Issuu on Google+

O

SEMANÁRIO

FUNDADOR: José Barão I DIRETOR: Fernando Reis

Utentes, autarcas e empresários apreensivos com fim da isenção na Via do Infante

DE

Quinta-feira

I

EXP ANSÃO EXPANSÃO

27 de setembro de 2012 I ANO LV - N.º 2896

I

Preço 1,10

João Frizza dá "concerto de memórias" em VRSA

Partidos trocam graves acusações na Praça Pública

Tensão aumenta entre PS e PSD em Portimão P4

MAIOR

P6

DO

ALGAR VE ALGARVE www.jornaldoalgarve.pt

PORTE PAGO - TAXA PAGA

Instituições sociais apresentam ações dirigidas aos maiores de 65 anos

NESTE NÚMERO

Lagoa comemora dia internacional do idoso P 19

P 21

PROGRAMA "FORMAÇÃO-ALGARVE" TEM COMO META SALVAR DOIS A TRÊS MIL EMPREGOS

Governo tenta conter onda de desemprego P3

INCÊNDIO DESTRÓI RETAIL PARK E AGRAVA SITUAÇÃO SOCIAL EM PORTIMÃO

E tudo o fogo levou...! P 24

RADIS Dr. Jorge Pereira

Agora com TAC - Rx - Ecografia - Mamografia RX Panorâmico Dentário Acordos - Convenções ADSE - SAMS - CGD - PSP - CTT - TELECOM - ADMFA ADMG -MÚTUA PESCADORES - MEDIS SAMS QUADROS - MULTICARE Rua Aug. Carlos Palma n.º 71 r/c e 1.º Esq. - Tel. 281 322 606 em frente à farmácia do Montepio (Tavira)


JA COLABORA NA RECICLA GEM ECICLAGEM O Jornal do Algar Algarvve está a colaborar na reciclagem de papel, reutilizando e utilizando sobras. Desta fforma orma pre prett endemos sensibilizar os nossos leit ores para a luta contra o plástico leitores (utilizado por div er sos jornais e re vistas diver ersos revistas na eexpedição xpedição por correio) e para a necessidade de se def ender o meio ambient e. defender ambiente.

www.jornaldoalgarve.pt

REDAÇÃO/ADMINISTRAÇÃO/PUBLICIDADE Tels. 281511955/6/7 - Fax 281511958 - e-mail: jornaldoalgarve@hotmail.com; jornaldoalgarve@gmail.com; ja.portimao@gmail.com Rua Jornal do Algarve, 46 - Apartado 23 8900-315 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

Livro de Diogo Tavares de Ataíde lançado em Tavira No âmbito das Jornadas Europeias do Património, a Câmara Municipal de Tavira lança, no dia 28 de setembro, pelas 18h30, na Ermida de São Sebastião, o livro "Diogo Tavares de Ataíde. Entalhador de Pedra (1711-1765)". Com esta edição pretende-se dar relevo aos principais aspetos da vida e obra do mais notável arquiteto algarvio do século XVIII, na sequência do tricentenário do seu nascimento. Com texto assinado por Daniel Santana, historiador de arte e técnico do museu municipal, e design gráfico a cargo de Cristina Palma, esta publicação sintetiza o panorama da arquitetura barroca no Algarve e apresenta o percurso biográfico e artístico de Diogo Tavares com base em precedentes investigações históricas e documentais. Diogo Tavares de Ataíde, farense, nascido em 1711, vê o seu talento reconhecido a partir de 1742, quando assume o projeto de remodelação da fachada da Igreja do Carmo, em Faro. Morre, em 1765, deixando obras que o atestam como habilitado canteiro e projetista, conhecedor de aspetos característicos da arquitetura barroca, a qual procurou difundir, desafiando a arquitetura algarvia a aproximar-se das novas tendências que se praticavam no resto do país. A mestria com que transpôs para a pedra as formas que, habitualmente, se encontravam na arte de talha valeram-lhe o epíteto de entalhador de pedra. É, igualmente, reconhecida a sua faceta de restaurador de edifícios, tendo neste âmbito participado em várias obras nas cidades de Faro e Tavira. Em Tavira recebeu o apreço de ilustres mecenas e encomendadores locais, realizando diversas intervenções das quais se destacam as reconstruções do Convento da Graça, do Palácio da Galeria, assim como das igrejas do Espírito Santo e São Pedro Gonçalves de Telmo.

Martifer inaugura dois parques fotovoltaicos no Algarve A empresa Martifer Solar inaugurou, na passada terça-feira (25), dois parques fotovoltaicos no Algarve, num investimento de 50 milhões de euros. Os parques têm uma capacidade total de 22,4 MW e estão localizados em Avalades (Silves) e Ferreiras (Albufeira). Segundo a empresa, os dois parques vão evitar a emissão de mais de 14 mil toneladas de CO2, produzindo cerca de 37,4 GWh/ano, correspondente à utilização de 22 mil barris de petróleo, o que equivale ao consumo doméstico de mais de 17.500 pessoas. O parque de Avalades, um dos maiores existentes em Portugal, ocupa uma área superior a 41 hectares, é composto por 66.080 módulos e tem uma capacidade de produção de 15,6 MWp, evitando a emissão de aproximadamente 10 mil toneladas de CO2 por ano e produzindo eletricidade suficiente para o consumo de cerca de 12.200 pessoas.

INCÊNDIO DESTRÓI RETAIL PARK E AGRAVA SITUAÇÃO SOCIAL EM PORTIMÃO

E tudo o fogo levou...! O incêndio do retail park não destruiu apenas sete lojas com todo o seu recheio. O fogo ameaça também destruir mais de 300 postos de trabalho num dos concelhos mais afetados pelo desemprego e pela crise social. Segundo os peritos, a recuperação da superfície comercial é uma missão quase impossível > NUNO COUTO O retail park de Portimão, inaugurado em 2006, ficou totalmente destruído na sequência do incêndio ocorrido na madrugada de domingo e a sua eventual recuperação parece ser uma tarefa para muitos anos. As primeiras peritagens apontam como causa provável do incêndio a ocorrência de um curto-circuito, mas as investigações ainda prometem durar algumas semanas, dado o nível de destruição que se verifica no local, onde ainda é possível ver um grande amontoado de materiais calcinados e estruturas de ferro queimadas e retorcidas. Para além dos milhões de euros de prejuízos materiais, a maior preocupação neste momento prende-se com os mais de 300 empregos em risco após o incêndio no retail park, transformado por estes dias num autêntico cenário de guerra. O presidente da Câmara de Portimão, Manuel da Luz, lembrou esta semana aos microfones da rádio TSF que o desemprego na região já está “acima da média nacional” e, como tal, receia que este incêndio venha agravar ainda mais o drama social de muitas famílias. “Se não houver uma resposta dos empregadores do retail park, estas pessoas vão ter de ir para o Instituto de Emprego, as que puderem ir,

O futuro de mais de 300 trabalhadores está em risco após o incêndio

e não se vê como acolhê-las noutro sítio qualquer”, admitiu o autarca. Na mesma estação de rádio, Manuel da Luz afirmou que não era possível recuperar a superfície comercial em menos de ano e meio, ou até dois anos. Isto porque, adiantou o presidente da Câmara de Portimão, seguir-se-á agora um processo demorado de avaliação dos estragos, conduzido pelas seguradoras, para resolver o problema das indemnizações. Este processo deverá levar “muito tempo”, advertiu o autarca.

Trabalhadores com futuro incerto Manuel da Luz indicou ainda que as empresas que estavam instaladas no retail park e que arderam por completo Continente, Moviflor, Rádio Popular, Staples, DeBorla, Aki e Decathlon – já pediram informações à autarquia para se instalarem noutros locais. Segundo as últimas informações, a maioria destas empresas também já garantiram que vão distribuir os empregados por outras lojas no Algarve, caso do Continente, da Rádio Popular e da Staples, mas o futuro ainda

parece incerto para centenas de trabalhadores que viram o fogo destruir o seu local de trabalho de um dia para o outro. Entretanto, a Polícia Judiciária já iniciou a investigação sobre as origens do incêndio que destruiu as sete grandes superfícies do retail park de Portimão. Apenas uma oficina de reparação automóvel, a zona da restauração e uma bomba de combustível escaparam às chamas, mas mesmo nestes casos o negócio parece arruinado, já que eram as lojas do complexo comercial que traziam os clientes.

PREÇOS IMBATÍVEIS SCOOTER

MER CEDES A180 MERCEDES ANO 2008

OPORTUNIDADE

LAND RO VER ROVER ANO 1993

Consulte os nossos preços e-mail: pcauto40@gmail.com Telf. 914 462 302


Edição nº2896 | 27 SET 2012