A. - Neste momento quais as áreas em que sente maior necessidade de intervir? S.P. – A freguesia carece de algumas intervenções urgentes. Uma das mais assinaladas pelos seus residentes refere-se à mobilidade automóvel e pedonal. Desde a nossa tomada de posse foram já realizadas algumas intervenções nas principais artérias de Montenegro

e, neste momento, estudam-se outras alterações a implementar. Outro aspeto a ter em conta é a necessidade de se devolver a entrada à freguesia pelas Pontes de Marchil. Mais uma entrada, requalificada, muito ajudaria na fluidez do trânsito local e pedonal. A requalificação das ruas Dr. Egas Moniz, Bento Jesus Caraça, Abel Viana e Rocheta Cassiano são também uma aspiração da população e do executivo.

"A freguesia vê o seu orçamento reduzir-se de forma preocupante" Outra preocupação que partilhamos com a população é a limpeza. Além do bem-estar dos que aqui residem não podemos esquecer-nos de que somos o cartão-de-visita para quem chega ao aeroporto de Faro. Temos consciência de que há um longo caminho a percorrer e que, em conjunto com a comunidade, famílias, empresas, serviços, escolas, devemos trabalhar as ques-

tões ligadas ao ambiente e ao bem-estar. J.A. - Quais as maiores dificuldades com que se depara no trabalho da junta de freguesia? S.P. – Devido à perda sistemática de verbas nos últimos Orçamentos do Estado e ao reequilíbrio financeiro da Câmara Municipal de Faro, a freguesia vê o seu orçamento reduzir-se de forma preocupante. Esta descapitalização levará a que, no futuro, a junta veja diminuída a sua capacidade de intervenção, prejudicando-se assim a população. Pretendemos lutar contra este fator e, como tal, vamos empenhar-nos na promoção do recenseamento da população residente na freguesia, cujo número de cidadãos recenseados está muito aquém do número de cidadãos efetivamente residentes. É preciso dar a conhecer as vantagens do recenseamento bem como as respetivas implicações no orçamento da freguesia. J.A. - A falta de uma sede de freguesia é um obstáculo no serviço à comunidade? S.P. – Sem dúvida. Quase diariamente, recebo voluntários que se dirigem à junta na intenção de prestar serviços básicos à população, nas mais diversas áreas de formação, consultas pré-parto, enfermagem, saúde oral, artes, atividade física. No entanto, as instalações da junta não oferecem condições que nos permitam protocolar e viabilizar serviços e disponibilizá-los à população. Considerando a larga expansão urbanística verificada no Montenegro nos últimos anos, lamentamos o conformismo com tal situação. Perderam-se oportunidades de estabelecer parcerias público-privadas que viabilizassem uma sede com a dignidade e com as condições de trabalho e projeção que uma freguesia como a nossa merece.

Concorda que as autarquias gastem menos em iluminações natalícias? José António Simões, reformado Uma freguesia do centro país decidiu trocar as iluminações para ajudar 132 famílias carenciadas neste Natal. É um bom exemplo, mas também sei que este é um investimento com outras implicações. O ideal seria uma solução intermédia, ou seja, as câmaras reduzirem os gastos para metade e iluminarem apenas as principais ruas do comércio. Se até as pontes têm iluminação o ano todo, também não se deve cortar em tudo radicalmente.

Gorete Silva, engomadeira Acho bem, porque neste momento existem uma muitas outras prioridades onde se deve gastar o dinheiro, como, por exemplo, dar aos mais pobres para terem uma época natalícia melhor.

João Ortigão, empresário Concordo, porque todos sabemos as dificuldades que as autarquias têm sentido ultimamente ao nível financeiro. Se há que cortar nalguma coisa, que seja nas iluminações, nas festas e nos fogos de artifício que duram apenas 15 minutos mas custam bem caro.

Fernando Afonso, programador informático Claro que concordo. Penso que o grande problema da "iluminação de natal" é o aluguer da mesma em vez da compra ou elaboração própria. Acredito que se pouparia muito mais desta forma e reutilizar-se-ia grande parte dela.

PUB

®

RESTAURANTE

FARO

PIZARIA

MONTE GORDO

e-mail: geral@bellaitalia.pt site: www.bellaitalia.pt


R

25 I novembro I 2010

EGIONAL

[4]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

AGRAVAMENTO SEM PRECEDENTES DO DESEMPREGO DEIXA MILHARES EM DESESPERO

Algarve entra na pior depressão da sua história Falamos de pessoas, mas, neste caso, os números não mentem e também nunca foram tão esclarecedores: atualmente, estão inscritas nos centros de emprego do Algarve mais de 23.600 pessoas! Trata-se de um recorde histórico que resulta de um aumento galopante do desemprego nos últimos dois anos. O pior é que a crise ainda está para durar, com as previsões dos sindicatos a apontarem para mais de 33 mil desempregados no início de 2011. As notícias de despedimentos sucedem-se na região e milhares de algarvios já recorrem à segurança social, às misericórdias e às autarquias locais para pedir ajuda. Este Natal, no Algarve, não vai ser só felicidade...! > NUNO COUTO Os sinais da crise são cada vez mais evidentes na nossa região. Tudo começou, há cerca de dois anos, com despedimentos na hotelaria e na restauração. Nesta altura, também uma série de pequenas empresas e estabelecimentos comerciais começaram a declarar falência. Ao mesmo tempo, a construção civil e a imo-

biliária entraram num período de abrandamento que se vem acentuando até hoje. A insolvência do grupo Alicoop, com mais de 400 empregados, foi outra das notícias que “chocaram” a região, por ser uma das empresas algarvias mais emblemáticas. Já mais recentemente, os despedimentos mais mediáticos que ocorreram na região foram os de 22 enfermeiras de

As instituições de solidariedade alertam que “os pedidos de ajuda estão a aumentar a cada dia que passa”

PIOR REGISTO OFICIAL DAS ÚLTIMAS DÉCADAS

"Outubro negro" Mês/ano Outubro 2000 Outubro 2002 Outubro 2003 Outubro 2004 Outubro 2005 Outubro 2006 Outubro 2007 Outubro 2008 Outubro 2009 Outubro 2010

Nº desempregados no Algarve 6.800 9.426 10.934 11.620 11.729 11.442 10.552 11.152 20.238 23.624

Fonte: Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP)

O número de desempregados no Algarve atingiu os piores valores das últimas décadas, com números “jamais vistos”, dizem sindicalistas

sete centros de saúde e os 336 trabalhadores da Groundforce, que ainda protestam no aeroporto de Faro. Ao todo, no final de outubro de 2010, estavam registadas nos cinco centros de emprego do Algarve 23.624 pessoas. E se um simples número não escandaliza o leitor do JA, uma comparação com os anos anteriores não deixa dúvidas sobre a crise sem precedentes que se está a abater sobre a região: 20.238 desempregados (outubro 2009), 11.152 (outubro 2008), 10.552 (outubro 2007), 10.934 (outubro 2003), 6.800 (outubro 2000). Analisando os últimos dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), é possível assim apurar que o desemprego tem disparado nos últimos dois anos. E, no final de outubro, alcançou máximos históricos, com mais 3.386 desempregados do que no ano anterior, o que significa um aumento homólogo de 16,7

por cento. Comparativamente com o mês anterior (setembro 2010), o aumento é de nove por cento. E a comparação com anos anteriores ainda é muito mais chocante... (VER QUADRO)!

Drama aumenta a cada dia que passa... O drama dos despedimentos está a fazer disparar a pobreza na região, que há muito deixou de estar “envergonhada”. Prova disso mesmo é o relato e os alertas lançados nos últimos meses por diversas entidades que apoiam a população - diocese do Algarve, Cáritas, instituições de solidariedade social, banco alimentar do Algarve, serviços da segurança social e autarquias locais. Todas elas são unânimes ao afirmar que “os pedidos de ajuda estão a aumentar a cada dia que passa”. Perante a perda ou a dificuldade em encontrar emprego, muitas famílias estão a entrar em desespero por não conse-

guirem pagar as prestações da casa, do carro e até da escola dos filhos. E o pior ainda está para vir...! “É que a sazonalidade do turismo só virá agravar a crise e o desemprego no Algarve”, advertem. Um dos derradeiros alertas foi lançado pelo presidente da Cáritas Portuguesa, na semana passada, que revelou estar apreensivo com o que se passa na diocese do Algarve, onde o número de desempregados tem vindo a aumentar. Segundo Eugénio da Fonseca, os pedidos de ajuda na região podem aumentar “entre 20 a 30 por cento este ano”, em compaçaão com o anterior, em resultado do elevado número de despedimentos que estão a ocorrer.

Sindicatos preveem 33 mil desempregados em 2011 Contactado esta semana pelo JA, António Goulart, da União de Sindicatos do Algarve (USAL) também prevê um agra-

vamento do desemprego nos próximos meses. “O cálculo é simples de fazer: em 2009 chegámos aos 16 mil desempregados na época alta e, no inverno seguinte, aos 30 mil. Então, se ultrapassámos este verão os 20 mil desempregados, é natural que no primeiro trimestre de 2011 existam mais de 33 mil pessoas sem emprego”, referiu o sindicalista, frisando que as medidas recessivas do Governo em relação à economia poderão ainda pintar um quadro mais negro. A vulnerabilidade da economia regional, que assenta no turismo e no imobiliário, é a principal justificação do responsável da USAL para esta crise sem precedentes no Algarve. “São necessárias medidas urgentes e imediatas para travar o drama do desemprego. Mas, mais importante a longo prazo, é preciso uma nova estratégia que requalifique os setores produtivos da região, para além de uma requalificação enorme do turismo”, defendeu. António Goulart disse ainda ao JA que o Algarve tem condições para inverter este ciclo negativo, destacando que as condições naturais da região e a presença da universidade devem ser melhor aproveitadas no sentido de atrair novas empresas e investimentos. Enquanto isso não acontece, o Algarve vai provavelmente continuar a assistir nos próximos meses ao encerramento de pequenas empresas, pois muitas delas aguardam apenas pela quadra natalícia para fechar as portas.

Portimão, Loulé e Faro com mais desempregados De acordo com as últimas estatísticas do IEFP, os três municípios somam 10.258 desempregados inscritos, de um total de 23.624 em toda a região algarvia

Portimão continua a liderar a lista do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) como o concelho mais atingido pelo desemprego. O número de desempregados em outubro cifrava-se nos 3.626 inscritos. No grupo dos municípios com o maior número de pessoas inscritas nos centros de emprego, destaque ainda para Loulé (com 3.507 inscritos) e Faro (com 3.125). Um pouco abaixo nesta “lista negra” ficam os concelhos de Olhão (2.640), Albufeira (2.316), Silves (1.837), Lagos (1.695), Lagoa (1.253), Vila Real de Santo António (1.249) e Tavira (1.166). Na metade inferior da tabela do IEFP, com menos de 500 desempregados inscritos nos centros de emprego, estão os municípios de São Brás de Alportel (335), Castro Marim (266), Aljezur (210), Monchique (200) e Vila do Bispo (161). Finalmente, com menos de 50 desempregados surge o concelho de Alcoutim, com apenas 38 pessoas inscritas. Os dados do IEFP permitem ainda apurar que o desemprego no

Portimão (3.626 desempregados) lidera a lista do IEFP

Algarve atinge com maior incidência a faixa etária entre os 35 e 54 anos (cerca de metade do total) e que o principal motivo de inscrição nos centros de emprego foi o final dos contratos, ou seja, o “fim de trabalho não permanente”. N.C.


R

EGIONAL

[5]

25 I novembro I 2010 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

PRESIDENCIAIS: CANDIDATO ESTEVE EM FARO E TAVIRA

Manuel Alegre confia numa segunda volta e na vitória

O candidato considerou que o projeto de revisão constitucional apresentado pelo PSD é "um projeto estratégico de destruição do Estado social" e garantiu que com ele na Presidência da República "ninguém toca no Serviço Nacional de Saúde, na escola pública, na segurança social pública, nas leis laborais, nem nos direitos dos trabalhadores" > DOMINGOS VIEGAS

[5.] Um Pouco Mais de Sul

José Carlos Barros

TUDO: Tudo o que verdadeiramente interessa no mundo é às vezes tão pouco que só não está ao alcance dos avarentos e dos gananciosos. É A VIDA: Os sonhadores temem, como ninguém, as insónias. AS PROVAS: Uma vez, há muitos anos, mergulhámos as mãos num tanque de pedra. Já esquecemos quase tudo. Foi há muito tempo. Às vezes suspeitamos que esse momento não existiu, que esse tempo não existiu, que esse tanque nunca existiu. E no entanto as nossas mãos não chegaram nunca a secar. Olhamos e verificamos com espanto que essa água nos escorre ainda dos dedos. OS METEOROLOGISTAS: No tempo em que os boletins meteorológicos eram apresentados por meteorologistas, mesmo que o termómetro subisse aos quarenta e seis graus e a chuva caísse semanas a fio, ficávamos sempre com a sensação de que «está tudo controlado». COMO FUNCIONA O MUNDO: Um amigo meu lamenta-se de muita gente nem saber «como funciona o mundo». A investigação detetou vestígios de café, analgésicos, antiEle sabe. Lê na Scientific American. Cujo último número histamínicos, anti-inflamatórios, anti-colesterol acabou agora mesmo de comprar pedindo-me emprestados os cinco euros do preço de capa.

Domingos Viegas/JA

Manuel Alegre, candidato à Presidência da República, acredita que irá com Cavaco Silva à segunda volta e que vencerá as eleições presidenciais, cuja primeira volta está marcada para o próximo dia 23 de janeiro. “À semelhança do que tem acontecido por todo o país, embora tenha sido silenciado, esta grande mobilização demonstra que é possível a segunda volta e que é possível ganhar estas eleições”, referiu Alegre, na última semana, em Tavira, durante um jantar de apoiantes à sua candidatura. Perante cerca de 400 pessoas, Manuel Alegre recordou as eleições de há cinco anos, em que se candidatou sem o apoio de qualquer partido político. “A 15 dias da eleição presidencial havia sondagens que davam mais de 70 por cento a Cavaco Silva e a mim apenas 13 por cento. Depois, ele ganhou por meio ponto e eu fiquei a menos de 30 mil votos da segunda volta”, lembrou, deixando o seu prognóstico para 2011: “Com o apoio da rede de cidadania que está na génese da minha candidatura, do PS, do Bloco de Esquerda, da Renovação Comunista, de muitos cidadãos independentes e de muitos, até, que se situam um pouco mais à direita, creio que no dia 23 de janeiro haverá uma surpresa, que será a segunda volta da eleição presidencial”. Alegre considerou que a direita “precisa de reeleger o atual Presidente”, para que este “deixe passar” o projeto de revisão constitucional que classificou de “projeto estratégico de destruição do Estado social”. “Sei que há pouco dinheiro, mas tem que haver dinheiro para aquilo que é essencial. Comigo na Presidência ninguém toca no Serviço Nacional de Saúde, na escola pública, na segurança social pública, nas leis laborais, nem nos direitos dos trabalhadores”, afirmou. No mesmo sentido, recor-

FICÇÕES

Alegre garante que no dia 23 de janeiro “haverá uma grande surpresa”

dou que “o candidato que se recandidata ainda não disse o que fará se um governo qualquer quiser pôr em causa essas questões”. “Mas eu digo: vetarei e usarei todos os poderes presidenciais para que isso não aconteça”, garantiu. Manuel Alegre defendeu ainda que o Presidente da República “deve ter uma visão imparcial” e “não pode ser um homem de fações, nem um homem ligado aos grandes interesses contra a maioria do povo português”. “O meu diretor de campanha não é, nem nunca foi, administrador de nenhum grande grupo económico, não está ligado à banca, nem ao grande capital. Essa é uma diferença fundamental”, explicou. Num discurso de cerca de 25 minutos, Alegre falou também da situação económica. Admitiu que se candidata num momento “muito difícil” da “história do nosso país e da história da Europa” e considerou que “as forças conservadoras, as forças do capital financeiro, estão a aproveitar a crise para pôr em causa direitos sociais que custaram o sacrifício de gerações”. De acordo com Manuel Alegre, para Portugal crescer “não é preciso mudar a lei laboral, nem destruir os serviços públicos e os direitos sociais”, mas

sim “uma mudança na nossa maneira de viver em democracia e uma mudança de paradigma”. Neste sentido, defendeu que é preciso “redescobrir o mar, a terra, voltar a cultivar os campos, refazer o tecido produtivo e aumentar a competitividade, não através da liberalização dos despedimentos, mas incorporando o saber e as novas tecnologias. E mantendo a proteção social”. E deu mesmo como exemplo o caso do Brasil: “O Presidente Lula da Silva não era professor de finanças, nem percebia de economia, mas melhorou as condições de vida. Aumentou as prestações sociais, mas isso não foi im-

peditivo do crescimento da economia”. Durante o seu périplo pelo Algarve e antes de concluir a jornada em Tavira, Manuel Alegre visitou o Laboratório Regional de Saúde Pública Laura Aires, o Hospital Distrital de Faro e recebeu na sua sede de campanha, também na capital algarvia, representantes dos 336 trabalhadores despedidos da Groundforce. À noite, durante o o seu discurso, considerar que aquele despedimento “seria inadmissível numa empresa privada”, mas tratando-se de uma empresa pública “é intolerável”. E apelou para que “a situação seja reconsiderada e revista, com sensibilidade social”.

AS IMAGENS: Só à literatura, à pintura e ao cinema é dado o milagre da revelação das imagens em estado puro: intrínsecas, elementais. Um espelho verdadeiro devolve PUB. sempre uma imagem falsa: a imagem que queremos ver – ou que, contaminados pela educação, pela cultura ou pela moral, somos levados (obrigados) a ver. HETERONÍMIA: Fernando Pessoa poderia ter dito com propriedade: «Às vezes penso que quando morrer terão que me fazer vários funerais – se verdadeiramente me quiserem enterrar.» BERLIM: No instante preciso em que comemorámos a queda do muro de Berlim, num afastado lugar do mundo alguém começava, pedra sobre pedra, diligentemente, a erguer um outro muro. Alguns anos depois também esse muro será derrubado contra a ignomínia e o ultraje, enquanto, simultaneamente, num outro lugar do mundo, alguém começa, pedra sobre pedra, diligentemente – etc., etc. O FUTURO: É um fim de tarde de Maio. O céu muito azul. E, de súbito, uma nuvem lilás parece poisar nos telhados das casas, nos pátios, nas açoteias. As mães saem à rua: suspensas, interditas. E olham o futuro como se os seus filhos já tivessem um outro nome, ou estivessem longe, e precisassem de ajuda para respirar.

PUB

PASTELARIA VERSAILLES: Somos do campo; somos rurais. Não há nada a fazer. Quando nos perdemos nas grandes cidades procuramos sempre o refúgio da primeira árvore que encontrarmos. A sua sombra. Mesmo no Inverno. Nota: O autor não escreveu o artigo ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Livraria d'O Marquês De: Mascarenhas e Bento, Lda. Jornais e Revistas - Payshop Lotarias e Raspadinhas Totoloto - Totobola - Euromilhões Loja 2 e 3 - Mercado Municipal

Tel. 281 511 744

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO


R

EGIONAL

[6]

25 I novembro I 2010 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

NÚMERO DE PESSOAS APOIADAS PELO BA DO ALGARVE AUMENTOU EM 2010

Banco Alimentar prepara-se para mais uma campanha Os responsáveis pelo Banco Alimentar do Algarve garantem que hoje mais do que nunca impõe-se que quem tem possibilidades apoie esta causa. A crise aperta de tal forma e prevê-se um 2011 tão complicado que ninguém pode dizer que está livre de precisar desta ajuda num futuro próximo. Nuno Alves diz que a participação na campanha "é um ato social e moral" > SOFIA CAVACO SILVA O Banco Alimentar Contra a Fome do Algarve (BAA) já está a preparar a próxima campanha de recolha de alimentos que se realiza no fim de semana de 27 e 28 deste mês. A primeira etapa é a constituição de equipas para trabalharem no armazém onde são organizados os alimentos doados e para as equipas que vão estar nos diversos estabelecimentos comerciais que aderiram a esta iniciativa. Estas equipas vão receber os alimentos doados e sensibilizar

as pessoas para a necessidade de participar nesta causa. De acordo com o responsável pela gestão do Banco Alimentar do Algarve, Nuno Alves, nesta edição as recolhas vão ser feitas nos 16 concelhos da região em mais de cem lojas. “O interesse é estar o mais presente possível”, comentou lembrando que quantos mais voluntários existirem maior é a possibilidade de criar mais equipas e ter a campanha presente em mais estabelecimentos. De acordo com os cálculos feitos pela organização, para esta edição são necessários

cerca de dois mil voluntários. Apesar de uma parte deste número já estar garantido com a participação de voluntários de outras edições, o apelo à comunidade algarvia para aderir a esta campanha continua a ser divulgado. Quem estiver interessado em ser voluntário do BAA nesta campanha deve recorrer ao sítio web do Banco Alimentarouaocorreioeletrónico ba.algarve@bancoalimentar.pt.

BAA apoia 15500 pessoas na região O BAA continua a trabalhar com as mesmas 74 institui-

ções de solidariedade social da região mas o número de pessoas apoiadas aumentou. Nuno Alves diz que este ano passaram a ser apoiadas mais 1.500 pessoas além das 14 mil que já recebiam apoio em 2009. Por isso mesmo, a organização espera que nesta campanha se recolham quantidades iguais ou superiores às do ano passado, ou seja, 150 mil toneladas. A campanha volta a ser desenvolvida em duas modalidades, ou seja, o doador pode comprar géneros alimentícios e dá-los aos voluntários no fi-

nal das compras ou comprar um vale. A campanha Vale prolonga-se durante uma semana nos mesmos estabelecimentos comerciais onde os clientes podem comprar vales que representam géneros alimentícios que são posteriormente entregues ao BAA.

Nuno Alves diz que esta modalidade também se torna interessante porque estes alimentos são entregues normalmente dois ou três meses mais tarde. Desta forma, os prazos de validade dos alimentos prolongam-se um pouco mais, permitindo um reforço do armazém.

EVITAR NOVOS CASOS DE SEM-ABRIGO E TRABALHAR COM OS CASOS IDENTIFICADOS É VITAL

Algarve atento à crise olha de perto para os sem-abrigo São cerca de cem os casos identificados no Algarve de pessoas que vivem na rua, os chamados sem-abrigo. Os motivos são muitos, os problemas estão identificados e as carências também. O cenário foi apresentado num encontro realizado em Faro onde as forças vivas da região refletiram sobre as formas de trabalhar com estas pessoas, integrá-las na sociedade e evitar novos casos > SOFIA CAVACO SILVA Nos dias que correm, e com as perspetivas de um 2011 agreste para os portugueses, impõe-se encontrar mecanismos que evitem o aumento de casos de sem-abrigo. Para o coordenador nacional do Ano Europeu do Combate à Pobreza e Exclusão Social, Edmundo Martinho, o problema dos sem-abrigo tem de ser trabalhado de forma ampla e não apenas assistencial. A assistência é importante para colmatar problemas urgentes mas é tempo de procurar novas soluções que permitam de forma sólida tirar estas pessoas das ruas e dar-lhes condições para se integrarem na sociedade de forma plena, defendeu Edmundo Martinho na passada sexta-feira, na Biblioteca de Faro. “Sem-Abrigo: A minha casa é a rua” foi o tema do encontro, no qual se tornou claro que para trabalhar esta questão é impossível contornar as políticas de combate à pobreza e exclusão social tanto ao nível autárquico quanto nacional

assim como a forma como é feito e apoiado o trabalho das instituições de solidariedade social. O edil de Vila Real de Santo António, Luís Gomes, e a vereadora da Câmara Municipal de Portimão, Isabel Guerreiro, foram os oradores convidados para falar sobre as políticas municipais de combate à pobreza. Luís Gomes admitiu que a experiência autárquica tem sido reveladora a vários níveis. Enumerando várias medidas que a autarquia tem implementado com vista ao apoio à população carenciada, Luís Gomes considera que é vital perceber que “a saúde também está associada à pobreza”. Conhecido por projetos emblemáticos como o momento em a autarquia apoiou a deslocação de vários munícipes a Cuba para serem operados aos olhos, Luís Gomes diz que também a saúde oral é importante nesta luta que deve ser abrangente. A saúde é determinante para que as pessoas possam ter forças e condições para encontrarem

novas oportunidades de trabalho e até de convívio. Considerando que a resposta do Estado a estas situações é “manifestamente lenta”, considera que as autarquias devem ter possibilidade de serem mais ativas nestas matérias. Luís Gomes defende ainda a criação de um fundo autárquico para a área da saúde. A existência de uma estratégia que promova a inclusão social relativamente às políticas sociais de habitação também foi sublinhada pelos autarcas. O debate foi promovido pelo Centro Distrital da Segurança Social e a Associação In Loco.

Quem são os sem-abrigo algarvios Em 2009 foi lançado um desafio às autarquias algarvias para que identificassem os sem-abrigo da região. O trabalho revelou uma predominância de situações no concelho de Faro que registava 44 pessoas nesta situação perante cem casos registados na região. De acordo com os dados

No final de 2009, o Algarve contava com cem “sem-abrigo”

fornecidos pelo Centro Distrital de Segurança Social do Algarve, em 2009 só existiam situações identificadas em cinco concelhos, nomeadamente, Faro, Lagoa, Loulé, Portimão e Tavira. Em cem, apenas oito dos sem-abrigo são mulheres. Os motivos que os levaram para a rua são vários, mas a maior parte das respostas incide em causas pessoais ou a falta de trabalho e condições para pagar o alojamento que

tinham anteriormente. Complicações financeiras e dívidas também estiveram na origem de alguns casos. O álcool, as doenças mentais e as drogas estão presentes na vida de muitas destas pessoas, sendo as drogas um dos problemas com maior presença nos casos identificados. Muitos referem como principal necessidade de apoio a formação, uma ocupação e tratamentos de saúde.

Os casos não se cingem apenas a uma faixa etária, havendo registos de pessoas nesta situação com menos de 30 anos e pessoas com mais de 70 anos. Contudo, a tónica coloca-se na faixa etária entre os 40 e os 49 anos. Em termos de nacionalidades, é possível dizer que a maioria é portuguesa, seguindo-se uma percentagem relevante de pessoas oriundas de países de língua oficial portuguesa. No final de 2009, 76 indivíduos indicava não ter qualquer alojamento para pernoitar e apenas 22 indivíduos distribuídos entre Faro e Tavira recorriam a alojamento temporário de emergência e pensão para dormir. O estudo permite ainda perceber que na maior parte dos casos os indivíduos encontram-se nesta situação há mais de três ou cinco anos. No que respeita à presente fonte de rendimento, as respostas dividem-se essencialmente entre “nenhum rendimento”, rendimento social de inserção, pensões de velhice ou invalidez e dinheiro obtido a ajudar a arrumar carros. Este estudo foi feito até ao final de 2009. Para já, o concelho de Faro já está a empenhar esforços para atualizar a informações, empenho que se deverá alargar a outros pontos da região.


P

UBLICIDADE

25 I novembro I 2010

[7]

JORNAL do ALGARVE

www.jornaldoalgarve.pt


L

OCAL

25 I novembro I 2010

[8]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

Requalificação da frente de mar de Monte Gordo arranca no primeiro semestre de 2011 A garantia foi dada pelo edil Luís Gomes. Tribunal de Contas já deu luz verde para o início da obra. Investimento de 40 milhões de euros será levado a cabo através de uma parceria público-privada > DOMINGOS VIEGAS O Tribunal de Contas acaba de aprovar o projeto de requalificação de toda a frente de mar de Monte Gordo, um investimento de 40 milhões de euros que representará “uma das maiores intervenções alguma fez efetuadas em praias portuguesas ao nível da requalificação urbanística”, considerou o presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António. “Agora, temos de reunir-nos com o consórcio que ganhou o concurso público e só depois poderemos estabelecer a data de assinatura do contrato. Mas a obra será para avançar no primeiro semestre do próximo ano”, garantiu Luís Gomes, acrescentando que os trabalhos terão um prazo de execução de 18 meses e incidirão numa área de nove hectares.

O projeto, da autoria do arquiteto catalão Ricardo Bofil, prevê a criação de um hotel, bares, quiosques, restaurantes, lojas e uma discoteca. Os atuais parques de estacionamento que se encontram a nascente e a poente do casino passarão a ser subterrâneos e com capacidade para 800 veículos. “Trata-se de uma mudança estruturante naquilo que é o perfil paisagístico, urbanístico e ambiental da praia de Monte Gordo”, frisou Luís Gomes. De acordo com o autarca, a construção e posterior gestão e exploração de toda a área serão levadas a cabo por uma nova entidade, resultante de uma parceria público-privada, que reúne a câmara municipal e o consórcio de quatro empresas (Adriparte, Casais, Eusébios, ACA e Incanor) que ganhou o concurso público. “O consórcio privado terá

uma percentagem de 51 por cento na referida empresa e a autarquia fica com uma percentagem de 49 por cento, mas com uma golden-share [ação dourada], o que significa que qualquer posição que for tomada tem que ter sempre o acordo da autarquia”, explicou Luís Gomes. Segundo o autarca, a referida parceria será baseada num modelo que permitirá uma rentabilidade associada ao projeto, ou seja, “os fundos resultantes da concessão e exploração dos vários equipamentos é que vão financiar a obra”, pois a câmara “não tem possibilidades de recorrer à banca para conseguir os recursos financeiros necessários”. “Nem todas as parcerias público-privadas são más. Só são más quando não há receitas e tem que ser o setor público a pagar. E esta é uma obra em que a câmara municipal, nes-

Os parques de estacionamento darão lugar a novas áreas de lazer

tes tempos difíceis, teve o mérito de montar uma parceria que não fosse deficitária para os contribuintes”, considerou o edil vila-realense. Para Luís Gomes, este investimento, levado a cabo numa altura de crise profunda, representa “um balão de oxigénio na criação de emprego, numa região que vive

assolada pelo flagelo do desemprego”. De acordo com o autarca, serão criados 120 postos de trabalho directos, 150 indirectos e 300 na fase de construção, com um impacto previsto de 0.7 do PIB algarvio. Esta intervenção em toda a frente de mar será realizada apenas até ao limite do areal,

ou seja, na área de jurisdição da autarquia. A intervenção na zona de areal, ainda sem data anunciada, cabe à ARH (Administração da Região Hidrográfica) do Algarve e será levada a cabo no âmbito da implementação do POOC (Plano de Ordenamento da Orla Costeira) Vilamoura/Vila Real de Santo António.

PROJETO "VENCER O TEMPO NAS 7 CIDADES" JÁ ESTÁ EM MARCHA

VRSA quer melhorar as condições de vida dos idosos > DOMINGOS VIEGAS Vila Real de Santo António acaba de aderir ao projeto “Vencer o Tempo nas 7 Cidades”, uma iniciativa promovida em Portugal pela Associação Vencer o Tempo e que pretende adotar medidas que contribuam para melhorar as condições de vida dos idosos. O município de VRSA e o de Portimão, cujo protocolo já tinha sido assinado há algumas semanas, são os dois concelhos da região que aderiram a este projeto piloto, onde estão ainda inseridos mais cinco concelhos de todo o país (Alfandega da Fé, Angra do Heroísmo, Maia, Póvoa de Lanhoso e Vila Nova de Foz Côa). No total, são cerca de 35 cidades, de 22 países, que acei-

taram o desafio de se tornarem “Cidades Amigas dos Idosos”, um conceito que surgiu no 18.º Congresso Mundial de Gerontologia, realizado em 2005. O projeto terá a duração de dois anos, período em que serão identificadas as dificuldades dos idosos no âmbito das suas rotinas diárias, as alterações que possam ser levadas a cabo e as formas de combater o seu isolamento. Posteriormente serão elaborados planos de ação para minimizar as dificuldades dos idosos e promover a sua reintegração na sociedade. No decorrer do projeto, “estas cidades vão trabalhar em conjunto, vão partilhar experiências e práticas, vão ver o que os parceiros estão a fazer para perceber o que cada uma

Domingos Viegas/JA

Protocolo foi assinado na última sexta-feira com a Associação Vencer o Tempo. Entre outros objetivos, o projeto pretende identificar as dificuldades dos idosos e encontrar soluções para melhorar o seu dia-a-dia

Luís Gomes e Ivone Dias Ferreira, presidente da Associação Vencer o Tempo, pretendem que VRSA seja uma "Cidade Amiga dos Idosos"

pode melhorar”, explicou Ivone Dias Ferreira, presidente da

Associação Vencer o Tempo. Neste sentido, a responsável

deu mesmo como exemplo a Casa do Avô, um projeto pioneiro que nasceu em Vila Real de Santo António, considerando que que é “exatamente o modelo que outras autarquias devem seguir”. Mas o projeto vai muito mais além, já que prevê, por exemplo, a interação de jovens com os idosos, e a consequente troca de conhecimentos, bem como a possibilidade de os idosos visitarem as diversas cidades parceiras. Além das questões lúdicas, o projeto prevê ainda a análise e resolução das dificuldades dos idosos ao nível dos transportes, da mobilidade nos espaços públicos, entre muitos outros parâmetros. O projeto tem também o objetivo de “intervir socialmente, fazendo sentir aos mais velhos que a sua opinião é importante”, explica Ivone Dias Ferreira, sublinhando que se trata “essencialmente de um projeto de valores, de sentimentos e de afetos, que é o

que mais falta entre os mais novos e os mais velhos”. Vila Real de Santo António voltar assim a estar na linha da frente no âmbito das políticas sociais e, neste caso particular, no apoio aos idosos. E de acordo com o presidente da Câmara Municipal e VRSA, esta vai continuar a ser a aposta da autarquia. “Os tempos não estão fáceis, é altura de reduzir gastos, mas é nestas coisas que temos que gastar o dinheiro. Queremos manter as nossas bandeiras sociais vivas e, por isso, não abdico de fortalecer ainda mais projetos deste âmbito”, frisou Luís Gomes, que defende ser “um dever das autarquias criar condições para que o dia-a-dia desta população seja vivido da melhor maneira possível”. Com a participação neste projeto, as cidades envolvidas poderão posteriormente candidatar-se à certificação de “Cidade Amiga dos Idosos”, atribuída pela Organização Mundial de Saúde.


P

UBLICIDADE

25 I novembro I 2010

[9]

JORNAL do ALGARVE

www.jornaldoalgarve.pt


O

25 I novembro I 2010

PINIÃO

[10]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

EXPOSIÇÃO "ALGARVE - DO REINO À REGIÃO"

Em Lagos, os descobrimentos e a cartografia

> Daniela Pereira

O Reino dos Algarves de Aquém e para Além Mar/Algarbia Cartographica – leituras e resenha da Cartografia Regional são os temas que o município de Lagos apresenta no âmbito do projecto “Algarve, do Reino à Região”, uma iniciativa da Rede de Museus do Algarve. A exposição O Reino dos Algarves de Aquém e para Além Mar, apresentada no Forte da Ponta da Bandeira, conta com um conjunto de posters, textuais e iconográficos, que visam explanar a génese dos Descobrimentos levados a cabo pelos portugueses e a importância do Algarve, e de Lagos em particular, nesse contexto de conquistas e descobertas. 1415, ano do assalto a Ceuta, organizado por D. João I e comandado por um dos seus filhos, o Infante D. Henrique, marca o momento em que o Algarve passa a ter importância no contexto da expansão portuguesa. A partir

daqui, tornou-se imperioso manter o domínio português sobre a recente conquista, que passaria por assegurar o abastecimento em homens, munições e mantimentos provenientes, justamente, das terras litorâneas algarvias como Lagos, Vila Nova de Portimão, Faro e Tavira. Todavia, é a vila de Lagos que mais se destaca neste primeiro avanço de descobertas. Que motivos teria o Infante D. Henrique para preferir esta pequena vila piscatória em relação a Faro e Tavira? Os terrenos férteis que envolviam o termo de Lagos, propícios à prática de uma policul-tura, e a posição geográfica terão pesado na escolha do sítio. Era em Lagos que os navegantes que vinham da Costa Ocidental portuguesa e de outras regiões europeias do norte acostavam após a passagem do Cabo de São Vicente. Era na baía de Lagos que os navegantes oriundos do Mediterrâneo ou do

CRÓNICAS DE UM OUTRO ALGARVE

Na memória do dr. Emílio Campos Coroa Completaram-se, no passado dia 25 de Outubro, vinte e cinco anos sobre a morte dessa figura de cidadão, médico, pedagogo, poeta, artista, realizador cinematográfico e democrata, que foi o dr. Emílio Campos Coroa, sem dúvida, das figuras maiores dos obreiros da vida cultural algarvia no século XX. Natural de Beja, este “algarvio assumido”, cuja saudosa memória permanece viva e omnipresente na nossa mais afectuosa saudade, licenciou-se com alta classificação em Medicina, de que se especializou em várias áreas (oftalmologia, saúde escolar, etc.) e foi na sua intensa vida de estudante universitário figura destacada da vida coimbrã, de modo próprio do TEUC (Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra, fundado e dirigido pelo Dr. Paulo Quintela. Aí conheceu a que seria sua futura e dedicada esposa e devotada mãe de seus filhos, a então estudante de Letras e também grande artista, a dra. Maria Amélia Coros, cuja interpretação de “Súplica da Cananeia” é considerada como das melhores de sempre realizadas. O dr. Emílio Coroa foi um irmão pleno dessa outra grande figura da Arte e da Educação do Algarve, o eng. José de Campos Coroa, que director da Escola Secundária de Vila Real de Santo António e que viria a sucumbir num acidente de viação, ocorrido entre Faro e a cidade pombalina. Ambos e para além de outros estabelecimentos exerceram também a docência pedagógica nas Escola Industrial e Comercial Tomás Cabreira e a ambos se referindo os amigos e conhecidos pelo tratamento afectivo, quando a cada qual se referiam, de “mano Emílio” ou “Mano Zé”. Após ter exercido a clínica médica em Portimão, fixou-se em Faro, na segunda metade dos anos 50 do século XX e desenvolveu toda uma acção do mais elevado sentido e acutilância em múltiplas áreas, de que recordamos o Cine Clube de Faro (passando-se então de uma para duas sessões mensais), o Círculo Cultural do Algarve (de que o Grupo de Teatro ostentava o nome, para depois se chamar “Teatro da Serrapilheira”, quando da transição para as instalações do extinto Clu-

> João Leal

be Recreativo 20 de Janeiro, na Rua do Alportel até ao definitivo Grupo de Teatro Lethes, quando da “fixação” (sê-lo-ia?) no clássico edifício que foi Colégio dos Jesuítas), do monumento ao republicano e democrata o benemérito médico dr. João da Silva Nobre, ali no Largo Bouzela e obra do artista farense Sidónio de Almeida), ao Jardim Escola João de Deus (na Mata do Liceu e com projecto do então jovem Arquitecto João Reis), ao médico oftalmologista do Hospital de Faro e à clínica estendida a várias localidades do Algarve e do Baixo Alentejo, ao político sempre fiel às suas ideias e com uma relevância pública maior após o 25 de Abril, etc. Faro expressou-lhe o seu reconhecimento oficial com a “Medalha de Ouro da Cidade” e dar o seu honrado nome a uma das artérias da “cidade em quarto crescente”, como um dia, numa das suas inspiradas “Crónica de Faro” e nestas colunas escreveu Mário Zambujal, mas o maior está na afectuosa lembrança de cada um e muitos milhares o são guardam deste homem - artista e médico devotado, que tanto serviu o Algarve, que escolheu, tal como seu lembrado irmão, o eng. José Coroa, para “servir, viver e morrer”. O sentido inédito encenador da obra teatral, com as famosas representações ao ar livre - na doca (“O lugre”), nos frontais das Igrejas da Sé ou do Carmo, no actual Museu Municipal (ao tempo o que restava de uma antiga fábrica corticeira), com as lembranças de êxitos imemoráveis como “A Castro”, “O Grande Teatro do Mundo”, “A Trilogia das Barcas”, havendo com este texto de Gil Vicente conquistado o primeiro prémio de arte dramática e um destaque especial para o Aurélio Madeira na figura do “1.º Diabo”, etc. As memórias acontecidas com o assinalar daquele dia 25 de Outubro de 1985 em que nos deixou (o sarau artístico realizado no Teatro Lethes e a romagem de saudade à sua campa no Cemitério da Esperança) foram um transbordar para o exterior da lembrança desse genialmente fraterno, solidário e artista, que foi o dr. Emílio Campos Coroa. Nota: O autor não escreveu o artigo ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Magreb esperavam até que as correntes e os ventos permitissem continuar a viagem para lá do Cabo de São Vicente. Por outro lado, o Infante D. Henrique observara ainda que as gentes de Lagos detinham uma ancestral experiência nos assuntos do mar e aproveitou-as para as orientar num outro projecto: o da descoberta e, posteriormente, o da expansão. Desses mareantes lacobrigen-ses destaca-se Gil Eanes, que destemidamente conseguiu, em 1434, passar o temeroso Cabo Bojador. Como refere Zurara, cronista dos feitos do Infante D. Henrique, “e já seja que o feito, quanto à obra, fosse pequeno, só pelo atrevimento foi contado como grande”. Deste atrevimento retém-se o seguinte aspecto: a superação do medo, que rapidamente colocou em causa grande parte do conhecimento antigo. Todas estas informações expostas fazem-se acompanhar de miniaturas de caravelas e réplicas de alguns instrumentos de orientação, nomeadamente a bússola e o quadrante. Noutro compartimento do Forte da Ponta da Bandeira, está uma reprodução do políptico de São Vicente, atribuído ao pintor Nuno Gonçalves (estando o original no Museu Nacional de Arte Antiga) cuja obra, constituída por seis painéis, tem representada a sociedade portuguesa da época dos Descobrimentos, nomeadamente a figura do Infante D. Henrique. Por último, e relacionado com as viagens dos Descobrimentos, pode-se visionar um breve documentário intitulado Vida a Bordo, ondepodemosterapercepçãodas dificuldades que a tripulação da caravela ou da nau passava quer naidaquernavoltadaviagem.Juntamente com as incertezas e os medos, o documentário recria parte do quotidiano a bordo: desde a organizaçãohierárquica da tripulaçãoedoshaveresdecadaum,passando pela hora da oração e do sono, até às doenças, fome e sede que os mareantes aturavam. Algarbia Cartographica – Leituras e resenha da Cartografia Regional, patente no Museu Municipal Dr. José Formosinho, comissariada pelo tenente-coronel Berger, do Exército Português, e por Paulo Estrela, do Instituto Geográfico Português, mostra ao público um conjunto de reproduções de mapas, cartas, planos e plantas que dizem respeito ao Algarve. Nesta exposição iremos encontrar alguns exemplos que reflectem a multiplicidade cartográfica que se elaborou: cartas náuticas e cartas terrestres; mapas do território; plantas de reconhecimento das vilas e cidades fronteiriças; planos de localização de fortes, vilas e caminhos de acesso, e ainda planos de estruturas militares. Todo este conjunto cartográfico exposto, cujos originais se encontram no Instituto Geográfico Português (IGP), visa explicar ao visi-

Nota Charingada > Martins Coelho

Vivemos no domínio do absurdo, por um lado o sistema capitalista obcecado pelo lucro inferniza a vida de centenas de milhões de pessoas e, por outro lado, está a destruir de forma brutal a biodiversidade do planeta. O lucro tudo comanda e subordina ao seu insaciável apetite: homem e natureza. O clima anda cada vez mais instável e perigoso, quarenta por cento das florestas já desapareceram, o mesmo sucedeu a cinquenta por cento das zonas húmidas; nos últimos trinta anos diminuíram em trinta por cento as espécies vertebradas e estão em perigo de extinção um quarto das espécies vegetais. Degrada-se a qualidade da água, contamina-se os solos e o ar, mas persiste-se no caminho, e qualquer dia não há PEC que valha a um planeta moribundo. Em breve vai realizar-se mais uma cimeira sobre a biodiversidade, desta vez em Nagóia, no Japão. Esperemos que não seja mais uma frustração como foi a de Copenhaga. Todos, a todos os níveis, somos responsáveis. A propósito disto, embora possa não parecer evidente a relação, a recente aprovação pela Assembleia Municipal de vários projectos que até terão o apoio do PM Sócrates (o que não abona os projectos) é, no mínimo, preocupante. A CM fica autorizada a integrar uma empresa de capitais privados na qual o privado terá 51% do capital. Fica claro quem manda e que interesses poderão vir prevalecer. É de derreter o coração a preocupação que os projectos serão concretizados “de forma a não privatizar toda a frente marítima”. Agradecemos. Sabendo nós que o PDM já devia ter sido revisto há muitos anos e ainda não foi, em que estratégia democrática para o desenvolvimento do Concelho de VRSA se inserem estes projectos ad hoc? em que se prometem investimentos de centenas de milhões de euros e mais de um milhar de postos de trabalho directos e indirectos. Onde irá financiar-se uma câmara que consta endividada para participar nesta megalómana operação, ou os investimentos serão totalmente privados e a CM “oferece” o solo público? E aqui voltamos à biodiversidade. Será que a Mata Nacional, o sapal e a zona húmida da Ponta da Areia levarão mais uma facada dos tais gulosos dos lucros, facada à altura da estranha torre que querem espetar à entrada da barra, com 25 (?) andares ou coisa parecida. Não existindo em VRSA trabalho para garantir a permanência de pessoas, designadamente de jovens, que venham a ocupar as inúmeras habitações a construir previstas (e certamente nada baratas), será futuramente uma cidade cada vez mais de segunda habitação, isto se a crise que se prevê por longos anos o permitir. Nota: O autor não escreveu o artigo ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

tante que ao longo da história houve um uso político da cartografia que se reflecte, justamente, nas respectivas finalidades. Todavia, a ausência de um pequeno texto que documente o contexto económico e político impede o visitante de saber que razões levaram à elaboração de tais cartografias. Por exemplo, sobre a figura de José de Sande Vasconcelos, engenheiro militar que elaborou a maior parte das obras patentes nesta exposição, não consta qualquer informação. José de Sande Vasconcelos veio para o Algarve, por volta de 1772, juntamente com outros engenheiros da corte, para projectar uma estrada que ligasse a Serra de Monchique a Vila Nova de Portimão (para facilitar, desse modo, o transporte das madeiras). Por esta altura, foi chamado a trabalhar na edificação de uma nova vila - Vila Real de Santo António – onde, para além de trabalhar nas marcações do terreno, realizou diversos planos e mapas da vila. Daqui, ter-se-á estabelecido em Tavira. José de Sande Vasconcelos realizou, por mais que uma vez, diversos levantamentos de todos os fortes, fortalezas e baterias do Reino do Algarve. Alguns desses desenhos contêm diversas curiosidades, nomeadamenteaindicaçãodesítiosarqueo-

lógicos. Realizou mapas de reconhecimento dos terrenos; plantas das praças de guerra algarvias e ainda plantas de algumas cidades: Tavira, Lagos e Vila Real de Santo António. Todos estes levantamentos eram acompanhados por uma explicação onde constavam informações que diziam respeito ao estado de conservação das estruturas militares; e ainda o que devia ser, ou não, reparado e o respectivo orçamento. Pequenos blocos de texto elucidativos do que se mostra teriam, certamente, valorizado muito esta exposição. As duas mostras patentes no Forte da Bandeira e no Museu Municipal merecem ser visitadas, porquanto testemunham através da Cartografia e outros elementos gráficos o papel que a cidade de Lagos desempenhou na Expansão Portuguesa. Trata-se de exposições dirigidas a todos os públicos, ainda que se apresentem especialmente indicadas para jovens em idade escolar pelas muitas curiosidades que oferecem e ensinamentos que proporcionam através da imagem. Há, pois, que visitá-las antes do seu encerramento, previsto para final do ano! CEPHA/UAlg Nota: O autor não escreveu o artigo ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.


A L RTES E

ETRAS

[11]

25 I novembro I 2010 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Messines leva “O Marinheiro” a Faro

O grupo de Teatro Penedo Grande levou ao Pátio B@r o trabalho “O Marinheiro”, de Fernando Pessoa, encenado por Rui Cabrita. Um momento especial de homenagem ao poeta num espaço onde se ama a palavra > ANA OLIVEIRA O Grupo de Teatro Penedo Grande, de S. Bartolomeu de Messines, levou à cena o espetáculo “O Marinheiro”, a partir do texto de Fernando Pessoa. Depois de uma digressão pelos Açores o grupo de Messines atuou no Pátio B@r, em Faro. Dirigidas por Rui Cabrita, as três veladoras foram interpretadas por Célia Ginó, Lisete Martins e Martas Vargas. Num ambiente intimista, muito próximas do público, a três atrizes reinven-taram a escrita de Pessoa descobrindo-a na emoção dos seus corpos, para depois a devolverem ao público carregada de um outro simbolismo. Pessoa escreveu um drama estático, num ambiente de imobilidade e irrealidade no qual se recusa a realidade, lançando a ponte para um universo onírico. Na leitura dramatúrgica de Rui Cabrita, a ima-

gem estática das veladoras transfigura-se no desassossego das suas almas, dando corpo à inquietude e à necessidade de partilhar as suas vozes interiores. O caixão com a donzela de branco foi substituído por um manequim suspenso, de vestido branco, que se impõe na cena. A iluminação, própria de um velório, é quase circunscrita a velas e a uma

intensidade luminosa muito reduzida, por parte dos projetores Como recurso que vai provocar um distanciamento Rui Cabrita utilizou uma gravação em filme onde se via um marinheiro sufocando a ansiedade no fundo da sua banheira. Sufocando sob o peso da morte que deixou na ilha perdida. Rui Cabrita, à semelhança do poeta-dramaturgo, é

Alte anima Inverno com Festival de Teatro Na aldeia de Alte, dezembro começa recheado de teatro. Entre os dias 1 e 17, a Associação Cultural de Alte – Teatro de Estrada organiza o XII Festival de Teatro de Alte que irá passar por três palcos da freguesia. “Granizo de Estrelas” é a peça de estreia deste festival que irá ser apresentada na Casa do Povo de Alte pelo grupo “Arte de Viver” da Universidade Sénior de Loulé. No dia 4, o Pólo Museológico Cândido Guerreiro e Condes de Alte recebe uma noite de poesia trazida pelo Teatro Análise da Casa da Cultura de Loulé com “Contos do Gin-Tónico”, de Mário Henrique Leiria. O espaço Horta das Arte vai receber a peça “Cartas de Amor de Fernando Pessoa a Ofhelia Queioz” no dia 5. A peça será apresentada pelo Grupo de Teatro Contemporâneo de Albufeira e é um desafio ao debate em torno da vida e obra de Fernando Pessoa. Para o dia 8 está marcada uma atividade para o espaço Horta das Artes, mas a orga-

o marinheiro que se perdeu numa ilha longínqua. Uma perda que resulta da fragmentação de uma identidade que, à semelhança da ilha, é perdida. Uma fragmentação que,

Mais uma viagem? A Companhia de Teatro do Algarve, ACTA, iniciou a sua digressão pelas escolas do Algarve, contribuindo para a educação de públicos e para a reflexão de alguns problemas delicados que preocupam os educadores do séc. XXI Depois de ter percorrido as escolas da região com espetáculos que obrigavam a uma reflexão e posterior discussão sobre problemas como as drogas duras, a educação para a sexualidade, o bullying, chegou a vez do álcool. A ACTA, companhia de teatro do Algarve, vai iniciar a digressão pelas escolas do Algarve com o espetáculo “Mais um Shot?”, sobre o problema do álcool na adolescência. Com texto de Elisabete Martins e Bruno Martins, “Mais um Shot?” assume-se como um espetáculo interativo que pretende promover a discussão sobre a relação dos jovens com o álcool. Incentivado socialmente desde tempos ancestrais o álcool desde cedo se tornou um problema devido à falta de controlo que os consumidores assumem amiúde. Bruno Martins, Elisabete Martins, Nádia Gonçalves e Nuno Silvestre são os atores que dão vida a quatro personagens jovens. Apresentam uma séria de situações e passam a bola ao público para que sejam os adolescentes que lidam de perto com este problema a apresentar soluções e propostas de representação. À semelhança de outros trabalhos anteriores destinados ao público escolar, os alunos dividem-se em grupos e completam as histórias contadas pelos atores da ACTA. Neste caso, a história de base é a de quatro adolescentes que se preparam para ir a uma festa. Há uma rapariga que gosta de um rapaz mas a sua timidez impede-a de assumir o seu interesse. Há um rapaz que gosta de disfarçar a sua insegurança com comportamentos e comentários excessivos, quer em relação ao seu envolvimento com raparigas, quer em relação às suas façanhas que incluem bebedeiras em festas. Há um adolescente que não bebe mas se diverte e uma outra rapariga que bebe moderadamente e gosta de se divertir. Estas quatro figuras dão origem a uma multiplicidade de histórias que vão sendo criadas pelo público a partir do momento em que os jovens se encontram na festa. Os panoramas são vários: há um cenário em que a rapariga deslumbrada pelo rapaz entra em coma alcoólico, há uma versão em que entram todos alcoolizados

num carro e sofrem um acidente de viação, há outra situação, menos realista, que é a de uma festa em que não há álcool mas todas se divertem e há a criação de uma outra história em que o rapaz e a rapariga se envolvem e na manhã seguinte não se lembram do que lhes aconteceu. Os alunos, para além de recriaram essas versões através de propostas suas, criam também uma lista elencando os problemas que a ingestão excessiva de álcool pode provocar. Estas pequenas dramatizações são intercaladas com explicações mais técnicas por parte dos atores da ACTA sobre as consequências do abuso do álcool e com uma ferramenta teatral que é o recurso ao “hot sit”. O ator senta-se numa cadeira especial em que é obrigado a responder, como personagem, a todas as questões que lhe são colocadas. No final o público decide o desfecho da história e este espetáculo é apenas uma provocação para que a discussão se prolongue nas salas de aula, orientados pelos professores, em debate com os colegas, para que aos poucos a prática se altere e o hábito socialmente aceite de beber um copo de vinho não seja atropelado por comportamentos desajustados que se podem tornar numa sentença de algo muito pior. Este espetáculo, encenado por Elisabete Martins, conta com a participação de dois atores que concluíram recentemente o Curso Profissional de Artes do Espetáculo variante Interpretação da Escola Secundária Pinheiro e Rosa de Faro, Nádia Gonçalves e Nuno Silvestre. Com um desempenho que não ficou atrás dos outros dois atores, estes elementos mostram que a nova geração de atores está aí pronta para dar cartas e contribuir para o desenvolvimento da cultura ao nível regional. Parabéns à estrutura, que decidiu apostar nos novos valores formados no Algarve e parabéns aos novos atores pela força e pela coragem de enfrentar diariamente um público difícil. Depois da escola de atores, a escola da vida. A.O.

nização apenas diz que se trata de um espetáculo... surpresa. “Não te exaltes Isaltina” é a pela que vai passar pela Horta das Artes no dia 10 através do grupo de Teatro “Fiasco”. Trata-se de um grupo constituído por alunos do Conservatório Nacional de Teatro, de Lisboa. Para o sábado, dia 11, está marcada a peça “Restos”. Encenada por Pablo Fernandes, a peça do grupo de teatro “Evoé” vai ser apresentada na Horta das Artes. No dia 12, o teatro passa pela Casa do Povo de Alte com a peça “Alte, Água e Vida” do grupo de Teatro Amador de Alte “Miralumim”. A peça é o resultado de uma criação coletiva coordenada por Pedro Monteiro. O festival encerra no dia 17 novamente na Horta das Artes. “O Marinheiro” é a peça que vai ser apresentada pelo grupo de teatro Penedo Grande. Todos os espetáculos deste festival têm início marcado para as 21h30.

à semelhança de um espelho partido, reflete as imagens repartidas dos heterónimos convertidos em veladoras. As veladoras, fiéis ao texto de Pessoa criaram uma autêntica hermenêutica do corpo à medida que o poema dramático ia avançando. À pergunta "Quem é que eu estou falando?... Quem é que está falando com a minha voz?..." o corpo responde, envolvendo-se no espaço num bailado singular. A introspeção intensa transmuta-se numa expressão corporal singular que aproxima a palavra ao corpo do espetador. A fuga da palavra desemboca no encontro do corpo. "É belo falar do passado. Porque é inútil e faz tanta pena." E se a boca cala o presente o corpo avança para o futuro. Principalmente o corpo de Marta Vargas que descobre todos os recantos do pequeno espaço de representação e, à semelhança das ondas do mar que diz ter sonhado, ondeia e irrompe expressivo quando diz: "Há ondas na minha alma... Quando ando embalo-me." É sobretudo tocante sentir a emoção destas três mulheres quando partilham o texto e o corpo com os espetadores No final, quando assumem o vestido branco idêntico ao da jovem donzela que estão a velar mostram o desespero da paralaxe ontológica ao mesmo tempo que gritam: "Estou a ouvir-me gritar dentro de mim mas já não sei o caminho da minha vontade para a minha garganta." Lisete Martins está imponente neste trabalho, Marta

Vargas impressiona como atriz na alma e no corpo e Célia Ginó é coerente no seu trabalho de veladora mais circunspecta mas não menos implacável. Um momento tocante que desoculta três atrizes algarvias e faz justiça às palavras do poeta. Um trabalho intenso e não menos belo em que Rui Cabrita partilha com o seu público fragmentos da sua alma. Como partilha nas notas de encenação: "Caído o corpo negro a alma aclara-se com igual trajar de branco. Musa tão triste e tão vida charco da memória da água... da vida da árvore afogada de pé sem tempo da morte do passado e do tempo a água só. Induzida na memória pelo som da banheira, o marinheiro na banheira o marinheiro continuando a sua viagem sem porto deixando uma mulher morta vivendo em sua memória de noite uma imagem projetada na água e nos montes do pensamento uma alma consciente da morte do fim de algo, uma mulher que vai descobrindo com o fluir de um sonho a ausência do real uma cabeça que nunca perceberá porque não há relógio nesta noite três corpos dessa mulher que se queda no fim morta num vestido branco suspensa que lhe faz lembrar ela ao marinheiro que sai da saia quando outro dia raia de manhã numa praia de um duche liquidifica memórias ele parte no ir partindo na procura comum do pão da vida que resta." Um espetáculo que merece ser revisto num espaço mais adequado à prática do teatro.


S

25 I novembro I 2010

OCIEDADE

[12]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

FIM DE ANO COM MÚSICA DOS ÍDOLOS NA PRAIA DOS PESCADORES E ANIMAÇÃO MEDIEVAL EM PADERNE

Comissão Europeia quer acelerar combate à pobreza A Comissão Europeia lança uma consulta pública sobre o futuro da política de desenvolvimento da UE. Face ao triplo desafio de uma crise económica, alimentar e ambiental, mas também aos resultados económicos globalmente encorajadores dos países em desenvolvimento, a comissão deseja recolher opiniões sobre o modo como poderá a União Europeia ajudar mais eficazmente estes países a acelerar os seus progressos na consecução dos objetivos de desenvolvimento do milénio ou mesmo ajudá-los a ir mais além. Partindo dos resultados já alcançados, a comissão propõe quatro domínios principais de debate: o impacto da ajuda da UE, o apoio a um crescimento mais inclusivo, a promoção do desenvolvimento sustentável e a obtenção de resultados duradouros nos setores da agricultura e da segurança alimentar. Uma vez terminada a consulta pública, aberta aos estados-membros da UE e aos países parceiros, a comissão apresentará uma comunicação sobre a modernização da política de desenvolvimento da União Europeia em 2011.

Europa e África em parceria para um futuro melhor Tendo em vista a cimeira África-UE, que terá lugar a 29 e 30 de novembro na Líbia, a comissão apresenta as suas propostas para a consolidação das relações entre a União Europeia e a África. Com base na atual estratégia conjunta África-UE lançada em 2007, a comissão enumera os desafios comuns onde se registaram progressos mas que, mesmo assim, necessitam de ser abordados em conjunto, nomeadamente a erradicação da pobreza, a paz e a segurança, a democracia e os direitos humanos, a governação global e as alterações climáticas. Embora o âmago da estratégia conjunta África UE continue a ser a consecução dos objetivos de desenvolvimento do milénio (ODM), a comissão reconhece a necessidade de um apoio a África para fortalecer a sua governação política e económica de modo a permitir uma mobilização mais sustentável dos recursos do continente. Neste espírito, a comissão propõe centrar-se nas iniciativas que poderiam ajudar a despoletar um desenvolvimento inclusivo e sustentável a longo prazo. Estas propostas contribuirão para a elaboração do plano de ação sobre a execução da estratégia conjunta África-UE que será adotado durante a cimeira.

UE caminha para uma indústria automóvel competitiva e sustentável A comissão solicitou ao grupo CARS 21 que elaborasse um plano de ação comum e uma visão para uma "indústria automóvel europeia competitiva, uma mobilidade e um crescimento sustentáveis até 2020 e depois". Estes trabalhos vão contribuir para a estratégia da UE para um crescimento inteligente, sustentável "Europa 2020", para as iniciativas sobre a utilização eficaz dos recursos e sobre a política industrial, bem como para a estratégia da UE relativa aos veículos limpos e económicos em energia. Um relatório publicado pela comissão mostra que a indústria está no bom caminho no respeitante à redução das emissões de CO2 dos veículos novos.

Comissão apoia projetos de tecnologias inovadoras e energias renováveis A Comissão Europeia lança o primeiro convite à apresentação de propostas para o maior programa mundial de investimento em projetos de demonstração de tecnologias hipocarbónicas e energias renováveis. A iniciativa, conhecida sob o nome NER300, dará um apoio financeiro substancial a, pelo menos, oito projetos ligados às tecnologias de captura e armazenagem de carbono (CAC) e 34 projetos ligados a tecnologias inovadoras no domínio das energias renováveis. O objetivo é promover o desenvolvimento de uma economia hipocarbónica na Europa, criando novos empregos "verdes" e contribuindo para a realização dos ambiciosos objetivos da UE no domínio das alterações climáticas. O Banco Europeu de Investimento (BEI) está a colaborar com a comissão na execução do programa. As empresas interessadas em participar têm três meses para apresentar propostas a nível nacional. Perguntas sobre a União Europeia? Ligue o número verde 00800 67891011 Contacte o Centro de Informação Europe Direct do Algarve (CCDR) - 289 895 272 (www.ccdr-alg.pt/europedirect) Ou envie um email para europedirect@ccdr-alg.pt

Albufeira prepara “réveillon “ de arromba a metade do preço O município vai gastar 250 mil euros na passagem de ano 2010/2011, um valor que representa metade do investimento do ano passado. Mesmo assim, o presidente Desidério Silva garante que Albufeira não vai fazer a festa por menos. Na Praia dos Pescadores são esperadas milhares de pessoas para assistir à final do programa Ídolos, enquanto mais de um milhão vai ver tudo em direto pela televisão. Fogo de artifício, animação e a feira Paderne Medieval completam o cartaz do “réveillon”, que deverá ter “um retorno de 10 milhões de euros” para a economia local > NUNO COUTO Apesar de a crise ditar alguma contenção, a câmara de Albufeira está disposta a fazer tudo para atrair e impressionar as milhares de pessoas esperadas na passagem de ano. “A autarquia vai investir este ano metade do que gastou na passagem de 2009/ /2010, mas esperamos ter o mesmo sucesso que no ano passado”, adiantou Desidério Silva, sexta-feira, durante a apresentação do programa. Ao todo, a câmara municipal planeia gastar 250 mil euros num “programa fantástico”, e que pretende afirmar Albufeira como “um destino com uma grande tradição na passagem de ano”. “Já passaram por aqui grandes nomes da música nacional e internacional (Nelly Furtado, Las Ketchup, UB40, Bob Sinclair, Da Weasel, etc.). Este ano, vamos oferecer um espetáculo especial, em parceria com a SIC, que é a grande final do programa Ídolos”, revelou o autarca. O presidente da autarquia referiu que os eventos festivos vão estender-se da cidade até à freguesia de Paderne, onde terá lugar, entre 30 de dezembro e 2 de janeiro, a feira Paderne Medieval. “Trata-se de um programa fantástico que vai certamente valorizar muito o concelho, atrair muitas pessoas a Albufeira e trazer benefícios para restaurantes, unidades hoteleiras e comércio local”, frisou. Desidério Silva realçou ainda que um estudo efetuado pela Universidade do Algarve sobre o impacto do programa de fim de ano em Albufeira aponta para “um retorno de 10 milhões de euros para a economia local”, uma verba que considera “muito positiva no meio de uma crise como a que atravessamos”.

Já começou a contagem decrescente para mais um fim de ano em Albufeira, com os Ídolos como cabeças de cartaz

Imagem positiva fora do verão Assim, apesar da redução do investimento, a autarquia espera pelo menos o mesmo impacto das últimas passagens de ano. “Com a transmissão em direto na SIC, este final de ano vai chegar a milhares de pessoas e esta é uma excelente forma de passar uma imagem positiva de Albufeira fora do verão”, afirmou o autarca. De acordo com o diretor de programas da SIC, Nuno Santos, a grande final do Ídolos vai proporcionar um grande espetáculo ao vivo em Albufeira, sendo que a transmissão vai chegar “a cerca de 1,2 milhões de espetadores” em casa. O responsável salientou ainda que esta é uma ótima

oportunidade para promover Albufeira, na medida em que “os portugueses conhecem essencialmente o Algarve e Albufeira pelas praias”. “A nossa ambição é tornar apetecível a ideia de que esta região também é um bom destino para passar um fim de semana e que tem muitas potencia-lidades em qualquer altura do ano”, frisou Nuno Santos. João Manzarra, apresentador do programa Ídolos, juntamente com Cláudia Vieira, prometeu na apresentação do cartaz do fim de ano uma “noite de arromba” em Albufeira. Por seu lado, o presidente do júri do concurso televisivo, Manuel Moura dos Santos, disse que o público de Albufeira

e todos os visitantes vão poder assistir a um “espetáculo único e muito especial”. “Os concorrentes estão habituados a cantar nas galas com 600 pessoas à frente. Em Albufeira, vão atuar pela primeira vez nas suas vidas perante 70 ou 80 mil. Aqui é que se vai ver quem são os verdadeiros artistas”, referiu o implacável membro do júri. Para além dos Ídolos e do Paderne Medieval, o cartaz do fim de ano em Albufeira - um dos maiores eventos de rua do país e que chegou a entrar no livro de recordes do Guiness, no ano passado, com o maior brinde do mundo - inclui ainda fogo de artifício à meia noite e, após as doze badaladas, atua o dj Diego Miranda na Praia dos Pescadores.

Programa: > Grande final do programa Ídolos (31 de dezembro, a partir das 22h00, com transmissão em direto na SIC a partir de Albufeira) > Fogo de artifício (31 dezembro à meia noite) > Dj Diego Miranda (depois da meia noite) > Paderne Medieval (30 de dezembro a 2 de janeiro) > Inclui: mercado medieval, desfiles, torneios, exibições de época e visitas ao castelo.


S [] Festival da Batata-Doce e novo espaço multiusos trazem ministro a Aljezur OCIEDADE

13

25 I novembro I 2010 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

O ministro da Agricultura, António Serrano, vai estar em Aljezur, sexta-feira, dia 26, a partir das 18h00, para inaugurar o Espaço Multiusos e presidir à cerimónia de abertura do Festival da Batata-Doce 2010. O novo espaço multiusos representa um investimento de cerca de 1,2 milhões de euros (com 860 mil euros de fundos comunitários) e apresenta-se com a aparência de um longo paralelepípedo, com uma área de três mil metros quadrados, dividido em quatro módulos, com entradas independentes e separados por painéis amovíveis que permitem inúmeras e

diferenciadas ações e funções. Segundo a autarquia de Aljezur, um dos módulos será ocupado apenas com restauração, enquanto a área exterior do moderno pavilhão desempenha um papel de praça, com bancadas e anfiteatro, vocacionado para a realização de espetáculos ao ar livre. Entretanto, entre os dias 26 e 28, realiza-se o Festival da Batata-Doce. O evento pretende “valorizar, promover, preservar e conjugar os saberes das gentes com os sabores únicos dos produtos oriundos desta terra plantada entre a serra e o mar”.

Museu de Portimão ganha candidatura para elaboração de “website”

A organização, a cargo da autarquia e da associação de produtores local, realça que a batata-doce de Aljezur “é hoje cada vez mais reconhecida como ex-líbris da nossa identidade cultural”. “As condições ambientais únicas permitem o har-

monioso crescimento das famosas «raízes de pele castanho avermelhado e polpa amarela». O sol, as terras, as águas, o ar limpo e o clima de Aljezur fazem das batatas-doces um produto com qualidade e com um sabor diferenciado”, destacam.

O Museu de Portimão foi um dos dois museus algarvios a ter a candidatura ao Programa de Apoio a Museus da Rede Portuguesa de Museus (Promuseus) aprovada. O museu Prémio Conselho da Europa 2010 solicitou apoio na área da divulgação para a elaboração de um sítio da Internet. “Este apoio foi considerado de total pertinência, tendo em conta os objetivos de divulgação deste equipamento cultural e de comunicação com potenciais públicos”, adiantaram os responsáveis, frisando que o sítio será co-financiado por este programa, em 50 por cento do valor global.

Acabe com as mãos e pés frios de forma natural! O extracto de planta que faz o sangue fluir Uma das descobertas mais interessantes dos últimos tempos é o ginkgo biloba, um extracto de planta que dilata os vasos sanguíneos e ajuda o aporte de oxigénio e nutrientes a todas as partes do corpo. Quando se fazem palavras cruzadas, o cérebro trabalha a grande velocidade para encontrar as respostas certas. As tarefas de concentração e reflexão requerem um enorme fornecimento de sangue ao cérebro, dado que o sangue transporta o oxigénio e os nutrientes necessários às células cerebrais. O músculo também está dependente de sangue, oxigénio e nutrientes, bem como qualquer outra função do nosso corpo. À medida que se envelhece, o fornecimento de sangue fica mais lento devido à formação gradual de placas no interior dos vasos sanguíneos. Tal afecta geralmente a memória, e a concentração torna-se também cada vez mais difícil. Os pés e as mãos podem arrefecer e muitas das funções do corpo ficam mais lentas. A boa notícia é que este problema pode ser resolvido através da administração de um extracto de planta designado

ginkgo biloba. Como funciona? O que contêm as folhas que tem a capacidade de melhorar a circulação? O segredo está nos flavona-glicósidos e nas terpeno-lactonas, que são as substâncias activas (flavonóides) com diversos efeitos biológicos. De um modo simples, o ginkgo biloba dilata (expande) os vasos sanguíneos, facilitando a passagem do sangue. O ginkgo biloba apresenta um outro efeito importante - torna o sangue menos viscoso. Tal facilita a circulação do sangue. Mãos e pés mais quentes Investigadores demonstraram que ginkgo biloba melhora o fornecimento de sangue às extremidades, tais como os pés e as mãos. A utilização de termografia, uma técnica particular de imagem que mostra as diferenças de temperatura com cores diversas, permitiu

aos investigadores demonstrar como as zonas frias se tornam quentes após a utilização de suplementos de ginkgo biloba. Por outras palavras, o acréscimo de fornecimento de sangue aumenta a temperatura nos dedos das mãos e pés. Combate à demência Outra área que se mostra promissora é a prevenção de problemas como a Doença de Alzheimer. Estudos demonstram como pessoas em estados iniciais desta doença podem atrasar o desenrolar da doença. Deste modo, são capazes de se manter num estado inicial de doença, quando se esperaria que dependessem completamente de terceiros. Assim, ginkgo biloba ajuda no bem-estar físico e mental e parece ser um meio extremamente útil na manutenção da saúde, especialmente durante o envelhecimento. Actualmente, não existem medicamentos

Melhora a memória e a concentração Agora, se considerar o facto de que apenas o cérebro humano utiliza cerca de 20% do oxigénio consumido, não será difícil imaginar como ginkgo biloba pode melhorar o desempenho mental. As pessoas mais velhas que tomam este extracto apercebem-se de que conseguem lembrar-se mais facilmente de pormenores e que têm maior facilidade de concentração, mas existem outros benefícios associados à utilização de ginkgo biloba. O ginkgo biloba contribui também para o alívio de outros problemas relacionados com a má circulação como tonturas, zumbidos nos ouvidos e pernas pesadas.

capazes de igualar ginkgo biloba no que se refere à melhoria dos problemas circulatórios. Por este motivo, este suplemento é único.

Como escolher um bom produto? Existem vários suplementos disponíveis nas farmácias que ajudam a melhorar a circulação sanguínea. Estes podem parecer iguais mas estarem muito longe em termos de qualidade e eficácia. É por isso essencial ter em conta a matéria-prima utilizada. Tal foi claramente demonstrado no estudo Inglês publicado há alguns anos. Comparando 18 marcas de ginkgo biloba disponíveis comercialmente, os cientistas encontraram diferenças enormes quando compararam a actividade do extracto e o efeito protector. Alguns dos produtos que declaravam um elevado conteúdo em extracto de ginkgo biloba eram praticamente ineficazes. O suplemento que surgiu no topo da lista dos melhores foi BioActivo Biloba Forte, da Pharma Nord. A matéria prima utilizada neste suplemento foi considerada a melhor matériaprima do mercado - a mais eficaz, de melhor absorção e de melhor qualidade. Apresenta também a particularidade de cada comprimido conter a dose diária necessária para um efeito óptimo (100mg por dia). Apenas um comprimido por dia contribui para uma circulação sanguínea saudável.

Fonte: J Altern Complement Med. 2003 Oct;9(5):625-9.

BioActivo Biloba Forte é um suplemento alimentar com ginkgo biloba que recebeu várias distinções. Melhora a circulação sanguínea, o funcionamento das funções cognitivas e do bem estar físico geral.


S

OCIEDADE

[14]

25 I novembro I 2010 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Ex-inspetores da PJ alertam crianças e pais sobre os perigos da internet Gonçalo Amaral e Paulo Pereira Cristóvão estiveram em Vila Real de Santo António e deixaram alguns conselhos a uma plateia que encheu por completo o Centro Cultural António Aleixo > DOMINGOS VIEGAS Mais de 200 pessoas reuniram-se na última sexta-feira no Centro Cultural António Aleixo, em Vila Real de Santo António, para ouvir Gonçalo Amaral e Paulo Pereira Cristóvão, ex-inspetores da Polícia Judiciária (PJ), falar durante cerca de três horas sobre crianças desaparecida e sobre os perigos que a internet pode ter para as crianças. De acordo com Paulo Pereira Cristóvão “dez por cento dos abusos sexuais a crianças têm origem em crimes informáticos”, através da internet, “e estes números são apenas os que chegam ao conhecimento da PJ”, sublinhou. Aliás, a utilização da internet por parte dos pedófilos para cativar as crianças e para praticar abusos sexuais acabou por ser o tema que despertou mais curiosidade e que mais questões levantou por parte da plateia que encheu por completo o espaço cultural da cidade pombalina. Gonçalo Amaral defendeu que “a melhor forma de evitar que tal aconteça é prevenir” e que a educação “deve começar em casa e não no meio escolar”. “Não podemos ter tabus com os nosso filhos. É preciso falar de tudo com eles”, pois a internet “pode ser uma

porta maravilhosa de conhecimento, mas também pode ser uma porta tenebrosa dos maiores males”, alertou, numa clara alusão às redes sociais e aos chats. Ainda em relação à prevenção, Paulo Pereira Cristóvão foi mais longe e defendeu mesmo que as crianças não devem usar a internet sozinhas. “Não se põe um automóvel nas mãos de uma criança porque esta não está habilitada para o conduzir. Então, porque é que lhe dão a internet?”, exemplificou.

contacto com crianças: “O pedófilo estuda até à exaustão, por exemplo, a forma que as crianças têm de escrever no MSN, para que seja visto como mais um igual a elas. São autênticos travestis psicológicos. Conhecem os jovens porque falam com eles, conhecem os seus gostos, como por exemplo as músicas...”, alertou Paulo Pereira Cristóvão, explicando que “o que lhes dá prazer não é consumar o ato sexual, mas sim o ato de caçar e as coisas que têm que fazer para ir subindo na confiança do alvo”.

“Se a criança quer internet, consulta-a na sala e em família”

“Devemos estar atentos a alterações de comportamento”

“Estamos a democratizar muito cedo o que não deve ser democratizado e, para muitos pais, também é cómodo deixar a criança sozinha com a internet para não os chatear. Mas aqui não tem que haver democracia. Se a criança quer internet, consulta-a na sala e em família. A privacidade da criança é quando está a tomar banho. Fora disso não tem que haver privacidade nenhuma”, defendeu Paulo Pereira Cristóvão. Os dois ex-inspetores recordaram que não é possível definir o perfil físico de um pedófilo e que a internet é uma forma muito fácil de este travar

Os ex-inspetores deixaram ainda alguns alertas sobre indícios que podem ajudar a perceber se uma criança está a ser vítima de abusos sexuais. “Devemos estar atentos a alterações de comportamento. Quando uma criança de sete ou oito anos parece estar a crescer muito depressa, quando começa a ser demasiado arrumadinha, a não brincar com aquilo que seria normal para a sua idade... tudo isto pode indicar que se está a passar alguma coisa”, explicou Gonçalo Amaral, sublinhando que “os vizinhos e os professores também devem alertar quando

José Gonçalves Viana fala sobre a Ria Formosa no Clube de Tavira No dia 25 de Outubro, teve lugar no Clube de Tavira uma Manifestação Cultural muito interessante: discussão sobre o possível e desejável desenvolvimento da Ria Formosa no que respeita ao concelho de Tavira. Foi conferente o engenheiro José Gonçalves Viana que, em tempos, já depois do 25 de Abril, foi secretário de Estado dos assuntos relacionados com a actividade marítima e, além disso, é um apaixonado pela discussão dessa mesma actividade no que respeita ao referido concelho, como é publicamente conhecido. O título da conferência foi “Tavira e a Ria Formosa, que Futuro?”, e serviu para focar os diversos problemas que afectam a referida Ria naquele concelho, nomeadamente em Tavira, em Santa Luzia e em Cabanas. Sala razoavelmente composta de assistência, tendo em conta que se tratava de uma hora, e dia da semana cujo horário impedia a comparência ali de quem tivesse emprego. O engenheiro José Gonçalves Viana dissertou sobre vários assuntos do referido tema, nomeadamente a respeito da zona ribeirinha de Tavira, ao porto de Cabanas e do de Santa Luzia. Por fim, realizou-se um debate no qual intervieram alguns dos espectadores que aproveitaram para apresentar as suas dúvidas sobre problemas notórios verificados desde há muito e cuja solução, embora pareça fácil, teima em não se realizar. Apesar disso, e tal como foi referido, nada impede que os cidadãos os discutam, alertando os poderes constituídos para o efeito, embora tal a pouco ou nada conduza. Arnaldo Casimiro Anica

Gonçalo Amaral e Paulo Pereira Cristóvão com a vereadora Conceição Cabrita

notarem algo de estranho”. Pegando nesta ideia de que o meio que rodeia a criança pode ajudar a alertar, e recordando que os abusos não acontecem apenas através da internet, Gonçalo Amaral lembrou o caso de Joana, a menina desaparecida na aldeia da Figueira. “Chegámos à conclusão de que a criança era violada pelo padrasto, quando foram ouvidos os vizinhos e os PUB

professores”. Neste sentido, “a Comissão e Proteção de Crianças e Jovens de Portimão, mais uma vez, falhou”, afirmou o ex-inspetor. “E não foi nenhuma vidente que nos disse isso. Posteriormente, através de análises, detetámos vestígios de esperma na roupa interior e na cama da criança. E dizemos isto com toda a convicção e com toda a clareza”, acrescentou Paulo

Pereira Cristóvão. Ainda em relação aos crimes sexuais praticados com crianças e jovens, Gonçalo Amaral defendeu que alguma legislação deve ser repensada. “Choca-me que, perante o Código Penal, aos 14 anos uma criança passe a poder dizer sim e o que poderia ser considerado um abuso deixa de o ser. No entanto, para votar é só aos 18 anos”, lamentou.


D

25 I novembro I 2010 www.jornaldoalgarve.pt

ANDEBOL

Gil Eanes eliminado da Taça EHF A equipa de seniores femininos do Gil Eanes, de Lagos, foi afastada este fim de semana da Taça EHF ao perder na Holanda diante do VOC Amsterdão por 34-29, no encontro da segunda mão da terceira eliminatória daquela competição europeia. As atuais campeãs nacionais já tinham perdido o jogo da primeira mão, disputado em casa, na semana anterior (30-34). Na Holanda, as algarvias conseguiram equilibrar o jogo na primeira parte, chegaram ao intervalo a perder por apenas dois golos de diferença (16-14), mas não tiveram argumentos para contrariar o jogo das holandesas na segunda metade.

Iniciados do Náutico estão imparáveis A equipa de iniciados masculinos do Clube Náutico do Guadiana, de andebol, continua imparável no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão daquele escalão, somando por vitórias (e por goleadas) todos os jogos realizados. No último fim de semana, em jogo a contar para a quarta jornada (primeira da segunda volta) desta primeira fase, a equipa vilarealense recebeu e derrotou o Costa D'Oiro, de Lagos, por 48-7. O Náutico continua assim a ocupar o primeiro lugar no Grupo de 10.

Vila-realenses no mundial de padel A dupla constituída por Ricardo Ribeiro e Vítor Palma, do Clube de Ténis de Vila Real de Santo António, estará entre segunda-feira e o próximo dia 5 de dezembro no México para disputar a décima edição do Campeonato do Mundo de Padel. Trata-se da terceira participação destes dois vilarealenses nesta competição (já tinham estado nos mundiais de Espanha e do Canadá), que este ano contará com a presença 380 praticantes, em representação de 20 países.

Ciclismo algarvio arrisca-se a ficar sem equipas no pelotão nacional Centro de Ciclismo de Loulé "sem hipótese" de fazer uma equipa profissional. Clube de Ciclismo de Tavira corre desesperadamente contra o tempo para encontrar um patrocinador que viabilize o seu projeto para 2011 > DOMINGOS VIEGAS O prazo de inscrição das formações profissionais de ciclismo termina na próxima segunda-feira e as duas equipas algarvias continuam sem patrocinadores, facto que está a pôr em risco a sua participação nas competições da próxima época. O Clube de Ciclismo de Tavira ainda pondera um cenário alternativo, encarando a época com um orçamento mínimo, mas no Centro de Ciclismo de Loulé já se fala mesmo em abandonar o ciclismo profissional. Infelizmente, o caso mais surrealista é o do Clube de Ciclismo de Tavira, a equipa mais antiga do pelotão mundial e aquela que nos últimos anos mais êxitos arrecadou de entre as que têm composto o pelotão nacional. Mesmo assim, continua a não haver ninguém que se chegue à frente como patrocinador principal, para que a equipa possa continuar a competir ao mais alto nível. “Tem havido muitos contactos, porém, até agora, não temos qualquer resposta positiva. Ainda mantemos algumas esperanças, mas são cada vez menos”, lamenta, em declarações ao Jornal do Algarve, o presidente do Clube de Ciclismo de Tavira. No entanto, Jorge Corvo admite que ainda há um “cenário alternativo” em cima da mesa. O dirigente diz que, caso se confirme a falta de um

patrocinador principal, vai tentar viabilizar o projeto “com os capitais mínimos obrigatórios”, através dos apoios que o clube possui atualmente, ou seja, a autarquia e os pequenos patrocinadores. “Mas mesmo para isso tem que haver garantias mínimas para poder inscrever a equipa. Vamos ver se as conseguimos reunir até ao final da semana”, sublinha Jorge Corvo. Quando questionado acerca das razões que podem ter levado a que a equipa que amealhou mais êxitos na última temporada chegue a esta situação, Jorge Corvo foi perentório: “A situação económica que o país atravessa, a fraca aposta das grandes empresas no ciclismo, a falta de transmissões televisivas das competições nacionais, as situações que têm a ver com o 'doping' e que têm dado uma imagem negativa à modalidade, bem como a falta de investimento regional têm pesado muito na altura de as equipas encontrarem patrocinadores”. Com o futuro a ser ainda uma incógnita, as únicas certezas que existem em Tavira em relação à equipa são as saídas de David Blanco e de Alejandro Marque. Caso a equipa vá competir na próxima temporada, os jovens Diogo Nunes e João Pereira, dos escalões de formação do clube, já têm a garantia de que irão fazer parte do plantel. No Centro de Ciclismo de

Senhora com formação em Geriatria e experiência, c/carro e carta de condução e conhecimentos das línguas: espanhol, francês e inglês. Oferece os seus serviços no período da manhã e das 21 horas em diante, no concelho de Vila Real de Santo António e Tavira.

Favor contactar: 917 481 908

Paulo Cunha/JLS/PAD

Armindo Vicente

ESPOR TO [15] ESPORTO

Loulé a situação é ainda mais grave, pois Jorge Piedade garantiu ao nosso jornal que a situação está “muito complicada” e que a equipa louletana não deverá integrar o pelotão nacional na próxima temporada. “Neste momento, não há qualquer hipótese de fazer uma equipa profissional. Com muita pena minha, mas sozinho é impossível. A crise está instalada por todo o lado, o ciclismo vive exclusivamente de patrocinadores e tem custos elevados. Tinha que haver patrocínios, mas ninguém está interessado. Nem sequer no concelho de Loulé”, lamenta aquele que tem sido o diretor desportivo da formação louletana nas últimas épocas. Além da falta de patro-

cínios, o Centro de Ciclismo de Loulé viu o seu presidente, Manuel Batísta, colocar o seu lugar à disposição. “Vamos ver se alguém pega no clube através de um ato eleitoral, para que se possa avançar, pelo menos, com as camadas jovens. Mas não sei...”, referiu Jorge Piedade. Mas a crise não está apenas no ciclismo algarvio. Depois de a Liberty Seguros ter anunciado que já não integrará o pelotão nacional na próxima época, à hora do fecho desta edição só havia três equipas profissionais confirmadas para 2011: Barbot/Efapel, Boavista e LA/ Paredes/Rota dos Móveis. Na última época já só se inscreveram cinco equipas profissionais.

Moradia V5 em zona residencial do Ameal, Porto, a 800 metros do Colégio Luso-Francês

Preço:

250 000 euros (negociável) Favor contactar

917 303 224


D [] Olhanense continua na Taça de Portugal e vai à Luz para a Taça de Liga ESPORTO

16

25 I novembro I 2010 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

> DOMINGOS VIEGAS O Olhanense, depois de eliminar o Nacional, é, para já, a única equipa algarvia sobrevivente na Taça de Portugal. O Portimonense foi eliminado pelo V.Guimarães e o Louletano ainda aguarda (à hora do fecho desta edição) a decisão do Concelho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol em relação ao jogo da terceira eliminatória disputado com o Bombarralense e interrompido nos descontos após o golo do empate da equipa algarvia. No domingo, em Olhão, a formação de Daúto Faquirá carimbou o passaporte para os oita-

vos-de-final ao derrotar o Nacional com um golo de Fernando Alexandre, na conversão de uma grande penalidade que castigou uma falta de Felipe Soares sobre Paulo Sérgio. Aliás, o Olhanense dominou durante toda a primeira parte e foi a única equipa a criar reais ocasiões de golo. Em cima do intervalo, Fernando Alexandre ainda desperdiçou uma grande penalidade. Esta tónica manteve-se no início da segunda parte, o Estádio José Arcanjo ainda viu Adilson rematar à barra, mas o Nacional foi ganhando confiança aos poucos, embora sem criar verdadeiras situações de golo. Os madeirenses intensifi-

caram a pressão nos últimos dez minutos, depois de o Olhanense ficar reduzido a dez jogadores (expulsão de Adilson), mas só conseguiram rematar com perigo por uma vez. Sorte distinta teve o Portimonense, que foi eliminado pelo Vitória de Guimarães, no Estádio Algarve, ao perder por 1-2, depois de ter estado em vantagem durante 45 minutos e de sofrer o golo da derrota em cima do minuto 90. O Portimonense até jogou melhor do que os vimaranenses, mas pode voltar a queixar-se de falta de sorte. A equipa de Litos marcou logo aos 4 minutos de jogo, por intermédio de Renatinho, e até ao inter-

NACIONAIS SÉNIORES I LIGA Próxima 12.ª V.Setúbal Marítimo P. Ferreira Sporting Naval PORTIMON. Beira-Mar Sp. Braga

Académica V.Guimarães OLHANENSE FC Porto RioAve U.Leiria Benfica Nacional

2.ª DIVISÃO - ZONA SUL Próxima 9.ª Reguengos Mafra Casa Pia Atlético Carregado Pinhalnov. LAGOA Praiense

LOULETANO Madalena Real Juv.Evora Oriental Torreense FARENSE Operário

3.ª DIVISÃO - SÉRIE F Próxima 9.ª Odemirense MESSINENSE ESP. LAGOS C. Piedade F.Barreiro Aljustrelense

Moura U. Montemor Sesimbra P. Caparica BEIRA-MAR Vendas Novas

valo desperdiçou várias ocasiões para ampliar a vantagem, perante a apatia dos jogadores do Vitória. No início do segundo tempo, e quando nada o fazia prever, o V.Guimarães chega ao golo do empate. A partir de aqui o jogo foi mais equilibrado e os visitantes acabariam mesmo por carimbar a passagem aos oitavos-de-final ao cair do pano e quando já toda a gente previa o prolongamento. O sorteio da quinta eliminatória (oitavos-de-final) da Taça de Portugal realiza-se hoje, quinta-feira, ao meio-dia, na sede da Federação Portuguesa de Futebol. Caso a decisão do CD da Federação seja favorável ao Louletano, a equipa de Loulé ainda terá que disputar a quarta eliminatória frente ao União da Madeira.

Taça da Liga: Olhanense defronta Benfica a 19 de janeiro Na segunda feira decorreu o sorteio da fase de grupos da Taça da Liga, onde o Olhanense,

Luís Forra/Lusa

Portimonense está fora das duas competições. Louletano aguarda decisão do Concelho de Disciplina da Federação para saber se vai disputar o jogo da quarta eliminatória (em atraso) da Taça de Portugal

Os jogadores do Olhanense têm razões para festejar, pois mantêm-se nas duas competições a eliminar

único sobrevivente entre as equipas algarvias, ficou a saber que integrará o Grupo B e que terá uma deslocação até ao Estádio da Luz para defrontar o Benfica, atual campeão nacional. Esta fase de grupos, que irá decorrer durante o próximo mês de janeiro, será disputada a uma mão. O Olhanense começa com uma deslocação à Vila das Aves (dia 2), para defrontar o Desportivo local, depois vai à Luz (dia 19) e termina esta fase da competição em casa com o Marítimo (dia 29 ou 30). Os outros jo-

gos deste grupo, para os mesmos dias, são Benfica-Marítimo, Marítimo-Desp. Aves e Desp. Aves-Benfica. O FC Porto ficou no Grupo A com Nacional, Beira-Mar e Gil Vicente. O Grupo C é composto por V.Guimarães, Sp. Braga, Paços de Ferreira e Arouca. O Sporting jogará no grupo D com Naval, Penafiel e Estoril. Os vencedores de cada grupo serão apurados para as meias finais (A-C; B-D), a disputar nos dias 2 e 3 de março. A final terá lugar em Coimbra, a 23 de abril.


D

[17]

ESPORTO

25 I novembro I 2010 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL

Sem contestação

"Nunos" resolvem LUSITANO VRSA 2

Depois de três goleadas em casa, o Lusitano de Vila Real de San-

Local: Estádio Municipal de Quarteira. Árbitro: Nuno Guerreiro. Quarteira: Miguel; Cristiano, Fábio Marques (Oleirinha, 45'), Tinaia, Daniel, Cambuta, Marcel, Moki (Carvalho, 45'), Huguinho (Marcelo, 65'), Túlio Benje e Filipe. Treinador: Zugic. Quarteirense: Lamah; Filhó (Diogo, 45'), Rui Graça, Trindade, Carôlo, Van Damme (Caras, 82'), Josimar, Alemão, Vila, Toni (Rodrigo, 45') e Anderson. Treinador: Marito. Ao intervalo: 0-2. Golos: Alemão (20'), Vila (21'), Rodrigo (59' e 74') e Carvalho (70').

to António sentiu algumas dificuldades para ultrapassar uma bem organizada equipa do Faro e Benfica. Somente na etapa complementar, e após uns primeiros 45 minutos menos conseguidos, os comandados de Ivo Soares conseguiram quebrar a muralha defensiva dos encarnados

de Faro. Nuno Silva, na sequência de um pontapé de canto, e Marco Nuno, concluindo um soberbo cruzamento de Luís Firmino, desnivelaram o marcador numa vitória que teve tanto de justa como de complicada. Ricardo Gutierrez

Local: Estádio Dr. Francisco Vieira (Silves). Árbitro: Luís Morgado. Silves: César; Salvador, Toni, Ricardo Sequeira, João Teodoro (Marcos, 67'), Hernâni (Nilton, 60'), Bráulio, Pipi, Pelé, Mica Júnior e Carlinhos (Pedro Vilanova, 46'). Treinador. Calú. Aljezurense: Pegê; Jorge, Boca-Negra, Ginga, Pinto, Cuco, André, Casinhas (Rufia, 46'), Alexandre (Rafa, 67'), Marquinho (Fernandes, 46') e Di. Treinador: José Fernandes. Ao intervalo: 4-1.

Local: Estádio da Nora (Ferreiras). Árbitro: Pedro Oliveira. Ferreiras: Nélio; Luís Ferreira, Diogo Afonso (Wilson, 46'), Pedro Colaço, Jorge, Peixinho (Hugo, 84'), Flávio, Ricardo Pereira (Jair, 71'), Pias, Ricardo Mestre e Bonifácio. Treinador: Ricardo Moreira. Castromarinense: Nélson; Quim, André, Ricardo (Augusto, 50'), Valter, Ademir (Jacques, 46'), Luís Calvinho (Bruno, 46'), Madama, Juninho, Salsinha e Luís Viegas. Treinador: Tomás Henrique. Ao intervalo: 2-0. Golos: Ricardo Pereira (23'), Pias (36'), Bonifácio (72') e Jorge (86'). Disciplina: Cartão amarelo a Peixinho (26'), Pias (50'), Ademir (37'), Salsinha (55') e Madama (70').

O Ferreiras mostrou mais acerto em toda a primeira parte, foi a equipa mais rematadoura, por isso não é de estranhar o 2-0 verificado ao intervalo, com os golos dos locais a nascerem de lances de bola parada: primeiro foi Ricardo Pereira a receber na área uma bola endossada de um livre e a inaugurar o marcador, depois foi Pias a responder da melhor forma a um canto. O Castro-marinense ainda esboçou alguma reação na segunda parte, esteve perto de marcar, mas seria Bonifácio a fazer o 3-0 e a matar o jogo. Com o Castro-marinense sem reação e sem argumentos para contrariar o bom futebol dos locais, o quarto golo (Jorge, a quatro minutos do final) surgiu com toda a naturalidade. António Agapito

1 1 2 1 6 0 8 4

1 2 0 4 1 2 0 0

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Lusitano VRSA Quarteirense Silves Ferreiras Odiáxere Guia Culatrense Campinense Armacenenses Castromarin. Quarteira Moncarapach. Imortal Aljezurense Faro e Benfica Almancilense

8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8

7 7 6 5 4 3 3 2 2 3 1 2 2 1 1 0

1 1 0 2 2 3 2 4 3 0 4 1 0 3 2 2

0 0 2 1 2 2 3 2 3 5 3 5 6 4 5 6

25 15 27 10 23 12 9 10 10 9 8 8 8 6 6 3

6 2 6 3 10 14 11 9 10 13 12 17 25 16 19 16

Próxima 9ª

Campinense Almancilense Castromarinense Moncarapachense Faro e Benfica Guia Quarteirense Lusitano VRSA Aljezurense Culatrense Armacenenses Odiáxere Imortal Quarteira Ferreiras Silves

22 22 18 17 14 12 11 10 9 9 7 7 6 6 5 2

2 1 2 1 1 1

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Próxima 7.ª Estombarenses Gin.Tavira Santaluziense Machados Quarteirense B Alvorense

6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6

6 4 3 3 3 2 2 2 1 1 1 1

0 1 1 1 1 1 1 1 3 2 1 1

Jogo de sentido único, com o Silves a resolver logo na primeira parte e, mesmo retirando o pé do acelerador na segunda metade, a conseguir mais dois golos antes da conclusão do encontro. O Silves ganhou três dos quatro jogos realizados em casa pelo resultado de 6-1 e tem o melhor ataque desta 1.ª Divisão Distrital. José Nobre

Local: Campo Rossio das Eiras (Odiáxere). Árbitro: Ricardo Martins. Odiáxere: Hugo Prudêncio; João Paulo, Roberto, Miguel, Janita, Joãozinho, Madeira, Sérgio Brito, Bablina (Vitinha, 58'), Luís Lamy (Filipe Borges, 56') e Lino Roque (Márcio, 76'). Treinador: Toni Seromenho. Imortal: Márcio; Cláudio, Rui, João, Mesquita (Canito, 76'), Pedro, Duarte, Sandro, Décio (Jorge Paz, 66'), Gilson e Ricky (Pipoca, 56'). Treinador: Nuno Ramos. Ao intervalo: 2-0. Golos: Luís Lamy (8' e 33'), Bablina (54'), Sérgio Brito (55'), Filipe Borges (78' e 85') e Vitinha (79' e 89').

IMORTAL 0

Disciplina: Cartão amarelo a Rui (39'), Pipoca (66') e Mesquita (69'). Na primeira parte o Imortal ainda conseguiu dar alguma réplica ao futebol do Odiáxere, embora os locais tivessem chegado ao intervalo a ganhar por 2-0, com toda a justiça, pois revelaram-se mais eficazes. Mas os golos de Bablina e Sérgio Brito no início da etapa complementar acabaram por tirar quaisquer dúvidas sobre o desfecho final. A partir de aqui o Odiáxere partiu para uma goleada que seria consumada com mais quatro golos, marcados por Vitinha e Filipe Borges (dois cada), os dois reforços vindos do Esperança de Lagos e que só entraram em campo quando o resultado já estava em 4-0. Carlos Farinha

GUIA 1

Resultados da 6.ª Jornada Padernense 0 11 Esperanças Sambrazense 3 Gin.Tavira Bensafrim 3 Santaluziense Serrano 1 Machados Monchiquense 2 Quarteirense B Alvorense 3 Estombarenses

Sambrazense Alvorense Quarteirense B Machados Gin.Tavira Santaluziense Monchiquense Estombarenses Bensafrim Padernense 11 Esperanças Serrano

Golos: Bráulio (1'), Pipi (12' e 19'), Salvador (33'), Jorge (39'), Mica Júnior (74') e Toni (90'). Disciplina: Cartão amarelo a Marquinho (21'), Pinto (27'), Ginga (32'), André (63'), Hugo (71') e Salvador (77').

ODIÁXERE 8

II DIVISÃO

Campinense Moncarapach. Faro e Benfica Quarteirense Aljezurense Armacenenses Imortal Castromarin.

ALJEZURENSE 1

Ninguém merecia perder

FUTEBOL DISTRITAL Guia Almancilense Lusitano VRSA Quarteira Silves Culatrense Odiáxere Ferreiras

O Quarteirense venceu sem grandes dificuldades o dérbi de Quarteira. Alemão (de cabeça) e Vila (recarga após remate de Alemão à barra), em apenas um minuto e a meio da primeira parte, deram ao Quarteirense uma vantagem de dois golos e deitaram por terra qualquer aspiração de surpreender por parte do Quarteira. E tudo ficou ainda mais claro no início da segunda parte, quando Rodrigo fez o terceiro golo. Carvalho (com um chapéu) ainda reduziu a desvantagem, mas Rodrigo (de cabeça) voltaria a marcar e a fixar o resultado em 1-4.

Golos para todos os gostos

FERREIRAS 4 CASTROMARINENSE 0

I DIVISÃO

Disciplina: Cartão amarelo a Cambuta (30') e Filhó (44').

SILVES 6

Nuno Silva (à direita) marcou o primeiro golo do Lusitano

Contra factos não há argumentos

Resultados da 8ª Jornada

QUARTEIRENSE 4

Mais uma "chapa 6"

Mário Rolla

Local: Campo Francisco Gomes Socorro (VRSA). Árbitro: Luís Caiado. Lusitano VRSA: João Azul; Afonso Leal, Carlos Neves, Nuno Silva e Luís Firmino; Conduto, Marco Nuno (António, 86'), Júlio Madeira (Daniel Gomes, 84') e Edgar Rosa; Nélson Afonseca (Mikael, 69') e Cris Baiano. Treinador: Ivo Soares. Faro e Benfica: Hugo; Uva, Baresi, Jaime e Joel; Hugo Santos, Pepe, Marco (João Silva, 82') e Galinha; Valério e Cissé (Pinto, 77'). Treinador: Luís Pires Ao intervalo: 0-0. Golos: Nuno Silva (50') e Marco Nuno (70'). Disciplina: Cartão amarelo a Marco (33m), Nuno Silva (49m), Galinha (52m e 56m), Uva (62m) Afonseca (65m), Jaime (82m), Cris Baiano (82m); Cartão vermelho por acumulação (56m)

QUARTEIRA 1

FARO E BENFICA 0

0 1 2 2 2 3 3 3 2 3 4 4

18 14 15 8 5 10 10 8 7 8 7 6

11 Esperanças Padernense Serrano Monchiquense Sambrazense Bensafrim

4 8 12 5 7 10 12 9 11 12 15 11

18 13 10 10 10 7 7 7 6 5 4 4

CAMPINENSE 1

Local: Complexo Desportivo Arsénio Catuna (Guia). Árbitro: Flávio Lima. Guia: Nuno Benedito; Chico (Cabral, 73'), André Gomes, Batalha, Pedro Rodrigues, Abentes, Marquinho, Jeremy, Luís Gonçalves, Mário José (Fonseca, 88') e Adriano (Nuno Costa, 89'). Treinador: Rui Clemente. Campinense: Joel; Padinha, Miguel Teixeira, José Daniel (Milton, 71'), Rui Sousa, Diogo Santos (Sílvio, 60'), Hélder Batista, Paulo Mota, Garrana, Tiago Botelho (Mário Costa, 65') e Diamantino. Treinador. José Miguel. Ao intervalo: 0-0.

Golos: Diamantino (63') e Mário José (82'). Disciplina: Cartão amarelo a Garrana (38'), Tiago Botelho (53'), Hélder Batista (78'), Mário José (78'), Marquinho (79'), Adriano (89') e Miguel Teixeira (89').

PUB

PUB

Jogo equilibrado e de grande nível, com as oportunidades de golo a surgir junto de ambas as balizas. Até na primeira parte, que terminou com um nulo, qualquer das equipas poderia ter inaugurado o marcador. A emoção manteve-se na segunda parte, com Diamantino a marcar para o Campinense e Mário José a empatar para o Guia depois de uma “oferta” do guarda-redes Joel (ao deixar escapar a bola, borrou uma exibição até aí imaculada). D.A.

CONVOCATÓRIA Convocam-se todos os associados com as cotas actualizadas, para a reunião da Assembleia Geral a realizar no dia 27 de Novembro 2010 pelas 17 horas na sede da Associação de Pescadores no Espaço da Companhia de Teatro Fech'Ópano, no sítio do Lazareto em V.R.S.A.. Mais se informa se à hora marcada não estiverem metade dos sócios conforme consta nos estatutos desta associação (Artº 8.º alíneas 1 e 2). Ordem de trabalhos 1- Apresentação e aprovação do plano de actividades e orçamento para o ano de 2011 2- Alteração nos corpos gerentes para 2011 3- Assuntos de interesse para a associação (Jornal do Algarve, 25/11/2010)

SELECCIONA

17 TÉCNICOS DE AMBULÂNCIA DE EMERGÊNCIA (M/F) Consultar o Aviso com a Refª TAE-INEM 02/2010 A oferta encontra-se publicitada em www.inem.pt e na BEP em www.bep.gov.pt


D

25 I novembro I 2010

[18]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

FUTEBOL DISTRITAL JUNIORES SOTAVENTO Resultados da 5.ª Jornada

Farense Lusitano VRSA S.Luís 1.º Janeiro

3 4 0 0

1.ª DIVISÃO

Resultados da 6ª Jornada

Marítimo Olh. Almancilense Quarteirense Ferreiras

3 0 1 6

Imortal 12 Guia 3 Messinense 0 Esp.Lagos 5 Folgou Alvorense

Monchiquense Armacenenses Lagoa Silves

0 2 2 0

Resultados da 4ª Jornada

Resultados da 5ª Jornada

Lusit. VRSA Farense Internacional Messinense Odiáxere Lagoa

CHECUL 2 Ferreiras Alvorense 0 Guia 4 Armacenenses 1 1.º Janeiro 2 Folgou Gin.Tavira

2 2 3 0 1 0

S.Luís 1 Silves 0 Ferreiras 0 Olhanense 10 Portimonense 2 Esp.Lagos 2

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Lusitano VRSA Ferreiras Quarteirense S.Luís Farense Almancilense 1.º Janeiro Marítimo Olh.

Esp.Lagos Lagoa Imortal Armacenenses Alvorense Messinense Silves Guia Monchiquense

Olhanense Esp.Lagos Portimonense Odiáxere S.Luís Farense Internacional Lusit. VRSA Ferreiras Messinense Silves Lagoa

3 3 2 3 2 1 0 0

2 0 3 0 2 2 2 1

0 2 0 2 1 2 3 4

13 15 9 9 11 4 3 6

4 9 7 7 10 5 13 15

11 9 9 9 8 5 2 1

Próxima 6.ª

6 6 5 6 5 5 5 5 5

5 4 4 2 2 2 2 1 0

0 2 1 0 0 0 0 1 0

1 0 0 4 3 3 3 3 5

32 22 35 13 11 10 4 5 1

4 6 3 19 10 11 15 29 36

15 14 13 6 6 6 6 4 0

Quarteirense Ferreiras Almancilense 1.º Janeiro

Silves Monchiquense Armacenenses Alvorense Folga Lagoa

INICIADOS

Esp.Lagos Silves Ferreiras Olhanense Portimonense Lagoa

Imortal Guia Messinense Esp.Lagos

INFANTIS

Marítimo Olh. 2 Bias 0 Lusitano VRSA Salir Farense Beira Mar 1.º Janeiro 2 Almancilense 1 Louletano 1 Montenegro 1 Folgou Castromarinense

1.º Janeiro Quarteirense Esp.Lagos Ferreiras Folgou Imortal

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Guia Portimonense Silves Monchiquense Esp.Lagos Messinense Ferreiras Odiáxere Alvorense Quarteirense Padernense

Olhanense Ferreiras Esp.Lagos Lusitano VRSA Imortal Quarteirense Louletano Messinense 1.º Janeiro

0 1 0 1 1 0 1 1 2 2 3

15 12 7 6 5 2 1 1 4 1 0

4 8 1 3 3 1 2 5 7 5 15

7 6 6 6 4 4 4 4 1 0 0

0 0 3 4

1 1 1 1 0 1 1 1 1

Olhanense Lusitano VRSA Louletano Messinense

1 1 1 1 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 1 1 1 1

6 4 3 2 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 2 3 4 6

6 2 0 0

3 3 3 3 0 0 0 0 0

Messinense Lusitano VRSA Louletano Olhanense Folga Esp.Lagos

1.º Janeiro Louletano Lusitano VRSA Farense Marítimo Olh.

INFANTIS SÉRIE E

V 4 3 3 2 1 0 0 0

E 0 1 0 0 1 1 1 0

1.º Janeiro Ferreiras Quarteirense Imortal

D 0 1 1 2 2 2 2 3

M 22 13 15 20 16 5 1 3

12 12 10 9 6 6 4 3 3 1 1 0

12 9 2

S 3 10 7 6 13 13 22 21

Próxima Jornada 6ª Montenegro Ger. Génios Farense Marítimo Olh. Gin.Tavira Lusitano VRSA Folga Olhanense e S.Luís

P 12 10 9 6 4 1 1 0

8 0 0 2

CLASSIFICAÇÃO J Portimonense 5 Lagoa 4 Esp.Lagos 4 EF J.Moutinho 5 Odiáxere 4 Monchiquense 4 Alvorense 4 Aljezurense 4 CB Portimão 4

V 4 4 4 3 2 1 0 0 0

E 0 0 0 0 1 0 1 0 0

D 1 0 0 2 1 3 3 4 4

M 46 31 18 24 8 6 5 10 2

S 10 5 6 9 6 18 40 36 20

P 12 12 12 9 7 3 1 0 0

SÉRIE A

CLASSIFICAÇÃO J Lusitano VRSA 5 Moncarapachense 4 Beira Mar 4 Bias 4 Marítimo Olh. 4 Gin.Tavira 4 Vaqueiros 4 4 ao Cubo 4 Castromarinense 5

V 4 4 3 3 2 1 1 0 0

E 1 0 0 0 1 0 0 0 0

D 0 0 1 1 1 3 3 4 5

M 41 18 30 27 20 13 11 4 4

S 9 7 7 7 21 15 32 34 36

Próxima Jornada 6ª. Beira Mar 4 ao Cubo Castromarinense Marítimo Olh. Gin.Tavira Vaqueiros Lusitano VRSA Bias Folga Moncarapachense

3 3 2 16

P 13 12 9 9 7 3 3 0 0

CLASSIFICAÇÃO J Portimonense 2 Esp.Lagos 1 Odiáxere 1 CB Portimão 2 EF J.Moutinho 2 Monchiquense 2 Alvorense 0 Infante Sagres 2

V 2 1 1 1 1 0 0 0

E 0 0 0 0 0 0 0 0

0 1 1 2 1 1 0 2 0 0 0 0 0

0 0 0 0 1 2 3 0 3 3 2 3 4

15 21 15 11 12 10 8 12 4 3 3 2 2

2 2 5 4 3 11 10 3 13 26 6 12 21

12 10 10 8 7 7 6 5 3 3 0 0 0

M 29 25 6 5 4 2 0 0

S 2 0 1 3 5 11 0 49

Próxima Jornada 3ª. Esp.Lagos Portimonense EF J.Moutinho Odiáxere Infante Sagres CB Portimão Alvorense Monchiquense

Esp.Lagos Monchiquense Messinense Quarteirense Guia

0 1 2 0 6

3 3 2 2 1 2 1 1 1 0 0 0

1 1 1 1 3 0 1 0 0 2 2 0

0 0 1 0 0 1 1 2 3 2 2 4

14 13 13 10 12 4 3 5 3 4 1 0

0 4 4 2 2 6 6 7 6 21 4 20

10 10 7 7 6 6 4 3 3 2 2 0

CLASSIFICAÇÃO J CB Portimão 5 Odiáxere 5 Portimonense 5 Silves 5 Ferreiras 4 Armacenenses 4 Lagoa 4 Guia 4 EF J.Moutinho 4

V 5 4 3 2 2 0 0 0 0

E 0 1 1 1 0 2 1 1 1

CLASSIFICAÇÃO J Lagoa 2 Esp.Lagos 2 CB Portimão 2 Ferreiras 1 Messinense 2 Armacenenses 1 Bellavista 2 Guia 1 Silves 1

V 2 1 1 1 1 1 0 0 0

E 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Lagoa Ferreiras Odiáxere Gin.Tavira Olhanense Quarteirense

Silves Monchiquense Messinense Quarteirense Guia Folga Esp.Lagos

D 0 0 1 2 2 2 3 3 3

M 53 18 18 17 10 9 9 9 4

S 4 6 10 7 16 12 26 31 35

11 1 1 1

P 15 13 10 7 6 2 1 1 1

CLASSIFICAÇÃO J Guia 4 Padernense 5 Imortal 4 Almancilense 5 Quarteirense 4 Odiáxere 5 Alto Colina 5 AC Salir 4 Ferreiras 5 Silves 1

V 4 4 3 3 2 1 1 1 0 0

E 0 0 0 0 0 2 0 0 1 1

D 0 1 1 2 2 2 4 3 4 0

M 32 11 24 14 6 18 12 8 6 1

0 3 5 2 1

S 7 16 8 13 10 18 13 25 21 1

P 12 12 9 9 6 5 3 3 1 1

Próxima Jornada 6ª. Ferreiras Silves AC Salir Quarteirense Guia Padernense Odiáxere Alto Colina Imortal Almancilense

M 12 10 9 7 4 2 3 1 1

Próxima Jornada 3ª. Lagoa Messinense Armacenenses Ferreiras Silves Guia Esp.Lagos Bellavista Folga CB Portimão

S 4 8 4 1 4 1 12 7 8

P 6 3 3 3 3 3 0 0 0

0 1 0 1 1 0 1 1 2 2 3

15 12 7 6 5 2 1 1 4 1 0

4 8 1 3 3 1 2 5 7 5 15

7 6 6 6 4 4 4 4 1 0 0

Ferreiras Padernense Portimonense Alvorense Odiáxere

Resultados da 5.ª Jornada Imortal 2 Internacional S.Luís 2 Louletano Ger. Génios 3 Sporting Faro Farense 1 EF Faro Folgou Montenegro

CLASSIFICAÇÃO J EF Faro 5 Sporting Faro 4 Ger. Génios 4 Farense 4 Internacional 4 Montenegro 4 Imortal 4 Louletano 5 S.Luís 4

V 4 3 2 2 2 1 1 1 1

E 0 1 2 0 0 1 0 0 0

D 1 0 0 2 2 2 3 4 3

M 17 22 17 18 17 13 17 11 8

S 13 5 6 11 17 19 20 20 29

10 6 3 2

P 12 10 8 6 6 4 3 3 3

Próxima Jornada 6ª. Internacional Farense Louletano Montenegro Sporting Faro S.Luís EF Faro Ger. Génios Folga Imortal

(FUT. 7)

SÉRIE C

D 0 1 1 0 1 0 2 1 1

1 0 0 0 1 1 1 1 1 0 0

SÉRIE D

Resultados da 5.ª Jornada Almancilense 3 Ferreiras Padernense 4 AC Salir Alto Colina 1 Guia Quarteirense 3 Imortal Silves 1 Odiáxere

5 2 1 1

2 2 2 2 1 1 1 1 0 0 0

(FUT. 7)

SÉRIE C

Resultados da 5.ª Jornada Lagoa 1 CB Portimão Ferreiras 8 EF J.Moutinho Silves 6 Guia Odiáxere 1 Portimonense Folgou Armacenenses

3 3 2 3 3 2 3 3 3 2 3

Próxima 4.ª

Portimonense Internacional Imortal Farense Armacenenses S.Luís

Resultados da 2.ª Jornada Bellavista 2 Lagoa Messinense 3 CB Portimão Ferreiras 7 Guia Esp.Lagos 8 Silves Folgou Armacenenses

P 6 3 3 3 3 0 0 0

4 4 4 3 4 3 3 3 4 4 4 4

Próxima 5.ª

Ferreiras Armacenenses 1.º Janeiro Alvorense Guia CHECUL

SÉRIE B

D 0 0 0 1 1 2 0 2

0 2 1 1 0

Guia Portimonense Silves Monchiquense Esp.Lagos Messinense Ferreiras Odiáxere Alvorense Quarteirense Padernense

4 3 3 2 2 2 2 1 1 1 0 0 0

Próxima Jornada 6ª. CB Portimão Armacenenses EF J.Moutinho Lagoa Guia Ferreiras Portimonense Silves Folga Odiáxere

Resultados da 2.ª Jornada Odiáxere 6 Monchiquense 1 Portimonense 24 Infante Sagres 0 CB Portimão 0 EF J.Moutinho 2 Esp.Lagos Alvorense

Odiáxere Portimonense Alvorense Ferreiras Padernense Folgou Silves

Quarteirense Portimonense Ferreiras Odiáxere Farense Armacenenses Olhanense Lagoa Internacional Imortal S.Luís Gin.Tavira

4 4 4 4 4 5 5 3 4 4 2 3 4

BENJAMINS A

Resultados da 5.ª Jornada Marítimo Olh. 4 Beira Mar Vaqueiros 6 Castromar. Moncarapachense 3 Gin.Tavira 4 ao Cubo 0 Lusitano VRSA Folgou Bias

0 0 0 2 3 2

Marítimo Olh. Gin.Tavira Quarteirense 1.º Janeiro Imortal Guia Armacenenses Louletano Ferreiras Castromar. CHECUL Bensafrim Alvorense

SÉRIE B 2 0 1 1

Resultados da 3ª Jornada

Lagoa Internacional Imortal Farense Armacenenses Portimonense

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Castromar. Louletano Marítimo Olh. Bensafrim Gin.Tavira Quarteirense Folga Imortal

Resultados da 5.ª Jornada Lagoa 12 Aljezurense Portimonense 8 Monchiquense Esp.Lagos 3 EF J.Moutinho Alvorense 1 Odiáxere Folgou CB Portimão

3 1 7 2 0 0

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Próxima 6ª

S.Luís Lusit. VRSA Messinense Odiáxere Farense Internacional

Ferreiras Olhanense Quarteirense Odiáxere Gin.Tavira S.Luís

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

(FUT. 7)

SÉRIE F

Resultados da 5.ª Jornada Marítimo Olh. 0 Montenegro Lusitano VRSA 0 Farense S.Luís 1 Olhanense Folgou Gin.Tavira e Ger. Génios

CLASSIFICAÇÃO J Farense 4 Olhanense 5 S.Luís 4 Montenegro 4 Gin.Tavira 4 Ger. Génios 3 Marítimo Olh. 3 Lusitano VRSA 3

4 2 5 5 6 4 3 9 9 18 7 14

Próxima Jornada 6ª. Aljezurense Aljezurense CB Portimão Alvorense Monchiquense Lagoa EF J.Moutinho Portimonense Odiáxere Esp.Lagos Folga Aljezurense

Próxima 2.ª

Próxima 4.ª

Bias Salir Castromar. Almancilense Montenegro Folga Beira Mar

24 7 9 12 8 6 5 5 3 4 0 3

3

INFANTIS

Resultados da 1ª Jornada

1 0 0 0 1 1 1 1 1 0 0

0 0 0 1 2 2 1 3 3 3 2 4

SÉRIE A

Resultados da 3ª Jornada

2 2 2 2 1 1 1 1 0 0 0

0 0 1 0 0 0 1 0 0 1 1 0

2.ª BARLAVENTO

Resultados da 4.ª Jornada

Castromar. Louletano Marítimo Olh. Bensafrim Imortal Quarteirense

(FUT. 11)

2.ª SOTAVENTO

3 3 2 3 3 2 3 3 3 2 3

4 4 3 3 2 2 1 1 1 0 0 0

Próxima 5.ª

Próxima 7ª

Marítimo Olh. S.Luís Farense Lusitano VRSA

4 4 4 4 4 4 3 4 4 4 3 4

1.ª DIVISÃO

2.ª DIVISÃO

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

5 5 5 5 5 5 5 5

INICIADOS

JUVENIS BARLAVENTO

SÉRIE D

Resultados da 2.ª Jornada Alto Colina 1 Quarteirense 2 Ferreiras 2 Geração Génios 12 Salir 1 Padernense 0 Almancilense Imortal Folgou Louletano

Resultados da 2.ª Jornada Geração Génios 5 Montenegro Quarteirense 1 Sporting Faro EF Faro Farense S.Luís 5 1.º Janeiro

CLASSIFICAÇÃO J Geração Génios 2 Imortal 1 Ferreiras 2 Louletano 1 Salir 2 Quarteirense 1 Alto Colina 2 Almancilense 1 Padernense 2

CLASSIFICAÇÃO J Sporting Faro 2 S.Luís 2 Geração Génios 2 EF Faro 1 1.º Janeiro 2 Quarteirense 2 Montenegro 2 Farense 1

V 2 1 1 1 1 1 0 0 0

E 0 0 0 0 0 0 0 0 0

D 0 0 1 0 1 0 2 1 2

M 18 15 12 5 4 2 4 0 0

Próxima Jornada 3ª. Quarteirense Ferreiras Geração Génios Salir Imortal Padernense Louletano Alto Colina Folga Almancilense

S 5 3 12 0 15 1 8 5 11

P 6 3 3 3 3 3 0 0 0

V 1 1 1 1 1 1 0 0

E 1 1 0 0 0 0 0 0

D 0 0 1 0 1 1 2 1

M 15 8 6 5 5 4 3 2

S 4 3 6 2 6 14 10 3

Próxima Jornada 3ª. S.Luís Quarteirense Farense Geração Génios Sporting Faro EF Faro 1.º Janeiro Montenegro

1 12 0

P 4 4 3 3 3 3 0 0


D

25 I novembro I 2010

[19]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

BENJAMINS B

BENJAMINS A (FUT 7) SÉRIE E

SÉRIE A

CLASSIFICAÇÃO J Gin.Tavira 2 Marítimo Olh. 2 Lusitano VRSA 1 Castromarinense 2 Bias 1 Fuzeta 2 Beira Mar 0 Olhanense 1 Moncarapachense 1

V 2 2 1 0 0 0 0 0 0

E 0 0 0 1 1 0 0 0 0

D 0 0 0 1 0 2 0 1 1

M 10 9 4 3 2 3 0 0 0

S 2 2 0 9 2 6 0 4 6

SÉRIE B

Resultados da 2.ª Jornada Portimonense 11 Aljezurense Alto Colina 5 Lagoa Armacenenses Alvorense EF J.Moutinho 4 Silves Esp.Lagos 10 Odiáxere

Resultados da 2.ª Jornada Beira Mar Lusitano VRSA Marítimo Olh. 6 Moncarap. 0 Gin.Tavira 3 Fuzeta 1 Bias 2 Castromar. 2 Folgou Olhanense

P 6 6 3 1 1 0 0 0 0

CLASSIFICAÇÃO J EF J.Moutinho 2 Esp.Lagos 2 Portimonense 2 Alto Colina 1 Lagoa 2 Silves 1 Odiáxere 2 Aljezurense 2 Armacenenses 0 Alvorense 0

V 2 2 2 1 0 0 0 0 0 0

E 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

D 0 0 0 0 2 1 2 2 0 0

M 20 16 14 5 3 1 1 1 0 0

1 1

S 1 2 1 2 11 4 13 27 0 0

P 6 6 6 3 0 0 0 0 0 0

Próxima Jornada 3ª. Odiáxere Aljezurense Lagoa Armacenenses Alvorense EF J.Moutinho Silves Portimonense Esp.Lagos Alto Colina

Próxima Jornada 3ª. Lusitano VRSA Marítimo Olh. Moncarapachense Gin.Tavira Castromarinense Fuzeta Bias Olhanense Folga Beira Mar

CLASSIFICAÇÃO J Alto Colina 2 Imortal 2 EF J.Moutinho 2 Quarteirense 2 Ferreiras 1 Esp.Lagos 2 Internacional 1 Salir 1 Louletano 1

Covil Dragão Leões Porches

3 3 0

Tunes 2 Pechão 4 Bonjoanenses 2

4 4 3 4 4 3

3 3 3 2 0 0

0 0 0 0 0 0

1 1 0 2 4 3

19 18 10 17 12 7

16 13 5 14 21 14

GEJUPSE Alte Olhos D’Água Alb. Futsal Sapalense C Benf. VRSA Louletano 1.º Janeiro Sonâmbulos P. Mourinha Bonjoanenses Boavista

9 9 9 6 0 0

3 1 7 3 1 3

8 8 8 8 8 7 8 8 7 8 7 7

7 6 5 5 5 4 4 4 2 0 0 0

0 0 0 0 0 1 1 0 1 2 2 1

1 2 3 3 3 2 3 4 4 6 5 6

40 66 60 56 39 23 21 37 23 18 12 14

22 30 27 31 28 33 20 35 26 45 57 55

21 18 15 15 15 13 13 12 7 2 2 1

Próxima 9.ª

Próxima 5.ª

Tunes Pechão Bonjoanenses

1.º Janeiro Bonjoanenses Sonâmbulos Olhos D’Água Sapalense GEJUPSE

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Pechão Porches Bonjoanenses Covil Dragão Tunes Leões

9 2 4 6 2 1

GEJUPSE Bonjoanenses Sonâmbulos Olhos D’Água Sapalense Pedra Mourinha

Leões Porches Covil Dragão

M 10 8 8 7 4 4 1 1 0

S 4 6 6 4 1 7 3 6 6

P 6 3 3 3 3 3 0 0 0

CLASSIFICAÇÃO J EF Faro 2 Louletano 2 Esp.Lagos 1 S.Luís 1 Imortal 1 Sporting Faro 2 Lusitano VRSA 1 Ferreiras 2 1.º Janeiro 0 Montenegro 2

V 2 1 1 1 1 1 0 0 0 0

E 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

D 0 1 0 0 0 1 1 2 0 2

M 7 9 6 6 3 3 1 1 0 0

0 0 3

S 2 3 0 1 2 3 4 12 0 9

P 6 3 3 3 3 3 0 0 0 0

Próxima Jornada 3ª. Imortal Montenegro Ferreiras Lusitano VRSA 1.º Janeiro Sporting Faro EF Faro Louletano S.Luís Esp.Lagos

LOULETANO Amarense Boa Esperança Cascais SL Olivais Vila Verde Independentes

1 4 1 0 5 2 3

L. Porto Salvo CPCD S. João Loures Torpedos ALBUFEIRA F. Operário

7 2 3 9 2 3 7

3 1 4 7 3 4 2

Piedense SAPALENSE Q. Lombos Q.Conde Fabril Capelense S.ESTEVÃO

1 5 4 3 5 4 1

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

L. Porto Salvo SL Olivais Operário Torpedos Loures Cascais ALBUFEIRA F. CPCD Amarense S. João Boa Esperança LOULETANO Vila Verde Independentes

Q.Lombos 6 Sassoeiros 6 Fabril 6 INTER-VIVOS 6 Q.Conde 6 Capelense 6 Nacional 6 Vinhais 6 S. ESTEVÃO 6 SONÂMBULOS 6 SAPALENSE 6 Piedense 6 A.ALGARVE 6 Aljustrelense 6

6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6

6 4 4 4 4 4 3 3 2 2 1 1 1 0

0 1 1 1 0 0 1 0 1 0 1 0 0 0

0 1 1 1 2 2 2 3 3 4 4 5 5 6

46 31 25 25 29 23 23 21 21 20 14 14 13 10

5 19 17 19 16 23 17 23 24 25 26 25 30 46

18 13 13 13 12 12 10 9 7 6 4 3 3 0

LOULETANO CPCD S. João Loures Torpedos ALBUFEIRA F. L. Porto Salvo

5 4 4 3 3 2 3 2 2 2 2 2 1 0

1 2 0 1 0 3 0 3 2 1 0 0 1 0

0 0 2 2 3 1 3 1 2 3 4 4 4 6

40 27 33 26 28 26 23 19 19 16 21 15 9 8

13 14 22 23 26 22 22 17 17 17 33 20 18 46

16 14 12 10 9 9 9 9 8 7 6 6 4 0

Próxima 7.ª

Amarense Boa Esperança Cascais SL Olivais Vila Verde Independentes Operário

INTER-VIVOS SAPALENSE Q.Lombos Q.Conde Fabril Capelense Piedense

E 0 0 1 0 0 0 0 1 0 0

D 0 0 0 1 1 1 1 1 2 2

M 26 10 5 12 8 5 4 2 2 1

S 2 3 2 11 4 6 17 5 10 15

P 6 6 4 3 3 3 3 1 0 0

1 6 2 1 0 2

CLASSIFICAÇÃO J

U.Lagos CP Messines Fuzeta Atalaia Carvoeirense P. Mourinha Putos da Rua Alte S.Pedro GEJUPSE Olhos D’Água Silves

U.Lagos P. Mourinha Carvoeirense CP Messines Alte Putos da Rua

6 2 4 4 3 3

V E D M S P

6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6

4 4 4 4 3 3 3 2 1 1 1 0

2 1 1 0 1 1 0 0 3 1 0 2

0 1 1 2 2 2 3 4 2 4 5 4

25 25 24 24 25 16 20 16 14 16 21 12

7 14 15 16 21 20 21 31 17 26 32 18

14 13 13 12 10 10 9 6 6 4 3 2

Próxima 7.ª

Putos da Rua Pedra Mourinha Carvoeirense CP Messines Alte Silves

U.Lagos GEJUPSE Olhos D’Água S.Pedro Atalaia Fuzeta

VENDE-SE OU ALUGA-SE

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Próxima 7.ª

1.º Janeiro Albufeira Futsal Alte C Benfica VRSA Louletano Boavista

INTER-VIVOS Aljustrelense Vinhais Sassoeiros Nacional SONÂMBULOS A. ALGARVE

V 2 2 1 1 1 1 1 0 0 0

GEJUPSE Atalaia Fuzeta Olhos D’Água S.Pedro Silves

0 1 1 10 6

PUB

Resultados da 6.ª Jornada

Resultados da 6.ª Jornada

CLASSIFICAÇÃO J Olhanense 2 Lusitano VRSA 2 Montenegro 2 EF Faro 2 Geração Génios 2 Gin.Tavira 2 1.º Janeiro 2 4 ao Cubo 2 S.Luís 2 Farense 2

Resultados da 6.ª Jornada

Próxima Jornada 3ª. Lusitano VRSA Farense Gin.Tavira 1.º Janeiro 4 ao Cubo EF Faro Olhanense Geração Génios S.Luís Montenegro

3.ª I DIVISÃO DIVISÃO

2.ª I DIVISÃO DIVISÃO

Resultados da 8.ª Jornada

Albufeira Futsal Louletano Boavista Alte C Benfica VRSA Pedra Mourinha

D 0 1 1 1 0 1 1 1 1

Resultados da 2.ª Jornada Geração Génios 5 Farense Montenegro 4 Gin.Tavira 1.º Janeiro 4 4 ao Cubo EF Faro 2 Olhanense S.Luís 0 Lusitano VRSA

FUTSAL NACIONAL

JUNIORES I DIVISÃO MASC.

Resultados da 4.ª Jornada

E 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Próxima Jornada 3ª. Alto Colina Salir Imortal Ferreiras Internacional Quarteirense Esp.Lagos EF J.Moutinho Folga Louletano

FUTSAL DISTRITAL 2.ª I DIVISÃO DIVISÃO

V 2 1 1 1 1 1 0 0 0

Resultados da 2.ª Jornada Louletano 7 Montenegro Esp.Lagos 6 Ferreiras Lusitano VRSA 1.º Janeiro Sporting Faro 1 EF Faro S.Luís Imortal

4 6 6 1

1.ª I DIVISÃO DIVISÃO

SÉRIE D

SÉRIE C

Resultados da 2.ª Jornada EF J.Moutinho 3 Alto Colina Salir 1 Imortal Louletano 0 Quarteirense Esp.Lagos 3 Internacional Folgou Ferreiras

1 2

FUTSAL DISTRITAL

(FUT 7)

Aljustrelense Vinhais Sassoeiros Nacional SONÂMBULOS AC. ALGARVE SANTO ESTEVÃO

em Castro Marim Vivenda unifamiliar junto ao parque familiar. Telef. 914 138 447 / 914 297 945

CONSTRUÇÃO E RECONSTRUÇÃO DE VIVENDAS EM PEDRA NATURAL E MADEIRA NORDICA E EXOTICA www.vmp-pedranatural.com

PUB

Centro de Oftalmologia do Algarve

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

DE 24 A 30 DE NOVEMBRO

Consultas de Oftalmologia Laser - Diabetes, Glaucoma Ecografia, Biometria Ocular Campimetria Computorizada Topografia da Cornea Cirurgia Ocular

(CARTÃO POUPANÇA 50%) TIDE 70 DOSES (CARTÃO POUPANÇA 50%)

11,99 ¤

AZEITE VIRGEM DOP MOURA LAGAR 3LT

7,99 ¤

FEIJÃO BRANCO 4/4, ENCARNADO, FRADE, MANTEIGA, GRÃO DE BICO COMPAL 845GR UNID

0,98 ¤

*PRODUTOS NÃO DISPONÍVEIS NA LOJA INTERMARCHÉ EM MONTE GORDO VIPRENSA

Av. 5 de Outubro 14 - 1.º - FARO Telefone: 289 895 560

0,99 ¤

DETERGENTE MÁQUINA ROUPA PÓ REGULAR

Informe-se em www.algarlaser.com

CONSULTAS:

8,95 ¤

ATUM POSTA ÓLEO GENERAL 120GR

SALVO RUPTURA DE STOCKS OU ERRO TIPOGRÁFICO

hora espanhola Seg a Sex 10h00 a 19h00 Sábado 10h00 a 14h00

Tinta + Corte + Penteado 38¤ Corte + Penteado 19¤ Falamos português We speak english Rua Cristobal Colon 5. Ayamonte Telf.: 0034 959 471 623 Quieres trabajar con nosotros? Envianos tu curriculum.

%

15

S

* BACALHAU ESPECIAL NORUEGA KG

13,99 ¤

RE

* CAMARÃO COZIDO 30/40 KG

ASTIGMATISMO HIPERMETROPIA

6,99 ¤

T EN DE ER TAR E SC Á STE AN O N ÚN TO CI O

* LINGUADO DA GUINÉ KG

CORRECÇÃO DA MIOPIA COM LASER

AP

Dr. Eduardo Lares

ALTURA/MONTE GORDO

SE

www.centrodeoftalmologia.com

Hairdresser Cabeleireiro Coiffeur Frisseur Especialistas em COR


P

25 I novembro I 2010

UBLICIDADE

[20]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

[CLASSIFICADOS]

>Transacções [IMÓVEIS]

VENDE-SE

T1 em Vila Real Sto. António Compra-se T2 em V. R. Sto. António Telf. 281513321/965042207 281512335

V.R.STO. ANTÓNIO OPORTUNIDADE Vende-se Duplex, c/3 quartos, 2 wc, sala c/lareira, cozinha e varandas, 2.º andar, na Urbanização das Amendoeiras Telef. 281 513 321, 281 512 335 ou 965 042 207

VENDE-SE

>Profissões Liberais [MÉDICOS]

EDUARDO LARES OFTALMOLOGISTA

Cirurgião Ocular Cirurgia da Miopia

VENDE-SE Lotes de terreno c/ projecto aprovado em Vila Real de Santo António. Contactar 281 512 335/965 042 207

CORAÇÃO DA CIDADE

Tel. 966 970 771

Informação diária de todos os pratos

Empresa de condomínios Em Vila Real de Santo António aceita o seu condomínio para tratar

Consultas: V.R.S.A. - Tel.: 281 513 343 Tavira - Tel.: 281 380 660

Contactar. 914 235 404

GUADIDENTE

Para férias apartamento T2 em Monte Gordo totalmente equipado. Contactar: 914 462 317

CENTRO DE EMPREGO DE LAGOS

LA MAMÃ

AJUDANTE DE COZINHA 587738182 - 587734763

Telef.

281 541 540 961 481 005 910 177 477

CENTRO DE OFTAMOLOGIA DO ALGARVE Eduardo Lares FARO

Monte Gordo - Menu Pizzeta - ¤ 6,10 - Menu do Dia - ¤ 7,60 (bebida incluída) só ao almoço

Tel. 289 895 560

Monte Gordo - Diariamente pratos do dia económicos, com serviço de take away

>SERVIÇOS [VÁRIOS] UNHAS DE GEL Executam-se unhas de gel. Promoção: 25,00 ¤. Telem: 914 821 637

Apartamento T1 totalmente equipado c/ar condicionado, situado no Monte Fino (Monte Gordo)

Aceita-se todo o tipo de trabalhos de bricolage, pequenas reparações de toda a natureza. Telf: 914 308 807

LA MAMÃ PIZARIA 100% Italianíssima Monte Gordo Vendem-se pizzas e pastas para fora com 20% de desconto

Telf. 938 354 119 ALUGA-SE

VENDE-SE Máquinas de lavar roupa ou loiça, reparadas, com garantia. Máquina de fazer gelo. Telm. 919 161 432.

VENDE-SE Cachorrinhos de raça yorkshire. Telm. 914 821 637

EXECUTAM-SE Resguardos para banheiras, polibans e redes mosquiteiras. Telemóvel: 968 603 046

JORNAL do ALGARVE Faça aqui o seu anúncio contacte-nos Tel. 281 511 955

OPERADOR/A DE COMBUSTÍVEL - 587738883 FARO AJUDANTE DE COZINHA - 587738448 FARO ENG. ELECTROTÉCNICO - 587738217 FARO PROFESSOR/A DE 1.º E 2.º CICLOS - 587736592 FARO ARMADOR DE FERRO -587736210 FARO

Monte Gordo - Todos os dias menu completo por ¤ 9,50 (bebida incluída)

V.R.S.A.

[DIVERSOS]

CENTRO DE EMPREGO DE F ARO FARO

LA MAMÃ

VENDE-SE/ALUGA-SE

Apartamento T1, em Vila Real de Sto. António. Contactar: 914 235 404, 965 042 207, 281 512 335

PRECISA-SE

Medicina Dentária

LA MAMÃ MONTE GORDO ALUGA-SE

>EMPREGO

Dr. Elmar Gonçalves OMD - PT 4869 GDC - UK 105118

Moradia nas Hortas em Vila Real de Santo António

Contactar telef. 281 511 335 281 513 321 965 042 207

Serviço de entregas de comidas ao domicílio do grupo

ASSOCIAÇÃO DE REFORMADOS PENSIONISTAS E IDOSOS 8900Vila Real de Santo António

CONVOCATÓRIA PARA ASSEMBLEIA-GERAL ORDINÁRIA

Vanda da Encanação Matias Fernandes, na qualidade de Presidente da Assembleia Geral da Associação de Reformados Pensionistas e Idosos de Vila Real de Santo António, vem pela presente e nos termos dos Art.ºs 16 n.º 2 do Regulamento Interno Convocar todos os associados para a Assembleia Geral Ordinária que terá lugar no dia 11 de Dezembro de 2010, pelas 15.00 horas, na sede provisória da Associação situada na Rua Dr. José Colaço S. Fernandes n.º 10 D, em Vila Real de Santo António, com a seguinte ordem de trabalhos: 1.º Apresentação e votação do plano de actividades e orçamento relativos ao ano de 2011. 2.º outros assuntos. Mais se informa que, caso naquele local, dia e hora não comparecerem associados em número suficiente para que a Assembleia não possa deliberar validamente (metade, mais um dos AssociadosArt.º n.º 14 n.º 1 do Reg. Interno), a mesma reunirá em 2.ª convocatória no mesmo local às 15.30 horas, altura em que deliberará seja qual for o n.º de Associados presentes. Nos termos estatuários, vai a presente convocatória ser afixada na sede provisória da associação e, publicada em jornal dos mais lidos no concelho. Vila Real de Santo António, 24 de Novembro de 2010 O(A) Presidente da mesa da Assembleia Geral Vanda Fernandes (Jornal do Algarve, 25/11/2010)

LAGOS MECÂNICO DE AUTO 587735767 VILA DO BISPO RECEPCIONISTA 587734738 LUZ - LAGOS OUTROS CABELEIREIROS 587738925 LAGOS

[NECROLOGIA] V.R.S.A.

CENTRO DE EMPREGO DE V V.. REAL STO STO.. ANTÓNIO VIGILANTE (GUARDA, RONDISTA) 587638840 TAVIRA-VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO CABELEIREIRO - 587712924 TAVIRA POLIDOR - 587718747 TAVIRA TÉC. VENDAS - 587735665 TAVIRA/VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO CABELEIREIRO - 587738906 CASTRO MARIM COZINHEIRO - 587732233 TAVIRA CABELEIREIRO - 587733854 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO ENG. CIVIL - 587727285 CASTRO MARIM

Empresa de Obras Públicas, admite

Eng.º Civil - Técnico Higiene e Segurança do Trabalho - CAP V

Adelino Rodrigues Veia Nasceu a 1928-08-17 Faleceu a 2010-11-19

AGRADECIMENTO Os familiares agradecem a todas as pessoas que se dignaram a acompanhar o seu ente querido à sua última morada, ou que de qualquer outro modo manifestaram o seu pesar. Agradecendo desde já, a quem se digna a participar na missa de 7.º dia que será rezada dia 26 de Novembro, pelas 9h00 na Igreja Paroquial de VRSA. Sempre Gentil Agência Funerária Tel/fax: 289 542 835 Telm: 966 208 591/913328445

AGÊNCIA FUNERÁRIA

Requisitos mínimos: - Experiência na área da Construção, mesmo que em outras funções - Bons conhecimentos de informática (Word e Excel) - Disponibilidade imediata Resposta com envio de Curriculum Vitae ao n.º 25 deste Jornal

VAZ Gerência de Fernando Vaz Funerais, Trasladações e Cremações Rua Poente ao Palácio da Justiça, 6 (Junto ao Tribunal) V.R.Sto. António Telefones: (serviço permanente) 281 511 438 ou 964 075 215

SEMPRE GENTIL CARTÓRIO NOTARIAL DE ALCOCHETE NOTÁRIA: MARIA JOSÉ CATARINO CASTANHO Certifico para efeitos de publicação que por escritura de onze de Novembro de dois mil e dez, lavrada a folhas vinte e cinco e seguintes do Livro de Notas para Escrituras Diversas, número Noventa e Nove - A, deste Cartório, ANTÓNIO SEBASTIÃO MARTINS DA PALMA, casado com Maria Manuela Assis Monteiro da Palma, sob o regime da comunhão de adquiridos, residente na Rua Salgueiro Maia, número 112, Atalaia, Montijo, declarou que, é dono e legítimo possuidor, com exclusão de outrem, dos seguintes prédios urbanos: a) Prédio urbano, sito em Corte Nova, freguesia de Odeleite, concelho de Castro Marim, composto por uma morada de casas térreas com um compartimento, destinado a habitação, com a superfície coberta de trinta e seis metros quadrados, que confronta a norte com Manuel Feliciano, a sul com Manuel Santana, a nascente com Rua e a poente com Manuel Santana, inscrito na respectiva matriz, em nome da herança de António Martins Júnior sob o artigo 845, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Castro Marim; b) Prédio urbano, sito em Corte Nova, freguesia de Odeleite, concelho de Castro Marim, composto por uma ramada e palheiro, que confronta a norte com Caminho, a sul e a nascente com Luzia Maria e a poente com Caminho, inscrito na respectiva matriz em nome da herança de António Martins Júnior sob o artigo 1.228, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Castro Marim. Os prédios urbanos atrás identificados, vieram à posse dos pais do ora justificante Ana Maria Martins e Sebastião da Palma, por partilha meramente verbal por óbito do avô materno do ora justificante António Martins Júnior em mil novecentos e setenta e sete. Os referidos prédios vieram à posse do ora justificante em mil novecentos e oitenta e cinco, por doação de seus pais Ana Maria Martins e Sebastião da Palma, não havendo título dessa transmissão por ela ser consequência de acto meramente verbal. Desde então o justificante, entrou na posse e fruição dos referidos prédios, pagando as contribuições devidas, e praticando todos os actos inerentes à qualidade de proprietário, sendo reconhecido por todos os vizinhos e pela população local como seu proprietário há mais de vinte anos, sem oposição de ninguém, sendo uma posse pacífica, contínua e pública. Que, dadas as enunciadas características de tal posse, adquiriu os ditos prédios por usucapião, título este que por natureza, não é susceptível de ser comprovado pelos meios normais. Cartório Notarial, sito na Rua Carlos Manuel Rodrigues Francisco, número 253, em Alcochete, aos 11 de Novembro de 2010. A Notária, Maria José Catarino Castanho (Jornal do Algarve, 25/11/2010)

Agência Funerária ONSO Gerência de MANUEL AF AFONSO Funerais, TTrasladações rasladações e Cremações R. Jacinto José de Andrade, n.º 73 8900-313 Vila Real de Santo António Tel/Fax 281 542 835

Telem. 966 208 591 - 913 328 445

SER VIÇO PERMANENTE SERVIÇO

rádio guadiana

A onda continua! www.radioguadianafm.com Telefone 281 512 337 Fax 281 512 338 Vila Real de Santo António


A

GENDA

[21]

JORNAL do ALGARVE

[ACTIVIDADES CULTURAIS] ALBUFEIRA Biblioteca Municipal Lídia Jorge Visitas à BibliotecaMunicipal Lídia Jorge e Ação de Sensibilizaçãodo Catálogo Bibliográfico QUA. 10h30 às 11h30 e das 14h30 às 15h30 Hora do Vídeo - sex. 10h30 Sala Hora do Vídeo Hora do Conto Ter. 10h30 e 14h00 / qui. 10h30 FARO Biblioteca Municipal CRESCER NA BIBLIOTECA Hora do Conto na Bebeteca 10h30 e 14h30 Creches - 3ª feira MERGULHAR NAS ESTÓRIAS Hora do Conto + atividade 10h30 e 14h30 - 4ª, 5ª e 6ª feira Jardins-de-infância, Escolas 1º Ciclo e Atl’s À DESCOBERTA DA BIBLIOTECA Os livros estão arrumados nas estantes… Como? 10h00 e 14h00 Escolas 1, 2º e 3º ciclo e Secundário «TEMPO PARA BRINCAR» - ATIVIDADES NA ECOTECA 2ª e Sábados - das 14h00 às 19h00 De 3ª a 6ª feira – das 9h30 às 19h00 Estórias no Hospital Quinzenalmente sessões de leitura animada na Pediatria do Hospital de Faro. OLHÃO Biblioteca Municipal HORA DO CONTO Público: Pré-Escolar Horário: Quartas-feiras às 10h30 e sextas-feiras às 14h30. Público: 1º, 2º e 3º ciclo. Horário: quartas-feiras às 14h30 e sextas-feiras às 10h30. CICLO DE CINEMA INFANTO-JUVENIL Um filme escolhido pela biblioteca para animar as manhãs das suas férias. Todas as sextas-feiras, 10h30. LOULÉ BIBLIOTECA MUNICIPAL Hora do Vídeo Segundas - feiras > 15h00 26 > 16H00 Tardes de Cinema na Biblioteca Ciclo de Jennifer Lopez Dia 26 - “Bordertown” Entrada Livre 25 > 10H30 e 15H00 Atelier de Expressão Plástica 26 > 10H30 e 15H00 Hora do Conto+Atividade 30 Nov > 21H00 Encontro do Clube de Leitura de Quarteira Auditório da Centro Autárquico de Quarteira PORTIMÃO Biblioteca Municipal - Sábados Infantis: Ateliês de música, dança e contos. Quinta Pedagógica 9h30-17h30 - 3ª a 6ª feira 10h00-17h30 - Fins-de-semana TAVIRA Biblioteca Municipal Baú das Letras Um baú com histórias para partilhar… Sábados - 16h00-18h00 Vem conhecer a Biblioteca Quartas-feiras: das 10h00 -11h30 Sextas-feiras: das 14h00 às 15h30 Alunos do 4.º ao 12.º ano, Universidades VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO Até 30 - Visitas acompanhadas a Cacela Velha de segunda a sexta-feira das 9h30 às 16h30 Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela Biblioteca Municipal Vicente Campinas Até 30 - 10h30 (segunda a sexta) Conta Lá! - O "Jardim do Eden" Até 30 - Visitas guiadas à Biblioteca Municipal

[CONFERÊNCIAS] Ciclo de Conferências "VIVER SAUDÁVEL" 21h00 |Clube Naval de Portimão 28 - Como evitar o cancro 3/12 - Conferência “Património, Cultura e Turismo” 18h00, Museu de Portimão.

25 I novembro I 2010

ACONTECIMENTOS I LIVRO

[DANÇA] 27 - O Lago dos Cisnes, Swan Lake, 21h30, no Teatro Lethes, em Faro. Até 30 - Espectáculo "Ivan, o Bobo", 22h30 no Casino de Vilamoura, Loulé. > Espectáculo "Mundo Latino", 22h30, no Casino de Monte Gordo. > Espectáculo "Paris, Paris", 22h30, no Hotel Algarve Casino, Portimão.

[DESPORTO] 29, 30 - 18.º Circuito Golfe & Comunicação, Prova Cidade de Portimão, Alto Golfe, Portimão. 30 - Caminhada Mini Maratona, 9h30, nas ruas das juntas de freguesia de Lagos. > Meia-Maratona do Olímpico Clube de Lagos, 10h00, nas ruas das juntas de freguesia de Lagos. > Marcha Passeio regional "Travessia dos descobrimentos", 9h30, Sagres, Vila do Bispo. Até 4/12 - Campeonato do Mundo de Patinagem Artística, Portimão Arena. 4 e 5/12 - 5º Rally Cidade de Portimão, Campeonato Regional de Ralis Sul (VSH) 2010

[EXPOSIÇÕES] Até 26 - Exposição "Visão exterior - Visão Interior" de Melisande Fisher-Suder, na Sala Polivalente do Convento de S. José, Lagoa. > Exposição de pintura "A essência do ser", na Galeria de Arte Pintor Samora Barros, Albufeira. > Exposição "Untitled", na Galeria Municipal de São Brás de Alportel. Até 27 - Exposição colectiva de pintura "Toque de Cor", da pintora Lídia de Almeida e seus alunos, na Biblioteca Municipal Lídia Jorge, Albufeira. > Exposição de pintura da artista Isabel Botelho "Assim no Céu como na Terra" , na Galeria de Arte Pintor Samora Barros, Albufeira. Até 28 - Exposição de pintura "Trabalhos de Berlim" de Ceco, na Galeria Municipal de Aljezur. Até 30 - Exposição "Concurso Fotográfico Património de Cacela, Vila Nova de Cacela, VRSAntónio. > Exposição "Letras e Cores, Ideias e autores da República", na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, em Vila Real de Santo António. > Exposição de fotografia "100 fotos, 100 obras, 100 anos" de Oscar Niemeyer por Leonardo Finotti, no Centro Cultural de Lagos. >Exposição de pintura "Celebrando o mundo ", de Brigitte Von Humboldt, no Centro Cutural de Lagos. > Exposição "Momentos de Glória do Desporto Louletano", no Arquivo Municipal de Loulé. Até 30 - Arquivo Historico de V.R.S.António 09h30-12h30 / 14h00-16h30 (segunda a sexta) > Exposição “Memento Mar Memor” > Exposição “Indústria Conserveira em VRSA” > Exposição “Artes Litográficas” Até 1/12 - Exposição de Escultura de Shintaro Nakaoka, Centro Cultural de São Lourenço, Almancil. Até 6/12 - Exposição de Escultura em Ferro, de Philipe Claisse, na Galeria de Arte de Vale do Lobo. > Exposição "Inspired by colour" de Marianela de Vasconcelos, no Convento de Sto. António, Loulé. Até 11/12 - Exposição "Inward" de Cristina Ataíde, no Centro Cultural São Lourenço, Almancil. Até 13/12 - Exposição "Queda" de Marta Caldas, no Artadentro - Galeria de Arte Contemporânea, Faro. Até 17/12 - Exposição de pintura por Edite Melo, na Igreja da Misericóridia, Silves. Até 31/12 - Exposição "Fluorovision" - UV Arte Lounge por Analavory Project, todos os dias, 18h0024h00, na Galeria Fluorovision, de São Brás de Alportel. > Exposição de usos e costumes da Serra de Monchique, 10h00-17h00, no Parque da Mina, Monchique. > "Letras e cores, ideias e autores da República", na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, Tavira. > "Centenário da República, Livros e Memórias, na Biblioteca Municipal Alvaro de Campos, Tavira. > Exposição Golf Stream, 18h00--23h00, encerra a segunda, Posto 1, Vilamoura, Loulé. > Exposição "Cozinha islâmica no Museu Municipal", no Núcleo de Arqueologia, Loulé. > Exposição de António Dacosta, na Galeria Trem, Faro. > Exposição de Serigrafias da Colecção de José Fainha, no Espaço + (sala 1), Aljezur.

www.jornaldoalgarve.pt

"Less Than Beauty" de Alexandre Sequeira Lima, na Galeria de Arte Convento Espírito Santo, Loulé.

> "Less Than Beauty" de Alexandre Sequeira Lima, de segunda a sabado, encerra aos domingos, na Galeria de Arte Convento Espírito Santo, Loulé. Até 31/1/2011 - Exposição "Amália Nossa", de segunda a sexta, na Igreja da Misericórdia, Silves. Até 10/9/2011 - "Dez Monumentais Esculturas Britânicas", Cerro da Vila, Vilamoura, Loulé. EXPOSIÇÕES PERMANENTES “Caminhos do Algarve Romano” | “O Mosaico Oceano”| “A Sala Islâmica” | “Pintura Antiga dos séculos XVI a XIX” | “O Algarve encantado na obra de Carlos Porfírio”, no Museu Municipal de Faro. > Exposição "Vinho e Arte", a partir das 9h30, no Porches (junto à nova rotunda na EN 125, Lagoa. Até 20 - "Vila Real de Santo António e o Urbanismo Iluminista", Câmara Municipal de V.R.S.A. Até 27 - "Mendes Cabeçadas e a Primeira República no Algarve", terça a sexta das 10H00 às 20H00 e domingo das 15H00 às 20H00, Museu Municipal de Loulé. Até 31/12 - "Outras Viagens, Outros Olhares", Museu de Arqueologia de Albufeira. > "A 1ª República em Tavira: Transformações e Continuidades", no Museu Municipal e Palacio da Galeria, Tavira. Até 05/02/2011 - "Do Gharb ao Algarve: Uma sociedade Islâmica no Ocidente", Câmara Municipal de Silves. Até 18/07/2011 - "Cidades e Mundos Rurais", Museu Municipal, Tavira. Até 14/05/2012 - "Sombra e Luz - O Século XIX no Algarve", Museu do Trajo, São Brás de Alportel. Até 18/05/2012 - "Alcoutim, Terra de Fronteira", Câmara Municipal de Alcoutim.

[FEIRAS E MERCADOS] MERCADINHO DE LOULÉ Até 29 - Cerca do Convento e Praça da República, Loulé, 11h00-17h00. FEIRAS VELHARIAS 30 - Almancil (Loulé), Quelfes (Olhão), MERCADOS 26 - Quarteira (Loulé). 27 - Boliqueime (Loulé) 29 - Azinhal (Loulé), Loulé, São Brás de Alportel, 30 - Quelfes (Olhão)

[FESTAS E FESTIVAIS] 28 a 31 - Festival da Batata Doce de Aljezur, no Pavilhão de Feiras de Aljezur, Aljezur.

[LIVRO]

O Economista Acidental Como salvar a carteira sem perder a vida

Miguel Szymanski "Seremos, cada um de nós, um acidente económico prestes a acontecer?" "24 lições fundamentais de economia tiradas dos mais divertidos episódios da vida"

Somos todos economistas acidentais: Hoje toda a gente negoceia empréstimos, transfere dívidas de um banco para o outro, tem vários cartões de débito e de crédito, compra carros e vende casas. Não somos engenheiros acidentais, nem médicos acidentais, não fazemos cálculos de estática nem operações ao apêndice. Mas fazemos operações bancárias e em bolsa. Se há trinta anos fosse ao seu banco pedir um crédito para ir de férias ou para lhe anteciparem o pagamento do seu ordenado, o mais certo era pensarem que estava a precisar de apoio psiquiátrico. Hoje, mulheres e homens de todas as idades têm que ser economistas acidentais, que queiram, quer não. Talvez por isso seja tão frequente acontecerem... acidentes. Para os evitar e ajudar a ver melhor os riscos e obstáculos na perigosa estrada das decisões económicas, e a pedido de muitos leitores, chega agora a oportunidade de ler, em livro, as crónicas do Economista Acidental publicadas mensalmente na revista GQ.

[SEMINÁRIO] 25 - Seminário "O Regime Jurídico da Propriedade Industrial", no Centro Empresarial de Faro (ANJE Algarve) durante o período da manhã, entre as 9h30 e as 13h30.

[TEATRO ]

26 - Teatro Infantil, 15h00, Clube Artístico Lacobrigense, Lagos. 26 e 28 - “O Herdeiro” de Vila- Vinhos e Paumole: Comédia em dois Actos, Grupo de Teatro “Barraca Armada”, 26 (21h30) e 27 (16h30 e 21h30), 28 (16h30), no TEMPO – Teatro Municipal de Portimão.

Arcádia

28 - Dom Quixote, 21h30, no Centro Cultural António Aleixo, em Vila Real de Santo António. Até 29 - Mostra de Teatro Local, 21h30, na Antiga Lota de Portimão. 29 - Apresentação do filme documentário "Al-Ulyà nos caminhos de Cássima" por João Espada, 21h00, no Convento Sto. António, Loulé. > Teatro "As guitarras de Alcaçer Quibir", 21h30, no Convento Sto. António, Loulé. > Dom Quixote, 21h30, no Cine Teatro António Pinheiro, Tavira.

A Ilha das Duas Primaveras Carlos Campaniço Uma chuva de arrepio embraqueceu a alma da Cidade. Os comerciantes recolheram as suas mercadorias para dentro dos bazares, as carroças e mantas partiram num alanco, e a multidão que vagueava nas ruas pareceu ter esburacado as calçadas centenárias, com as suas línguas conversadoras, escondendo-se debaixo do chão. Em segundos, apenas água limpa das chuvas se passeava em corridinhas junto ao embarcadoiro. Quando as águas diluviais lavavam as ruas do cais, o mundo parecia começar de novo. Por tempestade diferente, a minha alma também. Carlos Campaniço nasceu em Safara, no concelho de Moura, em Setembro de 1973. Vive há catorze anos no Algarve. Da sua aldeia natal transporta a poesia das pa-

lavras alentejanas, do Algarve o ritmo do mar e estudioso do Mediterrâneo e de seus povos, neles se inspirou para escrever A Ilha das Duas Primaveras, este seu segundo romance. Gente Singular editora

P.V.P.: 15 euros P. Assinante: 12 euros (+ portes envio)


A

GENDA

[22]

JORNAL do ALGARVE

[CINEMAS] FARO Auditório do IPJ 21h30 29 - "Vão-me buscar alecrim". SBC CINEMAS - Fórum Algarve 25 novembro a 1 dezembro Sala 1 “O Americano” 14h00, 16h20, 19h10, 21h30 (só na 4ª feira) “Perigosos” 14h00, 16h25, 19h05, 21h30 (diariamente, excepto 4ª) “Toy Story 3 V.P.” 10h00 (sábado, domingo e 4ª) Sala 2 “Gru – O Maldisposto V.P.” 10h50 (sábado, domingo e 4ª) 13h25, 15h35, 17h45 (diariamente) “Saw 7” / “Saw 7” 19h55, 22h00 (diariamente) 00h35 (sexta, sábado e 3ª) Sala 3 “Rede Social” 10h15 (sábado e domingo) 13h00,15h45,21h50(diaria.,excepto 4ª) 18h30 (diaria., excepto 3ª e 4ª) 00h30 (sexta, sábado e 3ª) “A Tempo e Horas” 10h35,12h55,15h05,17h15,21h50 (só na 4ª feira) Sala 4 “Harry Potter 7 – Parte 1” 12h25 (sábado, domingo e 4ª) 15h30, 18h35, 21h40 (diariamente) Sala 5 “Harry Potter 7 – Parte 1” 10h40 (sábado, domingo e 4ª) 15h00, 18h05, 21h10 (diariamente) 00h20 (sexta, sábado e 3ª) Sala 6 “Imparável” ESTREIA 12h00 (sábado, domingo e 4ª) 14h15,16h30,18h45,21h00(diaria.) 23h30 (sexta, sábado e 3ª) Sala 7 “O Americano” ESTREIA 14h10, 16h35, 18h55, 21h20 (diariamente, excepto 4ª) 23h40 (sexta, sábado e 3ª) “Megamind” M/ ESTREIA 14h35, 16h45, 19h00, 21h20 (só na 4ª feira) “Marmaduke” 10h20 (sábado, domingo e 4ª) Sala 8 “Comer, Orar, Amar” 12h20 (sábado, domingo e 4ª) 15h20, 18h20, 21h15 (diariamente excepto 4ª) “Cães e Gatos: A Vingança de Kitty Galore” 10.10 (sábado, domingo e 4ª) “Atividade Paranormal 2” 00.25 (sexta, sábado e 3ª) “Red” / “Perigosos” 14.05, 18.55 (só na 4ª feira) “Cela 211” M/ ESTREIA 12.50, 16.30, 21.15 (só na 4ª feira) Sala 9 “Jogo Limpo” 14h30, 16h55, 19h25, 21h55 (só na 4ª feira) “É a Vida” 14h25, 16h55, 19h25, 21h55 (diariamente, excepto 4ª “Demónio” 00h35 (sexta, sábado e 3ª) “Lenda dos Guardiões” 10h30, 12h40 (sáb., domingo e 4ª) GUIA Algarve Shopping 25 novembro a 1 dezembro Sala 1 "Harry Potter e os Talismãs da Morte (Parte 1)" 15h10, 18h10, 21h10, 00h10* - qui a ter Sala 2 "Saw" 3D 12h45, 15h00, 17h05, 19h10, 21h35, 23h40* - qui a ter Sala 3 "A Rede Social"

CINEMAS I MÚSICA FARMÁCIAS I CRÍTICA

13h15, 16h00, 18h30, 21h20, 23:45* - qui a ter Sala 4 "Gru o Maldisposto" 12:50, 14:55, 17:00, 19:05 - qui a ter "Comer Orar Amar" 21:15, 00:00* - qui a ter Sala 5 "Oh Não! Outra Vez Tu?" 13:40 - qui a ter "É a Vida" 16h05, 18h45, 21h00, 23h30* qui a ter Sala 6 "O Americano" 13:30, 16:10, 18:40, 21:30, 23:50* - qui a ter Sala 7 "Imparável" 12:55, 15:05, 17:10, 19:15, 21:45 00:15* - qui a ter Sala 8 "Harry Potter e os Talismãs da Morte (Parte 1)" 13:00, 15:50, 18:50, 21:40 - qui a ter Sala 9 "Red - Perigosos" 13:20, 15:45, 18:20, 21:25, 23:55* - qui a ter * Sessão Válida 6ª, sáb e 3ª

OLHÃO CINECLUBE OLHÃO 21h30 30 - "O Estrangeiro" Seguido do filme "Vai com o Vento" ALGARCINE 25 novembro a 1 dezembro Sala 1 "Harry Potter e os Talimãs da Morte - 1ª Parte" Diariamente - 15:15/18:15/21:15 sex/sáb - 00:00 Sala 2 "Red - Perigosos" Diariamente - 13:00/15:30/18.30/ 21:30; sex/sáb - 23:50 Sala 3 "Gru-O Maldisposto" Diariamente - 14:00/16:00 Sáb/Dom - 10:40 "É a Vida!"- M/12 Diariamente - 18:20 "José e Pilar" Diariamente - 21:30 PORTIMÃO TEMPO-TeatroMunicipaldePortimão 25 - "O Filme do Desassossego" 21h30 ALGARCINE - Portimão 25 novembro a 1 dezembro Sala 1 "Harry Potter e os Talimãs da Morte - 1ª Parte" - M/12 Diariamente - 15:30/18:15/21:30 sex/sáb - 00:00 Sala 2 "Gru- O Mal disposto" Diariamente - 14:00 "Saw 3D - O Capítulo Final" Diariamente - 15:45/18:15/20:00/ 21:45; sex/sáb - 00:15 CASTELLO-LOPES 25 a 30 novembro Sala 1 "Jackass" 13:10, 15:10, 17:20, 19:30, 21:50, 0:15* - qui a ter Sala 2 "Harry Potter e os Talismãs da Morte (Parte 1)" 12h40, 15h30, 18h30, 21h30, 00h20* - qui a ter Sala 3 "A Rede Social" 12h50, 15h40, 18h40, 21h10 - qui a ter "O Demónio" 23h50* - qui a ter Sala 4 "O Americano" 13:20h 15h45, 18h20, 21h40, 00h00* - qui a ter Sala 5

PREVISÕES

"Imparável" 12h55, 15h15, 17h30, 19h45, 22h00, 00h10* - qui a ter Sala 6 "Gru o Maldisposto" 13:00**, 15:00** - sáb a dom "Saw" 3D 13:00***, 15:00***, 17:10, 19:20, 22:00, 00:25* - qui a ter *Sessão Válida 6ª, sáb e 3ª ** Sessão Válida sáb e dom *** Sessão Válida 5ª. 6ª. 2ª e 3ª

TAVIRA LUSOMUNDO - Gran Plaza Tavira 25 novembro a 1 dezembro "Jackass" 3D 13h00, 15h30, 18h10, 21h20, 23h50 "Imparavél" 13h00, 15h50, 18h30, 21h30, 00h05 "Harry Potter 7 (1ªParte)" 13h10, 17h00, 21h00, 00h10 "Gru o Maldisposto" 11h00(dom), 13h20 "Saw" 3D 15h40, 18h00, 21h10, 23h40 "Red - Perigoso" 12h50, 15h20, 18h20, 21h40, 00h10 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO GLÓRIA FUTEBOL CLUBE 21h30 26 a 28 - "Ponha aqui o seu dentinho"

[MÚSICA] 27 - Semana Cultural da Academia de Música de Lagos, 21h30,Centro Cultural de Lagos, Lagos. 28 - Just Friends/Entre Amigos - Trio Maria Viana, 21h30, no Teatro Lethes, em Faro. > XXVI Festival Juvenil de Acordeonistas de São Brás de Alportel A Associação Cultural Sambrasense (ACS), 15h30m, no Cine Teatro S. Brás, São Brás de Alportel. 29 - Grande Gala do Acordeão - Homenagem à obra de João Barra Bexiga, 21h30, no Teatro das Lethes, Faro. > Concerto "ROCKALILLYO" - Outonalidades Tavira 2008 em St. Estevão, 21h30, Sede do Povo de Santo Estevão, Tavira. > Concerto com Rui Mourinho/Ensemble de Flautas de Loulé, 21h30, na Igreja da Misericórida, Tavira. > XV Concurso "Fado Amador", 21h30, no Centro Cultural de Lagos. >MúsicacomEudoroGrade,16h30,m no Arquivo Municipal de Loulé. Até 8/12 - VIII Concurso de Fado Amador "Cidade de Portimão". 30 - 2.ª Eliminatoria; 7/12 - 3.ª Eliminatória; 8/12 - Final. Até 29 - 2.º Festival de Órgão - Faro 2008: 15 - João Vaz, Sé Catedral, 21h30, Faro. > X Concurso de Fado Amador "Cidade de Albufeira", 21h30. Concerto "Música nas Igrejas" Até 29 - Ricardo Coelho (piano) 18h00, Igreja da Misericórdia, Tavira FADO SOB O MAR Todas as quinta-feiras, a partir 20h00 Restaurante Panorâmico da Praia Verde, Altura, Castro Marim. Diariamente - Espetáculo "Divina Comédia", 22h30, encerra às segundas e terças, no Casino de Monte Gordo. - Espetáculo "Os 4 elementos do Zodíaco", 22h30, encerra às segundas e terças, na Praia da Rocha - Hotel Algarve Casino, Portimão. - Espetáculo "Michael Jackson Dance Tribute", 22h30, Casino de Vilamoura.

Hoje - Céu pouco nublado. Vento fraco. Temp min. 13º máx. 19º Sexta-feira - Céu geralmente limpo. Vento fraco. Temp min. 10º máx. 15º Sábado - Céu muito nublado com período de chuva. Vento moderado. Temp min. 11º máx. 14º Domingo - Céu muito nublado com período de chuva. Vento moderado . Temp min. 9º máx. 14º

[FARMÁCIAS] ALBUFEIRA > 25, 26 - Alves de Sousa; 27/11 a 1/12 - Santos Pinto. ALCOUTIM > 25/11 a 1/12 - Caimoto. ALJEZUR > 25/11 a 1/12 - Furtado. ALMANCIL > 25 a 28 - Nobre Passos; 29/11 a 1/12 - Paula. ARMAÇÃO DE PÊRA > 25, 26 - Sousa Coelho; 27/11 a 1/12 - Edite. CASTRO MARIM > 25/11 a 1/12 Moderna. FARO > 25 - Caniné; 26 - Pereira Gago; 27 - Da Penha; 28 - Baptista; 29 - Helena; 30 - Alexandre; 1/12 - Crespo Santos. LAGOA > 25, 26 - Lagoa; 27/11 a 1/12 - José Maceta. LAGOS > 25 - Neves; 26 - Ribeiro Lopes; 27 - A Lacobrigense; 28 - Silva; 29 - Telo; 30 - Neves; 1/12 - Ribeiro Lopes. LOULÉ > 25 - Chagas; 26 - Pinheiro; 27 - Pinto; 28 - Avendia; 29 - Martins; 30 - Chagas; 1/12 - Pinheiro. MONCHIQUE > 25 a 28 - Moderna; 29/11 a 1/12 - Hygia. ODECEIXE > 25/11 a 1/12 - Odeceixence. OLHÃO > 25 - Rocha; 26 - Pacheco; 27 - Progresso; 28 - Olhanense; 29 - Nobre Sousa; 30 - Brito; 1/12 - Rocha. PORTIMÃO > 25 - Guilherme Dias; 26 - Central; 27 - Pedra Mourinha; 28 - Moderna; 29 - Carvalho; 30 - Rosa Nunes; 1/12 - Amparo. QUARTEIRA > 25, 26 - Miguel Calçada; 27/11 a 1/12 - Algarve. SAGRES > 25/11 a 1/12 - Sagres. S.BARTOLOMEUMESSINES>25 a 28 - Sequeira Correia; 29/11 a 1/12 - Algarve. SÃO BRÁS DE ALPORTEL – 25 - Dias Neves; 26 - S. Brás; 27,28, 29 - Dias Neves; 30 - S. Brás; 1/12 - Dias Neves. SILVES - 25 a 27 - Guerreiro; 28/11 a 1/12 - ASM João de Deus. TAVIRA - 25 - Do Montepio; 26 - Maria Aboim; 27, 28 - Central; 29 - Felix Franco; 30 - Sousa; 1/12 - Do Montepio. VILA DO BISPO - 25/11 a 1/12 - Vila do Bispo. VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO - 25, 26 - Pombalina; 27/11 a 1/12 - Carrilho. Serviço permanente (24h): Alcantarilha (Maria Sequeira), Algoz (Monteiro), Alvor (Alvor), Areias S. João (Godinho Belo), Boliqueime (Cruz Ramos), Carvoeiro (Neves Furtado), Estoi (Ossónoba), Fuzeta (Mendes Segundo), Montenegro (Assunção), Praia da Luz (Praia da Luz), Vilamoura (Silva), Luz de Tavira (Maria Isabel), Monte Gordo (Internacional), S. Marcos da Serra (São Marcos), Guia (Neves Silva), Odiáxere (Moreira Barata), Estômbar (Vieira Santos), Alte (Horta Figueiredo), Sta. Catarina da Fonte do Bispo (Bota), Conceição de Faro (Leonardo), Praia da Rocha (Palma Santos), Ferragudo (Oliveira Martins), Ferreiras (Marques Silva), Mexilhoeira Grande (Ilda), Patacão (Huguette Ribeiro), Sta. Bárbara de Nexe (Coelho), Sta. Luzia (Picoito), Sto. Estêvão (Cesário Tavares), Olhos de Água (Olhos d'Água), Pêra (Paula Santos), Moncarapacho (Soares), Benafim (Rodrigues), Pechão (Pe-chão), Aeroporto de Faro, Portimão (Três Bicos), Conceição de Tavira (Conceição), Vila Nova de Cacela (Cacela).

25 I novembro I 2010 www.jornaldoalgarve.pt

[AVARIAS]

Um sábado de crise

Fernando Proença

Gosto de passar uns dias, no Inverno, quando a turba de gajos do Norte se foi embora, numa casa da Ilha do Farol de Sta. Maria. E gosto de os passar em ambiente de semi campismo; e o que quer isto dizer? Que não se vai para a ilha, pensando em fazer da casa, uma casa 2. Praia é praia, algumas refeições são feitas com o que há em palácio, a televisão existente, respeita rigorosamente o princípio dos quatro canais generalistas; não há vestidos de noite para ninguém (esta foi uma brincadeira). Claro que há sempre vestidos de noite! e assim sucessivamente. É uma espécie de educação para a grande crise, o que faz nesses dias. Lembro-me sempre daqueles refúgios antinucleares que os americanos compravam para por no quintal e que enchiam semana após semana, de latas de feijão e leite em pó. Pois foi numa destas escapadas que vi (num tarde de sábado), em que não me apetecia ler um livro (não me apetecia ler nenhum dos livros que havia em casa), e dei por mim a ver atentamente a RTP2, numa coisa que se chama Tarde de Desporto, ou coisa parecida, vendo um jogo do campeonato nacional de futsal. O futsal inscreve-se num daqueles desportos que foram inventados para suprir, os problemas dos deserdados do desporto rei. Eu tento explicar melhor: a minha teoria é que, sendo o futebol actual um jogo, para tipos de metro e oitenta e cinco e noventa quilos de peso, em que as chamadas bolas paradas dão a maior parte dos golos, uma importante fatia dos potenciais jogadores fica de fora. Quem? Os que têm um metro e setenta e setenta quilos e que apesar de darem quinhentos toques de bola, sem a deixar cair, levando ainda numa mão uma bandeja com um copo de água (do qual não se derrama uma gota), não têm lugar em clube nenhum que esteja nas, primeira ou segunda, divisões nacionais. O futsal está para o futebol, como estaria para o basquetebol, se existisse um campeonato em que só pudessem entrar jogadores com altura até um metro e oitenta. Seria um basquetebol adaptado. O futsal é um futebol adaptado. (mails de protesto, para fernan.proenca@gmail.com). Muitos dos nomes são acabados em inho, pelos motivos óbvios. Ricardinho; Marcelinho; Zezinho (como os sobrinhos do pato Donald), ou em alternativa, podem chamar-se Bébé ou Néné. Os jogadores são em geral baixos, leves e rápidos mas há muita táctica, pelo menos foi o que vi no Fundação qualquer coisa, de Vizela e o Sporting. Para quem está de fora o jogo é um bocado seca, apesar do virtuosismo técnico de alguns praticantes. E reparei numa coisa: contrariamente à maioria dos modernos desportos, aqui os treinadores podem ser em geral, maiores que os jogadores que comandam, o que em termos de psicologia do desporto deve ter a sua importância estratégica. Ou não.


P

UBLICIDADE

25 I novembro I 2010

[23]

JORNAL do ALGARVE

www.jornaldoalgarve.pt


JA COLABORA NA RECICLA GEM ECICLAGEM O Jornal do Algar Algarvve está a colaborar na reciclagem de papel, reutilizando e utilizando sobras. Desta fforma orma pre prett endemos sensibilizar os nossos leit ores para a luta contra o plástico leitores (utilizado por div er sos jornais e re vistas diver ersos revistas na eexpedição xpedição por correio) e para a necessidade de se def ender o meio ambient e. defender ambiente.

www.jornaldoalgarve.pt

REDACÇÃO/ADMINISTRAÇÃO/PUBLICIDADE Tels. 281511955/6/7 - Fax 281511958 - e-mail: jornaldoalgarve@hotmail.com; faro@jornaldoalgarve.pt; portimao@jornaldoalgarve.pt Rua Jornal do Algarve, 46 - Apartado 23 8900-315 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

PRESIDENTE AUTARQUIA REÚNE-SE COM MINISTRO ADMINISTRAÇÃO INTERNA

Albufeira reclama mais polícias

O presidente da Câmara de Albufeira esteve reunido, na semana passada, com o ministro Rui Pereira. Em cima da mesa estiveram as várias questões alusivas à segurança do concelho e da região. "A reunião teve como pano de fundo o atual clima da região, que vive um agravamento da situação económico-social com reflexos na população", adiantou a autarquia em comunicado. Desidério Silva mostrou ao governante um conjunto de dados e sugestões, sublinhando "a especificidade do concelho de Albufeira em termos turísticos e residenciais". "Falou-se do necessário reforço de efetivos, em várias zonas da cidade - com destaque para o centro histórico, Areias de S. João e zona poente - sem esquecer a freguesia de Ferreiras, cujo aumento populacional tem sido uma evidência nos últimos anos", referiu a câmara municipal. Outra reivindicação manifestada por Desidério Silva junto do ministro está relacionada com a questão da mobilidade dos polícias, "que funcionam em função do calendário e não do número de turistas, o que na prática se traduz no facto de, «de um dia para o outro», o concelho em particular e a região em geral, se verem privados deste importante reforço". No rescaldo da reunião, o ministro Rui Pereira mostrou abertura e disponibilidade para proceder às devidas correções.

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

PS propõe "compromisso geracional"

O PS acaba de propor ao executivo da câmara municipal de Vila Real de Santo António (VRSA) que apresente, junto com o Orçamento e o Plano de Atividades para 2011, um “documento de responsabilidade geracional” onde exponha todas as responsabilidades financeiras de curto, médio e longo prazo - integrando a empresa municipal SGU - e respetiva previsão de impacto no quadro orçamental da autarquia. O PS considera que, no quadro atual, projeta-se sobre a classe política uma responsabilidade acrescida sobre as novas gerações, devendo ser-lhes garantida a possibilidade de definir o seu próprio destino, sem que os compromissos financeiros atualmente assumidos impossibilitem a concretização das suas iniciativas futuras. Os socialistas defendem que o exercício de poderes em nome do povo implica “especiais deveres, responsabilidades, exigências e, até, sacrifícios, não sendo compatível com decisões irresponsáveis de curto prazo cujo único objetivo seja retirar dividendos imediatos de caráter eleitoralista, mal gastando recursos financeiros autárquicos e hipotecando património, com inegáveis reflexos negativos na gestão municipal das gerações vindouras”.

CÂMARA DE ALJEZUR E PARQUE EXPO QUEREM TRANSFORMAR LOTEAMENTO NUM "LUGAR NOMEÁVEL"

Vale da Telha avança para requalificação 30 anos depois A reconversão de Vale da Telha, uma urbanização construída há cerca de três décadas no concelho de Aljezur, em pleno Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano, vai mesmo avançar. Isto porque, mais de uma década depois de um decreto governamental ter classificado Vale da Telha como “área crítica de reconversão e recuperação urbanística”, a autarquia anunciou na quinta-feira que “a Parque Expo inicia em dezembro a prestação de serviços de assessoria técnica e elaboração dos Planos de Pormenor para o Vale da Telha”, contratualizada com a câmara de Aljezur. Os planos vão ter em conta o estudo

promovido pela autarquia e realizado pela Parque EXPO - “Visão Estratégica para o Vale da Telha”- em articulação com os serviços do Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade e aprovado por unanimidade, na reunião da câmara de 9 de junho de 2009. Segundo a autarquia, a “visão estratégica” para a requalificação urbana do Vale da Telha assenta em três princípios, que se resumem em “entender o parque natural como um valor patrimonial”, “controlar e direcionar a pressão de utilização procurando um modelo de ocupação compatível com a manutenção dos valores ambientais” e “transformar o lotea-

mento do Vale da Telha num lugar «nomeável», dotado de valor e identidade próprios”. “As ações de intervenção propostas terão de responder de forma clara e objetiva à materialização destes princípios e orientações”, frisa a autarquia, realçando que pretende fazer deste loteamento “um fator de diferenciação e competitividade” do concelho de Aljezur. “Para trás ficarão 30 anos de conflitos, desentendimentos, ineficácia de medidas avulsas, que arrastaram o loteamento de Vale da Telha para uma área crítica de reconversão urbanística”, refere a câmara em comunicado. N.C.

NÚCLEO MUSEOLÓGICO INAUGURADO EM LAGOS PARA RELEMBRAR A HISTÓRIA

Antigo mercado de escravos vira centro da Unesco A câmara de Lagos e a Comissão Nacional da UNESCO (Agência especializada das Nações Unidas para a Educação, Ciência, Cultura e Comunicação) celebraram, recentemente, um protocolo de cooperação com vista à criação do Centro UNESCO de Lagos, no antigo mercado de escravos. O protocolo foi assinado pelos presidentes da autarquia lacobrigense e da Comissão Nacional da UNESCO, Júlio Barroso e embaixador Fernando Andresen Guimarães, respetivamente, e teve em conta o facto de o município de Lagos assumir-se como “cidade dos Descobrimentos”, numa referência histórica às viagens de exploração lançadas pelo Infante D. Henrique e que conduziram à abertura e globalização do mundo. Para o presidente da câmara de Lagos, este protocolo significa “uma grande honra” para o município. “Lagos é uma cidade que não enjeita a sua história, ainda que nem tudo tenham sido rosas. Mas, no tempo histórico em que tudo aconteceu, Lagos brilhou no horizonte e é isso que se pretende dar a conhecer melhor”, referiu Júlio Barroso, frisando que “trabalhar em parceria com a UNESCO, que tem o seu nome reconhecido a nível nacional, é uma das melhores formas para o conseguir”. Na exposição agora patente neste novo núcleo museológico, onde outrora foi um mercado de escravos, procura-se explorar a ligação de Lagos à história do tráfico negreiro. São igualmente divulgados os dados históricos, relatados nas fontes documentais e enriquecidos pelos testemunhos recuperados nas escavações arqueológicas efetuadas no parque de estacionamento do Anel Verde.

Lagos perpetua memória do tráfico de escravos Segundo a história, Lagos começou em 1444 a receber todos os anos carregamentos regulares de escravos, que eram normalmente capturados em razias ou adquiridos por troca na costa ocidental de África. Utilizados em trabalhos pesados e em tarefas domésticas, os escravos africanos, a partir de então, passaram a fazer parte da paisagem humana portuguesa, que marcarão de forma profunda. O edifício do Mercado de Escravos, em Lagos, perpetua a memória desse tráfico de seres humanos, que também abastecia outras regiões portuguesas, e que estaria centralizado na Casa da Guiné, em plena zona ribeirinha.

5GKKCGP*jhcfbe+[K\C\I\K\A

NÃO SE DECIDA SEM VISITAR O APARTAMENTO MODELO

APARTAMENTOS DE QUALIDADE JUNTO

AO

GUADIANA

T1, T2, T3 EM DUPLEX PARQUEAMENTO PRIVATIVO

www.isrconstrucoes.com

Telf.: 281 510 240

Fax: 281 510 249

e-mail: isrgeral@mail.telepac.pt

Edição nº 2800 | 25 novembro 2010  

Edição digital do semanário Jornal do Algarve

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you