Issuu on Google+

O

SEMANÁRIO

FUNDADOR: José Barão I DIRECTOR: Fernando Reis

DE

Quinta-feira

I

MAIOR

EXP ANSÃO EXPANSÃO

20 de janeiro de 2011 I ANO LIII - N.º 2808

I

Preço 1,10

DO

ALGAR VE ALGARVE

PORTE PAGO - TAXA PAGA

www.jornaldoalgarve.pt

Carlos Grade, presidente da Junta de Freguesia da Tôr:

OLHÃO VÊ INDÚSTRIA DO MAR GANHAR NOVO IMPULSO

Parque Empresarial e Lar de Idosos são grande meta

Companhia de Pescarias inaugura fábrica e anuncia novos projetos

P3

Autarcas algarvios atentos aos apoios para a regeneração urbana P4

"A mais antiga companhia de pescarias do país já completou 175 anos e continua a lutar contra a apatia e o marasmo que tomou conta das pescas nacionais", afirmou o presidente do conselho de administração da Companhia de Pescarias do Algarve, Miguel Socorro P5

Presidenciais 2011

Candidatos fazem campanha no Algarve P 6/7

Real Madrid vai abrir escola de futebol em Vila Real de Santo António Estrutura destina-se a crianças desfavorecidas e será a primeira que o clube espanhol abre no nosso país. Na calha estão mais duas, uma em V.N. de Gaia e outra no Funchal

RADIS Dr. Jorge Pereira

Acordos - Convenções ADSE - SAMS - CGD - PSP - CTT - TELECOM - ADMFA ADMG -MÚTUA PESCADORES - MEDIS SAMS QUADROS - MULTICARE Rua Aug. Carlos Palma n.º 71 r/c e 1.º Esq. - Tel. 281 322 606 em frente à farmácia do Montepio (Tavira)

Viprensa

Agora com TAC - Rx - Ecografia - Mamografia RX Panorâmico Dentário

P 15

Crise leva Alcoutim a fazer cortes orçamentais P 11

Menos 7,5 milhões em relação ao ano passado

Castro Marim aprova orçamento de 23,2 milhões de euros P 12


»D

20 I janeiro I 2011

OIS

[2]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Carlos Albino

Eduardo Luís Silva Pereira, Presidente da Assembleia Municipal de Vila Real de Santo António, nos termos do n.º 1 do artigo 50.º da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro alterado pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro, torna público que este Órgão Autárquico reunirá em SESSÃO EXTRAORDINÁRIA, no próximo dia 25 de Janeiro de 2011 (terça-feira) pelas 21.30 horas, na Biblioteca Municipal de Vila Real de Santo António com a seguinte ordem do dia: 1. EXPEDIENTE E INFORMAÇÕES; 2. APRECIAÇÃO E VOTAÇÃO DA ACTA N.º 10/2010 DESTA ASSEMBLEIA MUNICIPAL; 3. APRECIAÇÃO E VOTAÇÃO CONCEPÇÃO, CONSTRUÇÃO E EXPLORAÇÃO DE PARQUES DE ESTACIONAMENTO NA CIDADE DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO; 4. APRECIAÇÃO E VOTAÇÃO DO REGULAMENTO MUNICIPAL DA PEREQUAÇÃO COMPENSATÓRIA DE BENEFÍCIOS E ENCARGOS E DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DO CEMITÉRIO DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO - TÉRMINO DA DISCUSSÃO PÚBLICA; 5. APRECIAÇÃO E VOTAÇÃO DO REGULAMENTO MUNICIPAL DA PEREQUAÇÃO COMPENSATÓRIA BENEFÍCIOS E ENCARGOS E FO DUNDO DE COMPENSAÇÃO DO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO NORTE/POENTE DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO TÉRMINO DA DISCUSSÃO PÚBLICA; 6. APRECIAÇÃO E VOTAÇÃO DO REGULAMENTO DEFINITIVO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA. A sessão terminará com um período de intervenção do público, para apresentação de assuntos de interesse municipal e pedidos de esclarecimentos sobre assuntos, que não constam da ordem do dia. Vila Real de Santo António, 17 de Janeiro de 2011 Presidente da Assembleia Municipal, Eduardo Luís Silva Pereira (Jornal do Algarve, 20/1/2011)

CUPÃO DE ASSINATURA O SEMANÁRIO DE MAIOR EXPANSÃO DO ALGARVE

Sim! Desejo ser assinante do Jornal do Algarve até ordem contrária Nome .............................................................................................................................. Morada ............................................................................................................................ Cód. Postal ....................Localidade................................................................................. Telefone ............... email............................................... Contribuinte ............................. junto envio cheque/vale postal n.º............................. no valor de .................. ou comprovativo de transferência bancária, para a conta da Viprensa, proprietária do Jornal do Algarve NIB:003509090001615533034 / IBAN: PT50003509090001615533034 BIC da CGD: CGDIPTPL ou NIB:004570434000621313537 IBAN: PT50004570434000621313537 - BIC /SWIFT: CCCMPTPL Titular da conta _________________________________ Assinatura ....................................................................................... Data

/

VIPRENSA Sociedade Editora do Algarve, Lda. Pessoa Colectiva n.º 501 441 352 Capital Social: 60.000,00 Euros Fernando G. Reis: 50% Maria Luísa A. Travassos: 50% Registo ICS n.º 100969 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE IMPRENSA

Editora Luísa Travassos Director Fernando Reis Direcção Financeira António Cabrita Redacção Domingos Viegas, José Cruz, Raquel Ponte, Rita Travassos (VRSA); Neto Gomes, Sofia Cavaco Silva (Delegação de Faro); Nuno Couto (Delegação de Portimão) redaccao@jornaldoalgarve.pt

carlos-albino@sapo.pt

Presidente ou Residente da República? Estamos à beira de mais uma eleição, desta vez presidencial. Cada um pensa o que pensa e legitimamente expressa o que entende expressar, não hesitando eu em expressar que nunca assisti a um pleito de nível tão baixo - baixo nos discursos, nas ideias, nos confrontos de programas ou projetos e, pior que tudo isso, também quanto a perfis de personalidade a coisa foi igualmente baixando, baixando e baixando de tal forma que fui forçado a interrogar-me se afinal estamos a eleger um Presidente da República ou mais um Residente da mesma República, o mais alto residente, por certo a juntar-se a outros residentes. Nunca assisti a uma coisa destas e nunca pensei que isto fosse possível acontecer. Ao desapontamento com os deputados, sobretudo com a safra das últimas legislativas, junta-se assim um desapontamento maior e de efeitos incalculáveis numa democracia que obviamentre deve e tem que ser repensada antes que o bem coletivo da liberdade de escolha a troco da responsabilidade de compromisso dos escolhidos se acabe ou se interrompa ou, pior que tudo, se deteriore transformando-se num sistema de faz de conta que é democracia mas não é. E mais do que poderes do Presidente, número de deputados ou quem é quem que é eleito, o que me preocupa seriamente é a própria democracia e o seu rumo, o que tem obviamente tudo a ver com a qualidade, elevação e interesses abertos e não camuflados dos seus protagonistas. Ora uma democracia para escolher camuflados é coisa que colide com o sonho da sã convivência, da crítica serena e da domesticação de egoísmos e prepotências. Ora nós, todos, para além dos autarcas que se cruzam com os eleitores nas ruas e que têm olhos, elegemos o Presidente e deputados - nada mais, porquanto o primeiro-ministro é um corolário. Com os deputados, as suspeitas acabaram de vez nas últimas eleições, pois pelo que temos visto e comprovado os eleitos, em vez de representarem os interesses das populações locais que os elegeram perante o governo e no parlamento, o que estão deveras a fazer é representarem os interesses do governo e do parlamento junto dos locais, invertendo o contrato eleitoral. E nisso, os partidos em cujas listas os mesmos deputados foram eleitos, em vez de pedirem ao governo e no parlamento apoio para as populações, o que fazem é pedir o apoio às populações para o seu governo (uns), para as expetativas calculadas de governo (outros) e para os seus interesses no parlamento (todos, à exceção dos que dificilmente escapam do labéu do oportunismo e do aproveitamento de circunstâncias). No Algarve, esta falácia levou à imposição de "representantes" que pouco ou mesmo nada têm a ver com os que deviam ser representados, e no meio deles ou atrelados a eles, portanto sem grande voz ativa mas que até têm a ver com os representados, ou se calam ou não sobem, nesta lógica em que a representação política se converteu em emprego político e os empregados fazem carreira. Isto não é apenas mau para democracia - é péssimo, porquanto nenhuma democracia resiste com empregados residentes na política. A política não é isso, não se fez para isso. Mas, enfim, fora os deputados, a gente acostumou-se a sentir no Presidente um garante e um reduto de confiança, mesmo que o eleito não fosse o que nós mais gostaríamos. E o que não é apenas mau, é péssimo, é que também o Presidente seja um Residente. A eleição que, em princípio, se consuma no domingo, sobretudo pelos episódios inesperados dos últimos dias, é um mau augúrio e a prova provada que a democracia tem que ser e deve ser repensada. Repensada por todos nós eleitores que não somos empregados políticos pois as águias não geram pombas.

/

Preços da Assinatura Anual: Portugal 40 euros, Europa 60 euros, resto Mundo 70 euros Atenção: As assinaturas só serão válidas após pagamento

Medalha de Mérito Turístico - Grau Ouro

396

SMS

EDITAL

faro@jornaldoalgarve.pt portimao@jornaldoalgarve.pt Colaboradores Almerinda Romeira, Ana Oliveira, Ana Viegas, Ângelo Cruz, António Manuel, António Montes, Arnaldo Casimiro Anica, Caldeira Romão, Carlos Alberto, Domingos Francisco, Eduardo Geraldo, Eduardo Palma, Emiliano Ramos, Fernando Cabrita, Fernando Graça, Hélder Bernardo, Hélder Carrasqueira, Horácio Neves Baceladas, João Paulo Guerreiro, João Xavier, Jorge Costa, José António Pires, José Azevedo, José Manuel Livramento, José Mestre, José Saúde, Júlio Farinha, Luigi Rolla, Luís Santos, Mendes Bota, Miguel Duarte, Miguel Jorge, Rita Pina, Rogério Bastos, Rui Marques, Silva Lucas, Teresa Cristina, Teodomiro Neto

Flagrante prognóstico: Comenta-se nos círculos de assaltantes bem informados, que vão ver que há forças policiais mais do que suficientes até para impor as portagens na 125 quanto mais na Via do Infante.

Correspondentes Angel Rebollo (Huelva), António Sustelo (Bélgica) Paginação electrónica Irene Salvador, Lídia Palma, Ana Reis Publicidade e Marketing Filomena Reis, filomena@jornaldoalgarve.pt Helena Reis, helena@jornaldoalgarve.pt

(VRSA)

Alzira Correia, portimao@jornaldoalgarve.pt Dep. Assinantes Ana Mendes assinantes@jornaldoalgarve.pt Publicidade, Redacção, Composição, Administração Rua Jornal do Algarve, 46 Apartado 23 8900 Vila Real de Santo António Telefs. 281 511 955 / 56 / 57 Telefax: 281 511 958 jornaldoalgarve@hotmail.com

geral@jornaldoalgarve.pt

Distribuição: Pedaços de Mar, Lda

Delegação de Faro Telm. 914 462 327 faro@jornaldoalgarve.pt Delegação de Portimão: Quinta da Malata, Lote 3, Lj 2 Tel. 282418924/5 Fax: 282418858 portimao@jornaldoalgarve.pt

Depósito Legal n.º 9578-85 ISSN 0870-6433

Impressão: Imprejornal - Sociedade Impressão S.A.

Tiragem média semanal do último mês: 11 500 exemplares

Propriedade: Viprensa Sociedade Editora do Algarve, Lda. Rua Jornal do Algarve, 46 8900 Vila Real Santo António


A

CTUALIDADE

20 I janeiro I 2011

[3]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

VOZ DO POVO

PODER LOCAL CARLOS GRADE, PRESIDENTE DA JUNTA DE FREGUESIA DA TÔR

Parque Empresarial e Lar de Idosos são grande meta

Manuel Papuchinha, reformado

Carlos Grade está à frente da Junta de Freguesia da Tôr, no concelho de Loulé, há 13 anos e considera que as condições básicas de qualidade de vida para a população estão garantidas. Contudo, a falta de postos de trabalho e de habitação para as novas famílias são problemas com que se depara diariamente

J.A. - Quais os maiores progressos que têm surgido na freguesia nos últimos anos? C.G. - Nessa área, considero-me um autarca feliz. Dado o bom relacionamento com o executivo municipal, completei uma aspiração que tive logo quando tomei posse há treze anos: dotar toda a freguesia de abastecimento de água e esgotos onde era possível. Hoje, temos água a 98 por cento e esgotos a 95 por cento para toda a população.

"A revisão do PDM é uma esperança para esta freguesia que se encontra constrangida pelas Redes de Reserva Agrícola e Natura" Construímos uma sede para a junta funcionar e arranjamos todos os caminhos, pusemos tapete nas principais ruas e estradas. Alcatroámos ou colocámos betão em todas as ruas. Hoje, ninguém tem caminhos de terra à sua porta. Pedimos iluminação pública para todas as ruas, estradas e sítios. Também fomos uma das primeiras freguesias a ter concluído o processo de toponímica e temos um Cen-

tro Escolar que alberga cerca de 90 crianças com todas as condições para apreender e criarem valores para o Futuro. Na minha opinião, hoje dá gosto viver na Tôr. J.A. - Quais os projetos que gostaria de ver concretizados a curto e médio prazo? C.G. - O maior projeto era a construção de um lar para dar dignidade aos idosos da freguesia, e não só, nos seus derradeiros dias. O projeto está em fase de aprovação e a junta deliberou atribuir a verba de um ano do contrato programa com a Câmara Municipal de Loulé, aproximadamente 40 mil euros, para ajudar a sua construção. Também apoiamos a construção de habitação social e do parque industrial. J.A. - Acha que a atual situação nacional vai atrasar estes projetos? C.G. - Com os cortes que o Governo fez, com certeza. Esta junta de freguesia foi penalizada em 20 por cento da verba a receber e todos serão castigados.

Não creio. Em alguns centros históricos fizeram-se muitas obras para mudar a imagem, mas ainda persistem muitos problemas. As pessoas não têm dinheiro para arranjar as suas casas e, por isso, as habitações vão ficando cada vez mais velhas e degradadas. Por outro lado, a insegurança é cada vez maior nestas zonas. As senhoras já não podem sair à rua durante a noite, pois correm o risco de ser roubadas.

Maria Puskas, empregada EMARP Eu acho que os centros históricos estão muito abandonados e, por isso, ocorrem muitos assaltos e roubos. As pessoas começam a evitar os centros das cidades por medo, o que não é muito bom. Nesse sentido, o governo, as câmaras ou as forças de segurança deveriam ter mais atenção a estes locais, para que as pessoas pudessem andar à vontade pelas ruas.

Dina Emídio, doméstica Penso que têm futuro. Deviam ser mais visitados a par de outros locais com interesse, monumentos das nossas cidades que não sabemos apreciar devidamente

Guida Gago, auxiliar de educação Por um lado acho que deviam ter futuro, mas confesso que vejo tudo muito abandonado. Se não há comércio que puxe as pessoas para visitarem essas zonas o que é que as pessoas vão lá fazer? Acabam por ser os estrangeiros a visitar os espaços históricos e pouco mais. Era bom que essas zonas fossem recuperadas.

PUB

Centro de Oftalmologia do Algarve

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

www.centrodeoftalmologia.com ALTURA/MONTE GORDO

Dr. Eduardo Lares

DE 19 A 25 DE JANEIRO

CORRECÇÃO DA MIOPIA COM LASER

* CAMARÃO COZIDO 30/40KG

ASTIGMATISMO HIPERMETROPIA Consultas de Oftalmologia Laser - Diabetes, Glaucoma Ecografia, Biometria Ocular Campimetria Computorizada Topografia da Cornea Cirurgia Ocular

Informe-se em www.algarlaser.com

CONSULTAS:

Av. 5 de Outubro 14 - 1.º - FARO Telefone: 289 895 560

13,99 ¤

* TAMBORIL INTEIRO KG

9,99 ¤

* PATO INTEIRO C/MIÚDOS KG

3,49 ¤

MANGA KG

1,69 ¤

POSTA DE ATUM C/ERVAS PLATOMAR 80GR

2,34 ¤

ATUM C/TOMATE PLATOMAR 300GR

2,54 ¤

OVAS CAVALA EM AZEITE USISA 120GR

1,70 ¤

*PRODUTOS NÃO DISPONÍVEIS NA LOJA INTERMARCHE EM MONTE GORDO VIPRENSA

Jornal do Algarve - Situada na zona interior do concelho de Loulé, quais as maiores dificuldades que a freguesia da Tôr enfrenta atualmente? Carlos Grande - As maiores dificuldades revelam-se a nível da falta de postos de trabalho e a falta de habitação a preços controlados, ou seja, condições para “prender” os jovens à terra. J.A. - Na sua opinião, neste momento já se encontrou um ponto de equilíbrio entre os interesses da população e as condicionantes ambientais existentes no território? C.G. - Não pode haver equilíbrio quando no espaço entre duas habitações é considerado reserva agrícola ou reserva ecológica e fora das povoações não é permitido em parte alguma a construção. Não fomentam a possibilidade de construir nas propriedades que os habitantes possuam, implicando a deslocação dos jovens para as cidades. J.A. - Tem defendido o avanço do projeto "Quinta da Ombria" referindo diversas vezes que poderá ser um bom criador de postos de trabalho. Além deste projeto, de que forma a junta de freguesia tem vindo a trabalhar as condições de atração empresarial da freguesia? C.G. - Hoje, continuo a apoiar esse empreendimento e nos acordos firmados com a empresa que se propõe integrar os jovens desta freguesia após a frequência de cursos de formação que os irá habilitar para as futuras funções a desempenhar, disponibilizando a junta, para esse efeito um espaço para o fomento desses cursos. Por outro lado, também tem sido difícil dado as condicionantes do PDM. Com efeito, por várias vezes tenho pressionado a Câmara Municipal de Loulé para a criação de um parque empresarial, mas até hoje foi impossível aguardando agora, a revisão do PDM agora em curso

Os centros históricos têm futuro?

SALVO RUPTURA DE STOCKS OU ERRO TIPOGRÁFICO


R

EGIONAL

[4]

20 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

"JESSICA" APOIA REVITALIZAÇÃO E REGENERAÇÃO DOS CENTROS HISTÓRICOS URBANOS

Autarcas algarvios atentos aos apoios para a regeneração urbana Dar nova vida aos centros históricos das cidades algarvias é uma matéria cada vez mais referida pelos autarcas. Um processo complexo que passa não só pelo embelezamento dessas zonas e recuperação do património. Atrair novas atividades económicas e novos residentes para estas zonas é um desafio que se pretende alcançar. Para o efeito, o Algarve pode beneficiar de fundos europeus que estão a ser disponibilizados através da iniciativa JESSICA > SOFIA CAVACO SILVA “O desafio passa por saber como reinventar a polis humanista em detrimento da city mercantilista. A questão fundamental já não é tanto saber quem cresce mais mas saber onde se vive melhor”, afirmou Porfírio Maia. Afirmações ouvidas na abertura da sessão que a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve promoveu, na passada semana, a propósito de novos instrumentos de apoio à regeneração urbana. Em cima da mesa esteve a iniciativa JESSICA, um programa da União Europeia e do Banco Europeu de Investimento que pretende apoiar os estados-membros a utilizar verbas dos Fundos Estruturais para a criação do Fundo de Desenvolvimento Urbano. As verbas deste fundo estão a ser canalizadas para programas de reabilitação urbana.

No Algarve, já existem vários projetos de reabilitação urbana que foram concebidos e que se candidataram a estes apoios financeiros. Os municípios de Olhão, Loulé, Tavira e Vila Real de Santo António são os que têm os procedimentos em fase mais avançada. No âmbito deste programa foram destinados cerca de cinco milhões de euros para o Algarve. Na qualidade de presidente da AMAL, Macário Correia sublinhou que esta é uma verba repartida pelos projetos aprovados e que terá de ser gerida durante vários anos, pelo que se impõe uma aplicação eficaz. Por outro lado, gostaria que a iniciativa pudesse reforçar este orçamento no futuro e acolher projetos de outros concelhos da região, inclusivamente no Barlavento. Um cenário que o presidente da CCDR Algarve, João Faria, diz que só se justificará

caso as taxas de execução dos projetos aprovados para a região forem positivas. “O caminho é obviamente tentar pôr o instrumento em ação rapidamente para podermos pedir mais recursos”, comentou perante um auditório repleto de autarcas algarvios que quiseram perceber melhor os contornos desta iniciativa.

Projetos assentes na sustentabilidade, coerência e eficácia O encontro contou com intervenções do secretário técnico do Fundo JESSICA Portugal, Nuno Vitorino e de Pedro Couto em representação do Banco Europeu de Investimento. Uma das condições base para que as propostas sejam avaliadas é a garantia dos promotores dos projetos de que existe capacidade para executá-los na íntegra até 2015. Segundo Pedro Couto, depois de garantida a execução do

Nuno Vitorino (à esq), Pedro Couto, Macário Correia e João Faria foram alguns dos intervenientes desta sessão informativa

orçamento definido – cinco milhões de euros – novos reforços poderão surgir. As candidaturas da primeira fase estão abertas até ao próximo dia 7 de fevereiro. Acima de tudo, os responsáveis pela atribuição dos fundos querem garantias de que os projetos apoiados são sustentáveis e viáveis, sendo por isso pedido aos promotores que apresentem ainda estudos económicos. Um dos aspetos sublinhados por Nuno Vitorino é que a iniciativa JESSICA já faz parte de uma nova lógica europeia de apoio a projetos de desenvolvimento. Os apoios atribuídos não são a fundo perdido mas sim com subsídios re-embolsáveis.

Maia defende constituição de sociedades de reabilitação urbana Para Porfírio Maia, a constituição de sociedades de reabilitação urbana é um aspeto fundamental para que estes projetos tenham sucesso. “Elas conseguem suprir três debilidades da administração municipal que têm a ver com o tempo, a questão da escala e dos procedimentos”, comentou. Promotores dinâmicos que não estejam confrontados com ciclos eleitorais são vitais porque estes processos de regeneração urbana são processos contínuos de médio e longo prazo. Por outro lado, defende que os projetos devem ser elaborados de forma rigorosa que

apresenta bons argumentos aos proprietários e potenciais investidores. “É necessário demonstrar aos investidores que os riscos do seu investimento estão minimizados” e que estão feitos os cálculos dos retornos do investimento. Porfírio Maia adiantou ainda que, caso o projeto de regeneração urbana não seja continuamente harmonizado com as restantes intervenções realizadas na cidade em causa, o seu sucesso poderá ficar condicionado. O último alerta foi para a necessidade de conceber programas de reabilitação urbana tão completos e abrangentes que possam ter além da dimensão económica uma análise dos impactos sociais.

PO Algarve 21 aumentou taxas Reabilitação urbana de Vila Real Sto António em foco de execução e aprovação em 2010 Além da exposição que se encontra patente na CCDR sobre os projetos elaborados por autarquias algarvias a propósito desta iniciativa europeia, os participantes puderam ainda ouvir a experiência do edil de Vila Real de Santo António, Luís Gomes. Na sua opinião, os processos devem começar por uma análise pormenorizada do património existente e perceber as potencialidades que esse mesmo património tem enquanto mais-valia. O segundo passo passa por comprovar a urgência da reabilitação que é proposta numa iniciativa que deve ser defendida pelas autarquias e entidades promotoras envolvidas. Luís Gomes explicou como o processo tem sido desenvolvido e implementado no terreno admitindo que a adesão dos proprietários do património em causa é incontornável. Desde que o processo de reabilitação urbana no centro histórico de Vila Real de Santo António se iniciou, a autarquia já investiu en-

tre 10 a 15 milhões de euros na aquisição de património cuja comercialização calcula que tenha um retorno na ordem dos 60 milhões de euros “se o mercado deixar”. Entretanto, foi lançado o programa “Realce” e tem sido feito um esforço para criar espaços de habitação social no casco urbano para rejuvenescer e dar uma nova dinâmica. Luís Gomes quer lançar em breve um concurso público para a conversão de edifícios em unidades hoteleiras no centro histórico.

“Em Dezembro de 2010, as aprovações tinham duplicado o valor de Outubro de 2009 e a execução tinha triplicado o valor de Dezembro de 2009”, refere a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve a propósito do Programa Operacional (PO) Algarve 21.Os resultados do ano transacto foram divulgados na passada semana. Os responsáveis referem que em 2010 a região teve uma execução de aproximadamente 13 por cento relativamente à dotação programada para o PO Algarve 21 pelo período de 2007-2013. “Este volume de execução ronda os 53 milhões de euros ao qual corresponde uma comparti-

cipação de fundos comunitários (FEDER) de 22 milhões”, refere a CCDR Algarve. Até ao final de 2010 foram pagos mais de 19 milhões de euros aos executores das candidaturas aprovadas. De acordo com os dados divulgados, o PO Algarve 21 recebeu mais de 420 candidaturas até ao final do ano passado. Até essa data foram aprovados 221 projetos cujo valor total de investimento elegível é superior a 185 milhões de euros com um apoio financeiro na ordem dos 68 milhões de euros. “Em termos qualitativos, a distribuição do investimento aprovado concentra-se predominantemente no Eixo 1, nas tipologias de apoio direto às

empresas – Sistemas de Incentivos que representam 32 por cento do total das aprovações do programa”, refere a CCDR Algarve. “Nos Eixos 2 e 3, destacam-se as tipologias “Rede Escolar” com 16 por cento, “Parcerias para a Regeneração Urbana” com dez por cento e “Ações de Valorização do Litoral” com oito por cento. Portimão, Vila do Bispo e Faro foram os concelhos com maior volume de aprovações. Importa referir que durante o ano passado foram lançados 20 concursos, aprovados 125 projetos que totalizam um investimento elegível de 131 milhões de euros e uma comparticipação FEDER de 42,1 milhões de euros.


R

EGIONAL

[5]

20 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

OLHÃO VÊ INDÚSTRIA DO MAR GANHAR NOVO IMPULSO

FICÇÕES

Companhia de Pescarias inaugura fábrica e anuncia novos projetos

[13.] As vozes gravadas

"A mais antiga companhia de pescarias do país já completou 175 anos e continua a lutar contra a apatia e o marasmo que tomou conta das pescas nacionais", afirmou o presidente do conselho de administração da Companhia de Pescarias do Algarve, Miguel Socorro A Companhia de Pescarias do Algarve (CPA) inaugurou esta segunda-feira a sua nova unidade industrial, instalada em Olhão. Esta unidade vai dedicar-se ao processamento e congelamento de pescado e é responsável por cerca de 17 postos de trabalho diretos. A CPA espera processar cerca de 1800 toneladas de bivalves e 2850 toneladas de peixe por ano. Valores de produção que se deverão espelhar num volume de vendas na ordem dos 11 milhões de euros por ano, 70 por cento dos quais destinados à expor tação para países da União Europeia e extracomunitários. “Vamos contribuir para minimizar o défice nacional” e para o combate ao desemprego, sublinhou Miguel Socorro. Afirmações e intenções que agradaram ao ministro da Agricultura e das Pescas, António Serrano, que aproveitou a ocasião para garantir que ao contrário do que se diz: “O setor das pescas não está moribundo”. António Serrano frisa que apesar de a frota pesqueira nacional ter reduzido o número de embarcações, os profissionais do setor têm sabido adaptar-se, modernizar-se e essa

Concluída esta unidade fabril, a Companhia de Pescarias do Algarve já está a concluir novos projetos para apresentar às entidades oficiais

atitude tem-se traduzido num aumento de produção nacional. “As nossas exportações neste setor cresceram 46 por cento, estamos a reduzir o défice da balança comercial neste setor”, explicou, sublinhando a importância que a aquicultura está a ganhar a nível nacional e com particular destaque no Algarve. Em termos globais, as expectativas apontam para uma produção em aquicultura no Algarve – sobretudo na zona de Olhão – superior às 20 mil toneladas

PARKALGAR E GALP INVESTEM 750 MIL EUROS EM CENTRAL FOTOVOLTAICA

Mais de 500 painéis solares "criam" eletricidade no autódromo A Parkalgar, empresa proprietária do Autódromo Internacional do Algarve, e a Galp Energia, investiram cerca de 750 mil euros na central fotovoltaica instalada no complexo do circuito de Portimão. Composto por 504 painéis solares de 200W cada, esta aposta nas energias renováveis é “um projeto que faz parte de outras valências já em funcionamento” no autódromo, “como o aquecimento de águas sanitárias feitas através de painéis solares” ou “a rega de espaços ajardinados que reutiliza águas residuais”. “Uma das nossas preocupações é a sustentabilidade ambiental de todo o nosso projeto”, sublinha Paulo Pinheiro, administrador da Parkalgar. A central fotovoltaica já em funcionamento no complexo do circuito de Portimão, inaugurado em fevereiro de 2008, tem como objetivo a criação de energia elétrica. “O complexo fotovoltaico já está ligado à rede elétrica e a decorrer a sua exploração”, adianta a Parkalgar, referindo que a área da central situa-se na zona norte do complexo do autódromo, num total de 3000 metros quadrados. Os mais de 500 painéis solares juntam-se, assim, à pista principal, ao kartódromo internacional do Algarve, ao parque tecnológico, ao hotel e apartamentos (em construção) e à zona comercial. N.C.

por ano. A CPA está a desenvolver vários projetos que no conjunto representam um investimento de cerca de 10 milhões de euros, sendo metade deste valor comparticipado pelo programa PROMAR. A unidade foi construída de raiz em três meses e entre os produtos que vai processar estão os peixes e bivalves dos dois lotes da CPA de aquicultura em off shore da Área Aquicula da Armona. A inauguração foi também o momento escolhido para a assinatura dos contratos de exploração de mais dois lotes. Outro dos projetos da Companhia de Pescarias do Algarve é a criação de micro-algas para alimentar os bivalves que estão nos lotes que estão a ser explorados. “Temos o projeto de instalação de duas estruturas fixas em off shore para armações de atum”, adiantou Miguel Serrano à margem do evento. “Contamos apresentar às autoridades um projeto para uma estrutura de criação para criar ostras, mexilhões logo que o estudo de

viabilidade científica esteja completo”, acrescentou. A unidade está em fase de arranque aguardando que a produção dos lotes de aquicultura esteja em condições de ser capturada e transformada. Quando começar a época da pesca das sardinhas, do atum e da cavala, a unidade deverá estar a funcionar com toda a sua capacidade. O edil olhanense, Francisco Leal, aproveitou a ocasião para congratular os empresários pela coragem de investirem em tempos difíceis e numa área em que poucos ousam investir. “Em Olhão temos o raro privilégio de ter esta unidade pronta e outra aqui ao lado em construção”, referiu, frisando que é com satisfação que vê o concelho a fortalecer os seus laços com o mar e com a Ria Formosa. Para tal, considera importante que seja implementada uma estratégia concertada entre empresários, autarquia e o setor da investigação científica, nomeadamente o IPIMAR e a Universidade do Algarve. S.C.S.

José Carlos Barros

Chamo-me ana maria e recebo uma pensão dos riscos profissionais porque deixei de poder exercer a minha actividade na sequência de um problema de saúde grave relacionado com o manuseamento de substâncias tóxicas. O mundo mudou muito nos últimos anos. Muda sempre. E o meu país mudou com as mudanças do mundo. Não sei se o futuro nos permitirá manter apoios sociais que resultam de lutas antigas e conquistas que nos fazem melhores enquanto pessoas e enquanto sociedade. Porque vivemos tempos difíceis e porque o mais certo é que dificuldades futuras se acrescentem às atuais dificuldades. Por isso não sei até quando poderemos garantir este tipo de dádivas que coletivamente assumimos como desígnios. Porque os tempos mudaram e talvez tenhamos que repensar tudo. Mesmo o que conquistámos e não deveríamos perder. Seja como for: há territórios onde recuar significa diminuirmo-nos em dignidade e humanidade. Porque há universos além da economia. E a minha ferida não é tanto a de sentir o peso das dificuldades financeiras e a de pressentir o seu inevitável acréscimo. Não é tanto a perspetiva de que o futuro possa impedir a continuação dos apoios que me são atualmente prestados. A minha ferida é a de sentir que o relacionamenA investigação detetou vestígios de café, analgésicos, antito pessoal é substituído por máquinas e pela abstração dishistamínicos, anti-inflamatórios, anti-colesterol tanciada da ausência de rostos. Sobretudo nestes domínios em que a fragilidade e a desproteção se constituem como elementos de partida. Deu-se o caso de ter recebido uma carta da segurança social a pedir que comunicasse a eventual alteração do meu número de identificação bancária. Compreende-se que tenha ficado de pé atrás quando pela primeira vez em quinze anos a pensão não me chegou na data costumeira. Uns dias correram e decidi ligar para PUB.os riscos profissionais. Explicaram-me que agora a coisa era com a segurança social. Liguei então para os serviços regionais da segurança social a tirar inculcas. Explicaram-me que os esclarecimentos não eram com eles mas com uma linha telefónica prioritária que começava por 808. Liguei umas dez vezes e respondia-me sempre uma voz gravada repetindo que de momento não era possível atender etc. e que para um atendimento mais rápido tentasse das 8 às 10 e das 17 às 20 horas. No dia seguinte liguei várias vezes das 8 às 10 e das 17 às 20. Sempre sem sucesso. E então contatei de novo os serviços regionais da segurança social a explicar que só havia gravações. Responderam-me a lamentar mas que o atendimento só era possível através da linha prioritária. Liguei de novo. Sem sucesso. Até que a linha prioritária me devolveu enfim uma voz em direto em vez da gravação. Expliquei o caso. Pediram-me que soletrasse os meus dados. E depois a voz disse-me «é só um momento» e ouvi cinco minutos de música de elevador. E então a voz regressou a informar que não tinham informação de processo mas que iam esclarecer o assunto e depois me ligavam. Não telefonaram ainda. Estou a contar esta história no dia em que resolvi de novo tentar a linha prioritária e em que ouvi de novo uma voz gravada a dizer que de momento etc. A questão não é a do atraso no pagamento. A questão é a de sentir uma ferida que vem de não poder discutir esta baralhada com ninguém que tenha um rosto e atenderem-me sucessivas vozes gravadas como se eu fosse um objecto autómato.

NERA nos órgãos sociais da Confederação Empresarial Os novos órgãos sociais da recém-criada Confederação Empresarial de Portugal (CIP) tomaram posse na passada quinta-feira. A Associação Empresarial da Região do Algarve (NERA) integra os órgãos sociais desta organização que é apontada como a maior e mais representativa do meio empresarial nacional.

Agora que as questões formais estão ultrapassadas, o NERA passa a estar representado nesta estrutura tanto no Conselho Geral como na Direção através de Vítor Neto. A Direção e Conselho Geral da CIP passam a ser liderados por António Saraiva enquanto o Conselho Fiscal é dirigido por Jorge Rocha de Matos e a Assembleia Geral por José António Barros.


P

OLÍTICA

[6]

20 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

CAMPANHA NO ALGARVE MARCADA PELAS CRÍTICAS AO "PRESIDENTE CANDIDATO"

Alegre lança ataque cerrado na terra de Cavaco A campanha do candidato presidencial apoiado pelo PS e BE passou por Portimão, Loulé, São Brás de Alportel e Faro. Nesta jornada por terras algarvias, Manuel Alegre criticou duramente Cavaco Silva, mas também as medidas de austeridade do Governo

PRESIDENCIAIS 2011

Francisco Lopes pede voto de confiança e de coragem Francisco Lopes esteve no Algarve e assegurou que esta é uma candidatura de confiança e de coragem. Após um dia intenso de contacto com pessoas de vários concelhos, disse que "a realidade do Algarve é também o espelho do país" e o resultado de mais de trinta anos de políticas de direita. O candidato garante que dará voz aos que hoje são muitas vezes silenciados ou ignorados porque se for eleito será, afinal de contas, o presidente de todos os portugueses O candidato à Presidência da República apoiado pelo PCP e pelo PEV, Francisco Lopes, passou pelo Algarve na passada semana. Depois de uma visita a Olhão e à Baixa de Faro, o candidato terminou a noite em Boliqueime onde apresentou as linhas gerais da sua candidatura e sérias críticas às candidaturas concorrentes. “Não desaproveitem o vosso voto em candidaturas que vão dar ao mesmo, mas também não deixem o voto em casa”, afirmou Francisco Lopes que assegurou que em caso de eleição irá pugnar pela defesa da constituição e dos direitos que nela estão inscritos e na defesa da prosperidade nacional. Nesse sentido, garante que tem sido fundamental o conhecimento colhido ao longo de todo o país durante a campanha. Um conhecimento que tem vindo a tornar evidente a situação nacional e os resultados das políticas que têm sido implementadas nas últimas décadas. “Tantos decisores e responsáveis políticos que precisavam de fazer isto” e “serem confrontados com as consequências das suas decisões, da sua política e do seu rumo de afundamento do país e de agravamento das injustiças sociais”, comentou. O estado do setor industrial e produtivo do Algarve é para Francisco Lopes um dos exemplos claros de como é preciso implementar uma nova con-

ceção de desenvolvimento que saiba fazer florescer as economias regionais. Querendo deixar uma mensagem para todos os setores, o candidato recordou as preocupações que muitos comerciantes lhe têm transmitido. Na opinião de Francisco Lopes, o comércio tradicional está numa encruzilhada complexa onde por um lado vê diminuir drasticamente o poder de compra dos consumidores ao mesmo tempo que vê aumentarem as suas responsabilidades, custos de produção e impostos e aumentar a concorrência das grandes superfícies. Depois de se dirigir aos empresários, o candidato disse ter plena noção de é preciso defender e conhecer as realidades vividas nos locais de trabalho. “Uma das coisas mais silenciosas e mais graves é que o que se passa hoje nas empresas e nos locais de trabalho relativamente à democracia e à liberdade. A forma como muitos trabalhadores são tratados, com todo o tipo de pressões, chantagens, ameaças e mesmo repressão”, afirmou. Para quem possa argumentar que estes temas não são indicados nas presidenciais, Francisco Lopes explica: “o Presidente da República é o garante ou um dos garantes da Constituição (...). Um dos valores essenciais da Constituição é a liberdade e a democracia em todo o país. Também dentro das em-

presas e dos locais de trabalho, perante exemplos desses que grassam por todo o país não podem ser silenciados. Não pode ser uma realidade oculta que se tolera e em alguns casos fomenta”, concluiu. Por outro lado, este contacto diário com os portugueses de diferentes pontos do país tem feito Francisco Lopes ganhar confiança de que esta é uma candidatura cuja mensagem tem eco e que acolhe cada vez mais apoios além dos esperados. Acima de tudo, diz acreditar que existe um novo rumo que Portugal pode seguir e que só pode ser concretizado se esta candidatura tiver uma votação expressiva. Um rumo que não se compadece com as políticas austeras agora vigentes. Francisco Lopes diz não perceber como é que se pode esperar que estas medidas de austeridade possam ser aceites como benéficas. Na sua opinião, estas são medidas que vão atrasar o país e torná-lo cada vez mais dependente. O mandatário da campanha no Algarve, Paulo Sá, também discursou frisando que o estado atual do país não pode ser encarado como a resignação de uma inevitabilidade. Existem opções alternativas e que estas presidenciais não se cingem à disputa entre dois atores da direita que tentam esmiuçar diferenças. S.C.S.

grandes euforias nem entusiasmo, mobilizando apenas algumas dezenas de pessoas. Pelo caminho, Manuel Alegre prestou homenagem a António Aleixo, depositando um ramo de cravos vermelhos numa estátua do poeta, e declamando um poema do autor. A jornada do candidato presidencial passou ainda por São Brás de Alportel, onde Alegre visitou a associação de apoio ao desenvolvimento sustentável In Loco. Aqui, Manuel Alegre defendeu a preservação dos produtos (locais e regionais) portugueses e a sua identidade, em contraposição com “tudo aquilo que vem de Bruxelas”.

"Está em causa uma mudança de democracia" Para a noite ficou reservado o comício, que decorreu no auditório do Conservatório Regional de Faro (Maria Campina). Este foi o momento escolhido por Manuel Alegre para atacar mais direta e duramente o seu principal adversário às eleições presidenciais, Cavaco Silva. Depois dos discursos do mandatário distrital Luís Filipe Madeira e dos deputados Miguel Freitas (PS) e Cecília Ho-

nório (BE), o candidato Manuel Alegre disse que estava em causa nestas eleições “uma mudança de democracia e regime”. Segundo Alegre, os portugueses terão de escolher entre um presidente que defende “os que mais têm” e outro que protege “os que mais sofrem”. “Temos de decidir se queremos um presidente que esteja per to daqueles que mais sofrem, ou um presidente que esteja mais perto dos que mais têm e dos que menos sofrem”, referiu. “O Presidente da República não pode comportar-se como um aluno bem comportado, de forma acrítica, porque não quero Portugal de joelhos, eu quero Portugal de pé, quero Portugal na Europa mas com uma voz crítica, defendendo a igualdade entre todos os estados soberanos”, afirmou Alegre, concluindo que Portugal precisa de um presidente que não confunda o país com um “manual de finanças”. “A economia é importante, mas um país não é só economia, porque o país não é uma sebenta de finanças. O país é Os Lusíadas, é a Mensagem de Fernando Pessoa, é Teixeira Gomes, são os seus grandes poetas e as suas grandes figuras”, rematou.

Nuno Viana

Francisco Lopes despediu-se do Algarve em Boliqueime perante mais de quinhentos apoiantes

O candidato presidencial Manuel Alegre esteve na semana passada no Algarve, numa jornada que teve passagem por vários concelhos, incluindo Loulé, a terra natal de Cavaco Silva. A campanha arrancou em Portimão, onde Alegre almoçou com alguns apoiantes e visitou o museu. Na ocasião, o candidato apoiado pelo Partido Socialista e Bloco de Esquerda foi confrontado pelos jornalistas com os dados que apontam para uma retração da economia portuguesa em 2011 de 1,3 por cento. Sem querer fazer grandes comentários sobre o assunto, Manuel Alegre sempre adiantou que não concordava com as medidas de austeridade do Governo, afirmando que “não são aquelas que permitem sair das consequências da crise mundial”. Mais tarde, o candidato deslocou-se a Faro, onde visitou a Universidade do Algarve e se reuniu brevemente com o reitor do campus de Gambelas. Seguiram-se, então, os contactos com a população. E o local escolhido foi precisamente o concelho de Loulé, terra natal de Cavaco Silva, que foi palco de uma arruada sem

Manuel Alegre disse que estava em causa nestas eleições “uma mudança de democracia e regime”


P

OLÍTICA

20 I janeiro I 2011

[7]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

PRESIDENCIAIS 2011

Fernando Nobre quer ir à segunda volta O mandatário da campanha de Fernando Nobre no Algarve, António Pina diz que apoia este candidato porque "não é mais um candidato. É o candidato". Por sua vez, Fernando Nobre dirigiu-se aos algarvios garantindo estar desperto para a realidade nacional e as realidades regionais garantindo estar apto e com garra para ajudar a abrir um novo caminho. "Peço-vos coragem como os vossos egrégios avós, que tenham coragem de se erguer e de me seguir" Em digressão nacional a propósito da sua candidatura a Presidente da República, o candidato Fernando Nobre passou pelo Algarve, no final da passada semana, onde deixou palavras de alento e se mostrou confiante que disputará uma segunda volta contra Cavaco Silva. Um resultado que admite que poderá suscitar reticências entre muitos, mas que considera provável perante o apoio crescente que tem sentido junto dos eleitores. Depois de um dia em que aproveitou para conhecer a realidade regional testemunhada pelos que cá vivem e trabalham, Fernando Nobre dirigiu-se aos seus apoiantes:”Esta é a candidatura do vosso futuro. Ergam-se e avancem sem medo. Assim se definem os portugueses”. Uma candidatura sem apoios dos partidos políticos nacionais mas que conta com o apoio de militantes dos vá-rios quadrantes. Uma candidatura que Fernando Nobre faz questão de sublinhar que tem na sua génese uma nova filosofia política. Aquela filosofia que esteve na base da ação das grandes personalidades internacionais como por exemplo Martin Luther King. “Mas que nova filosofia política é essa que muitos não entendem? É a grande política. Aquela que sempre marcou a humanidade desde os seus primórdios. A política da sensibilidade, do humanismo, da tolerância, do amor!”, explicou o candidato. “Abrirei Belém a vocês!”, afirmou garantindo que dispõe do conhecimento, sensibilidade e sensatez necessárias para levantar Portugal do caos em que se encontra. “É preciso ousadia”, perspetivas, conhecimento global e uma sensibilidade, afirmou com garra ao mesmo tempo que os apoiantes gritavam os

lemas da campanha: “Dia 23, Portugal muda de vez!” e “Com Nobre presidente, Portugal será diferente!”. “Encarno o Portugal do futuro”, disse apresentando várias situações que o indignam e que considera que não podem ser ignoradas pelo mais alto representante dos portugueses. Quanto às candidaturas concorrentes, considera ser já uma vitória o facto de começar a ver os restantes candidatos a debruçarem-se sobre as mesmas temáticas. “Perante um vazio geral, todos começam a falar como nós. Mas tiveram 30 anos”, comentou. António Pina é o mandatário da campanha no distrito de Faro. Nas palavras que antecederam a intervenção do candidato aproveitou para explicar porque apesar de militante partidário, decidiu apoiar tão veementemente Fernando Nobre. Na sua opinião, é preciso mais qualquer coisa, Portugal precisa de um presidente que mostre que sabe estar onde é preciso e que acima de tudo não tenha máscaras para diferentes ocasiões. António Pina defende esta candidatura porque diz-se convicto de que é a candidatura que interessa ao país, a candidatura que luta pela transparência e contra o taticismo. “A candidatura que traz uma lufada de ar fresco”, afirmou, mostrando uma borracha que garante que o vai acompanhar durante o período eleitoral para que os militantes dos partidos políticos possam apagar da memória as questões mais incomodativas dos candidatos que apoiam para que possam votar neles. S.C.S.

PUB.

Fernando Nobre quer elevar a política nacional e ajudá-la a trabalhar em prol dos portugueses


O

20 I janeiro I 2011

PINIÃO

[8]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

CRÓNICA DE UM OUTRO ALGARVE

Dois republicanos do povo de Faro

> João Reis Honrado

Na memória e lembrança dos nossos verdes anos, quando o calção era fronteira do joelho e a vida acontecia entre os lugares onde residiam nossos avós maternos (a Ribeira, o meu berço natal) e paternos (o Largo da Mota e anexos) ocorrem-nos, a propósito das comemorações do I Centenário da República, incentivo à Democracia e à Cidadania, duas figuras já estão venerandas e de há muito falecidas. Tem-se falado, escrito e dissertado sobre a implantação do regime republicano, numa vasta panóplia de opiniões que espelham a vivência democrática e surgido muitas e diversas publicações, com acentuada prevalência das que ao Algarve dizem respeito e a cujos autores prestamos o testemunho do nosso apreço e gratidão pela pedagogia acontecida. Mas há, como em todos os movimentos e momentos pátrios, os ignorados ou esquecidos, os que deram de si apenas na concretização dos seus ideais e que por eles, não raro, sofreram sevícias, agru-

ras e vilipêndios. De entre os republicanos farenses ou aqui radicados que conhecemos e muitos foram queremos destacar duas curiosas figuras desses nossos tempos de meninice que nos marcaram profundamente. Pouco sabemos das suas biografias e vidas, sabemos sim que os conhecíamos e foram gente que se emergiu da Faro pacata dos anos 40 do século passado. O sr. "Cachené" (teria este nome porque usava um desses lenços ao pescoço, a que chamam cachené?) era o correspondente da "República" (o que desde logo faz prever das perseguições que lhe eram movidas) e residia na Rua Lethes, prédio com um quintalão para o Largo da Mota (logradouro das nossas brincadeiras, fronteiriçado para a Rua Batista Lopes pelas "vendas" do srs. José da Capela e do João de Santa Bárbara de Nexe). Era na parede do referido quintalão que o "sr. Cachené" tinha um placard incrustado onde expunha, diariamente, um exemplar da "República" para que "o povo

pudesse ler, quando o deixavam, as notícias verdadeiras". Aconteceu que a quando das eleições presidenciais de 13 de Fevereiro de 1949, que opunham o candidato do regime General Óscar Carmona e pela Oposição o General Norton de Matos, os apaniguados nacionalistas colocaram um grande cartaz de propaganda do primeiro que cobria, por completo, o placard do matutino lisboeta. Numa atitude corajosa e decidida o "sr. Cachené" foi buscar um volumoso ramo de figueira do inferno, de árvore existente no seu quintalão, colocando-se sobre o referido cartaz, de modo próprio junto à cabeça do candidato da União nacional, numa alegoria à descrição evangélica do suicídio de Judas Iscariotes. De pronto interpelado pela Polícia Política, que verberou de forma violenta o seu gesto, o "sr. Cachené" respondeu: - Não os entendo. Então coloco plantes no vosso candidato e levam-me preso? O sr. Pinto era carpinteiro com oficina na Avenida da República, onde hoje se situa o "Ministério da Cerveja", pare-

castelo de S. Jorge, a Tower Bridge, as ruas da Mouraria ou Picadilly Circus, a Torre de Belém e a London Tower, o mercado da Ribeira ou o Covent Garden, a Gulbenkian ou o Science Museum… para elencar apenas algumas das pequenas relíquias que estas cidades albergam. A correria nas ruas, as pessoas a ver montras e a fazer compras, o frenesim daqueles que com passo apressado connosco se cruzam ou mesmo o cheiro a castanha assada tão típico nesta altura do ano, tudo isto nos faz querer viver nestas cidades. Ver pessoas/rostos diferentes todos os dias, poder visitar sítios diferentes, poder assistir a concertos, teatro, exposições… são todas vantagens que à partida nos podem atrair a estas metrópoles. Há no entanto uma realidade “obscura” que valorizamos quando viajamos para o Algarve que um dia tive a ousadia de chamar de “nosso”: a paz e tranquilidade que a sul se vive. Perder horas em filas de

trânsito, não combinar com amigos saídas pelo facto de estarem a muitos minutos de distância, limitar as actividades extra-profissionais por “falta” de tempo! A vida nas grandes metrópoles têm destas limitações que só aprendemos a dar valor quando delas nos conseguimos libertar. Acabei de passar dois meses na metrópole, e com cada vez mais certeza afirmo que todos nós, que vivemos no Algarve, levamos uma vida santa, sem buzinadelas assim que um semáforo passa de vermelho para verde (mesmo que já se esteja a arrancar, há sempre alguém que julga que o não fizemos com a celeridade necessária), com a tranquilidade de uma ida ao supermercado sem filas na caixa para pagar (filas a sério) ou com a facilidade de poder ir à praia beber um café com um amigo (em qualquer altura do dia ou do ano). Viva o Algarve!

Sobre a notícia publicada no vosso jornal, em 30/12/2010, com o título "PSD acusa PS de defender interesses privados em detrimento de interesses públicos", cabe-nos fazer as seguintes precisões. 1 - O PS nunca defendeu interesses privados e indigna-se com a calúnia lançada pelo PSD. O terreno em causa foi avaliado em 10.450.000¤ por uma empresa contratada pela Câmara Municipal e o executivo liderado pelo PSD levou à Assembleia Municipal uma proposta de venda, pelo valor de 8.500.000¤. Por defender os interesses do concelho e dos vila-realenses é que o PS questiona a decisão tomada pelo executivo municipal. 2 - O voto contra do PS na sessão de Câmara e posteriormente na Assembleia Municipal, contrariamente ao que diz o PSD, baseou-se no facto acima mencionado, ou seja, a venda por um preço abaixo do avaliado de um terreno da propriedade municipal. Para além de que é entendimento do PS que o terreno deveria ser destinado à hotelaria com vista à criação de novos postos de trabalho para os vilarealenses, e não como a proposta apresentada pelo PSD que aprovou a construção de 11 pisos para 2.ª habitação. 1 - É importante referir que o terreno em causa levantou dúvidas sobre a sua propriedade, uma vez que vários documentos foram apresentados aos membros da Assembleia Municipal, os quais, não são totalmente esclarecedores sobre quem detém a propriedade daquele terreno sujeito a proposta de venda. 2 - Quando o PSD afirma que o PS não entende, ou não quer entender as explicações entretanto dadas aos membros da Assembleia Municipal, baseadas em duas plantas apresentadas à pressa e que não permitiam um esclarecimento fundamentado e clarificador, dada a complexidade do processo, decidiu a bancada do PS apresentar uma proposta de adiamento do assunto para a Assembleia de 29/12/2010, a fim de garantir a total transparência do processo em discussão, para assim poder deliberar em consciência e com base numa explicação concisa e segura. O PSD votou contra o adiamento revelando não ter interesse no esclarecimento integral desta matéria. Saliente-se que com a venda deste terreno, somado aos anteriormente vendidos, a Câmara do PSD tem um encaixe de 24.500.000¤, ou seja, quase cinco Milhões de contos. 3 - O PS defende e defenderá sempre a legalidade e a transparência, e não admite nem recebe lições de idoneidade de qualquer outra formação partidária. Estamos certos que o futuro nos dará a razão.

*Licenciado em Economia marco_vialgarve@hotmail.com

P’o Secretariado do Partido Socialista Luís Manuel da Rosa Fernandes

Voltar ao Algarve

> Marco Rodrigues*

Ainda que por breves instantes, voltei a uma realidade que há muito tinha esquecido. De tempos em tempos, importa beber um pouco de experiências anteriores e sentir velhas sensações. Durante dois meses fui habitante da maior cidade Portuguesa: Lisboa. A capital, com todos os seus encantos, e que qualquer turista poderá atestar (provavelmente) melhor que muitos Portugueses e até mesmo Lisboetas, é uma cidade de movimento. Durante dois meses provei um pouco daquilo que foi a experiência de viver em Londres, uma das maiores cidades europeias. Movimento é a palavra de ordem em cidades que nunca dormem. O ritmo é alucinante! Acordar para trabalhar (literalmente) e nos intervalos, com um pouco de sorte, um passeio, um cinema, ou uma ida ao shoping para fugir à rotina. Em cidades como estas, tudo se pode fazer mas pouco tempo sobra para fazê-lo: o

des meias com esses amigos de sempre, os "manos" "Chico Zambujal" (ai que saudades, Chico!) e o conhecido escritor e que foi colaborador do "Times", o Mário Zambujal. Era pai, para além de outros filhos, do ten. general António da Costa Pinto, o último governador de Damão (Índia). Acontecia que ao despertar do dia 5 de Outubro, juntava a moçanhada ali da Ribeira frente à sua oficina, a quem ofere-

cia alguns rebuçados, içava a Bandeira ao som da "Portuguesa" e momentos volvidos lá estavam agentes da PIDE a arrear o "símbolo da Pátria", a fazer os moços batermos em debandada e a levar consigo o sr. Pinto. Histórias de dois verdadeiros Republicanos esquecidos nas histórias do I Centenário e que, com justiça, aqui se recorda.

DIREITO DE RESPOSTA

"PSD acusa PS de defender interesses privados em detrimento de interesses públicos


L

OCAL

20 I janeiro I 2011

[9]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

AINDA O CASO DAS CIRURGIAS OFTALMOLÓGICAS EM CUBA

Luís Gomes acusa PS de tornar público documento confidencial do Tribunal de Contas Relatório em que o Tribunal de Contas (TC) considerava ilegais as operações financiadas pela câmara de VRSA em Cuba era "um documento preliminar" e "suscetível de contraditório por parte da autarquia". Devido a esta situação, o TC indicou que o relatório era, nesta fase, "confidencial", mas a informação acabou por chegar aos jornais, antes de serem tidos em conta os esclarecimentos da autarquia

gem de ida e volta) com cada paciente e não 2.900 euros como diz o relatório do TC. Segundo o edil, os 2.000 euros incluem ainda diagnósticos gerais a todos os pacientes e, nalguns casos, não só tratamentos de oftalmologia, mas também no âmbito de outras especialidades. “Consultámos várias clínicas oftalmológicas portuguesas e os valores que nos foram apresentados oscilavam entre os 2.400 e os 3.500 euros, só para a intervenção cirúrgica oftalmológica”, revelou o autarca, acrescentando que “se atendermos que as consultas de pré e pós-opera-

Jovita Ladeira refuta acusações Confrontada com as declarações de Luís Gomes, Jovita Ladeira, líder da Concelhia de Vila Real de Santo António do PS, já refutou as acusações do presidente da autarquia, classificando-as de “afirmações graves e lamentáveis”. “Em meu nome e em nome da concelhia do PS, rejeito e lamento profundamente que o presidente da câmara municipal tenha feito esse tipo de afirmações. E ele vai ter que responder por aquilo que afirmou”, garantiu Jovita Ladeira, a única vereadora da oposição na Câmara Municipal de VRSA. A líder dos socialistas de VRSA recordou que o relatório do Tribunal de Contas não foi só enviado para o PS, mas também para o PSD e para a CDU, bem como para os elementos daqueles partidos que estavam na câmara e na assembleia municipal antes das

últimas eleições. “Há muito tempo que esse relatório está na mão das pessoas e todos tiveram possibilidade de fazer o seu contraditório. Por isso, o presidente da câmara que não venha meter o PS neste barulho”, referiu. Questionada se os membros do PS que fazem parte daqueles órgão autárquicos sabiam que o executivo da câmara municipal já tinha prestado os respetivos esclarecimentos ao Tribunal de Contas, Jovita Ladeira foi perentória: “Não têm conhecimento, nem têm que ter”. A líder dos socialistas vila-realenses garantiu ainda que o PS “prima por cumprir a lei” e defendeu que, se o relatório era confidencial, “tem que se cumprir essa confidencialidade, porque ninguém pode estar acima da justiça”. D.V.

tório teriam de ser pagas à parte, bem como alimentação, viagens e alojamento, o valor total que se pagaria na altura rondaria os 3.200 euros por paciente”.

Entre duas entidades públicas “não há necessidade de concurso” Luís Gomes lembrou ainda que os serviços médicos foram prestados ao abrigo de um acordo estabelecido entre PUB

Hairdresser Cabeleireiro Coiffeur Frisseur Especialistas em COR hora espanhola Seg a Sex 10h00 a 19h00 Sábado 10h00 a 14h00

Tinta + Corte + Penteado 38¤ Corte + Penteado 19¤ Falamos português We speak english Rua Cristobal Colon 5. Ayamonte Telf.: 0034 959 471 623 Quieres trabajar con nosotros? Envianos tu curriculum.

%

15

S

por doente, incluindo viagem e alojamento”. Luís Gomes diz que os valores do Tribunal de Contas “não correspondem à verdade”, já que “não foram gastos 640 mil euros, mas sim 468 mil euros”. “O Tribunal de Contas foi à rubrica de 'viagens' das contas da Câmara e meteu tudo no mesmo saco, inclusivamente as despesas que não tinham nada a ver com os pacientes”, esclareceu o autarca. Com documentação em mão, Luís Gomes garantiu ainda que foram gastos 2.000 euros (1.300 nos tratamentos e mais 700 na via-

RE

De acordo com a informação veiculada pelo Público, a auditoria efetuada às contas da câmara detetou que foram gastos cerca de 640 mil euros (mais do que se gastaria em Portugal) com o tratamento dos doentes enviados para Cuba entre 2007 e 2009 e que a contratação dos serviços médicos e de transporte não foi objeto de concurso público ou concurso limitado por prévia qualificação. Ainda segundo o mesmo diário, “uma operação em clínicas nacionais custava cerca de 1.900 euros”, mas a câmara de Vila Real de Santo António “pagou uma média de 2.900 euros

O autarca apresentou-se na conferência de imprensa com diversa documentação para refutar os resultados do relatório preliminar do Tribunal de Contas

T EN DE ER TAR E SC Á STE AN O N ÚN TO CI O

Valores apresentados pelo TC “não correspondem à verdade”

AP

O presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Luís Gomes, negou qualquer ilegalidade nas operações às cataratas que a autarquia vila-realense financiou aos seus munícipes em Cuba e acusou o PS de ter passado para a comunicação social informação de um relatório que o Tribunal de Contas (TC) tinha classificado como sendo confidencial. A polémica estalou na última semana quando o diário Público e, posteriormente, o Correio da Manhã, ambos baseados no referido relatório, noticiaram que o TC tinha considerado “ilegais” as despesas com as operações às cataratas levadas a cabo pela autarquia vila-realense naquele país das Caraíbas. “Houve quebra de sigilo por parte do PS”, afirmou Luís Gomes, recordando que o documento foi entregue a aos vereadores e aos membros da Assembleia Municipal, com a indicação por parte do TC de “reserva de confidencialidade”, já que era ainda um relatório preliminar e suscetível de contraditório por parte da autarquia. “Os relatórios preliminares servem para que as entidades possam pronunciar-se, por isso é que o Tribunal de Contas pediu sigilo. E o documento em causa já foi sujeito a contraditório por parte da Câmara Municipal”, explicou Luís Gomes. O presidente da câmara acredita que, depois dos esclarecimentos prestados, o Tribunal de Contas “dará o assunto por encerrado”. O autarca considerou ainda que na política “é preciso haver valores de ética e de moral” e que “em Vila Real de Santo António, o PS não os tem”. “Não passamos cartão

ao PS de Vila Real de Santo António, porque não tem qualidades éticas nem humanas e só quer o poder à força”, acrescentou o autarca.

SE

> DOMINGOS VIEGAS

duas entidades públicas (a câmara de VRSA e os serviços médicos cubanos) e que, por isso, “não existe necessidade de proceder a um concurso público”. Neste sentido, o autarca vila-realense recordou que “também o Governo de Portugal estabeleceu um acordo nos mesmos termos, e seguindo precisamente a mesma minuta, para a contratação de médicos cubanos”. Quanto às despesas com as viagens, Luís Gomes diz que estas “encontram-se de acordo com os procedimentos de contratação pública, pois a empresa Viagens Abreu, a quem a autarquia adquiriu as viagens, está registada na Plataforma de Compras do Estado, podendo dessa forma ser contratados serviços a esta empresa na forma de adjudicação direta, sem necessidade de recorrer a concurso público”. Visivelmente revoltado com o que considerou “um linchamento público por fazer bem às pessoas”, Luís Gomes deixou ainda um recado à navegação: “Os lobbies podem pressionar-nos, podem pôr em causa os nosso valores éticos, mas ninguém nos vai impedir de prosseguirmos as nossa políticas sociais e de ajuda a quem mais precisa”.


L

OCAL

[10]

20 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Vila do Bispo celebra Dia do Município O espetáculo “Peso Certo”, do humorista Fernando Mendes, é um dos grandes destaques da programação. Mas o Dia do Município reserva muitas mais surpresas... Vila do Bispo vai comemorar, no próximo sábado, dia 22 de janeiro, o Dia do Município e do seu padroeiro São Vicente. Esta data especial para o concelho está a ser assinalada com um conjunto diversificado de eventos organizados pela câmara municipal, que arrancaram no dia 14 e prolongam-se até ao próximo dia 23. Para esta sexta-feira, dia 21, às 19h00, está marcada a inauguração da mostra de artistas do concelho de Vila do Bispo, que estará patente até 20 de fevereiro, no Centro Cultural de Vila do Bispo. No mesmo dia, às 21h30, vai realizar-se um espetáculo de fado com Raquel Peters e Francisco Sobral, no salão de festas Nossa Senhora da Graça, em Sagres. No sábado, dia 22, o dia começa com o hastear da bandeira, às 9h00, nos paços do concelho. Uma hora depois, será a vez da sessão solene da assembleia municipal, a decorrer no salão nobre da câmara municipal. Para as 10h30 está marcada a concentração do Raid BTT, com partida do Largo do Município em Vila do Bispo. “São Vicente - o homem e o mito” é o título da palestra que vai ter lugar logo a seguir, às 11h00, na câmara municipal. Ao início da tarde, às 14h30, decorre a procissão de São Vicente, com a celebração da eucaristia na igreja matriz de Vila do Bispo. Às 17h00, está marcada

a entrega da documentação aos proprietários das habitações do Bairro da Liberdade, uma cerimónia que vai ter lugar no salão de festas Nossa Senhora da Graça, em Sagres. Para a noite, mais precisamente às 21h30, acontece um dos momentos altos da programação do Dia do Município, com o espetáculo “Peso Certo”, de Fernando Mendes, no salão de festas de Barão de S. Miguel. Depois de um dia em cheio, a organização começa o domingo, dia 23, com uma marcha passeio logo pelas 9h30. A concentração é no campo de futebol municipal 1º de Maio, onde às 15h00 também se realiza um jogo de futebol, entre as equipas da câmara municipal de Vila do Bispo e dos Veteranos do Clube Recreativo Infante de Sagres.

EDITAL HASTA PÚBLICA PARA ARRENDAMENTO DO CENTRO DE ACTIVIDADES DE TEMPOS LIVRES (ATL) DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO Luís Filipe Soromenho Gomes, Presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, para os devidos efeitos, torna público que no vigésimo primeiro dia útil a seguir à publicação do presente Edital, às 9h:30m, terá lugar no Salão Nobre Marquês de Pombal, sito no edifício da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António – Praça Marquês de Pombal, Vila Real de Santo António – a Hasta Pública supra identificada. A Hasta Pública tem por objecto a atribuição por arrendamento do Centro de Actividades de Tempos Livres (ATL) de Vila Real de Santo António, tendo a mesma, sido aprovada em reunião ordinária desta Câmara Municipal, no dia 18 de Janeiro de 2011. Identificação do Imóvel: Área: 4.142 m² - área edificada de 1.026 m² e área livre de 3.116 m² Composição: edifício de rés-do-chão Actividade: ocupação de tempos livres Base de Licitação: 500.00¤ Condição Especial: o espaço é cedido na situação em que se encontra, livre e desocupado O processo da Hasta Pública, constituído pelo Edital e pelas Condições Gerais e Especiais que serão publicados no site da Câmara Municipal (www.cm-vrsa.pt), encontra-se também patente para consulta todos os dias úteis das 09:30 às 15:00 horas na Câmara Municipal de Vila Real de Santo António. As propostas deverão ser entregues na Divisão de Educação e Juventude no edifício sede desta Câmara Municipal até às 16:00 horas do vigésimo dia útil a contar da publicação do presente Edital. Os esclarecimentos sobre as peças patenteadas deverão ser requeridos, por escrito, à Divisão de Educação e Juventude – Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Praça Marquês de Pombal, Vila Real de Santo António. Publique-se no site da internet, no local habitual de afixação de Editais desta Câmara Municipal e no Jornal do Algarve. Vila Real de Santo António, 18 de Janeiro de 2011 O Presidente da Câmara Municipal Luís Filipe Soromenho Gomes (Jornal do Algarve, 20/01/2011)


L

OCAL

20 I janeiro I 2011

[11]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Crise leva Alcoutim a fazer cortes orçamentais Clubes e associações vão ver os apoios reduzidos em 35 por cento. Redução também atinge a própria autarquia, ao nível das ajudas de custo, encargos com horas extraordinárias, entre outras despesas Devido à redução de receitas do Estado, com cerca de 700.000 euros a menos no orçamento de 2011, a Câmara Municipal de Alcoutim vai rever a atribuição dos apoios financeiros que proporcionavam ou ajudavam à estabilidade de muitas associações do concelho. Na reunião de câmara realizada na última semana, o presidente da câmara municipal, Francisco Amaral, sublinhou a necessidade de “apertar o cinto”, devido aos referidos cortes orçamentais do Estado. “Vamos ter de cortar

subsídios que normalmente dávamos. Apontamos para cortes na ordem dos 35por cento”, garantiu o presidente, acrescentando que serão, principalmente, restrições nos apoios a eventos culturais e desportivos. A autarquia também vai cortar na atribuição de apoios financeiros relacionados com a aquisição de bens. Até 2010, a Câmara Municipal de Alcoutim apoiava a compra de bens em 50 por cento do valor total, passando agora a comparticipar apenas 40 por cento do custo final.

Dentro da autarquia também se prevê uma redução

das despesas, com cortes nas horas extraordinárias, ajudas de custo, combustíveis, encargos com a iluminação, publicidade e outros serviços. Francisco Amaral diz que a situação financeira da autarquia será reavaliada no PUB

Mais de 100 famílias abrangidas pelo Cartão Social

Cada vez há mais famílias a solicitar o Cartão Social A Câmara Municipal de Alcoutim, à semelhança de anos anteriores, atribuiu às famílias carenciadas do concelho um cartão social, que oferece reduções de 50 por cento no pagamento de taxas e tarifas e alguns serviços prestados pelo município. O número de famílias a aceder a este apoio tem vindo a aumentar e, este ano, 122 famílias economicamente desfavorecidas tiveram direito a este serviço social. Desde 2009 já foram atribuídos mais 240 cartões. Para além do cartão social, a autarquia de Alcoutim atribui, todos os anos, apoios

económicos a famílias que se debatem com graves situações de pobreza e exclusão social. O dinheiro destina-se sobretudo à recuperação ou melhoria de habitações e ao

pagamento de medicamentos de doenças graves. A autarquia diz que só no ano passado foram investidos cerca de 38.000 euros nestas ajudas financeiras.

Senhora com formação em Geriatria e experiência, c/carro e carta de condução e conhecimentos das línguas: espanhol, francês e inglês. Oferece os seus serviços no período da manhã e das 21 horas em diante, no concelho de Vila Real de Santo António e Tavira.

Favor contactar: 917 481 908

meio do ano, permitindo, no caso de evolução favorável, reverter alguns dos cortes anunciados.

Câmara ajuda lar na compra de nova carrinha Entretanto, a Câmara Municipal de Alcoutim atri-

buiu à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alcoutim um subsídio no valor de 8.600 euros, para a aquisição de uma viatura adequada à prestação de apoio domiciliário. A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alcoutim quer dotar o Lar e Centro de Dia de mais e melhores meios de auxílio domiciliário, uma vez que a instituição não tem capacidade logística para receber mais idosos, muitos deles com problemas de mobilidade que impediriam inclusive a sua deslocação. O subsídio atribuído pela autarquia corresponde a 40 por cento do valor total da carrinha (21.500,01 euros). Apesar dos cortes orçamentais deste ano, o executivo da Câmara Municipal de Alcoutim considera que “esta colaboração financeira, com os intentos que lhe estão subjacentes, não pode deixar de existir”.


L

OCAL

20 I janeiro I 2011

[12]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

MENOS 7,5 MILHÕES EM RELAÇÃO AO ANO PASSADO

Castro Marim aprova orçamento de 23,2 milhões de euros Funções sociais, saneamento básico e ordenamento do território absorvem a maior fatia do bolo do orçamento para 2011, que acaba de ser aprovado A Assembleia Municipal de Castro Marim acaba de votar favoravelmente a proposta de orçamento apresentada pela Câmara Municipal para 2011. O Plano Plurianual de Investimentos dispõe de uma dotação global de 23.212.456 euros, com o investimento a atingir os 12.102.440 euros, o equivalente a 52 por cento do total aprovado. De acordo com o executivo liderado pelo social-democrata José Estevens, o actual orçamento “reflete o tempo de austeridade e as grandes dificuldades económicas que o país atravessa, com consequências gravosas na vida das famílias”, bem como o facto das receitas arrecadadas pela Câmara Municipal terem “caído a pique”, a par do “continuado decréscimo das verbas do Orçamento Geral do Estado a transferir para os municípios”. As prioridades para 2011 são as funções sociais, o saneamento básico, as comunicações, o ordenamento do território e a cultura, áreas que vão absorver a maior fatia do orçamento, 7,7 milhões de

euros, ou seja, mais de 64 por cento do investimento. “Estas prioridades das Grandes Opções do Plano (GOP) representam a continuidade da estratégia de desenvolvimento sustentado prosseguida na última década no concelho”, sublinham os responsáveis autárquicos. Apesar de o orçamento de 2011 ter sofrido um corte de 7,5 milhões, a autarquia castro-marinense garante que continua a privilegiar uma política social que “vai ao encontro das necessidades reais e efectivas dos castro-marinenses”. Neste sentido, destaque para a habitação, a educação, acesso aos cuidados de saúde e questões da mobilidade, áreas onde a autarquia espera gastar perto de um milhão de euros.

Água e saneamento básico Com uma taxa de cobertura na ordem dos 80 por cento, o abastecimento de água e o saneamento básico têm registado no concelho um dos maiores investimentos da Câmara Municipal dos últimos anos.

Moinho das Pernadas, a autarquia tem em curso a fase final do Núcleo Museológico de Odeleite, a construção do Centro Interpretativo do Sal de Castro Marim e, ainda, a recuperação e consolidação do troço da muralha do Forte de S. Sebastião de acesso ao Castelo, cuja obra “terá o seu início brevemente”, garante o atual executivo. No plano cultural e desportivo, salientam-se ações como a realização do evento “Dias Medievais”, o programa Férias Ativas e a assinatura de contratos-programa com as associações locais.

Habitação

Para 2011 estão previstos 3,2 milhões no orçamento. Depois da conclusão das redes de abastecimento de água e esgotos em nove localidades das freguesias do Azinhal e Odeleite, a Câmara Municipal garante que vai iniciar a construção da primeira fase do denominado Subsiste-ma Central (3,8 milhões de euros), destinado a servir água e esgotos a mais onze localidades do interior do concelho: Piçarral, Eira Grande, Sentinela, Murteira de Cima, Murteira de Baixo, Portela Alta de Cima,

Portela Alta de Baixo, Quebradas, Corujos, Casa Branca e Choça Queimada. A autarquia revelou ainda que já estão concluídos os projetos para a construção das redes de abastecimento de água e esgotos nas localidades de Cabeço de Junqueira, Casinhas e Montes Castelhanos.

Acessibilidades Em matéria de acessibilidades, as GOP para 2011 preveem a afectação de 3,5 milhões de euros do orçamento. Na sequência da construção e

Crianças elaboram Guia da Biblioteca em banda desenhada Durante os meses de janeiro e fevereiro, decorre na Biblioteca Municipal de Castro Marim a elaboração do Guia do Utilizador da Biblioteca, em banda desenhada, organizado pelos alunos do ensino pré-escolar e 1.º ciclo das escolas daquele concelho. De acordo com os responsáveis, o objectivo é aproximar a biblioteca à comunidade e a acção surgiu, ainda, da necessidade de democratizar, cada vez mais, o exercício da leitura. Trata-se da criação de um guia em formato de banda desenhada, denominado “Um Dia na Biblioteca”, onde os alunos se propõem dar a conhecer as zonas funcionais da biblioteca, desde a arrumação dos documentos, à descoberta das regras a respeitar quando se coloca um livro na estante. “Um Dia na Biblioteca”, além de aperfeiçoar as noções que as crianças já possuem sobre aquele espaço de cultura, envolve-as numa actividade lúdica através de uma forma de arte, a banda desenhada, que é considerada

co, especialista em banda desenhada para crianças.

Passeio pedestre na Alta Mora

como a “nona arte”. Este guia, que pela sua especificidade apresenta um carácter inovador e único, será monitorizado por um designer gráfi-

A Associação Recreativa, Cultural e Desportiva dos Amigos da Alta Mora organiza no próximo dia 6 de fevereiro, a sexta edição do passeio pedestre intitulado Amendoeiras em Flor, naquela localidade do concelho de Castro Marim. Este passeio possibilitará aos amantes do pedestrianismo e da natureza a oportunidade de observarem de perto as sumptuosas amendoeiras em flor, já que, além da passagem por algumas povoações locais, o percurso irá contemplar as principais áreas de amendoal da Cumeada de Alta Mora. A inscrições estão abertas até às 16h00 do dia 29 e podem ser efectuadas pelo telefone (965284657) ou por correio electrónico (arcdaa@gmail.com ). O valor da inscrição é de sete euros, com direito a merenda a meio do percurso, almoço e seguro.

alargamento de centenas de quilómetros de vias de comunicação espalhadas por todo o concelho, a Câmara Municipal já adjudicou a obra de conclusão da Estrada Municipal Altura/Furnazinhas, numa extensão de 34 quilómetros, ou seja, o troço Eira Verde-Monte Novo/ Furnazinhas (3 milhões de euros). Ainda no âmbito das comunicações, será levado a cabo o reperfilamento da Avenida Poente de Castro Marim (EM125-6), infra-estrutura que a autarquia considera “decisiva para o desenvolvimento da sede do concelho”.

Ordenamento do território No ordenamento do território, considerado como “área essencial para a estruturação do futuro do concelho”, a Câmara Municipal prevê gastar 2,1 milhões de euros. As prioridades são a Área de Negócios do Sotavento Algarvio (ANESA), a revisão do Plano Diretor Municipal e o Plano de Pormenor n.º 1 de Altura.

Cultura e desporto A cultura, onde estão previstos investimentos no valor de um milhão de euros, continua a ser uma das áreas prioritárias nas GOP. Após a conclusão de obras estruturantes no plano cultural, as quais têm contribuído substantivamente para o enriquecimento cultural e atrativida-de de Castro Marim, como a construção da Biblioteca Municipal, a recuperação e consolidação do Forte de São Sebastião, a reabilitação do Revelim de Santo António, o Centro Multiusos do Azinhal ou a recuperação do

A Câmara Municipal de Castro Marim continua a investir na área da habitação, “de modo a garantir condições de habitabilidade aos agregados familiares mais desfavorecidos do concelho”. Neste sentido, já está em curso a construção dos últimos oito apartamentos no Lote 6 da Urbanização das Laranjeiras, em Altura.

Apoio social A autarquia castro-marinense continua a fazer uma aposta clara no domínio social, desenvolvendo para o efeito um conjunto de políticas que vão ao encontro das famílias do concelho com menos recursos económicos e que, por via da crise, possam estar a viver em condições de grande precariedade social. Deste modo, e por um lado, a Câmara Municipal quer fazer com que o Cartão do Idoso possa chegar, cada vez mais, a um maior número de pessoas. Por outro lado, e à luz do Regulamento de Ação Social do município, a edilidade pretende continuar o programa de recuperação de habitações degradadas, o apoio a pessoas com deficiências auditivas e oftalmológicas, a atribuição de bolsas de estudo e o apoio às IPSS do concelho. Neste último capítulo, destacam-se os apoios na construção da Unidade de Cuidados Continuados do Azinhal, na conclusão do Lar e Centro de Dia de Altura e na construção do Centro Comunitário de Odeleite. No âmbito da Proteção Civil e luta contra os incêndios, a câmara de Castro Marim já garantiu a renovação do protocolo de colaboração com os Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António.


S

OCIEDADE

[13]

20 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO:

Fazer o bem, sem olhar a quem Diariamente, o Grupo de Voluntariado da Junta de Freguesia tenta proporcionar dias mais felizes aos idosos da Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa da Misericórdia da cidade pombalina. Um passeio, uma ida ao cinema, ao futebol, ou simplesmente um pouco de conversa, pode representar muito para quem está numa instituição de apoio à terceira idade > DOMINGOS VIEGAS Os utentes da Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa da Misericórdia de Vila Real de Santo António (VRSA), na sua maioria idosos, recebem diariamente a visita das

voluntárias do Grupo de Voluntariado da Junta de Freguesia daquela localidade. São 15 mulheres que abdicam de algum do seu tempo livre para ajudar quem mais precisa. No caso dos que não po-

Rita Pires, coordenadora do projecto de voluntariado da Junta de VRSA, e Antónia Ximenes, uma das voluntárias

dem sair daquela unidade, principalmente acamados, o trabalho destas voluntárias incide na ajuda à alimentação ou, simplesmente, proporcionando alguma companhia e

Sandra Gregório usa o seu tempo livre para cuidar de idosos na UCC da Santa Casa

Sou voluntária porque... “O que me levou a participar neste projeto foi o facto de estar desempregada. Penso que ajudar quem precisa é uma boa maneira de ocupar o meu tempo. Ajudamos em tudo o que for preciso. No meu caso, tenho ajudado principalmente na hora das refeições.” Sandra Gregório “Gosto muito de ajudar os outros e acho que estas pessoas precisam de um bocadinho daquilo que nós lhes pudermos dar. Ajudamos na hora das refeições, estamos um bocadinho a falar com eles... Há algumas pessoas que podem sair e, nestes casos, levamo-los a passear um bocadinho. Levamos alguns ao café...” Antónia Ximenes “Há muito tempo que gostava de fazer qualquer coisa na área do voluntariado. Ti-

nha muita vontade de ajudar. Disseram-me que estavam a aceitar pessoas na junta de freguesia e não hesitei. Falamos com a pessoa que está responsável nesse momento e perguntamos no que é que podemos ajudar. Pode ser alimentação, entretenimento, fazer camas... Faço isto há pouco tempo e ainda não sei muito bem o que eles precisam mais... mas aos poucos já vou captando.” Sandra Margarida Disponibilizei-me para participar nalgum trabalho que a junta de freguesia estivesse a desenvolver. Então, aceitei integrar este grupo de trabalho. No voluntariado, como sabemos que estamos a ajudar os outros, acabamos por ser retribuídas de uma forma que nos preenche bastante. Rosa Mendes

conversa. Aqueles que não têm restrições para sair são levados pelas voluntárias ao teatro, ao cinema, ao futebol ou até mesmo a passear pela mata ou pela praia. “Tentamos mimar um pouco estes idosos, conversar com eles, leva-los a passear...”, diz Rita Pires, coordenadora do projeto. A responsável considera que “a área dos idosos precisa de muita intervenção por parte da sociedade civil”, pois “em Portugal há muitos que nem sequer são visitados pela família”. A ideia de criar este grupo de voluntariado surgiu logo após as últimas eleições autárquicas. “Havia muitas pessoas que faziam parte das listas e que não foram eleitas, mas que mostraram muita vontade em ajudar e em dar um pouco de si à sociedade. Por isso, o presidente da junta teve a ideia de criar vários grupos de trabalho, entre os quais este, dedicado à solidariedade”, explica Rita Pires. Porém, na prática, o projeto só arrancou em junho de 2010. Contactaram a Santa Casa da Misericórdia para sa-

ber onde é que poderiam ajudar e, como se tratava de um grupo ainda pequeno de voluntárias, foi-lhes explicado que a Unidade de Cuidados Continuados era o local que melhor se adaptava. Desde então, cada voluntária diz ao resto do grupo qual a sua disponibilidade e a coordenadora tenta conciliar o serviço para que todos os dias estejam alguém naquela unidade. “As que começaram foram passando a palavra e, aos poucos, foram aparecendo mais. O grupo está a crescer bastante, já somos quinze, e quando ficar um pouco maior queremos ajudar outras instituições”, garante Rita Pires. Questionada porque é que só mulheres é que integram este grupo, a coordenadora do projeto não tem dúvidas: “Já tivemos alguns homens como voluntários, mas não resultou e acabaram por desistir. Penso que as mulheres estão mais habituadas a cuidar dos outros”. O próximo passo que este grupo de voluntárias gostaria de dar é o da formação, para poder ajuda ainda melhor numa área tão sensível como

é a da terceira idade, mas Rita Pires diz que “não está fácil”. “Temos muita vontade de ajudar, mas somos novatas nestas coisas e não temos muita experiência. Já procurámos formação, mas este tipo de formações são caras ou então têm que ser feitas muito longe, nomeadamente em Lisboa”, lamenta. No entanto, e mesmo assim, a coordenadora daquele grupo de voluntariado diz que o balanço “é muito positivo”, tanto para quem recebe como para quem dá. “Partimos com a ideia de que estamos a dar qualquer coisa, mas também estamos a receber muito. E fazer o bem dá muito bem estar”, garante a responsável daquele projeto da Junta de Freguesia de VRSA. Mas não só os utentes a agradecer. “Desde que as voluntárias apareceram, o meu trabalho tem-se tornado mais motivante, porque vejo que há pessoas que ajudam e que lhes sai do coração. Tem sido uma ajuda preciosa”, garante Rosa Duarte, animadora daquela Unidade de Cuidados Continuados.

Noite de fado na Tasca do Zé A Tasca do Zé, localizada na Altura, concelho de Castro Marim, realiza no próximo sábado uma noite de fados com os fadistas Amélia Janes e João Marques, acompanhados à viola por Virgílio Lança e na guitarra portuguesa por Miguel Drago. A música começa a partir das 20h00 e o jantar será à carta.


A L RTES E

ETRAS

[14]

20 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

A idade maior

Entre 12 e 16 de janeiro, o Teatro Municipal de Portimão, TEMPO, homenageou os mais velhos através da "Semana Maior". Dois filmes, um baile e duas apresentações teatrais protagonizados por maiores de 60 foram os ingredientes desta semana que convidou a uma reflexão sobre a condição do idoso, ou sem eufemismos, do que é ser velho. Ou, como dizem os nossos vizinhos, ser maior! > ANA OLIVEIRA Depois de várias curvas na estrada chega-se a um caminho no qual não se vislumbram encruzilhadas nem entroncamentos. Apenas uma longa reta com fim anunciado. É o caminho a que se chega depois da reforma, quando se chega à conclusão de que o melhor será ir para casa e deixar os mais novos seguirem com a sua vida. Ou a altura em que se atravessa um país, nem se seja num cortador de relva, para nos reconciliarmos com as pessoas que valem a pena. Ou quando acordamos dos nossos sonos de ilusão e nos apercebemos de que tudo era mentira. O Teatro Municipal de Portimão programou para esta semana dois filmes paradigmáticos do sentimento da velhice: "Vou Para Casa", de Manoel de Oliveira e "Uma História Simples" de David Lynch. Os espectáculos de teatro foram da responsabilidade da recém-formada Companhia Maior, que reúne actores e bai-larinos profissionais com idade superior a 60 anos, e o grupo de teatro sénior da Junta de Freguesia de Portimão. A Companhia Maior trouxe o espectáculo Bela Adormecida, encenado por Tiago Rodrigues. Segundo a produção, "Bela Adormecida é uma história sobre a passagem do tempo, o renascimento e as segundas

oportunidades. É possível acordar num tempo que não é o seu e torná-lo seu?, pergunta-nos esta ficção. Será sequer possível que o presente seja pertença de alguém? E que lugar reserva o mundo para aqueles por quem passou um século de sono, enfeitiçados, e que agora acordam no futuro? Na nossa Bela Adormecida talvez não haja feitiço e não tenham permanecido jovens aqueles por quem o tempo passou. Talvez tenham estado acordados todo o tempo e apenas sintam que renasceram, pelo simples exercício de evocar a memória." Este é um trabalho sobre o tempo e a nossa relação com esse grande escultor, de acordo com o eufemismo de Yourcenar. O príncipe é um velho que está sentado a uma secretária escrevendo as suas memórias. Queixa-se das dores que as suas raízes lhe causam, impedindo-o de dormir. Descobre que quanto mais dorme mais se esquece e decide escrever tudo para que a memória permaneça. De repente entra numa dimensão da memória onde o regresso é possível mas num outro corpo. O príncipe entra no palácio da princesa Aurora e encontra toda a gente a dormir. Velhos à espera de serem acordados. À espera do beijo que nunca chegou, da dança que nunca aconteceu, do olhar que nunca se cruzou. O

príncipe beija Aurora e, à semelhança do conto para crianças, todos os seres que habitavam o palácio despertam com o poder daquele beijo. O sopro da vida e da memória. A mente desperta jovem num corpo envelhecido. O corpo já não responde com a velocidade do desejo mas o prazer da descoberta é o mesmo. Os velhos, idosos, como é politicamente correto tratar as pessoas com mais de 60 anos, vão desocultando os seus apoios, as cadeiras, retirando os panejamentos que o tempo foi colocando. Panos atrás de panos são retirados e dobrados, deixando ver a verdadeira natureza dos suportes dos corpos. Aurora, cheirando a almíscar, atrai o príncipe. Com a elegância de primeira bailarina ao longo de anos na Companhia Nacional de Bailado Kimberley Ribeiro rodopia pelo palco extasiando o príncipe. A sua memória é o seu corpo, que transcreve para um alfabeto próprio tudo o que capta. Todos os que partilhavam o palácio com a princesa Aurora dançam na esperança de recuperar a juventude perdida. Enrolam os fios da vida que desperdiçaram e rodopiam com um olhar de adolescente deslumbrado. E com eles, o espetador recupera a ilusão. No final o príncipe entrega as suas memórias a Aurora, que as traduz para a sua metalinguagem orgânica e sai desse

“Bela Adormecida”

mundo paralelo para a realidade da dor. As memórias doem, mas são preferíveis à ilusão, ao mundo de sonho e encantamento que é a Arte, tão bem simbolizado pela imagem projectada do palácio-centro-cultural-de-belém. Tiago Rodrigues soube explorar as capacidades e as diferentes proveniências artísticas dos seus actores, embora o texto tenha parecido denso e longo. O recurso à fada má como ponto do mestre-de-cerimónias que se esqueceu de a convidar pareceu um recurso brilhante porque apontava para uma simbologia do mal que a culpa carrega ao longo da vida. Profissional, sem falsos moralismos, com a carga dramática adequada, este trabalho foi um exemplo do que se pode explorar com actores que têm tudo a ensinar com a sua experiência e nada a perder. O espectáculo Temporalidade, a que a encenadora Sofia Brito denominou performance, foi interpretado pelo grupo de teatro Sénior da Junta de Freguesia de Portimão. Com base num texto de Manuel António

Pina, de Sofia Brito e das memórias dos atores o espectáculo percorre os fios das memórias mais agradáveis dos seus intérpretes. Os actores canta-

amiga. Assim como a cena dos quatro homens a ler o jornal ao som de anúncios populares nos anos 60 que estava muito bem conseguida. Mas no limiar ficaram as mágoas de que é feita uma vida completa. Um vestido de noiva com que se sonha ao som de Moon River, a canção que Audrey Hepburn imortalizou, aponta para os amores impossíveis e para noivas que nunca envergaram o seu vestido de sonho. No limiar ficou o desgosto de uma carta de amor que se atrasou um, dois, três dias, até que chegou um aerograma anunciando o fim da correspondência amorosa. No limiar da vida ficou o lado sombrio, as memórias pesadas, ficando um espetáculo incompleto porque irreal. Os atores tinham no olhar o brilho da irreverência e da saudade de outros corpos e conseguiram dar dinamismo ao texto. Mas deixaram de lado a maté-

Todos os que partilhavam o palácio com a princesa Aurora dançam na esperança de recuperar a juventude perdida. Enrolam os fios da vida que desperdiçaram e rodopiam com um olhar de adolescente deslumbrado. E com eles, o espetador recupera a ilusão ram, desafiaram o público, dançaram, recordaram o primeiro beijo, o baile da vassoura e as cartas de amor. No limiar da memória ficou o Stabat Mater de Vivaldi que simbolizou o sofrimento das mães que caem perante a dor dos filhos mas que são amparadas pela solidariedade das outras mães. Um momento bonito que apontou para o sofrimento que é suavizado pelo ombro solidário de uma

ria de que são feitas as rugas: a mágoa. Este foi um exemplo interessante de partilha entre uma proposta de uma companhia nacional profissional e um grupo de teatro não profissional de âmbito regional. No final houve uma partilha de experiências e saberes e todos ficaram a ganhar. E abriram-se novos caminhos em cada estrada.

HOMENAGEM A JOSÉ SARAMAGO E COMPANHIA DE DANÇA PAULO RIBEIRO EM DESTAQUE

TEMPO para mais teatro, música e cinema

Mais teatro, música, dança e cinema é o que prometem os responsáveis do Teatro Municipal de Portimão (TEMPO) para os primeiros meses de 2011 A programação do Teatro Municipal de Portimão para o primeiro trimestre do ano é organizada em torno de ciclos temáticos. Assim, nos próximos dias 20, 21 e 22, o TEMPO apresenta o espetáculo “Vice-Versa”, de Victor Hugo Pontes, destinado aos mais novos, especialmente as crianças entre os três e os cinco anos. Na semana seguinte, diaa 29, às 21h30, é a vez dos Novos Sons, com o concerto dos Virgem Suta, o duo alentejano referido pela crítica como estando na linha da frente da melhor música que se faz em Portugal na atualidade. Em fevereiro, segue-se um dos momentos singulares da programação do trimestre: a homenagem a José Saramago. Esta iniciativa - que tem como objetivo revisitar a obra do autor - vai integrar um ciclo de cinema, uma exposição de fotografia, uma oficina de

dança e um concerto. O programa tem início com um ciclo de cinema, nos dias 2, 3 e 4 de fevereiro, que integra os filmes “Jangada de Pedra”, de George Sluizer, e “Embargo”, de António Ferreira, e o documentário “José e Pilar”, de Miguel Gonçalves Mendes. De 4 a 28 de fevereiro, estará ainda em exposição um conjunto de fotografias da rodagem deste documentário, da autoria de Susana Paiva. No dia 5 de fevereiro, segue-se uma comunidade de leitores, que terá como obra em discussão “A Viagem do Elefante”, e um concerto de homenagem a José Saramago, pela Orquestra do Algarve, onde serão interpretados temas da banda sonora do documentário de Miguel Gonçalves Mendes, compostos pelos jovens músicos Noiserv e Pedro Gonçalves, dos Dead Combo.

TEMPO também abre portas ao romance O TEMPO também irá recuperar o ambiente romântico criado em 2010 para festejar o dia dos namorados, sendo servido a 14 de fevereiro um jantar, no café concerto, que terá como prato principal a música de David Martin, num repasto confecionado pela Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão, onde a palavra mágica é… romance. Fevereiro é ainda um mês dedicado ao fado. No ano em que a Unesco decide a classificação deste género musical como património da humanidade, o Teatro Municipal de Portimão oferece três dias (de 24 a 26 de fevereiro) para ouvir e ver o fado através do olhar do realizador Carlos Saura, do jovem cantor Marco Rodrigues e do coreógrafo Daniel Cardoso com a sua nova criação para o Quorum Ballet, “Correr o Fado”.

Em março, para celebrar o carnaval, é a vez da música dos anos 70. Dia 4, os 7venty 7even vão animar o café concerto com o disco sound. E, no sábado seguinte, 5 de março, o grande auditório recebe a música dos X-Wife. A banda do Porto apresentará o seu novo álbum, com lançamento previsto para este mesmo mês. Ainda em março, o TEMPO celebra os 15 anos da Companhia Paulo Ribeiro, apresentando pela primeira vez em Portimão o trabalho criativo do coreógrafo. Um programa que se inicia a 16 de março com “Noite de Reis” e que só terminará no Dia Internacional da Dança, a 29 de abril. Nosdias17e18,nopequenoauditório, serão também exibidos dois filmes que marcaram a vida e obra de Paulo Ribeiro – “Pedro, o Louco”, de Jean Luc Godard, e “O Anjo Exterminador”, de Luis Buñuel. Entre 17 e 30 de abril, a sala de ex-

posições acolhe a exposição de fotografia “15 anos – 15 obras – 15 fotografias”, uma retrospetiva de 15 anos da obra de Paulo Ribeiro com a sua companhia de autor. E a fechar esta homenagem, no dia 19 de março, o grande auditório do TEMPO recebe “Maiorca”, fusão perfeita e única entre a dança e a música de Chopin, interpretada ao vivo por Pedro Burmester. Para encerrar a programação do mês, o TEMPO celebra o Dia Mundial do Teatro com a nova criação da Ar Quente, “Phantom Limb”, a 26 de março.


20 I janeiro I 2011

D

www.jornaldoalgarve.pt

ESPOR TO [15] ESPORTO

O projeto social do Real Madrid está presente um pouco por todo o mundo. As escolas desportivas incidem essencialmente na América Latina

Real Madrid vai abrir escola de futebol em Vila Real de Santo António

Estrutura destina-se a crianças desfavorecidas e será a primeira que o clube espanhol abre no nosso país. Na calha estão mais duas, uma em V.N. de Gaia e outra no Funchal > DOMINGOS VIEGAS O Real Madrid prepara-se para abrir em Vila Real de Santo António uma escola de futebol destinada a crianças desfavorecidas. Esta será a primeira estrutura do género que o clube “merengue” abrirá no nosso país, mas há também intenção de colocar mais duas em funcionamento, uma em Vila Nova de Gaia e outra no Funchal, esta última a pedido de Cristiano Ronaldo. A estrutura a criar em Vila Real de Santo António será desenvolvida pela Fundação Real Madrid (FRM) em parceria com a autarquia local, é a que tem as negociações mais adiantadas e o acordo deverá ser assinado ainda durante este primeiro trimestre de

2011. O Jornal do Algarve contactou Luís Gomes, presidente da edilidade, mas este escusou-se a entrar em pormenores, limitando-se apenas a confirmar a intenção do clube espanhol. “É verdade, as conversações estão muito adiantadas, mas não posso dizer mais nada enquanto o acordo não estiver assinado”, referiu o autarca. Porém, o Jornal do Algarve sabe que Luís Gomes esteve em Madrid no passado mês de dezembro a convite do presidente do clube “branco”, Florentino Pérez, e que também manteve conversações com os responsáveis da FRM, entidade responsável pela criação daquelas escolas de futebol, denominadas Escolas Desportivas de Integração Social, para crianças desfavorecidas.

Há duas semanas, a revista Sábado já tinha revelado que o Real Madrid pretendia abrir duas escolas de futebol para crianças desfavorecidas no nosso país e que Cristiano Ronaldo tinha pedido aos responsáveis da FRM para a abertura de uma terceira na sua terra natal. De acordo com a mesma revista, o processo tem tido como mediador António Martins da Cruz, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros e ex-embaixador em Madrid. “Carlos Escudero, um dos vice-presidentes da Fundação Real Madrid, pediu-me para os ajudar neste processo e sugeri estas duas cidades, uma a norte e outra a Sul. Depois, o Cristiano Ronaldo pediu para fazerem uma na Madeira”, contou Martins da Cruz à revista Sá-

bado. A atividade da FRM é financiada pelo próprio Real Madrid, que doa anualmente uma parte das suas receitas a esta causa, bem como por empresas de todo o mundo e pelos contributos anónimos dos milhares de sócios e simpatizantes do clube. É através desta fundação que o Real Madrid desenvolve a sua atividade social. Entre os vários projetos sociais encontram-se as referida escolas desportivas, que já estão presentes em vários países da América Latina e em Marrocos. Os pormenores do acordo a celebrar com a Câmara de Vila Real de Santo António estão ainda a ser negociados mas, à semelhança do que acontece em escolas deste tipo cria-

das noutros países, o Real Madrid deverá fornecer equipamentos e restante material desportivo às crianças, bem como refeições nos dias dos jogos. O clube “merengue” ficará ainda responsável por ministrar cursos de formação aos treinadores responsáveis pela referida escola. Muito provavelmente, esta escola de futebol, que será gratuita, funcionará fora do período escolar oficial e será destinada a crianças entre os 10 e os 15 anos. À autarquia vila-realense caberá fornecer as instalações, ou seja, espaço físico e horários de treinos no Complexo Desportivo da cidade pombalina. É também habitual que jogadores da primeira equipa do Real Madrid visitem estas escolas uma vez por ano.

ANDEBOL

O Portimão Arena está a receber a Supertaça de Andebol Portimão 2011, competição que começou ontem, quarta-feira, e que vai prolongar-se até ao próximo sábado. A prova está a ser disputada pelos seis primeiros classificados no final da primeira volta da fase regular do campeonato Andebol 1 e garante ao vencedor a presença numa competição europeia na próxima época, no caso a Challenge Cup. Durante o período em que decorre a prova, as equipas realizam os seus treinos no Portimão Arena e na Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes, o que vai proporcionar o contacto entre a comunidade escolar e os jogadores dos melhores e mais conceituados clubes da segunda modalidade colectiva portuguesa. Paralelamente, as comitivas presentes em Portimão

Filipe da Palma/CMP

Portimão recebe fase final da Supertaça

Na edição anterior o FC Porto bateu o Belenenses na final

procederão a várias acções de índole social, visitando o Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio e instituições de solidariedade como o Lar da Criança, a CRACEP, a Catraia ou o Lar Bom Samaritano. Programa de jogos: Ontem, já depois do fecho desta edição, disputaram-se os jogos Águas Santas/Madeira SAD e Sporting/FC Porto. A

competição prossegue com o seguinte calendário: Quintafeira - ABC de Braga/Águas Santas (16h00) e Benfica/FC Porto (20h00); Sexta-feira Madeira SAD/ABC Braga (18h00) e FC Porto/Benfica (20h15); Sábado: 3.º Grupo A/ 3.º grupo B (apuramento 5.º/ 6.º, 11h00), 2.º Grupo A/2.º grupo B (apuramento 3.º/4.º, 14h30) e Final (1.º Grupo A/ 1º Grupo B, 17h00).

BASQUETEBOL: SUB-16 FEMININOS

Juventude BC campeã do Algarve A equipa feminina do Juventude Basquetebol Clube, de Vila Real de Santo António, sagrou-se campeã regional no escalão de sub-16, ao vencer os três jogos da fase final disputados no último fim de semana em Olhão. A formação vila-realense, cujo título lhe

garantiu a presença no Campeonato Nacional, derrotou o Farense (62-27), a ACD Ferragudo (86-13) e o CB Albufeira (65-29). As restantes equipas vão disputar a Taça Nacional. Mafalda Barcelos (CB Albufeira) foi considerada a melhor jogadora da competição. O “5

Ideal” foi formado por Sónia Santos e Beatriz Teixeira (ambas do Juventude BC), Patrícia Emídio (Farense), Mafalda Barcelos (CB Albufeira) e Jessica Encarnação (ACD Ferragudo). A fase final de sub-16 masculinos disputa-se nos próximos dias 28, 29 e 30.


D

20 I janeiro I 2011

[16]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

RUBEN FARIA TERMINA O DAKAR NA OITAVA POSIÇÃO

Passeio BTT em VRSA

“Mostrei que o meu lugar era entre os cinco primeiros”

O Moto Clube do Guadiana, de Vila Real de Santo António, organiza no próximo dia 12 de fevereiro a segunda edição do seu passeio de BTT (bicicletas todo-o-terreno), composto por dois percursos guiados de dificuldade fácil e média, com cerca de 40 quilómetros. A concentração será junto à sede do MCG, na Aldeia Nova, freguesia de Monte Gordo, entre as 7h45 e as 8h45. As inscrições custam 12 euros, com direito a pequeno almoço, almoço, abastecimentos, seguro e lembranças, ou 10 euros sem almoço, e podem ser efetuadas até ao dia 5 de fevereiro, por correio electrónico (mc.guadiana.btt@gmail.com). Este passeio está integrado nas comemorações do aniversário do Moto Clube do Guadiana e é organizado pela sua secção de BTT.

Penalização de duas horas impediu que o piloto de Moncarapacho lutasse pelo quarto lugar O algarvio Ruben Faria ficou na oitava posição da geral (nas motos) do rali Dakar, que este ano voltou a desenrolar-se na Argentina e no Chile, a sua melhor prestação de sempre (em 2010 tinha sido 11.º). Porém, esta edição deixou-lhe algum amargo de boca devido à penalização de duas horas que o arredou dos cinco primeiros lugares. “É o meu melhor resultado de sempre e estou feliz por isso, mas fica o sabor amargo das duas horas de penalização que me tiraram a possibilidade de discutir a quarta posição final. Sei agora que falhei o waypoint por 38 metros, o que me deixa ainda mais chateado”, desabafou o piloto de Moncarapacho no final da prova. No entanto, Ruben Faria ressalvou que a experiência adquirida também foi importante. “Sinto que aprendi bastante e mostrei que o meu lugar era seguramente entre os cinco primeiros deste Dakar. Mas as corrida são mesmo assim e não vale a pena estar sempre a lamentar o sucedido.” O piloto algarvio foi um dos animadores desta edição do Dakar. Mesmo sendo o "aguadeiro" de Cyril Després, mostrou toda a sua rapidez e a certeza da escolha por parte do piloto francês.

...e em Vila do Bispo O algarvio voltou a integrar a equipa KTM-Red Bull e teve a missão de ajudar Cyril Després

“Sei qual era o meu papel na prova e na equipa que defendo. Estou numa curva de aprendizagem e nestas duas últimas semanas aprendi bastante, especialmente porque estou ao lado da melhor pessoa para o fazer, o Cyril Després.”, explicou Ruben Faria, ainda em Buenos Aires, no final de mais um Dakar.

NACIONAIS

I LIGA I LIGA I LIGA I LIGA

SÉNIORES I LIGA

2.ª DIVISÃO - ZONA SUL

Resultados da 16.ª Jornada PORTIM. 0 Sp. Braga V.Guimarães 1 OLHANENSE Sporting 2 P. Ferreira Nacional 1 RioAve V.Setúbal 2 Marítimo U.Leiria 0 Beira-Mar FC Porto 3 Naval Académica 0 Benfica CLASSIFICAÇÃO J FC Porto 16 Benfica 16 Sporting 16 V.Guimarães 16 Nacional 16 U.Leiria 16 Sp. Braga 16 Beira-Mar 16 Académica 16 Marítimo 16 P. Ferreira 16 OLHANENSE 16 V.Setúbal 16 RioAve 16 PORTIM. 16 Naval 16 Próxima 17.ª P. Ferreira OLHANENSE Sp. Braga RioAve Beira-Mar Naval Benfica Marítimo

V 14 12 8 7 7 7 7 5 5 4 4 4 4 3 2 2

E 2 0 4 4 4 3 2 8 4 7 7 7 4 5 3 2

D M S 0 39 7 4 31 14 4 24 17 5 21 19 5 15 15 6 17 20 7 29 21 3 20 18 7 20 26 5 18 16 5 15 20 5 12 14 8 14 24 8 15 22 11 16 32 12 10 31

U.Leiria Académica V.Setúbal V.Guimarães FC Porto PORTIMONENSE Nacional Sporting

3 0 3 0 4 3 1 1

Resultados da 15.ª Jornada Atlético 3 Pinhalnov. Reguengos 3 FARENSE Carregado 5 Praiense Casa Pia 2 LAGOA LOULETANO 1 Torreense Madalena 3 Oriental Mafra 3 Operário Real 0 Juv.Evora

0 1 1 4 2 1 2 0

P 44 36 28 25 25 24 23 23 19 19 19 19 16 14 9 8

CLASSIFICAÇÃO J Atlético 15 Torreense 15 Mafra 15 Madalena 15 Pinhalnov. 15 Operário 15 Reguengos 15 LOULETANO 15 Juv.Evora 15 Carregado 15 Oriental 15 Casa Pia 15 Real 15 LAGOA 15 FARENSE 15 Praiense 15

P 33 30 27 26 26 24 22 21 21 19 18 13 12 12 11 8

Próxima 16.ª Atlético Casa Pia Mafra Reguengos LOULETANO Madalena Real Juv.Evora

V 9 9 7 8 7 6 7 5 5 5 4 3 3 3 1 1

E 6 3 6 2 5 6 1 6 6 4 6 4 3 3 8 5

D M S 0 23 9 3 20 11 2 26 21 5 19 13 3 18 13 3 24 21 7 20 20 4 18 17 4 15 13 6 22 22 5 19 22 8 17 26 9 12 19 9 10 15 6 12 20 9 10 23

Carregado Pinhalnov. LAGOA Operário FARENSE Torreense Oriental Praiense

Mas o grande destaque desta edição, e na categoria de motos, foi para o também português Hélder Rodrigues, que conseguiu a melhor classificação de sempre de um português, a terceira posição, atrás de do francês Cyril Després e do espanhol Marc Coma, vencedor da edição deste ano.

No próximo sábado, a ADC Vila do Bispo organiza o seu Raid BTT, composto por dois percursos, de 20 e 40 quilómetros, respetivamente. A concentração está agendada para as 10h00, no Largo do Município, e a partida será dada meia hora depois. No acto da inscrição, todos os participantes ficam automaticamente habilitados ao sorteio de um fim de semana, para duas pessoas, no aldeamento de turismo rural Aldeia da Pedralva, em Vila do Bispo.

3.ª DIVISÃO - SÉRIE F Resultados da 14ª Jornada ESP. LAGOS 3 C. Piedade MESSINENSE 0 F. Barreiro Odemirense 0 Vendas Novas Moura 7 BEIRA-MAR U. Montemor 0 P. Caparica Sesimbra 2 Aljustrelense

0 1 3 0 0 1

CLASSIFICAÇÃO J Vendas Novas 14 Sesimbra 14 Moura 14 ESP. LAGOS 14 Odemirense 14 F.Barreiro 13 Aljustrelense 14 U. Montemor 14 P. Caparica 14 MESSINENSE 13 C. Piedade 14 BEIRA-MAR 12

P 27 27 24 22 22 20 19 17 17 17 10 0

V 8 8 6 6 6 5 4 4 4 5 2 0

E 3 3 6 4 4 5 7 5 5 2 4 0

D M S 3 28 15 3 26 8 2 29 15 4 34 20 4 22 17 3 14 10 3 19 15 5 17 19 5 17 19 6 10 15 8 9 34 12 5 43

Equipa e treinador sem ideias PORTIMONENSE 0 Local: Estádio Algarve. Árbitro: Carlos Xistra (Santarém). Portimonense: Ricardo Pessoa; André Pinto, Rúben Fernandes, Nilson (Aragoney, 58), Pedro Moreira (Ivanildo, 58), Elias, Pedro Silva (Jumis-se, 45+1), Lito, Pires e Candeias. Treinador: Carlos Azenha Sp. Braga: Artur Morais; Miguel Garcia (Guilherme, 61), Paulão, Rodriguez, Elderson, Custódio, Hugo Viana, Alan, Mossoró (Hélder Barbosa, 37), Paulo César (Meyong, 75) e Lima. Treinador: Domingos Paciência. Ao intervalo: 0-0 Golos: Hélder Barbosa (51), Lima (53) e Alan

SP. BRAGA 3

(70). Disciplina: Cartão amarelo a Pedro Silva (28), Hugo Viana (40) e Miguel Garcia (56). Um Portimonense, outra vez, sem ideias acabou por dar moral ao Sp. Braga. O momento da saída de Pedro Silva, mesmo em cima do intervalo, foi surrealista, caricato e trouxe alguma confusão, que se refletiu no jogo. No segundo tempo o Braga subiu um pouco mais, bloqueou o meio campo algarvio e os golos foram a consequência lógica de um bom segundo tempo bracarense diante de um portimonense demasiado ansioso.

Algarvios não mereciam perder Próxima 15.ª Aljustrelense C. Piedade F. Barreiro Vendas Novas BEIRA-MAR P. Caparica

ESP. LAGOS MESSINENSE Odemirense Moura U. Montemor Sesimbra

rádio guadiana A onda continua!

www.radioguadianafm.com Telefone 281 512 337 - Fax 281 512 338 - Vila Real de Santo António

V. GUIMARÃES 1 Local: Estádio D.Afonso Henriques (Guimarães) Árbitro: Marco Ferreira. V.Guimarães: Nilson, Alex, Ricardo, Freire, Bruno Teles, João Alves, Cléber Oliveira, Jorge Ribeiro (Flávio Meireles, 84'), João Ribeiro, Edgar (Douglas, 66') e Marelo Toscano (Maranhão, 60'). Treinador: Manuel Machado. Olhanense: Ricardo Batísta; João Gonçalves, Maurício, Jardel, Ismaily, Rui Duarte (Adilson, 74'), Fernando Alexandre (Toy, 82'), Nuno Piloto, Jorge Gonçalves (Djalmir, 79'), Yontcha e Paulo Sérgio. Treinador: Daúto Faquirá.

OLHANENSE 0

Ao intervalo: 0-0. Golo: João Ribeiro (50'). Disciplina: Cartão amrelo a Alex (23), Maranhão (67) e Jorge Ribeiro (71'); Fernando Alexandre (57) e João Gonçalves (72). Jogo de fraca qualidade, principalmente na primeira parte (apenas uma ocasião de golo para cada lado e pouco antes do intervalo). Os locais chegaram ao golo (muito consentido pela defesa algarvia) no início do segundo tempo, que foi um pouco mais animado. O Olhanense apostou tudo no ataque nos últimos minutos, mas sem efeitos práticos.


D

20 I janeiro I 2011

[17]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

2.ª DIVISÃO 2.ª DIVISÃO 2.ª DIVISÃO 2.ª DIVISÃO

Tão justa como clara Local: Campo Virgílio Durão (Reguengos de Monsaraz). Árbitro: Jorge Pedro Ribeiro (Lisboa). Atl. Reguengos: Daniel; Canelas, Oumar, Nuno Abreu, Barona, César, Monzelo, Rúben (Loukima, 79), Vasco (Vieira, 60), Rui Sousa (Alberto, 82) e Barry. Treinador: Jorge Vicente. Farense: Serrão; Tiago (Barão, 75), Mamadu, Ricardo, Joshua (David Justo, 33), Caniggia, Bilro, Bruno Carvalho, André, Zambujo, Keu (Bruno Martins, 65). Treinador: João de Deus. Ao intervalo: 3-0.

FARENSE 1

Golos: Monzelo (15), Vasco (20), Barry (45+2) e Tiago (69). Disciplina. Cartão amarelo a Caniggia (6), Mamadu (24), Canelas (31), Tiago (70), Ricardo, 76) e César (88). Entrada fortíssima da equipa alentejana que regressou às cabines a vencer por 3-0. No segundo tempo, os da casa folgaram um bocadinho e os algarvios subiram no terreno, tiveram mais espaço e reduziram, mas nunca puseram em causa a justa vitória do Atlético de Reguengos.

TORREENSE 2

Disciplina: Cartão amarelo a Sufrim (49), Tozé (53 e 81), Fábio Coça (59 e 68), Cordeiro (63) e Alberto (84). Cartão vermelho a Fábio Coça (68) e Tozé (81), ambos por acumulação de amarelos.

Local: Estádio Algarve. Árbitro: Jorge Faustino (Leiria). Louletano: Kula; Eugénio, Fausto, Cordeiro, Rafael (Nicola, 72), Fábio Marques (Kasana, 83), Fábio Teixeira, Alberto, Leo, Ben e Bafode (João Reis, 63). Treinador: Paulo Renato. Torreense: Tiago Alves; Francisco Gomes, José Inácio, Marçal, Tozé, Pedro Canoa, Fábio Coça, Sufrim, David Mateus, (Anta, 75), Dionísio e Patuleia (Igor,72). Treinador: Paulo Torres. Ao intervalo: 0-0. Golos: Fábio Coça (55), Marçal (61) e Ben (66).

O Torreense foi, efetivamente, a melhor equipa em campo durante todo o primeiro tempo e até ao momento em que fez o primeiro golo. Depois, o segundo golo surgiu num lance de sorte, mas já nessa altura o Louletano, depois de algumas retificações, passou a ser mais dominador, reduziu e se tivesse empatado não escandalizaria.

NACIONAIS JUNIORES 1ª DIVISÃO

INICIADOS 2ª DIVISÃO

Resultados da 20.ª jornada INT. ALMANCIL 2 Real Estoril 1 Marítimo E.Amadora 1 Nacional V.Setúbal 1 Naval Belenenses 0 Sporting U.Leiria 1 Benfica

0 2 4 2 3 3

Série F

Resultados da 19.ª jornada Pescadores 1 Amora Atlético 3 OLHANENSE Oeiras 4 GD Portugal LOULETANO 0 FARENSE Lusit. Évora 2 Tires PORTIMONENSE 4 Ourique

2 1 1 2 1 0

Local: Estádio Pina Manique (Lisboa). Árbitro: Augusto Costa (Aveiro). Casa Pia: Fábio; Tiago, Coito, Marinheiro, Zizinho, Rúben (Oumar, 19), Hélder Lemos, Hugo Bral, Pedro Augusto, Mamadu (Samir, 65) e Telmo (Pauleta, 46). Treinador: José Viriato Lagoa: Ricardo; Janita, Ivo, Flávio, João Vítor, Márcio, David Rosa, Atabu (Dieng, 82), Pituca, Boiças (Codó, 69) e Mauro (Pessoa, 65). Treinador: Luís Coelho. Ao intervalo: 2-2.

Golos: Atabu (27), Pituca (33 e 57), Hugo Bral (76), Janita (81, g.p) e Pedro Augusto (90+2). Disciplina. Cartão amarelo a Pituca (39), Flávio (41), Hugo Bral (50), Hélder Lemos (73), David Rosa (71), Tiago (81), Coito (88) e Ivo (90+1). Vitória importante da equipa algarvia que, em Lisboa, foi de longe e melhor equipa, tão forte defensiva como ofensivamente, não dando qualquer hipótese à formação “casapiana”.

Resultados da 18.ª jornada Moura 1 V.Setúbal Odemirense 1 LUSIT. VRSA Lusit.Évora 0 IMORTAL Ferroviário 1 Sp.Cuba Despertar 1 OLHANENSE LOULETANO 5 ESP. LAGOS

3 4 2 0 2 1

Mais difícil do que se esperava ESP. LAGOS 3 Local: Estádio Municipal de Lagos. Árbitro: Armando Branco (Lisboa). Esp.Lagos: Diogo; Pedro Alexandre, Edson, Ângelo, Bruno González (Hernâni, 70'), Alex, Nelson, Didi, Balizas, Jorge (Marocas, 63') e Totoia (André, 56'). Treinador: Paulo Nunes. Cova da Piedade: Bruno Luz; Gustavo (Mota, 71'), Andrade, Adimar, João Gonçalves (Mestre, 46'), Nuno Ferreira, João Fernandes (Ruben, 46'), Fayad, Jardel, Igor e Marco Festa. Treinador: Carlos Dias. Ao intervalo: 2-0. Golos: Pedro Alexandre (15'), Jorge (38') e Marocas (77').

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P Sporting Benfica U.Leiria Naval Marítimo Belenenses Nacional Estoril V.Setúbal I. ALMANCIL Real E.Amadora

20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20

16 14 12 10 9 8 8 6 6 5 5 0

1 5 3 4 4 4 4 5 3 5 3 1

Próxima Jornada 21.ª I. ALMANCIL Benfica Real Estoril Marítimo E.Amadora Nacional V.Setúbal Naval Belenenses Sporting U.Leiria

3 1 5 6 7 8 8 9 11 10 12 19

63 47 31 35 31 39 24 23 22 22 25 9

11 14 26 25 29 41 29 29 31 35 33 68

49 47 39 34 31 28 28 23 21 20 18 1

Disciplina: Cartão amarelo a Didi (72'), Diogo (78') e Marco Festa (82'). Ao contrário daquilo que o

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P Atlético Oeiras PORTIMONENSE LOULETANO FARENSE GD Portugal Tires Lusit. Évora OLHANENSE Amora Pescadores Ourique

19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19

15 9 10 10 8 8 7 6 6 5 3 0

2 7 4 4 4 3 5 5 5 6 6 3

2 3 5 5 7 8 7 8 8 8 10 16

Próxima Jornada 20.ª OLHANENSE Amora GD Portugal Atlético FARENSE Oeiras Tires LOULETANO Ourique Lusit. Évora PORTIMON. Pescadores

68 35 34 33 30 41 24 33 29 26 20 10

20 19 21 24 32 37 18 38 19 37 38 80

47 34 34 34 28 27 26 23 23 21 15 3

V.Setúbal IMORTAL LOULETANO LUSITANO VRSA OLHANENSE Ferroviário Despertar Lusit. Évora ESP. LAGOS Sp.Cuba Odemirense Moura

J V E D M S P

18 18 18 18 18 18 18 18 18 18 18 18

15 13 11 11 10 8 8 6 5 3 0 0

2 1 4 4 5 4 2 5 2 2 4 1

1 4 3 3 3 6 8 7 11 13 14 17

68 48 47 41 50 24 31 28 28 12 7 7

Próxima Jornada 19.ª ESP. LAGOS Moura V.Setúbal Odemirense LUSIT. VRSA Lusit.Évora IMORTAL Ferroviário Sp.Cuba Despertar OLHANENSE LOULETANO

PUB

Largo Santana n.º 1 - Apartado 102 8800 TAVIRA Telf.: 281320 240 - Fax: 281 325 523 radiogilao@net.vodafone.pt

13 23 17 15 16 17 25 25 39 65 57 79

47 40 37 37 35 28 26 23 17 11 4 1

COVA PIEDADE 0

Pedro Alexandre marcou o primeiro dos três golos do Esperança

PUB

CLASSIFICAÇÃO

LAGOA 4

3.ª DIVISÃO 3.ª DIVISÃO

Empate não escandalizaria LOULETANO 1

CASA PIA 2

Armindo Vicente/CFEL

ATL. REGUENGOS 3

Algarvios dominaram por completo

EDITAL Alteração (actualização) das Tabelas de Taxas Municipais do Município de Vila Real de Santo António José Carlos Costa Barros, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António: Torna público, nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 91.º da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro e, nos termos dos Regulamentos Municipais, nomeadamente, o Geral da Taxas Municipais e do Urbanismo e Edificação, que a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, na sua sessão ordinária de 3 de Janeiro de 2011, aprovou a actualização para o ano de 2011, das taxas, em vigor no município, nos termos seguintes: Todas as Taxas constantes das Tabelas anexas aos Regulamentos Municipais são actualizadas em 2,2% (coeficiente 1.022). Para constar e devidos efeitos se lavrou o presente Edital que vai ser afixado nos lugares de estilo e é objecto de publicação nos jornais regionais editados na área do Municipio, no Boletim Municipal, na Página Electrónica do Município e no Diário da República. Paços do Município, 05 de Janeiro de 2011 O Vice-Presidente da Câmara Municipal, José Carlos Costa Barros (Jornal do Algarve, 20/1/2011)

resultado possa fazer entender, o Esperança teve algumas dificuldades em levar de vencida a formação do Cova da Piedade, que se apresentou em Lagos completamente transfigurada em relação aquilo que tinha sido o seu desempenho no campeonato até há bem pouco tempo. A primeira parte até foi bastante equilibrada, valendo aos algarvios o facto de terem conseguido concretizar duas das oportunidades de golo criadas. Pedro Alexandre, logo aos 15 minutos, e Jorge, pouco antes do intervalo, colocaram os locais a ganhar por 2-0 no final dos primeiros 45 minutos, um resultado algo exagerado para o Esperança e injusto para o Cova da Piedade. Só na segunda parte é que o Esperança de Lagos conseguiu tomar definitivamente as rédeas do jogo, mas, neste período, curiosamente, só conseguiu um golo, marcado por Marocas, a 13 minutos do final. A vitória dos locais aceitase e não sofre contestação, mas o Cova da Piedade não merecia perder por um resultado tão dilatado.


D

[18]

ESPORTO

20 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL

Palminha intransponível ARMACENENSES 0

CAMPINENSE 0

CULATRENSE 0

Sousa (75') e Garrana (79').

Local: Campo das Gaivotas (Armação de Pêra). Árbitro: Luís Morgado. Armacenenses: Palminha; Marco, Rui Guerreiro, Copos, Cabrita, Oceano, Paco, Pedro Santos (Miguel Oliveira, 68'), Nélson Moutinho, Mauro (Aaron, 81') e Nuno Vieira (Joel, 90'). Treinador: Carlos Simões. Campinense: Joel; Xavier, Vitor Oliveira (Tiago Botelho, 84'), José Daniel, Diamantino, Silvio (Xando, 56'), Padinha, Paul Mota, Ricardo Sousa, Garrana e Mário Costa (Dani, 68'). Treinador: José Miguel. Disciplina: Cartão amarelo a Oceano (44'), Ricardo

Partida bem disputada, entre duas equipas que apresentaram um futebol de ataque. Só faltou o golo para enobrecer melhor o trabalho das duas formações. O Campinense esteve melhor na maior parte da partida, teve as melhores ocasiões, explorou melhor os flancos e foi mais forte no meio campo, fazendo uma pressão muito forte sobre o adversário, que não tinha tempo para pensar. Diamantino e Silvio tiveram as melhores ocasiões de golo, mas Palminha foi intransponível, respondeu com defesas de grande qualidade.

Marcar e (quase) perder o norte FERREIRAS 3 Local: Estádio da Nora (Ferreiras). Árbitro: João Costa. Ferreiras: Nélio; Diogo Afonso, Ricardo Mestre (Pias, 46'), Wilson, Calú, Pedro Colaço (Pedro Casimiro, 46'), Jair, Jorge, Flávio Lança, Bonifácio e Ricardo Pereira (Flávio Manuel, 79'). Treinador: Ricardo Moreira. Almancilense: Ronquilho; Henrique, Su, Virgílio, Raimundo, Emanuel, Roni, Pirica (Ivo, 72'), Edi, Chinho (Hugo, 62') e Samuel. Treinador: Hélder Rosa. Ao intervalo: 1-0. Golos: Diogo Afonso (23'), Ricardo Pereira (55'), Ivo (78', g.p.) e Calú (88'). Disciplina: Cartão amarelo a Emanuel (30'), Diogo

José António Pires

ALMANCILENSE 1

Afonso (62' e 81'), Pirica (67'), Wilson (77') e Ivo (86'). Cartão vermelho a Diogo Afonso (81', por acumulação de amarelos). A vitória do Ferreiras não sofre contestação, mas o formação da casa sentiu algumas dificuldades na parte final e, principalmente, a partir do momento em que ficou reduzida a 10 jogadores (expulsão de Diogo Afonso). Depois de ter dado a imagem de estar nas Ferreiras à procura de um pontinho, o Almancilense apostou um pouco mais no ataque e até conseguiu reduzir a desvantagem (de grande penalidade) quando já tinha sofrido dois golos. Mas Calú, de livre, acabaria por sentenciar ao cair do pano. António Agapito

Ganhar e entregar o testemunho ALJEZURENSE 2 MONCARAPACHENSE 1 Local: Campo Municipal de Aljezur. Árbitro: Carlos Cabral. Aljezurense: Abel; Jorge, Gigi, Rafa, André, Hugo, Kiki, Dino, Marquinho, Leandro (João Almeida, 69') e Anderson. Treinador: José Fernandes. Moncarapachense: Bruno Guerreiro; João Afonso,

Valter Guerra, Lelo, Steven Carmo, Russo, Relvas (Amador, 46'), Luís Mendes, Cavaco, Marco Sousa (Romero, 65') e Celso Borges. Treinador: Miguel Serôdio. Ao intervalo: 1-1. Golos: Steven Carmo (10'), Leandro (36') e João Almeida (80'). Disciplina: Cartão amarelo a Russo (26'), Rafa (42'), Cavaco (59'), C.Borges (60' e 82') e Lelo (85'). Cartão vermelho a Hugo (41', direto) II DIVISÃO e C.Borges (82', por acumulação de amarelos). Resultados da 12.ª Jornada

FUTEBOL DISTRITAL I DIVISÃO Resultados da 15ª Jornada

Imortal Quarteirense Armacenenses Aljezurense Culatrense Silves Ferreiras Odiáxere

1 4 0 2 0 4 3 1

Faro e Benfica Castromarin. Campinense Moncarapach. Lusitano VRSA Guia Almancilense Quarteira

0 0 0 1 3 1 1 2

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Quarteirense 15 Lusitano VRSA 15 Ferreiras 15 Silves 15 Odiáxere 15 Campinense 15 Quarteira 15 Culatrense 15 Guia 15 Armacenenses 15 Imortal 15 Castromarin. 15 Almancilense 15 Faro e Benfica 15 Aljezurense 15 Moncarapach. 15

13 11 10 10 9 6 6 5 4 3 4 4 2 2 2 2

2 1 2 1 2 6 6 3 5 6 2 1 6 4 4 3

0 3 3 4 4 3 3 7 6 6 9 10 7 9 9 10

28 44 26 38 36 21 18 13 24 18 16 12 10 15 11 13

6 13 11 14 17 13 15 22 33 18 38 26 21 31 33 32

Próxima 16ª

Odiáxere Quarteira Culatrense Silves Armacenenses Aljezurense Ferreiras Imortal

Lusitano VRSA Castromarinense Guia Almancilense Faro e Benfica Campinense Moncarapachense Quarteirense

41 34 32 31 29 24 24 18 17 15 14 13 12 10 10 9

Monchiquense Serrano Santaluziense Alvorense Bensafrim Machados

1 3 1 3 1 2

Estombarenses 2 Sambrazense 1 Gin.Tavira 0 11 Esperanças 2 Padernense 3 Quarteirense B 1

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Alvorense 12 Machados 12 Sambrazense 12 Gin.Tavira 12 Santaluziense 12 Estombarenses 11 Serrano 12 Padernense 12 Quarteirense B 11 Bensafrim 12 Monchiquense 12 11 Esperanças 12

Próxima 13.ª Sambrazense Padernense Quarteirense B Gin.Tavira 11 Esperanças Estombarenses

8 7 7 7 6 5 5 3 4 2 3 3

1 2 1 1 2 2 2 4 1 4 1 1

3 3 4 4 4 4 5 5 6 6 8 8

25 17 22 17 21 17 16 18 17 19 17 14

15 10 15 12 16 16 18 20 22 25 25 26

25 23 22 22 20 17 17 13 13 10 10 10

O Aljezurense regressou aos triunfos (não ganhava há oito jornadas) e conseguiu sair da última posição, por troca, precisamente, com o Moncarapachense. Num jogo muito disputado, o Moncarapachense até foi a primeira equipa marcar, mas os locais acabaram por dar a volta ao texto, com um golo ainda na primeira parte e outro já na etapa final, curiosamente, numa altura em que tinha menos um jogador em campo. A.P.

visite a nossa página online em www.jornaldoalgarve.pt

Monchiquense Serrano Santaluziense Alvorense Bensafrim Machados

Domínio total

contacte-nos jornaldoalgarve@hotmail.com

LUSITANO VRSA 3

Local: Campo Municipal da Penha (Faro). Árbitro: Ricardo Martins. Culatrense: João; Zé Luís (André, 61'), Micael, Né, Sérgio, Bodiçaõ, Tiago (Setenta, 45'), Calquinhas, Amílcar (Bia, 78'), Roque e Luciano. Treinador: Geraldo Carmo. Lusitano VRSA: Edgar; Afonso Leal, Nuno Silva, Carlos Neves, Luís Firmino, António (Mikael, 70), Júlio Madeira, Edgar Rosa, Marco Nuno, Marco Cavaco (Guilherme, 67') e Bruno Conduto (Cristiano, 85'). Treinador: Ivo Soares. Ao intervalo: 0-2. Golos: Marco Nuno (21'), Carlos Neves (34') e Bruno Conduto (84'). Disciplina: Cartão amarelo a Nuno Silva (14'), Né (67') e Sérgio (89'). Esperava-se um jogo mais equilibrado, mas o Lusitano acabou por dominar, praticamente, de fio a pavio. Apesar das várias oportunidades criadas em lances de bola corrida (sempre com o guardião da casa em excelente plano), os dois primeiros golos acabaram por surgir na sequência de lances de bola parada, primeiro por Marco Nuno e depois pelo central Carlos Neves. Após o intervalo ainda chegou a pensar-se numa hipotética reação do Culatrense, principalmente depois do remate de Setenta ao poste, mas o Lusitano voltou a pegar no jogo e acabaria por resolver a questão já parte final com o terceiro

Bruno Conduto marcou o terceiro golo do Lusitano

golo, marcado por Bruno Conduto, após cruzamento de Marco Nuno. O Lusitano mantém assim a segunda posição com sete pontos de desvantagem em relação ao líder Quarteirense, que recebeu e goleou o Castromarinense. D.A.

Surpresa da jornada ODIÁXERE 1 Local: Campo Rossio das Eiras (Odiáxere). Árbitro: Cristiano Pires. Odiáxere: Hugo Prudêncio; Bablina, Marco, Roberto (Lino Roque, 75'), Janita, Márcio (Hagi, 56'), Madeira, Sérgio Brito, Vitinha (Santana, 62'), Filipe Borges e Luís Lamy. Treinador: Toni Seromenho. Quarteira: Miguel; Cristiano, Madeira, Fábio Marques, Sancadas, Marcel, Cambuta, Filipe Nunes (Tinaia, 85'), Lima, Hugo (Ema, 68') e Edir (Moki, 82'). Treinador: Luís Resende. Ao intervalo: 1-2. Golos: Sérgio Brito (8'), F. Nunes (12') e Edir (26'). Disciplina: Cartão amarelo a Vitinha (48'), Sancadas

QUARTEIRA 2

(49'), Bablina (66'), L.Lamy (80'), Miguel (89') e Cambuta (90'). O Odiáxere até foi a primeira equipa a marcar, mas viu o surpreendente Quarteira dar a volta ao resultado (tudo na primeira parte) e arrecadar os três pontos com toda a justiça. Na etapa complementar o domínio pertenceu aos locais (mais posse de bola e mais remates), mas jogaram mais com o coração do que com a cabeça e não obtiveram resultados práticos. O Quarteira continua a surpreender e já não perde há sete jornadas (soma cinco vitórias consecutivas). Carlos Fainha

Resultado exagerado SILVES 4 Local: Estádio Dr. Francisco Vieira (Silves). Árbitro: Pedro Oliveira. Silves: Jotinha; Salvador, Ricardo Sequeira, Nilton, João Teodoro, Hernâni, Carlinhos (Pipi, 59'), Bráulio (Mica Júnior, 79'), Mica (Marcos, 88'), Oliveira e Nelson Peres. Treinador: Calú. Guia: Luís Costa; Cabral, Pimentel (Alexandre, 63'), Edgar, Pedro Rodrigues, Jeremy, Luís Gonçalves, Fonseca (João Ruaça, 56'), Márcio, Nuno Costa (Tiago Rodrigues, 71') e Mário José. Treinador: Rui Clemente. Ao intervalo: 0-0. Golos: Oliveira (61' e 70'), Mário José (81') e Pipi

GUIA 1

(86' e 90'). Disciplina: Cartão amarelo a Pimentel (34'), Hernâni (63') e Alexandre (65'). Mais um daqueles resultados que se revela enganador em relação ao que se passou dentro das quatro linhas. A vitória do Silves não pode ser posta em causa (impossível para quem marca quatro golos e só sofre um), porém os locais nunca foram tão superior como o marcador possa fazer crer. Pipi (que entrou na segunda parte) acabou por ser um dos grandes responsáveis deste desequilíbrio, ao marcar dois golos nos últimos minutos. José Nobre

Três pontos preciosos IMORTAL 1 Local: Estádio Municipal de Albufeira. Árbitro: Ricardo Neves. Imortal: Armindo; Cláudio, Bila, Ricardo Cruz, Duarte, Claudinho (Roberto, 69'), Rui Sacramento, Sandro, Décio (Aladjé, 16'), Jorge Paz (Gonçalo, 74') e Ricky. Treinador: Nuno Ramos. F. Benfica: Nuno; Baresi, Marco, Toni (Romeiro, 60'), Pepe, Luís, Valério (Pinto, 77'), Dinis (Hugo, 46'), Joel, Galinha e Candeias. Treinador. Luís Pires. Ao intervalo: 1-0.

FARO E BENFICA 0

Golo: Aladjé (40'). Disciplina: Cartão amarelo a Aladjé (64') e Galinha (71'). A equipa do Imortal conseguiu três pontos preciosos que a afastam um pouco, para já, dos lugares de despromoção. Aladjé entrou e marcou ainda na primeira parte. Na etapa complementar o Faro e Benfica fez tudo para retificar, mas o esforço foi infrutífero já que os locais souberam gerir bem a vantagem. S.M.


D

20 I janeiro I 2011

[19]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

FUTEBOL DISTRITAL JUNIORES BARLAVENTO

SOTAVENTO

Armacenenses Lagoa Messinense Monchiquense Folgou Silves

2 1 4 3

1.ª DIVISÃO

Esp.Lagos Imortal Guia Alvorense

1 2 0 1

Farense Quarteirense Marítimo Olh. Almancilense

1 1 2 2

S.Luís Ferreiras Lusitano VRSA 1.º Janeiro

2 1 1 0

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Imortal 11 Lagoa 12 Esp.Lagos 12 Armacenenses 12 Messinense 12 Silves 11 Alvorense 12 Monchiquense 11 Guia 11

Lusitano VRSA 10 Quarteirense 10 Ferreiras 9 S.Luís 10 Marítimo Olh. 9 Farense 10 Almancilense 10 1.º Janeiro 10

9 8 8 6 5 5 2 2 1

2 3 2 1 0 0 2 0 2

0 1 2 5 7 6 8 9 8

63 40 49 28 27 12 19 7 9

17 11 13 22 25 25 33 58 50

29 27 26 19 15 15 8 6 5

2 5 1 1 2 2 3 2

2 0 2 4 4 5 5 8

28 21 29 19 19 17 9 3

13 11 15 15 18 28 19 26

20 20 19 16 11 11 9 2

2 1 4 0 4 0

Próxima 11.ª

Esp.Lagos Monchiquense Imortal Armacenenses Guia Lagoa Alvorense Silves Folga Messinense

Ferreiras S.Luís Lusitano VRSA 1.º Janeiro

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Odiáxere Portimonense Olhanense Esp.Lagos Internacional S.Luís Farense Ferreiras Lusit. VRSA Lagoa Silves Messinense Olhanense Ferreiras Messinense Internacional Lagoa Odiáxere

Almancilense Marítimo Olh. Quarteirense Farense

INFANTIS

10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10

8 7 7 7 6 5 4 4 4 2 0 0

Resultados da 6ª Jornada

Farense 0 Almancilense Bias 1.º Janeiro 4 Marítimo Olh. Folgou Lusitano VRSA

Lusitano VRSA 2 Quarteirense 3 Ferreiras 5 Messinense 1 Folgou Louletano

Louletano 6 Castromarinense Salir Montenegro 1 Beira Mar

Olhanense Imortal 1.º Janeiro Esp.Lagos

1 0 0 2

1.º Janeiro Louletano Montenegro Marítimo Olh. Farense Almancilense Bias Lusitano VRSA Beira Mar Salir Castromar.

Lusitano VRSA Olhanense Louletano Esp.Lagos Ferreiras Quarteirense Messinense 1.º Janeiro Imortal

Portimonense Lagoa Odiáxere EF J.Moutinho Esp.Lagos Monchiquense Alvorense Aljezurense CB Portimão

3 10 8 10 12 18 15 15 0 0 0

21 14 13 9 9 6 2 1 0 0 0

Próxima 11ª

5 5 5 5 6 6 5 6 5

5 4 4 3 2 2 2 0 0

0 0 0 1 2 1 0 0 0

0 1 1 1 2 3 3 6 5

24 21 12 11 14 9 7 3 0

2 2 6 9 9 11 13 24 25

15 12 12 10 8 7 6 0 0

Marítimo Olh. Bias 1.º Janeiro Farense Almancilense

Olhanense Louletano Imortal Ferreiras Esp.Lagos 1.º Janeiro Messinense Lusitano VRSA Folga Quarteirense

INFANTIS SÉRIE E

CLASSIFICAÇÃO J V Lusitano VRSA 11 10 Beira Mar 11 8 Marítimo Olh. 10 7 Bias 10 6 Moncarapachense 11 6 Gin.Tavira 10 3 4 ao Cubo 11 1 Vaqueiros 9 1 Castromarinense 11 1

M 36 38 24 57 31 22 22 4

Próxima Jornada 13ª. Ger. Génios Olhanense Farense Montenegro S.Luís Gin.Tavira Folga Lusitano VRSA e Marítimo Olh.

S 9 11 17 26 16 30 49 76

P 24 22 20 14 14 7 4 1

11 9 6 6 4 5 4 4 4 4 3 1 0

0 1 3 2 3 0 2 2 1 1 0 0 1

0 1 2 2 2 5 5 5 6 6 8 9 10

54 40 36 37 28 19 19 18 19 17 12 9 13

10 6 20 11 15 23 17 20 22 40 48 33 56

33 28 21 20 15 15 14 14 13 13 9 3 1

E 1 0 2 1 0 0 2 1 1

D 0 3 1 3 5 7 8 7 9

M 75 66 42 49 33 24 18 20 12

0 1 4 1

S 14 17 27 22 33 36 64 61 65

Próxima Jornada 13ª. Lusitano VRSA Vaqueiros Beira Mar Gin.Tavira Castromarinense Moncarapachense Bias 4 ao Cubo Folga Marítimo Olh.

P 31 24 23 19 18 9 5 4 4

0 0 0 1 0 17

Resultados da 10.ª Jornada

Farense Imortal Odiáxere Quarteirense S.Luís Gin.Tavira

2 1 7 4 2 0

4 11 0 3 0

Portimonense Messinense Monchiquense Padernense Quarteirense

1 0 0 2 0

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Quarteirense 10 Portimonense 10 Odiáxere 10 Farense 10 Ferreiras 9 Olhanense 10 Lagoa 10 S.Luís 10 Armacenenses 9 Imortal 9 Internacional 9 Gin.Tavira 10

Silves Guia Esp.Lagos Messinense Portimonense Alvorense Monchiquense Odiáxere Ferreiras Quarteirense Padernense

8 8 7 6 4 4 4 2 2 1 1 1

2 1 2 4 2 2 1 2 1 2 1 0

0 1 1 0 3 4 5 6 6 6 7 9

35 51 47 30 25 13 11 8 5 6 7 1

4 8 6 2 16 18 18 16 33 35 18 65

26 25 23 22 14 14 13 8 7 5 4 3

Próxima 11.ª

CHECUL Armacenenses Louletano Castromarinense Ferreiras Imortal

Alvorense Silves Esp.Lagos Ferreiras Odiáxere Folgou Guia

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Farense Imortal Odiáxere Quarteirense S.Luís Gin.Tavira

SÉRIE B 8 9 0 6

9 9 9 9 9 9 10 9 9 9 9

9 7 5 5 5 4 4 2 2 1 1

0 1 2 1 0 1 1 2 1 1 0

0 1 2 3 4 4 5 5 6 7 8

50 38 15 13 26 20 15 5 7 10 9

3 9 9 27 21 20 24 12 28 23 32

27 22 17 16 15 13 13 8 7 4 3

Próxima 11.ª

Portimonense Armacenenses Ferreiras Lagoa Internacional Olhanense

Portimonense Odiáxere Messinense Esp.Lagos Guia Ferreiras Padernense Alvorense Quarteirense Silves Folga Monchiquense

11 10 11 11 10 11 10 11 11

SÉRIE C

Resultados da 12.ª Jornada Portimonense 2 Lagoa CB Portimão 8 Guia EF J.Moutinho 0 Silves Odiáxere 4 Armacenenses Folgou Ferreiras

0 1 10 0

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

J V E D M S P

9 8 7 6 6 5 2 1 1

1 2 1 0 0 0 2 0 0

1 0 3 5 4 6 6 10 10

73 56 29 47 35 31 21 24 12

15 14 18 30 28 40 60 71 52

28 26 22 18 18 15 8 3 3

Odiáxere CB Portimão Silves Portimonense Ferreiras Armacenenses Lagoa Guia EF J.Moutinho

11 11 11 10 9 11 11 10 10

10 9 8 6 4 3 2 0 0

1 0 1 1 0 2 2 2 1

0 2 2 3 5 6 7 8 9

68 89 46 41 27 18 24 20 5

9 16 12 22 34 34 58 73 80

31 27 25 19 12 11 8 2 1

SÉRIE B

Resultados da 12.ª Jornada Odiáxere Almancilense Imortal 6 Alto Colina Guia 9 Ferreiras Quarteirense 0 Padernense Folgou AC Salir

CLASSIFICAÇÃO J Guia 11 Padernense 10 Imortal 10 Alto Colina 11 AC Salir 9 Almancilense 9 Quarteirense 10 Odiáxere 10 Ferreiras 10

Resultados da 9.ª Jornada Bellavista 5 Armacenenses Esp.Lagos 1 CB Portimão Lagoa 6 Silves Messinense 7 Guia Folgou Ferreiras

CLASSIFICAÇÃO J Portimonense 6 Esp.Lagos 6 EF J.Moutinho 6 Odiáxere 6 CB Portimão 6 Monchiquense 6 Infante Sagres 6 Alvorense 0

CLASSIFICAÇÃO J Ferreiras 8 CB Portimão 8 Lagoa 8 Messinense 7 Bellavista 7 Armacenenses 8 Esp.Lagos 8 Silves 8 Guia 8

E 0 0 0 0 0 0 0 0

D 0 1 2 3 4 5 6 0

M 65 57 30 28 20 15 5 0

S 7 13 15 18 14 59 94 0

Próxima Jornada 8ª. Esp.Lagos Infante Sagres CB Portimão Monchiquense Portimonense EF J.Moutinho Odiáxere Alvorense

P 18 15 12 9 6 3 0 0

V 8 6 5 5 4 2 2 1 1

E 0 0 0 0 0 1 0 1 0

V 11 7 7 4 4 4 3 2 0

E 0 1 0 1 0 0 1 1 2

D 0 2 3 6 5 5 6 7 8

M 76 22 54 36 26 23 18 30 13

4 2 2

S 18 22 26 30 41 32 36 41 52

P 33 22 21 13 12 12 10 7 2

D 0 2 3 2 3 5 6 6 7

M 28 52 41 33 28 12 21 13 13

S 9 8 25 16 20 26 37 34 66

Próxima Jornada 10ª. Bellavista CB Portimão Messinense Armacenenses Ferreiras Silves Esp.Lagos Lagoa Folga Guia

1 12 3 1

P 24 18 15 15 12 7 6 4 3

Resultados da 12.ª Jornada EF Faro 6 Imortal Louletano 0 Farense Sporting Faro 6 Internacional Montenegro 9 S.Luís Folgou Ger. Génios

CLASSIFICAÇÃO J Sporting Faro 9 Ger. Génios 10 EF Faro 11 Farense 10 Internacional 10 Louletano 11 Montenegro 11 Imortal 9 S.Luís 11

V 8 7 7 5 5 4 2 2 1

E 1 2 1 1 1 1 2 1 0

D 0 1 3 4 4 6 7 6 10

M 55 51 36 56 38 28 32 34 17

2 2 1 3

S 12 14 29 29 30 29 60 45 99

P 25 23 22 16 16 13 8 7 3

Próxima Jornada 13ª. Internacional EF Faro Ger. Génios Louletano Farense Sporting Faro Imortal Montenegro Folga S.Luís

(FUT. 7 )

SÉRIE C

Resultados da 7.ª Jornada EF J.Moutinho 7 Infante Sagres 1 Odiáxere 0 Portimonense 6 Monchiquense 0 Esp.Lagos 15 CB Portimão Alvorense

V 6 5 4 3 2 1 0 0

SÉRIE D

Próxima Jornada 13ª. Ferreiras Odiáxere Padernense Imortal Alto Colina AC Salir Almancilense Quarteirense Folga Guia

Próxima Jornada 13ª. Armacenenses Portimonense Ferreiras CB Portimão Guia EF J.Moutinho Silves Odiáxere Folga Lagoa

SÉRIE A

CLASSIFICAÇÃO J Farense 9 S.Luís 9 Olhanense 10 Gin.Tavira 10 Montenegro 9 Ger. Génios 9 Lusitano VRSA 9 Marítimo Olh. 9

D 1 1 2 4 3 6 7 8

9 3 5

Armacenenses Internacional Olhanense Ferreiras Lagoa Portimonense

BENJAMINS A SÉRIE F

Resultados da 12.ª Jornada Lusitano VRSA 6 Vaqueiros Beira Mar 5 Gin.Tavira Castromarinense 0 Moncarap. Bias 5 4 ao Cubo Folgou Marítimo Olhan.

E 0 1 2 2 2 1 1 1

11 11 11 10 9 10 11 11 11 11 11 10 11

(FUT. 7)

Resultados da 12.ª Jornada Olhanense 1 Marítimo Olh. 0 Montenegro 3 Lusitano VRSA 2 Gin.Tavira 6 Ger. Génios 2 Folgou S. Luís e Farense

V 8 7 6 4 4 2 1 0

Marítimo Olh. Gin.Tavira Quarteirense Imortal Louletano Ferreiras 1.º Janeiro Guia Armacenen. Castromar. Alvorense Bensafrim CHECUL

Guia 1.º Janeiro Bensafrim Marítimo Olh. Quarteirense Gin.Tavira Folga Alvorense

Próxima Jornada 13ª. Lagoa CB Portimão Portimonense Aljezurense EF J.Moutinho Monchiquense Esp.Lagos Alvorense FOLGA Odiáxere

Próxima 7.ª

Lusitano VRSA Castromar. Salir Montenegro Beira Mar Folga Louletano

24 23 22 21 19 17 13 13 12 7 2 1

1 3 1

0 1

Próxima 13ª

Resultados da 12.ª Jornada CB Portimão 0 Portimonense Aljezurense 2 EF J.Moutinho Monchiquense 5 Esp.Lagos Odiáxere 2 Lagoa Folgou Alvorense

CLASSIFICAÇÃO

23 17 15 11 6 12 5 2 0 0 0

14 17 13 9 14 13 18 20 19 29 29 42

Alvorense 1.º Janeiro Bensafrim Marítimo Olh. Quarteirense Gin.Tavira

INFANTIS (FUT. 7)

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

0 1 1 3 3 5 5 5 0 0 0

25 20 40 14 25 20 25 19 17 15 5 12

Esp.Lagos Portimonense Lusit. VRSA S.Luís Silves Farense

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

0 2 1 0 0 0 2 1 0 0 0

2 1 2 3 3 3 5 5 6 7 8 9

4 4

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

SÉRIE A

Resultados da 10ª Jornada

7 4 4 3 3 2 0 0 0 0 0

0 2 1 0 1 2 1 1 0 1 2 1

Armacenenses Ferreiras Imortal Louletano Castromar. CHECUL Folgou Guia

(FUT. 11)

2.ª SOTAVENTO

7 7 6 6 6 7 7 6 0 0 0

1 1 1 2 0 1

2.ª BARLAVENTO

Resultados da 10.ª Jornada

Resultados da 12ª Jornada

Olhanense Ferreiras Messinense Internacional Lagoa Odiáxere

Próxima 11ª

Próxima 14ª

INICIADOS

6 5 6 5 3 3 2 0

Portimonense Silves Farense Lusit. VRSA S.Luís Esp.Lagos

1.ª DIVISÃO

2.ª DIVISÃO

Resultados da 10ª Jornada

Resultados da 10.ª Jornada

Resultados da 13ª Jornada

INICIADOS

JUVENIS

SÉRIE D

Resultados da 9.ª Jornada Alto Colina 17 Padernense Almancilense 1 Quarteirense Louletano 5 Imortal Ferreiras 3 Salir Folgou Geração Génios

CLASSIFICAÇÃO J Louletano 8 Quarteirense 8 Geração Génios 8 Imortal 8 Alto Colina 8 Almancilense 8 Ferreiras 8 Salir 8 Padernense 8

V 8 6 6 4 4 3 2 2 0

E 0 1 0 1 0 0 0 0 0

D 0 1 2 3 4 5 6 6 8

M S 58 7 65 11 54 17 55 22 63 19 34 27 19 72 9 71 0 111

Próxima Jornada 10ª. Alto Colina Geração Génios Ferreiras Padernense Salir Imortal Almancilense Louletano Folga Quarteirense

0 3 2 4

P 24 19 18 13 12 9 6 6 0

Resultados da 7.ª Jornada Farense 2 Sporting Faro Geração Génios 4 Quarteirense Montenegro 1 S.Luís EF Faro 1 1.º Janeiro

3 0 10 5

CLASSIFICAÇÃO J S.Luís 7 1.º Janeiro 7 EF Faro 7 Geração Génios 7 Sporting Faro 7 Montenegro 7 Farense 7 Quarteirense 7

P 16 15 15 12 11 7 3 3

V 5 5 5 4 3 2 1 1

E 1 0 0 0 2 1 0 0

D 1 2 2 3 2 4 6 6

M 40 29 23 19 29 22 15 8

Próxima Jornada 8ª. S.Luís Sporting Faro EF Faro Montenegro Quarteirense Farense Geração Génios 1.º Janeiro

S 7 14 17 13 17 36 27 54


D

20 I janeiro I 2011

[20]

ESPORTO

BENJAMINS A

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

BENJAMINS B (FUT 7)

(FUT. 7)

SÉRIE A

SÉRIE E

SÉRIE B

Resultados da 9.ª Jornada Beira Mar Fuseta Olhanense 23 Moncarapach. 1 Bias 0 Lusitano VRSA 12 Marítimo Olh. 0 Gin.Tavira 3 Folgou Castromarinense

Resultados da 9.ª Jornada Lagoa 7 Odiáxere Armacenenses 7 Aljezurense Alto Colina 4 Silves Esp.Lagos Alvorense EF J.Moutinho 3 Portimonense

CLASSIFICAÇÃO J Lusitano VRSA 6 Olhanense 6 Gin.Tavira 7 Marítimo Olh. 7 Fuzeta 5 Moncarapachense 6 Castromarinense 6 Bias 5 Beira Mar 0

CLASSIFICAÇÃO J Portimonense 8 EF J.Moutinho 8 Esp.Lagos 8 Armacenenses 8 Lagoa 8 Alto Colina 8 Odiáxere 8 Silves 8 Aljezurense 8 Alvorense 0

V 6 5 5 4 2 1 0 0 0

E 0 0 0 0 0 0 1 1 0

D M 0 63 1 100 2 34 3 21 3 20 5 5 5 4 4 2 0 0

S 4 6 20 28 14 54 63 60 0

P 18 15 15 12 6 3 1 1 0

V 7 6 6 5 3 3 2 2 0 0

E 1 2 1 0 0 0 0 0 0 0

D 0 0 1 3 5 5 6 6 8 0

M 66 53 49 30 32 22 23 18 10 0

S 12 9 12 19 35 38 53 53 72 0

3

4 1 3 0 0

Resultados da 9.ª Jornada Ferreiras Imortal Lusitano VRSA 3 Montenegro Esp.Lagos 3 Sporting Faro S.Luís 1º Janeiro EF Faro 1 Louletano

P 22 20 19 15 9 9 6 6 0 0

CLASSIFICAÇÃO J Ferreiras 9 Alto Colina 9 Quarteirense 9 EF J.Moutinho 9 Esp.Lagos 9 Imortal 9 Louletano 9 Internacional 9 Padernense 9 Salir 9

P 27 19 19 16 16 13 8 6 4 3

CLASSIFICAÇÃO J Louletano 8 S.Luís 8 Imortal 7 EF Faro 9 Sporting Faro 7 Lusitano VRSA 8 Esp.Lagos 8 Montenegro 8 Ferreiras 7 1.º Janeiro 0

Próxima Jornada 10ª. Portimonense Odiáxere Alto Colina Alvorense Armacenenses Silves EF J.Moutinho Aljezurense Esp.Lagos Lagoa

Próxima Jornada 10ª. Beira Mar Moncarapachense Marítimo Olh. Fuzeta Gin.Tavira Castromarinense Olhanense Lusitano VRSA Folga Bias

SÉRIE D

SÉRIE C

Resultados da 9.ª Jornada Salir 0 Quarteirense Esp.Lagos 2 Imortal Alto Colina 10 Internacional Ferreiras 5 Louletano EF J.Moutinho 8 Padernense

2 1 1

V 9 6 6 5 5 4 2 2 1 1

E 0 1 1 1 1 1 2 0 1 0

D 0 2 2 3 3 4 5 7 7 8

M 65 61 34 34 28 25 14 15 9 18

S 3 25 16 15 16 23 37 36 60 72

V 7 7 6 5 4 2 1 1 0 0

E 0 0 0 0 0 1 1 1 1 0

D 1 1 1 4 3 5 6 6 6 0

M 43 32 33 28 24 12 13 9 4 0

S 6 9 13 21 17 25 48 24 35 0

5

Resultados da 9.ª Jornada Gin.Tavira 0 Lusitano VRSA 5 1.º Janeiro 1 Farense 3 Montenegro 0 Olhanense 22 S.Luís 4 4 ao Cubo 2 EF Faro 6 Geração Génios 1

P 21 21 18 15 12 7 4 4 1 0

CLASSIFICAÇÃO J Olhanense 7 EF Faro 8 Lusitano VRSA 7 Geração Génios 7 Farense 8 1.º Janeiro 8 Gin.Tavira 7 Montenegro 8 4 ao Cubo 8 S.Luís 8

1 5

Próxima Jornada 10ª. Louletano Imortal Lusitano VRSA Sporting Faro EF Faro Montenegro S.Luís Ferreiras Esp.Lagos 1.º Janeiro

Próxima Jornada 10ª. EF J.Moutinho Imortal Ferreiras Quarteirense Louletano Internacional Esp.Lagos Alto Colina Salir Padernense

FUTSAL NACIONAL

V 7 7 6 4 3 3 2 1 0 1

E 0 0 0 1 1 0 1 2 3 0

D 0 1 1 2 4 5 4 5 5 7

M 86 63 37 30 9 14 15 8 12 11

S 3 19 10 14 39 38 39 30 47 46

P 21 21 18 13 10 9 7 5 3 3

Próxima Jornada 10ª. Geração Génios Lusitano VRSA Montenegro 4 ao Cubo 1.º Janeiro Olhanense EF Faro Farense S.Luís Gin.Tavira

SENIORES FEM.

2.ª I DIVISÃO DIVISÃO

Resultados da 12.ª Jornada S.Pedro 1 Putos da Rua 3 Olhos D’Água 3 Atalaia 9 Carvoeirense 1 Pedra Mourinha2 Silves 3 U.Lagos 0 Fuzeta 4 GEJUPSE 4 CP Messines 3 Alte 2

JUNIORES MASC.

Resultados da 10.ª Jornada

Resultados da 10.ª Jornada

Covil Dragão Tunes Pechão

Machados 5 U.Lagos Putos da Rua 2 Padernense Folgou Alte e CHE Lagoense

4 4 3

Bonjoanenses 0 Leões 6 Porches 6

1 5

I DIVISÃO JUNIORES FEM.

Resultados da 16.ª Jornada

Resultados da 6.ª Jornada

Louletano C Benfica VRSA Pedra Mourinha Boavista Alte Sonâmbulos

GEJUPSE 0 CHECUL Quart. 10 Padernense 8 Putos da Rua 1 Folgou Armacenenses

2 2 3 3 10 7

GEJUPSE 2 Albufeira Futsal 4 Sapalense 2 Bonjoanenses 3 1.º Janeiro 1 Olhos D’Água 6

S.Pedro 11 Machados 0 Olhos D’Água 3 CHE Lagoense 3

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CP Messines 12 U.Lagos 12 Atalaia 11 Fuzeta 12 Pedra Mourinha 12 Carvoeirense 12 Putos da Rua 11 S.Pedro 12 Silves 11 GEJUPSE 12 Alte 12 Olhos D’Água 11

CP Messines 12 U.Lagos 12 Atalaia 11 Fuzeta 12 Pedra Mourinha 12 Carvoeirense 12 Putos da Rua 11 S.Pedro 12 Silves 11 GEJUPSE 12 Alte 12 Olhos DÁgua 11

Padernense CHE Lagoense Putos da Rua Machados Alte U.Lagos

GEJUPSE Alte Albuf. Futsal Louletano C Benf. VRSA Olhos D’Água Sapalense 1.º Janeiro Sonâmbulos Pedra Mour. Bonjoanenses Boavista

S.Pedro CHECULQuart. Armacenenses Putos da Rua GEJUPSE CHE Lagoense Padernense Olhos D’Água Machados

2 2 2 3 1 1 1 3 4 3 2 0

1 2 2 3 5 6 5 5 5 7 8 9

46 44 45 50 38 50 38 45 26 32 33 45

Próxima 13.ª

Atalaia GEJUPSE Alte Pedra Mourinha U.Lagos Putos da Rua

S.Pedro Olhos D’Água Carvoeirense Silves Fuzeta CP Messines

28 22 29 42 40 50 41 38 25 50 54 73

29 26 23 21 19 16 16 15 10 9 8 6

9 8 7 6 6 5 5 4 2 2 2 2

2 2 2 3 1 1 1 3 4 3 2 0

1 2 2 3 5 6 5 5 5 7 8 9

46 44 45 50 38 50 38 45 26 32 33 45

Próxima 11.ª

Leões Porches Pechão

Bonjoanenses Covil Dragão Tunes

28 22 29 42 40 50 41 38 25 50 54 73

29 26 23 21 19 16 16 15 10 9 8 6

8 7 7 7 6 7

6 4 2 2 2 0

1 2 3 3 0 1

1 1 2 2 4 6

39 28 16 16 4 4

9 8 13 13 19 45

19 14 9 9 6 1

16 16 16 16 16 16 15 14 16 15 16 16

Próxima 11ª

Próxima 17.ª

U.Lagos Alte CHE Lagoense Machados Folga Putos da Rua e Padernense

Albufeira Futsal 1.º Janeiro Olhos D’Água Sapalense Bonjoanenses GEJUPSE

13 12 12 8 8 8 8 6 5 2 1 0

1 1 1 3 2 1 1 1 3 3 3 2

2 95 36 3 119 47 3 118 44 5 49 38 6 59 68 7 103 72 6 71 60 7 67 68 8 52 57 10 33 75 12 32 122 14 30 141

Na última sexta-feira, teve lugar a cerimónia de tomada de posse de Jorge Martins, como presidente da Direcção do Centro de Ciclismo de Loulé. Ao ato assistiram várias figuras do desporto e do concelho, entre eles Toni do Adro, presidente da Direcção do Louletano, Jorge Corvo, presidente do Centro Ciclismo de Tavira, e Rogério Teixeira, presidente da Associação de Ciclismo do Algarve. Após a tomada de posse, Jorge Martins, o novo presidente da Direcção, agradeceu o notável trabalho anterior, por parte do seu antecessor Manuel Baptista e prometeu muito trabalho, tendo em certa altura su-

blinhado: “Esperamos conseguir os nossos objectivos, com um importante trabalho na área da formação, tudo fazendo, como o apoio dos nossos técnicos, atletas e patrocinadores para participarmos em todas as provas nacionais e nalgumas provas em Espanha. Agradeço a todos os patrocinadores e à Câmara Municipal de Loulé todo o apoio, e tudo faremos para continuar a prestigiar o concelho de Loulé e o ciclismo nacional.” Talvez como causa de um vasto leque de casos de doping, e quiçá lembrando Pedro Lopes, Joaquim Guerreiro, vereador do Desporto da Câmara Municipal de Loulé, foi bem claustro na sua intervenção: “Deixo um apelo aos dirigentes, técnico e atle-

40 37 37 27 26 25 25 19 18 9 6 2

5 5 5 5 5 6 6 6 5

5 5 4 3 3 3 1 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 1 2 2 3 5 6 5

61 37 19 24 18 17 15 13 7

13 5 12 12 20 14 33 49 53

Próxima 7.ª

Louletano C Benfica VRSA Pedra Mourinha Boavista Alte Sonâmbulos

Jorge Martins tomou posse como presidente do Centro de Ciclismo de Loulé > NETO GOMES

7 5 5 5 7 2 2

Cascais 1 Boa Esperança 4 Amarense 6 LOULETANO 5 CPCD 4 S. João 3 Loures 2

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Leões P. Salvo 12 SL Olivais 12 Operário 12 Loures 12 Torpedos 12 Cascais 12 Amarense 12 S. João 12 ALBUFEIRA F. 12 LOULETANO 12 CPCD 12 Boa Esperança 12 Vila Verde 12 Independentes 12 Cascais Boa Esperança Amarense LOULETANO CPCD S. João Loures

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

9 8 7 6 6 5 5 4 2 2 2 2

Leões P Salvo SL Olivais Vila Verde Independentes Operário ALBUFEIRA F. Torpedos

11 9 8 7 7 7 6 5 4 3 3 2 2 0

1 2 1 3 2 1 1 0 1 2 1 2 1 2

0 1 3 2 3 4 5 7 7 7 8 8 9 10

79 68 56 54 43 48 51 38 41 37 40 34 37 25

18 37 39 34 39 47 48 48 43 51 58 55 60 74

34 29 25 24 23 22 19 15 13 11 10 8 7 2

Próxima 13.ª

FUTSAL DISTRITAL 1.ª I DIVISÃO DIVISÃO

2.ª I DIVISÃO DIVISÃO Resultados da 12.ª Jornada

tas, lembrando que quem veste as camisolas das equipas do concelho de Loulé, têm que ter conduta, dignidade e responsabilidade, porque sempre fomos um concelho que elevou bem alto o nome do desporto e é preciso que sejamos responsáveis.” Falando sobre o apoio da autarquia, lembrou a crise e sustentou: “Vamos continuara a apoiar, porque o ciclismo foi historicamente uma das grandes monstras do nosso concelho. Contudo, se conseguirem fazer melhor com o menos dinheiro ou fazer menos, mas bem feito, então os apoios da autarquia e o esforço de todos nós, foi compreendido. Podem contar com o nosso apoio, dentro dos condicionalismos já referenciados.”

S.Pedro CHECUL Quart. Machados Armacenenses CHE Lagoense Olhos D’Água Putos da Rua GEJUPSE Folga Padernense

15 15 12 9 9 9 3 0 0

SL Olivais Vila Verde Independentes Operário ALBUFEIRA F. Torpedos Leões Porto Salvo

3.ª I DIVISÃO DIVISÃO Resultados da 12.ª Jornada

Piedense Nacional SONÂMBULOS ACAD. ALG. STO ESTEVÃO Capelense Fabril

2 2 10 1 1 2 3

Sassoeiros 3 Vinhais 5 Aljustrelense 2 INTER-VIVOS 0 SAPALENSE 3 Quinta Lombos6 Quinta Conde 2

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Quinta Lombos 12 Fabril 12 Vinhais 12 Sassoeiros 12 Quinta Conde 12 INTER-VIVOS 12 SONÂMBULOS 12 Capelense 12 Nacional 12 STO ESTEVÃO 12 ACAD. ALG. 12 SAPALENSE 12 Piedense 12 Aljustrelense 12

10 9 8 7 7 6 5 4 5 3 3 3 3 0

2 1 3 2 0 2 2 4 0 3 3 0 0 0

0 2 1 3 5 4 5 4 7 6 6 9 9 12

68 54 54 52 57 40 41 47 47 30 18 32 31 18

26 30 32 31 42 31 31 49 52 39 32 70 42 82

Próxima 13.ª

Sassoeiros Vinhais Aljustrelense INTER-VIVOS SAPALENSE Quinta Lombos Quinta Conde

Nacional SONÂMBULOS ACAD. ALGARVE SANTO ESTEVÃO Capelense Fabril Piedense

Jorge Martins, à direita, durante a intervenção de Joaquim Guerreiro

32 28 27 23 21 20 17 16 15 12 12 9 9 0


A

GENDA

[21]

JORNAL do ALGARVE

[ACTIVIDADES CULTURAIS]

FARO Biblioteca Municipal SER VIÇO EDUCATIVO Atividades Permanentes [Menores de 14] PARA GRUPOS Mergulhar nas Estórias Hora do Conto + Atividade Creches, Jardins de Infância, Escolas e Atl’s: 3ª a 6ª feira - 10:00 e 14:00 PARA O PÚBLICO EM GERAL “… e com pós de perlimpimpim… a tarde chega ao fim!!!!!” Sala do Conto - 2ª, 3ª e 4.ª - 18:00 5as Feiras - Clube dos Pais (Pais e Avós contam histórias) - 18:00 Sábados: 16:00 NA BEBÉTECA - 6as feiras - 18:00 TEMPO PARA BRINCAR Atividades na Ecoteca, Jogos, Pinturas, Colagens, Desenhos e mais atividades! 2ª feiras e sábados - 14:00»19:00 3.ª feiras a 6.ª feiras - 09:30»19:00 BIBLIOTECA FORA DE PORTAS Quinzenalmente sessões de leitura animada na Pediatria do Hospital de Faro para as crianças hospitalizadas, dinamizadas pela equipa da Biblioteca. 20 - Ciclo de Conferências «Conversas sobre a Infância», 18h00; “Desenvolvimento da Escrita no 1º ano”, Pela Prof.ª Maria Eugénia Jesus - MEM. 21 - «Conversas sobre Literatura e Cinema - Como Ler um Filme», 18h00, no âmbito do Projecto “Cinema Entre Linhas” pela Dr.ª Miriam Tavares. 22 - “Breve História da Física”, 16:00, apresentação do Livro da Dr.ª Mariana Dias Fernandes. LOULÉ Biblioteca Municipal Hora do Vídeo 24 e 31 - Segundas - feiras 15h00 Atelier de Expressão Plástica 20, 25 e 27 - 10H30 e 15H00 Tardes de Cinema na Biblioteca 21 e 28 jan > 16H00 Ciclo de Tom Hanks - Entrada Livre 21 – “Código Da Vinci” (M/ 12 anos) 28 – “Terminal de Aeroporto” (M/ 12 anos) Encontro do Clube de Leitura de Loulé 27 > 21H00 Destinatários: Público em geral Encontro do Clube de Leitura de Quarteira 25 Jan > 21H00 Público em geral Auditório da Centro Autárquico de Quarteira PORTIMÃO Biblioteca Municipal - Sábados Infantis: Ateliês de música, dança e contos. Quinta Pedagógica 9h30-17h30 - 3ª a 6ª feira 10h00-17h30 – Fins-de-Semana 22 - ateliê "Do Trigo ao Pão" (11h00) 29 - ateliês "O Sr. Espantalho" (11h00) e "O Barro na Quinta" (15h00). TAVIRA BIBLIOTECA MUNICIPAL ALVARO DE CAMPOS Hora do Conto "Ao abrir o livro..." Terças e quintas-feiras | 10h30 e 14h00 Do pré-escolar ao 2.º ciclo e outros grupos Zás... O que o Livro nos Traz... "Biodiversidade" Sextas-feiras | 10h30 e 14h00 1.º e 2.º ciclos e outros grupos . O Baú das Letras Um baú... histórias para partilhar… Sábados | 16h00 Grupos que manifestem interesse na actividade Ao encontro da Biblioteca... Quartas-feiras: 10h00 Sextas-feiras: 14h00 Grupos de pelo menos 10 pessoas VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO Biblioteca Municipal António Vicente Campinas Até 31 janeiro > Conta lá! - Hora do conto Seg. a sex. às 10h30 | seg. qua. e sex. “Alana, a bailarina da água” – de Alice Cardoso Ter. e Qui. “Nascer para ser rico” – (Conto tradicional) *Marcações Biblioteca ou pelo telef. 281 510 050 > Às 4 na Biblioteca Ter. a sex. às 16h00 Conto, manualidades, jogos educativos, filmes, etc.

20 I janeiro I 2011

ACONTECIMENTOS I LIVRO >Sábados na Biblioteca Sábado às 15h00 Criações plásticas; História Virtual; História em Power Point; Filme. > Visitas acompanhadas à exposição – “Plantas que curam. Usos e saberes na medicina popular” Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela >Visitas acompanhadas a Cacela Velha > Visita guiada à Biblioteca Municipal Vicente Campinas, seg. a sex. 28 e 29 - Apresentação de livro "No país das Porcas - Saras" de Fernando Évora, 28 - 14h30; 29 - 16h30 Biblioteca Municipal Vicente Campinas Dia 23 - Saída de campo, "Ervas e Mezinhas dos Avós", 14h às 17h, Centro Ciência Viva de Lagos.

[APRESENTAÇÃO] 27- Lançamento do Livro “Lagos no limiar do Séc. XXI”, 14h30, no Centro Cultural de Lagos.

[DANÇA] 22 - "Nortada", Espetáculo da Companhia Olga Roriz, 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro. 23 - Espetáculo Infantil, "Avô Cantigas", 16h00, no Auditório Municipal de Olhão.

[DESPORTO] Até 22 - Supertaça Nacional em Andebol, no Portimão Arena, Portimão. 28 - 2.ª Taça AA - Algarve de Marcha Atlética, Faro/ Loulé. > Gala do Desporto, 20h30, no Auditório Municipal de Albufeira. 23 - VIII Marcha-Corrida De Pechão, “Amendoeiras em Flor”, 10h00, Zona Desportiva de Pechão, Olhão. > S. C. Olhanense - Académica, Estádio José Arcanjo, Olhão > Marcha-corrida, 10h00, Parque de Lazer da Mata da Conceição , Tavira.

[EXPOSIÇÕES] Até 28 - Mostra Filatelia "Mostra Filatelia comemorativa dos 550 anos da Morte do Infante D. Henrique, na Galeria Municipal de Albufeira. Até 29 - Exposição "Um Natal mais ecológico em Albufeira", segunda a sábado, na Galeria de Arte Pintor Samora Barros, Albufeira. Até 31 - Exposição "Amália Nossa", de segunda a sexta, na Igreja da Misericórdia, Silves. > Coletiva Artistas da Galeria, no Centro Cultural São Lourenço, Almancil, Loulé. > Exposição Fotográfica "Via Algarviana. Um Olhar sobre os Valores Naturais e Culturais", todos os dias úteis das 10h00 às 17h30, na sala de exposições da CCDR Algarve, na Pontinha em Faro. > "Manuel Cabanas e Os Intelectuais e Artistas do seu Tempo", na Escola EB 2/3 de Castro Marim. Arquivo Histórico Municipal - Até 31 janeiro Exposição "Memento Mar Memor" Exposição "Indústria Conserveira em VRSA" Exposição "Artes Litográficas" 09h30> 12h30 / 14h00> 16h30 (Segunda a Sexta) > Exposição "Vicente Campinas - O Homem e o Escritor - 100 Anos", 9h30> 18h30 (Segunda a Sexta); 14h00> 18h30 (Sábado), na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, VRSA. >Exposição Filatélica Alusiva ao Centenário de António Vicente Campinas, Núcleo de Filatelia dos Bombeiros Voluntários de VRSA, 9h30> 18h30 (Segunda a Sexta), 4h00> 18h30 (Sábado), na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, VRSA. > Colectiva artistas da Galeria, no Centro cultural São Lourenço, Almancil, Loulé. Ate 4/2 - Exposição de Igor Nunes Silva, Casa da Juventude [Corredor das Artes ], Olhão. Até 9/2 - Exposição colectiva "Amália Meu Amor", na Galeria de Santo António, Monchique. De 15/1 a 13/2 - Exposição de Pintura de Susana Garrochinho, Galeria de Arte Praça do Mar, Quarteira. Até 20/2 - “Algarve Visionário, Excêntrico e Utópico” no Museu Municipal /Galeria Trem / Museu Regional do Algarve, Faro. Até 2/3 - Exposição de Artes Plásticas com Artistas da galeria, Galeria do Centro Cultural de São Lourenço, São Lourenço, Almancil. Até 31/3 - Exposição: Silos Islâmicos da Barrada -

Exposição de Igor Nunes Silva, Casa da Juventude [Corredor das Artes], Olhão

Aljezur, 09h00 - 13h00 e 14h00 - 17h30, encerra aos sábados, domingos e feriados, Associação de Defesa do Património Histórico e Arqueologico de Aljezur. De 29/1 a 2/4 - Exposição de Fotografia "Lapso de Tempo" de Luís Ramos, terça a sábado, no Museu Municipal de Tavira. Até 18/6 - Exposição "Cidade e Mundos Rurais", terça a sábado, 10h00-12h30 e das 14h00-17h30, Museu Municipal de Tavira. De 26/1 a 31/7 - Exposições "Sabores da Europa" e "Azeite - Saberes com sabor", terça 14h30-18h00, quarta a domingo, 10h00-18h00, Museu de Portimão, Portimão. De 29/01 a 2/4 - Exposição de Fotografia "Lapso de tempo de Luís Ramos, terça a sábado, 10h0012h30, 14h00-17h30, no Museu Municipal de Tavira, Palácio da Galeria, Tavira. Até 10/9 - "Dez Monumentais Esculturas Britânicas", diariamente, Cerro da Vila, Vilamoura, Loulé. EXPOSIÇÕES PERMANENTES > Pinturas de Cliff Martin Tuson, todos os dias, 10h00-22h00, Galeria Lynne Tuson, Bensafrim, Lagos. Museu de Portimão Terça-feira: 14h30-18h00 Quarta a Domingo: 10h00-18h00 Permanente "Exposição “Portimão – Território e Identidade” Exposição "Algarve - Do reino à região" Até 05/02/2011 - "Do Gharb ao Algarve: Uma sociedade Islâmica no Ocidente", Câmara Municipal de Silves. Até 18/07/2011 - "Cidades e Mundos Rurais", Museu Municipal, Tavira. Até 14/05/2012 - "Sombra e Luz - O Século XIX no Algarve", Museu do Trajo, São Brás de Alportel. Até 18/05/2012 - "Alcoutim, Terra de Fronteira", Câmara Municipal de Alcoutim. Diariamente Galeria de Arte de Vila Sol Art & Nature Vila Sol, Vilamoura Galeria de Pintura ATT - Exposição Colectiva São Lourenço, Almancil

[FEIRAS E MERCADOS] 24 - Feira do Gado em Odiáxere Largo do Moinho (4ª Segunda-Feira do Mês) Venda de gado e artigos diversos. 22 e 29 - Reforma Agrária, Mercado de Levante, Lagos (todos os sábados) Venda de produtos hortícolas de produtores locais (fruta, legumes, aves, flores, mel, doces regionais, chás, ervas aromáticas, etc.) VELHARIAS 22 - Monte Gordo (VRSA). 23 - Lagoa, Barão de S. João (Lagos), Monchique, Quelfes (Olhão), MERCADOS 20 - Alte (Loulé). 21 - Guia (Albufeira) 22 - Loulé, São Brás de Alportel, Tunes (Silves), 23 - Pereiro (Alcoutim), Rogil (Aljezur), Almancil (Loulé), Quelfes (Olhão), Santa Catarina (Tavira). 24 - Odiáxere (Lagos), São Bartolomeu de Messines (Silves). 26 - Quarteira (Loulé),

www.jornaldoalgarve.pt

[LIVRO]

"O Grande Livro das Anedotas do Zé" Três vezes montes de anedotas muito divertidas para toda a gente rir, sorrir e contar por todo o lado! Momentos garantidos de boa disposiçao! Em tempo de vacas magras, eis um livro gordo que é uma risota pegada do início ao fim! Nestes tempos difíceis, contrariando as restrições, este livro estimula o aumento do riso e a despesa em gargalhadas, pois… rir é o melhor remédio! Compilando os três primeiros livros da série «As anedotas do Zé», esta colectânea tem o objectivo de trazer alegria, riso e bom humor, tratando da saúde a sisudos e a mal-humorados, com mais de 450 anedotas de todo o tipo. Com ilustrações de Ricardo Neto, o livro fica ainda mais divertido. Um livro para ler, sorrir, contar e rir dos 6 aos 99 anos. Sem contra-indicações. Para quem gosta de rir e de boa disposição, o Zé fez esta selecção. Mais de 450 anedotas para ler de seguida ou salteado, em casa, na rua, em todo o lado! Papa-Letras

[FESTAS E FESTIVAIS] Até 23 - Internacional Gourmet Festival Vila Joya - Albufeira 20 – Enrico & Roberto Cerea Fam. – Itália / Italy 21 – Kenneth Oringer – Estados Unidos / USA 22 – Arnaud Donckele – França / France 23 – Chef Hans Van Wolde – Holanda / Holland

[TEATRO ] 22 - Vice Versa, Victor Hugo Pontes - Teatro Infantil, 16h00, no TEMPO - Teatro Municipal de Portimão. 28/2 a 6/3 -- 6.ª Edição Teatro no Inverno, Espaço da Corredoura, Tavira.

PUB

®

RESTAURANTE

FARO

PIZARIA

MONTE GORDO

e-mail: geral@bellaitalia.pt site: www.bellaitalia.pt


P

20 I janeiro I 2011

UBLICIDADE

[22]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

[CLASSIFICADOS] A DIRECÇÃO DO CLUBE UNIÃO PORTIMONENSE Felicita o seu Ex-Presidente

Recheios

COMPRO

>Transacções [IMÓVEIS]

Antiguidades; Louças/Livros; Pratas/Pinturas; Móveis Contactos: 917 341 265 918 209 788

A direcção

T1/T2 em Monte Gordo. Bom preço. Telf. 281 512 335/914 235 404

OPORTUNIDADE Vende-se Duplex, c/3 quartos, 2 wc, sala c/lareira, cozinha e varandas, 2.º andar, na Urbanização das Amendoeiras Telef. 281 513 321, 281 512 335 ou 965 042 207

VENDE-SE Moradia nas Hortas em Vila Real de Santo António

Contactar telef. 281 511 335 281 513 321 965 042 207 VENDE-SE Lotes de terreno c/ projecto aprovado em Vila Real de Santo António. Contactar 281 512 335/965 042 207

>Profissões Liberais [MÉDICOS]

EDUARDO LARES

VENDE-SE Vivenda com piscina em Vila Real de Santo António Contacto: 281 513 321/965 042 207

ALUGA-SE Espaço comercial em Monte Gordo com 110 m2 Contactar: Telf. 281 512 335/914 235 404 ALUGA-SE

Garagem para 5 lugares em Vila Real de Santo António. Contactar: Telf. 914 235 404/281512 335

[DIVERSOS] VENDE-SE Cães de raça yorkshire. Contactar Telm. 914 821 637

Monte Gordo - Menu Pizzeta - ¤ 6,10 - Menu do Dia - ¤ 7,60 (bebida incluída) só ao almoço

OFTALMOLOGISTA

Cirurgião Ocular Cirurgia da Miopia

LA MAMÃ Monte Gordo - Diariamente pratos do dia económicos, com serviço de take away

Consultas: V.R.S.A. - Tel.: 281 513 343 Tavira - Tel.: 281 380 660

CENTRO DE OFTAMOLOGIA DO ALGARVE LA MAMÃ PIZARIA

Eduardo Lares

100% Italianíssima Monte Gordo Vendem-se pizzas e pastas para fora com 20% de desconto

FARO Tel. 289 895 560

LA MAMÃ

>SERVIÇOS [VÁRIOS]

Serviço de entregas de comidas ao domicílio do grupo

Monte Gordo - Todos os dias menu completo por ¤ 9,50 (bebida incluída)

CORAÇÃO DA CIDADE

JORNAL do ALGARVE

Tel. 966 970 771

Informação diária de todos os pratos

Faça aqui o seu anúncio contacte-nos

VENDE-SE

Quiosque em Vila Real de Santo António. Boa localização Cont. 919 519 011/961 033 736

LA MAMÃ

EXECUTAM-SE Resguardos para banheiras, polibans e redes mosquiteiras.

Tel. 281 511 955 ...este espaço pode ser seu...

Telemóvel: 968 603 046

Moradia V5 em zona residencial do Ameal, Porto, a 800 metros do Colégio Luso-Francês

Preço:

250 000 euros (negociável) Favor contactar

917 303 224

VILA NOVA DE CACELA

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

>EMPREGO PRECISA-SE CENTRO DE EMPREGO DE F ARO FARO

TAVIRA CENTRO Vende-se LOJA c/92,5 m2 R. da Liberdade, 80 (antiga Singer) 918 477 219

FUNERÁRIAS

PEDRO & VIEGAS E PATROCÍNIO

JOÃO SANTOS RAMALHO ORTIGÃO E MARIA FERNANDA GRAÇA P. ALVES RAMALHO ORTIGÃO

1961 BODAS OURO 2001 FELICIDADES

VENDE-SE

V.R.STO. ANTÓNIO

[NECROLOGIA]

Rua 25 de Abril n.º 32 Tel. 281 541 414 Rua João de Deus nº 86 Tel. 281 512 736

TAVIRA Rua Dr. Miguel Bombarda n.º 25 Tel. 281381881281 323983

LUZ DE TAVIRA PROFESSOR/A DE ENSINO BÁSICO - 587739692 FARO TRAÇADOR / FACEADOR (CORTIÇA) - 587737201 S. BRÁS DE ALPORTEL SERRALHEIRO CIVIL (ALUMÍNIO) - 587741346 S.BRÁS DE ALPORTEL COZINHEIRA/O - 587741725 FARO COZINHEIRA/O - 587741727 FARO MONITOR GIMNO-DESPORTIVO - 587742363 CHEFE DE CAFETARIA - 587740083 FARO SECRETÁRIA/O - 587743213 FARO ELECTRICISTA AUTO - 587741890 FARO CENTRO DE EMPREGO DE LAGOS TÉCNICO DE RECURSOS HUMANOS - 587742896 LAGOS MECÂNICO DE AUTO 587735767 VILA DO BISPO EMPREGADA DOMÉSTICA 587742231 LAGOS EMPREGADO DE MESA 587740546 BORDEIRA CENTRO DE EMPREGO DE V V.. REAL STO STO.. ANTÓNIO VIGILANTE (GUARDA, RONDISTA) - 587638840 TAVIRA-VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO CABELEIREIRO - 587738906 CASTRO MARIM POLIDOR - 587718747 TAVIRA TÉC. VENDAS - 587735665 TAVIRA/VILA REAL STO. ANTÓNIO

Est. Nac. 125 N.º 32 Tel 281961455

Idalécio Pedro Telm 964 006 390

Serviço fúnebres com urna estofada no valor de 500 euros, oferta de coroa de flores artificiais e cartões memoriais. Solicite orçamento antes de se decidir

Sempre o melhor serviço ao melhor preço

ATLÂNTICO

Joaquina do Carmo Constantino Mendonça AGRADECIMENTO A sua família cumpre o doloroso dever de agradecer reconhecidamente a todas as pessoas que assistiram ao funeral da sua ente querida, realizado no dia 14 de Janeiro de 2011, tendo saído da Igreja de Cacela Velha, onde em Câmara ardente recebeu os sacramentos, segundo o cortejo fúnebre para o cemitério de Cacela Velha onde ficaram depositados os seus restos mortais. Paz à sua alma «Serviços fúnebres efectuados pela Agência, Pedro e Viegas, Lda.»

SEMPRE GENTIL Agência Funerária

FM 92.2 RÁDIO OFICIAL DO ALGARVE

ONSO AFONSO Gerência de MANUEL AF Funerais, TTrasladações rasladações e Cremações R. Jacinto José de Andrade, n.º 73 8900-313 Vila Real de Santo António Tel/Fax 281 542 835

Telem. 966 208 591 - 913 328 44

SER VIÇO PERMANENTE SERVIÇO

AGÊNCIA FUNERÁRIA

VAZ Gerência de Fernando Vaz Funerais, Trasladações e Cremações

Emissão On-line: www. atlanticofm.web.pt

Rua Poente ao Palácio da Justiça, 6 (Junto ao Tribunal) V.R.Sto. António Telefones: (serviço permanente) 281 511 438 ou 964 075 215

E-mail: atlânticofm@mail.telepac.pt

Tel.: 289 706 888 Fax.: 289 706 444

Agradeço ao Divino Espírito Santo as graças recebidas

A.R.I.S.L.P.


A

GENDA

[23]

JORNAL do ALGARVE

CINEMAS I MÚSICA FARMÁCIAS I CRÍTICA

PREVISÕES

[FARMÁCIAS]

[CINEMAS] FARO Instituto Português da Juventude Ciclo "Por detrás do amor" 21h30 24 - "Yuki e Nina" 31 - "O Rei da Evasão" SBC CINEMAS - Fórum Algarve 20 a 26 janeiro Sala 1 “Vais conhecer o Homem dos teus Sonhos” M/ESTREIA 14.15, 16.30, 18.45, 21.00 (diariamente) 23.30 (Sexta e Sábado) “Gru – O Maldisposto V.P.” 10.50 (sábado e domingo) Sala 2 “Megamind” 10.20 (sábado e domingo) 16.25 (diariamente) “Burlesque” 13.50, 18.35, 21.10 (diariamente) 23.45 (sexta e sábado) Sala 3 “A Outra Vida” 13.00, 15.45, 18.30, 21.20 (diariamente) 00.10 (sexta e sábado) Sala 4 “Não há família pior” 12.50 (sábado e domingo) 14.55, 17.10, 19.35, 21.50 (diariamente) 00.15 (sexta e sábado) Sala 5 “As Viagens de Gulliver” ESTREIA 10.30 (sábado e domingo) 13.05, 15.10, 17.20, 19.25, 21.30 (diariamente) 23.40 (sexta e sábado) Sala 6 “As Crónicas de Nárnia: A Viagem do Caminheiro da Alvorada” 10.10, 12.40 (sábado e domingo) “Skyline” 15.05, 17.15, 19.30, 21.40 (diariamente) ; 23.50 (sexta e sábado) Sala 7 “O Turista” 12.05 (sábado e domingo) 14.25, 16.45, 19.05, 21.25 (diariamente) 23.55 (sexta e sábado) Sala 8 “Toy Story 3 V.P.” 10.00 (sábado e domingo) “Harry Potter 7 – Parte 1” 15.20, 21.05 (diariamente) “A Verdade da Crise” 18.25 (diariamente) 00.20 (sexta e sábado) Sala 9 “Entrelaçados” 10.40 (sábado e domingo) “A Tempo e Horas” 17.40, 19.50, 22.00 (diariamente) 00.15 (sexta e sábado) 3.10,15.25 (diariamente) GUIA Algarve Shopping 20 a 26 janeiro Sala 1 "Entrelaçados" 12h50, 14h55, 17h00, 19h05 - qui a qua "O Preço da Traição" 21h15, 23h40* - qui a qua Sala 2 "As Viagens de Gulliver" 13h05, 15h00, 17h05, 19h10, 21h35, 00h05*- qui a qua Sala 3 "Burlesque" 13h35, 16h05, 18h35, 21h20, 23h55* - qui a qua Sala 4 "Não há Família Pior" 13h30, 15h40, 18h10, 21h00, 23h30* - qui a qua Sala 5 "A Tempo e Horas" 13h25, 15h45, 18h20 - qui a qua "Skyline - O Alvo Somos Nós" 21h45, 00h15* - qui a qua Sala6 "Tron: O Legado" 13h10, 15h50, 18h30, 21h10,

Hoje - Céu geralmente limpo. Vento fraco. Temp min. 12º máx. 16º Sexta-feira - Céu pouco nublado. Vento moderado. Temp min. 10º máx. 15º Sábado - Céu geralmente limpo. Vento moderado. Temp min. 5º máx. 13º Domingo - Céu geralmente limpo. Vento moderado. Temp min. 4º máx. 13º

"As Viagens de Gulliver" 23h50* - qui a qua Sala 7 "O Turista" 13:20, 16:10, 18:25, 21:30, 23:45* - qui a qua Sala 8 "Hereafter - Outra Vida" 13:15, 16:00, 18:40, 21:25, 00:00* - qui a qua Sala 9 "Vais Conhecer o Homem dos Teus Sonhos" 13:00, 15:05, 17:10, 19:15, 21:40, 00:10* - qui a qua * Sessão Válida 6ª e Sáb

OLHÃO CINECLUBE OLHÃO 21h30 25 - "Os Miúdos estão Bem" ALGARCINE 20 a 26 janeiro Sala 1 "As Aventuras de Sammy: A Passagem Secreta" Diariamente - 14:00 sab/dom - 10:45 "Tron O Legado" Diariamente - 15:30/18:30/21:30 sex/sáb - 23:45 Sala 2 "O Turista " Diariamente - 13:00/15:20/18:20/ 21:20; sex/sáb - 23:40 Sala 3 "Entrelaçados" Diariamente - 14:00/16:00 sáb/dom - 10:40 "O Amor é melhor a Dois" Diariamente - 18:15/21:15 sex/sáb - 23:15 PORTIMÃO ALGARCINE - Portimão 20 a 26 janeiro Sala 1 "As Viagens de Gulliver" Diariamente - 14:00/15:30/18:00/ 20:00/21:30;sex/sáb - 00:00 Sala 2 "Entrelaçados V.P." Diariamente - 14:00 "Tron O Legado " Diariamente - 15:45/18:15/21:45 sex/sáb - 00:00 CASTELLO-LOPES 20 a 26 janeiro Sala 1 "Tron: O Legado" 13h20, 16h00, 18h40, 21h20, 0h00*- qui a qua Sala 2 "Hereafter - Outra Vida" 13h00, 15h50, 18h35, 21h30, 0h15* - qui a qua Sala 3 "A Última Estação Alambique" 13h05, 15h30, 18h25, 21h50, 0h20* - qui a qua Sala 4 "Não há Família Pior" 13h10, 15h20, 17h30, 19h45, 22h00, 0h10* - qui a qua Sala 5 "O Turista" 13h30, 16h10, 18h50, 21h10, 23:50* - qui a qua Sala 6 "As Viagens de Gulliver"

13:40, 15:40, 17:40, 19:40, 21:40, 23:40* - qui a qua * Sessão Válida 6ª e Sáb

TAVIRA Cine-teatro António Pinheiro 21h30 20 - “Dos Homens e dos Deuses” 23 - “Os miúdos estão bem” LUSOMUNDO - Gran Plaza Tavira 20 a 26 janeiro "As Viagens de Gulliver" 13h30, 16h00, 18h10, 21h30, 23h40(6ª a sáb.) "Hereafter – Outra Vida" 13h00, 15h50, 18h30, 21h20, 00h05(6ª a sáb.) "O Turista" 13h20, 15h40, 18h40, 21h40, 00h10(6ª a sáb.) "Entrelaçados" 11h00(dom) "Tron" 3D 12h50, 15h30, 18h20, 21h10, 00h00(6ª a sáb.) "Não há família pior!" 13h10, 15h20, 18h00, 21h00, 23h30(6ª a sáb.)

[MÚSICA] 21 - 5.ª Gala Maria Campina, 21h30, no Auditório Pedro Ruivo, Faro. > Encontro de Janeireiros 2011, 20h30, Sede da Ascratia - Ferreiras. 22- 4.º Encontro de Janeiras, de Olhos de Água, 20h00, Junta de Freguesia de Olhos D'Água, Albufeira. > Concerto de Ano Novo, 21h30, Igreja S. Sebastião, Lagos. > Concerto de Ano Novo, 21h30 Igreja de S. Sebastião, Lagos > Grande noite do Fado Amador, 21h00, Cine-teatro António Pinheiro, Tavira. 22/1 a 12/2 - V Concurso de Fado Amador de V.R.Sto. António, 21h30, Centro Cultural António Aleixo, VRSA. Concertos "Músicas nas Igrejas Ermida São Sebastião, Tavira-18h00 22 - Duo Tanguíssimo 29 - Fados Marianos 28 - Jazz com Todos, 21h30 Local: Centro Cultural de Lagos 29 - Baile Sénior, 15h00 Centro Social de Almádena, Lagos > Concerto pela Academia de Música de Lagos, Masterclass de Trompete, com Bruno Nouvion, 21h30, no Centro Cultural de Lagos. Diariamente - Espetáculo "Divina Comédia", 22h30, encerra às segundas e terças, no Casino de Monte Gordo. - Espetáculo "Os 4 elementos do Zodíaco", 22h30, encerra às segundas e terças, na Praia da Rocha - Hotel Algarve Casino, Portimão. Janeiro a abril - "Fado ao Jantar", todos os domingos, no Restaurante A Vela, Carvoeiro, Lagoa.

ALBUFEIRA > 20,21 - Piedade; 22 a 26 - Alves de Sousa. ALCOUTIM > 20 a 26 - Caimoto. ALJEZUR > 20 a 26 - Furtado. ALMANCIL > 20 a 23 - Nobre Passos; 24 a 26 - Paula. ARMAÇÃO DE PÊRA > 20, 21 - Sousa Coelho; 22 a 26 - Edite. CASTROMARIM>20 a 26 -Moderna. FARO > 20 - Pereira Gago; 21 - Da Penha; 22 - Baptista; 23 - Helena; 24 - Alexandre; 25 - Crespo Santos; 26 - Palma Batista. LAGOA > 20, 21 - Sousa Pires; 22 a 26 - Lagoa. LAGOS > 20 - Ribeiro Lopes; 21 - A Lacobrigense; 22 - Silva; 23 - Telo; 24 - Neves; 25 - Ribeiro Lopes; 26 - A Lacobrigense. LOULÉ > 20 - Pinheiro; 21 - Pinto; 22 - Avenida; 23 - Martins; 24 - Chagas; 25 - Pinheiro; 26 - Pinto. MONCHIQUE > 20 a 23 - Moderna; 24 a 26 - Hygia. ODECEIXE > 20 a 26 - Odeceixence. OLHÃO > 20 - Nobre Sousa; 21 - Brito; 22 - Rocha; 23 - Pacheco; 24 - Progresso; 25 - Olhanense; 26 - Nobre Sousa. PORTIMÃO > 20 - Guilherme Dias; 21 - Central; 22 - Pedra Mourinha; 23 - Moderna; 24 - Carvalho; 25 - Rosa Nunes; 26 - Amparo. QUARTEIRA > 20, 21 - Maria Paula: 22 a 26 - Miguel Calçada. SAGRES > 20 a 26 - Sagres. S. BARTOLOMEU MESSINES > 20 a 23 - Sequeira Correia; 24 a 26 - Algarve. SÃO BRÁS DE ALPORTEL – 20 - Dias Neves; 21 - S. Brás; 22 a 24 - Dias Neves; 25 - S. Brás; 26 - Dias Neves. SILVES - 20 a 22 - Cruz de Portugal; 23 a 26 - Guerreiro. TAVIRA - 20 - Sousa; 21 - Do Montepio; 22, 23 - Maria Aboim; 24 - Central; 25 - Felix Franco; 26 - Sousa. VILADOBISPO-20 a 26-ViladoBispo. VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO - 20. 21 - Carmo; 22 a 26 - Pombalina. Serviço permanente (24h): Alcantarilha (Maria Sequeira), Algoz (Monteiro), Alvor (Alvor), Areias S. João (Godinho Belo), Boliqueime (Cruz Ramos), Carvoeiro (Neves Furtado), Estoi (Ossónoba), Fuzeta (Mendes Segundo), Montenegro (Assunção), Praia da Luz (Praia da Luz), Vilamoura (Silva), Luz de Tavira (Maria Isabel), Monte Gordo (Internacional), S. Marcos da Serra (São Marcos), Guia (Neves Silva), Odiáxere (Moreira Barata), Estômbar (Vieira Santos), Alte (Horta Figueiredo), Sta. Catarina da Fonte do Bispo (Bota), Conceição de Faro (Leonardo), Praia da Rocha (Palma Santos), Ferragudo (Oliveira Martins), Ferreiras (Marques Silva), Mexilhoeira Grande (Ilda), Patacão (Huguette Ribeiro), Sta. Bárbara de Nexe (Coelho), Sta. Luzia (Picoito), Sto. Estêvão (Cesário Tavares), Olhos de Água (Olhos d'Água), Pêra (Paula Santos), Moncarapacho (Soares), Benafim (Rodrigues), Pechão (Pechão), Aeroporto de Faro, Portimão (Três Bicos), Conceição de Tavira (Conceição), Vila Nova de Cacela (Cacela).

20 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

[AVARIAS] Se existisse um candidato chamado Branco, então eu votaria em branco

Fernando Proença

Este ano bati o recorde: devo ter visto e ouvido, de todos os debates para a eleição do Presidente da República, vamos lá, uns vinte minutos. Já perdi um pouco mais com os tempos de antena, porque me quer parecer que aí habitam as formas que reúnem as verdadeiras ligações que se fazem entre o candidato e o povo. Se ainda existe alguém que acredita nas intenções e propósitos de qualquer um dos putativos presidentes, então aquelas pequenas sessões em que gente mais ou menos conhecida, vem a terreiro dizer: “eu voto em ______ “,(segue o nome do candidato), preenche sem dúvida, as poucas dúvidas dos poucos (a repetição é propositada), que ainda acreditam nos glutões de um certo detergente: quero dizer, dos que acham que ser Presidente da República, também é ser interventivo. Por isso não me agradam os debates: aí, dois candidatos comparam posições em assuntos onde não se sentem completamente à vontade e são obrigados a rectificar (mesmo que milimetricamente) muito do que inicialmente defendem, parecendo – perigosamente para eles - mais próximos da realidade. Nos tempos de propaganda nada disso: aquilo é sempre na brecha sempre a abrir (como diz Paulo Sérgio, ainda treinador do Sporting), parecendo uma versão absolutamente surreal das nossas dúvidas anseios e certezas. Parece-me (já o disse antes mas os meus amigos devem de andar a dormir), que em nenhuma outra eleição, parece haver uma diferença tão grande entre o que os candidatos prometem e o que o que podem oferecer ou o que o escolhido, mais cedo ou mais tarde, pode ou quer oferecer. Por exemplo ouço Cavaco Silva dizer que neste mandato vai ser mais interventivo: então se ele quer ser mais interventivo é por que pode, se pode é por que a lei deixa. Se a lei deixa e que eu saiba os poderes presidenciais não foram alterados, também já deixava antes: então porque razão quando aparecia algum dossier que prometia polémica (menos o estatuto dos Açores, que não interessa a ninguém. Que não interessa a ninguém, resposta errada: resposta certa: interessa a Cavaco Silva), ele dizia sempre que não podia fazer nada, que tinha que se resumir à sua insignificância. Hoje, vemos que a agulha mudou o rumo. Já sabe o que fazer e mais: vai fazer quer queiram quer não. Na primeira eleição o nosso Presidente faz sempre (porque lhe calha ser de cor diferente da do governo) o papel de – como eles gostam de dizer – de balança, pêndulo (ou uma merda qualquer que balance entre dois lados) das forças políticas. São espertos: se o povo escolheu um governo deve querer vê-lo governar. Então nem sequer tiram a roupa fora da mala e deitam-se sem desfazer a cama. Limitam-se a gerir as sondagens a não fazer grandes ondas, tudo para que uns anos depois, façam um mandato mais interventivo e tal. Mas eu ouço os jornalistas da política e nem uma pergunta sobre esta maneira que os presidentes têm de encher chouriços nos primeiros anos. Tudo para que lhes caiba um porco bem maior no segundo mandato.


JA COLABORA NA RECICLA GEM ECICLAGEM O Jornal do Algar Algarvve está a colaborar na reciclagem de papel, reutilizando e utilizando sobras. Desta fforma orma pre prett endemos sensibilizar os nossos leit ores para a luta contra o plástico leitores (utilizado por div er sos jornais e re vistas diver ersos revistas na eexpedição xpedição por correio) e para a necessidade de se def ender o meio ambient e. defender ambiente.

www.jornaldoalgarve.pt

REDACÇÃO/ADMINISTRAÇÃO/PUBLICIDADE Tels. 281511955/6/7 - Fax 281511958 - e-mail: jornaldoalgarve@hotmail.com; faro@jornaldoalgarve.pt; portimao@jornaldoalgarve.pt Rua Jornal do Algarve, 46 - Apartado 23 8900-315 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

AUTARQUIAS E PRINCIPAIS ASSOCIAÇÕES REGIONAIS PROMETEM NÃO BAIXAR OS BRAÇOS

Algarve une esforços e prepara "luta rija" contra portagens INICIATIVA DOS ALUNOS DA UALG

650 quilos de livros para Timor É certo que o conhecimento não se mede aos quilos, mas os 650 quilos de livros angariados e enviados por um grupo de alunos da UALg para Timor, por certo são um reforço de conhecimento e da presença da língua portuguesa nas bibliotecas escolares daquele país. A iniciativa surgiu no âmbito da disciplina de Relações Públicas onde os alunos do 4º ano do curso de Assessoria de Administração da Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo tinham de desenvolver um projeto de cariz solidário. “Livros para Timor” é o nome deste projeto que foi apresentado a particulares e instituições públicas e privadas algarvias que doaram as diversas obras agora enviadas. António Monteiro é um dos membros do grupo de alunos e explicou ao Jornal do Algarve que o grupo aceitou a proposta da docente Maria Helena Nunes para prosseguirem um trabalho iniciado por colegas do ano letivo anterior. “Eles não conseguiram o patrocínio para o envio dos livros que tem um custo muito elevado”, explicou. O grupo agarrou novamente no projeto e conseguiu o patrocínio do Aeroporto de Faro que assegurou o pagamento de 1492 euros referentes ao custo de envio dos livros. Concluída esta fase, os alunos tiveram ainda de encetar contactos para garantir que os livros teriam boa utilização. Para tal, foi bem-sucedido o contacto com o reitor e o vice-reitor do Instituto de Tecnologia de Dili que ficaram responsáveis pela análise dos livros e adequada distribuição em diferentes estabelecimentos de ensino. Na génese do projeto esteve um contacto com uma funcionária da embaixada portuguesa instalada em Timor. “Há cerca de um ano tínhamos recebido um email de uma funcionária da embaixada que nos relatava que a língua portuguesa estava a perder importância no seio da população local. A influência inglesa é muito forte dada a proximidade com a Austrália e a Indonésia, pelo que só as pessoas mais antigas é que ainda falam regularmente o português”, explicou António Monteiro. Estando o país ainda em fase de reconstrução e com a população a ter pouco acesso à informação e à leitura, os alunos aceitaram este desafio com o intuito de ajudar a difundir e a preservar a presença da língua portuguesa em território timorense. S.C.S.

Desde as câmaras municipais às associações empresariais e sindicais da região, todos no Algarve estão unidos na luta contra a introdução de portagens na Via do Infante. Para começar, está prevista uma marcha lenta na ponte do Guadiana, mas a comissão de utentes pondera ir ainda mais longe, pois entende que "só fortes manifestações de luta no terreno" poderão fazer cair por terra uma medida "injusta e ilegal" > NUNO COUTO Até 15 de abril, data limite anunciada pelo governo para a introdução de portagens nas scut, o Algarve promete organizar muitos protestos para mostrar o seu descontentamento e revolta. Depois da aparente apatia dos últimos meses, a região está agora unida em torno desta causa, tendo sido mesmo criada uma plataforma de entendimento contra as portagens na Via do Infante. Esta plataforma inclui nove entidades, entre as quais a Comunidade Intermunicipal do Algarve (que engloba as 16 câmaras municipais da região), as principais associações empresariais (AHETA, AIHSA, NERA, CEAL e ACRAL), assim como os sindicatos (CGTP e UGT) e a comissão de utentes da Via do Infante. Para esta última, a união e entendimento deste grupo é “uma significativa e importante convergência”, esperando a comissão de utentes que daqui resulte “uma verdadeira plataforma de luta contra as portagens na Via do Infante”. “Esta comissão não regateará esforços para afirmar e alargar esta plataforma a outras entidades, associações e sociedade civil”, adiantam os responsáveis, frisando que “só

Casa Museu João de Deus promove ciclo de cinema Para os amantes da comédia, a Casa Museu João de Deus, em Messines, exibe neste dia 20 de janeiro o filme "O par do ano" (America's Sweethearts), de Joe Roth. Integrada no ciclo "4 filmes & 4 autores", a atividade tem início marcado para as 15h30. Esta comédia junta grandes nomes do cinema, como Julia Roberts, Billy Crystal, Catherine Zeta-Jones e John Cusack.

Teatro regressa às escolas de Castro Marim A plataforma anti-portagens da região reúne autarquias, associações empresariais, sindicatos e comissão de utentes

com unidade, determinação e ações concretas de luta conseguiremos impedir a injusta e ilegal instalação de portagens na A22”.

Providência cautelar anti-portagens Para já, a plataforma de entendimento formada pelas nove entidades anunciou que vai solicitar uma nova reunião ao ministro das Obras Públicas, sendo que, já na próxima segunda-feira, vai decorrer uma nova reunião entre todas as autarquias algarvias para “preparar um grande fórum sobre as portagens”, a realizar no início de fevereiro, em Loulé. Nesta reunião marcada

para dia 24, a comissão de utentes também vai propor uma marcha lenta de viaturas na ponte internacional do Guadiana. “No entanto, estaremos abertos a aderir a outras propostas de luta. Entende esta comissão de utentes que só fortes demonstrações de luta no terreno obrigará o governo e o PSD a recuar, pois são os dois responsáveis pela introdução de portagens nas scut”, refere a comissão. Por fim, depois de terem entregue na Assembleia da República uma petição com 14 mil assinaturas, na semana passada, a comissão de utentes prepara-se para avançar com uma providência cautelar anti-portagens na Via do Infante.

O VATE (Vamos Apanhar o Teatro), serviço educativo da ACTA (A Companhia de Teatro do Algarve), vai promover espectáculos teatrais nas escolas do concelho de Castro Marim nos dias 28 e 29 de abril. Segundo a ACTA, a temática do VATE para a temporada 2010/11 é inspirada na última peça escrita pelo dramaturgo inglês William Shakespeare, “A Tempestade”. A peça é seguida do atelier “Dos Cotovelos para Baixo” que parte das características das personagens para a exploração das diferenças, sobre as nossas qualidades, defeitos e personalidades diversas.

5GKKCGP*jhcfah+[A\C\I\K\S

NÃO SE DECIDA SEM VISITAR O APARTAMENTO MODELO

APARTAMENTOS DE QUALIDADE JUNTO

AO

GUADIANA

T1, T2, T3 EM DUPLEX PARQUEAMENTO PRIVATIVO

www.isrconstrucoes.com

Telf.: 281 510 240

Fax: 281 510 249

e-mail: isrgeral@mail.telepac.pt


Edição nº2808 | 20 janeiro 2011