Page 1

O

SEMANÁRIO

FUNDADOR: José Barão I DIRECTOR: Fernando Reis

DE

Quinta-feira

I

MAIOR

EXP ANSÃO EXPANSÃO

13 de janeiro de 2011 I ANO LIII - N.º 2807

I

Preço 1,10

DO

ALGAR VE ALGARVE

PORTE PAGO - TAXA PAGA

www.jornaldoalgarve.pt

O pior dezembro de sempre para o turismo algarvio Houve mais turistas holandeses, mas este aumento não foi suficiente para colmatar as quebras registadas em relação aos turistas portugueses (menos 19,6 por cento) e britânicos (menos 28,1 por cento)

P5

Lagoa aprova orçamento de 41,8 milhões de euros P9

Atletismo: Joaquim Teixeira, presidente da junta de freguesia da Sé (Faro):

Urbanismo, Polis e apoio social são questões dominantes P3

Regionalização, portagens, hospital central e economia vão dominar trabalho do PS Algarve

Miguel Freitas alerta para desafios de 2011 e pede mais garra P4

Ana Dias conquista sétimo título no Grande Prémio dos Reis P 15

Projeto vai ser multiplicado em todas as freguesias do concelho onde seja pertinente

Cantina Social de Albufeira abre na próxima semana

P 24

RADIS Dr. Jorge Pereira

Agora com TAC - Rx - Ecografia - Mamografia RX Panorâmico Dentário Acordos - Convenções ADSE - SAMS - CGD - PSP - CTT - TELECOM - ADMFA ADMG -MÚTUA PESCADORES - MEDIS SAMS QUADROS - MULTICARE Rua Aug. Carlos Palma n.º 71 r/c e 1.º Esq. - Tel. 281 322 606 em frente à farmácia do Montepio (Tavira)

VRSA celebra centenário de Vicente Campinas

P 11


»D

13 I janeiro I 2011

OIS

[2]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Politica

MENTE

O tratado de Lisboa - a quem serve? Vimos, a partir de 2007, o carnaval político para que o citado Tratado, baptizado com Lisboa, fosse aprovado, pela imposição de referendos, em que a Irlanda e mais alguns países tinham essa responsabilidade constitucional. Chantagem para aqui e por acolá, afim das germanias e quejandos; entre querelas e libelos, e imposições aos mais frágeis, tudo somado, para que os desígnios dos novos impérios da velha Europa fossem “democraticamente” atendíveis. É a nova força da Europa emergente que, desde o bloqueio de Berlim em 1944, e sufocada 1945 pelo Tratado de Ialta, regresse, neste novo século 21, ao poder incontrolado da política alemã, Merkel. Não podemos deixar de entrar na história dos tempos, ainda recentes, quando em 1948 se constituiu a O.E.C.E. (Organização Europeia de Cooperação Económica). Em 1951 é assinado o Tratado da CECA (Comunidade Europeia do Carvão e do Aço). Em 1957 - 23/05 - vem a CEE (Comunidade Económica Europeia), pelo Tratado de Roma. Este Tratado prevê a livre circulação das mercadorias entre os seus membros: França, Itália, República Federal Alemã, Bélgica, Holanda e Luxembrugo. 1959 - É criada a Convenção de Estocolmo, em Associação Europeia do Comércio Livre, mais conhecida por EFTA (European Free Trade Association), em que se agrupam Reino Unido, Dinamarca, Suécia, Noruega, Áustria, Suíça e Portugal, entrando em vigor a 3/05/1960. Tem este Tratado, por fim, a expressão económica, a estabilidade financeira, a melhoria do nível de vida nos países membros. As Democracias Populares estão associadas à COMECON (Conselho de Assistência Económica Mútua), onde figuram a Rússia e a China, e que se destina à cooperação técnica, científica e financeira. Portugal tornou-se membro da CEE, a 12/ /06/1986, em assinatura do primeiro-ministro, Mário Soares. O nosso país entra na chamada Europa dos Doze. Triunfante...! Soares lembrou, no acto da assinatura, no Mosteiro dos Jerónimos, que “A palavra agora conferida às jovens gerações, a quem se abrem exaltantes de realização pessoal e de progresso”. O PCP, CGTP e a CIP manifestaram o seu desacordo com a adesão de Portugal à CEE, não assistindo ao acto, não comparecendo à cerimónia. Dias depois, Mário Soares pedia a demissão de primeiro-ministro e marcadas eleições legislativas, que viriam a ser ganhas pelo PSD, com Cavaco Silva vencedor, que iria governar Portugal até 1995. E a consequente entrada de milhões. Em 1992 vem o Tratado de Maastricht que

Medalha de Mérito Turístico - Grau Ouro

VIPRENSA Sociedade Editora do Algarve, Lda. Pessoa Colectiva n.º 501 441 352 Capital Social: 60.000,00 Euros Fernando G. Reis: 50% Maria Luísa A. Travassos: 50% Registo ICS n.º 100969 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE IMPRENSA

Carlos Albino

Teodomiro Neto

definiu a união económica e monetária, transformando a CEE numa União Europeia. Logo vêm os acordos de Sechegen, que regulam a circulação nos países da União. 1997 vem o Tratado de Amesterdão, que completa o de Maastricht. 1999 - 12 Estados adaptam o euro, Portugal incluído. Já o BCE - Banco Central Europeu domina as finanças da União. 2004 - Perante o voto negativo da Itália, França e Holanda da não aprovação ao novo Tratado de Roma, este afundou-se. 2007 - Novo Tratado, desta vez denominado de Lisboa. Os 27, perante condições, chamadas de imperativas para salvaguardar o poder mais forte, Alemanha e França à cabeça. Já têm a Irlanda ceder, e aprova o Lisboa. O Governo português nem se deu ao incómodo de o colocar, como a Constituição o determina, de aprovação em referendo, como era o prometido, mas não cumprido. Presentemente coloca-se a posição estratégica e eleitoralista de Merkel, para uma revisão do Tratado de Lisboa, à revelia do maior número dos membros da União. A Chanceler alemã, nessa inconstitucional do Tratado, dúvida e despreza a soberania dos países economicamente mais frágeis, pela própria política emanada dos gurus europeus, com as vozes insuportáveis de cá e de lá, em países à deriva, quem em nada contribuíram para a crise insustentável, contrária às sugestões criadas e que foram engordando para atingir a precaridade anunciada. A 5/11/2010, o dirigente político, socialista António Vitorino, e que foi alto comissário na actual EU (União Europeia), vem apontando de PROPOSTA PERIGOSA, essa de revisão cirúrgica, apresentada pelo couple Merkel/Sarkozy, em que o Conselho Europeu tomou decisões que poderão condicionar o futuro da União Europeia. Entretanto, por todo o lado se ouve buzinar a fatal queda, à bancarrota do Estado Português, ou os pedidos ao insistente FMI (Fundo Monetário Internacional), ou ao FEF (Fundo de Estabilidade Financeira, para salvar a situação financeira... dos bancos. É um túnel sem vista ao fundo, afirma-se. E em exigências em que só os povos periféricos (mais pobres) da desacreditada união europeia, aguardam o estrangulamento mais apertado. Hoje, 1.º de Dezembro - 2010, a Irlanda, a nível governamental, assim como a Espanha, acusam as políticas alemã, francesa e do Banco Central Europeu de todo o descalabro em que a Europa entrou. E o Euro, em que fica, assim como os parceiros que foram levados a crer nesta Europa que só o é da finança?

Editora Luísa Travassos Director Fernando Reis Direcção Financeira António Cabrita Redacção Domingos Viegas, José Cruz, Raquel Ponte, Rita Travassos (VRSA); Neto Gomes, Sofia Cavaco Silva (Delegação de Faro); Nuno Couto (Delegação de Portimão) redaccao@jornaldoalgarve.pt

395

SMS

faro@jornaldoalgarve.pt portimao@jornaldoalgarve.pt Colaboradores Almerinda Romeira, Ana Oliveira, Ana Viegas, Ângelo Cruz, António Manuel, António Montes, Arnaldo Casimiro Anica, Caldeira Romão, Carlos Alberto, Domingos Francisco, Eduardo Geraldo, Eduardo Palma, Emiliano Ramos, Fernando Cabrita, Fernando Graça, Hélder Bernardo, Hélder Carrasqueira, Horácio Neves Baceladas, João Paulo Guerreiro, João Xavier, Jorge Costa, José António Pires, José Azevedo, José Manuel Livramento, José Mestre, José Saúde, Júlio Farinha, Luigi Rolla, Luís Santos, Mendes Bota, Miguel Duarte, Miguel Jorge, Rita Pina, Rogério Bastos, Rui Marques, Silva Lucas, Teresa Cristina, Teodomiro Neto

carlos-albino@sapo.pt

Não somos donos nem senhores O Turismo (com letra maiúscula) foi lançado no Algarve, para o Algarve e com o Algarve, como uma atividade sustentável e para dar sustentabilidade à região que muitos sonharam que viesse a ser Região com letra maiúscula. Decorridas décadas o turismo é uma atividade com letra minúscula embora esmagadora da região que ficou assim, com letra minúscula, agora por isto, depois por aquilo e sempre porque, não tanto o Estado mas os que se foram tornando profissionais do estado e em grande parte sem serem estadistas, janais quiseram perder o abecedário das maiúsculas do centralismo cego, da burocracia estulta e do sistema de mordomias em que a política se converteu enchendo de bolor a democracia, o tal bolor que é o pai do autoritarismo e que faz filhos até dizer basta sem que os democratas disso se dêem conta. E na hora da desgraça ou da fatalidade que ronda a desgraça, que é também a hora dos acertos de contas irracionais e a hora em que também todos julgam perceber de tudo e cada um mais do que os outros, os que beneficiaram ao longos dos anos desta ilusão alimentando-se desta como as cigarras de verão – cantaram muito e humilharam as formigas, como na fábula – calam-se na vaga esperança de que a tempestade passe, porque se passar retomam a atividade de sempre. Houve um erro estrutural na região, um tremendo erro e que foi o de se ter “programado” o desenvolvimento do Turismo sem o pressuposto da eficaz e efetiva integração na região – os hotéis pousaram como se fossem aviões e, como tal, também preparadinhos para levantar voo, a agricultura ficou espatifada a troco de um prato de lentilhas, as pescas estão nas lonas e se oi mar é rico é para os nadadores-salvadores precários, a indústria é escassa, o artesanato ficou nos resquícios depois de vinte anos com as chaminés moldadas em Leiria, os serviços vivem do que uns 400 mil residentes podem pagar se receberem de quem pousou, o Estado alegremente cobrou que se fartou sem reinvestir proporcionalmente no local da cobrança, as grandes superfícies têm as caixas registadoras no Algarve mas a contabilidade lá em cima, por aí adiante, para não falar do regabofe dos dinheiros a fundo perdido, dos subsídios não escrutinados, dos planeamentos cozinhados, etc. E sendo assim, se o Alberto João Jardim fosse de Monchique, nestas circunstâncias, pouco mais seria que um Luís Filipe Madeira e sucedâneos, e se o Carlos César fosse de Tavira duvida-se que ganhasse alguma vez a câmara de Faro como Macário Correia ganhou. E temos dito. Não somos donos e senhores dos destinos da terra, nem tínhamos que ser, mas a sustentabilidade poderia não ser hoje uma figura de ficção. Como é. Estamos nas mãos dos operadores que operam e dos ilusionistas que fazem truques. Flagrante Prémio SMS 2010 de Jornalismo: Precisamente no Dia de Reis deste 2011, decidiu o júri atribuir o prémio que não dá ouro, nem prata, nem sequer incenso, mas dá gosto e honra, ao jornalista Nuno Couto, por acaso do Jornal do Algarve. E com isto, uma homenagem à juventude que prossegue a chama de fazer do jornalismo não uma causa com segundas intenções mas uma defesa do interesse público. Prossiga Nuno Couto, que o José Barão, se fosse vivo, dir-lhe-ia o mesmo ou melhor. Nuno Couto junta-se assim a Idálio Revez (2005), a Carlos Branco ((2006) e a João Prudêncio (2007), porquanto o júri decidiu não atribuir os prémios relativos a 2008 e 2009, por falta de ouro, de prata e até de incenso.

Sociedade Editora do Algarve, Lda.

contacte-nos: jornaldoalgarve@hotmail.com

Correspondentes Angel Rebollo (Huelva), António Sustelo (Bélgica) Paginação electrónica Irene Salvador, Lídia Palma, Ana Reis Publicidade e Marketing Filomena Reis, filomena@jornaldoalgarve.pt Helena Reis, helena@jornaldoalgarve.pt

(VRSA)

Alzira Correia, portimao@jornaldoalgarve.pt Dep. Assinantes Ana Mendes assinantes@jornaldoalgarve.pt Publicidade, Redacção, Composição, Administração Rua Jornal do Algarve, 46 Apartado 23 8900 Vila Real de Santo António Telefs. 281 511 955 / 56 / 57 Telefax: 281 511 958 jornaldoalgarve@hotmail.com

geral@jornaldoalgarve.pt

Distribuição: Pedaços de Mar, Lda

Delegação de Faro Telm. 914 462 327 faro@jornaldoalgarve.pt Delegação de Portimão: Quinta da Malata, Lote 3, Lj 2 Tel. 282418924/5 Fax: 282418858 portimao@jornaldoalgarve.pt

Depósito Legal n.º 9578-85 ISSN 0870-6433

Impressão: Imprejornal - Sociedade Impressão S.A.

Tiragem média semanal do último mês: 11 500 exemplares

Propriedade: Viprensa Sociedade Editora do Algarve, Lda. Rua Jornal do Algarve, 46 8900 Vila Real Santo António


A

CTUALIDADE

13 I janeiro I 2011

[3]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

VOZ DO POVO

PODER LOCAL JOAQUIM TEIXEIRA, PRESIDENTE DA JUNTA DE FREGUESIA DA SÉ (FARO):

Urbanismo, Polis e apoio social são questões dominantes Eleito presidente da Junta de Freguesia da Sé, Joaquim Teixeira, admite ao JA que os resultados do empenho e trabalho da sua equipa poderiam ser melhores se lhes fossem atribuídas mais competências e mais verbas Jornal do Algarve - Quais são os principais desafios e dificuldades que a freguesia da Sé enfrenta? Joaquim Teixeira - A grande dificuldade que a Freguesia da Sé enfrenta, assim como todas as outras freguesias, é o não termos capacidade e competências próprias para resolver os grandes desafios a que nos propomos. Desafios, tais como, um urbanismo correto, um ambiente melhorado, uma melhor resposta na área social e cultural, que uma cidade como Faro, bem precisa. Por vezes a indefinição na responsabilidade das tarefas entre o Município e a Freguesia cria-nos grandes problemas. J.A. – Que tipo de problemas? J.T. - Pensamos que se as freguesias tivessem competências próprias atribuídas, já não haveria a confusão com as competências delegadas pelo Município. É verdade que há freguesias que, pela sua dimensão não poderão ter essas mesmas competências próprias. Por exemplo, a Freguesia da Sé tem todas as condições para poder, por si só, resolver muitos dos problemas da cidade. J.A. - Existem vantagens na atribuição de competências às Juntas de Freguesia? J.T. - Será que poderíamos exercer competências nas áreas da Educação Pré-Escolar, na conservação de espaços públicos, na gestão de mercados, no licenciamento de publicidade, na conservação de caminhos, apoio social entre outras? Na realidade pensamos que as vantagens na atribuição de competências se justificam pela proximidade que as freguesias têm dos seus fregueses. J.A. - Esse acréscimo de responsabilidades teria necessariamente de ser acompanhado de um reforço orçamental?

J.T. - Claro. Necessariamente este acréscimo de responsabilidades terá que ser acompanhado de um maior reforço orçamental. Outra grande dificuldade das freguesias é o facto dos seus eleitos não terem um estatuto diferente que lhes permita um melhor e profícuo trabalho. Isto de certeza beneficiaria toda a cidade cumprindo

"A indefinição na responsabilidade das tarefas entre o Município e a Freguesia cria-nos grandes problemas" o princípio de subsidiariedade e de legalidade que só a proximidade o justifica. Se o critério das distribuições das receitas do OE fosse aper-

feiçoado toda a gente beneficiava. J.A. - Pelo contacto que tem com a população, acha que se justifica criar novas respostas na área social? J.T. - Pensamos que a área social nesta cidade, apesar do muito que se tem feito, pode melhorar. Seria bom que nos seus quadros técnicos as freguesias tivessem elementos que, perto da população, poderiam fazer um diagnóstico mais correto. Cremos que é possível que nos tempos que se aproximam, algumas dificuldades se intensifiquem, mas nós, unidos, Municípios e Freguesias, vamos com certeza, tentar resolvê-los. J.A. - A freguesia da Sé tem um território amplo e diverso e com delegação nas ilhas. Como avalia o modo como o processo Polis tem vindo a ser trabalhado na zona afeta à freguesia da Sé? J.T. - Neste momento, as ilhas que estão integradas na área geográfica desta freguesia estão a braços com o processo “Polis”. Já tive mais esperança que os problemas de fundo fossem melhor resolvidos do que sobressai somente a demolição de casas. O assoreamento da ria, a melhoria dos cais de embarque, os acessos, uma correta navegabilidade etc., não me parece que estejam a ser bem equacionadas. A Ilha da Culatra, por exemplo, pela sua especificidade tem que ter forçosamente um tratamento diferente.

PUB

VENDE-SE em Castro Marim Vivenda unifamiliar junto ao parque infantil. Telef. 914 138 447 / 914 297 945

Vai votar nas próximas presidenciais José Mourinho, reformado Sim, claro, voto sempre. Exerço sempre o direito de cidadania, assim como eu, todos os portugueses o deveriam de fazer.

Olga Brito, doméstica Sim. Voto sempre, sempre votei. Votar é um dever cívico, de todos nós.

Maria Luz, doméstica Sim, vou votar. Sempre o fiz e sempre o irei fazer. È importante exercer o direito do voto para, ao menos, tentar que não fiquem sempre os mesmos no poder. Ao votar, ao menos, esperamos que os que entram façam sempre melhor que os anteriores, por todos nós, os contribuintes.

Tânia Trindade, empregada de mesa Talvez. É a primeira vez que posso votar mas ainda não sei se vou. Estou muito indecisa, não tenho muita informação sobre os candidatos, nem os conheço bem. Veremos!!!

António José, motorista autocarros de turismo Sim, voto sempre. É um dever cívico de todos nós. É importantíssimo votar, é uma da formas de contribuir para o desenvolvimento do nosso país, que bem precisa.

PUB Administração Regional de Saúde do Algarve, I.P.

Ministério da Saúde

AVISO

Regime de Atribuição de Apoio Financeiro pelo Estado a Pessoas Colectivas Privadas sem Fins Lucrativos “Nos termos do n.º 1 do artigo 14º da Portaria 1327/2008, de 18 de Novembro, torna-se pública a lista ordenada das Entidades com financiamento aprovado e disponível, referente ao Concurso para atribuição de apoio financeiro pela ARS Algarve, IP a Pessoas Colectivas Privadas sem Fins Lucrativos, ao abrigo do DecretoLei nº 186/2006, de 12 de Setembro e da Portaria nº 1327/2008, de 18 de Novembro, aberto por aviso publicitado nos jornais “Jornal do Algarve” e “Barlavento”, de 08/07/2010 e no site da ARS Algarve, IP, www.arsalgarve.min-saude.pt.” 1º Chão dos Meninos - Associação de Amigos da Criança e da Família 2º ASMAL - Associação de Saúde Mental do Algarve 3º APPC - Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral de Faro 4º NECI - Núcleo de Educação da Criança Inadaptada 5º APDPk - Associação Portuguesa de Doentes de Parkinson 6º ASCA - Associação Social e Cultural de Almancil 7º AOA - Associação Oncológica do Algarve 8º APPDA - Algarve - Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo A lista de ordenação final homologada em 07/12/2010 pelo Conselho Directivo da ARS Algarve, IP, encontra-se disponível para consulta na página electrónica deste organismo (www.arsalgarve.min-saude.pt). Faro, 7 de Janeiro de 2011 O Presidente do Conselho Directivo Rui Lourenço, Dr.

(Jornal do Algarve, 13/1/2011)


R

13 I janeiro I 2011

EGIONAL

[4]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

REGIONALIZAÇÃO, PORTAGENS, HOSPITAL CENTRAL E ECONOMIA VÃO DOMINAR TRABALHO DO PS ALGARVE

Miguel Freitas alerta para desafios de 2011 e pede mais garra Os socialistas algarvios reuniram, no final da passada semana, para o tradicional encontro de início do ano, altura que o líder Miguel Freitas aproveitou para dar algumas indicações do trabalho que há para realizar este ano e alguns recados aos partidos da oposição. A defesa da implementação da regionalização e da não implementação de portagens na Via do Infante sem que esteja concluída a requalificação da EN 125 são objetivos que Miguel Freitas garante que são para continuar a defender este ano. Por outro lado, sublinha a determinação do Governo na construção do Hospital Central do Algarve e sublinha a necessidade imperiosa de criar uma plataforma regional que reúna as forças vivas da região e que permitam pensar a economia regional e o problema do desemprego.

Perante uma sala repleta de socialistas algarvios, Miguel Freitas admite que este é um ano particularmente difícil para o partido e para o Governo. “Este ano o PS está à prova, tanto nas suas opções, como sua capacidade de concretização política, pois são precisos resultados, sem nenhuma margem de erro”, referiu. Uma eficácia que tem de ser inquestionável ou não estivesse do outro lado da “barricada”: “uma direita cujo único objetivo é chegar ao poder e uma esquerda que protesta apenas para capitalizar dificuldades e descontentamentos”. “A tudo isto, o PS tem de resistir, sempre com os olhos postos no país”, frisou Miguel Freitas perante várias dezenas de dirigentes socialistas reunidos num encontro onde, apesar de reconhecer as dificuldades atuais com que o País e a região se defrontam, apelou à

Miguel Freitas admite que em 2011 as fragilidades estruturais da economia algarvia vão ganhar maior expressão

coesão de esforços vindos dos mais diversos quadrantes políticos e sociais, que permita aplicar um verdadeiro choque

PS Algarve indignado com Governador do Banco de Portugal As declarações do Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, de que é preciso repensar a oferta turística nacional não foram bem recebidas pelo PS Algarve. “Gera mais valor três dias em Lisboa que uma semana de turismo de trabalhadores portuários

de Londres no Algarve” referiu Carlos Costa na passada semana. “De um responsável como o Dr. Carlos Costa espera-se contenção e estranha-se que o Algarve, enquanto principal agente de um setor estratégico da economia nacional com

PUB.

Centro de Oftalmologia do Algarve www.centrodeoftalmologia.com

Dr. Eduardo Lares CORRECÇÃO DA MIOPIA COM LASER ASTIGMATISMO HIPERMETROPIA Consultas de Oftalmologia Laser - Diabetes, Glaucoma Ecografia, Biometria Ocular Campimetria Computorizada Topografia da Cornea Cirurgia Ocular

Informe-se em www.algarlaser.com Av. 5 de Outubro 14 - 1.º - FARO Telefone: 289 895 560

VIPRENSA

CONSULTAS:

uma significativa contribuição para a balança de pagamentos, seja tratado de forma tão grosseira”, argumenta o lidero do PS Algarve, Miguel Freitas sobre as declarações proferidas. O líder socialista algarvio frisa que estas são declarações gravosas e que podem ter impacto no investimento numa das regiões mais afetadas pela crise social. O “Governador do Banco de Portugal acaba de dar voz aos que, movidos por interesses ínvios, defendem que o Algarve está fora de moda, o que é muito grave e levanta muitas dúvidas sobre o verdadeiro alcance destas declarações”, acrescenta. Por outro lado, o PS Algarve recorda que ainda no final de 2010, o Banco de Portugal publicou resultados que atestavam o comportamento positivo do Algarve enquanto destino turístico durante esse mesmo ano. “São declarações grosseiras do Governador do Banco de Portugal, que demonstram desconhecimento e incapacidade de perceber o impacto desta desvalorização do destino sobre o turismo algarvio", sublinha Miguel Freitas.

de adrenalina ao Algarve. “O Algarve tem de reagir. Inicia-se agora a discussão da futura política de coesão e de

desenvolvimento regional e não podemos ficar de fora do essencial dos fundos comunitários que chegarão a Portugal

em 2013 até 2020”, frisou Miguel Freitas, para defender um conjunto de soluções que mobilizem as forças internas da região. Não esquecendo o atual momento nacional em que se prepara a eleição do Presidente da República, Miguel Freitas frisou o apoio à candidatura de Manuel Alegre. Mostrando-se com dúvidas sobre as verdadeiras intenções de Cavaco Silva quanto à sua participação numa eventual crise política, Miguel Freitas afirmou: “Temos de eleger outro Presidente da República e Manuel Alegre será, certamente, o candidato da estabilidade, aquele que tem valores democráticos mais arreigados, não foge às questões incómodas, não esconde o que não concorda e com grande sentido institucional defende os valores da esquerda moderna e da economia social de mercado”.

Serviços de saúde da região reforçados com 99 médicos em internato Este ano, os serviços de saúde algarvios são reforçados com a integração de 99 médicos recém-formados em diversas especialidades. Em comunicado, a Administração Regional de Saúde do Algarve (ARSA) considera que a vinda destes profissionais para a região em regime de internato médico é “um investimento no futuro”. “Uma experiência de trabalho positiva, bem como uma boa integração social na região, serão fatores de influência na escolha posterior de uma vaga para o internato de especialidade no Serviços do SNS da região”, refere a ARSA. Apesar de terem concluído a formação académica, estes profissionais vão praticar uma medicina tutelada, ou seja, não têm autonomia técnica. De acordo com as informações divulgadas, estes profissionais estão distribuídos por diversos serviços. Dez destes médicos especializados em Medicina Geral e Familiar e um de Saúde Pública estão já a trabalhar nos Agrupamentos de Saúde (ACES) de Faro, Barlavento e Sotavento. No Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio foram colocados oito internos das especialidades: Anatomia Patológica, Cirurgia Geral, Anestesiologia, Imunohemoterapia, Medicina Interna, Ortopedia e Radiologia.

No Hospital de Faro já estão também colocados 27 internos das seguintes especialidades: Anestesiologia; Cardiologia, Cirurgia Geral, Gastrenterologia, Ginecologia/ /Obstetrícia, Medicina Física e Reabilitação, Medicina Interna, Neurologia, Oncologia Médica, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Patologia Clínica, Pediatria Médica, Pneumologia, Psiquiatria e Radiologia. Além dos médicos internos de especialidade, o Algarve conta ainda com mais 53 médicos internos do Ano Comum, tendo 32 sido colocados no Hospital de Faro e 21 no Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio. A ARSA frisa que em 2010, o Algarve recebeu 34 internos do Ano Comum o que significa um aumento significativo perante os números de colocados este ano. “A subida deve-se ao atual número crescente de alunos saídos dos cursos de Medicina, numa tentativa de ir colmatando as saídas de médicos que se aposentam. Brevemente deverão ser integrados nos serviços de saúde da região ainda mais seis internos de especialidade no âmbito de um concurso específico realizado para médicos que pretendem mudar de especialidade. São esperados dois médicos na área da Psiquiatria, dois na área da Medicina Interna, um de Nefrologia e um de Medicina Geral e Familiar.


R

EGIONAL

[5]

13 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

O pior dezembro de sempre para o Turismo algarvio Houve mais turistas holandeses, mas este aumento não foi suficiente para colmatar as quebras registadas em relação aos turistas portugueses (menos 19,6 por cento) e britânicos (menos 28,1 por cento) A Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) já analisou os dados estatísticos do último mês e concluiu que o Algarve nunca teve um mês de dezembro tão fraco em termos turísticos como o de 2010. A taxa de ocupação global (média/quarto) foi de 22,4 por cento, ou seja, menos 14 por cento do que o valor registado em dezembro do ano anterior. As maiores descidas verificaram-se nas zonas Vilamoura/ /Quarteira/Quinta do Lago (menos 39,1%), Carvoeiro/Armação de Pêra (menos 25,7%) e Lagos/Sagres (menos 17,1%). Albufeira, a principal zona turística do Algarve, registou uma descida de oito por cento. A taxa de ocupação mais elevada foi registada na zona Monte Gordo/VRSA , com 50,5 por cento, enquanto a zona Carvoeiro/Armação de Pêra registou a taxa de ocupação mais baixa, com 15,4 por cento. Por categorias, as principais descidas registaram-se nos aldeamentos e apartamentos de cinco e quatro estrelas (menos 23,2%) e nos hotéis e aparthotéis de três estrelas (menos 13,8%). A AHETA sublinha ainda que para chegar a estes dados estatísticos foram apenas contabilizados os estabelecimentos em funcionamento, não sendo considerados aqueles que se encontravam encerrados durante o mês em questão. No último mês de dezembro houve mais 25,8 por cento de turistas holandeses nas diversas unidades de alojamento, em relação ao mês homólogo de 2009, no entanto registaram-se menos 28,1 por cento de britânicos e menos 19,6 por cento de portugueses. De acordo com a AHETA, o volume de vendas total diminui 19,1 por cento.

ATA lança campanha para cativar turistas alemães Com o objectivo de posicionar, desde cedo, o destino Algarve nos principais mercados emissores de fluxo turístico para a região, a Associação Turismo do Algarve (ATA) enceta o ano turístico de 2011 com uma campanha televisiva no canal alemão N-TV.

A campanha começou na segunda-feira e vai decorrer até à próxima quarta-feira, contabilizando um total de 35 spots promocionais de 30 segundos, enquadrados no novo conceito da marca: “Algarve. Europas Berühmtestes Gehemnis” (Algarve. O Segredo Mais Famoso da Europa). Capitalizando a actual situação climatérica, onde o frio e a neve imperam no norte da Europa, a publicidade do Algarve surge estrategicamente colocada na secção “Newscountdown”, antes dos blocos noticiosos. O spot promocional da região estará integrado numa moldura digital que disponibiliza a temperatura atmosférica de várias cidades alemãs, comparando-as com a temperatura da capital algarvia, Faro. “Desta forma, cumprem-se os objectivos de aumentar o PUB

awareness da marca Algarve junto do público, reforça-se os factores clima e proximidade, e potencia-se as reservas antecipadas”, explicam os responsáveis do Turismo do Algarve. O canal N-TV é um dos principais canais noticiosos da Alemanha, com informação sobre economia, cultura, turismo e desporto, e com uma audiência composta pelas denominadas classes A e B, maioritariamente homens de negócio e decision-makers. Recorde-se que, de acordo com os últimos indicadores, a circulação de passageiros alemães no Aeroporto de Faro, entre janeiro e novembro de 2010, teve um acréscimo de 13,7 por cento face a 2009, sendo, juntamente com a Holanda, o mercado com maior expressão de crescimento para o Algarve.

Nesta medida, a ATA considera de “grande relevância actuar já no início do ano, direccionando esforços promocionais ao mercado alemão, reforçando o posicionamento do Algarve face a destinos concorrentes”. Por outro lado, “o timing é igualmente perfeito se tivermos em conta uma das recentes medidas adoptadas pelo governo alemão desde 1 de janeiro de 2011, de onde resultou a imposição de uma taxa de transporte aéreo em que os voos longhaul e europeus custarão 45 e oito euros, respectivamente”, explicam os responsáveis do Turismo do Algarve, acrescentando que esta situação poderá contribuir, a curto prazo, para o incremento de turistas alemães em destinos europeus, e consequente para o Algarve.

FICÇÕES

[12.] A curva da estrada

José Carlos Barros

Éramos jovens e decidimos fazer a revolução. Mas para mudar o mundo era preciso começar por mudar a geometria da curva da estrada do rio onde por mais que uma vez nos espetámos regressando dos copos às três da manhã. A nossa primeira luta foi contra o presidente da câmara e depois contra a junta autónoma das estradas quando o edil civilizadamente nos explicou que a via não era municipal. Escrevemos cartas. Mas a junta autónoma devia ser tão autónoma que não respondeu a nenhuma. Então fomos pessoalmente entregar uma petição exigindo a imediata intervenção no asfalto e nas bermas e a reposição das indispensáveis condições de segurança. Recebeu-nos um funcionário zeloso que não nos permitiu passar além dos bancos corridos de madeira da salinha de espera e nos despachou dizendo «bom dia» e que a petição seguiria os estabelecidos trâmites. Um ano passou e nem um oficiozinho da junta autónoma dizendo por exemplo «o assunto mereceu a nossa melhor atenção». Foi então que pensámos em meter uma bomba na escadaria das traseiras do edifício-sede acionando-a por controlo remoto no instante preciso em que o sr. engenheiro-diretor das estradas a subisse com a pastinha de calfe do despacho debaixo do A investigação detetou vestígios de café, analgésicos, antibraço. Mas alguém mais avisado propôs a alternativa de histamínicos, anti-inflamatórios, anti-colesterol pedir-se mas era uma audiência no governo civil e resolverse logo o assunto. Pedimos a audiência. Quatro meses depois fomos recebidos. E o senhor governador assegurou que tomaria boa conta do processo e que não haveria de passar muita água por baixo da ponte até que a curva da estrada tivesse o perfil corrigido. E a verdade é que decorridas poucas semanas um ofício com os melhores cumprimentos do chefe de gabinete do governador civil explicava que o PUB.assunto havia sido remetido ao cuidado do sr. secretário de estado dos transportes. Mas nessa altura já a revolução não podia contar com o entusiasmo inicial destes seus tão fervorosos membros. Até porque o armando tinha ido para tancos cumprir o serviço militar. O luís alberto emigrou. O mendes arranjou emprego numa multinacional e passava o tempo a viajar. A teresa entrou em engenharia civil. Encontrávamo-nos cada vez mais espaçadamente e começávamos a sentir a estranha sensação de faltar-nos espaço para mudar o mundo e construir os alicerces de uma sociedade nova. O tempo correu e a curva da estrada ainda lá está sem ninguém lhe bulir. Não somos velhos mas é como se tivéssemos envelhecido mais depressa do que o tempo que foi passando por nós. O luís alberto tem uma empresa de construção civil nos estados unidos e regressa de dois em dois ou de três em três anos. Eu abri um restaurante. O mendes deixou a multinacional e trabalha agora por conta própria em consultoria financeira. O armando morreu num acidente de automóvel. A teresa meteu-se na política e é actualmente secretária de estado dos transportes. Às vezes penso em telefonar-lhe. A lembrar-lhe que está nas suas mãos resolver o velho problema da regularização do perfil da curva da estrada do rio. Mas o tempo passou. E eu receio que a teresa ainda haveria de rir-se na minha cara se eu tivesse a ingenuidade de lhe recordar o nosso sonho antigo de arranjarmos uma curva da estrada e depois mudarmos o mundo. PUB

Largo Santana n.º 1 - Apartado 102 - 8800 TAVIRA Telf.: 281320 240 - Fax: 281 325 523 radiogilao@net.vodafone.pt


O

13 I janeiro I 2011

PINIÃO

[6]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

"Não somos Portugal" No prestigiado site da internet dedicado a comentários e análises de temas económicos referentes a países da área do Euro, www.eurointelligence.com, retirámos no passado dia 19, esta observação lapidar:

NOTÁRIO MARIA DO CÉU DOS SANTOS FERNANDES GARCIA CERTIFICADO Certifico, para fins de publicação, que no dia quatro de Janeiro de dois mil e onze, lavrada a folhas 21, do livro de notas para escrituras diversas número 112, deste Cartório, se encontra exarada uma escritura de JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL, na qual: a) ROGÉRIO SARES GAMBITO, natural da freguesia de Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo António, NIF 122 547 667, casado sob o regime da separação de bens com Maria Olívia de Sousa e Silva Gambito, residente na Rua S. Sebastião da Pedreira, números 119 - 121, em Lisboa, e b) MARIA ROSA DA CONCEIÇÃO ALBINO, divorciada, natural da freguesia de Tavira (Santa Maria), concelho de Tavira, NIF 122 547 675, residente na Rua das Taipas, número 32, 2° andar direito, em Lisboa. Declararam com exclusão de outrem, ser donos e legítimos possuidores, dos seguintes imóveis: 1. Prédio misto, com a área total de cinco mil e cem metros quadrados, composto a parte rústica por oliveiras, vinha, alfarrobeiras, cultura arvense, figueiras, horta intensiva, e a parte urbana por uma casa de habitação térrea e anexos com a área coberta total de cento e cinquenta e nove metros quadrados, sendo cento e um metros quadrados relativos à habitação e cinquenta e oito metros quadrados aos anexos, e logradouro com a área de cento e sessenta e um metros quadrados, sito em Fonte Santa, freguesia de Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo António, que confronta do norte com João Roberto Guerreiro e Teresa Maria C. Paiva, do sul e nascente com Vanda Marília Livramento Serrano, e do poente com herdeiros de António Domingos Gonçalves, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Vila Real de Santo António e inscrito nas respectivas matrizes em nome do justificante identificado na alínea a) sob os artigos 196 Secção AE (rústico), com o valor patrimonial de ¤ 2.327,73 e 532 (urbano), com o valor patrimonial de ¤ 45.760,00, a que atribuem o valor de quarenta e oito mil e oitenta e sete euros e setenta e três cêntimos. 2. Prédio rústico, composto de Amendoeiras, cultura arvense e figueiras, com a área de dois mil novecentos e quarenta metros quadrados, sito em Fonte Santa, freguesia de Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo António, a confrontar do Norte com José António Pereira Pereira Guerreiro, Sul com João Paulino Horta, Nascente com João Roberto Guerreiro e herdeiros de Teresa de Jesus Correia e Poente com Caminho Público, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Vila Real de Santo António, e inscrito na matriz em nome do justificante identificado na alínea a) sob o artigo 205 Secção AE, com o valor patrimonial de 360,18 ¤, a que atribuem igual valor, e 3. Prédio rústico, composto de cultura arvense de sequeiro, pomar de citrinos - terraços, olival e cultura arvense em olival, com a área de três mil e quatrocentos metros quadrados, sito em Fonte Santa, freguesia de Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo António, a confrontar do norte, nascente e poente com Estrada Camarária, e do sul com Valentino Domingos Conceição, Nelson Guerreiro e Herdeiros de José Correia, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Vila Real de Santo António, e inscrito na matriz em nome do justificante identificado na alínea a) sob o artigo 5 Secção AP com o valor patrimonial de 245,33 ¤, a que atribuem igual valor. Que o prédio identificado sob o número 1, veio à posse do justificante, ROGÉRIO SARES GAMBITO, à data casado sob o regime da comunhão geral de bens com a justificante MARIA ROSA DA CONCEIÇÃO ALBINO, por seus tios, José Sares Correia e mulher Teresa de Jesus Azevedo, já falecidos, lho haverem doado, cerca do ano de mil novecentos e setenta, e que os prédios identificados sob os números 2 e 3, vieram à posse do justificante, ROGÉRIO SARES GAMBITO, por seus avós, José Sares Correia e mulher Mariana da Conceição Tamissa, já falecidos, lho haverem doado, cerca do ano de mil novecentos e cinquenta e dois, não tendo contudo, chegado a realizar as escrituras públicas, pelo que não são detentores de qualquer título formal que legitime o domínio dos referidos prédios, encontrando-se na posse dos justificantes, há mais de vinte anos (cerca de quarenta o prédio identificado sob o número 1 e cerca de sessenta anos os prédios identificados sob os números 2 e 3), sem a menor oposição de quem quer que seja, desde o seu início, posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensivamente, com conhecimento de todas as pessoas, por isso de posse de boa fé, pública, pacífica e contínua, sendo consenso de todos que os imóveis lhes pertencem, pois praticam todos os actos inerentes à qualidade de proprietários, usufruindo todas as utilidades por ele proporcionadas, fazendo a sua manutenção, colhendo frutos, pagando todas as contribuições e impostos devidos, o que conduziu à aquisição dos referidos imóveis por usucapião, que invocam, justificando o seu direito de propriedade, para efeito de registo dado que, esta forma de aquisição não pode ser comprovada por qualquer outro título formal extrajudicial. Que estas declarações foram confirmadas como verdadeiras por três declarantes. Está conforme. Lisboa, aos quatro de Janeiro de dois mil e onze.

(Jornal do Algarve, 13/1/2011)

> Tiago Botelho*

"We are no Portugal" We picked up this statement by Elena Salgado, who said she saw no reason to compare Spain with Ireland and Portugal. One can understand the wish not to be compared to Ireland, but Portugal? Is she saying that Portugal is like Ireland? Does she think Portugal will default? Or need EFSF funds? I think we should be told. So Ireland says it is not Greece. Portugal says it is not Ireland. Spain says it is not Portugal. And who knows, Italy may soon tell us that it is no Spain. It looks like there is a fire in the theatre, and they all rushing to the exit, everyone for themselves, against each other. Ou seja, a vice-presidente e ministra da Economia do Governo espanhol, faz questão de demarcar o seu país dos "outros", metendo no mesmo saco Portugal e Irlanda. Pergunta o Euro Intelligence: Estará ela a dizer que Portugal está como a Irlanda? Que Portugal está, também, em risco de incumprimento perante os credores externos, ou seja, à beira da bancarrota e prestes a recorrer aos fundos de emergência da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional? Achamos, diz o site, que alguém nos devia esclarecer. Então, continua o Euro Intelligence, a Irlanda diz que não é a Grécia. Portugal diz que não é a Irlanda, a Espanha diz que não é Portugal. E quem sabe, a Itália poderá dizer-nos em breve que não é a

Espanha. E conclui, rematando: Parece haver fogo no teatro, e que todos correm para a saída. Cada um por si próprio, e contra os restantes. Triste espectáculo que os países do Sul da Europa dão de si mesmos. O nosso adágio popular resumiria em: "Diz o roto ao nu…" Nem seria muito justo criticar a senhora ministra do Governo vizinho pelo "favor" que nos está a fazer ao virar os holofotes internacionais. Portugal, muito antes do pedido de auxílio da Irlanda, fez questão de sublinhar as suas diferenças em relação a esse país, tal como antes em relação à Grécia. Assim, "que atire a primeira pedra quem não pecou". No entretanto, no nosso Algarve continuamos a assistir impávidos e serenos ao galgar e aprofundar da crise e dos seus efeitos. Uma taxa de desemprego como nunca visto antes. Uma empresa de serviços aeroportuários, estatal, a despedir mais de três centenas de trabalhadores, por causa da acérrima concorrência de uma outra empresa… estatal! Um deserto de investidores para os milhares de metros quadrados de área construída e de área bruta de construção disponíveis no mercado imobiliário. Milhões de euros de receita por realizar em Impostos sobre as Transacções de Imóveis, em licenças de construção e em Impostos sobre os Imóveis… Por outro lado, prepara-se em Portimão a inauguração de mais um mega Centro Comercial, naquela que será, talvez, a cidade europeia com mais área bruta comercial em grandes superfícies por habitante e por metro quadrado, onde "se criarão centenas de empregos", certamente, mas onde, também certamente, se assinará a certidão de óbito

CRÓNICA MARAFADA

definitiva do pouco que restava do comércio tradicional. Quem serão os clientes dessas lojas? Os desempregados das lojas que fecham? Ainda ninguém viu que já começou a haver encerramento de grandes superfícies? Que as novas lojas que abrem servem apenas para tentar tirar algum "naco" de quota de mercado aos outros? Que os milhares de operários das fábricas de conserva e cortiça que antes havia, são hoje as jovens e os jovens "caixas" e "lojistas" dos hipers e das cadeias internacionais? Ou será que achamos que, por ser mais "limpo" e menos "pesado" o trabalho de quase escravidão no grande comércio e no novo retalho especializado, não é, à mesma como outrora, uma massificação de operários? Ainda não repararam que os "caixas" e "lojistas" transportam no autocarro, nas motas, nos carros Opel Corsa ou Fiat Punto pagos em leasing, a sua marmita para o almoço, convenientemente disfarçada num saco de asas daqueles de cartão das lojas de roupa? Tal como antes o faziam os operários fabris (só que sem a vergonha associada) nas suas bicicletas. Com a diferença que esses não tinham tido oportunidade de ir à escola. Os de hoje são licenciados mas, para o que fazem, mais valia terem poupado o dinheiro do curso. Vale a pena substituir o emprego do comércio tradicional por esse emprego das grandes superfícies? Para onde vai o dinheiro que todos nós vamos deixar aos hipers ao domingo? Fica com pessoas da terra ou vai para uma qualquer multinacional com sede na Holanda? A região e o país precisam de verdade. *Economista http://www.vialgarve.org tiagobotelhosilva@gmail.com

João Xavier

Estórias da hora republicana Uma das curiosas preocupações dos governantes da 1.ª República, nos primeiros meses de poder, foi a alteração da hora oficial. Logo em maio de 1911, o Ministro dos Negócios Estrangeiros fez publicar um Decreto assinado por Joaquim Theophilo Braga, António José de Almeida, Bernardino Machado, Amaro de Azevedo Gomes e Manuel de Brito Camacho, com umas considerações muito interessantes: “Já todos os países cultos, com raras excepções, teem adoptado para base da contagem do tempo o meridiano de Greenwich, segundo o principio acceite na Convenção de Washington em 1884; Persistirmos no obsoleto systema vigente representaria da nossa parte um verdadeiro atraso perante os progressos da civilização e até uma incuria, dada a nossa situação geographica e os deveres que ella nos impõe (...); Estas disposições entrarão em vigor no instante em que (...) começar o dia civil 1 de Janeiro de 1912, devendo então todos os relogios ser adiantados ou atrasados convenientemente: no continente de Portugal, os relogios serão nessa occasião adian-

tados 36’44’,68, desaparecendo também a actual diferença entre 5 minutos entre os relogios internos e exteriores das estações ferro-viarias (...)” Com a pouca popularidade que os novos governantes foram granjeando, a medida não foi bem aceite e muitos relógios mantiveram-se “pela hora antiga”, contestando as intenções republicanas. E, em finais de 1912, ainda a imprensa regional fazia eco das muitas igrejas em que os padres se recusavam a acatar a ordem de adiantarem os relógios 37 minutos. Como os sinos tocavam então regulando ritmos de trabalho, a sociedade continuava, na prática, a seguir a hora antiga (os sinos tocavam de manhã para o início da jorna, ao meio dia para o almoço, às 14h para o regresso ao trabalho e às 20 ou 21h para o fecho do comércio). Os conflitos repetiam-se, pois os republicanos iam reagindo com maus fígados: em Ferragudo chegaram a ser roubados os badalos dos sinos e em Santa Bárbara de Nexe o regedor roubou as chaves da torre da igreja... Estórias da 1.ª República...


P

OLÍTICA

13 I janeiro I 2011

[7]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

PRESIDENCIAIS 2011

Cavaco Silva garante que vai ter uma voz mais forte e insistente se for eleito "Sou presidente de todos os portugueses, mas sou também algarvio. Algarvio de gema. É aqui perante vós, meus conterrâneos, que quero começar por dizer a razão da minha candidatura", afirmou o candidato Cavaco Silva perante cerca de um milhar de apoiantes que marcaram presença no pavilhão do NERA, em Loulé. Ajudar o país a enfrentar e a ultrapassar as dificuldades presentes e futuras assumindo-se como um referencial de estabilidade, uma válvula de segurança e colocando o seu conhecimento ao serviço do país são os principais argumentos do candidato O recandidato a Presidente da República, Cavaco Silva, esteve na passada quinta-feira no Algarve onde inaugurou a sede de campanha e apresentou as razões da sua candidatura num jantar que se realizou no seu concelho natal, Loulé. Antes do discurso do candidato, passaram pelo palco o autarca anfitrião, Seruca Emídio, e o mandatário distrital da campanha, Adriano Pimpão. Ambos apelaram à re-eleição de Cavaco Silva e ao voto um dever que Adriano Pimpão sublinhou ser: “um dever patriótico irrecusável”. “Professor Cavaco Silva pode contar connosco”, afirmou Seruca Emídio que defende uma eleição sem margem para dúvidas na primeira volta. Perante os conterrâneos que apoiam a sua candidatura, o candidato subiu ao palco onde pediu: “Deem-me a honra de ser Presidente da República”. “Coloco-me ao serviço de Portugal e dos por-

No dia da sua passagem pelo Algarve, Cavaco Silva foi recebido na Universidade do Algarve onde esteve reunido com jovens empresários. Após o almoço passeou pelas ruas de Faro e à tarde, antes de se dirigir para o comício que decorreu em Loulé, esteve em Monte Gordo para visitar a Casa do Avô (na foto), um projeto da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António destinado a apoiar a terceira idade.

tugueses”, afirmou acrescentando: “serei sempre um referencial de segurança e estabilidade para Portugal”. A “jogar em casa”, Cavaco Silva afirmou que caso seja reeleito irá prosseguir o seu trabalho mas desta vez com maior intensidade. “É assim: a partir de agora a minha voz será mais forte, mais insistente”, assegurou. “Por uma razão muito simples. Porque o país se encontra verdadeiramente numa situação crítica”, explicou. Garantindo que é o candidato com melhor conhecimento da realidade nacional e com mais conhecimento da cena internacional, Cavaco Silva diz que fará tudo para que os portugueses sejam um povo informado e melhor preparado. “Temos todos de estar bem conscientes de que os problemas do nosso país não se resolvem com radicalismos, com ilusões ou com palavreado” disse defendendo uma reorientação das prioridades da

economia nacional. Mais produção para exportação e produção para bens que possam substituir as atuais importações são dicas referidas pelo candidato. Cavaco Silva diz ainda que vai ser um acérrimo defendor das pequenas e médias empresas que têm sido as grandes responsáveis pela criação de emprego a nível nacional nas últimas décadas. Considera ainda que é preciso perceber quais as prioridades que devem ser dadas ao crédito que está disponível no país. “Quanto mais o Estado absorver desta parte limitada de crédito que existe à disposição de Portugal, menos fica disponível para os empresários que criam emprego”, explicou. Querendo demonstrar o seu conhecimento da realidade nacional e apelando ao sentido de unidade, Cavaco Silva afirmou que “a recuperação não se faz só nas grandes cidades”. A recuperação terá de ser geral e só será possível

O candidato foi recebido ao rubro na sua terra natal e pediu a re-eleição

se existirem esforços à pequena, média e grande escala. “Todos são precisos! Vamos precisar muito uns dos outros”, alertou. O candidato presidencial diz que é tempo do país olhar para as suas potencialidades esquecidas ou desaproveitadas como é o caso do mar. Mas para que o país recupere e possa ultrapassar esta crise, Cavaco Silva diz que é PUB.

preciso provar na cena internacional que Portugal é um país que pode e deve ser respeitado e que é credível, confiável. Debruçando-se um pouco mais sobre os temas que mais diretamente afetam o Algarve, lembrou que a credibilidade nacional é um ponto fundamental quando se pretende ter bons resultados ao nível do turismo. “Um país credível é

mais facilmente procurado”, sublinhou. Cavaco Silva considera que a decisão que for tomada pelos portugueses no dia 23 será decisiva para o futuro da nação. “A escolha é muito importante mas é muito simples”, comentou. Na sua opinião, os portugueses têm de votar no candidato que está melhor preparado e “ninguém pode ficar indiferente”.


L

OCAL

13 I janeiro I 2011

[8]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Vai e Vem de Portimão com mais destinos e paragens O Circuito Urbano de Portimão reforçou os destinos, as paragens e os horários, mas os preços mantêm-se

Mais facilidades para os estudantes O transporte escolar foi outra das preocupações refletidas, tendo sido melhorado o serviço prestado à população estudante, garantindo menos tempo de espera na escola e a redução de tempos de percurso.

O novo estabelecimento de ensino da Bemposta passa a integrar a rede, o mesmo sucedendo à grande maioria do serviço escolar até à data prestado pela Junta Freguesia de Mexilhoeira Grande, sendo que a integração do transporte escolar no serviço normal permite a deslocação de alunos no tempo normal de aulas e no período de férias escolares. Esta alteração de circuito contempla a definição de dois períodos de funcionamento: o período escolar, entre 15 setembro e 31 de maio, e o período não escolar, entre 1 junho e 14 setembro. Também entrarão em funcionamento, de 1 junho a 14 setembro, quatro linhas noturnas, uma das quais a Linha Luar, especialmente vocacionada para o período de verão, que assegurará a ligação entre Alvor e a Marina de Portimão.

As alterações linha a linha Ainda com base naquele levantamento, foi identificado que a Linha 3 (Amarela) concentra o maior número de passageiros entre as paragens Bairro Independente e Largo do Dique, seguido do trajecto entre Largo do Dique/Aldeia das Sobreiras e Largo do Dique/Companheira. Face a estas conclusões, tanto o percurso de ida como o de volta passam a ligar o Largo do Dique à

Aldeia das Sobreiras e ao Monte das Alagoas, deixando de fazer a ligação à Companheira e Cebolar, o que encurta a sua extensão total. O restante percurso desta linha (Companheira - Cebolar) está garantido nas novas linhas 11, 14, 15 e 16. A Linha 11 (Grená) estabelece agora a ligação entre os Três Castelos e a Companheira pela V6, Casa das Artes e Alto do Pacheco, servindo a estação de comboios, o Mercado Grossista e o Parque de Feiras, permitindo a ligação da Companheira ao centro da cidade. Além disso, passa pela Escola Secundária António Aleixo e pela EB 2,3 D. Martinho Castelo Branco e garante o transporte de alunos residentes na Companheira, Con-

doril e Bom Retiro para a EB1 das Vendas. Quanto à Linha 12 (Ameixa), em ambos os sentidos passou a assegurar a ida à Quinta da Raminha pela Ro-tunda Paul Harris e também às Finanças e ao Mercado Municipal. Em alguns horários, serve a Secundária Poeta António Aleixo, tendo sido aumentada a sua frequência, correspondendo ao pedido de vários utentes. No que toca às novas linhas, a 16 (Oliva) estabelece a ligação entre a Praça Manuel Teixeira Gomes e o Centro Hípico de Belmonte, que não era servido pelo circuito urbano, passando a ser uma das novas zonas abrangidas, a pedido de vários munícipes.

SILVES: CARTÃO JOVEM MUNICIPAL

Transportes públicos de Lagos mais caros em 2011 A câmara de Lagos acaba de aprovar a proposta de alteração ao tarifário do serviço de transportes públicos de Lagos “A Onda” para o ano de 2011. A aprovação representa um aumento de 21 por cento nos bilhetes (mais utilizados pela comunidade turística), 17 por cento nos pré-comprados (utilizadores não regulares) e 16 por cento nos passes (utilizados pela comunidade lacobrigense), sendo previsível que a receita total aumente cerca de 18 pontos percentuais. A autarquia justifica estes aumentos com “a atual taxa de cobertura do serviço, que, embora tenha subido este ano, se encontra abaixo dos 40 por cento”, pelo que a câmara municipal assume cerca de dois terços do custo do serviço. A decisão foi tomada depois de a empresa municipal FuturLagos ter elaborado um estudo onde foram analisadas duas alternativas para o aumento do tarifário praticado pelos autocarros “A Onda”. Dos cenários apresentados, a autarquia

Já a linha 17 (Prata), ligará o Largo do Dique ao Autódromo Internacional do Algarve, através da Estrada da Torre, e servirá as zonas urbanizadas da Quinta da Torre e de Monte Judeu, Alcalar e Vidigal. O último horário irá estabelecer a ligação entre a Secundária Poeta António Aleixo e Monte Judeu, Torre, as zonas de Alcalar, Montes de Cima, Pereira e Arão, o que permite garantir o transporte de todos os alunos residentes nestas zonas e os trabalhadores do Autódromo para Portimão. Ao nível da oferta na Alameda da Praça da República, foi considerada a alteração prevista na Rua da Hortinha, que decorre da dificuldade de ma-

Jovens têm mais locais com descontos Silvesacabadealargararededeestabelecimentoscomerciaisdoconcelhoqueconcedemdescontosno âmbito do Cartão Jovem Municipal. Às 19 lojas inicialmente aderentes, juntaram-se agora mais 28 estabelecimentoscomerciais,queirãoconcederdescontoseminúmerosprodutoseserviços,quevãodesdearestauração, vestuário, estética e beleza ou diversão e lazer, até ao mobiliário e decoração, electrodomésticos e artigos para o lar, informática, entre outros. Os portadores também têm descontos na utilização de infraestruturas, equipamentos e serviços municipais (piscinas, espetáculos, museu municipal, castelo), bem como nas inscrições em todas as atividades organizadas pela autarquia.

PUB

aprovou a segunda alternativa, “uma vez que esta se desenha a mais vantajosa, é aquela que penaliza menos os utilizadores regulares dos transportes (nomeadamente os utilizadores de passes) e a que prevê maior receita”. A câmara de Lagos realça ainda que grande parte dos utilizadores dos passes pertencem à categoria com desconto de 50 por cento (estudantes, idosos, deficientes e desempregados de longa duração), pelo que “o aumento nesta comunidade será ainda mais reduzido”.

RESTAURANTE

PIZARIA

e-mail: geral@bellaitalia.pt site: www.bellaitalia.pt

RUA D. FRANCISCO GOMES N.º 10 TEL. 289 821 978 - 8000-306 FARO

Desde o passado dia 3, o circuito urbano de Portimão, Vai e Vem, passa a ter mais destinos, mais paragens e mais horários, a pensar nos munícipes e nos visitantes, através de um conjunto de alterações na rede existente que têm como objectivo uma melhoria contínua do serviço prestado. As alterações agora operadas visam responder às necessidades de mobilidade do concelho, identificadas no inquérito origem/destino, efectuado em julho último e cruzadas com as sugestões apresentadas pelos munícipes ao longo do ano de 2010. Desta forma, o Vai e Vem passa a servir ao mesmo tempo novas áreas urbanas e as zonas limítrofes à cidade. Assim, as pessoas que vivem em lugares mais afastados terão mais facilidade de ligação ao centro da cidade durante todo o ano e a rede proposta assegurará maior mobilidade à população em geral, com 17 linhas diurnas e duas nocturnas, que funcionarão todos os dias da semana.

nobra que os autocarros tinam na viragem desta artéria com a Rua da Igreja. Assim, no que diz respeito às ligações à Alameda, a opção foi alterar o percurso das linhas do Vai e Vem para reduzir os efeitos na circulação e de modo a distribuir a oferta pela Alameda e Rua Mouzinho de Albuquerque. Nesse sentido, foi considerado que a Alameda continua a ser servida pelas linhas Rosa, Laranja e Oliva, enquanto as restantes percorrem a Rua Mouzinho de Albuquerque em direcção ao Mercado na Avenida S. João de Deus, passando a existir uma paragem entre a Rua Mouzinho de Albuquerque e a Avenida São João de Deus. A reorganização da oferta dos dois percursos que servem a zona turística da Praia da Rocha também foi contemplada, garantindo-se o serviço noturno nesta zona o ano inteiro, o que permite uma maior mobilidade aos trabalhadores da zona. Agora também é mais fácil adquirir os títulos de transporte do Vai e Vem, uma vez que entraram em funcionamento três novos pontos de venda, pelo que será possível adquiri-los em Alvor, na papelaria El Rei, em Mexilhoeira Grande, na junta de freguesia, bem como em Portimão, na junta de freguesia. De acordo com a autarquia, estas alterações não implicam aumento de preços.


L

OCAL

13 I janeiro I 2011

[9]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Lagoa aprova orçamento de 41,8 milhões de euros Valor representa menos 13,3 por cento em relação a 2010. Grandes Opções do Plano contemplam cerca de 28,3 milhões de euros e para as juntas de freguesia serão transferidos 546.153 euros A Assembleia Munici pal de Lagoa aprovou o Orçamento e as Grandes Opções do Plano (GOP) para 2011, com votos a favor do PSD e abstenção do PS, CDU e BE. Recorde-se que os documentos já tinham sido aprovados em reunião de câmara, com a abstenção dos três vereadores do PS. O Orçamento para 2011 envolve 41.879.656 euros, menos 13,3 por cento (cerca de 6,9 milhões de euros) em relação a 2010. Segundo o presidente da câmara, trata-se de “um orçamento de rigor, sem grandes novidades, no qual se procurou inscrever os projetos que tenham comparticipação comunitária, bem como as dívidas existentes, incluindo os encargos com empréstimos bancários a médio e longo prazo, com a transparência exigida por lei”. José Inácio Marques referiu que “todos os custos estruturais foram contemplados”, havendo uma redução dos mesmos “por força da crise que se vive e da necessidade de uma política de prioridades”. Este facto leva ao não lançamento de obras novas, tendo o município de Lagoa reduzido uma série de atividades “com o objetivo de diminuir a despesa, face à receita, também ela muito menor”, explicou o autarca. O presidente da câmara revelou ainda que o orçamento contempla um Fundo de Emergência Social para acudir a casos pontuais que ocorrem entre a população, estando a autarquia apostada na criação de 30 novos postos de trabalho, ainda durante este mês de janeiro, em consonância com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, através de um programa de reinserção para desempregados registados no Fundo de Desemprego. Para o edil, este orçamento contempla um “mais bem estruturado apoio social, direto e indireto”, com a finalidade de minimizar problemas de carência. José Inácio Marques considera que as GOP para 2011 “é um documento criterioso, apostado na eliminação do desperdício e na concessão ajustada e eficaz de apoios aos agentes desportivos, culturais e IPSS, cuja redução está prevista no Orçamento”. Nas GOP estão inscritos cerca de 28,3 M€ (milhões de euros), o que, em relação a 2010, revela uma redução de cerca de 5,7 M€. A Câmara Municipal de Lagoa prevê gastar 19,3 M€ em funções sociais, 3.8 M€ em cultura e desporto, 2,1 M€ em funções económicas, 1,5 M€ em funções gerais (administração geral, segurança e ordem pública) e 1,5 M€ noutras fun-

Manuel Filipe Semião considera que o trabalho realizado na instituição tem um saldo positivo mas admite que o número de solicitações é cada vez maior

NOVOS CORPOS GERENTES DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE LOULÉ TOMARAM POSSE

José Inácio Marques

Hospital de Loulé reabre em fevereiro > SOFIA CAVACO SILVA

ções. Integrado nas GOP está o Plano Plurianual de Investimentos, que terá uma fatia de 7.653.996 euros.

Menos 51 mil euros para as freguesias A Câmara Municipal de Lagoa também recebeu luz verde para a assinatura dos Protocolos relacionados com a Delegação de Competências nas suas seis juntas de freguesia, no valor global de 546.153 euros, o que, em relação a 2010, representa uma redução de 51.364 euros. Aliás, a questão da delegação de competências da câmara municipal nas suas seis juntas de freguesias, foi o documento mais discutido e que mereceu maior debate de ideias e a diferenciação no período de votação na Assembleia Municipal, mas acabou por ser aprovado por maioria. PSD e PS votaram a favor de todas as delegações, enquanto que a CDU votou a favor da Junta de Lagoa e absteve-se em relação às restantes. O BE votou contra todas as delegações. Assim, a verba a transferir para as freguesias será distribuída do seguinte modo: Carvoeiro, 96.391 euros; Estômbar, 120.572 euros; Ferragudo, 59.173 euros; Lagoa, 134.272 euros; Parchal, 60.849 euros; Porches, 74.896 euros.

Lagoa promove "banco" para trocas de roupa e outros bens A câmara municipal de Lagoa está a promover um “Banco de Trocas”de vestuário, calçado e outros bens para famílias carenciadas. A autarquia justifica esta medida com “a repercussão da crise e as suas consequências junto da população”, sendo que o principal objetivo é “tentar minorar os efeitos da grave crise económica e social que a todos afeta, embora com demasiada violência aqueles que mais necessitam, designadamente as famílias numerosas, com baixos rendimentos onde, também, existe falta de emprego”. O “Banco de Trocas” de Lagoa começou por fazer parte do plano de ação da rede social em 2008 e, desde então, tem sido uma mais-valia para as famílias mais necessitadas do município, e está sedeado do bairro municipal Jacinto Correia e tem como missão a recolha e distribuição de vestuário e calçado (criança, senhora e homem) pela população que vive com mais dificuldades.

“Temos levado algum tempo, mas o hospital está concluído e pensamos que abra ao público em fevereiro”, explicou o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Loulé, Manuel Filipe Semião ao JA à margem da cerimónia de tomada de posse dos corpos dirigentes da instituição para o triénio 20112013. A inauguração deste espaço será um momento especial porque além de ser dado por recuperado um edifício emblemático da cidade, este volta a desenvolver a missão: os cuidados de saúde. A sua recuperação e adaptação implicaram um investimento na ordem dos quatro milhões de euros, tendo a autarquia louletana participado com cerca de um milhão e 150 mil euros. Por outro lado, a cedência de exploração do espaço irá permitir à Santa Casa da Misericórdia de Loulé ter uma nova fonte de receitas que vão po-

der reforçar o trabalho realizado pelos profissionais que nela trabalham junto de idosos, doentes e carenciados. Recorde-se que o Lar da Santa Casa da Misericórdia de Loulé acolhe 128 idosos em internamento e 40 no Centro de Dia. A instituição dá ainda apoio domiciliário a 60 pessoas e apoio domiciliário integrado a mais dez seniores. Este é o quarto mandato da mesa administrativa que conta com Manuel Filipe Semião nas funções de Provedor. Ao JA, explicou que atualmente, a Santa Casa da Misericórdia de Loulé (SCML) tem a sua lotação de internamentos esgotada e uma lista de espera superior à lista dos utentes internados. Para já, considera que os desafios desta instituição passam por dar continuidade a uma gestão criteriosa, pela tentativa de dar resposta ao maior número de solicitações que lhes chegam tanto para apoio direto como domiciliário e de internamentos.

“Poder-se-ia considerar fazer uma nova unidade até com outras características. É um assunto que poderá ser analisado por uma mesa administrativa futura agora que o problema do hospital está resolvido”, referiu quando questionado sobre a necessidade de aumentar a capacidade de acolhimento. “Mas ao nível do apoio domiciliário temos vindo a aumentar a resposta, tanto em número de utentes como de funcionários”, acrescentou. Até 2013, a mesa da Assembleia Geral da SCML é constituída por Eduardo Tenazinha, Eduardo Pinto e Henrique Silva, enquanto a mesa administrativa é composta pelos elementos: Manuel Filipe Semião, Maria Vitória Virote, Luís Manuel Silva, Ricardo Lampreia, Ilídio Floro, Celestino Viegas e Maria Helena Santos. No conselho fiscal estão os elementos: Joaquim Laginha, Dinis Martins e Avelino Santos.

Rastreio do Cancro da Mama em Loulé até março A Unidade Móvel de rastreio do Cancro da Mama vai estar frente ao Centro de Saúde de Loulé até ao final de março. A Administração Regional de Saúde do Algarve (ARSA) sublinha que se trata de uma iniciativa gratuita dirigida a todas as mulheres com idades compreendidas entre os 50 e os 69 anos que residam no concelho de Loulé. Todas as utentes que cumpram este requisito vão receber uma carta com uma marcação/convite para realizarem uma mamografia. De recordar que o programa de rastreio de Cancro da Mama teve início no Algarve em setembro de 2005 e é uma iniciativa da responsabilidade da ARSA, organizada conjuntamente com a Asso-

ciação Oncológica do Algarve. Os organizadores consideram da maior importância já que permite trabalhar na prevenção e na deteção precoce deste tipo de cancro que continua a ser o que mais frequentemente é diagnosticado em mulheres. “Quanto diagnosticado precocemente, o cancro da mama tem uma excelente taxa de cura”, sublinha a ARSA no comunicado agora divulgado. Dados oficiais, dão conta que só no concelho de Loulé, desde o início destes rastreios, já foram diagnosticados 18 cancros. No último rastreio a participação das louletanas convocadas para a iniciativa foi de cerca de 57 por cento.


S

13 I janeiro I 2011

OCIEDADE

[10]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Alcoutim e Sanlúcar Lagos não altera horários festejam juntos das grandes superfícies a tradicional noite de Reis COMÉRCIO:

A localidade espanhola de Sanlúcar del Guadiana engalanou-se na Noite de Reis para receber os reis magos, carregados de prendas para as famílias sanlu-quenhas e para as crianças de Alcoutim. A “Festa dos Reis” é uma celebração espanhola, que simboliza a chegada dos reis magos junto ao menino Jesus. Alcoutim decidiu juntarse à tradição da vila vizinha e desde há 15 anos que as crianças alcoutenejas atravessam o rio Guadiana e se integram nesta comemoração, recebendo presentes de Natal oferecidos pela autarquia portuguesa. “Assim as nossas crianças aprendem que o Natal pode ser vivido de formas diferentes da nossa, para além de ser uma ótima oportunidade para unir as gentes das duas

A Câmara Municipal de Lagos aprovou, na última semana, várias alterações ao Regulamento dos Períodos de Funcionamento dos Estabelecimentos de Venda ao Público e da Prestação de Serviços, para integrar no mesmo o que ficou plasmado na nova legislação, porém, e para já, decidiu não fazer uso do seu poder de alargar ou restringir qualquer horário daqueles estabelecimentos. Recorde-se que o novo Decreto-Lei que entrou em vigor no passado dia 16 de outubro veio acabar com o regime especial dos horários das grandes superfícies comerciais, determinando que o seu horário de funcionamento passe a ser o geral, ou seja, o estabelecido no art.º 1.º do DL 48/96, segundo o qual “os esta-

margens”, referiu o presidente da câmara de Alcoutim, Francisco Amaral. O tradicional cortejo a cavalo, que antecede a entrega dos presentes, percorreu as ruas de Sanlúcar, envolvendo

belecimentos de venda ao público e de prestação de serviços, incluindo os localizados em centros comerciais, podem estar abertos entre as 6 e as 24 horas de todos os dias da semana.” Por outro lado, passou a ser concedido aos municípios o poder de alargar ou restringir, em todas as épocas do ano ou apenas em épocas determinadas, esses mesmos horários de funcionamento. Mas a câmara de Lagos não vai alterar os horários das grandes superfícies. No entanto, os responsáveis autárquicos referem que “essa matéria poderá vir a ser objecto de nova deliberação após consulta às várias entidades que, segundo a lei, devem ser auscultadas”.

a população numa verdadeira chuva de rebuçados. A iniciativa, diz o autarca alcoutenejo, deverá manter-se no próximo ano, cultivando as relações interculturais entre as duas margens.

PUB.

Pedro Choy abre clínica em Faro Abriu em Faro, na passada semana, a nova clínica Pedro Choy, o médico de Medicina Chinesa mais conhecido a nível nacional. Uma iniciativa que a empresa justifica pelas “centenas de pacientes que há vários anos solicitavam uma Clínica Pedro Choy a sul”.

Localizada na ria Veríssimo de Almeida, nas proximidades do Jardim da Alagoa e do Largo de S. Francisco, a clínica é coordenada por Nelson Cardoso, desempenhado Melani Ra-poseiro as funções de coordenadora adjunta, enquanto Tânia Dias assu-

miu as funções de gestora da clínica. À semelhança das outras clínicas Pedro Choy, a clínica de Faro conta com um departamento generalista e os departamentos especializados em emagrecimento, diabetes, antitabágico e Tui Na.

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

"Os Sapatinhos Vermelhos" de regresso ao Centro Cultural A Associação Cultural de Dança Espanhola, de Vila Real de Santo António, em pareceria com o II ACTO – Produções Artísticas, volta a levar ao palco do Centro Cultural António Aleixo, este fim de semana, o espetáculo de teatro e dança “Os Sapatinhos Vermelhos”. “Os Sapatinhos Vermelhos” conta a história de uma criança órfã que é adotada por uma senhora rica. Esta da-lhe tudo o que ela quer e acaba por a estragar com mimos e excesso de coisa fúteis e materiais. Mas o grande sonho desta criança era ser bailarina. Um sapateiro consegue convence-la a comprar uns sapatos vermelhos, que acabam por a enfeitiçar... Na sexta-feira a sessão decorrerá a partir das 14h30 e será destinada aos alunos do 3.º ano das escolas do concelho. Bem como

aos utentes da Casa do Avô. No sábado, às 21h30, terá lugar a sessão para o público em geral. Recorde-se que no último fim de semana, aquela associação cultural já tinha presenteado o público com dois espetáculos.


S

13 I janeiro I 2011

OCIEDADE

[11]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

VRSA celebra centenário do nascimento de Vicente Campinas Biblioteca Municipal, que tem o escritor vila-realense como patrono, organizou palestra proferida por José Carlos Barros e por António Rosa Mendes. População ficou a conhecer um pouco mais sobre a vida do poeta, romancista, cronista, jornalista e militante antifascista nascido na freguesia de Vila Nova de Cacela > DOMINGOS VIEGAS As comemorações do nascimento de António Vicente Campinas começaram em Vila Real de Santo António no passado dia 28 de dezembro, com a inauguração de duas exposições na Biblioteca Municipal, mas tiveram um dos pontos altos no último sábado, dia 8, quando dezenas de pessoas encheram a sala de sessões daquele espaço cultural para ouvir o vereador José Carlos Barros e o historiador António Rosa Mendes falar sobre a vida e a obra do escritor vila-realense. Recorde-se que Vicente Campinas nasceu a 28 de dezembro de 1910, mas só seria registado a 8 de janeiro de 1911, daí a escolha destas duas datas pela Biblioteca

Municipal, que tem aquele escritor como patrono, para levar a cabo os referidos eventos. José Carlos Barros deixou a sua perceção sobre a obra do escritor que, para o vicepresidente da autarquia vilarea-lense e vereador da Cultura, ficou marcada por três questões fundamentais: a intervenção social, os conflitos entre essa necessidade de intervenção e a própria literatura, bem como o facto de Vicente Campinas deixar uma mensagem do seu tempo através das suas obras. “Vicente Campinas não se preocupava apenas com a escrita, pois para ele a literatura só podia ser entendida através de uma intervenção social permanente. Mas, em Vicente Campinas, também é notório o conflito entre a literatura, na

Comemorações prosseguem ao longo do ano Desde o passado dia 28 de dezembro, a Biblioteca Municipal de Vila Real de Santo António tem patente duas exposições integradas nas comemorações do centenário do nascimento do escritor vila-realense António Vicente Campinas. Uma mostra filatélica organizada pela Secção de Colecionismo dos Bombeiros Voluntários, bem como a exposição “Vicente Campinas – O Homem e o Escritor – 100 Anos”, organizada pela própria biblioteca e composta por documentos do escritor, notas manuscritas e diversos painéis explicativos. No último sábado, além da palestra sobre a vida de Vicente Campinas, foi lançado um selo e um postal comemorativos do centenário do nascimento do escritor. Mas as iniciativas integradas nas comemorações vão prosseguir ao longo de todo o ano 2011. Já no próximo dia 12 de fevereiro, e por ocasião do 109.º aniversário do nascimento de Manuel Cabanas, a Liga dos Amigos da Galeria Manuel Cabanas (LAGMC) levará a cabo um programa de comemorações que pretende também homenagear Vicente Campinas, conterrâneo e amigo daquele outro ilustre vila-realense. Aliás, as próprias comemorações a realizar pela LAGMC terão este ano como tema “Manuel Cabanas e Vicente Campinas – Uma Relação de Amizade”. Para o mês de abril, na Biblioteca Municipal, está prevista uma palestra com Teresa Rita Lopes e Rui Moura (que musicará poemas de Vicente Campinas), bem como o lançamento de um marcador de livros com um poema e um retrato de Vicente Campinas, desenhado pelo artista vila-realense Nuno Rufino. No dia 15 de setembro terá lugar, também na biblioteca, uma tertúlia com familiares, amigos e conhecidos de Vicente Campinas. D.V.

verdadeira aceção da palavra, e a escrita ao serviço das causas sociais. E ele conviveu muito com este conflito”, considerou José Carlos Barros, frisando que “é fundamental perceber essa relação entre literatura e intervenção social, para se perceber a literatura de Campinas”. A mensagem do seu tempo acabou por ficar perpetuada nos seus textos porque Vicente Campinas “teve a preocupação de não deixar perder o património que é o linguajar da sua terra, ou seja, deixou as marcas do seu tempo não só através das descrições, mas também na forma de falar e nas expressões mais características”, explicou José Carlos Barros. Estes exemplos estão bem patentes em obras como “Fronteiriços” e “Rio Esperança”, que retratam a vida quotidiana de Vila Real de Santo António, principalmente na década de 1950, e as dificuldades da sua população, com o Guadiana como pano de fundo. Aliás, também o historiador António Rosa Mendes acabou por sublinhar a importância destes autênticos retratos daquilo que era a então vila (hoje cidade) pombalina no tempo do escritor. “Não vivi esses tempos, mas ao ler a obra de Campinas é como se as tivesse vivido. É esse o poder da literatura. E temos que agradecer a quem nos lavrou essas páginas, as quais contribuíram para que, hoje em dia, possamos saber ainda melhor como se vivia em Vila Real de Santo António há meio século”, frisou. Além da referência à intervenção social na sua obra, através da denúncia das dificuldades da população e da constante luta pela liberdade e pela democracia, António Rosa Mendes destacou a “tenacidade” e a “perseverança” de Vicente Campinas em realizar o que sempre quis ser, ou seja, escritor, “mostrando uma enorme vocação para as letras, numa altura em que a esmagadora maioria da população não sabia ler nem escrever”. O historiador congratulou-se ainda pelas homenagens de que Vicente Campinas tem

Os responsáveis da Secção de Colecionismo dos Bombeiros Voluntários ofereceram à Biblioteca um retrato a óleo de Vicente Campinas, pintado por Emanuel d’Almeida

A viúva de Vicente Campinas e dois dos seus três filhos marcaram presença na cerimónia

sido alvo, algumas das quais ainda em vida, e deixou um apelo para que a sua memória, e a de outros ilustres, continue a ser preservada. “O pior dos pecados é a ingratidão por aqueles que nos antecederam. Às vezes, há pessoas que se esquecem que só temos a liberdade e o mundo que temos hoje, porque houve outros antes de nós que lutaram por isso. É preciso lutar pela preservação da memória, pois quem perde a memória, normalmente, tropeça”, alertou António Rosa Mendes, sublinhando que Vicente Campinas “criou o seu mundo e deixou-nos magníficas obras, que importa viver e redescobrir”. No início da cerimónia, que contou com a presença da viúva e de dois dos três filhos de Vicente Campinas, os responsáveis pela Secção de Colecionismo dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António ofereceram à Biblioteca Municipal um retrato a óleo do escritor, pintado

por Emanuel d'Almeida. A sessão contou ainda com vários

momentos musicais, a cargo de Afonso Dias.

PUB

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

ALTURA/MONTE GORDO

DE 12 A 18 DE JANEIRO * FRANGO DO CAMPO LUSITANO INTEIRO C/MIÚDOS KG

2,79 ¤

QUEIJO FLAMENGO BARRA PRIMOR KG

4,98 ¤

DETERGENTE EM PÓ P/MÁQUINA DE LAVAR ROUPA XAU FRESCURA ORIGINAL, SABÃO NATURAL, COLÓNIA DE BEBÉ 85 DOSES (CARTÃO POUPANÇA 50 %) PÊRA ROCHA KG

11,99 ¤ 0,79 ¤

LEITE UHT ESPECIAL CÁLCIO MIMOSA MAGRO, MEIO GORDO 1 LT - UNID

0,75 ¤

ÓLEO ALIMENTAR FRIGI 1 LT

1,09 ¤

*PRODUTOS NÃO DISPONÍVEIS NA LOJA INTERMARCHE EM MONTE GORDO SALVO RUPTURA DE STOCKS OU ERRO TIPOGRÁFICO


S

13 I janeiro I 2011

OCIEDADE

[12]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

NASCEU A "6A" PARA DIGNIFICAR E IMPULSIONAR O MERCADO DAS ANTIGUIDADES NA REGIÃO

Portugal e Espanha celebram 25 anos na União Europeia No dia 1 de janeiro de 2011 comemoraram-se os 25 anos da entrada de Portugal e da Espanha na União Europeia, na altura Comunidade Económica Europeia. As representações da Comissão Europeia em Portugal e em Espanha, em parceira com os respectivos ministérios dos Negócios Estrangeiros, vão organizar um programa de debate sobre a presença na União Europeia. Este programa integra a realização de três fóruns temáticos de debate ao longo do primeiro semestre de 2011. Terminará com uma conferência internacional, em junho, no CCB, em Lisboa, que discutirá os resultados dos fóruns. Fóruns: “Relações económicas entre Portugal em Espanha” (moderado por José Maria Brandão de Brito, do ISEG, e Agustin Ulied Martinez, da ESADE, Barcelona); “O valor acrescentado para a UE da presença de Portugal e Espanha” (moderado por Nuno Severiano Teixeira, do IPRI – FSCH/UNL, e Araceli Mangas Martin, da Universidade de Salamanca); “Identidades nacionais” (moderado por Maria Manuela Tavares Ribeiro, da Universidade de Coimbra, e Juan Pablo Fusi, da Universidade Complutense de Madrid) Os Foruns vão recorrer aos mais diversos meios de debate presenciais e virtuais (página Internet, blogue e outros meios web). A meio percurso realizar-se-ão três mesas redondas temáticas, uma no âmbito da cada fórum.

Euro arranca com sucesso na Estónia Em 1 de janeiro, a Estónia adoptou o euro como divisa oficial, estando a mudança a decorrer normalmente de acordo com o programa previsto. A anterior moeda nacional – a coroa – será eliminada progressivamente durante um período transitório de duas semanas em que ambas as moedas terão um estatuto de curso legal. No final do dia 2 de janeiro cerca de 26 por cento dos pagamentos nas lojas foram efectuados apenas em euros e mais de 90 por cento dos clientes estavam a receber o troco em euros. Não foram assinalados problemas nos bancos ou no sector retalhista.

Telemóveis: Novas normas para o carregador universal Segundo um mandato confiado pela Comissão Europeia, os organismos europeus de normalização CEN-CENELEC e ETSI acabam de apresentar as normas harmonizadas necessárias para o fabrico de telemóveis informatizados compatíveis com um novo carregador universal. Estas normas, que constituem a etapa mais recente do processo iniciado pela Comissão com vista à concepção de um carregador universal de telemóveis utilizável em todo o mundo, dão seguimento ao acordo a que se comprometeram catorze grandes fabricantes de telemóveis, em Junho de 2009, no sentido de uniformizarem os carregadores para telemóveis informatizados (que se podem ligar a um computador) vendidos na UE.

Inflação atinge 2,2 por cento Em Dezembro de 2010, segundo uma estimativa rápida publicada pelo Eurostat, a taxa de inflação anual da zona euro foi de 2,2 por cento. Em Novembro, a taxa fora de 1,9 por cento. Perguntas sobre a União Europeia? Ligue o número verde 00800 67891011 Contacte o Centro de Informação Europe Direct do Algarve (CCDR) 289 895 272 (www.ccdr-alg.pt/europedirect) Ou envie um email para europedirect@ccdr-alg.pt

Antiquários do Sul unem-se para criar eventos de referência O conceito não é novo na Europa mas só agora está a chegar ao Algarve. A recém-fundada Associação dos Amigos das Artes e Antiquários do Algarve e Alentejo quer criar uma agenda de eventos de excelência relacionados com antiguidades. Eventos que pretendem que sejam distintos das tradicionais feiras de velharias que se realizam na região. Suscitar o interesse dos algarvios e atrair colecionadores estrangeiros é um dos objetivos > SOFIA CAVACO SILVA O Algarve conta com uma nova associação que pretende dignificar e impulsionar eventos relacionados com arte antiga, antiguidades e colecionismo. Designada por Associação dos Amigos das Artes e Antiquários do Algarve e Alentejo ou de forma mais sucinta como “6A”, esta associação surgiu da necessidade que alguns empresários do ramo sentiram de unir esforços e potenciar uma agenda de eventos desta natureza na região convictos de que os mesmos podem constituir-se no futuro como mais um mote para o incremento de visitas turísticas. Em declarações ao JA, um dos membros fundadores, Pedro Soares, sublinhou que se trata de uma agremiação sem fins lucrativos e independente. “Porque conhecemos os vendedores, o seu artigo e a sua forma de estar, conhecemos também os potenciais interessados colecionadores e compradores, estamos numa posição privilegiada para promover eventos de qualidade que esta atividade merece, e que acabam por dignificar também o concelho e a região”, explicou Pedro Soares. Nesta fase inicial dos trabalhos, estão a encetar contactos com diversas autarquias e instituições locais com vista à cedência de espaços dignos e cobertos que possam acolher as feiras de antiguidades que pretendem realizar. Feiras, mercados, conferências, palestras, leiloes e eventos histórico-culturais são os eventos que pretendem organizar na região. “Exposições itinerantes de objetos em locais com visitas de estudo programadas poderiam aumentar o interesse das camadas mais jovens”,acrescenta. A primeira iniciativa que a associação pretende impulsionar deverá realizar-se já na Páscoa. Para já, os organizadores apontam Vilamoura como possível local para a rea-

Os expositores participantes estarão disponíveis não só para vender mas também para analisar, avaliar e até comprar artigos que lhes sejam apresentados

lização desta primeira feira que deverá durar três dias. Nos eventos que a 6A quer realizar existe um novo conceito que vai além das tradicionais feiras de velharias que se realizam na região. Os expositores participantes estarão disponíveis não só para vender mas também para analisar, avaliar e até comprar artigos que lhes sejam apresentados pelos visitantes, um pouco à semelhança do que já sucede um pouco por toda a Europa, principalmente a norte. “Há que deixar claro que estes eventos não são somente espaços de compra e venda de peças antigas. Existe também lugar à troca de conhecimentos, partilha de experiências, histórias da própria história, entender o passado e os seus episódios, conversas que podem surgir apenas de uma peça e terminar num debate de ideias bastante enriquecedor”, frisa Pedro Soares. “Será também um lugar onde especialistas se poderão encontrar, debater ideias e fazer conhecimentos”, acrescenta.

Crise aguça o engenho Os atuais membros da associação contam com uma vasta experiência de trabalho nesta área além-fronteiras. Essa experiência foi o mote para tentar trazer para o sul alguns conceitos que têm provas dadas noutros pontos da

Europa. A crise parece não esquecer nenhum setor ou área de atividade comercial e os antiquários também a sentem. “Notamos uma quebra nas vendas, mas curiosamente os artigos com mais qualidade e de preço mais elevado continuam a ser os mais apreciados”, explica Pedro Soares. A necessidade de criar novos públicos e conferir uma notoriedade e dignidade diferente a esta atividade impôsse ainda mais com a atual situação económica nacional e vários antiquários arregaçaram mangas e criaram a associação. “Se tivéssemos espaços onde se pudesse selecionar e realizar eventos de qualidade, onde a chuva, o vento e a exposição solar em excesso não fossem uma preocupação constante dos vendedores que pagam do seu bolso o prejuízo que isso acarreta, teríamos certamente mais condições para sermos visitados por mais pessoas que certamente trariam mais negócio a esta atividade”, confirma. “Muitas vezes, os vendedores querem vender e os compradores não sabem onde encontrar estas peças. Precisamos unir interesses, divulgar e promover”, acrescenta. Admitindo que existe uma parte do negócio desta atividade que começa a ser reali-

zado através da Internet com leilões, Pedro Soares está convicto que o contacto direto com as peças tem um impacto diferente nos potenciais compradores. “Uma imagem até pode valer mil palavras, mas o toque e a contemplação ao vivo dão o real valor à peça. Daí que não tenhamos dúvidas que existem interessados”, afirma. Aplicando à letra a intenção de divulgar ao máximo as atividades da associação a um público alargado, a 6A criou uma conta no Facebook denominada “Antiquários Sul”.

Potencial de atração de turismo sem fronteiras “Na experiência de feiras como a de Vila Real de Santo António e Monte Gordo, nota-se bem que não existe uma fronteira nas Antiguidades. Espanhóis e portugueses, e não só, trocam experiências num interesse comum pelas peças antigas. Todos partilham a mesma paixão e esta é a verdadeira razão de existir destes eventos”, explica Pedro Soares. “Penso que havendo a possibilidade de visitar um evento de antiguidades e colecionismo numa noite durante um fim de semana, pode constituir-se um bom programa para muitos turistas e locais, pelo que estaremos a promover os concelhos e a região”, conclui.


S

13 I janeiro I 2011

OCIEDADE

[13]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

DANÇA, TEATRO, MÚSICA E REFLEXÃO PROMETEM ANIMAR A CAPITAL ALGARVIA

Comunidade norteia programação do Teatro Municipal de Faro

Os responsáveis pela programação do Teatro Municipal de Faro definiram um calendário de eventos para os próximos quatro meses inspirados na comunidade. Os destaques vão para o espetáculo que vai ser apresentado pelo Teatro Meridional intitulado "1974", o "White Caps" que mistura o cinema ao breakdance e uma proposta diferente para o Dia de S. Valentim > SOFIA CAVACO SILVA O Teatro Municipal de Faro apresentou o seu programa para os próximos quatro meses. Recheado de propostas como já é habitual, a programação de quadriénio tem uma particularidade: foi concebido tendo por base o conceito “comunidade”. “Decidimos conceber as propostas que queremos partilhar com o público em torno de um conceito que nos guiou nas opções tomadas. (...) Desta vez fomos mais longe naquele que é o exercício de questionar o que somos enquanto comunidade, quem nos rodeia, quais os cruzamentos sociais que nos mol-

dam e como estes se encontram refletidos naquilo que é a criação artística contemporânea”, refere os responsáveis. Neste sentido, o Teatro Municipal de Faro (TMF) decidiu ainda criar o programa “Carta Branca” que dará quadrimestralmente a oportunidade a uma personalidade farense de preparar uma atividade. Para esta primeira programação de 2011, a “carta branca” foi entregue a Anabela Moutinho do Cineclube de Faro. Não se confinando aos espaços físicos do TMF e com uma direção que não se coibir de inovar, a programação conta ainda com o Projeto Vaivém.

A iniciativa consiste em levar propostas artísticas aos locais do concelho onde elas normalmente não chegam. Por isso

mesmo, algumas atividades vão desenrolar-se a partir de março nas escolas rurais do concelho de Faro.

Jantar romântico no palco no Dia dos Namorados “Sempre que o amor nos quiser – momentos de música gourmet” é uma das iniciativas inesperadas que esta programação do TMF apresenta no início de 2011. Esta é a proposta para o Dia de S. Valentim, 14 de fevereiro, e consiste em tornar o palco do teatro num espaço diferente onde casais irão jantar servidos pela Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve. Em pleno palco, os apaixonados vão ainda contar com uma atuação do grupo La Plante Mutante. Esta é uma atividade que implica reserva antecipada uma vez que a lotação está definida pela área do palco, calculando-se que esta experiência possa ser vivida por cerca de 25 casais.

MUSEU DE PORTIMÃO ABRE APETITE PARA OS "SABORES DA EUROPA"

Museu de Portimão abre apetite para os "Sabores da Europa"

Projecto comunitário sobre hábitos alimentares vai decorrer entre 26 de janeiro e 31 de julho O Museu de Portimão apresenta entre 26 janeiro e 31 julho as exposições “Sabores da Europa” e “Azeite - Saberes com sabor”, que resultam de um projeto europeu do qual fazem parte aquele equipamento cultural algarvio e outros oito museus de vários países da Europa. “Sabores da Europa” (“A taste of Europe”) debruça-se sobre a questão “porque comemos o que comemos”, fazendo uma reflexão em diversos níveis como a ecologia, a tradição ou a indústria, entre outros. O Museu de Portimão contribui com o tema “Azeite Saberes com sabor”, que foca um produto característico de Portugal, não só a nível gastronómico, considerando a sua utilização na indústria das conservas e como produto integrante da dieta mediterrânica, mas também nas implicações que sempre teve em termos sociais e na saúde.

O projeto “A taste of Europe” (http://www.atasteofeurope.eu/) envolve museus da Suécia, República Checa, Dinamarca, Estónia, Finlândia, Hungria, Portugal, Escócia e Eslovénia. Este projeto desenvolve uma exposição e atividades educativas sobre a produção e consumo alimentar na Europa, contando para o efeito com o apoio do Programa “Culture 2007 - 2013”, da União Europeia. Construída a par tir dos nove produtos alimentares, escolhidos por cada museu, a exposição transita do Arbetets Museum (Museu do Trabalho), da cidade sueca de Norrköping, realça diferenças e semelhanças na alimentação de cada país e visa estimular o conhecimento e a reflexão sobre a alimentação, o património, o ambiente, a produção e o consumo diário, especialmente entre os jovens europeus.

"Portimão nos Alvores do Século XX" vai continuar Devido ao grande interesse suscitado junto do público, a mostra “Portimão nos Alvores do Século XX” prolonga pela segunda vez o seu período expositivo e poderá ser vista até 30 de abril próximo na sala de exposições temporárias do Museu de Portimão, com entrada livre. A exposição apresenta alguns dos principais aspectos da evolução da antiga Vila Nova de Portimão no primeiro quartel do século XX, durante a transição da monarquia para o regime re-

publicano, focando as mais significativas alterações realizadas nessa época. Também patente ao público continua a exposição permanente "Portimão - Território e Identidade", estruturada em três percursos: "A Origem e Destino de uma Comunidade", "A Vida Industrial e o Desafio do Mar" e "Do Fundo das Águas", síntese da história do concelho. Todas estas exposições podem ser vistas às terças-feiras das 14h30 às 18h00, bem como de quarta a domingo entre as 10h00 e as 18h00.

Propostas do TMF até abril Desde o início do ano, o palco do Teatro das Figuras já acolheu o Concerto de Reis, um espetáculo que contou com a presença da Orquestra do Algarve. Este foi um momento definido pelo TMF como o indicado para reservar um euro de cada bilhete vendido e reverter as verbas angariadas a favor do Banco Alimentar Contra a Fome no Algarve. No passado fim de semana, o teatro recebeu o 30.º Encontro de Charolas da cidade de Faro e ontem realizou-se mais uma edição das Visitas Encenadas Atrás do Pano: “Os cantos confidenciais”. Uma atividade que é dirigida à comunidade escolar e que está inserida no serviço educativo do teatro. Até Abril, estão reservadas várias propostas que aqui apresentamos em resumo: - Oficinas Musicais em Família: 15 e 26 de janeiro às 10h00 e às 11h15; - Nortada: Espetáculo de Dança Contemporânea apresentado pela Companhia Orla Roriz no dia 22 de janeiro, pelas 21h30; - Concertos Promenade – Contos Musicados com “O Violino cigano” no dia 30 de janeiro às 12h00; - 7.º Festival de Flamenco de Faro a 4 de fevereiro, pelas 21h30; - Camané com o concerto “Do Amor e dos Dias”, no dia 12 de fevereiro às 21h30; - Sempre que o Amor nos quiser – Momentos de música gourmet: proposta para o Dia de S. Valentim, dia 14 de fevereiro, pelas 21h30; - Concertos Promenade – Contos Musicados com”Fogueira de Inverno” no dia 20 de fevereiro, pelas 12h00; - Os 39 degraus – uma adaptação do clássico de Hitchcock que conta com a participação dos atores Inês Castel-Branco, João Didelet, Joaquim Horta e Rui Melo. Dias 25 de fevereiro às 21h30 e no dia 26 às 14h30 e às 21h30; - Entre 1 e 5 de março às 21h30, o Teatro Lethes acolhe o projeto Carta Branca com a iniciativa “Tudo o que você sempre quis saber sobre bloggers de cinema [mas teve medo de perguntar]”; - Comemorações do Dia Internacional da Mulher, a 8 de março a partir das 21h30 no Teatro das Figuras. Participação da Companhia de Dança do Algarve, a ACTA, Grupo Folclórico de Faro, Moçoilas, Eurodo Grade, Luís Galrito e Cremilde. - Oficina de Lindy Hop (dança) no dia 12 de março, entre as 10h00 e as 13h00 e das 15h00 às 18h00. - A Nova Bailarina sobe ao palco no dia 26 de março é um dos espetáculos que integra o projeto Vaivém; - Hermeto Pascoal e Aline Morena Duo atuam no Teatro das Figuras no dia 17 a partir das 21h30; - Concertos Promenade – Contos Musicados com “O Grande Gatão” no dia 20, pelas 12h00; - Estreia da Obra “Água – a Seiva da Terra” - um poema sinfónico para a Orquestra de Sopros apresentado pela Academia de Música de Lagos no dia 22 de março, pelas 21h30; - 1974 sobe ao palco através do Teatro Meridional no dia em que se assinala o Dia Mundial do Teatro, 26 de março, pelas 21h30. - Foge Foge Bandido atuam no Teatro das Figuras no dia 1 de abril, a partir das 21h30; - XIII Fartunas – Festival de Tunas Académicas da Cidade de Faro a 2 de abril, pelas 21h30; - Dançarte – VIII Concurso Internacional de Dança entre 9 e 10 de Abril. A gala realiza-se no dia 10 a partir das 21h30; - Phantomb Limb passa pelo TMF no dia 16, pelas 21h30; - ACTA sobe ao palco do TMF com a peça “O Primeiro”. Entre os dias 22 e 25, pelas 21h30. - White Caps é o espetáculo da Champloo Dance Company e da Travelling Light Theatre Company que o TMF apresenta no Dia Mundial da Dança. O espetáculo é apresentado nos dias 29 e 30 e tem início às 21h30.


A L RTES E

ETRAS

[14]

13 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Dançar a ausência José Laginha, programador do CAPA regressa, ele próprio, às lides da dança, recuperando um trabalho apresentado em 2006 onde tematizava a ausência. “Não Temos Pátria, Temos Barbatanas” é um exercício em preparação onde se irá dançar a distância entre nós. Como diz o criador: "Longe daqui, tudo parece um circo". > ANA OLIVEIRA Os mais curiosos puderam assistir a um ensaio aberto da próxima produção coreografada por José Laginha e interpretada por Avelino Chantre, José Laginha e Marlene Vilhena. Dá pelo curioso nome de "Não temos pátria, temos barbatanas" e pretende fazer uma reflexão sobre a ausência. A ausência de si para consigo mesmo, a solidão e o vazio de seres que se cruzam sem comunicar, a impiedade e a crueldade da indiferença perante a dor alheia. E há a dor de quem olha para um ente próximo e já não reconhece a essência do humano por detrás do olhar do outro. Este trabalho, seguindo uma construção hegeliana, será composto por três partes distintas mas que se irão complementar. A primeira parte, composta pela apresentação "Não temos pátria, temos barbatanas", pretende colocar o espectador no centro do problema: DançaPUb

-se a ausência suspensos em encontros ilusórios e sorrisos de conveniência. Passamos uns pelos outros sem haver um contacto e permanecemos indiferentes perante a dificuldade alheia. "Longe daqui tudo parece um circo." A segunda parte, "Encomenda", propõe uma transição para um outro lugar. De qualquer forma, o momento de transição é o momento de ausência. O momento em que se fica despojado de si e o que se perdeu ainda não foi recuperado. A terceira parte, "Valsa Lenta", também ela a recuperação de um trabalho de José Laginha em 2004, assume a recuperação das ideias iniciais, ou seja, o devir hegeliano como a assunção das transições anteriores. E para José Laginha, o final da trilogia pode tematizar-se no seguinte resumo: "abandonados num espaço escuro, pontuado pelos mesmos sete bidões que deixámos em palco no final de "Não Temos Pátria, Temos Barbatanas", a

cena é outra, o chão onde assentam aqueles contentores deixou de ser cinzento/neutro (1.ª parte) e passou a ser ofuscante, a ter o brilho de uma película platinada. Tudo era simultaneamente novo e conhecido. Os bidões deixaram de aprisionar corpos, como no inicio do espectáculo, e passaram a servir de suporte a televisores que emitem texto, imagens, muitos desenhos de animais-homens de Jaime Fernandes e muita, muita cor. Depois de todos entrarmos, a porta fechou-se e o bater desta foi a dica, o sinal de arranque que pôs tudo em movimento. O som disparou muitíssimo alto, as luzes acendiam e apagavam, como numa discoteca dos anos setenta, sincronizadas com o som de uma banda sonora que por escassos segundos deixava-me reconhecer músicas actuais. De imediato eram interrompidas por outro excerto de outro tema musical. A aparente calma que escondia a tensão da primeira parte do espetáculo dá

Ensaio do espectáculo “Não Temos Pátria, Temos Barbatanas”.

lugar à festa, à loucura e à confusão. Durante apenas sete, sete alucinantes minutos celebrou-se e viveu-se o muito. Estávamos novamente no palco que parecia outro espaço. Nas quatro paredes eram agora projetadas frases simultânea e ininterruptamente, frases que só consegui ler parcialmente porque havia uma ventoinha que rodava entre o público de forma arbitrária, e que nos impedia de estarmos parados e atentos às mil coisas que aconteciam à nossa volta. Frases curtas e assinadas por gente famosa, que consegui associar a muitas das secções apresentadas na primeira parte do espectáculo. Recortes da imprensa escrita e falada, alguns deles recordaram-me artigos que havia lido nos últimos

tempos. Tratou-se de uma instalação com uma banda sonora muitíssimo ritmada, que fez contraponto com o que se ouviu até aí, tanto na primeira parte como no intervalo, muitas, muitas versões do "Every time we say goodbye". A música é o elemento catalizador que prima também por uma ausência presente. Aquela música que está sempre presente mas que não evidencia a sua presença. Manifesta-se de forma latente mas não evidente, o que está de acordo com a proposta inicial. Um ensaio aberto que desocultou um trabalho previsto para o segundo trimestre de 2011, suscitando uma grande curiosidade no espetador.


13 I janeiro I 2011

D

www.jornaldoalgarve.pt

ESPOR TO [15] ESPORTO ATLETISMO:

VRSA acolhe Masters Nacional de Padel Vila Real de Santo António recebe no próximo fim de semana o Masters Nacional de Padel, torneio juvenil e sénior, onde vão estar presentes as oito melhores duplas que participaram no Circuito Nacional de 2010 da modalidade. A competição decorrerá no Complexo Desportivo local e será organizada pelo Padel Clube de VRSA em conjunto com a Associação Portuguesa de Padel.

Sport Faro e Benfica homenageado com nome de rua A Câmara Municipal de Faro decidiu homenagear a quase centenária instituição desportiva Sport Faro e Benfica e inaugurou, no passado sábado, uma rua com o nome do clube, num dos arruamentos situados na Horta do Ferragial. “Esta agremiação, primeira filial do Sport Lisboa e Benfica, tem desempenhado uma importante missão de serviço público, formando milhares de jovens e promovendo diversas modalidades ao longo do seu rico e prestigiante historial”, refere a autarquia farense em comunicado.

DESPORTO ADAPTADO

S. Brás debate andebol em cadeira de rodas O Centro de Medicina e Reabilitação do Sul, em S. Brás de Alportel, vai acolher no próximo dia 21 a Acção Nacional de Formação de Andebol em Cadeira de Rodas. A iniciativa começa às 15h00 e inclui a apresentação de vários projetos na área do desporto adaptado. Joaquim Escada vai apresentar o projeto Andebol 4all, da FAP. António Carneiro apresenta o projeto do Comité Olímpico de Portugal. José Povoeiro e Carlos Morgado vão apresentar o projeto FPDD/ANDDEMOT e Jorge Carvalho será responsável por uma uma sessão teórica sobre andebol em cadeira de rodas. A sessão prática da modalidade de andebol em cadeira de rodas terá lugar a partir das 17h30, no pavilhão municipal de S.Brás de Alportel.

Olhão reúne velhas glórias do andebol O Clube Desportivo “Os Olhanenses” organizam no próximo dia 29 de janeiro, às 10h00, no pavilhão daquele clube, um encontro de antigos praticantes de andebol que passaram pelos diversos clubes de Olhão. A organização já tem confirmada a presença de bastantes atletas, entre os quais alguns jogadores da equipa sénior do SC Olhanense, que grandes feitos alcançou para a modalidade em Olhão. Os antigos atletas que desejem participar ainda podem inscrever através de e-mail (osolhanenses@gmail.com). A participação é gratuita e depois do jogo terá lugar um pequeno jantar convívio. O CD “Os Olhanenses” organiza no mesmo dia um jogo recreativo entre pais e filhos. PUB

Ana Dias conquista sétimo título no Grande Prémio dos Reis

Atleta da Casa do Benfica de Faro voltou a ganhar em casa. O russo Yuri Abramov venceu a prova masculina > DOMINGOS VIEGAS A algarvia Ana Dias ganhou a prova feminina da 41.ª edição do Grande Prémio dos Reis, em atletismo, uma das mais antigas provas de estrada do calendário nacional, disputado no último sábado em Faro. A atleta da Casa do Benfica de Faro, que conseguiu o seu sétimo triunfo nesta prova, completou os 6.300 metros com o tempo de 21.25 minutos, deixando no segundo lugar a finlandesa Sandra Eriksson (21.52m). Ana Cabecinha, do Clube Oriental de Pechão, ocupou o último lugar do pódio, com o tempo de 22.00 minutos. Atrás de Ana Cabecinha ficaram seis atletas oriundas da Finlândia, Croácia e Alemanha, enquanto Sandra Dias (Casa do Benfica de Faro) fechava o top10, com o tempo de 24.23 minutos. Na competição masculina, a vitória foi para o russo Yuri Abramov (19.04m), seguido Nélson Cruz (Praia da Salema), 19.13m, e de Manuel Ferraz (CR Alturense), 19.24m, segundo e terceiro, respetivamente. Jorge Varela, companheiro de equipa de Jorge Varela, ficou na quarta posição,

à frente de sete atletas oriundos de países do norte da Europa. Os atletas que representaram clubes algarvios só surgiram depois a partir da 12.ª posição, com Flávio Fernandes (Areis S.João), 20.30m, Michel Valente, 20.34m, e Paulo Soares, 20.35, (ambos do CR Alturense) nos 12.º, 13.º e 14.º lugares, respetivamente. Por equipas, o CR Alturense e a Casa do Benfica de Faro foram as vencedoras nas categorias de masculinos e femininos, respetivamente. A prova contou a com a participação de 378 atletas, desde benjamins até veteranos.

Restantes vencedores: Benjamins masculinos: David Gomes (Associação Académica Belavista). Benjamins femininos: Juliana Guerreiro (Núcleo Sportinguista de Faro). Infantis masculinos: Luís Simas (ND Escola Tomás Cabreira). Infantis femininos: Aurora Prata (SC Lagoense). Iniciados masculinos: Tiago Epaminondas (CO Pechão). Iniciados femininos: Kristina Bozic (Croácia). Juvenis masculinos: Juho Jumisko (Finlândia). Juvenis femininos: Ouisal Khanfoudi (CO Pechão). Juniores masculinos: Kalle Keskipoikela (Finlândia). Juniores femini-

Ana Dias completou os 6.300 metros da prova, que decorreu nas ruas de Faro, em 21.25 minutos

nos: Anette Houkilahti (Finlândia). Veteranos femininos: Matleena Livon (Finlândia). Veteranos I: Felisberto Reigado (Areias S.João). Veteranos II: Álvaro Rodrigues (CR Altu-

rense). Veteranos III: Fernando Fernandes (CA Alentejanos de Faro). Veteranos IV: Carlos Cabrita (CD Quarteira). Veteranos V: Sérgio Sousa (Tartugas Loulé).

FUTEBOL:

Suárez e Carvajal reforçam Olhanense Os chilenos Cristian Suárez e Esteban Carvajal, oriundos do Unión San Felipe (Chile), foram apresentados oficialmente na última semana como os dois novos reforços do Olhanense. Os dois futebolistas chega-

ram ao Algarve na passada semana, mas ainda não integraram o lote de convocados para o jogo disputado pela equipa de Olhão, no último domingo, diante do Rio Ave, em Vila do Conde. Suárez é defesa central, tem 23 anos,

já jogou no Brasil e na Argentina, e fez parte da seleção chilena de sub-20 que alcançou o terceiro lugar no Mundial de 2007 (no Canadá). Carvajal, de 22 anos, joga a médio e a extremo e é a primeira vez que representa um

clube fora do seu país. Ambos os jogadores chegaram por empréstimo e deverão ficar em Olhão no próximo ano e meio. O Olhanense poderá depois, em junho de 2012, fazer uso da opção de compra.

PUB

Vila Real de Santo António

rádio guadiana Telefone 281 512 337 / 281 513 861 / 281 541 079 / 281 767 - Telemóvel: 917 843 534 - Fax 281 512 338 www.radioguadianafm.com - admin@radioguadianafm.com


D

13 I janeiro I 2011

[16]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

NACIONAIS

I LIGA I LIGA I LIGA I LIGA I LIGA I LIGA I LIGA I LIGA

SÉNIORES I LIGA Resultados da 15.ª Jornada RioAve 0 OLHANENSE Nacional 0 Beira-Mar V.Guimarães 1 Naval U.Leiria 0 Benfica Académica 0 P. Ferreira FC Porto 4 Marítimo PORTIMONENSE 3 V.Setúbal Sporting 2 Sp. Braga

1 0 2 3 0 1 4 1

CLASSIFICAÇÃO J FC Porto 15 Benfica 15 Sporting 15 U.Leiria 15 V.Guimarães 15 Nacional 15 Sp. Braga 15 Beira-Mar 15 Académica 15 OLHANENSE 15 Marítimo 15 P. Ferreira 15 V.Setúbal 15 RioAve 15 PORTIMON. 15 Naval 15

P 41 33 28 24 22 22 20 20 19 19 16 16 16 14 9 8

Próxima 15.ª PORTIMON. V.Guimarães Sporting Nacional V.Setúbal U.Leiria FC Porto Académica

V 13 11 8 7 6 6 6 4 5 4 3 3 4 3 2 2

E 2 0 4 3 4 4 2 8 4 7 7 7 4 5 3 2

D M S 0 36 6 4 30 14 3 22 14 5 17 17 5 20 19 5 14 15 7 26 21 3 17 18 6 20 25 4 12 13 5 14 14 5 12 18 7 12 20 7 15 21 10 16 29 11 9 28

Sp. Braga OLHANENSE P. Ferreira RioAve Marítimo Beira-Mar Naval Benfica

2.ª DIVISÃO - ZONA SUL Resultados da 14.ª Jornada Praiense 1 Real Juv.Evora 1 Madalena Oriental 1 LOULETANO Torreense 2 Reguengos FARENSE 2 Mafra Operário 3 Casa Pia LAGOA 1 Atlético Pinhalnov. 4 Carregado

2 1 2 0 2 1 1 0

CLASSIFICAÇÃO J Atlético 14 Torreense 14 Pinhalnov. 14 Mafra 14 Operário 14 Madalena 14 LOULETANO 14 Juv.Evora 14 Reguengos 14 Oriental 14 Carregado 14 Casa Pia 14 Real 14 FARENSE 14 LAGOA 14 Praiense 14

P 30 27 26 24 24 23 21 20 19 18 16 13 11 11 9 8

Próxima 15.ª Atlético Reguengos Carregado Casa Pia LOULETANO Madalena Mafra Real

V 8 8 7 6 6 7 5 5 6 4 4 3 3 1 2 1

E 6 3 5 6 6 2 6 5 1 6 4 4 2 8 3 5

D M S 0 20 9 3 18 10 2 18 10 2 23 19 2 22 18 5 16 12 3 17 15 4 15 13 7 17 19 4 18 19 6 17 21 7 15 22 9 12 19 5 11 17 9 6 13 8 9 18

Pinhalnov. FARENSE Praiense LAGOA Torreense Oriental Operário Juv.Evora

3.ª DIVISÃO - SÉRIE F Resultados da 13.ª Jornada Aljustrelense 4 C. Piedade F.Barreiro 2 ESP. LAGOS Vendas Novas 4 MESSINENSE BEIRA-MAR 0 Odemirense P. Caparica 2 Moura Sesimbra 2 U. Montemor

1 2 0 2 1 0

CLASSIFICAÇÃO J Vendas Novas 13 Sesimbra 13 Odemirense 13 Moura 13 ESP. LAGOS 13 Aljustrelense 13 F.Barreiro 12 MESSINENSE 12 P. Caparica 13 U. Montemor 13 C. Piedade 13 BEIRA-MAR 11

P 24 24 22 21 19 19 17 17 16 16 10 0

Próxima 14.ª ESP. LAGOS MESSINENSE Odemirense Moura U. Montemor Sesimbra

V 7 7 6 5 5 4 4 5 4 4 2 0

E 3 3 4 6 4 7 5 2 4 4 4 0

D M S 3 25 15 3 24 7 3 22 14 2 22 15 4 31 20 2 18 13 3 13 10 5 10 14 5 17 19 5 17 19 7 9 31 11 5 36

C. Piedade F.Barreiro Vendas Novas BEIRA-MAR P. Caparica Aljustrelense

Olhanense regressa às vitórias Golo de Maurício (contra a corrente do jogo), falta de finalização dos locais e uma excelente exibição de Ricardo Batísta garantiram os três pontos RIO AVE 0 Local: Estádio do Rio Ave FC (Vila do Conde). Árbitro: Cosme Machado (Braga). Rio Ave: Paulo Santos; José Gomes (Cícero, 86’), Gaspar, Jefferson e Tiago Pinto; Ricardo Chaves (Vítor Gomes, 46’), Wires (Mendes, 65’) e Tarantini; Bruno Gama, João Tomás e Yazalde. Treinador: Carlos Brito. Treinador: Carlos Brito. Olhanense: Ricardo Batísta; Mexer, Maurício, Jardel e Carlos Fernandes (Ismaily, 37’); Fernando Alexandre e Nuno Piloto; Jorge Gonçalves, Rui Duarte (Cadú, 78’) e Paulo Sérgio; Adilson (Yontcha, 82’). Treinador: Daúto Faquirá. Ao intervalo: 0-1. Golo: Maurício (23’). Disciplina: Cartão amarelo a José Gomes (34’), Ismaily (44’), Mexer (49’), Ricardo Batista (90’) e Fernando Ale-

OLHANENSE 1

xandre (90+3’). Havia mais de três meses que o Olhanense não ganhava para a I Liga e, no último fim de semana em Vila do Conde, além de quebrar o jejum, conseguiu a primeira vitória fora de portas da temporada para o principal campeonato português. Pode-se dizer que, desta vez, a sorte protegeu os audazes. O Rio Ave foi a equipa que levou a batuta do jogo durante toda a primeira parte, criou várias ocasiões de golo, mas seria o central Maurício a marcar, na sequência de um livre “batido” por Rui Duarte. Estavam decorridos 23 minutos de jogo e este acabaria por ser o único remate dos algarvios à baliza de Paulo Santos durante toda a primeira metade. Os locais, que perderam bastante caudal ofensivo até

O central Maurício voltou a marcar pela equipa de Olhão

ao intervalo, só reagiram na tapa complementar. João Tomás e Yazalde estiveram em evidência, desperdiçando um bom punhado de ocasiões de golo. Porém, aos

poucos, o contra-ataque do Olhanense começou a funcionar e a formação de Olhão até poderia ter chegado ao segundo golo, o que seria um castigo demasiado pesado

para os vila-condenses, que voltaram à carga na parte final, valendo as boas intervenções do guardião Ricardo Batísta para segurar o resultado.

Estreia azarada de Carlos Azenha Erros "infantis" afundam o Portimonense ainda mais na tabela PORTIMONENSE 3 Local: Estádio Algarve (Parque das Cidades, Faro/ Loulé). Árbitro: Jorge Sousa (Porto). Portimonense: Ventura; Ricardo Pessoa, André Pinto, João Paulo e Ruben Fernandes; Pedro Moreira e Elias (Ivanildo, 59’); Lito, Pedro Silva II (Soares, 77’) e Candeias; Pires (Aragoney, 67’). Treinador: Carlos Azenha. V. Setúbal: Diego; Collin, Ricardo Silva, Valdomiro (Jailson, 38’) e Miguelito; Silva (Zeca, 46’), Ney, Hugo Leal e Neca; Henrique (Djikiné, 86’) e Cláudio Pitbull. Treinador: Manuel Fernandes. Ao intervalo: 2-1. Golos: Cláudio Pitbull (16’, g.p., e 52’, g.p.), Lito (29’), Pires (31’), Ventura (47’, p.b.), Henrique (76’) e Ricardo Pes-

soa (90+2’, g.p.). Disciplina: Cartão amarelo a João Paulo (15’ e 52’), Elias (45+1’), Jailson (66’), Ney (90+1’) e Ricardo Pessoa (90+3’). Cartão vermelho a João Paulo (52’, por acumulação de amarelos). Carlos Azenha não foi feliz na sua estreia como treinador do Portimonense (substituiu Litos antes da paragem do Natal e do fim de ano). A equipa de Portimão perdeu com um adversário direto na luta pela manutenção e afundouse ainda mais na tabela (o Portimonense mantém o penúltimo lugar, agora com menos cinco pontos do que o Rio Ave, a equipa que está imediatamente acima da linha de água). Os algarvios até deram um ar da sua graça logo início do

Ventura, com um lance infeliz, permitiu a reviravolta dos sadinos

jogo, mas os sadinos rapidamente pegaram no jogo e a inauguraram o marcador na conversão de uma grande penalidade, a castigar falta de

João Paulo sobre Valdomiro. O Portimonense ainda conseguiu reagir antes do intervalo, conseguindo dar a volta ao resultado, com golos de Lito

V. SETÚBAL 4 e de Pires. Porém, no início da segunda parte, os pupilos de Carlos Azenha acabaram por “oferecer” dois golos que permitiram nova reviravolta no marcador, desta vez para o V.Setúbal. Primeiro foi Ventura que, com um “frango” monumental, introduziu a bola na sua própria baliza. Depois foi João Paulo que voltou a cometer falta na sua área, viu o segundo cartão amarelo, foi expulso e permitiu a Cláudio Pitbull “bisar”, mais uma vez de grande penalidade. Em superioridade numérica, os sadinos ainda chegariam ao 2-4, por intermédio de Ney e já nos descontos. Ricardo Pessoa, pouco depois e de grande penalidade, ainda colocou o marcador em 3-4, mas numa altura em que já não havia nada a fazer.


D

13 I janeiro I 2011

[17]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

2.ª DIVISÃO 2.ª DIVISÃO 2.ª DIVISÃO 2.ª DIVISÃO

Guarda-redes Serrão dá empate ao Farense

José Luís Silva

FARENSE 2

Os sócios do Farense homenagearam Chaby, Joaquim Sequeira e José Mealha, recentemente falecidos

Local: Local: Estádio São Luís (Faro). Árbitro: João Mendes (Santarém). Farense: Serrão; Caniggia, Mamadou, Tiago Sousa e Joshua; Barão (David Justo, 59'), Calado, Bilro e Bruno Carvalho; Zambujo e Adérito (Bruno Martins, 75'). Treinador: João de Deus. Mafra: Márcio Santos; Samuel, João Afonso, Joaõzinho e Gonçalo; Sérgio Marquês (Renato, 66'), Tiago Costa, Marcelo e Kifuta (Alisson, 85'); Tuga e Nuno Go-

mes (Bonifácio, 54'). Treinador: Jorge Paixão. Ao intervalo: 1-2. Golos: Barão (13'), Kifuta (35'), Nuno Gomes (44') e Serrão (90+4'). Disciplina: Cartão amarelo a Joshua (12'), Bilro (26'), Adérito (31' e 90+4'), Tiago Costa (67'), Gonçalo (87'), Bruno Carvalho (88'), Bonifácio (90+2') e Carlinhos (90+4'). Cartão vermelho a Adérito (90+4', por acumulação de amarelos).

cou o golo do empate do Farense, já no período de compensação, depois de arriscar subir à área adversária (remate à meia volta), no jogo que marcou a estreia de João de Deus como treinador da equipa algarvia. O Farense até tinha começado melhor, inaugurando o marcador logo aos 13 minutos, por intermédio de Barão. Porém, antes do intervalo, Kifuta e Nuno Gomes deram a volta ao resultado. Antes, já os forasteiros tinham desperdiçado um

MAFRA 2 punhado de boas ocasiões. Na segunda parte o Farense surgiu mais ofensivo, mas teria que ser Serrão, ao cair do pano, a fazer o golo dos locais. Durante o jogo, os adeptos do Farense prestaram a sua homenagem aos três nomes ligados ao clube e falecidos recentemente, através da colocação de três cartazes com as imagens de Chaby, Joaquim Sequeira (ex-jogadores e extreinadores) e José Mealha (jornalista), no topo norte do Estádio de S.Luís.

O guarda-redes Serrão mar-

3.ª DIVISÃO 3.ª DIVISÃO ORIENTAL 1 Moutinho (Miguel Paixão, 65'), Sérgio Mendonça, Pedro Andrade, Afonso e Santiago (Samarra, int.). Treinador: Carlos Manuel. Louletano: Kula; Eugénio, Cordeiro, Fausto, Rafael, Leo,

Fábio Teixeira, Alberto, Bafode (Nicola, 81'), Ben e Fábio Marques (João Reis, 70'). Treinador: Paulo Renato Ao intervalo: 0-1. Golos: Bafode (39' e 63') e Tarouco (76').

LAGOA 1 Local: Estádio Capitão Josino da Costa (Lagoa). Árbitro: Luís Reforço (Setúbal). Lagoa: Ricardo Piedade; Janita, Ivo Nicolau, Flávio Dias, João Vítor, Márcio Candeias,

Pituca, David Rosa (Júlio, 77'), Dieng (Mário Pessoa, 72'), Mauro e Boiças (Codó, 72'). Treinador: Luís Coelho. Atlético: Botelho; Bernardo, João Meira, Rolão (Filipe Ferreira, 59'), Carlitos,

Disciplina: Cartão amarelo a Daniel (31'), Rafael (33'), Kula (44'), Cordeiro (53'), Ramón (69') e Pedro Andrade (70'). Cartão vermelho a Sérgio Mendonça e ordem de expulsão a Carlos Manuel (treinador do Oriental), depois do intervalo.

ATLÉTICO 1

Mandeiro (Aires, 59'), Saramago, Laurindo, Paulo Sérgio (Hernâni, int.), Rudi e Tiago Caeiro. Treinador: António Pereira. Ao intervalo: 1-0. Golos: Mauro (6') e Tiago

Caeiro (71'). Disciplina: Cartão amarelo a David Rosa (57'), Ivo Nicolau (66'), Mário Pessoa (85') e Janita (88').

NACIONAIS JUNIORES 1ª DIVISÃO

2ª DIVISÃO

Resultados da 19.ª jornada Benfica 1 Real 0 Marítimo 2 INT. ALMANCIL2 Nacional 0 Estoril 1 Naval 2 E.Amadora 0 Sporting 3 V.Setúbal 0 U.Leiria 3 Belenenses 1

Resultados da 18.ª jornada Amora 1 Atlético OLHANENSE 3 Oeiras GD Portugal 1 LOULETANO FARENSE 3 Lusit. Évora Tires 2 PORTIMON. Ourique 1 Pescadores

CLASSIFICAÇÃO

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P Sporting Benfica U.Leiria Naval Belenenses Marítimo Nacional Estoril V.Setúbal Real INT. ALMANCIL E.Amadora

19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19

15 13 12 9 8 8 7 6 6 5 4 0

1 5 3 4 4 4 4 5 3 3 5 1

Próxima Jornada 20.ª INT. ALMANCIL Real Estoril Marítimo E.Amadora Nacional V.Setúbal Naval Belenenses Sporting U.Leiria Benfica

3 1 4 6 7 7 8 8 10 11 10 18

60 44 30 33 39 29 20 22 21 25 20 8

11 13 23 24 38 28 28 27 29 31 35 64

46 44 39 31 28 28 25 23 21 18 17 1

3 0 3 1 1 3

18 18 18 18 18 18 18 18 18 18 18 18

INICIADOS

Série D

Série F

Resultados da 22.ª jornada LOULETANO 1 IMORTAL Amora 1 Barreirense Estoril 2 Casa Pia Lusit. Évora 0 V.Setúbal Venda Novas 0 Montijo Despertar 2 A Oeiras

1 1 1 2 2 2

14 10 8 9 8 7 7 6 5 4 3 0

2 4 7 4 3 5 4 5 5 6 6 3

2 4 3 5 7 6 7 7 8 8 9 15

Próxima Jornada 19.ª Pescadores Amora Atlético OLHANENSE Oeiras GD Portugal LOULETANO FARENSE Lusit. Évora Tires PORTIMON. Ourique

65 33 31 30 40 23 28 28 31 24 19 10

19 22 18 21 33 16 32 16 37 36 36 76

44 34 31 31 27 26 25 23 20 18 15 3

Estoril A Oeiras Barreirense V.Setúbal Amora Casa Pia IMORTAL LOULETANO Montijo Lusit. Évora Venda Novas Despertar

J V E D M S P

22 22 22 22 22 22 22 22 22 22 22 22

16 15 15 14 11 9 8 6 7 4 1 0

4 3 2 3 7 5 6 7 4 5 2 4

2 4 5 5 4 8 8 9 11 13 19 18

60 41 46 45 31 41 39 30 30 17 19 15

20 20 21 16 14 32 25 36 41 41 79 69

Próxima Jornada 23.ª Apurados 2ª fase: Estoril, Oeiras e Barreirense Liguilha apur. 2ª fase: V. Setúbal Liguilha manutenção: LOULETANO Despromovidos: Olímpico do Montijo, Lusitano Évora, E.V. Novas e Despertar

52 48 47 45 40 32 30 25 25 17 5 4

Resultados da 17.ª jornada LOULETANO 2 Despertar OLHANENSE 1 Ferroviário LUSITANO VRSA 5 Moura IMORTAL 8 Odemirense Sp.Cuba 2 Lusit.Évora ESP. LAGOS 1 V.Setúbal

V.Setúbal IMORTAL LOULETANO LUSITANO VRSA OLHANENSE Despertar Ferroviário Lusit.Évora ESP. LAGOS Sp.Cuba Odemirense Moura

2 1 1 0 2 6

J V E D M S P

17 17 17 17 17 17 17 17 17 17 17 17

14 12 10 10 9 8 7 6 5 3 0 0

2 1 4 4 5 2 4 5 2 2 4 1

1 4 3 3 3 7 6 6 10 12 13 16

65 46 42 37 48 30 23 28 27 12 6 6

Próxima Jornada 18.ª Moura V.Setúbal Odemirense LUSITANO VRSA Lusit.Évora IMORTAL Ferroviário Sp.Cuba Despertar OLHANENSE LOULETANO ESP. LAGOS

Dar a volta e deixar-se surpreender FABRIL 2 ESP. LAGOS 2

CLASSIFICAÇÃO

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P Atlético LOULETANO Oeiras PORTIMONENSE GD Portugal Tires FARENSE OLHANENSE Lusit. Évora Amora Pescadores Ourique

JUVENIS

C.F.E.L.

Local: Estádio Eng. Carlos Salema (Lisboa). Árbitro: João Roque (Portalegre). Oriental: Rui Santos; Tiago Rosa, Filipe, Daniel (Tarouco, 65'), Ramón, Tiago Mota, Hugo

LOULETANO 2

12 23 16 14 15 23 17 23 34 64 53 76

44 37 34 34 32 26 25 23 17 11 4 1

Local: Local: Estádio Alfredo da Silva (Lavradio). Árbitro: João Constantino (Beja) Fabril do Barreiro: Álvaro; Pina, Adérito (Milton, 78’), Rui Santos (César Moreira, 63’), Nuno Dias, Carlos André, Mário Jorge, Djão (Ayuk, 70’), Espanta, Pedro Vieira e Bruno Cruz. Treinador: Alfredo Almeida. Esperança de Lagos: Fábio Sapateiro; Pedro Alexandre, Edson (Bruno Silva, 45’), Diogo Nascimento, Balizas, Ângelo (André Lourenço, 59’), Totóia (Hernâni, 78’), Nélson, Bruno Gonzalez, Alex e Jorge. Treinador: Paulo Nunes. Ao intervalo: 0-0. Golo: Santos (48’ g.p.), Balizas (57’), Jorge (70’) e Ayuk (78’). Disciplina: Cartão amarelo a Nélson (5’), Balizas (40’) e Diogo Nascimento (85’). O Esperança de Lagos perdeu uma boa oportunidade de subir alguns lugares na tabela classificativa e, como o empate na margem sul do Tejo, continua a repartir a sexta posição com o Aljustrelense. No domingo, e depois de uma primeira parte sem golos, Santos colocou os locais em vantagem, na transformação de uma grande penalidade, logo a abrir a etapa complementar. Os algarvios reagiram e conseguiram dar a volta ao resultado, com dois golos (de Balizas e de Jorge) em 13 minutos. Porém, os pupilos de Paulo Nunes não conseguiram segurar o resultado e viram Ayuk restabelecer a igualdade, pouco depois.


D

ESPORTO

13 I janeiro I 2011

[18]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL

Líder de fato-de-macaco

Lusitano mais longe do topo LUSITANO 0

SILVES 1

Mikael (40'), Carlinhos (65') e Afonseca (82').

Local: Campo Francisco Gomes Socorro (Vila Real de Santo António). Árbitro: Tiago Cravo. Lusitano FC: Edgar Raposo; Afonso Leal, Nuno Silva, Hélder (Cris Baiano, 61') e Luís Firmino; Guilherme (Bruno Conduto, 46'), Mikael (Marco Nuno, 46'), Júlio Madeira e António; Edgar Rosa e Nélson Afonseca. Treinador: Ivo Soares. Silves FC: Jotinha; Salvador, Ricardo Sequeira, Nilton e João Teodoro; Hernâni; Carlinhos (Marcos, 87'), Bráulio e Nélson Peres (Mika, 90'); Mika Júnior (Pipi, 84') e Oliveira. Treinador: Kalu. Ao intervalo: 0-1. Golo: Carlinhos (45'). Disciplina: Cartão amarelo a Salvador (33'),

Num encontro entre duas das melhores equipas da competição, o Silves foi a Vila Real de Santo António infligir ao Lusitano o seu primeiro desaire caseiro da temporada. Após uma primeira parte em que o Silves foi melhor e chegou ao intervalo a vencer, no reatamento assistiu-se a uma natural reação dos pombalinos. Com as entradas de Marco Nuno, Bruno Conduto e Cris Baiano, o Lusitano assumiu o controlo do jogo, procurou de forma continuada a baliza adversária, mas o seu domínio foi sempre mais emotivo que eficaz. Em vantagem no marcador, os comandados de Kalu souberam “arrefecer” o jogo e, com uma organização tática digna de registo, garantiram no final os três pontos em disputa. Ricardo Gutierrez

Dominar e acabar a sofrer CAMPINENSE 2 Local: Estádio Municipal de Loulé. Árbitro: Fernando Macedo. Campinense: Joel; Nilton, Elton, Xavier (Quadros, 63'), Ricardo, Zé Daniel, Diogo Santos (Garrana, 57'), Paulo Mota, Sílvio, Diamantino e Mário Costa. Treinador: José Miguel.

IMORTAL 1

Golos: Mário Costa (26'), Diamantino (62') e Duarte (74', g.p.). Disciplina: Cartão amarelo a Claudinho (59') e Diamantino (74'). O Campinense foi a melhor equipa em campo até à altura em que o Imortal marcou o seu golo (a 15 minutos do final), numa altura em que já perdia por 2-0. Os locais desperdiçaram um punhado de boas ocasiões para chegar a esta altura com uma vantagem ainda maior, acabando por ver o Imortal crescer nos últimos minutos e ficar perto do golo do empate. D.A.

Imortal: Márcio; Canito (Cláudio, 46'), Bila, Ricardo Cruz, Mesquita (Duarte, 46'), Sandro, Cláudinho, Rui Sacramento (Décio, 61'), Jorge Paz, Alentche e Henrique. Treinador: Nuno Ramos. Ao intervalo: 1-0.

Visitantes mais fortes ALMANCILENSE 0 Local: Estádio Municipal de Almancil. Árbitro: Flávio Lima. Almancilense: Ronquilho; Henrique, Dú, Graça, Virgilio, Émanuel, Ronny, Pirica, Chinho, Edir e Zunga. Treinador: Hélder Rosa. Aljezurense: Abel; Jorge, Gigi, Rafa, André, Anderson, Hugo, Marquinho, Dinho, Casinhas (João Luís, 83') e Kiki (João Almeida, 68'). Treinador: José Fernandes Disciplina: Cartão amarelo a Gigi (38'), Rafa (40'), Chico (41'), Marquinho (84') e Hugo (89'). O empate até poderia ter agradado mais aos visitantes, pois con-

Rádio

SANTO ANTÓNIO 103.3 MELHOR SOM

MELHOR SINTONIA Telf.: 962 568 561 rsa1033@hotmail.com

ALJEZURENSE 0

quistaram um ponto fora de portas, mas acabaram por ser os locais a ficar mais satisfeitos devido ao facto de ter sido o Alje-zurense

que esteve sempre mais perto do triunfo. Valeu a excelente exibição do guarda-redes da casa. A.O.

I DIVISÃO Campinense 2 Faro e Benfica 1 Moncarapach. 1 Almancilense 0 Quarteira 1 Lusitano VRSA 0 Guia 0 Castromarinense 0

1 2 4 0 0 1 2 3

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Quarteirense 14 Lusitano VRSA 14 Odiáxere 14 Ferreiras 14 Silves 14 Campinense 14 Quarteira 14 Culatrense 14 Guia 14 Armacenenses 14 Castromarin. 14 Almancilense 14 Imortal 14 Faro e Benfica 14 Moncarapach. 14 Aljezurense 14

12 10 9 9 9 6 5 5 4 3 4 2 3 2 2 1

2 1 2 2 1 5 6 3 5 5 1 6 2 4 3 4

0 3 3 3 4 3 3 6 5 6 9 6 9 8 9 9

24 41 35 23 34 21 16 13 23 18 12 9 15 15 12 9

6 13 15 10 13 13 14 19 29 18 22 18 38 30 30 32

Próxima 15ª

Imortal Quarteirense Armacenenses Aljezurense Culatrense Silves Ferreiras Odiáxere

Faro e Benfica Castromarinense Campinense Moncarapachense Lusitano VRSA Guia Almancilense Quarteira

38 31 29 29 28 23 21 18 17 14 13 12 11 10 9 7

Resultados da 11.ª Jornada Quarteirense B Estombarense* Machados 2 Gin.Tavira Bensafrim 1 Sambrazense Alvorense 2 Padernense Santaluziense 2 11 Esperanças Serrano 1 Monchiquense *adiado

1 1 0 1 0

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Alvorense 11 Sambrazense 11 Gin.Tavira 11 Machados 11 Santaluziense 11 Estombarenses 10 Serrano 11 Quarteirense B 10 Bensafrim 11 Monchiquense 11 Padernense 11 11 Esperanças 11

Próxima 12.ª Monchiquense Serrano Santaluziense Alvorense Bensafrim Machados

7 7 7 6 5 4 4 4 2 3 2 3

1 1 1 2 2 2 2 1 4 1 4 1

O líder passou as passas do Algarve para assegurar os três pontos em Faro. A boa atitude dos pupilos de Luís Pires fez o Quarteirense vestir o fatode-macaco, nomeadamente na fase final da partida, com os homens da capital algarvia a mostrar que estão bem fisicamente. As águias do Pé da Cruz mostraram, logo no ini-

cio da partida, que estavam prontas para discutir os três pontos. O Faro e Benfica começou a partida com uma atitude muito positiva, ocupando bem os espaços, empurrado o Quarteirense para o seu meio campo, mas seriam os “pescadores” a inaugurar o marcador, por intermédio de Anderson, aproveitando uma oferta do guardião Hugo. Anderson acabaria por “bisar” pouco depois, com um remate de fora da área. A resposta aos golos foi pronta e Cissé teve por duas vezes a oportunidade para reduzir a desvantagem dos locais, ainda antes do intervalo. A boa atitude dos locais continuou na segunda parte. Pepe e Maia podiam ter reduzido logo nos minutos iniciais. Mas o golo do Faro e Benfica acabaria pro aparecer, por intermédio de Galinha, na conversão de uma grande penalidade que castigou uma falta de Filhó sobre Luís Viegas. A partir daqui o jogo foi repartido pelos dois meios campos, com oportunidades para ambas as equipas. O Quarteirense acabou a partida com menos um elemento, o que ainda motivou mais os “encarnados”. Valeu o traquejo da equipa que acabou por gerir a magra vantagem no marcador. José António Pires

Emotivo GUIA 0 Local: Complexo Desportivo Arsénio Catuna (Guia). Árbitro: Cristiano Pires. Guia: Luís Costa; Chico, André Gomes, Batalha (Fonseca, 82'), Cabral, Pedro Rodrigues (Pimentel, 74'), Marquinho, Edgar, Nuno Costa, Adriano (Luís Gonçalves, 72') e Mário José. Treinador: Rui Clemente. Ferreiras: Nélio; Luís Ferreira, Jorge, Diogo Afonso, Flávio Lança, Jair (Baldé, 73'), Ricardo Pereira (Nuno Mendes, 85'), Peixinho, Wilson, Ricardo Mestre (Casimiro, 67') e Bonifácio. Treinador: Ricardo Moreira. Ao intervalo: 0-0. Golos: Diogo Afonso (71') e Casimiro (77').

FERREIRAS 2

Disciplina: Cartão amarelo a Pedro Rodrigues (18'), Mário José (23'), Ricardo Pereira (37'), Jair (73'), André Gomes (88') e Nuno Mendes (89'). Cartão vermelho a Peixinho (36') e Chico (55'). O "derbi" do concelho de Albufeira prometia e não defraudou, proporcionando emoção, ocasiões de golo para ambas as equipas e... golos, neste caso para a formação das Ferreiras. O Guia começou melhor, o Ferreiras reagiu bem, mas seriam os locais a voltar a chamar a si o domínio antes do intervalo, quando o Ferreiras ficou reduzido a 10 jogadores. No início da segunda parte os locais ficaram também com menos um homem em campo e os forasteiros aproveitaram para fazer os dois golos do triunfo, com o Guia a dar sempre excelente réplica. António Agapito

MONCARAPACHENSE 1

II DIVISÃO

Imortal Quarteirense Armacenenses Aljezurense Culatrense Silves Ferreiras Odiáxere

Local: Campo Horta da Areia (Faro). Árbitro: Nuno Guerreiro. Faro e Benfica: Hugo; Baresi, Maia, Totti (Candeias, 73'), Pepe, Luís Viegas, Valério (Hugo Santos, 84'), Dinis (Pinto, 87'), Cissé, Joel e Galinha. Treinador: Luís Pires. Quarteirense: Lamah; Van Damme, Idalécio, Vila, Carôlo, Alemão (Jaime, 67'), Anderson, Rodrigo (Mindo, 86'), Filhó (Marquito, 60'), Trindade e Rui Graça. Treinador: Marito. Ao intervalo: 0-2. Golos: Anderson (22' e 34') e Galinha(51', g.p.). Disciplina: Cartão amarelo a Rui Graça (25' e 85'), Filhó (50'), Trindade (56'), Carôlo (75'), Luís Viegas (84') e Lamah (90+4'). Cartão vermelho a Rui Graça (85', por acumulação de amarelos).

QUARTEIRENSE 2

Uns dominam e outros marcam

FUTEBOL DISTRITAL Resultados da 14ª Jornada

FARO E BENFICA 1

3 3 3 3 4 4 5 5 5 7 5 7

22 21 17 15 20 15 13 16 18 16 15 12

Estombarenses Sambrazense Gin.Tavira 11 Esperanças Padernense Quarteirense B

13 12 11 9 16 15 17 20 22 23 19 23

22 22 22 20 17 14 14 13 10 10 10 10

Local: Campo da Torrinha (Moncarapacho). Árbitro: Ricardo Neves. Moncarapachense: Bruno Guerreiro; Valter (André Marques, 61'), Lelo, Carlos Reis (Steven Carmo, 43'), Vítor Russo, Ruben Relvas, Luís Mendes, Marco Sousa, Celso Borges, Pedro Silva e André Correia (Miguel Amador, 66'). Treinador: Miguel Serôdio. Armacenenses: Palhinha, Marco, Jimmy, Copoc, Catita, Oceano, Pedro Santos, Nélson Moutinho, Nuno Vieira (Joel, 85'), Paco e Mauro (Aaron, 78'). Treinador: Carlos Simões. Ao Intervalo: 0-2. Disciplina: Cartão amarelo a Lelo (65'), Celso

ARMACENENSES 4

Borges (75') e Miguel Amador (75'); Marco (36'). Golos: Nuno Vieira (20'), Paco (33' e 60'), Vítor Russo (47') e Aaron (86'). Num campo bastante enlameado, o Moncarapachense jogou mais, mas o Armacenenses é marcava, aproveitando praticamente a 100 por cento as oportunidades criadas. Os locais pecaram na finalização e a defesa teve algumas culpas nos dois primeiros golos. Arbitragem regular, mas com um lance duvidoso aos 29 minutos do segundo tempo, quando ficou por marcar uma grande penalidade contra o Armacenenses, por uma falta sobre Miguel Amador. Jorge H. Sampaio

Acordaram na etapa final QUARTEIRA 1 Local: Estádio Municipal de Quarteira. Árbitro: Luís Costa. Quarteira: Miguel; Cristiano, Madeira, Cambuta, Sancadas, Marcel, Luís Pina, Filipe Nunes, Edir Pereira, Hugo (Tinaia, 85') e Moki (André, 76'). Treinador: Luís Resende. Culatrense: João; Né, Hélio, Micael, Bodião, Sérgio, Calquinhas (Setenta, 75'), Roque (André, 70'), Tiago (Zé Luís, 82'), Luciano e Amílcar. Treinador: Geraldo Carmo. Ao intervalo: 0-0. Golo: Filipe Nunes (80'). Disciplina: Cartão amarelo a Luís Pina (33'), Sa-

CULATRENSE 0

cadas (34'), Micael (73') e Luciano (89'). Cartão vermelho a Hélio (90+2'). Jogo com pouca intensidade ofensiva. Os da casa tiveram mais posse e circulação de bola, mas os forasteiros estiveram bem na ocupação dos espaços, evitando, quase sempre, que o perigo chegasse à sua baliza. O jogo cresceu de intensidade no último quarto de hora e o Quarteira chegou ao golo através de um bom lance ofensivo. O Culatrense respondeu de imediato e, em lances de ataque rápido, até poderia ter chegado à igualdade. Bernardino Martins.


D

13 I janeiro I 2011

[19]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

FUTEBOL DISTRITAL JUNIORES BARLAVENTO Alvorense Esp.Lagos Imortal Silves Folgou Guia

2 2 4 2

1.ª DIVISÃO

SOTAVENTO

Resultados da 12ª Jornada

Armacenenses Lagoa Messinense Monchiquense

2 2 2 0

Resultados da 9.ª Jornada

Resultados da 9ª Jornada

Almancilense 1 Lusitano VRSA 7 Ferreiras 1.º Janeiro 0

Esp.Lagos Olhanense Internacional Lagoa Ferreiras Messinense

Quarteirense 5 Farense 0 Marít. Olhan. S.Luís 3

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Lagoa 11 Imortal 10 Esp.Lagos 11 Armacenenses 11 Silves 11 Messinense 11 Alvorense 11 Guia 10 Monchiquense 10

Lusitano VRSA Quarteirense Ferreiras S.Luís Farense Marítimo Olh. Almancilense 1.º Janeiro

8 8 8 5 5 4 2 1 1

3 2 2 1 0 0 2 2 0

0 0 1 5 6 7 7 7 9

39 61 48 26 12 23 18 9 4

9 16 11 21 25 25 30 46 57

27 26 26 16 15 12 8 5 3

9 9 8 9 9 8 9 9

6 5 6 4 3 2 1 0

2 4 0 1 2 2 3 2

1 0 2 4 4 4 5 7

27 20 28 17 16 17 7 3

11 10 14 14 26 17 19 24

20 19 18 13 11 8 6 2

Próxima 10.ª

Próxima 13ª

Armacenenses Lagoa Messinense Monchiquense Folga Silves

Farense Quarteirense Marítimo Olh. Almancilense

Esp.Lagos Imortal Guia Alvorense

INICIADOS

INFANTIS

Lusitano VRSA 0 Farense 2 Salir Almancilense Montenegro 2 Bias 0 Louletano 0 1.º Janeiro 4 Castromarinense Beira Mar Folgou Marítimo Olhanense

Imortal 0 1.º Janeiro 1 Esp.Lagos 3 Olhanense 6 Folgou Lusitano VRSA

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

0 1 2 0 0 0 2 1 0 0 0

0 0 1 3 2 5 5 5 0 0 0

19 14 11 11 6 12 5 2 0 0 0

2 4 10 10 6 18 15 15 0 0 0

18 13 11 9 9 6 2 1 0 0 0

Olhanense Louletano Lusitano VRSA Esp.Lagos Messinense Ferreiras Quarteirense 1.º Janeiro Imortal

4 5 3 4 4 5 5 5 3

Próxima 6.ª (15 Jan.)

Farense Louletano Almancilense Castromarinense Bias Salir 1.º Janeiro Montenegro Maritimo Olh. Beira Mar Folga Lusitano VRSA

Lusitano VRSA Quarteirense Ferreiras Messinense Folga Louletano

INFANTIS SÉRIE E

E 0 1 2 2 2 1 1 1

0 0 0 1 0 2 1 0 0

0 1 0 1 2 2 3 5 3

20 12 11 9 6 9 6 3 0

4 2 3 0

0 6 1 8 11 9 11 19 11

12 12 9 7 6 5 4 0 0

D 1 1 2 4 3 5 6 7

M 36 38 23 51 28 20 20 4

16 2 4

S 9 11 17 24 14 24 46 75

Próxima Jornada 12ª. Olhanense Marítimo Olh. Montenegro Lusitano VRSA Gin.Tavira Ger. Génios Folga S.Luís e Farense

P 24 22 17 11 11 7 4 1

Guia 3 Alvorense 2 Marítimo Olh. 3 Quarteirense 2 1.º Janeiro 3 Bensafrim 0 Folgou CHECUL

Armacenenses Ferreiras Imortal Louletano Castromar. Gin.Tavira

1 1 1 1 1 3

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Próxima 10ª

Próxima 12ª

Olhanense Odiáxere Esp.Lagos Portimonense S.Luís Internacional Ferreiras Lusit. VRSA Farense Lagoa Messinense Silves

9 9 9 9 9 8 9 9 9 9 9 8

7 7 7 6 4 4 4 4 3 2 0 0

1 0 0 2 2 1 0 0 1 1 1 1

1 2 2 1 3 3 5 5 5 6 8 7

39 24 14 18 16 20 18 17 21 15 11 3

11 14 8 16 13 13 19 17 17 25 38 25

22 21 21 20 14 13 12 12 10 7 1 1

Olhanense Ferreiras Messinense Internacional Lagoa Odiáxere

Marítimo Olh. 10 Gin.Tavira 10 Quarteirense 10 Imortal 9 Louletano 8 1.º Janeiro 10 Guia 11 Ferreiras 9 Armacenenses 10 Alvorense 10 Castromar. 9 Bensafrim 9 CHECUL 9

10 8 6 5 4 4 4 4 3 3 3 1 0

0 1 2 2 3 2 2 0 1 0 0 0 1

0 1 2 2 1 4 5 5 6 7 6 8 8

45 35 33 33 27 18 18 15 15 12 11 8 12

9 5 17 11 6 13 20 22 22 44 36 30 47

30 25 20 17 15 14 14 12 10 9 9 3 1

Portimonense Farense Quarteirense S.Luís Imortal Odiáxere

Alvorense 1.º Janeiro Bensafrim Marítimo Olh. Quarteirense Gin.Tavira

E 1 2 0 1 0 0 2 1 1

D 0 1 3 3 5 6 7 6 8

M 69 42 61 44 29 23 17 20 12

S 14 27 16 21 33 31 59 55 61

Próxima Jornada 12ª. Lusitano VRSA Vaqueiros Beira Mar Gin.Tavira Castromarinense Moncarapachense Bias 4 ao Cubo Folga Marítimo Olh.

P 28 23 21 16 15 9 5 4 4

Odiáxere 0 Monchiquense 1 Guia 4 Portimonense 5 Messinense 2 Folgou Padernense

Alvorense Silves Esp.Lagos Ferreiras Quarteirense

3 7 0 1 0

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Quarteirense Portimonense Odiáxere Farense Ferreiras Olhanense Lagoa Armacenenses S.Luís Internacional Gin.Tavira Imortal

Silves Guia Esp.Lagos Messinense Portimonense Monchiquense Alvorense Odiáxere Ferreiras Quarteirense Padernense

9 9 9 9 8 9 9 8 9 8 9 8

7 7 6 5 4 4 4 2 1 1 1 0

2 1 2 4 2 2 1 1 2 1 0 2

0 1 1 0 2 3 4 5 6 6 8 6

31 34 40 28 24 13 11 5 6 7 1 5

3 8 6 2 12 11 16 31 16 17 48 35

23 22 20 19 14 14 13 7 5 4 3 2

8 9 8 8 8 9 8 8 8 8 8

8 7 5 5 5 4 3 2 1 1 1

0 1 1 1 0 0 1 1 1 0 0

0 1 2 2 3 5 4 5 6 7 7

39 38 15 13 25 15 16 5 4 10 7

3 9 9 16 17 24 19 12 26 23 29

24 22 16 16 15 12 10 7 4 3 3

Próxima 10.ª

Armacenenses Internacional Olhanense Ferreiras Lagoa Portimonense

Farense Imortal Odiáxere Quarteirense S.Luís Gin.Tavira

Alvorense Silves Esp.Lagos Ferreiras Odiáxere Folga Guia

Resultados da 11.ª Jornada Portimonense 3 Odiáxere EF J.Moutinho 3 CB Portimão Monchiquense 7 Aljezurense Lagoa 1 Alvorense Folgou Esp. Lagos

CLASSIFICAÇÃO J Portimonense 10 Lagoa 9 Odiáxere 10 Esp.Lagos 9 EF J.Moutinho 10 Monchiquense 10 Alvorense 10 Aljezurense 10 CB Portimão 10

V 8 7 7 6 5 4 2 1 1

E 1 2 1 0 0 0 2 0 0

D 1 0 2 3 5 6 6 9 9

M 65 50 27 35 38 26 21 22 12

0 1 1 1

S 15 12 12 23 28 40 60 62 44

P 25 23 22 18 15 12 8 3 3

SÉRIE C

Portimonense Messinense Monchiquense Padernense Quarteirense

Resultados da 11.ª Jornada Odiáxere 1 Guia Alto Colina 2 Quarteirense Ferreiras Salir Almancilense Padernense Folgou Imortal

CLASSIFICAÇÃO J Odiáxere 10 CB Portimão 10 Silves 10 Portimonense 9 Ferreiras 9 Armacenenses 10 Lagoa 10 Guia 9 EF J.Moutinho 9

CLASSIFICAÇÃO J Guia 10 Padernense 9 Imortal 8 Alto Colina 10 AC Salir 9 Almancilense 9 Quarteirense 9 Odiáxere 11 Ferreiras 8

V 9 8 7 5 4 3 2 0 0

E 1 0 1 1 0 2 2 2 1

D 0 2 2 3 5 5 6 7 8

M 64 81 36 39 27 18 24 19 5

S 9 15 12 22 34 30 56 65 70

P 28 24 22 16 12 11 8 2 1

Próxima Jornada 12ª. Portimonense Lagoa CB Portimão Guia EF J.Moutinho Silves Odiáxere Armacenenses Folga Ferreiras

CLASSIFICAÇÃO J Portimonense 5 Esp.Lagos 5 Odiáxere 5 EF J.Moutinho 5 CB Portimão 6 Monchiquense 5 Infante Sagres 5 Alvorense 0

CLASSIFICAÇÃO J Ferreiras 8 CB Portimão 7 Lagoa 7 Bellavista 6 Messinense 5 Armacenenses 7 Esp.Lagos 7 Silves 6 Guia 7

D 0 1 2 2 4 4 5 0

M 59 42 28 23 20 15 4 0

Próxima Jornada 7ª. EF J.Moutinho Infante Sagres Odiáxere Portimonense Monchiquense Esp.Lagos CB Portimão Alvorense

S 7 13 12 14 14 44 87 0

P 15 12 9 9 6 3 0 0

V 8 5 4 3 3 2 2 1 1

E 0 0 0 0 0 1 0 1 0

E 0 1 0 1 0 0 1 2 2

D 0 2 3 5 5 5 5 7 6

M 67 20 43 32 26 23 18 30 9

S 16 22 20 24 40 32 34 42 38

P 30 19 15 13 12 12 10 8 2

D 0 2 3 3 2 4 5 4 6

M 28 40 35 23 18 11 20 9 12

10 0 0 3

S 9 7 22 19 14 21 25 20 59

Próxima Jornada 9ª. Bellavista Armacenenses Esp.Lagos CB Portimão Lagoa Silves Messinense Guia Folga Ferreiras

P 24 15 12 9 9 7 6 4 3

Resultados da 11.ª Jornada EF Faro 2 Sporting Faro Ger. Génios 10 Montenegro Internacional 0 Louletano Imortal 8 S.Luís Folgou Farense

CLASSIFICAÇÃO J Ger. Génios 10 Sporting Faro 8 EF Faro 10 Internacional 9 Farense 9 Louletano 10 Imortal 8 Montenegro 10 S.Luís 10

V 7 7 6 5 4 4 2 1 1

E 2 1 1 1 1 1 1 2 0

D 1 0 3 3 4 5 5 7 9

M 51 49 30 37 54 28 32 23 14

S 14 11 27 24 29 27 39 57 90

4 0 0 2

P 23 22 19 16 13 13 7 5 3

Próxima Jornada 5ª. EF Faro Imortal Louletano Farense Sporting Faro Internacional Montenegro S.Luís Folga Ger. Génios

(FUT. 7 )

SÉRIE C

Resultados da 8.ª Jornada Guia 3 Bellavista Armacenenses 1 Esp.Lagos CB Portimão 4 Lagoa Ferreiras 4 Messinense Folgou Silves

E 0 0 0 0 0 0 0 0

V 10 6 5 4 4 4 3 2 0

6 4

Próxima Jornada 12ª. Odiáxere Almancilense Imortal Alto Colina Guia Ferreiras Quarteirense Padernense Folga AC Salir

SÉRIE B

Resultados da 6.ª Jornada CB Portimão 2 Odiáxere 4 Esp.Lagos 7 EF J.Moutinho 2 Portimonense 20 Monchiquense 1 Infante Sagres Alvorense

V 5 4 3 3 2 1 0 0

SÉRIE D

Resultados da 11.ª Jornada Lagoa 1 Odiáxere 10 Ferreiras Portimonense EF J.Moutinho 0 CB Portimão 13 Silves 6 Armacenenses 0 Folgou Guia

BENJAMINS A

CLASSIFICAÇÃO J V Lusitano VRSA 10 9 Marítimo Olh. 10 7 Beira Mar 10 7 Bias 9 5 Moncarapachense 10 5 Gin.Tavira 9 3 4 ao Cubo 10 1 Vaqueiros 8 1 Castromarinense 10 1

0 0 1 3 1 0

INFANTIS (FUT. 7)

SÉRIE A 2 5 1 3

Resultados da 9.ª Jornada

Armacenenses Internacional Olhanense Ferreiras Lagoa Gin.Tavira

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

SÉRIE B

(FUT. 7)

Resultados da 11.ª Jornada Marítimo Olh. 2 Bias Gin.Tavira 1 Lusitano VRSA Castromarinense 2 Beira Mar Moncarapachense 2 4 ao Cubo Folgou Vaqueiros

9 5 2 1 0 12

Próxima 10.ª

Armacenenses Ferreiras Imortal Louletano Castromar. CHECUL Folga Guia

Próxima Jornada 12ª. CB Portimão Portimonense Aljezurense EF J.Moutinho Monchiquense Esp.Lagos Odiáxere Lagoa Folga Alvorense

Olhanense Imortal 1.º Janeiro Esp.Lagos

SÉRIE F

Resultados da 11.ª Jornada Marítimo Olh. 0 Gin.Tavira Farense 3 Olhanense Lusitano VRSA 1 S.Luís Folgou Ger. Génios e Montenegro

V 8 7 5 3 3 2 1 0

Louletano Quarteirense Ferreiras Messinense

4 4 3 2 2 1 1 0 0

Próxima 10ª

CLASSIFICAÇÃO J Farense 9 S.Luís 9 Olhanense 9 Gin.Tavira 9 Montenegro 8 Ger. Génios 8 Lusitano VRSA 8 Marítimo Olh. 8

2 0 1 3 1 2

2.ª BARLAVENTO

Resultados da 9.ª Jornada

Resultados da 11ª Jornada

Portimonense Silves Farense Lusit. VRSA S.Luís Odiáxere

SÉRIE A Resultados da 5ª Jornada

6 4 3 3 3 2 0 0 0 0 0

2.ª DIVISÃO

(FUT. 11)

Resultados da 9ª Jornada

6 5 6 6 5 7 7 6 0 0 0

1 6 3 1 0 1

1.ª DIVISÃO

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Portimonense Silves Farense Lusit. VRSA S.Luís Esp.Lagos

S.Luís Ferreiras Lusitano VRSA 1.º Janeiro

2.ª SOTAVENTO

1.º Janeiro Montenegro Louletano Maritimo Olh. Farense Almancilense Bias Lusitano VRSA Beira Mar Salir Castromar.

INICIADOS

JUVENIS

SÉRIE D

Resultados da 8.ª Jornada Salir 0 Alto Colina Geração Génios 6 Almancilense Quarteirense 2 Louletano Imortal 1 Ferreiras Folgou Padernense

CLASSIFICAÇÃO J Louletano 7 Geração Génios 8 Quarteirense 7 Imortal 7 Alto Colina 7 Almancilense 6 Ferreiras 7 Salir 7 Padernense 6

V 7 6 5 4 3 2 2 1 0

E 0 0 1 1 0 0 0 0 0

D 0 2 1 2 4 4 5 6 6

M 53 54 62 53 46 20 16 5 0

Próxima Jornada 9ª. Alto Colina Padernense Almancilense Quarteirense Louletano Imortal Ferreiras Salir Folga Geração Génios

17 0 4 4

S 5 17 10 17 19 24 68 68 81

P 21 18 16 13 9 6 6 3 0

Resultados da 6.ª Jornada EF Faro 3 Geração Génios 1 S.Luís 5 Farense 1 Quarteirense 2 Montenegro 9 Sporting Faro 5 1.º Janeiro 0

CLASSIFICAÇÃO J EF Faro 6 S.Luís 6 1.º Janeiro 5 Geração Génios 6 Sporting Faro 6 Montenegro 6 Farense 5 Quarteirense 6

V 5 4 3 3 2 2 1 1

E 0 1 0 0 2 1 0 0

D 1 1 2 3 2 3 4 5

M 22 30 20 15 26 21 11 8

Próxima Jornada 7ª. Farense Sporting Faro Geração Génios Quarteirense Montenegro S.Luís EF Faro 1.º Janeiro

S 12 6 11 13 15 26 20 50

P 15 13 9 9 8 7 3 3


D

13 I janeiro I 2011

[20]

ESPORTO

BENJAMINS A

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

BENJAMINS B

(FUT. 7)

SÉRIE A

SÉRIE E

SÉRIE B

Resultados da 8.ª Jornada Gin.Tavira Beira Mar Fuzeta Olhanense Moncarapachense Bias Castromarinense 0 Marítimo Olh. 7 Folgou Lusitano

Resultados da 8.ª Jornada Alvorense Lagoa Portimonense 5 Armacenenses Aljezurense 1 Alto Colina Silves 0 Esp.Lagos Odiáxere 0 EF J.Moutinho

CLASSIFICAÇÃO J Olhanense 5 Lusitano VRSA 4 Gin.Tavira 6 Marítimo Olh. 5 Fuzeta 4 Moncarapachense 5 Castromarinense 6 Bias 3 Beira Mar 0

CLASSIFICAÇÃO J Portimonense 7 Esp.Lagos 8 EF J.Moutinho 6 Armacenenses 6 Lagoa 7 Odiáxere 7 Alto Colina 7 Silves 7 Aljezurense 7 Alvorense 0

V 4 4 4 3 2 1 0 0 0

E 0 0 0 0 0 0 1 1 0

D 1 0 2 2 2 4 5 2 0

M 77 43 31 16 19 13 3 2 0

S 5 3 20 25 6 30 72 43 0

P 12 12 12 9 6 3 1 1 0

V 7 6 5 4 2 2 2 2 0 0

E 0 1 1 0 0 0 0 0 0 0

D 0 1 0 2 5 5 5 5 7 0

M 63 49 47 22 25 21 18 17 9 0

S 9 12 5 15 33 46 37 49 65 0

0 3 10 11

3 2 3 7 4

P 21 19 16 12 6 6 6 6 0 0

CLASSIFICAÇÃO J Ferreiras 8 Alto Colina 8 Quarteirense 8 EF J.Moutinho 8 Esp.Lagos 8 Imortal 8 Louletano 8 Internacional 8 Padernense 8 Salir 8

P 24 16 16 13 13 13 8 6 4 3

V 8 5 5 4 4 4 2 2 1 1

E 0 1 1 1 1 1 2 0 1 0

D 0 2 2 3 3 3 4 6 6 7

M 60 51 30 26 26 24 14 12 9 18

S 3 22 16 15 15 21 32 26 52 68

1 0 2 5

Resultados da 8.ª Jornada 4 ao Cubo 5 Gin.Tavira Geração Génios 6 1.º Janeiro Farense 0 Montenegro Olhanense 17 S.Luís Lusitano VRSA 2 EF Faro

CLASSIFICAÇÃO J S.Luís 8 Louletano 7 Imortal 7 EF Faro 8 Sporting Faro 6 Esp.Lagos 7 Lusitano VRSA 7 Montenegro 7 Ferreiras 7 1.º Janeiro 0

P 21 18 18 15 9 4 4 4 1 0

CLASSIFICAÇÃO J Olhanense 7 EF Faro 8 Lusitano VRSA 7 Geração Génios 7 Farense 8 1.º Janeiro 8 Gin.Tavira 7 Montenegro 8 4 ao Cubo 8 S.Luís 8

V 7 6 6 5 3 1 1 1 0 0

E 0 0 0 0 0 1 1 1 1 0

D 1 1 1 3 3 5 5 5 6 0

M 32 38 33 27 19 10 9 8 4 0

S 9 5 13 16 14 43 24 21 35 0

V 7 7 6 4 3 3 2 1 0 1

E 0 0 0 1 1 0 1 2 3 0

D 0 1 1 2 4 5 4 5 5 7

M 86 63 37 30 9 14 15 8 12 11

5 0 0 0 4

S 3 19 10 14 39 38 39 30 47 46

P 21 21 18 13 10 9 7 5 3 3

3.ª I DIVISÃO DIVISÃO

SENIORES FEM.

2.ª I DIVISÃO DIVISÃO

1.ª I DIVISÃO DIVISÃO

Resultados da 9.ª Jornada

Senhora com formação

Resultados da 9.ª Jornada Padernense 11 Alte CHE Lagoense 11 U.Lagos Folgou Machados e Putos da Rua

Sassoeiros 5 Nacional 5 SONÃMB. 0 ACAD ALG. 2 STO ESTEVÃO1 Capelense 5 Fabril 4

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Leões P. Salvo 11 SL Olivais 11 Loures 11 Operário 11 Cascais 11 Torpedos 11 Amarense 11 ALBUFEIRA F. 11 S. João 11 CPCD 11 LOULETANO 11 Boa Esperança 11 Vila Verde 11 Independentes 11

Quinta Lombos Fabril Vinhais Quinta Conde Sassoeiros INTER-VIVOS Capelense Nacional SONÂMB. ST ESTEVÃO Piedense ACAD ALG SAPALENSE Aljustrelense

U.Lagos CP Messines Fuzeta Atalaia Carvoeirense PedraMourinha S.Pedro Putos da Rua Alte GEJUPSE Silves Olhos D’Ãgua

Pechão Covil Dragão Tunes Porches Bonjoanenses Leões

CHE Lagoense Padernense Putos da Rua Machados Alte U.Lagos

3 2 5 4 3 5 6

Cascais SL Olivais Vila Verde Independentes Operário ALBUFEIRA F. Torpedos

10 8 7 7 7 7 5 4 4 3 3 2 2 0

1 2 2 1 1 1 1 1 0 1 1 2 1 1

0 1 2 3 3 3 5 6 7 7 7 7 8 10

72 63 52 49 47 41 45 39 35 36 32 30 32 20

17 33 32 35 40 37 43 40 46 51 46 50 54 69

5 3 3 4 5 3 2

31 26 23 22 22 22 16 13 12 10 10 8 7 1

Próxima 12.ª

Vinhais Aljustrelense INTER-VIVOS SAPALENSE Quinta Lombos Qta Conde Piedense

6 3 0 1 2 9 1

11 11 11 11 11 11 11 11 11 11 11 11 11 11

9 8 7 7 6 6 4 5 4 3 3 2 2 0

2 1 3 0 2 2 4 0 2 3 0 3 0 0

0 2 1 4 3 3 3 6 5 5 8 6 9 11

62 51 49 55 49 40 45 45 31 29 29 17 29 16

24 28 30 39 29 30 43 47 29 36 39 32 69 72

29 25 24 21 20 20 16 15 14 12 9 9 6 0

Cascais Boa Esperança Amarense LOULETANO CPCD S. João Loures

11 11 11 10 11 11 11 10 11 11 10 10

8 8 6 6 5 5 4 4 2 2 1 2

2 2 2 2 1 1 3 1 2 2 4 0

1 1 3 2 5 5 4 5 7 7 5 8

44 43 46 36 49 36 44 35 31 28 23 42

Próxima 12.ª

Próxima 12.ª

Leões P. Salvo SL Olivais Vila Verde Independentes Operário ALBUFEIRA F. Torpedos

Piedense Nacional SONÂMBULOS ACAD. ALG. STO ESTEVÃO Capelense Fabril

APOIA DESPORTO

Próxima Jornada 9ª. 4 ao Cubo Gin.Tavira Geração Génios 1.º Janeiro Farense Montenegro Olhanense S.Luís Lusitano VRSA EF Faro

Resultados da 11.ª Jornada Alte 5 Putos da Rua 5 CP Messines 5 PedraMourinha 4 Fuzeta 2 Atalaia 3 Silves 2 GEJUPSE 2 Carvoeirense 5 U.Lagos 6 Olhos D'Água 8 S.Pedro 7

Boa Esperança Amarense LOULETANO CPCD S. João Loures Leões P. Salvo

O JORNAL DO ALGARVE

FUTSAL DISTRITAL

Resultados da 11.ª Jornada

Resultados da 11.ª Jornada

Resultados da 8.ª Jornada 1.º Janeiro Ferreiras Louletano 4 Lusitano VRSA Montenegro 4 Esp.Lagos EF Faro 1 S.Luís Imortal 6 Sporting Faro

Próxima Jornada 9ª. Ferreiras Imortal Lusitano VRSA Montenegro Esp.Lagos EF Faro S.Luís 1.º Janeiro Sporting Faro Louletano

Próxima Jornada 9ª. Salir Quarteirense Esp.Lagos Imortal Alto Colina Internacional Ferreiras Louletano EF J.Moutinho Padernense

FUTSAL NACIONAL 2.ª I DIVISÃO DIVISÃO

SÉRIE D

SÉRIE C

Resultados da 8.ª Jornada Louletano 6 Salir Quarteirense 4 EF J.Moutinho Imortal 4 Alto Colina Internacional 0 Ferreiras Padernense 1 Esp.Lagos

Próxima Jornada 9ª. Lagoa Odiáxere Armacenenses Aljezurense Alto Colina Silves Esp.Lagos Alvorense EF J.Moutinho Portimonense

Próxima Jornada 9ª. Beira Mar Fuzeta Olhanense Moncarapachense Bias Lusitano VRSA Marítimo Olh. Gin.Tavira Folga Castromarinense

(FUT 7)

S.Pedro Olhos D’Água Carvoeirense Silves Fuzeta CP Messines

Sassoeiros Vinhais Aljustrelense INTER-VIVOS SAPALENSE Quinta dos Lombos Quinta do Conde

Putos da Rua Atalaia Pedra Mourinha U.Lagos GEJUPSE Alte

19 26 38 26 48 39 35 40 51 46 25 64

26 26 20 20 16 16 15 13 8 8 7 6

Bonjoanenses Pechão Tunes

3 6 6

9 9 9 9 8 8

Porches 5 Leões 4 Covil Dragão 4

7 6 4 4 4 1

0 0 0 0 0 0

2 3 5 5 4 7

43 45 38 29 24 26

Próxima 10.ª

Covil Dragão Tunes Pechão

Bonjoanenses Leões Porches

28 26 41 44 26 40

21 18 12 12 12 3

7 6 6 5 6 6

4 4 2 1 2 0

2 1 3 3 0 1

1 1 1 1 4 5

0 0

28 30 14 9 4 3

8 5 8 8 19 40

14 13 9 6 6 1

Próxima 10ª Machados U.Lagos Putos da Rua Padernense Folga Alte e CHE Lagoense

em Geriatria e experiência, c/carro e carta de condução e conhecimentos das línguas: espanhol, francês e inglês. Oferece os seus serviços no período da manhã e das 21 horas em diante, no concelho de Vila Real de Santo António e Tavira.

Favor contactar: 917 481 908

FUTSAL DISTRITAL JUNIORES MASC.

JUNIORES I DIVISÃO FEM.

Resultados da 15.ª Jornada

Resultados da 5.ª Jornada

Louletano Albufeira Futsal Sapalense Bonjoanenses 1.º Janeiro GEJUPSE

Machados 3 Olhos D’Água 2 CHE Lagoense 6 S.Pedro 7 Folgou CHE Quart.

GEJUPSE Armacenenses Padernense Putos da Rua

7 6 2 4

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

GEJUPSE Albufeira Futsal Alte C Benfica VRSA Louletano Olhos D’Água Sapalense 1.º Janeiro Sonâmbulos Pedra Mourinha Bonjoanenses Boavista

S.Pedro CHE Quart. Armacenenses Putos da Rua GEJUPSE CHE Lagoense Olhos D’Água Padernense Machados

2 93 34 3 114 42 3 109 46 5 57 64 5 47 36 6 97 65 5 69 57 6 66 58 8 45 51 10 30 73 12 29 119 14 27 138

Próxima 16.ª

Louletano C Benfica VRSA Pedra Mourinha Boavista Alte Sonâmbulos

39 34 34 26 26 25 25 19 15 6 5 1

4 4 5 4 4 5 5 5 4

4 4 4 3 3 2 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 1 1 1 3 5 5 4

50 27 19 23 18 14 10 7 7

12 12 12 9 9 6 0 0 0

hora espanhola Seg a Sex 10h00 a 19h00 Sábado 10h00 a 14h00

Tinta + Corte + Penteado 38¤ Corte + Penteado 19¤ Falamos português We speak english

Próxima 16.ª

GEJUPSE Albufeira Futsal Sapalense Bonjoanenses 1.º Janeiro Olhos D’Água

13 5 12 9 9 13 41 30 43

GEJUPSE S.Pedro CHECUL Quart. Machados Padernense Olhos D'Água Putos da Rua CHE Lagoense Folga Armacenenses

Rua Cristobal Colon 5. Ayamonte Telf.: 0034 959 471 623 Quieres trabajar con nosotros? Envianos tu curriculum.

%

15

S

0 1 1 2 2 1 1 1 3 3 2 1

RE

13 11 11 8 8 8 8 6 4 1 1 0

T EN DE ER TAR E SC Á STE AN O N ÚN TO CI O

15 15 15 15 15 15 14 13 15 14 15 15

Hairdresser Cabeleireiro Coiffeur Frisseur Especialistas em COR

AP

C Benfica VRSA2 Alte 2 Sonâmbulos 5 Pedra Mourinha2 Boavista 2 Olhos D’Água 2

SE

5 2 5 5 14 4


A

GENDA

[21]

JORNAL do ALGARVE

[ACTIVIDADES CULTURAIS] FARO Biblioteca Municipal SER VIÇO EDUCATIVO Atividades Permanentes [Menores de 14] PARA GRUPOS Mergulhar nas Estórias Hora do Conto + Atividade Creches, Jardins de Infância, Escolas e Atl’s: 3ª a 6ª feira - 10:00 e 14:00 PARA O PÚBLICO EM GERAL “… e com pós de perlimpimpim… a tarde chega ao fim!!!!!” Sala do Conto - 2ª, 3ª e 4.ª - 18:00 5as feiras - Clube dos Pais (Pais e Avós contam histórias) - 18:00 Sábados: 16:00 NA BEBÉTECA - 6as Feiras - 18:00 TEMPO PARA BRINCAR Atividades na Ecoteca, Jogos, Pinturas, Colagens, Desenhos e mais atividades! 2ª feiras e sábados - 14:00»19:00 3.ª feiras a 6.ª feiras - 09:30»19:00 BIBLIOTECA FORA DE PORTAS Quinzenalmente sessões de leitura animada na Pediatria do Hospital de Faro para as crianças hospitalizadas, dinamizadas pela equipa da Biblioteca. 12 - "A história da Ria Formosa e dos seus Cavalosmarinhos" primeiro Café Oceano, moderado por Jorge Palma, investigador CCMAR da Universidade do Algarve, 18h30, no Pátio das Letras, em Faro. LOULÉ Biblioteca Municipal Hora do Vídeo 10, 17, 24 e 31 - Segundas - feiras 15h00 Atelier de Expressão Plástica 11, 13, 18, 20, 25 e 27 - 10H30 e 15H00 Tardes de Cinema na Biblioteca 14, 21 e 28 Jan > 16H00 Ciclo de Tom Hanks - Entrada Livre 14 – “Filadélfia” (M/12 anos) 21 – “Código Da Vinci” (M/ 12 anos) 28 – “Terminal de Aeroporto” (M/ 12 anos) Encontro do Clube de Leitura de Loulé 13 e 27 > 21H00 Destinatários: Público em geral Encontro do Clube de Leitura de Quarteira 25 jan > 21H00 Público em geral Auditório da Centro Autárquico de Quarteira PORTIMÃO Biblioteca Municipal - Sábados Infantis: Ateliês de música, dança e contos. Quinta Pedagógica 9h30-17h30 - 3ª a 6ª feira 10h00-17h30 – Fins-de-Semana 15 - 11h00 | Atelier Alimentação dos Animais 15h00 | Atelier o Barro na Quinta TAVIRA BIBLIOTECA MUNICIPAL ALVARO DE CAMPOS Hora do Conto "Ao abrir o livro..." Terças e quintas-feiras | 10h30 e 14h00 Do pré-escolar ao 2.º ciclo e outros grupos Zás... O que o Livro nos Traz... "Biodiversidade" Sextas-feiras | 10h30 e 14h00 1.º e 2.º ciclos e outros grupos . O Baú das Letras Um baú... histórias para partilhar… Sábados | 16h00 Grupos que manifestem interesse na actividade Ao encontro da Biblioteca... Quartas-feiras: 10h00 Sextas-feiras: 14h00 Grupos de pelo menos 10 pessoas VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO Biblioteca Municipal António Vicente Campinas Até 31 janeiro > Conta lá! - Hora do conto Seg. a sex. às 10h30 Seg., qua. e sex. “Alana, a bailarina da água” – de Alice Cardoso Ter. e qui. “Nascer para ser rico” – (Conto tradicional) *Marcações Biblioteca ou pelo telef. 281 510 050 > Às 4 na Biblioteca Ter. a sex. às 16h00 Conto, manualidades, jogos educativos, filmes, etc. >Sábados na Biblioteca Sábado às 15h00 Criações plásticas; História Virtual; História em

13 I janeiro I 2011

ACONTECIMENTOS I LIVRO Power Point; Filme. > Visitas acompanhadas à exposição – “Plantas que curam. Usos e saberes na medicina popular” Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela >Visitas acompanhadas a Cacela Velha > Visita guiada à Biblioteca Municipal Vicente Campinas, seg. a sex.

[DANÇA] 15 - "Bela Adormecida", 21h30, no TEMPO - Teatro Municipal de Portimão.

[DESPORTO] 15 e 16 - Campeonato Regional de Inverno - Atletismo, Vila Real de Santo António. 19 a 22 - Supertaça Nacional em Andebol, no Portimão Arena, Portimão.

[EXPOSIÇÕES] Até 28 - Mostra Filatelia "Mostra Filatelia comemorativa dos 550 anos da Morte do Infante D. Henrique, na Galeria Municipal de Albufeira. Até 29 - Exposição "Um Natal mais ecológico em Albufeira", segunda a sábado, na Galeria de Arte Pintor Samora Barros, Albufeira. Até 31 - Exposição "Amália Nossa", de segunda a sexta, na Igreja da Misericórdia, Silves. > Colectiva Artistas da Galeria, no Centro Cultural São Lourenço, Almancil, Loulé. > Exposição Fotográfica "Via Algarviana. Um Olhar sobre os Valores Naturais e Culturais", todos os dias úteis das 10h00 às 17h30, na sala de exposições da CCDR Algarve, na Pontinha em Faro. > "Manuel Cabanas e Os Intelectuais e Artistas do seu Tempo", na Escola EB 2/3 de Castro Marim. Arquivo Histórico Municipal - Até 31 Janeiro Exposição "Memento Mar Memor" Exposição "Indústria Conserveira em VRSA" Exposição "Artes Litográficas" 09h30> 12h30 / 14h00> 16h30 (Segunda a Sexta) > Exposição "Vicente Campinas - O Homem e o Escritor - 100 Anos", 9h30> 18h30 (Segunda a Sexta); 14h00> 18h30 (Sábado), na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, VRSA. >Exposição Filatélica Alusiva ao Centenário de António Vicente Campinas, Núcleo de Filatelia dos Bombeiros Voluntários de VRSA, 9h30> 18h30 (Segunda a Sexta), 4h00> 18h30 (Sábado), na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, VRSA. > Colectiva artistas da Galeria, no Centro cultural São Lourenço, Almancil, Loulé. Até 9/2 - Exposição colectiva "Amália Meu Amor", na Galeria de Santo António, Monchique. De 15/1 a 13/2 - Exposição de Pintura de Susana Garrochinho, Galeria de Arte Praça do Mar, Quarteira. Até 20/2 - “Algarve Visionário, Excêntrico e Utópico” no Museu Municipal /Galeria Trem / Museu Regional do Algarve, Faro. Até 2/3 - Exposição de Artes Plásticas com Artistas da galeria, Galeria do Centro Cultural de São Lourenço, São Lourenço, Almancil. Até 31/3 - Exposição: Silos Islâmicos da Barrada Aljezur, 09h00 - 13h00 e 14h00 - 17h30, encerra aos sábados, domingos e feriados, Associação de Defesa do Património Histórico e Arqueologico de Aljezur. De 29/1 a 2/4 - Exposição de Fotografia "Lapso de Tempo" de Luís Ramos, terça a sábado, no Museu Municipal de Tavira. Até 18/6 - Exposição "Cidade e Mundos Rurais", terça a sábado, 10h00-12h30 e das 14h00-17h30, Museu Municipal de Tavira. De 26/1 a 31/7 - Exposições "Sabores da Europa" e "Azeite - Saberes com sabor", terça 14h30-18h00, quarta a domingo, 10h00-18h00, Museu de Portimão, Portimão. Até 10/9 - "Dez Monumentais Esculturas Britânicas", exposição Berardo, diariamente, Cerro da Vila, Vilamoura, Loulé. EXPOSIÇÕES PERMANENTES > Pinturas de Cliff Martin Tuson, todos os dias, Galeria Lynne Tuson, Bensafrim, Lagos. Museu de Portimão Terça-feira: 14h30-18h00 Quarta a domingo: 10h00-18h00 Permanente "Exposição “Portimão – Território e Identidade”

www.jornaldoalgarve.pt

"Dez Monumentais Esculturas Britânicas", Cerro da Vila, Vilamoura, Loulé

Exposição "Algarve - Do reino à região" Até 05/02- "Do Gharb ao Algarve: Uma socie-dade Islâmica no Ocidente", Câmara Municipal de Silves. Até 14/05 - "Sombra e Luz - O Século XIX no Algarve", Museu do Trajo, São Brás de Alportel. Até 18/05/2012 - "Alcoutim, Terra de Fronteira", Câmara Municipal de Alcoutim. Até 18/07 - "Cidades e Mundos Rurais", Museu Municipal, Tavira. Diariamente Galeria de Arte de Vila Sol Art & Nature Vila Sol, Vilamoura Galeria de Pintura ATT - Exposição Colectiva São Lourenço, Almancil

[FEIRAS E MERCADOS] VELHARIAS 15 - Albufeira, Silves. 16 - Portimão, São Brás de Alportel. MERCADOS 13 - Vaqueiros (Alcoutim). 14 - Monchique. 15 - Loulé, S. Brás de Alportel, Vale Formoso (Tavira). 16 - Vila Nova de Cacela (VRSA). 17 - Aljezur, Silves. 18 - Caliços (Albufeira), 19 - Quarteira (Loulé), 20 - Alte (Loulé), 21 - Guia (Albufeira),

[FESTAS E FESTIVAIS] 14 a 16 - "Algarve Noivos", VII Feira de Preparativos e Artigos para o Casamento, no Recinto junto ao Forum Algarve, Faro. De 14 a 23 - Internacional Gourmet Festival Vila Joya - Albufeira 14 – Estrelas Michelin // Michelin Star Chefs – Portugal 15 – Lebua at State Tower –Tailândia // Thailand 16 – Koschina & Friends– Europa // Europe 17 – Andreas Caminada –Suiça // Switzerland 18 – Chef Santi Santamaria– Espanha // Spain 19 – Chef Sven Elverfeld –Alemanha // Germany 20 – Enrico & Roberto Cerea - Fam. – Itália // Italy 21 – Kenneth Oringer – Estados Unidos // USA 22 – Arnaud Donckele –França // France 23 – Chef Hans Van Wolde– Holanda // Holland De 13 a 16 - Semana Maior no TEMPO - Teatro Municipal de Portimão. 13 "Vou para Casa" de Manoel de Oliveira 14 - "Uma história simples" de David Lynch. 14 - Baile Maior, às 17h30, no Café Concerto do TEMPO. 15 - Teatro: "Bela Adormecida", da Companhia Maior, no Grande Auditório do TEMPO.

[TEATRO ] 16 - Temporalidade, Grupo de Teatro Sénior, 16h00, no TEMPO - Teatro Municipal de Portimão. De 15/1 a 26/2 - Oficinas Musicais em Família, "MusicA’brincar", entre 10H00 e 11H15, no Teatro Lethes, Faro.

[LIVRO]

As Crónicas dos Elfos II

- A Elfo das Terras Negras de Jean-Louis Fetjaine Trinta anos antes de O Crepúsculo dos Elfos, o mundo mergulha inexoravelmente na guerra. Lliane, princesa herdeira dos elfos de Eliande, é mantida prisioneira nas Terras Negras. Horrorizada pela selvajaria e crueldade dos seus habitantes, ela tem de lutar pela sobrevivência… mas, a pouco e pouco, ela descobre que os orcs, os gobelins e outros monstros ao serviço d’Aquele-que-não-pode-ser-nomeado estão mais próximos dela do que alguma vez crera. Para Lliane, a única esperança de invasão reside numa improvável aliança e no preço que por ela terá de pagar. Ao mesmo tempo, os reinos dos homens e dos elfos, desunidos e minados pela traição, devem preparar-se para fazer frente à mais medonha das ameaças. A Elfo das Terras Negras é o segundo opus de uma nova série que vai à origem da célebre «Trilogia dos Elfos», mantendo a mesma poesia tingida de mistério, magia e violência. Nascido em 1956, Jean-Louis Fetjaine é formado em Filosofia e História Medieval. Jornalista e editor desde 1985, é autor de numerosas obras. Com o êxito da sua Trilogia dos Elfos, da qual fazem parte os títulos O Crepúsculo dos Elfos (1998), A Noite dos Elfos (1999), A Hora dos Elfos (2000), e dos romances O Caminho de Merlim (2002) e Broceliande — O Caminho de Merlim II (2004), bem como As Rainhas de Púrpura I — A Cortesã, Jean-Louis Feitjaine tornou-se um dos principais representantes francófo-nos da Literatura de Fantasia. Este segundo tomo de «As Crónicas dos Elfos» continua o relato das aventuras de Lliane, antes de ascender a rainha dos Elfos. Publicações Europa-América

A Ilha das Duas Primaveras Carlos Campaniço Uma chuva de arrepio embraqueceu a alma da Cidade. Os comerciantes recolheram as suas mercadorias para dentro dos bazares, as carroças e mantas partiram num alanco, e a multidão que vagueava nas ruas pareceu ter esburacado as calçadas centenárias, com as suas línguas conversadoras, escondendo-se debaixo do chão. Em segundos, apenas água limpa das chuvas se passeava em corridinhas junto ao embarcadoiro. Quando as águas diluviais lavavam as ruas do cais, o mundo parecia começar de novo. Por tempestade diferente, a minha alma também. Carlos Campaniço nasceu em Safara, no concelho de Moura, em Setembro de 1973. Vive há catorze anos no Algarve.

Da sua aldeia natal transporta a poesia das palavras alentejanas, do Algarve o ritmo do mar e estudioso do Mediterrâneo e de seus povos, neles se inspirou para escrever A Ilha das Duas Primaveras, este seu segundo romance. Gente Singular editora P.V.P.: 15 euros P. Assinante: 12 euros (+ portes envio)


P

13 I janeiro I 2011

UBLICIDADE

[22]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

[CLASSIFICADOS]

[NECROLOGIA] PRECISA-SE

EXECUTAM-SE

>Transacções [IMÓVEIS]

VENDE-SE

T1/T2 em Monte Gordo. Bom preço. Telf. 281 512 335/914 235 404

V.R.STO. ANTÓNIO OPORTUNIDADE Vende-se Duplex, c/3 quartos, 2 wc, sala c/lareira, cozinha e varandas, 2.º andar, na Urbanização das Amendoeiras Telef. 281 513 321, 281 512 335 ou 965 042 207

VENDE-SE Moradia nas Hortas em Vila Real de Santo António

Contactar telef. 281 511 335 281 513 321 965 042 207

>Profissões Liberais [MÉDICOS]

Telemóvel: 968 603 046

VENDE-SE T1em Vila Real de Santo António no centro Contactar: 965 513 253

OFERECE-SE

OFTALMOLOGISTA

Cirurgião Ocular Cirurgia da Miopia

LA MAMÃ Monte Gordo - Menu Pizzeta - ¤ 6,10 - Menu do Dia - ¤ 7,60 (bebida incluída)

Consultas: V.R.S.A. - Tel.: 281 513 343 Tavira - Tel.: 281 380 660

Vivenda com piscina em Vila Real de Santo António Contacto: 281 513 321/965 042 207

ALUGA-SE Espaço comercial em Monte Gordo com 110 m2 Contactar: Telf. 281 512 335/914 235 404

CENTRO DE OFTAMOLOGIA DO ALGARVE

LA MAMÃ Monte Gordo - Diariamente pratos do dia económicos, com serviço de take away

Eduardo Lares FARO Tel. 289 895 560

LA MAMÃ PIZARIA 100% Italianíssima Monte Gordo Vendem-se pizzas e pastas para fora com 20% de desconto

>SERVIÇOS [VÁRIOS]

Serviço de entregas de comidas ao domicílio do grupo

ATLÂNTICO

CORAÇÃO DA CIDADE

FM 92.2 RÁDIO OFICIAL DO ALGARVE

Informação diária de todos os pratos

V.R.S.A. Aceita-se todo o tipo de trabalhos de bricolage, pequenas reparações de toda a natureza. Telf: 914 308 807

[DIVERSOS] VENDE-SE Cães de raça yorkshire. ContactarTelm. 914 821 637

Recheios COMPRO Antiguidades; Louças/Livros; Pratas/Pinturas; Móveis Contactos: 917 341 265 918 209 788

JORNAL do ALGARVE Faça aqui o seu anúncio contacte-nos Tel. 281 511 955

José de Sequeira Colaço Fernandes

LA MAMÃ Monte Gordo - Todos os dias menu completo por ¤ 9,50 (bebida incluída)

12.º ANO ETERNA SAUDADE EDITAL Taxas TMDP (Comunicações Electrónicas) para o ano Financeiro de 2011 José Carlos Costa Barros, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António: Torna público, nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 91.º da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro, que de acordo com o previsto no art.º 106 da lei n.º 5/2004 de 10 de Fevereiro (Lei das Comunicações Electrónicas) sob proposta da Câmara de Vila Real de Santo António, aprovada na reunião ordinária de 21 de Setembro de 2010, a Assembleia Municipal, na sessão ordinária de 30 Setembro de 2010 aprovou, o percentual a aplicar no ano de 2011 de 0,25%, relativo a direitos e encargos de implantação, passagem e atravessamento de sistemas, equipamento e demais recursos das empresas (TMDP) que oferecem redes e serviços de comunicações electrónicas. Para conhecimento geral se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares de estilo, no Boletim Municipal e na Página Electrónica do Município.

Emissão On-line: www. atlanticofm.web.pt E-mail: atlânticofm@mail.telepac.pt Tel.: 289 706 888 Fax.: 289 706 444

Moradia V5 em zona residencial do Ameal, Porto, a 800 metros do Colégio Luso-Francês

Preço:

250 000 euros (negociável) Favor contactar

917 303 224

A família participa que será rezada missa no dia 14, pelas 9 horas, na Igreja de N.Sra. Encarnação, em V.R.S.A. Agradecem desde já a quem assistir a tão piedoso acto.

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

Paços do Município de Vila Real de Santo António, 14 de Outubro de 2010 O Vice-Presidente da Câmara, José Carlos Costa Barros (Jornal do Algarve, 13/1/2011)

CARTÓRIO NOTARIAL DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO A CARGO LIC. MARIA DO CARMO CORREIA CONCEIÇÃO, NOTÁRIA EM SUBSTITUIÇÃO JUSTIFICAÇÃO

ALUGA-SE

Garagem para 5 lugares em Vila Real de Santo António. Contactar: Telf. 914 235 404/281512 335

Para trabalhar profissional de pedreiro de 1.ª (Luís) Telf. 281 511 609 Telm: 964 666 423

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

TÉC. MANUTENÇÃO DE INFORMÁTICA - 587744875 OLHÃO SERRALHEIRO CIVIL (ALÚMINIO) - 587741346 S.BRÁS DE ALPORTEL CORTADOR DE CARNES VERDES - 587744045 OLHÃO AGENTE COMERCIAL- 587744129 FARO

só ao almoço

Tel. 966 970 771

VENDE-SE

>EMPREGO OFERECE-SE

EDUARDO LARES

VENDE-SE Lotes de Terreno c/ projecto aprovado em Vila Real de Santo António. Contactar 281 512 335/965 042 207

Resguardos para banheiras, polibans e redes mosquiteiras.

CENTRO DE EMPREGO DE F ARO FARO

Nos termos do artº 100, n.º 1, do Código do Notariado, certifico que no dia cinco de Janeiro de dois mil e onze foi lavrada neste Cartório, de folhas dois a folhas três verso do Livro de Notas para Escrituras Diversas número quatro, uma escritura de justificação, na qual compareceu: José Luís Martins, solteiro, maior, natural da freguesia de Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo António, onde reside, no Sítio do Rodeio, portador do cartão de cidadão número 0724968, emitido pela República Portuguesa, válido até 5 de Janeiro de 2014, contribuinte fiscal número 160 574 293, que declarou ser dono e legítimo possuidor, com exclusão de outrem, do prédio urbano, localizado no Sítio do Rodeio, na freguesia de Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo António, composto por edifício térreo, destinado a habitação, e logradouro, com a área coberta de trinta e sete metros quadrados e a área descoberta de trinta e um metros quadrados, a confrontar a Norte e a Nascente com António Miguel Antunes, a Sul com caminho público, e a poente com José do Nascimento, não descrito na Conservatória do Registo Predial deste concelho, inscrito na respectiva matriz urbana sob o artigo 4078, com o valor patrimonial tributável e atribuído de setecentos e cinquenta e seis euros e três cêntimos. Que o referido prédio entrou na posse do primeiro outorgante por doação verbal, nunca reduzida a escrito, em data imprecisa do ano de mil novecentos e oitenta e nove, feita por seu pai, Joaquim António Francisco, solteiro, maior, residente que foi no Sítio do Rodeio, já referida freguesia de Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo António, já falecido. E que, sem qualquer interrupção no tempo, desde então, portanto há mais de vinte anos, tem estado o justificante na posse do referido prédio, cuidando da sua manutenção, pagando contribuições e impostos, enfim usufruindo-o no gozo pleno de todas as utilidades por ele proporcionadas, sempre com ânimo de quem exerce direito próprio, posse essa exercida de boa-fé, por ignorar lesar direito alheio, de modo público, porque com conhecimento de toda a gente e sem oposição de ninguém, pacífica, porque sem violência, e contínua, pelo que o justificante adquiriu o referido prédio por usucapião, não tendo, todavia, dado o modo de aquisição, título extrajudicial normal capaz de provar o seu direito. Está conforme o original. Vila Real de Santo António, aos 5 de Janeiro de 2011. A Colaboradora, Joana Isabel da Silva de Gouveia e Sousa Colaboradora administrativa deste Cartório, no uso dos poderes de delegação conferidos nos termos do n.º 1 do artigo 8.º do Decreto de Lei n.º 26/2004 de 4 de Fevereiro

Conta registada sob o nº 15/01 Factura/Recibo n.º 728

(Jornal do Algarve, 13/1/2011)

Victor Manuel do Rosário Neves AGRADECIMENTO Sua esposa, filhas, genros, netos, bisneta e restante família agradecem a todos os que acompanharam o ente querido até à sua última morada. Participam também que será celebrada Missa do 7.º Dia, no sábado, dia 15 Janeiro, às 18 horas, na Igreja Paroquial de Vila Real de Santo António.

SEMPRE GENTIL Agência Funerária ONSO Gerência de MANUEL AF AFONSO Funerais, TTrasladações rasladações e Cremações R. Jacinto José de Andrade, n.º 73 8900-313 Vila Real de Santo António Tel/Fax 281 542 835

Telem. 966 208 591 - 913 328 44

SER VIÇO PERMANENTE SERVIÇO

AGÊNCIA FUNERÁRIA

VAZ Gerência de Fernando Vaz Funerais, Trasladações e Cremações Rua Poente ao Palácio da Justiça, 6 (Junto ao Tribunal) V.R.Sto. António Telefones: (serviço permanente) 281 511 438 ou 964 075 215


A

GENDA

[23]

JORNAL do ALGARVE

CINEMAS I MÚSICA FARMÁCIAS I CRÍTICA

PREVISÕES

[FARMÁCIAS]

[CINEMAS] FARO Instituto Português da Juventude Ciclo "Por detrás do amor" 21h30 17 - "Lola", "A History of Mutual Respect" 24 - "Yuki e Nina" 31 - "O Rei da Evasão" SBC CINEMAS - Fórum Algarve 13 a 19 janeiro Sala 1 “A Tempo e Horas” 13h20, 17h40, 19h50, 22h00 (diariamente) ; 00h25 (sexta e sábado) “Megamind” 10h30 (sábado e domingo) 15h30 (diariamente) Sala 2 “Harry Potter 7 – Parte 1” 10h40 (sábado e domingo) 15h00, 18h05, 21h10 (diariamente) Sala 3 “Skyline” 12h20 (sábado e domingo) 14h40,16h55,19h.05,21h20(diariamente) ; 23.35 (sexta e sábado) Sala 4 “Não há família pior” 12h50 (sábado e domingo) 15h05, 17h20, 19h35, 21h50 (diariamente); 00h10 (sexta e sábado) Sala 5 “O Turista" 12h10 (sábado e domingo) 14h30, 16h50, 19h10, 21h30 (diariamente) 23h50 (sexta e dábado) Sala 6 “Jogo Limpo” 14h45, 21h40 (diariamente) 00h15 (sexta e sábado) “Entrelaçados” 10h10, 12h30 (sábado e domingo) 17h10,19h25 (diariamente) Sala 7 “Burlesque” 13h15, 15h50, 18h25, 21h00 (diariamente); 23h.40 (sexta e sábado) “Gru – O Maldisposto V.P.” 10h20 (sábado e domingo) Sala 8 “Imparável” 19h30 (diariamente) 00h20 (sexta e sábado) “O Americano” 14h35 (diariamente) “Toy Story 3 V.P.” 10h00 (sábado e domingo) “A Verdade da Crise” 16h55, 21h45 (diariamente) Sala 9 “O Amor é Melhor a Dois” 16h35, 21h15 (diariamente) 23h30 (sexta e sábado) “As Crónicas de Nárnia: A Viagem do Caminheiro da Alvorada” 11h00 (sábado e domingo) 14h10, 18h50 (diariamente) GUIA Algarve Shopping 13 a 19 janeiro Sala 1 "Entrelaçados" 12h55, 15h00, 17h05, 19h10 - Qui a qua "As Crónicas de Nárnia: A Viagem do Cam.Alvo" 21h15, 23h40* - qui a qua Sala 2 "Tron: O Legado" 13h10, 15h50, 18h30, 21h20, 00h00* - qui a qua Sala 3 "Skyline - O Alvo Somos Nós" 13h15, 15h45, 18h50, 21h45, 00h15* - qui a qua Sala 4 "Não há Família Pior" 13h05, 15h40, 18h25, 21h10, 23h45* - qui a qua Sala 5 "A Tempo e Horas" 12h50, 15h30, 18h10, 21h00, 23h30* - qui a qua

Hoje - Céu geralmente limpo. Vento Fraco. Temp min. 10º máx. 17º Sexta-feira - Céu pouco nublado ou limpo. Vento fraco. Temp min. 11º máx. 16º Sábado - Céu geralmente limpo. Vento fraco. Temp min. 10º máx. 16º Domingo - Céu limpo. Vento fraco. Temp min. 10º máx. 17º

"O Turista" Sala 6 "O Preço da Traição" 13h00, 15h05, 17h10, 19h15, 21h25, 23h55* - qui a qua Sala 7 "Inside Job - A Verdade da Crise" 13h30, 16h10, 18h40, 21h40, 00h10* - qui a qua Sala 8 "O Turista" 13h25, 16h00, 18h20, 21h30, 23h:50* - qui a qua Sala 9 "Burlesque" 13h20, 16h05, 18h35, 21h35, 00h05* -qui a qua * Sessão Válida 6ª e sáb

OLHÃO ALGARCINE 13 a 19 janeiro Sala 1 "Tron O Legado" Diariamente - 13:10/15:30/18:30/ 21:30 sex/sáb - 23:45 Sala 2 "O Turista " Diariamente - 13:00/15:20/18:20/ 21:20 sex/sáb - 23:40 Sala 3 "Entrelaçados" Diariamente - 14:00/16:00 sáb/dom - 10:40 "Não há Família Pior!" Diariamente - 18:15/21:15 sex/sáb - 23:15 PORTIMÃO ALGARCINE - Portimão 13 a 19 janeiro Sala 1 "Tron O Legado " Diariamente - 15:30/18:00/21:30 sex/sáb - 00:00 Sala 2 "Entrelaçados" Diariamente - 14:00 "O Turista " Diariamente - 15:45/18:15/21:45 sex/sáb - 00:00 CASTELLO-LOPES 13 a 19 janeiro Sala 1 "Tron: O Legado" 13h20, 16h00, 18h40, 21h30, 00h10* - qui a qua Sala 2 "Não há Família Pior" 13h10, 15h20, 17h30, 19h40, 21h50, 0h15* - qui a qua Sala 3 "O Amor é Melhor a Dois" 13h40, 16h20, 19h00, 21h20, 23h50* - qui a qua Sala 4 "Skyline - O Alvo Somos Nós" 13h50, 16h30, 19h10, 22h00, 0h20* - qui a qua Sala 5 "O Turista" 13h30, 16h10, 18h50, 21h10, 23h40* - qui a qua Sala 6 "Entrelaçados " 13h00, 15h10, 17h20, 19h30

- qui a qua "As Crónicas de Nárnia:A Viagem do Cam.Alvo" 21h40, 0h00* - qui a qua * Sessão Válida 6ª e sáb

TAVIRA Cine-teatro António Pinheiro 21h30 13 - “Lola” 16 - “Uma Família Moderna” LUSOMUNDO - Gran Plaza Tavira 13 a 19 janeiro "Tron" 3D (M12) (Digital 3D) 12h50, 15h20, 18h00, 21h30, 00h15(6ª a sáb.) "Não há família pior!" (M12) (Digital) 13h10, 15h30, 18h20, 21h00, 23h20(6ª a sáb.) "O Turista" (M12) (Digital) 13h30, 15h50, 18h30, 21h20, 23h50(6ª a sáb.) "Entrelaçados" 3D (M4Q)(Dob) Digital 3D 11h00(Dom), 13h20, 15h40, 18h10 "Skyline – Os alvos somos nós" (M12) (Digital) 21h10, 23h30(6ª a Sáb.) "Stone – Ninguém é Inocente" (M16) (Digital) 13h25, 16h00, 18h40, 21h40, 00h05(6ª a sáb.) VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO GLÓRIA FUTEBOL CLUBE 14 a 16 - "A Lenda dos Guardiões" 14, 15 (21h30) e 16 (15h30)

[MÚSICA] 14, 15 - Concerto com o Peaceful Retaliation Trio, Luís Miguel, Sax Tenor, Hugo Santos, Contrabaixo, Filipe Sequeira, Bateria, 22h00, no Cantaloupe Café, nos Mercados de Olhão. 16 - Concerto de Ano Novo, obras de Carlos Seixas, Jerónimo da Madre de Deus e Jacinto Sacramento, 17h00, Sé Catedral, Faro. 21 - Encontro de Janeireiros 2011, 20h30, Sede da Ascratia - Ferreiras. 22- 4.º Encontro de Janeiras, de Olhos de Água, 20h00, Junta de Freguesia de Olhos D'Água, Albufeira. Concertos "Músicas nas Igrejas Ermida São Sebastião, Tavira-18h00 15 - Duo Gicon 22 - Duo Tanguíssimo 29 - Fados Marianos Diariamente - Espetáculo "Divina Comédia", 22h30, encerra às segundas e terças, no Casino de Monte Gordo. - Espetáculo "Os 4 elementos do Zodíaco", 22h30, encerra às segundas e terças, na Praia da Rocha - Hotel Algarve Casino, Portimão.

ALBUFEIRA > 13, 14 - Santos Pinto; 15 a 19 - Piedade. ALCOUTIM > 13 a 19 - Caimoto. ALJEZUR > 13 a 19 - Furtado. ALMANCIL > 13 a 16 - Paula; 17 a 19 - Nobre Passos. ARMAÇÃO DE PÊRA > 13, 14 - Edite; 15 a 19 - Sousa Coelho. CASTRO MARIM > 13 a 19 - Moderna. FARO > 13 - Alexandre; 14 - Crespo Santos; 15 - Palma Batista; 16 - Almeida; 17 - Do Montepio; 18 - Helena. LAGOA > 13, 14 - José Maceta; 15 a 19 - Sousa Pires. LAGOS > 13 - Telo; 14 - Neves; 15 Ribeiro Lopes; 16 - A Lacobrigense; 17 - Silva; 18 - Telo. LOULÉ > 13 - Martins; 14 - Chagas; 15 - Pinheiro; 16 - Pinto; 17 - Avenida; 18 - Martins. MONCHIQUE > 13 a 16 - Hygia; 17 a 19 - Moderna. ODECEIXE > 13 a 19 - Odeceixence. OLHÃO > 13 - Olhanense; 14 - Nobre Sousa; 15 - Brito; 16 - Rocha; 17 - Pacheco; 18 - Progresso; 19 - Olhanense. PORTIMÃO > 13 - Central; 14 - Pedra Mourinha; 15 - Moderna; 16 - Carvalho; 17 - Rosa Nunes; 18 - Amparo. QUARTEIRA > 13, 14 - Algarve; 15 a 19 - Maria Paula. SAGRES > 13 a 19 - Sagres. S. BARTOLOMEU MESSINES > 13 a 16 - Algarve; 17 a 19 - Sequeira Correia. SÃOBRÁSDEALPORTEL–13-S.Brás; 14 - Dias Neves; 15 a 17 - S. Brás; 18 - Dias Neves; 19 - S. Brás. SILVES - 13 a 15 - ASM João de Deus; 16 a 19 - Cruz de Portugal. TAVIRA - 13 - Felix Franco; 14 - Sousa; 15, 16 - Do Montepio; 17 - Maria Aboim; 18 - Central; 19 - Felix Franco. VILADOBISPO-13a19-ViladoBispo. VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO - 13, 14 - Carrilho; 15 a 19 - Carmo. Serviço permanente (24h): Alcantarilha (Maria Sequeira), Algoz (Monteiro), Alvor (Alvor), Areias S. João (Godinho Belo), Boliqueime (Cruz Ramos), Carvoeiro (Neves Furtado), Estoi (Ossónoba), Fuzeta (Mendes Segundo), Montenegro (Assunção), Praia da Luz (Praia da Luz), Vilamoura (Silva), Luz de Tavira (Maria Isabel), Monte Gordo (Internacional), S. Marcos da Serra (São Marcos), Guia (Neves Silva), Odiáxere (Moreira Barata), Estômbar (Vieira Santos), Alte (Horta Figueiredo), Sta. Catarina da Fonte do Bispo (Bota), Conceição de Faro (Leonardo), Praia da Rocha (Palma Santos), Ferragudo (Oliveira Martins), Ferreiras (Marques Silva), Mexilhoeira Grande (Ilda), Patacão (Huguette Ribeiro), Sta. Bárbara de Nexe (Coelho), Sta. Luzia (Picoito), Sto. Estêvão (Cesário Tavares), Olhos de Água (Olhos d'Água), Pêra (Paula Santos), Moncarapacho (Soares), Benafim (Rodrigues), Pechão (Pechão), Aeroporto de Faro, Portimão (Três Bicos), Conceição de Tavira (Conceição), Vila Nova de Cacela (Cacela).

13 I janeiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

[AVARIAS]

Balanços

Fernando Proença

Muitas das secções dos jornais fazem por esta altura o balanço do ano transacto: acredito que no “Jornal do Crime” (ainda existe?), façam uma lista dos melhores crimes (nacionais e internacionais) do ano, figurando em primeiro lugar nos crimes nacionais (categoria, melhor relação Qualidade/Preço), o homem que pagou para lhe assassinarem um inimigo e mataram-lhe três. Mesmo o jornal “Público” deve ter tido algures numa das suas páginas interiores, a lista completa, seriada pelo número de participantes, das manifestações Gay, Transsexual e Lésbica, ocorridas em Portugal no último ano. Esta conversa que deixei para trás, serve apenas para me passar um atestado de menoridade: quero dizer, estive a consultar a minha bola de cristal (a única que tem efeitos retroactivos) e não tenho nada para vos dizer quanto a listas e essas coisas, com que se faz um espírito metódico e organizado, sobre o ano de 2010. Ou seja, perguntam-me qual a melhor série de dois mil e dez e eu não tenho nada de substancial para vos dizer. Perguntam-me qual o melhor canal de notícias, em dois mil e dez e eu não tenho nada para vos dizer. Perguntam-me se houve em dois mil e dez, comentador de futebol mais aborrecido e com a mania que sabe, que Luís Freitas Lobo e eu não sou capaz de lhes dizer. Mas consigo dizer-vos que os novos canais cabo (AXN; FOX Crime, etc.) dão muito maior hipótese de escolha. E que quando Jorge Gabriel, Manuel Luís Goucha e Fátima Lopes, nos vendem o peixe de manhã temos hoje muito mais hipóteses (se o nosso objectivo de vida é passar uma manhã inteira frente a um televisor) de sobrevivência num mundo inteligente. Lembrei-me dos novos canais que passam essencialmente séries, como os pontas de lança de uma nova ideia de tv. Quando vejo as séries mais antigas (Espaço 1999; O Caminho das Estrelas; Perry Mason, Crime Disse Ela), reparo que são muito simples, muito esquemáticas (como diria Paula Moura Pinheiro), por isso nos identificamos tanto com elas. As novas (na sua grande maioria), são mais complexas, não existe preto e branco mas cinzento em diferentes graus. E não sendo bom nem mau, tem pelo menos uma virtude: levam os grandes temas da vida para quem se aborrece de morte com o novo cinema infantil que os adultos vêem. Então eu tenho uma teoria: se o cinema dos anos oitenta era complexo, as séries eram simples para desenjoar. Neste dealbar do século vinte e um (muito obrigado à secção cultural da RTP2), as séries complicam-se por que passam essencialmente nos canais cabo e se destinam à imensa minoria que já não se revê no cinema (secção mainstream, de efeitos especiais, elfos; fadas boas e comédias ligeiras para atrasados mentais), nem nas fitas alternativas que fogem do público como faz o jazz, algum pop e de uma forma geral muita da arte que se vai fazendo. Já metade do mundo tinha descoberto o que eu escrevi agora? Paciência. Querem novidades? Vejam o 70 X 7. Nota: O autor não escreveu o artigo ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.


JA COLABORA NA RECICLA GEM ECICLAGEM O Jornal do Algar Algarvve está a colaborar na reciclagem de papel, reutilizando e utilizando sobras. Desta fforma orma pre prett endemos sensibilizar os nossos leit ores para a luta contra o plástico leitores (utilizado por div er sos jornais e re vistas diver ersos revistas na eexpedição xpedição por correio) e para a necessidade de se def ender o meio ambient e. defender ambiente.

www.jornaldoalgarve.pt

REDACÇÃO/ADMINISTRAÇÃO/PUBLICIDADE Tels. 281511955/6/7 - Fax 281511958 - e-mail: jornaldoalgarve@hotmail.com; faro@jornaldoalgarve.pt; portimao@jornaldoalgarve.pt Rua Jornal do Algarve, 46 - Apartado 23 8900-315 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

PROJETO VAI SER MULTIPLICADO EM TODAS AS FREGUESIAS DO CONCELHO ONDE SEJA PERTINENTE

Cantina Social de Albufeira abre na próxima semana O presidente da autarquia de Albufeira, Desidério Silva, sublinhou que apesar de este ser um projeto que o orgulha ao fazer emergir a união, a solidariedade, o espírito voluntário e a responsabilidade social presente no concelho, preferia que não fosse necessário. Isso seria sinónimo de que não existiria um conjunto vasto de famílias no concelho que passam necessidades básicas > SOFIA CAVACO SILVA A partir da próxima segunda-feira, dia 17, entre as 18h00 e as 20h00, a cantina da Câmara Municipal de Albufeira passa a acolher o projeto “Cantina Social”. Trata-se de

Algumas dezenas de voluntários do projeto assistiram à apresentação pública e mostraram o seu entusiasmo

uma iniciativa que foi impulsionada pela autarquia e pela Junta de Freguesia de Albufeira e que já conseguiu novos parceiros, nomeadamente as grandes superfícies e estabelecimentos hoteleiros que funcionam no concelho e vários pescadores. Estes parceiros vão ser essenciais para garantir os stocks necessários de

Crédito Agrícola lança “Crédito ao Consumo” O Grupo Crédito Agrícola acaba de lançar o “CA Crédito ao Consumo”, uma solução de financiamento que também integra seguros do ramo vida e não vida. Com um montante máximo de 40 mil euros, um prazo que poderá chegar aos 84 meses e uma TAEG de 10,5 por cento, o cliente encontra no Crédito Agrícola uma solução flexível de acordo com as suas necessidades. A solução “CA Crédito ao Consumo” permite ainda a subscrição de diversos seguros: Protecção Crédito Pessoal, CA Protecção Livre, Protecção Super Crédito e CA Protecção Financeira.

alimentos que vão ser utilizados para confecionar refeições para as famílias sinalizadas. O projeto pretende assim abrir uma nova porta de apoio às famílias carenciadas do concelho garantindo às mesmas, pelo menos uma refeição completa por dia. Na apresentação do projeto, o presidente da Câmara

Municipal, Desidério Silva, frisou que gostaria que esta iniciativa não fosse necessária. Contudo, havendo clara noção de que são muitas as famílias que se encontram em dificuldades, o edil mostrou-se satisfeito com a adesão de várias empresas e de mais de 54 voluntários que irão garantir o funcionamento ininterrupto

desta cantina. João Espada é um dos voluntários que marcou presença na cerimónia de lançamento do projeto. Ao JA explicou que já costuma participar noutras iniciativas de voluntariado. Contudo, sentiu-se atraído ao perceber que se trata de uma iniciativa contínua e que não se confina apenas a um período específico do ano. Para já, está-lhe designada a função de controlo das entradas na cantina. Outros voluntários vão assegurar as tarefas da cozinha, da entrega de alimentos, receção, controle e gestão dos mesmos, limpeza, receber inscrições, entre outras. De acordo com a autarquia, estão para já sinalizados 99 indivíduos que integram 45 agregados familiares da freguesia de Albufeira. Agora que o projeto foi dado a conhecer, os responsáveis acreditam que deverão surgir novos pedidos. O projeto arrancou na freguesia de Albufeira mas já está em análise o seu alargamento à freguesia de Ferreiras. Os responsáveis garantem que vão empenhar-se por alargar o projeto a todas as freguesias

onde ele se justifique. Hélder Sousa sublinhou ainda que esta cantina vai ter duas modalidades de distribuição das refeições. As famílias vão poder tomar a refeição na cantina ou levar a comida para casa. “Isto tem duas finalidades. Por um lado para as pessoas se irem ambientando ao espaço e para não desagregar a família e continuarem a comer em casa deles que também é importante”, sublinhou. Tanto o executivo municipal como o da Junta de Freguesia e até o presidente da Assembleia Municipal asseguraram que vão participar assiduamente no projeto com a entrega de alimentos. Um gesto que esperam ver repetido pelos munícipes que vão passar a encontrar em vários supermercados e no átrio da autarquia um contentor sinalizado onde podem depositar os alimentos que pretendem doar a este projeto. Ao JA, Desidério Silva explicou ainda que caso os donativos comecem a diminuir a autarquia não vai deixar cair o projeto. Contudo, mostra-se confiante no espírito solidário dos seus munícipes.

Planet Design procura novos talentos algarvios na área do mobiliário A Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) é a entidade portuguesa que está a promover o projeto Planet Design no Algarve. Entre as diversas fases deste projeto que pretende potenciar, revitalizar e dinamizar a indústria do mobiliário na região está um concurso que está aberto ao público em geral até 15 de março. O desafio é: criar uma peça de mobiliário inovadora, com uma preocupação estética e com soluções ambientalmente sustentáveis. O objetivo passa por incentivar o aparecimento de novos talentos nesta área de negócio com menos expressão do que a que é desejada no Algarve. Os regulamentos e formulários do concurso estão disponíveis no site da ANJE a partir do dia 15 de janeiro.

Os candidatos devem ser maiores de idade, residentes no distrito de Faro e possuidores de uma ideia de mobiliário que deverão apresentar individualmente. Os candidatos devem ainda ter os conhecimentos e as ferramentas necessárias para executar a peça de mobiliário e apresentar o seu desenho a concurso. O vencedor ganha uma viagem a Milão onde irá visitar o Salão Internacional do Móvel, um dos mais importantes eventos de mobiliário e de design a nível mundial com as despesas de viagem, alojamento e entrada na feira oferecidas pela organização do concurso. Importa ainda referir que o Planet Design é financiado pelo Programa MED e é realizado com parceiros italianos e espanhóis.

5GKKCGP*jhcfah+[K\C\I\A\R

NÃO SE DECIDA SEM VISITAR O APARTAMENTO MODELO

APARTAMENTOS DE QUALIDADE JUNTO

AO

GUADIANA

T1, T2, T3 EM DUPLEX PARQUEAMENTO PRIVATIVO

www.isrconstrucoes.com

Telf.: 281 510 240

Fax: 281 510 249

e-mail: isrgeral@mail.telepac.pt


Edição nº2807 | 13 Janeiro  

Edição Impressa

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you