Page 1

O

SEMANÁRIO

FUNDADOR: José Barão I DIRECTOR: Fernando Reis

Leonardo Abreu, presidente da Junta de Freguesia de Santa Bárbara de Nexe (Faro):

Burocracia "emperra" futuro promisso da freguesia

DE

Quinta-feira

I

MAIOR

EXP ANSÃO EXPANSÃO

3 de fevereiro de 2011 I ANO LIII - N.º 2810

I

Preço 1,20

DO

ALGAR VE ALGARVE

PORTE PAGO - TAXA PAGA

Ligações ferroviárias são um dos problemas mais complexos

Assembleia Municipal já aprovou a construção

Autarquia e CGD querem encontrar uma solução urgente para reabrir espaços

JSD Algarve quer rede de transportes

Zona comercial de VRSA vai ter silo de estacionamento

Luta contra o tempo para salvar Museu da Cortiça e Fábrica do Inglês

P3

P6

P 11

www.jornaldoalgarve.pt

NESTE NÚMERO

P 13

PÉ DIABÉTICO:

Algarve é a região com mais amputações Especialista considera que este facto se deve à carência de podologistas na nossa região, bem como à falta de tratamentos prévios e de prevenção

P4

APROVAÇÃO "SURPRESA" DO PLANO DO PARQUE NATURAL INDIGNA AUTARCAS E POPULAÇÃO

Tavira vai ter Aljezur e Vila do Bispo novo porto de pesca

prometem resistir à traição

P7

RADIS Dr. Jorge Pereira

Agora com TAC - Rx - Ecografia - Mamografia RX Panorâmico Dentário Acordos - Convenções ADSE - SAMS - CGD - PSP - CTT - TELECOM - ADMFA ADMG -MÚTUA PESCADORES - MEDIS SAMS QUADROS - MULTICARE Rua Aug. Carlos Palma n.º 71 r/c e 1.º Esq. - Tel. 281 322 606 em frente à farmácia do Montepio (Tavira)

A população e os autarcas da Costa Vicentina sentem-se traídos e revoltados com a aprovação inesperada do plano de ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV). O plano pode comprometer as aspirações de desenvolvimento local, ao voltar a interditar e condicionar todos os projetos turísticos (e não só) nos concelhos de Aljezur e Vila do Bispo P5

P4


»D

3 I fevereiro I 2011

OIS

[2]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

398

SMS Carlos Albino

carlos-albino@sapo.pt

O desânimo é o pior Nada disso, o deixar cair os braços é o pior. O desânimo e o desalento foram os inventores dos becos sem saída e nisso tiveram a ajuda dos artistas do fogo de artifício, aqueles que atiram para o ar ideias que estoiram muito e rilham na noite mas que se dissipam rapidamente, não se sabendo até onde a cana caiu. É verdade que estamos a pagar os custos do apagamento do Algarve e por certo mais custos iremos pagar, mas o pior é deixar cair os braços. E que apagamento foi esse? Apagouse a representação cívica da região fora do seu território como se a representação política (deputados, um outro ministro de vez em quando, algum secretário de estado) fosse suficiente e até segundo alguns com ideia errática de democracia, como se isso fosse conflituante – e foi assim que se deixou cair a Casa do Algarve em Lisboa tal como se atirou para o fundo do cesto todas as Casas do Algarve. Apagou-se o Congresso do Algarve cuja evolução lógica deveria ser, não tanto o folclore e vaidades misturadas com analfabetismos que perderam a vergonha, mas uma ligação profunda com as universidades e institutos superiores da região, fomentando a criação

de centros de estudos, observatórios, organizações cívicas, estruturas de promoção das atividades da região sem dependências do Estado e dos acólitos da missa oficial, pois claro – o esforço e por certo o entusiasmo dos promotores foi enorme e sério, mas com o delirante apagamento da região isso acabaria por ser água a sumirse pela areia. Mas o mais triste é que o apagamento do Algarve foi tão longe como foi, com a colaboração dos próprios algarvios, numa espécie de estratégia suicidária política e cultural coletiva. Temos muito bom mas o muito bom que aqui temos, nem uma nem duas vezes, foi humilhado dentro da nossa própria casa, a troco de umas vénias a gente que as não merece e que sempre que abre a boca ou mexe os olhos, aparentemente em nome do Algarve, até arrepia. Flagrante múmia paralítica: É que não há uma palavra que dê confiança e, enfim, alguma esperança às populações diariamente acossadas pelos assaltos, roubos, crimes, violência de toda a ordem, na falta de patrulhamento, de polícia de proximidade e de justiça sem medo.

CUPÃO DE ASSINATURA

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

O SEMANÁRIO DE MAIOR EXPANSÃO DO ALGARVE ALTURA/MONTE GORDO

DE 2 A 8 FEVEREIRO * BIFE DA VAZIA NOVILHO KG

9,49 ¤

* ENTRECOSTO DE PORCO KG

2,49 ¤

CEBOLA KG

0,79 ¤

* PESCADA FRESCA DE ANZOL KG

7,45 ¤

QUEIJO FLAMENGO BARRA ILHA AZUL KG

4,75 ¤

ANANÁS RODELA, PÊRA, PÊSSEGO METADES 420 GRS SOLAYA UNID

0,79 ¤

ROLO DE COZINHA COMPACT APTA BRANCO 4 ROLOS = 8 ROLOS

Assine o Jornal do Algarve Recorte o Cupão e envie para: JORNAL DO ALGARVE Rua Jornal do Algarve, 46 8900 Vila Real de Santo António

2,33 ¤

SALVO RUPTURA DE STOCKS OU ERRO TIPOGRÁFICO

VIPRENSA Sociedade Editora do Algarve, Lda. Pessoa Colectiva n.º 501 441 352 Capital Social: 60.000,00 Euros Fernando G. Reis: 50% Maria Luísa A. Travassos: 50% Registo ICS n.º 100969 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE IMPRENSA

Editora Luísa Travassos Director Fernando Reis Direcção Financeira António Cabrita Redacção Domingos Viegas, José Cruz, Raquel Ponte, Rita Travassos (VRSA); Neto Gomes, Sofia Cavaco Silva (Delegação de Faro); Nuno Couto (Delegação de Portimão) redaccao@jornaldoalgarve.pt

Nome .............................................................................................................................. Morada ............................................................................................................................ Cód. Postal ....................Localidade................................................................................. Telefone ............... email............................................... Contribuinte ............................. junto envio cheque/vale postal n.º............................. no valor de .................. ou comprovativo

*PRODUTOS NÃO DISPONÍVEIS NA LOJA INTERMARCHE EM MONTE GORDO

Medalha de Mérito Turístico - Grau Ouro

Sim! Desejo ser assinante do Jornal do Algarve até ordem contrária

faro@jornaldoalgarve.pt portimao@jornaldoalgarve.pt Colaboradores Almerinda Romeira, Ana Oliveira, Ana Viegas, Ângelo Cruz, António Manuel, António Montes, Arnaldo Casimiro Anica, Caldeira Romão, Carlos Alberto, Domingos Francisco, Eduardo Geraldo, Eduardo Palma, Emiliano Ramos, Fernando Cabrita, Fernando Graça, Hélder Bernardo, Hélder Carrasqueira, Horácio Neves Baceladas, João Paulo Guerreiro, João Xavier, Jorge Costa, José António Pires, José Azevedo, José Manuel Livramento, José Mestre, José Saúde, Júlio Farinha, Luigi Rolla, Luís Santos, Mendes Bota, Miguel Duarte, Miguel Jorge, Rita Pina, Rogério Bastos, Rui Marques, Silva Lucas, Teresa Cristina, Teodomiro Neto

de transferência bancária, para a conta da Viprensa, proprietária do Jornal do Algarve NIB:003509090001615533034 / IBAN: PT50003509090001615533034 BIC da CGD: CGDIPTPL ou NIB:004570434000621313537 IBAN: PT50004570434000621313537 - BIC /SWIFT: CCCMPTPL Titular da conta _________________________________ Assinatura ....................................................................................... Data

/

/

Preços da Assinatura Anual: Portugal 40 euros, Europa 60 euros, resto Mundo 70 euros Atenção: As assinaturas só serão válidas após pagamento

Correspondentes Angel Rebollo (Huelva), António Sustelo (Bélgica) Paginação electrónica Irene Salvador, Lídia Palma, Ana Reis Publicidade e Marketing Filomena Reis, filomena@jornaldoalgarve.pt Helena Reis, helena@jornaldoalgarve.pt

(VRSA)

Alzira Correia, portimao@jornaldoalgarve.pt Dep. Assinantes Ana Mendes assinantes@jornaldoalgarve.pt Publicidade, Redacção, Composição, Administração Rua Jornal do Algarve, 46 Apartado 23 8900 Vila Real de Santo António Telefs. 281 511 955 / 56 / 57 Telefax: 281 511 958 jornaldoalgarve@hotmail.com

geral@jornaldoalgarve.pt

Distribuição: Pedaços de Mar, Lda

Delegação de Faro Telm. 914 462 327 faro@jornaldoalgarve.pt Delegação de Portimão: Quinta da Malata, Lote 3, Lj 2 Tel. 282418924/5 Fax: 282418858 portimao@jornaldoalgarve.pt

Depósito Legal n.º 9578-85 ISSN 0870-6433

Impressão: Imprejornal - Sociedade Impressão S.A.

Tiragem média semanal do último mês: 11 500 exemplares

Propriedade: Viprensa Sociedade Editora do Algarve, Lda. Rua Jornal do Algarve, 46 8900 Vila Real Santo António


CTUALIDADE

[3]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

VOZ DO POVO

PODER LOCAL LEONARDO ABREU, PRESIDENTE DA JUNTA DE FREGUESIA DE SANTA BÁRBARA DE NEXE (FARO)

Burocracia "emperra" futuro promissor de freguesia "As Juntas de Freguesias poucos mais poderes têm do que o para passar atestados e licenças de canídeos e gatídios - haja coragem para fazer uma reforma político-administrativa", denuncia Leonardo Abreu. A dirigir uma freguesia rural milenar com um património arquitetónico inquestionável de que é exemplo a sua igreja matriz quinhentista, Leonardo Abreu defende que a dinamização de Santa Bárbara de Nexe tem de passar pela defesa da sua identidade e das suas potencialidades Jornal do Algarve - Neste momento, quais os pontos fortes que destaca na freguesia? Leonardo Abreu - A sua identidade como freguesia típica do barrocal algarvio que preserva a memória, que sabe viver e conviver com o presente e quer projetar-se no futuro a par da sua localização e as suas vistas "em anfiteatro" para a Ria Formosa, com o Parque das Cidades e a proximidade do aeroporto auguram um futuro promissor a Santa Bárbara de Nexe e às suas gentes, cujas novas gerações querem continuar a viver na terra de seus pais e avós. J.A. - Quais os maiores desafios que enfrenta e de que forma a Junta de Freguesia está a atuar para os ultrapassar? L.A. - O combate à desertificação e a luta pela fixação das novas gerações são desafios com que nos continuamos a debater. Elas são as duas faces da mesma moeda e têm o seu cerne no ordenamento territorial feito a régua e a esquadro, sem atenderàsespecificidadeslocais. Este ordenamento, filho do PROTAL, prejudica em muito a nossa terra, e é meio caminho andado, para os seus filhos se verem obrigados a abandonála, sobretudo os mais jovens, ao mesmo tempo que vão sendo substituídos por outros endinheirados. Sejamos realistas - as Juntas de Freguesias poucos mais poderes têm do que o para passar atestados e licenças de canídeos e gatídios - haja coragem para fazer uma reforma político-administrativa. A nível institucional a Junta de Freguesia para ultrapassar os constrangimentos a que está sujeita faz eco das suas posições junto dos diversos poderes instituídos os quais, lhe dão a importância que o ínfimo poder eleitoral lhe dá. Sem outros poderes, outras competências e outros fluxos financeiros, muitas das freguesias

existentes não têm razão para existir. J.A. - De que forma a crise está a afetar o trabalho da Junta de Freguesia face aos projetos que pretendem executar? L.A. - As transferências provenientes diretamente do Orçamento de Estado - que este ano diminuíram em cerca de 5 mil euros - mal dão para a despesa corrente com pessoal, manutenção das atividades na sede, água, luz, telefones, entre outros. Repare-se que estamos a falar de uma transferência anual da ordem dos 70 mil euros.

"Este ordenamento, filho do PROTAL, prejudica em muito a nossa terra" Quando há 17 anos chegámos à junta de freguesia, apercebemo-nos de que tínhamos que encontrar outras fontes de receitas. Foi então que começamos a reivindicar da autarquia a descentralização de competências, através da figura jurídica do protocolo. Passados cerca de sete anos as juntas de freguesia do concelho de Faro, outorgaram o primei-

ro protocolo que lhes dava alguma autonomia em termos de obras no seu território. Os protocolos foram sucessivamente torpedeados pela Câmara, na medida em que não cumpria com a totalidade das transferências financeiras para as juntas. Neste momento, o protocolo está em incumprimento por parte da câmara, relativamente a 50 por cento do ano de 2009 e todo o ano de 2010, o que perfaz um total de cerca de 150 mil euros. J.A. - Sendo uma freguesia essencialmente rural, tem sido difícil trabalhar a dinamização do setor económico? L.A. - Essa é outra questão que tem a ver com o "ordenamento do território" e os licenciamentos. As atividades económicas endógenas como é o caso da exploração de pequenas pedreiras, pequenas oficinas de diversas atividades, pequenos estabelecimentos comerciais, entre outras, estão a desaparecer. Não só devido à voracidade do modelo económico preconizado por quem decide, nomeadamente as grandes superfícies, o excesso de zelo das autoridades fiscalizadoras - ASAE, etc. e à crise mas também à dificuldade de licenciar atividades económicas centenárias artesanais ou de economia familiar que antes existiam. J.A. - Qual a estratégia de desenvolvimento para esta freguesia? L.A. - Tem que passar pela valorização do que sempre foi nosso, desde a pequena industria artesanal e ou familiar. Passa pelo lançar um novo olhar pela agricultura nomeadamente a de sequeiro através de produtos biológicos e sobretudo pela continuação na aposta do turismo de qualidade, de segunda residência e ligado à natureza, onde empreendimentos maiores desde que bem enquadrados não deixarão de ser bem-vindos.

O que pensa da rede de transportes públicos do Algarve? Filomena Magalhães, operadora de caixa A minha opinião é que existem bons autocarros a nível local, mas a nível regional não temos uma boa rede de transportes. Além disso, faltam coberturas para as pessoas não apanharem chuva e frio quando esperam pelo autocarro. Quando tenho de fazer a viagem entre Portimão e Faro, tenho de ir de comboio, que são cerca de uma hora e vinte minutos sem poder ir à casa de banho com os miúdos. É muito difícil nestas condições.

Tibério Encarnação Estamos bem servidos dentro das maiores cidades, com autocarros mais modernos e confortáveis. Já o comboio ainda deixa muito a desejar. É muito antiquado, desconfortável e demora muito tempo.

Célia Gomes, auxiliar de ação médica A rede de transportes públicos evoluiu relativamente bem nos últimos anos nos principais municípios. Mas quando os algarvios precisam de se deslocar a outros concelhos, a única opção viável continua a ser mesmo a nossa viatura, pois não temos outras alternativas decentes na região.

Filipa Augusto, secretária administrativa Os transportes públicos no Algarve não vão ao encontro das necessidades dos seus residentes. Tanto os trajetos como os horários são limitados. A maior parte dos residentes, simplesmente não tem acesso ao transporte público na sua zona de residência ou local de trabalho. E mesmo as trajetórias principais como é o exemplo Albufeira-Faro têm horários demasiado espaçados que não se coadunam com os horários dos seus potenciais utilizadores.

RESTAURANTE

PIZARIA

e-mail: geral@bellaitalia.pt site: www.bellaitalia.pt

RUA D. FRANCISCO GOMES N.º 10 TEL. 289 821 978 - 8000-306 FARO

A

3 I fevereiro I 2011

EDITAL José Carlos Barros, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, torna público, para efeitos previstos no Art.º 27.º, nº 23 do Decreto Lei n.º 26/2010, de 30 de Março, que a Câmara Municipal, pretende alterar a operação de loteamento em nome da Associação de Moradores “Povo Unido”, titulada pelo alvará de loteamento n.º 2/2000, situada em Monte Gordo. A referida alteração, é da iniciativa da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, e tem por objectivo o aumento de 1 fogo por lote, resultando num aumento total de 133 fogos, excepto os lotes 134 e 1335 que se mantêm. Mais torna público, nos termos do artº 70 do Código do Procedimento Administrativo, que todos os proprietários dos lotes do referido loteamento, poderão no prazo de 10 dias úteis, a partir do dia 03/02/2011 consultar o processo, ou apresentar qualquer reclamação ou sugestão. O processo encontra-se para consulta na Secção Administrativa da Divisão de Saneamento Básico, dentro do horário de expediente, entre as 9:30h e as 15:00h. Vila Real de Santo António, 25 de Janeiro de 2011 O Vice-Presidente, José Carlos Barros

(Jornal do Algarve, 3/2/2011)


R

EGIONAL

3 I fevereiro I 2011

[4]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

PÉ DIABÉTICO:

Algarve é a região com mais amputações

Especialista considera que este facto se deve à carência de podologistas na nossa região, bem como à falta de tratamentos prévios e de prevenção > DOMINGOS VIEGAS O Algarve é a região do país com maior taxa de amputações dos membros inferiores por causa do pé diabético, uma patologia causada pela diabetes e pela consequente perda de sensibilidade e de irrigação sanguínea nos pés, revelou ao nosso jornal o podologista Ivo Brochado. Segundo o especialista, esta situação deve-se ao facto de a nossa região ter “uma falha muito grande” ao nível de cuidados podológicos. “O pé diabético é a doença mais grave que qualquer pessoa pode ter ao nível dos pés”, explica Ivo Brochado, alertando que as amputações acabam por ter que ser levadas a cabo devido ao facto de “não ter existido um tratamento prévio e, principalmente, por não ter existido prevenção”. Ivo Brochado fez parte da equipa da Consulta do Pé Diabético criada no Hospital de Santo PUB

António, no Porto, a primeira a ser criada em Portugal, e que tem conseguido reduzir significativamente o número das amputações que se verificavam naquela zona do país. “Trata-se de uma equipa multidisciplinar enorme que inclui podologistas, cirurgiões ortopédicos, cirurgiões vasculares, psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, entre outros especialistas. E no primeiro ano assistiu-se a um decréscimo de 75 por certo das amputações”, recorda o especialista. O podologista diz que estas não são consultas com resultados visíveis a longo prazo, como acontece noutros casos, e garante que se esta consulta fosse aberta no hospital de Faro, “num ano poderíamos ver o número de amputações ser reduzido brutalmente, tal como aconteceu no Hospital de Santo António”. Mesmo ao nível do privado, a oferta de podologistas é escassa na região. “Entre Faro e Vila Real

de Santo António, neste momento, só estou eu. Depois há uma colega em Albufeira. Vamos supor que poderá haver mais dois que eu não tenha conhecimento e estaremos a falar de quatro, o que é manifestamente insuficiente para o número de habitantes do Algarve”, considera Ivo Brochado. O pé diabético faz com que o doente vá perdendo a sensibilidade gradualmente até chegar ao ponto de não sentir absolutamente nada. Ivo Brochado conta que já encontrou dentro dos sapatos dos pacientes os objetos mais estranhos que se possa imaginar. “Já vi desde peças de Lego até caricas de garrafas, passando por meias esquecidas... e até pregos espetados no pé, que o paciente nem sabia que tinha”, explica o especialista, recordando que muitos desses objetos podem provocar feridas que, ao não serem sentidas, acabam por infetar e levar também à amputação. “Muitas vezes, as pessoas só

Ivo Brochado é um dos poucos podologistas existentes na região

se apercebem quando lhes cheira mal porque, uma vez que a diabetes também ataca muito os olhos, as pessoas perdem visão e não se apercebem do que têm. Numa situação em que, por exemplo, poderia ter ser amputado apenas um dedo, acaba por ter que ser amputada uma perna”, alerta Ivo Brochado. Na verdade, no Algarve não há mais indivíduos com diabetes do que em qualquer outra região do país, “mas há uma grande falta de

podologistas. E tanto a podologia como a cirurgia vascular, que é outra das carência do Algarve, são essenciais para tratar de um pé diabético”, diz o especialista.

O que é a podologia? A podologia é a ciência da área da saúde que estuda, previne, diagnostica e trata as alterações dos pés e a sua repercussão no corpo humano. Trata-se de uma especialidade nova em Portugal. Porém, em

Espanha “não há um único clube de futebol que não tenha um podologista para fazer a avaliação biomecânica do jogador, como é que ele apoia o pé, como é que corre”, explica Ivo Brochado. A podologia abrange todas as patologias do pé, desde as malformações provocadas pelo calçado (entre as quais os joanetes), passando por unhas encravadas, até aos problemas dermatológicos, entre as quais as micoses, o pé de atleta, os calos, etc. “Por exemplo, se existe um calo é porque alguma coisa está mal com o nosso pé, no entanto, o paciente limita-se a ir à pedicure ou ao calista, eles raspam o calo, às vezes até onde não devem, e aliviam a dor, que é o que o paciente quer. Porém, é uma solução a curto prazo”, diz o especialista, sublinhando que o podologista “vai analisar se aquilo é realmente um calo, pois muitas vezes há verrugas que são confundidas com calos, e vai tentar perceber porque é que aquela calosidade aparece”. É aí entra em campo a biomecânica. “Vamos ver a forma como o doente caminha e, muitas vezes, com uma palmilha feita especificamente para aquele caso, consegue-se resolver o problema”, garante Ivo Brochado. O podologista recorda ainda que há muitas pessoas a queixarem-se de problemas na coluna, e revela que a origem pode estar num apoio incorreto do pé, o que também pode ser resolvido numa consulta de podologia.


R

EGIONAL

[5]

3 I fevereiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

APROVAÇÃO "SURPRESA" DO PLANO DO PARQUE NATURAL INDIGNA AUTARCAS E POPULAÇÃO

Aljezur e Vila do Bispo prometem resistir à traição

A população e os autarcas da Costa Vicentina sentem-se traídos e revoltados com a aprovação inesperada do plano de ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV). O plano pode comprometer as aspirações de desenvolvimento local, ao voltar a interditar e condicionar todos os projetos turísticos (e não só) nos concelhos de Aljezur e Vila do Bispo > NUNO COUTO Aos 74 anos, Maria Nascimento esperava viver tranquilamente até ao fim dos seus dias em Maria Vinagre, uma pacata localidade do concelho de Aljezur. Depoisdeanosatrabalharduramentecom o marido na Alemanha, de onde voltaram em 1984, o casal investiu as suas poupanças em oito moradias turísticas, uma aposta no alojamento local que tinha tudo para resultar. “Parecia-me um bom negócio. Diziam-me que aqui não existia quase nenhuma oferta nesta área e que iria haver oportunidades para esta terra se desenvolver”, conta ao JA Maria Nascimento. Com a notícia “bombástica” da aprovação do plano de ordenamento do PNSACV, na reunião do conselho de ministro da semana passada, a septuagenária foi apanhada de surpresa, assim como toda a população e autarcas. “Estou com receio de perder tudo o que investi. Afinal, tive muito trabalho para legalizar tudo pela câmara e agora parece que uns senhores de Lisboa querem acabar com o turismo e tirar as pessoas de cá”, protesta a munícipe. Numa tomada de posição conjunta, os presidente das câmaras de Aljezur, Odemira, Sines e Vila do Bispo também classificaram de “indigna, arrogante e prepotente” a atitude do Governo, que não terá consultado os autarcas como prometeu. “Fomos enganados e desacreditados. Como permanecemos desinformados, não auguramos nada de bom em relação ao plano aprovado pelo conselho de ministros”, reagiu o presidente da câmara de Aljezur.

Areia para os olhos José Amarelinho, que foi o porta-voz da revolta dos quatro autarcas, garantiu ainda que “não vamos dar tréguas do ponto de vista legal e político”, adivinhando “um plano atentatório do turismo rural e de natureza, um ataque aos valores naturais e o abandono do território”. “Éumaenormetraição,depoisdeterematirado tanta areia para os nossos olhos”, comentou o presidente de câmara de Aljezur, acrescentando que “iremos anunciar em breve outras medidas para mostrar o nosso descontentamento”. Para já, os autarcas exigem a “revogação imediata” da medida, solicitando ainda a “demissão imediata do secretário de Estado do Ambiente, Humberto Rosa – verdadeiro obreiro e protagonista de toda esta trapalhada -, e de toda a direção do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade”.

Os "disparates" do plano Segundo os autarcas abrangidos pelo parque natural, “o plano deve ser suportado pelo rigor científico”, mas, em vez disso, “incorpora uma série de erros e disparates”. Como exemplo, os autarcas apontam

Os presidentes de câmara temem um plano repleto de "disparates" que ponha em causa o desenvolvimento local

o facto de o plano colocar como zona de proteção “várias áreas de acácia e eucaliptos, sem qualquer valor científico”. “Entretanto, outras zonas mais importantes não foram incluídas”, protestam. Por outro lado, as autar-quias criticam a imposição de terem de pedir autorização e pagar taxas para realizarem marchas e passeios, bem como terem de suportar o custo dos pareceres exigidos pela lei, por estarem inseridos num parque natural. “Os disparates chegam ao nível de as autarquias não poderem licenciar projetos em zonas urbanas”, denunciam os socialistas José Amarelinho e Adelino Soares. Este último, autarca de Vila do Bispo, vai mais longe e revela que, na última versão do plano agora aprovado – mas que os autarcas ainda desconhecem o conteúdo – estavam em causa diversos empreendimentos que tinham sido aprovados, mas cujos direitos deverão ser retirados. “Não existe ab-

solutamente nada que justifique esta situação”, lamenta Adelino Soares, queixando-se que o plano também impede a ampliação de portos de pesca, a construção de novos cemitérios e até de estações de tratamento de águas residuais, “equipamentos que são muito necessários no concelho e que não estão contemplados no plano”. “Desta forma, fica difícil manter a população, quanto mais atrair turistas”, desabafa o autarca de Vila do Bispo, para quem este plano coloca em risco “os legítimos interesses das populações e o desenvolvimento equilibrado do território”. Por seu lado, José Amarelinho realça que os sucessivos governos nunca tiveram sensibilidade para entenderem que este é um “parque natural humanizado”. “Não se pode reprimir as pessoas que cá vivem. Elas são os melhores gestores do território, como demonstraram ao longo de todos estes anos”, sustenta.

Versão final do plano do PNSACV foi aprovado em Conselho de Ministro Os deputados socialistas eleitos pelo Algarve - Miguel Freitas, João Soares e Jamila Madeira - questionaram, no início desta semana, o Ministério do Ambiente, sobre a evolução registada no plano de ordenamento do Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano (PNCVSA), na sequência das alterações apresentadas nos últimos dois anos ao Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB). Os parlamentares, que reconhecem desconhecer o teor final da resolução do Conselho de Ministros, consideram que esta matéria deve ser “cabalmente esclarecida”, pelo que solicitaram ainda esclarecimentos quanto às questões mais sensíveis relacionadas com o plano que não mereceram aceitação por parte

do ministério, bem como as razões objetivas para a sua não inclusão no documento. Os deputados eleitos pelo Algarve esperam que a versão final “incorpore o resultado de todo o processo de discussão pública, do diálogo com os autarcas das áreas abrangidas pelo plano e de conciliação entre os vários ministérios com intervenção em matéria de ordenamento do território e desenvolvimento regional e rural”. Na sequência da aprovação do plano de ordenamento do parque natural, os deputados do PS vão ainda solicitar esclarecimentos quanto ao Polis da Costa Vicentina, nomeadamente “qual o ponto de situação do programa e os meios financeiros para a concretização dos investimentos previstos”.

FICÇÕES

[15.] Tudo isto José Carlos Barros

O MEU AMIGO surpreendeu-me ao puxar a conversa para as suas memórias da infância. Eu falava da violência e da inaceitável indisciplina dos alunos e de um processo de avaliação que promove e premeia o desleixo. Ele torcia o nariz. Eu falava da degradação geral da qualidade do ensino e de um sistema que instituiu mecanismos tão temerosos da repetência que leva ao limite a obsessão de garantir a passagem de ano de estudantes sem mérito nem receio de faltas a vermelho. Mas o meu amigo continuava a torcer o nariz e deixou correr a conversa para as memórias antigas de uma sala de aula. O meu amigo fala quase sempre de um modo cifrado. Às vezes é difícil compreender onde quer chegar. Por isso me limitei a passar para esta folha sem mudar um til o seu novelo de lembranças em discurso directo: «NÃO ESQUECEREI o momento em que subi pela primeira vez os três degraus de pedra que levavam ao interior da escola como se alguém decidisse roubar-me a alegria da infância ou encerrar-me várias horas por dia entre quatro paredes em que o medo substituía os risos e a possibilidade do voo sobre as árvores da avenida ou as sebes de sempre-noiva do recreio quando o recreio era ainda um espaço de liberdade onde jogávamos à bola nas tardes imensas de domingo. Havia uma sombra que também não esqueço. E um odor que me acompanhou sempre. Era uma espécie de poeira levantada que misturava várias coisas: a ardósia e a madeira das carteiras e do ábaco; o giz e o bolor de paredes onde a humidade do inverno deixava todos os anos uma mancha que se sobrepunha a outras manchas mais antigas; o grafite e as aparas dos lápis afiados; a tinta permanente e as resmas de papel das provas de exame armazenadas num armário com portas envidraçadas. Também recordo as cores: o amarelo baço de fundo dos mapas de portugal continental e das ilhas adjacentes e das províncias ultramarinas e o castanho das cadeias montanhosas e o azul dos rios que vinham quase todos de espanha ou se desenhavam em fabulosos territórios de além-mar; os vários tons de cinzento dos retratos emoldurados de tomás e marcelo; o preto do quadro grande; o mel do verniz da secretária e do estrado; um lilás debotado a escorrer nos tinteiros de porcelana. E os sons: ecos de coisas longínquas; a opacidade dos rumores dos trabalhos dos campos; a reverberação dos sinos da igreja diluída na atmosfera espessa das manhãs imensas dos meses frios. CHEGO a sentir nostalgia ao recordar tudo isto. Mas apenas porque envelhecemos e a infância é quase sempre exaltação mesmo quando a tempestade chega a fazer esquecer os antigos dias iluminados por dentro. Porque tudo isso se misturava numa sombra a erguer-se como nuvens de cinza em redor de cada um de nós. E a maior parte de nós ficava da escola apenas com a memória desses poucos primeiros anos. Porque a partir daí a escola pertencia à parcela cada vez mais estreita dos que não sucumbiam a processos intensos de exclusão. NÃO TENHO saudades nenhumas de uma escola que exclui. Prefiro uma escola como a de hoje: onde todos cabem e o exercício do ensino se faz com acrescido esforço num universo de obstáculos e dificuldades que se procuram ultrapassar pelo lado de dentro.» TUDO ISTO disse o meu amigo. Eu não tenho uma ideia formada sobre o assunto. PUB

Largo Santana n.º 1 Apartado 102 8800 TAVIRA Telf.: 281320 240 Fax: 281 325 523 radiogilao@net.vodafone.pt


R

EGIONAL

[6]

3 I fevereiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

PCP alerta Governo para capacidade de exportação dos citrinos algarvios Os deputados do Partido Comunista Português (PCP), João Ramos e Agostinho Lopes enviaram um pedido de esclarecimentos ao Ministério da Agricultura sobre os citrinos algarvios. Os deputados dizem ter sido alertados, através da comunicação social regional, para os problemas que os produtores da região estão a ter face à redução de consumos e para as dificuldades de fazer face aos custos de produção e terem dificuldades em exportar. Frisando a intenção do Governo de potenciar a capacidade de exportação dos produtos nacionais, os deputados perguntam ao ministério se existe conhecimento das dificuldades dos produtores de citrinos algarvios. Por outro lado, querem saber se existe alguma intervenção prevista que vise auxiliar os citricultores para que possam ganhar novo ânimo. “O ministério está a desenvolver iniciativas de apoio à exportação de citrinos no Algarve?”, é a última pergunta do ofício divulgado pelo grupo parlamentar aos meios de comunicação social.

PORTAGENS NA VIA DO INFANTE

Deputados do PCP querem confirmação das medidas minimizadoras João Ramos e Bruno Dias são os deputados do PCP que enviaram um pedido de esclarecimento ao Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações com o intuito de obter confirmação sobre as afirmações que o deputado socialista Miguel Freitas proferiu a 14 de janeiro. Durante a discussão de um projeto de resolução que recomendava ao Governo a não introdução de portagens na Via do Infante, o deputado algarvio sublinhou as três medidas que devem ser implementadas para minorar os impactos negativos das portagens no Algarve. “Isentámos toda a região do pagamento de portagens até Junho de 2012, altura em que esperamos que a EN125 esteja pronta. Isto é, para nós, não haverá portagens em pleno enquanto não houver, na região, uma alternativa em pleno à Via do Infante”, foi a primeira condição sublinhada no ofício enviado ao ministério. “É necessário assegurar que esta via tenha acesso rápido, acessível e sem pagamento de portagens, à EN125 para quem vem de Espanha ou para quem sai dos três concelhos transfronteiriços, isto é, Vila Real de Santo António, Castro Marim ou de Alcoutim para Espanha”, foi a segunda medida referida por Miguel Freitas e sublinhada pelos deputados comunistas. “Além do investimento que está a ser feito na EN 125, possamos também assegurar um investimento na própria Via do Infante que a qualifique e lhe dê melhores condições de mobilidade”, é a terceira medida referida pelo deputado socialista durante a discussão realizada no passado dia 14 de janeiro. Estas são medidas que os deputados querem ver confirmadas pelo ministério que tem a tutela sobre esta matéria.

LIGAÇÕES FERROVIÁRIAS SÃO UM DOS PROBLEMAS MAIS COMPLEXOS

JSD Algarve quer rede de transportes O problema não é novo e tem sido levantado por diversas forças vivas da região. Desta vez, são os jovens sociais-democratas algarvios que reivindicam um estudo real e eficaz dos serviços de transporte existentes na região e a sua articulação. Uma preocupação que afeta jovens de toda a região, mas particularmente quem vive nas zonas mais extremas do Algarve > SOFIA CAVACO SILVA A JSD Algarve lançou na passada semana um apelo ao recém-criado grupo de trabalho que foi criado pela Secretaria de Estado dos Transportes para que seja célere e profícuo o estudo sobre a mobilidade no Algarve. Em causa está a criação de uma rede efetiva e articulada de serviços de transportes públicos e privados na região que possam promover maior mobilidade a quem não tem ou não quer utilizar meios próprios. Esta é uma questão que o presidente da JSD Algarve, Bruno Inácio diz ser particularmente importante para os jovens da região, especialmente para aqueles que estudam fora dos locais onde residem, como é o caso dos estudantes universitários. "Olhamos hoje para o Algarve e para a rede de transportes públicos, para os comboios, para os autocarros e todos os outros serviços públicos e privados de transportes e verificamos que estão todos desarticulados", comenta. "Não faz sentido", acrescen ta. Em entrevista ao JA, Bruno Inácio garante que a JSD Algarve vai dar tempo para que este grupo possa trabalhar, mas quer que desta vez haja resultados que se traduzam em trabalho "no terreno". Importa recordar que este é o terceiro grupo de trabalho criado pelo Governo com o intuito de analisar o sistema de mobilidade na região. Desta vez, o grupo foi criado após a interpelação do grupo de municípios Algarve Central - constituído pelas autarquias de Faro, Albufeira, Loulé, Olhão, Tavira e São Brás de Alportel. As dificuldades sentidas por quem tem de recorrer às ligações ferroviárias algarvias diariamente têm sido reportadas pelas secções concelhias da JSD Algarve. Os preços praticados, a segurança e comodidade das carruagens e os tempos de viagem não se coadunam com as necessidades dos utilizadores. Por outro lado, quando a introdução de portagens na Via do Infante se concretizar,

A estação de comboios de Loulé é um dos exemplos dados por Bruno Inácio enquanto local onde não existe uma articulação de transportes que garanta ligação aos passageiros

os jovens que utilizam esta via para se poderem deslocar de forma mais rápida para os estabelecimentos de ensino ou para os seus locais de trabalho passam a ter uma nova carga nos seus orçamentos mensais. Se deste grupo de jovens houver quem queira optar pelos transportes públicos, por certo irão ponderar a questão financeira e o tempo dos percursos e as ligações necessárias. "Saudamos a criação deste grupo de trabalho que deverá criar uma proposta a vários níveis, nomeadamente a organização e a sustentabilidade financeira também para no futuro poder dar azo a uma rede global organizada", comenta Bruno Inácio. "Esperemos que à terceira seja de vez", acrescenta. Na opinião da JSD Algarve não é possível avançar com um trabalho de promoção dos transportes públicos na região sem que exista uma rede efetiva. A articulação dos meios de transporte disponíveis poderá inclusivamente traduzir-se num aumento de utilizadores e, quiçá, maior rentabilidade a todos os serviços envolvidos.

Autoridade para Rede de Transportes para criar lógica e ligação coerente "A JSD Algarve defende

que seja criada uma autoridade para fazer a gestão da rede, à semelhança do que já existe no Porto e em Lisboa", explica o líder da JSD Algarve. "Quem ouve isto pode pensar: lá vão criar mais qualquer coisa.... Mas muitas vezes estas entidades não implicam a criação de mais organizações, mais funcionários e mais espaços. Não. Às vezes basta que um conjunto de pessoas, intervenientes competentes, se sentem e organizem as coisas", argumenta. "Chamar rede de transportes é muito ambicioso (atualmente), porque não é verdade. Não existe uma rede, existem diversos operadores públicos e privados. Cada um presta o seu serviço à sua maneira, da forma que acha economicamente mais rentável e que a sua organização lhes permite fazer", alerta. A título de exemplo, fala no caso de um jovem estudante que more em Lagos e estude no Campus de Gambelas. Se optar pelo comboio, leva cerca de duas horas para fazer o percurso até à cidade de Faro e depois tem de esperar pelo autocarro que o transporte para Gambelas. E estas ligações não estão atualmente articuladas. Muitas vezes, "feitas as contas é preferível ir viver

para Faro", comenta, lembrando que para quem mora em Lagos a deslocação diária para Faro de comboio se traduz em quatro horas de viagem, enquanto que para quem mora em Vila Real de Santo António se traduz em três horas diárias de transporte, sem contar com as deslocações dentro das cidades. "Sabemos que em Portugal, muitas vezes, quando não se quer resolver um problema, estuda-se o problema. Por isso, esperamos que a criação deste grupo de trabalho não seja um adiar e seja sim o início da resolução do problema", conclui. Apesar de sublinhar que nesta matéria são os problemas dos jovens que vivem na região e se debatem com falta de mobilidade, Bruno Inácio admite que esta é uma questão que afeta a região na sua totalidade, incluindo o principal setor de atividade económica da região: o turismo. Entretanto, a JSD Algarve já está a preparar ações de promoção da discussão e reflexão sobre esta matéria. Para o efeito, pretende convidar especialistas que possam trazer contributos válidos e consolidar o conhecimento sobre esta área.


A

CTUALIDADE

3 I fevereiro I 2011

[7]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Tavira vai ter finalmente um novo porto de pesca IPTM acaba de lançar o concurso para a construção da infra-estrutura, que custará cerca de 10 milhões de euros O Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM) já lançou o concurso público para a empreitada de construção do porto de pesca de Tavira, uma obra ansiada há décadas pelos pescadores tavirenses. Para a autarquia tavirense, trata-se de “uma obra prioritária na estratégia do município de concretizar a vontade de virar a cidade para o rio e para o mar”. O prazo de execução da nova infra-estrutura é de três anos e a obra custará cerca de 10 milhões de euros. O novo porto de pesca ficará localizado na margem direita do rio Gilão, junto ao mercado municipal e à ponte dos descobrimentos, e ocupará a zona inicial da atual estrada para as Quatro Águas. Quando o porto estiver construído, o acesso às Quatro Águas passará a ser feito pela estrada que se situa a sul do mercado. O porto de pesca ocupará uma área de 4,8 hectares, terá capacidade para 72 embarcações, de entre 12 a 18 metros, e para mais 10 pequenas embarcações. A estrutura contempla ainda estaleiro, armazéns para os utensílios dos pescadores, armazéns para comerciantes, lota, edifício administrativo, rampa varadouro e posto de abastecimento de combustíveis.

Algarve reconhecido como melhor destino de Sol&Praia pelos irlandeses O Algarve foi galardoado com o prémio “Best Sun Destination” (Melhor Destino Turístico de Sol & Praia) no passado dia 27, durante a maior feira irlandesa do setor turístico. “Este prémio assume particular importância para o aumento do awareness [conhecimento] da marca Algarve junto do trade irlandês, podendo alavancar, em certa medida, o processo de retoma deste mercado emissor considerado decisivo na actividade turística da região”, refere a Associação de Turismo do Algarve (ATA) em comunicado. Estes prémios são conhecidos durante a principal feira de turismo irlandesa, designada por “Holiday World”. Durante 19ª edição dos Irish Travel Industry Awards foram ainda entregues outros prémios a agentes locais e internacionais do setor. A ATA divulgou esta semana a informação sobre o prémio atribuído ao Algarve e sublinha que “Portugal esteve em grande destaque com a Delegação do AICEP, em Dublin, a ser uma das nomeadas para a categoria de “Best Tourist Board in Ireland” e o Algarve a ganhar na categoria de “Best Sun Destination” deixando para trás concorrentes como a Costa del Sol, Florida, Lanzarote e Turquia, destinos nomeados para a mesma categoria”.

A nova infra-estrutura portuária ficará localizada na margem direita do rio Gilão, junto à ponte dos Descobrimentos (a terceira na imagem)

No âmbito da mesma empreitada está ainda prevista a dragagem do Rio Gilão, a referida alteração da via de acesso às Quatro Águas e um cais para actividades marítimo-turísticas e carreiras fluviais regulares entre Tavira e a Ilha de Tavira.

Frente de Mar de Armação de Pêra nomeada para Prémios Turismo A requalificação da Frente de Mar de Armação de Pêra é um dos seis projetos nomeado na categoria “Requalificação Projeto Público”, na sexta edição dos Prémios Turismo de Portugal. Ao lado do projeto da autarquia de Silves estão projetos

oriundos dos municípios do Porto, Lisboa e Sintra (Revitalização das Áreas Comerciais Aeroporto do Porto; Remodelação do Museu de São Roque – Lisboa; Loja Museu dos Transportes e Comunicações – Porto; Castelo de S. Jorge Núcleo Arqueológico – Lisboa;

Reabertura do Palácio de Monserrate – Sintra). Segundo a Deloite, empresa que coordena o concurso, o projeto do município de Silves enquadra-se “na requalificação de espaços pré-existentes e já detentores de vocação turística”.

AVISO Informam-se todos os munícipes que, iremos implementar, nos dias 9 e 10 de Fevereiro de 2011, algumas alterações do sentido de trânsito, em algumas ruas de Vila Real de Santo António, a saber: - Rua Barão do Rio Zêzere (passa de duplo sentido a sentido norte-sul); - Rua Almirante Cândido dos Reis (passa de sentido único norte-sul para sentido único sul-norte); - Rua Infante D. Henrique (passa de duplo sentido para sentido único sul-norte); - Rua Dr. Oliveira Martins (passa de sentido único sul-norte para sentido único norte-sul) Vila Real de Santo António, 3 de Fevereiro de 2011 O Vereador João Rodrigues (Jornal do Algarve, 03/02/2011)


O

3 I fevereiro I 2011

PINIÃO

[8]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

NOTA CHARINGADA

CRÓNICA MARAFADA

Mudar de vida

> Martins Coelho

Estou farto de ouvir e ler que os portugueses têm de mudar de vida, pouparem mais, gastarem menos, recorrerem menos ao crédito, serem mais responsáveis e por aí fora. A conclusão que se tira ao ouvir e ler tais argumentos é de que a culpa da crise económica e financeira é deles, dos tais portugueses, não, evidentemente, dos que desenvolvem e escrevem tal tese. E se mudássemos o disco e em lugar de culpar as vítimas procurássemos os verdadeiros réus. Por exemplo, os salários de pobreza que a esmagadora maioria dos portugueses recebem. Hoje muitos dos que trabalham não se libertam da pobreza trabalhando, pelo contrário, o trabalho agrava a sua pobreza. Temos a sociedade mais desigual e o fosso entre os mais bem instalados na vida alarga-se continuamente em relação aos mais desfavorecidos. Afirmar que tais criaturas têm de poupar mais e gastarem menos é de uma violenta hipocrisia. Como se pode poupar a pobreza e a miséria? Recomendar recorrer menos ao crédito é outra manifestação de insensibilidade social e humana. A televisão diariamente alicia as pessoas a pedirem dinheiro aos bancos, as ruas estão cheias de publicidade enganosa, os jornais idem, as revistas o mesmo, na rádio sucedem-se os apelos ao consumo mais desenfreado, criando nas pessoas o apetite por produtos supérfluos e desnecessários, criando necessidades artificiais, modas em constante desactualização. Tal situação serviu muito bem a este capita-

lismo irresponsável que lucrou nos dois tabuleiros, por um lado paga ordenados baixos ganhando chorudas mais-valias, por outro lado empurra as pessoas a recorrerem à banca para obterem o dinheiro para as suas reais necessidades ou às necessidades artificialmente provocadas, lucrando nos juros elevados. E se fosse o governo a mudar de vida, a ser verdadeiramente um governo ao serviço de Portugal e dos portugueses e não mais um governo de promiscuidade com os negócios, combatendo a corrupção e pondo a justiça a funcionar, investindo nos sectores produtivos para incentivar o emprego e a criação de riqueza justamente repartida. Incentivasse e premiasse o mérito e honrasse o trabalho e combatesse a especulação. Ou, por ex., o Poder Local mudar de vida e voltar a ser verdadeiramente democrático, ao serviço das populações e não dos interesses da construção civil, com PDMs respeitados e feitos com participação e auscultação democrática da população, em vez de continuamente os violar sem qualquer explicação. Ou mudar de vida no respeito pelo meio ambiente com a preocupação de deixar herança sustentável para as futuras gerações, e não destruir os solos e a paisagem só para satisfazer a ganância de um empreiteiro qualquer. Sim, os portugueses querem muito mudar de vida e querem um país a sério, agradecíamos que os de cima dessem o exemplo e começassem.

João Xavier

A rainha ninfomaníaca e as açafatas algarvias Poucos sabem quem foi a prolífera rainha D. Carlota Joaquina. Carlota Joaquina Teresa Cayetana de Borbón y Borbón nasceu em Aranjuez em 25 de abril de 1775, filha de Carlos IV de Espanha e casou em 1784 (!) com D. João VI. Elegante, com as faces rosadas mas bexigosas e o corpo bem torneado, gostava bastante de andar ... de burro. Até ficar coxa, de um trambolhão. Passou a ser rainha de Portugal em 1792, protagonizou uma série de incidentes com o rei e fugiu com toda a família real para o Brasil em 1807, na véspera da chegada de tropas napoleónicas a Lisboa (na viagem, teve de rapar a cabeça por estar infestada de piolhos...). Tinha a fama de ser ninfomaníaca, chegou a ser apanhada em cópula com um jardineiro e constava que dos 9 filhos que teve muitos não eram filhos do rei! Em 1822, o marido assinou um decreto em que ela era condenada ao exílio... mas as golpadas políticas levaram à revogação dessa ordem. Algumas das damas de honor ou camareiras (açafatas) desta rainha vieram para Faro e viveram neste palácio que fotografei, ainda hoje chamado de Casa das Açafatas. Uma chamava-se Rita Efigénia e era casada com o Coronel Francisco José Moreira de Carvalhal e Vasconcelos, então dono deste edifício (o primeiro dos 16 filhos do casal mandou construir o Palácio de Estoi). O brasão da família ainda ali continua, mas o belo jardim que fazia parte da propriedade era chamado de Jardim da Mouraria e já foi destruído. Da próxima vez que passar pela Rua de Santo António, em Faro, detenha-se a observar a traça barroca de um edifício que, se as paredes falassem, teria muitos segredos para nos contar...

Blogue XARINGADO, http:// notaxaringada.blogspot.com: Nota: O autor não escreveu o artigo ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Uma cadeira vazia em Oslo > Maria Fernanda Barroca

Nota: O autor não escreveu o artigo ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Janela da Casa das Açafatas, na Rua de Santo António, em Faro (foto do autor)

Centro de Oftalmologia do Algarve www.centrodeoftalmologia.com

Dr. Eduardo Lares CORRECÇÃO DA MIOPIA COM LASER ASTIGMATISMO HIPERMETROPIA Consultas de Oftalmologia Laser - Diabetes, Glaucoma Ecografia, Biometria Ocular Campimetria Computorizada Topografia da Cornea Cirurgia Ocular

Informe-se em www.algarlaser.com

CONSULTAS:

Av. 5 de Outubro 14 - 1.º - FARO Telefone: 289 895 560

VIPRENSA

Eu penso que nunca uma «cadeira vazia» teve tantas honras e destaque nos noticiários, com fotografia em grande plano. A razão é sobejamente conhecida: aí, nessa altura, devia estar sentado Liu Xiaobo – laureado com o Prémio Nobel da Paz – 2010 e a cadeira destinava-se a ele no momento em que iam ser distribuídos os Prémios Nobel. Não estava lá Liu Xiaobo, activista chinês, porque estava preso na China, condenado a 12 anos de cadeia por lutar contra as violações dos Direitos Humanos na China e pela falta de liberdade de expressão. Quando se soube da nomeação do activista para Prémio Nobel da Paz, a sua mulher que se declarou “absolutamente encantada”, pediu ao Governo Chinês para libertar o marido. Sabemos que tal não aconteceu e no dia 10 deste mês de Dezembro, ela própria e familiares mais próximos foram mantidos em prisão domiciliária e impedidos de ir a Oslo para receber o Prémio. Dias antes centenas de dissidentes chineses foram colocados em prisão domiciliária, sem qualquer contacto com o exterior. As estações de televisão chinesas estavam filtradas e muitos sites da Internet da BBC, CNN e outros órgãos de comunicação foram bloqueados. O percurso de vida do galardoado aponta para a justeza da atribuição. O Presidente do Comité Nobel norueguês, Thorbjoem Jagland mostra que a atribuição do galardão foi justa e tal facto será sempre lembrado quando se falar da luta pela liberdade e pelo respeito dos direitos humanos. A China, que recebeu muito mal tal Prémio, antes da sua atribuição e quando só se «falava» nessa possibilidade, quis intimidar o Instituto Nobel Norueguês, acenando com possíveis conflitos diplomáticos que poderiam surgir. O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros disse que Liu estava detido porque violara

as leis e as suas atitudes eram “totalmente contrárias aos propósitos do Prémio Nobel da Paz”. Nessa altura pôs em causa a manutenção de relações comerciais entre os dois países, referindose, talvez veladamente, à Statoil – gigante petrolífera. Liu Xiaobo promoveu em Dezembro de 2008 a chamada “Carta 08” – em analogia à “Carta 77” dos dissidentes da Checoslováquia comunistas. Também depois de ter participado nos protestos da Praça Tiananmen em 1989, foi detido várias vezes. O seu percurso foi um entrar em sair da prisão. Mas lamentavelmente outros dissidentes foram contra a escolha, eles que também lutam pelos mesmos objectivos. Numa virulenta carta acusaram Liu de difamar os outros dissidentes e de muitas vezes ser condescendente com os líderes chineses. Sem querer fazer juízos de intenções, o Prémio Nobel é também muito apetecido monetariamente e não deve haver muitas “Madres Teresa de Calcutá”, que laureada também, fez reverter o valor monetário do Prémio para auxílio aos mais desfavorecidos. E não posso falar de Prémio Nobel da Paz, sem me interrogar: O que levou o Comité a nunca ter nomeado João Paulo II para tal Prémio? Houve alguém, que em toda a sua vida tanto tivesse feito pela liberdade e pelo respeito dos direitos humanos? E se me argumentam que o Prémio deve ser atribuído a quem deu provas “no terreno”, é porque se esqueceram que Karol Woltjila foi operário e viveu e estudou na clandestinidade, quando a sua Polónia estava sob o domínio comunista. Sentiu na pele a perseguição. E que dizer do Prémio Nobel – 2009? Coube a Barack Obama. Será que o seu percurso passado e actual justificou tal escolha? Presidente de um país que ainda admite a pena de morte e que legalizou o aborto, pode considerar-se defensor dos Direitos Humanos, quando não respeita o valor da vida humana? E o fecho de Guantánamo, ficará para as Calendas Gregas?


L

OCAL

3 I fevereiro I 2011

[9]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

CAMIÃO CHEGOU ESTA SEGUNDA-FEIRA DA SUÉCIA

Emigrante oferece 10 toneladas de material ortopédico a Vila Real de Santo António Equipamento vai fazer parte do futuro Banco de Ajudas Técnicas da autarquia e poderá ser solicitado, a título de empréstimo, por instituições ou por qualquer munícipe > DOMINGOS VIEGAS Chama-se Carlos Quaresma, é natural de Lisboa e está emigrado na Suécia há 25 anos. Desde há vários anos que oferece material ortopédico a várias instituições e a alguns particulares, através da fundação que dirige naquele país do norte da Europa (Fundação AGAPE). As suas doações já chegaram a 92 países de todo o mundo, entre os quais Portugal, onde várias câmaras municipais e instituições já beneficiaram destas ações de solidariedade. A última destas doações, e a primeira que teve o Algarve como destino, chegou na última segunda-feira a Vila Real de Santo António e o material passará a fazer parte do futuro Banco de Ajudas Técnicas, onde poderá ser requisitado por instituições ou particulares, a título de empréstimo. No total, são cerca de 10 toneladas de equipamento, avaliado em cerca de 600 mil euros. O material, que chegou de camião diretamente da Suécia, inclui camas elétricas articuladas, vários tipos de cadeiras de rodas,

andarilhos elétricos, cadeiras para banhos, canadianas, entre outro equipamento ortopédico e hospitalar. O carregamento incluiu ainda televisões e algum mobiliário. “Aqui na Suécia, o material dos hospitais é renovado todos os anos. Ou seja, não é permitido que esteja uma cadeira ou uma cama mais do que um ano num hospital. Como trabalho para o Estado sueco, e diretamente com o ministro da Saúde, distribuo este material por todo o mundo através da Fundação AGAPE”, explicou ao nosso jornal, por telefone, Carlos Quaresma, que dirige aquela fundação na cidade de Gotemburgo. A primeira doação para o Algarve foi para Vila Real de Santo António, onde a câmara municipal “tem feito um grande trabalho na área social”, considera Carlos Quaresma. No entanto, brevemente, outros municípios da região poderão também beneficiar destas doações. “Entre outros, posso dizer que a câmara de Loulé também já entrou em contacto comigo porque também está interessada e pode vir a ser um dos pró-

ximos destinos de mais material ortopédico”, revelou, garantindo que oferece este tipo de equipamento “a qualquer instituição que o solicite”. De acordo com Sílvia Madeira, vereadora que detém o pelouro da Ação Social na autarquia vila-realense, o equipamento que chegou esta semana à cidade pombalina vai fazer parte do futuro Banco de Ajudas Técnicas que será criado pela autarquia. “Qualquer pessoa ou instituição pode solicitar aquilo que necessite, a título de empréstimo. Com este banco, vamos também conseguir ter uma plataforma ativa para que as pessoas possam fazer doações de material”, explicou a autarca. Sílvia Madeira considera que esta doação é “uma mais-valia muito grande para a população do concelho”, já que as pessoas “normalmente não podem adquirir este tipo de material porque é muito caro”, lembrou a vereadora, explicando que, no caso desta doação, a câmara municipal só teve que pagar o transporte do material da Suécia para Portugal, ou seja, cerca

Os equipamentos estão avaliados em cerca de 600 mil euros

de 13 mil euros. O equipamento foi recebido em Vila Real de Santo António pelos vereadores José Carlos Barros, vice-presidente

Acabe com as dores nas articulações!

É um facto que a cartilagem protectora das nossas articulações começa a deteriorar-se ao longo do tempo, levando eventualmente a uma situação dolorosa e debilitante designada osteoartrose. A boa notícia é que pode impedir o desenvolvimento desse desgaste - e provavelmente ajudar a repará-lo Existe um momento na vida de todos em que as articulações se tornam dolorosas e a perda de mobilidade parece inevitável. A osteoartrose é uma deterioração gradual da cartilagem articular que provoca sintomas como dor, inchaço, e fraca mobilidade. A boa notícia é que investigadores identificaram algumas substâncias no marisco que estão envolvidas na síntese de cartilagem, substância extremamente elástica, forte e flexível que une as extremidades dos ossos e previne a sua fricção directa.

Travar a osteoartrose de forma natural A investigação científica descobriu um tratamento capaz de travar a deterioração das articulações. A substância eficaz, no extracto de marisco, para o tratamento e prevenção da osteoartrose chama-se glucosamina. No entanto, existem outros factores envolvidos na saúde da

cartilagem articular. Uma substância activa designada sulfato de condroitina, um componente estrutural importante da cartilagem. Com a descoberta da glucosamina e da condroitina, duas substâncias naturais com um papel fundamental na síntese da cartilagem, parece ter sido encontrada uma solução para travar a deterioração da cartilagem relacionada com a idade, que de outro modo limitaria a liberdade de cada um. Alguns acreditam mesmo que a utilização regular destas duas substâncias pode reparar a cartilagem já deteriorada, tornando possível a melhoria da osteoartrose inicial. Até hoje, diversos estudos realizados com glucosamina e condroitina, combinadas ou isoladas, sustentam este efeito positivo. A parte importante é que estas substâncias do marisco estão disponíveis em comprimidos e podem ser tomados para estimular a produção natural de cartilagem.

Como funciona a glucosamina e a condroitina? Quanto a cartilagem se desgasta, os ossos ficam expostos entre si, causando inflamação, dor e rigidez das articulações e imobilidade. A glucosamina e a condroitina previne estes acontecimentos fornecendo a matéria prima necessária ao seu organismo, para produzir cartilagem articular saudável, suave e elástica. A combinação das duas substâncias (sulfato de glucosamina e condroitina) provou conseguir: - Reduzir a dor das articulações; - Aumentar a lubrificação das articulações; - Estimular a reparação da cartilagem; - Inibir as enzimas que destroem as cartilagens; - Preservar o espaço de articulação; - Actuar enquanto anti-inflamatório

Sulfato de glucosamina - eficácia assegurada

A glucosamina encontra-se comercialmente disponível sob 3 formas: cloridrato de glucosamina (HCl), sulfato de glucosamina e N-acetilgluco-samina. A única forma que demonstrou ter efeitos fiáveis foi o sulfato de glucosamina. A explicação é a seguinte: a glucosamina necessita do grupo sulfato (que contém enxofre) para funcionar.

da autarquia, João Rodrigues e Sílvia Madeira, bem como por José Augusto, ex-futebolista do Benfica e representante de Carlos Quaresma no nosso país.

Como escolher um bom produto? Existem vários produtos no mercado que contêm glucosamina e condroitina. Um dos mais eficazes é o BioActivo Glucosamina Duplo, à venda em farmácias, cuja fórmula contém as substâncias sob a forma de sulfato para uma melhor eficácia e cujos resultados estão cientificamente documentados. Ao contrário de outros produtos, este suplemento contém a dose mínima diária recomendada (1000mg de sulfato de glucosamina e 800mg de sulfato de condroitina que de acordo com os investigadores é a dose necessária para obter bons resultados). Outra das vantagens do BioActivo Glucosamina Duplo é não apresentar os efeitos secundários dos AINEs (anti-inflamatórios não esteróides), habitualmente utilizados nos casos de doenças nas articulações.


L

OCAL

3 I fevereiro I 2011

[10]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

Vila do Bispo conta apenas com dois médicos Depois da aposentação da médica que estava colocada em Sagres, no início deste ano, o concelho de Vila do Bispo ficou apenas com dois médicos, que têm de assegurar as consultas na sede em Vila do Bispo, bem como nas extensões de Sagres, Budens e Barão de São Miguel. Face a esta situação, a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve contratualizou a prestação de serviços médicos com uma empresa, que irá assegurar dois dias de consultas na extensão de Sagres e três dias na sede em Vila do Bispo. A ARS teve de recorrer a um médico cubano para colmatar a falta de médicos neste concelho, que estava colocado no centro de saúde de Lagos, e que vai agora assegurar dois dias de consulta na extensão de Budens. Entretanto, a ARS adiantou que já está a fazer todos os esforços para que seja possível colocar um novo médico no concelho de Vila do Bispo.

“Do Orientalismo à visão dos vencidos” em debate em Silves A câmara de Silves promove na próxima sexta-feira, dia 4, às 18h00, a conferência “Do Orientalismo à visão dos vencidos: percursos velhos e novos dos estudos árabes em Portugal”. A iniciativa tem como orador convidado Hermenegildo Fernandes e decorre na Casa da Cultura Islâmica e Mediterrânica. Doutorado em História Medieval, Hermenegildo Fernandes é docente da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde leciona a disciplina de História do Islão Medieval do Curso de Estudos Asiáticos. É, também, autor do livro “D. Sancho II”, publicado no ano transato. Este colóquio fecha um ciclo de conferências que tiveram início no mês de dezembro, no âmbito das atividades socioeducativas da exposição “Do Gharb ao Algarve: uma sociedade islâmica no Ocidente”.

Centro de saúde de Lagos livre de amianto Depois de notícias vindas a público terem denunciado a alegada “forma negligente como está a ser feita a remoção das telhas de fibrocimento (amianto) do centro de saúde de Lagos»”, a Administração Regional de Saúde (ARS) esclareceu que as obras de substituição da cobertura em amianto não representam qualquer perigo para os utentes nem para os profissionais de saúde. “Os trabalhos de remoção de materiais contendo amianto estão a ser executados por uma empresa certificada e devidamente autorizada para o efeito”, adianta a ARS numa nota enviada à nossa redação. Ainda de acordo com a mesma fonte, foi realizada uma avaliação da contaminação do ar por fibras às instalações do centro de saúde de Lagos, há cerca de um ano, cujas conclusões permitiram apurar que “as concentrações de fibras em suspensão no ar são inferiores a 0,01 fibra/cm3, valor considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como indicador de área limpa”. Por último, a ARS assegura que estão a ser cumpridos todos os procedimentos de segurança, no estaleiro e no local da remoção do fibrocimento, tendo sido tomadas todas as medidas de segurança para proteção dos trabalhadores que se encontram a executar os trabalhos, bem como dos funcionários e utentes do centro de saúde de Lagos.

Pessoas que foram tratadas em Cuba “estavam esquecidas pelo SNS” Luís Gomes jantou com mais 150 pacientes que foram tratados naquele país das Caraíbas, os quais deixaram os seus testemunhos. Havia quem estivesse há anos à espera de uma cirurgia ou de uma simples consulta > DOMINGOS VIEGAS Mais de 150 vila-realenses que receberam tratamentos em Cuba, financiados pela Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, reuniram-se na passada semana num jantar com o presidente da autarquia, Luís Gomes. A iniciativa acabaria por ficar marcada pelos testemunhos, alguns cheios de emoção, que alguns dos pacientes fizeram questão de dar, na primeira pessoa, contando a sua história a todos os presentes. Foi o caso de Ana Paula Santos, que diz ter visto o filho de nove anos “recuperar a autoestima” depois dos tratamentos a um problema de vitiligo (falta de pigmentação na pele). “É uma doença que ainda não tem cura aqui nem em Cuba. Mas sabia que havia tratamentos que poderiam atenuar o problema e até pigmentar as zonas que já estavam afetadas”, explicou, garantindo que “ao fim de pou-

Os pacientes reuniram-se, pela segunda vez, num jantar com o edil Luís Gomes

cas semanas já se viam resultados”. Pedro Direitinho resolveu inscrever-se para ir a Cuba por causa de um problema no sistema nervoso central: “Quando me enervava perdia o controlo dos membros inferiores e ficava completamente imobilizado. Aqui não via resultados e ninguém me dizia o que tinha. Em Cuba, depois de me terem feito exames genéticos que aqui nem daqui a muitos anos conseguiria fazer, disseram-me que era uma doença hereditária”, conta Pedro, de 37 anos, lamentando o facto de estar há dois anos à espera de uma consulta no Hospital de Faro. Estes são apenas alguns dos exemplos, aos quais se junta o caso de Luís Neto, de 30 anos, com atrofia muscu-

Medicina cubana a caminho de VRSA Luís Gomes considera que continua a não haver respostas credíveis ao nível da Saúde em Portugal e já admitiu que “talvez, brevemente, não seja necessário ir fazer tratamentos a Cuba e seja a medicina cubana a instalar-se em Vila Real de Santo António”. O autarca revelou que a Câmara Municipal de VRSA está a preparar uma iniciativa própria, para evitar as deslocações àquele país. “Quando Maomé não vai à montanha, vai a montanha a Maomé”, referiu o presidente da autarquia que, no entanto, não quis entrar em mais pormenores limitando-se a adiantar que a câmara municipal “já está a trabalhar com as autoridades portuguesas e cubanas, nesse sentido e dentro do quadro legal”.

lar profunda, que recuperou a mobilidade depois dos tratamentos levados a cabo em Cuba. Outro caso é o de Paula Oliveira, que estava há vários meses imobilizada na cama à espera de uma cirurgia à coluna. Houve também testemunhos de pessoas que estiveram anos sem poder ver devido às cataratas e que acabaram por resolver o problema com uma cirurgia de 10 minutos naquela ilha das Caraíbas. Os testemunhos sucederam-se e incluíram desde os pacientes que foram tratados na área da oftalmologia, até aos da área da dermatologia, passando pela fisioterapia, ortopedia, reabilitação, entre outras áreas. No entanto, uma coisa é comum a praticamente todos: os anos de espera para cirurgias ou para uma simples consulta de especialidade através do Serviço Nacional de Saúde.

Luta contra “os poderes instituídos na Saúde” vai continuar “Isto não é ficção. É a vida de todos nós. Estas pessoas estavam esquecidas pelo Serviço Nacional de Saúde e é isto que é preciso denunciar”, afirmou Luís Gomes. O autarca deu ainda o exemplo de pessoas a quem lhes foi pedido 15 ou 20 mil euros para serem operadas em clínicas privadas e que, como não os tinham, estavam há anos sem poder andar. Neste sentido, garantiu que vai continuar a lutar contra “os pode-

res que estão instituídos na Saúde portuguesa”, os quais “só têm o objetivo de sacar dinheiro a quem não o tem”, afirmou. “Porque é que estas pessoas não foram tidas em conta no Serviço Nacional de Saúde? Que estado social é este que se apregoa?”, questionou o autarca, afirmando de seguida que “existe um lobby corporativista por parte da ordem dos médicos que impede que estas pessoas sejam tratadas”. Em relação às notícias que falavam do facto de o Tribunal de Contas ter colocado em causa a legalidade dos tratamentos levados a cabo em Cuba, Luís Gomes voltou a deixar um recado: “Podem caluniar como caluniaram, a oposição pode mandar as mensagens para o jornal A, B ou C, mas nós não vamos parar e esta semana vamos levar a Cuba mais cinco pessoas que estão em cadeira de rodas”, garantiu, lembrando ainda que “ninguém do executivo pediu um voto a nenhuma das pessoas que foi a Cuba e também ninguém lhes perguntou qual era o seu partido”. Antes de falar com os jornalistas, Luís Gomes tinha-se dirigido aos presentes e foi perentório na resposta aos agradecimentos que os pacientes iam fazendo após os seus testemunhos: “Não têm que me agradecer porque não fui eu que paguei esses tratamentos, foi a população de Vila Real de Santo António com os seus impostos”.


L

OCAL

3 I fevereiro I 2011

[11]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

ASSEMBLEIA MUNICIPAL JÁ APROVOU A CONSTRUÇÃO

Zona comercial de VRSA vai ter silo de estacionamento Além da construção da nova infraestrutura, o estacionamento nas ruas do centro da cidade poderá vir a ser pago. A CDU já se manifestou contra esta segunda hipótese. A ACRAL diz que concorda com a proposta da autarquia > DOMINGOS VIEGAS O parque de estacionamento que está a ser explorado pelo Lusitano FC, no início da rua Ministro Duarte Pacheco, junto ao polo da escola de hotelaria, vai dar lugar a um estacionamento coberto, tipo silo. A abertura do procedimento concorrencial para levar a cabo a obra já foi aprovada na Assembleia Municipal. O executivo camarário já garantiu que o investimento na realização deste projeto será levado a cabo “sem quaisquer custos para a edilidade” e que, simultaneamente, será conseguido “um encaixe financeiro significativo”. No entanto, é esta solução que está a levantar alguma polémica, pois deverá implicar futuramente a aplicação de estacionamento pago, tanto no referido silo, como na zona histórica da cidade. A CDU já explicou que votou contra aquela proposta, pois não concorda que o estacionamento passe a ser pago fora do futuro silo, ou seja, no centro da cidade.“O montante ainda não se sabe. Tudo depende da proposta que a câmara municipal vier a aprovar, dentre aquelas que forem submetidas após o procedimento concorrencial, uma forma de concurso em que são as empresas concorrentes a definir as condições em que estão disponíveis para proceder à exploração não apenas do silo de estacionamento, mas das zonas tarifadas A, com 332 estacionamentos pagos, e B, com 352”, dizem os comunistas. Para a CDU, esta proposta “é de uma manifesta insensibilidade social”. Lembrando que quem não for residente e não quiser pagar terá que estacionar na periferia da cidade, os comunistas defendem que a referida proposta “dificulta o acesso dos visitantes e turistas não residentes na área, num momento em que se deixa multiplicar as grandes superfícies comerciais que apresentam estacionamento livre, e em que as dificuldades se acumulam no dia a dia sobre a população e o pequeno comércio tradicional”. Curiosamente, a delegação

de Vila Real de Santo António da ACRAL (Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve), em comunicado enviado à imprensa, já manifestou a sua satisfação pela proposta da autarquia. “Regozijamo-nos por tal iniciativa, pois, quem não se lembra da luta por nós desenvolvida, há muitos anos atrás, para que o estacionamento público regrado, e útil à atividade comercial existente no coração da nossa cidade, fosse uma realidade?”, recordam os responsáveis daquela associação de comerciantes. A ACRAL admite que o processo “envolve uma certa complexidade”, que resulta da harmonização dos vários interesses em jogo. “Ou seja, dos interesses próprios da autarquia, dos empresários do comércio, da restauração e serviços, e dos interesses dos munícipes residentes”, explica. No entanto, aquela associação sublinha que Vila Real de Santo António, ”sendo privilegiada, deve ser defendida e melhorada com iniciativas como esta”. O executivo liderado pelo social-democrata Luís Gomes defende que a construção do novo silo de estacionamento responde à manifesta necessidade de aumentar o número de estacionamentos de viaturas que diariamente acorrem à cidade, permitindo, também, que sejam disciplinados os estacionamentos nos espaços públicos que servem a cidade. “Será dado um passo decisivo para prover a cidade pombalina de uma importante infraestrutura e para um ordenamento mais disciplinado do estacionamento nas ruas de Vila Real de Santo António”, garante Luís Gomes. “Futuramente, vamos poder receber ainda com melhores condições todos aqueles que se deslocam diariamente à nossa cidade, e que procuram uma zona comercial e de lazer de excelência”, explica o autarca, recordando que, em 2002, quando o Partido Socialista presidia a câmara municipal, esteve para avançar um projeto semelhante. “No entanto, não foram encontrados os meios técnicos e financei-

ros adequados para o desenvolver, visto que todos os custos teriam de ser suportados pela autarquia”, esclareceu. PUB.

O silo será construído neste parque de estacionamento, situado junto ao polo da Escola de Hotelaria


L

3 I fevereiro I 2011

OCAL

[12]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

PRESIDENTE DESIDÉRIO SILVA FAZ BALANÇO DAS PRINCIPAIS OBRAS E PROJETA FUTURO

Os nove anos que mudaram a face de Albufeira O presidente da autarquia apresentou um documento de 50 páginas onde resume as obras mais importantes realizadas no concelho ao longo dos últimos nove anos. Desidério Silva garante que não é uma despedida, apenas uma forma de mostrar como a sua obra alterou a face do concelho. A resposta aos problemas sociais deverá agora absorver as atenções do autarca até final do último mandato > NUNO COUTO O presidente da câmara de Albufeira completou, em janeiro, nove anos na liderança da autarquia. Para o social-democrata Desidério Silva, este é o momento certo para recordar as obras mais importantes,queforamresumidas e entregues aos jornalistas, esta segunda-feira, num documento com cerca de 50 páginas. “Porque a memória é curta, o objetivo deste documento é mostrar o que se fez no município ao longo dos últimos anos, e demonstrar que houve mudanças significativas no concelho”, realçou o autarca, frisando que “estes nove anos de trabalho alteraram a face de Albufeira, aproximando-a dos que aqui residem,

sem deixar de procurar novos caminhos de prosperidade”. O presidente da autarquia destacou “a aposta na dinamização e valorização da nossa marca turística”, “a qualificação do espaço público” e a “ligação privilegiada com a sociedade civil”, sem esquecer as vários obras erguidas desde 2002. “Tomara muitos municípios terem o conjunto de equipamentos e infraestruturas que nós temos”, regozijou-se Desidério Silva. Mas poder-se-á especular acerca da oportunidade desta apresentação, uma vez que ainda faltam cerca de dois anos e meio até ao final do seu último mandato? A resposta do autarca é simples: “Penso que é importante fazermos, de quando em

vez, um balanço daquilo que tem sido o trabalho autárquico. Esta apresentação não é um processo de despedida. É apenas um tempo de motivação e empenho para continuarmos”, disse.

“A questão social será muito complicada no futuro” A construção de escolas e bibliotecas, a melhoria da rede de saneamento e abastecimento de água, a criação de equipamentos desportivos, os apoios sociais e a instituições de solidariedade, assim como a intervenção na entrada principal da cidade de Albufeira, são algumas das obras e projetos que o presidente da autarquia fez questão de recordar.

“Já ninguém se lembra disso, mas Albufeira era muito deficitária em termos de equipamentos, transportes públicos, acessibilidades, estacionamentos e muitas outras infraestruturas”, sublinhou. O autarca salientou ainda que Albufeira conta atualmente com uma população de 50 a 60 mil habitantes, mas chega aos 400 mil durante o verão. “Ou seja, não só tivemos a preocupação de construir bons equipamentos, como também tivemos de dimensioná-los às necessidades do município”, referiu. Emrelaçãoaospróximosanos, Desidério Silvaafirmouque“serão igualmente de exigência e empenhamento para contornar as dificuldades que se adivinham”.

Desidério Silva realça que Albufeira sofreu “mudanças significativas”

“A questão social será muito complicada no futuro”, preconiza o autarca, revelando que cada vez mais unidades hoteleiras encerram nas épocas baixas, atirando muitas pessoas de Albufeira para o desemprego. “O presente é difícil e o futuro não será nada fácil. Vamos

dar especial atenção à situação dos munícipes mais desfavorecidos. Esse será o meu compromisso até 2013”, concluiu o presidente da câmara, que gostava de ser recordado como “um autarca que se dedicou à causa, neste caso, à melhoria das condições de vida das pessoas”.

PUB.

MUNICÍPIO DE PORTIMÃO

AVISO PONDERAÇÃO DOS RESULTADOS DA DISCUSSÃO PÚBLICA DO PLANO DE PORMENOR DE ESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA ÁREA DA HORTA DO PALÁCIO - PORTIMÃO A Proposta do Plano de Pormenor da Horta do Palácio (PPHP) foi submetida a discussão pública nos termos do artigo 77.º do Decreto-Lei n.º 380/99 de 22 de Setembro, alterado e republicado pelo Decreto-Lei n.º 46/2009 de 20 de Fevereiro e com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 181/2009 de 7 de Agosto, conforme publicado no Aviso n.º 23821/2010 no Diário da República 2.ª Série. Em cumprimento do n.º 5 do artigo supracitado, ponderou-se sobre as reclamações, sugestões e pedidos de esclarecimento apresentados neste período. 1.PARTICIPAÇÃO Foi registada uma única participação subscrita por: Nuno Miguel Gerardo Nunes Abrantes Vem manifestar-se no que diz respeito “à proposta de anulação do arruamento situado a Nascente do Estádio do Portimonense, designado por Av. Zeca Afonso, bem como o desenho urbano proposto” i.“ (…) não se entende qual a razão e muito menos a necessidade para que seja anulado o troço do arruamento existente, designado por Avenida Zeca Afonso, que interliga a Avenida Miguel Bombarda à Praceta Major David Neto, estruturante e de importância estratégica na interligação entre estas áreas da cidade (…)” ii.“ (…) As alternativas dos arruamentos existentes não respondem às necessidades dos seus utilizadores, traduzindo-se apenas em circulação, engarrafamentos e perdas de tempo desnecessárias.” iii.“ (…) não se entende qual a razão da alteração do desenho urbano consolidado da Praceta Major David Neto que articula os diferentes arruamentos” iv.“ (…) não são perceptíveis quais as linhas de orientação definidas, nem a razão do seu desenho. A solução urbanística apresenta-se como estranha à cidade, uma vez que não estabelece qualquer relação com as diferentes malhas urbanas existentes, resultando num corte entre as mesmas. Seria de ponderar uma solução urbanística que tenha em atenção o lugar e privilegie uma adequada integração e inserção em toda a envolvente.” v.“ A ser construído como proposto teremos como resultado mais um espaço descaracterizado na cidade, não se percebendo o seu desenho urbano ou a falta do mesmo.” PONDERAÇÃO Relativamente à participação há a salientar que não se invocam quaisquer desconformidades legais e/ou regulamentares, ou incompatibilidades com quaisquer outros instrumentos de gestão territorial eficazes, consistindo assim basicamente em considerações de carácter subjectivo sobre a fundamentação da proposta de Plano, cuja apreciação é efectuada pela Câmara Municipal no exercício dos seus poderes de planeamento e ordenamento. Cumpre referir, em primeiro lugar e em geral, que o Relatório do Plano contém a fundamentação técnica adequada e suficiente sobre os dois aspectos a que alude a participação, encontrando-se o desenho urbano proposto fundamentado, quer nas potencialidades e condicionantes da área de intervenção, quer num modelo de descompressão urbanística e de criação de amplas áreas verdes públicas. Ainda assim, relativamente à questão do encerramento da Av. Zeca Afonso, importa referir que esta está não só devidamente sustentado no Estudo de Tráfego apresentado como também faz parte da intenção expressa no Plano da criação de um amplo espaço verde que ficaria comprometido pela manutenção do tráfego automóvel, optando assim por restringir o seu acesso a veículos de emergência e assumir um novo conceito de rua pedonal. Esta opção traduz-se num acréscimo inequívoco na qualidade de vivência daquele espaço, privilegiando a utilização livre, o recreio e o usufruto do espaço público por parte do utilizador em condições de segurança. As alterações de tráfego em causa motivaram inclusivamente o alargamento da área de intervenção do Estudo de Tráfego para garantir a integração harmoniosa das opções de circu-

lação, quer automóvel como também pedonal. No que diz respeito às dúvidas levantadas quanto ao desenho urbano proposto, as opções do Plano estão claramente assumidas no seu Relatório e fazem parte de uma estratégia de criar um novo conceito de centralidade com características diferenciadoras, precisamente porque o ponto de partida deste Plano é um conjunto de tecidos urbanos desordenados, desconexos e desregrados, onde se torna impossível descobrir qualquer linha orientadora de desenho urbano coerente. Inclusivamente, a reduzida escala deste Plano – aprox. 10 ha – dificulta a obtenção de uma solução que integre harmoniosamente todas as malhas urbanas desta envolvente do centro da cidade que carecem de articulação e completude. Assim, muito para além da articulação daquelas malhas urbanas numa estrutura coerente, o Plano visa sobretudo um modelo urbanístico que assenta na revitalização do centro da cidade em que são privilegiadas a desconcentração da carga construtiva, a fruição pedonal do espaço público, a libertação amplos espaços verdes convergentes à superfície, a criação de um pólo de serviços e lazer à escala do município que integra os vários equipamentos públicos existentes na envolvente próxima, e ainda a anulação da carência de estacionamento público. 2.CONCERTAÇÃO COM CCDR ALGARVE No decorrer do período da Discussão Pública teve lugar na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, no dia 30 de Novembro de 2010, uma reunião de apresentação das reformulações efectuadas sobre a versão do Plano sujeita a Conferência de Serviços, com base numa ponderação dos pareceres de todas as entidades que foram convocadas nesse âmbito. Analisada toda a ponderação, foi efectuada uma reformulação adicional por sugestão da CCDR Algarve, para demonstrar a conformidade com RGEU no que diz respeito à implantação dos edifícios, tendo sido criado para o efeito um polígono de implantação com o n.º máximo de pisos admitidos, no respectivo lote. Nota-se que os elementos submetidos a discussão pública, foram oportunamente reformulados, na sequência da ponderação dispensada pela Câmara Municipal de Portimão, aos pareceres das diversas entidades convocadas para a Conferência de Serviços, tendo sido alterados os elementos que constituem o Plano, e ao nível da fundamentação, os elementos de acompanhamento, em especial, o Relatório e o Programa de Execução. 3.OUTRAS REFORMULAÇÕES a)Após ponderação da equipa técnica do Plano sobre a distribuição da capacidade construtiva atribuída ao Município de Portimão, optou-se por diminuir essa capacidade admitida no Lote 07, migrando 529.90 m2 de área de construção para o Lote 08. b)Esta opção não produzirá qualquer efeito na perequação inerente à execução do Plano, visando apenas um maior equilíbrio da carga construtiva, tendo em conta que a edificação pensada para o Lote 07 – A Loja do Cidadão – nunca consumirá com certeza uma área de construção superior a 2000 m2. 4.CONCLUSÕES a)Em face da ponderação dispensada às participações apresentada no período de discussão pública do PPEUAHP e considerando que das Sessões públicas de esclarecimento realizadas não resultaram participações, a reformulação da proposta do Plano, cingiu-se aos aspectos acima mencionados. b)Reformulada a proposta de Plano submetida a discussão pública, encontra-se elaborada a versão final para efeitos de aprovação, de acordo com o n.º 8 do artigo 77.º, e o n.º 1 do artigo 79.º do RJIGT. A Câmara Municipal de Portimão irá proceder à divulgação pública do presente Relatório, nos termos do referido n.º 8 do artigo 77.º do RJIGT. Portimão, aos 20 dias do mês de Janeiro de 2011. O Presidente da Câmara Municipal de Portimão Manuel António da Luz, Lic. (Jornal do Algarve, 3/2/2011)


L

OCAL

[13]

3 I fevereiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

AUTARQUIA E CGD QUEREM ENCONTRAR UMA SOLUÇÃO URGENTE PARA REABRIR ESPAÇOS

Luta contra o tempo para salvar Museu da Cortiça e Fábrica do Inglês Fechados há cerca de nove meses devido à falência da Alicoop, o Museu da Cortiça e a Fábrica do Inglês – dois espaços emblemáticos de Silves e do Algarve - podem ainda reabrir este ano. Numa reunião entre a câmara de Silves, a Caixa Geral de Depósitos e entidades regionais ligadas à cultura e turismo, o banco credor do grupo Alicoop prometeu arranjar apoios para o museu. Antes de fechar as portas, o espaço era visitado por mais de 90 mil pessoas anualmente > NUNO COUTO “Apesar de já ter encerrado em maio de 2010, ainda hoje continuam a chegar autocarros com milhares de pessoas que desejam visitar a Fábrica do Inglês e o Museu da Cortiça”, revela ao JA a presidente da autarquia, afirmando que os visitantes ficam muito dececionados quando se apercebem que as portas estão fechadas. Isabel Soares confessa que lhe dói o coração ao ver estes espaços encerrados, uma vez que “fazem parte da história do concelho e da região algarvia, além de constituírem um património único no sul de Portugal”. Cerca de nove meses depois do encerramento do Museu da Cortiça, a autarca realça que já se sentem alguns efeitos negativos no concelho.

“Foi uma perda enorme para Silves. Até os operadores turísticos dizem que agora têm mais dificuldade para vender o destino, uma vez que o museu e a fábrica eram duas das maiores atrações do município”, refere Isabel Soares. O museu, que encerrou oficialmente no dia 18 de maio – Dia Internacional dos Museus – registou nos últimos três anos de funcionamento uma média de 90 mil visitantes anuais. Para além de um conjunto de máquinas e outros equipamentos, o Museu da Cortiça reúne um importante espólio documental, que remonta a 1870, sendo considerado um dos mais importantes museus do mundo nesta área. O edifício do museu está incluído no empreendimento da Fábrica do Inglês, que ainda é composto por espaços de

restauração e de espetáculos, tendo já sido um dos principais palcos de animação turística da região. Hoje, as portas estão fechadas e os edifícios e jardins estão a degradar-se a cada dia que passa...!

Apoios procuram-se! Para tentar encontrar uma solução para este problema, a presidente da câmara de Silves esteve reunida em Lisboa, na semana passada, com a Caixa Geral de Depósitos (CGD), que é um dos principais credores do grupo Alicoop, bem como com responsáveis regionais da cultura e do turismo. Em declarações ao JA após esta reunião, Isabel Soares revelou que a CGD mostrou “uma boa abertura” para resolver a situação do Museu da Cortiça e da Fábrica do Inglês, sendo que todas as entidades que participaram no encontro

O Museu da Cortiça está inserido na Fábrica do Inglês, que também já foi um importante empreendimento de animação turística

manifestaram o seu empenhamento para encontrar apoios para salvar os dois espaços. “Pedimos ainda uma reunião com o presidente do Turismo de Portugal para debater este assunto, que queremos ver resolvido com o máximo de urgência”, adiantou a autarca, sem querer comprometer-se com um prazo de reabertura. A presidente da câmara de Silves reconhece que “não é fácil manter em funcionamen-

to todo o ano dois espaços com estas características”, uma vez que envolvem “custos muito elevados”, nomeadamente ao nível de água e eletricidade. Assim, a solução poderá passar por encontrar parceiros e mecenas privados que ajudem a salvar o Museu da Cortiça de Silves. Recorde-se que, logo após o encerramento destes equipamentos, o secretário de Estado da Cultura disse que a solu-

ção para o museu “passa muito por sinergias locais” e pelo “empenho da câmara de Silves e dos próprios proprietários”. O Museu da Cortiça foi inaugurado em 1999, graças a um investimento de quase 12,5 milhões de euros de empresários locais, e foi distinguido pelo Fórum Museológico Europeu com o Prémio Micheletti para Melhor Museu Industrial da Europa de 2001, ano em que recebeu mais de 100 mil visitantes.

ISABEL SOARES E OPOSIÇÃO PODEM ESTAR À BEIRA DE ACORDO APESAR DA TROCA DE ACUSAÇÕES

Chumbo do orçamento põe em causa apoios em Silves A tripla reprovação do orçamento da câmara de Silves para 2011 põe em causa o apoio a instituições, juntas de freguesia e bombeiros, entre outros serviços básicos e projetos. “A situação é muito grave”, diz ao JA a presidente Isabel Soares. A oposição, que reconhece a gravidade das consequências do chumbo do orçamento, adianta que está a aguardar “o tempo oportuno” para viabilizar o documento > NUNO COUTO A oposição, em maioria em Silves (três vereadores socialistas e uma vereadora da CDU), já rejeitaram três propostas de orçamento para 2011. Em declarações esta semana ao JA, a presidente da autarquia, Isabel Soares, garante que já fez “todas as cedências possíveis” para que PS e CDU viabilizassem o orçamento, e avisa que quem sairá mais prejudicado desta situação será a população do concelho. “Esta posição incompreensível e irresponsável por parte da oposição coloca em risco o normal funcionamento das associações, juntas de freguesia e bombeiros”, frisa a autarca social-democrata, não escondendo

que mais desemprego e menos apoio social podem ser a pior consequência deste impasse político em Silves. A reprovação do orçamento pode ainda colocar em risco o pagamento a fornecedores, o apoio a instituições de solidariedade e a realização de vários projetos no concelho. Eventos como a Feira de Saldos, a Ópera, a feira Ruralidades ou o Festival de Jazz também correm o risco de não se realizar, devido ao corte nas atividades promovidas pela câmara de Silves. “É uma atitude que terá consequências graves para as populações”, afirma Isabel Soares, não colocando de parte para breve mais uma ronda de conversações com a oposição camarária para chegar a um acordo.

“Esperemos que o bom senso impere desta vez para chegarmos a um consenso”, refere, sublinhando que “os principais prejudicados com a não aprovação do orçamento são os munícipes”. “Uns perderão o emprego, outros poderão ter um menor papel no apoio social, cultural e desportivo, e outros, ainda, não conseguirão servir as populações que livremente os elegeram”, dramatiza a autarca.

Executivo e oposição não se entendem A presidente da câmara de Silves frisa ainda que a última proposta do orçamento para 2011 tinha em linha de conta “as preocupações manifestadas pelos vereadores da oposição”,

mas o maior partido da oposição em Silves continua a responsabilizar a presidente da câmara pela rejeição do orçamento. Na semana passada, os socialistas justificaram os sucessivos chumbos com a “falta de transparência e rigor” do documento, bem como “falta de diálogo”. Ainda assim, o PS de Silves anunciou que vai apresentar, “em tempo oportuno”, um requerimento para a convocação de uma reunião extraordinária da câmara para “discutir e viabilizar o orçamento para 2011”. O objetivo, adiantam os socialistas, não é “dar o braço a torcer”, mas “assegurar o normal funcionamento da autarquia” e “evidenciar o quanto o executivo do PSD desprezam as di-

ficuldades sentidas pelos munícipes e desvalorizam os interesses do concelho”. A população do concelho fica, assim, a aguardar pelas cenas dos próximos episódios desta novela política...


S

OCIEDADE

[14]

3 I fevereiro I 2011

APOIOS MAIS REDUZIDOS E EXCLUSÃO DE 30 POR CENTO DOS BOLSEIROS

Estudantes da UAlg contra cortes nas bolsas de estudo

A Associação Académica da Universidade do Algarve (AAUALG) está a envidar esforços para encontrar soluções e alertar as entidades competentes sobre 30 por cento de alunos que podem perder as bolsas de estudo em virtude das novas regras. No caso dos alunos que continuam a ter direito à bolsa de estudo, a diminuição da verba transferida deverá rondar os 15 e os 20 por cento. Para o efeito, além da reunião com caráter urgente com o administrador dos Serviços de Ação Social da Universidade do Algarve (UAlg), os dirigentes da associação reuniram-se na passada terça-feira com o secretário de Estado do Ensino Superior, Manuel Heitor. “Consideramos toda a situação em redor da atribuição das bolsas de estudo incompreensível. Começando pelas alterações na atribuição, que prejudicam em grande medida os estudantes e que avançaram sem planeamento, sem definição, nem avaliação das consequências”, sublinha a AAUALG. Os documentos que foram elaborados face às alterações definidas não são claros e os estudantes registam com desagrado a demora na disponibilização da plataforma da Direção Geral do Ensino Superior (DGES) para a candidatura às bolsas de estudo. A plataforma só esteve disponível a partir do passado mês de dezembro, tendo implicado um “atraso considerável na atribuição das bolsas”, afirma a AAUALG em comunicado. Outro dos temas que está em cima da mesa e que a AAUALG pretende esclarecida é a questão da devolução de bolsas já transferidas para os estudantes. “Consideramos, toda a situação, um atentado ao estado social, que irá acentuar ainda mais as dificuldades económicas dos agregados familiares dos estudantes da UAlg e poderá pôr em causa o futuro de muitos estudantes no ensino superior”, sustenta a Associação Académica. PUB.

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

IPJ propõe aventura cultural e desportiva em monumentos algarvios “Uma aventura radical nos monumentos a sul de Portugal” é o nome do programa de atividades que a Direção Regional do Algarve do Instituto Português da Juventude está a impulsionar este mês. O projeto conta com a colaboração da Direção Regional do Algarve do Instituto do Desporto e a Direção Regional de Cultura do Algarve e foi desenvolvido no âmbito das comemorações do Ano Internacional da Juventude. Durante este ano, cada mês vai ter um programa definido com base em temas diversos, sendo a Cultura o tema inspirador para o mês de fevereiro. Os monumentos algarvios vão ser os pontos de encontro deste programa que arranca já no dia 5, pelas 14h30, no Castelo de Paderne. Trata-se de uma iniciativa que conta com a colaboração da associação Apoio à Pessoa Excecional do Algarve (APEXA) com o projeto Xkolha-Xkola. Nos dias 12 e 13, as aten-

O programa arranca dia 5 com ponto de encontro no Castelo de Paderne

ções viram-se para a Fortaleza de Sagres onde se realizará um acampamento de Escuteiros da AEP, CNE e de Guias do AGP. Para estes dias estão previstas várias atividades mas a população em geral é convidada a assistir ao Fogo de Conselho que se realiza às 21h30. O Castelo de Aljezur acolhe uma aventura radical no dia 19. Entre as 13h30 e as 17h30, os jovens participantes vão ser convidados a participar na

atividade “Os tesouros do Castelo de Aljezur”, iniciativa que será dinamizada pela Associação Tertúlia – Associação Sociocultural de Aljezur. Para Castro Marim, o desafio está mais relacionado com o Desporto ou não estivesse programada uma marcha-corrida. De acordo com as informações divulgadas, esta é uma marcha inserida no calendário regional de marcha do Algarve 2011/2012 e terá três percur-

sos. Um destes percursos inclui a passagem pelo Castelo de Castro Marim onde se realizarão jogos tradicionais. Além dos parceiros já referidos esta iniciativa conta ainda com a colaboração da Direção Regional de Educação do Algarve, do Governo Civil de Faro, das autarquias de Castro Marim, Vila do Bispo, Aljezur e Albufeira assim como de associações locais de desporto, juventude e cultura.

Melhores alunos do secundário habilitam-se a Inter-Rail A Direção Regional da Educação do Algarve assinou um protocolo de colaboração com a Movijovem, entidade gestora das Pousadas de Juventude e do Cartão Jovem no passado dia 25. Este protocolo visa promover a mobilidade juvenil dos melhores alunos e vantagens para as escolas. De acordo com as informações divulgadas, este acordo dá especial enfoque ao programa Escola em Viagem e a atribuição de um prémio anual a atribuir aos cinco melhores alunos do 12º. ano de escolaridade que frequentam as es-

colas algarvias. “No âmbito das políticas de promoção e apoio à população juvenil e de modo a premiar os jovens que se distingam pelo seu mérito académico, cada um dos cinco melhores alunos é contemplado com um Inter-Rail Xcape – passe de mobilidade em comboio com alojamento em Pousadas de Juventude”, explicam os responsáveis. O prémio será atribuído no final de cada ano letivo numa cerimónia específica que contará com a presença do diretor regional da educação do Algarve e o presidente da Movijovem.

ESTUDO SOBRE CONSUMIDOR VERDE PORTUGUÊS DE CAROLINA AFONSO DESTACA-SE

Algarvia distinguida na área do marketing A autora do livro "Green Target – As novas tendências do Marketing", Carolina Afonso, foi distinguida na passada semana com o prémio Melhor Estudante da UTL/Santander Totta 2010. O prémio atribuído a esta jovem algarvia foi justificado pelo seu percurso académico tendo sido sublinhadas as vertentes científicas, académica, cultural e cívica. Na base deste prémio esteve o estudo realizado por Carolina Afonso no âmbito do mestrado em Marketing no Instituto Superior de Economias e Gestão (ISEG), em Lisboa. O estudo intitula-se: “O consumidor verde português: perfil e comportamento de compra”. Trata-se de um trabalho em que aborda a temática do marketing verde e tenta contribuir para uma melhor compreensão das novas tendências do marketing que envolvem o consumo de produtos verdes e também o desenvolvimento de estratégias de marketing mais adequadas para atingir estes novos segmentos de mercado.


3 I fevereiro I 2011

D

www.jornaldoalgarve.pt

ESPOR TO [15] ESPORTO

CICLISMO: VOLTA AO ALGARVE REALIZA-SE DE 16 A 20 DE FEVEREIRO

Todas as estrelas do ciclismo mundial querem correr no Algarve A edição deste ano começa no Estádio Algarve e termina em Portimão. Rogério Teixeira garante que todas as formações Pro Tour quiseram inscrever-se, mas a organização optou apenas por 12 devido a condicionalismos de ordem financeira > LUÍS SANTOS A 37.ª edição da Volta ao Algarve em Bicicleta, que estará na estrada entre 16 e 20 de fevereiro, foi apresentada oficialmente em Faro, esta segunda-feira. Trata-se da primeira corrida por etapas do calendário nacional e terá um total de 710 quilómetros, divididos por cinco etapas. A edição deste ano resumese a três etapas com chegada previsível ao sprint, uma de média montanha com chegada ao alto do Malhão e o habitual contra relógio Lagoa/Portimão, que fechará a Volta. Estão inscritas 20 equipas, das quais 12 Pro-Tour (Ag2R, Astana, Quick Step, HTCHigroad, RadioShack, Luxembourg ProCycling, Omega

Pharma-Lotto, Rabobank, Vacansoleil, Team Sky, Saxo Bank-Sungard e GarminCervelo), quatro continentais profissionais (Topsport Vlaanderen-Mercator, United Healthcare, Cofidis e Caja Rural), bem como as quatro formações nacionais (BarbotEfapel, Tavira-Prio, LA-Antarte e Onda-Boavista). Segundo Rogério Teixeira, presidente da Associação de Ciclismo do Algarve, entidade que organiza a prova, todas as equipas Pro Tour (as mais cotadas a nível mundial) solicitaram a sua presença na Volta ao Algarve. Porém, a organização teve que selecionar apenas algumas, já que inclui-las todas obrigaria a que a corrida passasse para o escalão HC (o principal da União Ciclista Internacional).

“Teríamos que duplicar o valor dos prémios, que já atinge os 60 mil euros, e isso seria incomportável”, explicou o dirigente. Rogério Teixeira lamentou igualmente que o Poder Central continue a ignorar a dimensão mundial desta corrida que, de acordo com o dirigente, “merecia uma cobertura televisiva em directo”. Para já, está apenas confirmada a transmissão de resumos diários na Eurosport, nos três primeiros dias às 22h00, bem como sábado e domingo às 21h30. O Crédito Agrícola continua a ser o principal patrocinador da prova e esteve representado na cerimónia por João Barrote e por Pedro Nascimento, tendo ambos referido que, apesar das dificuldades

BASQUETEBOL

Imortal é campeão de sub-16 O Imortal sagrou-se campeão regional de basquetebol no escalão de sub-16 masculinos e irá disputar o Campeonato Nacional, pelo segundo ano consecutivo, em representação da Associação de Basquetebol do Algarve. Os pupilos de Amândio Amorim venceram os três jogos da fase final disputada no Pavilhão do Ginásio Clube Olhanense, em Olhão, dando sequência ao favoritismo conseguido na primeira fase da prova (16 vitórias noutros tantos jogos). No derradeiro jogo e perante um pavilhão lotado e a vibrar com o espectáculo da-

do pelas duas equipas, a formação de Albufeira só conseguiu distanciar-se do Portimonense na parte final do jogo, ganhando 78-74. No jo-

Vila Real de Santo António

rádio guadiana A onda continua! Telefone 281 512 337 / 917 843 534 - Fax 281 512 338 www.radioguadianafm.com - admin@radioguadianafm.com

go de atribuição do 3.º e 4.º lugares, o Juventude BC venceu o CB Quarteira "Tubarões” (77-52), garantindo deste modo a vaga na Taça Nacional juntamente com o Portimonense. O “5 Ideal” desta fase final foi composto por Bernardo Firme, Diogo Amorim e Miguel Gomes (do Imortal), João Nunes e Ismael Djaló (do Portimonense). Bernardo Firme (Imortal), foi considerado o melhor jogador. O.F.

por que passa o país não podiam virar as costas à Volta ao Algarve. Alberto Contador continua inscrito, mas tudo indica que não irá marcar presença. Garantidos estão os quatro ciclista portugueses da Radio-

Shack (Manuel Cardoso, Nélson Oliveira, Sérgio Paulinho e Tiago Machado). Destaque ainda para Juan Jose Haedo (Saxo Bank), Roman Kreuziger (Astana), Sylvain Chavanel (Quick Step), André Greipel e Philippe Gilbert (ambos da

Omega Pharma-Lotto), Bruno Pires (Luxembourg Pro Cycling), Luis León Sanchez (Rabobank), entre outros. Está ainda em cima da mesa um pedido da equipa polaca Polsat, onde milita José Mendes.

Etapas 1.ª etapa (16 fevereiro): Estádio Algarve (11h00)/Albufeira (14h45), 157,5 km. 2.ª etapa (17 fevereiro): Lagoa (11h00)/Lagos (15h26), 186,5 km. 3.ª etapa (18 fevereiro): Tavira (11h00)/Alto do Malhão (14h59), 179,2 km 4.ª etapa (19 fevereiro): Albufeira (11h00)/Tavira (14h59), 167,3 km. 5.ª etapa (20 fevereiro): Lagoa/Portimão (CR de 17,2 km, partida do primeiro ciclista às 12h00)

FUTEBOL

João Reis a caminho do Inter A imprensa italiana já assegurou que o Inter de Milão vai contratar o jovem João Reis, avançado de 18 anos que joga no Louletano. O jogador esteve a treinar à experiência na equipa italiana durante o mês de janeiro mas, em declarações à Radio Renascença, o presidente do clube algarvio, Toni do Adro, disse que “existem alguns clubes interessados” e que “só agora é que vão começar as negociações”. Os jornais italianos, que consideram João Reis o novo Figo, já dão como certa a contratação do jogador pelo Inter, acrescentando que faltará acertar apenas alguns pormenores para efetivar a transferência. Chelsea, Benfica e FC Porto são outros clubes apontados como estando na corrida para garantir a contratação do jogador que, apesar de ainda ser júnior, tem vindo a representar a equipa sénior do Louletano na 2.ª Divisão portuguesa.

João Reis prepara-se para dar o salto do Louletano para o Inter de Milão


D

3 I fevereiro I 2011

ESPORTO

[16]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

Paraquedismo movimenta céus de Portimão Os melhores paraquedistas da atualidade vão "pintar" os céus algarvios, durante o mês de fevereiro, com a realização de três provas. A primeira realiza-se já neste fim de semana, com centenas de "surfistas" a disputar uma competição em queda livre a mais de 300 km/h! > NUNO COUTO O aeródromo municipal de Portimão volta a receber este mês a Taça de Portugal em Paraquedismo, uma competição desportiva que engloba três modalidades (skysurf, saltos em voo e formação quatro). Pelos céus do concelho vão voar os melhores atletas da atualidade, em provas que são disputadas a quatro mil metros de altitude e que envolvem manobras arriscadas a mais de trezentos quilómetros por hora! O skysurf tem lugar já nos

próximos dias 5 e 6, com início no sábado, a partir das 10h30, sendo a entrada livre para o público, que, para além de assistir às aterragens dos atletas, poderá ainda ver as coreografias efetuadas pelas equipas através de um ecrã gigante montado especialmente para esse efeito, no aeródromo municipal de Portimão. No skysurf, as equipas são constituídas por dois elementos: o skysurfer, que salta do avião com uma prancha presa aos pés e efetua as várias manobras que compõem as coreografias – algumas das

coreografia que os atletas efetuam em cada salto, através das imagens captadas pelo cameraflyer. Os juízes seguem quatro critérios: execução, dificuldade, expressão artística e desempenho do cameraflyer.

"Surfistas dos céus"

Os “surfistas dos céus” vão realizar coreografias em Portimão a mais de 300 km/h

quais a mais de 300 quilómetros por hora – e o cameraflyer, que salta com uma câmara

montada num capacete específico para filmar toda a coreografia, executada em plena

queda livre a partir dos 4.200 metros de altitude. A prova é pontuada pela

Depois da realização este fim de semana da prova de skysurf, a Taça de Portugal em Paraquedismo continua mais tarde no aeródromo municipal de Portimão com outras modalidades, nomeadamente os saltos em formação de quatro (VF4), dias 12 e 13, e os saltos em voo (freefly), a 19 e 20 de fevereiro. A organização, que conta com o apoio da autarquia portimonense, espera a comparência de um número elevado de pessoas para assistirem a este espetáculo proporcionado pelos “surfistas dos céus”.

MOTOCICLISMO: TESTES SUPERBIKE E SUPERSPORT

Smrz e Lowes foram os mais rápidos em Portimão O algarvio Miguel Praia conseguiu o 10.º melhor tempo da categoria de Supersport Jakub Smrz (Ducati 1098R) e Sam Lowes (Honda CBR 600 RR), este último da equipa algarvia Parkalgar Honda, foram os mais rápidos das Superbike e das Supersport, respetivamente, após os três

dias de testes oficiais dos respetivos campeonatos, que decorreram na última semana no Autódromo Internacional do Algarve. Os testes foram marcados por alguma instabilidade

PUB

Hairdresser Cabeleireiro Coiffeur Frisseur Especialistas em COR hora espanhola Seg a Sex 10h00 a 19h00 Sábado 10h00 a 14h00

Tinta + Corte + Penteado 38¤ Corte + Penteado 19¤

10.º tempo da tabela. O algarvio esteve em bom plano nos testes à chuva, porém nunca conseguiu tirar partido da sua máquina com o piso meio seco. Nas Superbike foi Jakub Smrz (Ducati 1098R) que se impôs fazendo o melhor tempo, 1.43.503, seguido de Jonathan Rea (Honda CBR 1000RR), com 1.43.676, e do ex-piloto da Parkalgar Eugene Laverty (Yamaha YZF R6), com 1.43.707. Maxime Berger (Ducati 1098R) foi o piloto que mais tempo esteve em pista efectuando 126 voltas porém sem resultados expressivos em termos de tabela, pois não foi além da 14.ª posição. O actual campeão em título, Max Biaggi (Aprilia RSV4), foi o sexto mais rápido. O italiano só esteve um dia em pista, optando por os restantes dias ficar na garagem devido à instabilidade meteorológica. Os resultados destes três dias são o primeiro indicador da competitividade de cada um dos pilotos e dão uma ligeira indicação daqueles que

Sam Lowes (Parkalgar Honda) deixou boas indicações para a nova temporada

poderão ser os protagonistas da temporada 2011. O campeonato arranca a 27 de feverei-

ro, na Austrália, e visita o circuito de Portimão na última ronda, a 16 de outubro.

%

AP

RE

S

15

SE

Rua Cristobal Colon 5. Ayamonte Telf.: 0034 959 471 623 Quieres trabajar con nosotros? Envianos tu curriculum.

T EN DE ER TAR E SC Á STE AN O N ÚN TO CI O

Falamos português We speak english

meteorológica que nem sempre permitiu aos pilotos estar em pista o tempo desejado. Porém, e tendo em conta que a última ronda de 2011 acontece no circuito algarvio, todas as equipas procuraram recolher o maior número de informação possível ao mesmo tempo que preparavam o arranque da temporada que acontece a 27 de fevereiro, em Phillip Island, na Austrália. Nas Supersport, destaque para a equipa algarvia da Parkalgar Honda que viu o seu recém recruta ascender ao topo da tabela. Sam Lowes, apesar de estreante no campeonato, não deu tréguas aos seus adversários e impôs-se desde o início, tendo sido o mais rápido com o tempo de 1.43.503. No segundo posto ficou o espanhol David Salom (Kawasaki ZX-6R) com 1.45.931 seguido de Broc Parkes (Kawasaki ZX-6R) com 1.46.316. O único português a militar neste Campeonato, o algarvio Miguel Praia (Honda CBR 600RR), também da Parkalgar Honda, ficou com o

O JORNAL DO ALGARVE APOIA O DESPORTO


D

3 I fevereiro I 2011

[17]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

2.ª DIVISÃO 2.ª DIVISÃO 2.ª DIVISÃO 2.ª DIVISÃO

3.ª DIVISÃO 3.ª DIVISÃO

Farense regressa às vitórias

Farense num lance de perigo junto à baliza do Madalena

Golo: Zambujo (75'). Disciplina: Cartão amarelo a Caniggia (42'), Bilro (44'),

Reinho (52'), Joshua (59'), David Justo (71') e Pedro Pereira (73').

OPERÁRIO 1 Local: Campo João G.G. Arruda (Lagoa, S. Miguel) Árbitro: Pedro Vilaça (Porto). Operário: Tiago; Soares, Grilo, Kay, Jorginho, Ruizinho,

Byro, Rodrigo (Jossi, 61'), Lucas (José Luís (72'), Amaral e Vida. Treinador: Francisco Agatão. Louletano: Kula; Rafael,

LOULETANO 0

Cordeiro, Fausto, Dante, Fábio Teixeira (Gary, int.), Koke (Nicola, 56'), Alberto, Eugénio, Fábio Marques (Romício, 65') e Ben. Treinador: Paulo Renato.

LAGOA 0 Local: Estádio Municipal da Bela Vista (Parchal). Árbitro: Tiago Martins (Lisboa). Lagoa: Ricardo; Janita, Ivo Nicolau, Flávio Dias, João Vítor

(Dieng, 58'), Márcio, Candeias (David Rosa, 52'), Boiças, Atabu, Codó (Júlio, 73') e Mauro. Treinador: Luís Coelho. Reguengos: Dani; Canelas,

O Farense regressou às vitórias (não ganhava desde a segunda jornada)e conseguiu o segundo triunfo da temporada, o primeiro da era João de Deus. Barão teve um remate ao poste ainda na primeira parte, mas seria a equipa açoreana a dispor de mais ocasiões de golo na primeira metade. Na segunda parte o jogo foi mais repartido e Zambujo conseguiria o golo da formação algarvia, após cruzamento de David Justo. Esta vitória, conseguida perante uma equipa da parte alta da tabela, e a excelente atitude dos jogadores do Farense, deixaram boas indicações para o futuro.

Ao intervalo: 1-0. Golo: Grilo (16'). Disciplina: Cartão amarelo a F. Teixeira, Kay, Alberto, Ruizinho, Eugénio, Jorginho e Dante.

ATL. REGUENGOS 1

Abreu, Oumar, Barona, Monzelo, Ruben (João Vieira, 81'), Seidi, Rui Sousa (Loukima, 64'), Alberto (Vasco, 53') e Barry. Treinador: Jorge Vicente.

A o int er inter ervv alo alo: 0-0. Golo: Barry (48'). Disciplina: Cartão amarelo a Márcio, Monzelo, Ruben, Ivo, Janita, Barona, Oumar, Loukima e Vasco.

Armindo Vicente

Local: Estádio S. Luís (Faro). Árbitro: Rui Rodrigues (Lisboa). Farense: Serrão; Caniggia, Mamadou, Tiago Sousa, Joshua, Barão (David Justo, 68'), Calado (Luís Afonso, 64'), Bilro, Bruno Carvalho, Adérito (Bruno Martins, 68') e Zambujo. Treinador: João de Deus. Madalena: Igor; Alberto, Gilson, Samiro, Reinho, Beto, Pedro Pereira (Frazão, 68'), Lapa (Demba, 65'), João Paulo, Sabri (Saianda, 68') e Tavares. Treinador: Vítor Móia. Ao intervalo: 0-0.

MADALENA 0

José Luís Silva

FARENSE 1

Reviravolta em dois minutos MESSINENSE 2 ESP. LAGOS 3 Local: Campo Municipal de Salir. Árbitro: Ivo Santos (Algarve). Messinense:Leandro;Piçarra,Libânio,Nuninho(Bruno,58’),Matthew,Cabeleira,Patrick(MarcoBenje,70’),Ismael,Sustelo(Bentinho,80’),VitinhaeNorberto. Treinador: Luís Dores. Esperança de Lagos: Diogo Santos; Pedro Alexandre, Edson, Balizas, André Lourenço, Hernâni (Hugo Batista, 66’), Nélson, Bruno Gonzalez (Ângelo, 86’), Alex, Afton e Marocas (Totoia, 75’). Treinador: Paulo Nunes. Ao intervalo:1-1. Golos: Norberto (23’, g.p.), Balizas (32’), Cabeleira (55’), Nélson (63’) e Marocas (65’). Disciplina: Cartão amarelo a Balizas (23’), Pedro Alexandre (75’), Alex (84’), Bruno (90+2') e Diogo Santos (90+3’). O Esperança de Lagos triunfou no “derbi” algarvio disputado em Salir (casa emprestada do Messinense), embora tenha estado em desvantagem por duas vezes. Norberto colocou o Messinense em vantagem, aos 23 minutos e na transformação de uma grande penalidade, depois do Esperança ter desperdiçado um punhado de boas ocasiões para se colocar em vantagem. Mas os lacobrigenses reagiram e o central Balizas restabeleceu a igualdade antes do intervalo. O Messinense entrou muito bem na segunda parte e Cabeleira voltou a colocar os locais em vantagem, quando estavam decorridos apenas dez minutos. Porém, o Esperança de Lagos teve uma pronta reação e, pouco depois, deu a volta ao resultado em apenas dois minutos, com golos de Nélson, na transformação de um livre direto, e de Marocas. O Messinense ainda tentou retificar, mas o esforço revelou-se infrutífero face à boa organização defensiva da equipa de Paulo Nunes.

NACIONAIS JUNIORES

SÉNIORES I LIGA

2.ª DIVISÃO - ZONA SUL

Resultados da 17.ª Jornada P. Ferreira 1 U.Leiria OLHANENSE 2 Académica Sp. Braga 2 V.Setúbal RioAve 2 V.Guimarães Beira-Mar 0 FC Porto Naval 1 PORTIM. Benfica 4 Nacional Marítimo 0 Sporting CLASSIFICAÇÃO J FC Porto 17 Benfica 17 Sporting 17 V.Guimarães 17 U.Leiria 17 Nacional 17 Sp. Braga 17 Beira-Mar 17 OLHANENSE 17 P. Ferreira 17 Académica 17 Maríimo 17 V.Setúbal 17 RioAve 17 PORTIM. 17 Naval 17 Próxima 18.ª FC Porto V.Guimarães Marítimo PORTIMON. Sporting Académica U.Leiria V.Setúbal

V 15 13 9 8 7 7 7 5 5 4 5 4 4 3 2 2

E 2 0 4 4 4 4 3 8 7 8 4 7 5 5 4 3

D 0 4 4 5 6 6 7 4 5 5 8 6 8 9 11 12

M 40 35 27 24 18 17 31 20 14 16 21 18 16 17 17 11

S 7 16 17 21 21 19 23 19 15 21 28 19 26 25 33 32

1 1 2 3 1 1 2 3

Resultados da 17.ª Jornada Praiense 1 Atlético Carregado 2 Casa Pia Pinhalnov. 2 Mafra LAGOA 0 Reguengos Operário 1 LOULETANO FARENSE 1 Madalena Torreense 1 Real Oriental 0 Juv.Évora

3 1 4 1 0 0 0 0

P 47 39 31 28 25 25 24 23 22 20 19 19 17 14 10 9

CLASSIFICAÇÃO J Atlético 17 Mafra 17 Torreense 17 Operário 17 Madalena 17 Pinhalnov. 17 Reguengos 17 Juv.Evora 17 Carregado 17 Oriental 17 LOULETANO 17 Casa Pia 17 FARENSE 17 Real 17 LAGOA 17 Praiense 17

P 39 33 33 30 29 26 25 25 22 22 22 16 15 12 12 8

(6 fev.) RioAve Nacional Sp. Braga P. Ferreira Naval Beira-Mar OLHANENSE Benfica

Próxima 18.ª Casa Pia Mafra Reguengos LOULETANO Madalena Real Juv.Evora Oriental

V 11 9 10 8 9 7 8 6 6 5 5 4 2 3 3 1

E 6 6 3 6 2 5 1 7 4 7 7 4 9 3 3 5

D 0 2 4 3 6 5 8 4 7 5 5 9 6 11 11 11

Atlético Carregado Pinhalnov. LAGOA Operário FARENSE Torreense Praiense

M 28 32 21 27 20 20 22 16 24 20 19 20 14 12 11 11

S 10 24 12 22 14 19 22 13 25 22 19 28 21 21 18 27

1ª DIVISÃO

3.ª DIVISÃO - SÉRIE F Resultados da 16.ª Jornada MESSINENSE 2 ESP. LAGOS Odemirense 6 C. Piedade Moura 3 F.Barreiro U. Montemor 2 Vendas Novas P. Caparica 1 Aljustrelense Sesimbra BEIRA-MAR

CLASSIFICAÇÃO J Vendas Novas 16 Moura 16 Sesimbra 15 ESP. LAGOS 16 Odemirense 16 Aljustrelense 16 F.Barreiro 15 P. Caparica 16 U. Montemor 15 MESSINENSE 15 C. Piedade 16 BEIRA-MAR 12

Próxima 17.ª Aljustrelense ESP. LAGOS C. Piedade F.Barreiro Vendas Novas BEIRA-MAR

V E D M 9 3 4 35 7 6 3 33 8 3 4 27 7 4 5 38 7 4 5 28 6 7 3 24 6 5 4 16 5 5 6 20 5 5 5 19 6 2 7 15 2 4 10 11 0 0 12 5

MESSINENSE Odemirense Moura U. Montemor Sesimbra P. Caparica

S 18 22 10 24 19 17 13 23 20 19 43 43

3 1 1 1 3

P 30 27 27 25 25 25 23 20 20 20 10 0

INICIADOS 2ª DIVISÃO

Série F

Resultados da 21.ª jornada Estoril 1 INT. ALMANCIL 3 E.Amadora 0 Real 3 V.Setúbal 1 Marítimo 1 Belenenses 1 Nacional 0 U.Leiria 2 Naval 0 Benfica 2 Sporting 1

Resultados da 21.ª jornada OLHANENSE 4 Pescadores Amora 2 GD Portugal Atlético 0 FARENSE Oeiras 1 Tires LOULETANO 5 Ourique Lusit. Évora 1 PORTIMON.

CLASSIFICAÇÃO

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P Benfica Sporting U.Leiria Naval Marítimo Belenenses Nacional Real Estoril INT. ALMANCIL V.Setúbal E.Amadora

22 22 22 22 22 22 22 22 22 22 22 22

16 17 13 11 10 9 8 7 6 6 6 0

5 1 3 4 5 4 5 3 5 5 5 1

1 4 6 7 7 9 9 12 11 11 11 21

50 66 33 37 39 41 25 30 25 25 24 10

15 13 28 28 31 43 31 34 34 37 33 78

53 52 42 37 35 31 29 24 23 23 23 1

Sporting, Benfica, União de Leiria e Naval passam à fase final. Os restantes disputam a fase de manutenção.

0 1 1 0 2 4

21 21 21 21 21 21 21 21 21 21 21 21

0 1 2 1 1 0

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P Atlético Oeiras PORTIMON. LOULETANO FARENSE GD Portugal OLHANENSE Tires Lusit. Évora Amora Pescadores Ourique

Resultados da 20.ª jornada Odemirense 2 Moura Lusit.Évora 2 V.Setúbal Ferroviário 1 LUSIT. VRSA Despertar 1 IMORTAL LOULETANO 5 Sp.Cuba OLHANENSE 1 ESP. LAGOS

15 11 11 11 9 9 8 7 7 6 3 0

2 7 5 5 4 3 5 6 5 6 7 3

4 3 5 5 8 9 8 8 9 9 11 18

Próxima Jornada 22.ª GD Portugal OLHANENSE FARENSE Amora Tires Atlético Ourique Oeiras PORTIMON. LOULETANO Pescadores LOULETANO

69 38 39 38 32 45 35 24 35 29 21 12

24 20 23 26 34 40 20 19 42 40 43 86

47 40 38 38 31 30 29 27 26 24 16 3

V.Setúbal IMORTAL OLHANENSE LUSITANO VRSA LOULETANO Despertar Ferroviário Lusit.Évora ESP. LAGOS Sp.Cuba Odemirense Moura

J V E D M S P

20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20

16 14 12 12 12 9 8 7 6 3 1 0

2 2 5 5 4 3 4 6 2 2 4 1

2 4 3 3 4 8 8 7 12 15 15 19

Próxima Jornada 21.ª Odemirense ESP. LAGOS Moura Lusit.Évora V.Setúbal Ferroviário LUSITANO VRSA Despertar IMORTAL LOULETANO Sp.Cuba OLHANENSE

78 52 52 44 52 35 25 31 31 14 9 7

15 24 16 17 19 27 22 27 40 73 66 84

50 44 41 41 40 30 28 27 20 11 7 1


D

3 I fevereiro I 2011

[18]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL I DISTRITAL

Emotivo

Alemão dá os três pontos ao líder QUARTEIRENSE 1 Local: Estádio Municipal de Quarteira. Árbitro: Carlos Cabral. Quarteirense: André; Van Damme (Alemão, 46'), Idalécio, Jaime, Vila, Carôlo, Anderson, Rodrigo, Filhó (Diogo, 66'), Trindade e Marquito (Mindo, 46'). Treinador: Marito. Armacenenses: Palminha; Marco, Rui Guerreiro, Copos, Catita (Aaron, 77'), Oceano (Jimmy, 86'),

ARMACENENSES 0

Miguel, Nelson Moutinho, Joel (Ruben II, 51'), Mauro e Nuno Vieira. Treinador: Carlos Simões. Ao intervalo: 0-0. Golo: Alemão (74'). Disciplina: Cartão amarelo a Nelson Moutinho (27'), Catita (34'), Filhó (58'), Oceano (63'), Diogo (70'), Alemão (74') e Copos (85'). O Quarteirense teve sempre o domínio do jogo, mas sentiu muitas

dificuldades para ultrapassar a defesa do Armacenenses e, principalmente, o guarda-redes Palminha (grande exibição). A equipa de Armação de Pêra limitava-se a explorar alguns lances de contra-ataque (quando podia), mas sempre sem qualquer resultado prático. Valeu ao líder do campeonato a entrada de Alemão, que acabaria por dar os três pontos à sua equipa através de um remate colocado. José Nobre

Segunda parte demolidora CAMPINENSE 3 Local: Estádio Municipal de Loulé. Árbitro: Nuno Guerreiro. Campinense: Joel; Ricardo Sousa, Padinha, Miguel Teixeira, José Daniel, Mota, Quadros, Costa (Sílvio, 78'), Garrana (Xavier, 90+2'), Dani (Botelho, 86') e Diamantino. Treinador: José Miguel. Ferreiras: Nélio; Ricardo Mestre, Wilson, Diogo Afonso, Luís Ferreira (Jorge, 62'), Peixinho, Flávio lança, Bonifácio, Ricardo Perei-

ra, Pias (Flávio Manuel, 70') e Baldé (Casimiro, int.). Treinador: Ricardo Moreira. Ao intervalo: 0-0. Golos: Garrana (58'), Diamantino (67') e Sílvio (90'). Disciplina: Cartão amarelo a Bonifácio (40'), Diogo Afonso (61') e Peixinho (73'). O Ferreiras até entrou melhor no jogo e dispôs de várias oportunidades nos primeiros minutos, mas os

ALMANCILENSE 3

seus avançados nunca tiveram arte nem engenho para ultrapassar o guardião Joel. O Campinense equilibrou antes do intervalo e o jogo só voltou a ganhar algum interesse na segunda parte. Os locais surgiram com outra atitude, dominaram, marcaram três golos e conseguiram uma vitória inteiramente justa e que teve Diamantino como o grande impulsionador. D.A.

CULATRENSE 0

80'), Micael, Bodião e Sérgio; Roque, Fox, André e Calquinhas; Amílcar e Luciano. Treinador: Geraldo Carmo. Ao intervalo; 1-0 Golos: Edy (5' e 70') e Mauro (50'). Disciplina: Cartão amarelo a Emanuel (43'), Henrique (40') e Luciano (87').

FUTEBOL DISTRITAL I DIVISÃO

II DIVISÃO

Resultados da 17ª Jornada

Guia Lusitano VRSA Almancilense Moncarap. Quarteirense Faro e Benfica Campinense Castromar.

0 3 3 1 1 3 3 2

1 2 0 4 0 1 0 1

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Quarteirense 17 Lusit. VRSA 17 Silves 17 Ferreiras 17 Odiáxere 17 Campinense 17 Quarteira 17 Culatrense 17 Guia 17 Castromar. 17 Armacenenses 17 Almancilense 17 Faro e Benfica 17 Imortal 17 Aljezurense 17 Moncarap. 17

15 13 12 11 10 8 6 5 4 5 3 3 3 4 2 2

2 1 1 2 2 6 7 4 6 2 7 6 5 2 4 3

0 3 4 4 5 3 4 8 7 10 7 8 9 11 11 12

30 48 49 29 37 26 21 13 24 15 19 14 19 17 13 14

6 15 16 14 18 14 19 25 34 28 20 28 33 41 38 39

Próxima 18ª

Quarteira Lusitano VRSA Odiáxere Culatrense Aljezurense Ferreiras Silves Armacenenses

Guia Castromarinense Almancilense Moncarapachense Quarteirense Faro e Benfica Campinense Imortal

47 40 37 35 32 30 25 19 18 17 16 15 14 14 10 9

Sambrazense Monchiquense Alvorense Bensafrim Serrano Santaluziense

2 0 3 2 0 2

Estombarenses 1 Padernense 3 Quarteirense B 0 Gin.Tavira 0 11 Esperanças 0 Machados 1

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Alvorense 14 Sambrazense 14 Santaluziense 14 Estombarenses 14 Machados 14 Gin.Tavira 14 Serrano 14 Padernense 14 11 Esperanças 14 Bensafrim 14 Quarteirense B 14 Monchiquense 14

10 9 8 7 7 7 5 4 4 3 4 3

1 1 2 2 2 1 4 5 2 4 1 1

3 4 4 5 5 6 5 5 8 7 9 10

Os forasteiros queixam-se da falta de sorte em momentos capitais da partida mas os locais rejubilam pela eficácia em lances cruciais em que não perdoaram, pois os jogos de futebol resolvem-se pela eficácia e não pela sorte ou azar. Ao bom jogo dos forasteiros, com mais posse e circulação de bola e dando preferência ao ataque planeado, responderam os locais em contra ataque e ataques rápidos demolidores, conseguindo três golos sem dar hipóteses de resposta aos "ilhéus". Bernardino Martins

Resultados da 14.ª Jornada

Odiáxere Quarteira Culatrense Silves Armacenenses Aljezurense Ferreiras Imortal

29 29 28 23 18 17 17 22 16 21 20 19

Local: Campo Francisco Gomes Socorro (VRSA). Árbitro: Fernando Macedo. Lusitano: João Azul; Afonso Leal, Nuno Silva, Carlos Neves e Luís Firmino; António, Bruno Conduto (Marco Cavaco, 89'), Júlio Madeira e Guilherme (Marco Nuno, 70'); Edgar Rosa (Cris Baiano, 90+1') e Afonseca. Treinador: Ivo Soares. Quarteira: Miguel; Hugo (Daniel Reis, 39', depois Marcelo, 82'), Madeira, Fábio Marques (Carvalho, 40') e Cristiano; Marcel, Cambuta, Filipe e Moki; Luís Pina e Edir Pereira. Treinador: Luís Resende.

FERREIRAS 0

Eficácia Local: Campo Municipal de Almancil. Árbitro: Ricardo Neves. Almancilense: Ronquilho; Virgilio, Graça, Hugo e Henrique; Xinho, Rony e Emanuel; Pirika (Ivo, 75'), Edy e Mauro (Su, 60'). Treinador: Hélder Rosa. Culatrense: Raul; Né (Banana,

LUSITANO 3

15 18 19 19 13 15 19 21 26 27 34 33

31 28 26 23 23 22 19 17 14 13 13 10

Ao intervalo: 2-1. Golos: Moki (24'), Edgar Rosa (33'), Carlos Neves (39'), Marcel (75') e Afonseca (79'). Disciplina: Cartão amarelo a Filipe (9'), Cambuta (20'), Carlos Neves (22'), Júlio Madeira (35'), Carvalho (80'), Luís Pina (87') e Marcel (89'). Sem margem para errar no que à luta pelo título diz respeito, o Lusitano foi obrigado, por uma excelente equipa do Quarteira, a trabalho extra para garantir os três pontos. O Quarteira entrou melhor na partida e o golo de Moki coroou uma primeira meia hora de muito bom nível dos

Sambrazense Monchiquense Alvorense Bensafrim Serrano Santaluziense

comandados de Luís Resende. Em desvantagem, o Lusitano puxou dos galões e, em 15 minutos de pressão, primeiro por Edgar Rosa e depois por Carlos Neves, virou o marcador. Já na etapa complementar, Marcel, na cobrança de um livre direto, restabeleceu a igualdade, fazendo soar novamente o alarme entre as hostes pombalinas. Com a ameaça de nova perda de pontos no horizonte, os jogadores do Lusitano correram atrás do prejuízo, assumiram o risco e só garantiram a difícil vitória com um golo de Afonseca a dez minutos do fim. Ricardo Gutierrez

Hagi resolve GUIA 0 Local: Complexo Desportivo Arsénio Catuna (Guia). Árbitro: Sílvia Domingos. Guia: Nuno Benedito; Cabral, Pimentel (Chico, 37'), André Gomes, Edgar, Jeremy, Luís Gonçalves, Márcio, Nuno Costa (Ramon, 59'), Pedro Rodrigues (Adriano, 78') e Fonseca. Treinador: Rui Clemente. Odiáxere: Hugo Prudêncio; João Paulo, Roberto, Noel, Janita, Hagi (Luís Lamy, 62'), Joãozinho, Sérgio Brito,

Bablina (Vitinha, 69'), Filipe Borges e Bruno Boiças (Lino Roque, 10'). Treinador: Toni Seromenho. Ao intervalo: 0-1. Golo: Hagi (15'). Disciplina: Cartão amarelo a Joãozinho (56'), L. Gonçalves (82'), F. Borges (87'), Noel (89') e Sérgio Brito (90'). O Odiáxere marcou cedo (Hagi, aos 15 minutos) e até poderia ter

ODIÁXERE 1 ampliado a vantagem ainda na primeira parte, já que o Guia tardou em reagir. Só o fez quase em cima do intervalo, mas Fonseca permitiu a defesa de Hugo Prudêncio. Na segunda parte, o Guia surgiu mais ofensivo e pressionante, enquanto o Odiáxere apostava no contra-ataque, mas o resultado já não sofreria alteração. Destaque ainda para dois remates ao poste, um para cada lado. António Agapito

Silves passeia na Torrinha MONCARAPACHENSE 1 Local: Campo da Torrinha (Moncarapacho). Árbitro: Pedro Sancho. Moncarapachense: Bruno Guerreiro (Molina, 45'); João Afonso (Amador, 42'), Valter, José Pedro, Lelo, Diogo Romero, Victor Russo, Ruben (André Correia, 55'), Mendes, Luís Cavaco e Celso Borges. Treinador: Miguel Serôdio. Silves: Jota; Salvador, Ricardo Sequeira, Nilton (Toni, 45'), João Teodoro, Hernâni, Pipi, Bráulio, Mica, Mica Júnior e Oliveira (Mar-

cos, 75'). Treinador: Calú. Ao intervalo: 1-3. Golos: Oliveira (9' e 44), Lelo (42') e Pipi (45+1' e 48'). Disciplina: Cartão amarelo a José Pedro, Luís Cavaco e Celso Borges; Salvador e João Teodoro. O Silves teve um autêntico passeio em Moncarapacho e, sem carregar no acelerador, marcou três golos na primeira parte, em lances que contaram com alguma “colabo-

SILVES 4 ração” do guardião da casa. Lelo, de livre direto, fez o golo dos locais, também antes do intervalo. Para a segunda parte, Miguel Serôdio deixou o guarda redes titular nos balneários, entrando para o seu lugar o camisola 12, que aos três minutos do segundo tempo, ficaria "mal na chapa" ao sofrer o quarto golo da tarde. Arbitragem com alguns erros, ficando por marcar uma grande penalidade, ainda na primeira parte, a favor dos locais. Jorge H. Sampaio

Clara vitória FARO E BENFICA 3 Local: Campo Horta da Areia (Faro). Árbitro: Ricardo Lamy. F. Benfica: Nuno; Baresi, Maia, Uva, Pepe, Joel, Galinha, Candeias (Totti, 45'), Pinto, Valério (Fábio, 85') e Luís Viegas (Romeiro, 89'). Treinador: João Clara. Aljezurense: Abel; Jorge, Anderson, André, Kiki (Casinhas, 45), Hugo (João Luís, 78'), Leandro, Djiga, Rafa, Boca Negra e Dean. Treinador: José Fernandes Ao intervalo: 1-0. Golos: Joel (14'), Hugo (52', p.b.), João Luís (77') e Totti (80'). Disciplina: Cartão amarelo a Galinha (13'), Valério (24'), Pepe (65'), Joel (88') e Hugo (75').

ALJEZURENSE 1

O Faro e Benfica foi sempre mais audaz, com o primeiro golo a nascer da persistência de Joel. O Aljezurense poderia ter chegado à igualdade em cima do intervalo, mas Maia evitou que Leandro rematasse à baliza de Nuno. A segunda metade foi de algum equilíbrio, mas eram os da casa que construíram as jogadas mais perigosas. O endiabrado Luís Viegas ganhou a bola, arrancou para a baliza e Hugo, ao tentar desarmar o avançado, introduziu a bola na própria baliza. A reacção foi positiva e o Aljezurense reduziu por João Luís, num bom remate. Quando se pensava que as coisas estavam complicadas para as águias farenses, Totti saltou do banco para selar o resultado. José António Pires

Vitória merecida CASTROMARINENSE 2

Próxima 15.ª Padernense 11 Esperanças Machados Quarteirense B Gin.Tavira Estombarenses

QUARTEIRA 2

Local: Estádio Municipal Castro Marim. Árbitro: Luís Caiado. Castromarinense: Morgado; Quim, Ricardo, André, Tozé, Madama, Luís Calvinho, Juninho, Bruno (Renato, 86'), Jacques e Ruben. Treinador: Tomás Henrique. Imortal: Armindo; Claudinho, Bila, Ricardo, Cláudio, Sandro, Duarte, Rui Sacramento, Aladje (Ricky, 46'),Luís Cristo e Gonçalo (Canito, 66'). Treinador: Nuno Ramos. Ao intervalo: 1-1. Golos: Rui Sacramento (27', g.p.) e Jacques (34', g.p., e 54'). Disciplina: Cartão amarelo a Duarte (34'), Ricardo (60'),Luís Calvinho

IMORTAL 1

(79'), Morgado (84'), Quim (90') e Jacques (90+2'). Cartão vermelho a Jacques (90+3'). Primeira parte bastante equilibrada, com oportunidades para ambas as equipas, mas com os golos a surgirem de grande penalidade (ambas indiscutíveis). No segundo tempo, o Castromarinense foi sempre melhor e venceu justamente, mas sem ter necessidade de acabar em sofrimento, pois criou situações mais do que suficientes para atingir uma vitória mais folgada. Jacques esteve no melhor (marcou os dois golos) e no pior (foi expulso de maneira infantil). Luís Santos


D

3 I fevereiro I 2011

[19]

ESPORTO

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

FUTEBOL DISTRITAL JUNIORES BARLAVENTO

SOTAVENTO

Monchiquense 1 Armacenenses 0 Lagoa 2 Silves 1 Folgou Alvorense

1.ª DIVISÃO

Imortal Guia Messinense Esp.Lagos

7 0 1 2

Ferreiras S.Luís Lusitano VRSA 1.º Janeiro

6 5 1 3

Almancilense Marítimo Olh. Quarteirense Farense

1 3 0 2

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Imortal 13 Lagoa 14 Esp.Lagos 14 Armacenenses 14 Silves 13 Messinense 13 Alvorense 13 Guia 13 Monchiquense 13

Ferreiras 11 Lusitano VRSA 11 Quarteirense 11 S.Luís 11 Marítimo Olh. 11 Farense 11 Almancilense 11 1.º Janeiro 11

11 10 10 6 5 5 2 1 2

2 3 2 2 1 0 3 3 0

0 1 2 6 7 8 8 9 11

78 48 56 30 15 28 21 10 10

20 13 16 30 29 27 35 56 70

35 33 32 20 16 15 9 6 6

8 7 5 6 3 3 2 1

1 2 5 1 2 2 3 2

2 2 1 4 6 6 6 8

39 29 21 24 22 19 10 6

16 13 12 18 27 31 25 28

25 23 20 19 11 11 9 5

Imortal Guia Messinense Esp.Lagos Folga Lagoa

Marítimo Olh. Almancilense Quarteirense Ferreiras

Silves Monchiquense Armacenenses Alvorense

INICIADOS

Farense Odiáxere Lagoa Internacional Messinense Ferreiras

4 3 0 4 0 0

Esp.Lagos Lusit. VRSA Portimonense Silves S.Luís Olhanense

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Odiáxere Portimonense Olhanense Internacional Esp.Lagos S.Luís Farense Lusit. VRSA Ferreiras Lagoa Silves Messinense

12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12

Lusit. VRSA S.Luís Olhanense Portimonense Silves Esp.Lagos

Farense Lusitano VRSA S.Luís 1.º Janeiro

INFANTIS

10 9 9 8 7 6 5 5 4 3 0 0

Resultados da 8ª Jornada

Almancilense 2 Salir Castromarinense Beira Mar Louletano 4 Folgou Montenegro

Louletano Quarteirense 1.º Janeiro Esp.Lagos Folgou Ferreiras

Marítimo Olh. 3 Farense 1.º Janeiro Bias Lusitano VRSA 1

2 0 3 1

Messinense Olhanense Imortal Lusitano VRSA

1 0 2 0

1.º Janeiro Louletano Maritimo Olh. Montenegro Farense Almancilense Bias Lusitano VRSA Beira Mar Salir Castromar.

Lusitano VRSA Olhanense Esp.Lagos Louletano Ferreiras Quarteirense Messinense 1.º Janeiro Imortal

Portimonense Lagoa Odiaxere EF J.Moutinho Esp.Lagos Monchiquense Alvorense Aljezurense CB Portimão

3 11 12 10 14 21 15 26 0 0 0

21 17 15 14 10 6 2 1 0 0 0

Próxima 13ª

Almancilense Montenegro Castromarinense Beira Mar Louletano

Messinense Olhanense Imortal Lusitano VRSA Folga 1.º Janeiro

INFANTIS SÉRIE E

6 5 5 5 3 2 2 1 0

0 1 1 0 2 2 0 0 0

1 1 1 2 2 3 5 7 7

28 24 19 14 19 9 9 8 2

4 2 11 10 9 11 19 33 33

18 16 16 15 11 8 6 3 0

22 4 3

Maritimo Olh. 0 Lusitano VRSA 3 S.Luis 5

Folgou Gin.Tavira e Ger. Génios

Lusitano VRSA 13 10 Beira Mar 13 9 Bias 12 8 Maritimo Olh. 12 7 Moncarapachense 13 6 Gin.Tavira 12 5 4 ao Cubo 12 2 Vaqueiros 12 2 Castromarinense 13 1

1 2 3 4 4 7 8 9

42 45 34 66 53 23 25 4

Próxima Jornada 15ª. Ger. Génios Montenegro Maritimo Olh. Farense Lusitano VRSA Gin.Tavira Folga Olhanense e S.Luís

12 23 23 28 18 37 53 98

30 25 23 17 17 7 4 1

0 1 2 2 2 5 7 8 5 7 9 12 12

60 40 57 43 43 23 21 21 20 21 15 12 13

11 6 11 21 17 22 44 40 18 25 52 54 68

39 30 27 27 25 18 16 15 15 14 10 3 1

1 6 2 4

13 12 12 13 12 13 12 13 12

Resultados da Esp.Lagos CB Portimã£o Portimonense Odiaxere

6 8 2 0

1 3 3 1 7 7 8 9 11

80 73 58 45 36 33 22 29 15

20 19 25 30 41 39 67 76 74

Próxima Jornada 15ª. 4 ao Cubo Beira Mar Maritimo Olh. Castromarinense Vaqueiros Gin.Tavira Bias Lusitano VRSA Folga Moncarapachense

32 28 25 25 18 15 8 7 4

Portimonense Ferreiras Armacenenses Internacional Lagoa Farense

2 7 0 0 1 1

Silves 1 Guia 6 Monchiquense 3 Quarteirense 2 Padernense 2 Folgou Messinense

Odiáxere Alvorense Ferreiras Esp.Lagos Portimonense

0 2 1 4 6

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Quarteirense 12 Odiáxere 12 Portimonense 12 Farense 12 Ferreiras 12 Olhanense 12 Lagoa 12 S.Luís 12 Imortal 12 Armacenenses 11 Internacional 11 Gin.Tavira 12

Silves Guia Portimonense Esp.Lagos Messinense Alvorense Monchiquense Odiáxere Ferreiras Quarteirense Padernense

10 9 9 8 5 5 4 3 3 2 1 1

2 2 1 4 2 2 1 3 2 1 2 0

0 1 2 0 5 5 7 6 7 8 8 11

42 55 54 33 33 15 12 14 10 6 8 2

4 7 11 3 24 20 27 17 38 40 20 73

32 29 28 28 17 17 13 12 11 7 5 3

Próxima 13.ª

Imortal Gin.Tavira 1.º Janeiro Maritimo Olh. Bensafrim Alvorense

11 11 11 11 10 11 11 11 11 11 11

11 9 7 6 6 5 5 2 2 1 1

0 1 0 2 1 1 1 2 1 1 0

0 1 4 3 3 5 5 7 8 9 10

56 49 35 20 15 26 18 6 8 13 11

4 11 24 13 28 26 25 16 36 32 42

33 28 21 20 19 16 16 8 7 4 3

Próxima 13.ª

Ferreiras Lagoa Farense Armacenenses Internacional Portimonense

Olhanense Gin.Tavira S.Luís Quarteirense Odiáxere Imortal

Esp.Lagos Silves Portimonense Guia Alvorense Monchiquense Ferreiras Messinense Odiáxere Padernense Folga Quarteirense

SÉRIE C

Resultados da 14.ª Jornada CB Portimão 7 Lagoa EF J.Moutinho 0 Ferreiras Guia 0 Silves Portimonense 2 Odiaxere Folgou Armancenenses

3 6 4 2

CLASSIFICAÇÃO

11 9 8 7 7 6 2 2 1

1 2 1 0 0 0 2 0 0

1 1 3 6 5 7 8 11 11

93 72 31 57 40 38 21 37 12

18 26 18 37 35 51 65 89 62

34 29 25 21 21 18 8 6 3

13 13 13 12 11 12 12 12 12

8.ª Jornada 12 Infante Sagres 1 9 Monchiquense 0 3 EF J.Moutinho 0 Alvorense

11 11 9 6 5 4 2 1 0

2 0 1 2 0 2 2 2 1

0 74 12 2 106 19 3 51 16 4 45 29 6 33 44 6 23 36 8 27 65 9 27 79 11 7 93

35 33 28 20 15 14 8 5 1

Próxima Jornada 15ª. Armacenenses CB Portimão Lagoa EF J.Moutinho Ferreiras Guia Silves Portimonense Folga Odiáxere

Portimonense Esp.Lagos EF J.Moutinho CB Portimão Odiaxere Monchiquense Infante Sagres Alvorense

7 7 7 7 6 7 7 0

Guia Padernense Imortal Almancilense Alto Colina AC Salir Odiaxere Quarteirense Ferreiras

0 0 0 0 0 0 0 0

0 1 3 4 3 6 7 0

68 7 21 69 14 18 30 18 12 29 14 9 28 18 9 15 68 3 6 106 0 0 0 0

Próxima Jornada 9ª. Monchiquense Odiáxere Infante Sagres Portimonense EF J.Moutinho CB Portimão Alvorense Esp.Lagos

10 10 10 9 9 10 9 10 9

10 8 7 6 4 2 2 2 1

0 0 0 0 0 1 1 0 0

12 9 8 6 5 4 3 3 0

0 2 1 0 1 0 1 1 2

0 2 3 6 7 7 7 8 10

82 35 60 30 46 28 38 20 15

19 26 30 39 38 56 41 42 63

36 29 25 18 16 12 10 10 2

J V E D M S P

Sporting Faro Ger. Génios EF Faro Internacional Farense Louletano Montenegro Imortal S.Luís

1 1 8 2

0 2 3 3 5 7 6 8 8

40 62 47 39 30 18 13 24 13

9 10 27 22 27 40 31 46 74

Próxima Jornada 12ª. Messinense Lagoa Ferreiras Armacenenses Guia Silves Bellavista Esp.Lagos Folga CB Portimão

30 24 21 18 12 7 7 6 3

12 12 13 12 12 13 12 12 12

10 8 8 7 5 5 3 2 1

2 2 1 1 2 1 2 1 0

0 2 4 4 5 7 7 9 11

81 21 32 59 21 26 42 35 25 44 32 22 60 36 17 36 33 16 36 62 11 38 67 7 17 106 3

Próxima Jornada 15ª. Farense Internacional Montenegro Louletano S.Luís Sporting Faro Ger. Génios EF Faro Folga Imortal

(FUT. 7 )

SÉRIE D

Resultados da 11.ª Jornada Quarteirense 0 Alto Colina 2 Ger. Génios 10 Ferreiras 0 Padernense Salir Imortal 6 Almancilense 1 Folgou Louletano

Resultados da 8.ª Jornada S.Luís 7 Sporting Faro EF Faro 2 Montenegro Quarteirense 1 Farense Ger. Génios 9 1.º Janeiro

CLASSIFICAÇÃO

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P

Ferreiras CB Portimão Lagoa Messinense Bellavista Silves Armacenenses Esp.Lagos Guia

12 13 12 12 13 11 11 12 12

0 0 4 1

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P

Próxima Jornada 15ª. Quarteirense AC Salir Padernense Guia Alto Colina Odiaxere Almancilense Imortal Folga Ferreiras

CLASSIFICAÇÃO 7 6 4 3 3 1 0 0

Resultados da 14.ª Jornada Internacional 1 Imortal Louletano 7 S.Luís Sporting Faro 6 Ger. Génios EF Faro 4 Farense Folgou Montenegro

SÉRIE C

Resultados da 11.ª Jornada Lagoa 2 Bellavista CB Portimão 5 Messinense Guia 0 Ferreiras Silves 5 Esp.Lagos Folgou Armacenenses

J V E D M S P

3 6 1 1

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P

Odiaxere CB Portimão Silves Portimonense Ferreiras Armacenenses Lagoa Guia EF J.Moutinho

SÉRIE D

Resultados da 14.ª Jornada Ferreiras 2 Almancilense AC Salir 0 Padernense Guia 6 Alto Colina Imortal 3 Quarteirense Folgou Odiáxere

SÉRIE B

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P

2 1 1 4 0 0 2 1 1

1 1 5 1 3 0

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

SÉRIE B

SÉRIE A

Resultados da 14.ª Jornada Beira Mar 1 Maritimo Olh. Castromar. 2 Vaqueiros Gin.Tavira 6 Moncarap. Lusitano VRSA 3 4 ao Cubo Folgou Bias

Farense S.Luís Olhanense Gin.Tavira Montenegro Ger. Génios Lusitano VRSA Marítimo Olh.

0 1 2 2 2 1 1 1

0 3 3 3 4 3 1 0 3 2 1 0 1

Olhanense Gin.Tavira S.Luís Quarteirense Odiáxere Imortal

BENJAMINS A

CLASSIFICAÇÃO

10 8 7 5 5 2 1 0

13 9 8 8 7 5 5 5 4 4 3 1 0

(FUT. 7)

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

11 11 12 11 11 10 10 10

Marítimo Olh. 13 Gin.Tavira 13 Imortal 13 Quarteirense 13 Louletano 13 Guia 13 Castromar. 13 Ferreiras 13 1.º Janeiro 12 Armacenenses 13 Alvorense 13 Bensafrim 13 CHECUL 13 Louletano Castromarin. Guia Armacenenses Ferreiras CHECUL

Próxima Jornada 15ª. Alvorense CB Portimão Lagoa Monchiquense Portimonense EF J.Moutinho Esp.Lagos Odiáxere Folga Aljezurense

Quarteirense Ferreiras Esp.Lagos Louletano

0 0 1 1 4 2

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

J V E D M S P

SÉRIE F

Resultados da 14.ª Jornada

Montenegro Farense Olhanense

7 7 7 7 7 7 7 8 7

Próxima 9.ª

Bias Lusitano VRSA Farense 1.º Janeiro Maritimo Olh. Folga Salir

30 29 28 25 21 20 16 15 13 10 2 1

CHECUL Louletano Armacenenses Ferreiras Castromarin. Guia

Próxima 15ª

Resultados da 14.ª Jornada Aljezurense 12 Lagoa Monchiquense 2 Portimonense EF J.Moutinho 7 Esp.Lagos Odiaxere 2 Alvorense Folgou CB Portimão

CLASSIFICAÇÃO

23 21 21 17 8 14 5 3 0 0 0

18 18 13 14 17 18 23 22 27 32 36 52

2.ª BARLAVENTO Resultados da 12.ª Jornada

INFANTIS (FUT. 7)

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

0 1 3 1 3 6 5 7 0 0 0

32 23 49 34 15 24 31 25 20 18 7 12

Farense Odiáxere Lagoa Internacional Messinense Ferreiras

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

0 2 0 2 1 0 2 1 0 0 0

2 1 2 3 5 4 6 7 7 8 10 11

Imortal 9 Gin.Tavira 0 Quarteirense 2 Maritimo Olh. 5 Bensafrim 3 Alvorense 2 Folgou 1.º Janeiro

SÉRIE A

Resultados da 12ª Jornada

7 5 5 4 3 2 0 0 0 0 0

0 2 1 1 0 2 1 0 1 1 2 1

1.ª DIVISÃO Resultados da 12.ª Jornada

(FUT. 11)

2.ª SOTAVENTO

7 8 8 7 7 8 7 8 0 0 0

1 2 1 0 4 5

Próxima 13ª

Próxima 12.ª

Próxima 16ª

2.ª DIVISÃO Resultados da 14ª Jornada

Resultados da 12ª Jornada

Resultados da 11.ª Jornada

Resultados da 15ª Jornada

INICIADOS

JUVENIS

J V E D M S P

Louletano Ger. Génios Imortal Quarteirense Alto Colina Almancilense Ferreiras Salir Padernense

9 10 10 9 10 10 10 9 9

9 7 6 6 6 3 3 2 0

0 0 1 1 0 0 0 0 0

0 3 3 2 4 7 7 7 9

60 7 27 65 20 21 68 23 19 65 13 19 68 20 18 35 35 9 26 84 9 9 78 6 2 118 0

Próxima Jornada 12ª. Ferreiras Quarteirense Salir Ger.Génios Padernense Imortal Alto Colina Louletano Folga Almancilense

4 3 4 1

J V E D M S P

S.Luis 1.º Janeiro Ger. Génios EF Faro Sporting Faro Montenegro Farense Quarteirense

8 8 8 8 8 8 8 8

6 5 5 5 3 3 2 1

1 0 0 0 2 1 0 0

1 3 3 3 3 4 6 7

47 30 28 25 33 25 19 9

11 23 14 20 24 38 28 58

Próxima Jornada 9ª. Montenegro Ger. Génios Sporting Faro Quarteirense Farense EF Faro 1.º Janeiro S.Luís

19 15 15 15 11 10 6 3


D

3 I fevereiro I 2011

[20]

ESPORTO

BENJAMINS A

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

BENJAMINS B (FUT 7)

(FUT. 7)

SÉRIE A

SÉRIE E

SÉRIE B

Resultados da 11.ª Jornada Lusitano VRSA Beira Mar Moncarap. 4 Maritimo Olh. 2 Fuzeta 2 Gin.Tavira 9 Castromar. 0 Bias 4 Folga Olhanense

Resultados da 11.ª Jornada Aljezurense 0 Portimonense Lagoa 3 Alto Colina Alvorense Armacenenses Silves 1 EF J.Moutinho Odiaxere 2 Esp.Lagos

CLASSIFICAÇÃO

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P

Lusitano VRSA Gin.Tavira Olhanense Maritimo Olh. Fuzeta Moncarap. Bias Castromarinense Beira Mar

8 9 7 9 7 7 6 9 0

8 7 5 5 2 2 1 0 0

0 0 0 0 0 0 1 1 0

0 86 5 2 75 22 2 101 9 4 25 33 5 23 25 5 9 56 4 6 60 8 4 119 0 0 0

24 21 15 15 6 6 4 1 0

Próxima Jornada 12.ª Maritimo Olh. Lusitano VRSA Gin.Tavira Moncarapachense Fuzeta Castromarinense Olhanense Bias Folga Beira Mar

13 1 5 4

Portimonense EF J.Moutinho Esp.Lagos Armacenenses Lagoa Alto Colina Odiaxere Silves Aljezurense Alvorense

10 10 10 9 10 9 10 10 10 0

4 2 1 5 13

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P

9 8 8 6 4 3 2 2 0 0

1 2 1 0 0 0 0 0 0 0

0 0 1 3 6 6 8 8 10 0

87 70 62 35 35 23 29 19 11 0

16 11 14 19 45 41 65 63 97 0

28 26 25 18 12 9 6 6 0 0

Próxima Jornada 12ª. Aljezurense Odiaxere Armacenenses Lagoa EF J.Moutinho Alvorense Portimonense Silves Alto Colina Esp.Lagos

Resultados da 11.ª Jornada Montenegro 1 Louletano Ferreiras 2 Esp.Lagos Sporting Faro 2 EF Faro Imortal 2 S.Luís 1.º Janeiro Lusitano VRSA

11 11 11 11 11 11 11 11 11 11

4 4 1 1

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

J V E D M S P

Ferreiras EF J.Moutinho Quarteirense Esp.Lagos Alto Colina Imortal Internacional Louletano Padernense Salir

SÉRIE D

SÉRIE C

Resultados da 11.ª Jornada Alto Colina 2 EF J.Moutinho Imortal 10 Salir Quarteirense 6 Louletano Internacional 0 Esp.Lagos Padernense 0 Ferreiras

11 7 7 7 6 5 3 2 1 1

0 1 1 1 1 1 0 2 2 1

0 3 3 3 4 5 8 7 8 9

86 44 41 35 64 37 18 16 10 21

4 19 25 17 31 31 42 46 74 83

33 22 22 22 19 16 9 8 5 4

Próxima Jornada 12ª. Salir Alto Colina Ferreiras Imortal Quarteirense Internacional EF J.Moutinho Esp.Lagos Louletano Padernense

Louletano S.Luís Imortal Sporting Faro EF Faro Esp.Lagos Lusitano VRSA Montenegro Ferreiras 1.º Janeiro

10 10 10 9 11 9 9 10 10 0

9 8 8 6 6 2 2 1 0 0

0 0 0 0 0 1 1 1 1 0

FUTSAL NACIONAL

1 2 2 3 5 6 6 8 9 0

48 47 45 31 31 17 13 11 8 0

7 12 16 19 24 50 30 30 63 0

27 24 24 18 18 7 7 4 1 0

Resultados da 11.ª Jornada Farense 1 Ger.Génios Gin.Tavira 5 Montenegro 4 ao Cubo 2 1.º Janeiro Olhanense 9 EF Faro Lusitano VRSA 9 S.Luis

2 2 1 1 0

CLASSIFICAÇÃO

J V E D M S P

Olhanense EF Faro Lusitano VRSA Ger. Génios Gin.Tavira Farense 4 ao Cubo 1.º Janeiro S.Luís Montenegro

11 11 11 11 11 11 11 11 11 11

11 9 9 6 4 4 2 3 2 1

0 0 0 1 1 1 3 0 0 2

0 143 2 73 2 57 4 40 6 27 6 13 6 18 8 16 9 18 8 10

5 29 17 27 55 45 52 63 63 59

33 27 27 19 13 13 9 9 6 5

Próxima Jornada 12ª.

Próxima Jornada 12ª. Montenegro Imortal Lusitano VRSA Ferreiras EF Faro 1.º Janeiro 1.º Janeiro Sporting Faro Esp.Lagos S.Luís

Farense 1.º Janeiro EF Faro Ger. Génios Montenegro

Lusitano VRSA Gin.Tavira 4 ao Cubo Olhanense S.Luís

Resultados da 13.ª Jornada Atalaia 1 S.Pedro GEJUPSE 9 Olhos D’Ãgua Alte 2 Carvoeirense Pedra Mourinha 3 Silves U.Lagos 4 Fuzeta Putos da Rua 5 CP Messines

1 3 2 5 4 7

CLASSIFICAÇÃO J

CP Messines U.Lagos Atalaia Fuzeta P. Mourinha Carvoeirense S.Pedro Putos da Rua Silves GEJUPSE Alte Olhos D’Ãgua Próxima 14.ª Atalaia S.Pedro Silves Fuzeta Olhos D’Água Carvoeirense

V E D M S P

13 13 13 13 13 13 13 12 13 13 13 12

10 8 8 6 6 5 4 5 3 3 2 2

2 3 3 4 1 2 4 1 4 3 3 0

1 2 2 3 6 6 5 6 6 7 8 10

53 48 47 54 41 52 46 43 31 41 35 48

Putos da Rua GEJUPSE Alte Pedra Mourinha U.Lagos CP Messines

SENIORES FEM.

2.ª I DIVISÃO DIVISÃO

33 26 30 46 45 52 39 48 29 53 56 82

32 27 27 22 19 17 16 16 13 12 9 6

Resultados da 11.ª Jornada

Resultados da 11.ª Jornada

Leões Porches Pechão

U.Lagos 1 CHE Lagoense 1

2 2 4

Bonjoanenses 4 Covil Dragão 5 Tunes 5

JUNIORES MASC.

Alte Machados

1 1

Folga Putos da Rua e Padernense

Albufeira Futsal Louletano Boavista Alte C Benfica VRSA Pedra Mourinha

5 0 7 8 3

5 4 4 3 5

CHECUL Quart. 3 Armacenenses 1 Padernense 7 CHE Lagoense 0

Putos da Rua S.Pedro Machados GEJUPSE

2 4 4 0

Folgou Olhos D' Água

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Covil Dragão Pechão Tunes Porches Bonjoanenses Leões

Padernense CHE Lagoense Machados Putos da Rua Alte U.Lagos

GEJUPSE Alte Alb. Futsal C Benf. VRSA Olhos D’Ãgua Sapalense Louletano Sonâmbulos 1.º Janeiro P. Mourinha Bonjoanenses Boavista

S.Pedro CHE. Quart. Armacenenses CHE Lagoense GEJUPSE Putos da Rua Padernense Olhos D’Água Machados

11 11 11 11 10 10

8 7 5 5 5 2

0 0 0 0 0 0

54 50 47 37 28 34

28 39 51 52 32 48

24 21 15 15 15 6

8 8 8 7 7 8

6 4 2 2 2 0

1 3 4 3 1 2

1 1 2 2 4 6

39 29 17 16 5 5

9 9 14 13 20 46

19 15 10 9 7 2

Próxima 12.ª

Próxima 12.ª

Bonjoanenses Covil Dragão Tunes

3 4 6 6 5 8

Pechão Leões Porches

Alte Putos da Rua Padernense

18 18 18 18 18 17 17 18 15 17 18 18

14 14 13 10 10 9 8 6 6 2 1 0

2 1 2 2 1 1 3 3 1 3 3 2

2 107 42 3 146 53 3 129 51 6 73 73 7 112 74 7 89 67 6 51 44 9 58 67 8 69 74 12 38 85 14 37 150 16 30 159

Próxima 19.ª

Machados U.Lagos CHE Lagoense

1.º Janeiro Bonjoanenses Sonâmbulos Olhos D’Ãgua Sapalense GEJUPSE

44 43 41 32 31 28 27 21 19 9 6 2

7 7 7 8 7 7 7 7 7

7 6 5 4 4 3 2 0 0

0 0 0 1 1 0 0 0 0

0 1 2 3 2 4 5 7 7

73 41 30 26 24 29 22 17 12

15 15 17 18 23 21 37 58 70

Putos da Rua S.Pedro Machados GEJUPSE

4 2 2 5 1 2 3

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

L.Porto Salvo 13 SL Olivais 13 Operário 13 Torpedos 13 Loures 13 Amarense 13 Cascais 13 S. João 13 CPCD 13 ALBUFEIRA F. 13 LOULETANO 13 Boa Esperança 13 Vila Verde 13 Independentes 13

12 10 9 8 7 7 7 5 4 4 3 3 2 0

1 2 1 2 3 1 1 0 1 1 2 2 1 2

0 1 3 3 3 5 5 8 8 8 8 8 10 11

82 72 61 45 55 54 50 39 46 42 41 37 39 27

19 39 43 40 37 50 51 50 59 49 56 57 63 77

37 32 28 26 24 22 22 15 13 13 11 11 7 2

Loures Torpedos ALBUFEIRA F. Operário Independentes Vila Verde Leões Porto Salvo

21 18 15 13 13 9 6 0 0

Resultados da 13.ª Jornada

Sassoeiros Vinhais Aljustrelense INTER-VIVOS SAPALENSE Q. Lombos Q. Conde

4 7 1 1 5 2 4

Nacional 2 SONÂMB. 2 AC. ALGARVE 4 S.ESTEVÃO 3 Capelense 5 Fabril 3 Piedense 2

CLASSIFICAÇÃO J V E D M S P

Q. Lombos 13 Fabril 13 Vinhais 13 Sassoeiros 13 Q.Conde 13 INTER-VIVOS 13 Capelense 13 SONÂMB. 13 Nacional 13 S.ESTEVÃO 13 AC. ALGARVE 13 SAPALENSE 13 Piedense 13 Aljustrelense 13

10 10 9 8 8 6 4 5 5 4 4 3 3 0

2 1 3 2 0 2 5 2 0 3 3 1 0 0

1 2 1 3 5 5 4 6 8 6 6 9 10 13

70 57 61 56 61 41 52 43 49 33 22 37 33 19

29 32 34 33 44 34 54 38 56 40 33 75 46 86

32 31 30 26 24 20 17 17 15 15 15 10 9 0

Próxima 14.ª

Próxima 9.ª

Albufeira Futsal Louletano Boavista Alte C Benfica VRSA Pedra Mourinha

SL Olivais Vila Verde Independentes Operário ALBUFEIRA F. Torpedos L. Porto Salvo

3.ª I DIVISÃO DIVISÃO

Resultados da 8.ª Jornada

GEJUPSE 1.º Janeiro Olhos D’Água Sapalense Bonjoanenses Sonâmbulos

2 3 3 4 6 1 1

S. João CPCD LOULETANO Amarense Boa Esperança Cascais SL Olivais

I DIVISÃO JUNIORES FEM.

Resultados da 18.ª Jornada

Cascais Boa Esperança Amarense LOULETANO CPCD S. João Loures

Próxima 14.ª

FUTSAL DISTRITAL 1.ª I DIVISÃO DIVISÃO

2.ª I DIVISÃO DIVISÃO Resultados da 13.ª Jornada

Armacenenses Padernense Olhos D’Água CHECUL Quart.

Folga CHE Lagoense

Q. Lombos SAPALENSE INTER-VIVOS Aljustrelense Vinhais Sassoeiros Nacional

Q. Conde Fabril Capelense SANTO ESTEVÃO AC. ALGARVE SONÂMBULOS Piedense

Festa do ténis algarvio homenageia os campeões da região Rui Machado, Marco Romão, CT Portimão e Rocha e Plínio Ferrão estiveram em destaque A “família” do ténis algarvio reuniu-se no Hotel Dom Pedro, em Vilamoura, para mais uma grande festa anual dos campeões, em que a Associação de Ténis do Algarve (ATA) entregou troféus de mérito aos atletas, treinadores e dirigentes que mais se destacaram durante a última época. Sem surpresa, Rui Machado foi condecorado com o galardão de atleta do ano. Com diversas vitórias, o tenista farense alcançou o que até há alguns anos parecia impensável: tornou-se o primeiro algarvio a entrar no top 100 e o português mais bem classificado do ano (89.º). O treinador do ano foi Plínio Ferrão, do Clube de Ténis Portimão e Rocha, que alcançou diversos títulos regionais e nacionais em individuais e por equi-

pas. Aliás, muito justamente, o clube portimonense arrecadou igualmente o troféu de clube do ano. Marco Romão recebeu também uma homenagem especial uma vez que se trata do primeiro árbitro internacional algarvio a alcançar a categoria de bronze “badge”, a confirmar a excelente opção tomada pelo algarvio ao abraçar o profissionalismo. A noite encerrou com uma emocionada homenagem à memória de Francisco Delfino, recentemente desaparecido, e que para além de uma enorme saudade, deixa um importante legado à “família” do ténis algarvio, como antigo atleta e dirigente. Recorde-se que este reputado clínico foi um dos elementos pioneiros do dirigismo associativo na modalidade. Para rece-

ber a condecoração especial, esteve presente o seu filho, Nuno Delfino. Na sua intervenção, o presidente da Associação de Ténis do Algarve, José Rosa Nunes, falou de um ano de 2011 ainda mais difícil. “O ano que já começou antevê-se de enormes dificuldades para os clubes associados. Com menos provas, menor número de patrocinadores e menos prize-moneys, a nossa modalidade não escapa incólume ao ambiente de crise e retracção que se vive um pouco por todo o lado”, admitiu o dirigente. Porém, José Rosa Nunes garantiu que a ATA “compromete-se a continuar a apoiar e a fomentar o ténis no Algarve, com a organização das mais importantes provas, a negociação de melhores condições para os clubes

quer ao nível do abastecimento de bolas quer de seguros desportivos e de todas as actividades de promoção previstas”. Apesar de antever dificuldades, José Rosa Nunes acabou por concluir a sua intervenção com palavras

de esperança: “Sabemos bem que todos unidos faremos melhor pelo ténis algarvio. Para o ano voltaremos a reunir-nos e celebraremos com o mesmo ânimo e entusiasmo as façanhas dos nossos”.


A

GENDA

[21]

JORNAL do ALGARVE

[ATIVIDADES CULTURAIS]

FARO Biblioteca Municipal SER VIÇO EDUCATIVO Atividades Permanentes [Menores de 14] PARA GRUPOS Mergulhar nas Estórias Hora do Conto + Atividade Creches, Jardins de Infância, Escolas e Atl’s: 3ª a 6ª feira - 10:00 e 14:00 PARA O PÚBLICO EM GERAL “… e com pós de perlimpimpim… a tarde chega ao fim!!!!!” Sala do Conto - 2ª, 3ª e 4.ª - 18:00 5as Feiras - Clube dos Pais (Pais e Avós contam histórias) - 18:00 Sábados: 16:00 NA BEBÉTECA - 6as feiras - 18:00 TEMPO PARA BRINCAR Atividades na Ecoteca, Jogos, Pinturas, Colagens, Desenhos e mais atividades! 2ª feiras e sábados - 14:00»19:00 3.ª feiras a 6.ª feiras - 09:30»19:00 BIBLIOTECA FORA DE PORTAS Quinzenalmente sessões de leitura animada na Pediatria do Hospital de Faro para as crianças hospitalizadas, dinamizadas pela equipa da Biblioteca LAGOS Biblioteca Municipal Clube de Leitura de Lagos 7 - 21h00 Visionamento do filme “O Crime do Padre Amaro”, de Carlos Carrera. 21 - 21h00 Análise “O Crime do Padre Amaro”, de Eça de Queirós. Cinema às Quartas - 21h00 Ciclo “Brasil!” 2 - O Cangaceiro, de Lima Barreto 9 - O Auto da Compadecida, de Guel Arraes 16 - Deus é Brasileiro, de Carlos Diegues 26 - Autocarro 174, de Bruno Barreto 6, 13, 20 e 27 - 17h00 Pólo de Leitura/Centro Social de Almadena Matines aos domingos 6 - Ladrões de Bicicletas, de Vittorio de Sica 13 - Papillon, de Franklin J. Schaffner 20 - A Viagem de Che Guevara, de Gianni Mina 27 - La Vie en Rose, de Olivier Dahan PORTIMÃO Biblioteca Municipal - Sábados Infantis: Ateliês de música, dança e contos. QUINTA PEDAGÓGICA 9h30-17h30 - 3ª a 6ª feira 10h00-17h30 - Fins-de-Semana Dia 5 - Ateliê "Cuidados do Pomar", 11h00 Dia 12 - Concurso "O Sr. Espantalho" - entre famílias TAVIRA BIBLIOTECA MUNICIPAL ALVARO DE CAMPOS Hora do Conto "Ao abrir o livro..." Terças e quintas-feiras | 10h30 e 14h00 Do pré-escolar ao 2.º ciclo e outros grupos Zás... O que o Livro nos Traz... "Biodiversidade" Sextas-feiras | 10h30 e 14h00 1.º e 2.º ciclos e outros grupos . O Baú das Letras Um baú... histórias para partilhar… Sábados | 16h00 Grupos que manifestem interesse na actividade Ao encontro da Biblioteca... Quartas-feiras: 10h00 Sextas-feiras: 14h00 Grupos de pelo menos 10 pessoas VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO Biblioteca Municipal António Vicente Campinas > Conta lá! - Hora do conto Seg. a sex. às 10h30 "Apaixonados” – de Rebecca Dautremer Ter. e qui. “À volta das histórias tradicionais” *Marcações Biblioteca ou pelo telef. 281 510 050 > Às 4 na Biblioteca Ter. a sex. às 16h00 Conto, manualidades, jogos educativos, filmes, etc. >Sábados na Biblioteca Sábado às 15h00 Criações plásticas; História Virtual; História em Power Point; Filme. > Visitas acompanhadas à exposição – “Plantas que curam. Usos e saberes na medicina popular”

ACONTECIMENTOS I LIVRO Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela >Visitas acompanhadas a Cacela Velha > Visita guiada à Biblioteca Municipal Vicente Campinas, seg. a sex.

[DANÇA] 4 e 5 - 7.º Festival de Flamenco de Faro, 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro. 4 - "Jesus Herrera e Su Cuadro Flamenco" 5 - "Dançar Saramago", 16h00, no TEMPO - Teatro Municipal de Portimão.

[DESPORTO] Campeonato Nacional de Natação de Inverno 2011 5/2 - 14h00-19h30 6/2- 9h00-13h30 Complexo Desportivo da Mexilhoeira Grande Taça de Portugal em Paraquedismo 5 e 6/2 | Skysurf 12 e 13/2 | VF4 19 e 20/2 | Freefly 10h30 - Aeródromo Municipal de Portimão 5, 6 - Open Juvenil Montechoro - Sub 12/16, 10h0019h00, Courts do Hotel Montechoro, Albufeira. 6 - Campeonato Regional de Corta-Mato Curto, 10h00, Pista de cross das Açoteias, Albufeira.

[DIVERSOS]

Atividade no Mercado Municipal de Portimão 4 - Rastreio Oftalmológico (MultiÓpticas Amparo) 9h00- 13h00 5 - Ação de Sensibilização pela Associação Oncológica do Algarve, Núcleo de Portimão Durante o período da manhã 8 - Rastreio ao Colesterol (Farmácia Rosa Nunes) 17h00 às 19h00 11 - Rastreio Auditivo (Acústica Médica) 9h00 às 14h00

[EXPOSIÇÕES] Até 9 - Exposição coletiva "Amália Meu Amor", na Galeria de Santo António, Monchique. Até 13 - "Sentidos...", exposição de pintura de Susana Garrochinho, diariamente, das 9h30 às 18h00, Galeria de Arte Praça do Mar, Quarteira. Até 19 - Exposição de Arquitectura de Manuel Gomes da Costa, Espaço + Sala 1, Aljezur. Até 20 - “Algarve Visionário, Excêntrico e Utópico”, no Museu Municipal /Galeria Trem / Museu Regional do Algarve, Faro. Até 25 - Exposição de Fotografia de Pedro Noel, Posto Municipal de Exposições (Antigo Posto Municipal de Informação), Lagos. Até 26 - Exposição de pintura "Sentimentos Pintados" de Nélson Viegas, segunda a sexta, 9h30 às 18h30, sábado, 14h00, 18h30, na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, VRSAntónio. De 4/2 a 25/02 - Exposição de pintura "Um dia em Albufeira" de Reinaldo Jerónimo, segunda a sexta, na Galeria Municipal de Albufeira. Até 27 - José e Pilar - Fotografias da rodagem do Documentário de Miguel Gonçalves Mendes, Inauguração 4 Fev às 21h00 com a presença do realizador, no TEMPO - Teatro Municipal de Portimão. Arquivo Histórico Municipal - Fevereiro Exposição "Memento Mar Memor" Exposição "Indústria Conserveira em VRSA" Exposição "Artes Litográficas" 09h30> 12h30 / 14h00> 16h30 (segunda a sexta) > Exposição "Vicente Campinas - O Homem e o Escritor - 100 Anos", 9h30> 18h30 (segunda a sexta); 14h00> 18h30 (sábado), na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, VRSA. >Exposição Filatélica Alusiva ao Centenário de António Vicente Campinas, Núcleo de Filatelia dos Bombeiros Voluntários de VRSA, 9h30> 18h30 (Segunda a Sexta), 4h00> 18h30 (sábado), na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, VRSA. > Coletiva artistas da Galeria, no Centro cultural São Lourenço, Almancil, Loulé. Até 2/3 - Exposição de Artes Plásticas com Artistas da galeria, Galeria do Centro Cultural de São Lourenço, São Lourenço, Almancil. De 4/2 a 4/3 - " A Memória, a Obra e o Pensamento de Maria Lamas - Uma Mulher do Nosso Tempo 1893-1983", antigos Paços do Concelho (Praça Gil Eanes), de 2.ª a 6.ª, 9h às 17h, Lagos. Até 11/3 - Exposição colectiva de arte moderna e

Exposição de pintura "Sentimentos Pintados" de Nélson Viegas, na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, V.R.S.António.

contemporânea intitulada “Grandes da Pintura de Língua Portuguesa”, no Salão Nobre do HPP Hospital de Santa Maria de Faro. Até 26/3 - "No ansejo da tarde ao cair da noite" exposição Luíz Taquelim, Sala 1, de 2.ª a Sábado, 12h às 20h,no Centro Cultural de Lagos . Até 31/3 - Exposição: Silos Islâmicos da Barrada Aljezur, 09h00 - 13h00 e 14h00 - 17h30, encerra aos sábados, domingos e feriados, Associação de Defesa do Património Histórico e Arqueologico de Aljezur. Até 2/4 - Exposição de Fotografia "Lapso de tempo de Luís Ramos, terça a sábado, 10h00-12h30, 14h00-17h30, no Museu Municipal de Tavira, Palácio da Galeria, Tavira. De 4/2 a 3/5 - Exposição de pintura de Paula Will, no Convento S. José (Sala Manuel Gamboa), Lagoa. Até 18/6 - Exposição "Cidade e Mundos Rurais", terça a sábado, 10h00-12h30 e das 14h00-17h30, Museu Municipal de Tavira. Até 31/7 - Exposições "Sabores da Europa" e "Azeite - Saberes com sabor", terça 14h30-18h00, quarta a domingo, 10h00-18h00, Museu de Portimão, Portimão. > Exposição "Taste of Europe", terça, 14h30-18h00, quarta a domingo, 10h00-18h00, no Museu de Portimão. Até 10/9 - Exposição "Dez Monumentais Esculturas Britânicas", colecção Berardo, diariamente, Cerro da Vila, Vilamoura, Loulé. EXPOSIÇÕES PERMANENTES > Pinturas de Cliff Martin Tuson, todos os dias, 10h00-22h00, Galeria Lynne Tuson, Bensafrim, Lagos. Museu de Portimão Terça-feira: 14h30-18h00 Quarta a Domingo: 10h00-18h00 Permanente "Exposição “Portimão – Território e Identidade” Exposição "Algarve - Do reino à região" Até 05/02 - "Do Gharb ao Algarve: Uma socie-dade Islâmica no Ocidente", Câmara Municipal de Silves. Até 18/07 - "Cidades e Mundos Rurais", Museu Municipal, Tavira. Até 14/05/2012 - "Sombra e Luz - O Século XIX no Algarve", Museu do Trajo, São Brás de Alportel. Até 18/05/2012 - "Alcoutim, Terra de Fronteira", Câmara Municipal de Alcoutim. Diariamente Galeria de Arte de Vila Sol Art & Nature Vila Sol, Vilamoura Galeria de Pintura ATT - Exposição Coletiva São Lourenço, Almancil

[FEIRAS E MERCADOS] 2 e 3 - Feira tradicional de São Brás, junto ao Mercado Municipal, São Brás de Alportel. 5 - Feirinha de Colecionáveis, 10h00 - 13h00; 14h00 - 18h00, na Biblioteca Municipal de Lagos. 5, 12, 19 e 26 - Reforma Agrária - Lagos Mercado de Levante (Todos os sábados) Venda de produtos hortícolas de produtores locais VELHARIAS 5 - Algoz (Silves), Tavira, Vila Nova de Cacela (VRSA). 6 - Aljezur, Olhos de Água (Albufeira), Fuzeta (Olhão), Portimão. MERCADOS 3 - Ameixial (Loulé), Fuseta (Olhão), Azilheira (Silves), Vila do Bispo. 4 - Alcantarilha (Silves), Sagres (Vila do Bispo). 5 - Paderne (Albufeira), Benafim (Loulé), Loulé, São Brás de Alportel, São Marcos da Serra (Silves). 6 - Lagos, Almancil (Loulé), Azinhal (Loulé), Moncarapacho (Olhão), Vila Real de Santo António. 7 - Portimão, Vila do Bispo. 9 - Quarteira (Loulé).

[FESTAS E FESTIVAIS] De 7 a 12 - Festa da Laranja, Preço especial. degustações e demonstrações culinárias, no Mercado Municipal de Portimão

[LITERATURA]

5 - Comunidade de Leitores, Livro a Ler: A Viagem do Elefante, de José Saramago, 17h30, no Café Concerto, no TEMPO - Teatro Municipal de Portimão.

[TEATRO ]

Até 6/3 -- 6.ª Edição Teatro no Inverno, Espaço da Corredoura, Tavira: sex e sáb - 21h30 4 e 5 - "Mil Rumis" (Leela Teatro).

3 I fevereiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

[LIVRO]

Uma Atracção Irresistível Irmã Raquel Silva A irmã Raquel Silva, do Mosteiro da Visitação, de Vila das Aves, escreveu “Uma Atracção Irresistível” a pedido de vários pessoas, depois do programa “Em Reportagem”, da RTP, ter abordado o caso da sua vocação, um trabalho do jornalista Alberto Serra. O jornalista conheceu a irmã Raquel Silva por casualidade e chamou-lhe a atenção o facto de ser tão nova (na altura 32 anos, hoje 35) e estar num mosteiro. Interessou-se pela sua história e fez a reportagem, intitulada “Tão Novinha e Monja”. Ao escrever este livro, além de partilhar o seu percurso com o leitor, a irmã Raquel Silva teve em conta o seu conhecimento acerca da sociedade actual e as reacções das pessoas ao programa, bem como as perguntas que lhe fizeram depois de verem a reportagem. O livro é composto por três capítulos, que abordam a sua conversão e vocação, o sentido da vida religiosa contemplativa, bem como a questão do sofrimento e da fé. “O tema deste último capítulo foi motivado pelo facto de cerca de metade das pessoas que nos telefonaram, depois da emissão do programa, estarem a viver situações de grande sofrimento e se terem sentido reconfortadas com o programa”, frisa a irmã Raquel Silva. O livro tem, ainda, um anexo sobre a Visitação e um conjunto de fotografias das irmãs no seu quotidiano. Trata-se de um livro breve, apenas 96 páginas, com uma linguagem simples e directa, “porque desejo que o leitor se sinta como se estivesse em diálogo comigo”, explica a autora. Edições Tenacitas

"


P

3 I fevereiro I 2011

UBLICIDADE

[22]

www.jornaldoalgarve.pt

JORNAL do ALGARVE

[CLASSIFICADOS]

[NECROLOGIA]

ALUGA-SE

>Transacções [IMÓVEIS]

VENDE-SE

Garagem para 5 lugares em Vila Real de Santo António. Contactar: Telf. 914 235 404 281512 335

T1/T2 em Monte Gordo. Bom preço. Telf. 281 512 335/914 235 404

[DIVERSOS] Recheios

V.R.STO. ANTÓNIO OPORTUNIDADE Vende-se Duplex, c/3 quartos, 2 wc, sala c/lareira, cozinha e varandas, 2.º andar, na Urbanização das Amendoeiras Telef. 281 513 321, 281 512 335 ou 965 042 207

VENDE-SE Moradia nas Hortas em Vila Real de Santo António

COMPRO Antiguidades; Louças/Livros; Pratas/Pinturas; Móveis Contactos: 917 341 265 918 209 788

VENDE-SE Cães de raça yorkshire. ContactarTelm. 914 821 637

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO (Mértola)

>SERVIÇOS [VÁRIOS]

Serviço de entregas de comidas ao domicílio do grupo CORAÇÃO DA CIDADE

Tel. 966 970 771

Informação diária de todos os pratos

EXECUTAM-SE Resguardos para banheiras, polibans e redes mosquiteiras. Telemóvel: 968 603 046

Contactar telef. 281 511 335 281 513 321 965 042 207

LA MAMÃ

VENDE-SE Lotes de terreno c/ projecto aprovado em Vila Real de Santo António. Contactar 281 512 335/965 042 207

>Profissões Liberais

CENTRO Vende-se LOJA c/92,5 m2 R. da Liberdade, 80 (antiga Singer) 918 477 219

VENDE-SE Vivenda com piscina em Vila Real de Santo António Contacto: 281 513 321/965 042 207

só ao almoço

[MÉDICOS]

EDUARDO LARES

TAVIRA

Monte Gordo - Menu Pizzeta - ¤ 6,10 - Menu do Dia - ¤ 7,60 (bebida incluída)

OFTALMOLOGISTA

Cirurgião Ocular Cirurgia da Miopia

Consultas: V.R.S.A. - Tel.: 281 513 343 Tavira - Tel.: 281 380 660

CENTRO DE OFTAMOLOGIA DO ALGARVE Eduardo Lares FARO Tel. 289 895 560

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

Monte Gordo - Diariamente pratos do dia económicos, com serviço de take away

LA MAMÃ PIZARIA 100% Italianíssima Monte Gordo Vendem-se pizzas e pastas para fora com 20% de desconto

Rua 25 de Abril n.º 32 Tel. 281 541 414 Rua João de Deus nº 86 Tel. 281 512 736

>EMPREGO PRECISA-SE

TAVIRA

CENTRO DE EMPREGO DE F ARO FARO PROFESSOR/A DE ENSINO BÁSICO - 587739692 FARO SERRALHEIRO CIVIL (ALUMÍNIO) - 587741346 S.BRÁS DE ALPORTEL COZINHEIRA/O - 587741725 FARO COZINHEIRA/O - 587741727 FARO MONITOR GIMNO -DESPORTIVO - 587742363 CHEFE DE CAFETARIA - 587740083 FARO SECRETÁRIA/O - 587743213 FARO TRAÇADOR/FACEADOR (CORTIÇA) - 587737201 S. BRÁS DE ALPORTEL ELECTRICISTA AUTO - 587741890 FARO CENTRO DE EMPREGO DE LAGOS

LA MAMÃ

FUNERÁRIAS PEDRO & VIEGAS E PATROCÍNIO

TÉCNICO DE RECURSOS HUMANOS (COM FORMAÇÃO DE NÍVEL 5 DE HST) 587742896 LAGOS MECÂNICO DE AUTO 587735767 VILA DO BISPO PESCADOR - 587743141 SAGRES ESTUCADOR - 587746711 LAGOS

Rua Dr. Miguel Bombarda n.º 25 Tel. 281381881 - 281323983

LUZ DE TAVIRA Est. Nac. 125 N.º 32 Tel 281 961 455

Manuel Cavaco Palma Nasceu a 02-04-1945 Faleceu a 18-01-2011

AGRADECIMENTO

Responsável Técnico Idalécio Pedro Telm. 964 006 390

Esposa, filho, nora, neta e restante família agradecem reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram a acompanhar o ente querido à última morada ou que de qualquer outro modo manifestaram o seu pesar.

Serviço fúnebres com urna estofada no valor de 500 euros, oferta de coroa de flores artificiais e cartões memoriais. Solicite orçamento antes de se decidir

CENTRO DE EMPREGO DE V V.. REAL STO STO.. ANTÓNIO

SEMPRE GENTIL

VIGILANTE (GUARDA, RONDISTA) - 587638840 TAVIRA-VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO CABELEIREIRO - 587738906 CASTRO MARIM 587736480 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO/TAVIRA TÉC. VENDAS - 587735665 TAVIRA/VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO PASTELEIRO - 587741876 TAVIRA COZINHEIRO - 587744054 ALCOUTIM TÉCNICO DE PREVENÇÃO E SEGURANÇA - 587721325 TAVIRA

ONSO Gerência de MANUEL AF AFONSO

Sempre o melhor serviço ao melhor preço

Agência Funerária Funerais, TTrasladações rasladações e Cremações R. Jacinto José de Andrade, n.º 73 8900-313 Vila Real de Santo António Tel/Fax 281 542 835

Telem. 966 208 591 - 913 328 44

SER VIÇO PERMANENTE SERVIÇO

AGÊNCIA FUNERÁRIA

VAZ Gerência de Fernando Vaz Funerais, Trasladações e Cremações Rua Poente ao Palácio da Justiça, 6 (Junto ao Tribunal) V.R.Sto. António Telefones: (serviço permanente) 281 511 438 ou 964 075 215

AVISO

ALUGA-SE Espaço comercial em Monte Gordo com 110 m2 Contactar: Telf. 281 512 335/914 235 404 Telf. 289 80 27 86

Moradia V5 em zona residencial do Ameal, Porto, a 800 metros do Colégio Luso-Francês

8000 FARO

LA MAMÃ Monte Gordo - Todos os dias menu completo por ¤ 9,50 (bebida incluída)

Preço:

250 000 euros (negociável) Favor contactar

917 303 224

JORNAL do ALGARVE Faça aqui o seu anúncio contacte-nos Tel. 281 511 955

Nos termos do n.º 2, do art.º 78.º do Decreto - Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro republicado pelo Decreto-Lei n.º 26/2010 de 30 de Março, torna-se público que a Câmara Municipal de Portimão emitiu em 22/07/2010, o Aditamento ao Alvará de Loteamento n.º 01/1992 e seu aditamento de 13/04/2000, em nome de SEMGRUA, Sociedade de Construção Civil, Lda. portadora do cartão de pessoa colectiva n.º 505352940, com sede na Rua Heliodoro Salgado, n.º 45 – 2.ºDrt., Queluz, na sequência de deliberação camarária de 14/07/2010, através do qual foi licenciada a alteração ao loteamento do prédio sito nos Três Castelos – Praia da Rocha, freguesia e concelho de Portimão, que consiste no aumento do n.º de lotes de cinco para seis, na anexação de uma parcela de terreno pertencente ao domínio público municipal, com a área de 1.121,19 m2 e na divisão do lote 5, descrito na Conservatória do Registo Predial de Portimão sob o n.º 03999/260292 e inscrito na matriz urbana sob o art.º 14117, em dois lotes (lote 5 e lote 6). Área abrangida pelo Plano Director Municipal. Operação de alteração ao loteamento com as seguintes características: Área total do loteamento passou de 19.900,00 m2 para 21.021,19 m2; Número de lotes passou de 5 para 6; Área do lote n.º 5 passou de 4.453,00 m2 para 2.831,84 m2; Área do lote n.º 6 - é de 1.546,47 m2, destinado a estacionamento; Áreas para integração no domínio público municipal: a área de 2.155,29 m2, destinada a estacionamento; a área destinada a infra-estruturas viárias, que passou de 8.377,00 m2 para 7.417,59 m2, mantendo-se a área de 400,00m2 já cedida destinada a espaços verdes; Áreas de cedência para integração no domínio privado municipal: a área de 1.546,47 m2, que constitui o lote 6, mantendo-se a área de 900,00 m2, já cedida. Presidente da Câmara Municipal de Portimão, Manuel António da Luz, Lic.

(Jornal do Algarve, 3/2/2011)


A

GENDA

[23]

JORNAL do ALGARVE

[CINEMAS] FARO SBC CINEMAS - Fórum Algarve 3 a 9 fevereiro Sala 1 “A Outra Vida” 15h30, 18h15, 21h00 (diariamente) 23h45 (sexta e sábado) “As Crónicas de Nárnia: A Viagem do Caminheiro da Alvorada” 10h40, 13h10 (sábado e domingo) Sala 2 “O Turista” 14h10, 16h30, 18h50, 21h20 (diariamente) 23h50 (sexta e sábado) “Megamind” 10h30 (sábado e domingo) Sala 3 “O Amor é o Melhor Remédio” 14h15, 16h50, 19h20, 21h50 (diariamente) ; 00h20 (sexta e sábado) Sala 4 “72 horas” 12h40 (sábado e domingo) 15h30, 18h20, 21h10 (diariamente) 00h00 (sexta e sábado) Sala 5 “Cisne Negro” 12h15 (sábado e domingo) 14h40, 17h05, 19h30, 22h00 (diariamente) ; 00.25 (sexta e sábado) Sala 6 “Green Hornet” ESTREIA 11h00 (sábado e domingo) 13h40, 16h20, 18h55, 21h30 (diariamente); 00h10 (sexta e sábado) Sala 7 “As Viagens de Gulliver” 11h50 (sábado e domingo) 19h35 (diariamente) “Um Ano Mais” 13h50, 16h40, 21h40 (diariamente) “Não há família pior” 00h35 (sexta e sábado) Sala 8 “Gru – O Maldisposto V.P.” 10h15, 12h25 (sábado e domingo) “Vais conhecer o Homem dos teus Sonhos” 14h35, 16h55, 19h10, 21h25 (diariamente) 23h40 (sexta e sábado) Sala 9 “Não há família pior” 11h15,13h30 (sábado e domingo) 15h45 (diariamente) “Biutiful” 18h00, 21h05 (diariamente) 00h15 (sexta e sábado) GUIA Algarve Shopping 3 a 9 fevereiro Sala 1 "Entrelaçados" 12h50, 14h55, 17h00, 19h05 - qui a qua "Tron: O Legado" 21h15, 23h50 - qui a qua Sala 2 "Green Hornet" 13h15, 15h50, 18h25, 21h30, 0h00 - qui a qua Sala 3 "O Turista" 13h10, 15h20, 18h35, 21h25, 23h35 - qui a qua Sala 4 "Hereafter - Outra Vida" 12h55, 15h30, 18h10, 21h00, 23h40 - qui a qua Sala 5 "Vais Conhecer o Homem dos Teus Sonhos" 12h45, 15h00, 17h05, 19h10 - qui a qua "Biutiful" 21h10, 0h05 - qui a qua Sala 6 "As Viagens de Gulliver" 13h25, 15h15, 17h10, 19h00, 21h40, 23h30 - qui a qua Sala 7 "O Amor é o Melhor Remédio" 13h05, 15h25, 18h15, 21h20, 23h55 - qui a qua

CINEMAS I MÚSICA FARMÁCIAS I CRÍTICA

Sala 8 "O Cisne Negro" 13h20, 15h45, 18h30, 21h35, 0h10 - qui a qua Sala 9 "72 Horas" 13h00, 15h40, 18h20, 21h05, 23h45 - qui a qua * Sessão Válida 6ª e sáb

OLHÃO ALGARCINE 3 a 9 fevereiro Sala 1 "As Aventuras de Sammy: A Passagem Secreta" Diariamente - 14h00 dab/dom - 10h45 "Green Hornet" ESTREIA Diariamente - 15h30/18h30/21h30 sex/sáb - 23h45 Sala 2 "Secretariat" - ESTREIA Diariamente - 13h00/15h20/ 18h20/21h20 sex/sáb - 23h40 Sala 3 "Entrelaçados" Diariamente - 14h00/16h00 sáb/dom - 10h40 "O Turista" Diariamente - 18h15/21h15 sex/sáb - 23h15 PORTIMÃO ALGARCINE - Portimão 3 a 9 fevereiro Sala 1 "Green Hornet" ESTREIA Diariamente - 15h30/18h00/21h30 sex/sáb - 00h00 Sala 2 "As Viagens de Gulliver" Diariamente - 14h00/15h45 "Complexo: Universo Paralelo" Diariamente - 18h15 "Hereafter - Outra Vida" Diariamente - 21h45 sex/sáb - 00h00 TAVIRA Cine-teatro António Pinheiro 21h30 3 - “Histórias da Idade de Ouro” 6 - “A Verdade da Crise” LUSOMUNDO - Gran Plaza Tavira 3 a 9 fevereiro "Green Hornet" 12h50, 15h30, 18h30, 21h30, 00h20(6ª a sáb.) "Hereafter – Outra Vida" 12h55, 15h35, 18h20, 21h05, 00h00(6ª a sáb.)

PREVISÕES

"72 Horas" 13h00, 15h50, 18h40, 21h20, 00h10(6ª a sáb.) "Entrelaçados" 10h50(dom) "As Viagens de Gulliver" 13h20, 15h40, 18h10 "Tron" 21h00, 23:50(6ª a Sáb.) "O Turista" 13h30, 16h00, 18h20, 21h10, 23:40(6ª a sáb.)

[MÚSICA] 4 - 5.ª Gala Maria Campina, 21h30, no Auditório Pedro Ruivo, Faro. > Sétima edição do Festival de Flamenco de Faro, Jesus Herrera y su Quadro Flamenco, no Teatro das Figuras, Faro. 5 - Concerto de Homenagem a José Saramago - Orquestra do Algarve, Maestro Osvaldo Ferreira, 21h30, no TEMPO - Teatro Municipal. > -Concerto de “Os Golpes”, 22h30, Salão Polivalente da Casa do Povo de Santo Estêvão, Tavira. 8 - Orquestra do Algarve, inicia no Teatro das Figuras, em Faro, mais um Ciclo de Concertos Pedagógicos. 10 - Noiserv, 21h30, no Teatro Lethes, Faro. 11,12 - Concerto com o Trio "Amar Guitarra & Betty M.", 22h00, no Cantaloupe Café, nos Mercados de Olhão. Até 12/2 - V Concurso de Fado Amador de V.R.Sto. António, 21h30, Centro Cultural António Aleixo, VRSA. 5 a 26 - Festival Sons do Fado 5 - 1.ª Eliminatória, 16h00, Parchal 12 - 2.ª Eliminatória, 16h00, Carvoeiro. 19 - 3.ª Eliminatória, 16h00, Porches 26 - Final, 21h30, Auditório Lagoa. Diariamente - Espetáculo "Divina Comédia", 22h30, encerra às segundas e terças, no Casino de Monte Gordo. - Espetáculo "Os 4 elementos do Zodíaco", 22h30, encerra às segundas e terças, na Praia da Rocha - Hotel Algarve Casino, Portimão. Janeiro a Abril - "Fado ao Jantar", todos os domingos, no Restaurante A Vela, Carvoeiro, Lagoa.

VENDE-SE Designação: Fracção urbana designada pela letra “B” pertencente ao prédio urbano descrito na Conservatória do Registo Predial de Portimão sob o n.º 4129/19920504, freguesia de Portimão, e inscrito na respectiva matriz predial sob o artigo urbano n.º 5218. Localização: Quinta do Amparo - Lote 41 - Portimão. Composição: a fracção corresponde a um Rés-do-chão, destinado a habitação, composto por sala, kitchenette, corredor, 2 quartos, WC e varanda. Valor Base de Venda: ¤ 70.000,00 (setenta mil euros). A Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Algarve, com sede na Rua de Santo António n.º 123 em Faro, aceita propostas de compra até às 15 horas do dia 17 de Fevereiro de 2011. Condições de pagamento: 30% do valor na data de aprovação da proposta e o restante até à escritura pública a realizar num prazo máximo de 2 meses. Notas: - A CCAM do Algarve reserva-se o direito de não efectuar a venda se não for atingido o valor base anunciado, prosseguindo ou não com negociações directas; - As propostas deverão ser enviadas ou entregues em envelope fechado, contendo a respectiva denominação, dentro de outro envelope dirigido à C.C.A.M. do Algarve – Av.ª Maria Lizarda Palermo, 8700-081 Moncarapacho; - As propostas deverão identificar o imóvel e o valor proposto. Para qualquer esclarecimento adicional, contactar a Área Administrativa e do Património, telefone nº. 289 790 400 ou pelo email – ccalg.admpat@creditoagricola.pt. (Jornal do Algarve, 03/02/2011)

Hoje - Céu geralmente limpo. Vento fraco. Temp min. 6º máx. 16º Sexta-feira - Céu pouco nublado. Vento fraco. Temp min. 6º máx. 15º Sábado - Céu geralmente limpo. Vento moderado. Temp min. 9º máx. 17º Domingo - Céu geralmente limpo. Vento moderado. Temp min. 10º máx. 16º

[FARMÁCIAS] ALBUFEIRA > 3, 4 - Santos Pinto; 5 a 9 - Piedade. ALCOUTIM > 3 a 9 - Caimoto. ALJEZUR > 3 a 9 - Furtado. ALMANCIL > 3 a 6 - Nobre Passos; 7 a 9 - Paula. ARMAÇÃO DE PÊRA > 3, 4 - Sousa Coelho; 5 a 9 - Edite. CASTRO MARIM > 3 a 9 - Moderna. FARO > 3 - Helena; 4 - Alexandre; 5 - Crespo Santos; 6 - Palma Batista; 7 - Almeida; 8 - Montepio; 9 - Higiene. LAGOA > 3, 4 - José Maceta; 5 a 9 Sousa Pires. LAGOS > 3 - Neves; 4 - Ribeiro Lopes; 5 - A Lacobrigense; 6 - Silva; 7 - Telo; 8 - Neves; 9 - Ribeiro Lopes. LOULÉ > 3 - Chagas; 4 - Pinheiro; 5 Pinto; 6 - Avenida; 7 - Martins; 8 - Chagas; 9 - Pinheiro. MONCHIQUE > 3 a 6 - Moderna; 7 a 9 - Hygia. ODECEIXE > 3 a 9 - Odeceixence. OLHÃO > 3 - Rocha; 4 - Pacheco; 5 Progresso; 6 - Olhanense; 7 - Nobre Sousa; 8 - Brito; 9 - Rocha. PORTIMÃO > 3 - Amparo; 4 - Arade; 5 - Guilherme Dias; 6 - Central; 7 - Pedra Mourinha; 8 - Moderna; 9 - Carvalho. QUARTEIRA > 3, 4 - Algarve; 5 a 9 Maria Paula. SAGRES > 3 a 9 - Sagres. S. BARTOLOMEU MESSINES > 3 a 6 - Sequeira Correia; 7 a 9 - Algarve. SÃO BRÁS DE ALPORTEL - 3 - Dias Neves; 4 - S. Brás; 5 a 7 - Dias Neves; 8 - S. Brás; 9 - Dias Neves. SILVES - 3 a 5 - ASM João de Deus; 6 a 9 - Cruz de Portugal. TAVIRA - 3 - Maria Aboim; 4 - Central; 5, 6 - Felix Franco; 7 - Sousa; 8 - Do Montepio; 9 - Maria Aboim. VILA DO BISPO - 3 a 9 - Vila do Bispo. VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO - 3, 4 - Carrilho; 5 a 9 - Carmo. Serviço permanente (24h): Alcantarilha (Maria Sequeira), Algoz (Monteiro), Alvor (Alvor), Areias S. João (Godinho Belo), Boliqueime (Cruz Ramos), Carvoeiro (Neves Furtado), Estoi (Ossónoba), Fuzeta (Mendes Segundo), Montenegro (Assunção), Praia da Luz (Praia da Luz), Vilamoura (Silva), Luz de Tavira (Maria Isabel), Monte Gordo (Internacional), S. Marcos da Serra (São Marcos), Guia (Neves Silva), Odiáxere (Moreira Barata), Estômbar (Vieira Santos), Alte (Horta Figueiredo), Sta. Catarina da Fonte do Bispo (Bota), Conceição de Faro (Leonardo), Praia da Rocha (Palma Santos), Ferragudo (Oliveira Martins), Ferreiras (Marques Silva), Mexilhoeira Grande (Ilda), Patacão (Huguette Ribeiro), Sta. Bárbara de Nexe (Coelho), Sta. Luzia (Picoito), Sto. Estêvão (Cesário Tavares), Olhos de Água (Olhos d'Água), Pêra (Paula Santos), Moncarapacho (Soares), Benafim (Rodrigues), Pechão (Pechão), Aeroporto de Faro, Portimão (Três Bicos), Conceição de Tavira (Conceição), Vila Nova de Cacela (Cacela).

3 I fevereiro I 2011 www.jornaldoalgarve.pt

[AVARIAS] Um artigo sobre determinados problemas que nos afectam ao nível Fernando Proença da linguagem (subsídios para o seu estudo) Vejo aos bochechos o Gil Vicente, versus Fê Cê Pê, e, exactamente na altura em que escrevo estas linhas, desconheço o resultado. Esta taça da Liga parece-me uma coisa manhosa que tirando uns dinheiros que se vão ganhando e uns jogos que se vão perdendo, só interessa mesmo a quem vai à final. Por isso desliguei o televisor antes de saber o resultado. Aliás, faço aqui uma ressalva: não interessa mesmo saber quem vai à final, mas apenas quem ganha. A SIC que ficou com a transmissão lá vai tentando dar a tudo aquilo uma importância que na realidade não tem. Inventa jogos importantes onde eles não existem e leva Rui Santos a fazer de cada um dos momentos da sua intervenção, a missão de transformar a língua portuguesa num soufflé (muito aspecto e pouca consistência), não fossemos nós pensar que ali estava menos que um revolucionário da língua de Camões. Rui Santos – para quem não sabe e só para quem não sabe – é um dos grandes seguidores e reeinventadores do manuelmachadês, (treinador da equipa de futebol do Vitória de Guimarães), personagem simpática e com grande capacidade de dar volume e espessura ao vocabulário corrente do português. Em manuelmachadês, um mau jogador nunca é um mau jogador, mas deve ser sim, um atleta que não possui as capacidades motoras e mentais que permitem a um individuo recolher as ferramentas que lhe conduzem a ser um intérprete com qualidades, pensando objectivamente em performances, no que respeita às suas acções técnico - tácticas. Pois fazendo jus à grande capacidade de seguir a via para o aprofundamento da língua, demonstrado por Manuel Machado, lá tivemos o sucedâneo (mais palavroso, menos simpático e menos inteligente) Rui Santos declarando que Villas Boas escalou a equipa do Porto, no tal jogo com o Gil Vicente “… num processo de aquisição de minutos por parte de alguns jogadores”. Isto tudo para dizer que Villas Boas, pôs em campo gente que joga menos tempo. Gostava de saber o que move esta malta? Será o complexo de jornalista na área desportiva? E se querem saber como se faz um português adepto de manuelmachadês, basta ouvir com atenção um dos fóruns que pululam por essas rádios e televisões. Se os intervenientes se limitassem a dizer o que pensam, sem adornar a linguagem, duravam metade do tempo: logo, o mqanuelmachadês faz render o peixe. Lembro-me de em tempos um conhecido pivot de telejornais da nossa praça ter declarado numa entrevista, que considerava indigno (as palavras são minhas, mas o sentido era este), ter feito a apresentação de programas desportivos. Hoje, anda pela redacção séria, mas a mim pessoalmente (já repararam na frase? Já comecei a ficar contagiado:”…a mim pessoalmente”. Será pedir muito para me deixarem escrever sobre política externa e a variação do preço do melão pele de sapo?), não deve ter ganho muito com a troca. Um jornalista português que abandona a área desportiva (serve também a caça, a apresentação de automóveis e a música) e que se entrega à nossa política desce ou sobe de nível? Eu cá não sei, mas atendendo à falta de qualidade dos políticos, não apostava nada acima do vinte euros.


JA COLABORA NA RECICLA GEM ECICLAGEM O Jornal do Algar Algarvve está a colaborar na reciclagem de papel, reutilizando e utilizando sobras. Desta fforma orma pre prett endemos sensibilizar os nossos leit ores para a luta contra o plástico leitores (utilizado por div er sos jornais e re vistas diver ersos revistas na eexpedição xpedição por correio) e para a necessidade de se def ender o meio ambient e. defender ambiente.

www.jornaldoalgarve.pt

REDACÇÃO/ADMINISTRAÇÃO/PUBLICIDADE Tels. 281511955/6/7 - Fax 281511958 - e-mail: jornaldoalgarve@hotmail.com; faro@jornaldoalgarve.pt; portimao@jornaldoalgarve.pt Rua Jornal do Algarve, 46 - Apartado 23 8900-315 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

Castro Marim recebe exposições do Instituto Geográfico do Exército Primeira das três mostras previstas foi inaugurada esta terça-feira. Seguem-se mais duas, em março e abril O Regimento de Infantaria nº 1 de Tavira, em colaboração com a Câmara Municipal de Castro Marim, está a promover o denominado Ciclo de Exposições do Instituto Geográfico Português do Exército, na vila de Castro Marim, que decorre ao longo dos meses de fevereiro, março e abril. O ciclo temático foi inaugurado na última terça-feira, com a exposição “Operações Militares no Norte de Portugal durante as Invasões Francesas”, que vai estar patente ao público, na Igreja do Castelo, durante todo o mês de fevereiro, diariamente, das 09h00 às 17h00. Esta primeira, das três exposições previstas, integrou as comemorações do bicente-nário da Guer-

ra Peninsular, realizadas pelo Exército Português, e retrata as efemérides ocorridas no período da segunda Invasão Francesa, entre fevereiro e maio de 1809. De acordo com o presidente da Câmara de Castro Marim, esta iniciativa pretende “não só estreitar laços com o Regimento de Infantaria de Tavira, mas também dinamizar o património histórico de Castro Marim”. “Temos que homenagear o nosso passado e o nosso património. Não podemos permitir que ele se vá desmoronando, como tinha acontecido até há pouco tempo”, afirmou José Estevens, frisando que estas iniciativas também são um modo de promo-

ver Castro Ma-rim e de atrair mais visitantes. Por seu turno, o coronel Pereira da Silva, comandante do Regimento de Infantaria de Tavira, explicou que esta exposição é apenas um dos exemplos da cinergia que o Exército pode levar a cabo com a sociedade civil. “O Exército voltou a esta região após 15 anos de ausência e quer abrir-se à população. Queremos mostrar que somos uma instituição aberta e que podemos ser, por exemplo, um parceiro cultural”, explicou. “Finis Portugalliae” é o nome da segunda mostra, que aborda acontecimentos deter-minantes na delimitação da fronteira terrestre e os confli-

tos inerentes, divulgando o excelente trabalho a nível da cartografia e da arquitectura militar em Portugal. Estará visitável, no Centro de Interpretação do Território do Revelim de Santo António, no mês de março, diariamente, entre as 10h00 e às 19h00. A encerrar o ciclo de exposições do Instituto Geográfico Português do Exército, em Castro Marim, estará

Património e Cultura marcaram 23º aniversário da cidade de Loulé > SOFIA CAVACO SILVA Loulé assinalou a data da elevação a cidade na passada terça-feira e a autarquia aproveitou para colocar à disposição da população novos espaços de cariz social, cultural e até patrimonial. Entre as quais se destacam as inaugurações da reabilitada Ponte de Álamos, na Ribeira do Cadoiço, da Oficina/ Museu do Carnaval e da creche "Nova Terra", na freguesia de S. Clemente. Foram ainda colocados em curso os novos circuitos dos Transportes Urbanos de Loulé. O momento alto foi a reabertura do Cine-Teatro Louletano no final do dia e o concerto inaugural protagonizado por Mário Laginha. Um evento que teve uma procura tão vasta que obrigou a organização a programar mais um concerto que se realizou ontem à noite. As obras realizadas na modernização deste famoso edifício implicou um investimento

superior aos 3,5 milhões de euros. "Hoje damos a este Cine-Teatro nova vida e um novo ciclo se abre", afirmou Seruca Emídio que vê no Cine-Teatro mais uma prova viva de afirmação de "uma política de preservação do património e de desenvolvimento cultural e da história local".Quanto à programação que vai dar vida a este espaço, adiantou que deverá ser uma programação simples "mas de qualidade que vá ao encontro dos diversos públicos e que alcance diferentes géneros de espetáculos".

Obras de correção no Largo de S. Francisco As atividades comemorativas começaram, logo pela manhã, no Mercado Municipal onde muitos munícipes quiseram conhecer o projeto de alterações do Largo de São Francisco. Seruca Emídio admite que esta poderá ser uma intervenção questionável. Contudo, diz que foi a insistência da população que apresentou o seu

patente ao público, no Revelim de Santo António, “Cursos e Percursos para o Mar Oceano”, durante o mês de abril, todos os dias, das 10h00 às 19h00. Através desta exposição, o visitante ficará a perceber a importância dos rios portugueses e o seu contributo na delimitação natural e consolidação da nossa extensa região fronteiriça.

Gripe A apontada como causa de morte de jovem

descontentamento com as obras realizadas naquele espaço à poucos anos que originou um projeto de alterações. A intervenção projetada deverá devolver a continuidade entre o Largo e a Rua 5 de Outubro, mais conhecida por Rua das Lojas, sendo para o efeito retirado um dos pontos mais criticados: o lago. Frente à Igreja de São Francisco irão ser colocadas mais árvores, irá ser alargada a zona de calçada, serão incluídos mais bancos e o repuxos vão permanecer embora reprogramados por forma a criarem um jogo de luzes e água. A intervenção irá ser custeada pela autarquia através do sistema de ajuste direto que é aplicável a despesas inferiores a 150 mil euros. Não adiantando valores exatos, Seruca Emídio garantiu que o valor deste investimento deverá ser significativamente inferior a este plafond. O executivo municipal vai definir agora o início das obras que pretende que tragam o menor incómodo para quem reside e trabalha na zona.

Uma jovem, de 27 anos, do concelho de Castro Marim, faleceu esta semana no Hospital de Faro com sintomas que levam a crer tratar-se de um caso de gripe A. As informações obtidas permitem adiantar que a jovem recorreu ao Centro de Saúde de Vila Real de Santo António tendo sido encaminhada para o Hospital de Faro dada a gravidade do quadro clínico. Após a admissão nos serviços do Hospital a jovem terá entrado em coma, vindo posteriormente a falecer. Em esclarecimentos prestados ao JA, a direção clínica do Hospital de Faro garante que “todo o atendimento teve uma abordagem adequada à evolução da situação clínica em cada momento”. Atendendo aos protocolos do Hospital e “por se tratar de uma situação clínica que culminou no falecimento de uma jovem, o Hospital de Faro está a proceder a uma revisão de todo o processo”. Lamentando o falecimento da jovem a direção disponibiliza-se a prestar todos os esclarecimentos aos familiares. Ao JA, a direção clínica diz não poder prestar mais informação clínica em virtude da proteção de dados pessoais da jovem.

5GKKCGP*jhcfbe+[K\C\S\B\A

NÃO SE DECIDA SEM VISITAR O APARTAMENTO MODELO

APARTAMENTOS DE QUALIDADE JUNTO

AO

GUADIANA

T1, T2, T3 EM DUPLEX PARQUEAMENTO PRIVATIVO

www.isrconstrucoes.com

Telf.: 281 510 240

Fax: 281 510 249

e-mail: isrgeral@mail.telepac.pt

Edição nº2810 | 3 fevereiro 2011  

Edição digital do Jornal do Algarve

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you